Page 55

108

ATRATIVIDADE DO BRASIL COMO POLO INTERNACIONAL DE INVESTIMENTOS E NEGÓCIOS

ATRATIVIDADE DO BRASIL COMO POLO INTERNACIONAL DE INVESTIMENTOS E NEGÓCIOS

DIAGRAMA 44

A América Latina e o Brasil têm espaço para aumentar sua representatividade no comércio internacional

BENS

SERVIÇOS

Participação no PIB e no comércio internacional de bens

Participação no PIB e no comércio internacional de serviços

% 2009

35%

% COMEX/ % PIB1 51%

38%

OUTROS

71%

% 2009

% COMEX/ % PIB1

38%

40%

OUTROS

76%

AMÉRICA LATINA

49%

ÁSIA

110%

EUROPA

141%

51% 5% 23%

5% 7%

AMÉRICA LATINA

20%

ÁSIA

77%

4% 7%

13%

BRASIL

29%

Tarifas impostas a exportações latinoamericanas também são mais altas

Restrição à importação de bens1

Restrição de acesso a outros mercados2

Tarifa equivalente a tarifas + restrições não tarifárias às importações

Tarifa equivalente a tarifas + restrições não tarifárias às exportações

MÉXICO

27,4% 22,1%

15%

ARGENTINA CHILE

ARGENTINA

16,4% 12,3%

BRASIL CHILE

15,7%

MÉXICO

9,4%

8,3% 5,1%

13% 45%

37%

Tarifas equivalentes de importação são mais altas na América Latina

BRASIL

3% 14%

164%

DIAGRAMA 45

A América Latina apresenta maiores barreiras alfandegárias para importações e exportações de bens que Europa e Áisia

37%

EUROPA

EXPORTAÇÕES

PIB

IMPORTAÇÕES

1%

3%

1%

127%

33%

CINGAPURA

41% 29%

EXPORTAÇÕES

PIB

IMPORTAÇÕES

1%

3%

1%

33%

1. Média da relevância (participação) da % de exportações e de importações sobre a relevância (participação) do PIB. Nota: Todos os valores são nominais. / Fonte: Unctad Online handbook of statistics; análise BCG.

Apesar de o Brasil e a América Latina terem potencial produtivo para aumentar a participação no comércio internacional de bens e serviços, dois principais obstáculos surgem como limitantes: barreiras alfandegárias e deficiências em infraestrutura. Sobre o primeiro desafio, países latino-americanos têm maiores restrições tanto à importação quanto à exportação de bens de acordo com uma análise do Banco Mundial, World Trade Indicators (veja Diagrama 45). Ainda de acordo com o mesmo estudo, o Brasil e os países da América Latina apresentam abertura comercial para serviços ainda menor, tendo número inferior de setores de serviços com assinatura de acordos de comércio internacional, os GATS66 (veja Diagrama 46).

19,7%

INDONÉSIA

COREIA DO SUL

10%

COREIA DO SUL

CHINA

9,8%

CHINA

INDONÉSIA

CINGAPURA

7,6%

12,7% 9,8% 9,2% 6,5%

FRANÇA

10,1%

FRANÇA

9,1%

ALEMANHA

10,1%

ALEMANHA

9,1%

ITÁLIA

10,1%

ITÁLIA

9,1%

REINO UNIDO

10,1%

REINO UNIDO

9,1%

MAIS RESTRITIVOS

Média mundial: 14,1%

Média mundial: 12,2%

MAIS RESTRITIVOS

1. Reflete a tarifa uniforme que manteria os níveis de importação doméstica constantes. 2. Reflete a tarifa uniforme que manteria os níveis de importação de parceiros comerciais junto ao país exportador constantes. / Fonte: World Trade Indicators 2009/2010 – World Bank. The General Agreement on Trade in Services. 66

109

Atratividade do Brasil como polo internacional de investimentos e negócios  
Atratividade do Brasil como polo internacional de investimentos e negócios  

Neste relatório a BRAiN identifica os 7 pilares que caracterizam a atratividade de um polo internacional de investimentos e negócios e compa...

Advertisement