__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

2021 - V. 14 | N.86

Vencedora NE Ethnic Newswire Award 2008 Press Award 2010 | 2011 2012 | 2013

ICE limitado Decisão federal impede que Imigração prenda indocumentados próximos ou dentro das Cortes

Artes & Estilo de Vida Verão esquenta as turbinas no Cape Cod

Pensando em Nossos Dias Não acredito que este vírus vai acabar

BM in English

State sues orthodontist for illegally charging MassHealth patients


Direto da Redação

Expediente

Co-Editores Marcony Almeida & Mark Puleo Repórter Especial em Nova York - Guest Writer Manoela Maia McGovern Repórter Especial & Coordenador de Eventos - Guest Writer Fabiano Latham Colunistas Eduardo Siqueira Heloísa Galvão Zenita Almeida Elisa Tristan-Cheever Martha Vasconcellos Direção de Arte, Ilustrações e Publicidade Cícero Rodrigues

A Brazilian Magazine é uma publicação da empresa The Brazilian Journal, INC. Os artigos assinados não refletem necessariamente a opinião da Brazilian Magazine, sendo inteiramente de responsabilidade de seus autores. OPINE A Brazilian Magazine quer muito saber sua opinião. Envie comentários com nome completo e pelo menos duas formas de contato (telefone, e-mail, endereço) para The Brazilian Journal Magazine, P.O. Box 490543, Everett, MA 02149. Ou envie e-mail para: info@brazilianmagazine.net

brazilianmagazine.net /brazilianmag @brazilianmag brazilianmagazine DIRETÓRIO BM Redação, publicidade e anúncios: 617-388-2865 / 617-417-6587 Advertisement & Press Room

2021 - Nº 86

Parado(a) pela polícia ao volante, preso(a) e aparecendo na Corte perante o juiz. A cena parece até ficção mas é realidade na vida de muitos brasileiros que dirigem sem carteira de motorista. O problema é maior ainda quando tem que comparecer à Corte, local onde muitas vezes os agentes federais da Imigração podem estar aguardando de surpresa. Mas agora, com um novo Presidente pró-imigrante no poder em Washington D.C., esse risco já não deve acontecer. Uma nova ordem emitida pelo Departamento de Segurança Interna dos EUA (DHS) limita os poderes do Immigration and Customs Enforcement (ICE) de prender imigrantes indocumentados na Cortes estaduais, enquanto tentam resolver outras possíveis violações. A matéria do repórter Fabiano Latham traz todos os detalhes. Confira! E o COVID-19? Foi mesmo embora? A jornalista e colunista Heloísa Galvão, na coluna Pensando em Nossos Dias, não acredita que estamos livres dessa pandemia, e ela tem razão. E com a chegada do verão, mesmo diminuindo as infecções pelo COVID-19, a gente não pode esquecer que outras doenças costumeiras nessa temporada podem voltar a nos atingir se “baixarmos a guarda”. Confira os cuidados que precisamos ter na coluna É bom saber, com a Dra. Elisa Tristan-Cheever. E por falar em verão, esta edição está super aquecida igual a temporada com dicas maravilhosas de como aproveitar o calor na região do Cape Cod. Confira na matéria da editoria Artes & Estilo de Vida. E por falar em verão, como ficará o comércio e a economia com a reabertura? A matéria da editoria Comunidade traz curiosidades sobre o “novo normal” na economia de Massachusetts. E não poderia faltar o recado do professor Eduardo Siqueira em sua coluna Trocando em Miúdos. Eduardo traz um alerta para aqueles que ainda rejeitam tomar a dose da vacina contra o COVID-19. Você é um deles? Confere lá. Todos os textos foram preparados com a emoção do verão. Agora, leva para a praia, relaxa, e tenha uma ótima leitura! Acompanhe ainda as notícias online no www. brazilianmagazine.net, e nas nossas mídias sociais pelo Facebook, Twitter e Instagram. And don’t forget to check the section BM in English!

