Page 1

Pablo Vergara

Pablo Vergara

1 | mundo | pág. 7 cidades

entrevista | pág. 5

No Rio, matador da ditadura é escrachado

O preço da luz é um roubo

Ato organizado pelo Levante Popular da Juventude denunciou o general Nilton Cerqueira

Entenda porque a conta de luz é tão cara em entrevista com Leonardo Bauer, do MAB

Rio de Janeiro, 27 de março a 2 de abril de 2014 | ano 11 | edição 44 | distribuição gratuita | www.brasildefato.com.br | facebook.com/brasildefato

Política de segurança promove uma Maré de militarização

Cantando o mar em Paquetá Pedro Veríssimo

Pablo Vergara

cidades | pág. 3

cultura | pág. 11

Grupo Jequitibá do Samba conduz roda que acontece uma vez por mês cidades | pág. 6 Renato Cosentino

O CONJUNTO DE FAVELAS DA MARÉ, que possui 130 mil habitantes segundo o IBGE, será tomado por pelo menos 2 mil agentes do Exército a partir de 7 de abril. A decisão foi anunciada nesta semana após reunião entre o governo estadual e o Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Porém, ações policiais já antecedem a ocupação militar.

Megaeventos ameaçam povos tracionais no RJ É o caso de Alto Camorim, na zona oeste, uma comunidade remanescente de quilombo


02 | opinião

Rio de Janeiro, 27 de março a 2 de abril de 2014

editorial | Rio de Janeiro

Os verdadeiros inimigos

Quantas “Cláudias” e “Amarildos” terão que morrer para que haja a desmilitarização da polícia? Quantos policiais terão que pagar com a vida para que seja dado um fim à política de segurança perversa chamada de “guerra às drogas”? Se olharmos com atenção, há algo em comum entre a maior parte das vítimas dessa “guerra”. Uns são tratados como escravos da senzala. Outros acabam por assumir a função de feitores e capitães do mato, a serviço da casa grande. Mas quase todos são pobres, jovens, pretos ou mestiços, moradores de favelas ou periferias e, civis ou

fardados, todos pertencem ao andar de baixo da pirâmide social brasileira. Essa política de segurança não interessa aos policiais, expostos, por Cabral e Beltrame, às piores e mais inseguras condições de trabalho. Também não atende às necessidades da população do Rio de Janeiro, principalmente das periferias e favelas, que sofrem com os riscos da violência. Isso tudo só é assim para manter a mamata das elites e o controle militarizado da desigualdade social. Por isso os governantes ordenam as ocupações e fazem vista grossa para a violência contra o

povão, que é tratado como inimigo nessa visão de segurança pública. Um grande general chamado Simón Bolívar, dizia que “maldito é o soldado que levanta sua arma contra povo”. Os policiais que matam e torturam nas favelas precisam ser punidos. Mas os governantes, que não passam de empregados das elites que bancam suas campanhas, é que dão as ordens. Eles são os malditos, os verdadeiros inimigos que declaram a “guerra”. Cada lágrima de órfãos, viúvos, pais e mães, parentes e amigos deve ser cobrada dos inimigos do povo.

Latuff

editorial | Brasil

50 anos da tragédia brasileira •

A década de 60 foi marcada na história do Brasil por uma crise econômica e política. Diante desse quadro, as forças populares e o governo João Goulart apresentaram à nação reformas de base como uma saída. Essas reformas significavam um novo modelo de desenvolvimento, fundado na indústria nacional, na distribuição de renda e na melhoria das condições de vida da população. Para isso, seria necessário controlar o capital financeiro, reformar a educação e fazer a reforma agrária. Essas propostas uniram

Redação Rio: redacaorj@brasildefato.com.br

Para anunciar: (21) 4062 7105

Burguesia apelou em 1964 para a força bruta para recompor seu controle sobre o Estado

________________________________________

as forças do povo, que estavam nas ligas camponesas, sindicatos, quartéis, ou seja, no contexto de um governo popular. Porém, as forças dos capitalistas se esquematizaram com o império dos Estados Unidos (EUA) e organizaram um golpe. Assim, a burguesia apelou para a força bruta, impondo sua vontade política. No dia 1º de abril de 1964, o dia da mentira, se implan-

tou uma ditadura empresarial-militar que durou 21 anos. O saldo foi a maior dívida externa de todos os tempos e uma maior dependência dos EUA e das empresas transnacionais. Nos primeiros tempos, a repressão se abateu contra todas as formas de organização da classe dos trabalhadores. Além disso, se voltou contra todos os militares progressistas. Depois, a par-

O jornal Brasil de Fato circula semanalmente em todo o país e agora com edições regionais em São Paulo, Minas Gerais e no Rio de Janeiro. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos • Ed do ponto de vista da necessidade de mudanças • Ed sociais em nosso país e em nosso estado.

tir de 1968, a repressão se aprofundou com a organização dos DOI-CODI, financiado por empresas. Então, se cometeu todo tipo de crime, torturas e assassinatos. A repressão cresceu com o cerco à Guerrilha do Araguaia (1973-75) e com nova onda de repressão nas cidades, a qual gerou também o início de sua queda. A partir das greves de 1978, a classe trabalhadora retomou as mobilizações de massa. Ganhou força a campanha pelas “Diretas Já” e, finalmente, a primeira eleição para presidente em 1989, que representou o fim

e derrota da ditadura. Durante o regime ditatorial de políticos medíocres, tivemos milhares de brasileiros perseguidos, exilados, torturados e assassinados. Nunca poderemos nos esquecer deles. Infelizmente, a Lei de Anistia de 1979 serviu apenas para esconder os responsáveis, que agora as comissões da verdade pretendem registrar. Essas lições contribuem para evitarmos erros do passado e para enfrentarmos os desafios da construção de uma sociedade mais justa, verdadeiramente democrática e igualitária.

CONSELHO EDITORIAL RIO DE JANEIRO: Antonio Neiva, Aurélio Fernandes, Joaquín Piñero, Mario Augusto Jakobiskind, Rodrigo Marcelino, Vito Giannotti ADMINISTRAÇÃO: Carla Guindani e Valdinei Siqueira DISTRIBUIÇÃO: Kleybson Andrade DIAGRAMAÇÃO: Stefano Figalo EDITOR-CHEFE: Nilton Viana (MTb 28.466) EDITORA REGIONAL: Vivian Virissimo (MTb 13.344) REPÓRTERES: Gilka Resende, Bruno Porpetta REVISÃO: Núbia Pimentel COLUNA SINDICAL: Claudia Santiago ESTAGIÁRIA: Mariane Matos FOTÓGRAFO: Pablo Vergara ILUSTRADOR: Latuff


Rio de Janeiro, 27 de março a 2 de abril de 2014

cidades | 3

Política de segurança promove uma Maré de militarização INTERVENÇÃO Forças armadas chegarão ao Conjunto de Favelas da Maré em abril Pablo Vergara

GilkaResende do Rio de Janeiro (RJ)

O Conjunto de Favelas da Maré, que possui 130 mil habitantes segundo o IBGE, será tomado por, pelo menos, 2 mil agentes do Exército a partir de 7 de abril. A decisão foi anunciada nesta semana, após reunião entre o governo estadual e o Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Porém, ações policiais já antecedem à ocupação militar. Nesta quarta-feira (26), equipes do 1º Batalhão de Engenharia de Combate do Exército realizaram operações junto com o Batalhão de Operações Especiais (Bope), que está na comunidade desde a última semana. Raquel Willadino, do Observatório das Favelas, vê com preocupação a militarização da comunidade. “Se reforça a lógica do confronto, a de que há uma guerra em curso. Isso significa que a população pode

Mandados de busca e apreensão coletivos

A Maré está entre as principais vias de entrada e saída da capital fluminense: a Avenida Brasil e as Linhas Vermelha e Amarela. De acordo com o Ministério Público Militar (MPM), o cerco previsto deve contar com mandados de busca e apreensão coletivos. A prática é frequentemente criticada por órgãos de direitos humanos, por facilitar a violação de domicílios. Ainda de acordo com MPM, as tropas vão permanecer na região até o final da Copa do Mundo. “Há basBatalhão de Operações Especiais (Bope), está na comunidade desde a última semana tante tempo havia a indicação de que haveria uma interser vista como um exército número de oficiais poderá da polícia, conectada ao con- venção na Maré. O elemento inimigo. Nisso, mortes são chegar a 4 mil. Raquel alerta trole do cotidiano dos mo- novo é o caráter dela. Em netidas como efeitos colaterais. para o fato de que a decisão radores”, analisa. Para Raquel, nhum momento, nas interEssas são consequências ex- foi tomada em “um momen- falta “o reconhecimento dos locuções feitas nesse último tremamente negativas”, des- to em que já se vinha identi- moradores como atores fun- período, havia a perspectiva taca a diretora da organiza- ficando os limites estruturais” damentais na construção co- de que isso envolvesse as forção cuja sede fica na Maré. dessa política. “Se esperava munitária de ações de segu- ças federais”, pontuou Raquel. No segundo semestre, está uma polícia de proximidade rança pública”. Pablo Vergara prevista a instalação de Uni- junto a outras políticas púdades de Polícia Pacificadora blicas. Mas o que houve foi (UPP’s) na região, quando o uma redução da UPP à ação

