Page 1

2019 Breno Augusto Valentim

BAIRRO PERMEÁVEL BAIRRO PERMEÁVEL Proposta�de�conexão�verde�urbana

Proposta de conexão verde urbana

2019

Breno Augusto Valentim


TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO Trabalho final de graduação apresentado ao Centro Universitário Moura Lacerda como parte dos requisitos para obtenção do grau de Bacharel em Arquitetura e Urbanismo. Orientador: Marcela Cury Petenusci

CENTRO UNIVERSITÁRIO MOURA LACERDA

BAIRRO PERMEÁVEL Proposta de conexão de rede urbana Breno Augusto Valentim

RIBEIRÃO PRETO

2019


Catalogação na fonte elaborada pela biblioteca do Centro Universitário Moura Lacerda Bibliotecária Gina Botta Corrêa de Souza CRB 8/7006 Valentim, Breno Augusto. Bairro permeável: proposta de conexão de rede urbana / Breno Augusto Valentim. – Ribeirão Preto, 2019. 103f.

Monografia (Graduação) - Centro Universitário Moura Lacerda, 2019. Orientador: Profª. Marcela Cury Petenusci.


Bairro Permeável

Proposta de conexão verde urbana.

BRENO AUGUSTO VALENTIM

Trabalho Final de Graduação apresentado ao Centro Universitário Moura Lacerda em Ribeirão Preto - SP como exigência para a obtenção do título de bacharel em Arquitetura e Urbanismo.

Data de Aprovação :______/ ______/ ______

____________________________________ Orientadora: Profa. Marcela Cury Petenusci

____________________________________ Examinadora: Profa. Vera Lucia Blat Migliorini

____________________________________ Examinador Convidado


OBRIGADO!

Antes de qualquer palavra, gratidão e gratidão aos que me criaram e me deram os instrumentos que possibilitaram trilhar este nobre e belo caminho que sigo com amor, esforço e dedicação. Meus pais merecem o mundo. Um muito obrigado a todos que me acompanharam na jornada até aqui. À família Merenda, em especial César, Cristina e Maria Giulia, sempre terão meu obrigado e amizade por todos os anos de amizade e companheirismo em tempos alegres ou tristes, mesmo com noites e mais noites sem dormir, sempre dando apoio nos momentos difíceis e comemorando juntos em momentos de conquistas. Um obrigado especial às amizades que restiram a tempos de calmaria e trovejadas neste caminho que felizmente nos uniu. Giovana Jorge, Tainá Braulino, Tathy Ferreira e Jéssica Giunco sempre terão um ombro amigo para o que der e vier. Merecem agradecimentos também todos professores que compuseram a mim como cidadão, profissional e colega. Em especial, a melhor orientadora do mundo da minha cabeça Marcela Cury Petenusci. Por ultimo e não menos importante, um obrigado à Keyla M.J.C. pela companhia, ajuda e influência na mesma trilha, que mesmo com altos e baixos e apesar da distância, já dura mais de dez anos, merece tudo e mais um pouco.

“Nós não herdamos o mundo de nossos antepassados, nós o pegamos emprestado dos nossos filhos.” - Antigo provérbio Chinês.

AGRADECIMENTOS

7


RESUMO

9

Este trabalho tem como objetivo a proteção do aquífero guarani, criando possibilidades de expansão do tecido urbano a modo que concilie de forma não agressiva a relação entre natureza e cidade. O projeto apresentado neste trabalho trata-se de um bairro verticalizado com altos índices de permeabilidade e proteção ambiental. O mesmo possui uma ligação direta com o Parque Roberto Luiz Jábali, que serve como núcleo de uma grande rede de corredores verdes que se extendem e facilitam mobilidade, permeabilidade e melhoram o microclima por todo o bairro, com possibilidade de extesão por diversas áreas da cidade, contruibuindo para um esquema de funcionamento macrorregional acessível a todos. O bairro conta com duas áreas de usos distintos, que se diferem não apenas pelo uso, mas também pelo gabarito adotado em cada segmento. Uma grande parte do sistema viário é composto por vias compartilhadas com grandes corredores verdes centrais que juntos compõe o grande sistema de ligações verdes. As espécies de árvores foram selecionadas a dedo para o melhor desempenho ambiental conforme as necessidades locais que são impostas não apenas com problemáticas urbanas, mas também sociais. Palavras Chave: Bairro Permeável, Aquífero Guarani, Rede Verde, Parque, Conexões Verdes.


This work aims to protect the Guarani aquifer, creating possibilities for expansion of the urban fabric so as to non-aggressively reconcile the relationship between nature and city. The project presented in this paper is a vertical neighborhood with high levels of permeability and environmental protection. It has a direct link with Roberto Luiz Jรกbali Park, which serves as the core of a large network of green corridors that extend and facilitate mobility, permeability and improve the microclimate throughout the neighborhood, with the possibility of extending to various areas of the city, contributing to a macroregional working scheme accessible to all. The neighborhood has two areas of different uses, which differ not only by the use, but also by the maximum number of floors on buildings adopted in each segment. Much of the road system is made up of shared roads with large central green corridors that together make up the large system of green links. The tree species have been handpicked for the best environmental performance according to local needs that are imposed not only on urban but also social issues. Keywords: Permeable Neighborhood, Guarani Aquifer, Green Network, Park, Green Connections.

ABSTRACT

11


Lista de Figuras 1. Fábrica século XVIII.................................................................................24 2. Estimulo de capital no século XIX..........................................................26 3. População Mundial em relação ao tempo...............................................27 4. Emissão de CO2 em Chicago...................................................................31 5. Relação análoga tecido urbano/área de produção/área verde................34 6. Crescimento do tecido urbano...............................................................37 7. Taxa permeável do solo difusa/concentrada...........................................38 8. Ilustração esquemática de sistemas verdes integrados...........................43 9. Macrozoneamento..................................................................................45 10. Diagrama básico de divisão de etapas...................................................48 11. Interconexão de polos sustentáveis pelo parque suspenso..................51 12. Cobertura das linhas de trem conectando núcleos sustentáveis..........52 13. Núcleo Sustentável ao redor de estação de trem................................53 14. Estudo de distribuição do parque pela cidade.......................................53 15. Minhocão com intervenção do parque linear........................................54 16. Trechos do atual projeto para o parque................................................55 17. Localização do Quartier.........................................................................55 18. Divisão interna e usos...........................................................................56 19. Boulervard e região comercial..............................................................56 20. Ênfase no pedestre e ciclistas................................................................57 21. Centro de eventos.................................................................................57 21. Edifícios empresariais, edifício educacional e hospital...........................58 23. Parque...................................................................................................58 24. Infraestrutura sustentável das edificações.............................................60


25. Localização do BedZed. .......................................................................61 26. Corte esquemático................................................................................61 27. Cobertura e ligação entre edifícios.......................................................62 28. Automotor elétrico utilizado no local...................................................62 29. Visão panorâmica do bairro...................................................................63 30. Localização da gleba..............................................................................66 31. Macrozoneamento e Carta Ambiental..................................................66 32. Principais acessos e diretrizes viárias locais...........................................67 33. Uso do solo...........................................................................................68 34. Altura das Edificações............................................................................69 35. Hierarquia Funcional x Física.................................................................70 36. Equipamentos Urbanos.........................................................................71 37. Condições Naturais...............................................................................72 38. Áreas Verdes x Maciços Verdes.............................................................73 39. Micro bacia hidrográfica........................................................................74 40. Declividade............................................................................................75 41. Síntese....................................................................................................76


0

INTRODUÇÃO

14

1

O mundo gira, o tempo corre, a sociedade se desenvolve

20

2 3

Cidade e Meio Ambiente - O tecido urbano, cidade negada e estrangulamento ambiental - Crecimento Inteligente, uma nova forma de urbanização - Natureza Urbanizada

28

- Leis, etapas e Parceria Público-Privada

Referências Projetuais - Parque Suspenso: Minhocão - SP - Bairro: Quartier - Pelotas/RS - Bairro: BedZed - Londres

49


64

Levamentamento da área de estudo

O Projeto

78

Plano Geral Conceito Implantação Plantas Cortes Espécies -

96

Conclusão

98

Referências Bibliográficas

4 5 6 7


INTRODUÇÃO

16 rural. A grande massa que antes trabalhava no campo migrou em grande parte para as cidades, visto as novas condições e pelas oportunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas de todo tipo. A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e Você sabia quesua segundo dados OECD (Organisation for que demonstraria verdadeira faceda sobre a realidade anos à frente. Economic Co-operation and Development), a população mundial Observando o século XVIII, XIX XX, é possível um Ésalaumentou em bilhões de pessoas ememenos de cemver anos? to no tamanho população Em a100 de diferença, realmente muitoda importante quemundial. se olhe para novaanos direção em que o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, o mundo atualmente segue, pois as antigas formas de se urbanizar pouco antes dacada metade século XX, aepopulação mundial beirava estão ficando vez do menos efetivas sendo substituídas por 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez emtoma todosnovas aspecnovos modelos, cuja postura adotada emmaiores, cada caso tos, porém a questão ambiental ofuscada em relação aos direções e recebe novos olharescontinuara se comparado ao planejamento acontecimentos de décadas atrás.da época.

Contexto

século XIX, a grande evolução impressionara ADesde pesaro do planejamento urbano não do ser aço novidade, faz-se a todos, cada vez necessário mais surgiam a Torre Eifextremamente nosobras diasemblemáticas atuais. Com como o crescimento fel, ou mesmo criação dono trem, o veículo transportedadegrande carga e estrondoso da apopulação século XX e de a migração passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se massa rural para as cidades, as pessoas encontraram novos estilos o uso doao famoso e ainda extremamente utilizado, concreto de vida, qual se adaptaram rapidamente e passaram a terarmado, uma que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. relação de extrema dependência com novas tecnologias, como o automóvel, que vem regendo ainda a forma como a urbanização A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de madeve ocorrer. térias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo aço trouxe consigo uma Contudo, novos luxos,influenciado facilidades epelo poderes também trazem


17 novos problemas. Grandes distâncias nas cidades tornam-se comuns, sendo que a necessidade do automóvel para transitar grandes distâncias é cada vez maior, havendo cada vez mais emissão de CO2, menos áreas para produção rural. Listar todos os problemas que a extensão da expansão urbana traz é difícil, mas o fato é que as cidades têm necessidade de adotar novas posturas em relação a si mesmas. Pode-se citar novos conceitos sobre crescimento urbano, como “Smart Growth” e “Smart Retraction” utilizados por Carlos Leite (2012) que são boas teorias para se ampliar novas visões e obter melhorias urbanas no cenário atual. O conceito de sustentabilidade está cada vez mais tomando conta do dia-a-dia das pessoas, visto que, cada vez mais bons exemplos tem sido bem sucedidos em locais onde foram implantadas novas políticas urbanas, principalmente em grandes cidades, como é o caso de Tóquio e Nova York (mais precisamente Manhattan), que apesar de terem realidades e culturas diferentes, vê-se altíssimas densidades, aglomerações gigantescas de pessoas e ainda sim boa qualidade de vida. Todavia, não apenas de concreto e aço se compõem bons espaços. Há também necessidade de calmaria em meio ao caos urbano. Redes verdes são adotadas cada vez mais para abrandar o dia-a-dia das cidades, sendo algo inegável a necessidade da natureza no meio em que vivemos. Autores como Richard Rogers (2005) e Jan Gehl (2013) mostram e exemplificam essa necessidade, mostrando que a cidade é feita para pessoas, não automóveis, coisa que as cidades vem percebendo aos poucos, mas tardiamente. Há hoje cidades com alto potencial e previsão de crescimento ainda com planejamento urbano com posturas direcionadas para fora do contexto sustentável, cidades emergentes como é o caso de Ribeirão Preto (cidade selecionada para desenvolvimento deste


18 rural. A podem grande massa que antes trabalhava campo migrou trabalho), tomar providências e criar umnoplanejamento paraem grandeum parte para as cidades, visto as novas condições e pelas oporevitar possível colapso futuro. tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, Ribeirãointensamente Preto foi a ecidade escolhida novas para formas desenvolvimento cresceram desenvolveram de poluição, do trabalho visto tamanho potencial de crescimento com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças,eetendência problemas àdeexpansão do tecido urbano horizontal, principalmente através todo tipo. de condomínios fechados. O principal ponto que torna a cidade A revolução industrial fora o éestopim de um problema que viria à como ótimo objeto de estudo justamente estar localizada sobre tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob o Aquífero Guarani, o que traz uma grande importância à questão as sombras da produção emquestão série tornara-se uma doença degeneda permeabilidade, além da da preservação ambiental. rativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela Vista a problemática, foido desenvolvida a criação de e nova forma de circulação capital criouneste uma trabalho reforma na paisagem um bairrode sustentável suprir elaboração na forma vida, a umpara custo que tais foraproblemas. “financiado”Para em amuitos anos, e do trabalho foi necessário inicialmente a criação de uma bagagem que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. teórica que fora adquirida com estudo de bibliografias e projetos Observando o século XVIII, XIX e XX, érealizados possível ver de referência, seguido de métodos empíricos naum áreasalto no tamanho da mundial. Em 100 anos de diferença, de implantação do população projeto, com levantamentos morfológicos e o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, desenhos. pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspectos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma


19

OBJETIVOS

PROCEDIMENTO METODOLÓGICO

ORGANIZAÇÃO DO CADERNO

Geral: Sendo assim, este trabalho tem como objetivo geral desenvolver na cidade de Ribeirão Preto um projeto de um novo bairro que incorpore valores do urbanismo contemporâneo, aplicando-se conceitos de sustentabilidade e conectividade de sistemas verdes advindos da ecologia da paisagem. Específicos: • Parcelar o solo criando harmonia entre o sistema viário, lotes e áreas verdes, aproximando o pedestre à cidade através de ênfase em modais não motorizados. • Dar destaque ao conceito de sustentabilidade. • Desenvolver projeto que permita a manutenção de alta taxa de permeabilidade do solo. • Propor um sistema de rede verde principal e secundário, que servirá não apenas à gleba, mas também criará possibilidades e incentivos para conexões entre áreas importantes em todo o mosaico urbano regional. Para desenvolvimento do trabalho foram seguidas as seguintes etapas: • Construção de repertório teórico por referências bibliográficas • Desenvolvimento do referencial teórico • Referências Projetuais • Levantamento Morfológico • Desenvolvimento de Estudo Preliminar • Desenvolvimento de Anteprojeto Deste modo, o caderno se organiza nos seguintes capítulos: Capítulo 1: Contempla o desenvolvimento histórico da sociedade e da construção. Capítulo 2: Abrange assuntos sobre a cidade de forma geral, além da sua relação com o meio ambiente. Capítulo 3: Referências Projetuais utilizadas na concepção do projeto. Capítulo 4: Levantamentos da área de estudo. Capítulo 5: O projeto. Capítulo 6: Conclusão. Capítulo 7: Referências Bibliográficas.


CAPÍTULO 1

O mundo gira, o tempo corre, a sociedade se desenvolve. “A sobrevivência da sociedade sempre dependeu da manutenção do equilíbrio entre as variáveis de população, recursos naturais e meio ambiente. O desleixo para com este princípio foi desastroso e as consequências fatais para antigas civilizações. Da mesma forma, estamos sujeitos às leis de controle da sobrevivência, entretanto, somos os primeiros a constituir uma civilização global e, portanto, os primeiros que enfrentam, simultaneamente, a expansão da população a nível mundial, a destruição dos recursos naturais e do meio ambiente.” (ROGERS, 2001, p 03)


CAPÍTULO 1

22 rural. grande massa que antes trabalhava no campovem migrou Não éA de hoje que a discussão sobre sustentabilidade sendoem grande parte para as Conferência cidades, vistodas as Nações novas condições e pelas oporestudada. A Primeira Unidas sobre o Meio tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, Ambiente e Desenvolvimento aconteceu em Estocolmo, na Suécia, cresceram desenvolveram novassustentável formas de poluição, em 1972, intensamente onde a ideiaede desenvolvimento surgiu com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas oriunda de um conceito inicial denominado ecodesenvolvimento. de todo tipo. A necessidade de se pensar em uma forma de viver menos A revolução industrial forapermite o estopim de um problema viria à agressiva ao meio que nos sobreviver é cada vezque maior, tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob visto que ao passar do tempo, cada vez mais exigimos da natureza as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenepara ser mantida a vida contemporânea. rativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela Aoforma analisar equação criada entre o consumo de bens naturais, e nova deacirculação do capital criou uma reforma na paisagem anacapacidade de aprodução seus desenvolvimentos forma de vida, um custoeque forarespectivos “financiado” em muitos anos, e com o passar dos anos, percebe-se com facilidade o desequilíbrio que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. entre capacidade de reposição de recursos naturais e seu devido Observando XVIII, XIX e XX, é possível umdesalconsumo, algo que oseséculo por ventura fora ignorado, afetaria ver a vida to no de tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, todos forma permanente. o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, Chega ironia, como o próprio chega a pouco antesa ser da metade do século XX, a ROGERS(2001) população mundial beirava dizer, que as próprias cidades, habitat natural da sociedade, sejam 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspecas de destruição do meio que as sustentam. É umaaos tos,principais porém acausas questão ambiental continuara ofuscada em relação realidade, e também uma problemática a ser revertida, e para lidar acontecimentos da época. com tal problema, deve-se antes conhecer a fundo suas raízes, Desde para o século grande evolução do aço impressionara somente entãoXIX, criara estratégias que visem lidar, melhorar e a todos,ocada mais surgiam curar cernevez caótico criado. obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e Para realmente se inteirar sobre oNeste assunto, um olhar pela linha passageiros mais eficiente da época. mesmo século, iniciou-se histórica sociedade é uma forma eficiente de enxergar o “X” da o uso doda famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, questão. Fazendo uma estimativa em relação a população mundial, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. segundo o Museu Americano de História Natural (American A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de maMuseum of Natural History)(2016), há cerca de 2000 anos atrás, térias em simples como a madeira, e pedras sobre mudara irreversivelhavia torno de 170 milhõesbarro de habitantes o planeta, e mente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma levaram aproximadamente 1600 anos para atingir cerca de 530


23 milhões. O perfil dos habitantes nesse período é extremamente destoante do atual, visto tamanha dependência atual da tecnologia. As formas de se sustentar eram amenas e a capacidade de extração de recursos era muito limitada.

