Issuu on Google+

Dom Paulo é ovacionado na Câmara Dias antes de partir para Uberaba, foi ovacionado pelo povo, durante reunião na Câmara Municipal. A plateia aplaudiu-o por cerca de um minuto e dezenas de vozes gritavam: “Dom Paulo, Dom Paulo”. Página 21

Várias autoridades fizeram uso da palavra.

Deputado do PT, Marcos Rillo, na tribuna do plenário .

Despedida na Catedral em RP

Advogada Gisele Paschoetto, presidente da Amertp.

JORNAL

ABRIL-MAIO DE 2012

Momento em que Dom Paulo entrega o Báculo à equipe de Consultores. Pág. 4

Consultores elegem Administrador

Dom Paulo Mendes Peixoto, Arcebispo de Uberaba.

CIRCULAÇÃO NACIONAL

ANO 16

Nº 173

S. J. DO RIO PRETO/SP

Manifestantes a favor da Amertp aplaudiram Dom Paulo em apoio da igreja ao meio ambiente.

ARCEBISPO CELEBRA A 1ª MISSA NA CATEDRAL DE UBERABA Veja o texto da jornalista Vanessa Peixoto. Páginas 34, 35 e 36

MAIS DE 4 MIL NA POSSE DE D. PAULO

Dom Paulo foi recebido ao som do Hino Pontífice, executado pela Banda de Música do 4º Batalhão da Polícia Militar. Em seguida, entraram em cena as vozes do Coral Mater Salvatoris.

Assim que tomou posse, Pe. Jarbas marcou uma reunião com o Colégio dos Consultores. Página 3

Valdomiro faz visita ao administrador

O prefeito Valdomiro Lopes da Silva fez uma visita cortesia ao Padre Jarbas, novo coordenador diocesano. Pág. 3

Campanha nacional contra a gripe

Momento em que Dom Roque entrega o Báculo a Dom Paulo. Detalhe 1: Paulo Mendes Peixoto na adolescência. Detalhe 2: Cardeal Odilo Scherer.

6 ANOS: EDIÇÃO ESPECIAL

O jornal “D.H.” acompanhou a trajetória de D. Paulo neste período e publica algumas realizações e desafios.

Idosos com 60 anos ou mais, gestantes, crianças a partir de seis meses e menores de dois anos.

Página 12

D. PAULO COMPLETOU 25 MIL CRISMAS NA SÃO BENEDITO


2

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

MENSAGEM DE DESPEDIDA PALAVRA DO BISPO

São seis anos de convivência, de trabalhos juntos, com enfrentamentos e vitórias. Agora vou para outra missão, voltando para minhas terras mineiras. Creio ter cumprido aqui o que a Igreja me pediu, fazendo o possível para construir o Reino de Deus. E saio de coração tranquilo, mesmo sabendo que muita coisa ainda está por fazer. O momento é de gratidão e de pedido de perdão. A Deus, pelo dom da vida e da missão. A Ele também o pedido de perdão por atitudes desnecessárias. Mas isto se estende a toda a comunidade diocesana. Digo que fui muito bem acolhido por todos. Recebi muitas críticas, muitas palavras de ofensas, mas tudo superado pela generosidade do povo. Dirijo-me aos queridos sacerdotes e diáconos, mesmo àqueles que não foram simpáticos a mim, e creio ser um número muito reduzido, mas quero o bem a todos. A minha gratidão pelo empenho que cada um tem em

Editorial

sua paróquia. O que seria do bispo sem os padres! Peço perdão aos que se sentiram ofendidos com nossas tomadas de decisão. Aos religiosos e religiosas, seminaristas, as novas comunidades e todos os vocacionados que são marcas referenciais na caminhada diocesana, a nossa gratidão e votos de fecundidade na missão. Ao povo em geral, principalmente às lideranças leigas, ministros extraordinários da eucaristia, catequistas, membros das pastorais, obrigado pelo carinho e esforço de caminhada. Na condução dos diversos órgãos da diocese, seja na casa episcopal, na cúria diocesana, nos seminários, no sistema diocesano de comunicação, o colégio dos consultores, os outros conselhos, a minha eterna gratidão e o desejo das bênçãos de Deus para a continuidade dos trabalhos. Sinto que tivemos uma parceria harmônica e responsável. Gostaria também de agradecer os meios de comunicação social existentes na diocese, não só os ligados à Igreja, mas todos que levaram nossa mensagem, seja pelo rádio, pela tele-

visão, os jornais escritos, a internet. Vejo que tudo ajudou no desempenho de minha missão, dando claridade e transparência nas atividades realizadas. Volto para Minas Gerais com aquele gosto de ter conseguido muitas novas amizades e ter podido prestar um serviço com muita seriedade e determinação. Não carrego mágoas e nem sentimentos negativos. Digo que foi muito bom passar pela diocese e experimentar o aconchego do noroeste paulista com todas as suas riquezas e deficiências. Agora é olhar para frente, recomeçar de novo e enfrentar o que está por vir. Estarei sempre à disposição da Igreja e ao serviço do povo de Deus. A meta principal será sempre o bem e a qualidade de vida física e espiritual das pessoas, seguindo meu lema: “Para o serviço à vida”. Rezem por mim e que Deus continue abençoando nossas ações. São José do Rio Preto, abril de 2012. Dom Paulo Mendes Peixoto

Membro da Comissão Bíblico-Catequética Nacional

Mãe das mães

Deus é um Pai que nos ama com o coração de mãe. Para quem não aceita que o Espírito Santo seja o lado feminino de Deus, esta afirmação do Beato João Paulo II resolve o problema de gênero na intimidade da família divina. A Trindade Santa é a matriz de toda manifestação da vida, desde sua constituinte atômica até a expressão mais alta e sublime do espírito do cosmos. Se assim o é, o Deus Trino também formatou a dimensão materna de todo o universo - ou do multiverso, para nos adequarmos a uma visão inclusiva mais atualizada da dinâmica da energia geral. Nós encontramos o projeto de mãe, segundo o protoevangelho de João, desde toda a eternidade, no coração de Deus. Mas, para reconhecer no tempo e no espaço - na história - o valor e a missão das nossas mães, não precisamos voar tão alto como o autor bíblico. As mães do padre, do médico, do índio, da professora, do gari, da moça da zona azul, do presidiário, do dependente químico, do pobre, do excluído são constituídas da mesma “liga divina”. Na “placenta do

Vaticano II

Espírito”, o DNA em que Deus fundiu as nossas células, é que elas nos geraram. Para que não ficássemos órfãos, Junto com o advogado - o Espírito Paráclito - Jesus deixou sua mãezinha para cuidar de nós, seus irmãos, com toda dedicação materna. Maria foi imprescindível na vida da comunidade apostólica, principalmente depois da ressurreição do Senhor: ela imprimiu de tal modo sua marca na vida dos primeiros discípulos que não podemos separar sua maternidade da maternidade da Igreja de Jesus. Assim, para nossa fé, a mesma mãe de Jesus é nossa mãe, é a mãe de Deus e a mãe da Igreja. Nesta edição do Diocese Hoje, queremos homenagear todas as mães que queiram caber no nosso coração, no coração de nossas comunidades e no coração da sociedade. Ainda, queremos agradecer a Deus que nunca deixou de nos presentear com mães cujo amor, a exemplo de Maria, mãe das mães, nos introduzem nos mistérios de Cristo e de sua Igreja.

O Papa João XXIII, numa atitude bem profética, no dia 25 de janeiro de 1959, anunciou a realização de três eventos importantes na vida da Igreja. Um deles, mais localizado, um Sínodo para a Igreja Particular de Roma. Outro, de amplitude mais abrangente, a reforma das Leis da Igreja. O último, de maior desafio, um Concílio Ecumênico, de abrangência mundial. Tendo um olhar retrospectivo, sentimos que suas palavras não foram levadas em conta de imediato. Ninguém imaginava o alcance de sua mensagem. Mas nela estava uma força transformadora, que vinha do Espírito Santo, como o ressoar dos novos tempos. A realização do Concílio seria um divisor de água, que só mais tarde foi percebido. Podemos até falar de uma saída da cristandade para um novo modelo de Igreja. Agora estamos para celebrar os cinquenta anos dessa importante marca histórica, acontecida de 1962 a 1965. Foram quatro anos de intensos trabalhos, de convergência de sugestões do mundo todo, com dedicação de diversas comissões tentando ler nos fatos, nas contribuições e na história dos novos tempos as exigências da fé e da vida da Igreja na cultura do século vinte. Devemos entender o que vem acontecendo no mundo secularizado. Precisamos ter um olhar de hoje para analisar essa história percorrida com tantos desafios, luzes e sombras. Realmente foram muitos altos e baixos, riquezas e pobrezas, mas revelando a presença dinâmica do Espírito Santo. Na verdade, a Igreja vem caminhando numa cultura chamada de “pós-moderna”, quase de dessacralização, mas também cheia de possibilidades para a construção de uma sociedade diferente e de mais esperança. Muitos querem dizer que estamos num mundo menos cristão, pouco comprometido com a fé e a vida, mas também numa busca de saudosismo muito grande por parte de áreas pontuais da Igreja. Até parece que Deus estava mais presente no passado do que hoje. Será isto verdade ou é medo de assumir desafios, que exigem mais testemunho de vida! Bento XVI está nos convocando para o “Ano da Fé”, com a mensagem “Porta Fidei”. É hora de retomar as fontes da fé na profundidade da Palavra de Deus e ter em conta as riquezas dos dezesseis documentos do Concílio. O momento é de se fazer uma releitura desses textos para motivar nossa fé conforme as exigências e motivações da nova cultura. Dom Paulo Mendes Peixoto Arcebispo de Uberaba.

Nota de agradecimento a Dom Paulo Distribuição gratuita

EXPEDIENTE O Jornal Diocese Hoje é editado pela Fundação Mater Ecclesiae. Fundador: Donizeti Della Latta Endereço: Avenida Constituição, 1372 - São José do Rio Preto - SP Presidente e Diretor Responsável: Dom Paulo Mendes Peixoto Colaboradores: Pe. José Irineu Vendrami e Pe. Jarbas Brandini Dutra Fone: (17) 2136.8699 E-mail: allansanti@gmail.com * Os artigos publicados são de inteira responsabilidade de seus autores

Distribuido nas cidades de Adolfo, Altair, Álvares Florense, Américo de Campos, Bady Bassitt, Bálsamo, Buritama, Cedral, Cosmorama, Floreal, Gastão Vidigal, Guapiaçu, Ida Iolanda, Jaci, José Bonifácio, Lourdes, Macaubal, Magda, Mendonça, Mirassol, Mirassolândia, Monções, Monte Aprazível, Nhandeara, Nipoã, Nova Aliança, Nova Granada, Nova Luzitânia, Onda Verde, Orindiúva, Palestina, Parisi, Paulo de Faria, Planalto, Poloni, Pontes Gestal, Potirendaba, Riolândia, São José do Rio Preto, Sebastianópolis do Sul, Tanabi, Turiúba, Ubarana, Uchôa, União Paulista, Valentim Gentil, Votuporanga, Zacarias, Uberaba, CNBB, Bispos do Brasil e autoridades..

Esta comunidade agostiniana de São José do Rio Preto agradece a presença de D. Paulo entre nós durante esses seis anos de trabalho pastoral. Suas visitas à Paróquia Santa Rita e ao Colégio Agostiniano São José, incentivando-nos na tarefa pastoral e educativa desde o nosso carisma, nos animaram a transmitir os valores do Evangelho, sempre almejando formar uma sociedade em que Deus esteja presente. Desejamos para o senhor muito sucesso na sua nova missão. Que Deus continue iluminando e fortalecendo seu agir em favor do povo! Pe. Eliseo López Bardón, OSA

Prior da Comunidade Agostiniana São José


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

Novo Administrador Diocesano

fotos: D.H.

Dom Paulo em sua despedida na Catedral entrega o Báculo, símbolo da responsabilidade, ao Colégio de Consultores que escolheram Pe. Jarbas para Administrador Diocesano.

No dia 04 de Maio de 2012 às 10:00 horas da manhã, o colégio dos consultores elegeu Pe. Jarbas Brandini Dutra como novo Administrador Diocesano. Ele vai responder pela diocese até que Sua Santidade, o Papa Bento XVI, anuncie o novo bispo diocesano. Pe. Jarbas é filho de José da Sil-

va Dutra e Adélia Brandini Dutra, natural de Guapiaçu e nascido em 05/08/1938. Estudou no Seminário Menor diocesano de Rio Preto e de Sorocaba, já o seminário maior concluiu no central do Ipiranga, em S. Paulo. Ele foi ordenado em 08/12/1962, em São José do Rio Preto, pelo então bispo auxiliar

Dom José Joaquim Gonçalves. Padre Jarbas desempenhou diversas atividades na diocese, como secretário no bispado, professor do seminário, vigário encarregado de Américo de Campos, coord. pastoral diocesana, membro do conselho dos presbíteros, pároco da Vila Maceno . Ele é o atual responsável pela

campanha da fraternidade e pároco da igreja Nossa Senhora Sagrado Coração, na Redentora. Para Pe. Jarbas, “o momento é de continuidade e que irá manter a agenda de atividades programadas, principalmente o plano diocesano, que está sendo formado neste ano de 2012.”

Prefeito visita o novo Administrador Diocesano Dia 5 de maio, o prefeito Valdomiro Lopes fez sua primeira visita ao Padre Jarbas como o novo Administrador Diocesano. A Igreja católica de São José do Rio Preto tem parcerias através da Cáritas e outras instituições católicas, com a Prefeitura Municipal e o governo estadual.

Colégio dos Consultores: Pe. Sandro, Pe. Calazans, Pe. Jarbas, Pe. Leonel, Pe. Alexandre, Pe. Irineu e dr. Aparecido, do Tribunal Eclesiástico.

3


4

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

DOM PAULO SE DESPEDE “O

momento é de gratidão e pedido de perdão”

DA REDAÇÃO Dia 27, Dom Paulo se despediu do povo da Diocese de Rio Preto em missa solene na Catedral de São José. Ele agradeceu as palavras do prefeito municipal Valdomiro Lopes, feitas antes da missa, que teceu elogios ao Arcebispo escolhido pelo Papa. Dom Paulo também agradeceu as homenagens recebidas e disse “O momento é de gratidão e de pedido de perdão. A Deus, pelo dom da vida e da missão. A Ele também o pedido de perdão por atitudes desnecessárias. Mas isto se estende a toda a comunidade diocesana.. Dirijo-me aos queridos sacerdotes e diáconos, mesmo àqueles que não foram simpáticos a mim, e creio ser um número muito reduzido, mas quero o bem a todos. Estou partindo para minha terra. Faço uma análise rápida e fico feliz: satisfação do dever cumprido nesse período em que passei por Rio Preto

Amigos e fiéis participaram do jantar em homenagem a Dom Paulo, no salão da Catedral.

no Noroeste Paulista, nesses seis anos de episcopado, sinto-me como aprendizado. Aprendi muito e levo, dentro da mala, experiência e poderei colaborar ainda mais para a caminhada dos católicos do Triângulo Mineiro”, acentua o Arcebispo. Para Dom Paulo, a posse traz sempre certa apreensão. “No entanto, acredito que será como outra qualquer posse, em que o principal é a esperança”. Mineiro de Imbé de Minas, ordenado, trabalhou na Diocese Caratinga, por isso Dom Paulo afirma conhecer um pouco a vida da Arquidiocese de Uberaba e também estará mais próximo da família que vive em BH. “Agora é olhar para frente, recomeçar de novo e enfrentar o que está por vir. Estarei sempre à disposição da Igreja e ao serviço do povo de Deus”. Outra característica de Dom Paulo é a de ouvir, de dar abertura e de dialogar

Dom Paulo na despedida da Catedral.

sempre. Isso, conclui o novo arcebispo de Uberaba, “acompanhado de tomada

de decisão, sem omissão e nem autoritarismo”.

O prefeito Valdomiro, em nome da população de Rio Preto, fez uso da palavra, agradecendo Dom Paulo pelos trabalhos prestados à cidade de São José do Rio Preto e região.

Mauro Trevisan agradeceu D. Paulo em nome dos funcionários do Bispado de Rio Preto.


