Page 1

Pablo Vergara

1 | mundo | pág. 9 mundo

Embate em defesa de Maduro no Rio Ato em frente ao Consulado da Venezuela também reuniu criticos do presidente

entrevista | pág. 13

Alceu Valença: “O Rio tem o samba e nós temos o maracatu”

Reprodução

“Embaixador do frevo” no Rio teme trio elétrico no carnaval de rua da cidade

Francisco Valdean/Imagens do Povo

Rio de Janeiro, 27 de fevereiro a 5 de março de 2014 | ano 11 | edição 41 | distribuição gratuita | www.brasildefato.com.br | facebook.com/brasildefato

Cidades e cultura | págs. 3, 4, 12, 13 e 14

entrevista | pág. 5

“Pobres são os que mais pagam impostos no Brasil” Ricos resistem a mudanças no sistema tributário, aponta economista Marcio Pochmann

cidades | pág. 7

No Jockey Club, piscina está proibida para babás Nova determinação do clube já completa um mês

Ratão Diniz/Imagens do Povo

‘Já Já é carnaval’

Alexandre Vidal/FlaImagens

esporte | pág. 16

O Brasil de Fato RJ preparou uma edição especial de carnaval. Matérias contam um pouco dos 30 anos do Sambódromo e revelam a história dos tradicionais bate-bolas do subúrbio. Além disso, temos uma entrevista com Alceu Valença e montamos um roteiro dos melhores blocos das zonas norte, oeste, sul e do centro da cidade. Divirta-se!

cultura | pág. 12

Uma brincadeira chamada bate-bola O assustador e o alegre de um importante personagem do carnaval carioca

Flamengo vence a primeira na Liberta Rubro negro faz 3 a 1 no Emelec e se reabilita


02 | opinião

Rio de Janeiro, 27 de fevereiro a 5 de março de 2014

editorial | Brasil

Venezuela no centro da luta de classes mundial A imprensA mundial inunda as televisões e jornais com cenas de violência na Venezuela. para um expectador comum, em questão de horas o governo de nicolás maduro deve cair. mas o que está acontecendo mesmo? Vamos aos fatos: 1. em 2013, o governo de nicolas maduro tomou medidas para conter o ataque especulativo à economia do país e entre as medidas adotadas, passou a controlar a liberação de dólares para importação das empresas privadas. 2. A burguesia passou a es-

O povo mobilizado junto às forças armadas vai exigir mudanças ainda mais radicais para aprofundar o caráter revolucionário do processo bolivariano

______________________________________

conder os produtos importados para criar um pânico de desabastecimento. O governo deu ordens para que o exército identificasse quem estava escondendo os produtos e que eles fossem entregues à população. 3. Os estados Unidos aceleraram a tática de desestabilização do governo venezue-

lano através do financiamento de um boicote e da inflação, compactuado com a violência. 4. A direita venezuelana, derrotada nas eleições com Henrique Capriles, acionou a linha dura da violência e do caos, elegendo como líder o Leopoldo Lopez, que já está preso. e agora ace-

lerou os vínculos com a direita narcotraficante colombiana: vários mercenários tentaram entrar armados e foram presos. 5. A imprensa mundial manipula esses fatos e o discurso é igual em todos os países. no Brasil chega a ser ridícula a tomada de posição da Globo, sBT e todos os jornais da burguesia. Diante desse contexto, a luta de classes emergiu nas ruas. De um lado a juventude de classe média, filhos da burguesia, praticando todo tipo de violência. Do outro, milhões de venezuelanos, tra-

balhadores, pobres das periferias, que apoiam maduro e o aprofundamento das mudanças sociais. A burguesia venezuelana aposta que possa haver divisões nas forças armadas. Ainda que não haja nenhum sinal que indique essa divisão. Assim sendo, a tendência do processo venezuelano é de que mesmo que os enfrentamentos de rua continuem, o povo mobilizado junto às forças armadas vai exigir mudanças ainda mais radicais para aprofundar o caráter revolucionário do processo bolivariano.

editorial | Rio de Janeiro

O poder do discurso do ódio e da intolerância se aproxima o carnaval e, como sempre, o rio de Janeiro se transforma em um dos principais roteiros de turistas do Brasil e de todo o mundo. O clima de festa toma conta de grande parte da cidade com seus blocos e escolas de sambas e proliferam programas voltados para o folião. para quem vive o dia-adia dessa cidade de belezas esplêndidas, mas que sente como povo o peso sobre as costas de um poder público ineficiente, segregador, elitista e completamente ausente nas políticas que me-

Redação Rio: redacaorj@brasildefato.com.br

Para anunciar: (21) 4062 7105

lhorem a vida do trabalhador, o carnaval cai como uma chuva fina que alivia essas tensões, pelo menos momentaneamente. Como bem diz o samba de mauro Duarte e paulo Cezar pinheiro: "...a tristeza se abraçou com a felicidade/ entoando cantos de alegria e liberdade.../ e o povo até pensou que já era feliz...". mas não está nada bem nessa terra de Amarildos e santiagos e outros tantos que sofreram e sofrem com a intolerância reinante no ar. são cada vez mais frequentes, nos meios de co-

municação, figuras públicas vociferando discursos de ódio e intolerância tentando legitimar ações de justiceiros, de extermínio nas favelas, de violência homofóbica, de violência contra mulheres e crianças, de intolerância religiosa, e de criminalização dos protestos sociais. É preciso ficar atento e combater esse tipo de posturas sem tréguas, pois nossa indiferença só tende a fortalecer essas atitudes racistas e fascistas. e voltando ao samba de paulo Cezar pinheiro, mas dessa

O jornal Brasil de Fato circula semanalmente em todo o país e agora com edições regionais em São Paulo, Minas Gerais e no Rio de Janeiro. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos • Ed do ponto de vista da necessidade de mudanças • Ed sociais em nosso país e em nosso estado.

vez em parceria com o mestre João nogueira, seguimos a luta pois "...as armas

e os homens de mau/ vão desaparecer nas cinzas de um carnaval..."

Latuff

CONSELHO EDITORIAL RIO DE JANEIRO: Antonio Neiva, Aurélio Fernandes, Joaquín Piñero, Mario Augusto Jakobiskind, Rodrigo Marcelino, Vito Giannotti ADMINISTRAÇÃO: Carla Guindani e Valdinei Siqueira DISTRIBUIÇÃO: Kleybson Andrade DIAGRAMAÇÃO: Stefano Figalo EDITOR-CHEFE: Nilton Viana (MTb 28.466) EDITORA REGIONAL: Vivian Virissimo (MTb 13.344) REPÓRTERES: Gilka Resende, Bruno Porpetta REVISÃO: Núbia Pimentel COLUNA SINDICAL: Claudia Santiago ESTAGIÁRIA: Mariane Matos FOTÓGRAFO: Pablo Vergara ILUSTRADOR: Latuff


Rio de Janeiro, 27 de fevereiro a 5 de março de 2014

cidades | 3

Sambódromo do Rio: 30 anos para além dos holofotes BASTIDORES Relatos dos que chegam bem antes das comissões de frente Baltar/Imagens do Povo

GilkaResende do rio de Janeiro (rJ) em uma rua mal iluminada, ereza Lúcia, de 53 anos, aperta os olhos para conseguir cravejar brilhantes em uma fantasia vermelha. sentada na calçada, foge do calor de casa. À frente do ateliê improvisado, a poucos passos, estão as arquibancadas de concreto do sambódromo do rio, que completa 30 anos neste carnaval 2014. mas ela, que mora ali desde 1984, ano de inauguração da passarela, nunca viu o “maior espetáculo da terra” ao vivo. Ao lado de sua cadeira, um manequim veste outra peça, cheia de detalhes, já mais adiantada. “minha escola é o trabalho. Adoro quando consigo ver pela TV alguma fantasia que ajudei a fazer”, comenta ereza. Apesar de cansada, após jor-

nadas que varam madrugadas, se alegra em ajudar o filho, quem cria as fantasias para as “musas da avenida”. O ritmo para os últimos acertos no sambódromo também é acelerado. O som ainda é de marteladas e serras, não de tambores. “eu amo isso aqui! Tanto que é tudo é meu!”, brinca manoel Ferreira, de 51 anos, à frente da carroça de churrasco que, nas vésperas da festa, chama mais atenção que carro alegórico. Um dos fregueses é Carlos Augusto dos santos, o Augusto Zona sul. ele, que trabalha instalando ar condicionado nos camarotes, também tem outra relação com o carnaval. “Fui um dos compositores do samba vencedor na estácio de sá em 2003”, relata orgulhoso. em conversa, enquanto o único efeito especial era fumaça das brasas, ambos criticaram os preços da sapucaí. “É triste ver o povo

É acelerado o ritmo para últimos acertos no Sambódromo Rio2016

pendurado no viaduto tentando ver o desfile”, opina Augusto. “melhor seria se a entrada fosse de graça! O carnaval do morro, da favela, é o ensaio técnico”, garante manoel.

