Page 1

BRASIL | pág.8

PH Silva

ENTREVISTA| pag 11

“Eu sou uma preta cirandeira, cantando com um gazá na mão, cantando ciranda animada no meio da multidão”

Projetos visam impedir discussão de gênero e diversidade sexual nas escolas brasileiras

Leia entrevista com Lia de Itamaracá

Pernambuco

Recife, 30 de junho a 14 de julho de 2016 e d i ç ã o 6

distribuição gratuita

Ano 1| edição 3

Resistir e avançar nas conquistas populares

CIDADES

PERNAMBUCO

CULTURA

Comida saudável para o corpo e para o bolso

Bibliotecas como direito à leitura e espaço de liberdade

Cultura na luta por um mundo melhor

Pag.5

Pag.06

Pag.13


Brasil de Fato PE

Recife, 30 de junho a 14 de julho de 2016

Brasil de Fato PE

EDITORIAL

Em menos de dois meses governo interino já é impopular

mandou

BEM

Roberto Stuckert/ palacio do alvorada

A LUTA pela democracia vem sendo travada todos os dias nas ruas

Menos de dois meses do promisso com os interesses governo interino de Michel das famílias e não daqueTemer, já se sente os im- les que os elegeram, até a pactos na vida do povo e o sucessão de provas de que conjunto de contradições o a Presidenta não cometeu desmoralizam até mesmo crime de responsabilidapara setores da burguesia de, agora comprovado pela e da grande mídia. Incapazes de “A antecipação das eleições, propor qualquer saída que respei- proposta construída nos marte os interesses cos dos acordos pelo alto repopulares e a soberania nacio- presentará o consentimento nal, as propostas do Golpe” continuam sendo articuladas à revelia da participação popular e não en- perícia feita a pedido da contram apoio na socieda- comissão de Impeachment de. do Senado. O impeachment que foi A luta pela democracia apresentado como a salva- travada todos os dias nas ção do Brasil está cada vez ruas pelos setores orgamais desmoralizado, desde nizados, vai ficando mais o espetáculo protagoniza- concreta quando a vida do do na votação do Congres- povo é atingida na escalaso quando a maioria dos da de medidas impopuladeputados assumiram em res de desmonte das polírede nacional o seu com- ticas públicas de interesse

dos mais pobres. Também as medidas conservadoras que atingem os setores médios, artistas, intelectuais que engrossam as fileiras da luta contra o golpe. A antecipação das eleições, proposta construída nos marcos dos acordos “pelo alto”representará o consentimento do Golpe. Desconsidera o acúmulo de forças dos setores populares pela recondução da presidenta ao governo nos marcos da luta social. É mais uma ilusão com a viabilidade do atual sistema político, não tem base jurídica, viabilidade política, legitima o golpe, desmobiliza e enfraquece o terreno da luta em que o povo é protagonista de sua história. As forças populares devem conduzir a saída política para a crise A votação no Senado

decidirá entre o aprofundamento dos direitos duramente conquistados na Constituinte de 1988 ou a continuidade do desmonte do Estado brasileiro iniciado nos anos 1990, mas somente a força popular

“A volta de Dilma só fará sentido se ancorada na demonstração de força que o povo brasileiro tem dado nas ruas” resultante desse processo podem abrir uma nova situação política capaz de recolocar na ordem do dia as mudanças estruturais que realmente interessam ao povo. A força popular gerada em torno no “Fora de Temer” tem forjado um pro-

cesso de resistência, unidade e recomposição dos setores progressistas por um projeto de nação articulado em torno da Frente Brasil Popular. Esta construção não pode de ser sequestrada pelos limites da luta institucional articulada pelo alto, marcada pelo calendário eleitoral, repetindo as ilusões que já não cabem para o momento. A volta de Dilma só fará sentido se ancorada na demonstração de força que o povo brasileiro tem dado nas ruas, com um novo governo se comprometendo com a ampliação de canais de diálogo e participação do povo na política, único vínculo capaz de dar ao seu retorno o sentido de vitória. É momento de desmascarar a farsa do sistema político e colocar o projeto do povo em cena e de fazê-lo com a coragem que o momento político exige.

O

ator norte-americano Danny Glover visitou a presidente eleita Dilma Rousseff, na segunda-feira (20.06), no Palácio da Alvorada; ele declarou apoio a ela e à democracia brasileira; “Foi um encontro importante. Lamentamos o que está acontecendo com a democracia”, disse.

mandou

MAL

A

O jornal Brasil de Fato circula em todo o país, com edições regionais em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Pernambuco. O Brasil de Fato PE circula quinzenalmente às sextas feiras. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais.

REDE SOCIAL: facebook.com/brasildefatopernambuco correio: redacaobfpe@brasildefato.com.br para anunciar: publicidadepe@brasildefato.com.br

Edição: Monyse Ravenna (DRT/CE 1032) I Redação: Elen Carvalho e Vinícius Sobreira I Revisão: Mariana Reis I Distribuição: Iyalê Tahyrine Colaboradores: Daniel Lamir, André Barreto, Halina Cavalcanti, Catarina de Angola, Débora Britto, Filipe Spenser, Malu Xavier I Diagramação: Diva Braga I Tiragem: 40.000 exemplares.

VISITE NOSSA PÁGINA facebook.com/brasildefatopernambuco

GERAL l 3

FRASE DA SEMANA Há uns 20 partidos que se dizem de esquerda, mas que não se unem pelos objetivos comuns. Se não juntarmos nossas forças, não venceremos nunca Aleida Guevara, pediatra cubana e filha do guerrilheiro Che Guevara, durante abertura do Festival Internacional da Utopia, falando sobre a América Latina.

Expediente Brasil de Fato PE

Recife, 30 de junho a 14 de julho de 2016

Divulgação

2 | OPINIÃO

jornalista do portal iG, de 21 anos, que denunciou publicamente o assédio que sofreu do funkeiro Mc Biel durante uma entrevista, foi demitida após 14 dias da denúncia. O portal havia prometido oferecer todo apoio necessário à jornalista.

O recente atentado a uma boate gay nos EUA que matou 50 pessoas reacendeu o debate sobre a homofobia e o avanço do conservadorismo. No Brasil os crimes homofóbicos ainda são bastante comuns. O que você acha disso? Hoje as pessoas têm vergonha de se mostrar preconceituosas, mas nas falas e piadas continuam reproduzindo o discurso do ódio e da não aceitação. Ainda falta muito, mas o que foi conquistado pelos movimentos LGBT é muito importante, principalmente em relação à visibilidade. Acho que o diálogo é a única forma de superarmos isso. Tem que conversar sobre o tema com a família, filhos, amigos. Puxar o assunto, questionar, tentar esclarecer as pessoas sobre a questão. Clarice Peres, 30, profissional de educação física.

Avalio que no Brasil a cultura heteronormativa vem criminalizando as formas de ser, amar e pertencer que sejam diferentes justamente do “padrão” heterossexual. Há um tempo a população homossexual estava escondida nos guetos, nas boates, nos clubes; hoje em dia, o empoderamento vem quebrando as “caixas e “os armários”; mas lamentavelmente, o conservadorismo e o fundamentalismo religioso vêm puxando o gatilho para qualquer um que ouse colocar o pé “na sua calçada”. Tudo isso é duro e massacrante, mas só poderá continuar mudando se o enfrentamento persistir. Gerbson Lima, 28 anos, Assistente Social


4 | CIDADES Mundo

Brasil de Fato PE

Recife, 30 de junho a 14 de julho de 2016

Brasil de Fato PE

Recife, 30 de junho a 14 de julho de 2016

CIDADES I 5

ESPAÇO SINDICAL Arraiá do Sinttel

A

Escola de Formação Popular Feminista Soledad Barrett inicia atividades

A

Marcha Mundial das Mulheres - núcleo Soledad Barret deu início a Escola de Formação Popular Feminista Soledade Barrett no sábado (11.06), no Sindicato dos Bancários, no Recife. A primeira etapa teve o tema “Histórico e Conceitos Feministas” e teve como encerramento um ato pelo fim da cultura do estupro na Praça de Santa Cruz. A escola segue até dezembro, acontecendo sempre em um sábado por mês com temas como formação social brasileira, comunicação, cultura e fim da violência. São mais de 400 mulheres inscritas.