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

ANJOS DE RESGATE Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude Brasília, 01 de maio de 2012. CJ nº 0369/12

Dom Eduardo Pinheiro da Silva, sdb

Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude (CEPJ)

DA REDAÇÃO Marcus Silva Fé, música e louvor. A banda católica Anjos de Resgate se apresentará na segunda edição do “Arrasta Fé Show”. O evento, organizado pela Paróquia Nossa Senhora da Conceição e com apoio da Prefeitura Municipal de Tanabi, acontece no dia 23 de junho, na Praça da Matriz, a partir das 20h com entrada franca. A atração A banda Anjos de Resgate tem 7 CDs e 2 DVDs gravados; já vendeu quase um milhão de cópias e conquistou 5 discos de ouro, 2 discos de platina e o primeiro DVD de ouro da história da música católica. Apesar de todo esse sucesso comercial, o objetivo da banda vai além: fazer da música um instrumento de conversão para muitos corações, ser sinal de vida em um mundo marcado por

a BaNDa É atraçÃo No

arrasta FÉ sHoW Em taNaBi

Banda católica é a atração do “Arrasta Fé Show”

AGENDE-SE!

Caros irmãos, Vigários Paroquiais e demais Presbíteros. “O Espírito Santo virá sobre você [...] Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra”. É Maio! Mês de recordar e celebrar com alegria a presença edificante de Maria que, em plena juventude, respondeu positivamente ao chamado de Deus, dando sentido a sua vida e revolucionando a história da humanidade. E ela agiu assim impulsionada pela ação do Espírito Santo! Coincidentemente, no mês de Maria deste ano, teremos também a Solenidade de Pentecostes! Esta é a terceira carta que lhes escrevo e quer ser um forte convite para contemplarmos, em clima de Jornada Mundial da Juventude, os jovens que Deus nos confiou para amar e servir! Como nossa presença sacerdotal e ação pastoral estão contribuindo para que os jovens respondam com alegria ao chamado que Deus lhes faz? Nossa ação catequética, formativa, espiritual tem trabalhado a ação do Espírito Santo na vida cotidiana deles? Como temos ajudado os jovens a perceberem a presença do Espírito do Ressuscitado em sua vida de cristãos e cidadãos? Estamos educando e evangelizando os jovens com amor de Mãe que não se cansa de apostar nos filhos e de sempre buscar novos caminhos de diálogo e aproximação? Que imagem de Nossa Senhora nossos jovens têm em seu coração e como estão vivendo a espiritualidade mariana? Na festa do Espírito Santo, não tem como não recordar, também, dos milhares de jovens que são crismados anualmente em nosso país. Que coração sacerdotal pode ficar insensível ao constatar que bom número deles acaba ‘sumindo do mapa’ depois desse importante sacramento conferido, especialmente, na fase das grandes descobertas e decisões na vida? Quais propostas juvenis e atraentes nossas comunidades oferecem aos crismados para a continuidade de sua formação? Perdemos muitos jovens ... Quanta força desperdiçada! Preparamos com tanto esmero o seu coração e, depois, ‘os abandonamos’ numa sociedade que quase sempre não lhes apresenta propostas de amadurecimento e os violenta de diversas formas! Cada jovem é uma ovelha do rebanho, e o pastor não pode dormir tranquilo se ela se extraviar ou, machucada, não encontrar quem as cure com carinho! Que tal organizar estratégias de visitas aos crismados que passaram por nossas paróquias nos últimos anos? E que tal confiar essa atividade missionária àqueles jovens mais engajados da comunidade: “jovens evangelizando jovens”? Esta já pode ser uma ação concreta da Jornada Mundial da Juventude em nível paroquial. Afinal de contas, a JMJ Rio 2013 já começou em nosso país! O mês de Maio, além do convite para o aprofundamento da espiritualidade pascal e mariana à luz do Espírito Santo, nos recorda algumas pessoas que fizeram parte da vida e missão de Jesus e que poderão ser apresentados aos jovens: São José (dia 1), São Domingos Sávio (dia 6), os apóstolos São Filipe, São Marcos, São Matias (dias 3 e 14), Nossa Senhora Auxiliadora (dia 24), S. Filipe Neri (dia 26). Queridos pastores dos jovens, encontro-me, neste momento, no Santuário de nossa Mãe Aparecida e a ela confio a vida de vocês, bem como o seu ministério sacerdotal exercido também em favor dos jovens. Peço a ela que ambos – pastores e ovelhas – estejam sempre sob seus olhares maternos e auxiliadores.

uma cultura de morte. Para o Arrasta Fé Show, a banda trará em seu repertório grandes sucessos, como as músicas Mais que Amigos, Estou Aqui, Amigos pela Fé e Tua Família. A banda, que traz inovação e qualidade em seu trabalho, é formada pelo vocalista Marcelo Duarte (violões, guitarra base e teclados), Demian Tiguez (guitarra solo, violões e vocais), Eraldo Mattos (baixo e vocais), Maikon Máximo (bateria, percussão e vocais) e Francis Botene (teclados, violões, sax, gaita e vocais). Arrasta Fé Show A primeira edição do evento, que foi realizado no ano passado, teve a participação da banda mineira Dominus. Segundo a comissão organizadora, o evento contou com mais de 3 mil pessoas e foi um sucesso. Para este ano, a expectativa, baseada numa grande divulgação por todas as cidades da região e diocese, é de superar a marca de 5 mil espectadores. Todos os grupos e pastorais da paróquia estão envolvidos no evento que tem a finalidade da evangelização através da música.

5

- 2° Arrasta Fé Show com a banda Anjos de Resgate

23/6/12 – a partir das 20h

Local: Praça Matriz de Tanabi

Realização: Paróquia N. Srª da Conceição

Apoio: Prefeitura Municipal de Tanabi

DOM PAULO Novo Arcebispo de Uberaba Nós funcionários e diretores do Hospital Dr. Adolfo Bezerra de Menezes desejamos sucesso na sua nova missão, que Deus te ilumine e lhe abençoe.


6

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

25 MIL CRISMAS REDAÇÃO Na última DA Dom Paulo Mendes Peixoto celebrou no dia 29 de abril (domingo), missa, na Igreja São Benedito, sua última missa em São José do Rio Preto. celebração histórica e espeDom Nessa cial, Dom Paulo crismou 27 crianças e uma delas foi a 25.000ª crismada ele, desde que assumiu o bisPaulo por pado. Ao final da cerimônia, Dom

crismou a

25.000ª

Paulo foi muito cumprimentado pelas ações evangelizadoras e outras iniciativas que desenvolveu em nossa diocese, como a campanha da

Ficha Limpa e a defesa do ambiente. O pároco padre Benedito Mazeti, disse: “Foi um privilégio para nós esta celebração. Não esperava que a última missa dele, em São José do Rio Preto, fosse aqui. O pessoal gostou muito. Outro fato importante é que completou, aqui, 25 mil crismas”. Comentou que Dom Paulo é “pessoa simples, muito humilde”,e ressaltou: “Ele resolveu muitos problemas. É de uma autenticidade muito grande; deu muito apoio à nossa

ABRIL-MAIO/2012

Comissão de Liturgia, à Escola de Liturgia e a outros movimentos. Só temos que agradecer a Deus Pela sua escolha”. Acrescentou: “Lá, em Uberaba, desejo que ele possa ser uma luz, um bom pastor. O Espírito Santo vai estar junto dele, dando-lhe força e coragem”. DIOCESE BEM ESTRUTURADA Em reunião-despedida com assessores, funcionários e colaboradores, Dom Paulo agradeceu a todos pelo trabalho, confiança, carinho

criança

e acolhida e destacou a presença do padre Irineu Vendrami, vigário geral, que “nos deu segurança muito grande”. Dom Paulo acentuou: “Na catequese, na comunicação, na parte econômica, no Tribunal Eclesiástico, houve realmente passos de sustentabilidade. Vejo hoje uma diocese muito bem estruturada. Os causadores desse sucesso foram todos nós”. Finalizando, Dom Paulo declarou: “Desafios me esperam em Uberaba e não serão menores do que estes. Levo a saudade, a experiência e a amizade de todos. Espero contar com as preces de cada um de vocês, nessa nova missão”.

Clarissas

DA REDAÇÃO A Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus e toda a Diocese de São José do Rio Preto receberam, no final do ano passado, uma grande graça das mãos da Imaculada Conceição de Nossa Senhora: a fundação de um Mosteiro das Irmãs Clarissas, em Jaci. A chegada das Filhas de Santa Clara aconteceu no dia 8 de dezembro, dia dedicado à Imaculada Conceicão – padroeira da Diocese e da Federação das Clarissas no Brasil. Na certeza de que foram conduzidas a essa fundação pelas mãos de Maria, o Mosteiro ganhou

o nome de Mãe da Misericórdia. Quem são As Irmãs Clarissas são filhas legítimas de Santa Clara de Assis, jovem que consagrou sua vida a Jesus Cristo por meio da vivência radical do Evangelho, a exemplo de São Francisco de Assis. Vivem uma vida simples, pobre e oculta para realizarem o seguimento de Jesus pobre, humilde e crucificado. A missão específica das Clarissas é a oração. Como diz Santa Clara, as irmãs são “colaboradoras do Pai” na obra de AMOR que Ele continua a operar no mundo e nas almas. ATENDIMENTO/VISITAS

9h às 11h e 14h às 17h Missa: De segunda à sexta, às 6h30

Irmãs Clarissas, Frei Francisco Nélio e Dom Paulo.

Festa do Milho

Festa do Milho 2012, em Jaci.

DA REDAÇÃO A variedade de pratos preparados com milho verde, a solidariedade e a busca pela espiritualidade atraíram, para a maior festa beneficente da região, centenas de pessoas vindas de toda parte do interior e até mesmo do Brasil. A festa que alimenta o corpo e a alma reuniu, no Parque do Milho, em Jaci, mais de 100 mil pessoas em sua 23ª edição, realizada no dias 11 e 18 de março. Foi um grande sucesso e uma confirmação de que, a cada ano, as pessoas estão ainda mais empenhadas em ajudar.

Foram servidos mais de 20 pratos diferentes e a novidade deste ano foi o Chipaguaçu, uma iguaria de origem indígena, que conquistou o paladar de muita gente. A Barraca da Polenta foi outra novidade e buscou resgatar as origens com a Casa da Nona, que teve como anfitriã uma típica avó italiana, representada por Dona Nena Secches, voluntária da festa há muitos anos. Toda a renda da festa foi revertida para a ajudar a manter as 64 obras administradas pela Associação, inclusive a missão em Porto Príncipe, no Haiti.


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

7

2006 / 2007 - O INÍCIO

DOM PAULO 6 ANOS DE PROFÍCUO TRABALHO Nomeado Bispo em 07/12/2005 Sagrado Bispo em 25/02/2006 Posse em 25/03/2006 Nomeado Arcebispo de Uberaba em 07/03/2012 Posse em 01/05/2012 O jornal “Diocese Hoje”, existente desde a administração de Dom José e tendo o apoio de todos os Bispos de São José do Rio Preto, Dom José de Aquino Pereira, Dom Orani João Tempesta e Dom Paulo Mendes Peixoto. O jornal acompanha todos os trabalhos dos Bispos e do Clero da nossa Diocese. Na administração de Dom Paulo Mendes Peixoto, acompanhamos, desde 2006, a sua chegada a São José do Rio Preto, os primeiros passos na nossa Diocese, os pri-

Dom Paulo e as visitas pastorais.

meiros contatos com nossos fiéis, autoridades e meios de comunicação nos dois primeiros anos (2006

e 2007). Em seguida um resumo de suas atividades:

- Ordenou 25 padres e 17 diáconos permanentes. - Realizou 24.644 crismas. - Fez 66 visitas pastorais (permaneceu três dias em cada paróquia). - Criou 12 paróquias e duas quase - Fez a redivisão das regiões pastorais (agora, funcionam 12 regiões e cada uma delas tem um padre-coordenador). - Reestruturou e reforçou o Sistema Diocesano de Comunicação: reativou o jornal Diocese Hoje, a Rádio Interativa e os sites do Bispado; incentivou a instalação da rádio Estação 104. - Houve mudança de padre em 60 paróquias. “Essas alternâncias despertam o dinamismo e novas iniciativas missionárias”, diz Dom Paulo.

2008 - NOVA FASE DO “DH”

NOVA FASE DO DH ― Em agosto, o Diocese Hoje inicia nova face. Passa a circular mais colorido, textos leves, claros e concisos. E com muito mais informações. Essa renovação é resultado de mudança gráfica e editorial e faz parte do processo contínuo de melhoria da qualidade do jornal, disse o seu fundador, Donizeti Della Latta. Dom Paulo Mendes Peixoto comentou: “O nosso jornal está passando por algumas mudanças, sempre com aquele ideal de ser melhor na sua identidade e de oferecer aos seus leitores uma informação de qualidade”. OPERÁRIO DE DEUS ― O livro “Dom Paulo, Operário de Deus” foi lançado durante o 23º Encontro da Sociedade Brasileira de Canonistas. O autor dessa obra bio-

gráfica é o escritor Donizeti Dellla Latta. A primeira edição esgotou em poucos dias. Frei Francisco Nélio, da Associação Lar São Francisco na Providência de Deus, disse: “Este livro deu a oportunidade de conhecer muito mais quem é Dom Paulo, e de agradecer a Deus por ter enviado para nós uma pessoa tão formidável como ele é”. O livro, também com sucesso, foi lançado em Caratinga (MG). O 23º Encontro da Sociedade Brasileira de Canonistas aconteceu de 14 a 19 de julho, no Ipê Park Hotel, em São José do Rio Preto. Foram debatidos temas, como a Bioética e Igreja, preparação para matrimônio e considerações teológicas e jurídicas sobre o celibato sacerdotal. MONS. ÂNGELO – Mons. Ângelo Angioni faleceu no dia 15 de setembro, aos 93 anos de idade. Foi sepultado, no dia seguinte, na cripta da Paróquia São João Batista, de José Bonifácio, onde foi pároco por 57 anos. Dom Paulo celebrou missa com a participação de padres da nossa diocese. Faixas diziam: “Queremos Mons. Ângelo santo”. Era um pedido para abertura do processo de beatificação do sacerdote que se notabilizou como evangelizador, missionário. Formou sacerdotes e religiosas. CRISMAS – A 10.000ª criança crismada por Dom Paulo é de Orin-

diuva. A cerimônia foi realizada na Paróquia Santa Terezinha do Menino Jesus, em setembro (até abril de 2012, antes de seguir para Uberaba, Dom Paulo havia crismado 25.000 crianças). MIGRANTE – A primeira Pastoral do Migrante, em nossa diocese, foi criada em Mendonça, cidade que recebe, anualmente, no período da colheita da cana, mais de mil trabalhadores, a maioria do Nordeste. PADRE ÂNGELO DELL’ORO – No dia 13 de outubro, aos 96 anos de idade, faleceu em Milão o padre Ângelo Dell’Oro. Ele fundou e dirigiu o Serviço Social São Judas Tadeu, de 1962 a 1976, ano em que voltou para a Itália. O Instituto São

Judas, desde 2003, é administrado pela Diocese. Ampara, orienta e profissionaliza jovens, “Esta obra, fundada pelo padre comboniano Ângelo Dell’Oro, é uma bênção para a cidade e para toda a região”, disse Dom Paulo. PASTORAL – O Plano Pastoral Diocesano para o quatriênio 20092012 foi aprovado em assembleia realizada dia 15 de novembro. Ação evangelizadora e missionária é a prioridade do plano. DIACONAL – A escola Diaconal da Diocese de São José do Rio Preto formou 16 diáconos, em cerimônia na Sé Catedral, dia 18 de dezembro. Essa escola funciona na Casa do Clero.

6 Anos: reAlizAções e desAfios de

dom PAulo nA diocese de são José do rio Preto - 2006 A 2012


8

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

2009 - DIOCESE, 80 ANOS 6 Anos: realizações e desafios de

Dom Paulo na Diocese de São José do Rio Preto - 2006 a 2012

Padre Cesarino e Monsenhor Angeoni.

