Page 1

2018 - V. 11 | N.70 Vencedora NE Ethnic Newswire Award 2008 Press Award 2010 | 2011 2012 | 2013

DÚVIDAS E APREENSÃO SOBRE AS NOVAS REGRAS PARA CARTEIRA DE MOTORISTA Documento, agora, só apresentando cidadania americana ou presença legal no país

Direto da Redação

Governo federal lança auditoria em empresas que contratam imigrantes

Pensando em Nossos Dias

Melhor marcar 7 de outubro e 6 de novembro no seu calendário

BM in English

Boston air pollution improving, report finds


Direto da Redação

EXPEDIENTE

Editor-chefe Marcony Almeida & Mark Puleo Repórter Especial – Guest Writer Flávio Perez Repórter Especial em Nova York - Guest Writer Manoela Maia McGovern Conselho Editorial Alvaro Lima, Eduardo Siqueira, Simone Elias Direção de Arte, Ilustrações e Publicidade Cícero Rodrigues

A Brazilian Magazine é uma publicação da empresa The Brazilian Journal, INC. Os artigos assinados não refletem necessariamente a opinião da Brazilian Magazine, sendo inteiramente de responsabilidade de seus autores. OPINE A Brazilian Magazine quer muito saber sua opinião. Envie comentários com nome completo e pelo menos duas formas de contato (telefone, e-mail, endereço) para The Brazilian Journal Magazine, P.O. Box 490543, Everett, MA 02149. Ou envie e-mail para: info@brazilianmagazine.net

brazilianmagazine.net /brazilianmag @brazilianmag brazilianmagazine DIRETÓRIO BM Redação, publicidade e anúncios: 617-388-2865 / 617-417-6587 Advertisement & Press Room

2018 - Nº 70

ATLAS é o novo sistema implantado na Register of Motor Vehicles (RMV) de Massachusetts para emitir as novas carteiras de motoristas e documentos de identidade para os residentes no estado. O sistema veio acertar em cheio a comunidade imigrante, como também todas as demais pessoas que residem no estado. O “ATLAS” agora exige que todo requerente a carteira de motorista mostre seu estado imigratório no país. Não importa se você é cidadão americano nascido aqui, se não tem passaporte, certidão de nascimento ou algum outro documento comprovando sua residência “legal” nos Estados Unidos, não há como ter acesso ao documento de identificação. Com as novas regras, imigrante e não-imigrantes estão confusos. E aqueles que já têm o documento mas não estão necessariamente legal no país vão poder renovar? A resposta veio diretamente da chefe-geral da RMV, em entrevista exclusiva para a Brazilian Magazine. Acompanhe a entrevista com Erin Deveny e tire suas dúvidas nas páginas especiais dessa edição. E tem muito mais para nossos leitores! Você lembra da famosa brasileira a ganhar o título de mulher mais bela do mundo? Martha Vasconcellos foi a última brasileira a vencer o concurso Miss Universo, em 1968, e continua linda e inteligente. Agora, ela é a nova colunista e blogueira da Brazilian Magazine. Acompanhe nessa edição e no nosso portal online a estreia da eterna Miss assinando a coluna Falando com Martha. Na coluna Pensando em Nossos Dias, a jornalista Heloísa Galvão traz um alerta importante sobre participação cívica do brasileiro nos Estados Unidos e no Brasil. Esse ano, os dois países terão eleições importantíssimas, e o nosso futuro tanto aqui como no Brasil está em jogo. Em É Bom Saber..., a Dra. Elisa escreve sobre um assunto extremamente sério, e de certo modo polêmico, sobre as brasileiras que estão “abusando” do sistema de saúde público americano apenas para terem filhos nascidos aqui. Em Trocando em Miúdos, o professor Eduardo Siqueira traz mais uma convidada a nos brindar com o importante tema da doença Zika e seu efeito direto na saúde de mães crianças. E a jornalista Zenita Almeida leva nossas leitores a refletir sobre amores e dores. Tem muito mais nessa edição preparada com todo empenho por nossa equipe, especialmente para você. Aproveite a leitura! E acompanhe também as notícias online no www. brazilianmagazine.net, e nas nossas mídias sociais pelo Facebook, Twitter e Instagram. And don’t forget to read our BM in English! Marcony Almeida & Mark Puleo

