Issuu on Google+

JORNALDIGITAL

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE MONDIM DE BASTO

Editorial O mês de Fevereiro é dedicado à Internet segura. Não existem dúvidas de que a Internet veio revolucionar o mundo. Todavia, como qualquer alteração drástica, existem aspectos positivos e outros bastante perigosos. É precisamente por isso que devemos centrar a nossa atenção no elo mais fraco da cadeia humana: as crianças. Ajudá-las a perceber as vantagens de perigos da Rede é preparar-lhes um futuro melhor. Os pais e os irmãos mais velhos devem acompanhar as crianças em idade pré-escolar nas suas visitas à Internet, para visitar Web sites dedicados a crianças e jogar online. Nesta idade, os adultos têm de desempenhar um papel importante no que respeita ao ensino de uma utilização segura da Internet e a uma supervisão rigorosa das reacções dos filhos perante o que estes encontram online. Boas leituras...

FEVEREIRO 2010 SÉRIE 1 | VOLUME 1 | NÚMERO 2 TRANSFORMAR INFORMAÇÃO EM CONHECIMENTO

ÁREAS DE INTERESSE > INTERNET > NOTÍCIAS > SEGURANÇA

NESTE JORNAL Proteja os seus dados 1 Internet 2 Notícias 2 Geração Copy/Paste 2 O futuro da net somos nós 3 Segurança na web 4 Newsletter 5

Publicações periódicas EXAME INFORMÁTICA Publicação destinada ao mercado empresarial. Analisa o software e hardware lançados ou a lançar no mercado, dando indicações sobre as suas funcionalidades, utilidade e adequação às necessidades, tendo sempre em conta as exigências de um mundo onde a tecnologia faz parte do dia-a-dia. Para mais informação consulte o sitio indicado: http://aeiou.exameinformatica.pt/

PC GUIA A revista PC Guia apresenta-se como uma publicação para os interessados em informática, tem uma periodicidade mensal e os seus conteúdos são basicamente, noticias, secções onde se trata do h a rd wa re , s o f t wa re , j o g o s , Internet, multimédia entre outros. Apresenta, ainda, Canais, onde pode fazer downloads, participar em fóruns, blogues, compras e anúncios. Para uma informação mais detalhada siga o link http://www.pcguia.xl.pt/


JORNALDIGITAL

INTERNET | PÁGINA02

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE MONDIM DE BASTO

INTERNET

Título: Internet para Totós Autor: John Levine, Carol Baroudi, Margaret Levine Young

Os utilizadores do Reino Unido, Bélgica e França vão ser os primeiros a testar o novo sistema de apresentação de alternativas ao Internet Explorer que a Microsoft foi obrigada a implementar para evitar ser novamente penalizada pela Comissão Europeia por violação das regras da concorrência. Os testes começam já na próxima semana, embora esteja previsto o «roll out» faseado para toda a Europa a partir de 1 de Março, explica Dave Heiner, vice presidente, no blog da empresa. A Microsoft antecipa assim o plano definido que previa a aplicação do sistema de escolha do navegador a instalar no computador a partir do próximo mês e que vai abranger mais de 100 milhões de PCs na Europa, oferecendo aos utilizadores a opção entre 12 browsers diferentes. O Google Chrome, Firefox, Safari, Internet Explorer e Opera são apresentados no ecrã inicial, numa ordem aleatória, podendo ainda os utilizadores seleccionar mais sete alternativas. Numa primeira fase os utilizadoresserão confrontados com uma mensagem que destaca a importância da escolha do browser.

Editora: Porto Editora Finalmente será capaz de surfar na WWW como um campeão! Esta nova edição do recordista de vendas Internet Para Totós está actualizada com as últimas tendências do ciberespaço. Este livro contém pertinentes informações sobre os browsers mais recentes, incluindo o Internet Explorer® 8 e a última versão do Firefox®. Veja também como utilizar o Skype™, divertirse no Facebook, partilhar fotografias no Flickr™ ou colocar vídeos no YouTube. Para mais informações siga a seguinte ligação: http://www.portoeditora.pt/

