Issuu on Google+

27


1.

INTRODUÇÃO Todos

os anos,

mas da Intentona xaltação

patriótica,

suas vidas

que tenha

ainda,

fazer

entregar

brasileiros

ao silêncio

de

que

e-

deram

em defesa

das

chamar

tem por

frutificar

daqueles

finalidade

relembrar

e~

tenham

perdendo

a vida,

de seus avõs,

soberana

gera~

e cristã.

um fato histõrico

de um punhado

o exemplo

de hoje

que,

sua a pátria

eternamente,

sido vã a morte

do esquecimento

que os moços

são devedores

de mantê-Ia,

,

de brasileiros

de estoicismo,

e,

de abnegação,

de

HISTORICOS

a. O Nascimento

do PCB

Os primeiros

Marx

as viti

e amor ã Pátria.

ANTECEDENTES

inicio

reverencia como motivo

seus compromissos

é necessário

eles possam

Esta publicação evitar

devotamento

não

pois

o quanto

com que

do um compromisso

2.

de cidadãos

abnegadamente,

um dever

episódio,

lhes diga

fizeram

a Nação

Rememora-se,

a que serviam.

E realmente se triste

de 1935.

a conduta

cumprindo,

instituições

quem

no dia 27 de novembro, Comunista

deste

movimentos

século,na

e Engels

que tinham

causaram

um grande

teorias

criadas

sua materialização

no inicio plorando

Todas

XX,

compreender

a tomada

inteiro.

doutrina

foram

Ele

politica

baseadas

obras

e as

na viga

mes ar-

o dinamo

de

e de sua implantação nos meios

nas

idéias

'

proletários comunistas,

, ex

utõpica.

tiveram

pela

no de

elas,

o grande

se tornou

que os movimentos

do Poder

em certas Continham

foi Lenine

insufladas

da terra

verificados nas concepções

e se constituiram

Entretanto,

de natureza

dos em todos os recantos finalidade

consubstanciadas

e Engels

as agitações

reivindicações

E preciso

inspirados

do Comunismo.

como

do século

anárquico

foram

no mundo

comunista.

da estruturaçáo

na Rússia.

sido

impacto

por Marx

tra da ideologia quiteto

de caráter

Europa,

cúpula

comunistas sempre

desencadea

como principal'

dos agitadores

adeptos

da ideologia. As primeiras repercutiram fosse,

ações

visando

logo no Brasil,

arraigadamente,

à comunização embora

democrática

- 1-

a nossa e cristã.

da Europa formação

obviamente histórica


Em 1908,

organizava-se

ria Brasileira

tendo

Essa Confederação reivindicatório Serviço rista

e, também, Os seus

e fundaram

aos brasileiros

por

a que

envolvido

definidas

ção, minar

o

te a Guerra, Russo

nas

Moscou

ações

contra

Mundial,

em 1914,

Traba-

caso

o Bra-

a Confederação

certo

dar corpo

procurando,

com

número

de

a entidades

impatriótica

' a-

dos Aliados. situação

constituído.

derrotaram

reinante

o Comitê

cegamente

Os comunistas

de surpresa

ciais

à vida da capital. bolchevista.

Esta desconcertante

pacto

para

e as suas

Significava

duran

Revolucionário

às ordens

os serviços

golpe

o mundo

de

geral,

fileiras

Alemanha,

de todos

do

de aconselhamento

em greve

em suas

o governo

a obstinado,

Lei

externa.

obedecendo

de se apossarem

.

Antimilita-

Um Congresso

da confusa

dirigiu,da

e Petrogrado,

maquiavélico pois

Lenine

em prol

a Liga

moção

que buscavam

proveito

Oper~

de cunho

à

sistemática

lavrou

e atuantes,

esforço

de greve

criaram

se declarassem

já possuía

tirando

fomentação

oposição

guerra

a Confederação

"A Voz do Trabalhador"

"Não Matarás".

entusiasmados

sindicais,

Em 1917,

pela

a 19 Guerra

Brasileira

simpatizantes

pela

essa Liga

numa

Ao ser deflagrada Operária

oficial

integrantes

o jornal

promovido

sil fosse

órgão

destacava-se

Militar.

lhadores

no Rio de Janeiro

como

de

desse

líder

o governo,

e organizações

deessen-

isso a materialização vitória

repercussões

do

foi um grande

no Brasil

foram

im-

profu~

das. Quando Rússia

a imprensa

brasileira

e, posteriormente,

Confederação

Operária

Brasileira

tos e incentivou

a propaganda

tica

de caráter

doutrinação

Reuniões, começaram

não mais

a fomentar

tos benefícios

que

alardeou

o massacre

empolgou-se

subversiva

ao poder

na

nobreza,

a

acontecimen

de uma

sistemá-

marxista.

porém

e tumultos,

a revolução

pelos

através

nitidamente

clandestinas, greves

o assalto

de sua imperial

acintosas

sempre

já estaria

ao governo

explorando

proporcionando

,

suposao povo

russo. Vivendo

um período

sil, como

grande

go daquilo

que

Rússia. não

modo,

os povos,

dos governos

de autêntica do mundo,

significaria

De certo

terem

parte

liberdade

democrática,

o Bra-

menosprezou

inicialmente

o peri

o êxito

da armadilha

tal despreocupação

na época,

qualquer

totalitários.

-2-

pode

bolchevista

na

ser explicada

por

experiência

das

técnicas


Em 1918,. surg:iram os primeiros tido Comunista tido

Brasileiro.

se estruturou

congresso deres

de fato,

com aquela

pioneiros. e foram

o exame

das

Comunista.