Nesta edição 4 e 5 Especial ICE limitado 6 É Bom Saber… Preparados, mesmo, pro verão? 8 e 9 Comunidade: Economia de olho no novo normal 10 Pensando em Nossos Dias… Não acredito que este vírus vai acabar 11 Trocando em Miúdos Vacina no braço, comida no prato 13 e 14 Artes & Estilo de Vida Verão esquenta as turbinas no Cape Cod 15 BM in English State sues orthodontist for illegally charging MassHealth patients

Imagens que ilustram a capa e as matérias: freepik.com

Marcony Almeida & Mark Puleo

Brazilian Magazine | 3


ESPECIAL | Fabiano Latham

ICE limitado Decisão federal impede que Imigração prenda indocumentados próximos ou dentro das Cortes, o que ajuda a afastar o medo de comparecer às audiências, ampliando o direito de defesa

U

ma promessa de campanha do Mais uma ação da administração do Presidente Joe Biden pode

4 | Brazilian Magazine

ser considerada positiva para os imigrantes, pelo menos no aspecto de trazer um pouco mais de justiça. No mês passado, o Secretário de Segurança Interna, Alejandro N. Mayorkas, ordenou que o Departamento de Imigração e Alfândega dos Estados Unidos (ICE) e a Alfândega e Proteção de Fronteiras dos Estados Unidos (CBP) apliquem novos limites nas ações da Imigração dentro ou próximas das Cortes. A orientação é para que as prisões ocorram somente em certas circunstâncias (veja quadro nesta reportagem). O objetivo, segundo o comunicado emitido pelo órgão, é preservar o acesso às Cortes de forma mais justa e evitar que testemunhas deixem de comparecer às audiências por medo de prisão e de-

portação. Durante o governo anterior, a ação do ICE foi ampliada e as prisões podiam ocorrer sem critérios específicos, mesmo que uma testemunha fosse considerada chave para um processo, como nos casos de violência, por exemplo. A nova medida é bem recebida por advogados de imigração e entidades que defendem os diretos dos indocumentados. Com a garantia de que podem comparecer às audiências sem serem levadas pelo ICE, as pessoas que têm pendências na justiça agora poderão fazer sua parte, ampliando as possibilidades de defesa. A advogada Rafaela Garreta, de Medford MA, é uma das que é totalmente a favor de que o ICE não prenda da forma como estava sendo feito. “A grande vantagem desta decisão federal é garantir 2021 - Nº 86


que as pessoas estejam protegidas”, diz Rafaela. Ela cita como exemplo, o caso de uma garota menor de idade que sofreu abuso sexual, mas por medo de ter contato com a polícia e futuras audiências, a família acabou não reportando o crime. O mesmo acontece com situações de violência doméstica. “Com medo da Imigração, muitas mulheres não reportavam o abuso que sofriam de seus parceiros”, afirma a advogada. A advogada Lizz Cannon também concorda que a nova medida trará benefícios. “Posso dizer que isso vai ajudar muito no sentido de criar uma sociedade mais segura. Muitos estados estavam ajudando a Imigração a prender pessoas culpados de crimes menores, por isso os imigrantes evitavam ir à corte. O pior é que o ICE estava gastando horas com estes tipos de casos em vez de perseguir criminosos mais perigosos”, ressaltou Lizz.

Para ter certeza de que a orientação será cumprida, será exigido que todos os funcionários sejam treinados anualmente nesta nova política. ICE e CBP também deverão fornecer relatórios ao

Secretário Mayorkas e ao Escritório do DHS para Direitos Civis e Liberdades Civis, com detalhes das ações da Imigração planejadas ou executadas dentro ou perto de Tribunais.

