Page 1

Esporte | pág. 16

Estaleiro Mauá demite mil trabalhadores Caso empresa não pague indenizações, trabalhadores farão protesto

Joka Madruga/Divulgac ̧̃ ao

Pablo Vergara/Brasil de Fato

Cidades | pág.7

Vasco embala no Brasileirão Time vence a segunda seguida e respira; 1 a 0 contra o Avaí

2 a 8 de julho de 2015 • distribuição gratuita Ano 3 | edição 103

Pablo Vergara/Brasil de Fato

Gustavo Lima/Câmara dos Deputados

Cunha manobra e redução da maioridade avança Proposta ainda será votada em segundo turno e analisada no Senado Brasil | pág.9

CCBB apresenta obras de Picasso

A passagem de ônibus do Rio é uma das mais caras do Brasil. A novidade é que o Judiciário e o Tribunal de Contas do Município (TCM) concordaram com a opinião do povo e se posicionaram sobre os valores cobrados pelas empresas. Na semana passada, a Justiça do Rio anulou o decreto que

aumentou a tarifa de R$ 3 para R$ 3,40. Antes disso, o TCM também já havia apontado que a tarifa deve diminuir R$ 0,13. As duas instituições entendem que é injusto repassar aos usuários o valor dos custos com a gratuidade. A prefeitura do Rio recorre das duas decisões.

Cidades | pág. 5

Cultura | pág. 11

Reprodução

Preço de ônibus deve baixar, diz Justiça

Exposição também mostra telas de outros pintores espanhóis, como Miró


02 | Opinião

Rio de Janeiro, 2 a 8 de julho de 2015

EDITORIAL

EXPEDIENTE

Desde 1º de maio de 2013 O jornal Brasil de Fato circula semanalmente em todo o país e agora com edições regionais em Minas Gerais, São Paulo e no Rio de Janeiro. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais em nosso país e em nosso estado.

CONSELHO EDITORIAL: Alexania Rossato, Antonio Neiva (in memoriam), Joaquín Piñero, Kleybson Andrade, Mario Augusto Jakobskind, Rodrigo Marcelino, Vito Giannotti EDITORA: Vivian Virissimo (MTb 13.344) REPÓRTERES: André Vieira, Bruno Porpetta, Fania Rodrigues e Pedro Rafael Vilela REVISÃO: Sheila Jacob COLUNA SINDICAL: Claudia Santiago FOTÓGRAFO: Pablo Vergara ADMINISTRAÇÃO: Carla Guindani DISTRIBUIÇÃO: Kleybson Andrade DIAGRAMAÇÃO: Stefano Figalo TIRAGEM MENSAL: 200 mil exemplares

Divulgação

Marcos Melo/Feiras Orgânicas

Cidades | pág.5

Brasil | pág.7

Reduzir a maiorida penal é 'irracional'

de

menos Pesquisas indicam quepoucos de 1% são infratores e cometeram crimes graves

Cidade do Rio já conta cas com 16 feiras orgâni já não é Produção sem agrotóxicoda zona sul exclusividade de bairros

o gratuita julho de 2015 • distribuiçã 25 de junho a 1º de

A juventude é vítima, não culpada Você já pensou por que a violência é um problema tão sério no nosso país? Sabemos os índices de criminalidade, mas o que de fato gera essa violência? As pessoas já nascem violentas? Ou são levadas a ter essa conduta por algum motivo? Essas perguntas são importantes para entender o debate sobre a redução da maioridade penal. Quem se posiciona a favor justifica tal opinião dizendo que os jovens infratores hoje cometem crimes porque existe uma tal sensação de impunidade. Como se cometessem crimes porque querem, sem terem medo de serem punidos. Com essa posição fazem parecer que já nasceram criminosos e só prendendo esses jovens é que a criminalidade vai diminuir. Dessa forma escondem um fato muito importante da sociedade atual: que o que causa a violência é a desigualdade, a pobreza, a falta de acesso à educação, à saúde, a uma vida digna. Geralmente as pessoas se tornam violentas porque crescem em uma situação em que não têm acesso aos mínimos diretos, com pouquíssimas oportunidades.

O que estaria então por trás dessa solução falsa que é reduzir a maioridade? Pensemos: quem vai se dar bem com isso?

________________

ram essas empresas que financiaram as campanhas dos principais parlamentares que estão votando a favor da redução da maioridade no congresso. Coincidência? JUVENTUDE NEGRA E também escondem que quem mais sofre de fato com a violência hoje são os mais pobres, negras e negros que vivem nas periferias. Sobretudo a juventude, que vive em um ambiente de guerra por culpa de um suposto combate às drogas. Que sofre diariamente com o preconceito pela cor da pele e condição social. E que tem que se virar de mil formas para conseguir sobreviver.

O que estaria então por trás dessa solução falsa que é reduzir a maioridade? Pensemos: quem vai se dar bem com isso? Imaginem como aumentariam os lucros das empresas de bebidas e cigarros, se a maioridade diminuir para 16 anos, aumentando o número de consumidores legais na população. E será que interessa às empresas de segurança privada que se diminua de fato a violência, reduzindo seus lucros? Pois de fato fo-

Ano 3 | edição 102

Pablo Vergara/Brasil de

Fato

EBC Memória

Reviravolta no caso Amarildo

PREVISÃO DO TEMPO

Novas imagens sugerem participação de agentes do Bope no crime Cidades | pág.4

Escultura homenageia Tim Maia Estátua do “síndico” foi instalada na Praça Afonso Pena, na Tijuca Cultura | pág.11

a Ajuste fiscal provoc ades greve nas universid no Rio de Janeiro

Arquivo

professores, estudantes de dinheiro para o setor, iniciaram o corte de trários à retirada universidades federais o governo federal anunciouda União. A e técnicos administrativos das também Em maio deste ano, nacional, que reivindica reais do Orçamento Geral teve mais de no dia 28 de maio uma greve quase 70 bilhões de e estudo nas instituições. que condições de trabalho como o da educação, 2015. Con- melhores medida atingiu setores de seu orçamento para 9 bilhões de reais cortados Cidades | pág.7

(21) 4062 7105 redacaorj@brasildefato.com.br

Quinta-feira, 2 de julho Rio de Janeiro, Brasil

23

ºC | F

Pancadas de chuva esparsas

CAUSAS DA VIOLÊNCIA É por isso que quem é a favor da redução não está interessado em enfrentar as causas da violência. Estão, sim, mais interessados que ela continue, para que aumente os seus lucros. E quem vai sofrer com essa medida é a juventude negra da periferia, que vai continuar sem acesso a direitos básicos, sem uma educação de qualidade e com a vida constantemente ameaçada.


Geral | 3

Rio de Janeiro, 2 a 8 de julho de 2015

FRASE DA SEMANA Observatório Romano

mandou

bem

Reprodução

"Há casos em que a separação é inevitável", declarou o papa Francisco. Ele afirmou que a separação de uma família pode ser "moralmente necessária", como em casos de violência.

A atriz Marieta Severo "divou" duas vezes essa semana. Primeiro, ao dar um chega pra lá no apresentador Fausto Silva ao vivo no último domingo. Segundo, ao justificar o puxão de orelha que deu em Fausto, Marieta afirmou que não vai contribuir com a escalada do ódio em nossa sociedade.

