Page 1

P R O P O S TA PA R A U M A M O B I L I D A D E S U S T E N T Á V E L

PROMOÇÃO DO USO DA BICICLETA EM BRAGA

Vamos fazer de Braga uma cidade mais amiga dos ciclistas!

Braga Ciclável • Encontros com Pedal • Associação de Cicloturismo do Minho • Clube de Cicloturismo de Braga F e d e r a ç ã o P o r t u g u e s a d e C i c l o t u r i s m o e U t i l i z a d o r e s d e B i c i c l e t a ( F P C U B ) • A S PA • A s s o c i a ç ã o

Comercial de Braga

Associação de Futebol de Braga • Associação de Profissionais de Educação Física de Braga (APEFB) • Associação dos A n t i g o s E s t u d a n t e s d a U n i v e r s i d a d e d o M i n h o • A s s o c i a ç ã o O s A m i g o s d e S . D o m i n g o s / S . Vi c t o r • B r a g a + • B r a g a O n • Braga POP Hostel • ecoSpot • JovemCoop • Junta de Freguesia de S.José de S.Lázaro • Junta de Freguesia de S . Vi c e n t e • J u n t a d e F r e g u e s i a d e S . Vi c t o r • P a r ó q u i a d e S . V í t o r • P i o n e i r o s d a   U . M . • P r o j e t o B r a c a r a e


Proposta Introdução A bicicleta é um meio de transporte não poluente, silencioso, económico e acessível a praticamente todos os cidadãos. A sua utilização contribui para manter um estilo de vida saudável, ajudando a combater problemas como a obesidade e os problemas de saúde a ela associados. Além disso, a bicicleta é muitas vezes, e sobretudo na cidade, bem mais rápida que o automóvel. As suas vantagens no contexto da mobilidade urbana incluem também, e de forma não menos importante, um valioso contributo para a criação e manutenção de interações sociais, que se traduzem, em última análise, numa melhoria significativa da qualidade de vida para os cidadãos. Em Braga, temos o privilégio de poder beneficiar de uma cidade com condições excecionalmente favoráveis à utilização da bicicleta como meio de transporte: durante a maior parte do ano, o clima é bastante ameno; o acesso aos principais pontos da cidade pode ser feito com pouquíssimos desníveis; existe já uma forte cultura da bicicleta, associada a atividades de lazer e à prática de desporto; e uma parte significativa das deslocações pendulares dos cidadãos são feitas em distâncias curtas. A este respeito, é de notar que, de acordo com o Estudo de Mobilidade da População Residente no Concelho de Braga (TUB/Universidade do Minho, 2007), cerca de 50% das deslocações pendulares são feitas dentro do perímetro urbano e em percursos inferiores a 5km, ou seja, precisamente o intervalo de distâncias em que a bicicleta se apresenta como a opção de transporte mais vantajosa. De um modo geral, neste tipo de trajetos, as deslocações em bicicleta são mais rápidas que noutros meios de transporte, em parte porque a bicicleta permite o transporte direto porta a porta, sem os atrasos relacionados com estacionamento ou congestionamento de trânsito automóvel. Ainda segundo a mesma fonte, mais de 50% dos utilizadores de carro em Braga fazem-no sozinhos, na qualidade de condutor. É fácil de perceber que, nesses casos, a oportunidade de poupança associada ao uso regular da bicicleta como meio de transporte pode contribuir para incentivar ainda mais o seu uso em alternativa ao automóvel. O uso da bicicleta teria como uma importante vantagem para a cidade uma melhor utilização do espaço urbano: por exemplo, no espaço correspondente a único lugar de estacionamento automóvel poderão facilmente ser criados 8 a 10 lugares de estacionamento para bicicletas. Tal como tem sido repetidamente afirmado pela Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores da Bicicleta (FPCUB), “uma cidade com muitas bicicletas, com bicicletas a serem usadas todos os dias, é uma cidade mais limpa, fluída, mais amável e mais bonita que uma cidade doente por um uso excessivo e desnecessário de veículos motorizados”. Nos últimos tempos, temos notado um gradual aumento do número de ciclistas na cidade de Braga e, a julgar por diversos sinais da conjuntura atual, tudo parece indicar que num futuro muito próximo o número de ciclistas poderá aumentar de forma ainda mais significativa. Essa mudança é positiva e desejável, dado que contribuirá para a melhoria da qualidade de vida dos bracarenses. Ainda assim, e apesar das imensas vantagens que a bicicleta tem para oferecer aos cidadãos e à cidade de Braga, o potencial deste meio de transporte ainda parece ser frequentemente desvalorizado. Em larga medida, tal tende a acontecer sobretudo porque a cidade de Braga ainda não dispõe de condições de circulação em segurança nem de lugares de estacionamento para os potenciais utilizadores da bicicleta. Muitos cidadãos que gostariam de usar a bicicleta no seu dia a dia não o fazem ainda porque simplesmente não se sentem seguros nas nossas ruas. E os que já usam a bicicleta em Braga lamentam a falta de estacionamento adequado, a má qualidade do piso e, de um modo geral, a ausência de vias cicláveis nos principais percursos.

