Issuu on Google+

es t en l a iv rio u Eq istテゥ s io m d sテュ sem b Su

SETEMBRO 2008

ANO 83

Nツコ1035

UMA VISテグ MACRO DA TERRA


Sucessora de “Notícias Rotárias” e “Rotary Brasileiro”. Publicação mensal dedicada à divulgação do Ideal de Servir. Revista regional oficial do Rotary International para os rotarianos do Brasil.

04 Aprendendo a ser EGD Herbert Zimath Junior

05 Mensagem do presidente Dong Kurn Lee

06 COLUNA DO DIRETOR DO RI Compromisso com a juventude Themístocles A. C. Pinho

08 Como anda o quadro social do seu clube?

Pág.

10

Alberto Bittencourt

10 Subsídios Equivalentes sem mistério Júlio Jorge D’Albuquerque Lóssio

15 O coração de Seul Janice S. Chambers

18 Uma visão macro da Terra Digby Diehl

24 Conselho Diretor do RI Destaques das decisões 26 A pátria e nossa Independência Ivo Arzua Pereira

30 Aquecimento global Como preservar o planeta Terra Michelle de Souza Evangelista

34 COLUNA DOS COORDENADORES REGIONAIS DA FR Senso de propriedade da Fundação Rotária

Pág.

Aldair de Queiroz Franco e Altimar Augusto Fernandes

35 Coluna do chair da FR O Plano de Visão Futura oferece um guia estratégico Jonathan Majiyagbe

36 Coluna da ABTRF A escolha ótima José Alfredo Pretoni

SEÇÕES 17 Rotarianos que são notícia 23 Os 50 mais 39 Informe do RI aos rotarianos

42 Autores rotarianos 44 Senhoras em ação 45 Distritos em revista 59 Novos Companheiros Paul Harris

40 Interact e Rotaract

63 Relax

41 Livros

64 Cartas e recados

37 Fora da média Christine Gable

30

Capa: Foto Keystone

I

Saudades


ROTARY INTERNATIONAL ONE ROTARY CENTER

CONSELHO DIRETOR 2008-09

1560 SHERMAN AVENUE

EVANSTON, ILLINOIS, USA

GOVERNADORES DE DISTRITOS NO BRASIL EM 2008-09 DISTRITO 4310 Paulo Firmino de Oliveira Rotary Club de Botucatu, SP

DISTRITO 4600 Antonio Sergio Ferri da Silva Rotary Club de Santa Branca, SP

PRESIDENTE-ELEITO John Kenny

DISTRITO 4390 Geraldo Pimentel de Lima Rotary Club de Maceió-Leste, AL

DISTRITO 4610 Amilton Medeiros Silva Rotary Club de São Paulo-Lapa, SP

VICE-PRESIDENTE Monty J. Audenart

DISTRITO 4410 Celso Gonçalves Alves Rotary Club de Cachoeiro de Itapemirim, ES

DISTRITO 4620 Valdimir Forti Rotary Club de São Roque, SP

TESOUREIRO Bernard L. Rosen

DISTRITO 4420 Sérgio Lazzarini Rotary Club de Santo André, SP

DISTRITO 4630 Nivaldo Barbosa de Lima Rotary Club de Maringá-Horto, PR

DIRETORES Themístocles A. C. Pinho Ashok M. Mahajan Catherine Noyer-Riveau Eric E.L. Adamson Jackson San-Lien Hsieh John M. Lawrence José A. Sepúlveda Kauhiko Ozawa Lars-Olof Frederiksson Michael Colasurdo Sr. Michael J. Johns Paul A. Netzel Philip J. Silvers R. Gordon R. McInally Thomas A. Branum Sr.

DISTRITO 4430 João Freire d’Avila Neto Rotary Club de São Paulo-Alto da Mooca, SP

DISTRITO 4640 Stael Terezinha Sdroiewski Uba Rotary Club de Toledo-Integração, PR

DISTRITO 4440 Domingos Aparecido Marques Rotary Club de Mirassol D’Oeste, MT

DISTRITO 4650 Valdir Celso Fiedler Rotary Club de Penha, SC

DISTRITO 4470 Manoel Carlos Menezes Zaffalon Rotary Club de Araçatuba-Leste, SP

DISTRITO 4651 Miriam Marta Wojcikiewicz Caldas Rotary Club de Florianópolis-Leste, SC

DISTRITO 4480 Jair Pinto da Silva Rotary Club de São José do Rio Preto-Alvorada, SP

DISTRITO 4660 Mario César Portinho Vianna Rotary Club de Tupanciretã, RS

DISTRITO 4490 Eulália das Neves Ferreira Rotary Club de São Luís-João Paulo, MA

DISTRITO 4670 Eliseu Gonçalves da Silva Rotary Club de Cachoeirinha, RS

SECRETÁRIO-GERAL Edwin H. Futa

DISTRITO 4500 Eduardo Jorge Marinho de Queiroz Rotary Club de Recife-Brum, PE

DISTRITO 4680 Tirone Lemos Michelin Rotary Club de Porto Alegre-Beira Rio, RS

DISTRITO 4510 Régis Jorge Rotary Club de Presidente Venceslau, SP

DISTRITO 4700 Jaime Antonio Camassola Rotary Club de São Marcos, RS

DISTRITO 4520 Eduardo Luis de Souza Rotary Club de Acesita, MG

DISTRITO 4710 Pilar Álvares Gonzaga Rotary Club de Londrina, PR

DISTRITO 4530 Ronaldo Campos Carneiro Rotary Club de Brasília-Sudoeste, DF

DISTRITO 4720 João Petrolitano Gonçalves Rotary Club de Rio Branco, AC

DISTRITO 4540 Antônio Carlos Marchiori Rotary Club de Jaboticabal, SP

DISTRITO 4730 Evaldo Artur Hasselmann Rotary Club de Ponta Grossa-Sul, PR

DISTRITO 4550 Paulo Roberto Dacach Rotary Club da Bahia, BA

DISTRITO 4740 Ulmerindo Fernandes de Rotary Club de Curitibanos, SC

PRESIDENTE Dong Kurn Lee

CURADORES DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA 2008-09 CHAIR Jonathan B. Majiyagbe CHAIR-ELEITO Glenn E. Estess Sr. VICE-CHAIR Ron D. Burton CURADORES Carl-Wilhelm Stenhammar Carolyn E. Jones David D. Morgan Doh Bae John F. Germ José Antonio Salazar Cruz K. R. Ravindran Louis Piconi Peter Bundgaard Sakuji Tanaka Samuel A. Okudzeto William B. Boyd SECRETÁRIO-GERAL Edwin H. Futa

Leite

Vieira

de

Assis

Oliveira

DISTRITO 4560 Murillo Affonso Ferreira Rotary Club de Bom Sucesso, MG

DISTRITO 4750 Marcio Pereira Ribeiro Rotary Club de Niterói-Norte, RJ

DISTRITO 4570 José Roberto Lebeis Pires Rotary Club de Campo Grande, RJ

DISTRITO 4760 Javert Vivian Silva Rotary Club de Contagem-Cidade Industrial, MG

DISTRITO 4580 Juan Alejandro Tumba-Noe Rotary Club de Ponte Nova-Piranga, MG

DISTRITO 4770 Antonio José Oliveira Rotary Club de Uberaba-Norte, MG

DISTRITO 4590 Jesus Aldo Bellão Rotary Club de Santa Cruz das Palmeiras, SP

DISTRITO 4780 Dóris Sá de Moraes Vaz Rotary Club de Bagé-Pampa, RS

ÉTICA. Um princípio que não pode ter fim. Campanha em prol de mais elevados padrões de ética. Apoio dos Rotary Clubs do Brasil 2

SETEMBRO DE 2008


Ano 83 Setembro, 2008 nº1035 Revista de Propriedade da Cooperativa Editora Brasil Rotário CNPJ 33.266.784/0001-53 I Inscrição Municipal 00.883.425 Av. Rio Branco, 125, 18º andar CEP: 20040-006 – Sede própria Rio de Janeiro – RJ I Tel: (21) 2506-5600 / FAX: (21) 2506-5601 E-mail: revista@brasil-rotario.com.br

Leia CARO LEITOR LEITOR,

CONSELHO SUPERIOR (Colégio de Diretores do RI – Zonas 19 A e 20 ) Mário de Oliveira Antonino (Recife-PE) EDRI 1985-87 Gerson Gonçalves (Londrina-PR) EDRI 1993-95 José Alfredo Pretoni (São Paulo-SP) EDRI 1995-97

Hipólito Sérgio Ferreira (Belo Horizonte-MG) EDRI 1999-01 Alceu Antimo Vezozzo (Curitiba-PR) EDRI 2001-03 Luiz Coelho de Oliveira (Limeira-SP) EDRI 2003-05

Themístocles A.C. Pinho (Niterói-RJ) DRI 2007-09 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO 2007-09 Diretoria Executiva Presidente Carlos Henrique de Carvalho Fróes Vice-Presidente de Operações Edson Avellar da Silva Vice-Presidente de Administração Waldenir de Bragança Vice-Presidente de Finanças José Maria Meneses dos Santos Vice-Presidente de Planejamento/Controle Joper Padrão do Espírito Santo Vice-Presidente de Marketing José Alves Fortes Vice-Presidente de Relações Institucionais Carlos Jerônimo da Silva Gueiros Vice-Presidente Jurídico Jorge Bragança MEMBROS EFETIVOS Antonio Hallage Condorcet Pereira de Rezende Eduardo Álvares de Souza Soares Fernando Antonio Quintella Ribeiro Hertz Uderman José Luiz Fonseca José Ubiracy Silva Wilmar Garcia Barbosa MEMBROS SUPLENTES Antônio Vilardo Bemvindo Augusto Dias Dulce Grünewald Lopes de Oliveira GERENTE EXECUTIVO Gilberto Geisselmann ASSESSORES Alberto de Freitas B. Bittencourt Antônio Lomanto Júnior Ary Pinto Dâmaso (Publicidade) Eduardo de Barros Pimentel Everton Jorge da Luz Fernando Teixeira Reis de Souza Flávio Antônio Queiroga Mendlovitz Gedson Junqueira Bersanete Ivo Arzua Pereira

José Augusto Bezerra José Maria de Souza Taketoshi Higuchi Vicente Herculano da Silva CONSELHO FISCAL Membros Efetivos Antonio Celso de Castro Gonçalves (D.4580) Fúlvio Abrami Stagi (D.4600) Justiniano Conhasca (D.4750) Suplentes Cleofas Paes de Santiago (D.4570) Fausto de Oliveira Campos (D.4570) Nilson Moura (D.4570) CONSELHO CONSULTIVO DE GOVERNADORES Membros natos efetivos Governadores 2008-09 Representante: José Roberto Lebeis Pires (D.4570) Suplentes Governadores eleitos 2009-10 CONSELHO EDITORIAL EXECUTIVO Presidente: Carlos Henrique de Carvalho Fróes Vice-presidente: Edson Avellar da Silva Membros: Lindoval de Oliveira Luiz Renato Dantas Coutinho Nuno Virgílio Neto Renata Coré Secretário: Gilberto Geisselmann CONSELHO EDITORIAL C O N S U LT I V O Carlos Henrique de Carvalho Fróes (presidente) Carlos Jerônimo da Silva Gueiros Edson Avellar da Silva Joper Padrão do Espírito Santo Jorge Bragança José Alves Fortes José Maria Meneses dos Santos Waldenir de Bragança

EXPEDIENTE DIRETOR RESPONSÁVEL: Carlos Henrique de Carvalho Fróes EDITOR: Lindoval de Oliveira – Jorn. Prof. Mtb. 3.483/9/144 REDAÇÃO: Av. Rio Branco, 125 – 18º andar – Rio de Janeiro – RJ CEP 20040-006 – Tel.: (21) 2506-5600 E-MAIL DA REDAÇÃO: redacao@brasil-rotario.com.br EDITORAÇÃO: Armando Santos, Lindoval de Oliveira, Luiz Renato Dantas Coutinho, Maria Cristina Andrade, Maria Lúcia Ribeiro de Sousa, Nuno Virgílio Neto e Renata Coré. DIGITALIZAÇÃO: Maurício Teixeira IMPRESSÃO: Globo Cochrane Gráfica e Editora HOMEPAGE: http://www.brasil-rotario.com.br *As matérias assinadas são de inteira responsabilidade dos seus autores.

E

sta edição tem os assuntos rotários e os de interesse geral bem distribuídos. Confira. Entre os que focalizam o Rotary, destaque para o artigo do EGD Júlio Lóssio (D.4490), Subsídios Equivalentes sem mistério. Uma das atribuições da Brasil Rotário é mostrar a simplicidade que nossa organização recomenda para as solicitações feitas à Fundação Rotária. É este o escopo dessa matéria. Ainda ligados ao nosso Rotary, recomendamos a leitura das seções Interact e Rotaract, Coluna da ABTRF, Coluna do diretor do RI, Senhoras em ação, Novos Companheiros Paul Harris e Distritos em revista. Esta última é editorada com o material enviado pelos Rotary Clubs. Relacionamos outros assuntos que deverão merecer sua atenção: Destaques das decisões do Conselho Diretor do RI, Como anda o quadro social do seu clube?, e o trabalho que conquistou o primeiro lugar no 15o Concurso de Monografias, promoção desta revista com o jornal dedicado à educação, Folha Dirigida, e que teve como tema Aquecimento global – como preservar o planeta Terra. Na excelente entrevista Uma visão macro da Terra, o astronauta norte-americano Edwin “Buzz” Aldrin, rotariano honorário, conta a experiência que viveu ao lado de Neil Armstrong em 20 de julho de 1969, na Apollo 11, ao descer na Lua. A partir daí, nossa concepção sobre o Universo e o papel do nosso planeta nele mudou para sempre. O poder, algumas vezes, encanta – e é difícil admitir que não é duradouro. É o que focaliza o artigo Aprendendo a ser EGD, de autoria de Herbert Zimath Junior, associado do RC de Joinville-Colon, ele próprio ex-governador do distrito 4650. “Ontem à noite, pensei em um sonho que a expressão mais curta do significado da vida é a seguinte: o mundo se move, está sendo aperfeiçoado; é dever do homem contribuir para esse movimento, submeter-se e cooperar com ele” – LEON TOLSTOI. L. O. BRASIL ROTÁRIO

3


Aprendendo a ser EGD Aproveite essa nova condição que o término de seu mandato proporciona e aceite os conselhos de alguém que já trilhou esses mesmos passos Herbert Zimath Junior*

O

Rotary é uma escola de vida. O exercício da governadoria distrital em nossa organização é uma forma adicional de exercer a liderança entre líderes de todo o mundo. O Rotary investe em líderes: para assumir esta função de administrador do RI, a organização investiu tempo e recursos em seu associado (fazendo-o participar do Seminário de Treinamento para Governadores Eleitos e da Assembléia Internacional, entre outros) para que ele pudesse exercer inteiramente esta diferenciada liderança. O Rotary é voluntariado responsável. A governadoria do distrito é uma missão honrosa destinada a poucos. Assumida essa responsabilidade, ela deve ser cumprida dignamente através de dedicação total, fomentando o Ideal Rotário com responsabilidade e compromisso. Nossa organização alterna a liderança. Durante sua gestão rotária, governador distrital, você foi o centro das atenções e a autoridade máxima do seu distrito, compartilhando a amizade de mais companheiros, sendo o personagem principal de diversos eventos e concretizando muitas obras de prestação de serviços. Agora, um novo e motivado governador o substituiu. Admita que esta nova estrela do distrito é que passará a receber a atenção principal. O Rotary marca a vida: um ano rotário à frente da governadoria é único, inesquecível, maravilhoso. Cultive essa boa memória retirandose de cena com grandeza de espírito – e gratificado pela oportunidade do dever cumprido. O Rotary é trabalho permanente: o término da sua gestão como governador não encerra sua vida rotária. Ela se modifica, pois serviremos e distinguiremos os novos dirigentes. No Rotary não há aposentadoria, especialmente para os que mais servem à organização. O Rotary é idealismo: espera-se que um ex-dirigente rotário, por con4

SETEMBRO DE 2008

ta do conhecimento e da experiência adquiridos, continue incentivando e motivando outros rotarianos para que novos talentos sejam estimulados a ocupar novos desafios na organização. Continue servindo os novos dirigentes.

Conselhos de um EGD O Rotary não ensina a ser ex-go-

vernador distrital: somente a experiência adquirida e a inteligência desenvolvida nos ensinam a ser EGD. Aproveite essa nova condição que o término de seu mandato proporciona e aceite os conselhos de alguém que já trilhou esses mesmos passos anteriormente:

01 Conscientize-se de que seu mandato finalizou no dia 30 de junho; definitivamente.

02 Aceite que seu tempo já passou e que agora um outro rotariano comanda o distrito, à maneira dele – e que nem sempre será igual a sua maneira. Respeite e aceite as novas decisões tomadas pelo atual governador.

03 Transmita sua experiência ao novo governador e coloque-se à disposição como uma força-tarefa adicional. Mas lembre-se que seus conselhos são apenas conselhos, e poderão não ser aceitos.

04 Continue desenvolvendo os projetos que não se concretizaram no seu ano como governador, e assuma outra atividade rotária, dentro ou fora do clube, com o consentimento do presidente de seu clube.

05 Não critique. Seja tolerante com as disposições dos novos dirigentes.

06 Continue a visitar os clubes, respeitando o espaço e a autoridade do novo governador.

07 Mais que nunca, continue a participar dos projetos e atividades distritais. Sua liderança e atitude continuam a ser exemplos para muitos.

08 Retome o seu espaço no clube e a atitude amistosa frente a todos, recuperando o companheirismo igualitário que caracteriza os rotarianos.

09 Ajude a conhecer e a respeitar o Manual de Procedimento, as Resoluções do Distrito, o Estatuto e o Regimento Interno do Clube.

10 Não espere uma retribuição ou recompensa por sua dedicação integral ao Rotary no ano que passou. Você fez apenas o que deve fazer um administrador do Rotary International. E lembre-se: só se aprende a ser governador distrital quando já se é exgovernador. * O autor é EGD e sócio do RC de Joinville-Colon, SC (D.4650).


C AROS

Mensagem do Presidente

NA REDE

Leia os pronunciamentos e as notícias do presidente do RI D. K. Lee acessando o site <www.rotary.org/jump/lee>

COMPANHEIROS ,

N

o Rotary, nós sabemos que o planejamento futuro e de forma sábia é a chave para serviços bem-sucedidos. Por isso, encorajo o companheiro a seguir estes preceitos inscrevendo-se para a Convenção de 2009 do RI em Birmingham, na Inglaterra. Se você já compareceu a alguma convenção do Rotary sabe como esse é um maravilhoso evento. Mas se você nunca esteve em um desses encontros, Birmingham é o local perfeito para começar. A exemplo do Rotary, Birmingham é uma mistura do antigo e do moderno. Dispondo de uma área exclusiva para pedestres no centro da cidade e de um excelente sistema público de transportes, a cidade possui diversos bairros com pontos de interesse histórico, uma irresistível gastronomia e possibilidades de boas compras. A extensa rede britânica de ferrovias torna fácil alcançar muitos locais em menos de uma hora. A agitação de Londres, a beleza natural de Gales e todo o encanto dos campos ingleses estão próximos o suficiente para viagens de um só dia, ou de férias, após a convenção. Com seu próprio aeroporto e conexões ferroviárias rápidas para Londres, Birmingham é um destino fácil a partir de qualquer parte do mundo. Uma vez em Birmingham, sua estada valerá a pena. Lá, você poderá encontrar milhares de rotarianos de centenas de cidades do mundo inteiro, celebrando um ano em que trabalhamos juntos para Realizar os Sonhos das crianças de todo o mundo. É impossível descrever a energia e o estímulo que emanam de uma convenção do Rotary. Ponto alto de um ano rotário, a convenção internacional é um evento esperado ansiosamente por mim. Sei que irei rever velhos amigos e fazer novas amizades, conhecer os projetos do Rotary através do mundo e encontrar novas maneiras no meu clube de Dar de Si Antes de Pensar em Si. Cada convenção é diferente, mas sempre uma promessa de amizade, companheirismo e inspiração. Cada convenção é única e memorável. Uma oportunidade que não se repetirá. Acredito fortemente que todo rotariano deveria comparecer a uma convenção do Rotary ao menos uma vez. Isto mudará para sempre sua maneira de enxergar o Rotary – e depois de ir embora você se achará fazendo planos para a próxima convenção. Young e eu esperamos encontrar você em Birmingham para a 100ª convenção do Rotary International.

DONG KURN (D. K.) LEE Presidente do Rotary International BRASIL ROTÁRIO

5


Coluna do Diretor do Rotary International Themístocles A. C. Pinho

Compromisso com a juventude

D

esde os primórdios de nossa organização, o compromisso do Rotary com a juventude povoa a mente e os corações dos rotarianos. O primeiro projeto implantado por um Rotary Club nesta área ocorreu em dezembro de 1913. Depois de tomar conhecimento de uma família que não possuía recursos para cuidar da filha, uma menina com deficiência física, o RC de Siracuse, em Nova York, EUA, promoveu uma campanha e arrecadou US$ 2.728,74 para custear o tratamento da criança. Esta atitude certamente representou um embrião, ainda sem forma definida, mas como tal, uma “nova vida” em formação. Contada essa história na revista The Rotarian, o Rotary se livrou da pecha de ser uma sociedade egoísta, apenas com o intuito de promover bons negócios e proteger seus associados. A partir dessa iniciativa, ao longo do tempo o Rotary foi afirmando e consolidando sua reputação de ser a mais importante e mais acreditada organização particular de prestação de serviços, que congrega homens e mulheres de boa vontade dispostos a colaborar com o seu Ideal de Serviço desinteressado. Os rotarianos têm consolidado em seus espíritos a solidariedade e o amor ao próximo, consubstanciados na assertiva de que “ninguém pode ser feliz se, ao redor, grassam as doenças, a fome, o desamparo e a ignorância”. Por isso os rotarianos esforçam-se para neutralizar tais aflições. Em que pese ser benfeitora a ação rotária em todas as situações

6

SETEMBRO DE 2008

que demandam atendimento humanitário, neste mês de setembro queremos nos fixar no tema predileto do presidente Dong Kurn Lee: a atenção às crianças. Oriundo da Coréia do Sul, um país que no século passado sofreu enormemente os efeitos de conflitos armados, nosso presidente desenvolveu em seu caráter a convicção de que o mundo somente poderá sair do estado de beligerância em que se encontra se prepararmos as crianças de hoje para uma vida saudável, de respeito mútuo e de busca contínua da paz. Ele ficou extremamente impressionado com a estatística que apurou a morte de cerca de 30 mil crianças com menos de cinco anos, diariamente, em todo o mundo, por falta de recursos hídricos adequados, alfabetização, saúde e alimentação apropriada. É certo que o Brasil – como muitos outros países – ainda contribui para essa lamentável estatística, alguns em menor ou maior escala, mas é nosso dever cerrar fileiras em torno do presidente D. K. Lee nessa tarefa, que – sabemos – não se encerrará em um ano, mas irá demonstrar quão importante e necessária ela é para todo o mundo. Cabe a nós, rotarianos e rotarianas, e aos nossos clubes direcionarmos esforços, senão para a solução total e definitiva desses problemas, mas pelo menos para cumprirmos nossa parte ao minimi-

zarmos e promovermos medidas e projetos no campo da assistência à infância, visando dar a essas crianças uma oportunidade para hoje se ajustarem na vida e, no futuro, se tornarem os líderes de um mundo melhor. No entanto, a juventude tem merecido um lugar muito especial no Rotary, particularmente

através dos seus clubes de jovens (Rotaract e Interact), de seus Programas Especiais (RYLA e Intercâmbio de Jovens) e, em alguns países, já está despontando uma nova atuação voltada para as crianças através de grupos, ainda com forma e conteúdo sem definição específica, e que vêm se


multiplicando a cada dia sob denominações ainda não consolidadas, que variam de um país para o outro, tendo merecido apreciação no último Conselho de Legislação em 2007. Em todo o mundo, milhares de projetos têm sido implementados. Os rotarianos se dispõem a atuar como mentores e a servirem de exemplo aos mais jovens (profissionais que coordenam grupos de jovens para dissertar sobre suas atividades), incentivando a ética no trabalho e nos negócios. No Brasil, conhecemos escolas que reúnem alunos para ouvir profissionais rotarianos de diversas áreas dissertarem sobre suas experiências para ajudar na escolha da carreira futura. O campo para a assistência e o apoio às crianças e aos jovens é vasto. Bolsas de estudo, assistência às creches comunitárias, doação de material escolar, construção e manutenção de escolas, programas de nutrição infantil, conscientização das famílias em relação à maternidade e sobre as atenções com a criança, cuidados com a alimentação e ingestão de água sem contaminação, e tantos outros projetos que, certamente, poderão ajudar na futura formação de um cidadão útil e produtivo.