O Dia Europeu da Internet Segura celebrou-se no dia 9 de Fevereiro de 2010, com o objectivo de sensibilizar a população em geral, principalmente as crianças e os jovens, para a segurança e a responsabilidade na utilização da net. Portugal está nesta iniciativa com um conjunto de acções, entre as quais um encontro em Lisboa,onde foi feito o ponto de situação sobre a utilização das tecnologias de informação e comunicação pelas famílias, crianças e jovens. Este encontro pretende também propor medidas de formação e sensibilizar o público para a necessidade de um reforço educacional que abranja toda a população. A iniciativa foi complementada com uma mensagem nas máquinas ATM da rede Multibanco, bem como um spot de rádio, que pretende consciencializar pais e educadores para os benefícios de acompanharem os seus filhos e educandos nas suas experiências online, em segurança mas também em liberdade. Está também prevista uma acção nacional de voluntariado de sensibilização sobre o tema da «Segurança na Internet», dirigida a crianças e jovens, entre os 6 e os 15 anos, em 35 escolas, 24 do ensino básico e 11 do ensino secundário de todo o país. A iniciativa é da Microsoft Portugal, em parceria com a Associação de Empresários pela Inclusão Social.

PROTEJA-SE! ANTÍ-VIRUS, FIREWALL e ANTI-SPYWARE Para o seu computador ter um bom desempenho, é fundamental ter um Anti-vírus pois só assim poderá proteger-se de intromissões alheias e salvaguardar os seus dados e ficheiros. Existem alguns bons produtos no mercado com diferentes níveis de protecção. Podemos sempre aconselhar alguns produtos, tais como o McAfee, Norton, Panda, Kaspersky ou o Avast!. Deve ainda considerar uma boa Firewall. Alguns dos produtos referidos atrás, já apresentam suites completas de segurança. Todavia, se estiver a considerar uma boa Firewall experimente a Outpost Firewall Pro ou a Online Armor +.


JORNALDIGITAL

NOTÍCIAS | PÁGINA03

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE MONDIM DE BASTO

BIBLIOTECA DIGITAL GOOGLE Ontem, o juiz norte-americano Denny Chin anunciou que não vai tomar de momento uma decisão concreta quanto ao lançamento da biblioteca digital da empresa Google. Este processo anda a ser constantemente adiado, apesar de a Google ter anunciado em Outubro do ano passado, durante a Feira do Livro de Frankfurt, que a maior biblioteca digital do mundo, com títulos que se poderiam ler em qualquer aparelho de leitura, seria lançada no primeiro semestre do ano. Os críticos desta biblioteca digital da Google referem que o acordo que a empresa terá de estabelecer com as editoras e autores norte-americanos iria dar-lhes o monopólio da venda de livros online. De facto, já há cinco anos que a empresa tenta concretizar este projecto, sendo que o juiz Denny Chin tem vindo a adiar uma decisão há vários meses. Ontem, quando se pensava que este caso poderia chegar ao fim, o juiz disse: "Para acabar com o suspense, não me vou pronunciar hoje. Ainda há muita coisa a digerir." Caso num futuro próximo a biblioteca digital da Google venha a ser lançada, a empresa irá estabelecer um acordo de 92,4 milhões de euros para pagar aos autores e às editoras pelo facto de estes permitirem que as suas obras sejam digitalizadas. John Simpson, um dos representantes da Consumer Watchdog, organização norteamericana não governamental de defesa dos contribuintes e consumidores, referiu mesmo: "Acho que todos os livros do mundo devem ser digitalizados, mas acho que é completamente errado dar a uma grande empresa o controlo total de uma base de dados tão grande. Este é um assunto muito importante." Esta organização juntou-se à Open Book Alliance, que representa empresas como a Amazon, Microsoft e Yahoo!, que se opõem a esta biblioteca digital: "A Google está apenas interessada em ser a única proprietária de uma imensa biblioteca digital que irá melhorar a publicidade da empresa", referiu a Open Book Aliance num comunicado. Todavia, um dos representantes da Google, Gabriel Stricker, disse recentemente à BBC: "A Google quer concretizar o objectivo de expandir significativamente o acesso a obras através da pesquisa de livros do Google, um esforço ambicioso para fazer milhões de livros pesquisáveis através da Internet". A empresa preparou um documento de 67 páginas, em que refere, segundo a BBC: "A aprovação vai abrir as portas virtuais da maior biblioteca da história. Negar este acordo significa manter as portas desta biblioteca trancadas." No entanto, espera-se que nas próximas semanas Denny Chin se pronuncie quanto a este caso.

