Issuu on Google+

Marcos Santos/ USP Imagens

uma visão popular do brasil e do mundo

Fundação Casa corre risco de terceirização

distribuição gratuita | brasildefato.com.br | facebook.com/brasildefatosp

São Paulo, de 25 a 29 de abril de 2014 | ano 1 n• 33

administração para especialistas, mudança é um equívoco e pode piorar atendimento aos jovens

Sérgio amadeu »9: “Marco Civil da Internet representa vitória colossal no mundo” fatos em foco »10: Multa por aumento do consumo de água é ilegal, afirma Idec

Divulgação

Série do Porta dos Fundos trata de aids sem preconceito

política » 7

Deputados tiram “promoção da igualdade” de plano de educação

José Cruz/Agência Brasil

internet » 13


02

EDITORIAL

São Paulo

O

Falta de água: a culpa é sua?

governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), anunciou nesta semana que os moradores da região metropolitana de São Paulo, abastecidos pelo Sistema Cantareira, sofrerão multas se aumentarem o consumo de água. Medidas para incentivar a economia de água, como campanhas de conscientização e distribuição de materiais com informações para evitar desperdícios, são sempre desejáveis. No entanto, o governo decide multar a população diante de sua omissão e da ausência de investimentos da Sabesp. Com a aplicação de multas, o governo Alckmin tenta responsabilizar o povo pela falta de água. Contudo, a cri-

se da falta de água deve recair sobre tamento sanitário, deixou de ser uma os sucessivos governos do PSDB, que empresa de caráter público, que deocupam o Palácio dos Bandeirantes há veria ter como principal objetivo aten20 anos. der bem a população. Há décadas se Essa situação, que pode se estender transformou em uma empresa de nepara todo o estado, poderia ter sido gócios, que tem como principal objeevitada caso tivo gerar lucro, o governo tique nos últimos Desabastecimento vesse colocaanos chepoderia ter sido evitado dois do em prática garam a quase caso o governo estadual R$ 2 bilhões. as medidas necessárias Boa parte destivesse agido para evitar se lucro é repasesse caos. Os órgãos que cuidam das sado a acionistas no Brasil e em Nova águas em outras cidades também não Iorque. O recurso que vai para o goverpreveem plano de emergência para no, que é seu maior acionista, não é reenfrentamento de crises. investido em programas de redução de A Sabesp, empresa responsável perdas, água de reuso e expansão de pelo abastecimento de água e esgo- sistemas de produção de água.

Além disso, a empresa vem sendo loteada entre os empreiteiros, com as terceirizações e PPPs (Parcerias Públicos Privadas), precarizando o trabalho e provocando queda na qualidade de serviços. Quase metade dos resíduos dos esgotos produzidos no estado não são tratados. Apesar de boa parte do que se coleta ser despejado in natura nos rios e córregos, os usuários dos serviços são obrigados a pagar, mesmo sem o tratamento dos esgotos. As multas anunciadas por Alckmin deveriam ser aplicadas nos responsáveis por essa situação. Nos próximos meses não estão previstas chuvas suficientes, o nível do Sistema Cantareira ficará ainda mais baixo e vai faltar água, apesar das garantias do governador.

Brasil

A

Ofensiva contra a Petrobras

s descobertas de jazidas de petróleo no Brasil e as pesquisas do pré-sal coincidiram com o governo Fernando Henrique Cardoso, que se submetia aos interesses dos grandes capitalistas e empresas transnacionais. FHC promoveu uma verdadeira dilapidação da Petrobrás, acabando com o monopólio estatal da exploração. Com isso, o petróleo passou a pertencer à empresa que extrai. Pagando uma taxa ao Estado, qualquer petroleira pode exportá-lo sem passar por nenhum processo de refino. Nesse período, foram vendidas ações da Petrobras na Bolsa de Valores de Nova Iorque. Estima-se que atualmente 40% do capital da em-

presa é controlado por estrangeiros. que permite uma exploração de 50 O descalabro foi tanto que chega- anos, no mínimo. Com isso, as emram a propor a mudança do nome da presas estrangeiras abriram o olho, empresa para Petrobrax. Assim, aju- já que essa exploração pode gerar daria os gringos que não conseguem um lucro extraordinário que alcançapronunciar, pasmen, Petrobras. Com rá uma cifra de trilhões. a reação das ruas, Essa é a o governo voltou Empresas estrangeiras disputa feita atrás. capital, querem reservas do pré- pelo Com a eleição que acionou sal, que chegam a 70 de Lula, em 2002, seus reprehouve mudanças sentantes bilhões de barris significativas na no Congresempresa. O governo tentou recuperar so para tentar criar uma CPI. O obesse patrimônio da nação brasileira, jetivo é agitar o mercado, fazer as ainda que lentamente. Mudou a lei de ações da empresa cairem e intensinovo e recuperou a propriedade do pe- ficar uma ofensiva sobre o que sotróleo da camada pré-sal para a União. brou dela. Além disso, pretendem As reservas do pré-sal chegam a enfraquecer a presidenta Dilma. 70 bilhões de barris de petróleo, o No entanto, isso é apenas a sobre-

mesa, porque o que querem mesmo é o lucro com o petróleo. O candidato à presidência, Aécio Neves, já mostrou nas entrelinhas que quer privatizar a Petrobrás e entregar as reservas do pré-sal ao capital estrangeiro. Os erros existentes nos negócios da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, são apenas um pretexto para esconder da sociedade seus verdadeiros interesses. Um exemplo é que, dois anos atrás, o pedido de auditoria desse negócio por representante de associação dos engenheiros não rendeu nada na imprensa. A sociedade deve ficar alerta, em defesa da Petrobras como empresa pública. Só assim será garantida a riqueza do petróleo para atender as necessidades do povo brasileiro.

O jornal Brasil de Fato circula semanalmente em todo o país com uma edição nacional e em edições regionais, no Rio de Janeiro, em Minas Gerais e em São Paulo. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais em nosso país. Contato: redacaosp@brasildefato.com.br | (11) 2131-0800 Publicidade:valdinei@brasildefato.com.br

Conselho Editorial: Aton Fon Filho, Gabriel Sollero, Igor Felippe, Igor Fuser, João Paulo Rodrigues, Neuri Rossetto, Ricardo Gebrim, Ronaldo Pagotto e Vítor Polachinni • Diretores executivos: Igor Felippe e Ronaldo Pagotto • Editora: Vivian Fernandes • Repórteres: Luiz Felipe Albuquerque, Mariana Desidério e Rafael Tatemoto • Estagiário: Guilherme Almeida • Revisão: Thiago Moyano • Diagramação: Alvise Lucchese • Fotógrafo: Rafael Stedile • Jornalista responsável: Vivian Fernandes – Mtb 14.245/MG • Coordenação da distribuição: Larissa Sampaio • Administração: Ana Karla Monteiro • Endereço: Al. Eduardo Prado, 676 – Campos Elíseos – CEP 01218-010 – Tel. (11) 2131-0800 / Fax: (11) 3666-0753 – São Paulo-SP


SÃO PAULO

03

Plano Diretor é aprovado após mobilizações A proposta de substitutivo do Plano Diretor Estratégico, conjunto de leis que vai orientar o crescimento da cidade pelos próximos 16 anos, foi aprovada pelos sete vereadores da Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente, da Câmara Municipal. O projeto pode agora seguir para a primeira votação em plenário. A reunião da Comissão foi acompanhada por integrantes de movimentos sociais, a maioria de moradia. Entre as novidades do projeto de lei está a proposta de novas áreas da cidade onde será incentivada a construção de habitação popular, o retorno da zona rural paulistana, mais moradia perto dos eixos de transporte coletivo e a criação de polos econômicos em regiões periféricas, aproximando a moradia do emprego. “Não resta dúvidas de que é um processo importante e acho que cumprimos nosso papel ao contemplar toda a diversidade e todas as dimensões que estão presentes na cidade. Ainda teremos alterações até a segunda votação em plenário, mas estamos encerrando uma etapa aqui”, afirmou o vereador Nabil Bonduki (PT), relator do Plano Diretor.