DIOCESE, 80 ANOS – Em janeiro de 2009, o Diocese Hoje lança uma edição especial sobre os 80 anos de criação da nossa Diocese. São 36 páginas, com textos, fotos e ilustrações. A festa do aniversário aconteceu no dia 25 de janeiro no Centro Regional de Eventos, com shows, canto do Hino do 80º aniversário, “banners” das paróquias, missa celebrada por Dom Paulo com a participação de padres da diocese, anúncio da ida do padre Adão dos Reis Silva à Rondônia (para atuar, junto com o padre Pedro da Silva, na Paróquia Cristo Salvador, em Cerejeiras). Dom Paulo diz, durante a festividade: “As matérias elencadas nesta edição especial do Diocese Hoje possuem um cunho histórico muito preciso, mostrando quanta riqueza temos a apresentar”. MISSIONÁRIO – José Cândido de Andrade, o primeiro rio-pretense a fazer trabalho missionário na região amazônica, foi ordenado diácono no dia 15 de fevereiro, na Sé Catedral, em cerimônia presidida pelo bispo de Tefé (AM), Dom Sérgio Castriani, e concelebrada por Dom Paulo.

eoni.

or Ang

nh Monse

EM RONDÔNIA – A Diocese de São José do Rio Preto, em parceria com a Diocese de Guajará-Mirim (RO), mantém missionários em paróquias de Rondônia. Padre Panos de atividades em Nova Mamoré, vai atuar, a partir de fevereiro de 2009, em Cerejeiras; Padre Adão dos Reis da Silva, também da nossa diocese, vai trabalhar com ele. “É um projeto missionário de ajuda às igrejas particulares de menores recursos em termos de sacerdote”, disse Dom Paulo. ORDENAÇÃO – Em cerimônia presidida por Dom Paulo, cinco novos sacerdotes foram ordenados dia 20 de fevereiro. Dom Paulo destacou o papel do presbítero que deve ser exemplo de pastor, de missionário, homem de oração, preocupado com a santificação do povo. PADRE CESARINO – Em reportagem (edição de março), o Diocese Hoje traça o perfil do padre Cesarino Pietra Mafri, nascido na Itália em 1937, ordenado sacerdote em 1962, e desde fevereiro de 1970 na Diocese de São José do Rio Preto. Ele foi professor no Seminário de José Bonifácio, colaborou na instalação do Seminário Maior em São José do Rio Preto. Escritor, tradutor, padre Cesarino é também memorialista. Trabalhou com monsenhor Ângelo Angioni, em José Bonifácio. Em um de seus últimos atos na diocese rio-pretense, Dom Paulo pediu ao padre Cesarino que iniciasse o processo de beatificação do padre Ângelo Angioni. TRANSFERÊNCIA - Em março, houve transferência de padres na Diocese de São José do Rio Preto. Foram as primeiras mudanças na administração Dom Paulo. “Dentro das normas da Igreja, há o princípio de que a mobilidade é importante, tanto é que o próprio Código Canônico pede que o bispo nomeie o pároco por seis anos. A iniciativa da mudança tem sido mais dos padres, por entender a necessidade de fazer essa caminhada, de não ficar eternamente na mesma paróquia”, disse Dom Paulo. Até abril de 2012, tinham sido feitas 65 transferências de paróquia. DOM ORANI – O arcebispo Dom OraniTempesta assumiu dia 19 de abril a Arquidiocese São Sebastião do Rio de Janeiro. “É mais do que urgente calçar a sandália do peregrino e com o bordão de pastor sairmos por todos os

cantos anunciando a boa notícia da salvação”, disse o novo arcebispo do Rio de Janeiro. Dom Orani dirigiu a Diocese de São José do Rio Preto de 1997 a 2004. E de 2004 a 18 de abril de 2009, foi arcebispo de Belém, do Pará. ANO CATEQUÉTICO – aberto no dia 19 de abril, no Colégio Santo André/São José do Rio Preto, o Ano Catequético, com a participação de 1.100 catequistas das dioceses de São José do Rio Preto, Jales, Barretos e Catanduva. COMUNICAÇÃO – O Diocese Hoje completou, em maio, 11 anos de existência, mas se contados os anos do Catedral Informa, seriam 14 anos de circulação. Donizeti Della Latta, um dos fundadores desses dois jornais, continua colaborando nos

carro, outros de ônibus, sempre demonstrando profundo sentimento de fervor. O Santuário já se tornou uma referência diocesana, mobilizando milhares de romeiros. Um dos destaques é a missa da juventude, que acontece à meia noite do dia 5 para 6 de agosto, com presença de milhares de jovens”, disse Dom Paulo. DIÁCONOS – No dia 21 de agosto, 11diáconos foram ordenados na Catedral de São José do Rio Preto; e no dia 4 de setembro, houve a ordenação de 4 outros diáconos na Paróquia N.Sra, Aparecida, em Votuporanga. As celebrações foram presididas por Dom Paulo. CIDADÃO COSMORENSE – Título de Cidadão Cosmorense foi outorgado a Dom Paulo Mendes Peixoto pelo legislativo de

Padre Cesarino mostra o telegrama que recebeu para sua vinda ao Brasil.

dias de hoje. Pedro da Silva, que completou 6 anos de atividades em Nova Mamoré, vai atuar, a partir de fevereiro de 2009, em Cerejeiras, Padre Adão dos Reis da Silva, também da nossa diocese, vai trabalhar com ele. “É um projeto missionário de ajuda às igrejas particulares de menores recursos em termos de sacerdote”, disse Dom Paulo. REDE VIDA DIGITAL – Dia 20 de junho, a Rede Vida completou 14 anos de existência. Orgulha-se de estar em todas as capitais do Brasil com sinal próprio. Em entrevista ao Diocese Hoje, o diretor da emissora, João Monteiro de Barros Filho, disse: “Estamos trabalhando ativamente para antecipar o cronograma de instalação da TV Digital. A Rede Vida vai ser, certamente, a primeira rede nacional digital”. PADRE PREZA – O sacerdote-personagem da edição de agosto de 2009 do Diocese Hoje foi o padre José da Conceição Preza, que havia completado 87 anos, dos quais 62 de vida sacerdotal. Nascido em Portugal, chegou a São José do Rio Preto no dia 13 de agosto de 1975. PADRE LÉCIO – Faleceu, em junho, o padre Lécio Guedes, 76 anos, em Ipatinga (MG). Ele influenciou a vida vocacional de Dom Paulo Mendes Peixoto. CASTORES – Foi comemorado em agosto o centenário da festa do Senhor Bom Jesus dos Castores. Essa romaria atrai de 40 a 50 mil pessoas da região e de estados vizinhos. O Santuário do Senhor Bom Jesus é o maior centro de devoção popular da diocese. “Muitos vão a pé, outros de

Cosmorama, em sessão solene dia 6 de setembro. A autora da honraria, vereadora Marineide Aura de Souza, explicou: “Dom Paulo é um grande líder pela simplicidade, pela forma como acolhe as pessoas. Desenvolve o seu trabalho no meio do povo e com muita sabedoria e humildade como apóstolo de Cristo a caminho da de evangelização e da missionariedade”. Em 2007, Dom Paulo recebeu o título de Cidadão Rio-Pretense (iniciativa do vereador Emanuel Tauyr). CELAM – Dom Paulo participou, de 26 a 30 de outubro, da Conferência Episcopal Latino Americana (CELAM), em Buenos Aires. Ele representou a Catequese no Brasil, a pedido da CNBB. Participaram do encontro bispos da Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Equador, Paraguai e Uruguai. PAPA – Em novembro, Dom Paulo e demais bispos do Estado de São Paulo participaram de reuniões em Roma e foram recebidos, individualmente, pelo papa Bento XVI. É a chamada visita “Ad Limina”. No seu encontro com Sua Santidade, o nosso bispo ofereceu-lhe o livro “Dom Paulo, Operário de Deus”. HOMENAGEM – Padre Guido Bogotto, do Tribunal Eclesiático, recebeu dia 30 de outubro o diploma de “Cidadão Ibiraense”, em sessão solene do Legislativo de Ibirá. “É o médico das almas”, disse a vereadora professora Sônia Paula Beolchi, ao saudar o homenageado. O autor da honraria, vereador Antônio Carlos Rambolá, disse: “O título de cidadão ao padre Guido é reconhecimento pelo seu trabalho espiritual”.


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

2010 - ZILDA ARNS padres, instalou 41 paróquias e o Seminário Maior. Saneou as finanças da diocese. DOAÇÃO DE SANGUE – Acolhendo sugestão dos padres da região pastoral São Judas, Dom Paulo instituiu a Sexta-Feira Santa como “Dia Diocesano de Incentivo à Doação de Sangue”. Essa campanha está sendo realizada em todas as paróquias. 25 ANOS – No dia 10 de outubro, a Associação e Fraternidade Lar São Francisco de Assis na Providência de Deus comemorou 25 anos de fundação. Fundada por frei Francisco Belotti (frei Nélio), a instituição

ZILDA ARNS – Terremoto no Haiti matou dia 13 de janeiro a pediatra e sanitarista Zilda Arns Neumann, fundadora da Pastoral da Criança e da Pastoral dos Idosos. Ela conquistou vários prêmios nacionais e internacionais por seu trabalho comunitário. Foi indicada para o Prêmio Nobel da Paz em 2001, 2002, 2003 e 2006. Homenagens a Zilda Arns foram prestadas na nossa Diocese. Era considerada a versão brasileira de Tereza de Calcutá. PRIMEIRO PADRE – Na edição especial de março sobre o 158º aniversário de fundação de São José do Rio Preto, o Diocese Hoje informa que o nosso primeiro padre José Bento da Costa contribuiu para

transformar a cidade numa metrópole. Ele contratou, em 1895, o engenheiro Ugolino Ugolini para fazer o primeiro planejamento urbano. São José do Rio Preto tinha, naquele ano, menos de 10 mil habitantes. Padre Bento também liderou ou participou de movimentos para trazer melhorias para a cidade. Foi evangelizador e desenvolvimentista. 90 ANOS – O bispo emérito Dom José de Aquino Pereira completou 90 anos de idade dia 22 de abril. Foi celebrada missa na Sé Catedral, presidida pelo aniversariante e pelo bispo Dom Paulo. Dom José de Aquino dirigiu a nossa Diocese de 4 de agosto de 1968 a 26 de fevereiro de 1997. Ordenou mais de 40

Os combonianos de Guadalupe

mantém 43 obras assistenciais em três Estados do País. Frei Nélio esteve no Haiti de 18 a 21 de setembro. Ele foi nomeado coordenador para desenvolvimento de projeto na área de saúde junto aos ministérios das Relações Exteriores e da Saúde daquele país, que foi assolado por terremoto no início de 2010. GUADALUPE – No dia 11 de dezembro, foi inaugurado o altar do Santuário de N.Sra. de Guadalupe. O templo tem torre de 20 metros de altura. O Santuário localiza-se no bairro Romano Calil, em São José do Rio Preto.

9

6 Anos: realizações e desafios de

Dom Paulo na Diocese de São José do Rio Preto - 2006 a 2012


10

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

2011 - CEREJEIRAS - RO 6 Anos: realizações e desafios de

Dom Paulo na Diocese de São José do Rio Preto - 2006 a 2012

CEREJEIRAS – Em fevereiro, Dom Paulo visitou, junto com a irmã Rosângela, a Paróquia de Cerejeira (RO), que pertence à Diocese de Guajará Mirim. “Percebemos, nessa visita, que os padres Adão e Calazans estão bem entrosados e a comunidade de Cerejeiras está vibrando com o trabalho deles”, disse Dom Paulo. DIÁCONOS – No dia 25 de fevereiro, Dom Paulo ordenou mais 5 diáconos, em cerimônia realizada na Sé Catedral. Também houve missa de ordenação episcopal e em ação de graças pelo aniversário do nosso bispo. JOSÉ DE ALENCAR – Missa em memória do ex-vice-presidente José de Alencar Gomes da Silva foi celebrada por Dom Paulo dia 31 de março. José de Alencar morreu dia 29 de março, aos 79 anos de idade. “Considero-o meu conterrâneo”, disse Dom Paulo. É que ambos são mineiros e de regiões vizinhas: José de Alencar, de Muriaé; e Dom Paulo, de Caratinga. PADRE RIVA – Na edição de abril, o Diocese Hoje publica reportagem sobre o padre José Riva, o mais idoso dos sacerdotes, em atividade, na nossa Diocese. “Estou cheio de saúde e continuarei visitando e levando comunhão aos doentes em hospitais. Também visito idosos em seus lares”, disse o lúcido e bem-humorado padre Riva, de 94 anos de idade (em 2009). Ele “mora” no Hospital N.Sra. Mãe Divina Providência de Deus, em Jaci. Para se distrair, anda de bicicleta. DOM EMANUEL – No dia 20 de maio, Dom Emanuel Messias de Oliveira assumiu a Diocese de Caratinga (MG). Um dos presentes à cerimônia foi Dom Paulo Mendes Peixoto, que foi seu aluno, no Seminário de Caratinga. INFORMÁTICA – A Diocese de São José do Rio Preto trabalha para tornar sua organização interna mais ágil e eficiente. Dom Paulo apoia e incentiva instalação de atualizada tecnologia de informática em paróquias, capelas, no bispado e em seus departamentos. Espera-se que, em dois anos, a estrutura diocesana tenha eficiente sistema de informatização, agilizando os trabalhos e diminuindo custos. DOM JOSÉ – Faleceu aos 91 anos de idade, no dia 17 de novembro, Dom José de Aquino Pereira, nosso segundo bispo. Seu corpo foi sepultado na cripta da Sé Catedral, após missa de exéquias, presidida por Dom Paulo Mendes Peixoto, com a participação do arcebispo do Rio de Janeiro, Dom OraniTempesta, dos bispos Edmilson Caetano, de Barretos; Dom Fernando Brochini, de Jaboticabal; Dom Demétrio Valentini, de Jales. Pelo velório passaram o bispo de Catanduva, Dom Octacílio Luciano, e o de Presidente Prudente, Dom Benedito Gonçalves dos Santos. Dom José de Aquino dirigiu a nossa diocese de 4 de agosto de 1968 a 26 de fevereiro de 1997. O Diocese Hoje lançou caderno especial, com histórico de suas realizações, definindo-o como “Notável Evangelizador e Hábil Administrador”. PRESÉPIO – O presépio “Dr Hildeberto de Albuquerque Ferreira” completou 100 anos no Natal de 2011. É a maior atração, um patrimônio cultural e histórico de Nova Granada. É, também, um dos

mais completos e artísticos presépios do País. Começou a ser montado pelo médico Hildeberto, na Bahia, quando ele tinha 7 anos. A cada ano ampliava o presépio. Formado em Medicina, ele passou por Nanuque (MG), Pitangueiras (SP) e, em 1937, chegou a Nova Granada. O presépio, que mede 7 metros de comprimento por 4 metros de largura, é aberto para o povo de 25 de dezembro a 6 de janeiro. EUCARISTIA FEST – O evento Eucaristia Fest foi um dos destaques de 2011. Realizado nas regiões pastorais diocesanas, suas ações impulsionaram a evangelização. Os temas desses encontros foram a defesa da vida e da família e a divulgação do Evangelho. Esse evento inédito na nossa diocese foi uma iniciativa de Dom Paulo Mendes Peixoto. Padres, religiosos, lideranças leigas participaram da organização desses encontros, aos quais estiveram presentes, em cada um deles, milhares de pessoas. O início desse novo tempo de atitudes evangelizadoras ocorreu no Colégio Santo André em São José do Rio Preto. No dia 15 de junho, aconteceu o segundo Eucaristia Fest em José Bonifácio; Votuporanga sediou o terceiro encontro dia 17 de julho; o quarto realizou-se dia 24 de julho, em Buritama; o quinto, em Nova Granada; e o sexto Eucaristia Fest, em Jaci. Em todos os encontros, houve apresentações teatrais, danças, shows musicais, pregações, celebração de missas. DH, REDE VIDA, BERAKÁ – O jornal Diocese Hoje, a Rede Vida de Televisão e o Beraká completam, neste maio/ junho (2011), 16 anos de atividades em pról da evangelização, impulsionando as boas ações dos leigos, ajudando o clero e religiosos a irradiar a Palavra de Deus. A Rede Vida, sediada em São José do Rio Preto, é a maior rede de televisão católica do mundo. Seu

sinal, distribuindo por meio de 445 retransmissores, é captado por todo o Brasil, via satélite. O Beraká nasceu de uma Gincana da Unidade, realizada em São José do Rio Preto. A cada ano, mais entusiasmo e novas atrações. Nos últimos encontros, o Beraká registrava comparecimento de 40 mil pessoas,a maioria jovens. Moderno, inovador, o Diocese Hoje é um dos principais jornais diocesanos do Brasil. Sempre em contínuo processo de melhoria de qualidade e sempre a serviço da evangelização e da boa informação. Em um dos trechos de artigo publicado no Diocese Hoje, Dom Paulo diz: “Os instrumentos de comunicação de que dispomos têm atingido uma significativa abrangência em nossa região. A evangelização feita por meio de uma programação educativa, informativa e formativa não é um trabalho menos corajoso. Podemos citar este jornal (Diocese Hoje), as rádios Interativa FM, 104,3, Canção Nova, Espaço Aberto, e outras, o site diocesano, a Rede Vida de Televisão e outros órgãos de inspiração cristã. São todos meios que ajudam no anúncio concreto da Palavra da vida para o nosso povo”. TALHADÃO – Em julho, o Diocese Hoje dedica duas páginas de sua edição ao movimento contra a construção de duas pequenas hidrelétricas no rio Turvo, próximo ao Talhadão (é uma queda d’agua). Dom Paulo manifestou-se solidário ao movimento e fez vigoroso pronunciamento pela preservação do ambiente, uma vez que as usinas inundariam áreas de vegetação, sítios arqueológicos e causariam outros danos ambientais. O nosso bispo celebrou missa campal às margens do Talhadão, participou de encontros, recebeu diretores e técnicos da Encalso, empresa que pretendia construir as hidrelétricas (durante a reunião, disse-lhes: “Pensei que

