Issuu on Google+

Número 48

Abr. / Mai. 2006

Distribuição gratuita

Câmara Municipal de Sines

Director: Manuel Coelho

Sineense Jornal Municipal

O Festival Músicas do Mundo de Sines, o maior do género no nosso país, tem em Julho o seu mais vasto programa de sempre, com 23 concertos e mais iniciativas paralelas. Os palcos de Porto Covo e da Av. Praia são especialmente reforçados em 2006. Págs. 2 e 3

Que mundos vamos ouvir em Sines DESTAQUE

DESTAQUE

DESTAQUE

A Câmara Municipal de Sines divulgou, dia 18 de Maio, as conclusões do relatório dos peritos que contratou para avaliar os impactos em Sines da REFINARIA de Patrick Monteiro de Barros, entretanto suspensa. Dia 22 de Maio, a Assembleia Municipal partiu da refinaria para discutir o modelo de desenvolvimento do concelho. PÁG. 4

A Praia da Ilha do Pessegueiro, a Praia de Morgavel, a Praia de Vale Figueiros (Vieirinha) e, este ano, também a Praia de São Torpes, foram galardoadas com a BANDEIRA AZUL para a época balnear de 2006. A não atribuição de Bandeira Azul à Praia Grande Porto Covo, a principal praia do concelho, motivou porém o protesto da CMS. PÁG. 5

A Câmara Municipal de Sines organizou, dia 27 de Maio, as comemorações do DIA DO PESCADOR. O programa incluiu um debate sobre o Porto de Pesca de Sines, nos Paços do Concelho, com a presença das autoridades locais na matéria, e um jantar-convívio, no Salão da Música, para a comunidade piscatória. PÁG. 5

MARINHA CONQUISTOU SINES.

PÁG. 11


Abr./Mai. 2006

Sineense

2

Destaque

J o r n a l

M u n i c i p a l

ATENDIMENTO PÚBLICO Presidente Manuel Coelho, vereadores Albino Roque, Carmem Francisco, Marisa Santos e António Nogueira Terças-feiras, a partir das 14h00 Vereadores Carlos Silva e Nuno Mascarenhas Segundas-feiras, 17h00-18h00 O atendimento do presidente e dos vereadores deve ser marcado no Gabinete de Apoio aos Órgãos Municipais, com excepção da vereadora Marisa Santos, cujas marcações e atendimento são feitos no Edifício Técnico (S. Marcos). As marcações para a adjunta do presidente são feitas no Expediente Geral.

A grande festa das músicas do mundo regressa a Sines O Festival Músicas do Mundo de Sines, o maior do seu género no nosso país, tem em 2006 o mais vasto programa de sempre, com 23 concertos e mais iniciativas paralelas.

Reuniões de câmara públicas Terceiras quintas-feiras de cada mês, às 14h00, nos Paços do Concelho. Próximas reuniões: 22 de Junho; 20 de Julho.

FICHA TÉCNICA

Sineense Jornal Municipal

Redacção e Administração Largo Ramos Costa 7520-159 Sines Telefone: 269 63 06 65 Fax: 269 63 30 22 Email: girp@mun-sines.pt Site: www.mun-sines.pt Periodicidade Mensal Ano VII - n.º 48 Abril / Maio 2006 Propriedade e Edição Câmara Municipal de Sines Director Manuel Coelho Carvalho Impressão Gráfica Santiago Santiago do Cacém Tiragem 7500 exemplares Distribuição Gratuita

NÃO RECEBO REGULARMENTE O “SINEENSE” EM CASA. QUEIRAM ENVIAR-MO PARA O SEGUINTE ENDEREÇO: NOME MORADA

Recorte este cupão e envie-o por carta para o Gabinete de Informação e Relações Públicas da Câmara Municipal de Sines, Largo Ramos Costa, 7520159 Sines, ou por fax, para o número 269-633022.

Trilok Gurtu

A MELHOR música que se faz no mundo volta, em Julho, a ter o seu maior palco português no Festival Músicas do Mundo de Sines. Com iniciativas paralelas, no novo Centro de Artes de Sines, logo a partir do início do mês, o FMM tem este ano o programa de concertos concentrado entre os dias 21 e 29 de Julho. De 21 a 25 há música todos os dias no palco reforçado de Porto Covo, e entre 26 e 29 decorre o programa musical intensivo na cidade, com concertos na Avenida da Praia e no Castelo. Cinco noites de concertos em Porto Covo Uma das cantoras em mais rápida ascensão na música caboverdiana, Mayra Andrade, abre o festival, dia 21, sexta-feira, na aldeia de Porto Covo. Com pouco mais de 20 anos, Mayra já tem um dueto com o mítico Charles Aznavour no currículo e acaba de lançar o seu primeiro disco, “Navega”. Saxofonista e compositor, o sérvio Boris Kovac é um dos mais produtivos e respeitados músicos europeus da actualidade. Acompanhado da banda La Campanella, traz ao FMM, dia 22, o repertório do seu disco de 2005, “World After History”, onde a música da sua Vojvodina natal se cruza com várias músicas latinas. O grupo Actores Alidos propõe, dia 23, uma visão no feminino da extraordinária polifonia da Sardenha, com um coro de cinco cantoras e o multi-instrumentista Orlando Mascia, um dos maiores conhecedores da música sarda. Dia 24, apresenta-se o quarteto Vaguement la Jungle. A combinação de estilos - do jazz manouche ao klezmer, do rock n' roll à música cigana - aliada às letras libertárias e à muita improvisação prometem uma noite de festa em Porto Covo. O último dia de música na aldeia, 25 de Julho, tem dois concertos. Primeiro, uma banda portuguesa de som “intercontinental”. Embora regressando sempre ao seu país, os Dazkarieh são capazes de navegar entre sons tão diferentes quanto os da Irlanda ou da Índia, da África ou dos Andes, da Espanha ou dos Balcãs. Depois dos Dazkarieh, Eliseo Parra, um dos maiores conhecedores e inovadores do folclore espanhol, incluído na lista dos melhores músicos de raiz tradicional de 2005

organizada pela prestigiada revista fRoots. As noites de música em Porto Covo realizam-se a partir das 22h00 e têm entrada livre. Pela noite de dentro há sessões de DJing. Música na cidade de Sines a partir de 26 de Julho A música transita para a cidade de Sines na noite de 26 de Julho (quarta-feira), com dois concertos no palco da Avenida da Praia: Jacques Pellen “Celtic Procession”, a partir das 22h00, e K'Naan, a partir das 00h00. Um dos maiores guitarristas europeus, o bretão Jacques Pellen tem ajudado a aproximar duas grandes tradições musicais: o jazz e a música celta. Iniciado em 1988, o projecto “Celtic Procession” junta reconhecidos intérpretes dos dois géneros numa big band fervilhante de criatividade. Originário da Somália, o jovem rapper K'Naan viveu e sobreviveu à violência que devastou o país nos anos 90. Hoje a morar no Canadá, o autor de “The Dusty Foot Philosopher” usa o hip-hop como veículo de uma intervenção política genuína. Quinta, 27 Dia 27, quinta-feira, a música começa às 19h00 na Avenida da Praia, com o sul-africano Vusi Mahlasela. Um dos maiores cantautores do mundo, a sua contribuição para a vida e música do país tem sido equiparada à de Bob Dylan para os EUA. O privilégio de abrir os concertos no Castelo cabe este ano ao grupo mais experimental e auto-irónico da música portuguesa de raiz tradicional. Criadores de novas músicas e novos instrumentos, os Gaiteiros de Lisboa mostram, a partir das 21h30, a refinação bem humorada das experiências que andaram a fazer em “Sátiro”, o seu disco mais recente. Segue-se, às 23h00, o Trio Rabih Abou-Khalil & Joachim Kühn. Compositor e mestre do alaúde, o libanês Rabih Aboukhalil é uma das grandes figuras do jazz de fusão. Na sequência de “Journey to the Centre of an Egg”, considerado o seu disco mais aventuroso até à data, vem a Sines num trio com o pianista alemão Joachim Kühn e o percussionista americano Jarrod Cagwin. Membro de uma linhagem de tocadores de “kora” com mais de


Sineense

Abr./Mai. 2006

Destaque

3

J o r n a l

EDITORIAL

M u n i c i p a l

Sines: os Problemas do Presente. Os Desafios do Futuro. Sines vive uma situação complexa, com um conjunto de problemas que é necessário enfrentarmos com determinação e inteligência para que estes sejam (bem) resolvidos, preparando, assim, um futuro de progresso e desenvolvimento assegurado. Entre estes problemas, destacamos: 1 - As pescas e os graves problemas dos armadores e pescadores, asfixiados num mar de dificuldades, que vão dos preços dos combustíveis à falta de apoios do governo para a aquisição de novas embarcações e equipamentos, à falta de uma fábrica de gelo, à falta de condições que garantam a venda do pescado a preços justos, acabando com as diferenças escandalosas entre os valores na lota e nos mercados. Os armadores e pescadores sentem-se maltratados e abandonados pelo governo central, que não responde às suas justas reivindicações de combustíveis subsidiados, como acontece em Espanha ou nos Açores e na Madeira. Por este caminho, a nossa pesca morre, e com ela uma actividade tão importante para a economia e a vida social de Sines. 2 - Outro problema é o desemprego dos jovens e das mulheres de Sines e a grave crise do pequeno comércio e das pequenas e médias empresas (PME's). Sines é um município com um potencial impressionante para gerar emprego, riqueza e desenvolvimento a partir dos nossos recursos naturais e construídos (o grande porto, com os seus terminais de águas profundas - o motor do desenvolvimento de Sines; o terminal de gás natural; as grandes empresas instaladas; o potencial das áreas disponíveis para instalar grandes, médias e pequenas empresas; a nossa costa e principalmente Porto Covo, com as suas belezas e potencial para o turismo. Mas, tirando os investimentos feitos nos terminais de gás e de contentores, Sines esteve praticamente 20 anos sem grandes investimentos produtivos. Por isso, e mercê da crise económica do país, vivemos um período crítico de falta de investimentos, de desemprego e de grave crise nos sectores do comércio e das PME's.

3 - A saúde e a educação são também dois sectores em crise. Com este sistema montado, temos um instrumento fiável para A saúde, por falta de médicos e de um centro de saúde digno medir, gerir e controlar o ambiente, com informação contínua à desse nome. Na educação, apesar das boas escolas que população. temos, são preocupantes o insucesso e as taxas de abandono Repito: estamos a trabalhar com empenho, seriedade e escolar no 2.º e 3.º ciclos, que nos deixam sentido de responsabilidade para resolver os inquietos com o futuro destes jovens e as problemas do ambiente e outros de importância consequências na exclusão social e dificuldade decisiva para o desenvolvimento de Sines. futura na obtenção de emprego qualificado. O executivo da Câmara a que tenho a honra de Não tenho uma visão catastrófica e é minha presidir vai continuar a agir como tem feito: convicção de que podemos procurar respostas desenvolver boas relações com as empresas, para estes problemas. É possível um futuro de empresários e entidades públicas e privadas; afirmação para Sines, assente no trabalho procurar atrair bons investimentos para Sines; persistente, na atracção de investimentos que analisar os projectos e os estudos de impacte criem centenas de milhares de empregos ambiental - se necessário com recurso a peritos qualificados, com geração de riqueza e competentes e idóneos - e, finalmente, tomar desenvolvimento económico. decisões, sem aceitar ou admitir pressões ou Há pessoas em Sines que defendem que não se constrangimentos, como estes atrás referidos. deve admitir investimentos em determinados Somos um órgão executivo: temos a legitimidade Manuel Coelho sectores enquanto não se fizer um estudo sobre a Presidente da CMS assente no voto popular; temos tido a confiança poluição e a saúde pública. Isso levaria à repetida da população; temos o dever de trabalhar estagnação da vida económica por um período bem para o bem comum e para os interesses indeterminado em Sines. Mas quem defende essas posições, legítimos da população, dos empresários, das instituições, do não se fica por aí, pretende impedir a Câmara de aprovar novos município. Procuramos, sempre, informar devidamente a população e investimentos, até que essas condições se verifiquem. Estas saber ouvir e interpretar o seu sentimento, as suas posições são inaceitáveis para a Câmara pelas consequências necessidades reais e os seus anseios. que teriam para a economia e o desenvolvimento de Sines. Agiremos, sempre, com ponderação, razoabilidade, sensatez. O ambiente é a nossa principal preocupação. Estamos a Os principais e mais preocupantes problemas de Sines, nesta trabalhar seriamente para resolver todos os problemas data, são a falta de emprego, a falta de investimento, o impasse ambientais do nosso município. Vamos, muito em breve, no crescimento económico e no desenvolvimento económico e desenvolver e instalar um sistema de análise e gestão social. (monitorização contínua) do ambiente - acompanhado de um Trabalhemos, todos, em conjunto, para procurar as melhores estudo epidemiológico da saúde pública. soluções para os nossos problemas. Este sistema é sustentado financeiramente pelas grandes Contem connosco. empresas, tem o suporte científico das universidades públicas (Instituto Superior Técnico, Universidade de Évora, Escola Nacional de Saúde Pública) e a supervisão do Ministério do Ambiente, com a coordenação da Câmara e o acompanhamento da Assembleia Municipal e associações ambientais.