Anuncio

Mulheres da FBP de Caruaru fazem ato na delegacia da Mulher O Comitê de Mulheres e Diversidade da Frente Brasil Popular de Caruaru, realizou uma vigília na segunda-feira (20.06) na frente da Delegacia da Mulher, localizada no bairro São Francisco, como forma de repudiar o fechamento dos plantões dos finais de semana no mês de junho. Cartazes com frases de denúncia da violência contra a mulher, velas e faixas foram colocadas na frente do edifício.

Ato contra a cultura do estupro é realizado na UFPE

Dia Mundial do Orgulho LGBT

N

O

a tarde da quarta-feira (29.06), as estudantes do campus Recife da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) junto com coletivos e movimentos feministas realizaram um ato para denunciar os casos de estupro que são frequentes na instituição. A ação aconteceu no estacionamento do CCSA, local onde aconteceu o último estupro noticiado. Houve batucada feminista, confecção de cartazes e oficina de stencil.

Comitê LGBT pela Democracia, que integra a Frente Brasil Popular de Pernambuco, realizou o Ato da Resistência pelo fim da violência LGBT em Pernambuco na tarde da última terça-feira (28). A vigília, que teve concentração ao lado da Assembleia Legislativa de Pernambuco, centro do Recife, foi uma forma de homenagear as pessoas LGBTs mortas em Orlando e em Pernambuco, que é um dos estados mais violentos para a população LGBT no Brasil.

contece no dia 02.07, às 21h, no Clube Internacional do Recife, mais um Arraiá do Sinttel, festa organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações de Pernambuco para celebrar os festejos juninos junto à categoria. Mesmo em um ano de dificuldades econômicas, o Sindicato fez esse esforço para realizar mais uma edição da festa e proporcionar esse espaço de lazer para os trabalhadores. Também aproveitarão para comemorar o Dia do Teleatendente, que é celebrado no dia 04.07, além de registrarem durante o evento o posicionamento firme em defesa da democracia.

Servidores Públicos em Luta

Plenária da fup

No último dia 29.06, os servidores estaduais organizados pelo Sindicato dos Servidores Públicos Civis do Estado de Pernambuco (SINDSERPE) realizaram apitaço e com microfone aberto denunciaram insatisfações da categoria em frente ao Palácio do Campo das Princesas, em Recife. A proposta previa três dias consecutivos de paralisações, porém os outros dois dias foram suspensos com o agendamento de uma reunião no dia 21.07 com o Secretário de Administração Milton Coelho. Os servidores permanecem em alerta até este dia, quando toda a pauta será debatida e apresentada.

Acontecerá entre os dias 06 e 10.07, na cidade de Campo, no Estado do Rio de Janeiro, a VI Plenária Nacional da Federação Única dos Petroleiros (FUP), que terá como tema “Manter acesa a chama da resistência”, mesma palavra de ordem da greve geral que marcou a categoria em 1995. Serão temas de debate e decisão para construção de lutas: a resistência ao Golpe e a tentativa de privatização da Petrobras. Pernambuco também se fará presente com uma comitiva de representantes do Sindpetro PE/PB.

nacional

Banco de horas

Horas Extras

Você sabia que, no seu emprego, quanto mais horas você trabalha sem seu salário aumentar, maior é o lucro do seu patrão? É por isso que as empresas vivem inventando formas de você trabalhador aumentar a sua jornada de trabalho diária. A forma mais comum é o Banco de Horas. Com ele, a empresa exige que o trabalhador fique mais tempo trabalhando, às vezes até 12 horas, sem precisar pagar horas extras. Porém, fique atento: banco de horas sem ter havido antes negociação com o sindicato e assinado acordo coletivo é ilegal, não vale de nada e viola os seus direitos como trabalhador.

Você não só está trabalhando quando está fisicamente presente na empresa. Se você tem que ficar com o celular ligado esperando de plantão, pronto para o chamado do chefe à noite ou no fim de semana, isso também deve contar como horas de trabalho. É o que chamamos de sobreaviso, previsto na CLT. Nesta, as horas que o trabalhador ficar de plantão devem ser pagas como horas extras. Qualquer tempo que o trabalhador ficar à disposição da empresa ou do patrão é considerado trabalho e deve ser remunerado por ele. Lute pela defesa dos seus direitos, organize-se com seus colegas no seu local de trabalho! Procure o seu sindicato!

Comida saudável para o corpo e para o bolso

FEIRAS agroecológicas são opções econômicas e de comércio justo no Recife arquivo centro Sabiá

Vinícius Sobreira É cada vez mais comum encontrar feiras agroecológicas nas grandes cidades. Fortalecidas pela conscientização da população e pela organização dos agricultores, essas feiras – também chamadas de orgânicas – se diferenciam por só comercializarem produtos sem agrotóxicos e componentes químicos artificiais prejudiciais à saúde. No Recife, há espaços de comércio de alimento sem tóxicos que fazem parte da dinâmica do bairro há mais de 10 anos. A feira agroecológica mais antiga da capital pernambucana funciona há 18 anos no bairro das Graças, atrás do Colégio São Luiz. Os feirantes chegam na madrugada do sábado e encerram as atividades às 9h. Também aos sába-

Recife possui diversas feiras

dos acontece a feira agroecológica de Boa Viagem, no 1º Jardim. No Sesc de Santo Amaro e no CCSA da Cidade Universitária os produtos orgânicos são comercializados nas manhãs das quartas. Na sexta-feira é na praça de Dois Irmãos que acontece a venda. Outro diferencial das feiras agroecológicas é que são as próprias famílias produtoras que comercializam os produtos. Nas feiras livres comuns a maioria dos feirantes são comerciantes que compram produtos na CEASA ou com atravessadores e

revendem nas feiras. Para as famílias agricultoras, as feiras agroecológicas são importantes para gerar renda, garantindo a permanência no campo com dignidade. Além das vantagens para a saúde, o consumo de produtos da agroecologia é a melhor opção para o bolso. Pesquisa realizada em 2015 pelo Centro Sabiá, organização que assessora os agricultores, mostra que uma cesta de produtos nas feiras livres é em média 19% mais cara que nas agroecológicas. Nos supermercados a diferença é ainda maior: 56% mais caras que nas feiras agroecológicas. O coordenador de comercialização do Sabiá, Davi Fantuzzi, destaca que “os preços baixos são reflexo da proximidade entre produtor e consumidor. Quanto mais atravessa-

dores entre a produção e o consumo, mais caro fica o produto”. Além do preço baixo, a pesquisa mostra que as feiras garantem variedade, com frutas, legumes, folhosos, raízes e seus derivados: queijo coalho, doces de compota, licores. Apesar do preço mais baixo, parte da população ainda não compra ou mesmo conhece os produtos. “O preço é mais acessível, mas o produto não é tão acessível assim, porque as feiras costumam estar em bairros de classe média e média-alta”, pontua Fantuzzi. “Isso acontece porque são nesses bairros que se concentram a maior parte do público que tem mais acesso a informação e está consciente sobre a existência de veneno nos alimentos”.

App para responsável


consumo

Para incentivar práticas

de consumo responsável, a EITA, cooperativa de desenvolvimento de sistemas, criou o aplicativo Responsa. Com uma base inicial de 3 mil iniciativas registradas, o app apresenta as iniciativas de consumo responsável e trabalho justo mais próximos do usuário. Membro da EITA, Daniel Tygel afirma que “o app possibilita que a pessoa descubra feiras, assentamentos, produtores de agroecologia”. Os usuários também podem adicionar iniciativas ao mapa. As sugestões são submetidas a uma curadoria composta por redes de economia solidária e agroecologia. O app é fruto de parceria entre o EITA e o Instituto Kairos. Para Tygel, “o Responsa é uma bússola do consumo responsável”.


FATOS 6 | PERNAMBUCO

Brasil de Fato PE

Recife, 30 de junho a 14 de julho de 2016

Brasil de Fato PE

Recife, 30 de junho a 14 de julho de 2016

PERNAMBUCO l 7

Bibliotecas como direito à leitura e espaço de liberdade

FALTA de incentivo às bibliotecas públicas prejudica acesso da maioria da população Divulgação

Catarina de Angola O número de bibliotecas públicas caiu em Pernambuco entre os anos de 2012 e 2014. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o estado contava com 176 bibliotecas em 2014. Caminho diferente do que aconteceu no Brasil, onde no mesmo período aumentou o número de bibliotecas em todo o País. Entre os anos de 2010 e 2015, o governo federal aumentou os investimentos nas bibliotecas públicas. No entanto, isso exigia uma contrapartida de municípios e estados, que, no geral, não eram realizados. Com isso, muitos investimentos federais não chegaram às bibliotecas. Como pode um equipamento cul-

“A biblioteca é um espaço de liberdade” tural tão importante não ser prioridade para o poder público? “A biblioteca é um espaço de liberdade, a meu ver, pois nela você vê o texto livremente. É um espaço que dá sustentação da gente criar”, acredita Cida Fernandes, integrante da equipe de direito à leitura do Centro de Cultura Luiz Freire (CCLF) e conselheira setorial de literatura do Conselho Nacional de Política Cultural.

