Page 1

INFORMATIVO DA PARÓQUIA

SÃO GERALDO MAGELA

Anúncio FUNDADA EM 07/03/2004 – 13 Anos

ANO VIII | Nº 59 | MARÇO 2017 | BAIRROS BOM JARDIM, IDEAL E ESPERANÇA

Palavra do Padre


2

Anúncio

em ação

MARÇO 2017

EM DIA COM A LITURGIA: MISSA FUNDAMENTOS BÍBLICOS E TEOLÓGICOS Jesus sabia que suas horas de vida estavam contadas. Dentro de pouco tempo sofreria a paixão e a morte. O quarto evangelho exprime essa realidade com palavras comoventes: “Antes da festa da páscoa sabendo Jesus que tinha chegado a sua hora de passar deste mundo para o Pai, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os ate o fim” (Jo 13,1-2). Jesus reúne então seus discípulos e manifesta-lhes um sentimento profundo: “Desejei ardentemente comer com vocês esta ceia pascal, antes de sofrer” (Lc22, 15). Seria uma ceia pascal diferente de todas as outras. Para saber o que aconteceu naquela ceia derradeira, vamos tomar como referência alguns escritos do Novo Testamento: Os evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas nos contam, basicamente, a mesma coisa, ou seja, que na última ceia Jesus tomou o pão e, pronunciou a benção, o partiu e o deu aos seus discípulos dizendo: “Tomai e comei, isto é o meu corpo que é dado por vós”. Em seguida, tomou o cálice e depois de ter dado graças, o deu a eles, dizendo: “Tomai todos e bebei: este é o cálice do meu

sangue, o sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos, para a remissão dos pecados. Fazei isto em memória de mim!” A primeira Carta de Paulo aos Coríntios, apresenta-nos uma narração muito semelhante às de Mateus, Marcos e Lucas. O Texto foi escrito quando Paulo estava preocupado com a preservação da dignidade da celebração da ceia do Senhor na comunidade cristã de Corinto. O que mais distingue a narração de Paulo das dos evangelistas é o mandamento de Jesus: “ Fazei isto em memoria de mim. Os três evangelistas, Mateus, Marcos e Lucas e o Apóstolo Paulo, ao narrarem o que se passa na última ceia, na verdade não fazem uma reportagem como se tivessem estado ali presentes, preocupados em oferecer pormenores do acontecimento. O que eles querem é registrar, por escrito, anos mais tarde, algo que estava acontecendo em nível celebrativo. Em outras palavras: a intenção desses evangelistas era transmitir uma tradição litúrgica, uma celebração que se realizava nas comunidades primitivas: a celebração eucarística. Pe. Sérgio Henrique Gonçalves - Vigário Paroquial

CAMPANHA DA FRATERNIDADE DE 2017 No mistério da terra “sem saber como” (Mc 4,27), gesta-se a vida nova no grão do trigo. Um muro de Berlim, tão furado de balas, tão manchado de sangue, um dia se converte em brinquedo de crianças, “sem saber como”. Todos querem apoderar-se da espiga madura. Poucos querem enterrar-se como grão de trigo onde se forma o futuro “sem saber como”. Todos se lançam às ruas com danças e bandeiras, quando a liberdade explode. Poucos se escondem vivos na escuridão clandestina onde se busca às apalpadelas “sem saber como”. Todos sonham com o Reino, prometem-no, pintam-no e cantam-no. Poucos o alimentam no gérmen diminuto de intuições e de insônias sem horários e sem pagamento onde começa trêmulo “sem saber como”. Benjamin Gonzalez Buelta A Sagrada Escritura oferece elementos que iluminam a temática da Campanha da Fraternidade de 2017, a partir do projeto de Deus nela apresentado. Tal projeto inicia-se pela criação e organização do mundo, e conhece uma ruptura por causa do pecado. Seu verdadeiro significado é revelado em Cristo Jesus. A criação é apresentada em dois relatos. O primeiro apresenta a criação sendo realizada em sete dias (Gn 1,1-2,4a). Cada um dos seis primeiros dias tem em seu programa um elemento necessário para a continuidade da obra no outro dia (Gn 1,3-24). O sétimo dia tem como programa o descanso divino. O segundo relato destaca Deus providenciando a chuva, para a fecundação da terra. Somente depois cria o homem e o coloca como guardião de toda a obra criada. A criação é obra prima das mãos de Deus (Salmo 8). A interpretação, segundo a qual a ordem de Deus “enchei a terra e submetei-a” (Gn 1,28) favoreceria a exploração selvagem da natureza se baseia em uma errada compreensão do texto. O Papa Francisco, na encíclica Laudato SI´, explica que “cultivar” quer dizer proteger, cuidar, preservar, velar. Isso implica uma relação de reciprocidade responsável entre o ser humano e a natureza. A criação pertence a Deus (Sl 24; Lv 25,23). O homem, que é imagem e semelhança de Deus, recebeu

a vocação de cuidar da criação e guardá-la, com os seres que dela fazem parte. Jesus, nas suas mensagens catequéticas, utiliza de elementos da criação (Jo 4,10-14; Mt 5,45; Jo 15; Mc 4,120). Assim, por meio da contemplação da natureza, o ser humano é convidado, por Jesus, a compreender que sua vida está nas mãos de Deus (Mt 6,28-29). Somente buscando o Reino de Deus em primeiro lugar o homem pode libertar-se do incansável desejo de possuir (Mt 6,33-34). A redenção da criação é apresentada em Apocalipse 21-22, através da imagem da Jerusalém celeste. Antes disso, o livro do Apocalipse apresenta o desequilíbrio gerado pelo pecado do homem em toda a criação: rios poluídos (Ap 8,8); queimadas (Ap 8,7); terremotos (Ap 16,18); doenças (Ap 9,4-5). Quando tudo parece perdido, Deus age e coloca fim no sofrimento, fazendo surgir um novo céu e uma nova terra (Ap 21,1). Jesus

reconstrói toda a criação e faz novas todas as coisas (Ap 21,5). O Papa Francisco, em sua exortação apostólica Evangelii Gaudium (24/11/2013), afirmou: “Nós, os seres humanos, não somos meramente beneficiários, mas guardiões das outras criaturas. Pela nossa realidade corpórea, Deus uniu-nos tão estreitamente ao mundo que nos rodeia que a desertificação do solo é como uma doença para cada um, e podemos lamentar a extinção de uma espécie como se fosse uma mutilação”. O Papa Francisco diz que o tempo para encontrar soluções globais está acabando. Por isso, percebeu o sumo pontífice que já era chegado o momento de produzir um documento oficial sobre a ecologia. E assim nasce a Laudato SI´, aos 24 de maio de 2015. Nesta, que é a primeira encíclica ecológica, o Papa indica como um dos eixos fundamentais da reflexão ecológica a relação íntima entre os pobres e a fragilidade do planeta. Tanto a natureza como os pobres são usados como formas para o lucro fácil: exploração da mão de obra barata e extração desenfreada dos recursos naturais, tudo em nome do lucro fácil disfarçado de progresso humano. A reflexão sobre os biomas e os povos originários recebe uma rica iluminação da Palavra de Deus e do Magistério da Igreja. É preciso que a constatação das riquezas e dos desafios ligados ao tema da Campanha da Fraternidade seja levada à ação, a partir de uma reflexão serena e profunda dos ensinamentos da tradição cristã. A partir da fé cristã, é grande a contribuição que pode ser dada às questões da ecologia integral e, em particular, à convivência harmônica com os nossos biomas. Como afirma o Papa Francisco: “as convicções da fé oferecem aos cristãos – e, em parte, também a outros crentes – motivações importantes para cuidar da natureza e dos irmãos e irmãs mais frágeis”. (Laudato Si n.6) Maria da Conceição Soares Toledo Catequese/EPAP Fonte de consulta: Manual da CF 2017 e Carta Encíclica Laudato Si’ Papa Francisco


