Issuu on Google+

Argonautas | Maio de 2008

Argonautas || Maio 'H]HPEUR de 2008 | Coordenação: António Valdemar Ribeiro | Branca do Carmo Santos Argonautas de 2009 | Coordenação: António Valdemar Ribeiro | Branca do Carmo Santos

Argonautas | Maio de 2009

0,50 argos

Ano X,I Ano XII N.º  2 Nº

Ficha Técnica: Dezembro 2006 | Ano 0,50 Argos | Coordenadores: António Valdemar Cristina Jorge - Paula Bastos - Rogério Ramos

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE ARGONCILHE

Feira das profissões Entrevista ao

escritor José Fanha pág. 6

Dia da Terra Quem foi Darwin? 22 de Abril

Dia do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais

ci

o

A separação das embalagens usadas é apenas o início do processo de reciclagem. Aos cidadãos é ainda pedido quepág. as3 coloquem nos ecopontos. Mas, e depois? O que será que acontece aos materiais? Como será que se processa a reciclagem? Pág. 6-7

ev

o lu

Pág.2

O cidadão em números

de o m s i n

win r a D

ri o Te

o d a

A Sexualidade na Adolescência: Actividades da como abordar? biblioteca

SPO - Serviço Psicologia e Orientação Açores

Índice A voz da Nau 2 O Tempo passado na escola Pág. 10 2

A sexualidade na adolescência 2 Dia do Departamento Matemática e Ciências Experimentais 3 Jantar Pedagógico 3 O “nosso Rui” pág 24 No Templo dos Deuses Visitas de Estudo 4-5

Índice

No da Templo A Voz Nau dos deuses

Jogos Sem Fronteiras Várias Biografias

Os Deuses devem estar loucos

Os deuses devem estar loucos Mensagens de Hermes

Mensagens de Hermes

pág. 7

pág. 2

pág 68

9 10

pág 11

11 pág 11

12

Vamos proteger o nosso PLANETA

O Serviço de Psicologia e Orientação, ao longo do 2º período, desenvolveu actividades que envolveram diversos elementos da comunidade educativa, principalmente e os Pais/ O Dia os danossos Terraalunos foi criado em Encarregados de Educação. 1970, pelo Senador norte-americano

Desenvolveu-se uma designaGaylord Nelson. Foi eleacção que convocou “Conversando sobre a atenção” para a odaprimeiro protesto nacional contra os Pais/Encarregados de Educação dos a poluição, protesto esse coordenado alunos do 1.º ano de escolaridade, com nível nacional por Denis Hayes. Esse o intuito de lhes fornecer estratégias de dia conduziu à criação da Agência forma a auxiliarem os seus filhos diariade Protecção Ambiental dos Estados mente na estimulação da atenção/conUnidos (EPA). centração. cont. pág. 5

A partir de 1990, o dia 22 de Abril foi adoptado mundialmente como o Dia da Terra, dando um grande impulso aos esforços de reciclagem a nível mundial e ajudando a preparar o caminho para a Cimeira do Rio (1992).

Pág. 6-7

1 1


Argonautas | Maio de 2009

A voz da nau

No Templo dos deuses

Argonautas | Maio de 2008

A Sexualidade na AdolescĂŞncia: como abordar?

Vista de estudo aos templos religiosos

por:

ZĂŠlia Castro

Coordenador PedagĂłgica

por:

Editorial por:

Carlos Alberto MagalhĂŁes

O tempo passado Sejam amigos do ambiente e Natureza! na escola

Filomena Reis

ProfessoradifĂ­cil missĂŁo de Foi o tema proposto para uma palestra dinamizada pelo Dr. Alberto formar homens Correia em representação da “Escola de e mulheres, de17 de Abril de 2008, cinco horas ve educar para Pais Dia Nacionalâ€?e especialmente dirigida quarenta e cinco da madrugada, aos directores de minutos turma. Este encontro o a sexualidade / sol ainda nĂŁo tinha raiado na no horizonte, o vai educar para os temĂĄtico realizou-se biblioteca e vem de carros era constante e jĂĄ se sentia da escola E. B. 2/3 de Argoncilhe valores. A seuma grande azĂĄfama diante dos portĂľes da no passado mĂŞs de Novembro e foi, xualidade nĂŁo Escola E.B. 2/3 de Argoncilhe. certamente, um momento privilegiado pode ser encaDepois de uma sĂŠrie de aulas de para reflectir sobre esta nova ĂĄrea a de rada de forma preparação, de estudo e apresentação explorar detodos Formação CĂ­vica. trabalhosnas emaulas EMRC, ansiavam chegar redutora, pois Na verdade, os directores de turma tĂŞm a este dia. Era o culminar de uma caminhada abarca toda a que responder a mais um desafio e, pessoa, fĂ­sica, de vĂĄrias semanas e de trabalho intenso‌ lanche partiu-se inte- em direcção Ă  Mesquita. por isso, as respectivas coordenadoras A primeira visita estava marcada para psĂ­quica, estas duas visitas chegou a hora em articulação o departamento e afecas 9,30h, nĂŁo eracom permitido perder tempo‌ lectual ApĂłs almoço, neces-nĂŁo havia outro lugar melhor de CiĂŞncias promoveram primeiro Para isso todos teriam que o funcionar com tivadoe ĂŠ paraperceber o fazer do que o Parque das Naçþes. a outros mĂĄximaencontros responsabilidade, respeitando de de formação que sĂĄrio aberto, junto ao rio Tejo, local Ăłptimo os horĂĄrios estabelecidos, para que os queEspaço a maturiesperam ver acontecer. para conviver e passear e contemplar objectivos pudessemresultaram ser atingidos. sexual tambĂŠm sĂł se atinge com a as Deste encontro algumas dade maravilhas da paisagem‌ ApĂłs terem enfrentado o movimento da ideias-chave que importa salientar. Em maturidade biolĂłgica, psĂ­quica, intelectual Perturbados de novo pelas condiçþes Segundalugar Circular em Lisboa, chegaram primeiro a Educação Sexual ĂŠ fun- ao e afectiva. Educar para a sexualidade ĂŠ climatĂŠricas, alguns preferiram refugiar-se Templo Hindu. LindĂ­ssimo!... Situado num educar para os afectos. Estas ideias dedamental na formação integral da pesdentro do Shopping, mas isso, nĂŁo impediu plano mais elevado, como recomenda a ser propostas aos alunos num clima soa humana e deve começar na famĂ­lia, vem que os alunos e os professores desfrutassem religiĂŁo HinduĂ­sta; com espaços externos abertura, mas tambĂŠm simuma vez que ĂŠ da responsabilidade dos de da beleza delicadeza, do local. amplos e bem cuidados. plicidade, naturalidade e o debate de ideias pais.AApesar de, aparentemente, ser um Ă€s 15 horas empreenderam viagem visita decorreu num ambiente de grande deverĂĄ a melhorfeita formanum de desenvolver assunto conversa por normal, verdade de ser regresso, ambiente de respeito de e interesse partea dos alunos. novo tema. ĂŠEstes que, tiveram de certoa modo, ainda ĂŠdetabu, ĂŠ e trabalhar alegria eeste de festa, ao som de cânticos que oportunidade entrarem Foi um ponto deeram partida para Aoutras algo delicado Por outro religiosa lado, espontaneamente entoados. chegada numa culturade se e falar. sensibilidade que,dentro acimadade tudo, valem19 pela hĂĄ muita informação disponĂ­vel realizou-se hora prevista, horas diferente. O respeito foi recĂ­proco.e ao al- iniciativas da tarde. de ideias que momentos como este cance dos uma jovenssessĂŁo mas hĂĄdequefotograďŹ as saber se- no partilha ApĂłs leccionar a escola, na suaeimportante e sempre proporcionam. espaço externo do Templo de um pequeno

