Issuu on Google+

2

15

Litoral Norte precisa acordar para a copa 2014 A discussão dos projetos que serão desenvolvidos nas 12 cidades brasileiras que serão sedes do Mundial no Brasil já estão em andamento. Resta saber o que a região do Litoral Norte está fazendo face a possibilidade de ganhos com esta oportunidade ímpar da Copa de 2014. Parece estar longe, com muito tempo ainda até o início dos jogos. Porém, em se trantando de planejamento o tempo é hábil se o Litoral Norte souber criar estratégias para o investimento em infraestrutura e organização da parte já exitente, faltando apenas um incremento nos diversos segmentos que a região oferece e o público necessita. O próprio ministro dos Esportes, Orlando Silva, já fez este alerta - "Há uma frase no Brasil que diz que treino é treino e jogo é jogo. Até a escolha das sedes era treino e, agora, com as sedes definidas, é hora de entrar em campo e mostrar serviço". A relidade é que são muitas as exigências feitas pela FIFA e os dados são promissores. Estudos apontam a geração da criação de 3,5 milhões de empregos diretos. Inúmeras obras e serviços antes e durante a Copa. Isto revela que os números são positivos, sinal de fomento econômico para as regiões que estiverem preparadas para ganhar uma fatia neste mercado movido no período de circulação da moeda, contrariando assim as previsões dramáticas de qualquer crise mundial. Já foi dada a largada para as negociações com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social com o objetivo de financiar projetos de infra-estrura, logística e transporte das cidades que serão sedes. Com a proximidade do Litoral Norte e Porto Alegre que é uma das cidades escolhidas, é fundamental que a região tenha um cronograma de ações a serem desenvolvidas a pleno para lucrar, explorando todos os setores de turismo, comércio, qualificação profissional e de serviços e modernização da infraestrutura, principalmente a mobilidade urbana, além de todo um aparato de hospedagem que poderá ser o grande vilão neste período. É chegada a hora do Litoral Norte colocar a mão na massa e trabalhar com os olhos voltados para a Copa 2014 que está mais perto do que se pode imaginar. O tempo é curto e o tanto de trabalho, extenso!

Juiz-Corregedor Márcio André Keppler Fraga: “Não estamos colocando criminosos na rua.” Algumas semanas atrás mencionei o problema do nosso sistema carcerário, naquela ocasião dei ênfase ao julgamentos inovadores expedidos pelos Juízes, (concedendo prisão domiciliar à condenados) tendo em vista a falta de estrutura e a superlotação dos presídios. A questão, no entanto, não é somente gaúcha, o problema é difuso, e o país todo sofre, quer seja a população de encarcerados ou não. Em resposta ao ensejo da população de reprimir duramente a decisão dos magistrados, o Coordenador da Execução Penal, Juiz-Corregedor Márcio André Keppler Fraga, em entrevista, abordou as questões controversas acerca das decisões que foram duramente rebatidas pela sociedade, enfrentando também o hodierno problema prisional. O interview que segue foi publicado na página do Tribunal Gaúcho: “No encontro para debater a situação do sistema prisional, qual foi a principal iniciativa dos magistrados da Execução Penal do Estado? A de maior repercussão está relacionada a não-expedição de mandados de prisão. Foi deliberado nesse encontro de Juízes que ocorreu na quinta-feira e sexta-feira passadas (4 e 5/6), que réus que responderam ao processo em liberdade e ao final vierem a ser condenados a pena privativa de liberdade, não terão expedidos mandados de prisão, caso essa condenação não seja por crime hediondo ou assemelhado. Tampouco se o crime estiver na iminência de prescrição. Nessas hipóteses os magistrados não expedirão mandado de prisão enquanto não houver vaga no sistema prisional.

A falsa discussão sobre a privatização dos presídios gaúchos.

