Page 1

Número 47

Fev. / Mar. 2006

Distribuição gratuita

Câmara Municipal de Sines

Director: Manuel Coelho

Sineense Jornal Municipal

32 anos de Portugal livre

O grupo que está a renovar a música tradicional de Trás-os-Montes, Galandum Galundaina, actua na Avenida da Praia, na noite de 24 de Abril, no âmbito das Comemorações dos 32 anos da Revolução dos Cravos. Pág. 6

DESTAQUE

DESTAQUE

DESTAQUE

A CMS e 27 colectividades e instituições de Sines nas áreas cultural, desportiva e social assinaram, dia 30 de Janeiro, protocolos de colaboração para 2006. Os protocolos estipulam um APOIO FINANCEIRO de 850 mil euros a atribuir pelo município às entidades que desenvolvem um trabalho em prol de Sines e dos sineenses. PÁG. 4

Por iniciativa do município de Sines, está em desenvolvimento um sistema de GESTÃO INTEGRADA DA SAÚDE E DO AMBIENTE, que irá tornar o Alentejo Litoral numa zona de referência no país em termos de monitorização ambiental. O sistema, que inclui o estudo dos efeitos da poluição na saúde da população, está em apreciação na UE. PÁG. 5

A Câmara Municipal de Sines apresentou, dia 2 de Fevereiro, aos deputados da Assembleia Municipal, o projecto de segurança e a nova entidade gestora das esteiras dos OLEODUTOS que se estendem entre o Porto de Sines e as empresas utilizadoras deste equipamento. Espera-se que o sistema esteja concluído no final de 2007. PÁG. 5

NOVOS REGULAMENTOS MUNICIPAIS.

PÁG. 3


Fev./Mar. 2006

Sineense

2

Destaque

J o r n a l

M u n i c i p a l

ATENDIMENTO PÚBLICO Presidente Manuel Coelho, vereadores Albino Roque, Carmem Francisco, Marisa Santos e António Nogueira Terças-feiras, a partir das 14h00 Vereadores Carlos Silva e Nuno Mascarenhas Segundas-feiras, 17h00-18h00 O atendimento do presidente e dos vereadores deve ser marcado no Gabinete de Apoio aos Órgãos Municipais, com excepção da vereadora Marisa Santos, cujas marcações e atendimento são feitos no Edifício Técnico (S. Marcos). As marcações para adjunta do presidente são feitas no Expediente Geral. Reuniões de câmara públicas Últimas quintas-feiras de cada mês, às 15h00, nos Paços do Concelho. Os interessados em apresentar questões devem inscrever-se previamente.

FICHA TÉCNICA

Sineense Jornal Municipal

Redacção e Administração Largo Ramos Costa 7520-159 Sines Telefone: 269 63 06 65 Fax: 269 63 30 22 Email: girp@mun-sines.pt Site: www.mun-sines.pt Periodicidade Mensal Ano VII - n.º 47 Fevereiro / Março 2006

Aires Mateus premiados com Centro de Artes Os prémios da Associação Internacional de Críticos de Artes / Ministério da Cultura serão entregues em Sines, em Maio. FRANCISCO e Manuel Aires Mateus, na arquitectura, tendo como uma das motivações centrais o seu trabalho no Centro de Artes de Sines, e o pintor Pedro Calapez, nas artes plásticas, foram distinguidos com o Prémio AICA / MC (Associação Internacional de Críticos de Artes / Ministério da Cultura). Ambos os prémios serão entregues numa cerimónia a realizar em Maio, no Centro de Artes de Sines e, de 8 de Abril a 8 de Maio, realiza-se no centro uma exposição sobre os premiados. A representante do júri Ana Tostões declarou ao jornal Público de 23 de Fevereiro que o prémio é atribuído aos arquitectos Francisco e Manuel Mateus como reconhecimento de “uma obra que aposta no experimentalismo”, em que “a coragem e o risco” estão presentes. O Centro de Artes de Sines e a exposição que realizaram no Centro Cultural de Belém no último Inverno foram os trabalhos eleitos pelo júri como exemplos desta postura estética. Entre as distinções dos arquitectos destaca-se o Prémio Valmor, o mais prestigiado da arquitectura portuguesa, conquistado em 2002 com o edifício da reitoria da Universidade Nova de Lisboa. Pedro Calapez, nascido em Lisboa em 1953, é um dos mais reconhecidos artistas plásticos portugueses. O seu trabalho tem sido mostrado em diversas galerias e museus tanto em Portugal como no estrangeiro, sendo de salientar as exposições individuais realizadas em Itália, França e Espanha. O artista recebeu, entre outros, o Prémio União Latina em 1990, o Prémio de Pintura EDP-Arte em 2001 e o Prémio Nacional de Arte

Director Manuel Coelho Carvalho Impressão Gráfica Santiago Santiago do Cacém Tiragem 7500 exemplares Distribuição Gratuita O programa do Dia da Marinha em Sines inclui visitas ao navio-escola “Sagres”.

NOME MORADA

Recorte este cupão e envie-o por carta para o Gabinete de Informação e Relações Públicas da Câmara Municipal de Sines, Largo Ramos Costa, 7520159 Sines, ou por fax, para o número 269-633022.

Gráfico da Real Academia de Bellas Artes, Madrid, em 2005. A "pesquisa no domínio da cor e do espaço, bem como a investigação no domínio do desenho, da gravura e da pintura" justificam, de acordo com o declarado pelo jurado João Pinharanda ao Diário de Notícias, a atribuição do Prémio AICA/MC a Pedro Calapez.

Mais uma distinção Coincidindo com o fecho deste jornal, o Centro de Artes de Sines foi novamente distinguido, desta vez pelo Instituto do Turismo de Portugal (ITP), com uma menção honrosa, na categoria "obra". A distinção aconteceu durante a primeira edição dos Prémios Turismo do ITP, que decorreu no Museu da Electricidade, em Lisboa, no dia 17 de Março. Os Prémios Turismo visam distinguir as melhores intervenções realizadas em espaços públicos, localizados na envolvente de empreendimentos e recursos turísticos, que contribuam para o reforço do seu interesse.

Dia da Marinha em Sines

Propriedade e Edição Câmara Municipal de Sines

NÃO RECEBO REGULARMENTE O “SINEENSE” EM CASA. QUEIRAM ENVIAR-MO PARA O SEGUINTE ENDEREÇO:

Centro de Artes de Sines, a grande obra pública dos arquitectos Aires Mateus.

SINES recebe as comemorações nacionais do Dia da Marinha 2006. Estendendo-se entre 12 e 21 de Maio, o programa da efeméride inclui exposições, visitas a inúmeras unidades navais, baptismos de mar, actividades desportivas, demonstrações navais e cerimónias protocolares. Entre 12 e 21 de Maio, o Centro de Artes recebe duas exposições: uma sobre as actividades da Marinha e outras de trabalhos escolares realizados no âmbito de um concurso de artes plásticas. Nesse período realizamse ao longo do dia, no Castelo, actividades radicais e

baptismos de mergulho. De 18 a 21 de Maio, será possível visitar em três terminais do Porto de Sines (Carga Geral, Multipurpose e Porto de Recreio) o navioescola “Sagres”, o submarino “Barracuda”, o navio de treino de mar “Creoula”, uma fragata da classe “Vasco da Gama”, duas corvetas da classe “Baptista de Andrade”, o navio científico / oceanográfico “D. Carlos I”, quatro lanchas de fiscalização rápidas e os veleiros “Polar” e “Vega”. Haverá baptismos de mar a bordo de algumas das unidades. Dia 20, o Dia da Marinha propriamente dito, há uma manhã cheia de acontecimentos, com missa na Igreja Matriz, em sufrágio dos militares, militarizados e civis da Marinha falecidos, deposição de coroa de flores no monumento a Vasco da Gama, cerimónia militar e demonstração naval. A Banda da Armada dá concertos no Castelo, dias 18 e 21 de Maio. O programa completo das iniciativas será distribuído oportunamente à população. O município de Sines apoia as comemorações do Dia da Marinha 2006.


Sineense

Fev./Mar. 2006

Destaque

3

J o r n a l

EDITORIAL

M u n i c i p a l

Orgulhosos na nossa história, mas voltados para o futuro ESTAMOS em Abril e, além das várias celebrações da época (Primavera, Páscoa, etc.), preparamo-nos para as comemorações do 25 de Abril, que é a celebração da liberdade, da democracia, da afirmação do povo português, soberano e livre. Passam 32 anos sobre este acontecimento extraordinário da nossa história, que de imediato significou a libertação do povo português e dos povos das então colónias da opressão e da exploração arbitrária; que permitiu a criação de partidos políticos, de organizações sindicais, culturais, associativas e empresariais; que nos deu liberdade de expressão e de afirmação do pensamento, de conceitos, de opções políticas e religiosas; de intervenção na vida colectiva. Comemoramos hoje, além da liberdade e da democracia, muitas outras coisas daí decorrentes: mais e melhor educação, saúde, cultura e desporto; mais e melhores creches, escolas, centros de apoio aos idosos. Comemoramos este ano os 30 anos da instituição do poder local democrático - uma das maiores e melhores conquistas de Abril. Os portugueses passaram a eleger e a controlar os seus representantes nas autarquias. Passaram a contar com órgãos democráticos, representativos dos seus interesses e direitos legítimos, e a exigir-lhes democrática e legitimamente mais trabalho, mais obras e acções, em função das suas necessidades e em benefício do presente e do seu futuro. Em Sines, é visível e notória a projecção do 25 de Abril, a acção dos autarcas em projectos, obras realizadas e programas e acções em prol do desenvolvimento, da solidariedade e da qualidade de vida.

Sines é nesta data um município em franco progresso e condigna para todas as famílias e pessoas que dela uma cidade em transformação, numa boa perspectiva necessitem. de desenvolvimento. A criação de emprego para os jovens através de Sines tem hoje toda a população servida investimentos produtivos que, com água da rede pública de reconhecida empenhadamente, reivindicamos para Sines. qualidade e sistemas de higiene e limpeza A construção urgente de boas urbana eficazes. acessibilidades, em rodovias rápidas de Sines Sines tem nesta data bons equipamentos para o Alentejo e Espanha e ferrovias para escolares, culturais e desportivos, com bons Setúbal / Lisboa e para Espanha. programas e projectos nas áreas da E finalmente reivindicamos os meios educação, da cultura, do desporto e económicos e financeiros de que a Câmara associativismo. E tudo isso tem sido, e é, necessita do poder central para poder fundamentalmente o fruto do trabalho continuar a fazer as obras, os projectos e os empenhado dos autarcas eleitos pelo povo programas necessários ao desenvolvimento de Sines. de Sines e Porto Covo na qualificação urbana, Reconheçamos que é uma obra Manuel Coelho nos novos equipamentos escolares, Presidente da CMS desportivos e culturais, nos apoios às extraordinária, mas que está ainda longe de satisfazer as necessidades e os anseios do colectividades, às crianças e idosos; na povo de Sines, particularmente das solidariedade, coesão social e qualidade de crianças, dos jovens, dos trabalhadores e dos idosos. vida de todas as pessoas. Neste 25 de Abril reivindicamos e batemo-nos por Queremos ser um município de Abril orgulhoso da sua muito mais coisas de extrema importância para história, mas voltado para o futuro, preparado para os satisfazer as necessidades actuais do povo e para grandes desafios, atractivo para as pessoas e garantir um futuro de desenvolvimento sustentado e de investimentos produtivos, aberto à inovação e a o progresso. progresso. Reivindicamos mais e melhor saúde, com a construção É por tudo isto que, todos, comemoramos este 25 de urgente do novo centro de saúde, a vinda de mais Abril. médicos e melhor organização dos serviços de saúde. Viva o 25 de Abril! A solução urgente dos problemas ambientais que afectam as pessoas e imagem de Sines. A possibilidade e garantia de construção de habitação

Esgotos e lixo com novos regulamentos e tarifas Os novos tarifários de saneamento e resíduos sólidos urbanos, criados para promover a sustentabilidade e melhoria do sistema, tomam como referência o consumo de água.