Mais de 200 entidades apoiam manifesto do Alemão questionando UPPs CRÍTICA Armas e blindados não podem ser símbolos da paz, diz texto do Rio de Janeiro (RJ)

O manifesto “Queremos ser felizes e andar tranquilamente na favela em que nascemos”, elaborado coletivamente no Complexo do Alemão, segue recebendo apoios de organizações e movimentos locais e nacionais. O documento critica a militarização e reivindica, ainda, mais saúde, saneamento e

educação. Mortes de moradores de favela e de policiais em recentes conflitos em favelas de UPPs foram lamentadas. “Nenhuma vida vale mais que a outra e é preciso que o Estado se responsabilize”, ressalta. O manifesto foi debatido por cerca de 60 pessoas em uma praça de Nova Brasília, no Alemão, na noite de segunda-feira (17). O evento foi vigiado por pelo menos

12 policiais de UPP. Alguns carregavam fuzis, enquanto outros filmavam. Nem todos tinham identificação. A situação gerou constrangimentos. “Queria contar o que meu marido passou, mas eles podem marcar a minha cara”, disse uma operadora de caixa. “Ele saía para trabalhar às 5h, quando foi espancado por PMs. Mostrou a carteira de trabalho. Sabe o que falaram? Que

Em manifesto, moradores criticam militarização e pedem direitos

bandido também tem contracheque”, lamentou. Outros se pronunciaram e arrancaram aplausos, como Mariluce Souza, de 32 anos. “Que pacificação é

essa? São treinados para achar que todos da favela são ameaças”, disse ela, que integra o Ocupa Alemão, um dos grupos que organizam a mobilização. (GR)


Rio de Janeiro, 27 de março a 2 de abril de 2014

Trens, barcas e metrô são multados em R$ 1,52 milhão Pablo Vergara

Péssimo serviço da Supervia gerou multa de R$860 mil

A Agetransp decidiu, nesta quarta-feira (26), multar as concessionárias SuperVia, MetrôRio e CCR Barcas por incidentes ocorridos entre os dias 13 e 22 de janeiro deste ano. Somadas, as multas chegam a R$ 1.525.162,46. A SuperVia foi multada em R$ 868.474,96 no processo que apurou a

qualidade do atendimento aos usuários durante incidente ocorrido no dia 22 de janeiro, quando um trem do ramal Saracuruna descarrilou por mais de dez horas, na Estação São Cristóvão. A multa da CCR Barcas foi fixada em R$ 367.746,12 e é referente a processo sobre avaria

em um catamarã, na manhã de 13 de janeiro. Logo após iniciar viagem em direção ao Rio de Janeiro, o catamarã encalhou ao lado da ponte de atracação do terminal de partida. A concessionária MetrôRio foi multada em R$ 288.941,38 em processo sobre o desacoplamento mecânico entre dois carros do metrô, que provocou a paralisação dos trens da Linha 2, na noite de 16 de janeiro, entre as estações de Irajá e Colégio. Em nota, a MetrôRio diz que aguarda a publicação da decisão da Agetransp para analisar o recurso. A CCR Barcas e a SuperVia informaram que vão recorrer. (Agência Brasil)

Alerj vai debater situação dos trabalhadores do Comperj

A situação dos trabalhadores do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) será tema de audiência pública a ser realizada nes-

ta quinta-feira (27), às 13h, na sala 311 da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). A audiência é de iniciativa do deputado es-

tadual Paulo Ramos (Psol) e será aberta a trabalhadores e representantes de entidades Reprodução/Comperj

Trabalhadores em luta

sindicais. O SindipetroRJ também participará da mesa de debates. A Alerj fica Rua 1º de Março, no centro da cidade. (Agência Petroleira de Notícias)

Cresce número de autos de resistência

Segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) divulgados nesta quarta-feira (26), o número de homicídios decorrentes de intervenção policial (auto de resistência), subiram de 29 em 2013 para 49 em 2014. Já o número de homicídios aumentou 18,1% em janeiro deste ano comparado ao mesmo mês de 2013. Este ano foram 469 assassinatos no estado do Rio. Em 2013, foram 397.

Caso Amarildo: silêncio prejudicou investigações de Justiça •doORioTribunal de Janeiro reto-

defesa, no Fórum Central, no centro da cimou, nesta quarta-feira dade. Esta foi a quar (26), audiência de ins- ta audiência. A inspetora Alestrução e julgamento dos sandra Valle, que participou das oitivas e da organização do inquérito sobre o des a p a re c i m e n t o de Amarildo, dePMs silenciam em julgamento clarou que o si25 policiais militares lêncio dos policiais acusados de terem tor- que testemunharam turado e desaparecido atrapalhou as investicom o corpo do aju- gações. “Um código de dante de pedreiro Ama- silêncio. Eles ficavam rildo Dias de Souza, na completamente fechafavela da Rocinha, em dos, apesar das invesjulho de 2013. Durante tidas para que falassem todo o dia foram ouvi- a verdade”, comentou. das as testemunhas de (Agência Brasil)

Fernando Frazão/ABr

4 | cidades

­

Ônibus e carro são incendiados em protesto no Rio ônibus e um carro fo•ramTrêsincendiados no final da tarde desta quarta-feira (26), na Rua Cândido Benício, próximo à Praça Seca, em Jacarepaguá, zona oeste da cidade. Segundo a Polícia Militar, cerca de 100 pessoas iniciaram um protesto após a prisão de um morador do Morro São José Operário. Houve confronto entra a polícia e os manifestantes. Na correria, um grupo ateou fogo aos veículos, virou caçambas de lixo e fechou as pistas. O trânsito na rua ficou totalmente interditado por mais de duas horas, até que a situação fosse controlada.

Policiais do 9º Batalhão da Polícia Militar, responsável pelo policiamento da área, reagiram com bombas de efeito moral para dispersar os manifestantes. Bombeiros do quartel de Campinho foram acionados, mas quando chegarem ao local, os ônibus e o carro já estavam completamente destruídos pelas chamas. O fogo atingiu a rede elétrica e a região da Praça Seca está sem luz. Por causa da confusão, todo o comércio da área fechou as portas e trabalhadores da obra da Transcarioca encerraram as tarefas mais cedo.(Agência Brasil)


Rio de Janeiro, 27 de março a 2 de abril de 2014

entrevista | 5

xxxxxxxxxxx

Tandy Firmino

Setor elétrico deve estar sob controle popular, diz MAB LUZ Só assim o preço da tarifa não será abusiva, explica LeONARdO BAUeR, da coordenação nacional do MAB vivianvirissimo do Rio de Janeiro (RJ)

Água e energia não são mercadoria. Com esse lema, o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) luta, há mais de vinte anos, para impedir os abusos e lucros exagerados das geradoras e distribuidoras do setor elétrico no Brasil.“Somente com uma grande mobilização popular poderemos reverter esse processo de superexploração”, destaca Leonardo Bauer, da coordenação nacional do MAB. Confira: BrasildeFato-NoRio, protestoscontraafaltade luz têm sido frequentes. Além de não ter regularidade no serviço, os trabalhadores pagam cada dia mais caro pela energia. Comoissoseexplica?

LeonardoBauer - Com a privatização total ou parcial das empresas do setor elétrico, o lucro é o grande objetivo para essas empresas. Para isso, diminui-se a qualidade e aumentou-se o preço da tarifa. Energia que custa cerca de R$ 30,00/MWh chega a ser vendida a R$ 822,00/ MWh (como aconteceu no fevereiro passado). Totalmente irreal. Estender o tempo de substituição dos equipamentos (postes, transformadores, isoladores, etc) também é fonte de lucro. Resultado dessa prática é a frequente explosão de bueiros na capital carioca. Outras frentes como a precarização das condições de trabalho do setor e a violação dos direitos das populações atingidas por esses empreendimentos também são práticas dessas empresas.

BrasildeFato-Comas UPPs,medidoreseletrônicospassaramaserinstaladosnascomunidades.Desde então, contas abusivas sãocobradasdosmoradores de favelas. o que está portrazdessemodelo? Primeiro é importante lembrar que as empresas do setor elétrico tentarão aplicar esse modelo de medidores eletrônicos em todos os locais da cidade e em todo Brasil. Novamente, trata-se de uma estratégia para aumentar os lucros, pois automatiza o envio de informações e cria um novo mercado – a venda de medidores eletrônicos. No Rio de Janeiro, a Ligth tem aproveitado as reformas que as Upps promovem e colocam no pacote os medidores eletrônicos, todos fortemente questionados inclusive tecnicamente, pois é alarmante o aumento do custo com a Pablo Vergara

No Rio, cerca de 200 atingidos vindos da região serrana do estado, além de Minas Gerais e São Paulo, protestaram em frente ao prédio de Furnas, em Botafogo, nesta quarta-feira (26). eles denunciaram os possíveis aumentos das tarifas de energia para o próximo ano.