Siderúrgica Nacional pode ser multada por danos ambientais a Volta Redonda O Ministério Público Federal (MPF) em Volta Redonda entrou nesta segunda-feira (29) com ação civil pública na Justiça, pedindo a suspensão das atividades da usina da Companhia Siderúrgica Nacional, devido à falta de licença de operação desde 2012. A alegação é que a empresa não está cumprindo as obrigações estabelecidas no termo de ajustamento de conduta firmado em 2010 com o Instituto Estadual do

mandou

mal

Ambiente (Inea) e, com isso, tem provocado danos ambientais à cidade. O MPF também pede que a siderúrgica seja condenada a pagar compensação pelos danos materiais produzidos. Pelo dano moral coletivo, a ação fixa valor referente a 2% do fatura-

mento da Companhia Siderúrgica Nacional como indenização ao município e à população local. (ABr) Divulgação

EM FOCO

Fraudes da gestão de Rodrigo Bethlem O Tribunal de Contas do Município (TCM) descobriu irregularidades em 49 contratos feitos pelo exsecretário de ordem pública, assistência social e de governo da prefeitura do Rio, Rodrigo Bethlem (PMDB). O prejuízo alcança R$ 155,3 milhões, segundo reportagem do RJTV. O resultado da investigação chega um ano após divulgação de gravação feita pela ex-esposa do secretário em que Bethlem confessava receber dinheiro de convênios feitos através da secretaria. No vídeo, ele admitia também ter aberto uma conta na Suíça. Lucio Bernardo Jr./Ca ̂mara dos Deputados

Divulgação/CBF Comunicac ̧̃ ao PACS

Pescadores de Santa Cruz, na zona oeste, realizaram uma "barqueata" na última sexta-feira (26) no canal do Rio São Francisco contra a construção de uma soleira submersa (barragem de placas metálicas). Segundo os pescadores, a obra impede o trânsito das embarcações.

Ao comentar as críticas que recebe, Dunga, técnico da seleção de futebol masculino, afirmou parecer “um afrodescendente pelo tanto que apanha”. Mais uma goleada do racismo que trata como natural a violência contra o povo negro.

68% desaprovam governo Dilma O governo da presidente Dilma Rousseff foi considerado ruim ou péssimo para 68% da população, em junho, quatro pontos percentuais acima dos 64% registrados em março, de acordo com a pesquisa CNI-Ibope, divulgada nesta quarta-feira (1º).

Divulga ção

Brasil

Pesquisas

indicam de 1% Cidade do Rio já conta men come s são infratoresque e pouc os com 16 feiras orgânica teram crimes grave os 3 | ediçã

25 de junh o

s

a 1º de julho

de 2015

Cidades

| pág. 5

Cidad com 16e do Rio já con feiras orgân ta icas

Produção exclusivid sem agrot óxico ade de bairros já não é da zona sul ibuiç

Melo/Fe

o 102

gratuita julho de 2015 • distribuição 25 de junho a 1º de

Marcos

já não é Produção sem agrotóxicoda zona sul exclusividade de bairros Ano

Marcos Melo/Feiras Orgânicas

Divulgação

menos Pesquisas indicam que de 1% são infratores e poucos cometeram crimes graves

| pág. 7

Reduzi penal r a maiori é 'irra dad cional' e

Cidades | pág.5

Brasil | pág.7

Reduzir a maioridade penal é 'irracional'

• distr

iras Orgânic

ão grat uita

as

Ano 3 | edição 102

EBC Memóri

a

Pablo Vergara/Brasil de Fato

EBC Memória Pablo

Revir av no casolta Amari o ldo Nova sugerem s imagens de agen participaçã o tes do no crime Bope

Reviravolta no caso Amarildo

Cidades

Cidades | pág.4

Estátua do “síndico” foi instalada na Praça Afonso Pena, na Tijuca Cultura | pág.11

Estátua foi insta do “síndico” Afonso lada na Praça Pena, na Tijuc a Cultura | pág. 11

Aju greveste fiscal naoca prov s univ provoca Ajuste fiscal n o dad ers io des greve nas universiRiro e Jan idades eiro no Rio de Jane Arquivo

Escultura homenageia Tim Maia

| pág. 4

Escult ura homena Tim Ma geia ia

Novas imagens sugerem participação de agentes do Bope no crime

Arquivo

Em maio deste quase ano, 70 medida bilhões de o governo feder 9 bilhõ atingiu setor reais do Orça al anunciou es de reais es como ment o cortados o da educ o Geral da corte de trário Uniã ação, que de seu s à retira orçam teve maiso. A e técni da estudantes ento o setor, professores, cos admi de dinheiro parapara de no iniciaram 2015. Connistrativos para o setor, de trários à retirada de dinheiro universidades dia 28 federais das federal anunciou o corte de maio professore das melhtambém Em maio deste ano, o governoOrçamento Geral da União. A e técnicos administrativos ores cond uma greve universida que reivindica do des feder s, estudantes 28 de maio uma greve nacional, Cida nacio ições de quase 70 bilhões de reais instituições. que teve mais de no dia trabalho nal, que reivin ais inicia educação, da o de trabalho e estudo nasdes | pág. como 7 Con- melhores condições e estud medida atingiu setores dica tambram o nas instit de seu orçamento para 2015. 9 bilhões de reais cortados uições. ém Cidades | pág.7

Vergara

/Brasil

de Fato

Você tem uma sugestão de pauta? Envie para: redacaorj@brasildefato.com.br


4 | Cidades

Rio de Janeiro, 2 a 8 de julho de 2015

Polícia prende líderes de uma das maiores Pezão garante que Comperj milícias do Rio

será concluído

EBC Memória

Beltrame: causas da violência devem ser discutidas

Policiais foram presos sob acusação de chefiar milícia na zona oeste

Grupo criminoso é conhecido por extorquir dinheiro de comerciantes Flávia Villela da Agência Brasil Dois policiais foram presos no Rio de Janeiro por suspeita de chefiar a maior milícia da zona oeste da cidade. O policial civil Alexandre Castilho de Oliveira, o Nazista, e o policial militar Lucas Nunes de Oliveira, o Goiano, foram detidos nesta terça-feira (30). A prisão foi feita pelo Gaeco, grupo especializado no combate ao crime organizado do Ministério Público do Estado do Rio. Outro acusado, Sidney Carvalho da Silva, o Lacraia, está foragido. O grupo criminoso é conhecido por extorquir dinheiro de comerciantes de comunidades e moradores de conjuntos habitacionais. A milícia dominava serviços como o transporte alternativo, TV a cabo clandestina

Ao retomar nesta terça-feira (30) o policiamento do Complexo da Maré, na zona norte da cidade – que por um ano e três meses foi feito pelas Forças Armadas – o secretário de estado de Segurança, José Mariano Beltrame, disse que a nação precisa “alargar os horizontes” e discutir as causas da violência urbana. “Tenho dito que este problema não é único e exclusivo da polícia. A polícia é a ponta do iceberg, a seta da flecha”, afirmou. “As causas nunca são discutidas, e a polícia trabalha com a consequência”. Ele pretende instalar quatro Unidades de Polícia Pacificadora na área. (ABr)

e a venda de gás de cozinha. Foram cumpridos 25 mandados de busca e apreensão. Entre as apreensões estão cerca de R$ 107 mil em dinheiro, um carro roubado com placa clonada e notas promissórias. Dentro do carro foram encontrados documentos de um policial militar, preso em flagrante. Segundo os promotores, Alexandre Castilho assumiu a chefia da milícia em 2011, ao mesmo tempo em que exercia a função de policial civil. Sidney, homem de confiança de Castilho, foi o res- sassinatos. Lucas Nunes de ponsável pela condução de Oliveira ia na garupa e exemotocicletas usadas em as- cutava as vítimas.

