Page 1

Pablo Vergara

Cariocas opinam sobre Rio 2016

Atletas brasileiras dão show na primeira semana de Jogos e emocionam a torcida

O Brasil de Fato foi até a Central do Brasil ouvir os trabalhadores do Rio

Esporte, pág.15

Cidades, pág.5

RIO DE JANEIRO

11 a 14 de agosto de 2016

Divulgação

Mulheres arrasam nas Olimpíadas

distribuição gratuita

Divulgação/Lucas Figueredo

Ano 4 | edição 200

Seleção quebra jejum e vence de goleada

Não se sabe se inspirado pelo axé, pela Baía de Todos os Santos ou pelo espírito olímpico da torcida, mas o Brasil desencantou e deu um show contra a Dinamarca. Com vitória de 4 a 0, a seleção brasileira agora vai pegar a Colômbia, nas quartas de final, no sábado (13) | Esportes, pág. 16


2 | Opinião

EXPEDIENTE

Desde 1º de maio de 2013 O jornal Brasil de Fato circula com edições regionais nos seguintes estados: Ceará, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Pernambuco. O Brasil de Fato RJ circula todas as segundas e quintas-feiras. CONSELHO EDITORIAL: Alexania Rossato,Antonio Neiva (in maemoriam), Joaquín Piñero, Kleybson Andrade, Mario Augusto Jakobskind, Nicolle Berti, Rodrigo Marcelino, Vito Giannotti (in memoriam) EDIÇÃO: Vivian Virissimo (MTb 13.344) SUB-EDIÇÃO: Fania Rodrigues REPORTAGEM: Bruno Porpetta, Mariana Pitasse e Pedro Rafael Vilela ESTAGIÁRIO: Victor Ohana REVISÃO: Sheila Jacob COLUNA SINDICAL: Claudia Santiago ADMINISTRAÇÃO: Angela Bernardino e Marcos Araújo DISTRIBUIÇÃO: Kleybson Andrade DIAGRAMAÇÃO: Juliana Braga TIRAGEM MENSAL: 200 mil exemplares/mês

(21) 4062 7105 redacaorj@brasildefato.com.br

Rio de Janeiro, 11 a 14 de agosto de 2016

EDITORIAL

Em tempo de Olimpíadas, estão jogando com nosso futuro O

Brasil está recebendo o maior evento esportivo do planeta. As Olimpíadas tiveram início na Grécia antiga, quando homens realizavam jogos para homenagear Zeus e Hera, deuses gregos. Os vencedores recebiam uma coroa de louro ou de folhas de oliveira. Entretanto, o grande jogo que está sendo jogado aqui nada tem a ver com aquela homenagem aos deuses gregos, mas sim com uma disputa política. Querem controlar nosso imenso e rico território natural, para estabelecer um novo padrão de exploração dos trabalhadores e trabalhadoras, para redefinir o papel do Estado. Querem retirar direitos sociais historicamente conquistados e vender as riquezas para as empresas privadas. A disputa nesse momento se dá num cenário de crise do sistema capitalista e por isso as regras do jogo são modificadas pelos que detêm mais poder. Vemos que o golpe à democracia brasileira que enfrentamos na atualidade, o qual afastou a presidente eleita Dilma Rousseff, tem como objetivo alterar as regras em favor das grandes empresas e bancos internacionais. Eles querem retomar suas exorbitantes taxas de lucros à custa da exploração de trabalhadores. O que está em risco é nossa soberania, ou seja, a capacidade de o povo definir sobre os rumos do país. Várias estão sendo as medidas golpistas, por exemplo, pelo presidente interino. Entre elas está a entrega de uma primeira parte do pré-sal, a do campo de Carcará, para a empresa norueguesa Statoil. Um triste exemplo de como será repassado aos interesses internacionais o grande tesouro do povo brasileiro. O lucro esperado nesse campo, entregue pelos golpistas por R$ 8,5 bilhões, está estimado por baixo em R$20 bilhões, mas pode chegar a mais de R$ 40 bilhões. Isso representa duas ou quatro vezes o valor estimado nos desvios dos envolvidos na Operação Lava Jato. Os próximos dias serão definitivos para o povo. Estão jogando com nosso futuro. E devemos seguir lutando e resistindo a esse golpe contra os brasileiros.

Divulgação

EBC Memória

A cantora Anitta mandou muito bem ao responder às alfinetadas que recebeu do jornalista William Waack na abertura das Olimpíadas. Após insinuações preconceituosas dele sobre o fato de a artista, consagrada pelo funk, ter se apresentado com Caetano e Gil, ela rebateu: “Na música, as coisas se renovam. Tem que dar oportunidade para novos talentos”.

O deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) é acusado de tentar estuprar e ameaçar a jornalista Patrícia Lélis, de 22 anos. A jovem fez um boletim de ocorrência, em que também denuncia ameaças de outros membros do PSC. Patrícia afirma que Feliciano tentou forçar uma relação sexual depois que ela recusou a oferta de ser sua amante.


Rio de Janeiro, 11 a 14 de agosto de 2016

EM FOCO

FRASE DA SEMANA

Eu não votei na Dilma, mas vejo irregularidades no impeachment. Não reconheço como legítimo esse governo interino

RIO 2016 Religiões afro

CHOQUE CULTURAL A dupla de vôlei do Egito, Doaa e Nada, entrou para a história como as primeiras jogadoras do país, nessa modalidade, a participar dos Jogos Olímpicos. A imagem de Doaa dividindo bola com a alemã Ludwig circulou o mundo por representar duas culturas diferentes em uma mesma arena de esporte.

A Central de Atendimento à Mulher, o Ligue 180, registrou cerca de 500 mil denúncias de violência, a maioria física e psicológica. Nesse período, os relatos de estupro à Central mais do que dobraram e, hoje, o sistema registra um caso a cada três horas.

Deu no New York Times

Divulgação

No último domingo (7), a lei que combate a violência contra a mulher completou dez anos. A Lei Maria da Penha, como ficou conhecida, tornou crime as agressões domésticas e garantiu medidas de proteção às vítimas e punição aos agressores. Segundo os dados do Governo Federal, o Brasil tem uma média de uma morte violenta de mulher a cada duas horas. Isso faz do país o quinto do mundo em feminicídios, atrás somente de El Salvador, Colômbia, Guatemala e Rússia.

Divulgação

Lei Maria da Penha completa dez anos

Divulgação

Antônio Cruz/Agência Brasil

disse a atriz Letícia Sabatella, à revista Época. Ela também falou sobre as agressões que sofreu na rua, em Curitiba.

Divulgação

Por decisão do Comitê Organizador Rio 2016, o centro ecumênico dos Jogos Olímpicos não incluirá cerimônias de religiões de matriz africana, como umbanda e candomblé. O local realizará cerimônias de cristianismo, islamismo, judaísmo, hinduísmo e budismo das 7h às 22h, celebradas em português, espanhol e inglês. “O Brasil conta com mais de 588 mil adeptos de religiões de matriz africana, sendo que o estado do Rio de Janeiro concentra significativo número de seguidores dessas religiões”, argumentam os procuradores regionais de Direitos do Cidadão Ana Padilha e Renato Machado.