MORADIA Antes da reunião, cerca de 3 mil manifestantes de movimentos de sem-teto se reuniram em frente à Câmara, pedindo a aprovação do Plano. Entre as mudanças reivindicadas pelos movimentos de moradia está o novo mapa das Zeis (Zonas Especiais de Interesse Social). De acordo com o membro do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), Guilherme Boulos, outros itens importantes que constam no substitutivo são a instituição da cota de solidariedade, na qual todo empreendimento para alta renda deve oferecer contrapartida social com moradia popular próxima, bem como políticas para criação de moradia próxima ao trabalho. “Queremos também a destinação de algumas áreas que estão ocupadas para habitação de interesse social”, afirmou Um grupo de manifestantes tentou entrar no prédio da Câmara, e a Guarda Civil Metropolitana usou spray de pimenta para dispersa-los. O spray chegou a atingir uma criança, cuja mãe desmaiou e teve que ser socorrida. (da Redação)

Movimentos de moradia levam 3 mil pessoas para manifestação em frente à Câmara

Guaranis voltam a protestar

Juventude

Cerca de 300 guaranis marcharam pela Avenida Paulista no início da noite de quinta-feira (24) para pedir a demarcação de dois territórios tradicionais localizados na cidade de São Paulo: a Terra Indígena do Jaraguá, na zona norte, e a Terra Indígena Tenondé Porã, na zona sul. Esses territórios foram reconhecidas pela Funai (Fundação Nacional do Índio) há mais de um ano, como mostrou reportagem do Brasil de Fato SP na edição 32. O processo demarcatório está à espera de aprovação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, a

Mídia Ninja

O movimento Levante Popular da Juventude realizou, no dia 21 de abril, um ato na Avenida Paulista. Mais de 3 mil jovens de todo o país ocuparam as ruas em defesa de uma Constituinte Pela Reforma Política

Rafael Stedile

CÂMARA texto é aprovado na Comissão de Política Urbana da Câmara com apoio de movimentos

quem cabe assinar uma portaria declarando os territórios como de ocupação tradicional guarani. No dia 17 de abril, os guaranis iniciaram a campanha pela demarcação de suas terras na capital em que pedem: “Assina logo, Cardozo”. Os indígenas também lançaram uma petição online para angariar apoio à demarcação das terras indígenas em São Paulo. Há ainda um vídeo em que se comprometem a enviar ao ministro José Eduardo Cardozo uma caneta para cada adesão ao abaixo-assinado, que já tem mais de 3.000 assinaturas.


ROLNIK Um trem para o litoral e o interior Mais uma vez a volta do feriado exigiu muita paciência dos paulistanos. Muita gente ficou horas parada no trânsito para conseguir voltar pra casa. Um amigo levou 10 horas para fazer um trajeto entre o litoral e a capital que normalmente dura 3 horas. Imagine só... você passa quatro dias descansando, mas chega em casa totalmente estressado depois desta agradabilíssima viagem de volta. Já está mais do que claro que a duplicação de rodovias, construção de novas pistas, túneis e viadutos não resolvem esse problema. Além de não darem conta da demanda, as consequências ambientais são sempre grandes e raramente mitigáveis. Antigamente era possível ir de trem até Santos e até mesmo para o Guarujá. Lembro que íamos de trem para o Rio, para Minas e para todo o interior de São Paulo. É inacreditável que hoje, com tantos recursos e tecnologias disponíveis, não exista essa alternativa. Além de ficarmos engavetados em viagens intermináveis, nossos carros entopem as belas praias, montanhas e cidades históricas que vamos visitar. Na maior parte delas, aliás, não há a menor necessidade de uso do carro. É possível resolver tudo a pé ou de bicicleta, ou usar transportes locais. Precisamos urgentemente de um trem que ligue a metrópole ao litoral e ao interior. No ano passado, o Governo do Estado anunciou a construção de uma linha de trem de média velocidade para fazer essa ligação. O projeto prevê 430 km de malha ferroviária. Esse trem ligaria a capital a Campinas, Americana, Jundiaí, Santo André, São Bernardo, São Caetano, Santos, Sorocaba, São Roque, São José dos Campos, Taubaté e Pindamonhangaba. A publicação do edital para concorrência pública para empresas interessadas em entrar no projeto, via parceria público-privada, foi prometida para este ano, mas até agora nada... Já imaginaram? Poder viajar tranquilamente, com conforto e hora marcada pra sair e pra chegar, preservando nossas praias e nossas cidades dos danos causados pelos carros? Queremos um trem para o litoral e interior já! Urbanista, professora da USP e relatora especial da ONU raquelrolnik.wordpress.com

Jovem faz vaquinha na internet após perder dentes em manifestação por Paulo Eduardo Dias

Por conta de pancadas recebidas durante manifestação contra a Copa, em janeiro, Vinicius Duarte, de 27 anos, perdeu três dentes no momento e, dias depois, outros três. Meses depois, o jovem aguarda colaborações financeiras para poder realizar o tratamento dentário. Para isso, ele criou uma vaquinha na internet, que visa ajudá-lo a conseguir custear as cirurgias e procedimentos. “Estou pedindo R$ 27 mil. No valor está incluso o tratamento de canal, enxerto na parte inferior da boca para recuperação da massa óssea, além de encaixe para dente provisório para o uso de um aparelho para abertura da arcada dentária”, expli-

ca. Ele ainda relata: “Sem os dentes, não consigo trabalho e prejudica minha vida amorosa”. Além disso, Vinícius também sofreu um coágulo intracraniano e seu nariz foi fraturado. O jovem já fez uma cirurgia plástica para a reconstituição da face. Até o momento foram arrecadados aproximadamente R$ 2.200. Para colaborar com o jovem, o site é: http://bit.ly/1gShwMH. ENTENDA O CASO No dia 25 de janeiro de 2014, feriado de aniversário da cidade de São Paulo, cerca de 2.000 mil pessoas se reuniram no Centro para o primeiro ato contra a Copa do Mundo no Brasil. Por volta das 18h, diversas pessoas, algumas mascaradas, outras com faixas e

bandeiras, partiram da Praça da República, entre elas, Vinicius Duarte. O jovem é estudante de química industrial na Unifesp e, também, músico. Ele relata que próximo ao fim do ato, bombas e tiros de balas de borracha foram disparados pela PM. “Entrei no hotel [Linson]. Os funcionários permitiram a entrada, só pediram para não quebrar nada”, conta Vinícius. O estudante diz que pouco depois, a Tropa de Choque chegou ao local. “Não houve diálogo ou qualquer tipo de negociação. Já chegaram gritando e com bombas. Um PM veio em minha direção e me agrediu com o cassetete. Tentei me esquivar, mas perdi momentaneamente a consciência, só sentia os golpes e chutes, todos na região da cabeça e rosto”, relata.

Marcelo Camargo/ABr

RAQUEL

Devido à violência policial, no dia 25 de janeiro, jovem perdeu seis dentes

Prefeitura lança portal com políticas para crianças A prefeitura de São Paulo lançou, na quarta-feira (23), a plataforma digital do programa São Paulo Carinhosa, que reúne políticas públicas municipais voltadas a crianças de até 6 anos. Criado no fim do ano passado, o programa envolve o conjunto de ações coordenadas por 14 secretarias do município destinadas à primeira infância e poderá ser acessado e acompanhado pela internet. A plataforma divulgará notícias e atualizações sobre as ações de diversas secretarias municipais. O site também apresentará estudos e pesquisas sobre a infância, agenda com atividades gratuitas destinadas ao público jovem e um espaço online destinado às crianças. Segundo a coordenadora do pro-

jeto, Ana Estela Haddad, a plataforma permitirá que o cidadão envie fotos, crônicas, cartas e textos para serem publicadas no blog do programa. “Espero que o site seja para todos nós, famílias, crianças, cidadãos paulistanos e pessoas que trabalham com este tema, um espaDivulgação

04 são pauLo

O programa São Paulo Carinhosa tem como meta ampliar vagas em creches

ço de referência em políticas para a primeira infância”, disse. Oito meses depois de sua criação, o programa São Paulo Carinhosa ainda tem como uma das principais metas a ampliação de vagas em creches públicas. O projeto Mais Educação São Paulo, da Secretaria Municipal de Educação, assegura que crianças em situação de vulnerabilidade social e extrema pobreza, com renda familiar per capita até R$ 70, tenham matrícula prioritária nas creches municipais. A prefeitura também pretende atender cerca de 1 milhão de famílias com crianças de até 6 anos pelo programa de visitas domiciliares da área de medicina da família. O critério de atendimento prioritário também será determinado de acordo com a condição social.


