Page 54

ATRATIVIDADE DO BRASIL COMO POLO INTERNACIONAL DE INVESTIMENTOS E NEGÓCIOS

A seguir, decompõe-se a conectividade do Brasil com a América Latina e com o mundo nestas quatro dimensões apresentadas. O objetivo é analisar a situação atual do País e entender onde devem ser focados os próximos esforços para elevar a posição brasileira e também alavancar a região como um todo no cenário global.

DIAGRAMA 43

A América Latina e o Brasil se destacam pelo crescimento do comércio internacional BENS Crescimento anual médio em US$ entre 2005 e 2009, % a.a.

FLUXO DE EXPORTAÇÕES

ESTE PILAR ANALISA A CONECTIVIDADE DO BRASIL EM DUAS DIMENSÕES: EM RELAÇÃO À AMÉRICA LATINA E COM O RESTANTE DO MUNDO

ATRATIVIDADE DO BRASIL COMO POLO INTERNACIONAL DE INVESTIMENTOS E NEGÓCIOS

SERVIÇOS Crescimento anual médio em US$ entre 2005 e 2009, % a.a.

14,7%

4,3% MUNDO

4,8% AMÉRICA LATINA

6,6% BRASIL

7,5%

MUNDO

8,7%

AMÉRICA LATINA

BRASIL

Comércio de bens e serviços Um polo deve contar com um ambiente que viabilize e promova o comércio internacional de bens, vital para os diversos setores produtivos da economia ao abrir mercados e viabilizar as cadeias de suprimento internacionais. Grandes polos como Londres, Hong Kong, Nova Iorque e Cingapura já eram centros de comércio muito antes de conquistarem papéis de destaque nos fluxos de investimentos e negócios que caracterizam a economia globalizada das últimas décadas. Além do comércio de bens, é importante para um polo internacional a viabilização do comércio internacional de serviços, setor que só tem elevado sua importância relativa no mundo. Isto vale para os diversos tipos de atividades: serviços profissionais altamente especializados como consultoria, publicidade, advocacia e auditoria; serviços técnicos de construção e engenharia e outsourcing, englobando desde processos (BPO) até call-centers. Tanto em bens como em serviços, a América Latina e especialmente o Brasil têm seu comércio internacional crescendo mais do que a média global. Enquanto os valores do comércio internacional de bens e serviços globais crescem a taxas anuais médias de aproximadamente 4,1% e 7,4%, respectivamente, na América Latina as exportações de bens crescem anualmente a 4,8% e as importações a 6,6%, sendo 8,7% e 10,1% os mesmos números para o comércio de serviços na região. No Brasil, o crescimento do comércio internacional é ainda maior, alcançando 6,6% e 14,5% em exportações e importações de bens e 14,7% e 17,8%, respectivamente, em exportações e importações de serviços (veja Diagrama 43). Apesar de ter alto crescimento, os fluxos comerciais internacionais latino-americano e brasileiro ainda têm representatividade limitada sobre o comércio global quando

FLUXO DE IMPORTAÇÕES

106

17,8% 14,5% 10,1% 3,9% MUNDO

7,2%

6,6% AMÉRICA LATINA

BRASIL

MUNDO

AMÉRICA LATINA

BRASIL

Nota: Todos os valores nominais. América Latina inclui o Brasil. / Fonte: Unctad Online handbook of statistics; análise BCG.

comparados com a representatividade de seus PIBs. A América Latina, por exemplo, foi responsável em 2009 por 7% do PIB global e somente por 5% do comércio de bens e por 4% do de serviços. Já o Brasil responde por volta de 3% do PIB global e apenas 1% das exportações e importações de bens e serviços, lacuna ainda maior do que a verificada na América Latina como um todo (veja Diagrama 44). Outra área para desenvolvimento na América Latina é a de seu comércio intrarregional, tanto em volume quanto em representatividade. Tomando como exemplo o comércio de bens, apenas 17% das exportações e 15% das importações latino-americanas em 2009 foram intrarregionais, números que vão para 42% e 48%, respectivamente, no caso da Ásia, e para 67% e 50%, no caso da Europa.

107

Atratividade do Brasil como polo internacional de investimentos e negócios  
Atratividade do Brasil como polo internacional de investimentos e negócios  

Neste relatório a BRAiN identifica os 7 pilares que caracterizam a atratividade de um polo internacional de investimentos e negócios e compa...

Advertisement