Page 1

Romero Jucá revela verdadeira intenção do golpe

Agência Brasil

Brasil enfrentará Rússia no vôlei

Colunista Tico Santa Cruz critica cobertura da imprensa sobre gravações do ex-ministro

Seleção feminina também vai jogar contra Argentina nas Olimpíadas

Opinião, pág.12

Esportes, pág.15

RIO DE JANEIRO

30 de maio a 1 de junho de 2016

distribuição gratuita

CBV

Ano 4 | edição 181

Milhares de mulheres marcham em Brasília contra a cultura do estupro Após uma contagem regressiva de trinta a zero, cerca de três mil manifestantes, a maioria mulheres carregando flores nas mãos, marcharam na manhã deste domingo (29) pela Esplanada dos Ministérios, em Brasília, para protestar contra a cultura do estupro. A Marcha das Flores – 30 Contra Todas foi organizada por 16 entidades ligadas a causas feministas e de defesa da criança e do adolescente. A manifestação foi motivada pelo caso da menor estuprada por mais de 30 homens no Rio de Janeiro. | Cidades, pág. 7

Ataque racista à cantora Ludmila Polícia Civil já identificou autor das ofensas

ASSÉDIO SEXUAL

Uma pesquisa sobre assédio revela que 86% das brasileiras entrevistadas já sofreram assédio em espaços urbanos. A forma mais comum de assédio é o assobio, relatado por 77% das entrevistadas, seguido por olhares insistentes (74%) e comentários de cunho sexual (57%). | Brasil, pág 8

Geral, pág.3

Divulgação

EBC Memória


2 | Opinião

Rio de Janeiro, 30 de maio a 1 de junho de 2016

EDITORIAL

Temer já disse a que veio “N

ão fale em crise, trabalhe”. O slogan não oficial do governo golpista de Michel Temer foi apresentado já em seu primeiro pronunciamento como presidente interino. A frase traduz de forma muito direta e verdadeira o que pensam e o que pretendem os golpistas que tomaram o governo federal. Aqueles que passaram o último um ano e meio insistentemente falando em crise agora pedem que nos esqueçamos dela. Claro, a meta de afastar a presidente legitimamente eleita e manchar mais uma vez a história da democracia brasileira já foi atingida. Página virada. Agora é hora de trabalharmos, dizem. A frase, uma verdadeira pérola discursiva, diz muito de como pensa a elite de nosso país. Para ela, a culpa pelos problemas do Brasil sempre foi e sempre será do povo brasileiro. Ao mesmo tempo em que aponta os/as culpados/as, a frase indica o cínico caminho para a superação do momento. É hora de trabalharmos! Como se o povo brasileiro não fosse um povo extremamente trabalhador e dedicado. Como se a jornada de 44 horas semanais já não bastasse. Como se as horas diárias no ônibus ou no me-

trô lotados já não bastassem. Como se a dupla, ou tripla jornada das mulheres que trabalham e cuidam da casa e da família, já não bastasse. Como se o tapa na cara e a humilhação cotidiana que vivem os/as negros/as e os/ as pobres em nossas favelas e periferias já não bastassem. Sim, eles querem mais. Eles querem que nos aposentemos mais tarde. E virão com uma tal Reforma da Previdência para isso. Eles querem que tenhamos menos direitos no trabalho. E chamarão isso cinicamente de “modernização das leis trabalhistas”. Eles querem

que as riquezas do Brasil não sejam geridas por nós, já que não temos capacidade para tal. E chamarão isso de “atrair investimentos via privatizações”. CRISE ECONÔMICA A crise existe, é internacional, é complexa e trará cada vez mais dificuldades para o país e o mundo. Fingir que ela não existe não ajuda em nada. Tampouco apontar falsas e injustas soluções nos ajudará a sair da crise. A Europa já implantou essas medidas perversas e a crise por lá prossegue. A saída real só virá das mãos e da criativi-

dade do povo brasileiro, se ele ousar dizer não para todos os golpistas e ladrões e assumir o dever de construir

EXPEDIENTE

Desde 1º de maio de 2013 O jornal Brasil de Fato circula semanalmente em todo o país e agora com edições regionais nos seguintes estados: Ceará, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Pernambuco. O Brasil de Fato RJ circula todas as segundas e quintasfeiras. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais.

A saída real só virá das mãos e da criatividade do povo brasileiro, se ele ousar dizer não para todos os golpistas um projeto de país autônomo, soberano, popular e radicalmente democrático.

CONSELHO EDITORIAL: Alexania Rossato,Antonio Neiva (in memoriam), Joaquín Piñero, Kleybson Andrade, Mario Augusto Jakobskind, Nicolle Berti, Rodrigo Marcelino, Vito Giannotti (in memoriam) EDIÇÃO: Vivian Virissimo (MTb 13.344) SUB-EDIÇÃO: Fania Rodrigues REPORTAGEM: André Vieira, Bruno Porpetta, Mariana Pitasse e Pedro Rafael Vilela ESTAGIÁRIO: Victor Ohana REVISÃO: Sheila Jacob COLUNA SINDICAL: Claudia Santiago ADMINISTRAÇÃO: Angela Bernardino e Marcos Araújo DISTRIBUIÇÃO: Kleybson Andrade

PREVISÃO DO TEMPO Segunda-feira, 30 de maio, Rio de Janeiro, Brasil

27

ºC|F

Tempestades com raios

SEG

QUA

QUA

27° 20°

23° 18°

24° 18°

Fonte: Google

DIAGRAMAÇÃO: Juliana Braga TIRAGEM MENSAL: 200 mil exemplares/mês

(21) 4062 7105 redacaorj@brasildefato.com.br


Rio de Janeiro, 30 de maio a 1 de junho de 2016

FRASE DA SEMANA

mandou

Estou preocupado com os golpes suaves na América Latina

BEM

Divulgação

Divulgação

disse o papa Francisco semana passada ao se referir à situação política do Brasil e da Venezuela, em reunião com arcebispos.

O cantor Criolo mostrou humildade ao mudar uma música do seu primeiro disco, de 15 anos atrás, por entender que era preconceituosa. A letra original de “Vasilhame” dizia: “Os traveco tão aí, oh!”. E agora ficou: “O universo tá aí, oh! Alguém vai se iludir”.

mandou

MAL

Divulgação

Autor de ofensas contra Ludmila confessa o crime O

autor de comentários racistas no perfil da cantora Ludmila na rede social Instagram foi identificado e confessou o crime, segundo informou o delegado Alessandro Thiers, da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI). O homem é morador do Rio e tem 31 anos. Ele é professor de capoeira e já responde na Justiça por um homicídio quando era seguran-

ça de uma boate em 2009. O suspeito foi indiciado pelo crime de injúria preconceituosa com a causa de aumento de pena devido ao crime ter sido cometido na internet (em uma rede social). “Ele disse que não é criminoso, mas é criminoso sim. Quem pratica crime de racismo e injúria racial é criminoso”, afirma o delegado Alessandro Thiers.

