Issuu on Google+

Adeus Ano Velho, Feliz Ano Novo! Álvaro Lima William E. Vaughan, é um colunista e autor Americano conhecido, entre outras coisas, por seus aforismos populares. Entre muitos, o seguinte é pertinente para esta época: “O otimista fica acordado até a meia noite para ver a passagem do ano novo. O pessimista fica acordado para ter certeza de que o ano velho passou.” Neste fim de ano, podemos fazer coro com os pessimistas, dado que não podemos negar que este ano foi bastante duro, sofrido, ano de crise econômica, e de muitos desapontamentos. Podemos, no entanto, tentar convencê-los de que 2009, com todos os seus problemas foi um ano histórico. Um ano em que presenciamos a posse de um jovem Presidente. Primeiro presidente afro-americano da história do país. Ou se preferirmos, o primeiro presidente filho de imigrante – segunda geração. Vimos também os democratas aumentarem a sua maioria no Congresso. Dois eventos que marcam o repúdio as ideologias de direita e anti imigração. Tivemos recentemente, a nomeação de uma portoriquenha para a Corte Suprema do país. Na America Latina, o Presidente Obama expressou a sua vontade de mudar as relações dos Estados Unidos com aquela região. Em Praga, em um pronunciamento histórico, reiterou a sua determinação em reduzir os arsenais atômicos. E, num discurso sem precedentes, afirmou, no Cairo, sua avidez em mudar as relações com o mundo muçulmano.

Esforços voltados a abraçar uma política de reciprocidade,

igualdade e cooperação com o mundo. Mesmo considerando todos os limites e obstáculos, a eleição do Presidente Obama faz uma diferença enorme e nos dá


espaço para sonhar de novo. Nós poderíamos continuar argumentando, mas, enquanto isso, um ano passaria e o outro chegaria despercebido. Os pessimistas iriam dormir em paz certos de que o ano passou. Nós, dormiríamos sem apercebermo-nos de que acabamos de perder este ritual de renovação presente em todas as culturas embora que com calendários diferentes.

Alternativamente, podemos nos juntar aos otimistas e celebrar a chegada do Ano Novo. Celebração que nos dá a oportunidade de renovar os nossos laços humanitários, de amizade, e camaradagem. Momento único em que, individualmente e coletivamente, renovamos nossos sentimentos de esperança e de possibilidades.

Assim, nos preparamos para as lutas que nos esperam a

frente e que demandam momentos de comunhão. No ano que vem, as batalhas certamente serão muitas. Vencê-las, fará a diferença na vida de milhões de pessoas, principalmente na vida dos imigrantes e suas famílias. Mesmo considerando que o Presidente introduzirá a proposta de reforma imigratória e que ele tem a maioria no Congresso, esta maioria não é significativa ou progressista o suficiente para por si só aprovar a reforma imigratória. Nós, organizados numa ampla frente formada por imigrantes e cidadãos das mais diferentes classes e credos, somos a garantia de que o pêndulo desta vez oscilará em favor da reforma. Separados, nem o Presidente nem nós conseguiremos sucesso. O nosso desafio está na unidade desta frente diversa e fluída que se unirá para atingir uma reforma justa, humana e que beneficie a sociedade Americana como um todo. Uma reforma que proporcione aos


imigrantes indocumentados vias para que se tornem membros efetivos desta sociedade. Uma reforma que unifique as famílias. Uma reforma imigratória que libere a capacidade criadora dos milhões de trabalhadores e empresários imigrantes que tanto têm contribuído para este país. A frente deste movimento, devemos estar todos nós brasileiros documentados, indocumentados, cidadãos, de primeira e segunda gerações, homens e mulheres, pais e filhos, jovens, adultos e idosos, pois nas nossas mãos está grande parte do nosso futuro e do futuro deste pais. Tensões, contradições, visões concorrentes, e pessimismo são inevitáveis. A oposição será impetuosa e hábil. No final do próximo ano, outra vez olharemos para traz de forma diferente dos pessimistas. Se tivermos sucesso, eles talvez se juntem a nós e unidos levaremos a cabo, com renovada esperança, este ritual milenar da passagem do ano. Feliz Ano Novo!


Adeus Ano Velho