Iniciativas do Rotary Num rápido exame das diversas atividades promovidas/patrocinadas pelo Rotary no campo do apoio e incentivo à juventude, destacamos: Em 1959, o início do vitorioso programa RYLA (sigla em inglês de Prêmios Rotários de Liderança Juvenil), destinado a jovens estudantes de ambos os sexos, os quais participam e praticam, por alguns dias, de atividades culturais e edu-

cacionais patrocinadas por um distrito rotário. É um programa que integra os jovens e procura transmitir o empreendedorismo, o respeito aos valores sociais e éticos, o conhecimento profissional e a liderança. Por outro lado, o Rotary oferece uma excelente oportunidade para os jovens de ambos os sexos, na faixa etária dos 14 aos 18 anos, através do Interact, patrocinado por um clube com o qual trabalha em parceria para promover e executar projetos comunitários. Os interactianos se reúnem em escolas e em vários outros locais, orientados por professores e rotarianos experientes. Outra vitoriosa iniciativa manifesta-se através dos Rotaracts, que neste ano comemoram seus primeiros 40 anos de produtiva existência e sadio funcionamento. A exemplo do Interact, o Rotaract é um clube agregado a um Rotary Club e abriga jovens/adultos de ambos os sexos, de 18 aos 30 anos, com a finalidade de levar até eles o prazer de prestar serviços e desfrutar de um ambiente de companheirismo e de altos padrões de ética e moral, além de permitir que possam ser promovidas ações que dignificam o ser humano e influenciam as suas vidas presente e futura. Desde 1919, os Rotaracts se organizaram através da OMIR (Multidistrict Information Organization) entidade internacional criada pela necessidade, em todo o mundo, do estabelecimento de uma estrutura organizada que facilitasse as trocas de informações e atividades conjuntas, em diversas nações ou regiões do planeta, e à qual nosso país se acha representado pela Omir-Brasil, reconhecida pelo Rotary International em 1995. O Intercâmbio Internacional de Jovens, programa considerado padrão entre os congêneres, movimenta anualmente milhares de estudantes ente 14 e 18 anos, os quais viajam a outros países para um período de três a 12 meses, sob a responsabilidade dos rotarianos do clube de origem e do clube anfitrião, com o objetivo de dar aos jovens a oportunidade de estudar e travar conhecimento com outras culturas, obter novas informações e fazer amizades duradouras. É um programa tão importante na formação do caráter do jovem que de um relatório de um intercambiado extraímos este conceito: “Se o meu país entrar em guerra contra este país, jamais pega-

rei em armas para matar quem me acolheu tão bem”.

Preparando para a paz No entanto, o Rotary vai além ao apoiar e incentivar os jovens e adultos no desenvolvimento de suas tendências profissionais, estando sempre atento às necessidades sociais e, quando a oportunidade se apresenta, desenvolve ações e programas através da preparação para uma concreta assistência e participação efetiva na busca de soluções adequadas e duradouras. Assim é que, por esta razão, e sob a inspiração do ex-presidente do Rotary International, o brasileiro Paulo Viriato Corrêa da Costa, foram criados os Centros Rotary de Estudos Internacionais da Paz e Resolução de Conflitos, sob a responsabilidade da nossa Fundação Rotária, que outorgam bolsas educacionais de dois anos, em nível de pós-graduação, em seis universidades espalhadas pelo mundo e em nível técnico, por três meses, na Tailândia, através dos quais são preparados jovens de real valor, competência e efetiva tendência para a prática de atos e procedimentos que visem, em última instância, a paz – que, como há muito já se disse, não é apenas a ausência de guerras, mas a possibilidade de uma vida digna e honesta para todos em nosso planeta. Neste aspecto, vale lembrar a mensagem do idealizador da Fundação Rotária, Arch C. Klumph, presidente do Rotary International em 1916-1917: “A Fundação Rotária não serve para construir monumentos de tijolo e pedra; se esculpirmos o mármore, ele perecerá; se cinzelarmos o latão, o tempo o desgastará; se construirmos templos, eles cairão em pó; mas se incutirmos nas mentes imortais o espírito rotário, estaremos entalhando as tábuas da lei com o brilho da eternidade”. Amigas e amigos, neste mês exortamos todos vocês e os clubes a promover projetos e ações que contemplem as crianças e os jovens, pois eles serão os líderes de amanhã. Realizemos o sonho de ver a juventude trilhando o caminho da concórdia, do entendimento e da paz, supremos objetivos dos rotarianos. BRASIL ROTÁRIO

7


Como anda o quadro s

Para revigorá-lo, o primeiro passo é acolher nossos com Ninja

Alberto Bittencourt* ara responder a essa questão, é preciso entender o que é o quadro social. Sabemos que não há limites de idade para o ingresso no Rotary. Em nossa organização podem entrar pessoas jovens, maduras ou idosas. Há, porém, requisitos quanto às características comportamentais dos nossos associados no que se refere a aspectos como conduta ilibada, trabalho, ética, liderança e espírito comunitário, entre outros. Antes de tudo, é preciso considerar que o quadro social é um extrato da classe média como ela se apresenta hoje, com suas incoerências, dúvidas, conflitos e paixões. Para traçar um esboço atual, sigamos o pensamento de um filósofo moderno, o francês André Compte-Sponville. Ele divide a sociedade em três faixas etárias, para as quais distingue três paixões clássicas principais: o amor, aos 20 anos; a ambição, aos 40; e a avareza, aos 60. É claro que existem os jovens avarentos e os idosos generosos, mas esses são considerados por ele como uma exceção à regra geral. Uma historieta ilustra essas paixões: um empresário pede a um funcionário para subir no telhado e fixar uma placa. O funcionário, que tem 60 anos, pergunta: “O telhado é seguro?” Então o empresário repete a pergunta a outro funcionário, com 45 anos, que diz: “Quanto você me paga para que eu suba no telhado?” Ao fazer a mesma pergunta a um funcionário de 25 anos, assim que ele termina a frase o jovem já está em cima no telhado. Existem muitos conceitos estereotipados. O fato é que os jovens são mais difíceis de atrair, assim como os idosos são mais difíceis de motivar. Para entender o quadro social, vamos nos fixar inicialmente na faixa etária dos idosos. Sponville define a avareza, uma característica dos idosos, como sen-

P

8

SETEMBRO DE 2008

O velho paradigma da velhice e da doença cedeu lugar a uma nova consciência: o ser humano é a única criatura na face da Terra capaz de mudar sua biologia pelo que pensa e sente do a paixão de guardar e o medo de perder. A avareza cresce normalmente com o avanço da idade, ele diz, porque o medo aumenta. Os jovens sabem que as pessoas idosas se inquietam facilmente. No entanto, os mais velhos procuram apenas se preservar e, por isso, são conservadores. Daí o que se convencionou chamar de conflito de gerações. Aliás, quem geralmente tem razão são os idosos. O exemplo de Nevinha Com a idade, todos os males se agravam. Se um idoso fica apenas esperando o tempo passar, ele só vai falar de doenças – salvo as pessoas que estão ativas, e por isso melhoram. No Rotary, tenho encontrado amigos

septuagenários que demonstram o quanto é falso o velho paradigma da velhice e da doença. Diria que essas pessoas crescem mais do que envelhecem, porque elas amam a juventude – enquanto outras, na idade delas, só a temem ou invejam. Faça chuva ou sol, Nevinha, de Campina Grande, na Paraíba, levanta-se todos os dias às cinco horas da manhã, pega o carro, vai até o açude, salta e, em marcha acelerada, dá quatro voltas, completando 5 km. De volta à casa, Nevinha faz uma hora de hidroginástica na piscina com uma professora, a filha e a irmã, depois toma café e parte para uma jornada de trabalho em seu escritório de contabilidade. Ela tem mais de 70 anos. Aproveito para citar mais alguns


o social do seu clube?

os companheiros mais idosos com um carinho especial exemplos nesse sentido, como Eudes, Antonino, Reinaldo e o centenário Matinhos. Eles são pessoas que têm a mesma coisa em comum: não se identificam com essas velhas imagens estereotipadas, raramente falam da idade, mas evocam mais facilmente suas atividades, seus interesses e seus projetos para o futuro. Nova consciência O velho paradigma da velhice e da doença cedeu lugar a uma nova consciência: o ser humano é a única criatura na face da Terra capaz de mudar sua biologia pelo que pensa e sente. Um surto de depressão pode arrasar o sistema imunológico. Apaixonar-se, ao contrário, pode fortalecê-lo tremendamente. A alegria e a realização nos mantêm saudáveis e prolongam nossa vida. O desespero e a desesperança aumentam a

incidência de ataques do coração e de câncer, encurtando a vida. O estresse libera um fluxo de hormônios destruidores. David Servan-Schriber, um médico psiquiatra francês radicado nos EUA, cita uma pesquisa realizada na universidade de Yale a respeito da influência dos estereótipos culturais no funcionamento intelectual e físico dos idosos. Em seu laboratório, a professora Becca Levy mediu a memória, o modo de andar e a coerência cardíaca de pessoas com mais de 65 anos de idade. Em seguida, a professora mostrou a elas, na tela de um computador, palavras que apareciam tão rapidamente que o cérebro não tinha tempo de registrar de modo consciente. De imediato, Becca repetiu os testes. Após palavras de alto astral, como sabedoria, amizade, amor e solidariedade, verificou-se que a coerên-

Quantos Somos NO MUNDO Rotarianos: 1.223.658; Clubes: 33.117; Distritos: 532; Países e regiões: 207; Rotaractianos: 162.311; Clubes: 7.105; Países: 163; Interactianos: 256.519; Clubes: 11.153; Países: 121; Núcleos Rotary de Desenvolvimento Comunitário: 6.557; Voluntários: 150.811; Países: 73; Número de rotarianas: 187.457. 

cia cardíaca e a memória melhoravam nitidamente, e que as pessoas passavam a andar mais rápido. Ao contrário, depois de palavras de declínio, como doença, queda e perda, constatou-se que a memória piorava, a coerência cardíaca se degradava e elas andavam mais lentamente. Eis a razão pela qual devemos acolher nossos companheiros mais idosos com um carinho especial. Um sorriso, uma palavra de apoio, um gesto afável, um abraço e um elogio certamente irão reacender no coração deles a chama do verdadeiro rotariano que eles sempre foram. Para entendê-los, basta nos colocarmos no lugar deles. Este é o primeiro passo para revigorar o quadro social do seu clube. E você estará praticando um grande bem. * O autor é EGD e sócio do RC do Recife-Boa Viagem, PE (D.4500).

NO BRASIL Rotarianos: 51.696; Clubes: 2.284; Distritos: 38. Rotaractianos: 14.766; Clubes: 626; Interactianos: 15.847; Clubes: 689. Núcleos Rotary de Desenvolvimento Comunitário: 264; Voluntários: 6.072. Número de rotarianas: 9.403. 

Fonte: Escritório do Rotary International no Brasil.

BRASIL ROTÁRIO

9


SUBSÍDIOS EQUIVALENTES SEM MISTÉRIO Dicas de como fazer um projeto, passo a passo

Júlio Jorge D’Albuquerque Lóssio*

Os Subsídios Equivalentes são um dos programas humanitários da Fundação Rotária. Seu objetivo é diminuir os problemas das comunidades com a realização de uma parceria local, internacional e com a Fundação Rotária. Existem dois grupos de projetos de Subsídios Equivalentes: um que vai de US$ 5.000,00 a US$ 25.000,00, e outro que vai de US$ 25.001,00 a US$ 150.000,00. Os projetos do primeiro grupo são recebidos no período de 1o de julho a 31 de

P

reliminarmente, é preciso fazer um planejamento. É fundamental que a comunidade decida o que precisa e o projeto que quer ter. Nesta etapa, é fundamental verificar se a necessidade da comunidade é elegível pela Fundação Rotária. Isto pode ser feito através do link: <http://www.rotary.org/pt/ ServiceAndFellowship/ FundAProject/MatchingGrants/ Pages/ridefault.aspx>, ou no início do formulário de Subsídios Equivalentes, que pode ser acessado em < h t t p : / / w w w. r o t a r y. o r g / RIdocuments/pt_doc/141po.dot>. Um exemplo foi a cidade de 10

SETEMBRO DE 2008

março, e julgados entre 1o de agosto e 15 de maio por um curador da Fundação Rotária. A resposta final sobre sua aprovação (ou não) demora até seis meses. Chamados de competitivos, os projetos do segundo grupo recebidos até 1º de agosto são julgados pelo Conselho de Curadores em outubro. Os recebidos até 15 de dezembro são julgados pelo Conselho em sua reunião de abril.

Irauçuba, no Ceará, onde o Conselho das Comunidades elegeu como prioridade a construção de kits sanitários, pois 80% das casas que tinham cisternas não possuíam banheiro. Como lá existem cerca de 90 comunidades organizadas em associações, que se reúnem mensalmente, a distribuição dos kits sanitários foi decidida por aquele conselho, que se baseou nas carências da comunidade. A escolha das famílias que seriam beneficiadas foi feita pela comunidade, também com base nas necessidades familiares. Dessa maneira, não houve interferência da política local ou do Rotary.

A partir daí, em 2006-07 foram elaborados e aprovados três projetos de Subsídios Equivalentes para a construção de 115 kits sanitários. A etapa seguinte à decisão da comunidade foi identificar quem seriam os responsáveis pelo projeto (se os distritos e/ou os clubes), sempre com a participação dos rotarianos. Outra questão foi saber como seria feito o projeto, e quais os recursos necessários. É oportuno que o projeto se enquadre nas ênfases presidenciais, o que talvez faça com que ele seja apreciado com olhos mais compreensivos.


Arranjando os parceiros Inicialmente, é interessante enfatizar que os Subsídios Equivalentes são o resultado de uma doação compartilhada entre distritos, clubes ou entre distritos e clubes, e a Fundação Rotária. Daí ser imperativo que exista um parceiro local e outro internacional (distrito e/ou clube).

Como a Fundação Rotária entra com o mínimo de US$ 5.000,00, os parceiros (local e internacional) têm que entrar também com um mínimo de US$ 5.000,00. É importante conhecer algumas regras da equivalência. O clube local é obrigado a aportar no mínimo US$ 100,00. O parceiro internacional

tem que entrar com um mínimo de 30% do valor total que cabe aos demais parceiros. Em relação à Fundação Rotária, ela equipara na razão de 1:1 as doações do distrito (Fundo Distrital de Utilização Controlada) e na razão de 1:0,5 as doações em dinheiro feitas através do clube.

O parceiro local Quanto ao parceiro local (ou seja, o responsável pela execução do projeto), é importante que um clube esteja envolvido e contribua financeiramente, pois só assim os sócios se sentirão comprometidos. Outra possibilidade é conseguir recursos do Fundo Distrital de Utilização Controlada, que são liberados pelo presidente da Comissão Distrital da Fundação Rotária com o aval do governador do distrito. Em nível local, é possível conseguir doações de pessoas físicas, jurídicas, de entidades ou do poder público. Estas doações podem ser feitas diretamente à Fundação Rotária. Neste caso, não é permitido sua vinculação a projetos aprovados. Mas se forem feitas através do distrito ou de um clube local, as doações podem ser vinculadas a projetos aprovados. Em resumo: se as doações forem feitas diretamente à Fundação Rotária por pessoas físicas, jurídicas e outras acima mencionadas, a Fundação não aportará metade do valor doado. No entanto, se fizerem a doação ao distrito ou ao clube, e estes a vincularem a projetos aprovados, a Fundação Rotária equipa-

rará na relação de 1:1 (no caso do distrito) ou de 1:0,5 (clube). Os doadores mencionados podem solicitar reconhecimentos (Títulos Companheiro Paul Harris, safiras, rubis, Major Donor etc.). Como exemplo, citaremos duas parcerias que foram feitas durante o ano rotário 2006-07 com as prefeituras de Floriano, no Piauí, e Irauçuba, no Ceará. A primeira doou US$ 5.000,00 para os dois Rotary Clubs de Floriano, recursos que foram vinculados a um projeto de Subsídios Equivalentes (MG 61516) aprovado para a construção de três chafarizes públicos. A Fundação Rotária fez o pagamento de US$ 14.500,00 para o projeto, que construiu cinco chafarizes. Na segunda parceria, a prefeitura de Irauçuba doou US$ 10.000,00, que foram vinculados a três projetos de Subsídios Equivalentes (MG 63762, 63817 e 63858), utilizados na construção de 115 kits sanitários. A Fundação Rotária enviou US$ 83.930,00 para os projetos. Ao final, foram construídos 116 kits sanitários. A ressonância desses e de outros projetos aprovados em 2006-

Os Subsídios Equivalentes são o resultado de uma doação compartilhada entre distritos, clubes ou entre distritos e clubes, e a Fundação Rotária 07 foi tão grande que o governador do estado do Ceará, Cid Ferreira Gomes, prometeu publicamente na Conferência Distrital realizada em maio de 2007 que, a cada dólar que o Rotary colocasse no Ceará, seu governo aportaria o mesmo valor. Com esta parceria no estado, os benefícios feitos pela Fundação Rotária serão duplicados. Isto vai encorajar o aparecimento de novos parceiros locais e internacionais, pois eles verão que suas doações serão duplicadas, trazendo benefícios incomensuráveis às comunidades carentes do distrito 4490.

O parceiro internacional Para conseguir um parceiro internacional, faça um resumo do projeto descrevendo o perfil socioeconômico da comunidade; o problema que ela enfrenta e suas conseqüências; qual a solução e quanto custará; o nome do clube e dos rotarianos que se responsabilizarão pelo projeto; quem manterá o projeto após sua implantação; e, finalmente, qualifique e quantifique os

beneficiados (em 10 a 15 linhas). Ilustre com fotos que mostrem o problema e a necessidade de sua solução. Traduza o texto para o inglês e outras línguas. Se for preciso, peça a colaboração de uma escola de línguas, de pessoas disponíveis ou use os tradutores da internet, c o m o o B a b e l Fi s h < h t t p : / / babelfish.altavista.com/tr>

Cadastre seu projeto nos sites abaixo, usando os formulários específicos: http://www.matchinggrants.org/ http://www.rotary.org/ RIdocuments/pt_doc/784po_03.doc http://www.rotary.org/ RIdocuments/en_pdf/784en.pdf BRASIL ROTÁRIO

§ 11


Outra maneira de conseguir um parceiro internacional é através da internet. Envie o resumo do projeto por e-mail, com as fotos, para governadores de distritos e presidentes de clube do mundo inteiro. Os endereços podem ser encontrados no Official Directory, que custa US$ 9 e está disponível na forma impressa ou em CD. Para adquiri-lo, acesse o site <http://www.rotaryint.com. br/index2.php?secao=produtos> – (Livros-007). Outra tentativa é entrar em contato com rotarianos de ou-

Na hora de encontrar um parceiro internacional, uma alternativa é entrar em contato com rotarianos de outros países ou com ex-bolsistas da Fundação Rotária

EM ITAPIÚNA, no Ceará, foram construídas cisternas para melhorar o abastecimento de água na comunidade

tros países ou com ex-bolsistas da Fundação Rotária. Se não conseguir nada nesse sentido, peça orientação ao governador do distrito, aos membros da Comissão Distrital da Fundação Rotária ou à Subcomissão Distrital de Subsídios. Preenchendo o formulário Conseguido o parceiro internacional, o próximo passo é preencher o formulário completo do projeto para enviá-lo à Fundação Rotária. O formulário está disponível em português (141-PO), no formato Word, e pode ser conseguido através do link <http://www.rotary. org/RIdocuments/pt_doc/ 141po.dot> No entanto, apesar do português ser uma das línguas oficiais do Rotary, parece que os projetos enviados no formulário em inglês são 12

SETEMBRO DE 2008

ATRAVÉS DE outro projeto de Subsídios Equivalentes, foi montado um consultório odontológico no Centro de Desenvolvimento Infantil da capital cearense. Aparecem em pé na foto o EGD Júlio Lóssio; Clarissa Fernandes, do Núcleo de Pesquisas e Extensão em Clínicas; o companheiro Paulo Dias, presidente 2007-08 do RC de FortalezaBarra; e Júlio Massucato Lóssio, então presidente do Rotary Kids de Fortaleza


§ RESULTADO DE um projeto de Subsídios Equivalentes no distrito 4490: a criação de uma horta hidropônica na Escola Municipal Professor Francisco Matos Dourado, na Favela Dendê, em Fortaleza. Na foto, os EGDs Júlio Lóssio (autor deste artigo) e José Háteras e Silva, na companhia da diretora da escola, Socorro Braga, e da companheira Guaraciaba Marins Melo

CRIANÇAS DA comunidade utilizando os computadores da Ilha Digital de Pitobeiras, no município cearense de Russas

EGD JÚLIO Lóssio entregando 105 kits sanitários em Irauçuba

BRASIL ROTÁRIO

13


processados mais rapidamente pela administração da Fundação Rotária. Por este motivo, é recomendável que se traduza o projeto para o inglês, usando uma das sugestões já mencionadas. Para obter o formulário em inglês, acesse <http:// www.rotary.org/RIdocuments/ en_doc/141en.dot> Se for produzido um resumo correto do projeto, será muito fácil preencher o formulário – praticamente um procedimento de cópia e colagem com o editor de texto (Word).

Apesar do português ser uma das línguas oficiais do Rotary, parece que os projetos enviados em inglês são processados mais rapidamente pela administração da Fundação Rotária

O formulário deve ser assinado na página 5 pelos presidentes (chair) das Comissões Distritais da Fundação Rotária do distrito local e do distrito internacional, bem como pelos governadores dos distritos envolvidos. Na página 7, assinam os presidentes do clube local e do internacional, se os clubes forem os patrocinadores. No caso dos distritos serem os patrocinadores, assinam os presidentes da Subcomissão Distrital de Subsídios (local e internacional) e três rotarianos responsáveis (também local e internacional). Na página 8, assina em nome do clube o rotariano local que ficará responsável pelo projeto. Finalmente, também na página 8, após fazer uma criteriosa análise do projeto, assina o presidente da Subcomissão Distrital de Subsídios – que, por analogia, é como o responsável pelo controle de qualidade em uma indústria. Algumas vezes, enviar o formu14

SETEMBRO DE 2008

lário do projeto para o parceiro internacional assinar traz alguns problemas, pois depende-se dos Correios. Isto pode ser contornado por fax ou e-mail, pois atualmente as assinaturas naquele documento podem ser enviadas através deles. Já o formulário com as assinaturas locais pode ser enviado através do Escritório Brasileiro do RI em São Paulo (Brazil Office). Na Fundação Rotária, o projeto de Subsídios Equivalentes recebe um número de cadastro (neste formato: MG 000000). Se houver alguma correção a ser feita, os responsáveis local e internacional são comunicados. A resposta deve ser imediata. Se o preenchimento do formulário for feito corretamente, o julgamento do projeto acontecerá em até seis meses. Aprovado o projeto, os responsáveis são comunicados através de dois documentos, o Agreement Form e o Payee Form. O primeiro é assinado pelos presidentes dos clubes ou pelas comissões local e internacional dos distritos responsáveis. O segundo é preenchido com os dados de dois rotarianos locais, e de uma conta bancária específica, que será movimentada por eles. Enviados esses documentos, o dinheiro estará na conta indicada dentro de quatro a seis semanas. Recebido o dinheiro, o projeto deve ser iniciado imediatamente. Só aplique o dinheiro se a execução demandar muito tempo, pois muitas vezes os rendimentos são inferiores aos aumentos dos preços dos itens previstos. O responsável deve ser o mais zeloso possível com o dinheiro. É preciso documentar todas as despesas elegíveis e guardar os ex-

tratos bancários, além de fazer periodicamente fotografias datadas. Apresentação dos relatórios A última etapa, e não menos importante, é a de apresentação dos relatórios. Eles podem ser parcial (feito a cada 12 meses) e final (até dois meses após a conclusão do projeto). Os formulários podem ser conseguidos em dois endereços na internet: < h t t p : / / w w w. r o t a r y. o r g / RIdocuments/pt_doc/ mg_report_form_po.doc> ou http://www.rotary.org/RIdocuments/ en_pdf/mg_report_form_write.pdf Se o relatório não for apresentado, o clube e o distrito serão prejudicados, podendo ter cortados os financiamentos da Fundação Rotária. Doações multiplicadas Seguindo esses procedimentos, no ano 2006-07 o distrito 4490 conseguiu a aprovação de 15 projetos no valor de US$ 252.695,00, que beneficiaram comunidades carentes nos estados do Ceará, Piauí e Maranhão. Como o Rotary é continuidade, todos esses projetos foram inaugurados no ano rotário de 2007-08. Para facilitar a elaboração de um projeto, publicamos no site do distrito 4490 <www.rotary4490.org> um passo a passo para se fazer um projeto de Subsídios Equivalentes. Apesar de no ano de 2006-07 as contribuições para a Fundação Rotária do distrito 4490 terem sido mais que o dobro da média dos últimos 20 anos (US$ 78.500,00), nós recebemos, em recursos para o desenvolvimento de projetos, um valor total de mais de três vezes do que doamos. Esperamos que esse exemplo mostre a rotarianos desinformados que nossas contribuições para a Fundação Rotária não vão para os gringos. Elas voltam multiplicadas para os distritos brasileiros – desde que tenhamos projetos. *O autor é EGD e sócio do RC de Fortaleza-Meireles, CE (D.4490).