05

Fotos: Marcos Santos/USP Imagens

SÃO PAULO

Alckmin quer terceirizar gestão da Fundação Casa estado Projeto apresentado pelo governador pretende entregar entidade para organizações sociais por Mariana Desidério

Um projeto de lei que pode mudar consideravelmente a administração pública do Estado de São Paulo está passando pela Assembleia Legislativa “na miúda”. O texto, apresentado pelo governador Geraldo Alckmin no final do ano passado, quer permitir que entidades privadas -- as chamadas organizações sociais -- administrem a Fundação Casa, os parques ambientais e serviços públicos de saúde. Para o cientista político Francisco Fonseca, professor de Administração Pública e Governo da FGV-SP, a proposta é um “grande equívoco”. Ele explica que as privatizações de serviços públicos devem ser estudadas caso a caso e precisam vir acompanhadas de medidas de controle. “É preciso ter mecanismos muito concretos de fiscalização, tanto da parte contábil quanto da qualidade do serviço prestado pela entidade privada. Além disso, é necessário ter um controle social, com atuação de pessoas que usam o serviço”, afirma. Para Fonseca, as privatizações promovidas em São Paulo não seguem esses critérios. “O PSDB tem tido uma política de privatização selvagem, sem diretrizes político-administrativas e sem nenhuma preocupação com o controle social e com a fiscalização do serviço”, completa. JUVENTUDE A principal preocupação trazida pelo projeto de lei está relacionada à gestão

da Fundação Casa. A entidade é responsável pelas medidas socioeducativas para adolescentes e jovens infratores no Estado. Segundo Nilva Regina Galletti, do Cress (Conselho Regional de Serviço Social), terceirizar a gestão desta entidade pode dificultar ainda mais o acesso desses jovens a políticas públicas. “Privatizando, a ideia principal passa a ser o lucro e não mais o tratamento e a política oferecida àquele jovem”, afirma. Para a assistente social, a gestão privada da Fundação Casa também pode tornar mais difícil acompanhar o que se passa nas unidades. “Se o Estado entrega a administração para um agente privado, ele deixa de ter esse controle. Temo muito pela questão da violência e da violação de direitos”, completa. Outra preocupação, segundo Nilva, que trabalha no sistema prisional, são as condições de trabalho dos profissionais que atuam na entidade. “A situação na Fundação Casa é muito semelhante à que vivemos no sistema prisional. Precisa melhorar a estrutura, as condições de trabalho e o salário”, diz. De acordo com o professor Francisco Fonseca, uma das conseqüências das privatizações é justamente a desvalorização do funcionário público. Para ele, a solução mais democrática para melhorar a Fundação Casa não está na privatização. Fonseca sugere que se mantenha a gestão pelo poder público, porém com o acompanhamento de um conselho formado por órgãos como a Defensoria Pública, Ministério Público e organizações de defesa dos direitos humanos.

Projeto não foi discutido com a sociedade e está passando de fininho, diz deputado O projeto de lei que trata da atuação das organizações sociais no Estado de São Paulo (PLC 62/2013) ainda não foi discutido com a sociedade, apesar de tramitar em caráter de urgência na Assembleia Legislativa do Estado. A bancada governista tentou encaminhar o texto para votação na última terça-feira (22). A falta de debate é uma das principais críticas da oposição. “A tramitação do projeto é completamente irregular, não foi feita nenhuma audiência pública. Vamos fazer uma interpelação judicial e a sociedade também tem que se mobilizar, porque esse projeto está passando de fininho. Ninguém está percebendo a gravidade do assunto”, afirma o deputado Adriano Diogo (PT). O deputado também questiona o

fato do projeto ter sido apresentado próximo às eleições. “Na véspera da eleição, você entregar metade da administração para a iniciativa privada, eu considero um perigoso precedente, representa uma possibilidade de financiamento de campanha”, afirma. O Brasil de Fato SP entrou em contato com o gabinete da deputada Maria Lúcia Amary (PSDB), relatora do projeto na Comissão de Constituição, Justiça e Redação. A reportagem questionou a falta de audiências públicas e os possíveis riscos de uma privatização desses serviços. Porém, a assessoria de imprensa se limitou a responder que “a deputada Maria Lúcia Amary deu parecer favorável quanto à constitucionalidade do projeto”. (MD)


06

brasil

Projeto de lei discute grandes dívidas de consumidores

Gastos com dívidas serão parcelados para preservar renda

A preocupação com as dívidas dos brasileiros pode levar à criação de uma nova lei de proteção ao consumidor. Um projeto do Senado que disciplina a oferta de crédito para o consumo e previne o superendividamento pode ser votado ainda este mês. A norma estabelece o conceito do “mínimo existencial”, que deve ser garantido por meio de revisão e repactuação de dívidas. Assim, a soma das parcelas reservadas para pagamento de dívidas não poderá ser superior a 30% da remuneração mensal líquida. O projeto também prevê que o juiz poderá instaurar processo de repactuação de dívidas, com realização de audiência conciliatória. O consumidor poderá apresentar uma proposta de plano de pagamento, a partir do mínimo existencial. (ABr)

Os planos de saúde terão de substituir imediatamente médicos e hospitais descredenciados por equivalentes, garantindo que não haja interrupção de tratamentos. Previsto em uma lei aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, as mudanças também terão de ser comunicadas com 30 dias de antecedência. Caso não haja requerimento para votação em plenário, o projeto vai direto à sanção da presidenta Dilma. (ABr)

FGTS virtual O Ministério do Trabalho e Emprego anunciou a criação de um sistema informatizado de fiscalização do pagamento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. Se encontrada alguma irregularidade, será solicitada a comprovação de quitação de dívida via internet, sem que seja necessário o comparecimento do empregador a uma unidade de atendimento do ministério. (ABr)

Rio de Janeiro

Fernando Frazão/ABr

Fernando Frazão/ABr

Negociação Cobranças poderão ser rediscutidas na Justiça

Planos de saúde

Moradores do morro Pavão-Pavãozinho, no Rio de Janeiro, são enquadrados após protesto realizado na comunidade contra a morte do dançarino Douglas Rafael da Silva Pereira. Suspeita-se que jovem tenha sido vítima de violência policial.


brasil

07

O dilema da mídia Lúcio

Centeno Para onde vai o Gigante?

Deputados retiram “promoção da igualdade” de PNE educação Plano que define metas para 2020 deve ter votação em maio por Pedro Rafael Vilela, de Brasília

O projeto de lei (PL 8035/10) que define as metas para a educação brasileira até 2020 deve ser aprovado em maio. Nesta semana, duas reuniões tumultuadas na Câmara dos Deputados discutiram os pontos polêmicos do Plano Nacional de Educação (PNE). Um deles se refere à “superação das desigualdades educacionais, com ênfase na promoção da igualdade racial, regional, de gênero e de orientação sexual”. Esse trecho foi excluído da versão do projeto após pressão da bancada parlamentar religiosa na Comissão Especial que analisa o assunto. Para a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), o resultado geral do PNE foi vitorioso, mas a eliminação desse trecho é um retrocesso. “Não houve o reconhecimento de que existem sim preconceitos potentes como racismo e homofobia nas escolas”, avalia Bárbara Melo, presidenta da entidade estudantil.

ORÇAMENTO Outro ponto polêmico foi a destinação dos 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para o orçamento da educação, que consta como meta do plano. Um grupo de deputados queria retirar dessa conta o financiamento de programas como o ProUni, que dá bolsas a estudantes de baixa renda em universidades privadas, e o Fies, que concede empréstimo para custeio de faculdade. No entanto, a comissão manteve esses programas na soma de recursos a serem destinados à educação. “O que foi aprovado não chega a 7,5% do PIB para a educação pública porque uma grande parte é para o setor privado. É transferência de recurso público para o setor privado”, afirmou o deputado Ivan Valente (PSOL-SP). Já o deputado Alex Canziani (PTB-PR) defendeu o outro lado. “Quando falamos em educação, a gente não precisa dizer se é pública

ou privada, é educação. Por isso que nós concluímos que os 10% para a educação pública também podem ser utilizados para programas importantes como Fies, o Pronatec e o ProUni”, argumentou.     ANALFABETISMO A erradicação do analfabetismo é uma das principais metas incluídas no PNE. O Brasil possui 13 milhões de pessoas com mais de 15 anos que não sabem ler e escrever, algo em torno de 8,7% do total da população acima dessa faixa etária. Outra meta fundamental do projeto prevê a universalização da educação infantil (crianças de 4 e 5 anos), ensino fundamental (6 a 14 anos) e médio (15 a 17 anos). Todas as metas devem ser alcançadas até 2020. Para ser aprovado, o PNE ainda passará por mais uma audiência da Comissão Especial no próximo dia 6 de maio. Em seguida, poderá ir a plenário.

Supremo exclui cartel do metrô de CPI petrobras rosa weber decide que foco será apenas empresa federal A ministra Rosa Weber, do STF (Supremo Tribunal Federal), concedeu uma decisão provisória para que o Senado possa instalar uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar exclusivamente a Petrobras, na quarta-feira (23). A medida atende ao pedido de senadores de oposição.

Parlamentares da base do governo e da oposição travam um duelo para definir se a CPI será somente sobre a petroleira ou se vai abranger assuntos, como a formação de cartel no metrô de São Paulo. As denúncias do metrô paulista revelam um esquema de corrupção que envolve o PSDB.

“Em nenhum momento nos recusamos a investigar a Petrobras. Agora, se a oposição pensa que nós vamos deixar de lado a investigação sobre o metrô de São Paulo, está enganada”, afirmou o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PT-PE).