“Na metade do século XIX já eram claras todas as mudanças no ambiente urbano oriundas da Revolução Industrial. [...] foi com essa explosão das cidades ligada ao avanços tecnológicos que se originou um campo especifico na arquitetura, que englobava não só questões formais e técnicas, mas a complexidade de relações entre os homens e a sociedade que ocorria nas cidades, que agora apresentavam a necessidade de serem planejadas. Esse campo é o urbanismo, que serviu ao mesmo tempo como síntese de inquietações e propulsor de propostas da arquitetura moderna.” (SILVA, 1997, p 18)

A forma de vida com tecnologia pouco desenvolvida somada ao tamanho da população nos séculos I ao IX cria uma equação cujo resultado é a Terra conseguir reestabelecer os recursos naturais utilizados em relação à demanda requerida. A partir da década de 1970, o resultado fora revertido, segundo à Global Footprint Network, uma organização americana apoiada pela WWF que calcula o Earth Overshoot Day (Dia da Sobrecarga da Terra, em português). Já no século XVIII, a população mundial aumentara, percebe-se uma aceleração no processo de crescimento populacional, já que alcançara neste século a marca de 1 bilhão de habitantes. O perfil desta sociedade já começa a se aproximar do atual, principalmente após ao início da utilização do aço. Nesta época, houve uma fato que fora extremamente importante e que mudaria a face do mundo e daria nova forma ao futuro de uma sociedade antes moldada sob tecnologia precária e recursos limitados: a revolução industrial. A primeira revolução industrial basicamente transformou os serviços antes manufaturados com baixa capacidade de produção em grandes produções com máquinas a vapor, o que mais adiante tomaria maior dimensão em outras duas revoluções industriais, que resultaram em trabalhadores alienados com funções estagnadas e sem conhecimento sobre o processo de produção total, como retratado de forma cômica no filme Tempos Modernos de Charlie Chaplin.


24 Após A rural. essa grande mudança massaradical, que antes principalmente trabalhava no na campo região migrou europeiaem grande parte para (tardiamente no Brasil), as cidades, iniciou-se visto um as novas processo condições muito eintenso pelas oporde tunidades êxodo rural. deAtrabalhos grande massa na fábricas. que antes As trabalhava cidades tomaram no campo nova migrou forma, cresceram em grandeintensamente parte para as ecidades, desenvolveram visto as novas novas condições formas de epoluição, pelas com excessos de oportunidades de resíduos, trabalhos poluentes, na fábricas.novas As cidades doenças, tomaram e problemas nova de todocresceram forma, tipo. intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e A revolução industrial problemas de todo tipo. fora o estopim de um problema que viria à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as Asombras da industrial produçãofora em osérie tornara-se doença degenerevolução estopim de umuma problema que viria ponto de vista ambiental. solução econômica pela àrativa tonado cerca de um século e meio aAfrente. A nova cidadegerada moldada novaasforma de circulação do capital reformauma na paisagem sob sombras da produção em criou sérieuma tornara-se doença e na forma de vida, a um custo que ambiental. fora “financiado” em muitos anos, e degenerativa do ponto de vista A solução econômica que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” Observando século XVIII, XIXsua e XX, é possível um salem muitos anos, e oque demonstraria verdadeira facever sobre a to no tamanho população mundial. Em 100 anos de diferença, realidade anos à da frente. o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco antes da metade doXVIII, séculoXIX XX, a população Observando o século e XX, é possívelmundial ver umbeirava salto 2,5 tamanho bilhões. As estavam cadaEm vez100 maiores, emdiferença, todos aspecno da cidades população mundial. anos de o tos, porém século XIX aalcançara questão 1ambiental bilhão decontinuara habitantes, ofuscada e 150 em anosrelação depois,aos acontecimentos pouco antes dadametade época. do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em Desde o século XIX, aa questão grande evolução aço impressionara todos aspectos, porém ambientaldocontinuara ofuscada a todos, cada aos vez acontecimentos mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eifem relação da época. fel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros eficiente época.evolução Neste mesmo iniciou-se Desde o mais século XIX, ada grande do açoséculo, impressionara uso docada famoso ainda extremamente utilizado, concreto ao todos, vez emais surgiam obras emblemáticas como aarmado, Torre que fora Eiffel, ou aprimorado mesmo a criação e tornou-se do trem, usualonoveículo séculode seguinte. transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, A sociedade com seu perfil extremamente voltado à utilização de mainiciou-se o uso anterior do famoso e ainda utilizado, térias simples comoque a madeira, barro e pedras mudara irreversivelconcreto armado, fora aprimorado e tornou-se usual no mente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma século seguinte.

Nesta página, imagem 1

Fábrica século XVIII. Fonte: Site Esquerda Diário. 2017

“[...]percebe-se que as cidades tiveram transformações em seu espaço decorrentes do rápido aumento de habitantes decorrentes do êxodo rural e guiados pela força da revolução industrial, trazendo consigo inúmeros problemas, como a separação espacial das cidades por classes sociais, onde a classe alta concentra em torno dos centros urbanos e as demais em uma zona periférica.” (Junior, 2014, p.06)


25 A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma oligarquia produtiva, onde a extração de ferro e a produção de aço era estimulada pelo capital adquirido com seu uso, com novas invenções possibilitadas pelo metal, novas formas de se extrair, produzir e utilizar foram surgindo, e maior a quantia produzida, mais se conseguia produzir entrando assim num estado crescente com aceleração constante. Tal evolução trouxe alterações em todos os campos, desde áreas como a construção civil, com a criação da Iron Bridge como estopim, o campo artístico com esculturas e arquitetura. O transporte aprimorado influenciara a produção de todas as áreas pelo aumento na agilidade de locomoção de mão de obra e obra prima para locais distintos. “Há um momento na História em que o ferro passa a ser empregado com tão diversificados fins, dentre eles a construção de edifícios, que é inevitável o registro deste material como um fator essencial para as transformações de toda ordem por que passou a sociedade. Este momento é o século XIX” (SILVA, 1985, p 13). “Tal como o aço, o concreto começa a ganhar expressão como material construtivo em meados do século XIX, justamente quando a industrialização chega à construção civil.” (SANTOS, 2008, p 114)

Além disso ampliou em grande escala o poder bélico, que viria a causar grandes problema anos à frente com duas guerras mundiais, que tiveram um desfecho problemático com um demonstrativo de poder nuclear oriundo do crescimento tecnológico imposto no século XVIII. Agora, pondo em pauta o transformador século XX, o número de habitantes passa por mais um grande salto. Até o final do século, segundo o Museu Americano de História Natural(2016), a população atingira a marca de 6 bilhões de pessoas, acelerando de forma desenfreada em seu final próximo aos anos 1970, 1980 e 1990. Esse século teve um papel crucial em muitas áreas. O avanço tecnológico foi o responsável por praticamente toda a vida moderna. Invenções como o avião, telefone, televisão e


26 rural. A grande massa que anteso trabalhava campo migrou computadores passaram a reger mundo, as no novas formas de seem grande parte para as cidades, visto as novas condições e pelas oporviver eram extremamente estimuladas pelo capitalismo. tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, O consumismo necessidade vida de muitos cresceram intensamentetornou-se e desenvolveram novasde formas de poluição, alienados por uma ilusão de boa vida pelas propagandas transmitidas com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas de produtos de todo tipo. em sua maior parcela fúteis e desnecessários. Harvey(2012) diz que ao surgimento de cada barreira para o A revolução industrial fora o estopim de seu um alcance problema que viria à acumulo de fundos, o capitalismo ampliara rompendo tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob distâncias, abrangendo novos mercados, migrando diferentes as sombras da produção tornara-se uma doença degeneculturas e criando relaçõesem de série um mundo globalizado. rativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela Essedenovo estilo do decapital vida tem muito na fortes, mas e nova forma circulação crioupontos uma reforma paisagem também problemas. conforto, novas curas, da e na forma sérios de vida, a um custoOque fora “financiado” emfacilidades muitos anos, vida moderna eram cada vez mais comuns, mas em contrapartida, que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. a poluição tomara conta de muitos locais. Uma vida cada vez mais Observando o século XVIII, traziam XIX e XX, é possível um salsedentária e o excesso de CO2 problemas de ver saúde, a to no tamanho da população Em 100 anos de diferença, grande quantia de automóveismundial. nas cidades causa problemas na o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, mobilidade, que fora uma vez produzida para um contingente pouco inferior antes daaometade doem século XX,locais. a população mundial beirava muito existente muitos 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspecO problema com a destruição do meio ambiente tos, porém a questão ambiental continuara ofuscada emcomeçara relação aos aacontecimentos dar grandes sinais de problema, grandes lotes de madeira ilegal da época. circulavam, muitas fontes de água poluídas e a necessidade de Desdecada o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a recursos vez maior. todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eifprodução agrícola, existe há milhares de anos,de com as e fel, ouAmesmo a criação doque trem, o veículo de transporte carga novas tecnologias que passaram a surgir no século começara a passageiros mais eficiente da época. Neste mesmoXX, século, iniciou-se tomar conta em muitos utilizando utilizado, espaços antes reservados o uso do famoso e aindapontos extremamente concreto armado, àque natureza pra produção intensiva. Com expansão das fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. cidades sobre o solo, cada vez menos espaço era destinado à proteção A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de maambiental. térias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelSegundo a Fapesp(2013) (Fundação de aço Amparo à Pesquisa mente. O novo mundo influenciado pelo trouxe consigo do uma

Nestas páginas, imagem 2 e 3

Estimulo de capital no século XIX Fonte: Autoria Própria, 2018 População Mundial em relação ao tempo. Fonte: Museu Americano de História Natural, 2018. Modificado


27 “Muito se fala sobre as áreas desmatadas pela agricultura, mas o que poucos sabem é que a maioria das florestas derrubadas, como por exemplo na Amazônia, sobretudo o sul desta, que se inicia no território do Mato Grosso, não tem na agricultura o único algoz, mas sim a pecuária, que transforma milhares de quilômetros de mata em pastos e a seguir em áreas degradadas.” AS CONSEQUENCIAS DO DESENVOLVIMENTO DA AGRICULTURA PARA O MEIO AMBIENTE. Ecyle. 2010. Disponível em: <https://www. ecycle.com.br/component/ content/article/35/1435as-consequencias-dodesenvolvimento-daagricultura-para-o-meioambiente.html>. Acesso em: 09, de Janeiro de 2019

Estado de São Paulo), o aumento do cultivo de cana-de-açúcar, do milho, do amendoim, e outras plantas, associadas a áreas de pastagem de gado têm tomado espaço de florestas, provocando diversos impactos ao meio ambiente, e sobretudo à biodiversidade dos corpos d’água. Até os dias atuais, sinais de aumento de temperatura global e derretimento das geleiras dão alerta ao mundo. Passado a metade do século, finamente iniciou-se uma discussão sobre o assunto, mas realmente fora começar a ser botado em prática no início do século XXI. De volta aos anos 2000, precisamente em 2017, segundo matéria da ONU(2017) atingiu-se a marca de 7,6 bilhões de habitantes em todo o mundo, e um estudo em julho do mesmo ano, indica a marca de 9,8 bilhões até 2050, quando atinge seu ápice de aceleração de crescimento populacional. A partir disso o crescimento entra em declínio, e atinge a marca de 11,2 bilhões em 2100. Ao compararmos com os séculos passados vemos uma desaceleração iminente no crescimento populacional, e uma estagnação prolongada com um número alto que exigirá atitudes adequadas em cada situação. O problema em si apresentado não aparece diretamente no número do crescimento populacional, mas sim na consequência causada por aumento na necessidade de utilização de recursos naturais, cada vez mais agravada pela má utilização do espaço urbano.


CAPÍTULO 2

Cidade e Meio Ambiente “O direito à cidade é muito mais que a liberdade individual de ter acesso aos recursos urbanos: é um direito de mudar a nós mesmos, mudando a cidade. Além disso, é um direito coletivo, e não individual, já que essa transformação depende do exercício de um poder coletivo para remodelar os processos de urbanização. A liberdade de fazer e refazer as nossas cidades, e a nós mesmos, é, a meu ver, um dos nossos direitos humanos mais preciosos e ao mesmo tempo mais negligenciados.” O DIREITO À CIDADE. New Left Review. 2008. Disponível em: <https://newleftreview. org/issues/II53/articles/david-harvey-the-right-to-the-city>. Acesso em: 07 de Fevereiro de 2019.


CAPÍTULO 2

30 rural. A grande massa que antes trabalhava no campo migrou em grande parte para as cidades, visto as novas condições e pelas oportunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas de todo tipo.

Parte I

O tecido urbano, cidade negada e A revolução industrial ambiental. fora o estopim de um problema que viria à estrangulamento

tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e naDepois forma de um custo que fora “financiado” emdomuitos anos, e devida, umaaanálise histórica visando o cerne problema, que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. o próximo passo é observar como as cidades tem se comportado em relação ao crescimento imposto pela sua forma de expansão, e Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um saltambém como o meio natural reage em relação a isto. to no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o Há século 1 bilhão habitantes, 150extração anos depois, cadaXIX vez alcançara mais pressão sobrede o meio naturalepara de poucorecursos. antes daAs metade docada século mundial seus cidades vezXX, maisa população se expandem, combeirava suas 2,5 bilhões. As cidades estavam cada maiores, em todos aspecmanchas urbanas se estendendo em vez diversas direções, de forma tos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos legal e também ilegal. acontecimentos da época. Mesmo com as várias ações de planejamento urbano Desde o século XIX, a grande do açocontrovérsias), impressionara a desenvolvidas pelo governo (ainda evolução que, sob muitas todos, cada vez estas mais não surgiam obras emblemáticas comosatisfatória a Torre Eifinúmeras vezes conseguem atender de forma ou mesmo do trem, veículo de transporte de carga e afel,população ema criação geral, sendo queopessoas menos desfavorecidas passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se acabam por morar em locais cada vez menos propícios, irregulares uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, eo ilegais. que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. Cidades como São Paulo são cada vez mais comuns, com seus A sociedade anterior com seuconcentradas perfil voltadoem à utilização de maproblemas de alagamentos e favelas suas periferias, simplesdos como a madeira, barro e pedras irreversiveletérias na maioria casos, essas residências vão semudara expandindo para mente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma regiões onde não há permissão legal para construção, ou mesmo


31 vazios urbanos que não sofreram interferência até o momento, hora por falta de interesse, outrora por restrições legais, algumas vezes por falta de viabilidade econômica no retorno ao investido e muitos outros motivos aplicados pelo mercado que evitam apropriação do espaço por empresas privadas. Estas ocupações irregulares, somadas a extensa área legalizada estende cada vez mais esse “tecido urbano” formado pela cidade, que é resultado de sua carga ou sobrecarga de habitantes. Esse tecido tem se estendido excessivamente seguindo os passos do crescimento populacional, e consigo trazendo seus problemas ambientais, como demonstrado na Imagem 4, onde o CO2 segue o desenho formado pelo tecido.

