Page 1

INFORMATIVO DA PARÓQUIA

SÃO GERALDO MAGELA

Anúncio FUNDADA EM 07/03/2004 – 13 Anos

ANO VIII | Nº 66 | OUTUBRO 2017 | BAIRROS BOM JARDIM, IDEAL E ESPERANÇA

Palavra do Padre

Queridos Irmãos e Queridas Irmãs, este mês de outubro é recheado de Festa em nossa Paróquia: São Francisco, N. S. Aparecida, São Lucas (Atos dos Apóstolos) e S. Geraldo, o Padroeiro da Paróquia. Além do mais celebramos o mês das Missões: com o Tema: “A alegria do Evangelho para uma Igreja em saída” e o Lema: “Juntos na missão permanente”. Celebrar as Festas dos Santos Padroeiros das Comunidades e da Paróquia é, sempre, um momento de alegria e de fortalecimento da devoção. São Geraldo nasceu em 23 de abril de 1726, na cidade de Muro, Itália, filho de um alfaiate que morreu quando Geraldo tinha apenas 12, deixando sua família na pobreza. Desde criança desejou seguir a careira religiosa e tentou entrar para a Ordem dos Capuchinhos, mas sua saúde não permitiu. Mas algum tempo depois conseguiu entrar como irmão para a ordem dos

Redentoristas, servindo como sacristão, jardineiro, porteiro e enfermeiro. Ficou famoso pelos seus dons supernaturais como mestre, profecias, visões e notável conhecimento. Embora não fosse um padre, os seus conselhos espirituais eram procurados pelos clérigos e comunidades de irmãs nas quais ele dava conferências. Conseguia, com sucesso, em converter pecadores. Ficou famoso pela sua santidade e caridade. Morreu em Materdomini no dia e na hora que ele tinha predito, 16 de outubro de 1755, consumido pelas suas severidades e pela tuberculose. Foi beatificado por Leão XIII no dia 29 de janeiro de 1893 e canonizado por Pio X no dia 11 de dezembro de 1904. Muitos católicos o veneram no mundo inteiro como o patrono especial das mães e das famílias. Temos a alegria de Celebrar os 300 anos do encontro da Imagem de N. S. Aparecida, que foi encontrada no rio Paraíba do Sul, no ano de 1717. Portanto, neste dia 12 de outubro de em 2017 o encontro da Imagem completa 300 anos. História do encontro da Imagem – Três pescadores, levados por necessidades históricas e econômicas, saíram a pescar, numa época escassa de peixes. Por ação misteriosa de Deus, chegando ao “Porto de Itaguassu”, a primeira coisa que caiu em suas redes foi o corpo de uma imagem quebrada, na altura do pescoço. Num segundo lance de rede, pescaram a cabeça da mesma imagem. Juntando as duas partes viu-se que se tratava da Senhora da Conceição. Depois do encontro da Imagem, a pesca de peixes foi abundante e os pescadores intuíram a presença e ação de Deus naquele singular evento. Por assim ter aparecido, o povo chamou-a de “Aparecida”, nome consagrado pela devoção popular, chegando a ser proclamada Rainha em 1904, e Padroeira do Brasil em 1930. O Mês Missionário é uma ótima oportunidade para que possamos ser evangelizados e viver em sintonia com as Pontifícias Obras Missionárias (POM), que animam a vida Missionária das Comunidades. O Mês Missionário nos faz ouvir o Papa Francisco que nos lembra “a alegria do Evangelho enche o coração e a

vida inteira daqueles que se encontram com Jesus (EG 1). Essa alegria é missionária, precisa ser anunciada a todos os povos, ad gentes, em todos os tempos e lugares”. A Direção das POM nos diz que a Igreja Povo de Deus é constituída por diferentes sujeitos da missão, de diversas idades e etnias, conforme destaca o lema da Campanha: “Juntos na missão permanente”. Isso reforça a importância de caminharmos unidos, após nos deixarmos encontrar por Jesus Cristo. A missão se realiza com a participação de todos, na Sinodalidade, ou seja, no caminhar juntos e na comunhão. O Objetivo é motivar as comunidades a participarem da missão da Igreja em todo o mundo, por meio da reflexão, da oração e da oferta no Dia Mundial das Missões (21 e 22 de outubro). A generosidade de todos contribui com projetos missionários e propaga a Boa Nova de Jesus para toda a Humanidade. Que a exemplo de Maria, nossa Mãe Aparecida, na celebração dos 300 anos do encontro de sua imagem, sejamos testemunhas proféticas da alegria do Evangelho para uma Igreja em saída. Pe. Hideraldo Verissimo Vieira Pároco


2

Anúncio

OUTUBRO 2017

em ação

SÃO GERALDO MAGELA, NOSSO PADROEIRO Juventude de São Geraldo Magela Em 1745, aos 19 anos, voltou para Muro e montou sua própria alfaiataria. O negócio prosperou, mas o que ele ganhava era dado para os pobres. Guardava o que era necessário para sua mãe e suas irmãs e dava o resto aos pobres ou encomendando missas em sufrágio das almas do purgatório. Desde muito jovem, ele se esforçou para entrar na Ordem dos Capuchinhos. Porém, não foi aceito devido sua fraca saúde. Foi aceito, porém, na Congregação do Santíssimo Redentor, ou Redentoristas. Lá, foi sacristão, alfaiate, jardineiro, enfermeiro e porteiro. Vítima de falsa acusação Em 1754, São Geraldo foi falsamente acusado de ter engravidado uma mulher que se chamava Néria Caggiano. Geraldo, porém, fez apenas uma oração e Néria se arrependeu. Então, ela se retratou e inocentou Geraldo. Foi por isso que o povo começou a associar de São Geraldo Magela à proteção das mulheres grávidas. São Geraldo Magela e seus dons São Geraldo também tinha o dom da bilocação, ou seja, pelo poder de Deus, tinha a capacidade de estar presente em dois lugares ao mesmo tempo. Ele ficou conhecido por causa dos seus dons supernaturais como profecias, visões e êxtases, quando, nesses momentos, podia-se ver seu corpo erguer-se do chão. Ele também tinha notável conhecimento e aprendia com facilidade. Embora não fosse padre, seus conselhos espirituais eram procurados pelos clérigos e comunidades de religiosas nas quais ele dava conferências. Obtinha grande sucesso em converter pecadores e ficou famoso pela sua santidade e caridade. Ainda em vida, São Geraldo ressuscitou um garoto que tinha caído de um rochedo; abençoou a fraca provisão de trigo de uma família e ela durou até a colheita seguinte; várias vezes multiplicou o pão que distribuía aos pobres. Certa vez ele andou sobre as águas para levar um barco de pescadores até a segurança da praia, em meio a ondas tempestuosas. "Amar a Deus; estar unido a Deus; fazer as coisas por amor a Deus; amar aos irmãos por amor a Deus; sofrer por Deus. Minha obrigação é fazer a vontade de Deus". São Geraldo escreveu essas palavras, resumindo o seu desejo de servir a Deus e aos irmãos, a pedido do seu diretor espiritual.

