Page 1

Novela: Quando a vida é a vilã e a mocinha Joaquin Vela comenta as histórias de “Sete Vidas”

Tânia Rêgo/ABr

João Miguel Júnior/TV Globo

Cultura | pág. 11

Entrevista | pág.9

Professores de São Gonçalo decretam greve Hora extra não remunerada é um dos motivos que levam profissionais à greve, conta a professora Beatriz Lugão

14 a 20 de maio de 2015 • distribuição gratuita Ano 3 | edição 96

Pablo Vergara/Brasil de Fato Roberto Parizotti

Passa Trem: o trem passa, a sujeira fica Divulgação

“Reforma política” de deputados aumenta poder das empresas

Moradores de Barra Mansa e Quatis criticam sujeira lançada por trens na região Cidades | pág. 8

Projeto que não aprimora sistema político é apelidado de PEC da Corrupção

Divulgação

Brasil | pág.7

Daniele Badolato/La Presse

Pacificação? Juventus e Barça fazem final em Berlin La Vecchia Signora segura empate em 1 a 1 contra Real, em Madrid Esportes | pág.16

Violência aumenta no Rio 2014 foi um dos anos mais violentos dos últimos sete anos no Rio de Janeiro. Isso é o que mostra os dados do Instituto de Segurança Pública, divulgados no começo deste mês. Pelo menos nove favelas estiveram sob o fogo cruzado de traficantes e policiais nos primeiros cinco meses desse ano. As Unidades de Polícia Pacificadora, instaladas a partir de 2007, estão sendo cada vez mais questionadas pela sociedade. Cidades | pág.5

Luta contra remoção na BR-040 em Petrópolis Famílias se articulam para conquistar títulos de propriedades na região Cidades | pág.8


02 | Opinião

EXPEDIENTE

Desde 1º de maio de 2013 O jornal Brasil de Fato circula semanalmente em todo o país e agora com edições regionais em Minas Gerais e no Rio de Janeiro. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais em nosso país e em nosso estado.

CONSELHO EDITORIAL: Alexania Rossato, Antonio Neiva, Joaquín Piñero, Kleybson Andrade, Mario Augusto Jakobskind, Rodrigo Marcelino, Vito Giannotti EDITORA: Vivian Virissimo (MTb 13.344) REPÓRTERES: André Vieira, Bruno Porpetta, Fania Rodrigues e Pedro Rafael Vilela REVISÃO: Núbia Pimentel COLUNA SINDICAL: Claudia Santiago FOTÓGRAFO: Pablo Vergara ADMINISTRAÇÃO: Carla Guindani DISTRIBUIÇÃO: Kleybson Andrade DIAGRAMAÇÃO: Stefano Figalo TIRAGEM MENSAL: 200 mil exemplares

Rio de Janeiro, 14 a 20 de maio de 2015

EDITORIAL

Após 127 anos da abolição, continuam traços da escravidão Nesse 13 de maio de 2015 completaram-se 127 anos da assinatura da Lei Áurea. Essa lei, ao menos no papel, aboliu mais de 300 anos de escravidão no Brasil e findou um modelo de produção baseado no trabalho escravo e no cultivo de uma única lavoura para exportação. É importante lembrar, até como forma de exigir reparações, que esses trabalhadores eram transportados nos porões dos navios negreiros em péssimas condições e muitos deles morriam antes de aportarem por aqui. E os que chegavam, eram comprados por senhores de engenho, que prosseguiam os tratamentos desumanos. O Brasil foi o último país das Américas a abolir a escravidão legalizada. E só o fez por conta das várias revoltas dos negros que configuraram seus quilombos, dos abolicionistas e da pressão externa. Após a abolição, o estado

brasileiro não ofereceu alternativas para os escravos libertos. A terra que antes era oferecida pela coroa para a exploração passou a ser vendida em 1850, impossibilitando o acesso do trabalhador recém-liberto. Também não se ofereceu condições para serem integrados ao mercado de trabalho.

Quinta-feira, 14 maio • Rio de Janeiro, Brasil

PREVISÃO DO TEMPO

Parcialmente nublado (21) 4062 7105 redacaorj@brasildefato.com.br

25

Hoje é impossível não perceber a importância da etnia negra em nossa sociedade. Desde a economia, da música, da culinária, da arte, da literatura (Machado de Assis, filho de escrava e um dos nossos maiores escritores, foi o fundador da Academia Brasileira de Letras), do futebol e de tantas outras

contribuições em várias áreas do conhecimento. Mas o traço escravocrata ainda resiste. Principalmente entre as elites que sempre detiveram o poder. Seja na imprensa, seja na polícia, seja nas fábricas, seja nas universidades, seja no campo, o negro e a negra ainda são considerados cidadãos de segunda categoria. Prova disso consta no relatório do Ministério do Trabalho: em 2014 mais de 600 empresas foram flagradas praticando trabalho escravo e a Câmara dos Deputados quer aprovar uma lei inocentando esses escravocratas. Recentemente a ONU apontou que os jovens negros são as principais vítimas da violência no Brasil. Enfim muita coisa ainda precisa mudar para afirmarmos que vivemos em uma sociedade democrática, justa e que algum dia possa comemorar-se o dia 13 de maio como uma data libertadora.

ºC | F


Geral | 3

Rio de Janeiro, 14 a 20 de maio de 2015

­

FRASE DA SEMANA

mandou

bem

Divulgação

"Eu vou recomeçar a rezar e voltar à Igreja se o papa continuar por esse caminho", disse o

Sindicato se preocupa com as pessoas com deficiência

Funk: patrimônio imaterial tombado do Rio

Em vídeo, policiais civis, dentre eles, o delegado Orlando Zacone, declararamse contra a redução da maioridade penal. Para eles, a medida tende a agravar o quadro de insegurança.

O funk como patrimônio imaterial tombado do Rio de Janeiro e fenômeno expressivo da sociedade é tema do 2º Simpósio de Pesquisadores do Funk Carioca – Música, Território, Juventude e Identidade, que vai até quinta-feira (14) na Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e no Centro de Artes da Maré.

Divulgação

mandou Divulgação

Divulgação

presidente de Cuba Raul Castro em recente visita ao Vaticano.

mal

Assim como o funk, o samba também começou marginalizado por ser uma expressão de negros e da favela. “O samba foi questionado e combatido e o funk vivencia um processo semelhante”, afirma o pesquisador Paulo Roberto Tonani do Patrocínio. A programação está no site http://www.metaeventos.n et/funk2015/.

Shana Reis/GERJ

Até hoje a Globo silencia sobre a RBS, sua afiliada do RS, investigada na Operação Zelotes que apura pagamento de propina para evitar impostos.