"Todos

Dentre

também

Verifica-se,

força,

assim,

o que

b. As Atividades Como a atuar

fruto

na imprensa mensal

da pãtria,

dizia:

somente

sem a derrubada

criado

os quais

ao

e demonstrar

desarmamento

mais

Subversivas

não

social,

de lí

na Internacional a 6'i' que

renunciar

que,

a negação do recém

foi tentado

primeiro

com edição

devem

um

dezenas entre

do. Partido

destacava-se

não haverá

intenção

compareceram

ao pacifismo

aos proletários,

do capitalismo,

mo e notória pela

Comunistas

como

tematicamente, nária

condições

que o Par

no Rio de Janeiro,

vâ r í.os. assuntos

de admissão

essas

os Partidos

patriotismo.

onde

tratados

21 condições

foi no ano de 1922

realizando,

finalidade,

da f o rmaç âo de um Par

sintomas

Todavia,

sis

revoluci~

e paz mundial".

o grau

Partido

de radicalis-

em tomar

o

poder

tarde.

do PCB

de sua recente

com um órgão

criação

chamado

e com a finalidade

o Partido

"O Movimento

precípua

começou

Comunista",

de doutrinação

i-

deológica. Conhecendo cultos

a força

e sendo,

co esclarecida, de reuniões tura,

que a propaganda

na época,

os comunistas

articuladoras

através

de mais

Simultãneamente,

tar a subversão, tinham

dando

o poder

iniciaram

um jornal

criaram

exerce

operária,

de greves,

res do BrasileaFederação

que

a classe

uma

chamado

Sindical

série

empregando

que

uma hábil

Geral

inocentes

pau e

liter~

Operária". dos Trabalhado-

se encarregaram

a reivindicações

de ludibriar

dos menos parte

de comícios,

nA Classe

a Confederação

ênfase

na mente em grande

de fome~

demagógicas,

por promessas

mas

utópicas

e mirabolantes. As agitações da década

tar o Estado ríodo,

levaram

de Sítio,

as atividades

Em 1927,foi planos

de caráter

de vinte

o Presidente

tendo

ocorridas

Artur

sido bastante

no

Bernardes

reduzidas,

início a

neste

decre pe-

do PC.

suspenso

de agitação

político-militar

o Estado

de massas

de Sítio

visando

-3 -

fazendo

atingir

metas

surgir

novos

pretensiosas.


Nesse

mesmo

Partido

ano,o

governo

Comunista

ção comunista Mesmo

passou

nessa

foi realizado

entre

outros

juntura

a ser feita

situação

1928,

do País.

mais

assuntos,

estabelecida

Deve-se tecimentos

iminente.

todos

os fatos Congresso

conduziram

no qual

econômica,

de certos

a esse que

as atividades

um Congresso

visando

fatores

o

a infiltra

da vida

do PCB.

foram

fazia

Em

examinados

política

urna

dos

'

con-

de atuação

em benefício

,

e social

prever

Uma estratégia

explorar,

foi

objetivos

do País.

e às atividades o País

urna lei pondo

na clandestinidade.

a situação

A coincidência

do Partido,

ao Congresso

Com a lei aprovada,

não cessaram

revolucionária

também

sugeriu

na ilegalidade.

subseqüentes

à desastrosa

os aco~

Intentona

Comunis-

ta de 1935.

c. A Escolha No mesmo

do Líder Congresso

der autêntico. de força

Surgia,

assim,

perseguido

que

o nome após

durante

Inicialmente

chegou

de "Cavaleiro

a usar

desejado

ambicioso

para

por

Brasileiro.

militante,

ano de 1931,

tomou

de infiltração miaçôes

para

realmente desse

Prestes"

apenas

con-

o Capitão ganhando

frustrado

a

para

as rédeas ano que

em seu intento

-4 -

com

ser chefe

e tornar-se

a do

um au

a Rússia,

onde,

comunista

e ao regresssar,

do Partido.

do Partido.

en-

da Organização.

Embora

se intensificaram

as atividade~

os ele-

que Prestes

e aceitou

do Comunismo

seguiu

na época,

as rédeas

de liderança

e propaganda camuflar

Car-

nacional.

patriota,

concluíram

à aventura

inteirar-se

Prestes

fez um curso

foi a partir

parecendo

em destaque,

empunhar

natureza,

Comunista

de melhor

a "Coluna

um democrata,

Comunista

Partido

Desejoso

Luis

de são Paulo

do território

de bravo

nacionais

do Partido

lançou-se

em 1932,

'

da Esperança".

Prestes~,

dade,

um lí-

traços

do Exército,

formou

boa parte

considerado

"Coluna

têntico

ao Partido

apresentasse

revolucionário

urna auréola

os vultos

da cúpula o tipo

Capitão

governamentais,

e sendo

alcunha

Analisando

do jovem

três anos

Prestes

Este,

faltava

tornado corno um idealista,

o governo,

carnava

que

personalidade

o movimento

pelas forças

percorrendo

mentos

cuja

carismática.

los Prestes,

testar

verificou-se

Um chefe

Surgirdm

subversivas,

durante

o

na ilegal!

as atividades numerosas

agre-

que muito

fize-


ram no sentido

da doutrinação

em favor

da causa

comunista.

3. A INTENTONA a. A Conspiração Em 1934, surgiu

sob a mãscara

uma nova

do nome

organização

comunista,

anteriores,tornando-se

o dínamo

ria o sangue

bravos

vida

de alguns

de muitos

No início da espúria

à Nação,

inocentes

de 1935,

latifúndio

e criticava

Na realidade sim a tomada palavra

lator

dos

assuntos

uma ampla

chamando-as

Lacerda.

de

e ao

opresso-

de 1935 Harry

do Comintern

e A

Libertadora

paulatinamente,

expressão'

chegava

secreta,

núme-

mas

direta,

as intruções

confi-

em Montevidéu".

tratava-se Ewert.

durante

Esse

americano, do agente agitador

sua permanência

articuladores

na residência

-5 -

grande

com passaporte

Ernest

desen

brasileiros".

soviética

ao Brasil,

pelo

Brasil,

denominada"Ali-

jã participam

segundo

foi um dos principais

que,no

associação

sob orientação

demonstrada

apreendido

se interessam

e da Marinha

Artur

h~

e re-

do Sul afirmava:

que na realidade

de nome

o delegado

do Comintern

do Sul

da qual

da Legação

Berger,

Comunista,

que

Brasileiro,

de argúcia

da ANL

soviético.

