__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

CIDADES | 10

ENTREVISTA | 11

ProUni

Alexandre Padilha

Ex-ministro, que criou o programa Mais Médicos, lamenta a destruição anunciada pelo governo

Agência Brasil

Inscrições iniciam nesta terça-feira (29). Conheça os prazos e requisitos para concorrer às bolsas de estudo.

PE

Pernambuco

Recife, 25 a 31 de janeiro de 2019

ano 3

edição 82

distribuição gratuita

O que está acontecendo na Venezuela?

OPINIÃO |05 Janaína Lima

29 de janeiro: Visibilidade Trans contra os retrocessos

ESPECIAL|08 Revolução Cubana

Nova Constituição cubana propõe manter o caráter socialista do Estado

AVN

VARIEDADES |15 Receita

Aprenda a fazer Pão de Brócolis, um alimento com baixo teor de sódio


2 | OPINIÃO

Recife, 25 a 31 de janeiro de 2019

Brasil de Fato PE

EDITORIAL

Sobre Marielle: não haverá justiça sem democracia RESISTÊNCIA. A conjuntura atual coloca um enorme desafio às forças populares.

justiça à Marielle Franco

om menos de 30 C dias de mandato, o governo de Jair Bolsona-

ro (PSL) revelou não apenas sua verdadeira face, mas também a trama mais profunda do estado de exceção instaurado no país desde o golpe de 2016. O caso de corrupção envolvendo o filho do presidente, tendo como centro a utilização de laranjas para desvio de dinheiro público, revelou não apenas a profundidade da corrupção praticada pela família do presidente, mas o envolvimento direto com o crime organizado do Rio de Janeiro. Entender o significado desse episódio exige, contudo, recompor

O primeiro semestre de 2018 representou, contudo, um sinal de alerta aos setores golpistas os objetivos contraditó- A questão colocada era rios do golpe sofrido pela evidente: como garantir democracia em 2016. que a esquerda deixasse de ter influência nos se-

Expediente Brasil de Fato PE O jornal Brasil de Fato circula em todo o país, com edições regionais em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Pernambuco. O Brasil de Fato PE circula quinzenalmente às sextas feiras. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais.

REDE SOCIAL: facebook.com/brasildefatopernambuco |Correio: pautape@brasildefato.com.br

Edição: Monyse Ravenna (DRT/CE 1032) | Redação: Catarina de Angola, Daniel Lamir, Marcos Barbosa, Rani de Mendonça, Vanessa Gonzaga e Vinícius Sobreira. | Revisão ortográfica: Júlia Garcia Colaboração: André Barreto, Filipe Spencer, Francisco Marcelo, Halina Cavalcanti, Stella Nascimento, Roberto Efrem Filho, Bianca Almeida. Distribuição e Administração:Iyalê Tahyrine| Diagramação: Diva Braga Conselho editorial: Conselho editorial: Alexandre Henrique Bezerra Pires, Ana Gusmão, André Barreto, Aristóteles Cardona Jr., Bruno Ribeiro, Carlos Veras, Catarina de Angola, Doriel Saturnino de Barros, Eduardo Mara, Geraldo Soares, Henrique Gomes, Itamar Lages, Jaime Amorim, José Carlos de Oliveira, José Fernando de Melo, Fernando Lima, Laila Costa, Lívia Milena, Luiz Antonio da Silva Filho, Luiz Antonio Lourenzon, Marcela Vieira Freire, Marcelo Barros, Margareth Albuquerque (in memorian), Marluce Melo, Paulette Cavalcante, Paulo de Souza Bezerra, Paulo Mansan, Pedro Rafael Lapa, Roberto Efrem Filho, Rogério Almeida, Rosa Sampaio, Sérgio Goiana, Suzineide Rodrigues, Valmir Assis. Tiragem: 20 mil Exemplares

tores populares durante um governo ilegítimo cujas medidas de desmonte dos direitos agravavam aceleradamente a miséria do povo brasileiro? A resposta era também evidente: minando a democracia formal existente no país. O primeiro semestre de 2018 representou, contudo, um sinal de alerta aos setores golpistas. Mesmo com toda a campanha difamatória do aparato judicial e da grande mídia, Lula seguia como favorito na disputa presidencial e, do outro lado, o setores conservadores e neofascistas seguiam sem uma candidatura viável para legitimar a ruptura da democracia. É nesse contexto que a estratégia do golpe sofre uma inflexão decisiva utilizando como laboratório a cidade do Rio de Janeiro. Não havia novidade na utilização de forças militares no Rio. O balanço das operações realizadas nos anos anteriores demonstrava claramente a ineficácia de tais forças contra o crime organizado: tanto no que se refere ao narcotráfico, quanto contra as milícias organizadas, que passaram a ocupar as favelas disseminando o terror para extorquir a população mais pobre. Os setores progressistas da sociedade carioca ocupavam um lugar central na denúncia da atuação das

milícias e eram também os principais opositores à intervenção militar no estado. Sua voz mais corajosa na cidade do Rio era a vereadora Marielle Franco, assassinada menos de um mês após a intervenção militar. Na outra ponta encontrava-se o clã da família Bolsonaro, conhecida por sua defesa pública das milícias no parlamento e, naquele momento, ponta de lança na defesa da intervenção militar. Menos de um mês depois do assassinato de Marielle, os inimigos do povo davam outro passo decisivo com a prisão de Lula, contando com a pressão do aparelho militar sobre o judiciário como meio de garantir a subordinação do STF. A ligação de Flávio Bolsonaro com as milícias suspeitas do assassinato de Marielle é inseparável da estratégia ultraconservadora que tomou conta do país. A conjuntura atual coloca, assim, um enorme desafio às forças populares. Trata-se de articular o combate ao governo neofascista de Bolsonaro com a construção de um amplo movimento na defesa dos direitos sociais e pelo retorno à democracia. Somente com a retomada da democracia será possível frustrar a estratégia neofascista de entrega do país e finalmente fazer justiça à Marielle Franco.


Brasil de Fato PE

GERAL l 3

Recife, 25 a 31 de janeiro de 2019

Divulgação

FRASE da semana

mandou

Gigante na música e gigante na ação”

BEM

Reprodução

Modo Fábio Assunção as últimas semanas, o hit N “Modo Fábio Assunção” bombou nas redes sociais e pla-

Rapper Bnegão, em referência ao cantor e militante Marcelo Yuka, que faleceu na última sexa (18), em decorrência de um AVC.

Carol Alencar

taformas de streaming. O ator procurou os autores responsáveis pela música, já que seu nome é mencionado, para reinvidicar uma parte dos direitos autorais, que terão 100% da renda revertida para uma associação que cuida do controle e cura da dependência química.

mandou

Você acha que a liberação do porte de armas vai diminuir a violência? Por quê?

MAL

Olga Leiria/RBA

Arquivo pessoal

Não. Armas sempre trazem perigo e medo. Afonso Bezerra, jornalista.

Menos escolas secretário especial de AsO suntos Fundiários do governo Bolsonaro, Luiz Antônio

Nabhan Garcia, afirmou que vai trabalhar para fechar as escolas do campo fundadas pelo MST, chamadas por ele de “fabriquinhas de ditadores”. Hoje o MST tem 1.100 escolas já reconhecidas pelos conselhos estaduais de educação e cultura, além de 320 cursos de nivel médio, técnico e superior.


Recife, 25 a 31 de janeiro de 2019

4 ||Mundo GERAL

Ditadura Militar, Memória e Justiça Paulo Pinto/Fotos Públicas

Brasil de Fato PE

Ato em defesa da previdência

a quinta-feira (24), movimentos populares e entidades núcleo do Partido Socialismo e LiO berdade (PSOL) da cidade de São Nsindicais estiveram nas ruas em defesa da previdênCaetano, no agreste do estado, realiza nes- cia social. O ato aconteceu na Praça da Independência du-

sa sexta (25), o debate “Ditadura Militar, Memória e Justiça”, com a presença de Marcelo Santa Cruz, vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/ PE, da advogada Paula Neves e da jornalista e professora de história Marlene Leandro. O evento acontece a partir das 19:30 na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Pernambuco, que fica na Rua José Bezerra Sobrinho, s/n, Centro.