Boa iniciativa, mas solução precisa ser mais abrangente

Q

uem também aprova a recente decisão federal é a MIRA (Massachusetts Immigrant and Refugee Advocacy Coalition). Para o porta-voz da entidade, Daniel Augusto Pereira, esta orientação, assim como outros anúncios recentes do DHS e do Governo Biden, são um bom começo. “O acesso justo, seguro e irrestrito ao sistema judicial é um pilar da nossa sociedade civil. A ação do ICE nos tribunais teve um efeito negativo significativo na possibilidade dos imigrantes de exercerem esses

2021 - Nº 86

direitos. A MIRA aplaude a decisão e a vê como um sinal de esperança de que as condições continuarão a melhorar para os imigrantes e refugiados nos EUA. Mas é preciso que Biden e

o Congresso entendam que esses são bons primeiros passos, não uma solução abrangente”, disse. Acredita-se que a nova decisão ajudará os imigrantes que precisam comparecer à justiça, mas ainda levará um tempo para desfazer os danos causados ​​pela administração Trump. As ações de fiscalização e o abuso de autoridade ampliaram o medo em comunidades de imigrantes. “É por isso que a MIRA apoia fortemente o projeto de lei de Comunidades Seguras (SCA), patrocinada pelo Senador Eldridge e pelos deputados Balser e Miranda na Câmara Estadual de Massachusetts”, ressaltou Pereira.

A Imigração pode agir dentro ou perto de uma Corte apenas em casos como: - Questão de segurança nacional - Risco iminente de morte, violência ou dano físico a qualquer pessoa - Perseguição de uma pessoa que representa ameaça à segurança pública - Risco de destruição de provas de um caso criminal. - Agir contra ameaças à segurança pública na ausência de perseguição

Brazilian Magazine | 5


É bom saber…

Dra. Elisa Tristan-Cheever

Preparados, mesmo, pro verão?

Estamos com um pezinho no verão! Após tantos meses de contenção devido ao coronavírus, e apesar das conversas girarem em torno de como voltar a conviver com outras pessoas e o uso ou não de máscaras, temos também que nos preparar para algumas doenças que acontecem neste tempo mais quente.

U

ma, que com certeza todos sentiram em algum momento da vida, é a famosa indigestão ou problemas devido a comida estragada. A presença de intoxicação alimentar é muito presente nessa época pois o calor favorece o crescimento mais rápido de bactérias. As atividades ao ar livre e o comer fora de casa nos tornam mais predispostos a ter contato com alimentos que talvez não estejam em condições adequadas e que acabam nos proprocionando diarréia ou vómitos. Pode também ser aquela maionese que você deixou fora da geladeira para acompanhar o churrasco, ou quem sabe, aquela comidinha que foi guardada para depois, mas não armazenada corretamente. Muitos casos dessa natureza vão melhorando por si próprios, mas quando temos uma febre alta, sinais de desidratação ou a pessoa começa a notar que a diarréia está durando muito, mais de três dias, é hora de 6 | Brazilian Magazine

falar com o médico. A presença de sangue nas fezes também deve ser relatado ao profissional de saúde, e se você ou seus familiares têm alguma comorbidade, faz uso de medicação ou no caso de crianças e idosos, todo cuidado é pouco e temos que manter observação de perto. A velha mensagem que ouvimos tantas vezes para o coronavírus volta à nossa discussão: lavar as mãos sempre! Isso ajuda a diminuir o risco de adoecer e ingerir algo contaminado. Outra coisa para ter cuidado seria ao cortar, evitar misturar a carne crua com a carne pronta. Separe a carne do seu churrasco enquanto você está temperando e grelhando a mesma. Ou seja, preste atenção, cada carne no seu lugar. E não a manusei sem estar de mãos lavadas. Tome bastante líquido. Lembre-se que quando falamos de líquido nos referimos principalmente a água. Entende-se que no calor o que vem à

mente é uma cervejinha gelada e refrigerantes/sucos. Opte por se hidratar bem e diminuir o consumo de calorias vazias. Principalmente se comeu algo que lhe causou alterações intestinais, tome bastante água. Quando esses desarranjos intestinais acontecem com crianças usa-se aqui nos EUA o que chamam de dieta BRAT (Banana, Rice, Apple Sauce, Toast). Três desses alimentos são velhos conhecidos de todos, e são ótimos para adultos com diarréia também. E mais, nada açucarado deve ser oferecido à criança alem de lembrar que o leite pode até aumentar a diarréia. O importante, novamente, é tomar água! Às vezes incomoda as mães a criança parar de se alimentar. Vale a pena pensar que dessa maneira está sendo dado um descanso para o estômago se recuperar mais. De novo, água é o principal! Quando se fala de desidratação não se deve pensar que está somente relacionada a uma diarréia provocada por algo que se comeu. No caso da pessoa ser exposta à altas temperaturas ou se está fazendo exercícios, jogando uma pelada ou se espreguiçando ao sol, se não forem tomadas precauções o tempo, que seria de lazer, poderia se tornar uma situação problemática. Hidratação tem que estar no seu vocabulário e não através de bebidas alcoólicas. Que fique na sua memória que água e alimentos leves são sinônimos de verão. E nunca esqueça de outra regrinha, ensine a seus filhos e seja um modelo sobre a higiene das mãos pois lavar as mãos também “salva vidas”. 2021 - Nº 86