Niemeyer falava em “devolver o carnaval ao povo carioca” PREÇOS Em 2014, valores das arquibancadas variam de R$200 a R$ 320 do rio de Janeiro (rJ) na inauguração do sambódromo, em entrevista à rede manchete, o arquiteto Oscar niemeyer, autor da obra, defendia o projeto como popular. “O povo hoje tem um teto livre, espaço aberto para se espelhar”, disse sobre a “festa dos irmãos mais pobres, que só nesses dias podem se divertir um pouco”. “nem adianta falar da área de preço popular. não

dá para ver direito, o pessoal vai descendo dos carros. O samba já fica cansado”, alerta manuel. A explicação do churrasqueiro combina com a de niemeyer. Apontando para onde hoje os ingressos custam r$10, o arquiteto explicou: “Aqui já é uma praça e desfile acaba antes”. inaugurada pelo então governador Leonel Brizola, a obra se chama passarela professor Darcy ribeiro, homenagem ao antropólogo, também idealizador do projeto.

Foi dele a ideia de instalar uma escola no local. e o fato de estudar ali ocasiona a principal relação de marcela rabelo, 24 anos, e Jonathan pereira, de 23 anos, com o sambódromo. “Gosto de estudar lá”, exclama Cauã, aos cinco anos, filho do casal. Grávida novamente, marcela reclama: “É muito lindo nos dias de desfile, mas logo numa rua de trás tem um posto onde a consulta demora muito”, afirma. “mas também tem muita alegria.

Niemeyer defendia o projeto do Sambódromo como popular

e a gente aproveita para ganhar dinheiro vendendo cerveja”, pondera Jonathan. para o pesquisador eduardo Granja Coutinho, da escola de Comunicação da UFrJ, a mercantilização do samba deve ser entendida historicamente. “O processo começa bem antes, com a construção da presidente Vargas, nos anos 40. As escolas desfilavam na praça Xi, um reduto do samba”, explica. e diz que a construção da sapucaí acompanha essa

trajetória de “deslocamento espaço- cultural do samba”. eduardo destaca que, ainda que tenha se convertido em um ritmo voltado para o mercado, o samba segue cultivado como linguagem comunitária de camadas populares. Afinal, são de bastidores como o do sambódromo, da vida cotidiana às margens, que falam os mais amados sambas. É como eternizou nelson sargento, o samba “agoniza mais não morre”. (GR)


4 | cidades

Rio de Janeiro, 27 de fevereiro a 5 de março de 2014

Rio contará com mais de 700 desfiles de blocos de rua gratuitos MULTAS Diversão é de graça, mas quem fizer xixi na rua poderá pagar multa de R$157 GilkaResende do rio de Janeiro (rJ) A cada ano, mais foliões de diversas classes sociais optam pela diversão grátis dos blocos. são pelo menos

457 grupos desfilando mais de 700 vezes, de acordo com a prefeitura. A novidade são as multas para quem for pego fazendo xixi na rua. A riotur aumentou em 33% a quantidade de banheiros químicos, em rela-

ção ao ano passado. serão cerca de 21 mil e 500 espalhados pela cidade. Comparado à quantidade de pessoas esperadas, mais de 5 milhões, o número parece baixo. Fazendo coro com eduardo paes, que virou Funart/Reprodução

piada nas redes sociais com seus conselhos traduzidos em “evitem o rio”, o secretário de Ordem pública, Alex Costa, pediu a colaboração da população. “não vamos tolerar essa atitude e seremos rigorosos. As pessoas têm que se conscientizar de

que lugar de fazer xixi é no banheiro. A riotur aumentou o número dos banheiros químicos, mas é claro que sempre haverá filas. O que a pessoa tem que fazer é se programar e não deixar para ir quando já estiver muito apertado”, aconselhou.

Carnaval de rua ajuda nas vendas da cidade TRÂNSITO Apesar do aumento, nó no trânsito prejudicou comércio no Saara do rio de Janeiro (rJ)

Prefeitura estima que 5 milhões participarão do carnaval de rua

Centenas de garis fazem protesto e podem entrar em greve

De acordo com o Centro de estudos do Clube de Lojistas do rio (CDLrio), são justamente os blocos gratuitos que colaboram com as vendas na cidade. em 2014, elas cresceram, no geral, 7%. porém, as vendas do centro comercial saara estiveram em baixa por um período. O motivo seriam as mudanças no

trânsito do Centro. “enfrentei um engarrafamento louco para chegar aqui”, disse Dulce Holanda, de 65 anos, que saiu da Barra da Tijuca para montar uma fantasia de marinheira. “Aqui a gente encontra mais barato. Comprei um cap e já vi onde tem uma blusa listrada por 10 reais”, relata a mulher, dizendo que ali a se pode explorar a criatividade, com vantagem de tudo caber no bolso. (GR)

Antonio Cruz/Abr

TRABALHO Categoria aproveita proximidade do carnaval para fazer reivindicações do rio de Janeiro (rJ) Durante o carnaval, haverá também fiscalização do Lixo Zero com 235 equipes, sendo que a multa para quem jogar lixo no chão varia de r$98 a r$3 mil. enquanto a prefeitura anuncia um esquema

especial da Comlurb, com aproximadamente 1080 garis trabalhando por dia, durante o carnaval, a categoria protesta por melhores condições de trabalho. no início da noite desta terça-feira (25), centenas de profissionais realizaram uma manifestação no Centro, che-

gando à prefeitura. eles reivindicam reajuste salarial. Faixas denunciavam que “são tratados como lixo” e explicavam que aquela era uma luta “em busca de dignidade para sustentar famílias”. Caso não sejam atendidas, anunciam possível greve para os próximos dias. (GR)

Garis pedem reajuste e prometem greve


Rio de Janeiro, 27 de fevereiro a 5 de março de 2014

entrevista | 5

“Pobres são os que mais pagam impostos no Brasil” REFORMA TRIBUTÁRIA Economista MáRCiO POChMANN, diz que ricos resistem a mudanças no sistema Rafael Stedile

MarianaDesidério de são paulo (sp)

O Brasil diminuiu a desigualdade nos últimos anos e milhões de pessoas deixaram a pobreza. porém, o país ainda está entre os vinte mais desiguais do mundo. para avançar, uma das mudanças urgentes é a reforma tributária. É o que diz márcio pochmann, um dos principais economistas do país. “Aqui, são os ricos que reclamam dos impostos, mas quem paga mais são os pobres”, afirmou em entrevista ao Brasil de Fato. segundo ele, há uma grande resistência dos mais ricos em mudar essa estrutura. “Um exemplo foi a tentativa de mudar a cobrança do ipTU em são paulo”, diz.

ve uma redução importante. e isso num período difícil em termos inter nacionais, devido à crise econômica de 2008.

BrasildeFato-OBolsaFamília, maior programa de distribuição de renda do governo federal, completoudezanos.Porém,continuamos como um país muito desigual. Por que issopermanece?

O que dificulta que esse processoavancemais? existem dificuldades do ponto de vista político e cultural. nós temos, no Brasil, uma classe média tradicional que tem uma série de assistentes na casa: trabalhadores domésticos, babá, segurança. É um conjunto de pessoas que serve à classe média e aos ricos com base em baixos salários. Com o combate à pobreza e a redução da desigualdade, essa classe média tradicional vai perdendo a capacidade de abrigar todos esses serviços. e aí há uma reação, uma resistência no interior da sociedade. e tem o preconceito também. em geral, um segmento muito pequeno da sociedade tinha acesso ao uso do transporte aéreo, de poder viajar para outros países, por exemplo. Hoje, segmentos com menor renda também podem ter acesso. isso gera um desconforto.

Marcio Pochmann - em 1980, nós éramos a oitava economia capitalista do mundo, tínhamos praticamente metade da população vivendo em condições de pobreza e estávamos entre os três países mais desiguais do mundo. essa situação praticamente permaneceu durante mais de vinte anos. Foi só num período mais recente que nós conseguimos reduzir a pobreza e a desigualdade. Hoje, nós estamos entre os quinze países mais desiguais do mundo. Hou-

Quais medidas ainda precisamsertomadasparadiminuiressadesigualdade? A reforma tributária certamente é uma delas. no Brasil, historicamente se arrecadou recursos tirando impostos dos pobres e se gastou mais recursos para segmentos mais privilegiados da população. Olhando os governos de 2002 para cá, o que nós tivemos foi uma melhora no perfil do gasto público. ele se voltou mais para os segmentos mais pobres. isso é fundamental.