Passado quase um ano das manifestações que colocaram milhões de pessoas nas ruas por todo Brasil, a pergunta que desde então inquieta a todos é: qual será o destino do maior fenômeno de massas das últimas décadas? “O gigante acordou”, o grito que ecoou de um extremo a outro do país, revela a entrada em cena de uma nova geração na arena da política. A juventude que nos anos 90 e 2000 era caracterizada pela apatia política, se colocou em Junho como protagonista na disputa dos rumos do país. A força desse movimento é inquestionável, agiu como um gigante, bateu em todas as instituições de poder, esmagou todos que se colocavam contrários a ele. A grande mídia, em especial a Globo, ao constatar a impossibilidade de atacar, resolveu tentar domesticá-lo. De lá pra cá, muita coisa aconteceu. Diversos setores populares, quase sempre liderados por jovens, entram em ebulição. A morte de um jovem na periferia, ofensas racistas no futebol, reajustes salariais pífios, o abuso policial em uma universidade. Tudo que era cotidiano, e de alguma forma tratado com certa naturalidade, neste período inaugurado em Junho, tronou-se uma causa para se lutar. Mas, qual o rumo que esse gigante irá tomar? Não cabe aqui, ficarmos imaginado cenários. Contudo, para que essa geração traduza as suas insatisfações em força política para alterar o jogo do poder, é preciso superar dois desafios principais. O primeiro deles é o desafio organizativo. Superar ao mesmo tempo as velhas formas de organização contaminadas pelo pragmatismo eleitoral, e a tentativa de desconstrução de qualquer forma coletiva de organização. O segundo desafio é o político. Para dar consequência as reivindicações que emergiram precisamos de uma bandeira que atinja o coração do sistema. Ou seja, é preciso mudar as regras do jogo, para que os anseios desses milhões de jovens possam ser atendidos. Por isso, a importância da luta pela Constituinte. Sem a superação desses desafios, não importa a força do gigante, ele poderá ficar sem rumo. Militante do Levante Popular da Juventude


08

brasil internacional internacional

América Latina criará mercado comum

Conselho indiano aprova casamento entre castas Um influente conselho regional da Índia colocou fim a uma tradição de mais de 600 anos: foi aprovado o casamento entre pessoas de diferentes castas. A decisão foi considerada “histórica” pelo canal local NDTV. No entanto, a reunião do grande conselho, realizada no domingo passado (20), decidiu manter a proibição do casamento de pessoas que compartilhem “laços sanguíneos”. O “maha-khap panchayat” (grande conselho de castas) da região de Haryana, no norte do país, foi quem tomou a decisão de se adequar aos “novos tempos”. Ele representa um sistema de conselhos rurais que administram a Justiça. A decisão abriu também as portas à

possibilidade do casamento por amor. “Os jovens de hoje em dia vão à universidade e ali pode ser que conheçam alguém que gostem e com quem agora poderão se casar”, declarou Mahavir Singh, um dos líderes do conselho. No rígido e hierárquico sistema hindu de castas, muito potente ainda nas zonas rurais, o casamento deve ser arrumado pelas famílias, que levam em conta questões sociais, econômicas e religiosas. Um casamento entre pessoas de diferentes castas costuma acarretar o repúdio dos parentes. Sendo que o extremo são os “crimes de honra”: o assassinato de um ou dos dois recém-casados para recuperar a honra perdida.

40 anos da Revolução dos Cravos em Portugal Pouco após a meia-noite de 25 de abril de 1974 começou a soar na emissora católica de Lisboa a música, até então proibida, “Grândola Vila Morena”. Era o sinal combinado para o início do levante militar em Portugal. Antes da revolução, era rara a família portuguesa que não tivesse alguém combatendo nas guerras das colônias na África. O serviço militar durava quatro anos e opiniões contra o regime e contra a guerra eram severamente reprimidas pela censura e pela polícia. Antes de abril de 1974, os partidos e movimentos políticos estavam proibidos, as prisões políticas estavam cheias, os líderes oposicionistas estavam exilados, os sindicatos eram fortemente controlados, a greve era proibida, as demissões fáceis e a vida cultural estritamente vigiada. A liberdade em Portugal começou com a transmissão, pelo rádio, de uma música até então proibida. Os cravos enfiados pela população nas espingardas dos soldados acabaram virando o símbolo da revolução, que encerrou, ao mesmo tempo, 48 anos de ditadura fascista e 13 anos de guerra nas colônias africanas. Em apenas algumas horas, as Forças Armadas, que eram progressistas na ocasião, ocuparam

locais estratégicos em todo o país. Ao clarear, multidões já cercavam as emissoras de rádio à espera de notícias. A operação, calculada minuciosamente, havia pego o regime de surpresa. Em quase 18 horas, havia sido derrubada a mais antiga ditadura fascista no mundo. (DW) Reprodução

Decisão abriu também as portas à possibilidade do casamento por amor

O projeto pretende incentivar a produção sustentável na região latino-americana

IRIN/John James

um mercado potente e facilitando as importações e exportações. O ministro ressaltou, durante a reunião, a necessidade de impulsionar a participação da pequena e média indústria para facilitar a independência produtiva, econômica e comercial da região. “Estamos iniciando uma etapa decisiva, em que as experiências da última década se capitalizaram em todas as nações”, disse. Entre as metas do projeto, está a necessidade de diminuir as diferenças entre ricos e pobres. Para Rivas, é preciso “encurtar as dramáticas brechas entre ricos, cada vez mais ricos, e os pobres que surgem formando uma potente classe média trabalhadora”. (Opera Mundi) Reprodução

Países da América Latina, que compõem o Mercosul (Mercado Comum do Sul), a Unasul (União das Nações Sulamericanas), a Alba (Aliança Bolivariana para os Povos Americanos), a Celac (Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos) e a Petrocaribe (aliança petroleira entre Venezuela e países caribenhos) criarão um mercado comum. A tentativa é de impulsionar a independência econômica dos países membros. O anúncio foi feito na segunda-feira (21) pelo ministro do Comércio venezuelano, Dante Rivas. A iniciativa pretende incentivar a produção sustentável na região, fazendo da América Latina

CubaDebate

Bloco Mercosul, Unasul, ALBA, Celac e Petrocaribe fazem parte da iniciativa econômica

Os cravos enfiados pela população nas espingardas dos soldados acabaram virando o símbolo da revolução


09 Fora do Eixo

Entrevista

“Marco Civil garante internet livre, aberta e diversificada” ENTREVISTA

SÉRGIO AMADEU por IHU Online

O texto do Marco Civil da Internet foi aprovado no Congresso Nacional e sancionado pela presidenta Dilma Rousseff. Assim, ficou garantida uma versão mais alinhada à proposta construída pela sociedade civil sobre o tema. “O texto do Marco Civil da Internet defende claramente a neutralidade da rede e ele é o texto que assegura que a internet continue livre, aberta e diversificada. Nós conseguimos impedir os ataques mais fortes das operadoras”, explica Sérgio Amadeu, ativista e professor da UFABC. Entretanto, ele explica que há tensionamentos no texto. “Sem dúvida alguma, as companhias de telefonia, junto com um grupo de deputados conservadores, inseriram no Marco Civil alguns dispositivos que são ruins, mas que não prejudicam a essência do projeto, nem destroem a neutralidade na rede”, considera. Amadeu é doutor em Ciência Política pela USP e autor de diversos livros, “Software Livre: a luta pela liberdade do conhecimento” e “Comunicação Digital e a Construção dos Commons”. Ele também participou da implementação dos Telecentros na América Latina e da criação do Comitê de Implementação de Software Livre. Confira a entrevista.

Depois de todas as quedas de braço entre as empresas de telecomunicação e ativistas, de que maneira ficou o texto do Marco Civil da Internet? O texto defende claramente a neutralidade da rede. Ele é o texto que assegura que a internet continue livre, aberta e diversificada. Nós conseguimos impedir os ataques mais fortes das operadoras. Porém, sem dúvida alguma, as companhias de telefonia, junto com um grupo de deputados conservadores, inseriram no Marco Civil alguns dispositivos que são ruins.

Nós estamos tendo uma vitória colossal no mundo com o marco civil da internet

O texto aprovado na Lei está mais próximo da proposta construída coletivamente desde 2009, por meio das audiências públicas, ou mais próximo aos interesses corporativos? Ele ficou mais próximo da proposta da sociedade civil, apesar de ter tido várias idas e vindas. Há alguns problemas que advêm do fato de o relator ter incorporado alguns textos vin-

dos de bancadas conservadoras, que do contrário não votariam no projeto. Então, o projeto da sociedade civil era bem mais avançado, mas eu considero uma vitória descomunal o fato de o projeto ter passado por um Congresso Nacional tão conservador como o nosso. Nós estamos tendo uma vitória colossal no mundo. Queria deixar isso claro. Em todo o planeta, nós estamos vivenciando leis para criminalizar, bloquear e controlar a Internet.

ras de telefonia fizeram um ‘cavalo de batalha’ e conseguiram incluir no artigo 3º um princípio – o da liberdade de modelo de negócios, desde que respeitando os demais princípios da lei –, e ele nos dará neutralidade. Mas por que eles fizeram questão de colocar essa redação? Exatamente para poder brigar depois no Judiciário. Eles querem continuar a disputa, continuar a guerra, e a guerra vai virar jurídica, com a interpretação do Marco Civil.

