Page 1

PERNAMBUCO| 08

ENTREVISTA | 11 Fátima Bezerra

Investigação

Diivulgação

Governadora do Rio Grande do Norte fala sobre representatividade e Consórcio Nordeste

Em Petrolina, aumento da morte de abelhas impacta produção de mel. MPPE apura causa Akira Onuma/Fotos Públicas

Pernambuco

Recife, 06 a 12 de setembro de 2019

ano 3

e d i ç ã o 10 4

distribuição gratuita

BRASIL VAI ÀS RUAS EM DEFESA DA EDUCAÇÃO E DA AMAZÔNIA Nelson Almeida / AFP

GERAL | 04 Cursos gratuitos

Abertas 80 vagas para jovens em Jaboatão dos Guararapes

PERNAMBUCO | 09 Conselho Tutelar

Periferias se preparam para eleger futuros conselheiros

CULTURA | 12 Agenda cultural

Programação a preço acessível para o fim de semana


Brasil de Fato PE

Recife, 06 a 12 de setembro de 2019

2 | OPINIÃO

EDITORIAL

Governo Bolsonaro é uma ameaça à sobrevivência da Amazônia Feldspato

DESCASO. Só no primeiro dia de setembro, foram contabilizados mais de 980 focos de queimadas

A

mazônia tem estado no centro das discussões da política mundial nas últimas semanas. Mesmo com toda a repercussão gerada na mídia mundial, a destruição de nossos biomas segue intensa. Só no primeiro dia de setembro, foram contabilizados pelo sistema de vigilância do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mais de 980 focos de queimadas. Em agosto, o número de focos de incêndio foi quase o triplo do registrado em 2018 para o mesmo mês. A tendência é de crescimento, dado o histórico do mês de setembro em outros anos e passe livre presente no discurso e na

O governo de Bolsonaro e suas milícias digitais passaram minimizar o prejuízo prática do bolsonarismo. Não é difícil ter uma idéia de quem se beneficia com tantas queimadas. Afinal, o fogo é a forma mais rápida de “lim-

par” a terra, preparando o terreno para outros usos, como pasto para animais. Não importando as consequências de toda esta destruição. Mesmo quando a perspectiva está além da fumaça preta que tomou conta dos estados do norte, chegando ao sudeste, como aquela tarde que escureceu em São Paulo. Depois de identificada a dimensão que tomaram os incêndios na Amazônia, o governo de Bolsonaro e suas milícias digitais passaram a tentar criar uma série de narrativas no intuito de minimizar o prejuízo. Inicialmente, tentaram negar a tragédia em curso, chamando de mentirosas as notícias sobre as queimadas. Posteriormente, Bolsona-

ro passou a acusar ONGs como causadoras dos incêndios, mesmo sem ter a menor capacidade de apresentar um indício sequer. Por fim, acusa partidos políticos de esquerda e movimentos sociais de aproveitarem a situação para supostamente defenderem uma intervenção estrangeira na Amazônia. Mentiras seguidas de mais mentiras sem o menor compromisso com a realidade de nosso país. Tudo isso para tentar conter uma onda de revolta que tomou conta do mundo. Não apenas pelas queimadas em si, mas pela explícita falta de compromisso em combater os agentes causadores da destruição. Afinal, são estes exatamente as bases políticas e eleitorais do que estamos chamando de bolsonarismo. Não importando sequer os apelos até mesmo de alguns setores do agronegócio que enxergam nesta questão uma possibilidade concreta de perder uma clientela que apresenta alguma forma de preocupação concreta com a realidade. O bolsonarismo seguirá tentando criar factoides, Fake News e outras mentiras no intuito de seguirem sua marcha destruti-

Desta soberania não abrimos mãos va. Eles chegam à ousadia de afirmar uma suposta defesa da soberania nacional ao atacar a posição de países estrangeiros, quando na verdade não passam de um governo entreguista e submissos aos interesses dos Estados Unidos. A nós, nos interessa sim um arco de aliança global nos marcos democráticos em defesa de nossas florestas e de nossa soberania nacional e popular. Apoio internacional não significa ingerência. São questões diferentes e não necessariamente estão atreladas. Desta soberania não abrimos mãos. Assim como não abrimos de toda a biodiversidade presente na floresta amazônica e, hoje, parece caminhar para sua destruição.

Expediente Brasil de Fato PE O Brasil de Fato circula nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul, Paraíba e Bahia com edições regulares. Em Pernambuco está nas ruas todas às sextas-feiras com uma visão popular de Pernambuco, do Brasil e do Mundo. Página: brasildefatope.com.br | Email: pautape@brasildefato.com.br | Para anunciar: brasildefatopernambuco@brasildefato.com.br | Telefone: 81. 96060173

Edição: Monyse Ravena | Redação: Vinícius Sobreira, Marcos Barbosa, Vanessa Gonzaga, Rani de Mendonça e Fátima Pereira. Articulista: Aristóteles Cardona | Colaboração: André Barreto, Bianca Almeida, PH Reinaux, Catarina de Angola | Administração: Iyalê Tahyrine Diagramação: Diva Braga | Revisão: Júlia Garcia | Tiragem: 20 mil exemplares Conselho Editorial: Alexandre Henrique Pires, Bruno Ribeiro, Carlos Veras, Doriel Barros, Eduardo Mara, Geraldo Soares, Henrique Gomes, Itamar Lages, Jaime Amorim, José Carlos de Oliveira, Fernando Melo, Fernando Lima, Laila Costa, Luiz Filho, Luiz Lourenzon, Marcelo Barros, Margareth Albuquerque (in memorian), Marluce Melo, Paulette Cavalcanti, Paulo de Souza Bezerra, Paulo Mansan, Pedro Lapa, Roberto Efrem Filho, Rogério Almeida, Rosa Sampaio, Sérgio Goaiana, Suzineide Rodrigues, Valmir Assis.


Brasil de Fato PE

FRASE da semana A prisão do Lula é racial, cultural e social, estou lá com ele

Klaus Mitteldorf Work

GERAL l 3

Recife, 06 a 12 de setembro de 2019

Mano Brown, sobre a prisão do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT).

Você já mudou algum hábito para reduzir o impacto ambiental?

Nota

SERVIÇ0S Cursos gratuitos em Jaboatão José Domingos

Movimento Pró-Criança O abriu 80 vagas em cursos gratuitos de recepção, serigra-

fia artesanal e informática básica na unidade de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes. Estão aptos jovens com idades entre 15 e 21 anos. As inscrições devem ser feitas na Rua José Maia Bezerra, nª 10, ao lado da Escola Municipal José Rodovalho. As inscrições podem ser feitas até a segunda-feira (9). É preciso levar cópias de RG e CPF, dos comprovantes de residência e escolaridade, além de duas fotos 3×4.

Desconto no IPTU Divulgação

E

u tento não consumir plástico, por isso passei a frequentar mais a granel e feiras, além de ecobags e potes de vidro. Mudei meu consumo de roupas e sapatos, só compro em lojas quando realmente preciso, e vivo de doação, presente, brechós e etc. Não consumo nenhum produto de origem animal. Dou preferencia a orgânicos; separo o lixo; faço compostagem e planto alguns alimentos; além de fazer meus próprios produtos de limpeza. Lorena de Paula, agrônoma.

ma coisas que eu não fazia antes e agora tenho U hábito é de plantar sementes. Hoje em dia, toda semente que eu pego, especialmente as mais dife-

rentes, eu planto e elas crescem. Acho que isso contribui não só para a natureza, mas para a paisagem também. Fábio Soares, professor.

oradores de Camaragibe M que estão em débito com o IPTU têm a chance de nego-

ciar os débitos até o dia 29 de outubro. A negociação durante a campanha prevê que os contribuintes consigam até 100% de desconto. Para pagar em parcela única, basta acessar o www. camaragibe.pe.gov.br/nossos-servicos/portal-do-contribuinte/. Para quem quer parcelar, o atendimento acontece de segunda-feira a sexta-feira, das 7h30 às 13h30, na sede da prefeitura do município.