VA L O R I Z A R

A S

BIBLIOTECAS PÚBLICAS É VA L O R I Z A R

O DESENVOLVIMENTO

Steuerwald, que usa a biblioteca mais central em Caruaru para seus estudos. “É difícil ter um lugar acessível e público para o estudo”, afirma. Ruth acredita que a própria estrutura poderia ser mais organizada, com espaço para oferecer um ambiente mais

“Falta estrutura para receber estuBIBLIOTECA

LEGENDA CARTAZ: Cartaz da campanha de valorizaçao das bibliotecas públicas Caruaru, no Agreste de Pernambuco, conta com duas bibliotecas públicas municipais. No entanto, a população acaba não usufruindo tanto dos espaços, que são poucos para uma cidade com pouco mais de 300 mil habitantes, pois não existe uma política de divulgação e de incentivo ao seu uso. Esse é um dos motivos que faz a estudante Jéssica Roberta Souza acreditar que a biblioteca Aleixo Leite, no bairro Maria Auxiliadora, seja pouquíssimo frequentada. “Poucas pessoas, até que moram perto,

sabem que ali existe uma biblioteca”, explica. A estudante utiliza a biblioteca diariamente e reforça que mais bibliotecas deveriam estar espalhadas pela cidade. “Principalmente nos bairros mais distantes do centro para atingir o maior número de pessoas. Vejo muita gente estudar nos refeitórios dos shoppings centers pela superlotação da biblioteca que tem perto do centro da cidade. Falta estrutura para receber estudantes e leitores”, afirma. É o que também acredita a professora de línguas Ruth

dantes e leitores”

tranquilo e confortável a quem se utiliza dele, mas que o que já existe é bem importante e deveria ser mais divulgado. “Biblioteca é também um pouco da extensão da educação pública e para o incentivo à leitura em geral”, acredita a professora. Caruaru, Recife e Olinda são municípios em Pernambuco que implementaram a Política Municipal do Livro, o que garante orçamento público para o setor, mas não houve avanço em outros municípios, o que fez a sociedade civil buscar avanços em nível estadual. “Hoje, conseguimos o compromisso das secretarias de cultura e de educação de Pernambuco com a sociedade civil para formular um plano estadual de investimento desse setor para os próximos 10 anos”, explica Cida. Para isso, já foram realizadas escutas e os próximos passos são a construção do texto-base, a realização de consulta pública e

seguir para o legislativo. Bibliotecas comunitárias - O cenário encontrado em muitas bibliotecas públicas pelo estado é de acervos sem cuidado ou defasados. E é nesse contexto que as bibliotecas comunitárias têm importante papel no acesso à leitura, literatura e ao livro. “Existe um movimento nacional de incentivo a bibliotecas em cada bairro e elas surgem por causa do vazio do Estado. Se não existissem as bibliotecas comunitárias, muitas pessoas não teriam para onde ir”, explica Cida. Hoje a Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias reúne cerca de 80 bibliotecas. Rede que cresce a cada dia e que tem feito a incidência na política pública, acompanhando e protagonizando a construção de planos municipais e estaduais de livro, leitura, literatura e biblioteca. Em Pernambuco, a Releitura, a rede estadual, reúne nove bibliotecas comunitárias.

Plenárias com lançamentos de comitês municipais

Caminhadas e atos político-culturais

Atividades na região iniciam dias antes

Rio Formoso lança Comitê pela Democracia

Na maior parte das cidades por onde vai passar a Caravana Popular em Defesa da Democracia o dia começará com uma grande plenária regional, espaço para a Frente e a militância afinarem a análise da conjuntura. Também na plenária haverá o lançamento dos Comitês Municipais da Frente Brasil Popular das cidades da região. O objetivo da FBP é chegar aos 400 comitês no estado de Pernambuco.

Além das plenárias, em alguns municípios a Frente Brasil Popular vai realizar caminhadas em defesa da democracia. Na grande maioria das cidades haverá atos político-culturais, com a presença de artistas da região, que farão seus shows intercalados com manifestações em defesa da democracia, contra o golpe em curso no Brasil e contra o governo interino e ilegítimo de Michel Temer.

Os municípios próximos às cidades que recebem a Caravana também terão atividades. Dois dias antes do evento da Frente Brasil Popular uma pré-Caravana vai circular pelas cidades da região, realizando plenárias, mobilizando a militância e realizando um processo de agitação para a Caravana Popular em Defesa da Democracia. Movimentos populares, sindicatos e associações também participam.

Movimentos populares de Rio Formoso, na Zona da Mata Sul, lançaram o Comitê Pela Democracia. Estiveram presentes mais de 100 militantes quilombolas, agricultores, pescadores, sindicatos rurais, movimentos de mulheres, o Centro Sabiá e o FOJUPE. Após análise de conjuntura, os presentes destacaram a necessidade de união dos movimentos nesse momento de ameaça aos direitos da população.


8 | BRASIL

Brasil de Fato PE

Recife, 30 de junho a 14 de julho de 2016

Brasil de Fato PE

Recife, 30 de junho a 14 de julho de 2016

BRASIL | 9

Projetos visam impedir discussão de gênero e diversidade sexual nas escolas brasileiras

Quem é Osmar Terra, o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário

OS PLS vão na contramão das discussões internacionais para diminuir violência e discriminação

Da Redação

SUA história inclui à elaboração de um projeto de lei que institui a internação compulsória Valter Campanato/Agência Brasil

Elen Carvalho

Divulgação

Projetos de Lei convergentes com os ensinamentos do movimento Escola Sem Partido estão sendo propostos em vários municípios de diversos estados do País. Quem pensa que o movimento é novo se engana. O Escola Sem Partido foi criado em 2004 pelo advogado Miguel Nagib e se preocupa com “o grau de contaminação político-ideológica das escolas brasileiras”, como o próprio movimento afirma. Educadores e diversos profis-

“O mundo começou a discutir estratégias para combater a violência e a discriminação”

sionais da educação, bem como movimentos feministas e LGBTs denunciam que se trata, na verdade, do impulsionamento de pautas conservadoras e da proibição do debate de questões importantes para os Direitos Humanos. Benedito Medrado, pesquisador em gênero e professor de psicologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), afirma que esse assunto é uma questão central para a população LGBT. “Impedir discussões de gênero na escola é, além de tudo, um retrocesso. É importante falar que são argumentos de lideranças de facções religiosas, com interesses mercadológicos e políticos, usando a moral conservadora e a religião como estratégia discursiva”, explica Benedito.

Grupos de vereadores e deputados vêm atuando para eliminar das diretrizes educacionais orientações para a valorização e respeito à diversidade sexual e para a superação das desigualdades de gênero. Na Câmara Municipal de Belo Horizonte tramita o PL 1911/2016, de autoria do vereador Sérgio Fernando Pinho Tavares (PV) e que leva o mesmo nome oi suspenso temporariamente devido às manifestações de servidores. “Em 1990, o mundo começou a discutir estratégias para combater a violência e a discriminação. Instituições, governos e movimentos sociais se uniram e dialogaram em conferências sobre essa questão. Houve uma pressão internacional para que o Brasil começasse a superar isso”, pontua Benedito. No Recife, os vereadores Luiz Eustáquio (Rede) e Carlos Gueiros (PSB), parlamentares da bancada

evangélica cristã, pediram à prefeitura a retirada dos livros distribuídos pelo Ministério da Educação (MEC) que tratam de diversidade

”Instituições, Governos e movimentos sociais se uniram e dialogaram em conferências sobre essa questão” sexual. O vereador Carlos Gueiros é autor do Projeto de Lei nº 26/2016, que quer não só proibir o título como “outros meios definidos que versem sobre a ideologia de gênero e diversidade sexual”. O Poder Executivo do Recife defende o uso dos títulos e avisa que não arcará com a reposição caso as obras sejam realmente proibidas. O MEC afirma que não há

possibilidade de substituição dos exemplares, em nota. Ladjane de Lima Sobreira trabalha na Escola Municipal Professora Almerinda Umberlino de Barros, localizada no Vasco da Gama, Zona Norte do Recife. Antes, como professora, hoje