Cura e libertação São Geraldo podia ler a mente e a consciência das pessoas. Enviado a Nápoles, começou a receber muitas visitas de pessoas que desejavam vê-lo e ouvir seus conselhos. Segundo relatos, várias pessoas se converteram graças aos seus conselhos. Ele também curava doenças apenas com a sua benção e oração. Geraldo, também, contava às pessoas seus pecados secretos, os quais elas tinham vergonha de confessar, levando-as à penitência e ao perdão. Devoção a São Geraldo Magela São Geraldo Magela vivia em uma pequena cela do convento, com muita humildade. Seu último desejo foi que escrevessem uma frase na porta de sua cela, que dizia: "Aqui o desejo de Deus é feito como Deus quer, quando e enquanto quiser". Ele morreu em Caposele, na Itália, no dia 16 de outubro de 1755, vítima de uma tuberculose. Rapidamente seu túmulo se tornou local de peregrinação e vários milagres são creditados à sua intercessão. Em 29 de janeiro de 1893, ele foi beatificado pelo Papa Leão XIII. Foi canonizado no dia 11 de dezembro do ano 1904, através do Papa Pio X. Proteção de São Geraldo Magela São Geraldo Magela é o padroeiro dos alfaiates, das pessoas acusadas falsamente, das grávidas, das crianças, das maternidades, das mães, das boas confissões, dos Irmãos leigos, da cidade italiana Muro Lucano, dos porteiros, do parto, dos nascituros e do movimento Provida. Oração a São Geraldo Magela Ó São Geraldo, celestial amigo dos infelizes, ao nos lembrarmos dos grandes milagres que operastes em vida, aumentados admiravelmente após a vossa preciosa morte, quer nos parecer que eles nos clamam: Confiança! Confiança! Tenham confiança! Bem sabemos que é grande o favor que pedimos e muito acima de nossos merecimentos. Reconhecemos até sermos mais dignos de castigos que favores; pois sem dúvida é justa a punição de nossos pecados, o bem que nos falta e as aflições e dificuldades que nos fazem suplicar. De certo, atraímos sobre nós e sobre aqueles que nos são caros a ira de Deus, transgredindo voluntariamente os preceitos divinos e permitindo que outros também o fizessem. Choramos agora todas as nossas culpas. Pedi, ó carinhoso São Geraldo, pedi ao bom pai celeste que nos perdoe. Ainda que seja justo sermos castigados por nossos pecados, afastai de nós e de nossos queridos os flagelos da justiça divina. Alcançai-nos, pelos méritos das sublimes virtudes que vos fizeram eterno amigo de Deus, a graça que com toda confiança pedimos por esta oração. Ó São Geraldo, nosso amigo, nosso milagroso benfeitor, rogai por nós a Jesus e Maria, e seremos certamente atendidos. Amém


3

Anúncio

OUTUBRO 2017

em ação

BIBLIA – PALAVRA DE DEUS É como a chuva que lava/ É como o fogo que arrasa/ Tua palavra é assim/ Não passa por mim sem deixar um sinal. A Bíblia não é a Palavra de Deus que caiu do céu. Ela brotou da própria vida de um povo com suas lutas e sofrimentos, com suas situações e acontecimentos. Ela foi escrita a partir da experiência de Deus que o Povo fazia na sua história, orientado pelos Profetas, e em Jesus, a revelação de Deus chegou ao auge. Os primeiros seguidores de Jesus experimentaram nele a presença do próprio Deus, a revelação de Deus. Hoje, a Bíblia nos ajuda a descobrir Deus em nossa vida, escutar seus apelos, dar nossa resposta e nos leva a descobrir a mão de Deus nos acontecimentos, alerta para a vivência da Aliança. Toda a Bíblia é impregnada da mensagem da Aliança que Deus contraiu com seu Povo, é um pacto de amor e fidelidade, é uma mensagem de libertação, de salvação. Mostra o caminho da verdadeira vida e os caminhos tortos e pecaminosos que desviam dela. Pela sua leitura, podemos descobrir como Deus se revela e de que forma podemos ser fiéis ao seu amor. Esse modo de revelar-se ocorre por meio das experiências das pessoas presentes nas narrativas das Sagradas Escrituras, a partir dos fatos da vida. Pela vida afora Deus vai se revelando, mostrando-se cuidadoso, misericordioso, carinhoso e atento, como Pai e Mãe, aos gritos dos que sofrem e pedem por justiça e paz. Deus nos criou e nos proporcionou sentido para a vida, através do seu amor. Ele está sempre a nos chamar, solicitando que sejamos colaboradores em sua obra criadora. Chama-nos para amar e assim poder revelar todo o seu amor. Quando começamos a ler a Bíblia, Palavra de Deus encarnada na vida, vamos percebendo como muita gente contribuiu para fazer acontecer essa história do

viver saudável ALMÔNDEGAS COM MOLHO Ingredientes: - 2 xícaras de glúten moído - 4 colheres de sopa de óleo de canola ou oliva - 1 cebola picadinha - 1 xícara de nozes quebradinhas - 3 tomates picadinhos - 1 pires de cheiro verde - 1 colherinha de orégano - 1\2 xícara de farinha de milho - 3 colheres de sopa de farinha de trigo - Alho e sal a gosto Modo de preparar: Junte os ingredientes e forme bolinhas pequenas, recheie cada uma com pedacinhos de azeitona pretas, leve ao forno quente para assar em forma untada, coberta com papel alumínio. Retire do forno e despeje sobre elas duas a três xícaras de molho de tomate. Colaboração: Pastoral da Saúde

povo de Deus. De forma ordenada e bem distribuída, a história vai percorrendo o caminho do seu povo, vai relatando como aconteceu o amor entre eles e Deus. Mais tarde, no bloco de livros que chamamos de Novo Testamento, encontramos os relatos que nos mostram como o povo situado naquele tempo viveu e experimentou o amor de Deus por meio do homem de Nazaré, Jesus, o messias, o ungido, o Cristo, o Filho de Deus. É de grande importância para nós lermos a Bíblia, procurando conhecer e compreender as histórias bíblicas. Quando começamos a compreendê-las, nós também passamos a experimentar esse amor de Deus. Vamos percebendo como ele continua agindo no cotidiano de cada pessoa, oferecendo a cada uma aquilo de que necessitas. Os seguidores de Jesus aprenderam a ler a Bíblia a partir da experiência com Jesus de Nazaré, profeta e Messias, crucificado e ressuscitado. É Deus se revelando definitivamente na cruz, no caminho dos discípulos e no partir do pão. Conhecer as estruturas da sociedade no tempo de Jesus, os costumes e acontecimentos dos fatos da vida ajuda-nos a compreender o que ele disse e fez. Nessa busca de compreensão fazemos a nossa experiência com Jesus, a exemplo dos primeiros discípulos. E com a Bíblia na mão deixemos que a Palavra de Deus transforme nosso coração. Recebendo as bênçãos de Deus, a graça que nos já é dada e falando sobre Deus, deixamos que ele entre na história humana. Nesse sentido, é a humanidade que põe a Palavra de Deus no mundo, tornando perceptível a presença de Deus na sociedade e na vida da cada ser humano. Conceição S. Toledo – Pastoral Catequética e EPAP