Pablo Vergara

energia depois de sua instalação. Mas isso é só o começo. As empresas projetam, através da instalação dos medidores eletrônicos, a venda de energia na modalidade “pré-paga” e a cobrança em função do horário de consumo, quando os consumidores pagariam até 50% a mais nos horários de pico (próximo das 19h). Brasil de Fato - Diante dessequadro,quecaminho oMABapontacomosoluçãoparaessasituação? O MAB, juntamente com outras organizações da Via Campesina e com trabalhadores do setor energético (engenheiros, eletricitários, petroleiros, urbanitários), propõem o controle popular sobre o setor elétrico, inclusive sobre a definição dos preços da eletricidade. Somos um país abundante em energia barata e pagamos a 5ª tarifa mais cara do mundo. Isso não tem qualquer relação material. É pura especulação. Nota-se que em 2011, por exemplo, o setor elétrico brasileiro ficou em segundo lugar no envio de lucros para o exterior, perdendo apenas para os bancos. Para 2014 as contas de luz vão gerar um lucro extra de R$ 21 bilhões principalmente para as empresas governadas pelo PSDB de São Paulo (CESP), Minas Gerais (CEMIG e LIGHT) e do Pa-

Leonardo Bauer, do MAB

raná (COPEL) e empresas transnacionais como Duke (EUA), Suez Tractebel (FRA) e AES (EUA). Enquanto isso, o governo está aceitando a chantagem. Há poucos dias, autorizou este repasse bilionário aos proprietários do do setor para, além de não perder a confiança do capital privado, transferir os aumentos das tarifas de energia elétrica da população brasileira para depois do período eleitoral. Somente com uma grande mobilização popular poderemos reverter esse processo de superexploração.

­ SeRviço Seminário“Avisão populardaquestão energética” Quando? Quinta-feira (27) onde?Na ABI (Rua Araújo Porto Alegre, 71, Cinelândia) Quehoras?Das 14h às 18h.


6 | cidades

Rio de Janeiro, 27 de março a 2 de abril de 2014

Megaeventos ameaçam agricultores e povos tradicionais no RJ COPA Forte especulação imobiliária provoca conflito pela terra em todo estado

CamilaNobrega RenatoCosentino do Rio de Janeiro (RJ)

A preparação para a Copa do Mundo e as Olimpíadas de 2016 e o boom imobiliário, vêm multiplicando conflitos pela terra, por todo o Estado do Rio. De um lado, agricultores e povos tradicionais lutam para permanecer em locais que ocupam por gerações. De outro, empresas atropelam dinâmicas regionais com aval do poder público. Isso ocorre em zonas rurais de cidades como a histórica Paraty, mas também na capital, no olho do furacão dos megaeventos. Jacarepaguá, zona oeste, o Alto Camorim é exemplo disso. No último domingo (23), os moradores fizeram uma atividade de resistência cultural para denunciar a situação. Há dez anos eles reivindicam junto ao Incra o reconhecimento do local como território remanescente de quilombo. “Estamos gritando que o Alto Camorim

tem a sua história”, disse Maraci Soares, uma das lideranças do movimento. O dia começou cedo com um café da manhã agroecológico oferecido pela Associação de Agricultores de Vargem Grande. Antes da tradicional feijoada, o encontro foi embalado por rodas de conversa sobre a história de Jacarepaguá. O objetivo era reafirmar a luta pela regularização fundiária, pelo direito de cultivar a terra e pela construção do Centro de Desenvolvimento Cultural Quilombola do Camorim. A Baixada de Jacarepaguá é hoje o centro da reestruturação urbana pela qual o Rio de Janeiro está passando para a preparação das Olimpíadas. Muitas comunidades estão ameaçadas pelo avanço dos empreendimentos imobiliários. O Alto Camorim é um local histórico, onde se localiza a Igreja São Gonçalo de

Rosa Bernardes

Área desmatada para construção de condomínio no Alto Camorim

Amarante, de 1625, no acesso ao Parque Estadual da Pedra Branca, uma das maiores florestas urbanas do mundo. “Outros países que realizaram grandes eventos perderam suas identidades? É um projeto de quem para quem?”, questionou Bernadete Montesano, da Rede Carioca de Agricultura Urbana. “Essas áreas onde estão os agricultores são de grande cobiça”, ressaltou.

No início do ano, uma grande área ao lado da igreja foi devastada pela Living Construtora, marca da RJZ Cyrela, sem respeitar as árvores centenárias do Maciço da Pedra Branca. Uma denúncia foi feita à Ouvidoria do Ministério Público. Em nota, a construtora informou que “possui as licenças de demolição e remoção de árvores” e que medidas compensatórias estão sendo cumpridas.

LUTA Fórum de Comunidades Tradicionais reúne moradores no município

Os conflitos entre comu•nidades históricas e novos empreendimentos imobiliários se multiplicam em todo o Estado do Rio. Um exemplo são povos de Paraty. A única exceção é o Quilombo do Campinho que, em vitória histórica, conseguiu a titulação das terras em 1999. Há décadas, caiçaras e comuni-

dades antigas na região vivem sob ameaça de remoção. Ali o conflito com as comunidades envolve vários atores, entre eles o Estado, representado pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e o Instituto Chico Mendes, e interesses privados de imobiliárias, como explicou Monalisa Melo, secretária da Associação de Moradores de Pedras Azuis, que reúne sete bairros da cidade:

educação faz paralisação dia 1º de abril Os profissionais de educação das redes estadual e municipal do Rio de Janeiro farão uma paralisação de 24 horas no dia 1º de abril. Neste dia eles vão participar da Marcha em Defesa da Educação. A concentração para o ato será às 16h, na Candelária. Os profissionais de educação do município de São Gonçalo, em greve desde o dia 25, também realizam uma passeata no dia 1º.

Metalúrgicos debatem ditadura dia 1º

em Paraty, caiçaras vivem sob ameaça de remoção

do Rio de Janeiro (RJ)

SINDICAL

“O valor dos terrenos cresce e a especulação avança. O governo anuncia que fará novas unidades de conservação, que podem impedir a permanência dos moradores e não dialoga com as comunidades. Sem saber o que vai acontecer, vivemos com medo e sob ameaça de remoção.” Frente ao conflito, os moradores de Paraty estão reunidos em um Fórum de Co-

munidades Tradicionais. Este mês, eles comemoram uma vitória. Um processo criminal aberto injustamente pelo ICMBio contra o agricultor José Ferreira, conhecido internacionalmente por seu trabalho com agrofloresta, foi suspenso. A situação, porém, não é permanente. As investidas contra os agricultores de Paraty, assim como no Alto Camorim, são frequentes e graves. (Ibase e Justiça Global)

O Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro realiza, no dia 1º, um debate com o tema “os metalúrgicos e o golpe militar”. O evento acontece no dia em que se completam 50 anos do golpe. Os metalúrgicos foram muito perseguidos, porque travaram uma luta contra a ditadura. O debate acontece às 9h, na sede do Sindimetal-Rio: Rua Ana Neri, 152, Benfica.

Bancos fecham 1.864 postos de trabalho Os bancos brasileiros contrataram 5.124 funcionários nos dois primeiros meses deste ano, mas demitiram 6.988 pessoas neste período. O resultado dessa conta é o fechamento de 1.864 postos de trabalho. Os dados são de uma pesquisa da ContrafCUT. O Rio de Janeiro teve um dos maiores cortes e perdeu 262 vagas.