A CÂMARA Municipal de Sines aprovou, dia 9 de Fevereiro, os projectos dos novos regulamentos de Resíduos Sólidos e Higiene Pública e de Drenagem de Águas Residuais. Os documentos estiveram em apreciação pública e, dia 27 de Março, realizou-se nos Paços Concelho uma sessão de esclarecimento. Os novos regulamentos de lixo e esgotos, que decorrem do actual enquadramento legal no país, pretendem, nas palavras do presidente da Câmara Municipal de Sines, Manuel Coelho “contribuir para melhorar a definição das regras de funcionamento dos sistemas e para melhorar os próprios sistemas”. Os novos tarifários introduzidos têm como fim cobrir as despesas com a manutenção e investimento no sistema e fazê-lo de uma forma mais justa, através do princípio do utilizador-pagador. A tarifa de conservação de esgotos - que usava como referência o valor das casas - é extinta, sendo substituída pela tarifa de saneamento, indexada aos consumos de água, em cuja factura é cobrada.

Uma vez que há uma relação mais directa entre o esgoto produzido e o consumo de água do que em relação ao valor patrimonial das casas, nomeadamente por deficiências ainda existentes na sua avaliação, considera-se que a nova tarifa vem corrigir injustiças existentes na cobrança deste serviço. A tarifa de resíduos sólidos urbanos é igualmente calculada tendo como referência os valores de consumo de água, excepto no caso das empresas, onde os critérios são o tipo de actividade e a área de construção. De acordo com os novos tarifários, uma família cujo consumo de água se situasse nos 5 metros cúbicos por mês pagaria 1,18 euros de saneamento e 0,39 euros de resíduos. A uma segunda família, com um consumo de 15 metros cúbicos de água mensais, corresponderia uma tarifa de saneamento de 4,41 euros e uma tarifa de resíduos de 3,86 euros. De acordo com as antigas regras, uma família tipo com este consumo (cerca de três pessoas), que habitasse num apartamento de 100 mil euros, pagava anualmente 175 euros de taxa de conservação de esgotos. Os consumidores domésticos em situação comprovada de carência, nomeadamente os portadores do cartão social do munícipe, gozam do direito a reduções nas tarifas. Note-se que as receitas a obter com as novas tarifas são ainda insuficientes para cobrir as despesas com os sistemas. Em manutenção e investimento, o município gasta, hoje, por ano, 2,2 milhões de euros na rede de esgotos e cerca de 1,6 milhões de euros no serviço de

resíduos sólidos urbanos. Com os novos tarifários prevêse a obtenção de 876 mil euros para os esgotos e de 762 mil euros para os resíduos sólidos urbanos, o que significa que o município continuará a subvencionar os dois serviços em valores entre os 50 e os 60 por cento. Terminado o período de apreciação pública, para que entrem em vigor, os regulamentos terão ainda de ser sujeitos à aprovação da Assembleia Municipal e publicados em Diário da República. A taxa de conservação de esgotos será cobrada ainda em 2006, referindo-se a 2005, e em 2007, referindo-se aos duodécimos de 2006 em que não estiverem em vigor as novas tarifas. Os projectos de regulamentos e respectivos tarifários podem ser consultados no site municipal, em www.munsines.pt.

Novas regras na cedência de viaturas Para além dos novos regulamentos para o saneamento resíduos, a Câmara Municipal de Sines aprovou também, dia 9 de Fevereiro, o projecto do novo regulamento de Cedência e Utilização das Viaturas e Máquinas Municipais, que estabelece as regras e custos de cedência e utilização de viaturas e máquinas municipais propriedade da Câmara por parte de pessoas colectivas, públicas ou privadas, associações, escolas, grupos, instituições de solidariedade social e demais entidades. Consulte-o no site municipal.


Fev./Mar. 2006

Sineense

4

Destaque

J o r n a l

M u n i c i p a l

Câmara atribui 850 mil euros em apoios às colectividades Os protocolos assinados contemplam apoios a 27 colectividades e instituições sineenses. A CÂMARA Municipal de Sines e 27 colectividades e instituições de Sines nas áreas cultural, desportiva e social assinaram, dia 30 de Janeiro, no Centro de Artes de Sines, protocolos de colaboração para 2006. Os protocolos estipulam um apoio financeiro total de 848 458 euros a atribuir pelo município às entidades que desenvolvem um trabalho em prol de Sines e dos sineenses. “É um esforço que poucas câmaras fazem”, disse Manuel Coelho, presidente da Câmara Municipal de Sines, na ocasião, referindo-se também ao quadro de restrições financeiras em que vive o município. Na cerimónia, o autarca salientou ainda a importância dos protocolos como mecanismo de transparência e o esforço de serem equitativos na repartição dos montantes, reforçados e diminuídos de acordo com o trabalho desenvolvido. As entidades com protocolos com o município em 2006 são: A Gralha - Associação de Desenvolvimento de Porto Covo, Andebol Clube de Sines, Artes & Ofícios - Associação de Artesãos do Concelho de Sines, Associação Cabo-Verdiana de Sines e Santiago do Cacém, Associação de Moradores do Salão Comunitário da Sonega, Associação dos Bombeiros Voluntários de Sines, Associação dos Bombeiros Voluntários de Sines - Rádio Sines, Associação dos Serviços Sociais, Culturais e Desportivos dos trabalhadores da Autarquias Locais, Associação Recreativa de Dança Sineense, Associação SócioCultural de Porto Covo, Centro Cultural Emmerico Nunes,Cercisiago, Clube de Natação do Litoral Alentejano, Clube Náutico de Sines, Comissão de

Assinatura do protocolo entre a CMS e a Associação Recreativa de Dança Sineense.

Carnaval de Sines, Contra-Regra - Associação de Animação Cultural / Teatro do Mar, Ginásio Clube de Sines, Grupo Desportivo da Baixa de S. Pedro, Grupo Desportivo de Porto Covo, Grupo Desportivo do Casoto, Grupo Desportivo Leal Soneguense, Os

Independentes, Futsal Associação, Resgate - Associação de Nadadores Salvadores, Santa Casa da Misericórdia de Sines, Sociedade Columbófila Vasco da Gama, Sociedade Musical União Recreio e Sport Sineense e Vasco da Gama Atlético Clube.

Município preocupado com Plano Sectorial da Rede Natura 2000 O PLANO Sectorial da Rede Natura 2000, instrumento de concretização da política europeia e nacional de conservação da diversidade biológica, elaborado pelo Instituto de Conservação da Natureza (ICN), esteve em discussão pública em Fevereiro e Março. Dia 9 de Março, realizou-se no Salão Nobre dos Paços do Concelho uma sessão de esclarecimento sobre o seu âmbito e objectivos. A Rede Natura 2000 define as áreas consideradas importantes para a conservação de determinados habitats e espécies. Nessas áreas, só as actividades humanas compatíveis com a preservação dos valores são admitidas, estabelecendo-se, entre outros aspectos, restrições à construção. Uma das principais novidades do Plano Sectorial é o facto de determinar que as regras da Rede Natura passem, no prazo de seis anos, para os planos directores municipais, e consequentemente a responsabilidade da sua execução para os municípios. Esta mudança preocupa a Câmara Municipal de Sines. Na apresentação, a vereadora da área do Ordenamento do Território, Marisa Santos, questionou o facto da Câmara ter de vir a impor aos cidadãos opções que não foram as suas, e a vereadora do Ambiente, Carmem Francisco, mostrou-se preocupada com a hipótese de serem as autarquias a assumir as compensações aos proprietários que não poderão construir porque as suas propriedades estão abrangidas pela Rede Natura. Manifestando-se a favor do ordenamento e da defesa

A Rede Natura 2000 visa preservar a biodiversidade.

dos valores naturais, o presidente da Câmara Municipal de Sines, Manuel Coelho, chamou a atenção para a sua devida compatibilização com o desenvolvimento económico, destacando a necessidade de salvaguardar os perímetros urbanos existentes e de consolidar os pequenos núcleos rurais. O vereador socialista Carlos Silva (“Uma das formas de preservar a natureza é ter gente a lá viver”, afirmou) e o deputado municipal do PS Idalino José manifestaram opiniões no mesmo

sentido. A este respeito, Marisa Santos assinalou as objecções colocadas no plano pelo Ministério da Economia e Inovação sobre a compatibilização entre o plano e a sustentabilidade económica. João Rosmaninho de Menezes, presidente do Instituto de Conservação da Natureza, considerou o plano importante para clarificar as regras do Rede Natura, tornando os pareceres menos dependentes das interpretações dos técnicos. O presidente do ICN afirmou ainda que os municípios abrangidos pela Rede Natura deverão merecer uma majoração em termos de financiamento do Orçamento de Estado e referiu os novos empreendimentos turísticos na costa de Grândola como um caso em que, não se verificando danos dramáticos nos habitats classificados, a inclusão na Rede Natura não impossibilitou os investimentos. Rosmaninho de Menezes afirmou que, em caso de interesse público, as zonas de interesse natural podem ser desafectadas. A vereadora Carmem Francisco assinalou o facto do complexo industrial dever constar na lista das ameaças ao sítio classificado "sudoeste alentejano e Costa Vicentina", sendo necessário definir as medidas que permitam a coexistência deste complexo industrial com os valores ecológicos a proteger. Francisco do Ó Pacheco, presidente da Assembleia Municipal de Sines, instou o ICN a “assumir o seu papel” sobre os efeitos do complexo industrial nas áreas protegidas.


Sineense

Fev./Mar. 2006

Destaque

5

J o r n a l

M u n i c i p a l

Impacto da poluição no ambiente e saúde vai ser mais vigiado A qualidade ambiental de Sines e região vai ter um novo sistema de monitorização e gestão. POR INICIATIVA da Câmara Municipal de Sines, está em desenvolvimento um sistema de Gestão Integrada da Saúde e do Ambiente (GISA), que irá tornar o Alentejo Litoral numa zona de referência no país em termos de monitorização ambiental. O sistema, que inclui o estudo dos efeitos da poluição na saúde da população, está em apreciação na União Europeia para co-financiamento e foi apresentado aos deputados da Assembleia Municipal no dia 2 de Fevereiro. “Este sistema tem três objectivos: garantir um bom ambiente e saúde, tranquilizar a população e ter uma imagem atractiva de Sines”, disse Manuel Coelho, presidente da Câmara Municipal de Sines, reiterando a necessidade das empresas implementarem o mais rapidamente possível os seus projectos de redução de emissões e poluentes e chamando a atenção para a acrescida importância do sistema pela acumulação de fontes de poluição concebível com as novas unidades industriais previstas (nova refinaria, etc.). O GISA é um sistema, com funcionamento em contínuo, de recolha, tratamento, análise e difusão de informação sobre ambiente. Será monitorizada a qualidade da água, do ar e do solo e será feito o controlo da biodiversidade. O grau de confiança da população sobre o risco ambiental será analisado. Através dá vigilância epidemiológica, procurará detectar-se a presença de substâncias tóxicas em humanos e os seus efeitos na saúde. O sistema prevê ainda a criação de ferramentas para a divulgação da informação recolhida à população e às entidades interessadas. Dinamizado pela Câmara Municipal de Sines, o GISA tem a supervisão da autoridade regional na área do ambiente, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo. Os parceiros científicos do sistema são algumas das

O GISA tornará o Alentejo Litoral na zona ambientalmente mais monitorizada do país.

entidades com maior competência na matéria em Portugal e na região: Instituto Superior Técnico (CMRP), Fundação da Universidade de Lisboa (Museu e Laboratório do Jardim Botânico), Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (OBSERVA), Escola Nacional de Saúde Pública e Centros de Saúde do Alentejo Litoral / Delegados de Saúde. O projecto, com um custo estimado de 2,5 milhões

de euros, é financiado pelas seguintes entidades: Comissão Europeia (financiamento através do programa LIFE - Ambiente - 50% das despesas elegíveis - ainda em apreciação), Águas de Santo André, API-Parques, APS - Administração do Porto de Sines, Central Termoeléctrica da EDP em Sines, Euroresinas, Galp Energia, Repsol YFP, Transgás Atlântico, Kimaxtra e Câmaras Municipais de Sines e de Santiago do Cacém.

Projecto de segurança dos oleodutos de Sines apresentado

As esteiras de oleodutos serão geridas por uma entidade própria.