Recife, 06 a 12 de setembro de 2019

4 ||Mundo GERAL

Brasil de Fato PE

Direitos de Fato Rodoviários protestam no Recife

M

otoristas e cobradores de ônibus realizaram um protesto na manhã da última quarta-feira (4), na região central do Recife. O cruzamento da Avenida Guararapes com a Rua do Sol foi fechado. Os manifestantes são ligados a um grupo que faz oposição à atual presidência do Sindicato dos Rodoviários. O protesto, segundo eles, foi contra a possibilidade de demissão dos cobradores que atuam nos coletivos, a partir da adoção de dupla função pelos motoristas. O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Urbana-PE) repudiou a manifestação e disse que o processo de acúmulo de função dos motoristas “tem ocorrido com consentimento do órgão gestor e do próprio Sindicato dos Rodoviários”. Elvys Lopes

Roda de Acolhimentos Libertando Subjetividades

a próxima quarta-feira (11) usuN ários/as da Rede de Atenção Psicossocial, familiares, trabalhadores/

as da Rede, estudantes e militantes da Luta Antimanicomial se reúnem para discutir a relação entre o cuidado em saúde mental e os princípios de educação popular de Paulo Freire. O objetivo é reunir experiências e propostas que possam ser implementadas. O evento tem o apoio da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ). É necessário confirmar presença através do e-mail juliaanasobel@gmail.com ou pelo telefone (81) 988430791. A atividade acontece a partir das 17:30 no Armazém do Campo, que fica na Av. Martins de Barros, 387, Santo Antônio, Recife.

TST valida homologação de rescisões em sindicato e por delegados sindicais

N

a coluna desta semana, vamos ver que o Tribunal Superior do Trabalho (TST), através da Seção Especializada em Dissídios Coletivos (SDC), julgou em 30 de agosto de 2019 válida a cláusula de acordo coletivo de trabalho que previa a homologação de rescisões de contratos de trabalho em sindicato e especialmente em delegacias sindicais. Apesar de a Reforma Trabalhista ter acabado com a exigência de homologação em sindicato da rescisão do contrato de trabalho de empregados, nada impede a sua manutenção em acordo (ACT) ou convenção coletiva (CCT). Foi esse o entendimento que o TST adotou na decisão do julgamento acima dito, principalmente nos casos de essa homologação ser feita por delegado sindical autorizado pela direção do sindicato. Dessa forma, se estiver previsto em acordo ou convenção coletiva, aplica-se o artigo 477 da CLT como ele era antes da entrada da Reforma Trabalhista: ele estabelecia que o pedido de demissão ou o recibo de quitação de rescisão do contrato de trabalho firmado pelo empregado com mais de um ano só será válido quando feito com a assistência do respectivo sindicato ou perante a autoridade competente. Mais uma questão que reforça a importância dos sindicatos e de sua luta: as negociações coletivas feitas por eles é o seu principal instrumento de luta para ganho de direitos trabalhistas para todos os trabalhadores que fazem parte de sua categoria profissional. * André Barreto é advogado e milita na Consulta Popular, na Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) e Rede Nacional de Advogados Populares (Renap).

Para entrar em contato e tirar dúvidas mande um email para contato.pe@brasildefato.com.br ou um whattsapp para 8199060173

ESPAÇo SINDICAL

Perfil dos trabalhadores de TI em PE

D

esde 2017, o SINDPD/PE vinha realizando uma pesquisa com os trabalhadores da categoria. Agora, os dados estão sistematizados na “Pesquisa sobre perfil dos/as trabalhadores de TI da Região Metropolitana de Recife”. A pesquisa revela dados importantes: Pernambuco é o estado do Nordeste onde são encontrados mais trabalhadores com carteira assinada até 2017 e a escolaridade da categoria é alta, com 42% dos entrevistados tendo concluído o ensino superior. A pesquisa também levantou aspectos sociais, como privatização, redução da maioridade penal, cotas raciais, aborto em situações de risco e estupro, casamento de pessoas do mesmo sexo. Acesse o documento: https://bit.ly/2lDFXvD SINDPD

Atraso no Acordo Coletivo SINDSEP

encido desde março, V ainda não há consenso no Acordo Coleti-

vo de Trabalho (ACT) dos trabalhadores da EBSRH com o Governo Federal. Desde o início do ano a Condsef tenta fechar o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2019-2020, com cláusulas econômicas e sociais. Na última reunião, diante do impasse, a Empresa sugeriu o prolongamento do atual ACT por mais 60 dias. A Condsef considerou extenso o prazo de dois meses e sugere que seja fixado em 30 dias. A entidade espera que a próxima reunião no TST consiga destravar os pontos ainda não superados no processo de diálogo entre empregados e empresa.


Recife, 06 a 12 de setembro de 2019

Brasil de Fato PE

OPINIÃO I 5

Artigo

O Brasil saiu do mapa da fome em 2014...mas está voltando. Flavio Luiz Schieck Valente*

A

fome mostra sua cara de novo no país. Dados oficiais do Ministério da Saúde apontam que após uma tendência clara de redução da prevalência de desnutrição crônica em crianças de 2007 a 2013, a tendência se inverte a partir de 2014, voltando a subir em todo o país. O indicador altura para idade de crianças com menos de 60 meses, é o melhor indicador da situação nutricional de uma sociedade. Em 2014, depois de 12 anos de implementação de um conjunto de políticas públicas, o Brasil havia saído do mapa da fome. Isto foi de fato um ganho, mas não significa-

va que estava tudo resolvido, ainda havia bolsões de fome que tinham que ser enfrentados, em particular em meio a comunidades indígenas, quilombolas, entre outras, nas quais a presença de insegurança alimentar e nutricional continuava alta, apesar da significativa redução da mesma nestes grupos sociais. O aumento observado dos índices de desnutrição crônica, a partir de 2014, está claramente associado à profunda crise financeira e política que se desencadeou no Brasil a partir daquele ano, que eventualmente levou ao golpe legislativo em 2016. Isto veio associado ao desmonte do conjun-

Desmonte do conjunto de políticas públicas de inclusão social to de políticas públicas de inclusão social, de redução de desigualdades, de promoção da agricultura familiar, de garantia dos territórios indígenas, quilombolas, entre outros.

O mais grave é que o conjunto de medidas adotadas pelo governo federal apontam para um agravamento ainda maior na esfera da produção e qualidade da alimentação da população brasileira. O fechamento do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, organismo responsável pelo aconselhamento, elaboração e monitoramento das políticas de alimentação e nutrição no pais, o abandono total do apoio a agricultura familiar, a liberação e o estímulo ao uso abusivo de agrotóxicos, o desmonte criminoso da política indigenista, agrária, de promoção das populações tradicionais, e da regula-

mentação ambiental associados a uma total falta de sensibilidade em relação à necessidade de políticas de inclusão das populações marginalizadas pelo desenvolvimento a serviço das elites, colocam em risco o conjunto das condições necessárias à produção de comida de verdade e de qualidade para o consumo da população brasileira “Pesquisador associado do Departamento de Nutrição da UFPE Docente afiliado do Departamento de Nutrição e estudos da alimentação da Universidade de Syracuse, New York

Artigo

Bolsonaro quer “privatizar os brasileiros”. Entenda. Aristóteles Cardona*

ncaminhada a ReE forma da Previdência, considerada central

pelo governo, parece caminhar agora, a passos largos, uma outra prioridade: privatizar boa parte das empresas que são propriedade do povo brasileiro. Talvez nem as pessoas mais pessimistas imaginassem que viveríamos sob um governo tão entreguista e pouco afeito às questões nacionais como este formado por Bolsonaro. Na segunda quinzena de agosto, o governo anunciou uma lista de empresas públicas que pretende privatizar. Entre elas, empresas de grande porte e essenciais para qualquer projeto so-