Nesta edição 4 e 5 Especial Novas regras para carteira de Massachusetts ainda causam dúvidas 6 Pensando em Nossos Dias Melhor marcar 7 de outubro e 6 de novembro no seu calendário 7 É bom saber: Isso é abuso do sistema 8 Palavras de Mulher Amores e dores 9 Trocando em Miúdos Como sobrevivem as mães das crianças com Zika? 10 Falando com Martha A Bela e a Fera 11 Direto da Redação Starbucks fechará mais de 8 mil lojas para treinamento obrigatório sobre racism 12 BM in English Boston air pollution improving, report finds 14 Artes & Estilo de Vida Nova York recebe exposição de Tarsila do Amaral

Brazilian Magazine | 3


ESPECIAL | Marcony Almeida

NOVAS REGRAS PARA CARTEIRA DE MASSACHUSETTS AINDA CAUSAM DÚVIDAS Documento, agora, só comprovando cidadania americana ou presença legal no país

4 | Brazilian Magazine

2018 - Nº 70


O

s escritórios da Register of Motor Vehicle em Massachusetts reabriram as portas no fim de março com um sistema totalmente novo de computação. A tecnologia moderna conhecida como ATLAS muda por completo o modo que consumidores utilizam os serviços do órgão público. Como tudo é muito novo, e existem dúvidas quanto as novas documentações exigidas para a emissão e renovação da carteira de motorista de Massachusetts, e outros documentos de identificação emitidos Pergunta Brazilian Magazine (BM) Leitor/internauta: A pessoa que não puder tirar seu Real ID vai poder registar seu carro, ou viajar com passaporte? Por que o estado de MA se mostra um estado santuário e até hoje não aprovou nada para os imigrantes, sendo que vários outros estados já aprovaram por exemplo a carteira de motorista? Responde Erin Deveny: Em relação a primeira pergunta, para registrar um veículo ou renovar o registro em Massachusetts é necessário apenas ter uma carteira de motorista, seja de Massachusetts, outro estado americano, ou de outro país. Então, mesmo os que não se qualificam para um Real ID poderão registrar veículos no estado. E o passaporte válido pode ser utilizado sim para viagens e acesso aos prédios públicos federais. Quanto a segunda pergunta do leitor, infelizmente não posso responder porque apenas os poderes legislativos (deputados e senadores) e o executivo (governador) podem responder. A RMV não faz leis, apenas segue as leis adotadas pelos legisladores. Pergunta BM Leitor/internauta: Quem tem carteira de motorista do Brasil válida vai poder registrar ou 2018 - Nº 70

pela RMV, além do registro de veículos, a Brazilian Magazine foi em busca das respostas para as dúvidas de nossos leitores com a chefe da RMV, a registrar Erin Deveny, responsável pela implementação do novo sistema e lei. Recebemos dezenas de perguntas de nossos leitores e internautas, inclusive muitas questões semelhantes. A editoria da BM sintetizou as perguntas que foram, então, respondidas pela própria Erin Deveny. Confira abaixo as peguntas e respostas:

renovar a registration? Responde: Sim, a lei estadual exige que o cliente tenha apenas uma carteira de motorista válida, seja de Massachusetts, de outro estado americano, ou de outro país, para registrar um veículo, ou renovar o registro em Massachusetts. No entanto, o documento precisa ser válido. Informações adicionais pelo nosso website http://www.massrmv. com/Registration/LawfulPresence RequirementforRegistration.aspx Pergunta BM Leitor/internauta: Quem tem só o social security e possui a carteira de motorista há anos, como fica? Erin Deveny: Aqueles que possuem o número válido do social security, mas não estão legalmente nos Estados Unidos, não poderão solicitar a carteira ou renovar pessoalmente. No entanto, se o cliente já tem o documento atualmente e ainda não renovou online através do nosso website (cada cliente pode renovar atualmente o documento online até duas vezes), pode fazê-lo mais uma vez, sem a necessidade de ir pessoalmente ao nosso escritório e renovar apresentando status imigratório. Mas da próxima vez que precisar ir pessoalmente à uma de nossas agências, deverá apresentar documentação

imigratória legal no país para renovar o documento. Pergunta BM Leitor/internauta: Será possível tirar carteira com I-20? Erin Deveny: Se o leitor estiver se referindo ao documento que gera o visto de estudante internacional F-1, a resposta é sim. Vistos de estudantes internacionais válidos continuarão com o direito de ter a carteira de motorista de Massachusetts. No entanto, a validade da carteira será de acordo com a validade do visto. Se o visto for válido por dois anos, a carteira será válida pelo mesmo tempo. O tempo mínimo de uma carteira de motorista a partir de agora será de 12 meses. Pergunta BM Leitor/internauta: Como os funcionários da RMV vão checar o status imigratório, já que são tantos que existem? Eles farão parceira com a Imigração? Erin Deveny: Nós não trabalharemos com funcionários do Departamento de Imigração. Os nossos funcionários usarão o Sistema eletrônico SAVE (Systematic Alien Verification for Entitlements) através do www. uscis.gov/save para checar a autenticidade dos documentos apresentados. Brazilian Magazine | 5