Como fica a questão da liberdade de expressão? No Brasil, o Marco Civil vem para fazer com que a internet continue livre e aberta. Vários jornalistas me perguntavam: “Mas o que muda na vida do cidadão com a aprovação do Marco Civil?” Eu falava: “Olha, não muda nada! A internet continuará livre, coisa que não vai acontecer se a gente não aprovasse rapidamente o Marco Civil”. Por quê? Porque as operadoras de telefonia estavam articulando uma série de ações para gradativamente ir transformando a internet em uma grande rede de TV a cabo.

E sobre a privacidade? As operadoras de telefonia se aliaram aos setores conservadores e conseguiram iniciar a guarda de lobby [dados] por aplicação. Isso significa que todas as empresas de comerciais que têm aplicações na web vão ter que guardar lobby por um período de tempo obrigatório. Isso permite o manejo de dados e o uso como várias empresas fazem. Esses grupos de conservadores estão fazendo de tudo para quebrar a nossa privacidade. Eles dizem que fazem isso em defesa da nossa segurança. E eu digo que, quando se abre mão da privacidade, da intimidade, em troca da segurança, na verdade se está construindo um cenário totalitário, autoritário. Mas nós vamos efetivamente travar uma batalha em defesa da privacidade. Então, já alerto a todos que a guerra mal começou.

É possível apontar alguma brecha na legislação que permita interpretações que impactem a neutralidade da rede? Sim, existe. Por exemplo, as operado-


fatos em foco

Danilo Ramos/ RBA

Conta para imigrantes

Faustão

A ganhadora do Oscar pelo filme “12 anos de escravidão”, foi eleita a mulher mais bonita do mundo pela revista People. Ela afirmou que, quando criança, tinha como padrão de beleza “pele clara e cabelos lisos”. Para a atriz, prêmio ajuda meninas a se sentirem “mais reconhecidas”.

O apresentador fez um comentário racista em seu programa, no último domingo, na Rede Globo. Ele disse que a dançarina Arielle Macedo, que acompanhava a cantora Anitta, tinha um “cabelo de vassoura de bruxa”.

Fotos: divulgação

Lupita Nyong’o

A Secretaria Municipal de Direitos Humanos e o Banco do Brasil firmaram um convênio para atendimento bancário da população imigrante e de refugiados que vivem na capital paulista. O acordo permitirá aos estrangeiros de qualquer país abrir conta corrente ou poupança, obter crédito e enviar recursos financeiros ao exterior. Uma parceria fechada ano passado com a Caixa Econômica se restringia a pessoas vindas de países do Mercosul. São Paulo tem 390 mil imigrantes com a situação regularizada. Considerados os que não têm documentação, a população se eleva a pelo menos 500 mil. Muitos deles guardam as economias em casa, o que chamou a atenção de assaltantes que passaram a atacar com frequência as moradias de imigrantes. Em um desses roubos, na zona leste da capital, Brayan Yanarico Capcha, de 5 anos, acabou sendo assassinado com um tiro. (RBA)

O mercado formal de trabalho abriu 13.117 vagas em março, o menor saldo para o mês desde 1999, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, divulgado pelo Ministério do Trabalho e Emprego. A variação (0,03%) indica estabilidade. Em 2013, o saldo foi de 112.450 postos de trabalho com carteira assinada. Para o ministério, o número “pode estar refletindo uma antecipação nas contratações ocorridas no mês de fevereiro”. No primeiro trimestre, o saldo de empregos formais criados foi de 344.984 (crescimento de 0,85%), acima do mesmo período de 2013 (306.068 postos). Em 12 meses, chega a 1,027 milhão (expansão de 2,57%). No atual governo o país abriu 4.845.247 vagas com carteira. O total de empregos formais é de 40,9 milhões. (RBA) Divulgação

Começou na terça-feira (22) a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. Este ano, a imunização deve atingir mais crianças, já que a faixa etária definida pelo Ministério da Saúde foi ampliada. Com a nova regra, crianças de 6 meses a menos de 5 anos poderão ser vacinadas. No ano passado, apenas crianças com até 2 anos podiam receber a dose. A campanha vai até 9 de maio e a meta é vacinar pelo menos 80% do público, que representa 49,6 milhões de crianças. A vacina também será disponibilizada para grupos considerados mais vulneráveis, como pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores da saúde, povos indígenas, gestantes, mães até 45 dias após o parto, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional. Serão distribuídas 53,5 milhões de doses da vacina para 65 mil postos de vacinação. (RBA)

A prefeitura de São Paulo lançou edital para contratação de empresas para realizar a Inspeção Veicular Ambiental. O documento propõe R$ 40,86 como valor máximo a ser remunerado pelo poder público para prestação do serviço. O preço para os proprietários de veículos será definido posteriormente pelo Executivo, mas fica condicionado ao caso de reprovação na inspeção. A abertura das propostas vai ocorrer no dia 15 de maio. As empresas serão contratadas por cinco anos. O edital define que as empresas deverão ser capazes de atender ao menos 25% da demanda projetada para o ano após 90 dias da assinatura do contrato. Assim, a inspeção veicular deve voltar a funcionar em setembro. As contratadas terão 180 dias para apresentar capacidade total de atendimento. O serviço deverá funcionar 12 horas por dia e não poderá levar mais que 30 minutos. (RBA)

Criação de empregos

USP Imagens

Vacina contra a gripe

Inspeção de volta

Arquivo RBA

ABr

10

água

Para órgão, medida anunciada por Alckmin pode ser contestada na Justiça por consumidor

Vagner Campos / Gesp

Entidade considera multa ilegal Em nota divulgada na terça (22) o Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) afirma que é ilegal a multa por aumento do consumo de água na Região Metropolitana de São Paulo, anunciada pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB). Segundo o órgão, o Código de Defesa do Consumidor impede o fornecedor a elevação do preço de serviços sem justificativa, considerando a prática abusiva. “Neste caso, não está caracterizada a justa causa, já que as medidas necessárias para evitar tal situação não foram

tomadas pelo governo”, afirmou o Idec. O instituto recorda que o estado de São Paulo deixou de adotar políticas para evitar a crise do abastecimento. “O governo do estado tem conhecimento desde 2002 dos níveis preocupantes dos reservatórios e, no entanto, não adotou, na velocidade necessária, medidas como a diminuição das perdas de água na distribuição.” O Idec diz ainda que o consumidor lesado pela medida poderá recorrer à Justiça e aos órgãos de defesa do consumidor. (RBA)


serviços internacional

por Thiago Duarte Gonçalves

Servidor Público Federal

NOSSO DIREITO

Fundação Oswaldo Cruz

NOSSa saúde

Descanso durante o horário de trabalho Todo trabalhador precisa descansar. O intervalo repõe energias, diminuindo doenças e acidentes do trabalho, além de garantir momentos de lazer. Assim, há um conjunto de normas que garantem aos empregados o direto ao descanso. Veja algumas. Em regra, quem trabalha mais de seis horas por dia tem direito a um intervalo de uma hora para descansar e comer. No entanto, se a jornada for igual ou inferior a seis horas e superior a quatro, o intervalo é de apenas 15 minutos. Já se período for igual ou menor do que quatro horas, não há direito a descanso algum. Todos estes intervalos não computam na jornada de trabalho. Outro tipo de descanso é entre as jornadas diárias de trabalho. Assim, de um dia para o outro, o seu descanso tem que ser no mínimo de 11 horas consecutivas. Mais um exemplo é o descanso semanal remunerado. Neste, a pessoa tem o direito de 24 horas consecutivas de repouso.

por fiocruz

11

Somadas com as 11 consecutivas citadas acima, contabilizam 35 horas. Para os digitadores, a cada 90 minutos de trabalho, é de direito 10 minutos de intervalo. Já para os trabalhadores de telemarketing é assegurado dois intervalos de dez minutos por dia, sendo que a jornada máxima é de seis horas. Caso estes intervalos não sejam concedidos ou sejam reduzidos ilegalmente, você terá direito ao pagamento deste período como hora extra (hora adicional de no mínimo 50%). Além disso, pode denunciar esta prática ao sindicato e ao Ministério Público do Trabalho. É precido lembrar-se que estes são direitos garantidos na CLT e na Constituição. É preciso lutar por eles.

Novo Guia Alimentar O novo Guia Alimentar da População Brasileira (edição 2014) elaborado pelo Ministério da Saúde orienta os brasileiros sobre os cuidados com a saúde e como manter uma alimentação saudável e balanceada. A recomendação é pelo consumo de alimentos frescos, de procedência conhecida e utilizando como base da dieta alimentos in natura (de origem vegetal e animal), como carnes, verduras, legumes e frutas. O manual também recomenda que as pessoas optem por refeições caseiras e evitem a alimentação em redes de fast food (refeições prontas). E ser crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais.