A CÂMARA Municipal de Sines apresentou, dia 2 de Fevereiro, aos deputados da Assembleia Municipal, o projecto de segurança e a nova entidade gestora das esteiras dos oleodutos que se estendem entre o Porto de Sines e as empresas utilizadoras deste equipamento. Na reunião foi apresentada uma síntese do relatório de segurança concluído em Janeiro de 2006 por um grupo de trabalho constituído por representantes da Administração do Porto de Sines, API Parques, Câmara Municipal, Euroresinas, Galp Energia e Repsol YPF. As propostas apresentadas pelo grupo de trabalho para colocar o espaço canal dos oleodutos em conformidade

com a lei estabelecem a colocação de vedação metálica e portões de acesso para serviços de manutenção e emergência, a protecção dos oleodutos nos cruzamentos com estradas, a protecção especial em meio urbano (muros, sistemas de alarme no local para aviso imediato da população), a construção de estradas de serviço interiores e de acesso, a instalação de câmaras e detectores de intrusão, novos sistemas de inspecção, procedimentos de operação e planos de emergência, segurança e saúde, etc. A entidade gestora do espaço canal é composta pela API Parques, Petrogal, Repsol YPF e Euroresinas, sendo

que a Administração do Porto de Sines gere os oleodutos na sua área de jurisdição. Prevê-se que o lançamento do concurso das obras e processos de aquisição ocorra em meados de 2006 e que o sistema esteja concretizado no final de 2007. Este processo foi promovido e coordenado pelo presidente da Câmara Municipal de Sines e foi acompanhado por técnicos da autarquia. A concretização deste projecto cria as condições para a segurança, a vigilância e o controle destes equipamentos, bem como as condições de segurança dos prédios urbanos e pessoas a residir nas proximidades das esteiras.


Fev./Mar. 2006

Sineense

6

Cultura

J o r n a l

M u n i c i p a l

Comemorar a liberdade O Centro de Artes e a Avenida da Praia centralizam as iniciativas das comemorações da Revolução dos Cravos 2006.

Galaundum Galundaina.

A REVOLUÇÃO dos Cravos faz 32 anos. As comemorações da efeméride em Sines estarão centradas, em 2006, no Centro de Artes e na Avenida Vasco da Gama. Dia 14, às 22h00, no auditório do Centro de Artes, realizam-se um concerto do projecto “A Naifa”. O fado e as palavras de uma nova geração de poetas são objecto de revisão moderna neste projecto imaginado por Luís Varatojo (Peste & Sida, Despe e Siga, Linha da Frente) e João Aguardela (Sitiados, Megafone, Linha da Frente) e criado com Maria Antónia Mendes e Vasco Vaz. Dia 21, à mesma hora, é apresentada no Centro a peça de teatro “Felizmente há Luar”, de Luís de Sttau Monteiro, pel'A Barraca. Clássico da literatura dramática portuguesa, que nos mostra Portugal sob o domínio dos ingleses que ocuparam o país no seguimento da vitória sobre as invasões francesas, a peça, encenada por Hélder Costa, tem Maria do Céu Guerra como protagonista feminina e João d'Ávila num dos papéis principais.

Projecto “Cantautores”.

Às 22h00 do dia 23, o auditório recebe o concerto inaugural do Coral Atlântico, o grupo coral da Associação dos Serviços Sociais das Autarquias de Sines. O espectáculo é complementado por um concerto pelo Coral Harmonia, que cantará “Canções para um Mundo Melhor”, com a participação do Quarteto Swing a Quatro. Um palco na Avenida Vasco da Gama, na noite de dia 24, marca com dois concertos e fogo-de-artifício a chegada do Dia da Liberdade. Às 22h00, actuam os Galandum Galundaina. Nascido em 1996, este grupo de música foi criado com o objectivo de recolher, investigar e divulgar o património musical, as danças e a língua das terras de Miranda. O grupo faz a ligação entre a antiga geração de músicos e a geração mais jovem, assegurando a continuidade da rica tradição cultural desta região, que durante anos correu o risco de se perder. Além da música instrumental, o grupo apresenta um repertório de música com vozes, reproduzindo fielmente as melodias tradicionais, enriquecidas com timbres, ritmos e harmonias capazes de criar emoção e alguma modernidade. A seguir aos Galandum Galundaina, à meia-noite, realiza-se um espectáculo de fogo-de-artifício. Durante quinze minutos e ao som das canções de Abril, é lançado fogo de dois molhes, para comemorar mais um aniversário da revolução. Depois do fogo, às 00h20, chegam os cabo-verdianos Cordas do Sol. Originários da ilha de Santo Antão, já percorreram várias cidades da Europa e do Brasil em concertos e festivais. Com dois discos gravados, o grupo continua fiel à produção acústica inspirada nos temas e géneros tradicionais da sua ilha, com um alinhamento musical moderno, técnica de coros e percussão. É formado por dois percussionistas, dois guitarristas, um cavaquinho, um baixo semi-acústico e quatro vozes masculinas. Dia 25, às 10h00, nos Paços do Concelho, realiza-se o

“João Sem Medo”.

hastear da bandeira com a presença da Fanfarra dos Bombeiros, da Filarmónica da SMURSS, das autoridades locais, das crianças e jovens das escolas e das associações. A sessão solene da Assembleia Municipal comemorativa da Revolução dos Cravos realiza-se às 21h00 de dia 25, no Auditório do Centro de Artes. A sessão é seguida do concerto dos “Cantautores”. A obra menos conhecida de José Afonso, José Mário Branco, Fausto e Sérgio Godinho é a proposta da nova série deste projecto. Realizam este “manual das canções de Abril” Luís Fernandes (voz, braguesa, flauta, acordeões),


Sineense

Fev./Mar. 2006

Cultura

7

J o r n a l

Mês de Abril em volta dos livros Da feira na Rua Cândido dos Reis ao encontro com Lídia Jorge, um mês com os olhos nos livros no Centro de Artes.

M u n i c i p a l

Prémios AICA no Centro Os vencedores do prémio AICA / MC, que será entregue em Sines, têm uma exposição dedicada a eles em Abril.

A Rua Cândido dos Reis recebe uma feira do livro em Abril.

OS LIVROS e a leitura têm um programa específico no Centro de Artes em Abril. Dia 8, às 17h00, é lançado o livro “Uma luz na história…”, de Dalila J. Guerrinha. Pelo interesse da sua carreira musical e pelo seu contributo para a causa dos cegos, a vida e obra do sineense Joaquim Guerrinha merece ser conhecida. Da Herdade do Gaio aos estúdios da Emissora Nacional, “Uma luz na história” é o documento mais completo sobre esta vida exemplar. Dia 18 começam os ateliers e exposição “A minha cabeça tem um livro de histórias”, realizados no âmbito do Dia do Livro Infantil. Três dos melhores ilustradores nacionais, Carla Pott, Pedro Leitão e Bruno Gaspar, encontram-se de 18 a 20 de Abril, no Centro de

Lídia Jorge.

Artes, com as crianças das escolas. Primeiro, as crianças levam-lhes histórias e eles ilustram-nas ao vivo. Depois, são os ilustradores que propõem histórias aos meninos e são eles que, na escola, as ilustram. Os desenhos resultantes serão reunidos em livros, que ficarão expostos, de 23 a 30 de Abril, no átrio do Centro de Artes. Entre 21 a 25 de Abril, a primeira Feira do Livro do Centro de Artes de Sines realiza-se numa estrutura coberta montada na Rua Cândido dos Reis. Dia 22, às 18h00, a feira tem animação pelo Teatro ao Largo, com a peça “Mãos no Fogo”, que pretende promover a consciência pública sobre os riscos de incêndios nos meses de Verão. O espectáculo, escrito pelo encenador, Steve Johnston, baseia-se em consultas feitas a bombeiros e outros especialistas nesta área. Dias 22 e 23, durante todo o dia, realiza-se na Biblioteca a acção de formação “Quando uma carica é uma princesa”, com Dora Batalim e Filipe Reis. Esta acção de formação propõe aos participantes trabalhar a complexa relação que se estabelece entre texto e imagem no processo narrativo. Os livros de crianças são o género literário trabalhado. A acção, realizada no âmbito do programa de itinerâncias culturais do IPLB, destina-se a pais, professores, educadores de infância, bibliotecários, técnicos de biblioteca e animadores sócio-culturais. Dia 29, às 22h00, no Auditório, a romancista e contista Lídia Jorge vem ao Centro de Artes falar da sua obra com os leitores. A autora de livros como “A Costa dos Murmúrios”, “O Dia dos Prodígios” e o “Cais das Merendas”, visita Sines na companhia do crítico do Jornal de Letras António Carlos Cortez.

O ATELIER Aires Mateus e o pintor Pedro Calapez foram os vencedores da última edição dos prémios AICA / MC (Associação Internacional de Críticos de Artes / Ministério da Cultura). O Centro de Artes de Sines, que foi uma razões apontadas para a atribuição do prémio aos arquitectos Aires Mateus e que recebe a entrega dos prémios, no início de Maio, organiza entre 8 de Abril (inauguração às 19h00) e 8 de Maio, uma exposição sobre os vencedores. A exposição - “Desenho Contínuo” - pretende dar a ver arquitectura, pintura e desenho contemporâneos, isoladamente, justapostos, e tecendo contaminações disciplinares. Mais informações na página 2.

Sábados em Movimento

Miguel Calhaz (voz, contrabaixo), Marco Figueiredo (piano) e Aníbal Almeida (violino). O PIM Teatro traz a peça “João Sem Medo - Viagens por dentro do Mundo” ao Auditório do Centro de Artes, no dia 28, às 19h00. Baseada numa obra de José Gomes Ferreira, este espectáculo narra a história de João Sem Medo e o seu atribulado percurso desde que decide evadir-se da cidade amurada Chora-que-logo-bebes. A entrada nos espectáculos “A Naifa”, “Felizmente há Luar” e “João Sem Medo” custa 5 euros. Os restantes eventos são de entrada gratuita.

COORDENADAS por Mário Afonso, realizam-se nos sábados de Abril oficinas de dança para crianças entre os 6 e os 10 anos. A participação é livre. Levar roupa confortável. Oficina 1: Ser pássaro. Ensaio para muitos voos. Esta oficina de dança, inspirada na exposição de Graça Morais em Sines, tem por objectivo levar as crianças a experienciar os movimento em grupo, procurando despertá-las para curiosidades da dança que lhes sai do corpo sem querer. Hora: 10h30 - 12h30. Dias: 1, 8, 15 e 22 de Abril

O programa completo das comemorações do 25 de Abril, com as iniciativas das colectividades, pode ser consultado no desdobrável próprio distribuído à população e online no site www.mun-sines.pt. Cordas do Sol.

Oficina 2: Desenho Contínuo. Inspirada na obra de Pedro Calapez, nesta oficina de movimento e expressão vamos desenhar um espaço para habitar e descobrir de que modo a podermos caber lá dentro. Veremos o nosso corpo crescer e diminuir como Alice. Vamos pular e brincar com a arquitectura do Centro de Artes! Hora: 15h30 - 17h30. Dias: 15 e 22 de Abril


Fev./Mar. 2006

Sineense

8

Cultura

J o r n a l

M u n i c i p a l

Três meses de arte e fantasia Comunidade escolar, pais e filhos e público em geral começaram a usufruir da programação do Centro de Artes de Sines. O CENTRO de Artes de Sines cumpriu, em Março, os primeiros três meses de programação regular para as escolas, famílias e público em geral. No Auditório, apresentou-se um programa de artes de palco diversificado que foi crescendo em adesão do público ao longo das semanas. “A Taberna”, de Peter Cann (20 de Janeiro), apresentada pelo Teatro Regional da Serra de Montemuro, provocou a primeira enchente da sala com a história de um jovem beirão que não sabia lidar com as mulheres. Dia 22 de Fevereiro, “Dois Perdidos numa Noite Suja”, do brasileiro Plínio Marcos, pela Escola da Noite, foram duas horas de teatro de grande intensidade psicológica servidas por dois actores em boa forma. Uma reinvenção da história eterna de Pinóquio e Gepeto (“Mestre Gepeto”), criada pelo Teatro do Mar, estreou dia 24 de Março no Centro de Artes. O teatro em diálogo aceso com outras artes do corpo e visuais foi representado pelo espectáculo tatiano “Casiotone”, pela companhia Real Pelágio (13 de Janeiro), e por “Top Gun”, um delírio em modo marionetas sobre a cultura americana, pelo Teatro de Ferro (17 de Fevereiro). Representando uma das artes performativas mais antigas e universais, a contadora Cristina Taquelim criou uma noite mágica na Cafetaria do Centro, dia 24 de Fevereiro. Dia 10 de Fevereiro, os mais novos viram bailado, “Azul Azul2”, uma reflexão sobre a acção do homem sobre a natureza, pela Companhia de Dança Contemporânea de Évora. O Cuadro Flamenco Sendero Andaluz, dia 17 de Março, encheu o Auditório e provou por que o baile flamenco é uma das expressões culturais mais populares do mundo. O programa musical no centro começou, dia 27 de Janeiro, com a brasileira Olívia Byington, que apresentou um concerto com repertório próprio e sobretudo grandes clássicos do cancioneiro do Brasil. Dia 10 de Março, para um público rendido, a caboverdiana Nancy Vieira mostrou que sofisticado e popular não são adjectivos contraditórios. Ainda antes, dia 25 de Fevereiro, o projecto Wordsong veio a Sines para mostrar, com sucesso, que Fernando Pessoa também pode ser pop. Também representante da

A contadora Mafalda Milhões e um grupo de meninos e os seus pais.

