Issuu on Google+

MENSAL | ABRIL 2013 | GRÁTIS

“Sempre me senti valorizado no clube”

UMA PUBLICAÇÃO

Equipa de Sub18 é campeã distrital


EDITORIAL Caros amigos, É com enorme satisfação que dou as boas-vindas à primeira edição da revista “Leixões magazine”, o novo veículo de comunicação do blog Leixões que vem substituir um anterior projeto que acompanhou o início do blog Leixões – o “Leixonense” – que nos encheu de orgulho na primeira época desportiva que tivemos ao serviço do Leixões Sport Club. Esta revista, apenas disponível online, é mais um passo que damos para a aproximação que queremos fazer do blog Leixões aos adeptos do clube de Matosinhos. A modernização do blog Leixões tem sido algo que nos últimos quatro anos (em 2003 completamos 5 anos de existência) temos querido implementar e temos conseguido. A nova revista que vos apresentamos a partir de agora é um projeto que naturalmente muito nos orgulho e que encaramos como um passo natural na nossa forma de comunicar. A comunicação é, para nós, algo que deve ser mantido e por isso mesmo a nossa constante evolução na forma de comunicar. Aspetos que serão aqui colocados terão o selo de qualidade do blog Leixões e todos os temas serão tratados com natural interesse e com seriedade uma vez que estamos também a prestar um serviço que se pretende que seja de qualidade.

Queremos, desde já, que esta revista seja um sucesso e que o principal objetivo se concretize: fazer crescer o blog Leixões e também o próprio Leixões Sport Club. O sucesso do nosso clube prende-se não só com o Futebol Profissional, entregue à SAD do clube, mas também às modalidades, entregues ao clube. Estas últimas tem enaltecido e elevado o nome do “Leixões Sport Club” tanto a nível interno como a nível internacional. Isto só é possível graças à educação, empenho, profissionalismo de todos e por isso mesmo deixamos aqui uma palavra de agradecimento a todos os diretores, colaboradores, atletas e staff técnico que fazem com que o ecletismo do Leixões Sport Club se mantenha ativo. A todos os que vão contribuir, que contribuíram, e que contribuem para que esta revista seja uma realidade, o nosso muito obrigado porque sem o vosso apoio esta iniciativa jamais seria possível. O Leixões Sport Club que hoje conhecemos foi construído ao longo dos 105 anos de existência que pautaram a existência do emblema que nasce da fusão de três clubes. Aqui vamos trazer alguns pormenores que por vezes passam despercebidos… Obrigado a todos pelo vosso tempo, Hugo M Alves

3


FICHA TÉCNICA Nome Leixões magazine Produção blog Leixões Divulgação http://leixoes-sc.blogspot.pt Conteúdos Hugo M Alves Design Hugo M Alves Fotos Hugo M Alves zerozero.pt Leixões SC Periodicidade abril de 2013 Propriedade blog Leixões

Revista escrita ao abrigo do novo acordo ortográfico Todas as opiniões e posições presentes e expressas nos artigos de opinião da Revista “Leixões magazine” são de total responsabilidade dos autores não sendo necessariamente a posição defendida pelo blog Lei-

4

DESTAQUES


ÍNDICE NDICE EDITORIAL -

-

-

-

3

FICHA TÉCNICA - -

-

-

4

DESTAQUES -

-

-

4

-

-

5

TEXTO DE OPINIÃO -

-

-

6

ENTREVISTA -

-

-

8

-

-

13

FUTEBOL FEMININO SUB18 - -

14

MÁFIA VERMELHA -

ÍNDICE -

-

-

-

NOVOS ESTATUTOS -

-

-

16

ESPAÇOS DO LEIXÕES -

-

17

NATAÇÃO DO LEIXÕES -

-

18

5


TEXTO DE OPINIÃO OPINI O

E

m Matosinhos encontrei um clube diferente de muitos outros que representei. É verdade que o sucesso da equipa ajudou ao crescimento deste sentimento que será eterno pelo “Mágico Leixões”. Também é verdade que me sentia acarinhado e apoiado pelos milhares de Leixonenses que iam ao Estádio e que percorriam as ruas de Matosinhos com os cachecóis e camisolas vestidas, com sorrisos e cânticos de apoio à nossa equipa. Foram 3 anos de muitas alegrias e de muitos momentos marcantes. O meu eterno obrigado aos Leixonenses que nun-