4

Anúncio

Agenda dos Padres Padres Hideraldo, Sérgio e Efraim

1 DE OUTUBRO - DOMINGO 7h – Matriz S. Geraldo – Pe. Efraim 7h – S. José – Missa – Pe. Sérgio 8h30 às 11h30 – Centro Pastoral João Paulo II – Planejamento Setorial da Catequese – EPAC 8h30 – S. Antônio – Missa – Pe. Sérgio 9h – Paróquia S. José – Reunião Juventudes/DNJ – Pe. Hideraldo e Equipe 13h30 às 17h – Centro Comunitário Atos dos Apóstolos – Planejamento Setorial da Catequese – EPAC 18h – N. S. Aparecida – Missa – Pe. Hideraldo 18h – Atos dos Apóstolos – Missa – Pe. Sérgio 19h30 – N. S. das Graças – Missa Setorial em honra a S. Terezinha/ Abertura da Semana Nacional da Vida e do Idoso – Pe. Sérgio 19h30 – Matriz S. Geraldo – Missa Setorial em honra a S. Terezinha/ Abertura da Semana Nacional da Vida e do Idoso – Pe. Hideraldo 2 DE OUTUBRO - SEGUNDA-FEIRA 3 DE OUTUBRO - TERÇA-FEIRA 9h às 11h30 e de 15h às 18h – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento – Pe. Sérgio 18h – N. S. das Graças – Terço da Família em defesa da Vida 19h – Alvinópolis – Missa na Novena do Rosário – Pe. Hideraldo 19h30 – N. S. das Graças – Missa e Bênçãos – Pe. Sérgio 4 DE OUTUBRO - QUARTA-FEIRA 9h – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento Pastoral – Pe. Sérgio 16h às 18h30 – N. S. das Graças – Atendimento – Pe. Sérgio 19h30 – S. Francisco – 1º Dia do Tríduo de S. Francisco – Pe. Sérgio 19h30 – S. Maria de Itabira – Missa na Novena do Rosário – Pe. Hideraldo 5 DE OUTUBRO - QUINTA-FEIRA 9h – Clero Regional – Cristo Redentor 9h – S. Maria de Itabira – Retiro Missionário – Pe. Hideraldo 19h30 – S. Francisco – 2º Dia do Tríduo de S. Francisco – Pe. Hideraldo 19h30 – Matriz S. Geraldo – Missa e Bênçãos – Pe. Sérgio 6 DE OUTUBRO - SEXTA-FEIRA Sagrado Coração de Jesus 7h – Atos dos Apóstolos – Missa – Pe. Sérgio 9h às 11h30 e de 15h às 18h – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento – Pe. Hideraldo 16h – Visita aos Doentes – Pe. Sérgio 19h30 – S. Francisco – 3º Dia do Tríduo de S. Francisco – Pe. Sérgio 19h30 – Matriz S. Geraldo – Missa – Pe. Hideraldo 7 DE OUTUBRO - SÁBADO CAMPANHA DO QUILO – SSVP – LEVE NO HORÁRIO DE MISSAS E CELEBRAÇÕES: 1 KG DE ALIMENTO NÃO PERECÍVEL. 10h – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento Pastoral – Pe. Sérgio 18h – Maria de Nazaré – Missa – Pe. Sérgio 18h – S. Francisco – Festa do Padroeiro e 1ª Missa do Pe. Ednei 19h – Senhor do Bonfim – Casamento de Willian e Daytiane – Pe. Hideraldo 20h – Timóteo – Casamento – Pe. Sérgio 8 DE OUTUBRO - DOMINGO CAMPANHA DO QUILO – SSVP – LEVE NO HORÁRIO DE MISSAS E CELEBRAÇÕES: 1 KG DE ALIMENTO NÃO PERECÍVEL. 7h – S. Geraldo – Missa – Pe. Hideraldo 7h – N. S. das Graças – Missa – Pe. Sérgio 8h – Atos dos Apóstolos – Formação Setorial Litúrgico/Catequético 8h – Centro Pastoral João Paulo II – Formação Setorial Litúrgico/Catequético 8h30 – S. Antônio – Missa – Pe. Hideraldo 8h30 – S. Família – Missa – Pe. Efraim 10h – Matriz S. Geraldo – Batizados – Pe. Hideraldo 18h – Atos dos Apóstolos – Missa – Pe. Hideraldo 18h – N. S. Aparecida – Missa do Dia do Nascituro – Pe. Sérgio 19h30 – Matriz S. Geraldo – Missa– Pe. Sérgio 19h30 – N. S. das Graças– Missa– Pe. Hideraldo 9 DE OUTUBRO - SEGUNDA-FEIRA 19h30 – N. S. Aparecida – 1º Dia do Tríduo de N. S. Aparecida – Pe. Dirceu 10 DE OUTUBRO - TERÇA-FEIRA 9h às 11h30 e de 15h às 18h – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento – Pe. Sérgio

OUTUBRO 2017

em ação

17h – Centro Pastoral João Paulo II – Reunião de construção de pauta para a reunião do CEAP 19h30 – Equipe de N. S. Senhora – Pe. Hideraldo 19h30 – Atos dos Apóstolos – Missa e Bênçãos – Pe. Sérgio 19h30 – N. S. Aparecida – 2º Dia do Tríduo de N. S. Aparecida – Pe. Hideraldo 11 DE OUTUBRO - QUARTA-FEIRA 9h – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento Pastoral – Pe. Sérgio 17h às 18h30 – S. Antônio – Atendimento – Pe. Sérgio 19h30 – N. S. Aparecida – 3º Dia do Tríduo de N. S. Aparecida – Pe. Hideraldo 12 DE OUTUBRO - QUINTA-FEIRA 8h – N. S. das Graças – Missa – Pe. Sérgio 8h – S. Geraldo – Missa – Pe. Hideraldo 16h – S. Francisco de Assis – Terço Mariano e Carreata com a Imagem de N. S. Aparecida até a Praça Bom Jardim – Pe. Sérgio 18h – N. S. Aparecida – Festa da Padroeira – Pe. Hideraldo 19h30 – Atos dos Apóstolos – Missa – Pe. Sérgio 13 DE OUTUBRO - SEXTA-FEIRA 16h – Visita aos Doentes – Pe. Sérgio 19h30 – S. Geraldo – 2º Dia do Tríduo – Pe. Sérgio 14 DE OUTUBRO - SÁBADO 10h – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento Pastoral – Pe. Sérgio 18h – S. Geraldo – 3º Dia do Tríduo – Pe. Sérgio 19h – N. S. da Esperança/Horto – Casamento – Pe. Hideraldo 19h30 – S. Sebastião – Missa – Pe. Sérgio 15 DE OUTUBRO - DOMINGO 7h – Matriz S. Geraldo – Celebração – Ministros 7h – S. José – Missa – Pe. Sérgio 7h – N. S. das Graças – Pe. Hideraldo 8h30 – N. S. Aparecida– Missa – Pe. Efraim 8h30 – S. Antônio – Missa – Pe. Hideraldo 8h30 – S. Família – Missa – Pe. Sérgio 18h – Matriz S. Geraldo – Festa do Padroeiro da Paróquia – Pe. Sérgio e Pe. Hideraldo Não haverá Missa ou Celebração nas Comunidades de: N. S. das Graças, N. S. Aparecida e Atos dos Apóstolos 16 DE OUTUBRO - SEGUNDA-FEIRA 17 DE OUTUBRO - TERÇA-FEIRA 9h às 11h30 e de 15h às 18h – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento – Pe. Sérgio 19h30 – N. S. das Graças– Missa e Bênção – Pe. Sérgio 18 DE OUTUBRO - QUARTA-FEIRA 9h – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento Pastoral – Pe. Sérgio 17h às 18h30 – Atos dos Apóstolos– Atendimento – Pe. Sérgio 18h30 – Centro Pastoral João Paulo II – Reunião de construção de pauta para a reunião do CPP 19h30 – Centro Pastoral João Paulo II – CEAP (Conselho Econômico) 19 DE OUTUBRO - QUINTA-FEIRA 16h30 às 18h – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento Pastoral – Pe. Hideraldo 19h30 – Matriz S. Geraldo – Missa e Bênçãos – Pe. Sérgio 19h30 – Atos dos Apóstolos – Missa e Bênção e 1º Dia do Tríduo de S. Lucas – Pe. Hideraldo 20 DE OUTUBRO - SEXTA-FEIRA 9h às 11h30 e de 15h às 18h – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento – Pe. Hideraldo 16h – Visita aos Doentes – Pe. Sérgio 19h30 – Atos dos Apóstolos – 2º Dia do Tríduo de S. Lucas – Pe. Hideraldo 21 DE OUTUBRO - SÁBADO Paróquia São José – Passabém/Regional I – DNJ – Dia Nacional da Juventude