“Azul Azul 2”, bailado para os mais novos.

melhor música moderna portuguesa, o duo Dead Combo fez de uma guitarra e um contrabaixo máquinas encantatórias, no dia 28 de Março. Escolas e famílias. Além da programação para todos os públicos, no Auditório, o Centro de Artes de Sines, organiza, através dos Ateliers de Criação e Experimentação, um programa específico para envolver a comunidade escolar e as famílias. As sessões de contos afirmaram-se como um dos grandes sucessos desse programa de iniciativas. Os contadores Maurício Leite (10-12 de Janeiro), Cristina Taquelim (24 de Fevereiro) e Mafalda Milhões (10 de Março) maravilharam crianças e pais e ajudaram-nos a saber tornar ainda mais rica a experiência de viver em comum um livro, uma história ou simplesmente o jogo da imaginação.

No início de Fevereiro, Graça Morais esteve em Sines para encontros com professores e educadores (dia 7, para uma visita guiada à sua exposição), com e alunos, dia 8, para um momento de desenho ao vivo, sob sua orientação. Entre 16 de Janeiro e o final de Março, o Centro recebeu as turmas da pré-primária e 1.º e 2.º ciclos do ensino básico para um dia de actividades. Através do projecto interdisciplinar “Os Meus Olhos São do Tamanho do Mar”, com a exposição de Graça Morais como ponto de partida, as crianças criaram as suas próprias pinturas, ouviram histórias do mar na hora do conto dançaram como pássaros com Mário Afonso. Também ministrado por Mário Afonso, o atelier de

Cuadro Flamenco Sendero Andaluz.


Sineense

Fev./Mar. 2006

Cultura

9

J o r n a l

M u n i c i p a l

Júlio Pomar no CCEN

Pai e filho no atelier de construção de marionetas “Extraterrestres”.

dança “Materiais Performáticos” permitiu estender essa experiência a cerca de 15 adultos, num workshop em que se procurou desenvolver a noção de corpo. Em meados de Fevereiro, o Teatro de Ferro realizou uma curta residência em Sines e o seu programa para as escolas e famílias incluiu a apresentação de um espectáculo - “Pólo Pólo” - e um atelier de construção e manipulação de marionetas, “Extraterrestres”. A actividade de dinamização da leitura “Sacos de Leitura”, para as pré-primárias e escolas do 1.º ciclo do ensino básico, prolonga-se até ao final do ano lectivo. Criadores. António Torrado esteve no Centro de Artes de Sines, no dia 3 de Março. Primeiro para "Ler, Ouvir e Contar" no auditório, onde o escritor percorreu o universo imaginário de alguns dos seus livros. Depois, Na cafetaria, educadores, pais e professores ouviram António Torrado falar da importância da escrita para crianças. O projecto de apoio a jovens criadores - “Jovens Artistas Jovens” -, de que o Centro de Artes é uma das estruturas associadas, foi lançado em Fevereiro.

A obra de Pomar que resulta de diálogos com a literatura está patente no CCEN.

Aprender circo no Bairro da Floresta DE 15 de Março e até 27 de Abril, realizam-se no Bairro Municipal da Floresta ateliers de novo circo (artes de circo associadas ao teatro). As Oficinas da Imaginação, que pretendem estimular a capacidade criadora das crianças e jovens da zona, são organizadas pelo Teatro do Mar e Associação ContraRegra e coordenadas pela Câmara Municipal de Sines. As oficinas têm lugar todas as quartas e quintas-feiras, das 10h00 às 12h00 e das 15h30 às 17h30. Os monitores provêm do Chapitô - Escola de Artes e Ofícios do Espectáculo e trabalham técnicas como acrobacias de solo, malabarismo, a arte do palhaço, andas, monociclo, expressão dramática, entre outras. Para mais informações contactar o sector de Acção Social da CMS, pelo número 269 630 612.

Bairro da Floresta.

“O Molhinho” e “A Conchinha” vencem Montras de Natal

FOTO NOTÍCIAS DE SINES

A pintora Graça Morais orienta aluno num momento de desenho ao vivo.

O CENTRO Cultural Emmerico Nunes acolhe, entre 18 de Março e 30 de Abril a exposição “alguns livros & outras edições 1955-2005”, um itinerário através do desenho e da obra gravada de Júlio Pomar, desde meados dos anos 50 até à actualidade, mostrando exclusivamente trabalhos relacionados com a edição de livros ou incluídos em álbuns de gravuras. Partindo o pintor de textos existentes ou partindo os escritores de trabalhos já existentes do pintor, Júlio Pomar interage com autores como Aquilino Ribeiro, Tolstoi, Pessoa, Homero, Cervantes, Maria Velho da Costa ou Nuno Júdice. O centro está aberto, de terça a sexta, das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 18h00, e aos fins-de-semana e feriados, entre as 15h00 e as 18h00. Mais informações em www.ccen.org.

Entrega do prémio a “A Conchinha”.

“O MOLHINHO” e “ A Conchinha” foram os vencedores do 9.º Concurso de Montras de Natal de Sines, uma organização conjunta da Câmara Municipal de Sines e da Associação de Comércio e Serviços do Distrito Setúbal (Delegação de Sines). A entrega dos prémios aconteceu no dia 10 de Fevereiro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho. O concurso, que este ano contou com a participação de 72 entidades, disputou-se nas categorias de

Estabelecimento Comercial e de Colectividade, Clube, Escola, ou Associação. Na primeira categoria a vitória coube à florista “O Molhinho”, tendo sido ainda atribuída uma menção honrosa ao estabelecimento “ Flor de Maio”. Na segunda categoria, o 1.º prémio foi entregue ao infantário “A Conchinha”, enquanto que a “Escola EB 2,3 Vasco da Gama” foi objecto de uma menção honrosa.


Fev./Mar. 2006

Sineense

10

Cultura

J o r n a l

M u n i c i p a l

Respirar teatro O Teatro do Mar comemora 20 anos em 2006. Duas décadas de viagens e trabalho, com Sines no centro e o mundo no horizonte. frequentar. A formação, o envolvimento nalguns espectáculos da comunidade em geral, o trabalho com as instituições, têm sido um contributo importante.

Produção “O Elefante” (1997).

FOI no dia 8 de Março de 1986 que nasceu um dos casos mais especiais da cultura em Sines. Trabalhando para e com a comunidade, viajando e crescendo esteticamente, aperfeiçoando a produção e a gestão, o Teatro do Mar chega aos 20 anos como uma das mais destacadas companhias do país na área do teatro de rua e, assim já o indica a tournée alemã deste Verão, uma das raras que está a conseguir iniciar uma carreira internacional. Até 30 de Abril, a história do seu percurso pode ser relembrada na exposição “Um Mar de Teatro”, patente no Centro de Artes de Sines. Directora artística e co-fundadora da companhia, Julieta Santos, conta como tem sido esta aventura. Sineense - Em que circunstâncias nasce o Teatro do Mar? Julieta Santos - Em 1985, houve o propósito de se constituir uma associação cultural em Sines, a “Raiz”, no seio do qual surgiu a ideia de criar um projecto de teatro. Conseguimos uma sala no Centro Recreativo Sineense e começámos os ensaios da “Farsa de Inês Pereira”. Precisamente nesta altura, o Vladimiro Franklim chega a Sines, é-me apresentado pela vereadora da Cultura de então, Eugénia Amador, assiste a um ensaio e acaba por assumir a encenação da peça e ficar ligado ao grupo. Era um grande privilégio poder ter um profissional de teatro a trabalhar connosco. Apresentámonos pela primeira vez ao público no dia 8 de Março de 1986, na antiga sala de sessões da CMS, com um recital de poesia. Depois, concluímos a “Farsa” e estreámo-la já no Teatro Oficina, um barracão que tinha tido milhentas utilidades (sede de partido, biblioteca, sala de costura do Carnaval, etc.) e que recuperámos e transformámos na sede do Teatro do Mar. Foi assim que tudo começou… Nos primeiros 10 anos, escreveu que o teatro pretendia “envolver, mais do que mostrar”. O que quer dizer com isso? Que pretendíamos dar mais importância aos processos criativos, aos processos de formação das pessoas envolvidas, do que propriamente ao produto final. Temos sempre como objectivo fazer o melhor produto final possível, mas a prioridade era formar e envolver o maior número possível de jovens no projecto, dar-lhes formação e criar o hábito da prática teatral. Em 1997/1998, o Teatro do Mar profissionaliza-se. Que novos riscos e que novos desafios se colocaram à companhia com essa decisão? Os novos riscos tiveram essencialmente que ver com as pessoas já envolvidas no projecto que começaram a dedicarse a ele a tempo inteiro e com a contratação de actores profissionais e técnicos e administrativos, o que significava a criação de uma equipa de trabalho devidamente remunerada. As implicações financeiras e as responsabilidades à volta disso foram o risco maior. Todo a verba que o grupo de teatro conseguiu juntar enquanto amadores, sobretudo nos últimos anos de trabalho, já foi para tentarmos fazer um mealheiro que nos precavesse para

o primeiro, segundo ano enquanto profissionais. Até porque não conseguimos logo obter o apoio, nem em subsídios do Estado, nem sequer um protocolo com a CMS adequado à profissionalização da companhia, coisa que veio a acontecer um pouco mais tarde. Nos últimos anos, em termos estéticos, o Teatro do Mar tem criado uma identidade mais definida, em torno da visualidade e de um teatro físico. Porquê esse caminho? Nós já tínhamos um pouco esse processo de trabalho sobre o corpo e a visualidade mesmo antes da profissionalização, em espectáculos como “O Elefante” (1997) e o “Onde Nascem os Ventos” (1996). Penso que esse caminho aconteceu por várias razões. Primeiro, por ter a minha direcção artística, por reflectir a diversidade de paixões que tenho e o gosto por trabalhar um pouco em todas essas disciplinas. E também pela universalidade da linguagem e o facto de nos termos especializado num teatro mais virado para a rua, um teatro sem paredes e sem lugares marcados. Sem descurar a palavra, porque nós também fazemos textos dramáticos, o teatro físico permite-nos chegar a um maior número de pessoas. Quando é que o Teatro do Mar começou a viajar e a procurar novos mercados? Enquanto grupo amador já fazíamos espectáculos fora de Sines e houve sempre esta vontade de itinerar. Porque o público é sempre limitado numa cidade pequena e pela vontade de conhecer outros lugares e públicos. Ao assumir o nome “companhia de teatro itinerante”, assumimos esse espírito de viajar e de levar o teatro não só onde ele menos se faz, mas também a vontade e a ambição de podermos apresentar o nosso trabalho em festivais. Isso acabou por nos abrir portas para um mercado maior, que neste momento não é só Portugal. Vamos estar em Maio e todo o Verão na Alemanha, em festivais onde é a primeira vez que Portugal vai estar representado, o que é um orgulho muito grande. Além da Alemanha temos convites para Espanha e para a França. Ao fim de 20 anos, estamos a conseguir atingir o objectivo de chegarmos a mercados internacionais com o nosso trabalho. O que destaca do trabalho realizado como agentes culturais e artísticos na região? Durante muitos e muitos anos, Sines teve uma oferta teatral fraca. Agora, com a abertura do Centro de Artes, felizmente começa a haver a possibilidade de as pessoas verem outros trabalhos e outras companhias, até para que melhor e mais justamente possam avaliar a sua. Penso que ao longo destes anos demos um contributo bastante importante para a criação de novos públicos, não só com os espectáculos que temos feito, mas também com o trabalho que temos feito a nível da formação. Trabalhamos com as escolas, com as crianças do ensino básico e com adolescentes há muitos, muitos anos. O Teatro do Mar também nasceu da ideia de se criar uma espécie de teatro-oficina onde haviam oficinas de teatro e expressão dramática que as pessoas podiam