Além das nossas empresas, também quer nos privatizar enquanto seres humanos berano de país. Exemplos são os Correios, a Eletrobrás e até mesmo a Telebrás, que mesmo após a

onda de privatizações do governo FHC, sobreviveu e segue responsável por prover infraestrutura e redes de comunicação prestadas pelo governo e ainda leva internet a regiões remotas onde não há outras ofertas. Mas, neste período tenebroso, a privatização de duas empresas públicas me causa ainda mais arrepios: a Dataprev e a Serpro. Por ora, quero tratar da Dataprev, empresa criada em 1974, e vinculada ao Ministério da Economia. Para se ter uma ideia, ela é responsável pelo processamento de benefícios previdenciários e seguro-desemprego em nosso país. Também é responsável por

gerir o Cadastro Nacional de Informações Sociais e responde pela segurança dos dados referentes aos impostos de todos os brasileiros. A Dataprev concentra e trabalha com dados essenciais sobre quem somos e o que fazemos. As possibilidades de uso destas informações são infinitas e quase nenhuma delas aponta para nos beneficiar. E, antes que alguém fale, isso não tem nada a ver com o famoso “quem não deve, não teme”. Quanto mais expostos, mais suscetíveis estamos a toda forma de manipulação. A luta por nossa privacidade deve estar presente de forma constante

em nosso dia-a-dia. Se o avanço tecnológico é inevitável por um lado, é preciso que o estado e a legislação garantam a segurança de nossos dados e informações. Certamente não é sob controle do setor privado que teremos estas garantias preservadas. Bolsonaro já destroçou a Lei Geral de Proteção de Dados. E, agora, além de privatizar nossas empresas, também quer nos privatizar enquanto seres humanos. * É Médico, professor e membro da Rede Nacional de Médicos e Médicas Populares


6 | BRASIL

Recife, 06 a 12 de setembro de 2019

Brasil de Fato PE

Delegado investiga JUSTIÇA DECRETA PRISÃO DE outros casos SEGURANÇAS ACUSADOS DE vítima de tor- quando era policial. ClauTORTURAR JOVEM EM MERCADO Ojovem tura do primeiro ví- dio Valente respondeu a Reprodução | TV Globo

O jovem que foi torturado no mercado prestou depoimento à polícia na quarta-feira

INVESTIGAÇÃO. Delegado deve investigar outros casos ocorridos na rede Ricoy, como o denunciado pelo Brasil de Fato na quarta Da Redação

s seguranças Waldir O Bispo dos Santos e Davi de Oliveira Fernandes, acusados de torturar um adolescente de 17 anos numa unidade do supermercado Ricoy, em São Paulo, tiveram a prisão temporária decretada pela Justiça na noite de quarta-feira (4). A tortura do jovem aconteceu no mês passado na Cidade Ademar, Zona Sul, e veio a público nesta semana com a divulgação de um vídeo de celular feito pelos próprios agressores. Também na quarta, o Brasil de Fato teve acesso a um segundo vídeo mostrando outros casos de

tortura física e psicológica na rede Ricoy, mas não foi possível identificar em quais unidades elas ocorrem nem quem são agressores. As imagens obtidas pelo Brasil de Fato, no entanto, mostram procedimento semelhante ao usado por Santos e Fernandes, os seguranças do primeiro caso. As pessoas torturadas são acusadas de tentativa de furto ao supermercado. Elas então são recolhidas a uma sala, amarradas e recebem chicotadas.

segundo vídeo mostrando outros casos de tortura física e psicológica na rede Ricoy

Os seguranças que tiveram a prisão decretada têm histórico de passagens pela polícia, um por agressão à mulher, outro por roubo. Seis funcionários do supermercado foram ouvidos no 80° Distrito Policial, na Vila Joaniza. Segundo o delegado Pedro Luís de Sousa, os depoimentos foram “homogêneos” e não ajudaram a investigação. “Os funcionários vieram aqui, orientados pelo jurídico da empresa, para defender seus empregos”, afirmou o delegado, segundo informação do jornal Agora S.Paulo. Da assessoria

deo, que teria tentado roubar quatro barras de chocolate, também prestou depoimento. Ele seria usuário de drogas. “Mesmo quase um mês depois da tortura, a vítima ainda tem marcas das feridas feitas com o chicote”, disse o delegado. Segundo apurou o Brasil de Fato, o Ricoy contrata os serviços da KRP Zeladoria Valente Patrimonial para o setor de segurança. A empresa tem entre seus sócios Alfredo Geromim Valente, Orlando Geromim Valente e o ex-tenente coronel Claudio Geromim Valente. O último esteve envolvido na morte de uma jovem de 19 anos em 1995,

um processo por homicídio doloso, quando há intenção de matar, acusado de ter disparado contra a jovem, enquanto ele espancava um adolescente abordado durante uma operação policial. O processo foi arquivado em março de 2009. Em nota, o Ricoy afirmou que “está chocado com a tortura sem sentido” e que os “seguranças não prestam mais serviços para o supermercado”. Também em nota, a KRP Valente Zeladoria Patrimonial lamentou os “horríveis fatos” atribuídos aos seguranças e informou que “ambos já foram desligados da empresa”.


Recife, 06 a 12 de setembro de 2019

Brasil de Fato PE

MUNDO | 7

Argentinos madrugam na fila do banco após novas medidas de controle cambiário NEOLIBERALISMO. Mudanças estarão em vigor até 31 de dezembro; medida visa controlar desvalorização da moeda argentina frente ao dólar Ronaldo Schemidt/AFP

Tiago Angelo, de São Paulo (SP)

esta semana, agênN cias bancárias na Argentina amanheceram

com longas filas, após entrarem em vigor novas medidas de controle cambiário impostas pelo governo do presidente Mauricio Macri. A mudança é uma tentativa de controlar a desvalorização do peso argentino frente ao dólar. O decreto, assinado no domingo (1º), limita a US$ 10 mil ao mês a compra de dólares por pessoas físicas. Além disso, empresas precisarão de autorização do Banco

Prefiro ser precavida e não me arrepender depois Agências bancárias na Argentina amanheceram com longas filas

Central argentino para comprar a moeda e para fazer transferências para o exterior. “Saquei meu dinheiro do banco por precaução. Creio que é um momen-

to em que estamos tendo muitas surpresas. Amanhã nós podemos levantar e ver que tudo mudou, prefiro ser precavida e não me arrepender depois”, afirmou Cata-

lina Pedace, estudante universitária de 25 anos à Agência Reuters. As mudanças, que permanecerão em vigor até 31 de dezembro, representam o mais novo reflexo da crise econô-

mica pela qual o país passa. De 2018 para cá, o governo Macri chegou a aplicar uma série de medidas para frear a desvalorização do peso e a escalada da inflação – que fechou 2018 em 47,6%, a maior dos últimos 27 anos. Buscando evitar a fuga de capitais, uma das causas da desvalorização da moeda, o Banco Central argentino estabeleceu sucessivos aumentos na taxa de juros. O país também recorreu ao Fundo Monetário Internacional (FMI), em um acordo de empréstimo na ordem dos US$ 56 bilhões.

Venezuela decreta alerta laranja na fronteira com a Colômbia MILITAR. Autoridades venezuelanas interceptaram planos de atentados e vão realizar exercícios militares na região fronteiriça Fania Rodrigues, de Caracas (Venezuela)

D

epois de divulgar a interceptação de planos de violência política no estado de Táchira, na fronteira com Colômbia e também atentados, em Caracas, o governo de Nicolás Maduro decretou alerta de segurança laranja e enviou tropas para a fron-

Roque de Sá / Agência Senad

Governo venezuelano vai enviar militares para a fronteira para exercícios militares de defesa

teira. O objetivo é realizar exercícios militares de defesa. O laranja está abaixo apenas do alerta de maior nível, o vermelho. Além de Táchira, os estados de Zúlia, Apure e Amazonas receberão exercícios militares. Todos fazem fronteira com a Colômbia e, no caso do Amazonas, também com Brasil. Nicolás Maduro afirmou

que a Colômbia passou a representar uma “ameaça de agressão” para a Venezuela. Ele acusou o presidente colombiano, Iván Duque, de liderar um processo de montagem de “falsos positivos” – uma artimanha militar utilizada para caracterizar pessoas mortas como inimigos abatidos em combate – para iniciar um conflito militar entre os dois países.

Falso positivo’ para atacar a Venezuela e iniciar um conflito militar “[O governo de Duque] não apenas colocou a Colômbia em uma guerra que está sendo travada, mas agora finge um ‘falso positivo’ para atacar a Venezuela e iniciar um conflito militar em nosso país”, disse o presidente venezuelano durante um ato na Academia Militar.

O comandante chefe do Estado Maior da Força Armada Nacional Bolivariana, Jesús Suárez Chourio, publicou uma mensagem no Twitter apontando a responsabilidade do governo colombiano. “A administração chefiada pelo presidente Ivan Duque continua na sua tentativa de encobrir a realidade complexa e delicada que vive neste país irmão. E continua suas políticas de agressão e provocação contra a Venezuela”, escreveu. A Venezuela também intensificou nos últimos meses as operações de combate ao tráfico de drogas e ao contrabando de gasolina na fronteira colombiana. Os exercícios militares também irão contribuir com essa iniciativa.