EXPEDIENTEPe. Hideraldo Verissimo Vieira – PÁROCO

ANO VIII | Nº 66 | OUTUBRO 2017 Pe. Sérgio Henrique Gonçalves – VIGÁRIO PAROQUIAL

PÁROCO VIGÁRIO PAROQUIAL Endereço Fones Casa Paroquial e-mail Redação Articulistas

Diagramação Impressão Tiragem

Pe. Hideraldo Veríssimo Vieira Pe. Sérgio Henrique Gonçalves Av. das Flores, 885 - Bom Jardim Ipatinga - MG (31) 3826-5213 / 3825-7195 / Celular (31) 98699-0212 (OI) (31) 3821-7628 pqsaogeraldo@yahoo.com.br PASCOM Meirevone, Patrícia, Vilton, Gislene, Conceição Toledo, Gilma, Deusdi Ferreira, Algemiro, Raphael Andrade, Cleiton, Vanir Teixeira, Michelli, Afonso Murad, Pe. José Geraldo da Fonseca, Pe. Sérgio e Pe. Hideraldo

Gráfica Diocesana (31) 3831-1098 Gráfica Diocesana (31) 3831-1098 2.500 unidades

Confira as reportagens completas e fotos no site e no facebook da Paróquia São Geraldo www.paroquiasaogeraldo.com.br | Facebook: Paróquia São Geraldo


OUTUBRO 2017 18h – S. João Batista – Missa – Pe. Sérgio 19h – Passabém – Missa com os Jovens – D. Marco Aurélio e Padres 19h30 – Atos dos Apóstolos – 3º Dia do Tríduo de S. Lucas – Pe. Sérgio 22 DE OUTUBRO - DOMINGO 7h – Matriz S. Geraldo – Missa – Pe. Sérgio 7h – N. S das Graças – Missa – Pe. Hideraldo 8h30 – N. S. Aparecida – Missa – Pe. Sérgio 8h30 – S. Família – Missa – Pe. Hideraldo 8h30 – UDCB – Início do Torneio de Futsal Paroquial – CPP 10h – N. S. das Graças – Batizados – Pe. Sérgio 18h – Atos dos Apóstolos – Festa do Padroeiro – Pe. Hideraldo 19h30 – Matriz S. Geraldo – Missa – Pe. Sérgio 23 DE OUTUBRO - SEGUNDA-FEIRA Romaria a Aparecida com Pe. Hideraldo 24 DE OUTUBRO - TERÇA-FEIRA Romaria a Aparecida com Pe. Hideraldo NÃO HAVERÁ EXPEDIENTE NA SECRETARIA PAROQUIAL 9h às 16h – Paróquia S. Sebastião/Fabriciano – Formação para os Secretários (as) das Paróquias do Regional III 16h às 18h30 – N. S. das Graças – Atendimento – Pe. Sérgio 19h30 – Atos dos Apóstolos – Missa e Bênçãos – Pe. Sérgio 25 DE OUTUBRO - QUARTA-FEIRA Romaria a Aparecida com Pe. Hideraldo 9h às 11h30 e de 15h às 18h – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento – Pe. Sérgio 19h30 – Centro Pastoral João Paulo II – “Espiritualidade conjugal e Familiar – Pastoral Familiar 26 DE OUTUBRO - QUINTA-FEIRA Romaria a Aparecida com Pe. Hideraldo 19h30 – Matriz S. Geraldo – Missa e Bênçãos – Pe. Sérgio 27 DE OUTUBRO - SEXTA-FEIRA 9h às 11h30 e de 15h às 18h – Centro Pastoral João Paulo II – Atendimento – Pe. Hideraldo 19h – Centro Pastoral João Paulo II – CPP 28 DE OUTUBRO - SÁBADO 18h – Maria de Nazaré – Missa – Pe. Hideraldo 19h30 – S. Família – Missa – Pe. Hideraldo 29 DE OUTUBRO - DOMINGO 7h – Matriz S. Geraldo – Missa – Pe. Efraim 7h – N. S. das Graças – Missa – Pe. Hideraldo 8h – Atos dos Apóstolos – Catequese para Padrinho de Crisma 8h – Centro Pastoral João Paulo II – Catequese para Padrinho de Crisma 8h30 – Atos dos Apóstolos – Missa – Pe. Hideraldo 18h – N. S. Aparecida – Missa – Pe. Hideraldo 19h30 – Matriz S. Geraldo – Missa – Pe. Hideraldo 30 DE OUTUBRO - SEGUNDA-FEIRA 31 DE OUTUBRO - TERÇA-FEIRA 15 às 17h – Centro Pastoral João Paulo II – Reunião de Formação com os Funcionários e Funcionárias da Paróquia – Pe. Hideraldo e Equipe 19h30 – N. S. das Graças – Missa e Bênçãos – Pe. Hideraldo Pe. Hideraldo Verissimo Vieira – Pároco Pe. Sérgio Henrique Gonçalves – Vigário Paroquial

Em todas as Comunidades da Paróquia * Leve em um Pet e coloque no coletor que está em sua comunidade.

5

Anúncio

em ação

AMOR E SOFRIMENTO O sofrimento não agrada a Deus, mas fecunda o sentido do amor. Amor sem sofrimento é como bolha de sabão, porque basta um pequeno vento para se desfazer. O verdadeiro amor é fruto de luta constante para conquistar o bem e contra tudo aquilo que provoca o mal e a destruição das pessoas. É um caminho de cruz, assumido literalmente por Jesus Cristo, com o objetivo final de salvação. Não é fácil fazer uma entrega generosa de vida, porque as marcas profundas do egoísmo fragilizam as decisões comprometidas feitas pelas pessoas. É uma atitude que supõe liberdade assentada na espiritualidade divina. Jesus Cristo encarna em si os sofrimentos até os últimos momentos de sua morte na cruz, mas totalmente consciente dos objetivos que implicaria essa sua decisão. A vida não se conquista com o uso de armas, com guerras e terrorismos, porque Deus, autor da vida, não está presente nessas práticas. Aliás, são fontes de destruição e de morte. A arma da vida é o amor, porque ele é capaz de superar todos os stress e revoltas contidas no coração do ser humano. Necessitamos de pessoas que são capazes de encarnar o amor, que gera vida e dignidade. O sofrimento de grande parte da população brasileira não é uma fatalidade, ou uma situação de normalidade da economia do país. É fruto de uma governabilidade sem identidade para tal. O bem comum é sacrificado para privilegiar um grupo seleto que acumula desnecessariamente. Esse grupo impede que o “bolo”, os bens do país sejam distribuídos de forma social, justa e equitativa. É lamentável a gente ter que ver um mundo dominado pelas leis da imposição e da vontade de violentos, daqueles que forçam e produzem uma cultura de desumanidade e de morte. Nessa situação, os sofrimentos das pessoas não conseguem gerar amor, porque são provocados e não trazem os objetivos de esperança e de vida. Tudo isso significa que alguma coisa precisa mudar na sociedade. A vida, como dom de Deus, não é uma realidade abstrata e desconectada dos princípios humanos de cidadania, de amor, de sofrimento e de espiritualidade. Ela é uma perfeita construção, que transita no mundo de animosidades, constrangimentos, e caminha para a perfeição na plenitude do Reino de Deus. Sofrimento e amor se concretizam no encontro pessoal com Jesus Cristo. Dom Paulo Mendes Peixoto – Arcebispo de Uberaba (MG)

