Page 1

Boletim Informativo PALAVRA DA PRESIDENTE A participação dos associados é a base para o fortalecimento da nossa associação. Diante disto apresentamos nossos canais de comunicação que oportunizam a expressão de opinião e o envio de sugestões que contribuam para a melhoria de nossa atividade. LEIA MAIS NA PÁGINA 2

CONGRESSO GAÚCHO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA

A Associação de Obstetrícia e Ginecologia do RS (SOGIRGS) realizará o Congresso Gaúcho de Ginecologia e Obstetrícia, em Porto Alegre , RS, no Hotel Plaza São Rafael e Centro de Eventos que se realizará nos dias 13 a 15 de agosto de 2015. PÁGINA 5

PROVA DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE RESIDÊNCIA MÉDICA DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA DA SOGIRGS Em 2015 será realizada a XV Edição da Prova de Avaliação dos Programas de Residência Médica de Ginecologia e Obstetrícia da SOGIRGS. PÁGINA 8

SOGIRGS

em AÇÃO!

Racismo no SUS Reuniões semanais na sede da SOGIRGS Esclarecimento à sociedade

LEIA MAIS NA PÁGINA 7


PALAVRA DA PRESIDENTE A participação dos associados é a base para o fortalecimento da nossa associação. Diante disto apresentamos nossos canais de comunicação que oportunizam a expressão de opinião e o envio de sugestões que contribuam para a melhoria de nossa atividade. Entres as formas de contato com a SOGIRGS que estão disponíveis, destacamos: Website

PRESIDENTE Mirela Foresti Jiménez

DIRETORIA ADMINISTRATIVA Mila Pontremoli Salcedo

DIRETORIA DE FINANÇAS Beatriz Vailati

DIRETORIA CIENTÍFICA Maria Celeste Osório Wender

DIRETORIA DE NORMAS

Via formulário de contato o associado pode enviar suas opiniões, sugestões ou críticas para que a se possa avaliar discutir e implementar as ações para o fortalecimento da categoria.

Fabíola Zoppas Fridman

DIRETORIA DO EXERCÍCIO PROFISSIONAL Gustavo Steibel

Fanpage A fanpage da SOGIRGS é uma forma ágil de informar os associados além de alcançar um grande número de pessoas.É um canal de comunicação ético e relevante para a classe médica, atingindo de forma segmentada um público alvo importante para a entidade. Assuntos abordados neste ano chegaram a atingir mais de 8.000 visualizações. Informe e comunicados via e-mail Envio periódico via ferramenta de email para os associados. É uma ação que visa incentivar os associados à tomar conhecimento das propostas da SOGIRGS. Hoje a SOGIRGS tem como prioridade a manutenção e constante qualificação da entidade. No ano de 2014 ocorreram diversas questões polêmicas na área de ginecologia e obstetrícia, que tomaram uma abrangência nacional onde o posicionamento da SOGIRGS foi determinante para esclarecimentos à comunidade. Este é um dos focos da atual gestão da entidade, manter-se atuante na busca da qualificação e melhoria da saúde como um todo. A SOGIRGS está aberta para a interação com todos os associados. Participe você é bem vindo. Mirela Foresti Jiménez Presidente da SOGIRGS

2

EXPEDIENTE

DIRETORIA DE DIVULGAÇÃO Thais Guimarães dos Santos

DIRETORIA DE ATIVIDADES REGIONAIS Ana Selma Picoloto

DIRETORIA DE ASSUNTOS EXTRAORDINÁRIOS Flávio da Costa Vieira

JORNALISTA RESPONSÁVEL Claudia Stivelman

DIAGRAMAÇÃO DIGITAL Laura Palmini

Boletim Informativo da Sociedade de Obstetrícia e Ginecologia do Rio Grande do Sul – SOGIRGS Av. Ipiranga, 5311 sala 201 90610-000 - Porto Alegre /RS Telefone: (51) 3339.3609 E-mail: sogirgs@sogirgs.org.br Site: www.sogirgs.org.br


XX Jornada do MERCOSUL/SOGIRGS A SOGIRGS, sempre com seu foco na segurança do exercício profissional da Ginecologia e Obstetrícia, realizará uma edição renovada da Jornada Mercosul,no Hotel Dallonder, em Bento Gonçalves, nos dias 24 e 25 de abril de 2015. O evento terá como tema a Segurança Obstétrica e Ginecológica. As inscrições para os associados SOGIRGS são gratuitas.