Nacional

à América

e bem organizada

foi criada

Em março

objetivos

Executivo

na América

do Exército

recebidas

Em documento

Honra

fora do Brasil.

os camaradas

Comunista

Rio de Janeiro,

Carlos

do socialismo

ganhava,

Libertadora"

denciais

ternacional,

de

um manifesto

ao imperialismo

à Aliança

Poder

referentes

ro de oficiais

alemão

estudante

do Conselho

a todos

"Essa Aliança

a

à frente".

do comunismo

do Partido

Presidente

combate

da Internacional

membro

ança Nacional

que as

em risco

apresentou

os verdadeiros

até mesmo

Congresso

expor

o indivíduo

"Todo

da Organização

volvimento existe

esses

Prestes

Van Mine,

jovem

e a implantação

a projetã-la

"Devo

foi aclamado

as leis vigentes

era:

Carlos

No Sétimo

estruturada

de 1935 que derram~

e colocaria

logo a seguir

impiedoso

eram

do poder

O trabalho chegando

militares

Libertadora",

democrãticas.

não

de ordem

com Luis

melhor

da intentona

pelo

pregava

ras das liberdades

landês

que

lido em plenãrio

Esse manifesto

Nacional

civis.

Prestes

Organização

"Aliança

de Harry

in no

do movimento. Berger,

após

o


movimento, marcha

ele assim

comunizante

"A etapa

atual

volvimento dade

da primeira

etapa

são contra

cionário,

com Prestes

ses. Mas,

como

nas mãos

formarão

e

que

cordo

das Ligas

contra

o imperialismo,

os capitalistas

formações

que,

escala

antes

nas

que

do povo

os grandes

traindo

populares.

a defesa

será,

,

arma-

os sovietes

de camponeses

a ação

cla~

e, depois,

em maior

e para

d!

revolu-

em formações

as hostes

e Comitês

etapa

'

se apoiará

no Exército

estará

Popular

popu-

daquelas

organizados

articularão

primeira

nacional

governo

articulados

verdadeiro

do Governo

Nessa

sencadeada

esse

serão

desenA finali

a ação propriamente

popular

prematuramente,

também

a proteção

contra

'

e burgueses

e representantes

básica,

fase não

o poder

aldeias,

teresses.

da

frente

burgueses

- depois

à frente

reduziria,

Não obstante,

para

de uma vasta

de um governo

e camponeses

primeira

isso

Está em franco

pequenos

revolucionárias infil tradas

Nesta

a evolução

anti-imperialista.

é a criação

condicional

sob os operários

porque

no Brasil.

o imperialismo

a instituição

das.

o Comintern,

nacional

camponeses,

ta, para

nas partes

para

da revolução

uma revolução

lar - operários, que

relatava,

no Brasil:

se

em armas

de seus de tudo

in de-

latifúndios

a Nação,

agem

e

em comum

a-

com o imperialismo".

Em linhas emissário

gerais,

esta

soviético

ar os paises O mesmo

que

era a pretensiosa

foi incumbido

idéia

pelo

de manobra

Comintern

do

de incendi-

sulamericanos.

Harry

Berger

em outro

trecho

do mesmo

documento

di-

zia: "Nós só passaremos pa,

só erigiremos

poneses tiver

sob a forma

atingido

Governo mais povo. rio,

Popular

Nacional

as organizações

os objetivos democrática

de sovietes

uma grande

quando

Prestes

à frente,

Empolgado

favorável

org_anizações

além

da Revolução

da Aliança

serão

Popular

tornar-se-á

ao PCB que

Os pontos

e o Exército

com as possibilidades

determinou

a revolução

Revolucionário

da massa

da primeira

dos operários

concentração.

A transforma Cão do Governo

senvolvimento

Comintern

a modificar a ditadura

Revolucionário

de sucesso

do

do

Revolucion~

e real com o

do Governo

incentivasse

Brasil

de apoio

os sovietes,

Nacional

oportuna

no

etae cam-

de-

Popular".

no Brasil, a criação

o de outras

Nacional Libertad9.~ª-,~~TLd2_s_U~~:j.ç1o.

- 6 -


a "Aliança

por

se destacaram

pão, ora

que percorriam a palavra

e Liberdade"

os Estados

de ordem

A propaganda Em audacioso

Terra

incentivando

e a "União

greves,

Feminina"

ora orgaúizando

do Nordeste

brasileiro,

que

cruzadas

levando

'

sempre

de Prestes.

era

feita

manifesto

abertamente

lançado

à tomada

visando

a 5 de julho

de 1935,

do Poder

Prestes

.

di-

zia: "A situação cabendo suas

ê de guerra

à iniciaitiva

reuniões,

mente

para

garantir

o momento

Nos quartêis, Agildo

Barata

aquela

o número

resumiam

que

uma

Em suma,

ganda

bem

vez que

o seu posto a defesa

, de

e preparar-se

doutrinados

por

e as cêlulas

nas unidades,

ativa

Prestes,

comunistas

principalmente

da necessária

naquelas

energia

aos

mais

para

impe-

e traçado

escolas,

dos planos

no principal

sangrentos

acontecimentos

que

da

tomava

se

militares. democrática

sua ação no povo

de luta

vetor

de um seE

a gravidade

liberal

estendendo

nas

falta

sêrias

de uma associação

doutrinário

por

às organizações

Libertadora,

constituía-se

talvez

menosprezasse

as providências

sob a máscara

ao planejamento

ria o País

brasileiro,

estruturado,

de prontidão

Nacional

de caráter

combate,

ocupar

organizar

chefes

ao auge

não usavam

o governo

em ordens

a Aliança

de seus

de elementos

acintosas

de informações

situação,

massas

doutrinação.

Dir-se-ia viço

a vida

e outros,atingia

iam se tornando

um precisa

do assalto".

em que os comandantes dir

e cada

das próprias

desde

e nos

e das

a prop~ quartêis

têcnicas

da conspiração de novembro

de

que

leva-

de 1935.

b. O Levante 1) Generalidades O levante dia

teve

início

24, estendeu-se

irrompeu

no Rio de Janeiro,

de Infantaria

- na Praia

no Campo

dos Afonsos.

tencente

ao Exército.