O coração de Seul Conheça o espírito generoso da capital sul-coreana Janice S. Chambers*

D

omingo é o dia ideal para perambular pelas ruas calçadas de pedra em Insadong, este bairro de Seul fechado ao tráfego durante os fins de semana. Suas vielas estreitas e sinuosas estão repletas de casas de chá, restaurantes, galerias e lojas exibindo toda sorte de trabalho artístico – de conjuntos de chá de celadon (um esmalte verde acinzentado, oriundo da China) aos típicos e multicoloridos vestidos coreanos, tecidos, máscaras e papel para caligrafia feito à mão. Kathleen, minha cunhada, pára para olhar um rico lenço da cor índigo e volta-se rapidamente, olhando por cima do ombro. Tarde demais: Eun Ok Lee, editor sênior da revista The Rotary Korea, já viu tudo. Ele apanha o lenço, leva-o até a caixa registradora e volta com um belíssimo embrulho, que entrega a Kathleen. Estamos há poucas horas em Seul, mas eu posso dizer que já me familiarizei com a generosidade do povo coreano. Uma bela caixa marchetada, cerâmica, palitos entalhados: parece que os nossos anfitriões desejam que tenhamos tudo aquilo que admiramos. Comecei a desconfiar disto pela manhã, quando Eun Ok e Yun Jin Lee, seu editor-assistente, vieram me apanhar e insistiram que eu trouxesse meus parentes. Cheguei a Seul com meu irmão Bill, a mulher dele e o filho, Owen, de três anos. Eles vieram até a Coréia do Sul para pegar e levar para casa a filha que estão em vias de adotar. Esta é a minha segunda viagem a Seul. Em 2003, meu marido e eu fizemos uma viagem memorável até aqui para adotar nosso filho. Essa generosidade não me surpreende. Os rotarianos coreanos

doaram perto de US$ 10 milhões à Fundação Rotária em 2006-07 e vêm patrocinando uma grande variedade de projetos, inclusive um importante projeto 3-H voltado ao plantio de árvores na Mongólia com o objetivo de criar uma cortina natural corta-vento contra as tempestades de areia que vêm do deserto de Gobi. Uma recente edição da The Rotary Korea publicou um verso sobre o Serviço: “Significa dar corpo e alma, sem cuidar do próprio interesse.” O autor do verso e editor-chefe da revista, Jae Yoon Lee, estará comigo em breve, juntamente com Dae Jin Shin, vice-editor chefe. Nesse meio tempo, ele organizou para nós um tour pelos lugares favoritos dele em Seul.

Transporte moderno Fazemos uma caminhada rápida até o metrô que, como tudo em Seul, não é apenas eficiente e bem organizado, mas finamente decorado com obras de arte, fotos em tamanho natural de florestas e agradáveis murais pintados por crianças em idade escolar. Depois de alguns minutos, uma porta de vidro desliza e se abre: o trem chegou, e somos conduzidos em silêncio e tranqüilidade até Insadong. Na nossa caminhada pela rua principal, escutamos o rugido de uma multidão. Um homem vestido de branco, com um avental amarelo e uma faixa branca na BRASIL ROTÁRIO

15

§


cabeça, segura um martelo gigante de madeira numa grande tigela, também de madeira, cheia de bolos de farinha de arroz. Eun Ok me encoraja gentilmente, mas com insistência. Não tenho escolha e acabo levantando o martelo, que cai, para meu desapontamento, fazendo um ruído chocho – para a diversão de todos. Mas eu me contento com a recompensa: bolos de arroz doce, cozidos na beira da calçada. Como toda a comida de rua coreana, são deliciosos. Há bolos de arroz caramelizados, cozidos, mascavados, batatas doces fritas, espetos suculentos e muito mais coisa. Outros tipos de comida também podem ser achados, como tiras gigantes de lula seca e larvas de bicho-da-seda. Para mim, elas têm gosto de mofo, mas dizem que as crianças coreanas devoram-nas como pipoca. Depois de uma parada no Templo Jogyesa, quartel-general dos templos budistas, os editores convidam meus familiares para almoçar. Vamos até o Restaurante Poong-Kyoung, numa hanok, a tradicional casa coreana. Na porta, tiramos os sapatos e subimos numa plataforma, sentando-nos sobre almofadas vermelhas num chão macio. O almoço é sofisticado. Há pelo menos 100 diferentes pratos, todos apresentados com primor. No meio da refeição, meu sobrinho Owen olha em volta, estende as mãos embaraçado e indaga: “Onde estão as cadeiras?” Tudo é tão tranqüilo e confortável que é fácil para os ocidentais esquecerem onde estão. E então um pedaço escaldante de kimchi (um prato típico coreano) serve como lembrete de que esta é uma sociedade com 5.000 anos de idade e algumas tradições culturais muito marcantes.

Cidade de contrastes Seul está cheia de surpresas, com a tradição e a modernidade convivendo juntas em todos os cantos – mesmo aqui, numa das áreas mais bem preservadas da cidade. Embora a cidade tenha praticamente sido posta abaixo durante a Guerra da Coréia, entre 1950 e 1953, a região de Insadong sobreviveu. Atualmente, Seul é uma cidade com 10 milhões de habitan16

SETEMBRO DE 2008

ROTARY NA CORÉIA Na Coréia do Sul existem 1.338 clubes, agrupados em 17 distritos. Jae Yoon Lee pertence ao Rotary Club de Daegu-Dongshin, que se reúne às quintas-feiras às 19h, em Daegu. Dae Jin Shin é associado do Rotary Club de Seul-Pukak, que se reúne às terças-feiras às 12h30. Consulte a seção Localizar Rotary Clubs no site <www.rotar y.org> ou o Official Directory para obter mais informações.

tes, no país mais informatizado do mundo, e onde os arranha-céus debruçam-se sobre prédios antigos, portões e templos. Em Jeontong Dawon, uma tradicional casa de chá, perco-me na tentativa de ler as elaboradas descrições do que cada tipo de chá tem a oferecer – vida longa, força, equilíbrio emocional, paz, estômago forte, bom humor, uma boa noite de sono. Acabo escolhendo o yujacha, o chá de limão que promete ser energizante. Com um sabor profundo, o chá é espesso e servido com delicadas fatias da casca da fruta, e adoçado na medida certa. Nunca havia provado um chá igual àquele, e sinto, de fato, que estou cheia de energia. Foi uma ótima escolha, porque nosso tour acaba de ser retomado. Seguimos até o Palácio Gyeongbokgung – também conhecido como o Palácio da Felicidade Resplandecente – e em seguida vamos ao Museu Nacional do Palácio da Coréia, localizado ali perto e reaberto recentemente. Com um acervo de mais de 40.000 artefatos, o museu é muito organizado. Aliás, mesmo no ruidoso Mercado Namdaemun, que visitamos outro dia, com seus 600 anos, as 10.000 lojas são meticulosamente ordenadas. Em seguida, fizemos uma viagem no tempo até uma nova maravilha arquitetônica da Coréia do Sul, o Cheonggyecheon Stream, inaugurado no final de 2005. Este riacho simbólico, coberto com concreto, é um ponto de encontro popular em Seul.

Owen finalmente cansou-se e nos despedimos de Kathleen e Bill. (No vôo de volta, eles me contam o que este dia significou para eles. Na qualidade de pais em uma nervosa expectativa, eles puderam estabelecer uma conexão pessoal com o local de nascimento da filha.) Logo, os editores e eu nos encontramos com Jae Yoon e Dae Jin, para uma apresentação de “Jump”, esta sensação mundial que combina muita comédia com acrobacia e artes marciais, como o tae kwondo e o “drunken boxing” – uma combinação da série de TV “The Honeymooners”, dos anos 50, com o filme “O Tigre e o Dragão”. A platéia, que reúne desde crianças até seus avós, explode em gargalhadas. Este é um lado da cultura coreana que eu jamais teria conhecido se não fossem os meus guias rotarianos.

Crescimento do Rotary Durante o jantar, no topo de uma das mais altas torres de Seul, aproveitamos as impressionantes vistas da cidade e discorremos sobre o surpreendente crescimento do Rotary na Coréia do Sul. “O editor-chefe Lee fundou 25 Rotary Clubs durante seu ano como governador”, conta-me Dae Jin. De 2004 a 2006, o Rotary da Coréia aumentou seu quadro social de 40.000 para quase 55.000 sócios, situandose, atualmente, entre os quatro maiores países do mundo em número de sócios. A revista The Rotary Korea chegou recentemente a sua 100ª edição. “Estivemos muito envolvidos com o projeto da Mongólia. O editor Lee visitou o país recentemente”, diz Dae Jin. Então, os editores contam-me sobre um EGD sul-coreano que ficou paralítico por causa de um acidente de carro na Mongólia quando participava do projeto. Eles querem que todos tomem ciência do seu sacrifício. “Sabemos o que é o sofrimento”, afirma Dae Jin. “Sobrevivemos a uma guerra. Agora, chegou a nossa vez de ajudarmos os outros”. *A autora é vice-editora sênior da The Rotarian. Tradução de Eliseu Visconti Neto.


VALDIR SCHIMIDT, companheiro do Rotary Club de Colatina-São Silvano, ES (D.4410) recebeu o título de Cidadão Colatinense das mãos do vereador e EGD Luiz Antonio Murad.

COMEMORANDO 233 anos, a Polícia Militar de Minas Gerais outorgou sua maior comenda, a Medalha Alferes Tiradentes, ao EGD Luiz Carlos D’Antonino, sócio do Rotary Club de Viçosa, MG (D.4580). À esquerda, está o tenente coronel José Carlos Gomes Saraiva, comandante do 21o Batalhão da PM mineira, com sede em Ubá.

OUTRA HOMENAGEADA pela Câmara Municipal de Aguaí com o título de Cidadã Aguaiana foi a companheira Rosa Pereira de Araújo, também do Rotary Club de Aguaí, SP (D.4590). Ela aparece entre o presidente da Câmara Municipal, o vereador Pedro Biazzo Filho; o vereador Wilson Correia Silva e a mulher dele, Glécia; e seu filho, José Alexandre Pereira de Araújo.

Rotarianos que são notícia

ASSOCIADO DO Rotary Club de Fortaleza-Barra, CE (D.4490) Roberto Gaspar (primeiro à direita) foi empossado como sócio efetivo da Academia Brasileira de Hagiologia (Abrhagi), instituição dedicada ao estudo dos santos, candidatos à honra dos altares e movimentos messiânicos. Na foto, aparecem ainda, a partir da esquerda, Marlene Mindelo e o marido, o vereador de Fortaleza Paulo Mindelo, e as rotarianas irmã Elisabeth Silveira – que na mesma solenidade foi empossada no Conselho de Honra da Abrhagi – e Matusahila Santiago.

WILSON ZERBINATTI (primeiro à direita), companheiro do Rotary Club de Aguaí, SP (D.4590) foi homenageado com o título de Cidadão Aguaiano em reconhecimento aos relevantes serviços prestados ao município. Na foto também aparecem, a partir da esquerda, o vereador Pedro Biazzo Filho, presidente da Câmara Municipal; Jandira Zerbinatti, mulher do homenageado; e o vereador Adalberto Fassina. FOI EMPOSSADO como diretor delegado da Regional Metropolitana Norte da FecomércioRS, o companheiro Attílio Stopasola, do Rotary Club de Canela, RS (D.4670), que aparece à esquerda na foto, ao lado do presidente da Fecomércio-RS, Flávio Roberto Sabbadini.

POR OCASIÃO das comemorações dos 50 anos do Hospital Evangélico de Cachoeiro do Itapemirim (HECI), a Assembléia Legislativa do Espírito Santo concedeu ao EGD Marinho Salviano da Costa, fundador do hospital e sócio do Rotary Club de Cachoeiro do Itapemirim, ES (D.4410) a Comenda Domingos Martins. Como médico e cirurgião, ele presidiu o HECI ininterruptamente ao longo de 33 anos. Na foto, Marinho aparece recebendo a homenagem entre a mulher, a EGD Izabel Lacerda Salviano da Costa, também fundadora do hospital, e o deputado e rotariano Theodorico de Assis Ferraço, autor da proposta.

ELIRIO TOLDO (centro), associado do Rotary Club de Erechim, RS (D.4700) foi homenageado pela Câmara de Vereadores local com o título de Cidadão Erechinense. Participaram da homenagem os vereadores Ernani Mello, autor da proposta, e Carlinda Poletto Farina. O COMPANHEIRO Celso Gonçalo recebeu o título de Cidadão de Santa Rita, município do Maranhão. Ele foi o presidente 2007-08 do Rotary Club de São LuísJoão Paulo, MA (D.4490).

BRASIL ROTÁRIO

17


Foto: Cortesia Nasa

Capa

18

SETEMBRO DE 2008


O astronauta Digby Diehl*

nuou a colaborar com a Nasa e com a Força Aérea em diversas funções, até aposentar-se do serviço ativo em 1972. Desde então, Edwin Aldrin – que é rotariano honorário – já apareceu em muitas produções televisivas e cinematográficas, e ainda está envolvido com a exploração espacial. Em 1995, ele fundou a Starcraft Enterprises, uma empresa de tecnologia aeroespacial que projeta lançadores de foguetes reutilizáveis. Em 2001, ele foi indicado pelo presidente George W. Bush para a Comissão do Futuro da Indústria Aeroespacial Norte-Americana. No ano passado, Aldrin participou do documentário “In the Shadow of the Moon” (“À Sombra da Lua”, em inglês). Nesta entrevista concedida a Digby Diehl, conhecemos alguns detalhes sobre a histórica missão da Apollo 11, que completará 40 anos em 2009, e sobre as imagens produzidas por Buzz Aldrin na superfície lunar.

Buzz Aldrin,

No dia 20 de julho de 1969, quando Edwin “Buzz” Aldrin e Neil Armstrong desceram na Lua com a Apollo 11, nossa concepção sobre o universo e o papel da Terra nele mudaram para sempre. A carreira de Aldrin foi destacada desde o início. Depois de conquistar o bacharelato em ciências em West Point, e em terceiro lugar, ele se tornou segundo tenente da Força Aérea Americana em 1951. Aldrin participou da Guerra da Coréia e de outras 66 missões pilotando um Sabre F-86, com o qual abateu dois MIG-15. Depois de completar o doutorado em astronáutica no MIT (Massachusetts Institute of Technology), ele retornou à Força Aérea e, em outubro de 1963, foi selecionado para participar do programa de viagens espaciais norte-americano como membro da terceira classe de astronautas da Nasa. Quando concluiu o vôo histórico à Lua, Buzz Aldrin conti-

da Apollo 11, olha além

do horizonte

BRASIL ROTÁRIO

19

§


DIGBY: Tanto as fotos que você fez no espaço sideral como as que Lennart Nilsson (fotógrafo e cientista sueco) produziu do interior do olho humano apresentam um traço peculiar: elas conseguem reunir beleza e pesquisa científica. Você estava consciente dessa combinação ao fazer aquelas fotos na Lua? BUZZ ALDRIN: Naquela época, estávamos maravilhados com a beleza do universo e com as fortes imagens da superfície lunar. No entanto, o motivo principal das fotos foi documentar nossa visita à Lua e registrar imagens da Terra e do espaço que até então nenhum ser humano havia visto. Por causa das condições de iluminação, muitas das imagens foram feitas de dentro do módulo lunar enquanto estávamos indo em direção à Lua. É claro que as fotos também desenvolveram nossas idéias sobre o espaço e o tempo, além de terem fornecido algumas informações científicas importantes, como eu acho que também são o caso das imagens do Telescópio Espacial Hubble. São muitas imagens espetaculares, que ampliaram nossa compreensão sobre o que existe lá fora no espaço. Quando a Nasa finalmente lançar o Telescópio Espacial James Webb, daqui a alguns anos, iremos aprender ainda mais. Uma das fotos mais fascinantes é a da sua pegada na superfície lunar. Como você fez aquela imagem? Eu estava fascinado pela forma clara e exata como as botas deixavam suas marcas no solo lunar. Como você deve saber, a Lua é coberta por uma poeira muito fina, com a consistência de um talco. Achei aquilo muito peculiar e pensei que precisava voltar para casa com uma boa foto de uma pegada da bota na Lua. Foi aí que, em vez de fotografar uma pegada que estivesse feita, procurei uma área relativamente plana e, segurando a câmera na altura da cintura, produzi uma imagem da área onde eu colocaria meu pé, de forma a ter uma imagem da superfície antes de pisar. Em seguida, dei um passo atrás e fiz outra foto. “Esta é uma visão muito isolada”, pensei. E fiz outra pegada – mas em seguida movi o pé ligeiramente, numa foto-

20

SETEMBRO DE 2008

grafia em que se pode ver a bota e a extremidade de uma pegada. Aquela foi, portanto, uma seqüência de três fotos que eu imaginei que seriam úteis. É claro que a pegada sozinha é mais simbólica, porque ela permaneceu por lá, ao contrário de quem usava aquela bota e precisou retornar à Terra. Como você sentiu a superfície da Lua ao pisar nela? Antes de mais nada, é preciso considerar o fato de que a força gravitacional na Lua é um sexto da que temos na Terra. Depois, deve-se levar em conta a própria consistência da bota, que era uma espécie de galocha muitíssimo acolchoada, que acabou produzindo um efeito de amortecimento nos pés. Meu pé estava tão protegido que não recebia praticamente nenhuma transmissão vinda da superfície lunar. No fundo, era como se eu estivesse caminhando com enormes pantufas. O que teria causado aquelas sombras tão compridas que podem ser observadas nas fotos? Quando as imagens foram feitas, o Sol estava, provavelmente, num ângulo de 11 a 13 graus no horizonte lunar. Escolhemos aquele ângulo de elevação por trás de nós porque, circulando a Lua como fizemos, sob um ponto de vista a partir da Terra, da direita para a esquerda, iria parecer que nós a estávamos atravessando. Se observarmos o mapa da Lua, é como ir do leste ao oeste. O Sol se poria à direita – ou no leste – em seu ângulo de elevação, e por isso produziria sombras bem compridas, e nós então poderíamos enxergar através das crateras e divisar as sombras de diferentes delas. Se a foto fosse feita num ângulo maior que aquele, o Sol eliminaria todas as sombras visíveis naquele ângulo de aproximação. Nossa intenção era capturar todo aquele relevo agudo, daí o ângulo reduzido do Sol na chegada à Lua. Todos esses detalhes também significam que, para descermos num determinado local na Lua, temos uma janela de somente poucos dias para o lançamento a partir da Terra.


DA ESQUERDA para a direita: Neil A. Armstrong, comandante da missão; Michael Collins, piloto do módulo da missão; e E. Aldrin Jr., piloto do módulo lunar

§ Foto: Keystone

Fotos: Cortesia Nasa

BRASIL ROTÁRIO

21


Outra foto extraordinária é a imagem da Terra vista sob a perspectiva da curvatura lunar. Muitas daquelas imagens foram feitas quando ainda estávamos em órbita, antes de descer na Lua. No local onde tocamos a superfície lunar, a Terra estava a cerca de 24 graus na vertical, o que já é um ângulo bem grande. Isto significa 66 graus da horizontal, o que é maior ainda. Quando se usa o traje espacial, fica muito difícil olhar para cima, por causa do capacete. Assim, fica muito complicado inclinar o corpo para trás para fazer uma foto e manter a Terra enquadrada, porque ela estaria muito alta. Deve ter sido um problema fazer aquele tipo de foto usando luvas, traje espacial e capacete. Você tinha alguma câmera especial? Sim, uma Hasselblad sueca, idêntica às usadas na maioria dos primeiros vôos espaciais, desde a metade do Programa Mercury. É um equipamento muito bom. E a foto que você tirou de Marte? Ela tem algum significado especial para você? Tem sim, sem dúvida, pois eu acho que existe uma

possibilidade de colonizarmos Marte nos próximos 30 anos. Tudo vai depender das medidas que tomarmos desde já e da capacidade de manutenção do impulso que iniciamos no desenvolvimento de foguetes e espaçonaves capazes de se movimentarem além da órbita da Terra. No processo de retorno à Lua, aprenderemos mais sobre alguns detalhes necessários para sustentarmos nossas atividades em Marte. Assim, toda vez que olho aquela foto de Marte, penso na possibilidade de chegarmos ainda mais longe no universo. Você tem alguma mensagem especial para os rotarianos? Gostaria de dizer que o símbolo e as palavras que definem essa organização – coisas que rodam – me deixam muito feliz, porque existe muita rotação no universo. O mundo está girando, e cada objeto parece estar em órbita em torno de algum outro. É assim que funciona o espaço, e eu acho a palavra Rotary muito descritiva a esse respeito. * O autor é jornalista e colaborador da The Rotarian. Tradução de Eliseu Visconti Neto. Foto: Cortesia Nasa

”Acho que existe uma possibilidade de colonizarmos Marte nos próximos 30 anos”

22

SETEMBRO DE 2008


Sérgio Afonso

Prêmio à grande vencedora

O

trabalho classificado em primeiro lugar no recente 15º Concurso de Monografias para Professores é de autoria de Michelle de Souza Evangelhista, que leciona na Escola Técnica de Enfermagem São Francisco de Assis, no Rio de Janeiro. Ela fez jus ao Prêmio Senador José Ermírio de Moraes, inesquecível companheiro rotariano, no valor de R$ 5.000,00. Essa promoção é realizada anualmente pela Brasil Rotário em parceria com a Folha Dirigida, jornal que é um baluarte da Educação em nosso país. A grande vencedora aparece à

esquerda recebendo o diploma e o cheque do seu merecido prêmio das mãos da EGD Adélia Villas, numa plenária do RC Rio de Janeiro-Galeão, RJ (D. 4570). Ao centro, o coordenador da promoção, EGD Edson Avellar da Silva.

O

utra salva de palmas para os fundadores do RC de Campo Bom, RS (D. 4670), em 1957. Eles são Armim Rudy Blos (acima) e Evaldo Dreger.

S

ão três associados que têm uma coisa em comum: fundaram o RC de Tatuí, SP (D. 4620) há 60 anos. A partir da esquerda, acima, os ainda enxutos Simeão José Sobral, Milton Stape (centro) e Paulo Ribeiro (ao lado). Uma salva de palmas para esses três companheiros!