Pensando em Nossos Dias

Heloísa Galvão Jornalista e Diretora-Executiva do Grupo Mulher Brasileira

Melhor marcar 7 de outubro e 6 de novembro no seu calendário

Estamos há seis meses das eleições no Brasil e há sete meses das eleições nos Estados Unidos, e até o momento temos bem pouca informação sobre estes processos eleitorais, os candidatos e suas plataformas. No entanto, estas são duas das eleições mais importantes dos últimos anos. E nós brasileiras e brasileiros estamos em uma posição privilegiada porque muitos de nós podemos votar nos dois pleitos. E quem não pode votar, pode, com certeza, influenciar o voto. Quando o consulado do Brasil se instalou aqui em 1993, na primeira eleição para Presidente em que fomos convocadas a votar, havia talvez mil e poucos eleitores alistados. Hoje somos mais de 30 mil só em Massachusetts. Certamente podemos mudar o resultado de uma eleição. Como cidadãos norte-americanos, talvez sejamos 12 ou 15 mil eleitores no estado. Também um número expressivo. É provável que alguns de nós não te-

nha ainda entendido a dimensão exata do significado do voto e da importância de votarmos com responsabilidade. A minha geração, por exemplo, esperou quase 30 anos para votar porque quem ainda não era eleitora em 1960, data do último pleito direto antes do golpe militar de 1964, teve de esperar até 1989 quando o processo eleitoral foi restaurado no Brasil. Então eu acredito que para a minha geração que ficou 30 anos sem poder votar, comparecer às urnas

é não apenas um dever cívico mas um direito conquistado do qual não vamos abrir mão. O mundo inteiro passa um momento político dramático, podemos estar às portas de uma terceira guerra mundial, de uma guerra nuclear. O voto é o instrumento mais eficiente que temos para mudarmos o status quo. Brasil e Estados Unidos vivem um momento conturbado e perigosíssimo. Quem está no poder nestes dois países não tem o decoro, a dignidade, a hombridade, nem a responsabilidade cívica e social de um estadista. Os últimos meses são prova suficiente da falta de compromisso desses governantes. O futuro está nas mãos do povo, somente o povo pode mudar o curso da história e isso é feito através do voto e da luta dos movimentos sociais. Ao contrário das primeira e segunda guerras mundiais quando, com sorte, podia-se fugir para um país neutro, em uma Guerra nuclear nenhum abrigo subterrâneo nos protegerá para a vida inteira. Melhor marcar 7 de outubro e 6 de novembro no seu calendário.

O seu mais completo tratamento dentário, bem próximo à sua casa. Ligue agora e marque uma consulta, em português!

www.myperfectdental.com contact@myperfectdental.com

1-888-764-0414 6 | Brazilian Magazine

2018 - Nº 70


É bom saber…

Dra. Elisa Tristan-Cheever

Isso é abuso do sistema

A presença de celebridades em solo norte-americano não é um fato novo, como também algumas delas tornando-se mães neste país. Mas não para por aí. O que estamos começando a ver é a presença de mais brasileiras chegando aos Estados Unidos já grávidas, sonhando com um filho “americano”. E esta nova leva já está chegando ao estado de Massachusetts.