Geral l 3

EM FOCO

AFRO ONU abre consulta pública no Brasil As Nações Unidas abrem inscrição para a sociedade brasileira participar de uma consulta pública sobre a Década Internacional de Afrodescendentes (2015-2024). A ONU quer ouvir organizações não governamentais. As respostas da consulta servirão de subsídios para as ações das Nações Unidas no Brasil. O objetivo é promover os direitos econômicos, sociais, culturais, civis e políticos das pessoas afrodescendentes. Mais informações no site decada-afro-onu.org. Foto ONU

Divulgação Palavra Assessoria em Comunicação

O Country Club do Rio, em Ipanema, mandou muito mal ao proibir babás de usar o banheiro feminino. As babás que acompanham sócios só podem usar o banheiro destinado às crianças menores de 10 anos. O feminino é “exclusivo para sócias”.

DEMOCRACIA Durante um show no SESC Pompeia, em São Paulo, a sambista Beth Carvalho protestou contra o afastamento da presidente Dilma e em repúdio ao governo interino de Michel Temer. Junto com sua banda e equipe de produção, Beth exibiu uma faixa em protesto.

FESTAS JUNINAS Feira de São Cristóvão As festas juninas estão chegando e a Feira de São Cristóvão já se prepara para receber os arraiás de São João. A programação de junho abre com a banda Anjo Azul. Apesar de a Feira viver em estado de festa nordestina permanente, nos meses de junho e julho a programação e o número de visitantes aumentam ainda mais. O local funciona de terça a quinta das 10h às 18h e de sexta a domingo das 10h às 21h.


Rio de Janeiro, 30 de maio a 1 de junho de 2016

Cidades l 5

Prefeitura gasta R$ 139 milhões a mais nas Olimpíadas do Rio

Sete das oito empreiteiras contratadas são grandes financiadoras de campanhas eleitorais do prefeito Eduardo Paes e do PMDB Tânia Rêgo / Agência Brasil

Mariana Pitasse do Rio de Janeiro (RJ)

N

ão é só na esfera nacional que as empreiteiras e construtoras estão vinculadas aos governos em poderosos esquemas de poder e corrupção. Na prefeitura do Rio, pelo menos 11 contratos realizados nos últimos seis anos ultrapassaram bastante as despesas previstas para as obras. Segundo levantamento da equipe do vereador Renato Cinco (PSOL), os contratos apresentam gastos de aproximadamente R$ 139 milhões a mais do que os valores previstos no orçamento do município. As 11 obras são destinadas às Olimpíadas. Entre as oito empreiteiras contratadas estão sete das grandes financiadoras de campanhas do prefeito Eduardo Paes ou de seu partido, o PMDB. No contrato do Parque Olímpico, por exemplo, a Concessionária Rio Mais, composta por Odebrecht, Andrade Gutierrez e Carvalho Hosken, teria recebido R$ 69 milhões além do valor empenhado. A lei que define as normas para controle dos orçamentos da união, estados e municípios estabelece que é “vedada a realização de despesa sem prévio empenho”. O empenho é o ato que registra, no momento da contratação do serviço ou aquisição do material ou bem, o pagamento que deve ser reservado pelo poder público para cumprir o gasto estimado. Dessa forma, a Prefeitura do Rio cometeu várias “pedaladas fiscais” ao aumen-

Contrato do Parque Olímpico teria recebido R$ 69 milhões a mais. Obra foi feita por Odebrecht, Andrade Gutierrez e Carvalho Hosken

NÚMEROS

R$ 69 milhões é o valor recebido a mais na obra do Parque Olímpico

tar o gasto previsto no orçamento do município sem justificativa formal. PREFEITURA NEGA Procurada pelo Brasil de Fato, a assessoria da Prefeitura declarou que houve um erro no sistema de informática que gera essas informações e que a correção dos dados estaria sendo providenciada. Porém, a prefeitura não esclareceu onde estaria o erro.

Segundo o vereador Renato Cinco, pareceres prévios do Tribunal de Contas do Município apontam que essa conduta não é novidade na Prefeitura, e que sua continuidade faz com que existam despesas ocultas. A consequência disso é a impossibilidade de fiscalização dos gastos públicos. O levantamento foi encaminhado para o Tribunal de Contas do Município, Ministério Público Estadual e para a CPI das Olimpíadas. “Acredito que a CPI das Olimpíadas, mesmo controlada pelo PMDB, é uma ameaça para esses esquemas. Isso foi claramente demonstrado com todas as tentativas de impedir que ela fosse instalada e a tentativa de suspendê-la na última se-

mana”, afirma o parlamentar. Pedro Henrique Campos, professor do Departamento de História e Relações Internacionais da UFRRJ e au-

Acredito que a CPI das Olimpíadas, mesmo controlada pelo PMDB, é uma ameaça para esses esquemas Renato Cinco, vereador

tor do livro “Estranhas Catedrais”, aponta que a rela-

ção entre as empreiteiras e o Estado não é uma novidade e que começou na Ditadura Militar. Ele não acredita que a operação Lava Jato represente o desmonte dessas estruturas de corrupção. “Ficou claro que, num certo momento, as investigações foram direcionadas para derrubar o governo de Dilma Rousseff, por mais que o PT não tenha criado os esquemas, mas sim mantido a política de partidos anteriores. Inclusive, derrubaram o governo para acabar com essas investigações”, disse o pesquisador. “Com uma reforma política, fim do financiamento privado de campanhas e fiscalização das obras públicas poderíamos minimizar essa estrutura corrupta do Estado brasileiro”, afirma.