Diz que a história do Teatro do Mar é sobretudo “uma história de resistência e de perseverança”. Que lutas tem a companhia pela frente no seu 20.º aniversário? Temos uma estabilidade diferente da que tínhamos há 10 ou há 20 anos atrás, mas o projecto hoje também é diferente e, por isso, tem outras exigências. Estamos mais maduros profissionalmente e fazemos uma gestão absolutamente rigorosa e muito mais reflectida, optando por, em vez de dispersar os recursos por muitas produções, apostar mais numa produção ou noutra. Essa opção tem dado resultados positivos. Mas o nosso sonho maior e mais antigo é termos uma sede nossa, o que nunca aconteceu. Vivemos sempre em espaços provisórios e degradados, onde nunca pudemos fazer aposta nenhuma e que não têm dignificado a nossa actividade nem o público que a ela assiste. O que nós mais desejamos agora é termos um espaço onde possamos trabalhar e receber o público em condições, desenvolvendo um outro tipo de programação. Mesmo se não está lá tudo, penso que a exposição que temos agora no Centro de Artes pode ilustrar o trajecto da companhia ao longo de 20 anos. As lutas neste momento são estas, que acabam por resultar em questões de ordem muito prática. Temos muito trabalho para uma equipa pequena, que não podemos de maneira nenhuma aumentar, e obviamente que desde a ideia inicial do projecto à sua conclusão final os cortes são quase infinitos e o resultado fica sempre aquém daquilo que nós gostaríamos e que sabemos ter capacidade para fazer. As limitações passam sempre pela instabilidade dos financiamentos públicos e curiosamente a nossa maior fonte de receitas é o nosso trabalho. Neste momento, aquilo que nos mantém vivos é sobretudo o nosso trabalho, a venda de espectáculos. Depois, obviamente que temos um protocolo anual com a Câmara Municipal de Sines e temos o apoio sustentado do Instituto das Artes do Ministério da Cultura, que neste caso já é um apoio a dois anos, o que também nos trouxe uma estabilidade diferente da que tínhamos há alguns anos atrás. Vinte anos depois, qual o seu maior orgulho enquanto directora do Teatro do Mar? É ter mantido este projecto vivo durante 20 anos. É um trabalho tão absorvente que a vida pessoal acaba por ficar em segundo plano. O Teatro do Mar é a nossa respiração e a nossa primeira casa. E o trabalho é tão rápido e tão intenso, os desafios que o futuro nos coloca são tantos, que às vezes nem dá tempo para olhar para o passado e o que se fez. Mas fazer esta exposição obrigou-nos a esse olhar interior mais profundo. Foi muito importante fazermos esse balanço e percebermos que já conseguimos encher um corredor, metaforicamente falando. E quão árduo foi, ao mesmo tempo que houve momentos belíssimos e inesquecíveis e talvez tenham sido esses momentos que nos vão mantendo vivos até agora.

Julieta Santos


Sineense

Fev./Mar. 2006

Cultura

11

J o r n a l

M u n i c i p a l

Carnaval jovem A alta participação da juventude foi o maior destaque na edição 2006 do Carnaval de Sines.

Grupo folião “Aracnofolia”

COM UM tempo ameno do seu lado e os ingredientes do costume (alegria, sátira e glamour), o Carnaval de Sines 2006 trouxe, de acordo com a estimativa da organização, entre 25 e 30 mil pessoas à Avenida Vasco da Gama nos dias 26, 27 e 28 de Fevereiro. Pela noite dentro, entre cinco e seis mil pessoas continuaram a folia nos bailes que tiveram lugar na tenda montada no Parque Desportivo Municipal. Acácio Santos, presidente da Comissão de Carnaval, faz um balanço “muito positivo” do Carnaval de Sines 2006, em termos de participação do público mas

“A Conchinha”, no Carnaval dos Pequeninos.

também componente financeira. A “adesão massiva dos jovens” é o aspecto que destaca nesta edição da festa, considerando-a um bom augúrio para a organização do evento em 2007. Foram os mais novos de todos os carnavalescos, aliás, a começar a festejar o Entrudo, logo na sexta-feira, 24. Das bruxas aos palhaços, da Branca de Neve à Carmen Miranda, das personagens de fantasia à magia da matemática, o desfile do Carnaval dos Pequeninos envolveu com grande entusiasmo toda a comunidade escolar. A iniciativa, coordenada pela Junta de

Freguesia de Sines, teve este ano animação de rua e musical e vai ter uma exposição de fotos, em Abril, no CCEN, e a edição de um DVD. No desfile principal, o carro alegórico vencedor foi “Amazonas” (Bruno Rocha / Luís Pereira), que transportou os convidados Diana Chaves e Rodrigo Menezes. O carro folião vencedor foi “Passarelle”, liderado por Lino Pereira e Leonel Pedrosa. O grupo folião mais votado foi “Aracnofolia” (chefe de equipa Paula Antero) e a escola de samba premiada foi “Estrelas do Luar” (responsável Mário Rui).

Março no feminino Sines assinalou o Dia Internacional da Mulher. O tradicional lanche-convívio foi participado por mais de 800 mulheres.

MAIS de 800 mulheres participaram no lanche-convívio comemorativo do Dia Internacional da Mulher, que teve lugar, dia 8 de Março, no Parque Desportivo Municipal. Animado pelo Jorge Nice Show, foi a principal iniciativa das comemorações, que incluiu ainda uma caminhada pela zona histórica de Sines (dia 7), a projecção do filme “O Círculo”, de Jafar Pahani, sobre a condição da mulher no Irão, na Casa da Juventude (dia 9), e o concerto da artista cabo-verdiana Nancy Vieira, no Centro de Artes (dia 10).


Fev./Mar. 2006

12

Sineense J o r n a l

M u n i c i p a l

Vários

Praça classificada

DE ACORDO com parecer do Instituto Português do Património Arquitectónico (Ippar), homologado pelo Ministério da Cultura, a Praça Marquês de Pombal, em Porto Covo, foi classificada como Imóvel de Interesse Público. Coração da aldeia e um dos conjuntos urbanos mais emblemáticos do Alentejo, a praça é uma das maravilhas da arquitectura popular portuguesa, construída sobre uma planta, provavelmente de 1789-1794, inspirada no modelo pombalino da baixa lisboeta. A classificação é um reconhecimento da importância da praça e seus imóveis como conjunto arquitectónico e estabelece um conjunto de regras para a sua preservação. A transmissão passa a depender da comunicação prévia ao Ippar e os co-proprietários, Estado e município gozam de direito de preferência em caso de venda ou dação em pagamento. O parecer prévio do Ippar torna-se necessário para a concessão de licenças para as obras de construção e para quaisquer trabalhos que alterem a topografia, os alinhamentos e as cérceas e em geral a distribuição de volumes e coberturas ou o revestimento exterior dos edifícios. Todos os projectos de arquitectura referentes a obras nos imóveis e na sua zona de protecção são da responsabilidade de arquitecto. Está planeada pelo município a requalificação da Praça Marquês de Pombal, à semelhança do que já foi feito na Rua Vasco da Gama.

Apoios aos empresários O PRESIDENTE da Câmara Municipal de Sines, Manuel Coelho, anunciou dia 13 de Março, a criação, para breve, de um fundo de apoio às pequenas e médias empresas do concelho. Uma medida que, segundo o autarca, vai promover os empresários e as PME locais, ajudando-os nos seus investimentos. O anúncio foi feito no Centro de Artes de Sines, durante o seminário “Incentivos às Empresas para o Plano Tecnológico”, promovido pelo Gabinete de Apoio ao Empresário da CMS (GAE) e pelo Gabinete de Empresa do IAPMEI em Évora, que serviu para dar a conhecer às empresas os instrumentos de apoio financeiro disponíveis quer pela via do incentivo (Novo PRIME) quer pela via do financiamento (Programa FINICIA). António Cebola, do IAPMEI, apresentou as medidas do PRIME que ainda são passíveis de candidatura por parte dos empresários. Casos do SIPIE, um Sistema de Incentivos para Pequenas Iniciativas Empresariais de Micro ou Pequenas Empresas, que apoia investimentos nos sectores da industria, serviços, comércio e turismo até 150 000 Euros (candidaturas até 11 de Abril de 2006), e do SIED, um Sistema de Incentivos à Economia Digital, para reforçar a presença e o peso da economia digital nas micro, pequenas e médias empresas e que dispõe de despesas elegíveis até 350 000 Euros por projecto (candidaturas até 11 de Abril de 2006). Carlos Riscado, do IAPMEI, falou ainda do SIME, um Sistema de Incentivos à Modernização Empresarial. A medida, com múltiplas vertentes de aplicação (internacional, produção de bens transaccionáveis em mercados externos, clusterização em actividades estratégicas, actividades de suporte à produção e utilização de energias renováveis, valorização industrial de actividades de investigação e desenvolvimento tecnológico, etc.) aceita candidaturas até 7 de Junho, com excepção do SIME Internacional, cujo prazo de inscrição termina a 11 de Abril. Durante a iniciativa, os empresários presentes ficaram também a conhecer o Programa FINICIA, destinado ao financiamento de micro e pequenas empresas.

Meio ano na água A Escola Municipal de Natação já ultrapassou a barreira dos 2000 utilizadores regulares. Seis meses depois da abertura, é altura para um balanço da sua actividade.

A natação de crianças tem sido um sucesso na Escola Municipal de Natação.

O CALENDÁRIO marcava o dia 12 de Setembro de 2005 quando a Escola Municipal de Natação abriu as portas ao público. Agora, seis meses depois das primeiras braçadas, a escola ganha o seu espaço no panorama desportivo local e regional e o projecto é um caso de sucesso. “O balanço é bastante positivo tendo em conta que existem na região outras piscinas municipais. Temos tido uma grande adesão por parte do público, incluindo pessoas que não são do nosso concelho e temos ainda protocolos com a Polícia Marítima e com a Santa Casa da Misericórdia. A natação de crianças, por exemplo, ultrapassou as expectativas e tivemos, inclusive, de aumentar as vagas disponíveis”. As palavras são de Eurico Pereira, monitor e coordenador da Escola Municipal de Natação. Integrado no projecto desde o início, Eurico relembra os primeiros tempos da escola. Dias com “algumas peripécias e muitos ajustes”, resolvidos com a certeza de que este é um projecto de “grande importância” para Sines. “Inicialmente foi algo complicado”, revela. “Foi como começar do zero, pois as pessoas estavam habituadas a outro sistema e muito enraizadas nos clubes. Ao chegar aqui depararam-se com outra metodologia e, por isso, estranharam imenso. Uma das principais dificuldades foi o sistema de torniquetes, já que os utilizadores não estavam habituados ao sistema electrónico. Mas o tempo revelou uma boa adaptação e hoje as dificuldades são menores”, explica. A funcionar nas novas e modernas instalações da Piscina Municipal Carlos Manafaia, a escola, que já ultrapassou a barreira dos mil utilizadores, oferece, para além da utilização livre, vários tipos de modalidades aquáticas. Natação para bebés, adaptação ao meio aquático, manutenção, hidroginástica, deepwater, hidro-spinning, hidroterapia, pré-parto e pós-parto, são as modalidades que, semana após semana, agitam as águas dos dois planos da piscina municipal. Um rol que vai crescer a curto prazo, já que estão a ser preparadas novas actividades. “Estamos a tentar implementar a natação sincronizada e vamos ainda arrancar com o mini-pólo. Já encetámos contactos com a Federação Portuguesa de Natação e as coisas parecem bem encaminhadas”, adianta o

coordenador da escola. Ao todo são sete os monitores da Escola Municipal de Natação. Uns com licenciatura na área do desporto, outros com formação da Federação Portuguesa de Natação ou outra entidade reconhecida na área, mas todos com um dia-a-dia agitado, ou não fossem muitos os treinos a preparar, alguns deles dentro de modalidades distintas. “Acabamos por ser uma espécie de malabaristas, pois temos muito para fazer e o tempo é apertado”, confessa Eurico Pereira. “Trabalhamos sempre com vista à obtenção dos melhores resultados e daí a necessidade de planificar e programar a longo prazo, isto dentro de grupos com utilizadores muito heterogéneos entre si. Os idosos ou as crianças têm necessidades especiais e por isso a atenção tem de ser redobrada”, acrescenta. Num protocolo que a Câmara Municipal de Sines estabeleceu com os clubes de natação, ficou definido que a escola municipal daria formação até aos seis anos de idade, altura em que os atletas passariam para a responsabilidade dos clubes do concelho. Uma tarefa que Eurico Pereira considera fundamental. “Estamos a falar dos primeiros contactos com a modalidade, onde se ganham as bases, fundamentais se a criança quiser seguir mais tarde a competição. A partir dos cinco anos já se consegue perceber qual a disponibilidade das crianças dentro de água e estamos sempre atentos a estas situações para podermos adaptar o treino às necessidades de cada uma delas e, se possível, contribuirmos para o crescimento de futuros campeões”, explica. A principal dificuldade dos monitores tem sido sensibilizar os utilizadores para contribuírem na manutenção da qualidade da água. “Muitas pessoas não estavam habituadas a chegar à piscina e a tomar banho com gel antes do treino. Outras vinham para a piscina com cremes ou adereços, como fios e brincos”, refere Eurico, que refere ainda não estar preocupado apenas com a instituição. “A maior parte dos avisos que damos prende-se com a qualidade da água, fundamental para o bem-estar dos próprios utilizadores”. Obtenha todas as informações sobre a Escola Municipal de Natação e a piscina através do telefone 269 860 020 e do site www.mun-sines.pt/piscina.


