Page 1


Patrimônio Cine São Luiz é comprado pelo Governo do Estado do Ceará

O

Theatro Cine São Luiz, localizado no Centro de Fortaleza, foi recentemente adquirido pelo Governo Estado do Ceará. De acordo com a Secult-CE, após a compra, o Cine Teatro São Luiz funcionará como um novo equipamento cultural do Ceará e deve receber atrações como shows, filmes e espetáculos teatrais. O prédio foi tombado pelo Governo do Ceará em março de 1991 e recebeu as primeiras exibições cinematográficas do Estado no início da década de 20. A última entidade que administrou o Theatro Cine São Luiz foi o Serviço Social do Comércio (Sesc), que desde o ano 2000 mantinha o equipamento com o nome Centro Cultural Sesc Luiz Severiano Ribeiro.

Linha do Tempo O Cinema São Luiz é o maior da cidade, com capacidade para 1.500 pessoas. Teve sua construção iniciada em 1939, sob projeto de Humberto da Justa Menescal. A decoração em gesso, o teto e as paredes laterais ficaram a cargo de Osório Pereira e Marcelino Guido Budini. No local funcionava o Cine Politheama, também do grupo Severiano ribeiro e vizinho era a residência da família, que foi parcialmente destruida para abrigar passagem lateral do prédio. Em 1958, a edificação foi concluída e inaugurada. Sua primeira sessão foi em 26 de Março, com a exibição do filme "Anastácia, a princesa esquecida" e a renda revertida em benefício da Campanha de Benfeitores da Santa Casa de Misericórdia e do Asilo do Bom Pastor. Estiveram presentes à solenidade as autoridades locais e o Senhor Luiz Severiano Ribeiro, idealizador e proprietário do Cinema São Luiz. A programação ainda se estendeu por um mês, tendo projeção de filmes diariamente. Em 1995 o São Luiz passa a ser o espaço de apresentação do Cine Ceará. É também o principal espaço de outros festivais de cinema que ocorrem em Fortaleza.

Página 2


Informações sobre o edifício: O edifício possui um hall, cujas escadarias têm piso e revestimento em mármore Carrara, além de três grandes lustres de cristal importados da antiga Tchecoslováquia. Tem Tombamento Estadual segundo a Lei nº 9.109, de 30 de julho de 1968, através do decreto nº 21.309, de 13 de março de 1991. A edificação passou por algumas modificações para acompanhar as inovações tecnológicas, como a implantação de equipamento de som mais moderno. Fonte: G1/Wikipédia. Editado por: Iully Maia

Governo assina ordem de serviço para revitalização do centro histórico de Sobral A Secretaria da Infraestrutura do Ceará (Seinfra) assinou , em Sobral, a ordem de serviço para a execução da internalização subterrânea da rede elétrica do centro histórico da cidade. Segundo a Seinfra, A empresa Tecnocon Tecnologia em Construções LTDA, vencedora da licitação, realizará as obras civis de internalização (dutos e caixas subterrâneas, além dos postes ornamentais) da rede elétrica por R$ 3,5 milhões, valor R$ 1,3 milhão abaixo do inicialmente previsto no edital de licitação. A previsão é que as obras sejam concluídas até o final de agosto de 2012. segundo a Seinfra, além da rede elétrica, serão realizadas outras licitações para a internalizaç ão das redes telefônica e de dados, com investimentos estimados em R$ 12,5 milhões, sendo mais da metade capitaneados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A intervenção, inédita no Estado, faz parte do Programa Monumenta - Cidades Históricas desenvolvidas pelo Instituto em parceria com o Estado e o município. As ações de revitalização do sítio histórico de Sobral compreendem o polígino entre as ruas Coronel Monte Alverne, Maestro José, Jornalista Deolindo Barreto, João do Monte, Domingos Olímpio, Ernesto Deocleciano, Carlos Luzimar Coelho, Joaquim Ribeiro, Tabelião Afonso Cavacante, Cel. José Sabóia, Menino Deus, Frederico Ozanan, Carlito Pompeu, SDO 007 e Cordeiro de Andrade. Fonte: G1. Editado por: Iully Maia