6 | Cidades

Rio de Janeiro, 30 de maio a 1 de junho de 2016

VLT ainda não Rio tem o maior número de assaltos a funcionários tem data para ser inaugurado dos Correios

Fernando Frazão / Agência Brasil

Sindicato critica falta de segurança e ausência de sistema de escolta desde que a última licitação venceu o prazo de validade

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Funcionários querem mais segurança e melhores condições de trabalho

Trabalhos nas obras se intensificaram nas últimas semanas

Fania Rodrigues do Rio de Janeiro (RJ)

O

s carteiros já sentem saudade do tempo em que o pior inimigo da categoria eram os cachorros. Agora eles enfrentam nas ruas o perigo dos roubos, assaltos à mão armada e até sequestros. O Rio de Janeiro já aparece como uma das cidades mais perigosas para esses profissionais. Em 2015 foram registrados cinco mil roubos no país, dos quais 2.474 aconteceram na capital fluminense. O aumento dos roubos chegou junto com o crescimento de vendas pela internet, principalmente de objetos eletrônicos. Mais de 57 mil produtos deixaram de ser entregues em todo o país em 2015. ASSALTOS E SEQUESTROS Segundo Ronaldo Martins, presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Rio de Janeiro, cerca de 150 funcionários estão afasta-

dos por algum trauma decorrente de assaltos ou sequestros relâmpagos. “Ficamos dois anos sem escolta armada devido ao vencimento do contrato com empresas de segurança. Isso só foi solucionado em abril desse ano. Além disso, houve falhas dos órgãos públicos de segurança do estado”, denuncia. Outra reclamação da categoria são as condições de trabalho. “Toda a parte operacional está sucateada. A nossa luta é para que a Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) continue pública e tenha qualidade. Queremos ter de volta a excelência no serviço, como sempre prestamos”, destaca o sindicalista. Hoje a empresa opera com déficit de 950 trabalhadores, segundo informações do sindicato. O último concurso público foi realizado em 2011. De lá para cá o trabalhou aumentou e muitos empregados se aposentaram, o que causa sobrecarga ao atual quadro de funcionários.

A empresa informou que serão criados novos Centros de Entrega de Encomendas (CEEs) e as instalações de unidades receberão melhorias. Sobre os assaltos, a direção dos Correios afirma que já existe uma força tarefa em parceria com a Polícia Militar que, nos últimos dois meses, conseguiu reduzir em 38% o número de assaltos, em comparação com o mesmo período de 2015. PRIVATIZAÇÃO Depois que o presidente interino Michel Temer declarou que vai privatizar “tudo o que for possível”, os trabalhadores ficaram em alerta. De fato, os Correios estão no topo da lista das empresas que o novo governo pretende vender. “Atualmente, a ECT leva serviço a quem precisa. Já com a privatização, terá como prioridade o lucro”, divulgou, em nota, a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos (FENTECT).

A prefeitura do Rio de Janeiro adiou pela segunda vez a inauguração do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), prevista para o dia 5 de junho. Anteriormente, a data era no dia 22 de maio. Depois dos dois adiamentos, o VLT não tem data marcada para ser inaugurado. No trecho da Central do Brasil à Praça Quinze, passando pela Praça

Tiradentes, as obras reduziram o tamanho das calçadas e limitaram a passagem de pedestre em alguns trechos. Na Rua Sete de Setembro, mais de cinco lojas fecharam as portas nos últimos meses, desde que as obras começaram. A previsão é que o serviço seja concluído só no segundo semestre desse ano, segundo informações divulgadas pela Prefeitura do Rio.


Rio de Janeiro, 30 de maio a 1 de junho de 2016

Cidades l 7

Mulheres marcham em Brasília contra a cultura do estupro Wilson Dias/Agência Brasil

Atividade foi motivada pelo caso da menor violentada por mais de 30 homens no Rio de Janeiro Felipe Pontes da Agência Brasil

A

pós uma contagem regressiva de trinta a zero, cerca de três mil manifestantes, a maioria mulheres carregando flores nas mãos, marcharam na manhã deste domingo (29) pela Esplanada dos Ministérios, em Brasília. O protesto foi realizado contra a cultura do estupro, por justiça para os casos que envolvam violência contra a mulher e em defesa de políticas públicas que garantam a educação de gênero nas escolas brasileiras. A Marcha das Flores – 30 Contra Todas, organizada por 16 entidades ligadas a causas feministas e de defesa da criança e do adolescente, foi motivada pelo caso da menor estuprada por mais de 30 homens no Rio de Janeiro. Um vídeo com imagens do crime foi publicado na internet na última quarta-feira (25), causando comoção nas redes sociais e a entrada da polícia no caso. Sob gritos de ordem como “Mexeu com uma, mexeu com todas”, “Não tem justificativa” e “Lugar de mulher é onde ela quiser”, as manifestantes seguiram até a frente do Supremo Tribunal Federal (STF), onde derrubaram as grades que cercavam o local e tomaram a frente do edifício, sobre o qual foram fixadas calcinhas pintadas de vermelho, em uma alusão à violência

Caminhada das Flores denuncia abuso e agressões contra as mulheres

sexual contra as mulheres. “Para nós, a rua é um campo de batalha. Os homens não têm ideia do medo que a gente vive diariamente. Todos têm esse potencial de ser agressor, porque é natural da nossa cultura subjugar a mulher. Essa desconstrução é muito difícil, mas vamos enfrentar”, disse a professora Daniela Gontijo, de 29 anos. A estátua de Têmis, a deusa da Justiça, que fica em frente ao STF, teve o colo coberto por flores e por cartazes nos quais se liam as mensagens “Fere o Corpo, Fere a Alma” e “Mulheres Contra a Cultura do Estupro”. As mulheres gritavam também palavras de ordem contra o governo Temer. “Só com escola e com políticas públicas se pode combater qualquer tipo de

de diretoras de escolas públicas estavam presentes.

Para nós, a rua é um campo de batalha. Os homens não têm ideia do medo que as mulheres vivem diariamente Daniela Gontijo, professora

violência, em especial a violência contra a mulher e o machismo”, opinou Ana Beatriz Goldstein, funcionária da Secretaria da Mulher do Distrito Federal e uma das organizadoras do ato. Segunda ela, dezenas

INVESTIGAÇÃO A Polícia Civil do Rio de Janeiro divulgou nota no início da noite deste domingo (29) informando que a titular da Delegacia da Criança e do Adolescente, Cristiana Bento, assumiu a investigação do estupro coletivo. Segundo a nota, a medida visa “evidenciar o caráter protetivo à menor vítima na condução da investigação, bem como afastar futuros questionamentos de parcialidade no trabalho”. A decisão foi tomada depois de críticas à conduta do delegado Alessandro Thiers, da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática. Com a decisão da Polícia Civil, as investigações sobre

o estupro serão desmembradas, como queriam as advogadas da vítima. O delegado Alessandro Thiers cuidará das investigações relativas ao vazamento do vídeo divulgado na internet, detalhando o estupro da jovem por 33 homens da favela do Morro São José Operário. ADVOGADA CONFIRMA SAÍDA A advogada Eloisa Samy confirmou, na noite deste domingo (29), que deixou o caso da adolescente. Em ligação telefônica, a advogada disse que deixou a defesa a pedido da avó da jovem. Segundo Eloisa, a avó da adolescente agradeceu sua dedicação, mas ressaltou que, a partir de agora, o caso está sob os cuidados da Secretaria de Direitos Humanos do estado.