Nesta página, imagem 4

Emissão de CO2 em Chicago. Fonte: Imagem © Center for Neighborhood Technology, 2007


32 rural.Com A grande massa quevez antes campo migroudeem as cidades cada maistrabalhava caóticas eno com problemas grande parte para as cidades, visto aselas novas condições e pelas oporpoluição de todas formas, sejam sonoras, visuais, aquíferas tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, ou qualquer outro tipo, muitos empreendedores vem mudando cresceram intensamente novas formas deadotada poluição, sua forma de agir perantee odesenvolveram mercado. A principal postura com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas principalmente pela alta classe é de fugir de todos estes problemas de todopela tipo.cidade. criados A revolução industrial fora o estopim de um que viria Partindo desta demanda, surgem os problema investimentos em à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob condomínios fechados isolados do centro urbano, as áreas as sombrasestão da produção série umapara doença degeneperiféricas deixandoem de ter seutornara-se uso exclusivo agricultura do ponto de vista ambiental. A solução econômica pela erativa ocupações irregulares para extensão do tecido urbano, gerada visto que circulação do maior capital parte criou uma reforma na paisagem énova de forma grandedeinteresse para dos que possuem renda e 1 na forma de vida,sustentar a um custo que em fora meio “financiado” muitos anos, e suficiente para a vida a um em cluster urbano que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. completo com todo tipo de necessidade atendida por meios privados e distante dos grandes índices de criminalidade, poluição, Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um sale congestionamentos. to no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o século Olhando XIX alcançara bilhão de habitantes, e 150 há anos depois, pelo 1lado individualista, realmente grandes pouco antes da metade dode século XX, amas população beirava vantagens neste novo tipo ocupação, visto demundial um coletivo, 2,5 bilhões. As cidades cada vez maiores, em todos aspecsocial e urbano, vê-se estavam sérios problemas criados por esse novo tos, porém a questão continuara em relação modo de vida adotadoambiental por muitos. Alguns ofuscada são aplicados no atualaos acontecimentos época. da cidade ao pedestre, criando buracos momento, comodaa negação em meio a própria legislação criada para manter o direito de ir e Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a vir de cada cidadão transformando grande glebas que tornam-se todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eifparte da mancha urbana em propriedades privadas, não apenas fel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e criando habitações, mas estendendo o tecido urbano e cobrando passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se pelo acesso e desfrute do espaço “público” privado. o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que aprimorado e tornou-se usualà no século seguinte. Já fora outros problemas relacionados privatização do solo vem com o tempo e o acúmulo de novas expansões, com suas A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de mamaiorias trabalhadas de forma térrea e espalhada horizontalmente. térias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelA principal característica que atrai compradores nestes casos é a mente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma baixa densidade criada para dar a calmaria ao local, o que viabiliza

Cluster Urbano seguindo a linha de pensamento de LEITE(2012), são grandes projetos urbanos ocorrentes principalmente em metrópoles de países desenvolvidos, onde através de esforços públicos e privados cria-se uma região com todo tipo de serviço, dispensando locomoção de fluxos para outros locais a todo momento. Exemplos utilizados pelo autor são São Francisco Mission Bay e Barcelona 22. 1


33 o empreendimento no mercado imobiliário para estas situações muitas vezes é a velocidade de execução e o retorno rápido de investimento e lucro altíssimo pela venda de lotes devido ao alto custo imposto ao metro quadrado no local. Visto de relance, e de forma pontual, não há grandes impactos diretos neste sistema, porém, visto em larga escala, a quantia de condomínios aumenta a cada dia e está tomando conta do mercado imobiliário. Na situação atual, habitamos uma sociedade que cresce desenfreadamente sob demanda de mercado, e que cada vez mais exige produção de recursos extraídos do meio ambiente. Em contrapartida ao crescimento do tecido urbano, acompanham os aumentos na demanda de recursos, que são supridos por diferentes áreas do mercado. O espaço demandado para novas habitações e produção de recursos é grande, já as áreas de proteção ambiental, protegidas pela lei são pequenas em relação ao todo. O que vem ocorrendo já há muitos anos, é a troca desses usos para funcionamento da engrenagem do sistema atual, a custo de estrangulamento do meio natural. Como mostra a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), a produção agrícola tem tomado espaço das florestas, coisa que se tem origem na demanda criada pelas cidades, que cada vez maiores, destinam cada vez menos espaço para produção de recursos. As cidades cada vez maiores e suas áreas de produção menores, o que pode trazer problema anos à frente, não apenas recursos hídricos limitados e aquecimento global são problemas (assim como divulgado por diversas reportagens e notícias em todos os veículos de comunicação), todo o sistema de vida é ameaçado pela forma de habitar (causa adotada por organizações como a World Wide Fund for Nature), daí a importância de planejar a modo


34 rural. A grande antestrazendo trabalhava no campo migrou sustentável o novomassa modoque de vida, à tona conceitos comoem 2 3 grande parte inteligente para as cidades, visto as inteligente novas condições e pelas por oporcrescimento e retração abordados tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, Carlos Leite(2012). cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas de todo tipo. A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspectos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma

Nesta página, imagem 5

Relação análoga tecido urbano/ área de produção/área verde. Fonte: Autoria Própria, 2019

Crescimento Inteligente termo abordado por LEITE(2012) trata-se da forma de expansão do tecido urbano aproveitandose melhor do espaço através de verticalizações e desenvolvimento de urbanismo dinâmico. 2

3 Retração Inteligente segundo LEITE(2012) refere-se a reformulação de espaços já utilizados pelo tecido urbano de forma que se aproveite melhor a área através de verticalização, o que evita extensão desnecessária do tecido urbano.


35

Parte II Crescimento Inteligente, uma nova forma de urbanização.

O “Novo Urbanismo” ou mesmo “Urbanismo Contemporâneo” são temas cada vez mais abordados pela sociedade nos tema atuais. Autores como Richard Rogers e Jan Gehl dissertam a respeito das novas discussões sobre sustentabilidade e cidade, onde se vê com clareza grandes vantagens tanto ao meio natural, quanto ao meio urbano. Porém, ainda que várias vantagens sejam possíveis, o mal planejamento pode criar novos problemas. Cidades como Nova York como mostra Gehl(2012), tem exemplos de bom e mal urbanismo, se observarmos pontos diferentes. Manhattan, o grande polo econômico e com um grande parque que se tornou icônico para a cidade é um ótimo exemplo onde vê-se o bom e mal urbanismo. Ao adentrar a ilha, primeiramente observam-se grandes avenidas com boas conexões, comércio bem sustentado e turismo aflorando cada vez mais. Mas não apenas de pontos positivos é composta Manhattan. Há vielas muitos estreitas e nada convidativas entre os edifícios, muitas vezes sombrias e desertas. Grande parte das passagens entre edifícios possuem altas taxas de criminalidade. Os criminosos se aproveitam do problema de escala com o pedestre e iluminação


36 rural. Apara grande massa que antes trabalhava campoomigrou precária causar estrangulamento de rotas no e facilitar crime. em grande parte para as cidades, visto as novas condições e pelas oporJá em contrapartida, mesmaAs cidade (Nova York),nova há locais tunidades de trabalhos nanafábricas. cidades tomaram forma, como Greenwich Village, onde há também alta densidade, apesar cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, de masdecom grande efetividade no doenças, seu funcionamento, commenor, excessos resíduos, poluentes, novas e problemas evitando grandes vielas e problemas de luz. Manhattan não deve de todo tipo. ser considerada enquadrada numa categoria com “Mal Urbanismo”, A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria mas vê-se pontos negativos que poderiam ser evitados e à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob floresceriam ainda mais o local. as sombras da produção em série tornara-se uma doença degeneCidades verticais como o caso Adesolução Nova econômica York, em partes, rativa do ponto de vista ambiental. geradaou pela Tóquio, sãode temas cada vez abordados novona urbanismo. nova forma circulação do mais capital criou umapelo reforma paisagem e “Smart Growth” Crescimento Inteligente é umaem nova forma de e na forma de vida,ou a um custo que fora “financiado” muitos anos, se ver e tratar as expansões da cidade, tomando de principal foco que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. a sustentabilidade e a proteção ambiental. A discussão apresentada Observando o século XVIII,um XIX e XX, é possível ver um salnos capítulos anteriores, mostra sério problema na cobertura to no da população mundial. 100 anosneste de diferença, do solotamanho pela expansão do tecido urbano,Em justamente ponto o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, autores como Leite(2012) e Farr(2013) dissertam a respeito da pouco antes da metade do mostrando século XX, formas a população beirava problemática apresentada, de semundial lidar com o 2,5 bilhões. As cidades estavam vez maiores, eemaumento todos aspecexcesso de crescimento atravéscada da verticalização de tos, porémlocal. a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos densidade acontecimentos da época. Como dito por Carlos Leite, “Megacidades funcionam, Desde o século XIX,megacidades a grande evolução do aço impressionara megacidades lideram, se reinventam.”. As grandes a todos, cada atualmente vez mais surgiam obras emblemáticas comonoa cenário Torre Eifmetrópoles vem criando uma nova postura fel, oualgumas mesmo reformulando a criação do trem, o veículo de através transporte carga e atual, partes da cidade de de cirurgias passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se urbanas, locais onde inicialmente eram de grande extensão e baixa o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, armado, densidade, passando a comportar de nova forma econcreto reestruturação que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. total uma alta densidade, acolhendo grandes massas de novos contingentes que naturalmente teriam se estabelecido nos A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de maarredores da cidade e contribuído para o aumento no perímetro térias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversiveldo tecido urbano. mente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma


37

A reestruturação urbana que se dá em locais já consolidados visando aumento da densidade é nomeada de retração inteligente, tema que é de grande ajuda e relevância para um planejamento sustentável. A principal diferença entre a retração e o crescimento inteligente, é o local de interferência. A retração trata de modificar um local já urbanizado, normalmente aumentando sua densidade, diferente do crescimento que visa urbanização de um vazio urbano. O planejamento em si vai além de inserir edifícios no local. Planejar um espaço levando em conta conceitos como o crescimento inteligente não se trata de simplesmente aumentar o número de habitantes por m², mas também de todo o funcionamento local onde foi/será implantado o projeto. Um grave problema pode desencadear problemas ainda maiores, vista tamanha densidade num pequeno local.

Nesta página, imagem 6

Crescimento do tecido urbano. Fonte: Autoria Própria, 2019

A necessidade de criação de um sistema de mobilidade urbana eficiente é inegociável ao se tratar de crescimento inteligente, dando ênfase aos meios de transporte públicos e não motorizados, visto que caso tamanha densidade não suporte com eficiência o sistema atual devido à quantia de veículos automotores por residências. Aumentar a densidade de um local sem mudança na infraestrutura geral é um estopim para problemas como congestionamento, quebraduras no asfalto e excesso de dióxido de carbono concentrado.


38 rural.Um A grande massa que antes trabalhava no campo migrou das principais vantagens que a grande densidade trazem grande parte paradeascomércio cidades, visto as novas pelas oporconsigo é a área e serviço que condições contribui nae formação tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, de um cluster urbano aberto, que diferentemente das áreas isoladas cresceram formas de poluição, criadas paraintensamente condomínios,e desenvolveram recebe e atendenovas de forma indiferente a com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas todos. Também de grande relevância deve-se atentar à criação de de todode tipo. pontos calmaria em meio ao caos urbano, praças e parques são opções viáveis para recepção de massas de pedestres que optam A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à por utilizar meios não motorizados que se devem ser priorizados. tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras produção em série na tornara-se doença degeneOutro da ponto a se observar eficiênciauma de um bairro éa rativa do ponto de ambiental. solução pela permeabilidade dovista solo, uma vezA que foraeconômica decidido gerada implantar nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem edifícios a quantia de aberturas para infiltração de água é maior, e na forma vida, a umvista custo que fora “financiado” muitos anos, coisa quede à primeira é indiferente aos olhos em de muitos, mas e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. de extrema importância visto que traz grande ajuda na prevenção contra alagamentos. Também há um benefício para cidades com Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salregiões de recargas de aquíferos e lençóis d’água (Ribeirão Preto é to no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, um ótimo exemplo disso). A alta taxa de permeabilidade permite o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, e contribui para recarga destes leitos, coisa que seria barrada pela pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava baixa densidade, onde a grande massa de construções horizontais 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspeccobre muitas vezes de forma irregular o lote, diminuindo/evitando tos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos a filtragem e absorção da água pelo solo. acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. Alta densidade anterior traz alémcom de melhorias ambientais, possibilidade A sociedade seu perfil voltado à utilização de made melhoria no sistema de locomoção. Além da permeabilidade térias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversiveldo solo,Oé possível trabalhar com o planejamento a modo que uma se mente. novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo

Nesta página, imagem 7

Taxa permeável do solo difusa/ concentrada. Fonte: Autoria Própria, 2018


39 permita também a permeabilidade das quadras, onde o ênfase real é o pedestre. Vista a necessidade de uma mobilidade eficiente e não motorizada, é de total benefício que o pedestre possa adentrar e usufruir de espaços e trajetos internos às quadras, servindo além de facilitador de trajeto muitas vezes reduzindo as distâncias a serem percorridas e o tempo que seria necessário para locomoção entre dois pontos, como também age como protetor ao pedestre, separando locais de trânsito de diferentes escalas de modais através de barreiras que os próprios edifícios criam, evitando muitas vezes acidentes entre pedestres e ciclistas com carros, ônibus e motos.


40 rural. A grande massa que antes trabalhava no campo migrou em grande parte para as cidades, visto as novas condições e pelas oportunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas de todo tipo.

Parte III

A revolução Urbanizada. industrial fora o estopim de um problema que viria à Natureza tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e naNatureza, forma de vida, a umderivada custo que “financiado” anos, palavra dofora latim “natura” em quemuitos carrega oe que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. significado de qualidade essencial, princípio da vida e o curso das coisas, oriunda do grego “physis” que se refere ao conjunto de Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um saltodas as coisas. to no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o Éséculo XIXoalcançara 1 bilhão e 150 depois, inegável crescimento diáriodedahabitantes, necessidade da anos reinserção pouco antes em da metade século urbana. XX, a população beirava da natureza meio à do realidade A cada diamundial encontram2,5mais bilhões. As cidades cadadovez maiores,deem todos aspecse e mais notíciasestavam a respeito aumento temperatura, tos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em poluição do ar, desastres naturais, enchentes e doenças relação no geral.aos acontecimentos da época. Na maioria dos casos, a culpa de cada problema é atribuída a um fator específico ou a alguém, mas o fato que une muitas destas Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a notícias, é o desrespeito pelo meio ambiente cuja resposta fora todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eifdada em forma de prejuízo à saúde de forma geral. fel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Nestejámesmo século, iniciou-se Nos tempos atuais (em relação ao todo vivido pela sociedade), o usocada do famoso e ainda extremamente utilizado, concretoo armado, são vez mais discutidas formas de se proteger meio que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. ambiente. Diversos tipos de profissionais estão emaranhados e dedicados a este ramo, sejam eles arquitetos e urbanistas, A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de maengenheiros ambientais, ambientalistas, geógrafos e muitos outros. térias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelCom a necessidade e obrigação de cuidados com o meio natural, mente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma surgiram as leis, que regulamentam e protegem (ou tentam)


41 recursos naturais, como é o caso do código florestal, atual Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012, oriunda da Lei nº 4.771/65. O Código Florestal Brasileiro é uma lei que “estabelece normas gerais sobre a proteção da vegetação, áreas de Preservação Permanente e as áreas de Reserva Legal; a exploração florestal, o suprimento de matéria-prima florestal, o controle da origem dos produtos florestais e o controle e prevenção dos incêndios florestais, e prevê instrumentos econômicos e financeiros para o alcance de seus objetivos (BRASIL, 2012, p.1)”. Assim como descrito no primeiro parágrafo único do artigo 1, o objetivo desta é lei é o desenvolvimento sustentável. Outra lei que regulamenta e controla problemas ambientais é a Lei de Crimes Ambientais (Lei nº 9605/98), que categoriza, sistematiza e regulamenta punições para crimes ambientais com diferentes magnitudes com base no que fora causado e quem fora o autor. A terceira lei de âmbito federal que se deve ter em mente é a Política Nacional do Meio Ambiente (Lei nº 6931/81). A lei estabelece mecanismos de formulação e aplicação, constitui o Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama) e institui o Cadastro de Defesa Ambiental, e tem por objetivo “a preservação, melhoria e recuperação da qualidade ambiental propícia à vida, visando assegurar, no País, condições ao desenvolvimento sócio econômico, aos interesses da segurança nacional e à proteção da dignidade da vida humana”. Saltando para a esfera municipal, Ribeirão Preto possui uma legislação complementar em relação às leis citadas anteriormente. O Código Municipal–– do Meio Ambiente (LC nº 1616/04) “estabelece as bases normativas da política municipal do meio ambiente, cria o Sistema Municipal de Administração da Qualidade, Proteção, Controle e Desenvolvimento do Meio Ambiente, e


42 rural. A grandedos massa que antes trabalhava no campo migrou em Uso Adequado Recursos Naturais - SIMA, os instrumentos grande parte para as cidades, visto asnormas novas condições e pelas oporda política ambiental e estabelece para a administração, tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, proteção e controle dos recursos ambientais e da qualidade do cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, meio ambiente do Município de Ribeirão Preto.”. com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas normatização criada para controle e proteção ambiental é deToda todoa tipo. aplicada pelo plano diretor da cidade através do macrozoneamento A revolução industrial fora oregiões, estopim de um problema que viria estabelecendo diferentes demarcando áreas de à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob preservação, leitos aquáticos e remanesceste de vegetação. as sombras da produção em série tornara-se uma doença degeneEntendido como é necessária a implementação do meio natural rativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela ao urbano, a forma como realizadana a proteção nova forma edecompreendida circulação do capital criou umaé reforma paisagem e ambiental, de total observar exemplos em de muitos sucessoanos, que e na forma deé vida, a umbenefício custo que fora “financiado” adequaram e cumprem de forma funcional seu papel. Um autor que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. que discorre a respeito desta forma de implantação natural com o século XVIII, XIXForman, e XX, émostrando possível veratravés um salclarezaObservando e atitudes exemplares é Richard to no tamanho daurbano/ambiental população mundial. 100 anosOdeautor diferença, do planejamento paraEm Barcelona. cria o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, um sistema de conexão de redes verdes que denomina “Rede pouco antes cuja da metade do século XX, a população mundial beirava Esmeralda”, nominação foi adotada por mim para aplicação 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspecneste trabalho. tos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos A Rede Esmeralda, explicada por Forman(2004), é “um sistema acontecimentos da época. de grandes parques naturais interconectados que proporciona Desde aos o século XIX, biodiversidade, a grande evolução do aço proteção aquíferos, liberdade deimpressionara movimentos a vez mais obras emblemáticas comovantagens a Torre Eifàtodos, fauna,cada caminhos parasurgiam o passeio e lazer, além de outras fel, oua sociedade.”. mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e para passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se intenção é a demonstração da possível criaçãoconcreto de uma coluna o Auso do famoso e ainda extremamente utilizado, armado, vertebral composta por corredores verdes que conectem que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. áreas pela cidade, tendo como ponto de ligação principal o projeto a A sociedade anterior seu perfil voltado à utilização de ao maser desenvolvido, com a com intenção de proporcionar proteção térias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelAquífero Guarani, melhoria na vida da debilitada fauna e flora local, mente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma diminuição de problemas relacionados ao débito de cuidados


43 com o meio ambiente (enchentes, excesso de CO2, doenças respiratórias, aumento da temperatura da macrorregião etc.) e devolver ao pedestre a condição de movimentar-se de forma não motorizada com menores riscos em meio a um local antes tomado por veículos automotores.