Até aí parece tudo bem. Na verdade, cada um tem o direito de buscar o melhor para si e para os seus familiares. Ainda mais com a situação brasileira instável. Muitas pessoas preferem correr o risco de aventurar-se vindo para os USA, buscando oportunidades. E, é claro, se já existe conexão com amigos e familiares, inicialmente esta vinda pode ser menos dolorosa ou pelo menos, mais planejada. Contudo, tem algumas que chegam aqui, mesmo tendo recursos no Brasil já querendo voltar. Em outras palavras, estão grávidas ou mesmo até prontas para ter o filho. O filho nasce e com pouco tempo estão retornando ao Brasil. Grávida, recebe seguro gratuito do governo, atenção de pré-natal e o parto. O bebê tem todos os direi2018 - Nº 70

tos de qualquer cidadão Americano... Com alguns meses, voam pra nossa terra tropical com número de social security e tudo. Você pode falar que cada um faz o que quer e se tem chance, que não a deixe escapar. E se voltou pro “Brasa” com tudo pro recém-nascido, melhor ainda. Concordo, cada um tem o livre arbítrio. Mas vamos analisar outra situação. O sujeito vive nesta terra por anos e anos. Ralou a vida inteira, de certa forma pagou alguns dos impostos e não teve como conseguir a mudança do seu estado imigratório. Ele adoece, precisa de cuidados especialíssimos, transplante e mais. Indocumentado e sem seguro? A coisa complica e a pessoa não recebe todo o tratamento necessário.

Você acha isso certo? Como você se sente quando tocamos neste assunto? Talvez ache que quem somos nós para julgar e decidir pelos outros. Ainda mais a nossa comunidade, que em muitas ocasiões se une para ajudar os conterrâneos. Porém, nem sempre isso acontece. O meu ponto hoje é outro. Como alguém chega, usufrui de atendimento médico do governo e se manda e quem merece mesmo, não consegue? Será que alguns brasileiros não se tocaram ainda que chega a um ponto que o abuso é reconhecido pelas autoridades, e que pelo erro de alguns todo mundo pode pagar o pato? Não é terrorismo, é desabafo, é alerta! Entendemos que queremos ajudar e quem já sabe como usar o labirinto do sistema de saúde americano pode auxiliar aos que estão iniciando, especialmente a um ente querido. De toda maneira, deve prevalecer a sabedoria e trazer para dar a luz em terras americanas quem realmente precisa. Isto é uma coisa. Quem está aqui tirando de outros, é algo diferente…. Cada um faz o que bem entender, mas não pense que não está sendo observado. Quem já não gosta de imigrante, vê isso como prato feito. Comunidade, não bote mais lenha na fogueira! Brazilian Magazine | 7


Palavras de Mulher

Zenita Almeida Jornalista e consultora em cerimonial e eventos

Amores e dores

Muitas mulheres mergulham de cabeça em relacionamentos amorosos sem levar em conta se a pessoa é mesmo boa para elas a longo prazo. Todos nós precisamos de alguém para amar, somos seres humanos sociais, precisamos de companhias sim, porém só devemos investir ou alimentar sentimentos que fortaleça nossas relações nos fazendo bem. Temos de superar o medo que existe por trás da acomodação ou do conformismo que nos impede de sonhar, de mudar, sobreviver e ser feliz. As estatísticas indicam que os números de violência contra a mulher são cada vez mais evidentes em toda parte do mundo, oriunda dos companheiros, maridos ou namorados. Basta observar os casos absurdos que assistimos diariamente através da mídia. São escolhas apressadas, erradas, atraídas pelo que é comum e não pelo que é raro. Viver sozinha não é o fim do mundo. Cuidar de nós mesmas é divertido, excitante e gratificante, e nenhum preço é alto demais quando se paga pelo privilégio de ser dona do seu nariz. Não existe tédio para quem tem inspiração quando o mundo oferece uma estrada infinita de oportunidades. Muitas mulheres vivem relacionamentos opressivos, doentio, acreditando em uma mudança 8 | Brazilian Magazine

que jamais existirá pela esperteza das promessas dos covardes que se aproveitam de quem se nega ao seu amor próprio e desconhece que a vida tem um significado maior do que ter um homem, e que sempre existirão outras pessoas, esperando apenas uma oportunidade, basta se mexer e ver o mundo de forma diferente. Ansiedade demasiada paralisa, amedronta, porque deixa vulnerável para o primeiro que surge como o príncipe, quando no futuro possa se tornar um sapo áspero, exalando de veneno. Existente um adágio que diz o seguinte: “tudo no começo é flores” e eu complemento: começa no jardim da ilusão e depois da aflição. Infelizmente um grande número de mulheres ainda se permite chorar, e ficar deprimida

quando seus relacionamentos fracassam, seja qual for o motivo. Do meu ponto de vista, isto foge totalmente ao mundo atual onde a mulher saiu da opressão machista de propriedade do homem. Mulher é como maçã na árvore, as melhores estão sempre no topo e não são fáceis de alcançar. Portanto, espere homens inteligentes, o suficiente para escalar até o topo da árvore.