6

ca deixaram de apoiar o Leixões!!! Não será pelo seu tamanho que o Leixões se distingue dos outros, mas sim pela sua paixão e dedicação a um desporto que tantas emoções provoca. Um abraço a todos os Leixonenses Beto ex Guarda-redes do Leixões SC


7


8


EM ENTREVISTA...

Aos 31 anos, Hernâni deu uma entrevista à nossa publicação. O avançado que está desde a temporada 2011/2012 ao serviço do clube de Matosinhos recordou-nos o início da sua carreira, os tempos da lesão que sofreu já esta temporada no Mar, do ambiente vivido no balneário e nos seus objetivos para o futuro. Ainda te lembras como é que isto tudo do futebol começou? Nunca poderei esquecer como começou pois eu nunca dei muito valor ao futebol na formação eu era muito "largado" faltava aos treinos e não queria saber só jogava para estar com os meus amigos porqye no FC Pedras Rubras, clube onde passei maior parte da minha formação, não havia muita organização e os resultados eram o que menos importava. Então não tinha grande ambição mas já o meu irmão que era um jovem com grandes capacidades e qualidade queria ser jogador profissional um dia mas algumas partidas da vida entre falta de oportunidades e uma perna partida há 12 anos atrás fez-lhe optar por outros caminhos e deixar o futebol para 2º plano (e que bem que fez hoje ganha mais do que eu (risos)) e por isso por ele e pela carreira que ele não conseguiu decidi arriscar em tentar fazer do futebol a minha vida! Conta-nos um pouco do teu percurso desportivo. Comecei cedo no futsal. Sempre segui as pisadas

do meu irmão. Onde ele ia, eu ia porque como ele é mais velho 3 anos tomava conta de mim e a minha mãe ja me deixava ir. Comecei no Académico de Pedras Rubras Futsal, depois fui para o futebol de 11 no Pedras Rubras onde estive 8 anos. Pelo meio passei pelo Varzim SC em juvenis e pelo FC Maia onde conheci o Malafaia. No ultimo ano de juniores fiz alguns jogos pelos seniores mas no ano seguinte fui dispensado e então começou a minha aventura. Fui treinar a vários clubes todos eles do distrital e não fiquei até que o Aliados de Lordelo precisava de um lateral e pedi para treinar. Não era lateral e o treinador percebeu isso logo no primeiro treino mas viu algumas qualidades em mim e decidiu dar-me oportunidade. Fiquei, comecei a jogar só à 5.ª jornada. Marquei e nunca mais saí. Fiz uma boa época e fui para Macedo de Cavaleiros na 3.ª Divisão Nacional. Continuei a minha caminhada, foi uma época difícil a nível colectivo, mas pessoalmente correu me bem fui contratado pelo Paredes na altura na 2.ª Divisão B. No entanto, fui chamado para o serviço militar e estive 6 meses sem poder treinar. No final dessa época fui dispensado e voltei ao Aliados já na 3.ª Divisão. Fizemos uma época muito boa, não subimos por 4 pontos e aí começaram a surgir os problemas dos salários em atraso. Decidi voltar a Trás-Os-Montes, para o Torre de Moncorvo mais propriamente, onde se cumpriam escrupulosamente os contratos e ofere-