MARÇO 2017

3

Anúncio

em ação

PATRIARCAS E MATRIARCAS: NOSSOS ANTEPASSADOS Gênesis 12, 1-10 e Deuteronômio 26, 1-11 Na última edição, desse jornal, estudamos O Homem e a Mulher no Jardim do Éden, em Gênesis, nos capítulos 1 a 3, “ A criação e a ruptura do ser humano com Deus”. Agora, começamos a entrar na História da Salvação propriamente dita, que nos leva a reconhecer que é MISSÃO DO POVO DE DEUS RECUPERAR A BÊNÇÃO DA VIDA. Cada vez de novo, apesar dos desvios, Deus mantém o seu favor e a sua amizade conosco: com o homem da terra e a mãe dos viventes, com Caim e Lamec, com Noé. E depois da ameaça da Torre de Babel, Ele mantém o seu favor com a humanidade, inicialmente através de Abraão e Sara. Eles são chamados para formarem um povo novo e recuperar para todos a bênção perdida da vida. UMA HISTÓRIA FEITA EM MUTIRÃO – A Bíblia retrata a história de um povo, que após ser vivida, foi registrada em livro, um Livro Sagrado, pois foi escrito por vontade de Deus, e se transformou para nós, não em mais um livro de histórias passadas e profecias futuras, mas, sim, uma MEMÓRIA, um MANUAL DE COMO SE DEVE VIVER, um LIVRO SAGRADO, “FEITO EM MUTIRÃO, PARA SER LIDO E REFLETIDO EM MUTIRÃO”. Esse livro narra a vida de um povo, o Povo de Deus, que há quase quatro mil anos descobriu algo, que ainda hoje muitos desconhecem: “NÓS NÃO ESTAMOS SÓS, DEUS CAMINHA CONOSCO, ESTAMOS EM SUAS MÃOS, EXISTE UMA RELAÇÃO TODA ESPECIAL ENTRE NÓS E DEUS”. Para melhor absorção dessa maravilhosa história, dividimos a mesma em seis etapas, conforme divisão apresentada no Panorama da História da Bíblia, das Edições Paulinas. Sugerimos sua aquisição e sua leitura. Esta divisão é a seguinte: 1) Os Patriarcas e as Matriarcas; 2) Época no Egito; 3) Época dos Juízes; 4) Época dos Reis (em que atuaram a maioria dos profetas); 5) Judaísmo; 6) Cristianismo. OS PATRIARCAS E AS MATRIARCAS – A Bíblia surge no meio de um povo do Oriente, o Povo de

Ser jovem é...

Israel. Este povo cria uma literatura que revela sua história, suas reflexões, sua sabedoria, sua oração. Toda essa literatura é inspirada pela fé no único Deus que lhes revela: “Estou sempre com vocês!” O povo da Bíblia mora perto do Mar Mediterrâneo, Oriente Médio. Inicialmente, é um grupo de migrantes, vindos da Mesopotâmia (hoje Iraque). Esses migrantes são chamados hebreus e descendem de Abraão. Muita gente quer ser dona da terra onde moram esses hebreus. Os Cananeus, aos quais já nos referimos, outros moradores de lá, chamam-na de Canaã. Os israelitas a chamam de Israel. Mais tarde será chamada Palestina, terra dos filisteus. DEUS CAMINHA COM O SEU POVO – A história do Povo da Bíblia não é tão diferente da história dos outros povos daquele tempo. Mas a diferença é que estes povos não descobriram o que Israel, ajudado por Deus, percebeu: “Não estamos sós. Deus caminha conosco. Estamos nas suas mãos. Existe uma relação toda especial entre Deus e nós!” A história do Povo da Bíblia se inicia com Abraão. Abraão sai da Mesopotâmia, de Ur da Caldéia, à procura de uma nova terra. Sai com sua família e vai morar em Canaã. Isto se dá pelo ano 1850 antes da

Era Cristã. Em Canaã, nascem os filhos, os netos. A família vai se multiplicando. Abraão, Isaac e Jacó e, de certa forma, José, levado para o Egito são chamados Patriarcas. Eles são os primeiros pais. Sara, Agar, Rebeca, Raquel, Lia, Zelfa, Bala, Dina são as primeiras mães. Elas e eles são os fundadores do Povo da Bíblia. Iniciadores e iniciadoras da História da Salvação. A recordação histórica dos Patriarcas e das Matriarcas na Bíblia exerce uma função educativa muito importante na vida do povo: 1. Apresenta Abraão como modelo de fé para todos os crentes. Abraão é mostrado como exemplo de quem vive fielmente o projeto de Deus, vivendo da partilha da terra com o seu povo; 2. Descreve a missão do povo: ser fonte de bênção para todos os povos; 3. Abraão é mostrado como o ascendente de todo o povo de Deus. A partir de Abraão, o povo começa a ter unidade e viver segundo o Projeto de Deus. Abraão é reconhecido por três religiões: o Judaismo, o Cristianismo e o Islamismo que adoram um único Deus e têm um livro sagrado. Com as narrativas sobre Os Patriarcas e as Matriarcas iniciamos o que parece uma nova seção da Bíblia: as diferenças entre Adão, Abel e Noé, Abraão podem ser localizadas no tempo e no espaço. Mas o que importa é a visão de conjunto: Abraão é o centro de uma encruzilhada. Nele encontra-se a longa história religiosa de toda a humanidade e o ponto de partida do Povo de Israel, para que nele sejam abençoados todos os povos. BIBLIOGRAFIA: 1. GRUEN, Wolfgang, O Tempo que se Chama Hoje, Uma Introdução ao Antigo Testamento, Paulinas, 1983 2. Panorama da História da Bíblia, Paulinas 3. Escola de Evangelização da Paróquia Cristo Libertador. Cartilha Introdução à História da Salvação. Missão do Povo de Deus: Recuperar a Bênção da Vida Deusdi - Comunidade S. Antônio Algemiro – Comunidade São João Batista

Saber o que quer e correr atrás das suas metas. Já dizia o ditado: “Água mole em pedra dura tanto bate até que fura”. Juventude é determinação, é resistência e persistência. Juventude é Serenidade, é calmaria, como a noite sob o luar; É explosão, é dinamismo, é dança e ritmo, como as ondas do mar; Juventude é emoção, é sorriso, é renovação. Ser jovem é acreditar na utopia; É sonhar com a cabeça na lua, colocar os pés no chão; Juventude é rebeldia, é amor, é profecia. Juventude é; Juventudes; É na diversidade que está a nossa unidade; Juventude é felicidade, é afeto, é compreensão. Ser jovem é ser como as flores; Transmite alegria ao florescer, espalha seu perfume, está pelas ruas e praças e são milhões. Feliz a juventude que constrói a civilização com muitas rosas e muito amor! Juventude é fé, é coragem, é luta! E “eu vou à luta com essa juventude que não corre da raia a troco de nada”. Estaylon Bandeira – Coordenador Paroquial da Pastoral da Juventude


