Issuu on Google+

ESPORTES

21

DF/27/05/2011

Š

MARCELO MARAGNI/DIVULGAÇÃO

¢ X-FIGHTERS £

GILMAR FLORES, O JOANINHA, TREINOU ONTEM NO SALTO CORUMBÁ

ELES ESTÃO VOANDO Brasileiros disputam lugar no maior campeonato de motocross estilo livre do mundo. Hoje e amanhã, na Esplanada, pilotos podem chegar a 15m de altura Quatro brasileiros, uma só vaga. Os quatro melhores motociclistas voadores do país disputarão, em cima de suas motos, a partir do meio-dia de hoje, um lugar entre as estrelas do Red Bull X-Fighters. A etapa brasileira da competição será disputada amanhã, no canteiro central da Esplanada dos Ministérios, em frente ao Congresso Nacional. Mais de 500 caminhões de terra foram utilizados para montar o terreno para a disputa entre Gilmar “Joaninha” Flores, Fred Kyrillos, Marcelo Simões e Jeff Campacci. A entrada é gratuita, assim como no evento principal, amanhã, que começa às 16h e invade a noite com os melhores pilotos mundiais do motocross freestyle (estilo livre). O Red Bull X-Fighters é disputado há dez anos. Desta vez, Brasília voltou a colocar o Brasil no mapa: por conta da arquitetura local, foi uma das seis cidades selecionadas para a competição. Em 2008, 30 mil pessoas lotaram o Sambódromo do Rio de Janeiro para uma das etapas do torneio. Na Esplanada, as arquibancadas foram montadas para 2.050 pes-

■ RED BULL X-FIGHTERS ■ CLASSIFICATÓRIO

Quando: hoje, às 12h. Quatro brasileiros disputam uma vaga na competição principal da Red Bull

soas, mas a organização aguarda outros milhares de espectadores – como o espaço será aberto, quem estiver passando pelo Eixo Monumental poderá acompanhar as manobras. “Tem gente que pula e grita, entra no clima mesmo”, animou-se Simões. “Durante a apresentação, tudo é muito rápido, ficamos concentrados. Mas, quando pousamos, dar aquela olhada e ver o público animado é muito bom.” Joaninha, com 17 anos de experiência, foi o melhor brasileiro na última passagem dos X-Fighters pelo país e segue motivado. “É o campeonato mais disputado do mundo, em um esporte que chama muita atenção.” Nas manobras que levantam o público, os pilotos podem alcançar de 10 a 15 metros de altura. “Trabalho bem o

COMPETIÇÃO

Quando: amanhã, a partir das 16h Onde: Esplanada dos Ministérios, em frente ao Congresso Nacional Entrada: gratuita

lado emocional, mas sempre dá aquele frio na barriga. Acho que eu até gosto dele”, brincou Kyrillos. Entre as manobras mais emocionantes, estão o backflip, um tipo de cambalhota inversa; o tsunami, na qual o atleta fica de cabeça para baixo; e o hart attack, quando o motociclista solta a moto no ar, se separa da máquina e volta pouco antes da aterrissagem. Tudo isso em um circuito inédito para os pilotos, com rampas descomunais. Se o público se levanta, imagine só a família dos pilotos. “Eu ando de motocicleta desde os cinco anos de idade e pratico o estilo livre desde os 17. Eles até estavam acostumados, mas quando os saltos e os tombos ficaram maiores, aí o pessoal se assustou um pouco”, lembrou-se Kyrillos.

DE RODOVIÁRIA A CACHOEIRA

O brasileiro de melhor pontuação na seletiva de hoje se unirá aos 12 gringos que estão no giro mundial do X-Fighters – que já passou por Dubai e ainda visita Roma, Madrid, Varsóvia e uma cidade da Austrália. Os treinos de hoje vão das 9h30 às 12h, quando começará a prova classificatória para a disputa final, no circuito montado na Esplanada. Enquanto isso, eles vão invadindo o cenário brasiliense. Jeff Campacci, o mais jovem do quarteto, fez sucesso na Rodoviária do Plano Piloto. Na tarde de quarta-feira, em cima da moto, ele desceu dois lances de escadas e chamou a atenção de centenas de candangos que passavam pe-

lo local. “Foi muita adrenalina. Deu para notar a surpresa no olhar das pessoas”, destacou. Na cachoeira goiana de Salto Corumbá, a 110km de Brasília, Joaninha também invadiu o espaço aéreo e chamou o brilho para si. Ao lado do australiano Robbie Maddison, o brasuca fez uma sessão especial de treinamentos no meio de uma área de preservação do cerrado. “Eu conseguia ver a cascata inteira quando fazia os backflips (salto mortal para trás)”, disse Joaninha. O belíssimo cenário não poderia ser melhor para aliviar os ânimos antes de a competição começar de vez.“Sempre que há uma pista nova, como essa, dá um friozinho na barriga.”


100527 RED BULL