vocês iriam me dizer que haviam desistido desse projeto”). Em abril de 2012, órgão ambiental do governo estadual anunciou que o projeto das duas pequenas usinas não foi aprovado. Dom Paulo e outros líderes do movimento foram aplaudidos pelos presentes à reunião, que aconteceu no Legislativo rio-pretense. DANÇA SACRA – O grupo “Dançarino de Deus” ,da Paróquia N.Sra. Aparecida, de Neves Paulista, venceu o Festival de Dança Sacra (categoria Jazz-1), realizado em Joinville (SC), dias 24 e 25 de junho. As bailarinas de Neves foram consagradas como “as notáveis” do festival. SULÃO DE CATEQUESE – De 19 a 21 de agosto, em São José do Rio Preto, realizou-se o VII Sulão de Catequese, que reuniu catequistas de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O tema central do evento foi Mistagogia: Novo Caminho Formativo de Catequistas. “Este encontro” – disse Dom Paulo - “Teve como objetivo ajudar os catequistas numa reflexão bíblico-catequético para sua formação, tendo em vista a iniciação à Vida Cristã. A referência principal como ambientes formativos deve ser a família e a comunidade cristã. É aí que o catequista mistagogo vai conseguir o encontro do catequizando com Jesus Cristo, tornando-o verdadeiro discípulo. A mudança de cultura exige catequistas mais bem formados e atualizados para enfrentar a mudança da época”. No encerramento do Sulão de Catequese, Dom Paulo presidiu celebração eucarística. CENTENÁRIO – Nova Granada comemorou o centenário de sua fundação de 28 de agosto a 4 de setembro. Foram prestadas homenagens a personalidades que contribuíram para o desenvolvimento da cidade. Entre os agraciados, Dom Paulo Mendes Peixoto e o jornal Diocese Hoje (representado pelo seu fundador Donizeti Della Latta). “Sob as bênçãos divinas, caminha Dom Paulo, levando a palavra da salvação a seus paroquianos, com a mansidão ou vigor que o momento pede”, disse a professora doutora Hygia Therezinha Calmon Ferreira, presidente da comissão organizadora dos festejos. PASTORAL – Ao fazer avaliação das atividades programadas e realizadas em 2011, Dom Paulo escreveu: “Estamos encerrando o segundo passo do nosso Plano Diocesano de Pastoral, que teve como tema principal o Sacramento da Crisma, o estudo do Evangelho de Lucas e os Atos dos Apóstolos. Tivemos a alegria de realizar o “CrismaFest”, evento que contou com a participação de mais de cinco mil crismandos. “Na Assembleia Diocesana, conseguimos identificar muita coisa boa acontecendo, principalmente na área da formação de lideranças. São inúmeros cursos formativos realizados, seja a cargo da diocese, seja por parte das pastorais e movimentos. “Temos ainda dois anos para execução do Plano Diocesano de Pastoral. Em 2011, o tema principal foi a “Eucaristia”. Em 2012, será “Mística”. Mas o pensamento maior que vai nos nortear nestes dois anos será “Eucaristia. Fonte de Missão (são trechos do seu artigo publicado no Diocese Hoje, edição de dezembro de 2011).


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

2012 - CATEQUESE

CATEQUESE – De 1 a 5 de fevereiro, em Brasília, ocorreu Encontro da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética. Estavam presentes os três bispos dessa comissão – Dom Paulo Mendes Peixoto, Dom Jacinto Bergmann e Dom José Antônio Peruzzo – e catequistas coordenadores das regionais da CNBB. Objetivo: motivar uma catequese bíblica cada vez mais comprometida com a missão evangelizadora da Igreja. “Estamos incentivando a formação dos “blogs” da catequese em cada Regional (são 17, no País) e em cada diocese. Afinal, estamos na era da comunicação virtual. Temos ferramentas importantes nesta área, que podem ajudar muito na dimensão bíblico-catequética. Com elas, as distâncias podem ser encurtadas sem muito esforço, sem perda de tempo e gastos desnecessários”, disse Dom Paulo. CONSCIÊNCIA CRÍTICA – O

Legislativo rio-pretense aprovou voto de congratulações ao bispo Dom Paulo pelo seu texto “Formar Consciência Crítica”, publicado em jornal local. Em um dos trechos de sua propositura, o vereador Pedro Roberto diz: “Dom Paulo expressa sua preocupação com os legislativos

municipais em toda a região, pois eles não correspondem à pujança dos municípios e isso acarreta o privilégio de pessoas e de grupos em prejuízo da coletividade. Onde estão as nossas lideranças? – questiona o bispo. Não existem ou se escondem na omissão”.

11

ORDENAÇÃO DE DIÁCONOS – No dia 24 de fevereiro, na Sé Catedral de São José do Rio Preto, foram ordenados 3 diáconos, em cerimônia presidida por Dom Paulo. INFORMATIZAÇÃO – Em fevereiro, estavam informatizadas 65 das 94 paróquias da diocese no processo de informatização. Dom 6 Anos: Paulo disse: “A paróquia não po- realizações de estar desarticulada desse meio rápido de comunicação virtual, e desafios de em tempo real. A informatização Dom Paulo na também ajuda a diminuir despesas. Diocese de São Desburocratiza, principalmente a José do Rio questão de papéis”. ELEITO ARCEBISPO – Dia 7 Preto - 2006 de março, às véspera de completar 6 anos na Diocese de São José do Rio a 2012 Preto, Dom Paulo Mendes Peixoto é informado, oficialmente, que seria o novo arcebispo de Uberaba (MG), em substituição a Dom Aloísio Roque Oppermann, que completou 75 anos de idade, e pediu renúncia do múnus episcopal.


12

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

Idosos, gestantes e crianças devem ser vacinados contra gripe contra três tipos de vírus - influenza A (H1N1), influenza A (H3N2) e B. “Os adultos vão tomar uma única dose. Quem tomou a vacina em 2011, toma apenas uma dose da vacina. Já as crianças que nunca foram imunizadas, tomam meia dose e após 30 dias devem tomar a dose final”,

Idosos com 60 anos ou mais, gestantes, crianças a partir de seis meses e menores de dois anos, indígenas e profissionais de saúde têm até o dia 25 de maio para se vacinar contra gripe. A campanha nacional de imunização contra a doença teve início no começo do mês e pretende vacinar, só em São José do Rio Preto, pelo 80% das 78,1 mil pessoas que se enquadram nos critérios definidos pelo Mi-

nistério da Saúde. Em Rio Preto, segundo a Secretaria de Saúde, estão disponíveis, 25 postos fixos de vacinação que funcionam nas unidades básicas de saúde do município. De acordo com a enfermeira e coordenadora do setor de imunização da Secretaria de Saúde, Michela Dias Barcelos, a vacina disponibilizada pelo Ministério da Saúde neste ano vai imunizar

afirma a enfermeira. A única restrição para a vacina é de quem alergia a ovo ou a algum componente da vacina. “Vale frisar que, ao contrário do que muita gente pensa, a vacina não causa a gripe, ou seja, quem é vacinado vai ter a doença. Isso é mito. Pelo contrário, a vacina pode evitar complicações

sérias pela doença como a pneumonia, por exemplo”, afirma. Para ser vacinada, as pessoas que se enquadram nos critérios definidos pelo Ministério da Saúde devem comparecer à unidade de saúde mais próxima de sua casa, portando documentos pessoais e a caderneta de vacinação.

Rio Preto ganha terceiro centro para tratamento do tabagismo A partir deste mês de maio, a população de Rio Preto tem mais uma opção para tratamento contra o tabagismo pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A Secretaria de Saúde acaba de implantar o terceiro centro antitabagismo do município, agora na Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) Vila Toninho. Os outros serviços do gênero funcionam nas UBSs Santo Antônio e Solo Sagrado. Segundo a coordenadora do programa de Saúde da Família, Juliana Chimello, o novo serviço já iniciou a triagem de pessoas interessadas em parar de fumar. “Os interessados, independente do bairro em que moram podem procurar tanto a Vila Toninho, como qualquer uma das outras unidades que já dispõem do serviço”, afirma. Em todos os centros antibagismo do município, as equipes são formadas por enfermeira, médico clínico geral e psicóloga, todos capacitados pelo Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod), segundo critérios do Instituto do Câncer (Inca). O tratamento é realizado por meio de abordagem cognitivo-

-comportamental. O usuário passa por uma primeira avaliação e depois é submetido ao teste Fagerstrom, que avalia o grau de dependência de cigarro do paciente. Em seguida, o usuário é encaminhado a um médico que vai fazer uma avaliação clínica e explicar os danos e agravos à saúde causados pelo uso do tabaco. Durante a consulta é fornecida orientação médica e solicitados exames como avaliação cardiopulmonar e nível de oxigenação do sangue, por exemplo. O serviço não distribui chicletes ou adesivos de nicotina. “Após as avaliações da enfermagem e clínica, o paciente é encaminhado a um grupo de orientação, coordenado por uma psicóloga. São quatro sessões de terapia, com duração de uma hora e meia, on-

de o paciente será orientado e sensibilizado quanto ao uso de tabaco como, dependência e conseqüências para a saúde”, afirma a enfermeira. No 1º mês, as sessões são semanais, no 2º mês, quinzenais, do 3º ao 12º mês, mensais. Após o término das sessões, se houver necessidade, o usuário pode participar ainda de grupos psicoterápicos mantidas pela própria unidade. Serviço

TRATAMENTO ANTITABAGISMO Inscrição para lista de interesse no tratamento - Segunda a sexta-feira, das 8h às 22h. UBSF Vila Toninho - Rua Maria Onofre Lopes dos Santos, 610 Atendimento todas as segundas e terças. UBS Solo Sagrado - Rua Beatriz da Conceição, 406 - Atendimento todas as quartas-feiras. UBS Santo Antônio -Rua Ida Tagliavini Polachini, 580 - Santo Antônio - Atendimento todas as quintas-feiras.

Maio: mês de vacinar cães e gatos contra raiva A Secretaria de Saúde de São José do Rio Preto, por meio do Departamento de Vigilância em Saúde, vacina até o próximo dia 30/5 cães e gatos contra raiva. A expectativa é de imunizar 41,8 mil animais no município. Segundo o coordenador da campanha, o veterinário Luís Flávio Vani Amaral, serão disponibilizados à população 101 postos de vacinação cobrindo assim a cidade, divididos entre as áreas de abrangência das 25 Unidades Básicas de Saúde do município. Amaral orienta que devem ser imunizados contra raiva cachorros e gatos com idade superior a três meses, exceto animais doentes ou fêmeas que estejam na fase final de gestação.

“Também solicitamos que os pais evitem deixar as crianças levarem os animais, como prevenção a possíveis acidentes. Os cachorros devem ser transportados com guias e os mais ferozes devem estar de focinheira. Gatos devem ser levados em caixas específicas ou presos adequadamente”, ressalta. Para a população saber onde levar seu animal de estimação para ser vacinado contra a raiva, no local mais próximo de sua

casa, pode entrar em contato com a Unidade Básica de Saúde do seu bairro, ou entrar no site da Prefeitura de Rio Preto, no endereço www.riopreto.sp.gov.br/saude ou ainda ligar diretamente no Centro de Controle de Zoonoses, no telefone (17) 3231-6494.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social de São José do Rio Preto


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

COLÉGIO MARISTA DA REDAÇÃO Jornal Diocese Hoje acompanhou a visita de cortesia de Dom Paulo, em Uberaba- desde a primeira celebração na cidade de Frutal no dia 25 de março. No dia 26, a recepção no Colégio Marista, a visita no seminário o acolhimento na Catedral pelos fiéis e na Casa onde Dom Paulo fixará sua nova residência. O atual pároco da Catedral, Monsenhor Paulo, recebeu Dom Paulo nas escadarias da Catedral. Dom Paulo foi acolhido pelos fiéis antes de entrar na Catedral. Em seguida, todos os participantes formaram fila para abraçá-lo e dar as boas vindas. Dom Paulo também recebeu as chaves da Catedral e, em seguida, foi conhecer a nova residência. Monsenhor Valmir – Tivemos, neste dia de hoje, esta visita de cortesia do nosso Arcebispo eleito, Dom Paulo Mendes Peixoto à nossa Arquidiocese, que começou com um encontro no salão de Atos do Ginásio Marista. Para esse encontro vimos, com alegria, que a Arquidio-

Arcebispo Emérito Dom Roque.

Monsenhor Valmir após saudação do clero.

cese estava altamente representada com seus padres, diáconos permanentes com suas esposas, seminaristas, religiosos, coordenadores de pastorais, movimentos,com a presença de nossos seminaristas, o que tornou possível a Dom Paulo estar mais perto de seus padres, de seus diáconos. Conversando, se bem que brevemente, mas conversando um pouco com eles. Nós pudemos mostrar a nossa hospitalidade, o nosso acolhimento. Na parte da tarde, visitamos a Cúria para que ele conhecesse aquilo que nós chamamos de “Coração” e, também, do “Pulmão” da nossa arquidiocese: o Instituto de Filosofia e Teologia, depois, o Seminário São José de Teologia e Seminário Nossa Senhora da Abadia de Filosofia e terminamos com a visita na Catedral, que é a sua Igreja, e fomos recebidos pelo cura da Catedral, vários padres, um grande grupo de paroquianos. Jornal Diocese Hoje: quantas pessoas eram?