800 anos, o maliano Toumani Diabaté é o seu maior intérprete na actualidade e actua no Castelo, às 00h30. Vencedor de um Grammy pelo disco que gravou em 2005 com Ali Farka Touré e autor de um dos discos africanos do ano, “Boulevard de l'Independence”, virá a Sines com a fiel Symmetric Orchestra. Às 02h30, na Praia, música desconcertante. Formados a partir de um grupo de rock progressivo, os finlandeses Alamaailman Vasarat definem-se como “uma combinação de world music ficcional com elementos de heavy metal, jazz e klezmer”. Acústica quando parece eléctrica, passando de uma valsa a uma malha hardcore sem tremer, não há banda no mundo mais resistente a rótulos. Sexta, 28 O senegalês Nuru Kane é uma das maiores descobertas da música africana dos últimos anos. Mais acústico e meditativo do que é comum na música do seu Senegal, e com ouvidos nos blues do Mali e no “gnawa” marroquino, Nuru é o primeiro do dia a entrar em palco (Av. da Praia, 19h00). Famosos pela forma enérgica de tocar e pelos seus “covers” de bandas como Nirvana ou Aphex Twin, os americanos The Bad Plus são um dos grupos que mais está a contribuir para a revitalização do jazz contemporâneo. Apenas com um piano, uma bateria e um contrabaixo, o trio prova, a partir das 21h30, no Castelo, que grande música e música irreverente não são incompatíveis. Cinco vezes eleito o melhor percussionista do planeta pela revista “Downbeat”, o indiano Trilok Gurtu é uma das estrelas mais brilhantes da world music. Conhecido pelas suas experiências de fusão dos mais diferentes ritmos do mundo, Trilok regressa em 2006 à tradição indiana, apoiado pelos extraordinários cantores Rajan e Sajan Misra. Às 23h00, no Castelo. Às 00h30, ainda no Castelo, Thomas Mapfumo, a grande figura moral da música do Zimbabué, capaz de denunciar tanto o governo branco da Rodésia quanto o regime de Robert Mugabe. Inscrita nas tradições do povo shona, no jazz e noutras expressões pop africanas, a sua música doce lembra o reggae pela forma como envolve corpo e mente. Finalmente, às 02h30, já na Av. da Praia, Tony Allen.

Toumani Diabaté & Symmetric Orchestra

Companheiro de Fela Kuti na invenção do Afrobeat, este músico nigeriano foi considerado por Brian Eno o maior baterista do mundo dos últimos 50 anos. Sábado, 29 O último dia do FMM é aberto, às 19h00, na Av. da Praia, pela voz comovente da nação saharauí. Exilada, primeiro na Argélia e depois na Espanha, Mariem Hassan canta, com a secura e profundidade dos blues do deserto, o amor, Deus, mas sobretudo a esperança de um dia voltar ao Sahara Ocidental como país independente. Às 21h30, no Castelo, as melhores vozes femininas da folk escandinava. As Värttinä são um dos projectos mais

duradouros e bem sucedidos da música europeia de raiz tradicional e acabam de lançar “Miero”, um dos mais aclamados discos da sua carreira, base do concerto de Sines. Com origens no teatro, o Cordel do Fogo Encantado (Castelo, 23h00), um dos mais premiados projectos da nova música brasileira, reinventa as tradições narrativas do sertão nordestino. Histórias fantásticas, folclore tocado como quem toca rock e os poderosos tambores de culto africano são três razões para não perder a estreia do Cordel em Portugal. O nigeriano Seun Kuti, vocalista, saxofonista e compositor, é aos 23 anos um impressionante animal de palco. Com uma voz cada vez mais própria, mas assumindo a herança do pai, Fela Kuti, Seun tem o privilégio de manter consigo a mítica orquestra Egypt 80. Fecha o programa de concertos no Castelo, às 00h30, com uma surpresa: sob fogo-de-artifício, Tony Allen entra na jam Afrobeat. O FMM acaba com a mais festiva música cigana, pelo clarinetista búlgaro Ivo Papasov e a sua Wedding Band, às 03h00, na Av. da Praia. Recomendado por um artista tão exigente quanto Frank Zappa, Ivo é não só o rei incontestado da música de casamento nos Balcãs, como um grande criador de jazz. Pela noite dentro, junto à praia, a música da celebração do amor. Os concertos na Avenida da Praia são gratuitos. A entrada nos concertos do Castelo custa 10 euros / dia. Ao fim da noite de concertos, há sessões de DJing no palco da praia. Iniciativas paralelas a partir do início de Julho O Festival Músicas do Mundo tem em 2006 um novo espaço, o Centro de Artes de Sines. Será aí que se realizarão todas as iniciativas paralelas aos concertos. Este ano, haverá exposições, ciclo de cinema documental, workshops / masterclasses com grandes músicos mundiais, conversas com escritores e artistas do festival, feira do livro e do disco, animação de rua, concertos e jam sessions e muito mais. Mais informações brevemente. Mais informação Www.fmm.com.pt


Abr./Mai. 2006

Sineense

4

Destaque

J o r n a l

M u n i c i p a l

Refinaria apresentava ameaças à segurança e ambiente A CMS apresentou, dia 18 de Maio, as conclusões do grupo de peritos que a estavam a apoiar na tomada de decisões sobre a Refinaria Vasco da Gama, antes da sua suspensão.

Presidente da Câmara e o professor Amílcar Soares, um dos peritos consultados sobre a nova refinaria, na conferência de imprensa de apresentação do relatório.

O PROCESSO para a construção da Refinaria Vasco da Gama foi suspenso no início de Maio, por divergências entre o governo e o consórcio liderado pelo empresário Patrick Monteiro de Barros. Uma decisão que a Câmara Municipal de Sines acolhe positivamente, com base das conclusões do relatório dos peritos que contratou para avaliar os estudos de impacto ambiental, divulgado em conferência de imprensa e no site municipal (www.mun-sines.pt) no dia 18 de Maio. “A Câmara Municipal de Sines manteve neste processo uma posição de princípio cautelosa, preocupando-se tanto com os aspectos potencialmente negativos no ambiente e na saúde, como com os aspectos positivos no emprego e economia, particularmente na dinamização da economia local e das pequenas e médias empresas de Sines”, disse o presidente da Câmara, Manuel Coelho. “Ora, o relatório dos peritos foi concludente quanto aos aspectos negativos do projecto, que não podiam ser aceites por esta câmara, nomeadamente um parque de tancagem junto à cidade. A Câmara nunca aceitaria o projecto nos termos dos estudos de impacte ambiental que nos foram apresentados”, acrescentou. O grupo de peritos que a autarquia contratou para ajudá-la a conhecer melhor o projecto e apoiá-la nas decisões sobre a refinaria foi constituído por alguns dos melhores técnicos nacionais nas áreas do ambiente (Grupo de Ambiente do Departamento de Engenharia de Minas e Georecursos do Instituto Superior Técnico, liderado pelo professor Amílcar Soares), da saúde pública (Escola Nacional de Saúde Pública, num grupo liderado pelo professor Constantino Sakellarides) e da refinação (engenheiro Rui Parrinha). A componente do projecto considerada mais problemática pelo grupo foi a instalação de um parque de armazenamento de combustíveis com capacidade para 220 mil metros cúbicos junto à cidade (entre a Costa do Norte e a zona urbana, na área de jurisdição da APS). O facto do promotor não fornecer nenhum motivo para não localizar o parque noutro local, o risco potencial de acidente industrial que colocava e o seu

alinhamento com os ventos dominantes, expondo em permanência a população da cidade a substâncias tóxicas, levaram o grupo a considerar essa opção “inadequada e injustificada”.

A insuficiência de explicações para o facto das chaminés da refinaria serem muito mais baixas que as de outras unidades do mesmo ramo já instaladas no concelho foi outra crítica apontada aos estudos de impacte ambiental, tal como as omissões verificadas em domínios como a poluição provocada pelo aumento de movimentação de navios no porto e as soluções para a armazenagem e escoamento do enxofre. Não foram dadas também garantias da qualidade das águas ditas “não contaminadas” que seriam descarregadas sem tratamento no mar. No domínio hídrico, criticou-se a “exiguidade de monitorização” proposta em relação a águas superficiais e aquíferos, e uma vez que a unidade dependia da chegada da água de Alqueva a Sines, se essa solução se atrasasse, colocava-se uma ameaça ao balanço hídrico da região. A omissão em relação a medidas de monitorização para a caracterização dos riscos e efeitos na saúde pública foi outro ponto fraco identificado no projecto. A CMS apresentou uma súmula deste relatório ao secretário de Estado do Ambiente, Humberto Rosa, em reunião realizada no dia 3 de Maio de 2006. O Ministério do Ambiente chumbou posteriormente os mesmos estudos de impacte ambiental que foram objecto de parecer pelos peritos. Os textos integrais de ambos os documentos e uma cronologia das acções da Câmara Municipal de Sines ao longo de todo este processo podem ser consultados no site municipal, em www.mun-sines.pt.

Da refinaria ao modelo de desenvolvimento de Sines

Assembleia Municipal sobre a nova refinaria.

INICIALMENTE marcada para discutir o projecto da Refinaria Vasco da Gama, a reunião extraordinária da Assembleia Municipal que teve lugar no dia 22 de Maio, no Salão dos Bombeiros, acabou por se constituir num fórum de discussão sobre o modo como o processo decorreu, mas também sobre o papel das indústrias de base no modelo de desenvolvimento de Sines. O mote foi lançado pelo presidente da Assembleia,

Francisco do Ó Pacheco: “A concentração industrial em Sines é bem vinda? Que selectividade devemos ter?” O presidente da Câmara Municipal de Sines, Manuel Coelho, deu conta da posição que a autarquia manteve no processo da refinaria e pretende manter em todos os investimentos potencialmente relevantes para a economia nacional e de Sines: procurar na sua análise o apoio dos melhores especialistas nacionais em áreas