Sineense

Fev./Mar. 2006

Desporto

13

J o r n a l

Mundial de Pesca Submarina em Sines

M u n i c i p a l

Ginástica acumula títulos

Distrital de duplo mini-trampolim e tumbling, no Pavilhão dos Desportos de Sines.

SINES acolhe, entre 10 e 17 de Setembro, o XXV Campeonato Mundial de Pesca Submarina. Num mês em que Portugal será a capital mundial da pesca, com campeonatos de várias modalidades em diversos pontos do país, Sines recebe precisamente aquela em que tem mais tradição. Trata-se de uma organização conjunta das Federações Portuguesas de Pesca Desportiva, Actividades Subaquáticas e Pesca Desportiva de Alto Mar, com o patrocínio do Instituto de Desporto de Portugal e o apoio da Câmara Municipal de Sines.

Selecção sub-19 jogou em Sines

McEwan vence na Costa Azul

OS CLUBES de Sines com ginástica somaram 50 títulos distritais e regionais em Fevereiro e Março. No distrital de duplo mini-trampolim e tumbling realizado no Pavilhão dos Desportos de Sines, dia 18 de Fevereiro, o Ginásio Clube de Sines obteve 14 vitórias e o Grupo Desportivo da Baixa de São Pedro um título distrital. No regional da modalidade, que teve lugar dia 11 de Março, no Pinhal Novo, o Ginásio conquistou 13 títulos e o Grupo Desportivo duas vitórias. Finalmente, no distrital de trampolim individual e sincronizado, que decorreu no dia 18 de Março, no Pavilhão da Escola EB2,3 Vasco da Gama, o Ginásio subiu ao primeiro lugar do pódio 20 vezes. Ambos os clubes conquistaram dezenas de lugares no pódio e outros lugares de relevo nas três provas.

CNLA conquista Santarém

A selecção nacional de futebol Sub-19 jogou em Sines no dia 9 de Fevereiro, um encontro de carácter particular contra a República Checa. Num Estádio Municipal cheio, com presença massiva de público escolar, as selecções acabaram o jogo empatadas a dois golos. O encontro serviu de preparação para segundo mini-torneio de apuramento para o Campeonato da Europa da categoria, que decorre entre 16 e 20 de Maio, na Croácia. Foi a segunda vez que o Estádio Municipal de Sines recebeu uma partida das selecções nacionais de futebol.

Sines foi cenário, dia 12 de Fevereiro, da partida da quarta e última etapa da edição 2006 do Grande Prémio Internacional da Costa Azul em ciclismo, com 131 corredores a dar um colorido diferente à Avenida Vasco da Gama. A prova, que tem vindo a ganhar relevo no calendário nacional da modalidade pela qualidade dos ciclistas que consegue reunir, foi vencida por um dos maiores sprinters da actualidade, o australiano Robbie McEwan, ficando o melhor português, Pedro Lopes, em quarto lugar. A CMS foi uma das entidades que apoiaram a organização.

Clube Náutico de Sines promove cursos de vela O Clube Náutico de Sines realiza em Abril dois cursos de iniciação à vela, na classe Optimist. A formação destina-se a jovens com idades entre os 9 e os 14 anos, desde que saibam nadar. As inscrições são limitadas a dez alunos por curso e encontram-se abertas no Clube Náutico de Sines. O objectivo dos cursos é fomentar a prática da vela no concelho, sendo que está prevista a realização de outros cursos, nomeadamente na classe Laser, durante o ano de 2006. Para mais informações, contacte o Clube Náutico através do telemóvel 934995632.

Com 35 vitórias individuais e um total de 73 presenças no pódio, o Clube de Natação do Litoral Alentejano (CNLA) alcançou, entre 3 e 5 de Março, no Complexo Aquático de Tomar, os melhores resultados em Campeonatos Regionais da Associação de Natação de Santarém desde a sua criação em 2001. Os destaques maiores da delegação do CNLA vão para as prestações de João Paias, com oito títulos, e de Ana Catarina Boavista, com seis primeiros lugares. O grande fim-desemana dos nadadores do CNLA foi ainda marcado pela obtenção de quatro recordes distritais.

Sonega equestre Realiza-se, no dia 14 de Maio de 2006, na Sonega, o 2.º Passeio Equestre. A prova, num percurso de 15 a 20 km pelo campo e localidade, é organizada pelo Grupo Desportivo Leal Soneguense e conta com os apoios da CMS e da Associação de Moradores do Salão Comunitário da Sonega. O passeio tem início às 9h00, com uma concentração de cavaleiros no Campo de Futebol local e termina perto das 15h00, com uma distribuição de lembranças pelos presentes. As inscrições estão abertas até ao dia 10 de Maio. Mais informações através do número 962 700 363.


Fev./Mar. 2006

Sineense J o r n a l

M u n i c i p a l

14 Município

INFORMAÇÃO OFICIAL EDITAL Nº 137/2005 CARMEM ISABEL AMADOR FRANCISCO, Vereadora da Câmara Municipal de Sines, no uso das competências delegadas e subdelegadas pelo Sr. Presidente da Câmara nos termos do nº 2 do artº 69º da Lei 169/99 de 18 de Setembro na redacção dada pela Lei 5-A/2002 de 11 de Janeiro, e de acordo com o artº 68º da mesma Lei, torna público que em Reunião Ordinária de 22 de Dezembro de 2005 foi, por unanimidade, deliberado: - As Reuniões de Câmara Ordinárias, realizar-se-ão à 1ª e 3ª quintasfeiras de cada mês, pelas 15:00 horas. - A Reunião Pública realizar-se-á na última quinta-feira de cada mês, pelas 15:00 horas na Sala de Sessões. Sines, 27 de Dezembro de 2005 Afixe-se! Publique-se! A Vereadora com Competências Delegadas Carmem Francisco EDITAL Nº 6/2006 CARMEM ISABEL AMADOR FRANCISCO, Vereadora da Câmara Municipal de Sines, no uso das competências delegadas e subdelegadas pelo Sr. Presidente da Câmara nos termos do nº 2 do artº 69º da Lei 169/99 de 18 de Setembro na redacção dada pela Lei 5-A/2002 de 11 de Janeiro, e de acordo com o artº 68º da mesma Lei, torna público que em Reunião Ordinária de 5 de Janeiro de 2006 foram tomadas as seguintes deliberações com eficácia externa: - A Câmara deliberou, por unanimidade, deixar de ser associada de diversas Entidades/Associações, atendendo à nova realidade financeira das autarquias locais e ainda por nalguns casos ter havido alteração das circunstâncias que motivaram a adesão. - Aprovada, por unanimidade, a alteração do prazo de validade das licenças de táxi que passa de três para cinco anos. - Aprovada proposta de atribuição, para venda de 5 fogos no CDH da Quinta dos Passarinhos. - Deliberado, por unanimidade, a composição da Comissão de Segurança e Saúde no Trabalho. - Aprovado o parecer da Câmara sobre o Estudo de Impacte Ambiental da Fábrica de Óleo de Rícino Hidrogenado e de Resinas Oleoquímicas. - Aprovado, por unanimidade, o parecer da Câmara sobre o Estudo de Impacte Ambiental da Central de Ciclo Combinado da CPPE. - Aprovada, por unanimidade, a alteração ao Loteamento Municipal da ZIL II.

Faço público que de acordo com o Dec. Lei 265 A/ 2001, secção V, Artº 169,170 e 171 de 28.09.2001., com alterações introduzidas pela Lei 20/2002 de 21 de Agosto (Código da Estrada), deverão ser retirados da via pública no prazo de oito (08) dias os seguintes veículos: - Veículo Fiat Ducato; matrícula PH-89-04; cor branco; Proprietário do veículo; Sirama ; Morada: Rua Visconde Setúbal 46 Cp. 4200 Porto; Veículo abandonado junto ao Supermercado Plus em Sines; - Veículo Ford Fiesta 1.1; matrícula VD-98-66; cor vermelho; Proprietário do veículo; José Carrondo Dionísio; Morada: Edifício Ancorope Apartamento 246 7520-235 Sines; veículo abandonado na Av. General Humberto Delgado (junto à antiga estação da C.P.) em Sines; - Veículo Audi 80 GLS; matrícula JA-91-49; cor vermelho; Proprietário do veículo: João de Mafra Brás; Morada: Rua B Adjacente e Av. Arquitecto Paulino Montes 2520 Peniche; veículo abandonado no Bairro 1º de Maio (junto ao Stand Auto Reizinho) em Sines; - Veículo Citroen AX; matrícula 91-59-FH; cor verde; Proprietário do veículo: Isabel Cristina Simão Parreira; Morada: Quinta dos Passarinhos Lote 51 7520 Sines; veículo abandonado frente do Lote 50 na Quinta dos Passarinhos em Sines; - Veículo Renault Traffic; matrícula UJ-06-53; cor branco; Proprietário do Veículo: Alexandre Pina; Morada: Rua da Boa Vista (Pátio do Rogério 3 1º esq. 7520 Sines; veículo abandonado na Baixa de São Pedro Rua Bento Gonçalves frente ao nº 40 em Sines; - Veículo Mitsubishi L 300 P 15; matrícula QL-64-17; cor branco; Proprietário do veículo: Tito Maximino Ferreira; Morada: Bairro das Roulotes 27 7520 Sines; veículo abandonado na Courela da Cruz frente ao nº 15 em Sines; - Veículo Fiat Uno; matrícula RX-96-15; cor cinzento; Proprietário do Veículo: Carlos Soares Doroteia; Morada: Travessa Quinta Pidwell nº 11 rc Sines; veículo abandonado na Rua Ramiro Correia nº 10 em Sines; - Veículo Renault 4 GTL; matrícula VI-81-04; cor branco; Proprietário do veículo. Rui Manuel Fernandes Penas; Morada: Azinhaga das Percebeiras 15 rc 7520 Sines; veículo abandonado na Rua Emmérico Nunes junto ao nº 5 em Sines; - Veículo Lancia Delta 1.4; matrícula 74-70-CZ; cor verde; Proprietário do veículo: Maria Luísa Bolas Machado Xavier da Silva; Morada: Rua 1º Dezembro 3 3º Dtº 7520 Sines; veículo abandonado no parque estacionamento do Mercado Municipal em Sines.

todas as Associações e Colectividades do Município, para o ano de 2006 e, no âmbito dos seus respectivos objectos sociais. Sines, 22 de Fevereiro de 2006 Afixe-se! Publique-se! A Vereadora com Competências Delegadas Carmem Francisco EDITAL Nº 21-A/2006 CARMEM ISABEL AMADOR FRANCISCO, Vereadora da Câmara Municipal de Sines, no uso das competências delegadas e subdelegadas pelo Sr. Presidente da Câmara nos termos do nº 2 do artº 69º da Lei 169/99 de 18 de Setembro na redacção dada pela Lei 5A/2002 de 11 de Janeiro, e de acordo com o artº 68º da mesma Lei, torna público que em Reunião Ordinária de 02 de Março de 2006 foram tomadas as seguintes deliberações com eficácia externa: - Deliberado apoiar a Associação de Artesãos de Sines no sentido da realização de curso de bilros. - Celebrado Protocolo de Colaboração com Estruturas Nacionais ligadas à cultura destinado à prossecução do Projecto Jovens Artistas e que representa para a Autarquia um custo de 3000 €. Sines, 06 de Março de 2006 Afixe-se! Publique-se! A Vereadora com Competências Delegadas Carmem Francisco EDITAL Nº 22/2006

E para se constar se passou o presente e outros de igual teor, que vão ser afixados nos lugares públicos do costume.