Rio de Janeiro, 27 de março a 2 de abril de 2014

cidades | 7

escracho denuncia Nilton Cerqueira como matador na ditadura PROTESTO Ato realizado em Copacabana foi convocado pelo Levante Popular da Juventude Pablo Vergara

não será esquecido nem que se passem GilkaResende mais 80, 100 anos”, do Rio de Janeiro (RJ) completou Carolina Dias, do Levante PoDa euforia às lágrimas em pular da Juventude. minutos. Assim reagiu RaO “teatro sobre a mirez Vale, sobrinho de uma vida real” também vítima da ditadura civil-mimostrou ações malitar, ao saber que o escrachistas e racistas do chado nesta terça-feira (25) Exército da época. Caseria o general Nilton Cerrolina, porém, reforqueira. O nome do militar çou a atualidade do foi revelado ao microfone tema. “Práticas de requando a manifestação chepressão se desenvolgou ao número 56 da Rua Escrachos denunciam publicamente figuras que cometeram crimes na ditadura veram na ditadura e Constante Ramos, em Copaa lógica se perpetuou. cabana, por volta das 10h30. Bahia. “Ele executou Carlos cia desses agentes do Esta“Ótima escolha! Esse cara é Lamarca e muitos outros”, do. Já se passaram 50 anos Se antes os alvos eram os emblemático. Circula como comentou Ramirez. “O es- do golpe. Queremos mos- militantes organizados, figura insuspeita, mas come- cracho é um ato de denún- trar que o que aconteceu hoje são os pobres. A polícia teu muitos crimes”, afirmou. Logo depois, Ramirez e outros presentes se emocionaram ao assistirem a apresentação de dois militantes. Na cena, “Cerqueira” torturava uma camponesa Além de militantes, cam- se que não queria um derrana busca de informações poneses, indígenas, entre ou- mamento de sangue. O que sobre o paradeiro de lide- tros, também houve militares muitos esperavam ser um ranças de grupos resistentes reprimidos. É o que aponta período de transição durou, ao regime, no interior da levantamento da Comissão na verdade, 21 anos.

continua matando e torturando jovens negros da periferia para manter o que chamam de ordem”, expôs. Os organizadores do escracho explicaram que, por uma questão de segurança, a identidade do militar foi mantida em segredo até chegarem ao local da manifestação político-cultural. Antes, militantes de movimentos e de partidos de esquerda, além de familiares de vítimas e sobreviventes da repressão, caminharam pelo bairro com bandeiras e batucadas, chamando atenção dos passantes.

Cerca de 7.500 militares sofreram retaliações com ditadura •

Atentado no Riocentro

Recentemente, o Ministério Público Federal (MPF) denunciou seis militares por envolvimento no atentado à bomba durante show do Dia do Trabalhador, em 1981. Nilton Cerqueira está entre eles. Caso julgado, ele poderia pegar até 66 anos de cadeia. Segundo o órgão, a ação pretendia causar terror, atribuindo falsamente o crime a militantes que lutavam contra a ditadura, que durou de 1964 a 1985.

Nacional da Verdade. Nesta entrevista, Ivan Proença, então capitão do regimento presidencial de João Goulart, o Jango, fala sobre conflitos internos nas Forças Armadas à época. BrasildeFato-osenhorfoi contraogolpe.Comoficoua situaçãodosmilitaresquese posicionaramdessaforma? Houve inúmeros em oposição, mas faltou um comando. O presidente, como comandante das Forças Armadas, se abdicou de um enfrentamento. Isso, então, desorganizou uma possível reação contra os golpistas. Tínhamos plenas condições para evitar o golpe. Mas também é difícil julgá-lo. O presidente era pacifista. Era um homem muito simples, bom e educado. Dis-

É inacreditável que torturadores e assassinos não sejam julgados. Não foi assim em outros países da América Latina

________________

oqueaconteceucomvocê? Fiquei bastante tempo preso. Não me torturaram, mas fiquei no isolamento. Foram 58 dias. Daí eles me chamaram e perguntaram se eu teria um 'bom comportamento'. Se sim, eu seria transferido para o Mato Grosso. Não aceitei. Falei que não haveria

eNTReVISTA compromisso nenhum. Pelo contrário, disse que estava ciente de que estávamos em uma ditadura. Fui caçado oficialmente no dia seguinte. HojeaComissãodaverdade investigaepisódiosdaditadura. o que o país ainda precisafazerparareescreveressapartedahistória? É inacreditável que torturadores e assassinos não sejam julgados. Não foi assim em outros países da América La-

Pablo Vergara

Ivan Proença tina que também passaram por golpes. Aqui há uma anistia [Lei de Anistia, de 1979] que livrou os próprios militares. Esse seria o primeiro passo: rever isso. A Comissão é uma conquista. Ela está levantando questões importantes. Agora, no que vai dar? No Brasil, a verdade é uma meia verdade, porque não estão previstas consequências. Tudo será muito difícil enquanto o país estiver manchado por essa impunidade. (GR)


8 | brasil

Rio de Janeiro, 27 de março a 2 de abril de 2014

Câmara dos deputados aprova Marco Civil da Internet Reprodução

rantida", disse o relator do projeto deputado Alessandro Molon (PT-RJ). Entre os principais pontos da proposta estão: a garantia do direito à privacidade dos usuários, especialmente à inviolabilidade e ao sigilo de suas comunicações pela internet. Atualmente, as informações são usadas livremente por empresas que vendem esses dados para os setores de marketing ou vendas. Agora, os provedores não poderão fornecer a terceiros as informações Molon: "Precisamos de lei para proteger a essência da internet” dos usuários, a não ser Após cinco meses de po- dade e à não discriminação que haja consentimento do lêmica e intensos debates, do tráfego de conteúdos. O internauta; os registros consa Câmara aprovou na terça- texto agora segue para o Se- tantes de sites de buscas, os feira (25) o projeto do Marco nado e, caso seja aprovado e-mails, entre outros dados, Civil da Internet (PL 2.126/11). lá também, deverá ir para só poderão ser armazenados Os deputados aprovaram o sanção presidencial. por seis meses. O projeto “Hoje em dia precisamos também define os casos em texto em votação simbólica. Desde 28 de outubro de 2013, de lei para proteger a es- que a Justiça pode requisitar o projeto passou a trancar a sência da internet que está registros de acesso à rede e ameaçada por práticas de a comunicações de usuários. pauta da Câmara. A aprovação abre cami- mercado e, até mesmo, de De acordo com o texto, as nho para que os internautas governo. Assim, precisamos empresas não vão poder librasileiros possam ter ga- garantir regras para que a mitar o acesso a certos conrantido o direito à privaci- liberdade na rede seja ga- teúdos. (Agência Brasil)

Tâ̂ nia Rê go/ABr

A Comissão Nacional da Verdade (CNV) apresentou nesta terça-feira (25) o relatório preliminar sobre a Casa da Morte de Petrópolis, centro de tortura clandestino usado pelos militares, na década de 1970. O relatório se baseia no depoimento de Inês etienne Romeu (foto), única sobrevivente. ela foi espancada, estuprada e submetida a torturas psicológicas e deficiências alimentares.

Luta de ex-moradores de Pinheirinho garante casas

Ao assinar, nesta terçafeira (25), a ordem de serviço que autoriza a construção de 1.461 unidades para famílias despejadas em Pinheirinho, a presidenta Dilma Rousseff disse que as novas residências são re-

sultado da luta dos moradores. A desocupação de Pinheirinho pela Polícia Militar e a posterior destruição de todas as casas erguidas no local ocorreu em 2012. Cerca de 6 mil pessoas ficaram sem moradia.

Morte de Jango será investigada na Argentina 50 anos do golpe e •38Após da suspeita de morte de

a história brasileira, e para que se possa fazer justiça com Goulart e com outros brasileiros que desapareceram quando estavam na Argentina”.

Jango, nunca investigada pelos juízes brasileiros, o promotor Miguel Angel Osório, responsável por váArquivo rios casos ressonantes da rede terrorista tecida pelas ditaduras sul-americanas nos anos 70, assumiu o compromisso de investigar a morte do expresidente João Goulart. “Não podemos nos permiEx-presidente Jango faleceu há 38 anos tir perder tempo”, “A anistia deixada pelos disse o promotor em enmilitares tem a intenção de trevista à Carta Maior. Ele defende que 2014 é que não se chegue à verum ano “importante para dade”, disse.

Atendimento é a maior reclamação no SUS que recebe denún•ciasProjeto sobre o atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS) recebeu mais de 900 denúncias em 13 dias de lançamento. A demora para ser atendido, com 58% das reclamações, foi o item mais citado. Em seguida veio a fal-

ta de leitos, com 26%. O projeto, chamado Caixa-Preta, é uma iniciativa da Associação Médica Brasileira (AMB). Os estados que tiveram mais denúncias foram São Paulo e Bahia. As denúncias podem ser feitas no site: www.caixapretadasaude.org.br.

QUedA NO NúMeRO de FAMíLIAS eNdIVIdAdAS Pesquisa divulgada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC) revelou di-

minuição do percentual de famílias brasileiras com dívidas em março. O índice caiu de 62,7%, em fevereiro, para 61%, em março. Foram ouvidos 18 mil consumidores em todas as capitais e no Distrito Federal.


Rio de Janeiro, 27 de março a 2 de abril de 2014

VENEZUELA

­

Generais são presos por planejar golpe

EM FOCO

Ucrânia: aprovada demissão do ministro da defesa

O Parlamento ucraniano (Rada) aprovou na terça-feira (25) a demissão do ministro da Defesa, Igor Teniukh, criticado por sua atuação durante a perda da Crimeia, e nomeou para o cargo o general Mikail Koval.