4

Anúncio

em ação

Agenda dos Padres Padres Hideraldo, Sérgio e Efraim

1 DE MARÇO – QUARTA-FEIRA DE CINZAS 08h00 Matriz S. Geraldo – Missa – Pe. Hideraldo 08h00 N. S. das Graças – Missa – Pe. Sérgio 13h00 Início do horário de Funcionamento da SECRETARIA PAROQUIAL 18h00 N. S das Graças – Missa – Pe. Hideraldo 18h00 N. S. Aparecida – Missa – Pe. Sérgio 20h00 Atos dos Apóstolos – Missa – Pe. Hideraldo 20h00 Matriz S. Geraldo – Missa – Pe. Sérgio 2 DE MARÇO – QUINTA-FEIRA 09h00 às 12h00 – S. Coração de Jesus/Cariru – Clero Regional III 17h00 Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento Pastoral – Pe. Hideraldo 19h00 Centro Pastoral João Paulo II – Reunião Coordenação da Equipe de Liturgia, Ministros e Coroinhas e do Ministério de Música do Setor S. Geraldo (Maria de Nazaré, N. S. Aparecida, S. Família, S. José, S. Sebastião e S. Geraldo) – Pe. Hideraldo 19h30 Matriz S. Geraldo – Missa e Bênçãos – Pe. Sérgio 3 DE MARÇO – SEXTA-FEIRA Sagrado Coração de Jesus 07h00 – Atos dos Apóstolos – Missa – Pe. Sérgio 09h00 às 11h30 e de 15h00 às 18h30 – Centro Pastoral João Paulo II Atendimento – Pe. Hideraldo 16h00 Visita aos Doentes – Pe. Sérgio 19h30 N. S. das Graças – Missa – Pe. Sérgio 19h30 Matriz S. Geraldo – Missa – Pe. Hideraldo 4 DE MARÇO – SÁBADO 14h00 às 17h00 – Matriz S. Geraldo – Formação para Coroinhas e Acólitos do Setor S. Geraldo (Maria de Nazaré, N. S. Aparecida, S. Família, S. José, S. Sebastião e S. Geraldo) – Semana Santa – Sem. Rafael 14h00 às 17h00 – Centro Pastoral JPII – Formação para os Ministros da Eucaristia e da Palavra do Setor S. Geraldo (Maria de Nazaré, N. S. Aparecida, S. Família, S. José, S. Sebastião e S. Geraldo) – Semana Santa – Sem. Ivan 18h00 S. João Batista – Missa – Pe. Sérgio 18h00 Maria de Nazaré – Celebração – Sem. Ivan 18h00 S. Francisco – Missa – Pe. Hideraldo 19h30 S. Sebastião – Missa – Pe. Hideraldo 19h30 S. Antônio – Celebração – Sem. Rafael 19h30 S. Família – Missa – Pe. Sérgio 5 DE MARÇO – DOMINGO Abertura da CF – 2017 – Paróquia N. S. Aparecida/Iguaçu Itabira – Seminário Propedêutico – Encontro Vocacional – Jovem, você que ser Padre? Participe do Encontro Vocacional! 07h00 Matriz S. Geraldo – Missa – Pe. Sérgio 08h30 Atos dos Apóstolos – Missa – Pe. Efraim 13h30 às 17h00 – Centro Pastoral João Paulo II – Planejamento Paroquial da Catequese – EPAC

EXPEDIENTEPe. Hideraldo Verissimo Vieira – PÁROCO

ANO VIII | Nº 59 | MARÇO 2017 Pe. Sérgio Henrique Gonçalves – VIGÁRIO PAROQUIAL PÁROCO Pe. Hideraldo Veríssimo Vieira

VIGÁRIO PAROQUIAL Endereço Fones Casa Paroquial e-mail Redação Articulistas Diagramação Impressão Tiragem

Pe. Sérgio Henrique Gonçalves Av. das Flores, 885 - Bom Jardim Ipatinga - MG (31) 3826-5213 / 3825-7195 / Celular (31) 98699-0212 (OI) (31) 3821-7628 pqsaogeraldo@yahoo.com.br PASCOM Meirevone, Patrícia, Vilton, Gislene, Conceição Toledo, Gilma, Cida Lima, Deusdi Ferreira, Algemiro, Estaylon Bandeira, Cleiton, Pe. Sérgio e Pe. Hideraldo Gráfica Diocesana (31) 3831-1098 Gráfica Diocesana (31) 3831-1098 2.500 unidades

Confira as reportagens completas e fotos no site e no facebook da Paróquia São Geraldo www.paroquiasaogeraldo.com.br | Facebook: Paróquia São Geraldo

MARÇO 2017

16h00 às 17h30 – S. Antônio – Reunião com os Membros da Pastoral do Carcerária Paroquial – Pe. Hideraldo 18h00 N. S. Aparecida – Missa – Pe. Sérgio 18h00 Atos dos Apóstolos – Missa de Abertura da Catequese – Pe. Hideraldo 19h30 N. S. das Graças – Missa de Abertura da Catequese – Pe. Hideraldo 19h30 Matriz S. Geraldo – Missa de Abertura da Catequese – Pe. Sérgio 7 DE MARÇO – TERÇA-FEIRA Recanto das Mangueiras – Formação do Clero Diocesano 19h30 Centro Pastoral João Paulo II – Reunião com a EPAP – Pe. Hideraldo 19h30 N. S. das Graças – Missa e Bênçãos – Pe. Sérgio 8 DE MARÇO – QUARTA-FEIRA Recanto das Mangueiras – Formação do Clero Diocesano 19h30 Centro Pastoral João Paulo II – Reunião com os Membros da Pastoral Da Saúde – Pe. Sérgio 19h30 Centro Pastoral João Paulo II – CEAP (Comissão Financeira) Pe. Hideraldo e Equipe 9 DE MARÇO – QUINTA-FEIRA 17h00 Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento Pastoral – Pe. Hideraldo 19h30 Atos dos Apóstolos – Reunião com os Conselheiros do Pároco (Francisco, Consola Vieira, Cleiton e Conceição Toledo) 19h30 Matriz S. Geraldo – Missa e Bênçãos e 1º Dia do Tríduo de instituição da Paróquia – Pe. Sérgio 10 DE MARÇO – SEXTA-FEIRA 09h00 às 11h30 e 15h00 às 18h30 – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento Pe. Hideraldo 16h00 Visita aos Doentes – Pe. Sérgio 19h30 Centro Pastoral JPII – Reunião com os Coordenadores da Pastoral do Dízimo Paroquial e das Comunidades – Pe. Hideraldo 19h30 N. S. das Graças – Missa dos Grupos de Reflexão e 2º Dia do Tríduo de instituição da Paróquia – Pe. Sérgio 11 DE MARÇO – SÁBADO 14h00 às 17h00 – Sagrada Família – Laboratório Paroquial de Fotografias – PASCOM 15h30 às 17h30 – Centro Pastoral João Paulo II – Reunião com os Coordenadores PJ, dos Grupos de Jovens, Juventude Missionário, Juventude da SSVP e outros segmentos Juvenis e mais 3 Jovens de cada segmento – Pe. Hideraldo 16h00 N. S. das Graças – Reunião com os Coordenadores e Articulistas dos Grupos de Reflexão – Pe. Sérgio 18h00 Maria de Nazaré – Missa – Pe. Hideraldo 19h00 Atos dos Apóstolos – Casamento de Nedson e Íris Carla – Pe. Sérgio 19h30 S. Antônio – Missa e 3º Dia do Tríduo de instituição da Paróquia – Pe. Hideraldo 12 DE MARÇO – DOMINGO 07h00 Matriz S. Geraldo – Missa – Pe. Hideraldo 07h00 N. S. das Graças – Missa – Pe. Sérgio 08h00 às 11h30 – Setor S. Geraldo – Centro Pastoral João Paulo II e Setor S. Lucas – Atos dos apóstolos – Encontro de Formação para Pais e Filhos – IAM e COMIPA 08h30 N. S. Aparecida – Missa – Pe. Efraim 10h00 Matriz S. Geraldo – Batizados – Pe. Hideraldo 19h30 Matriz S. Geraldo – Missa e 13º Aniversário de Instituição da Paróquia – Pe. Sérgio 14 DE MARÇO – TERÇA-FEIRA 09h00 às 11h30 e 15h00 às 18h30 – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento – Pe. Sérgio 19h30 Atos dos Apóstolos – Missa e Bênçãos – Pe. Sérgio 15 DE MARÇO – QUARTA-FEIRA 09h30 Visita aos Doentes – Pe. Sérgio 17h00 às 18h30 – Atos dos Apóstolos – Atendimento – Pe. Sérgio 19h30 S. José – Missa do 1º Dia do Tríduo – Pe. Sérgio 16 DE MARÇO – QUINTA-FEIRA 19h30 S. José – Celebração do 2º Dia do Tríduo – D. Odilon