Pobres pagam os chamados impostos indiretos, explica economista

no Brasil, historicamente se arrecadou recursos tirando impostos dos pobres e se gastando mais com segmentos mais privilegiados da população

_______________

mas ainda há o ponto de vista da arrecadação. Da onde vem o imposto? nós temos no Brasil uma estrutura tributária regressiva. Os mais pobres pagam proporcionalmente mais impostos do que os mais ricos.

Os mais pobres têm consciênciadequepagammais impostos? Os mais ricos têm mais consciência, até porque o tipo de impostos que eles pagam são conhecidos, são sobre propriedade. Você recebe o carnê e sabe quanto paga de imposto. A maior parte dos pobres no Brasil não tem propriedade. então eles não têm identificação nenhuma de quanto pagam. Os impostos que os mais pobres pagam são os chamados impostos indiretos, que já estão vinculados ao preço final de um produto. Você não sabe quanto paga, por isso não gera esse questionamento. Hojesefala-semuitodanova classemédia.Háumanova classesocialemascensão?

O que nós tivemos foi uma leva de 40 milhões de pessoas que eram considerados trabalhadores muito pobres, miseráveis, e que se transformaram em trabalhadores não pobres. pessoas que passaram a ter um salário melhor, ter acesso à previdência social, direitos trabalhistas, creche, ampliaram o consumo. É semelhante ao que já ocorreu em outros países. na França na década de 1950, de cada dez operários, um tinha automóvel. no final dos anos 1970, de cada dez, dez tinham automóvel. Ou seja, eles melhoraram de renda, passaram a ter um consumo que antes era visto como somente para os ricos, mas eles jamais deixaram de ser operários, trabalhadores, não mudaram de classe social.


6 | cidades

Rio de Janeiro, 27 de fevereiro a 5 de março de 2014

Aconteceu

de

Preso por engano, ator é solto depois de 16 dias

Fato! Leon Diniz

RACISMO Caso ganhou visibilidade nas redes sociais e foi relacionado ao preconceito Reprodução

Vítima de preconceito, ator Vinicius Romão foi preso injustamente

da redação O vendedor e ator Vinícius romão, de 26 anos, foi solto nesta quarta-feira (26), após ficar 16 dias em uma cela, junto a outros 15 detentos. A mulher que o acusou voltou atrás, afirmando que se enganou. Depois dis-

so, a 33ª Vara Criminal concedeu um habeas corpus. A vítima de assalto justificou não ter retornado antes à delegacia por estar sem o dinheiro da passagem. Agora, a conduta dos oficiais envolvidos será investigada pela polícia Civil. em seu primeiro relato à polícia, a vítima informou que sua bol-

sa havia sido levada com r$10, documentos e um celular. Disse, ainda, que o assaltante era negro e tinha o cabelo black power. O caso ganhou visibilidade na internet. “Além do racismo da polícia, temos que lembrar que o país ainda mascara o preconceito. É uma burrice cultural”, afirma Alessandra maestrini, a “Bozena lá de pato Branco”, do “Toma Lá da Cá”. ela soube da situação pelas redes sociais e compartilhou a informação sobre a prisão entre “pessoas de contatos que pudessem se mexer”. “´por ele ser uma pessoa pública, achei que conseguiria ajudar. infelizmente, essa não é a primeira nem a última vez que acontece uma grande injustiça. não coloco a culpa só na polícia, mas também em quem dá essa formação aos policiais”, critica.

Em ato, moradores do Cerro Corá denunciam problemas básicos na comunidade O Cristo Redentor foi eleito como uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno. Disso muita gente sabe. O que poucos sabem é sobre a Favela Cerro Corá, que fica localizada no pé da eleita “maravilha”, a 5 minutos do ponto turístico. Por isso, no último domingo (23) o "Cerro Corá Moradores\as em Movimento" realizou um Ato Político-Cultural na Praça do Corcovado. Com muita música, teatro e faixas (em inglês, português e espanhol), o grupo movimentou o ponto turístico. “Não é novidade a invisibilidade dada às favelas cariocas e aos seus moradores, a não ser quando estes podem dar algum lucro como nos bizarros “safares” feitos em seus becos ou quando saem nas manchetes policiais”, fala Ana Marcela Terra, do Levante Popular da Juventude e integrante do grupo Cerro Coró Moradores\as em Movimento. Leon Diniz

Alerj aprova ampliação do bilhete único para trens e metrô CRÍTICA Projeto é questionado por repassar ainda mais recursos públicos para as empresas “Quem tem Bilhete Único vai continuar pagando o do rio de Janeiro (rJ) mesmo, porque o governo A Assembleia Legislati- vai colocar mais dinheiro va do rio (Alerj) aprovou, público nos cofres das connesta quarta-feira (26), o cessionárias, que prestam projeto do governo de sér- um péssimo serviço”, protesgio Cabral (pmDB) que tou o deputado estadual autoriza tarifas sociais marcelo Freixo (psol). para trens e metrô, assim O projeto também não foi como ocorre nas barcas. bem recebido por organiForam 36 votos a favor e zações como o Fórum de 13 contrários. Lutas Contra o Aumento da

passagem e o movimento passe Livre (mpL). isso porque provocaria um aumento indireto das tarifas. Das 81 emendas à proposta, 14 foram incluídas. entre elas, a que garante o benefício ao usuário de trem, independente dele fazer integração intermunicipal, e a que aponta uma auditoria das tarifas em 180 dias.

Os manifestantes gritavam por água, luz, saneamento básico, por uma vida digna, contra a violência policial e as remoções forçadas que vêm acontecendo em muitas favelas cariocas. "O fato é que estamos inconformados. Temos problemas básicos como falta de água, falta de luz e não temos a quem recorrer. O pior é a gente não ter voz", explicou David Procópio, morador da favela e também integrante do grupo.


Rio de Janeiro, 27 de fevereiro a 5 de março de 2014

Jockey: cai exigência de uniforme para babás, mas piscina está proibida DISCRIMINAÇÃO Desde janeiro lei proíbe que clubes barrem babás não-uniformizadas Reprodução

DanielIsrael do rio de Janeiro (rJ) Desde o início do ano está em vigor uma lei que proíbe clubes de exigirem uniformes de babás. A lei, sancionada pelo governador sérgio Cabral (pmDB), é de autoria dos deputados estaduais Gilberto palmares (pT) e Luiz paulo Corrêa da rocha (psDB). mesmo com a nova legislação, uma associada do Jockey Club Brasileiro (JCB) se rebelou contra duas babás que tomavam banho na piscina do clube. Depois do ocorrido, o clube resolveu proibir a entrada das trabalhadoras na piscina do estabelecimento e a medida já completa trinta dias. O fato teve pequena repercussão após ser divulgado pelo colunista Ancelmo Gois, no jornal O Globo. Com o título "revolta das madames", o texto descrevia o seguinte: "Uma madame não gostou e esbravejou com diretores. Ficou decidido que babá não pode entrar na piscina.". Carli maria dos santos, presidenta no sindicato dos Trabalhadores Domésticos do município do rio de Janeiro (sTD-rJ), contesta a proibição do banho de piscina no JCB. "se eu sou res-

ponsável por uma criança, não posso deixá-la sozinha na piscina. Além disso, pai e mãe precisam conversar com os clubes. porque se algo ocorrer com a criança, como a babá vai se responsabilizar por isso? É uma incoerência", opina ela.