SINDICAL Claudia Santiago

A presidenta Dilma Rousseff, o prefeito Eduardo Paes e o governador Luiz Fernando Pezão percorreram parte dos túneis em rocha da Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro nesta terça-feira (12).

Um em cada quatro brasileiros tem algum tipo de deficiência, seja física, visual, auditiva, motora ou mental, segundo o IBGE. Para discutir o tema o Sindicato dos Servidores da Justiça Federal promoveu o debate “Nem coitados, nem heróis. Pessoa com deficiência – desvendando mitos, falando verdades”. É o movimento sindical enfrentando as dificuldades que a sociedade tem em lidar com o indivíduo com deficiência.

Escolas particulares: profissionais em campanha salarial Os professores da educação básica das escolas particulares do município do Rio de Janeiro estão em Campanha Salarial. Entre as reivindicações apresentadas, está o reajuste salarial de 13%. Uma assembleia está marcada para o próximo sábado (16), às 10h, no Clube Municipal, na Tijuca.

Receba o Brasil de Fato RJ por e-mail. Inscreva-se no link: www.e.eita.org.br/assinebrasildefatorj


Rio de Janeiro, 14 a 20 de maio de 2015

Cidades | 5

Violência cresce no Rio Modelo de pacificação é questionado por comunidades Fania Rodrigues do Rio de Janeiro (RJ) 2014 foi um dos anos mais violentos dos últimos sete anos no Rio de Janeiro. Isso é o que mostra os dados do Instituto de Segurança Pública, divulgados no começo desse mês. O número de assassinatos cometidos por policiais - conhecidos tecnicamente como auto de resistência - registrou um aumento de 59%, no primeiro trimestre de 2014 em relação ao mesmo período de 2013. Também aumentaram os homicídios dolosos – quando há a intenção de matar -, que cresceram 24%, de acordo com os meses pesquisados. Uma das poucas estatísticas positivas foi a de recuperação de carros rouba-

dos que cresceu quase 50%. No entanto, as tristes estatísticas não param por aí. Os conflitos nas favelas cariocas são algo que continuam aterrorizando seus moradores. São eles que ficam no meio do fogo cruzado entre policiais, traficantes e grupos rivais que disputam pontos de venda de drogas. Quase sete anos depois da instalação da primeira UPP, esse modelo de segurança do Rio de Janeiro é questionado pela sociedade. “A pacificação não deu certo, pelo menos não no Alemão. As UPPs são um programa vendido como política de segurança. A promessa das UPPs era de trazer a paz, mas só trouxeram guerra”, afirma a pesquisadora do Programa de Pós-Graduação de Mídia e Cotidiano, da Universidade Federal Fluminense, Tatiana Lima. Ela mora próximo ao Alemão, onde realiza seu estudo de campo.

Pablo Vergara/Brasil de Fato

Moradores da Rocinha relatam que tiroteios continuam fazendo parte da rotina

Tatiana também ressalta o papel da grande mídia na legitimação do programa de pacificação. “O discurso predominante da mídia é que a ocupação das favelas veio

para trazer a paz e liberdade aos moradores, mas no Alemão a gente houve tiroteio quase todos os dias. Esse modelo tem que ser repensado”, destaca a pesquisadora.

Comunidades sob o fogo cruzado Moradores da Rocinha relatam cotidiano de abordagens policiais, tiroteios e roubos do Rio de Janeiro (RJ) Pelo menos nove favelas estiveram sob o fogo cruzado nos primeiros cinco meses desse ano: Morro da Coroa (centro), Chapadão, Salgueiro e Turano (zona norte); a Rocinha (zona sul), Antares e Batan (zona oeste), e Providência (zona portuária). Assim como no Alemão, os moradores da Rocinha relatam que os tiroteios continuam fazendo parte da rotina. “Existe uma falsa aparência de segurança. Disseram que a polícia estava chegando para trazer a segurança, mas

estão criminalizando o morador. Só porque mora em favela eles acham que é vagabundo”, denuncia o motorista, de 28 anos, que aceitou falar sem ser identificado. A cabeleireira, de 40 anos, que também não quis dar

seu nome, diz que a violência piorou. “Agora tem assalto, roubo de casas e estupros na Rocinha. Coisa que não existia antes”, conta. Essa semana o estudante da Escola Ayrton Senna, de 16 anos, e alguns colegas es-

tavam uniformizados, saindo para o colégio quando foram abordados por policiais da UPP. “Eles revistaram tudo. Foi a primeira vez que isso aconteceu comigo, mas vejo isso direto com colegas da escola”, relata. (FR)

Sem solução à vista Embora o modelo de segurança esteja desgastado, o governo do Rio de Janeiro não deu sinais de que o sistema será revisto. A receita contra a violência até o momento parece ser a mesma de sempre: mais violência. Isso fica evidenciado em recentes declarações do secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame. Ele disse que “para reduzir a violência a medida adotada é aumentar o policiamento ostensivo”. O Brasil de Fato procurou a Secretaria de Segurança para saber se medidas seriam adotadas para melhorar ou mudar o atual modelo de pacificação, mas até o fechamento dessa edição não foi recebida nenhuma resposta.


6 | Mundo

Rio de Janeiro, 14 a 20 de maio de 2015

Bachelet troca ministro suspeito de corrupção Ximena Navarro/Presidência do Chile

­

EM FOCO

Banco dos Brics: presidente será indiano

Bachelet quer transparência entre política e mundo dos negócios

A reforma ministerial da presidenta do Chile Michelle Bachelet, anunciada nesta segunda-feira (11), teve ritmo de “dança das cadeiras”. Os principais cargos foram ocupados por figuras que já estavam no gabinete e trocaram de pasta. A reforma ministerial acontece depois do anúncio de Bachelet, na quarta-feira passada (6), de que havia pedido a renúncia de todos os seus ministros e que avaliaria

cada caso nos dias seguintes. Horas depois do anúncio, em seu discurso oficial, Bachelet deu ênfase ao lançamento do trâmite legislativo da chamada “agenda de probidade”, cujo foco é a nova lei de financiamento exclusivamente estatal das campanhas e a criação de um novo organismo de supervisão das licitações e fiscalização das concessões públicas. (Opera Mundi)

O primeiro presidente do banco dos Brics (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) será o economista indiano Kundapur Vaman Kamath. Com capital de US$ 100 bilhões de dólares, o banco foi concebido para servir de alternativa ao FMI (Fundo Monetário Internacional) e ao Banco Mundial. De acordo com o Centro de Intercâmbios Econômicos Internacionais da China, em 2030 os Brics representarão 50% do PIB do planeta. Hoje o bloco é responsável 25% da riqueza mundial.

The Presidential Press and Information Office

TROPAS RUSSAS DESFILAM em Moscou em celebração aos 70 anos do “Dia da Vitória” no domingo (10). De acordo com o Kremlin, a parada na capital foi a “maior da história”, com quase 200 peças militares e 143 aviões e helicópteros.