5

Anúncio

MARÇO 2017

em ação

18h00 18h00 19h30 19h30

19h30 Matriz S. Geraldo – Missa e Bênçãos – Pe. Sérgio 17 DE MARÇO – SEXTA-FEIRA 09h00 Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento Pastoral – Pe. Sérgio 16h00 Visita aos Doentes – Pe. Sérgio 19h30 S. José – Missa do 3º Dia do Tríduo – Pe. Sérgio 18 DE MARÇO – SÁBADO 09h00 às 20h00 – C3 (Caçula/Iguaçu) – Retiro Paroquial dos Catequizandos da 9ª Etapa EPAC e Sem. Rafael 18h00 S. Francisco – Missa – Pe. Sérgio 18h00 S. João Batista – Celebração – Sem. Rafael 19h00 S. Geraldo – Casamento de Romário e Taynara – Ministros 19h30 S. José – Missa da Festa do Padroeiro – Pe. Sérgio 19 DE MARÇO – DOMINGO 07h00 Matriz S. Geraldo – Pe. Sérgio 07h00 S. José – Missa da Festa de S. José – Pe. Efraim 08h00 às 12h00 – Centro Pastoral João Paulo II Curso para Padrinhos de Crisma – EPAC 08h30 S. Antônio – Missa – Pe. Sérgio 08h30 às 11h30 – Atos dos Apóstolos – Formação para Acólitos – Sem. Rafael 18h00 Atos dos Apóstolos – Missa – Pe. Sérgio 19h30 Matriz S. Geraldo – Missa – Pe. Sérgio 21 DE MARÇO – TERÇA-FEIRA 09h às 11h30 e 15h00 às 18h30 – Centro Pastoral João Paulo II Atendimento – Pe. Sérgio 19h30 N. S. das Graças – Missa e Bênçãos – Pe. Sérgio

Maria de Nazaré – Missa – Pe. Sérgio S. João Batista – Missa – Pe. Hideraldo S. Antônio – Missa – Pe. Hideraldo S. Família – Missa – Pe. Sérgio

26 DE MARÇO – DOMINGO 07h00 Matriz S. Geraldo – Missa – Pe. Hideraldo 07h00 N. S. das Graças – Missa – Pe. Sérgio 07h00 S. José – Celebração – Sem. Rafael 08h30 S. Família – Missa – Pe. Efraim 08h30 Atos dos Apóstolos – Missa – Pe. Sérgio 08h30 N. S. Aparecida – Celebração – Sem. Ivan 08h00 às 16h00 – Centro Pastoral João Paulo II – Formação com Equipe de Liturgia, Ministros e Coordenadores dos Coroinhas e do Ministério de Música do Setor S. Geraldo (Maria de Nazaré, N. S. Aparecida, S. Família, S. José, S. Sebastião e S. Geraldo) – Pe. Hideraldo, Sem. Rafael e Sem. Ivan 08h00 às 16h00 – UDCBJ/Centro Comunitário – Encontro Paroquial para Agentes da Pastoral da Saúde – Coord. da Pastoral da Saúde 10h00 Atos dos Apóstolos – Batizados – Pe. Sérgio 18h00 N. S. Aparecida – Missa – Pe. Sérgio 18h00 Atos dos Apóstolos – Missa – Pe. Hideraldo 19h30 N. S. das Graças – Missa – Pe. Hideraldo 19h30 Matriz S. Geraldo – Missa – Pe. Sérgio 28 DE MARÇO – TERÇA-FEIRA 09h00 às 11h30 e 15h00 às 18h30 – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento – Pe. Sérgio 19h30 Centro Pastoral João Paulo II – Reunião com os Coordenadores e membros da RCC – Pe. Sérgio 19h30 Atos dos Apóstolos – Missa e Bênçãos – Pe. Hideraldo

22 DE MARÇO - QUARTA-FEIRA 09h30 Visita aos Doentes – Pe. Sérgio 17h00 às 19h00 – S. Antônio – Atendimento – Pe. Sérgio 19h30 às 21h00 – Atos dos Apóstolos - Pastoral Familiar Grupão “Amoris Laetitia – à luz da Palavra – Pe. Sérgio 23 DE MARÇO – QUINTA-FEIRA 17h00 Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento Pastoral – Pe. Hideraldo 19h30 S. Família – Reunião com os Membros da PASCOM Paroquial e das Comunidades – Pe. Hideraldo 19h30 Matriz S. Geraldo – Missa e Bênçãos – Pe. Sérgio 24 DE MARÇO – SEXTA-FEIRA 24 Horas para o Senhor 09h00 às 11h30 e 15h00 às 18h00 – Centro Pastoral João Paulo II Atendimento – Pe. Hideraldo 16h00 Visita aos Doentes – Pe. Sérgio 25 DE MARÇO – SÁBADO 24 Horas para o Senhor 14h00 às 17h00 – Igreja N. S. das Graças – Formação para Coroinhas e Acólitos do Setor S. Lucas (S. Antônio, S. Francisco, S. João Batista, N. S. das Graças e Atos dos Apóstolos) – Semana Santa – Sem. Rafael 14h00 às 17h00 – Atos dos Apóstolos – Formação para Ministros da Eucaristia e da Palavra do Setor S. Lucas (S. Antônio, S. Francisco, S. João Batista, N. S. das Graças e Atos dos Apóstolos) – Semana Santa – Sem. Ivan