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, afirmou nesta terçafeira (30) ter certeza de que o Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj) ficará pronto. Adiantou que a Petrobrás deve anunciar nos próximos dias a busca de parceiros para terminar o empreendimento. "É um projeto que pode sofrer uma paralisação momentânea, mas será retomado. Estamos com 86%

das obras concluídas e faltam 14% [da primeira fase de obras]. Tenho certeza de que iremos terminar", disse o governador. Pezão informou que conversou com o presidente da Petrobrás, Aldemir Bendine, e ouviu que a estatal vai procurar parceiros no mercado para terminar a obra. "Recebemos diversos investidores que querem participar com a Petrobrás do crescimento da empresa", acrescentou. (ABr) Divulgação/Comperj

Pezão articula com presidente da Petrobrás retomada das obras


Rio de Janeiro, 2 a 8 de julho de 2015

Cidades | 5

Justiça determina redução da tarifa de ônibus Pablo Vergara/Brasil de Fato

Passagem de ônibus no Rio de Janeiro pode ser reduzida nos próximos meses

Ao pé do ouvido | Renato Cinco

Entrevista com o vereador do Rio de Janeiro, Renato Cinco (PSOL)

Fania Rodrigues

do Rio de Janeiro (RJ) A Justiça decidiu anular o decreto municipal que aumentou a tarifa de R$ 3 para R$ 3,40, no final de dezembro de 2014. A ação foi julgada pelo juiz Alexandre de Carvalho Mesquita, no último dia 17 de junho. A decisão ainda não tem efeito imediato e a prefeitura do Rio, através da Procuradoria Geral do Município (PGM), já questionou da decisão. “A prefeitura recorreu dois dias depois e agora tudo depende do juiz. Existe um

Divulgação

Para Justiça e TCU, preço da tárifa atual é ilegal

prazo legal, mas o juiz também pode mudar essa data”, esclarece a assessora da PGM, Ana Cecília Santos. No começo do mês de junho, o Tribunal de Contas do Município também já havia determinado que a tarifa dos ônibus municipais fosse

reduzida em R$ 0,13. O valor é referente aos custos com a gratuidade, pois o órgão considerou injusto ser repassado aos usuários. Nesse caso, o preço da passagem cairia de R$ 3,40 para R$ 3,27, e seria arredondado para R$ 3,25.

Usuários criticam qualidade do transporte Situação pode piorar com o corte de linhas na zona norte e oeste do Rio de Janeiro (RJ) O jornal Brasil de Fato RJ foi às ruas ouvir os usuários e conversou com a trabalhadora autônoma Conceição Araújo, que enfrenta dificuldades para pagar esse preço da passagem. “Tenho que usar ônibus todos os dias para levar e buscar meu filho, de 8 anos, na escola. Sou camelô e não é sempre que tenho o dinheiro para as passagens, então o que

faço às vezes vou de ônibus, deixo meu filho na escola e volto caminhando”. Já a copeira Marleide Nascimento, de 54 anos, mora em Jacarepaguá e viaja cerca 7 horas de ônibus todos os dias, para trabalhar na Pe-

trobrás, no centro do Rio. “A volta pra casa é a parte mais difícil. O ônibus demora demais e quando chega está sempre lotado. Como tenho que pegar dois ônibus, o sofrimento é duplo”, afirma a operária terceirizada. Pablo Vergara/Brasil de Fato Essa situação piorou nos últimos meses, segundo o militante do Movimento Passe Livre, José Antonio Abrão. “Isso porque têm acontecido cortes de linhas de ônibus nas zonas norte e oeste. Até o final do ano serão cortadas cerca de 90 linhas”, denuncia Conceição reclama do preço da tarifa de ônibus o ativista.

Cinco: “Empresas de ônibus têm em suas mãos a prefeitura”

Brasil de Fato - Por que é tão difícil melhorar a qualidade do transporte público no Rio de Janeiro? Renato Cinco - Porque o poder público está submisso aos interesses das montadoras de veículos e dos empresários de ônibus. Brasil de Fato - As empresas de ônibus são grandes financiadoras de campanhas políticas no Rio. Qual é a implicação disso? É gravíssima. Quem paga a banda escolhe a música. Assim, as empresas de ônibus têm em suas mãos a prefeitura e a maioria da Câmara de Vereadores. Brasil de Fato – Como ficou a questão da CPI dos ônibus e a luta na Câmara de Vereadores do Rio?

Apesar de ter sido apresentada pelo vereador Eliomar Coelho (PSOL), a CPI, por conta de uma manobra, ficou nas mãos da base governista, que não queria investigar nada. Só havia um parlamentar de oposição, o próprio Eliomar, que renunciou denunciando o caráter de chapa branca da CPI. Brasil de Fato – Depois do fracasso da CPI, que projetos foram apresentados para resolver os problemas do transporte público? Apresentei um Projeto de Lei (PL) implementando a Tarifa Zero no município. Entretanto, o PL foi rejeitado na Comissão de Constituição e Justiça. Assim, não foi nem submetido ao plenário.


6 | Mundo

Rio de Janeiro, 2 a 8 de julho de 2015

Grécia convoca população para referendo Divulgação/Governo da Grécia

“Grécia dará lição de democracia”, disse líder grego Alexis Tsipras

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, anunciou que convocará um referendo no próximo domingo (5) para que a população defina os rumos do país diante do impasse com os credores e a possibilidade de um calote. A data é posterior ao prazo-limite (30 de junho) estabelecido pelos credores para o pagamento de uma parcela de empréstimo recebida pelo país. “A Grécia é o lugar onde nasceu a democracia e dará

uma lição de democracia à Europa”, disse Tsipras durante o discurso feito em Atenas e transmitido pela TV. O líder grego optou pela consulta popular para que os cidadãos decidam sobre o acordo com a troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e FMI). O anúncio é feito após uma semana de reuniões com a Comissão Europeia nas quais não se chegou a um acordo sobre o futuro financeiro do país. (Opera Mundi)

EM FOCO

Repercute decisão prócasamento gay nos EUA A decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos de reconhecer o direito de casais do mesmo sexo se casarem em todo o país está sendo amplamente repercutida nas redes sociais. Esse foi o assunto mais comentado no Twitter em todo o mundo. Após a decisão tomada por cinco votos favoráveis dos magistrados (e quatro contrários), políticos e celebridades se posicionaram sobre o tema. Apesar das críticas, a comemoração dá o tom com a hashtag #LoveWins (O Amor Vence), seguida por um coração com a cor da bandeira LGBT.

Em julho próximo, a Bolívia será sede do Encontro de Movimentos Populares, no qual estarão presentes representantes de todas as organizações sociais da América Latina. O evento é organizado a partir do Vaticano e contará com a presença do Papa Francisco, informou o Pe. José Fuentes, secretário-geral adjunto da Conferência dos Bispos da Bolívia.

