Page 38

Ao nível da capacidade de sobrevivência é de salientar o facto de a sua guarnição permanecer dentro do Obus durante toda a missão de tiro, garantindo maior proteção à sua guarnição. Está ainda equipado no seu interior com um sistema automático de extinção de incêndios, e também com um gunnerprotection kit (GPK1) que possui uma blindagem melhorada que garante proteção contra armas ligeiras e estilhaços de Artilharia. O grupo da torre está equipado com proteção Kevlar, bem como proteção Nuclear, Biológica ou Química (NBQ). Todos estes aspetos aliados à rapidez de execução de tiro bem como a ocupação de uma nova posição garantem maior capacidade de sobrevivência tanto à sua guarnição com às unidades de manobra (BAE SYSTEMS, 2018). No respeitante à sua disponibilidade operacional, além das alterações sofridas ao nível do grupo do casco, a torre passou a ser operada exclusivamente por motores elétricos, tendo sido abolido o sistema hidráulico, que exigia elevada manutenção e potenciais falhas, face à sua complexidade. Em caso de avaria de algum dos motores elétricos que garante a operação em direção e elevação, é possível substituí-lo em apenas 15 minutos, retomando o obus a sua operacionalidade. No seu interior possui um computador de bordo que efetua o diagnóstico de qualquer anomalia que o equipamento tenha sofrido, facilitando assim a manutenção do próprio. Em consequência das alterações referidas, esta versão faz face às situações mais exigentes no terreno, com grande mobilidade e garantindo uma resposta precisa e oportuna às unidades de manobra em operações de alta intensidade (Army Technology, 2018). Com base numa comparação entre os dois sistemas através das suas características gerais verifica-se desde logo a redução da guarnição da versão M109 A7 relativamente à versão M109 A5, tal facto resulta da inovação tecnológica e maior automaticidade deste material. A versão M109 A7 possui carregamento automático, destacando-se também o facto de o seu apoio de marcha funcionar automaticamente, não sendo necessário abandonar o interior do obus para soltar ou fixar o tubo canhão. O peso é outra das característi1 2 3

Características M109 A7 VS M109 A5 M109 A 7 País de Origem Guarnição

EUA 4

6

35,380 Kg

25,000 Kg

Comprimento

9,7 m

9,17 m

Largura

3,9 m

3,15 m

Altura

3,7 m

3,28 m

Peso e Dimensões Peso

Armamento Arma principal

Tubo Canhão M284 155 mm

Comprimento do tubo canhão

39 calibres

Arma Auxiliar

Metralhadora Pesada 12,7 mm

Alcance máx.

24 Km (munição convencional) 30 Km (com munições RAP2) 40 Km (munição assistida)3

Cadência máx. de tiro Pontaria Velocidade máx. cas que diferem substancialmente sendo a versão M109 A7 a que apresenta maior peso passando mesmo 10,000 kg de diferença comparativamente com a versão M109 A5, sendo resultante da melhoria da proteção sofrida quer no grupo do casco quer no grupo de torre, comparativamente aos equipamentos suplementares anteriormente referidos que atribuem uma melhor performance a este equipamento. Relativamente ao seu armamento orgânico principal, o tubo canhão permanece igual à versão M109 A5. A versão M109 A7 mantém a possibilidade de colocação de uma metralhadora pesada de calibre 12,7 mm, com a particularidade de possuir maior proteção ao comandante de secção face aos novos escudos que envolve o atirador. No que aos alcances respeita, mantêm-se os números da versão M109 A5 com um alcance máximo de 24 Km para as munições convencionais e de 30 Km quando utiliza as munições assistidas (Rocket Assisted Projectiles - RAP). Com a munição especial M982 Excalibur, o alcance chega aos 40 Km. Upgrade M109 A5 O upgrade da versão M109 A5 é já uma realidade em alguns países, exemplo disso é o Brasil que assinou um contrato para a atualização dos sistemas M109 A5 com a empresa BAE Systems. O contrato visa, além da atualização dos Obuses, o treino, apoio na manutenção e acompanhamento durante os primeiros disparos. Houve

Possui armaduras mais altas e escudos transparentes que oferecem maior visibilidade da área circundante. RAP- RocketAssistedProjectiles Com munição M982 Excalibur.

36

M109 A5

4 tiro obus por minuto Elevação (máx/min) : 1333 milésimos a -53 milésimos Direção : 6400 mil 61 Km/h

56 Km/h

um grande acréscimo de capacidades para este material, que permitiram um aumento significativo de precisão, diminuição substancial dos tempos de entrada em posição e de execução de fogo. A melhoria dos alcances é outra melhoria digna de registo, que se deve à utilização de cargas modulares. Das tecnologias incorporadas, resultantes da modernização do sistema M109 A5, de salientar o sistema automático de bloqueio e libertação do tubo, o radar cronógrafo para medir a velocidade inicial da munição, o sistema de navegação inercial, o GPS, o sistema eletrónico de pontaria e computador de bordo. Estas atualizações no Sistema M109 A5 vieram reduzir em cerca de 80% o tempo entre a receção da missão e o disparo. A atualização do Sistema M109 A5 em M109 A5+ decorre do programa ForeignMIilitary Sales (FMS), programa do Governo Americano destinado à venda de produtos e serviços de defesa (DefesaNet, 2018). Em Portugal já foram elaborados alguns estudos que contemplam o upgrade do Obus M109 A5, sendo que a sua atualização comportaria o custo unitário de 1,5 milhões de euros (EME, 2015). A imagem abaixo mostra as atualizações que foram estudadas e previstas para o upgrade do Obus M109 A5+ em Portugal. Conclusões As grandes atualizações que a versão M109 tem sofrido até chegar à

Mecanizada Brigada

EM Ó RI A

em apenas sessenta segundos após a receção dos mesmos. É um material que opera sobre quaisquer condições atmosféricas garantindo fogos precisos e oportunos para objetivos que podem alcançar os trinta quilómetros (Modern Weapons, 2018).

1978-2018

FEITOS FARÃO TÃ

OS IGN OD

DE

M

Atoleiros Nº 32  

Revista Militar da Brigada Mecanizada

Atoleiros Nº 32  

Revista Militar da Brigada Mecanizada

Advertisement