CHA Cambridge hospital CHA Everett Hospital

Reconhecidos pela qualidade e segurança

GR21_171


Comunidade | Fabiano Latham

Economia de olho no novo normal Com o fim das restrições e do uso obrigatório de máscaras em Massachusetts, empresários e comerciantes brasileiros estão animados para a retomada da economia Foram 15 meses de incertezas e reviravoltas, mas finalmente, uma nova fase parece estar começando. A pandemia da COVID-19, que obrigou business de todas as áreas a restringirem ou até encerrarem suas atividades, está dando uma trégua em Massachusetts, com as recentes medidas anunciadas pelo governador Charles Baker. Desde 29 de Maio, foram suspensas as restrições de capacidade de espaços como restaurantes e lojas, além da permissão de retorno de eventos e do fim da obrigatoriedade do uso de máscaras. As mudanças têm animado empresários e comerciantes brasileiros, que já estão vivendo o chamado “novo normal”. Isso porque os estabelecimentos ainda têm a prerrogativa de exigir o uso de máscaras para clientes não vacinados, bem como solicitar o cartão de vacinação para eventos com aglomeração, por exemplo. Mas os requisitos não são nada complicados, se comparados aos períodos de alta incidência de infecções e mortes causadas pelo coronavírus. Na comunidade brasileira, as expectativas são as melhores possíveis. Um dos termômetros dessa “retomada da economia” foi a primeira reunião presencial da CDLE/USA (Câmara dos Dirigentes Lojistas e Empreendedores 8 | Brazilian Magazine

dos Estados Unidos) no início de Junho. Durante mais de um ano, todas

as atividades ocorreram virtualmente, mas a partir de agora os eventos pas2021 - Nº 86


Cristiano Jarbas, real estate: “Muitas oportunidades estão surgindo”

sam a ser presenciais novamente. “Esse networking presencial ajuda muito a fomentar os negócios. Todos estão buscando maneiras se adaptar à nova realidade”, afirma Simone Mocelin, presidente da entidade. Para a reunião eram esperadas 30 pessoas, mas o evento registrou o dobro de participantes. De acordo com Simone, novos empreendedores estão se associando, entusiasmados em ampliar seus negócios. “Há pessoas investindo em diferentes ‘business’ na comunidade, como uma nova loja de móveis, um pet shop e prestadores de serviços, o que mostra que o potencial do momento”, afirma. Para dinamizar a estimular os comerciantes, a CDLE criou cinco distritais em diferentes regiões de Massachusetts: Grande Boston, Marlboro, Worcester, Framingham e Martha’s Vineyard. A intenção é que com mais possibilidades de locais e dias para as reuniões, os comerciantes possam trocar ideias, fazer parcerias e obter informações úteis para incrementar seus negócios. Atendimento adaptado A área de prestação de serviços também vê uma retomada, embora 2021 - Nº 86

Simone Mocelin, da CDLE: “Reuniões presenciais estimulam novos negócios”

A esteticista Gisele Matos: “Continuamos a usar máscaras para que os clientes se sintam seguros”

a vacina”, conta Gisele. Ela diz que as expectativas para o setor de estética são as melhores possíveis, pois as pessoas usaram máscaras por muito tempo e agora querem voltar a se cuidar para os eventos sociais e em família. Novos nichos de mercado

em algumas situações, a adaptação dos protocolos de atendimento seja uma necessidade. É o caso da esteticista Gisele Mattos, por exemplo, proprietária de um spa de beleza em Everett (MA). Depois de um bom período de restrições rígidas, a clientela voltou a lotar a agenda. “Precisamos continuar a usar máscaras para que os clientes se sintam seguros, mas não precisamos mais exigem que eles façam o mesmo, a menos que ainda não tenham tomado