Com o objectivo de promover uma utilização esclarecida, crítica e segura da Internet, quer pelas crianças e jovens, quer pelas famílias, trabalhadores e cidadãos no geral, a Agência para a Sociedade do Conhecimento, IP (UMIC), a Direcção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular/ Equipa de Missão, Computadores, Redes e Internet na Escolas (DGIDC/CRIE), a Fundação para a Computação Cientifica Nacional (FCCN) e a Microsoft Portugal, submeteram no Âmbito do programa Europeu Safer Internet Plus, uma candidatura para promoção e consciencialização pública da utilização segura da Internet. Este consórcio público-privado, coordenado pela UMIC, foi criado para generalizar a estratégia iniciada pela DGIDC/CRIE junto das escolas e da comunidade educativa, no Âmbito do projecto SeguraNet, alargando as acções de sensibilização e promoção de uma utilização segura da Internet a outros sectores da sociedade, bem como criando uma linha de atendimento (hotline) para denúncia de conteúdos ilegais ou lesivos dos utilizadores. Para mais informações visite o sítio oficial: http://www.seguranet.pt/

"É ESPANTOSAMENTE ÓBVIO QUE A NOSSA TECNOLOGIA EXCEDE A NOSSA HUMANIDADE." (ALBERT EINSTEIN)

RESPONSÁVEIS DO GOOGLE CONDENADOS POR NÃO TIRAREM VÍDEO DE BULLYING O caso remonta a 2006, com a colocação de um vídeo de bullying no portal Google Video. No vídeo um rapaz com síndroma de Down é amesquinhado pelos colegas de escola em Turim, Itália. Segundo a acusação, o Google terá tardado em aceitar os pedidos dos pais da criança com vista à remoção do vídeo. Posteriormente, o vídeo viria a ser tirado do serviço, após a intervenção da organização Vivi Down. Segundo o New York Times, os juízes consideraram que os executivos não terão feito tudo o que deviam para remover o vídeo de bullying, pelo que aplicaram uma pena suspensa de seis meses por violação dos direitos de privacidade. Peter Fleischer, director do Conselho de Privacidade do Google, David Drummond, vice-presidente, e George Reyes, ex-director financeiro não compareceram na audiência, o que não os livrou de uma condenação. Os advogados dos três responsáveis do Google defendem que a remoção dos vídeos foi prontamente ordenada e executada.


JORNALDIGITAL

GERAÇÃO COPY/PASTE/A INFORMAÇÃO NA NET | PÁGINA04

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE MONDIM DE BASTO

A GERAÇÃO COPY/PASTE Há umas semanas atrás, li num destes fim-de-semana chuvosos que teimam não nos abandonar, numa revista que sai num jornal de grande tiragem em Portugal, um artigo que achei muito interessante e que gostaria de partilhar convosco. Os jovens de hoje nasceram com a mão num rato e outra no teclado. São como extensões do seu corpo. São exímios na arte de manejar os computadores e utilizar a internet. Todavia, parece pacifica a ideia de que não estamos a criar uma geração mais informada. Bem pelo contrário. Grande parte dos jovens revela uma constrangedora incompetência ao nível da pesquisa, da selecção, do manuseamento e do tratamento da informação que pesquisam. Não conseguem transformar essa informação em conhecimento. Fazer o copy/paste tornou-se um hábito “saudável” e perfeitamente aceite. Por conseguinte, estamos a reduzir os jovens e a sua capacidade de “ler” e interpretar ao mínimo. Mas, o pior é que, esta geração, considera suficiente a sua capacidade de pesquisar, avaliar e seleccionar a informação quando se trata de realizar as suas necessidades escolares. Entram no Google, escrevem o(s) seu(s) termo(s)de pesquisa e quase que por magia, pensam que têm as respostas certas para as suas necessidades escolares. Normalmente, a resposta que procuram aparece em primeiro, segundo ou terceiro lugar no ranking de pesquisas do Google. Todavia , se esta primeira pesquisa “tem muito texto” continuam a rodar o scroll do rato à procura de uma mais pequena, de preferência com pouco texto e muitas imagens. Encontrada a pesquisa “certa” fazem então o “copy/paste” e está resolvido o problema. O problema é pensarem que o acesso fácil, rápido e quase implícito significa que Biblioteca virtual é o suficiente.