TEMA: SEGURANÇA OBSTÉTRICA E GINECOLÓGICA Sexta feira - 24/04/2015 16:00 - CONFERÊNCIA: HUMANIZAÇÃO E SEGURANÇA NA ASSISTÊNCIA AO NASCIMENTO. É POSSÍVEL COMPATIBILIZAR? Presidente: Dr. José Mauro Madi Palestrante: Dr. Sérgio H. Martins-Costa 16:45 - MESA REDONDA: SEGURANÇA EM PATOLOGIA DO TRATO GENITAL INFERIOR Coordenadora: Dra. Mila Pontremoli Salcedo Moderadora: Dra. Suzana Arenhart Pessini LESÕES CERVICAIS DE BAIXO GRAU – ATÉ QUANDO É SEGURO OBSERVAR? Dr. Júlio César Possati Resende LESÕES VULVARES – COMO INVESTIGAR? Dra. Fabíola Zoppas Fridman LESÕES CERVICAIS DE ALTO GRAU: QUAIS OS TRATAMENTOS SEGUROS? Dr. Ricardo dos Reis 18:00 – CONFERÊNCIA: SEGURANÇA MÉDICO-LEGAL NO EXERCÍCIO DA GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA Presidente: Dra. Mirela Foresti Jimenez Palestrante: Dra. Maria Lucia Rocha Opperman

Sábado - 25/04/2015 08:30 - MESA REDONDA: OBSTETRÍCIA EM SITUAÇÕES ESPECIAIS– O QUE É SEGURO? Coordenador: Dr. José Emílio Mendes Lima ALTERAÇÃO NO ESTUDO DOPPLER: O QUE SIGNIFICA? Dr. Sérgio H. Martins-Costa SEGURANÇA DO PERFIL BIOFÍSICO FETAL COMO MÉTODO DE AVALIAÇÃO DO FETO Dr. Francisco Galarretta SEGURANÇA NA CESARIANA ELETIVA Dr. Gustavo Steibel 10:15- CONFERÊNCIA: ANTICONCEPÇÃO SEGURA NA ATUALIDADE Presidente: Dra. Gislaine Vargas Palestrante: Dra. Carla M. Vanin 11:00 – MESA REDONDA: SEGURANÇA NA INVESTIGAÇÃO DA PATOLOGIA MAMÁRIA Coordenador: Dr. Flávio da Costa Vieira MAMOGRAFIA–É SEGURO SOLICITAR PARA TODAS AS PACIENTES? Dr. Felipe P. Zerwes COMO AVALIAR COM SEGURANÇA A PACIENTE COM PRÓTESE MAMÁRIA Dra. Luciana Miele RASTREIO GENÉTICO– QUANDO SOLICITAR? Dr. Felipe P. Zerwes 13:30 - MESA REDONDA: O QUE É SEGURO NA PÓS-MENOPAUSA? Coordenadora: Dra. Ângela Marcon Dávila Moderadora: Dra. Suzana Arenhart Pessini EXISTE TERAPIA DE REPOSIÇÃO HORMONAL SEGURA? Dra. Carla M. Vanin É SEGURO SOLICITAR EXAMES DE IMAGEM PARA RASTREAMENTO DE NEOPLASIAS GENITAIS? Dr. Ricardo dos Reis O QUE É SEGURO NO TRATAMENTO DAS DISFUNÇÕES SEXUAIS? Dra. Janete Vettorazzi 15:15 - MESA REDONDA: SEGURANÇA NO DIA-A-DIA DO CONSULTÓRIO Coordenação: Dra Beatriz Vailati SEGURANÇA NO TRATAMENTO FARMACOLÓGICO DA INCONTINÊNCIA URINÁRIA DE URGÊNCIA Dra. Ana Selma Picoloto SEGURANÇA NA HIGIENE ÍNTIMA FEMININA Dra. Janete Vettorazzi SEGURANÇA NA REPOSIÇÃO DE VITAMINAS Dra. Claudia A. Gazal 16:15 – DEBATE 16:30– ENCERRAMENTO