S G

e você tem 50 anos de Rotary ou mais, envie sua foto sozinho para a Brasil Rotário: E-mail: redacao@brasil-rotario.com.br Endereço postal: Avenida Rio Branco, 125 – 18o andar Centro – Rio de Janeiro – CEP: 20040-006 BRASIL ROTÁRIO

23


D

DESTAQUES DAS DECISÕES A quarta e última reunião de 2007-08 do Conselho Diretor (CD) do RI foi realizada entre os dias 06 e 10 de junho em Evanston, Illinois, EUA. A primeira reunião do ano rotário 2008-09 ocorreu no dia 19 de junho em Los Angeles, na Califórnia. Nesses encontros, o CD examinou os relatórios de 17 comissões e tomou 103 decisões.

REUNIÃO

DE JUNHO DE

Clubes e distritos G O CD abriu as Ilhas Wallis e Futuna (território insular da Polinésia Francesa no Pacífico Sul) para a expansão rotária, fazendo-as parte do distrito 9920. O CD também pediu ao Comitê de Expansão Rotária para os Países do Oriente Médio e Mediterrâneo que prosseguissem nos seus esforços em Omã, Qatar, Kuait, Iêmen e outros países da região. G Com relação às eleições em nível distrital, concordou que os “distritos podem adotar um sistema voluntário de rodízio de funções entre seus integrantes; porém, os candidatos que não concordarem com esse processo não podem ser excluídos da candidatura pela Comissão de Indicação ou pelo voto dos clubes. As ações que conduzam à exclusão de um candidato ou venham a influenciar a eleição com base no sistema de rodízio não serão permitidas.” G Ao rever a política de reembolso de pagamentos aos governadores, concordou em continuar realizando-a nas moedas locais, desde que o RI as possua. Quando o RI não as possuir, escolherá um câmbio alternativo. G De agora em diante, os governadores indicados poderão ser reembolsados na sua alocação de verbas para as despesas com as viagens necessárias à escolha do local para a conferência distrital, o que só ocorria com os governadores elei24

SETEMBRO DE 2008

2008

tos. Nos seis meses antes de tomar posse, um governador eleito poderá submeter as despesas feitas com a compra de software para uso de assuntos do Rotary, dentro da sua alocação de verbas. G O CD adotou normas de procedimento geral para os clubes que desejarem abdicar de sua filiação ao RI, as quais podem ser encontradas no Código Normativo do Rotary, seção 2.010.4. G Examinou uma proposta de elearning para o RI e, reconhecendo seu valor como estratégia efetiva de treinamento, aumentou o apoio financeiro a essas iniciativas. Administração e finanças do RI G O CD realinhou as 34 zonas e seções, conforme a reunião de janeiro de 2008, e indicou uma comissão para estabelecer um cronograma de transição para a nova estrutura zonal. Em junho, o CD havia feito pequenas modificações nos limites das zonas e determinou que elas terão efeito a partir de 1º de julho de 2009. A nova estrutura, portanto, não afetará os Institutos Rotários de 2008-09, as comissões do RI e da Fundação, e outros compromissos. G No entanto, para a escolha dos diretores e do próximo presidente do RI, de acordo com a estrutura revisada das zonas em 2009-10, as comissões de indicação serão formadas a partir da estrutura zonal revisada,

O Conselho realinhou as 34 zonas e seções, e indicou uma comissão para estabelecer um cronograma de transição para a nova estrutura zonal começando em 1º de julho de 2008. O CD adotou ainda nesta reunião um cronograma de revezamento para a indicação de futuros diretores do RI. G O CD designou os convocadores, datas e locais das reuniões para as comissões de indicação de diretores do RI que haviam sido estabelecidas em 2007-08, e se reunirá neste mês


Saneamento; Saúde Materna e Infantil; Educação Básica e Alfabetização; e Economia e Desenvolvimento Comunitário. G O CD adotou diversas decisões para fortalecer seu comprometimento com a segunda Avenida de Serviços (Serviços Profissionais). Elas incluem o incentivo aos clubes para informar os rotarianos sobre a real importância do serviço profissional; programar seminários distritais de serviços profissionais; organizar seminários para os coordenadores de serviços profissionais de clubes e distritos, e programar grupos de discussão para a troca de informações e de experiências sobre os serviços profissionais. O CD solicita que os casos de sucesso no campo de serviços profissionais sejam incluídos todos os anos nos Institutos Rotários, na Assembléia Internacional e na Convenção Internacional.

REUNIÃO DE JULHO DE 2008 Foram dadas as boas-vindas à indicação de Monty J. Audenart como vice-presidente 2008-09 do RI e de Bernard L. Rosen como tesoureiro 2008-09. O CD ainda elegeu Paul A. Netzel como chefe do Comitê Executivo. G Ratificou, formalmente, a indicação feita pelo presidente D. K. Lee de William B. Boyd, John F. Germ e Samuel A. Okudzeto para curadores da Fundação Rotária. G Atendendo à recomendação do presidente Lee, estabeleceu as comissões e grupos de recursos 200809 do RI e aprovou seus termos de referências. G Concordou que as zonas recentemente alteradas 4, 6, 10, 13, 17, 22, 26, 29 e 30 escolherão comissões em 2008-09 que indicarão os diretores do RI a serem eleitos na convenção de 2010 do RI. G Confirmou o orçamento 2008-09 do RI com receitas de US$ 86,4 milhões e despesas de US$ 86,2 milhões. G E aprovou o orçamento 2008-09 da Fundação Rotária, compreendendo US$ 87,8 milhões para todos os programas da instituição, cujas despesas virão das contribuições irrestritas ao Fundo Anual de Programas. G

de setembro para designar os diretores indicados que serão eleitos na Convenção de 2009 do RI, em Birmingham, na Inglaterra. Os diretores escolhidos serão das zonas 3, 8-B, 10, 12, 26, 31 e 34. O CD acrescentou os seguintes dispositivos às diretrizes de viagens dos voluntários do RI: G Para desfrutar de descontos nas compras, os viajantes financiados deverão contatar o Serviço de Viagens do Rotary International (RITS, em inglês), tão logo recebam a autorização oficial. A autorização deverá incluir o custo e o número da conta do RI ou da Fundação Rotária que está custeando a viagem. Esses números deverão constar do formulário de viagem. Todos os bilhetes de viagem deverão ser emitidos até 16 ou 24 dias antes das viagens domésticas ou internacionais, respectivamente.

Para apoiar o Desafio de US$ 100 Milhões do Rotary, feito pela Fundação Gates em prol da erradicação da pólio, o CD aprovou a alocação dos royalties sobre os cartões de afinidade pelos três próximos anos fiscais (até 30 de junho de 2011).

G

Programas do RI, comunicações e recompensas Na revisão do Plano de Visão Futura adotado pelos curadores da Fundação Rotária na reunião de abril de 2008: G O CD aprovou o plano de focos em seis áreas, com seu início em 1º de julho de 2010 para distritos-piloto (a serem indicados oportunamente) e encoraja todos os clubes e distritos a conduzir projetos e atividades nessas áreas. Elas são: Paz e Prevenção/Resolução de Conflitos; Prevenção e Tratamento de Doenças; Água e

BRASIL ROTÁRIO

25


A. Santos

A pátria e nossa Independência A celebração da Semana da Pátria é um momento oportuno para reavivarmos os conceitos fundamentais de pátria e patriotismo Ivo Arzua Pereira* átria, a meu ver, é a herança ou legado de natureza fisiológica, biológica, social, econômica, política, cultural e histórica transmitida dos ascendentes aos descendentes que integram o povo de uma nação livre e soberana”. Herança ou legado, sim, porque esses vocábulos designam tudo o que é possuído por hereditariedade, ou seja, pela transmissão de bens e caracteres físicos, intelectuais, espirituais, morais, cívicos e históricos dos ascendentes aos seus descendentes. Portanto, nós, brasileiros, somos os privilegiados herdeiros desta maravilhosa pátria, a nós legada pelos nossos ancestrais graças ao seu fecundo trabalho e ao seu acendrado devotamento às

“P

26

SETEMBRO DE 2008

nobres causas do nosso povo e do nosso país. Entre muitos e muitos brasileiros que engrandeceram e honraram nossa pátria, numa pequeníssima, incompleta, mas significativa amostra, desfilaram pela nossa memória o pioneirismo, a fibra e a tenacidade do nosso descobridor Pedro Álvares Cabral; a argúcia política e a convicção patriótica de um José Bonifácio de Andrade e Silva, a ensinar que “a política é filha da moral e da razão”; a capacidade de renúncia e o heroísmo de um Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes; a visão do futuro e o ímpeto corajoso de D. Pedro I, responsável pela nossa primeira Constituição; a piedade cristã, a fé inquebrantável e a devoção ilimitada de um Padre Anchieta; a delicadeza de sentimen-


tos e a magnanimidade da Princesa Isabel; a eloqüên- que estimula cada cidadão a cumprir seus deveres com cia partidária de um Benjamin Constant; o desprendi- a família, com a profissão, a sociedade, a comunidade mento e o agudo senso do dever de um Deodoro da e o país. Mas o que é “amor”? Principalmente para nós, Fonseca; a competência e a finura diplomática de um Barão do Rio Branco; a genialidade intelectual, o ver- rotarianos, a palavra amor traz sempre consigo a bo flamante e o patriotismo de um Rui Barbosa, a Águia conotação de servir, isto é, de participar ativamente, de Haia; a dedicação científica de um Osvaldo Cruz; e não ficar apenas no desejo ou interação na realizao espírito indomável e desbravador de um Cândido ção do bem a outrem ou a alguma coisa, exatamente Rondon; a vocação inventiva, a objetividade e a intre- como agem os rotarianos de todos os Rotary Clubs do pidez de um Alberto Santos Dumont; a bravura e a Brasil e do mundo com o objetivo de tornarem uma arguta visão de estrategista naval de um Tamandaré; a esplendorosa realidade o Ideal de Servir, criando pescombinação das altas virtudes de estadista e de chefe soas melhores, que vivam vidas melhores num munmilitar de um Duque de Caxias e a sensibilidade e do melhor. Alguém já disse: “Quem não vive para servir, não combinação de talento poético e amor pelo Brasil de serve para viver”. Portanto, caros comum Olavo Bilac. panheiros rotarianos, vamos continuE, como toda herança, sua preserPatriotismo é ar cultivando o patriotismo, servindo vação e sua evolução dependem da com extremado amor a nossa pátria. capacidade de trabalho, do empenho, o sentimento do talento, da dedicação e do apego cívico que O Arquiteto do Império sentimental demonstrado pelos respecestimula o A nossa estremecida pátria brasitivos herdeiros. Assim como muitas cidadão a leira, que recebemos como herança heranças familiares são malbaratadas coletiva de nossos antepassados, sopelos herdeiros em pouco tempo em cumprir os mente realizou-se com a nossa Indevirtude do seu desamor pelo legado seus deveres pendência, em 07 de setembro de recebido, da sua incompetência, da com a família, 1822, e com a promulgação da Conssua apatia e omissão e do seu caráter tituição de 25 de março de 1824, que dissipador, há pátrias que também são a profissão, a criou o Império do Brasil, ou seja, o assim destruídas. sociedade, a Estado Brasileiro. Mas há outras heranças que são comunidade Portanto, nesta celebração da Secontinuamente fortalecidas, consolidae o país mana da Pátria de 2008, nada mais das, ampliadas e enriquecidas pelos justo do que dedicar alguns instantes respectivos herdeiros em função do amor que lhes dedicam e da permanente aplicação à memória do arquiteto da nossa Independência e Pai de sua inteligência, senso de responsabilidade, capa- das Nossas Liberdades Constitucionais. Para isso, socorricidade, confiança em si mesmos e da sua inabalável fé me de uma consagrada fonte histórica: o livro “As Quana grandiosidade do legado que receberam e que, ar- tro Coroas de D. Pedro I”, de autoria do embaixador dentemente, desejam transmitir a seus descendentes Sérgio Corrêa da Costa. Diz o inesquecível chanceler muito mais fortalecido e valorizado, tal como aconte- Oswaldo Aranha, autor do prefácio desse livro: “Dos nossos dois imperadores, D. Pedro I era, até ce às pátrias que vêm se agigantando e perenizando no concerto das demais pátrias do mundo. Portanto, bem pouco tempo, o que menos simpatia e menos no nosso entendimento, patriotismo é a consciência justiça encontrava no julgamento da História. As suas do dever irrecusável que temos – cada um de nós, lutas e paixões, os seus rasgos de caráter, como que brasileiros – de consolidar, fortalecer e aprimorar ain- vinham até nós e faziam perdurar a superficial animadda mais essa fantástica herança que recebemos de versão de tempos extintos. Felizmente, hoje já se rennossos venerados ancestrais: nossa estremecida pátria de inteira homenagem ao seu heroísmo e à sua bondade, ao seu gênio cavalheiresco de consciente Arquibrasileira. Sabemos que patriotismo é a permanente manifes- teto do Império, de Pai das Nossas Liberdades Constitação do amor à pátria, ou seja, é o sentimento cívico tucionais e de ‘defensor de tronos legítimos’”. BRASIL ROTÁRIO

27


“Das quatro coroas de D. Pedro I, houve duas que ele não chegou a levar à cabeça, porque as recusou: a da Grécia, em 1822 (ainda então Príncipe Regente e Defensor Perpétuo do Brasil) e a da Espanha, por três vezes: em 1826, 1829 e 1830”. “Sua fidelidade à raça de que foi símbolo e flor tornou-o indiferente às simples aventuras da ambição. Nem a Grécia, com todo o seu passado imortal, nem a Espanha, com o luxo da sua riquíssima tradição peninsular, puderam fazê-lo desviarse da linha instintiva: viver para o Brasil, morrer por Portugal”. Apesar desses méritos incontestáveis do nosso Libertador, era tal seu amor pelo Brasil que ele ainda se sentia frustrado e irrealizado, como registra em sua comovente carta in extremis, concluída às quatro horas da madrugada de 23 de setembro de 1834, dia da sua morte, no Palácio de Queluz, em Portugal, da qual extraí os trechos a seguir: “Mas o foro interior me acusa de ter parado na metade da tarefa. Sem dúvida, eu vos suavizei o caminho da Independência; eu vos salvei da horrenda anarquia que devora os vossos vizinhos; eu vos dei um pacto social concorde com a vossa civilização e que, reformado à proporção que esta civilização progredir, corresponderá a todas as exigências de vosso futuro; porém, não era bastante redigir e promulgar esta Constituição; preciso fora dar-lhe o indispensável andamento, todas as leis orgânicas e códigos de que em parte careceis depois de 12 anos... (Omissis)... Isto não fiz; com a Constituição que eu dera, cuidei que tudo estava feito, e que eu podia descansar sob sua égide, à moda dos reis que nasceram em 28

SETEMBRO DE 2008

tão feliz posição; era pedir sombra à árvore apenas plantada, e que ainda não criara raízes e folhagem”. Angustiado, continua o imperador D. Pedro I em sua carta-testamento: “Preciso fora extirpar todos os abusos; renovar as notabilidades; levar o progresso a todos os ramos de existência social; tomar a iniciativa de todo o melhoramento; pegar eu mesmo na espada, quando se combatia; no mercado, para romper as matas,

A Bandeira Nacional é sempre aquela emocionante e inesgotável fonte geradora de fortes emoções e de imortais atos de renúncia, bravura e heroísmo

e na enxada e pá, para abrir estradas e canais; agarrar no leme das embarcações a vapor, para subir os rios; sentar-se na cadeira de lente para instruir a mocidade e, finalmente, correr incessantemente de uma extremidade à outra de vosso imenso território para enxertar, em toda parte, a vida e a civilização”. Eis aí, pois, caros companheiros, o aflitivo “desabafo-testamento” de quem, tendo sido o Arquiteto do Império e o Pai das Nossas Liberdades Constitucionais, despedindose da vida, penitenciava-se por não ter completado sua imortal obra para legar ao nosso povo uma he-

rança muito mais completa e ainda mais preciosa. A pátria e seus símbolos Segundo Stuart Chase, autor da obra “Power of Words” (“O Poder das Palavras”, em inglês), as palavras – símbolos verbais ou gráficos da linguagem – têm o poder de induzir ou condicionar pessoas, grupos de pessoas e até nações a pensarem, agirem ou comportarem-se de modo específico. Assim sendo, a palavra pátria, isoladamente, já tem o dom e o poder anímico de inspirar e influenciar o comportamento humano, gerando excelsos sentimentos e as mais nobres e heróicas ações em sua defesa e para o seu bem e permanente engrandecimento. Além disso, nossa pátria tem três símbolos nacionais que a identificam perante as demais nações do mundo, a representam em solenidades e atos oficiais e servem de evocação e motivação a todos nós, patriotas brasileiros. Os três símbolos do Brasil são: a Bandeira Nacional, o Hino Nacional e o Brasão das Armas da República, todos minuciosamente regulamentados em Lei Federal. Mas, entre os três, a Bandeira e o Hino, pela sua associação com imagens, cores e sons harmoniosos, são os símbolos que mais têm o poder de pátria, como acontece sempre com a execução do Hino Nacional. Prestando reverente homenagem à Bandeira do Brasil na data do seu primeiro centenário, em 19 de novembro de 1989, escrevi: “Tremulando graciosamente no alto de um mastro, acariciada pela brisa matutina ou vespertina; conduzida garbosamente por crianças ou jovens, em paradas estudantis; marcialmente empunhada pelos cadetes ou jovens soldados, em


empolgantes desfiles militares; avançando impavidamente nos campos de batalha, desfraldada por impetuosos soldados; drapejando ao vento, na popa dos nossos vasos de guerra; pintada na fuselagem e asas dos aviões de combate ou, ainda, hasteada vitoriosamente no pódio das grandes competições esportivas, a Bandeira Nacional é sempre aquela emocionante e inesgotável fonte geradora de maravilhosas inspirações; de comovidas lágrimas; de fortes emoções e de imortais atos de renúncia, bravura e heroísmo”. As crianças e os jovens A infância e a juventude são a incomparável e inesgotável fonte geradora das energias do corpo, da mente e da alma que impulsionam e desenvolvem uma nação forte e criam e mantêm uma pátria livre e soberana. Daí porque o Rotary International, através de seus programas, dá especial atenção e carinho àqueles que se destinam às crianças e aos jovens, tais como a campanha Polio Plus, o Intercâmbio de Grupos de Estudo, o Intercâmbio de Jovens, Bolsas Educacionais, Interact e Rotaract, entre outros. Nem toda a riqueza biológica e mineral do mundo pode compararse à renovável e inexorável energia que promana de uma infância sadia e bem educada e de uma juventude esmeradamente preparada para enfrentar os fascinantes desafios de um mundo novo, que está emergindo dos escombros do século 20 para criar no século 21 uma civilização de amor e paz, no inspirado vaticínio do papa João Paulo II. A nós, os mais idosos e experientes, cabe, como impostergável dever patriótico, a tarefa árdua, porém magnífica, de abrir-lhes os

alcandorados caminhos da autorealização e do sucesso familiar, profissional e social, porque não se pode construir uma grande pátria com crianças abandonadas e maltratadas e com jovens desorientados, desanimados e vencidos, tal como afirmou o inesquecível presidente Tancredo Neves: “Enganam-se os que imaginam possível levantar uma nação rica e poderosa sobre os ombros de um povo explorado, doente,

A infância e a juventude são a incomparável e inesgotável fonte geradora das energias do corpo, da mente e da alma que impulsionam e desenvolvem uma nação forte e criam e mantêm uma pátria livre e soberana marginalizado e triste. Uma nação só crescerá quando crescer cada um de seus cidadãos no conhecimento, na saúde, na alegria e na liberdade”. Em conseqüência, o supremo dever patriótico da criança e do jovem é a sua auto-realização, com os olhos postos num aurifulgente futuro para nossa pátria. E para essa auto-realização da criança e do jovem, que será também a plena conscientização do nosso ideal de pátria, nada melhor do que seguir os sábios conselhos de Rui Barbosa: “Há estudar e estudar. Há trabalhar e trabalhar. Desde que o mundo é mundo, se vem dizendo que o homem nasce para o trabalho:

Homo nascitur ad laborem”. A batalha é incruenta, mas o prêmio, ao final, é sobejamente compensador e glorificador: uma pátria poderosa, soberana, bela, livre e feliz! De uma maneira sintética, e bem ao estilo de Kipling, peço vênia para repetir aqui o final da “Oração à Juventude”, que pronunciei em solenidade pública no Centro Cívico, na abertura da Semana da Pátria de 1979 (01 a 07 de setembro):

Mensagem ao Jovem do Brasil “Se zelardes pela natureza dadivosa e bela que nos cerca; se preservardes nossos mais caros valores e instituições; se vos impregnardes da índole humanística do nosso povo; se respeitardes a memória dos nossos antepassados; se cultuardes os vultos heróicos da nossa História; se agirdes como eles em defesa dos objetivos nacionais; se desenvolverdes todas as vossas potencialidades; se vos enobrecerdes no estudo e no trabalho digno e produtivo; se vos aplicardes em impulsionar o nosso desenvolvimento; se contribuirdes para elevar o prestígio mundial do Brasil; se estiverdes convictos do fulgurante futuro do nosso país, aí então podereis proclamar com insopitado orgulho: sim, sou seu filho, Pátria Brasil!”

* O autor foi ministro de Estado para a Agricultura, é EGD e associado do RC de Curitiba-Oeste, PR (D.4730). BRASIL ROTÁRIO

29


Monografia premiada

Aquecimento global Como preservar o planeta Terra Esse foi o tema do 15º Concurso de Monografias para Professores Sérgio Afonso

Vamos transcrever um resumo do trabalho que obteve o primeiro lugar no recente 15º Concurso de Monografias para Professores, promoção desta revista em parceria com o jornal Folha Dirigida, baluarte da educação em nosso país. A autora é a professora Michelle de Souza Evangelista, que leciona na Escola Técnica de Enfermagem São Francisco de Assis, no Rio de Janeiro. A comissão julgadora esteve formada por companheiros ligados à área de educação e esta monografia fez jus ao Prêmio Senador José Ermírio de Moraes, no valor de R$ 5.000,00, já entregue à vencedora.

O

aquecimento global é cercado de discussões quanto às suas causas e efeitos. No entanto, dados mais recentes comprovam sua intensificação e a influência das atividades humanas nesse fenômeno crescente. De acordo com o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, no Brasil – para um aumento de 1°C a 3°C na temperatura – até 25% das árvores do cerrado e cerca de 40% das árvores da Amazônia poderiam desaparecer até o final deste século. No caso da soja, há uma redução média de 60% na área para cultivo. No caso do café, o impacto econômico causado pela redução das áreas cultivadas é estimado em US$ 375 milhões por ano. As radiações eletromagnéticas emitidas pelo sol trazem energia para a Terra. No entanto, se chegassem em sua totalidade à superfície do nosso planeta, essa energia o tornaria estéril. A camada de ozônio, localizada na estratosfera, é uma das principais barreiras que nos protegem dos raios ultravioleta. Sem ela, a conseqüência imediata da exposição prolongada é a degeneração celular que desencadeia o câncer de pele. Os casos de câncer de pele registrados entre as décadas de 1950 e 1990 aumentaram 1.000%. O clorofluorcarboneto, ou CFC, 30

SETEMBRO DE 2008

usado em equipamentos para aquecimento e resfriamento e outros produtos químicos produzidos pelo homem, são os grandes responsáveis pela destruição da camada de ozônio. Com o objetivo de reconstituíla, em 1987 mais de 60 países assinaram o chamado Protocolo de Montreal, comprometendo-se a parar totalmente a produção do CFC até 2000. Segundo a Organização Meteorológica Mundial, o Protocolo de Montreal tem dado bons resultados. Em 1824, foi descoberto o efeito estufa, que consiste no processo de absorção e emissão de radiação infravermelha pelos gases atmosféricos do planeta, resultando no aquecimento de sua superfície e atmosfera. Sem ele, a temperatura média da Terra seria cerca de 30°C mais baixa, tornando-a inabitável. A questão é saber como a intensidade do efeito estufa varia de acordo com a atividade humana. As concentrações atmosféricas de CO 2 e CH 4 aumentaram em 31% e 149%, respectivamente, desde 1750 – níveis mais altos do que em qualquer período nos últimos 650 mil anos. Ao longo de 4,5 bilhões de anos, nunca houve um aquecimento tão rápido no planeta. Estudos indicam uma tendência de alta na temperatura e demonstram que os dez recordes ocorreram nos últimos 14 anos.

