Issuu on Google+

OUTUBRO •

2012

EDITORIAL

CAMPANHA SALARIAL 2012 Terminada a Campanha Salarial 2012 é hora de fazer uma avaliação para aprendermos com os erros e acertos para que a de 2013 seja ainda melhor. Em termos de acordo, os índices, valores e condições fechados representam um acréscimo de cerca de R$7,6 bilhões na economia do país, sendo que R$2,3 bilhões já foram pagos até agora com a primeira parcela do PLR. O índice de 7,5% nos salários e de 8,5% nos vales alimentação e refeição representam 2% e 2,95% de aumento real respectivamente, representa conquistas maiores do que na campanha de 2011. Porém uma Campanha Salarial dos bancários não é feita apenas de reivindicações salariais. Questões ligadas a saúde e condições de trabalho ganham cada vez mais importância na pauta de reivindicações. E neste ano tivemos conquistas históricas nessas áreas como as inclusões das Cláusulas 45, 46 e 59 na Convenção Coletiva de Trabalho. Pela Cláusula 45 os bancos agora são os responsáveis por requerer o benefício junto ao INSS por afastamentos por mais de 15 dias, a menos que o próprio bancários o faça antes. A Cláusula 46 garante que o empregado receberá a DUT (Declaração do Último dia Trabalhado) até 48 horas antes da perícia. Com essas duas Cláusulas garantimos que etapas importantes no requerimento de auxílio junto ao INSS fiquem esquecidas nas gavetas de gestores. Além disto a Cláusula 59 garante adiantamento salarial ao empregado afastado por doença e que ainda não recebeu o benefício do INSS. Esta é uma conquista histórica mas é importante que os trabalhadores saibam que é preciso fazer o requerimento junto ao banco. É comum acontecer de o bancários

ficar sem benefício e sem salário no caso das altas programadas. MOBILIZAÇÃO Em termos de mobilização neste ano nós tivemos a maior da história do nosso sindicato, chegando a fechar 20 agências, inclusive de bancos privados. Até mesmo algumas agências de bancos privados que nunca haviam fechados as portas, neste ano ficaram paralisadas. Jogamos mais peso na mobilização do Banco Itaú, sabidamente o banco que estava emperrando na mesa de negociações. No entanto, mais uma vez sentimos o problema da “greve de pijama”, que são os bancários que estão paralisados mas não participam das mobilizações para paralisar outras agências. Esse é um fenômeno que ocorre em todas as categorias atualmente e não é diferente com os bancários. É preciso uma maior conscientização por parte da categoria. Durante a Campanha Salarial é o momento em que trabalhamos sim e muito, mas para nós e não para os banqueiros e governo. José Carlos Bragança Presidente


2

OUTUBRO • 2012

CONVENÇÃO COLETIVA DOS BA

A

vitoriosa Campanha Nacional de 2012, que pelo nono ano consecutivo conquistou aumento real de salário, melhorias na PLR e em outras cláusulas econômicas e sociais, celebra uma data histórica: os 20 anos da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) dos Bancários. Assinada pela primeira vez em 1992, a CCT garante aos bancários os mesmos salários e os mesmos direitos em todo o território nacional e em todos os bancos, públicos e privados. "Essa é uma conquista histórica e única no Brasil, uma construção de muitas e muitas gerações de bancários. Fruto da ousadia, da coragem da catego-

ria para a luta, da sua capacidade de organização e da busca permanente da unidade nacional, a Convenção Coletiva é hoje um paradigma para as demais categorias de trabalhadores do país", comemora Carlos Cordeiro, presidente da ContrafCUT. "A s s i n a r a c o n v e n ç ã o coletiva em 1992, embora naquele momento só para bancos privados e estaduais, foi de extrema importância para nossa luta e sobretudo para nossa unidade. Se antigamente havia os acordos coletivos por Estado, no momento em que conseguimos unificar a categoria numa única convenção, isso abriu um novo caminho para as

Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Ipatinga e Região Rua Jacarandá, 612 - Horto - Ipatinga-MG Telefax: (31) 3824-8572 / 3824-8978 www.bancariosipatinga.com.br

PRESIDENTE: José Carlos Bragança

conquistas futuras que tivemos nos últimos períodos", conta Carlos Cordeiro. Com essa unidade nacional e capacidade de mobilização, por exemplo, nos últimos nove anos os bancários conquistaram com paralisações massivas 16,22% de aumento salarial acima da inflação, além de ganho real de 35,57% no piso e melhorias sucessivas na PLR. "A l é m d a s c o n q u i s t a s econômicas, obtivemos com unidade e luta importantes avanços nas cláusulas sobre saúde, condições de trabalho, combate ao assédio moral, segurança bancária e igualdade de oportunidades", acrescenta o presidente da Contraf-CUT. SECRETÁRIO DE IMPRENSA: Laércio Lemos Guimarães PROJETO GRÁFICO, DIAGRAMAÇÃO E IMPRESSÃO: Gráfica Art Publish (31) 3822.6019 TIRAGEM: 700 exemplares


OUTUBRO • 2012

3

ANCÁRIOS COMPLETA 20 ANOS Veja abaixo as principais conquistas dos bancários nos últimos 20 anos: 1992

• Assinatura da primeira Convenção Coletiva de Trabalho, válida para todo o país.