ciam muito boas condições financeiras. Comecei difícil com aquele play off injusto entre campeões bem a época no Moncorvo ao ponto de ser contrade série onde o Padroense ficou pelo caminho) e tado para o Trofense em Janeiro para ajudar o clupassado tudo isto cheguei ao Leixões! be a manter se na 2.ª B. Correu bem, fiz alguns Na última temporada mudas-te para o Leixões. golos, ajudei a equipa e, em 2 treinos amigáveis Foi fácil a adaptação? que fizemos com o CD Aves marquei 2 golos, Cheguei ao Leixões na temporada passada mas já comecei a ser observado por eles que acabaram conheço o clube desde pequeno pois defrontei o por me contratar. Aí fiz o meu primeiro contrato clube muitas vezes na formação. Conhecia a numa liga profissional. Estive 2 épocas nas Aves maior parte dos jogadores do plantel por jogar subi de divisão numa batalha épica com o Leixões contra e sabia que tinha qualidade mas nunca penaté ao fim do campeonato mas no ano seguinte as sei que fosse tão fácil a adaptação pois cheguei no coisas não correram bem e descemos tive a minha fim da pré-época onde todos os jogadores se senprimeira aventura no estrangeiro (Chipre) mas a tem em condições de jogar. Normalmente há disvontade de jogar em Portugal na Primeira Liga pensas e à minha chegada todos reagiera maior. Vim para o Beira mar que ram com muito boa disposição e fui apostara forte na subida mas não conmuito bem recebido há segunda semaseguimos. Os problemas financeiros na já parecia que cá estava há anos, apareceram o clube caiu num vazio “Fui muito bem senti que me viam todos como uma directivo e só foi salvo por um antigo mais valia e isso foi muito bom. presidente caso contrario fecharia recebido. Já parecia que portas. Voltei ao estrangeiro, para estava cá há anos!” Como é que te defines como jogaSuíça desta vez, mas aí passei o pior dor? período da minha vida perdi o meu pai e um tio muito próximo como um Sou um jogador rápido que procura irmão mais velho. Andei à deriva, sempre o ataque sempre em velocidavoltei a Portugal para representar o Santa Clara. de pois é a minha melhor qualidade claro que hoje Andamos o campeonato todo a dividir o 1.º e 2.º já não tenho o fulgor de outros tempos mas lugar com o Olhanense mas depois perdemos a ganhei alguma experiência depois de tantos clusubida de forma estranha para o Leiria na ultima bes e de dividir balneário com grandes jogadores jornada… foi muito duro mas são coisas do futeque acabei por adaptar o meu jogo de forma tirar bol... Fui para Penafiel, depois União da Madeira melhor rendimento, tento cumprir tacticamente e onde fomos campeões da 2.ª Divisão num ano de tenho um bom remate (embora não faça uso dele) grande sacrifício (a 2B é uma divisão muito