CARMEM ISABEL AMADOR FRANCISCO, Vereadora da Câmara Municipal de Sines, torna público que se encontra disponível para “CONSULTA PÚBLICA” no Edifício Técnico da Câmara Municipal de Sines, durante 20 dias úteis das 9 às 16 horas, de 10 de Março a 06 de Abril de 2006 - Parecer Final da Comissão de Avaliação e da Declaração de Impacte Ambiental Relativo ao Processo “Linha de Sines - Portimão 3, a 400 KV”.

Paços do Concelho de Sines, ao 07 de Fevereiro de 2006

Sines, 09 de Março de 2006.

O Presidente da Câmara Municipal de Sines Manuel Coelho Carvalho

Afixe-se! Publique-se!

Sines, 10 de Janeiro de 2006

EDITAL Nº 13/2006

A Vereadora com Competências Delegadas Carmem Francisco

Afixe-se! Publique-se!

CARMEM ISABEL AMADOR FRANCISCO, Vereadora da Câmara Municipal de Sines, no uso das competências delegadas e subdelegadas pelo Sr. Presidente da Câmara nos termos do nº 2 do artº 69º da Lei 169/99 de 18 de Setembro na redacção dada pela Lei 5A/2002 de 11 de Janeiro, e de acordo com o artº 68º da mesma Lei, torna público que em Reunião Ordinária de 02 de Fevereiro de 2006 foram tomadas as seguintes deliberações com eficácia externa:

A Vereadora com Competências Delegadas Carmem Francisco EDITAL Nº 9/2006 CARMEM ISABEL AMADOR FRANCISCO, Vereadora da Câmara Municipal de Sines, no uso das competências delegadas e subdelegadas pelo Sr. Presidente da Câmara nos termos do nº 2 do artº 69º da Lei 169/99 de 18 de Setembro na redacção dada pela Lei 5-A/2002 de 11 de Janeiro, e de acordo com o artº 68º da mesma Lei, torna público que em Reunião Ordinária de 19 de Janeiro de 2006 foram tomadas as seguintes deliberações com eficácia externa: - Adjudicada ao BPI a contratação, em sistema de leasing, a aquisição de imóvel no Bairro 1º de Maio em Sines. - Deliberada a atribuição de subsídio extraordinário à Associação RESGATE, para formação aos técnicos das Piscinas Municipais - Aprovada a proposta de celebração de Protocolos com Entidades e Associações do Município, para apoio às suas actividades. Sines, 25 de Janeiro de 2006 Afixe-se! Publique-se! A Vereadora com Competências Delegadas Carmem Francisco

EDITAL N.º 11/2006 Viaturas Abandonadas na Via Pública Manuel Coelho Carvalho; Presidente da Câmara Municipal de Sines:

- Aprovado, por unanimidade, a contratação de empréstimo de curto prazo para o ano de 2006 ao Banco Santander Totta. Sines, 7 de Fevereiro de 2006 Afixe-se! Publique-se! A Vereadora com Competências Delegadas Carmem Francisco EDITAL Nº 18-A/2006 CARMEM ISABEL AMADOR FRANCISCO, Vereadora da Câmara Municipal de Sines, no uso das competências delegadas e subdelegadas pelo Sr. Presidente da Câmara nos termos do nº 2 do artº 69º da Lei 169/99 de 18 de Setembro na redacção dada pela Lei 5A/2002 de 11 de Janeiro, e de acordo com o artº 68º da mesma Lei, torna público que em Reunião Ordinária de 16 de Fevereiro de 2006 foram tomadas as seguintes deliberações com eficácia externa: - Deliberado lançar concurso para contratação de empréstimo de médio e longo prazo para financiamento de programas de habitação social. - Aprovados os preços das refeições a fornecer no Refeitório Municipal, nos termos da Portaria 100/2006. - Deliberado adquirir 250 exemplares do livro “A Essência da Raiz” de José Rodrigues Vilhena. - Na sequência do pedido de isenção de taxas para o ano de 2006, pela Associação de Moradores do Casoto e Arredores, a Câmara deliberou por unanimidade, conceder isenção de taxas e licenças municipais a

EDITAL Nº 23/06 Manuel Coelho Carvalho, Presidente da Câmara Municipal de Sines. Dando cumprimento ao estatuído no nº 1, do Artº da Lei nº 26/94, de 19 de Agosto, torna público que no segundo semestre de 2005, foram atribuídos os seguintes subsídios. BENEFICIÁRIO: Vasco da Gama Atlético Clube CLASSIFICAÇÃO: 05.02/04.07.01 VALOR: 29.500,00 € DATA DA DELIBERAÇÃO: 09-12-2004 BENEFICIÁRIO: Vasco da Gama Atlético Clube CLASSIFICAÇÃO: 05.02/04.07.01 VALOR: 4.522,00 € DATA DA DELIBERAÇÃO: 18-08-2004 BENEFICIÁRIO: Vasco da Gama Atlético Clube CLASSIFICAÇÃO: 05.02/04.07.01 VALOR: 2.500,00 € DATA DA DELIBERAÇÃO: 04-10-2005 BENEFICIÁRIO: Agrupamento Vertical de Escolas de Sines CLASSIFICAÇÃO: 05.01/04.07.01 VALOR: 9.000,00 € DATA DA DELIBERAÇÃO: 09-12-2004 BENEFICIÁRIO: Agrupamento Vertical de Escolas de Sines CLASSIFICAÇÃO: 05.01/04.07.01 VALOR: 2.000,00 € DATA DA DELIBERAÇÃO: 18-05-2005 BENEFICIÁRIO: Agrupamento Vertical de Escolas de Sines CLASSIFICAÇÃO: 05.01/04.07.01 VALOR: 330,00 € DATA DA DELIBERAÇÃO: 06-07-2005


Sineense

Fev./Mar. 2006

Município

15

J o r n a l

BENEFICIÁRIO: Agrupamento Vertical de Escolas de Sines CLASSIFICAÇÃO: 05.01/04.07.01 VALOR: 3.200,00 € DATA DA DELIBERAÇÃO: 04-10-2005 BENEFICIÁRIO: Centro Cultural Emmérico Nunes CLASSIFICAÇÃO: 05.02/04.07.01 VALOR: 20.400,00 € DATA DA DELIBERAÇÃO: 05-12-2003 BENEFICIÁRIO: Ginásio Clube de Sines CLASSIFICAÇÃO: 05.02/04.07.01 VALOR: 9.409,68 € DATA DA DELIBERAÇÃO: 09-12-2004 BENEFICIÁRIO: Ginásio Clube de Sines CLASSIFICAÇÃO: 05.02/04.07.01 VALOR: 200,00 € DATA DA DELIBERAÇÃO: 05-02-2003 BENEFICIÁRIO: Ginásio Clube de Sines CLASSIFICAÇÃO: 05.02/04.07.01 VALOR: 5.000,00 € DATA DA DELIBERAÇÃO: 18-06-2003 BENEFICIÁRIO: Ginásio Clube de Sines CLASSIFICAÇÃO: 05.02/04.07.01 VALOR: 7.500,00 € DATA DA DELIBERAÇÃO: 05-12-2003 BENEFICIÁRIO: Ginásio Clube de Sines CLASSIFICAÇÃO: 05.02/04.07.01 VALOR: 500,00 € DATA DA DELIBERAÇÃO: 02-03-2005 BENEFICIÁRIO: Contra-Regra - Associação Animação Cultural CLASSIFICAÇÃO: 05.02/04.07.01 VALOR: 39.000,00 € DATA DA DELIBERAÇÃO: 09-12-2004 BENEFICIÁRIO: Resgate - Associação de Nadadores Salvadores CLASSIFICAÇÃO: 05.03/04.07.01 VALOR: 60.490,00 € DATA DA DELIBERAÇÃO: 09-12-2004 Para constar se passou o presente Edital, a que vai ser dada a publicidade prevista na Lei. Paços do Município de Sines, aos 16 de Março de 2006. O Vice-Presidente da Câmara, Albino Manuel André Roque (Engº) EDITAL Nº 24/2006 Carmem Isabel Amador Francisco, Vereadora em regime de permanência, no uso das suas competências delegadas, torna público, que se encontra disponível para apreciação Pública, durante 30 dias úteis, nos termos do artº 118º do CPA, na Secção de Expediente Geral, nos Paços do Concelho, no horário de expediente, o Projecto de Regulamento de Taxas para Inspecção de Ascensores, Monta-Carga, Escadas Mecânicas e Tapetes Rolantes, aprovado na reunião do Conselho Directivo da AMLA, de 15 de Fevereiro de 2005. Sines, 17 de Fevereiro de 2006.

ARQUIVO ABERTO NOTAS SOBRE A HISTÓRIA DE SINES

M u n i c i p a l

POR SANDRA PATRÍCIO

Um retrato de Sines no ano em que Joaquim Guerrinha nasceu NO ANO em que Joaquim Guerrinha, o concertista cego e defensor da causa tiflológica nasceu, Sines era uma vila do concelho de Santiago do Cacém. Neste artigo procuramos fazer um retrato da vila de Sines nesse já longínquo ano de 1913. Em Abril faz-se a apresentação do livro Uma Luz na História - Joaquim Guerrinha (1913-1976). Um Verdadeiro Impulsionador da causa dos Cegos em Portugal, de Dalila de Jesus Guerrinha (ver página 7). Sines era uma vila pequena, único lugar de importância da freguesia do mesmo nome, mas uma localidade relevante no concelho de Santiago do Cacém, ao qual fora anexada em 1855. No censo de 1911 contam-se 4818 habitantes, um número a crescer desde a segunda metade do século XIX. O concelho viria a ser restaurado em 1914, no entusiasmo pelo desenvolvimento da vila em torno do caminho-de-ferro que só chegou na década de trinta e pelas melhorias no porto, essas só verificadas a partir da década de setenta. Cerca de um terço da população masculina trabalhava no sector corticeiro, nas nove fábricas existentes em 1912. A indústria corticeira instalou-se na vila no século XIX com capitais ingleses, sendo que em meados do século laboravam já três fábricas, as quais empregavam 72 operários e conseguiam carregar vinte navios com cerca de 19400 toneladas. No final do século instalaram-se industriais corticeiros catalães, e, em 1908, já laboravam cinco fábricas com cerca de quatrocentos operários. A Herold, a Prats, a Francisco Bigas, a Bucknall e a Arps são exemplos. Além das fábricas de cortiça, cuja instalação era potenciada pelo porto e pela proximidade do montado de Grândola, havia trabalho na pesca e na indústria da conserva. A fábrica Canha e Formigal é um dos exemplos das conserveiras de Sines. No entanto, a situação social em Sines era turbulenta, sem que a implantação da República em 1910 contribuísse para serenar os ânimos. Em 1908, 1909, 1911, 1911 e 1912 os operários entraram em greve por melhores salários ou por condições mais favoráveis para a indústria; em 1916 é a vez dos operários das armações de pesca, em plena Grande Guerra. A situação não melhora nos anos seguintes, especialmente devido à eclosão da Grande Guerra. Face à perda dos mercados alemães e belgas, as indústrias em Sines correm sérios riscos de encerrar, laborando por vezes quatro ou três dias por semana. Em Setembro de 1914 o porto está quase paralisado com a retracção da exportação de cortiça. Alguns dos industriais, como José Prats, o catalão que ofereceu a Sines o Sanatório

No uso de Competências Delegadas A Vereadora Carmem Francisco ÉDITO DE QUINZE DIAS Nº. 1/2006

ÉDITO DE QUINZE DIAS Nº. 11/2006

ALBINO MANUEL ANDRÉ ROQUE, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Sines; Faço público que estando concluídos os trabalhos referentes à obra abaixo referida, ficando por este meio avisados os interessados, que nos termos do disposto no Decreto-Lei 59/99, de 02 de Março, artigos 224º. e 225º., para até oito dias depois do termo do prazo dos éditos, apresentarem na Secção de Expediente Geral da Câmara Municipal de Sines, por escrito e devidamente fundamentadas, quaisquer reclamações por falta de pagamento de ordenados, salários e materiais ou indemnizações a que se julguem com direito e bem assim, do preço de quaisquer trabalhos que o empreiteiro haja mandado realizar por terceiros.