Se para a maioria a pandemia trouxe prejuízos, para algumas áreas as restrições acabaram contribuindo, de alguma maneira. Esta é a opinião do agente de real estate Cristiano Jarbas, de Marlborough (MA). Durante o último ano ele viu o aumento no interesse das pessoas em investir na casa própria, principalmente por causa da necessidade de trabalhar no sistema de home office. “A demanda cresceu como nunca na pandemia. E outras questões influenciaram, como por exemplo juros historicamente baixos, fazendo valer a pena sair do aluguel”, observa Jarbas. Sobre o novo momento econômico, ele também está confiante em fazer bons negócios: “Li que a economia americana vive uma das retomadas pós-crise mais rápidas da história do País. Muitas oportunidades estão surgindo”, afirma. Brazilian Magazine | 9


Pensando em Nossos Dias

Heloísa Galvão Jornalista e Diretora-Executiva do Grupo Mulher Brasileira

Não acredito que este vírus vai acabar

Eu sinceramente não acredito que este vírus vai acabar. Falta vontade e falta entendimento. Em minha primeira viagem de metrô em 18 meses, fiquei espantada com o número de pessoas sem máscara e ninguém por perto para chamar a atenção dos negacionistas.

N

o aeroporto, a mesma coisa, até um state police entrou sem máscara, que só tirou do bolso quando entrou na segurança. Vi um segurança mandar um rapaz sair da fila porque estava sem máscara. Quase bati palma, mas minha alegria durou pouco. Na fila para passar na segurança, várias pessoas desceram a máscara para o pescoço e ninguém falou nada. Muito frustrante. Penso que algumas pessoas que lerem esta coluna vão pensar: “Mas você não está vacinada? Não dizem que quem está vacinada pode andar sem máscara?” Verdade. Tanto o CDC - Centro de Controle de Doenças - como o governador Baker liberaram a máscara em ambientes

10 | Brazilian Magazine

externos e alguns internos. Eu não concordo, acho um risco grande porque os vacinados e os não-vacinados não são identificados. Eu não sei se a pessoa ao meu lado no metrô, no aeroporto ou no supermercado, está vacinada. De qualquer maneira, nem o CDC nem o governador liberaram a máscara em transportes públicos e privados. O que eu noto é uma total falta de interesse em chamar a atenção de quem desrespeita a regulamentação. O vírus deve estar comemorando essa rebeldia e nós vamos saber em alguns meses se a liberação foi precipitada ou não. Como eu não quero apostar para ver, prefiro continuar com a minha máscara e ficar longe de quem paga para ver.

É a mesma coisa com a vacina. Tem estado norte-americano em que nem 30% da população foi vacinada. No Mississipi, por exemplo, apenas 28% da população havia recebidos duas doses da vacina na primeira semana de junho. No Alabama, 29% e na Georgia, 32%. Massachusetts tem 57% da população totalmente vacinada e 68% com apenas uma dose. Portanto, quando Baker diz que 70% da população do estado já se vacinou, na realidade ele está se referindo aquelas pessoas que já tomaram a primeira dose. E sabemos que são preciso duas doses e mais 14 dias para a imunidade que é grande mas não é 100% começar a fazer efeito. Existe muita resistência em determinados grupos. Os afros-americanos, por exemplo, com toda razão, duvidam do governo e das autoridades pois aprenderam que são vistos mais como cobaias do que como seres humanos. Não tiro a razão dessas pessoas. Outro grupo que resiste são os norte-americanos brancos, negacionistas e trampistas. Fazer o quê? Durante mais de quatro anos o país tolerou os atos criminosos desse senhor. Do mesmo jeito que no Brasil muitos políticos, empresários e 30% da população engolem coniventes as mentiras genocidas do ocupante do Palácio do Planalto. Quem cala, consente e quem consente é tão culpado quanto o genocida no poder. 2021 - Nº 86


