Page 1

ANO 4 | Nº 19 | 2009 | R$ 8,90

Botucatu especial Turismo

Península de Maraú, um paraíso na Bahia

Viva Bem

Chega de desculpas: Exercite-se no seu local de trabalho, praticando a ginástica laboral

Fátima Riello A profissional da beleza mais premiada de Botucatu nos fala de seu amor pela profissão e pela cidade, contando sua trajetória e planos para o futuro

Closets | Especial Demétria | Coluna Social | Festas e Cia. | Mundo Digital


editorial

www.botucatuespecial.com.br

Foto Malu Ornelas

Publicação bimestral | Ano 4 | Edição 19 | Dezembro 2009 / Janeiro 2010

Entramos no quarto ano de publicação da Botucatu Especial muito felizes e determinados a continuar trazendo até você um veículo de comunicação cada vez melhor. Sempre procurando inovar, trazemos mais novidades para você nesta última edição de 2009. Destaco as novas colunas sociais assinadas por Olavo Peixoto Jr. e Márcia Mazzoni Paim. Olavo nos apresenta as melhores festas e eventos em sua nova coluna batizada de PVT. Márcia nos mostra as pessoas que são destaque nos eventos mais importantes da cidade em sua coluna Top People. Não deixe de conferir essas novidades. Nossa matéria Especial é a primeira de uma séria que destaca o Bairro Demétria, referência em nossa região em agricultura biodinâmica, além de todas as outras particularidades do bairro que você poderá conhecer nessa série de artigos. Muita coisa interessante está acontecendo na cidade. Descubra na seção Acontece. Não deixe de ver também a nossa seção de Turismo, que nesta edição destaca a Península de Maraú, um lugar de beleza exuberante localizado em um dos lugares mais bonitos do Brasil. Com a proximidade do verão, as mulheres começam a se preocupar com os cuidados com o corpo e não podem descuidar dos cabelos. No Espaço Mulher, trazemos dicas de como cuidar bem de seus cabelos nesta estação tão esperada para que possa aproveitála ainda mais sem preocupações futuras. E como estamos falando de cuidados com o corpo, aprenda a se exercitar no seu próprio local de trabalho, praticando a ginástica laboral. Veja todas as dicas na seção Viva Bem. O jornalista Pedro Manhães é o nosso entrevistado na seção Perfil, onde nos conta um pouco de sua vida a frente do jornal Diário da Serra e nos fala sobre os seus planos futuros. A grande cabeleireira e maquiadora Fátima Riello nos concedeu uma entrevista especial na Matéria de Capa onde nos fala de seu amor pela profissão e de seu amor por Botucatu, nos conta de suas importantes premiações como profissional da beleza, além, é claro, de posar para nossa capa. E tem muito mais vindo por aí no próximo ano. Aguarde grandes novidades! Boa leitura!

06 18 20 22 24 28 32 34 38 40 42 48 50 52 54 56

Acontece PVT Espaço Mulher Espaço Universitário Perfil Top People Festas e Cia. Matéria de Capa Mundo Digital Viva Bem Sociedade Curtição Especial Arquitetura Seus Direitos Turismo

EXPEDIENTE Diretor: Sandro Coltri (14) 9798-7076 | sandro@botucatuespecial.com.br MSN: sandro.coltri@hotmail.com | Skype: sandro.coltri Empresa Responsável: Sandro José Moraes Coltri - ME CNPJ: 08.095.446/0001-59 | I.E.: 224.173.760.114 Projeto Gráfico / Diagramação: Priscila Farias Roza Capa: Fátima Riello | Foto: Malu Ornelas Redação: Suelyn da Luz | MTB 52.986 Colaboradores: Aline Grego, Joel Nogueira, Lilian Inácio, Lique Tavares, Malu Ornelas, Márcia Mazzoni Paim, Marcelo Melo, Margarida Guerreiro Ciccone Ambrozi, Olavo Peixoto Jr., Rilton Baptista e Patrícia Maria Magri. Consultoria comercial: Edgar Paim (14) 9761-5555 | edgar@botucatuespecial.com.br Contato Comercial: Rose Campos (14) 9142-3255 | comercial@botucatuespecial.com.br

Contato comercial: Carlos Zamboni Júnior (14) 9776-7145 | zamboni@botucatuespecial.com.br Publicidade e assinaturas: (14) 3814-3386 | 9798-7076 publicidade@botucatuespecial.com.br assinatura@botucatuespecial.com.br Contato: (14) 3814-3386 Rua Pedro Delmanto, 114 | Jardim Paraíso | Botucatu/SP CEP 18610-303 | contato@botucatuespecial.com.br

Sandro Coltri A revista Botucatu Especial não se responsabiliza por conceitos ou opiniões emitidos em artigos assinados. As informações dos anúncios veiculados na revista são de inteira responsabilidade do anunciante. Esta revista mantém-se religiosa e politicamente neutra.


acontece Texto e Fotos Clarissa Athayde

Pró-Cuesta

realiza última prova de Trekking do ano

A

tarde do dia 8 de novembro foi cheia de aventura e desafios para as cerca de 80 pessoas que participaram da oitava e última etapa do ano do Circuito Pró-Cuesta de Trekking. O evento foi realizado a 40 minutos de Botucatu, na região das Três Pedras. Em meio a uma maravilhosa paisagem, os trekkers percorreram a pé pouco mais de 7 km entre mata, trilhas e rios. O destaque foi para as equipes Saci/VidaAtiva (da categoria graduados) e Frei Fidélis/Embraer (Trekkers e Indústria), que obtiveram as melhores pontuações na somatória geral. Segundo o organizador da prova, Fernando Arena, o Circuito Pró-Cuesta de Trekking fechou o ano com chave de ouro. “As provas foram excelentes, e muitas equipes mostraram ótimo desempenho. Para 2010, já estamos estudando novos percursos, sempre na região de Botucatu”, conta. 06 Revista Botucatu Especial

Mais sobre o Trekking

O objetivo dos competidores é realizar um percurso pré-determinado pela organização no tempo exato. São fornecidas planilhas com indicações de velocidade média a ser seguida, distância e observações, quando forem necessárias. Para saber quem foi o vencedor da prova, durante o trajeto são colocados postos de controle (PC) que verificam se as equipes fizeram o percurso corretamente, anotando o tempo de passagem de cada equipe pelo local. No final, ganha a equipe que chegar ao ponto de partida no tempo mais próximo do pré-estabelecido. Para saber mais sobre o esporte, acesse o site www.procuesta.com.br Patrocínio: Marcenaria Arena, Vida Ativa, Brotherhood, Prefeitura Municipal de Botucatu, Revista Botucatu Especial, Pokoloko, Unifac, Sesi e Unimed.


acontece Por Igor Medeiros | Fotos Divulgação

Judô é lição Parceria faz com que judô chegue a 200 alunos no Angelino de Oliveira e Pacheco. Esporte tem ajudado na parte comportamental das crianças

nas escolas

Desde o início de setembro deste ano, duas escolas da Rede Municipal de Ensino oferecem judô a seus alunos. A Emef “Angelino de Oliveira”, localizada na Vila Antártica, e a Emefei “Luiz Carlos Aranha Pacheco”, no Jardim Paraíso, estabeleceram parceria com a Associação de Judô Mata Sugizaki (AJMS), que fornece os professores e os tatames. A infra-estrutura foi montada nas respectivas escolas e os treinamentos de judô oferecidos no contra turno das aulas. No Angelino foram formadas quatro turmas de aproximadamente 20 alunos. As aulas acontecem todas as terças-feiras pela manhã (das 9 às 11 horas) e à tarde (das 15 às 17 horas). No Pacheco a adesão foi maior: quase 120 jovens estudantes que treinam toda sexta-feira. Segundo as diretoras das escolas, a ideia de levar o judô foi excelente e já surte resultados positivos. “O comportamento deles melhorou muito”, afirma Edileine Fernandes Henrique, diretora da escola Angelino de Oliveira. “Percebemos que eles estão mais comprometidos. As faltas nas aulas e aquelas briguinhas

08 Revista Botucatu Especial

ndes Edileine Ferna gelino e da Escola An aki Mateus Sugiz

na hora do intervalo também diminuíram consideravelmente. Estão extravasando tudo no tatame”, relata Lucilene Cota, diretora do Pacheco. Em ambas as escolas já têm lista de espera com pelo menos 60 alunos cada, com esperança de que mais horários sejam disponibilizados. Mateus Sugizaki, presidente da Associação de Judô, espera que este seja o primeiro passo para difundir em Botucatu a modalidade, que tem um lado educacional muito forte. “O judô irá contribuir, acima de tudo, na parte psicomotora e comportamental da criança. O esporte como competição é uma consequência. Mas talvez no futuro Botucatu possa revelar novos campeões. Isso aconteceu com os atletas que passaram pelos nossos projetos sociais, e que hoje são a maioria dos que trazem medalhas em Regionais e outras competições. Esperamos que em 2010 nós possamos levar o judô a mais escolas de Botucatu”, ressalta Sugizaki, que já foi técnico da Seleção Brasileira de Judô, de 1980 a 1985, participando da Olimpíada de Moscou.