3


Fórum de Assistência Obstétrica FEBRASGO/SOGIRGS

A SOGIRGS, com o apoio da FEBRASGO, no fim de semana do dia 28 de março, promoveu o fórum de assistência Obstétrica na atualidade. Participaram do evento 253 gineco-obstetras do Brasil todo. Foi abordado o panorama da asssitência do parto no Brasil, além disto foram discutidos temas como a taxa de cesariana e a segurança em obstetrícia. A conferência de encerramento abordou a polêmica disponibilidade obstétrica.

4


XVIII Congresso Gaúcho de Ginecologia e Obstetrícia

A Associação de Obstetrícia e Ginecologia do RS (SOGIRGS) realizará o Congresso Gaúcho de Ginecologia e Obstetrícia, em Porto Alegre , RS, no Hotel Plaza São Rafael e Centro de Eventos que se realizará nos dias 13 a 15 de agosto de 2015. Mantendo a tradição na organização de eventos científicos a SOGIRGS não poupa esforços para trazer o que há de melhor para os nossos congressistas. No evento serão discutidos, de forma prática e aprofundada, todos os aspectos da Ginecologia e Obstetrícia. A Comissão Científica trabalha para realizar um evento do mais alto nível que tenha um enfoque prático

e, ao mesmo tempo, aborda as mais novas descobertas científicas e o seu impacto na prevenção, no diagnóstico e tratamento das doenças da nossa especialidade. O evento será um marco importante na Ginecologia e Obstetrícia e uma excelente oportunidade de confraternizar com colegas. Desta forma teremos um Congresso muito especial e gostaríamos de contar com a sua importante presença. Um grande abraço, Dra. Mirela Foresti Jiménez Presidente do CONGRESSO

Dra. Maria Celeste O. Wender Diretora Cientifica da SOGIRGS

Palestrantes:

Kathleen M. Schmeler

Nelson Sass (São Paulo)

Silvio Tatti (Argentina)

Associate Professor, Department of Gynecologic Oncology and Reproductive Medicine, Division of Surgery, The University of Texas MD Anderson Cancer Center, Houston, TX

Professor associado do Departamento de Obstetrícia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) desde 1988 e livre-docente (2009) pela UNIFESP, é coordenador do Programa de Pós-Graduação Obstetrícia da UNIFESP desde 2010. É também responsável pelo Setor de Hipertensão Arterial e Nefropatias na Gravidez. Editor dos livros Hipertensão Arterial e Nefropatias na Gravidez (2006) e OBSTETRÍCIA (2013), Nelson Sass é o representante do Brasil no International Council e membro do Executive Board da International Society for the Study of Hypertension in Pregnancy (ISSHP).

É professor-adjunto do Departamento de Tocoginecologia da Universidade de Buenos Aires (UBA) e diretor da Carreira de Médico Especialista em Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia da UBA. Também é diretor do Programa de Prevenção, Diagnóstico, Terapêutico e Vacinação em Trato Genital Inferior e Colposcopia do Hospital de Clínicas José de San Martín, da UBA. É o autor dos livros Enfermidades de la vulva, la vagina y la región anal (2013) e Colposcopia y Patologías del tracto genital inferior (2008). E ex-presidente da Federação Internacional de Patologia Cervical e Colposcopia (IFCPC).

5


EVENTOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS 2015 6º BRADOO – Congresso Brasileiro de Densitometria, Osteoporose e Osteometabolismo Data: 18 a 20 de Abril de 2015 Local:EXPOUNIMED - Curitiba (PR)

XXXIII Congreso Internacional de Obstetricia y Ginecología SOGIBA 2015 Período 28 a 30 de maio de 2015 Local: Sheraton Buenos Aires Hotel & Convention Center, em Buenos Aires – Argentina.