Raúl visita papa Francisco no Vaticano O presidente de Cuba, Raúl Castro, visitou neste domingo (10) o papa Francisco no Vaticano. Depois do encontro, o líder cubano elogiou o pontífice e disse que, “se ele continuar assim”, voltará a rezar e frequentar a Igreja Católica. O Vaticano desempenhou um papel fundamental na aproximação entre Washington e Havana anunciado no final do ano passado. "Agra-

deci ao Santo Padre por sua contribuição para a reaproximação", disse o cubano no final da audiência. "Nunca teríamos que ter sido incluídos nessa lista de países terroristas. Talvez em 28 de maio o Senado dos Estados Unidos nos tire dessa famosa lista", disse. Eles discutiram, também, o drama dos refugiados que tentam atravessar o Mediterrâneo. (Opera Mundi) Observatorio Romano

Papa Francisco tem visita agendada para Cuba em setembro

Suprema Corte da Suécia rejeita recurso de Assange O Supremo Tribunal da Suécia rejeitou nesta segunda-feira (11) o novo apelo do fundador do site WikiLeaks, Julian Assange, contra uma ordem de prisão pelas acusações de estupro e agressão sexual. Em 2010, procuradores emitiram uma ordem de detenção, após duas suecas denunciarem o austra-

liano. Ele alega que as relações foram consensuais. Desde junho de 2012, Assange está refugiado na embaixada do Equador de Londres. Ele também teme ser extraditado para os EUA, onde seria julgado por vazar 500 mil documentos militares secretos. (Opera Mundi)


Rio de Janeiro, 14 a 20 de maio de 2015

Brasil | 7

Deputados querem manter doações de empresas Midia Ninja

Relatório final da reforma política mantém esquema de financiamento eleitoral Pedro Rafael Vilela Brasília (DF) Uma comissão formada por deputados federais para analisar propostas de reforma política apresentou relatório final que aumenta a influência do poder econômico nas eleições. O parecer do deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), divulgado na última terçafeira (12), permite que empresas continuem fazendo doações para campanhas políticas. Movimentos sociais estão chamando essa proposta de “PEC da corrupção”, porque ela mantém as empresas no controle do sistema político. “A doação empresarial para campanhas é a principal fonte de desvios e da corrupção”, afirma Luciano Santos, advogado especialista em direito eleitoral e diretor do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE).

Garis iniciam campanha nacional pela readmissão de trabalhadores demitidos após greve da categoria. Ato em frente a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) ocorreu nesta quarta-feira (13).

As eleições no Brasil estão entre as mais caras do planeta. Somente em 2014, o custo total das candidaturas ficou em cerca de R$ 5 bilhões. Estima-se que 90% das doações são feitas pelo setor empresarial. Um dado revelador é que as contribuições vieram de um grupo pequeno, que não chega nem a 1% do total de empresas no país.

Se ela doa R$ 5 milhões vai querer recuperar na frente R$ 20 milhões”, disse. A sociedade civil luta por outros modelos de reforma política. Organizações como OAB, CNBB, MCCE, UNE, entre outras estão articulados em torno da Coalizão por uma Reforma Política Democrática e Eleições Limpas. A principal iniciativa é um projeto de lei de iniciativa popular, que já recolheu 200 mil assinaturas em todo o país em tem a meta de chegar a 1,4 milhão. O advogado Luciano Santos informa que uma caminhada até o Congresso Nacional, marcada para o dia 20, será mais um momento de pressão Movimentos defendem convocação de Constituinte para reforma política para barrar o que chama de “Em geral, são empresas que Queiroz Galvão, UTC Enge- “contrarreforma” política. dependem basicamente de nharia e Andrade Gutierrez. licitações públicas, têm uma Todas elas estão sendo in- PLEBISCITO No dia 26, outra ação purelação forte com o poder vestigadas na Operação Lava político. Então, elas fazem Jato, que apura fraude em xada pela campanha do investimento em doação para licitação com a Petrobrás. Plebiscito Constituinte, que recuperar depois”, explica Lu- Até mesmo o ex-diretor da envolve MST, CUT, entre estatal, Paulo Roberto Costa, outras, também promete ciano Santos, do MCCE. Entre as 10 maiores doa- delator e um dos principais mobilização em Brasília doras eleitorais no ano pas- réus no processo, ironizou para pressionar pela consado, pelo menos cinco eram as doações empresariais de vocação de uma Assemempreiteiras, como OAS, campanha durante seu de- bleia Constituinte exclusiva poimento na CPI da empre- para mudar o sistema poPablo Vergara/ Brasil de Fato sa, na semana passada. Para lítico, por meio de um pleCosta, “não existe almoço de biscito. A avaliação é de graça” em contribuições de que o atual Congresso não campanha. “Não existe doa- vai aprovar uma reforma ção de empresas que depois política que contrarie seus essas empresas não queiram próprios interesses eleitorecuperar o que foi doado. rais e políticos.


8 | Cidades

Rio de Janeiro, 14 a 20 de maio de 2015 Divulgação

Passa Trem: o trem passa, a sujeira fica Projeto de lei de autoria da deputada Inês Pandeló (PT) é desarquivado pelo deputado Flavio Serafini (PSOL) Viviane Tavares de Barra Mansa (RJ) Comida cheia de pó de minério, plantação prejudicada, pulmões adoecidos e muita sujeira dentro de casa. Esse é o cenário constante de moradores das regiões de

Barra Mansa e Quatis, além de outros municípios do sul fluminense, por conta das partículas de minério e outros materiais expelidos dos trens de carga, que passam nas cidades cortadas pela Ferrovia do Aço, fruto do “Milagre Econômico” do período da ditadura militar. Após visita ao local, o deputado Flavio Serafini desarquivou o projeto 2711/2014 protocolado pela deputada Inês Pandeló (PT-RJ) em 2014, que teve sua tramitação suspensa pelo fim da legislatura. O projeto propõe a obri-

gação de todos os vagões de trens de carga trafegando dentro da área geográfica pertencente ao Estado do RJ, transportando material poluente que possa ser espalhado com o vento trafeguem tampados. As empresas que descumprirem deverão pagar multa de 50 UFIR-RJ, hoje, cerca de R$135 por vagão e havendo reincidência, o valor será cobrado em dobro. É importante lembrar – como denunciaram diversos moradores – que alguns vagões, dependendo do material, trafegam tampados.