Geral l 3

Imprensa estrangeira afirma que há falta de liberdade no Brasil. Para o jornal New York Times, dos Estados Unidos, a expulsão de manifestantes das arenas dos Jogos Olímpicos indica repressão no país. A crítica foi feita em um artigo publicado no último domingo (7), escrito pelo jornalista Simon Romero, que afirma que no Brasil está havendo cerceamento da liberdade de expressão observado nos primeiros dias de jogos da Olimpíada Rio 2016. Essa semana, pelo menos dois torcedores foram retirados pela polícia das arenas dos Jogos, depois de levanta-

rem cartazes em que estava escrito “Fora Temer”. Entretanto, na segundafeira (8), o juiz federal, João Augusto Carneiro Araújo, do Rio de Janeiro, liberou as manifestações políticas, e proibiu a repressão e a retirada de manifestantes das arenas dos Jogos. Para o juiz, a lei que trata das medidas relativas à Olimpíada não proíbe “a manifestação pacífica de cunho político através de cartazes e uso de camisetas”. Proíbe apenas manifestações de caráter racista ou xenófobo. O Comitê Olímpico chegou a recorrer da decisão, mas depois desistiu e retirou a ação judicial.


4 | Entrevista

Rio de Janeiro, 11 a 14 de agosto de 2016

Divulgação

LÚCIA UDEMEZUE | Cientista social

Uma mulher negra em movimento Cientista social, produtora e ativista na área de direitos humanos, Lúcia trabalha gênero, raça e população imigrante Juliana Gonçalves de São Paulo (SP)

D

iferente da maioria das famílias negras brasileiras, Lúcia sabe exatamente em qual parte do continente africano estão fincadas as suas raízes. Seu nome completo, Lúcia Chiyere Ijeoma Udemezue, é de origem nigeriana. Desde cedo ela percebeu diferenças em sua afrodescendência. De um lado, a ancestralidade negra materna marcada pelo estigma da escravidão, do outro, o pai nigeriano, vindo de uma importante família de etnia Igbo, povo do sudeste da Nigéria. “Essa união me fortaleceu, me fez ver com mais clareza as discussões balizadas na questão racial e como se dá o trânsito dos negros pós-diáspora, as idas e vindas da população imigrante e negra’’, conta Lúcia. Da mãe também herdou a atuação na área cultural, em especial na valorização da cultura negra. Lúcia participa de diversos projetos ao lado de Denna Hill, cantora e psicóloga; Nina Vieira, designer e fotógrafa; e Jully Gabriel, jornalista e produtora cultural. Elas integram o coletivo “Manifesto Crespo”, que traz

a discussão da figura da mulher negra e tem como porta de entrada a questão do cabelo. “O corpo da mulher negra ainda não tem um lugar nessa sociedade”, afirma. IMIGRANTES A atuação da cientista social, formada pela Pontifícia Universidade Católica (PUC), sempre foi dedicada às mulheres negras, em especial, às imigrantes. “Teve um momento em que a comunidade nigeriana estava numa situação de vulnerabilidade muito grande, sem referências de onde se reportar quando havia abusos por parte do Estado. A partir disso passei a fazer essa ponte e propor essa

É importante a ousadia de coletivos como o Louva Deusas, discutindo a sexualidade das mulheres negras na literatura periférica reflexão da necessidade de se ter políticas públicas específicas”, relembra. Para ela é importante que os imigrantes não sejam acolhidos apenas pela Polícia

Lúcia integra o coletivo “Manifesto Crespo”

Federal, mas por outras instituições do Estado para atingir o fortalecimento da cidadania dessas pessoas. “Tivemos um salto com a criação da coordenação de políticas para imigrantes na prefeitura de São Paulo, agora o desafio é refinar o acolhimento mais digno de mulheres negras, principalmente haitianas e africanas, organizá-las e fortalecê-las, porque a rede de proteção ainda é bem frágil para essa população”, opina. UNIÃO Ser mulher, negra e imigrante traz opressões pautadas no racismo, machismo e xenofobia. Lúcia ressalta a importância da incorporação desse último tema pelas mulheres negras organizadas. “Precisamos começar a fazer um movimento em que as mulheres negras brasileiras consigam abarcar e incluir as mulheres negras imigrantes em suas pautas’’, considera. Além do “Manifesto Crespo”, Lúcia faz parte do grupo “Roda de Mãe Preta”, que promove encontros para discutir a maternidade ativa negra. Mãe de MitzRael de 3 anos, ela considera esses espaços

de troca essenciais para o fortalecimento de mães e crianças negras. O “Roda” foi criado por Lúcia, Nina Vieira, pela vlogger Ana Paula Xongani, a socióloga Taisa Souza e a artista plástica Renata Felinto. VOZES NEGRAS O dia 25 de julho, dia internacional da mulher afro-latinoamericana e caribenha, é considerado por ela um momento de celebração e luta. “Nossas mais velhas resistiram à opressão e ao racismo e, ao mesmo tempo, ainda temos que lutar para que haja o reconhecimento de que a mulher negra sustenta toda a lógica de sociedade que temos hoje. Precisamos de reconhecimento e reparação”, afirma. A pluralidade de vozes negras ganhando espaço anima Lúcia. “Vejo uma série de ações e publicações de mulheres negras, poetisas, escritoras, pautando jornais e revistas. É importante a ousadia de coletivos como o Louva Deusas, discutindo a sexualidade das mulheres negras na literatura periférica, como algo que dá fôlego para o movimento de mulheres negras na cidade”, finaliza.


Rio de Janeiro, 11 a 14 de agosto de 2016

Cidades l 5

Cariocas opinam sobre legado das Olimpíadas no Rio de Janeiro Fotos: Pablo Vergara

O Brasil de Fato foi até a Central do Brasil ouvir o que os trabalhadores estão achando do megaevento Victor Ohana do Rio de Janeiro (RJ)

D

e que forma os Jogos Olímpicos influenciaram o cotidiano dos cariocas? O legado das Olimpíadas para o Rio de Janeiro será bom ou ruim? Quem foi realmente beneficiado com a vinda do megaevento? Ninguém melhor do que o próprio povo do Rio para responder a essas perguntas. Para ouvir a opinião dos cariocas, o Brasil de Fato foi até a Central do Brasil. Cerca de 600 mil pessoas transitam no local todos os dias. Grande parte desse número é de trabalhadores que não assistirão pessoalmente aos Jogos, mas conviveram por anos com as consequências do sonho olímpico. O transtorno das obras, o lucro das empresas patrocinadoras e os ingressos caros estão entre as principais observações dos entrevistados.

