Page 1

PERNAMBUC0 | Pág.6

Agosto é o mês da

“O golpe rompeu o pacto

visibilidade lésbica

estabelecido pela Constituição”

Divulgação

Pernambuco

ENTREVISTA | Pág.11

Leia entrevista com Ricardo Gebrim

Recife, 26 de agosto a 08 de setembro de 2016 e d i ç ã o 1 0

distribuição gratuita

Ano 1| edição 3

“A DEMOCRACIA POR UM FIO”

CIDADES Trabalhadores rurais ocupam orgãos públicos em dia nacional de luta Pag.05

DEMOCRACIA POR UM FIO

Projeto de lei ameaça recursos para educação pública Pag.07

CULTURA

Parteiras tradicionais buscam reconhecimento e preservação dos seus saberes Pag.13


Brasil de Fato PE

Recife, 26 de Agosto a 08 de Setembro

2 | OPINIÃO

Brasil de Fato PE

EDITORIAL

Cuidar das pessoas é dar poder ao povo do Recife

FRASE DA EDIÇÃO

mandou

BEM

divulgação

divulgação

Exigimos que haja dignidade, transparência e respeito pela gente, pelos futebolistas e pelos valores democráticos que sempre identificaram nosso país e nossa gente. Estamos a favor do futebol uruguaio

de candidatos caô. De outro, aqueles que entendem a democracia como a participação do povo na defini-

As regras do jogo nas eleições reforçam esse caráter elitista de nosso sistema político ção dos rumos de seu país e da cidade onde vivem. A candidatura de Geraldo Júlio (PSB) é a maior expressão do golpismo na capital. Sua gestão rompeu com políticas de participação popular que envolviam a periferia e sua cultura no desenho de cidade a ser implementado. Abriu caminho para o desmonte das conquistas acumuladas pelo povo recifense: desmontou o orçamento participativo, investiu na

privatização da saúde, cortou os investimentos na cultura popular e avança para esvaziar o caráter popular, gratuito e democrático do carnaval recifense. A periferia voltou a ser tratada como questão de polícia, com o aumento da perseguição e criminalização do povo pobre. A candidatura de João Paulo (PT) se encontra no polo oposto. Suas gestões figuram na memória do povo de nossa cidade como momento de ampliação da participação política, investimento em infraestrutura nos bairros, remoção das famílias das palafitas para uma casa digna, investimento em saúde pública, políticas de incentivo ao esporte e lazer e uma prioridade à cultura popular que se tornou uma marca fundamental de suas gestões. Ele não veste o figurino do candidato tradicional e não precisa encenar para criar empatia com o povo. Foi o primeiro prefeito operário na cidade

do Recife e sua história está ligada às lutas pela democracia desde muito cedo. No momento político atual,

João Paulo ampliou sua agenda nos bairros e praças da cidade e convoca a população a formular o Recife que queremos sua coligação reafirmou o compromisso com a luta pela democracia e contra o golpe. O Programa de Governo de João Paulo vêm sendo debatido nas Cirandas da Cidade, momento onde os

movimentos populares, associações de bairro, movimento sindical, movimentos de mulheres, negros e negras e a juventude se reúnem para criticar, debater e propor rumos para as conquistas populares. O Brasil de Fato Pernambuco apoia a candidatura de João Paulo, não por acreditar que possa sozinho executar promessas de campanha, mas, porque, ao invés de prometer, constrói seu projeto com o povo organizado que é quem pode garantir as mudanças. Ao invés de encenar, se compromete a priorizar políticas que avancem na consciência popular, em seu poder de pressão e organização para fazer valer os seus direitos. A cidade é feita de gente, cuidar das cidades é cuidar das pessoas. Mudar Recife é dar poder ao povo.

charge

O

judoca egípcio El Shehaby se recusou a cumprimentar o adversário israelense Or Sasson. O Egito é mediador no conflito entre Israel e Palestina. Palestinos buscam se tornar um estado independente de Israel, mas o país judeu não aceita. Egito e outras nações árabes disputam com Israel o domínio da Faixa de Gaza.

mandou

MAL

divulgação

N

Expediente Brasil de Fato PE O jornal Brasil de Fato circula em todo o país, com edições regionais em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Pernambuco. O Brasil de Fato PE circula quinzenalmente às sextas feiras. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais.

REDE SOCIAL: facebook.com/brasildefatopernambuco correio:. redacaobfpe@brasildefato.com.br para anunciar: publicidadepe@brasildefato.com.br Edição: Monyse Ravenna (DRT/CE 1032) I Redação: Elen Carvalho e Vinícius Sobreira IDistribuição: Iyalê Tahyrine I Colaboradores: Daniel Lamir, André Barreto, Halina Cavalcanti, Catarina de Angola, Débora Britto, Filipe Spenser, Malu Xavier, Vanessa GonzagaI I Diagramação: Diva Braga

eymar pisou na bola mais uma vez. Durante a final das Olimpíadas, alguns torcedores pediram mais raça do atacante. Ele marcou os rostos e, após levar o ouro, foi “comemorar” batendo boca com a torcida. Ao menos ele pediu para não ser mais capitão da Seleção. O que lhe sobra de talento, falta de maturidade.

Divulgação

ELEIÇÕES. Recife viverá nos próximos 40 dias a disputa entre projetos inconciliáveis para a capital Adentramos o período eleitoral. Já sabemos o que ele nos traz. As regras do jogo nas eleições reforçam esse caráter elitista de nosso sistema político, onde a representação adquire contornos de uma comédia sem graça. A política malfeita é útil a quem detém o poder, afastando o povo dos processos decisórios e impedindo que este se organize para fazer valer os seus direitos. Mas nem tudo nas eleições é encenação. Recife viverá nos próximos 40 dias a disputa entre projetos inconciliáveis para a capital. Duas candidaturas principais dividem opiniões e têm chances de vitória. Elas refletem a divisão atual da sociedade brasileira. De um lado, aqueles que tratam a democracia como teatro, como fábrica

GERAL l 3

Recife, 26 de agosto a 08 de setembro

Trecho de nota divulgada pelos jogadores da Seleção Uruguaia contra o monopólio de transmissão dos jogos de futebol no País

Qual foi o momento mais marcante das Olimpíadas Rio-2016?

O

N

melhor momento foi aquele jogo de futebol das mulheres, que a Seleção Brasileira ganhou nos pênaltis (Brasil 0x0 Austrália, 7x6 nos pênaltis, pelas quartas de final). Foi o mais marcante porque foi a primeira vez que vi a população assistindo mesmo, vendo que o futebol feminino é tão bom quanto o masculino e que as mulheres também jogam tão bem quanto os homens. Foi a primeira vez que vi as pessoas se emocionarem, comentarem o futebol feminino.

a minha opinião o mais marcante foi a medalha de prata de Diego Hypolito na ginástica artística. Ele veio de duas Olimpíadas nas quais ele caiu durante suas apresentações. E nos últimos anos a imprensa e a população brasileira “escracharam” ele de maneira vergonhosa. O fato de ele ter dado a volta por cima e conquistado essa medalha de prata nas Olimpíadas foi uma grande resposta, para calar todos aqueles que tanto o julgaram e criticaram.

Amanda Salvino, 20 anos, estudante – Jaboatão dos Guararapes

Victor Mariano, 24 anos, estudante – Recife


Brasil de Fato PE

Recife, 26 de Agosto a 08 de Setembro

4 | CIDADES Mundo

Brasil de Fato PE

Recife, 26 de agosto a 08 de setembro

CIDADES I 5

Trabalhadores Rurais ocupam órgãos públicos em dia nacional de luta Domingo Feminista A Marcha Mundial da Mulheres (MMM) vai realizar, no domingo 28/08, uma tarde de preparação para o Grito dos Excluídos na Praça da Democracia, no Derby, a partir das 14h. Haverá ensaio da Batucada da MMM. O objetivo da atividade é que as mulheres trabalhadoras se unam no ato, cantem e batuquem juntas por seus direitos e suas garantias, principalmente as trabalhistas, diante da perda de direitos que estão sofrendo.