Cuidar de nós mesmas é divertido, excitante e gratificante, e nenhum preço é alto demais quando se paga pelo privilégio de ser dona do seu nariz.

Um repórter perguntou ao bem-sucedido executivo Ricardo Semler, autor do livro “Virando a própria Mesa” o que ele mais admirava em uma mulher, ele respondeu: sua capacidade de se impor. Em tempos modernos onde o empoderamento feminino é tona da liberdade dos seus direitos, nada se justifica relacionamentos doentios, violentos e infernais. 2018 - Nº 70


Trocando em Miúdos

Eduardo Siqueira *Professor Associado - College of Public and Community Service (CPCS) - UMass Boston

A maioria das pessoas acham que a crise do Zika, primeiramente identificada pelo sistema de saúde do Brasil em 2015, já terminou. O governo brasileiro pronunciou o fim da crise em maio de 2017, cinco meses após anúncio similar da Organização Mundial da Saúde (OMS). O Zika é mais uma epidemia que chamou a atenção mundial, criou pânico temporário, e depois tudo parece ter voltado ao que era antes. Contudo, até setembro de 2017, 14.558 crianças podem ter sido acometidas pela síndrome congênita do Zika (SZC); essas crianças apresentam diferentes problemas neurológicos e graves problemas de crescimento e desenvolvimento. Os cuidadores diretos dessas crianças geralmente são suas mães e familiares, que fazem grande número de tarefas diariamente e se dedicam integralmente à criação delas, porque seus filhos têm necessidades especiais e um futuro incerto.  Muitas dessas crianças provavelmente precisarão de cuidados 2018 - Nº 70

Como sobrevivem as mães das crianças com Zika? especializados e caros por toda a vida. Algumas mães eram economicamente independentes antes, mas passaram a depender da ajuda do governo ou do salário dos maridos, se e quando esses têm emprego e não as abandonaram. Tal situação ocorre porque a epidemia do Zica atingiu áreas marcadas pela pobreza, falta de saneamento básico e com muitas carências estruturais, ou seja, muitas das famílias com crianças afetadas pela SZC moravam em condições precárias e tinham poucos recursos.  Apesar da ajuda do governo e de outros tipos de ajuda, muitas das mães que cuidam dos filhos com SZC têm vida muito difícil e reclamam que a resposta do governo não está correspondendo às suas necessidades, no que são apoiadas por várias organizações locais e internacionais de direitos humanos.  O alto custo dos medicamentos, assim como das comidas especiais e dos equipamentos médicos, que não são proporcionados pelo governo, resultam em grande peso no orçamento familiar. Porém, esses custos representam apenas os custos diretos. O Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas (PNUD) afirmou em estudo de 2017 que os custos indiretos da microcefalia, incluindo perda de renda, são seis vezes maiores do que a ajuda do governo. O mesmo estudo concluiu que a maioria dos custos será pago pela população que já é marginalizada, isto é, a economicamente menos privilegiada, os jovens, e as mães solteiras negras. As cuidadoras também sofrem grande perda pessoal. A alta demanda física de cuidar de uma criança com SZC tem feito que deixem outras ambições e relacionamentos para depois. Se o filho

morre, o que está acontecendo, o que essas mulheres vão fazer? Elas têm se dedicado tanto a estas crianças que não sabem viver sem elas. Até agora nenhuma das medidas providenciada pelo governo se direcionam especificamente para ajudar as mães ou apoiar seus direitos. Tudo, desde o transporte gratuito até o salário mínimo, tem sido calculado levando em consideração o mosquito ou os bebês infectados - não as mães. Ao contrário do que a mídia retrata sobre a SZC e a microcefalia como trágicas incapacidades, muitas mulheres não lamentam sua condição e inclusive consideram seus filhos uma benção de Deus. Existe necessidade de profunda resposta do governo para que os direitos dessas mulheres sejam preservados, incluindo as condições do meio ambiente, acesso à serviços de saúde e proteção social e financeira para viver e criar os filhos com dignidade. Pela forma como estão sendo tratadas, é evidente que as diferenças sócio-econômicas no Brasil favoreceram a expansão da epidemia e a complicaram. Enquanto novos casos de infecção por Zika estão por enquanto baixos e em declínio, famílias com SZC continuarão vivendo no anonimato no futuro. Com um transtorno das dimensões do SZC e sem a proteção social que lhes permitiria prosperar, pouco parece certo para essas famílias. Falou-se muito do mosquito, mas as mulheres e as crianças afetadas acabaram pagando o pato. Esse é o triste quadro atual do Zika no Brasil.