“Barrar esse debate no ambiente escolar é ser cúmplice da violência. Escola não forma sexualidade. Ela possibilita abrir diálogo sobre as experiências das pessoas” na biblioteca, desenvolve projetos de leitura com os alunos. Ela entende que é um erro? tirar os livros e impedir as discussões de gênero e diversidade sexual nas escolas do Recife. “A escola é um ambiente de

formação e permitir que as crianças dialoguem e reflitam sobre a diversidade da sociedade é a possibilidade de formar pessoas que respeitam a pluralidade”, pontua Ladjane. “Desde 1997, o Plano Curricular Nacional tem os temas transversais, que visam diminuir o preconceito com relação à sexualidade. Isso representa diminuir o sofrimento e a violência contra uma parcela grande da população. Barrar esse debate no ambiente escolar é ser cúmplice da violência. Escola não forma sexualidade. Ela possibilita abrir diálogo sobre as experiências das pessoas”, reforça Benedito. Valéria Silva, diretora de formação do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe), afirma que a luta contra essas leis é pauta constante do movimento sindical nos planos e conferências municipais, estaduais e nacionais de educação. “Nós já avançamos muito, mas nos deparamos com um Congresso conservador que barra esses avanços”, pontua.

Foto de Mariana Araújo

Audiência pública na Assembleia Legislativa de Pernambuco para discutir o PL 709/2016 de Joel da Harpa (PTN).

Terra, um médico conservador com uma trajetória contraditória

PERFIL Citado na operação Lava Jato, o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário (que substituiu o Ministério do Desenvolvimento Agrário), Osmar Gasparini Terra, 66, é um médico conservador que tem uma trajetória política contraditória. Em entrevista à Rádio Gaúcha, no dia de sua pos-

se, ele que garantiu que não irá reduzir as políticas sociais de sua pasta apesar do aperto no orçamento público. No entanto, avalia que é preciso coloca limites em programas sociais. “Temos que ver quem realmente precisa. Precisamos auditar o Bolsa Família e ver onde estão sendo colocadas as verbas do Pronaf [Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar]”, afirmou. Na mesma entrevista, informou que a fusão dos dois ministérios, Desenvolvimento Social e Desenvolvimento Agrário, foi uma ideia de Temer. “Fui convidado para assumir o Ministério de Desenvolvimento Social e, no meio da semana, o presidente resolveu juntar os dois, porque,

a seu ver, o MDA também tem um papel social importantíssimo”. Por isso, afirmou que terá de fazer uma reengenharia. Como deputado federal, assumiu posturas reacionárias recentemente, como a elaboração do projeto do Lei que institui a internação compulsória dos usuários de drogas ilícitas, em tramitação no Senado. Ele também assinou, junto ao deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), um projeto que extingue o regime semiaberto nas prisões.

Denúncias Conforme matéria do jornal O Estado de São Paulo, Terra pediu uma doação a OAS para o financiamento de sua campanha em 2014.

Ele mesmo confirma o pedido de R$ 150 mil a empreiteira e que fez ligações a Léo Pinheiro para saber da propina. No entanto, afirma não ter recebido via caixa 2, pois a doação não aparece na sua declaração ao TSE. Ele também está envolvido em denúncia do Ministério Público Federal por obstrução da Justiça quando era secretário da Saúde no Rio Grande do Sul por não ter informado, depois de cinco insistências, a situação da falta de medicamentos. Foi absolvido em 2011 pelo então presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, porque a secretária adjunta Arita Gilda Bergmann assumiu a responsabilidade pelo caso.

Reforma agrária Segundo Terra, a reforma agrária é um processo de redução de pobreza em maior escala do que o Bolsa Família. Disse estar conversando com o Movimento Brasil Competitivo para que se realize uma consultoria para ajudá-lo. Espera transformar os bolsistas e agricultores familiares em empreendedores. Extremamente arrogante e autoritário segundo alguns de seus colaboradores, Terra não admite discussão de suas posições. Afirmou já estar desenhando a composição do novo ministério onde pretende disciplinar os movimentos sociais no uso das verbas existentes.

MUNDO | 9

Maioria dos britânicos vota por saída da União Europeia; David Cameron renúnciará ‘BREXIT’, a saída britânica, venceu com 52% dos votos; primeiro-ministro diz que não haverá ‘mudanças imediatas’ Redação O Reino Unido optou por deixar a União Europeia (UE), após 52% dos britânicos terem votado no “brexit” – acrônimo inglês formado pela união de “Britain” (Grã-Bretanha) e “exit” (saída) – no referendo realizado na quinta-feira (23). Horas após a divulgação do resultado, o primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, anunciou sua intenção de renunciar em outubro. Em declaração na porta da residência oficial de Downing Street, Cameron, que fez campanha pela permanência do Reino Unido no bloco, disse que o povo britânico se manifestou e essa vontade deve ser respeitada. Também informou que as negociações com Bruxelas

mento de cidadãos, mercadorias e serviços. O Reino Unido deixará a União Europeia após 52% dos britânicos optarem pela ruptura, contra 48% que defendiam a permanência no O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, bloco comunitáanunciou nesta sexta-feira (24) sua intenção de rio. renunciar em outubro. / Russell Watkins/Department for International Development Os eleitores que deram o “sim” para estabelecer o processo para a saída da UE chegaram de ruptura do Reino Unido a 17.410.742 votos enquanto da UE deverão acontecer os que defendiam a permacom outro líder, que deverá nência somaram 16.141.241. O presidente honorário do ser eleito no próximo mês de partido republicano da Irlanoutubro, quando será realida do Norte, Declan Kearney, zado o congresso do Partido afirmou nesta sexta-feira que Conservador. Além disso, ele tranqui- a vitória do “brexit” no conlizou o Reino Unido e disse junto do Reino Unido deve que não haverá “mudanças impulsionar a convocação de imediatas” no livre movi- um referendo sobre a unida-

de da Irlanda. Na Escócia, onde o “sim” para continuar na UE foi contundente, a ministra-chefe, Nicola Sturgeon, poderia impulsionar um segundo referendo pela independência como sugeriu durante a campanha. O líder do ultradireitista UKIP (Partido pela Independência do Reino Unido), Nigel Farage, qualificou a data de hoje como “o dia da independência”, e afirmou que se trata do triunfo de gente “decente” que se enfrentou grandes corporações e os bancos, que pediam a permanência britânica na UE.

Pressões para a saída Cameron convocou o plebiscito em 2015 em resposta a pressões que vinha sofrendo para levar

a permanência do Reino Unido no bloco a voto popular. Tanto membros do Partido Conservador de Cameron quanto opositores argumentavam que, desde o referendo de 1975, quando 67% dos britânicos optaram por continuar na então CCE (Comunidade Econômica Europeia), à qual haviam aderido dois anos antes, a população do Reino Unido não teve mais chance de se manifestar sobre a permanência do país no bloco europeu. As pressões aumentaram com o crescimento eleitoral do UKIP, que defende o distanciamento político britânico em relação a Bruxelas.