Marcelo GarciaPalacio de Miraflores

Snowden destaca ponto de virada” nos eUA

Maduro têm tentado diálogo com a oposição na Venezuela

Três generais da aviação venezuelana foram presos, acusados pelo presidente do país, Nicolás Maduro, de planejar um golpe de Estado. A informação foi divulgada nesta terça-feira (25), durante a Conferência Nacional de Paz. O presidente estava acompanhado por uma delegação de chanceleres da União de Nações SulAmericanas (Unasul). “Capturamos três chefes da aviação que pretendiam lançar a Força Aérea

contra o governo legitimamente constituído. Agora eles estão à disposição dos tribunais militares”, anunciou Maduro. Diante dos chanceleres, Maduro disse que a Venezuela garante o direito à participação política e os protestos pacíficos. O presidente também chamou a oposição venezuelana ao diálogo. “Queremos o caminho da paz e da verdade. Para isso criamos instrumentos para fortalecer o diálogo”, ressaltou.

Wikipedia

O ex-analista da CIA Edward Snowden parabenizou o presidente estadunidense Barack Obama, por sua iniciativa de acabar com a prática de armazenar sistematicamente os dados telefônicos coletados nos EUA.

Mujica: "Guantánamo é uma vergonha para a humanidade" confirmar que o Uru•guaiAoabrigará cinco presos

contrapartida que Washington liberte os três cubanos que ainda estão sob custódia dos EUA, após terem sido presos, há mais de dez anos, enquanto atuavam como espiões na Flórida. Mais informações: facebook.com/ cincocubanos

de Guantánamo na qualidade de "refugiados", o presidente José Pepe Mujica disse que a acolhida é uma "questão de direitos humanos". Após aceitar colaborar com Barack Obama, o mandatário assegurou que Ismael Francisco/Cubadebate a prisão localizada dentro da ilha de Cuba "tem funcionado como uma verdadeira vergonha para a humanidade e muito mais vergonhoso para um país como os Estados Unidos". Embora tenha afirmado que não está colaborando por questões financeiras, Mujica pediu como Mujica pediu libertação dos três cubanos

Poluição mata sete milhões de pessoas por ano

Ex-analista da CIA, Snowden

mundo | 9

Cerca de sete milhões de pessoas morrem por ano, no mundo em virtude da poluição, de acordo com dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), divulgados na noite

de segunda-feira (24/03). Conforme essas estatísticas, uma em cada oito mortes ao redor do planeta está relacionada à contaminação do ar, seja dentro ou fora de casa.

SATéLITe deTeCTA 122 OBJeTOS NO MAR QUe POdeM SeR dO AVIãO dA MALáSIA Os objetos foram observados em ima-

gens de satélite tiradas pelo Centro de Controle da Airbus para a Defesa e Espaço. A informação foi divulgada pelo ministro da Malásia, Hishammuddin Hussein, nesta quarta-feira (26).

Receba o Brasil de Fato RJ por e-mail. Inscreva-se no link: www.e.eita.org.br/assinebrasildefatorj


10 | cultura

Rio de Janeiro, 27 de março a 2 de abril de 2014

EXPOSIÇÃO

TEATRO

Pretos Novos celebra memória afro-brasileira

Cia de Mystérios apresenta “Vozes do Porto” nesta quinta

HISTÓRIA Achado arqueológico vira local de reflexão sobre escravidão Wikipedia

ARTE Grupo faz ocupações culturais em espaços públicos

MarianeMatos

do Rio de Janeiro (RJ)

Museu reverencia um antigo cemitério de escravos na Zona Portuária do Rio. O local, onde foi descoberto o sítio arqueológico Cemitério Pretos Novos, funciona hoje como memorial em reverência e respeito aos tantos negros recémchegados ao Brasil colonial, mortos ou doentes devido aos maus tratos durante a travessia do Atlântico. Criado em 2005, o Instituto de Pesquisa e Memória Pretos Novos (IPN) tem como objetivo ressaltar as raízes africanas da região. Localizada na então Pequena África do séc XIX, o sítio foi descoberto por acaso em 1996 e hoje é considerado um dos mais importantes patrimônios da humanidade. O lugar põe

LITERATURA

Local é um dos mais importantes patrimônios da humanidade

em foco a reflexão sobre a escravidão no país. Para Ana Maria, diretora presidente do Museu, o antigo cemitério levanta o debate em cima de um dos maiores crimes contra a humanidade. “Aqui é um grande novelo que quanto mais desenrola, mais se conhece a verdadeira história

do nosso país, história da humanidade”, afirma ela. O projeto disponibiliza um espaço voltado para pesquisa e ocupações artísticas. Esta semana, foi inaugurada uma exposição “Tabueliros” de Leila Pugnaloni, que traz a visão da artista sobre o mercado de escravos.

CINEMA

Cinemão promove Sessão Carta Branca no Odeon

­

O livro “onegrona Tvpública”, organizado por Joel Zito Araújo, aponta os estereótipos e o apagamento na representação na TV brasileira.

No início de Brasil terá extreia da 1a Edição do Sessão Carta Branca - "Tiro, porrada e bomba". Odeon em parceria com Cinemão preparam uma sequência de filmes que retratam a realidade atual do Rio de Janeiro. Trazendo temas como as manifestações, comunidades, UPPs, mega eventos, violações dos direitos, dentre outros. O evento apresentará os filmes: “O prefeito tá che-

gando”(15 min), “Rio Cidade Olímpica” (7 min), “Doutor Magarinos, advogado do morro”(23min), “Dominio Público”(17 min), “Proibidão”(13 min), “Ritmos de Resistência”(26 min) e "UPP Não é Projeto de Segurança" (6 min).

Esta semana, a “Cia de •Mystérios e Novidade” fará mais uma intervenção do 1º Festival Carioca de Arte Pública. Com o objetivo de propagar e divulgar as artes públicas, o evento tem programação semanal até 10/04. Aprofundando o debate sobre a ocupação dos espaços públicos, promove desde espetáculos de teatro, circo, shows musicais, mímicos até contadores de história, cordelistas e oficinas.

Caminhos Uma Intervenção Urbana nos bairros do Rio Uma incursão pelas re•lações entre homem e cidade. É a vez do centro ser convidado a “ouvir” a sua cidade, o seu cotidiano e a observar seu entorno de outro ângulo.

Quinta-feira (27), tem oficina Perpatética da Região Portuária e ensaio aberto da Navelouca. Sábado (29), Tem apresentação do Espetáculo “Vozes do Porto”. Além de “Orquestra da Providência + Vozes da Providência” e a Banda “Teimosos da Gamboa”

SeRviço A partir das 18h Gratuito. Praça da Harmonia – Gamboa

Bandeira de Retalhos “Nós do Morro” •levaO grupo aos palcos o episódio histórico de 1977, quando o governo tentou expulsar parte dos moradores do Vidigal. O musical retrata aquele momento de resistência da comunidade.

SeRviço

SeRviço

SeRviço

Quarta-feira (02), às 21h. Ingresso R$4,00 e R$8,00. Cinema Odeon – Cinelândia

Quinta (27) e sexta (28), às 12h. Gratuito Teatro Glauce Rocha – Av. Rio Branco N˚; 179

Sábado (29), às 20h e domingo (30), às 19h Ingresso: R$ 10,00 e R$ 5,00. Local: Teatro Armando Gonzaga


Rio de Janeiro, 27 de março a 2 de abril de 2014

cultura | 11

Músicos cantam o mar em Roda de Samba de Paquetá PATUSCADA Grupo Jequitibá do Samba conduz roda que acontece uma vez por mês Pedro Veríssimo

GabrielAraújo do Rio de Janeiro (RJ)

O mar sempre inspirou sambistas de todas as épocas. E é num cenário que tem o mar como pano de fundo que, todo o terceiro domingo do mês, acontece a Roda de Samba em Paquetá. Conduzida pelo grupo Jequitibá do Samba, a roda leva centenas de pessoas ao Paquetá Iate Clube, situado na ilha com fama de ser um refúgio do carioca. Divulgado no boca-a-boca e principalmente nas redes sociais pelas produtoras musicais Áurea Alves e Régia Macêdo, organizadoras e idealizadoras do Samba em Paquetá, o evento começa na viagem de barca que custa de R$ 3,10 (bilhete único) a R$ 4,50 (passagem avulsa) e sai da Praça XV com destino à ilha. O ideal, afirmam as organizadoras, é pegar a barca de 11h30, pois a patuscada começa às 14h em Paquetá,

Samba acontece em ilha com fama de refúgio para os cariocas

mas também há balsas saindo às 13h e às 14h30. O passeio de pouco mais de uma hora pelo mar da Baía de Guanabara é um alento para os olhos. Na paisagem, Rio de Janeiro, Niterói e um conjunto de belas ilhotas ao longo do percurso. Já no desembarque, vê-se o cenário bucólico de casas baixas com quintais espa-

çosos e arborizados, praça com igreja, além de e adultos e crianças passeando de bicicleta e carruagem. A apresentação, sem sonorização - acústica -, é na beira do mar, como os versos da canção de Paulo César Pinheiro, compositor unanimidade entre os sambistas do Jequitibá do Samba: "Tem palma na beira da

praia/Samba de roda na beira do mar". Para os músicos do grupo, tocar na ilha é inspirador. "Muita gente canta Paquetá", aponta o violonista Iuri Bittar. "É um momento de encontro entre amigos que tem em comum o gosto pelo samba e que imprimem suas influências naquilo que tocamos", completa.

