Issuu on Google+

Expansão e mudança Externato Marista de Lisboa Projecto de História/A.P. Grupo 7_ 8ºC Catarina Gomes, nº6 Cláudia Almeida, nº7 Inês Ribeiro, nº16 Leonor Godinho, nº19


A crise religiosa: a Reforma Protestante Antes do século XVI, os membros do Alto Clero, viviam com grandes luxos e riquezas, ao contrário dos princípios da fé cristã. Em meados do século XVI alguns cristãos começaram a reflectir sobre os seus princípios ideais. Chocados com a imoralidade e com a corrupção existentes na igreja, começaram a tentar alterar alguns hábitos mais afastados dos ideais primitivos do cristianismo. No entanto, o alto clero não gostou destas novas ideias que os obrigavam a abdicar da sua luxuosa vida.

Fig. 1-Alto Clero


Em 1513 o papa Leão X criou as indulgências. A igreja católica não permitia o acesso ao novo testamento a pessoas que não perecessem ao clero, mantendo assim o controlo a fé popular, criando o medo de Deus, do Purgatório e do Juízo Final. Devido a este medo as pessoas davam o seu dinheiro, muitas vezes essencial à sua sobrevivência, para pagarem as indulgências. O dinheiro obtido era utilizado para diversos fins, como por exemplo na construção de novas igrejas, que acabavam por ser caras e luxuosas. Fig. 2- Indulgência


Muitos membros do alto clero eram filhos de nobres, que não tinham direito a parte alguma da herança familiar, por isso tornavam-se membros do alto clero com o objectivo de enriquecerem, levando uma vida normal. Muitas vezes chegavam ao ponto de elegeram os próprios filhos dentro da igreja. Um desses exemplos foi o papa Alexandre VI que nomeou o seu filho César Bórgia para bispo no século XV. Nesta altura este tipo de acções não eram mal vistas, sendo que os membros do clero não faziam menor esforço para os esconder, apesar de a sua existência não ser permitida Fig. 3- papa Alexandre VI


O protestantismo Antes do ano de 1517 ninguém se atrevia a questionar os dogmas, costumes e doutrinas da igreja. No entanto um monge alemão, Martinho Lutero, deu a sua opinião publicamente. Lutero era professor de teologia na universidade de Wittenberg, tendo vindo a sofrer uma crise de consciência, pois não concordava com as atitudes do alto clero. De principio Lutero apenas se revoltou contra as indulgências, ao publicar as Noventa e Cinco Teses (documento onde apresentava as suas ideias sobre o alto clero).

Fig. 4- Martinho Lutero

Fig. 5- As Noventa e Cinco Teses


Fig.6-Morte na fogueira

Acabou por ser excomungado pelo papa e não condenado pela Inquisição á morte na fogueira pois foi protegido pelos príncipes. Mais tarde Lutero criticou também a doutrina ensinada aos crentes. Assim, deu-se início à Reforma Protestante, tendo este nome porque se tratava de um protesto contra o alto clero.


Catolicismo

Protestantismo

Católico significa 'universal'

O nome deriva da dieta de Spira (1529)

A autoridade máxima da Igreja Católica é o bispo de Roma

Surge com Martinho Lutero, no séc.XVI. É o conjunto das igrejas ocidentais separadas de Roma

Valoriza a Bíblia e a Tradição

Apenas valorizam a Bíblia

Apenas se obtem salvação com fé e com obras

A salvação só acontece quando se tem fé em Jesus Cristo

O papa (sucessor de S.Pedro) é a pessoa que tem a responsabilidade de unir as diferentes comunidades

O papa não é o pastor universal e não há nenhuma autoridade máxima, cada igreja é autónoma

Os padres e bispos são intermediários entres Deus e as pessoas, e não podem casar

Os padres e bispos não são mediadores entre Deus e as pessoas, sendo que cada crente é 'sacerdote'

Reconhece Maria e os santos como mediadores entre Deus e as pessoas e veneram-nos

Não presta culto a santos nem à Virgem Maria. Jesus é o único mediador de Deus e as pessoas.

O centro da vida litúrgica é a missa (eucaristia)

No culto dá importância ao valor do anúncio e da escuta da palavra de Deus

Reconhece sete sacramentos: baptismo, eucaristia, confirmação, reconciliação, ordem, matrimónio e unção dos efermos

Só reconhece dois sacramentos, o baptismo e a ceia (eucaristia)


Na época do renascimento apareceram mais igrejas protestantes, como os Calvinistas e Anglicanos. Os Calvinistas tinham uma doutrina mais rígida do que a Luterana e tinham como base a crença na predestinação (o destino do Homem era traçado por Deus). Em Inglaterra, o rei Henrique VIII fundou a Igreja Anglicana. Esta igreja baseava-se nos princípios calvinistas e católicos.

Fig.7- Distribuição dos protestantes na Europa


Reacções da Igreja Católica Para combater o protestantismo, a Igreja Católica criou a Companhia de Jesus (com o objectivo de combater o Protestantismo e expandir a fé Católica) a Inquisição (defendia a fé Católica vigiando, perseguindo e condenando quem eles pensavam que praticavam outras religiões) e o Índex (era uma lista de livros proibidos, que não podiam ser possuídos). Estas medidas foram tomadas pela Igreja como forma de combater o Protestantismo e acabar com a separação da Igreja. A este movimento dá-se o nome de Contra-Reforma. Fig.8-Index


O caso peninsular O protestantismo espalhou-se pela Europa, mas curiosamente não ganhou muitos apoiantes na Península Ibérica. Isso explica-se pela distância de Portugal e Espanha dos outros países do berço da Reforma. Contudo, as medidas da Contra-Reforma também foram aplicadas na Península Ibérica. Na península, o maior alvo dessas medidas foram os judeus que ali viviam. Em 1492, os reis espanhóis expulsaram todos os judeus do território, através da Inquisição, bastante, mais violenta. Mais tarde, 1496, o mesmo se passou em Portugal quando D. Manuel I publicou uma lei que obrigava os judeus a abandonarem o território nacional.

Fig.9-Judaísmo


Fig.10-Torturas da Inquisição

Apesar desta lei nem todos o fizeram e tiveram de converterse ao cristianismo. Passaram a ser os cristãos-novos. Contudo, continuaram a ser vigiados pela Inquisição implementada pelo rei D.João III em 1536. Muitos dos cristãos-novos foram perseguidos, torturados, presos e condenados à morte por continuarem a praticar o judaísmo. Eram mortos nos Autos-da-fé (cerimónias em Praça pública em que as pessoas eram queimadas vivas).


O Índex também foi adoptado na Península no século XVI, controlando e até alterando algumas das obras do séc. XVI e perseguindo os humanistas. Pouco tempo depois da sua formação também a Companhia de Jesus veio para Portugal onde fundou alguns colégio (Santo Antão, em Lisboa e Colégio das Artes em Coimbra) e a universidade de Évora. Estas escolas opunham-se ao espírito critico e implementavam as suas crenças aos alunos controlando e evitando que o protestantismo se expandisse.

Fig.11- logótipo da Universidade de Évora

Fig.12- logótipo da Companhia de Jesus


Fontes TĂ­tulos-://www.netfontes.com.br/create_logo.php/cardinal.htm? txt=Reforma+e+Contra-Reforma&tamanho=70&cort=000000&corb=FFFFFF Fig 1- http://www.laguia2000.com/el-mundo/el-clero Fig 2-http://historia8d.blogs.sapo.pt/ Fig3- http://marius70.blogspot.com/2008/06/o-papa-malandreco.html Fig4-http://www.derweg.org/personen/kirche/luther.html Fig 5http://umolharsobreomundodasartes.blogspot.com/2010/11/acontecimentoas-95-teses-de-martinho.html Fig6-http://antidireitaportuguesa.blogspot.com/2007_01_01_archive.html Fig7- http://connect.in.com/protestante/photos-1-1-18b0daddd47e4ea551d1c5a6459899610.html Fig8-http://net.lib.byu.edu/aldine/51Index.html Fig9- http://acaradobrasil3b.blogspot.com/2010_05_01_archive.html Fig10http://destruindofortalezasanulandosofismas.blogspot.com/2010/03/santainquisicao-ou-santo-oficio.html Fig11- http://www.cm-castelo-vide.pt/noticia_print.php?noticia=471 Fig12- http://www2.crb.ucp.pt/historia/abced%C3%A1rio/jesuitasbrasil/Gloss %C3%A1rio.htm


Reforma e Contra-Reforma