Sineense

Abr./Mai. 2006

Turismo

5

J o r n a l

como o ambiente, a saúde pública ou a economia (ver pág. 4), e depois decidir. “O potencial de Sines tem três eixos: a plataforma portuária-industrial, a pesca e o turismo. Estes três eixos devem desenvolver-se de forma harmoniosa de forma a um não inviabilizar o outro”, afirmou o autarca, reforçando: “a nossa posição é defender os interesses da população no presente, sem comprometer o futuro”. Francisco Venturinha, deputado municipal do PSD criticou as “falsas expectativas” geradas pelo anúncio do empreendimento e ressalvou: “Investimentos sim, mas que não hipotequem o nosso futuro”. Idalino José, do Partido Socialista, disse que “Sines precisa de indústrias mais amigas do ambiente”, onde seja possível “a compatibilização com as pescas e o turismo”. O deputado municipal comunista Hélder Guerreiro criticou o modo de actuação do consórcio e do governo ao longo do processo e enumerou um conjunto de reivindicações a colocar a futuros investimentos: respeito pelo poder local democrático; realização de estudos de impacte no ambiente e na economia; melhoria dos cuidados de saúde; estabelecimento de quotas para trabalhadores do concelho; etc. José Carlos Guinote colocou em causa a posição das indústrias de base no modelo de desenvolvimento do concelho e apresentou a petição de um grupo de cidadãos que defende uma moratória à realização deste tipo de investimentos em Sines até que se faça a avaliação “credível” da poluição e do seu impacto na saúde. A petição apresentada defende igualmente a cativação das contribuições das empresas às autarquias para utilizações ambientais, o redimensionamento das áreas industriais na revisão do PDM e a realização de consultas à população antes da implantação de novas unidades. João Castro, do Laboratório de Ciências do Mar da Universidade de Évora, criticou o modo superficial como os estudos de impacte ambiental da nova refinaria trataram a monitorização da poluição dos ambientes marinhos, afirmando que mesmo na situação actual essa monitorização é insuficiente. Carlos Silva, vereador da CMS, confessou-se “intranquilo” com as notícias sobre a ampliação da refinaria da Petrogal, afirmando que “o governo deve olhar para Sines de maneira completamente diferente”, analisando a situação do concelho a nível de saúde e ambiente, antes de novos investimentos. O lamento pelo insuficiente envolvimento das autarquias e das populações no acompanhamento e nas decisões sobre estes projectos estiveram presentes nas palavras de José Madeira, do Grupo Parlamentar do PCP, de Rui Penas, da Junta de Freguesia de Sines, e do deputado municipal social-democrata Micael Raposo. Alberto Gonçalves, dirigente da associação ecologista “Marés”, revelou-se preocupado com as excedências verificadas nos últimos anos em poluentes como o ozono e as partículas em suspensão, alertando para os impactes do seu efeito cumulativo, que considera diminuírem a margem de manobra para a instalação de novas unidades de indústria pesada. No final, o presidente da Câmara transmitiu uma mensagem de optimismo sobre o futuro ambiental do concelho, quer pela reconversão que está a ser feita pelas grandes fábricas na redução das emissões de poluentes atmosféricos, quer pelo sistema de Gestão Integrada da Saúde e do Ambiente (GISA), promovido pela Câmara, e que Manuel Coelho acredita poder estar a funcionar no prazo de dois anos. “Garanto-vos que o GISA vai ser feito e que vamos ter um sistema de controle e gestão da poluição no terreno com informação em contínuo sobre ambiente e saúde e a participação técnica das melhores universidades do país”, afirmou o autarca. O presidente da Assembleia Municipal, Francisco do Ó Pacheco, encerrou a sessão voltando a manifestar o seu cepticismo sobre o futuro do complexo industrial (“as áreas concentradas de indústria de base estão em declínio”), defendendo um pólo industrial diversificado e exigindo uma devida monitorização do ambiente e impacto da indústria na saúde da população.

M u n i c i p a l

Câmara contesta não atribuição da Bandeira Azul à Praia Grande

Praia Grande de Porto Covo.

A PRAIA da Ilha do Pessegueiro, a Praia de Morgavel, a Praia de Vale Figueiros (Vieirinha) e, este ano, pela primeira vez em vários anos, a Praia de São Torpes, foram galardoadas com a Bandeira Azul para a época balnear de 2006. A não atribuição de Bandeira Azul à Praia Grande Porto Covo, a principal praia do concelho, motivou porém o protesto da Câmara Municipal de Sines. Este é o texto da informação distribuída pela Câmara Municipal de Sines à população sobre a matéria: “A Câmara Municipal de Sines foi confrontada, dia 12 de Maio, com a não atribuição do Galardão Bandeira Azul à Praia Grande de Porto Covo em 2006. Desde 1990, sempre que apresentada candidatura, a praia recebeu o galardão. Uma vez que os pressupostos para a sua atribuição não se alteraram, nomeadamente o cumprimento dos critérios da qualidade da água, que tem sido classificada como boa, a Câmara está perplexa com a situação. Decisão aleatória. Através da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional - Alentejo (CCDR-A), foi-nos transmitido que a não atribuição do Galardão Bandeira Azul da Europa à Praia Grande de Porto Covo teve como motivação

única o facto de as amostragens para a verificação da qualidade das águas balneares se efectuarem mensalmente, quando o Júri Internacional entende ser de observar uma amostragem quinzenal. Com este fundamento, a decisão afigura-se-nos absolutamente arbitrária, discriminatória e violadora do princípio da igualdade, uma vez que, da totalidade das praias costeiras da região Alentejo candidatadas este ano à Bandeira Azul da Europa, apenas uma praia - a praia de Vale Figueiros (Vieirinha) - tem amostragem quinzenal. Acrescente-se que a legislação da matéria, designadamente o Decreto-Lei nº 236/98, de 1/08 - Anexo XV, embora estabelecendo a necessidade de observação de uma periodicidade quinzenal, contempla a possibilidade de redução da frequência de amostragem para as praias em que os resultados dos anos anteriores tenham sido sensivelmente melhores que os especificados e que não tenham verificando qualquer fenómeno susceptível de degradar a qualidade da água. É igualmente de salientar que a monitorização balnear é realizada pelas Comissões de Coordenação e de Desenvolvimento Regionais, tendo em consideração o calendário elaborado e definido pelo INAG, bem como pelas Autoridades de Saúde, a quem compete realizar análises que complementem a avaliação da qualidade das águas balneares. Praia Grande cumpre todos os requisitos. A Câmara Municipal de Sines irá adoptar todas as diligências para reverter esta situação, esclarecendo que a praia Grande de Porto Covo cumpre actualmente, como sempre cumpriu, todos os requisitos inerentes à salvaguarda do ambiente, segurança e conforto dos utentes, de informação e sensibilização ambiental, sendo as suas águas de boa qualidade, questão aliás que não se colocou.” Entretanto, a pedido da CCDR-A, que disse às autarquias não ter condições para realizar análises quinzenais, a Câmara Municipal de Sines e outras câmaras estão em fase de contratação de empresas externas para complementar o serviço de amostragem prestado pela comissão. O protesto oficial da Câmara Municipal de Sines pela não concessão de Bandeira Azul à Praia Grande segue no início de Junho para a CCDR-A, a Associação Bandeira Azul e o júri internacional.

Mostra Gastronómica no início de Julho

A mostra volta a realizar-se no terraço da Docapesca.

A EDIÇÃO décima-primeira da Mostra Gastronómica “Sines - Alentejo à Mesa” tem lugar, no Terraço da Docapesca, entre os próximos dias 7 e 16 de Julho. Uma das iniciativas mais populares realizadas no concelho, a mostra reúne “tasquinhas” representativas de restaurantes e outros estabelecimentos comerciais e colectividades de Sines e da região. Todos os dias gastronómicos têm animação musical. Tal como aconteceu em 2005, realiza-se em 2006, no âmbito da mostra, um concurso para o melhor prato de sardinha.


Abr./Mai. 2006

Sineense

6

Cultura

J o r n a l

M u n i c i p a l

25 DE ABRIL

Nasceu o Bairro 25 de Abril O novo nome do CDH da Quinta dos Passarinhos assinala os 30 anos do poder autárquico democrático e o 32.º aniversário da revolução.

O bairro ganhou oficialmente o novo nome no dia do 32.º Aniversário da revolução.

A CÂMARA Municipal de Sines, reunida no dia 20 de Abril, deliberou por unanimidade atribuir o nome de Bairro 25 de Abril ao CDH da Quinta dos Passarinhos. “Nas comemorações dos 32 anos da revolução e dos 30 anos de instituição do poder autárquico democrático faz sentido atribuir o nome de 25 de Abril a este novo bairro”, lê-se na deliberação.

Bairro 25 de Abril.

A placa com a nova toponímia foi descerrada no próprio dia 25 de Abril, numa cerimónia com a presença dos moradores do bairro e autarcas de Sines. O Bairro 25 de Abril, com 172 fogos, foi concluído e começou a ser habitado em 2005. Promovido sob a modalidade de um Contrato de Desenvolvimento de Habitação, através do Instituto

Nacional de Habitação, o bairro, implantado em terrenos municipais, foi construído tendo como destinatários famílias sineenses, sobretudo jovens, sem posses para adquirir casas no mercado. A autarquia está a preparar o lançamento para breve de novos empreendimentos deste tipo.

Que democracia para o país, que futuro para Sines Na Assembleia Municipal do 25 de Abril reflectiu-se sobre o legado da revolução e os desafios que se colocam ao país e ao concelho. ambientais de Sines. O autarca mostrou-se preocupado com os investimentos industriais planeados (ver páginas 4 e 5), reiterando que não devem ser tomadas decisões sem o conhecimento e a participação do município. Em termos nacionais, Francisco do Ó Pacheco, presidente da Assembleia Municipal de Sines, lamentou a regressão que considera estar a ser imposta ao papel do poder local na vida do país, nomeadamente pelas dificuldades colocadas ao seu financiamento. A nível local, o autarca afirmou que Sines deve reivindicar do governo uma comissão científica para avaliar o impacto da indústria nas pessoas e nos habitats e que o povo deve ser chamado a decidir sobre o futuro da plataforma industrial do concelho.

Mesa da Assembleia Municipal.

A QUALIDADE da democracia portuguesa, 32 anos depois da revolução, e o futuro industrial e ambiental de Sines foram os principais temas abordados na sessão solene da Assembleia Municipal, que teve lugar dia 25 de Abril, no Auditório do Centro de Artes de Sines. Micael Raposo, do PPD/PSD, chamou a atenção para a necessidade de estimular os cidadãos a participar mais na vida do concelho e enumerou investimentos que o município deve reivindicar do poder central, nas áreas da saúde, do ambiente e das acessibilidades. O socialista Manuel Lampreia falou da Constituição de 1976 como uma conquista basilar da revolução e destacou a contribuição do poder local no desenvolvimento das funções do Estado Social moderno.

Martinho Pinho, da CDU, recordou o “feito histórico” do 25 de Abril e manifestou-se contra os “ataques dos sucessivos governos às conquistas de Abril” a nível de direitos laborais e sociais. O vereador do PS Carlos Silva lembrou os desafios que ainda hoje se colocam à democracia, como as desigualdades sociais e a baixa participação dos cidadãos, que encontra, por exemplo, em Sines. Na parte da sua intervenção dedicada à actualidade, o presidente da Câmara Municipal de Sines manifestou-se contra a marginalização dos municípios do Alentejo na definição das verbas a atribuir no âmbito do novo Quadro Comunitário de Apoio e lamentou a falta de empenhamento do governo na resolução dos problemas

Micael Raposo, deputado municipal do PSD.


Sineense

Abr./Mai. 2006

Cultura

7

J o r n a l

M u n i c i p a l

25 DE ABRIL

Coral Atlântico estreia-se

O Coral Atlântico e o Coral Harmonia cantando juntos.

SINES tem um novo grupo coral. Iniciativa da Associação dos Serviços Sociais, Culturais e Desportivos dos Trabalhadores das Autarquias Locais de Sines, o Coral Atlântico apresentou-se pela primeira vez ao público, dia 23 de Abril, no Auditório do Centro de Artes de Sines. A estreia teve casa cheia e a adesão dos espectadores motivou a realização de um segundo espectáculo, no dia 30 de Abril. Constituído por 30 coristas sem experiência musical, funcionários das autarquias do concelho, o Coral nasceu no final de 2005, sob direcção do maestro Fernando Malão. Na sua primeira apresentação, cantaram um repertório variado, da música africana à música alentejana, com o ponto alto no jogo de vocalizações de “Vogais”, original do maestro.

A segunda parte do espectáculo foi assegurada pelo Coral Harmonia, “padrinho” do novo coral sineense. Actualmente com 42 coralistas, o coral de Santiago do Cacém, também dirigido por Fernando Malão, é um dos com maior actividade no Alentejo. No Centro de Artes interpretou o programa “Canções para um mundo melhor”, baseado na tradição do gospel afroamericano. No final, os dois coros juntaram-se e mais de 70 vozes em palco cantaram “African Alleluia”, de Benjamin Harlan. Os coros tiveram acompanhamento instrumental do grupo Swing a Quatro e Fernando Chainho. As orquestrações foram da responsabilidade e Fernando Malão, Fernando Chainho e Swing a Quatro.

Mais de 600 dançaram em Sines

A ASSOCIAÇÃO Recreativa de Dança Sineense (ARDS) organizou, dia 29 de Abril, um dia cheio de dança no Salão do Povo. Mais de 600 pessoas, vindas de todo o sul do país, participaram nos workshops de danças africanas, salsa, dança do ventre, hip hop, kizomba, sevilhanas, tango argentino e biomovimento, ministrados por alguns dos melhores professores portugueses. À noite realizou-se um espectáculo, também com sala cheia, onde actuaram os bailarinos convidados. Para a ARDS, nas palavras de Tomané, foi mais uma ocasião para “divulgar e cativar a população para a prática da dança, que além de ser uma forma de arte, é um desporto bastante completo”. A iniciativa permitiu igualmente à população sineense “experimentar todo o conjunto de ritmos, a que muitas vezes só nas grandes cidades se tem acesso, tal como ver ainda um espectáculo de dança bastante variado”. Superando todas as expectativas da organização em 2006, a iniciativa durará dois dias em 2007. A ARDS organiza, todos os meses de Novembro, o Festival Alentejo de danças de Salão e Latino Americanas, um dos maiores de Portugal no género e considerado o mais bem organizado pela Associação Portuguesa de Professores de Dança de Salão Internacional.