Famílias lutam contra remoção na BR-040 Audiência pública em Petrópolis reuniu moradores Juliana Oliveira

de Petrópolis (RJ) Debaixo da névoa típica da região serrana, as famílias que moram às margens da BR-040 lotaram o salão principal da Câmara Municipal

de Petrópolis para uma audiência pública na última quarta-feira (6). Moradores buscavam receber uma resposta das autoridades sobre a permanência na localidade. Durante a reunião, vários moradores divulgaram histórias e angústias. Joseane Sueli de Jesus Ferreira, moradora do km 50, nascida às margens da BR e disse que já não se sente mais tão acua-

da com as ações da Companhia de Concessão Rodoviária Juiz de Fora-Rio (CONCER). “A gente começou a ser visto como seres humanos... A gente tem mais conhecimento, não é mais aquele povo que abaixa a cabeça”, disse. Essa é a segunda audiência promovida pelo Vereador Silmar Fortes (PMDB), mas nenhum representante da empresa responsável pela rodovia, compareceu à reunião. Há mais de 10 anos, a CONCER vem propondo diversas ações para remover as famílias, com a alegação de que elas ocupam a área considerada como faixa de domínio da rodovia. De acordo com os moradores a afirmação não procede, já que a ocupação

Moradores pressionam por projeto que obriga trens a trafegarem tampados

“Quando a mercadoria é sensível, causa dano ao objeto, ele vem protegido. Agora, quando o prejuízo é a nossa saúde e a saúde ambiental, essa preocupação não existe”, informou Guilherme Gonzaga, militante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) , que está com o pro-

jeto de produção agroecológica, mas com receio de não conseguir, devido ao pó que cobre a plantação. “Além disso, os trens passam dentro das cidades, bloqueiam qualquer organização urbanística, geram dificuldades no trânsito e ainda podem causar acidentes, como a queda de pedras”, afirma.

ocorreu anos antes da chegada da empresa. Na audiência, as autoridades informaram sobre as atividades propostas na audiência ocorrida em fevereiro. A principal foi a vistoria feita por representantes do Instituto de Terras e Cartografia do Estado do Rio de Janeiro (ITERJ), dando início ao processo de regularização fundiária. “Regularizar é poder entregar o documento de propriedade para cada um. Não sei se conseguiremos atender a todas as famílias de todas as comunidades, mas vamos tentar, de toda maneira, para entregar esse documento tão sonhado: o título”, afirmou Luiz Cláudio Vieira (ITERJ). De acordo com Francine Damaceno, advogada do Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Petrópolis (CDDH), se for considerada toda a área da rodovia, o im-

pacto pode atingir mais de 5 mil famílias. O CDDH acompanha as demandas das comunidades envolvidas há quase 10 anos. De acordo com ela, hoje já são sete áreas para regularizar. “O Município precisa reconhecer a BR como um bairro de Petrópolis. A regularização fundiária sem política pública não adianta. Essa população vive em uma não-cidade, porque não tem direito à nada”, afirmou. Juliana Oliveira/CDDH

Moradores da BR – 040 mobilizados contra tentativa de remoção


Rio de Janeiro, 14 a 20 de maio de 2015

Entrevista | 9

“Vivemos um caos na educação de São Gonçalo” EBC

A professora Beatriz Lugão fala sobre a situação no setor e sobre a greve decretada pela categoria

André Vieira de São Gonçalo (RJ) São Gonçalo é o segundo maior município do estado do Rio de Janeiro com mais de um milhão de habitantes, atrás apenas da capital. Embora grande, a educação na cidade vive uma crise, segundo denuncia o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação no RJ (SEPE-RJ). Reunidos em assembleia na última terça-feira (12), cerca de 250 profissionais de educação decretaram greve por 72h a partir da próxima segunda-feira (18). O Brasil de Fato cruzou a ponte e foi até o município da região metropolitana para entrevistar Beatriz Lugão, diretora do SEPE e professora de São Gonçalo, que nos contou sobre a situação vivida ali. Confira. Brasil de Fato - Qual a situação da educação em São Gonçalo? Estamos sem profissionais de limpeza nas escolas, não temos merenda para os alunos, faltam professores e os que estão dobrando o expediente não receberam por isso, o pessoal que está contratado não está recebendo. Estamos vivendo um caos completo na educação de São Gonçalo. Brasil de Fato - O que foi decidido na assembleia da categoria? Uma greve de advertência

Fellippo Brando/Alerj

Beatriz Lugão, diretora do SEPE

Profissionais da educação denunciam descaso com setor

Quando os educadores entram em greve é porque está insuportável a situação dentro da escola

_________________

de 72h a partir da próxima segunda-feira, dia 18. Vamos fazer uma mobilização de rua na terça-feira (19), quando faremos uma passeata saindo da secretaria de educação e indo até a prefeitura de São Gonçalo e sem hora para acabar. Nossa ideia é trazer pais, alunos e mobilizar a população que ano passado assistiu uma greve de 3 meses da educação em São Gonçalo e apoiou nossas atividades. Queremos chamar atenção da população para o descaso que continua e que até piorou do ano passado pra cá. Brasil de Fato - Vocês decretam greve num cenário onde

outros profissionais da educação do país também estão em paralisação. Como você avalia este momento? Os profissionais da educação talvez sejam hoje um dos setores mais mobilizados porque é um dos setores que mais trabalham com o público, junto com os profissionais da saúde. É um dos setores que mais têm sentido o corte de verbas e é um dos que mais têm sentido com a mentira de todos os governos. A pátria educadora está batendo em professor, em funcionário de escola. A pátria educadora educa com a repressão aos movimentos dos educadores e aos movimentos sociais. Educa cortando verba da educação e da saúde. Não tem como os profissionais da educação não explodirem. A educação em nosso país é uma panela de pressão. Brasil de Fato - Qual a importância da sociedade apoiar a luta pela educação? Ela precisa abraçar a educação, não achar que só os edu-

cadores que precisam brigar. Quando os educadores entram em greve é porque está insuportável a situação dentro da escola. Aqui vamos fazer uma greve de advertência. Estamos no segundo bimestre sem merenda, sem condições de trabalho, com banheiro sujo na creche, sem material escolar. Então é um basta que a categoria está dando e é preciso que a população venha também para essa luta. Brasil de Fato - Qual é o seu o recado aos leitores do Brasil de Fato? Vocês precisam vir para as lutas sociais, vir para as ruas, no próximo dia 29 de maio tem uma greve geral no país. O leitor do Brasil de Fato pre-

Queremos chamar atenção da população para o descaso que continua e que até piorou do ano passado pra cá

_______________

cisa trazer para si essa luta, participar e alguma coisa tem que ser feita. Somente o povo na rua é capaz de mudar esse estado de coisas. Então aquele trabalhador que está saindo cansado, vai sair cada dia mais cansado, com uma passagem de ônibus cada dia mais cara, morando cada dia mais distante do seu trabalho, com seu filho estudando em uma escola cada vez mais precária, com um péssimo serviço de saúde. Esse trabalhador precisa vir para as ruas e dar um basta nessa situação colocada.