II CONGRESSO BRASILEIRO DE GINECOLOGIA ONCOLÓGICA JORNADA LATINO-AMERICANA DE GINECOLOGIA ONCOLÓGIA Período 13 a 16 de maio de 2015 Local: Minascentro - Belo Horizonte (MG) XVIII CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOLOGIA Data: 03 a 06 de junho de 2015 Local: EXPO Unimed – Curitiba (PR) XXI FIGO World Congress of Gynecology and Obstetrics Data: de 4 a 9 de Outubro de 2015 Local: Vancouver – Canadá

VII Simpósio Internacional de Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia da PUCRS Curso da Escola Brasileira de Mastologia VII Encontro dos Ex-Residentes de Ginecologia e Obstetrícia da PUCRS Data: 2 a 4 de julho de 2015 Local: Centro de Eventos do Hotel Serrano, em Gramado/RS. Sócio SOGIRGS: 50% no valor das inscrições

EVENTOS SOGIRGS 2015

6


SOGIRGS

! O Ã Ç A em Racismo do SUS O Governo Federal colocou no ar, no final de 2014, uma campanha publicitária que buscou envolver usuários e profissionais da rede pública de saúde na luta contra o racismo. A SOGIRGS juntou-se a entidades médicas de todo o Brasil e manifestou-se de forma efetiva contra o tom da campanha que desconsidera os problemas estruturais da Saúde no Brasil e centraliza nos profissionais da saúde um "racismo" na priorização dos atendimentos.

Disponibilidade Obstétrica No começo do ano de 2015 a SOGIRGS divulgou, no site e nas redes sociais, a nota de esclarecimento do CFM e da FEBRASGO sobre as declarações do Ministério da Saúde sobre disponibilidade obstétrica e acompanhamento do parto. O ministro Arthur Chioro em entrevista coletiva, demonstrou a total distância da classe médica com o notório desconhecimento do teor do Parecer CFM nº 39/2012, que trata da disponibilidade obstétrica e acompanhamento do parto. A SOGIRGS manteve unidade com o CFM e FEBRASGO e se manifestou contra o comportamento desastroso do Ministério da Saúde Brasileiro. A nota conjunta do CFM e FEBRASGO esclarece que “não existindo obrigação contratual entre o médico e a operadora de plano de saúde para o acompanhamento presencial do trabalho de parto, o médico, do ponto de vista legal e ético, não tem o compromisso de realizar tal procedimento em gestante que acompanhou durante as consultas do pré-natal”; Pelo Parecer do CFM, se houver interesse da mulher em ter o pré-natalista como responsável também pelo parto, ambos poderão firmar acordo (na primeira consulta) para que esse atendimento ocorra sem a cobertura do plano

de saúde. Caso a gestante não queira o acompanhamento desse médico poderá fazer todo o seu pré-natal com ele (vinculado ao plano) e o parto com outro profissional disponibilizado em hospital de referência indicado pela operadora; Para o atendimento dessas situações, caberia à ANS exigir das operadoras oferta suficiente de maternidades credenciadas, obrigatoriamente, com, no mínimo, uma equipe médica completa e permanente de obstetras, pediatras e/ou neonatologistas, e anestesistas, bem como com os equipamentos necessários ao acompanhamento obstétrico para atender a gestante em trabalho de parto.

Reuniões semanais na sede da SOGIRGS A atual diretoria da SOGIRGS, de forma colaborativa e voluntária, mantém semanalmente reuniões para planejamento e discussão de ações que visão à qualificação da atuação dos profissionais na área de saúde pública e privada. Assuntos como participação em eventos, organização de atividades cientificas que contribuam para atualização profissional dos associados e posicionamentos da entidade frente a questões polêmicas da comunidade são pautas permanentes dos encontros.

Reuniões dos Núcleos A SOGIRGS mantém 3 núcleos de profissionais de estudos que promovem periodicamente reuniões científicas abertas à participação de todos associados interessados na área. Núcleo de Medicina Fetal, Núcleo de Uroginecologia e Núcleo de Oncologia Ginecológica. Acompanhe a programação/2015 no site da SOGIRGS.