31 anos de SMURSS

Noita da Liberdade com festa mirandesa A SOCIEDADE Musical União Recreio e Sport Sineense (SMURSS) comemorou o 31.º aniversário da sua reorganização com um encontro de bandas filarmónicas, dia 1 de Maio. Além da SMURSS, desfilaram pela cidade e tocaram para a plateia cheia do Salão da Música a Sociedade Musical Capricho Setubalense e a Sociedade Filarmónica Portimonense. As origens da SMURSS remontam ao século XIX, no corpo da Sociedade Filarmónica Sineense, fundada em 1898. Ao longo do século XX, a sociedade musical teve vários nomes e configurações. Ligada ao movimento de resistência antifascista, era ali que se ouvia a rádio do governo republicano, durante a Guerra Civil de Espanha, e a BBC de Londres, na II Guerra Mundial. Actualmente dedica-se ao ensino e à divulgação da música através da banda filarmónica e de outras formações que encontram apoio no seu seio.

1.º de Maio em Sines Galandum Galundaina.

CERCA de 3000 pessoas participaram na festa da Noite da Liberdade, dia 24 de Abril, na Avenida da Praia. A estrela da noite foi o grupo Galandum Galundaina. Originários da região de Miranda do Douro, em Trás-os-Montes, os Galandum mostraram a riqueza da cultura mirandesa, da sua música, da sua dança (através do grupo de pauliteiros convidado) ou simplesmente da sua língua, que utilizaram na viva interacção com o público. Depois do fogo-de-artifício, um dos mais longos e bem conseguidos dos últimos anos, actuaram os caboverdianos Cordas do Sol, que fizeram em Sines a sua primeira apresentação em solo português.

A União Local dos Sindicatos, a Comissão Sindical dos Trabalhadores das Autarquias, a Associação Caboverdeana e outras entidades organizaram as comemorações do Dia do Trabalhador em Sines. Este ano, o 1.º de Maio incluiu um concerto com a banda Traumophobia, no Largo do Castelo (dia 30 de Abril), um torneio de futsal e um almoço-convívio, no Parque Desportivo Municipal, entre outros eventos.


Abr./Mai. 2006

Sineense

8

Cultura

J o r n a l

M u n i c i p a l

Prémios, estreias e regressos Os meses de Maio e Junho ficaram marcados no Centro de Artes pela entrega dos prémios AICA e pelo lançamento de obras de autores sineenses. PEDRO CALAPEZ e Francisco e Manuel Aires Mateus receberam os prémios AICA/MC 2005 numa cerimónia realizada no Centro de Artes de Sines, dia 6 de Maio (ver abaixo). Foi o acontecimento mais destacado da vida do centro nos meses de Abril e Maio, juntamente com a exposição “Desenho Contínuo”, organizada tendo os prémios como pretexto. A Primavera no Centro fica também marcada pelas actividades relacionadas com o livro e a leitura. Realizou-se uma feira do livro na Rua Cândido dos Reis (21-25 de Abril), foi lançado o livro “Uma Luz na História”, de Dalila Guerrinha, sobre o sineense activista da causa dos cegos Joaquim Guerrinha (8 de Abril), e a escritora Lídia Jorge encontrou-se com o público (29 de Abril). Vicente Alves do Ó esteve no CAS, dia 11 de Maio, para lançar o romance “Kiss Me” e mostrar o filme “Entre o Desejo e o Destino”. Em Abril e Maio houve música para todos os gostos. Do fado actualizado pel'A Naifa (14 de Abril) ao repertório dos maiores escritores de canções portugueses revisto pelos Cantautores (25 de Abril) ouviu-se grande música em português. A riqueza de grandes músicas populares como a canção italiana e os blues foram apresentados em visões modernas pelos Anonima Nuvolari (13 Maio) e os Nobody's Bizness (27 de Maio). Eduardo Ramos e o seu ensemble recordaram a injustamente esquecida música e poesia de tradição moçárabe, no dia 26 de Maio. Por três dos melhores contrabaixistas nacionais (Carlos Barretto, Carlos Bica e Zé Eduardo) assistiu-se, através do projecto CONTRA3AIXOS (18 de Maio), a um dos mais estimulantes concertos dos últimos tempos em Sines. Mas o auditório do Centro de Artes é também palco para artistas sineenses. No 250.º aniversário do nascimento de Mozart, ouviu-se uma selecção dos seus duetos e árias de ópera por um trio que integrava o soprano sineense Ana Paula Rodrigues (6 de Maio). Cerca de 30 alunos da professora de música Eunice Silva realizaram, dia 12 de Maio, uma audição aberta à comunidade. Dias 23 e 30 de Abril, o Coral Atlântico,

Mariana Paiva Boléo e o Ana Paula Rodrigues cantaram Mozart ao Centro de Artes.

composto por funcionários das autarquias de Sines, estreou-se em dois espectáculos com casa cheia (ver página 7). No teatro, destaque para a peça “Felizmente Há Luar”, de Luís de Sttau Monteiro, que permitiu ver em Sines os grandes actores Maria do Céu Guerra e João d'Ávila, dia 21 de Abril. As aventuras de “João Sem Medo” foram oferecidas às crianças e famílias pelo PIM Teatro, dia 28 de Abril. Ambas as peças tiveram apresentações para as escolas. No programa de iniciativas para as escolas e famílias, realizou-se ainda uma troca de histórias e desenhos entre crianças e três ilustradores (“A Minha Cabeça tem

um Livro de Histórias”, 18-30 Abril), foi organizada uma acção de formação sobre livros infantis (“Quando uma Carica é uma Princesa”, 22 e 23 de Abril) e usou-se a exposição “Desenho Contínuo” como estímulo da expressão artística (“Pintar Caixas por Dentro”, Maio). Concluiram-se as oficinas de dança para adultos e crianças. Na arte do conto, teve início dia 9 de Abril a iniciativa de continuidade “Hora do Conto”, na Biblioteca, e o contista de Beja realizou, dias 5 e 6 de Maio, sessões com casa cheia para adultos e escolas e famílias.

Centro de Artes de Sines une arquitectura e artes plásticas Os prémios AICA/MC 2005 foram entregues no Centro a Pedro Calapez e aos irmãos Aires Mateus, dia 6 de Maio.

Francisco Mateus, Pedro Calapez e Manuel Mateus.

O CENTRO de Artes de Sines acolheu, dia 6 de Maio, a entrega dos Prémios AICA/MC. Os mais antigos prémios de arte em Portugal foram em 2005 atribuídos pela secção portuguesa da Associação Internacional de Críticos de Artes a Pedro Calapez, na categoria de artes plásticas, e aos arquitectos Francisco e Manuel Mateus, na categoria de arquitectura, sendo neste caso o Centro de Artes - que projectaram - uma das razões indicadas para a atribuição do prémio. Entre 8 de Abril e 8 de Maio realizou-se no centro uma exposição, “Desenho Contínuo”, sobre a obra dos vencedores. “É a primeira vez que foi possível fazer a cerimónia de entrega numa obra de um dos autores premiados e com uma exposição sobre os artistas vencedores”, salientou João Pinharanda, da direcção da AICA. Ana Tostões, outra dirigente da AICA, destacou a união promovida pelos prémios e pela exposição entre arquitectura e artes plásticas e fez votos para que o Centro de Artes consiga, através da sua programação, dinamizar a cidade e a sua zona antiga em particular. O pintor Pedro Calapez congratulou-se com a mesma

“conjugação feliz” entre duas artes muitas vezes artificialmente separadas e fez votos para que o centro “possa manter uma actividade regular de exposições”, servindo a cidade, mas constituindo-se como referência para além dela. Manuel Aires Mateus mostrou-se honrado com a atribuição do prémio e feliz por fazê-lo a par com Pedro Calapez. Presente na cerimónia, o secretário de Estado da Cultura, Mário Vieira de Carvalho, elogiou a Câmara Municipal de Sines por partilhar do seu “entendimento de que o investimento em cultura é um investimento altamente reprodutivo, estruturante do desenvolvimento local e regional”. O presidente da Câmara Municipal de Sines, Manuel Coelho, mostrou-se reconhecido aos vencedores pelos seu contributo para o “enriquecimento do património arquitectónico e artístico português”, comprometendo-se a continuar o trabalho da Câmara, através do Centro de Artes, no desenvolvimento da educação, da cultura e das artes.


Sineense

Abr./Mai. 2006

Cultura

9

J o r n a l

Vicente com os seus

Vicente Alves do Ó.

O ARTISTA sineense Vicente Alves do Ó esteve no Centro de Artes, dia 11 de Maio, para apresentar na sua terra natal o primeiro romance que escreveu, “Kiss Me”, e o primeiro filme que realizou, a curta-metragem “Entre o Desejo e o Destino”. “Kiss Me”, editado pela nova editora Palavra, está nas bancas desde o mês de Março. Baseado no argumento do filme com o mesmo nome, o cenário é Sines e o enredo é familiar. “Esta é a história da vida da minha mãe, através dos meus olhos”, confessou ao público. O filme “Entre o Desejo e o Destino”, filmado num monte próximo de Porto Covo no final de 2003, é uma história, passada nos anos 50, sobre a vontade de realizar os sonhos e os obstáculos, por vezes definitivos, que a eles se colocam. Vicente, que está a conseguir realizar os seus sonhos, ofereceu o filme e o livro a quem mais ama: “Este livro e esta curta são para os meus amigos, para as pessoas que me viram crescer”. Um dos amigos, Duarte Perú, apresentou as duas obras, identificando algumas constantes no trabalho de Vicente até agora: o peso das relações familiares, a necessidade recorrente de voltar ao passado e o sonho do cinema. A força da “crença no poder de pôr em prática as suas ideias” foi o principal traço de carácter destacado. Marisa Santos, vereadora da Câmara Municipal de Sines, manifestou o prazer de ter Vicente a apresentar as suas obras no Centro de Artes e a esperança que voltar a fazê-lo no futuro com trabalhos deste autor e de outros artistas de Sines. Cristina Paixão, da Palavra, salientou a importância do livro “Kiss Me” no lançamento da própria editora no mercado.

Joaquim, nome de rua

Dalila Guerrinha, na apresentação do livro.

A BIOGRAFIA do músico e activista da causa dos cegos Joaquim Guerrinha (1913-1976), nascido em Sines, foi lançada no Centro de Artes, dia 8 de Abril. Escrito pela filha do biografado, Dalila de Jesus Guerrinha, “Uma Luz na História” é um documento exaustivo sobre um dos fundadores do associativismo dos invisuais em Portugal. Do nascimento na Herdade do Gainho à cegueira aos 18 meses e ao crescimento como músico de renome e lutador pelos direitos dos cegos, o livro faz o retrato de uma vida exemplar. Na apresentação, a prefaciadora do livro, Manuela Mendonça, destacou a capacidade de Joaquim Guerrinha “superar o seu destino”. Deodato Guerreiro, da Câmara Municipal de Lisboa, fez uma intervenção no mesmo sentido. “Joaquim Guerrinha conquistou a sua dignidade e a dos outros”, afirmou. A hipótese de o nome de Joaquim Guerrinha vir a ser incluído na toponímia de Sines, sugerida durante a apresentação do livro, foi bem acolhida pela presidente da CMS, Manuel Coelho, que considerou a sessão “um momento de honra para Sines”.