10 | Cultura

Rio de Janeiro, 14 a 20 de maio de 2015

Cozinha Arrumada O que? Repertório representado por grandes baluartes do gênero como João Nogueira, Luiz Carlos da Vila, Fundo de Quintal e Candeia, além de músicas autorais. o

Divu lga

çã

Divulgação/Iphan

_________________

mente ele impôs sua identidade construindo um dos maiores tesouros do nosso território: a diversidade cultural brasileira. Aproveitaremos esse espaço para valorizar os mestres e artistas que mantém como trincheira de resistência suas violas, rabecas, tambores, histórias e ancestralidade erguidos. Assim conseguem que os reisados, cirandas, candomblés, sam-

"Sou brasileiro, sou brasileiro, Sou brasileiro imperador, Porque eu nasci foi no Brasil, Sou brasileiro, o que é que eu sou?"

O que? Tradicional Feijoada Carioca e Roda de Samba de Raiz com o Grupo “Brilho do Samba” e convidados. Quando? Sábado (16), às 15h. Onde? Bar da Nêgah (Rua Álvaro Alvim, 33 – Cinelândia) Quanto? 0800

O que? Produção do cineasta Simplício Neto trata do rio que dá nome aos nascidos no Rio de Janeiro. Após a exibição do filme, será realizado um bate-papo com o diretor Simplício Neto, o deputado estadual Flavio Serafini e a professora da UFRJ Ana Lúcia Britto.

çã

Festival Latino por Ayotzinapa

Onde? Cardosão - Rua Cardoso Júnior, 312 Laranjeiras Quando? Sábado (26), às 18h Quanto? 0800

çã

O que? A roda Samba de Lei volta ao Arco do Teles tocando clássicos de todos os tempos. o

Quando? Quinta-feira (14), às 19h Onde? Arco do Teles, na Praça XV Quanto? 0800

o

o

Quando? Quinta-feira (14), às 18h30 Onde? Antigo comitê do vereador Renato Cinco (PSol) (Rua Joaquim Silva, 130 – Lapa)

Samba de Lei

Divu lga

O que a cultura tem a ver com transformação social? Ainda hoje, essa é uma pergunta que poucos têm a noção da amplitude

bas, encantarias, marujadas, capoeiras e incontáveis patrimônios de nossa cultura se mantenham vivos e sejam nossa maior arma contra a cultura de massas opressora do mundo globalizado. Infelizmente, nossos maiores mestres ainda não encontram a visibilidade que merecem. Embora eles sejam os aliados primordiais para a luta de uma transformação social completa, em que o povo seja fortalecido pelo orgulho de suas raízes, que enche de força e sentido a batalha contra os poderosos. São as onças castanhas, os bois de estrela na testa, os pretos velhos, os orixás, os tambores de crioula, os berimbaus, os repiques, tantãs, candongueiros e milhares de outros tesouros, que fizeram do povo brasileiro a fênix que renasce das injustiças. A união desses mesmos tesouros continuará nos fazendo resistir. Continuará mantendo nossa memória, identidade e autoestima, como cantam nossos caboclos:

Carioca era um rio

Para assistir

Cultura popular é chave da resistência do povo

O que a cultura tem a ver com transformação social? Ainda hoje, essa é uma pergunta que poucos têm a noção da amplitude. A cultura popular do Brasil é uma das chaves da resistência do nosso povo ao modelo perverso de construção social ao qual fomos submetidos. Se repararmos, ao mesmo tempo que o povo foi oprimido socialmente, cultural-

Samba Brilha

çã

Para sambar

Divu lga

Ancestralidade e resistência

AGENDA DA SEMANA

Divu lga

Nossa Cultura | Clarisse Mantuano

O que? Festival organizado pela Rede de Coletivos em Solidariedade pelos 43 Estudantes Desaparecidos de Ayotzinapa (México)” tem a intenção de arrecadar fundos para receber a Caravana 43 que vai rodar a América Latina e passará pelo Rio de Janeiro, na segunda semana de junho de 2015. Quando? Sábado (16), às 19h. Onde? Centro do Teatro do Oprimido (Rua da Lapa, 31) Quanto? R$ 5 até 22h. Depois, R$15.

Mostra Achtung! Filmes de Berlim O que? A mostra exibirá 13 longas-metragens e 2 documentários, todos inéditos no Brasil, produzidos nos últimos cinco anos, na Alemanha e tendo a capital alemã como cenário. Onde? CAIXA Cultural (Av. Almirante Barroso, 25 – Centro) Quando? Até 24 de maio, de terça-feira a domingo, das 10h às 20h Consultar programação Quanto? 0800


Rio de Janeiro, 14 a 20 de maio de 2015

A NOVELA COMO ELA É | Joaquim Vela

Arquivo

Lélia Gonzalez: ativismo contra o racismo Sandra Martins *

do Rio de Janeiro (RJ) Denúncias de racismo nas escolas, em universidades, nas redes sociais, dos serviços públicos, da polícia, da mídia. Sempre o mesmo discurso da manutenção do padrão: negro + pobre + favelado = bandido. Tais fatos, do nosso cotidiano, são o resultado do conhecido racismo. Sabe aquela doença trazida pelo DNA dos colonizadores ocidentais? Pois é... Temas como este foram densamente refletidos pela filósofa e feminista negra Lélia Gonzalez, que se viva estivesse estaria com 80 anos. Entender este mecanismo do racismo e a construção de estratégias para seu combate baseou o pensamento de Lélia Gonzalez. Esta pensadora negra brasileira foi homenageada no Projeto Memória da Fundação Banco do Brasil, com a Rede de Desenvolvimento Humano (Redeh) e Brasilcap. Parte da mostra pautou o debate, dia 6/5, no

Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro SJPMRJ, mediado pela sua Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial. Na mesa, amigas e discípulas: a socióloga e mestre em História Comparada, Elizabeth Viana, e a doutoranda em Políticas Públicas, Rosália Lemos.