QUEM GANHA SÃO AS EMPRESAS

FOI UM APRENDIZADO

Edilmar de Oliveira, comerciante, 55 anos

Camila Kasmyn, artista de rua, 23 anos

Para o morador da Ilha do Governador, as Olimpíadas trarão certo benefício para a população por causa das obras. “Mas só foi feito isso por causa das Olimpíadas, com algum tipo de interesse. Essas obras poderiam ter sido feitas antes”, opina Edilmar. Ele também não assistirá a nenhum jogo pessoalmente. “Pra mim quem ganha mesmo são as empresas. O atleta em si, o que ganha? A maioria dos atletas mal tem dinheiro para ir sequer ao local de treinamento”, argumenta.

Os Jogos Olímpicos deram à jovem artista Camila Kasmyn a oportunidade de dançar como voluntária na cerimônia de abertura. De Nilópolis, a dançarina nunca imaginou que se apresentaria num evento como esse. “Adorei. Foi um aprendizado e tanto”, diz ela. “Eu acho que as Olimpíadas estão agregando pessoas, mas por causa dos ingressos nem todo mundo pode assistir”, afirma. Camila também não assistirá a nenhum jogo.

OS JOGOS SÃO ELITIZADOS Charles Costa, assistente de telemarketing, 40 anos Morador de Santo Cristo, Charles sentiu a chegada das Olimpíadas com as obras. “As obras do VLT mudaram bastante a dinâmica das pessoas se locomoverem, por causa dos desvios e as alterações de linhas de ônibus. Isso atrapalhou muitas vezes”, diz o carioca. Charles não vai assistir a nenhum jogo pessoalmente, só pela TV. “Eu não sei quanto custa direito cada ingresso, mas a informação que eu tive é que a cerimônia de abertura custava a partir de R$ 200. Isso impede a pessoa com um salário mínimo de participar. É inviável e não pode ser considerado algo inclusivo, é elitizado”, opina ele.

NÃO FAZ DIFERENÇA Maria Geci Duarte, técnica de enfermagem, 59 anos Como eu não sou uma pessoa de vir para o Centro, não senti muito o impacto das obras. A única coisa que melhorou para mim foi o BRT”, diz a moradora de Jacarepaguá. “Mas a própria obra do BRT foi um transtorno, você não tem noção do que Jacarepaguá passou. Só que, agora que já acabou, tá uma maravilha”, diz Maria. Ela também comenta a situação financeira do estado. “Não vou criticar as Olimpíadas, mas quem é aposentado está sem salário, tudo por causa dos Jogos. É importante? É, mas para mim não vai fazer diferença nenhuma”, finaliza.


6 | Mundo

Rio de Janeiro, 11 a 14 de agosto de 2016

Operação Condor corre risco de voltar, diz Prêmio Nobel Alternativo da Paz

Divulgação

O advogado paraguaio Martin Almada foi a primeira pessoa a descobrir os arquivos secretos da atuação das ditaduras latino-americanas Mário Augusto Jakobskind do Rio de Janeiro (RJ)

A

Operação Condor foi a responsável por torturar militantes políticos e ativistas na época das ditaduras brasileira, argentina, uruguaia e paraguaia. E na década de 1990 o advogado Martin Almada descobriu, pela primeira vez, documentos secretos que mostravam os planos de perseguição, espionagem e execução de centenas de pessoas. Em entrevista ao Brasil de Fato, Almada analisa a situação atual dos países do Cone Sul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai) nesse momento de avanço de governos de direita, que priorizam os interesses das elites. O advogado ainda faz um alerta para o perigo que a classe trabalhadora sofre atualmente. Brasil de Fato - O senhor tem dito que o condor continua voando, ou seja, que a Operação Condor segue ativa. Poderia explicar melhor? Martin Almada - A Operação Condor dos anos 70 foi criada em Santiago do Chile, em 25 de novembro de 1975, com o objetivo de assassinar pessoas com consciência crítica. Na região do Cone Sul foram “eliminadas” mais de cem mil vítimas. Os efeitos causados pelas ditaduras da região foram muito parecidos a uma bomba atômica,

Estilo de governar do ditador chileno Augusto Pinochet pode voltar

Ditadura argentina foi a mais violenta da região

política neoliberal selvagem e criminosa. Isto nos mostra que os Estados Unidos mudaram sua máscara, mas não o rosto. Por isso sentimos o

tudantes e professores de colégios e universidades, deverão converter-se em laboratórios de resistência para impedir o regresso do Condor.

Movimentos populares latinoamericanos devem se converter em laboratórios de resistência para impedir o regresso do Condor

Brasil de Fato - O senhor poderia falar sobre a deposição do presidente do Paraguai, Fernando Lugo, em 2012? O senhor vê semelhanças com o golpe no Brasil? Por trás de um formalismo jurídico, pretendem esconder uma notória injustiça cometida contra Fernando Lugo e Dilma Rousseff. Em ambos os casos não houve o ruído de sabres nem pólvoras, mas sim um forte odor de dólares.

Martin Almada fala sobre o perigo de governos como o de Temer

como em Hiroshima e Nagasaki, em agosto de 1945, durante a Segunda Guerra Mundial. Brasil de Fato - Para onde caminha a América Latina e o Caribe? A Área de Livre Comércio das Américas (ALCA) entrou em crise, ao ponto de que muitos já a consideravam como um projeto morto.  Entretanto,

este projeto está sendo ressuscitado com a chegada de Horacio Cartes ao poder no Paraguai, Mauricio Macri na Argentina e Michel Temer no Brasil, governos que descarregam a crise sobre os trabalhadores e o povo. A mencionada Aliança, que oferece um “mundo de oportunidades” somente a empresários, está levando ao precipício a economia mexicana por esta

rumor de guerra em todos os rincões dos países empobrecidos. Brasil de Fato - O que pode ser feito para evitar projetos de governo que afetam principalmente os trabalhadores? Na América Latina e Caribe, os movimentos sociais organizados, em especial a classe trabalhadora,  incluindo es-

Brasil de Fato - Alguma mensagem aos brasileiros neste grave momento que o país atravessa? Quando os que mandam perdem a vergonha, os que obedecem têm o direito de faltar-lhes o respeito. O desafio do momento no Brasil, América Latina e no Caribe é despertar os que dormem e organizar e mobilizar os que estão acordados para cortar as asas do Condor Imperial.


