Page 1

brasil

ROTARIO A revista regional do Rotary no Brasil

MARร‡O 2014 ANO 89 nยบ 1101

DEVOLVER SORRISOS Corrigindo fissura labiopalatal

www.brasilrotario.com.br


26

Nesta edição 08 Concurso 90 Anos, 90 Projetos 12 E

Gary Huang Fazer o Rotary brilhar e crescer ntrevista com

16 Muricy Ramalho é homenageado

Um giro pelo mundo

18 C

oluna do presidente do

Rotary International

Ron D. Burton

19 C

oluna da diretora do Rotary International Dinheiro não é o mais importante

Celia Giay

20 C

oluna do chair da Fundação Rotária Inovar para fazer o bem

DK Lee

21 C

oluna do curador da Fundação

Rotária

Mãos para dar e receber Antonio Hallage

22 C

Associação Brasileira The Rotary Foundation Grande visão de futuro oluna da

da

Luis Vicente Giay

23 C

oluna dos coordenadores regionais

da Fundação

Rotária Superando o analfabetismo José Carlos Carvalho e Celso Alves

24 C

oluna da coordenadora regional

da Imagem

Pública Seja um porta-voz do Rotary e ajude a fortalecer nossa imagem Denise Vieira

18-25 4

| MARÇO de 2014


12

Leia Um convite do editor Ricardo VLM Gondim

O

25 C

oluna dos coordenadores regionais do Rotary Novas ferramentas para os clubes e rotarianos

Altimar Augusto Fernandes e Antonio Henrique de Vasconcelos

26 C

apa

Por um sorriso mais feliz Cristiane Lebelem

31 G

lobal Outlook Reta final: guia para eliminar a pólio até 2018

Material produzido pelo Rotary International (texto e arte)

39 Entre em ação, mostre que falta pouco,

participe do Maior Comercial do Mundo

72 Edital de convocação

da Cooperativa Editora Brasil Rotário

31 Seções 07 Cartas e recados l Saudades 09 Curtas 44 Clubes e distritos em revista 63 Quantos somos 64 Senhoras em ação

65 Interact e Rotaract 70 Rotarianos que são notícia 71 Reconhecimentos da Fundação Rotária 73 Aconteceu 74 Relax Capa: arte de Cristina Andrade com foto de Corbis

Rotary, no nosso entender, é mais que o simples fazer em benefício da comunidade. Entendemos que o Rotary, como somatória das expressivas lideranças de todos nós, rotarianos, em cada setor de nossas atividades, deve também mobilizar outras forças atuantes na sociedade, galvanizando-as e criando, por meio de parcerias, convênios ou outras formas de cooperação, ações realmente poderosas, eficazes e eficientes a favor da comunidade. Mais que o simples fazer, ele deve fazer acontecer. Assim, neste número a Brasil Rotário destaca o importante apoio que o Rotary Club de Curitiba-Portão presta ao Centro de Atendimento Integral ao Fissurado Labiopalatal (Caif), localizado na capital paranaense. Considerado um modelo de atendimento em todo o país, o Caif já beneficiou mais de 65 mil pessoas desde sua criação, em 1992. Vale também lembrar sobre este assunto que, em nossa edição de janeiro (nº 1.099), a Brasil Rotário noticiou um projeto de treinamento de profissionais para operarem crianças ucranianas com lábio leporino. O projeto foi elaborado pelo distrito 4560, contando com a parceria do distrito 4570 e do Hospital de Reabilitação de Anormalidades Craniofaciais da Universidade de São Paulo, em Bauru. Nota-se a importância deste atendimento quando se verifica, por dados estatísticos, que no Brasil uma em cada 650 pessoas nasce com a referida má formação labiopalatal. Neste mês temos também uma entrevista com o simpático companheiro taiwanês Gary Huang, próximo presidente do Rotary International, que fala de sua vida, dos planos para o Rotary em 2014-15, e de sua expectativa para a Convenção Internacional no Brasil. O Global Outlook, suplemento proveniente do Rotary International e de publicação obrigatória em toda a imprensa rotária mundial, aborda a nova meta de erradicação mundial da poliomielite, estabelecida para o ano de 2018. Nesta matéria está incluída uma entrevista com o vice-presidente do Instituto Sabin, o brasileiro Ciro de Quadros, feita pela Brasil Rotário em parceria com a Subcomissão Polio Plus do distrito 4651 (parte de Santa Catarina), e publicada originalmente na nossa edição de julho de 2013. A propósito, vale assinalar com muita satisfação que na ocasião esta entrevista despertou a atenção do Rotary Internacional, o qual solicitou autorização para incluí-la no Global Outlook e divulgá-la por todo o mundo. Assim, ela volta às nossas páginas, desta vez como publicação obrigatória... Estas e muitas outras matérias de interesse estão neste número da nossa revista. Leia! MARÇO de 2014||

5


Rotary International

One Rotary Center

Conselho Diretor 2013-14 PRESIDENTE Ron Burton

VICE-PRESIDENTE Anne Matthews TESOUREIRO Andy Smallwood

Evanston, Illinois, EUA

www.rotary.org

Curadores da Fundação Rotária 2013-14

DIRETORES Ann-Britt Åsebol Bryn Styles Celia Elena Cruz de Giay Gideon Peiper Holger Knaack Jacques di Constanzo John Boag Larry Lunsford Mary Beth Growney Selene

PRESIDENTE ELEITO Gary Huang

1560 Sherman Avenue

Michael Webb P. T. Prabhakar Sang Koo Yun Seiji Kita Steven Snyder Takeshi Matsumiya SECRETÁRIO-GERAL John Hewko

Noel Ba At Ray Klinginsmith Samuel Owori Stephanie Urchick Stephen Brown

CURADORES Antonio Hallage Ian Riseley Jackson Hsieh Julio Sorjús Kalyan Banerjee Kazuhiko Ozawa Monty Audenart

CHAIR Dong Kurn Lee CHAIR ELEITO John Kenny VICE-CHAIR Michael McGovern

SECRETÁRIO-GERAL John Hewko

Governadores de Distrito no Brasil em 2013-14 DISTRITO 4310 Wilson Takada Jr. RC de Indaiatuba, SP

DISTRITO 4510 Ricardo Bermejo RC de Assis-Norte, SP

DISTRITO 4610 Claudio Moyses RC de São Paulo-Barra Funda, SP

DISTRITO 4700 Rudimar Borghetti RC de Caxias do Sul, RS

DISTRITO 4390 Carlos Lucena RC de Feira-Leste, BA

DISTRITO 4520 Iracema Ferreira RC de Teófilo Otoni-Norte, MG

DISTRITO 4620 Wellington Hoshino RC de Tatuí-Cidade Ternura, SP

DISTRITO 4710 Antônio Santos RC de Londrina-Sudeste, PR

DISTRITO 4410 Robson Vilela RC de São Gabriel da Palha, ES

DISTRITO 4530 Raimundo Pinheiro RC de São Luiz de Montes Belos, GO

DISTRITO 4420 José Joaquim Ferreira RC de São Paulo-Sul, SP

DISTRITO 4540 Antônio Sader RC de Sertãozinho, SP

DISTRITO 4630 Antonio Cardoso RC de Campo Mourão, PR

DISTRITO 4720 João Oliveira RC de Redenção, PA

DISTRITO 4430 Antônio José Costa RC de São Paulo-Alto da Mooca, SP

DISTRITO 4550 Ricardo Becker III RC de Cruz das Almas, BA

DISTRITO 4640 Paulo Camargo RC de Foz do Iguaçu-Ponte, PR

DISTRITO 4730 Luiz Scorsin RC de Curitiba-Oeste, PR

DISTRITO 4440 José Silva RC de Cuiabá-Taiamã, MT

DISTRITO 4560 Virgílio Bandeira RC de Lavras-Sul, MG

DISTRITO 4650 Leopoldo Defaci RC de Itapoá, SC

DISTRITO 4740 Luiz Karloh RC de Herval D’Oeste, SC

DISTRITO 4470 José Corrêa RC de Campo Grande-São Francisco, MS

DISTRITO 4570 Fernando Moreira de Faria RC do Rio de Janeiro-Ipanema, RJ

DISTRITO 4651 César Menezes RC de Criciúma, SC

DISTRITO 4750 Luiz Oscar Spitz RC de Araruama, RJ

DISTRITO 4480 Ricardo Maluf RC de Cafelândia, SP

DISTRITO 4580 Ângela Maria Rezende RC de Congonhas, MG

DISTRITO 4660 Derci Moraes RC de Santo Ângelo-Norte, RS

DISTRITO 4760 William Ramos RC de Pirapora, MG

DISTRITO 4490 Dejarino Santos Filho RC de Maranguape, CE

DISTRITO 4590 Marco Ginciene RC de Cajamar, SP

DISTRITO 4670 Loreni Feistler RC de Canoas-Integração, RS

DISTRITO 4770 Elcimar Oliveira RC de Bom Jesus, GO

DISTRITO 4500 Alexandre Inojosa RC de Petrolina, PE

DISTRITO 4600 Janilson Teixeira RC de Resende-Campos Elíseos, RJ

DISTRITO 4680 Marco Antônio Luz RC de Pelotas-Suleste, RS

DISTRITO 4780 Rubem Beraldo dos Santos RC de Cachoeira do Sul-Princesa do Jacuí, RS

cOOPERATIVA EDITORA BRASIL ROTÁRIO

Revista de Propriedade da Cooperativa Editora Brasil Rotário CNPJ 33.266.784/0001-53  Inscrição Municipal 00.883.425 Av. Rio Branco, 125, 18º andar CEP: 20040-006 – Sede própria Rio de Janeiro – RJ  Tel: (21) 2506-5600 / Fax: (21) 2506-5601

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO 2013-15

Conselho SUPERIOR Mário de Oliveira Antonino (Recife-PE) EDRI 1985-87 Gerson Gonçalves (Londrina-PR) EDRI 1993-95 José Alfredo Pretoni (São Paulo-SP) EDRI 1995-97 Celia Elena Cruz de Giay (Arrecifes-Argentina) DRI 2013-15

Diretoria Executiva Presidente Ricardo Vieira Lima Magalhães Gondim Vice-Presidente de Operações Milton Ferreira Tito Vice-Presidente de Administração Waldenir de Bragança Vice-Presidente de Finanças Wilmar Garcia Barbosa Vice-Presidente de Planejamento e Controle Bemvindo Augusto Dias Vice-Presidente de Marketing José Alves Fortes Vice-Presidente de Relações Institucionais José Luiz Fonseca Vice-Presidente Jurídico Jorge Bragança MEMBROS EFETIVOS

Dulce Grünewald Lopes de Oliveira Eduardo Alvares de Souza Soares Fernando Antonio Quintella Ribeiro Herlon Monteiro Fontes Joper Padrão do Espírito Santo José Ubiracy Silva Vicente Herculano da Silva

MEMBROS SUPLENTES

Alberto de Freitas Brandão Bittencourt Carmelinda Amália Maria Maliska Paulo César Tinoco GERENTE EXECUTIVO

Gilberto Geisselmann ASSESSORES

Abel Mendes Pinheiro Júnior Alice Cavaliere Lorentz Antonio Vilardo Aroldo Mendes de Araujo Eduardo de Barros Pimentel Geraldo da Conceição Sebastião Cony Dantas Taketoshi Higuchi CONSELHO FISCAL

Membros efetivos Orlando Graneiro Ril Moura Sebastião Porto Suplentes Cláudio da Cunha Valle José Moutinho Duarte CONSELHO CONSULTIVO DE GOVERNADORES

Membros natos efetivos Governadores 2013-14 Representante junto ao Conselho de Administração Fernando Moreira de Faria

CONSELHO EDITORIAL CONSULTIVO

Presidente Ricardo Vieira Lima Magalhães Gondim Membros Bemvindo Augusto Dias Fernando Antonio Quintella Ribeiro Fernando Moreira de Faria Jorge Bragança José Alves Fortes José Luiz Fonseca José Ubiracy Silva Mário César de Camargo Milton Ferreira Tito Waldenir de Bragança Wilmar Garcia Barbosa COMISSÃO EDITORIAL EXECUTIVA

Presidente Ricardo Vieira Lima Magalhães Gondim Membros Bemvindo Augusto Dias Gilberto Geisselmann José Alves Fortes Luiz Renato Dantas Coutinho Manoel Magalhães Milton Ferreira Tito Nuno Virgílio Neto Renata Coré

Hipólito Sérgio Ferreira (Belo Horizonte-MG) EDRI 1999-01 Alceu Antimo Vezozzo (Curitiba-PR) EDRI 2001-03 Luiz Coelho de Oliveira (Limeira-SP) EDRI 2003-05

Themístocles A. C. Pinho (Niterói-RJ) EDRI 2007-09 Antonio Hallage (Curitiba-PR) EDRI 2009-11 José Antonio Figueiredo Antiório (Osasco-SP) EDRI 2011-13

Carlos Henrique de Carvalho Fróes (Rio de Janeiro-RJ) EGD 1986-87 e ex-presidente da Cooperativa Editora Brasil Rotário EXPEDIENTE Editor: Ricardo Vieira Lima Magalhães Gondim Jornalista responsável: Luiz Renato D. Coutinho – Jorn. Prof. MtB 25583 RJ Redator-chefe: Nuno Virgílio Neto – Jorn. Prof. MtB 24490 RJ Redação: Alex Mendes, Armando Santos, Luiz Renato D. Coutinho, Manoel Magalhães, Maria Cristina Andrade, Maria Lúcia Ribeiro de Sousa, Nuno Virgílio Neto e Renata Coré Digitalização: Alex Mendes, Armando Santos e Maria Cristina Andrade Impressão: Log & Print Gráfica e Logística S.A. Tiragem desta edição: 59.000 exemplares E-mail da Redação: redacao@brasilrotario.com.br Homepage: www.brasilrotario.com.br Facebook: www.facebook.com/revistabrasilrotario As matérias assinadas são de inteira responsabilidade dos seus autores. A Brasil Rotário, consciente de sua responsabilidade ambiental e social, utiliza papéis com certificado FSC (Forest Stewardship Council) para a impressão desta revista. A Certificação FSC garante que uma matériaprima florestal provenha de um manejo considerado social, ambiental e economicamente adequado.

Um princípio que não pode ter fim. Campanha em prol de mais ele­­­vados padrões de ética. Apoio dos Rotary Clubs do Brasil 6

| MARÇO de 2014


C artas e recados

A Seu Serviço

BRASIL

Edição de fevereiro: gravidez na adolescência Pauta importantíssima. Problema nacional de grandes proporções, com resultados assustadores. – Fernando Quintella, governador 1994-95 do distrito 4720, pelo Facebook Assunto muito importante sobre o qual a família evita falar. Parabéns. – Roque Morlino, de São Paulo, SP, pelo Facebook

A REVISTA REGIONAL DO ROTARY NO BRASIL

FEVEREIRO 2014 ANO 89 Nº 1100

GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA

Uma responsabilidade que chega cedo demais

www.brasilrotario.com.br

pag 1.indd 1

14/1/2014 11:53:26

Matéria que precisa ser lida nas escolas e dentro de casa. Sou mãe jovem, com apenas 17 anos. Minha mãe sempre conversou comigo sobre isso, e eu não tomei cuidado. Mas mesmo assim cuido do meu filho e o amo! – Thais Caldas Cerqueira, pelo Facebook Assunto bem antigo e grave, mas ultrapassado. Acho que hoje em dia as drogas assustam mais. – Odelita Esther Bastida, de Tanabi, SP, pelo Facebook Cadê uma matéria mostrando os pais na adolescência? Toda vez que eu vejo alguma pauta como essa tenho a impressão de que a menina engravidou por magia. Assunto importante sim, mas mostrar os dois lados é mais ainda. – Peinha Nader, de Vitória, ES, pelo Facebook

Sobre o lançamento da revista digital Gostei. Parabéns e continuem inovando. – Izauro Alves Pena, de Jundiaí, SP, por e-mail Já estou com ela no meu iPad. Parabéns. – Marcos Franco, governador 2010-11 do distrito 4420, pelo Facebook Isso é evolução! – Alderi Sousa, secretário-geral do distrito 4490, pelo Facebook Representativa a capa. Sucesso. A iniciativa chegou a tempo. Vou “puxar” no iPad. Um feliz 2014 para todos da Brasil Rotário. – Vera Regina Carvalho Silva, do Rio de Janeiro, RJ, pelo Facebook

Saudades Tânia Ahouagi Milo, ex-presidente e primeira secretária do Rotary Club de Guarapari, ES (distrito 4410). nnn

Inácio Cavalcanti, governador 1965-66 do distrito 4500 e associado ao Rotary Club do Recife, PE. nnn

Roberto Fernandes, associado ao Rotary Club de São Carlos, SP (distrito 4540), desde 1981. nnn

Joseph Arnould, governador 1989-90 do distrito 4580 e associado ao Rotary Club de Conselheiro Lafaiete, MG. nnn

José Luiz Pereira Jr., presidente 1986-87 do Rotary Club de Porto Alegre-Sudeste, RS (distrito 4680).

As correspondências para estas seções devem ser enviadas para o e-mail redacao@brasilrotario.com.br ou para a Avenida Rio Branco, 125/18º andar – Centro – Rio de Janeiro/RJ; CEP: 20040-006. Em razão do seu tamanho ou para facilitar a compreensão, os textos poderão ser editados.

Escritório do RI no Brasil Home page: http://www.rotary.org.br Endereço Rua Tagipuru, 209 – Perdizes São Paulo – SP – Brasil CEP: 01156-000 Tel: (11) 3826-2966 Fax: (11) 3667-6575 Horário: 2ª a 6ª, de 8h às 17h Gerente Celso Fontanelli celso.fontanelli@rotary.org Quadro Social (Assistência aos Governadores de Distrito e aos Clubes) Débora Watanabe debora.watanabe@rotary.org Supervisor da Fundação Rotária Edilson M. Gushiken edilson.gushiken@rotary.org Supervisor Financeiro Carlos A. Afonso carlos.afonso@rotary.org Encomendas de Publicações, Materiais e Programas Audiovisuais Clarita Urey clarita.urey@rotary.org Tel.: (11) 3826-2966 Fax: (11) 3667-6575 Rotary International Secretaria (Sede Mundial) 1560 Sherman Avenue,Evanston, Il 60201 USA Phone: 00-21-1847 866-3000 Fax: 00-21-1847 328-8554 Horário: 8h30 às 16h45 (horário de Washington)

Sobre o uso e a publicação de textos e imagens O leitor que contribui com a Brasil Rotário por meio do envio de conteúdo – tais como fotos, informações, textos e frases, entre outros – aceita e se responsabiliza pela autoria e originalidade do material enviado à revista, bem como pela obtenção da autorização de terceiros que eventualmente seja necessária para os fins desejados, respondendo dessa forma por qualquer reivindicação que venha a ser apresentada à Brasil Rotário, judicial ou extrajudicialmente, em relação aos direitos intelectuais e/ou direitos de imagem, ou ainda por eventuais danos morais e/ou materiais causados à Brasil Rotário, à Cooperativa Editora Brasil Rotário ou a terceiros. Entre os direitos da Brasil Rotário incluem-se, também, os de adaptação, condensação, resumo, redução, compilação e ampliação dos textos e imagens enviados à revista. MARÇO de 2014|

7


Vem aí o Concurso

90 Anos, 90 Projetos

E

m novembro a Brasil Rotário faz aniversário: são 90 anos de publicação ininterrupta, um feito não igualado por qualquer outra revista brasileira. Para comemorar a data, nós lançamos um concurso para a Família Rotária. Rotary Clubs, Interact Clubs, Rotaract Clubs, Casas da Amizade e Associações de Senhoras de Rotarianos de todo o Brasil estão convidados a participar mostrando seu projeto realizado em prol da comunidade.