*Ana Rosa Linde, PhD, é Pesquisadora Visitante na UMass Boston.

Brazilian Magazine | 9


Falando com Martha

Martha Vasconcellos

Psicóloga, com Mestrado nos EUA, e Miss Universo 1968. Última brasileira a ganhar o título de mulher mais bela do mundo.

A Bela e a Fera

Como sabemos, existem muitas diferenças e nuances comportamentais nos seres humanos, dependendo dos valores que foram transmitidos pela família, escola, religião (igreja) e comunidade, que são combinadas com o resultado de experiências vivenciadas. Por esse motivo, acredito que somos humanos com sentimentos opostos: desejos bons e maus. Uma eterna divergência existe na nossa consciência que chamarei de A Bela e a Fera. Acredito que na Fera residem os impulsos primários para a sobrevivência, como as necessidades vitais básicas de fome e sede, e a busca pela satisfação dos desejos imediatos que caracterizam o impulso, como uma força constante. Queremos, como humanos, sentir a intensidade da satisfação dos nossos desejos, como uma pura e simples tendência da descarga da excitação, quebrando regras e vi-

10 | Brazilian Magazine

vendo as paixões para atingirmos os alvos ou objetivos. Vejo na Fera a violência, a agressividade, a crueldade e o sentimento de vingança. Para ajudar a domar a Fera, vem ao nosso socorro a Moral, como um “conjunto de regras de conduta ou hábitos julgados válidos, para qualquer tempo ou lugar, para grupo ou pessoa determinada” (Mini Dicionário Aurélio, Pg 322.) Também a Sublimação,

ou seja, a transformação dos impulsos maléficos em algo magnífico ou glorioso. Acredito que é pela dominação da Fera que conseguimos atingir a dimensão do outro humano. A Bela, penso que seria tudo que é agradável aos sentidos: boa, generosa, simpatética, aprazível, próspera, educada, e a que gosta de se exibir com essas qualidades. Tem um discurso calmo, sensato e apaziguador. A que nos mantém sensatos e convivíveis. A que nos livra de problemas familiares e sociais. Dito isso, vamos tentar manter a Fera sob controle, isso é, o máximo que a gente conseguir. Vamos tentar ser um novo sujeito a cada dia. Vamos tentar atingir sempre a dimensão do outro. Vamos tentar ser sempre A Bela!

2018 - Nº 70


A Brazilian Magazine está completando 11 anos. E nosso maior presente é você, nosso leitor e leitora! E para comemorar, vem aí o Brazilian Heroes 2018, um prêmio especial realizado

pela revista para homenagear aqueles que dedicam suas vidas em favor do próximo.

Conheça as heroínas brasileiras desse ano! Fernanda Rocha

Valeria do Vale

Ela dedica sua vida à sua e outras famílias com filhos com necessidades especiais

Sua missão é ajudar jovens indocumentados a ingressarem à universidade e se tornarem futuros líderes

Apoio: Law Office of Liz Cannon

11 Anos & Brazilian Heroes 2018

Immigration Law

Dia 11 de junho - 7pm Muqueca Restaurant 1008 Cambridge Street Cambridge, MA 02141 brazilianmagazine.net

/brazilianmag

@brazilianmag

brazilianmagazine


Direto da Redação

Marcony Almeida

Governo Trump exigirá históricos de mídias sociais, antes de aprovar vistos A administração de Donald Trump planeja exigir de todos os requerentes a vistos de entrada nos Estados Unidos um histórico dos últimos cinco anos de postagens em mídias sociais, de acordo com anúncio feito pelo Departamento de Estado Americano (State Department). O plano seria um novo requerimento, além dos já exigidos, para a emissão de vistos temporários ou residência permanente (Green Card) no país. As estimativas do governo é que a nova regra, ainda em fase de aprovação final, deve afetar cerca de 15 milhões de pessoas que solicitam vistos de entrada nos Estados Unidos, incluindo aqueles com processo de Green Card. Há exceções na nova exigência para aqueles diplomatas e vistos considerados oficiais. Mas a nova possível exigência não se limitará às comunicações em mídias sociais. O governo planeja ainda solicitar histórico de números de telefones, endereços de e-mail, qualquer violação anterior de leis de imigração no país, além de histórico familiar com possível envolvimento em atividades terroristas. As organizações de direitos civís já planejam uma “briga legal” na justiça, alegando que a rega fere a privacidade dos indivíduos. A admistração Trump, no entanto, diz que a exigência é necessária para a segurança interna dos Estados Unidos. A regra não pretende exigir senhas de usuários ou acesso às mídias sociais pelos funcionários de Imigração daqueles que entram no país, apesar da ideia ter sido cogitada anteriormente pelo governo. 12 | Brazilian Magazine