Texto e Fotos Clarissa Athayde

70 anos

da AAF

Neste ano, uma série de atividades foram promovidas em homenagem aos 70 anos de fundação da AAF. A vasta programação contou com eventos sociais, esportivos e culturais. Dentre os destaques, está a realização do derby AAF x AAB, que reuniu veteranos dos dois clubes em um jogo que já ficou marcado na história. A partida terminou empatada em 2 a 2. Um excelente resultado para o dia festivo. A inédita exposição fotográfica “AAF – 70 Anos de Glória” recebeu a visita de milhares de pessoas durante o ano. Organizada pelo historiador Luiz Roberto

Coelho Gomes, o “Zulo”, com o auxílio da assessoria de imprensa da AAF, a exposição foi considerada um sucesso. Ao todo, mais de 30 totens exibiram banners que contaram, através de fotos, um pouco sobre a história do clube, desde a época do futebol profissional, até a criação da parte social. Com cerca de 2 metros de altura, os totens foram instalados em diversos ambientes do clube, de forma que os associados e visitantes pudessem conferir as fotos onde quer que estivessem.


acontece

ADEFIB O artesanato eleva a auto-estima, desperta o gosto pela arte e valoriza as pessoas. A ADEFIB, através do Curso de Artesanato, está desenvolvendo um trabalho especial com os alunos portadores de Paralisia Cerebral. A pintura está despertando neles muito prazer pela arte e todo o grupo está focado no aperfeiçoamento a cada dia que passa. Excelentes resultados estão sendo obtidos no controle motor, alguns adquirindo independência durante a execução dos trabalhos e outros com melhorias na mobilidade. Somente com a receita do amor e dedicação, a ADEFIB está conseguindo elevar a auto-estima e valorizar o trabalho realizado pelo grupo.

Texto Lúcia Maria Nali Aguiar | Foto Arquivo pessoal

Algumas alunas, como a Milene e a Renata, estão pintando e vendendo as peças. A aluna Angélica já consegue segurar o pincel com mais mobilidade, ao passo que a aluna Luana já está independente e a aluna Keila sonha em ser uma artista plástica. Marcos é outro aluno que participa do grupo, não é portador de paralisia cerebral, mas está evoluindo a cada dia. Além desse grupo, as aulas de artesanato atendem todos os alunos assistidos pela ADEFIB. Eles executam belíssimas peças em tapeçaria arraiolo, finíssimas toalhas de mesa, toalhas de lavabo, panos de prato, pinturas em madeira, lataria e outros. Os alunos trabalham em ritmo intenso, pois não vencem as encomendas,

tendo trabalhos que foram levados para a Alemanha e Estados Unidos, inclusive. A professora Lúcia Maria Nali Aguiar é quem comanda o Grupo de Artesanato há 17 anos, sempre com muito carinho, amor, e paciência. Parabéns a todos os alunos da ADEFIB! Para saber mais e colaborar, entre em contato com a professora Lúcia: (14) 3813-3228 ou com Gustavo Aguiar: (14) 8122-0050.


acontece Da Redação | Fotos Malu Ornelas

Maria Pia

Jeans

é mais uma vez finalista do concurso Avon de maquiagem

oficial do

Corinthians No último dia 30 de novembro, em Botucatu, foi inaugurada a loja Timão Jeans, que comercializará peças masculinas e femininas oficiais do Sport Club Corinthians Paulista. A confecção, dos mesmos proprietários da Rodeo Way, Rogério Bordinhon e Francisco Araújo, é a marca oficial de jeans do clube paulista, que oferece calças, bermudas, shorts e mini-saias exclusivas do clube. Até 24 de dezembro a loja estará aberta com promoções imperdíveis, ou enquanto durarem os estoques. As compras também podem ser feitas pela internet, no site www.timaojeans.com.br, que possui todo o catálogo de produtos. Para quem é fiel de verdade! Vale a pena conferir! A Timão Jeans fica na Rua Amando de Barros, 350 - Loja 12 (Galeria) - Centro.

A maquiadora botucatuense Maria Pia Ornelas foi selecionada mais uma vez como finalista do Concurso Conexão Beauty Art Avon. O concurso é uma disputa entre os mais promissores beauty artists brasileiros, julgados por alguns dos melhores profissionais em atuação no mercado. O vencedor de cada categoria conhecerá o backstage dos grandes desfiles, produções de cinema, espetáculos, editoriais, publicidade e salões de beleza. Além disso, vai conversar com os melhores profissionais e ficar por dentro de todas as novidades da Beauty Art no mundo. Cada vencedor fará a concepção e a execução de um editorial de Beauty Art, publicado na Galeria do Portal da Maquiagem e terão um blog exclusivo no Portal da Maquiagem para compartilhar cada passo da experiência internacional e outras atividades da premiação, além de perticiparem em workshops e eventos da Avon. Para definir os ganhadores de 2009 será aberta votação popular que acontecerá do dia 11 de dezembro deste ano até dia 17 de janeiro de 2010 no site www.portaldamaquiagem. com.br. Acesse e vote! Pia está concorrendo na categoria Publicidade, com os seguintes trabalhos inscritos: Título .............................................. Cliente ......................................... Data No Up No Over ............................. Day Off .......................................... Calendário Skara 2009 ................... Coleção Primavera verão 2010 ...... Campanha Geraldo Couto ............. Abertura do site de Malu Ornelas .. Feel Free ........................................ Nossos Idosos ................................. Campanha Malu ornelas ................

Malu Ornelas .............................. Bunny’s ....................................... Skara ........................................... Malhas e Cia ............................... Geraldo Couto ............................ Malu Ornelas .............................. Malu Ornelas .............................. Casa Pia ....................................... Malu Ornelas ..............................

Da Redação | Foto Divulgação

20/07/09 01/07/09 01/01/09 25/07/09 28/04/09 10/07/09 15/09/09 02/12/08 24/06/09


acontece

Ótica Santa Luzia

Texto e Fotos Suelyn da Luz

em festa

A Ótica Santa Luzia está em festa. No mês de outubro, José Renato Colturato Joaquim e seus funcionários comemoraram os 34 anos da loja. Para 2010, a Ótica reserva novidades que poderão ser conferidas nas próximas edições da Botucatu Especial. A Ótica Santa Luzia fica na Rua João Passos, 507 – Centro. Mais informações pelos telefones (14) 3882-4215 e 38146655 ou acesse www.stluzia.com.br. Texto e Fotos Suelyn da Luz

Spazzio

Bianco A loja Spazzio Bianco, que já é referência na cidade quando o assunto é locação de vestidos de noivas e trajes femininos para festas, está com novidades. Além das peças prontas ou confeccionadas de forma personalizada para primeiro aluguel, em ateliê de alta costura e estilista exclusivo, a loja passará a oferecer também confecções prontas para venda. São lindos vestidos de festa, com alta qualidade e visual impecável. Em breve, o principal diferencial da loja será a ‘Sala da Noiva’, projetada especialmente para atendê-las, com ambiente climatizado e que começará a funcionar ainda neste ano. “Assim, as noivas terão mais tranquilidade, privacidade e o tempo que necessitarem para escolher o vestido perfeito para essa ocasião, que é tão esperada e especial”, conta Paulo Bruni, que divide a direção 14 Revista Botucatu Especial

da loja com sua esposa Bia Bruni. Para 2010, o casal também tem planos de iniciar a locação de trajes para noivos. A Spazzio Bianco fica na Rua Dr. Cardoso de Almeida, 330 – Centro, em local de fácil estacionamento. Venha fazer uma visita. Mais informações pelo telefone (14) 3813-5399.


acontece Da Redação | Fotos Sandro Coltri

Novidades na

Organizzato

Desde 03 de novembro a Organizzato, loja de móveis planejados, está sob a gerência de Magda Penteado, que está muito animada em fazer parte do quadro de colaboradores e poder ajudar a empresa a crescer ainda mais.