29 DE MARÇO – QUARTA-FEIRA 09h30 Visita aos Doentes – Pe. Sérgio 17h00 às 19h00 – N. S. das Graças – Atendimento – Pe. Sérgio 17h00 Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento Pastoral – Pe. Hideraldo 19h30 Atos dos Apóstolos – Grupão: " A realidade e os desafios das famílias " – Pastoral Familiar 30 DE MARÇO – QUINTA-FEIRA 15h00 às 18h30 – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento – Pe. Hideraldo 19h30 Centro Pastoral João Paulo II – Reunião com os Coordenadores e membros da Pastoral da Pessoa Idosa – Pe. Sérgio 19h30 Matriz S. Geraldo – Missa e Bênçãos – Pe. Hideraldo 31 DE MARÇO – SEXTA-FEIRA 09h00 às 11h30 e 15h00 às 18h00 – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento – Pe. Hideraldo 09h00 Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento Pastoral – Pe. Sérgio 16h00 Visita aos Doentes – Pe. Sérgio 19h00 Centro Pastoral João Paulo II – Conselho Pastoral Paroquial (CPP)

Alguém das comunidades onde o Pe. Efraim celebra, deve buscá-lo, meia hora antes da missa, em sua residência (R. José do Patrocínio, 201 – Cidade Nobre) - Telefone Pe. Efraim: 3821-8735

ABERTURA DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2017 REGIONAL III

Local: Paróquia N. S. Aparecida – Iguaçu Organize, em sua Comunidade, uma Caravana para que possa marcar presença neste encontro Regional.

05/03 Domingo A partir das 8h30


6

Anúncio

MARÇO 2017

em ação

ÁGUAS PARA A VIDA! NÃO PARA A MORTE! ÁGUA E ENERGIA NÃO SÃO MERCADORIAS! Esse é o grito que ecoa nas manifestações do Movimento dos Atingidos por Barragens. O MAB é um movimento de organização popular brasileiro, que surgiu a partir do fim da década de 1970. Tem o objetivo de organizar os atingidos pela construção de barragens para a defesa de seus direitos. Anúncio: O que é o dia 14 de março para o MAB e de onde surgiu essa data? Camila: 14 de março é o Dia Internacional de Lutas Contra as Barragens, pelos Rios, pela Água e pela vida. Essa data, definida em 1997, durante o 1º Encontro Internacional dos Atingidos por Barragens, é marcada, desde então, pela denúncia dos atingidos por barragens no mundo às graves violações dos direitos sociais, econômicos, culturais e ambientais causadas pelo setor elétrico. Anúncio: Por que o MAB luta contra as barragens? Camila: Todos os anos, no mês de março, o MAB realiza uma agenda de atividades. Então, nós, latinoamericanos, dos Movimentos de Atingidos por Barragens e aliados, convocamos e animamos as organizações, pastorais, redes, ativistas e movimentos sociais a se somarem nas mobilizações que marcam o Dia Internacional de Lutas Contra as Barragens, pelos Rios, pela Água e pela vida, na semana de lutas do 14 de março, em todo o Brasil. A disputa pela apropriação privada sobre os bens naturais como a água e a energia tem se tornado cada vez maior, em detrimento da natureza e da vida, no mundo inteiro. Anúncio: Assistimos em 2015 ao rompimento da barragem de rejeitos de Fundão, em Mariana. Como está a situação dos atingidos?

Camila: O crime da Samarco (Vale/BHP) e a não garantia dos direitos de atingidos e atingidas de toda a Bacia do Rio Doce, também, serão denunciados na semana de lutas. Ainda existem atingidos não reconhecidos, que lutam diariamente por água, trabalho e respeito. O que tem sido feito não caminha para retomar as condições de vida dignas da população, mas sim, criar uma relação de dependência e medo das empresas responsáveis por esse crime. Anúncio: Essa luta frente a empresas tão poderosas não desanima? Camila: De maneira alguma. Mais do que nunca, devemos nos manter firmes e organizados para dar continuidade na luta local, nacional e internacional. Nosso compromisso é de nos organizarmos e de nos inserirmos nas lutas contra as empresas transnacionais que se apropriam de nossa riqueza e dos direitos dos trabalhadores, na defesa dos rios, da água e da vida. Anúncio: O MAB é radicalmente contra qualquer tipo de barragens? Camila: Nossa luta é permanente em defesa dos nossos direitos e para a construção de um modelo energético e de gestão d'água popular, que respeite e garanta os direitos das populações e da natureza. O MAB avançou na sua leitura sobre o setor elétrico brasileiro e hoje entendemos que o problema não está na construção de barragem em si, mas em quem é dono da barragem. Nossa luta é para que a energia seja para benefício do povo, garantindo soberania e não pode ficar nas mãos de empresas, que só exploram. Anúncio: Então, a luta do MAB não é somente pelos atingidos e atingidas que tiveram suas terras alagadas?

Camila: A nossa luta é pelo projeto energético popular, garantindo que a água e a energia sejam para soberania, que distribua toda a riqueza e que o povo tenha controle. Portanto, a luta é de todo o povo, que também é afetado mensalmente pelas altas tarifas da energia, pela privatização da água e pela retirada de direitos dos trabalhadores e trabalhadoras. Reforçamos, portanto, a importância da unidade na luta entre os povos e as diversas organizações, fortalecendo o internacionalismo contra o projeto do capital. Anúncio: A Campanha da Fraternidade deste ano tem como tema Biomas Brasileiros e Defesa da Vida. Lideranças da Paróquia São Geraldo, durante o estudo do tema, debateram a necessidade de colaborar com a luta dos atingidos através do MAB. Como poderia ser isso? Camila: Acredito que tanto a paróquia São Geraldo como outras paróquias poderiam contribuir para fortalecer a nossa luta. Quanto mais as ideias do povo atingido chegarem à população, melhor. É preciso ampliar a voz dos atingidos. Mas não é só isso, todo apoio às lutas que travamos, as várias atividades que construímos, estudos coletivos podem ser feitos de forma unificada. Quanto mais próximo o MAB estiver de quem se interessa pelo tema, mais avançamos na defesa do meio ambiente e dos direitos das populações atingidas. Espero que essa parceria se consolide no próximo período, e que a Campanha da Fraternidade sirva para sensibilizar mais pessoas e atraí-las para a nossa luta. Cida Lima – Comunidade Sagrada Família

INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA MISSIONÁRIAS – I.A.M. Aconteceu no Centro Pastoral João Paulo II, o primeiro encontro de formação para novos assessores da IAM (Infância e Adolescência Missionárias) da paróquia São Geraldo Magela. De forma dinâmica, o coordenador paroquial dos assessores da IAM Carlos Nascimento, da comunidade Nossa Senhora Aparecida iniciou o encontro, fazendo um breve relato da história da IAM, em seguida destacou como devem acontecer os encontros nas comunidades e qual o papel do assessor junto aos grupos. Além de vários novos assessores das comunidades da nossa paróquia, estiveram presentes neste encontro coordenadores e assessores da IAM da paróquia Cristo Libertador. SOBRE A I.A.M. A Pontifícia Obra da Infância Missionária foi fundada em 19 de maio 1843, por Dom Carlos Forbin Janson, Bispo de Nancy,