_______________ Construído em 1868, a partir da associação entre pessoas interessadas em corridas de cavalos, o clube é famoso por sediar, desde 1933, o Grande prêmio Brasil (a principal competição no turfe nacional). Localizada entre os bairros da Gávea, Jardim Botânico e Lagoa, a área está cercada por dois dos mais belos espaços para lazer e passeio ao ar livre na cidade - o

Justiça entendeu que exigência de uniforme de babás era discriminatória

Justiça estadual determinou que a exigência é discriminatória sim", afirma ela, que trabalha na Fundação Getúlio Vargas (FGV) e é autora do livro “A invenção de Copacabana” (ed. Zahar). O sociólogo e radialista marcos romão, entrevistado durante o programa “Tema Livre” na rádio nacional, percebe a relevância social dessa lei. "esta é uma forma positiva de passar a discutir que poder é esse que tem o associado de um clube de tratar mal o outro", opina ele. "Tratar mal o outro significa, também, mandar usar um uniforme.".

parque Jardim Botânico e a Lagoa rodrigo de Freitas. mas no JCB é preciso pagar um preço altíssimo para desfrutar de tudo o que o clube tem e pode oferecer. na opinião da antropóloga Julia O'Donnell, esta questão se justifica por um "desejo de exclusivismo". "O clube é um reduto de exclusivismo, onde se paga para estar entre 'iguais'. É apenas este desejo que justifica a própria existência do clube. mas o caso recente de clubes exigindo que babás circulassem apenas uniformizadas mostra que começa a haver reação a isso. A

Clubes questionam nova lei CONTRAPONTO Para Sindicato dos Clubes, legislação seria “inconstitucional” ção inconstitucional nas regras de funcionamento dos do rio de Janeiro (rJ) clubes", afirmou Karla pimas a lei gerou polêmica naud, presidenta no sindie não foi bem recebida pe- cato dos Clubes do estado los clubes. "sou contrária à do rio de Janeiro, em enlei, porque é uma interven- trevista no programa da ra-

SINDICAL

Bloco dos aeroviários O Bloco dos Aeroviários insatisfeitos desfila nesta quinta, dia 27, no aeroporto santos Dumont. A concentração será na praça santos Dumont, às 14h. O samba vai falar de segurança de voo, excesso de trabalho e demissões.

Demissões em Volta Redonda

esta é uma forma positiva de passar a discutir que poder é esse que tem o associado de um clube de tratar mal o outro

cidades | 7

dio nacional. responsável pela assessoria de imprensa do Jockey, a monte Castelo prometeu esclarecer a posição oficial do clube com o envio de uma nota. no entanto, até o

fechamento desta edição, ninguém na empresa tinha respondido. Também foi tentado o contato com o sindicato dos Clubes do estado do rio de Janeiro. (DI)

Os trabalhadores da Cohab (Companhia de Habitação) de Volta redonda que prestam serviço à prefeitura municipal de Volta redonda poderão ser demitidos nos próximos meses sob a alegação de que teriam sido contratados de forma irregular. Alguns estão no cargo há quase 20 anos.

A greve na Saúde federal continua Os servidores da saúde federal no rio continuam em greve por tempo indeterminado. servidores do instituto nacional do Câncer (inca), na Cruz Vermelha, aderiram à greve que tem como principal ponto de pauta a manutenção da jornada de 30 horas. nesta quinta, dia 27, a categoria se reúne em frente à sede do sindicato (na rua Joaquim silva 98, na Lapa) e de lá segue para o ministério da saúde, na rua méxico.


8 | brasil

Rio de Janeiro, 27 de fevereiro a 5 de março de 2014

Constituinte da reforma política será exigida nas mobilizações DEMOCRACIA Entidades e movimentos sociais que organizam plebiscito popular levarão campanha às ruas PedroRafaelFerreira

de Brasília (DF) Uma assembleia nacional constituinte soberana e exclusiva para mudar o atual sistema político brasileiro é o que se busca reivindicar com o plebiscito popular. Organizado por dezenas de entidades e movimentos sociais, ele será realizado em setembro e pretende recolher milhões de votos em favor da convocação da constituinte, numa iniciativa que está unificando diversos setores da esquerda. na avaliação dos participantes, a principal tarefa, a partir de agora, é massificar o plebis-

cito em todo o país. “Temos que aproveitar o atual cenário político e construir pontes com diferentes setores da sociedade”. É casar o plebiscito com as lutas. nós não podemos ter uma jornada de lutas que não fala do plebiscito e ter plebiscito sem luta popular nas ruas”, afirma João paulo rodrigues, da coordenação nacional do movimento dos Trabalhadores rurais sem-Terra (msT). A ideia é que o debate sobre reforma política se consolide nas mobilizações de rua que agitam o país desde junho do ano passado. “A campanha agora precisa dar um salto e chegar àquelas pessoas que estão insatis-

das instituições oficiais para os problemas do país recolocou a necessidade de mudança no sistema político no centro da agenda. O plebiscito popular não é uma consulta oficial, mas uma iniciativa de organizações da sociedade para pressionar politicamente por mudanças. em 2003, foi realizado o plebiscito da Alca, em que mais de 13 milhões de pessoas disseram não a tentativa de montar uma área de livre comércio das Américas, que consoliObjetivo das organizações é massificar o plebiscito em todo o país daria de vez o poder econôfeitas com o atual sistema, tituto de estudos socioeco- mico dos estados Unidos somas não sabem qual é o ca- nômicos (inesc). A combi- bre os países do continente. minho, para onde ir”, explica nação entre insatisfação po- Dessa vez, a ideia é obter José Antônio moroni, do ins- pular e falta de respostas ainda mais votos.

Quando a política tradicional “não representa” PROTESTOS Manifestações questionaram representatividade política tradicional de Brasília (DF) Com o ambiente político efervescente devido às mobilizações de massa nas ruas, acredita-se que o debate sobre a necessidade de uma constituinte ganhará mais visibilidade na sociedade. “esse plebiscito vai ter uma oportunidade bem maior, porque a população está bem mais aberta a essa questão. Um dos principais questionamentos das ruas foi justamente a representatividade da política tradicional. Tanto não representa que

as pautas mais concretas das mobilizações não foram atendidas até hoje. eu acho que essa é a oportunidade da gente dar uma resposta, fazer um debate sobre porque as demandas não são atendidas e como a gente pode fazer pra que elas sejam atendidas”, argumenta Juliana selbach, presidenta do psOL-DF. A juventude indignada que sai às ruas tem que relacionar os problemas concretos ao sistema político vigente. “Temos que atuar nessas mobilizações problematizando temas ligados ao ple-

Luiz Carvalho/CUT

biscito. Teve uma turma no rio de Janeiro, nas recentes manifestações pelo aumento da passagem, que fez uma experiência interessante. Levou um painel relacionando financiamento privado de campanha eleitoral, aumento da passagem e lucro de empresas de ônibus. Temos que mostrar esse ciclo vicioso entre quem detém o poder econômico e quem detém o poder no sistema político, impedindo as mudanças”, aponta mitã Chalful, vice-presidente da União nacional dos estudantes (Une).

União em torno da necessidade de uma constituinte PODER POLÍTICO Diferentes organizações estão abraçando essa bandeira de Brasília (DF) nem mesmo as divergências entre as entidades e organizações que estão construindo a campanha têm atrapalhado a preparação do plebiscito. A unidade tem prevalecido. “Os movimentos têm visões diferentes sobre como deveria ser o sistema político. mas se unem em torno da necessidade de uma constituinte. A gente está num processo bastante favorável e aberto para que a esquerda dispute esse tema”, afirma Juliana selbach, do psOL. “Todos os movimentos tiveram muita maturidade para compreender que temos um ponto central que é mudar o

sistema político brasileiro, para deixar de ser esse modelo subrepresentativo, onde mulheres, negros e indígenas não têm vez”, afirma mitã Chalful, da Une. A campanha do plebiscito popular por uma constituinte exclusiva e soberana do sistema político mantêm páginas na internet (http://www.plebiscitoconstituinte.org.br/) e no facebook (www.facebook.com/plebiscitoconstituinte). Em quase todos os estados, já foram constituídos comitês de campanha, que agora começam a se multiplicar por bairros, escolas e universidades, além de outras localidades nas capitais e no interior.