Presidente do Conselho Executivo

da

Muitas pessoas vivem e procedem por: se a vida nĂŁo se prolongasse Carlos MagalhĂŁes como apĂłs o Presidente dio Conselho Executivo seu desaparecimento, pois poluem o meio ambiente, a Natureza, sem dĂł nem piedade, Enquanto andamos na escola nĂŁo inundam de lixo todo e qualquer espaço, costumamos – felizmente que ainda nĂŁo independentemente de encontrarem, ou foram feitas entrevistas, inquĂŠritos para nĂŁo, um aviso que proĂ­be o depĂłsito de confirmar ou desmentir esta aparente lixo. evidĂŞncia! – valorizar o nosso trabalho, Se os nossos antepassados tivessem sido egoĂ­stas, irresponsĂĄveis, sĂł tivessem enquanto alunos que ĂŠ o estudo, nem o pensado neles, esquecendo-se, por isso, das outras pessoas. das geraçþes vindouras, o mundo e a Na escola ninguĂŠm ĂŠ criado de Natureza que encontrarĂ­amos nunca teriam ninguĂŠm a todos respeito sido estes. ePara o bem edevemos para o mal aquilo paraencontrĂĄmos sermos merecedores do mesmo. Se que ďŹ cou a dever-se a quem tivermos em no atenção simples nos precedeu tempoesta e noregra espaço. nĂŁoCabe, imaginam nĂşmeroquanto de problemas por o tudo fomos escrevendo, a cada um de nĂłs dar o seu diĂĄrios que se evitam. contributo em benefĂ­cio de um mundo PorĂŠm, para muitos de nĂłs o importanmelhor. NĂŁo destruir nem vandalizar os te ĂŠ brincar, jogar no computador, Ă  bola, ecopontos, separar os resĂ­duos (papel, pesquisarvidro, na internet, mandar nĂŁo e receber plĂĄstico, entre outros), atirar e-mails, mandar e receber sms, conviver lixo para a oresta, nĂŁo despejar ĂĄguas com os amigos, conversar messenger, residuais para a via pĂşblica,no sĂŁo pequenos gestos terĂŁo grande importância na crescer,que de preferĂŞncia longe dos adultos, preservação e melhoria do ambiente. pois sentimos a nossa privacidade controSe SĂłqueremos que que nos o respeitem lada. nos lembramos Conselho talvez nĂŁoexiste fossequando mĂĄ ideia começarmos Executivo alguĂŠm nos aborpelo respeito dos outros, da Natureza, do rece, necessitamos de esclarecer alguma ambiente. Estes sĂŁo propriedade de todos dĂşvida, queremos pedir autorização para nĂłs e nĂŁo apenas de algumas pessoas. sair da Escola,‌

Concurso Feira das proďŹ ssĂľes O dentista cuida dos meus dentes por:

Bruno Mota

Dentista (SoďŹ a Tavares), FarmacĂŞutica E.B. 1 do Carvalhal (Zulmira Lima e Ă urea Lima), Arquitecto (JosĂŠ Miguel MagalhĂŁes), Assistente Foi assinado um protocolo entre o Agrupamento Vertical de Esccolas de Argoncilhe e (Cristina Advogada (Ana a ClĂ­nica DentĂĄria de Argoncilhe, no sentido deSocial incentivar a boaRibeiro), higiĂŠne dentĂĄria. Aqui apresentamos um dos desenhos a concurso. Rute Barbosa), Gestor/BancĂĄrio (JoĂŁo Brito) e Mediador de Seguros/Contabilista (Alexandre Silva). Esta actividade teve a colaboração da Professora Laura Silva (moderadora por: MĂĄrcia Azevedo e Ana Sousa PsicĂłlogas da mesa no debate) e de diversos alunos Seja como for ĂŠ importante, indisdo 9.Âş ano destacados para o evento, asa O Serviço de Psicologia e Orientação aos quais agradecemos, mais uma vez, a pensĂĄvel brincarem hoje porque amanhĂŁ (SPO), Ă  semelhança do ano anterior, amabilidade de terem aceite o convite para hos – quando forem adultos – nĂŁo fica bem,               realizou a Feira das ProďŹ ssĂľes. Esta participar (‌e tĂŁo bem que o ďŹ zeram, pois aos olhos de uma sociedade cada vez           traduziu-se num debate com proďŹ ssionais o resultado nĂŁo poderia ter sido melhor). mais exigente, intolerante, brincarem. Se de diversas ĂĄreas, com o intuito de conhecer Claro estĂĄ, que as funcionĂĄrias tambĂŠm isso acontecer nĂŁo faltarĂĄ quem vos critimelhor algumas proďŹ ssĂľes e proporcionar contribuĂ­ram preciosamente para que nada que, chame a atenção, diga que nĂŁo tĂŞm um momento de esclarecimento para que, falhasse e, por isso, tambĂŠm aproveitamos educação, que sĂŁo irresponsĂĄveis e atĂŠ deste modo, contribua para a construção este momento para redobrar os nossos do projecto vocacional/proďŹ ssional dos agradecimentos. inconscientes. alunos do 9.Âş ano. Esperamos que cada um dos alunos Aproveitem para brincar enquanto Contou com a presença de dez que assistiu a este evento tenha conseguido nĂŁo chegar a fase das responsabilidades, proďŹ ssionais: TĂŠcnico de hotelaria/ retirar dividendos desta actividade que, aquele tempo em que terĂŁo de decidir pela formador (JosĂŠ Resende), Agente da PSP no entender do SPO, faz todo o sentido vossa cabeça e quando deixarem de ter a (Agente Fernando Vieira), Engenheiro de continuar a ser realizada. voz amiga de A, B ou C. GestĂŁo Industrial (Tiago Gomes), MĂŠdica

     



Vamos todos separar mais!

'.$#-#)'. '.#+03&026'0 #7@3+04.#5'3+#+4 0601-@45+%0 #)'/4(#.+-+#3'4 &04653#(03.# 3&F%+04D3','+5#3 5#-*'3'4&'1-@45+%0 &'1#1'-4 &.+5'.3'%#3)#4 030%63'$'$'3 #'&'+9#3&' /)#33#(#&#4# 0640&'1#1'- '+50#1#35+3&' #.#&0$#69+5' #13+/%+1#-.'/5' %#+4='015'103 /504'.3'%+1+'/5'4

 304130&6504 #426F.+%#40,' 6504&'*+)+'/' %3'.'4#/5+36)#4 :1#3##46/*#4 #45#&'&'/5'4=' -+:#&04/#-+.1':# /5E.+/J.'3#4 F.+%#426'10&'. +41'-0#6.'/50&#4 %#/%30&+4(6/CI'4 ('35+-+&#&'

+/&J453+##650.G7'-?%0/4536CB0 %+7+-=4'3B03'%0-*+&#4/04 *+1'3.'3%#&040/5+/'/5'0/&' *#7'3@%0/5'/503'4'41'%F(+%04 045'3+03.'/5'#3'%0-*#4'3@ #-#3)#&##06530410/5047#-03 #&26+3+&0%0.03'#1307'+5#.'/50 &#%035+C##%#3)0&#035+%'+3# .03+.4'3@64#&01#3#1-#/5#3 %#37#-*04#:+/*'+3#4'40$3'+304 1'-01#F40&'4#$'3.#+4#26+    .  (03#.3'%0-*+&#4  50/'-#&#4&'1+-*#4'.0356)#- %01+-*#4!!! '/5+&#&')'4503#&'45'43'4F&604 #%0/4'-*#0#&'104+5#3#446#4 1+-*#4'#%6.6-#&03'464#&04 /04;1+-*I'4<%0-0%#&041'-#4 #65#326+#4/04'%010/504' '%0%'/530406#+/&#/#4%#+9#4 &'3'%0-*#&+410/F7'+4/04*+1'3 '461'3.'3%#&043'5#-*+45#4' 0653#4'/5+&#&'4

&0%0/46.0&''-'%53+%+&#&' 505#-&#*#$+5#CB0 !!!#53#7D4 &'6.4+.6-#&03'-'%53G/+%0 10&'#,6&@-0#4#$'326' '-'%53+%+&#&'%0/40.'/#46# %#4# #.$D.#26+10&'(#:'3#

22

06'/26#/50(#:#$#3$#/45#-' 6.3'&6503&'%#6&#-/#446#4 503/'+3#4

  

+&'/5+(+%#&040410/504&'3'%0-*# &( '4&'  D1044F7'-4'1#3#3 1#3#3'%+%-#3043'4F&604 '-D%53+%04''-'%53G/+%04.#+4 %0/*'%+&04103'7+&0

 43'4F&60403)A/+%04%0.0 %#4%#4&'-')6.'4'(365#4 10&'.4'353#/4(03.#&04'. #&6$0#53#7D4&#%0.1045#)'. &0.D45+%#45#D6.#5D%/+%# 130.07+&#103#-)6.#4 #65#326+#4&01#F4%0.0#4&0 '+9#-!!!" 063+/*B!!!