Starbucks fechará mais de 8 mil lojas para treinamento obrigatório sobre racismo O dono da rede de lojas Starbucks, Keving Johnson, anunciou que mais de oito mil lojas fecharão no dia 29 de maio para um treinamento mandatório sobre racismo para quase 175 mil funcionários ao redor dos Estados Unidos. A decisão é o resultado da revolta nacional de clientes afro-americanos após o gerente de uma loja da rede, em Philadelphia, no último dia 12 de abril, ter chamado a polícia para remover da loja dois clientes negros que estavam sentados no estabelecimento por algumas horas. A polícia prendeu os clientes à força, e o vídeo da prisão foi divulgado por milhares de pessoas na internet. “Fechar nossas lojas para treinamen-

to sobre racismo é apenas um passo do longo caminho necessário de todas as partes da nossa empresa para restabelecer parceria com as comunidades locais”, disse Johnson em nota à imprensa. O currículo do treinamento está sendo montado por advogados renomados no país, incluíndo o ex-Procurador Geral dos Estados Unidos na administração de Baracka Obama, o afro-americano Eric Holder. O dono do Starbucks viajou para Philadelphia e pediu desculpas pessoalmente aos dois clientes presos, e disse à imprensa que a atitude do gerente em chamar a polícia foi errada. O funcionário foi afastado e não mais trabalhará na loja.

Policiamento na Mass Pike deve acabar A polícia estadual de Massachusetts anunciou junto com o governador, Charlie Baker, que removerá os policiais que fazem patrulhamento da Mass Pike para outras áreas do estado, após recentes escândalos envolvendo os agentes do órgão. O jornal The Boston Globe denunciou recentemente, numa série de reportagens, que vários policiais estaduais da Troop E, seção da polícia responsável pelo patrulhamento da Mass Pike, que dezenas de agentes ganharam mais de $200 mil ao ano com o acréscimo de horas-extras aos seus salários, sem terem trabalhado todo aquele tempo.

Após as denúncias dos escândalos envolvendo aqueles que têm a função de fazer cumprir a lei, o governador anunciou também a implementação de GPS nos carros da polícia para que os supervisores monitorem as horas trabalhadas pelos policiais. A outra mudança inclui a compra de câmeras portáteis usadas pelos próprios policiais enquanto trabalham. Conhecidas como “body camera”, os aparelhos gravam as interações dos agentes com o público. Policiais municipais de Boston já utilizam os equipamentos há um ano, em fase experimental. 2018 - Nº 70


Governo federal lança auditoria em empresas que contratam imigrantes O Homeland Security Investigations (HSI), divisão de investigação do departamento de imigração americana, emitiu recentemente ordens de auditoria para empresas na região da Nova Inglaterra, como parte do objetivo do governo Trump de localizar o maior número possível de imigrantes indocumentados. A Brazilian Magazine teve acesso exclusivo à informação que chegou a representantes da bancada federal do estado. Conhecida como “I-9 audits”, a auditoria pede aos empregadores que enviem ao governo os arquivos de recursos humanos de todos os funcionários, indentificando assim aqueles que possivelmente não tenham autorização para trabalhar nos Estados Unidos. Após o pedido da documentação, os empregadores têm até três dias para responder ao governo. De acordo com a informação obtida pela revista, se o governo

2018 - Nº 70

encontrar qualquer discrepância nas informações enviadas pelos empregadores, os agentes podem pedir documentos adicionais ou visitar pessoalmente as empresas. Os “I-9 audits” já foram emitidos a 75 empresas entre os estados da Nova Inglaterra, incluindo 39 apenas em Massachusetts. Organizações não-governamentais de direitos de imigrantes, e órgãos de serviços legais de direitos trabalhistas estão se mobilizando para ajudar trabalhadores que possam perder o emprego ou não serem pagos.