Rio de Janeiro, 11 a 14 de agosto de 2016

Cidades l 7

Fernando Frazão/Agência Brasil

Divulgação

Depois de desabamento, Justiça proíbe prefeitura de reconstruir ciclovia

Pezão e Temer inauguram linha 4 do metrô sem cumprir fase teste

Rio recebe Jogos Olímpicos com obras inacabadas O VLT está com percursos inacabados, a Linha 4 do metrô foi inaugurada sem uma estação e o BRT Transolímpico não concluiu metade do trajeto Mariana Pitasse do Rio de Janeiro (RJ)

A

s Olimpíadas tiveram início na última semana, mas grande parte das obras de infraestrutura para receber o megaevento ainda não terminaram. Entre elas, estão o VLT com percursos inacabados, a Linha 4 do metrô inaugurada sem uma estação e o BRT Transolímpico que não concluiu nem metade do trajeto prometido. Além disso, algumas construções que foram entregues apresentaram graves riscos aos cariocas, como o Novo Elevado Joá, com enormes buracos na pista, e a Ciclovia Tim Maia, que desmo-

ronou deixando dois mortos. Como o mais representativo símbolo de obras olímpicas que deu errado, a Ciclovia Tim Maia, em São Conrado, desabou após uma ressaca do mar, no final de abril, matando duas pessoas. As obras de reconstrução deveriam estar concluídas antes das Olimpíadas, porém a Prefeitura do Rio anunciou que ainda não há uma data para a reabertura. O Novo Elevado do Joá também apresentou sérios riscos aos usuários. Apenas uma semana após a inauguração, em junho, apareceram vários buracos no asfalto da via de alta velocidade. A obra, que custou aproximadamente R$ 500 milhões, teve que ser remendada com placas de ferro e novas camadas de asfalto. OBRAS INACABADAS Quem passa pelo centro do Rio, se depara com as obras

inacabadas do VLT. O meio de transporte, que começou a operar comercialmente no final de julho, tem abertas apenas 16 das 32 estações previstas. Pensado para funcionar durante os jogos de forma completa, o VLT não tem agradado ao público. Além dos problemas técnicos apresentados desde que começou a funcionar, o transporte se movimenta muito devagar pelos trilhos. A Linha 4 do metrô também foi inaugurada em meio a uma série de polêmicas. Um dos maiores investimentos pensados para os Jogos Olímpicos, estimado em quase R$ 10 bilhões, foi aberto apenas ao público das Olimpíadas. A Estação Gávea não foi concluída e o projeto não completou a fase de testes que deveria durar de 6 a 8 meses. Para o engenheiro Luiz Cosenza, do Sindicato dos Engenheiros (Senge-RJ), o

superfaturamento e a falta de planejamento são algumas das causas da ineficiência nos projetos. “No Brasil, as obras têm tantos pro-

As obras têm tantos problemas porque estão relacionadas aos esquemas de corrupção Luiz Cosenza, engenheiro blemas porque estão relacionadas aos esquemas de corrupção. Primeiro é estimado um valor, depois que a obra se inicia entram os aditivos, que são valores acrescentados ao gasto final. Nos outros países, a ela-

boração de um projeto demora mais que sua construção, porque já está tudo calculado e já se sabe o que vai ser feito”, acrescenta Luiz Cosenza. O BRT Transolímpico, que estava previsto para funcionar a partir de abril com 18 estações, tem somente três abertas. Entre elas, estão estações que servem diretamente ao público das Olimpíadas, como Recreio, Parque Olímpico e estação Magalhães Bastos. Segundo relatórios do Tribunal de Contas do Município (TCM), o projeto somou investimento de R$ 2,2 bilhões. “O ouro das Olimpíadas e o legado olímpico ficaram para os empreiteiros e para a especulação imobiliária. A população do Rio de Janeiro e o meio ambiente ficaram de fora do resultado das Olimpíadas.”, conclui o vereador Renato Cinco (Psol).


8 | Geral

Rio de Janeiro, 11 a 14 de agosto de 2016

Senado decide levar Dilma a julgamento Agência Senado

Votação final do impeachment está prevista para o dia 25 de agosto

terça-feira (9), enquanto o Senado debatia o destino de Dilma, manifestantes realizaram um ato em São Paulo contra o impeachment e o governo interino de Temer.

E

O afastamento implica em um golpe porque a Constituição está sendo desrespeitada José Eduardo Cardozo, advogado Sob protesto, o Senado Federal decide, por maioria simples, aprovar relatório contra Dilma

que o impeachment é considerado um golpe. “Quando se diz que o afastamento implica em um golpe, afirma-se isso com convicção, porque a Constituição está sendo desrespeitada. É, sim, uma violência à Constituição”, declarou Cardozo, que representa a defesa de Dilma. A próxima etapa será a batalha final do impeachment,

que começou no dia 15 de abril, com a votação na Câmara dos Deputados. Agora, o Senado dará um prazo mínimo de dez dias para marcar o julgamento, no qual os parlamentares vão votar pela saída ou não da presidente Dilma. A expectativa é de que essa sessão final comece dia 25 de agosto e dure ao

Divulgação

m votação que se arrastou pela madrugada desta quarta-feira (10), o Senado decidiu dar continuidade ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O parecer do relator Antonio Anastasia (PSDB-MG) foi aprovado por 59 votos favoráveis e 21 contrários. Apenas o presidente da Casa Legislativa, Renan Calheiros, do PMDB de Alagoas, não participou da votação. Durante a sessão, o ex-ministro da Advocacia-Geral da União, José Eduardo Cardozo, observou que um presidente da República não pode ser afastado por razões políticas. “Os decretos não implicaram em nenhum centavo a mais. Isso é um pretexto. O mesmo pretexto se coloca nas pedaladas fiscais”, disse o advogado. Ele explicou ainda por

APOIO | Nos EUA, o senador Bernie Sanders, principal rival de Hillary Clinton nas eleições prévias do país, divulgou comunicado essa semana no qual condenou o impeachment de Dilma Rousseff. Ele pediu que o governo americano “tome uma posição definitiva contra os esforços para remover a presidente democraticamente eleita do Brasil”. Sanders é um dos políticos mais respeitados nos EUA na atualidade.

menos dois dias, mas isso ainda não foi confirmado. Segundo senadores aliados de Dilma, ela ainda não decidiu se irá ao Senado pessoalmente fazer sua defesa. MOBILIZAÇÕES Movimentos populares prometem manter mobilização contra o golpe. Na tarde da

O protesto integra a Jornada Nacional de Mobilização contra o Golpe e em Defesa da Democracia, organizada pela Frente Brasil Popular, formada por mais de 60 organizações sociais, sindicais e estudantis. Para as próximas semanas também estão sendo organizadas diferentes mobilizações em todo o país.