ALBINO MANUEL ANDRÉ ROQUE, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Sines; Faço público que estando concluídos os trabalhos referentes à obra abaixo referida, ficando por este meio avisados os interessados, que nos termos do disposto no Decreto-Lei 59/99, de 02 de Março, artigos 224º. e 225º., para até oito dias depois do termo do prazo dos éditos, apresentarem na Secção de Expediente Geral da Câmara Municipal de Sines, por escrito e devidamente fundamentadas, quaisquer reclamações por falta de pagamento de ordenados, salários e materiais ou indemnizações a que se julguem com direito e bem assim, do preço de quaisquer trabalhos que o empreiteiro haja mandado realizar por terceiros.

OBRA: - EMPREITADA DE “ ESTRADA DO FAROL - ARRUAMENTOS E ARRANJOS EXTERIORES” - Adjudicada à firma Teodoro Gomes Alho & Filhos, com sede em Santana.

OBRA: - EMPREITADA DE PAVIMENTAÇÃO A TARDOZ DO HOTEL SINERAMA - Adjudicada à firma Teodoro Gomes Alho & Filhos, Lda., com sede em Sesimbra.

E para constar se passou o presente e outros de igual teor, que vão ser afixados nos lugares públicos de costume.

E para constar se passou o presente e outros de igual teor, que vão ser afixados nos lugares públicos de costume.

E, eu, Mário Catarino, Chefe da Secção Administrativa do Departamento de Obras e Ambiente a subscrevi.

E, eu, Mário Catarino, Chefe da Secção Administrativa do Departamento de Obras e Ambiente a subscrevi.

Sines, 12 de Dezembro de 2005.

Sines, 21 de Março de 2006.

O Vice-Presidente da Câmara, Albino Manuel André Roque

O Vice-Presidente da Câmara, Albino Manuel André Roque

Prats, vêm as suas fábricas serem encerradas por falta de mercados e de matéria-prima, ou porque continuavam a exportar os seus produtos para a Alemanha. Para além disso, a crise das subsistências e o problema da carestia de vida dificulta ainda mais as condições de vida em Sines. O açambarcamento de géneros como os cereais e peixe, conflitos entre os habitantes, não deixam de aqui se verificar, tal como marcaram um período conturbado em Portugal e na Europa. Mesmo assim, a praia era grande e a sua areia branca, o pontal marcava a imaginação dos visitantes, a vila acabava na Estrada Nova (Rua Marquês de Pombal). E as gaivotas espalhavam o seu riso pelas casas, pelo areal e pelo mar… Para saber mais… Para conhecer a vila de Sines nos finais do século XIX e inícios do século de XX não deixe de ler o romance Elle, de Cláudia de Campos: CAMPOS, Cláudia de Campos, Elle: com retrato da auctora. 2ª edição. Sines: Câmara Municipal de Sines, 1997. Sobre as movimentações sociais em Sines na segunda década de Sines leia com proveito: MADEIRA, João, “ A Greve dos Corticeiros em Sines em 1908”, in História, primeira série, nº 87, Janeiro de 1986, pp. 49-58. - “Os Corticeiros e o sindicalismo em Sines (1910 1914)”, in História, primeira série, n.º 142, Julho de 1991, pp. 32-49. SILVA, Sandra, Movimentos Sociais em Sines e a Questão dos Abastecimentos durante a Grande Guerra. Coimbra, Faculdade de Letras, 2005.

ÉDITO DE QUINZE DIAS Nº. 12/2006 ALBINO MANUEL ANDRÉ ROQUE, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Sines; Faço público que estando concluídos os trabalhos referentes à obra abaixo referida, ficando por este meio avisados os interessados, que nos termos do disposto no Decreto-Lei 59/99, de 02 de Março, artigos 224º. e 225º., para até oito dias depois do termo do prazo dos éditos, apresentarem na Secção de Expediente Geral da Câmara Municipal de Sines, por escrito e devidamente fundamentadas, quaisquer reclamações por falta de pagamento de ordenados, salários e materiais ou indemnizações a que se julguem com direito e bem assim, do preço de quaisquer trabalhos que o empreiteiro haja mandado realizar por terceiros. OBRA: - EMPREITADA DE REPARAÇÃO DA COBERTURA SITA NA AV. GEN. HUMBERTO DELGADO, LOTE D EM SINES - Adjudicada à firma INTEV-Comércio e Aplicação de Impermeabilizantes Tintas e Vernizes, Lda, com sede em Vila nova de Santo André - Santiago do Cacém. E para constar se passou o presente e outros de igual teor, que vão ser afixados nos lugares públicos de costume. E, eu, Mário Catarino, Chefe da Secção Administrativa do Departamento de Obras e Ambiente a subscrevi. Sines, 21 de Março de 2006. O Vice-Presidente da Câmara, Albino Manuel André Roque


Fev./Mar. 2006

16

Sineense

J o r n a l

M u n i c i p a l

Juventude/Sineenses

Formação, artes e lazer para os jovens em 2006 Workshops, arte, desporto, encontros e iniciativas transversais como a mostra “Sines Ritmos Urbanos” são as propostas de actividades do Gabinete da Juventude para este ano. O PLANO de Actividades do Gabinete da Juventude da Câmara Municipal de Sines para 2006 foi apresentado no Conselho Municipal de Juventude, dia 20 de Março, pela vereadora do pelouro, Marisa Santos. A reunião teve lugar na Casa da Juventude, palco da maioria das actividades previstas, que terá em 2006, segundo a autarca, o seu “ano de afirmação”. A nível de formação está planeada em 2006 a continuação da realização de workshops de curta duração em áreas como a capoeira e os fanzines e a criação de workshops de continuidade em áreas como som, vídeo e multimédia e escrita criativa. Está prevista a realização de uma mostra de profissões, em parceria com o Centro de Formação Profissional. Com a colaboração do Gabinete de Apoio ao Empresário, procurará organizar-se um seminário de empreendedorismo, para estimular os jovens a criar o seu próprio posto de trabalho. No domínio das artes, continuará a realizar-se espectáculos e exposições na Casa da Juventude e no Largo Poeta Bocage, mantendo-se igualmente o programa “Cinema à Quinta”. A segunda edição de “Sines Ritmos Urbanos”, mostra de cultura alternativa nas suas diferentes vertentes, que constitui a iniciativa de maior envergadura do gabinete para o ano de 2006, está programada para o início de Setembro. Durante este ano, serão promovidos encontros com jovens escritores, músicos, actores e artistas plásticos, mas também com personalidades de todas as áreas e idades, e realizar-se-ão debates, em colaboração com a comunidade educativa. O Largo Poeta Bocage vai passar a receber em breve uma feira mensal de velharias, onde os jovens poderão comercializar cd's, dvd's, roupas, acessórios, etc.

Noite de Dj’s no Largo Poeta Bocage, dia 25 de Março.

A nível desportivo, desenvolvem-se em 2006 duas edições do programa Férias Aventura (na Páscoa, actualmente em curso, e no Verão) e torneios de xadrez e sueca. Será lançada a Agenda Escolar do Jovem Estudante. A revista jovem Actua será editada de forma regular e associada a ferramentas de comunicação online, como o blog www.sinesjovem.blogspot.com. Semana da Juventude. A Semana da Juventude 2006 em

Realizador e romancista

Estreia do filme, na Cinemateca Portuguesa, com João Bénard da Costa.

O INÍCIO de 2006 foi especial na vida artística do sineense Vicente Alves. Dia 10 de Janeiro, na Cinemateca Portuguesa, estreou o primeiro filme realizado por si, a curta-metragem “Entre o Desejo e o Destino”. Dia 27 de Março, na Livraria Bulhosa de Entrecampos, Lisboa, lançou o seu primeiro romance, “Kiss Me”, publicado pela nova editora Palavra. “Entre o Desejo e o Destino”, filmado num monte próximo de Porto Covo no final de 2003, é uma história, passada nos anos 50, sobre a vontade de realizar os sonhos e os obstáculos, por vezes definitivos, que a ela se colocam. Não foi o que aconteceu ao próprio Vicente, que depois de um percurso para se tornar realizador o conseguiu, e tendo a companhia logo na estreia do seu primeiro filme, entre mais de uma centena de pessoas, do mestre João Bénard da Costa. Uma honra “emocionante” a coroar um caminho que não foi fácil. “Quatro anos depois, este filme significa que posso mostrar o que valho. Que finalmente o caminho que quero fazer está a ser trilhado. Mas é tão lento que pode ser desmotivante”, confessa. “Entre o Desejo e o Destino” está neste momento a ser enviado para diversos festivais e, posteriormente, fará a sua carreira na televisão e também, assim o realizador espera, em formato DVD. Entretanto, já começou a rodar duas novas curtas-metragens. “Kiss Me” passa a livro. A luz da fantasia numa vida de escuridão é novamente o tema de “Kiss Me”, o primeiro livro de Vicente Alves, à venda nas FNAC's desde 9 de Fevereiro. A história já tinha sido contada num filme realizado por António da Cunha Telles, que teve como ponto de partida um argumento escrito por Vicente Alves. Mas Vicente não ficou satisfeito com a diferença entre o que imaginou e o que viu nos cinemas. “Um argumento não comportava toda a história que tinha para contar. Acho que foi a desilusão do filme, do que me fizeram ao argumento, que me fez repensar a ideia e fazê-la renascer como romance, já que é muito diferente do que as pessoas viram no ecrã”. Agora espera que as pessoas abordem o livro distanciando-se do filme. “Acho que é impossível. Mas espero que pelo menos venda o suficiente para continuar a publicar”. Está prevista a estreia do filme e o lançamento do livro em Sines, em datas e locais a designar.

Sines teve a música e a criatividade como pratos fortes. Dia 25 de Março, realizou-se um live act com os DJ's Brothers at Work, Hélder L, Praso, Intrujas do Kostume, Expression. O duo Dead Combo actuou no Centro de Artes no dia 28 de Março. O concerto de estreia do primeiro disco dos Strange Alibi foi marcado para a noite de 1 de Abril. Os workshops de iniciação à escrita de guião para cinema de animação e de utilização de tecnologias de som na criação musical prolongam-se por Abril.

O trovador de Sines

Apresentação do livro, no Salão da Música.

O ESCRITOR José Vilhena lançou, dia 28 de Janeiro, no Salão da Música, o seu quarto livro, “A Essência da Raiz”, uma colecção de textos poéticos, crónicas e contos. Tal como acontecera em “Respostas do Carpinteiro” (1994), “Onde o Mar Abraça o Alentejo” (1996) e “De Alinda a Vila do Cabo” (2000), Sines volta a ser o tema dominante da escrita de José Vilhena. Além dos poemas, destaca-se no novo volume o corpo de contos em que dramatiza situações ou cria figuras no contexto conhecido da história de Sines, conferindo uma espessura literária à por vezes magra estrutura de factos sobre a mesma. Assumidamente sem objectivos de rigor histórico, José Vilhena constrói “fantasias verosímeis” que, a si e a todos os apaixonados pelo tema, permitem através das estórias viver com nova intensidade a História. Num livro diversificado, há ainda espaço para reflexões pessoais, um texto longo sobre o movimento sindical em Sines nos anos que se seguiram à revolução, de que foi protagonista destacado, notas sobre toponímia e figuras de relevo, etc. Na apresentação do livro, o prefaciador, Eduardo Raposo, destacou a qualidade humanista do autor, “um homem empenhado nas grandes causas da dignidade humana”. A contribuição de José Vilhena na divulgação da poesia junto dos mais novos foi testemunhada por Marisa Larguinho, antiga aluna da Escola Poeta Al Berto. Outro jovem, Daniel Rodrigues, que auxiliou José Vilhena na feitura do livro, destacou a sua capacidade de evocar “os cheiros, os sons e as imagens da História”. O presidente da Câmara Municipal de Sines, Manuel Coelho, considerou o trabalho do autor “enriquecedor” para os sineenses. Edgar Santos e um grupo de músicos de Sines e Santo André interpretaram duas canções compostas sobre poemas de José Vilhena, “A Voz da Solidão” e “Musa e Fera”.

Sineense 47  

Fevereiro - Março 2006

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you