Trocando em Miúdos

Eduardo Siqueira *Professor Associado - College of Public and Community Service (CPCS) - UMass Boston

Vacina no braço, comida no prato

A vacinação em Massachusetts segue avançando e o número de residentes susceptíveis a adoecer gravemente da COVID-19 ou falecer está bem próximo de zero, de acordo com dados da segunda semana de junho. O número de casos de COVID-19 no estado também tem diminuído substancialmente, chegando a perto de 100 no mesmo período. A percentagem de residentes vacinados com pelo menos 1 dose de qualquer vacina em Massachusettes atingiu 67% em 9 de junho, enquanto em New Hampshire era cerca de 61%, em Connecticut cerca de 65%, em Rhode Island cerca de 62%, em Maine quase 65.5 % e em Vermont cerca de 72%. Nos EUA era 54%.

L

ogo, estamos agora vendo um farol no fim do túnel na Nova Inglaterra, já que com o atual ritmo de vacinação em todos os estados da região os números se aproximam do que é considerado necessário para se obter a imunidade coletiva, isto é, cerca de 70-75 % da população completamente vacinada. Por outro lado, a reabertura do setor de serviços da economia a partir de maio-junho trouxe de volta a comida no prato para muitos brasileiros que estavam desempregados ou com pouco trabalho. Provavelmente os brasileiros terão mais grana no bolso nos próximos meses. Porém, infelizmente a distribuição das vacinas entre as diferentes raças e etnias segue desigual, repetindo o mesmo padrão observado em relação aos casos e óbitos por COVID-19. Os negros e latinos proporcionalmente tiveram muito mais casos e óbitos que os brancos durante toda a pandemia. Quando a produção e disponibilidade de vacinas deixou de ser um problema a partir de abril deste ano, ainda assim elas não chegaram nos braços dos que mais sofreram com a doença. 2021 - Nº 86

Embora existam limitações nos dados disponíveis em relação a identificação racial/étnica dos vacinados, segundo as estatísticas compiladas pela Fundação da Família Keiser (kff.org) os brancos receberam em torno de 30 a 40% mais vacinas no estado do que os latinos e negros, respectivamente, até o fim da primeira semana de junho. Além disto, enquanto os latinos são 12% da população em Massachusetts, receberam 9% das doses de vacinas. A vacinação da população latina em algumas cidades como Lawrence, Springfield, e Worcester não anda bem e está claro que os braços dos latinos não receberam vacinas na velocidade necessária para reduzir a transmissão do coronavirus nessas cidades. E os brasileiros? Qual a percentagem de brasileiros que já foram vacinados? Como os dados disponíveis não identificam os brasileiros adequadamente, a melhor hipótese é que ou foram incluídos junto com os latinos ou não foram identificados de nenhuma forma. Considerando que os brasileiros residem em quase todas as cidades no estado, é muito difícil estimar se a maioria já foi vacinada ou não.

Sabemos que tanto o Centro do Trabalhador Brasileiro (CTB), quanto o Grupo Mulher Brasileira fizeram parcerias com centros comunitários de saúde em Boston para oferecer vacinas a partir de maio. Por outro lado, também é sabido que muitos brasileiros tem receio das vacinas ou ainda não tem acesso fácil aos locais onde a vacinação ocorre. De qualquer maneira, os governos de Massachusetts têm que facilitar e expandir o acesso à vacinas em todas as cidades onde grande número de imigrantes mora, seja aumentando o número de locais de vacinação, como igrejas, metrô ou estações de ônibus, seja mudando o horário de funcionamento das clínicas, ou mesmo contratando membros da comunidade de confiança das comunidades para vaciná-los ou informá-los sobre as vacinas. No caso dos brasileiros, melhor ainda seria oferecer vacinas visitando os domicílios dos imigrantes brasileiros depois de esclarecimento sobre a total separação entre vacinação e ameaças de deportação ou prisão de imigrantes indocumentados. Afinal de contas, a vacina tem que estar onde o povo está, parafraseando o cantor Milton Nascimento. Caso contrário, o coronavirus continuará circulando na comunidade brasileira e infectando todos aqueles que entrem em contato com pessoas não vacinadas nos transportes públicos, nas lojas, nas residências, ou nas escolas. A desigualdade na vacinação exige esforços urgentes dos governos estaduais e municipais para vacinar todos os que queiram. Dinheiro para isto não falta. O que falta é dar recursos para que os líderes da comunidade brasileira possam organizar uma campanha massiva de vacinação como o Brasil sempre soube fazer. Está mais do que na hora! Brazilian Magazine | 11