Rio de Janeiro, 27 de fevereiro a 5 de março de 2014

mundo | 9

Venezuela: embate entre opositores e defensores de Maduro no Rio AMÉRICA LATINA Ato em frente ao Consulado reuniu manifestantes nesta terça-feira (25) Pablo Vergara

sociais e se definiu como “católica conservadora”. Ao lado VivianVirissimo dela, um dos manifestantes do rio de Janeiro (rJ) empunhava a imagem de uma santa e outro usava um promover um ato para cricrucifixo de madeira no pesticar o presidente da Venecoço. Outro rapaz vestia uma zuela nicolás maduro. esse camiseta que fazia menção era o objetivo de aproximaao exército israelense. Ao fidamente 15 pessoas que se nal do ato, surgiram dois veencontraram em frente ao nezuelanos que faziam tuconsulado, na Avenida prerismo no país. sidente Vargas, na tarde desta Os dois atos realizados em terça-feira (25). mas o objefrente ao consulado acabativo fracassou. Cerca de 200 ram sem incidentes, apenas brasileiros, de diferentes parManifestantes pró Maduro fazem ato em frente ao Consulado provocações verbais entre os tidos e organizações, se reuniram no mesmo local com (1898-1990). “A solidariedade nente vai piorar muito”, des- grupos de diferentes opiniões. situação bem diferente outra finalidade: apoiar e de- internacional é fundamental tacou Anita. fender as profundas mudan- porque a luta da Venezuela é Do lado que criticava ma- da vivida na Venezuela, que ças que vêm acontecendo uma luta de toda a América duro estava a estudante de enfrenta uma escalada da naquele país. Latina. se o processo revolu- Geografia maria Luisa, de 18 violência desde o dia 12 de Uma das defensoras do cionário de lá for derrotado, anos. ela afirmou que não é fevereiro. Até o momento, fogoverno maduro era a histo- será uma derrota para todos filiada a partido político, ex- ram confirmadas 15 mortes, riadora Anita prestes, filha do nós. Além disso, a situação plicou que a manifestação ligadas diretamente aos promilitante Luis Carlos prestes de todas as pessoas do conti- foi convocada pelas redes testos no país e também mais

de 140 feridos. O único confronto entre policiais e opositores ocorreu no dia 17 de fevereiro, quando, ao final de um protesto, grupos de choque da direita incendiaram a sede da procuradoriaGeral da república. na segunda-feira (24), a presidenta Dilma rousseff defendeu o diálogo para resolução dos conflitos. “Acreditamos que sempre é muito melhor o diálogo, o consenso e a construção democrática do que qualquer tipo de ruptura institucional”, disse. “É importante que se olhe para a Venezuela sempre do ponto de vista também dos efetivos ganhos sociais que eles tiveram nesse processo, em termos de saúde e de educação para o seu povo”, acrescentou.

Conflito na Venezuela é por petróleo, explica professor DISTRIBUIÇÃO DE RENDA Chávez destinou dinheiro do petróleo para melhorar condições de vida da população do rio de Janeiro (rJ) A Venezuela possui as maiores reservas de petróleo do mundo. por muito tempo, empresas transnacionais como esso e shell, além de uma pequena minoria de venezuelanos exploraram e venderam petróleo para o exterior. “Quando Chávez se tornou presidente, em 1999, as coisas mudaram”, conta igor Fuser, professor de relações internacionais na Universidade Federal do ABC (UFABC). Chávez destinou o dinheiro das vendas do petróleo para melhorar as condições de vida da maioria da população, que vivia na pobreza e na miséria. segundo Fuser, os salários au-

mentaram, o desemprego diminuiu e milhares de moradias populares e postos de saúde foram construídos nas periferias e favelas. Desde então, o país vive em disputa. “Os ricos ficaram muito incomodados com a perda de privilégios. por isso, junto com o governo dos estados Unidos, a elite deu um golpe em 2002. O então presidente Chávez foi tirado do governo, mas voltou três dias depois, nos braços do povo, que defendeu nas ruas a democracia”, destaca Fuser. na avaliação do professor, os golpistas representam uma minoria. “A maioria está deixando claro, mais uma vez, sua disposição de defender a democracia e a justiça social na Venezuela”, completou. (VV)

Jornalistas venezuelanos denunciam golpe da mídia MANIPULAÇÃO Profissionais denunciam cobertura que pode justificar intervenção estrangeira no país de Caracas (Venezuela) Jornalistas venezuelanos repudiaram na terça-feira (25), em nota, “os ataques midiáticos e terroristas de alcance internacional contra o país, promovidos por aliados do golpe de estado contra o governo de nicolás maduro”. Os profissionais denunciam que a campanha teria como objetivo “falsear a realidade nacional na busca de um palco favorável para uma guerra ho-

micida que justifique uma intervenção estrangeira”. segundo a nota, os protestos fazem parte de uma “estratégia desenhada pelo governo dos estados Unidos, que cobiça a riqueza petrolífera do país”. O texto destaca que “a maioria do povo continua trabalhando por uma Venezuela de inclusão e justiça social, enquanto a minoria apátrida, formada pela direita fascista internacional e seus aliados nacionais, pretende sequestrar a paz do país”. (Prensa Latina)


10 | variedades

HORÓSCOPO

Rio de Janeiro, 27 de fevereiro a 5 de março de 2014

27 de fevereiro a 05 de março de 2014 Keka Campos, astrólo gatrinity.theona@gmail.com

Hora de nos voltarmos para dentro e passarmos bastante tempo por ali, conhecendo, desbravando e descobrindo quem realmente somos. Essa autoanálise precisa ser feita de forma tranquila, sem expectativas ou exigências, sem tabus ou pré-conceitos, apenas com aceitação e amor pela nossa estrutura básica. Quem pode agir com tanto respeito em relação ao que nos forma, além de nós mesmos? Amor próprio deve existir mesmo e, principalmente, quando nos deparamos com imperfeições, falhas, impulsos e fragilidades. Pois é exatamente tudo isso que nos confere o título de humanos.

Tendências nervosas. Estará impaciente e agitado, querendo se manter em movimento a qualquer custo. Viagens e esportes são favoráveis, evitando que utilize a energia acumulada de forma negativa e violenta.

Hora de se mexer! Pode estar deprimido, pois é uma fase que proporciona preguiça e, depois, a frustração por não ter feito nada relevante. Entenda que realizar pequenos feitos é melhor que esperar uma grande ideia surgir.

Há medo de se entregar, principalmente se já saiu ferido de outra relação. Você espera muito do outro, como se ele tivesse que se doar tanto quanto você. Respeite os limites e particularidades alheias e não cobre tanto.

Semana equilibrada e produtiva. Sente-se disposto e criativo, então aproveite a energia para fazer algo diferente, como assistir um filme que nunca havia cogitado ou reler um livro antigo. Abra-se para o novo!

Devagar, quase parando! A falta de iniciativa toma conta do seu astral e você deve estar sem ânimo para sair, se exercitar e até receber amigos em casa. Experimente fazer algo para si, como, por exemplo, seu prato preferido.

Seja cauteloso, pois estará sentindo que sabe muitas coisas e muito mais que os outros. Não subestime ninguém, pelo contrário, esteja aberto a novas formas de ver o mundo, de acordo com as experiências alheias.

Relações pegando fogo! Se é bom ou ruim, depende de quem e como elas ocorrem. No âmbito amoroso, tem tudo para ser cheia de novidades e excitações, mas com amigos e trabalho, a alta energia traz faíscas violentas.

Sede de conhecimento! Sua mente está aberta e fértil para aprender novas concepções, conhecer outras culturas, estudar o comportamento (humano ou não). Encarnará um verdadeiro cientista, símbolo de Aquário!

Suas opiniões mudam frequentemente e isso pode lhe custar caro, podendo ser chamado de falso ou hipócrita. Evite falar tudo que pensar. Da mesma forma, pense mais antes de opinar, até que esteja seguro do que acredita.

Excesso de trabalho e de atividades podem tirar sua energia. Isso reflete na saúde do corpo e mente e, consequentemente, prejudica o trabalho, num ciclo destrutivo contínuo. Procure fazer atividades prazerosas e divertidas.

Abaixe o nariz, sagitariano! É bom saber das nossas habilidades, mas sair aos quatro cantos anunciando-as pode criar inimizades e ser taxado de arrogante e esnobe. Saiba reconhecer os dons dos outros e incentivá-los.

Sol entrando em seu signo! É tempo de renovar, conquistar seu espaço, rever seus ideais, desmontar sua essência e remontá-la, acrescentando o que foi produtivo no último ano e descartando o que se tornou obsoleto.


Rio de Janeiro, 27 de fevereiro a 5 de março de 2014

variedades | 11

Reprodução

ingredientes 1 ovo 1 colher de sopa de farinha de trigo (bem cheia) 1 colher de sopa de óleo 2 colheres de sopa de açúcar refinado (rasas) 2 colheres de sopa de chocolate em pó 2 colheres de sopa de leite 1 colher de café de fermento em pó

BOA E BARATA Por Fernanda Jatobá

Bolo de chocolate de caneca Bolo de chocolate é uma delícia, mas quando a gente pensa no trabalho e na sujeira, logo desiste da ideia. A saída quando estamos sem tempo é recorrer ao o bolo de caneca. É bem rápido,

suja pouca louça e fica muito gostoso! no supermercado você encontra a mistura pronta para fazer em casa, mas além de ter muito açúcar e gordura, custa bem mais caro do que a versão caseira.

essa receita do bolo de chocolate de caneca foi feita com o mínimo possível de óleo e de açúcar. se você quiser deixar seu bolinho ainda mais saudável pode trocar a farinha por farelo de aveia.