No repertório, sambas de compositores das escolas mais tradicionais como Mangueira, Portela, Salgueiro e Vila Isabel, mas há espaço para composições da nova safra, que surgem à margem do monopólio das grandes gravadoras. "Não tocamos apenas os sambas mais antigos. Tem muita gente escrevendo samba atualmente", pondera o percussionista Anderson Balbueno. O Jequitibá do Samba é formado pelos músicos Ronaldo Gonçalves (Cavaquinho e voz), Leonardo Pereira (Cavaquinho e voz), João Camarero (Violão 7 cordas e voz), Iuri Bittar (Violão 6 cordas e voz), Julião Rabello Pinheiro (Percussão e voz), João Gabriel Menezes (Cavaco e voz), Anderson Balbueno (Percussão e voz), Jeferson Scott (Percussão e voz), Marcos Tadeu (Percussão e voz), Magno Julio (Percussão), Bidu Campeche (Percussão) e Leo Careca (Percussão e voz).

História cultural de Paquetá tem choro e samba NATIVO O músico Anacleto Medeiros, um dos principais representantes do Choro, nasceu e foi criado em Paquetá do Rio de Janeiro (RJ) O Samba em Paquetá re•presenta a continuidade de uma relação antiga do local com o ritmo musical. A produtora Áurea Alves, uma das idealizadoras do projeto, descreve que nas décadas de 40 e 50 integrantes das primeiras escolas de samba faziam da ilha seu local preferido para piqueni-

que nos finais de semana. No filme "Com minha sogra em Paquetá" (1961), com Dercy Gonçalves no elenco, há uma escola de samba que viaja de balsa até a ilha e depois faz um desfile pelas ruas do distrito. "Paquetá também tem sua história ligada ao Choro. Anacleto Medeiros, um dos mais importantes representantes do gênero, nasceu e foi criado ali", acrescenta. Na história mais recente, a

cantora e compositora Cristina Buarque e o grupo paulista Terreiro Grande realizou rodas de samba na ilha. Cristina Buarque é moradora de Paquetá e inclusive uma das assíduas frequentadoras do Samba. "Acompanho este samba desde o início e gosto muito das músicas e da qualidade dos músicos que conduzem a roda", declara a musicista. "A idéia dessa roda surgiu

justamente em uma entrevista que fiz sobre o lançamento do CD da Cristina (Buarque) e Terreiro Grande. Naquele momento pensamos que seria legal fazer um samba ali em Paquetá", conta Áurea Alves. O samba começou em 2009 na calçada do Bar Tia Leleta (Bar do Zarurou do Paulão), mas cresceu e mudou para o Iate Clube. "Somos duas produtoras que

gostam de samba e, por isso, tocamos o projeto sem almejar retorno financeiro", afirma Régia Macêdo. (GA)

SeRviço Dia: Todo terceiro domingo do mês/ Horário: 14 horas (barcas saindo da Praça XV às 11h30, 13h e 14h30) Local: Paquetá Iate Clube, Praia das Gaivotas, Paquetá Preço: Gratuito


12 | variedades

Rio de Janeiro, 27 de março a 2 de abril de 2014

HORÓSCOPO 27/03 a 2/04 de 2014

NOVELA |

Por Joaquim Vela

Vale a pena falar de novela?

• Desde criança vemos novela, há 50 anos elas passam na TV. O cardápio de histórias é vasto: as infantis, as de amor, as mexicanas (eu adoro!), as de época. É como a vida das pessoas, diversa. Um tema comum é a interação dos diferentes grupos sociais. Nas românticas, a mocinha pobre e o mocinho rico se apaixonam. Tem também as histórias da relação do patrão e do empregado que mostra cenas de dominação e humilhação. O que está em jogo nesses folhetins vai desde arepro-

dução–oufortalecimento -dasrelaçõesdepoderna sociedade. Só de vez em quando acontece um esforço mínimo de desconstrução de algumas ideologias. As novelas nos envolvem com seus personagens e suas vidas. Ver novela distrai, mas não podemos entrar no mundo da fantasia. Anovela é um produto que custa caroegeradinheiroeisso nãopodeseresquecido. Bem ou mal, as novelas levam ao ao sofá pautas e debates sociais. Por isso, a partir dessa edição, falaremos delas toda semana.

Keka Campos, astróloga gatrinity.theona@gmail.com

A semana estará atribulada e com tendências a conflitos, mas isso será amenizado nos dias posteriores. Em contrapartida, o sucesso profissional está em evidência, podendo lhe render uma boa projeção na carreira.

Você sentirá necessidade de se expressar melhor e mais claramente. O momento é bom para acertar pendências de relacionamentos e evitar que isso tome grandes proporções. A atividade com crianças também é favorecida.

Possíveis desentedimentos estão por vir, evite discussões desnecessárias, principalmente com seu par amoroso. Energia em alta no trabalho, você sente agora a necessidade de estudar e se atualizar, aproveite.

Seu poder regenerativo e transformador pode ser utilizado beneficamente para animar e neutralizar os ambientes e as energias das pessoas. Além disso, a saúde está fortalecida, o que reforça seu ânimo e força positiva.

Estará sincero e direto nas palavras e está propenso a dar opiniões bem firmes. As atividades intelectuais são favorecidas. Poderá conhecer pessoas de culturas diferentes e essa mudança de círculo social lhe fará bem.

Estará mais prudente e calculista esta semana. Seus planejamentos são acompanhados da sensibilidade e da lógica, que farão um bom trabalho juntas. Qualquer tipo de atividade intelectual está favorecida, aproveite.

Ótimo momento profissional, poderá receber promoções ou até mesmo mudar para um emprego muito melhor, que lhe dê mais satisfação e qualidade de vida. Bom momento também para realizar atividades culturais.

Há a necessidade de exercitar o bom humor e de agir com mais leveza. Cuidado com a seriedade excessiva, pois ela pode impedi-lo de se conectar a pessoas e oportunidades que lhe fariam um bem enorme.

Cuidado com as emoções, pois agora elas estarão mais intensas e podem lhe confundir. Há, por outro lado, uma grande força de regeneração e transformação, que lhe ajuda a recuperar o equilíbrio e iniciar uma nova fase.

Poder de atração em alta! Poderá receber muitos olhares, pedidos de namoro ou, no mínimo, ser solicitado em diversos eventos. Equilibre seu gosto pelo coletivo com a necessidade de solidão e de espaço próprio.

Exercite o foco e a consistência para atingir resultados nesta fase, sejam eles quais forem. Sua aparência pessoal chama a atenção de forma benéfica, use esta vantagem para projetar-se e firmar contatos produtivos.

Há muita sensibilidade, o que ajuda o lado profissional. Mas cuidado com o emocional, pois tende a projetar suas altas expectativas no outro e se desiludir muito quando enxerga as falhas que todo ser humano possui.

Reprodução


Rio de Janeiro, 27 de março a 2 de abril de 2014

BOA E BARATA | Por Fernanda Jatobá

NOSSOS DIREITOS |

variedades | 13

Por Ana Isabel Vignati/Advogada

Reprodução

Ingredientes 250 gramas de macarrão parafuso; 3 colheres de sopa de maionese; ½ lata de ervilha; 1 cenoura ralada; 150 gramas de presunto em cubo; 4 palmitos picados; Sal, orégano e pimento do reino a gosto Azeite a gosto para regar

Salada de macarrão

Para os dias de calor e de preguiça, nada melhor do que uma salada de macarrão. Há uma infinidade de combinações possíveis para este prato. Nesta semana, ensi-

naremos uma das possibilidade. Mas nada melhor do que se soltar e criar a sua própria receita. Além dos ingredientes que vamos indicar, você pode incrementar

seu macarrão com: cebolinha, salsinha, azeitonas, queijo, milho, frango desfiado, entre outros. Depois nos escrevam para contar se o resultado ficou bom!

o presunto picado, a cenoura ralada, o palmito e a ervilha. Junte o macarrão e vá acrescentando a maionese a gosto. Dê al-

gumas pitadinhas de sal, orégano e pimenta do reino e deixe na geladeira, por pelo menos duas horas e sirva.

