Page 1

DIÁRIO DO AÇO

CIDADES

Quarta-feira, 15 de abril de 2015

Passagem de ônibus sobe para R$ 3 em Ipatinga Reajuste começa a valer no dia 30 de abril; população reclama de mais um aumento IPATINGA – Os usuários do transporte coletivo no município vão pagar R$ 0,25 mais caro no valor da passagem a partir do fim do mês. O reajuste foi autorizado pela administração municipal por meio do Decreto nº 8.015, publicado no Diário Oficial de Ipatinga na segunda-feira (13). Após quase três anos sem reajustes e ouvido o Conselho Municipal de Transporte e Trânsito (CMTT), a Prefeitura de Ipatinga autorizou a correção no valor da passagem, que vai passar de R$ 2,75 para R$ 3. A empresa concessionária, Saritur, havia solicitado que o preço da tarifa fosse reajustado dos atuais R$ 2,75 para R$ 3,59. O novo valor aprovado é válido também na aquisição e recarga de cartão eletrônico. Já a tarifa diferenciada para estudantes vai passar de R$ 2,20 para R$

Bruna Lage

Valor atual de cada viagem no transporte coletivo é de R$ 2,75

2,40. A medida entra em vigor no dia 30 de abril. Em 2013, depois de o governo federal conceder isenções de PIS e Cofins para as empresas concessionárias de transporte coletivo no país, a prefeita Cecília Ferramenta (PT) determinou a redução do valor da passagem de coletivos municipais de Ipatinga, que passou de R$

2,85 para os atuais R$ 2,75. Já no ano passado, com o objetivo de garantir a manutenção do preço e não onerar os usuários, a prefeitura aprovou a Lei nº 3.374/14, desonerando a empresa concessionária em 3% da taxa de gerenciamento operacional e mais 3% do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN).

Neste ano, diante da conjuntura de crise econômica no país, a administração municipal ficou impossibilitada de manter essa desoneração e autorizou a correção, com a finalidade de assegurar o equilíbrio econômico e financeiro do contrato de concessão do serviço de transporte coletivo.

5

Usuários recebem a notícia com indignação Nas ruas, muitos usuários do sistema de transporte ainda não sabiam da mudança no valor da passagem. Ao serem abordados pela reportagem do DIÁRIO DO AÇO para opinar sobre o assunto, a maioria ficou surpresa e indignada com a notícia. Auxiliar de serviços gerais, Irani Ferreira reclamou da alta no valor de itens essenciais que os brasileiros pagam. “Não concordo. Pobre não aguenta pagar passagem, daqui a alguns dias vamos ter que andar só a pé. Gasto muito com passagem. Tem hora que tem que pegar mais de um ônibus. Já está muito difícil e, pelo jeito, vai piorar”, afirmou. A servidora pública Cristiane Neves também lamenta a avalanche de aumentos que o brasileiro enfrenta na hora de quitar suas despesas. “Acho que vai pesar muito para o trabalhador, porque as contas em geral estão aumentando - energia, gasolina, inflação nos alimentos, e agora com ônibus. Mesmo

que seja R$ 0,25, é ida e volta, no fim do mês pesa no orçamento”, salientou. Mesmo com o benefício de utilizar o passe livre, a aposentada Hilda Rodrigues reclamou do reajuste. “Acho um absurdo, porque o salário do povo é uma mixaria. Ida e volta desembolsando R$ 6 é muito dinheiro. Já paguei muito pelo transporte público e sei o quanto ficou para mim. Tenho muita pena dos que pagam”, opinou. O desempregado Nilson Correia Maduro conta que todos na família utilizam transporte público e, no fim do mês, R$ 0,25 a cada viagem vão ter um grande peso. “Passagem tinha que ser pelo menos R$ 1. Ando de ônibus de vez em quando, mas minha mulher e filhos gastam mais, então pesa no orçamento da família”, disse. A vendedora Stephany Cristina Paula reclama que o salário não acompanha tantos aumentos. “Com salário baixo e impostos só aumentando, ninguém aguenta”, comentou.

MG-760 está no planejamento do governo, afirma deputado DA REDAÇÃO - O deputado José Célio Alvarenga, o Celinho do Sinttrocel (PCdoB), recebeu nessa terça-feira (14) informação dando conta que as obras da LMG-760 integram o planejamento do governo estadual para este ano. A informação é do secretário de Estado de Obras Públicas, Murilo Valadares, que recebeu o deputado Celinho e o presidente da Regional Vale do Aço da Fiemg, Luciano Araújo, em audiência na Cidade Administrativa. Celinho relata que o secretário afirmou que a MG760 está no rol das obras que o governador Fernando Pimentel (PT) planejou para este ano, “mas ressalva a questão ambiental que permeou a paralisação dos serviços desde dezembro de 2013”. Atendendo pedido do deputado e do diretor da Fiemg, Murilo Valadares afirmou que vai solicitar ao diretor do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Célio

Dantas, que faça a licitação para a realização do Estudo e Relatório de Impacto Ambiental (EIA-Rima), exigido pelo Ministério Público do Meio Ambiente. Segundo Celinho, o secretário não sabe quanto tempo esse procedimento pode levar e, por isso, sugeriu que se solicite ao Ministério Público que libere preliminarmente a obra em trechos fora da zona de amortecimento do Parque Estadual do Rio Doce. “Ele nos sugeriu e ficou sob a minha responsabilidade e do Luciano Araújo procurar o promotor Leonardo Maia para retomar os entendimentos visando a continuação das obras”, esclarece o deputado, salientando que o secretário reafirmou o interesse do governo estadual em realizar a obra, que já tem contrato assinado e recursos provisionados por meio de financiamento junto ao Banco do Brasil, já aprovado pela Assembleia Legislativa.

MG 760 2  
Advertisement