EM DIA COM A LITURGIA: A MISSA É MISSÃO A missa é vista, por muitas pessoas, como um momento de sossego e de paz. É verdade que a celebração eucarística pode nos proporcionar certo bem estar. Afinal, estamos na companhia da Santíssima Trindade, atualizando o sacrifício redentor de Jesus Cristo. A missa, entretanto, não é um ponto de chegada. Ela é uma rápida parada para logo em seguida retomarmos a marcha. “Come e bebe, pois te resta ainda um longo caminho”, disse o Senhor ao profeta Elias (1Rs 19,7). A missa não é um ato fechado em si mesmo. É missão. É compromisso social. Por isso, supõe e espera de seus participantes um eficaz envolvimento com a situação da sociedade. Nesse sentido, em vez de ser para nós momento de repouso ou alegria estática diante do mistério eucarístico, a missa nos projeta para a complexa realidade do mundo. Ao celebrar a eucaristia, cada participante oferece a Deus as lutas e sofrimentos de si mesmo e do povo. E, uma vez alimentado pela Palavra e pelo Corpo e Sangue de Cristo, retoma sua vida corriqueira, fortalecido e disposto a melhorar as relações na família, no trabalho e na sociedade. Efetivamente, enquanto no mundo houver pessoas passando fome e vivendo na miséria, cristãos e cristãs não podem cruzar os braços. Celebração é dinamismo, descarta a acomodação ou indiferença. Missa não faz aliança com injustiça. Justamente porque a celebração da missa nos impele à pratica da justiça e da fraternidade, virtudes indispensáveis “par que todos tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10,10). Pe. Sérgio Henrique Gonçalves Vigário Paroquial


6

Anúncio

em ação

OUTUBRO 2017

CARTA DE UM JOVEM CATÓLICO: DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA À DESCOBERTA DA TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO “Sou de São José do Rio Preto (SP), tenho 25 anos. Minha família sempre foi católica, mas, antes dos meus 14 anos, eu não praticava muito a religião: ia à Missa, fazia algumas poucas orações e só. Muito pouco me importava a dimensão comunitária da fé. Aos 15 anos, apresentaram-me à Renovação Carismática Católica (RCC). Gostei muito deste tipo de espiritualidade com muito entusiasmo: participava ativamente dos grupos de orações e eventos da RCC. Tinha um apreço muito grande pela Canção Nova e outras emissoras de TV deste segmento. Durante três anos, a minha espiritualidade foi moldada neste contexto…até que algo começou a mudar. Já na faculdade, passei a questionar o porquê de muitos irmãos (ãs) nada possuírem para comer ou viver com um patamar mínimo de dignidade, ao passo que uma minoria acumula rios de dinheiro. Comecei a me questionar, dentro da fé católica, se isso poderia ser justo. Mas nos grupos da RCC não encontrei nenhum tipo de resposta: pouco ou nada se falava sobre os pobres e seus mais diversos sofrimentos, quase nunca se incentivavam ações concretas para, pelo menos, aliviar as tribulações daqueles mais necessitados. Em três anos de Renovação Carismática, NUNCA, repito, NUNCA houve um pregador sequer que tivesse pautado sua pregação em Mateus 25, 31-46 ou nos documentos sociais da Igreja, que eu sequer sabia que existiam. Muitas e muitas pregações, a massacrante maioria, era pautada num discurso extremamente moralizante, bem do tipo pode ou não pode, um discurso bélico e apologético. O resultado em minha espiritualidade você já pode imaginar: o meu cristianismo tinha pouco de Evangelho. Gostava de cruzadas religiosas, tinha aversão ao ecumenismo, a ponto de até recusar uma oração comum, com dois irmãos protestantes que faziam um trabalho de visita a um hospital onde eu estava internado. Discutia áspera e frequentemente com pessoas dos Testemunhas de Jeová que vinham à minha porta. Era moralista e algumas vezes gostava de julgar quem não pensava como eu. Graças a esse moralismo exacerbado deixei de viver muitas coisas boas e saudáveis, próprias do tempo de juventude. Em um dado momento desta trajetória, minha consciência começou cutucar se estas minhas atitudes eram mesmo alinhadas ao Evangelho de Nosso Senhor. Isso se somou aos questionamentos que eu fazia sobre a disparidade entre ricos e pobres. Um dia, fui apresentado à Teologia da Libertação e à Doutrina Social da Igreja. Comecei a ler os textos do padre Gustavo Gutierrez, frei Leonardo Boff, padre Jon Sobrino, Dom Helder Câmara, Dom Paulo Evaristo Arns, as ideias de São Vicente de Paulo e Beato Antônio Frederico Ozanam, entre outros. Por meio destes, cheguei aos documentos que compõem o Compêndio da Doutrina Social da Igreja, bem como aos ensinamentos do Concílio Vaticano II e do CELAM. O ponto culminante veio com o pontificado do Papa Francisco. Entrei de cabeça. Uma Igreja pobre para os pobres, uma Igreja misericordiosa, solidária, fraterna, de portas abertas e que denuncia profeticamente a injustiça social decorrente de um sistema que coloca o dinheiro no centro de tudo. Esse encontro me fez muito bem.

Comecei a entender que Cristo se identifica nos pobres e sofredores do mundo e, dentro dos meus limites, comecei a dar início a pequenas ações concretas: visitar asilos, levar alimentos a instituições que atendem os pobres, inteirar-me da politica brasileira, para ver o que eu podia fazer para cobrar dos governantes uma atenção privilegiada aos mais necessitados. Neste caminho, identifiquei-me com a Pastoral do Povo da Rua, na qual, hoje, atuo com grande alegria. Confesso: Não há dinheiro no mundo que pague o trabalho feito juntamente com os pobres e a favor deles. Ver o sorriso no rosto de um morador de rua quando encontra sorriso e amizade é algo excepcional. Passei, aos poucos, de uma espiritualidade pesada, intimista, preconceituosa e truncada, para uma espiritualidade de partilha, comunhão, solidariedade e acolhimento. Hoje sou muito mais feliz com minha espiritualidade. Ah, não poderia esquecer: passei a ganhar alguns rótulos de pessoas da ala conservadora da Igreja: herege, comunista, falso católico, entre outros. Confesso que fiquei um pouco chateado. Mas, se viver uma Igreja acolhedora, misericordiosa e que assume a opção preferencial pelos pobres é sinônimo de heresia, então sou um “herege”. O caminho que se abriu permitiu-me participar melhor da Santa Missa, fazer minhas orações cotidianas e viver os sacramentos, entender que na vida nem tudo é preto no branco, por isso se faz importante o discernimento que é um dom do Espirito Santo… Minha relação com a Igreja ganhou em qualidade. Comecei a descobrir no Evangelho que Jesus sempre se colocava ao lado dos que sofriam e eram excluídos da sociedade daquela época. Provavelmente, foram estas escolhas que o levaram à cruz. JESUS ERA UM REVOLUCIONÁRIO e digo isso sem medo. De conservador ele não tinha absolutamente nada. Comecei a ver que o verdadeiro profetismo consiste em denunciar os esquemas injustos e o acúmulo de riquezas, como fizeram os profetas do Antigo Testamento. Contudo, não me engano: reconheço que tenho muito a melhorar como ser humano, tenho muito a converter dentro de mim, tenho muito o que aprender, para assim, doarme ao próximo de uma forma melhor. Peço que você reze por mim! Por fim, se esta carta for, mesmo, publicada, gostaria de fazer um apelo a todos os leigos (as) e presbíteros que venham a ler esse depoimento: com palavras e atitudes vamos fazendo uma Igreja pobre, com os pobres e dos pobres. Vamos aspirar a uma Igreja simples, profética, que denuncia as injustiças contra os pobres e não se alia aos poderosos desta terra. Assim era no inicio do cristianismo e é assim que verdadeiramente iremos seguir os passos do Deus que se fez pobre, para nos enriquecer com sua pobreza. Viva o Papa Francisco e que Deus o conceda longa vida, com muita saúde, conduzindo a Igreja pelas veredas da simplicidade do Evangelho! Servo de Deus, Dom Helder Câmara e Bem Aventurado Dom Oscar Romero, roguem por nós e especialmente pelos marginalizados, a quem vocês devotaram a vida! Dener Ricardo