Focada em apresentar produtos que tragam qualidade de vida para seus clientes e com objetivos pautados dentro da realidade e nas características do mercado alvo em que atua, a Organizzato procura assim ajudar a sociedade a conquistar bens que proporcionem conforto e segurança. Isso por sua vez gera a satisfação do cliente. Graduada em Administração, com pósgraduação em Gestão Empresarial, Magda está aplicando seus conhecimentos e a experiência que adquiriu ao longo dos dez anos que atuou no comércio varejista e dos quatorze anos no ramo de corretora de seguros. “A estratégia e gestão da nossa empresa é um grande desafio, pois

estamos na busca de resultados significativos, proporcionando uma atmosfera empresarial vencedora”, diz Magda. A Organizzato fica na Av. Camilo Mazzoni, 1554 – Jardim Paraíso. Mais informações pelo telefone (14) 3813-6729.


espaço mulher

Verão

Cuidados redobrados com os fios

Da Redação | Fotos Suelyn da Luz / Divulgação

N

esta estação, passar um dia de sol aproveitando uma praia ou piscina é uma opção de lazer recompensável, não é? Mas, além de todos os cuidados básicos com a pele, como o uso de protetor solar, os cabelos também precisam de atenção diária e redobrada no verão. O primeiro passo para garantir a beleza de seus fios durante toda a estação é procurar um especialista. Existem vários tratamentos que protegem os fios dos raios solares e um profissional saberá qual é o melhor para cada tipo de cabelo. A hidratação convencional, por exemplo, quando realizada com produtos profissionais, é sempre uma boa pedida. Se você quer experimentar um tratamento diferenciado, a Selagem pode ser uma ótima opção. Trata-se de uma hidratação profunda, que reduz as pontas duplas e proporciona o

fechamento das cutículas capilares, reduzindo também o volume dos fios. O tratamento é recomendado para todos os tipos de cabelo e o ideal é repetir a seção a cada dois meses. Apesar da polêmica que evolve a Escova Progressiva, esse tipo de tratamento ainda é bastante procurado e, ao contrário do que se pensa, também é considerada uma hidratação. É indicada para todos os tipos de cabelos, principalmente tintos ou com mechas. A periodicidade do tratamento varia de três a cinco meses, mas depende do tipo do cabelo e frequência de lavagem, que deve ser feita com shampoo sem sal. E o mais importante: independente do tratamento escolhido, é imprescindível que seja realizado por profissionais especializados e produtos regulamentados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa. Tentar economizar realizando esses procedimentos em casa ou com pessoas não habilitadas pode custar caro para a saúde, de uma forma geral.

Mantendo a beleza

Depois de ser atendida por um profissional, o ideal é continuar os cuidados em casa. No mercado existe uma infinidade de produtos para fazer a manutenção do tratamento. Cremes sem enxágue são os mais indicados para manter os fios sempre hidratados e protegidos dos efeitos do sol. Confira outras dicas: - Depois de um banho de mar, enxágue os cabelos com água doce e 20 Revista Botucatu Especial


Parte da equip

e Vanità: Gusta

vo, Jéssica e

Luciane (Prop

rietária).

aplique creme sem enxágüe. Reutilizeos após a lavagem, quando necessário. Se optar por um banho de piscina, a recomendação é a mesma. - As loiras devem redobrar os cuidados no verão, pois o cloro da piscina também pode danificar a coloração dos fios, deixando-os com um aspecto esverdeado. - Também vale usar bonés e chapéus, que, além de protegerem os, fios são lindos acessórios. E claro, aproveite o verão, sem descuidar da aparência!

Na Vanità Estética você pode cuidar dos cabelos com profissionais e produtos de primeira linha. A equipe formada por sete especialistas oferece os mais variados tratamentos capilares, além de depilação, estética facial, manicure/pedicure, maquiagem, design de sobrancelhas e permanente para os cílios. No local também podem ser adquiridos produtos para a manutenção do tratamento para os fios, como shampoos de limpeza profunda, condicionadores com ou sem enxágue, pastas para modelar e spray de fixação, todos de marcas internacionais e profissionais como a L’Anza e Kérastase.

Faça uma visita!

A Vanità Estética fica na Avenida Vital Brasil, 1172. Mais informações pelo telefone (14) 3882-3366 ou 3815-6153.


espaço universitário

Lageado

fechou 2009 com atraçõ

Texto e Fotos Aline Grego

A

Professor Perosa, vice-diretor da FCA

Comissão de Atividades Culturais da Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA) da Unesp promoveu diversas atividades durante o ano incluindo degustação de café, peças de teatro, exposições fotográficas e uma concorridíssima apresentação do grupo Madalena, revelação do samba paulista. Mantendo sua linha eclética de atuação, a programação de final de ano do Lageado Cultural ofereceu opções para gostos bastante diversos, incluindo apresentação de folclore e uma Cantata de Natal com corais e orquestra.

Show de cururu

Jonata Neto e Manezinho Moreira

22 Revista Botucatu Especial

Na tarde do dia 28 de novembro, aconteceu no Anfiteatro do Terreiro de Café da Fazenda Lageado o show de lançamento do CD “Cururu: tradição e poesia caipira”, gravado pelos irmãos Horácio e Jonata Neto, dois dos maiores cantadores da história do cururu paulista, promovido em conjunto com a

Comissão de Atividades Culturais da FMVZ. O CD foi gravado com apoio do Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura, através de edital voltado para a promoção e a continuidade das expressões culturais tradicionais de São Paulo. No show de lançamento do CD se apresentaram os cantadores piracicabanos Jonata Neto e Manezinho Moreira, que substituiu Horácio Neto, falecido em agosto passado, aos 86 anos. Estiveram presentes no evento cerca de 100 pessoas de diversas cidades como Pratânia, Tatuí, São Manuel, além de Botucatu. Conhecido como o “repente caipira”, o cururu paulista é uma manifestação folclórica típica da região do Vale do Médio Tietê, praticada em cidades como Piracicaba, Sorocaba, Botucatu, Conchas, Tatuí, Tietê e Laranjal Paulista. Ao longo dos anos, o cururu passou por diversas modificações. Características importantes da manifestação, como a parte religiosa das cantorias, quase se perderam. Em “Cururu: tradição e poesia caipira” está registrado o cururu no que ele tem de mais próximo do seu formato original, com as louvações e histórias bíblicas. O bom humor, que tanto cativa os fãs das cantorias, também está presente em faixas como “A cana verde” em que os irmãos cantadores se desafiam usando como tema uma engraçadíssima caçada de tatus. Horácio e Jonata Neto são cantadores muito respeitados no meio do cururu. Ao longo de décadas de carreira cantaram ao lado dos maiores nomes do gênero como Nhô Serra, Pedro Chiquito, Zico Moreira, Luizinho Rosa e Parafuso. Os dois irmãos já haviam gravado LPs e CDs, mas estavam afastados das gravações há muitos anos. Inteiramente gravado em Botucatu e produzido pelo violeiro Osni Ribeiro, o CD também traz um encarte com dezenas de fotografias, um texto explicativo sobre


Cultural

ções para todos os gostos o cururu e as biografias dos cantadores. “Trata-se de um registro do talento e de uma homenagem a esses grandes poetas populares do Brasil”, afirma o jornalista Sérgio Santa Rosa, idealizador do projeto que resultou no CD. “É uma obra que emociona, diverte e documenta uma parte fundamental do folclore do nosso Estado”. Os CDs estão à venda nas lojas da cidade.

Cantata de Natal

Na noite de 03 de dezembro foi a vez de uma Cantata especial de Natal, o “Natal no Lageado” com a apresentação

de cinco corais, quatro deles ligados à Unesp, e de uma orquestra. Nem a chuva que caiu durante todo o dia e continuou durante a noite afastou o público do encontro de corais realizado no Auditório Paulo Rodolfo Leopoldo, na Fazenda Experimental Lageado. Inicialmente programado para acontecer na escadaria da sede da Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais - Fepaf, o evento foi transferido para o Auditório por causa do mau tempo. O “Natal no Lageado” teve a participação dos corais das unidades da Unesp de Botu-

catu, Bauru, Rio Claro e Jaboticabal. Da cidade de Lençóis Paulista participaram o Coral Municipal e a Orquestra de Sopros que surpreendeu o público ao tocar seleções em homenagem a Raul Seixas e Roberto Carlos. Os corais, por sua vez, apresentaram repertórios bastante diversificados, incluindo música popular, erudita e clássicos natalinos. O professor José Matheus Yalenti Perosa, vice-diretor da FCA e presidente da Comissão de Atividades Culturais, comemorou o sucesso da iniciativa. “Apesar da chuva, tivemos um ótimo público e a apresentação dos artistas foi brilhante. Quem veio saiu satisfeito”.


perfil

Pedro Manhã

Melhorar a vida das pessoas: esse é o neg

Da Redação | fotos Malu Ornelas / Arquivo pessoal

A

pesar de ser natural de São Paulo, o jornalista Pedro Manhães, 42 anos, se considera botucatuense desde que conheceu a cidade, em 1990. Aqui construiu sua carreira profissional e empresarial, que se confunde com a história de um dos principais veículos de comunicação da cidade, o Diário da Serra. Como se não bastasse a responsabilidade da atuação como diretor do jornal, em 2010 ele assume um novo desafio, com o lançamento de sua candidatura a deputado federal pelo Partido Verde. Nesta última edição de 2009, a Botucatu Especial fecha o ano com o perfil de Pedro Manhães, um jornalista que estabeleceu como sua missão “ser um meio de melhorar a vida das pessoas que fazem parte da sua vida”. Conheça um pouco desse comunicador nato, que leva Botucatu no coração. Botucatu Especial: Quando você mudou para Botucatu tinha apenas 23 anos. Não é muita ousadia chegar numa cidade desconhecida e montar um jornal?