Monsenhor Valmir – Nós éramos, ali fora, umas cem pessoas, por ser hoje uma segunda-feira, dia de trabalho, no meio da tarde. Tivemos apresentação do Madrigal, acompanhado pelo nosso organista. D.H. - O que é Madrigal? M.V. – Aquele grupo de canto a 4 vozes acompanhado pelo nosso grande e belíssimo órgão de tubo, que é o maior de todo o Triângulo Mineiro. Logo após, houve pala-

vras de saudação, feitas por Dom Benedito. Também, preces e os paroquianos puderam oferecer ao Arcebispo eleito ramos de flores e os cumprimentos. Terminamos cantando o hino do “Coração de Jesus”, porque o Sagrado Coração é o padroeiro de nossa Arquidiocese. Monsenhor Paulo falou, então, a Dom Paulo, da Casa Paroquial, da Catedral, que está aberta para acolhê-lo, neste primeiro momento de sua vida, no nosso meio e terminamos o momento de confraternização aqui na Casa Paroquial. Foi um dia para nós de muita alegria e de muita esperança. D.H. - Foi muito bonito o que Dom Benedito disse, não foi? M.V. – A presença de Dom Benedito, no nosso meio, é sempre motivo que falta até uma palavra aqui que defina, mas a presença dele nos estimula, nos consola, nos fortalece. No alto dos seus mais de 90 anos, ele procura sempre estar presente e é uma presença, assim: amiga, paterna e de muito bom humor. Faz muito bem a presença de Dom Benedito para nós e, do ponto de vista de fé, é um estímulo. D.H. - Ele fez uma boa colocação quando falou de Dom Paulo, não é? continua na próxima página

13

Mons. Valmir fala ao jornal

“Diocese Hoje”


14

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

COLETIVA DE IMPRENSA Primeira

eu procurei lembrar, brevemente, aquilo que está nos documentos, contidos no Concílio Vaticano II, no qual a figura do Bispo é definida no seu papel, mas percebe-se que o Bispo deve estar estreitamente unido ao seu presbitério, tendo os seus padres e seus diáconos como solícitos colaboradores, auxiliares e instrumentos para a sua ação pastoral. Eu disse a Dom Paulo que ele poderia ter certeza de que nós seríamos solícitos às suas solicitudes pastorais. Nós estaríamos sempre atentos às necessidades de nossa diocese e sob a orientação dele, dispostos a trabalhar. E lembrei, como eu disse já, as palavras de Santo Inácio de Antioquia “nada sem o Bispo e sem o presbitério”. Nós

visita de Dom

Paulo a Uberaba

Imprensa local sabatina Dom Paulo.

queremos caminhar em unidade, na unidade, em comunhão. DH – A Igreja Mãe, a Igreja do Bispo? Fale um pouco do perfil da Catedral e dos eventos católicos de Uberaba? M.V. – Nossa Catedral está na sua quarta reforma. É um prédio muito bonito, neoclássico, que tem capacidade para, no máximo, 700 pessoas, o que a torna pequena e faz com que nossos eventos maiores sejam feitos fora dela. Hoje, com 60 paróquias, não é possível acolher aqui todas essas pessoas. Sempre que nós temos celebrações maiores, que envolvem toda a nossa diocese, fazemos no continua na próxima página

continuação da página anterior

M.V. – A palavra de Dom Benedito sempre foi iluminada. É um homem muito inteligente, que fala com sabedoria e, claro, aberto à ação do Espírito Santo. É importante que, apesar de muitos terem falado, mas um Bispo falando ao outro, isso dá uma força, dá um peso diferente. D.H. - Um resumo da visita, conte o que o senhor disse no seu pronunciamento, enfim, todos os acontecimentos. M.V. – Sim. Na minha fala de saudação ao Arcebispo eleito,

“Silêncio e palavra: caminho de evangelização’’ é o tema para o próximo 46° Dia Mundial das Comunicações Sociais, proposto pelo Papa Bento XVI, que será celebrado no dia 20 de maio de 2012. No pensamento do Papa, o silêncio não é apresentado simplesmente como uma forma de contraposição a uma sociedade caracterizada pelo fluxo constante e incontrolável de ruídos na comunicação, mas como um elemento necessário de integração. O silêncio favorece a dimensão do discernimento e do aprofundamento e pode ser visto como um primeiro grau de acolhimento da palavra. Não há dualidade entre ‘’Silêncio e, em seu equilíbrio, aumenta o valor da comunicação e torna-as fecundas no serviço da nova evangelização. ‘’Silêncio e palavra’’ nos convoca a uma reflexão sobre o silêncio fundador, este que se relaciona irrevogavelmente com a Palavra. Portanto, fazer da comunicação um ato pleno de contato com Deus, com o próximo e com a sociedade exige que, antecipadamente, instituamos o silêncio como um modo de estabelecer comunhão. ‘’ Silêncio e palavra’’ são recursos que possuem uma base sólida capaz de

Monsenhor Valmir apresenta Dom Paulo aos religioso uberabenses no anfiteatro do Colégio Marista.

nos conduzir à comunicação plena. Palavra, a comunicação se realiza. No silêncio, ela se completa. Pois a compreensão se concretiza a partir do silêncio. Há poder em ambos e a sabedoria é usar bem esses dois tempos da comunicação. Dentro de uma composição as pausas são tão importantes quanto os sons. Uma boa orquestra é aquela que executa bem as dinâmicas das pausas e das continuidades. Mesmo no silêncio da pausa, a canção continua. Não diga as coisas com pressa., mais vale um silêncio certo, que uma palavra errada. O poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade recomendava aos poetas: “Convive com os teus poemas antes de escrevê-los. Tem paciência, se obscuros. Calma, se te provocam. Espera que cada um se realize e consuma com seu poder de palavra e seu poder de silêncio.” A recomendação do poeta é sábia e pertinente. Um poema só é bem, só é bom, se maturado na sementeira do silêncio. Antes de se tornar palavra, a poesia é experiência de vida silenciosa. Os artistas sabem disso, e nós precisamos aprender.

Demora naquilo que você precisa dizer. Livre-se da pressa de querer dar ordens ao mundo. É mais fácil a gente se arrepender de uma palavra dita, do que de um silêncio. Palavra errada na hora errada pode se transformar em ferida naquele que ouviu, também naquele que disse. Há muitos momentos da vida em que o silêncio é a resposta mais sábia que nós podemos dar a alguém. Na pressa de falar, corremos o risco de dizer o que não queremos, e diante de tudo que foi dito, nem sempre temos a possibilidade de consertar o erro. Palavras erradas costumam machucar pelo resto da vida, já o silêncio certo, esse possue o dom de consertar. Por isso, prepara bem a palavra que será dita. Palavras apressadas não combinam com sabedoria. Os sábios sempre preferem o silêncio. E nos seus poucos dizeres está condensada uma fonte inesgotável de sabedoria. Não caia na tentação do discurso banal, da explicação simplória. Queira a profundidade da fala, que nos pede calma. Calma para dizer. Calma para ouvir. Uma regra interessante para que tenhamos uma boa compreensão de

um texto, é justamente a calma. Só assim podemos adentrar nos significados que o autor quis sugerir e, consequentemente, mergulhar no mistério do seu texto. Leituras apressadas podem fomentar equívocos, e equívoco é uma espécie de desentendimento entre o que escreve e aquele que lê. É uma forma de obstáculo para a compreensão da linguagem. Na comunicação verbal cotidiana, isso sempre acontece. Dizemos, e não somos compreendidos. Diante do impasse duas realidades são possíveis: ou alguém disse com pressa, ou alguém escutou sem atenção. Dizer e ouvir requer silêncio. Só diz bem, aquele que pensou antes no que iria dizer, e ouve melhor aquele que se calou para escutar. A regra é simples, mas exigente. Por isso hoje, nesse tempo de palavras muitas, queiramos a beleza dos silêncios poucos. (Fonte Dom Dimas Lara Barbosa, Pe Fabio)

Lourdinha Barbosa - Coordenadora da PASCOM E-mail- Lhursomary@yahoo.com.br

Fones: (17) 32168669 ou (17) 91544509


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

15

1ª VISITA AO SEMINÁRIO Público diocesano.

continuação da página anterior

Ginásio Marista, que é onde será a posse de Dom Paulo. Mas, a nossa

Dom Paulo fala aos seminaristas.

Dom Paulo e Dom Roque.

Catedral é algo de muito querido para todos nós, mesmo sendo uma Igreja que não é tão grande nas suas

proporções. Temos os altares laterais, em madeira, que são belíssimos! Na

sua multiplicidade de imagens, conforme era o costume da época. Mas os altares laterais são belíssimos, entalhados em madeira de lei, são verdadeiras obras de arte. Nosso órgão de tubo, que é algo, assim, fantástico!!! Nós temos duas imagens maiores, que são Santo Antônio e São Sebastião. Eram os antigos oráculos da Igreja, antes que se tornasse Catedral, e uma multiplicidade de imagens foram sendo trazidas para cá, ao longo dos anos. Além dos clássicos, que são as imagens da tradição nossa da Semana Santa: Senhora das Dores, Madalena, São João. A Sé Catedral é sempre a Igreja do Bispo.

Edição Especial Dom Paulo

Dom Roque, Dom Paulo, padres, seminaristas e leigos na frente do Seminário.

D. Paulo em visitando o Colégio Marista

- Exmo Sr. Dom Aloísio Roque Oppermann, agora nosso Arcebispo Emérito, a quem agradecemos pelos seus 16 anos de presença de pastor em nosso meio. - Exmo Sr Dom Odilo Pedro Cardeal Scherer , arcebispo de São Paulo . etc etc etc - Autoridades civis, eclesiásticas,militares - Povo santo de Deus - Excelência Revma, D Paulo Mendes Peixoto, nosso arcebispo Metropolitano, de direito e, agora, de fato. 1 - São 105 anos de história da presença de um bispo nestas terras abençoadas do Triângulo Mineiro. História começada por Dom Eduardo Duarte Silva e continuada por Dom Antonio de Almeida Lustosa, Dom Luiz Maria de Santana, Dom Alexandre Gonçalves Amaral e Dom José Pedro de Araújo Costa, Dom Benedito de Ulhoa Vieira e, ultimamente, por Dom Aloisio Roque Oppermann. Essa história, nesta celebração, é depositada em suas mãos de pastor e de mestre. 2 - A nossa arquidiocese, agora sua, vem saudá-lo neste dia. Aqui estão os seus diocesanos. Conosco, outras Igrejas particulares também, o que me faz poder dizer que toda a Igreja o saúda. 3 - Nós, seus presbíteros, estamos aqui para dizer-lhe da nossa alegria e esperança: Alegria por que sabemos que temos conosco um sucessor dos apóstolos, que aceitou a vocação de servir ao povo de Deus, conforme o coração de Cristo Bom Pastor, servindo o Evangelho, na consciência de ter sido chamado a viver o amor a Jesus Cristo e a Igreja, presidindo na caridade esta porção do Povo de Deus. Esperança de que, sob o seu pastoreio, continuemos a construir uma Igreja que seja casa e escola de comunhão. Onde carismas, ministérios e serviços sejam animados e sustentados. Uma Igreja onde todos se sintam acolhidos como em sua própria casa, onde todos se sintam filhos, irmãos e irmãs. Igreja onde a fé continue sendo ensinada, a Palavra de Deus anunciada e os sacramentos oferecidos como oportunidades de encontro com o senhor. 4 - Excelência, ao olharmos para o momento atual que vivemos, percebemos as situações que afetam e desafiam a nossa vida e o nosso ministério : a questão da identidade teológica e ministerial; a nossa inserção na cultura atual; os desafios estruturais do nosso servir, e quantas mais... Temos procurado dar a nossa resposta, buscando oferecer às nossas comunidades profundas experiências de encontro com o Senhor, oportunidades de se nutrirem da Palavra de Deus, da eucaristia e da oração, fazendo de nossas comunidades lugares de encontro com Jesus Cristo, olhando com carinho e preocupação para o pobre. 5 - Dom Paulo, como pude dizer-lhe, em nome deste presbitério que represento, permita-me repetir: queremos ser solícitos cooperadores seus, auxílio e instrumento, servindo o povo de Deus e formando, com V. Excia, um só presbitério, empenhados nos diversos serviços que nos são próprios. Queremos tomar como nossas as suas solicitudes de pastor, trabalhando para a santificação da porção do povo de Deus que lhe foi confiada. Na escola de Santo Inácio de Antioquia, para quem o tema da unidade era extremamente precioso, e nos ensina que a unidade com Deus e com Cristo se manifesta na unidade com o bispo, ponto fundamental e primeiro de unidade, queremos dizer: “ assim como o Senhor Jesus nada fez, nem por si mesmo nem por meio dos seus apóstolos, sem o Pai, com o qual ele é um, também nós nada queremos fazer, sem o bispo e o presbitério.” . Dom Paulo, V. Excia está entre irmãos e irmãs, filhos e amigos. Nós o acolhemos como presente de Deus, para ser o Anjo da nossa Igreja Particular de Uberaba. Seja bem vindo! 6 - Como na família humana, a Igreja-família é gerada ao redor de uma mãe, que confere alma e ternura... Que Maria santíssima, a Virgem pura e sem mancha, seja para nós uma escola de fé destinada a nos conduzir ao encontro com o Criador do céu e da terra. Nós pedimos a essa Mãe, invocando-a sob o título de Nossa Senhora d’ Abadia, que lhe seja força e inspiração, abençoando-o, como Mãe querida dos Apóstolos que é. Amém! MONSENHOR VALMIR


16

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

HOMENAGEM DA REGIÃO CENTRO

VAI COM DEUS Ao querido e abençoado Dom Paulo, hoje Arcebispo de Uberaba, nossos agradecimentos pelos anos e por todo o apoio dado tanto aos Leigos e Leigas, como ao Clero, Religiosos e Religiosas de nossa Região Pastoral. Com o carinho do

Pe. Luiz Rogério e da Região Centro.

Fotografias: Della Latta


SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

SÉ CATEDRAL DE SÃO JOSÉ

DOM PAULO “PARA O SERVIÇO À VIDA” LEGENDAS

01) Paróquia Sé Catedral de São José Rua Siqueira Campos Nº 3033 - Centro Fone: (17) 3234-4879 / 3232-3366 02) Basílica N. Sra Aparecida Praça Dom Lafayete Libânio s/nº - Boa Vista Fone: 3231-2050 / 3231-2464 03) Paróquia Santa Terezinha do Menino Jesus Rua Osvaldo Aranha Nº 585 - Parque Industrial Fone: (17) 3232-1598 04) Paróquia Nossa Senhora do Sagrado Coração Rua XV de Novembro Nº 4128 - Redentora Fone: (17) 3232-8177 05) Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro Rua Ipiranga Nº 3223 - Jardim Santos Dumont Fone: (17) 3232-1376 06) Paróquia São João Batista e Santuário das Almas Rua General Osório Nº 2757 - Jardim Canaã Fone: (17) 3232-1433 07) Paróquia Menino Jesus de Praga Rua Teodoro Demonte Nº 465 - Bairro São Manoel Fone: 3216-5032

DIOCESE 82 ANOS

17


SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012 HOMENAGEM DA REGIÃO DE VOTUPORANGA

ARCEBISPO DE UBERABA

11

3

1

12

2

7

LEGENDAS

4

6

01) Paróquia Nossa Senhora Aparecida - Pe. Gilmar Antonio Fernandes Margotto Votuporanga - Centro - Fone: (17) 3421-6245 01A) Diácono Lécio de Almeida Alves (Matriz de Votuporanga) 02) Paróquia São Bento - Pe. Carlos Rodrigues dos Santos Votuporanga - Vila Marin - Fone: (17) 3421-6220

10

DIOCESE 82 ANOS

Fotografias: Della Latta

03) Paróquia Santa Luzia - Pe. Geomar Alves dos Santos Votuporanga - Santa Luzia - Fone: (17) 3422-2600 03A) Diácono José Roberto (Paróquia Santa Luzia) 04) Paróquia: Senhor Bom Jesus - Pe. Márcio Tadeu R. A. de Camargo Votuporanga - Jardim Paraíso - Fone: (17) 3422-4330 05) Paróquia Santa Joana Princesa - Pe. José Américo Alves Votuporanga - Bairro Pozzobon - Fone: (17) 3421-8223 05A) Diácono Milton Leme do Prado (Paróquia Santa Joana Princesa) 06) Paróquia São Benedito e N. Sra de Fátima - Pe. Jair de Marchi Votuporanga - São João - Fone: (17) 3421-3003 07) Paróquia São Cristóvão - Pe. Ademir Batista da Silva Votuporanga - Jardim Alvorada - Fone: (17) 3432-3278 08) Capela Nossa Senhora Aparecida - Pe. Joaquim Tadeu Ferraz Andrade Parisi - Centro - Fone: (17) 3839-7275 e 9619-9730 09) Paróquia São Sebastião - Pe. Francisco B. A. de Souza Valentim Gentil - Praça Pio XII S/N - Fone: (17) 3485-1291 10) Santo Antonio - Pe. Lorival Ângelo Marques Cosmorama - Centro - Fone: (17) 3836-1280 11) Santo Antônio de Pádua - Pe. Rafael Riolândia - Centro Fone: (17) 3291-1215 12) Paróquia São João Batista - Pe. Juliano Osvaldo de Camargo Américo de Campos - Centro - Fone: 17- 3445-1155 13) Paróquia São José - Pe. Luiz Vassalo Álvares Florence - Centro - Fone: (17) 3486-1209 14) Capela Nossa Senhora da Aparecida - Pe. Joaquim Tadeu Ferraz Andrade Parisi - Centro - Fone: (17) 3839-1113 15) Santo Antonio - Diácono Rivaldo Celson Alves Cosmorama - Centro - Fone: (17) 3836-1280

Neste momento em que o Senhor chama Dom Paulo Mendes Peixoto a desempenhar sua missão em outra diocese, nós Padres, Diáconos, Religiosos, Religiosas e Fiéis Leigos de todas as Paróquias da Região de Votuporanga desejamos expressar nosso profundo agradecimento pela sua vida partilhada entre nós. Sobretudo, pela atenção especial, na elaboração do processo de criação da Diocese de Votuporanga. A Deus, confiamos a vida e a missão de Dom Paulo, invocando a abundância das bênçãos divinas e a proteção do Coração Imaculado de Maria. Nossa gratidão, amizade, comunhão e lembrança em nossas orações.

13

9

8

5


20

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

VI CONGRESSO DA AMA fotos: D.H.