França. A motivação principal para a sua fundação foram as cartas e notícias que missionários, principalmente da China, escreviam ao bispo, contando a realidade triste e dura das crianças dos países de missão: doenças, mortalidade, analfabetismo, abandono. Diante desses problemas, Dom Carlos teve a ideia de empenhar as próprias crianças da França na solução dos problemas na China. Foi assim que, ajudado pela jovem Paulina Jaricot, fundou a Obra da “Santa Infância”, chamada, mais tarde, de Infância Missionária. Esta Obra deveria suscitar o espírito missionário universal nas crianças e adolescentes, desenvolvendo seu protagonismo na solidariedade. O lema do fundador expressa claramente o espírito que caracteriza a Infância Missionária: Ajudar as crianças por meio das crianças. A Obra Pontifícia da Infância Missionária conseguiu um grande desenvolvimento e uma grande expansão. Hoje, está presente em 110 países dos cinco continentes e sua ação beneficia

milhões de crianças. No Brasil, a Infância Missionária chegou em 1858. Atualmente, a IAM se encontra organizada na maioria das dioceses do país. “De todas as crianças e adolescentes do mundo... Sempre amigos!” Cleiton Marcos – Comunidade Atos dos Apóstolos Fonte: POM (Pontifícias Obras Missionárias)


em ação

PARABÉNS AOS DIZIMISTAS ANIVERSARIANTES DE MARÇO: 01/03 01/03 01/03 01/03 01/03 01/03 01/03 01/03 01/03 01/03 01/03 01/03 02/03 02/03 02/03 02/03 02/03 02/03 02/03 02/03 02/03 02/03 02/03 02/03 02/03 03/03 03/03 03/03 03/03 03/03 03/03 03/03 03/03 03/03 03/03 03/03 03/03 03/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 04/03 05/03 05/03 05/03 05/03 05/03 06/03 06/03 06/03 06/03 06/03 06/03

Maria das Graças Leite Maria de Fátima Paranhos dos Santos Graciela Santos Joana F. de Oliveira Dalva Rosa Lima Gomes Maira Aparecida dos Passos Maria da Conceição Soares G.Martins Aline Miranda de Barcelos Samara Cristina Barbosa dos Santos Ednéia Pereira da Amorim Martins Adriano F. Vital Thalia Alcântara Cruz João Martins Felisberto José Itamar da Silva Marli Teixeira de Souza Jussara de Castro Monteiro Marly Teixeira de Souza Maria de Fátima Luiz de Carvalho Silva Lilian de Azevedo de Souza Érika Avelino Ramos Clélia de Souza Santiago Angélica Marcelina Fernandes Gustavo Keven Miranda Simão Borges Lucas Sena Santos Luana de Paula Sobrinho Gustavo Luciano de Oliveira Castro Zely Maria Ferreira Souza Anunciada Maria Mafra Adão Marinho Ferreira Simone das Graças Amorim Oliveira Carlos Alberto Costa Cardoso Maria Venância da Silva Afonso Linhares Zilda Daniel de Souza Cleonice Mendes Medeiros Souza Cláudia Aparecida Pereira Sales Elizângela de Freitas Assis Maria de Fátima Souza Arcísio Duque Carvalho Maria de Fátima Ramos Messias Ramos João de Morais Elizabeth Aparecida Silva Luzia Ferreira da Silva Luis Henrique Alves Maurílio Alves Silva Hemerson Olímpio Martins Ana Paula Procópio Maduro Ilma Maria M.Néria Neuzelina Santos Reis Raimundo Romualdo da Silva Maxsuel Henrique de Souza Virgilina Pinheiro Lopes Maria das Graças Bitarães Cláudia Silva Alvernaz Gisele Souza Leite Horácio José Carvalho da Silva Maria Carvalho de Freitas Larissa Somora de Souza Felipe Moraes de Castro Padovanni Lucilene M. de Andrade Evangelista Athos Fernandes dos Santos Mario Pereira Amorim Elaine Cristina Dias Breder Osvaldo Martins de Souza Geni Alves Silva Geany Carla Barros de Alvarenga Alminda Guiomar Cruz José Alves Filho Elmínia Ferreira Erci de Almeida de Jesus Ramos Marlene Fielder B. Souza Marisa Almeida Botelho de Souza

7

Anúncio

MARÇO 2017

06/03 06/03 06/03 06/03 06/03 06/03 07/03 07/03 07/03 07/03 07/03 07/03 07/03 07/03 07/03 07/03 07/03 07/03 07/03 07/03 07/03 07/03 07/03 07/03 08/03 08/03 08/03 08/03 08/03 08/03 08/03 08/03 08/03 08/03 08/03 08/03 08/03 08/03 08/03 08/03 09/03 09/03 09/03 09/03 09/03 09/03 09/03 09/03 09/03 09/03 09/03 09/03 10/03 10/03 10/03 10/03 10/03 10/03 10/03 10/03 10/03 10/03 10/03 11/03 11/03 11/03 11/03 11/03 11/03 11/03 11/03 11/03

Elaine das Graças Fernandes Maria José Kfuri Pereira João Vicente Neto DigioBarrozo da Silva Pedro Rodrigues Ferreira Raquel de Souza Fernandes Instituição da Paróquia São Geraldo José Geraldo Nunes Ferreira Renato Lianirio Vidal Glaucia Maria Maximiano Souza Vanilda Correia Soares Alice Pereira Santos Portuense Efigênia Maria de Freitas Araújo Judith Maria Vieira Armond Maria Elias da Silva Jaci Alves de Oliveira Wanderlucia Dias Lourenço Souza Jaqueline Ferreira Laviola Narde Maria Piedade N. Ferreira Maria da Piedade Nascimento Ferreira Joicymara Coelho Correia Maria Auxiliadora Cruz Mihara Elaine Aparecida Clozato Ana Paula da Silva Pinheiro Lopes Samuel Dunga O. Nunes Bernardes Elaine Nogueira de Sá Gilberto Júnior de Assis Reis Paulo Fernando Miranda Júnior Maria Nilza de Magalhães Neubaner Naulira Irene Correia Letícia Reis de Castro Toledo Alessandro Correa Soares Maria Augusta do Nascimento Oliveira Omar Eugênio Pires Eliane Elias de Lima Silva Amélia Carolina Silva Souza Márcia Aparecida Carneiro Santana Antônio Peixoto José Pascoal Filho Lucinda Rosa dos Anjos Neto Matheus Jose da Silva Fernanda Almeida da Silva Guilherme da Silva Xavier Marcelina Santos Ferreira Josiane Martins de Lima Sudário Maria José Mozer César Gabriel Rosa Marineuza Alves da Costa Lintsey Sousa Batista Duarte Sídia Késia Carvalho Cláudio José Brás Maria da Conceição Luna Aurineide Miguel da Silva Eunice Ganda Alana do Carmo Rodrigues Maria de Lourdes da Silva Roberta Andrade da Silva Adão Gonçalves Dias Maria de Lourdes da Silva Souza Júlia Alves Gusmão Jéssica Aparecida J. Moura Sérgio Pinho Sodré Maxsuellen Penna Torres Marta do Nascimento Lucas Maria de Fátima Coelho Aparecida Carreiro Silva José Gregório da Silva Márcio Cândido Bicalho Marques Rosa de Souza Maria Aparecida Vitor Thainá Costa Henrique Bruna do Carmo Lopes