ESPAÇO SINDICAL Assembleia do SINDSEP SINDSEP - PE

a última quarta-feira N (23), o Sindicato dos Servidores Públicos Fede-

rais de Pernambuco (SINDSEP-PE) convocou uma Assembleia Geral. Desde o final de 2018, o Governo Federal está cortando benefícios como adicional de insalubridade ou periculosidade de quem não apresentou os laudos atualizados. O impasse é que a emissão dos laudos é uma obrigação do órgão e não do servidor. Muitos órgãos emitiram laudos, mas o Ministério da Saúde continua suspendendo o pagamento, conforme prévia dos contracheques. Por isso, foi deliberado o ingresso em ação judicial para manter pagamento de adicionais ocupacionais.

Transição na CUT CUT-PE

m coletiva de imprenE sa, Carlos Veras se despediu da presidência da

CUT - PE, para agora ocupar uma cadeira na Câmara dos Deputados com o objetivo de representar os trabalhadores e trabalhadoras de Pernambuco. Veras apresentou as prioridades do seu mandato e destacou a importância da luta contra a reforma da previdência, que já vem sendo contestada pelas entidades sindicais e que deve ser uma das primeiras pautas dos deputados e deputadas eleitos nesse início de ano. Agora, quem assume a presidência da CUT - PE de maneira definitiva, é o vice-presidente Paulo Rocha.

rante a manhã, onde foi distribuída a Carta do Recife, com a pauta de defesa da aposentadoria pública e contra a reforma da previdência. A manifestação fez parte da programação da Semana Nacional do Aposentado e Aposentada, que em Recife foi celebrada com o II Seminário sobre Previdência Pública e Seguridade Social, que aconteceu na última quarta (23), na sede do Movimento dos Trabalhadores Cristãos (MTC), com palestras sobre temas relacionados à previdência social.

Direitos de Fato A Lei Maria da Penha reconhece a posse de armas como um fator de risco o último dia 15 de janeiro o Presidente da República sancioN nou decreto ampliando o direito à posse de armas no ambiente doméstico. Por não se tratar do porte, o decreto limita-se a permi-

tir a posse das armas em casa, e não em ambientes públicos. Nesse sentido, e considerando que a violência doméstica contra a mulher é um problema sério no Brasil, o quinto país a mais matar mulheres no mundo, a ampliação da posse de armas no ambiente doméstico pode contribuir para aumentar os casos de violência contra a mulher e feminicídio. A Lei Maria da Penha, de 2006, já reconhece a posse de armas como um fator de risco para mulheres em situação de violência, tanto que prevê em seu Artigo 22 a restrição da posse e do porte de armas como uma medida protetiva, ou seja, como uma das formas previstas na Lei para proteger as mulheres, e que vão além da prisão do agressor. Assim, a mulher pode solicitar a suspensão da posse de armas ou a restrição do porte mesmo que se trate de arma irregular, ou seja, não cadastrada nos órgãos competentes, o que contraria as disposições do Estatuto do Desarmamento. Para tanto, é interessante que a mulher informe desde o início que o agressor possui armas de fogo.

* Bianca Almeida é advogada em Recife (PE) e integrante da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD).

Para entrar em contato e tirar dúvidas mande um email para contato.pe@brasildefato.com.br ou um whattsapp para 8199060173


Brasil de Fato PE

Recife, 25 a 31 de janeiro de 2019

OPINIÃO I 5

Artigo

O que está acontecendo na Venezuela? Sidney Mamede*

Aristóteles Cardona*

E

u já escrevi sobre a Venezuela em outras oportunidades, mas retorno ao tema agora pelo destaque que tomou nos últimos dias. O país liderado por Nicolás Maduro foi alçado aos noticiários internacionais graças à tentativa de golpe em curso no momento em que escrevo estas palavras. Para quem não acompanhou, trata-se de uma tentativa do presidente da Assembleia Nacional assumir o poder no país, com o apoio de Donald Trump, o presidente dos Estados Unidos. Para reforçar o entendimento, dá para traçarmos um paralelo com o Brasil: é como se Rodri-

Questionam a falta de democracia, mas defendem um verdadeiro golpe de estado go Maia, atual presidente da Câmara dos Deputados, em meio as suas articulações para se reeleger presidente daquela casa, chamasse uma coletiva de imprensa para dizer que a partir de agora decidiu se considerar o presidente do Brasil sem ter obtido um voto se-

quer para isso. Ou seja, não faz sentido algum. É mais um exemplo da velha tentativa de golpe de Estado. Há muito a se falar, mas queria pontuar algumas questões neste nosso espaço. A primeira é sobre o último processo eleitoral, muito questionado pela oposição. Qualquer processo eleitoral, é bom que se diga, é passível de questionamentos e isso pode compor o próprio processo democrático. Mas não dá para deslegitimar o resultado eleitoral por apenas não concordar com ele. A última eleição na Venezuela contou com ostensiva observação internacional. Muitos observadores, entre eles o Zapatero,

ex-presidente da Espanha. A outra questão que queria pontuar é sobre os erros do governo de Maduro. Não tenho dúvidas que existiram e até já os pontuei melhor aqui em outras oportunidades. Mas é preciso que esteja clara a guerra econômica que é travada contra o povo venezuelano há anos. Inclusive, esta é a opção de setores da oposição. Desgastar o governo atacando o povo, como por exemplo, provocando desabastecimento de alimentos nas cidades. O que está acontecendo, no final das contas, é que a Venezuela ganhou importância no tabuleiro da geopolítica mundial.

Setores mais ligados à extrema-direita sentiram que seria o momento de derrubar Maduro, aproveitando que agora Jair Bolsonaro está na presidência do Brasil. Questionam a falta de democracia, mas defendem um verdadeiro golpe de Estado. E, neste tabuleiro da geopolítica mundial, como citei acima, não há outros times em campo. De um lado o chavismo e do outro a extrema-direita que tenta chegar ao poder com um golpe. * É Médico, professor e membro da Rede Nacional de Médicos e Médicas Populares

Artigo

Visibilidade Trans contra os retrocessos Janaína Lima*

D

esde 2004, no dia 29 de janeiro é comemorado o dia da Visibilidade Trans no Brasil, data que marca a luta por direitos sociais de pessoas transexuais e travestis. Desde então, pouco caminhamos para inclusão e acesso aos direitos básicos como educação, saúde e trabalho por essa população. Nosso país está na lista dos que mais assassinam pessoas trans no mundo, além da falta de políticas sociais que garantam a permanência dessas pessoas na educação e no acesso ao mercado de trabalho. Cerca de 90% ainda sobrevivem da prostituição

Nosso país está na lista dos que mais assassinam pessoas trans no mundo e têm cada vez mais dificuldades de qualificação profissional, o que nos nega a vida social, o que nos torna sem perspectivas nessa sociedade. Não bastando os retrocessos históricos sofridos

pela população LGBT concretizados nas violências diárias, temos um novo governo federal representado pelo conservadorismo e neoliberalismo, que não só nega os direitos humanos, mas privatiza os serviços públicos, retirando a função social do estado e deixando na mão do mercado a vida do nosso povo. As últimas declarações da nova Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, sobre esta ser “uma nova era no Brasil, meninos veste azul e meninas veste rosa” demonstra a posição do governo na defesa das nor-

mas sociais de gênero, e consequentemente na exclusão das pessoas que se diferem dessas normas heterossexuais e morais do que é ser homem e ser mulher na sociedade. Essa postura do governo Bolsonaro fica nítida ao retirar a população LGBT das diretrizes nacionais de direitos humanos, invisibilizando as violências sofridas por essa população. Além disso, foi apresentado um projeto na Câmara dos Deputados que suspende o atendimento socioassistencial da população LGBT, o que representa uma articula-

ç ã o política conservadora que pretende retroceder nas políticas sociais e atacar diretamente essa população. É frente a esses desafios que a visibilidade da luta trans se faz cada vez mais necessária, denunciando os retrocessos, combatendo e resistindo ao preconceito, retomando o diálogo com o povo sobre o direito de sermos quem somos. Janaína Lima é jornalista, mestranda em Estudos da Mídia UFRN.