Pedro Manhães: Eu sempre quis ser jornalista. Quando era adolescente já participava do grêmio estudantil da escola fazendo o jornalzinho da turma. Essa profissão sempre me fascinou. O jornalista é um profissional que lida com a verdade, tem compromisso com isso. 24 Revista Botucatu Especial

Assim que resolvi mudar para Botucatu fui procurar emprego. De cara, visitei os jornais e as rádios da cidade, procurando um trabalho com o qual me identificasse. Na época, nenhum dos veículos tinha condições de pagar um salário que fosse suficiente para viver com dignidade, quanto mais o que eu achava que merecia. Então resolvi montar uma revista, impressa em papel jornal, que se chamava Geração90. Era mensal, voltada para o público adolescente, da 7ª série ao 3º colegial, e distribuída em todas as escolas públicas e privadas da cidade. Foi o que abriu caminho para que eu pudesse me posicionar no mercado e sonhar com projetos maiores. B.E.: Depois disso, seu destino estava decidido, não é mesmo?

P.M.: Exatamente. A partir daí surgiu uma proposta de um projeto maior, de uma publicação semanária, voltado para o público adulto. Dessa forma, em 1992, iniciei com mais 4 sócios o então chamado Correio da Serra. Foi um período muito gratificante. Fazia tudo; era repórter, editor, articulista. Por ser um jornal semanário, a gente tinha tempo de se dedicar a um texto, ajeitá-lo, reescrever uma parte, apurar um fato novamente. Em 1996, depois de virar bi-semanário e tri-semanário o jornal passou a ser diário, distribuído de terça-feira a sábado

e depois de terça-feira a domingo. Nascia assim o Diário da Serra, um jornal que, apesar de todas as dificuldades, hoje é referência em cidades do nosso porte. B.E.: Quais são as lições que você tirou dessa caminhada para consolidar um jornal diário?

P.M.: Eu costumo dizer que a história do nosso jornal é uma epopéia, uma saga, uma luta constante. Estamos sempre fazendo um jornal além das nossas possibilidades, dando passos maiores que as nossas pernas. Fazemos até hoje um jornal diário com a estrutura que seria ideal para um bi-semanário. Mas temos que seguir em frente. Esse é o compromisso da nossa equipe com a cidade. Passamos por muitos momentos difíceis. No início de 1998, por exemplo, quase fechamos as portas. A situação era muito complicada, os bancos e os fornecedores quase nos deixaram sem saída. Até hoje ainda sofremos as consequências daquele período difícil, mas tudo isso nos fortaleceu muito. Aprendemos, principalmente, que a parte administrativa do negócio deve ser cuidada com muita responsabilidade, da mesma forma que o produto e as pessoas que trabalham conosco. No início, a gente se realizava apenas pelo fato de poder colocar um jornal nas bancas e na casa dos assinantes. No caminho, tivemos que descobrir que por trás do jornal precisa haver


hães

gócio dele

uma empresa sólida. Apanhamos um pouco, pela inexperiência, para descobrir isso. Acho que a perseverança foi a nossa maior virtude. E continuamos na luta, seguimos em frente. Mas acho que a grande descoberta foi ter estabelecido uma missão para o nosso negócio, que está estampada em nossa capa todos os dias: “Ser um meio de melhorar a vida das pessoas”. É para isso que toda a nossa equipe trabalha todos os dias. É com esse espírito que todas as pessoas que fazem o Diário da Serra fazem questão de agir. É isso que dá significado ao que a gente faz. B.E.: Apesar de ser jornalista por vocação, você não passou por uma Faculdade de Jornalismo. Foi mais difícil abraçar essa carreira por causa disso?

P.M.: Eu acredito que a vida empurra a gente para o que a gente quer, o que a gente sonha. Em São Paulo, em 1985, quando estava para concorrer ao vestibular, já havia a polêmica em relação ao fim da exigência do diploma de jornalismo para exercer a profissão. A discussão começou nessa época e, como vemos, ainda não acabou! Era muito angustiante para alguém com 17 anos prestar vestibular para jornalismo correndo o risco de depois ter que concorrer no mercado de trabalho com pessoas com uma formação específica muito mais apurada.

Por influência da família acabei indo para a faculdade de Direito. Cursei por três anos e vi que não era uma profissão para mim. Depois, fiz dois anos de Administração de Empresas, e percebi que também não era minha praia. Mudei para Marketing, por ser uma vertente criativa, dentro da Administração, mas vi que também não era meu ramo (risos). Dei uma volta enorme e acabei me tornando jornalista. É o que eu gosto de fazer, que me dá prazer e me deixa realizado todos os dias. O que eu mais gosto nessa profissão é que existem várias visões de um mesmo fato. A gente descobre que toda verdade tem, pelo menos, dois lados. E temos que dar voz

a toda essa pluralidade. Abrir espaço para todas as correntes de opinião, principalmente aquelas que divergem daquilo que a gente acredita. B.E.: E você começa uma nova fase em 2010, agora na política. Ser candidato a deputado federal é algo que você planejou para a sua vida?

P.M.: A política é algo novo para mim. Nunca imaginei ser candidato a nada. Achava que o jornalismo ia ser sempre o meu papel na sociedade. Que este era o lado do balcão onde eu sempre iria atuar. Mas, depois da eleição do prefeito João Cury, começou uma conversa muito amadurecida sobre a possibilidade de eu Revista Botucatu Especial 25


perfil ao lado da Pedro Manhães, cursa no ato esposa Bianca, dis rtido Verde de filiação ao Pa

Pedro Manhãe s, com a Senadora Ma rina Silva, no cong resso Estadual do PV

me candidatar a deputado. Muita gente entendia que era preciso consolidar esse processo de renovação política iniciado com a eleição do João. Aos poucos a conversa começou a ficar mais séria, com diversos partidos e líderes políticos, empresariais e sociais da cidade apoiando a idéia. Chegou um momento em que só faltava dizer: eu vou. Depois de uns três meses de insônia, decidi aceitar o desafio. Surgiram convites de vários partidos, mas acabei escolhendo o Partido Verde (PV). E o PV é o partido com o qual eu me identifico mais e me abriu espaços importantes nesse eixo da Castelo Branco e da Marechal Rondon, onde já contamos com o apoio da maioria dos diretórios municipais. Faz 50 anos que Botucatu não elege um deputado fede-

ral. Se a vida me colocou diante desse desafio agora, eu tenho que fazer a minha parte. É uma experiência nova, mas estou gostando muito da caminhada. Acho até que nasci para isso. (risos) B.E.: Como você vê a política de Botucatu, atualmente?

P.M.: Acho que a cidade vive um bom momento. Nossas lideranças pertencem a uma nova geração, que não quer cometer os mesmo erros do passado. Estamos mais amadurecidos politicamente. Vivemos um momento em que é importante que todos estejam buscando um mesmo ideal, remando para o mesmo lado, buscando melhorar a representatividade política da cidade e da região de forma conciliadora e harmônica. Acabou a fase da política do conflito, do confronto, das brigas partidárias, do mundo que se divide entre os a favor e os contra. Nossa geração tem uma responsabilidade muito grande: preparar o alicerce


para o grande salto de desenvolvimento que deve acontecer na nossa região nos próximos anos. Estamos numa região estratégica do Estado, a próxima fronteira do desenvolvimento. Precisamos unir forças para garantir um futuro melhor para as pessoas que vivem em todas as cidades da nossa região. E Botucatu tem um papel de liderança nesse movimento. E precisa assumir esse papel com muita firmeza e responsabilidade. B.E.: E, na sua opinião, a cidade mudou muito nesses 20 anos?

P.M.: Cheguei a Botucatu com 23 anos. Vivi aqui minha história adulta, profissional e pessoal. Tudo que construí e pude evoluir como pessoa e profissional devo a essa cidade. Foi ela que me proporcionou todas as oportunidades. Até nos momentos difíceis foi essa cidade que me segurou. E eu devo tudo isso a ela. Assisti uma Botucatu que evoluiu muito nesses vinte anos. Quando che-

guei aqui muitas pessoas ainda estavam preocupadas em manter a tradição do sobrenome: você é de que família? É filho de quem? Foi duro, no início, ter um sobrenome desconhecido, sem tradição na cidade Agora, felizmente, o sobrenome deixou de ter tanta importância. Hoje o que importa são as pessoas, o que elas fazem, o que elas pensam, o que propõem e no que contribuem para o desenvolvimento da cidade. Vejo muita gente nova chegando, abrindo seus negócios, fazendo a cidade evoluir. São empreendedores comprometidos com Botucatu. Muitos

Com a Secretári a de Estado do Desenvolvimento Social, deputada Rita Passos (PV), buscando investimentos par a a região

deles não são ‘nascidos e criados’ aqui, mas vieram porque gostam da cidade, querem se dedicar a ela, e precisam ser reconhecidos como botucatuenses, como parceiros da cidade. Estamos num ótimo momento e, mais do que nunca, está na hora de Botucatu ser especial!


TopPeople

Foto Malu Ornelas | Cabelo: Marquinho (Rielli’s) | Maquiagem: Fátima Riello (Rielli’s)

Márcia Mazzoni PaiM

por Márcia

28 Revista Botucatu Especial

1º Baile do Havai dos

Dragões da Vila


AAB

Baile do Caribe

Revista Botucatu Especial 29


festas e cia.