8 | PERNAMBUCO

Recife, 06 a 12 de setembro de 2019

Brasil de Fato PE

Morte de abelhas no Vale do São Francisco preocupa apicultores e especialistas INVESTIGAÇÃO. Inquérito instaurado pelo Ministério Público de Pernambuco está apurando a causa das mortes Akira Onuma/Fotos Públicas

Vanessa Gonzaga

Em Petrolina, no E Vale do São Francisco, os apicultores no-

taram nos últimos anos um rápido aumento na mortandade das abelhas da espécie Apis mellifera, popularmente conhecida como abelha africanizada. Com as mortes, o impacto imediato tem sido a diminuição da produção de mel e outros insumos, como própolis e cera, como explica José Newton da Silva, apicultor há mais de 15 anos e vice-presidente da Associação dos Criadores de Abelha do Município de Petrolina (ASCAMP). “A gente nota as abelhas mortas na frente das colmeias, a diminuição dos enxames. Diminuiu muito a produção de mel, esse ano foi um fracasso. Na Associação a gente já produziu 30, 40 toneladas de mel por ano, e esse ano não sei se vai chegar a 10 toneladas”, projeta. Se, a curto prazo, o impacto tem sido na produção de mel, a médio e

Esse ano não sei se [a produção] vai chegar a 10 toneladas

A gente levanta a hipótese do uso incorreto de agrotóxicos longo prazo o problema pode se tornar ainda mais grave. A grande tarefa das abelhas na natureza é a polinização, é o processo em que o grão de pólen é levado até a região onde está o gameta feminino da planta, garantindo assim que as plantas deem frutos. As abelhas são responsáveis por 80% da polinização dos frutos em todo o planeta. Com a mortandade em massa desses pequenos e tão importantes animais, o impacto será a longo pra-

zo na cadeia produtora de alimento. Diante do problema, a ASCAMP acionou o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), que instaurou um inquérito para investigar a causa das mortes. Uma das etapas de investigação é o estudo que está sendo feito pelo Centro de Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna), da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) com o apoio da Universidade de São Paulo (USP) e da Uni-

versidade de Cardiff, no País de Gales. As abelhas podem estar morrendo em razão das mudanças climáticas, do longo período de estiagem dos últimos anos no Semiárido, da supressão da vegetação ou da associação destes fatores com o uso de agrotóxicos. A professora Dra. Aline Andrade, pesquisadora do Cemafauna, afirma que é levantada a hipótese do uso incorreto de agrotóxicos por conta dos resíduos presentes na cutícula, que é a pele das

abelhas, mas que ainda é cedo para afirmar isso. O agrotóxico encontrado nas abelhas é o Fipronil, que também vem sendo relacionado à morte de 12 milhões de abelhas em 200 colmeias no Rio Grande do Sul. Lá, o Ministério Público solicitou em agosto às Secretarias de Meio Ambiente e Agricultura a limitação da comercialização e do uso do Fipronil, cogitando a suspensão do uso do agrotóxico. José Newton espera que os produtores da área da fruticultura da região mudem de postura diante do ocorrido “Se o problema é mesmo o veneno, o primeiro passo é educar os produtores para fazerem a forma correta. Aplicando o veneno durante o dia, ele pega diretamente nas abelhas, que estão polinizando. Algumas chegam já morrendo de volta às colmeias. O problema é educar os produtores” explica. Segundo Aline, o melhor sistema agrícola para garantir a produção e a qualidade de vida das abelhas é o que respeite o ritmo circadiano das abelhas, que é maneira pela qual elas se adaptam à duração do período claro e escuro durante o dia “Se ela sai para forragear naquele período, e os produtores agrícolas precisam usar o agroquímico naquele mesmo horário, é necessário respeitar a rotulagem e as instruções de uso”. Agora, para uma análise mais detalhada, as amostras coletadas na região foram enviadas para pesquisadores da Universidade de Cardiff. Esta etapa do estudo está prevista para ser concluída até o final deste ano.


PERNAMBUCO | 09

Recife, 06 a 12 de setembro de 2019

Brasil de Fato PE

Periferias se preparam para eleger seus conselheiros tutelares Pref_BH

PLEITO. Com regras similares às eleições, mas com menor fiscalização, pleito ocorre no dia 6 de outubro Vinícius Sobreira

as portas das caN sas, no vidros dos carros, o leitor e a leitora

já devem ter percebido a volta das propagandas eleitorais. É que 2019 é ano de eleição para o Conselho Tutelar, que ocorre no próximo dia 6 de outubro. Cada cidade tem um ou mais conselhos tutelares, onde atuam cinco, quinze ou até 40 conselheiros. Entenda o que faz um conselheiro e como participar da eleição no seu bairro. Instituídos legalmente através do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), os conselhos tutelares são uma estrutura pública, sustentada com recursos dos cofres da prefeitura. Apesar de vinculados ao poder executivo municipal, os conselheiros não são indicados politicamente, mas escolhidos pela população. Os conselheiros sequer são subordinados à prefeitura. Segundo Ana Farias, presidenta do Conselho Municipal da Defesa e promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente do Recife (Comdica), por determinação legal, o Conselho Municipal é o responsável por acompanhar o desempenho dos conse-

Os conselheiros devem defender os direitos das crianças e adolescentes, com base no ECA

No Recife, serão 350 urnas espalhadas em 107 locais de votação lhos tutelares. Um conselho tutelar é um órgão colegiado, que conta com cinco membros eleitos. Enquanto cidades menores possuem um conselho tutelar (com cinco conselheiros), cidades como Olinda, Cabo de Santo Agostinho, Petrolina e Caruaru possuem dois conselhos e, portanto, 10 conselheiros. Jaboatão possui 15 conselheiros e o Recife tem 40 eleitos, distribuídos nos 8 conselhos tutelares espalhados

regionalmente pela capital. Os conselheiros tutelares também precisam promover a execução de suas decisões, buscando os serviços públicos de saúde, serviço social, segurança, educação, trabalho, previdência ou autoridade jurídica quando necessário. O descumprimento das decisões do Conselho Tutelar também pode ter consequências legais. Os conselhos têm caráter jurisdicional, o que significa que eles são uma parte do Estado que aplica o direito de maneira concreta, solucionando conflitos e resguardando o cumprimento da lei neste caso, o ECA, lei federal nº 8.069 de 1990.

Eleições Após eleitos, os conselheiros tutelares têm a obrigação de atuar pela garantia do cumprimento do ECA naquele ter-

ritório em que foi eleito, protegendo crianças e adolescentes de violências, abusos e situações de exposição dentro daqueles bairros. Os conselheiros também devem atender as crianças e adolescentes que tenham sido expostos a essas situações e aconselhar pais ou responsáveis. Para dar conta de suas responsabilidades, os conselheiros dispõem de carros, telefones, pessoas para apoio administrativo e limpeza, equipamentos públicos, como a sede do conselho tutelar naquela região, além de um salário bruto de R$3.700 - que líquido, sem os benefícios, fica em torno de R$3.000. “Os conselheiros tutelares têm uma repartição pública à sua disposição”, resume Ana Farias. O mandato de um conselheiro tutelar tem duração de quatro anos, podendo ser reeleito por número ilimitado de vezes. Qualquer cidadão com 18 anos ou mais pode se candidatar ao conselho tutelar da sua região.

“Não precisa filiação partidária, embora seja uma eleição bastante influenciada pelos apoios dos vereadores”, admite Ana Farias. “O ideal é que sejam pessoas com compromisso, prática e militância na área de criança e adolescente. Mas, infelizmente, boa parte está ali querendo emprego, o que acaba deturpando a função do órgão”, afirma. Eleitos, os conselheiros se fortalecem como referências nos seus territórios e isso se reflete no apoio ao vereador no ano seguinte. Mas os conselhos de criança e adolescente tentam impedir que pessoas sem afinidade com o tema da infância e adolescência atuem nesses espaços. Recife e Jaboatão, por exemplo, assim como outros municípios, aplicam provas teóricas no sistema de seleção de candidatos. Além da prova, é necessária a comprovação de atuação de no mínimo um ano em pelo menos duas instituições que trabalham com crianças e adolescentes. O pleito ocorre dia 6 de outubro. No Recife, serão 350 urnas espalhadas em 107 locais de votação. O voto não será em urnas fornecidas pelo Tribunal Superior Eleitoral, mas em computadores com programa similar a uma urna, desenvolvido pela Prefeitura. Na opinião de Ana Farias, o principal desafio dos conselhos tutelares hoje é ter conselheiros que compreendam suas tarefas. “Cumprir verdadeiramente suas atribuições, defendendo os direitos das crianças e adolescentes. Precisa conhecer o ECA e saber como funcionam as coisas”, avaliou.