OUTUBRO 2017

7

Anúncio

em ação

MONARQUIA, DA FALSA UNIDADE AO FRACASSO Passado o estudo do mês da Bíblia, damos sequência à História da Salvação, a partir do ponto onde paramos: a ocupação da terra, a liderança dos juízes e a organização em tribos. Entretanto, ao lermos o primeiro livro de Samuel 8, 1-22 (todo o capítulo), vamos verificar que por trás da insistência do povo em escolher um rei, como as outras nações, que fosse à frente deles nas guerras, para combater a ameaça externa dos filisteus, estava o privilégio, que havia, de uma tribo sobre a outra. Não há alternativa para Samuel a não ser ungir Saul. Este foi infiel e em seu lugar assumiu seu rival Davi, para consolidar as tribos. Davi, conhecido como modelo, não deixou de usar seu poder, indevidamente, para tomar a mulher do seu general Urias e ainda tramar sua morte com êxito. Também soube explorar os povos dominados para construir o palácio de Jerusalém. Salomão foi mais longe: a sabedoria e riqueza alcançadas o levaram a implantar um grande Império, mas à custa da exploração dos próprios camponeses do país, o então unificado Israel, e com os reinos anexados a partir da união com mulheres pagãs. Com isto construiu o Templo. Explorado pelo regime injusto de Salomão, tributos e trabalho forçado (não faz lembrar o Egito?), o povo do Norte rompe com a dinastia de Davi e cria um reino independente. Mas os abusos continuam. Coitado do povo! Não percebe que a causa de seus problemas não está nas pessoas, mas no modelo sociopolítico. Em defesa dos oprimidos, levanta-se a voz de um punhado de profetas. Denunciam, questionam, alertam. Dará resultados? Por quê? As histórias bíblicas nos dão a impressão de uma monarquia israelita que se esfacela por falta de tino político de Roboão, filho e sucessor de Salomão. Na realidade, isto não passa de um mito. As diferenças entre Norte e Sul. É significativo que, à morte de Saul, Davi só conseguiu ser reconhecido pelas tribos do Norte, após mais de sete anos. Com Salomão, as divergências ficaram sob as cinzas; parecia até que o surto econômico as eliminara. Puro engano: à surdina crescia um movimento de “inconfidência”. Ao eclodir a primeira crise, logo após a morte de Salomão (931 a.C.), o povo do Norte(10 tribos lideradas por Jeroboão, general do exército de Salomão) retoma consciência das graves injustiças que vem sofrendo, e reage (leia 1 Rs 12, 1-14).Conte quantas vezes aparece o conceito “opressão” nestas poucas

linhas! E assim, mais uma vez, Israel se vê dividido – agora definitivamente. A proclamação da independência significou um misto de bens e de males para o Norte. Politicamente, foi um ato de coragem e maturidade. Economicamente, favoreceu o novo estado. Mas havia também o reverso: a fragmentação do império israelita em dois pequenos estados sem expressão política (Israel e Judá) veio justamente no momento em que toda a região passava, gradualmente, de uma política ingênua, imediatista e provinciana, para uma crescente estrutura de poder em que as grandes decisões não pertenceriam mais a uma nação isolada. Também o Norte sofrerá as consequências: os momentos de razoável independência serão poucos. Ora, com o passar dos tempos, a dependência político-econômica levará automaticamente à aceitação, ao menos exterior, das divindades protetoras do vencedor ou senhor. De fato, entre os gestos do conquistado havia o costume de entronizar os deuses do conquistador no templo do povo conquistado. Assim se explicará a presença de ondas de idolatria deslavada, que os profetas não cessarão de denunciar. A idolatria penetrará até com passaporte diplomático, através de, pelo menos, um casamento político com uma princesa pagã (1 Rs 16, 31-33). Israel rejeitou a sucessão hereditária de Judá (das tribos de Judá e Benjamin), mas enfrentou inconvenientes: em vez de política interna viu politicagem de grupos e de indivíduos a disputarem o poder. Sete dos reis do Norte foram assassinados e houve um suicidou-se. O novo culto de negação ao Templo de Jerusalém passou a ser realizado em dois santuários: Dã e Betel, colocando touros de ouro para contrapor aos querubins do Templo. Enquanto se discutia a legitimidade do novo culto, os direitos humanos eram pisoteados, sem escrúpulos. Pois este será o estopim que deflagrará no Norte a ação dos profetas. Dê uma passada com carinho por todo este texto, desde o fim das tribos e a implantação da monarquia, passando pela “unidade” de Israel, a divisão e, por enquanto, já que seguimos só a linha do norte, todas as polêmicas: há alguma semelhança com os dias de hoje? Algemiro de Oliveira Filho (Miro) – Comunidade São João Batista Deusdi Ferreira – Comunidade Santo Antônio

CAMPANHA MISSIONÁRIA 2017 Nosso Deus se revela como o Pai criador, o Filho encarnado e o Espírito que dá vida e nos santifica. Quando proclamamos “Maria, mãe de Deus”, conforme o dogma, afirmamos que ela é a mãe do Filho de Deus encarnado. A pessoa inteira de Jesus Cristo, humano e divino. Ela não se torna uma deusa, nem é adicionada à Trindade. Como Deus-Comunidade se entrega a nós através de Jesus e do seu Espírito, a maternidade de Maria toca cada pessoa divina. Em relação a Deus-Pai, Maria é uma filha predileta, escolhida por Ele. Alguém agraciada com ternura pelo Criador, que a moldou com especial carinho. Ao mesmo tempo, Maria realiza, de forma humana, a eterna geração que o Pai realiza com o Filho, no seio da Trindade. Como toda mãe, ela é figura humana do amor criador de Deus. Em relação ao Filho de Deus encarnado, Maria é mãe, educadora, discípula e companheira. Seu relacionamento com Jesus foi além dos laços de família. Esteve

junto de Jesus durante a vida terrena, e agora, glorificada, continua pertinho do Filho ressuscitado, o Nosso Senhor. Em relação ao Espírito Santo, Maria é a pessoa contemplada, ungida, transparente. Tornou-se um templo vivo de Deus. Os frutos do Espírito possibilitaram que ela se transformasse, por Graça de Deus, na mãe do messias e mãe da comunidade. Maria participa do Pentecostes (At 1,13s e 2,1). O Espírito, derramado sobre a comunidade cristã, se torna o fogo que nos aquece e ilumina no seguimento a Jesus. Quando se diz, que Maria é “mãe do criador”, não se fala aí de Deus Pai, mas do Filho de Deus que participa da criação (Jo 1,2s). A maternidade não diz respeito a Deus-Pai, nem ao Espírito Santo. Assim é a relação profunda de Maria com a Trindade: filha amada de Deus Pai, Mãe do Filho de Deus encarnado, ungida pelo Espírito. Maria nos leva sempre a Jesus. Assim, vivemos nossa vocação de discípulos/as missionários/as do Senhor. E prova-mos a beleza da Trindade: Deus antes de nós (o Pai materno), Deus conosco (Jesus) e Deus em nós (Espírito Santo).