Grito dos Excluídos 2016 O Grito dos Excluídos Nacional chega a sua 22ª edição e vem com o tema “A vida em primeiro lugar” e lema “Esse sistema é insuportável: exclui, degrada, mata!”. Esse ano houve uma mudança no local da concentração do Grito, no Recife: em vez de sair da tradicional Praça Oswaldo Cruz, sairá no dia 07/09 às 9h da Praça da Democracia, no Derby, por simbolizar a resistência e a luta contra o conservadorismo e os retrocessos. Atividades pré-grito acontecerão entre os dias 31/08 e 05/09.

ESPAÇO SINDICAL Trabalhadores/as Realizam Encontro

Rurais

A Rede de Médicos\as Populares em Pernambuco realizou, no último dia 23/08, na Universidade de Pernambuco (UPE), o Seminário “Precisamos falar sobre o SUS” que apresentou uma reflexão sobre os constantes ataques sofridos pelo Sistema Único de Saúde e os impactos sofridos por usuários e profissionais do setor. O professor Itamar Lages participou representando o Centro Brasileiro de Estudos e Saúde (Cebes) e o Comitê Popular da Saúde em Defesa da Democracia. Participaram estudantes, trabalhadores da saúde e usuários do SUS.

Semana da Anistia em Pernambuco A atividade, que acontece pelo 5º ano, tem como tema “Pelo direito do povo à Verdade, Memória e Justiça! Pela punição aos torturadores! ” e acontece desde 15/08 até 10/09 nas cidades de Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Garanhuns e Serra Talhada. Nos dias 27 e 28/08 acontecerão cine-debates nos bairros de Cajueiro Seco, em Jaboatão, e Nova Descoberta, no Recife, e no dia 30/08, uma sessão solene em homenagem ao dia do desaparecido político na Câmara Municipal de Olinda.

Direitos de Fato * André Barreto

Férias: Um direito fundamental de todo Trabalhador divulgação

divu lgação

Aconteceu, no ultimo fim de semana (20 e 21 de agosto), o 23º Congresso de Delegados/ as Sindicais da FETAPE e o 1º Encontro de Assalariados/as Rurais da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais Assalariados de Pernambuco (Fetape), no Centro Social Euclides Nascimento, em Carpina. Tais momentos tiveram por objetivo central construir a pauta de reivindicações para a campanha salarial da categoria. No dia 11 de setembro, será discutida e aprovada durante as Assembleias Gerais, realizadas nos mais de 50 Sindicatos dos Trabalhadores e das Trabalhadoras Rurais da região, a pauta da campanha salarial 2016/7.

Protesto na superintendencia do trabalho e emprego

SUS é direito!

Na última segunda-feira (22), a CUT, Sindicatos e servidores do Ministério do Trabalho realizaram ato público contra a nomeação do empresário Eduardo Geovane de Freitas Leite para a chefia da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Pernambuco. Denunciou-se que, além de ser um empresário acusado de sonegação de impostos, ele representa a agenda golpista de desmonte das políticas públicas no mundo do trabalho, bem como o esvaziamento e sucateamento deste órgão de fiscalização.

Você sabia que cada período de férias gozadas não pode ser menor a 10 dias? A legislação trabalhista permite o fracionamento do período de férias do trabalhador em apenas duas vezes no ano, não podendo, tal período ser menor que 10 dias, mesmo que seja férias coletivas na empresa. É o que está previsto no artigo 134, parágrafo primeiro CLT. A Justiça do Trabalho vem considerando que a concessão em pequenos períodos, inferiores a dez dias, fere o princípio da continuidade do descanso anual, cujo principal objetivo é o de permitir ao trabalhador a recuperação das energias após todo um ano de trabalho, bem como o desenvolvimento de suas relações sociais com familiares e amigos, além da dedicação pessoal a interesses não ligados ao trabalho. Caso o patrão conceda o direito de férias do empregado fracionado em mais que dois períodos no ano ou em períodos menores a 10 dias, estará violando este direito social, de modo que poderá ser condenado pela Justiça à paga-lo em dobro. Companheiro, lute pelo respeito aos seus direitos! Busque orientação em seu sindicato, busque seus direitos na Justiça! André Barreto, é advogado trabalhista

DIREITOS. Fetape organizou mobilizações em Recife e Petrolina arquivo FETAPE

Monyse Ravena Cerca de 800 trabalhadores e trabalhadoras rurais participaram, no último dia 16 de agosto, das mobilizações organizadas pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Pernambuco (Fetape) ocupando a sede da Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária de Pernambuco, do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), além de bloquearem a Avenida Rosa e Silva, no bairro do Espinheiro, para denunciarem irregularidades cometidas pelo governo interino de Michel Temer e exigir o retorno do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Tanto o secretário de Agricultura e Reforma Agrária Nilton Mota, quando o superintendente do Incra Heliodoro Santos se reuniram com representantes dos trabalhadores e assumiram compromisso em atender várias das demandas apresentadas pelo movimento sindical rural. Os manifestantes afirmaram que se os compromissos não forem cumpridos eles

Garantia Safra até a primeira semana de setembro, a retomada do Comitê Integrado de Convivência com o Semiárido também em setembro e a entrega

não reuniu com a gente nenhuma vez apesar de já termos solicitado isso várias vezes”. No âmbito nacional, os trabalhadores rurais

Estamos vivendo o sexto ano de seca, o agreste e o sertão estão vivendo um colapso de abastecimento de água Em Petrolina, no Vale do São Francisco, 700 pessoas também ocuparam a sede do Incra na cidade pretendem voltar e montar um acampamento permanente em Recife. Também na avaliação dos manifestantes essas demandas só serão atendidas com a continuidade das mobilizações em todo o estado. Em Petrolina, no Vale do São Francisco, 700 pessoas também ocuparam a sede

do Incra na cidade. Nas duas cidades as manifestações tiveram o apoio do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e da Comissão Pastoral da Terra (CPT). Entre as principais pautas de reivindicações estavam o pagamento do

de equipamentos previstos no programa Pernambuco Mais Produtivo. “Estamos vivendo o sexto ano de seca, o agreste e o sertão estão vivendo um colapso de abastecimento de água, então fortalecer esse programa é essencial. Outra pauta importante para nós é da segurança, pois a violência no campo está bastante forte. ”, afirma o presidente da Fetape Doriel Barros. Ainda segundo Doriel uma reunião com o governador do estado Paulo Câmara (PSB) foi demandada para tratar do conjunto das reinvindicações, “desde que o governador assumiu

pautaram a necessidade da recriação do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e a luta contra o golpe em curso no Brasil, “Até o momento a Contag (Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura) não tem nenhum diálogo com o governo interino, nossa pauta é barrar o golpe e exigir a volta da presidenta Dilma. Mas já sabemos que caso se confirme o golpe teremos muitos embates fortes pela frente já que esse governo que está aí não tem nenhum compromisso com a agricultura familiar”, finaliza