“Creio que aqui há um movimento social, um movimento popular, que pouco a pouco está tomando protagonismo, está sendo empoderado nas instâncias de Governo, e isso deve chamar a atenção do Santo Padre. Por isso, a Santa Sé também escolheu a Bolívia para este encontro de movimentos populares de toda a América Latina”, manifestou o Pe. Fuentes. (IHU) Divulgação/Observatório Romano

Roberta Domingues/Fotos Públicas

Papa Francisco se reunirá com movimentos populares na Bolívia

Ladyrene Pérez/Cubadebate

Cuba se tornou a primeira nação do mundo a ter a validação da Organização Mundial da Saúde (OMS) por eliminar completamente a transmissão do vírus da Aids (HIV) e da bactéria da sífilis de mãe para filho.

Bolívia será sede do Encontro de Movimentos Populares


Cidades | 7

Rio de Janeiro, 2 a 8 de julho de 2015

Estaleiro Mauá dispensa mil trabalhadores em Niterói Pablo Vergara /Brasil de Fato

As condições de trabalho também são denunciadas pelos profissionais André Vieira

do Rio de Janeiro (RJ) Roger Henrique é carioca e tem 36 anos. Casado, mora com sua esposa e sua enteada em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro. De uma hora para outra, seus esforços para sustentar a família tiveram um novo agravante: o desemprego. Ele trabalhava há dois anos no estaleiro Eisa Petro I (Mauá), em Niterói, em operação desde 1845. Assim como ele, outros mil profissionais tiveram a mesma surpresa. “A gente não ficou sabendo de nada antes. Simplesmente, quando a gente chegou no dia 23 de junho para trabalhar, o cartão não passou na roleta”, relata o trabalhador. Ao terem seus crachás bloqueados na portaria, os operários foram encami-

Demitidos de estaleiro aguardam pagamento de indenizações

nhados para um setor na empresa que comunicou a demissão em massa alegando falta de recursos financeiros. “Vai afetar muito a minha vida porque agora eu fiquei desempregado. Tenho contas a pagar, prestações, empréstimos no banco, que falou que não pode segurar e nem fazer um novo acordo”, lamenta Roger. Os problemas, no entanto,

não se resumem à demissão. As condições de trabalho também são denunciadas pelos profissionais. No caso de Roger, por exemplo, sua saúde foi afetada pela falta de equipamentos adequados. “Não tinha aquela máscara 3M [que é mais resistente] para trabalhar, era uma máscara descartável. Eu acabei desenvolvendo uma rinite alérgica, que se transformou em sinu-

site por causa da exposição à poeira. Eles alegaram que não tinham dinheiro para comprar uma máscara melhor. Eu fui fazer um exame médico e estou até com problema de pulmão devido à inalação daquela poeira”, completa. Outro trabalhador, que preferiu não se identificar, afirma que não foi a falta de trabalho que resultou nas demissões. “Tem navio lá, ia chegar mais

Metalúrgicos têm reunião nesta quinta tativa dos trabalhadores apresentou em reuniões com a empresa alternativas às demissões, mas não obteve sucesso. Nesta quintafeira (2), dia da homologação das demissões e previsto do Rio de Janeiro (RJ) para pagamento das indenizações, os trabalhadores Segundo o presidente do demitidos se reúnem na sindicato da categoria, Edson sede do sindicato para avaRocha, a entidade represen- liar a situação.

Caso empresa não pague indenizações, trabalhadores farão protesto

“O sindicato ingressou com uma ação civil coletiva prevendo que o estaleiro não iria pagar as indenizações das demissões. Se o estaleiro não efetuar o pagamento na quinta-feira, na sexta-feira estaremos nas ruas para exigir nossos direitos como trabalhadores”, sinaliza Rocha. O sindicalista lembrou ainda que três ações civis

públicas foram abertas anteriormente contra a empresa em relação à segurança no trabalho e a direitos trabalhistas. “São três ações complexas que inclusive foram alvo de fiscalização do Ministério do Trabalho e, com o resultado delas, o Ministério Público, em conjunto com o sindicato, propôs a ação civil pública”.

navio-plataforma. Trabalho tem. Estou sabendo que, com a demissão, até os encarregados [chefes de setor] estão trabalhando em nosso lugar”, questiona. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Niterói e Itaguaí, dos 3600 trabalhadores do Eisa Petro I, além dos mil demitidos, 600 foram transferidos para outro estaleiro da mesma empresa na Ilha do Governador, na zona norte do Rio.

Lei que retira poderes da Petrobrás não será votada esta semana O Senado Federal adiou a votação do Projeto de Lei 131/2015, do senador José Serra (PSDB-SP), que pretende retirar poderes da Petrobrás na disputa das licitações. Atualmente a petroleira tem a reserva de 30% em todas as licitações para a exploração de petróleo no pré-sal. “O projeto visa a retirar a riqueza do povo brasileiro, transferindo-a às empresas privadas. Se isso ocorrer, o Plano Nacional de Educação não se viabiliza, pois o pré-sal é uma das suas principais fontes de financiamento”, afirmou em nota a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). A data para a votação ainda não foi definida.


Rio de Janeiro, 2 a 8 de julho de 2015

Maioridade: deputados acusam manobra de Eduardo Cunha

Brasil | 9

OPINIÃO | Wadih Damous

A mocidade que constrói a manhã desejada Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Gustavo Lima /Câmara dos Deputados

Presidente da Câmara atropela trâmite e aprova redução da maioridade penal Redação

do Rio de Janeiro (RJ) A primeira votação da PEC 171, sobre a redução da maioridade penal, rejeitada na madrugada de quarta-feira (1º), foi respeitada apenas por algumas horas. Logo em seguida, o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) começou a arquitetar com algumas lideranças a votação de um novo texto para PEC que estabelece a redução da maioridade apenas para crimes contra a vida. Deputados contrários à redução denunciam manobra de Cunha e a classificam como “golpista”. Na madrugada desta quinta (2), a emenda foi aprovada com 323 votos. Para passar a valer, a proposta precisará ser votada mais uma vez na Câmara e outras duas no Senado. Parlamentares do Psol, PT, PCdoB, PSB e PPS criticaram o modo como Cunha tem conduzido as votações. Eles argumentam que as emen-

Atuação da juventude resgatou a esperança

Com manobra de Cunha, deputados aprovam redução

Parlamentares do Psol, PT, PCdoB, PSB e PPS criticaram o modo como Cunha tem conduzido as votações

_______________ das não poderiam ser votadas em função de o texto ter sido rejeitado na madrugada de quarta-feira. Os deputados defendem que Cunha

deveria ter colocado para votação o texto original (que reduz a maioridade penal para todos os crimes). A nova proposta retira do texto a redução para crimes referentes a tráfico e roubo qualificado. A proposta aprovada mantém a redução para os crimes de estupro, sequestro, latrocínio, homicídio qualificado e outros (crimes hediondos), homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte. Também mantém a regra de cumprimento da pena em estabelecimento separado dos destinados aos maiores de 18 anos e dos menores inimputáveis.