6 | BRASIL

Brasil de Fato PE

Recife, 25 a 31 de janeiro de 2019

Bolsonaro abre caminho para acabar com demarcação de terras indígenas EVARISTO SA AFP

RETROCESSOS. Esvaziamento da Funai vai permitir exploração de áreas atualmente protegidas Pedro Rafael Vilela, de Brasília*

tendendo a um deA sejo antigo da bancada ruralista no Congres-

so Nacional, o presidente Jair Bolsonaro retirou da Fundação Nacional do Índio (Funai) a prerrogativa sobre a identificação, delimitação, demarcação e registro das terras indígenas no país. Agora, essas atribuições pertencem ao Ministério da Agricultura, pasta voltada aos interesses do agronegócio, muitos dos quais se chocam exatamente com os direitos originários dos índios previstos na Constituição Federal de 1988, que reconhece o direito à terra dessa população tradicional. A mudança foi confirmada

vão precisar inviabilizar a demarcação das terras indígenas na Medida Provisória nº 870, o primeiro ato de governo do novo presidente, assinado no dia de sua posse, no dia 1º de janeiro. Durante a campanha eleitoral, Bolsonaro já havia declarado, mais de uma vez, que, caso eleito,

não daria “nem um centímetro a mais de terra indígena”. A reação das organizações indígenas à nova medida foi imediata. Em nota, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) condenou as mudanças, alertando para os riscos, inclusive, em relação à preservação do meio ambiente no país. “Bolsonaro e os coronéis da Bancada Ruralista sabem que para colocar mais terras no mercado, vão precisar inviabilizar a demarcação das terras indígenas, quilombolas, assentamentos de reforma agrária e unidades de conservação. Mas, tam-

bém sabem que o mundo tende para um novo modo de produzir e consumir, e que não vamos hesitar em denunciar esse governo e o agronegócio nos quatro cantos do mundo, denunciando e exigindo, a adoção e o respeito às salvaguardas sociais e ambientais, necessárias ao fiel cumprimento de nossos direitos constitucionais.”, diz um trecho da nota publicada pela entidade. A própria APIB ingressou com uma representação na Procuradoria Geral da República contra a MP, e o caso poderá ser levado ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Interesses enigmáticos Mesmo fatiada e perdendo as principais atribuições, a Funai será comandada, no governo Bolsonaro, pelo general da reserva Franklimberg Ribeiro de Freitas, que atuou como presidente da autarquia entre maio

de 2017 e abril de 2018. Ele foi escolhido por Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, e sua volta ao cargo acende um sinal de alerta entre os movimentos indígenas e indigenistas. Durante o segundo semestre do ano passado, poucos meses depois de pedir demissão da Funai, Freitas atuou como conselheiro consultivo para assuntos indígenas, comunitários e ambientais da mineradora canadense Belo Sun Mining. A companhia lidera um dos maiores projetos de mineração do país, que pretende, ao longo de um período de 12 anos, extrair 60 toneladas de ouro da região da Volta Grande do Xingu, no Pará. O empreendimento afetaria diretamente as tribos indígenas Juruna e Arara, assim como outras comunidades tradicionais já impactadas negativamente pela Usina Hidrelétrica de Belo Monte. E depende do aval da Funai para ser colocado em prática. Anúncio

CONTRA A REFORMA DA PREVIDeNCIA REAJA AGORA OU MORRA TRABALHANDO! @sintepedigital

@sintepedigital

@sintepedigital | www.sintepe.org.br


Recife, 25 a 31 de janeiro de 2019

Brasil de Fato PE

MUNDOL | 7

Diante da tentativa de golpe, Venezuela rompe relações com os EUA SOBERANIA. Em meio a atos pró e contra Maduro, líder opositor Juan Guaidó se autodeclara presidente Fania Rodrigues, de Caracas (Venezuela)

presidente do país – o que contou com o reconhecimento de países como os EUA e o Brasil. “Como chefe de Estado, jurei diante do povo defender a soberania da Venezuela. Por isso decidi romper relações diplomáticas com o governo dos EUA”, declarou Maduro, ovacionado pela população.

Divulgação/Presidência da República

Nicolás Maduro foi reeleito presidente da Venezuela em 2018

Maduro, a deixar o cargo de do povo venezuelano”. Outros países da repara “favorecer o líder lem meio a uma mulgítimo que reflete a vonta- gião seguiram a posiEnquanto o povo vetidão de apoiadores ção estadunidense e tamreunidos em frente ao Pa- nezuelano marchava em bém declararam reconhelácio de Miraflores, sede do paz e com liberdade, concer a Guaidó, entre eles governo, o presidente ve- tra e a favor, pelas ruas os membros do chamanezuelano Nicolás Madu- da capital, o governo dos do Grupo de Lima, como ro anunciou o rompimen- EUA emitiu um comuniComo chefe de Brasil, Argentina, Chile e to das relações diplomáti- cado onde reconhecia o Canadá. Estado, jurei cas e políticas com os Es- deputado Juan Guaidó tados Unidos. A declaração como “presidente legítidiante do povo Marchas pacíficas foi dada após o novo líder mo” da Venezuela. O sedefender a Centenas de milhares de da oposição, o deputado e cretário de Estado dos Essoberania da venezuelanos saíram às presidente da Assembleia tados Unidos, Mike Pomruas de Caracas na quarNacional em desacato, Juan peo, instou o presidenVenezuela ta-feira (23). No centro da Guaidó, se autoproclamar te da Venezuela, Nicolás

E

Ingerência norte-americana

cidade, onde congregam todos os poderes do Estado, marcharam os chavistas que apoiam o presidente Nicolás Maduro. Enquanto, na zona leste da capital, em bairros de classe média-alta, a oposição levou um grande número de pessoas à sua manifestação. Nenhum dos protestos tiveram cifras divulgadas. No palco principal do ato opositor, o deputado Juan Guaidó fez um discurso e também um juramento simbólico como presidente interino da Venezuela, onde assumiu o compromisso de ações políticas pacíficas. No entanto, no final da manifestação, já quando a população se retirava do local, um grupo de opositores mascarados praticaram atos de vandalismo e provocação contra policiais que faziam a segurança.

Na América Latina, políticos e lideranças manifestam apoio ao governo Maduro SOLIDARIEDADE. A exemplo de Donald Trump, Jair Bolsonaro (PSL) reconheceu Juan Guaidó como “presidente encarregado” Venezuela, Nicolás Maduro. O PT e suas bancadas na Câmara e no Senado qualificaram a decisão de Bolsonaro como subserviente aos Estados Unidos, ressaltando que foi o presidente estadunidense, Donald Trump, quem primeiro reconheVenezuelanos foram às ruas para defender Maduro nesta quarta-feira (23) ceu Guaidó como presidente nesta quarta-feiDa Redação ra: “Decisão do novo governo autoritário brasiideranças popula- leiro de não reconhecer res e partidos políti- o mandato do presidencos do campo progressista te Maduro contraria as na América Latina denun- mais altas tradições da ciaram a tentativa de gol- diplomacia do país.”. pe contra o presidente da A direção nacional do AVN

L

PCdoB também divulgou uma nota contra a tentativa de golpe: “O Brasil há 140 anos não tem conflitos militares com seus vizinhos.”. Pelo Twitter, o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) Guilherme Boulos também questionou a decisão do presidente brasileiro: “Bolsonaro apoia golpe na Venezuela ao reconhecer o deputado Juan Guaidó como presidente.”. A Frente Brasil Popular utilizou a mesma rede social para se solidarizar com Maduro, presidente eleito da Venezuela:

“O Brasil, por suas características históricas, geográficas e territoriais deve servir para se estabelecer a paz na Venezuela e não querer provocar uma guerra. “. Evo Morales, presidente da Bolívia, considera o movimento contra Maduro como um ataque à democracia: “Nossa solidariedade ao povo venezuelano e ao irmão Nicolás Maduro, nestas horas decisivas em que as garras do imperialismo buscam novamente ferir de morte a democracia e a autodeterminação dos povos da América do

Sul.”. O porta-voz da secretaria de Relações Exteriores do México, Roberto Velasco, declarou à agência Bloomberg que, para a administração do presidente eleito López Obrador, o mandatário legítimo da Venezuela é Nicolás Maduro. Cuba e Nicarágua se manifestaram, da mesma forma, em apoio ao governo chavista, eleito em maio 2018. Fora do continente, Rússia e China também emitiram comunicados oficiais para reforçar a legitimidade de Maduro no cargo de presidente.