1


Consideramos, pois, que é urgente tomar medidas concretas de promoção do uso da bicicleta na nossa cidade. Ao encorajar o uso da bicicleta e ao proteger os ciclistas e os peões, estaremos a criar os alicerces de uma cidade mais segura, mais saudável e mais moderna. É com este objetivo que vimos apresentar à consideração de V. Ex.ª a presente proposta, com algumas medidas que consideramos úteis e necessárias:

A) Medidas práticas que consideramos urgentes: 1) Instalação de parques de estacionamento para bicicletas. • É prioritária neste aspeto a zona do centro da cidade (Avenida Central, Igreja dos Congregados/U.Minho, Avenida da Liberdade, Teatro Circo, Sé, Jardim de Santa Bárbara, Arcada, zona do Café da Brasileira, etc.). • Exemplos de localizações desejáveis são: junto à entrada de jardins, edifícios públicos, escolas, praças, zonas de comércio, principais museus e monumentos, e estações de transportes públicos. • Devem ficar em locais bem visíveis, se possível junto à entrada dos edifícios e devidamente sinalizados. • Aconselhamos vivamente a adoção do modelo Sheffield (em “U” invertido), conforme as recomendações da FPCUB, que anexamos a este documento. • Estes estacionamentos não só oferecem uma maior segurança aos ciclistas, como também apresentam uma vertente pedagógica, sensibilizando e incentivando as pessoas para o uso da bicicleta.

2) Criação de um eixo ciclável Estação - Centro - Gualtar • As deslocações entre a zona da Estação de Braga, a Avenida Central e o Campus de Gualtar são atualmente das mais frequentemente utilizadas pelos nossos ciclistas, sobretudo entre a população universitária. • É necessário um acesso rápido, direto e seguro para ciclistas entre esses três pontos da cidade. • Propomos a criação de corredores “BUS + Bici” (vias partilhadas por bicicletas e transportes públicos), devidamente sinalizados em ambos os sentidos, na Rua Nova de Santa Cruz e na Rua D. Pedro V, sendo que seria importante fornecer um acesso mais facilitado para ciclistas na ligação entre essas duas ruas. • Sugerimos ainda a criação de ciclovias ao longo da Av. João Paulo II, Avenida João XXI e Av. 31 de Janeiro.

Tal como a FPCUB, também nós defendemos que as ciclovias não podem ser entendidas apenas como infraestruturas destinadas a atividades desportivas e de lazer – são também vias prioritárias para uma utilização diária, no acesso a locais de trabalho, escolas, serviços e zonas comerciais. As ciclovias podem igualmente potenciar a mobilidade diária de deficientes que, atualmente, se veem muito limitados pelos inúmeros obstáculos da rede viária. Muitas das ligações não necessitam de grandes obras – muitas vezes basta apenas a libertação do espaço ocupado indevidamente por automóveis, a instalação de sinalização vertical e horizontal e/ou o desnivelamento dos passeios.

2


B) Sugestões de outras medidas que também seriam úteis: • Campanha de visibilidade e prestígio da bicicleta, promovendo a bicicleta junto do público em geral. • Campanha de sensibilização dos automobilistas para a segurança dos ciclistas. • Criação de uma página web sobre Mobilidade em Bicicleta na Cidade de Braga que permita informar e formar a população para a utilização da bicicleta no concelho (percursos, conselhos de segurança, entrevistas a utilizadores, percursos cicláveis, ciclovias, localização de estacionamentos, outra informação prática para potenciais/atuais utilizadores de bicicleta em Braga). • Campanha destinada à população estudantil sobre as vantagens da bicicleta no lazer e na mobilidade e sobre a importância das regras de segurança rodoviária. • Sensibilização de funcionários da autarquia para as vantagens de efetuarem deslocações em bicicleta. Incentivo aos trabalhadores que utilizem regularmente a bicicleta como meio de transporte. • Disponibilização de bicicletas de utilização gratuita ou a custos reduzidos. • A obrigatoriedade de inclusão de espaços cobertos para guardar bicicletas em todos os prédios novos, de habitação ou trabalho. Incentivos para o mesmo efeito em prédios já construídos. • Assegurar que as zonas pedonais da cidade, já existentes ou as que venham a ser construídas, permitam a circulação em bicicleta em convivência pacífica com os peões. • Estado/condição das vias e ciclovias. Reparar buracos e intervir nas tampas de esgoto que, com diversos asfaltamentos, se tornaram em buracos. Limpar terras e pedras que se acumulam nas vias e ciclovias. Estas medidas que visam melhorar a segurança e conforto dos ciclistas. • Gestão do tráfego automóvel. Apostar na necessidade de fazer cumprir limites legais de velocidade dentro da cidade, como forma de a bicicleta poder assim integrar-se melhor no restante trânsito. Sugerimos a implementação efetiva de radares e semáforos para controlo de velocidade, bem como a colocação de bandas sonoras. • Caixa de paragem para bicicletas. Criar caixas de paragem avançada para bicicletas (Bikes Boxes) nos semáforos, as quais permitem maior segurança para os ciclistas e visibilidade por parte dos restantes utentes da estrada. Ver exemplo em: http://bikeportland.org/cats/infrastructure/bike-boxes • Rede de ciclovias e outras vias cicláveis, a ligar de forma rápida e segura os principais pontos da cidade, incluindo a Estação, o Centro, polos universitários, principais monumentos, áreas comerciais, zonas residenciais e espaços de reunião (salas de espetáculos, igrejas, hospitais, centros de saúde, zonas de bares e restaurantes...).

Anexos: - “Manual de Estacionamentos para Bicicletas” (FPCUB); - Foto: Exemplo de bicicletário, recentemente instalado junto ao Mercado Municipal de Matosinhos; - Brochura do IMTT: “Vias Cicláveis - Princípios de Planeamento e Desenho”; - Brochura do IMTT: “Acalmia de Trânsito”; - Resolução da Assembleia da República nº 14/2012 (Diário da República, 1ª série - Nº 29 - 9/2/2012).

3

Proposta Para Uma Mobilidade Sustentável  

Promoção do Uso da Bicicleta em Braga ----------------------------------------------- Documento elaborado por um movimento de ciclistas, que...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you