8

Anúncio

OUTUBRO 2017

em ação

28/10 30/10 31/10

Maria de Fátima Vieira Laiza Cristina de Morais Karla Gonçalves Figueredo Martins

SANTO ANTÔNIO IDEAL

PARABÉNS AOS DIZIMISTAS ANIVERSARIANTES DE AGOSTO: NOSSA SENHORA APARECIDA BOM JARDIM 01/10 04/10 04/10 04/10 05/10 05/10 05/10 05/10 06/10 06/10 07/10 07/10 07/10 07/10 07/10 08/10 08/10 08/10 08/10 09/10 09/10 09/10 10/10 11/10 11/10 12/10 12/10 13/10 13/10 14/10 14/10 14/10 15/10 15/10 15/10 16/10 16/10 16/10 16/10 16/10 17/10 17/10 18/10 19/10 19/10 21/10 21/10 21/10 22/10 23/10 24/10 24/10 24/10 25/10 26/10 26/10 27/10 28/10

Idalina Francisca da Silva Oliveira Neide da Penha Quirino Márcia Bragança Andrade Brenda Caroline Silva Maria Imaculada de Oliveira Izequiel de Souza Santana Alexandre Tadeu Barros Ramom Fortunato da Silva Geralda Aparecida dos Santos Maria Bento Ramos José Sebastião Rosa SHIRLEI LOPES RIBEIRO Deolina Moreira dos Santos Sebastião R. Sobrinho Deolinda Moreira dos Santos Jandir Pereira da Silva Adair Maria de Oliveira Almeida Luzdivina Maria da Cunha Costa Conceição Martins da Silva Arruda Leandro Coelho D´Avilla Abren Maria da Penha Gerci Cordeiro Guilherme Moraes Neves Ivanete Gomes de Oliveira Eva Aparecida T.Martins Wesley Ribeiro Ramos Cleide F. S. Rocha Cléria Aparecida Rocha Baldaia Rosemary Soares Alves da Silva Judite Maria da Silva Itamar da Silva Lucas Suelen Lima Pereira Aparecida Rodrigues da Silva José Coelho de Oliveira Marcílio Teixeira Gomes Gilberto Gomes de Lima Marlene Gonçalves Guerra João Servidanes Elizângela Lima Ferreira Silva Elisângela Lima Ferreira Silva Andrelino Valério Judite Francisca de Jesus Saulo Manoel da Silva Dilma Maria da Costa Juliana Gomes Rodrigues Maria Aparecida da Silva Souza Euclides Olímpio Neto Sandra Aparecida Fernandes José Maria dos Santos Maria do Socorro P. dos Santos Elison Procópio de Souza Arielle Karina da Silva Andrade Luíza Fortunato de Souza Rosângela Alves Venâncio Oliveira Sely Cevidanes Andréia Cristina R.Viana Antônio Sérgio Almeida Ladir Isabel Martins

28/10 28/10 29/10 29/10 29/10 29/10 29/10 31/10 31/10 31/10

Enedina Eduviges de França Antônio Valdir Carvalho Onofre Agostinho de Souza Edir José de Souza Dalva do Carmo Araújo Aline Medeiros de Souza José de Souza Lima Lesley Rodrigues Costa Nayara Cristina Silva Santos Maicon Vitor Silva Souza

NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS ESPERANÇA 01/10 02/10 02/10 02/10 03/10 04/10 05/10 06/10 06/10 08/10 08/10 08/10 08/10 08/10 08/10 08/10 09/10 09/10 09/10 09/10 09/10 09/10 10/10 10/10 10/10 10/10 10/10 11/10 13/10 15/10 15/10 15/10 15/10 15/10 16/10 16/10 16/10 17/10 18/10 18/10 19/10 19/10 20/10 20/10 20/10 21/10 22/10

Jaqueline Cristina da Silva Maria Alfredina G. Martins (Fred) Alvacir Luiz de Souza Geysiane Rosa Miranda Paulo Afonso Duarte Francisco José de Melo Marcela Peixoto Santos Ademir José de Carvalho Cleonice Aparecida de São Pedro Eleuza de Jesus T. Gonçalves Francisco Lage Ramos José Crescêcio de Souza Maria da Penha Oliveira Petrina Almeida Alvagenga Sebastião Marcelino de Souza Dalva Augusta de Sailva Souza Gilda Maria do Rozário de Souza Elza Maria Gomes Geralda Maria do Rosário Tarcisio Barbosa Adenilson Braga Italo Henrique Almeida Messias Creuzimar Bento Ramos Jose Braz Morais Francisca Lúcia Gomes Andrade João Furtado de Souza Nilza Garcia de Jesus Ana Francisca Soares Edson Cassiano Máximo Antônio Gonçalves dos Santos Fernando da Silva Mendes João Batista Soares Rene Ventura da Silva Saturnina Maria Oliveira Freitas Cleuza Esteves Ferreira Marciel Beato Pereira Maria da Glória Loureiro Pereira Maria das Graças Moisés João Justino de Lima Ramon Fernandes da Silva Erlaine de Paula dos Reis Jéssica Lívia Marques de C. Gonçalve Cláudio Roberto de Oliveira Silva Marcilene Tomaz de Matos de Souza Edvaldo Bento Soares Napoleão Marcos Xavier Elizângela de Souza Gonçalves

22/10 23/10 23/10 24/10 24/10 24/10 24/10 24/10 25/10 25/10 25/10 27/10 27/10 27/10 28/10 29/10 29/10 30/10 30/10 30/10 30/10 31/10 31/10

Samara Amaro Souza Ana Sebastiana B. Assis Laura das Graças Miranda Cleuzenir Aparecida Pereira Adriana de Moura Furtado Alverina Maria de Jesus Cleuzenir Aparecida Pereira Gilmar Silva Miranda Eny Maria Ferreira Maria das Graças Nogueira Wainer Ferreira Silva Benedito Cândido de Souza Luiz de Paula Dias Fabricio Cassiano Máximo Ernestina Trindade Vieira Fábio Sérgio de Azevedo Geraldo Coelho de Almeida Edna Aparecida M. Xavier João Gonçalves de Oliveira Maria das Graças Sandra Aparecida C. Campos de Matos Antônia Emília Rodrigues Lúcia Maria Nicolau

NOSSA SENHORA DE NAZARÉ (MARIA DE NAZARÉ) BOM JARDIM 03/10 03/10 03/10 04/10 12/10 13/10 17/10 19/10 21/10 24/10 25/10 29/10 29/10 29/10

Adilson de Souza Constâncio Geizilane Miranda Jorge Odete Cruz Vasconcelos Márcio Rogério Vieira Honorato Sabryna Vieira Santana José Carlos Henrique Jakeline Maia da Silva Liliam Maria Souza Brena Caira Laureana Soares Raimunda da Silva Dias Breno Petkevicus Morais Márcia Maria da Silva Rosilei Freitas de Oliveira Efigênia Rodrigues de Jesus nunes

SAGRADA FAMÍLIA BOM JARDIM 02/10 02/10 02/10 05/10 11/10 13/10 15/10 16/10 17/10 18/10 21/10 22/10 24/10 25/10

Maria Margarida de Souza Maria Aparecida Gomes de Medeiros Margarida Souza Kátia Regina Amorim Ramos de Freitas Efigênia das Graças Kelly Cristina Campos Oliveira Geralda Terezinha de Jesus Ana Paula Vieira Leticia Aparecida F. de Oliveira Ana Carolina Gonçalves Souza César Oliveira Silva Paulo Elson de Oliveira Mizabete G S Menezes Dionísia da Cruz Rodrigues

