Issuu on Google+

NOTA DE APOIO A Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal / Regional Amazonas vem a público, para manifestar seu apoio ao Delegado de Polícia Federal Jocenildo Cavalcante de Carvalho, injustamente acusado de ter realizado escutas clandestinas. Cumpre-nos esclarecer à população que os procedimentos cautelares de produção de provas, realizados pela Polícia Federal, que atinjam o direito constitucional à intimidade e à vida privada, tais como interceptações de conversas telefônicas, são todos executados em estrita observância às leis processuais penais vigentes e sob a escorreita fiscalização e autorização do Ministério Público Federal e da Justiça Federal. Sem adentrar no mérito das acusações, as quais serão cabalmente averiguadas pela implacável Corregedoria da Polícia Federal, destacamos a fragilidade da prova apresentada, na forma de depoimento de “ouvi dizer”, a qual serve apenas para macular a honra e a imagem de um servidor público federal exemplar que cumpriu sua missão, nesse Estado, com extremo denodo e responsabilidade. Verdade seja, esta é que o Delegado de Polícia Federal Jocenildo Cavalcante de Carvalho, possui um extenso currículo de combate ao crime organizado, ao desvio de recursos públicos e à corrupção. Nas diversas Operações Policiais que coordenou, nestas longínquas paragens amazônicas, semeou o ideal de não nos quedarmos inertes diante dos saqueadores dos cofres da República, porquanto a honestidade e a probidade é, acima de tudo, o dever de todo o administrador público, uma vez que o dinheiro público é aquele que pertence a todos ao mesmo tempo e não apenas àquela pessoa responsável por sua administração. Manaus, 13 de março de 2012.

EDUARDO MORENO IZEL

DELEGADO DE POLÍCIA FEDERAL DIRETOR REGIONAL DA ADPF NO AMAZONAS


PF nega escutas clandestina de juizes no Am