Artes & Estilo de Vida | Fabiano Latham

Verão esquenta as turbinas no Cape Cod Altas taxas de vacinação animam as expectativas para o retorno de uma temporada vibrante Um dos destinos de férias mais disputados na Nova Inglaterra, o Cape Cod espera retomar este ano a movimentação típica de suas praias, restaurantes e eventos. Com altas taxas de vacinação, as autoridades estão otimistas em relação ao turismo neste Verão.

O

Cape Cod e as ilhas estão sendo considerados como destinos seguros para os visitantes e trabalhadores. De acordo com o Senador Julian Cyr, representante da região, mais residentes em Cape Cod receberam a vacina contra a COVID-19 do que quase qualquer outra parte do Estado de Massachusetts. “Como resultado, este é um 2021 - Nº 86

dos destinos turísticos mais seguros do mundo. As vacinas são seguras, eficazes e evitam que as pessoas morram ou tenham de ir ao hospital. As vacinas são a razão pela qual este Verão será mais seguro do que a temporada passada e são o motivo pelo qual mais eventos presenciais podem ser desfrutados”, disse Cyr em entrevista à Brazilian Magazine.

Mesmo com este cenário positivo, as autoridades continuam recomendando que os turistas levem máscaras, pois os estabelecimentos comerciais poderão pedir que a cobertura facial seja usada para a segurança de clientes e trabalhadores. Outra dica importante é ter o comprovante de vacinação, já que locais de festas com grande número de Brazilian Magazine | 13


Artes & Estilo de Vida participantes também podem requerer a prova de imunização. “Vacine-se se ainda não o fez, pois as vacinas são gratuitas e estão amplamente disponíveis. Sou muito grato a todos os que já fizeram sua parte e estão imunizados”, recomenda o Senador, que também faz parte de uma Força-Tarefa contra a COVID-19 no Cape Cod. Como consequência da suspensão da maioria das restrições impostadas pela pandemia, vários eventos presenciais estão previstos para esta temporada. Veja nesta página algumas opções selecionadas pela Brazilian Magazine. PROGRAME-SE

A Brazilian Magazine selecionou os principais eventos que estão programados para o Verão 2021 do Cape Cod Liga de Beisebol de Cape Cod (Cape-Wide)

Diariamente até 3 de Agosto Esta é a principal liga de beisebol amador do país desde 1885. Entrada gratuita. Informações: www.capecodbaseball.org

Barnstable County Fair (Falmouth)

De 19 a 25 de Julho A Feira do Condado de Barnstable é uma tradição familiar anual no Cape Cod há quase 175 anos. Programação tem shows de animais, horticultura, passeios, jogos, música ao vivo e artes. Informações: www.capecodfairgrounds. com/events/barnstable-county-fair

Carnival Week (Provincetown)

Dias 15 e 21 de Agosto Muita festa, fantasias selvagens e um desfile colorido pela rua principal na época de Carnaval em P-Town. Mais informações: www.weneedavacation. com/events/carnival-week-in-provincetown

Provincetown Jazz Festival (Provincetown)

Dias 2 e 16 de Agosto Dos sons suaves de Duke Ellington aos de

Dias 10 e 11 de Julho e 7 e 8 de Agosto Visite 120 estandes de arte e artesanato de alta qualidade. Espaço para crianças para pinturas faciais e artesanato. Mais informações: www.castleberryfairs. com/event-calendar-2021 Dias 21 e 22 de Agosto Mostra reúne mais de 100 talentosos artesãos. Evento vai celebrar 50 anos com muita inspiração artística, diálogos e aprendizados, com todos os prazeres de um festival de verão. Mais informações: www.craftfestcotuit.com