Envie-nos relato com foto de uma ação concluída que tenha atendido uma das seis áreas de enfoque do Rotary e da Fundação Rotária: paz e prevenção e resolução de conflitos; prevenção e tratamento de doenças; recursos hídricos e saneamento; saúde materno-infantil; educação básica e alfabetização; e desenvolvimento econômico e comunitário. A ação deve ter sido concluída entre 1º de julho de 2012 e 31 de julho de 2014. Uma comissão da editora avaliará o material enviado pelos participantes e selecionará 90 desses projetos realizados, a serem publicados em uma edição especial, em novembro. Além disso, os nove melhores projetos receberão reconhecimento em uma sessão solene. Veja o regulamento do Concurso 90 Anos, 90 Projetos e preencha o formulário de participação até 31 de julho no site da Brasil Rotário:

www.brasilrotario.com.br brasil

8

| MARÇO de 2014

ROTARIO

Servindo por meio da comunicação


C urtas

Rotary International

O Brasil vai brilhar em 2014-15

O

s brasileiros foram destaque na Assembleia Internacional, encontro de treinamento dos rotarianos que, a partir de 1º de julho, irão liderar os mais de 530 distritos do Rotary em todo o mundo. Reunidos em San Diego, nos EUA, entre os dias 12 e 18 de janeiro, eles conheceram em primeira mão o lema escolhido pelo próximo presidente do Rotary International, Gary Huang, de Taiwan, para nortear os Rotary Clubs no ano 2014-15: Faça o Rotary Brilhar. “Existem muitos problemas e muita gente precisando de ajuda no mundo. Muitas pessoas dizem que não podem fazer nada, e enquanto isso tudo fica na escuridão”, disse o presidente eleito, inspirado pelo filósofo chinês Confúcio (551 a.C.- 479 a.C.), que certa vez afirmou: “É melhor acender uma vela do que amaldiçoar a escuridão.” “Assim como Confúcio, o Rotary prefere acender a vela”, disse Gary Huang. “Eu acendo uma, você acende outra e 1,2 milhão de rotarianos acendem as suas. Juntos, fazemos o mundo brilhar.” A delegação brasileira aproveitou a presença de rotarianos de todas as partes do planeta para promover a Convenção Internacional de 2015, que será realizada no Brasil, na cidade de São Paulo. Na companhia do diretor 1995-97 do Rotary International e chairman da Convenção, José Alfredo Pretoni, e de sua esposa, Maria Magnólia, os companheiros do Brasil vestiram-se de verde e amarelo e, como já é tradição nas Assembleias Internacionais, fizeram uma grande festa. MARÇO de 2014|

9


C urtas

Programe-se para as Conferência Distritais Confira os locais e as datas dos principais encontros anuais dos distritos rotários brasileiros Distrito

Local

Data

4310

Águas de São Pedro, SP

9 a 11 de maio

4390

Feira de Santana, BA

19 a 22 de junho

4410

Guarapari, ES

23 e 24 de maio

4420

Águas de Lindoia, SP

15 a 18 de maio

4430

Poços de Caldas, MG

15 a 18 de maio

4440

Cuiabá, MT

1º a 3 de maio

4470

Campo Grande, MS

23 a 25 de maio

4480

São José do Rio Preto, SP

25 a 27 de abril

4490

Caucaia, CE

1º a 3 de maio

4500

Gravatá, PE

16 a 18 de maio

4510

Águas de São Pedro, SP

22 a 25 de maio

4520

Caxambu, MG

1° a 4 de maio

4530

Caldas Novas, GO

1º a 3 de maio

4540

Águas de Lindoia, SP

22 a 25 de maio

4550

Ilhéus, BA

1º a 3 de maio

4560

São Lourenço, MG

16 a 18 de maio

4570

São Lourenço, MG

22 a 25 de maio

4580

Poços de Caldas, MG

23 a 25 de maio

4590

Serra Negra, SP

13 a 15 de junho

4600

Caxambu, MG

22 a 25 de maio

4610

Atibaia, SP

8 a 11 de maio

4620

Águas de Lindoia, SP

12 a 15 de junho

4630

Campo Mourão, PR

20 e 21 de junho

4640

Foz do Iguaçu, PR

21 a 24 de maio

4650

Joinville, SC

16 a 18 de maio

4651

Criciúma, SC

23 a 25 de maio

4660

Santo Ângelo, RS

30 e 31 de maio

4670

Nova Petrópolis, RS

24 a 27 de abril

4680

Pelotas, RS

25 a 27 de abril

4700

Caxias do Sul, RS

9 a 11 de maio

4710

Londrina, PR

16 a 18 de maio

4720

Marabá, PA

1º a 4 de maio

4730

Curitiba, PR

16 a 18 de maio

4740

Canoinhas, SC

23 a 25 de maio

4750

Araruama, RJ

23 a 25 de maio

4760

Caldas Novas, GO

24 a 27 de abril

4770

Caldas Novas, GO

24 a 26 de maio

4780

Cachoeira do Sul, RS

15 a 17 de maio

As informações acima foram fornecidas pelo Escritório do Rotary International no Brasil em 28 de janeiro.

10

| MARÇO de 2014


C urtas

Polos de consciência ambiental no Paraná

O

s Centros de Educação Ambiental são espaços verdes que têm como função reunir informações e experiências em educação ambiental e disseminá-las ao público. Com esse intuito, em 12 de dezembro a Prefeitura de Ponta Grossa assinou termo de cessão de uso do parque Margherita Sannini Masini para a construção do primeiro de cinco Centros de Educação Ambiental que surgirão no Estado do Paraná. Eles são fruto de uma parceria entre a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), que será responsável pela construção e manutenção dos espaços, e o Rotary International, tendo à frente a governadoria do distrito 4730. A Fundação Rotária, por meio de subsídios, possibilitará a aquisição de equipamentos necessários aos centros para os Rotary Clubs da região promoverem seus projetos de educação ambiental e saneamento nas comunidades. Os outros quatro Centros de Educação Ambiental se localizarão em municípios da bacia do rio Iguaçu.

Vamos jogar footy!

A

Austrália tem o seu próprio sotaque, sua própria cozinha, seu próprio continente e também seu próprio estilo de futebol: o futebol australiano, também conhecido como aussie rules ou footy. Os rotarianos presentes à Convenção do Rotary International de 2014, de 1º a 4 de junho, terão a oportunidade de vivenciar esse esporte local em um jogo entre os Sydney Swans e os Geelong (Victoria) Cats, no Sydney Cricket Ground, em 29 de maio. O Sydney Host Organization Committee reservou assentos para essa partida (consulte rotary2014.com.au para mais detalhes).

A partir da esquerda: Marcelo Rangel de Oliveira, prefeito de Ponta Grossa; Fernando Eugênio Ghignone, diretor-presidente da Sanepar; Fernando Pilatti, secretário de Meio Ambiente de Ponta Grossa; Luiz Alberto Scorsin, governador do distrito 4730; e Antonio Hallage, curador da Fundação Rotária

Convenção do Rotary International Os espectadores assistirão a um esporte que não é rugby, não é o nosso futebol, nem o futebol norte-americano. Tem a ver com esses jogos, mas há diferenças. A bola tem formato oval – assim como o campo – e pode ser chutada e carregada, mas não arremessada. Os 18 jogadores em cada equipe têm posições estabelecidas, mas podem jogar em qualquer lugar do campo, atacando ou bloqueando. E há dois conjuntos de postes em cada extremidade do campo, por onde podem ser marcados goals (seis pontos) ou behinds (um ponto).

Inscreva-se para a Convenção do Rotary International de 2014 em Sydney com preço reduzido até o dia 31 deste mês. Visite o site www.riconvention.org/pt

MARÇO de 2014|

11


E n t r e v i s ta : G a r y H u a n g

Fazer o Rotary brilhar e crescer O presidente eleito para o ano 2014-15 quer aumentar a adesão de associados para que possamos equiparar nossos recursos às necessidades mundiais Originalmente para a The Rotarian

G

ary C.K. Huang, que começa seu mandato como presidente do Rotary International em 1º de julho, é rotariano desde 1976. Associado ao Rotary Club de Taipei, Taiwan, ele tem servido à nossa organização em uma série de funções, incluindo as de vice-presidente e diretor do Rotary International, curador da Fundação Rotária, líder do grupo de discussão da Assembleia Internacional, coordenador de força-tarefa e presidente de comissão. Em sua carreira de executivo, Huang atuou como presidente da Companhia de Seguros Malayan Overseas e como secretário-geral do Conselho de Desenvolvimento Industrial e Comercial em Taiwan. Ele é conselheiro da Corporação Industrial Wah Lee e do Banco de Panhsin,

THE ROTARIAN – Como a adesão de novos associados está presente em seus planos presidenciais? n GARY C.K. HUANG – A adesão de associados tem diminuído em número. Meu objetivo é aumentála em 50 mil. Sei que minha equipe pode fazer isso acontecer. Vejo uma oportunidade de se estender para a China. Se a Rússia pode ter 1.300 rotarianos, então, por que não a China? As autoridades chinesas disseram pensar que o Rotary está fazendo coisas boas. Mas a lei para ONGs na China é restritiva, e o Conselho Diretor do Rotary Inter-

12

| MARÇO de 2014

supervisor da Corporação Industrial Wah Hong e diretor da Corporação Federal e da Agência de Desenvolvimento Imobiliário Sunty. Em seu livro, Finding solutions, not excuses (Encontrando soluções e não desculpas, em tradução livre), Huang escreveu sobre suas experiências nos negócios e no Rotary. Seu trabalho como rotariano lhe rendeu o prêmio Dar de Si Antes de Pensar em Si, Menção Presidencial, Menção da Fundação Rotária por Serviços Meritórios e Prêmio por Serviços Eminentes. Ele é casado com Corinna Yao, com quem tem três filhos. Em novembro, Abby Breitstein, redator de discursos do Rotary, entrevistou Huang em Jerusalém, no Instituto Rotary para as Zonas 14, 19 e 20.

national apenas aprovou clubes em Pequim e Xangai. Deveríamos nos abrir a mais províncias para começar nelas clubes provisionais. Então, se as leis locais mudarem, facilmente os transformaremos em clubes oficialmente registrados. Tenho a impressão de que os americanos não querem a China aberta, mas não sei por quê. A maioria dos países asiáticos quer isso. Existe um grupo específico de potenciais associados que o Rotary deveria cobiçar? n Devemos nos concentrar em exbolsistas, pessoas que participaram dos Intercâmbios de Grupos de Es-

tudo e ex-rotaractianos. Atualmente, vemos rotaractianos acima dos 30 anos como graduados. Eles deveriam se tornar rotarianos. Rotaractianos já têm o conhecimento básico e experiência de Rotary. Muitos viajam para o exterior, ingressam no serviço militar ou estudam, e aí se esquecem do Rotary ou tornam-se pessoas ocupadas demais. Devemos acompanhá-los. Se pudermos patrocinar os clubes com reuniões curtas e sem grandes refeições, isso vai ajudar a mantê-los. Estamos fazendo isso com sucesso em Taiwan. Ex-presidentes e representantes do Rotaract tornam-se bons rotarianos.


Fotos: Alyce Henson

“Fui rejeitado como associado três vezes porque era muito jovem, mas foi bom para mim, porque aprendi que ser rotariano é uma oportunidade especial.”

O que você diz às pessoas sobre o Rotary para incentivá-las a participar? n Digo que o Rotary é especial. Trata-se de pessoas ajudando pessoas, e se divertindo como bons amigos. Há os que se dizem muito ocupados para participar de reuniões semanais. Para eles devemos dizer que não precisam participar de todas as

reuniões e que podem participar dos serviços sempre que for possível. E eles precisam se alimentar de qualquer jeito, e é apenas uma refeição. Digo a eles que, quando viajam para o exterior, eles podem comer bem e barato em reuniões rotárias, além de estar entre pessoas amigas que conhecem a língua e os costumes locais.

Quais são os obstáculos para recrutar novos associados? n Muitas pessoas ainda pensam que esta é uma organização exclusivamente masculina. E alguns rotarianos pensam que deveria ser. Eu pergunto a eles: “Você tem certeza de que sua esposa não tem qualificação? Se você não quer que ela participe de seu clube, tudo bem, mas não diga que ela não está apta a ser uma rotariana. Ela pode aderir a um clube diferente”. Essas pessoas são muito conservadoras. Essa é uma das razões para o Japão perder associados. Mas na Coreia do Sul, Taiwan, Índia, tudo está mudando, agora temos mais associados do sexo feminino. O mesmo ocorre com pessoas mais jovens. Temos de dar-lhes oportunidade. Eles são o nosso futuro. Em poucos anos, podem ficar mais ricos e mais bemsucedidos que nós. MARÇO de 2014|

13


E n t r e v i s ta : G a r y H u a n g

“Decidi por Faça o Rotary Brilhar porque não fizemos o suficiente para mostrar o Rotary ao público.” Quão confiante você está na ideia de que o Rotary pode atrair novos associados? Você tem uma estratégia para que isso aconteça? n Neste ano rotário que se iniciará, vamos enfatizar que rotarianos deveriam convidar os cônjuges e outros familiares para ingressar no Rotary. Se você não consegue fazer isso, não venha me dizer que vai convidar alguém! Não é tão difícil convidar pessoas que interagem com o Rotary. Na Austrália, no Instituto Rotary em Canberra, convidei dois dos palestrantes. Ambos aderiram. Um deles era a CEO de um grande banco. Quando a convidei, ela disse que não tinha certeza de ter qualificação. A CEO de um grande banco? Isso é ridículo. Dei-lhe meu distintivo. Tirei do meu paletó e a empossei naquela noite. Isso é algo que todos nós deveríamos tentar fazer – algo que tenho feito com sucesso. Durante reuniões do Rotary, já convidei palestrantes e até mesmo convidados de honra. Muitos rotarianos pensam que essas pessoas são muito ocupadas ou muito importantes e que não terão tempo para o Rotary. Mas é errado supor isso. Em quais de suas habilidades e pontos fortes você confia para se tornar um eficaz presidente do Rotary?

14

| MARÇO de 2014

Quando decido que quero fazer alguma coisa, quero fazer bem, não importa o nível de dificuldade. Uso toda minha energia, todas as minhas conexões, todas as ferramentas de que disponho. Peço conselhos, mas também tenho meus próprios pensamentos a considerar. Relaciono as ideias e se algo ou alguém me convence, mudo meu ponto de vista. Sou teimoso, mas nem tanto. Trabalho duro para o Rotary, porque tenho essa oportunidade de servir, e isso é uma honra. Consigo ser paciente, e estou disposto a aprender. Penso que sou fácil de se conviver. Penso que consigo inspirar os rotarianos – talvez isto seja o que você pode considerar minha força.

n

O que o atraiu para o Rotary? n Quando eu estava no colégio, ganhei

um prêmio do Rotary e pensei: “Uau, tantas pessoas importantes pertencem a essa organização, deve ser boa”. Fui rejeitado como associado três vezes porque era muito jovem, mas foi bom para mim, porque aprendi que ser rotariano é uma oportunidade especial. Durante seu mandato, você viajará a maior parte do tempo. Quais regiões você pensa que precisam de especial atenção? n A África é o lugar que mais precisa de atenção. Há muito interesse em

se envolver, e há muito trabalho a ser feito. Depois, a Índia. O país está crescendo muito rápido, mas existe essa grande disparidade entre ricos e pobres. E eu realmente quero ajudar o Japão. A adesão de associados está em apuros por lá, e isso precisa mudar. Os japoneses têm sido muito bons rotarianos. E, claro, a China. Se um dia a China se abrir, resolverá metade do nosso problema de adesão. Mas temos que ter certeza de que bons clubes patrocinarão novos clubes. A América Latina tem países adoráveis, pessoas muito receptivas. A Convenção durante meu ano será no Brasil, por isso terei a chance de estar lá algumas vezes. Toda vez que vou para aquela região, tenho prazer em notar que eles organizaram novos clubes. Há lugares para onde você não vai? n Não. Em todos os lugares para os quais eu vou, encontro bons rotarianos. Gosto de experimentar novos alimentos, conhecer novos lugares, fazer novos amigos. Não há lugar para onde eu não queira ir. Minha esposa ressalta que sempre digo: “Se você fundar um novo clube, voltarei no próximo ano”. Já falei isso em muitos lugares. E ela gosta de me lembrar: “Não prometa isso! É muito longe, e você provavelmente não poderá


garantir que as coisas tomem a direção correta. Não é trabalho do presidente mudar tudo. Há muitas coisas que podemos melhorar, mas precisamos de tempo e paciência. Meu trabalho é garantir que a organização siga sem atropelos. As pessoas me escolheram para servir a esta organização e eu farei o meu melhor, porque sei que é uma oportunidade única na vida. Vou preparar o caminho para o meu sucessor. voltar”. Ela é mais prática do que eu. Só quero incentivá-los. Como você chegou ao lema Faça o Rotary Brilhar, e o que você espera que isso signifique para os rotarianos? n Eu comecei a pensar sobre um lema quando me tornei vice-presidente do Rotary, em 2001. Aquele foi um ano muito difícil, por causa do 11 de Setembro. Pensei, então: “Se algum dia eu me tornar presidente, qual lema deveria adotar?” Pensei em usar o título de meu livro, Finding solutions, not excuses. Consultei alguns dos meus bons amigos, ex-governadores em Taiwan. Tivemos algumas reuniões de brainstorming. Decidi por Faça o Rotary Brilhar porque não fizemos o suficiente para mostrar o Rotary ao público. O Rotary tem feito tantas coisas boas em tantas comunidades em todo o mundo. Devemos ter orgulho

disso. Há 20 ou 30 anos, matínhamonos discretos, éramos humildes, sentíamos que não deveríamos dizer: “Eu ajudo as pessoas, eu doo dinheiro”. Isso é um pensamento antigo. Hoje é diferente. Estamos fazendo algo de bom, devemos contar às pessoas, isso vai contribuir para conseguirmos mais gente para participar e ajudar aqueles que precisam de ajuda. Alguns presidentes são tradicionalistas, outros são iconoclastas. De qual tipo é você? Você acha que o Rotary precisa ser sacudido ou apenas afinado? n Quero fazer algo de que as pessoas se lembrarão. Mas o trabalho dura apenas um ano. Não há tempo suficiente para fazer grandes mudanças, e não se deve mudar as coisas apenas por mudar. Mas eu não tenho medo de desafios, e quando vejo algo que está indubitavelmente errado, tento

Qual é o legado que gostaria de deixar? n Sou o primeiro chinês a ter oportunidade de ocupar este cargo, então tenho um fardo pesado para carregar. Se eu tiver um bom desempenho, outros chineses ou asiáticos terão uma chance melhor. Se não tiver bom desempenho, posso estragar as chances futuras deles no Rotary. Quero que as pessoas possam olhar para trás e avaliar que escolheram a pessoa certa. Gostaria de ser alguém que fez os rotarianos se envolverem mais, e tornou a experiência mais divertida – e persuadiu mais famílias a se envolverem. O Rotary ajuda a tantas pessoas, mas ainda somos uma pequena minoria. Se pudermos chamar mais atenção do público, mais pessoas poderão aderir. Conseguiremos fazer o mundo ficar melhor. BR Tradução de Ana Luiza Libânio Dantas. MARÇO de 2014|

15


N otas

O técnico do São Paulo (o terceiro a partir da esquerda) e líderes rotários: festiva dedicada aos serviços profissionais

Muricy Ramalho é homenageado por rotarianos

O

Rotary Club de São Paulo-Moema, SP (distrito 4610), decidiu por unanimidade homenagear Muricy Ramalho, atual treinador do São Paulo Futebol Clube. Em 14 de outubro, mês dedicado aos serviços profissionais, quando os rotarianos são incentivados a promover iniciativas de conscientização e reconhecimento às profissões, ele recebeu diploma de Mérito Profissional. A homenagem reuniu mais de 150 pessoas, entre rotarianos, alguns deles líderes, rotaractianos, convidados e representantes do tricolor paulista na churrascaria

Roda Grill, na cidade de São Paulo. Na oportunidade, o governador 2008-09 do distrito 4610, Amilton Medeiros Silva, ainda entregou a Muricy um título de Companheiro Paul Harris. Seja como técnico, seja como jogador (nos anos 70 e 80), Muricy colecionou vitórias. Mais recentemente, duas equipes foram campeãs do Campeonato Brasileiro sob sua liderança: o São Paulo, em 2006, 2007 e 2008, e o Fluminense, em 2010. E em 2011, o Santos foi campeão da Copa Libertadores da América tendo Muricy como treinador.

Giro pelo mundo

Saiba o que Rotary vem fazendo pelo mundo

Gana – Desde 1996, o Rotary Club de Amersfoort-Regio, na Holanda, já enviou cerca de 270 mil dólares em ajuda para Gana, país da África Ocidental em que associados daquele clube têm trabalhado junto a ONGs para fornecer computadores, uma clínica médica móvel, bombas de água e salas de aula. Em junho passado, representantes do clube e da fundação My Book Buddy Foundation, que promove alfabetização nos países em desenvolvimento, viajaram para Gana para entregar 2.000 livros e 18 estantes para três escolas. O Rotary Club de Erwitte-Hellweg, da Alemanha, irá se juntar ao esforço para apoiar mais cinco escolas.

16

| MARÇO de 2014

Suazilândia – Na densa mata do interior da Suazilândia, no sul da África, problemas de transporte dificultam a adesão de pacientes com HIV/Aids às terapias antirretrovirais. Para possibilitarem aos pacientes nas comunidades Maphiveni e Vuvulane acesso ao tratamento clínico, os Rotary Clubs de Mbabane, da Suazilândia, e Baton Rouge-Capital City, dos EUA, graças a um projeto de Subsídio Global, doaram uma van para as viagens regulares a um hospital na cidade de Siteki, a mais de 48 quilômentros. O veículo, comprado em novembro, substituiu uma antiga van fornecida por uma entidade da Suazilândia e está beneficiando mais de 400 crianças soropositivas.


C olunistas

A mensagem dos líderes

N

este caderno abrimos espaço aos rotarianos que têm a missão de orientar os companheiros brasileiros sobre os principais desafios e metas do Rotary International e da Fundação Rotária no atual período rotário. Eles são o presidente e a diretora do Rotary International, o chair e o curador da Fundação Rotária, o representante da Associação Brasileira da The Rotary Foundation e os coordenadores regionais da Fundação Rotária, da Imagem Pública e do Rotary, que – em colaborações não obrigatórias – têm neste espaço a oportunidade de trazer informações em primeira mão e palavras de estímulo a toda a Família Rotária.

iStockphoto

Para esta edição, recebemos as seguintes colaborações:

l Coluna do presidente do Rotary International.............................................. 18 l Coluna da diretora do Rotary International................................................... 19 l Coluna do chair da Fundação Rotária........................................................... 20 l Coluna do curador da Fundação Rotária....................................................... 21 l Coluna da Associação Brasileira da The Rotary Foundation (ABTRF)......... 22 l Coluna dos coordenadores regionais da Fundação Rotária.......................... 23 l Coluna da coordenadora regional da Imagem Pública.................................. 24 l Coluna dos coordenadores regionais do Rotary........................................... 25 MARÇO de 2014|

17


C olunistas

Coluna do presidente do Rotary International

Q

Na rede

Leia os pronunciamentos e as notícias do presidente do Rotary International Ron D. Burton acessando o site www.rotary.org/president

uando eu era criança em Duncan, Oklahoma, nos EUA, tinha como certo que todos podiam ler. Na minha escola primária, não só esperavam que lêssemos aos sete ou oito anos, como queriam que fôssemos capazes de ler os livros de cabeça para baixo. Nós nos revezávamos nessa leitura para toda a classe e, claro, se você pretende ler em voz alta para um grupo e ao mesmo tempo mostrar as fotos aos ouvintes com o livro aberto, na posição correta não dá certo. Nos primeiros anos do ensino fundamental, fizemos isso toda semana, até que já não importava mais a posição em que segurávamos o livro. Naquela época não pensei sobre essa habilidade. Mas há alguns meses, visitando um projeto do Rotary em Decatur, no Alabama, entrei numa sala de aula da primeira série e me perguntaram se eu gostaria de ler um livro para as crianças de seis anos. Naturalmente, fiquei feliz em fazê-lo. Sentei-me, abri o livro que eles escolheram e comecei a ler para cerca de 30 crianças pequenas – de cabeça para baixo, do jeito que eu fazia quando estava na segunda série. Em certo sentido, eu estava fazendo exatamente o que havia aprendido há mais de meio século. Mas, como adulto, e especialmente como rotariano, olhei para aquela experiência de uma maneira diferente. Eu estava lendo para um grupo de crianças que trilhava o caminho da alfabetização. Estávamos sentados na sala de aula, numa escola aonde os rotarianos iam toda semana para ler individualmente com as crianças que precisavam de uma ajuda extra. Não havia qualquer dúvida de que todas as crianças da sala cresceriam adultos alfabetizados. E todos eles tinham certeza disso, assim como estavam certos de que os adultos não se importavam em ler para eles enquanto mostravam as fotos, mesmo que para isso precisassem ler de cabeça para baixo. Nós todos sabemos que milhões de crianças em todo o mundo não têm essa sorte. É por isso que educação e alfabetização são uma prioridade em nosso serviço rotário. Quando celebramos em março o Mês da Alfabetização, lembramos o presente que damos a uma criança ao ajudá-la a ler – esteja essa criança do outro lado do mundo ou em nossa própria cidade.

Ron D. Burton Presidente do Rotary International

18

| MARÇO de 2014


Coluna dA diretorA do Rotary International

Dinheiro não é o mais importante Celia Giay

“Há pessoas pobres, tão pobres, que dinheiro é a única coisa que elas têm.” – Armando Fuentes Aguirre “Cato”

“N

o Rotary, nem tudo é dinheiro” é uma frase que escuto com frequência. No entanto, é verdade que as contínuas campanhas de arrecadação de fundos são muito importantes para cumprirmos nossas ações, e também é certo que, por vezes, deixamos a árvore desviar nossa atenção da beleza do bosque. Porque nem tudo é dinheiro. Para nós, dinheiro é meio, é ferramenta, instrumento que, apesar de útil, não serve para medir a qualidade de um indivíduo, nem para analisar o serviço oferecido. Não se avalia uma pessoa pelo que ela tem ou fornece, mas sim por seu valor como ser humano. Contamos com muitos rotarianos economicamente prósperos, entretanto o valor deles está muito mais no que são do que em suas posses – e isso é realmente notável. iStockphoto Ser rotariano nos oferece muitas oportunidades para sermos úteis, para oferecermos nosso tempo a tarefas que favorecem os mais necessitados, para servirmos por meio de nosso trabalho e praticarmos princípios e valores dessa organização que é nosso núcleo, e para contribuirmos com recursos. Como disse Paulo Coelho: “Somente recebemos mais do que doamos, quando doamos mais do que recebemos”. É verdade que há quem já tenha fornecido milhões para boas causas. Que bom que essas pessoas existem, porque elas são indispensáveis. Mas há muitas outras que não podem doar tanto financeiramente, mas engrandecem suas causas ao contribuírem com sua personalidade, como Mahatma Gandhi, Madre Teresa ou Nelson Mandela. Acredito ser necessário criar no Rotary um equilíbrio entre os bens materiais e os bens espirituais. Uma pessoa é tão valiosa pelo que faz quanto pelo que doa. Porque fazer requer um enorme compromisso e uma vocação que nem todos têm. Os anos se passam e acho difícil entender por que temos tantos rotarianos apáticos em nossos clubes. A apatia é o nosso pior inimigo, porque nos leva à mediocridade, a não compreender que cada um pode e deve fazer sua doação, pode e deve contribuir para a mudança e o progresso. Por isso devemos colocar o dinheiro em seu devido lugar: junto às ferramentas. Devemos ser generosos e doar o máximo que pudermos de nossos recursos. Devemos ser realizadores e usar nossos esforços e trabalho para concretizar nossos sonhos. Pelo bem do Rotary e das próximas gerações, é importante continuarmos a contribuir e a realizar. MARÇO de 2014|

19


C olunistas Coluna do chair da Fundação Rotária

Inovar para fazer o bem DK Lee*

Se não fosse por nossos parceiros globais, a erradicação da poliomielite ainda seria apenas um sonho

D

*O autor é presidente do Conselho de Curadores da Fundação Rotária.

20

| MARÇO de 2014

iStockphoto

esde sua criação, o Rotary tem se esforçado para fazer o maior bem possível, onde quer que seja possível. Os clubes locais, dentro de uma organização internacional, fizeram com que projetos rotários tivessem efeitos locais e globais. Mas, como o Rotary olha para frente, e a Fundação Rotária se firma em trabalhos de base já estabelecidos, reconhecemos a necessidade de desenvolver novas e criativas formas de lidar com problemas. Muitos clubes dos EUA fornecem dicionários para crianças em idade escolar, por exemplo, e essa é uma ótima maneira de incentivar e apoiar a alfabetização. Mas será que os dicionários são a melhor forma de empregar o dinheiro, em um tempo e lugar em que os alunos estão mais propensos a fazer consultas online? Que outros projetos podem apoiar a alfabetização e fazer a diferença em grande escala e de forma mais duradoura? Algumas emocionantes parcerias foram desenvolvidas entre clubes e outras organizações durante o piloto do novo modelo de subsídios da Fundação. Uma de que gosto muito é a parceria que dois distritos rotários, um na Califórnia e outro em Uganda, formaram com duas ONGs ugandenses. Esses distritos utilizaram a nova estrutura da equipe de treinamento profissional para enviar rotarianos e outros profissionais a Nkondo, onde ajudaram a estabelecer um sistema de água potável e uma equipe clínica de saúde treinada. O governo local ficou tão impressionado que também contribuiu. A equipe de treinamento profissional inspirou uma parceria com uma ONG de Uganda que oferece treinamento e supervisão em microfinanças, e uma outra que trabalha com agricultores para produzir safras de rendimento superior. Rotarianos do Quênia e de Uganda viajaram para o distrito 5340, na Califórnia, EUA, para aprender sobre agricultura sustentável e irrigação, bem como sobre boas práticas empresariais. Nesse caso, a Fundação foi capaz de oferecer um serviço que não só atende às necessidades de uma aldeia, mas que também capacita e inspira grupos locais de uma forma que só o Rotary sabe fazer. O Rotary sempre se envolveu em parcerias estratégicas com outras organizações e governos em todo o mundo. Se não fosse por nossos parceiros globais, a erradicação da poliomielite ainda seria apenas um sonho. Mas enquanto implementamos nosso novo modelo de concessão, parceiros estratégicos que se aproveitam do alcance global do Rotary em um nível local serão ainda mais importantes para nosso sucesso.


Coluna do curador da Fundação Rotária

Mãos para dar e receber Antonio Hallage

É o que costumamos chamar de “efeito bumerangue”: todo o bem que fizermos voltará para nós de alguma forma

S

omos solicitados a apoiar a Fundação Rotária em várias ocasiões, seja participando de um projeto por ela subsidiado ou contribuindo a um dos fundos disponíveis. Ao fazermos doações em espécie, temos a certeza de que cada centavo terá a destinação certa e que seu uso será diligentemente monitorado. Ao participarmos de um projeto humanitário, ele será necessariamente direcionado ao desenvolvimento sustentável, pois só assim seus efeitos serão continuados. Podemos não perceber imediatamente e na totalidade os efeitos deste projeto transformando as nossas vidas e as dos outros, mas certamente seremos beneficiados de alguma forma por sua reação em cadeia. É o que costumamos chamar de “efeito bumerangue”: todo o bem que fizermos voltará para nós de alguma forma. Estaremos então doando nosso tempo, esforço e trabalho para amenizar ou mitigar o sofrimento daqueles que mais necessitam. Isto nos remete a uma pequena história: “Um mestre de obra bastante experiente estava na iminência de se aposentar depois de muitos anos de exemplar trabalho. Ele foi então solicitado pelo dono da construtora a executar um último projeto: uma grande e linda casa numa área privilegiada da cidade. Interpretando aquele pedido do patrão como uma punição, o mestre prosseguiu na construção da casa, porém sem muito capricho, não prestando atenção aos detalhes, usando material de terceira categoria e um acabamento de péssima qualidade, quase como uma vingança àquele pedido que considerava injusto depois de tanto tempo de serviço e dedicação à empresa. Para sua surpresa, porém, ao terminar a construção da casa o patrão lhe comunicou: ‘Prezado e dedicado mestre: esta casa é sua. É um presente da nossa empresa pelos excelentes serviços que você nos prestou durante tantos anos’.” Depreendemos dessa história que sempre devemos realizar tudo com esmero, dedicando-nos ao máximo aos serviços rotários e aos projetos de que participarmos, pois o que estivermos fazendo pode um dia vir ao nosso encontro. Se nos doamos durante a execução do projeto, estaremos aptos a receber seus efeitos após a conclusão. É preciso prestar assistência onde ela ainda não existe, encontrando soluções novas para problemas antigos. A felicidade do rotariano é realizada quando ele vê seus projetos completados e tem orgulho em divulgá-los – não para que possamos bater no peito e dizer que fizemos isto ou aquilo, realçando uma eventual ação pessoal, mas lembrando sempre que ninguém faz nada sozinho e nem sozinho receberá seus efeitos. Veremos seus efeitos quando solicitarmos à comunidade que nos dê seu suporte e ela nos apoiar com prazer. Da mesma forma, quando convidarmos um membro dessa comunidade para que ele venha a se juntar a nós em nosso mister de servir, esta pessoa virá com satisfação por conhecer os efeitos do que fizemos. O apoio à Fundação Rotária só adquire real valor quando é possível avaliar o que ele produz e qual legado deixará. Este apoio deve considerar sempre que a nossa prestação de serviços destina-se a atender pessoas e transformar suas vidas para melhor, sendo o elo entre o ter e o necessitar. O tempo e a vida presentes são a matéria de que dispomos. A prestação de serviços é a nossa moeda para investirmos no tempo que nos é concedido. Seja parte ativa de um mundo melhor: estenda sua mão para doar, pois só assim terá coragem de um dia, humildemente, estendê-la para receber seus efeitos. Para fazer comentários e sugestões sobre esta coluna, escreva para hallage@avalon.sul.com.br MARÇO de 2014|

21


C olunistas Coluna dA associação brasileira da the rotary foundation (abtrf) Grande visão de futuro Luis Vicente Giay*

Ao olhar essa proposta em perspectiva, agora compreendo muito melhor o quão revolucionária foi tal ideia em seu momento

ASSOCIAÇÃO BR ASILEIR A DA

THE ROTARY FOUNDATION

D

iStockphoto

urante os anos em que servi como curador da Fundação Rotária, o tema das fundações associadas foi motivo de frequentes debates e discussões. Até o ano 2000 existiam cinco fundações associadas à Fundação Rotária – na Alemanha, Austrália, Canadá, Índia e Reino Unido. Eram subsidiárias da Fundação Rotária, administradas e supervisionadas pela entidade mãe. José Alfredo Pretoni, curador da Fundação Rotária de 2000 a 2004, promoveu a ideia de criar uma associação no Brasil com o nome de Associação Brasileira da The Rotary Foundation (ABTRF) no mesmo esquema das anteriores, mas com um importante diferencial: as contribuições viriam somente de empresas que utilizassem ou não benefícios fiscais brasileiros. Isso ocorreu em junho de 2001 e foi bem aceito; o Japão também solicitou a aprovação de uma ideia semelhante a essa. Com Pretoni, trabalhamos arduamente para avançar, e em junho de 2002, justamente quando terminava minha primeira presidência na Fundação Rotária, no último dia de sessões e quase nos momentos finais, conseguimos aprovar a criação da ABTRF. Essa aprovação foi acompanhada de especificações acerca de arrecadação de fundos e reconhecimento e organização para autorizar o secretário-geral a trabalhar com o curador Pretoni na elaboração das bases finais que definiam a ABTRF, cuja tramitação terminou no ano de 2004 com a recepção de toda a documentação legal, sua aprovação e o início das atividades. Durante esse tempo, a tarefa de fazer compreender essa inovação foi difícil, porque no Rotary as novas ideias não são aceitas da noite para o dia. Em uma perspectiva a longo prazo, os fundos arrecadados pela ABTRF cumprem a função de Fundo Mundial, destinado a sustentar projetos da Fundação Rotária, especialmente no Brasil. Como os doadores não são distritos, clubes nem rotarianos, mas sim empresas, essas contribuições vão diretamente para o Fundo Mundial. E é aí que está a grande diferença: esses fundos somente possuem beneficiários. Em alguns casos, é possível os doadores indicarem a aplicação do dinheiro em uma ou várias áreas de interesse para a fundação, no entanto, ele será compartilhado pelo Fundo Distrital de Utilização Controlada e/ou contribuições disponíveis para cada projeto. A persistência dos fundadores e dos dirigentes, após o surgimento dessa nobre ideia, levou tudo isso a se tornar realidade. Hoje, cerca de 1.200 empresas já efetuaram contribuições para a ABTRF, somando-se quase 4 milhões de dólares. Ao olhar essa proposta em perspectiva, agora compreendo muito melhor o quão revolucionária foi tal ideia em seu momento, e como ela expandiu os horizontes no campo da filantropia, porque a ABTRF não limita suas possibilidades e conduz as ações de seus membros a uma nova e valiosa direção. Enquanto os rotarianos compreenderem o valor dessa ferramenta e souberem convencer potenciais doadores, ela terá conseguido converter-se em um instrumento insuperável para dar mais força ao objetivo de fazer o bem no mundo. * O autor é presidente 1996-97 do Rotary International, e chair 2001-02 e 2006-07 da Fundação Rotária.

Conheça o portal da ABTRF na internet: www.abtrf.org.br 22

| MARÇO de 2014


Coluna doS cOORDENADORES REGIONAIS DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA Superando o analfabetismo José Carlos Celso Alves* Carvalho*

A busca de parcerias pode facilitar a superação do analfabetismo e contribuir também para a inclusão digital de adultos

N

o mês de março – dedicado à alfabetização, segundo o calendário do Rotary –, somos incentivados a aumentar a conscientização pública acerca dos problemas causados pelo analfabetismo e a organizar projetos de alfabetização locais e internacionais. A busca de parcerias pode facilitar a superação do analfabetismo e contribuir também para a inclusão digital de adultos. Jonathan Majiyagbe,  quando  presidente do Conselho de Curadores da Fundação Rotária, deixou a seguinte mensagem: “O domínio das letras transforma a vida de uma pessoa. Saber ler e escrever, algo corriqueiro para muitos de nós e a que nem damos tanta importância, pode abrir as portas de um emprego, gerar fonte de renda estável e dar esperança de futuro melhor àqueles que lutam para sair do ciclo da pobreza. Com base nisto, há décadas o Rotary tem promovido a alfabetização e a Fundação Rotária tem fornecido milhões de dólares para financiar projetos nesta área.” Educação básica e alfabetização fazem parte das seis áreas de enfoque da nossa organização e o Rotary apoia o treinamento e práticas para a melhoria da educação para todas as crianças e a alfabetização de crianças, jovens e adultos. Grande conquista na Índia Em 13 de janeiro de 2014, a Índia comemorou três anos sem pólio. O presidente da Comissão Nacional Polio Plus naquele país, Deepak Kapur, afirma que há sempre o risco de reintrodução do vírus. Olhe para todos os países que tiveram surtos recentemente, como Somália e Tadjiquistão. Eram países livres da pólio.  Então, temos que manter as campanhas suplementares de vacinação. Nossas imunizações de rotina só chegaram a algo em torno de 61% em nível nacional. E em algumas das áreas de alto risco, o índice é ainda menor. O período de três anos sem casos da doença na Índia abre caminho para a certificação oficial de toda a região do sudeste da Ásia como livre da pólio pela Organização Mundial da Saúde. O desafio agora é alcançar o mesmo sucesso no Paquistão, país vizinho da Índia e um dos três onde a doença continua endêmica (os outros dois são Afeganistão e Nigéria).   Todos estamos celebrando esta grande conquista! Vamos continuar esta corrente positiva, conscientizando a todos da necessidade de contribuirmos e divulgarmos em toda a mídia local os grandes avanços em prol de um mundo livre da pólio. Mobilize seu distrito, somando-se a vários outros que têm se dedicado a esta prioridade do Rotary em nível mundial. Plano estratégico no Oriente Médio O Rotary e seus parceiros na Iniciativa Global de Erradicação da Pólio estão trabalhando com autoridades locais do setor de saúde para conter surtos da doença no Oriente Médio. O Rotary foi o primeiro a anunciar seu apoio às ações de resposta, outorgando um subsídio de 500 mil dólares à Organização Mundial da Saúde para contribuir com o financiamento do plano estratégico naquela região. Os governos da Áustria, Estônia e Alemanha e o Serviço Humanitário da Comunidade Europeia também somaram forças de imediato à nossa organização nesta iniciativa. *Os autores são coordenadores regionais da Fundação Rotária para as Zonas Rotárias 22A e 23A, e para a Zona 22B, respectivamente. Para fazer comentários e sugestões sobre esta coluna, escreva para mkgcarvalho@uol.com.br e/ou para celsogalves@gmail.com

MARÇO de 2014|

23


C olunistas Coluna dA cOORDENADORA REGIONAL DA imagem pÚblica

Seja um porta-voz do Rotary e ajude a fortalecer nossa imagem Denise Vieira

Para que a comunicação represente o nosso caráter distinto e o modo como as pessoas interagem com o Rotary, precisamos usar sempre uma voz

T

odos nós sabemos que o Rotary tem uma magnífica história para contar. A nossa história não mudou, mas o modo pelo qual a compartilhamos é essencial. Com base na iniciativa para fortalecer o Rotary, podemos contá-la de uma forma que as pessoas se identifiquem. Com um visual unificado e uma mensagem clara e convincente, contribuímos para o nosso futuro como uma das organizações mais respeitadas e conhecidas do planeta. O que fazer para contar a nossa história? Como isso é possível? Uma boa defesa é a de que devemos promovê-la e transmiti-la em todas as nossas interações. Mas como estão as nossas interações? Será que ao falar, escrever e elaborar materiais estamos sendo uniformes? Será que este é o caminho que garantirá que a nossa comunicação seja “a cara” do Rotary? Eu posso garantir que sim! Não há organização como a nossa. Mas para que a comunicação represente o nosso caráter distinto e o modo como as pessoas interagem com o Rotary, precisamos usar sempre uma voz unificada. Foi para isso que o Rotary investiu muitos recursos financeiros e humanos, ou seja, dedicação de dinheiro e tempo, para que todos possam usar um estilo claro e consistente em materiais de comunicação. Isso é vital para fortalecermos e melhoramos a nossa imagem. Com nossos recursos e diretrizes, cada clube e distrito pode trabalhar de forma independente e, ao mesmo tempo, contribuir para a uniformidade visual de toda a organização. Vamos admitir que, por vezes, os rotarianos tiveram dificuldade para encontrar recursos tais como logotipos, imagens e modelos personalizados para contar a história do Rotary de forma eficaz. Para isto, o Rotary fornece orientações e ferramentas cada vez mais acessíveis e que sempre ajudarão. E isso é apenas o começo. O Rotary está preparando muitas novidades às quais em breve teremos acesso. Entretanto, é preciso ter um carinho especial com a nossa identidade. Em termos de clubes, vemos atualmente uma série de usos que podem confundir o nosso público geral. Alguns deles, num esforço muito louvável, personalizam tanto a mensagem que fica difícil associá-la ao Rotary. Mesmo que os clubes sejam autônomos, o que eles fazem afeta todo o Rotary. Para facilitar nossa interação, foi anunciado o lançamento do Brand Center no site www.rotary.org, onde os rotarianos podem acessar logotipos, diretrizes, imagens, vídeos, anúncios e outros recursos para contar a história do Rotary melhor do que nunca. O sistema está sendo implementado. Com estas ferramentas será possível explicar o que fazemos e como as pessoas podem se envolver. Acesse este recurso pelo novo site e conheça as nossas diretrizes visuais para usá-las em todas as peças de comunicação. Vamos lembrar que o Rotary investiu para criar sua nova identidade visual. Use este investimento, tente seguir o que recomendam as diretrizes sobre as mensagens. Assim reforçaremos a identidade da nossa organização.

unificada Para fazer comentários e sugestões sobre esta coluna, escreva para denisesantoss@gmail.com

24

| MARÇO de 2014


Coluna doS cOORDENADORES REGIONAIS D0 ROTaRy

Novas ferramentas para os clubes e rotarianos Altimar Augusto Fernandes*

Antonio Henrique de Vasconcelos*

A equipe do Rotary International deunos uma ferramenta formidável para que os clubes apresentem seus trabalhos e projetos ao mundo rotário

N

iStockphoto

o ano passado, o Rotary trouxe aos rotarianos e clubes ferramentas de muita importância para o crescimento de seus quadros associativos, trabalhos e doações junto à Fundação Rotária e à Imagem Pública. Em primeiro lugar, desta vez o novo site do Rotary International – www.rotary.org/pt – se bifurca: em uma direção ele se encaminha para o público rotariano e em outra, para o não rotariano. Trata-se de dois grupos de usuários muito distintos e que necessitam ser atingidos de formas diferentes segundo as suas necessidades de informação. Além disso, o design do site está muito mais simples, limpo e de fácil entendimento. A equipe do Rotary International não terminou por aí. Deu-nos uma ferramenta formidável para que os clubes apresentem seus trabalhos e projetos ao mundo rotário, facilitando assim o encontro de novos parceiros, inclusive parceiros internacionais, em projetos da Fundação Rotária. Entre na página www.rotary.org/showcase e veja como usar esta ferramenta que permite aos clubes fazer um histórico dos seus projetos e trabalhos, até com publicação de fotos e vídeos. Com isso, incrementam-se o quadro associativo e a imagem pública da organização, trazendo maiores doadores aos projetos rotários pelo mundo. E é justamente isso o que preconiza o Plano Estratégico do Rotary International. O secretário-geral do Rotary International vem solicitando, entretanto, a ajuda dos clubes para que abasteçam a plataforma de informações Rotary Club Central – www. rotary.org/myrotary/pt –, que poderá nos trazer um diagnóstico muito mais detalhado, inclusive por meio de relatórios dos clubes pelo mundo. O rotariano poderá saber, por exemplo, como se divide um determinado clube por faixa etaria ou gênero. Para tal, os Rotary Clubs necessitam abastecer essa plataforma de dados com suas informações. Mas não paramos por aqui. O Rotary International está criando uma série de aplicativos para smartphones (disponíveis na loja online de aplicativos do seu aparelho, como Google Play ou Apple App Store) que tende a facilitar a vida dos rotarianos. Mencionarei dois aplicativos. No primeiro, IamRotarian, o rotariano, ao se cadastrar (usando a mesma senha do site do Rotary International), será identificado e poderá indentificar qualquer rotariano em um mesmo ambiente, como, por exemplo, um estádio de futebol durante a Copa do Mundo. O usuário ainda poderá iniciar um batepapo com o seu companheiro de organização. Sensacional, não? O segundo aplicativo é o Rotary Club Locator, que lhe dará acesso às informações dos clubes existentes e de quando e em que local eles se reúnem. Esta ferramenta usa o GPS do seu celular para localizar e fornecer-lhe alternativas de clubes. Como podem ver, uma nova era se iniciou no Rotary, a era da informática e da inovação, trazendo clubes mais fortes, maiores e mais eficazes. * Os autores são coordenadores do Rotary para as Zonas Rotárias 22A e 23A, e para a Zona 22B, respectivamente. MARÇO de 2014|

25


C apa

iStockphoto

26

| MARÇO de 2014


Por um sorriso mais feliz

Projeto de referência na recuperação de pessoas com fissura labiopalatal ganha apoio de clube paranaense Cristiane Lebelem*

B

Fotos: Mariana Alves

ryan Felipe Ferreira tinha apenas dois meses de vida quando chegou nos braços da mãe ao Centro de Atendimento Integral ao Fissurado Labiopalatal de Curitiba (Caif). Mesmo bebê, ele começou a receber uma série de atendimentos que mudariam sua vida. Bryan nasceu com fissura labiopalatal, também conhecida como lábio leporino, uma má formação anatômica que geralmente ocorre entre a quarta e a décima segunda semanas de vida intra-uterina, unindo a boca e o nariz do bebê. A doença é congênita e não há como evitá-la ou tratá-la antes do nascimento, por isso é preciso que os pais e familiares estejam amparados e tenham conhecimento dos recursos disponíveis para que o tratamento seja iniciado logo após o nascimento – um processo que pode levar até 18 anos para ser concluído. “Às vezes, eu me olhava no espelho e perguntava: ‘Será que um dia eu vou conseguir mudar?’. Agora eu gosto de sorrir e até de tirar fotos como esta que vocês vão publicar na reportagem”, conta o jovem, hoje com 18 anos. O sorriso bonito e feliz de Bryan é o resultado do trabalho de dezenas de profissionais das mais diversas áreas ao longo de quase duas décadas, fazendo da capital paranaense um centro de referência mundial neste tipo de tratamento.

 MARÇO de 2014|

27


C apa O médico idealizador do Caif, Lauro Consentino, cumprimenta Bryan Felipe Ferreira, que completa 18 anos de idade encerrando o tratamento: mudança de vida

O sonho de construir o Caif surgiu em 1992 a partir do trabalho e dos estudos do dentista Lauro Consentino Filho, que mobilizou o governo do Paraná a montar a estrutura necessária para realizar este tipo de tratamento. Mas logo percebeu-se que a novidade precisava de apoio, pois existia uma demanda maior do que se imaginava. Para se ter uma ideia, os últimos levantamentos mostram que um em cada 650 brasileiros nasce com esta má formação. No mundo todo, uma criança com fissura no lábio nasce a cada três minutos. O Rotary Club de Curitiba-Portão (distrito 4730) chegou até o Caif durante um trabalho de campo feito por seus associados para entender as necessidades do bairro e de seus arredores – e descobrir como eles poderiam colaborar. Convidado para fazer uma palestra no clube, o doutor Lauro Consentino falou sobre o funcionamento do Caif e o alcance deste trabalho, chamando a atenção dos rotarianos para a importância do projeto e da necessidade que ele tinha de apoio, já que o tratamento, realizado por intermédio do SUS, não tem custo para os pacientes. Decidido a se tornar um parceiro do Caif, o Rotary Club de Curitiba-Portão aproveitou o intercâmbio do jovem Marcos Bertinus Buss nos EUA para fazer contato com clubes da região de Chicago, propondo-lhes parceria num

28

| MARÇO de 2014

A HISTÓRIA EM NÚMEROS l

Um em cada 650 brasileiros nasce com

fissura labiopalatal. No mundo todo, a média é de uma criança a cada três minutos. l Desde

1992, o Caif já atendeu mais de 65

mil pessoas de todas as partes do país. Ao todo, 54 profissionais atuam no projeto. l No

final do ano passado, os rotarianos

doaram ao Caif o equivalente a 24 mil dólares em equipamentos. Os exames realizados por esses aparelhos têm um custo médio de 400 reais na rede particular – mas serão oferecidos gratuitamente aos pacientes do Caif.


Renato da Silva Freitas, que chega a realizar oito cirurgias por dia

projeto de subsídios da Fundação Rotária. O resultado dessa mobilização rendeu seus primeiros frutos no final do ano passado, com a doação de um scanner e um aparelho de nasoendoscopia ao Caif, num custo aproximado de 24 mil dólares. Os clubes parceiros nos EUA foram o Rotary Club de LaCrosse-Valley View e o Rotary Club de Caledonia, ambos do distrito 6250. Lauro Consentino explica que os equipamentos servem para realizar a primeira avaliação e diagnóstico dos pacientes, e que as doações ajudarão a diminuir a fila de espera para atendimento, que pode demorar até cinco meses. Os exames realizados pelos aparelhos doados pelo Rotary têm um custo médio de 400 reais na rede particular.

Ajuda e exemplo O cirurgião plástico Renato da Silva Freitas é um dos profissionais que atuam no Caif. Para ele, que realiza até oito cirurgias por dia, o apoio de instituições como o Rotary é essencial. “Temos mais de 600 mil fissurados no Brasil”, ele contabiliza. Para a presidente do Rotary Club de Curitiba-Portão, Diane Saboya Pitta, apoiar uma iniciativa tão importante e que ajuda tanta gente é uma prioridade para o O pequeno clube: “Com a nossa contribuição é possível trazer João Pedro, de aos pacientes mais oportunidades de reconstruir o cinco meses, sorriso e a condição de uma vida normal”. aguarda a hora de entrar no A equipe médica reconhece a necessidade centro cirúrgico de ainda mais profissionais e estrutura para a no colo da mãe, realização dos atendimentos. “Por isso a ajuda Flavia Heimovski do Rotary é fundamental e serve de exemplo”, afirma a fonoaudióloga Rita Tonocchi, uma das 54 profissionais que atuam no projeto. Desde 1992, o Caif já atendeu mais de 65 mil pessoas, vindas de todas as partes do país. Saiba mais sobre o encaminhamento de pacientes entrando em contato com o Centro de Atendimento pelo site www.caif.saude.pr.gov.br. BR *A autora é jornalista e, indicada pelo Rotary Club de Curitiba-Portão, viajou aos EUA em 2013 como uma das participantes do então programa Intercâmbio de Grupos de Estudos. O responsável pelo projeto no clube é o rotariano Otoniel Santos Neto (contato: 41-9102-1154). MARÇO de 2014|

29


Impressa ou digital? Agora você pode escolher Rotarianos de todo o país já estão lendo a Brasil Rotário em sua nova versão digital. Conheça melhor esta alternativa: talvez ela seja a mais adequada para você e seus companheiros de clube. MAIS AGILIDADE: com o formato digital o assinante tem acesso à nova edição logo no primeiro dia útil do mês. l IDEAL PARA E-CLUBS: a revista digital é a melhor opção para os clubes que se reúnem virtualmente. l ESTEJA CONECTADO: para ler a revista digital é preciso que o seu computador, tablet ou smartphone tenha acesso à internet. l PREÇO: a versão digital da Brasil Rotário é paga e custa os mesmos 4,50 reais mensais cobrados pela revista impressa. Sobre a possibilidade de redução no preço da versão digital, esclarecemos que nesta fase inicial estamos apenas investindo no desenvolvimento do novo formato, sem retorno direto na forma de aumento no preço de cada exemplar. Esta política de preço, por exemplo, também vem sendo adotada pela revista The Rotarian. É necessário verificarse futuramente a maior ou menor procura pela revista na forma digital para avaliarmos se haverá real economia na produção e na distribuição. l UMA OPÇÃO: a norma estabelecida durante o último Conselho de Legislação do Rotary International determina que agora o rotariano pode escolher entre ler a revista em sua versão impressa ou na digital – mas, ao optar por um dos formatos, ele deixará de receber o outro. l

Passo a passo para substituir a assinatura impressa pela digital: 1 Acesse o site www.brasilrotario.com.br/revistadigital, clique no item l

Cadastre-se, preencha o formulário e envie. 2 l Aguarde o e-mail de resposta do nosso administrador confirmando a liberação de sua assinatura digital. 3 Volte ao site www.brasilrotario.com.br/revistadigital e digite na Área do assinante o seu e-mail e a senha que l você vai criar. 4 l Pronto! Agora você poderá ler as edições da Brasil Rotário quando e onde quiser! 5 Feita a opção pela versão digital, é indispensável que o rotariano comunique esta decisão ao secretário do seu clube. l

brasil

ROTARIO Servindo por meio da comunicação. 30

| MARÇO de 2014


Inform ativ o R o t á ri o

RETA FINAL: GUIA PARA ELIMINAR A PÓLIO ATÉ 2018

 C o p y r i g h t © 2 0 1 4 b y R o ta r y I N T E R N ATIO N A L . T o d o s o s d i r e i t o s r e s e r v a d o s .

MARÇO MARÇOde de2014 2014||

31 31


COMO ACABAR COM A PÓLIO

“a

cabar com a pólio” significa combatê-la até o ponto em que não ocorra mais nenhum caso da doença no mundo inteiro. Porém, não basta só isso para garantir que o mundo continue livre da paralisia infantil para sempre. A estratégia da reta final da Iniciativa Global de Erradicação da Pólio (Gpei) é um plano de longo prazo para erradicá-la até 2018. Nesta edição, trazemos a entrevista com o especialista em saúde pública Ciro de Quadros, em que ele fala sobre o estágio final da erradicação da doença; listamos os quatro objetivos da estratégia da reta final; mostramos o que está sendo feito para superar os desafios e fornecemos explicações sobre vigilância, atividade essencial para determinar se a pólio foi eliminada. Leia a entrevista e veja como ajudar.

32

| MARÇO de 2014


Palavras de um especialista

Uma conversa com Ciro de Quadros

Vice-presidente executivo do Instituto Sabin

O ILUSTRAÇÕES DE OTTO STEININGER

médico epidemiologista Ciro de Quadros é uma das maiores autoridades mundiais em saúde pública, tendo liderado a erradicação da varíola na Etiópia e a eliminação da pólio, sarampo e rubéola nas Américas. Brasileiro, ele mora em Washington, EUA, onde é membro do Conselho Independente de Monitoramento da Iniciativa Global de Erradicação da Pólio e professor nas universidades Johns Hopkins e George Washington. Nos trechos a seguir da entrevista originalmente publicada na edição de julho da Brasil Rotário (nº 1.093) com a parceria do distrito 4651 (parte do Estado de Santa Catarina), ele fala sobre a fase final de erradicação da poliomielite, destaca a participação do Rotary e explica como essa experiência pode ser útil no combate a outras doenças.

Quais são os principais desafios impostos pelo vírus da pólio nos países onde ele ainda é endêmico? Neste momento, os principais desafios estão relacionados a aspectos gerenciais dos programas na Nigéria, Paquistão e Afeganistão, bem como a problemas de segurança para os vacinadores em áreas destes três países onde existem conflitos sociais – principalmente em áreas do nordeste da Nigéria e do noroeste do Paquistão. Com a última eleição no Paquistão, ainda não se sabe como o novo governo irá encarar esses problemas. Na década de 1980, o senhor dirigiu o Programa de Imunização da Organização Pan-Americana da

Saúde (Opas). Por que o senhor escolheu a pólio e não o sarampo? A pólio foi escolhida porque já havia um grande interesse dos governos em controlar essa enfermidade e vários países já haviam interrompido sua transmissão. Por isso, fez muito sentido escolher a pólio. E estávamos certos, pois depois da eliminação desta doença nas Américas, os governos partiram para a eliminação exitosa do sarampo e da rubéola na região. Como se deu o envolvimento do Rotary? O momento em que a Opas decidiu propor a erradicação da pólio coincidiu com o interesse do Rotary pela mesma meta. Neste sentido, discutimos com o Rotary como poderíamos trabalhar em conjunto para alcançar esse objetivo. O senhor disse que, por não faltarem recursos nas Américas e no Pacífico Ocidental, a pólio foi eliminada rapidamente nestas regiões. O senhor disse também que a falta de recursos nos últimos anos tem forçado frequentes mudanças na estratégia e levado à demora em acabar com a poliomielite. Não teria sido o contrário? Não foram os constantes atrasos em relação às previsões que desmotivaram os doadores, ocasionando a falta de recursos? Por um lado, a crônica falta de recursos foi sempre um obstáculo muito grande para o programa, e por outro, a falha em alcançar os objetivos preocupou os parceiros que o apoiam. Neste momento, pela primeira vez na história do programa, a reunião de Abu Dhabi promovida por Bill MARÇO de 2014|

33


Maiores desafios

O que estamos fazendo para superá-los? (1)

Instabilidade Depois dos ataques sofridos por vacinadores no Paquistão e na Nigéria, os governos nacionais e agências parceiras do Rotary começaram a adaptar as operações para protegerem a segurança dos profissionais da área da saúde. Na Nigéria, foram tomadas medidas preventivas para evitar o alastramento do vírus, como imunizar crianças que transitam por áreas instáveis. Equipes da área da saúde também estão trabalhando com agências de segurança para o rápido deslocamento a áreas perigosas e a imunização de crianças em dois dias, no máximo. Em Karachi, Paquistão, a polícia protege equipes de vacinação durante as campanhas porta a porta. Em outras áreas, os vacinadores circulam em veículos escoltados pela polícia para garantir sua segurança contra possíveis malfeitores.

(2)

Apatia da comunidade Para promover o senso de pertencimento em relação à erradicação da pólio, o programa do Afeganistão lançou a estratégia Eliminar a Pólio É Minha Responsabilidade. Na Nigéria, a Rede Comunitária de Mobilizadores Voluntários formou parceria com escolas, grupos e líderes religiosos visando mais as áreas de alto risco. Sani Musa Danja, ator e músico nigeriano, tornou-se embaixador do Rotary contra a pólio para ajudar a instruir a população e dissipar receios causados por propaganda contra a vacina oral. Alimentos e outros artigos também são distribuídos para atrair as famílias às campanhas de imunização. A Comissão Nacional Polio Plus

34

| MARÇO de 2014

Gates assegurou os recursos necessários para levarmos adiante essa iniciativa até sua conclusão. Agora não existe mais a desculpa da falta de recursos, e se os problemas mencionados anteriormente forem tratados devidamente, o programa poderá ter o final desejado por todos nós. Iniciado em 1988, o programa de erradicação da pólio já mobilizou 10 bilhões de dólares. Até a certificação do fim da doença, prevista para 2018, serão necessários 5,5 bilhões de dólares adicionais – mais que a metade de tudo o que foi gasto até agora. Por que esta fase final é proporcionalmente mais cara que a anterior? Em geral, em programas desta natureza os recursos necessários aumentam na fase final, que é sempre a mais difícil em todos os aspectos – como segurança, logística, acesso a áreas remotas, populações que se recusam a cooperar, entre outros. Quais foram as lições tiradas do enfrentamento global da pólio e como elas podem nos ajudar a combater outras doenças? Uma lição importante é que não se deve iniciar um programa dessa magnitude sem antes assegurar que os recursos necessários estejam disponíveis. Por outro lado, as estratégias devem ser avaliadas permanentemente a fim de que se possam fazer os ajustes necessários para o alcance do maior impacto. Quando se anunciou na Cúpula Global de Vacinas, em Abu Dhabi, em 2013, que atingimos a marca de 4 bilhões de dólares em doações, o senhor disse que “agora, a erradicação da pólio


do Paquistão se engajou com ONGs em áreas de alto risco para proporcionar a imunização contra a pólio e outras intervenções médicas.

(3)

não é mais um programa de saúde pública, mas um programa diplomático”. Poderia nos explicar essa afirmação? Minha opinião é que agora temos os recursos, um plano de ataque, os conhecimentos técnicos e científicos para erradicar a pólio, mas os obstáculos maiores se referem a problemas de segurança, terrorismo e distúrbios sociais. Neste sentido, precisamos usar toda a nossa expertise diplomática para abrirmos um diálogo com as forças contrárias ao programa a fim de que se chegue ao objetivo desejado. Depois do fim da pólio, haverá uma próxima erradicação? As doenças que poderiam ser combatidas depois da pólio são o sarampo e a rubéola, já erradicados das Américas. Como o senhor avalia a participação do Rotary na Iniciativa Global de Erradicação da Pólio? O Rotary é um dos parceiros mais importantes nesta iniciativa, não somente pelo que contribui financeiramente, mas em especial por advogar pela causa junto aos governos e por sua participação ativa e voluntária durante as campanhas de vacinação. Para muitos, a pólio se tornou um problema distante, perdido no tempo, que não nos traz mais riscos. Que mensagem o senhor deixaria para quem pensa assim? O mundo hoje é uma pequena aldeia. Portanto, enquanto houver um caso de pólio em qualquer lugar do planeta, ainda que distante, todos os países estarão correndo o risco de serem atacados pela doença.

Responsabilidade Cada um dos três países endêmicos adaptou uma abordagem diferente na formação de equipes de imunização. Rotarianos do sul da Nigéria, área livre da pólio, estão ajudando a monitorar equipes no norte do país. A Índia está fornecendo assistência técnica à Nigéria, enviando agentes de saúde para dar suporte durante as imunizações. O Afeganistão aumentou seu suporte técnico em áreas de alto risco. Uma reunião foi realizada em Islamabad, Paquistão, para tratar questões sobre as áreas de alto risco. O Rotary lançou uma rede de recursos que visam promover a imunização infantil, gerar conscientização sobre a pólio e aumentar a confiança quanto à vacina.

(4)

CRIANÇAS NÃO VACINADAS Em vez de confiar na memória, os trabalhadores da saúde agora usam imagens via satélite para identificar povoados e garantir que os vacinadores cheguem a lugares remotos, muitos dos quais com população nômade. O maior desafio do Paquistão está no Waziristan do Norte e do Sul, nas áreas tribais administradas pelo governo, onde líderes militantes baniram as imunizações contra a pólio em junho de 2012 por temerem represálias se permitissem que seus filhos fossem vacinados. Muitas famílias fugiram da região por causa do conflito. O Rotary, o governo do Paquistão, o Unicef e a Organização Mundial da Saúde estão trabalhando juntos para identificar famílias e crianças que não foram vacinadas. O objetivo disto é levar as vacinas até elas por meio de clínicas móveis localizadas em pontos de ônibus das principais estações ferroviárias e em postos de fronteiras, oportunidades em que de 800 a mil crianças são vacinadas diariamente. Não faz muito tempo, o Paquistão concordou em imunizar crianças nos terminais internacionais dos aeroportos.

(5)

Falta de fundos Rotarianos do mundo todo estão contatando todos os níveis do setor público e privado para pedir suporte financeiro necessário para erradicar a doença. Estes esforços de defesa de causa são essenciais para levantar os 5,5 bilhões de dólares de que precisamos. MARÇO de 2014|

35


Como pÔr um fim na pólio Os quatro objetivos da estratégia da reta final

e interrupção do alastramento do vírus da (1)Detecção pólio

Por muito tempo, a Índia foi tida como o lugar mais difícil para eliminar a pólio. Porém, com trabalho árduo e inovações, lá se vão três anos sem que o país tenha registrado sequer um caso da doença. A estratégia da reta final segue na esteira deste sucesso com um plano para interromper qualquer transmissão do vírus selvagem até o fim deste ano. Isto requer pronta detecção do vírus, vacinação de todas as crianças nos três países endêmicos da doença, prevenção de surtos em áreas suscetíveis a importar o vírus, ação imediata em casos de surtos e proteção em termos de segurança aos vacinadores.

dos sistemas de imunização e substituição (2)daReforço vacina oral da pólio

O novo plano apresenta uma estratégia para usar as melhores práticas e a infraestrutura da Iniciativa Global de Erradicação da Pólio na construção de um sistema mais sólido para a distribuição da vacina antipólio, entre outras vacinas, em colaboração estreita com a Aliança Gavi, que é uma parceria global de organizações dos setores públicos e privados dedicada a imunizações. A vacina oral tem sido a escolha mais acertada nas imunizações, pois o custo é baixo, é fácil de ministrar e induz a uma imunidade passiva de toda a comunidade. Isto significa que, devido ao fato de a vacina ser feita a partir de um vírus enfraquecido, mas ainda assim ativado, ele se reproduz no intestino e é eliminado nas fezes, para depois se espalhar pela comunidade, principalmente em áreas com saneamento precário, causando a imunidade em outras pessoas antes de morrer. Em casos raríssimos, o vírus que sai nas fezes pode passar por mutação e se tornar virulento, capaz, assim, de causar paralisia e provocar surtos. Com a aproximação do fim da pólio, a Gpei planeja introduzir pelo menos uma dose da vacina com o vírus inativo nas imunizações rotineiras. Apesar de mais difícil de ministrar, o vírus deste tipo de vacina não causa transmissão.

(3)Contenção e certificação

Para a região ser certificada como livre da pólio, três anos devem se passar sem que haja o registro de nenhum caso. Para garantir que não exista mesmo nenhum caso de poliomielite, a região tem que contar com um sistema desenvolvido de vigilância que busque e teste casos de paralisia possivelmente causados pelo vírus. Além disso, precisa de um sistema para manusear o vírus da doença para a fabricação de vacina e elaboração de pesquisa, e também de infraestrutura para fazer o diagnóstico e evitar que o vírus escape e provoque surtos. O Pacífico Ocidental, Europa e Américas são regiões certificadas como livres da pólio. O Sudeste Asiático pode ganhar a certificação até o fim do ano, ficando só a África e o leste do Mediterrâneo a serem certificados.

(4)Planejamento da transição

Nos últimos 25 anos, a Gpei treinou milhões de voluntários, formadores de opinião e profissionais da área da saúde, chegando às populações mais vulneráveis. Ela construiu uma rede global de vigilância e resposta imediata que já está sendo usada para combater outras doenças com vacinas e para prover assistência em situações de calamidade. Isto tudo nos aproxima mais do dia em que não haverá mais pólio no mundo e ajudará em outras iniciativas de saúde.

36

| MARÇO de 2014

Rastreando a pólio

A

s atividades de vigilância são a base da erradicação, pois revelam onde e como o vírus da poliomielite está circulando. A paralisia flácida aguda – que é a interrupção súbita dos movimentos de braços ou pernas – é o sintoma mais característico da infecção pelo vírus da pólio entre crianças. Portanto, é importante monitorar as regiões para identificar estes casos e detectar a presença do vírus. Os agentes da saúde seguem os quatro passos abaixo para identificar novos casos e detectar a importação do vírus selvagem.

Encontrada criança com paralisia flácida aguda Os profissionais da área da saúde formam a linha de frente na cadeia das atividades de vigilância, sendo responsáveis por relatar qualquer caso de braços ou pernas flácidos ou paralisados que constatarem em crianças e adolescentes com até Determinar o tipo de vírus. 15 anos de idade. Funcionários da saúde pública visitam periodicamente as comunidades em risco para procurar por supostos casos de pólio. Algumas áreas com poucos profissionais da saúde contam com farmacêuticos, curandeiros ou líderes religiosos para ficarem alerta e informarem se virem crianças com esses problemas relacionados aos braços e pernas, ou que ficaram paralíticas. Nestas áreas são colocados pôsteres para alertar a população sobre o que é paralisia flácida aguda e como informar casos potenciais de poliomielite.

1

Reportar criança com membro paralisado.

Coletar duas amostras de fezes com um intervalo de 24 a 48 horas.

2

Coleta e análise de fezes Quando há suspeita de pólio, um médico faz um exame completo para determinar se os problemas no braço ou perna do paciente estão relacionado à presença do vírus. Como vários fatores distintos podem causar a paralisia flácida aguda, toda criança com tais problemas deve fazer exame de fezes dentro das 48 horas do início da paralisia. As amostras de fezes devem ser coletadas com uma diferença de 24 a 48 horas para verificar qualquer variação no vírus.


Mapeamento do vírus e estratégia de imunização Depois que os virologistas identificarem o vírus selvagem em uma amostra de fezes, os cientistas fazem testes adicionais para determinar a origem da cepa do vírus. Para tanto eles fazem o sequenciamento de uma parte específica do genoma do vírus e comparam o padrão identificado com as amostras de referência de vírus já sequenciados em circulação em diferentes áreas. Ao encontrar algo correspondente, o local de origem do vírus ou a fonte exportadora é determinado com precisão e, assim, pode-se determinar a melhor estratégia de imunização para evitar o alastramento desta cepa de vírus.

4

Determinar a origem do vírus da pólio.

3

Criar estratégia de imunização. Vacinar as crianças.

Comparar o genoma do vírus à amostra de referência.

Isolamento do vírus Os cientistas tratam células especiais com as fezes e as colocam na incubadora. As células com a cultura são examinadas durante duas semanas para acompanhar o crescimento do vírus. Uma vez confirmado que se trata do vírus da pólio, os virologistas verificam se este é o vírus selvagem (pego naturalmente) ou o vírus causado pela vacina que passou por mutação genética. Após isolar o vírus selvagem, os virologistas determinam se ele é do tipo 1 ou 3, os únicos que ainda circulam nos países endêmicos.

Vacinar as crianças novamente. Continuar vacinando as crianças.

MUNDO LIVRE DA PÓLIO

Testar as amostras de fezes. Esperar duas semanas.

A criança não tem pólio.

Continuar as campanhas de vacinação periodicamente.

MARÇO de 2014|

37


Entre em Ação

1

}

Para ganharmos o jogo, o plano da reta final depende de nós, rotarianos. Nós prometemos lutar até o fim para garantir que nenhuma criança sofra mais os efeitos devastadores da pólio. Como ajudar:

Aumente a conscientização Torne-se

um defensor da erradicação da pólio assinando uma petição, compartilhando a história do Polio Plus pelas mídias sociais, lançando uma campanha de arrecadação de fundos ou contando sua história sobre o enfrentamento da pólio pela mídia local. Na luta para pôr um fim na pólio, a sua voz é a ferramenta mais poderosa.

3

Busque apoio Identifique as organizações locais que podem simpatizar com nossa causa e solicite que contribuam monetariamente ou por meio de suporte material.

38

| MARÇO de 2014

2

Arrecade fundos O Rotary e a Fundação Bill e Melinda Gates estão prolongando sua parceria nestes estágios finais do combate à doença. De 2013 a 2018, a Fundação Gates irá equiparar em dois por um (até 35 milhões de dólares por ano) cada dólar que o Rotary se comprometer a encaminhar para a erradicação da pólio. Contribua em www. endpolionow.org/pt.

4

Defenda a causa Convide políticos para visitar seu clube ou participar de eventos, e peça que apoiem a iniciativa até que o mundo seja certificado como livre da pólio.


F alta Só Isto

Entre em ação, mostre que falta pouco, participe do Maior Comercial do Mundo

A

jude a aumentar a conscientização das pessoas e dos governos para a importância de acabarmos com a pólio em todo o mundo. Tire uma foto sua fazendo o sinal Falta Só Isto e publique no site da campanha http://thisclose.endpolio.org/pt/

submissions/camera. Depois, compartilhe o link com seus amigos e familiares e peça para que eles façam o mesmo. Essa luta é de todos nós – e nossa vitória contra a poliomielite será um presente inesquecível para as futuras gerações.

Eles também estão nessa luta

O cantor Daniel, nascido na cidade de Brotas, e o astronauta Marcos Pontes, de Bauru, foram convidados pelo governador 2012-13 do distrito 4510, Luiz Carlos Gonçalves; o piloto Wagner Duarte, que disputa o campeonato brasileiro de motovelocidade e faz parte do Rotary Club de Maranguape, CE, apoia a campanha no distrito 4490; a ministra do Tribunal Superior Eleitoral Luciana Lóssio, que perdeu um irmão vítima da pólio, posou para a campanha a pedido do governador 2006-07 do distrito 4490, Julio Lóssio; no ar como a Dona Conceição da novela Joia rara, da Rede Globo, a atriz Cláudia Missura foi convidada pelo Rotary Club de São José do Rio Pardo-Oeste, SP, sua cidade natal. MARÇO de 2014|

39


Como faço para enviar notícias e artigos à revista? A melhor maneira de divulgar o Rotary é mostrar às pessoas o que nossa organização faz por meio da prática do seu Ideal de Servir. Por isso, a Brasil Rotário prioriza as notícias sobre projetos – realizados – dos nossos clubes voltados à melhoria das nossas comunidades. Dessa maneira, oferecemos aos leitores um banco de projetos que podem ser replicados país afora.

Informações indispensáveis

Para ver uma ação de seu clube ou distrito publicada na revista, é preciso que você informe alguns detalhes preciosos: l O nome completo do seu Rotary Club e o distrito ao qual ele pertence. l A data e o local em que foram realizadas as ações. l Um breve relato do projeto, explicando sua importância e seu alcance junto à comunidade. l Os nomes dos parceiros do projeto no Brasil e no exterior. l Os nomes e sobrenomes das pessoas envolvidas diretamente nas ações relatadas. Mas, lembramos, o foco da notícia será sempre nas ações realizadas e não nas pessoas.

Capriche nas fotos

As imagens enviadas precisam ter uma boa qualidade para serem aproveitadas na revista. Alguns procedimentos simples podem garantir o sucesso neste sentido: l Selecione a opção alta resolução de sua câmera. l Fotos tremidas e com pouca luminosidade não podem ser aproveitadas. l Não cole as imagens no corpo da mensagem do e-mail ou em documento de Word. l Envie sua imagem sempre como anexo a um e-mail. l Pedimos que os anexos de cada e-mail não superem, no total, 2 MB.

Envie seu material para o e-mail redacao@brasilrotario.com.br

Como é feita a seleção

Tradicionalmente, a Brasil Rotário publica apenas ações e projetos já concluídos. A revista somente noticia as visitas dos governadores e demais lideranças rotárias aos clubes quando estas estão vinculadas a ações e projetos realizados. As visitas, por si só, são um procedimento rotineiro durante todo o mandato do governador – e não seria justo publicarmos algumas delas e deixarmos todas as outras de fora. n Da mesma forma, não poderíamos publicar a posse de alguns rotarianos esquecendo tantos outros. E publicar todas as posses – o Brasil tem cerca de 2.400 clubes – seria inviável. n Por fim, lembramos que, por motivos técnicos, não extraímos notícias de links sugeridos e de boletins e cartas mensais, mesmo em sua versão eletrônica. n n

Artigos

Envie, sem compromisso, o seu artigo para a nossa Redação. Ele será avaliado e poderá ser aproveitado nas páginas da revista ou no seu site. Mas, lembre-se: ao colaborar com um texto, dê preferência a temas atuais e sempre o relacionando ao papel do Rotary. Caso você escolha um assunto já bastante consagrado, como Prova Quádrupla ou vida de Paul Harris, por exemplo, utilize uma abordagem original.

Confirmação de envio

Confirmamos o recebimento de todas as mensagens enviadas à Redação com material destinado à publicação. Portanto, se você não receber essa confirmação é porque seu e-mail não chegou até nós. Reenvie-o ou nos telefone para saber o que está ocorrendo. Nosso número é 21-2506-5614.

Para saber mais

Visite a seção Multimídia do site da revista e, na área de Downloads, baixe o arquivo PDF com o Guia rápido do leitor. Nele você encontra informações completas sobre a rotina de trabalho da Redação e também dos setores de Cobrança e Expedição.

O endereço do nosso portal é www.brasilrotario.com.br brasil

ROTARIO Servindo por meio da comunicação. 42

| MARÇO de 2014


Rotary em Ação

O

que podemos fazer para transformar o mundo? Os rotarianos acreditam que é preciso Dar de Si Antes de Pensar em Si. Nos quase de 2.400 Rotary Clubs existentes em todo o Brasil, assim como nos clubes de Rotaract, Interact e nas Casas da Amizade, você encontrará homens e mulheres prestando serviços voluntários para melhorar as condições de vida em nossas comunidades. Nas páginas deste suplemento, nós mostramos um pouco desses projetos, que poderão inspirar você, leitor, a copiá-los em seu clube – ou fazer com que você, que ainda não faz parte da Família Rotária, encontre bons motivos para estar ao nosso lado e associar-se. A título de estímulo, e sem que isso signifique apoio oficial ou financiamento por parte da Fundação Rotária, a revista atribui os símbolos abaixo a algumas dessas iniciativas. Eles identificam os projetos que desenvolvem algumas das seis áreas de enfoque do Rotary e da Fundação Rotária.

Paz e prevenção e resolução de conflitos

Saúde materno-infantil

Prevenção e tratamento de doenças

Educação básica e alfabetização

Recursos hídricos e saneamento

Desenvolvimento econômico e comunitário

l

Clubes e distritos em revista ................................................... página

44

l

Senhoras em ação ................................................................... página

64

l

Interact e Rotaract .................................................................. página

65

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.

MARÇO de 2014|

43


C L U B E S E d i s t r i t o s e m r e v i s ta

CLUBES E distritos em revista

Movendo o mundo com livros Clube já criou oito bibliotecas no interior da Bahia O Rotary Club de Barreiras-Rio de Ondas, BA (distrito 4550), desenvolve um projeto chamado A Leitura Move o Mundo, que instala bibliotecas em instituições ou escolas da rede municipal  voltadas a crianças  de baixa renda ou em situação de risco. Em sistema de comodato, os rotarianos doam livros infantis e paradidáticos, estantes, mesas, cadeiras, ventiladores de parede e, quando se aplica, tapete alfanumérico emborrachado. O projeto foi distinguido pelo distrito como um exemplo de sucesso. Sete bibliotecas já foram criadas na cidade, onde vivem 150 mil pessoas, e uma outra foi instalada no município vizinho de Luís Eduardo Magalhães, com a parceria do Rotary Club local. A mais recente foi inaugurada em dezembro no Centro Social Vila Nova, em Barreiras, que atende 160 crianças com idades entre três e seis anos.

Unindo forças na Festa das Nações Em sistema de comodato, o projeto doa livros, móveis e equipamentos

Placa de inauguração da mais recente unidade, que beneficia 160 crianças

44

| MARÇO de 2014

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.


Distrito 4310 Parceria entre os Rotary Clubs de Santa Bárbara D’Oeste e Santa Bárbara D’OesteProgresso, SP, a 1a Caminhada e Corrida End Polio Now foi realizada no dia 24 de novembro. Associados ao Rotary Club de Americana, SP, e voluntários trabalharam juntos para ajudar a preparar uma festa de Natal que alegrou o fim de ano de 500 crianças e 50 idosos.

O Rotary Club de Itu-Terras de São José, SP, esteve mais uma vez no asilo Associação Vila Vicentina. Os rotarianos realizaram um almoço com música ao vivo e doaram 1.080 fraldas geriátricas.

Quarenta e cinco famílias assistidas pela Associação São Vicente de Paula ganharam cestas de Natal compradas pelo Rotary Club de Saltinho, SP, com os recursos do evento Feijoada com Batuque.

Distrito 4390

No Natal, o Rotary Club de Jaguarari-Pilar, BA, fez uma festa para as crianças da comunidade de Alagadiço. Elas ganharam lanches e brinquedos.

As pessoas que mais de destacaram por suas atividades em prol da comunidade ao longo de 2013 foram homenageadas em dezembro pelo Rotary Club de Batalha-Bacia Leiteira, AL.

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.

MARÇO de 2014|

45


C L U B E S E d i s t r i t o s e m r e v i s ta Distrito 4410 Comemorando sete anos em dezembro, o Rotary Club de Nova Venécia, ES, doou presentes de Natal por meio da campanha Papai Noel dos Correios e entregou cestas básicas a 1.000 famílias carentes.

Distrito 4420

O Rotary Club de Santo André-Bela Vista, SP, encerrou 2013 organizando uma feira de saúde, que contabilizou 230 exames gratuitos, e realizando festas de Natal em seis comunidades.

Numa iniciativa do jornalista João Caparrós, associado ao Rotary Club de São Bernardo do CampoRudge Ramos, SP, em 15 de novembro o Rotary foi tema de um programa de duas horas na Rádio ABC AM.

46

| MARÇO de 2014

Crianças e jovens com necessidades especiais ganharam uma festa do Rotary Club de São PauloCidade Dutra, SP, que também montou sua tradicional barraca no Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1. Junto com a Casa da Amizade, o Natal do Rotary Club de Cubatão, SP, foi celebrado com doações a um asilo, a uma entidade que abriga menores e ao Núcleo Rotary de Desenvolvimento Comunitário.

Criado em 2009 pelo Rotary Club de Santos-Oeste, SP, em dezembro o projeto Sopro Novo Yamaha, de ensino musical, ganhou um novo núcleo, inaugurado na Apae de Santos.

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.


Distrito 4430

Em novembro, o Rotary Club de São PauloNordeste Vila Maria, SP, patrocinou um casamento coletivo para mais de 30 casais. A cerimônia foi realizada no Colégio Dom Macário, na capital paulista.

Distrito 4440 Organizada pela Família Rotária de Sinop, MT, a partida de futebol beneficente Amigos do Rogério Ceni, goleiro do São Paulo, promoveu o combate à pólio e a arrecadação de duas toneladas de alimentos.

Cerca de 90 alunos de duas creches de Andradina, SP, ganharam kits com uma roupa, um par de sapatos e um brinquedo. Quem patrocinou a ação foi o Rotary Club de Andradina-Integração.

Um projeto do Rotary Club de Mogi das Cruzes, SP, com a Fundação Rotária e o Rotary Club de Vestnes, da Noruega, doou cerca de 60 mil reais em instrumentos à Associação Beneficente Árvore da Vida.

Distrito 4470

O Rotary Club de Porto Murtinho, MS, distribuiu 10 mil reais em prêmios no Festival Beneficente, ação que favoreceu a Apae, o Banco de Cadeiras de Rodas e um projeto esportivo voltado aos jovens.

Festa no Mato Grosso do Sul: foi inaugurado o marco rotário em comemoração aos 60 anos do Rotary Club de Dourados.

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.

MARÇO de 2014|

47


C L U B E S E d i s t r i t o s e m r e v i s ta Distrito 4480 Igor Sorente

Os associados ao Rotary Club de Barretos, SP, promoveram uma festa para os 51 idosos assistidos pelo asilo Vila dos Pobres. Eles também conseguiram doação de alimentos e de kits de beleza para todos.

Em pareceria com a livraria Saraiva e Selmo Prior, do Rotary Club de São Paulo-Nordeste Vila Maria, SP (distrito 4430), o Rotary Club de Olímpia, SP, entregou mais de 200 brinquedos a crianças carentes.

Distrito 4490

Com a parceria da Secretaria de Educação e de funcionários públicos e empresas locais, os associados ao Rotary Club de Estreito, MA, presentearam com brinquedos alunos de cinco escolas da cidade.

48

| MARÇO de 2014

O Rotary Club de Jahú, SP, utilizou a renda obtida com a 12ª Noite Alemã para reformar 60 colchões do Hospital Thereza Perlatti. Em outra ocasião, homenageou três profissionais de destaque.

O Rotary Club de Ilha Solteira, SP, homenageou os estudantes classificados nos três primeiros lugares em seu tradicional concurso de redação. Os demais alunos receberam certificados de participação.

Por meio de um subsídio da Fundação Rotária, o Rotary Club de FortalezaBenfica, CE, entregou um fogão industrial, microondas e outros equipamentos e utensílios de cozinha para a Creche Vó Estefânia.

Distrito 4500 Os quatro Rotary Clubs de Caruaru doaram cadeiras de rodas e bicicletas usadas para a TV Jornal, emissora afiliada do SBT em Pernambuco que promove campanha de apoio à Apae no agreste daquele estado.

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.


Distrito 4500

Associado ao Rotary Club de Carpina, PE, o casal Welton Novaes e Almerinda promoveu em sua casa um encontro de companheirismo com renda destinada aos projetos de pequeno porte realizados pelo clube.

Para marcar os festejos pelo 70º aniversário de fundação do Rotary Club de Garanhuns, PE, os associados publicaram uma revista comemorativa.

Em parceria com a Rede Globo Nordeste, o Rotary Club do Recife-Largo da Paz, PE, obteve cerca de 250 brinquedos para as crianças da Creche Nossa Senhora dos Remédios.

O Rotary Club de Cajazeiras, PB, realizou uma campanha social envolvendo rotarianos e senhoras da Casa da Amizade local e angariou 572 pacotes de fraldas geriátricas para três abrigos da cidade.

O Rotary Club de Natal-Reis Magos, RN, ajudou a formar a Filarmônica Reis Magos, que é composta por jovens estudantes da comunidade e vem se apresentando em eventos locais, como uma festiva do clube.

Em parceria com as Óticas Diniz, o Rotary Club de Mossoró, RN, realizou a Campanha Visão Solidária na comunidade Independência. A ação incluiu consultas oftalmológicas e doação de lentes e armações.

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.

MARÇO de 2014|

49


C L U B E S E d i s t r i t o s e m r e v i s ta Distrito 4510

Distrito 4520 O Rotary Club de Santa Luzia, MG, entregou cestas básicas no município.

Junto com parceiros locais, o Rotary Club de Pederneiras, SP, realizou mais uma vez sua campanha programada trianual e coletou 156 bolsas de sangue para o hemonúcleo do Hospital de Base de Bauru.

Distrito 4540 O Rotary Club de São Joaquim da Barra, SP, realizou palestra de prevenção ao câncer do colo do útero com arrecadação de leite para o Hospital de Câncer de Barretos e promoveu ainda campanha de trânsito.

Distrito 4530

Tendo como anfitriões os distritos 4340 e 4355, rotarianos do distrito brasileiro viajaram para um Intercâmbio Rotário da Amizade no Chile, onde confraternizaram com companheiros de dois Rotary Clubs.

Cerca de 800 pessoas prestigiaram a 12ª Festa do Suíno que o Rotary Club de Passos, MG, organizou em prol da Creche Mizael Ferreira da Silva, mantida pelo clube. O evento arrecadou 20 mil reais.

Distrito 4550

O Rotary Club de BrasíliaLago Sul, DF, realizou seu tradicional Bazar de Natal Beneficente na Creche São José Operário. Toda a renda arrecadada com a ação foi destinada a melhorias na instituição.

50

| MARÇO de 2014

O Rotary Club de Jequié, BA, participou da 1ª Olimpíada da Família Rotária de Jequié. Foram entregues troféus para os clubes e rotarianos classificados nos três primeiros lugares em cada modalidade.

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.


Distrito 4550 O Rotary Club de Salvador-Itapoã, BA, organizou uma festa para 230 alunos de até dez anos de idade da Escola Municipal Barbosa Romeo. As crianças brincaram, lancharam e receberam camisetas e brinquedos.

Distrito 4560

O Rotary Club de Lavras, MG, apoia o programa Melhor Idade, que oferece aulas de educação física gratuitas a vovôs e vovós do bairro Novo Horizonte e lançará um livro de receitas produzido por eles. Tânia M. M. Carvalho

Os dois Rotary Clubs de Poços de Caldas, MG, inauguraram uma placa em homenagem a Paul Harris no canteiro central da antiga Ferrovia Paulista. O evento teve a participação da banda da Polícia Militar.

Com um subsídio da Fundação Rotária, o Rotary Club de Lavras-Sul, MG, forneceu ao Projeto Galpão Cidadão com os equipamentos e materiais necessários para capacitar sua primeira turma de cabeleireiros.

O Rotary Club de Carmo do Rio Claro, MG, promoveu o plantio de 200 árvores frutíferas, sendo metade no Centro de Integração e Aprendizagem Rural da Apae e a outra parte no canil da cidade.

Com a parceria da Secretaria Municipal de Saúde, o Rotary Club de Piumhi, MG, o Rotaract e o RotaryKids realizaram o 1º Mutirão da Saúde na sede do Projeto Abrindo Caminhos.

Para arrecadar recursos e poder ampliar seu Banco de Cadeiras de Rodas, o Rotary Club de Candeias, MG, trabalhou na 29ª edição dos Jogos da Primavera, o mais importante evento esportivo do município.

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.

MARÇO de 2014|

51


C L U B E S E d i s t r i t o s e m r e v i s ta Distrito 4560

Distrito 4570

O Rotary Club de Itanhandu, MG, entregou mil presentes para a garotada da cidade, que ainda ganhou lanches. A ação foi custeada por uma noite de rodízio de pizzas realizada na sede do clube.

O Rotary Club do Rio de JaneiroIrajá, RJ, doou leite em pó, roupas e presentes para a campanha Ajude Julinha a Crescer Forte e Feliz e fraldas geriátricas para uma instituição que abriga idosos.

Distrito 4580

O Rotary Club de Juiz de Fora-Norte, MG, doou um notebook para o Instituto Bruno, que presta apoio a portadores de necessidades especiais. O ato foi possível graças a um subsídio da Fundação Rotária.

O Rotary Club de Lima Duarte, MG, organizou o projeto Aluno Rotary Nota 10, que premiou cinco alunos com bicicletas. No Natal, o clube e o Interact local presentearam cerca de 40 crianças carentes.

O Rotary Club de Muriaé, MG, doou roupas e mantimentos para moradores do bairro de Aeroporto.

52

| MARÇO de 2014

O Rotary Club de Manhumirim-Alto Jequitibá, MG, entregou 233 pacotes de fraldas geriátricas para o Abrigo São Vicente de Paulo, em Manhumirim.

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.


Distrito 4590 O Rotary Club de Campinas-Sul, SP, esteve à frente da campanha distrital Panetone Rotário da Amizade, que obteve verba para a manutenção de creches da cidade e 56.629,49 reais para a Fundação Rotária. O Rotary Club de CampinasAndorinhas, SP, entregou doces e presentes para a criançada de uma creche, tendo participado de festa de Natal dessa mesma entidade e do Lar da Amizade Ilce da Cunha Henry.

Os associados ao Rotary Club de Itatiba, SP, foram responsáveis pelo quinto concurso O Melhor Estudante da Escola Pública de Itatiba, que objetiva reconhecer e valorizar os dez melhores alunos.

O Rotary Club de Aguaí, SP, arrecadou mais de 300 brinquedos para a garotada e instalou um novo filtro central de água em uma creche. As iniciativas tiveram o apoio da Casa da Amizade local.

O Rotary Club de ArarasAlvorada, SP, doou dois sofás de cinco lugares e quatro bancos para o abrigo do Centro Social e Educacional Romana Ometto.

Distrito 4600

O Rotary Club de Lorena, SP, promoveu palestra sobre capacitação profissional voltada aos alunos do ensino fundamental de uma escola municipal e entregou diplomas a quatro alunos de destaque.

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.

MARÇO de 2014|

53


C L U B E S E d i s t r i t o s e m r e v i s ta Distrito 4600 O Rotary Club de São José dos Campos-Santana, SP, doou roupas de banho à Fundação Hélio Augusto de Souza, que atende o público infanto-juvenil.

Com os recursos da 1ª Festa Árabe, o Rotary Club de Taubaté-Oeste, SP, adquiriu e doou dez cadeiras de rodas e quatro cadeiras de banho para o asilo São Francisco de Assis.

O Rotary Club de TremembéEstância Turística, SP, realizou o Natal Solidário Iluminado, que consistiu na distribuição de 62 cestas básicas e 250 brinquedos à população do bairro de Jardim Maracaibo.

O Rotary Club de Jacareí-Avarehy, SP, divulgou a nossa organização, sua missão e a campanha End Polio Now, de erradicação da poliomielite, no jornal Semanário de Jacareí.

O Rotary Club de Taubaté-União, SP, realizou o 38º Concurso Infantil de Desenho Edmir Danelli, que reuniu 275 alunos do ensino fundamental. Os premiados de cada série receberam medalhas e bicicletas.

Distrito 4610 Os clubes de Cotia, SP, distribuíram 180 camisetas, três bicicletas e 500 bótons na formatura das 380 crianças que fizeram o curso do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência.

54

| MARÇO de 2014

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.


Distrito 4610

O Rotary Club de Cotia-Caucaia do Alto, SP, organizou uma festa de Natal para as crianças na praça dos Romeiros. Elas ganharam doces, brinquedos e ainda foram presenteadas com atividades recreativas.

O Rotary Club de CotiaMulheres Empreendedoras, SP, em parceria com o clube de CarapicuíbaFazendinha, criou a campanha Árvore do Bem, que no Natal presenteou as 227 crianças da Apae local.

O Rotary Club de São Paulo-Parque Continental, SP, arrecadou 2.200 quilos de alimentos não perecíveis, destinados às entidades assistenciais da região. O Rotary Club de Itapevi, SP, apoiou um evento do Instituto de Apoio aos Deficientes Levi de Lima. O clube também homenageou a Apae de Itapevi e auxiliou uma entidade que atende dependentes químicos. Os Rotary Clubs de Registro e RegistroOuro, SP, deram seu apoio aos alunos da Escola Estadual José Pacheco Lomba no curso do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência.

Distrito 4620 O Rotary Club de AvaréJurumirim, SP, organizou a 2ª Noite Árabe, ocorrida na sede social do clube, e cuja renda beneficiará projetos em prol da Comunidade Terapêutica Nova Jornada.

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.

MARÇO de 2014|

55


C L U B E S E d i s t r i t o s e m r e v i s ta Distrito 4630

Distrito 4640

O Rotary Club de Roncador, PR, realizou o 1º Concurso de redação nos colégios estaduais General Carneiro e Ulysses Guimarães, com premiação para os três primeiros colocados em três categorias.

Como faz todos os anos, o Rotary Club de São Jorge D’Oeste, PR, efetuou a limpeza dos Lagos do Iguaçu, que contou com a participação do Interact Club.

Distrito 4650

Com a participação do Papai Noel, o Rotary Club de Maringá-Novo Centro, PR, entregou presentes de Natal à Associação Norte Paranaense de Reabilitação e ao Lar Escola Bom Samaritano.

Com a parceria da Fundação Rotária, o Rotary Club de Santa Isabel do Ivaí, PR, entregou carteiras, cadeiras e uma televisão, e reformou três salas na Apae de Santa Mônica.

56

| MARÇO de 2014

Com os recursos obtidos na 5ª Costela Fogo de Chão, o Rotary Club de Timbó, SC, doou uma incubadora neonatal, no valor de 8.500 reais, ao Hospital e Maternidade Oase.

Com o projeto Troque Latinhas de Alumínio por Cadeira de Rodas, realizado na Escola Estadual de Educação Básica Olavo Bilac, o Rotary Club de Joinville-Pirabeiraba, SC, doou duas unidades à comunidade.

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.


Distrito 4650 O Rotary Club de Hermann Blumenau, SC, com apoio e parcerias entregou mochilas com kits escolares durante a promoção Sonho de Natal e distribuiu 1.500 cestas básicas com a ação Natal sem Fome.

Distrito 4660 Com a realização do Bazar Beneficente, os quatro clubes de Rotary de Santo Ângelo, RS, destinaram 106.055 reais para seis entidades da cidade, entre elas o Hospital de Caridade de Santo Ângelo.

O Rotary Club de Tupanciretã, RS, realizou mais uma edição do seu tradicional Concurso de Redação com o apoio da Escola Estadual Joaquim Nabuco e da Escola de Ensino Médio Divino Mestre.

Distrito 4670 Mensalmente o Rotary Club de Canela, RS, recolhe doações entre os associados para a compra de ração, doada à ONG Amigo Bicho de Canela, que atende 330 cães e gatos resgatados nas ruas.

Com parceria da ONG Vida Viva e patrocínio de empresas e entidades, o Rotary Club de Porto Alegre-Lindoia Passo D’Areia, RS, realizou curso de cabeleireiro por meio do Programa Jovem Aprendiz.

O Rotary Club de Palmares do Sul, RS, promoveu em parceria com a Secretaria Municipal de Turismo o Natal da Criança que contou com a presença do Papai Noel.

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.

MARÇO de 2014|

57


C L U B E S E d i s t r i t o s e m r e v i s ta Distrito 4670 Pelo quinto ano consecutivo, o Rotary Club de Porto Alegre-São Geraldo, RS, promoveu o Piquenique da Família Rotária, com arrecadação de mantimentos para o Banco de Alimentos de Gravataí e plantio de árvores.

Distrito 4680

O Rotary Club de São Lourenço do Sul, RS, participou da formatura dos alunos da Escola de Educação Infantil Mundo Encantado, que o clube ajudou a construir, distribuindo também presentes e livros.

Em homenagem póstuma ao governador 200607 do distrito e associado ao Rotary Club de Porto Alegre, RS, foi inaugurada a rua Antonio Carlos Pereira de Souza no bairro Mario Quintana.

Com a presença de aproximadamente 400 crianças de escolas municipais e estaduais, o Rotary Club de São Jerônimo, RS, realizou a 15ª Olimpíada da Criança, que contou com diversos apoiadores.

Distrito 4700

Com a renda adquirida no baile realizado em parceria com o Centro de Tradições Gaúchas, o Rotary Club de Ronda Alta, RS, inaugurou o Banco Ortopédico, beneficiando a comunidade local.

58

| MARÇO de 2014

Um mutirão envolvendo rotarianos, rotaractianos e interactianos do distrito resultou no plantio de 1.346 mudas de araucárias na bacia de captação da barragem Marrecas, na cidade gaúcha de Caxias do Sul.

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.


Distrito 4700

Com a ajuda do Rotaract, o Rotary Club de Sarandi, RS, realizou o 4º Natal da Solidariedade para 150 crianças da comunidade Vila Esperança, com presença do Papai Noel e distribuição de presentes e lanches.

Com o resultado financeiro do 3º Jantar Baile, o Rotary Club de Passo Fundo, RS, doou 26 mil reais para a instituição que atende crianças e adolescentes Agentes do Amor Divino.

Distrito 4710

O projeto Aluno Nota 10, realizado pelo Rotary Club de Califórnia, PR, envolvendo as escolas municipais, premiou o primeiro colocado com uma bolsa de estudos em escola particular e outros seis destaques com presentes.

O Rotary Club de Erechim-Três Vendas, RS, realizou uma doação em dinheiro que possibilitou a compra de quase uma tonelada de alimentos para a Sociedade Fraternal Cantinho da Luz.

O Rotary Club de Caxias do Sul-Cinquentenário, RS, homenageou com o troféu de Mérito Profissional o empresário Pedro Tonietto, destaque em suas atividades profissionais e benemerentes.

Distrito 4730

Com a parceria do Hospital Barigui de Oftalmologia e das Óticas Winnikes, o Rotary Club de Curitiba-Cristo Rei, PR, realiza o projeto Boa Visão, que atende crianças de escolas públicas com a doação de óculos.

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.

MARÇO de 2014|

59


C L U B E S E d i s t r i t o s e m r e v i s ta Distrito 4740 Em parceria com a Secretaria de Saúde do município, o Rotary Club de Campos Novos-Centro, SC, organizou o projeto Novembro Azul – Saúde do Homem, que distribuiu folhetos educativos sobre as dez doenças que mais afetam a saúde masculina.

O Rotary Club de Concórdia, SC, realizou a Festa do Coração, no Lar Recanto do Idoso. Foi um grande evento organizado pelos rotarianos com o apoio do Rotaract e da Associação dos Gaiteiros Compasso de Concórdia.

O Rotary Club de Xaxim, SC, promoveu a quinta edição da Tertúlia Rotária, evento que objetiva a divulgação da cultura local e teve a renda destinada ao Abrigo Municipal, Apae, ONG Salva e Rede Feminina de Combate ao Câncer.

Em parceria com a prefeitura, o Rotary Club de Curitibanos, SC, organizou a Feira do Livro de Curitibanos, iniciativa de incentivo à leitura que recebeu estandes de venda de livros, contadores de histórias e apresentações artísticas.

O Rotary Club de Chapecó-São Cristóvão, SC, promoveu uma festa de Natal para as crianças do bairro Vila Rica. A ação, apoiada pelo Rotaract, contou com brincadeiras e lanche.

Distrito 4750

O Rotary Club de Campos, RJ, entregou 16 pares de óculos a moradores do bairro de Santa Cruz. A doação é fruto do Mutirão de Saúde e Cidadania organizado pelo clube, que ofereceu consultas oftalmológicas à comunidade.

60

| MARÇO de 2014

O Rotary Club de Magé, RJ, organizou um almoço em parceria com a Confraria do Garfo de Magé. A iniciativa teve a renda destinada à compra de cadeiras para o Banco de Cadeiras de Rodas do clube.

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.


Distrito 4750

O E-club do distrito 4750-Sul doou itens de higiene e limpeza à Casa de Apoio às Adolescentes, entidade de São Gonçalo, RJ, e ao Hospital de Apoio Manoel Cartucho, em Campos dos Goytacazes, RJ, que atualmente abriga cerca de 120 pacientes.

O Rotary Club de Niterói-Pendotiba, RJ, entregou dois violinos, duas bicicletas e presentes de Natal às crianças do curso de iniciação musical da Escola Municipal Vila Costa Monteiro, do bairro Ititioca, no município. A ação é parte do projeto do clube de incentivo ao ensino de música.

O Rotary Club de Niterói-Praias Oceânicas, RJ, promoveu o projeto Natal Feliz, iniciativa que beneficiou a Creche Comunitária Minha Querência com a entrega de cerca de 100 presentes às crianças.

Distrito 4760

Incentivado e patrocinado pelo Rotary Club de João Pinheiro, o Rotary Kids de João Pinheiro, MG, visitou a creche do Centro de Atenção da Criança, que contou com a doação de brinquedos e lanche.

Em parceria com a Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos, o Rotary Club de Curvelo-Bela Vista, MG, promove o projeto Viva Voz, iniciativa que oferece à comunidade cursos de libras e braile.

O Rotary Club de Betim, MG, organizou o sorteio de uma moto da marca Kasinski, com o objetivo de arrecadar recursos que serão utilizados para a compra de itens para o Banco de Cadeiras de Rodas do clube.

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.

MARÇO de 2014|

61


C L U B E S E d i s t r i t o s e m r e v i s ta Distrito 4770

O Rotary Club de Uberlândia, MG, formou mais uma turma do projeto Pelotão Esperança, que oferece aulas, supervisão e orientação de pedagogas, nutricionistas, psicólogos e oficiais do exército a 30 crianças do município.

O Rotary Club de Coromandel, MG, promoveu uma comemoração de Natal para os alunos da Escola Estadual Clarindo Goulart. Os rotarianos levaram presentes e lanche.

O Rotary Club de Araguari-Café do Cerrado, MG, realizou o Mega Bazar, iniciativa com renda destinada à Fundação Rotária e também à compra de cestas básicas que serão doadas à comunidade. Em parceria com a Casa da Amizade e a rádio Módulo FM, o Rotary Club de Patrocínio-Brumado dos Pavões, MG, recebeu cerca de 2.000 litros de óleo doados pela população para a iniciativa Natal Solidário 2013. O Rotary Club de Uberaba, MG, organizou o Almoço com Viola, evento que recebeu cerca de 350 convidados e teve a renda destinada à Fundação Rotária e a entidades beneficentes do município.

Distrito 4780 Em parceria com a Unimed, o Rotary Club de Dom Pedrito-Ponche Verde, RS, patrocinou 175 metros de piso no bloco cirúrgico do Hospital São Luiz, no município. Em outra ação, o clube também entregou enxovais de bebê a casais da região.

62

| MARÇO de 2014

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.


Distrito 4780

Quantos somos Em todo o mundo

Número de clubes: 34.411; Total de rotarianos: 1.201.449 (sendo 222.884 mulheres); Países e regiões onde o Rotary está presente: 219; Número de distritos rotários: 532; Rotaract Clubs: 6.626 (em 192 países, reunindo um total de 152.398 rotaractianos); Interact clubs: 16.524 (em 159 países, reunindo um total de 380.052 interactianos); Núcleos Rotary de Desenvolvimento Comunitário: 7.875 (em 93 países, reunindo um total de 181.125 voluntários não rotarianos).

O Rotary Club de São Sepé, RS, realizou a 14ª edição do Festival do Chope, evento que recebeu a comunidade do município.

No Brasil Finalizando a segunda fase do projeto Carrinho Solidário, o Rotary Club de Quaraí, RS, distribuiu dez carrinhos para a coleta de recicláveis a catadores de material reciclado do município.

Dicas para publicação

P

Número de clubes: 2.363; Total de rotarianos: 55.558 (sendo 12.172 mulheres); Número de distritos rotários: 38; Rotaract Clubs: 510 (reunindo um total de 11.730 rotaractianos); Interact Clubs: 877 (reunindo um total de 20.171 interactianos); Núcleos Rotary de Desenvolvimento Comunitário: 360 (reunindo um total de 8.280 voluntários não rotarianos).

Fonte: Escritório do Rotary International no Brasil (dados de fevereiro de 2014).

Como ver seu clube no site ou na revista

ara que os companheiros de todo o país conheçam as ações realizadas pelo seu clube em prol da comunidade, é importante que as notícias cheguem à Redação contendo as seguintes informações: n o nome completo e o distrito de seu clube; n a data e local em que foram realizadas as ações; n um breve relato sobre o projeto, explicando sua importância e o alcance dele junto à comunidade; n os nomes dos parceiros, no Brasil e no exterior; n e os nomes e sobrenomes de todos os que aparecerem nas fotos com até seis pessoas, relacionados a partir da esquerda, para o caso de eles serem mencionados na legenda feita pela Redação. Mas lembre-se, o foco da notícia será sempre nas ações realizadas e não nas pessoas. FOTOS: as imagens digitais precisam ter uma boa qualidade de impressão. Por isso, selecione a opção alta resolução de sua câmera. Se o envio for feito por e-mail, pedimos que o tamanho dos anexos não supere 2 MB. Não cole suas imagens em documentos de Word: anexe-as ao e-mail como arquivos independentes. A publicação é gratuita. Basta que o assunto se encaixe em

nosso perfil editorial e que o seu clube esteja em dia com a assinatura da revista. Atenção: a Brasil Rotário não publica posses ou outros fatos que possam obter o merecido destaque nos boletins de seu clube. Confirmamos o recebimento de todas as mensagens enviadas à Redação com material destinado à publicação. Portanto, se você não receber essa confirmação é porque seu e-mail não chegou até nós. Reenvie-o ou nos telefone para saber o que está ocorrendo. MUITO IMPORTANTE: informe também um telefone de contato (com o código de DDD) para que possamos falar com você no caso de qualquer dúvida. Os e-mails utilizados para enviar notícias à revista poderão ser publicados a título de contato dos clubes. Anote os nossos endereços: Avenida Rio Branco, 125 – 18o andar – Rio de Janeiro, RJ CEP: 20040-006 e-mail: redacao@brasilrotario.com.br O telefone da Redação é (21) 2506-5614.

Estamos esperando para ver seu clube na revista!

Acesse www.brasilrotario.com.br e leia mais notícias dos clubes.

MARÇO de 2014|

63


senhoras em ação Os moradores do bairro São Francisco ganharam um café da manhã oferecido pela Casa da Amizade de Itapetim, PE (distrito 4500), e pelo Rotary Club local.

A Casa da Amizade de CachoeiroOeste, ES (distrito 4410), doou 1.300 reais ao Núcleo Cachoeirense de Dança, que há mais de 25 anos desenvolve projetos de inclusão para crianças e jovens carentes.

Encerrando as atividades em 2013, a Associação de Senhoras de Rotarianos de Florianópolis, SC (distrito 4651), doou recursos financeiros, cadeiras de rodas e macas a diversas entidades da cidade. As integrantes da Casa da Amizade de Divinópolis-Oeste, MG (distrito 4560), participaram da festa de Natal nas Obras Assistenciais Frederico Ozanan. Elas levaram presentes e lanche.

Em agosto do ano passado, a Casa da Amizade de MorrinhosCidade dos Pomares, GO (distrito 4770), lançou um projeto de alfabetização de idosos.

64

| MARÇO de 2014

A Casa da Amizade de Piracanjuba, GO (distrito 4770), doa cestas básicas mensalmente a famílias carentes. Crianças e idosos também são beneficiados por seus projetos de serviço.

Oitenta crianças de uma creche mantida pelo Rotary Club local ganharam presentes e uma festa de Natal organizada pela Casa da Amizade de Passos, MG (distrito 4540). BR


interact e rotaract

Um dia solidário em prol da comunidade

S

empre muito ativo, o Interact Club de Pombal, PB (distrito 4500), costuma se envolver em diversas ações em benefício da comunidade. Em 9 de dezembro de 2013, junto com o Rotary Club e o Rotaract locais, os interactianos realizaram o Dia Municipal da Solidariedade na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Monsenhor Vicente Freitas (foto). A Família Rotária pombalense serviu café da manhã e entregou cestas básicas para mais de 110 pessoas. Outras iniciativas dos jovens no final de 2013 foram um pedágio solidário em prol dos projetos do clube e a organização do 1º Encontro Interactário.

A foto registra a fundação do Interact Club de GuarapariPraia do Morro, ES (distrito 4410), em 30 de novembro de 2013. Contando inicialmente com 16 associados, o Rotaract Club de Lençóis Paulista, SP (distrito 4310), foi fundado em 29 de novembro de 2013, na sede do Rotary Club local, seu patrocinador.

Os integrantes do Rotaract Club de Sapezal, MT (distrito 4440), organizaram uma comemoração natalina na Creche Raquel Mochi Cardoso. Eles serviram lanche e entregaram brinquedos para 110 crianças.

O Interact Club de Alta Floresta, MT (distrito 4440), participou da 18ª Olimpíada Distrital de Interact Club, que ocorreu de 14 a 17 de novembro de 2013 em Cuiabá e recebeu a adesão de 234 jovens. Com escoteiros e integrantes da Ordem DeMolay, o Interact Club de Promissão, SP (distrito 4480), arrecadou alimentos para o asilo local. Os interactianos também levaram brindes para crianças atendidas por instituições locais. MARÇO de 2014|

65


I nteract e rotaract Igor Sorente

O Rotaract Club de São José do Rio PretoBoa Vista, SP (distrito 4480), participou do Encontro Distrital de Rotaract Clubs 2013 e conquistou um prêmio de participação e o Concurso de Oratória. O Rotaract Club de Cafelândia, SP (distrito 4480), realizou o festival Rocktaract para arrecadar alimentos para doação. Também trabalhou em uma campanha de doação de sangue com a Família Rotária local.

No início de dezembro, o Interact Club de Itápolis, SP (distrito 4480), visitou a Creche Mundo Pequenino. Os jovens fizeram uma apresentação teatral, brincaram com as crianças e entregaram doces. O Rotaract Club de Guaiçara, SP (distrito 4480), participou da campanha Papai Noel dos Correios, foi premiado no Encontro Distrital de Rotaract Clubs e trabalhou na Festa das Nações de Guaiçara.

O Rotaract Club de Jales, SP (distrito 4480), foi homenageado pela Câmara de Jales com a instituição da data de 13 de março como Dia Municipal do Rotaract. O projeto foi proposto pelo vereador Tiago Abra. Na manhã de 1º de janeiro, os jovens do Interact Club de Guaiçara, SP (distrito 4480), desejaram feliz ano novo aos moradores da cidade distribuindo mais de 300 sacolinhas de doces pelos bairros.

O Rotaract Club de Barretos, SP (distrito 4480), doou alimentos para a Casa Assistencial Espírita Nosso Lar. Os rotaractianos também visitaram a Casa Acolhedora Vovô Antônio e o asilo Vila dos Pobres.

66

| MARÇO de 2014


O Rotaract Club do RecifeLargo da Paz, PE (distrito 4500), com o apoio do clube padrinho, organizou uma confraternização natalina para os idosos do Instituto Padre Venâncio. O Interact Club de Pau dos Ferros, RN (distrito 4500), fez uma festa de Natal para as crianças do Hospital Dr. Nelson Maia. Houve distribuição de lanches, presentes e atividades recreativas.

O Rotaract Club de São João do Rio do Peixe, PB (distrito 4500), forneceu testes clínicos e vacinação para a população e doou alimentos para uma família e uma entidade que abriga idosos.

O Interact Club de Piancó do Centenário, PB (distrito 4500), visitou um centro de idosos, levando solidariedade aos abrigados, doou cestas básicas e fez o Farofão Comunitário no bairro de Campo Novo.

Os jovens do Rotaract Club de Garanhuns, PE (distrito 4500), organizaram uma feijoada solidária em dezembro, cuja renda será empregada na realização do encontro estadual de Rotaract Clubs.

O Rotaract Club da BahiaNorte, BA (distrito 4550), promoveu uma festa natalina no Centro Integrado de Atendimento à Criança e ao Adolescente, no bairro de Ondina, em Salvador.

Os integrantes do Rotaract Club de Pains, MG (distrito 4560), percorreram as ruas da cidade e estiveram em uma comunidade rural distribuindo brinquedos para a garotada. A ação se deu no Natal.

MARÇO de 2014|

67


I nteract e rotaract

O Interact Club de Carmo da Mata, MG (distrito 4560), doou alimentos e material de limpeza para uma creche. O clube também produziu um vídeo de combate ao tabagismo, exibido em uma escola estadual.

O Rotaract Club de Guaxupé, MG (distrito 4560), realizou uma festa natalina na rua com direito a lanches, brindes e feira de pechinchas. Na ocasião, garrafas PET foram recolhidas para a Apae local.

O Rotaract Club de Itaúna-Cidade Universitária, MG (distrito 4560), esteve em um centro assistencial da cidade, quando organizou atividades de lazer e deu presentes para os 51 idosos ali abrigados.

O Rotaract Club de Pindamonhangaba, SP (distrito 4600), organizou o projeto Vida Segura, no qual motociclistas doaram alimentos, destinados a famílias carentes, em troca de antenas corta-pipas.

Os jovens do Interact Club de Tupanciretã, RS (distrito 4660), realizaram ações de incentivo à leitura em um hospital local, distribuíram lixeiras para carro e divulgaram a imagem pública do clube. O Interact Club de Palmeira das Missões, RS (distrito 4660), organizou atividades culturais na pediatria de um hospital, levou projeto de leitura para uma creche e doou alimentos para uma entidade.

O Rotaract Club de Novo Hamburgo, RS (distrito 4670), participou do Natal da Cidadania distribuindo presentes para 130 crianças atendidas pela unidade de assistência social Amigo da Criança.

68

| MARÇO de 2014


Líderes que inspiram, ações que motivam: este foi o tema do Seminário Rotaractiano de Liderança, realizado na Faculdade Facensa pelo Rotaract Club de Cachoeirinha, RS, com o apoio do distrito 4670.

O Rotaract Club de Campo Bom, RS (distrito 4670), celebrou o Natal com três projetos solidários, que beneficiaram uma escola, as crianças do bairro (foto) e os pacientes de um hospital da cidade.

O Rotaract Club de Santa Cruz do Sul e o Rotary Club de Santa Cruz do Sul-Avenida, RS (distrito 4680), realizaram uma ação de cuidados odontológicos numa escola da cidade. Photo Zoom Fotografias

A Escola Monte das Tabocas foi o local de um seminário de instrução realizado pelo Interact Club de Venâncio Aires, RS (distrito 4680), com a participação do Rotary, do Rotaract e do Rotakids. Uma campanha conjunta do Rotaract Club de Passo FundoNorte, RS (distrito 4700), com o Leo Club Passo Fundo resultou na arrecadação de mais de uma tonelada de alimentos para famílias carentes da cidade.

O Rotaract Club de São Carlos, SP (distrito 4540), comemorou 35 anos de fundação numa solenidade que teve a presença de muitos convidados, entre os quais o prefeito da cidade, Cleomar Kuhn.

Comemorando os 51 anos do programa de Interact, o Interact Club de Bocaiúva, MG (distrito 4760), participou de um projeto com outros 50 clubes do mundo. Cada um deles plantou uma árvore. BR

MARÇO de 2014|

69


R otarianos que são notícia

N

esta seção abrimos espaço para os rotarianos que foram eleitos ou nomeados para cargos de governo, da administração direta ou indireta, ou que ainda receberam homenagens ou assumiram função em organizações da sociedade civil nas esferas federal (1o, 2o e 3o escalões), estadual (1o e 2o escalões) e municipal (1o escalão).

n O presidente 2012-13 do Rotary Club de Guarapari, ES (distrito 4410), José Geraldo Esteves, assumiu a presidência do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Guarapari.

o departamento de Comissão Científica do Instituto Brasileiro de Direito de Família – Seccional de Mato Grosso do Sul para o biênio 2014-15.

Silvio Duran Cassita, presidente 1983-84 do Rotary Club de São Vicente, SP (distrito 4420), foi homenageado pela Câmara Municipal local com o título de Cidadão Vicentino.

O rotariano Luiz Felizardo Barroso, do Rotary Club do Rio de Janeiro, RJ (distrito 4570), tomou posse como membro titular da Academia Fluminense de Letras.

Associado ao Rotary Club de Rondonópolis, MT (distrito 4440), Jerry Mill tomou posse como imortal da Academia Rondonopolitana de Letras.

Carlos Prentice Hernandez, presidente 1996-97 do Rotary Club do Rio Grande-Litoral, RS (distrito 4680), e governador assistente 1999-00 e 2000-01, foi agraciado pela Câmara Municipal local com o título de Cidadão Riograndino.

n

n

Glaucia Silva Leite, do Rotary Club de Campo Grande-Universidade, MS (distrito 4470), assumiu

n

70

| MARÇO de 2014

n

n


R econhecimentos da fundação rotária O que significam Contribuinte Especial

Qualquer pessoa que contribui com 100 dólares é automaticamente reconhecida como Contribuinte Especial.

Companheiro Paul Harris

Uma pessoa, rotariana ou não, que contribui com o valor de 1.000 dólares rotários à Fundação Rotária, ou em cujo nome é feita tal contribuição, recebe como reconhecimento o título de Companheiro Paul Harris (l), que consiste de certificado e distintivo – com a opção de medalha, ao custo de 15 dólares rotários.

Contribuições múltiplas

O Companheiro Paul Harris que faz contribuições múltiplas de 1.000 dólares rotários à Fundação Rotária, ou em cujo nome elas são feitas, recebe distintivo com safiras (l), rubis (l) ou Major Donors (l) – Doador Extraordinário, com contribuição pessoal de 10.000 a 249.999 dólares –, de acordo com o valor do aporte acumulado.

Sociedade Paul Harris

Pessoas que assumem o compromisso de contribuir anualmente com 1.000 dólares recebem distintivo especial e certificado do distrito (l). Este reconhecimento é válido para contribuições múltiplas.

Benfeitor

Uma pessoa se torna Benfeitor da Fundação Rotária ao incluir um dispositivo em seu testamento em benefício do Fundo de Dotação, para o qual efetua uma contribuição de 1.000 dólares ou mais. O doador recebe um distintivo especial e diploma.

Sociedade de Doadores Testamentários

Refere-se a pessoas individualmente ou casais que façam promessas de doação de 1.000 dólares ou mais em testamentos ou seguros de vida. Estes doadores recebem peça de cristal e distintivo.

Sociedade Arch C. Klumph

Doadores que contribuem com 250.000 dólares ou mais qualificam-se para a Sociedade Arch C. Klumph. Eles são convidados para cerimônia de admissão na sede mundial do Rotary International, em Evanston, EUA, e podem escolher ter suas fotos colocadas na Galeria Arch C. Klumph e no terminal interativo. Esses doadores também recebem distintivo, certificado e convites para eventos especiais.

Os fundos

As doações formam diversos fundos. São eles: Fundo Anual de Programas, Fundo Polio Plus e Fundo Permanente. Se as doações forem de empresas, serão encaminhadas à Associação Brasileira da The Rotary Foundation (ABTRF). As contribuições servem para Projetos de Subsídios Distritais, Globais e Globais PréDefinidos, que apoiam a missão da Fundação Rotária para promover a paz, a boa vontade e a educação, melhorar a saúde e combater a pobreza.

Novos agraciados

Distrito 4410

Rotary Club de Guarapari-Praia do Morro, ES l

Adriana de Souza Flores

Rotary Club de Vitória-Praia Comprida, ES l

Tadeu Viana Lessa, com o terceiro rubi

Distrito 4540

Rotary Club de Barrinha, SP l

Marcia Regina Consolete de Araujo

Rotary Club de Brodowski, SP l l

Carlos Augusto Silva Leonice Geacheto Manhas

Rotary Club de Orlândia, SP l

Luís César Moglia

Rotary Club de Pontal, SP

José Francisco Jacomini l Milton Ferreira Gomes Filho l Oscar Manfrim l Ronaldo Antonio Santana l Sueli da Silva Rosa l Waldomiro Munhoz Pradella l Wanderley Aparecido Varrichio l

Rotary Club de Ribeirão Preto-Irajá, SP l

Ronaib Pereira Moreira

Rotary Club de Sertãozinho, SP

Andreia Cristina Bernardi Claudia Fernanda de Souza Ancheschi l Nelson Alves de Oliveira, com o cristal de Major Donor (nível 2) l Otávio Donizetti Casemiro Machado l Otília Tuffi Kristensen l Robson Medina da Silva l l

Distrito 4630

Rotary Club de Campo Mourão-Gralha Azul, PR

Aguilar de Lima Fabri, com uma safira Carlos Roberto de Souza, com uma safira l Edmilson Jose Barbiero l Eguimar Maciel de Souza, com uma safira l Fábio Battistella, com uma safira l Fernando José Marodim, com uma safira l Gerson José Batista, com uma safira l Idnei Hundsdorfer l Jorge Bernini Neto, com uma safira l José Carmelo Almeida l José Inácio Gonçalves, com uma safira l Leandro Carlet de Lima l Leandro Correia dos Santos l Olivo de Mattos l Renato de Andrade Donegá, com uma safira l l

Distrito 4710

Rotary Club de Londrina-Cinquentenário, PR André Trindade Antonio Carlos Mastini l Bruno Augusto Sampaio Fuga l Eleane Martins l Irma Sueli Oricolli l l

Distrito 4760

Rotary Club de Unaí, MG

Amarildo José Xavier Athos Gonçalves da Silva l Durval Mendonça l Jesuína Maria de Melo l Juarez Gonçalves de Siqueira l l

Distrito 4770

Rotary Club de Coromandel, MG l

Maria de Lourdes Pereira

MARÇO de 2014|

71


Cooperativa Editora Brasil Rotário Limitada AOE 001/2014

NIRE 33.4.0000960-6

CNPJ 33.266.784/0001-53

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIAS GERAIS ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA

O

Presidente da Cooperativa Editora Brasil Rotário Limitada, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 20 do Estatuto Social, convoca os senhores associados para se reunirem em Assembleias Gerais Ordinária e Extraordinária, a serem realizadas no dia 26 de março de 2014, em sua sede social, na Avenida Rio Branco, nº 125/18º andar, Rio de Janeiro/RJ. A Assembleia Geral Ordinária reunir-se-á em 1ª (primeira) convocação às 13 horas, com a presença de 2/3 (dois terços) do número de associados; em 2ª (segunda) convocação, às 14 horas, com a presença de metade mais um (1) dos associados; e em 3ª (terceira) e última convocação, às 15 horas, com a presença de, no mínimo, 10 (dez) associados, para apreciar e deliberar sobre a seguinte Ordem do Dia: I. Prestação de contas do exercício social anterior, compreendendo: a. Relatório da gestão; Balanço do período encerrado em 31/12/2013, com Parecer dos Auditores Externos; Demonstrativo da conta de sobras e perdas; e Parecer do Conselho Fiscal. b. Destinação das sobras e perdas. c. Plano estratégico de trabalho e orçamento formulado pela Diretoria Executiva para o ano de 2014. II. Eleição do Conselho Fiscal para o período de março de 2014 a março de 2015, obedecido ao § 5º do artigo 33 do Estatuto. A Assembleia Geral Extraordinária reunir-se-á em 1ª (primeira) convocação às 15h30, com a presença de 2/3 (dois terços) do número de associados; em 2ª (segunda) convocação, às 16h30, com a presença de metade mais um (1) dos associados; e em 3ª (terceira) e última convocação, às 17h30, com a presença de, no mínimo, 10 (dez) associados, para apreciar e deliberar sobre a seguinte Ordem do Dia: I. Aprovação da reforma estatutária da Cooperativa. Nota: Para efeitos legais e estatutários, declara-se que o número de associados da Cooperativa, nesta data, é de 1.283 (hum mil, duzentos e oitenta e três).

Rio de Janeiro, 03 de março de 2014.

Ricardo Vieira Lima Magalhães Gondim Presidente

72

| MARÇO de 2014


A conteceu em 1974

Luiz Renato D. Coutinho

Um trio cativa o Brasil R

enato Aragão, Dedé Santana e Mussum estão fazendo bastante sucesso na TV Record desde o ano anterior com o programa Os insociáveis.

n Às 8h54 de 1º de fevereiro, uma sexta-feira,

um curto circuito em um ar-condicionado dá início ao incêndio do Joelma, na avenida Nove de Julho, na cidade de São Paulo. O fogo consome 14 dos 25 andares do edifício, inaugurado três anos antes, e mata 191 pessoas – a maior tragédia do gênero no mundo até então. n Em 4 de março é entregue ao público a

ponte Rio-Niterói. Com 13,9 quilômetros de extensão, sua construção fora iniciada em janeiro de 1969 e tivera uma primeira data de conclusão prevista para 15 de março de 1971.

n O presidente norte-americano Richard Nixon encontra-se às voltas com as pressões do Judiciário para a liberação de gravações de conversas secretas entre ele e seus assessores, num dos capítulos do Caso Watergate, e não comparece à posse de Ernesto Geisel, em 15 de março. Em seu lugar, envia a esposa, Pat, que aqui comete a gafe de comentar com as autoridades brasileiras que ela estivera com o marido na posse de Juscelino Kubitschek, quando “Brasília ainda era um sonho”. Juscelino era um proscrito desde 1968 e o fato de ela ter vindo sozinha nesta segunda vez parece a Geisel um sinal claro de desconsideração do governo dos EUA.

E a Brasil Rotário trazia em março daquele ano... l O associado Odo Cazzulo, do Rotary Club de Porto Alegre-Norte, RS, relatou sua recente visita a diversos países, entre eles Panamá, Guatemala, México, EUA, Escócia, Alemanha e França. Nos EUA ele teve uma passagem agradável e comentou que os norte-americanos já consideram o Brasil “um país adulto e com bom desenvolvimento”. Na Inglaterra, porém, ele se aborreceu ao se deparar com o movimento hippie, para ele absolutamente reprovável. “Procurei analisá-los, entendê-los, convencido de que se os entendesse, amanhã poderia também entender meus filhos e meus netos. Descobri o que todos vocês já devem ter descoberto: encontraram como forma de protesto ao que fez e faz a nossa geração vestir-se esquisitamente, usar muito pouca água em sua higiene pessoal e viver ao léu, nas ruas, nas praças, em grupos, sob o lema ‘Paz e amor, bicho’, mas sem nos trazer uma nova mensagem, uma sugestão, um caminho e, evidentemente, sem considerar o trabalho como um bem. É um movimento que cresce no mundo e minha séria dúvida reside, exatamente, em não saber o que nós rotarianos estamos fazendo para entendê-los, a fim de podermos orientá-los e nos orientar.” Na França, Cazzulo encontrou um povo bastante preocupado com o aumento acentuado dos preços, mas feliz. E tirou disso o seguinte questionamento: “O que será pior, ter inflação ou não ser feliz?” l No mundo, a água começa a faltar. Este era o título do artigo de Nelson Gandur Dacach, do Rotary Club de Bahia-Leste, BA. “Em Nova Iorque, nos períodos difíceis, apelos são feitos, por diversos meios, à população para reduzir o consumo, inclusive através de dirigíveis conduzindo faixas com a inscrição Economize Água”, escreveu. BR Veja esta e outras edições antigas da sua Brasil Rotário em www.brasilrotario.com.br/?p=acervo

MARÇO de 2014|

73


ReLAX Rodrigo

Divórcio Depois de exaustivas brigas, o marido explode: – Chega! Eu não aguento mais! Vamos fazer o seguinte: eu fico com um lado da casa e você, com o outro! Combinado? – Por mim está ótimo! – concorda a mulher. – Eu fico com o lado de dentro.

Sucinto A professora pede aos alunos que escrevam uma redação sobre o leite. Recolhidos os textos, ela pergunta ao Juquinha: – Por que todos os seus colegas escreveram três ou quatro páginas sobre o leite e você, apenas meia página? – É que eu escrevi sobre o leite condensado. Jovem cientista Na aula de física: – Joãozinho: me dê um exemplo de energia desperdiçada. E o garoto responde: – Essa é mole: contar a um careca uma história de arrepiar os cabelos! Colaborações enviadas por Hertz Uderman, governador 1995-96 do distrito 4570 e associado ao Rotary Club do Rio de Janeiro-Méier, RJ.

“Entre aspas” “Lágrimas de herdeiros são risos mascarados.” – Sêneca, filósofo e escritor romano (4 a.C.-65) “Idiota mesmo é o sujeito que, ouvindo uma história com duplo sentido, não entende nenhum dos dois.” – Millôr Fernandes, desenhista, humorista e jornalista brasileiro (1923-2012)

74

| MARÇO de 2014


A Brasil Rotário em todos os lugares

A

gora você já pode optar pela assinatura da nossa edição digital. A revista fica disponível para leitura em computadores, notebooks, smartphones e tablets logo no primeiro dia do mês. Saiba mais em

www.brasilrotario.com.br/revistadigital


Brasil Rotário - Março de 2014  

Edição nº 1101 da revista Brasil Rotário

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you