O jornal que faz a diferença

www.bonsventos.inf.br CNPJ 06071836/0001-63 Av. Jorge Dariva, 1153, sala 45 Centro - Osório/RS Fone: 3601.0009 - 3601.0005 3663.9511 - 3601.0123 jornalbonsventos@terra.com.br Jornalista responsável: Antão Sampaio RMT 5514 Diagramação e arte: Josiane Kingeski Auxiliar administrativo: Josiane Kingeski Reportagem: Wladirema Dias RMT 7971 Anelize Sampaio Assinaturas/Publicidade: Sandra Moraes Impressão: Zero Hora-Mídia Gráfica Assinatura Anual - R$ 50,00 Oficio de Registro Civil das Pessoas Jurídicas, Livro B-1, fls. 03 a 04, sob n° 9, em 25/4/2007

Os comuno lulo-petistas querem que voltemos às árvores. Novidade zero. Não sei como eles não estão em passeata nesse exato momento devido a essas MALDITAS empresas que LUCRAM com COMIDA! Não é uma "barbaridade"? Deviam dar comida de graça nos restaurantes, açougues, supermercados . Não é o "fim-do-mundo" ? Imagina lucrar com presídios ? Ah, mas que coisa, onde vamos parar com esse tal de "lucro"? Esse tal de capitalismo ? Vamos para o que é bom, para a fila do pão de 5 km "a la URSS" ou voltarmos para as árvores. Suleiman Gardel, Porto Alegre, RS. A representação xiita fundamentalista guasca alojada nas franjas de esquerda anti-iluministas gaúchas estão em polvorosa desde quarta-feira, porque o governo estadual resolveu abrir negociações para estabelecer Parcerias Público Privadas para investir (construir e

Toque Jurídico

Osvaldo Amaral realiza Noite Cultural

Syl.terra@hotmail.com

Syl Terra De Vento em Popa

Por Rafael Lopes Estagiário do Setor Jurídico da Prefeitura Municipal de Osório e estudante do 5º semestre do curso de Direito da UNISC

Essa foi uma decisão muito difícil de ser tomada e que se tomou basicamente para tentar distensionar o sistema prisional. É importante frisar que não estamos expedindo alvarás de soltura. Não estamos colocando criminosos na rua. E a preocupação dos magistrados foi tanta para não gerar sentimento de impunidade, que ressalvamos os casos de crimes hediondos e assemelhados e os que estiverem na iminência de prescrição. “Temos que deixar esses locais para indivíduos efetivamente perigosos e que não possam conviver em sociedade.” (Juiz-Corregedor Márcio André Keppler Fraga) Essa atenção que o Judiciário está tendo com o sistema prisional já se reflete quando se designa um magistrado exclusivamente para fiscalizar os presídios? Os magistrados entendem que isso tem que ocorrer em todo o Estado? Essa também foi outra deliberação do nosso encontro (dos Juízes da Execução Penal) no sentido de estender essa figura criada no ano passado, que é o Juiz responsável pela fiscalização dos presídios (Porto Alegre e Região Metropolitana). Hoje tem à testa o Juiz Sidinei Brzuska, que vem fazendo um trabalho excepcional e de grande visibilidade e competência. A idéia é de que a prática se estenda para todo o Estado. Caso os magistrados fizessem um mutirão para conceder a progressão de regime a um número maior de apenados - do fechado para o semiaberto e deste para o aberto - isso contribuiria para aumentar o número de vagas, principalmente, no regime fechado?

equipar) e administrar novos presídios no RS e abrir 3 mil vagas, imediatamente, no Vale do Sinos. O grupo GPA já foi autorizado a investir na área. Na semana que vem, a GPA assinará contrato com o governo mineiro para iniciar um projeto que servirá de modelo ao RS. O ministro Tarso Genro avisou neste sábado que é contra, o que significa pouco, porque o assunto é de competência estadual. Nas o ministro está em campanha eleitoral antecipada. Tarso Genro levantou dúvidas sobre a vantagem privada em casos de administrações de presídios, mas ignorou que esta não é a questão principal, porque a questão principal é a falta total de recursos públicos para investir (construir e administrar) novos presídios. “Não é justo lucrar com serviço público como a guarda de presos”, bradou o ministro da Justiça, mirando o eleitorado. Nunca se viu o ministro protestando contra os lucros obtidos pelas empresas que vendem merenda escolar ou recolhem lixo. A oposição quer mais presídios, defende novas vagas, incentiva tratamento de primeiro mundo para os bandidos, mas quer que tudo isto seja