NOSSOS DIREITOS

Thiago Barison

Posso acumular auxílioacidente e aposentadoria? para quem sofreu acidente e teve sequelas que se consolidaram antes de 10 de novembro de 1997 (véspera da mudança da lei) e que, além disso, também já tinha se aposentado, não há dúvida: pode acumular. A dúvida nasce quando o auxílio-acidente é anterior a essa data, mas a aposentadoria é posterior. Até setembro de 2009, a AGU (Advocacia Geral da União), que defende o inss no Judiciário, entendia que bastava que o benefício em caso de acidente fosse anterior à mudança da lei para se manter o direito de acumular. ela mudou esse entendimento e o inss passou a processar administrativamente segurados que acumularam auxílio-acidente anterior à data de referência, mas que se aposentaram depois disso. JB Gov

Modo de preparo Bata o ovo numa tigela e acrescente a farinha peneirada, o óleo, o açúcar peneirado e misture bem. em seguida, coloque o chocolate em pó peneirado e o leite, misturando até ficar bem homogêneo. É importante peneirar os secos e misturar bem para que não tenha bolhas de farinha no final. por fim, misture o fermento. Unte uma caneca grande (de no mínimo 300 ml) com margarina e deposite a mistura na caneca. Coloque no micro-ondas por 3 minutos e está pronto! Você pode polvilhar coco ralado ou acrescentar uma calda de chocolate por cima. “NOSSA SAÚDE”

Festa ou festinha? Tem que ter camisinha Aristóteles CardonaJúnior* Carnaval chegando e promessa de muita animação nos próximos dias com blocos e marchinhas por todo o país. e junto à festa aumentam também as campanhas contra as Doenças sexualmente Transmissíveis, chamadas de DsTs. este ano a campanha do ministério da saúde vem com o slogan: “se tem festa, festaço ou festinha, tem que ter camisinha”. A ação se estenderá para além do carnaval, chegando à Copa do mundo, festas juninas e demais eventos em 2014. Além da campanha na * Médico de Família e Comunidade

mídia, serão distribuídos 104 milhões de preservativos na primeira remessa aos municípios e estados, sendo quase 16 milhões só para o estado de são paulo. mas a camisinha é realmente segura? estudos recentes reforçam o conhecimento de que a camisinha, usada de forma correta, evita a transmissão do HiV (vírus causador da Aids) em até 95%. e ela pode estourar? sempre existe esta possibilidade, mas várias pesquisas comprovam que o risco quase não existe quando o uso é feito da maneira correta. e quais cuidados devem ser tomados? - sempre procurar o selo de qualidade do inmeTrO e

observar a data de validade; - Abrir a embalagem com cuidado. nunca com os dentes ou outros objetos que possam danificá-la; – Colocar a camisinha apenas com o pênis ereto; – Apertar a ponta da camisinha para retirar todo o ar e depois desenrolar a camisinha até a base do pênis; – se for usar lubrificantes, utilizar apenas os que sejam a base de água; – retirar a camisinha com cuidado após a ejaculação e descarta-la com um nó; – e, por fim, nunca usar a mesma camisinha mais de uma vez! e que todos tenhamos um ótimo carnaval!

O superior Tribunal de Justiça (sTJ) recentemente deu razão à nova tese da AGU. O argumento é que a regra modificada em 1997 prevê que o cálculo da aposentadoria deve considerar os valores recebidos do auxílio-acidente. O segurado que acumulou teria se beneficiado em dobro. no entanto, não é isso que acontece. Quando permitia a acumulação, o inss não integrava os valores recebidos por auxílio-acidente no cálculo da aposentadoria. Assim, quem recebe auxílio-acidente de fato-gerador anterior a 10 de novembro de 1997 e quer agora se aposentar, cuidado com a pegadinha. O inss tem exigido no balcão a assinatura de um documento de renúncia do benefício acidentário sob pena de não concessão da aposentadoria. Fique atento. É preciso recorrer ao Judiciário. Thiago Barison Advogado trabalhista Dúvidas sobre direitos? Encaminhe e-mail para redacaorj@brasildefato.com.br


12 | cultura

Rio de Janeiro, 27 de fevereiro a 5 de março de 2014

Uma brincadeira chamada bate-bola POPULAR O assustador e o alegre de um importante personagem do carnaval carioca verso dos Bate-bolas. As históricas turmas de MarianeMatos Bate-bola continuam se do rio de Janeiro (rJ) configurando como importante personagem do carApós um ano de muito naval no rio. Com caractetrabalho, os tradicionais parísticas marcantes, usando lhaços carnavalescos estão fantasias que cobrem o corcontanto os segundos para po inteiro, suas performandesfilarem pelas ruas carioces envolvem um clima côRatão Diniz/Imagens do Povo mico e jocoso. nascida no subúrbio, até hoje, a brincadeira assusta e diverte crianças e adultos. Há mais de 60 anos é peça fundamental na tradição carnavalesca da zonas norte e oeste do rio. Também conhecidos como Clóvis, inicialmente possuíam uma fantasia bastante parecida com a dos palhaços. incluindo as máscara aterrorizantes em suas vestimentas, saiam batendo no chão com suas bexigas de boi. Trata-se de um jogo carnavalesco que envolve atuação e competição. essas competições podem ser ofiBrincadeira que assusta e diverte crianças e adultos ciais, quando os concursos cas. Ao se pensar em carnaval no rio de Janeiro, pensa-se logo nas apresentações das escolas de samba. porém, ultrapassando os muros da Apoteose, o carnaval popular pode ser visto por toda a cidade durante a festa. em especial, destaca-se o uni-

Só zona oeste reúne 120 grupos de Bate-bolas BRINCADEIRA Uso das “bexigas de boi” é raro atualmente do rio de Janeiro (rJ) A pesquisadora do instituto de Artes da UerJ, Aline Gualda, realça a importância da brincadeira não apenas enquanto fator cultural, mas também como fator histórico e artístico. para ela, “ A manifestação é uma forma de produção, de organização do pensamento, de dá sentido à vida , à seu grupo comunitário. Uma brincadeira

que catalisa muitas informações, que gera uma sensação de protagonismo, de visibilidade histórico-social muito grande ”. Com a passar dos anos, as Turmas de Bate-bola vão criando e modificando seus próprios estilos. embora ainda se mantenha a atitude amedrontadora, atualmente, raros são os grupos que ainda se apresentam com as barulhentas bexigas de boi. Alguns utilizam balões, ou-

tros guarda-chuvas. mas, para além disso, ser um batebola é muito mais que colocar uma fantasia e cair na folia. É, antes de tudo, reivindicar a beleza das ruas. Como uma tradição tipicamente da periferia, os grupos de bate-bolas são estigmatizados e sofrem com o preconceito. segundo michel magalhães, presidente da 1a Associação de Bate-bolas do Brasil, por não se tratar da zona sul, as dificuldades são

são pré-elaborados, ou mais simbólicas, restringindo a disputas apenas entre turmas dentro da própria comunidade. Levando o clima de alegria para o espaço público urbano carioca, a manifestação atrai diferentes gerações para a brincadeira. Amante da tradição, Angélica Cristina que pula com seu filho na Turma Coringa e Coringuet's, ressalta o entusiasmo que é para ela se deparar com comunidades inteiras envolvidas e empenhadas em dar mais brilho e beleza às fantasias. e afir-

ma ainda: “ só quem vive sabe o que realmente é. Um pai, depois de um dia cansativo no trabalho, ajudando seu filho a arrumar os detalhes do Bolero”. refletindo o caos e o mistério das cidades, percorrem o asfalto das ruas transformando a curtição em um momento de aventura, magia, imaginação e resistência. Observam a cidade, sua cultura e seus dilemas, e transformam as engessadas vidas cotidianas num ambiente de arte, luta e criação. Ratão Diniz/Imagens do Povo

Os bate-bolas também são conhecidos como Clóvis

maiores, não há incentivo. “nascida pela necessidade de organização, a nossa associação tem como finalidade além de buscar incentivar e enaltecer a cultura do bate-bola, promover ações de caráter filantrópico, de assistência social, culturais, educativas e esportivas”, destaca michel. nas ruas, cada um faz o seu. este ano, o carnaval contará com cerca de 120 Grupos de Bate-bola, somente na zona oeste. embalados na melodia de seus funks, com muito barulho e alegria, cantarão suas angústias e esperanças para todos os cantos. e quando o carnaval se findar,

outra jornada será iniciada, igualmente cheia de imaginação e novidades. (MM) EXPOSIÇÃO FOLIA DE IMAGENS O Folia de Imagens é uma documentação das festas populares no Brasil, realizada por fotógrafos do Programa Imagens do Povo. No carnaval de 2013, os blocos de rua das cidades do Rio de Janeiro, Paraty e Recife ficaram na mira das lentes de 22 fotógrafos do coletivo e como resultado está sendo realizada uma exposição na Galeria 535, localizada na sede do Observatório de Favelas da Maré. Este ano, a cobertura pode ser acompanhada na página do Programa Imagens do Povo no facebook.