10


a minha principal qualidade não sendo a melhor é abaixo. Esteve sempre a apoiar-me o meu irmão, a capacidade de entrega, espírito de equipa e mãe, irmã também foram muito importantes. No determinação sempre que calço as botas. Tive a clube todos sem excepção foram fundamentais. oportunidade de fazer carreira, tudo o que tenho Senti que ninguém tinha pena de mim mas sim foi ganho com esta profissão e por isso dou muito esperança de que voltaria a tempo de ajudar a valor, respeito muito o futebol, é o equipa. melhor trabalho do mundo! Regressas e apontaste na segunda jornada (diante do Marítimo) o teu Entre os teus companheiros és “Tudo é possível, conhecido como o "Ministro". Há primeiro golo nesta época. Foi importante para dizeres aos alguma comparação com o Costi- jogamos para ganhar, nha, atual treinador do Beira-Mar? "leixonenses": estou aqui? temos tentado chegar o Acho que a comparação com o CostiMelhor regresso era impossível. Estanha é um pouco pela forma de vestir. va muito ansioso para voltar. Já treinamais longe possível” Gosto de andar mais clássico e penso va há algum tempo, tentei sempre que foi por aí mas no Leixões a maior queimar etapas da recuperação mesmo parte dos jogadores tem várias alcucom as reticências dos médicos que nhas só eu devo ter aí umas 6 e respondo igual a me acompanharam… não estava a ser fácil estar todas. Chamam me “capuco” por exemplo agora sempre de fora a ver sem poder jogar custa muito, chamam me “Silas” por causa do ator de uma e correu muito bem o regresso pois a alta final só novela brasileira e eu respondo " como é que é?". me foi dada a 18 de fevereiro e foi emitida uma O importante no mundo da bola é rir e entrar na alta provisória em final de dezembro para poder brincadeira quando nos baptizam com algum voltar a competir logo no início do ano. Depois nome caso contrário gozam nos fortemente toda a expectativa que foi criada em torno do meu regresso fazia-me querer voltar ainda mais rápido (risos). mas ao mesmo tempo sabia que tinha de estar em Mudando de tema. Consegues-nos recordar condições para não decepcionar ninguém e marcar daquele dia 5 de agosto? O que é que se pasna Madeira numa boa vitória fora foi muito sou? importante não só para os leixonenses mas para o Foi um lance normal no futebol em que eu tive grupo que também esperava que eu voltasse em azar... já levei pancadas piores e nem assistência boa forma para ser mais um solução... recebi, mas naquele dia todas as reduzidas probaEstamos bem posicionados e com possibilidabilidades de levar uma joelhada no pescoço em des de subida. Acreditas que isso é possível? movimento chocar com adversário cair e ainda levar com ele em cima foram possíveis e fiz uma Neste momento tudo é possível... O Leixões é um fractura da cervical. Após a joealhada com luxaclube histórico com créditos no futebol nacional e ção cervical após ele cair por cima. Foi um diagcom algumas presenças no futebol internacional o nóstico complicado foi um tarde/noite difícil com que só por si acarreta muitas responsabilidades. muitas dores e stress pelo medo da lesão ter proOnde vamos, jogamos para ganhar, e isso ao porções maiores e fatais a nível de mobilidade, e acontecer como o que se está a passar esta época com muitas vitórias estaremos sempre nos primeipior de tudo o receio de não poder jogar mais. ros lugares e aí temos de continuar a olhar para Como é que foi o pós operação? cima tentando chegar o mais longe possível. Se A operação correu muito bem. Superamos várias isso culminar na subida é perfeito nesta liga ou se barreiras que se apresentavam devido ao diagnósluta para subir ou se luta para manter e uma vez tico primário e foi-me logo dito que teria que que já conseguimos a manutenção tendo em conta fazer grande sacrifício para recuperar a 100% mas que aqui só se joga pela vitória, se isso culminar que iria voltar a jogar e foi o que aconteceu. na subida é merecido pois estamos a fazer um Quem é que foram as pessoas mais importanexcelente campeonato e estarmos nesta altura tes? envolvidos numa luta que ninguém nos colocaria Sem dúvida a minha família. A minha mulher em no início da época é um grande orgulho para nós! especial que já estava grávida e não se deixou ir