6 | PERNAMBUCO

Brasil de Fato PE

Recife, 26 de Agosto a 08 de Setembro

Agosto é o mês da visibilidade Lésbica DIVERSIDADE. Dar voz e reafirmar a existência das mulheres lésbicas são motes do dia 29 de agosto mos, de nos invisibilizar, é justamente porque a forma que amamos é revolucionária. Amar outra mulher é sair da lógica do papel de mulher que a sociedade nos impõe”. Os desafios, na atual conjuntura, são grandes e é preciso resistir, como reflete Ana Paula: “Numa sociedade que se pauta na heteronormatividade e nesse momento de recrudescimento do discurso conservador, é importante que as lésbicas se olhem e estejam “Foi momento muito lindo, de muita felicidade para todos e para nós juntas nessa resistência”. O duas”, afirma Marília Cavalcanti. próprio ato de falar sobre lesbianidade já é um desaainda havia muita invisibi- fio, como observa Clarissa www.sindsep-pe.com lidade dentro desses espa- Nunes, que também aponElen Carvalho ços”, comenta Ana. ta a necessidade desse gruO cotidiano dessas mu- po incidir na política: “um O dia 29 de agosto, desde o ano de 1996, é o Dia lheres é duro quando so- desafio é conseguir incidir Nacional da Visibilidade frem preconceito por se nos espaços de poder. TeLésbica. A data foi tirada relacionarem com outras mos que decidir sobre as durante o primeiro Semi- mulheres, quando tem nossas próprias vidas e não nário Nacional de Lésbi- negados direitos como o podemos deixar o consercas, que aconteceu nessa de ter acesso ao serviço vadorismo defendido por data, no Rio de Janeiro, de saúde específico para Bolsonaros e Felicianos reunindo ativistas de todo as suas demandas, quan- vencer”. Brasil. “Foi a primeira vez do se escondem por medo Marília Cavalcanti, enno Brasil que as lésbicas se da repressão familiar e fermeira especialista em reuniram num espaço ex- da sociedade. Por isso a saúde mental, lembra-se clusivo para colocar suas importância dessa data, das diversas situações de pautas”, explica Ana Pau- como afirma Clarissa Nu- constrangimento e preconla, integrante do Fórum de nes, militante da Marcha ceito que passou com suas Mulheres de Pernambuco. Mundial das Mulheres de namoradas. Desde cons“O sujeito político “lésbica” Pernambuco: “O dia vem trangimento em locais pújá existia dentro do movi- para dar voz e lembrar que blicos, até ser apresentada mento feminista e do mo- existimos e que a estraté- à família de uma ex-comvimento LGBT, no entanto, gia do sistema que vive- panheira como “amiga”.

INDS EP PE

Filiado à CUT e à CONDSEF

“Ser mulher lésbica é um tanto difícil. Mas eu não me escondo. Quando aconteceu de eu ser apresentada como ‘amiga’, eu fiquei muito chateada e expliquei para minha namorada que a gente não tinha que se esconder”, lembra. O posicionamento de Marília sempre foi o de enfrentamento ao preconceito, de afirmação da sua condição de mulher lésbica. No dia 13 de agosto, Marília oficializou o seu noivado com Hyla Danniele em uma fes-

ta para família e amigos. “Foi momento muito lindo, de muita felicidade para todos e para nós duas. Foi muito especial, pois era o compartilhamento da nossa decisão de casar, era o momento de anunciar publicamente que decidimos viver juntas. Isso tem um caráter político também, de me permitir amar e poder escolher viver com outra mulher”, lembra Marília.

arquivo pessoal

Brasil de Fato PE Recife, 26 de agosto a 08 de setembro

Projeto de Lei ameaça recursos para a educação pública PRÉ-SAL. Sem a participação da Petrobras, royalties para a educação devem diminuir

Vinícius Sobreira

NÃO ao arrocho salarial e ao fim do serviço público

O TRABALHADOR brasileiro não poderá aceitar o arrocho salarial de anos que está previsto pelo governo golpista de Michel Temer através de projetos que estão sendo deba dos no ConRECIFE, AGOSTO DE 2016 gresso. O Sindsep-PE é terminantemente contra o Projeto 257/2016 e a Proposta 241/2016, que também serão responsáveis pelo completo sucateamento dos serviços públicos no Brasil, prejudicando toda a população. O Projeto 257, enviado ao Congresso como um plano para alongar o pagamento da dívida dos estados e do Distrito Federal, prevê o congelamento do salário mínimo e o corte de gastos dos estados e municípios. Ou seja, a população irá Rua João Fernandes Vieira, 67 - Boa Vista - Recife-PE aumentar, mas os gastos devem con nuar os mesmos por mais dois anos. Fone: 3131.6350 | Fax: 3423.7839 A PEC 241/2016 é ainda pior. Ela limita as despesas da União à inflação do ano anterior, medida pelo IPCA, durante 20

anos! Um estudo realizado pelo Dieese u lizou a regra prevista pela PEC 241 para calcular qual seria o orçamento de educação e saúde públicas desde 2002, caso a proposta vesse em vigor em 2001. Os números são alarmantes. De 2002 para 2015, por exemplo, as regras da PEC fariam com que o orçamento da educação acumulasse perdas de R$ 268,8 bilhões – o que representaria um corte de 47% em tudo o que foi inves do em educação . Em contrapar da, o governo interino não propõe medidas para rever os gastos com juros da dívida pública, que são extremamente altos. De junho de 2015 a maio de 2016 os juros já levaram mais de R$ 450 bilhões de reais dos cofres da União, quatro vezes mais que o orçamento anual da Saúde. Não iremos aceitar essas mudanças. Por isso, estamos nos preparando para uma grande greve geral que tomará conta do País e precisará da par cipação de todos.

arquivo FUP

de petróleo encontram-se hoje em dificuldades porque gastaram as reservas e não estruturaram o País”, afirma Moraes. “E não há destinação mais adequada para os recursos do pré-sal brasileiro do que a estruturação de um sistema de ensino público de qualidade para o Brasil”, opina o sindicalista.

Em 2013, as ruas do Brasil foram tomadas por protestos que tinham entre suas reivindicações a melhoria de serviços públicos como transporte, saúde e educação. No dia 24 daquele mês de junho a presidenta Dilma Rousseff (PT) anunciou cinco pactos para melhorar esses serviços. Entre as medidas, estava destinar para a educação os royalties do petróleo e parte dos recursos do pré-sal. O diretor da Federação Única dos Petroleiros (FUP), João Antônio de Moraes, avalia que o pacto anunciado pela presidenta Rousseff, em 2013, foi uma vitória, resultado da luta dos movimentos populares do País. “Essa pauta sempre esbarrou na dificuldade de não ter de onde tirar as verbas para colocar na educação. Mas com a descober-

É importante que as lésbicas se olhem e estejam juntas nessa resistência

DEMOCRACIA POR UM FIO l 7

Ao retirar controle da estatal, projeto tem impacto nos serviços públicos ta das reservas no pré-sal conseguimos a aprovação dos royalties para a educação e a saúde. Foi uma grande vitória. Aprovamos a lei e definimos de onde o Estado brasileiro vai tirar a verba”. Mas o que ajudaria a impulsionar a educação pública no Brasil já está sob ameaça. No Congresso tramita um projeto de lei que visa retirar da Petrobras o

controle sobre a exploração do petróleo nacional. De autoria do senador José Serra (PSDB) – licenciado para assumir interinamente o Ministério das Relações Exteriores –, o projeto de lei 4567/2016 retira da Petrobras a exclusividade na exploração das áreas de pré-sal, além de desobrigar a estatal de ter participação mínima de 30% nas demais áreas de exploração e produção. A proposta, já aprovada no Senado e em vias de aprovação na Câmara, desagradou entidades da sociedade civil que lutam pela educação pública. O diretor da Associação dos Professores do Ceará (APEOC), Hélder Nogueira, avalia que, ao retirar da estatal o controle da camada pré-sal, o projeto do senador tucano tem impacto direto nos recursos que iriam para os serviços públicos. “Isso vai reduzir drasticamente as possibilidades de trazer os royalties para a educação e para a saúde”, afirma. O educador recorda que os movimentos populares, sindicais e estudantis lutam desde a década de 1980

para que o poder público amplie o financiamento da educação pública. “Se o Brasil não chegar ao patamar de 10% do seu Produto Interno Bruto (PIB) sendo investido na educação, não conseguiremos dar o salto de qualidade que a sociedade brasileira almeja”, opina. “Compreendemos a educação como um direito que deve ter qualidade e participação popular. E para garantir a qualidade da educação precisa ampliar o financiamento”, diz Nogueira.