Para Lélia Gonzalez, a mulher negra sempre foi a mais oprimida na nossa sociedade

Quando a vida é a vilã e a mocinha TV Globo

tiona a situação da trabalhadora doméstica: “afinal, a trabalhadora rural de hoje não difere muito da ‘escrava do eito’ de ontem; a empregada doméstica não é muito diferente da ‘mucama’ de ontem; o mesmo poderia dizer-se da vendedora ambulante, da ‘joaninha’, da servente ou trocadora de ônibus de hoje, e ‘escrava de ganho’ de ontem”. Será que muita coisa mudou mesmo? *Sandra Martins, jornalista e integrante da Cojira-Rio/SJPMRJ Arquivo

Miguel decide seguir “morto” e construir a vida em outro lugar

E quando a gente percebe que a própria vida, às vezes, dá sinais de vilania? A novela “Sete Vidas”, da faixa das 18h, tem a vida como protagonista e vilã principal. Miguel (Domingos Montagner), ainda jovem, tem a vida marcada pelo acidente que matou a mãe e, para “fugir” dessa marca, vai para os Estados Unidos. Lá, faz doações para um banco de sêmen e torna-se pai de seis

Novela “Sete Vidas”, da faixa das 18h, tem a vida como protagonista e vilã principal

________________

De família numerosa, penúltima de 18 filhos, Lélia migrou de Belo Horizonte para o Rio de Janeiro, com apoio do irmão mais velho, Jorge, jogador do Flamengo. Fez geografia e história. Foi docente do ensino secundário e superior. Embranquecida, aprenArquivo deu que o racismo mata. Seu marido, de origem italiana, se suicidara. Não suportou a pressão racial de sua família. A dor a faz mergulhar na sua negritude, em seu povo e sua religião. O estudo e o ativismo no movimento negro e no feminismo negro Lélia a reerguem. Para ela, a mulher negra Filósofa e feminista negra sempre foi a mais oprimida Lélia Gonzalez na nossa sociedade e ques-

Cultura | 11

SERVIÇO O que? Exposição conta a história da filósofa e ativista negra. Quando? De segunda a sexta, das 9h às 18h. Onde? Sindicato dos Jornalistas do Rio (Rua Evaristo da Veiga, 16,17° - Centro) Quanto? 0800 (grátis)

_________________

crianças. Aos poucos vai se tornando solitário e incapaz de se relacionar. Mesmo apaixonado por Lígia (Débora Bloch), e sem saber que ela esperava um filho seu, Pedro (Jayme Matarazzo), ele embarca sozinho para uma expedição na Antártida e é dado como morto após um acidente. Ao recuperar a memória depois de salvo, Miguel descobre que Lígia “ajeitou” sua vida

com Vicente (Ângelo Antônio), que assume a paternidade de Pedro e tem um filho com ela. Miguel decide, então, seguir “morto” e construir a vida em outro lugar. Não por maldade, mas por dificuldade de enfrentar as situações. CONFUSÃO Acontece que os filhos inseminados com as doações de Miguel resolvem se conhecer. Um deles, Felipe (Michel Noher), é portador de uma doença autoimune, o que faz com que o pai desconhecido dê as caras para poder salvá-lo. A aparição de Miguel causa, como era de se esperar, confusão na vida de muita gente. Amena e ao mesmo tempo contundente em mostrar as peças que a vida nos prega, a novela não tem personagens maldosos ou vilões caricatos. Lícia Manzo, a autora, também escreveu “A Vida da Gente” (2011), uma das novelas mais lindas que eu assisti. Em “Sete Vidas”, além da trama central de Miguel e seus filhos, a paixão entre meio irmãos, entre terapeuta e paciente e a escolha entre a maternidade e o trabalho são exemplos de ironias da vida retratadas. Você estaria preparado para enfrentá-las?


12 | Opinião

Rio de Janeiro, 14 a 20 de maio de 2015

Vitor T.

A fim de papo | Mc Leonardo

UPPs, ovos e omeletes! EBC

SEPE-RJ derruba medida autoritária da Prefeitura do Rio Como se não bastassem os convênios da Prefeitura do Rio para a adoção de questionáveis apostilas das Fundações Roberto Marinho e Ayrton Senna, fato totalmente silenciado pela mídia hegemônica, um professor concursado de Geografia, Breno Mendes, foi demitido por ter criticado a Secretaria Municipal de Educação no Facebook. Mas graças a uma liminar do Departamento Jurídico do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio (SEPE-RJ) a punição foi revogada e consequentemente o professor Breno readmitido. Para adotar a medida punitiva, a Secretária, professora Helena Bomeny, utilizou artigo remanescente do período ditatorial em que é exigido dos servidores públicos "lealdade e respeito às instituições administrativas que servir". Se a Secretária de Educação se vale de padrões da época em que o Brasil estava mergulhado no autoritarismo para punir professores, pode-se imaginar o que acontece nas salas de aula, nas escolas e demais instituições a ela vinculadas. Pode-se imaginar também de que forma a demissão do

servidor público Breno Mendes repercutiu na categoria dos professores, maltratados pelo poder público, não só no Rio de Janeiro, como em outras regiões do país. Considerando a recente ação da Polícia Militar do Paraná ao reprimir com extrema violência mestres que protestavam na área da Assembleia Legislativa, contra um projeto considerado nocivo aos servidores públicos daquele Estado. Tão nocivo, que o Ministério Público pediu a revogação desse projeto, que foi aprovado pelos parlamentares correligionários do governador Beto Richa, do PSDB. ADMINISTRADOR BEM SUCEDIDO? O Prefeito Eduardo Paes, do PMDB, muito bajulado pela mídia conservadora e que diariamente aparece nos “jornalões” e “telejornalões” como “administrador bem sucedido”, deveria ser chamado para esclarecer o acontecimento que envergonha o Rio de Janeiro, uma cidade cuja população nunca aceitou conviver com o autoritarismo. E não seria agora, 30 anos depois do fim formal da ditadura que se pode aceitar

uma Prefeitura voltando a se valer de legislação arbitrária para punir quem a critica. Independente da medida jurídica do SEPE-RJ que revogou a demissão, o Prefeito Eduardo Paes deve ser questionado por qual motivo

Um professor concursado, de Geografia, Breno Mendes, foi demitido por ter criticado a Secretaria Municipal de Educação no Facebook

_________________

mantém uma secretária que não sabe liderar com críticas, quando ela deveria servir de exemplo para os mestres cariocas. E também porque da adoção das apostilas das Fundações Roberto Marinho e Ayrton Senna. Mário Augusto Jakobskind é jornalista integrante do Conselho Editorial do Brasil de Fato

Seis mortes e o silêncio do Secretário de Segurança, Beltrame

No início de 2008, quando se começou a falar sobre um projeto de polícia para as favelas, eu disse discordar, pelo fato de saber que o morador de favelas tem o mesmo direito de todos os moradores do Estado e o tal projeto me parecia violar esses direitos. A cada inauguração de UPP eu tinha mais certeza das minhas avaliações, mas a invasão das polícias no Complexo do Alemão deixou isso bem claro para toda sociedade. OMELETE SEM QUEBRAR OS OVOS Logo, o Secretário de Segurança junto com o Comandante Geral da PM e o Chefe da Polícia Civil vieram a público com um discurso que a grande mídia adotou que foi a seguinte: “Não se faz um omelete sem quebrar os ovos.” Fiquei mais preocupado ainda quando vi ministros, representantes da justiça e até o presidente Lula concordarem com aquela tese, pois a tal omelete seria a paz e os ovos seriam os direitos dos moradores de favelas. Bom, o tempo passou e vimos que a omelete não

O tempo passou e vimos que a omelete não foi feito, pois a paz é algo muito distante nas favelas

_________________

foi feita, pois a paz é algo muito distante nas favelas que receberam o projeto, já os ovos continuam diariamente sendo quebrados, pois os direitos continuam sendo desrespeitados. NENHUMA DECLARAÇÃO SOBRE MORTES No último final de semana, mais de cem bandidos saíram de uma favela ocupada pela polícia em direção a outra também ocupada. Resultado: Seis mortes e, até agora nenhuma fala de alguém ligado à polícia ou à Secretaria de Segurança. Vejo que para dar satisfação sobre a omelete está faltando gente, agora para quebrar os ovos... Até semana que vem, e “Vamu que Vamu”.