10 I CIDADES

Brasil de Fato PE

Recife, 06 a 12 de setembro de 2019

Por justiça, direitos e liberdade, movimentos realizam Grito dos Excluídos no Recife Vinícius Sobreira

7 DE SETEMBRO. Concentração do ato acontece na praça do Derby e segue em caminhada pela av. Agamenon Magalhães Este ano o ato tem como tema “A vida em Primeiro Lugar

Fátima Pereira

O

O Grito dos Excluídos anuncia a esperança de um mundo melhor

próximo sábado, dia 07 de setembro, acontece a 25ª edição do Grito dos Excluídos, com o tema: “A vida em Primeiro Lugar” e o lema: “Esse Sistema não Vale, Lutamos por Justiça, Direitos e Liberdade”. O ato traz uma crítica ao atual sistema político e econômico e faz referência aos crimes da empresa mineradora Vale, nas cidades de Brumadinho e Mariana (MG). Marcos Silvestre, integrante do Movimento dos Trabalhadores Cristãos (MTC), e da organização do Grito, diz que a escolha da data surge da necessidade de questionar, no dia da inde-

jeto de país nós desejamos”, afirma. Em entrevista coletiwww.sindsep-pe.com va, realizada na manhã desta quintaA ideia é refletir -feira (05), na sede Movimento dos sobre soberania, do Trabalhadores Crisindependência tãos (MTC), a orgado Grito fae que projeto nização lou sobre a prograde país nós mação do ato no Recife e alterações do desejamos percurso em relação às edições passadas. O ato terá concentrapendência do Brasil, se ção na praça do Derby, a o país é verdadeiramenpartir das 08h da manhã, te independente e se a com panfletagem, místisoberania e os direitos ca, feiras em um espaço do povo brasileiro estão sendo respeitados. “A de economia solidária, e ideia é, justamente, levar apresentações musicais. o povo a refletir sobre a Às 10h, o ato sairá em casoberania, a indepen- minhada pela avenida dência e sobre que pro- Agamenon Magalhães, em direção ao parque

Amorim. Em seguida, retorna à Praça do Derby para dar continuidade às atividades que duram o dia inteiro. Este ano, o ato não vai pela Avenida Conde da Boa Vista, pois, de acordo com a organização, a quantidade de pessoas naquela localidade durante o dia 07 de setembro diminuiu significativamente. Em sua 25ª edição, o grito se posiciona contra a Reforma da Previdência, que atinge diretamente os mais pobres, e em defesa da educação, aderindo ao chamado do movimento estudantil ao se somar à luta por uma educação pública e de qualidade. Marcos Silvestre afirma, também, que o Grito é um espaço de mo-

bilização e de luta para a classe trabalhadora e tem o papel de criticar e denunciar os inúmeros ataques e perdas de direitos que o povo brasileiro tem sofrido e que tem sido intensificados diante do resultado das eleições de 2019, com o aumento do desemprego, a volta da fome e a violência contra os mais pobres. “O sistema está cada vez mais agressivo. Os retrocessos sociais e políticos são muitos, esse sistema explora, acumula e isso vai para onde e para quem? O planeta fica com o quê? O povo fica com o quê?”, disse. Além disso, o Grito dos Excluídos anuncia a esperança de um mundo melhor, lutando por justiça, direitos e liberdade. “Queremos levantar a cabeça e dizer ao povo trabalhador, a mulher trabalhadora, a juventude, que nós não vamos desistir de lutar. Este é o momento de nos juntarmos, de juntar mais pessoas que acreditam na democracia. Lutamos pela inclusão social, por um Brasil democrático, justo, sustentável e solidário”, disse Marcos. anúncio

Recife, setembro de 2019

.

Precisamos derrotar a reforma da Previdência no plenário do Senado Na última quarta-feira, dia 4, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou o relatório da PEC 06/2019, que trata da reforma da Previdência e praticamente acaba com a aposentadoria da classe trabalhadora. Por 18 votos contra 7, o documento foi aprovado e seguiu para o plenário, onde deve ser votado até o dia 10 de outubro. Além da reforma, os membros da CCJ votaram a chamada PEC Paralela, um complemento à PEC 06, que, entre outros pontos, inclui nas mesmas regras da reforma os estados e os municípios. A votação na CCJ só reforça a necessidade e a pressa de convencer os senadores a derrotarem as PECs em plenário. Para serem aprovadas, a reforma da Previdência e a PEC Paralela precisam do voto de 49 dos 81 senadores, um quórum de 3/5 dos parlamentares,

conforme determina a Constituição Federal. Ainda dá tempo de pressionar os senadores, três deles pernambucanos. Enquanto Humberto Costa (PT) é contra a reforma, Fernando Bezerra Coelho (MDB) e Jarbas Vasconcelos (MDB) são favoráveis. Seguem, abaixo, os contatos dos três senadores pernambucanos para que possamos ligar e enviar mensagens cobrando compromisso com os trabalhadores e com a Previdência Social: Humberto Costa (PT): (61) 3303-6285 / 6286 humberto.costa@senador.leg.br Fernando Bezerra Colho (MDB): (61) 3303-2182 fernandobezerracoelho@senador.leg.br Jarbas Vasconcelos (MDB): (61) 3303-3522 / 3431 sen.jarbasvasconcelos@senado.leg.br


Brasil de Fato PE

Recife, 06 a 12 de setembro de 2019

ENTREVISTA l 11

Única governadora do país, Fátima Bezerra aposta em romper ciclos para mudar política Aline Roberta

EXECUTIVO. Eleita pelo RN fala sobre representatividade, retrocessos sob Bolsonaro e estratégias de resistência Vivian Fernandes e Alexandre Conceição

átima Bezerra é a úniF ca mulher eleita governadora no último pleito

do país, no ano passado. Pedagoga, é filiada ao PT e já atuou como deputada e senadora. Atualmente, governa o Rio Grande do Norte. Em entrevista exclusiva para o Brasil de Fato, ela falou sobre representatividade e as visões de seu mandato para tratar de problemas sociais, explicou o que é e o que pretende o Consórcio Nordeste. Leia a entrevista: BdF: Que análise a senhora faz da representatividade de ser a única governadora mulher do país, além de já ter uma vida na cena política dentro do Poder Legislativo?

Fátima: Eu me vejo, em primeiro lugar, com o sentimento de gratidão com o povo do Rio Grande do Norte. A maioria da população – inclusive as mulheres que tiveram uma participação bem expressiva na campanha eleitoral de 2018 – me elegeu governadora e, de fato, me fez a única governadora mulher do país. Mas, por outro lado, eu sempre costumo ressaltar que isso deve remeter a uma reflexão extremamente necessária

quanto dos programas sociais?

Nós [mulheres] ainda somos muito poucas ocupando os espaços importantes de decisão política e que mostra, mais uma vez, o déficit de participação das mulheres na política do nosso país. Quer dizer, como assim 27 estados da federação e só tem uma governadora? Nós ainda somos muito poucas ocupando os espaços importantes de decisão política nas mais variadas esferas, não só no Executivo, mas no Legislativo também. De forma que o que me cabe, enquanto governadora, é não perder de vista a temática da igualdade de gênero. Brasil de Fato (BdF): O que é o Consórcio Nordeste, tanto dentro do âmbito econômico

Fátima: Primeiro, é importante destacar que a tentativa de criação do Consórcio Nordeste já estava em curso, era um debate que já vinha se dando há mais de quatro anos. O mais importante é o consórcio interestadual do desenvolvimento sustentável do Nordeste enquanto ferramenta de gestão no sentido de que nós possamos buscar a resposta para problemas comuns e desafiadores não mais de forma isolada. A importância do Consórcio reside em ser uma ferramenta de gestão. Nós vamos poder atuar de forma conjunta em diversas áreas. Então, é desenvolver iniciativas para atrair investimentos e fomentar o desenvolvimento com vistas a gerar empregos dignos para nosso povo, aumentar a capacidade de arrecadação das nossas receitas e responder às demandas que nós temos nas áreas sociais. Enfim, o Consórcio Nordeste significa exatamente união, unidade. São os governadores dos estados imbuídos da responsabilidade de reali-

Defender a liberdade do Lula é defender o resgate da democracia

campanha estadual de enfrentamento ao analfabetismo. Por que não ousar erradicar o analfabetismo? Nesse contexto, a ideia do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera) é, sem dúvida nenhuma, interessante e vamos fazer esse debate no âmbito do Consórcio Nordeste.

zar um governo que tenha compromisso com desenvolvimento sustentável, geração de empregos, inclusão social e com a cidadania do nosso povo.