11/03 11/03 11/03 11/03 11/03 11/03 12/03 12/03 12/03 12/03 12/03 12/03 12/03 12/03 12/03 12/03 13/03 13/03 13/03 13/03 13/03 13/03 13/03 13/03 13/03 14/03 14/03 14/03 14/03 14/03 14/03 14/03 14/03 15/03 15/03 15/03 15/03 15/03 15/03 15/03 15/03 16/03 16/03 16/03 16/03 16/03 16/03 16/03 16/03 16/03 16/03 16/03 16/03 17/03 17/03 17/03 17/03 17/03 17/03 17/03 17/03 17/03 17/03 17/03 18/03 18/03 18/03 18/03 18/03 18/03 18/03 18/03 18/03 18/03 18/03 18/03 19/03 19/03 19/03 19/03 19/03 19/03 19/03 20/03 20/03 20/03 20/03 20/03 20/03 20/03 20/03 20/03 20/03

Lídia de Oliveira Damaris Paula Martins da Silva Luciene Abreu Silvia Souza França Alexsandria Silva dos Reis Benevides Luiz Henrique Soares Toledo Jorge Ferreira Neto Catarina Maria da Silva Andrade Maria de Fátima Castro Abreu Regina Célia Gonçalves Sebastião Sobrinho Andrade Maria da Consolação F. Gomes Oto Soares Cotta Emerson Oliveira Costa Janes do Nascimento Geraldo Martins Gomes Maria Aparecida Assunção Marlene Barreto Oliveira Nepomuceno Wanderson Fernandes dos Santos Nayane Felício dos Santos Renato Dias Gonçalves Jones do Nascimento Carlos Alexandre Martins Marciel José Rodrigues de Paula Maria da Conceição Pereira Batista Pedro Nunes Rodrigues Jorge Soares da Silva Ana Cláudia Coelho Soares Leandro Luiz b. Thimóteo Telma Aparecida Moraes C. Azevedo Jéssica Pires Marinho Sandra Darene de Abreu Victor Martins de Sá Marli Iris dos Santos Silvia Marques Vicente Madalena Marlene Vindilino Silva Derocy Vicente Ferreira Maria das Dores Calixto Rodrigues Alonson Lima Trevenzoli Linamar Amaro Souza Maria das Dores C. Rodrigues Narciza Bertoldo Machado Iolanda Magalhães Luz Faria Neuza Duarte Nunes Amanda Fernandes de Souza Cleidimar Aparecida Parreira Alves Carlota Maria Miranda Dolores Pereira de Oliveira Geraldo Honorato Satil Luzia Igída Vieira Simone Carvalho Castro Silva Alcelina Vidal Rodrigues Willian da Silva Martins Adelaide dos Santos Firmino (Tia Dê) Hermundes Souza Flores de Mendonça DarleiaAngela de Paula Silva Maeli de Souza Silva Maria Luiza Fontes e Souza Márcia Lúcia Silva Oliveira Helton Patricio da Silva Eduarda Moreira de Almeida José Alexandre Aquino Geraldo Rodrigues da Cruz Júnia Maria Gonçalves Cláudia Braz de Souza Jessica da Cruz Batista Márcio Ernane Paiva Maria Aparecida Souza José Moreira Gomes Warley José V. Coelho Divino Cordeiro de Miranda Amanda Anício Leite Quenupi de Paula Benedita Amada Costa JusceleneSimoncelos da Silva Bruna Alves Duarte Daniel Oliveira Barreto Sebastiana Souza D. Silva (Taninha) Juarez Perpétuo Passos Marieta José de Souza e Silva Maria Helena Ribeiro Caetano José Pacheco de Faria Ana Fernandes Dias Maria José Baia da Costa Miranda Mariana dos Santos Ferreira Ivanildes Maria Souza Lage Inalbes Pereira Alves (Nazinha) Reginaldo do Carmo Ferreira Luana Perpetua Silva Marcília Ferreira de Brito Jarbas Teotônio Pereira Diego Albert da Silva Carmelita Valero das Chagas Taiane de Oliveira Cota

20/03 20/03 21/03 21/03 22/03 22/03 22/03 22/03 22/03 22/03 23/03 23/03 23/03 23/03 23/03 23/03 23/03 23/03 23/03 23/03 23/03 23/03 23/03 23/03 24/03 24/03 24/03 24/03 24/03 24/03 24/03 24/03 24/03 24/03 24/03 25/03 25/03 25/03 25/03 25/03 25/03 25/03 26/03 26/03 26/03 26/03 26/03 26/03 27/03 27/03 27/03 27/03 27/03 27/03 27/03 28/03 28/03 28/03 28/03 28/03 28/03 28/03 28/03 28/03 28/03 28/03 28/03 28/03 29/03 29/03 30/03 30/03 30/03 30/03 30/03 30/03 30/03 30/03 30/03 30/03 30/03 30/03 31/03 31/03 31/03 31/03 31/03 31/03 31/03 31/03 31/03

Israel Pereira Pavão Madalena dos Santos Pavão Maria Lídia Gomes Neide Ramos Malta Clinger Cleyton Pinto Kessia de Souza Amaro Gilsa de Souza Dutra Morais Vinícius Barreto Nepomuceno Íris de Fátima Lopes Amaílton Alves Benevides de Almeida Marcos José Magalhães Natália Duarte Amaral Marlene de Paula Emanuel Fonseca Barboza Santos Wilker Mendes Camargo Marina Aparecida S. Pereira Ana Célia de Melo Sebastião Rodrigues da Costa Maria das Graças Pereira Maria Brandão Castro Paulo César Santos Terezinha Firmino Sebastião Rodrigues da Costa Elio Márcio Henrique Rocha Júnior Daniela Duarte Galvão Alves de Lima Dirce Cândida Duarte Marina Damasceno Arlindo Pereira Caetano Henrique Marques Vieira Antônio C. Pinto Antônio Vanderlei Silva Eliete Alves de Souza Anastácio João Carlos Ferreira Marina Damasceno Neide Batista Martins Bernardina Maria Mendes Manoel Alves M. da Silva Marilene Pereira Mendes Maria Gonçalves Viana Alcelina Luíza M. Ferreira Regiane de Jesus G. Barbosa Iris da Cruz Fonseca Maria Ulisses Gomes dos Reis Barbosa José Lidio Maria do Perpetuo Socorro Nair Maria da Silveira Samara Balbino Martins José Garcia de Souza Luzia Medeiros Lana Lázaro Alexandre de Souza Maria das Neves Pires Rocha Lima Ronilda Aparecida Alves do Amaral Expedita Gonçalves Souza Rilza Martins Rodrigues Mauricio Oliveira Cabral João Marcos Pereira Barbosa Adilson Ferreira Maria de Fátima de Assis Pedro Henrique Silva Gomes Dieimison Robert Silva de Assis Fabrício Nogueira de Aquino José Hermano Moreira Rogério Silva Carvalho ThaylonKawilyn Paranhos Caetano Leonardo Valadares de Faria Maria Costa Raimundo Márcia Aparecida Pereira Diego Marcos Silva Neusa Maria do Rego Gonçalves Mayra Gabriely Gomes Oliveira Joaquim Quirino Silva Maurílio Lopes da Neiva (Timôra) Letícia de Sena Menezes Saturnina Maria de Fátima Ferreira Agenor Nunes Pinheiro José Balbino Nunes Vinicius Perpetuo Silva Érica Teixeira Souza Lisandra Cristina Oliveira Souza Rômulo Ferreira de Souza Romildo Corrêa de Oliveira José Afonso Miguel Maria Izabel Alvim Lucilayne Aparecida de Souza Rita de Cássia N.Martins Antônia Garcia Paula Adão Manoel de Almeida Maria Glória Rhein de Morais Maria Balbina da Silva Robson Santos Bartolomeu Luciane Silva de Paula Soares


8

Anúncio

MARÇO 2017

em ação

INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ – POR QUÊ?

