Page 1

Caro Holanda,

Com relação à matéria sobre a quebra do meu sigilo fiscal pelo STJ, publicada hoje no Portal do Holanda, tenho a esclarecer o seguinte: De fato o escritório CHIXARO, CAVALCANTI E ARANTES, do qual sou sócio, recebeu honorários da empresa NELDAN CONSTRUÇÕES E COMÉRCIO LTDA., com a qual estabeleceu vínculos profissionais, no valor de R$ 100.000,00. O recibo, entregue ao escritório do Dr. Sálvio Montenegro, que passou depois a representar a empresa perante a Justiça e à SUHAB, encontra-se em nossa contabilidade e foi registrado no nosso imposto de renda do exercício de 2003, já devidamente examinado pela Receita Federal. Recebi lucros da nossa empresa no mesmo período, tendo sido computada esta receita, tudo igualmente registrado no meu imposto de renda pessoa física. Os documentos aos quais me refiro serão encaminhados ao STJ oportunamente. Nesse sentido, a interceptação telefônica não traz novidade. Cuido apenas de esclarecer que o compromisso financeiro da empresa NELDAN era com meu escritório, não particularmente comigo. Só para informar, a condenação da SUHAB se deu por força da Sentença n. 156, de 3 de setembro 2001, proferida pela Justiça. O acordo para pagamento do débito em seis parcelas ocorreu em 2002. Nesta época já não mais representávamos a empresa. Nossos honorários eram remanescentes. Entendemos quebra do sigilo fiscal é medida legítima por parte da autoridade que apura os fatos, e o exame dos nossos registros fiscais demonstrará a regularidade da nossa conduta. Manaus, 17 de maio de 2013 Cordialmente,

LINO CHIXARO

Lino Chíxaro explica envolvimento em episódio  

<p> Lino Ch&iacute;xaro explica envolvimento em epis&oacute;dio</p>

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you