BdF: Quais são os desafios e as bandeiras que o setor democrático deve enfrentar e erguer daqui para frente?

BdF: Os ataques que a educação no campo vem sofrendo por parte do governo federal são muito pesados. No consórcio, vocês têm articulado iniciativas voltadas para a população do campo?

Fátima: Primeiro, a gente não pode esquecer a nossa Constituição. Eu, por exemplo, enquanto governadora, e no âmbito do Fórum dos Governadores do Nordeste, nós temos muito claro o papel institucional que nós temos a desempenhar. Do mesmo jeito que o presidente foi eleito pela maioria do povo brasileiro, nós fomos eleitos legitimamente pela maioria do nosso povo e, portanto, sempre tenho dito que essa missão exerço com muita responsabilidade, alegria e altivez. Nos preocupa não só a situação do ponto de vista econômico. Insistem em um modelo de desenvolvimento econômico que a gente sabe qual é o resultado: é mais desigualdade social, mais miséria, menos direitos para as pessoas, é menos cidadania para a maioria do nosso povo. Nesse contexto, ainda, evidente que tem um outro aspecto que nós temos que levar em consideração que é a prisão injusta de Lula. Defender a liberdade do Lula é defender o resgate da democracia.

Fátima: No campo da educação, o desafio é imenso, porque, infelizmente, tem sido uma das áreas mais atacadas nos tempos de retrocessos que estamos vivendo. Felizmente, a comunidade está resistindo. Mas o ataque é brutal: restrições orçamentárias, corte de recursos e desmonte das instâncias de interlocução social – os conselhos, por exemplo –, pondo em risco o funcionamento de universidades e institutos federais. Nós também temos o desafio pela frente que é o Fundeb, a política de financiamento voltada para a educação básica, cuja vigência termina no ano que vem. Enquanto governadora, eu estou levando esse debate para o Fórum dos Governadores do Nordeste e, digo mais, para o Fórum dos Governadores do Brasil. Nós lançamos uma


Recife, 06 a 12 de setembro de 2019

12 |CULTURA

Estrela Vermelha sobre o Terceiro Mundo

O que

tu indica

m somente 152 páginas, o E livro “Estrela Vermelha sobre o Terceiro Mundo”, escrito

pelo indiano Vijay Prashad, diretor do Instituto Tricontinental e editor-chefe da revista Leftword Books e publicado editora Expressão Popular dimensiona o impacto da Revolução Russa de 1917 na Ásia Central e nos países da África, o que incentivou os movimentos de libertação nacional de combate ao imperialismo/colonialismo das grandes potências, em re-

alidades nas quais imperava a exploração das massas trabalhadoras e a autocracia no plano da política. O objetivo do autor indiano é trazer à tona e recordar a energia que uma revolução popular é capaz de despertar. Se, para os latino-americanos, o ano de 1959 marca o impacto da revolução cubana, Prashad amplia a percepção desse leito histórico, incluindo as experiências de luta ocorridas na Mongólia, na Índia, na Indonésia, e também entre as nações que vieram a conformar a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). A mensagem é nítida e já havia sido transformada em palavra de ordem pelo Che Guevara: o dever de todo o revolucionário é fazer a revolução – mesmo em realidades atrasadas e dependentes. O livro é impactante quando aborda

o problema do que chama de “Fascismo colonial”, traçando uma continuidade histórica entre a opressão colonial dos países europeus sobre as colônias africanas, o que teria assentado as futuras bases do fascismo. Prashad se ancora na obra do escritor da Martinica, Aimé Césaire, autor negro e marxista que pontua a ligação entre os dois processos, a opressão colonial e o ascenso do fascismo, ressaltando também as particularidades de cada processo. Com tudo isso, o livro de Prashad injeta um pouco de ânimo e um pouco, por que não, de coragem, para a defesa da herança das revoluções populares do século vinte. Mais que isso: a coragem de apontar a sempre urgência do tema do poder do Estado. Pedro Carrano é jornalista do Brasil de Fato Paraná e escritor.

Agenda Cultural

FUNDAJ

Divulgação

Prévia do Pitombeira

Som na Rural TV

N

essa sexta-feira (6), a Rural aumenta o som e a velocidade e apresenta seu novo Projeto, o Som na Rural TV, com uma roda aberta e informal para ouvir ideias, parceiras e sugestões na construção de mais um canal nordestino de conteúdo independente do Som na Rural. Antes e depois da conversa os DJ’s Carlota e Mozão se revezam na pista. O evento é gratuito e acontece ás 19h na Torre Malakoff.

A

gora é oficial: começaram as prévias de carnaval. Nesse sábado o Pitombeira dos Quatro Cantos sai na sua tradicional prévia do dia 7 de setembro. O evento inicia às 14h ao som da Orquestra Paranampuká, na sede do Pitombeira, na Rua 27 de Janeiro, nº 128, bairro do Carmo, Olinda. A prévia é gratuita, mas, para quem desejar, as camisas com a arte do Carnaval 2020 já estarão à venda.

Beto Figueroa

Cine São Luiz Até a quarta-feira (11), A estarão em cartaz no Cine São Luiz o filme chi-

leno “O verde está do outro lado”, de Daniel A. Rubio, que trata sobre a questão hídrica no país; o drama “A serpente”, de Jura Capela, que fala sobre as dificuldades das relações amorosas e familiares e “Bacurau”, de Kleber Mendonça Filho, que trata da resistência nordestina em meio a luta pela sobrevivência. Ingressos a R$ 10 inteira e R$ 5 meia.

Brasil de Fato PE

Qual é o Bairro?

Letícia Lins

Campo Grande ara quem não sabe, a capital perP nambucana também tem um bairro que leva o mesmo nome do conhe-

cido bairro onde tem carnaval em Salvador, o Campo Grande. No Recife, ele fica na Zona Norte, entre Feitosa e Salgadinho. O nome veio pelo fato de não possuir árvores e formar um vasto campo plano. O local já era registrado com esse nome em documentos desde o século XVII. Grande parte das terras eram seis grandes sítios, que pertenciam a Josefa Francisca da Fonseca e Silva. Foi nas terras dela que, em 1909, foi construída uma capela, que tinha como padroeira Nossa Senhora da Conceição. Durante a Revolução Praieira, em 1848, a capela tem uma atuação importante, já que Joaquim Nunes Machado, o fundador do partido praieiro, é ferido em combate e escondido ali para que não fosse morto pelas forças policiais. O local, que era repleto de mangues, permaneceu assim até a década de 1940, quando a Procuradoria dos Bens do Recolhimento de Nossa Senhora da Glória decide aterrar a propriedade, lotear e vender os terrenos, o que foi um grande incentivo ao surgimento de construções residenciais e o consequente crescimento de Campo Grande, na mesma década em que os recifenses construíram o Hipódromo de Campo Grande. Hoje o bairro tem cerca de 32 mil habitantes, sendo 61,8% autodeclarada negra e com uma renda familiar média de R$ 2.132,00.


Brasil de Fato PE

Variedades l 13

Recife, 06 a 12 de setembro de 2019

CULTURA | 13

Festival Internacional aproxima produção audiovisual e Agroecologia INSA

Podem participar curtas, médias, e longametragens com temática agroecológica

mação do XI Congresso Brasileiro de Agroecologia (CBA), que reúne instituições de ensino e a sociedade civil organizada nas demandas da agricultura familiar para pensar na valorização da Agroecologia como ciência. “A relação entre o audiovisual e a Agroecologia numa conjuntura de tantos retrocessos em direitos humanos, meio ambiente, biodiversidade é fundamental, porque tanto a produção de alimentos, quanto a de informações hoje são controladas pelas multinacionais, as grandes empresas” explica Dagmar Talga, memVanessa Gonzaga bra da organização geral roduções audiovisu- do evento. Para ela, a proais independentes, de grupos, movimentos sociais, comunidades tradicionais e outros atores sociais, que tenham como tema a Agroecologia, estarão em cartaz no Festival Internacional de Cinema Agroecológico (FICAECO), que acontece entre os dias 5 a 7 de novembro de 2019, na Universidade Federal de Sergipe (UFS). O evento integra a progra-

CINEMA. Evento está dentro da programação do Congresso Brasileiro de Agroecologia; Inscrições vão até o dia 15 de setembro.