Novo serviço promete viagem de Worcester para Philadelphia em uma hora Os moradores da região central de Massachusetts terão mais uma opção rápida para viajar à Pensilvânia. O Aeroporto Regional de Worcester lançará um novo voo para Pensilvânia em pouco mais de uma hora, a partir de outubro, quando a American Airlines colocará em prática o novo serviço diário. Autoridades da Massport disseram que a recente instalação de um novo sistema de aterrissagem de instrumentos de categoria III, no valor de US$ 30 milhões, proporcionou melhor nível de confiabilidade no aeroporto de Worcester, permitindo novas opções de serviço.

Brazilian Magazine | 13


BM IN ENGLISH |

Boston air pollution improving, report finds Three Massachusetts counties - Bristol, Essex and Suffolk - cut their ozone and particle pollution levels, and the Boston metro area reported some of the lowest pollution levels on record in spite of a national trend of higher ozone pollution, according to the American Lung Association, published by the State House News Service. The association released its 2018 “State of the Air” report, tracking ozone, or smog, and year-round particle pollution, also called soot, from 2014 through 2016. It ranked Boston as the 47th most polluted city in the nation for ozone, calling that level “significantly improved” from last year’s ranking of 37th. Hampshire County was the only

14 | Brazilian Magazine

county in Massachusetts to have its ozone grade drop from 2017 to 2018, falling from a C to a D. Hampden County recorded the worst ozone levels in the state, according to the report. “When older adults or children with asthma breath ozone-polluted air, too often they end up in the doctor’s office, the hospital or the

emergency room,” Michael Seilback, the association’s vice president of public policy and communications for the northeast region, said in a statement. Ozone can even shorten life itself. The association said more than four in 10 Americans, or 133.9 million people, live in counties with “unhealthful levels” of either ozone or particulate pollution. The report gave Berkshire, Bristol, Essex, Franklin, Hampden, Norfolk, Plymouth, Suffolk and Worcester counties “A” grades on particle pollution, while the other five counties either had incomplete monitoring data or had no monitor collecting data.

2018 - Nº 70


Artes & Estilo de Vida

Manoela Maia McGovern

Nova York recebe exposição de Tarsila do Amaral exposição nos Estados Unidos dedicada exclusivamente à arte inovadora de Tarsila. Apresentando mais de 100 obras em uma galeria exclusiva, incluindo pinturas, desenhos, cadernos, fotografias e documentos históricos extraídos de coleções em toda a América Latina, Europa e Estados Unidos.

Repórter Especial em Nova York

Nascida em São Paulo no final do século XIX, Tarsila do Amaral, estudou piano, escultura e desenho antes de partir para Paris em 1920 para participar da Académie Julian, a famosa escola de arte da França. Durante as temporadas subsequentes na capital francesa, ela estudou com André Lhote, Albert Gleizes e Fernand Léger, cumprindo o que ela chamou de “serviço militar em cubism”, chegando finalmente a seu estilo assinado de paisagens sensuais e vibrantes e cenas comuns. A exposição no Museu de Arte Moderna (MOMA), na cidade de Nova York, é sobre a década de 1920, quando ela navegou nos mundos da arte de São Paulo

“Eu quero ser o pintor do meu país”, escreveu Tarsila do Amaral (1886-1973), em 1923. Essa é a tela que a Tarsila pintou para o marido, o poeta Oswaldo de Andrade. e Paris, mostrando seu envolvimento com uma comunidade artística cada vez mais internacional, bem como seu papel crítico no surgimento do modernismo no Brasil.  Embora ela seja amplamente celebrada em seu país natal, esta é a primeira

Em 1928, ela pintou umas das telas mais famosas de sua carreira, o Abaporu para seu marido, o poeta Oswalde de Andrade, retratando uma figura alongada e isolada com um cacto em flor.  A exposição está aberta ao público até o dia 3 de Junho, e é organizada pelo Museu de Arte Moderna e pelo Instituto de Arte de Chicago.

SERIGRAFIA EM CAMISAS E CAMISETAS, CASACOS, CAMISA POLO, AVENTAL, BOLSAS, BONÉS… E MUITO MAIS. Ligue agora e faça sua encomenda na empresa totalmente brasileira no coração de Boston!

2018 - Nº 70

123 Jersey Street Boston, MA 02215

617-247-2028

www.nedesigntshirts.com info@nedesigntshirts.com Brazilian Magazine | 15


BM 70 - 2018  
BM 70 - 2018  
Advertisement