8 | Brasil

Rio de Janeiro, 30 de maio a 1 de junho de 2016

EBC Memória

Nova gravação implica Renan e PSDB: ‘Não sobra ninguém’

ASSÉDIO 86% das brasileiras já sofreram assédio

BOLSA FAMÍLIA Temer quer excluir 39,3 milhões

EBC Memória

Um estudo da Fundação Perseu Abramo revela que, caso seja levada a cabo a proposta do governo interino de Michel Temer (PMDB) de reduzir os benefícios do Bolsa Família a 5% da população mais pobre, 10,5 milhões de famílias seriam excluídas do programa, o equivalente a cerca de 39,3 milhões de pessoas. Atualmente 97% da pobreza estimada é atendida pelo programa, o equivalente a 13,9 milhões de famílias.

Uma pesquisa sobre assédio revela que 86% das brasileiras entrevistadas já sofreram assédio em espaços urbanos. O levantamento, encomendado pela Action Aid, foi realizado com 2.500 mulheres na Índia, Reino Unido, Brasil e Tailândia. A forma mais comum de assédio é o assobio, relatado por 77% das entrevistadas, seguido por olhares insistentes (74%), comentários de cunho sexual (57%) e xingamentos (39%). Metade das entrevistadas afirmou já ter sido seguida nas ruas, 44% tiveram seus corpos tocados, 37% disseram que homens já se “exibiram para elas”, e 8% foram vítimas de estupro.

Assim como Jucá, Renan também foi pego em conversas comprometedoras

m conversa gravada por Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), dizia ser inviável a permanência da presidente Dilma Rousseff no poder: “todos estão putos com ela”, afirmou, em referência aos ministros do STF. Nos áudios, Renan também defendeu mudanças nas leis das delações premiadas de forma a impedir que um preso se torne delator, artifício central da operação Lava Jato. Segundo reportagem, assim como fez com o senador Romero Jucá, Machado sugeriu “um pacto”, que seria “passar uma borracha no Brasil”. Diz ainda no áudio que o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, estava querendo seduzi-lo. Renan responde: “antes de passar a borracha, precisa fazer três coisas, que alguns do Supremo [inaudível] fazer.

Para Renan Calheiros (PMDB-AL), os políticos todos “estão com medo” da operação Lava Jato

se tem mais alguma coisa’”, contou Renan, em referência à delação de Delcídio do Amaral (ex-PT-MS), que fazia citação ao tucano. Por meio de sua assessoria, o presidente do Senado informou que os “diálogos não revelam, não indicam, nem sugerem qualquer menção ou tentativa de interferir na Lava Jato ou soluções anômalas. E não seria o caso porque nada vai interferir nas investigações”.

DELAÇÃO Renan também ataca decisão do STF tomada ano passado, de manter uma pessoa presa após a sua segunda condenação. Para ele, os políticos todos “estão com medo” da Lava Jato. “Aécio [Neves, presidente do PSDB] está com medo. [me procurou] ‘Renan, queria que você visse para mim esse negócio do Delcídio,

GRAVAÇÃO A Folha de S.Paulo divulgou nesta segunda-feira (23) trechos de gravações que mostram conversas entre o ministro do Planejamento, Romero Jucá (PMDB-RR), e o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado. Nas gravações, ocorridas em março deste ano, o ministro sugere que seria preciso mudar o governo para “estancar” uma “sangria”. (Brasil247)

Primeiro, não pode fazer delação premiada preso. Primeira coisa. Porque aí você regulamenta a delação”.

Petroleiros denunciam ataque ao pré-sal Divulgação

E

Petroleiros criticam proposta do governo interino Temer

A CUT e a Federação Única dos Petroleiros (FUP), em nota conjunta, criticam as medidas econômicas anunciadas pelo governo interino de Michel Temer. Denunciam, em especial, a proposta de retirar as garantias da Petrobrás como operadora única do pré-sal. Os trabalhadores acu-

sam o governo Temer, que classificam como “ilegítimo”, de entregar o pré-sal aos interesses estrangeiros em troca do reconhecimento internacional do novo governo, alçado ao poder através de um golpe. “O principal objetivo dos golpistas é tomar de assalto a mais cobiçada reserva de petróleo do planeta”, afirmam em nota. (Rede Brasil Atual)


Rio de Janeiro, 30 de maio a 1 de junho de 2016

Mundo l 9

Greve geral de professores no México rabalhadores do Sindicato Nacional de Trabalhadores da Educação (SNTE) decretaram greve geral em todas as instituições de ensino do México há uma semana. Na última segunda-feira (23) os professores e demais trabalhadores da educação fizeram uma grande marcha no centro da Cidade do México para protestar contra a reforma educativa proposta pelo governo mexicano. “Queremos dizer que esse é o início de uma greve nacional. Pedimos a instalação de uma

mesa de diálogo com o governo, para discutir todos os problemas que todos enfrentamos na educação do país”, disse o secretário-geral do SNTE, Adelfo Alejandro Gómez. Segundo os sindicalistas, a reforma educativa viola os direitos trabalhistas. O projeto foi proposto pelo governo do presidente Enrique Peña Nieto. Esta reforma contempla, entre vários pontos, a instauração de um sistema de avaliação obrigatório para todos os professores. Caso não cumpra as metas estabelecidas, o pro-

fessor poderá ser suspenso e até demitido. Os profissionais classificaram as medidas como uma “afronta” aos professores. “A avaliação docente não deveria ser punitiva, mas construtiva para que as falhas seja superadas”, disse o professor Juan José Ortega, do estado de Michoacán, localizado na região central do país. Desde o ano passado, os trabalhadores e o governo apresentam propostas diferentes para a educação. A paralisação foi decretada por tempo indeterminado. (Telesur)

Trabalhadores pedem mesa de diálogo com o governo de Peña Nieto

Brasileiros protestam pelo mundo contra golpe Manifestações de brasileiros contra o impeachment se espalharam por vários países nas últimas semanas. Na semana passada, em Roma, dezenas de pessoas que moram em várias regiões da Itália se reuniram para se manifestar em defesa da democracia e contra o processo de impeachment que está sofrendo a presidente Dilma Rousseff. “Não é porque moro no exterior que vou deixar de me manifestar, de ser contra o golpe, porque é um golpe o que está acontecendo no Brasil”,

Janaina Cesar/Opera Mundi

Na Itália, brasileiros protestam contra presidente interino Michel Temer

disse Elisiane Filipetto, que mora em Roma há 11 anos. Outros atos políticos foram realizados em Toronto (Canadá), Lisboa (Portugal), em Nova York e Washington (EUA), e na Argentina, durante uma visita do ministro interino das Relações Exteriores, José Serra. Centenas de manifestantes protestaram em frente ao Palácio San Martin, sede da chancelaria, quando Serra chegava para sua primeira reunião oficial com o presidente Mauricio Macri. Divulgação

ELEIÇÕES NOS EUA O pré-candidato do partido republicano Donald Trump passa na frente da democrata Hillary Clinton. Uma nova pesquisa divulgada pela rede de televisão “Fox News” mostra Trump três pontos acima de Hillary, caso ambos se enfrentem nas eleições presidenciais de novembro. Trump tem 45%, e Hillary, 42%.