8 |

ESPECIAL: REVOLUÇÃO CUBANA

l9

Recife, 25 a 31 de janeiro de 2019

Nova Constituição cubana propõe manter o caráter socialista do Estado

AMÉRICA LATINA. O Partido Comunista de Cuba é reafirmado como a vanguarda organizada da nação CubaSi.cua

André Barreto, de Havana (Cuba) o bojo da construção N incessante do povo cubano, em plenos 60

anos do início de seu processo revolucionário, Cuba segue livre e socialista, afirmação que se renova no novo pacto nacional e popular presente no texto da nova Constituição que está sendo apresentada e discutida pelo povo cubano e será submetida a consulta popular antes de sua aprovação. No teor desta, podemos destacar a presença de uma série de temas e previsões jurídicas constitucionais que concretizam tal continuidade: - Em seu preâmbulo traz um resgate histórico das lutas do povo cubano por uma pátria livre, afirmando o seguimento da revolução na construção do socialismo e do pensamento revolucionário, anti-imperialista, marxista e cubano de Martí e Fidel. - No seu artigo 1º, mantém o caráter socialista do Estado cubano (República de Cuba), baseado nos princípios da justiça social, da democracia, independência e soberania, e fundado no trabalho. - O Partido Comunista de Cuba é reafirmado como a vanguarda organizada da nação cubana e força dirigente da sociedade e do Estado. A União de Jovens Comunistas, reconhecida como a

Destaca-se a proibição da propriedade privada sobre os meios de comunicação social

organização de formação e mobilização da juventude e novas gerações nos princípios revolucionários e éticos da sociedade cubana, assim como demais organizações de massa e sociais na tarefa de consolidação e defesa da sociedade socialista (arts. 5º, 6º e 14). - Afirmação do exercício de soberania, da convivência pacífica e livre determinação dos povos, dos princípios anti-imperialistas e internacionalistas como orientadores das relações internacionais do Estado cubano, destacando a reafirmação de sua vontade na integração e colaboração com os países latino-americanos e caribenhos, unidade entre os países do Terceiro Mundo e promoção do multilateralismo, bem como a condenação do fascismo, (neo)colonialis-

Nos artigos 18 a 20, a previsão de sua economia ser baseada em um sistema socialista mo e qualquer expressão de terrorismo de Estado (art. 16). - Nos artigos 18 a 20, a previsão de sua economia ser baseada em um sistema socialista, na qual

a propriedade socialista dos meios fundamentais de produção é a forma principal de propriedade e de titularidade de todo o povo, bem como há a direção planificada da economia com participação dos trabalhadores, principalmente na gestão das empresas estatais socialistas, sendo estas os sujeitos principais da economia nacional

na produção de bens e serviços; - Reconhecimento das seguintes formas de propriedade (art. 22 a 24): i) propriedade socialista dos meios de produção orientada para o desenvolvimento econômico e social e dos bens comuns; ii) propriedade cooperativa dos meios necessários à realização das atividades econômicas baseadas no trabalho cooperativo; iii) propriedade das organizações políticas, sociais e de massa e de instituições associativas sobre os bens destinados ao cumprimento de seus fins específicos; iv) propriedade privada sobre bens de atividades complementares na economia; propriedade mista na combinação e associação de duas ou mais formas de propriedade; e v) propriedade pessoal sobre bens

de uso pessoal para satisfação de necessidades materiais e espirituais de seu titular. Destaca-se a proibição da propriedade privada s o -

bre os meios de comunicação social. - Previsão de direitos, liberdades e garantias individuais baseadas na afirmação da dignidade humana; do respeito aos direitos de personalidade; da igualdade de todas pessoas perante a lei, sendo vedada qualquer forma de discriminação por razões de sexo, orientação sexual, identidade de gênero, idade, origem étnica e nacional, cor da

pele ou crença religiosa; igualdade de direitos entre homens e mulheres, assegurando o exercício de seus direitos sexuais e reprodutivos e protegendo contra qualquer forma de violência de gênero; reconhecimento da liberdade religiosa, afirmando o caráter laico do Estado cubano; garantia da liberdade de expressão, reunião, associação e manifestação; garantia à inviolabilidade de domicílio e correspondências; garantia contra qualquer forma de desaparição forçada, tortura e penais cruéis, dentre outros (artigos 32 a 63). - Previsão do trabalho como direito, sendo o trabalho livre e remunerado em função da qualidade e quantidade, segundo o princípio socialista “de cada qual segundo sua capacidade, a cada qual segundo seu trabalho”; sendo proibido o trabalho de crianças e adolescentes;

jornada de trabalho de 8 horas e direito ao descanso semanal e férias anuais remuneradas; direito à seguridade social (art. 64 a 69). - Reconhecimento do direito de todas pessoas à moradia adequada, à saúde pública e gratuita, à educação pública e gratuita, à água potável e seu saneamento, à alimentação adequada, todas elas sendo efetivadas e acessíveis pelo Estado mediante políticas públicas (art. 71 a 80). Reconhecimento e proteção jurídica da família, qualquer que seja a sua forma de organização, constituída de natureza afetiva e com iguais direitos entre os integrantes (art. 81). - Estado cubano estruturado segundo os princípios da democracia socialista, sendo todos os órgãos representativos eleitos e controlados em suas atividades pelo povo, tendo os eleitos dever de prestação de contas periódica, sendo seus cargos revogados a qualquer tempo pela população (art. 101). - Assembleia Nacional do Poder Popular, parlamento unicameral cubano, como órgão supremo e de direção coletiva do poder de Estado, integrada por deputados eleitos diretamente pelo povo para mandatos de cinco anos, mantendo-se trabalhando em suas respectivas unidades laborais, não necessitando ter

alguma vinculação partidária para serem eleitos; são os demais órgãos de estado, governo, controladoria e sistema de justiça compostos e eleitos a partir desta e em observância às suas decisões – aqui se destacando o Conselho de Estado e Conselho de Ministros, ambos de caráter colegiado, sendo seus membros designados dentre os deputados. - Previsão dos Conselhos Populares como

órgãos locais do poder popular de caráter de base e representativo, que se organizam em cidades, povoados, bairros e zonas rurais, integrados por delegados e devendo ter reuniões periódicas para discussão e deliberação de temas do interesse local, coordenação e esforço coletivo em benefício da comunidade, controle das entidades de produção e serviços locais (art. 198 e 199). juventuderebelde.cu


10 I CIDADES

Brasil de Fato PE

Recife, 25 a 31 de janeiro de 2019

Inscrições para o ProUni 2019 iniciam nesta terça-feira (28)

Para se inscrever ao ProUni 2019, o estudante precisa ter realizado a prova do Enem 2018.