1994

• Conquista do Vale-alimentação.

1995

• Bancários são a primeira categoria a conquistar a Participação nos Lucros e Resultados. Veja no final do texto a evolução da PLR desde então.

1997

• Complementação salarial para afastados por doença ou acidentes e conquista da verba de requalificação profissional na demissão. Criada a comissão permanente de saúde.

1998

• Implementação do Programa de Prevenção, Tratamento e Readaptação de LER/DORT.

2000

• Inclusão na CCT da cláusula sobre Igualdade de Oportunidades.

2003

• Primeira campanha salarial unificada. Com greve, bancários dos bancos públicos conquistam a mesma PLR dos bancos privados.

2004

• Conquista, com greve, de aumento real de 1,7% no salário e de 5,7% sobre o piso.

2005

• Após greve vitoriosa, o BB assina pela primeira vez a CCT da categoria. Bancários conquistam 0,9% de ganho real no salário. Empregados da Caixa conquistam equiparação do valor da cesta-alimentação da Fenaban.

2006

• Conquista do valor adicional de PLR e de 0,6% de aumento real. • Pela primeira vez, a Caixa assina a Convenção Coletiva de Trabalho. • Implantação de grupo de trabalho para debater assédio moral.

2007

• Conquista da 13ª cesta-alimentação e de 1,1% de ganho real.

2009

• Licença-maternidade de 180 dias. • Aumento real de 1,5%. • Mudança no modelo de cálculo e melhorias da PLR adicional. • Inclusão dos parceiros de mesmo sexo nos Planos de Saúde. • Avanços na igualdade de oportunidades. • 15 mil contratações no BB e na Caixa. • Programa de reabilitação profissional. • Criação de mecanismos de combate ao assédio moral.

2010

• Inclusão na CCT, pela primeira vez, de cláusula com mecanismo de combate ao assédio moral. Ganho real de 3,1% no salário e de 11,6% no piso.

2011

• Aumento real de 1,5% no salário e de 4,3% no piso. • Fim de divulgação de rankings individuais de produtividade. • Avanços no combate ao assédio moral e no PCMSO. • Aviso prévio proporcional. • Cinco mil novas contratações na Caixa. • Proibição do transporte de numerário por bancários. • Avanço na igualdade de oportunidades. • Vitória política sobre a "ameaça da inflação" com o aumento real de salário.

2012

• Ganho real de 2% no salário e de 2,95% no piso, no auxílio-refeição, na cesta-alimentação e na 13ª cesta-alimentação. • Cláusula garantindo os salários dos bancários afastados que aguardam perícia médica. • Implementação de projeto-piloto para experimentar medidas defendidas pelos bancários e vigilantes para a melhoria da segurança nos bancos. • Realizar novo censo na categoria para verificar questões como gênero e raça, na perspectiva da igualdade de oportunidades.


4

OUTUBRO • 2012

SANTANDER BRASIL

BAILE DOS BANCÁRIOS 2012

Passada a campanha salarial vitoriosa, agora é hora de combater o assédio moral que vem acontecendo no SANTANDER . Como em todo o Brasil, aqui na REGIONAL VALE DO AÇO a situação não é diferente, as denúncias dão conta da pressão em que são submetidos os funcionários, que são obrigados a explicar diariamente porque não cumpriram as metas estipuladas para o dia, metas na maioria das vezes inatingíveis. Lembramos que foi proibido a divulgação de RANKING por metas, produção ou qualquer outra forma de exposição de funcionários que por algum motivo não teve o desempenho desejado. Continua acontecendo aqui na região o MASSACRE psicológico que é a pressão por vendas e cumprimento de objetivos. Sabemos que o assédio moral acontece em todos os BANCOS, sendo a maior causa de adoecimento na categoria bancária. O Sindicato através do seu presidente José Carlos Bragança e dos diretores do Santander, David Machado Filho e Laércio Lemos Guimarães, se reuniu com a Regional Vale do Aço , na pessoa do Sr. Gleison Silva pela segunda vez, e o mesmo se comprometeu a solucionar o problema. O Sindicato convoca todos os funcionários do SANTANDER para juntos por um fim a esta prática perversa. QUEREMOS UM BANCO BOM PARA O BRASIL E PARA OS BRASILEIROS.

SINDICATO CIDADÃO A direção do Sindicato através do seu presidente José Carlos Bragança, parabeniza a todos os bancários que fizeram a doação do leite que entregamos para CASA DA ESPERANÇA . Aproveitamos para convidar a todos os bancários e bancárias para visitar a CASA DA ESPERANÇA, que realiza um trabalho assistencial maravilhoso. Fica na Rua: Chico Xavier, 186 – Vila Formosa – Ipatinga/ MG - Telefax: 3826-1221

Foi um sucesso total o Baile dos Bancários 2012. O tema ANOS 70 foi muito bem aceito pelos participantes que com os trajes da época deram um colorido especial a festa. Parabéns aos bancários presentes!


Boltim Bancarios Ipatinga - Outubro 2012