Isso é uma falsa premissa porque nós temos hoje em torno de 400 indivíduos que tiveram progressão de regime e não tiveram mudada a situação fática. Ou seja, progrediram do regime fechado para o semi-aberto e não foram mudados de casa em virtude da ausência de vagas nesses estabelecimentos. Hoje um dos grandes problemas nossos está vinculado à ausência de vagas no semi-aberto e aberto. Qual o maior empecilho para o Estado criar novas vagas? Colocar isso como prioridade. Estabelecer como prioridade número um na questão de segurança pública, o enfrentamento do sistema prisional. Não é a falta de verbas, então? Não é falta de verbas. Até porque há hoje em torno de R$ 50 milhões à disposição do Estado do Rio Grande do Sul, depositado em conta na Caixa Econômica Federal para construção de casas prisionais. O que acontece com o Estado quando há uma decisão judicial para que o Executivo crie vagas prisionais e há descumprimento da decisão? Nós temos uma sentença, que ainda não transitou em julgado, em cima de uma ação civil pública intentada aqui em Porto Alegre. Quando transitar em julgado é que poderemos ter panorama melhor para analisar. O senhor acredita que se o apenado pudesse votar, o sistema prisional seria dotado de melhores condições? Então o senhor é favorável que o apenado vote? Sem sombra de dúvida, há necessidade de que o preso vote. Até porque não tem motivo para que ele não possa exercer a sua cidadania. ” Fonte: TJRS

feito da seguinte forma: 1) só com dinheiro público que nunca existiu antes, mesmo quando os representantes da esquerda governaram o RS. 2) sem dinheiro privado, seja ele obtido em pedágios ou em investimentos diretos, como é o caso do Camelódromo de Porto Alegre. A governadora Yeda Crusius assinou duas autorizações para estudo de modelagem de Parcerias PúblicoPrivada (PPPs) no sistema prisional gaúcho e na área de saneamento básico, no Vale do Sinos. As autorizações somam-se a outras duas, aprovadas no primeiro trimestre de 2009, na área de transportes e de modernização do patrimônio público. Na área da Segurança, a modelagem foi autorizada para um complexo de 3 mil vagas, na Região Metropolitana, onde o Estado tem atualmente a decisão de construção de algumas unidades. O Programa de Parcerias Público Privadas desenvolvese através do comitê gestor que foi constituído no governo Yeda Crusius, no final de 2007.

18 de junho de 2009

Manhãs de Sábado

A Escola Municipal de Ensino Fundamental Osvaldo Amaral realizou na última quarta-feira, dia 10, a sua Noite Cultural. O saguão da escola ficou lotado de alunos, pais, familiares e pessoas da comunidade que foram prestigiar as apresentações artísticas. Entre elas, se apresentaram: o Coral Infantil do Município, danças das invernadas mirim e juvenil do CTG Herança Charrua e ainda apresentações das turmas da escola e da Banda D4. A Direção, professores e funcionários da Escola agradeceram a presença dos grupos que se apresentaram e salientaram a importÂncia de eventos como este para a integração da família com a escola.