Há fortes

indícios

os acontecimentos, cada

no dia

ao Recife,

vez mais

23 de novembro sendo

em dois

Vermelha

de que

acelerada,

quartéis,

aAviação

foi o Governo

os reflexos

haviam

em Natal

no

de 27

no 39 Regimento

uma

que

de Aviação arma

ainda

peE

fez precipitar'

da conspiração

feito parar,

-7-

e,

só na madrugada

- e na Escola

Na época,era

já que

que

em marcha,

praticamente,

o


País. A Intentona

preparada

nha amadurecido o vulto

que atingira.

principalmente Havia miam

pois

geral

t admissível

sencadeamento

que,

época

apreendidos

pois

feita

política

do levante

de 1930.

Assim,

vasse

c Exército

se-ia

que

Partido

ça Nacional

começou

tenso

obrigando

a fechar

com a ala

o Governo Nacional

sangrentos

2) Acontecimentos

em Natal

O dia talhào

23 de novembro

de Caçadores

tina da vida lho programado foram

pelo

dispensados

de-

formação fatalmente

exercendo

um pretexto Desse

de~

que

modo

l~

dir-

desde

1933,com

em 1935,pela ainda

Plínio

tornou-se

em decreto Esse

de 27 de novembro

num

a alvorada

da caserna,

uma

um

Alia~

mais,

com

Salgado,

que

comunista.

Libertadora.

caíra

feita

com a complacéncia'

por

de 193~

Federal,

os acontecimentos

a

esta

agravou-se

liderado

às vésperas

a aceitar,

que vinha

e outros,

Do-

hipótese.

como

para

de esquerda,

A situação

em meados

a Aliança

as eleições

representado,

do integralismo,

de-

indica

grossa"

subversiva,

irrestritamente.

finalmente

polític~

da época,

procuraria

Barata

o

base

essa

Obrigado

forte

Vargas

as análi-

05 de dezembro.

a Constituição,

um programa

a atritar-se

O clima

dor-

a forçar

a "vista

à trama

de governo

Libertadora.

o surgimento

o dia

política

da 1932,

Agildo

Socialista

dos quartéis,

que não

confirmaram

o continuísmo.

a apoiá-lo

tramavam

tiante

insuportável.

sem muita

a classificar

o próprio

Prestes,

de Vargas,

o golpe

o levante

que votasse

o caráter

era

governamental,

Informações

em relação

paulista

de um legislativo

dentro

as autoridades

da situação

visando

de um ano,

inevitável

e na tropa,

escalão

para

hoje

Vargas,

se vivia

em Deodoro,

levado

após

chegam

Governo

lhe tiraria

no alto

provável

Uma análise da revolução,

que

oficiais

da Revolução.

cumentos

isso mesmo,

era de 24 horas.

tivessem

vam como

jogada

nos

por mais

por

Militar,

a vigília

ses da situação

pelo

O clima

na Vila

um cansaço bem,

metodicamente

e tornava-se,

sábado.

trouxera

comandante.

Após

precipitou

de 1935.

No quartel

do 21Ç Ba para

do quadro

o almoço

às 2100

fato

a soldadesca

com o cumprimento

e só voltariam

extremamente de 11 de julho,

horas

muitos para

a ro

de trabasoldados a

revista

do recolher. Para o Oficial-de-Dia que permanecia só. no quartel,nada o levaria a suspeitar que aquela organização viesse a

-8 -


ser palco

das cenas

de tanta Estava jornal

que

fariam

o Oficial-de-Dia,

Tenente

em suas dependências

1930 horas, tos, dois

surgiram,

cabos

e dois

preendido

soldados

do Norte

disparos

correu

para

porta

viver

dias

Abel

cêlere

calmamente

de

dois

sargen

todos,fuzis-metra-

ordem

de prisão.

rendeu-se

ã torre

o ar. Era o sinal

um

por volta

a dentro,

deram-lhe

o Tenente

do e preso. Um elemento

lendo

quando,

empunhando,

as armas,

inteiramente

Abel,

de serviço

de repente,

lhadoras e, apontando

vários

o Rio Grande

apreensão.

sendo

do quartel

indicando

Sur-

desarmae fez

o inicio

da

revolta. Logo

a seguir

no quartel. gua~da

Eram

civil

utópicas

quanto

extinta

reação

retiradas

partiram

póde

em trajes

a três

civis

centenas

penetraram

I

de elementos

- aliciados,

com

da

promessas

sargentos.

qualquer

e munições

revoltosos

de homens de duas

- recentemente

por alguns

Não houve armas

bandos cerca

para

e, após

dentro

dos

da caserna.

almoxarifados

o Quartel

dezenove

horas

De posse

das

do Batalhão,

da policia

que

de combate,

acabou

os

reagiu

en-

rendendo

se. Ao iniciar-se Fernandes, João

Medeiros

da tentou

no Teatro

Filho,

que

argumentar,

ro Pereira, preso

o movimento,

estava

para

do Estado,

Gomes.

transitava

em meio

comandante

e levado

o Governador Carlos

por

O Chefe

uma

ao tiroteio,

de um destacamento,

o 219

Batalhão

Rafael

rua da cidade com

o Sargento

mas

acabou

de Caçadores

'

de POlicia, ainAmasendo

e ameaçado

de

fuzilamento. O Governador, des,

diante

da Itália

e Chile,

Vencida

malta

que,

O primeiro

ato desse

dos bancos,

particulares

para

Popular

Comitê

ficou

a saquear

sido

exercício

foi a ordem

-9 -

de

desordena-

aclamado

Revolucionário"

em pleno

federais

a revolução.