P

dução audiovisual não apenas dá visibilidade aos sujeitos envolvidos nessa forma de produção de alimentos, mas politiza o processo, fazendo com que agricultores e agricultoras e comunidades tradicionais, quilombolas e indígenas se enxerguem como atores sociais. Os curta, média e longa-metragens também são uma forma de enfrentamento ao modelo proposto pelo agronegócio brasileiro, que vem investindo em campanhas, filmes, livros, comerciais e slogans que escondem as suas diversas contradições relacionadas ao conflito pela terra,

Tanto a produção de alimentos, quanto a de informações, são controladas pelas multinacionais

a degradação do meio ambiente, a violência no campo e outros temas. Para além do enfrentamento, a produção audiovisual agroecológica também é uma forma de preservar e sistematizar a memória e os saberes dos produtores rurais e urbanos e também uma ferramenta de educação popular e contextualizada não apenas ao Semiárido, mas outros biomas, como o Cerrado e áreas de Mata Atlântica e Floresta Amazônica. Para Dagmar, o audiovisual tem muita importância, também, no sentido de estabelecer uma relação com quem mora nos centros urbanos, conscientizando as pessoas acerca do tema. “A popu-

Divulação

lação brasileira ainda se informa em grande parte pelo meios comerciais. Essa produção, feita com outro ponto de vista, não é vista nas grandes salas de cinema, até porque temos dificuldades no acesso, mas podem ser exibidos em muitos lugares, como universidades, organizações, na rua, em praças, para trazer a sociedade para pensar uma leitura mais crítica da sociedade em que vivemos”, afirma. Podem participar curta, média e longa-metragens com temática agroecológica, produzidos nos países da América Latina de língua espanhola e portuguesa e lançados a partir de 1º de janeiro de 2016. As inscrições são feitas pela internet até o dia 15 de setembro e o edital de inscrição está no //www.cbagroecologia.org.br/p/ficaeco.html. As obras concorrerão a três troféus e todas as obras de língua ou legendadas em espanhol da mostra principal devidamente aprovadas pelos seus realizadores serão exibidas a partir de um convênio na TV Cubana em Cuba em 2020. A proposta a médio prazo é expandir o festival, extrapolando a programação do CBA e fazendo edições regionais e com um intervalo de tempo menor, o que pode contribuir para a difusão dos conteúdos produzidos a partir dessa ótica popular “A esperança é que o festival dure por muito tempo, cresça e dê oportunidade a esses povos e produtores independentes e que continue sendo uma construção coletiva de uma arma que contrapõe esse mercado” finaliza.


14 | VARIEDADES

Amiga da Saúde

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

www.coquetel.com.br

© Revistas COQUETEL

"Ambiente" retratado pelos sites Catedral e revistas da (?): Concurso de celebri- Enraipostal vecida; em que dades furiosa paulistano Marta Rocha foi a primeira eleita oficialmente

Território palestino ocupado por Israel Bê-á-(?): (2014) o abecedário

Salvador Que Allende, acontece presidente por acaso chileno

A Capital da Salsa, na Colômbia Machuca Anistia Internacional (sigla)

Fruta que padarias substituem por chuchu

Brasil de Fato PE

Recife, 06 a 12 de setembro de 2019

Principal avanço social do governo de Abraham Lincoln, assassinado Enganar em 1865

Fazer sexo anal é errado? Pode fazer mal pra saúde?

O tempo passado Usain Bolt, atleta

Vilão do filme "Superman II"

Anônima (?) King, empresário do boxe

Período marcado pelo domínio da razão e da técnica (Hist.)

(?) Neill, ator irlandês Rasurada

Problema que atrasa o trabalhador nas metrópoles

Carro luxuoso que leva a noiva à igreja

tar riscos à saúde. Usar camisinha é muito importante, pois a mucosa anal é bastante vascularizada e colonizada por microrganismos. Essa característica faz aumentar o risco de transmissão de infecções, inclusive DST’s. O lubrificante também é essencial, pois reduz o risco de lesões na região anal durante a penetração, além de facilitar o prazer. Já o uso de anestésicos reduz a sensibilidade, aumentando o risco de lesões e reduzindo o prazer para quem recebe a penetração.

Ratazana, em inglês Tema de brindes entre amigos

Moradia de socialites Amalucado

Sufixo de "barbado" Secreção da infecção

Vermelho, Amarelo e (?): rios chineses

"(?) Vice", filme com Colin Farrell (?) Patinhas, milionário das HQs

Quarta letra do alfabeto grego

Usado (abrev.)

Mande sua dúvida: amigadasaude@brasildefato.com.br

Moeda do Japão

Desigualdade; diferença

TV italiana

Ceder para instituição de caridade Figura da letra "Q", Calendário no baralho (?): previu o fim de um ciclo em 2012

Nossa cozinha

Tecla de computadores Michel (?), cantor sertanejo

Pão de Inhame com mostarfa

Fora de moda (ing.) Opaco; embaçado

INGREDIENTES:

Acontecimentos incontestáveis

3/non — out — rat — sam. 4/emir. 11/modernidade.

28

Solução D D M M C

M I E R I A O D A A R T R I A S B T I I S C C O A D M A

S S B R E J A O OD E R N I D ON S A L A N S I M I M A Z U O U S P A R I I E N R T E A M A I A F IC

D E L T A A C I D E N T A L

S I A L U A D M I R O N S A P U A D E O U R T O

S SC R A VO

S E O DO

Ã

Ç AT

L I B E R

BANCO

m se tratando de práticas sexuais entre adultos, não há certo E ou errado, desde que sejam prazerosas e desejadas pelas pessoas envolvidas. O sexo anal necessita de alguns cuidados para evi-

Título do dirigente de Abu Dhabi

Mistura fermentada: 10g de fermento biológico 1 colher (sopa) de açúcar mascavo 1/2 xícara de água morna 3 colheres de grãos de mostarda Massa: 400g de inhame cozido e amassado 1/2 xícara da água do cozimento do inhame 3 copos de farinha de trigo 1 colher sal 3 colheres (sopa) de azeite de oliva

MODO DE PREPARO

1. Em uma vasilha, coloque o fermento, açúcar, água, mostarda e deixe descansar por meia hora pra mistura fermentar e aguarde. 2. Cozinhe o Inhame, reserve a água do cozimento. 3. Amasse o inhame até ficar homogêneo e acrescente meio copo da água do cozimento. 4. Acrescente 2 copos de farinha de trigo, sal e azeite, a mistura fermentada e mexa com uma colher de pau. 5. Acrescente o 3º copo de farinha aos poucos misturando até soltar do fundo. 6. Sove afundando a mão na massa até que ela fique bem lisinha. 7. Cubra com pano úmido e deixe guardado por 1 hora até ela dobrar de tamanho. 8. Corte a massa em duas partes e coloque numa forma untada e deixe descansar por mais meia hora. 9. Leve ao forno por 45 min. 10. Desenforme quente e sirva!


Brasil de Fato PE

Recife, 06 a 12 de setembro de 2019

ESPORTES |15

Exercícios usando o peso do próprio corpo trazem benefícios físicos e mentais ESPORTE. Um desses esportes é a calistenia, que pode ser feita em casa ou ao ar livre Hangar

Hangar

Marcos Barbosa

deal para quem gosI ta de estar superando constantemente os

próprios limites, a calistenia é uma forma de treinamento físico que utiliza o próprio peso corporal para execução de exercícios de força e acrobáticos. Dessa forma, o praticante consegue movimentar grupos musculares através do trabalho de potência e esforço e, uma vez alcançado o domínio sobre um determinado movimento, é possível tentar elevar o grau de dificuldade para executá-lo. De acordo com o educador físico e personal trainer Rico Fernandes, instrutor de treinamento calistênico, os benefícios da prática de atividades físicas em geral estão na na prevenção de doenças como depressão e ansiedade. Ele explica que, uma simples sessão de exercícios é capaz de liberar uma boa quantidade de serotonina, neurotransmissor responsável pelos sentimentos de prazer e bem-estar. Segundo o instrutor, a prática, que consiste em flexões, exercícios com uso de barras e abdominais, proporciona “motivação para encarar desafios e se superar, desenvolver bons hábitos e uma autoestima saudável”. Os movimentos chegam a desenvolver, de maneira simultânea, habilidades como flexibilidade, resistência, respiração, postura, equilíbrio, força e coordenação motora.