Nesta página, imagem 8

Ilustração esquemática de sistemas verdes integrados. Fonte: Autoria Própria, 2019

Recortando a escala de cidade para vizinhança, será incentivada a criação de melhorias ambientais em menor escala. O Paisagista Matt James(2014), através de seu livro “Jardim Urbano” utiliza o termo “Oásis Urbano” para descrever jardins em frente às casas, coisa que traz benefícios à cidade. Este termo fora adotado para este trabalho para demonstração de jardins públicos e/ou gentilezas urbanas que funcionam como locais de descanso e ilhas de calmaria. A preocupação ambiental em pequena escala a primeiro momento pode passar a sensação de solução estética, mas os benefícios construídos são de grande relevância, como por exemplo o controle de temperatura do microclima, proteção solar, descanso, lazer lúdico e tratamento de doenças psíquicas.


44 rural. A grande massa que antes trabalhava no campo migrou em grande parte para as cidades, visto as novas condições e pelas oportunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas de todo tipo.

Parte IV

A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à Leis, etapas e Parceria Público-Privada. tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e naÉforma de vida,entender a um custo que fora “financiado” anos, e importante a forma como é regidaema muitos urbanização que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. atual, para assim olhar para as direções atualmente apontadas e como Observando devemos agiromeio a tal. século XVIII, XIX e XX, é possível ver um saltoAnolegislação tamanho édacomposta populaçãopor mundial. 100 anos de diferença, uma Em hierarquia imposta pelo o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, governo federal, em ordem decrescente, as leis são divididas em: pouco antes da metade século XX, a população mundial beirava Lei Federal, Estadual e do Municipal. As leis básicas instituídas pela 2,5 bilhões.superior As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspechierarquia podem ser ampliadas, mas nunca reduzidas, tos, porém a questão continuara ofuscada em servindo assim como ambiental complemento ao já existente. Norelação caso doaos acontecimentos da época. planejamento urbano, existe a Lei 6766/79, que rege a forma como o parcelamento urbano ocorrer, já a do forma se moldar a Desde o século XIX, adeve grande evolução aço de impressionara o rumocada quevez se mais planeja, o Estatuto Cidade (Leicomo 10.257 de 10Eiftodos, surgiam obras da emblemáticas a Torre de julho de 2001 da Constituição Federal) tem seu papel crucial, fel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e criando instrumentos urbanos para controle de urbanização. passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o Já uso do famosooeolhar aindapara extremamente utilizado, transferindo a esfera municipal, emconcreto Ribeirão armado, Preto, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. a legislação federal é complementada pela LEI COMPLEMENTAR nº 2157/07 de 31anterior de Janeiro de seu 2007, quevoltado regulamenta e direciona A sociedade com perfil à utilização de mao planejamento urbano através dos parâmetros estabelecidos pelo térias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelplano da cidade. as leis depelo urbanização, utilizadas mente.diretor O novo mundo Junto influenciado aço trouxesãoconsigo uma as leis relacionadas a meio ambiente (citadas no capítulo 4), que se


45 anexam e controlam o desenvolvimento urbano.

N Sem Escala

Nesta página, imagem 9 Macrozoneamento.

Fonte: Prefeitura Municipal. Modificado, 2007

Para aplicar as leis federais e complementares o plano diretor estabelece parâmetros mínimos para cada zona da cidade. O trabalho a ser desenvolvido situa-se numa zona denominada pelo plano diretor como “Zona de Urbanização Preferencial” (ZUP). Nesta zona, os parâmetros que deve atentar são inicialmente: O percentual de áreas públicas a serem doadas, excluindo o necessário para o sistema viário é de 25% da área total da gleba. •


46 rural.número, A grande5% massa que antes trabalhava no campo migrou Deste serão dedicadas a Áreas Institucionais e 20%em grande parte para as cidades, visto as novas condições e pelas oporpara Áreas Verdes. tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, • As intensamente áreas doadasedeverão estar conectadas diretamente cresceram desenvolveram novas formas de poluição, com vias públicas. com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas de• todo25% tipo. da área verde poderá ser utilizada para lazer recreativo com construções. A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à tona cerca de um século e meio a frente. nova cidade sob • Só será computado como Área Averde, espaçosmoldada onde se as sombras em série uma doença degenepuder traçarda umprodução círculo interno comtornara-se raio de 10m. rativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela • forma O comprimento quadras é 300m.na paisagem e nova de circulação máximo do capitaldas criou uma reforma na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e • Os lotes devem ter no mínimo 125m² e frente mínima de que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. 6m. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um sal• Os lotes de esquina precisam de no mínimo 180m² e 9m to no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, na frente. o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco da estas metade do século XX,ser a população beirava Não antes apenas normas devem seguidas, mundial um estudo a 2,5 bilhões. As cidades cadapara vez planejar maiores,um embairro, todosainda aspecfundo da legislação local estavam é necessário tos, porém a questão emorelação que as leis estejam emambiental diferentescontinuara esferas, é ofuscada importante domínioaos acontecimentos sobre toda formadadeépoca. regulamentação local, caso contrário, não há formas de se obter um projeto viável. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, vez mais obras emblemáticas como a Torre Uma cada mudança tão surgiam radical em relação a principalmente lugaresEiffel,acostumados ou mesmo a ao criação do trem, o veículo de transporte de pode carga e já sistema atual de organização da cidade passageiros maiseeficiente da época. Neste mesmo século,ceder iniciou-se trazer duvidas medo aos investidores que podem as o uso do famoso e ainda extremamente concreto armado, contrapartidas necessárias, além da formautilizado, e qualidade de vida que que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. podem ser modificadas com tais ações, há também de se considerar uma reformulação do sistema econômico local e possivelmente A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de maregional dependendo da magnitude atingida em projeto. térias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado trouxe econômica consigo uma É necessário um eficiente estudopelo de aço viabilidade


47 antes de se atingir tal meta, e para organização e planejamento é necessário o aval de diversas áreas além dos investidores, tomando como exemplo, engenheiros civis e ambientais responsáveis por infraestrutura, arquitetos responsáveis pela organização do espaço pelo parcelamento e distribuição do solo, e outros tipos de profissionais que atuarem beneficamente. Deve o arquiteto e urbanista junto ao engenheiro mostrar as possibilidades de execução, orçamento aproximado, tempo de execução e simplificar linguajares técnicos aos outros tipos de profissionais leigos em desenhos técnicos para melhor entendimento e planejamento da forma de inserção do projeto ao mercado de vendas. A prefeitura deve cumprir seu papel fornecendo possibilidades para o investimento local, tendo como lucro, urbanização de qualidade, crescimento e giro de capital interno da cidade além de novos empregos gerados pela construção. Ainda que a prefeitura cumpra com sua parte, há ainda a necessidade de controlar o crescimento urbano na cidade para que não aconteça de forma desordenada causando problemas futuros, tal controle é feito através do instrumentos urbanos, que servem muitas vezes para manobrar o mercado e direcionar o crescimento urbano a fim de melhor aproveitamento do espaço público. Um dos principais instrumentos utilizados pela prefeitura é a Parceria Público-Privada, um instrumento utilizado pelo governo, estado ou prefeitura para realização de obras por empresas privadas a custo coberto exclusivamente pelo órgão contratante sob forma a ser combinada, desde pagamento direto ou por uma combinação de tarifas aplicadas aos usuários do serviço público. Este é de fato uma das formas de se controlar o crescimento da cidade sem dependência de obras públicas e a falha manutenção


48 rural. A grande massa que trabalhava nonecessários, campo migrou oferecida pela prefeitura emantes diversos serviços umaem grande para as privada cidades,obtém visto asvantagem novas condições e pelas oporvez queparte a instituição sobre a conclusão e tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, manutenção da obra. cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, O processo deve ser dividido em etapas, cada umae com seu com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, problemas tempo forma de execução. Não apenas construindo um projeto de todoetipo. de organização é suficiente para executa-lo, outros esquemas são A revolução industrial fora opara estopim de um problema que viria à necessários, como marketing o setor de vendas, legalização tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob judicial, projeto de infraestruturas e ambiental além de muitos as sombras produção embom série tornara-se uma doença degeneoutros ondeda cada um exige planejamento e aprovação. rativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspectos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma

Nesta página, imagem 10

Diagrama básico de divisão de etapas. Fonte: Site DDN Eng, 2019


CAPÍTULO 3

Referências Projetuais


51

Parque Suspenso: Minhocão - São Paulo

Jaime Lerner, o mesmo que fora prefeito de Curitiba, Arquiteto e Urbanista consultor da ONU, é o responsável pelo ainda não executado, parque suspenso que está localizado na atual via elevada Presidente João Goulart.

Nesta página, imagem 11 Interconexão de polos sustentáveis pelo parque suspenso.

Fonte: Site Pine Web, 2010

A ideia inicial surgiu em 2010 com um plano entregue ao secretário municipal de desenvolvimento urbano pelo Secovi-SP

CAPÍTULO 3

Não importa o projeto a ser executado, é importante olhar antes de qualquer rabisco em papel, projetos com o mesmo intuitos para avaliar erros e acertos. É a mesma situação para se aplicar a um projeto urbano sustentável. Neste campo, assim como nos outros, existem projetos eficientes que terão pontos realçados neste capítulo e possivelmente aproveitados, assim como projetos falhos que devem mostrar seus pontos negativos a modo que seja passível de evita-los no atual projeto.


52 rural. A grande massa que antes trabalhava no campo (Sindicato da Habitação), a intenção era a de cobrir toda a migrou extensãoem grande parte para as cidades,navisto as novas condições pelas oporde linhas de trem expostas cidade, reduzindo assime os ruídos tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, criados e devolvendo o espaço a cidade através de um grande cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de parque linear, com uma ciclovia que facilitaria o percurso de poluição, muitas com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas pessoas através de um veículo não motorizado. de todo tipo. A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspecA conexão de parques elevados se dariam em polos sustentáveis, tos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos que seriam criados ao redor das estações de trem e metrô. Tais acontecimentos da época. núcleos seriam para implantação de equipamentos para estudos, trabalho sema grande grandesevolução necessidades locomoção, a Desde eo compras século XIX, do açodeimpressionara atodos, modo que quantia de viagenscomo com aveículos cada vezdiminuiriam mais surgiama obras emblemáticas Torre Eifautomotores necessárias a todo momento. fel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se Apenas neste ano (2019) a prefeitura de São Paulo anunciou o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, a saída do projeto do papel, que está previsto para entrega em que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. 2020, apesar de receber várias alterações devido a limitações pela burocracia. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelA ideia fora limitada a apenas a via elevada Presidente João mente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma Goulart, conhecido popularmente como Minhocão. Apesar de

Nestas páginas, imagens 12, 13 e 14 Cobertura das linhas de trem conectando núcleos sustentáveis.

Fonte: Site Pine Web, 2010 Núcleo Sustentável ao redor de estação de trem.

Fonte: Site Pine Web, 2010 Estudo de distribuição do parque pela cidade.

Fonte: Site Pine Web, 2010


53

ainda ser uma intervenção em grande escala, vista seus 900 metros de comprimento, a enorme redução na área de intervenção deixou de lado ideias como os núcleos sustentáveis, porém, ainda mantém a ideia de parque suspenso, conectando a Praça Roosevelt ao Lago Arouche.


54 rural. A grandefoimassa trabalhava no campocomo migrou O Minhocão criadoque comantes a intensão de funcionar umem grande ligando parte para as cidades, novasdacondições e pelas oporatalho alguns bairros visto aos as centro cidade, mas o que tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, realmente aconteceu foi um desuso por parte dos habitantes, e cresceram intensamente e desenvolveram formas deA poluição, apropriação total por parte dos veículos novas automotores. via foi com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas desativada pela Lei Municipal nº 16.833, de 7 de fevereiro de de todo tipo. 2018, e atualmente é palco de atividades culturais. A projeto revolução industrial fora o traz estopim de um problema que viria à O reformulado ainda as características de devolução tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob do direito à cidade, além de atitudes sustentáveis distribuídas pelos as sombras da produção em série tornara-se uma doença degene900m de parque. rativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspectos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. O projeto terá atividades diferentes em diversos pontos, mas a ideia Adosociedade todo é trazer um uso diferente e que possibilite apropriação anterior com seu perfil voltado à utilização de mapor parte da cidade e diminua o impacto ambiental no local. térias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma

Nestas páginas, imagens 15, 16 e 17 Minhocão com intervenção do parque linear.

Fonte: Gazeta do Povo, 2019 Trechos do atual projeto para o parque.

Fonte: Gazeta do Povo, 2019 Localização do Quartier.

Fonte: Gazeta do Povo, 2019


55

Bairro: Quartier - Pelotas

Jaime Lerner também é o responsável pelo projeto Quartier, localizado na cidade de Pelotas, no Rio Grande do Sul, ainda em construção. Diferente do projeto em São Paulo, o Quartier provém de iniciativa privada.

O bairro foi desenvolvido em um terreno com um total de 30 hectares, e um potencial de área construída de 400mil m². Foi planejado para abranger edificações, residenciais, comerciais e de


56 rural. A grande massa antes no campo migrou eem uso misto. Também contaque com umatrabalhava parte voltada para educação grande onde parteestará para as cidades, vistohospital as novasdacondições e pelas oporsaúde, situado o novo cidade. Um parque e tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, um boulevard são um dos pontos fortes a se observar com atenção. cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas de todo tipo. A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, A área central é um dos pontos positivos do projeto. Respeito o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, à escala do pedestre é algo crucial, dando ênfase ao transporte pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava não motorizado e ao pedestre. Possui um centro de eventos e 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspecmirantes em suas extremidades além de ter caminhos de pedestre tos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos e ciclovias facilitando o acesso de um lado a outro. acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma

Nestas páginas, imagens 18, 19, 20 e 21 Divisão interna e usos.

Fonte: Site Sinduscon RS, 2014 Boulervard e região comercial.

Fonte: Site Quartier, 2013 Ênfase no pedestre e ciclistas.

Fonte: Site Quartier, 2013 Centro de eventos.

Fonte: Site Quartier, 2013


57 Vê-se por todo o projeto o ênfase na escala humana, dedicando espaços ao pedestre de forma que inutilize muitas vezes a necessidade de utilização do veículo motorizado.

O centro de eventos localizado na extremidade do boulevard é coberto por uma laje inclinada que possibilita o usuário subir sobre o mesmo e utilizar de um espaço aberto, amplo e forrado por grama.


58 rural. A área grande massapara quecriação antes de trabalhava campoa educação migrou em Há uma prevista edifícios no voltados parteColado para as acidades, as novas condições e pelas oporegrande empresas. esta áreavisto há uma parcela da área institucional tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram forma, cedida para a prefeitura, onde estipula-se a construçãonova do novo cresceram e desenvolveram novas formas de poluição, hospital da intensamente cidade. com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas de todo tipo. A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, Outro ponto interessante a se observar é o parque criado, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, um grande ponto de calmaria para um local teoricamente pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava “movimentado” (Visto que ainda não está em operação), que serve 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspecpara melhoria do ar e resfriamento dos locais próximos. tos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma

Nesta página, imagens 22 e 23 Edifícios empresariais, edifício educacional e hospital.

Fonte: Site Quartier, 2013 Parque

Fonte: Site Quartier, 2013


59 Avaliando como um todo, o quartier é um projeto, com ideias dentro da discussão atual de novo urbanismo, que exige atitudes sustentáveis, desde o planejamento urbano, quanto aos próprios edifícios. A forma que o bairro fora planejado exigiu a criação de uma norma de construção interna, cujos edifícios que forem construir devem seguir à risca para passar por aprovação. Fora exigido de cada tipo de edifício uma infraestrutura mínima sustentável com normas regidas pelo plano diretor do bairro, tais como utilização de água da chuva para paisagismo do edifício e vasos sanitários, telhado verde e painéis solares para auxilio no aquecimento da água. De grande vantagem é a forma que fora explicada como funcionará o bairro num todo, mas o problema encontrado observando tal projeto é visto principalmente na questão de atrasos pela burocrática. O início da obra estava previsto para 2013 e o final da urbanização em 2017, coisa que não acontecera, visto que atualmente o projeto encontra-se em fase de construção, com ruas e quadras sendo definidas. A construção do bairro está atrasada, atualmente dois anos. O próximo passo, após a construção ainda depende de iniciativas privadas de outras empresas investirem no local. Coisa que aparentemente pode sofrer atrasos por dificuldade de negociação e adaptação a tais normas estabelecidas apenas para este bairro. Analisando estes fatos, o principal ponto negativo do projeto é sua construção, vistos muitos problemas nas etapas programadas, podendo assim desencadear maiores atrasos ou problemas, causando um caos econômico para atuais e futuros investidores.