à mercé

e bancários.

de ter

das repartições financiar

a cidade passou

comerciais

e entrava

autorida-

aos consulados

asilo.

acéfala,

"Comité

instituído

e outras

acorreram

da POlicia,

de 24, sob a alegaçáo

um incipiente

mo governo

cofres

pediram

os estabelecimentos

Na manhã vo,

onde

da Assembléia

da situação

a resistência

uma verdadeira damente

o Presidente

da gravidade

pelo

era dado

co-

de mandato.

de arrombamento e das

p~

companhias

dos I


As instala莽玫es do Banco do Brasil em Natal, saqueadas pelos rebeldes, fotografadas

. 10 .

ap贸s a vit贸ria


Cenas

de autêntica

ras em que Natal duo,

Epifãnio

irresponsabilidade

permaneceu

nas mãos

GUilhermino,

mulher

de sargento.

antigo

chefe,

vestiu-se

A ele

Otacílio

de tenente

é imputado

Werneck,

ocorreram

naquelas

de tal Comitê.

Um

e fardou

o assassinato

agente

h~

indiví a sua

de um seu

da Companhia

I

de Navega-

ção Costeira. Dentro

de um automóvel,

tou Werneck experimentar e prostrou

o meu

revólver

o antigo

chefe

Os descontroles nico

com outros

que descansava

no seio das

Epifãnio

de sua residência.

naquele

burguês

com

um balaço

se generalizaram famílias,

rebeldes,

à porta

- disse".

"Vou

Disparou

na cabeça.

e criaram

obrigando

avis-

muitas

um verdadeiro

delas

a abandona-

rem a capital. Finalmente, cia,

as tropas

obrigando

tarde,os e José

bandos

chefiados

Machado

justiça,

por

Freara, quatro

legais

tomaram

os apro~eitadores

foram cerca

desse

tenebrosos

por

João

aprisionados

de vinte modo, dias

a cidade,

da situação Batista

sem resistê~

a desertarem.Mais Galvão,

e passaram

Lauro

Lago

a responder,

na

mortes.

restabelecida vividos

pela

a ordem capital

legal

depois

de

do Rio Grande

do

Norte.

3) Acontecimentos Na capital nismo

visara

ciais.

irrompido

estes

dia

seus

24, quando

mento

ali

gurança

exr st.ente ,

era atacada

O~pr6prio

Quase

por

Secretário

9S atacantes.

contrava

em Olinda,

de civis,

o movimento

séria

comuofi-

em Natal

tinha

insurgi-

de Caçadores. na manhã

do domi~

à frente

um sarge~

apoderando-se

do arma-

tendo

pública

ao mesmo

do

e alguns

24 de novembro,

tempo,

a Secretaria

de Se-

extremistas.

de Segurança, auxiliado

persar

depois,

do dia

no 299 Batalhão

elementos

da guarda, ofereceram

Logo

de que

a cadeia

mentos

7a Região

conhecimento

foi aceso

um grupo

adeptos

soldados

ná manhã

atacou

dos

graduados,

comandantes

do levante

to do Exército,

a doutrinação dos

tomaram

o movimento

contra

O estopim go,

pernambucana

à conquista

Quando

ram-se

em Recife

resistência

alastrava-se

Militar.

A reserva

de armamento

o Tenente

Aguinaldo

com outros

• 11 -

por alguns

ele-

conseguindo

dis

ao Quartel-General do CPOR, elementos,

onde

da

se en-

foi o ponto


visado

pelos

trara,

em dado

no Tenente

amotinados.

Aguinaldo,

to tentou

fugir

se de um fuzil no Tenente

Sargento

Gregório

deu

após

início

uma

Logo

Enquanto

te do Batalhão,

licença.

isso,

pós,

bélico

da unidade

os.revoltosos

go da Paz,

o bairro

tão. Nessa

última,

suas

fileiras

das

sucesso

e as cidades

com centenas

a cadeia

de civis

de todo

o

Logo

e ocuparam

a

o Lar-

de Muribéca

pública

que

com-

os revoltosos

completamente.

forcas

contra

o comanda~

apoderaram-se

suas

sua

da ma-

de outras

inclusive

e a subjugou

da Torre

em armas

dominar

seguidores

assaltaram

o

disfarde

0800 horas

a adesão

oficiais,

distribuíram

e-

subjugar

o comando

sua tropa

recebeu

sem

a carga

Outros

Lamartine,

reassumiu

Por volta

alguns

tentavam,

conseguiram

o Tenente

colocando

em seguida

apoderou-

de prisão.

intenções,

O Tenente Lanartine e seus material

voz

'

sarge~

toda

instantãnea.

no recinto

se infil um tiró

revoltoso,o

disparando

morte

de Caçadores,

ao levante

a legalidade. panhias.

teve

ali

perseguido,

caminho

e deram-lhe

verdadeiras

subunidade, nhã

que

se encontravam

299 Batalhão suas

o atentado.

abrir

Sampaio

que

No

após

que

traicoeiramente,

ferindo-o. Dizendo-se

lo~o

José

Gregório

desfechou,

e tentou

lementos

çando

O Sargento

momento,

e Jaboa

e engrossaram

vinham

sendo

doutrina

dos. Visando

a conquista

TenenteLamartine Largo

da Paz,

Enquanto

ocupando

tais

te-Coronel

de ReCife,

e Capitão

a Igreja

fatos

Afonso

os cabeças

Otacílio,

e o Colégio

aconteciam,

do lado

de Albuguerque,

colocava-se

à frente

de sua tropa

medidas

para

o avanço

sobre

lhas

foram

voltosos, forças dores tentar riais

organizadas conseguiram

legais

de Alagoas

mantê-Ios

melhor

de Nassau. o Tene~

da Brigada

Podiam

Fortes tiroteio

agora

as

patrudos

até a chegada

re-

das de Caç~

as tropas

e com maiores

Po

todas

209 e 229 Batalhões

planejado

no

Maurício

a capital.

cercados

,

armas

contrário,

e tomava

do intenso

pelos

e da Paraiba.

um ataque

legais

recursos

mate

e pessoais.