Da Assessoria de Imprensa Com ênfase na Gestão Transparente e nas Eleições 2012, a ransparência diretoria da AMA – Associação dos Municípios da Araraquarense na gestão lançou, sexta-feira (27/4), na sede da entidade, a 6ª edição do Conpública e gresso de Municípios do Noroeste Paulista. O lançamento contou com presença de prefeitos, deputados eleições aestaduais, vereadores e gestores municipais da região. “Neste Congresso teremos a presença de técnicos das Secretarias do Estado, assim como especialistas que poderão orientar a todos quanto à nova Legislação Eleitoral. Vamos ficar informados sobre o que poderá e o que não poderá ser feito nas eleições deste ano. A questão da ficha limpa também será debatida”, declarou o prefeito de Álvares Florence, Alberto César Caires, presidente da AMA. Para a presidente da associação, “a transparência total tem de ser a meta de uma gestão moderna. O cidadão precisar saber quantos pagamentos cada órgão da Prefeitura faz, para quem, para que tipo de serviço ou produto”. O VI Congresso de Municípios vai abordar a transparência na gestão pública em todos seus aspectos. O cumprimento de metas, os avanços da administração, contratos, editais, valores, datas de liquidação e serviços prestados. “Tudo tem que ser apresentado para o cidadão de forma transparente”, disse Caires. O papel da Internet e dos meios de comunicação, na divulgação dos atos administrativos, também farão “O Congresso parte das discussões. De acordo com Alberto Caires, acontece nos o evento irá abordar também o asdias 30 e 31 de sunto do meio político deste ano: maio, e 1º de as eleições municipais. “Vamos discutir as eleições municipais, com junho em Rio destaque para a Legislação EleitoPreto” ral. O marketing político também

vai discutir

T

2012

Prefeito Alberto César Caires, presidente da AMA, com deputados, prefeitos e vereadores.

será debatido”, anuncia. A participação dos vereadores no Congresso foi abordada pelo deputado estadual, Orlando Bolçone. ”Devemos motivar as câmaras da região a participar do Congresso que poderá orientar o vereador a fazer o papel dele”, disse. Para o deputado estadual Sebastião Santos, o Congresso deve incluir, entre os temas que serão debatidos, o turismo regional. “Vamos aproveitar o Congresso para buscar alternativas para o turismo na nossa região. Em 330 cidades do Estado, há o turismo de pesca, ecológico, social e científico. Na nossa região,

estamos prontos para receber o turismo e mostrar que essa pode ser uma alternativa para o desenvolvimento. Na Assembleia Legislativa estamos elaborando uma nova legislação para implementar o turismo.” Um dos grandes parceiros, este ano, do Congresso da AMA é a Unifev – Centro Universitário de Votuporanga. Segundo o reitor Marcelo Ferreira Lourenço, existe uma parceria com a AMA e a Universidade Federal de Aveiro, de Portugal, para modernizar o ensino na região. “Em Portugal, há muita tecnologia a serviço da Educação, tanto para os alunos quanto para professores.

Buscamos com essa parceria trocar tecnologia e informação. Iremos apresentar no Congresso as vantagens de investir em tecnologia na Educação.”

Serviço: VI Congresso de Municípios do Noroeste Paulista Tema: Gestão Transparente Data: De 30 maio a 1º de junho de 2012 Local: Ipê Park Hotel – Rodovia Washington Luís, km 428, Cedral / Rio Preto Realização: AMA – Associação dos Municípios da Araraquarense - Avenida das Hortênsias, 301 - Jardim Seixas - São José do Rio Preto - SP

Município de Álvares Florence parabeniza Dom Paulo pela posse como Arcebispo de Uberaba A cidade o acolheu em uma de suas visitas pastoral. Esta homenagem é mais do que justa, pois a religião católica participa ativamente da vida social do município, prestando reconhecidos trabalhos à nossa sociedade. Parabéns Dom Paulo, desejamos maior êxito em sua missão.

Dom Paulo visita a Câmara de Vereadores de Álvares Florence


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

21

D. PAULO OVACIONADO fotos: D.H.

Dom Paulo é lembrado em todos os

Jornalista Mário Welber.

Advogada Gisele Paschoetto.

DA REDAÇÃO Dom Paulo Mendes Peixoto deixou São José do Rio Preto depois de dirigir a nossa diocese por 6 anos, atuando como um apóstolo de Cristo. Jamais foi omisso. Impulsionou a catequese e a evangelização, dinamizou a comunicação diocesana, incentivou a informatização nas paróquias, reestruturou e fortaleceu os demais setores da diocese. Fez mais: participou de campanhas em defesa do ambiente e contra a corrupção. Batalhou pela aprovação da lei da Ficha Limpa; e em ano de eleições, alertou eleitores para que escolhessem candidatos éticos e comprometidos com o bem público. Humildade, sabedoria, competência e liderança são a sua marca. Muitas vezes foi manchete de jornais de São José do Rio Preto e da região por decisões corajosas e sensatas. Dias antes de partir para Uberaba, foi ovacionado pelo povo, durante reunião na Câmara Municipal. A plateia aplaudiu-o por cerca de um minuto e dezenas de vozes gritavam: “Dom Paulo, Dom Paulo”. Qual o motivo dessa manifestação? Ele se posicionou contra a execução de duas hidrelétricas no rio Turvo, pois essas obras causariam danos ambientais e a água represada cobriria sítios arqueológicos. E nessa reunião

no Legislativo, anunciou-se que a construção das usinas não havia sido autorizada por órgão do governo estadual. Outros líderes desse movimento também foram aplaudidos. O vereador Marco Rillo comentou: “Nesses 20 anos de vida pública, não presenciei nenhuma manifestação popular como esta”. Em todos os eventos que participou, Dom Paulo era abraçado e cumprimentado por idosos, adultos, jovens e crianças. “É o bispo do povo, é a imagem do pastor”, disse o padre Mário Ustaszewski, de Tanabi. Dom Paulo é respeitado até por lideranças de outras religiões. Em sua última visita pastoral, como bispo de São José do Rio Preto,esteve na Paróquia Santa Terezinha. Celebrou missas, conversou com leigos, dialogou com jovens, reuniu-se com catequistas. No Hospital Bezerra de Menezes, que fica na área territorial da paróquia, Dom Paulo foi recepcionado pelo provedor Gracio Tomaz Saturno, que é espírita, e por outros diretores do hospital, também espíritas. “Peço a Deus e a Jesus que continuem iluminando Dom Paulo, para que ele possa, por onde passar, levar essa humildade e essa sabedoria”, disse Gracio Tomaz. O Pároco da Igreja Santa Terezinha,

Dom Paulo assina documento referente ao manifesto do Talhadão.

Dom Paulo Mendes Peixoto.

Representante da Assembleia Legislativa.

Público presente.

que culminou em parecer contrário à construção das hidrelétricas. “Negamos com embasamentos técnicos suficientes, mas a luta popular organizada por Dom Paulo também teve peso importante no nosso parecer, pois representava a opinião da comunidade”, afirmou o secretário que esteve reunido com Dom Paulo em várias oportunidades. Mario Welber, assessor do secretário e responsável pela coordenação do processo de tramitação do

parecer, afirmou que a construção das PCHs seriam um dano ambiental irreparável, “seria irreversível e inconsequente, não poderíamos concordar com essa chacina ambiental”, afirmou. Em evento na Câmara de Rio Preto, que reuniu cerca de 250 pessoas, logo após divulgação do parecer, Dom Paulo foi ovacionado e lembrado em todos os discursos das autoridades presentes. “Ele é o símbolo dessa luta e sem ele não

teríamos chegado tão longe”, disse a advogada Gisele Paschoetto, líder do movimento em defesa das cachoeiras. Segundo o deputado João Paulo Rillo, a luta em defesa das cachoeiras foi um marco na história da cidade e Dom Paulo teve participação ímpar no processo. Também estiveram presentes no evento os deputados Sebastião Santos, Carlão Pignatari, além de ambientalistas e defensores da causa.

discursos Público aplaude por três vezes Dom Paulo Mendes Peixoto.

padre Cleomar Bessa, comentou: “Vai para Uberaba um grande pastor, um homem de Deus”. Dom Paulo ordenou 25 padres e 17 diáconos permanentes, realizou 25 mil crismas, fez 66 visitas pastorais, criou 12 paróquias e duas quase paróquias. Houve mudança de padre em mais de 60 das 97 paróquias da diocese; instalou o Mosteiro da Ordem Santa Clara, em Jaci; influiu na realização, em São José do Rio Preto, do XXIII Encontro da Sociedade Brasileira de Canonistas, em junho

de 2008. Até então, esse congresso acontecia apenas nas capitais. Foi o responsável pela catequese no Estado de São Paulo, criou a Escola Diocesana de Catequistas. Em 2011, São José do Rio Preto sediou o VII Sulão de Catequese,que reuniu 300 catequistas de cinco estados brasileiros; promoveu, em 2011, o Eucaristia Fest nas 12 regiões pastorais da Diocese; reforçou a missão em Cerejeiras (RO), onde dois padres da nossa diocese realizam trabalho de evangelização.

Dom Paulo sai em defesa das Cachoeiras do Talhadão Mario Welber, assessor do secretário do meio ambiente Bruno Covas, afirmou que participação de bispo foi decisiva na decisão de barrar usinas Peixes, árvores centenárias e espécies nativas não estão mais ameaçados de desaparecerem do Rio Turvo. Pelo menos, não pela construção de usinas. Isso é o que assegurou a decisão tomada no último mês, em São Paulo, pelo secretário de estado do meio ambiente, Bruno Covas. Ele divulgou parecer contrário da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) sobre a construção de duas pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) no Talhadão e Foz do Preto, em Palestina e Pontes Gestal. As construções eram pleiteadas pela Encalso que pretendia iniciar as obras ainda este ano, caso fossem liberadas. Segundo o secretário, a manifestação popular também foi levada em conta no processo de análise,

das autoridades presentes


22

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

VISITAS PASTORAIS Cerca de

cinquenta municípios que pertencem a AMA

DA REDAÇÃO Dom Paulo Mendes Peixoto, Arcebispo de Uberaba, no período de seis anos, visitou prefeitos dos municípios da região da Diocese de São José do Rio Preto. Dom Paulo esteve com mandatários municipais para conhecê-los e fazer-lhes visita pastoral e levar a proposta de viverem a fraternidade e a unidade no campo político onde atuam. São cinquenta os municípios que pertencem à Diocese: Adolfo, Altair, Álvares Florence, Américo de Campos, Bady Bassitt, Bálsamo, Buritama, Cedral,Cosmorama,Engenheiro Schmitt, Floreal, Gastão Vidigal, Guapiaçu, Icém, Ipiguá, Jaci,José Bonifácio, Lourdes, Macaubal, Magda, Mendonça, Mirassol, Mirassolância, Monções, Monte Aprazível, Neves Paulista, Nhandeara, Nipoã, Nova Aliança,Tanabi,Nova Granada, Nova Luzitânia, Onda Verde, Orindiúva, Palestina, Parise, Paulo de Faria, Planalto, Poloni, Pontes Gestal, Potirendaba, Riolândia, São José do Rio Preto, Sebastianópolis do Sul, Talhado, Tanabi, Turiúba, Ubarana, Uchoa, União Paulista, Valentim Gentil,

foto: D.H.

Votuporanga, Zacarias. Na verdade, a maioria desses municípios pertence à Associação dos Municípios da Araraquarense (AMA), presidida pelo prefeito de Álvares Florence, Alberto César

Caires. Ao percorrer os 70 municípios, quase todos pertencentes à AMA, Dom Paulo, atendendo a convite do prefeito Alberto C. Caires, visitou as repartições públicas. Em todos

ABRIL-MAIO/2012

os municípios, Dom Paulo deixou sua mensagem clara e objetiva, alegando a importância de se governar com o intuito de concretizar a vivência da unidade na política. Segundo ele, “de fato, se todos somos filhos de Deus, redimidos pela cruz/ressurreição de Jesus, também os políticos têm a missão e a graça de, acima de seus ideais partidários, viverem esta fraternidade. Mesmo com suas diferenças pessoais, ideológicas, podem e devem reconhecer a presença de Deus no irmão que pertence a outro partido”. O jornal “Diocese Hoje”, em contato com os prefeitos e câmara de vereadores desses municípios, notou que houve diversas reações positivas às reflexões de Dom Paulo nessas visitas de pastoral. Por si só, isso indica a esperança que as mesmas autoridades municipais depositam, na orientação da Igreja, em relação aos desafios, conflitos, lutas, que enfrentam no exercício do bem comum, e o compromisso de eles mesmos relatarem suas experiências de vivência da unidade na política reforçam a mesma esperança, verdadeiro sonho humano-divino.

Rillo quer Amertp aliada contra inclusões no perímetro de Rio Preto

Assessoria de Imprensa Marcos Rillo Quarta-Feira, 18 de Abril de 2012 - 16:39 - Categoria: Geral Em Ato Regional da Amertp (Associação de Defesa do Meio Ambiente dos Rios Turvo e Preto e da Cachoeira do Talhadão), na Câmara, na última terça-feira, 16 de abril, o deputado estadual João Paulo Rillo convidou o movimento a apoiar a luta dos rio-pretenses contra as inclusões de áreas no perímetro urbano. “Tive o privilégio de participar desde o início do movimento de defesa do Talhadão e, agora, como rio-pretense e ex-vereador, gostaria que a Amertp contribuísse com sua capacidade de mobilização com a nossa luta local. Os interesses privados, que motivam empreendimentos como o das usinas, são semelhantes aos que promovem a especulação imobiliária em Rio Preto e comprometem não só a qualidade de vida dentro do espaço urbano, mas também interferem diretamente nas condições dos recursos naturais existentes na região”, argumentou o deputado.

Trajetória da mobilização Durante o Ato que contou com a presença de autoridades, do bispo diocesano D. Paulo Mendes Peixoto, lideranças de diversos partidos, dos ex-prefeitos Wilson Romano Calil e Manoel Antunes, Rillo relembrou a trajetória, desde o início, do movimento. “Em nossa primeira reunião, traçamos a estratégia de envolver toda a sociedade para ampliar e potencializar as ações do movimento”, contou. Em seguida,

para sensibilizar as autoridades estaduais sobre os riscos ambientais do empreendimento, Rillo esteve no Talhadão acompanhado dos professores da Unesp, Arif Cais e Andréia Rezende, em julho de 2011, e alertou os demais representantes políticos sobre a necessidade de união em torno da defesa do local. Espécies únicas Os professores da Unesp comprovaram a existência de espécies únicas, que exigiam a preservação

daquele ambiente para sobreviverem. Todo o material elaborado pelos pesquisadores foi levado ao secretário do Meio Ambiente, Bruno Covas, e à CETESB, órgão responsável por autorizar ou negar a licença do empreendimento. “A união de todos em torno da defesa do Talhadão e de São Roberto, aliada às informações científicas levantadas, convenceu as autoridades estaduais dos prejuízos que as PCHs causariam”, comemorou Rillo.