Um recente estudo faz um alerta: as temperaturas atuais estariam dentro da mesma faixa das registradas em outras fases quentes da história do planeta, e nesses períodos desencadeou-se uma extinção em massa. Segundo conclusão do relatório feito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, a cidade de São Paulo precisaria plantar 78.410.295 árvores por ano para neutralizar o efeito das 15,7 milhões de toneladas de CO2 que a cidade lança na atmosfera anualmente. Em 2006, foram plantadas apenas 0,2% do necessário.

Mundo começa a acordar Durante a Rio-92, foi estabelecida a Convenção do Clima, que tem como meta propor ações para os países desenvolvidos estabilizarem as concentrações atmosféricas dos GEE (Gases de Efeito Estufa). A Convenção entrou em vigor em 1994, contando atualmente com 186 países que têm se reunido para tentar encontrar soluções. Discutido e negociado em 1997, o Protocolo de Kioto é um tratado com compromissos rígidos para a redução da emissão dos GEE. Foi referendado em 2001, quando abrandou o cumprimento das metas através da criação dos sumidouros de carbono. Segundo essa pro-


posta, os países que têm grandes áreas florestadas podem usá-las como crédito e os países desenvolvidos podem transferir parte de suas indústrias mais poluentes para os países onde o nível de emissão é baixo – ou investir nesses países como parte de negociação. O Protocolo de Kioto só entrou em vigor em fevereiro de 2005, depois que a Rússia o ratificou em 2004. Os EUA negaram-se definitivamente a ratificá-lo, de acordo com a alegação do presidente George W. Bush de que tais compromissos interfeririam negativamente na economia norte-americana. Na realidade, todos os países europeus e o Japão ratificaram o protocolo, mas alguns deles já admitem que não conseguirão atingir a meta. O Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) foi criado para auxiliar o processo de redução de emissões de GEE ou de captura de carbono pelos países desenvolvidos. Países em desenvolvimento podem implementar projetos que apresen-

Um recente estudo faz um alerta: as temperaturas atuais estariam dentro da mesma faixa das registradas em outras fases quentes da história do planeta, e nesses períodos desencadeou-se uma extinção em massa tam redução ou captura de emissões de GEE, obtendo Reduções Certificadas de Emissões (RCE), também conhecidas como créditos de carbono, que podem ser negociados no mercado global. O primeiro projeto

de MDL aprovado pela ONU em todo o mundo foi o do aterro sanitário de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, tendo os créditos de carbono sido negociados diretamente com os Países Baixos. O processo de remoção de gás carbônico que ocorre naturalmente em oceanos e florestas por meio da fotossíntese – que captura o carbono e lança oxigênio na atmosfera – é chamado de seqüestro de carbono. O conceito de seqüestro de carbono foi consagrado pela Conferência de Kioto com a finalidade de conter e reverter o acúmulo de CO2 na atmosfera. No documentário-alerta “Uma Verdade Inconveniente”, o político norte-americano Al Gore oferece dados e argumentos veementes de que o clima vem apresentando mudanças drásticas de comportamento. Isso resulta numa constância de furacões, enchentes, seca, praga de insetos e epidemias. O efeito de tudo isso no futuro seria um caos político, econômico e social.

BRASIL ROTÁRIO

31

§


O pioneirismo do Rotary Paulo Viriato Corrêa da Costa, brasileiro e presidente do Rotary International em 1990-91, pôs como prioridade em seu período a conscientização de todas as comunidades atendidas pelo Rotary sobre as necessidades da preservação do meio ambiente. O programa Preserve o Planeta Terra, idealizado por ele e lançado em seu período, foi um dos pioneiros na preservação da Amazônia e do meio ambiente global. Cada visita do presidente Paulo Viriato foi marcada com o plantio de uma árvore, enfatizando seu comprometimento pessoal com o meio ambiente. Em 1996-97, durante o Fórum Rotário da Paz na Antártida, ele esteve presente e levou até o inexplorado continente os princípios de proteção ambiental. O paletó verde característico do ano de sua presidência deu origem à Onda Verde que envolveu todos os rotarianos do planeta. Naquele ano, 35 milhões de árvores foram plantadas ao redor do mundo! De um encontro entre Paulo Viriato e o rotariano do México Jorge Verde, durante a Eco-92, surgiu a idéia de uma maratona ecológica que percorreu os países das três Américas, a Antártida, o Alasca e atravessou o Estreito de Bering, chegando à Sibéria. Cinco anos depois, em 1997, foi oficialmente recebida na sede do RI, em Evanston, e chegou à sede da ONU em Nova York. O Rotaract Club de Guaratuba, Paraná, foi contemplado pelo RI no período 1999-2000 com o prêmio de melhor projeto para a América Latina pela execução do projeto A Mata do Rotaract. A iniciativa obteve o apoio do ecologista Joaquim J. Sales, que doou 60.000 m² onde foram plantadas 200 mudas de 44 espécies ameaçadas de extinção, além de outras, com o objetivo de fortalecer a mata. Mais de 100 pessoas participaram de sua implantação. Centenas de projetos foram e são realizados por rotarianos, rotaractianos e interactianos sob as diretrizes do programa Preserve o Planeta Terra. Alguns visando valorizar a imagem do Rotary, como a Caminhada Ecológica Preserve o Planeta Terra, uma homenagem a Paulo Viriato, iniciativa do RC de Curitiba-Sul. Alguns têm investido em projetos de grande impacto ambiental e social, como o RC de Holambra, que buscou parcerias com a indústria de papel e celulose e com a prefeitura municipal para realizar o projeto 32

SETEMBRO DE 2008

Verde Holambra, objetivando recuperar as matas ciliares, conscientizar a população sobre o uso da água e incentivar a educação ambiental em vários níveis. No Brasil, a cada dois anos acontece o Congresso da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes). Em 1999, no Rio de Janeiro, pela primeira vez foi incluída no calendário oficial do evento uma reunião rotária. A iniciativa foi fruto de uma sugestão trazida da Europa pelo rotariano Jair Meireles Duarte, do RC Rio de Janeiro-Ramos.

É preciso que nós, consumidores, estejamos empenhados na causa da preservação ambiental e atentos aos efeitos de todas as nossas ações. É uma questão de escolha

Em parceria com a prefeitura e a iniciativa privada, os RCs de Garça e Garça Real, do distrito 4510, criaram o projeto Nascentes Vivas com o objetivo de recuperar e preservar a floresta existente na microbacia do córrego de Barreiro, responsável pela captação de água para toda a cidade. Os cinco RCs de Araçatuba, no distrito 4470, com as parcerias do Fundo Nacional do Meio Ambiente e da prefeitura, desenvolveram o projeto Tietê, Onde Estão Tuas Tietas?, visando o resgate e a preservação do rio que atravessa o estado e a cidade de São Paulo. O RC de Santos-Ponta da Praia participou da Maratona Ecológica com o Semente, um projeto feito em parceria com duas escolas da região. O RC de Piraquara deu início ao Projeto Rio Iguaçu: de Três Municípios a Três Nações, com o objetivo de reverter o quadro de degradação do

rio. A iniciativa envolveu os distritos 4640, 4730 e 4840 e mais de 20 parceiros, entre órgãos municipais, estaduais e federais, além da iniciativa privada e de outras instituições. A situação no Brasil Entre os 56 países mais poluentes, o Brasil ficou em oitavo lugar na lista dos que mais lutam contra as mudanças climáticas. Em 2000, com o objetivo de conscientizar e mobilizar a sociedade sobre os problemas da mudança do clima e o MDL, foi criado o Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas. A Mata Atlântica vem sendo devastada desde 1500 e 92% da floresta já sumiram. Trata-se de um hotspot, ou seja, um local com espécies únicas e que está muito ameaçado, com menos de 25% da cobertura original inteira. Dos 25 hotspots no mundo, a Mata Atlântica parece ser a primeira a dar sinais


de reação. Uma das lições brasileiras é a idéia de envolver a população local nas iniciativas, tornando mais fácil desenvolver projetos autosustentáveis. Educação, princípio de tudo Na base de todos os projetos bemsucedidos de preservação ambiental, está a educação. No Rotary, costuma-se dizer que não se ama aquilo que não se conhece. Portanto, se conhecermos melhor nosso planeta, seremos capazes de amar a Terra com tal fervor que nos tornaremos incapazes de ameaçá-la. Investir em educação, em todos os níveis, é o compromisso que deverá ser assumido por todos os setores de todos os países do mundo.

Consumo consciente A humanidade consome atualmente 25% mais recursos naturais do

que a capacidade de renovação da Terra. Uma das propostas mais incentivadas para mudar isso é o chamado consumo consciente. Entre suas atitudes básicas, estão: reduzir, reutilizar e reciclar. Em 24 de dezembro de 1968, na véspera do Natal, no conturbado cenário mundial vivido durante a Guerra do Vietnã, a humanidade parou e olhou para o céu. Feita pela tripulação da Apollo 8, a foto “Earthrise” mostrava a Terra pela primeira vez como ela aparece no espaço. Aquela imagem causou profundas transformações na consciência humana em relação à Terra. A ciência ecológica, por sua vez, remonta ao século 19, época em que o cientista inglês Charles Darwin revolucionou a biologia. A expressão “Ecologicamente correto” é utilizada para designar produtos e serviços gerados com o mí-

nimo de agressão ao meio ambiente. É preciso que nós, consumidores, estejamos empenhados na causa da preservação ambiental e atentos aos efeitos de todas as nossas ações. É uma questão de escolha. Em 2006, uma jovem voluntária alemã estava no Rio de Janeiro trabalhando com crianças carentes e descreveu assim sua experiência em nossas farmácias: “Aqui, eu compro um remédio de nariz que vem em uma caixa e o colocam em um saquinho de papel, e depois em outro saquinho de plástico. E eu digo: ‘Não! Saquinho, não!’, e não entendem. Se eu tiro e o devolvo, me falam: ‘Tem que levar o saquinho plástico porque é propaganda!’ Em meu país, as pessoas levam suas sacolas às compras. Se você quer comprar um saquinho plástico, isso é muito caro, para que você saiba que esses saquinhos são muito ruins para a Terra!” Atualmente, a campanha contra os saquinhos descartáveis começa a se espalhar pelo Brasil. O desenvolvimento sustentável foi o tema da 22ª edição da São Paulo Fashion Week, principal evento de moda do país, em janeiro de 2007. Paulo Borges, diretor artístico do evento, declarou que a ecologia, o ambiente, a inclusão social e o desenvolvimento econômico podem representar o futuro da moda no Brasil. A cada vez que a descarga é acionada, gastam-se em média 12 litros de água. Existe, porém, uma maneira simples de reduzir esse gasto, colocando uma garrafa PET de 2 litros, cheia de água, dentro da caixa d´água da bacia da descarga. Com isso, em um ano, a água economizada é suficiente para matar a sede de 20 pessoas. Já existem descargas mais modernas, com apenas 6 litros de água. Iniciativas como esta mostram que a preocupação com a preservação do meio ambiente vai muito além dos fóruns e conferências. Certa vez, um rotariano que acabara de assumir repentinamente a presidência de um Rotary Club confidenciou: “Estou no Rotary há mais de dez anos, mas jamais havia percebido a força que este distintivo tem. As pessoas lhe ouvem e lhe dão crédito só de ver este símbolo. Este exemplo mostra que ainda existem pessoas que não acordaram para o potencial que trazem nas mãos e para a responsabilidade que o acompanha.” É hora de levantar e, quem sabe, mudar o mundo. Seja atuante! BRASIL ROTÁRIO

33


Aldair de Queiroz Franco e Altimar Augusto Fernandes Coordenadores Regionais da Fundação Rotária para as Zonas 20 (Norte), e 19A e 20 (Sul), respectivamente

Senso de propriedade da Fundação Rotária Um dos pilares do Plano de Visão Futura, o senso de propriedade da nossa querida Fundação Rotária já chegou ao Brasil. É o que tem sido demonstrado pela grande dedicação dos rotarianos de norte a sul do país, que há três anos vêm ampliando paulatinamente suas contribuições à Fundação Rotária e acreditando em seus programas. Senão vejamos:

T

Milhões do Rotary, fazendo assim a nossa parte para honrarmos o compromisso com a Fundação Bill & Melinda Gates.

Um novo sonho Cabe-nos agora agradecer aos rotarianos dos 38 distritos brasileiros por seu esforço em angariar fundos, promover eventos, em ser criativos nas mais diversas maneiras de arrecadação, desde a sacolinha passada de mão em mão até os grandes leilões de obras de arte ou de bovinos, muito comuns no interior do Brasil. Agradecemos também a generosidade que tem sido demonstrada através do crescimento do programa Todos os Rotarianos, Todos os Anos e do crescimento do número de Doadores Extraordinários em nosso país. Ficamos agradecidos e gostaríamos de abraçar cada rotariano que Deu de Si Antes de Pensar em Si e que Compartilhou seus bens, atitudes e valores.

odos os anos, no mês de julho, os coordenadores da Fundação Rotária promovem seminários para os bolsistas brasileiros que vão estudar nas mais diferentes universidades do mundo, seja através de bolsas culturais de três ou seis meses, de bolsas educacionais de um ano, de bolsas de um ano para países de baixa renda ou das bolsas educacionais de dois anos para os Centros Rotary de Estudos Internacionais da Paz e Resolução de Conflitos. No final de julho, 11 bolsistas de altíssimo nível receberam esse treinamento. Parabéns aos distritos que os selecionaram e patrocinaram. Vocês mostram que contribuem com a Fundação Rotária, mas que também usam seus proEm 2007-08, gramas. É isso que nos dá o senso de o Brasil propriedade da Fundação Rotária. E os Subsídios Humanitários da aproximou-se Fundação Rotária (Simplificados, dos US$ 80 Equivalentes, 3H) e o Lighthouse? Que maravilha é poder conhecer os per capita em projetos que vêm sendo elaborados contribuições por dedicados rotarianos e apoiados por seus governadores e presidentes à Fundação Rotária. de comissões distritais da Fundação Rotária em todas as áreas possíveis e Estamos muito perto imagináveis, sempre com o suporte dos US$ 100. da Fundação Rotária. Nós contribuímos, mas utilizamos largamente os Trabalhe com recursos do Fundo Mundial. esta meta. Alguns O que mais nos orgulha, no entanto, é saber que alguns distritos brajá a ultrapassaram sileiros já são os maiores parceiros em e outros estão projetos internacionais. Temos financiado lindos projetos em países distanchegando lá tes, levando água potável e saneamento, alfabetização e educação, saúde e diminuição da pobreza. Também nos orgulha saber que contribuímos, distrito por distrito, para cumprirmos o Desafio de US$ 100

34

SETEMBRO DE 2008


Coluna do chair da Fundação Rotária Vejamos o salto das contribuições: em 200506, foram US$ 2.231 milhões; em 2006-07, US$ 3.141 milhões; e em 2007-08, US$ 4.250 milhões. Valores que representam a soma de todos os fundos: Fundo Anual para Programas, Fundo Permanente, Polio Plus e contribuições restritas a projetos humanitários. Recebam o reconhecimento dos coordenadores da Associação Brasileira da The Rotary Foundation e dos curadores da Fundação Rotária. Temos um Sonho a Realizar em 2008-09 – e é a você, governador e governadora, que nos dirigimos agora. Temos o sonho de chegar mais alto, de continuar subindo os degraus da escala de contribuições à Fundação Rotária. Como seus antecessores, você também será criativo e encontrará um meio de ampliar a contribuição do seu distrito. Em 2007-08, o Brasil aproximou-se dos US$ 80 per capita. Estamos muito perto dos US$ 100. Trabalhe com esta meta. Alguns já a ultrapassaram e outros estão chegando lá. A média de US$ 100 será ideal, um desafio plausível, alcançável. Mãos à obra. Realizemos os Sonhos de diminuir a mortalidade infantil, de aliviar a fome e a pobreza, de levar saúde aos que mais necessitam, de fornecer água potável e saneamento a regiões muito pobres. Além da nossa meta de erradicar a pólio em todo o planeta. Realizemos os Sonhos para que outras 1.313 crianças não sejam infectadas pelo vírus da pólio, como aconteceu em 2007. Um total de 1.313 meninos e meninas que viram seu mundo ficar um pouco mais cinzento. Em nome deles, fazemos nosso apelo. Contamos com todos vocês.

O Plano de Visão Futura oferece um guia estratégico

O

Plano de Visão Futura da Fundação Rotária é uma iniciativa instigante que promete trazer para nossa Fundação novos sucessos e um maior reconhecimento. Este plano, visionário mas pragmático, responde às afirmativas de rotarianos de que a Fundação Rotária é muito burocrática e que temos de simplificar o nosso empenho e alinhar nossos programas. A nova estrutura de subsídios cumpre exatamente isso. Dois tipos de subsídios estarão garantidos. Os Subsídios Distritais da Fundação Rotária proporcionarão aos clubes e distritos uma maior flexibilidade na condução de projetos locais e no exterior. Os Subsídios Globais da Fundação Rotária darão a oportunidade de implementar projetos com resultados mais significativos e sustentáveis, muitos deles em colaboração com outras organizações importantes, e apoiarão projetos maiores em uma das seis áreas que se alinham diretamente com a missão da Fundação: paz e prevenção/resolução de conflitos, prevenção e tratamento de doenças, recursos hídricos e saneamento, saúde materna e infantil, educação básica e alfabetização, e desenvolvimento econômico e comunitário. No passado, os rotarianos questionavam por que a Fundação Rotária não era mais conhecida no mundo, e por que nosso trabalho algumas vezes não era reconhecido. Essa situação mudou radicalmente quando começamos a enfocar a erradicação da poliomielite e nos tornamos parte da Iniciativa Global pela Erradicação da Pólio. Através da concentração dos nossos esforços e do trabalho conjunto que vimos realizando com a Organização Mundial da Saúde, o Unicef e o Centro NorteAmericano para o Controle e a Prevenção de Doenças, o Rotary tornou-se reconhecido como uma organização não-governamental líder em saúde pública internacional. Nosso Plano de Visão Futura foi concebido com base naquele sucesso, enfocando os recursos da Fundação em áreas de interesse rotário significativo e no envolvimento passado. Convido todos os rotarianos a visitarem o site <www.rotary.org/futurevision> e se informarem melhor sobre o Plano de Visão Futura da Fundação Rotária e como seu distrito pode se inscrever para participar do piloto a ser iniciado em julho de 2010. JONATHAN MAJIYAGBE Presidente do Conselho de Curadores da Fundação Rotária BRASIL ROTÁRIO

35


ABTRF – Associação Brasileira da The Rotary Foundation José Alfredo Pretoni*

A ESCOLHA ÓTIMA

Q

uando fazemos uma opção na vida, passamos por uma porta que se fecha, seguida por outras, pois cada escolha é acompanhada de renúncias. No entanto, novas portas ou alternativas aparecerão para nossas escolhas futuras. A vida é um processo decisório contínuo, representado por uma função que se desenvolve no espaço e no tempo. Esta é a forma de acumularmos experiências ao longo de nossa existência. Cada decisão traz o futuro apropriado para a realidade presente, e assim sucessivamente. Este processo durará enquanto o ser humano freqüentar a Escola da Terra. Assim sendo, essa tomada de decisão pode e precisa ser feita com todo o cuidado, pois se no processo decisório a ira prevalecer, as conseqüências serão plenas de raiva. Mas se a ação for tomada com amor, ela gerará conseqüências plenas de amor e entendimento. Essa escolha, entre as muitas que se apresentam, é a Escolha Ótima. Para todas as alternativas que se apresentarem no espaço e no tempo, sempre haverá a Escolha Ótima. Ela é a opção que sua alma deseja: criar harmonia, cooperação, compartilhamento ou uma reverência para sua vida. Quando decidirmos por essa opção, permaneceremos vivos, a criatividade fluirá livremente, tudo que fizermos terá significado e tudo que experimentarmos será um doce presente. A nossa vida chegará próxima da perfeição, e saberemos que ela tem um propósito glorioso que realmente será vivido por todos nós. A Escolha Ótima é a opção para se criar o poder autêntico de relacionamento e entendimento. Esta opção se apresenta continuadamente, e eventualmente poderá ser escolhida. Neste momento, o ser humano se tornará

36

SETEMBRO DE 2008

“Cada decisão traz o futuro apropriado para a realidade presente”

um cientista da alma, ganhará liberdade para fazer experiências com sua vida e avaliará quem realmente vai compartilhar de seu intento e de sua decisão, isto é: quando tomar consciência de qual é o seu sentimento, ele usará seu significado como seu guia e se reconhecerá como criador de suas experiências. A criação do autêntico poder é um processo contínuo, e não um evento pontual. Quando criar o autêntico poder, o ser humano usará sua vida a sua própria maneira, e esta será a Escolha Ótima, quer essa opção seja sempre a realidade ou não. Haverá uma transformação sua, pessoal, e não dos outros; haverá um aprendizado sobre si mesmo, e não dos outros; e ele dará os presentes que sua alma desejar doar. A Escolha Ótima cria conseqüências construtivas e poderosas. Quaisquer que elas sejam, trarão ao ser humano a oportunidade de crescer espiritualmente, de conhecer as fragilidades de sua personalidade e eliminálas ou curá-las, exigindo que se decida por novas escolhas. Mais cedo ou mais tarde, ele se transformará. Em vez de

censurar os outros, abrirá seu coração, experimentará suas dores e as curará. Mais cedo ou mais tarde, ele alinhará sua personalidade com sua alma, sendo essa uma decisão exclusivamente dele. Para se transformar num verdadeiro rotariano, o ser humano comprometido com nossa organização deve ter feito (e fará, no espaço e no tempo devidos) Escolhas Ótimas voltadas à melhoria da qualidade de vida. Nós, rotarianos, somos a chave do sucesso. Ao nos colocarmos frente a frente com todas as alternativas existentes para trabalharmos pela melhoria da qualidade de vida do nosso povo sofrido, e considerando os propósitos e objetivos da Associação Brasileira da The Rotary Foundation (ABTRF), concluímos que ela, a ABTRF, é a nossa Escolha Ótima. Sejam as empresas dos rotarianos ou não, sejam os rotarianos ou a comunidade que os cerca, todos se beneficiarão com essa decisão. * O autor é EDRI e presidente da ABTRF – Associação Brasileira da The Rotary Foundation.


Fora da média

Keystone

Uma ou duas xícaras de café seriam capazes de livrá-lo do médico? Essa bebida é um veneno para a saúde ou um elixir ainda incompreendido? Christine Gable*

A

reputação do café é controvertida. Ele é considerado capaz de causar dependência leve em algumas pessoas, e já se pensou que aumentasse o risco de doenças que iam dos males cardiovasculares ao câncer. Recentemente, no entanto, o café tem sido alardeado como benéfico à saúde. E você, beberia café com prazer ou iria se abster? Preferiria café descafeinado ou o normal? A seguir, você vai conhecer um apanhado das mais recentes pesquisas sobre o café – e a maioria

delas conclui que seu consumo traz muitas vantagens.