Na manhã

do dia

digna

de destaque

lhões

do Exército.

deles,

e, apesar

representadas

suas

subcomandante

licial,

evitar

da insurreição

instalaram

escapado

25,travou-se a ação

um autêntico

da Polícia

Os amotinados

ao cerco

Militar

foram

e fugido

- 12 -

para

combate, e dos dois

cercados várias

sendo' Bata-

tendo, parte cidades.

Perse-

'


guidos

pelas

forças

legais,

Os acontecimentos de~enas

de mortos,

cerca

4) Acontecimentos O terceiro clodiu ral

e presos.

um saldo

de

algumas

e 500 presos.

no Rio de Janeiro

e mais

, repercutiu

importante que,

surto por

em todo o País.

ating~u

ria - Praia

capturados

deixaram

de 100 feridos

no Rio de Janeiro

munista

foram

em Recife

maior

Vermelha

subversivo

ser na época Em dois

expressão,

comunista a Capital

locais

o levante

no 39 Regimento

e na Escola

de Aviação

eFede

de

co-

Infanta-

- Campo

dos

Afon

sos. a) O Movimento

na Escola

Comandava ges que, vas

a Escola

de algum

dos Capitães

ções

recebidas

pressas

e Natal,

disso,

zido por oficiais

do o comandante

depois

vou

netrando

da guarda

para

que

de nenhum

dera

sedicio

ordens

ex-

não permitisse

veículo,

27 de novembro

mesmo

o Capitão

determinado

a sua prisão.

o mesmo

das duas

a

condu-

da Escola

Quando

da madrugada

resolveu

postos

do Capitão

comandante

Sócrates

subversivos,

te~

procurado

desapareceu.

horas

de 27 de novem

fiscalizar,

de sentinelas,

Sócrate~

por um dos portões

que o sargento

da Escola

de panfletos

os diversos

o automóvel

informaacontecimen

o movimento

com um pacote

bro, o comandante oficiais,

que

dos

da Escola.

ser recolhido

Pouco

subversi-

Conforme

e diante

esperava-se

o comandante

do dia

foi encontrado

para

e Agliberto. Central

aquartelamento,

As vésperas

Ivo Bor

as atividades

27 de novembro.

aos elementos

entrada,no

o Tenente-Coronel

conhecia

Sócrates

dia

Em razão

de Aviação

tempo,

da Polícia

tos dê Recife so ocorresse

de Aviação

em alta

da Escola.

da guarda,

Mais

com alguns

quando

obser-

velocidad~ tarde

conivente,

pe-

soube-se

facilitara

a sua entrada. Logo

em seguida

ouviram-se

movimento

sedicioso

damente,

dificultando

deram-se, tacaram

naquelas atos

eclodia

tiros, na Escola

grandemente

horas,

de heroísmo

lances

e correrias.

e alastrava-se,

a reação dramãticos

e de pura

- 13 .

gritos

covardia.

legalista. em que Segundo

O

rap! Suce

se desGlau-


_ Aspecto

da luta na Escola

- 14 -

de Aviação.


co Carneiro,

dois

Souza

e Tenente

e Melo

casião,

ainda

oficiais

legalistas,

Danilo

dormindo,

Capitão

Paladini,

por Agliberto

assassinou,

friamente,

pes

quando

se encontrava

incapaz

de qualquer

Os amotinados, retirados

das

reservas,

de todo

tinham

Cap~

Benedito

Lo

preso,

desarmado

o armamento

e munição

como

a fim de acionar

as tentativas

de aviões

canhões bre

O mesmo

o Tenente

e

próximo

objetivo

os aviões

e com

ocu-

isso

alas

o movimento.

Todas gem

de na o-

reação. de posse

par os hangares trar

este

mortos

e Ivan.

tão Agliberto Bragança,

Armando

foram

foram

de abertura

frustradas,

do Grupo-Escola

as vias

tinham

de acesso

seus

àquelas

tiros

tralhadoras

dos

do Grupo-Escola.

Começou

dade,

com má pontaria,

indo alguns

porém que,

em Deodoro,

A posição artilharia

da seção legalista

passou

de

regulados

so

Uma

seção

de metralhadoras

para foi

pelos

de me

posição

com

tiros

trens

a fez voar

a

a atirar

decol~

baterias

a hostilizar

esperavam

que

para

bem

instalações.

dos canhões

centes

revoltosos

de hangares

já que as duas

intensi-

matar

se

ino-

laxnover~

localizada ares

pela

com uma cer

te ira granada. O 19 Regimento sofria

também

esforços

de Aviação,

a ação

de seu comandante,

conseguia

repelir

até a chegada

o assalto

das

forças

colocaram

em fuga muitos

na Escola

de AViação,

prisionados mortos

b) O Movimento

eram

da Escola

dos revoltosos

que

Tenente-Coronel

Estas

revoltosos.

254 entre para

a Vila

graças

aos

Gomes,

e retardá-los

'

contra-atacaram

Aqueles

civis

de Aviação,

Eduardo

dos amotinados

legais.

e escoltados

e feridos

vizinho

intensa

que

ficaram

'

foram

a

e militares, Militar,

e

enquanto

os

removidos.

no 39 Regimento

de Infantaria

- Praia

Verme

lha O 39 Regimento tável

poder

mento

e efetivo

fantaria,

de Infantaria

de combate,

1700

ponderável soldados,

era uma Unidade

uma vez que com

possuía

seus trés

200 sargentos

de respei-

moderno

Batalhões

armade

In-

e 100 oficiais,

a-

proximadamente. Talvez

tenha

sido nesse Regi~ento

- lS -

que

a doutinação

comu


- 39 RI em chamas

apรณs

ser bombardeado

pelas

Forรงas

Legais.

- Aspecto

da passadiรงo

interno

do 39 RI.