Petróleo é finito e deve ser aproveitado para estruturar a Nação Os movimentos populares chamam a atenção para o fato de que o petróleo é um recurso finito e que, por isso, ele deve ser aproveitado para estruturar a nação. “Algumas nações que tiveram grandes reservas

Segundo Moraes, o projeto de lei de autoria de Serra deixa por um fio o futuro vislumbrado com o recurso dos royalties. Para ele, as nações que conseguiram dar boa destinação aos recursos obtidos da energia só o fizeram porque tinham o Estado no controle da exploração desses recursos. “As medidas privatizantes tendem a barrar os avanços que começamos a construir. O que queremos é um bom sistema de ensino no País, impulsionado pelas verbas de energia, do setor de petróleo e gás. Mas isso só é possível através do Estado, porque quem consegue planejar e olhar para o futuro é a sociedade, através do Estado”, analisa Moraes. “Quando se tira o controle do pré-sal das mãos da Petrobras, uma empresa estatal, e transfere o pré-sal para empresas privadas, a tendência é dispersar os recursos e não conseguirmos dar a destinação adequada”, completa. Nos anos 1990, a Argentina viveu um processo de redução do controle estatal sobre as reservas de petróleo. As medidas foram seguidas da privatização da petroleira estatal YPF, que foi comprada pela espanhola Repsol. O país possuía uma boa reserva de petróleo cuja exploração poderia

render por muitos anos. Na medida em que explorava, a estatal cumpria importante papel na descoberta de novas jazidas de petróleo e investia no desenvolvimento de novas tecnologias para a exploração. Mas, com a privatização, a Repsol aumentou a produção,

As empresas privadas exploram predatoriamente mas sem investir em novas tecnologias ou na busca de novas jazidas. “As empresas privadas exploram predatoriamente, sem compromisso com a manutenção e sustentabilidade da produção. Hoje, a Argentina precisa importar petróleo”, afirma o diretor da FUP. “Retirar a Petrobras da operação é muito ruim porque quem planeja e decide a produção é a operadora. Ela que pode evitar a produção predatória. A Petrobras jamais faria no Brasil o que a Repsol fez na Argentina”. Na avaliação do petroleiro, a possível aprovação do projeto de lei 4567/2016 levará o País a viver situação similar a outras que já vivemos na história brasileira, com a exploração do pau-brasil e do ouro no período colonial. “Uma grande produção de recursos naturais que acaba sendo drenada sem estruturar o desenvolvimento nacional. Não podemos permitir que a história se repita”, opina.


Brasil de Fato PE

Recife, 26 de Agosto a 08 de Setembro

Brasil de Fato PE DEMOCRACIA POR UM FIO l 8

Recife, 26 de agosto a 08 de setembro

Políticas sociais sofrem cortes durante governo Temer CONTRA REFORMAS. Gestão interina reduz investimentos em áreas como saúde, educação e habitação e prepara reforma trabalhista e previdenciária Rafael Tatemoto, de São Paulo

M

esmo antes do desfecho do processo de impeachment contra a presidenta Dilma Roussef (PT), o governo interino já vem modificando políticas programas sociais existentes no país. Áreas como saúde, educação e habitação vem sofrendo cortes, reduzindo investimentos em programas federais. Além disso, Michel Temer (PMDB) tem demonstrado a intenção de realizar reformas profundas nas questões trabalhistas e previdenciária. A gestão provisória trabalha para aprovar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 143, que estabelece teto para gastos públicos para as próximas duas décadas. O projeto permite que 25% das receitas da União, estados e municípios sejam desvinculadas, ou seja, deixem de ser obrigatoriamente investidas em determinadas áreas. Isso significa que o governo conseguirá diminuir gradualmente investimento, congelando os gastos.

A PEC foi aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara nesta terça-feira (9). Para críticos da ideia, a saúde seria uma das principais vítimas. O senador Paulo Paim (PT-RS) afirma que há um risco “de desmonte expressivo da já precária situação da saúde pública brasileira”. “Essa é a PEC dos 20 anos de lucros para os banqueiros, do arrocho fiscal, da destruição dos serviços públicos de saúde e educação. Um retrocesso democrático”, disse o líder o PSOL na Câmara, Ivan Valente (SP), durante a sessão da CCJ. Carta é assinada pela Associação Nacional do Ministério Público de Contas, o Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais de Contas, a Associação Brasileira de Economia da Saúde, Associação Nacional do Ministério Público em Defesa da Saúde e a Associação Brasileira de Saúde Coletiva estima que, caso a PEC seja aprovada, o Sistema Único de Saúde deixe de receber R$ 80 bilhões. Paralelamente, após declarações do ministro da

Saúde, Ricardo Barros, no sentido que é necessário reduzir o tamanho do SUS, o governo interino instituiu, em 4 de agosto, um grupo de trabalho para a criação de um modelo baseado em “planos de saúde” populares. Barros teve financiamento de seguradoras na última campanha eleitoral.

Na área educacional, a política econômica de Temer já surte efeitos. O Conselho Nacional de De-

ANUNCIE AQUI

senvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) – principal agência de fomento à pesquisa e ligada ao Ministério da Ciência e Tecnologia - cortou 20% das bolsas de iniciação científica no país, passando de 33.741 para 26.169. Quatro ações sofreram com o impacto: Programa

Institucional de Bolsas de Iniciação Científica, Programa de Iniciação Científica para o Ensino Médio, Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação e Programa Institucional de Iniciação Científica nas Ações Afirmativas.

DEMOCRACIA POR UM FIO l 9

Recife, 26 de agosto a 08 de setembro

“Cortar bolsas de iniciação científica é cortar o futuro. Nenhum governo tem o direito de fazer isso”, ciritou Helena Nader, presidenta da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) em entrevista ao jornal o Estado de São Paulo. Ainda no campo educacional, o Ministério da Educação anunciou também que estudantes de graduação não poderão mais ser beneficiados pelo Ciência sem Fronteiras, programa que já vinha enfrentando problemas durante a gestão Temer: estudantes de doutorado no exterior relatam atrasos e dificuldades no recebimento das bolsas.

Agricultura

O valor das bolsas de iniciação científica é de R$ 400 por mês para alunos de graduação e de R$ 100,

Programas

Brasil de Fato PE

O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, ordenou que a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) devolvesse R$ 170 milhões à pasta. O montante seria aplicado no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), responsável pela aquisição e estocagem de gêneros alimentícios. No ano passado, 121 mil toneladas de alimento foram adquiridas. Cerca de 40 mil agricultores eram abarcados pelo programa. A medida se soma à própria extinção do Ministério do Desenvolvimento Agrário, ocorrida assim que Temer assumiu interinamente. No campo, movimentos camponeses reivindicam, entre outras coisas, a retomada de programas voltados para a habitação rural. De forma geral, a habitação vive também dificuldades, especialmente a moradia popular. Enquanto o Ministério das Cidades anunciava suspensão de novos contratos do “Minha Casa, Minha Vida” - voltando atrás após críticas e mobilizações de movimentos de moradia -, o teto do financiamento da Caixa Econômica Federal

para a aquisição de imóveis de alto valor dobrou: de R$1,5 milhão para R$ 3 milhões.

O valor máximo de financiamento “de luxo” da Caixa equivale a oito casas da faixa 1 - voltada para pessoas de 0 a 3 salários mínimos - do Minha Casa, Minha Vida

“Reformas” Além dos cortes e modificações em programas, o governo interino vem discutindo alterações profundas nas questões trabalhistas e previdenciárias. Em relação à Previdência, Temer vem apontando a ideia de estabelecer uma idade mínima, equiparando trabalhadores rurais e urbanos, para aposentadoria – 65 ou 70 anos. Na questão trabalhista, a gestão provisória defende a ideia de fazer prevalecer o negociado entre empregados e patrões sobre aquilo que é legislado. Nesse pacote, até mesmo questões como o 13º salário e as férias anuais estariam em risco.

Resposta Consultadas pela reportagem, nenhuma das autoridades mencionadas respondeu. Em ocasiões,

Caso haja uma idade mínima universal – para campo e cidade – muitos trabalhadores não gozarão do benefício entretanto, anteriores se manifestaram sobra as questões. A CNPq afirmou que “considerando o contexto orçamentário atual e a indicação para 2017 de redução do orçamento do CNPq para o próximo ano, foi necessária a adequação da concessão de bolsas da agência ao novo cenário”. A Caixa afirma que ampliou sua capacidade de

investimento já que “conseguiu recursos, por exemplo, com a emissão de títulos”, dizendo também que a ampliação do financiamento de imóveis de alto valor atende pedido “próprio governo”. O Ministério do Desenvolvimento Social afirmou que ainda estuda onde aplicará as verbas que antes seriam aplicadas pela Conab no PAA.