EDUCAÇÃO. Conheça os prazos, os requisitos para participação e os critérios de renda para bolsas parciais ou integrais Marcos Barbosa

As inscrições para o processo seletivo do Programa Universidade para Todos (ProUni), para o primeiro semestre de 2019, estarão abertas de 29 de janeiro (terça-feira) até às 23 horas e 59 minutos (horário de Brasília-DF) de 1º de fevereiro (sexta-feira), em Pernambuco 22 horas e 59 minutos. Os candidatos poderão conferir as op-

ções de bolsas disponíveis e realizar inscrição exclusivamente pela internet, por meio do endereço eletrônico http://siteprouni.mec.gov.br. Em 2018 foram oferecidas 242.987 vagas em todo o país, em quase três mil instituições privadas. No ano passado foram ofertadas quase 13 mil bolsas em Pernambuco. O ProUni oferece bolsas de estudo integrais e parciais (50%) em cursos de graduação de instituições privadas de ensino superior. Estão aptos a participar da seleção do programa candidatos brasileiros que não possuam um diploma de curso superior (universitário) e que tenham realizado a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018. Além disso, o candidato precisam atender a pelo

Em 2018, foram oferecidas 242.987 vagas em todo o país, em quase três mil instituições menos um dos seguintes requisitos: ter cursado o ensino médio completo em escola pública, ou em instituição privada na condição de bolsista integral, possuir alguma deficiência, ou ser professor da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica e integrando o quadro de pessoal permanente da respectiva instituição. O candidato também deve estar enquadrado no perfil de renda exigido pelo programa. Para inscrever-se às bolsas integrais, a renda familiar bruta mensal per capita não pode exceder o valor de 1,5 (um vírgula cinco) salário-mínimo. Já para as bolsas parciais, a ren-

da familiar bruta mensal per capita não pode exceder o valor de 3 (três) salários mínimos. Para os candidatos professores da rede pública de ensino, os limites de renda não se aplicam. Como se inscrever Para efetuar sua inscrição, o candidato deverá, obrigatoriamente, informar: o número de inscrição do Enem 2018 e a senha mais atual cadastrada, endereço de e-mail e número de telefone válidos e dados cadastrais próprios e referentes ao grupo familiar. Ainda no momento da inscrição, é permitido ao candidato escolher, em ordem de preferência, até duas opção de instituição, local de oferta, curso, turno, tipo de bolsa e modalida-

de de concorrência. O processo seletivo 2019 contará com duas chamadas sucessivas. Os resultados com a lista dos candidatos pré-selecionados estarão disponíveis na página do ProUni na internet, 4 de fevereiro (primeira chamada) e 18 de fevereiro (segunda chamada). O candidato pré-selecionado deverá comparecer à respectiva instituição de ensino superior para comprovação das informações prestadas durante a inscrição. Os candidatos que não forem selecionados, mas que desejem concorrer à ocupação das vagas remanescentes do ProUni, deverão manifestar interesse na lista de espera por meio da página do ProUni, no período de 7 a 8 de março.

Atenção às datas importantes: Inscrições – 28/01/2019 a 01/02/2019 Resultado da primeira chamada – 04/02/2019 Resultado da segunda chamada – 18/02/2019 Inscrição na lista de espera – 07 e 08/03/2019 Anúncio


Brasil de Fato PE

ENTREVISTA l 11

Recife, 25 a 31 de janeiro de 2019

Alexandre Padilha: “Governo Bolsonaro pode deixar legados irreversíveis” SAÚDE. Ex-ministro, que criou o programa Mais Médicos, lamenta a destruição anunciada pelo governo

EBC,

A Lei da Reforma Psiquiátrica é da segunda metade dos anos 90

Nina Fideles e Leonardo F ernandes, de SP

médico e ex-minisO tro da Saúde durante o governo Dilma Rou-

sseff (PT), Alexandre Padilha é deputado federal pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Padilha é reconhecido internacionalmente por ter participado da criação do programa Mais Médicos, responsável por garantir atendimento em regiões isoladas do país ou com deficit de profissionais a partir de 2013. Brasil de Fato: Como foi estar à frente de um ministério tão importante, com uma demanda tão cara para a população brasileira? Alexandre Padilha: Para quem é médico, profissional de saúde, que sempre lutou pelo SUS – eu estou nessa luta desde quando era estudante de Medicina, no comecinho dos anos 1990 –, não tem nada que honre mais do que poder um dia ser ministro da Saúde de seu país. Ainda mais em um governo que eu ajudei a construir, o governo da presidenta Dilma. [Ela] Nos permitiu fazer enfrentamentos bastante importantes. O Mais Médicos foi o mais conhecido – por conta da polêmica e do debate, da impor-

Até agora, na Saúde eu não vi nenhuma medida tância e da necessidade da população como um todo –, mas eu tive muito orgulho de fazer parte de uma gestão que fez com que o Brasil voltasse ao protagonismo da luta contra a AIDS no mundo. Em novembro, houve a saída de Cuba do programa Mais Médicos. Quais foram as consequências mais imediatas, e quais podem ser as consequências a longo prazo? Alexandre Padilha: É um grande estrago. E a gente vai medindo esse estrago a partir dos meses, dos anos. Eu estou convencido de uma coisa: não é a razão, nem dados, nem evidências que vão guiar esse governo. Até porque alguns ministros acreditam que a Ter-

ra é plana [risos]. Tem ministro que veio questionar porque se fala da Teoria da Evolução das Espécies nas escolas. A medida que o Bolsonaro e o [Sérgio] Moro tomaram [sobre a flexibilização da posse de armas] é de permitir que se criem verdadeiros batalhões privados na casa das pessoas. Vai contra qualquer evidência, dados sobre o impacto da liberação de armas sobre a vida das pessoas. Qual o indicativo que esse governo dá para o SUS? Alexandre Padilha: De medida concreta, nenhuma até agora. Teve decreto para liberar arma, teve Medida Provisória (MP) para tirar Terra Indígena da Funai e passar para o Ministério da Agricultura, teve o fim do Ministério do Trabalho e Emprego, teve medidas que agridem fortemente o meio ambiente. Até agora, na Saúde, eu não vi nenhuma medida. Aliás, o Bolsonaro acabou de sancionar o orçamento retirando R$ 1 bilhão da área da saúde. Tem um bilhão a menos do que foi autorizado no ano passa-

do. O governo tem dito que os Centros de atenção Psicossocial (CAPS) e os CAPS Álcool e Drogas “não servem para nada”. Esses avanços estão em risco? Eu acho que estão em risco, não só pelo atual governo, mas já pelo governo Temer. É bom todo mundo lembrar. No Brasil, a história foi tratar o transtorno mental afastando a pessoa da família, da sociedade, prendendo, como foi a lepra nos tempos bíblicos; e até o século 20 o Brasil tinha leprosários. Várias famílias, quando a pessoa tinha a chamada lepra, que a gente chama de hanseníase, era afastada dos seus filhos na época da ditadura. O cuidado da loucura foi assim até os anos 90. A Lei da Reforma Psiquiátrica é da segunda metade dos anos 90. Quase já chegando nos anos 2000. A ideia de que o Brasil não deveria ter mais manicômios mexe com dois grandes interesses: de um lado, aqueles de que de fato querem considerar o transtorno mental como algo a ser afastado da sociedade, que tem que ser recluso, longe das famílias, da socie-

dade, do espaço de trabalho. Como não aceitavam antes quem era leproso, quem era infectado pelo HIV. Quais os impactos no sistema de saúde pública a partir da medida do governo Bolsonaro, que flexibiliza a posse de armas de fogo? Alexandre Padilha: Tem um impacto que a gente prevê, quando a gente faz um cálculo, por exemplo, sobre o ritmo de crescimento de homicídios por armas antes do Estatuto do Desarmamento e depois do desarmamento, em 2004. Antes de 2004, a cada ano aumentava 2.2 o número de homicídios por arma. A partir de 2004, isso caiu para quase 0.3, uma redução de quase 90% no ritmo de homicídios por arma de fogo no país. A previsão que a gente tinha era que, se fosse manter a curva de antes do estatuto, a gente chegaria mais ou menos a 40 assassinatos por cem mil habitantes por ano. A gente chegou a 30, e mesmo assim, a gente é 30 vezes maior que a Europa, ou seja, somos um dos países que mais mata no mundo. É uma previsão muito grave. Primeiro em relação às vidas e segundo em um aumento do atendimento nos prontos-socorros, da demanda para urgência emergência, para o SAMU. Não impacta a vida só de quem for atingido por armas, vai aumentar a fila do pronto-socorro, do SAMU, e a demanda de todos os serviços de urgência e emergência.


Recife, 25 a 31 de janeiro de 2019

12 |CULTURA

Brasil de Fato PE

Qual é o Bairro?

Foto legenda

Prefeitura de Arcoverde

Alto do Cruzeiro

Fim de tarde na Rua da Aurora Foto: Arthur Perruci

lto do Cruzeiro/O meu olho avoa “A de lá/Alto do Cruzeiro/Terra gira/ Na subida/Na descida/Na ladeira”.

Agenda Cultural Música

Literatura

Cultura PE

Elle Carvalho

“À sombra do imbondeiro”

N

a sexta (25), a escritora Suelany Ribeiro lança o livro “À sombra do imbondeiro”. Feito pela editora Castanha Mecânica, o livro narra histórias de personagens africanas e afro-brasileiras em Pernambuco do século XIX até os dias atuais. O lançamento acontece ás 21:08 no Sebo Casa Azul, na Rua 13 de maio, nº 121, no bairro do Carmo, em Olinda.

Música

Mostra Sertão Musical

A

té o sábado (26), a cidade de Triunfo recebe a 3ª edição da Mostra Sertão Musical. A programação é gratuita e contará com a apresentação de artistas como Ricardo Cardoso, Coco Instrumental, Maycon Nazário, Elis Almeida e Tico de Som. Os shows iniciam sempre ás 20h no Teatro Cinema Guarany, no centro da cidade. A programação completa está no site www.sescpe. org.br.

Cubana de Rua

A

já conhecida Cubana de Rua está de volta na Praça do Arsenal. A primeira edição acontece nessa sexta (25). O salão será frente do Sinspire Arsenal. A programação inicia ás 19h e segue até as 00h, com o clima das tradicionais noites cubanas, com discotecagem do DJ 440, passeando pela Salsa, Cumbia e Ritmos Paraenses. O evento é gratuito.

Conhecido pelas referências na músicas de grupos como o Cordel do Fogo Encantado, O Alto do Cruzeiro fica a 2km do centro da cidade de Arcoverde e é sempre lembrado pelos grupos culturais da região pela sua relação com o surgimento e a valorização da cultura popular da cidade. Cenário de clipes e local de muitas apresentações culturais, foi lá que na década de 1990 nasceu o grupo Coco Raízes de Arcoverde, conhecido no Brasil e em outros países pelo ritmo pernambucano. O bairro é um dos que oferecem um pôr do sol com a vista panorâmica da cidade, o que também rende muitas visitas ao local. O calendário de festejos da cidade tem como ponto de encontro o Alto do Cruzeiro, seja durante a semana santa, onde missas e procissões acontecem no bairro; no São João, com o Pólo Raízes do Coco, localizado no bairro, ao lado do cruzeiro que referencia o nome do local, que recebe grupos de coco, maracatu, samba e afoxé de todo o estado; Já no mês de agosto se celebra o samba de coco, o aniversário do grupo Coco Raízes de Arcoverde, que em 2019 completou 20 anos, e os diversos grupos que surgiram na cidade.


Brasil de Fato PE

Variedades l 13

Recife, 25 a 31 de janeiro de 2019

CULTURA | 13

Programação de férias a preços populares movimenta Petrolina Divulgação

ESPETÁCULOS. O objetivo é valorizar produção artística local Vanessa Gonzaga, de Petrolina

esde a terça (22), o D SESC Petrolina sedia o evento Janeiro Tem Mais

Artes. Em sua 12ª edição, a proposta é movimentar a cena cultural da cidade durante o período de férias, dando destaque a produção de artistas locais, especialmente as mulheres, e também democratizar o acesso à arte, contando com parte da programação gratuita e espetáculos a preços populares, custando a média de R$ 10, 00. Jailson Lima, organizador do evento, explica o processo de escolha das apresentações “Acaba sendo a junção do que os artistas visuais e grupos de dança e teatro produziram em 2018. Então o Janeiro Tem Mais Artes é um junção de tudo o que os artistas locais vieram produzindo durante todo o ano anterior com algumas apresentações que são de outras regiões, mas tem a mesma temática, que esse ano é a produção artística feminina, e aí também acolhemos”. A abertura da programa-

O Coro Vozes do Sertão existe há 6 anos

a proposta é movimentar a cena cultural da cidade durante o período de férias ção do SESC contou com a exposição “Vazante”, da artista visual Lys Valentim. Conhecida na região pelo grafitti e arte de rua, é a primeira vez que ela tem uma exposição individual. As figuras femininas e a recorrente alu-

“Vazante” segue aberta ao público até o dia 31 no Hall de Entrada do SESC

são às águas do rio remetem a memórias, signos e símbolos do que é ser uma mulher sertaneja. “No nosso programa de artes visuais temos uma meta, que é proporcionar aos artistas locais um espaço preparado para apresentar os trabalhos. Temos a Galeria de Artes Ana das Carrancas ou outros espaços alternativos. A escolha da exposição de Lys vem por ela ser uma artista daqui da região e também por ser uma exposição que veio sendo preparada em 2018”, explica André Brandão, que participou da expografia de “Vazante”. Além da exposição, a noite de abertura do evento também contou com a

A exposição faz uma relação entre as águas do rio e as mulheres

apresentação do Coro Vozes do Sertão. Vindo de um projeto de extensão da Licenciatura em Música do Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE), o coro tem seis anos em atividade no Vale do São Francisco. Hoje, cerca de 30 membros cantam repertórios com músicas de diversos ritmos, como o forró pé de serra, afoxé, ritmos africanos e afro-brasileiros e música popular brasileira. Joice Soares, cantora do coral, ressalta a importância de ações desse tipo na cidade “É de extrema importância ter esses eventos culturais não só nas férias, mas principalmente nesse período porque as pessoas têm mais tempo e os pre-

ços populares alcançam a população dos bairros periféricos. Acho que isso instiga mais as pessoas a virem”. A programação segue todos os dias com apresentações como o espetáculo “Hortênsia”, da dançarina e pesquisadora Daniela Amoroso (Salvador-BA); o lançamento do disco “Alto Lá” da cantora Andrezza Santos (Juazeiro-BA); a peça “Estelita entre Fadas e Outros Bichos”, da Trupe Errante (Petrolina-PE); o espetáculo “Medusa” da atriz Fabiana Pirro (Recife-PE) e vários outros. Já no dia 31, a noite de encerramento do evento inicia ás 19h com a roda de conversa “Conversas de Medusas” com Fabiana Pirro (Recife-PE), Cris Crispim (Petrolina-PE) e Pók Ribeiro (Juazeiro-BA) e ás 20:30h inicia o “Mulheres em Movimento”, com as performances “Sambioníca”, de Laís Bione; “Umas”, por Eliza Oliver; “Os Três Pontos”, de Fernanda Luz e “O que você vê quando me olha”, com Cíntia Melo. Os ingressos podem ser adquiridos no SESC Petrolina, que fica na Rua Dr. Pacífico da Luz, nº 618, Centro. A programação completa está disponível em www. sescpe.org.br.

Lys Valentim utiliza diversos suportes para construir a narrativa artística da exposição


Recife, 25 a 31 de janeiro de 2019

14 | VARIEDADES www.coquetel.com.br

Brasil de Fato PE

CAÇA-PALAVRA

© Revistas COQUETEL

Procure e marque, no diagrama de letras, as palavras em destaque no texto.

A febre Mayaro Além de doenças como DENGUE, zika e CHIKUNGUNYA, o mosquito AEDES aegypti pode espalhar outro VÍRUS: o da febre MAYARO. O vírus foi identificado, pela primeira vez, em 1954, em áreas RÚSTICAS ao redor da região AMAZÔNICA. A questão é que, há alguns anos, ele era transmitido apenas por MOSQUITOS vetores SILVESTRES, mas, agora, já se espalhou pelo meio URBANO, principalmente com a ajuda do Aedes aegypti e do Aedes albopictus. A FEBRE Mayaro tem SINTOMAS muito parecidos com os da dengue e da chikungunya. Começa com febre e CANSAÇO, sem muitos SINAIS aparentes. Depois, podem surgir MANCHAS vermelhas pelo CORPO, acompanhadas de dor de CABEÇA e dores nas ARTICULAÇÕES. Pode ocorrer , ainda, dor nos OLHOS e, em alguns casos, INTOLERÂNCIA à luz. A principal DIFERENÇA é que, na febre Mayaro, as dores e o INCHAÇO das articulações podem ser mais limitantes e levar MESES para passar. ilustração: fernando S M A Y A R O C B T C Y B L

U R B A N O L N C O R P O L

Y G N N T L T T C Y M B G A

I C D S T H T D R M D Y Y C

C H T A G O O C S E H L Y I

H I H C T S T D C S D T G N

M K F I I F A E D E S E M O

B U M T I D N C T S L R M Z

D N D S I A N I S N F T A A

N G D U I F L B T E R F N M

F U T R T N L T B F N C C A

S N T F B N T R M G C F H T

I Y G E L C E F B F M F A T

N A T L L B N L V I R U S Y

T T F D E N G U E T R R M D

O N R C O Ç A S N A C M D B

M T E S O T I U Q S O M H R

A Ç N E R E F I D E N T R D

S T A I C N A R E L O T N I

L C S E Õ Ç A L U C I T R A

R R N S E R T S E V L I S B

C A B E Ç A N O Ç A H C N I 29

Solução U S I N M R C H I K U N G U N Y A A B Y A S A C I T S U R A N I R O L H O S A O A N E E I R D S B V M E S E S E I S F R U M A N C H A S N O Z A M A C O R P O

A C I

T O M A S Ç N E R E F I D

D E N G U E O Ç A S N A C

S O T I U Q S O M

A I C N A R E L O T N I S E Õ Ç A L U C I T R A S E R T S E V L I S

facebook.com/ brasildefatopernambuco

C A B E Ç A

O Ç A H C N I

VISITE NOSSA PÁGINA

Ciência é Coisa boa Religião, política, ciência e muita paciência... Damares, Malafaia, Marcos Pontes: uma aula do que não fazer Renan Santos

erdemos espaço na ciência quando deixamos a teoria da evo“P lução entrar nas escolas”, afirmou a ministra Damares Alves. O ministro Marcos Pontes rebateu a colega: “não se deve misturar

ciência e religião”. A tréplica veio do pastor Silas Malafaia, que disse que “se a teoria da evolução fosse verdade comprovada, se chamaria lei”. A surpreendente e atrapalhada polêmica envolvendo a cúpula do governo federal demonstra a que nível preocupante chegou a crise brasileira. Na ciência, o termo “teoria” possui um significado diferente daquele do dia a dia. Uma teoria científica é algo já bem aceito como verdade a partir dos estudos feitos. Quando o pastor Malafaia usa equivocadamente o termo em contraposição a “lei”, como se uma teoria fosse uma mera “hipótese”, demonstra conhecer muito pouco sobre a linguagem e o método científico. A evolução biológica é hoje um fato amplamente aceito pela comunidade científica internacional. É embasada por inúmeras evidências, e seu entendimento possibilitou o desenvolvimento de várias áreas. Sua importância é tamanha ao ponto de, em 1973, o biólogo Dobzhansky afirmar que “nada em biologia faz sentido exceto à luz da evolução”. Em larga medida o desenvolvimento da biotecnologia aplicada a áreas como agricultura e medicina hoje só é possível se aceitarmos que a evolução é real. Se ela não existisse, muito do que comemos ou usamos para nos tratar hoje não existiria. A evolução biológica ocorre quando há qualquer alteração das características herdáveis dos seres entre gerações. Em outras palavras, dizer que a evolução existe é dizer que a vida se modifica ao longo do tempo. Isso é perfeitamente observável por meio da análise de fósseis, ou de microrganismos, plantas e animais vivos. Mais precisamente, ao conhecermos o DNA e seu funcionamento, foi possível atestar como a evolução biológica ocorre. A ministra combate a evolução, pois entende que a ideia de que os seres se modificam e que a vida existe na Terra há bilhões de anos contrasta com aquilo que diz sua religião. Assim como o fato de nossa espécie descender de outras. É possível conservar uma fé ao reinterpretar e ressignificar suas crenças à luz das evidências que a realidade dá. Espera-se isso sobretudo daqueles que ocupam cargos importantes em um Estado laico. A quem não é capaz disso resta se valer do poder para encaixar o mundo em suas verdades. Um abraço e até a próxima! Renan Santos é professor de biologia da rede estadual de Minas Gerais.


Brasil de Fato PE

Recife, 25 a 31 de janeiro de 2019

VARIEDADES l 15

Amiga da Saúde

Nossa cozinha Pão de Brócolis

Amiga, por que só as mulheres mudam o nome quando casam?

Ingredientes 1 xícara de talos e folhas de Brócolis 1 ovo 50 ml de leite 1 colher de azeite 1 colher rasa de sal 1 colher pequena de açúcar 3 xícaras de farinha de trigo 15 g de fermento biológico 100 g queijo

Recheio

½ copo de Brócolis picado ½ copo de bacon picado ½ copo de queijo

OBS:

Modo de Preparo

1- Bata o ovo, leite, azeite, e açúcar no liquidificador 2- Acrescente o brócolis, bata até formar um suco verde e acrescente o fermento 3- Numa vasilha grande coloque as duas xícaras de farinha de trigo e vá acrescentando o suco e formando a massa até que ela descole do fundo; 4- Numa bancada (ou em outra vasilha grande) despeje um copo de trigo e sobre ela a massa para ir sovando até a massa ficar homogênea, lisa e pronta pra enrolar 5- Opcional: Refogue o bacon, as folhas do brócolis e junte com o queijo (frio) 6- Abra a massa com um rolo e cubra com o recheio e enrole o pão 7- Deixe crescer por 40 min e leve ao forno 8- Deixe assar por 30 minutos em forno a 180 graus ou na panela de pressão untada.

Vera, 27 anos, cuidadora de idosos.

uerida Vera, isso acontece porque herdamos uma traQ dição de dominação do homem sobre a mulher. A alteração do nome simboliza uma relação de pertencimen-

to que se estabelece com o casamento. A mulher deixa de pertencer ao pai, passando a pertencer ao marido. Isso é reforçado quando o pai leva a filha e entrega ao marido durante a cerimônia. Nossa lei permite também que o homem inclua o nome da esposa, entretanto, isso raramente acontece. Precisamos avançar nos relacionamentos, construir a igualdade de direitos entre homens e mulheres, banindo de vez o machismo dos nossos lares. Mande sua dúvida: amigadasaude@brasildefato.com.br

O

brócolis é considerado um super alimento e de pouquíssimas calorias. É rico em fitoquímicos e antioxidantes. Possui inúmeros benefícios à saúde com propriedades que regulam o sistema cardiovascular e o sistema imunológico, tem propriedades anti-inflamatórias e pode inclusive prevenir o câncer. Além disso, o brócolis possui baixo teor de sódio e poucas calorias: Cerca de 31 calorias por porção.

Sofia Barbosa é enfermeira do Sistema Único de Saúde I Coren MG 159621-Enf.

ESPORTES

Anunciada “modernização” à Temer para atletas jovens ESPORTE. Cortes no Bolsa Atleta ameaçam carreiras esportivas no Brasil Daniel Lamir

O

termo “modernização” voltou a ser utilizado para justificar cortes de orçamento em programas sociais e perda de direitos. Na quarta-feira (25), diante da retirada de bolsas para atletas e para-atletas de até 20 anos de idade, o ministro da Casa Civil Onyx Lorenzoni prometeu “modernizar” o programa Bolsa Atleta para incentivar jovens atletas.

O termo “modernizar” foi bastante utilizado pelo governo anterior de Michel Temer (MDB), principalmente quando defendeu as mudanças nas regras trabalhistas. Entre discurso e realidade de planejamento, o orçamento do Bolsa Atleta para este ano foi reduzido em 47,5%, a partir de medida tomada por Michel Temer, no dia 28 de dezembro de 2018. A redução de recursos resultou no corte da bolsa para os atletas e para-atletas que têm direito ao benefício. As pessoas afetadas estão enquadradas nas categorias “Estudantil” e “Base”, além de parte da categoria “Nacional”.

Categorias no Bolsa Atleta Categoria Pódio Olímpica ou paraolímpica Internacionais

COM BOLSA Condição Melhores de rankings mundiais Participantes de jogos olímpicos e paraolímpicos Até 3º lugar em evento internacional

Valores

entre R$ 5.000 a R$ 15.000 R$ 3.100 R$ 1.850

CORTES EM BOLSA

Categoria Nacional

Condição Até 3º lugar em evento internacional

Valores R$ 925

SEM BOLSA

reduzido o Programa em 34,4 % na comparação entre 2017 e 2018.

orçamentos do Bolsa Atleta 2013 - 183 milhões 2014 - 181 milhões 2015 - 133,4 milhões 2016 - 143 milhões 2017 - 125 milhões 2018 - 82 milhões 2019 - 53,4 milhões

Bolsa Atleta - é um programa governamental de R$ 370,00 Estudantil At´é 3º luigar em jogos estudantis patrocínio de atletas e paR$ 370,00 ra-atletas de alto rendiAté 3º lugar em evento internacional Base mento. O Bolsa Atleta foi criado em 2004 e regulata nos últimos anos. Anmentado em 2005, época O orçamento de 2019 tes da medida para 2019, em que existia o Ministéacentuou um curva deo governo Temer já tinha rio do Esporte. crescente no Bolsa AtleCategoria

Condição

Valores


NA GERAL : Divulgação/FIBA

Petro de Luanda/Divulgação

Copa das Confederações da África

O

Liga das Américas de Basquete

brasileiro Thiago Azulão fez história no sábado (19). Jogando no Petro de Luanda, o jogador ajudou a classificar a equipe para a fase de grupos da Copa das Confederações da África, o que não acontecia desde 2006. Na partida de ida, o Petro de Luanda empatou fora de casa em 1 x 1 contra o Malien, de Mali e na volta, venceu por 2 x 1, com o primeiro gol da partida sendo marcado por Thiago, que foi o artilheiro dos últimos campeonatos que disputou com o time e tem conquistado popularidade entre os torcedores.

N

a sexta (18) teve início a edição de 2019 da Liga das Américas de Basquete, em São Paulo. O evento, que é a principal competição internacional de basquetebol masculino entre clubes da América contou com a presença do Atenas (Argentina), Malvín (Uruguai), Titanes de Barranquilla (Colômbia) e o brasileiro Paulistano, que venceu os três jogos da fase de grupos e está nas semifinais junto com o Atenas. As próximas partidas acontecem a partir dessa sexta no Ginásio Juan de la Barrera, na Cidade do México.

TEMPO DE TRANQUILIDADE

Filipe Spenser

filipespenser@gmail.com

T

Brasil de Fato PE

Recife, 25 a 31 de janeiro de 2019

16 | ESPORTES

abus existem para serem derrubados e o Náutico acabou de derrubar mais um. Após 20 anos sem vencer o Sergipe em Aracaju – a última vitória foi em 1999 - o clube de Rosa e Silva conquistou a primeira vitória do ano, com o placar de 2x0. É lamentável ter que reconhecer que a vitória serviu para aliviar a pressão sobre o técnico Márcio Goiano, pois o último jogo foi apenas a terceira partida oficial no ano. No entanto, em setores da imprensa e da torcida prevalece o imediatismo, haja vista que já ensaiavam críticas mais fortes ao treinador. É só o começo da temporada. Jogadores importantes e prováveis titulares – a exemplo de Bruno, Robinho e Maylson – ainda não jogaram, ou não estão em condições físicas adequadas, de modo que, por ora, não há razão para qualquer crise. É hora de acreditar.

GOL DE PLACA

Mulheres na Arbitragem

Anderson Freire/Sport Club

Sport na Seleção Brasileira atacante Nycole, do A Sport Club do Recife foi uma das convoca-

das para a Seleção Brasileira que esse ano disputa a Copa do Mundo de Futebol Feminino. Nycole se apresentou à Granja Comary nessa quinta-feira (23) e permanece em treinamento para o campeonato até o dia 22 de fevereiro. Esta é a segunda vez que a Leoa da Ilha é convocada para a Principal. Essa é a oitava edição do Mundial de Futebol Feminino, que esse ano acontecerá na França. A competição ocorre entre os dias 7 de junho e 7 de julho.

final da 50º Copa A São Paulo de Futebol acontece na tarde

da sexta (25) com algo inédito na história do campeonato. É a primeira vez que o torneio terá três mulheres escaladas no quinteto responsável por apitar a partida. Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo, que é arbitra Fifa, Fabrini Bevilaqua Costa e Amanda Pinto Matias formam quinteto com Douglas Marques das Flores e João Victor Gobi. São Paulo e Vasco se enfrentam a partir das 15:30h no Estádio Paulo Machado de Carvalho.

GOL

CONTRA

Racismo em campo Tottenham Ladies

defensora do Tottenham A Ladies, Renee Hector, relatou ter sido vítima de racismo

em uma partida pela FA Championship, a segunda divisão do futebol feminino na Inglaterra. O caso teria acontecido dentro de campo, quando a jogadora ouviu de uma atleta da equipe adversária, o Sheffield United, barulhos imitando macacos. Ela relatou a situação para o árbitro durante a partida. O clube fez uma reclamação formal à Federação Inglesa, que afirmou estar investigando o caso.

E QUE COMECE O MIMIMI... Bruno Pimentel

2018 AINDA NÃO ACABOU Daniel Lamir

pautape@brasildefato.com

daniel.lamir@brasildefato.com.br

to não me convenceu muito. Vai ser um desafio e tanto para o elenco de Leston Jr, que ainda não está totalmente fechado. Depois do diretor de futebol coral Luciano Sorriso, e também do treinador coral, criticar o gramado do Áureo Bradley, foi a vez do gramado do Arruda ser criticado pela direção do Bahia, que chegou a inclusive afirmar que iria consultar a Liga do Nordeste para questionar se havia condições mesmo de jogo. Pelo visto, a disputa começou antes mesmo da bola rolar. A gente sabe que o gramado do Mundão precisava passar por reformas. Sabemos também que a diretoria iniciou as reformas, e que ficar alugando a Arena sempre não é tão viável. Então, que comece o mimimi. Principalmente se levarmos mais essa vitória na competição!

início morno do Pernambucano ainda está aguado pelas bandas da Praça da Bandeira. A culpa não é exatamente do campeonato estadual, mas de algumas raivas recentes feitas e alimentadas pelo próprio clube até o final do ano passado. A temporada de 2018 ainda não foi digerida. Pior que ser rebaixado e não levantar taças na temporada é o sentimento de dissimulação diante de um clube que afundou em aspectos financeiros e políticos. Por um lado, os primeiros passos para afastar 2018 é com a bola rolando. Ainda é cedo para cravar avaliações contundentes sobre o time que está sendo montado por Milton Cruz. Por outro lado, é preciso reaproximar 2018 com uma justa auditoria.

m clássico regional se aproxima, Santa verdade que até em disputa de jogo U Cruz x Bahia promete animar esse início É de botão do Sport é capaz de mexer de temporada do Tricolor, que até o momen- com os ânimos da torcida leonina. Mas o

Profile for Brasil de Fato Pernambuco

Bdf PE - ed. 82  

Confira a edição 82 do Brasil de Fato Pernambuco.

Bdf PE - ed. 82  

Confira a edição 82 do Brasil de Fato Pernambuco.

Advertisement