11


Como é que descreves o Leixões SC? Tenho um prazer enorme em representar o Leixões. Fui muito bem recebido, sempre me senti valorizado no clube e isso é muito importante para a carreira de um jogador. Mudei muitas vezes de clube porque se me sentisse a mais ou se não tivesse oportunidades não me sentia bem comigo e preferia mudar. Nunca gostei de andar por favor no futebol e nunca tive ninguém que me levasse pela mão e no Leixões consegui em pouco tempo um estatuto de jogador com importância para o grupo e penso que tenho retribuído da melhor forma que posso às vezes com boas exibições outras com muita entrega e raça mas sempre tentando dignificar a instituição. O que leva o Leixões a ser diferente dos outros clubes é que aqui ninguém está acima da equipa nem do clube. Depois temos uma massa associativa/ adepta invejável e exigente que acompanha sempre o clube. Os elementos da Máfia Vermelha são completamente apaixonados pelo clube, vão a todo lado independentemente das dificuldades. Todos juntos são o 12.º jogador. Temos tido jogos em que somos empurrados pela massa para a frente e para a vitória, essa comunhão tem dado frutos e penso que este será sempre o maior trunfo do Leixões em qualquer estádio... E o ambiente de balneário. Para fora passa a ideia de união. Concordas? O bom ambiente que existe. Só falta vir no regulamento entregue a cada jogador no início da época. Tem sido muito importante nos momentos mais difíceis a nossa união fez a diferença e foi fundamental para darmos a volta e sairmos sempre por cima. Temos um excelente grupo, já o ano passado foi muito bom também. Só para terem uma ideia da nossa união, temos um caso que vou ter frisar porque acho que exemplifica bem a imagem de marca deste grupo. Um jogador, que não vou dizer o nome porque não quero destacar ninguém em particular, não fez muitos jogos. Cumpriu

12

quando foi chamado e numa das nossas vitórias fora (em Freamunde mais especificamente) ficou no banco, nem sequer não entrou, nem aquecer foi e no fim estava tão contente que estava a festejar a vitória como se tivesse sido ele a marcar os golos da vitória. É dos que mais incentiva os colegas e sofre com a equipa esteja dentro esteja fora e é essa determinação respeito pelas opções e pelo grupo que fazem de nós um grupo humilde mas com capacidades de superar todos os desafios tentamos remar todos para o mesmo lado! Qual é o objetivo que ainda te falta atingir na tua carreira? Tive muitos objectivos na minha carreira, não consegui atingir todos é claro mas o principal atingi que foi o respeito de todos, por aquilo que sou capaz de fazer dentro e fora de campo. Deixei de me preocupar só comigo e entreguei-me de corpo e alma a cada clube que representei. Nem sempre fui bem sucedido mas saí sempre de cabeça erguida e com a consciência de que nas condições que me foram dadas fiz o melhor que pude. Ainda espero ter muitos anos de carreira pois sinto me bem e o futebol é a minha vida. Gostaria muito de ter sucesso no LSC porque já passei períodos difíceis no clube e gostava de cá estar nos momentos de glória também. Um desejo que tenho para breve é de ver o estádio do mar cheio numa grande vitória com todos a festejarem no fim. Abraço a todos!


O

Leixões Sport Club prepara-se para ter novos Estatutos do clube. O s atuais, em vigor desde vão ser atualizados e vão estar a par da realidade do clube. A novidade surgiu no passado dia 20 de Março após ser publicada no site oficial do clube na internet (http:// www.leixoessc.pt). A atualização dos Estatutos era uma das promessas da atual Direção do Leixões SC encabeçada por José Manuel Dias da Fonseca (eleita em Maio de 2010) e após muito estudo, vários associados do clube de Matosinhos elaboraram um documento que foi colocado à disposição de todos na página do clube na Internet. A participação dos leixonenses será bem-vinda pelo que tudo aquilo que é necessário é completar e complementar a proposta de alteração dos estatutos que depois vão poder ser encaminhadas para a Secretaria do Estádio do Mar ao cuidado da direcção.

Depois de recebidas todas as ideias e analisadas todas as propostas será elaborado um texto final e definitivo que irá ser posteriormente aprovado em Assembleia-Geral para vigorar a partir dessa mesma data. Uma das grandes novidades da proposta apresentada passa mesmo pela inclusão de um artigo que prevê a obrigação de apresentação de um balanço contabilístico da Direcção que tem que ser colocada à disposição dos associados do Leixões. Se houver “degradação da situação económica e contabilística” no exercício da Direcção, a mesma terá que repor a situação anterior sob pena de ser instaurado um processo disciplinar. A questão fica fora do âmbito de aplicação no caso do pagamento não estar ainda vencido. Outra das novidades é a extinção das categorias de sócio dos Estatutos do Clube. As mesmas passam a estar definidas em Regulamento Geral que é aprovado em Assembleia-Geral Extraordinária.