ISRAEL Jovem foi presa por se recusar a ir para o Exército Divulgação

T

Divulgação

Uma israelense de 19 anos já passou mais de três meses em uma prisão militar. Segundo seus defensores, essa é a maior sentença já aplicada a alguém que se recusou a se alistar por objeção de consciência. Tair Kaminer se recusa a fazer o serviço militar obrigatório porque é contra a ocupação militar por Israel de terras palestinas, que já dura quase 50 anos. Em 2008 o caso de três jovens se tornou famoso pelo mesmo motivo. Omer Goldman, Miya Tamarin e Tamar Katz anunciaram que não pretendiam servir ao exército por serem contra a ocupação dos territórios palestinos e também foram presas.


10 | Cultura

Rio de Janeiro, 30 de maio a 1 de junho de 2016

PROMOÇÃO Apresente o Brasil de Fato e ganhe desconto na peça Sacco e Vanzetti, da Companhia Ensaio Aberto

R$10 e R$ 5 (meia)

*A promoção é válida para as apresentações dos dias 3, 4, 5, 10, 11 e 12 de junho

AGENDA CULTURAL DA SEMANA | agendarj@brasildefato.com.br

O quê: Teatro para a comunidade conta história de um casal formado por um escritor e uma bailarina. Ao longo da peça, revela-se uma dificuldade de ele escrever algo. Onde: Anfiteatro Gustavo Dutra, UFRRJ – BR 465, km 7, Seropédica. Quando: Quinta (2), 19h. Quanto: 0800

O quê: Evento conta com roda cultural repleta de shows musicais, batalhas de MCs e DJS. Além disso, haverá um brechó bem original e um espaço para doação de livros. Onde: Praça dos Estudantes, Centro, Nilópolis.

Divulgação

Quando: Sábado (4), 18h. Quanto: 0800

O quê: Evento musical criado em 2008 apresenta batalhas entre dançarinos de break dance, hip hop dance e all style. Haverá premiação em dinheiro. Onde: Praça João Luiz Nascimento (Praça da Telemar), Centro, Mesquita. Quando: Sábado (4), 18h30. Quanto: 0800

Cidade Correria O quê: Espetáculo teatral propõe uma reflexão profunda sobre a violência policial e as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). Onde: Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Rua Humaitá, 163, Humaitá. Quando: Segunda (30), 21h. Quanto: R$ 20 (R$ 10 meia) Divulgação

Aulão de Dança de Salão Divulgação

Reprodução

Batalha na Praça

O quê: Aula de dança de salão ensina todo mundo a arrasar nesse ritmo envolvente e sensual, num espaço para alunos de todas as idades. Onde: Arena Carioca Dicró – Parque Ary Barroso, Penha. Entrada pela Rua Flora Lobo. Quando: Toda quartafeira, às 19h. Quanto: 0800

World Press Photo O quê: Exposição reúne as fotografias mais impactantes da imprensa mundial do último ano, envolvendo economia, política, cultura e meio ambiente. Onde: Caixa Cultural – Av. Almirante Barroso, 25, Centro. Quando: De terça a domingo, de 10h às 22h. Até 19/6. Quanto: 0800 Maurício Lima

Sacco e Vanzetti Divulgação

Castelos & Litorais

Roda Cultural de Nilópolis

O quê: Espetáculo teatral conta a história de Sacco e Vanzetti, dois imigrantes anarquistas julgados sem crime e condenados sem provas. Onde: Armazém da Utopia - Orla Marítima Prefeito Luiz Paulo Conde, Armazém 6, Cais do Porto Quando: Sextas, 20h. Sábados e domingos, 19h. Até 3/7 Quanto: R$ 40 (R$ 20 meia)

Pet Rock Divulgação

Divulgação

O quê: Evento musical completa seis anos animando bastante o público com muito rock’n’roll, reunindo os melhores hits do estilo a noite inteira. Onde: StudioB Rock – Av. Henrique Duque Estrada Mayer, 350, Nova Iguaçu. Quando: Sábado (4), 22h. Quanto: R$ 5 + 1kg de ração (cão ou gato)


Rio de Janeiro, 30 de maio a 1 de junho de 2016

Afroflix reúne filmes para romper estereótipos sobre negros Site já reúne 100 filmes de dez estados e foi produzido por meio da cooperação das participantes do coletivo

Fotos Divulgação

Filme “Kbela” questiona os padrões de beleza impostos às mulheres negras

por ano, então multiplica isso por dez. É um número assustador”, afirma Yasmin Thayná. “Muitos desses filmes são feitos com dinheiro público. Isso significa que o grupo que representa a maior parcela da população não está recebendo recursos”, destaca.

Gisele Brito de São Paulo (SP)

C

erca de 100 filmes de dez estados, que contam com a participação de negros em pelo menos uma área técnica da produção, estão disponíveis no Afroflix, um site de pesquisa lançado na última terça-feira (17). Os filmes são enviados por seus autores e passam por uma avaliação da equipe do projeto, composta por seis mulheres afrodescendentes. Apesar do nome, o site tem muitas diferenças em relação ao Netflix. Uma delas é que, enquanto o Netflix disponibiliza filmes via streaming, esta iniciativa não armazena os vídeos, mas os linka para sua fonte original (seja o YouTube, o Vimeo ou o site do filme, por exemplo). “A gente não baixa o vídeo. Não gera visualizações para nós. Todo play que é dado vai para o próprio realizador. E já estamos recebendo retornos de que as visualizações aumentaram”, afirma a cineasta Yasmin Thayná, idealizadora do projeto e diretora e roteirista de “Kbela - O Filme”. O site também indica vlogs, programas, séries e videoclipes e ainda não conta com nenhum tipo de finan-

Afroflix foi idealizado em debates após exibição do filme “Kbela”

ciamento. Todo ele foi produzido por meio da cooperação das participantes do coletivo. “É uma ideia para o futuro, um sonho nosso para que possamos ter conteúdos originais. A ideia é trabalhar no campo da produção, difusão e formação. Mas para isso precisamos de investimento”, pondera Yasmin. Para assistir ou disponibilizar obras, acesse www.afroflix.com.br/. ORIGEM DA IDEIA Outras diferenças em relação ao Netflix são a gratuidade e a vontade de enegrecer as narrativas contadas no país. “Tem uma pesquisa