10 | OPINIÃO

Recife, 30 de junho a 14 de julho de 2016

Artigo

Brasil de Fato PE

Derrotar o golpe! Beatriz Cerqueira *

cadeira legitimados pelo voto? Porque, com o golpe em curso no país, está em curso também Não acredito que um plebiscito a criminalização da esquerda. agora seja a solução para o mo- Quantas lideranças serão premento que estamos vivendo. Se sas ainda? E quantas estarão em reduzirmos a luta a mais um ca- condições de disputa? lendário eleitoral estaremos coEntraremos divididos em cammetendo o mesmo erro do último po, com chances reais de setores período. Erragolpistas e da direimos ao acreta defenderem anteditarmos que “ Chamar um plebiscito cipação de eleições “g o v e r n a b i - agora é contribuir para também. E a narlidade” só é legitimarmos o golpe” rativa do golpe será construída a apagada. partir do parA luta no próximo lamento, se período será longa. esquecendo do papel mobilizador Não há saídas de curto prazo. que a sociedade tem. Quero, como todos que propõem Chamar um plebiscito agora é o plebiscito, derrotar o golpe, contribuir para legitimarmos o mas novas propostas precisam golpe em curso no país. Porque ser construídas primando pela essa eleição não será geral, não unidade da esquerda, sem novos atingirá todo o sistema que é alvo acordos de bastidores. da indignação da população, não Enquanto isso, continuo na teremos a oportunidade de eleger luta para que Dilma Rousseff novos senadores e deputados fe- termine seu mandato, para o derais que expressem a represen- qual foi eleita pela maioria do tatividade da maioria da popula- povo brasileiro. Sei que nada será ção, será restrita à presidência da como antes do seu afastamento. República. Mais um motivo para, num Se anteciparmos as eleições, não retorno da Presidenta, ela há que se falar em golpe em curso pactue com as forças populares no país. Podem argumentar que é seus compromissos e agendas a oportunidade do povo decidir. para o próximo período. E que Será? O povo decidiu em outubro com seu retorno continuemos de 2014. Elegeu Dilma para um nas ruas, pressionando por mandato de 4 anos. Ela teve seu reformas estruturais. Nenhum mandato interrompido sem ter co- governo de esquerda terá paz. metido um crime de responsabili- Será atormentado pelas forças dade. Foi golpe! As eleições agora golpistas. Então, o caminho é se apagam os rastros desse golpe, in- fortalecer com o povo. dependente do resultado. O governo Temer afunda cada dia mais em corrupção, em medidas impopulares, em rejeição da Beatriz Cerqueira é coordenapopulação. Não tem legitimidade. dora-geral do Sind-UTE/MG e Uma antecipação de eleições não seria também uma boa oportu- presidenta da CUT/MG nidade para que os setores da direita se livrem dele e se sentem na

Recife, 30 de junho a 14 de julho de 2016

ENTREVISTA l 11

“Eu sou uma preta cirandeira, cantando com um ganzá na mão, cantando ciranda animada no meio da multidão”

Artigo Não desviar o foco.

Brasil de Fato PE

Festas juninas e democracia Marcelo Barros*

as pessoas, crianças, jovens e adultas, se organizam com muita disciNo momento atual que vivemos plina para ensaiar a quadrilha, preno Brasil, a cada dia, os movimen- parar as danças caipiras e brincar. tos sociais e o povo mais pobre têm As festas juninas revelam que nosido às ruas para se manifestar pela so povo tem uma surpreendente Democracia. Em geral, por trás capacidade de se organizar, quandessas manifestações, está a de- do deseja e se o assunto é do seu mundo afefesa da Constitivo. Quem, tuição e o apelo de fora, vê para que o voto “o golpe não é apenas contra os ensaios e do povo seja respeitado. No um mandato legítimo e contra a eficiência da preparaentanto, toda o voto popular.” ção da fesm a n i fe s t aç ão ta, muitas popular pode ser ensaio de democracia. Um bom vezes, de forma espontânea e sem exemplo disso é o cuidado com dinheiro, pode desejar que essa o qual, em quase todo o Brasil, as mesma energia de unidade e de orpessoas preparam e organizam os ganização apareça na caminhada social e política das bases e na difestejos juninos. Ainda há quem olhe as festas po- reção da luta pacífica para transforpulares como expressões de mera mar esse mundo. Mesmo que não seja de forma alienação social. De fato, no tempo do antigo império romano, cada consciente, ao preparar as brincavez que alguma guerra se aproxi- deiras juninas, as pessoas revelam mava, ou uma lei iria tornar a vida uma capacidade de união que não mais difícil, os pensadores do im- se restringe apenas a uma dança de pério promoviam o que chama- quadrilha ou uma encenação caivam de “pão e circo”. Essa fórmula pira. Elas se tornam capazes de envigora até hoje em certos círculos saiar uma sociedade nova na qual do sistema opressor. Até hoje, jor- todos serão protagonistas. Assim, nais televisivos sem compromisso na alegria e de forma despretensiocom a transformação do mundo sa, grupos e comunidades populaalternam notícias de massacres e res sinalizam uma realidade nova crimes com cenas de futebol. De- que se aproxima ao que os evangepois de mostrar imagens da seca e lhos chamam de reinado de Deus. fome no nordeste, filmam na mes- Do seu modo e em sua linguagem ma região algum forró de São João . lúdica, parecem traduzir uma paUma consequência positiva da lavra que os evangelhos atribuem tragédia que é a crise política pela a São João Batista: “Mudem de vida qual o Brasil passa nesses dias é porque a realização do projeto de que os movimentos sociais conse- Deus no mundo está próximo!” (Mt guiram superar suas diferenças e se 3, 2). uniram. Não é fácil organizar uma comunidade de bairro ou ajudar as pessoas a pensar criticamente e a Marcelo Barros é monge benediticriticar as notícias impostas pelos no, teólogo e assessor das comunigrandes meios de comunicação. dades eclesiais de base e movimenEm geral, nos bairros e periferias, tos sociais.

PH Silva

LIA de Itamaracá é patrimônio vivo da história pernambucana e vive a 72 anos na beira do mar

existe. As turnês internacionais foram muito boas, para mim foi maravilhoso. Eu já perdi a conta de quantos países eu conheci. As pessoas gostam muito da cultura que a gente representa, parece que estou em casa.

Trabalho

Monyse Ravena Maria Madalena Correia do Nascimento ou Lia da Ciranda, 72 anos vividos e cantados. É dela, que nunca abandonou a Ilha de Itamaracá, o título de rainha da ciranda. Começou a cantar ciranda aos 12 anos e em 1978 gravou o seu primeiro LP. Viajou o mundo espalhando o ritmo pernambucano pelo mundo. Em entrevista ao BdF PE ela conversa sobre música, cultura, Itamaracá. Confira!

Lia Meu nome é Maria Madalena Correia do Nascimento, mas eu atendo por Lia da Ciranda, comecei a cantar com 12 anos de idade, com 19 anos eu assumi a responsabilidade de me apresen-

tar em Itamaracá e depois em Recife. Depois disso começou a procura dos jornais, televisão, pra saber se Lia existia mesmo porque muita gente não sabia que eu existia… quem é a Lia, se a Lia é uma lenda… Mas eu existo e estou aqui bem tcham, cantando e cantarolando pro povo. Em 1977 gravei um LP, Lia de Itamaracá, rainha da ciranda. O primeiro CD é Eu sou Lia e o segundo é Ciranda de Ritmos… daí comecei a fazer meus shows e seguir pro exterior e pro mundo.

Itamaracá Nasci e me criei em Itamaracá, minha família sempre foi de Itamaracá. Nunca

pensei em sair, faço meus showzinhos, ganho meu dinheirinho e é Itamaracá de volta. Itamaracá é minha praia. O dom que eu tenho quem me deu foi Deus. Eu vivo esse sonho de ser cantora aqui em Itamaracá. Adoro fazer ciranda, adoro cantar.

Turnês Pra mim mudou muita coisa quando eu passei a ser conhecida, porque se não fosse a propaganda ninguém sabia que eu existia e teve muita reportagem porque eu fiquei mais conhecida. É bom você ter um trabalho pra ser reconhecida, sair pro mundo, pro povo lhe ver e saber que você

Trabalhei como merendeira numa escola, por 28 anos. Era bacana, eu adoro cozinhar e adoro crianças, então, sempre gostei muito desse trabalho. Eu sempre conciliei o trabalho e a música… isso nunca atrapalhou, eu adoro o trabalho de merendeira. Nunca vivi só de música. Sempre vivi do meu trabalho de merendeira, mas é claro que a música também ajuda. Ciranda não tem todo dia, você também não tá gravando todo dia.

Música Eu tenho que estudar música. Eu me inspiro na onda do mar e vou embora. Eu gosto de ouvir Roberto Carlos, Reginaldo Rossi, Agnaldo Timóteo, Bartô Galeno. Eu sou uma preta cirandeira, cantando com um ganzá na mão, cantando ciranda animada no meio da multi-

dão. Eu sou Lia de Itamaracá, filha de Iemanjá. As duas filhas de Baracho também cantam comigo, as duas são cirandeiras, Bia e Dulce. É maravilhoso trabalhar com elas.

Cultura O incentivo à cultura de Pernambuco tá fraco. Da cultura de Pernambuco a gente quase não vê mais nada… porque não tem incentivo, não tem ajuda. O povo quer agora é Safadão…. a juventude de hoje nem conhece a ciranda, o coco, o maracatu, o frevo. O espaço cultural caiu no dia 9 de janeiro de 2014. Tô esperando uma emenda parlamentar do Deputado Guilherme Uchoa pra reerguer o espaço. Nesse espaço, tínhamos oficinas e tínhamos shows todos os sábados, era Lia e um convidado… lá tocaram Selma do Coco, Durinha, tocou Glorinha. O espaço cultural sempre lotava de gente.