Rio de Janeiro, 27 de fevereiro a 5 de março de 2014

cultura | 13

ALCEU VALENçA “O Rio tem o samba e nós temos o maracatu” JOGO POLÍTICO Para senador, reforma eleitoral do Congresso Nacional não está à altura das reivindicações populares Yanê Montenegro

RicardoRabelo

do rio de Janeiro (rJ) O cantor Alceu Valença é apontado como o “embaixador do frevo” no rio de Janeiro. radicado na Cidade maravilhosa desde o início dos anos 70, o artista pernambucano gravou mais de 30 discos, sempre destacando os acordes musicais de sua terra natal. Com agenda cheia - chega a fazer mais de 100 shows por ano – Alceu acaba de lançar o novo álbum “Amigo da Arte” (Deck) que reúne frevos, maracatus, caboclinhos e cirandas. no disco, ele apresenta um panorama da folia de Olinda e recife e destrincha o frevo em todas as suas vertentes. “O carnaval pernambucano é absolutamente múltiplo”, assegura. em entrevista ao Bafafá, Alceu Valença fala sobre a sua carreira, a música pernambucana e a decadência das gravadoras. “elas estão no último suspiro por incompetência. A revolução está acontecendo pela internet, mas é preciso saber usá-la”, alfineta. sobre o carnaval de rua carioca, não titubeia: “O grande problema vai ser quando começar a botar trio elétrico. em recife e Olinda não tem”. SeunovoCDéumgrande carnaval,né? eu diria mais, é um múltiplo carnaval (riso). O carnaval pernambucano é absolutamente múltiplo com várias vertentes e raízes. Temos o frevo de rua (orquestras com metais), frevo canção (cantado), frevo de bloco (bandolins e cavaquinhos), ciran-

marcha rancho que veio do frevo de bloco! As melodias são próximas. A marcha rancho não tem síncope. não estou “pernambucanizando” nada, na verdade ela veio de portugal (riso). A África nos deu o samba e o maracatu. A raiz do frevo são as bandas marciais, as polcas e a inventividade do povo pernambucano. O frevo é mais erudito que o samba, mais complexo. Osambanãodásambaem Pernambuco? pode até dar samba, mais do que o frevo aqui. eu ouvi samba desde pequeno pela rádio nacional e conheço muitas músicas. As rádios do rio é que não tocam frevo.

A revolução está acontecendo pela internet, conta Alceu Valença

da, caboclinho de lança e o maracatu que tem duas vertentes, o negro e o indígena.

inhos do grande mestre do frevo nelson Ferreira. eu brincava carnaval para arrumar namorada, pois não dava para ficar todo suado e com ressaca à toa (riso). na quarta de cinzas era terrível, a ressaca chegava a ser espiritual. por sorte, neste dia, sempre chove em recife e Olinda e acaba lavando tudo (riso). A natureza chora e lava a sujeira que as pessoas deixam nas ruas.

Vocêsemprefoidebrincar nocarnaval? Quando pequeno, em recife, a maioria dos blocos passava pela minha rua e éramos viz-

Oquedifereocarnavalpernambucanodocarioca? Difere que o rio tem o samba e nós temos o maracatu. são irmãos gêmeos. O rio tem a

minha utopia é que as pessoas sejam amigas da arte e não do dinheiro

_____________

Asgravadorasestãonoúltimosuspiro? no último suspiro, por incompetência. A revolução está acontecendo pela internet, mas é preciso saber usá-la. meu disco está em primeiro lugar em downloads no iTunes na categoria mpB. A minha página no Facebook, lançada em janeiro, está com 700 mil seguidores. eu mesmo interajo com os fãs em alguns temas, principalmente quando o assunto é de opinião. Oquevocêquerdizercom reciprocidadecultural? no Brasil deveria ter reciprocidade. O cara de pernambuco ouvir a música gaúcha e vice-versa. O carioca ouvir som de outras regiões. seriam espetáculos com verba pública para difundir os diferentes estilos. A migração para o rio veio com a centralização da indústria fonográfica e televisiva na cidade.

Vocêdançafrevo? não sou um grande dançarino, mas uns dois passos safados eu enrolo (riso). O frevo é toc, toc, toc. É pulando. se botar para tocar num festival de rock está arriscado a todo mundo dançar (riso). Comoestávendoaexplosão docarnavalderuacarioca? O grande problema vai ser quando começar a botar trio elétrico (riso). em recife e Olinda não tem. O folião quer brincar sem um carro imenso a atrapalhar. O rio está fazendo um carnaval lúdico, no meu último show na Fundição fiz questão de chamar a Orquestra Voadora e o sargento pimenta para se apresentar junto. Algumrecadoparaosfoliõesnestecarnaval? Que brinquem, pois a quarta-feira de cinzas está chegando! Acho que quatro dias está bom, senão já começa a fazer mal ao fígado (riso). na verdade interessa muito mais a quem está vendendo a cerveja (riso). Temalgumautopia? A minha utopia é a arte. Que as pessoas não sejam escravas da indústria do entretenimento, amigas da arte e não do dinheiro (riso). O Jornal e o site Bafafá lançaram um aplicativo GRATUITO para ajudar os foliões a aproveitar ainda mais o carnaval de rua! Além da agenda atualizada dos blocos, tem dicas de fantasias, receitinhas pra curar ressaca e muito mais que rola na folia. Baixe o aplicativo no link: http://bit.ly/ 1hkcez3 ou confira a agenda de blocos no site www.blocos2014.bafafa.com.br


14 | cultura

Rio de Janeiro, 27 de fevereiro a 5 de marรงo de 2014

roteiro dos blocos


esporte | 15

Rio de Janeiro, 27 de fevereiro a 5 de março de 2014

Jason Collins faz história e incita debate

­

Cesta de 4

BASQUETE Collins é o primeiro homossexual assumido a entrar em quadra, na NBA.

no domingo (22), o pivô Jason Collins, do Brooklyn nets, fez história no basquete profissional estadunidense, na partida entre sua equipe e o Los Angeles Lakers. no jogo, os nets venceram os Lakers por 108 a 102 e a torcida de Los Angeles ovacionou o atleta, nascido na cidade. sua coragem motivou o debate a respeito da homossexualidade no esporte. Outros atletas se mani-

Após pressão, Adidas cancela venda de camisas TURISMO SEXUAL Material foi repudiado por organizações feministas e pelo governo brasileiro da redação A empresa de material esportivo Adidas teve que se retratar com o público brasileiro, nesta terça-feira (25), após lançar duas camisetas comemorativas da Copa do mundo no Brasil. O material foi acusado de ser machista e de incentivar o turismo sexual no país. Dezenas de organizações feministas se mobilizaram e criticaram o material nas redes sociais, durante todo o dia. O governo brasileiro também se posicionou contra a multinacional alemã. O ministério do esporte usou sua página no Facebook para responder a campanha da empresa e publicou adaptações nas imagens em que a bunda feminina é

substituída por um rosto sorridente e a da garota de biquíni por uma baiana. Além do ministério, a instituto Brasileira de Turismo (embratur) lançou nota em que repudiou “veementemente” o tom das camisetas. O presidente da empresa, Flavio Dino, declarou que a campanha “vai no sentido contrário do que o Brasil defende”. em seu twitter oficial, a presidenta Dilma rousseff declarou que o “Brasil está feliz em receber os turistas que chegarão para a Copa, mas também está pronto para combater o turismo sexual”. A Adidas, que é patrocinadora oficial da Copa, declarou que retirou os produtos das prateleiras e que as camisetas eram uma edição limitada para o público estadunidense.

A nBA estuda ampliar o tamanho da quadra e, com isso, introduzir uma linha de quatro pontos. A medida, proposta em caráter de experimentação, foi anunciada por rod orn e Kiki Vandeweghe, executivos da liga, à espn dos estados Unidos e se baseia no aumento da capacidade atlética dos jogadores. NBA/divulgacão

BrunoPorpetta

do rio de Janeiro (rJ)

festaram a respeito, declarando apoio a Collins. seu companheiro de time, o ala paul pierce, em coletiva, destacou a importância do ato: “ele é um cara que poderá abrir portas para outros atletas ao redor do mundo.” Quem também falou, ao canal Cnn, sobre o assunto foi o pivô do Dream Team de 1992, Charles Barkley: “O torcedor em geral é mais homofóbico que os próprios atletas (...) Como jogador negro, nós sempre apostamos na integração e todos já jogamos com homossexuais.”