M u n i c i p a l

O Centro em Junho O Arquivo Histórico realiza a sua primeira iniciativa no Centro de Artes em Junho. E com a chegada do Verão, os espaços exteriores do centro ganham uma nova vida. A PROGRAMAÇÃO do Centro de Artes em Junho fica marcada pelo primeiro evento realizado no Arquivo. Patente entre dia 1 e dia 20, a exposição “Vestígios do Sismo de 1755 em Setúbal e Sines” apresenta documentos históricos, peças arqueológicas e imagens da catástrofe do século XVIII na nossa região. Uma organização da Câmara Municipal de Sines, através do Centro de Artes / Arquivo, com o Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal e a Protecção Civil. Organizada pela Ordem dos Arquitectos, "Reunião de Obra", 10 de Junho, às 15h00, será uma oportunidade para percorrer os espaços do Centro de Artes de Sines guiados pelos arquitectos Aires Mateus, num momento de reflexão em torno de uma das obras públicas mais emblemáticas deste atelier de arquitectura. Dia 14, a partir das 9h30, realizam-se no auditório as II Jornadas da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Sines, um espaço de reflexão e debate sobre os problemas e ameaças aos mais jovens. Dia 23, às 18h00, os interessados em aprender a filmar em vídeo digital com poucos recursos podem frequentar uma masterclass sobre o tema, ministrada por Miguel Vasconcelos. A primeira obra documental deste realizador e encenador, sobre o mundo do pugilista Jorge Pina, será projectada depois da masterclass, às 22h00. A cantora Danae, uma das grandes novas vozes portuguesas, com raízes em Cabo Verde, dá às 22h00 do dia 24, um espectáculo no Auditório. Iniciativas nos espaços exteriores do CAS. Com a chegada do Verão, intensifica-se o programa de iniciativas nos espaços exteriores do Centro de Artes. Dia 8, às 22h00, o Teatro ao Largo apresenta a peça “Viúva Astuta”, uma das comédias mais bem sucedidas do autor oitocentista Carlo Goldoni. Os Ganhões de Castro Verde, um dos melhores

Danae

grupos do cante alentejano, estão no Centro no dia 10, às 18h00. Dia 17, às 22h00, o Teatro do Mar apresenta uma versão renovada do seu espectáculo de rua, com forte componente das artes do novo circo, “Daimonion”, inspirado no mito de Fausto. A companhia vai estar neste Verão numa intensa digressão pela Alemanha. Escolas e famílias. Na programação especialmente direccionada para as escolas e famílias, destaque para a peça “Vassilissa, ou a Boneca no Bolso”, que O Bando mostra dia 6 à comunidade escolar (4.ºs anos). Nos dias 28 e 29 de Junho, realiza-se a formação pedagógica “Densidade Relativa” cujas vertentes teórica e prática permitirão introduzir professores, agentes educativos, educadores e profissionais de instituições culturais nos domínios da educação para o olhar e para a expressão artística.

Arte contemporânea no Verão O CENTRO Cultural Emmerico Nunes tem patente até 18 de Junho a primeira exposição da nona edição do seu programa “Verão - Arte Contemporânea”. A exposição de fotografia e vídeo de Mariana Viegas aborda “o movimento transitório entre a ficção e o documental, entre o natural e a construção da natureza”. A partir de 24 de Junho e até 6 de Agosto é a vez dos retratos fantasmagóricos de “No place for a woman”, de Adriana Molder, e entre 12 de Agosto e 24 de Setembro, na Alcáçova do Castelo de Sines, espaço para “Livro dos Actos”, uma instalação de Pedro Valdez Cardoso com os Descobrimentos portugueses como referência. Entre 12 de Agosto e 29 de Outubro, realiza-se no CCEN e no Centro de Artes de Sines a exposição “Densidade Relativa”, com um conjunto das mais recentes aquisições do Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdição, da Fundação Calouste Gulbenkian.

Federação de mulheres visitou Sines

Bailar na Baixa de São Pedro

A CÂMARA Municipal de Sines recebeu, dia 22 de Abril, no Centro de Artes de Sines, uma delegação da Federação Democrática Internacional das Mulheres. A recepção realizou-se no âmbito da visita da delegação a Portugal, organizada pelo Movimento Democrático das Mulheres. Sines acolheu cerca de 25 mulheres de países tão diversos quanto o Vietname, Angola, Cuba, Argentina, Inglaterra, Rússia, Líbano, Moçambique, Jordânia, El Salvador, Coreia, etc.

A ASSOCIAÇÃO de Moradores e o Grupo Desportivo da Baixa de São Pedro organizam em Junho e Julho, um conjunto bailes populares. Em Junho, actuam Eliseu Brás (dia 3), Luís Godinho (dia 10), Nelson e Arménio (dia 17) e Andreia e Sérgio (dia 24). Dia 1 de Julho, realiza-se um espectáculo com João Mateus. Os bailes têm todos início às 21h30, no Polidesportivo da Baixa de São Pedro.


Abr./Mai. 2006

Sineense

10

Economia

J o r n a l

M u n i c i p a l

Dia do Pescador, dia de protesto Quatro dias antes de uma paralisação dos pescadores a nível nacional, os agentes locais do sector discutiram, nos Paços do Concelho, os problemas do Porto de Pesca de Sines. O combustível mais caro do país surgiu à cabeça. O DIA do Pescador, 31 de Maio, fica marcado em 2006 por uma paralisação nacional em protesto pela situação crítica que o sector da pesca vive em Portugal. No âmbito das comemorações da efeméride que realiza todos os anos, a Câmara Municipal de Sines organizou, dia 27 de Maio, nos Paços do Concelho, um debate onde os vários agentes locais com competência na área discutiram os problemas e as soluções possíveis para a pesca no nosso país e, sobretudo, em Sines. Filipa Faria, em representação da Associação de Armadores de Pesca Artesanal e do Cerco do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, identificou aquele que considera ser o principal factor da crise da pesca em Sines actualmente: o preço dos combustíveis. “Pelo contrato de concessão que confere exclusividade à Galp, pagamos o valor de combustível mais alto do país”, afirmou. E colocou a questão: “Como é possível ter um porto ao lado de uma refinaria, com custos de transporte menores, e os combustíveis serem os mais caros do país?” O contrato de concessão existente termina no final deste ano e os representantes da Docapesca em Sines, Francisco Venturinha, e da Administração do Porto de Sines, Eduardo Bandeira, deram indicações de que esta questão será objecto de renegociação a curto / médio prazo. Menos soluções à vista parecem existir para o modelo de leilão do pescado em vigor - a base de licitação é o seu limite máximo, não o seu limite mínimo -, que, para a representante dos armadores, agrava o constrangimento financeiro criado pelo preço do combustível: “O modelo de leilão não possibilita repercutir o valor do combustível

Jantar-convívio.

Mesa do debate sobre a situação da pesca.

no valor do pescado, que é o mesmo há 10 anos”. Os problemas no abastecimento de gelo, pela falta de uma fábrica em condições e pelo aumento de embarcações a operar no porto, foi outra dificuldade citada na actividade dos pescadores, não tendo o representante da Docapesca manifestado confiança na resolução definitiva do problema para breve. O presidente da Câmara Municipal de Sines, Manuel Coelho, afirmou a disponibilidade da autarquia para ceder um terreno para este fim, considerando a construção desta fábrica de grande importância para os pescadores e armadores de Sines. Carlos Espadinha, do Sindicato das Pescas do Sul, criticou, entre outros pontos, as deficientes condições de movimentação e descarga no porto, que a chegada recente de vários arrastões veio agravar, e lamentou o excesso de burocracia e de rigor que considera existir na acção fiscalizadora da Capitania de Sines, e de que não encontra paralelo para a pesca lúdica. O capitão do Porto de Sines, Guilherme Ferreira, discordou da crítica de Carlos Espadinha, considerando que “tem havido uma postura de compreensão no que toca a contra-ordenações”, e informou que a Polícia Marítima não intervém na fiscalização da pesca lúdica por existência de vazio legal nessa área. Eduardo Bandeira, da APS, afirmou que a empresa “tem uma total abertura para

Beneficiações no edifício do DOA

Obras em Porto Covo

PARA melhorar o serviço prestado aos munícipes, a Câmara Municipal de Sines está a realizar obras no edifício do Departamento de Obras e Ambiente, na ZIL II, onde foi recentemente instalada a Secção Administrativa de Águas. As obras estarão prontas no final do mês de Junho.

A CÂMARA Municipal está a proceder ao arranjo do pavimento de um troço de estrada entre Porto Covo e a Ilha do Pessegueiro / Vila Nova de Milfontes. A obra ficará pronta em Junho. Entretanto, teve início no final do mês de Maio a colocação da conduta para reforço do abastecimento de água à aldeia.

encarar os investimentos que é necessário fazer para melhorar as condições do porto”. O presidente da Câmara Municipal de Sines voltou a manifestar o desejo de que as associações de produtores contribuam para “acabar com o escândalo que é a diferença de preços do pescado no produtor e nos comerciantes”. O autarca, que faz parte da mesa da secção da Associação Nacional de Municípios Portugueses para a área das pescas, mostrou-se disponível para lutar ao lado dos pescadores e armadores de Sines pela melhoria das condições do seu sector, manifestando-se convicto de que “é possível salvar a pesca”, apesar das “más políticas seguidas pelos sucessivos governos”. A crítica à posição do governo atravessou aliás as palavras de vários intervenientes no debate, quer pela dificuldade de o sector se fazer ouvir junto da sua tutela, quer pela forma como a política comum de pescas tem vindo a ser aplicada em Portugal desde 1986 (“Marrocos tomou uma posição melhor em relação ao seu mar do que Portugal”, disse João Lopes, da Mútua de Pescadores). Além do debate, as comemorações do Dia do Pescador em Sines incluíram, também no dia 27, um jantarconvívio no Salão da Música com 370 membros da comunidade piscatória de Sines e familiares. O jantar, que teve o contributo dos armadores na oferta de peixe para a caldeirada, foi animado por Maria Adélia Botelho e Jovens Acordeonistas de Sant'Iago. Uma organização da Câmara Municipal de Sines, o Dia do Pescador em Sines teve o apoio do Sindicato dos Trabalhadores das Pescas, da Associação de Armadores de Pesca Artesanal e do Cerco do Sudoeste Alentejano e da Costa Vicentina, da Sesibal, da Mútua de pescadores, da Junta de Freguesia de Sines e da SMURSS. Pescadores reformados associam-se Os corpos sociais da nova Associação de Pescadores Reformados do Litoral Alentejano tomaram posse, dia 26 de Maio, no Salão Nobre dos Paços do Concelho. Criada para defender todos os interesses dos membros da classe na região, a associação tem à partida uma reivindicação muito específica. “Com a entrada em vigor do decreto-lei n.º 246/2000, em que nos proibiram de vender em lota o pescado que capturamos, excluíram-nos de continuar, dentro das nossas possibilidades, a ser úteis à sociedade e a nós próprios”, afirmou Ludgero Guinote, o presidente da direcção, no discurso de tomada de posse. “Não praticamos pesca lúdica ou desportiva. A nossa pesca é de sobrevivência. O seu resultado serve como complemento das nossas reformas miseráveis. Não queremos ser tratados como marginais”, acrescentou. Presente na tomada de posse, o presidente da Câmara Municipal de Sines, Manuel Coelho, mostrou-se esperançoso de que esta situação se resolva e afirmou que a autarquia será uma “aliada” da associação, podendo oferecer-lhe apoio logístico, jurídico e na intercessão junto de outras entidades.


Sineense

Abr./Mai. 2006

Vários temas

11

J o r n a l

M u n i c i p a l

Sineenses com a Marinha

Parada militar na Av. Vasco da Gama.

A POPULAÇÃO de Sines e da região aderiu de forma massiva às comemorações do Dia da Marinha, que tiveram lugar na cidade entre os dias 12 e 21 de Maio, numa organização da Marinha Portuguesa, apoiada pela Câmara Municipal de Sines. Milhares de pessoas passaram a conhecer melhor a história e as actividades da Marinha na exposição que transfigurou o Centro de Artes durante uma semana e meia, participaram nos baptismos de mergulho e nos desportos radicais no Castelo, ouviram concertos pela banda da Armada e visitaram e realizaram baptismos de mar em unidades navais atracadas nos vários terminais portuários de Sines. Trinta e cinco jovens tiveram mesmo a oportunidade única de viajar, durante um dia, a

Várias unidades navais da Marinha estiveram disponíveis para visita e realização de baptismos de mar.

bordo do navio “Creoula”, entre Sines e Lisboa. O Dia da Marinha propriamente dito, 20 de Maio (que assinala a chegada de Vasco da Gama à Índia), teve uma manhã de protocolo entre o Castelo e a baía, com missa, deposição de flores na estátua de Vasco da Gama e parada militar na Avenida Vasco da Gama. Na baía, realizaram-se manobras navais. Mais de 5000 pessoas, repartidas pela avenida e pelos muros da falésia assistiram aos eventos, que contaram com a presença do ministro da Defesa, Luís Amado, entre outros dignitários. No seu discurso oficial, o Chefe de Estado-Maior da Armada, almirante Fernando Ribeiro de Melo, agradeceu a recepção “pronta e calorosa” dos sineenses às festividades e falou do mar

Largo do Castelo tem feira mensal A CÂMARA Municipal de Sines, através do seu Gabinete da Juventude, organizou, dia 13 de Maio, no Largo do Castelo, a primeira edição da Feira ao Largo, que passa a realizar-se todos os segundos sábados de cada mês. A Feira do Largo tem como principal objectivo apoiar os jovens nas suas potencialidades criativas, proporcionando-lhes um espaço para a divulgação e comercialização dos seus artigos e para a promoção das suas actividades. A feira destina-se à venda de artesanato, velharias, acessórios, cd´s, entre outros artigos. A cada participante é emitida uma credencial, após preenchimento de um formulário, e uma “banca” para exposição dos produtos. O trânsito é encerrado na zona, durante a realização da Feira. Para inscrições, contactar os serviços da Casa da Juventude (tel. 269 862 009).