Conheça os direitos das trabalhadoras grávidas

Nossa Constituição traz como direito social a proteção à maternidade. Inicialmente, o salário-maternidade era uma forma de proteção do trabalho feminino, mas atualmente é uma forma de igualdade de tratamento entre homem e mulher. Objetiva substituir a remuneração da segurada durante o período de licença-maternidade.

tativa, a carência é de 10 contribuições mensais. O mesmo direito foi garantido para a mãe adotiva. O pagamento do saláriomaternidade é responsabilidade do INSS, retirando do empregador essa obrigação para eliminar qualquer discriminação entre homens e mulheres no momento da contratação. SindiGraf-PE

Modo de preparo Cozinhe o macarrão (coloque sal na água). Escorra, jogue um fio de azeite e deixe esfriar. Em uma travessa grande, misture

“NOSSA SAÚDE” |

Por Flávio Arcangelis/Médico da Atenção Primária

é gripe ou tuberculose, doutor? A tuberculose é facil•mente diagnosticada e tem cura em todos os casos tratados. Entretanto, por ter sintomas semelhantes ao de uma gripe, muitos deixam de procurar um médico. A tuberculose tem como causa uma bactéria (Bacilo de Koch) e é transmitida por gotículas de saliva e secreções eliminadas na tosse. Porém, a tosse dura mais de três semanas e a febre ocorre todos os dias. O apetite fica diminuído, com perda de vários quilos. A tuberculose é uma doença que se desenvolve

lentamente. Caso o indivíduo não seja tratado, a doença pode ser fatal. Apesar de longo, o tratamento é eficaz, 100% gra-

tuito e ofertado pelo SUS. Contribua sendo um agente multiplicador no combate à doença e divulgue essas informações.

Assim, é direito das trabalhadoras urbanas e rurais à licença na gestação, com duração de 120 dias, tendo início entre 28 dias antes até o parto. Terão direito a segurada empregada doméstica, a trabalhadora avulsa, a segurada especial, a contribuinte individual e a facultativa. As empregadas domésticas e as trabalhadoras avulsas estão dispensadas do cumprimento de carência para obtenção do benefício. Para a contribuinte individual, especial e facul-

A Lei 11.770/2008 instituiu o Programa Empresa Cidadã, que eleva o período de licença para 180 dias, mediantes incentivos fiscais às empresas. A prorrogação será garantida à empregada daquelas companhias que aderirem ao programa. Contudo, poucas foram as que aderiram. Em regra, o benefício é pago com base na remuneração integral. Mesmo estando desempregada, se mantida a qualidade de segurada, a grávida tem direito ao benefício do salário-maternidade.

Dúvidas sobre direitos? Encaminhe e-mail para redacaorj@brasildefato.com.br


14 | opinião

Rio de Janeiro, 27 de março a 2 de abril de 2014

Latuff emanuel Cancella

Pasadena uma denúncia requentada A Globo e demais emis•soras jogaram pesado diante

Homenagem

Jornal L'Unità: noventa anos de história

Tente pensar, ainda que seja por um instante, o que significa fazer um jornal diário clandestino. Quer dizer imprimi-lo às escondidas e escapar apenas quando chega a polícia. Procurar outra tipografia, porque aquela de ontem foi destruída. E quando não aguenta mais, quando não é possível continuar, você vai a Paris para escrever e imprimir esse bendito jornal. Mas a coisa não acaba aí, porque depois é necessário trazê-lo de volta à Itália para divulgá-lo e distribuí-lo. E como se difunde e se distribui um jornal vetado por ordem do chefe de polícia? Não na banca de jornal, claro. Deve misturar-se aos operários que entram na fábrica,

na mudança de turno, na esquina, nas ruas esperando que ninguém te veja, indo de casa em casa. Isto foi o l'Unità por 18 anos, de 1927 até 1945: um clandestino. Detrás das histórias e notícias que publicou, há a história e a vida daqueles que fizeram L'Unità, dia após dia: jornalistas, tipógrafos, distribuidores. São pouquíssimos os jornais que alcançaram um milhão de exemplares, como acontecia co o L’Unità nos domingos de grande difusão, ou nos dias de manifestação. O L’Unitá faz noventa anos porque poucos foram tão inovadores no mundo da edição. Primeiro jornal a fazer uma página diária de ciên-

cias, o primeiro a ter uma página dedicada ao Mundo Gay e aos direitos da comunidade homossexual, uma página "das" religiões. O primeiro a revolucionar o marketing nas bancas com filmes em VHS, álbuns de figurinha e livros de história. E, ainda, o primeiro a ter um site na Internet e a ir ao Facebook. Sim, L'Unità faz 90 anos e são poucos jornais que podem orgulhar-se de idade similar, mas nenhum, nenhum, pode contar uma história como esta. Feliz Aniversário!

Este texto é um trecho do editorial da publicação fundada por Antonio Gramsci

da prisão do diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa. A denúncia da venda da refinaria de Pasadena, nos EUA, foi feita pelo representante dos trabalhadores no Conselho de Administração (CA) da Petrobras, Sílvio Sinedino, há mais de um ano. Na época, pouco interesse despertou. Agora as grandes emissoras de TV se mobilizaram, movidas por dois interesses: manchar a imagem da Petrobras e bater no governo Dilma.  A grande mídia não quer o PT no poder. Deixou para mais perto do período eleitoral a divulgação do escândalo de Pasadena. Dias depois, o Ibope soltaria uma pesquisa. Criou-se a expectativa de que a presidenta Dilma perderia pontos na intenção de voto. Mas a pesquisa frustrou os comentaristas de plantão.  Quanto à denúncia de Pasadena, nada de alarmante, considerando o tamanho da Petrobras. O problema dos donos da mídia é não aceitarem Petrobras como gestora do pré-sal, a maior descoberta recente de petróleo no planeta. Da mesma forma que os EUA não aceitam que Nicolas Maduro, presidente eleito da Venezuela, à frente dos negócios da PDVSA.  A Venezuela possui a maior reserva de petróleo do planeta, ultrapassando a Arábia Saudita. A Petrobras financia mais da metade das obras do PAC (Programa de Aceleração da Economia). Além disso, financia vários

programas sociais. Que empresa privada chega perto disso? Mais de 80% do faturamento da Petrobras são investidos no país, enquanto as privadas remetem todo o seu lucro para o exterior. A Petrobras responde por 10% do PIB. A presidente da Petrobras, amiga de Dilma, Maria das Graças Foster, antes de tomar posse na Petro-

Mais de 80% do faturamento da Petrobras são investidos no país, enquanto privadas remetem lucro para exterior

________________

bras, foi denunciada pela mídia por favorecer os negócios do marido, que teria 42 contratos com a Petrobras, sendo 20 sem licitação. Mas, como ela serve fielmente ao capital internacional, ao invés de denunciá-la a grande mídia prefere premiá-la. Se depender dos EUA, Nicolas Maduro tem que ser deposto. Já o sonho da Globo e demais emissoras, porta-vozes dos mesmos interesses, é ver a Petrobras privatizada.   

Emanuel Cancella é coordenador da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) e do Sindipetro-RJ


esporte | 15

Rio de Janeiro, 27 de março a 2 de abril de 2014

Para Conmebol, atraso é mais grave que racismo

­

Washington Alves/VIPCOMM

Wand e Sonnen para •31Confirmado de maio, em São Paulo, o combate entre Wanderlei Silva e Chael Sonnen, na terceira passagem do UFC pela capital paulista. O local escolhido foi o Ginásio do

da Redação

A Conmebol (Confederação Sul-americana de Futebol) anunciou a punição ao Real Garcilaso (PER) por atos racistas de sua torcida, no jogo em que recebeu o Cruzeiro, em Huancayo, dia 12 de fevereiro. O clube peruano foi punido com multa de R$ 12 mil e a Conmebol divulgou nota sobre sua decisão, onde “reitera seu compromisso de combater qualquer forma de discriminação e atos racistas em suas competições”. Em caso de

JOGOS OLÍMPICOS

Proposta de Paes é uma “jogada política”, diz especialista

A mudança do Centro de Mídia dos Jogos Olímpicos da Zona Portuária para Curicica, proposta pelo Prefeito Eduardo Paes (PMDB) é, para o professor Orlando Júnior, do IPPUR-UFRJ e do Observatório das Metrópoles, uma “jogada política”. Para Orlando, “já que o Porto Maravilha já está consolidado, ele transfere (o Centro de Mídia) para Curicica, buscando garantir o projeto de especulação imobiliária na Barra e Jacarepaguá”. Segundo Paes, que exe-

cutou obras de revitalização na região portuária pela necessidade de acomodar lá o Centro de Mídia, a mudança para Curicica pode economizar entre 80 e 100 milhões de reais no custo do evento. Ainda definiu o bairro da Zona Oeste da cidade como “não exatamente um lugar de especulação imobiliária”. As obras do Porto determinaram a derrubada do elevado da Perimetral e as recentes mudanças no trânsito do centro do Rio de Janeiro.(BP)

Divulgacão/Centauro

Ofensas racistas contra Tinga provocaram muitas reações

reincidência, o estádio do clube será interditado. Em 2013, a Conmebol puniu um atraso de três minutos dos paraguaios do Cerro Porteño com multa de R$ 14 mil, valor superior à multa aplicada ao Real Garcilaso, por ocasião do caso Tinga. As ofensas racistas contra Tinga provocaram muitas reações. Dentre elas, dos Presidentes Ollanta Humala, do Peru e Dilma Rousseff, do Brasil, que repudiaram com veemência os atos racistas e pediram punições à Conmebol. (BP)

BINÓCULO

Ibirapuera, que também receberá as finais do reality show que ambos estão protagonizando.