60 rural. A grande massa que antes trabalhava no campo migrou em grande parte para as cidades, visto as novas condições e pelas oportunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas de todo tipo. A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspectos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos • Bairro: BedZed - Londres acontecimentos da época. Este bairro (Beddington Zero Energy Development), mais Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a parecido com um condomínio devido à sua pequena proporção todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eifem relação a um bairro convencional é o próximo projeto para ser fel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e analisado. Com o Arquiteto Bill Dunster como responsável pelo passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se desenvolvimento, a função deste projeto diferente do anterior o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que tratou sobre soluções urbanas de projeto, é analisar atitudes e que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. soluções sustentáveis que podem servir como estrutura básica ou mesmo padrões mínimos empreendimento. A sociedade anterior exigidos com seupor perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelBedZed é localizado na cidade de Londres, mais especificamente mente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma no distrito de Sutton.

Nestas páginas, imagens 24, 25 e 26 Infraestrutura sustentável das edificações

Fonte: Site Sinduscon, 2014 Localização do BedZed.

Fonte: Autoria Própria, 2019 Corte esquemático .

Fonte: Site Zed Factory, 2019


61

LONDRES

O projeto desenvolvido conta com um total de 100 apartamentos com um investimento total de 17 milhões de euros. Seu tamanho foi grande o suficiente para viabilizar a criação de uma estação própria de tratamento de água. A maior parte do projeto fora erguido com materiais de demolição disponíveis na própria região, num raio de 50 milhas do local, coletados e manufaturados para novos usos, inclusive estrutural. A todo modo, o principal foco do projeto é eliminar o máximo possível as emissões de carbono, e reduzir o máximo de consumo elétrico externo. De acordo com Joanna Cook, gerente de energia da BioRegional (uma das empresas que fizeram parte da elaboração de projeto), “os prédios foram construídos para reduzirem a demanda de energia elétrica em 99%”.


62 rural.telhado A grande massacoberto que antes no campo na migrou Seu é todo portrabalhava placas fotovoltaicas regiãoem grande parte para as ecidades, as novas condições oporde maior insolação telhadovisto verde em seu restante.e pelas No topo tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, dos edifícios fica um captador de vento que fica voltado contra a cresceram e desenvolveram formas de poluição, direção dosintensamente ventos regional, que empurra novas e circula o ar dentro do com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas edifício forçando-o a sair pelo outro lado do captador na cobertura. de todo tipo. A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava Além da cobertura trabalhar com a ventilação, outro fator que 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspecajuda com a climatização para redução de gastos energéticos é que tos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos há sempre antes de uma sacada um fechamento de porta com acontecimentos da época. vidro double glass, que ajuda na retenção do calor. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a O projeto também consta com um local dentro do próprio todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eif“bairro” para aluguel de carros elétricos que são carregados durante fel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e a noite. A intensão é que os moradores não tenham automotores passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se e com isso haja redução iminente da emissão de gás carbônico. o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado tornou-se século seguinte. Apesar de ser umaeótima ideia,usual comno excelentes atitudes, ainda assim surgem problemas, e deve-se verificar. É bem estampado A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de maque a fala da gerente de energia da BioRegional Joanna Cook estava térias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelequivocada em relação à realidade, mas ainda o projeto atende mente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma bem a questão da redução do uso da energia elétrica externa.

Nestas páginas, imagens 27, 28 e 29 Cobertura e ligação entre edifícios.

Fonte: Site Zed Factory, 2019 Automotor elétrico utilizado no local.

Fonte: Site Sinduscon, 2014 Visão panorâmica do bairro.

Fonte: Site Bioregional, 2019


63 O segundo problema é direto e paralisou totalmente o sistema de filtragem do esgoto, tal problema provém da falta de manutenção especializada que o sistema exige.

Apesar do bairro ser uma das primeiras referências/experiências com bairro sustentáveis, hoje ele possuiu um custo altíssimo para auto manutenção.


64 rural. A grande massa que antes trabalhava no campo migrou em grande parte para as cidades, visto as novas condições e pelas oportunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas de todo tipo. A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspectos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma


65

CAPรTULO 4

Levantamentos da รกrea de estudo.


CAPÍTULO 4

66 rural. A grande massapara que antes trabalhava no campo migrou éem A gleba trabalhada o desenvolvimento do trabalho grande parte as cidades, visto novas condições e pelas oporlocalizada empara Ribeirão Preto-SP , ao as lado do bairro Ribeirânia. tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas de todo tipo. A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspecA área está alocada dentro da Zona de Uso Preferencial, definida tos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos pelo artigo 5 da lei de uso e ocupação do solo (LC nº 2505, de 17 acontecimentos da época. de Janeiro de 2012) e regida pelo plano diretor do município. DesdeMacrozoneamento o século XIX, a grande evolução Carta do aço impressionara a Ambiental todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma

Nestas páginas, imagens 30, 31 e 32 Localização da gleba.

Fonte: Autoria Própria, 2019 Macrozoneamento e Carta Ambiental.

Fonte: Prefeitura Municipal. Modificado, 2007 Principais acessos e diretrizes viárias locais.

Fonte: Prefeitura Municipal. Modificado, 2019


67 A localização foi escolhida pelo fato de estar em uma área central da cidade e de fácil acesso, o que possibilita a implementação do núcleo verde principal em um bom posicionamento para a implantação da rede esmeralda. Outro fato que ajudou na escolha da área é sua localização em relação ao Parque Prefeito Luiz Roberto Jábali, por ser o maior parque da cidade pode reforçar a conexão verde com grande harmonia. O acesso a região é simples, cercada por grandes avenidas que facilitam sua aproximação, além das diretrizes de implementação de vias que cruzarão a gleba. No geral são vias coletoras (representadas em rosa na imagem 32) que cruzam a gleba, que receberão o fluxo do empreendimento aprovado ao lado da área escolhida e permitem a travessia das ruas sem saída do bairro Ribeirania, que contém um hospital cercado por ruas sem saída, causando problemas de choque dos fluxos no local. As diretrizes contam também com uma avenida parque que acompanha o leito do rio e cria uma conexão das vias coletoras com as Avenidas Leão XIII e Maria de Jesus Condeixa, uma das chaves de acesso principal a gleba. As diretrizes, além de abrirem possibilidades para melhoria na mobilidade local, parcelam a gleba em grandes partes, já trabalhando

Diretriz Viária Sem Escala


68 rural.limitador A grandeinicial. massa que antes trabalhava no campo migrou em como grande parte para as cidades, visto as novas condições e pelas oporNo geralde o local é cercado por grandes áreas predominantemente tunidades trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, residenciais, alguns corredores com mistura de serviços e comércios cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, são encontrados nas regiões das grandes avenidas. com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas de todo tipo. A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspectos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. Exceto as vias principais, as vias que adentram os bairros lindeiros são em sua maioria muitocom calmas tranquilas, residencial A sociedade anterior seu eperfil voltado oà uso utilização de matraz a característica de mar de calmaria neste local, excluindo claro, térias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelpontos a proximidade ao Hospital vê-se mente. como O novo mundo influenciado pelo Ribeirânia, aço trouxeonde consigo uma

Nestas páginas, imagens 33 e 34 Uso do solo.

Fonte: Autoria Própria, 2019 Altura das Edificações.

Fonte: Prefeitura Municipal. Modificado, 2007


69 certo problema com fluxo. Outro ponto que funciona para esse fluxo calmo adentrando os bairros é a baixa densidade, coisa que acontece em vários pontos, mas ao que se passa observar regiões de médio ou alto nível de verticalização, cresce consigo a necessidade de vias maiores, capazes de suportar mais trânsito e diferentes fluxos. O mapa de gabarito mostra também a barreira já criada por edifícios ao norte/nordeste da gleba. Já o lado de baixo do mapa


70 rural. uma A grande antes trabalhava no campo migrouaoem mostra visão massa limpa, que e passagem livre de vento que chegará grande parte para as cidades, visto nas as novas condições e pelas oporprojeto sem grandes interrupções proximidades. tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, Agora cruzando informações de verticalização verpoluição, o real cresceram intensamente e desenvolveram novaspode-se formas de motivo do comportamento atual do fluxo no lugar, principalmente com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas de de veículos. todo tipo.O mapa de hierarquia viária tanto física como funcional não negam as características advindas do uso e proporção de A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à verticalização. tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras da produção em série tornara-se uma doença degeneHIERARQUIA rativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela FUNCIONAL nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspectos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a HIERARQUIA todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre EifFÍSICA fel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma

Nestas páginas, imagens 35 e 36 Hierarquia Funcional x Física.

Fonte: Prefeitura Municipal. Modificado, 2019 Equipamentos Urbanos.

Fonte: Prefeitura Municipal. Modificado, 2019


71 Facilmente vê-se o fluxo esvaziando as regiões residências e escoando para as grandes avenidas através das coletoras. Em alguns locais mais distantes há diferenças no comportamento, são ruas que servem como válvula de escape de transito das grandes avenidas. Observando o mapa de Equipamentos Urbanos (imagem 36), comparando ao de fluxos, vê-se que há poucos grandes


72 rural. A grande massaa área que antes trabalhava noRibeirania), campo migrou polarizadores colados (apenas o hospital o queem parte pela para mobilidade as cidades, visto novas condições e pelas oporégrande explicado atual,asque não comportaria certas tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, magnitudes de empreendimentos, por isso, equipamentos de cresceram intensamente e desenvolveram formasàsdegrandes poluição, escala de cidade e região estão sempre novas adjacentes com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas avenidas. de todo tipo. Partindo da análise funcional do bairro, agora é importante falar A revolução industrial físicas fora o do estopim de um problema que viria à sobre as características terreno. A drenagem natural, tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob posição solar e direção de vento são aspectos realmente importantes as sombras da produção emcondições série tornara-se doença para o projeto. O mapa de naturais uma (Imagem 37)degeneé um rativa doaliado pontoe de ambiental. A solução econômica gerada pela grande nosvista mostra o caminho da direção de escoamento nova forma de da circulação do capital criou reforma nacurvas paisagem da água, além forma apresentada pelouma terreno pelas de e na forma vida, em a umnível custo que fora em muitos anos, e nível, masdeainda básico, que“financiado” abre um leque para várias que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. análises. o século XVIII, e XX, éirápossível AlémObservando do vento sem barreiras queXIX o projeto receberver emum suasalto no tamanho população mundial. Em 100 anos diferença, região sudoeste,dadeve-se atentar ao escoamento de de água, pois, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, além da própria declividade, lados opostos do terreno concentram poucoem antes do sua século mundial beirava água diasda demetade chuva em áreaXX, maisa população baixa. A região nordeste 2,5 projeto bilhões.poderá As cidades estavam cadacerta vez maiores, em todos aspecdo usufruir de uma barreira solar durante a tos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma

Nestas páginas, imagens 37 e 38 Condições Naturais.

Fonte: Autoria Própria, 2019 Áreas Verdes x Maciços Verdes

Fonte: Autoria Própria, 2019


73 manhã, considerável a se pensar quando em âmbito de projeto arquitetônico. Outro aspecto impactante, principalmente ao olhar a quantia de áreas verdes chama atenção, ao criar um mapa mostrando massas vegetativas e áreas verdes percebe-se com facilidade tal incompatibilidade de forma que aos olhos do projetista, a região poderia ser considerada muito arborizada e com grandes níveis de redução de carbono. De certo modo ainda há uma grande massa vegetativa, que serve


74 rural.grande A grande massa que antescidade trabalhava campo migrou como ajuda no requisito verdeno e base para a redeem grande parteporém, para asaocidades, as novas e pelas oporesmeralda, analisarvisto o mapa, vê-secondições uma real necessidade tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, de reinstituição da vegetação local, tanto para recomposição de cresceram e desenvolveram formas poluição, parcela da intensamente flora, como para reconstituiçãonovas da fauna quede depende com excessos de sobreviver. resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas da flora local para de todo tipo. Ao observar o problema com a drenagem de água é de boa A revolução industrialcomo fora oa estopim de localizada um problema queda(s) viria à importância entender gleba está dentro tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob micro bacia(s) hidrográfica. as sombras da produção em série tornara-se uma doença degeneO projeto está dentroA solução de apenas uma micro bacia rativa do ponto delocalizado vista ambiental. econômica gerada pela como mostra mapa (imagem porém localizado em uma e nova forma de o circulação do capital39), criou uma reforma na paisagem encosta abrangência nos do leitoem domuitos rio, oanos, que e na formacom de vida, a um custo quedois foralados “financiado” que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspectos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma

Nestas páginas, imagens 39 e 40 Micro bacia hidrográfica.

Fonte: Autoria Própria, 2019 Declividade.

Fonte: Autoria Própria, 2019


75 tende toda agua escorrer para aquela região. Após verificar sobre a bacia, é importante uma análise de como esse fluido vai se comportar perante o terreno, o mapa de declividade (imagem 40) mostra a grande maioria da declividade na região posicionada entre 2% e 10% de inclinação, o que é ótimo para escoamento de águas pluviais, evitando assim casos de locais com acúmulo de água. Outro ponto positivo é que dentro do terreno, não há declividades muito altas, o que evita problemas com locomoção não motorizada.

Após toda a análise do território e seu entorno, pode-se concluir que a gleba está posicionada em um local com declividade desejável em toda sua extensão, o que facilita a questão do escoamento de águas, além do fato de toda a área estar posicionada dentro de uma mesma micro bacia hidrográfica. Há fortes potenciais de conexão urbana, vista as diretrizes apresentadas pela prefeitura, somadas as vias já existentes no


76 rural. A que grande massagrande que antes trabalhava no campo migrou entorno, trazem agilidade na distribuição do fluxoem grande parte para as cidades, as novas e pelasseus oporpara a cidade. A maioria das visto vias acolhe decondições forma tranquila tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, respectivos fluxos, de acordo com o uso do solo e diferenças de cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de trazem poluição, densidade, variando entre os bairros. As diretrizes viárias com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas consigo melhorias nos sistemas de trânsito atual. Além de uma de todoprévia tipo. da área, as diretrizes preveem uma futura avenida divisão parque, que agregará o sistemas de áreas verdes, e servirá como A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à proteção à nascente localizada dentro da gleba. tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as A sombras da produção em encostada série tornara-se doença degenegleba está diretamente em umuma bairro residencial rativa do pontopadrão, de vistaalém ambiental. A solução econômica gerada pela de médio/alto da conexão imediata ao maior parque nova forma Há de circulação do capital paisagem da cidade. uma grande parcelacriou de uma áreasreforma verdes,naainda que e na forma de vida, a umcom customaciços que foraverdes, “financiado” muitos anos, e nem todas estejam que em trazem grandes que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. possibilidades de ligações naturais. As grandes vias facilitam a ligação de áreas residenciais e de uso misto a todo tipo de equipamento Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salurbano, que por sua vez, demonstra em sua análise que a área está to no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, servida a todo tipo de equipamento necessário em seu entorno, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, além da proximidade de equipamentos de escala regional. pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspectos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma

Nesta página, imagem 41 Síntese.

Fonte: Autoria Própria, 2019


A intenção inicial do projeto é criar um bairro onde a sustentabilidade seja o real foco. Será o ponto de partida a criação de um sistema de áreas verdes conectadas através de corredores verdes ligados a uma espinha central formada por um grande parque. Outra meta a ser seguida é ampliar a permeabilidade do solo, visando proteção do Aquífero Guarani. A porcentagem de áreas verdes deverá ser maior em relação à taxa mínima estabelecida em lei, tendo seu retorno financeiro na quantia superior de unidades criadas e comercializadas. O bairro deverá ser constituído em sua grande maioria por edifícios verticalizados, a fim de manter uma maior taxa de permeabilidade do solo, além de seu controle. Também serão criados jardins abertos para o público, com a intenção de trazer pontos de calmaria em meio a construções mais distantes do parque. Será reconstituído parte da flora natural, implementando arvores nativas no sistema verde. No geral, o projeto deverá seguir os dez princípios do crescimento urbano inteligente dito por FARR(2013): 1.

Crie uma gama de oportunidades e escolhas de habitação;

2.

Crie bairros nos quais se possa caminhar;

3.

Estimule a colaboração da comunidade e dos envolvidos;

4. Promova lugares diferentes e interessantes com um forte senso de lugar; 5. Faça decisões de urbanização previsíveis, justas e econômicas; 6.