Aspecto parcial da primeira Feira do Largo.

Sines acolheu encontro de estudantes estrangeiros

A vereadora Marisa Santos, na recepção oficial aos estudantes, no Centro de Artes.

SINES recebeu, entre 7 e 10 de Abril, o II Encontro Nacional Erasmus, uma iniciativa da Associação de Estudantes da Universidade de Coimbra / Erasmus Students Network, com o apoio da Divisão de Relações Internacionais, Imagem e Comunicação da Universidade de Coimbra e da Câmara Municipal de Sines. O encontrou reuniu um grupo de jovens a estudar em Portugal no âmbito do programa europeu de intercâmbio de estudantes universitários e incluiu uma festa no Castelo e outra na praia, visita guiada a Sines, actividades desportivas (grande parte delas marítimas), visita a Porto Covo, Vila Nova de Milfontes, Zambujeira do Mar, etc.

“como factor imprescindível ao progresso”, sendo a Marinha o agente de segurança sem o qual ele não acontecerá. No jantar oferecido à Marinha pela Câmara Municipal, o presidente da CMS, Manuel Coelho, destacou o papel do mar no desenvolvimento de Sines e do país, falou dos Descobrimentos como uma “aventura cultural”, decisiva para a passagem da Idade Média ao Renascimento, e elogiou o papel da Marinha na defesa dos nossos recursos e a capacidade de projectar a sua actividade para os domínios da ciência e da tecnologia.

Desportos de aventura na Páscoa

O PROGRAMA Férias Aventura, promovido pelo município, teve uma nova edição no período das férias da Páscoa. Cerca de 26 crianças entre os 8 e os 18 anos, praticaram BTT, orientação, tiro com arco, canoagem, parede de escalada, passeios pedestres, actividades com manobras de cordas e jogos tradicionais. As actividades desenvolveram-se, em dois períodos do mês de Abril, na Ribeira dos Moinhos, Barragem de Morgavel, Ilha do Pessegueiro, Sobral da Várzea (Santa Cruz) e Lagoa da Sancha. No final das Férias Aventura realizou-se um acampamento, com 21 participantes.

Aprender dança do ventre

A CMS organizou, dia 1 de Abril, na Casa da Juventude, um workshop de dança do ventre. Ministrado pela professora Rute Maluma, o workshop teve a duração de 5,5 horas e contou com a participação de 15 pessoas. O Gabinete da Juventude organiza ao longo do ano workshops ocasionais e regulares nas mais diversas áreas, da caracterização à escrita criativa.

SOFIA COSTA

As comemorações do Dia da Marinha em Sines foram muito participadas.


Abr./Mai. 2006

Sineense J o r n a l

M u n i c i p a l

12 Acção Social

Diagnóstico social do concelho de Sines concluído EM PLENÁRIO realizado dos Paços do Concelho, dia 3 de Abril, o Conselho Local de Acção Social aprovou o Diagnóstico Social do Concelho de Sines. Elaborado no âmbito do programa Rede Social, o documento identifica os problemas sociais de Sines cuja resolução se considera prioritária. A nível de equipamentos e respostas sociais, as áreas sobre as quais se considera prioritária a intervenção são: carência de equipamentos sociais nas valências de lar e centro de noite, insuficiência de apoio domiciliário adequado aos vários tipos de dependência, falta de habitação a custos controlados em Porto Covo e de habitação social para agregados familiares carenciados em todo o concelho, insuficiência de equipamentos de apoio à primeira infância (0-3 anos), deficiência de transportes para as zonas rurais e falta de espaços lúdicopedagógicos para adolescentes em Porto Covo. A empregabilidade foi outro parâmetro analisado, tendo sido identificada a carência de ofertas de empregos e problemas na inserção e reinserção sócio-profissional. Em termos de estrutura familiar estabeleceu-se como prioritárias as situações de crianças negligenciadas, de jovens com comportamentos de risco e/ou desviantes, casos de dependências de drogas e álcool e vítimas de violência doméstica. Foram detectados problemas no acesso à saúde, nomeadamente a falta de condições do centro de saúde e o número insuficiente de médicos de família. No ensino, foram consideradas prioridades de

intervenção o insucesso escolar, a desmotivação do professores e a falta de recursos não docentes nas escolas. Partindo do Diagnóstico Social, avança-se agora para a elaboração do Plano de Desenvolvimento Social para

Circo no Bairro da Floresta

Protecção de Crianças e Jovens com nova comissão restrita

Do Diagnóstico Social parte-se para a elaboração do Plano de Desenvolvimento Social para 3/5 anos.

3/5 anos, no qual se definem as estratégias de intervenção e os objectivos a alcançar. A versão integral do documento do Diagnóstico Social pode ser encontrada no site www.munsines.pt/redesocial.

Ana Vicente, ao centro, foi reeleita presidente da Comissão Restrita da CPCJS.

Grupo de alunos circenses do Bairro da Floresta.

CERCA DE 20 crianças participaram, dia 25 de Abril, na apresentação final dos ateliers que, entre 15 de Março e 27 de Abril, levaram a expressão circense ao Bairro da Floresta. A apresentação das "Oficinas da Imaginação" mostrou o que foi aprendido nas técnicas de acrobacia, malabarismo, arte do palhaço, andas, expressão dramática, etc. Com monitores provenientes do Chapitô - Escola de Artes e Ofícios do Espectáculo, as oficinas foram organizadas pelo Teatro do Mar / Associação Contra-Regra e coordenadas pela Câmara Municipal de Sines.

EM REUNIÃO da comissão alargada, realizada nos Paços do Concelho, dia 3 de Abril, a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Sines elegeu a sua nova comissão restrita, corpo executivo da entidade. A representante do município, Ana Vicente, foi reeleita presidente, ficando ainda com assento na comissão restrita a Segurança Social, o Centro de Saúde, o Ministério da Educação, a GNR, a Santa Casa da Misericórdia de Sines (representante das instituições privadas de solidariedade social) e um jurista voluntário. Presente na reunião, a vereadora Carmem Francisco anunciou a disponibilização de um novo espaço para o funcionamento da comissão - o edifício anteriormente ocupado pela Ludoteca -, que reúne melhores condições de trabalho e privacidade. As Comissões de Protecção de Crianças e Jovens são instituições oficiais não judiciárias com autonomia

funcional que visam promover os direitos da criança e do jovem e prevenir ou pôr termo a situações susceptíveis de afectar a sua segurança, saúde, formação, educação ou desenvolvimento integral. A Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Sines iniciou as suas funções em 29 de Março de 2004. Tem neste momento 36 processos activos, sendo a causa maioritária de sinalização a negligência. Dia 14, de Junho, a partir das 9h30, no auditório do Centro de Artes de Sines, a CPCJS realiza a suas segundas jornadas, um espaço de reflexão e debate sobre a temática “Juventude… Que Vivências?”, dirigido a técnicos e agentes educativos e aberto a toda a população. Para mais informações contacte a comissão através do telefone 269 630 662 ou consulte o site www.munsines.pt/cpcjs.

SOFIA COSTA

A Rede Social definiu os problemas sociais de resolução considerada prioritária em Sines.


Sineense

J o r n a l

M u n i c i p a l

Abr./Mai. 2006

Educação 13

Educação em festa A EDUCAÇÃO, a infância e a juventude têm, no mês de Junho, um programa especial de iniciativas promovido pelo município, comunidade educativa e outros agentes sociais com intervenção na área (Centro de Saúde, Escola Segura, etc.). Na data da saída deste jornal, parte das iniciativas de “Junho em Festa” já terá decorrido, como o Dia Mundial da Criança (1 de Junho), as sessões especiais da hora do conto para pais e filhos (2 de Junho), o conjunto de iniciativas pedagógicas integradas no Dia Mundial do Ambiente (5 de Junho) e a apresentação da peça de teatro “Vassilissa”, pel'O Bando, aos finalistas do primeiro ciclo do ensino básico (6 de Junho). Dia 7, na Ribeira dos Moinhos, realiza-se uma prova de orientação (iniciativa de promoção da educação ambiental) para o 1.º ciclo, promovida pela CMS, Centro de Saúde, Escola Segura e Agrupamento. Dia 8, Dia dos Oceanos, tem lugar na Praia Vasco da Gama uma actividade lúdico-pedagógica sobre a vida marinha para as crianças dos jardins-de-infância do concelho, com a colaboração do Laboratório de Ciências do Mar da Universidade de Évora. Às 21h30, há cinema na Casa da Juventude (”Colisão”, Paul Higgis). Dia 14, a partir das 9h30, no Auditório do Centro de Artes realiza-se o II Encontro da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens, subordinado ao tema “Juventude… Que Vivências”. O Estádio Municipal de Sines é palco, dia 22, da actividade 1.ªs Cambalhotas e do Encerramento das Olimpíadas Escolares (que decorrem entre 15 de Maio e 16 de Junho), num sarau de actividades desportivas com as crianças do pré-escolar e primeiro ciclo.

SOFIA COSTA

Da cultura ao ambiente, do cinema ao desporto, Junho é um mês cheio de iniciativas relacionadas com a educação e as escolas.

Actividade do Dia Mundial da Criança.

Nos dias 21 e 22 de Junho, na Escola EB 2,3 Vasco da Gama, realiza-se uma mostra de final de ano lectivo, com desporto, expressão dramática, expressão musical, etc., envolvendo todas as escolas do Agrupamento. Dia 23, a Bandeira Azul será hasteada oficialmente, na

Praia de São Torpes, e, dia 28, têm início dos jogos de animação ambiental a ela relativos. Dia 29, às 21h30, é projectado o filme “Elephant”, de Gus van Sant, na Casa da Juventude.

CNLA junta escolas de natação O CLUBE de Natação do Litoral Alentejano, com o apoio da Câmara Municipal de Sines, organizou, dia 29 de Abril, o I Festival de Escolas de Natação. Realizado no âmbito das comemorações do 25 de Abril, na Piscina Municipal de Sines Carlos Manafaia, o festival movimentou 131 crianças e procurou mostrar à população do Alentejo Litoral o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido neste domínio na região, nos últimos anos. Estiveram presentes no certame o Clube de Natação de Grândola, a Escola de Natação Municipal de Sines, o Vasco da Gama Atlético Clube e o Clube de Natação do Litoral Alentejano. Do programa fizeram parte jogos e brincadeiras na água, uma gincana aquática por equipas, uma demonstração de salvamento pela Associação RESGATE, uma mostra de natação sincronizada e demonstrações de natação pura por parte dos jovens atletas de competição.

Intercâmbio de ginástica infantil A Câmara Municipal de Sines organizou, nos dias 7, 10, 11 e 12 de Abril, no Parque Desportivo Municipal, um intercâmbio de ginástica infantil (Deslocamentos e Equilíbrios; Circuitos integrados com aparelhos de Ginástica) entre as pré-escolas e jardins-de-infância do concelho. Participam no intercâmbio as Pré-Escolas N.º 1 e 2 de Sines, dos Lentiscais, da Cabeça da Cabra e do Porto Covo, e os jardins-de-infância “Pintainho”, “Capuchinho” e “Conchinha”.

Programa de tempos livres em Agosto A Junta de Freguesia de Sines promove, em Agosto, no ATL “A Gaivota”, o programa de ocupação de tempos livres “Oficinas Infantis”. O programa destina-se a crianças dos 4 aos 6 anos cujos pais se encontrem a trabalhar. As oficinas funcionarão nos dias úteis, entre as 8h30 e as 18h30. Serão promovidas actividades em ateliers como a expressão plástica, os jogos, a expressão dramática, a culinária, entre outras. Haverá serviço de

Intercâmbio de ginástica.