Ele ainda orienta os brasileiros a desfrutarem da alimentação, e evitem assistir televisão, falar ao celular, ficar em frente ao computador ou em atividades profissionais enquanto comem. Além de privilegiar o preparo da própria refeição sempre que possível. Além disso, o guia recomenda utilizar com moderação óleos, gorduras, sal e açúcar. Produtos industrializados devem dar lugar aos alimentos in natura. Isso porque os produtos processados têm adição de sal ou açúcar para torná-los mais duráveis, palatáveis e atraentes. A população poderá contribuir com a elaboração do novo guia, que encontra-se em consulta pública até o dia 7 de maio, acessando o endereço eletrônico www.saude. gov.br/consultapublica. As contribuições serão avaliadas pelo Ministério da Saúde e poderão constar do documento final.

CLICK Da cidade Foto: Pedro Sibahi

Centro da cidade de São Paulo

Envie fotos com denúncias ou fatos interessantes do dia a dia da cidade para a seção Click da cidade: leitorsp@brasildefato.com.br


12 entretenimento por Fernanda Jatobá

co depois de pronto e deixar no forno por meia hora. Fica parecido com suflê de couve-flor e é muito gostoso!

Reprodução

A gente sempre fica em dúvida sobre o que fazer para diversificar os almoços no dia a dia. Além do básico (arroz, feijão e a famosa “mistura”), como fazer pratos gostosos, variando sempre e incluindo verduras e legumes? De vez em quando faltam ideias, não é mesmo? Essa receita de couve-flor gratinada é um ótimo acompanhamento. É bem fácil de fazer e fica uma delícia! Se você quiser fazer da couve-flor um prato principal, basta acrescentar três ovos batidos no molho bran-

Direito do artista vioAnimal- lado pelos paparazzi símbolo da Medicina Benefício concedido ao trabalhador Composição poética comum em charges

© Revistas COQUETEL

Máquina Pimentatípica de do-(?), tecelagens condimento Formato do DIU

O gato, em relação ao rato

Companhia de mineração que foi privatizada no governo de FHC (1997)

Prato típico nordestino, cozido em bolas feitas com o próprio estômago do animal

INGREDIENTES 1 couve-flor grande 2 dentes de alho espremidos 1 colher de sopa de margarina 3 colheres de sopa de amido de milho 1 litro de leite Noz moscada Sal e pimenta do reino 100g de muçarela ou parmesão ralado

COUVE-FLOR GRATINADA

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

www.coquetel.com.br

Medida de venda da gasolina (símbolo)

Erva aromática que afasta vampiros (?)2, banda de rock irlandesa

Salada, em inglês "Regional", em TRE

MODO DE PREPARO Retire as folhas verdes e deixe só as flores da couve-flor. Numa panela grande (que caiba a couve-flor) coloque água pra ferver. Em seguida, adicione coloque a couve-flor inteira para cozinhar por cerca de 10 minutos. Retire quando der pra espetar os talos com um garfo, mas sem deixar muito mole. Em uma outra panela coloque a margarina para derreter e acrescete o alho. Deixe fritar um minutinho e coloque a maisena. Misture sempre até que a maisena fique mais douradinha. Acrescente o leite, abaixe o fogo e siga mexendo até engrossar. Tempere com sal, noz moscada e pimenta do reino. Corte a couve-flor e espalhe por uma assadeira. Despeje o molho branco sobre a couve-flor e cubra com muçarela. Leve ao forno e deixe por 15 minutos até gratinar.

Sufixo de "etanol"

Parte rejeitada dos legumes

O popular "pãoduro" Falava; discursava Cabeça, em inglês Orlando Drummond, comediante carioca

Embarcação comum nos canais de Veneza Ajuda, em inglês "Tb", em chats

(?) sangue: ato que pode salvar vidas

Irene Bedard, atriz dos EUA Capital da Espanha Habitat da vieira

Conteúdo de uma história Ministro do Esporte de Dilma (2013)

União Europeia (sigla)

Não crê em Deus Cachorro, As Nações em inglês Unidas (sigla)

Átomo essencial à eletrólise

O dia decisivo Lote, em inglês

Otaviano Costa, ator de "Salve Jorge" (TV)

Hiato de "enjoo"

Bebida alcoólica como a cachaça

BANCO

3/aid — dog — lot. 4/head. 5/salad. 6/sátira. 7/verbena.

BOA & BARATA • boaebarata@brasildefato.com.br

80

Solução A A T

A G S S

T E N T A R B E U S C A H E L A D O M A D D T E U E B E O O R DE N

R E I V N A O L E A D V O A R R I O O D L O O C T E

Keka Campos, astróloga |keka@ezdp.com.br

P E R P T I R V E L A D C A Z I D N D O A R I D B E M A D O R O N G U A

A semana está repleta de atividades, o que beneficia o contato com novos assuntos. Em muitos, pode se manifestar um desejo de aventura: ir para lugares isolados, distantes ou totalmente diferentes do que se é conhecido ou frequentado normalmente. Outros podem canalizar para novos estudos, projetos profissionais ou, até mesmo, experimentar outros círculos sociais que lhe direcionem a amizades originais e excêntricas.

S A L A R I O F A M I L I A

Horóscopo • 25 a 30 de abril 2014

Áries - 21.03 a 20.04 Você conseguirá força para resolver seus problemas diretamente do seu campo emocional. Cultive sentimentos positivos e tranquilos, pois a energia do ambiente não está contribuindo a favor da paz.

Câncer - 21.06 a 22.07 O momento não poderia ser melhor, pois existe harmonia na área do trabalho e da projeção pessoal e nos campos sentimental, sensorial e sexual. É um ótimo momento para rever-se e redescobrir-se nessas áreas.

Libra - 23.09 a 22.10 Sentirá necessidade de um pouco de isolamento para refletir consigo mesmo. Poderá estar um pouco mais sério e contido que de costume, mas mesmo assim haverá bom astral e otimismo nos pensamentos e ações.

Capricórnio - 22.12 a 20.01 Boa concentração, memória e capacidade de se comunicar. Será fácil expressar os sentimentos nesta fase, pois está encarando suas emoções e sensações com menos peso e seriedade. Aproveite o momento benéfico.

Touro - 21.04 a 20.05 A preguiça da semana passada já foi e agora está disposto ao trabalho e exercícios. A sorte e otimismo permanecem e lhe ajudarão a trabalhar com satisfação. Poderá unir trabalho e lazer em algum momento.

Leão - 23.07 a 22.08 Sua intuição e percepção do ambiente estão afiadas, assim como a capacidade de persuasão. Cuidado apenas ao comunicar-se, pois pode mostrar um ar de superioridade ao expressar suas convicções aos outros.

Escorpião - 23.10 a 21.11 Os sentimentos ganharão maior leveza e você conseguirá se equilibrar muito mais que na semana anterior. Mantenha a cautela e não deixe de observar seus pensamentos e atitudes, este é um momento de autoavaliação.

Aquário - 21.01 a 19.02 Sua vida continua agitada, confusa e intensa, devido mudanças em todas as áreas. Você deverá avaliar agora em qual delas irá investir sua energia com mais intensidade e regularidade. Há muitas direções a escolher.

Gêmeos - 21.05 a 20.06 Pode ser que o campo mental passe por uma transformação significativa e lhe traga novas visões sobre muitas coisas. Fique atento, pois é um momento de grande evolução pessoal, se for tratado com a devida atenção.

Virgem - 23.08 a 22.09 A boa sorte o acompanha neste momento e o guiará para bons contatos, que podem ser de amizade ou trabalho. Está sensível às energias das pessoas e pode ajudá-las com bons conselhos. A saúde está delicada, cuide-se.

Sagitário - 22.11 a 21.12 Haverá boa saúde e vitalidade, acompanhadas de sensibilidade e ótima intuição. Poderá estar prevendo alguns acontecimentos, o que pode auxiliá-lo nas decisões difíceis. Não deixe de escutar sua voz interior.

Peixes - 20.02 a 20.03 Popularidade em alta! Os sentimentos estão à flor da pele, estará muito romântico e você poderá se sentir mais atraente agora. Um envolvimento amoroso ou sexual pode trazer mudanças bruscas, fique alerta.