Mico no circo Por causa do GP da •Malásia de F-1, mais de 30 parentes das vítimas do vôo MH370, da Malaysia Airlines, tiveram que deixar seus quartos de hotel e se realocar na cidade, segundo a imprensa europeia.

Mudança de foco em êxtase •peloAinda título da Liga das Américas, o time de basquete do Flamengo volta à rotina de treinos para defender a liderança na fase de classificação do NBB. Na próxima terça (01/04), vai a Mogi das Cruzes (SP) para enfrentar o time da casa.

opinião | Bruno Porpetta

A taça derretida Nossos dirigentes do fu- friense. Esta “festa” diante •tebol tem um largo histó- de pouco mais de 4 mil rico em patacoadas e abobrinhas, desde o tempo em que a bola tinha cadarço. Saiu de dentro da sede da antiga CBD a taça Jules Rimet, símbolo de nosso tricampeonato, para as mãos de um ladrão que a derreteu. Esta história, embora oficial, nunca convenceu nem a um anão de jardim. Contada por nossos dirigentes, talvez nem o próprio ladrão acreditasse. Desta vez, derreteram a Taça Guanabara! Em outros tempos, a pose do time para a foto com a taça era motivo de orgulho, de sacanagem com o torcedor adversário. Hoje, nem isso. O Flamengo, que conquistou a dita cuja no jogo contra o Botafogo, a levantou-a na última rodada, contra a Cabo-

Massa teme chuva na Malásia Felipe Massa, após ser •tirado do GP da Austrália de Fórmula 1 por Kamui Kobayashi, quem bateu na traseira do carro do brasileiro, tem mais um motivo para se preocupar: a chuva. O carro da Williams não foi bem na chuva, durante os treinos para o GP de estreia e a previsão do tempo indica que existem 60% de chances para que haja chuva no treino que define o grid e na corrida. Segundo o piloto, para o Globoesporte.com, “falta carga aerodinâmica na parte traseira do carro”. (BP)

pessoas conseguiu derrubar até a temperatura no Rio, de tão chocha. Dirão os otimistas: “Mais de 10 vezes o público da quartafeira de cinzas!”. O time caminhando com a taça, naquilo que deveria ser uma volta olímpica, parecia o cortejo de um cadáver. E talvez o seja mesmo. No dia que o futebol brasileiro reverenciava àquele que, pela primeira vez, ergueu a taça aos olhos de todo o mundo, os dirigentes do futebol carioca derretiam a Taça Guanabara, aos olhos de quase ninguém. Bellini, assim, foi transformado em mero ponto de encontro de torcedores na porta do Maracanã. E anda tão fácil encontrar alguém no Bellini...

Carioca | Semifinal Sábado 29/03

x Flamengo Cabofriense 18h30 | Maracanã

Domingo 30/03

x Fluminense Vasco 16h | Maracanã


16 | esporte

Rio de Janeiro, 27 de março a 2 de abril de 2014

Flamengo vence a primeira e amplia vantagem CARIOCA Flamengo faz 3 a 0 na Cabofriense e põe um pé na final Alexandre Vidal/FlaImagem

mengo. Desta forma, o rubro-negro partiu para BrunoPorpetta cima da Cabofriense e do Rio de Janeiro (RJ) logo conseguiu ampliar. Em boa troca de passes, No Maracanã, a CabofrienPaulinho saiu na cara do se recebeu o Flamengo nesta gol para bater firme e venquarta-feira (26), pelas semicer o goleiro Cetin, aos 5 finais do Campeonato Carioca. minutos da etapa final. Diante de 3.625 pagantes, o FlaO Flamengo assumiu mengo venceu por larga vano controle do jogo, mas tagem e praticamente se gaHernane não estava em rantiu na final da competição. noite inspirada. Após O primeiro tempo foi morpedidos da torcida, foi no, apesar do gol rubro-negro substituído por Alece uma bola na trave de cada sandro que, no primeiro equipe. A Cabofriense jogava toque na bola, desviou mais atrás, esperando o Flade cabeça para o fundo mengo dar espaços para o do gol, aos 28. contra-ataque. A diferença Everton marcou o primeiro na vitória por 3 a 0 sobre a Cabofriense Daí em diante, foi só foi a capacidade de finalizatocar a bola para segurar o ção das equipes. Enquanto o time de Cabo placar e a grande vantagem FICHA TéCNICA Frio desperdiçava chances, que deixa o Flamengo muito o Flamengo abria o placar perto da final do Carioca. após conclusão de Everton, Para a Cabofriense, será neaos 17 minutos, após bola na cessário vencer no sábado (29), trave de Hernane. também no Maracanã, por Cabofriense Flamengo No intervalo, João Paulo deu quatro ou mais gols de difelugar a Lucas Mugni no Fla- rença para ir à final. Quarta-feira 26/03 |22h | Maracanã

0X3

edilson Capetinha é preso

Supervia anuncia mais vagas nos trens para clássico

PENSÃO Ex-jogador teve prisão decretada pela 9ª Vara Familiar de Salvador (BA)

CARIOCA Vasco e Fluminense jogam nesta quinta-feira (27), no Maracanã

O ex-jogador Edilson, •o Capetinha, foi preso na manhã desta quarta-feira (26), em Salvador, pelo não pagamento de pensão alimentícia. A ordem de prisão foi expedida em dezembro e, após várias tentativas da polícia de encontrálo, o ex-jogador não resistiu à prisão. Edilson jogou pelo Flamengo (2000-2004), marcando um dos gols

da histórica final do Cariocade 2001, em que o rubro-negro venceu o Vasco por 3 a 1 e se sagrou tricampeão com um gol de Petkovic aos 43 minutos do 2º tempo. Além do Flamengo, o Capetinha defendeu Palmeiras, Corinthians, Vitória, Bahia e Vasco da Gama, e participou do pentacampeonato mundial com a seleção brasileira, em 2002. (BP)

Vasco e Fluminense disputam a primeira partida das seda Redação mifinais do Campeonato CaA Supervia – concessionária rioca. Por ter garantido a seque opera os trens no Rio de gunda colocação na Taça GuaJaneiro – anunciou que dispo- nabara, o Fluminense tem a nibilizará 6 mil vagas nos trens, vantagem de dois empates. No após o clássico entre Vasco e caso de cada time conseguir Fluminense nesta quinta-feira uma vitória pelo mesma diferença de gols, o confronto será (27), às 21h, no Maracanã. O número é 50% superior à decidido nos pênaltis. Até esta quarta-feira (26), capacidade usual dos trens após os jogos noturnos, durante a apenas 4.487 ingressos foram semana, no estádio. A conces- vendidos para o clássico. No sionária costuma disponibilizar dia do jogo, os pontos de venda 4 mil vagas para o retorno dos estarão funcionando das 10h às 17h. (BP) torcedores às suas casas.

TOQUES CURTOS •oBoTAFoGo pretende processar a Prefeitura do Rio pelo tempo de fechamento do Engenhão, segundo informação do blog do jornalista Paulo Vinícius Coelho. Ainda segundo o blog, a Odebrecht (empreiteira que realiza a reforma no estádio) teria prometido a entrega para novembro deste ano. O Engenhão completou, nesta semana, 1 ano fechado. •NASÉRieB do Carioca, começam neste final de semana as semifinais da Taça Santos Dumont (primeiro turno da competição). No sábado (29), o Barra Mansa recebe a Portuguesa, em Barra Mansa, enquanto o América enfrenta o Olaria, em Edson Passos. Os jogos começam às 14h e serão transmitidos pelo site FutRio.net. •oFLAMeNGo tenta na justiça penhorar as rendas de jogos do Grêmio. Isto porque o rubro-negro já teve reconhecida pelo STF uma dívida do clube gaúcho referente à negociação de Rodrigo Mendes. O Flamengo calcula que a dívida, em valores atuais, chega a R$ 12 milhões. •NAoNDADACoPA, o Flamengo lançou uma camiseta listrada em verde e amarelo com a inscrição “O Brasil é Flamengo”. •NeYMAR marcou dois gols na vitória por 3 a 0 contra o Celta de Vigo, pelo Campeonato Espanhol. O outro gol foi de Messi e a nota triste do jogo foi a lesão no joelho que deve tirar o goleiro do Barça e da seleção espanhola, Victor Valdés, por seis meses, dos gramados.

Brasil de Fato RJ - 044  

Folheie abaixo ou baixe o PDF da edição RJ - número 44

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you