7


PROVA DE AVALIAÇÃO Prova de Avaliação dos Programas de Residência Médica de Ginecologia e Obstetrícia da SOGIRGS Em 2015 será realizada a XV Edição da Prova de Avaliação dos Programas de Residência Médica de

nuada.

Ginecologia e Obstetrícia da SOGIRGS. A prova, que

Cada residente recebeu o seu boletim de desem-

atendeu no ano passado 16 serviços de Residência

penho. Foi analisado o índice de discriminação das

Médica em atividade no Estado, oportunizando a atuali-

questões, e notamos que a prova foi considerada difícil.

zação médica continuada, além de valer como uma

Gostaríamos de agradecer aos coordenadores, professo-

auto-avaliação do estudante. Em muitos casos vale

res e preceptores de cada serviço que enviaram ques-

também como parte da notas dos programas de

tões para a prova, o que proporcionou o êxito desta XIV

residências médicas.

Edição de Avaliação dos Programas de RM do nosso

Desde 2005, a diretoria da SOGIRGS vem

Estado.

premiando os três residentes que obtiveram o melhor

Desde 2005, a diretoria da SOGRIGS vem

desempenho com a isenção de taxa de Anuidade da

premiando os três residentes que obtiveram o melhor

SOGIRGS/FEBRASGO para o ano imediatamente poste-

desempenho com a isenção de taxa de Anuidade da

rior.

SOGIRGS/FEBRASGO para o ano imediatamente poste-

Edição 2014 No mês de setembro do ano passado ,foi realizada a XIV Edição da Prova de Avaliação dos Programas de Residências Médicas de Ginecologia e Obstetrícia da

rior. Este ano a entidade proverá, além desta isenção, a inscrição cortesia para o XVIII CONGRESSO GAUCHO DE GINECOLOGIA E OBSTETRICIA DA SOGIRGS , que ocorrerá 13, 14 e 15 de agosto de 2015, no Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre.

SOGIRGS. Participaram do processo 186 residentes dos

A prova foi coordenada pelo Dr. Breno Acauan

16 serviços de Residência Médica em atividade no

Filho. Também participaram da elaboração da prova a

Estado. A prova foi aplicada no Centro de Eventos da

Dra Ana Selma Picoloto, Dr. Cristiano Caetano Salazar,

AMRIGS para os serviços de Porto Alegre e contou com

Dr. Felipe Costa, Dr. Gustavo Py Gomes da Silveira, Dr.

a presença de um preceptor local e de um representante

Gustavo Steibel , Dra. Ivete Cristina Teixeira Canti, Dra.

da SOGIRGS para os programas de Residência Médica

Janete Vettorazzi, Dr. João sabino, Dra. Liliane Herter e

em GO do interior do Estado. Ao total foram 50 ques-

Dr. Lucas Schreiner e Dra. Mila Pontremoli Salcedo.

tões, 25 de ginecologia e 25 de obstetrícia.

8

residentes, oportunizando a atualização médica conti-

A diretoria agradece a todos os Coordenadores,

Os serviços foram ranqueados sem identificação

Professores, Preceptores e Residentes pela colaboração

e a cada serviço foi enviado o relatório de desempenho.

e participação na XIV Prova de Avaliação dos Programas

Através da iniciativa, a SOGIRGS pretende viabilizar a

de Residência Médica de Ginecologia e Obstetrícia da

análise dos temas abordados entre a preceptoria e os

SOGIRGS.