13

Reprodução

serviços Cultura

Porta dos Fundos trata questão séria com humor INTERNET Com média superior a 1 milhão de visualizações, websérie tem personagem com Aids como protagonista

Nesse sábado (26), às 19h, vai ao ar o episódio final da primeira websérie do canal Porta dos Fundos. Com o título “Viral”, a história teve a Aids como pano de fundo. Os quatro vídeos, de 15 minutos cada, contam a trajetória de Beto, vivido por Gregório Duvivier. Ao descobrir que é soropositivo, ele começa uma jornada para conversar com todas as mulheres com quem teve relação sexual. A trama tinha tudo para ser dramática, mas o resultado é bem próximo ao das esquetes humorísticas já

Pais e países por Maria Clara Escobar*

O ano de 2014 marca os 50 anos do golpe que deu início ao terrível período da Ditadura Militar no Brasil. Marca também a estreia de meu primeiro longa-metragem, “Os Dias Com Ele”. Diante de muitos buracos em minha vida, sem saber o que havia acontecido na história do meu pai, o filósofo e dramaturgo Carlos Henrique Escobar, e sem saber o que havia acontecido com todas as outras pessoas presas e torturadas na Ditadura, resolvi iniciar esse processo que me tomaria aproximadamente três anos. Insatisfeita com os procedimentos e relatos oficiais rasos, bem como com o método de minha(s) família(s) de manter tudo em silêncio, resolvi tocar

consagradas pelo grupo. Alguns dos vídeos mais populares do Porta dos Fundos chegam a ter mais de dez milhões de acessos no YouTube, tornando este o principal canal brasileiro de humor na internet. Em “Viral”, o roteiro é de Fábio Porchat, que também divide a atuação com Duvivier. A direção fica por conta de Ian SBF. O deboche ao preconceito é o objetivo dos vídeos. O humor não soa desrespeitoso aos portadores do vírus HIV. Inclusive, chega a ter tons educativos em ocasiões como a que Rafa (Porchat), amigo de Beto (Duvivier), mostra domínio do assunto e lembra ao colega que ele deve beber

muito líquido e tomar o antiviral diariamente sempre no mesmo horário. “A gente não está rindo de quem tem aids, mas das situações”, explica Ian SBF em entrevista ao Estadão. “É um tema difícil e, por isso, achei interessante. Não temos temas proibidos, já falamos de tabus, de religião. Claro que, nessas situações, tomamos um cuidado triplo”, afirma Duvivier. Entre as fontes e parceiras para a produção de “Viral”, está a Unaids (Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids). O público parece ter aprovado a websérie. Na página do Facebook do Porta, que tem mais de um milhão de

em muitos assuntos adormecidos, mesmo correndo o risco de conflitos. Minha mãe perguntou: “Você acha que somos como essas famílias burguesas que você aponta?”. Eu disse: sim. Meu pai disse: “Você pode incomodar muita gente”. Eu disse: não importa. E assim, se deu o processo do documentário. Nos espaços de luta entre pai e filha, documentado e documentador, filme e relação, “Os Dias Com Ele” existe. Eu, tentando enquadrar meu pai, enquadrar um personagem. E ele, um personagem que não se deixa enquadrar fácil. Através de muitas indagações e muitas respostas negativas a elas, no decorrer do filme, fui aprendendo que tratar de pessoas e da história não é fácil e nunca deve ser algo congelado. A história deve ser viva

porque é feita de gente. Os dados e as informações se tornam obsoletos muito rápido diante das versões e dos diferentes testemunhos. Então, como superar os chamados anos de chumbo, os muitos desaparecidos, os mortos, todo o desrespeito não só com o sentimento de nação, mas com o simples ser humano? Não superando. Mostrando as feridas. Evidenciando que ainda somos consequência de tudo que foi feito entre 1964 e 1985. Não tendo vergonha de termos sobrevivido. Não deixando de lutar. Falando. Não esquecendo jamais e não deixando que ninguém esqueça. E ainda assim, sendo nós. Seres humanos vivos, tão contraditórios e múltiplos. * Diretora do filme, escreveu especialmente para o Brasil de Fato SP

curtidas, a maioria dos comentários é positiva. Um deles é de Lucia Hso: “Minha mãe tinha HIV, faleceu quando eu tinha 6 anos , meu pai viveu por mais 19 anos com o vírus e muito bem! É bom vê-los tratando de um assunto tão importante com tanta leveza e humor! Estou adorando! Parabééééns!” Mais três séries como esta tem previsão de lançamento para este ano. Os roteiristas do Porta já adiantaram que a Copa do Mundo e as eleições prometem dar boas ideias. Todos os episódios de “Viral” podem ser vistos pelo canal do Porta dos Fundos na internet: www.youtube.com/user/portadosfundos.

Reprodução

por Guilherme Almeida

O filme Os Dias Com Ele tem estreia nacional no dia 24/04


Daniel Mordzinski

14 cultura Cem Anos de Solidão (1967) por Mariana Desidério

“Cem Anos de Solidão” é a obra mais conhecida de Gabriel García Márquez. Foi o livro que me fez gostar de literatura. Li pela primeira vez aos quinze anos e me impressionei com o realismo mágico do autor, pouco apegado às leis insossas que regem nosso mundo. O livro conta a saga de sete gerações da família Buendía, que vive no povoado de Macondo, um lugar fictício na América Latina. As guerras

aqui são internas e externas – enquanto o Coronel Aureliano Buendía luta pelas armas, sua irmã Amaranta trava uma batalha contra o rancor de um amor não correspondido. Os elementos fantásticos estão em cada passagem: há o cigano alquimista Melquíades, que prevê um futuro trágico para os Buendía; a mulher mais bela do mundo, Rebeca, que tem o corpo elevado aos céus; um dilúvio que castiga Macondo por quatros anos sem parar... Vale cada minuto de leitura.

O Amor nos Tempos do Cólera (1985) por Rafael Tatemoto

Saudades de Gabo por Vivian Fernandes

Nascido em 6 de março de 1927 na cidade de Aracataca, na Colômbia, Gabriel García Márquez morava no México havia mais de três décadas. E foi na capital mexicana que Gabo, como foi apelidado por seus amigos, faleceu no último dia 17 de abril, aos 87 anos. Do início como jornalista (profissão que seguiu por muito tempo), até o reconhecimento mundial como criador do realismo mágico, sua trajetória foi longa. Entre suas obras estão “La Hojarasca” (a primeira, de 1955), “Crônica de uma Morte Anunciada” (1981), “Aventura de Miguel Littín, Clandestino no Chile” (1986), “Memória de Minhas Putas Tristes” (o último livro publicado, de 2004). Em 1982, García Márquez foi escolhido o vencedor do Nobel de Literatura “pelos seus romances e contos, em que o fantástico e o real se combinam num mundo densamente composto pela imaginação, refletindo a vida e os conflitos de um continente”, segundo o comitê. No livro “Doze Contos Peregrinos”

(1992), García Márquez conta uma história pessoal. No prólogo, o escritor colombiano relata que havia sonhado com seu próprio funeral. Enquanto caminhava a pé, encontrava com amigos vestidos de luto solene, porém, ele próprio estava com um ânimo de festa. Isso porque lhe dava muita alegria poder reencontrar antigos e queridos amigos da América Latina. No entanto, ao final do velório, Gabo quis acompanhar seus companheiros, mas foi impedido por um deles: “Você é o único que não pode ir”. Assim, o autor do realismo fantástico percebeu que “morrer é não estar nunca mais com os amigos”. Sinto em discordar de você, Gabriel. A tristeza da morte é grande, dolorida. No entanto, para quem deixou uma vasta e bonita obra, como você o fez, solidão e vazio não são palavras apropriadas. Aos seus amigos e aqueles que não te conheciam pessoalmente, mas que já haviam criado uma intimidade tal que também ousam em te chamar de Gabo, a companhia estará sempre presente. Os seus livros, nós levamos conosco.

A história de “O Amor nos Tempos do Cólera” é ambientada na América Latina na virada do século 19 para o 20. Nesta obra, García Márquez narra um triângulo amoroso que dura mais de 50 anos. A obra não segue uma ordem cronológica, vai relevando aos poucos a história do relacionamento entre Juvenal, Fermina e Florentino. A trama começa com os dois primeiros já

velhos e casados, mas, pulando de uma época à outra, vai desvendando o amor que sempre existiu entre Fermina e Florentino, que se declarava através de telegramas. O caráter mágico do livro, marcado por elementos fantasiosos e pela ideia de que a paixão se assemelha tanto a uma doença, bem como à ira, talvez seja uma das descrições mais realistas do que é o amor. Um exemplo perfeito do realismo fantástico.

Notícia de um Sequestro (1996) por Guiherme Almeida

O livro é um dos poucos de Gabriel García Márquez que tem a reprodução fiel da realidade como marca central. O romance narra dez sequestros ocorridos no início da década de 1990, na Colômbia, a mando do notório Pablo Escobar, traficante de drogas do Cartel de Medellín. Que um livro de Gabo seja uma aula

de literatura, não é surpresa. Porém, “Notícia de um Sequestro”, tem a particularidade de ser também uma aula de jornalismo. As descrições dos ambientes, das ações e das sensações das personagens são detalhadas. A história é extremamente informativa e dá um panorama do momento histórico vivido pela Colômbia. Jornalismo literário, essa talvez seja a melhor maneira de classificar a narrativa.