01/10 02/10 02/10 05/10 05/10 06/10 09/10 09/10 10/10 12/10 13/10 13/10 14/10 14/10 15/10 17/10 18/10 18/10 19/10 20/10 20/10 21/10 22/10 22/10 23/10 24/10 26/10 27/10 28/10 28/10 30/10 30/10

Rui Pereira Marques Wilson Corrade da Silva Andresa Graziele Badaró G. Dutra Robson Castro de Souza Maria das Graças Souza Elisângela Aparecida Gomes Oliveira Maria do Carmo Flávia Aguiar Faier Ismael Alves Moura Ivone Gabriel Arcanjo Lima Tânia Regina R. Caldeira Débora Cristina Batista de Menezes Poliane Quirino dos Santos Jair Barbosa Maristana Viega Silva Geraldo Magela Maria da Conceição Miranda Maria Cristina Nunes Daniel Elisangela Pedro Rodrigues Margarida Orlandina Silva Oliveira Laerte Contão Tereza Maria das Neves Braga Francismary Venancia Ferreira Larissa Tomazini Santos Geraldo Borges Rui Pereira Marques Júnior Claudia Cristina Terra Gilder Antônio Coura Dias Diogo André Ribeiro Gomes Manoel José Pereira Filho Alessandra Maria V. Duarte José Rosário Batista

SÃO FRANCISCO DE ASSIS ESPERANÇA 02/10 04/10 05/10 06/10 07/10 10/10 10/10 10/10 10/10 12/10 12/10 13/10 13/10 14/10 21/10 22/10 23/10 24/10 24/10 24/10 26/10 28/10

Ednei Francisco Aparecido da Silva Richard Alex da Silva Santos Antonia Gonçalves dos Santos Geraldo Euzebio Soares Aline Malta de Abreu Maria Francisca dos Reis Fernanda de Souza Caetana Vanessa Aparecida Soares FERNANDA DE SOUZA CASTRO Marlon Barbosa Silva Lina de Paula Soares Ribeiro Geraldo Eduardo Augusto Clementina Menezes da Silva Clementina Batista Celina Rodrigues Washington de Souza João José de Oliveira Elizabete Fernandes Silva Claudiana Oliveira de Paula Elizabeth Fernandes da Silva Máximo Jane Gonçalves Lana Antônio Valdir de Carvalho

SÂO GERALDO BOM JARDIM 1/10 04/10 04/10 05/10 05/10 07/10 08/10 09/10 11/10 11/10 11/10 12/10 13/10 14/10 15/10 15/10 15/10 15/10 15/10 17/10 18/10 19/10 19/10 20/10

Maria Aparecida da Silva Sousa Welem Meireles Ribeiro de Andrade Maria da Dores F. Venâncio Erli Rogerio Sampaio Cruz Keila Aparecida Ventura Felix Nirlei Fernandes Oliveira Natália Bragança Mendes Fernanda Aparecida de Paula Santos Celia Vidigal Fernandes Rodrigues Célia Vidigal Fernandes Ivani Laurinda de Paula Santos Maria das Dores Rodrigues Leisliane Stefani Rodrigues de Castro Tarcisio José da Silva Lucilene Ramlow Gomes Oliveira Correa Diniz Inês Violante Cruz Viana Eliane de Sousa Lima Douglas Rodrigues Ferreira15 Allan Bruno Oliveira de Andrade Claudete Lima Martins Flamarion de Souza Rocha Maria Vieira de Paula Maria da Penha Luciano

21/10 21/10 21/10 21/10 21/10 22/10 22/10 22/10 22/10 23/10 23/10 23/10 24/10 24/10 25/10 26/10 26/10 28/10 29/10 30/10 30/10

Maria de Lourdes Nascimento Karyne Campos Queiroz Peterson dos Santos Mota Vanderli Maria de Souza Moreira Pablo Souza Moreira Anna Paula Batista de Oliveira Reldo dos Santos Arantes Rildo dos Santos Arantes Nilza Elma Pires Gedson do Reis Magna Silveira Hubner Amorim Thamires de Almeida Faria Iraci Lopes da Silva Márcio José Teixeira Eliana Marquez Alcântara Ana Lucia Dias dos Santos Daniela Cordeiro Gonçalves Lucinete Gois da Silva Valtecir Costa Durual Salvina Madalena da Silva de Abreu Sandra Mara Costa Lage

SÃO JOÃO BATISTA ESPERANÇA 10/10 13/10 15/10 23/10 25/10 27/10

Irene Gomes da Silva Clenildes Valadares Ferreira(cléo) Maria de Fátima Ferreira (Fatinha) Maria do Rosário de Jesus Costa Talita Altina Aparecida Rocha Thamara Carmargos de Castro

SÃO JOSÉ BOM JARDIM 01/10 04/10 05/10 07/10 08/10 11/10 12/10 13/10 19/10 21/10 25/10 26/10 26/10 26/10 30/10 31/10 31/10 31/10

Maria das Graças de Souza Cláudia Botelho N.A. Maria das Dores Lima Ferreira Mila Aurea Arantes Vandeci Elidio de Araújo Ana do Carmo Esteves Ramos Gilmar Ozório da Silva Edson Ferreira da Silva Ivanete Lima da Silva Eliziane Alves de Oliveira Raimunda Sabino Gomes Sandra Soares do Nascimento Atzori Sandra Alzoni Nascimento Sandra Atzori Nascimento Eliane do Rosário A. Pereira Marcia Maria Marques Amorim Maria Márcia Marques Amorim Lidia de Araujo Castro

SÃO LUCAS (ATOS DOS APÓSTOLOS) IDEAL 01/10 05/10 06/10 07/10 08/10 08/10 09/10 11/10 12/10 13/10 13/10 15/10 15/10 16/10 18/10 18/10 18/10 18/10 21/10 22/10 23/10 23/10 25/10 26/10 26/10 26/10 30/10 31/10 31/10

José Geraldo de Carvalho Letícia Anizio de Souza Cleonice Aparecida Silva Pedro Roseária de Sales Peixoto Bhering Miranir Araújo Miranda Alex Bergami Gomes Hilton Pereira da Silva Cíntia Aparecida Ferreira Terezinha Benta Ferreira de Sena Sandra Teixeira Morais Maria Aparecida Carmo Gomes Geraldo Gonçalves da Silva Kleberson Soares Barbosa Maria Regina Guedes de Frias Terezinha Lucas de Souza Muniz Gilberto Antônio Foca Gilberto Antônio Foca Pedro José Albani Maria Aparecida Dutra de Pinho Clemilda Martins Cardoso Elcy Soares Rodrigues Maria da Penha Ferreira Eliana Marques de Alcantara Vanilde Delfina C. Marinho Welida Paula da Silva Eliane Neres da Silva Melissa Mendonça Pereira Ilidio Pacelli Ferreira Alves Paulo Sérgio Garcia

SÃO SEBASTIÃO BOM JARDIM 13/10 21/10 31/10

Maria Penha Pontes Paulo Onofre Soares Paulo Diéssica Rayne Dionísio Miranda

As informações dos dizimistas aniversariantes foram enviadas e devem ser atualizadas pelos Coordenadores da Pastoral do Dízimo das Comunidades

Jornal Anúncio em Ação - Outubro 2017  
Advertisement