Como resolver então o problema? Primeiro é necessário identificá-lo. Fazer sentir os jovens que pesquisar um tema, é muito mais que fazer copy/paste. É procurar várias fontes de informação, é comparar, analisar, seleccionar, transformar e a partir deste ponto, redigir o seu próprio texto, percebendo bem a diversidade e a qualidade de cada uma das fontes de informação pesquisada, levantando dúvidas ou encontrando contradições em cada uma das leituras efectuadas. Ler e interpretar os textos é a chave do problema. Só assim se poderá transformar a informação em conhecimento. O conhecimento, ao contrário da informação, é muito mais complexo que uma simples pesquisa no Google ou o somatório de resultados de qualquer outro motor de busca. Enraizar esta ideia nas crianças desde a primeira infância, é a chave da resolução do problema. Todavia, a verdade é que os alunos da escola em Portugal não estão minimamente preparados para usar o enorme manancial de informação que existe hoje em dia na chamada era da sociedade de informação. Começará por casa e depois na escola, o desenvolvimento de capacidades no uso crítico da informação. Perceber que fazer copy/paste é plagiar e infringir o direito de um outro autor. Perceber que, realizar trabalho escolar é antes de mais, ler, interpretar e organizar ideias, para depois se passar para suporte físico ou digital e não assumir uma posição acrítica que os reduz a uma “ condição mínima de sobrevivência, em termos de informação”. Em conclusão, podemos referir que o grande problema é que o “fast surfing” veio para ficar e é essa a realidade que as Bibliotecas têm de enfrentar. A realidade de quem se sente auto-suficiente para dominar as condições de acesso tecnológico. A realidade de quem se sente dono da informação porque ela está ali à distancia de um clique. A realidade de quem sente que se deve alhear das tarefas mais duras do processo de assimilação de conhecimento. Francisco Laranjeira

UMA ERA DO PÓS-GOOGLE? Quando pesquisamos na Internet, o motor de busca da Google, parece oferecer solução para tudo. Todavia, a ditadura do algoritmo da Google estará a manipular as nossas escolhas e a informação que procuramos? Será que poderemos regressar ao tempo em que éramos nós a escolher a informação e não um conjunto de fórmulas matemáticas a fazê-lo por nós? O bolo da informação produzido pelos media começa a ser gerido e partilhado por pessoas organizadas em comunidades, que interagem entre si, sem intermediários. As notícias que estão a chegar até nós, já não são apenas as que nos surgem através de uma busca do Google ou de um noticiário da TV, mas individualmente, através de descobertas ou recomendações de amigos em quem confiamos e que estão nas nossas redes sociais como o Facebook ou o Twitter. Os links descobertos através das pessoas das nossas redes sociais têm a vantagem de terem sido avaliados por um olho humano, uma coisa que o Google não consegue oferecer. Todavia, o mais certo é que o futuro da Informação passe por nós e pela nossa comunidade nas redes sociais, que, em simbiose com o de melhor que a Google oferece, nos permita aceder à Informação disponível na rede. Francisco Laranjeira

"É PRECISO PARAR DE ENCARAR A INTERNET COMO UMA REDE DE COMPUTADORES. ELA É UMA REDE DE PESSOAS." (DAVID SIEGEL)


JORNALDIGITAL

SEGURANÇA NA NET | PÁGINA04

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE MONDIM DE BASTO

SEGURANÇA NA INTERNET Em pleno séc. XXI, numa sociedade cada vez mais global, e onde o computador e a Internet são ferramentas indispensáveis para a optimização de uma boa comunicação entre todo o ser humano, é necessário estar cada vez mais atento às fraudes. Hoje em dia, o crime informático é cada vez mais usual e todos nós estamos sujeitos a ele. Por conseguinte, há precauções que podemos levar em consideração. O quadro abaixo ensina-nos uma série de medidas que devemos ter em conta afim de protegermos as nossas máquinas, a nossa identidade, os nossos ficheiros e todo outro tipo de dados que armazenamos no nosso computador.

COMO ELES ATACAM

COMO IDENTIFICAR

Websites fraudulentos são usados para roubar informações pessoais. Ataques de phishing redirecionam as vítimas a um website falso onde o código malicioso é obtido por download e usado para recolher informações sigilosas.

Muitos programas "gratuitos" obtidos por download da Web instalam softwares que controlam o seu comportamento e exibem anúncios indesejados. Algumas páginas da Web tentarão instalar spyware quando estiver a visitá-las.

Uma vulnerabilidade no navegador da Web pode criar uma deficiência na segurança do computador, fornecendo uma oportunidade para que alguns sites façam o download de códigos maliciosos.

O QUE FAZER Quando visitar um site, digite o endereço directamente no navegador, em vez de seguir um link. Somente forneça informações pessoais em sites que tenham "https" no endereço da Web ou um ícone de cadeado na parte inferior do navegador. Não forneça informações pessoais a nenhuma solicitação não requisitada.

Use um firewall para bloquear solicitações não requisitadas de comunicação de saída. Não aceite nem abra caixas de diálogo de erro suspeitas no navegador. O spyware pode ser fornecido como parte de uma oferta "gratuita". Não aceite ofertas gratuitas.