Golpe A presidenta é que sabe o que tá passando, o que eu sei é que estamos comendo feijão a 11 reais o quilo.


12 | CULTURA

Brasil de Fato PE

Recife, 30 de junho a 14 de julho de 2016

Foto da Edição

O milho, o rei das festas VISITE juninas MERCADOS O PERÍODO das festas coincide com a colheita do alimento Elen Carvalho

O

Porto de Le Havre, na França, foi bloqueado pelos trabalhadores em greve. Mural feito com contêineres simbolizando a Luta Operária.

Brasil de Fato PE

riginário das Américas e base da alimentação das populações indígenas, o milho é um alimento presente em muitas culturas e civilizações e um dos mais importantes do nosso continente. Dos povos primitivos foram herdadas as receitas que são feitas hoje, principalmente durante o período junino. É na Europa a origem histórica das tradições juninas, quando os agricultores realizavam festas para comemorar as colheitas. O costume foi introduzido aos poucos no Brasil durante a colonização. Portugal, um dos países colonizadores, tinha a tradição de celebrar a colheita do trigo, entre os meses de junho e setembro. Mas o Brasil não era um grande produtor de trigo na época e as festas começaram a ser celebradas com o milho, que tem o período de colheita na mesma época. A agricultora Teresa Ferreira, do distrito de Umari, município de Bom Jardim, interior de Pernambuco, é filha de agricultores e sempre trabalhou com agricultura. Hoje, a sua terra é pequena e ela deixou de cultivar muitos alimentos, mas plantar o milho é certo. “Agora com a escassez de chuvas, a gente espera chover para plantar. Mas sempre temos milho. A

tradição é plantar na semana de São José, mês de março, para colher em junho. Se chover no dia do santo, a colheita é garantida”, explica Teresa. Foi com os pais que ela aprendeu a cultivar o milho. Ainda hoje a semente que Teresa usa é a crioula, que ela explica ser a mais antiga, sem modificações genéticas e que garante um milho com caroços bem grandes. No entanto, não foi só a cultivar o milho que ela aprendeu com os pais. Da mãe vieram os ensinamentos culinários. “Antigamente as pessoas cozinhavam muito bem e passavam isso para as gerações mais novas. Hoje, toda a minha família participa da produção das comidas de milho. Meu marido rala o milho para eu fazer pamonha e minha filha ajuda também”, conta. Cozido ou assado, servindo de base para a canjiga, pamonha e bolos, o milho é consumido ao ano todo no Nordeste, mas nas festas de São João ganham um destaque especial. Daniela de Moraes, estudante e militante da Pastoral da Juventude Rural (PJR), gosta de todas as comidas, mas a especial é a pamonha. “Como o mês de junho é safra do milho, é automático serem feitas muitas comidas de milho nessa época. Lá em casa todo dia tem alguma comida típica. Quando a safra é ruim, todos dão um jeitinho de garantir milho em regiões próximas para fazer, ao menos, uma receita”, conta.

Recife, 30 de junho a 14 de julho de 2016

AGENDA CULTURAL

Cultura na luta por um mundo melhor

Variedades CULTURA |l 13 13

AGENDA CULTURAL

FESTIVAL reuniu cerca de 5 mil pessoas em 5 dias de programação intensa

divulgação

Elen Carvalho

Divulgação

Mercado da Enruzilhada O modelo arquitetônico do Mercado da Encruzilhada data da década de 1950. Técnicos de engenharia de várias cidades do Brasil vieram para a sua inauguração em 9 de novembro de 1950 e também em comemoração à Semana do Engenheiro. O Mercado da Encruzilhada fica na Rua Dr. José Maria, no Bairro da Encruzilhada e passou por várias reformas sem ter alteradas as características originais. A área coberta é de 3.850 metros quadrados, superior a do Mercado de São José, e possui 214 compartimentos arejados e iluminados, que estão demarcados com placas explicativas de acordo com os gêneros de comércio. Os produtos comercializados no local vão desde carne e peixes, passando por frutas, verduras, cereais, até artesanatos e miudezas. O mercado conta com grandes câmaras frigoríficas e vende, semanalmente, mais de quatro toneladas de peixes e 230 quilos de crustáceos. As paredes foram revestidas com azulejo natural para facilitar a limpeza e garantir a higiene e o andar superior é destinado à administração. Se no início existiam apenas dois bares e dois restaurantes, hoje existem 17, divididos entre a ala sul e norte. O cardápio serve comidas típicas no café da manhã e no almoço.

Cineclube Araripe é inaugurado em Exu Exu, sertão de Pernambuco, ganhou o Cineclube Araripe. Durante todo o mês de julho, nas sextas e sábados, haverá uma programação gratuita com palestras, workshops, seminários e debates sobre o universo cinematográfico. Os filmes exibidos, este mês, são do cineasta Marcos Carvalho. Todas as atividades começarão às 19h30, na Biblioteca Pública Luiz Francisco da Silva, vinculada à Escola Municipal São Sebastião de Tabocas.

O primeiro Festival Internacional da Utopia, realizado na cidade de Maricá- RJ pela prefeitura da cidade e pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), do dia 22 ao dia 26 de junho, reuniu cerca de 5 mil pessoas de 36 países que acreditam e lutam por um mundo melhor. Intelectuais, artistas, trabalhadores, militantes e jovens participaram de diversas atividades culturais, intervenções artísticas e debates gratuitos. Espaços como o Encontro Internacional de Teatro, o Encon-

“Do que vale uma esquerda se ela não é reconhecida pelo povo?”

Divulgação

A presença da mulher no cinema é tema de festival no Recife A primeira edição do FINCAR - Festival Internacional de Cinema de Realizadoras acontece de 06 a 09 de julho na cidade do Recife. Com produção da Orquestra Cinema Estúdios e Vilarejos Filmes e apoio do Funcultura Audiovisual, o objetivo do festival é promover debates sobre a presença da mulher no cinema. A programação vai apresentar 30 obras, entre curtas, médias e longas- metragens de 19 países. A sessões vão acontecer no Cinema São Luíz e custarãoR$3,00

tro Juventude em Luta e a Tenda da Diversidade reuniram nomes como Aleida Guevara, filha do guerrilheiro Che Guevara e o escritor e ativista paquistanês Tariq Ali. Aconteceu ainda a Feira da Reforma Agrária, com comercialização de produtos sem agrotóxicos, o Festival da Canção, com apresentações musicais, e a Feira Literária, organizada pela Frente Brasil Popular. Em discurso na conferência de abertura do festival, a pediatra cubana Aleida Guevara criticou a fragilidade e fragmentação da esquerda na América Latina. Para ela, a esquerda deve basear suas ações nas demandas concretas do cotidiano das pessoas e deve aprender com as populações mais carentes e com os povos tradicionais. “Temos que ser mais firmes, coerentes e responsáveis. (…) Temos que ganhar o respeito de quem nos escuta. Do

Divulgação

“Joelma no Teatro” em cartaz na Caixa Cultural Recife que vale uma esquerda se ela não é reconhecida pelo povo?”, questionou. A luta contra o capitalismo une os jovens militantes de mais de 40 países que estiveram no Encontro Internacional da Juventude em Luta. Silvana Broggi, 29 anos, militante do Movimento Popular Pátria Grande, viu no encontro a possibilidade de compartilhamento de experiências que animam a juventude a buscar soluções coletivas. “Estamos procurando estruturar uma articulação, uma proposta que nos fortaleça como jovens inseridos no contexto da América Latina, mas do mundo no geral. Sentimos cada vez mais forte as opressões do capitalismo, imperialismo, em nossos territórios, sobre nossos corpos”, afirmou. Com mostras teatrais e discussões políticas, o Encontro Internacional de Teatro Político Augusto Boal integrou grupos de todo o País. Nove espetáculos de diferentes companhias, entre elas, a Cia do Latão, e de artistas como o paraibano Alfim Márcio Marciano e a indiana Jana Sanskriti, compuseram a programação. A ideia de um encontro internacional partiu da inquietação de como setores da esquerda pensam a cultura, que Douglas Estevam, militante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), afirma ser preocupação latente do movimento.