Desenvolvimento, só se for sustentável Todas as Campanhas da Fraternidade são perenes. Nenhuma tem o papel de iniciar, durar um ano, e acabar. Todas, sem exceção, chegam com compromisso de vida, que tem data para nascer e jamais morrem. Assim foi a do ano passado, que abordou as dores do Planeta. Tendo como tema central o meio ambiente, a Campanha da Fraternidade 2011 ecoou e seu legado nos deixou diretrizes que o povo brasileiro jamais poderá abrir mão; até porque, sustentabilidade e meio ambiente não são mais temas de debate, mas de sobrevivência. Sob à luz da Campanha da Fraternidade de 2011, prosseguimos com a missão de zelar pela sustentabilidade por todo o sempre. E deve ser assim em toda Terra,

no País, na cidade e em casa. Nós, como cristãos e cidadãos, temos o dever de zelar por uma sociedade que carece de proteção à vida e, ao mesmo tempo, não pode parar de crescer. Como conciliar desenvolvimento econômico e natureza? Como promover uma convivência harmoniosa entre progresso e meio ambiente? A resposta está em nossas mãos, ou melhor, em nossas atitudes. Um carro popular novo, por exemplo, emite 2 quilos de gás carbônico em uma viagem de apenas dez quilômetros. Ou seja, se dermos preferência ao transporte público, ou alternativo em pequenos trajetos, vamos colaborar - e muito - para a preservação do Planeta e a diminuição da poluição. É preciso

rever os velhos hábitos; fechar a torneira, apagar a luz, desligar o chuveiro! Velhas dicas que podem evitar novos problemas! Por mais simples que elas sejam, são garantia certa na colaboração para uma cidade mais sustentável e feliz. A vida urbana tem custado caro ao meio ambiente, mas se não fizermos a nossa parte, vai custar cada vez mais caro ao nosso bolso e à nossa qualidade de vida. Nunca é demais lembrar que somos os únicos responsáveis por esta grande casa chamada Terra. Por isso, mãos à obra, é hora de reformarmos nossa morada para que as próximas gerações tenham onde morar, sonhar e viver. Mário Welber

Assessoria de imprensa


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

23

PARABÉNS DOM PAULO PELA NOMEAÇÃO No momento em que se tornou pública a nomeação de Dom Paulo pelo Papa Bento XVI, para assumir o Arcebispado Metropolitano da Província Eclesiástica de Uberaba, um grande número de pensamentos invadiram nossas almas. Com isso pude relembrar o quanto fez pela Diocese de São José do Rio Preto,nas visitas pastorais, visitando mais de 70 paróquias e municípios, mas também a mim em Álvares Florence, que sou o representante dessa Associação dos Prefeitos da Alta Araraquarense. Foram seis anos de acolhimento e amizades, construídas no dia a dia, que jamais esquecerei! Acredite: partir é doloroso! Sobretudo, quando a gente já

está familiarizado. Entretanto, a missão da Igreja o chama para outro desafio: Uberaba. Como Operário de Deus,

Dom Paulo com o prefeito presidente da AMA Albertinho, e o pároco Pe. Luiz Vassalo.

desejamos que siga em frente. Para que Vossa Exa. Reverendíssima possa cumprir bem a tare-

fa dessa nova missão, confiamos, desde agora, as nossas preces e contamos com sua amizade, e venha sempre nos fazer uma visita! A população da Diocese de São José do Rio Preto, sobretudo os Prefeitos da Alta Araraquarense, que proporcionaram confiança no caminho por onde V. Exa. Revma. percorreu, durante esse período, com o lema “Para o Serviço à Vida”, convoco a todos nesse momento para uma oração e que continuem a lutar juntos para um Brasil melhor e mais fraterno, obrigado! PRESIDENTE DA AMA - ASSOCIAÇÃO DA ARARAQUARENSE

Dom Paulo visitou, em seis anos, mais de 60 municípios que pertencem a AMA, incluindo repartições públicas e empresários

HOMENAGEM DA AVENIDA DAS HORTÊNCIAS, 301 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - FONE (17) 3223-1644 ALBERTO CESAR DE CAIRES - Presidente


24

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

PRIMEIRA MISSA Jornal Diocese Hoje

entrevistou o

Padre Ruback

A chegada de Dom Paulo na Paróquia Nossa Senhora do Carmo para a celebração da primeira missa.

Paróquia Nossa Senhora do Carmo, de Frutal.

Dom Paulo foi convidado para celebrar a primeira missa em

Frutal

DA REDAÇÃO O Arcebispo Dom Paulo Mendes Peixoto visitou a cidade de Frutal e fez a primeira celebração na Paróquia de Nossa Senhora do Carmo. O jornal “DH” acompanhou e registrou esse momento nessa nova missão de Dom Paulo. A seguir, entrevista com o Padre de Frutal, que recepcionou os visitantes.

Jornal “Diocese Hoje”- o senhor é pároco Paróquia de Nossa Senhora do Carmo em Frutal e também esteve junto à comitiva que visitou Dom Paulo em Rio Preto, gostaríamos que falasse um pouco desses primeiros contatos com o Arcebispo. Padre Márcio Antônio R. Ruback – faz 18 anos que sou padre; sou natural de Minas, Leopoldina.

Fiz Filosofia no Rio de Janeiro, Teologia no Seminário São José de Uberaba e, em 1993 no dia 10 de dezembro, fui ordenado padre. Tomei posse como pároco em Nossa Senhora Aparecida, em Frutal, onde permaneci por 3 anos. Depois, Dom Roque me transferiu para a paróquia Nossa Senhora do Carmo do Prata, na qual estive por 6 anos. Dom

Roque pediu que eu reassumisse, novamente, Frutal (a matriz), onde estou há 9 anos. Temos um trabalho muito relevante na comunidade: o Asilo Pio XII, que acolhe 70 idosos; Casa da Criança, que acolhe de 7 a 15 anos; trabalhamos com APAC – Associação de Proteção continua na próxima página

DESPEDIDA DE DOM PAULO MENDES PEIXOTO Nós, do Comércio de São José do Rio Preto e Região (com base territorial em 32 municípios), o cumprimentamos por sua ascenção a Arcebispo de Uberaba. Primeiramente, queremos parabenizá-lo por sua nomeação. Apesar de felizes, é com imenso pesar que nos despedimos. Sentiremos falta de suas publicações em nossos jornais regionais “Bom Dia” e “Diário da Região”, de suas missas e pregações e, sobretudo, de sua amizade sincera. Divididos entre a alegria e a tristeza, entendemos a necessidade de continuar a sua missão. Mais do que isso, sabemos o quanto a igreja necessita de seu trabalho, transparência e amor para manter-se sólida e agregar um número maior de fiéis. Saiba que não estará sozinho. Nossos corações estarão unidos pela fé em Deus e pelo poder da oração. Com saudades,

ELADIO ARROYO MARTINS

RICARDO ELADIO DI LORENZO ARROYO

Presidente do SINCOMERCIO de São José do Rio Preto

Vice-Presidente do SINCOMERCIO de São José do Rio Preto

Frase da sábia Madre Teresa de Calcutá:

“Talvez você seja o único Evangelho vivo que seu irmão possa ler”. FILIADO À

Adm.: Rua Bernardino de Campos, 2976 – 5º andar – Sala 502 - Cep. 15015-300 - Telefax: (017) 32341135 – 3234-5075 - Tel. 3234-1136 – S.J.Rio Preto - SP Sede social: Av. Joaquim de Souza Barbeiro, 241 – Vila Universitária – CEP 15090-160 – Tel. – (17) 3227-1164 E-Mail: sincomercioriopreto@fecomercio.com.br – Site: www.sincomercioriopreto.com.br


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

25

1º CONTATO COM OS FIÉIS continuação da página anterior

ao Condenado – também com a Pastoral da Criança e trabalho de evangelização, catequese de adulto e criança, missionários, enfim, uma paróquia muito movimentada. D H - Quantos habitantes tem Frutal? Pe. Márcio - 55.000 habitantes e 3 paróquias, a Matriz, Nossa Senhora Aparecida e Santo Antônio. D H - Qual a função do senhor na comitiva que visitou Dom Paulo? Pe. Márcio – Sou delegado da Diocese, que detém o representante do presbítero. D H - Queria que o senhor falasse da paróquia porque foi a primeira que recebeu Dom Paulo. Pe. Márcio – Fiz parte da comitiva que foi visitar Dom Paulo, em Rio Preto, e o convidamos para estar com os padres dia 26. Também o convidei para dormir em minha casa, o que facilitaria para eu levá-lo até Uberaba. Dom Paulo, na sua simplicidade e com muita simpatia, disse que viria não só jantar comigo, mas também celebraria a missa das 19:00 horas. Aí, como padre, fiquei nervoso por recebê-lo antes da posse oficial. Então, mobilizei a comuni-

Padre Aloísio e Márcio André na celebração da primeira missa de Dom Paulo em Frutal.

dade toda para receber nosso Pastor, nosso Pai, nosso futuro Arcebispo que vai conduzir nossa Igreja. A comunidade sentiu-se muito motivada por recebê-lo antes mesmo de sua posse! Preparamos uma missa bonita com a participação do povo, cantos bonitos e, no final dela, Dom

Dom Paulo recebe uma orquídea da garotinha e se abaixa humildemente para cumprimentá-la.

Paulo recebeu vários presentes e percebemos a alegria dele e, mais ainda, ficamos felizes por ver o quanto ele é voltado para o povo, abraçando as crianças, cumprimentando os ministros, conversando e conhecendo as pessoas. Isso, realmente, foi marcante na nossa paróquia e já conquistou

Diácono Paulo, Márcio André e Márcio Ruback.

o coração dos frutalenses. Paróquia Nossa D H - quantos sacerdotes estaSenhora do vam aqui no momento. Pe. Márcio – Em Frutal temos Carmo, Frutal 6 padres: na paróquia do Carmo, eu e padre Aluísio, que é o vigário; o padre Márcio André que é o pároco da Nossa Senhora Aparecida; padre Vanderlei, da Santo Antônio; padre Bruno, vigário da Nossa Senhora Aparecida e padre Paulinho, junto com o diácono Paulinho. Todos celebramos com Dom Paulo. D H – Como é a paróquia que o senhor administra? Pe. Márcio – A paróquia tem 164 anos. Antes, havia a igreja antiga, aproximadamente, há 75/80 anos foi construída a última igreja que é belíssima, ou seja, uma das mais belas da nossa Diocese, neogótico, o projeto veio da Itália, feito pelos Capuchinhos. O cartão postal, hoje, de Frutal, é justamente essa matriz. Os vitrais são todos italianos, estão sendo restaurados e a igreja também passa por um processo de restauração. D H – O senhor também fez parte da comitiva que visitou Dom continua na próxima página


26

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

A FALA DE PADRE RUBACK dom Paulo

CoNversou Com a ComuNidade e o Clero Na Primeira visita de Cortesia À

arquidioCese de uberaba

O pároco da comunidade Paróquia Nossa Senhora do Carmo, de Frutal.

continuação da página anterior

celebrou uma belíssima missa, fez a pregação bonita nos convidando a obedecer a Jesus e a seguir os seus passos. Também nos convidou para celebrar a Semana Santa, com o mistério da Fé, nossa fé cristã católica, nos mostrando, também, o quanto é importante estarmos com Jesus; neste mundo da diversidade, voltar o coração para Jesus. Bonito, também, foi perceber a acolhida dele junto com as pessoas, os leigos. Ele abraçou fraternalmente os leigos,

Paulo em Rio Preto; qual foi a primeira impressão que o grupo teve de Dom Paulo e hoje a primeira celebração em terras mineiras? Pe. Márcio – Ficamos muito impressionados com Dom Paulo por dois motivos: primeiro, por sua simplicidade; homem simples. Segundo, por sua capacidade de comunicar, de estar atento às necessidades do clero, as amizades que ele tem, a organização que percebemos, a olho nu, o quanto ele é organizado, um bom administrador e notamos, ainda, o quanto ele é o Pastor. Acho que vai trazer uma renovação para nossa Igreja, o seu jeito mineiro de ser, vai pastorear muito bem e dar prioridade à evangelização na nossa arquidiocese, creio eu. Percebi, também, a abertura dele em conversar e dialogar com os padres, um companheiro. Foi muito surpreendente e acho que vai tornar-se um grande amigo do clero e amigo do povo da nossa arquidiocese. Nossa Comunidade, hoje, teve a alegria de receber Dom Paulo, Arcebispo eleito de nossa arquidiocese, antes mesmo de tomar posse oficialmente, e antes mesmo de faMomentoconosco, da bênção de sagração zer visita ao clero. Esteve

na Missa.

A população de Frutal compareceu em peso para conhecer o novo Arcebispo.

inclusive um gesto bonito dele, ao receber uma orquídea das mãos de uma criança, ele se agachou, beijou a criança, e pediu um beijo. Foi o momento em que conquistou o povo! Todos ficaram encantados com esse gesto de humildade de Dom Paulo. Depois, o agradecimento dele à comunidade. Foi uma missa bonita, participativa, na qual tivemos a oportunidade de mostrar a nossa fé, o nosso amor, o nosso respeito, a nossa esperança naquele que vem

em nome do SENHOR para ser o nosso Pastor. Pedimos que a Virgem do Carmo (que é a virgem do Monte Carmelo), que conduza Dom Paulo ao monte de Cristo e, do monte de Cristo, ele possa conduzir seu povo aqui, que é o povo agora de Uberaba. D H – É difícil a gente ver um Coral assim, eles gostaram? Pe. Márcio – O Coral Nossa Senhora do Carmo, acho que todos gostaram muito. Reunimos os 3 corais da paróquia e, em uma semana, preparamos os cantos e, conforme se percebeu, ficou muito bonito. Encantou a comunidade com os cantos belíssimos que o coral pode apresentar para celebrar a Santa Missa. D H - Porque o detalhe de ter apagado a luz na entrada do Evangelho. Pe. Márcio – Apagamos a luz e colocamos o foco no Evangelho para mostrar que, diante da escuridão, das trevas do deserto, da quaresma, é importante voltar o foco para a palavra de Deus, que é caminho, verdade e vida. O próprio Jesus diz: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”. Então, esse é o motivo: diante da quaresma do deserto, é olhar para a palavra e voltar a atenção para Jesus.

Quero desejar-lhe muitas felicidades e muita saúde também. Que você realize todos os seus sonhos: Vossa Exa. Reverendíssima merece! Fiquei muito orgulhoso por tê-lo conhecido pessoalmente. Se depender de mim, vou sempre torcer pra que seja Papa. Que Deus esteja sempre ao seu lado ! Parabéns Dom Paulo Mendes Peixoto, nosso Acerbispo ! Que Deus o Abençoe. AbesColorriopreto.com.br abes.color@hotmail.com


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

27

FALA SOBRE A ESCOLHA Dom Hugo irá a Roma com Dom Paulo em junho na entrega do Pálio.

DA REDAÇÃO Dom Hugo, presidente do Tribunal Eclesiástico de Uberaba, que esteve na ordenação de Dom Paulo, lá em Caratinga, em fevereiro de 2006, fala de sua alegria por estar acompanhando, agora, a sua posse como Arcebispo de Uberaba. Jornal Diocese Hoje: olha só que coincidência! Desde o lançamento do livro Dom Paulo “Operário de Deus” não tínhamos contato com Dom Hugo, como está o seu trabalho hoje no Tribunal Eclesiástico? Dom Hugo – O Tribunal tem

caminhado depois de uma nova fase em que eu assumi, há pouco mais de 2 anos. Temos caminhado segundo as normativas que Roma tem pedido, com as exigências necessárias, na dimensão sempre de pastoralidade, que é o direito da Igreja. DH: Houve alguma mudança na Sociedade Brasileira de Canonistas depois do encontro em São José do Rio Preto? Dom Hugo – Fui reeleito ali presidente da sociedade, fiquei à frente mais de 3 anos. Ano passado, houve nova eleição. Eu já estava

há 10 anos na diretoria, quatro dos quais, trabalhei diretamente com Dom Paulo; naquele período eu era ecônomo da sociedade. Então, para nós, é uma grande alegria recebê-lo aqui em Uberaba e, para mim, de modo especial, um Bispo canonista. Então, toda expectativa de que a lei da Igreja, que é essencialmente pastoral, vai ser aplicada com grande vigor. DH: O senhor é de Uberaba? Dom Hugo – Não, sou pernambucano, mas sou capelão adjunto das monjas beneditinos. Aqui temos 3 mosteiros: beneditinos, carmelitas e concepcionistas, e estou ajudando as irmãs. DH: qual foi a reação do senhor ao saber da escolha de Dom Paulo? Dom Hugo – Ah! De grande

alegria! Eu o tenho como amigo, já o conhecia de fato como sacerdote. Estive na ordenação dele em Caratinga, depois na posse em Rio Preto. Então, só muita alegria. DH: e a reação dos outros? Dom Hugo – Muito boa também. Havia uma expectativa do novo pastor. Até no dia da apresentação, Dom Roque pediu a mim que o conhecia que falasse sobre ele. Eu disse a todos que abrissem o coração porque, certamente, é um bom pai. DH: o senhor vai acompanhá-lo no Vaticano, é isto mesmo? Monsenhor Hugo – Se Deus quiser estarei na entrega do Pálio em junho, ou melhor, 29 de junho a festa dos Santos Pedro e Paulo. Ok! Muito obrigado.

dom huGo do tribuNal eClesiÁstiCo de uberaba, em eNtrevista ao JorNal “dh” Fala sobre a esColha do arCebisPo

dom Paulo

O Tribunal Eclesiástico está instalado na Cúria de Uberaba.

Saudação feita a Dom Paulo pelo Monsenhor Paulo, pároco da Catedral de Uberaba

Monsenhor Paulo mostra a galeria de fotos da Catedral dos Arcebispos anteriores e onde será colocado a foto do Arcebispo Dom Paulo.