Festa, festa e

festa!

Por Margarida Guerreiro Ciccone Ambrozi | Fotos Arquivo pessoal

O

ano de 2010 está chegando e com ele surge a reflexão onde percebemos que realizamos muitos sonhos, muitas histórias, muitas novidades em nossa vida. Ao mesmo tempo em que nos enchemos de esperança e de ânimo para realizar os nossos novos sonhos e idealizações, sejam elas profissionais ou pessoais, e porque não dizer as duas. Hoje somos homens e mulheres múltiplos, somos profissionais, amigos, mães, pais, filhos, somos também pessoas com ideais que neste momento da virada do ano estamos tomados por uma energia que nos faz ainda melhores e por isso queremos festejar todos estes sentimentos juntos, o que já foi realizado e o que ainda será, e para isso nada melhor que uma festa para selar este momento de renovação. E pensando nisto e atendendo a muitos pedidos, nesta coluna darei algumas dicas de realização de festas de fim de ano, e assim vamos perceber que basta um único acontecimento para transformarmos isto em uma celebração e não em uma grande dor de cabeça. 32 Revista Botucatu Especial

Muitas pessoas acham que para uma boa festa acontecer ela precisa estar intimamente ligada ao dinheiro. Errado. Ela sempre vai estar ligada ao bom gosto, e acredite, sempre o menos vai ser mais, sempre o detalhe é melhor que o geral. Ao invés de fazer vários pontos de decoração de Natal, o ideal é utilizar apenas um lugar e transformar este espaço integralmente no Natal ou Reveillon. Sua economia também será maior se você reciclar o que tem em casa. Por exemplo, um bule ou uma sopeira de porcelana podem virar lindos vasos de flores, assim você pode decorar, ornamentar e criar mesas usando a criatividade e objetos encontrados dentro de casa. Se você vai receber convidados, pense nos pontos de atenção da sua casa. Começando pela porta de entrada, percorra o caminho dos convidados até a área reservada para a festa. Pronto! Este é o caminho da decoração. Isso não significa que você precisa encher o caminho de decoração natalina e sim que neste caminho você coloque uma lembrança da data em cada ponto, um detalhe da ocasião.

Se for preciso, retire alguns móveis da sala para que as pessoas tenham espaço, assim também você vai descobrir que pode brincar com seu espaço e modificálo conforme a situação. Na decoração misture no máximo três cores e trabalhe com elas, com flores, artesanatos, etc. A árvore de Natal e a guirlanda da porta são símbolos máximos do Natal. Você pode até usar materiais diferentes do que os tradicionais. Outra dica é com relação aos móveis. Pense no espaço que você tem hoje e em quantas pessoas virão para sua festa antes de sair por aí comprando mesas e cadeiras extras que depois você não vai saber o que fazer com elas. Você já pensou em alugar móveis para a sua festa? Alugando os móveis, além de muito mais barato, também te dará a possibilidade de trocar sempre a decoração. Por exemplo: você pode escolher alugar uma tradicional mesa de madeira para o Natal e outra mais moderna de vidro para o Reveillon. Só neste detalhe você já vai mudar a decoração de sua casa sem comprar nada, porque poucas peças grandes sempre vão chamar mais atenção do que várias pequenas, e lembre-se que o carinho e o capricho é que fazem a diferença no final. Para o Natal as cores fortes como vermelhos, dourados e verdes são predominantes. Já no Reveillon o branco predomina em toalhas, pratos, velas e arranjos. Componha a sua mesa com muito brilho. Cor prata é predominante. Outra opção é fazer uma mesa principal e enfeitá-la com um bonito centro de mesa, velas, arranjos e deixar um aparador ou mesa menor para compor o seu serviço, como: pratos, talheres, copos, guardanapos, etc. Quando você for montar a mesa do


serviço, outra dica importante é que você coloque na ordem: primeiro pratos, depois talheres. Pode parecer brincadeira, mas isso vai ajudar muito o seu convidado a segurar tudo ao mesmo tempo sem se atrapalhar. Conheça o que representa cada cor utilizada no Reveillon: Branco – Paz. É indicado para pessoas estressadas e agitadas. Azul – Novas amizades, calma, tranqüilidade, prosperidade, equilíbrio e harmonia familiar. Verde – Sorte, esperança, saúde e renovação espiritual. O verde aumenta a confiança, melhora o financeiro e diminui o estresse. Rosa – O amor verdadeiro, felicidade afetiva e simpatia. Perfeita para as românticas, meigas e tímidas. Vermelho – Para aquelas que estão à procura da paixão. Está associada à coragem, à iniciativa para se realizar e é indicada para quem quer se apaixonar. Violeta e lilás – São as cores da energia e da verdade, sucesso intelectual e ajuda a superar as carências afetivas. Amarelo – É a cor da alegria e da riqueza. Simboliza o sol, a fecundidade e a fortuna. Laranja – Sucesso e alegria, eleva a auto-estima, espanta a depressão e desperta o otimismo. Marrom e bege – Estimulam as atividades profissionais. Dourado – Proteção divina, destaque na profissão e sucesso material. Enfim, festeje sempre com a família e os amigos. Use muitas cores e tenha um arco-íris de emoções, sonhos e realizações! E para todos eu desejo: Um feliz Natal e um maravilhoso 2010! Caso você tenha mais alguma dúvida ou deseje colaborar com sugestões, por favor envie e-mail para: eventos@1nk.com.br Revista Botucatu Especial 33


capa

Fátima

Riello Orgulho de ser botucatuense de coração

Da Redação | Fotos Malu Ornelas

U

ma história de dedicação e sucesso. Para representar os tantos profissionais da beleza que atuam em nossa cidade, que presenteiam os botucatuenses com seus esforços e trabalhos durante todo o ano, a Botucatu Especial escolheu a cabeleireira e maquiadora mais premiada de nossa cidade: Fátima Biondo Riello Gomes, que completa 47 anos no dia 21 de dezembro.

34 Revista Botucatu Especial

Ela nasceu em Ourinhos, mas esse é só um detalhe. Vivendo na cidade há 42 anos, foi em Botucatu que Fátima constituiu família e sua carreira profissional. “Me sinto botucatuense de coração mesmo. Sinto falta da cidade quando viajo. Fico ansiosa para voltar logo e quando chego sinto como se estivesse no colo de mãe. Os botucatuenses sempre tem sido para mim irmãos acolhedores. Tudo que sou e tenho foi conquistado aqui e elogio nossa cidade por onde quer que vou. Temos aqui tudo que precisamos para ser felizes.” Casada com o empresário Iran Riello Gomes há 28 anos, com quem tem três filhos (Diego, Cainan e Imna - todos botucatuenses), Fátima começou a trabalhar profissionalmente como cabeleireira e maquiadora aos 18 anos, mas desde muito cedo já ‘praticava’ suas habilidades com parentes e amigos próximos. “Sempre adorei meu trabalho e acho que já nasci com esse dom, pois meu pai tinha a mesma profissão. Meu marido e minha família também sempre me apoiaram muito. Realmente amo o que faço, já recusei vários convites de lazer por causa do trabalho, por exemplo, mas não me arrependo. Adoro ver minhas clientes realizadas e contribuir para deixá-las ainda mais lindas. Quan-

do por algum motivo muito especial eu não consigo atendê-las, fico arrasada”, diz. Fátima acredita que trabalhar com beleza é um privilégio, mas que esse é um conceito muito amplo. “O que é belo não está presente apenas no rosto ou no físico de uma pessoa. Está na sua educação, na elegância do respeito, nos gestos solidários. Não adianta ter olhos verdes ou azuis e olhar para as pessoas com indiferença! Nunca podemos nos esquecer da beleza dos pequenos gestos e atitudes solidárias que contribuem para que o mundo fique melhor e consequentemente mais bonito. Sorrir, ser gentil, dizer palavras boas às pessoas não custa nada, e nosso trabalho apenas realça essa beleza”, explica. Sempre buscando aperfeiçoamento, ainda mais nesta área que possui tantas novidades, Fátima trabalha com uma infinidade de técni-


Revista Botucatu Especial 35


capa

36 Revista Botucatu Especial


cas. “Mas pratico no salão apenas os procedimentos que realmente me transmitem segurança. Nosso trabalho lida com pessoas, dessa forma, precisamos respeitá-las e ter muita responsabilidade”, enfatiza.