Brasil l 9

Pastor Marcos Feliciano é acusado de tentativa de estupro O

caso de abuso sexual envolvendo o pastor e deputado federal Marcos Feliciano (PSC-SP) ganha contornos cada vez mais violentos. A jornalista Patrícia Lélis, de 22 anos, registrou um boletim de ocorrência em que acusa Feliciano de assédio sexual, agressão e tentativa de estupro dentro do apartamento do deputado em Brasília. “Ele tentou me arrastar para o quarto e tirar meu vestido. Como eu resisti, ele me deu um soco na boca e um chute na perna”, disse Patrícia. Ela conta que começou a gritar e que Feliciano só parou porque uma pessoa que visitava o apartamento ao lado ouviu e bateu na porta. Em mensagens trocadas entre os dois, divulgadas pelo site UOL, Marcos Feliciano teria dito, dias depois da agressão, que o que mais sentia saudade “era de olhar sua

Ele tentou me arrastar para o quarto e tirar meu vestido Patrícia Lélis, vítima

cara de choro gritando não”. Além disso, a jovem acusa o assessor de Marcos Feliciano, Talma Bauer, um policial aposentado, de ameaçar matá-la, além de sua família. A jornalista afirma que durante uma semana esteve sob vigilância constante de Talma Bauer, que exigiu que ela gravasse vídeos desmentindo a história de estupro. O assessor a teria obrigado a fornecer senhas de redes sociais e também manipulava suas mensagens de celular. “Fui salva por jornalistas, que foram até o hotel, me tiraram de lá e me levaram direto para uma delegacia”, relatou a jovem essa semana em entrevista coletiva em Brasília. Além da tentativa de estupro, a violência continuou por dias seguidos, com ameaças de integrantes do PSC, tentativas de intimidação e suborno.

Pastor Marcos Feliciano é descrito como homem violento e vingativo

“O partido do PSC sabia de tudo o estava acontecendo. O pastor Everaldo chegou a me oferecer dinheiro e perguntar quanto eu queria para ficar calada”, garante Patrícia Lélis. INVESTIGAÇÃO A Procuradoria-Geral da República  recebeu, na segunda-feira (8), uma represen-

Divulgação

Votação da cassação de Cunha vai demorar

Governo interino conseguem manobrar para retardar votação

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou na quarta-feira (10) que a votação sobre a cassação do deputado Eduardo Cunha (PMDB) no plenário ficará para daqui a um mês. O governo Temer vinha negociando nos bastidores para que a decisão ocorresse só depois de resolvida a interinidade de Michel Temer.

Maia apontou uma série de justificativas para não pautar antes. Na próxima semana, que tem início no dia 15, será o início da campanha eleitoral nos municípios e não haverá quórum. Na semana seguinte, Temer viaja para a China e Maia assume a Presidência. Na outra, há o feriado de 7 de setembro.

tação contra Marco Feliciano, e vai analisar o que fazer sobre o caso. Como o deputado tem foro privilegiado, a ocorrência registrada na Delegacia de Atendimento à Mulher será enviada ao Supremo Tribunal Federal, que pode ou não pedir à Polícia Federal que investigue o caso.

CORRUPÇÃO Odebrecht acusa Serra e Temer Em delação premiada, o ex-presidente da maior empreiteira do Brasil, Marcelo Odebrecht, revela como o ministro interino de Relações Exteriores, José Serra, foi beneficiado com dinheiro de propina. Preso há mais de um ano, Marcelo garante que Serra recebeu R$ 23 milhões, via caixa dois, em sua campanha presidencial de 2010, quando foi derrotado por Dilma Rousseff. Além disso, Marcelo Odebrecht afirma que repassou R$ 10 milhões, em dinheiro vivo, para caixa dois de campanhas do PMDB nas eleições de 2014, a pedido de Michel Temer.

Fotos: Divulgação

Rio de Janeiro, 11 a 14 de agosto de 2016


10 | Cultura

Rio de Janeiro, 11 a 14 de agosto de 2016

AGENDA CULTURAL DA SEMANA | agendarj@brasildefato.com.br Janderson Pires/Divulgação

Brasil Clássico e Popular

A noiva do condutor uma opereta de Noel Rosa

O quê: O espetáculo musical é uma proposta de resgate da cultura negra brasileira através da mistura de ritmos e com muita criatividade. Onde: Centro da Música Carioca Artur da Távola – Rua Conde de Bonfim, 824, Tijuca. Quando: Sexta-feira (12), 19h30. Quanto: R$ 1 Leandro Braga/Divulgação

O quê: Peça conta a história de um condutor de bondes chamado Joaquim, que se faz passar por um advogado para conquistar o coração de sua amada Helena. No Jogo do Caipora Curupira Joga Agora

Onde: Sesc Ramos – Rua Teixeira Franco, 38, Ramos. Quando: Sexta-feira (12), 19h30. Quanto: R$ 8 (R$ 4 meia) Velha Guarda da Mangueira – 60 anos de Glórias

Demétrio Nicolau/Divulgação

Divulgação

O quê: Espetáculo infantil é um jogo que se dá entre a plateia e a cena através de um sorteio realizado pelas crianças. Onde: Sesc São João de Meriti – Av. Automóvel Clube, 66, Centro de São João de Meriti. Quando: Domingo (14), 16h. Quanto: R$ 8 (R$ 4 meia)

Do Brasil para o Mundo O quê: Mostra exibe filmes brasileiros que tiveram destaque no exterior, como “O menino e o mundo” e “Que horas ela volta?”. Onde: Centro Cultural Banco do Brasil – Rua Primeiro de Março, 66, Centro. Quando: Todos os dias (exceto terças-feiras), a partir de 14h. Até dia 22. Quanto: R$ 10 (R$ 5 meia)

Divulgação

O quê: Espetáculo musical comemora os 100 anos do samba e os 60 anos de fundação da Velha Guarda da Mangueira. Onde: Lona Cultural Municipal João Bosco – Avenida São Félix, 601, Parque Orlando Bernardes, Vista Alegre. Quando: Sábado (13), 20h. Quanto: 0800


Cultura l 11

Rio de Janeiro, 11 a 14 de agosto de 2016

‘Pé de Cachimbo’ resgata brincadeiras e lendas da cultura brasileira

Divulgação

PITACOS CULTURAIS | Sheila Jacob

Cordéis resgatam grandes lutadoras brasileiras Arquivo EBC

Você conhece Dandara, Luisa Mahin e Tereza de Benguela, a homenageada, no Brasil, no Dia Nacional da Mulher Negra, 25 de julho? Se você não as conhece, não se preocupe. Provavelmente você não está só, já que não estamos acostumados a ouvir sobre as grandes lutadoras da história de nosso país, principalmente as mulheres negras que resistiram à escravidão. Foi pensando nisso que a jornalista cearense Jarid Arraes lançou uma série de livros de cordel que tratam dessas heroínas, que merecem ser conhecidas e

Heroína Tereza de Benguela

divulgadas cada vez mais. Além destas grandes figuras, os livros de Jarid também tratam da violência contra a

mulher, do preconceito racial e da discriminação de travestis e transexuais. A literatura de cordel é uma delícia de se ler, pois sua origem popular nos remete à oralidade. É por isso que os versos são curtos, rimados, de fácil entendimento. Vale a pena conhecer, pela riqueza dessa arte e também pelos temas de que trata! Aqui no Rio, os cordéis são vendidos na Livraria Antonio Gramsci (Rua Alcindo Guanabara, 17, térreo, Cinelândia). Para conhecer a autora, basta acessar https://jaridarraes.com/