)

- Casa

da vizinhanรงa

do 39 RI crivada

. 16 .

de balas .


nista

tenha

ciais

como

atingido,

com mais

graduados.

da sublevação

Isso

quando

profundidade,

ficou

bem

se verificou

subunidades

do Regimento

havia,

um sargento

em condições

de

não

patenteado

que em quase pelo

menos,

impor-se

ofi-

no momento todas

as

um oficial

na direção

das

e ações

revolucionárias. Houve, Alvaro José

por

parte

Francisco

Leite

Brasil,

articulação de forma

dos

que

que

anulasse,

aliciadores

Agildo

meticuloso

elementos

da Gama

trabalho

de doutrinação assumir

ações

e

e de

o controle,

em todos

de saída,

I

Ribeiro

deveriam das

logo

os Capitães Barata

os recan-

os elementos

que

reação.

O Rio de Janeiro tiva em razão ainda,

líderes

a simultaneidade

tos do quartel esboçassem

dos

de Souza,

pelos

vivia

uma atmosfera

do que estava boatos

que

novembro, irromperia

de enorme

acontecendo

corriam

no Nordeste

na cidade

um movimento

expectae,mais

de que,a

em várias

27 de

unidades

I

milita

res. Em conseqüência, ordens

Comandava Fernando

ternava

de que

Durante

ta seria por

Várias Ferreira

logo,

Na tarde

desse

do Comando

aos

da

comandantes

a sravidade

unidades

ex

Prestes.

que o estopim

muitas

foram

da

si-

da revol

se achavam

mi-

três

tomadas

dia

Coronel

Afonso

graves

para

o Capitão

Agildo

Barata

rece-

Revolucionário:

de Infantaria do dia

deverá

26 para

horas,iniciar

por mim

pelo

acontecimentos

de 26 de novembro.

mesmo

da madrugada

anexo

compreender

recebi

de Souza

com

os estafetas

José

havia

Francisco

informações

prenunciar

do Comitê

"O 39 Regimento

plano

o Coronel

tempo,

ligações

suspeitar

jã que

na noite

das

receb~ram

comunistas.

fazia

bia um documento

partir

tempo,

providências

sua unidade,

horas

de levar os fazia

células

o que

Ãlvaro

e tinha

26 de novembro

o que

aceso

há muito

o Capitão

cessavam

e, ao mesmo

da cidade

de Infantaria

que,

comunistas

o dia

não

de Unidades

nadas

Ferreira

idéias

tuação

os quartéis

severas.

o 39 Regimento

Afonso

do denúncias

Região

todos

de prontidão

levantar-se

27 do corrente

a execução

rubricado.

- 17 -

e, a

das missões

26-11-35. Carlos Prestes".

Luis

às duas I

do


ASp€:Ct08 da entrada arti "har

í,

leq'

principal

do 39 RI após

st a ,

- 18 -

o bombardeio

da


Na hora prevista, duas da madrugada do d~a 27 de nOVE bro de 1935, ouviram-se alguns t.ros no p t~o ~nterno Unidade. A segui~ ouvira nal esperado. Imediatamente os r

v~vas

d

o tosos c

Rev

~o.

~ ra

da

a o

s

r

nhia de Metralhadoras do 29 Bata hã , cue

eag~

~

altura

~tão A varo Braga. nd -s c

graças a seu bravo .comandante, o Estava aceso o estopi. da revol

pleta confusão com t~ros para tode o lado.

ntos

Batalhão chefiados pelo Cap~tão Alexin~o B ten~ourt e nente Fritz de Azevedo M nso com

ar m a

Te

~r fogo co tr

os rebeldes. Mais tarde er,sesof~c~a s fer m

pr s o.ados.

Diante da rapidez da ação os lE"a.istas of~r~c am pouca ou nenhuma res~sténcla. No Cassino dos Oficiais, O Cap

O Ag~ do B r ta lux~li

ado por seus seguidores, procediu ã prlsã

Je vár~os

ciais legalistas. Os Cap~tães Alvaro de 5 Brasil coria t Lt.u ram=se em Junta de ornando

za e ~os Leite p ram 8

í

transmitir ordens, algumas das qua s escrl punho de Agildo Barata, sem dúv~da lementos na Revolução. As prisões de oficiais legalis bém nos batalhões e companhias.

s d

dos m 15 a~

~

of~-

proprlo ' I

uantes e-

m se~do Feltas

'9 B tal~ao,

ta

M 'or Mi

sael de Mendonça resolveu ir tomar conhecim nto, pessoalmente, da situação. Estava dispo to a res~stir a todo custo ~ quando atingiu as proximida éS de seu bat 'hao, foi alvejado por um projétil que o fez tombar f rido mortalmEn te. O tiroteio desordenado prossegu1a provocando e morte de ambos os lados. Vendo que uma chacina poderia ocerrer a La , os

ar

C

dos 19 e 29 Batalhões, Majores José de Almelda F~ uelredo e José de Oliveira Pimentel, que já tinham s1d

apr

dos, resolveram intervir junto aos rebeld s pr tar a rendição da Companhia de Metra'had r lhão e de um núcleo da Companhia de Metral

5

~ o

o 29 Jor s

que ainda resistiam aos rebeldes. Ao amanhecer, entretanto, os coreunistas Já h Vla nado o Regimento, com exceção da Fart

- 19 -

c~ntral do P

~~l


Militares

implicados

aguardam

transporte

-20-

para

a Ilha das Flores.


de Comando

onde

o Coronel

o Tenente-Coronel sa de Lima,

Afonso

Henrique

o Capitão

José

de Almeida,

impediam

do armas

automáticas.

Contudo

à rua, conforme

sair

dos

desejo

integrantes

dos

dos

o Regimento

e o

Barb~ Tenente

rebeldes não

usan-

conseguiu

à

ação

de metralhadoras

dos

revoltosos,

companhias

com

Franklin

Santos

a entrada

dos

das

juntamente

o Major

Marinho

Fernando

heróica

Ferreira,

Pereira,

graças

lQ e 2Q Batalhões. Depois

de algumas

crifício

de vida

se renderam. e seus

A seguir

oficiais,

do desmoronou A reação Eurico

das

tropas

tos o 3Q Regimento

por

que, dados

comandou

ao seu

Avenida

o Major O General seus

e senso

vitória

final.