Uma das maiores novidades é o fato de que o consumo de café pode prevenir o diabetes do tipo 2

Efeito antioxidante Todos os dias, em todo o mundo, consomem-se mais de 1,3 bilhão de xícaras de café, o que torna essa bebida o estimulante mais usado no planeta. Nos EUA, 71% da cafeína presente nas dietas das pessoas comuns vêm do café, afirma Joe Vinson, professor de química da Universidade de Scranton, na Pensilvânia. O café ocupa o topo da lista dos antioxidantes na dieta dos norte-americanos, e seus benefícios são múltiplos. BRASIL ROTÁRIO

37

§


A cafeína é uma fonte de antioxidante, mas a opção pelo café descafeinado não elimina as vantagens do café tradicional

Pesquisas recentes concluíram que o café não contribui para a artrite reumatóide e para os cânceres do pâncreas, do cólon e do reto; de fato, o consumo regular de café descafeinado tem sido associado à redução do câncer do reto. Doses moderadas de cafeína e de café descafeinado podem promover uma proteção contra a doença de Parkinson. Entre os homens, o café tradicional e o descafeinado foram associados a uma menor incidência de gota. Além disso, não está provado que o consumo rotineiro da bebida afete o coração. Um estudo conduzido por pesquisadores de Harvard com 84.000 mulheres e 44.000 homens não encontrou evidência de que o consumo de café, a longo prazo, aumente o risco de doenças coronarianas. Um outro grupo, que analisou dados fornecidos pelo Instituto de Saúde Feminina de Iowa, concluiu que o consumo diário de uma a três xícaras de café é capaz de proteger contra doenças e complicações inflamatórias nas mulheres depois da menopausa. Um estudo francês publicado na revista Neurologia concluiu que mulheres de 65 anos ou mais que consomem mais de três xícaras de café ou chá por dia apresentaram uma atividade mental melhor se comparadas com as que consumiam menos de uma xícara por dia. O mesmo estudo não observou tal efeito em relação aos homens. Mas uma das maiores novida38

SETEMBRO DE 2008

des é o fato de que o consumo de café pode prevenir o diabetes do tipo 2. Com referência aos homens e mulheres que consomem diversas xícaras de café por dia, os estudos publicados pelo American Journal of Epidemiology e o International Journal of Obesity concluíram que o risco daquela doença nessas pessoas é mais reduzido. Normal ou descafeinado? Os pesquisadores alertam que o café não é uma panacéia, que mais estudos precisam ser realizados e que as pessoas devem consumi-lo com moderação. Vinson observa que a cafeína é um estimulante que tem efeitos negativos e positivos. “O café deixa as pessoas mais alertas, melhora a memória de curto prazo e aumenta a capacidade de realizar trabalhos mais árduos. Tudo isso por conta da cafeína”, ele afirma. “No entanto, ela afeta rapidamente seu coração porque provoca o aumento da pressão sangüínea em curto prazo”. A cafeína é uma fonte de antioxidante, mas a opção pelo café descafeinado não elimina as vantagens do café tradicional. “Em 2003, num jornal sobre nutrição, pesquisadores italianos mostraram que a remoção da cafeína do café expresso resultou na redução de

25% a 30% de sua capacidade antioxidante”, conta Michael Murphy, professor de nutrição da Universidade de Illinois, em Urbana-Campanha, e sócio do Rotary Club de Urbana, Illinois, nos EUA. “No entanto, o café expresso descafeinado, ainda assim, continha uma capacidade antioxidante muito maior do que a de qualquer outra bebida testada”, ele explica, incluindo aí sucos de frutas, chás e refrigerantes. Mas, como tudo na vida, o segredo é a moderação. Embora o café desempenhe sua parte numa dieta bem equilibrada, ele não pode ser considerado como a solução para o diabetes. “Sob o ponto de vista nutricional”, insiste Michael Murphy, “para que uma dieta fique completa é mais importante que as bebidas e os alimentos sólidos sejam variados e balanceados, para que as necessidades de cada indivíduo possam ser satisfeitas. Isso é melhor do que forçar a inclusão ou a privação de qualquer alimento ou bebida”. * A autora escreve sobre nutrição em Lancaster County, na Pensilvânia, EUA. Tradução de Eliseu Visconti Neto.

CURIOSIDADES







 





Acredita-se que o café se origina de Kefa, na Etiópia. O cultivo no Iêmen data de antes do século 15. A primeira cafeteria da Europa foi inaugurada no século 17, em Viena. O Brasil é o maior produtor mundial de café. O Havaí é o único estado norte-americano que cultiva o café comercialmente. Para se fazer uma xícara de café expresso são necessários 42 grãos de café. Em termos financeiros, o café é o segundo maior item da pauta mundial de exportações, ficando somente abaixo do petróleo.


Informe do RI aos rotarianos Recursos hídricos Cerca de 1,2 milhão de pessoas não têm acesso a água potável. Para encontrar soluções para esse problema, o Grupo Rotarianos em Ação pelos Recursos Hídricos e Saneamento realizou um proveitoso encontro em 12 de junho, em Los Angeles, nos EUA, alguns dias antes da convenção de 2008 do RI. Durante um dia inteiro, os rotarianos puderam participar de painéis de discussão sobre como planejar e financiar projetos auto-sustentáveis de recursos hídricos. Sessões abertas com grupos menores deram a chance de trocar idéias sobre questões regionais específicas e encontrar parceiros para seus projetos. “A provisão de água potável é somente um caminho para conseguirmos ter crianças mais saudáveis e em condições de ir à escola, liberando suas mães para trabalhar e melhorando conseqüentemente toda a comunidade”, diz Carolyn Crowley-Meub, coordenadora do evento. O saneamento básico ajuda a diminuir os gastos com tratamentos médicos, aumenta a freqüência escolar e reduz o risco de violência contra as mulheres que precisam sair de seu vilarejo para buscar água em outros locais. “Autosustentabilidade é a chave para o sucesso, do contrário o dinheiro e o tempo gastos na escavação de poços são perdidos. A comunidade precisa se sentir envolvida para que todos os resultados esperados sejam alcançados”, acrescenta Carolyn.

Foram recolhidas exatamente 242.624 publicações, que serão doadas a escolas públicas dos EUA. O fato foi confirmado por Danny Girton Jr., adjudicador do Guinness, o Livro dos Recordes. “Este recorde demonstrou o planejamento, a criatividade e o verdadeiro comprometimento do Rotary”, Girton disse à platéia. “É com grande satisfação que damos as boas-vindas ao Rotary por entrar no Guinness”.

Convenção de Birmingham Birmingham, a segunda maior cidade da Inglaterra, será sede da 100ª convenção do RI, que ocorrerá de 21 a 24 de junho de 2009. Quem nunca mais voltou a Birmingham desde a convenção de 1984 talvez não reconheça esse antigo pólo industrial. Brum, como é carinhosamente apelidada por seus habitantes, tornou-se uma elegante cidade repleta de restaurantes e lojas, mas que ainda conserva traços de seu passado medieval.

Grande passo em direção à paz

○ ○ ○

Supervisor da Fundação Rotária Edilson M. Gushiken <edilson.gushiken@rotar y.org>

○ ○

http://www.rotar y.org.br

Carlos A. Afonso c a r l o s . a f o n s o @ ro t a r y. o rg

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Clarita Urey c l a r i t a . u re y @ ro t a r y. o rg Tel.: (11) 3826-2966 Fax: (11) 3667-6575 Secretaria (Sede Mundial) 1560 Sherman Avenue,Evanston, Il 60201 USA Phone: 00-21-1847 866-3000 Fax: 00-21-1847 328-8554 Horário: 8h30 às 16h45 (horário de Washington)

○ ○

Quadro Social (Assistência aos Governadores de Distrito e aos Clubes)

Encomendas de Publicações, Materiais e Programas Audiovisuais

Rotary International

Celso Fontanelli c e l s o . f o n t a n e l l i @ ro t a r y. o rg

Sueli F. Clemente <sueli.clemente@rotar y.org>

Gerente

Supervisora Financeira

Rua Tagipuru, 209 São Paulo SP – Brasil – CEP 01156-000 Te l : (11) 3826-2966 Fax: (11) 3667-6575 Horário: 2ª a 6ª, de 8h às 17h

Endereço

Escritório do RI no Brasil Home page:

Durante a convenção de 2008 do RI, realizada no mês de junho em Los Angeles, os rotarianos demonstraram seu compromisso com a alfabetização quebrando o recorde do maior número de livros doados em um período de sete dias.

A Seu Serviço

Recorde na doação de livros

A FOTO é da Bull Ring, tradicional área de comércio de Birmingham, tendo à direita o shopping Selfridges, coberto por 15.000 discos de alumínio

A Fundação Rotária anunciou que o Programa Rotary para Estudos sobre a Paz e os Conflitos desenvolvido na Chulalongkorn University de Bancoc, na Tailândia, passará a ser uma iniciativa educacional permanente da entidade. A fase-piloto de três anos do programa, cujos cursos são de três meses de duração e dão direito a certificado, teve início em 2006. O programa é voltado a profissionais em meio de carreira e em níveis mais avançados do governo e de ONGs, que CHULALONGKORN É estejam à procura de um proa universidade mais grama curto de aperfeiçoaantiga da Tailândia mento profissional em vez de dedicar dois anos para obter mestrado por meio das Bolsas Rotary pela Paz Mundial.

BRASIL ROTÁRIO

39


Interact & Rotaract ○

DURANTE A Conferência Distrital de Águas de Lindóia, foi oficializada a fundação do Interact Club de São Bernardo do Campo-Plaza, SP (D.4420), com 25 sócios, e tendo como padrinho o RC de São Bernardo do Campo.

COM A participação de 80 pessoas, foi fundado o Interact Club de São Caetano do Sul-EG, SP (D.4420) reunindo em seu quadro alunos do Colégio Eduardo Gomes (daí o “EG” do nome). O colégio é administrado pela Fundação dos Rotarianos de São Caetano do Sul com a participação dos quatro Rotary Clubs da cidade.

ROTARACTIANOS DO distrito 4510 que estiveram reunidos em Presidente Prudente, SP, durante o 1o Instituto Distrital de Rotaract, que teve o objetivo de oferecer treinamento aos atuais presidentes dos Rotaract Clubs e também aos membros da Representação Distrital, organizadora do encontro.

NUM ENCONTRO organizado pelo presidente da Subcomissão de Interact e Rotaract do Distrito 4630 e pelo governador 2007-08 Amaury Couto, jovens rotaractianos e interactianos almoçaram e conversaram com o ex-presidente do RI Luis Vicente Giay durante a Conferência Distrital de Maringá, no Paraná.

COM O patrocínio do RC de Campo Mourão-Lago Azul, foi criado o Interact Club de Campo MourãoEdemilson Zarpelon, PR (D.4630), batizado pelos próprios integrantes em homenagem a um rotariano que marcou história na cidade. A reunião de fundação foi conduzida pelos rotarianos Jair Elias dos Santos Júnior, presidente da Subcomissão de Interact e Rotaract do distrito, e Alberto Barbosa, então presidente do clube padrinho; e pelo interactiano André Martins, representante distrital de Interact.

OUTRO DISTRITO a ganhar um novo Interact Club foi o 4740. Com um quadro inicial de 15 sócios, foi criado o Interact Club de Fraiburgo, SC, patrocinado pelo RC de Fraiburgo durante as comemorações de seus 30 anos. A foto mostra o momento do discurso de fundação feito pela interactiana Betina Cecchini, primeira presidente do clube.

40

SETEMBRO DE 2008


A eternidade e o desejo

Os crimes de Napoleão Claude Ribbe Record

Livros ○

O mundo é o que você come

Inês Pedrosa Alfaguara ● Em viagem à Bahia, a portuguesa Clara acabou ficando cega depois de levar um tiro ao tentar salvar o homem que amava. Novamente em Salvador, agora na companhia do amigo Sebastião, ela percorre os mesmos lugares visitados no século 17 pelo jesuíta padre Antônio Vieira, o mestre canônico da língua portuguesa que irá guiá-los nessa viagem. Autora de “Fazes-me Falta”, com mais de 100 mil exemplares vendidos em Portugal, e considerada uma das autoras mais talentosas de sua geração, Inês Pedrosa lança no Brasil seu novo romance depois de um intervalo de cinco anos. A escritora conta que a idéia do livro surgiu durante uma viagem que ela fez ao nosso país em 2005.

Barbara Kingsolver Nova Fronteira ● Ao

refazer a experiência da própria autora – uma jornalista que se mudou com a família para uma pequena cidade rural na Virginia, EUA, onde todos passaram a produzir sua própria comida, abandonando a dieta à base de alimentos industrializados – este livro não é, como poderíamos esperar, um manifesto xiita sobre alimentação saudável, mas uma tentativa de entrar em contato com a terra e aproveitar o melhor sabor das verduras sem agredir o meio ambiente. “A arma secreta de Kingsolver é sua gloriosa sagacidade”, disse uma resenha do jornal britânico The Guardian. “O que poderia ter sido uma saga honrada sobre uma família dolorosamente simpática e suas batalhas com a geada nas batatas torna-se uma narrativa abundantemente cômica, que consegue se manter a um passo do pastelão”.

●O

fascínio que o nome de Napoleão Bonaparte exerce esconde uma grande controvérsia: a quantidade de mortos nos campos de batalha, os crimes de guerra, os assassinatos, o enriquecimento pessoal. Neste polêmico livro, o historiador e filósofo Claude Ribbe despe as vestes do imperador e mostra atrocidades que o mundo voltaria a assistir 140 anos depois pelas mãos de outro ditador: Adolf Hitler. Muito antes do Holocausto, Napoleão utilizou câmaras de gás ainda incipientes, criou campos de concentração em sua Córsega natal e em Alba, e apoiou a escravidão. “Napoleão, infelizmente, é mais um criminoso”, argumenta o autor deste relato perturbador sobre o lado mais sombrio de um dos baluartes da França.

Celular – Treze histórias à maneira antiga Ingo Schulze Cosac Naify ●

Num livro feito de deslocamentos, os personagens se defendem contra um mundo em constante aceleração: o mundo do celular, do tempo do celular, esse aparelho que nos torna excessivamente comunicáveis e que não nos permite sumir ou ficar em silêncio. Nos encontros e desencontros narrados por Schulze, acompanhamos as novas configurações da família, o vandalismo gratuito, o medo do terrorismo e das guerras. Seja onde for, num cabeleireiro em Manhattan ou numa casa perto de Berlim, há sempre uma atmosfera de tensão pairando nas histórias que aparentam tratar de coisas banais.

O trabalho rendeu ao autor o prêmio de melhor livro de ficção na Feira de Leipzig em 2007.

O grande livro do jornalismo Organizado por Jon E. Lewis José Olympio ● Reunião de 55 dos mais emblemáticos textos jornalísticos de todos os tempos, assinados por nomes como John Reed, Dorothy Parker, Hunter S. Thompson e Norman Mailer. As reportagens abrangem uma variadíssima gama de assuntos, da queda da Bolsa de Nova York em 1929 ao casamento de Grace Kelly, passando pelo estouro dos Beatles e o assassinato de John Kennedy. Para o jornalista e escritor Cícero Sandroni, presidente da Academia Brasileira de Letras, “os textos reunidos neste livro demonstram que a reportagem, a crônica, o folhetim e até o pequeno ensaio, desde que escritos por jornalistas talentosos, para jornais e revistas, sobre temas e fatos do passado, resistem ao passar do tempo e permanecem vivos e atuais para o leitor do século 21”.

VALE A PENA LER

O CORAÇÃO ÀS VEZES PÁRA DE BATER Adriana Lisboa Publifolha

ADEUS, CHINA: O ÚLTIMO BAILARINO DE MAO Li Cunxin Fundamento

A ARTE DE PRODUZIR EFEITO SEM CAUSA Lourenço Mutarelli Companhia das Letras

INVESTIMENTOS INTELIGENTES Gustavo Cerbasi Thomas Nelson Brasil

COMER, REZAR, AMAR Elizabeth Gilbert Objetiva

BRASIL ROTÁRIO

41

§


Autores rotarianos ○

Como conseguir emprego Sebastião Caracas Independente Feito com a colaboração do RC de São Luís, MA (D. 4490), clube do qual o autor é sócio há 50 anos, este manual prepara as pessoas que estão na corrida por um emprego com dicas, por exemplo, sobre como se comportar numa entrevista de trabalho. Sebastião Caracas volta especial atenção aos jovens e ao primeiro emprego, assuntos também abordados por ele em outro lançamento, “S.O.S Juventude”, no qual faz um apelo pela criação de cursos profissionalizantes ao estilo das universidades abertas, com acesso que dispense a realização de vestibular.

Centelhas Cyro Armando Catta Preta Folha de Orlândia Como parte das comemorações que vêm sendo feitas pelos 100 anos da imigração japonesa em nosso país, este EGD, sócio do RC de Orlândia, SP (D. 4540), lança um livro com 20 haicais (o famoso poema japonês formado por três versos) dedicados à amizade entre Brasil e Japão e às influências culturais japonesas deixadas entre os brasileiros. Num dos haikais, escreve Catta Preta: “Cem anos de imigração/braços dados se integram:/Brasil-Japão!”

Colonizador Max Wirth José Alvarenga Independente Por meio da transcrição de artigos, crônicas e poesias de diversos autores, em seu novo livro, o companheiro José Alvarenga realiza um antigo desejo: reconstruir a história do suíço Max Wirth, que foi agricultor, industrial, comerciante e fundador da cidade paulista de Osvaldo Cruz. Uma história de vida que se mistura à do crescimento da própria cidade, testemunhada através das diversas fotos que ilustram a obra. Rotariano há 54 anos, o autor é sócio do RC de Osvaldo Cruz, SP (D. 4540). 42

SETEMBRO DE 2008

Alcoologia: o alcoolismo na perspectiva da saúde pública José Mauro Braz de Lima Medbook Estudos nacionais e internacionais têm demonstrado a ocorrência significativa de mortes e doenças associadas ao uso indevido do álcool. A Organização Mundial da Saúde já reconhece o alcoolismo como a terceira causa de morbidade e mortalidade no mundo. Inserida nessa realidade, a edição atualizada e renovada do livro do médico e professor José Mauro Braz de Lima, pioneiro no tratamento desse assunto no Brasil e associado do RC do Rio de Janeiro-Botafogo, RJ (D. 4570), traz novos capítulos dedicados a temas como a relação entre o álcool e os acidentes de trânsito, e questões voltadas à população mais jovem.

“Cartilha Rotária”: versão atualizada e em nova editora

U

m verdadeiro manual sobre o Rotary, que acabou se tornando uma referência na formação de novos rotarianos nos últimos 25 anos, o livro “Cartilha Rotária”, de autoria do saudoso companheiro José Silvano Portes, do RC de Taguatinga, DF (D. 4530) foi mais uma vez destacado por esta coluna na edição de junho. No entanto, posteriormente fomos informados que, com a morte do autor, os direitos de publicação foram adquiridos junto à família Portes pela Editora Germânica, e que o livro passa a ser editado pelo companheiro Neri Wagner, do RC de Marechal Cândido Rondon, PR (D. 4640). Atualizada de acordo com o último Conselho de Legislação e o mais recente “Manual de Procedimento”, a 11a edição da “Cartilha Rotária”, já comercializada pela nova editora, pode ser adquirida pelo site <www.cartilharotaria.com.br> ou através do telefone (45) 3254-1360.


Prestigie os anunciantes desta revista. Você os conhece: são companheiros rotarianos

BRASIL ROTÁRIO

43


Senhoras em Ação ○

A presidente 2007-08 da Casa da Amizade de Aparecida, SP (D.4600), Raquel Ribeiro, entregou à diretora da Escola Municipal Professor Aureliano Paixão, Ivanir de Campos, 70 agasalhos para serem distribuídos aos alunos. A CASA da Amizade de Vitória, ES (D.4410) inaugurou sua nova sede numa cerimônia que contou com as presenças de suas integrantes, convidados e rotarianos, entre eles o então governador Maurício Alves e os EGDs José Palmeira, Lézio Luz e Gilberto Sudré. A presidente da Casa da Amizade à época, Regina Del Puppo Luz (foto), aproveitou a ocasião para fazer várias homenagens, incluindo o companheiro Álvaro Benetti e o RC de Vitória-Praia Comprida por sua grande contribuição na conquista das novas instalações. Além de uma ampla e confortável sala, o prédio conta também com um auditório para 50 lugares que será utilizado em treinamentos e outros eventos direcionados à filantropia.

ACONTECEU NA cidade paranaense de Jaguapitã o 2o Encontro Distrital da Amizade do Distrito 4710, que reuniu as Associações das Senhoras de Rotarianos da região para, entre outras atividades, premiar os melhores trabalhos realizados por elas em 2007-08. Na foto, integrantes da Associação das Senhoras de Rotarianos de Apucarana, ganhadora do Troféu Coordenadoria, com a coordenadora distrital 2007-08 Eleane Martins, a atual coordenadora Cleuza Maria dos Santos, e a coordenadora nacional Medi Muller.

44

SETEMBRO DE 2008

COM O objetivo de conseguir recursos e parcerias para seus projetos (como o Kit Maternidade, o Apoio Escolar e o Curso de Alfabetização Digital), as integrantes da Associação das Senhoras de Rotarianos de Paranaguá, PR (D.4730) participaram da Feira do Selo Social, promovida pela prefeitura da cidade. Na foto, aparecem Mônica Borges, Cacília Rabelo Silveira, Rosa Fernandes e Eliane Ribeiro.

A CASA da Amizade de Rio Verde, GO (D.4770) doou o material utilizado na construção de uma casa popular para uma família carente da cidade. Com a ajuda da Pastoral da Moradia, entidade que reúne profissionais como engenheiros, pedreiros, encanadores e eletricistas, a casa foi construída em dois dias. A foto mostra as integrantes da Casa da Amizade, lideradas pela presidente Marli Hiroe Kondo e na companhia dos parceiros da Pastoral da Moradia, entregando o imóvel à família beneficiada.


Reciclando vidas e oportunidades Rotarianos estão ajudando catadores de Goioerê, no estado do Paraná, a ter um trabalho mais digno ATÉ 2005, os catadores de materiais recicláveis de Goioerê, município do noroeste do Paraná, costumavam trabalhar de sol a sol sem ver o resultado de tanto esforço. O motivo: seus ganhos eram reduzidos pela atividade dos intermediários com quem negociavam a venda do material recolhido nas ruas da cidade. Sensibilizados pela situação, os sócios do RC de Goioerê (D.4630) resolveram criar condições para que os catadores tivessem mais autonomia. Através do projeto Ação de Tratamento Ambiental (ATA) e com os recursos de um bazar da Receita Federal, os rotarianos fundaram a Associação de Coletores de Materiais Recicláveis, que iniciou suas atividades com um caminhão, uma empilhadeira, uma balança eletrônica, um computador, além de móveis, carrinhos para coleta e uniformes. Trabalhando com mais estrutura e organização, e com o apoio constante dos rotarianos, os catadores passaram a ser mais respeitados pela comunidade e melhoraram as condições de venda do material recolhido, aumentando seus rendimentos. Ao longo destes três anos, sob a administração do clube a associação pôde comprar mais duas prensas e deu um enorme passo, conquistando um prédio próprio para desenvolver suas atividades, uma área com 800 m2 de construção, conseguida com a ajuda de uma verba do governo federal e o apoio do deputado federal Hermes Parcianello. Atualmente, 180 catadores sustentam suas famílias através do trabalho na associação.

D. 4630

SEDE PRÓPRIA da associação: uma grande conquista para os catadores de recicláveis CAMINHÃO COMPRADO pelo Rotary com os recursos de um bazar da Receita Federal

Alfabetização e prêmio Mas o projeto não termina aí. Além de colaborar com a preservação do meio ambiente, fazendo da retirada de materiais poluentes das ruas da cidade uma atividade geradora de renda para diversas famílias, o clube criou o Núcleo Regional de Ensino para os catadores, ensinando a ler quem ainda não sabe, e vêm construindo moradias para os associados. Cursos profissionalizantes e de orientação sobre higiene e alimentação são algumas das atividades que estão nos próximos planos para a ATA, projeto que recebeu o Prêmio do RI por Realizações Significativas na última conferência distrital. O reconhecimento foi outorgado ao RC de Goioerê e a seus apoiadores na iniciativa: a Associação das Senhoras de Rotarianos de Goioerê, o Rotaract e o Interact. LUIS VICENTE Giay, ex-presidente do RI, entregando o Prêmio por Realizações Significativas ao companheiro Francisco Scarpari Neto, presidente 2007-08 do RC de Goioerê, durante a Conferência Distrital Emilio Germani. Ao fundo, o EGD Fernando Teixeira da Silva, representante do presidente do RI na conferência, e o então governador Amaury Cruz Couto

ASSOCIADO TRABALHANDO numa das ruas de Goioerê

SALA DE AULA montada na biblioteca da ATA, inaugurada em março

BRASIL ROTÁRIO

45


D. 4310 RC DE Sumaré-Ação, SP – Na sede do Clube Recreativo de Sumaré, os companheiros receberam para uma concorrida palestra o professor Steven Dubner, profissional com mais de 25 anos de experiência na área do esporte adaptado e fundador da Associação Desportiva para Deficientes (ADD). Steven (à esquerda, abraçado ao presidente 2007-08 Luiz Carlos Fantini) falou sobre superação de limites, motivação e auto-estima. A verba arrecadada com a realização do evento está sendo revertida na compra de cadeiras de rodas e na manutenção dos programas da ADD.

RC DE Nova Odessa, SP – Na companhia de alguns sócios do clube, o presidente 2007-08 João Zaramelo Neto (1o à direita) entregou oito novas unidades ao banco de cadeiras de rodas administrado pelo Lions Club de Nova Odessa.