Instale atualizações de produtos e patches de segurança antes de usar a Internet. Mantenha o navegador da Web atualizado com os últimos patches. Verifique se o computador está configurado com segurança. Proteja-se com um firewall pessoal. Mantenha o seu sistema operativo

FAZER CÓPIAS DE SEGURANÇA. PROTEJA OS SEUS DADOS! Fazer uma cópia de segurança dos dados é uma tarefa a que todos os utilizadores de PC precisam de se habituar. No entanto, devido ao tempo que este processo envolve, poucos são os que podem afirmar terem, efectivamente, uma rotina de backups. Para protegermos os nossos computadores de desastres, não há nada que substitua as cópias de segurança, porque apesar dos anti-vírus, das firewalls, haverá sempre uma altura na vida em que perderemos os dados todos. Aí só resta uma alternativa, que é recuperar os dados da cópia de segurança. É a nossa última defesa contra a perda dos dados, que pode acontecer por coisas tão simples como erros de hardware, apagar acidentalmente ou vírus, até desastres naturais, como inundações, terramotos ou incêndios. Deve ainda considerar uma nova tendência: o backup online. Existem algumas ferramentas interessantes no mercado, como o Syncplicity, o Mozy, o Workspace , ou o SkyDrive, estes dois últimos da Microsoft.


O CANTINHO DA BIBLIOTECA NEWSLETTER | VOLUME 01 | NÚMERO 01

ALGUNS LIVROS QUE PODE ENCONTRAR NO FUNDO LOCAL DA NOSSA BIBLIOTECA OLIVEIRA, Luis Jales - Basto : poemas. Amarante : L. J. Oliveira, imp. 1995. 48, [2] p. : il. GOMES, Joaquim da Silva - Conselheiro Pereira e Cunha : Jurista e Político 1855-1937. [S. l.] : [s .n.], 2007. 69 p. : il. . ISBN 978-972-97983-1-3 SILVA, José Teixeira da - Acreditei... : poemas. Vila Real : J. T. Silva, 2007. 47 p. SILVA, José Teixeira da - Contos Populares da minha terra : inéditos. Mondim de Basto : José Teixeira da Silva, 2008. 74 p. : il., fotog. 21 cm LOPES, Eduardo Teixeira - Mondim de Basto : memórias históricas. Mondim de Basto : Edição do Autor, 2000. 518 p. PEREIRA, Bruno - Fragmentos. [Mondim de Basto] : Corpos, 2006. 69, [6] p. . ISBN 978-989-617-109-4

NOVIDADES EDITORIAIS

CONTACTOS

Av. Ernesto de Carvalho Branco Gabinete da UNIVA 4880-252 Mondim de Basto

Título: Amanhecer Autor: Stephenie Meyer Editora: Gailivro

Título: No teu deserto Autor: Miguel Sousa Tavares Editora: Oficina do livro

Para Bella Swan, o amor inelutável por um vampiro enreda-se de forma fantástica e terrível com uma realidade perigosamente opressiva. Impelida, num sentido, pela sua paixão intensa por Edward Cullen e, no outro, pela ligação profunda ao lobisomem Jacob Black, Bella enfrentou um ano tumultuoso de tentações, perdas e conflitos que agora a coloca perante um momento final e decisivo.

“Esta história que vos vou contar passou-se há vinte anos. Passou-se comigo há vinte anos e muitas vezes pensei nela, sem nunca a contar a ninguém, guardando a para mim, para nós que a vivemos. Talvez tivesse medo de estragar a lembrança desses longínquos dias, medo de mover, para melhor expor as coisas, essa fina camada de pó onde repousa, apenas adormecida, a memória dos dias felizes.”

http://www.gailivro.pt/

http://www.oficinadolivro.pt

Título: O rapaz do pijama às riscas Autor: John Boyne Editora: Asa Ao regressar da escola um dia, Bruno constata que as suas coisas estão a ser empacotadas. O seu pai tinha sido promovido no trabalho e toda a família tem de deixar a luxuosa casa onde vivia e mudar-se para outra cidade, onde Bruno não encontra ninguém com quem brincar nem nada para fazer. É então que encontra um rapazinho mais ou menos da sua idade, vestido com o pijama às riscas que ele já tinha observado, e que em breve se torna o seu melhor amigo… http://www.asa.pt

Telefone 255389371 Email biblioteca@cmmondimdebasto. pt bm.mondimdebasto@gmail.com Blogue http://bibliotecademondim.blogspot.com

www.rb-bb.net geral@rb-bb.net


jornal digital