Misture os usos do solo;

7. Preserve espaços abertos, áreas rurais e ambientes em situação crítica;

Diretrizes Projetuais

77


78 rural. Proporcione A grande massa antes trabalhava node campo migrou em 8. umaque variedade de escolhas transporte; grande parte para as cidades, visto as novas condições e pelas opor9. Reforce e direcione a urbanização para comunidades tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, existentes; cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, com de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas 10. excessos Tire proveito do projeto de construções compactas; de todo tipo. No geral, o conceito de conexões verdes e alta densidade A revolução o estopim de do umAquífero problemaGuarani que viria deram início aoindustrial projeto fora visando proteção e à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob do meio ambiente degradado local, possibilitando uma convivência as sombras da produção tornara-se umaem doença degeneequilibrada entre homememe série natureza, sempre direção ao rativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela amplo conceito “sustentabilidade”. O partido do projeto deunova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem se inicialmente guiado pela ideia da Rede Esmeralda de Forman, e na forma dejuntamente vida, a um custo que foramodelos “financiado” muitos anos, e acrescido aos novos de em cidade vertical, que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à apresentados por vários autores, dentre eles Farr, Leite e Gehl.frente. Observando o século XVIII,esmeralda XIX e XX,unida é possível ver um salA ideia de conexão pela rede às necessidades to no tamanho da população mundial. 100 anos de diferença, apresentadas pelos modelos de cidade Em inteligente, formularam a o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, ideia inicial, através da união de maciços verdes com remanescentes pouco antes daedifícios metadee do século a população mundial beirava de vegetação, modos deXX, locomoção enfatizados para os 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspecpedestres. tos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma


79

CAPÍTULO 5 O projeto


PLANO GERAL

80 A grande que no antes trabalhava campo migrou Orural. projeto, comomassa descrito texto, consistenono arranque paraem grande parte as que cidades, as novas condições pelas oporpossibilitar umpara plano podevisto alcançar diversos bairroseda cidade. tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, O parqueintensamente Prefeito Roberto Luiz Jábali unido maciço verde cresceram e desenvolveram novas ao formas de poluição, criado pelo projeto e a APP já existente e ampliada funciona como com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas o central da rede verde. Os corredores verdes servem de denúcleo todo tipo. acesso de diversas áreas e núcleos secundários ao núcleo principal. A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à Os corredores as viasmoldada de maior tona cerca de umverdes século seguem e meio a principalmente frente. A nova cidade sob fluxo. O projeto de arborização deve ser estudado e indicado as sombras da produção em série tornara-se uma doença degeneconforme necessidade cada local.AJunto ao projeto de arborização rativa do ponto de vistadeambiental. solução econômica gerada pela dos segue também sistema novacorredores, forma de circulação do capitalocriou umacicloviário, reforma nafacilitando paisagem e o trânsito de ciclistas e incentivando a locomoção alternativa ao e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, veículo automotor. que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Os corredores verdes unindoXVIII, a grande principais Observando o século XIX parte e XX,dos é possível verpontos um salda cidade melhoram não apenas a mobilidade, mas também to no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, ajudam permeabilidade do solo, absorção pelo o séculonaXIX alcançara 1 bilhão de melhorando habitantes, e a150 anos depois, aquífero guarani por todadoa século cidade.XX, Também a fácil penetração da pouco antes da metade a população mundial beirava água ao solo ajuda na proteção contra enchentes. 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspectos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma


81


CONCEITO

82 A grande massa que trabalhava campo migrou em Orural. conceito do projeto fora antes desenvolvido emnocima de diretrizes grandeeparte para as cidades, visto asnonovas condições e pelas oporviárias os princípios pré-definidos capítulo anterior. O bairro tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, permeável fora dividido em três categorias para a quantia de cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, pavimentos: com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas • de todoBaixo tipo. Médio industrial fora o estopim de um problema que viria à A revolução tona • cerca Altode um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras da produção em série tornara-se uma doença degeneAlémdodoponto número de ambiental. pavimentos, o bairroeconômica tem uma gerada segunda rativa de vista A solução pela divisão que de se circulação dá pelo uso Nauma partereforma mais alta, no geral e nova forma do aplicado. capital criou na paisagem uso residencial é aoum definido, umafora vez“financiado” que a proximidade oe na forma de vida, custo que em muitoscom anos, bairro ao sul (Ribeirânia) não suporta eficiencia o usoanos comercial que demonstraria sua verdadeira facecom sobre a realidade à frente. atraido pelo uso misto no sistema viário atualmente consolidado. Observando século XVIII, e XX, é possível verviárias um salPor outro lado, o olado baixo da XIX gleba, possui diretrizes to tamanho da população mundial. Em 100 de diferença, paranovias que comportam aumento de fluxo com anos facilidade, o que o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, permite a implantação do uso misto. pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava Na questão Asviária, as estavam quatro diretrizes que cruzam o projeto 2,5 bilhões. cidades cada vez maiores, em todos aspecforam utilizadas para ambiental definir e ordenar o ofuscada principal em recebimento tos, porém a questão continuara relação aos eacontecimentos distribuição dedafluxo. Com três vias coletoras, apenas duas se época. cruzam dentro da gleba, onde fora criado uma quadra que trabalha Desde o século XIX, aprincipalmente grande evolução aço impressionara como contorno do fluxo, parado o transporte público. a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre EifA ambiental conta com ovários corredores verdes, que e fel,questão ou mesmo a criação do trem, veículo de transporte de carga se interconectam e formam rede verde, cuja conexão ao passageiros mais eficiente da aépoca. Neste mesmo século,direta iniciou-se parque localizado ao lado da avenida possibilita uma ligação contínua o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, até divisa onde fora efeita uma proposta conexão verde com o queafora aprimorado tornou-se usual nodeséculo seguinte. Parque Prefeito Roberto Luiz Jábali. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma •


83


IMPLANTAÇÃO

84 rural. A grande massafoco quedoantes trabalhava no campo migroue em No geral, o principal trabalho é o sistema ambiental a grande partedopara as cidades, visto cicloviário as novas condições e pelas mobilidade bairro. O sistema interconecta todooporo tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, bairro para facilitar o acesso rápido criando maior vantagem ao uso cresceram e desenvolveram novas formas de poluição, da bicicletaintensamente em relação aos carros. com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas Mas não apenas a gleba possui conexões cicloviárias, o bairro de todo tipo. anexo (Ribeirânia), possui dois corredores que dividem as quadras A revolução fora o estopim de um problema que viria à para pedestres, industrial a proposta é que tais corredores sejam utilizadados tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob para conectar o sistema cicloviário da gleba a um possível novo as sombras da produção em série tornara-se doença degenesistema cicloviário que alcance diversos bairros,uma e acompanhando rativa do ponto deverdesa vista ambiental. A solução econômica gerada pela novos corredores serem implantados. nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspectos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma


85


QUADRO DE ÁREAS

86 rural. A grande massa que antes trabalhava no campo M² migrou % em grande parte para as cidades, visto as novas condições e pelas oportunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas de todo tipo.

A divisão da gleba apesar de ser constituida por apenas tres tipos de uso, possui variações internas em cada categoria, acumulando um total de A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à 7 tipologias, demarcadas tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob na planta técnica. as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela Os corredores verdes nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e são oficialmente parte na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e do sistema viário por que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. não possuir dimensão suficiente para ser Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salconsiderada área verde, to no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, a mesma fora deslocada o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, para cálculo da área pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava permével total criada pelo 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspecsistema verde da gleba. tos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma


Limite de Pavimentos

Associação de Lotes

LIMITE E ASSOCIAÇÃO DE LOTES

87


PLANTA TÉCNICA

88 rural. A grande massa que antes trabalhava no campo migrou em grande parte para as cidades, visto as novas condições e pelas oportunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas de todo tipo. A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente.

Enve

lope Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspectos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época.

Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma


PLANTA BAIXA

89

Envelope


A

MEMORIAL DESCRITIVO

43, 50, 50m

28m

47

,68

45

,90

m ,00 51

7m ,5 48

C 1m ,5

04

1m

1m ,5

0m

1m 72

0m ,0

0m

0m

3

1m

5

21

52

,8

3m

²

37

44

,8

,8

4m

20,00m

20,00m

2

20,00m

,6 38

14

20,00m

4

3

20,00m

5

22

25,00m

500,00m²

25,00m

500,00m²

25,00m

500,00m²

25,00m

500,00m²

25,00m

500,00m²

25,00m

13

6

7

37

12

13

14

15

16

17

18

4m

373,44m²

19

20

21

25,00m

25,00m

29,64m 25,00m

10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 11,55m

74

0,6

USO DO SOLO - RESIDENCIAL/MISTO LOCAL -

296,04m²

MATRÍCULA CADASTRO INCRA

SETOR / SUBSETOR -

RIBEIRÃO PRETO - SP

DECLARAÇÕES

SITUAÇÃO SEM ESCALA

6m

296,04m²

16

²

MODALIDADE - LOTEAMENTO

,9

296,04m²

4m

NOME DO EMPREENDIMENTO - LOTEAMENTO ALTO DO CURUPIRA

43

296,04m²

10

776,44m²

296,04m²

29,65m

296,04m²

29,65m

9

29,65m

8

29,65m

7

29,65m

6

29,65m

5

29,65m

4

29,65m

3

296,04m²

357,99m²

29,65m

296,04m²

2

296,04m²

296,04m²

18,04m

296,04m²

278,66m²

296,04m²

1

20,60m

296,04m²

29,65m

296,04m²

29,65m

26

29,65m

25

29,65m

24

29,65m

23

29,65m

22

29,65m

21

29,65m

20

296,04m²

296,04m²

19

29,65m

296,04m²

18

296,04m²

296,04m²

17

29,65m

296,04m²

16

296,04m²

296,04m²

15

29,65m

296,04m²

10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10

12,50m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m

296,04m²

296,04m²

15

,46m

369,89m²

296,04m²

14

29,65m

296,04m²

13

29,65m

296,04m²

29,65m

12

29,65m

11

29,65m

10

29,65m

9

29,65m

8

29,65m

7

29,65m

6

29,65m

5

29,65m

4

29,65m

3

29,60m

278,66m²

2

296,04m²

296,04m²

1

278,66m²

296,04m²

20,60m

296,04m²

29,65m

15

29,65m

14

PROPRIETÁRIO

N.M.

A

29,65m

13

29,65m

12

29,65m

296,04m²

11

296,04m²

296,04m²

10

29,65m

296,04m²

9

296,04m²

296,04m²

14

29,65m

296,04m²

8

296,04m²

281,08m²

7

29,65m

6

29,65m

5

29,65m

4

29,65m

3

29,65m

2

29,65m

1

12

551,35m² 27,95m

11

9,49m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m

13

569,04m²

JDC

JDC

JDC

296,04m²

25,00m

296,04m²

25,00m

296,04m²

296,04m²

25,00m

25,00m

296,04m²

25,00m

296,04m²

296,04m²

25,00m

296,04m²

25,00m

25,00m

296,04m²

296,04m²

25,00m

25,00m

296,04m²

25,00m

JDC

FOLHA 01

ANTEPROJETO URBANÍSTICO

29,78m

22

10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m

JDC

0m

,8

25,00m

11

296,04m²

25,00m

296,04m²

JDC

20,75m

10

9

,79

,5

20,00m 20,00m 20,00m 20,00m 20,00m 20,00m 91,16m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 8