Página 3


ME O AMB ENTE

4


Museus:

5


Construa sua casa ecol贸gicamente correta

6


URBANISMO CONSTRUÇÃO DO NOVO CENTRO DE CONVENÇÕES DO CEARÁ

O Governo do Estado está construindo o Pavilhão de Feiras e Eventos de Fortaleza. A obra está localizada na Avenida Washington Soares - próximo ao atual Centro de Convenções do Ceará, ocupando uma área total de 206 mil m², sendo 185 mil m² de área construída e mais 21,4 mil m² de áreas verdes, além de um estacionamento para 2.500 veículos no Pavilhão de Feiras. Orçado em R$ 328,5 milhões, o CEC será o segundo maior centro de eventos da América Latina. O projeto arquitetônico foi inspirado em aspectos típicos da paisagem cearense, como as falésias e o bordado das rendeiras. A obra estará concluída até o dia 31 de dezembro, entretanto só funcionará com sua capacidade total no segundo semestre de 2012, segundo secretário de Turismo do Estado, Bismarck Maia. Passarelas praticamente concluídas, cobertura do pavilhão oeste em andamento, sistema de ar condicionado instalado parcialmente, trechos em fase de acabamento, incluindo o mezanino um do pavilhão leste, que aguarda apenas a instalação de elevadores e escadas rolantes. São sinais de que o prazo projetado pela Secretaria de Turismo (Setur) desta vez deve se confirmar. Segundo Bismarck Maia, após a conclusão da estrutura física do empreendimento, nos quatro primeiros meses de 2012, entre janeiro e abril, serão realizados os projetos de ambientação e paisagismo, além de testes e adequação dos sistemas de som, de energia elétrica e climatização.

O Pavilhão de Feiras e Eventos de Fortaleza será um centro de convenções que abrigará eventos, palestras, feiras, shows, congressos, workshops, exposições, seminários, eventos esportivos, entre outros na cidade de Fortaleza. COBERTURA DE VIDRO O novo Centro de Convenções do Ceará terá dois pavilhões de linhas curvas simétricos nos dois eixos. A ligação entre eles será feita por uma praça de convivência sob uma ampla cobertura de vidro, onde funcionará durante o dia com iluminação natural solar. Segundo o arquiteto Ricardo Saboia, da Architectus, “o mais importante na estrutura da cúpula foi o conceito geométrico empregado para sua concepção, fruto do trabalho conjunto da Architectus e da RCM Estruturas Metálicas. Será a maior cúpula não geodésica do Brasil utilizando somente vidros planos de quatro pontos”. Com estudos realizados, calculou-se que 92% da cobertura de todo o envidraçamento, caixilharia e estrutura foram fabricados previamente fora do local, sem medição in loco. REVESTIMENTO DE PLACAS DE FERRO Já as fachadas, terão telas de alumínio perfuradas em padronagens de renda com cabos de aço em planos reversos e as coberturas serão em treliças planas duplas de aço, com telhas de alumínio com isolamento termoacústico. Editado por Naiana Pinheiro e Lílian Fontenele

7


Ampliação e Modernização do Aeroporto Internacional Pinto Martins Devido ao evento da copa que ocorrerá em 2014 no Brasil, investimentos estão sendo feitos visando melhorias e ampliação de um dos principais acessos a cidade de Fortaleza, o Aeroporto Internacional Pinto Martins. A principio, passageiros se adequam aos transtornos com vôos entre 5h e 11h da manhã, que estão sendo remanejados para outros horários devido as obras de recapeamento do asfalto da pista de decolagem, que estão ocorrendo desde o dia 16 de outubro e se prolongam até o dia 29 de novembro de 2011. De acordo com o superintendente da Infraero na capital, Wellington Santos, os custos com a orçada necessária serão de R$ 397 milhões, somados a mais R$ 100 milhões referentes a equipamentos e serviços complementares, como a construção de um centro de manutenção, de uma subestação, e

de instrumentos e e q u i p a m e n t o s eletromecânicos, que são elevadores, escadas rolantes, totalizando em R$497 milhões. A obra será dividida em duas fases, a primeira será a construção física de toda a infraestrutura do lado leste do terminal e a construção de um edifício garagem para 2 mil veículos, com uma previsão de ser concluída ainda em dezembro de 2013 para atender a copa. Já a segunda fase será a reforma da parte atual, visando a modernização e melhorias e da ampliação do lado oeste do terminal. Também serão construídos novas pontes de embarque. Hoje o terminal dispõe de 7 pontes de embarque, até 2013 serão 13 pontes concluídas e totalizando 16 no fim da obra em 2016. Os objetivos a serem alcançados com esta reforma serão de modernização, revitalização e ampliação para que a capacidade de 6,2 milhões de passageiros por ano atual chegue a 9,2 milhões em 2013 e 14,2 milhões em 2016, prevê Wellington Santos.

________________________________________ Editado por Marina Rebouças

CASTELÃO: OBRAS ADIANTADAS

Todas as etapas da obra feita no castelão já foram iniciadas, chegando a 40,44%, com mais de 800 operários trabalhando. Há expectativa de 50% de toda sua conclusão esteja feita até Novembro de 2011, tendo em vista que obra segue a todo vapor com cerca de dois meses de adiantamento. 1° Etapa – Já concluída, desde Agosto; 2° Etapa - Estacionamento coberto, previsão de conclusão em Novembro; 3° Etapa - Reciclagem de resíduos, fundação dos prédios que dará início ao Ed. Central, entre outros;

A expectativa é de que o Castelão acabe o ano de 2011 com 50% da obra concluída e pronto para a Copa das Confederações.

4° Etapa - Conclusão (Rebaixamento dos Gramados, fundações e pilares do estacionamento. 120

As obras do Estádio Plácido Aderaldo Castelo (Castelão) foram iniciadas no dia 13 de Dezembro de 2010, quando o Governador do Estado do Ceará Cid Gomes assinou a Ordem de Serviço e o contrato com o BNDES. Investidos R$ 518.606 milhões, incluindo particularidades na construção dos estádios da Copa no Brasil, como intervenções internas e externas.

100 1° Etapa - 100, 00%

80

2° Etapa - 45,42%

60

3° Etapa - 31,20%

40

4° Etapa - 7,28%

20 0 CASTELÃO

Editado por Priscila Loiola

8


AS CASAS ROLANTES DA NORUEGA

Que tal poder reorganizar a cidade de acordo com as necessidades?

F

oi essa a ideia da empresa sueca de arquitetura Jagnefält Milton, que criou o conceito de estruturas móveis em trilhos de trem, utilizando o território de uma antiga área industrial, na pequena cidade de Åndalsnes, na Noruega. Um hotel, um banheiro público e uma sala de concertos têm o potencial de transformar a cidade em uma cenografia em constante mutação. O plano proposto para a cidade, “A Rolling Master Plan”, transforma uma antiga área industrial em uma nova infraestrutura para edifícios móveis, de acordo com as estações do anoe as exigências do momento. A empresa utilizou os novos e os já existentes trilhos de trem para criar um sistema inovador, onde as construções podem se movimentar pela cidade.

Toda a estrutura pode ser reorganizada de acordo com as necessidades. Por exemplo, se houver algum concerto, festival ou mudanças sazonais, é só colocar as rodas para girar até o local programado. A pequena cidade de Åndalsnes, que conta com cerca de 2.200 habitantes, tem invernos brutais. Com a chegada da estação, boa parte da cidade pode se locomover até um local mais quente, abrigando-se do frio e garantindo sua qualidade de vida. As estruturas móveis criadas pelos arquitetos incluem um hotel, um banheiro público e uma sala de concertos, que têm o potencial de transformar a cidade em uma cenografia em constante mutação. E não pense que por ser uma estrutura móvel a construção torna-se limitada. O hotel, por exemplo, conta com restaurante, cozinha, local para primeiros socorros, vestiário, sauna, suite, quarto de casal, quarto individual, sótão, entre outros ambientes. Que tal a sensação de ir dormir com uma paisagem e acordar com outra? Os arquitetos de Jagnefält Milton empenharam-se na possibilidade de transformação da localização. Além dos trilhos, as construções também flutuam, produzindo uma importante ligação entre o universo da terra e das águas. Texto de Lígia Feitosa e Rebeca Marcondes

9


ARQUITETURA SECA DRYWALL GANHA FORÇA NA ARQUITETURA POR SUA INDUSTRIALIZAÇÃO, FLEXIBILIDADE E AGILIDADE DE EXECUÇÃO. PARA APROVEITAR TODAS ESSAS VANTAGENS, A ESPECIFICAÇÃO DEVE SER ENCARADA DE FORMA SISTÊMICA

o

drywall é uma tecnologia amplamente empregada no hemisfério Norte para erguer paredes de vedação. É considerado um dos símbolos da construção seca que prevê a substituição dos processos artesanais por uma linha de montagem composta por elementos préfabricados. Sua aplicação, principalmente em edifícios comerciais e residenciais de médio e alto padrão, cresce de forma gradativa no País. Parte desse crescimento se deve a duas características principais da tecnologia. A primeira é a velocidade de execução, que faz com que o sistema tenha bom aproveitamento em empreendimentos hoteleiros e em instalações comerciais. Segundo os fornecedores, a instalação do drywall em paredes é cerca de

três vezes mais rápida se comparada à execução da alvenaria. Outra característica do sistema é flexibilidade agregada aos espaços. "É importante em obras que têm grande divisão de espaços. Em hospitais, por exemplo, a quantidade de paredes é muito grande, e a alvenaria certamente é um transtorno para o planejamento da obra", revela o arquiteto Waldeny Fiuza, do escritório Dória, Lopes & Fiúza. "Podemos projetar mudanças em locais ocupados e que não serão desocupados durante a obra, como escritórios, por exemplo", comenta o arquiteto Olivo Gomes. E, para vedação interna, há várias possibilidades de aplicação, desde superfícies planas, até paredes curvas, inclinadas ou recortadas. Texto de Yasmin Sales

CASA COR COMEMORA 25 ANOS E APOSTA NA TECNOLOGIA Em 2011, CASA COR completou 25 edições de sucesso na cidade de São Paulo. Reconhecida internacionalmente como o maior evento de arquitetura e decoração das Américas, e o segundo maior do mundo, CASA COR chegou à sua edição comemorativa de 25 anos em dimensões bem diferentes. Sob o tema “Dia a Dia com Tecnologia”, o evento apresentou 110 ambientes distribuídos em 56 mil m². Com a expectativa de receber 200 mil visitantes, CASA COR foi realizada de 24 de maio a 12 de julho, no Jockey Club de São Paulo.

DIA A DIA COM TECNOLOGIA Ambientes que revelam o prazer de morar bem com tecnologia e conforto foi o tema da edição 2011 de CASA COR. O público teve a oportunidade de perceber que a tecnologia, antes aplicada apenas em ambientes corporativos, também faz parte da rotina dos lares brasileiros, garantindo comodidade, economia de recursos e preservação do meio ambiente. “Tínhamos que abordar este tema com foco residencial, já que se trata de uma demanda com forte crescimento no mercado”, declarou Angelo Derenze, presidente de CASA COR. Texto de Bárbara Nogueira 10


11


12


Revista Uau!  

revista arquitetura unifor