RC DE Itu-Convenção, SP – Através de um projeto de Subsídios Equivalentes da Fundação Rotária, que envolveu o clube paulista e o RC de Le RaincyVillemomble, França (D. 1770), foram inauguradas as novas instalações da Biblioteca Municipal Professor Olavo Valente de Almeida, na Casa da Cultura de Itu. Os US$ 12.500 foram utilizados na compra de móveis, além de cinco modernos computadores, uma impressora, bebedouro e na adaptação da biblioteca para a utilização por cadeirantes e deficientes visuais. Agora, com seu acervo de 25.000 livros digitalmente catalogado e reunido num ambiente mais aconchegante e climatizado, a expectativa dos responsáveis pelo projeto (que também teve o apoio da prefeitura) é ultrapassar a marca de 20.000 pessoas beneficiadas todos os anos.

46

SETEMBRO DE 2008

D. 4390 RC DE Feira de SantanaNovo Horizonte, BA – Com a presença do então governador Germínio Orlando Sampaio Braga, foi feito o plantio da árvore-símbolo do projeto Condutor Cidadão, desenvolvido pelo clube em parceria com o Grupo Modesto Cerqueira, representante de duas montadoras de automóvel na região. A cada veículo vendido, a empresa está doando uma árvore de 1,80 metro à prefeitura de Novo Horizonte, responsável pelo plantio. A previsão é de que 300 árvores sejam plantadas na cidade todos os meses.

D. 4410

RC DE Vitória-Praia Comprida, ES – Doou 1.200 caixinhas de suco à Apae de Vitória. Elas foram oferecidas ao clube pela SM Transportes, empresa do companheiro Aluízio Stupp.

D. 4420

RC DE Praia Grande-Forte Itaipu, SP – Registro da reunião festiva em que foram comemorados os 10 anos do clube. A comemoração teve a participação do então governador distrital José Luiz Fonseca e dos EGDs Flávio Farah, Dirceu Vieira, Altimar Augusto Fernandes e Marcelo Haick. Na ocasião, o clube recebeu o banner do Rotary International em reconhecimento ao fato de todos os seus sócios possuírem o título de Companheiro Paul Harris.


D. 4420

RC DE Santos-Porto, SP – Na festiva em que foi comemorado o aniversário do clube e encerrada a gestão 2007-08, a então presidente Otelinda Martins Cipriano de Fazio entregou a Ronaldo de Souza Forte o título de Profissional do Ano 2007. Graduado em direito em 1960 pela Faculdade Católica de Santos, atualmente ele exerce, entre outras funções, o cargo de diretor titular do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo para a região de Santos.

RC DE Rondonópolis-Rondon, MT – Sob a coordenação do clube, foi realizado na cidade um grande seminário de orientação profissional para os estudantes. Revezando-se nas apresentações, profissionais de 19 diferentes áreas falaram sobre os desafios e as características de cada uma delas. O evento teve o patrocínio do Sebrae e da Gráfica Alvorada, entre outros. Em outra ocasião, o clube recebeu a visita de um grupo de intercambiados da Austrália, que levaram muitos presentes e trocaram flâmulas.

D. 4440

D. 4430 RC DE São Paulo-Vila Carrão, SP – A Casa Betinho, instituição que cuida de quase 90 crianças excepcionais, ganhou melhores condições de atendimento com o sistema completo de oxigenação, camas hospitalares e colchões especiais que recebeu do clube. Os equipamentos foram adquiridos por meio de um projeto de Subsídios Equivalentes da Fundação Rotária com a parceria do clube paulistano e do RC de Sioux Falls, EUA (D.5610). Recentemente, os companheiros também realizaram a terceira edição do projeto Biblioteca Itinerante, que ficou instalada numa praça da região, e inauguraram a galeria de fotos dos presidentes do clube. RC DE São PauloFreguesia do Ó, SP – Realizou mais um Projeto Rumo, dessa vez na Escola Estadual Clodomiro Carneiro, no bairro de Morro Grande, em São Paulo. O evento teve a participação de 520 alunos. Atendendo a solicitações dos próprios participantes, as palestras abordaram temas como a preparação de um bom currículo e o comportamento que se espera durante uma entrevista de emprego, e esclareceram dúvidas sobre diversas profissões, como medicina, informática, moda e direito. Numa outra rodada, conduzida por três psicólogas, o assunto foi paternidade e maternidade responsáveis.

DE Aparecida do Taboado, MS – D. 4470 RC Entregou 46 lençóis ao Lar Vicente Marques de Queiroz, que cuida de idosos.

RC DE Ilha Solteira, SP – Recebeu um grupo de IGE proveniente do distrito 3480, de Taiwan. A foto mostra os visitantes numa reunião festiva com o então presidente do clube anfitrião, Euclydes Cestari Jr.

D. 4480

BRASIL ROTÁRIO

47


D. 4480 RC DE Catanduva14 de Abril, SP – O casal governador 2007-08, José Luiz Sanches Vargas e Maria Lúcia, durante a fundação desse novo clube, o quarto da cidade. Completam a foto a companheira Gislaine Morandin, primeira presidente, e o governador assistente à época, Antonio Reginaldo Morandin, um dos responsáveis pela criação do clube. RC DE Ibitinga, SP – A intercambiada norteamericana Leah Adelson, que ficou na cidade durante o ano rotário 2007-08, fez uma palestra no clube contando sobre essa experiência e sobre sua vida nos EUA. Os pais dela, que também estavam em Ibitinga visitando a filha, ajudaram a noite a ser completa preparando um jantar com comidas típicas de seu país. Na foto, os três aparecem juntos na tribuna.

RC DE Fortaleza-Planalto, CE – Comemorou seus 20 anos de fundação com uma solenidade no Ideal Clube, seguida por um jantar festivo que reuniu sócios e convidados no Salão Meireles. Uma exposição ajudou a recontar as duas décadas de história do clube, que durante a festa entregou a Comenda Mozart Soriano Aderaldo ao Lar Torres Melo, instituição que atua junto aos idosos carentes da capital cearense. Na foto histórica, aparecem ex-presidentes do clube, o atual presidente Francisco Nazareno de Oliveira, e o presidente 2009-10 Francisco Costa.

RC DE São José do Rio PretoNorte, SP – Mais de 300 convidados participaram do bingo beneficente realizado pelo clube em parceria com a Casa da Amizade. Os recursos obtidos foram divididos igualmente entre a Fundação Rotária e a Apae Rural, que os empregou na compra de uma Kombi.

CHEGADA DE um grupo de Intercâmbio da Amizade do distrito paulista ao Aeroporto de Lyon, na França. Os visitantes foram recebidos pelo distrito 1710 e, na companhia dos rotarianos franceses, conheceram diversas cidades do país.

D. 4490

48

SETEMBRO DE 2008

RC DE Bom Conselho, PE – Participação dos recreadores da Unimed no 1o Rotary Comunidade, evento do clube que prestou atendimento a 430 pessoas da comunidade nas áreas médica, jurídica e social. Os companheiros também distribuíram escovas e creme dental às crianças.

D. 4500


D. 4500 RC DE Carpina, PE – Com a parceria do Grupo Supermercado Todo Dia, do Fórum de Carpina, do 2o Cartório de Registro Civil e da Metas Assessorias, o clube organizou um casamento comunitário para 50 casais da cidade, que puderam realizar seu sonho numa cerimônia com mais de 1.000 convidados.

DE Belo Horizonte, MG – Numa D. 4520 RC homenagem prestada em conjunto com o Colégio de Governadores, o clube inaugurou em seu salão nobre um retrato pintado a óleo do saudoso ex-diretor do RI Archimedes Theodoro, morto no final do ano passado, e que pertencia a seu quadro associativo. A obra é de autoria do artista plástico Carlos Fiorenttini. A cerimônia teve a presença da viúva, Yolanda Theodoro (que na oportunidade recebeu a comenda criada pelo clube com o nome de seu marido), além dos filhos do casal e demais familiares (foto). Participaram também os então governadores de distrito Aluízio Quintão e Roberto Kfuri (respectivamente, dos distritos 4520 e 4760), autoridades do estado de Minas Gerais e cônsules de países que possuem representações na capital mineira.

DE Cândido Mota, SP – Realizou a D. 4510 RC 17 Feijoada no Asilo São Vicente de Paulo a

com a ajuda da Casa da Amizade, do Rotaract e do Interact. Na ocasião, os companheiros aproveitaram para visitar os apartamentos dos idosos que foram mobiliados com os recursos de um projeto de Subsídios Equivalentes da Fundação Rotária, numa parceria que envolveu o clube brasileiro e o RC de Hemet, EUA (D. 5330).

RC DE Itabira, MG – Os companheiros Ruy Barbosa e José Daniel de Souza, presidente 2007-08, recebendo uma placa e um certificado de Honra ao Mérito concedidos ao clube pela Polícia Militar de Minas Gerias por seu envolvimento com as questões ambientais.

D. 4530

RC DE Assis do Vale, SP – Equipe que trabalhou durante a 4a Festa Italiana organizada pelo clube. O evento, que já se tornou tradicional na cidade, teve show, dança e muitas comidas típicas. A renda foi revertida à Fundação Futuro e ao Projeto Legião Mirim.

RC DE TaguatingaSul, DF – Mais de 300 pessoas foram beneficiadas pelo Mutirão Rotário organizado pelos companheiros numa escola que fica na área rural da região de Brasília. Além de atendimentos médicos e odontológicos, incluindo aferição de pressão e teste de glicose (foto), foram feitos cortes de cabelo e doados medicamentos e kits de higiene bucal. A iniciativa foi realizada graças à parceria do clube com a Casa da Amizade e ao trabalho de voluntários, entre eles médicos, dentistas, cabeleireiros e funcionários da escola.

BRASIL ROTÁRIO

49


D. 4540 RC DE São Carlos, SP – Ao lado da Casa da Amizade, participou da Semana do Meio Ambiente distribuindo à população 4.000 folhetos como este ao lado, com orientações sobre o uso racional da água e sua importância para a sobrevivência da vida no planeta.

D. 4550

RC DE Batatais, SP – O clube doou 15 cadeiras de rodas, 11 cadeiras de banho e cinco pares de muleta à Associação Batataense de Deficientes Físicos.

D. 4560

RC DE Santo Antônio da Alegria, SP – Através de um projeto de Subsídios Equivalentes da Fundação Rotária no valor total de R$ 23.400, 00, e que teve uma parceria entre o clube paulista e o RC de Aldo Bonzi, Argentina (D.4915), os companheiros entregaram 13 computadores e quatro impressoras ao Projeto Alegria, além de instrumentos musicais, como guitarras e violinos. Na foto, as crianças atendidas pelo projeto posam durante a entrega das doações na companhia de rotarianos, integrantes da Casa da Amizade, do Interact e autoridades municipais, entre elas o prefeito João Batista Mateus de Lima.

50

SETEMBRO DE 2008

RC DE Santa Cruz de Cabrália, BA – Em parceria com o RC de Brasília-Lago Sul, DF (D.4530), os companheiros doaram uma cadeira de rodas para o jovem Marcos Vinícius Benfica de Albuquerque.

RC DE Itaúna-Cidade Universitária, MG – O companheiro fundador deste RC, Valdir Fonseca, e o governador Murillo Affonso Ferreira durante o assentamento da pedra fundamental de construção da sede própria do clube.

RC DE Monte Sião, MG – Doou brinquedos às crianças atendidas pelos Centros Municipais de Educação Infantil de Monte Sião. Participaram da entrega o então presidente Nilson Gonçalves e a mulher dele, Rita Suzette de Castro Gonçalves. O projeto foi elaborado pela companheira Celina Dorta Machado, atual presidente do clube.


Unidos para servir à comunidade Ação envolvendo 20 Rotary Clubs beneficiou 2.500 pessoas no Distrito Federal COM GRANDE cobertura da mídia local, diversos Rotary Clubs do distrito 4530 uniram-se para realizar em junho a 4a Ação Social na cidade de São Sebastião, no Distrito Federal. Ao longo de um domingo, das 9h às 16h, 2.500 pessoas receberam atendimentos nas áreas de clínica geral, odontologia e oftalmologia; realizaram aferição de pressão arterial, exames de glicemia e aplicação de flúor; além de serviços de advocacia, emissão de carteiras de Identidade e Trabalho, cortes de cabelo e massagem. A iniciativa ainda teve um bazar de roupas e brinquedos, sorteio de cestas básicas e atividades de artes plásticas. A parceria para a realização do evento uniu a Fundação de Rotarianos de Brasília e mais 20 clubes: RC de Brasília, RC de Brasília-Leste, RC de Brasília-Cruzeiro, RC de Águas Lindas de Goiás, RC de BrasíliaLago Norte, RC de Brasília-Lago Sul, RC de Brasília-Centenário, RC de Taguatinga-Oeste, RC de Taguatinga-Sul, RC de Brasília-Oeste, RC de Brasília-Sudoeste, RC de Brasília-Alvorada, RC de Ceilândia, RC de Brasília-Norte, RC de Taguatinga-Norte, RC de Luziânia, RC de Taguatinga, RC de Planaltina, RC de Brasília-Sul e RC de Gama.

D. 4530

FORAM REALIZADOS aproximadamente 100 atendimentos somente na área de odontologia, além de aplicação de flúor

CRIANÇA FAZENDO teste de acuidade visual durante o 4a Ação Social

ALGUNS DOS rotarianos do distrito 4530 que uniram suas forças para realizar o evento

PARTE DAS 2.500 pessoas beneficiadas pelo projeto

BRASIL ROTÁRIO

51


D. 4570

RC DE Nova Iguaçu-Leste, RJ – Através de sua presidente 2007-08, Tereza Ribeiro Marcondes, o clube homenageou o cônsul-geral do Japão no Rio de Janeiro, Masahiro Fukukawa, pelos 100 anos da imigração japonesa no Brasil. A reunião festiva contou com a presença do então governador distrital José Nelson Carrozzino Filho.

D. 4580

RC DE Muriaé, MG – Companheiros do clube com os 64 cobertores e travesseiros novos que eles doaram aos idosos do Lar Ozanam.

RC DE Barbacena, MG – O presidente José Sergio Poubel (à direita) recebendo do governador 2007-08 Dirceu Rocha Pereira uma placa enviada pelo Rotary International em homenagem aos 50 anos de fundação do clube.

RC DE Nova Iguaçu, RJ – Os companheiros se reuniram para inaugurar o Bosque Silvio Coelho, que ganhou este nome em homenagem ao veterano rotariano, sócio do clube há 45 anos. O bosque fica no Patronato São Vicente, em Nova Iguaçu.

D. 4590

RC DO Rio de Janeiro-Mercado São Sebastião, RJ – Biblioteca criada pelo clube na comunidade Marcílio Dias, na Penha, zona norte do Rio. O projeto foi lançado no ano rotário 2006-07, a princípio nas dependências de uma igreja do bairro, mas – à medida que a biblioteca veio crescendo – tornou-se necessário encontrar um lugar maior para abrigar os livros, doados por diversos clubes do distrito.

52

SETEMBRO DE 2008

RC DE Campinas-Barão Geraldo, SP – Inaugurou seu Marco Rotário na praça Don José de San Martin. A presidente 200708 Mara Silvia Vaccaro Carvalho Daniel teve as companhias de Gilberto Antoniolli, sócio do RC de Campinas-Oeste; do então governador assistente Ricardo Avi; e do subprefeito Sergio Macati.


D. 4600 RC DE Caraguatatuba, SP – Em uma bela festa com pratos típicos do Japão, realizada na Casa da Amizade, o clube homenageou a colônia japonesa local pela passagem do centenário da imigração japonesa no Brasil. O então presidente Amauri Barbosa Toledo entregou um diploma a Antonio Harada, representante da colônia japonesa na cidade.

POR INTERMÉDIO do EGD Marco Antonio de Toledo Piza, o RC de Volta RedondaOeste, RJ (D.4600) recebeu 120 cobertores do RC de Aparecida, SP (D.4600). A doação foi revertida para o projeto Baby Sem Frio, mantido pelo clube de Volta Redonda, que entrega enxovais para recém-nascidos às mães carentes da cidade.

RC DE Barra Mansa, RJ – O companheiro Oswaldo Judice de Moraes doou 106 cobertores e 150 metros de flanela ao clube, que os repassou a seis entidades assistenciais da cidade.

RC DE Pariquera-Açu, SP – Ao lado do Rotaract, apoiou a realização da 6a Pedalada Ecológica ao Parque Estadual Campina do Encantado, que reuniu dezenas de ciclistas de várias idades. O evento, que tem por objetivo a conscientização ambiental através de um passeio por uma região de preservação e reflorestamento, também foi uma ótima oportunidade de companheirismo para os sócios do clube e os rotaractianos, que aproveitaram para pedalar vestindo camisetas alusivas ao programa Preserve o Planeta Terra, do Rotary International.

D. 4610

RC DE São PauloJabaquara, SP – Como parte da série de eventos que vem realizando em homenagem aos 100 anos da imigração japonesa em nosso país, o clube inaugurou essa placa em sua sede. A cerimônia teve a presença de Heitor Sertão, subprefeito de Jabaquara, bairro paulista que se desenvolveu contando com o trabalho de sua grande comunidade nipo-brasileira. Dando seqüência às comemorações, os companheiros compareceram à festa dos dez anos do Estádio Riuzo Ogawa, em São Paulo – onde foi realizada a abertura do Torneio Internacional de Gateball, jogo popular do Japão – e participaram da tradicional gincana poliesportiva da Associação Okinawa de Diadema.

RC DE Itapevi, SP – Recordação da cerimônia realizada pelo clube em comemoração à passagem do centenário da imigração japonesa no Brasil.

BRASIL ROTÁRIO

53


D. 4610

RC DE Cotia-Granja Viana, SP – No Dia do Policial Rodoviário, o clube homenageou dois policiais militares: o sargento Cássio Borges e o soldado Fábio Higarashi (1o à esquerda), que aparecem nas presenças do presidente Eduardo Vaz e dos companheiros Ligeia Stivanin e Luis Carlos Segundo. Os homenageados receberam uma flâmula do clube e um pin rotário.

D. 4620 RC DE Santa Cruz do Rio Pardo, SP – Clélio Zanomi e Álvaro Silva foram dois dos companheiros do clube que – durante uma manhã de sábado, no Dia Mundial dos Rotarianos em Ação – distribuíram panfletos educativos a respeito da preservação do meio ambiente e venderam sacolas retornáveis e biodegradáveis para uso nas compras em lojas e supermercados (uma alternativa às poluentes sacolas de plástico). Das 1.000 sacolas confeccionadas com patrocínio de empresas da cidade, 400 foram vendidas somente no sábado, ao preço de R$ 2,50.

D. 4640 RC DE São Miguel do Iguaçu, PR – O presidente 2007-08 Camilo Spohr repassou à diretora da Escola de Educação Especial Pestalozzi/ Cepron, Sirlei Barbiero, um montante de R$ 2.260,00 referente à parceria do clube na realização do Café Colonial durante a Feira do Agronegócio, Comércio, Indústria, Gastronomia e Serviços de São Miguel do Iguaçu. Nos quatro dias do evento, foram servidos mais de 800 cafés coloniais. Também aparece na foto Nailor Polita, representante da Associação de Senhoras de Rotarianos, parceira do clube no evento.

RC DE Coronel Vivida, PR – Associados do clube, o intercambiado do México Adrian Sanchez Cosio e membros do Grupo de Escoteiros Tupinambá de Coronel Vivida, beneficiado com a compra de material de acampamento através de um projeto de Subsídios Simplificados no valor total de R$ 1.480,00.

D. 4650

RC DE TimbóPérola do Vale, SC – Através de um projeto de Subsídios Equivalentes da Fundação Rotária que envolveu o clube catarinense e o RC de Huron, EUA (D. 6600), os companheiros doaram aproximadamente R$ 46.000,00 em equipamentos ao Hospital e Maternidade Oase. Foram adquiridos uma cama elétrica, um aspirador cirúrgico, um nebulizador e um eletrocardiógrafo, entre outros, de um total de 15 itens de aparelhos e móveis.

54

SETEMBRO DE 2008

RC DE Mangueirinha, PR – Segurando o diploma, alunos da mais recente turma formada no curso de alfabetização para adultos mantido pelo clube em parceria com o Programa Paraná Alfabetizado. Uma nova turma já está tendo aulas, que acontecem na Casa da Amizade. Os companheiros também trabalharam durante a campanha de vacinação contra a pólio que aconteceu em junho.


D. 4650

RC DE São Bento do Sul, SC – No ano em que está completando 50 anos de fundação, o clube foi homenageado pela Câmara de Vereadores pelos relevantes serviços que vem prestando à população ao longo de sua história. A sessão solene reuniu companheiros, convidados e autoridades, entre elas o prefeito Fernando Mallon.

RC DE Itapoá, SC – Realizou a Noite das Sopas e Caldos, evento que teve a renda revertida para o Banco Ortopédico e a Campanha de Prevenção ao Diabetes.

D. 4670

RC DE Parobé, RS – Uma parceria entre o clube, a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul e o Senai possibilitou a criação de um curso de padeiro. Com conteúdo teórico e prático, o curso tem duração total de 40 horas e duas turmas: uma à tarde e outra à noite (esta que aparece na foto).

D. 4680

RC DE Porto Alegre-Sudeste, RS – Os companheiros Antonio Carlos da Rosa e Araci Vogt da Rosa representaram o clube na entrega de diversas doações à Escola de Ensino Fundamental Maria Cristina Chiká. Entre os itens doados estava um espelho, utilizado nas aulas de expressão e comunicação da turma do 1o ano, que recebeu os visitantes rotarianos em sala de aula com a professora Irene Carvalho.

RC DE Porto Alegre-Bom Fim, RS – A Escola Chico Mendes, localizada no bairro de Mário Quintana, em Porto Alegre, foi palco de uma ação conjunta do clube com a ONG Aporta e os Interact Clubs da capital gaúcha. Foram oferecidas diversas atividades gratuitas à comunidade, como verificação de pressão arterial, medição de glicose (foto), ouvidoria comunitária, oficina de teatro, orientação jurídica, optometria e plantão de psicologia.

RC DE São Lourenço do Sul, RS – Os companheiros entregaram ao Hospital Doutor Walter Thofern um refrator oftalmológico no valor de US$ 15.000,00. O aparelho foi adquirido através de um projeto de Subsídios Equivalentes da Fundação Rotária que teve a parceria do clube gaúcho com o distrito 7640, dos EUA.

BRASIL ROTÁRIO

55


D. 4710

RC DE Marau, RS – Recém-criado, este clube já está trabalhando ativamente para ajudar a resolver os problemas de sua comunidade. Durante a Semana do Meio Ambiente promovida no município, os companheiros fizeram uma coleta de lixo nas margens da rodovia RS 324 (foto). Numa outra iniciativa, eles arrecadaram mais de 100 peças de roupa para a Campanha do Agasalho.

D. 4700

RC DE Bento Gonçalves-Mulheres da Serra, RS – Com um quadro social composto por 25 rotarianas, lideradas pela presidente Neivete Possamai, este é mais um clube fundado recentemente no distrito gaúcho.

RC DE Cambé, PR – Responsável pelo Albergue Padre Manoel, instituição que atua junto à população de rua da cidade com o apoio dos rotarianos, irmã Jardini recebeu das mãos da companheira Solange Marquezi a renda gerada durante a Ação Entre Amigos, sorteio de eletrodomésticos que foi organizado durante a festiva em comemoração aos 53 anos do clube.

RC DE Cornélio Procópio, PR – Depois de 10 anos, os companheiros voltaram a montar um posto de vacinação na sede da Casa da Amizade, onde deram sua contribuição na luta do Rotary contra a pólio, imunizando as crianças da cidade.

D. 4720 RC DE SantarémUniversitário Centenário, PA – Através de um projeto de Subsídios Equivalentes da Fundação Rotária, com a parceria deste clube brasileiro e do RC de Ann Arbor, EUA (D. 6380), foram doados livros e computadores à Pastoral do Menor e ao Centro de Educação Profissional Esperança (Cepes). Na foto, aparecem a companheira Jalva Rabelo; a diretora da Cepes, Solange Gomes; a então governadora Vera Canto Bertagnoli; o presidente 2007-08 do clube, Haroldo Bentes de Souza, e o companheiro Elliank Queiroz.