“Tarde te amei, ó beleza tão antiga e tão nova! Tarde demais eu te amei! Tu estavas dentro de mim e eu te buscava fora de mim!(...) Brilhaste e resplandeceste diante de mim, e expulsaste dos meus olhos a cegueira. Exalaste o teu Espírito e aspirei o teu perfume, e desejei-te. Saboreei-te, e agora tenho fome e sede de ti. Tocaste-me, e abrasei-me na tua paz.” (Santo Agostinho, confissões X, 27,38) Santo Agostinho relata, em seu livro Confissões, que “tarde te amei, Beleza tão antiga e tão nova, tarde te amei”. Muitos, sem saber, estão em busca dessa beleza. Santo Agostinho descobriu tarde a sedução da pessoa e da proposta de Jesus de Nazaré. Mas, talvez, isso tenha contribuído, de certo modo, para a entrega mais intensa, com o conhecimento de causa e com a consciência do vazio deixado por tantas outras buscas. Essa procura por Deus está em todos nós. Muitos são os que andam inquietos pelo mundo, descontentes com propostas que ainda não conquistaram sua mente e seu coração. O ser humano vive à procura de respostas sobre a vida e, no fundo, sobre si mesmo. E estas perguntas continuam no coração do homem e da mulher que querem saber quem são, porque estão neste mundo, que sentido têm as escolhas que a vida exige de nós. Na abertura da carta Fides et Roatio, João Paulo II se refere a essa necessidade, que pertence a nossa própria natureza: “a fé e a razão constituem como que as duas asas pelas quais o espírito humano se eleva para a contemplação da verdade”. O Catecismo da Igreja Católica afirma que “o homem é capaz de Deus”: “o desejo de Deus está inscrito no coração do homem... e Deus não cessa de atrair o

homem a si, e somente em Deus o homem há de encontrar a verdade e a felicidade que não cessa de procurar” (n 27). Quem chega à idade adulta com essas indagações precisa de mais do que uma síntese doutrinal. O adulto cheio de perguntas quer descobrir sentido na vida, nos seus relacionamentos no mistério de Deus. Para isso, vai ser necessário um verdadeiro mergulho no mistério, com uma experiência cada vez mais profunda das diversas dimensões da vida cristã. Isso não se faz num “cursinho” rápido e nem mesmo numa catequese isolada de outros aspectos da vida eclesial. Jesus evangelizou os adultos e abençoou as crianças. Nós, muitas vezes, fazemos o contrário. As crianças têm todo o direito de viver a experiência do amor de Deus. Mas são os adultos que vão descobrindo o querem e que, sem saber, seu coração sempre buscou. Uma Igreja em estado permanente de missão tem que responder a essa necessidade. Há muitos séculos, Tertuliano já dizia que “Os cristãos se fazem, não nascem”. Para “tornar-se” algo novo é preciso passar por um processo de iniciação que envolve mais do que conhecer ideias. A pessoa nova que vai emergir como seguidora de um caminho se compromete com seu conhecimento, suas emoções, suas opções de vida, suas escolhas de cada momento. Diz o Documento de Aparecida, citando palavras do papa Bento XVI:“... Não se começa a ser cristão por uma decisão ética ou uma grande ideia, mas pelo encontro com um acontecimento, com uma pessoa, que dá novo

horizonte à vida e, com isso, uma orientação decisiva” (DAp, n 12). Tudo começa com uma busca (cf. Jo 1,38) “que procurais?” pergunta Jesus. E isso gera um encontro (cf. Jo 1,38-39): “onde moras?” dizem eles. No fundo estão perguntando: “como te conheceremos melhor?” E aí Jesus responde: “Vinde e vede”. Depois disso produz uma conversão: eles vão, veem e decidem segui-lo. Assim, o processo vai produzindo comunhão: permanecem com ele (c.f Jo 1,39), acompanham seu caminho, compartilham até seu poder de expulsar o mal e curar (cf. Mt 10,1). Ser cristão exige o compromisso com a missão em geral, com a transformação da sociedade, com a leitura orante da Bíblia, com o diálogo ecumênico e inter-religioso, com a promoção das diferentes vocações que, em seu conjunto, permitem uma ação mais ampla na proclamação e vivência do evangelho. Isto tem sido feito, por exemplo, nas Comunidade Eclesiais de Base, que são espaços de convivência, compromisso e educação da fé e desenvolvem um jeito de ser Igreja, que é uma verdadeira iniciação cristã. O Documento de Aparecida lembra que elas “Têm sido escolas que têm ajudado a formar cristãos comprometidos com sua fé e missionários do Senhor...” (DAp, n.291). Fonte de consulta: Estudos da CNBB 97 Iniciação à Vida Cristã – Um processo de Inspiração Catecumenal Conceição Soares Toledo e Gilma Neubaner Catequese Paroquial

viver saudável

FANTA NATURAL Ingredientes: 4 cenouras grandes Casca de meia laranja

1 copo de suco de limão 1 e 1/2 copo de açúcar

Modo de preparar: Bater as cenouras no liquidificador; bem batidas; Espremer o limão e coar; Bater também a casca de laranja; o açúcar e o caldo de limão; Passar na peneira bem fina; colocar na garrafa pet; acabar de encher a garrafa com água filtrada; Colocar para gelar e beber.

MATRIZ SÃO GERALDO Av. das Flores, 885 - Bom Jardim Igreja aberta

Segunda a sábado: 07h00 às 21h30 Domingo: 6h às 10h30 / 18h00 às 21h30

COMUNIDADE SANTO ANTÔNIO Rua Orlando Silva, 595 – Ideal

COMUNIDADE NOSSA SRA. DAS GRAÇAS Rua Centáurea, 15 - Esperança

COMUNIDADE SAGRADA FAMÍLIA Rua Jenipapo, 45 - Bom Jardim

COMUNIDADE MARIA DE NAZARÉ Rua Francisca Constância, 65 - Bom Jardim

COMUNIDADE ATOS DOS APÓSTOLOS Rua Manoel Izídio, 1174 - Ideal

COMUNIDADE SÃO SEBASTIÃO Rua Girassol, 10 - Bom jardim

COMUNIDADE SÃO FRANCISCO DE ASSIS Rua C, 301 - Esperança

COMUNIDADE NOSSA SENHORA APARECIDA Rua Papoula, 530 - Bom Jardim

COMUNIDADE SÃO JOÃO BATISTA Rua Verônica, 115 - Esperança

COMUNIDADE SÃO JOSÉ R. Joaquim Gonçalves Rosa, 1390 - Bom Jardim

Missas

Domingo: 07h00 / 19h30 Quinta-feira: 19h30 1ª Sexta-feira do mês: 19h30

Jornal Anúncio em Ação - Março 2017  
Advertisement