Gabriel García Márquez 1927-2014


{agenda cultural} zona oeste

Zona leste Amazônia Mundi A floresta amazônica é tema de uma grande exposição em cartaz no Sesc Itaquera: “Amazônia Mundi” recria o imaginário do território considerado o território de maior biodiversidade do planeta, em meio a seus encantos e mistérios. Até 10/05; de Ter a Dom das 9h30 às 16h30 – R$ 7 – Sesc Itaquera - Avenida Fernando Espírito Santo Alves de Mattos, 1000, Parque do Carmo

“Cozinha Performática” A praça Victor Civita recebe o espetáculo de dança “Outros Usuários”, do projeto “A Cozinha Performática”. Sex (25), Sáb (26) e Dom (27), às 20h – Entrada gratuita – Praça Victor Civita – Rua Sumidouro, 580, Pinheiros

Divulgação

“Pindorama” Espetáculo de dança, com criação e direção de Lia Rodrigues, traz corpos nus, água e grandes pedaços de plástico transparente para criar imagens de tempestades e naufrágios no palco. Até 4/5; Sex e Sáb, às 21h; Dom, às 18h – R$ 20 (R$ 10 meia) – Sesc Pompeia – Rua Clélia, 93, Pompeia

Festival Musicautoral O CEU São Mateus recebe a primeira edição do Festival Musicautoral, realizado pela Voz em Dó. A ideia do festival é dar oportunidade para bandas novas mostrarem seu som autoral, sendo um incentivo à música livre. Dom (27), a partir 15h – Entrada gratuita – CEU São Matheus – Rua Curumatin, 201, Parque Boa Esperança

centro

zona sul Panorama Blues A série de apresentações artísticas acontece no Sesc Vila Mariana trazendo uma gama diversa da cena e permitindo uma fusão do estilo ao apresentar temas clássicos e contemporâneos ligados à cultura afro-americana. Sex (25), às 20:30 – R$ 12 (R$ 6 meia) – Sesc Vila Mariana - Rua Pelotas, 141, Vila Mariana

Divulgação

Trilhas Urbanas Se você quer praticar um esporte, curtir a natureza e aproveitar o fim de semana de um jeito diferente, não pode perder o Trilhas Urbanas. A caminhada está aliada à educação ambiental, além de comemorar o aniversário do aniversário do Parque Alfredo Volpi.Sáb (26), às 18:30; Dom (27), às 10h – Entrada gratuita – Parque Alfredo Volpi – Rua Eng. Oscar Americano, 480, Morumbi

Divulgação

zona norte Feira do Livro O Centro Cultural da Juventude (CCJ) realiza a II Feira do Livro nesse fim de semana. Cerca de 50 editoras participam da feira e haverá títulos com 50% de desconto. No sábado, dia 26, a feira recebe debate sobre “Marginalidade e cultura”, com Paulo Lins. Sex (25) e Sáb (26), das 11h às 20h; Dom (27), das 10h às 18h – Entrada gratuita – Centro Cultural da Juventude – Avenida Deputado Emílio Carlos, 3641, Vila Nova Cachoeirinha

NY em SP O Espaço Cultural Citi traz um pouco de Nova Yorque para a capital paulista. A exposição “O mundo como ele não é”, de Ivan Pinheiro Machado, reúne obras que retratam a Big Apple americana.Até 07/06; Seg a Sex das 9h às 19h, Sáb das 10h às 17h e Dom das 10h às 17h – Entrada gratuita – Espaço Cultural Citi Avenida Paulista, 1111, Bela Vista

Jeneci “De Graça” O cantor e compositor Marcelo Jeneci faz show, em frente ao CCJ, na zona norte. A apresentação conta com músicas do disco “De Graça”, com 13 faixas inéditas, foi lançado em 2013. Dom (27), às 18h – Entrada gratuita – Praça do Cemitério da Vila Nova Cachoeirinha – Av. Deputado Emílio Carlos, 3.641, Vila Nova Cachoeirinha

Do Oiapoque ao Chuí Os fotógrafos Fernando Clark e Ricardo Feres percorreram mais de 20 mil quilômetros deste país para registrar quem é o “verdadeiro Brasil” que vai sediar a Copa do Mundo de 2014. Sex (25) das 9h às 18h – Entrada gratuita – Espaço Cultural BM&FBOVESPA – Praça Antônio Padro, 48


16

esporte

Rendimento de Ralf preocupa comissão técnica

Ralf não é mais o mesmo. Essa é a percepção de algumas pessoas que convivem com o camisa 5 do Timão no dia a dia do CT Joaquim Grava. Pensa-se em alguns motivos para a queda de rendimento do volante em relação à 2013, fato comprovado em números. Durante seu tempo de Corinthians, o atual capitão, que, como todo atleta, sempre manifestou o desejo de jogar por algum time europeu, pôde presenciar o processo no qual diversos jogadores originalmente desconhecidos ganharam fama rapidamente e se mudaram para o Velho Continente. O principal deles, Paulinho, era o seu melhor amigo no clube e saiu em julho, assim como Edenilson, outro jogador com quem tinha muita proximidade, negociado no

Ralf deseja jogar na Europa

são paulo f. c.

liga dos campeões

Fotos: divulgação

copa 2014

início desta temporada. O Corinthians diz que nunca recebeu de clubes europeus propostas oficiais de compra do jogador. No passado, clubes da Rússia e da Ucrânia até manifestaram interesse, mas Ralf não se motivou. Neste início de ano, o Napoli, da Itália, fez sondagens e aventou a possibilidade de receber o jogador emprestado, mas o clube não abriu negociações. Seu contrato com o Timão vai até o fim de 2015. O jogador é um dos últimos remanescentes da geração vitoriosa do passado recente – Cássio, Fábio Santos e Julio Cesar são os outros. Nos últimos meses, Sheik, Douglas e Paulo André foram embora. Foi exatamente com o objetivo de encerrar a acomodação da base campeã mundial que diretoria e Mano Menezes iniciaram as reformas no elenco.

Ag. Corinthians

Corinthians Volante tem desarmado menos e passa imagem de desmotivação na temporada

Ricky Martin lança clipe

Real sai na frente

Já é possível assistir o videoclipe gravado por Rick Martin para a Copa no Brasil, chamado “Vida”. A música foi lançada no canal do cantor no Youtube na terça-feira (22). O cantor de Porto Rico esteve no Rio de Janeiro, no início deste ano, para gravar o vídeo. “Vida” foi composta por Elijah King, vencedor do concurso realizado pela Sony Music em parceira com a Fifa e que recebeu 1,6 mil composições. A canção estará no disco oficial da Copa do Mundo, que também inclui o hino oficial, “Dar um jeito (We will find a way)”, que será interpretado pelo guitarrista mexicano, Carlos Santana, o rapper Wyclef, o DJ Avicii e o cantor Alexandre Pires no estádio Maracanã, no dia 13 de julho, na cerimônia de encerramento da Copa. O álbum será lançado no dia 12 de maio.

O Real Madrid ganhou por 1 a 0 do Bayern de Munique no primeiro jogo das semifinais da Liga dos Campeões. A próxima partida ocorre na terça-feira (29). Se a vantagem dos espanhóis sobre os alemães, atuais campeões, se confirmar, é possível que a final seja um clássico madrileno. Na outra semifinal, Chelsea e Atlético de Madrid empataram sem gols na Espanha, em uma disputa que mais parecia o festival da retranca. A campanha do Atlético parece dar vantagem aos espanhóis, que tem a melhor marcação da Europa. Além disso, o clube vive ótimo momento, no topo do campeonato espanhol. Tudo, dizem, graças ao técnico Simeone, que chegou ao time quando este esta prestes a ser rebaixado.

Novo presidente polêmico “Ele tem a cara do São Paulo. É alfabetizado, tem todos os dentes na boca, fala bem o português, é bonito, faz gol.” Carlos Miguel Aidar expressou assim seu desejo de trazer Kaká de volta para o Morumbi, coisa que ele mesmo sabe ser improvável.O novo presidente do São Paulo, sucessor de Juvenal Juvêncio em uma eleição que não contou com candidatos de oposição, caso raro no futebol brasileiro nos últimos anos, começou sua gestão polemizando. Antes de assumir a função, Aidar

também já havia dado outra declaração polêmica, dizendo que “Itaquera é outro mundo, outro país, não dá para chegar lá”, ao se referir ao estádio no Corinthians. Depois de destilar altas doses de elitismo, Carlos Miguel afirmou que era tudo “brincadeira”. Disse que jogador de futebol “pode ser feio, sem os dentes, o que importa é ser bom de bola”. Em um país tão desigual, em que a maioria dos torcedores mora na periferia, seria melhor deixar as brincadeiras de lado.


Brasil de Fato SP - Edição 033