BINÓCULO

Jason Collins da NBA

Recuperação de Spider O lutador Anderson silva divulgou um vídeo em uma rede social onde aparece treinando manopla. Apesar de ainda mancar, é o primeiro registro da recuperação do ex-campeão do UFC. spider, como é conhecido, fraturou a tíbia e a fíbula após ter um chute defendido por Chris Weidman no UFC 168, no dia 28 de dezembro.

CBV na mira O jornalista Lúcio de Castro iniciou uma série de reportagens, no site da espn Brasil, sobre relações suspeitas entre a Confederação Brasileira de Vôlei e empresas de ex-dirigentes da entidade. Fique de olho!

opinião | Bruno Porpetta

Tá liberado o pontapé? Antes mesmo que a bola rolasse entre Fluminense e Botafogo, o goleiro Diego Cavalieri foi punido com cartão amarelo. O motivo? Uma marcação no gramado feita com a chuteira para se orientar no meio do gol. Desde sempre os goleiros marcam o gramado para saber onde estão. Como não têm retrovisores nas luvas, usam esta estratégia para se posicionar. Alguém já viu esta marcação prejudicar o jogo? Claro que não. A determinação da Federação em punir quem faz isto é para agradar ao Consórcio que administra o maracanã, que andou reclamando da tal marcação sob a alegação de que estaria estragando o gramado. O Consórcio pode dizer o que quiser, é um direito dele. Temos duas orelhas exata-

mente para isto: uma para ouvir bobagem e a outra para que a bobagem saia da mesma forma que entrou. O que não pode é a Federação estragar o jogo pelo “mimimi” do Consórcio. O mesmo gramado que o Consórcio diz proteger é constantemente “ferido” pelos carrinhos dos brucutus. mas os carrinhos, para o Consórcio, são do jogo, não são proibidos pela regra. O problema então é a regra. O goleiro é punido porque quer jogar futebol, o brucutu é salvo pela regra não querendo deixar ninguém jogar. O futebol carioca está cada vez mais parecido com a cidade do rio de Janeiro. Com tanto carrinho congestionando o centro do campo, o jogo não anda. Deixe o carrinho em casa!

Campeonato Carioca | 11ª rodada Boavista 2 X 1 Friburguense quarta-feira 26/02 | 16h | Bacaxá

Audax

3 X 5 Bonsucesso

quarta-feira 26/02 | 16h | Moça Bonita

Resende

2X2

Bangu

quarta-feira 26/02 | 16h | Trabalhador

D.Caxias

0 X 2 V. Redonda

quarta-feira 26/02 | 19:30h | Los Larios

Cabofriense 1 X 1 Fluminense quarta-feira 26/02/14 | 22h | Moacyrzão

Madureira X

Vasco

Quinta-feira 27/02 |16h |Conselheiro Galvão

Botafogo

X Macaé

Sábado 01/03 |16h |Moça Bonita

Flamengo

X

Nova Iguaçu

Sábado 01/03 |18:30h |Maracanã


16 | esporte

Rio de Janeiro, 27 de fevereiro a 5 de março de 2014

Com hernane, Flamengo “broca” o Emelec LIBERTADORES Flamengo faz 3 a 1 no Emelec, em dúvida quanto à permanência do atacante Alexandre Vidal/FlaImagens

BrunoPorpetta do rio de Janeiro (rJ)

Jayme mudou a equipe e o comportamento do time, dando mais velocidade ao meio-campo. As entradas de Gabriel e Alecsandro, que mostrou poder jogar junto com Hernane, foram muito positivas. Éverton fez o terceiro, após belo passe de Cáceres, aos 36 minutos. Houve tempo para o emelec descontar em chute do ex-botafoguense escalada, que desviou em samir, não interrompendo a festa rubro-negra no maracanã. possivelmente, a última com o Brocador.

O Flamengo venceu a primeira na Libertadores. Foi no maracanã contra o emelec do equador. Os momentos que antecederam à partida foram de apreensão e dúvida. O atacante Hernane, o “Brocador”, era dúvida para a partida por causa da proposta do shangai shenhua, da China. O negócio não avançou porque os chineses não apre- Os chineses têm até sexta-feira (28) para apresentar garantias bancárias ao Flamengo sentaram as garantias bancárias exigidas pelo Flamengo lento no meio-campo. Abriu e assim Hernane acabou re- o placar em bola parada, com FiChA TÉCNiCA uma linda cobrança de falta lacionado para a partida. nas arquibancadas, a tor- de elano, aos 10 minutos. na segunda etapa, aos cida pedia sua permanência, com gritos de ‘Fica, Hernane’, nove, passe de letra de elano e foi recompensada pelo ata- para André santos. O lateral vai à linha de fundo e rola cante e pelo time. Flamengo Emelec no primeiro tempo, mes- para trás, encontrando o Bromo com alguma superiori- cador livre para tocar para Quarta-feira 26/02 |22h | Maracanã dade, o Flamengo foi muito o gol. Êxtase no maracanã.

3X1

Bonsuça vence Audax com virada histórica CARIOCA Após levar 3 a 0, rubro-anil faz cinco gols em 24 minutos em moça Bonita, Audax e Bonsucesso protagonizaram um jogo eletrizante, definido com uma virada sensacional do clube da Leopoldina. O Audax fez 1 a 0, com matheus Vargas, no primeiro tempo. Já no segundo, Leandro Camilo e William ampliaram o placar para 3 a 0. A partir dos 23 minutos, começou a reação do Bonsuça. somália, marcando duas vezes, e Luiz Otávio uma, empataram a partida, aos 43 da etapa final. embalado, o Bonsucesso foi para cima do adversário e, aos 46, conseguiu a improvável virada, com Fernando. Um minuto depois, ainda houve tempo para ampliar o marcador, em gol de marlon. Com a vitória, o Bonsucesso afastou-se da zona da degola.

‘El Tanque’ garante o empate do Fogão no Chile LIBERTADORES Botafogo conquista um ponto fora de casa e é líder do grupo da redação O Botafogo foi a santiago, no Chile, enfrentar o Unión española e, após estar perdendo, conseguiu o empate por 1 a 1 e levou um ponto importante para casa. O alvinegro foi melhor em toda a partida, criou as melhores chances, mas foi pouco efetivo nas finalizações. O atacante Ferreyra perdeu gol feito no primeiro tempo, em rebote de chute dado por Jorge Wagner, que fez boa partida. no segundo tempo, o panorama

se manteve. O Botafogo tinha o domínio, mas não produzia no ataque. Até Cristian Chávez, em bela jogada, deixar Dória e Júlio César na saudade e bater cruzado para abrir o placar, aos 29 minutos. O Botafogo partiu para cima em busca do empate e Ferreyra empatou o jogo de cabeça aos 40 minutos da etapa final, garantindo o empate e a liderança do grupo 2 da competição no sábado, o Botafogo volta suas atenções ao Carioca, onde enfrenta o macaé, em moça Bonita, às 16h. (BP)

TOQUES CURTOS •OFluMInenSe se salvou da derrota, no finalzinho do jogo contra a Cabofriense, com gol de Fred. O empate em 1 a 1 não permitiu que o Flu reassumisse a liderança do Carioca, mas impediu que o time de Cabo Frio ultrapassasse o tricolor na tabela. Daniel Tijolo marcou o gol da Cabofriense. •nOVASCO,o treinador Adilson Batista afirmou já ter encontrado seu time titular, mesmo que este nunca tenha jogado junto. As lesões em alguns jogadores, em períodos distintos, foram responsáveis por esta situação. O time ideal, segundo Adilson, é: martin silva, André rocha, Luan, rodrigo e marlon; Guiñazú, Aranda, Fellipe Bastos e Douglas; everton Costa e edmilson. nesta quinta (27), contra o madureira, este time ainda não poderá jogar junto. Luan, suspenso, marlon e everton Costa, lesionados, e Guiñazú, poupado, não jogam. •OReAlMADRID humilhou o schalke 04, em Gelsenkirchen. Com atuações maravilhosas de Bale, Cristiano ronaldo e Benzema, que marcaram dois gols cada (aliás, cada gol lindo!), o real enfiou 6 a 1 no schalke. O esculacho foi tamanho que até sergio ramos deu uma assistência a la Ronaldinho Gaúcho, olhando para um lado e tocando no outro. para o time alemão, Huntelaar descontou com outro baita golaço!


Brasil de Fato RJ - 041  

Folheie abaixo ou baixe o PDF da edição RJ - número 41

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you