João

cercado

minu-

pelas

tro-

ataque

de

Dutra

a

dar

triste

tombou

também

para

Pinheiro,

permaneceu durante

incentivar,

todas

de responsabilidade

final

aberto, aqueles

ao

por projiteis um dos

seus

quardos re assis-

de combate

as fases

amotinados. foram

como herói

aos sol

peito

na frente

dos

pessoal

De

o assalto morto

não

autêntico

exemplo manhã.

Pasteur ati

do 3Q Regimen

projetou-se

como

com a rendição

obrigados

horas.

do aquartelamento

Ribeiro

Dutra

soldados,

final

coragem

não

e trinta

foram

limpo

lado que

tentes.

aos

estava

do General

Militar,

os amotinados

naquela

em campo

voltosos

junto

sob o comando da 19 Região

de treze

o General

em plena

o triunfo

qua~

se encontravam.

do maciço

soube

Foi

sa-

Afonso

abrigos

em virtude

desassombradamente,

avançavam

tel.

pressão

lúcido,

que

maior

legalistas

o Coronel seus

de seis horas

e muito

apareceu que

legalistas

de retomada

decidido

onde

Por volta

volta

to de Infantaria, chefe

prisioneiros

a abandonar

Comandante

e artilharia,

Na operação

evitar

Militar.

forte

se renderem

e para

de resistência

de Infantaria

pas da 19 Região

infantaria

cairam

do prédio

Dutra,

esperar.

Sofrendo

de luta

núcleos

obrigados

parte

Gaspar

se fez por

horas

os dois

luta

até

Seu exemplo,

decisivos

para

a

4. CONCLUSOES Este de 1935.

i um breve Por

relato

ser apenas

da rebelião

um resumo

comunista

foram

-21-

omitidos

de 27 de novembro muitos

detalhes

e


nomes

envolvidos

sim, gar

ficou

a ambição

acontecimentos de modo

política

e deletéria, nheiro

nos

demonstrado

a qualquer

a dissimulação,

e orientação

que

preço,

a mentira

externos

enlutaram

insofismável

para

até

o País. que

a demagogia

e o cinismo

entregar

a Pátria

Mesmo

ponto

pode

asche-

inconseqtiente de receberem

di-

ao domínio

es-

trangeiro. Sejam deptos

quais

forem

do comunismo

capazes,

como

sinatos

vimos,de

transcrever

"~ preciso

com que

relembrar

"Relembrar

esses porque

Não

sabia,

realidade, perdoados no Brasil, nosso Poder

em 1964,

sendo

de 1964.

Não

insanos

ma soturna um rastro feridos,

baixo

vítimas

barrados

isso

pelo

Mas

dia,

a

à vontade

com que terror". •

esqueci-

defeito".

palavras

foram

• •

é preciso

é o

eram,

na

anistiados

desistiram

e

de implantar,

e à índole

objetivos

do

de tomada

do

Revolução

Democrática

de 31

intentos

retornaram,

em 1968,os

a praticar

seqfiestros,

e da violência, e militares, padrão

de seus mestres

de 100 mortos da sanha

as suas

de 1935

os mesmos

seus

e repugnante

e infames

o seu maior

contrário

pela

de civis

ideologia de mais

Du-

ostensiva

dominar

doloroso.

que

nem por

comunista

do ódio

brutais

des do mais

mas

naquele

do brasileiro

sempre

Dutra

conseguindo

importadores

assassinatos

assas-

do General

a maneira

traiçoeiros

virtude

é quase

a perseguir

Março

asão

do 39 Regimento

ruínas

conseguiram

Os revoltosos

sociedade,

Voltaram

os

isso

de frios

do Dia

crime,

é certamente

a maior

o General

um regime

povo.

que

fatos

profecia.

pela

das

os processos

virtude

porém,

uma

Para

desencadeado

saíram daquele

os companheiros

e essa

e, até,

da Ordem

o vandalismo

com que

os autores

relembrar, mento

um trecho

alardeavam

abateram

traições

utilizados, fins.

de 1937:

afrontosa

de Infantaria

os mesmos

adormecidos.

em 27 de novembro

atitude

e os processos

sempre

revoltantes

de companheiros

~ oportuno tra,

os disfarces perseguem

moral,

a bancos,

agindo

comunistas

civis

assassina

assaltos

em nome

de 1935.

e militares,

dos herdeiros

de

atit~ da mes-

Deixaram

500 mutilados da intentona

e de

1935. Podemos nismo

não

afirmar foi

se desenvolve que

atormentam

centes

que

em vão,

o sacrifício visto

sob o signo um grande

ao chamado

mundo

que

daqueles

temos,

da liberdade, número

- 22-

combateram

uma Nação

sem os graves

de países,

desenvolvido.

que

hoje,

muitos

o comu-

próspera,que distúrbios

dos quais

perten-


c.w

N

Oficiais

e praรงas

do 39 RI em atitude

de zombaria,

deixam,

presos,

o quartel

de sua unidade.


A lição Militares

de 1935 jamais

permanecerá

esquecerão

que o comunismo

inseriu

fício

nunca

de vidas,

'me contrário

permitirão

"O Comunismo

não

entre

as classes.

a sua

exterminação

vangelho:

bane Não

de cristã. gião.

inverteria

Esse

de luto,

que

imposto

seja

é um dever

mútua. das

Dissolveria

Não

almas

covardia do sacri-

ao Brasil

é a invasão

e das Não

a sociedade.

a humanidade.

e

à custa

um regi-

constitucional.

arvora

à ordem.

e as polícias

traição

e, mesmo

Não é a reconciliação

Deus

a obra

Armadas

História

é a fraternidade:

dá tréguas

Desumanaria

As Forças

as páginas

na nossa

à sua tradição.

pulares.

viva.

do ódio

dos homens:

a bandeira

do

reivindicações conhece

po-

a liberda

Extinguiria

Everteria,

é E-

a rel~

subverteria,

do Criador". RUI BARBOSA.

- 24-


Intentona comunista no brasil