I Festival de Escolas de Natação.

almoço na cantina escolar. Inscrições para as oficinas de Agosto abertas entre 15 e 30 de Junho. As inscrições para a frequência do ATL durante o próximo lectivo estão também abertas, entre 15 de Junho e 15 de Julho. Mais informações através do telefone do ATL (269 870202).

Oficinas infantis do ATL.

Crianças aprendem dicas sobre segurança Um grupo de trabalho composto pela Câmara Municipal de Sines, Centro de Saúde, Agrupamento Escolar, jardins-deinfância e Escola Segura realizou no final do mês de Maio três actividades de educação ambiental e para a segurança destinadas às crianças dos jardins-de-infância. A iniciativa incluiu uma mini-palestra sobre precauções que os mais novos devem ter perante meios, objectos e pessoas estranhos, e fizeram-se passeios pela cidade, onde as crianças receberam conselhos sobre a forma mais segura de se movimentarem na via pública.

Passeios urbanos.


Abr./Mai. 2006

Sineense J o r n a l

M u n i c i p a l

14 Município

INFORMAÇÃO OFICIAL EDITAL Nº 31/2006 CARMEM ISABEL AMADOR FRANCISCO, Vereadora da Câmara Municipal de Sines, no uso das competências delegadas e subdelegadas pelo Sr. Presidente da Câmara nos termos do nº 2 do artº 69º da Lei 169/99 de 18 de Setembro na redacção dada pela Lei 5A/2002 de 11 de Janeiro, e de acordo com o artº 68º da mesma Lei, torna público que em Reunião Ordinária de 16 de Março de 2006 foram tomadas as seguintes deliberações com eficácia externa: - Ratificado o Parecer da CMS sobre o Estudo de Impacte Ambiental da Ampliação da Fábrica de Etileno do Complexo Petroquímico de Sines (Repsol). - Deliberado deferir a atribuição de um fogo de tipologia T3 à candidata Maria Alice Candeias Rosa, no CDH da Quinta dos Passarinhos, pelos fundamentos apresentados. - Deliberado deferir a atribuição de um fogo de tipologia T2 à candidata Vera Lúcia Guerreiro da Silva, no CDH da Quinta dos Passarinhos, pelos fundamentos apresentados. - Aprovada a proposta de tarifário do Parque de Campismo de Sines, com excepção do desconto para estadias superiores a dois dias para os meses de Julho e Agosto. Para os meses de Maio, Junho e Setembro é aprovado o desconto de 20%. Sines, 22 de Março de 2006 Afixe-se! Publique-se! A Vereadora com Competências Delegadas Carmem Francisco EDITAL Nº 39/2006 REUNIÕES DE CÂMARA PÚBLICAS CARMEM ISABEL AMADOR FRANCISCO, Vereadora da Câmara Municipal de Sines, no uso das competências delegadas e subdelegadas pelo Sr. Presidente da Câmara nos termos do nº 2 do artº 69º da Lei 169/99 de 18 de Setembro na redacção dada pela Lei 5A/2002 de 11 de Janeiro, e de acordo com o artº 68º da mesma Lei, e em alteração ao Edital nº 137/2005 de 27 de Dezembro, torna público que em Reunião Ordinária de 6 de Abril de 2006 foi tomada a seguinte deliberação com eficácia externa: A Câmara Municipal de Sines passará a realizar duas reuniões mensais, na 1ª e 3ª quinta-feira de cada mês, às 14:00 horas, sendo a segunda reunião pública. No início dos trabalhos da reunião pública, os munícipes podem solicitar os esclarecimentos que entenderem. Para a participação do público não é requerida inscrição prévia, os presentes podem assistir aos restantes trabalhos da Reunião de Câmara. Sines, 07 de Abril de 2006 Afixe-se! Publique-se! A Vereadora com Competências Delegadas Carmem Francisco EDITAL Nº 41/2006 CARMEM ISABEL AMADOR FRANCISCO, Vereadora da Câmara Municipal de Sines, torna público que se encontra disponível para CONSULTA na Secção de Expediente Geral, nos Paços do Concelho, no horário de expediente, das 9 às 16.00h, o Parecer final da Comissão de Avaliação e da Declaração de Impacte Ambiental relativo ao processo “Fábrica de Óleo de Rícino Hidrogenado e de Resinas Oleoquímicas”. Sines, 11 de Abril de 2006. Afixe-se! Publique-se! A Vereadora com Competências Delegadas Carmem Francisco EDITAL Nº 42/2006 CARMEM ISABEL AMADOR FRANCISCO, Vereadora da Câmara Municipal de Sines, no uso das competências delegadas e subdelegadas pelo Sr. Presidente da Câmara nos termos do nº 2 do artº 69º da Lei 169/99 de 18 de Setembro na redacção dada pela Lei 5-

A/2002 de 11 de Janeiro, e de acordo com o artº 68º da mesma Lei, e em alteração ao Edital nº 137/2005 de 27 de Dezembro, torna público que em Reunião Ordinária de 6 de Abril de 2006 foram tomadas as seguintes deliberações com eficácia externa: - Aprovada por unanimidade protocolo de colaboração com o Agrupamento Vertical das Escolas de Sines para Sessões Pedagógicas de Expressão Musical os alunos do 1º Ciclo; - Deliberada a atribuição de subsidio extraordinário no âmbito do Programa de Expressão Musical à Associação de Pais da Escola E B 1 nº 1, no valor de 1.320,00 €; - Ratificado o programa e orçamento do Centro de Artes para o Mês de Abril; - Aprovada por unanimidade proposta de alteração ao horário e dias das Reuniões de Câmara que terão lugar à 1ª e 3ª quinta-feira de cada mês às 14:00 horas; - Aprovado por unanimidade a adjudicação de financiamento do Programa Habitacional - 124 fogos à Caixa Geral de Depósitos; - Aprovados por unanimidade os Projectos de Regulamentos Municipais de Resíduos Sólidos e Higiene Pública, Cedência e Utilização de Viaturas Municipais e Drenagem de Águas Residuais, a enviar à Assembleia Municipal; - Aprovada a Proposta de Regulamento dos Transportes Locais Colectivos de Passageiros do Município de Sines a enviar para apreciação Pública; - Ratificada por unanimidade a Proposta de Protocolo de Cooperação com a Fundação Alentejo Terra Mãe para o Projecto Biblioteca Digital do Alentejo; - Deliberada a atribuição de subsídio de 1.000,00 €, à Associação Recreativa de Danças Sineense para apoio ao Projecto “Vamos Dançar”; - Aprovada a atribuição de subsidio de 750,00 €, à Associação de Moradores do Salão Comunitário da Sonega para as Comemorações do 25 de Abril; - Aprovado o Calendário de Tolerâncias de ponto a conceder aos trabalhadores do Município até Outubro de 2006; - Aprovado por unanimidades a Proposta de Constituição das Diversas Comissões de Vistoria; - Aprovada a Proposta de Candidatura ao Projecto Mobilidade Sustentável; - Aprovado por unanimidade o Programa Provisório das Comemorações do Dia da Marinha a realizar em Sines. Sines, 11 de Abril de 2006

Afixe-se! Publique-se! A Vereadora com Competências Delegadas Carmem Francisco EDITAL Nº 48/2006 CARMEM ISABEL AMADOR FRANCISCO, Vereadora da Câmara Municipal de Sines, no uso das competências delegadas e subdelegadas pelo Sr. Presidente da Câmara nos termos do nº 2 do artº 69º da Lei 169/99 de 18 de Setembro na redacção dada pela Lei 5-A/2002 de 11 de Janeiro, e de acordo com o artº 68º da mesma Lei, torna público que em Reunião Ordinária de 04 de Maio de 2006 foram tomadas as seguintes deliberações com eficácia externa: - Aprovada por unanimidade a adjudicação da concessão do Restaurante/Bar do parque de campismo a N. F. Bar, Lda., pelo período de 60 meses. Sines, 08 de Maio de 2006. Afixe-se! Publique-se! A Vereadora com Competências Delegadas Carmem Francisco ÉDITO DE QUINZE DIAS Nº13/06 CARMEM ISABEL AMADOR FRANCISCO, Vereadora da Câmara Municipal de Sines: Faço público que estando concluídos os trabalhos referentes à obra abaixo referida ficando por este meio avisados os interessados, que nos termos do disposto no artº 223º do DecretoLei nº 59/99 de 02 de Março, para até oito dias depois do termo do prazo dos Éditos, apresentarem na Secção de Expediente Geral da Câmara Municipal de Sines, por escrito e devidamente fundamentadas, quaisquer reclamações por falta de pagamento de salários e materiais ou indemnizações a que se julguem com direito e bem assim, do preço de quaisquer trabalhos que o empreiteiro haja mandado executar por terceiros. Não serão consideradas reclamações apresentadas fora do prazo estabelecido.

Afixe-se! Publique-se!

“Empreitada de “Linha de Sines - Ramal da Petrogal e Asfaltos”

A Vereadora com Competências Delegadas Carmem Francisco

E para constar se passou o presente e outros de igual teor que vão ser afixados nos lugares públicos do costume.

EDITAL Nº 46/2006

Sines, 03 de Maio de 2006.

CARMEM ISABEL AMADOR FRANCISCO, Vereadora da Câmara Municipal de Sines, no uso das competências delegadas e subdelegadas pelo Sr. Presidente da Câmara nos termos do nº 2 do artº 69º da Lei 169/99 de 18 de Setembro na redacção dada pela Lei 5-A/2002 de 11 de Janeiro, e de acordo com o artº 68º da mesma Lei, torna público que em Reunião Ordinária de 20 de Abril de 2006 foram tomadas as seguintes deliberações com eficácia externa:

A Vereadora com Competências Delegadas Carmem Francisco

- Aprovada por unanimidade a atribuição do nome de Bairro 25 de Abril ao Bairro de 172 habitações a custos controlados. - Deliberado abrir concurso público para Carteira de seguros da Câmara Municipal de Sines. - Ratificado o despacho do Sr. Presidente no sentido de atribuir subsídio extraordinário à Associação de Radiomodelismo do Litoral Alentejano para apoio à prova inaugural. - Deliberada a atribuição da Bolsa de Estudo do ISEIT a Nádia Carina Catarino da Silva - Aprovada a alteração ao Loteamento Municipal da Courela da Cruz que inclui a desafectação de 870 m2 de espaços públicos. - Deliberado atribuir subsídio no valor de 500 Euros à RAIVA, para apoio ao Projecto “Crónica Parisiense” filme sobre Fernando Lopes Graça. - Deliberado abrir concurso para concessão de exploração do Bar das Piscinas Municipais. - Deliberado atribuir subsídio de 600 Euros aos Independentes de Futsal para Torneio no 25 de Abril. - Deliberada a actualização do tarifário da água, com efeitos a partir de 1 de Junho. Sines, 26 de Abril de 2006

ÉDITO DE QUINZE DIAS Nº14/06 CARMEM ISABEL AMADOR FRANCISCO, Vereadora da Câmara Municipal de Sines: Faço público que estando concluídos os trabalhos referentes à obra abaixo referida ficando por este meio avisados os interessados, que nos termos do disposto no artº 223º do DecretoLei nº 59/99 de 02 de Março, para até oito dias depois do termo do prazo dos Éditos, apresentarem na Secção de Expediente Geral da Câmara Municipal de Sines, por escrito e devidamente fundamentadas, quaisquer reclamações por falta de pagamento de salários e materiais ou indemnizações a que se julguem com direito e bem assim, do preço de quaisquer trabalhos que o empreiteiro haja mandado executar por terceiros. Não serão consideradas reclamações apresentadas fora do prazo estabelecido. Empreitada de “Capela de Nossa Senhora das Salas” - Sines “Intervenção de emergência no revestimento das abobadas”, proc.º Nº 112/E/05. E para constar se passou o presente e outros de igual teor que vão ser afixados nos lugares públicos do costume. Sines, 22 de Maio de 2006. A Vereadora com Competências Delegadas Carmem Francisco


Sineense

Abr./Mai. 2006

Município/Património

15

J o r n a l

Transportes com novo regulamento e tarifas

OS TRANSPORTES locais colectivos de passageiros do município vão passar a ser regidos por um novo regulamento. O documento, que foi aprovado pela Câmara no dia 6 de Abril e esteve em apreciação pública em Abril e Maio, define as regras e condições a que devem obedecer o funcionamento e utilização dos transportes explorados directamente pela Câmara Municipal de Sines, bem como a sua estrutura tarifária, penalidades e formas de reclamação e recurso. O novo tarifário, criado para ajudar a sustentar o serviço, estabelece que o utilizador passe a pagar por cada viagem um bilhete de 50 cêntimos ou adquira um passe mensal com um custo de 13 euros. Os menores de 16 anos e os portadores do Cartão Social do Munícipe pagam metade desses valores (25 cêntimos e 6,50 euros, respectivamente).