Por

Dr. Marcelino Poli

DICA DO ASSOCIADO

Um passeio pela África levou-nos a conhecer de perto uma comunidade Massai. É uma tribo de negros longilíneos, muito bonitos, que habitam a versão leste do Lago Vitória. Embora não muito distantes de cidades bem desenvolvidas, fazem questão de manter hábitos os mais primitivos possíveis. Moram em cabanas feitas de galhos de árvores e barro batido e que, no seu conjunto, são cercadas por galhos espinhosos, que servem para proteção contra ataques de animais ferozes. Assim, formam uma espécie de taba. Moram nas savanas, onde convivem com animais de enorme variedade, entre os quais leões, elefantes, leopardos, chitas, hienas, cães selvagens e outros. A comunidade Massai não tem qualquer tipo de recurso sanitário: água encanada, esgoto, banheiros. Também não dispõem de luz elétrica. Cada cabana (maloca, diria) é constituída de três compartimentos, separados por panos coloridos. Um, destinado ao casal; outro aos filhos masculinos; o terceiro às filhas. Esses compartimentos confluem para uma diminuta área central, onde há algumas poucas panelas e uma pequena fogueira, permanentemente acesa, que serve para coser a comida e, imagino, proporcionar fumaça para afugentar os mosquitos. Sabe-se que a malária é endêmica naquela região. Entrando em uma dessas cabanas, para conhecê-la, não consegui ficar em pé, pois, assim, tocava com a cabeça no teto. São muito baixinhas. Servem, portanto, apenas para as refeições e para dormir. A vida acontece na área externa, ampla, entre as cabanas, uma espécie de pátio. Cada homem Massai tem várias mulheres, com quem são casados oficialmente, podendo chegar a uma dezena. Assim, variam de casa para dormir. Começam a casar precocemente, aos 16 anos. Os hábitos de vida dos Massai se assemelham muito aos dos animais selvagens. Banham-se nos rios e bebem da mesma água que bebe o gado que pastoreiam do modo mais primitivo que se pode imaginar. Vestem-se com mantas grandes que envolvem o corpo e a cabeça, quando necessário, à guisa de chapéu. Essas mantas são muito coloridas, com predomínio do vermelho. Produzem peças de artesanato, colares, pulseiras, brincos, que usam para enfeitarem-se. Também fazem esculturas em madeira, sendo lindas as peças de ébano que retratam a eles próprios. Tapeçarias, quadros pintados e panos decorados também são vistos nas lojas para turistas, junto a uma variedade grande de quinquilharias próprias desse tipo de comércio.

e que dirigia a LandRover 4x4, informou-nos que o chefe da tribo é o responsável pelo abate do animal e pela distribuição da carne entre os membros da comunidade. Interessante que o rebanho bovino é pastoreado na mesma área em que se encontram os demais animais. Perguntamos ao guia se os massais não tinham medo da proximidade das feras. Respondeu-nos que, ao contrário, as feras é que temem os massais, embora estes não disponham de qualquer tipo de arma. Concluímos que a integração é total. Fazem parte de uma diversidade biológica que tem seu equilíbrio. Não há agressão à natureza. Cada um cumpre seu papel nesse universo dominado pelos instintos e pelas determinações naturais. Também pela informação do guia ficamos sabendo que os massai recusam-se a receber qualquer tipo de atenção médico-hospitalar. Quando adoecem, o curandeiro vale-se dos recursos proporcionados pela natureza, como sementes e ervas, para o tratamento. Se assim não curam, submetem-se às conseqüências naturais, e a morte é encarada como fatalidade. Aliás, também fomos informados que a mortalidade infantil e neo-natal é grande, o que proporcionou uma reflexão sobre o crescimento populacional deles. Certamente bem pequeno em função disso. Como o mundo está explodindo de tanta gente, concluímos que para cada criança que deixa de morrer, graças aos progressos da medicina, uma gestação deveria deixar de ocorrer, para que o equilíbrio fosse mantido dentro dos padrões necessários à preservação do meio e do planeta que, certamente não tem capacidade ilimitada de abrigar pessoas.

Os Massai têm vida nômade. Quando os recursos naturais, das proximidades da comunidade, tornam-se escassos, fazem como os O convívio dos Massai com os animais ditos ferozes demais animais: migram para locais com mais fartura, especialmente de também nos ensina que não há animal mais agressivo do que o água. homem. Ao relatar a alguns que havíamos feito safáris na África Não se vêem grandes áreas de terra cultivadas. Alimentam-se selvagem, vários perguntaram quantos animais havíamos abatido. basicamente de carne de gado que pastoreiam. O guia, que nos conduzia É de se pensar...

9

Ano 2015 | Nº 49  

Boletim Informativo