7m

DESCRIÇÃO

²

0m

LOCALIZAÇÃO

1m

,0

1m

,0 50 1

JDC

25,00m

JDC

JDC

15

45

05

11,00m

296,04m²

20,75m

369,48m²

29,75m

²

21

232,61m²

20,75m

446,38m²

2m

91,16m

482,61m²

8

369,48m²

14

,2

,0

1846,35m²

16,00m

29,75m

,6

45

,0

16,00m

446,38m²

29,75m

15,00m 4,00m

7

13

446,38m²

45

15,00m

JDC

29,75m

29,75m

84

8

29

0m

4

21

0m

JDC

15,00m

6

446,38m²

12

446,38m²

15,00m

16

29,75m

15,00m

20,75m

369,48m²

29,75m

29,75m

15,00m

8

369,48m²

446,38m²

446,38m²

15,00m

29,75m

15

11

446,38m²

29,75m

15,00m 4,00m

446,38m²

29,75m

15,00m 4,00m

7

12

0m 45

,8

29,75m

29,75m

5

0m

446,38m²

29,75m

,0

,0

1m

446,38m²

446,38m²

15,00m

29,75m

14

446,38m²

15,00m

6

446,38m²

29,75m

,5

²

,3

446,38m²

45

,0

8m

49

10

4

15,00m

29,75m

13

446,38m²

15,00m

5

446,38m²

45

,0

3

² 48

,8

2m

50

%

7,

I=

I=7,

76

%

76 %

,76

I=7

29,75m

29,75m

45

9

,2

9

29,75m

84

0m ,0 50

60

34

3

21

0m

7

22

0m

15,00m

446,38m²

0m

15,00m

446,38m²

,0

48

²

6m

28,47m 15,00m 14,98m

12

2

446,38m²

15,00m

11

29,75m

15,00m

4

45

8m

301,09m²

15,00m

29,75m

1

15,00m

29,75m

²

,0

JDC

20,42m

446,38m²

2m

,5

41

m ,93 16

43

15,00m

446,38m²

,2

,0

15,00m

11

19,99m

JDC

29,75m

3

0m

1m

,0

9m

30

²

8,5 89

45

45

13,47m

29,75m

10

446,38m²

15,00m

JDC

2

446,38m²

29,75m

15,00m

19,99m

15,00m 4,00m

16

359,58m²

29,75m

301,09m²

15,00m

15,00m

8

4,00m

29,50m

301,09m²

15,00m

15,00m

442,63m²

29,50m

359,58m²

84

6m

,7

9

15,00m

15,00m

15

15,00m

442,63m²

JDC

,9

,0

2

21

6

26

JDC

13,47m

15,00m

29,50m

7

19,99m

15,00m

14

442,63m²

15,00m

16

359,58m²

15,00m

B

15,00m

B

15,00m

6

442,63m²

15,00m

28,99m

442,63m²

29,50m 15,00m

390,82m²

12

1

JDC

29,50m

442,63m²

29,50m

15

442,63m²

13

15,00m

28,99m

43 53 ,10 ,1 m 6m

40

0m

45

48

,0

28

29,50m

5

1m ²

1m ,9

36

15,00m

10

442,63m²

10

442,63m²

,6

,6

²

38

21

2m

m

15,00m

442,63m²

0m

1

C

,4

,45

29 11

7m

,0

5

34

13,47m

29,50m

15,00m

14

43

48

25 , 39 84m ,47 m

m ,73 27 m

25

0m

² 4m 1,2

92 ² 8,8 m ,36

39

,47

2m 4,7 87

C

22

7m

13,47m

397,72m²

29,50m

390,82m²

JDC

JDC

4

4,00m

19,99m

20,25m

28,99m

4,00m

8

359,58m²

9

29,50m

15,00m

28,99m

28,99m

15,00m

JDC

390,82m²

390,82m² 13

15,00m

20,25m

362,86m²

4,00m

16

15,00m

8

362,86m²

4,00m

4,00m

29,25m

7

12

JDC ,1

JDC

11

29,50m

390,82m²

15,00m

438,75m²

29,25m

15,00m

438,75m²

15,00m

15,00m

15,00m

15

0m

,4

13,47m

28,99m

29,25m

7

0m

,0

29,50m

442,63m²

15,00m

6

390,82m²

28,99m

15,00m

29,25m

0m 45 ,0

19

3

15,00m

28,99m

390,82m²

15,00m

5

390,82m²

9

2

442,63m²

15,00m

28,99m

29,50m

15,00m

390,82m²

15,00m

438,75m²

15,00m

15,00m

14

15,00m

15,00m

6

438,75m²

,0

JDC

29,50m

11

15,00m

4

28,99m

397,72m²

15,00m

28,99m

29,25m

²

32,49m

1

13,47m

390,82m²

10

390,82m²

15,00m

3

28,99m

15,00m

28,99m

13,47m

2

390,82m²

390,82m²

15,00m

29,25m

45

²

JDC

9

15,00m

438,75m²

15,00m

15,00m

13

15,00m

15,00m

5

438,75m²

5m

D

28,99m

29,25m

4

,7

D

13,47m

438,75m²

15,00m

12

25

0m

2

25

ÁREA VERDE A = 4075,64m²

390,82m²

29,25m

29,25m

JDC

15,00m

438,75m²

438,75m²

15,00m

15,00m

4

15,00m

15,00m

8

438,75m²

11

5

5

,16

32,49m

1

29,25m

3

29,25m

JDC

15,00m

438,75m²

29,25m

13,47m

10

JDC

15,00m

438,75m²

13,47m

29,25m

15,00m

2

15,00m

ÁREA INSTITUCIONAL A = 19068,48m²

13,47m

13,47m

29,25m

438,75m²

28

0m

,0

30

JDC

438,75m²

,0

2m 45

m

²

1

15,47m

JDC

JDC

JDC

m

93

31

JDC

,0

,5

m 19 27

2

35,

15

06m

22

,73

,44

m

,83

33

ÁREA VERDE A = 7923,59m² JDC

9

0m

m

,00

33

,85

JDC

1

3

45

2

0m

4

,9

m

14

45

m

m

m

22

48

23

,80

m² ,11

40

m

,60

JDC

0m

,00 36

45

m

m

45

48

,64 30 14

m ,00

16

m

JDC

²

,0

,20

,00

0m

8m

m

45

²

,0

,4

,00

14

45

8

32

27

45

6m

1m

m ,92 24

m² ,11 40

m

,8

,5

,24

m

,11

² 4m m

32

27

,0

m

40 14 m

31

46

0m

1

4m

3

,17

,00

JDC

4m

24

m

23

,0

,1

,00 45

32

,00

m

45,14 m

,11 40 14 m ,00 45

m

15

37

25 7

45

m

26

,00

,00

m

,16

41

50

45 ,00 m

m² ,11 30

15

32

32

,00

m

,16

7,4

m ,00 50

m² ,11

15

30

32

²

m

46

,76

EA 20 VE 76 RD 9, E 11 m ²

=

48

m ,00

m ,00 45

m

6

,16

7,4 46

² ,16

31

24

m

,00

20

m

,17

,00 45

² 4m 31

46

,16

m

7,4

31

15

m

m

50

m² ,11 30

,11 m² 30

15

4m ,16

m

7,4 46

46

5,0

0m ² ,00 m

m

5,0

,00

31

46

15

m

4m

7,4 ,00

8

10

A

ÁR

11

42

,00

15

0m ²

m

,00 m

9

m

,00

m

,00

JD

² 15

²

m

7,4

,16

31

² m

,16

46

46

15

m

32

,00

m 15

,75

45 ,00 m

,00 m 45

4m

²

m

,16

46 7,4

4m m

,00

,00

31

19

34

ÁREA JDC VERDE A = 4071,50m²

m

05

JDC

,00

m

,00

m

0m

5,0

,00 m

15

,75

,00

m

31

0m ²

46

31

,00

5,0

46

15

15

,00

7

8

,00

m

15

45 5

15 30 ,11 m²

m² ,11 30

15

4m

7,4

31

46

15

m

74

29

m

14

,00

15

,00

m

15

m

,00

,00

,00

m

,00

4m ² ,16

31

46

15

,00

6

7

m

7,4

31

46

²

m

,16

31

46

4m ² ,16 m

31

7,4

m

34

,00

15

18

m

10

22 34

15

45 ,00 m

4m

²

m

7,4

,16

46

4m ² ,16 m

7,4 46

7

15

31

4m

²

m

15

0m ²

m

,00

,00

m

m

,00

50

m ,00 45

m² ,62 05

15

4m ²

7,4

,16

46

²

m

15

,00

4

6

13

JDC

,00

45

m

4

m

,00

m

6

17

m

m

,00

15 ,00

15

5,0

15

31

m

5,0

,00

m

16

m

m

0m

,00

m

5,0

0m

²

,00

31

46 15

15

3

15

,00

m

46

JDC

m

15

46

² 0m m

5,0

46 ,68

m

,00

,00

m 12

m 15

31

20,15

ÁREA VERDE A = 18610,33m²

,16

,00

,05

5

,00

31

15

15

m

7,4 46

m

m

4m ²

m

,16

31

,00

2

31 ,00

14

34

,00

7,4

4m ² 31

15

12

m

15

50

4

,68

,00

m

,00

,00

m

15

63

,00

34

34

,00

4

50

45

m

m 15

m

4m

7,4

13

46 15

1

3

²

m

31

,16

67

m

7,4

,16

46

1m

²

15

m

3

,00

,00

,00

4,1

m

20,32

m 27 1 ,37 5,0 m 0m

,00

11

15

31

² 2m m

0,2

52

31

,37

34

m

22

m

m

5

29

9

m

,00

JDC

,00

,16

20,32 m

15

m

m

,00

,67 26 15

43 ,56 m

m

,07

,00

50

43 ,91 m

14

m² ,74 47 14

,00

45

,00

34

11

38

,00

m² 68

,09

m

m

m

,00

,00

,00

m

34 ,00 m

2

45

34

,22 10

JDC

15

m

,00

,02

10

,00

D

,22

,14

34

m

51

50

33 34

m

33 9

25

11

95

m

,00

22

m

²

4

22

8

,60

10m

,49

12

,00

50

40

27,

m

,00

8m

45

m

45

3m

,13

,00

m

19

95

58

,00

,54 50

21

22

1

7

3

m

m

m

1m ²

06m

2

2,

,00 ,10

41,

34

1

m

51

50,

51 44

2,2

1

93

,00

6

212

P 13

=

,0

39

AP

50

50

23

28m

50m

A

2

43,

ÁREA VERDE A = 6078,51m²

m

m

²

m

7m

,48

1,2

,91 m

ÁREA VERDE A = 6133,77m²

1

225

N.M. mapa de situação A

NOTAS:

DECLARO QUE A APROVAÇÃO DO PROJETO PELA PREFEITURA MUNICIPAL NÃO IMPLICA NO RECONHECIMENTO DO DIREITO DE PROPRIEDADE DO TERRENO.

1

50,50m

43,28m

2251,2 7m²

47,68m 50,91m

51,00m

51,00m

51,00m

51,00m

24,24m

24,92m

m 48,57

m

C

48,57

,61m ² 48,51

m

45,00m

41,09m

2184 ,22m

m

²

45,00m

,22m ²

m

50,00m

m

²

45,00m

5

2152 ,83m ² 37,84 m

44,87 m 6

20,00m

2

20,00m

3

2623, 08m² 20,00m

4

20,00m

5

6

64,50m

25,00m

500,00m²

25,00m

25,00m

13

500,00m²

25,00m

25,00m

500,00m²

500,00m²

16,00m

37,84m 7

373,44m²

29,78m

296,04m²

296,04m²

296,04m²

296,04m²

569,04m²

25,00m

296,04m²

25,00m

296,04m²

296,04m²

296,04m²

22

10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m

25,00m

21

25,00m

20

25,00m

19

25,00m

18

25,00m

17

25,00m

16

25,00m

15

25,00m

14

25,00m

25,00m

296,04m²

25,00m

13

25,00m

12

296,04m²

11

25,00m

25,00m

16,00m

25,00m

296,04m²

20,75m

10

296,04m²

9

296,04m²

8

296,04m²

20,00m 20,00m 20,00m 20,00m 20,00m 20,00m 91,16m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m

232,61m²

15

20,00m

25,00m

29,75m

3

m

91,16m

1

500,00m²

369,48m²

4

45,00

,22m

72,81 10

1846,35m²

11,00m

482,61m²

446,38m²

m

2184

²

m

14

15,00m 4,00m

8

20,75m

13

15,00m

29,75m

369,48m²

29,75m

29,75m

15,00m

446,38m²

20,75m

446,38m²

446,38m²

15,00m

15,00m 4,00m

7

15,00m

6

12

15,00m

11

45,00

29,75m

29,75m

15,00m

446,38m²

446,38m²

15,00m

29,75m

29,75m

45,00m

,61m

29,75m

12 15,00m

446,38m²

15,00m 4,00m

16

28,47m 14,98m 15,00m

446,38m²

15,00m

29,75m

5

9

2949 m

10

4

45,00

45,00

²

9

3

29,75m

15,00m

369,48m²

29,75m

45,00m

34,31

446,38m²

29,75m

15,00m

446,38m²

446,38m²

446,38m²

15,00m

15

15,00m

8

20,75m

14

446,38m²

15,00m

29,75m

369,48m²

29,75m

29,75m

15,00m

446,38m²

446,38m²

446,38m²

15,00m

15,00m 4,00m

7

15,00m

15,00m

6

15,00m

15,00m

29,75m

29,75m

13

15,00m

12

2

15,00m

29,75m

29,75m

29,75m

15,00m

446,38m²

446,38m²

301,09m²

15,00m

11

5

19,99m

13,47m

15,00m

29,75m 11

4

20,42m

15,00m

15,00m

15,00m

15,00m

16

359,58m²

10

3

29,75m

446,38m²

4,00m

4,00m

29,50m

8

19,99m

13,47m

13,47m

442,63m²

29,50m

359,58m²

29,75m

29,75m

48,51m

8

2260 ,88m

9

301,09m²

446,38m²

29,75m

446,38m²

15,00m

442,63m²

B

19,99m

2

15,00m

15,00m

B

16

15

29,75m

15,00m

14

29,50m

7

15,00m

28,99m

15,00m

359,58m²

15,00m

442,63m²

29,50m

6

29,50m

15

15,00m

442,63m²

15,00m

442,63m²

442,63m²

13

29,50m

14

446,38m²

446,38m²

29,50m

15,00m

28,99m

28,99m

13,47m

12

1

301,09m²

446,38m²

29,50m

442,63m²

15,00m

8

19,99m

11

442,63m²

10

5

15,00m

28,99m

359,58m²

15,00m

16

20,25m

15,00m

20,25m

390,82m²

390,82m²

390,82m²

4,00m

29,25m

8

362,86m²

7

15,00m

15,00m

6

10

29,50m

4

15,00m

28,99m

28,99m

29,50m

3

15,00m

4,00m

390,82m²

9

397,72m²

442,63m²

29,50m

15,00m

4,00m

29,25m

4,00m

15,00m

362,86m²

15

2

29,50m

12

15,00m

15,00m

15,00m

15,00m

15,00m

15,00m

14

438,75m²

438,75m²

29,25m

7

28,99m

28,99m

15,00m

15,00m

15,00m

390,82m²

390,82m²

29,25m

6

29,25m

442,63m²

442,63m²

29,50m

442,63m² 29,50m

11

390,82m²

390,82m² 13

15,00m

438,75m²

29,25m

5

15,00m

438,75m²

438,75m²

438,75m²

9

4

28,99m

15,00m

15,00m

15,00m

13

397,72m²

15,00m

12

29,25m

1

15,00m

3

28,99m

29,25m

438,75m²

10

13,47m

15,00m

4

5

28,99m

28,99m

13,47m

15,00m

11

438,75m²

8

29,25m

29,25m

390,82m²

15,00m

29,25m

3

438,75m²

438,75m²

9

390,82m²

15,00m

15,00m

15,00m

2

15,00m

15,00m

15,00m

390,82m²

390,82m²

28,99m

28,99m

13,47m

390,82m²

15,00m

15,00m

29,25m

1

390,82m²

15,00m

15,00m

15,00m

10

13,47m

29,25m

13,47m

13,47m

9

438,75m² 438,75m²

13,47m

13,47m

ÁREA INSTITUCIONAL A = 19068,48m²

2

m

50,00

m

1

29,25m

2184

m

43,76

48,51

ÁREA VERDE A = 4075,64m²

43,27m

16,93m

²

,96m

32,49m

19,48m

1

438,75m² 438,75m²

AUTORIA DE PROJETO

50,00m

m 48,51

2104

43,10 53,16m m

2628

48,51

39,47m

43,10m

m

921,24

39,47m

25,84m

²

²

5m²

1129,4

,75m

45,00m

5

,42m

30,48m

27,73m

2825

45,00m

2234

3

32,49m

898,5 8m²

25,36m

874,7

2m²

15,47m

45,00m

2

36,00m

m

ÁREA VERDE A = 7923,59m²

m

30,16m

50,00m

50,00m

50,00m

1440, 11m²

45,00m

64m²

1430,

36,00m

19,80m

44m²

1522,

27,73m

45,00m

45,00m

,00m ² 45,00 25,07m

5

C

45,14 m

50,00m

11m²

1440,

45,00m 45,00m

1440,1

1m²

35,06m

938,83

50,54m

50,00m

9m²

50,00m

1530, 11m²

45,00m

1440,1

1m²

1468,0

43,91m

7m²

1526,6

45,00m

1m²

74m²

1530,1

1447,

45,00m

43,56m

11m²

62m²

1530,

1505,

1530,

45,00m

45,00m

11m²

45,00m

1530,

11m²

45,00m

11m²

2m²

520,2

1530,

31,16m

467,44

4m²

467,4

31,16m

31,16m

467,4

31,16m4m²

4m²

467,4

674,11

31,16m

31,16m

467,44

467,44

31,16m

4m²

31,16m

4m²

467,4

467,4

31,16m

31,16m

467,44

31,16m

467,44

4m²

31,16m

4m² m²

467,4

467,4

31,16m

467,44

31,16m

465,00

0m²

4m²

31,16m

31,00m

31,16m

467,4

465,0

31,00m

31,16m

0m²

467,44

465,00

4m²

31,16m

31,00m

465,0

467,4

m

2248

31,16m

467,44

465,00

31,00m

465,00

² 45,00

²

m

5

4

m

,86m m

,48m

45,00m

23,92 3

33,83m 2

33,85m 1

45,00

31,00m

2627 37,14

3

2546 23,17m

8

32,20m

16

27,60m

45,00

465,00

41,16m

32,00m

7

32,00m

15

32,00m

2

465,00

45,00m

42,17m 6

32,00m

14

32,00m

7

8

RD 9,1 E 1m ²

1

31,00m

76m²

32,00m

34,00m

15,00m

15,00m

ÁR EA = 20 VE 76

A 11

2

15,00m

4

15,00m

10

15,00m

20

15,00m

ÁREA VERDE A = 4071,50m²

29,75m

2405,

4

20,15m

15,00m

2250, 00m²

45,00m

15,00m

9

15,00m

19

74,75m 10

5

15,00m

8

15,00m

15,00m 15,00m

7

5

45,00m

34,00m

15,00m

7

18

15,00m 15,00m

6

13

15,00m

6

6

17

15,00m 15,00m

38,07m

2963, 68m²

²

34,00m

31,00m

20,32m

PROPÕE-SE QUE O EQUIPAMENTO PÚBLICO A SER INSTALADO NA ÁREA INSTITUCIONAL SEJA DE CUNHO EDUCACIONAL ATÉ O ENSINO MÉDIO, VISTO DISTANCIAMENTO À INSTITUCIÇÕES DE MESMO USO E DE PODER PÚBLICO.

7

,00m

1

20,32m

AS LOMBOFAIXAS NA AVENIDA PARQUE POSSUEM SINALEIROS PARA TRAVESSIA DE PEDESTRE.

16

15,00m 15,00m

4

34,00m

15,00m

5

15,00m

15

15,00m 15,00m

3

12

34,00m

15,00m

4

15,00m

14

15,00m 15,00m

15,00m

4

34,00m

15,00m

3

15,00m

13

15,00m

2

8

33,22m

15,00m

2

27,37m15,00m

11,05m

15,00m

4

2295,

45,00m

9

2250

45,00m

34,00m

11

8m ²

45,00m

²

00m²

34,00m

50,00

50,50m

3

33,22m

10

15,00m

1

12,37m

11

10,00m

1

12,68m

,00m

45,00m

00m²

2250,

34,00m

3

34,00m

ÁREA VERDE A = 18610,33m²

3m²

45,00m 2

34,00m

25,02m

PA RO RQ BE UE RT PR O EF LU E IZ ITO JA BA LI

2295

1

7

2119,1

40,60m

34,49m

9

AP P = 13 93 2,5

45,00m

90m²

44,10m

1m²

34,14m

45,00m

O CRUZAMENTO DO PROJETO SERÁ RESOLVIDO COM SINAL.

A

2

2339,

43,28m

6

2122,2

41,06m

27,10m

1

40,91m

ÁREA VERDE A = 6133,77m²

ÁREA VERDE A = 6078,51m²

551,35m²

11

29,64m 12

27,95m 13740,6

9,49m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m

10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 11,55m

12,50m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 23

4m²

10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,00m 10,46m 14 22

21

18

15

A

29,65m

18,04m

29,65m

29,65m

29,65m

29,65m

29,65m

29,65m

29,65m

29,65m

20,60m

16

43,96m

17

296,04m²

19

776,44m²

29,65m

29,65m

29,65m

20

296,04m²

29,65m

29,65m

29,65m

29,65m

296,04m²

26

296,04m²

29,65m

29,65m

29,65m

25

296,04m²

24

296,04m²

23

278,66m²

29,65m

29,65m

22

296,04m²

21

296,04m²

20

296,04m²

29,65m

29,65m

19

296,04m²

29,65m

29,65m

29,65m

29,65m

18

296,04m²

17

296,04m²

16

357,99m²

15

296,04m²

14

296,04m²

13

15

296,04m²

12

296,04m²

11

296,04m²

29,65m

29,65m

29,65m

10

369,89m²

29,60m

29,65m

29,65m

9

296,04m²

8

296,04m²

29,65m

20,60m

7

296,04m²

29,65m

29,65m

29,65m

29,65m

6

296,04m²

5

296,04m²

4

296,04m²

3

296,04m²

2

296,04m²

1

296,04m²

15

296,04m²

29,65m

29,65m

14

278,66m²

13

296,04m²

29,65m

29,65m

29,65m

29,65m

12

296,04m²

11

296,04m²

29,65m

29,65m

10

296,04m²

9

278,66m²

8

296,04m²

7

14

296,04m²

6

296,04m²

296,04m²

296,04m²

5

296,04m²

4

296,04m²

296,04m²

3

296,04m²

2

281,08m²

PISOS ESPECIFICADOS

PROPÕE-SE A LIGAÇÃO ENTRE AS CONEXÇÕES VERDES AO PARQUE ROBERTO LUIZ JÁBALI, UMA VEZ VISTO O GRANDE POTENCIAL DE AGREGAÇÃO AO POSSIVEL PONTO DE CONEXÃO, ALÉM DA CONTINUIDADE À IDEIA DE CONEXÕES VERDES DA REDE ESMERADA.

1

DECLARO PARA OS DEVIDOS FINS DE DIREITO INCLUSIVE NA ESFERA PENAL QUE O PROJETO APRESENTADO INTEGRALMENTE ATENDE AO DISPOSTO NO PLANO DIRETOR MUNICIPAL E ESPECIALMENTE EM SUAS LEIS COMPLEMENTARES 1.616/04, 2.204/07, 2.158/07 E 2.157/07. CAU

ISSQN

XX

TODAS ÁREAS DE LAZER DEVERÃO SER DESENVOLVIDAS A MODO QUE HAJA HARMONIA ENTRE SEUS USOS E NECESSIDADES JUNTO Á NECESSIDADE DE MANTER SUA ESTRUTURA PERMEÁVEL.

NÚMERO DE LOTES NÚMERO DE QUADRAS

15

NÚMERO ÁREAS VERDES E DE LAZER

21

POPULAÇÃO ESTIMADA DENSIDADE POPULACIONAL BRUTA ESTIMADA

 

230

62788,20 1652,32

FOLHA N°

1

PROC.