Reuniões de câmara têm novas regras

A CÂMARA Municipal de Sines deliberou, em reunião de 6 de Abril de 2006, introduzir novas regras na realização das reuniões de câmara. A Câmara Municipal de Sines passa agora a realizar duas reuniões, na 1.ª e 3.ª quinta-feira de cada mês, às 14:00h, sendo a segunda reunião mensal pública. No início dos trabalhos da reunião pública, o público presente pode solicitar os esclarecimentos que entender, que lhe serão prestados pelos membros do executivo nessa mesma reunião, ou cuja resposta será enviada aos cidadãos no caso de não estarem reunidas condições para a resposta imediata. O público presente pode assistir aos restantes trabalhos da reunião de Câmara. Deixa de se realizar a terceira reunião mensal. As próximas reuniões públicas realizam-se nos dias 22 de Junho e 20 de Julho.

ARQUIVO ABERTO NOTAS SOBRE A HISTÓRIA DE SINES

M u n i c i p a l

POR SANDRA PATRÍCIO

Sines em 1755

O terramoto em Lisboa, numa gravura da época.

Planta de Sines, séc. XVII (Códice Cadaval)

SINES, 31 de Outubro de 1755. A vila tinha então cerca de 500 fogos, talvez uns dois mil habitantes. Fazia parte da Província do Alentejo, na parte mais ocidental Campo de Ourique. De Lisboa distava 20 léguas (1) e de Évora. A vila tinha um perfil bem definido, lá no cimo das barrocas, a contemplar a baía, com o castelo e a torre da Igreja Matriz a marcar a linha do horizonte. O pontal marcava o lado nascente em conjunto com o convento de Santo António e a ermida de Santa Catarina; a fechar a baía, do lado poente, o forte de Nossa Senhora das Salas concluía a defesa de pedra da vila. Grupos de homens válidos, das Ordenanças, giravam nas vigias e nas fortalezas. Eram a defesa de carne e osso. O juiz da Câmara e o juiz de fora exerciam a justiça em primeira instância e os dois vereadores eleitos tinham “cargo de todo o regimento da terra (2)”. A câmara, formada pela elite local, regulava a vida económica da vila. O duque de Aveiro, ainda longe de ser executado por traição, detinha a jurisdição de segunda instância da vila de Sines, bem como de outras terras no litoral Alentejano. Além de apresentar as pautas das vereações, nomeava outros oficiais da administração. Nas vésperas do terramoto, era já a Coroa a confirmar as pautas de eleição dos oficiais da câmara, desde 1749 (3). A comenda de Sines, constituída por pequenas propriedades da Ordem de Santiago na vila e nos seus arrabaldes, estava na casa do Marquês de Minas. Assim, a vila de Sines é exemplo da constelação de poderes que caracterizou o Antigo Regime. Em torno da vila, nas Barradas, em São Pedro, florescem as vinhas. O vinho é tão abundante que é exportado, através do porto, para Lisboa. Contudo, é um vinho barato, de baixa qualidade. Quanto aos cereais panificáveis, que, em conjunto com o vinho são alimentos básicos no Antigo Regime, eram importados do Campo de Ourique. O termo da vila de Sines tinha a sua extrema bordada a serras, junto a São Domingos e ao Cercal. No termo

produzia-se cereais, nomeadamente nos montes do sul do concelho (Incenso, Serra de Cima), caçava-se coelhos e lebres e os lobos faziam as suas fantásticas aparições. No dia de Todos os Santos, por volta das nove da manhã, a terra tremeu. A água do mar subiu desmesuradamente em Sines, mas as barrocas protegeram a vila das águas. A força das correntes marítimas era tão forte que deram à costa de Sines madeiras identificadas como sendo da fortaleza de Vila Nova de Milfontes. Mas as terras deslocaramse, as areias sumiam-se e as casas da vila balançaram ao ritmo do sismo. De acordo com o pároco de Sines, Alexandre Mimosos, várias casas arruinaram-se, bem como igrejas e mesmo as fortalezas. A abóbada da igreja de Nossa Senhora das Salas arruinou-se; a ermida de São Pedro foi demolida pelo terramoto; a Igreja do Espírito Santo também conheceu estragos consideráveis. O castelo, segundo a descrição do Comandante da Praça Manuel Borges de Brito, sofreu vários abalos nas muralhas e nas ameias. A torre onde estava o sino ruiu; as telhas dos telhados da Casa do Governador todas correram. O forte de Nossa Senhora das Salas não sofreu estragos de maior, mas o forte de dentro, no Pessegueiro, sofreu danos consideráveis. A abóbada da capela ruiu, e, em Abril de 1756, rezava-se missa numa casa de madeira junto à fortaleza. Além disso, o muro do poço da parte da rocha ruiu parcialmente e as escadas que conduziam à bateria superior ficaram intransitáveis. Em 1758, segundo o padre Mimoso, apenas a igreja do Espírito Santo, de administração da Misericórdia, bem como algumas casas de particulares, tinham sofrido obras. As marcas do terramoto estavam ainda bem visíveis. Para saber mais… Os efeitos do terramoto de 1755 em Sines constam de duas fontes. A primeira data de Abril de 1756 e trata-se de um relatório do comandante da Praça Manuel Borges de Brito, em que se relata o estado em que ficaram o castelo de Sines, o forte do Pessegueiro e de Vila Nova de Milfontes. Este documento foi publicado pelo Notícias de Sines de 12 de Novembro de 2005, nº 225. Uma transcrição deita pelo Arquivo Histórico a partir do original está patente na exposição. A segunda fonte, já de 1758, é a resposta do pároco de Sines, Alexandre Mimoso, a um inquérito realizado a nível nacional por Sebastião José de Carvalho e Melo. Os objectivos deste inquérito eram não apenas conhecer os efeitos do terramoto em cada localidade e as medidas entretanto tomadas como também, num período de racionalização administrativa, conhecer melhor o reino. Assim, constam informações demográficas, económicas, da administração do território e de cultura. A chamada Memória Paroquial de 1758 do concelho de Sines foi publicada: - FALCÃO, José António, Memória Paroquial do Concelho de Sines em 1758, Santiago do Cacém, Real Sociedade Arqueológica Lusitana, 1987. (1)Uma légua equivale a 5 Km. (2) Ordenações. Ver referência (3) ACMSN, Livro de Actas nº9, fl.69 v.


Abr./Mai. 2006

16

Sineense

J o r n a l

M u n i c i p a l

Desporto

Cidade de ginastas

Equipa do Ginásio Clube de Sines.

A GINÁSTICA de Sines voltou a estar em evidência nos campeonatos nacionais de trampolins realizados em Abril e Maio. No campeonato de duplo mini-trampolim e tumbling, que teve lugar nos dias 1 e 2 de Abril, em Torres Vedras, o Ginásio Clube de Sines fez três novos campeões nacionais individuais de ginástica (João Guerreiro,

Beatriz Martins e José Gonçalves). Foram vicecampeões individuais Daniela Sousa, Daniel Correia, Ana Rita Paulino e Cristina Silva. Tatiana Belchior conquistou uma medalha de bronze. Por equipas, o Ginásio é campeão nacional em iniciados femininos e juniores A femininos, na disciplina de duplo minitrampolim, e em infantis femininos, na disciplina de tumbling. Por clubes, o Ginásio foi segundo nas duas modalidades. Entre os 50 clubes que participaram no Campeonato Nacional de Trampolim, realizados nos dias 5 e 6 de Maio, em Tomar, o Ginásio foi o mais premiado. O clube de Sines conquistou oito medalhas de ouro e mais nove lugares no pódio. Trouxeram ouro ao pescoço, no trampolim individual, João Guerreiro (infantis), Sara Sousa (iniciados femininos) e a equipa de juniores A feminina, constituída por Cristina Silva, Andreia Cruz e Esmeralda Pereira. Foram campeões em trampolim sincronizado os pares Beatriz Martins / Sara Sousa, Cristina Silva / Esmeralda Pereira, João Gonçalves / António Vieira (Tomar), Daniela Oliveira / Ana Paulino e Nicole Pacheco / Ana Rente (Tomar). O Grupo Desportivo da Baixa de São Pedro teve também participações de relevo nos dois campeonatos. Em Torres Vedras, destaque para o quarto lugar do Marco Rebelo (juvenis masculinos), para o segundo lugar dos infantis masculinos por equipas e o terceiro dos juvenis masculinos. Em Tomar, esteve presente com quatro atletas.

Lutador sineense campeão nacional

O atleta sineense António Coelho, do Atenas Ginásio, sagrou-se, dia 8 de Abril, campeão nacional de fullcontact, na categoria de -86Kg. Treinado por João Calão e Vítor Seromenho, o atleta, com 35 anos, prova que a idade não é óbice à obtenção de excelentes resultados nos desportos de combate. Sines é, aliás, uma das localidades do país com maior tradição nestas modalidades.

Duatlo tem campeãs de Sines

Campo de ténis de Porto Covo aberto ao público O CAMPO de Ténis de Porto Covo, localizado nas instalações do Campo do Mar, está a funcionar desde o dia de 2 de Maio. No período experimental de abertura do campo que decorre até ao final de Junho, o campo está aberto de segunda à sexta, entre as 16h00 e as 20h00. A partir de Julho, o campo está aberto todos os dias, nos períodos 10h00-13h00 e 16h00-20h00. A cedência de material para a prática da modalidade é gratuita mediante marcação prévia, até ao final do período experimental. O Campo de Ténis de Porto Covo é da responsabilidade do Clube Desportivo de Porto Covo, da Junta de Freguesia de Porto Covo e da Câmara Municipal de Sines.

SINES tem campeões em novas modalidades. Numa prova realizada no Cadaval, a equipa feminina do Ginásio Clube de Sines (GCS) foi campeã nacional de juniores 2005/2006 e vice-campeã nacional absoluta em duatlo, com Marina Pedro, Tânia Boleta e Andreia Ponte. O duatlo é composto pelas modalidades de atletismo e ciclismo. Mais uma - natação -, tem o triatlo, de que aconteceu na baía de Sines e Avenida Vasco da Gama, dia 6 de Maio, a primeira edição de uma prova para atletas mais novos, o “1.º Triatlo Jovem de Sines”, organizada pelo GCS, com o apoio da Câmara Municipal de Sines.

Campeonato de jovens surfistas voltou a São Torpes A PRAIA de São Torpes recebeu, dias 29 e 30 de Abril, pelo terceiro ano consecutivo, uma etapa do circuito Quiksilver King of the Groms Series. Destinado a surfistas entre os 10 e os 15 anos, de ambos os sexos, a prova percorre praias de todo o mundo e é considerada o campeonato mundial oficial para jovens surfistas. A etapa de Sines, organizada pela Escola de Surf do Litoral Alentejano (ESLA), teve a participação de 50 atletas. Rita Vasconcelos (2.ª em sub-12 femininos), Rita Rodrigues (3.ª em sub-15 femininos), Afonso Batista (3.º em sub-12 masculino) e Alex (4.º em sub12 masculinos) foram os atletas locais participantes. A iniciativa teve o apoio da Galp Atlântico e Câmara Municipal de Sines. Mais informações sobre a ESLA, nomeadamente s o b r e a s s u a s a c t i v i d a d e d e Ve r ã o, e m www.surfinalentejo.com

Inscrições para Natação e Desporto é Vida

BREVEMENTE poderá inscrever-se em dois dos mais participados projectos desportivos promovidos pelo município. Entre 3 e 14 de Julho, quem já é aluno da Escola Municipal de Natação pode renovar a sua inscrição. A partir de 17 desse mês abrem as inscrições para novos alunos. No programa Desporto é Vida, para maiores de 55 anos, as renovações decorrem entre 26 e 30 de Junho e as inscrições pela primeira vez têm início no dia 17 de Julho.


Sineense 48