Argonautas | Maio de 2009

Dia do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais por:

Departamento Professores

No dia 27 de Março, entre as 9.30h e as 12.30h, o Departamento de Matemática e Ciências Experimentais promoveu mais um dia aberto na Escola Sede do Agrupamento. Ao longo de toda a manhã, os alunos puderam envolver-se/participar em várias actividades que se desenrolaram em múltiplos espaços, a saber:

* Experimentarium (actividades / experiências de Físico-Química) - sala 19;

Gil Oliveira, 6ºB - vencedor do jogo Super Tmatik

Visita de estudo ao Centro Português de Fotografia (CPF) e Palácio de Cristal no Porto por:

Pedro Almeida 6º B

No dia 11 de Março, as turmas do 6º ano A e B acompanhados por alguns

professores, foram visitar o Centro Português de Fotografia e o Palácio de Cristal no Porto. Saímos da escola por volta das 9 horas. Tivemos uma viagem curta mas com muita diversão e gargalhadas. Quando lá chegamos fomos recebidos por uma senhora que nos prestou algumas informações sobre o edifício do CPF. Este edifício antigamente tinha sido uma cadeia (Cadeia da Relação do Porto) e, ao mesmo tempo, um tribunal, Vimos também algumas máquinas fotográficas, já muito antigas, e desconhecidas da nossa parte. Vimos ainda duas exposições temporárias de fotografia, uma delas intitulada O Livro Vermelho de um Fotógrafo Chinês, mostrava pessoas e modos de vida e a perseguição politica, na China, na década de 60 do século XX. Assistimos, também, a um documentário sobre o fotógrafo exposto e criador destes testemunhos, o chinês Li Zhensheng, que nos desvendava o porquê de algumas das suas fotografias. Igualmente pudemos observar uma outra

exposição de fotografias sobre os 50 anos de existência do hospital S. João do Porto, denominada 3 Formas de o Ver Hospital de S. João, da autoria Luís Ferreira Alves, Olívia da Silva e Paulo Pimenta. De seguida, fomos aos jardins do Palácio de Cristal, hoje denominado, por Pavilhão Rosa Mota, onde lanchámos e brincámos. Lá pudemos contar com

a presença de gaivotas e pavões, que não se incomodaram com a nossa curta permanência. Aliás, as gaivotas ousaram fazer voos bem próximos de nós, com o objectivo de conseguir alimento. Ao fim de algum tempo tivemos que regressar à escola, por volta das 13:10 horas. Esta foi uma visita muito divertida e interessante, porque tivemos a oportunidade de conhecer algo novo.

Jantar pedagógico dos Cef’s mesa * Laboratório Aberto de Ciências - sala 20; * Sala do Cálculo Mental - sala 16 (onde decorreu a final do Jogo SuperTmatik); * Sala de Jogos de Matemática - sala 17; * Sala de Informática - sala 14; * Sala do aluno - onde foram projectados os filmes “O dia depois de amanhã” e “ A idade do gelo”.

por:

A equipa do Jornal

No dia 20 de Março de 2009 os Cef’s – Empregado de Mesa e Bar, levaram a efeito um jantar pedagógico no qual estiveram presentes, para além do Conselho Executivo, as seguintes entidades: dois elementos da Direcção Regional de Educação do Norte (Dr. António Leite e Dr.ª Marília Raro), e um elemento da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira (Dr.ª Cristina Tenreiro). Este jantar teve como principal finalidade dar a conhecer as competências adquiridas e desenvolvidas pelos formandos atém ao momento. 3


Argonautas | Maio de 2009

“O NOSSO RUI” por:

“Nós” Grupo docente que acompanha o Rui

Certamente, muitos se recordam do Rui Armando, que frequentou a escola até ao sétimo ano. Infelizmente, por razões de saúde, deixou de o poder fazer, devido a uma doença que o impede de se deslocar livremente e permanecer na escola. Mas, o “nosso” Rui é um aluno muito especial, tão especial que tem uma equipa de professores por sua conta. É verdade, se ele não pode vir à escola, vai a escola até ele, pois então. É um aluno simpático e dedicado. Recebe-nos sempre com um sorriso nos lábios, apesar do seu dia a dia não ser nada fácil. São muitos os dias em que fica retido no leito, devido à doença que o atormenta. É sensível, divertido e, tal como todos os alunos, também gosta do seu momento de brincadeira! Há sempre uma piada, um email ou um vídeo divertido para partilhar com as suas professoras (será que é para desestabilizar a aula?!). O Rui tem sido extremamente corajoso e determinado. Apesar das suas limitações físicas (que são muitas), não virou a cara à luta, nem se deixou dominar pela doença, antes, porém, procura sempre dominá-la. Por isso, é um exemplo para todos nós, especialmente para os seus colegas que podem vir à escola todos os dias, trabalhar, correr e brincar, divertir-se mas nem sempre valorizam a sua saúde e as capacidades. Por tudo isto, os professores que se deslocam a sua casa, já há três anos, fazem-no com o maior prazer. As aulas são sempre momentos especiais, em que, para além de se transmitirem as aprendizagens, se partilham outras coisas igualmente importantes. E é deste modo que o Rui mantém a ligação com a escola. Por fim, nós que convivemos mais de perto com ele, somos mais do que uma equipa de professores, somos antes uma equipa de amigos e queremos aqui agradecer-lhe esta oportunidade que a vida nos proporcionou. Queremos dizer-lhe que, para além de tudo o que lhe ensinámos, ele já nos ensinou muito mais: a paciência, a perseverança, a coragem e o reconhecimento de quanto os nossos problemas são pequenos quando comparados com os dele! Continua Rui! Estamos contigo. Esperamos juntos que a tão desejada descoberta de cura para o teu problema esteja para breve. 4

Ida ao teatro

A aventura de Ulisses por:

Tiago Silva

Visita de Estudo à Serra da Freita por:

Ana Rita Rocha e Beatriz Henriques 5º A

6º B

No dia 16 de Fevereiro de 2009, Terça-feira, todas as turmas do 6º ano da nossa escola foram ao teatro, assistir à peça “A Aventura de Ulisses”, no Cine Teatro da Batalha (Porto).

Durante a viagem, nos autocarros os alunos apesar de estarem um pouco excitados com a ida ao teatro, não imaginavam ao que iriam assistir. Para a maioria era a primeira vez que se deslocavam a uma sala de teatro com o objectivo de visionarem uma peça de teatro ao vivo. Quando chegámos ao nosso destino entrámos e sentamo-nos conjuntamente com alunos de outras escolas. Esperamos um bocado para o espectáculo começar, até que o pano subiu e a encenação principiou. Esta é uma adaptação para os mais novos da Odisseia, de Homero, sendo vista como um jogo de computador que é criado e controlado pelos Deuses, os grandes programadores do mundo, que no final da guerra de Tróia resolvem lançar novos desafios a Ulisses. O regresso a Ítaca e o reencontro com a família é o objectivo final deste jogo, mas durante o percurso a Ulisses vão-se sucedendo peripécias, dificuldades que o mesmo tem que ultrapassar. Sempre que o cenário mudava, as luzes apagavam-se e ouvia-se no ar o barulho dos alunos, que insinuava estarem a gostar da peça. A peça decorreu sem nenhuma interrupção. Eu gostei muito da peça porque achei muito interessantes as aventuras do Ulisses que aqui foram por vezes retratadas com um pouco de comedia. No final, estávamos todos satisfeitos com a peça!

No dia 21 de Abril fomos visitar a cidade de Arouca e a Serra da Freita. É sempre interessante e motivante para nós, alunos, este tipo de actividades.

Saímos da escola eram nove horas e meia e fomos directos à cidade de Arouca, mais propriamente ao Museu de Arte Sacra. Quando entrámos, ficamos fascinados, pois o Museu está repleto de uma riqueza cultural admirável. Vimos a estátua de Santa Mafalda e o que mais nos marcou foi uma Roda que no passado servia para colocar lá os bebés: se fossem meninas ficavam no Convento, se fossem meninos vinham para a cidade do Porto, para uma instituição que cuidava de rapazes. Ficámos a saber que antigamente os mortos eram enterrados no chão das igrejas ou conventos e vimos, também, uma espécie de caixão/cama, onde eram transportados. De seguida, fomos para um parque de campismo almoçar, e aí pudemos desfrutar da companhia dos nossos amigos e, claro, dos nossos professores. Depois do almoço fizemos uma caminhada pela mata. Por volta das duas horas e meia, fomos dar uma volta à Serra, onde vimos a cascata da Frecha da Mizarela, as Pedras Parideiras e muitos bois da raça arouquesa. Depois deste longo dia, viemos para casa cansados, mas ao mesmo tempo satisfeitos…

Cascata da Frecha da Mizarela


Argonautas | Maio de 2009

SPO - Serviço Psicologia e Orientação por:

Márcia Azevedo e Ana Sousa Psicólogas

O Serviço de Psicologia e Orientação, ao longo do 2º período, desenvolveu actividades que envolveram diversos elementos da comunidade educativa, principalmente os nossos alunos e os Pais/ Encarregados de Educação. Desenvolveu-se uma acção designada “Conversando sobre a atenção” para os Pais/Encarregados de Educação dos alunos do 1.º ano de escolaridade, com o intuito de lhes fornecer estratégias de forma a auxiliarem os seus filhos diariamente na estimulação da atenção/concentração. “Namorar, afinal o que é?” foi outra das dinâmicas realizadas para os alunos do 7.º ano de escolaridade, em parceria com o Programa PES (Programa de Promoção para a Saúde), onde se abordaram as relações afectivas, nomeadamente a importância que o respeito, a confiança e a responsabilidade assumem numa relação de partilha, mais precisamente numa relação de namoro. Ainda juntamente com o PES e associados ao Núcleo Prevenir (Câmara de St.ª M.ª da Feira) participou-se num workshop relacionado com a toxicodependência, do qual saiu um grupo de trabalho que está a implementar um programa interventivo onde se visa, essencialmente, proporcionar aos nossos jovens momentos de reflexão sobre esta problemática e dissuadi-los dos consumos. No final do 2º período, decorreu no Europarque, a ENE – Educação, Negócios & Emprego, iniciativa do Pelouro da Educação da Câmara de St.ª M.ª da Feira, na qual a nossa escola foi convidada a participar e tendo aceite fê-lo com o auxílio do Serviço de Psicologia e Orientação, conjuntamente com docentes e formadores, dando a conhecer a oferta formativa do agrupamento, incluindo os Cursos de Educação e Formação a leccionar. No que respeita ao programa de Orientação Escolar e Profissional, paralelamente às sessões semanais que se têm vindo a desenvolver desde o início do 2.º período, realizou-se a actividade “A Hora das Profissões”, na qual vários profissionais de diferentes áreas contribuíram com o seu testemunho, proporcionando um momento de esclarecimento e auxiliaram, em parte, a estruturação do projecto vocacional/profissional de cada um dos alunos do 9.º ano de escolaridade. Estes alunos, ainda no âmbito do trabalho de Orientação Escolar e Profissional, efectuaram visitas a escolas, nomeadamente ao Agrupamento de Escolas de Fiães e ao Colégio Internato dos Carvalhos. No início deste 3º período decorreu ainda, ao nível da transição escolar, a ac-

tividade “Um dia na E.B. 2/3 de Argoncilhe”, para os alunos do 4ºano de escolaridade, a fim destes poderem usufruir de um momento de diálogo, que teve como principal finalidade normalizar os sentimentos associados à entrada no 5.º ano de escolaridade e à adaptação a um novo contexto, bem como conhecerem as instalações da nossa escola. Continuamos a desenvolver as actividades a pensar em todos os que fazem parte da comunidade educativa e esperamos que com elas se possa contribuir para o desenvolvimento individual de cada um.

“A Hora das Profissões”

“A Hora das Profissões” Reunião de Pais “Conversando sobre a atenção”

Reunião de Pais “Conversando sobre a atenção”

Sessão “Namorar…afinal o que é?

Sessão “Namorar…afinal o que é?

Um dia na EB2/3 de Argoncilhe” Visita dos alunos do 4ºano de escolaridade

Um dia na EB2/3 de Argoncilhe” Visita dos alunos do 4ºano de escolaridade

ENE- Educação, Negócios e Emprego -Europarque 5


Argonautas | Maio de 2009

Já temos luz no acampamento da Castanheira… por:

Marina Monteiro

Curso Alfabetização

Durante seis meses não tivemos luz. Esses meses foram tristes, porque à noite só havia escuridão. As crianças pequenas choravam pela luz, porque à noite era muito escuro. As barracas estavam só com uma vela acesa e era triste para as crianças, porque as crianças queriam a luz para ver televisão. Quem sofreu mais foi a nossa avó, porque ela é muito velha e ela chorava muito pela luz. O meu marido estava muito triste porque não havia luz para ver a televisão e ver futebol. Graças a Deus que já veio a luz. Demorou mas chegou. Agora estamos todos felizes, porque já veio a coisa mais maravilhosa do mundo. Até as crianças estão alegres e a nossa avó também. É uma alegria para todos os familiares. O meu marido nesse dia estava muito contente e esteve todo o dia a ver televisão. Deus é grande deu o que nós queríamos que é a luz que ilumina no dia-a-dia.

O ambiente e o 8ºA por:

Turma do 8º A

Com o objectivo de contribuir para melhorar o ambiente, os alunos da turma 8ºA da Escola E.B. 2/3 de Argoncilhe promoveram várias iniciativas ao longo do ano. A primeira delas foi vender alimentos nos intervalos e apresentar trabalhos sobre ambientalistas na Sala dos Alunos, com o intuito de reunir dinheiro para comprar 1m2 de terra no Parque Biológico de Avintes destinado a plantar árvores. O objectivo foi atingido com sucesso, e ainda foram fornecidas três árvores à escola, que já foram plantadas no seu jardim. No mesmo âmbito, os alunos realizaram um debate teatral contra a poluição, apresentado aos alunos do 4ºano, e, brevemente, irão apresentar um teatro ao Pré-escolar acerca do mesmo tema. Será ainda realizada uma exposição na biblioteca sobre parques naturais portugueses. Toda a comunidade educativa fica, desde já, convidada a visitar a exposição. 6

Entrevista ao escritor José Fanha por:

Filipa Martins; Sofia Azevedo; Tiago Silva e Tiago Ramos 6º D

Somos grupo de alunos do 6º D (Filipa Martins - FM; Sofia Azevedo - SA; Tiago Silva –TS e Tiago Ramos – TR) que preparou uma entrevista para realizar ao escritor José Fanha. A mesma deveria ter ocorrido a 19 de Maio, mas razões de força maior, impossibilitaram o escritor de estar presente nessa data, na nossa escola, pelo que a mesma foi adiada para 12 de Junho. Atendendo a que este número do ARGONAUTAS sairá antes do nosso encontro com o escritor, não pudemos deixar de partilhar convosco, algumas das perguntas que iremos colocar ao autor.

SA - Escreve livros apenas para crianças e adolescestes? SA - Qual foi o seu livro com mais êxito? SA - De entre as suas obras, qual é a sua preferida? E porquê? SA - Qual foi a editora que publicou a sua primeira obra? SA - Alguma das suas obras sofre influência de outros autores/obras? SA - Qual o seu escritor preferido? TR - Acerca do livro “ Zulaida e o Poeta e outras histórias”, porque razão escreveu esta história? TR - A “ Rainha das Sombras “ e as outras personagens são baseadas nos deuses gregos? TR - O tema desta história já foi vivido por si? TR - A moral presente neste livro é “ O amor vence tudo “ certo? TR - Porque razão escreveu “ Pássaros de Lata”? De onde é que lhe surgiu a ideia? TR - A lição que podemos tirar deste livro é que devemos acreditar nos nossos sonhos? Era isso que queria transmitir aos leitores? FM - Relativamente à obra “O dia em que o mar desapareceu”, o que o levou a escrever este livro?

TS – (Tiago Silva) – Bom dia! Desde já gostaríamos de lhe agradecer em nome do nosso Jornal Escolar OS ARGONAUTAS, a amabilidade em nos conceder esta entrevista. TS - Porque decidiu ser escritor? TS - Alguém o incentivou a escrever? TS - Gosta de ser escritor? TS - Qual foi o primeiro livro que escreveu? Que idade tinha? TS - Onde gosta de escrever os seus livros? TS - Em que se inspira para escrever os seus livros? É fácil ou difícil inventar histórias?

FM - É verdade ou não, que frequentava a praia retratada no livro? FM - Você está a comparar os “ Pássaros Bisnaus” com os humanos? FM - Pretendeu ao escrever este livro, transmitir uma mensagem ecológica intencionalmente ou foi apenas obra da sua imaginação? FM - Foi fácil ou difícil de escrever? FM -Já deu muitos autógrafos? FM - Já agora, para finalizar esta entrevista pode dar-nos um? TODOS - O nosso muito obrigado(a) pelo tempo e atenção dispensada!

Visita de estudo a Templos religiosos a Lisboa por:

No passado dia 21 de Maio realizou-se a Visita de Estudo a alguns templos religiosos a Lisboa: Templo Hindu; Mesquita Islâmica e Mosteiro dos Jerónimos. Eram cerca das 06:15h quando os autocarros rumaram a Lisboa, com uma paragem em Leiria para o um pequeno lanche. Em Lisboa, devido a um pequeno acidente no IC19, começámos a perder o tempo cronometrado ao segundo. Foi necessário diminuir o tempo de visita em cada templo religioso para ganhar o tempo perdido na viagem. O regresso foi pelas 19h com os objectivos cumpridos.

Clube de Jornalismo


Argonautas | Maio de 2009

Pedro Almeida 6º B

Sendo a Astronomia uma das ciências mais antigas (etimologicamente significa “lei das estrelas”) e que originou outros campos do saber, na área da Física e da Matemática, hoje abre-se num leque de categorias do conhecimento que envolve diversas observações, procurando obter respostas aos fenómenos físicos que ocorrem dentro e fora da Terra, bem como, na sua atmosfera e estuda as origens, evolução e propriedades físicas e químicas. Paralelamente esta ciência pretende a sua divulgação junto do grande público daí que, tanto os observatórios astronómicos como os centros de investigação em

Quem foi Darwin?

Tiago Ramos 6º D

Charles Darwin, naturalista inglês, nasceu em 12 de Fevereiro de 1809, em Shrewsbury. Aos dezasseis anos, deixou a sua terra natal, para estudar medicina na Universidade de Edimburgo. As práticas cirúrgicas sem anestesia efectuadas na época, levam Darwin a tornar-se clérigo, mas como a vida religiosa não lhe agradou aceitou o convite para tornar-se membro de uma expedição científica a bordo do navio Beagle. Assim, Darwin passa cinco anos (1831 a 1836) navegando pela costa do Pacífico e pela América do sul. Durante este período, à medida que contornava o mundo

Astronomia e Astrofísica têm programas de contacto com o público.

Se há um século atrás, mal tínhamos ideia da existência de nossa própria Galáxia, hoje sabemos que existem centenas de biliões delas graças aos constantes e novos desafios que são colocados a esta ciência, que no momento procura detectar a vida noutros planetas. Se pretendes aprofundar os teus conhecimentos nesta área, consulta o Plano de Actividades a desenvolver em Portugal pela Direcção da Sociedade Portuguesa de Astronomia (como sociedade científica representante da comunidade de astrónomos portugueses), neste ano de 2009. Para mais informações visita o sítio: http://www.astronomia2009.org

aportou em quase todos os continentes e ilhas maiores, onde reuniu grandes colecções de rochas, plantas e animais (fósseis e vivos). Após o seu regresso a Inglaterra, Darwin iniciou um caderno de notas sobre a evolução, reunindo dados sobre a variação das espécies, dando assim os primeiros passos para a Origem das Espécies. No começo, o grande enigma era explicar o aparecimento e o desaparecimento das espécies. Assim surgiram, na sua cabeça, várias questões: por que se originavam as espécies? Por que se modificavam com o passar dos tempos, diferenciavam-se em numerosos tipos e frequentemente desapareciam do mundo por completo? A chave do mistério Darwin encontrou casualmente na leitura: “Ensaio sobre a População”, de Malthus. Depois disso, nasceu a famosa doutrina darwinista da selecção natural, da luta pela sobrevivência ou da sobrevivência do mais apto – pedra fundamental da Origem das Espécies. As pesquisas feitas durante a viagem a bordo do Beagle são que fundamentaram a sua Teoria da Evolução, servindo de base para o famoso livro Origem das Espécies. A obra foi publicada em 1859, sob o bombardeamento das controvérsias – o que era muito natural: Darwin estava a mudar a crença contemporânea sobre a criação da

vida na Terra. Na obra Origem das Espécies, Darwin defende duas teorias principais: a da evolução biológica (todas as espécies de plantas e animais que vivem hoje descendem de formas mais primitivas) e a de que esta evolução ocorre por “selecção natural”. Os princípios básicos desta teoria de Charles Darwin, são quase que universalmente aceites no mundo científico, embora exista algumas questões polémicas. A Origem das Espécies demonstra a actuação do princípio da selecção natural ao impedir o aumento da população. Alguns indivíduos de uma espécie são mais fortes, podem correr mais depressa, são mais inteligentes, mais imunes à doença, mais agressivos sexualmente ou mais aptos a suportar os rigores do clima do que os seus companheiros. Estes sobreviverão e se reproduzirão, enquanto os mais fracos perecerão.

c u l o

mo s i ion

in w r a de D

ev

O ano de 2009 foi consagrado ano internacional da astronomia e pretende ser uma celebração global da Astronomia e suas contribuições para o conhecimento humano, assim como, comemora os 4 séculos desde que Galileu Galilei fez as primeiras observações telescópicas do céu.

do

por:

2009: Ano internacional da Astronomia

ria o Te

7


No Templo dos deuses

Argonautas | Maio de 2008

No templo dos deuses

Argonautas | Maio de 2009

Mega Sptinter

Steven Campos (9ºA), medalha de bronze no MegaKilómetro Aqui estão umas fotografias dos nossos melhor campeões:

LANÇAMENTO DO PESO Basquetebol (Iniciados) Futsal (Iniciadas)

Encontro de Atletismo Escolar Desporto por:

NOMENOMENOMENOMENOME

Professor

por:

José Rodrigues

O grupo de Educação Física organizou Professor no dia 14 de Março de 2008, um Encontro de Atletismo que contou com a participação Clube Desporto da nossa de O cerca dede 200 alunos Escolar distribuidos pelas escola é constituído por 8 equipas. seguintes especialidades: salto Este em ano lectivo já estão inscritos mais de 130 comprimento, salto em altura, lançamento alunos 5 modalidades existentes. do pesonas e Resistência (500 metros). Aqui estão algumas foram fotografias dos nossos Os vencedores os seguintes: atletas: Badminton Salto em comprimento melhor salto

Infantis A F (97/98) Diana Reis Infantis A M (97/98) André Cabeça Infantis B F (95/96) Patrícia Guedes Infantis B M (95/96) Diogo Pereira Iniciadas (93/94) Raquel Tavares Badminton Iniciados (93/94) Roberto Nascimento Juvenis F (91/92) Joana Pimenta Juvenis M (91/92) Edgar Santos

5 E

4.00 m

5 B

3.80 m

7

B

3.60 m

6 C

3.75 m

9 A

4.30 m

8 B

5.45 m

9 C

3.70 m

7 A

4.60 m

Salto em altura Infantis A F Sara Lopes 5 Infantis A M Paulo Amorim 5 Infantis B F Raquel Marques Basquetebol (Infantis)7 Infantis B M Pedro Moura 6 Iniciadas Andreia Ribeiro 8 Iniciados Pedro Carvalho 9 Juvenis M Pedro Guedes 9

melhor salto B

1.10 m

C

1.15 m

B

1.25 m

B

1.30 m

D

1.25 m

D

1.70 m

A

1.50 m

Infantis A F (97/98) Beatriz Couto Infantis A M Filipe Silva Infantis B F (95/96) Ana Costa Infantis B M Ricardo Rocha Iniciadas (93/94) L. Margarida Sousa Juvenis F (91/92) Diana Duarte Patinagem Iniciados António Ferreira Juvenis M Ricardo Magalhães

lançamento

5 C

4.49 m

5

C

6.61 m

7

B

6.68 m

7

C

8.42 m

9

E

8.42 m

8

B

5.73 m

8

D

10.74 m

9

D

9.80 m

500 Metros Infantis A F (97/98) Sofia Azevedo 5 D Infantis A M André Cabeça 5 B Voleibol e Iniciadas) Infantis (Infantis B F (95/96) Eva Tavares 6 A Infantis B M (95/96) Fábio Ribeiro 6 B Iniciadas (93/94) Rosa Cancela 8 C Iniciados Steven Campos 8 A

Nunca é tarde para começares a praticares desporto. Ainda podes inscrever-te no Desporto Escolar. Fala com o teu professor de Educação Física e anda divertir-te. Mega-Atleta No dia 30 de Janeiro realizou-se o Mega-Atleta, na Nave de Espinho, uma actividade composta por três provas de Atletismo: Velocidade (MegaSprint), Salto em Comprimento (MegaSalto) e 1000 metros (MegaKilómetro). Argoncilhe esteve representada neste evento com 30 alunos, aqueles que venceram as provas realizadas na nossa Escola, e conseguiu ganhar 3 medalhas, 2 de prata e 1 de bronze. E os medalhados foram: Bruna Guimarães (5ºB), medalha de prata no MegaSprint Dylan Oliveira (7ºC), medalha de prata no MegaSprint

Corta-Mato por: NOMENOMENOMENOME No dia 11 de Fevereiro realizou-se 5º C o Corta-Mato regional, em S. João da Madeira, que contou com a presença de O grupo de Educação Física organizou 45 alunos da nossa Escola. Infelizmente, e no às diamás 13condições de Fevereiro de 2008 devido climatéricas, nãouma actividade de Atletismo quenacontou foi possível realizar esta prova nossacom a participação de cercapara de o250 alunos Escola. Os alunos apurados Cortadistribuídos pelasaqueles seguintes -Mato regional foram queespecialidades: obtiveram salto em comprimento, velocidade melhores resultados no teste da Milha,( 40 metrosnas ) e Resistência ( 1000 metros). realizado aulas de Educação Física, no inícioOs dovencedores ano lectivo.foram os seguintes: Os nossos atletas, apesar de se terem Salto Comprimento esforçado ao em máximo, não conseguiram Infantis A Femininos ReisInfeliz5º E qualquer medalha para -aDiana Escola. Infantis A Masculinos - André Cabeça mente, os alunos que participaram no es-5ºB Infantis B Femininos - Patrícia Guedes 7ºB calão de Juvenis Masculinos não dignificaMasculinos Pedro Teixeira 7ºC ram Infantis a nossaBEscola, e não-se empenharam Iniciados Femininos - Raquel Tavares minimamente na sua prova, ficando nos9º A Iniciados Masculinos - Roberto Nasc. 8ºB últimos lugares. Juvenis Femininos - Marisados Carvalho Parabéns aos alunos outros8ºC Juvenis - Filipe 9º A escalões, queMasculinos portaram-se comoReis campeões, apesar de não terem conseguido resultados Resistência (1000 metros) muito relevantes. Infantis A Femininos - Diana Reis 5º E Infantis A Torneio deMasculinos Voleibol - Paulo Amorim 5ºC Infantis B Femininos - Kathleen 7ºB No último dia de aulas do 2º período Infantis oB Torneio Masculinos - Miguel Vieira 5ºD realizou-se de Voleibol, para as Iniciados Paula Santos turmas do 3º Femininos ciclo. Esta -actividade teve9ºC a Iniciados - Vasco de 9ºDFiães presença do Masculinos Clube Desportivo Juvenis - Marisa Carvalhodo8ºC (CDF), que Femininos trouxe vários treinadores Juvenis - FilipeMasculinos. Reis 9º A Clube e a suaMasculinos equipa de Juvenis Estes atletas, além de realizaram um Velocidade metros) excelente jogo de (40 exibição, colaboraram Infantis A Femininos - Diana 5º E ainda na arbitragem dos jogos doReis torneio. A Masculinos - Fábio 5º E OInfantis CDF tem várias equipas deRibeiro Voleibol, Infantis eBfemininas, Femininosem - Soraia masculinas vários 7ºB escalões Infantis B Masculinos Pedro etários. A nossa escola já- tem 8 Moura alunas 6ºB a Iniciados Femininos - Sara Queirós 9º A treinar nas equipas daquele Clube e estão Iniciados Masculinos -Porque Bruno Lopes do 9ºB a adorar a experiência. não vais Juvenis Femininos - Marisa Carvalho também experimentar? Fala com o teu8ºC Juvenis - Filipe Reis 9º A professor deMasculinos Educação Física… Relativamente ao Torneio de Voleibol, destacamos os finalistas das diferentes competições: Torneio 7º ano: 1º classificado - 7A3 2º classificado - IMPARÁVEIS DA RITINHA Torneio 8º ano: 1º classificado - SEM NOME 2º classificado - B DE BOLEI Torneio 9º ano: 1º classificado - NPN 2º classificado - SHAIMITE

Sabias que...

5 8


Argonautas | Maio de 2009

Jogos sem fronteiras por:

Rosalina Ferreira Professora

No passado dia 18 de Abril de 2009, um grupo de alunos da Escola E. B. 2/3 de Argoncilhe acompanhado pelos professores de Educação Física, Carlos Tavares, e de História, Rosalina Ferreira, participou nos Jogos Sem Fronteiras no âmbito da Evocação dos 200 anos das Invasões Francesas em Arrifana, realizados no Pavilhão Gimnodesportivo da Escola E. B. 2/3 de Arrifana.

O evento foi composto por seis provas de carácter desportivo/recreativo com um enquadramento histórico, nomeadamente a “Guerra das Laranjas”, o “Massacre da Buciqueira (de Arrifana), a “Fuga para o Brasil”, a “Ponte das Barcas”, a “Pilhagem” e a “Terceira Invasão”. Nestas provas participaram diversas equipas representativas de cada um dos agrupamentos de escolas do concelho da Feira, constituídas por oito elementos, dos quais cinco efectivos e três suplentes. Todos os participantes utilizaram trajes da época oitocentista

alusivos às invasões napoleónicas de forma a recriar o ambiente histórico ideal.

Os “Resistentes”, designação atribuída à equipa da nossa escola, participaram em todas as provas, demonstrando sempre espírito de equipa e força de vontade em alcançar bons resultados. Mas, acima de qualquer resultado, esta actividade proporcionou aos nossos alunos. um contacto com colegas de outras escolas e facilitou não só o convívio entre eles, mas também permitiu enriquecer os seus conhecimentos e mostrar as suas competências físicas. O Grupo os “Resistentes” foi composto pelos seguintes alunos: Adriana Oliveira (5º D); Pedro Almeida (6º B); Maria Pimenta (6º D); Ricardo Neves (7º A); Mónica Pinho (8º A); Rafaela Encarnação (8º A); Tiago Pinto (9º C) e Carla Cabeça (9º D).

9


Argonautas | Maio de 2009

Galileu Galilei por:

Filipa Lopes 6º D

Leonardo da Vinci por:

Sofia Azevedo 6º D

Galileu Galilei nasceu em Pisa (Itália), no ano de 1564. Foi um dos principais representantes do Renascimento Cientifico dos séculos XVI E XVII. É considerado o pai da moderna física experimental e da astronomia telescópica. As suas experiências foram um grande contributo para a ciência moderna. Inicialmente, estudou medicina na universidade de Pisa, tendo depois abandonado estes estudos, para se dedicar à física, astronomia e matemática. O desenvolvimento destes estudos permitiram a Galileu ser o primeiro cientista a contestar as afirmações de Aristóteles. Neste período, fez ainda a balança hidrostática, que posteriormente conduziu ao relógio do pêndulo. Construiu a primeira luneta astronómica, e com ela pode observar a composição estelar da Via Látea, os satélites de Júpiter, as manchas do sol e as fases de Vénus. Em 1610, estas descobertas astronómicas foram expostas ao mundo, no livro Sidereus Nuncius (mensageiro das estrelas) que causou sensação pela Europa inteira. Em 1611 o astrónomo italiano teve de ir a Roma, pois era acusado de herege, já que as suas convicções colocavam em causa as teorias aceites pela Igreja Católica e A Sagrada Escritura. Julgado pelo Santo Ofício de Roma foi condenado tendo sido obrigado a negar publicamente a teoria heliocêntrica e condenado a viver em prisão domiciliária, em Arcetri, onde irá produzir outras obras que posteriormente foram publicadas em segredo na Holanda. A 8 de Janeiro de 1642, morreu completamente cego e condenado pela Igreja Católica pelas suas convicções científicas. A mesma instituição que o condenou absolveu-o muito tempo após a sua morte, em 1983. Finalmente, em 1992 o Papa João Paulo II deu por encerrado o caso Galileu, reconhecendo que alguns elementos da Igreja haviam cometido erros neste processo.

10

Nasceu em Anchiano (Itália), a 15 de Abril de 1452. Foi uma das figuras mais importantes do Renascimento daquele país. Destacou-se como cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquitecto, botânico, poeta e músico. Nascido como filho ilegítimo de um notário, Piero da Vinci, e de uma camponesa, Caterina, em Vinci, na região da Florença. Foi educado no atelier do pintor florentino, Verrocchio. Passou a maior parte do início de sua vida profissional a serviço de Ludovico Sforza (Ludovico il Moro), em Milão; trabalhou posteriormente, em Roma, Bolonha e Veneza, e passou os seus últimos dias na França, numa casa que lhe foi presenteada pelo rei Francisco I. Duas das suas obras, a Mona Lisa (óleo sobre madeira álamo, 77 × 53 cm, encontra-se no Museu do Louvre – Paris) e A Última Ceia, estão entre as pinturas mais famosas, mais reproduzidas e mais criticadas de todos os tempos. O desenho do Homem Vitruviano, também é considerado como um ícone cultural, sendo muito reproduzido. Leonardo da Vinci é considerado por muitos, o maior génio da história, devido à sua multiplicidade de capacidades, nomeadamente, para as ciências e artes e pela sua inventividade e criatividade. Num estudo realizado em 1926, o seu QI foi avaliado em cerca de 180.

Louis Pasteur por:

Tiago Francisco 6º D

Pasteur nasceu em 1822, em Dôle (França). Foi um importante cientista francês, que se destacou pelas descobertas que fez no campo da medicina e da química. Nunca foi um aluno de destaque, até iniciar o seu percurso, no ano de 1843, na Escola Normal Superior, em França. Nesta escola, teve aulas com um outro grande cientista, Jean Baptiste e surge o seu interesse pela química e pela medicina.

Thomas Edison por:

Tiago Franciisco 6º D

Thomas Alva Edison nasceu no meio de uma família de classe media, a 11 de Fevereiro de 1847. Seu pai Samuel Edison era comerciante, carpinteiro e vendedor de bugigangas e sua mãe Nancy Eliot Edison, gostavam muito do seu filho. Thomas tinha sete irmãos, mas 3 morreram ainda muito pequenas. Thomas era o mais novo dos 7. Em 1853 ele e a sua família mudaramse para Port Huron, onde Thomas deve problemas na escola: seu professor dizia que ele era muito irrequieto, que era um estúpido e que estava sempre a fazer perguntas, o que o leva a deixar a escola passados 3 meses de ter entrado. Sua mãe então faz de sua professora. Com ela aprende bem, decora tudo o que lê nos livros que a sua mãe lhe compra e constrói um laboratório de Ciências em sua casa. Cresce e arranja um emprego como condutor de comboios ao mesmo tempo que vendia jornais. No entanto, nos tempos vagos Thomas fazia experiências, aprendeu o Código Morse e construí telégrafos artesanais. Em 1869 muda-se para Nova Iorque e torna-se inventor independente. A partir dessa data, passa a dedicar-se a tempo inteiro às invenções. Thomas Edison foi um grande inventor, tendo criado coisas tal como o fonógrafo, mas a sua maior descoberta foi a descoberta de Luz.

A sua primeira grande descoberta ocorreu enquanto observava pelo telescópio, o dimorfismo do ácido tartárico. Aos 26 anos ganhou a Concessão Da Legion D’Honneur Francesa, por ter descoberto o desvio no plano de polarização da luz. Pasteur foi ainda o inventor de muitas vacinas, muito usadas na sua terra, mas que inicialmente encontraram alguma resistência junto dos outros médicos quanto à sua utilização, daí que Pasteur tivesse que insistir muito junto destes, para que adoptassem o seu método das vacinas. Após tanta insistência, o método divulgou-se e foi um enormr contributo para a saúde pública. Algumas das vacinas inventadas por Pasteur foram: vacinas para eliminar os microrganismos das feridas e infecções; vacina contra a raiva e para eliminar micróbios no organismo; vacinas contra a cólera, vacinas que tratavam algumas epidemias, entre outras.


Osdeuses deuses devem devem estar Os estarloucos loucos

Argonautas | Maio de 2008 Argonautas | Maio de 2009

Sopa de na Letras Procura SOPA DE LETRAS -Natureza - Matas - Poluição - Parques escondidos: ambientais - Extinção - Animais - Aquecimento global os cientistas Ambientalistas - Botânica - Atmosfera - Biosfera - Biologia - Zoologia - Biólogos - Plantas - Floricultura por:N

Adivinhas As piores piadas

Porque é que um aluno estuda num avião em andamento? R: Para ter a educação mais alta. por:

Tiago Silva

A T U R E Z A M M L A B O L G O T N E M I C E U Q A

A C B N E R T U I O F D M Z

Qual é o cúmulo da paciência? 6º D R: Ver uma corrida de caracóis em Ocâmara que é lenta. que uma impressora diz para a outra? -Essa folha é cúmulo tua ou édos impressão minha? Qual éo cúmulos? R: Um mudo dizer a um surdo que um Sabem quando é que os americanos cocego viu. meram carne pela primeira Qualvez? é o cúmulo da força? - FoiR:quando chegou o Cristóvão coDobrar lá uma esquina. por: lombo

F R H L K P X F Y E S A N T L Y Z Q D E R C V Ç N T E Q

Q A E I N S T E I N V R B D

G B N L T F Y U F X Ç O M X P K A P S Z V W F T D U M E

R D A Q O N M K I Y T D S F

P M K Y G C Q A S U R I Z Ç M L F H D C W Y Q X A P V M

A J B H Y A M P A R Q U E S A M B I E N T A I S A S N

U G T Z B A C F T U F S E X

M X Z Q A D Ç S J U V T E W T F Ç L N X R J B G Y H A L

P H G C E A A A P D T U P N

B Q W E R T Y U I O P A S D F G H J K T D C E G N Y U R

D K J F L D S D A L I L E U

I N B I O S F E R A N M Q W E R T Y U I F R E W Q Q Y S

E B V C X Z Ç L K J H G F D S A P O I N G T X Z F W Z E

Z L I H E G D D S S X A E T

N M J P A S D F G H B I O L O G I A I Ç H Y C Ç L E O A

T Q H O J K L Ç M Q W E R T Y U I O P A J U V L O R O W

No hospital, diz o médico: de Hermes - Mensagem O senhor é o dador de sangue? - Não, eu sou o da dor de cabeça!

2

I

3

B

Dois litros de leite atravessaram a rua e foram atropelados. Um morreu, o outro não, porquê? - Por que um deles era Longa Vida.

4

E

por:

Rui Teixeira

Preservar 5

R

6

D

7

A

8

T Y B N Q G N L D Ç E H V C A P J B C R X S D F L O G O

A U A D O L K Y F R E C B M L A P U Z T C A W J T P I L

C O P E R N I C O A Z E S P

U I P L F N K D E T A O M F P X Ç A A Y V R E H U A A P

X N B U V P M D H Q M R A V

M O O G H J K L Ç N G T E A W Q C H I U B E R G R S C Ç

P I Y U I O O P AO I MO I LO P ÇO J IO H ÇO J IO N FO T F A D X B

B Luana Q MSilvaN T M E6º DW U I O P A S D F V J Y S N I Z -PCopérnio G A C X J A C -MGalileu N K W V N X B -MCurie U P H N O N O -VLavoisier E F T B A T V -GEdison N K R C I V X -BNewton L K E Z C A Ç -PEinstein B Ç T L -ONobel P A K M Q W E -SPasteur O M T Y U I O D S A P V B N M F G H J Ç L K Z R A X A

A M B I E N T E T O B H W E F D Y I J O O A Ç I U L O P

9 Temos que preservar o ambiente, acabar com a poluição. podemos causar a Junta de 1 -Não General que presidiu mais destruição. Salvação Nacional.

Temos que ter um mundo melhor, despoluir tudo em redor!!!

A natureza por:

Tiago Silva, 5º D

D E

Por que o galo canta de olhos fechados?6º C -O Porque ele já sabe a letra da música de ambiente cor. ter de salvar 2 - Antes do 25 de Abril não existia. Vamos camada de ozono, 3 -AFoi uma das colónias que conseguiu Para o planeta está-se a destruir. Já conheces a piada do fotógrafo? a independência. Não acabar. umde pouco - Ainda não foi revelada. 4 -Daqui Com oa 25 Abril foi abolida. nada vai existir. 5 - Este movimento foi chamado a “RePara ti olhei OPara que tié serei que um cromossoma fala pró ouvolução dos …” As zonas tro? 6 Em 1976 costeiras realizaram-se estas eleiNunca mais te irei deixar vão acabar, - Para Cromossomos bonitos! ções em Portugal. ti estarei sempre a olhar. Portugal 7 -até Sigla do movimento militar que orse vai afundar. ganizou a Revolução do 25 de Abril A natureza é nossa amiga de 1974. Por isso vamos ter de aplicar deantiga acabar, 8 -Temos Sigla da polícia politica do A amizade, o amor e o carinho com estaNovo. degradação, Estado Por ti vamos ter que te amar. ambiente do nãoConselho contaminar 9 -oResidente até 24 de eAbril começar com a de 1974. despoluição. Natureza estás destruída Nós sem ti não seremos nada Acabar com esta geração Tu és a minha vida e uma nova começar, Sem ti nós não sobreviveremos. para as regras de despoluição aplicar. Depois de tanto olhar Vi a natureza triste e destruída Para te poder alegrar Eu daria a minha vida.

S T S T W J O C M U N G S H N N A T W E Z A Q G U I O E

6º B

L

A natureza

I R D Y E H L S T Ç M A N L T M U R R W Ç P M H C U L X

Diogo Santos

1

por:

L E F U R G K Ç Z X T U B O A O B F K Q L O N J I Y O Z

F H K L N Ç E D I S P S A A C K L Ç P R A Q Q V G J N J K L A D G C J S N A U Q T E U R F T W H I S Z T X E X V O I S I B N S F T G Z E Y O

Crucigrama

O que é que a galinha foi fazer na igreja? - Assistir à Missa do Galo.

A W G I M F D S A A X C V B S U A D J O K I B K R T L C

Sofia Alves e Maria Pimenta 5º D

Para um bom ar respirar O mundo devemos preservar Para animais ter Um pouco teremos de sofrer

Para o bonito azul do céu ver Também devemos proteger

Advinhas por: Para melhor viver

Tu tens de aprender!!

Andreia Guimarães 6º A

1 - É pequeno, pequenino mas com tal poder e arte, que se não o colam bem não vai a nenhuma parte! O que é? 2 - Qual é coisa qual é ela que entra primeiro e só depois abre a porta? 3 - O que é que anda muito devagar, lá por ter muitas patinhas, trepa, trepa onde quer só para roer as folhinhas? 4 - Qual o Oceano que não se zanga com ninguém? 5 - No Verão sou fresquinho, no Inverno geladinho. Se mudam de posição, mudo eu logo de direcção. O que é? 6 - Sempre quietas, sempre agitadas, dormindo de dia, de noite acordadas. O que é?

Sabias que...

Soluções:

1 - O selo; 2 - A chave; 3 – A lagarta; 4 - O Pacifico; 5 – Vento; 6 - As estrelas.

11

11


Mensagem de Hermes

Argonautas | Maio de 2009

Mensagem de Hermes

Provérbios de Abril e Maio

O Mar

por:

meus desejos OOs Rio

por: por:

Tiago Silva Patrícia, 6º C 6º D

Imagino-me na nascente Quem me derade ter,um rio, Bem lá no alto e penso que salto Uma fada madrinha. Imagino que mergulho na água fria, Uma amiga pequenininha Que nado com alegria. me desejos conceder. PensoPara em golfinhos a rodopiar, Em peixes a saltar e Rouxinóis a cantar. Pediria um lençol, Mas, depois, acordo lembro-me Ou se fosseepossível Que oUma Homem cada polui mais banda de vez Rock n’ Roll. Que cada vez destrói mais Que cada vez mata mais. Acordo e penso num cheio rio, de flores, Pediria um jardim Como o que vi, ainda há dias, De mil e uma cores, Sujo e vestido de negro, Ou então um arco-íris brilhante Vestido de luto, estrela cintilante. VestidoOu de uma desassossego,

Andreia 6º A

Argonautas | Maio de 2008

O que as Fadas me podem dar por: por:

A Liberdade

Ricardo Inês Sofia Cardal Castro, 5º C 6º D

por: frio e molhado, enche o celeiro * Abril e 6º C João Lopes, A liberdade é farta o gado.no mar, fadas sãotodo muito bonitas Imagino-me um As bem a que * Abril, Abril, está cheio o covil. Nadando, nadando, o serE humano tem boazitas, todas muito * Em mil. direito, todos osde condão, AtéAbril umaáguas ilha chegar Come... a varinha * Em Abril queima a velha o carro e o restantes animais.quiser um cão! Para se alguém carril. Tirar a liberdade Encontro uma águia, * Em Abril, cada pulga dá mil. a um animal Logo a monto, Se elas a mim quisessem fadar, * Em Abril, voando lavra assem altas, mesmo com indefeso é me como Voando, parar O que alas me poderiam dar? água pelo machil. tirar-lhe a alegria boa fama? de viver,Uma a própria * Em Abril,novamente vai onde deves ir, mas volta Chego ao mar, vida. Ou uma grande cama? ao teu cuvil. Nado, nado, nado, Como estão enganados aqueles que * Inverno Março eas seca de Abril, deiAté mede acabarem forças, pensam que uma gaiola dourada é a felicidade xam o lavrador a pedir. Se eu for o escolhido, de um pássaro!... Pode ser a daqueles que * Não Não possoter ficaro batido. Ficohá nomês mar mais irritado do que Abril acham bonito seu jardim enfeitado Àzangado. procura de uma ilha encontrar Tenho que pensar, com uma linda gaiola com um pássaro de * No princípio ou no fim, costuma Abril a Para me aconchegar, Para não perder o lugar! azuis, verdes, penas belíssimas amarelas, ser ruim. vermelhas... e uns olhos tristes que vêem * Quando vem Março ventoso, Abril sai Um navio descubro, sempre a mesma paisagem, as mesmas Se as fadas me desse a escolher chuvoso.a gritar Começo pessoas, sentem ospodia mesmos cheiros, ouvem Um bom carro ser! * Quem em Abril não varre a eira e em Para casa regressar os mesmos sons... Mas o que eu quero, mesmo sendo rapaz, Maio não rega a leira, anda todo o Pobre pássaro que vive das recordações um mundo de paz. ano em canseira. dosÈdias em que cheio era feliz, que brincava nos Sentar-me no sofá * Uma água de Maio e três de Abril vacampos, que pousava nos ramos das árvores Para recordar por mil. e nas flores, que rebolava nos prados, que se Alem minha história no mar…

* Em Maio queima-se a cereja ao borralho. * Maio pardo e ventoso faz o ano formoso. * Quando Maio chegar, quem não arou tem de arar. * Quem em Abril não varre a eira e em O desassossego das lembranças Maio não rega a leira, anda todo o Dos peixes mortos e dos esgotos que lhe ano em canseira. Ou pediria saúde e alegria lançam. * Quem em Maio não merenda, aos finaE uma vida cheia de fantasia!! dos se encomenda. E volto a adormecer e volto a pensar Num rio transparente a serpentear E penso, mas penso com força Que quando acordar vou encontrar O rio limpo em que desejo nadar. por: Andreia

deliciava a beber a água cristalina dos rios... Oh!... como era bom brincar às corridas, aos voos rasantes, aos voos a perder de vista a terra, o mar...   Soltem-me!... Quero voar!... soltar as por: Filipa Lopes 6º D minhas lindas asas subir, subir, subir... Quero viver!...

A Minha Fada Madrinha

A minha Fada Madrinha Tem umaAVarinha, liberdade é um bem precioso que deve sermão guardado como um tesouro. Só privados Na sua dela, ppodemos Que andam por aí a perceber dizer, o quanto representa para nós. Que é uma Varinha de Condão.   Ela tem imensos vestidos, Às bolas, riscas e risquinhas Que todos condizem com ela 6º A Até mesmo o das cores lisinhas. por: Sofia Azevedo   Mãe há só uma, 6ºD A minha Fada Madrinha, Tu e mais nenhuma Se eu Tivesse uma Fada Madrinha, Concede-me os desejos que eu quero Mãe é uma palavra pequenina, Só iria ser minha! Mas tão fácil de pronunciar, Até mesmo os mais difíceis, Primeiro, dava-lhe um beijo, Que tem mais valor do que todas as Pois ela faz tudo o que eu quero !!! E logo seguida pedia-lhe sugestões! Estamos receptivos às ideias Iráderealizar-se, no diaum 21desejo… de Junho outras e mais nenhuma poder contar com a detutodos e esperamos (logo após o último dia de aulas), a Mãe Oprimeira que lhe “Festa queria do pedir? Mãe gosto muito ti colaboração dedetodos! Verão” da nossa escola. Uma bonecadesde a sorrir? insignificantes, Paratão informações/sugestões contactem Contando já com a participação Três letras Não! barco para andar no mar! do Mas dão uma palavra osjuntas professores Paula Campos (Ed. de Pedia váriosum outros estabelecimentos Para eu, e os meus pais bonita /João do mundo Musical) Paulo Silva (Matemática). agrupamento (jardins depodermos infância e escolas Mais velejar. do primeiro ciclo), será uma festa aberta Mãe palavra mais bonita nao há. a toda a comunidade escolar, onde se M de mamã, Depois, pedia-lhe desejo, pretende divulgaroutro trabalho e promover o à de amor, Que era fazer um feitiço intercâmbio entre os vários elementos da E de esperança, Àcomunidade. minha irmã Aproveitando o espírito dos Mãe como te quero bem. Porque vezes, sóame apetece Santosàs Populares, Festa contará com as É preciso saber, Dar-lhe com um ouriço… mais variadas actividades, tais como um É preciso viver, arraial com marcha e venda de manjericos, É preciso sonhar, momentos musicais, jogos tradicionais, É preciso amar, mostras de trabalhos das várias áreas Amar-te a ti curriculares, venda de comidas e bebidas, Minha flor minha beleza, Escreve a tua opinião para: venda de artesanato, representação de Que és tu mãe! jornal.argonautas@gmail.com peças de teatro… Querem mais?... Façam

Fada Madrinha Festa do Verão

12

12

Poema do Dia da Mãe

Aproximam-se as tão desejadas férias!


Argonautas Maio 2009