O sábado amanheceu mais uma vez espetacular. Preparei meu chimarrão e saí tranquilamente em direção a Praça. Encontrei meus amigos os três graças, Rafael, o desgraça, Lukinha o sem graça e o Rodrigo, nem de graça, dei um beijo em cada um e saí a sarandear pelo centro. Passei na Relojoaria Real para consertar meu óculos de grau. Caiu o parafuso que segura a armação e gentilmente o Antenor, mais conhecido como Magrão, na hora, realiza o conserto, não me cobra nada e eu saio feliz da vida. Peguei uns quitutes na Vó Divina, cuca de chocolate e pão caseiro, delicias que só ela sabe fazer. Depois nos reunimos na Confraria do Mate na Praça e lá ficamos até mais de meio dia. Mais uma manha deliciosa, vendo e revendo amigos. Vivências Minhas *** Na quinta feira fui a festa junina na Penitenciária Modulada de Osório. Fiz grandes amigos lá, como o Diretor Bitelo, Sub Diretor Melo, Chefe da Segurança, Jair e vários agentes penitenciários. Pinhão, quentão, pipoca, boa conversa e muita música alegraram o ambiente, além de uma fogueira espetacular. *** Na sexta feira jantei no Santa Helena Grill, maravilhoso buffet oferecido por Nilton Bestetti e Jussara. Comandei o cerimonial, com poesias de amor. Os diversos brindes oferecidos por parceiros alegraram os clientes, casais enamorados. A boa música ao piano de Giovani Barbieri e do DJ Fernando Braga completaram a noite. AS Celular Desde o dia que levei meu celular para o chuveiro que uso um aparelho, gentilmente cedido pelo Alexandre da AS Celular. O meu ainda está na UTI, vamos ver se tem conserto. SUD Pilates O método pilates é um sistema de exercícios físicos que promove equilíbrio entre corpo e mente.Proporciona bem-estar, saúde e uma melhor qualidade de vida. O método pilates tem como objetivo fortalecer os músculos e articulações e melhorar a flexibilidade do corpo. E no Sud Pilates você encontra atendimento personalizado, ambiente climatizado, profissionais responsáveis e aparelhos de ótima qualidade. Rua Marechal Floriano,nº 920 – sala 202 -Osório – RS - (51) 84596386 - email:

susicastiglia@hotmail.com. Recado do Leitor Syl, sempre que posso leio a tua coluna no jornal Bons Ventos e as entrevistas que acho muito interessante, pois na maioria das vezes tiramos grande lição de vida, lá conhecemos muitas pessoas com garra. Por isso que resolvi te escrever. Talvez você possa de alguma maneira trazer essa história que aconteceu, à tona e ajudar a pessoa envolvida ou possa simplesmente contar a outras pessoas para que todos saibam que acontecem vandalismos horríveis em nossa cidade. Pessoas são prejudicadas por esses atos, fiquei triste e chocada. Semana passada fui a loja K&Z e quando ao chegar no caixa encontrei em cima do balcão um pedido de ajuda para um senhor sapateiro que tem bem perto dali. O seu estabelecimento foi invadido por vândalos que fizeram grandes estragos e deram prejuízo. O que não foi levado foi destruído. Os clientes estavam cobrando do sapateiro o calçado, bolsas, casacos de couro, que estavam lá para conserto e ele sendo um trabalhador humilde não terá como pagar. Obrigado e desculpa por estar tomando seu tempo, não sei se consegui expressar o que senti, mas tentei. Sempre que lembro do acontecido fico triste. No e-mail dizia apenas Manuzinha. Fui ate o sapateiro e conversei com ele. Ele diz que o que causou mais sofrimento não foi o que perdeu de sua propriedade, como máquinas e equipamentos, mas sim os objetos que eram dos clientes. O mais triste ainda no relato de senhor Antonio, é que alguns clientes, não entenderam e chegaram a acusá-lo de ter pego os objetos. Ele diz que trabalha há mais de 30 anos na profissão, sempre em espaços cedidos gentilmente em terrenos pelo centro e jamais cometeu algo que o desabonasse e a injustiça destes clientes em duvidar dele é o que mais lamenta. Quem puder ajudar senhor Antonio, aqui fica meu pedido. Gabriele Lemos Grande beijo para uma leitora especial Gabrielle, que me deixou um recadinho no orkut. Obrigada pelo carinho. K&Z O site da Loja KeZ já esta no ar, entre e confira... www.kezsurf.com.br “A vida é um roteiro a ser construído cotidianamente”

18 de junho de 2009


Página 2