Rio de Janeiro, 14 a 20 de maio de 2015

Variedades | 13

BOA E BARATA

Peixe Cozido Divulgação

Ingredientes

Modo de preparo

1 peixe de sua preferência em postas 2 limões 2 tomates maduros grandes 1 cebola grande em rodelas 1 pimentão verde ou vermelho 1 ou 2 maços de cheiro verde com coentro 2 pimentas de cheiro Pimenta-do-reino, corante, açafrão e sal a gosto 1 leite de coco

Lave o peixe com o limão, salgue e reserve. Coloque tomate a cebola e o pimentão em uma panela grande com um pouco de óleo, assim que o tomate estiver mais molinho acrescente o peixe e deixe refogar. Quando estiver pronto acrescente o cheiro verde, a pimenta-decheiro e leite de coco. Deixe ferver por 3 minutos e está pronto para servir.

Tempo de preparo 35 minutos

AMIGA DA SAÚDE Amiga da saúde, de um tempo para cá, tem aparecido um tanto de verruguinhas bem pequeninas no meu pescoço e axilas. O que causa isso e como fico livre delas? Lívia Braga, 42 anos, artesã. Cara Lívia, essas verruguinhas são conhecidas como acrocórdons ou fibromas moles. São pequenos papilomas, geralmente localizados nas faces laterais do pescoço, axilas, colo e pálpebras. Mais comuns em idosos, esses papilomas são lesões benignas de causa ainda desconhecida. Sabese que se relacionam com o avançar da idade, obesidade, gravidez, menopausa e alguns distúrbios endócrinos, mas não cau-

sam sintomas. São permanentes e tendem a crescer com o tempo. A melhor forma de se livrar delas é retirando-as num dermatologista. Várias técnicas podem ser usadas para a retirada e o resultado costuma ser ótimo.

Dúvidas sobre saúde? Encaminhe e-mail para redacaorj@brasildefato.com.br

Todas as semanas nas ruas do

Rio

Divulgação

(21) 4062 7105

Rendimento 6 porções


14 | Variedades

Rio de Janeiro, 14 a 20 de maio de 2015

FASES DA LUA

HORÓSCOPO SEMANAL

MAIO E JUNHO

Nova dia 18/5, 1h15

Crescente dia 25/5, 14h20

Cheia dia 2/6, 13h14

Minguante dia 9/6, 12h43

LUA DA SEMANA

A sua evolução profissional terá por base a experiência, mas também o empenho que demonstra.

NOVA A família dará toda a segurança e conforto necessários para o seu bem-estar. Terá todas as forças ao seu lado para promover bons resultados da sua atividade profissional. Excelentes notícias vão trazer maior confiança para a execução das suas tarefas.

Nem sempre encontrará uma boa recepção das suas ideias. Seja paciente e persistente. A paixão com que tende a envolver as suas atuações levam-no a tentar realizar os seus sonhos. Mantenha sempre viva a esperança de uma vida repleta de amor, afeto, ternura e felicidade.

Um convite para um almoço especial poderá ajudar a ampliar uma amizade.

Esta semana terá que exercer uma ação mais direta e forte sobre a evolução dos acontecimentos.

Aproveite as boas influências desta conjuntura para tomar iniciativas e pôr os seus planos em prática. A conjuntura traz esta semana compensações e benefícios que são inteiramente merecidos.

Deverá fazer um esforço para controlar todas as suas energias que estarão exaltadas.


Rio de Janeiro, 14 a 20 de maio de 2015

Toques curtos | Bruno Porpetta Divulgação

Presidente da CBB conta com convite para Jogos

Esporte | 15

Divulgação/CBB

Caso a FIBA não faça o convite, Brasil terá que disputar pré-olímpico O Brasil ainda não tem presença garantida nos torneios de basquete dos Jogos Olímpicos do Rio 2016. Está na mão da FIBA (Federação Internacional de Basquete) a possibilidade das seleções brasileiras serem convidadas ou terem que disputar os torneios pré-olímpicos. Para Carlos Nunes, presidente da CBB em entrevista ao site Globoesporte.com, é “impossível” que o Brasil não seja convidado para disputar os Jogos. Segundo Nunes, o Brasil é o sétimo maior basquete do mundo e o quinto no ranking olímpico, motivos suficientes para o convite. Caso o convite não venha,

Hoje em dia, gostamos mais de vitórias do que de futebol

O tal do futebol

Carlos Nunes conta com uma vaga cedida pela FIBA

o Brasil disputará a Copa América em agosto, no feminino, e em setembro, no masculino. Se não se classificar, terá uma última chance no pré-olímpico mundial. (BP)

Tóquio abre escolha de novos esportes olímpicos Sede dos Jogos de 2020, capital japonesa abriu escolha para 33 federações Antes mesmo do início dos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, foram iniciados os preparativos para a Olimpíada de 2020, em Tóquio (JAP). A sede dos próximos Jogos abriu o processo de seleção de novas modalidades ao programa olímpico. O comitê organizador local tem direito a incluir

entre um e dois esportes. Os favoritos para essa escolha são o beisebol e o softbol, fora da Olimpíada desde Pequim, em 2008. Outras 31 entidades desportivas internacionais receberam o convite para se inscrever até 8 de junho. As pré-selecionadas se apresentam em agosto, em Tóquio, e até 30 de setembro o comitê local recomendará os escolhidos ao COI. O anúncio das modalidades escolhidas será feito durante os Jogos do Rio. (BP)

BINÓCULO

Mais um título para o Vasco A remadora do Vasco da Gama, Fabiana Beltrame, conquistou a medalha de ouro na primeira etapa da Copa do Mundo de Remo, na Eslovênia. Com o tempo de 7m45s920, a brasileira abriu larga vantagem com relação à chinesa Shuai Guo. A polonesa Joanna Dorociak completou o pódio da categoria skiff simples peso leve (para atletas até 59kg). A próxima etapa da Copa do Mundo acontecerá entre 18 e 21 de junho, na cidade italiana de Varese. Divulgação/Vasco