Reconhecimento

“No salão faço de tudo: todos os tipos de corte, químicas, penteados simples e sofisticados, maquiagem social e artística, além de atender noivas de todos os estilos. Adoro transformar as pessoas e deixá-las felizes e confiantes”, comenta. E, claro, toda essa dedicação ao trabalho lhe rendeu muitos frutos. Na cidade, recebeu diversos prêmios e indicações, assim como na capital, em premiações de visibilidade nacional organizadas pela Associação dos Cabeleireiros do Estado de São Paulo. Nesse evento, especificamente, profissionais renomados da área selecionam os me-

lhores entre os indicados em várias categorias relacionadas à beleza. Fátima já recebeu os troféus Destaque Brasil 2008, Pincel de Ouro (Maquiadora), Tesoura de Ouro 2008, Mãos de Ouro e Tesoura de Ouro e Esmeralda 2009. Há quase 30 anos na profissão, os prêmios são apenas uma consequência de sua atuação como cabeleireira e maquiadora. “Me surpreendo com cada prêmio que recebo, no interior ou na capital, e sempre os dedico aos meus clientes, companheiros de trabalho e minha família, porém, o mais gratificante é elevar a auto-estima das pessoas com meu trabalho”, conta. Como o lazer também é importante, nas horas vagas Fátima prefere ser caseira. “Adoro organizar minhas coisas em casa, fazer trabalhos manuais como tricô, pintura, biscuit, além de dançar com amigos e cantar no videokê. No verão adoro tomar sol, mas sempre com os devidos cuidados!” (risos).

Para 2010, os planos não são diferentes. “Quero continuar me esforçando para oferecer o melhor às pessoas que estão sempre comigo! Não sou de planejar demais, acho que precisamos batalhar sempre e assim os resultados aparecem, naturalmente. Quem sabe levarei mais vezes o nome de Botucatu para os grandes eventos, é o mínimo que posso fazer por esta cidade que me acolhe há tantos anos!”, diz. E para finalizar, essa botucatuense de coração deixa um recado aos leitores da Botucatu Especial: “O melhor caminho se abre em nossa frente. Se a vida exige muito de você, sinta-se feliz, pois a vida é Deus, e Deus somente exige daqueles que Ele sabe que possuem a capacidade de vencer! Agradeço a equipe da Botucatu Especial pela oportunidade e também a fotógrafa Malu Ornelas pelo excelente trabalho. Um grande abraço, um Feliz Natal e um excelente Ano Novo a todos meus amigos, clientes e leitores da Revista Botucatu Especial! Um feliz 2010 a todos nós!”, finaliza.


mundo digital

Razões para o

fracasso de um

site

Por Marcelo Melo

O

tão esperado lançamento do site acontece e em algumas semanas já se obtém resultados além do esperado. Novos clientes aparecem todos os dias e algumas operações antes difíceis de realizar agora são implementadas em poucos passos através do site. Além disso, pesquisas e suporte funcionam 24 horas e têm os passos registrados para um maior controle de qualidade e também os clientes estão felizes por acessar um catálogo de produtos atualizado e com as informações que procuravam. O posicionamento do site nos sistemas de pesquisa está cada vez mais próximo das primeiras posições. Alguns meses se passam e o retorno esperado acontece e agora basta administrar os resultados conquistados no ranking e procurar uma forma de melhorar o que já é um sucesso.

O caso acima é o que todos buscamos quando pretendemos lançar um novo site no oceano da web. Porém, a maioria não chega onde esperava e acaba por fracassar e se torna apenas mais um. Alguns fatores podem ser levados em consideração principalmente no lançamento do site: Marketing Os negócios na internet não são diferentes do real, precisam ser vistos. Deixe seus clientes saberem da existência do site por meio de promoções. Promova seu website por todos os lados, em todas as assinaturas e canais de acesso ao cliente. Seu site pode ser um fracasso se você não torná-lo parte 38 Revista Botucatu Especial

de seu negócio real. Encare o mesmo como tal e dê a importância e atenção devida ao site. Conquiste seu espaço, utilize estratégias de marketing online como links patrocinados, otimização para busca orgânica, mídias sociais, email marketing ou até mesmo campanhas de marketing viral. Usabilidade Usuários de internet estão sempre correndo contra o tempo em busca de informações. Se os mesmos entrarem na página e não encontrarem rapidamente o que estão procurando, é muito provável que abandonarão o site e seguirão para a próxima opção. Sendo assim, a dica é ter um objetivo principal, como fornecer fácil acesso aos produtos ou a localização de um representante mais próximo. Seja qual for o objetivo primário do site, deixe isso claro e facilite o acesso à informação. A regra é que se consiga chegar a qualquer parte do site com no máximo três cliques de distância. Confiança Para finalizar um contato ou realizar uma compra, o usuário do site precisa sentir confiança na empresa pela qual irá fechar negócio. Principalmente se vende produtos on-line, sua empresa deve fornecer maiores informações sobre quem é, onde está localizada, sua visão empresarial, entre outras. Quanto mais informações sobre sua

empresa você informar, maior a confiança. E não se esqueça de fornecer informações para contato por telefone e endereço fixo, isso prova que sua empresa não tem nada a esconder e realmente existe. Existe alguém melhor Se alguma outra empresa já oferece um serviço ou produto melhor que o seu, não existe um motivo lógico para o cliente optar pela sua marca. Pesquise seu mercado, saiba quem são os concorrentes e o que eles oferecem. Assim você poderá pensar em um diferencial para seus produtos ou serviços. Você é melhor, mais rápido ou mais barato? Crie diferenciais para seu site, procure fazer o melhor, invista em marketing, fique de olho na arquitetura da informação do seu site e trabalhe com uma empresa especializada no assunto. Ela trará grande economia para seu negócio e evitará que o esforço tenha de ser repetido, ou seja, que o serviço tenha que ser refeito. Marcelo Cintra de Melo marcelo@webtask.com.br Publicitário e diretor da Webtask: Serviços para internet.


viva bem

Ginástica

Laboral

Por Patrícia Maria Magri | Fotos Divulgação

C

hegamos ao final de mais um ano e você leitor não conseguiu um tempo para o seu exercício físico diário? Se a desculpa ainda é muito trabalho e falta de tempo então faça os exercícios no seu local de trabalho. Como? Praticando Ginástica Laboral, que corresponde a uma sequência de exercícios terapêuticos que trazem benefícios ao trabalhador, pois diminui os índices de LER/DORT. A Ginástica Laboral deve ser praticada de 5 a 10 minutos diários, com exercícios de alongamento, relaxamento e dinâmicas de recreação. Embora sejam simples, devem ser realizados com um profissional de educação física que fará uma avaliação criteriosa do ambiente de trabalho e de cada trabalhador, respeitando a realidade da empresa e as condições disponíveis. Portanto, trabalhadores e empresários devem conversar entre si e chegar a um consenso. Atualmente muitas empresas estão se adequando e preocupando-se cada vez mais com a integridade física do seu quadro funcional. 40 Revista Botucatu Especial

Vantagens

Para o “empregado” é uma arma contra o sedentarismo, estresse e depressão. Proporciona melhora da flexibilidade, força, coordenação, ritmo, agilidade, resistência, mobilidade e postura. Reduz também a sensação de fadiga ao final da jornada de trabalho, melhorando a qualidade de vida do trabalhador e ainda equilibra o relacionamento social e o trabalho em equipe. Para o “empregador” a Ginástica Laboral é responsável pela diminuição de afastamentos médicos, acidentes e lesões, melhorando assim a imagem da empresa, além de aumentar a produtividade e a qualidade do trabalho.


Estudos demonstram que a implantação de um programa de Ginástica Laboral proporciona: - Melhoria na produção - Melhoria do relacionamento entre o grupo - Reduz a fadiga e o cansaço muscular - Previne contra LER e DORT (doenças ocupacionais) - Reeducação da postura - Desenvolve a consciência corporal e orgânica - Promoção da saúde e bem estar - Aumenta o condicionamento físico geral - Promove a integração entre os colaboradores sem diferenciação - Aumento da motivação e disposição para o trabalho

Aprender

Sempre

DORT: Doenças osteomusculares relacionadas ao trabalho LER: Lesões por esforços repetitivos

Patrícia Maria Magri

Profissional em Educação Física Universidade São Judas Tadeu. Licenciada em Biologia pelo Instituto Claretianos. E-mail: pat.afro@hotmail.com


sociedade 42 Revista Botucatu Especial


Revista Botucatu Especial 43


sociedade


Fotos Arquivo pessoal

PESSOAS ESPECIAIS

Ana Luiza

Gislaine Alves

Você é especial?