Em relação ao Ciência sem Fronteiras, o Ministério da Educação afirma que o valor antes voltado para estudantes de graduação será destinado a estudantes de baixa renda do ensino médio. O teto de gastos, com desinvestimento em saúde e educação, é defendido pelo governo como medida necessária para se reencontrar o equilíbrio fiscal.


Brasil de Fato PE

Recife, 26 de Agosto a 08 de Setembro

10 | OPINIÃO

Artigo

Festa De Aniversário De Fidel

Artigo

Frei Betto*

Os venezuelanos não precisam de ajuda humanitária, mas sim trabalhar mais e melhor

Brasil de Fato PE

ENTREVISTA l 11

“ O golpe rompeu o pacto estabelecido pela Constituição” AMEAÇAS. Após quebra da ordem democrática, nem mesmo a realização de eleições em 2018 está garantida, afirma advogado

José Reyes* Rafael Stédile

F

idel completou 90 anos no sábado, 13 de agosto. Estive em sua casa, em Havana, acompanhado por Homero Acosta, secretário do Conselho de Estado de Cuba.

Parecia feliz com as conquistas de um povo que, há 57 anos, desafia e frustra todas as previsões que, fora de Cuba, preconizam o fracasso do socialismo na ilha O líder revolucionário nos recebeu em companhia da esposa, Dalia, enquanto sorvia, lentamente, uma sopa. Pela TV, acompanhava a Olimpíada. Dei-lhe de presente chocolates brasileiros e a nova edição, em português, de “Fidel e a religião” (Fontanar). Fidel manifestou sua preocupação com o incremento das armas nucleares. Os EUA decidiram, há pouco, aumentar seu arsenal na Alemanha. No final da tarde, nos reencontramos

no teatro Karl Marx. Sentado entre Raúl Castro, seu irmão, e Nicolas Maduro, presidente da Venezuela, Fidel comemorou ali seu aniversário, cercado por familiares e mais de mil espectadores. A festa, que durou exatos 60 minutos, surpreendeu. Nenhum discurso. Nenhum proselitismo ideológico. Meia centena de crianças encenou uma sala de aula, na qual os alunos cantaram e recitaram poemas, estabelecendo um paralelo entre Fidel e José Martí, o grande inspirador da Revolução Cubana. No telão ao fundo, imagens das lutas que os dois empreenderam. Martí, pela independência de Cuba, em fins do século XIX. Fidel, pela soberania da ilha, em meados do século XX. Uma menina fez entrar na classe sua avó: Omara Portuondo. Embora tenha 85 anos, sua voz envolvente comoveu o público. Em seguida, a participação virtual de Silvio Rodriguez, cujas canções coincidiram com a projeção de imagens de Fidel desde a infância à guerrilha de Sierra Maestra, no governo da ilha e ao lado de figuras históricas como Che Guevara e os papas João Paulo II, Bento XVI e Francisco. Ao se retirar, ovacionado pelo público, Fidel cumprimentou velhos companheiros que participaram da vitória da Revolução, em 1º de janeiro de 1959, e a nova geração de dirigentes cubanos. Parecia feliz com as conquistas de um povo que, há 57 anos, desafia e frustra todas as previsões que, fora de Cuba, preconizam o fracasso do socialismo na ilha.

* Frei Betto é escritor, autor de “Reinventar a vida” (Vozes), entre outros livros.

VISITE NOSSA PÁGINA facebook.com/brasildefatopernambuco

gadas ao paramilitarismo desmobilizado da Colômbia fazem o trabalho ser mais difícil. A taxa de lucro dos chamados “bachaqueros”, que desviam ilegalmente os alimentos subsidiados, é exorbitante, por cada 20 dólares de produtos subsidiados trafis venezuelanos não precicados, um bachaquero pode gasam de ajuda humanitária, nhar 634 dólares por mês. Muito mais lucrativo que o narcotráfimas sim trabalhar mais e melhor co. Estima-se que, em 2014, 40% A Venezuela vive um momendos produtos subsidiados foram to interessante. Mergulhada na exportados como desaceleração da contrabando de economia munevasão. Por causa dial que afeta disso, o governo venezuelano coloos preços de excou em prática a portação de seu O governo Missão Abasteciprincipal produto, mento Soberano e venezuelano enfrenta-se uma Seguro, que integra decisão histórica: colocou em e coordena as áreas seguir dependen- prática a Missão a g r o a l i me nt a r, do das importafarmacêutica e inAbastecimento dustrial da Agenda ções ou gerar uma Econômica Bolivaestrutura nacional Soberano e riana, e conta com de produção para Seguro, que 105 grandes unisatisfazer suas ne- integra e dades agroproduticessidades humavas. coordena as áreas nas básicas. O país Segundo especiaconta com uma agroalimentar, listas de esquerda, na Venezuela exispopulação econo- farmacêutica te uma acentuação micamente ativa e industrial das contradições equivalente a 65% na crise capitalista, da Agenda de seus habitanos proprietários de tes e uma taxa Econômica empresas tradiciode matrícula em Bolivariana nais e o governo de Maduro possuem educação supeclaras diferenças rior de 83%. Com sobre a condução uma das maiores da economia diante da queda do reservas de petróleo do mundo, preço do petróleo. a nação sul-americana apresenFazem falta políticas internata dificuldades para manter seu cionais mais justas com a Veritmo de importações, incluindo nezuela, para gerar uma solução estrutural; a chamada ajuda alimentos e remédios. humanitária não se aplica a um Ao mesmo tempo, o governo país com o potencial humano e chavista do presidente Nicolás os recursos naturais que possui Maduro realiza um esforço exa Venezuela. Nesse sentido, uma traordinário para manter polítimedida de ajuda humanitária cas sociais que beneficiam a poaplicável à Venezuela seria o pulação mais pobre e de classe perdão da dívida externa. média. Essas políticas permitem o acesso, de forma subsidiada, a alimentos e remédios, como José Reyes - é Economista prioridade para o bem-estar da população. No entanto, máfias e redes de crime organizado, li-

O

Pedro Rafael Vilela de Brasília (DF) Na semana do julgamento final do processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff, a crise política do país ainda parece estar só no começo. O interino Michel Temer tem aprovação de apenas 10% da população, índice igual ou até pior que Dilma antes do afastamento, segundo indicam as pesquisas de avaliação mais recentes. Além disso, já enfrenta forte disputa interna com partidos que apoiaram o golpe, como o PSDB, que ameaça deixar a base governista se Temer não implementar um rigoroso ajuste fiscal e abandonar a ideia de se candidatar à reeleição em 2018. Porém, o que deve mesmo afetar o cenário econômico e político do Brasil são as mudanças prometidas por Temer aos setores sociais que apoiaram o impeachment. O advogado e membro da Direção Nacional da Consulta Popular, Ricardo Gebrim prevê a retomada imediata do ciclo de privatizações e cortes de direitos. Nem mesmo a realização das eleições em 2018 estaria assegurada. Para Gebrim, no entanto, o golpe permitiu a construção de unidade de setores populares, que podem fazer frente às tentativas de “desmonte” que vem por aí. O afastamento de Dilma está prestes a ser confirmado pelo Senado. A partir desse novo cenário, o que esperar da agenda política e econômica do governo Temer? Ricardo Gebrim - Se consumarem o golpe, vão ten-

impossibilitou uma greve geral que teria sido decisiva para barrar o golpe. Mas, nada nos permite afirmar que o crescimento da capacidade de luta, expresso no aumento do número de greves desde 2004, tenha diminuído. Temos um grande pode luVamos viver um período tencial ta e esta tencom muito mais possibilida- tativa de uma des de luta do que durante a nova ofensiva neolibedécada de 1990 ral não será tão fácil para eles, vamos vitar aplicar uma nova ofen- ver um período com muito siva neoliberal. O principal mais possibilidades de luta interesse das forças econô- do que durante a década de micas que patrocinaram o 1990. golpe é mudar o marco reEm mensagem aos segulatório do pré-sal, voltando aos contratos de conces- nadores e ao país, Dilma são [com as petroleiras es- propôs uma consulta potrangeiras], desmontando pular sobre a realização o papel competidor da Petrobrás. Também querem privatizar o que ainda pode As forças ser privatizado no setor eléeconômicas trico, esvaziar a capacidade do Brasil de ter um desene sociais que volvimento soberano. Esta promoveram o é a intenção deles, mas vão golpe tinham a enfrentar muita resistênunidade apenas cia da classe trabalhadora e dos setores populares. em derrubar o E como está organizada essa resistência popular? A classe trabalhadora não se enxergou na representação política do governo Dilma e isso foi acentuado pelas medidas do chamado “ajuste fiscal”. Isso