Os canteiros centrais das vias compatilhadas abrigam diversas atividades para atendimento direto da unidade de vizinhança. Em partes, junto à rotatória, servem para abrigar jardins de chuva(JDC), cuja função principal é a retenção e equipamentos lúdicos e de descanço estão distribuídos por estas áreas. Tanto os canteiros como as alamedas verdes possuem a vegetação selecionada não apenas pela estética e porte, mas também pela forma, cor, aroma e data de diferentes épocas do ano.

EXEMPLOS MOBILIÁRIO

automóveis.

JDC JDC

Jardim de chuva de Victória, Canadá.

Mobiliário para áreas de lazer infantil.

Mobiliário de descanço implantado nas praças.

Mobiliário de descanço/lazer implantado nos corredores.

JDC

JDC

JDC

JDC JDC

JDC

JDC

Os postes de iluminação presentes no sistema viário são abastecidos por energia solar através de placas fotovoltáicas instaladas em sua parte superior. A iluminação nas alamedas, praças e canteiros é parcialmente abastecida, vista cobertura pelas árvores no sistema de captação solar. Alguns mobiliarios terão funções de iluminação também, com pontos de luz como parte do mesmo.

JDC JDC

JDC

JDC

JD

C

JDC

%

I=7

I= 7,

76

D D

JDC

JDC

EXEMPLOS ILUMINAÇÃO

I=7,

JDC

JDC

76

%

,76

%

D

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

N PLANTA BAIXA ESC: 1:1500

Praça 1

Canteiro Central/Alameda

Solar Tree John’ s Square Limerick, Irlanda.

Poste Iluminação Albero fabricado pela Iguzzini


C

C

A

rural.das A grande massa que antes trabalhava migroudoem Uma caracteristicas principais do projetonoécampo a mudança grande parte para as cidades,do visto novas e pelas oporgabarito conforme a posição lote.asOs lotescondições considerados baixos, tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, são os de um ou dois pavimentos cujo uso é unifamiliar, e os de cresceram desenvolveram novas formas de poluição, três ou maisintensamente pavimentos,ecujo uso é multifamiliar. com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas Próximo ao centro do projeto, encontram-se os lotes de porte de todo tipo. médio, cujo o número de pavimentos pode alcançar até cinco. Até A ponto, revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à este todas as edificações podem ser térreas. tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob Já com proximidade à avenida os uma maiores lotes do as sombras da produção em série parque, tornara-se doença degeneprojeto possuem mais de dois mil metros quadrados. Todos rativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada os pela lotes se enquadram nas determinações à talnametragem nova forma de circulação do capital criou indicadas uma reforma paisagem e mínima. ponto, os lotes podem alcancar um total de e na formaNeste de vida, a um todos custo que fora “financiado” em muitos anos, dez pavimentos, que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. sendo que o Observando primeiro deve o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no elevado tamanho do da população mundial. Em 100 anos de diferença, estar o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, solo no mínimo pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava quatro metros, 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspecabrindo passagem tos, porém a ambiental continuara ofuscada em relação aos ao campo questão de acontecimentos da época. visão e permitindo travessia de B Bdo aço impressionara a Desde o século XIX, a grande evolução pedestres. todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre EifIndicação de Cortes Sem escala fel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A

CORTES

92

A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma


93 As vias asfaltadas serão implantadas com um ressalto em relação as vias compartilhadas. Suas calçadas terão um total de quatro metros por toda sua extensão, sendo 3m para leito caminhavel.

23 15

Corte B

Todas as calçadas contam com arborização específica apropriadas para evitar transtornos com obstrução de passagem e visão, porém, ainda sim com uso determinado de forma lógica a fim de melhorias urbanas e ambientais com eficiencia ecológica e estética. Corte C

80

160m

Corte A Escala gráfica


TRANSPORTE PÚBLICO

94 A grande massa que antes no campo Orural. transporte público no bairro terá atrabalhava possibilidade de váriasmigrou formas,em grandeaparte para as cidades, visto oasprincipal novas condições e pelas oporsendo quadra central ao projeto distribuidor de fluxo, tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, que no qual liga ambos pontos de ônibus. cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, Os semelhantes aos implantados na ecidade de compontos excessosserão de resíduos, poluentes, novas doenças, problemas Curitiba, no Paraná, conhecidos como “Estações Tubo”. Tais de todo tipo. estações são elevadas em relação ao nivel do solo e cobertas para A revolução industrial fora as o estopim problema que viria acesso e proteção de todas formas de um público em relação às à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob intempéries. as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspectos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma


95

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC JDC

JDC

JDC

JDC JDC

JDC

JDC

JD

C

JDC

JDC

6% I=7,7

JDC

I=7,76 %

I=7,76%

D

JDC

D D

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC


POSICIONAMENTO DE ESPÉCIES

96 A grande massa do que bairro antes trabalhava no campo migroudeem Orural. projeto paisagistico consta com 4 categorias grande parte para as cidades, visto as novas condições e pelas oporvegetação. tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, A primeiraintensamente categoria consta com arvores de cresceram e desenvolveram novasprincipalmente formas de poluição, caracteristicas visuais e olfativas marcantes. Um dos principais com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas critérios de escolha é a data de floragem, para orquestragem do de todo tipo. espetáculo natural oriundo do jogo de cores e aromas criado pela A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à vegetação. tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob A engloba a vegetação primeira. A as segunda sombrascategoria da produção em em sérieparte tornara-se uma da doença degenediferença principal é a escolha de vegetação que interaja diretamente rativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela com público, onde é possivel produzir frutas e alocar espécies e nova o forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem com maior redução de carbono, melhoria na forma denível vida,de a um custo de quedióxido fora “financiado” empara muitos anos, e do microclima. que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. A terceira categoria otráz as outras consigo,ver a grande Observando século XVIII,duas XIXanteriores e XX, é possível um saldiferença são as árvores de enorme porte e as espécies que to no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, servirão de atrativo para fauna no geral, uma vez idealizada pela o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, aproximação ao metade maior parque da cidade. pouco antes da do século XX, a população mundial beirava 2,5quarta bilhões. As cidades estavam cada todos aspecA categoria são as árvores paravezasmaiores, calçadas em do projeto no tos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação geral. São exemplares de árvores que evitam quebraduras noaos acontecimentos da época. a visão dos automotores mas ainda sim chão e que não obstruem possuem um. Desde caracteristicas o século XIX,daa categoria grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma


97

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC JDC

JDC

JDC

JDC JDC

JDC

JDC

JD

C

JDC

I=7,7 6%

I=7,76%

JDC

I=7,76 %

D

JDC

D D

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

..\..\..\desktop\arquivos\tcc\desenhos técnicos humanizados\intermediaria\arvores 4 categoriafinal.jpg JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC

JDC


ESPÉCIES

98 rural. A grande massa que antes trabalhava no campo migrou em grande parte para as cidades, visto as novas condições e pelas oportunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas de todo tipo. A revolução industrial fora o estopim de um problema que viria à tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salto no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspectos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, que fora aprimorado e tornou-se usual no século seguinte. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelmente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma


99


CONCLUSÃO

100 A grande massa antes buscou trabalhava no campo Orural. desenvolvimento do que projeto resultados quemigrou abremem grande parte para as cidades, as urbano novas condições pelas oporpossibilidades de expansão dovisto tecido de forma eequilibrada tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, em relação ao impacto ambiental causado pela baixa densidade. cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, A necessidade de se pensar uma nova forma de se planejar a com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas cidade foi reforçada partindo dos problemas ambientais atualmente de todo tipo. ocorrentes e com previsão de piora ao passar dos anos. A revolução foraprojetuais, o estopima de um problema que viria à Como visto nasindustrial referências possibilidade de alteração tona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob no atual cenário urbano é real, e aos poucos está acontecendo, sombrasque da surgem produção em série tornara-se uma surgem doença degeneàasmedida novos problemas, também novos rativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela avanços. nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e A permeabilidade peloque projeto nas áreas verdes, corredores na forma de vida, aatingida um custo fora “financiado” em muitos anos, e verdes, e piso permeável mostrou-se com total capacidade de que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. implantação com eficiência de drenagem superior ao modelo o muito séculoaXVIII, XIX do e XX, é possível verhídrico um salatual, oObservando que beneficia proteção principal recurso to no tamanho mundial. com Em 100 anos de diferença, da cidade, além da depopulação reduzir problemas desastres ambientais o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, como enchentes. pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava A demonstrou capacidade de novos 2,5questão bilhões.daAsarborização cidades estavam cada vez maiores, em todos usos aspecpara áreas verdes ou ambiental públicas nocontinuara geral, nãoofuscada apenas em ornamentais, tos, porém a questão relação aos mas também, damedicinais, ou mesmo restauradoras, para acontecimentos época. ecossistemas degradados e ameaçados. Algumas espécies tem Desde o século XIX,comprovadas a grande evolução do aço impressionara propriedades especiais e estudadas, o que possibilita a todos,flexibilidade cada vez mais surgiam emblemáticas como a Torre uma no seus usos,obras como o exemplo das árvores queEiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo carga atraem pássaros, ou mesmo o Jatobá com de seutransporte altíssimo de nível de e passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se absorção de dióxido de carbono. o uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, A verticalização demonstrou a capacidade aumento no número que fora aprimorado e tornou-se usual node século seguinte. de espaços que trabalham em conjunto com a cidade, sejam áreas A sociedade anterior com seu perfil voltado utilização de mapúblicas ou gentilezas urbanas. A transição entre àespaços tornoutérias simples como a madeira, e pedras mudara irreversivelse simples e vantajosa de todosbarro os lados, o pedestre/ciclista com mente. O novo mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma melhorias na saúde, e a cidade com redução do uso de veículos


101 automotores que geram excessos de poluentes prejuciais ao ambiente, e até mesmo às pessoas de forma geral. O sistema verde implantado demonstrou capacidade de união de vários pontos da cidade ao ponto trabalhado, facilitando não apenas a questão da arborização, mas também facilitando a mobilidade urbana, uma vez que os corredores verdes estão sempre acompanhados do sistema cicloviário, que trás grandes facilidades em relação ao trânsito diário da cidade, como tal evitar engarrafamentos, transtornos com estacionamento, custo de combustível e entre outros que fogem a questão ambiental. Neste sentido, o bairro permeável trás benefícios a todos envolvidos, balanceando a relação cidade-natureza, e evitando problemas com mobilidade por excessos de fluxos de determinados modais, meio ambiente por falta de drenagem natural, e sociais por falta de espaço público qualificado e acessível a todos.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

102 rural. A grande Henri. massa queA antes trabalhava noDAS campoCIDADES: migrou em ACSERALD, DURAÇÃO grande parte paraeasrisco cidades, as novas condições e pelas oporSustentabilidade nas visto políticas urbanas. Rio de Janeiro: tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, Lamparina, 2001. cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas deALISSON, todo tipo. Elton. IMPACTOS DAS MUNDANÇAS NO USO DAA TERRA EMindustrial CORPOS AQUÁTICOS. . Disponível em à revolução fora o estopim de FAPESP um problema que viria :<http://agencia.fapesp.br/impactos-das-mudancas-no-uso-datona cerca de um século e meio a frente. A nova cidade moldada sob terra-em-corpos-aquaticos-/17026/> Acesso em nov. 2018. as sombras da produção em série tornara-se uma12doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela nova forma de circulação do capital criou uma reforma na paisagem e TERÁ 9,8 BILHÕES DEemPESSOAS EM e naBrasil, formaONU. de vida,MUNDO a um custo que fora “financiado” muitos anos, 2050. Nações Unidas. Disponívelface em:sobre <https://nacoesunidas.org/ que demonstraria sua verdadeira a realidade anos à frente. apesar-de-baixa-fertilidade-mundo-tera-98-bilhoes-de-pessoasObservando século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salem-2050/> Acessooem 11 nov. 2018. to no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, o século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava CERTIFICAÇÃO AQUA HQE. Disponível em :<https:// 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspecvanzolini.org.br/aqua/certificacao-aqua-hqe/> Acesso em 22 Jan. tos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos 2019 acontecimentos da época. Desde o século XIX, a grande evolução do aço impressionara a todos, cada vez maisAQUA surgiam HQE obras emblemáticas como a Torre EifCERTIFICAÇÃO E A SUSTENTABILIDADE fel, ou mesmo a criação trem, o veículo de transporte de carga e LEVADA A SÉRIO NO do MERCADO IMOBILIRIÁRIO. Disponível passageiros mais eficiente da época. Neste mesmo século, iniciou-se em :< https://vanzolini.org.br/weblog/2015/04/27/certificacaoo uso do famoso e ainda extremamente utilizado, concreto armado, aqua-hqe-e-a-sustentabilidade-levada-a-serio-no-mercadoque fora aprimorado tornou-se usual no século seguinte. imobiliario/> Acesso eem 22 Jan. 2019 A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelDECICINO, DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL mente. O novoRonaldo. mundo influenciado pelo aço trouxe consigo uma – COMO SURGIU ESSE CONCEITO? UOL. Disponível


103 em:<https://educacao.uol.com.br/disciplinas/geografia/ desenvolvimento-sustentavel-2-como-surgiu-esse-conceito. htm>. Acesso em: 13 nov. 2018.

FARR, Douglas. Urbanismo Sustentável. Porto Alegre: Bookman, 2013.

FOLADORI, Guillermo. Sustentabilidad Ambiental Contradicciones Sociales. Ambient. soc. [online]. 1999.

y

FREITAS, Eduardo. CRESCIMENTO DA POPULAÇÃO MUNDIAL. UOL. Disponível em :<https://mundoeducacao. bol.uol.com.br/geografia/crescimento-populacao-mundial.htm >Acesso em 13 nov. 2018.

GEHL, Jan. Cidades para Pessoas. São Paulo: Perspectiva, 2013.

HARVEY, David. O DIREITO A CIDADE. Esquerda. Disponível em :<https://www.esquerda.net/artigo/o-direito-%C3%A0cidade-por-david-harvey/30344> Acesso em 12 nov. 2018.

JAMES, Matt. Jardim Urbano. São Paulo: Editora Senac, 2014.


104 rural. A grande massa que antes trabalhava migrou em NATURE. Etymonline. Disponível emno campo :<https://www. grande parte para as cidades, visto as novas condições Acesso e pelas oporetymonline.com/word/nature#etymonline_v_2321> em tunidades de trabalhos na fábricas. As cidades tomaram nova forma, 13 nov. 2018. cresceram intensamente e desenvolveram novas formas de poluição, com excessos de resíduos, poluentes, novas doenças, e problemas deOtodo tipo. AÇO NA CONSTRUÇÃO CIVIL. Industrias Hoje. Disponível emA revolução :<https://industriahoje.com.br/o-aco-na-construcao-civil> industrial fora o estopim de um problema que viria à Acesso emde 11um nov.século 2018.e meio a frente. A nova cidade moldada sob tona cerca as sombras da produção em série tornara-se uma doença degenerativa do ponto de vista ambiental. A solução econômica gerada pela OECD. Was Life do ? Global Since 1820 Chapter e nova formaHow de circulação capitalWell-being criou uma reforma na paisagem 2. IISH, 2014. na forma de vida, a um custo que fora “financiado” em muitos anos, e que demonstraria sua verdadeira face sobre a realidade anos à frente. Observando o século XVIII, XIX e XX, é possível ver um salO FERRO E O AÇO NA CONTRUÇÃO. Metalica. Disponível to no tamanho da população mundial. Em 100 anos de diferença, em :<http://www.metalica.com.br/cronologia-do-uso-doso século XIX alcançara 1 bilhão de habitantes, e 150 anos depois, metais-o-ferro-e-o-aco-na-construcao> Acesso em 13 nov. 2018. pouco antes da metade do século XX, a população mundial beirava 2,5 bilhões. As cidades estavam cada vez maiores, em todos aspectos, porém a questão ambiental continuara ofuscada em relação aos PHYSIS, COSMOS, ARCHE E LOGOS. Oficina de Filosofia. acontecimentos da época. Disponível em :<https://oficinadefilosofia.com/2011/04/03/ Desde o século XIX, a grande evolução aço impressionara a physis-cosmos-arche-logos/> Acesso em 12do nov. 2018. todos, cada vez mais surgiam obras emblemáticas como a Torre Eiffel, ou mesmo a criação do trem, o veículo de transporte de carga e passageiros mais DE eficiente da época. NesteEFEITO mesmo CONTRÁRIO. século, iniciou-se PROIBIÇÃO CANUDO CRIA o uso do famoso extremamente utilizado, concreto armado, Disponível em e ainda :<https://trcsustentavel.com.br/proibicao-deque fora aprimorado e tornou-se usual em no século canudo-cria-efeito-contrario/> Acesso 19 Jan.seguinte. 2019. A sociedade anterior com seu perfil voltado à utilização de matérias simples como a madeira, barro e pedras mudara irreversivelROGERS, Richard. Cidades para um pelo pequeno São Paulo: mente. O novo mundo influenciado aço planeta. trouxe consigo uma


105 Gustavo Gili, 2005.

SILVA, Geraldo Gomes da. Arquitetura do Ferro no Brasil. Austin: Nobel, 1988.


2019 Breno Augusto Valentim

BAIRRO PERMEÁVEL BAIRRO PERMEÁVEL Proposta�de�conexão�verde�urbana

Proposta de conexão verde urbana

2019

Breno Augusto Valentim

Profile for Breno Valentim

BAIRRO PERMEAVEL: PROPOSTA DE CONEXÃO VERDE URBANA.  

BAIRRO PERMEAVEL: PROPOSTA DE CONEXÃO VERDE URBANA.  

Advertisement