56

SETEMBRO DE 2008

OS PRESIDENTES Wagner Parente, do RC de BelémLeste, PA; Marialba Leão, do RC de Belém-Noroeste; Darwin Boerner Júnior, do RC de Belém-Norte; Neusa Sampaio, do RC de Belém-Nazaré; Luiz Penna de Carvalho, do RC de Belém-Sul; e Roberto Russel, presidente do RC de Belém, reunidos na cerimônia de lançamento da Campanha de Incentivo ao Aleitamento Materno à Santa Casa de Misericórdia do Pará, uma iniciativa dos seis clubes.


D. 4730 RC de Ponta Grossa-Vila Velha, PR – Em seu aniversário de 18 anos de fundação, o clube decidiu tornar permanente sua participação no programa Cidadão do Futuro, desenvolvido pelo jornal Diário dos Campos e implantado nas escolas públicas locais, com o auxílio do Núcleo Regional de Educação e secretaria municipal de Educação, entre outros apoiadores sociais. A Escola Municipal Senador Flávio Carvalho Guimarães foi a instituição de ensino eleita pelo clube. O projeto objetiva incentivar a leitura, promover a contextualização dos conteúdos curriculares, estimular o debate em sala de aula sobre temas do cotidiano, valorizar o espírito crítico e motivar o aluno para o exercício da cidadania. Com isso, exemplares do jornal são oferecidos uma vez por semana a cada um dos alunos das turmas atendidas pelo programa.

D. 4740 RC DE Fraiburgo, SC – Para comemorar o aniversário de 30 anos de fundação do clube, os companheiros inauguraram mais um Marco Rotário no trevo de acesso à cidade, conhecida como a capital brasileira da maçã. Na mesma oportunidade, os rotarianos homenagearam o companheiro João Gugelmin, único sócio fundador ainda em atividade, e fundaram um Interact Club. Na foto, o presidente 2007-08 Ricardo Cecchini, o então governador Jefferson Bittencourt e o prefeito municipal Neomar Pinz.

D. 4760 RC DE Patos de Minas-Guaratinga, MG – Junto com a Casa da Amizade local, o RC decidiu criar seu Banco de Óculos para crianças carentes. Por meio do Projeto Visão, serão alunos das escolas públicas locais. Por ocasião do lançamento do projeto, o clube, com a parceria da Clínica Visão, atendeu 80 alunos da Escola Estadual Monsenhor Fleury. Entre os avaliados, 39 receberam indicação de uso de óculos, doados pela ótica Barros. Para manter o projeto, os companheiros utilizarão os recursos adquiridos com o 3º Forrotary. Em outra oportunidade, o RC recepcionou o sueco Sebastian Sjöholm, que cumpre o Programa de Intercâmbio de Jovens.

RC DE CuritibaCristo Rei, PR – O clube doou um estojo para esterilização de material cirúrgico ao Projeto Glaucoma do Centro da Visão do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná. Na foto, o então presidente Wilson Oliari entrega a doação à médica oftalmologista Ana Teresa Moreira, na presença da governadora 2007-08 Ilma Brandalize Machado. O RC é parceiro desde o início das atividades do projeto, tendo realizado doações anteriores e colaborado no conserto de equipamento. Ao longo de 10 anos de projeto, a equipe de médicos e residentes já realizou cerca de 15 mil exames oftalmológicos gratuitos, sendo 10 mil em crianças. Foram oferecidos óculos para quem não tinha condições de comprá-los e casos mais graves foram encaminhados para cirurgias no próprio Centro da Visão.

D. 4750 RC DE Búzios, RJ – Os companheiros estão desenvolvendo o programa De Olho no Futuro, com o objetivo de verificar a acuidade visual em alunos da rede pública estadual. O clube assinou um convênio com a secretaria de Educação do município e já testou a acuidade visual em 454 crianças, tendo posteriormente encaminhado 106 estudantes para consulta médica e entregue 81 óculos. No total, o projeto beneficiará 7.600 crianças.

D. 4770 RC DE Alto Garças, MT – Com o Subsídio Equivalente da Fundação Rotária – e em parceria com o RC de Kalispell, EUA (D. 5390) – o clube desenvolveu o projeto Informática Aplicada à Educação: Oportunidade para Todos, que consistiu na compra de 14 computadores, um servidor, uma impressora, um nobreak e 14 estabilizadores para o Centro Juvenil Padre Agostini. A instituição possui uma sala de informática que atende a cerca de 180 crianças e jovens.

BRASIL ROTÁRIO

57


D. 4410 APROVANDO REQUERIMENTO do deputado Marcelo Santos, a Assembléia Legislativa do Espírito Santo registrou Voto de Congratulações pela publicação da revista Brasil Rotário. O RC de Cariacica-Campo Grande, ES (D. 4410) também foi homenageado pela Casa.

D. 4590 RC DE Limeira-Norte, SP – Obteve espaço gratuito nos intervalos do programa “Motobox”, transmitido em

Siglas rotárias Conheça

abaixo o significado de algumas siglas que você vai encontrar com freqüência na literatura sobre o Rotary e nas páginas da Brasil Rotário. Elas são uma tradução dos termos oficiais em inglês: ABTRF BR CDRI CFR Crei

– – – – –

CRFR D. DERI DNI

– – – –

DRI DQS ECFR EDRI EGD EPRI FDUC FR GA Gats

– – – – – – – – – –

GD Gets IGE NRDC PERI Pets PLD RC RI Ribi Ribo Ryla 3-H

– – – – – – – – – – – – –

58

Associação Brasileira da The Rotary Foundation Brasil Rotário Conselho Diretor do Rotary International Curador da Fundação Rotária Centros Rotary de Estudos Internacionais da Paz e Resolução de Conflitos Coordenador Regional da Fundação Rotária Distrito Diretor eleito do Rotary International Dia Nacional de Imunização (campanha de combate à pólio) Diretor do Rotary International Desenvolvimento do Quadro Social Ex-curador da Fundação Rotária Ex-diretor do Rotary International Ex-governador de distrito Ex-presidente do Rotary International Fundo Distrital de Utilização Controlada Fundação Rotária Governador assistente Seminário de Treinamento para Governadores Assistentes Governador de distrito Seminário de Treinamento para Governadores Eleitos Intercâmbio de Grupos de Estudos Núcleo Rotary de Desenvolvimento Comunitário Presidente eleito do Rotary International Seminário de Treinamento para Presidentes Eleitos Plano de Liderança Distrital Rotary Club Rotary International Rotary na Grã-Bretanha e na Irlanda Rotary International Brazil Office Prêmios Rotários de Liderança Juvenil Subsídio Saúde, Fome e Humanidade

SETEMBRO DE 2008

todo o país aos domingos pela Rede Família de televisão, para veicular o material de imagem pública do Rotary “Humanidade em Ação”. A iniciativa contou com o apoio dos produtores do programa Gino José Torrezan, Gilberto Antonio Torrezan e Luiz Eduardo Mesquita.

D. 4670 RC DE Alvorada, RS – Por sua atuação na área ambiental, o clube foi agraciado pela secretaria municipal de Meio Ambiente com o prêmio Top Ecologia 2008 na categoria Entidades e Associações.

Como enviar material para a Brasil Rotário ara que os companheiros de todo o país P conheçam os projetos que

seu clube vem realizando, é importante que as notícias cheguem à redação contendo as seguintes informações: ● o nome completo e o distrito de seu clube ● a data e local em que foram realizadas as ações ● um breve relato sobre o projeto, explicando sua importância e o alcance dele junto à comunidade ● os nomes dos parceiros, no Brasil e no exterior ● e os nomes e sobrenomes de todos os que aparecerem nas fotos com até seis pessoas, relacionados a partir da esquerda. FOTOS: as imagens digitais precisam ter pelo menos 300 DPI de resolução e 9 cm de largura. Na dúvida, selecione a opção alta resolução de sua câmera. Se o envio for feito por e-mail, pedimos que o tamanho dos anexos não supere 1 MB. A publicação é gratuita. Basta apenas que o assunto se encaixe em nosso perfil editorial e que seu clube esteja em dia com a assinatura da revista. A Brasil Rotário não publica posses ou outros fatos que possam obter o merecido destaque nos boletins de seu clube. MUITO IMPORTANTE: informe também um telefone de contato (com o código de DDD) para que possamos falar com você no caso de qualquer dúvida. Anote os nossos endereços Avenida Rio Branco, 125 – 18o andar Rio de Janeiro, RJ CEP: 20040-006 e-mail: redacao@brasil-rotario.com.br O telefone da redação é (21) 2506-5600.

Estamos esperando para ver seu clube na revista!


Novos Companheiros Paul Harris ○

D. 4420 AGRACIADO: IVO Sanches, sócio do RC de Santos-Ponta da Praia, SP. Ele recebeu a primeira safira. ENTREGUE POR: Régis Miranda de Carvalho, companheiro dele no clube.

LUZIA Maria NasciD. 4310 AGRACIADOS: mento, mulher de José Ferreira, associado do RC de Salto-Moutonée, SP, e os companheiros Valdir Colaço, presidente do clube; Rita de Cássia Assumpção Ribeiro; Frank Ronaldo da Silva Campino, ex-presidente; e o secretário José Roberto Bottura.

AGRACIADA: ELZA Maria Alves. ENTREGUE POR: Ivo Sanches, companheiro do RC de SantosPonta da Praia, SP, e marido da agraciada.

AGRACIADO: AGUINALDO Higino Santana Filho, chefe de seção do Abrigo Provisório da secretaria de Assistência Social de Santos. ENTREGUE POR: Sylvia Storte, presidente 200708 do RC de Santos-Ponta da Praia, SP, e pelo companheiro Maurício Porto.

AGRACIADA: IRENI Souza de Oliveira, presidente do RC de São Vicente-Antônio Emmerich, SP. ENTREGUE POR: Douglas Pinheiro da Silva, presidente 2007-08.

AGRACIADO: MARCOS Storte. ENTREGUE POR: Sylvia Storte, mulher do agraciado e presidente do RC de SantosPonta da Praia, SP, em 2007-08.

AGRACIADO: CARLOS Teixeira Filho, secretário municipal de Assistência Social de Santos, que recebeu o título em reconhecimento aos significantes serviços que vem prestando à comunidade santista. ENTREGUE POR: presidente 200708 do RC de Santos-Ponta da Praia, SP, Sylvia Storte.

NO JANTAR que marcou o final do ano rotário 2007-08, o RC de São Bernardo do Campo, SP, entregou títulos Companheiro Paul Harris a Valter Moura Júnior, Vinicius Moura, Sonia Marinotto, Carmen Rosa, Ermelinda Novaes, Leonardo Guido, Roseli Casari, Maria Moreno, Marila Martins, Silas Marola, Sandra Marola, Daniella Marola, Bruna Marola, Carlos Roberto da Silva, Sandro Camargo, Eric Pereira, Alcides da Silva, Jacira Correa, Genival Silva, Morgana da Silva, Luis Cláudio Marrone, José Roberto Marcacine, Luiz Antonio Novi, Ari Testa, Sabatino Barbano e Maria de Lourdes Marrone. Também foram agraciados Armando Tadeu Facio, Milton Casari e Dionísio Guido (com a primeira safira); Evaristo Novaes e Valter Moura (com a segunda safira); Alexandre Astrogildo Rosa (com a terceira safira). Além deles, também foram agraciados o presidente 2007-08 do clube, Laércio Giglioli, membro da Paul Harris Society, que recebeu o título Major Donor de nível 1; e o EGD Silvio José Marola, associado do clube, que recebeu o Major Donor de nível 2.

FAÇA SUA DOAÇÃO PARA A ERRADICAÇÃO DA PÓLIO BRASIL ROTÁRIO

59


Novos Companheiros Paul Harris ○

D. 4420 AGRACIADA: FABIANA Morozetti Ramajo Esteves, associada do RC de Santos-Porto, SP. ENTREGUE POR: Otelinda Martins Cipriano de Fazio, presidente 2007-08 do clube, e Ricardo Esteves, sócio do clube e marido da agraciada.

AGRACIADO: LUIZ Fernando Medeiros Nader, sócio do RC de Santos-Porto, SP. ENTREGUE POR: companheiros Otelinda Martins Cipriano de Fazio, então presidente, e Carlos Alberto de Melo Ferreira. AGRACIADO: ANDRÉ Luis Neiva, presidente do RC de Santos-Porto, SP, com uma safira. ENTREGUE POR: Otelinda Martins Cipriano de Fazio, presidente 2007-08.

SETEMBRO DE 2008

AGRACIADOS: JAIR Pereira Cardoso e Dércio Calister, companheiros do RC de AndradinaUrubupungá, SP. ENTREGUES POR: João Teixeira Rodrigues, sócio do clube e então governador assistente.

AGRACIADO: PAULO Roberto Silveira Leite, presidente 200708 do RC de AraçatubaCentenário, SP. ENTREGUE POR: companheiro Paulo Katsumi Fugi, que foi o primeiro presidente do clube.

D. 4490 AGRACIADO: PAULO José Moura de Almeida, presidente 2009-10 do RC de Fortaleza-Barra, CE. ENTREGUE POR: EGD Érico Romero Pessoa, na presença de Maria Juventude de Almeida, mulher do agraciado.

AGRACIADO: INALDO José Botelho D’Assunção, companheiro do RC do Recife-Espinheiro, PE. ENTREGUE POR: Alcine Lopes, sócio-fundador do clube.

MILHÕES DE CRIANÇAS AGUARDAM SUA DOAÇÃO À FR 60

D. 4470

D. 4500 AGRACIADO: WOLNEY José Pinto, do RC de Santos-Porto, SP. ENTREGUE POR: Otelinda Martins Cipriano de Fazio, presidente 2007-08, e pela companheira Raquel Ferreiro Vieira.


Novos Companheiros Paul Harris ○

D. 4630

JULIANO Hernandes, D. 4540 AGRACIADOS: Iran Aricó e Paulo César Vanzella, associados do RC de Ribeirão PretoJardim Paulista, SP. ENTREGUE POR: Francisco Nalini, presidente 2007-08 do clube, e pelo então governador Adalberto Menegazzo.

D. 4620 AGRACIADA: CREUSA Teixeira Nunes da Costa, integrante da Associação das Famílias de Rotarianos de Itapetininga e mulher do companheiro José Nunes dos Santos Costa, sócio do RC de Itapetininga, SP. ENTREGUE POR: Maria José Duarte Goya, governadora 2007-08, durante a Conferência Distrital de São Pedro.

AGRACIADOS: RONALDO Alves da Silva, do RC de Cerqueira César, SP, com um título de Companheiro Paul Harris, e Luiz Pavan Neto, com uma safira.

AGRACIADO: BENEDITO Eduardo Bragagnolo, do RC de Taquarituba, SP. Ele aparece recebendo o título de Companheiro Paul Harris ao lado da mulher, Maria Silvia, e nas presenças dos sogros, o casal EGD Wilson Rigolin e Maria (à esquerda), do então casal de governadores assistentes Luiz Carlos de Oliveira e Izabel, e da presidente do clube, Rosely Zem Vieira de Souza.

AGRACIADO: WILLIAM Shiniti Yamamoto, companheiro do RC de MaringáColombo, PR. ENTREGUE POR: Amaury Cruz Couto, governador 2007-08 do distrito, e pelo ex-presidente do RI Luis Vicente Giay. AGRACIADO: CELSO José Martins, associado do RC de Maringá-Colombo, PR. ENTREGUE POR: Amaury Cruz Couto, então governador distrital, na presença de Adriana, mulher do agraciado.

AGRACIADO: JAIME Pego Siqueira, do RC de Maringá-Colombo, PR. Ele recebeu a segunda safira. ENTREGUE POR: Amaury Cruz Couto, então governador. AGRACIADO: ADEMAR Kenhiti Issi, companheiro do RC de Campo MourãoGralha Azul, PR, com o título de Major Donor. ENTREGUE POR: Luis Vicente Giay, ex-presidente do RI; pelo então governador Amaury Cruz Couto; e pela mulher do agraciado, Rosana.

FAÇA SUA DOAÇÃO PARA A ERRADICAÇÃO DA PÓLIO BRASIL ROTÁRIO

61


Novos Companheiros Paul Harris ○

D. 4640 AGRACIADOS: LUIZ Carlos Steiner, Paulo Scheuer e Valmir Onório Baczinski, associados do RC de Francisco Beltrão-Integração, PR, e Iracema Casaril Urio, mulher do companheiro Acyr Urio.

AGRACIADO: MANOEL Fernandes de Mesquita, sócio do RC de Caxias do SulPérola das Colônias, RS. ENTREGUE POR: Eliete Ferrari, presidente 2007-08 do clube. AGRACIADO: BELVAN Aver, companheiro do RC de Caxias do SulPérola das Colônias, RS. ENTREGUE POR: Gilberto Pasquale, padrinho dele no clube.

DURANTE A última Conferência Distrital, o título de Companheiro Paul Harris foi entregue a Josenir Lima, associado do RC de Manaus-Distrito Industrial, AM; Haroldo Bentes de Souza, do RC de Santarém-Universitário Centenário, PA; Germano do Valle, do RC de Santarém, PA; e os companheiros Luiz Gonzaga e Manoel Fernandes Junior, do RC de Santarém-Aldeia, PA. Na foto, eles estão na companhia do então presidente do RC de Manaus-Distrito Industrial, Paulo Choiti Miyakawa; da governadora 2007-08 Vera Canto Bertagnoli; da EGD e coordenadora regional da Fundação Rotária, Aldair de Queiroz Franco; e da então presidente do RC de Santarém-Aldeia, Maria Irene Escher.

D. 4730

AGRACIADOS: ANTONIO Eonori Catapan, Jânio José Masiero, Márcia Schlichting e César Augusto Travensolli, sócios do RC de Curitiba-Bom Retiro, PR. A entrega, feita no aniversário de 25 anos do clube, aconteceu nas presenças da governadora 2007-08 Ilma Brandalize Machado e da então presidente Silvanete Freitas.

AGRACIADO: EZIO Bernardinis, associado do RC de Manaus-Distrito Industrial, AM.

D. 4740 AGRACIADO: HUGO Eduardo Dziecimmy, sócio do RC de Fraiburgo, SC. O título foi entregue durante a comemoração dos 30 anos do clube, nas presenças de Ricardo Cecchini, presidente 200708; Ariovaldo Soltoski, atual presidente; e do então governador Jefferson Bittencourt.

AGRACIADA: GERDA Maria Frey Ziolkowski, companheira do RC de Fraiburgo, SC. Título entregue nas presenças de Ricardo Cecchini, então presidente do clube; Ariovaldo Soltoski, atual presidente; e Jefferson Bittencourt, governador 2007-08.

MILHÕES DE CRIANÇAS AGUARDAM SUA DOAÇÃO À FR SETEMBRO DE 2008

D. 4700

D. 4720

62


Rodrigo

☺ Um

ladrão entra com uma arma no banco e exige o dinheiro do caixa. Uma vez com o dinheiro na mão, ele se volta para um cliente e pergunta: – Você me viu roubar este banco? – Sim, eu vi. E o ladrão atira nele. Depois volta-se para um casal parado a seu lado e pergunta ao homem: – Você me viu roubar este banco? – Eu não, mas minha mulher viu.

☺ Duas distintas senhoras encon-

tram-se depois de um bom tempo sem se verem. – Como vão seus dois filhos, a Rosa e o Francisco? – uma delas pergunta. – Ah, querida... A Rosa casouse muito bem. Tem um marido maravilhoso. Você acredita que ele levanta de madrugada pra trocar as fraldas do meu neto, faz o café da manhã, lava a louça e ajuda na faxina, e só depois vai para o trabalho? – Nossa, amiga... Que ótimo! E o Francisco? Casou-se também? – Casou sim, mas deu azar. Casou muito mal. Acredita que ele tem que levantar de madrugada para trocar as fraldas do meu neto, fazer o café da manhã, lavar a louça e ainda ajudar na faxina? E depois disso tudo ainda sai para trabalhar e sustentar a preguiçosa da minha nora! Colaboração de Marcos Buim, companheiro do RC de São Caetano do Sul-Olímpico, SP (D.4420).

☺O

cirurgião preparando seu

paciente para uma operação: – O senhor prefere anestesia local? – Por quê? Acabou a estrangeira?

☺ O médico para o enfermeiro:

– Você deu um comprimido ao doente do leito 20? – Meu Deus! Me confundi e dei

20 comprimidos ao doente do leito um!

☺ – Marta, vou despedir o cho-

fer. É a quinta vez que ele tenta me matar! – Coitado, querido... Dê mais uma oportunidade ao rapaz. Colaboração do EGD Hertz Uderman.

Sabedoria popular na era digital Como estamos nos tempos da informática, foi necessário rever os velhos ditados populares e adaptá-los a essa nova realidade: ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■

A pressa é inimiga da conexão Amigos, amigos, senhas à parte Antes só do que em chats aborrecidos A arquivo dado não se olha o formato Diga-me que chat freqüentas e te direi quem és Para bom provedor, uma senha basta Não adianta chorar sobre o arquivo deletado Em briga de namorado virtual não se mete o mouse Hacker que ladra não morde Mais vale um arquivo no HD do que dois baixando Melhor prevenir do que formatar Quando a esmola é demais, o santo desconfia que tem vírus anexado Quem ama um 486, Pentium 5 lhe parece Quem não tem banda larga caça com modem Quem nunca errou que aperte a primeira tecla Quem tem dedo vai a Roma.com Um é pouco, dois é bom, três é chat ou lista virtual Vão-se os arquivos, ficam os backups Na informática, nada se perde, nada se cria: tudo se copia.... e depois se cola

Colaboração de Paulo César Branquinho, companheiro do RC de Dourados, MS (D.4470) BRASIL ROTÁRIO

63


Cartas & Recados Correspondência recebida do EGD Wanderley Cintra Ferreira, associado do RC de Franca-Norte, SP (D. 4540), sobre o Plano de Visão Futura da Fundação Rotária (edição de julho/2008):

“O

portuna a discussão, pois a simplificação dos programas e sua operacionalização só serão conseguidas utilizandose a experiência daqueles que sabem das dificuldades para sua implementação. É importante saber que os curadores da Fundação Rotária resolveram repensar a forma de trabalho da instituição”. ERRATA: Diferente do que foi publicado na página 54 da edição de julho, os RCs de Itapema e de Araranguá, em Santa Catarina, pertencem ao distrito 4651, e não ao distrito 4510.

Saudades Iracino Monteiro, sócio do Rotary Club de Osvaldo Cruz, SP (D. 4510)   

Celestino Sarti, associado do RC de Orlândia, SP (D. 4540)   

Jair José de Souza, companheiro do RC de Brumado, BA (D. 4550)   

João Antônio da Silva, do Rotary Club do Rio de Janeiro-Ilha do Governador, RJ (D. 4570)   

Américo Matheus Florentino, do Rotary Club do Rio de Janeiro-Botafogo, RJ (D. 4570)   

Onofre Moreira, associado do Rotary Club de Copacabana, RJ (D. 4570)   

Herlyck Scoralick, companheiro do Rotary Club do Rio de Janeiro-Jacarepaguá, RJ (D. 4570) 64

SETEMBRO DE 2008

Aves adaptam o seu canto ao meio urbano

A

s aves canoras modificam a sua forma de cantar quando vivem nas cidades, revela um estudo elaborado na Universidade de Leiden, Holanda. Em comparação com os espécimes que vivem na floresta, as aves “citadinas” cantam temas mais curtos, acelerados, e fazem-no numa freqüência mais alta. A rápida urbanização da paisagem e o subseqüente aumento do ruído ambiente revelaram-se problemáticos para animais que usam o som como forma de comunicação. Isto é especialmente importante para os pássaros, já que o ruído das grandes cidades pode sobrepôrse à troca vital de informações que permite aos machos atrair as fêmeas. Um caso interessante é o do chapim real. Para além de utilizar um vasto espectro de freqüências, podendo ajustar o seu canto ao ambiente, esta ave tem a capacidade de “apanhar” canções dos “vizinhos” quando se muda para novas paragens. Fonte: www.portaldascuriosidades.com



Brasil Rotário - Setembro de 2008