Dos dias 30 de junho ao dia 9 de julho, a cidade do Recife recebe a história de “Joelma no Teatro”. A montagem é do ator, performer, autor e diretor Fabio Vidal, do Território Sirius Teatro de Salvador e conta a história de uma das primeiras transexuais do Brasil. As sessões do espetáculo acontecerão às 20h na Caixa Cultural Recife, Bairro do Recife e custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Todas as sessões serão acessíveis a pessoas com deficiência auditiva.

Exposição fotográfica “Uma ponte para duas cidades”

Divulgação

A exposição, de Carol Lopes e curadoria de Douglas de Freitas, reúne fotografias vindas do Museu da Cidade do Recife e do Museu da Cidade de São Paulo. A partir de colagens, sobreposições e composições, o trabalho investiga possibilidades de usar imagens antigas sugerindo uma intervenção real no presente. A Torre Malaokff fica na Praça do Arsenal, S/N, no Bairro do Recife. Quem quiser visitar tem até o dia 22 de julho. A exposição fica aberta de terça à sexta, das 10h às 17h, e nos sábados e domingos, das 15h às 18h.


Brasil de Fato PE

Recife, 30 de junho a 14 de julho de 2016

Brasil de Fato PE

Recife, 30 de junho a 14 de julho de 2016

Horóscopo

Cruzadinha

30 de junho a 14 de Julho

Gêmeos:

Parece que um grande investimento que tava sendo feito no último período vai começar a apresentar os primeiros resultados! Para isso, a comunicação vai fazer uma grande diferença. Cuide com carinho das palavras que escolhe para dizer o que quer e sente. Ainda devem estar gastando boa parte de seu tempo com questões mais introspectivas, sobre suas novas relações com o mundo. Mas também já começam a surgir alguns sinais de respostas, o que te deixa mais leve. Dias virão de muito trabalho!

Câncer:

Parece que nos últimos dias você se aprofundou da descoberta não só de quem você é, mas de quem pode ser! Seu lema nesses dias será “eu sinto, logo existo” com uma intensidade típica então aproveite para estar com quem gosta e apostar em novos caminhos.

Touro:

Virgem:

Apesar de continuarem solicitando sua presença dos espaços coletivos, você se perceberá um pouco mais seletivo. Não se trata de ficar mais solitário, e sim, de ficar mais discreto para conseguir lidar com tanta emoção. As amizades farão grande diferença! Surgirão oportunidades de uma segunda chance para resolver questões importantes. Vai se perceber mais carinhoso (e talvez carente) e você deve dar uma atenção especial a suas relações (inclusive àquelas que ainda estão surgindo e às que havia desconsiderado anteriormente). Momento de muita liberdade, mas o que fazer com ela

Libra:

neste momento ainda lhe parece uma grande questão. Uma grande sensibilidade lhe ajudará a resolver alguns conflitos no trabalho, para seguir com maior confiança. Aproveite para pensar em outras formas de viver as mesmas relações.

Escorpião:

A curiosidade permanece bastante aguçada e você sente que que deseja algo que ainda não tem, além de perceber um interesse maior em se aprofundar no conhecimento de si e do mundo. Arrisque no novo, e tenha certeza que você pode bem mais do que pensa!

Leão:

Sagitário:

Capricórnio:

Aquário:

Peixes:

Período mais otimista e especial para colher alguns resultados. Aquilo que você tanto pensou a respeito (e quis), pode estar acontecendo neste momento. Seu inconsciente e seus desejos estarão ressaltados e você deve dar a devida importância. Mas prestem atenção: é preciso organizar suas finanças! Pense em organizar melhor sua rotina de forma que lhe dê mais prazer em vivê-la. Você vai ser perceber querendo se desfazer de algumas pessoas que já não lhe fazem bem, e uma vontade maior, ao mesmo tempo, de estar junto de quem gosta. No geral, escute com mais cuidado. Um firme pé no chão será necessário para escolhas que relacionam seu trabalho e as pessoas que você gosta. E para essas mudanças, é importante ter tranqüilidade para poder descobrir este novo caminho e até para se divertir com ela. Dê especial atenção a seu corpo e sua saúde. Você deve passar por grandes conflitos emocionais, mas vai perceber que é um momento propício para aprender sobre o que sente e falar sobre isso. Ao mesmo tempo, vai se sentir bastante inspirado para processos de criação e de estudo.

Ouvi dizer que descobriram a cura para o vitiligo em Cuba. Esse tratamento já é feito aqui no Brasil?

........................................................................................ Antônia, 46 anos, professora.

C

ara Antônia, em Cuba é feito o tratamento do vitiligo com um medicamento desenvolvido lá, a Melagenina Plus. Ele é feito à base de placenta humana e promove a pigmentação da pele através da produção de melanina. Tem eficácia comprovada de 86%. Pode ser usado inclusive por gestantes e crianças. Entretanto, a Melagenina é pouco conhecida no Brasil e não tem liberação da Anvisa para ser comercializada nem reproduzida aqui. Além disso, dermatologistas parecem não confiar no produto e continuam priorizando os tratamentos convencionais. Sabemos que as questões políticas influenciam nesse preconceito contra o tratamento proposto pela medicina cubana. Além disso, os interesses da grande indústria farmacêutica dificultam a abertura do mercado para o medicamento. Dessa forma, os brasileiros que desejam fazer o tratamento com a Melagenina precisam ir em Cuba ou importar o remédio, caso algum médico brasileiro o prescreva. Mande sua dúvida: amigadasaude@brasildefato.com.br Aqui você pode perguntar o que quiser para a nossa Amiga da Saúde

Sofia Barbosa Coren MG 159621-Enf.

| ESPORTES

Cultura turca na telinha

proibido com a irmã de Boran. Sila atende ao pai e encontra várias dificuldades no casamento, já que fora acostumada a ser livre e tomar suas próprias decisões. O marido, ao contrário, é bastante ligado a tradição, já que é chefe de uma triSila Prisioneira do Amor, novebo da região. Esse dilema é o fio condula exibida pela Rede Bandeirantes, tor da novela. às 20h30min é bem interessante. A O interessante da novela é perceber trama turca conta a Vale a pena assistir e como a cultura turca é história de Sila (Can- aprender mais sobre o bastante diferente da su Dere) que foi vennossa. Os papeis enpovo turco dida pelo pai quantre homens e mulheres do criança pai para são muito demarcados uma família bastante rica de Istame mostram o lugar que a mulher tem na bul. Com o passar dos anos, pai sai religião mulçumana. A cenografia tamem busca dela e quando a enconbém surpreende ao reproduzir a arquitra, mente dizendo que ela precisa tetura própria de Istambul, com edifícios se despedir de sua mãe biológica, que refletem a tradição dos povos e imque está com a saúde muito debilipérios que já governaram a cidade. tada. Mas o que ele quer de verdade Vale a pena assistir à novela para é casar a filha com Boran (Mehmet aprender mais sobre o povo turco e seus Akif Alakurtpara) para evitar a morcostumes. Cola lá na telinha e me conta te de seu filho Azad, condenado à o que achou. morte por ter mantido um romance Até semana que vem! Divulgação

Áries:

Provavelmente você estava se sentindo um pouco confuso sobre o que fazer para chegar onde queria. Se a curiosidade estava aperriando na hora das escolhas, pense que pode se aproveitar delas para usufruir de todas as possibilidades.