“Para estufar esse filó como eu sonhei, só se eu fosse o Rei”, dizia Chico Buarque, em “O Futebol”. Começou o Campeonato Brasileiro da CBF, aquele que nos prova a cada ano como essa entidade é um atraso de vida para o nosso futebol. O que vimos na primeira rodada, em termos de público, é vergonhoso. Sal-

Com exceção de Pato e Ganso, que voltaram a jogar bola, não houve nada de extraordinário nesta primeira rodada

_________________

ve-se aí o Fluminense, com seus 20 mil no Maracanã, e o Palmeiras em São Paulo. O que se vê em campo é de fazer chorar. Da alegria do Botafogo pela vitória importante na estreia contra o Paysandu, na série B, ao tempo perdido pelo Flamengo em Atibaia, com um time perdido em campo. O Vasco, ou pela ressaca, ou pelo choque de realidade, também estreou mal. Perdeu dois pontos impor-

tantes. O Flu, ao menos, venceu. Mesmo que a bola tenha sido bem pequena. Enfim, nada diferente do que andou se vendo por aí. Com exceção de Pato e Ganso, que voltaram a jogar bola, não houve nada de extraordinário nessa primeira rodada. NO TEMPO DE DONDON Vivemos tempos onde o resultado se tornou primordial, o caminho para isso só importa se for vencedor. Apenas dois lances, em todo o final de semana, são dignos de nota. “Um senhor chapéu, para delírio das gerais no coliseu”, de Valdívia – que só fez isso no jogo, mas valeu o salgado ingresso da arena de nome proibido pela CBF e a Globo, tal como a Liesa fez com a Beija-Flor em 89. “Captar o visual de um chute a gol”, de Renato Cajá – que golaço – jogando pela Ponte Preta diante do Grêmio, no substituto do saudoso Olímpico. A primeira impressão do Brasileiro é a de saudades de tabelas assim: “Para Mané, para Didi, para Mané, Mané para Didi, para Didi, para Mané, para Didi, para Pagão, para Pelé e Canhoteiro.” O final dessa história a gente sabe onde acaba.


16 | Esporte

Rio de Janeiro, 14 a 20 de maio de 2015 Paulo Fernandes/Vasco

Brasileirão 2015

Time italiano segura a força do Real Madrid e empata por 1 a 1

2º RODADA

X CFC

Sáb. 16/05 18h30m

Juve vai à final com Barça

GRE

Daniele Badolato/La Presse

X Sáb. 16/05 18h30m

GOI

CAP

X Sáb. 16/05 21h

COR

CHA

X Dom. 17/05 11h

FIG

O Vasco, de Marcinho, teve muitas dificuldades com o Cuiabá VAS

X Dom. 17/05 16h

SAN

CRU

X Dom. 17/05 16h

FLA

SPO

X Dom. 17/05 16h

CAM

FLU

X PON

Dom. 17/05 18h30m

SAO

X Dom. 17/05 18h30m

INT

AVA

X JEC

Balaço de Rodrigo salva o Vasco nos acréscimos

Dom. 17/05 18h30m

PAL

Divulgação/Portuguesa

Cuiabá endurece o jogo para o Vasco, que arranca empate por 1 a 1 no fim do jogo Bruno Porpetta do Rio de Janeiro (RJ) O Vasco enfrentou o Cuiabá no jogo de ida da segunda fase da Copa do Brasil, na Arena Pantanal. Apesar da pouca tradição do time da casa, já era possível prever que o jogo não seria fácil, pois o Cuiabá conquistou dois títulos recentes. A Copa Verde e o tricampeonato mato-grossense. Com a bola rolando, o Vas-

co teve muita dificuldade zamento que bateu na trave para chegar ao gol adversário. e nas costas dele antes de O time estava muito espaça- entrar, aos 34 minutos. Quando a derrota parecia do, dificultando a troca de passes. Com isso, o Cuiabá certa, uma falta de longa disconseguiu dar alguns sustos. tância para o Vasco. Rodrigo Doriva terágrande apoio maciço da torcida para seu segundo estadual encheu o pé e acertou o gol A primeira chance do Vasco só aconteceu no aos 48 minutos, sem chances início do segundo tempo, para André Luis. em uma bola que sobrou limpa para Gilberto que ba- LIBERTADORES Dois brasileiros avançaram teu rasteiro para grande deàs quartas de final da compefesa de André Luis. Doriva tentou algumas tição. O Cruzeiro eliminou o substituições para mudar o São Paulo nos pênaltis, após panorama da partida, mas o vencer por 1 a 0 no tempo norVasco continuava apático. mal. O Inter fez 3 a 1 no Galo e Tanta apatia resultou em gol também passou. O Corinthians do Cuiabá, em lance de azar perdeu por 1 a 0 para o Guade Martin Silva após um cru- rani (PAR) e foi eliminado.

Tumulto em jogo entre Portuguesa e Goytacaz A Portuguesa recebeu o Goytacaz no estádio Luso Brasileiro, nesta quarta-feira (13), e venceu por 1 a 0, com gol de Bruno Andrade. No entanto, a disputa entre os dois não se deu apenas no campo. Durante o intervalo, cerca Ilha é palco de briga entre torcidas

de 30 torcedores das duas equipes começaram a trocar socos e pontapés. Pedras e grades da arquibancada voaram de um lado a outro durante a confusão. A PM foi acionada e conseguiu apartar a briga, que

causou o atraso do início do segundo tempo em 20 minutos. Ninguém foi detido e o ônibus da torcida do Goytacaz foi escoltado até a Linha Vermelha. A Portuguesa lidera o grupo A da competição. (BP)

Buffon e Morata: heróis em Madrid

O Real Madrid precisava fazer apenas 1 a 0 sobre a Juventus, no estádio Santiago Bernabeu, em Madrid. No entanto, não esperava encontrar um adversário, buscando não apenas se defender. O primeiro tempo teve superioridade merengue, mas La Vecchia Signora também buscou atacar e criar chances. A pressão madridista só teve resultado graças a um erro do árbitro, que viu pênalti em James Rodriguez. Cristiano Ronaldo bateu e abriu o placar. Depois do intervalo, a Juve precisava ir mais à frente e equilibrou o jogo. Em bobeada da zaga do Real, o atacante Morata, criado nas divisões de base do clube espanhol, empatou para os italianos. O gol abriu mais o jogo e ambos tiveram chances para vencer, até a Juve se fechar e segurar o placar. A Juve, com 3 a 2 no agregado, avançou para a final da Liga dos Campeões da UEFA, onde enfrentará o Barcelona no dia 6 de junho, em Berlin. (BP)

Profile for Brasil de Fato - RJ

Brasil de Fato - 096  

Brasil de Fato - 096  

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded