Issuu on Google+

Bliss

Vintage deco & lifestyle

Issue 4 Primavera 2013

Be bold or italic, never regular

01

Bliss

Editorial A Primavera chegou tímida e aos tropeções e com ela as flores, os longos passeios ao ar livre, os piqueniques… Uma casa cheia luz e energia decorada por uma criadora de padrões, Bonnie Christine, invade as nossas páginas. Conheça ainda outras artes e projetos, os cestos Toino Abel mostram que a tradição Portuguesa está bem viva enquanto Mister Finch nos deixa absolutamente fascinadas com as suas peças tão reais. Aproveite os dias longos, passe tempo com quem mais gosta, faça um bolo ou simplesmente fique a observar o mar enquanto lê no seu tablet a última edição da Bliss. Até breve!

Bliss 02

Bliss

Conteúdos

……………………………………………………………………………

19

05 HOMES

44 READS

20 GOES TO ALGARVE

Sarah Moore é uma apaixonada pelo vintage. Apaixone-se também pelo seu último livro com ideias que vão deixar a sua casa feliz.

25 REVIVES

DIY- Lanternas de papel, divertidas e românticas que vão enfeitar jardins, alpendres ou até um recanto especial. Aprenda com a Christy como fazer…

Mergulhe nos padrões de Bonnie Christine e inspire-se na sua casa, jovial e fresca… A Bliss deu uma escapada até ao Algarve para partilhar consigo um refugio ímpar, a Fazenda Nova Country House… A moda dos piqueniques voltou, mas desta vez com muito glamour e sugestões da Sweet Little Party.

29 LOVES

O mais original para esta estação com a natureza como pano de fundo. Peças intemporais Odd Molly, botas Havaianas para os festivais de verão e ainda o conforto de Pepe Jeans… 03

Bliss

45 DO IT

47 FINDS

Porque há homens que também costuram, Mister Finch apresenta-nos a sua arte textil, absolutamente apaixonante… Por cá a nossa arte da cestaria tem corrido mundo com a Toino Abel. Conheça ainda o novo projeto da Ursotigre e rebole na areia com a sua coleção de verão

…………………………………………………

25

04

05 59 FINDS

Objetos funky e divertidos que ainda cima são funcionais e sustentáveis, poderiam ser de uma empresa com grande coração. Conheça a Rice e o compromisso…

por só um seu

61 COOKS

Arregace as mangas e siga a deliciosa receita de pão de batata doce e côco pelas mãos da doce Inês Mendes do blog “Ananás e Hortelã”.

63 MUST DO

Plantar flores e sujar-se de terra, fazer um workshop de sabonetes ou simplesmente comprar lingerie nova? A verdadeira magia está nos momentos simples e tão nossos…

29

Bliss … Homes…

Light and young Entre no universo criativo de Bonnie Christine, mergulhe nos seus fantásticos padrões e inspire-se na sua casa, jovem e luminosa… 04 Bliss

07

Bliss

Quer se trate de uma chávena de chá favorita, que nos faz lembrar amigos queridos, ou uma colcha artesanal para o nosso bebé recém-nascido, eu acredito que os padrões das nossas vidas têm a capacidade de conectar-se profundamente a nós. O meu objetivo sempre foi o de criar padrões que tocam a alma e despertam sentimentos de alegria e felicidade. Eu sou uma designer autodidata e sou constantemente inspirada pelo mundo natural que nos rodeia, desde a maior das árvores até à mais ínfima das folhas!” Bonnie C.

D

epois de frequentar a escola de negócios da Universidade Estatal de Carolina do Norte e casar com o seu namorado de escola, Bonnie Christine criou o seu blog Going Home To Roost. Pouco depois, abriu uma loja Etsy para vender aventais e toalhas de mesa artesanais. Foi logo depois que percebeu que o seu amor por padrões a conduziu ao mundo do design. Depois de alguns anos de estudo independente intenso, deu inicio à criação de padrões. Bonnie confessa que gosta de tecer peças da sua vida em cada padrão, em cada um que observamos, está uma parte da sua vida e do seu coração. “Há algo tão significativo na forma como decidimos colorir o nosso mundo. Eu acredito que os padrões são uma forma de nos expressarmos e tornar os nossos espaços bonitos. 08

Bliss

09

Bliss

Sou constantemente inspirada pelo que me rodeia...

Há quanto tempo sente paixão em decorar? Oh, parece que desde sempre! Desde muito jovem, que eu me interesso em fazer dos meus espaços a reflexão de mim mesma. É algo que me alegra bastante! Onde procura inspiração para os seus projetos? Eu realmente tento encontrarme em primeiro lugar, e fazer com que os meus espaços vivos representem a minha vida. Também gosto de vasculhar velharias e lojas de antiguidades para peças especiais. Sou constantemente inspirada pelo que me rodeia, e adoro trazer o máximo

possível, através de obras de arte, objetos naturais e vegetação. Fale-nos um pouco acerca do seu processo criativo. A criatividade pode atacar a qualquer momento e eu estou constantemente à procura de inspiração. Gosto de levar uma câmara e um bloco de desenho comigo onde quer que eu vá para que possa tomar notas e desenhar coisas sempre que sou atacada pela inspiração. O que mais ama no seu trabalho? Sonhar, desenhar ou executá-lo? Eu descobri que gosto realmente de cada etapa do processo.

Quando sonho, isso consomeme e obriga-me a anotar ideias e a criar quadros de inspiração. Uma vez que essa fase esteja completa, sinto-me animada e motivada para começar a desenhar. Eu passo horas e horas a desenhar ideias para uma linha padrão. Assim que os desenhos estejam finalizados, estou pronta para transformá-los em padrões no computador, e é uma experiência linda e emocionante. Depois de concluído, o processo começa novamente!. Defina o estilo da sua casa em 5 palavras. Simples, vintage, eclética, doce e refrescante. 10

Bliss

11

Bliss

Padrþes que tocam a alma e despertam sentimentos de alegria e felicidade‌ 12

Bliss

13

Bliss

Sinto imensa alegria no que faço. Eu amo a vida e preencho-a com criatividade e inspiração. Sinto-me tão abençoada e grata por ser capaz de a compartilhar convosco… B.C.

O recanto favorito de Bonnie é sem dúvida o seu espaço de trabalho. É onde passa a maior parte do seu tempo e onde encontra imensa inspiração para os seus projetos. É cercado por janelas, ar fresco e coisas bonitas…

Bonnie acredita que os padrões são uma forma de expressão e de embelezar os espaços.”

14

Bliss

15

Bliss

Bonnie Christine é a autora do blog “Going Home to Roost”- um blog dedicado a tudo feito à mão e caseiro! Trabalha ainda como designer de padrão e é mãe galinha da Tribo Roost, uma comunidade para criativos. Visite o blog e inspire-se!

Blog Going Home to Roost

Bliss Recria o estilo 3

1 1-Jarro em Zinco, Violet 2- RÅSKOG carrinho de cozinha, Ikea 3- Design de Bonnie Christine 4- Placa, Violet 5- Almofada, Zara Home 6- Colcha, Zara Home 7- Caixas de tecido, Violet 8- Cómoda de madeira, Kare

17

Bliss

2

4

de Bonnie

5

6 7

8

18

Bliss

Bliss … GOES TO ALGARVE…

Foi perto da bela cidade de Tavira que a Bliss encontrou a Fazenda Nova Country House. Uma carismática casa rural Algarvia, que renasce agora como casa de campo para todo aquele que procura tranquilidade e a sensação de se sentir em casa. 19

Bliss

Com uma localização isolada, em pleno barrocal Algarvio, a Fazenda Nova Country House, foi cuidadosamente restaurada num estilo moderno, mas respeitando as características originais e a arquitetura tradicional da quinta. Originalmente uma casa de família, esta propriedade tem um total de dez hectares, conta com o seu próprio pomar, horta e jardim de plantas aromáticas. Na Primavera, abundam as flores silvestres que crescem entre as lindas amendoeiras, alfarrobeiras e oliveiras, que testemunham tempos passados. Se gosta de novas experiências, durante a época das colheitas pode participar na apanha dos frutos e legumes ali produzidos.

Na Fazenda Nova Country House pode escolher entre as dez grandes suites. Sete são denominadas Garden Suites, dois apartamentos equipados com kitchenet e uma penthouse. Nenhum pormenor foi deixado ao acaso, desde as espaçosas camas king ou super king size, em madeira de Bali aos lençóis de algodão egípcio de alta qualidade. Os jardins são dotados de uma simplicidade e romantismo que convidam a pequenos prazeres da vida, como uma boa leitura. Poderá também percorrer os seus diversos 21

Bliss

trilhos que conduzem à descoberta de áreas mais remotas. Aninhada entre os jardins, a piscina constitui o local perfeito para aproveitar uns dias de sol . A Cozinha, o restaurante da Fazenda Nova Country House, oferece menus sazonais refletindo os produtos regionais bem como os cultivados na horta e no pomar. O menu inspirado na cozinha tradicional de raízes ibéricas nunca esquece o porco preto e tão pertinho do mar, naturalmente o fantástico peixe fresco pescado na região.

A Fazenda Nova Country House é gerida por um casal Inglês que se apaixonou pelo espírito desta quinta. Com uma decoração rustic-chic, este hotel faz-nos sentir numa casa de campo de amigos.

23

Bliss

Dê um salto a Tavira e venha descobrir um luxo rural localizado a apenas 25 minutos do aeroporto de Faro e perto das belíssimas praias do Sotavento Algarvio e das ilhas barreira. Passeie de bicicleta, visite as salinas ou simplesmente aproveite para namorar… A Fazenda Nova Country House estará aberta todo o ano, para que possa tirar partido do clima ameno do Algarve. Alojamento na Fazenda Nova Country House a partir de €170,00 em quarto duplo.

Fazenda Nova Country House info@fazendanova.eu www.Fazendanova.eu Facebook.com/fazendanova countryhouse

24

Bliss

Bliss … REVIVES…

Daisy Pic Nic Se há coisa de que eu tenho saudades, é dos piqueniques que se faziam noutros tempos. Tudo à volta deles era motivo de festa e alegria. Quem levava o frango assado, quem fazia os croquetes, quem comprava as batatas fritas, quem cozinhava os bolos e que bebidas levar. E as toalhas de xadrez, quantas eram precisas? A bola, as raquetes, o ringue, as cartas, o loto, as bicicletas, o disco. 25

Bliss

Nós tínhamos daquelas cestas bonitas, com divisórias e correias de cabedal para prender os pratos, os talheres e o termo do café. O local eleito era a sombra larga do pinhal. De preferência isolado, sem outros piqueniqueiros por perto. Gostávamos de fazer a nossa própria algazarra familiar em privado. Também me lembro doutro tipo de piquenique: às escondidas dos pais. Eram geralmente feitos por volta da meia-noite, quando tínhamos amigas a dormir na nossa casa. O menu previamente combinadomuitos séculos antes do telemóvel através de bilhetinhos na sala de aula, que fluíam de carteira em carteira. Pão de forma com manteiga de amendoim, chocolate branco, pastilhas gorila, petazetas efervescentes, gomas da heller, línguas de veado e bombocas. Tudo escondido debaixo da cama, era trazido para cima do edredon entre risadas e shius receosos de serem descobertos pelos adultos. E os piqueniques dos escuteiros, das excursões do colégio, dos grupos de jovens, das saídas de fim-de-semana com os amigos… Ainda piquenico de vez em quando. Mas nada como antes. As pessoas esqueceram-se de como é, ou então o conforto do restaurante é mais apetecível. Comodismo, falta de ideia, pouca paciência. Não sei. Mas tenho pena… Pode sempre pedir ajuda à Sweet Little Party para um piquenique original.! Texto de Patti do blog Ares da minha graça

Decoração e sugestão de piquenique da Sweet Little Party Bolos da ARTeirices Gulosas e Choc and Others 26

Bliss

It´s Picnic time! 1

2

6 3

5

4

1- Cesta de picnic, Toino Abel 2- Toalha PipStudio, Panomania 3- Tåbua de queijos Pipstudio, Panomania 4- Talheres de picnic, Zara Home 5- Copos altos, Rice 6- Prato couve rosa, Bordalo Pinheiro 7- Cama de rede, Jardicentro 8- Radio, Cath Kidston 9 – Almofadas, Kare 10- Havaianas 11- Banco cogumelo, Kare

7

9

8

11

10

Bliss … LOVES…

29 Bliss

2

1- Casaco Odd Molly 2- Vestido Odd Molly 3- Calções ganga Odd Molly

1

3

30

Bliss

31

Bliss

32

Bliss

3

2 1- Botas de borracha Havaianas 2- TĂŠnis azul e rosa, Havaianas 3- Mala Azul, Violet

1

1 2

1- Poncho Odd Molly 2- Sacola crochet Odd Molly 3- Calรงas ganga Odd Molly

3

1 2

1- Casaco crochet Odd Molly 2- Top rosa Odd Molly

1 2

1- Blusa flores Odd Molly 2- Mala Odd Molly

1

2

3

1- Vestido Odd Molly 2- Botas Pepe Jeans 3- Vestido Odd Molly 4 – Xaile Odd Molly

3

Odd Molly em Lisboa Bubbles Company – Amoreiras Boutique Tias – Santos Nude – Lapa Odd Molly em Cascais Zoe

Odd Molly no Algarve Chocolate – Quarteira Memmo – Sagres

Havaianas http://pt.havaianas.com/ Pepe Jeans www.pepejeans.com/

Odd Molly Coimbra N´Dress Odd Molly Braga Carocha Odd Molly Leça Da Palmeira Bloogirls Odd Molly Foz Scoop

Bliss … READS… Para quem não conhece o trabalho de Sarah pode agora inspirar-se no seu novo livro “Vintage Home” e salpicar a sala ou um recanto lá de casa com uma das suas criações. No blog Sarah Moore Vintage, poderá descobrir vários projetos fascinantes e ainda comprar kits de tecidos vintage ou recortes de papel de parede para algumas das ideias sugeridas por Sarah.. A Primavera é por excelência o período das grandes arrumações aos armários, as almofadas de Inverno quentes e felpudas dão lugar aos tecidos leves e florais… pois bem, aproveite as ideias de Sarah e descubra como renovar a sua casa com ideias simples, económicas e sempre muito vintage!

S

arah Moore é uma apaixonada pelo Vintage. A partir dos mais diversos materiais vintage anima cada recanto da sua casa. Desde os papeis de parede british dos anos 50 e 60, com rosas e motivos florais que nos transportam para décadas passadas aos aba-jours esquecidos na garagem, tudo ganha uma nova vida, mas com muito estilo, um estilo muito vintage.

Sarah Moore Vintage www.sarahmoorevintage.com 44

Bliss

Bliss … Do it…

Lanternas

de papel pintado Christy é a criadora desta original lanterna de papel. Contribui frequentemente com fabulosos crafts, para o site green wedding shoes. Esta lanterna é um acessório sofisticado para um casamento ou para uma festa ao ar livre. Para este projeto vai precisar de alguns materiais: • Lanternas de papel • Restos de tecido ou papel de decoupage • Tintas acrílicas • Cola • Pincéis • Fitas, rendas, purpurinas ou outras aplicações.

45

Bliss

{passo 1} Pintar a lanterna Abra a sua lanterna de papel expandindo-a em forma de globo usando o arame que está no interior e pinte-a com as tintas acrílicas. Não exerça demasiada pressão com o pincel, pois pode rasgar o papel da lanterna. Christy usou os fios horizontais como diretrizes para pintar blocos de cores e riscas nas suas lanternas, a ideia é dar asas à imaginação! {passo 2} Adicione os recortes de tecido Recorte tecidos e cole na sua lanterna. Pode optar por motivos mais florais ou abstratos. Se preferir também pode usar papel de decoupage ou guardanapos para esta etapa. Depois de ter tudo cortado, revista a parte de trás de cada peça com cola e pressione suavemente sobre a sua lanterna. {passo 3} Enfeite e decore O passo final é adicionar uma borla e outros enfeites. Amarre fitas e rendas à base de arame da sua lanterna para que dancem com o vento. De acordo com o seu estado de espirito pode colar lantejoulas, purpurinas, fitas de seda e até contas coloridas… Pendure as suas bonitas lanternas com grandes fitas de gorgorão, linha de pesca ou luzes cintilantes brancas. Ficam lindas suspensas em troncos de árvores a cair sobre uma mesa, presas num alpendre de madeira, fixas ao teto de uma tenda, enfim ficam bem em qualquer recanto… Projeto de Christy em http://greenweddingshoes.com/

46

Bliss

Bliss … FINDS…

47

Bliss

“O meu nome é Finch - É realmente o meu apelido e é assim que todos me chamam... Decidi dar ao meu negócio o nome de Mister Finch, assim fica claro desde o início que eu sou um homem e um homem que costura. Eu moro em Leeds, em Yorkshire, não muito longe da bela Yorkshire Dales. Não tenho nenhuma formação específica para além de um curto curso de arte que fiz há muitos anos. Sou um autodidata. Ao longo dos anos tentei várias áreas criativas e agora, encontrei-me na costura, que eu adoro!”

As criações de Finch parecem ganhar vida… 48

Bliss

Inspirações que vêm da natureza… “Quando não estou a criar, o que não é frequente, gosto de ler e ver filmes antigos. As minhas principais inspirações vêm da natureza. Flores, insetos e pássaros fascinam-me com os seus ciclos de vida surpreendentes, os seus ninhos e comportamentos extraordinários.”

49

Bliss

O trabalho de Finch é bastante original e as suas peças parecem seres verdaeiros. A riqueza dos materiais aliada à perícia de trabalhar os tecidos de forma única, tem despertado o interesse de muitos espaços como a Antropology. A sua arte é um reflexo do seu mundo e sensibilidade por todos os seres e criaturas. Flinch utiliza materiais reciclados na maioria das suas peças, não apenas como uma afirmação ética, mas porque acredita que conferem mais autenticidade e charme. É como uma história costurada dentro de um tecido. Cortinas de veludo de um antigo hotel, um vestido de noiva esfarrapado e um avental vintage tornam-se aves e animais, à procura de novos donos e aventuras. Criaturas que contam histórias para as pessoas que também estão um pouco perdidas, encontradas e esquecidas ... Onde procura inspiração para Os seus projetos criativos? Para mim, a inspiração vem de todos os lugares, o que leio, observo e procuro na natureza. É impossível definir apenas um caminho para a inspiração. Conte-nos como tudo começou? Eu sempre costurei, pelo que foi apenas uma progressão natural para fazê-lo a tempo inteiro. Sinto que a criação com têxteis me completa, é quase como algo que eu tenho procurado...

“Flores, insetos e pássaros fascinam-me com os seus ciclos de vida surpreendentes, os seus ninhos.”

Lembra-se do seu primeiro projeto? Sim. Eu fiz alguns pássaros e coelhos a partir de um fato velho. Eu em criança já costurava e fazia outras coisas.

Como O meu têxtil, artista

descreveria o seu trabalho? trabalho é descrito como a arte e eu suponho que seja um têxtil.

Como é o seu processo de trabalho? Eu não tenho um processo de trabalho definitivo. Cada dia é diferente. 50 Bliss

Sou frequentemente obcecado por criaturas e plantas… Qual o aspecto mais frustante do seu trabalho? Eu trabalho para mim e isso é o céu, eu não me sinto frustrado com nada, sou realmente muito sortudo. E o mais compensador? Esse será ser o patrão de mim mesmo e ser capaz de responder a todas as necessidades, dirigir tudo como eu gostaria. É de facto brilhante e eu não poderia estar mais feliz. Os seus projetos parecem tão vivos, como consegue fazê-lo? Obrigado, é um elogio fantástico… Eu não tenho nenhum segredo e gosto de manter as coisas desta forma.

Onde podemos comprar a sua fantástica arte? Atualmente tenho uma mão cheia de espaços, os quais estão mencionados no meu site, mas têm a tendência de desaparecer depressa. Quando tenho tempo adoro fazer peças para a minha loja online na etsy, mas é difícil uma vez que tenho estado com bastante trabalho. Qual o seu projeto favorito? Eu sou frequentemente obcecado por certas criaturas e plantas. Fazer insetos é muito gratificante e proporciona-me uma enorme satisfação.

Mister Finch www.mister-finch.com

Bliss … FINDS…

Ursotigre

Das mãos de Sónia Pessoa nasce a marca URSOTIGRE, com os melhores fios e lãs maravilhosamente tricotados à mão. Sónia conta que a Ursotigre nasceu do universo paralelo dos trigres de Bricklane. Gosta de tricotar com baquetas de bateria, desenhar com agulhas e pintar com fios. São mimos únicos. Malha a malha, volta a volta, o URSOTIGRE enleia-se em fios 100% ecológicos, tingidos de forma natural e produzidos em Portugal pela Tinturaria Rosários 4. É tudo único, cá do nosso lado.

Descubra a coleção de Verão e rebole na areia. Marionmarcel nasceu do trapézio da Marion de Wim Wenders, em “Wings of Desire”. Celebra o calor, a música, a areia e a pele.

A coleção está disponível na loja KINGDOM, na Rua da Madalena, nº 64, Lisboa ou na loja on-line http://ursotigretictail.com/ 52

Bliss

Bliss … FINDS…

José Custódio Barreiro era o bisavô de Nuno Henriques, quem hoje nos conta uma maravilhosa história, repleta de tradição e com um gostinho bem Português. Nuno faz todo este esforço de reinventar e trazer um ar fresco à nossa tradição, promovendo e compartilhando esse lado da sua herança cultural com os leitores da Bliss. Este é o seu trabalho na empresa. Para Nuno é essencial lutar contra um tipo de padronização em que vivemos, mantendo e preservando as nossas próprias vozes. Apenas defendendo as diferenças podemos criar uma cultura, caso contrário, tudo o que temos é a civilização. E assim reza a história… 53

Bliss

FINDS…

" José Custódio Barreiro era um fazendeiro e homem de negócios que vivia na pequena aldeia Portuguesa de Castanheira. Eu ouvi muitas histórias sobre ele, do meu pai e do meu avô, que sempre o caraterizaram como um homem muito rigoroso e sério, fortemente preocupado com seu comércio. O seu caracter foi sendo suavizado pelo carinho da sua esposa, que sempre ofereceu uma refeição aos pobres, batendo às portas pela noite. Durante esta época Portugal era extremamente rural e o meu avô ganhava a vida através da produção de azeite e vinho. E, claro, os seus famosos cestos de junco. Ele vendeu inúmeros cestos por todo o país e fazia a entrega com uma vaca e uma carroça. O meu bisavô empregava muitas pessoas em Castanheira, todos trabalhavam na produção de cestos.

Após a morte do meu bisavô, o seu FINDS… filho, que era o meu tio-avô assumiu o negócio. E depois de sua morte, a continuidade foi assegurada pela minha tia-avó, que ainda está com vista para a produção de cestos de hoje. No entanto, hoje em dia o negócio é muito pequeno e os funcionários da minha tia-avó são apenas seis pessoas. Todos os funcionários são antigos e têm trabalhado para a empresa durante muitas décadas. Utilizam a mesma técnica tradicional da época do meu bisavô para a confeção dos cestos. Todo o outro trabalho, o real é feito pela minha tia-avó, Mariana Rodrigues, que é a cabeça deste negócio de cestos, e pelos seus empregados da minha pequena aldeia.

Às vezes fico triste porque sei que o ofício de fazer cestos está a chegar ao fim. Quando esta última geração de trabalhadores mais velhos morrer, pode ser o fim da tradição do cesto de junco Português…

Cada um tem uma função muito específica e partilham o seu trabalho com a agricultura auto-sustentável. A D. Cidália e a D.Eulália tecem o junco no tear, a D. Maria da Conceição costura o que vem do tear transformando tapetes em cestos e, finalmente, o Sr. Manuel faz as alças dos cestos a partir de salgueiro. O projeto dos nossos cestos não tem autor, uma vez que foi transmitido de boca em boca pelos nossos antepassados​​. Poderemos dizer que a tradição desenhou os nossos cestos. Parece-nos que hoje em dia é muito

importante resistir ao enorme perigo de normalização que pretende anular qualquer tipo de diferença e identidade. Para resistir à vulgarização significa despertar a consciência individual da sua formação cultural, o que também inclui memória e história. De acordo com um leque muito reduzido de materiais (linho, junco, vime) fazemos os nossos cestos com um processo totalmente manual e mecânico e completamente antagônico à atualidade. Então, o nosso objetivo é oferecer às pessoas uma outra consciência, sentimental, cultural, intuitiva e política”.

www.toinoabel.com

58

Bliss

Bliss … FINDS…

Hoje vou falar-vos da RICE .... A Rice é uma fantástica empresa dinamarquesa. de comércio justo. Com um conceito divertido, alegre e muito descontraído, o seu design inspira-se nos “bons velhos tempos” . Dão cor à nossa vida seja a limpar a casa, a cozinhar ou simplesmente a relaxar. Charlotte, a fundadora de Rice, conta-nos que têm um grande coração e uma forte ética social. A sua filosofia é que “ninguém pode ajudar todos”, mas “todos podem ajudar alguém”. A marca apoia o Pacto Global, (um compromisso de empresas em todo o mundo que contribuem para eliminar a fome e a pobreza) e é a primeira empresa escandinava certificada pela norma SA 8000, baseada nos seus projetos com fornecedores em todo o mundo, garantindo assim uma forma de trabalhar moral e socialmente responsável. O seu objetivo é envolver-nos com objetos para a casa, funky, divertidos, funcionais e sustentáveis. Aplaudimos esta empresa! www.rice.dk

Bliss … Cooks…

Pão de batata-doce e coco Por Inês Mendes

27

Bliss

Pão de Batata-Doce e Coco 1 chávena de farinha de espelta 3/4 chávena de farinha trigo integral 1 colher (chá) de fermento 1 colher (chá) de bicarbonato de sódio 1/4 colher (chá) de canela 1/2 chávena de açúcar mascavado escuro 1/4 chávena de coco 3/4 chávena de leite de coco 1 chávena de puré de batata-doce (cozida ou assada) 1/4 chávena de óleo de coco derretido

Preparação Pré-aquecer o forno a 180ºC. Untar uma forma de bolo inglês e forrar o fundo com papel vegetal. Numa taça juntar os ingredientes secos (farinhas, fermento, bicarbonato, canela, açúcar e coco) misturandoos bem. Noutra taça juntar os líquidos (leite de coco, puré e óleo). Adicionar os líquidos aos sólidos e envolver suavemente até obter uma massa homogénea. Colocar a massa na forma preparada e levar ao forno até cozer (teste do palito). Servir morno com manteiga e compotas caseiras, ou frio. Blog Ananás e Hortelã http://ananasehortela.blogspot.pt 62

Bliss

Bliss must do…

63

1

Plantar flores e sujarme de terra…

2

Beber limonada aromatizada com alfazema…

3

Fazer um workshop de sabonetes e dar asas à imaginação…

4

Comprar lingerie nova…

5

Ir ao Santini comer um gelado, sem sentimentos de culpa …

6

Acordar cedo e fazer uma caminhada pela serra, sentir o aroma das folhas e respirar fundo…

Bliss

www.rice.dk http://ananasehortela.blogspot.pt/

Atelier PatrĂ­cia Novais Avenida 5 de Outubro 101 2900-302 SetĂşbal

64

Bliss

Bliss blissmagazineportugal@gmail.com


Bliss primavera 2013