13


Uma aposta vencedora! Equipa de Sub18 das “Princesas do Mar” são as primeiras campeãs da temporada 2012/13 do Leixões Sport Club

https://www.facebook.com/futebolfeminino.leixoessc


2

3 jornadas realizadas, mais de 90 golos apontados fazem com que a temporada 2012/13 para a equipa das Sub18 do Futebol Feminino do Leixões tenha que ser considerada um sucesso. A equipa orientada pelo treinador Tiago Silva sagrou-se campeã distrital depois de vencer o Gondim na Maia por 1-3 no passado dia 23 de março. O campeonato não estava ainda concluído e era necessário defrontar o Valadares de Gaia. Além das curiosidades que já avançamos a equipa somou 18 vitórias no campeonato, conseguiu uma série de 7 vitórias consecutivas e por conseguinte 7 encontros sem perder. Para encontrarmos um resultado negativo (derrota) temos que recuar a 27 de janeiro diante do Boavista FC por 2-5. Em todos os jogos realizados, a equipa que é conhecida dos leixonenses por “princesas do Mar” apontou golos e em 11 deles não sofreu mesmo qualquer golo. Reconhecimento em pleno relvado Conquistado que estava o campeonato distrital de futebol de 7, as “princesas do Mar” e restante staff do Futebol Feminino tiveram a oportunidade de

pisar o relvado do Estádio do Mar em pleno intervalo do encontro da 33.ª Jornada da Segunda Liga. No intervalo do encontro Leixões SC x CF União, as jogadores e staff foram aplaudidas no Estádio do Mar e equipadas a rigor com pólos do Leixões Sport Club, as atletas receberam também livros alusivos ao centenário do clube do Mar como forma de prémio “interno”. Este título inédito na história do centenário clube de Matosinhos tem que deixar todos os leixonenses de sorriso rasgado! Parabéns campeãs! Eis as campeãs: Guarda redes – Fátima Pinhal, Cátia Marinho, Catarina Barradas; Defesas – Catarina Silva, Catarina Santos, Ana Silva, Mariana Sousa, Sara Monteiro, Diana; Médios – Raquel Carneiro, Vanessa Rocha, Titã Dias, Renata Fereira, Diana Ribeiro, Tatiana Silveira, Ana Luís; Avançadas – Bárbara Azevedo, Salomé Silva, Catarina Sousa Silva, Filipa Cunha, Neuza Silva, Cláudia Lima.


E

stádios ou pavilhões são os palcos deles. Não jogam mas não falham um encontro em que o Leixões Sport Club esteja presente. Para Hernâni, os elementos da claque “Máfia Vermelha” são autênticos apaixonados pelo clube [entrevista completa na página 8 e ss]. Fazem-se ouvir e percorrem milhares de quilómetros apenas para apoiar uma equipa que tenha o vermelho e branco na camisola e o símbolo com o taco, a bola e a raquete. Incentivam a

equipa do primeiro ao último minuto e por vezes quando a equipa está num momento menos positivo, os gritos de apoio aos jogadores fazem-se ouvir das bancadas. Este ano, em maio, a claque comemora o seu 10.º aniversário desde que surgiu. Onde o “mágico” jogue, há sempre elementos a apoiar a equipa. Os diversos núcleos (Cruz de Pau, Biquinha, Custóias, Senhora da Hora) dizem “presente”. Para a claque é um modo de vida, um modo de viver.