“Qualquer manobra regimental é golpe” Deputado Ivan Valente (Psol-SP) critica atuação de Eduardo Cunha Um dos primeiros a criticar a manobra de Cunha, o líder do Psol, Ivan Valente (SP), ressaltou que a votação da

madrugada de quarta aconteceu de forma democrática e que a tentativa de forçar qualquer emenda precisa ser qualificada como golpe. “Quem defendia a redução da maioridade penal perdeu. O que temos de fazer é voltar ao texto principal. Qualquer outra manobra regimental

será golpe, a exemplo do que aconteceu na época da decisão sobre financiamento empresarial de campanha”, disse Valente. Durante a votação, a hashtag #cunhagolpista esteve entre os assuntos mais comentados do Twitter. (Com informações da Agência Brasil e da Rede Brasil Atual)

O dia 30 de junho foi histórico. Milhares de jovens de todo o Brasil ocuparam o gramado em frente ao Congresso Nacional para construir o “amanhecer contra a redução”. O ato reuniu militantes de diversas correntes partidárias, movimentos sociais, representações estudantis e organizações sociais. Essa juventude, devido à sua articulação e mobilização, teve participação destacada dentro da Câmara dos Deputados, atuando e contribuindo na sensibilização dos parlamentares e denunciando a irresponsabilidade da proposta que reduz, inconstitucionalmente, a maioridade penal. Essa ação política foi fundamental para alterar a correlação de forças no plenário e derrotar a PEC171. Outras batalhas ainda virão pela frente, mas ficou o ensinamento de que é possível vencer, com mobilização social, a escalada autoritária no parlamento brasileiro. A direita tenta ao máximo excluir a participação popular dos atos decisórios que repercutirão na vida de milhões de brasileiros. A reforma política foi votada com o parlamento comple-

tamente isolado. É preciso que se diga que a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e a União Nacional dos Estudantes (UNE) tiveram que entrar com pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal para que fosse possível adentrar à casa do povo e acompanhar a votação da maioridade penal. Em tempos de escalada autoritária e reascensão do fascismo, quebrar o isolamento dos poderes, conscientizar, unir a esquerda pela solidariedade, mobilizar e sensibilizar são ações imprescindíveis para reverter o quadro que se apresenta sombrio. Para além da derrota momentânea das forças do retrocesso, a mobilização desses jovens resgatou a esperança de que é possível romper o isolamento em que as forças progressistas se encontram. O dia 30 de junho fez história e quem sabe pode representar um simbólico ponto de partida para a retomada da luta pelo avanço dos direitos e garantias fundamentais, tarefa histórica da esquerda. Wadih Damous é deputado federal (PT/RJ)


10 | Cultura

Rio de Janeiro, 2 a 8 de julho de 2015

AGENDA DA SEMANA

Formação de Quadrilha

Samba do Engenho Velho O quê? Roda de samba tem novo endereço. Será na Praça Nobel, que fica entre as ruas Campinas e Sá Via-

Divul

ga çã o

Divul

ga çã o

O quê? Os coletivos Etnohaus, SerHurbano, Quermesse e agitadores culturais da cidade convidam para formação de quadrilha julina. Terá oficina de figurinos.

Onde? Rua do Teatro (ao lado do Teatro João Caetano) - Centro

Paraisópolis além do romance Divulgação/TV Globo

Procuram-se velhos palhaços O quê? Peça de teatro conta a história de três velhos palhaços que se reencontram em uma sala de espera para uma entrevista de emprego. ga çã o

Divul

Onde? Rua Visconde de Niterói, 1072 - Mangueira Quando?Domingo (5), às 13h Quanto? 0800

O quê? As questões e traições de dois casais contemporâneos alternam-se com cenas de mitos amorosos como “Tristão e Isolda”, “Romeu e Julieta”, “Dom Juan” e “Werther”. Onde? CCBB Rio de Janeiro (Rua Primeiro de Março, 66 – Centro) Quando? De quarta a domingo, até 16 de agosto, às 19h Quanto? R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia)

na. Este será o endereço da roda até dezembro. Onde? Praça Nobel - Grajaú Quando? Sábado (4), às 15h Quanto? 0800

Divul

ga çã o

Beija-me como nos livros

ga çã o

O quê? O São João da Mangueira acontece na quadra da verde e rosa com direito a barracas com comidas típicas, apresentação de quadrilhas, brincadeiras e, claro, samba.

Quando? Quinta-feira (2), às 20h. Quanto? 0800

Divul

São João da Mangueira

Novela | Joaquim Vela

Onde? Sala Vianninha no campus da Praia Vermelha da UFRJ Quando? Segunda-feira (6) e terça-feira (7), às 18h Quanto? 0800 (1 kg de alimento não perecível). Obs: Senhas 1 hora antes, sujeito à lotação.

Escravos da Mauá O quê? O grupo Fabuloso Canto Samba, formado por músicos do bloco Escravos da Mauá, faz seu retorno triunfal depois de alguns meses sem tocar no Largo da Prainha. Onde? Largo São Francisco da Prainha - Saúde Quando? Sexta-feira (3), às 19h Quanto? 0800

Novela “I Love Paraisópolis” não reflete realidade da região

Na semana passada, o site do Brasil de Fato veiculou uma matéria sobre a segunda maior favela de São Paulo, Paraisópolis, que inspirou a novela  “I Love Paraisópolis”, estreada no mês passado na TV Globo. O jornalista José Coutinho Júnior trouxe depoimentos de vários moradores que, em sín-

A história que vem sendo construída, além de não agradar aos moradores, romantiza a situação difícil em que eles vivem

________________

tese, denunciam: a novela não reflete a realidade da região. Representações equivocadas sobre o perfil da população, as situações de violência e sobre as questões de moradia e urbanização são alguns dos exemplos de como o folhetim é diferente do que acontece por lá. “I Love Paraisópolis” é uma comédia romântica que gira em torno do encontro e paixão de Mari (Bruna Marquezine) e Benjamim (Mauricio Destri) em prol de um projeto comum: a reurbanização de Parai-

sópolis. Eles encontram dificuldades em levar o projeto adiante por causa do bad boy Grego (Caio Castro), ex-namorado apaixonado de Mari e líder do comando da região. DIREITO À MORADIA A ideia de mostrar a luta pelos direitos à moradia e por condições urbanas dignas é importante, sem dúvida. É uma pauta urgente na agenda de políticas públicas e dos movimentos sociais. Porém, a forma como a história vem sendo construída, além de não agradar aos moradores, romantiza a situação difícil em que eles vivem. São precárias as instalações de água e esgoto e também dos domicílios, são comuns alagamentos e os projetos de urbanização desconsideram as demandas da comunidade. Ao que parece, ao invés de dar voz à denúncia dos moradores, a novela trata a urbanização de Paraisópolis como um caso de amor. ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA Ora bolas, não é por aí, não é mesmo? Mas talvez o interesse da emissora seja vocalizar o contrário: a especulação imobiliária que circunda a região, localizada ao lado do rico e glamoroso bairro paulistano, o Morumbi. Vamos ficar de olho.