Cultura l 11

da Universidade Federal do Rio de Janeiro que aponta que entre o ano 2002 e 2012, ou seja, em dez anos de cinema nacional, não teve nenhum filme dirigido nem escrito por mulheres negras e apenas 2% dos filmes produzidos no país são protagonizados por pessoas negras. Devem sair 100 filmes

É muito importante produzir narrativas alternativas àquelas que colocam o negro o tempo todo como bandido ou empregada doméstica Yasmin Thayná, cineasta

Foi justamente durante os debates ocorridos após as exibições de “Kbela”, filme que questiona os padrões de beleza impostos às mulheres negras, que Yasmin teve a ideia inicial para criar o Afroflix. NOVAS NARRATIVAS Yasmim explica que a ideia não é apenas para negros, por isso basta que haja um em pelo menos uma das áreas de produção do filme. Segundo ela, o principal critério para que o filme seja incluído no site é a criação de novas narrativas. “A imagem é muito poderosa. É o que faz você acreditar nas coisas, dita o seu gosto. Então, é muito importante produzir narrativas alternativas àquelas que colocam o negro o tempo todo como bandido ou empregada doméstica”, diz Yasmim. “Essas produções do Afroflix tentam construir outros sentidos, outra visão que se tem sobre o negro”.


12 | Opinião

Rio de Janeiro, 30 de maio a 1 de junho de 2016

Felipe Moreira*

Governo não está garantindo direitos básicos da população

NO OLHO DA REVOLUÇÃO | Tico Santa Cruz

Jucá revela a intenção de Temer Agência Brasil

Pablo Vergara

Homem forte do governo Temer queria acabar com a Lava Jato

Serviços públicos, como transporte, estão cada vez mais precários na cidade do Rio de Janeiro

“F

iquei três horas para ser atendido na UPA”. “Na escola do bairro a merenda é biscoito de água e sal”. “A casa do meu vizinho deve desabar com a próxima chuva”. Para algumas pessoas, essas são frases que só se veem na televisão ou nos jornais. Para tantas outras, são expressões do dia a dia. Saúde, educação e habitação de qualidade, por exemplo, são direitos de todos, garantidos na Constituição Federal. Mas por que será que a maioria dos governantes não respeita os nossos direitos? Quando a gente vê como os serviços públicos estão precários, logo pensamos que está tudo ruim porque tem muita corrupção e roubalheira. Isso é verdade, mas é apenas uma parte da verdade. Outra parte é que os serviços públicos estão caindo aos pedaços para que os serviços privados sejam valorizados. Dessa forma, quem tem condições de pagar vai para um

colégio particular e para os planos de saúde. Não se trata só de “roubalheira”. Trata-se, principalmente, de opção política para favorecer empresários e outros setores da burguesia. Mas, como a elite faz para diminuir os investimentos públicos e, ao mesmo tem-

Não se trata só de “roubalheira”. Trata-se, principalmente, de opção política para favorecer empresários e outros setores da burguesia po, contar com o apoio da população? Convencendo a gente de que o serviço público é ruim por natureza, que não tem como ser melhor e é condenado ao fracasso

por causa da burocracia e da corrupção. Por outro lado, afirmam que o setor privado é eficiente, transparente e ágil, merecendo ser desenvolvido mesmo que com dinheiro público. PENSE NISSO As ideias dominantes são sempre as da classe dominante. Então será mesmo que privatizar, vendendo o que é do povo, é a melhor solução? Será que diminuir direitos trabalhistas vai beneficiar os trabalhadores? A metade das riquezas que nós produzimos deve servir mesmo para pagar os juros da dívida do governo ao invés de ser investida em serviços de qualidade? “Quem não pensa é pensado pelos outros”, já dizia o filósofo grego Sócrates. Então te convido a pensar nas respostas. *Felipe Moreira é diretor do Conselho Regional de Serviço Social (CRESS-RJ) e professor da Faculdade de Serviço Social da UERJ

Ficou evidente que a mobilização para retirar Dilma da Presidência era parte do plano de barrar as investigações da Lava Jato, para que não atingisse o PMDB e seus comparsas nessa ação criminosa. Jucá, braço direito de Temer, foi derrubado, mas a imprensa tradicional se esforça para tentar fingir que nada aconteceu. Temos dois cenários pela frente e uma pauta que pode unir a massa que foi manobrada achando que estava combatendo a corrupção. Muitos já estão envergonhados. A questão é que precisamos ser realistas. Defender Dilma é fundamental, pois significa defender a democracia e respeitar os votos de 54 milhões de brasileiros. Se os senadores tiverem vergonha na cara, mudarão seus votos e absolverão a presidenta. Dilma, retornando, poderia agir com sensibilidade e gentileza e oferecer ao povo uma consulta popular, um plebiscito, sobre novas eleições presidenciais. Isso a colocaria no altar da dignidade, pois, demonstra a nobreza de, mesmo após ser injusti-

çada, reconhecer a importância da opinião popular. Por outro lado, se Dilma não retornar, o governo de Temer seguirá sendo ilegítimo e somente uma campanha pelas “Diretas Já!” poderá resgatar a democracia. Com eleições diretas o povo poderia decidir se quer Temer no poder. E já sabemos que a grande maioria não quer. Diante desse Congresso

Jucá, braço direito de Temer, foi derrubado, mas a imprensa tradicional se esforça para tentar fingir que nada aconteceu composto por uma maioria criminosa, que impossibilita qualquer tentativa de reforma política séria, precisamos estar prontos para a possibilidade de novas eleições. Mais que isso. Essa pauta poderá criar um novo ambiente político para o país que afunda cada dia mais numa crise política sem precedentes.


Rio de Janeiro, 30 de maio a 1 de junho de 2016

Variedades l 13

ANDRÉ DAHMER | malvados.com.br

DICAS MASTIGADAS | Alan Tygel

Filé de frango ao molho de coco com pimenta-rosa Divulgação

AMIGA DA SAÚDE Boa tarde amiga! Minha filhinha já tem 1 ano e 1 mês e até hoje não tem nenhum dente. Nem sinal. Isso é normal? Como fica a alimentação dela nesse caso? Jaqueline Ferreira, 32 anos, auxiliar administrativa. Divulgação

Q Ingredientes • 1 kg de filé de peito de frango • 1 talo de aipo • 1 colheres de sopa de amido de milho • 1 vidro de leite de coco (200 ml) • 2 colher(es) de sopa de pimenta-rosa

Modo de preparo

Em uma panela grande, doure o frango com o mínimo de óleo possível. Ferva o aipo em meio copo (100ml) de água com sal para fazer um caldo, e junte, aos poucos, ao frango refogado. Cozinhe por 15 minutos ou até o frango ficar macio. Coloque pedaços de frango em um refratário e reserve. Adicione à panela do cozimento do frango o amido de milho dissolvido no leite de coco e cozinhe, mexendo sempre, até engrossar. Cubra o frango com o molho e polvilhe a pimenta rosa. Pimenta-rosa: Também chamada de aroeira, essa pequena especiaria é quase desconhecida por aqui, mas na Europa, é vendida a preço de ouro! É bem provável que você encontre uma perto de casa, ou andando pelas ruas. E é justo agora, na primavera, que os frutos aparecem. Apesar de se chamar pimenta, ela não arde: tem um gosto levemente adocicado, e ligeiramente picante. Vai bem com carnes, mas pode ser usada também para compor doces, e até mesmo fazer chocolate. Fique atento na sua cidade e bom apetite!

Envie sua receita para: receita@brasildefato.com.br

uerida Jaqueline, existem variações entre as crianças quanto ao aparecimento dos primeiros dentes. É normal chegarem a 1 ano com sorriso banguela, embora seja mais comum o nascimento dos dentes a partir dos 7 meses. Algumas, por questões genéticas e outros fatores, só começam a apontar os dentinhos por volta de 1 ano e meio. Mas é recomendada a avaliação médica e odontológica se a criança chega aos 15 meses sem nenhum dente. Isso porque existem algumas doenças como o hi-

potireoidismo e a hipovitaminose D, que contribuem com o atraso da dentição. A alimentação deve estimular a mastigação, mesmo sem dentes. Esse é um aprendizado importante dessa fase do desenvolvimento infantil. A

Dúvidas? amigadasaude@brasildefato.com.br

comida deve conter pedacinhos de alimentos, bem cozidos para que a criança não engasgue. Algumas frutas mais macias podem ser oferecidas em pedaços grandes para a criança comer sozinha.

Sofia Barbosa | Coren MG 159621-Enf


14 | Variedades

Rio de Janeiro, 30 de maio a 1 de junho de 2016

HORÓSCOPO Áries (21/3 a 20/4) A solidão poderá fazer parte dos seus dias. Contrarie esta tendência com todas as suas forças.

Touro (21/4 a 20/5) Alguns auxílios financeiros poderão trazer uma maior tranquilidade ao seu dia a dia.

Gêmeos (21/5 a 20/6) Procure uma maior aproximação da pessoa amada para concretizar os seus desejos de harmonia amorosa.

Câncer (21/6 a 22/7) Não adote uma postura distante, exponha ao seu parceiro as fantasias que pretende concretizar.

Leão (23/7 a 22/8) A sua vida social tenderá a misturar-se com importantes contatos profissionais.

Virgem (23/8 a 22/9) O atual momento apresenta meios de descomplicar situações e estão previstas grandes evoluções.

Libra (23/9 a 22/10) Poderá ser exigida alguma movimentação em termos geográficos dentro do campo profissional.

Escorpião (23/10 a 21/11) Se está direta ou indiretamente ligado ao campo das artes terá uma semana produtiva e recompensadora.

Sagitário (22/11 a 21/12) A sua compreensão e generosidade farão com que seja apreciado e desejado de uma forma especial.

Capricórnio (22/12 a 20/1) Quaisquer mudanças devem ser ponderadas. Certifique-se se as mesmas são favoráveis.

Aquário (21/1 a 19/2) São possíveis alguns desentendimentos no que concerne à organização de trabalho se trabalha em família.

Peixes (20/2 a 20/3) A tristeza e a solidão poderão afastar-se do seu caminho graças aos bons amigos que o acompanham.

FASES DA LUA Minguante 30/5

Nova 5/6

Crescente 12/6

Cheia 20/6


Rio de Janeiro, 30 de maio a 1 de junho de 2016

Vôlei feminino brasileiro conhece adversárias Foram divulgados os grupos da competição olímpica na primeira fase Alexandre Loureiro/Inovafoto CBV

Zé Roberto Guimarães, treinador da seleção brasileira de vôlei feminino

A

seleção brasileira de vôlei feminino do Brasil conheceu suas adversárias na primeira fase dos Jogos Olímpicos do Rio 2016. A equipe treinada por Zé Roberto Guimarães será a cabeça-de-chave do grupo A, por jogar em casa. Além do Brasil, estão no mesmo grupo as grandes adversárias da seleção nos últimos tempos, as podero-

sas russas. Além delas, estão também as seleções da Argentina, Camarões, Coreia do Sul, que surpreendeu o Brasil em Londres com uma vitória por 3 a 0, e o Japão. No grupo B estará a seleção dos EUA, líder do ranking mundial e principal favorita ao título, além da China, segunda no ranking, das europeias Sérvia, Itália e Holanda, e da seleção portorriquenha. (BP)

BINÓCULO

Ingressos à venda Está aberta pela internet a venda de ingressos para os jogos do Grand Prix de Vôlei Feminino e da Liga Mundial de Vôlei Masculino. Ambas as competições serão disputadas na Arena Carioca 1, que faz parte do Parque Olímpico, na Barra da Tijuca. A competição feminina acontecerá entre os dias 9 e 12 de junho e os ingressos estão sendo vendidos no site https://carrinho. tudus.com.br/worldgrand-prix. Já os homens entrarão em quadra entre os dias 16 e 18 de junho. A venda para a Liga Mundial é feita no site https:// carrinho.tudus.com.br/ world-league. Alexandre Arruda/ CBV

Federação de Vela pede plano de segurança especial A Federação Internacional de Vela (World Sailing) pediu ao Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio 2016 um plano especial de segurança enquanto houver velejadores em treinamento na cidade, antes da estreia nas competições.

O Diretor de Competições da Federação, Alastair Fox, tem pedido aos atletas que disponibilizem os períodos de permanência na cidade para preparação e disputa dos Jogos, além de locais de hospedagem e treinamento dos velejadores. O pedido da Federação

ao CO-Rio foi motivado por um assalto sofrido pelo treinador da equipe espanhola Santiago Vazquez mais dois velejadores, além de um tiroteio em Niterói presenciado por atletas de quatro países. Todos esses casos ocorreram na semana passada. (BP)

Esportes l 15

TOQUES CURTOS | Bruno Porpetta

Crise é não ter camisa Angel Gutierre

Bandeira foi omisso ao aceitar convite da CBFe prudente ao desistir

O jargão “Crise na Gávea” é fartamente utilizado pela imprensa esportiva, às vezes até policial, ao longo de todos os anos. Não existe um momento durante o ano em que o Flamengo não entre em crise. O Flamengo investiu pesadamente para ter um ano mais tranquilo no futebol do que em outros anos da gestão Bandeira de Mello. Financeiramente, as coisas vão bem, obrigado. Mas uma reformulação de elenco e comissão técnica tem um preço, que é do tempo do ajuste. O Flamengo perdeu o Campeonato Carioca para times ajustados há mais tempo. Até aí, é compreensível. Perdeu a Primeira Liga com o time reserva no confronto contra o Atlético-PR. Para quem iria priorizar a competição, começa a se tornar indesculpável. Caiu na Copa do Brasil para um time melhor montado, embora bastante inferior. Neste aspecto, se torna inadmissível. O time rubro-negro já poderia estar melhor do que está, mas se enrola pela profusão de “crises” que se inventam. A falta de conhecimento da diretoria sobre futebol começa a exalar pelos poros. A direção é responsável por dirimir crises no nascedouro. Sua função é dei-

xar que os jogadores façam apenas aquilo que sabem, jogar futebol. Na ausência de dirigentes capazes de chamar a responsabilidade e matar a crise no peito, a torcida começa a arrumar “Cristos” para pagar o pato. O primeiro deles foi Wallace. Sua saída não resultou em nada na prática. O problema é que, em

Na ausência de dirigentes capazes, a torcida começa a arrumar “Cristos” para pagar o pato um clube como o Flamengo, muita gente quer aparecer, seja na vitória ou na derrota. Claro que há os que só aparecem na vitória, mas se eximem de responsabilidade na derrota. Para a imprensa, é um prato cheio. Tudo tem que virar crise para virar notícia. Bandeira desistiu de chefiar a delegação da seleção brasileira, um dos episódios mais inexplicáveis do papo todo. Ficou para resolver a “crise”. No entanto, pode estar mais envolvido com ela do que se pode imaginar.


16 | Esportes

Rio de Janeiro, 30 de maio a 1 de junho de 2016

Rodrigo Coca/Flamengo

Em duelo de carrascos, Fred leva a melhor

Mailson Santana/Fluminense FC

Flu vence o Botafogo com gol do ídolo tricolor e Ribamar passa em branco

Zé Ricardo abraça Jorge, autor do gol da vitória do Fla

Fla volta a vencer e dá moral a treinador

Bruno Porpetta do Rio de Janeiro (RJ)

Fluminense e Botafogo fizeram o primeiro clássico carioca no Campeonato Brasileiro, em Volta Redonda (RJ), para um público muito pequeno. Menos de três mil pagantes foram ao estádio Raulino de Oliveira acompanhar a partida. O duelo opunha dois carrascos. De um lado, o experiente ídolo tricolor Fred, que até o início da partida já havia marcado em 13 oportunidades contra o Botafogo. Do outro, o jovem alvinegro Ribamar, que marcou três gols na carreira, todos contra o Fluminense, no Campeonato Carioca. Diferentemente das partidas no estadual, nas quais o Botafogo envolveu o Fluminense em seu toque de bola e organização tática, desta vez foi o tricolor que dominou o jogo. No primeiro tempo, o Flu ficou com a bola e esta-

Fred decide mais uma vez o Clássico Vovô em sua única finalização

cionou no campo de ataque, mas foi pouco efetivo na conclusão das jogadas. Além do último passe, que não saía com qualidade, as finalizações também não eram boas e o 0 a 0 acabou sendo justo, apesar do volume de jogo tricolor. Fred se limitou a trabalhar as jogadas no meio, mas não teve liberdade para finalizar uma vez sequer. No retorno do intervalo, não demorou muito para o Fluminense conseguir abrir o placar. Aos cin-

co minutos, em sua primeira finalização após vacilo da zaga alvinegra na saída de bola, Fred colocou no canto do goleiro Helton Leite. O gol fez com que o Botafogo saísse mais para o ataque, mas o time alvinegro esbarrou na boa marcação dos tricolores. Ribamar era muito bem marcado e Salgueiro não esteve bem, tanto que foi substituído por Gervasio Nuñez. No fim, o placar de 1 a 0 fez justiça ao que as equipes apresentaram em campo.

O Flamengo foi a Campinas (SP) enfrentar a Ponte Preta. Buscava interromper uma sequência de três jogos sem vitória e amenizar a crise que toma conta do clube, no primeiro jogo após o anúncio da saída do treinador Muricy Ramalho, por problemas de saúde. No entanto, o início do jogo foi bastante difícil para o rubro-negro. Sob pressão do ataque pontepretano, não demorou para o Flamengo levar o primeiro gol. Aos 12 minutos, após uma bola cruzada na área, Wellington Paulista desviou de cabeça. O juiz chegou a anular o gol por impedimento, mas voltou atrás. A sorte virou para o

Flamengo pouco tempo depois. Aos 20, Alan Patrick bateu falta para a área e Felipe Azevedo desviou com a cabeça contra o próprio gol. O juiz também chegou a anular o gol e, mais uma vez, voltou atrás. Aos 42 da primeira etapa, Jorge deu números finais à partida após bola mal afastada pelo goleiro da Ponte, emendando com um sem-pulo e fazendo um golaço. A vitória por 2 a 1, com um a menos por quase todo o segundo tempo, ameniza a crise. Com o resultado, o Fla interrompe um jejum de 11 anos sem vitória no Moisés Lucarelli, além de aumentar a pressão da torcida pela efetivação de Zé Ricardo no comando do time. (BP)

Hamilton vence em GP cheio de polêmicas Atual campeão da Fórmula 1, o inglês Lewis Hamilton (Mercedes) venceu sua primeira corrida nesta temporada no tradicional GP de Mônaco, disputado neste domingo (29). Com poucos pontos de ultrapassagem no circuito de rua mais charmoso do

mundo, Hamilton só garantiu a liderança da prova graças ao erro da RBR no pit stop do australiano Daniel Ricciardo, que foi o pole position e liderava até então. O piloto reclamou muito da equipe austríaca. Outra polêmica se deu dentro da combalida equi-

Foto Studio/Colombo Pirelli

Ricciardo (esq.) de cara fechada após erro da RBR

pe Sauber. Cheia de dívidas com pilotos e fornecedores, a equipe deu ordem para o piloto brasileiro Felipe Nasr deixar seu companheiro, o sueco Marcus Ericsson, passar durante oito voltas. O brasileiro não acatou a orientação e, na disputa pela posição, acabaram batendo. (BP)

Brasil de Fato RJ - 181  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you