Priscila Reche

Envie sua foto ou a foto de quem você deseja ver aqui, em alta resolução, para o e-mail: pessoasespeciais@botucatuespecial.com.br


sociedade Da Redação | Fotos Malu Ornelas / Lique Tavares

Carnabotuca

2009

Nona edição do Carnabotuca foi um sucesso. Muitos presentes na festa que já é tradicional na cidade, prestigiando ainda a gravação do primeiro DVD em carreira solo de Jullyana Ramalho. Veja alguns flashes da festa:

46 Revista Botucatu Especial


Curtição na TV: sexta-feira 21h,

com reprise segunda-feira 14h na TV Serrana, Canal 55, Botucatu. Lique Tavares: (14) 9785-7474 Novo site: www.programacurticao.com.br

48 Revista Botucatu Especial


especial

Demétria Uma filosofia de vida presente em Botucatu desde 1974

Da Redação | Fotos João Batista de Oliveira / Sandro Coltri / www.bairrodemetria.com.br

50 Revista Botucatu Especial

João Batista de Oliveira

E

m 2009, o conhecido Bairro Demétria, localizado a 10 km do centro da cidade, completou 35 anos. E a Botucatu Especial apresentará uma série de textos sobre esse local, que nasceu a partir do primeiro projeto de Agricultura Biodinâmica do país – a Estância Demétria. Nesta edição, quem conta o início dessa história é o economista Marco Bertalot-Bay, que acompanhou de perto a implantação da fazenda. “Em 1973, um grupo de empresários criou a Associação Beneficente Tobias, que mantém uma clínica em São Paulo e estava para desenvolver o projeto de uma Fazenda Biodinâmica. Um grupo de jovens, do qual eu fazia parte e que havia regressado da Europa depois de passar uma temporada conhecendo a Agricultura Biodinâmica, foi convidado por esse grupo de empresários para iniciar o projeto da fazenda”, conta. Para dar o passo inicial, os empresários doaram parte das ações de seus negócios para a Associação. No início, procuraram um terreno nas redondezas da capital, mas em 1974, adquiriram uma área próxima a Botucatu que possuía 160 hectares. Quando o grupo chegou, na época composto por 18 pessoas, o cenário era bem diferente do atual. “Foram oito anos de um trabalho muito difícil, pois a terra era bastante fraca. Todo esse verde que hoje vemos aqui não existia. Era apenas uma restinga, um pasto que era queimado anualmente e uma parte remanescente de cerrado. Durante esses anos a região mudou muito do ponto de vista ambiental e também social, pois

na época eram poucas as pessoas que viviam aqui”, relembra Bertalot-Bay. Mas, apesar das dificuldades em manejar uma terra infértil, a produção dos alimentos começou e, antes o que era destinado a alguns consumidores da capital paulista, hoje também pode ser adquirido e consumido no próprio bairro. No local existem vários empreendimentos, como a Alvorada Alimentos Orgânicos, a Refazenda, a Bioloja, a Pizzaria Bel, o Café Somé, entre outros. “Ainda na década de 80, pessoas que consumiam os produtos produzidos aqui começaram a adquirir, espontaneamente, áreas ao redor da estância, que praticavam a agricultura convencional. Assim, o que antes era apenas uma fazenda começou a se tornar um bairro biodinâmico. Nesse período também foi fundada a escola Aitiara e começaram a surgir os primeiros condomínios”, diz o economista.

Atualmente moram no Bairro Demétria mais de 450 pessoas, vindas de diferentes regiões do país e do mundo. “Aqui vivem artistas, artesãos, especialistas que trabalham com terapias alternativas, enfim, um público bastante diversificado. E o bairro também apresenta as mesmas características que encontramos em outros bairros de qualquer outro lugar, não somos privilegiados. Temos de tudo por aqui, como em qualquer lugar”, completa. O que a Demétria tem de especial? A Agricultura Biodinâmica, manejo agrícola utilizado no bairro, é apenas uma das práticas que integram uma filosofia de vida diferenciada: a Antroposofia. Do grego Anthropós (homem) e Sophia (sabedoria), Antroposofia significa “conhecimento do homem” e foi uma filosofia idealizada pelo austríaco Rudolf Steiner, no início do século XX. Visa conhecer a natureza do ser huma-


no e do universo como um todo, unindo os conhecimentos científicos às características espirituais do homem. Dessa forma, a Antroposofia engloba diversas áreas de conhecimento, como a Agricultura Biodinâmica, a Pedagogia Waldorf, arquitetura Goetheanum, entre outras vertentes. “Acreditamos que a Agricultura Biodinâmica possui muitas repostas para as questões atuais, tanto ambientais quanto sociais. Em função da

Antroposofia, esse lugar inverteu duas tendências que estão generalizadas no mundo, atualmente. O trabalho desenvolvido aqui proporcionou uma trajetória por um caminho inverso: o do reflorestamento de uma área que havia sido degradada pela agricultura convencional e do deslocamento de pessoas das áreas urbanas para a área rural”, complementa Bertalot-Bay. Vale ressaltar que a Antroposofia não é uma religião, uma seita, ou algo

semelhante. Trata-se de uma prática de vida que tem como principal objetivo respeitar as naturezas - do homem e do mundo, além de priorizar a liberdade. Ficou curioso para saber mais sobre as particularidades do bairro, que está tão próximo? Aguarde as próximas edições. Em fevereiro você poderá aprender mais sobre a Agricultura Biodinâmica. O Bairro Demétria fica na Rodovia Gastão Dal Farra, km 4 e também possui um site. Acesse: www.bairrodemetria.com.br.


arquitetura

Closet Por LILIAN INÁCIO | Fotos Arquivo pessoal / Divulgação

S

e você deseja ter um closet em sua casa, o ideal é que o mesmo seja concebido ainda na fase da elaboração do projeto arquitetônico, pois existem algumas medidas que devemos respeitar na hora de sua execução, além de tomarmos alguns cuidados e evitar utilizar paredes que possam receber umidade com o tempo. Porém, se a casa já estiver concluída e o desejo de ter um closet surgir, basta que seu dormitório tenha um espaço disponível para executá-lo e que não seja prejudicado em relação à área útil restante. Outra opção é ocupar um dos dormitórios da casa que tenha ligação com o seu e projetar um verdadeiro quarto de vestir, um closet bem maior. Atualmente as residências de alto padrão dispõem de closet em todos os seus dormitórios, mas para uma casa de padrão médio o mais convencional é que o closet se instale na suíte principal. Na ausência de um closet pode-se deixar um espaço para rouparia, geralmente num nicho no final de um espaço de circulação. São muitos os formatos e tamanhos que um closet pode adquirir. Os mais comuns são em formato de “L” ou um corredor largo com armário de ambos os lados. A profundidade ideal do armário é de 60 a 65 cm e o espaço de circulação

52 Revista Botucatu Especial

entre um armário e outro deve ser de no mínimo 1,20 m, pois assim você poderá abrir as portas e circular tranqüilamente no espaço, além de poder disponibilizar no centro pufes ou sofás para apoiar na hora de calçar seus sapatos. Esses pufes devem ser de tecido macio para que não desfie as meias finas ou roupas mais delicadas. Além de pufes você pode projetar um móvel com rodízios em vidro para deixar jóias e bijuterias em exposição. O correto é fazer um quadriculado para que as bijuterias ou jóias sejam armazenadas por cores ou individualmente em cada quadrado. Pode também ser forrado em veludo para que as peças não risquem. Outro detalhe importante é instalar um espelho grande e uma boa iluminação em uma das paredes do ambiente. O espelho pode ser colado na parede toda ou pode ser fixo com molduras largas. A área mínima para o conforto do ambiente é de 6 metros quadrados, porém, se você projetar um quarto de vestir, este terá as medidas de um dormitório convencio-

nal. No momento da criação do projeto, preste atenção a detalhes funcionais, veja tudo o que realmente você precisa e solicite ao arquiteto idéias práticas, que facilitem seu dia-a-dia. Não há um modelo padrão para o closet, pois cada pessoa tem necessidades diferentes da outra. Por exemplo, um closet de homem geralmente tem cabideiro, gaveteiro, prateleira, sapateira, cofre, porta-gravatas. Já o das mulheres pode apresentar tudo isso e mais alguns nichos para bolsas, espaços para vestidos longos e gavetas menores com chaves para as jóias e outras para maquiagem e perfumes. Um bom projeto visa o melhor aproveitamento dos espaços e nichos com acesso fácil, assim você não perderá muita área útil de seu dormitório. Atualmente nesses espaços estão sendo utilizados materiais diversos, que não sejam sempre a tradicional madeira. Podemos encontrar projetos que utilizam o MDF em toda sua composição. Quanto às portas, estas podem existir ou não, contanto que as roupas sejam protegidas


para não empoeirar ou manchar com o tempo. Há projetos que utilizam portas mais leves como as de alumínio com vidro, seja ele liso ou jateado. Pode ser utilizado também o acrílico colorido em closet para pessoas mais descontraídas. Podem ser de abrir ou de correr, que economizam mais espaço. A parte interna pode ser feita no mesmo material utilizado na caixa externa (MDF, madeira, compensado) ou com assessórios práticos e bonitos como os aramados para cada tipo de roupa ou objeto. Os closets atualmente estão

recebendo projeto de iluminação interna especial, seja difusa ou focal, que além de aconchegante, facilita no momento de procurar algo no fundo do móvel. Porém, todo esse conforto e praticidade têm um custo. Encontra-se os modelos mais simples com preços bem acessíveis e os mais equipados já com preços mais elevados, mas ambos os tipos podem ser adquiridos no mercado com facilidade de pagamento, o que torna acessível para a realidade de qualquer residência. A variação de valores ocorre devido aos assessó-

rios utilizados, se serão nacionais ou importados, o tipo de acabamento, a riqueza de detalhes. No entanto é um investimento que vale a pena, assim você terá mais organização em seu dia-a-dia. LILIAN INÁCIO