Rio de Janeiro, 2 a 8 de julho de 2015

Cultura | 11

Exposição reúne obras de Picasso no CCBB-Rio Reprodução

Reprodução

Guernica foi produzida como reação a um bombardeio nazista na cidade de mesmo nome, durante a Guerra Civil Espanhola Retrato de Dora Maar (1939) de Pablo Picasso

Paulo Virgílio

da Agência Brasil Após temporada de sucesso em São Paulo, onde foi vista por mais de 150 mil pessoas, chega ao Rio de Janeiro a exposição Picasso e a Modernidade Espanhola. Em cartaz no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), a mostra reúne obras do Museo Nacional Reina Sofía, de Madri, uma das mais importantes instituições dedicadas à arte moderna. A exposição oferece ao público diferentes abordagens sobre as contribuições do criador do cubismo e de seus contemporâneos – e compatriotas – Juan Gris, Joan Miró e Salvador Dalí, entre outros. MODERNISMO Para o curador Eugenio Carmona, professor de história da arte da Universidade de Málaga (cidade natal de Picasso), a mostra propõe ao público brasileiro uma rela-

Reprodução

Divulgação

Dutch Interior, I (1928) de Joan Miró

Pablo Picasso, o criador do cubismo

ção com a própria experiência do modernismo. “A exposição fala do sentido da modernidade em Picasso, da relação entre o monstro e a tragédia em sua obra, do Mi-

Exposição oferece abordagens sobre as contribuições do pintor e de seus contemporâneos

________________

notauro a Guernica, e em muitos desses espaços a forma e a natureza dialogam com o modernismo brasileiro”, diz Carmona. Em uma área especial, o público pode perceber como, a partir de elaborações em torno do tema O Monstro e a Tragédia, foi concebida a iconografia de Guernica. Essa é a obra mais conhecida do

artista. Ele a produziu como reação a um bombardeio nazista na cidade de mesmo nome, durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939). Entre as obras expostas estão Cabeça de Mulher (1910), Busto e Paleta (1932), Retrato de Dora Maar (1939) e O Pintor e a Modelo (1963), além de es-

tudos e esboços para Guernica. “Picasso e a Modernidade Espanhola” fica em cartaz até 7 de setembro, e pode ser vista, com entrada gratuita, de quarta-feira a segundafeira, das 9h às 21h. O Centro Cultural Banco do Brasil fica na Rua Primeiro de Março, 66, no centro da cidade.

Reprodução

Cabeça de cavalo. Esboço para “Guernica” (1937)


12 | Opinião

Rio de Janeiro, 2 a 8 de julho de 2015

Vitor Teixeira

A fim de papo | Mc Leonardo

Rico correndo é atleta, pobre correndo...

Reproduc ̧̃ ao/Carta Capital

Petrobrás e os interesses em jogo Estamos assistindo a uma disputa internacional que poderá alterar o eixo de poder mundial, hoje sustentado, principalmente, pelo controle financeiro e militar. Quando um país sinaliza que aumentará seu poder bélico ou ameaça comercializar petróleo e gás em uma moeda diferente do dólar, sofre sanções/intervenções dos EUA, como no caso do Iraque e, atualmente, da Rússia. Vale lembrar que o petróleo se tornou o lastro informal da moeda norteamericana após a queda do padrão ouro. São os chamados “petrodólares”. O capitalismo entrou em uma das suas piores crises em 2008. E, em 2009, os países “em desenvolvimento” fizeram a primeira reunião do então chamado BRIC (Brasil, Rússia, Índia, China) e passaram a reivindicar maior participação nas decisões mundiais. DESCOBERTA DO PRÉ-SAL Ainda em 2007, o Brasil anunciou a descoberta do pré-sal e o plano estratégico da Petrobrás apontava o caminho para o país entrar na lista dos cinco maiores produtores de petróleo do mundo até 2020. Essa lista teria a Arábia Saudita e os Estados Unidos, de um lado, e Rússia, China e Brasil, do

outro, no BRICS (os mesmos quatro países, mais a África do Sul). Anos depois, em 2013, é oficializado o Fundo Comum e, em 2014, o Banco do BRICS. Fica evidente o poder diferenciado deste novo “blo-

Estamos assistindo a uma disputa internacional que poderá alterar o eixo de poder mundial

________________

co” de ameaçar a moeda americana como padrão internacional. O que, somado ao poderio bélico da Rússia, China e Índia, é capaz de fragilizar os dois eixos de sustentação do poder norteamericano. Em 2010, com a lei de partilha, o Brasil sinalizou ao mundo: descobrimos a maior reserva de petróleo do planeta das últimas décadas, vamos explorá-la por meio da nossa estatal, usaremos os investimentos para desenvolver a indústria nacional e destinar grande parte do lucro para o Fundo Soberano (educação e saúde) e para fortalecer o BRICS.

Alguém tem dúvida de que isso geraria uma reação? O tamanho da crise que estamos vivendo é proporcional à briga que compramos. Estamos no meio do fogo-cruzado entre a disputa China x EUA. JOSÉ SERRA E AS PETROLÍFERAS PRIVADAS Também em 2010, o Wikileaks já denunciava o acordo entre o atual senador José Serra (PSDB-SP) e as petrolíferas privadas para entregar o pré-sal às multinacionais. Reduzir os investimentos é sinalizar que a Petrobrás não será mais impulsionadora da indústria nacional. Tirar a Petrobrás da operação do pré-sal é abrir mão do controle estatal de exploração e da tecnologia. Além disso, consiste em fragilizar o Fundo Soberano e o conteúdo local, o que, somado à diminuição da empresa através da venda de ativos, significa reduzir o poder do Estado brasileiro em intervir na economia de forma estrutural. Entramos em briga de cachorro grande. Agora vamos latir e morder ou aceitaremos voltar a ser vira-lata? Cibele Vieira é socióloga e diretora do Sindipetro Unificado de São Paulo

Preconceito mostra o quanto a sociedade está regredindo

Certa vez me perguntaram como foi minha infância na Rocinha. Respondi que foi difícil, como a infância da maioria das crianças do Brasil. O que fez a minha infância ser diferente foi o fato de parte dela ter se dado fora da Rocinha. Comecei a trabalhar muito cedo, tanto que aos 13 anos minha carteira já estava assinada. Meu contato com um mundo totalmente diferente me fez muito bem. Passei a procurar saber de outras coisas além do que eu via no colégio e na favela. Mas é justamente uma coisa muito ruim nessa convivência que quero lembrar aqui. Falo do preconceito. PRECONCEITO Tenho várias histórias sobre o medo que causei aos outros pelo simples fato de estar de boné e acompanhado de outro jovem igual a mim. Mas nada se compara ao que aconteceu aos adolescentes que se envolveram em uma confusão na Gávea na tarde da última quinta-feira (25). Os jovens foram rendi-

dos por estarem correndo. Um homem apontando uma arma rendeu os três

Tenho várias histórias sobre o medo que causei aos outros pelo simples fato de estar de boné e acompanhado de outro jovem igual a mim

__________________

adolescentes, enquanto pessoas que passavam no local gritavam: “Mata, mata, mata!” Teve gente que não se conformou em só gritar e partiu para a agressão. Isso mesmo: os menores foram agredidos na rua por duas pessoas que passavam no local e os viram rendidos. Existem fatos que nos mostram o quanto estamos regredindo. Esse episódio cumpre esse papel. A sociedade acha que pobre correndo é ladrão! Fato. Até semana que vem!


Rio de Janeiro, 2 a 8 de julho de 2015

Variedades | 13

BOA E BARATA

Bolo Formigueiro

̧̃ ao/So Coco Divulgac

Ingredientes

Modo de preparo

Bolo: 200 g de margarina 2 xícaras de chá de açúcar 1 vidro de leite de coco 4 gemas 3 xícaras de chá de farinha de trigo peneirada 100 g de coco ralado 1 colher de sopa de fermento em pó 4 claras em neve 100 g de chocolate granulado

Bata as claras em neve com uma pitada de sal (para dar consistência) e reserve em uma vasilha. Na batedeira, bata a margarina e o açúcar. Logo após coloque as gemas, o leite de coco, as claras em neve e o granulado. Por último, acrescente o fermento e bata na velocidade mínima por 40 segundos. Despeje a massa numa forma média untada e asse em forno pré-aquecido até o bolo dourar.

Cobertura: 1 lata de leite condensado 3 colheres de chocolate em pó 1 colher de manteiga Chocolate granulado e coco ralado a gosto para decorar Tempo de preparo: 40 minutos

Rendimento: 12 porções

AMIGA DA SAÚDE Oi Amiga da Saúde, minha menstruação é irregular. Isso pode ser indício de algum problema? Jéssica Leandra, 19 anos, estudante

Brasil | pág.7

Marcos Melo/Feiras Orgânicas

Cidades | pág.5

Reduzir a maioridade penal é 'irracional' Pesquisas indicam que menos de 1% são infratores e poucos cometeram crimes graves

Cidade do Rio já conta com 16 feiras orgânicas Produção sem agrotóxico já não é exclusividade de bairros da zona sul

25 de junho a 1º de julho de 2015 • distribuição gratuita Ano 3 | edição 102

que menos Pesquisas indicam e poucos de 1% são infratoresgraves cometeram crimes

Cidades | pág.5

conta Cidade do Rio já cas com 16 feiras orgâni

Pablo Vergara/Brasil de Fato

Orgânicas

EBC Memória a maioridade Reduzir al' penal é 'irracion

Marcos Melo/Feiras

Brasil | pág.7

Divulgação

já não é Produção sem agrotóxicoda zona sul exclusividade de bairros

gratuita • distribuiçã o de julho de 2015 25 de junho a 1º 102 Ano 3 | edição

Reviravolta no caso Amarildo

Pablo Vergara/Brasil

de Fato

Novas imagens sugerem participação EBC Memória agentes do Bope de no crime Cidades | pág.4

Escultura homenageia Tim Maia Estátua do “síndico” foi instalada na Praça volta Revira Afonso Pena, na Tijuca no caso Cultura | pág.11 Amarildo

Novas imagens sugerem participação de agentes do Bope no crime Arquivo

Cidades | pág.4

Ajuste fiscal provoca greve nas universidades no Rio de Janeiro Em maio deste ano, o governo federal anunciou o corte de trários à retirada de dinheiro para o setor, professores, estudantes quase 70 bilhões de reais do Orçamento Geral da União. A e técnicos administrativos das universidades federais iniciaram medida atingiu setores como o da educação, que teve mais de no dia 28 de maio uma greve nacional, que reivindica também 9 bilhões de reais cortados de seu orçamento para 2015. Con- melhores condições de trabalho e estudo nas instituições. Cidades | pág.7

Escultura homenageia Tim Maia Estátua do “síndico” foi instalada na Praça Afonso Pena, na Tijuca Cultura | pág.11

Arquivo

Dúvidas sobre saúde? Encaminhe e-mail para redacaorj@brasildefato.com.br

Rio

Divulgação

mesmo isso sendo natural. Você deve contar o intervalo entre o primeiro dia de uma menstruação e o primeiro dia da próxima. Esse é o ciclo menstrual, que pode ser de 25, 30, 35 dias, etc (varia muito em cada mulher). Se ele for sempre igual ou com pequenas variações, Comunicac ̧̃ ao UNIUV está regular. Irregular seria um ciclo com grandes variações, quando você nunca sabe o dia em que a menstruação chegará. É comum ela ser desregulada nos primeiros anos da adolescência ou perto da menopausa.

Querida Jéssica, caso sua menstruação esteja mesmo irregular, pode ser devido a algum desarranjo que precisa ser investigado. Mas precisa ver se realmente está irregular, pois a maioria de nós se confunde quando a menstruação não chega sempre no mesmo dia do mês,

Todas as semanas nas ruas do

voca Ajuste fiscal pro rsidades greve nas unive eiro Jan de no Rio

estudantes para o setor, professores, iniciaram trários à retirada de dinheiro s federais anunciou o corte de técnicos administrativos das universidade o governo federal e reivindica também greve nacional, que Em maio deste ano, Geral da União. A dia 28 de maio uma reais do Orçamento e estudo nas instituições. que teve mais de no quase 70 bilhões de condições de trabalho como o da educação, 2015. Con- melhores medida atingiu setores de seu orçamento para 9 bilhões de reais cortados Cidades | pág.7

(21) 4062 7105

Cobertura: Faça um brigadeiro mole com o leite condensado, a manteiga e o chocolate em pó e cubra o bolo. Decore com granulado e coco ralado.


14 | Variedades

Rio de Janeiro, 2 a 8 de julho de 2015

HORÓSCOPO SEMANAL

FASES DA LUA Cheia Até dia 7/7 Nova dia 15/7

Minguante dia 8/7 Crescente dia 24/7

LUA DA SEMANA

Vem aí uma semana bastante pródiga em acontecimentos importantes.

CHEIA Nos próximos dias, as suas capacidades e atributos estarão no mais alto nível.

Conjuntura de boas evoluções, sobretudo porque permite que alguns assuntos se encaminhem da melhor forma. Período evasivo e flutuante, em que sentimentos, como a lealdade, serão postos à prova.

Experimentará uma semana de grandes impulsos e energia, mas que devem ser bem geridos. Os virginianos estarão sob a influência de uma conjuntura lenta em que qualquer definição será complicada. Alguns fatores de instabilidade surgirão, os quais deverá equilibrar. Tente ser rigoroso e isento.

Tem uma conjuntura positiva, embora muito forte e radical. No fundo pode dizer-se que é uma semana delicada. A semana comporta evoluções favoráveis, ainda que em alguns casos as metas ainda estejam distantes.

O momento permite adotar posturas fortes, capazes de o libertarem de cargas pessoais negativas. Será uma semana globalmente positiva, embora outras influências sejam dúbias.

Os próximos dias apresentam evoluções sólidas para os nativos de peixes, que serão colocados perante grandes questões.


Rio de Janeiro, 2 a 8 de julho de 2015

Toques curtos | Bruno Porpetta

Tortura prolongada Divulgação/Copa America

“Uma vergonha maior é mais que possível. É provável”, diz Juca

Esporte | 15

O jornalista Juca Kfouri analisa o momento do futebol brasileiro em entrevista ao jornal Brasil de Fato Divugalção

BINÓCULO

FIBA recusa proposta da CBB

Juca: CBF deve ser refundada, com participação dos atletas nas eleições

Juca Kfouri viu, durante sua carreira como jornalista, o apogeu do futebol brasileiro. Testemunhou grandes conquistas que transformaram o Brasil no “país do futebol”, uma superpotência no esporte. No entanto, os recentes fracassos vergonhosos da seleção, tanto na Copa do Mundo em casa, quanto na Copa América, acenderam mais que o sinal amarelo para o nosso futebol. Isso indica que outras vergonhas ainda podem acontecer. Sobre esse processo, Juca fala ao Brasil de Fato com exclusividade. Brasil de Fato – Um artigo recente do jornalista André Rocha defende que só a gestão não basta, o problema está dentro do campo. É possível descolar uma questão da outra?

Juca Kfouri – A gestão competente investe e trabalha a base para resolver o problema dentro de campo. Não temos uma coisa nem outra. A crise técnica de nossos jogadores é desta geração ou o futuro é tenebroso? A crise começa por ser moral. Ninguém respeita ninguém. Qual o papel da CBF e dos clubes nesta crise? O dos clubes é romper com a CBF e fazer a liga. O da CBF é ser refundada, com eleições das quais os atletas participem. É possível uma vergonha ainda maior da nossa seleção, ficando fora de uma Copa, por exemplo? Mais que possível. É até provável. Jogo fácil só haverá um, contra a Bolívia no Brasil.