Paredão pintado na Praia de Matosinhos é uma das marcas existentes na cidade

16


ESPAÇOS ESPA OS DO LEIXÕES LEIX ES

E

steve durante um ano à frente dos destinos do Leixões Sport Club (1962). Edison Passos Pinto de Magalhães foi um dos presidentes que o clube de Matosinhos teve até aos dias de hoje e, apesar da sua fugaz passagem pelo clube, deixou trabalho no Leixões Sport Club. O seu nome está também ligado aos prémios entregues anualmente no Jantar Gala do Leixões Sport Club e, nesta edição, trazemos aqui um dos Espaços do Leixões Sport Club. Mensalmente propomo-nos trazer espaços que por vezes passam despercebidos aos olhos dos adeptos e sócios do clube. À vista de todos, na rampa de acesso à bancada poente do estádio do Mar (Bancada do Mar), o Leixões Sport Club prestou em 1990 homenagem ao Dr. Edison de Magalhães. Da autoria do escultor Manuel Nogueira, o busto foi descerrado em Julho desse ano e faz parte, ainda hoje, do Património do Estádio do Mar e, naturalmente, do Leixões Sport Club. Edison de Magalhães nasceu a 30 de Outubro de 1930 em Matosinhos tendo-se licenciado em Direito. Foi advogado de profissão e juntou a isso a industrialização das pescas.

Ainda no Leixões criou o jornal quinzenal do desporto do Leixões intitulado “O Leixões” que tinha apenas 4 folhas por edição. Esteve ligado à Política nas X e XI Legislatura. Do seu currículo fazem parte a vice presidência da Corporação da Pesca e Conservas assim como do Conselho da Secção da Pesca da Corporação da Pesca e Conservas, a presidência da Direcção da Delegação de Matosinhos do Grémio dos Armadores da Pesca da Sardinha. A homenagem prestada 28 anos após ter sido presidente, evoca o homem que sempre esteve presente ao serviço do Leixões e dos pescadores do concelho de Matosinhos. Ao Dr. EDISON DE MAGALHÃES Um mar de inteligência, Uma maré cheia de amor À sua terra Que tão cedo nos deixou Na vazante da saudade

17


F

alar-se de natação no Leixões Sport Club e não falar de Fernando Costa é impossível. O primeiro nadador olímpico do clube (2004 em Atenas) já não está no clube mas deixou um palmarés invejável os olhos de muitos na modalidade que existe desde abril de 1921.São muitos os títulos nacionais, regionais conquistados por esta modalidade e prova após prova os nossos nadadores dão cartas pelo país e pelo mundo. Também por isso, o Leixões Sport Club. A natação, mas não só, permite que o Leixões continue a ser um clube eclético. O atual presidente do Leixões Sport Club, José Manuel Dias da Fonseca, foi um dos diretores desta secção tendo, pelo trabalho feito em prol da modalidade, recebido em 2001 o Prémio Américo Pacheco entregue por Henrique Calisto na cerimónia anual de reconhecimentos que o clube leva a cabo. Mas Fernando Costa não é o único nadador que

18

deu provas no clube. Bruno Monteiro, José Manuel Galego Dias da Fonseca, Rui Pinto, Rui Duarte, Angélica André, André Gonçalo Santos ou Tiago Oliveira são outros nomes que estão ligados à história da modalidade e que alguns deles ainda continuam a “vestir” a touca pelo Leixões. A natação adaptada do Leixões SC É recente mas mostra que o Leixões também vê a vertente humana das pessoas. O Leixões é um dos clubes em Portugal que tem natação adaptada. Muito resumidamente, a modalidade é desenvolvida com atletas que não estão na faculdade das suas capacidades motoras. Com este tipo de natação o indivíduo com deficiência consegue uma adaptação ao meio aquático. Nesta área o Telmo Dias, a Diana Torres e a Renata Pinto são exemplos a seguir!


IMAGENS DO LEIXÕES LEIX ES

19


http://leixoeshttp://leixoes-sc.blogspot.pt https://www.facebook.com/BlogueLeixoes?fref=ts https://plus.google.com/u/0/b/118444461403605989876/


Leixões magazine 1