Desenvolver bons hábitos e uma autoestima saudável De acordo com o educador físico, os exercícios calistênicos podem ser praticados por qualquer pessoa, independentemente do nível de aptidão, idade ou gênero. Entretanto, ele ressalta que é recomendado o acompanhamen-

to de um profissional capacitado, para que a prática seja desenvolvida com mais segurança. “Os cuidados devem ser observados, cada pessoa tem seu ritmo e individualidades que devem ser observadas para um desenvolvimento seguro”, explica. Uma alimentação adequada também é fundamental. Lorena Torres, 33, é professora universitária e pratica calistenia há dois meses. Apesar do início recente, ela conta que já identifica bons resultados alcançados através dos treinos, como “o crescimento muscular, aumento da

força, mobilidade, equilíbrio, flexibilidade, agilidade e resistência”. Lorena afirma, ainda, que tinha certa dificuldade com os treinos de força, mas, atualmente, já consegue executar os exercícios, às vezes, até no nível mais avançado. Já Marília Carvalho, 32, pratica calistenia há quase um ano e aponta que está bastante satisfeita com os resultados alcançados na sua tonificação muscular. “Pelo fato da atividade envolver o peso do próprio corpo, me parece um desenvolvimento muscular mais bonito e sadio”, justifica.

Por envolver apenas o próprio corpo, a calistenia permite bastante autonomia e pode ser praticada em casa e nas academias, ou ao ar-livre, razão pela qual costuma agradar aquelas pessoas que gostam de se exercitar em espaços abertos e em contato com a natureza. No Recife, alguns locais oferecem estrutura suficiente, com barras e apoios para a execução desses exercícios, como as Academias da Cidade; As orlas de Boa Viagem e Brasília Teimosa, no Parque da Jaqueira e algumas praças públicas em diversos bairros da cidade.


16 | ESPECIAL

GOL DE PLACA

NA GERAL FPF

AFP/WANG Zhao

Vitória no basquete

N

Brasil de Fato PE

Recife, 06 a 12 de setembro de 2019

Pernambucano Feminino

a quinta-feira (5), o Brasil levou a melhor na Copa do Mundo de basquete, em Nanquim, na China. A seleção brasileira encerrou a primeira fase com uma vitória de 84 a 73 sobre Montenegro. Os destaques da partida foram Marcelinho Huertas e Cristiano Felício. Com essa vitória, o Brasil já está classificado para a segunda fase. Na próxima fase, equipe terá os Estados Unidos como um dos adversários. A seleção brasileira terminou a primeira fase invicta, com vitórias sobre a Nova Zelândia, Grécia e Montenegro.

N

o último domingo (1º), foram definidos os dois clubes que se enfrentam na final do Campeonato Pernambucano Feminino de Futebol. Sport e Vitória/Santa Cruz se classificaram após vencerem e eliminarem Íbis e Náutico, respectivamente, em jogos bastante equilibrados. No próximo domingo (8), os clubes finalistas se enfrentam em duelo único, às 15h, na Ilha do Retiro. Também no domingo, Náutico e Íbis disputam o terceiro lugar e uma vaga no Brasileiro Feminino A2, às 10h, no Ademir Cunha, em Paulista.

BASTA UMA VITÓRIA Filipe Spenser filipespenser@gmail.com

AFP

Copa de Vôlei a última quarta-feira N (04), foram apresentados os adversários das se-

leções brasileiras feminina e masculina de vôlei na busca da Copa do Mundo, que serão realizados no Japão. A seleção feminina luta pelo título inédito e a masculina pelo tri. 12 seleções se enfrentam e vence a equipe que somar mais pontos. A Copa Feminina acontece entre os dias 14 e 29 de setembro e o Brasil começa encarando a Sérvia. Já a Masculina, será na sequência entre os dias 1 e 15 de outubro, com o Brasil disputando na quadra contra o Canadá. processo de averiguação do recorde.

Brasil na Seleção do Ano AFP

Fifa e a FIFPro A publicaram uma lista com 55 jogado-

res, candidatos à “Seleção do Ano”. A lista é resultado da votação de mais de 23 mil atletas do mundo inteiro, em que cada jogador deveria apontar sua seleção, com 1 goleiro, 4 defensores, 3 meio-campistas e 3 atacantes. O Brasil é o país com o maior número de representantes na lista, com 10 jogadores: Alisson, Ederson, Daniel Alves, Alex Sandro, Thiago Silva, Marcelo, Casemiro, Arthur, Roberto Firmino e Neymar. A Seleção do Ano será anunciada em 23/09.

GOL

CONTRA

Homofobia em campo presidente da Galoucura, torcida organizada do O Galo, afirmou que cantos homofóbicos continuarão acontecendo em campo e que a nova regra imposta pela CBF, de punir clubes por gritos preconceituosos, está “acabando com o espetáculo do futebol”. Se a postura da torcida em campo for essa, o Atlético-MG corre sério risco de perder pontos dentro do Campeonato Brasileiro. Gritos homofóbicos podem levar o clube a ser alvo de denúncia por parte do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

A DESPEDIDA… Julia Rodrigues juliarodriguesbep@gmail.com

APRENDENDO Daniel Lamir daniel.lamir@brasildefato.com.br

stá perto. Hoje, o Náutico encontraqualidade do elenco é um dos trunfos pós três anos de uma árdua estrada, de E -se a apenas uma vitória de garantir A leoninos na Série B. Nem mesmo as saíA lutas, conquistas e resistências, dentro o acesso à série B. No entanto, o jogo não das de Sammir e Ezequiel foram suficiene fora das arquibancadas, no último sábado representa apenas um acesso, mas, sobretudo, a concretização do maior projeto do ano do clube. Pode até parecer injusto pensar que todo o esforço da diretoria e dos jogadores será resumido a um único jogo. É mata-mata e são essas as regras. A boa notícia é que, diferentemente do ano passado, o Náutico não vai para o jogo pressionado por ter perdido a primeira partida. O empate de 0x0 com Paysandu no jogo de ida proporciona uma relativa tranquilidade, pois não há necessidade do time se desesperar correr atrás do placar. É preciso que a torcida, além de mostrar sua força e apoio, tenha paciência durante o jogo.

(31) o Movimento Coralinas anunciou a paralisação das atividades do coletivo, por tempo indeterminado. A notícia, que pegou muita gente de surpresa, foi marcada por uma ação realizada na sede do Estádio do Arruda, com oficinas e palestras voltadas às moradoras do entorno do Arrudão. As Coralinas, assim como alguns outros movimentos de arquibancada, cumpriram e cumprem o que historicamente chegou a ser uma das missões mais difíceis do mundo. Obrigada Movimento Coralinas pela coragem e demonstração de amor ao Santa Cruz. Porque amar o Santa é também contribuir para que o clube se perpetue sendo o Time do Povo.

tes para frustrações na média dos currículos dos jogadores do Sport. Porém, reforços estão chegando, e são bem-vindos. Aliás, time que precisa fazer improvisações dá sinais que precisa de reforços. A tabela da Série B é irregular no intervalo de datas, obrigando os times a encarar “maratonas curtas” algumas vezes. Há muitos motivos para reforçar o elenco. Vale destacar que, teoricamente, o Sport não está contratando nenhum salvador da pátria. Não pode nem deveria mesmo fazer contratações pesadas. É melhor que a conta do caixa feche correta ao final de cada mês para que a conta da tabela feche correta ao final do ano.

Profile for Brasil de Fato Pernambuco

BdF PE - Ed. 104  

Confira a edição 104 do Brasil de Fato Pernambuco!

BdF PE - Ed. 104  

Confira a edição 104 do Brasil de Fato Pernambuco!

Advertisement