Dicas do Núcleo Piratininga de Comunicação - facebook.com/npcinstitucional

Na peça, jogos como esconde-esconde e bola de gude se transformam em dança Victor Ohana do Rio de Janeiro (RJ)

C

om música e dança, o espetáculo “Pé de Cachimbo” é um mergulho na cultura popular. De forma poética, a peça traz a essência do folclore brasileiro: samba de roda, forró, baião, maracatu e quadrilhas. O show terá apresentações gratuitas nesta quinta (11), na Arena Jovelina Pérola Negra, na Pavuna. Haverá também sessões em Pedra de Guaratiba, Madureira e Penha. Dirigida pelo dançarino Carlos Fontinelle, a peça transforma brincadeiras, como esconde-esconde, cabo de guerra e bola de gude, em dança. Lendas do Curupira, Boi da Cara Preta e Iara também são destaques na obra. Para o diretor, a dança é uma conexão entre a cultura popular e o mundo atual. “As brincadeiras e lendas

que antes eram repassadas de uns para os outros hoje ficam meio perdidas com a tecnologia e todas essas informações”, diz Fontinelle. “Acaba sendo uma memória meio esquecida entre as crianças, mas continua bem viva entre os pais e avós”, finaliza. APRESENTAÇÕES Quinta (11), 10h30 e 15h Arena Carioca Jovelina Pérola Negra | Praça Ênio, s/nº, Pavuna Terça (16), 15h30 e 19h; quarta (17), 10h30 e 16h30 Arena Carioca Abelardo Barbosa | Rua Soldado Elizeu Hipólito, 138, Guaratiba Quinta (18) e sexta (19), 11h e 14h30 Arena Carioca Fernando Torres | Rua Bernardino de Andrade, 200, Madureira Sexta (26), 14h e 18h; sábado (27), 15h e 19h Arena Carioca Dicró Rua Flora Lobo, Penha

SANTA MARTA Jazz na favela Projeto Santa Samba Jazz promove shows gratuitos ao ar livre. Neste domingo (14), às 17h30, o evento terá a apresentação do maestro Gilson Peranzzetta com o cantor João Senise. O show será na Casa de Cultura Dedé/Espaço Michael Jackson, na 4ª estação do plano inclinado, na favela Santa Marta.

PRAÇA SECA Curso de cinema O Centro Profa Dyla Sylvia de Sá oferece aulas gratuitas de cinema. O curso é coordenado pelo cineasta e coordenador do Ponto de Cultura FilmInBrasil, Marcelo Paes de Carvalho. As aulas rolam até setembro e acontecem sempre aos sábados, de 9h ao meio-dia. O Centro fica na Rua Barão, 1180, Praça Seca.

Divulgação

Maestro e cantor se apresentarão na favela

Divulgação

Diretor Marcelo Paes de Carvalho ministra a oficina de cinema


12 | Opinião

Rio de Janeiro, 11 a 14 de agosto de 2016

ARTIGO | Marcos Pedlowski

Mídia esconde corrupção de José Serra (PSDB) José Cruz/Agência Brasil

A

revelação de que o senador tucano José Serra, agora ministro interino de Relações Exteriores, teria recebido a bagatela de R$ 23 milhões da empreiteira Odebrecht ffoi noticiada apenas pelo jornal Folha de São Paulo. A informação, no entanto, logo desapareceu com uma velocidade digna do velocista Usain Bolt, nos 100 metros rasos. Executivos da Odebrecht afirmaram aos investigadores da Operação Lava Jato que o dinheiro teria sido doado à campanha de José Serra (PSDB-SP) à Presidência da República, em 2010. Se corrigido pela inflação, o valor atualmente equivale a R$ 34,5 milhões. Para comprovar que houve o pagamento por meio de cai-

o fato de que José Serra é um tucano de fina plumagem. O problema é que os executivos da Odebrecht também delata-

Ministro interino, José Serra é acusado de receber propina da Odebrecht

Estando todo mundo junto e misturado, o melhor é se fingir de morto e não dar explicação xa dois, a Odebrecht vai apresentar extratos bancários de depósitos realizados fora do país que tinham como destinatária final a campanha do então candidato. A notícia é de tal potencial destrutivo que, se um petista tivesse sido apanhado, as manchetes e as veiculações

seriam em tempo real por todos os veículos da mídia corporativa. Aliás, desconfio que se fosse um petista o delatado, já teríamos tido um grande contingente da Polícia Federal, fortemente armado para ir apanhar o acusado. Mas, penso que esse sumiço midiático não tem a ver só com

ram o próprio Michel Temer como beneficiário de recursos vindos do chamado “Petrolão”. Segundo Marcelo Odebrecht , sua empreiteira repassou R$ 10 milhões ao PMDB, a pedido de Michel Temer. Se isso for comprovado, tornará inválido o discurso que

imperou até agora, de que só os petistas são corruptos. Em função disso é que a mídia local decidiu, literalmente, ignorar a situação delicada em que José Serra e Michel Temer se encontram após a delação dos executivos da Odebrecht, que, aliás, já tinham delatado também o exgovernador Sérgio Cabral. Esse silêncio pode não ser lá muito jornalístico, mas é compreensível.  É que estando todo mundo junto e misturado, o melhor mesmo é se fingir de morto para não ter que dar explicação.

Marcos Pedlowski é professor Associado da Universidade Estadual do Norte Fluminense em Campos dos Goytacazes (RJ)

Divulgação

A FIM DE PAPO | MC Leonardo

Favela de fora dos Jogos? A foto ao lado, tirada nas proximidades do estádio do Maracaña, nos mostra de maneira bem simbólica o momento principal da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos. Falo isso por reconhecer o preço que as favelas estão pagando (e ainda vão pagar e muito) para os jogos acontecerem. Sei que todos os brasileiros estão pagando essa conta cara que vem com os megaeventos, mas as favelas cariocas estão levando o peso maior. Foram ocupadas militarmente e removidas de maneira covarde. E, na abertura, a favela foi

lembrada com a mesma hipocrisia que a questão ambiental. A cultura, que está impedida de ser produzida na favela pelos militares que a ocupam, fez

Na favela, somos muito mais combativos do que os tratores que levam nossas casas ao chão todo mundo cantar o Rap da Felicidade e dançar o funk com a galera do passinho. Quem espera de mim uma

opinião contraria à participação dos favelados nessa tal Rio 2016 está enganado. Os Jogos Olímpicos não eram a prioridade para os moradores da cidade do Rio de Janeiro e muito menos para os moradores de favelas. Mas, a realidade é que os Jogos estão aí, e quem quiser fazer um intercâmbio cultural sem sair da cidade essa é a hora. FAVELA PRESENTE Só os moradores das favelas são capazes de passar para o mundo o que estão passando para os Jogos acontecerem. Somos muito mais combati-

Olimpíada no Rio é como fazer uma festa na sua casa e não te convidarem

vos do que os tratores que levam nossas casas ao chão ou os tanques de guerras que entraram em nossas ruas. Podemos falar isso para o mundo.

Tanto que uma negra favelada da Cidade de Deus nos trouxe o esperado ouro. A favela sempre está presente, ainda que tentem impedir.


Rio de Janeiro, 11 a 14 de agosto de 2016

DICAS MASTIGADAS | Alan Tygel

Variedades l 13

ANDRÉ DAHMER | malvados.com.br

por Uschi Silva

Compostagem Caseira - Parte 2 Fotos: Veridiana Gatto

AMIGA DA SAÚDE Olá, amiga. Tem alguma alimentação especial para ajudar a cicatrizar feridas grandes? Brígida, 39 anos, técnica administrativa.

• Um gaveteiro de plástico, com três gavetas. Pode comprar em lojas de utilidade doméstica. • Uma furadeira

Olá, Brígida. Uma pessoa que tem uma ferida grande precisa se preocupar, inicialmente, em estar bem hidratada e bem nutrida, mantendo uma alimentação saudável. Dessa forma o processo de cicatrização natural da pele será mais fácil, além de reduzir o risco de infecções. As proteínas são fundamentais à cicatrização e seu consumo diário deve ser aumentado. Carnes, ovos e leite são as principais fontes. Já a vitamina C das frutas cítricas estimula a produção de colágeno,

Instruções

Dúvidas? amigadasaude@brasildefato.com.br

Na última edição, começamos a explicar como se faz a compostagem caseira para diminuir o lixo gerado em casa e produzir adubo para as plantas. Hoje, vamos falar sobre como fazer a composteira. Você precisa de:

Com a furadeira, faça furos no fundo das duas primeiras gavetas de cima. O ideal é que os furos sejam próximos, com a broca n. 8. Depois de feitos os furos, já está pronta para começar a encher de matéria orgânica. O lixo recolhido na cozinha vai sendo colocado na gaveta de cima. Pode ser casca e restos de legumes, frutas e verduras picados. Alimentos cozidos não. É sempre bom misturar com serragem para não ficar muito úmido. O processo precisa de ar, por isso é necessário mexer o composto a cada dois dias. Quando a gaveta de cima encher, coloque-a na posição do meio e recomece a encher a gaveta de cima. A gaveta de baixo (sem furos) vai recolher o chorume, que deve ser diluído em água (1 parte de chorume para 9 de água) e usado como fertilizante.

Envie sua receita para: receita@brasildefato.com.br

que forma e dá firmeza à pele. Pimentão, agrião, couve, brócolis e repolho também são boas fontes de vitamina C. Farinha de linhaça e semente de chia são alimentos ricos em ômega 3,

que estimula a resposta imunológica do corpo e ajuda a diminuir a inflamação. Além dos alimentos, cuidados com a ferida e curativos diários são fundamentais.

Sofia Barbosa | Coren MG 159621-Enf


14 | Variedades

Rio de Janeiro, 11 a 14 de agosto de 2016

PREVISÃO DO TEMPO

HORÓSCOPO Áries (21/3 a 20/4) Tenha mais confiança em si mesmo. Não se sinta desencorajado por pressões sociais.

21

ºC|F

Quinta-feira, 11 de junho, Rio de Janeiro, Brasil

Parcialmente nublado

Touro (21/4 a 20/5) Seu poder criativo pode mudar seu ambiente. Aproveite-o para renovar as energias por onde passa.

Gêmeos (21/5 a 20/6) Dedique mais seu tempo a procurar sua felicidade, seja no amor, no trabalho ou na família

Câncer (21/6 a 22/7) Reconquistar alguém (um amigo, um amor ou um parente) requer paciência e generosidade.

Leão (23/7 a 22/8) O que os outros dizem pode ser construtivo ou destrutivo. É você que precisa saber lidar com isso.

Virgem (23/8 a 22/9) Não comprometa sua vida profissional por questões desnecessárias. Valorize seu empenho.

Libra (23/9 a 22/10) Conheça melhor a pessoa que você tem do lado. Dediquese a descobri-la e tentar perceber suas qualidades.

Escorpião (23/10 a 21/11) Aproveite esse período para tentar uma maior convivência com as pessoas que ama. Você está muito distante.

Sagitário (22/11 a 21/12) Prefira sempre ser verdadeiro com seus amigos a contar uma mentira que te faça mal.

Capricórnio (22/12 a 20/1) Esteja atento às suas necessidades e reserve um tempo para se reorganizar e tentar supri-las.

Aquário (21/1 a 19/2) Tempo de sentimentalismo. Aproveite seu instinto despreocupado e tente não ficar desanimado.

Peixes (20/2 a 20/3) Você tem charme e simpatia com seus amigos. Incentive-os para que sejam assim também.

QUI

SEX

SAB

DOM

22° 18° 22° 17° 24° 17° 29° 19°

FASES DA LUA Minguante 11/8

Nova 18/8

Crescente 25/8

Cheia 1/9

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS | www.coquetel.com.br


Rio de Janeiro, 11 a 14 de agosto de 2016

Esportes l 15

Atletas brasileiras roubam a cena na primeira semana olímpica

Passaram-se quatro anos desde que a judoca Rafaela Silva, cria da Cidade de Deus, no Rio de Janeiro, foi desclassificada da disputa olímpica de Londres. Neste período, até em parar de lutar ela pensou. Rafaela sentiu na pele o racismo existente no Brasil, após ser chamada de “macaca” por aqueles que

deveriam admirar a história de vida desta garota. Essa semana, Rafaela saiu da arena de alma lavada. Mulher, negra, favelada, Silva é ouro do Brasil. A primeira campeã olímpica brasileira nos Jogos do Rio 2016 é orgulho nacional.

A ginasta Flavinha levantou a plateia

Marta chega a sua quarta Olimpíada arrasando

Um dos momentos especiais dessas Olimpíadas foi protagonizado pela ginasta Flávia Saraiva, a Flavinha, de 16 anos. O público a aplaudiu de pé depois de sua atuação brilhante na primeira série classificatória na ginástica artística feminina, na tarde deste domingo (7), na Arena Olímpica. Divulg ação

Liderada pela camisa 10, a seleção feminina de futebol estreia com vitória de 3 a 0 sobre a China. O time dominou de ponta a ponta o duelo contra a China. Também no jogo contra a África do Sul, na terça (9), Marta deu uma aula de como jogar o bom futebol. Ela é a maior jogadora brasileira de todos os tempos, com 102 jogos pela seleção brasileira, duas medalhas de ouro pan-americanas e duas pratas olímpicas. É a maior artilheira da história das seleções, com 117 gols, contra apenas 95 de Pelé.

Divulgação/Roberto Castro Brasil

Rafaela Silva dá um ippon no racismo

Divulgação/Ricardo Bufolin

A Rio-2016 já é a edição com o maior número de mulheres das Olimpíadas. 44% das delegações de atletas são compostas por elas. E na equipe nacional, as guerreiras brasileiras simplesmente brilharam nesses primeiros dias de competição. O ouro da judoca Rafaela Silva, a classificação da ginasta Flávia Saraiva, aplaudida de pé após a série na trave, e a vitória da seleção brasileira de futebol feminino, liderada por Marta, são alguns dos exemplos a ser destacados. Ainda tem a garra das meninas do handebol, natação e tantas outras modalidades.

Di vu lg aç ão

“Furacão” brasileiro e nordestino O treinador Morten Soubak, da seleção brasileira feminina de handebol, pode não saber se a maranhense Ana Paula é mesmo um “furacão”, mas as adversárias atestam que ela é, e dos grandes. A jogadora central passou como uma tormenta diante de todos e é o grande destaque da campanha surpreendente da seleção. Que os bons ventos a levem cada vez mais adiante.


16 | Esportes

Rio de Janeiro, 11 a 14 de agosto de 2016

Brasil desencanta e goleia Dinamarca

Divulgação CBF

Seleção masculina de futebol vence por 4 a 0 e garante primeiro lugar no grupo

QUADRO DE MEDALHAS

País

11 10 3º Japão 6 4º Austrália 5 5º Hungria 5 6º Rússia 4 7º Coreia do Sul 4 8º Itália 3 9º Grã-Bretanha 3 10º França 2 11º Cazaquistão 2 12º Tailândia 2 13º Alemanha 1 14º Suécia 1 15º Holanda 1 16º Bélgica 1 17º Brasil 1 17º Colômbia 1 17º Eslovênia 1 17º Vietnã 1 21º Taiwan 1 22º Espanha 1 22º Grécia 1 22º Suíça 1 25º Argentina 1 25º Croácia 1 25º A.Indep. 1 25º Kosovo 1 29º C.do Norte 0 30º Ucrânia 0 31º Indonésia 0 31º N. Zelândia 0 31º África do Sul 0 34º Canadá 0 35º Geórgia 0 36º Azerbaijão 0 356 Dinamarca 0 36º Malásia 0 36º Mongólia 0 36º Filipinas 0 36º Eslováquia 0 36º Turquia 0 43º Egito 0 43º Uzbequistão 0 45º R. Checa 0 45º Israel 0 45º Quirguistão 0 45º Polônia 0 45º Portugal 0 45º Tunísia 0 45º E. Á. Unidos 0 1º EUA

2º China

Bruno Porpetta do Rio de Janeiro (RJ)

O

Brasil enfrentou a Dinamarca, pela rodada decisiva da fase de grupos do torneio olímpico de futebol masculino, com um peso enorme nas costas diante da torcida de Salvador (BA), que lotou a Fonte Nova. Sem marcar gols nas duas primeiras partidas em Brasília (DF) e com risco de ser eliminado ainda na primeira fase, o Brasil entrou em campo diante dos dinamarqueses muito pressionado e criticado. A ansiedade pelo primeiro gol, vista nas duas partidas anteriores, começava a aparecer novamente quando, após desperdiçar chances claras de abrir o placar, Gabigol pôs fim ao jejum aos 26 minutos, ao completar cruza-

OLIMPÍADAS

Gabigol marcou duas vezes na vitória por 4 a 0 sobre a Dinamarca

mento de Douglas Santos. Daí em diante, o Brasil teve mais tranquilidade para impor seu jogo e não demorou muito para ampliar o marcador. Após tabela entre Gabigol e Luan, a bola chegou a Gabriel Jesus que só teve o trabalho de empurrar para o gol, aos 40 minutos. No segundo tempo, o Brasil continuou impondo seu esti-

lo de muita posse de bola, toques rápidos e boa movimentação. Logo o time brasileiro achou seu terceiro gol. Aos quatro minutos, Neymar deu boa bola para Douglas Santos, que rolou para a área e encontrou Luan na boa para conferir. A seleção passou a controlar a partida, buscando o es-

paço para atacar, sem pressa. Rogério Micale fez alterações para poupar jogadores, entre eles Renato Augusto, que fez boa partida. Aos 35, Neymar enfiou boa bola para Gabriel Jesus cruzar na área. Após desvio na zaga, a bola sobrou para Gabigol, que bateu e fez o quarto, decretando o placar final.

Popó denuncia arranjo de resultados no boxe

Vôlei feminino do Brasil atropela Japão

O ex-pugilista Acelino “Popó” Freitas, que trabalha como comentarista para a TV Globo durante a Olimpíada, denunciou, em entrevista à emissora, que a arbitragem no boxe olímpico estaria arranjando resultados nas lutas. Segundo Popó, os árbitros estão favorecendo lutadores de Uzbequistão e Cazaquistão, além de citar a luta do brasileiro Robenilson de Jesus, que derrotou o argelino Fahem Hammachi, onde havia disparidade entre as notas dadas pelos três árbitros.

A seleção brasileira de vôlei feminino não tomou conhecimento da seleção japonesa na noite desta quarta-feira (10), não dando sequer a chance do jogo se arrastar pela madrugada, como tem sido comum nos jogos do Maracanãzinho. Diante do primeiro grande desafio das brasileiras na competição olímpica, o time mostrou muita confiança e inteligência contra as velozes jogadoras do Japão. Com grande atua-

As denúncias ecoam a reportagem do jornal inglês The Guardian, que a poucos dias do início dos Jogos alertou para a possibilidade de manipulação de resultados pela AIBA (Associação Internacional de Boxe), que negou as acusações. Popó cobrou de Luiz Boselli, diretor da AIBA no Brasil, uma postura mais firme junto à entidade por problemas de arbitragem que teriam sido reconhecidos reservadamente pelo próprio. (BP)

ção de Dani Lins, o Brasil fez 3 sets a 0 (25/18, 25/18 e 25/22). Fê Garay, Sheila e Fabiana também se destacaram na partida. Com o resultado, o Brasil mantém a invencibilidade e lidera o Grupo A da competição, com os mesmos nove pontos da Rússia, levando vantagem no saldo de sets. Na próxima sextafeira (12), o Brasil enfrenta a Coreia do Sul, enquanto o Japão pega a Rússia, última adversária da nossa seleção. (BP)

11 10 32 5 8 23 1 11 18 2 5 12 1 1 7 7 4 15 2 3 9 6 2 11 3 6 12 3 1 6 2 3 7 1 1 4 2 1 4 2 0 3 1 2 4 1 1 3 1 0 2 1 0 2 1 0 2 1 0 2 0 2 3 0 1 2 0 1 2 0 1 2 0 0 1 0 0 1 0 0 1 0 0 1 2 2 4 2 0 2 2 0 2 1 5 6 1 1 2 1 1 2 1 0 1 1 0 1 1 0 1 1 0 1 1 0 1 1 0 1 1 0 1 0 2 2 0 2 2 0 1 1 0 1 1 0 1 1 0 1 1 0 1 1 0 1 1 0 1 1 0 1 1

Brasil de Fato RJ - 200  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you