O festival mais antigo de Cape Cod promover o trabalho de cineastas independentes da Nova Inglaterra. Programação tem documentários, curtas e animações, além de festas à beira mar. Mais informações: www.woodsholefilmfestival.org

Downtown Plymouth Waterfront Festival (Plymouth)

Dia 28 de Agosto Mais de 230 estandes de artesãos, vendedores de alimentos, dois palcos de música ao vivo, salão de automóveis e atividades infantis. Entrada gratuita. Mais informações: www.plymouthwaterfrontfestival.com

Pops By The Sea (Hyannis)

14 | Brazilian Magazine

Festival of the Arts (Chase Park, Chatham)

CraftFest Cotuit (Cotuit)

Woods Hole Film Festival (Woods Hole) De 31 de Julho a 7 de Agosto

Dia 15 de Agosto O concerto “Pops by the Sea” é o maior evento cultural de Cape Cod e acontece há 35 anos. Já recebeu desde a Boston Pops Esplanade Orchestra ao Hyannis Village Green.

Miles Davis, o Festival Anual de Jazz de Provincetown é o único do gênero no Cape Cod. Mais informações: www.provincetownjazzfestival.org/schedule

Senador Julian Cyr: “As vacinas são a razão para um Verão mais seguro e com eventos presenciais”

FONTE: www.weneedavacation.com/blog/ cape-cod-events

2021 - Nº 86


BM IN ENGLISH |

State sues orthodontist for illegally charging MassHealth patients for missed or cancelled appointments Attorney General Maura Healey’s Office filed an amended lawsuit against an orthodontist for allegedly illegally charging MassHealth patients for missed or cancelled appointments. The new claims were added to a lawsuit already filed against the orthodontist for fraudulently submitting millions of dollars in false claims to MassHealth, including by keeping children in braces for longer than medically necessary and fraudulently billing for mouth guards. The AG’s Office filed the amended lawsuit in Suffolk Superior Court on Monday against Dr. Mouhab Z. Rizkallah, DDS and two companies— Dr. Mouhab Z. Rizkallah DDS MSD PC and The Braces Place of Lawrence LLC—through which he owns and operates six orthodontic practices in Massachusetts. Dr. Rizkallah operates six orthodontic practices that currently do business as “The Braces Place,” with locations in Somerville, Boston, Lawrence, Lowell, Framingham, and Lynn. The AG’s Office began an investigation after receiving a complaint from a patient’s guardian. The AG’s amended complaint adds claims that Dr. Rizkallah and his orthodontic practices charged 2021 - Nº 86

Freepik

MassHealth members for missed or cancelled appointments, in violation of MassHealth and federal regulations. As part of its investigation, the AG’s Office determined that the defendants required MassHealth patients to sign a “MassHealth Treatment Contract” in which the patients agreed to a minimum $20 fee for missed or cancelled appointments and for appointments rescheduled on less than 24 hours’ notice. Dr. Rizkallah and his orthodontic practices allegedly charged and collected such fees consistent with those contracts. Under MassHealth regulations, providers are prohibited from charging MassHealth patients out-of-pocket fees for covered services, including any costs associated with appointments that patients are unable to make. The AG’s Office alleges that since November 2013, the defendants

instituted a series of illegal policies and practices with the intent to defraud MassHealth. The AG’s original and amended complaints allege that Dr. Rizkallah instituted various practices to increase the amount of money collected from MassHealth, regardless of whether the services were medically necessary. The AG’s original lawsuit, filed in February 2021, alleges that Dr. Rizkallah allegedly kept his MassHealth patients, mostly children, in braces longer than medically necessary so he could bill MassHealth for more money. The AG’s lawsuit further alleges that the defendants instituted a practice of fraudulently billing MassHealth for custom-fitted sports mouth guards for MassHealth members receiving comprehensive orthodontic treatment at Dr. Rizkallah’s practices. Brazilian Magazine | 15


Profile for Brazilian Magazine

Brazilian Magazine - issue 86  

Brazilian Magazine - issue 86  

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded