Issuu on Google+


Sucessora de “Notícias Rotárias” e “Rotary Brasileiro”. Publicação mensal dedicada à divulgação do Ideal de Servir. Revista regional oficial do Rotary International para os rotarianos do Brasil. Keystone

CAPA 04 As lições que o Rotary tem para ensinar

A SELEÇÃO entrará em campo em junho, na Copa, como favorita

José Moutinho Duarte

05 Mensagem do presidente Carl-Wilhelm Stenhammar

06 A Fundação Rotária na visão de Giay Tiffany Woods

Pág.

11 Imaginando o futuro Carlos Enrique Speroni

12 A bola, a paz e a Copa Roberto Petis Fernandes

16 Desenvolvimento sustentável torna distritos e clubes eficazes Luiz Coelho de Oliveira

O MONUMENTO “Adeus às Armas” em Malmö

19 Destaques das decisões do Conselho Diretor do RI

Pág.

22

20 O que falta para as PPPs decolarem Cezar Faccioli

22 Ponte de união e paz Lindoval de Oliveira

25 Esperamos você em Malmö Margareta Winberg

27 Ligados outra vez Eliseu Visconti Neto

32 Sirva-se Lindoval de Oliveira

40 O marketing na imagem pública do Rotary Waldenir de Bragança

SEÇÕES 09 28 30 38 42 44 45 46 57 58 59 60 61

Rotarianos que são notícia Mulher Decoração Informática Interact e Rotaract Informe do RI aos rotarianos Livros Distritos em revista Novos Companheiros Paul Harris Senhoras em ação Relax Cartas e recados I Saudades Ficha de inscrição da convenção do RI

Pág.

19 AS QUADRAS de esportes do Hotel Bourbon Pág.

32

Capa: Foto Keystone

12


ROTARY INTERNATIONAL ONE ROTARY CENTER

CONSELHO DIRETOR 2005-2006 PRESIDENTE

Carl-Wilhelm Stenhammar, Göteburgo, Suécia PRESIDENTE-ELEITO 2006-07

William B. Boyd, Pakuranga, Nova Zelândia VICE-PRESIDENTE

Serge Gouteyron, Denain-Bouchain, França TESOUREIRO

Jocelyn I. Bolante, Parañaque South, Filipinas DIRETORES

Anthony F. de St. Dalmas, Southgate, Inglaterra; Carlos Enrique Speroni, Temperley, Argentina; David J. Hossler, Yuma, Ariz., EUA; David Linett, Somerville and Bridgewater, N.J., EUA; Frank N. Goldberg, Omaha-Suburban, Neb., EUA; G. Kenneth Morgan, Chapel Hill, N.C., EUA; Horst Heiner Hellge, Hamburg-Blankenese, Alemanha; Jerry L. Hall, Reno, Nev., EUA; José Antonio Salazar C., Bogotá Occidente, Colômbia; Kwang Tae Kim, Seoul Gwanag, Coréia; Masanobu Shigeta, Takasaki North, Japão; Noraseth Pathmanand, Bangrak, Tailândia; Robert A. Stuart Jr., Springfield, Ill. EUA; Sölve Kernell, Kalmar, Suécia; Yoshikazu Minamisono, Hofu, Japão. SECRETÁRIO-GERAL

Edwin H. Futa, East Honolulu, Hawaii, EUA.

CURADORES DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA, 2005-06 CHAIRMAN

Frank J. Devlyn, Anáhuac, D.F., México; CHAIRMAN-ELEITO

Luis Vicente Giay, Arrecifes, Argentina; VICE-CHAIRMAN

1560 SHERMAN AVENUE

GOVERNADORES DE DISTRITOS NO BRASIL 2005-2006 DISTRITO 4310 Paulo Gonçalves de Abreu RC Lençóis Paulista, SP

DISTRITO 4600 Murilo Mario Pulig Veiga RC Três Rios-Beira Rio, RJ

DISTRITO 4390 José Firmino de Oliveira RC Arapiraca, AL

DISTRITO 4610 Darci Luiz Leite Kirst RC São Paulo-Alto de Pinheiros, SP

DISTRITO 4410 Antonio Canuto Neto RC Vitória-Jucutuquara, ES

DISTRITO 4620 Gilberto Carvalho de Oliveira RC Sorocaba-Esplanada, SP

DISTRITO 4420 Roberto Herrera RC Santo André-Campestre, SP

DISTRITO 4630 Wilson Isolani RC Campo Mourão, PR

DISTRITO 4430 Ari Sérgio Del-Fiol Módolo RC Mogi das Cruzes-Oeste, SP

DISTRITO 4640 José Antonio Uba RC Toledo-Integração, PR

DISTRITO 4440 Neusa Yoshiko Hamakawa Ito RC Cuiabá-Taiamã, MT

DISTRITO 4650 Ernesto Bremer RC Timbó-Pérola do Vale, SC

DISTRITO 4470 Oswaldo Casarotti RC Ivinhema, MS

DISTRITO 4651 Marilene Vargas Souto RC Florianópolis-Trindade, SC

DISTRITO 4480 Israel Antonio Alfonso RC Lins, SP

DISTRITO 4660 Claudete Hintz Mallmann RC Santa Rosa-Junior, RS

DISTRITO 4490 Hermógenes Alves de Oliveira Neto RC Teresina-Iningá, PI

DISTRITO 4670 Rubens Fernando Clamer dos Santos RC Porto Alegre-Passo D’Areia, RS

DISTRITO 4500 Aldanira Ramalho Pereira Souto Barreto RC Natal, RN

DISTRITO 4680 João Moacir Ferreira RC Venâncio Aires, RS

DISTRITO 4510 José Giometti RC Santo Anastácio, SP DISTRITO 4520 Geraldo Eustáquio Alves RC Pedro Leopoldo, MG DISTRITO 4530 Sylvio Santinoni RC Brasília-21 de Abril, DF DISTRITO 4540 João Carlos Cazú RC São Carlos, SP

Ray Klinginsmith, Kirksville, Mo., EUA; CURADORES

Bhichai Rattakul, Dhonburi, Tailândia; Carolyn E. Jones, Anchorage East, Alasca, EUA; Dong Kurn Lee, Seoul-Hangang, Coréia; Fumio Tamamura, Tokyo, Japão; Gary C.K. Huang, Taipei, Taiwan; Jayantilal K. Chande, Dar-es-Salaam, Tanzânia; Jonathan B. Majiyagbe, Kano, Nigéria; Mark Daniel Maloney, Decatur, Ala., EUA; Michael W. Abdalla, Orange, Calif., EUA; Peter Bundgaard, Ry, Dinamarca; Robert S. Scott, Cobourg, Ont., Canadá; Rudolf Hörndler, Nürnberg-Fürth, Alemanha. SECRETÁRIO-GERAL

Edwin H. Futa, East Honolulu, Hawaii, EUA.

ÉTICA 2

EVANSTON, ILLINOIS, USA

DISTRITO 4700 Valtoir Clarêncio Perini RC Caxias do Sul-Imigrante, RS DISTRITO 4710 Álvaro Cláudio Amorim Brochado RC Londrina-Nordeste, PR DISTRITO 4720 Arno Voigt RC Rolim de Moura, RO DISTRITO 4730 Jaroslaw Hrebinnik RC Curitiba-Cidade Sorriso, PR

DISTRITO 4550 José Antonio Nascimento Cunha RC Salvador-Pituba, BA

DISTRITO 4740 Fernandes Luiz Andretta RC Chapecó-Leste, SC

DISTRITO 4560 Antonio Élcio Coelho Sarto RC Elói Mendes, MG

DISTRITO 4750 Marcus dos Santos Paes RC Guarus, RJ

DISTRITO 4570 Sebastião Porto RC Rio de Janeiro-Saara, RJ

DISTRITO 4760 Said Schiller RC Montes Claros-Oeste, MG

DISTRITO 4580 Roberto Kamil RC Juiz de Fora-Sul, MG

DISTRITO 4770 Napoleão Alves Neto RC Jataí, GO

DISTRITO 4590 Temer Feres RC Campinas, SP

DISTRITO 4780 João Pozo Camargo RC Quaraí, RS

Um princípio que não pode ter fim. Campanha em prol de mais elevados padrões de ética. Apoio dos Rotary Clubs do Brasil

MAIO DE 2006


Ano 81 Maio, 2006 nº 1007

Leia

Revista de Propriedade da Cooperativa Editora Brasil Rotário CNPJ 33.266.784/0001-53

I

Inscrição Municipal 00.883.425

CARO LEITOR LEITOR,

Av. Rio Branco, 125, 18º andar CEP: 20040-006 – Sede própria Rio de Janeiro – RJ I Tel: (21) 2509-8142 / FAX: (21) 2509-8130 E-mail: revista@brasil-rotario.com.br

CONSELHO EMÉRITO Archimedes Theodoro (Belo Horizonte-MG) EDRI 1980-82 Mário de Oliveira Antonino (Recife-PE) EDRI 1985-87 Gerson Gonçalves (Londrina-PR) EDRI 1993-95 José Alfredo Pretoni (São Paulo-SP) EDRI 1995-97 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO 2005-07 Diretoria Executiva Presidente: Roberto Petis Fernandes Vice-Presidente de Operações: Jorge Costa de Barros Franco Vice-Presidente de Administração: Guilherme Arinos Lima Verde de Barroso Franco Vice-Presidente de Finanças: José Maria Meneses dos Santos Vice-Presidente de Planejamento/ Controle: Ricardo Vieira L. M. Gondim Vice-Presidente de Marketing: José Alves Fortes Vice-Presidente de Relações Institucionais: Carlos Jerônimo da Silva Gueiros Vice-Presidente Jurídico: Carlos Henrique de Carvalho Fróes Membros Efetivos: Adelia Antonieta Villas Américo Matheus Florentino Antonio Hallage Fernando A. Quintella Ribeiro Fernando A. P. Magnus Flávio A. Queiroga Mendlovitz José Moutinho Duarte Membros Suplentes: Bemvindo Augusto Dias Pedro Maes Castellain Gerente Executivo: Edson Avellar da Silva ASSESSORES Abel Mendes Pinheiro Júnior Ary Pinto Dâmaso (Publicidade) Cleofas Paes de Santiago (CER) Edson Schettine de Aguiar (Cultural) Eduardo Álvares de S. Soares (Sul) Enrique Ramon Perez Irueta (Traduções) Geraldo Lopes de Oliveira (Especial) Jorge Bragança (Sudeste) José Augusto Bezerra (Nordeste) Valério Figueiredo R. de Souza (Nordeste) Waldenir de Bragança

Hipólito Sérgio Ferreira (Belo Horizonte-MG) EDRI 1999-01 Alceu Antimo Vezozzo (Curitiba-PR) EDRI 2001-03 Luiz Coelho de Oliveira (Limeira-SP) EDRI 2003-05 Carlos Enrique Speroni (Buenos Aires-Argentina) DRI 2005-07 CONSELHO FISCAL 2005-2006 Membros Efetivos: Jorge Manuel R. Monteiro (Coordenador do CF) Antônio Vilardo (Secretário) Haroldo Bezerra da Cunha Membros Suplentes: Dulce Grünewald Lopes de Oliveira Geraldo da Conceição Leonel Nunes Salgueiro CONSELHO CONSULTIVO Membros Natos Efetivos: Governadores 2005-06 Suplentes: Governadores eleitos 2006-07 CONSELHO EDITORIAL EXECUTIVO Presidente: Roberto Petis Fernandes Secretário: Edson Avellar da Silva Membros: Lindoval de Oliveira Nuno Virgílio Neto Luiz Renato Dantas Coutinho CONSELHO EDITORIAL CONSULTIVO ● Roberto Petis Fernandes ● Carlos Henrique de Carvalho Fróes ● Carlos Jerônimo da Silva Gueiros ● Guilherme Arinos Lima Verde de Barroso Franco ● Jorge Costa de Barros Franco ● José Alves Fortes ● José Maria Meneses dos Santos ● Ricardo Vieira L. M. Gondim COMISSÃO DE INVESTIMENTOS Américo Matheus Florentino (ViceCoordenador) Jorge Costa de Barros Franco José Maria Meneses dos Santos (Coordenador) Roberto Petis Fernandes

DIRETOR RESPONSÁVEL: Roberto Petis Fernandes EDITOR: Lindoval de Oliveira - Jorn. Prof. Mtb. 3.483/9/144 REDAÇÃO E DEPTO. DE MARKETING: Av. Rio Branco, 125 - 18º andar - Rio de Janeiro - RJ - CEP: 20040-006 - Tel: (21) 2509-8142; Fax: (21) 2509-8130. E-MAIL DA REDAÇÃO: redacao@brasil-rotario.com.br REDAÇÃO: Armando Santos, Luiz Renato Dantas Coutinho, Maria Cristina Andrade, Maria Lúcia Ribeiro de Sousa, Nuno Virgílio Neto e Renata Coré. DIGITALIZAÇÃO: Maurício Teixeira IMPRESSÃO: Gráfica Ediouro HOMEPAGE: http://www.brasil-rotario.com.br * As matérias assinadas são de inteira responsabilidade dos seus autores.

A

matéria de capa desta magnífica edição coloca-nos no clima da Copa. Pessoalmente, julgo importante para os brasileiros essa paixão que devotamos ao futebol, momento em que, esquecendo os problemas do cotidiano e afastando os egoísmos, praticamos a democracia plena, tornando-nos todos irmãos. E como você lerá no artigo A bola, a paz e a Copa, do presidente da cooperativa que edita a BR, Roberto Petis Fernandes, “a magia da bola, que encanta platéias (...) é a mesma que tem contribuído para aproximar os povos e promover a paz” (página 12). ■ Abrindo os muitos textos eminentemente rotários, pedimos sua atenção para o de autoria do EGD José Moutinho Duarte – As lições que o Rotary tem para ensinar – no qual ele relaciona os inúmeros benefícios que a nossa organização proporciona aos seus associados (página 4). ■ Agora em julho, o nosso festejado EPRI Luis Vicente Giay assume a presidência do Conselho de Curadores da Fundação Rotária e antecipa o programa que adotará a curto, médio e longo prazos. Destacamos: aperfeiçoar o treinamento dos rotarianos, visando aumentar o nível de conscientização sobre a missão da FR; servir aos rotarianos sem impingir-lhes ainda mais “papel, trabalheira e burocracia”; fazer do programa Subsídios Humanitários a grande estrela da Fundação (página 6). ■ O Rotary chegou ao Vietnã. Esta foi uma das decisões do board do RI em sua reunião de 1º de março. Os RCs a serem criados nesse país farão parte do distrito 3350, que compreende a Tailândia e o Camboja. Há um pedido do Conselho Diretor para a implantação de projetos de serviço no Vietnã (página 19). ■ O EDRI Luiz Coelho de Oliveira nos diz que “já se descortina uma nova estratégia para o desenvolvimento sustentável de nossa organização”, e que “a diversidade do Rotary, presente em mais de 160 países (...) impõe uma grande modificação em nossa estrutura administrativa”. Não deixe de ler essa matéria (página 16). ■ Este ano, a convenção internacional do Rotary terá lugar, como anunciado, em dois países: Suécia, na cidade de Malmö; e na Dinamarca, em sua capital, Copenhague. Para chegar às duas cidades, há uma ponte e um túnel. O companheiro Eliseu Visconti Neto dá interessantes detalhes dessas construções (página 27). ■ Ainda sobre Malmö, conheça a história dessa cidade, cuja fundação ocorreu em 1437, no relato da embaixadora da Suécia no Brasil, Margareta Winberg, que entre vários cargos no governo de seu país já foi vice-primeira ministra, e há mais de 25 anos ocupa uma cadeira no Parlamento Sueco. A matéria foi adaptada de uma palestra que ela proferiu no RC de São Paulo (página 25). ■ De nossa parte, cometemos uma entrevista com o EGD Eduardo de Barros Pimentel, presidente da Comissão Interpaíses Brasil/Portugal (página 22) e a promoção do próximo Instituto Rotário, em Atibaia (página 32). Dê nota 10 a esta edição. “Ganhamos a vida com o que obtemos; construímos a vida com o que damos” – ARTHUR ASHE. L.O. BRASIL ROTÁRIO

3


As lições que o Rotary tem para ensinar Alguns companheiros ainda não puderam refletir sobre a relevância de sua associação ao Rotary através da vivência integral da filosofia rotária e da prática de seus objetivos. Isso nos leva a criar uma impressão superficial a respeito de nossa organização, quase sempre depreciativa para justificativa própria – o que resulta em não contribuirmos para o objetivo do clube e no alheamento às nossas atividades. José Moutinho Duarte*

A

primeira sensação positiva que sentimos ao entrar no Rotary é a da igualdade que o verdadeiro companheirismo proporciona aos rotarianos. Uma igualdade franca, livre e espontânea que nivela todos os companheiros, independente de sua idade, da sua condição cultural ou econômica. Um jovem que inicia sua vida profissional vai conviver com homens de mais idade (experimentados empresários, médicos, engenheiros, magistrados e professores universitários) em absoluta igualdade de tratamento, o que serve para fortalecer e temperar nosso caráter. No Rotary, todos se referem aos outros companheiros como você, o que elimina as possíveis barreiras naturais. Ao mesmo tempo, homens habituados a dar a incontestável última palavra em suas empresas ou cargos vêm conviver numa sociedade igualitária, onde a opinião de todos tem o mesmo peso, sujeitando-se sempre à opinião da maioria. Isso representa um incomensurável benefício para todos nós, devolvendonos ou fazendo-nos recordar de um gran-

“No Rotary, homens habituados a dar a última palavra em suas empresas aprendem a conviver numa sociedade igualitária, onde a opinião de todos tem o mesmo peso” 4

MAIO DE 2006

de sentimento humano: a humildade. Outra faceta dos benefícios que o Rotary proporciona aos rotarianos é o intercâmbio de idéias que fazemos com nossos companheiros. Franca e lealmente, como verdadeiros irmãos, estamos prontos a compartilhar uma experiência e a solução de uma dificuldade. Quase sempre, o empresário vive enclausurado nos limites de seus negócios, desconfiado, por força das circunstâncias, e sempre prevenido contra tudo e contra todos. Ao sair semanalmente para o Rotary, ele vai conviver com outros empresários, com idéias diferentes,

falando-lhes em tom de igualdade e enfocando, às vezes, um aspecto que lhe tinha escapado, uma solução simples já experimentada para um problema que vinha lhe tirando o sono e a tranqüilidade há dias. Revolução pessoal Quantos companheiros introvertidos, fechados e até receosos de se abrirem numa conversa modificam-se totalmente pela confiança já adquirida em seus companheiros rotarianos, abrindo seu coração, desinibindo-se para falar abertamente em público ou tornando-se até ótimos oradores capazes de transmitir e multiplicar seus conhecimentos com os demais? O relacionamento com o mundo rotário fora do clube também é um aspecto muito importante dos benefícios proporcionados pelo Rotary aos rotarianos. Como princípio básico do ser humano, estamos sempre prevenidos contra alguém estranho, querendo provar sua confiabilidade antes de lhe abrirmos nossas portas. Como rotarianos portadores de um distintivo Rodrigo em nossas lapelas, não seremos desconhecidos ou tratados com desconfiança nas 33 mil localidades espalhadas pelos 168 países onde o Rotary está presente. Em qualquer lugar, qualquer um dos 1,2 milhão de rotarianos nos receberá de braços abertos, abrindo suas portas leal e confiantemente, porque ele sabe que um rotariano de qualquer parte do mundo é igual a ele: um cidadão sobre quem foi feito um cuidadoso exame no momento de seu ingresso na organização, e que por isso merece a mesma confiança que seus companheiros de clube, aqueles que ele conhece profundamente. Devemos tudo isso à unidade do Rotary e à padronização do funcionamento de todos os clubes, que acabam se transformando num grande clube mundial. Temos assim a responsabilidade de nos esforçarmos para que o nosso RC também se insira nessa grande força unificadora – para que assim nos sintamos em casa quando viajarmos e para que os outros companheiros também se sintam em casa quando visitarem nosso clube. * O autor é EGD e sócio do RC do Rio de Janeiro-Ramos, RJ(D.4570). Texto extraído do boletim semanal do RC do Rio de Janeiro (ano 83 – nº 27).


Mensagem do Presidente

Caros companheiros rotarianos ooperação é a chave para o futuro do Rotary, pois são vastas as nossas áreas de atuação, sejam elas a educação ou os recursos hídricos, a fome ou a saúde. O Rotary já provou a importância de trabalhar em cooperação com outras instituições, através do programa Polio Plus. Por mais de 20 anos atuamos em estreita colaboração com as Nações Unidas, através da OMS – Organização Mundial da Saúde – e o Unicef, com o objetivo de erradicar a poliomielite em todo o mundo. Demos o exemplo de como uma entidade de serviços é capaz de cooperar com outras organizações, governos, comunidades, bancos e fundações que tenham um objetivo comum. O Rotary oferece duas grandes vantagens: a nossa rede de mais de 1,2 milhão de rotarianos e a nossa marca, o emblema da roda denteada. Isto faz de nós uma entidade respeitada, capaz de atrair outras entidades para um trabalho conjunto. Entretanto, temos que ser cuidadosos na escolha dos parceiros. No mundo dos negócios, grandes corporações fazem aquisições de grandes companhias não com o intuito de possuir outra fábrica ou pelo simples fato de querer agregar mais 10.000 empregados a sua folha de pagamento, mas, sim, por ser esta a forma mais econômica e prática de se obter uma marca famosa. O Rotary é detentor de uma marca poderosa – a roda denteada – e cabe a nós protegê-la. Nossa marca jamais estará à venda. A palavra cooperação assusta alguns líderes rotários. Eles acham que, ao nos juntarmos a outros, arriscamo-nos a perder nossa própria identidade. Mas isso não aconteceu no caso da erradicação da pólio, por exemplo, quando trabalhamos com as Nações Unidas, muito pelo contrário: nós fortalecemos a nossa identidade. Não há dúvida de que seríamos incapazes de conduzir este tremendo esforço sem contar com uma parceria. Por outro lado, nem mesmo as Nações Unidas poderiam levar esse programa a cabo sem contar com o nosso apoio. Este é um exemplo clássico de cooperação. Mas a cooperação não é importante somente no âmbito global. Em minhas viagens pelo mundo, testemunhei muitos casos em que clubes e distritos rotários se uniram a diversas entidades locais, e posso garantir que não assisti, em nenhum caso, a uma perda de identidade por parte do Rotary, que sempre lucrou com esse tipo de ação. Convoco os rotarianos, clubes e distritos a prosseguirem na busca de parceiros, ao conduzir novos projetos, de qualquer porte. Só existem vantagens no emparceiramento, desde que saibamos preservar a nossa grande rede internacional e a nossa marca, sem aliená-la. O Rotary é uma organização maravilhosa, e nós prosseguimos com firmeza neste primeiro ano do segundo século de sua existência. Continue a Dar de Si Antes de Pensar em Si, mostrando ao mundo a grande liderança do Rotary International.

C

NA REDE Para ler os discursos e notícias do presidente de RI Carl-Wilhelm Stenhammar, visite sua página no endereço www.rotary.org/president

CARL-WILHELM STENHAMMAR Presidente 2005-06 do RI BRASIL ROTÁRIO

5


A Fundação Rotária na visão de Giay Sérgio Afonso

Tiffany Woods*

Responsável por conceder subsídios a projetos humanitários e educacionais, a Fundação Rotária precisa ser proativa, flexível, visionária e confiável, afirma o presidente entrante do Conselho de Curadores da instituição, EPRI Luis Vicente Giay.

E

PARA O presidente entrante, a Fundação Rotária deveria desempenhar um papel mais ativo na preservação da paz

6

MAIO DE 2006

le citou essas propriedades em seu discurso sobre o futuro da FR – Fundação Rotária – na Assembléia Internacional do Rotary, evento destinado ao treinamento dos governadores-eleitos, que neste ano ocorreu entre os dias 16 e 23 de fevereiro em San Diego, Califónia, EUA. No que diz respeito às perspectivas de curto prazo, o EPRI Giay declarou os objetivos para o ano de 2006-07: G ênfase na erradicação da pólio; G através de parcerias com instituições, acrescentar ao perfil da FR a característica de promotora e defensora da paz e da resolução de conflitos; G incentivar os rotarianos a doarem todos os anos para o Fundo Anual de Programas o correspondente em reais a US$ 100, e estabelecer um recorde de doadores extraordinários para o Fundo Permanente ou de Legados; G trabalhar em cooperação com o Rotary International para a melhoria da imagem pública do Rotary;


aperfeiçoar o treinamento dos rotarianos, visando aumentar o nível de conscientização sobre a missão da Fundação Rotária; G modernizar a administração dos programas humanitários e educacionais da FR; G e traçar um plano para o futuro. G

Visão do Futuro Para implementar este último item, os curadores resolveram criar um Comitê para a Visão do Futuro, que consultou especialistas e mais de 20 mil rotarianos. O comitê está trabalhando num plano de curto, médio e longo prazos, que terá início em 1º de julho de 2006 e deverá estar plenamente em operação no dia 30 de junho de 2007, segundo Giay. Ele acrescentou ainda o que o comitê preconiza para a Fundação Rotária: G adotar atitudes proativas em vez de se limitar a reagir aos problemas somente quando eles surgem; G servir aos rotarianos sem impingirlhes ainda mais “papel, trabalheira e burocracia”; G envolver mais os rotarianos na administração de projetos em nível distrital; G instrumentalizar o Fundo Permanente para investir anualmente mais de US$ 400 milhões em programas a partir de 2015 – um valor quase equivalente ao do programa Polio Plus; G exercer cuidadosa administração dos fundos; G tornar a doação caritativa a preferida da maioria dos rotarianos; G empreender novos projetos corporativos e garantir parceiros financeiros para realizá-los. Além de descrever os objetivos do comitê, Luis Giay forneceu a sua visão pessoal da entidade a longo prazo. Ele disse que a FR deveria: G consolidar seus programas em quatro áreas principais: saúde, educação, meio ambiente e paz mundial; G não criar novos programas, mas concentrar-se no financiamento e no apoio a atividades rotárias de serviços; G desempenhar um papel mais ativo na preservação da paz; G criar megaprogramas dos quais todos possam participar, e que resultem em milhões de beneficiados;

G cancelar gradualmente as contribuições não especificadas, e fazer com que o Fundo Permanente financie todos os programas da Fundação; G fazer do programa Subsídios Humanitários a grande estrela da Fundação Rotária. Giay acrescentou que, em 2010, esse programa deverá representar cerca de 90% do orçamento total. Os outros 10% serão dedicados a programas educacionais. O programa de Subsídios Humanitários inclui os Subsídios Equivalentes, Subsídios 3-H e o GIAY PARTICIPA de campanha de vacinação programa corporativo – na Índia, em 2002 atualmente, o Polio Plus. Juntos, esses programas somam Rotária. Ele assinalou que são os 75% do orçamento. De acordo rotarianos, e não os curadores, que com aquela idéia, o montante de decidem em que tipo de projetos se recursos alocados em programas deve investir. “Vou lhes contar um educacionais não vai encolher – ao segredo”, disse. “Há recursos suficicontrário, o montante destinado a entes no Rotary para custear todos programas humanitários é que irá os programas que possamos imaginar. O único problema é que esses crescer; recursos ainda estão nos bolsos dos rotarianos”. “Há recursos Jagger observou que daqui a suficientes no uma ou duas décadas, uma granRotary para custear de transferência de riqueza acontecerá no mundo desenvolvido, à todos os programas medida que a geração mais velha for perecendo. Ele incentivou os que possamos rotarianos a deixar um legado ao imaginar. O único Fundo Permanente, que nunca se esgota, pois só o resultado das apliproblema é que cações financeiras é aplicado no esses recursos custeio dos programas da FR. “Minha geração deixará muitos atiainda estão nos vos, mas não há bolsos ou bancos no bolsos dos Paraíso”, ele disse. “Na minha cultura, rotarianos” deixar uma herança com fins caritatiALLAN JAGGER vos é uma boa maneira de se evitar taxações, além de ser uma ótima forma de gastar a herança das crianças”. G aumentar os fundos da Fundação Depois dos pronunciamentos de Rotária em pelo menos 10% ao ano. “Em 2007, precisaremos de US$ 150 Giay e Jagger, o rotariano Bill Patchett milhões, e em 2010, de US$ 200 deu a opinião dele. O governadormilhões – e estas são as cifras anu- eleito do distrito 7070 concordou com o fato de que os rotarianos deais”, acrescentou Giay. veriam tirar seus talões de cheque Em seguida ao pronunciamento dos bolsos. “Estamos aposentados, do EPRI Luis Vicente Giay, assumiu ou quase aposentados, e tivemos a tribuna o training leader Allan uma vida boa. Vamos então ajudar Jagger, atual coordenador do comi- os menos favorecidos”, ele afirmou. tê destinado às relações entre a Fun- “Não existe nenhum rotariano que dação Rotária e os Centros Rotary não possa fazer algo”. de Estudos Internacionais da Paz e Resolução de Conflitos. Jagger afir- *A autora é editora-sênior da The mou que 70% dos rotarianos não Rotarian. contribuem para a Fundação Tradução de Eliseu Visconti Neto.

BRASIL ROTÁRIO

7


Quantos Somos  NO MUNDO Rotarianos: 1.209.307; Clubes: 32.415; Distritos: 530; Países: 168. Rotaractianos: 185.150; Clubes: 8.050; Países: 158. Interactianos: 244.260; Clubes: 10.620; Países: 118. Núcleos Rotary Desenvolvimento Comunitário: 6.061; Voluntários: 139.403; Países: 71. Número de Rotarianas: 165.132.

8

MAIO DE 2006

 NO BRASIL Rotarianos: 50.414; Clubes: 2.300 Distritos: 38. Rotaractianos: 16.905; Clubes: 735. Interactianos: 15.870; Clubes: 690. Núcleos Rotary de Desenvolvimento Comunitário: 253; Voluntários: 5.819; Número de Rotarianas: 7.759. Fontes: Escritório do Rotary International no Brasil.


Rotarianos que são notícia ○

Clóvis Ferreira (Digna Imagem)

O COMPANHEIRO Antonio Marangon, sócio do Rotary Club de São Paulo-Penha, SP(D.4430), assumiu a presidência da Junta Comercial do Estado.

COMPANHEIRO DO Rotary Club de Mogi Guaçu, SP(D.4590), José Tadeu da Silva é o atual presidente do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Estado de São Paulo.

SONIA SUELI de Souza Zerbetto, presidente eleita 2006-07 do Rotary Club de São João da Boa Vista-Sul, SP(D.4590), foi homenageada pela Câmara Municipal local com o título de Cidadã Sanjoanense.

PRIMO GUIDONI, do Rotary Club de Sertãozinho, SP(D.4540), entrega o Troféu Transitório a um dos participantes do campeonato de futsal que leva seu nome. A competição reúne escolinhas da cidade e foi realizada pelo quinto ano pelo Centro de Lazer e Esportes Sesi local.

O COMPANHEIRO Deolindo Antonio Novo (à esquerda), do Rotary Club de Cianorte, PR(D.4630), é o atual presidente da Câmara Municipal local. Na foto, ele está ao lado do presidente do Senado Federal, Renan Calheiros, e do prefeito do município, Edno Guimarães.

CARLOS ALBERTO Fabro, Cláudio Zanotto, o governador assistente Olair Klemtz e José Domingos de Andrade, companheiros do Rotary Club de Itapema, SC(D.4651), tomaram posse na Associação Comercial e Industrial da cidade. Eles assumiram, respectivamente, os cargos de diretor de promoções e eventos, vice-presidente, diretor de turismo e diretor de assuntos jurídicos.

BRASIL ROTÁRIO

9


4º Seminário de Responsabilidade Social Prêmio Mário Henrique Simonsen

Palestrante:

Denise Aguiar – Diretora da Fundação Bradesco Debatedores: Haroldo Mattos de Lemos – Presidente do Instituto Brasil Pnuma Humberto Mota – Presidente do Conselho Superior da Associação Comercial do Rio de Janeiro Eduardo de Barros Pimentel – Presidente da Fundação de Rotarianos de São Paulo Dia 10 de julho no auditório da ACRJ Rua da Candelária, 9 - das 9:30 hs. às 13:00 hs. (ENTRADA FRANCA)

Promoção da Brasil Rotário, realizada em parceria com a Funager – Fundação Nacional de Apoio Gerencial e a ACRJ – Associação Comercial do Rio de Janeiro, para tornar público o reconhecimento às empresas e instituições – privadas e de governo – que vão além do pagamento dos impostos e estão comprometidas com as relações éticas, transparentes e solidárias junto aos seus funcionários, clientes, fornecedores e o meio ambiente.

Programa 9:30 – 9:40 9:40 – 10:00 10:00 – 10:30 10:30 – 10:45 10:45 – 11:00 11:00 – 11:15 11:15 – 11:30 11:30 – 12:00 12:00 – 13:00

Formação da Mesa Diretora Abertura dos trabalhos Palestrante: Denise Aguiar Debatedor: Humberto Mota Debatedor: Haroldo Mattos de Lemos Debatedor: Eduardo de Barros Pimentel Coffee-break Debates Entrega dos troféus Prêmio Mário Henrique Simonsen

Para mais informações:

Rua Buenos Aires, 2 s. 1203, Rio de Janeiro, RJ Cep 20070-022 E-mail: florentino@infolink.com.br Tels.: (21) 2263-7739 e 2263-7694 - Fax.: (21) 2263-7849

E-mail: marketing@brasil-rotario.com.br Tel.: (21) 2509-8142 Fax: (21) 2509-8130


Coluna do Diretor do

CARLOS ENRIQUE SPERONI

Rotary International

Imaginando o futuro

A

cada dia, aumenta a nossa surpresa ao descobrirmos como se modificam os fatos e as circunstâncias que até então acreditávamos ser estáveis. A capacidade do nosso assombro não tem limites e, graças aos exercícios diários a que somos submetidos, encontra-se preparada para absorver a torrente dos avanços científicos e tecnológicos gerados pela inteligência do homem cada vez com mais freqüência – e, também, com maior transcendência no nosso dia-a-dia. O desenvolvimento globalizador, potencializado pelo avanço da tecnologia das comunicações, gera um processo mutante que joga por terra muitos dos costumes mais tradicionais, aqueles que – mantidos quase imutáveis durante muitos anos – devem dar lugar a mudanças mais avançadas e tão velozes que mais parecem um longametragem do que uma seqüência fotográfica. Esse processo tem como característica o movimento, a passagem de uma situação para outra, os avanços ou retrocessos. Em suma, é a conversão daquilo que foi até hoje no que será amanhã – e que também deixará de sê-lo em pouco tempo, superado pela ciência, pela técnica, pela habilidade ou por decisões oportunas, inteligentes ou desafortunadas. Como disse anteriormente, são cenas de um filme cujo argumento nos leva ao entusiasmo, a pensarmos que existem coisas que nos colocam no mundo da modernidade e que, por ali estarmos, são superadas por elas mesmas, deixando-nos o conceito de que ser moderno e estar no processo de mudança permanente é o melhor. Felizmente, também existem princípios que não representam nada mais que darmos uma olhada retrospectiva e entrarmos no túnel do nosso tempo, e retornar assim às nossas fontes, valorizando os nossos ancestrais para reencontrarmos a figura do homem que respeitava o homem. Estamos falando daquele homem que ordena sua vida baseado no que ele quer ser, e não no que ele quer ter.

O desafio de preservar valores “N��o é possível prever o futuro, mas é possível preparar-se para ele”, aconselhava o austríaco Peter Drucker, considerado o inventor da administração como área de estudo. Isso nos leva a pensar se, como rotarianos, não estamos enfrentando um desafio que não podemos e nem devemos evitar. Essa é nossa responsabilidade como sócios de clubes que integram uma das maiores organizações de serviços do mundo. Nosso Primeiro Século de Serviços já faz parte do nosso acervo histórico. Celebrado com muitos atos, homenagens e lembranças, ficamos muito felizes por tê-lo percorrido e pelos sucessos conquistados, responsáveis por transformar o Rotary numa organização mundial de primeiro nível no que se refere à solidariedade social. Ao cabo desse tempo, também podemos dizer seguramente que o sonho de Paul Harris transformouse em realidade por meio do trabalho de milhares de clubes. CobrinNINJA do o planeta, esses RCs prestam sua ajuda de forma silenciosa em todos os locais onde desenvolvem sua missão de prestação de serviços, sempre contando com a contribuição generosa e protetora da Fundação Rotária, que lhes permite participar do projeto para um mundo menos conflituoso e caótico. A celebração do Centenário não teria ocorrido se não contivesse, de forma implícita, nosso compromisso de sermos observadores fiéis dos postulados que regem o Rotary, uma organização que nos acolhe e espera, de cada um de nós, lealdade com as responsabilidades assumidas ao aceitarmos o convite para sermos rotarianos. Que teremos, então, daqui por diante? O enorme desafio de compatibilizar os avanços tecnológicos menos imagináveis – mas que serão uma realidade no futuro imediato – com as melhores tradições e os mais puros ideais que o Rotary nos permitiu cultivar até agora. Será, pois, nossa tarefa – como daqueles que nos sucederão – preservá-los para os próximos anos.

BRASIL ROTÁRIO

11


A bola, a paz e a Copa Em junho, o mundo pára mais uma vez por causa do futebol – um esporte que acendeu paixões, derrubou fronteiras e uniu os povos

QUANDO ESSA bola rolar, explodirão as paixões

Roberto Petis Fernandes*

A

magia da bola, que encanta platéias de todo o planeta com a arte das jogadas de talentosos atletas das mais variadas categorias esportivas, é a mesma que tem contribuído para aproximar os povos e promover a paz, estimulando a solidariedade universal nos padrões das práticas e das recomendações consagradas no ambiente do Rotary International. A bola tem o carisma dos ícones. Poucos sabem explicar exatamente o porquê, mas a maioria das pessoas se encanta diante dela, reverenciando essa singela e despretensiosa figura que, submissa à vontade de 12

MAIO DE 2006

seus senhores, é chutada, socada, batida e atirada, sem piedade, contra paredes, tabelas e caçapas. Apesar de às vezes passar despercebida, a bola é uma parceira indispensável no universo das competições esportivas, uma exuberante personagem no momento das vibrantes comemorações nos estádios e nos ginásios. Carente de uma literatura própria que faça justiça à sua importância, a bola transita pelo futebol, pelo vôlei, pelo basquete, pelo tênis, pelo golfe, pelo pólo, pelo beisebol, pelo críquete, pelo rúgbi, pelo gude e pela grande maioria das práticas esportivas. Desde 1894, quando o barão Pierre de Coubertin (1863-1937),

educador e filantropo francês, conseguiu, durante um congresso na Universidade de Sorbonne, em Paris, lançar as bases dos jogos Olímpicos da Era Moderna, foram resgatadas, em novas e não-beligerantes concepções, as competições que tiveram origem na Grécia, no ano de 776 a.C. A primeira Olimpíada do nosso tempo aconteceu em 1896 na cidade grega de Atenas. A partir de então, essas competições passaram a ocorrer de quatro em quatro anos, sob o comando do COI – Comitê Olímpico Internacional, à exceção dos anos de 1916, 1940 e 1946, períodos em que o mundo atravessava as duas Grandes Guerras. Pierre de Coubertin deixou uma recomendação que merece ser seguida e levada a outras arenas: “O essencial não é vencer, mas competir com lealdade, cavalheirismo e valor”. É com este espírito que certamente ocorrerá a 15a edição dos Jogos Pan-Americanos, a serem abertos em 13 de junho de 2007, na cidade do Rio de Janeiro.

No futebol Da bola de gude, conhecida desde a Idade da Pedra (e que foi assunto da matéria “Bola is Gude”, de John C. Schepley, publicada na BR de novembro de 1995 juntamente com meu artigo “Marraio, firidô sô rei”) até a Inglaterra, país que é considerado o berço do futebol, a criação da Fifa – Fédération Internationale de Football Association – é o grande marco da construção e do disciplinamento deste esporte. Fundada em 1904, a Fifa foi o passo inicial para a realização da pri-


Eduardo Viana/Lancepress

O NOME do momento: Ronaldinho Gaúcho, considerado o melhor jogador do mundo

meira Copa do Mundo, inspirada por Jules Rimet e realizada em 1930, no Uruguai, país que ergueu a taça de campeão. A partir de então, a Copa do Mundo vem sendo realizada a cada quatro anos, excetuando-se o período da Segunda Guerra Mundial – o torneio não foi realizado entre 1939 e 1949. A trajetória do brasileiro João Havelange, que durante 24 anos conduziu a Fifa num clima de harmonia e visão internacional, tornou-se um padrão de administração firme, segura, plural e voltada para a compreensão universal. Em entrevista concedida a mim, João Havelange afirmou: “A Fifa tem objetivos análogos aos do Rotary. Almeja a paz mundial e a compreensão entre os povos” (“João Havelange: um rotariano sem distintivo”, Brasil Rotário, maio de 2002).

Campos da fantasia Não tive o privilégio das peladas disputadas com bola de meia na calçada de minha rua na Tijuca, no Rio. Como gostaria de ter tido esse brinquedo mágico nos meus recreios e gazetas. Essa bola de meia rola até hoje pelos campos da minha fantasia. Explica-se: muito cedo, aos 12

“A criação da Fifa é o grande marco da construção e do disciplinamento do futebol”

A LOGOMARCA oficial da Copa de 2006

anos, ingressei no Colégio Militar do Rio de Janeiro, onde meus instrutores militares, oriundos da Escola de Educação Física do Exército, despertaram meu gosto pelo futebol e ensinaram-me a jogar. Eles nos lembravam que, 500 anos a.C., o exército chinês adotava o futebol como parte do treinamento militar. Eles também recordavam a famosa frase do barão de Coubertin, mas ao mesmo tempo nos concitavam a não perder para o Colégio Pedro II, nosso grande rival – e que, segundo alguns historiadores, foi um dos precursores do esporte bretão em nossas terras, ainda no século 18. Diziam-nos também que o futebol era um dos passatempos preferidos do Paraíso. Hoje, é lá que estão grandes craques como Marcos Carneiro de Mendonça, goal keeper do Fluminense e do scratch brasileiro – e que foi sócio do RC do Rio de Janeiro, RJ (D. 4570) entre 1934 e 1953; como Preguinho, este sim o mais completo atleta de todos os tempos, jogador das seleções brasileiras de futebol e de basquete – foi campeão sul-americano nas duas categorias – além de ter sido recordista em atletismo e natação pelo Fluminense; como Leônidas da Silva, o Diamante Negro do Flamengo, BRASIL ROTÁRIO

13


PREGUINHO, ATLETA completo: destacou-se no futebol, basquete, atletismo e natação

artilheiro da Copa do Mundo de 1938, a terceira da História, que deslumbrou as platéias da Europa com a bicicleta, jogada inventada por ele; ou ainda como Domingos da Guia, o Divino; Waldemar de Brito; Friedenreich; Zizinho; do fenomenal Garrincha e tantos outros.

O big bang A origem do soccer data de milênios e é bastante controvertida. Segundo o artigo “O destino de uma bola”, do jornalista Armando Nogueira, uma das maiores autoridades brasileiras no assunto – publicado em maio de 1995 na Brasil Rotário – a primeira pelada do mundo foi jogada com a cabeça de um general dinamarquês que caiu derrotado pelos ingleses. Assim contou Armando Nogueira: “A revelação é do jornal Daily News, do ano de 1846. O cenário

“Existem evidências de que o futebol já era praticado em alguns colégios brasileiros no final do século 19” 14

MAIO DE 2006

da sinistra pelada teria sido a cidade de Kingston, numa tarde em que a fortaleza inglesa foi subitamente atacada por uma excursão predatória de vikings. Kingston, encurralada, mandou pedir socorro a Londres. Os aventureiros acabaram levando a pior. Quem não conseguiu escapar foi massacrado. O chefe da expedição, um jovem general, acabou agarrado a unha pela multidão e decapitado em praça pública. No que rolou a cabeça do guerreiro viking, alguém teve a atroz idéia de chutá-la. Foi o kick-off... Num minuto, a cidade em peso saía pelas ruas, dando bicos triunfais na bola macabra”. Pesquisas mostram que o futebol existe desde antes mesmo do nascimento de Jesus Cristo. Sabemos, por exemplo, que já se jogava bola na China há 2.500 anos. O esporte era conhecido como tsu-chu, que em chinês quer dizer “chutar com o pé uma bola feita de couro”. Em seu artigo, Armando Nogueira explica: “Felizmente, quando chegou ao Brasil, o monstro já estava domesticado. O futebol guardaria, ainda, a fama de esporte violento, sim, mas, àquela altura, já amparado em regras severas de proteção ao espírito esportivo. Veio até nós pelas mãos (pelos pés...) de marujos ingleses que, nos portos brasileiros, improvisavam jogos de passatempo [como o rúgbi, o pai do nosso Football Association, segundo alguns historiadores] que eram, também, acenos ao espírito lúdico do brasileiro. Daí a se tornar uma instituição nacional foi um passo. Um passo... de mágica.”

Paternidade controversa Muito se discute, principalmente na historiografia atual, sobre o surgimento do futebol no Brasil. A tese oficial é aquela que coloca um filho de ingleses chamado Charles Miller como patriarca do futebol brasileiro. Em 1894, Miller teria trazido da Inglaterra, onde passara 10 anos estudando, uma bola de futebol, chuteiras, uma bomba e algumas camisas, e ensinou os sócios do São Paulo Athletic Club a praticar aquele jogo tão difundido na Bretanha. O avô de todos talvez tenha sido o Payssandu, originalmente um clube de ingleses, que merece ser creditado como o pioneiro do esporte no Rio. Outras fontes dizem, como mencionamos acima, que o futebol chegou ao Brasil em 1872, no Rio de Janeiro, por intermédio de marinheiros ingleses. Outros di-

“Ao mesmo tempo em que a elite brasileira começava a jogar futebol, o esporte se desenvolvia igualmente entre a classe operária” zem que os responsáveis foram os trabalhadores ingleses das fábricas de São Paulo. Recentes estudos mostram que no final do século 19 o futebol já era praticado em diversos colégios brasileiros. Em 1880, por exemplo, ele já divertia os alunos do Colégio São Luiz, da cidade paulista de Itu; em 1886, ele era jogado no Colégio Anchieta, no Rio de Janeiro. E também no Rio, em 1892, os alunos do Colégio Pedro II já praticavam o hoje famoso esporte bretão. A verdade é que a data real do aparecimento do futebol em nosso país não interessa. O que importa é o caminho que esse esporte seguiu em seus primeiros anos no Brasil. Segundo Nicolau Sevcenko, o futebol se difundiu por dois caminhos: “Um deles foi o dos trabalhadores das estradas de ferro, que deram origem às várzeas; o outro foi através dos clubes ingleses que introduziram o esporte dentre os grupos de elite”, com destaque para o Fluminense e o CARTAZ OFICIAL da Copa de 62, no Chile, onde o Brasil ganhou o bicampeonato


Agência O Globo

Paulistano, time que se recusou a profissionalizar seu futebol e desmontou a equipe – mesmo contando com craques como Friedenreich...

Nasce uma paixão nacional Apesar de distintos, esses dois caminhos apresentados por Sevcenko também se cruzaram. Charles Miller apresentou o futebol à elite paulista, mas sua aceitação foi igualmente rápida entre os clubes de outras comunidades. Assim, ao mesmo tempo em que a elite começava a jogar futebol, o esporte se desenvolvia também entre a classe operária do Rio de Janeiro e de São Paulo, o que fez com que ele se expandisse rapidamente pelo Brasil. Os diversos times formados pelos operários das fábricas iam surgindo na várzea paulista, assim como os clubes iam adotando o esporte em seus quadros. Em junho, mais uma vez, a bola estará no centro das atenções internacionais, quando caminhamos para um novo desafio, desta vez envolvendo 32 seleções, que disputarão 64 partidas na Copa da Alemanha. A torcida brasileira alimenta a esperança de ver a sexta estrela sendo colocada ao lado das outras cinco que já encimam o brasão da CBF no uniforme de nossos craques. É bom constatar que, novamente, o esporte – em consonância com o pensamento do barão de Coubertin – estará a serviço da paz e da união entre os povos, conforme o receituário do Rotary.

VIBRAÇÃO PELA conquista da Copa das Confederações

* O autor é engenheiro, formado pela antiga Escola Politécnica, tem o Curso de Altos Estudos de Política e Estratégia da Escola Superior de Guerra, foi presidente do RC do Rio de Janeiro, RJ (D. 4570) em 1985-86, orador em todos os Institutos Rotários, em várias Convenções Internacionais e Conferências Distritais, e colaborador em algumas Revistas Regionais Oficiais do RI e da The Rotarian. É atualmente presidente da Cooperativa Editora Brasil Rotário e editor-chefe de sua revista.

Eduardo Viana/Lancepress

RONALDO, O Fenômeno, artilheiro da Copa passada

BRASIL ROTÁRIO

15


Desenvolvimento torna distritos e Planos de liderança são uma poderosa

A. SANTOS

ferramenta para se atingir esse objetivo Luiz Coelho de Oliveira*

N

o primeiro ano deste novo século de serviços, já se descortina uma nova estratégia para o desenvolvimento sustentável de nossa organização, envolvendo os 32 mil clubes de 530 distritos das 34 zonas rotárias do mundo. Estou certo de que nos próximos cinco anos deveremos ter grandes variáveis a serem consideradas, com clubes e distritos eficazes buscando um rotarismo mais forte, influenciado pela globalização e pela informatização, pela concorrência salutar de outras ONGs, a participação comunitária das igrejas e mesmo das empresas, que passam a ter também o seu balancete social. A diversidade do Rotary em mais de 160 países com línguas, religiões e costumes diferentes – que fazem a magia de nossa internacionalidade – impõe realmente uma grande modificação em nossa estrutura administrativa para enriquecer, valorizar e autenticar os valores, a missão e a visão de nossa instituição. Já vimos sentindo tais formações através do nosso Planejamento Estratégico, instituído pelo RI em sete metas:

para essa certificação a curto prazo; 2 – Dar mais enfoque ao programa geral do RI, com projetos de prestação de serviços com vários anos de duração, eliminando assim a troca anual de propriedade; 3 – Escolher o nosso próximo programa corporativo de grande âmbito, desenvolvendo procedimentos para identificá-lo, bem como as parcerias a serem envolvidas; 4 – Refinar a estrutura administrativa de liderança, definindo as responsabilidades dos nossos dirigentes que levem à utilização mais eficaz dos recursos administrativos aos nossos clubes; 5 – Melhorar a capacitação em todos os níveis, desenvolvendo programas de treinamento em função dos conhecimentos exigidos; 6 – Expandir e integrar o quadro social mundialmente, reconhecendo a diversidade cultural da organização; 7 – Aprimorar a imagem pública do Rotary, incrementando a abordagem dos trabalhos no setor de relações públicas.

1 – Erradicar a poliomielite, encontrando os recursos necessários

A vitoriosa implantação do Plano de Liderança Distrital e o recém- lan-

16

MAIO DE 2006

çado Plano de Liderança de Clube também são exemplos das mudanças de comportamento exigidas para organizações internacionais.

Ênfases Analisem as ênfases dos últimos presidentes do Rotary International. Alfabetização, saúde e pobreza, recursos hídricos e imagem pública praticamente são mantidos como nossas prioridades. Sintam a proposta atual para o desenvolvimento do quadro social, realista e com grande impacto psicológico, solicitando o aumento líquido de um sócio por clube, sem fórmulas mágicas e sem metas fantasiosas, mas visando um crescimento sustentável a curto e médio prazos. Vejam a nomeação da primeira mulher para o Conselho de Curadores da Fundação Rotária, Carolyn Jones, do Alasca, que nem mesmo é ex-diretora do RI. Revejam também o número crescente de mulheres que integram as comissões internacionais, algumas delas como training


to sustentável e clubes eficazes leaders em Assembléias Internacionais. Percebam que estamos apenas respondendo aos anseios de uma nova realidade, para em breve termos uma diretora do RI e, quem sabe, uma presidente. Será que estamos também dando o devido valor às Novas Gerações? Apesar de, nos últimos anos, estarmos mantendo o nosso quadro social no mesmo patamar de 1,2 milhão de rotarianos, é claro que também crescemos em muitas regiões, como em parte da Europa e da Ásia. Por outro lado, buscamos a expansão lenta e gradual no Leste europeu e a implantação do rotarismo na China, e agora também em Cuba. O Brasil, sofrendo tremendas dificuldades econômicas e um elevado índice de pobreza e de analfabetismo num país-continente com tantas desigualdades sociais, mesmo assim continua mantendo sua honrosa posição de quarta nação rotária do mundo – em número de clubes e de rotarianos – sendo ainda hoje o segundo maior país em desenvolvimento no ranking de contribuições à Fundação Rotária (o primeiro lugar é ocupado pela Índia).

Fusões O último Conselho de Legislação aprovou uma emenda no sentido de que distritos com menos de 30 clubes ou menos de 1.000 rotarianos possam sofrer um processo de fusão – sempre respeitadas as características regionais de língua, costumes e diferenças geográficas. Para tanto, foram dadas todas as oportunidades para que os distritos nessa situação se manifestassem, através dos seus governadores 2004-05 e 2005-06, a respeito de suas preferências em se unir a outro distrito ou, através de um planejamento estratégico bem definido, atingir os patamares mínimos até 2008. Dos 38 distritos brasileiros, apenas três estão incluídos nessa lista. Todos os nossos esforços estão sendo dirigidos para atingir esses objetivos, mantendo assim nossa representatividade.

“Estamos apenas respondendo aos anseios de uma nova realidade para, em breve, termos uma diretora do RI e, quem sabe, uma presidente” Infelizmente o mesmo não acontece na grande maioria dos demais países latino-americanos, daí a necessidade de nos unirmos nesse esforço comum, visando a nossa integração regional. A América Latina é sempre vista como um todo, e assim também deve agir. A verdade é que os custos administrativos de um distrito com 500 ou 600 sócios se igualam aos de um distrito com 2.000 ou 3.000 rotarianos. No board, sempre defendi a proposta original da Comissão de Rezoneamento Rotário, que propunha a consolidação do Japão de três zonas e meia para duas e meia, e com os EUA, que ainda detêm quase um terço de associados do mundo, consolidando-se em 11 zonas – esses são exatamente os dois países que vêm sofrendo os maiores decréscimos em proporcionalidade. Tais medidas poderiam consolidar uma zona adicional para a Europa e meia zona para a Índia, regiões com maior crescimento percentual. Com isso, praticamente não haveria outras modificações na distribuição das zonas mundiais, e o número total permaneceria em 34, cada uma com aproximadamente 35 mil rotarianos, com uma variação permitida de 12%, em torno de 30.800 a 39.200, permanecendo a América Latina com suas três zonas e o Brasil mantendo sua posição atual de uma zona e meia (19A e 20). Convém lembrar as mudanças que tivemos no quadro social, por regiões, entre 1990 e 2004: crescimento da Ásia de 21% para 25%, e

da Europa e da África de 20% para 23%, com decréscimo da América do Norte de 39% para 35%, América Latina de 9% para 7%, Reino Unido e Irlanda de 6% para 5%, Austrália e Nova Zelândia de 5% para 4%. Quanto aos dados percentuais da Ásia, onde se registrou o maior crescimento regional, a Índia aumentou o seu quadro social de 25% para 29%, a Coréia de 13% para 16%, e o Japão decresceu de 43% para 36%, com pouca variação nos demais países. Creio, portanto, que esse é o momento oportuno para buscarmos distritos e clubes eficazes, com uma atuação vertiginosa em nossas quatro Avenidas de Serviços – Internos, à Comunidade, Profissionais e Internacionais. Os clubes, nossa célula rotária, periodicamente e em verdadeiras assembléias, devem planejar e avaliar detalhadamente tudo o que oferecem à sociedade, abrindo uma grande janela para manter seus associados e para atrair novos sócios. Outro aspecto também significativo: se o quadro social é baseado em nossas ocupações, é muito importante que, a cada dia, pratiquemos elevados padrões de ética em nossos negócios e profissões. Sem dúvida, nossos clubes serão eficazes quando realmente tiveram seu foco nos projetos para a comunidade, no desenvolvimento do seu quadro social, nas contribuições à Fundação Rotária e aos seus programas, e no estímulo à formação de novas lideranças.

PLC O Plano de Liderança de Clube surge como uma forte ferramenta BRASIL ROTÁRIO

17

¬


para a oferta dos nossos produtos e o aumento da nossa imagem pública, antiga reivindicação de todos os rotarianos quando, ao lado das tradicionais Avenidas de Serviços, criouse uma nova estrutura com cinco Comissões Permanentes, nos moldes das modernas empresas: Comissão do Quadro Social, correspondendo aos recursos humanos; Comissão da Fundação Rotária, assemelhando-se ao departamento de finanças; Comissão de Projetos, ligada à produção; Comissão de Administração correspondendo ao departamento administrativo; e a Comissão de Relações Públicas, assemelhando-se ao departamento de Marketing. O Rotary não é apenas uma reunião de clubes em todo o mundo, mas um verdadeiro movimento social, como o foram a queda da Bastilha, as revoluções na Rússia e na China, a queda do Muro de Berlim e a luta de Martin Luther King contra a discriminação. A participação decisiva dos delegados rotarianos ajudou na constituição da Organização das Nações Unidas. A própria Declaração Universal dos Direitos Humanos partiu

18

MAIO DE 2006

de uma resolução de rotarianos, que “clamavam por liberdade, justiça, verdade, compromisso com a palavra dada e respeito pelos direitos humanos”. Também a formação da Unesco foi inspirada por uma assembléia de rotarianos, reunidos numa convenção realizada em Londres. As relações de intercâmbio entre os rotarianos da Argentina e da Inglaterra após a Guerra das Malvinas e o cessar-fogo em El Salvador em 1997 para que os rotarianos pudessem continuar a vacinação de crianças contra a poliomielite são exemplos

“O Rotary não é apenas uma reunião de clubes em todo o mundo, mas um verdadeiro movimento social”

marcantes para toda a humanidade do nosso comprometimento social. Da mesma forma, os nossos Intercâmbios Internacionais de Jovens e de Estudos são demonstrações inequívocas de nossa interação na sociedade mundial, sendo primordial salientar o poder de congraçamento em nosso Programa de Bolsas Educacionais e em nossos Centros Rotary de Estudos Internacionais da Paz e Resolução de Conflitos, espalhados por todo o mundo. Um rotarismo forte tem o poder de fazer a diferença e de mudar o mundo. Por isso, tenho a certeza de que o futuro do Rotary irá impor uma nova visão de clubes e distritos realmente eficazes, com um trabalho voluntário enfocado em nossas profissões, com todos imbuídos da responsabilidade de expandir nossa filosofia, implantada há 101 anos, pois os tempos podem ter mudado, mas não a nossa crença na definição de ética e de integridade, com o desenvolvimento sustentável de clubes e distritos em nossas idéias e ideais. * O autor é EDRI e sócio do RC de Limeira-Leste, SP(D.4590).


D

Conselho Diretor do RI ○

ESTAQUES DAS DECISÕES

Aprovada a expansão do Rotary até o Vietnã

Reunido pela terceira vez em Evanston, Illinois, EUA, entre os dias 24 de fevereiro e 1º de março, o Conselho Diretor do RI examinou os relatórios de 15 comissões e tomou 86 decisões. Assuntos relacionados a clubes e distritos  O Conselho examinou o relatório da Comissão de Revisão Zonal e adotou diversas de suas recomendações, principalmente a que se refere à manutenção dos atuais limites territoriais, concordando, porém, em submeter ao Conselho de Legislação a indicação de um diretor adicional para atuar em caráter rotativo entre as áreas que demonstrem um crescimento mais significativo do quadro social. O relatório completo desta decisão está à disposição dos rotarianos.  O processo de expansão foi estendido ao Vietnã. Com o objetivo de

preparar o caminho que vai levar à formação dos clubes nesse país, o Conselho incentiva rotarianos, clubes e distritos de todo o mundo a implantar projetos de serviço no Vietnã e manter a Secretaria do RI informada a respeito do progresso de tais iniciativas. Os clubes a serem criados no Vietnã farão parte do distrito 3350 (Tailândia e Camboja).  O Conselho reorganizou diversos distritos. Muitos outros serão solicitados a demonstrar um crescimento significativo em seus quadros sociais até o final deste ano. Outros deverão submeter propostas de consoli-

Rodrigo

dação até o próximo dia 30 de setembro.  Para ajudar os rotarianos a discutir questões de interesse global e destacar áreas de relevância para o próximo ano rotário, o Conselho Diretor recomendou a inclusão de três temas na programação dos Institutos Rotários de 2006-07: Ênfases Presidenciais de 2006-07, Plano de Liderança de Clubes e Polio Plus.

Programas e comunicações  Foi aprovada a criação do Grupo de Companheirismo Internacional dos Rotarianos Maratonistas e o Grupo para a Promoção da Cultura Latino-Americana. A decisão sobre novos grupos foi postergada para novembro de 2006 para permitir estudos mais detalhados por parte da Comissão de Grupos de Ação de Rotarianos.  O Conselho reafirmou seu compromisso com a juventude e com o programa de certificação de distritos estabelecido na reunião de novembro de 2004, observando que as políticas de proteção aos jovens podem variar de acordo com as leis locais. Os distritos que estão tentando a certificação, mas que não preencherem todos os requisitos até 1º de julho de 2006, serão classificados como provisoriamente certificados. Eles deverão trabalhar juntamente com o secretário-geral para atender todas as exigências até 30 de junho de 2007. Reuniões internacionais  O Conselho decidiu realizar a Convenção Internacional do ano que vem no Salt Place Convention Center. O evento vai ocorrer na cidade de Salt Lake City, nos EUA, entre os dias 17 e 20 de junho de 2007.

“O Conselho incentiva clubes e distritos de todo o mundo a implantar projetos de serviço no Vietnã” BRASIL ROTÁRIO

19


Economia ○

O que falta para as PPPs decolarem Parcerias entre o poder público e a iniciativa privada vieram para ficar Cezar Faccioli* NINJA

A

privatização de serviços públicos d e i n f r a - estrutura foi um dos raros pontos em que o governo Lula não revogou, na prática, as críticas do PT aos governos anteriores. As Parcerias Público-Privadas (PPPs) foram o mecanismo pensado para evitar o colapso definitivo das estradas e portos, numa espécie de apagão logístico de conseqüências tão ou mais danosas que o blecaute de 2001. O Congresso, depois de dois anos de idas-e-vindas, aprovou o mecanismo. O arremate do trabalho foi a criação do Fundo Garantidor, formado por ações do Tesouro em estatais, nos casos em que estes papéis excedem o necessário para o controle. Mecanismo aprovado, garantias definidas, prioridades de obras fixadas em orçamento, tudo pronto para as PPPs decolarem este ano. E nenhuma saiu do papel até o momento. Até existe a possibilidade de construção de uma estrada, a MG-050, começar a ser feita nesse esquema, mas sob a coordenação do governo mineiro. São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul também estão na corrida para ser o primeiro estado a anunciar o fechamento de um contrato do gênero. De iniciativa federal, nesse terreno, nem sombra. Com a autoridade de quem presidiu o Banco Central e dirigiu a Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo, Affonso Celso 20

MAIO DE 2006

Pastore arriscou uma explicação em artigos recentes. Para o economista, o fator primordial para o atraso é o esvaziamento das agências reguladoras. A redução dos recursos orçamentários e do poder decisório desses órgãos alimenta o temor de intervenções impensadas e intempestivas por parte do Poder Executivo. O exemplo do Paraná, em que o governo estadual impediu o reajuste de pedágio estabelecido em contrato para 2003, está bem presente para os investidores. O pior é que a solução do impasse não parece próxima, a julgar pelas pesquisas recentes sobre a atuação das agências reguladoras. Vicente Faleiros, da Universidade de Brasília (UnB), identificou um viés


claramente pró-empresas na atuação das agências, a partir de episódios noticiados pela mídia, normas internas e depoimentos de 39 dirigentes e ex-dirigentes. Os interesses dos consumidores ficam em terceiro plano, depois do retorno dos investidores e das relações interempresariais, como preocupações centrais dos reguladores. Isso ajuda a explicar por que a ofensiva do Governo Federal contra os poderes das agências despertou reação apenas nas concessionárias e, em menor escala, nas próprias burocracias afetadas. A opinião pública e a sociedade civil em geral pouco se moveram na defesa da autonomia das agências. Sucesso lá fora As PPPs, então, estão O Estado não condenadas ao esquecimento, num eventutem fôlego al segundo mandato do atual presidente ou em financeiro um novo governo tucano? A resposta é não. para custear o Pode soar surpreendente, diante da lentiinvestimento em dão na decolagem e dos prognósticos de um infra-estrutura Congresso ainda mais fragmentado que o atual na próxima legislatura. Mas o certo é que as parcerias, como na GrãBretanha e nos Estados Unidos, vieram para ficar. O Estado não tem fôlego financeiro ou condições políticas de aumentar a carga tributária para custear o investimento em infra-estrutura. Um modelo baseado exclusivamente na concessão, com o setor privado podendo cobrar o que quiser, é igualmente inviável pelos ônus impostos aos consumidores dos serviços. As agências reguladoras, nos moldes conhecidos, mostraram-se incapazes de deter abusos e evitar distorções. Seu fortalecimento, contudo, voltará à agenda, na medida em que as parcerias e concessões deverão se multiplicar, na esteira do crescimento da produção industrial e agrícola. O país foi salvo de um nó nos principais portos, como Santos e Sepetiba, pela queda no nível de atividade industrial e a frustração da safra agrícola nos últimos dois anos.

Com a retomada forte prevista para este ano, a pressão de demanda sobre ferrovias e rodovias aumentará muito, e notícias sobre engarrafamento de caminhões em Santos e Paranaguá podem tornar-se rotina de novo. A saída para este problema envolve a ampliação de espaços para a iniciativa privada, mas com um poder concedente capaz de impor padrões aceitáveis de preços e qualidade às concessionárias. Ou, no caso da PPP, um parceiro forte, confiável e consciente de que o fôlego da parceria depende do atendimento eficiente e barato. * O autor é jornalista com especialização em economia.

BRASIL ROTÁRIO

21


Convenção de 2006

Esperamos você em Malmö Entre os dias 11 e 14 de junho, os rotarianos estarão reunidos na Convenção Internacional do RI, que pela primeira vez será realizada simultaneamente em duas cidades: Copenhague, na Dina-

marca; e em Malmö, na Suécia, que em seus mais de 500 anos de história aprendeu a superar dificuldades apostando na educação e na integração com outras regiões da Europa.

Margareta Winberg*

N

a época com 5.000 habitantes, Malmö foi fundada em 1437, ano em que recebeu suas armas do rei Erik, o Pomerano. Apesar disso, a cidade passou a fazer parte da Suécia somente em 1658, durante a negociação de paz entre suecos e dinamarqueses ocorrida em Roshilde. Com o passar do tempo, a cidade transformou-se num vigoroso centro comercial, tendo como base de sua industrialização os produtos têxteis, as peles de animais, o tabaco e o açúcar. A partir do século 19, Malmö tornou-se o centro econômico do sul da Suécia, destacando-se na produção de cereais. Esse crescimento foi conseqüência da reforma agrária realizada no país, particularmente no sul, aumentando a produção local e a oferta de alimentos. Combinado com a descoberta da vacina contra a varíola, esse desenvolvimento favoreceu o crescimento da população naquela área, tornando a região de Malmö a terceira maior metrópole sueca, atualmente com 1,1 milhão de habitantes, atrás somente da capital, Estocolmo, e de Gotemburgo – e com um detalhe: esse número não leva em conta os 2,4 milhões de dinamarqueses que também moram na região. As reformas no setor agrícola provocaram o desenvolvimento do comércio e aumenA ponte de Øresund, ligando taram a disponibia Suécia à Dinamarca lidade de crédito,

O SURGIMENTO de uma parte nova na cidade acompanhou o clima de otimismo e revitalização econômica da região

permitindo os investimentos nas primeiras indústrias da região: a Companhia Mecânica Kockums e uma indústria têxtil. Além disso, em 1860 deu-se o início da construção das ferrovias. Esse cenário favoreceu o desenvolvimento de Malmö, que ao longo dos anos ganhou a fama de ser um lugar bom para viver.

Declínio e recuperação Mas essa história também teve momentos difíceis. Durante um período turbulento nos anos 70, a produção industrial declinou, aumentando o desemprego e fazendo surgir problemas sociais, o que obrigou muitas famílias a sair da cidade. Combinado a isso, nesse período um grande número de refugiados chegava à Suécia. Como eles também não encontravam trabalho, o número de desempregados aumentou ainda mais. Essa BRASIL ROTÁRIO

25


mudança estrutural, aliada à recessão econômica e a um fraco orçamento local, contribuiu para que o pessimismo se instalasse tanto no meio empresarial quanto na sociedade em geral. Ninguém ousou investir nem no setor privado, nem no público. Mas a situação melhorou nos últimos anos, e para que isso acontecesse quatro fatores tiveram uma decisiva influência:  A sociedade passou a dar suporte a novos tipos de empresas: pequenos e médios empreendimentos nas áreas de biotecnologia e alimentação e, no comércio, aos serviços e vendas a varejo. Com isso, onde há 30 anos existia desânimo, hoje há mais pessoas empregadas do que antes;  Outro fator relevante foi a construção da ponte de Øresund, ligando a Suécia à Dinamarca [leia mais na página ao lado]. A obra – a princípio muito discutida e planejada, chegando a provocar a saída de um destacado líder conservador do governo – causou um impacto positivo nos espíritos das pessoas e em suas esperanças para o futuro, trazendo como resultados o progresso e as novas oportunidades que se abriram para suecos e dinamarqueses;  Um terceiro fator foi o ingresso da Suécia na União Européia. A princípio, a maioria do povo sueco estava pessimista quanto à adesão do país ao bloco. A exceção era a população do sul, mais otimista quanto a isso, numa atitude certamente influenciada por sua relação mais próxima com a Dinamarca e a Alemanha;  O quarto fator (e o mais importante) foi uma decisão tomada no meio dos anos 90 – período em que eu estava no governo – de criar uma universidade em Malmö. Os 17 quilômetros que separam a cidade de Lund, onde se encontra uma das mais atraentes e famosas universidades da Suécia, dificultavam o trânsito das pessoas. Com a nova universidade, os jovens de famílias sem tradição universitária, ou de famílias imigrantes, estão estudando e obtendo uma instrução mais elevada, permitindo que eles tenham uma vida melhor no país. Além disso, os estudantes dão a Malmö um perfil rejuvenescido e aumentam o nível educacional da população local.

Sejam bem-vindos Outros dois fatores foram responsáveis pelas mudanças que ocorreram em Malmö: o extraordinário desen-

A

UMA CIDADE de bosques e muitos parques, além dos famosos canais

volvimento do porto ocidental e o surgimento de uma parte nova da cidade, com atraentes apartamentos à beira-mar, como o famoso Turning Torso, um edifício espetacular, com apartamentos muito caros. Embora ainda existam muitos problemas, como os desníveis entre ricos e pobres, ou entre os imigrantes e os suecos, verifica-se uma considerável melhora na situação da região. E Malmö é uma cidade muito atrativa. No verão é difícil acreditar que você está na Suécia – é quase como estar no sul da Europa. O prefeito e o governador, junto com os comerciantes e as forças vivas da comunidade, têm se esforçado e investido para criar um ambiente de beleza, modernidade e encantamento, mostrando que é possível a mudança da pobreza para o bem-estar, sair da depressão e alcançar o otimismo. Sejam bem-vindos à Suécia. Sejam bem-vindos a Malmö! Texto adaptado de palestra realizada no RC de São Paulo, SP (D.4610) e publicada no boletim do clube (nº 3.629).

autora é embaixadora da Suécia no Brasil desde 2004. Nascida em Sjuntorp, Västergötland, ela é casada com Jörn Svensson e mãe de três filhos. Margareta já foi vice-primeira-ministra da Suécia (2002-03); A EMBAIXADORA da Suécia, Margareta Winberg, durante sua palestra no RC de São Paulo

ministra da Agricultura, Alimentos, Pesca e Povos Indígenas (entre 1994-96 e 1998-2002); ministra de Políticas de Igualdade para as Mulheres (1998-2003); ministra do Trabalho e Assuntos Nórdicos (1996-98); presidente da Comissão Parlamentar Permanente de Agricultura (1992-94) e membro da Comissão de Agricultura (1981-91). Filiada ao Partido Social Democrata, ela ocupa uma cadeira no Parlamento Sueco há 25 anos.

NESTA EDIÇÃO: você encontra a ficha de inscrição para a Convenção do RI a partir da página 61. Para obter mais informações sobre este evento e as cidades de Malmö e Copenhague, acesse www.rotary.org/convention 26

MAIO DE 2006


A.Santos

Ligados outra vez

ENTRADA DO túnel sob as pistas rodoviárias, que tem 4 quilômetros de extensão

Conheça a história da ponte que reaproximou dois povos Eliseu Visconti Neto*

O lema da Convenção Internacional deste ano – “Unindo o Mundo” (Bridging the World, em inglês) – faz alusão à construção da espetacular ponte de Øresund, que liga a Suécia à Dinamarca, e a um sentimento relacionado a ela: a integração destes dois países, que já foram um só em eras longínquas. Nada mais apropriado para ilustrar o principal evento do calendário de nossa organização.

P

assaram-se 7.000 anos, desde o fim da Idade do Gelo, para que suecos e dinamarqueses estivessem novamente unidos. Esta longa espera foi encerrada em 14 de agosto de 1999, quando a princesa Vitória, da Suécia, e o príncipe Frederico, da Dinamarca, encontraram-se no meio da ponte de Øresund, que naquela data recebia sua última seção – a inauguração oficial só ocorreria um pouco mais tarde, em 1º de julho de 2000. Atravessando o estreito que lhe dá o nome, a obra possui um total de 16 quilômetros de pistas, e é a mais longa ponte rodoferroviária do planeta. Combinando uma linha ferroviária de duas vias com uma rodovia de quatro pistas, ela possui proporções gigantescas e ostenta outro recorde: o maior vão suspenso do mundo, com 490 metros. O pilar mais alto tem 204

metros de altura – o equivalente a um prédio de cerca de 70 andares – e a estrutura pesa 82 mil toneladas. No total, a obra compreende uma ponte com cerca de 8 quilômetros, um túnel com 4 quilômetros – que passa por baixo das pistas rodoviárias – e uma ilha artificial com 4 quilômetros de comprimento. Travessia mais rápida Antes de sua construção, a ligação entre os dois países era feita por lanchas, que completavam o percurso em 45 minutos. Com a ponte, o tempo de viagem foi reduzido para apenas 10 minutos. Em 2004, cerca de 17 milhões de pessoas passaram pela ponte (10,6 milhões em automóveis e 6,2 milhões em trens). A obra custou US$ 4 bilhões. Entre as vantagens desse investimento, está a unificação da região de Øresund, que abriga 3,6 milhões de habitantes e é responsável por cerca de 20% dos PIBs da Suécia e da Dinamarca, concentrando uma indústria de alto conteúdo tecnológico, ligada à alimentação, biotecnologia, fármacos e tecnologia ambiental. Cento e quarenta mil estudantes e 12 mil pesquisadores estão distribuídos por suas 20 universidades, que integram um dos mais importantes pólos de pesquisa e educação da Europa. A ponte de Øresund representa mais um passo na direção de uma Europa sem fronteiras, em que as pessoas se aproximam cada vez mais, refletindo à perfeição o objetivo maior dos rotarianos: o alcance da paz e da compreensão entre os povos. *O autor é sócio do RC de Presidente Prudente-Leste, SP(D.4510). BRASIL ROTÁRIO

27


Decoração  Angela Barquete & Cristiane Dornelles

Living parte I Saiba como criar um recanto de conforto para você e sua família

Q

uando pensamos que “a forma deve seguir a função”, ficamos confusos em relação ao living, pois este ambiente não tem uma função tão clara como acontece com a cozinha ou o banheiro. Mas afinal, o que é o living? É o local onde lemos, ficamos esparramados vendo TV, sonhamos, amamos, conversamos, brincamos com as crianças, dançamos, recebemos os amigos, jogamos e descansamos. É difícil fazer tudo isso dentro de apenas quatro paredes, com algumas peças de mobiliário, e ainda conseguir imprimir um pouco de personalidade. Hoje, a maioria de nós vê a casa como um retiro e um santuário para o estresse diário do trabalho. Na verdade, o individualismo na decoração está fortemente ligado ao crescimento da sociedade industrial. Para aqueles que são subjugados no escritório ou na fábrica, uma declaração de estilo em casa significa que a pessoa é capaz de ter emoções e sentimentos independentes, e também de ter uma vida à parte do mundo do trabalho. Em vez da escolha deliberada de um determinado estilo, o ideal na elaboração do living é usar o conforto como ponto de partida. O estilo deve fluir naturalmente, a partir das peças que fazem você se sentir à vontade. Um ambiente que nos force a ter um tipo de atitude ou comportamento – e que iniba nossas ações – pode ser um belíssimo exemplo de um determina30

MAIO DE 2006

do estilo, mas se o conforto é inexistente, a solução não pode ser considerada bem-sucedida. Como começar

O conforto físico é, de certa forma, um conceito moderno. Ele não existia nas nossas casas até o século 18. Até então, a casa era apenas um teto para os pobres, e status para os ricos. Hoje, quando falamos de conforto, não fazemos referência apenas a uma sensação física. O conforto é algo que exprime satisfação dos sentidos, que abrange conveniência, eficiência, lazer, facilidade, prazer, domesticidade, intimidade e privacidade. É difícil saber o que vai nos fazer sentir confortáveis. As pessoas sabem o que é conforto quando o experimentam. Este reconhecimento envolve uma combinação de sensações, muitas delas inconscientes – e não apenas físicas, mas também emocionais e intelectuais. A melhor forma de começar é com o conforto físico. Estabelecer suas necessidades dará um bom fundamento para o início dos trabalhos.


Decoração

NAS TRÊS fotos, living de um colecionador de arte. Os equipamentos do home theatre ficam dentro da estante – e o telão, embutido no teto de gesso

Os móveis e demais elementos do living devem ser colocados de forma a facilitar a conversação. No entanto, devemos ter em mente que, como os sofás nunca acomodam tantas pessoas quanto o número de assentos que possuem e as pessoas gostam de se voltar para ficar de frente para o interlocutor, nós não devemos inibir a linguagem corporal. A mistura de sofás e cadeiras num grupamento é boa não apenas visualmente, mas também

psicologicamente, pois permite diferentes níveis de intimidade durante a conversação. A colocação da TV no living não é tão fácil quanto parece. O local onde for posicionada pode afetar nossos hábitos de assistir aos programas. O aparelho deverá ser integrado ao living, mas sem dominar totalmente o ambiente. Não devemos, portanto, dispor os grupamentos de forma a obrigar os pre-

NA PRÓXIMA EDIÇÃO, leia a segunda parte desta matéria

sentes a ver a TV quando ligada. O living deve sempre ter um centro de interesse, que pode ser a lareira, um instrumento musical, uma paisagem, uma estante e até mesmo a própria TV, se ela fizer parte, efetivamente, da vida do morador. ANGELA BARQUETE (sócia do RC do Rio de Janeiro-Ipanema) e CRISTIANE DORNELLES www.transitions-design.com Tels.: (21) 2259-7348 (21) 2239-3375

BRASIL ROTÁRIO

31


Sirva-se Gastronomia é uma das atrações do XXIX Instituto Rotário do Brasil, que será realizado em Atibaia, cidade que além de possuir um dos melhores climas do país também é conhecida por sua culinária. Lindoval de Oliveira* 32

MAIO DE 2006


RECREADORES E programações infantis fazem um evento à parte

PISCINA INTERNA climatizada

O

principal evento do calendário regional do Rotary ocorrerá de 31 de agosto a 03 de setembro, e a escolha do local pela Comissão Organizadora, tendo à frente o convocador, diretor 2005-07 do Rotary International, Carlos Enrique Speroni, foi muito feliz. Atibaia dista apenas 50 quilômetros, aproximadamente, da capital bandeirante, e é de fácil acesso por estradas pavimentadas para os rotarianos dos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. A cidade possui toda a infra-estrutura necessária para a realização de um acontecimento do porte de um Instituto Rotário.

O hotel Outra escolha feliz foi a do resort Bourbon Atibaia, um hotel moderno e completo, construído em uma região de muito verde e planejado para receber grandes eventos, tudo dentro do maior conforto e funcionalidade.

Apartamentos São 392 apartamentos e suítes com varanda e em três categorias: Superior duplo – 350; Superior casal – 40; Suíte Diplomata – 1 e Suíte Presidencial – 1. Todos com o lavabo separado do banheiro, vista para a área verde, isolamento acústico, controle individual de ar condicionado e aquecimento central, TV a cabo, conexão para computador e internet, room bar, sistema telefônico computadorizado com correio de voz e wake-up call, cofre digital, secador de cabelos, detector de fumaça e cartão magnético. BRASIL ROTÁRIO

33


UM DOS cinco ambientes do hotel destinados à gastronomia

UMA ACADEMIA completa está entre as opões esportivas

Food court Você pode escolher onde fazer suas refeições entre um dos cinco elegantes restaurantes do Bourbon Atibaia, saboreando pratos das cozinhas internacional e brasileira.

Lazer O hotel oferece atividades de lazer para hóspedes de todas as idades e, por isso, as autoridades O HOTEL tem três piscinas externas

rotárias – governadores de distrito atuais, entrantes e antigos – podem trazer seus filhos, netos ou sobrinhos, pois eles irão adorar a estada em Atibaia.

Centro de Convenções A área do Centro de Convenções é dividida em duas alas e ocupa 10.000 m2; o grand ballroom é modulável e pode abrigar 3.000 pessoas.

34

MAIO DE 2006


Apoio oficial O prefeito da Estância de Atibaia, José Roberto Trícoli, (Partido Verde), em seu segundo mandato, recebeu os representantes do Rotary em seu gabinete e disse do seu entusiasmo pelo acontecimento do XXIX Instituto Rotário do Brasil na encantadora cidade que administra: “É importantíssima a ocorrência desse evento que contribuirá para afirmar Atibaia entre as cidades que dispõem de toda a infra-estrutura para a realização de encontros de grande porte como esse dos rotarianos”. O governante está certo, pois o Instituto Rotário deverá reunir, nos dias 31 de agosto a 03 de setembro, cerca de 1.300 administradores do Rotary – governadores de distrito atuais, entrantes e antigos, training leaders, cônjuges, palestrantes e convidados. Na foto, o prefeito José Roberto (Beto) Trícoli (à esquerda) exibe o exemplar da Brasil Rotário que recebeu do chairman do Instituto, EGD Antônio Gervásio de Paiva Diniz, ao seu lado.

Romildo Lourenço Cardoso

Juntando o Centro de Convenções, o mezanino e o Pavilhão de Exposições, o Bourbon Atibaia tem 22 salas de reunião

O acesso aos níveis do Centro de Convenções é facilitado por duas escadas rolantes, e o da garagem, um piso abaixo, por 2 elevadores

Ainda no Centro, amplo espaço que pode ser utilizado para salões de refeições * O autor é jornalista, sócio do RC do Rio de Janeiro, RJ(D.4570) e editor da Brasil Rotário. BRASIL ROTÁRIO

35


Como se inscrever FORMA DE PAGAMENTO

Cheques em nome de Fúlvio Abrami Stagi.

Valores:

Remessa da ficha de inscrição e dos cheques para o tesoureiro: FÚLVIO ABRAMI STAGI Rua Luca Signorelli, 121 Jardim Martinelli – Penedo Itatiaia – RJ – CEP: 27531-180

R$ 400,00 (quatrocentos reais) parcelados nos meses de: março, abril, maio e junho, em quatro cheques de R$ 100,00 (cem reais) cada. R$ 450,00 (quatrocentos e cinqüenta reais) – A partir do mês de julho e até a realização do evento, em um só pagamento.

Para contatos: E-mail: fulvio@contagi.com.br Tels.: (24) 3351-1321 (24) 3355-8182 – Telefax

FICHA DE INSCRIÇÃO HOTEL BOURBON ATIBAIA Rodovia Fernão Dias



I

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Nº __________________________

DISTRITO: _____________ ANO DA GOVERNADORIA: _________ / _________

CIDADE: _______________________ ESTADO: __________________________

NOME (completo): ____________________________________________________________________________ Aniversário: dia ___________ mês _________________ Nome para o crachá: __________________________________________________________________________ RC de _______________________________________________________________________________________ Profissão: ___________________________________________________________________________________ Classificação: ________________________________________________________________________________ Nome do Cônjuge (completo): __________________________________________________________________ Aniversário: dia ___________ mês __________________ Nome do Cônjuge para o crachá: _______________________________________________________________ Endereço:_________________________________________________________ nº: ________ Aptº. ________ Bairro: __________________________________ Cidade: ____________________________________________ Estado: _________________________________________________ CEP _________________ — ___________ Telefones: Residencial: (______) ___________________ Comercial: (______) ___________________________________

e-mail: ______________________________________________________________________________________

36

MAIO DE 2006



Celular: (_____) _____________________________ Fax: (______) ___________________________________


Divulgação RI

Converse com Frank no Seminário Especial da Fundação Rotária Fotos Sérgio Afonso

DIA 25 DE MAIO – 9 HORAS DA MANHÃ na ESCOLA PADRE DR. FRANCISCO DA MOTTA (Recebeu US$ 800 mil da FR) Beco João José, 16, na Gamboa (acesso pela rua Sacadura Cabral, 71) – Rio, RJ

É

a sua grande oportunidade de conhecer pessoalmente o presidente 2000-01 do RI e atual presidente do Conselho de Curadores da Fundação Rotária, Frank J. Devlyn. E mais: você e seus acompanhantes também irão conversar com: CARLOS ENRIQUE SPERONI, diretor 2005-07 do RI para as zonas 19A e 20

ADÉLIA ANTONIETA VILLAS, primeira mulher no Brasil a exercer o cargo de governadora de distrito (1998-99)

e JOSÉ ALFREDO PRETONI, diretor 1995-97 do RI e ex-curador da Fundação Rotária

FIQUE EM DIA COM AS NOVIDADES DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA DO RI

Inscreva-se agora mesmo no Seminário Especial da Fundação Rotária! Participe desse evento histórico e conheça o estabelecimento de ensino que recebeu o Subsídio Equivalente de maior valor já concedido pela Fundação do RI: US$ 800 mil. Sua inscrição inclui: I as palestras de Frank J. Devlyn, José Alfredo Pretoni e Adélia Villas; I almoço na Escola Padre Dr. Francisco da Motta; I um exemplar do livro Conversa com Frank II, que estará sendo lançado no Seminário, autografado pelo presidente 2000-01 do Rotary International e prefaciado pelo EDRI Hipólito S. Ferreira, edição em português, uma produção da Cooperativa Editora Brasil Rotário; I e a oportunidade para adquirir o outro livro Conversa com Frank I, edição em português, pelo preço de R$ 25,00. PREÇO DA INSCRIÇÃO: doação pessoal de R$ 100,00 para a Fundação Rotária.

PARA SE INSCREVER: E-mail: marketing@brasil-rotario.com.br tel.: (21) 2509-8142 (Carmen Lúcia) Fax. (21) 2509-8130 BRASIL ROTÁRIO

37


Nossa organização precisa de uma boa estratégia de comu

O marketing na imagem pública do Rotary “Nada é permanente a não ser a mudança” HERÁCLITO

DE

ÉFESO,

FILÓSOFO

Waldenir de Bragança*

P

aul Harris recomendava divulgar o trabalho do Rotary e promover sua imagem para rotarianos e não-rotarianos. Entendendo essa visão, o presidente 2005-06 do RI, CarlWilhelm Stenhammar, criou os Grupos de Apoio à Imagem Pública do Rotary; e o diretor do RI Carlos Enrique Speroni tem demonstrado empenho em promover ações que levem nossa organização para além dos círculos rotários. Além disso, durante o XXVIII Instituto Rotário, realizado ano passado em Cuiabá, considerou-se indispensável fazer com que a comunidade saiba o que é o Rotary. Apesar de tantas realizações ao longo de seus 101 anos, nossa organização continua sendo pouco conhecida para o seu público-alvo, e vem enfrentando sérias dificuldades em manter seu quadro associativo – patinamos em torno de 1,2 milhão de associados. Nosso principal desafio poderia ser representado por duas palavras: relevância e resultado. A capilaridade e a credibilidade do Rotary foram reconhecidas pela OMS – Organização Mundial da Saúde. A entidade declarou que, sem o Rotary, não teria empreendido a mais arrojada luta da história para enfrentar uma doença – no caso, a poliomielite. O apoio logístico, humano e financeiro dos rotarianos, associado à sua capacidade de mobilização, foi essencial para o êxito do combate à paralisia infantil. No entanto, poucos conhecem esta e outras extraordinárias ações do Rotary em favor da saúde e da educação dos povos.

Admirável mundo novo Por que o Rotary é pouco conhecido? Por que ONGs com menos anos de história e de menor dimensão humanitária atraem mais parceiros? Onde estamos falhan40

MAIO DE 2006

do? Talvez uma das respostas esteja no fato de que elas souberam utilizar os instrumentos do marketing para se posicionar diante de uma sociedade cada vez mais atarefada e exigente. Para que o Rotary e sua missão de praticar o bem conquistem o interesse de lideranças de todos os setores da sociedade, algo precisa ser feito nesse sentido. Sugerimos que esse tema tenha o destaque necessário e que um Planejamento Estratégico de Marketing seja elaborado com as principais lideranças do Rotary em nosso país. É importante esclarecer: marketing não é apenas uma ferramenta mercadológica para a venda de produtos ou serviços visando o mercado, o lucro. Marketing é relacionamento, é ação e reação. Segundo o norte-americano Theodore Levitt, um dos papas do assunto, marketing é “o processo social dinâmico de conquistar e manter clientes”. Na visão dos principais pensadores da área, cliente é aquele a quem servimos, é a razão de existir de uma organização ou empresa. Outra autoridade em marketing, Philip Kotler afirmou que chegamos ao “admirável mundo novo, caracterizado por digitalização, automação, teletrabalho, inteligência artificial, realidade virtual e outros avanços tecnológicos” – que criam, mas também destroem oportunidades. Assistimos aos desdobramentos do impacto das novas tecnologias – internet, e-mail, fax, softwares; e nos meios de comunicação, TV a cabo, videoconferências, CDs, DVDs, jornais personalizados e outros. No mundo globalizado, as distâncias desapareceram, fazendo com que as coisas aconteçam e sejam comunicadas instantaneamente, online, como se fala no jargão da internet. Os sociólogos dizem que as mudanças apenas começaram e que estamos vivendo uma revolução de costumes e cultura com um impacto muito maior que o das revoluções anteriores.


municação para atravessar seu segundo século de serviços Rodrigo

Paul Harris preconizava um Rotary à frente do seu tempo, inovador e atraente para todos os que desejassem ser instrumentos de transformação social. Sua visão era criar uma rede – local e depois mundial – que pudesse congregar aqueles que, tendo alcançado alguma posição de influência (sinônimo de liderança), tivessem interesse em usála para o bem do próximo. A essência do Rotary está no lema Dar de Si Antes de Pensar em Si, ou seja: A Humanidade é a nossa Missão.

Marketing em poucas palavras O marketing possui um conjunto de ferramentas – ou mix – que o professor norte-americano Jerome McCarthy classificou como “Os 4 Ps do Marketing”: produto (ou serviço); praça (ou ponto); preço; e promoção (ou comunicação). Façamos uma análise do Rotary a partir desta perspectiva:  Produto: nosso produto é a prestação de serviços. O Rotary foi construído sobre a égide do servir, e foi pioneiro ao preconizar o serviço ao próximo como base de sua existência. Isso muito antes da Era do Serviço (a partir de 1950) e dos conceitos modernos de Responsabilidade Social Corporativa.  Praça: nossa praça se encontra distribuída em 168 países (recentemente “abrimos filiais” na China, em Cuba e em Kosovo). Poucas organizações têm tamanha capilaridade.

Preço: o conceito de preço se mistura ao conceito de valor, que é a relação entre o quanto invisto e o quanto recebo de retorno. Quando eu recebo mais do que invisto, tenho a sensação de que valeu o esforço, então a relação continua. Quando isso não acontece, sinto que o investimento não valeu o esforço (tempo-dinheiro) e a relação se fragiliza ou pode se romper. Qual o valor do nosso serviço ao próximo? Qual o valor de nossa contribuição à humanidade? É difícil mensurar algo tão transcendente. Os que entendem essa equação do bem se apaixonam e se aproximam cada vez mais do Rotary. Os que não a entendem, abandonam a organização sem terem provado seu significado maior.



Promoção: é a comunicação para gerar ações e reações, alcançar a mente, atrair clientes (associados) identificados com os ideais rotários e mantê-los ativos. A revista Brasil Rotário foi considerada a melhor publicação regional de todo o universo do Rotary. No entanto, 

mesmo com toda a sua qualidade e expressão, não pode alcançar sozinha os objetivos e o universo dos nãorotarianos. As estratégias de marketing podem contribuir para que um número expressivamente maior de líderes seja atraído pelo Rotary. A sociedade tem buscado organizações que possam capitanear seus esforços e recursos em benefício do próximo. Campanhas como “Criança Esperança” e “Natal sem Fome” poderiam estar sob o guarda-chuva do Rotary. O marketing moderno preconiza deixar de pensar de dentro para fora – que diz respeito àquilo que nós temos a oferecer – para fazê-lo de fora para dentro – o que o nosso público-alvo está buscando. Ou seja: é preciso estabelecer quais são as necessidades daqueles para os quais o Rotary foi criado, existe e precisa se manter. O que precisamos fazer para que a imagem de nossa organização seja conhecida pela sociedade? Como podemos gerar expectativas e correspondermos a elas? Não basta mostrar o Rotary a associados e clubes, com publicações internas, embora bem feitas (que integram o chamado endomarketing). É urgente que a comunidade global, lá fora, saiba o que fazemos e o que ainda poderá ser feito. Um dos caminhos é revelar suas ações e buscar parcerias. Quando o Rotary retira menores das ruas, assiste portadores de deficiências e enfermos, patrocina alfabetização, luta pela ética nos negócios e nas profissões, toma iniciativas para proporcionar condições de cidadania, ou quando cria os Centros Rotary de Estudos Internacionais da Paz e Resolução de Conflitos e promove intercâmbios de jovens, de amizade e de grupos de estudos, está atuando em favor da sociedade, usando seu poder secular e renovado para a paz e a compreensão mundial.

O que propomos Nossa proposta é criar espaços de alto nível para estudarmos uma forma de aumentar o poder do Rotary através de uma imagem pública vigorosa, fazendo-o mais conhecido para, assim, vencermos os obstáculos e alcançarmos as metas programadas. Precisamos estabelecer com mais clareza as linhas de comunicação (as chamadas relações públicas) com a mídia, uma publicidade inteligente e uma estratégia para chegarmos à imprensa e à mídia eletrônica para promovermos serviços de interesse público. A construção da imagem é uma das formas de se conquistar e manter clientes – ou associados, no nosso caso. Temos a esperança de que este artigo possa contribuir para uma reflexão sobre a comunicação no Rotary e para a expansão da filosofia de servir e obter bons parceiros a partir da utilização dos recursos de que dispomos. * O autor é EGD, sócio do RC de Niterói-Norte, RJ (D.4750), médico, advogado e pós-graduando em marketing.

“Nossa proposta é criar espaços de alto nível para estudarmos uma forma de aumentar o poder do Rotary através de uma imagem pública vigorosa” BRASIL ROTÁRIO

41


Interact & Rotaract ○

JUNTO COM o RC de Aracaju-Nova Geração, o Rotaract Club de AracajuNorte, SE(D.4390) realizou o projeto Parceiros Servindo à Comunidade, em que foram atendidas mais de mil pessoas. Na Escola Municipal Professor Laonte Gama, foram oferecidos serviços como testes de pressão arterial e glicemia, exames oftalmológicos, palestras sobre primeiros-socorros, direitos do consumidor e a importância da carteira de identidade, distribuição de 50 fichas para a emissão do documento, informações sobre como obter microcrédito através do Banco do Povo e atividades esportivas. O INTERACT Club de Ferraz de Vasconcelos, SP(D.4430) foi fundado na sede do RC local e tem como primeiro presidente Silvino de Sousa Cordeiro.

MAIO DE 2006

EM PARCERIA com o RC e o Interact Club locais e com apoio da rede Rio Móveis, o Rotaract Club de Peixoto de Azevedo, MT(D.4440) distribuiu 600 brinquedos, 120 kg de carne e 200 litros de leite a crianças carentes. ■■■

OS INTEGRANTES do Rotaract Club de Ribeirão PretoIrajá, SP(D.4540) levaram brinquedos, roupas e material escolar para as 48 crianças e jovens do orfanato Dona Maria. No dia da entrega, a festa contou com brincadeiras e lanche. Para conseguir a verba necessária às doações, os rotaractianos realizaram campanha e firmaram parceria com o RC patrocinador e empresas da comunidade. ■■■

PARA INCENTIVAR doações permanentes de sangue, o Rotaract Club de Ponta GrossaOeste, PR(D.4730) desenvolve o projeto Doar Não Tira Pedaço, Basta Estender o Braço, em parceria com o hemonúcleo Hemepar. São realizadas palestras e, por meio de um banco de dados, os rotaractianos convidam os doadores para uma próxima doação. Os jovens apresentaram o projeto ao casal governador Jaroslaw Hrebinnik e Lhuba, em Visita Oficial.

42

COM DOAÇÕES da população e fazendo uso da verba arrecadada nas ações desenvolvidas pelo clube, o Rotaract Club de Engenheiro Paulo de Frontin, RJ(D.4600) entregou mais de 600 brinquedos a crianças de bairros carentes do município. ■■■

PELO QUARTO ano consecutivo, os jovens do Interact Club de Rosário do Sul-Serra do Caverá, RS(D.4780) arrecadaram 20 cestas básicas, entregues a alunos da Escola Municipal Vila Carmelo.


Escritório Contábil Nova Visão Ltda. CONTABILIDADE – DESPACHANTES LEGALIZAÇÃO DE FIRMAS

Imp. de renda p/Física e Jurídica Rua Álvaro Alvim, 31 - 16º andar - Centro Fone: (21) 2533-3232 G Fax: (21) 2532-0748 Cep: 20031-010 - Rio de Janeiro - RJ Direção: Joaquim Silva e José Soares

Prestigie os anunciantes desta revista. Você os conhece: são companheiros rotarianos

BRASIL ROTÁRIO

43


Centro Rotary na Tailândia Em julho, quando os alunos da primeira turma da unidade tailandesa dos Centros Rotary de Estudos Internacionais da Paz e Resolução de Conflitos iniciar suas aulas, eles estarão participando de um curso muito especial em uma instituição de prestígio mundial: a Universidade de Chulalongkorn, em Bancoc. Reconhecida há muitos anos por sua excelência acadêmica, a mais antiga universidade da Tailândia recebeu uma nova honraria. De acordo com o ranking 2005 das Mais Importantes Universidades do Mundo, publicado no Times Higher Education Supplement, de Londres, Chulalongkorn ocupa a 121ª posição numa lista de 200 instituições. O ranking é liderado, nesta ordem, por Harvard, MIT, Cambridge, Oxford e Stanford. “Esta lista coloca a Chulalongkorn no mesmo patamar da Michigan State University, dos EUA, e a Universidade de Paris 1 Panteon Sorbonne, na França”, disse Pavich Thongroj, um alto funcionário do ministério da Educação, ao jornal Nation, da Tailândia, em novembro do ano passado. A lista do Times classifica Chulalongkorn como a 3ª melhor universidade do Sudeste Asiático e a 35ª melhor universidade do Pacífico Asiático. Para saber mais sobre Chulalongkorn, visite o site da Fundação Rotária: www.rotary.org/foundation

Reuniões de maio Serão realizadas em Evanston, nos EUA: dias 1 e 2 – Comissão de Estatutos e Regimento Interno; 2 e 3 – Comissão Visão do Futuro; 8 e 9 – Comissão Consultiva do Conselho de Legislação; 15 a 17 – Comissão de Auditoria e Operações. Próximas convenções do RI : simultaneamente em Malmö, na Suécia, e Copenhague, na Dinamarca, entre os dias 11 e 14 de junho deste ano; Salt Lake City, em 2007, em dias a serem determinados. Futuras convenções : Los Angeles, 2008; Seul,

2009; Montreal, 2010; Nova Orleans, 2011; e Bangcoc, 2012.

44

MAIO DE 2006

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

A UNIVERSIDADE de Chulalongkorn, em Bancoc: a 3ª melhor do sudeste asiático

Quadro Social (Assistência aos Governadores de Distrito e aos Clubes) Carlos A. Afonso carlos.afonso@rotary.org

Gerente Celso Fontanelli celso.fontanelli@rotary.org

Supervisora Financeira Sueli F. Clemente sueli.clemente@rotary.org Encomendas de Publicações, Materiais e Programas Audiovisuais Elton dos Santos elton.santos@rotary.org Tel.: (11) 3826-2966 Fax: (11) 3667-6575

Endereço Rua Tagipuru, 209 São Paulo SP – Brasil – CEP 01156-000 Tel: (11) 3826-2966 Fax: (11) 3667-6575 Horário: 2ª a 6ª, de 8h00 às 17h00

Supervisor da Fundação Rotária Edilson M. Gushiken edilson.gushiken@rotary.org

Escritório do RI no Brasil Home page: http://www.rotary.org.br

A Seu Serviço

Novos diretores do RI O Rotary International anunciou os nomes dos rotarianos que farão parte do seu Conselho Diretor durante o biênio 2007-09: Ashok M. Mahajan, de Mulund, Índia (D.3140) para a zona 5; Paul A. Netzel, de Los Angeles, EUA (D.5280) – zona 24; Kazuhiko Ozawa, de Yokosuka, Japão (D.2780) – zona 2; Bernard L. Rosen, de Bruxelas, Bélgica (D.2170) – zona 13; Themístocles Américo Caldas Pinho, do Estado do Rio de Janeiro, Brasil (D.4750) – zonas 19A e 20; Monty J. Audenart, de Red Deer, Alberta, Canadá (D.5360) – zona 22; Michael J. Johns, de Hillcrest (Cleveland), Ohio, EUA (D.7170) – zona 28; e Thomas A. Branum Sr., de Indianápolis, Indiana, EUA (D.6560). Todos serão eleitos durante a convenção internacional de Malmö/Copenhague, em junho deste ano.

Novos casos mortais de gripe aviária foram confirmados no norte da Nigéria, revelando o aparecimento do vírus H5N1 na África. A OMS – Organização Mundial da Saúde – deu uma resposta imediata ao fato, pondo à disposição das autoridades locais a infraestrutura montada no O vírus H5N1 (na foto, em país para a erradicação marrom) ameaça repetir a da pólio. O diretor-ge- gripe espanhola de 1918 ral da OMS, Lee JongWook, e Linda Miller, relações públicas da Iniciativa Global pela Erradicação da Pólio, explicaram que a rede de serviços Polio Plus poderia ajudar monitorando a doença nos seres humanos, trabalhando na coleta e transporte de espécimes para diagnóstico e prestando apoio logístico ao pessoal especializado no combate à gripe aviária. No caso da África, o uso da infra-estrutura de erradicação da paralisia infantil é especialmente valioso, já que o frágil sistema de saúde do continente encontra-se sobrecarregado com outras doenças, como a Aids, a tuberculose e a malária. Altamente patogênico, a presença do vírus H5N1 no estado nigeriano de Kaduma foi confirmada em 8 de fevereiro. Logo no dia seguinte, dois outros estados confirmaram a disseminação em duas fazendas de Kano e numa fazenda da cidade vizinha de Plateau.

Informe do RI aos rotarianos

Rede Polio Plus pode atuar no combate à gripe aviária

Rotary International Secretaria (Sede Mundial) 1560 Sherman Avenue,Evanston, Il 60201 USA Phone: 00-21-1847 866-3000 Fax: 00-21-1847 328-8554 Horário: 8h30 às 16h45 (horário de Washington)


A sangue frio Truman Capote Companhia das Letras O livro conta a história da morte de toda a família Clutter, numa cidade do Kansas, nos EUA, e dos autores da chacina. Capote decidiu escrever sobre o assunto ao ler no jornal a notícia do assassinato, ocorrido em 1959. Quase seis anos depois, em 1965, a história foi publicada em quatro partes na revista The New Yorker. Além de narrar o extermínio do fazendeiro Herbert Clutter, de sua esposa Bonnie e dos filhos Nancy e Kenyon – uma típica família norte-americana dos anos 50, pacata e integrada à comunidade – o livro reconstitui a trajetória dos assassinos. Perry Smith e Dick Hikcock planejaram o crime acreditando que se apropriariam de uma fortuna, mas não encontraram praticamente nada. Perry era um sonhador. Teve uma criação conturbada e violenta, e achava que a vida tinha lhe dado golpes injustos. Dick, considerado o cérebro da dupla, queria apenas pegar o dinheiro e desaparecer. Presos e condenados, ambos morreram na forca em 1965.

A princesa em treinamento Meg Cabot Record Durante as férias de verão, período em que assume suas atividades como integrante da realeza, Mia Thermopolis, princesa de Genovia, tem a brilhante idéia de mandar jogar na baía do império, infestada por algasassassinas, 10 mil lesmas sul-americanas. Mas o que deveria ser uma boa idéia acabou se tornando um enorme problema, e agora Genovia corre o risco de ser expulsa da União Européia. É preocupada com essa ameaça que Mia volta às aulas. E logo percebe que o ano não será nada fácil. Primeiro porque geometria não parece ser nem um pouco mais simples que álgebra. Depois ela tem uma grande decepção: pela primeira vez tira um B em sua redação – logo ela que quer ser escritora! Além das aulas, a princesa ainda está diante de outras dificuldades. Sua melhor amiga, Lilly, a indicou para presidente do conselho estudantil. E, como não poderia deixar de ser, ela terá de entrar numa acirrada disputa de popularidade com Lana, sua arqui-rival.

Livros ○

Um velho que lia romances de amor Luis Sepúlveda Relume Dumará “O velho Antonio José Bolívar Proaño vivia isolado numa cabana na floresta amazônica. Lia romances de amor, juntando as sílabas, murmurando-as a meia voz como se saboreasse e, ao ter dominada a palavra inteira, voltava a dizêla de uma só vez. Depois fazia o mesmo com a frase completa e, dessa maneira, se apropriava dos sentimentos e idéias plasmados nas páginas. Os livros, que falavam do amor com palavras tão belas, às vezes o faziam esquecer a barbárie humana.” Este é um fragmento deste romance lírico e áspero, forte e sutil, que tem como pano de fundo a tragédia da devastação ambiental. Além de Chico Mendes, o autor chileno também dedica o livro a um outro amigo defensor da Amazônia, o chefe shuar Miguel Tzenke, que lhe entregou alguns detalhes de seu desconhecido mundo verde que, mais tarde, serviram de base para a construção deste livro que já vendeu mais de 5 milhões de exemplares.

O atentado Yasmina Khadra Sá Editora Amine é um cirurgião israelense de origem palestina que sempre se recusou a tomar partido nos conflitos que opõem seu povo de origem a seu povo de adoção, dedicando-se integralmente a seu trabalho e à sua esposa, que ama apaixonadamente. Até que um dia um kamikaze explode dentro de um restaurante, matando adultos e crianças num atentado suicida. Amine é chamado a reconhecer o corpo mutilado de sua esposa, a quem acusam de ser a mulher-bomba. Uma cena comum nesta guerra fratricida, mas que revira o destino de Amine. A investigação que ele empreende a partir daí o conduzirá ao coração do

inferno e o colocará frente a frente a uma situação que ele se recusava a enfrentar após tantos anos de vida na neutralidade em Tel Aviv.

Juscelino, uma história de amor João Pinheiro Neto Mauad Este é um livro sobre os bastidores dos anos JK e o homem Juscelino: histórias íntimas sobre o poder, acordos políticos, empreendimentos e realizações. Também histórias sobre casos de amor e paixão, prováveis atentados contra a vida de JK e, ainda, sobre Nonô (apelido de Juscelino na infância) e Naná (apelido de sua irmã). Histórias políticas e pessoais que se mesclam e compõem, em seu todo, uma outra parte da História a ser revelada através da memória de João Pinheiro Neto. Tendo convivido 25 anos como amigo e assessor de Juscelino Kubitschek, ocupando diversas funções em seu Gabinete, e tendo conhecido de perto sua família e sendo amigo de seus amigos, o autor faz muitas revelações, em linguagem simples e direta.

Juscelino Kubitschek, o presidente bossa-nova Marleine Cohen Globo Reconstituição da vida de Juscelino Kubitschek de Oliveira, primeiro presidente da História de nossa República que foi eleito democraticamente e terminou seu mandato. Mais do que isso, a obra traça o panorama político, social e cultural de uma época em que o Brasil vivia uma onda de entusiasmo com seu futuro. Juscelino será sempre lembrado por seu empreendedorismo em relação à construção de Brasília e pela resistência pacífica às tentativas de deposição arbitrária que sofreu durante seu mandato. Talvez por isso seja considerado no meio político e intelectual – e também por boa parte do povo brasileiro – o mais admirável presidente de nossa História.

Vale a pena ler

Memórias de uma gueixa – Arthur Golden – Imago Frei Joe – Tony Hendra – Objetiva Orgulho e preconceito – Jane Austen – Civilização Brasileira Breve história de quase tudo – Bill Bryson – Cia. das Letras A sombra do vento – Carlos Ruiz Zafon – Objetiva

BRASIL ROTÁRIO

45


Dia da Cidadania celebra casamento coletivo Clube promove mutirão e oferece diversos serviços à comunidade RC DE Goioerê, PR – O Dia da Cidadania, promovido pela família rotária local em parceria com mais de 25 entidades, marcou a união de 46 casais que participaram do casamento coletivo, no encerramento do mutirão. Os noivos foram presenteados com fotos e, para comemorar, houve a distribuição de bolo aos presentes. Um dos parceiros da ação, João Batista Cunha Jr, do cartório de registro civil local, realizou os casamentos a preços de custo. Além dos noivos, o dia também foi especial para 500 famílias carentes que, previamente cadastradas, receberam cestas básicas. Com a participação de centenas de voluntários, os companheiros ofereceram diversos serviços à comunidade, como emissão de carteiras de identidade, trabalho, CPF e certidões de nascimento; orientações jurídicas nas áreas de família, cível, criminal, juizados especiais, infância e juventude; e recadastramento nos programas sociais governamentais. Também foram coletadas 72 bolsas de sangue e realizados 186 cortes de cabelo e 423 exames de glicemia. Para que os presentes pudessem participar do Dia da Cidadania em tempo integral, dois mil lanches foram servidos. Associações de bairros da cidade, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Cartório de Registro Civil João Cunha e Poder Judiciário da Comarca de Goioerê foram alguns dos parceiros do clube no mutirão. O evento recebeu o apoio do governo do Estado, da prefeitura e da Companhia de Habitação do Paraná, entre outros.

A CERIMÔNIA encerrou o dia de serviços à comunidade

VOLUNTÁRIOS REALIZARAM 186 cortes de cabelo

FORAM DISTRIBUÍDAS 500 cestas básicas a famílias carentes

D. 4630

46

MAIO DE 2006

NO DIA da Cidadania, 46 casais participaram de casamento coletivo


D. 4310 PARA FINALIZAR as celebrações do Centenário, os clubes de Sumaré descerraram uma placa comemorativa no Marco Rotário. A cerimônia teve as presenças dos presidentes dos RCs de Sumaré-Ação, Sumaré-Norte e Sumaré, SP, respectivamente, Osmar Navarro, Cristina Biglia e Laerte Rosolén.

D. 4390 RC DE Arapiraca, AL – Em parceria com a Fundação Rotária e a secretaria municipal de Educação, o RC mantém o projeto Lighthouse no município. Em dois anos de trabalho, 82 crianças já foram alfabetizadas.

D. 4410

RC DE Cerquilho, SP – Com a colaboração de clubes do distrito, da comunidade e da prefeitura, os companheiros reformaram a Casa da Criança de Cerquilho.

RC DE Vitória-Oeste, ES – Entregou prêmios aos melhores alunos da escola Otto Ewaldo Junior. A entrega foi realizada pelo presidente da Avenida de Serviços à Comunidade David Evaristo Zanotti, acompanhado da mulher, Arlete, e do presidente do RC, José Gomes Filho.

D. 4420

RC DE Tietê, SP – Os companheiros despediram-se do intercambiado Peter Blundell, que voltou para a Austrália, recepcionaram Lucas de Arruda Páscoli, intercambiado local que retornou da Dinamarca, e receberam a visita de Sara Hansen, no Brasil também pelo programa da Fundação Rotária.

RC DE Santos, SP – Firmou convênio com o Centro Cultural BrasilEstados Unidos para ministrar aulas de português aos intercambiados inbounders e lançou o programa de Visitas ao Acervo Rita e Paulo Viriato Corrêa da Costa, existente desde 1996. O local abriga todas as medalhas, troféus e estatuetas recebidos pelo ex-presidente do RI Paulo Viriato Corrêa da Costa. Com periodicidade quinzenal, o programa teve, entre seus primeiros visitantes, o casal EGD Altimar Augusto Fernandes e Elizabeth.

BRASIL ROTÁRIO

47


D. 4420

D. 4430

RC DE São Vicente, SP – Os companheiros entregaram uma kombi como doação ao Centro de Paralisia Cerebral São Camilo. O presidente do RC, Mário da Silva Cascais, o prefeito do município Tércio Garcia, o governador distrital Roberto Herrera e o EGD Altimar Augusto Fernandes estiveram presentes.

RC DE Mogi das Cruzes-Norte, SP – Em parceria com a prefeitura, o Instituto de Nefrologia local e outras entidades, participou da 1ª Campanha Municipal de Prevenção da Doença Renal Crônica, no MogiShopping. Mil pessoas estiveram no evento e foram encaminhadas para exames de sangue e urina e atendimento médico, realizados no próprio local.

D. 4440 RC DE Arenápolis, MT – Junto com a Associação de Senhoras de Rotarianos local, doou uma cadeira de rodas a um morador da cidade de Nortelândia. Em outro evento promovido pelo clube, o presidente Elias Bernardo Souza recebeu o troféu Destaque do Ano de 2005, na categoria melhor advogado de Arenápolis e Nortelândia.

D. 4490 RC DE Imperatriz, MA – Entregou dez cadeiras de rodas à população, recebidas do RC de Fortaleza-Oeste, que adquiriu da Free Wheelchair Mission um lote de 550 peças e as distribuiu para clubes do distrito.

48

MAIO DE 2006

D. 4480

RC DE Guaiçara, SP – Com o Subsídio Equivalente da Fundação Rotária – e em parceria com o RC de Taichung Harbor Yaa Taih, Taiwan(D.3460) – o clube doou móveis e equipamentos para o Espaço Cultural Estação Criatividade Geraldino da Silva, batizado com esse nome em homenagem ao sócio-fundador e ex-presidente do RC. Os companheiros inauguraram o espaço em conjunto com a prefeitura e o Centro Comunitário de Promoção Social.

D. 4500 RC DO RecifeApipucos, PE – Realizou feiras de usados, doou gêneros alimentícios para o Hospital do Câncer e promoveu o 2º Torneio de Futsal Governadora Aldanira Barreto, na quadra de esportes do Círculo Militar de Pernambuco.


D. 4500 RC DE Carpina, PE – Em Visita Oficial, a governadora Aldanira Barreto conheceu o projeto Programa Amor, onde há um centro de computação e uma padaria, fruto da parceria do clube com a Kenkel-Alemanha e a prefeitura. Estiveram presentes também o presidente eleito 2006-07 Carlos Roberto Alves, o presidente João Barbosa de Oliveira e o governador assistente Fred Monteiro. O clube tem outro projeto permanente e, a cada semana, entrega duas cadeiras de rodas a deficientes físicos, com a contribuição do companheiro Fernando Tavares.

D. 4510 RC DE Presidente Prudente-Sul, SP – O clube solicitou à Câmara Municipal uma lei que tornasse obrigatória a realização do teste da orelhinha em todos os recém-nascidos do município. Idealizado pelo companheiro Regis Assad (à direita) e apresentado pelo presidente da Casa, vereador Ed Thomas (centro), o projeto foi aprovado e promulgado. Na foto, eles estão acompanhados do presidente do RC, Geraldo Mendes Ferraz.

RC DE Petrolina-Norte, PE – Em nome do clube, o presidente Antônio Fernando Aquino entregou um certificado de Amigo do Rotary à diretora do Colégio Diocesano Dom Bosco, Terezinha Teixeira, que concedeu uma bolsa de estudos de 50% a Benilson Coelho Alencar, durante todo o ensino médio. A outra parte foi subsidiada pelo RC e o estudante foi aprovado nos vestibulares de Matemática, Engenharia Elétrica e Direito. O governador assistente Urbano da Costa Lins presenciou a entrega.

D. 4520 RC DE ItabiraCauê, MG – Em parceria com a empresa local Sales Gama, o clube e a Casa da Amizade recolheram 1.260 kg de alimentos durante uma campanha de doação.

D. 4540

D. 4530

RC DE GuaráÁguas Claras, DF – Mantém o programa Esporte para Todos, que permite a prática de karatê a 60 crianças e adolescentes em situação de risco social. Além disso, os companheiros participaram de campanha de vacinação contra paralisia infantil, em que mais de 2.500 crianças de até cinco anos de idade foram imunizadas, e, no final do ano passado, arrecadou duas toneladas de alimentos, entregues a quatro entidades locais.

RC DE Ipuã, SP – Os companheiros presentearam o Departamento de Cultura de Barretos com uma bateria musical, na festiva em comemoração aos 101 anos do RI. Para possibilitar a aquisição do instrumento, foram vendidos ingressos para o evento. Na festividade, a Banda Municipal de Barretos executou o Hino Nacional e as senhoras da Casa da Amizade local patrocinaram o coquetel oferecido.

BRASIL ROTÁRIO

49


D. 4540

D. 4550

RC DE Itirapuã, SP – Os companheiros presentearam com uniformes as 65 crianças atendidas pelo Lar Coait Creche.

RC DE Porto Seguro, BA - Com as despesas custeadas pelo distrito 1620, na Bélgica, Maria Stela da Silva Aquino participará do Programa de Intercâmbio de Jovens, naquele país. Na foto, ela está acompanhada da australiana Michelle Barnes e do belga Tommy De Meyer, intercambiados que estão em Porto Seguro.

D. 4560

RC DE Divinópolis, MG – Cerca de 2.000 crianças carentes receberam presentes e sacolinhas-surpresa em festa promovida pelos companheiros no ginásio poliesportivo da cidade.

D. 4580

RC DE Barbacena-Monte Mário, MG – Recebeu a Visita Oficial do casal governador Roberto Kamil e Ana Gilda.

50

MAIO DE 2006

D. 4570

RC DO Rio de Janeiro-Taquara, RJ – Em Visita Oficial, o governador Sebastião Porto esteve no Marco Rotário do clube, que foi revitalizado e recebeu uma nova placa.

RC DO Rio de JaneiroParanapuã, RJ – Com a presença do casal governador Sebastião Porto e Ieda, o clube inaugurou seu Marco Rotário. Também estiveram presentes o casal presidente Eloy Eharaldt e Zélia, além de autoridades rotárias, civis e militares.


D. 4590

RC DE Mogi-Mirim, SP – Por meio de Subsídio Distrital Simplificado, o clube doou ao Lar São Francisco uma máquina de produção de fraldas geriátricas. O casal governador Temer Feres e Gianete esteve na entrega.

D. 4600

ACOMPANHADOS DAS mulheres, companheiros dos Rotary Clubs de Taubaté e TaubatéUrupês, SP, trabalharam na 1ª Feira Flor, realizada na Avenida do Povo.

RC DE Taubaté, SP – Por meio de Subsídio Simplificado, o clube está desenvolvendo o projeto Água Filtrada e vem distribuindo filtros para famílias carentes.

EM UMA ação conjunta, o Rotary Club de Jundiaí-Sul, SP(D.4590) e o Rotary Club de São Paulo-Memorial da América Latina, SP(D.4610) doaram livros para a Associação de Assistência aos Hansenianos de Jundiaí.

PARA COMEMORAR a Semana Municipal do Rotary em Campinas, companheiros dos 12 clubes da cidade se reuniram em uma sessão conjunta. A mesa diretora foi composta por EGDs e por presidentes dos RCs.

D. 4610

RC DE São Paulo-Bom Retiro, SP – Os companheiros promoveram o Mutirão da Saúde, junto com a Subprefeitura da Sé, LBV local, Aliança de Misericórdia e Policlínica Dr. Amuratti. A Polícia Militar apoiou o evento, que teve participação do Colégio Integral Inaci. No total, foram realizados 473 atendimentos, como aplicação de flúor, exame de diabetes e aferição de pressão arterial, entre outros. Foram distribuídos brinquedos pela LBV e mil lanches.

BRASIL ROTÁRIO

51


D. 4620 RC DE Sorocaba, SP – Os companheiros organizaram uma festa para os 120 alunos da creche Centro de Educação Infantil Profª Olga de Toledo Lara e para 70 crianças carentes de vilas próximas. No local, foram instalados brinquedos para a diversão das crianças, que também ganharam presentes e lanche.

RC DE Campo MourãoGralha Azul, PR – Construiu o Marco Rotário alusivo ao Centenário, inaugurado pelos cinco clubes locais. Com 12 metros de altura, o monumento é composto por três elementos que representam o passado, presente e futuro e estão unidos com placas comemorativas. O governador Wilson Isolani e os EGDs Ademar Batista de Mello, João Maria de Oliveira e João Marin Mechia estiveram presentes na cerimônia de inauguração, além dos presidentes dos RCs e da família rotária local.

RC DE MaringáAeroporto, PR – O oficial de intercâmbio Paulo Gustavo Badan (à esquerda) eo presidente do clube, Oswaldo Kazuaki Nagata, estiveram na despedida aos jovens da cidade que participarão do Programa de Intercâmbio. Em outra ocasião, o clube entregou ao EGD e presidente do Núcleo Social de Maringá, Benivaldo Ramos Ferreira, um cheque correspondente à renda obtida com a venda de 800 pratos de arroz de Braga.

52

MAIO DE 2006

D. 4630

RC DE Campo Mourão, PR – Em parceria com o Fundo Distrital, o clube doou cinco exaustores eólicos para o berçário do Centro de Educação Santa Rita, onde são atendidos 380 crianças e adolescentes de zero a 17 anos de idade.

RC DE Cianorte, PR – Durante a conferência distrital do ano passado, foi premiado pela fundação do NRDC, coapadrinhamento na fundação do RC de CianorteCinturão Verde, melhor freqüência, doação expressiva à Fundação Rotária e compromisso com o servir, entre outros.

EM FASE final de formação, o Rotary Club de Maringá-Catedral, PR, já vem realizando diversos eventos. Com a participação do governador Wilson Isolani e do EGD Nilton Migliozzi, este último como representante para formação do RC, foi promovido um show de balonismo, que consistiu na subida de um balão dentro da Catedral Basílica Nossa Senhora da Glória, com 144 metros de altura. Na ocasião, mais de 5.000 kg de alimentos não-perecíveis foram arrecadados para serem doados a entidades beneficentes.


D. 4640 RC DE Foz do Iguaçu, PR – Realizou a formatura dos 3.890 alunos alfabetizados no ano passado, por meio de parceria com a Fundação Banco do Brasil, prefeitura, Secretaria Estadual de Educação, Sesi, Associação Comercial de Foz do Iguaçu e Itaipu Binacional. Durante o curso, foram providenciados óculos, merenda escolar, material didático e creches para os filhos e netos dos alunos. O clube possui um projeto permanente de alfabetização de jovens e adultos e, em 2003, propôs a criação da Rede Cidadã, união de todas as entidades envolvidas com o assunto.

D. 4650

RC DE BlumenauFortaleza, SC – Na comemoração de seu aniversário, o companheiro Renato Teixeira Barros pediu que os convidados o presenteassem com cestas básicas a serem destinadas ao clube. Com a campanha, foram recebidos, aproximadamente, 800 kg de alimentos. As doações foram repassadas a entidades beneficentes assistidas pelo RC.

D. 4670 RC DE Novo HamburgoMonumento, RS – Com o Subsídio Equivalente da Fundação Rotária – e em parceria com o distrito 3670, da Coréia do Sul – o clube doou um computador Braille Falado para a Associação de Deficientes Visuais de Novo Hamburgo (Adevis). O presidente do clube, Cláudio Bonenberger, entregou o equipamento ao presidente da Adevis, Ricardo Sewald, na presença de companheiros e da secretária da associação, Cecília Dambrós.

RC DE Chopinzinho, PR – Recebida pelo RC de Pune South, Índia (D.3130), Bruna Carina Bordin Oldoni (em primeiro plano) encontrouse com todos os intercambiados hospedados por aquele distrito.

D. 4651

RC DE Laguna-República Juliana, SC – Acompanhados de familiares, companheiros realizaram a campanha Praia Limpa. Eles percorreram a Praia do Mar Grosso, onde distribuíram panfletos e sacolas plásticas para o recolhimento de lixo. Também entregaram ao morador Edson Nascimento uma cadeira de rodas do banco mantido pelo clube.

D. 4680

RC DE Pelotas, RS – Recebeu da concessionária San Marino um Fiat Uno Mille Fire Flex 2006, para ser sorteado em benefício das obras sociais do clube. O gerente da concessionária, Wilson Nunes, entregou as chaves do veículo ao presidente do RC, Fernando José Alves da Cunha, e ao vice-presidente Roberto dos Anjos.

BRASIL ROTÁRIO

53


D. 4680

D. 4700

RC DE Venâncio Aires, RS – Recebeu a visita do tradicionalista Pedro Schwengber, que proferiu palestra sobre a Escola do Chimarrão de Venâncio Aires e posou ao lado do governador João Moacir Ferreira. Em outra ocasião, recepcionou as integrantes do Interact Club local Thaís Puppe Ferreira e Roberta Kliemann, em retorno de viagem por outros estados.

D. 4710

RC DE Apucarana-Cidade Alta, PR – Após três meses de campanha entre os sócios, o clube arrecadou mais de mil livros usados. As obras foram doadas para a prefeitura, que as encaminhará para bibliotecas municipais. Em cerimônia no gabinete, o prefeito Valter Aparecido Pegorer agradeceu a iniciativa e o presidente do clube, Mauricio Zancopé, leu a carta de doação, na presença de autoridades políticas e rotárias locais. Também foram arrecadados gibis e revistas, doados ao minipresídio da cidade. ○

RC DE Erechim-Três Vendas, RS – Os companheiros entregaram mais de 300 kg de alimentos a famílias carentes; homenagearam o profissional Archimedes Basso, que se dedica à área de metalurgia, por ter alcançado destaque na comunidade com seu trabalho; e realizaram uma viagem de companheirismo.

RC DE Soledade, RS – Com ajuda da imprensa e de empresas locais, distribuiu cestas básicas a famílias carentes que têm os filhos com a vacinação em dia e freqüentando a escola.

D. 4720

RC DE Ananindeua, PA – Em parceria com professores do colégio Goldin Lins, os companheiros arrecadaram e entregaram 50 cestas básicas a moradores de comunidades carentes do município. Em outra oportunidade, realizaram um seminário sobre o RI, voltado para pessoas interessadas em conhecer a instituição. O evento contou com a participação dos EGDs Moacir Dias da Silva, Valdir dos Santos e Eduardo Marques e foi encerrado com uma feijoada.

54

MAIO DE 2006

RC DE Conceição do Araguaia, PA – Em visita a um abrigo de idosos, os integrantes do Rotakid local serviram café da manhã, cantaram, brincaram e contaram histórias aos moradores. Também realizaram um festival de sorvete em benefício de crianças carentes que não conseguem estudar por falta de material escolar.


D. 4740

D. 4730

RC DE LagesNorte, SC – Junto com o delegado da Receita Federal local, Osmar Becker, o presidente Cesar Augusto Faccina de Carvalho, em nome do clube, entregou uma cadeira de rodas especial, destinada a uma menina com paralisia cerebral. RC DE Quatro Barras, PR – Doou 300 livros e inaugurou a Estante Paul Harris, na biblioteca da Escola Estadual Arlinda Creplive, por ocasião da Visita Oficial do governador Jaroslaw Hrebinnik. O clube também celebrou o Dia do Rio, quando companheiros trabalharam na limpeza do Timbú, que corta o município.

RC DE Bom Jesus de Itabapoana, RJ – Junto com a Sociedade Luizinho Teixeira e moradores da comunidade, o clube participou da entrega de uma cadeira de rodas para Daniel de Souza Curcio do Nascimento, de dez anos de idade, morador da cidade de Bom Jesus do Norte, no Espírito Santo.

RC DE CuritibaÁgua Verde, PR – No Dia Internacional da Mulher, o presidente do clube, Ilimar Kasper, prestou uma homenagem a todas as rotarianas nas dependências do Mercado Angeloni. ○

D. 4750

D. 4760

RC DE Presidente Olegário, MG – Em convênio com a secretaria de Educação do município, implantou o projeto Lighthouse e está alfabetizando 320 alunos.

RC DE Itaocara, RJ – Com a parceria da prefeitura de Cambuci, o clube distribuiu brinquedos a 400 crianças e cestas básicas a famílias daquele município. Para a entrega, foi preparada uma festa, com programação recreativa e brinquedos, como pula-pula e touro mecânico.

BRASIL ROTÁRIO

55


D. 4770 RC DE Alto Taquari, MT – Tem realizado diversas ações: por meio de parcerias com Casa da Amizade e Interact Club locais, além do Banco do Brasil, Associação Comercial e prefeitura, arrecadou e distribuiu 650 cestas básicas; junto com representantes da comunidade, doou 33 pares de chuteiras aos alunos da escolinha de futebol infantil mantida pelo RC e pela Casa da Amizade; com os integrantes do Interact Club e as senhoras da Casa da Amizade, entregou cem filtros de água a famílias carentes; em parceria com a Casa da Amizade e a prefeitura, concedeu a 40 idosos da comunidade uma viagem a Águas Quentes, em Cuiabá (foto), para que se beneficiassem nas águas termais; promoveu, na Pastoral da Criança, uma palestra sobre planejamento familiar e higiene e saúde; organizou a 1ª Festa do Porco à Paraguaia e destinou a renda obtida à compra de kits escolares para alunos das redes estadual e municipal; para adquirir livros de literatura infanto-juvenil para a biblioteca municipal, realizou, junto com a Casa da Amizade e a comunidade, a 5ª Festa do Sorvete; para aumentar a área verde da cidade, em parceria com a Casa da Amizade e secretaria municipal de Meio Ambiente, realizou o plantio de mudas de árvores em 600 residências inscritas no projeto Adote uma Árvore. RC DE Uberaba, MG – No Dia do Rotariano de Uberaba, a Câmara Municipal local prestou homenagem ao RC. O presidente da Casa, vereador Tony Carlos, entregou diplomas de Homenagem Especial ao Serviço Rotário Municipal à presidente do clube, Maria Aparecida Rocha Nascimento, presidente da Casa da Amizade local, Maria dos Anjos Meccheri de Almeida, coordenadora distrital Iseni Souza Alves e governador Napoleão Alves Neto. ○

D. 4780

RC DE Livramento-Integração, RS – Entregou certificados para os primeiros 75 alfabetizados pelo Programa BB Educar, uma parceria com o Banco do Brasil implementada na cidade, no ano passado. O clube também doou óculos aos alunos com deficiências visuais.

56

MAIO DE 2006

Como usar a BR

Para que os projetos de seu clube ou distrito virem notícia na Brasil Rotário, é fundamental que as cartas e e-mails enviados à redação incluam o nome completo do clube, o local e a data onde foram realizadas as ações e um breve relato sobre a importância delas para a comunidade. Não esqueça de informar o nome completo dos parceiros – clubes, entidades ou empresas do Brasil ou do exterior – que tenham participado dos projetos. Para que possamos entrar em contato com você no caso de qualquer dúvida, forneça também um telefone de contato ou e-mail. Dê preferência às fotos que demonstrem ação. As imagens precisam ser coloridas, ter foco e devem estar bem identificadas, trazendo o nome completo de todos os fotografados. Não escreva no verso das fotografias, protegendo-as bem ao enviá-las pelo correio. Quando o evento for muito importante, uma boa dica é contratar um fotógrafo profissional para fazer a cobertura. No caso das fotos digitalizadas – enviadas por e-mail, disquete ou CD – é indispensável que elas tenham pelo menos 300 DPIs de resolução. Não publicamos fotos com resolução inferior a essa. Salve suas imagens em TIF ou JPG e envie anexos com, no máximo, 1M. O nosso e-mail é redacao@brasilrotario.com.br e o endereço da revista é Av. Rio Branco, 125 – 18º andar, CEP: 20040006, Rio de Janeiro, RJ.

D. 4720 RC DE Belém, PA – Na companhia dos integrantes do Rotaract Club local, os companheiros visitaram a creche Favo de Mel, onde distribuíram brinquedos e lanche às cem crianças assistidas pela instituição.


Novos Companheiros Paul Harris ○

D. 4510

D. 4530

AGRACIADO: SIDNEI Foglia, do RC de Presidente PrudenteNascente, SP, durante Visita Oficial do governador José Giometti, e nas presenças da mulher do homenageado, Cristiane, da presidente Nanci Fluminhan e da companheira Tita Vedovati Moreira.

AGRACIADO: ADEMIR Pereira de Oliveira, expresidente e exgovernador assistente do RC de BrasíliaCruzeiro, DF. ENTREGUE POR: presidente Gualter Santana e EGD José Marques Zago.

D. 4590 AGRACIADO: HABIB Kamel Noumi, sócio do RC de CampinasLeste, SP, com o cristal de Major Donors, na presença do presidente Ronaldo Barbosa. ENTREGUE POR: EGD Alcides Serzedello (centro).

D. 4630 AGRACIADO: ELMO Mairynk Spigolon, companheiro do RC de Paranavaí, PR, acompanhado da mulher, Nilsa. ENTREGUE POR: governadora entrante Maria da Penha Surjus (à esquerda).

AGRACIADO: LEOPOLDO Araújo Chaves (à direita), presidente do RC de BrasíliaPenínsula Norte, DF. ENTREGUE POR: EGD Pedro Julião (à esquerda). ○

D. 4640

D. 4710 AGRACIADO: GERSON Guariente, do RC de LondrinaNordeste, PR, nas presenças do governador Alvaro Cláudio Amorim Brochado e do presidente Laércio Rodrigues de Oliveira. ENTREGUE POR: EGD João Soares Caldas (à esquerda).

AGRACIADA: STELA Maris Sordi, expresidente do RC de Pato Branco-Amizade, PR, na presença do governador José Antonio Uba. ENTREGUE POR: presidente Célio Jorge Vicari.

Faça sua doação à Fundação Rotária do Brasil BRASIL ROTÁRIO

57


Senhoras em Ação ○

AS INTEGRANTES da Casa da Amizade de Ipuã, SP(D.4540) patrocinaram o coquetel da festiva em comemoração aos 101 anos do RI. Na oportunidade, o clube local presenteou o Departamento de Cultura de Barretos com uma bateria musical. PARA CONFRATERNIZAR os clubes do distrito, a Associação das Senhoras de Rotarianos de Cianorte, PR(D.4630) organizou um jantar dançante. A festa contou com a presença do casal governador Wilson Isolani e Ana Maria.

JUNTO COM o clube local, a Casa da Amizade de Montes Claros-Oeste, MG(D.4760) doou cestas básicas e fraldas descartáveis à Associação das Damas de Caridade. Em outra ação, as senhoras realizaram, em escolas, uma campanha de conscientização da importância do banco de leite materno, o que resultou na doação de 1.250 frascos de vidro de 200 ml ao Hospital Aroldo Tourinho. A Casa da Amizade também distribuiu uma tonelada de alimentos, que as senhoras receberam do Conselho da Mulher Empreendedora; organizou, junto com o RC, um bazar de roupas usadas e utilizou a verba obtida para comprar cadeiras de rodas; e distribuiu 320 cestas básicas, depois que a mulher do governador Said Campos, Cida, recusou o baile em sua homenagem e pediu que fossem doados alimentos.

58

MAIO DE 2006

A CASA da Amizade de Ouro Fino, MG(D.4560) realizou uma campanha e entregou um aparelho auditivo a um estudante com deficiência. As senhoras também iniciaram a criação do Banco de Fraldas Geriátricas.

A CASA da Amizade de Paranaguá, PR(D.4730) ofereceu uma oficina de pães caseiros às adolescentes do Lar das Meninas Complexo Aníbal Roque. Em outra ação, as senhoras promoveram na comunidade um curso de reaproveitamento alimentar (foto) e investiram a renda obtida em eventos de assistência social.


RODRIGO

— AGORA VOU buscar a sexta!

☺ Na escola

A professora pergunta: – Quantos anos você tinha no seu último aniversário? O aluno responde: – Sete. E a professora pergunta novamente: – E quantos anos você terá no seu próximo aniversário? O aluno: – Nove. A professora questiona: – Não pode, Joãozinho, pensa bem... E ele responde: – Pode, fessora. Estou fazendo oito hoje.

☺ Quem

descobriu a Amé-

rica A professora chama o aluno na frente e fala: – Jorge, vá até o mapa e ache a América. – Aqui está, professora. – Certo. Agora, turma, quem foi que descobriu a América? E a turma responde: – O Jorge!

☺ Egocêntrico

A professora fala: – Júlio, diga o nome de algo importante que temos hoje e que não existia há dez anos. Sem pensar duas vezes ele responde: – Eu!

☺ Motivo justo

A professora ralhava com o Joãozinho: – Joãozinho, a que distância você mora da escola? – A dois quilômetros, professora! – E a que horas você sai de casa? – Às sete e quinze, professora! – Então, se você tem quarenta e cinco minutos para percorrer apenas dois quilômetros, por que é que chega todo dia atrasado?

– É que tá cheio de placas: “Devagar, escola”.

☺ Perdido no shopping

Num shopping lotado, o garoto perdido vira-se para um dos seguranças e pergunta: – Seu guarda, o senhor não viu uma mulher passar por aqui sem um garotinho como eu?

☺ Fugitivos na madrugada

Em plena madrugada, a moça ouve alguém batendo na janela. Levanta-se imediatamente e dá de cara com o namorado no alto de uma escada. – Depressa! – ordena ele – Pegue as suas coisas e vamos fugir! – Psssiiiuuu! Fala baixo, senão vai acordar o papai! – Acordar? Quem você pensa que está lá embaixo segurando a escada?

☺ Negócios de família

O sujeito chega no consultório do psiquiatra e desabafa: – Doutor, preciso da sua ajuda! Acho que estou ficando louco! Já faz três noites que não consigo dormir de tanta preocupação! – E qual o motivo de sua preocupação? – Dinheiro, doutor! – Ah! Mas é muito fácil. É só o senhor parar de pensar no assunto. Outro dia esteve aqui um camarada que também não conseguia dormir por causa das dívidas

que tinha contraído com o tio. Falei pra ele que o tio é que deveria ficar preocupado, já que tinha dinheiro pra receber. Daí em diante, ele passou a dormir tranqüilo! – Pois é, doutor, era o meu sobrinho!

Adolescência Aquele adolescente não queria saber de nada na vida: não trabalhava, não estudava, dormia durante o dia e passava noites inteiras lendo piadas na internet. Aquilo era demais! – Meu filho, estou muito preocupado. Você já tem 15 anos! O que você quer da vida? Você sabe o que Abraham Lincoln fazia quando tinha a sua idade? E o filho: – Na minha idade eu não sei. Mas na sua, ele era o presidente dos EUA.

☺ Oração do internauta

“Satélite nosso que estais no céu, acelerado seja o vosso link, venha a nós o vosso host, seja feita vossa conexão, assim em casa como no trabalho. O download nosso de cada dia nos dai hoje, perdoai nosso tempo perdido no chat, assim como nós perdoamos os banners de nossos provedores. Não deixeis cair a conexão e livrai-nos do spam. Assim seja!” BRASIL ROTÁRIO

59


13º Concurso de Monografias para Professores Adiado o prazo para divulgação do resultado

E

m virtude do grande número de trabalhos inscritos – 411, um recorde – a organização do concurso precisou estender até o final de abril o prazo dado à Comissão Julgadora para avaliar o material recebido. Como esta edição foi fechada no dia 12/03, os nomes dos vencedores serão divulgados na Brasil Rotário de junho. Antes disso, em maio, confira o resultado no jornal Folha Dirigida, parceiro da BR nessa iniciativa.

Cartas & Recados

Rotary é homenageado na Câmara

N

o dia 15 de março, no plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília, o deputado federal Adelor Vieira (PMDB-SC) prestou uma homenagem ao 101 o aniversário do Rotary International, comemorado em fevereiro. Em seu pronunciamento, Adelor Vieira recordou a criação de nossa organização e mostrou como os rotarianos vêm fazendo a diferença para as comunidades de 168 países. “No momento em que a humanidade sofre toda a sorte de agressão e violência, 60

MAIO DE 2006

e que os direitos mais elementares são violados, os rotarianos continuam contribuindo, levando esperança através da prestação de serviços e despertando lideranças para suprir as necessidades dos nossos semelhantes que habitam outros continentes ou que compartilham conosco o dia-a-dia na família, no trabalho e na comunidade em geral”, disse o deputado.

Saudades Laércio José da Costa, sócio do Rotary Club de Santo Antônio da Alegria, SP(D.4540). ■ ■ ■

José Campigoto, companheiro do Rotary Club de Laranjeiras do Sul, PR(D.4640). ■ ■ ■

Azyr Nehme Simão, do Rotary Club de Caxias do Sul-Imigrante, RS (D.4700). ■ ■ ■

José Belardinelli, sócio do Rotary Club de Caxias do Sul, RS(D.4700). ■ ■ ■

Rui Jackson, presidente do Interact Club de Alto Taquari, MT(D.4770) vítima de acidente automobilístico em que também morreu o jovem Rodrigo Briansini, irmão da companheira Viviane Joice, coordenadora assistente das Casas da Amizade na área IX do distrito.



Brasil Rotário - Maio de 2006