governo legítimo da presidenta Dilma

de novas eleições. Qual são os limites dessa proposta, ela daria conta de resolver a crise política do

país? O importante da mensagem da Carta da Presidenta Dilma é sua clara denúncia do golpe e disposição de lutar ao lado do povo. A proposta de um plebiscito para antecipar eleições, além de um equívoco político, não tem viabilidade. Após a realização do plebiscito, que somente poderia ocorrer em meados de 2017, será necessária a tramitação de uma emenda constitucional, levando a “antecipação” para 2018 ou 2019. Não é viável. A classe política que está à frente da deposição de Dilma, como PSDB e PMDB, já começa a se desentender. Isso significa um prolongamento ainda maior da crise? As forças econômicas e sociais que promoveram o golpe tinham a unidade apenas em derrubar o governo legítimo da presidenta Dilma, inevitavelmente crescerão suas disputas políticas a partir de agora. O que não podemos permitir é que se rompa a importante unidade que os setores populares conseguiram construir na luta contra o golpe. O que os movimentos populares e a classe trabalhadora devem esperar das eleições presidenciais de 2018? Dá para prever o tipo de disputa que vai se dar? O golpe rompeu o pacto democrático da chamada Nova República. Rasgou a Constituição Federal de 1988 ao derrubar a presidenta eleita sem qualquer

crime de responsabilidade. Não temos sequer garantia que ocorrerão as eleições previstas para 2018. Devemos retomar a luta demo-

A proposta de um plebiscito para antecipar eleições, além de um equívoco político, não tem viabilidade crática, especialmente propondo uma Constituinte que permita ao povo retomar a soberania e reconstruir a democracia abalada por este golpe. Qual é a natureza dessa crise política que vivemos, que parece mais ampla do que o impeachment? Fica cada vez mais evidente que esse cerco político que conformou o golpe forma parte de uma estratégia do imperialismo estadunidense que busca de todas as maneiras retomar suas posições no continente, atuando na contraofensiva aos governos progressistas, que nos últimos 15 anos buscaram responder às aspirações de construção de Estados-Nações com maior grau de soberania política. Por outro lado, haverá a memória coletiva dos setores populares que foram beneficiadas na última década, além da capacidade de luta dos movimentos organizados. Ricardo Gebrim, da Consulta Popular:


CULTURA | 12

VISITE MUSEU

Crônica: Discreta Tristeza

mesa da sala, as folhas de um Benedetti às À mãos, ouço você chorando

enquanto passa o café. Você desconhece, mas ouço. O filtro de papel ecoa pela cozinha o tilintar da lágrima na xícara de porcelana azul, eu sei, sua peça favorita do que restou da louça do

casamento de meus avós. Você traz a xícara e eu bebo o sal que mareja o amargo. Disfarço. Você não percebe a minha estranheza, sequer nota que me sirvo do açúcar, assim como não sabe que, nesta madrugada, na cama, assisti a três lágrimas se desgarrarem de seus olhos quando você já dormia. Duas do esquerdo, uma do direito, nesta ordem, desculpe-me a pre-

plicou com minhas aulas e meu jeito barroco matinal de cantarolar Piaf. Não duvide. Hoje, sou capaz de uma topografia dos relevos de sua dor. De tal modo que, sentado a esta mesa, a xícara azul vazia, antevejo o fim desta tarde de agosto. Assim que o vizinho do apartamento ao lado dispor o vinil de Billie Holiday que ele escuta, sempre, aos domingos, eu convidarei você a este sofá. Você virá. Cravará suas pernas sobre as minhas, à mesma posição em que, um dia, eu perguntei seu nome. Sorrirá, como gosta. Ao fim, sua pele desembaraçada da minha, você virará o rosto com rapidez, para que eu não veja a lágrima se formar. Claro, eu verei, e você finalmente saberá. Lamberei de seus olhos nosso último segredo. Roberto Efrem Filho - ou Beto, como gosta - é do Recife e, vez ou outra, atrapalha-se com as palavras, nas redes sociais ou, agora, nestas páginas.

AGENDA CULTURAL Artes Plásticas

Inês Campelo- DP.A

Variedades CULTURA l| 13 13

Parteiras tradicionais buscam reconhecimento e preservação dos seus saberes

AGENDA CULTURAL Festa

TRADIÇÃO. Existem cerca de 600 parteiras atuando em Pernambuco, de acordo com o Grupo Curumim Eduardo Queroga

divulgação

MUSEU DO FORRÓ O Museu do Forró Luiz Gonzaga foi fundado em 1985, apenas com o nome de “Museu do Forró de Caruaru”, e abriga relíquias de artistas caruaruenses, das primeiras festas juninas da cidade e do Rei do Baião Luiz Gonzaga. Inicialmente, o espaço guardava as capas de LPs de artistas locais e funcionava na Casa José Condé, no Parque 18 de Maio. Foi em 1989, após votação de um projeto de lei na Câmara dos Vereadores, que o nome passou a ser Museu do Forró Luiz Gonzaga. Mas somente em 1998 o museu passou a abrigar as peças do Rei do Baião. Na sala dedicada ao sanfoneiro, nomeada “Olha Pro Céu Meu Amor”, estão documentos, cartas de amor, peças de roupa, objetos pessoais, bonecos e artigos de barro, além de parte da sua discografia. Ao todo, são cerca de 600 peças, que ilustram a memória de Luiz Gonzaga. O destaque fica para a sanfona utilizada pelo cantor no último show realizado em Caruaru, em 1988. Nos outros dois espaços do museu, as pessoas podem encontrar objetos de outros artistas e que representam os festejos juninos do passado, como fotografias e painéis. O museu está localizado dentro do Museu do Barro Espaço Zé Caboclo, no Espaço Cultural Tancredo Neves, e funciona de terça a sábado, das 8h às 17h, e aos domingos, das 9h às 13h.

divulgação

Por Roberto Efrem

cisão, você sabe, não adoço. Sexta-feira, entretanto, eu dirigia, cruzávamos a noite entre a Paraíba e Pernambuco, o fogo dançava sobre o canavial e avermelhava as nuvens acima da fumaça densa, testemunhei o silêncio de uma lágrima sua pela primeira vez. Ela reluzia. Ardia. Também dançava. Você nada falou, eu tampouco. “A tristeza é discreta”, escrevi para aquele poema. “Alimenta-se de toda palavra”, completei. Você não reconheceu o verso. Desde então, vivo de mapear seus rastros lacrimais. No sábado, as lágrimas retornaram. Você chorou frente à pia, antes de escovar os dentes. Você chorou na intransponível página 54 daquele Bolaño que eu lhe dei de aniversário em março e você, caralho, nunca terminou de ler. Você chorou no código de barras do boleto do aluguel - sem razão, fiquei pensando; com o dinheiro daquela tradução, eu havia adiantado seis meses do pagamento. É, eu disse, você esqueceu. Mas chorou no filme francês. Logo você, que tanto im-

Brasil de Fato PE

Brasil de Fato PE

Recife, 26 de Agosto a 08 de Setembro

“Êxodos” entra em cartaz na Caixa Cultural Recife A exposição fotográfica do consagrado fotógrafo Sebastião Salgado entra em cartaz dia 1º de setembro no espaço. Ele viajou durante seis anos, por 40 países, provocando uma reflexão sobre as questões políticas, sociais e econômicas de pessoas que foram obrigadas a deixar a sua terra natal. A visitação poderá ser feita de terça a domingo, a partir das 10h.