A FIBA (Federação Internacional de Basquete) recusou a proposta de parcelamento de dívida da CBB (Confederação Brasileira de Basquete) referente ao convite para a disputa do Mundial da Espanha, no ano passado. O Comitê Executivo da FIBA deu prazo até 31 de julho para que a CBB apresente uma nova proposta. Caso esta não seja aceita, a CBB será punida com suspensão por até dois anos de suas seleções e clubes afiliados em competições internacionais. O valor da dívida é de US$ 700 mil (R$ 2,173 milhões) e a CBB tenta negociar um patrocínio estatal junto ao Ministério do Esporte. Divulgação/FIBA

O futebol brasileiro vai rolando barranco abaixo rapidamente

Faça, a você mesmo, a seguinte pergunta: o que foi pior? Levar 7x1 da Alemanha em uma Copa no Brasil, ou ser eliminado pela segunda vez consecutiva pelo Paraguai, nas quartasde-final da Copa América e nos pênaltis? Independente da resposta de sua preferência, uma coisa é certa. O futebol apresentado pela seleção brasileira é lastimável. Consegue ser, ao mesmo tempo, feio, chato e quase inofensivo.

Não há mudança. Os clubes são administrados como um “ratatá” de churrasco, que compra a carne, mas pendura o carvão

________________ Para piorar, em qualquer situação dessas, o time era uma manteiga derretida do ponto de vista emocional. Um chora e sai correndo alucinadamente pelo campo, outro senta na bola e vira de costas, mete a mão na bola com os olhos fechados e reclama. Os dirigentes da CBF, que controlam essa coisa toda

com mão de ferro para não ficar sem o ouro, já deviam ter sido todos afastados. Eles não têm nem moral, nem competência para gerir o futebol brasileiro. Nossos treinadores são meros batedores de palmas na beira do campo. Treinam seus times à base do “vamos lá”. E não abrem mão de seus “conceitos”, típicos da idade média do futebol. A política do pulso firme acumula rotundos fracassos. MAIS UM POUQUINHO No entanto, o futebol brasileiro dá poucos sinais de disposição para mudar. Os clubes são administrados como um “ratatá” de churrasco, que compra a carne, mas pendura o carvão. Ainda tem as federações estaduais, que são isso aí que você conhece. E a CBF, onde o Secretário-Geral é o único a aparecer, porque ainda não foi citado em investigação nenhuma. O Brasileirão é tosco. Uma imensidão de jogos deploráveis, com poucos gols e quase nenhum craque. Não é difícil imaginar que o resultado desse entulho dirigindo o nosso futebol seria uma sequência de micos. A seleção brasileira é a única que nunca deixou de participar de uma Copa do Mundo. Pelo menos, por enquanto.


16 | Esporte

Rio de Janeiro, 2 a 8 de julho de 2015

Empresário de Neymar acha “normal” corrupção

Sheik decide e Fla deixa o Z-4 Gilvan Souza/Flamengo

Brasileirão 2015 10º RODADA

Divulgação/Real Madrid

1X0 VAS

Qua. 01/07 19h30m

AVA

3X0 Qua. 01/07 19h30m

SPO

INT

2 X0 Qua. 01/07 21h

PAL

2 X0

Wagner Ribeiro defendeu J. Hawilla na TV

O empresário Wagner Ribeiro, que cuida da carreira de Neymar e participou da polêmica transferência do craque para o Barcelona, disse em entrevista ao programa Bate-Bola da ESPN Brasil que considera normal o pagamento de propinas em transações no futebol. Wagner detalhou como foi dividido o valor pago pelo Barcelona por Neymar, deixando claro o prejuízo do Grupo DIS, que detinha 40% dos direitos econômicos do atleta. O Grupo hoje cobra na Justiça os valores sonegados pela transação. O empresário falou sobre as propinas nas transações do mundo do futebol, como as que levaram José Maria Marin para a cadeia na Suíça, delatadas por J. Hawilla em investigação nos EUA. Ele comparou esse ato ilegal a um cafezinho oferecido ao guarda em uma estrada, para se livrar de uma multa. “É errado, mas eu não sou bandido por isso”, disse Ribeiro. Neymar e seu pai, além de dirigentes do Barcelona, são investigados pela diferença entre o valor anunciado na transação que o tirou do Santos e o gasto pelo Barça. (BP)

CHA Qua. 01/07 21h

CAM

CFC

1X0 Qua. 01/07 22h

GRE

2X1

Emerson Sheik decidiu o placar a favor do Fla, que saiu da zona da degola

Flamengo vence Joinville por 1 a 0 fora de casa e escapa da zona da degola Bruno Porpetta do Rio de Janeiro (RJ) O Flamengo foi a Santa Catarina enfrentar o Joinville com a corda no pescoço. Ambas as equipes estão na zona de rebaixamento e, no caso do Flamengo, a pressão é fortíssima. Os muros da Gávea amanheceram pichados nesta quarta-feira (1). O jogo foi reflexo do momento das duas equipes. Muito truncado, o primeiro

tempo terminou com me- ville, sobrou na esquerda para nos de 25 minutos de bola Cirino, que bateu cruzado para rolando. O Flamengo, a ri- o desvio de Emerson Sheik. gor, criou uma única chance Foi o primeiro gol dele após real de gol em jogada que seu retorno ao Flamengo. sobrou livre para Marcelo Cirino que, sem confiança, FLA SOB PRESSÃO Doriva terá apoio maciço da torcida para seu segundo estadual Depois do gol, o time caperdeu o gol feito. Após o intervalo, o jogo rioca procurou segurar o reficou um pouco mais aberto, sultado e tentava encaixar mas ainda assim de péssima os contra-ataques. O Joinville qualidade. As duas equipes tinha uma posse de bola muierravam muitos passes e o to maior que o Fla, que se Flamengo conseguia ter al- notabilizava pelo esforço e guma superioridade. Assim, dedicação em campo. O esforço foi recompenaos trancos e barrancos, o rubro-negro chegou ao seu sado. Apesar das dores de vários jogadores no final, o primeiro gol. Aos nove minutos, após time conseguiu segurar o mais de 30 segundos com a placar e saiu da zona de rebola rondando a meta do Join- baixamento.

CRU Qua. 01/07 22h

CAP

SAO

0 X1 Qua. 01/07 22h

JEC

FLA

X COR

Qui. 02/07 19h30m

PON

X Qui. 02/07 19h30m

FIG

GOI

X FLU

Qui. 02/07 21h

SAN

Paulo Fernandes/Vasco

Vasco embala e vence a segunda O Vasco recebeu o Avaí, em São Januário, em um momento oposto ao da semana passada, quando ainda não tinha sequer uma vitória no Brasileirão. Após o êxito contra o Flamengo, o clima nas arquibancadas mudou.

Empurrado pela torcida, o Vasco fez dois gols logo de cara, ambos anulados por impedimento. Terminou o primeiro tempo com maior posse de bola e mais finalizações, mas sem tirar o zero do placar. No segundo tempo, o gol

vascaíno saiu de um jeito comum no Campeonato Carioca. Após roubada de bola de Guiñazu na saída do Avaí, ela chegou em Gilberto, que ajeitou para Emanuel Bianccuchi bater no ângulo e definir o placar. (BP)

Jogadores comemoram gol da vitória contra Avaí

Brasil de Fato - 103  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you