VARIEDADES l15 15

SEMPRE VI NOVELA | Joaquim Vela Divulgação

14 | VARIEDADES

PPP do Prejuízo: quem vai sustentar a Arena? Governo

de Pernambuco rompe contrato com Odebrecht e assume provisoriamente os custos do empreendimento Vinícius Sobreira No dia 10 de junho o Governo de Pernambuco anunciou o rompimento do contrato com a Odebrecht para a concessão da Arena Pernambuco. A ruptura gerou multa de R$ 246,8 milhões que serão despendidos em 15 anos. Agora todos os gastos referentes ao empreendimento estão sendo pagos pelos pernambucanos. O custo de manutenção da Arena gira e torno dos R$ 510 mil mensais. A parceria público-privada (PPP) com a Odebrecht deu errado para os cofres públicos desde o início. O contrato, elaborado pelos então secretários de governo Geraldo Julio e Paulo Camara, garantia que caso as previsões de receitas da Arena não fossem atingidas

Divulgação

o Governo de Pernambuco pagaria a diferença com verba pública. Esse valor foi pago desde a inauguração do estádio, em 2013, garantindo o lucro da Odebrecht e onerando os cofres públicos. Em 2015 a Polícia Federal deflagrou operação afirmando que o contrato da construção da Arena foi superfaturado em R$ 42,8 milhões (o valor atualizado é R$ 70 milhões). Preocupadas com a possibilidade de a Copa só gerar prejuízos, organizações da sociedade civil e movimentos populares montaram os Comitês Populares da Copa tão logo o Brasil foi anunciado como sede do mundial. O principal objetivo dos comitês foi realizar controle social dos gastos públicos nas obras relativas ao megaevento. O diretor executivo da ONG Fase, Evanildo Barbosa, acompanhou de perto os comitês e recorda que o Governo de Pernambuco não quis coo-

perar, frustrando as tentativas da sociedade em estabelecer diálogo. “Tentamos, mas nunca conseguimos dialogar com as secretarias aqui no estado. Nós queríamos que as obras da Copa atendessem às demandas da população, principalmente em relação ao transporte público. Mas eles só pensaram nas obras visando a Arena. Já as construtoras conseguiram aprovar os projetos

que gostariam”, se queixa. “O resultado está aí: milhões gastos em obras que atenderam muito pouco as necessidades da sociedade”, diz Barbosa. A atual gestora da Arena, a estatal EMPETUR, busca trazer eventos para o estádio, tentando arrecadar o valor da manutenção do equipamento. Mas o principal diálogo deve continuar sendo com os clubes de futebol da capital: Náutico,

Santa Cruz e Sport. O Rubro-negro e o Tricolor têm estádios próprios e tendem a continuar jogando em suas casas, mandando jogos na Arena apenas eventualmente. A principal negociação é com o Timbu. Designado pelo Conselho do Náutico para acompanhar as negociações, Eduardo Araújo afirma que o clube está insatisfeito com as propostas do governo, mas diz ser mentira que o Náutico vá processar o estado. “Entendemos que o melhor caminho é o diálogo. Queremos que a situação seja resolvida. Mas também não é verdade isso de que o clube não apresentou proposta. Desde o início apresentamos, mas não fomos atendidos”, diz Araújo. A Empetur e o Governo de Pernambuco foram procurados pela reportagem, mas não responderam às perguntas.


16 | ESPORTES

GOL

na geral

Caixa homenageia atletas olímpicos Maior patrocinadora do esporte no País, a estatal Caixa divulgou nas redes sociais clipes homenageando atletas nacionais que disputarão as olimpíadas mas que ainda não são tão conhecidos pelos brasileiros. Os vídeos compõem a campanha Sons da Conquista, homenageando os atletas Arthur Zanetti (ginasta) e Joice Silva (luta olímpica), além do paratleta Fernando Fernandes (remo). Os esportistas ganharam letras musicadas, respectivamente, por Rashid, Karol Conká e Projota. Olimpíadas com boxeadores profissionais

Brasil de Fato PE

Recife, 30 de junho a 14 de julho de 2016

na geral

DE PLACA

MST constroi campo em homenagem a Sócrates

A Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF), centro de formação do MST, está realizando uma campanha de arrecadação online para a construção do Campo Dr. Sócrates Brasileiro, um espaço de esporte e lazer para os estudantes que passam meses na ENFF. A homenagem é mais que justa ao meia da Seleção Brasileira que liderou a Democracia Conrinthiana em pela ditadura militar, nos anos 1980. A ENFF é referência na educação popular e funciona desde 2005 no município de Guararema, São Paulo (catarse.me/campodrsocrates).

GOL

A Associação Inter naciona l de Boxe Amador decidiu que pugilistas prof issiona is, remunerados, podem disputar o Rio 2016 contra amadores na categoria masculino. O Conselho Mundial de Boxe considera inaceitável que atletas menos experientes enfrentem profissionais. “Boxe não é jogo. É esporte de risco”. Despreocupado, Joedison Teixeira destaca que profissionais lutam 12 rounds e olímpicos apenas 3.

REFÉM DO ESTADO Filipe Spenser Com o custo de cons- dia de público foi de trução da Arena Per- 13 mil torcedores; em nambuco acima dos 2016, 4 mil. Como se R$ 700 milhões, a tor- não bastasse, na rescicida alvirrubra se re- são do contrato entre volta: o que o Náutico governo e empreiganhou ao confiar no teira apenas a Odeprojeto? Por ora só é brecht foi indenizada possível identificar com a quantia de 274 como ganhadora a milhões. O Náutico, Odebrecht, constru- único clube a acretora responsável pela ditar no projeto, não obra. Ao Náutico res- recebeu nada e hoje tou ser enganado com sequer possui um esum projeto de cidade tádio viável para manque nunca se concre- dar seus jogos, depentizou. A consequência dendo do Estado para mais profunda foi o retornar aos Aflitos. A afastamento da torci- história condenará os da. Erro histórico. Em responsáveis. 2012, nos Aflitos, a mé-

CONTRA Famoso por criar polêmicas em torno de celebridades, o tabloide sensacionalista The Sun, da Inglaterra, mandou mais uma bola fora. Buscando atingir o atacante Wayne Rooney, maior ídolo da história recente do futebol inglês, o jornal publicou na terçafeira (28) a imagem do filho do jogador na capa, com a legenda “o que você fez, papai?”. Na manchete (“Eliminação patética contra a Islândia”), sobrou arrogância contra a estreante seleção nórdica.

UM NORTE PARA O TRICOLOR Malu Xavier Só um susto não te- campo do Arruda, ria sido suficiente. Foi o que não acontepreciso o Santa Cruz ce. O técnico Milton perder seis jogos em Mendes já mostrou sete e entrar na zona que sabe explorar de rebaixamento para o melhor das peças que a gestão atinas- disponíveis, mas se se para a urgência de há limitações nos contratar novos joga- jogadores, não é o dores que cheguem técnico que irá fazer para ser titulares. Em milagres. Adiante, o quase três meses de Santa Cruz terá uma campeonato só se viu sequência de jogos chegar reforços para em que pontuar o banco de reservas. deve ser obrigação. Isso poderia funcio- É a chance de respinar se o time titular rar no campeonato fosse esplêndido, mas enquanto os novos não é; ou se o aca- reforços se adaptam so da sorte e dos gols ao time. achados residisse no

​Campeão Mundial cobra engajamento​de atletas Em visita ao Brasil, o francês Lilian Thuram, campeão da Copa de 1998 participou, no Rio de Janeiro, de evento sobre racismo. Em tom de crítica, o ex-jogador disse que Pelé “deveria ter feito muito mais pela sociedade brasileira e pelo mundo”. Thuram comparou a contribuição de Pelé com a de Muhammad Ali para lutas sociais. E completou: “eu jogava na Itália com alguns brasileiros e tinha a impressão de que eles não sabiam que eram negros”. Bases em campo no Estadual Sub-20 Nesse sábado (2) começa o Campeonato Pernambucano Sub-20​, envolvendo as bases dos 12 clubes que disputaram a liga estadual deste ano. Divididas em 4 grupos, as equipes têm jogos de ida e volta, totalizando 4 jogos de cada time em 6 rodadas. Na abertura o Santa Cruz recebe o América; o Sport visita o Atlético, em Carpina; e o Serra Talhada recebe o Pesqueira. No domingo (3) o Náutico enfrenta o Porto nos Aflitos. Vitória, Central, Belo Jardim e Salgueiro estreiam no dia 9. A MUDANÇA SERÁ TELEVISIONADA?

Daniel Lamir O Sport segue tentan- madamente um terdo se esconder do Z-4. ço do Brasileirão já se A arrumação do time passou. Os reforços ainda não está engre- de Rogério e Ronaldo nada, mas foi eficiente Alves criaram novas diante de São Paulo e expectativas. Além Chapecoense. Contra disso, o calendário o Vitória faltou cabeça ainda reserva novas fria. No duelo de Leões fases, com janela de as expulsões deixaram transferência, cama alcateia pernambuca- peonatos paralelos na com nove em cam- e departamentos po. Quando os ânimos físicos tentando mise arrefeceram, o time lagres até dezembro. até ensaiou uma rea- Mas se a situação na ção. Se tivesse pernas Ilha não mudar, dae tempo, daria até para qui a pouco a tabela pensar numa “Batalha começa a deixar o do Barradão”. Apesar Sport invisível para o das esperanças, o tem- sonhado G-4. po não para. Aproxi-

Brasil de Fato PE - Edição 06  

BdF PE - edição 6

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you