Música

divulgação

Coco da Resistência completa um ano de existência data será comemorada com uma festa no sábado (03.09) na Rua Mariz e Barros, em frente ao Bar do Reggae, a partir das 18h. O Coco da Resistência convidou para o momento outros 3 grupos, que só serão anunciados no momento da festa. Como já de costume nas sambadas do Coco da Resistência, eles estarão recebendo doação de alimentos e roupas.

A

A

primeira vez que Maria dos Prazeres, 79 anos, ajudou uma criança a nascer ela não esquece. “Parecia que eu estava subindo nas nuvens de tanta alegria”, conta a parteira. Moradora de Jaboatão dos Guararapes, ela é filha, neta e bisneta de parteiras e faz isso há 60 anos. “Eu ouvia as conversas da minha mãe sobre os partos que ela ajudava. Sempre fui muito curiosa. Quando eu sentia o cheiro de alfazema, que é muito tradicional de se queimar na casa que a mulher está parindo, eu saía em disparada para tentar ver”, conta Prazeres. As parteiras tradicionais são, em sua maioria, mulheres de referência em suas comunidades. Lideranças dos grupos que atuam, geralmente são mais velhas e não possuem formação acadêmica, mas dominam uma série de técnicas e conhecimentos sobre gestação, parto e pós-parto. O início no ofício dá-se por destino ou necessidade. São nas serras, sertões, ilhas e periferias que elas mais atuam. “A parteira é um elo importante entre a comunidade e o Sistema Único de Saúde (SUS). No Brasil, existem cerca de 3 mil parteiras tradicionais no cadastro do Ministério da Saúde. Elas já estão inseridas em algumas políticas públicas, são colocadas na certificação dos nascidos vivos. Isso demonstra um reconhecimento político. No entanto, ainda são muito discriminadas quando chegam aos hospitais, por exemplo”, afirma Paula Viana, enfermeira e secretaria executiva do colegiado do Grupo Curumim. Atuando desde 1990 em todo o Nordeste, o Grupo Curumim busca melhorar as condições de trabalho e vida das parteiras tradicionais e garantir o reconhecimento e a preservação

dos seus saberes. A relação dessas mulheres com seus territórios, a troca de conhecimentos de forma oral de geração em geração precisam ser respeitadas e fortalecidas, de acordo com Paula Viana. “É preciso entender que as parteiras podem sim atender ao parto na casa da mulher, já que isso é um direito. A família é soberana no nascer e morrer. E quando reconhecemos esses saberes como patrimônio cultural brasileiro, asseguramos que isso não se apague”, reforça Paula. Ela se refere ao processo que foi aberto em 2011 por ONGs e associações de parteiras e reaberto este ano no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional para reconhecimento dos saberes e práticas das parteiras tradicionais. Em Pernambuco, o Programa Estadual de Parteiras Tradicionais (PEPT) está funcionando de 1993 e é considerado uma referência nacional no âmbito. Contempla ações de melhoria do parto domiciliar realizado pelas profissionais, sendo feita a identificação e cadastro por município e capacitação para o acompanhamento à gestante durante o parto domiciliar. Maria dos Prazeres é formada em enfermagem e trabalhou por muitos anos em grandes hospitais do Recife. Ela conta que decidiu ir para as maternidades para ver as diferenças nas formas de fazer parto e diz serem muitas. Ela uniu, durante sua trajetória, os conhecimentos empíricos e acadêmicos. “Eu me sinto realizada juntando os dois conhecimentos e compartilhando com as minhas colegas parteiras”, explica a senhora, que ainda hoje coordena os encontros das parteiras do seu município. A maior alegria de Maria dos Prazeres é poder dizer que na sua mão nunca um bebê morreu. Já foram mais de 5 mil partos. De algumas famílias, ela já acompanhou três gerações. O último parto que assistiu foi o do seu bisneto, que aconteceu na sua própria cama há sete meses. “Eu trabalho pisando no chão, navegando nas emoções do parto”, conclui Maria dos Prazeres, transformando em palavras o amor que sente pelo seu ofício.

divulgação

Laroyê: nossa rebeldia é o povo no poder! acontece neste sábado calourada é organizada pelo Levante Popular da Juventude e acontece no Terraço de Olinda, a partir das 15h. É um momento de saudar o povo preto, a resistência dos versos de Carolina de Jesus, da rebeldia de Tereza de Benguela, da utopia de Luísa Mahin e do Batuque de Clementina de Jesus. É para dizer que a universidade vai se pintar de povo e que os jovens não vão aceitar os cortes na Assistência Estudantil. A entrada custa R$ 5,00.

A

Dança

Eu trabalho pisando no chão, navegando nas emoções do parto

divulgação

“Cara da Mãe” em nova temporada no Recife espetáculo de dança é inspirado nas jornadas do feminino, especialmente no momento da maternidade. Dirigido por Luciana Lyra e tendo no elenco as bailarinas-criadoras Ana Luiza Bione, Íris Campos e Janaina Gomes. Será apresentado às 19h, nos dias 26 e 27 de agosto e nos dias 10,11, 17 e 18 de outubro, no Espaço Experimental, Rua Tomazina, Recife Antigo. Os ingressos custam R$20,00 e R$10,00.

O


14 | VARIEDADES

Brasil de Fato PE

Brasil de Fato PE

Recife, 26 de Agosto a 08 de Setembro

Horóscopo

GOL

26 DE AGOSTO A 08 DE sETEMBRO

Áries :

Amiga, é verdade que a vacina contra a dengue será vendida? E quem não pode pagar, como faz? Helena Miranda, 46 anos, faxineira. Essa é uma pergunta importante, Helena. Atualmente existe uma vacina contra dengue sendo vendida no Brasil. É a Dengvaxia, produzida pelo laboratório Sanofi Pasteur, da França. É indicada para pessoas entre 9 e 45 anos e precisa de 3 doses para que garanta uma proteção de cerca 65% (baixa, comparado com outras vacinas). Alguns estados estão comprando doses para ser distribuídas gratuitamente a alguns grupos de risco, porém, não há previsão de que o Ministério da Saúde adquira esta vacina para campanhas em massa. A justificativa apresentada pelo ministro interino, além do baixo orçamento, é que o Brasil tem uma vacina em fase final de testes, desenvolvida pelo Instituto Butantan, que já recebeu investimento de R$ 300 milhões recentemente. Acredito que somente com grande pressão popular seja possível acelerar o acesso a uma vacina gratuita e de qualidade, pois o atual governo interino não parece estar interessado na saúde do povo.

Touro:

Gêmeos:

Câncer:

Leão: Mande sua dúvida: amigadasaude@brasildefato.com.br Sofia Barboa Aqui você podeperguntar o que quiser para nossa Amiga da Saúde Coren MG 159621-ENF

Virgem:

Libra:

21/03 a 20/04: Relaxe! Este próximo período tem tudo para lhe ajudar em decisões e inclusive fazer você se divertir mais do que tem conseguido. Se não der para arrumar malas para uma boa viagem, invista em filmes e bons livros! 21/04 a 20/05: Mais do que estar em casa e com a família, você deve parar para pensar um pouco mais sobre si, mas considere seus desejos e não fique paralisado. Pode ter novos ganhos no trabalho, mas cuidado com novas dívidas. 21/05 a 20/06: Não tem para onde correr: terá que tomar iniciativas e decisões nos novos projetos que iniciou. Isso serve para o trabalho, mas também com suas relações. Boas conversas permanecerão lhe ajudando!

21/06 a 21/07: Pegue leve e cuide da sua saúde! Muita novidade, e uma provável rotina nova podem lhe exigir uma reorganização. Para evitar um aperreio maior, pense em investir em viagens, estudos, e até em atividades físicas. 22/07 a 22/08: Abra o coração para decidir: alguém novo para estar ou uma nova forma de estar com a mesma pessoa? No geral, você vive um momento de se reinventar. Para tudo: não faça nada sem refletir bastante. 23/08 a 22/09: Você está se vendo de outra forma e isso se reflete nas suas relações e no seu trabalho. Autocrítica é importante, mas reconheça suas qualidades. Curta as companhias, dê atenção à sua saúde, sinta-se bem! 23/09 a 22/10: Siga em frente, ainda que dê aquela vontade de saber logo se dará certo. Aproveite o entusiasmo de continuar fazendo o que já não foi fácil conquistar! Aceite seus desejos e se posicione nas relações.

23/10 a 22/11: Construção de novos caminhos e conhecimentos deve fazer parte do seu cotidiano, pois está bem preocupado com questões práticas. Aproveite as Escorpião: trocas com as pessoas e cuidado com a intolerância. 22/11 a 21/12: Podem ser dias um pouco tensos, então cuidado para tomar certas decisões e se posicionar. Para evitar crises nas relações, se esforce para ser mais constante. Fique atento à novas possibilidades Sagitário: profissionais. 22/12 a 20/01: Ótimo período para estudar e planejar novas experiências. Ainda que a estabilidade lhe faça bem, comece a pensar em outras maneiras de se relacionar. Não seja tão exigente com si e com os outros. Capricórnio:

Aquário:

Peixes:

21/01 a 19/02: É preciso colocar limites nos seus sonhos, começar a trabalhar com a realidade que tem e ser mais prático. Podem surgir possibilidades de ganhar dinheiro ao mesmo tempo em que deseja coisas simples. 19/02 a 20/03: O que você está fazendo para cuidar de seu corpo e sua saúde? Construa uma nova rotina considerando isso como essencial. No meio do caos você deve estar bem! Algo de novo deve impulsionar seu trabalho.

ESPORTES l15 15

NA GERAL Bárbara brilha, mas seleção não consegue medalha Titular da Seleção Brasileira de Futebol, a goleira Bárbara ganhou destaque no elenco que disputou os Jogos Rio-2016. Segura, a pernambucana de 28 anos sofreu apenas 3 gols em 6 jogos na competição. De quebra, brilhou ao defender dois pênaltis contra a Austrália, classificando o Brasil à semi-final. Na semi, mais um pênalti defendido diante da Suécia, mas insuficiente para a classificação. O Brasil encerrou a participação em 4º lugar, mas Bárbara se consolida entre os grandes nomes dessa geração. Melhor geração do handebol cai na quartas Campeã olímpica há 4 anos, Seleção Feminina de Handebol foi batida nas quartas de final do Rio2016. A eliminação não apaga o fato de que essas atletas são a geração mais vitoriosa da história do handebol nacional. Coadjuvantes em Sydney, Atenas e Pequim, as brasileiras subiram de qualidade conquistaram o 5º lugar no Mundial de 2011, levaram o ouro olímpico em Londres-2012 e o ouro também no Mundial de 2013, com destaque para a pernambucana Samira, atleta do Nice-FRA. No mundial de 2015 ficamos em 10º.

NA GERAL

Medalhista protesta contra repressão

O etíope Feyisa Lilesa cerrou os punhos ao cruzar a linha de chegada da maratona de 50km das Olimpíadas Rio-2016. O protesto é contra a repressão que os movimentos populares da Etiópia têm sofrido. A aprovação de um plano urbanístico para ampliar a capital do país deu início ao conflito. A obra e prejudica o povo tradicional Oroma. Agricultores e pastores, os Oroma iniciaram protestos contra o governo, que respondeu usando a Lei Antiterrorismo do país para matar mais de 400 manifestantes até o momento.

GOL

CONTRA

N

o dia em que a Seleção Brasileira foi derrotada pela Suécia, nas semi-finais dos Jogos Rio-2016, o comentarista esportivo Milton Neves fez críticas sem fundamento ao futebol feminino como um todo. “Futebol de ‘mué’ é de lascar, não tem graça nenhuma”, postou no Twitter. Em seguida ele sugeriu que o Comitê Olímpico Internacional (COI) substituísse o futebol feminino pelo futebol de salão, que não integra o quadro de esportes olímpicos. Mas Milton destacou que o que ele quer é “futsal de homens”.

Filipe Spenser os últimos dias a mitem tal esperança. torcida alvirrubra Por outro lado a volta tem nutrido duas gran- para os Aflitos parece des expectativas. A ser inadiável. O Exeprimeira é que o fute- cutivo já iniciou as bol apresentado den- obras de recuperação tro de campo evolua – estrutural do estádio principalmente após a e a Assembleia de Sódecepcionante derrota cios deve ratificar tal frente o Criciúma na decisão no sábado Arena Pernambuco. A (27). Ainda a respeito contratação do bom da Arena, é bom destameio-campista Viní- car que o pífio público cius, ex-Náutico e com de 5 mil pagantes no passagem por clubes Santa 0x0 Sport pela de Série A, além da Sul-Americana só devolta de Maylson, Ro- monstra que a ausêndrigo Souza, Yuri Ma- cia de torcida na Arena mute e Esquerdinha, não é exclusividade do são os fatores que per- Náutico.

GARÇOM, TROCA O DVD... Malu Xavier ..que a Série A me faz sofrer e o coração não aguenta. A suspeita se confirmou: o Santa Cruz esqueceu o que é primeira divisão. É tropeço seguido de tropeço, até mesmo no Arruda, onde cada jogo se transforma num presente para o adversário: os 3 pontos são um souvenir da passagem por Recife. Para um time que já respira por aparelhos, deixar de pontuar em casa é uma catástrofe irreversível. O que resta, por hora, é cogitar

que a Sul-Americana possa nos trazer algum ânimo nos dois clássicos em que Doriva deve experimentar o elenco entre as rodadas 22 e 23. São tantas as limitações que sequer imaginamos como pode funcionar. Para piorar, Tiago Costa, nosso “touro fatigado”, teve uma lesão no tendão e não joga mais este ano. O time está assim: costura de um lado, rasga do outro. E assim o tricolor vai seguindo. Para onde?

Montanha é 12º no lançamento de martelo O pernambucano Wagner Domingos, conhecido como Montanha, não repetiu a marca que o levou às Olimpíadas. Em junho Montanha lançou o martelo a 78,63m de distância, recorde sul-americano e 4ª melhor marca no mundo. No Rio ele se classificou à semi-final, mas no primeiro lançamento parou na rede e nos dois posteriores atingiu 71,97m e 72,28m, deixando-o na 12ª colocação. O Brasil não tinha um representante nesta prova havia 84 anos, quando Carmine Di Giorgi ficou em 13º nos Jogos de Los Angeles-1932. Brasil não foi bem no pentatlo

Milton Neves ataca futebol feminino

NOVO TIME E ANTIGA CASA

N

DE PLACA

Os representantes do Brasil no pentatlo são de Pernambuco. Yane Marques até foi bem nas provas de natação (9ª) e hipismo (16ª), mas não esteve bem na esgrima (23ª) e corrida e tiro (30ª). Na classificação geral Yane ficou em 23ª, com 1269 pontos. No masculino o estreante Felipe Nascimento ficou longe dos líderes na esgrima (35º), hipismo (31º) e corrida e tiro (33º). Sua melhor prova foi natação (20º). Ele ficou em 31º no geral, com 1295 pontos..

SPORT TIPO EXPORT Daniel Lamir Vez por outra, a vontade de brilhar além das terras brazucas sobe à cabeça leonina. Não há pecado. Aliás, são poucos clubes nordestinos que podem sonhar com uma boa campanha em competição continental. Ter jogador convocado para seleções nacionais é outro caminho interessante. A questão é que na Ilha do Retiro os altos e baixos nem sempre marcam longas distâncias. Quem não lembra a surpreendente campanha na primeira

fase da Libertadores de 2009? Ou ainda, a braçadeira de capitão da seleção no braço do volante Leomar em 2001? Esses feitos não se repetiram na década atual. Curiosamente, os dois exemplos “bateram na trave” no ano passado. A sexta colocação no Brasileirão empurrou, ao menos como cogitação, a convocação de atletas na Ilha. Para 2016, ainda é possível, ao menos, sonhar com algum desses feitos? Alô Tite! Alô G4!


Recife, 26 de Agosto a 08 de Setembro

Brasil de Fato PE

BdF PE edição 10  

Brasil de Fato PErnambuco edição 10

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you