Arquitetura e Design de Interiores

Rua Moraes Barros, 432 | Centro Botucatu/SP | CEP 18600-300 Tel: (14) 3813-3366 (14) 9745-3366 lilian_inacio@hotmail.com www.lilianinacio.com.br


seus direitos

Direito Ambien

a quest

Por Rilton Baptista

O

extraordinário aumento na geração de resíduos sólidos é uma grande preocupação na sociedade moderna. Entre esses resíduos encontramos um sério problema ambiental devido à quantidade significativa de pneus existentes. No Brasil existem vários pneus abandonados ou dispostos inadequadamente, constituindo passivo ambiental que resulta em um sério risco ao Meio Ambiente e à saúde pública. O pneu é considerado por pesquisadores um resíduo perigoso e composto de substâncias cancerígenas tais como o chumbo, o cromo, o cádmio e o arsênio. A Constituição Federal de 1988 em seu artigo 225 destaca a importância de um Meio Ambiente equilibrado e essencial à sadia qualidade de vida. Nessa mesma linha de raciocínio, não se pode, portanto, considerar o Meio Ambiente sem dar a devida ênfase a esses dois pontos: saúde e qualidade de vida. O Direito Ambiental se coloca neste ponto como um instrumento de defesa ante o crescimento desordenado e arbitrário, das relações de produção e de consumo. Assim, com a necessidade de diminuir o passivo ambiental pela destinação final incorreta desse produto no Meio Ambiente, a sociedade não pode postergar debates e discussões para solucionar e minimizar a questão dos pneus e seus impactos ambientais. Historicamente, o pneu foi inventado no ano de 1845 quando o norte-americano Charles Goodyear casualmente descobriu o processo de vulcanização da borracha, quando deixou cair borracha com enxofre em um fogão, começando a partir de então uma verdadeira revolução no setor dos transportes e concomitantemente a problemática do impacto ambiental. Sendo os materiais que compõem a estrutura dos pneus de difícil decomposição, a sua disposição final torna-se mais complexa. E nessa ótica, normalmente é bem comum observarmos o manuseio desses 54 Revista Botucatu Especial

produtos sem a utilização de cuidados, como se fosse um produto normal para distribuidores, oficinas e consumidores. Assim, alguns Doutrinadores do Direito defendem a ideia que os fabricantes devem informar o consumidor final a respeito de todos os perigos desse produto bem como todas as substâncias tóxicas que o compõem, destacando o artigo 6º, inciso III, do Código de Defesa do Consumidor que trata dos direitos básicos do Consumidor como: “a informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação correta de quantidade, características, composição, qualidade e preço, bem como sobre os riscos que apresentem”. Quase todos os grandes problemas ambientais estão relacionados, direta ou indiretamente, com a apropriação e uso de bens, produtos e serviços, e suporte da nossa sociedade de consumo. O setor produtivo industrial é responsável por quase toda a extração e transformação dos recursos naturais, que, além dos produtos finais, resultam em grande quantidade de resíduos em praticamente todas as etapas. A palavra “responsabilidade” origina-se do latim “respondere”, que significa “responsabilizar-se, assegurar, assumir o pagamento do que se obrigou, ou do ato que praticou”. E “pós-consumo”, entende-se “por aquilo que já foi consumido, gasto, ou utilizado para satisfazer uma necessidade humana”. A Lei 6.938, de 31 de agosto de 1981, que dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente prevê, em seu artigo 14, §1º, a Responsabilidade Objetiva, ou seja, independentemente de existência de culpa. Deste modo, fazendo com que várias empresas acabem investindo na questão ambiental, utilizando de novas tecnologias e na chamada “logística reversa”. A Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente nº 258, de 26 de agosto de 1999, tornou obrigatória para as empresas fabricantes, importadoras e reformadoras de pneus a coleta e a destinação final, am-


ntal:

stão pós-consumo dos pneus bientalmente adequada, aos pneus inservíveis existentes no território nacional. Porém a Resolução não impôs a obrigatoriedade ao consumidor final, devendo este apenas colaborar na adoção de procedimentos, visando implementar a coleta dos pneus inservíveis existentes no País. O tratamento dado atualmente à matéria no Brasil ainda tem se mostrado inadequado e ineficiente, de forma que é extremamente necessária a criação de medidas tendentes a propiciar a integração entre o manejo de resíduos sólidos e o desenvolvimento urbano e industrial no país. Nesta linha de raciocínio, se encontra tramitando no Congresso Nacional, o Projeto de Lei nº. 265/99 de autoria do Senador Lúcio de Alcântara (PSDB-CE), a “Política

Nacional de Resíduos Sólidos”, definindo diretrizes e normas para o uso eficiente de recursos naturais, bem como para evitar seu esgotamento, reduzir e prevenir a poluição, proteger e recuperar a qualidade do Meio Ambiente e da saúde pública. Em relação aos resíduos como: pneus, agrotóxicos, pilhas, baterias, lâmpadas e assemelhados, são tratados em subseções distintas. Portanto, o pneu possui durabilidade, utiliza materiais tóxicos, sendo manuseado muitas vezes sem os devidos cuidados, são dispostos em rios e em terrenos baldios propiciando problemas de saúde pública como a Dengue. Ainda observamos a ausência de pessoal qualificado capaz de fiscalizar e interpretar a nossa legislação ambiental,

velando pela sua correta aplicação. Indiscutivelmente, conforme prevê o artigo 225 da Constituição Federal de 1988, é Dever de toda a Coletividade defender e preservar o Meio Ambiente para as presentes e futuras gerações, cabendo ao Poder Público unir forças com as indústrias e a população em geral buscando a formação de pessoal qualificado através de educação ambiental, com o objetivo de solucionar ou minimizar este sério problema ambiental que é a questão pós-consumo dos pneus. Rilton Baptista Advogado Colenci Advogados Associados, Pós-graduado em Direito Ambiental pela Universidade Metodista de Piracicaba/SP


turismo

Península

de

Maraú Um paraíso baiano

56 Revista Botucatu Especial


Da Redação | Fotos Divulgação

U

m paraíso situado no litoral sul da Bahia, entre o Oceano Atlântico e a Baía de Camamú. Pela região em que se encontra, já é possível imaginar a beleza da biodiversidade da Península de Maraú. Considerada, por várias vezes, como o destino eco-turístico mais bonito do país, a península oferece cerca de 50 km de praias preservadas, grandes coqueiros, belos recifes de corais, rios, piscinas naturais que se formam na maré baixa, cachoeiras e reservas de Mata Atlântica. Enfim, uma infinidade de opções para se desfrutar de muito sossego. A região tem suas praias como principais atrativos. Aquelas que estão no lado voltado ao oceano são mais extensas e possuem características para quem gosta de surfe. Já as praias localizadas na Baía de Camamú possuem águas mais calmas e rasas.

Barra Grande: Localizada na Baía de Camamú, na Barra Grande está localizada numa das principais vilas da península. O local é conservado, com construções simples e encantadoras. Possui o maior número de pousadas da região, com preços variados, além de casas de veraneio e ótimos bares. E isso sem mencionar a paisagem; com uma praia extensa, plana, de águas calmas e mornas. Ponta do Mutá: Muito próxima a Barra Grande, essa praia localiza-se no ponto extremo norte da península. Também possui pousadas, muitos coqueiros e rochas na beira da praia.

Revista Botucatu Especial 57


turismo Três Coqueiros/Bombaça: Localizadas ao lado da Ponta do Mutá, as praias são banhadas pelas águas do oceano. As características do local são as fortes ondas e os recifes de corais, que ficam visíveis na maré baixa. Taipus de Fora: Já foi eleita uma das praias mais belas do Brasil e está entre as mais frequentadas da península, também com várias pousadas e belas casas de veraneio. Com aproximadamente 7 km de praia com águas cristalinas e recifes de corais, o local é ideal para a prática de mergulho. Há, ainda, as águas calmas da Lagoa Azul e o Morro do Farol, ponto mais alto da península Cassange: Praia extensa, de ondas fracas, fica a aproximadamente 300 metros da Lagoa da Cassange que, pelo seu tamanho, é ideal para a prática de esportes a vela. Saquaíra: O local de águas tranquilas, que antes era apenas um vilarejo de pescadores, hoje oferece várias pousadas. Arandi/Algodões: As praias de ondas fracas, coqueirais e areias finas são as mais próximas da cidade que leva o mesmo nome da península. Possuem pousadas, casas de veraneio, mas também vários trechos de praia deserta. Aibim/Piraganga/Pontal: São as últimas praias da península, localizadas no extremo sul da região, fazendo divisa com Itacaré. A paisagem é diversificada, com ondas fortes, ideais para surfe, além de uma sucessão de morros que formam pequenas enseadas.

Como chegar

A Península de Maraú está localizada na Costa do Dendê a 200 km de Salvador e a 150 km de Ilhéus. O aeroporto mais próximo está em Ilhéus, e em Barra Grande há uma pista que comporta aeronaves de pequeno porte. Por transporte terrestre, a viagem pode ser feita pela BA-001 ou BR-030.


Botucatu Especial - Fátima Riello  

A profissional de beleza mais premiada de Botucatu nos fala de seu amor pela profissão e pela cidade, contando sua trajetória e planos para...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you