Dom Paulo! Seja bem-vindo em nossa Arquidiocese, Uberaba o acolhe de coração aberto! Querido Dom Paulo, aqui não temos as riquezas de “Além Mar”, isto é, São Paulo, Rio Preto com seus encantos, mas temos o velho e conhecido pão de queijo, doce de leite, grandes amizades e a velha arte de não ter pressa. Disse nosso velho e saudoso Chico Anísio: “dizem que Deus é brasileiro, mas com certeza não nasceu em Minas Gerais, porque se tivesse nascido, não teria terminado a obra da criação até hoje”. Acho que o senhor vai ter que reaprender a ser mineiro. Bem-vindo a nossa Catedral, Paróquia do Bispo! Esse templo representa a história religiosa de Uberaba e desta Igreja de 192 anos. Pequena e formosa, matriarca de dois séculos, eis aqui a sua Catedral. Coube a mim a sublime tarefa da hospitalidade, no momento, difícil em outros lugares. Como nos Evangelhos a Palavra do próprio Cristo: “quem me acolhe, acolhe o Pai que me enviou” ... Quero apresentar a Casa Paroquial, sua futura residência, que comprei e reconstruí com muito amor e dedicação. Sempre disse que era para um Bispo morar. Mas, quis a Providência Divina, que fosse o senhor, na sua humildade, aceitar o meu convite. “Venha morar comigo se precisar”. Aqui o senhor não será um hóspede, mas aquele que vem para se irmanar e ser um de nós. Venha sem a pressa de partir, venha para ficar, porque a casa é sua. _Nós o acolhemos porque já o amamos. “Bendito o que vem em nome do Senhor”. Seja benvindo Dom Paulo, “pequeno grande homem”, traga na bagagem a alegria de ser o nosso pastor, nosso irmão e nosso pai. “Com meu abraço afetuoso, receba as chaves da sua nova casa”. MONSENHOR PAUl.O


28

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

ARQUIDIOCESE DE UBERABA

REALIDADE PASTORAL (Parte 1)

Histórico da Arquidiocese de Uberaba -

VISITA CORTESIA

26/04/2012 Dom Paulo, em visita de cortesia à arquidiocese de Uberaba no apresentado na dia 26 de abril, foi acolhido por cerca de 300 pessoas no anfiprimeira visita teatro marista, ocasião em que cortesia Padre Fidelis fez a leitura do histórico da realidade pastoral da Arquidiocese de Uberaba. Na sequência, confira entrevistas com Monsenhor Walmir, Padre Fidelis e Padre Huback, e as fotos relativas à visita do novo Arcebispo. Da Redação Neste primeiro encontro com nosso Arcebispo Eleito Dom Paulo, manifestamos nossa cordial acolhida e nossa alegria pois o Senhor Deus nos concedeu, pelo Papa Bento XVI, um novo Pastor e Pai para conduzir nossa Igreja. Sr. Arcebispo Dom Paulo, por mais informal que seja este momento, não é menos solene e importante para todos nós que aqui estamos e para todos aqueles que aqui representamos. Um dos objetivos desta feliz ocasião é apresentar ao senhor a realidade de uma Igreja de centenária Tradição, em plena comunhão com a caminhada da Igreja no Brasil e consciente dos vários desafios e urgências em sua missão evangelizadora. Profundamente marcada pela história, inúmeras vezes honrada e ornada, outras vezes maculada e ferida, muito foi feito em nossa Igreja Particular, porém muito ainda é necessário construir. Houve avanços e retrocessos na vida pastoral e evangelizadora, contudo nossa Arquidiocese se apresenta hoje como uma Igreja viva e atuante, desejosa de tornar-se discípula-missionária. A história de fé do povo desta terra é certamente mais antiga que a criação da Diocese de Uberaba. Antes da chegada do Primeiro Bispo diocesano, aqui já tinham sido lançadas as sementes do Evangelho. Este território Arquidiocesano, até 29 de setembro de 1907, pertenceu à vasta Diocese de Goiás. Acolhendo o pedido de Dom Eduardo Duarte Silva, o Papa Pio X, hoje canonizado, criou a Diocese de Uberaba, nomeando-o seu primeiro Bispo. Entre 1907 e 1938, a Diocese de Uberaba foi conduzida por três Bispos Diocesanos sucessivamente, além de Dom Eduardo, também Dom Antônio de Almeida Lustosa (cujo processo de canonização está aberto, desde 1993, pela Arquidiocese de Fortaleza), transferiu a Catedral do Bairro Mercês para o centro da Cidade e

Monsenhor Valmir.

autorizou o início da construção do novo Santuário de Nossa Senhora da Abadia, em Romaria, e Dom Frei Luiz Maria Santana, que se revelou grande administrador, reformando a Catedral e adquirindo, no seu governo, a residência episcopal: o Palácio São Luiz. Neste período, nossos primeiros Bispos deram contribuições importantes para fundamentar nossa história como Igreja Particular. Em 1939, chegava a Uberaba o jovem Bispo Dom Alexandre Gonçalves Amaral, aos 33 anos de idade recebeu a ordenação episcopal, veio da Capital do nosso Estado. Na ocasião de sua nomeação, o Núncio Apostólico lhe havia recomendado que ficasse na difícil diocese de Uberaba pelo menos 5 anos, ao que Dom Alexandre respondeu: “Ficarei mais de 5 anos, serei enterrado em Uberaba.” Assim se fez! Dom Alexandre viveu 96 anos, dos quais, 63 como Bispo. Durante 39 anos, esteve à frente de nossa Arquidiocese. Nos últimos 10 anos de seu governo pastoral, foi auxiliado por Dom José Pedro de Araújo Costa, Arcebispo Coadjutor e Administrador Apostólico. Durante o governo de Dom Alexandre, o Beato João XXIII elevou a Diocese de Uberaba à Arquidiocese, desmembrando da mesma duas novas sedes Diocesanas: Uberlândia e Patos de Minas. Dom Alexandre deixou grandes marcas em nossa história Arquidiocesana: a construção do grande Seminário São José, onde hoje está a Cúria Metropolitana, e o Centro de Pastoral João Paulo II. Incentivou e participou ativamente do Jornal Correio Católico, no qual publicou mais de 4000 artigos. Enriqueceu a Arquidiocese com a vida Religiosa, trazendo para Uberaba 3 Mosteiros de vida contemplativa: Beneditinas, Carmelitas e Concepcionistas. Além de várias Congregações Religiosas masculinas e femininas. Como Padre Conciliar, Dom Alexandre participou das três sessões do Concílio Vaticano II. Sob sua guia pastoral foram criadas várias Paróquias e ordenados 82 padres. Considerado o maior orador sacro do Brasil, Dom Alexandre também foi o grande expoente da Ação Católica no Brasil na década de 40. Entre nós, ainda estão presentes padres que o auxiliaram diretamente nessa grande incursão pastoral, naquele contexto. Além de todo o seu vasto currículo epis-

Monsenhor Geraldo Magela.

Padre Ricardo Fidelis.

Diocesanos de Uberaba.

copal, soma-se sua incondicional fidelidade à Igreja. Dom José Pedro colaborou na administração das necessárias reformas disciplinares e contribuiu com sua experiência no compromisso social da vida cristã, incentivando leigos e leigas em ações concretas, como por exemplo, a Casa do Menino da cidade de Uberaba. Também, nesse tempo, foi feita a divisão dos Setores da Arquidiocese. Em 1978, chegou a Uberaba o auto-denominado “Bandeirante”, Dom Benedicto de Ulhoa Vieira, abençoado no nome e na vida. Em sua chegada, afirmou: “Sou bandeirante, tenho a pressa daqueles que não sabem esperar”. Depois de exercer seu ministério episcopal por alguns anos na Arquidiocese de São Paulo, Dom Benedicto foi enviado para Uberaba, da qual, como ele mesmo insiste em dizer, “só conhecia o nome e o Arcebispo Dom Alexandre”. Se os tempos pós-conciliares eram promissores para a Igreja, por um lado, por outro era repleto de dificuldades. De fato era preciso ter pressa. Pressa para evangelizar. Pressa para reestruturar a Igreja Particular. Dom Benedicto se deparou com inúmeros desafios, dentre os quais destacamos o redu-

Diocesanos de Uberaba.

zido número de padres, o Seminário São José fechado por, aproximadamente, 10 anos, um grande território Arquidiocesano sem lideranças e inúmeros trabalhos pastorais a serem realizados. A Igreja de Uberaba entraria efetivamente em tempos pós-conciliares, aparando arestas, se reestruturando, lançando sementes, assumindo um novo jeito de ser Igreja, como Povo de Deus guiado por planejamentos pastorais, e, atento aos desafios de um mundo secularizado e progressivamente urbanizado. Em fevereiro de 1979, Dom Benedito reabriu o Seminário e posteriormente construiu um novo Prédio, ao lado da Matriz da Paróquia de Santa Luzia, para abrigar os seminaristas e estabelecer, na sede da Arquidiocese, um Seminário com motivação Pastoral. No início da década de 80, aconteceu a primeira Assembleia Arquidiocesana e a elaboração do 1º PAPIU – Plano Arquidiocesano de Pastoral da Igreja de Uberaba. Dom Benedicto realizou inúmeras Assembleias Arquidiocesanas. Novos tempos, um rosto pastoral para a Igreja de Uberaba. As reuniões Pastorais continua na próxima página


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

29

ARQUIDIOCESE DE UBERABA

REALIDADE PASTORAL (Parte 2)

continuação da página anterior

se tornaram frequentes e os setores da Arquidiocese (hoje regiões Pastorais) foram dinamizados. As reuniões do Clero se multiplicaram, começaram a surgir as Pastorais. Durante os 18 anos de seu governo pastoral, criou 11 Paróquias e ordenou 30 padres para a Arquidiocese. Naquele contexto, Dom Benedicto contou com o valioso auxílio de várias leigas consagradas, que assumiram o trabalho pastoral em Paróquias onde não havia presbíteros. Desde sua chegada a Uberaba, Dom Benedicto nunca se ausentou da Festa de Nossa Senhora da Abadia, no Santuário de Romaria, ajudando a dinamizar a festa e dando sempre apoio e ânimo pela sua presença pastoral e exemplar como confessor. Durante seu ministério episcopal, também se realizou, em nossa Arquidiocese, a Romaria da Terra e teve início a anual Romaria da Família. O trabalho vocacional foi intenso, porém a confiança no Senhor da Messe se tornou uma realidade permanente nas Paróquias da Arquidiocese. Em todas as comunidades, durante as Celebrações, o povo, motivado pelo Arcebispo, não cessava de pedir “operários para a messe”. Em 16 de outubro de 1982, o Beato João Paulo II criou a Diocese de Ituiutaba, desmembrando parte da Arquidiocese de Uberaba e da Diocese de Uberlândia. Dom Benedicto conduziu esse processo e foi um dos ordenantes do 1º Bispo de Ituiutaba, Dom Aloísio Roque Oppermann. Dom Benedicto elevou a Matriz Nossa Senhora da Abadia da cidade de Uberaba à Santuário Arquidiocesano e fez a Dedicação da Catedral Metropolitana, após reformá-la, e também da Igreja da Adoração (paróquia do Santíssimo Sacramento), da Matriz de Pedrinópolis e da Igreja Abacial das Monjas Beneditinas. Com a nomeação de seu sucessor, tornou-se nosso Arcebispo Emérito em 28 de Fevereiro de 1996.

Chegamos então à história mais recente de nossa Arquidiocese. Há 16 anos, no dia 01 de maio de 1996, chegava a Uberaba o 6º Bispo e 3º Arcebispo, Dom Aloísio Roque Oppermann. Com grande disposição para o trabalho pastoral, Dom Roque não mediu esforços para percorrer incansavelmente todo o território Arquidiocesano em inúmeras Visitas Pastorais, Crismas, celebrações de Padroeiros, Reuniões das Regiões Pastorais e sempre que convidado pelos padres. Dom Roque criou o Tribunal Eclesiástico Interdiocesano em 1999. Na formação sacerdotal, Dom Roque criou o Seminário Nossa Senhora da Abadia, reconduziu o Seminário São José ao prédio que se encontra ao lado da Matriz da Paróquia do SSmo. Sacramento, criou o Instituto de Teologia São José e colheu muitos frutos da oração e do trabalho vocacional da Arquidiocese, ordenando 52 padres. Dom Roque favoreceu o estudo de inúmeros sacerdotes por meio das espórtulas das Crismas, sempre atento às necessidades dos padres e à capacitação dos mesmos para melhor servir. Durante seu governo pastoral, a Arquidiocese celebrou o Jubileu do Ano 2000, participando da grande preparação da Igreja Rumo ao novo

milênio. Guiados por Dom Roque, nos esforçamos para “Ser Igreja no Novo Milênio” em comunhão com a Igreja no Brasil, fazendo do Encontro com “Jesus – Caminho, Verdade e Vida”, nossa grande meta. As Leigas Consagradas, existentes na Arquidiocese desde Dom Benedicto, passaram a fazer parte do instituto Secular São José, com estatuto aprovado por Dom Roque. A formação dos leigos e leigas conheceu grande ampliação neste período. Como exemplo, citamos a ESTELAU-Escola de Teologia para Leigos, reaberta por Dom Roque, a Escola de Fé e Política, que por um tempo funcionou em nossa Arquidiocese, Semanas Teológicas, realizadas pelo Seminário São José, Semanas Sociais, Escola Catequética, que já se prepara para iniciar sua segunda turma. Não faltou também o apoio a muitos movimentos que se dedicam à formação laical. Muitas lideranças surgiram nos últimos tempos. Em 2004, nossa Igreja Particular iniciou a preparação para a Celebração do Centenário de sua criação. Um triênio preparatório: Ano das Santas Missões populares, Ano dos Sacramentos, Ano da Caridade. Durante esse tempo, fomos convidados a uma reestruturação Paroquial por meio da setorização. Os primeiros passos foram dados

pelas Paróquias... Chegou o ano jubilar e a Arquidiocese vivenciou um tempo de graça. No dia 29 de setembro de 2007, com a presença do Sr. Núncio Apostólico, Dom Lourenzo Baldisseri, a Arquidiocese elevou seus louvores a Deus, celebrou sua caminhada e com a graça jubilar se fortaleceu para continuar cumprindo com a Missão de Evangelizar e Santificar o Povo de Deus. O ano de 2008 foi de grande preparação para a Assembleia Arquidiocesana e elaboração do 11º PAPIU. Para iluminar nosso trabalho, nos servimos do Documento de Aparecida, as Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil e o Projeto Pastoral “o Brasil na Missão Continental”. Com muitas contribuições das Paróquias, Pastorais, Movimentos e Associações, a Comissão responsável apresentou para a Assembleia reunida, no dia 15 de novembro, uma proposta trienal de um trabalho Missionário, formando nossas comunidades para assumir a Missão Permanente e renovando à luz da missionariedade da Igreja, todas as suas estruturas. O que buscávamos era “um rosto missionário para nossa Igreja”, este, inclusive, tornou-se o lema do nosso Plano de Pastoral. Para o triênio, programamos o Ano da formação missionária, o Ano da visitação e atividades missionárias e o Ano do fortalecimento dos setores missionários e dos Grupos de Reflexão. A maioria das Paróquias acolheu o Plano e buscou concretizar, de acordo com sua realidade, os objetivos do 11º PAPIU. Dom Roque sempre incentivou os Grupos de Reflexão em nossa Arquidiocese, e a produção do próprio instrumento de Reflexão: o Caderno Popular, que já está na 27ª edição. Nos últimos anos, os grupos têm se multiplicado, as Paróquias têm progressivamente se convencido de sua importância e eficácia na concretização da Missão Permanente. Em 2001, Dom Roque ordenou

OBRIGADO DOM PAULO A catequese de nossa Diocese teve um dinamismo todo especial com a presença de Dom Paulo que sempre se mostrou muito atencioso e entusiasmado com o trabalho. Com certeza, o seu incentivo foi decisivo para que pudéssemos dar passos firmes para iniciar a implantação da catequese em estilo catecumenal em nossa Diocese. Destacamos: a formação de catequistas através da Escola Diocesana de Catequese, investimento financeiro para formação de catequistas no regional e em curso de pós-graduação em catequese; Crismafest, encontro com mais de 4.000 crismandos; participação nas reuniões do RPII, e, sem dúvida, o VII Sulão de Catequese, que aconteceu em nossa Diocese, reunindo catequistas dos cinco Estados do sul do país. Obrigada, D. Paulo, por assumir concretamente o seu papel como primeiro responsável pela catequese na Diocese. Continuamos unidos, pois sendo um dos Bispos referências da catequese nacional, encontrar-nos em muitas vezes, para partilharmos experiências. Deus o abençoe sempre! Ir. Rosângela, em nome de todos os catequistas São José do Rio Preto, 11 de maio de 2012.

continua na próxima página

Histórico da Arquidiocese de Uberaba apresentado na primeira visita cortesia


30

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

ARQUIDIOCESE DE UBERABA

REALIDADE PASTORAL (Parte 3)

Histórico da Arquidiocese de Uberaba apresentado na primeira visita cortesia

Diocesanos no teatro colégio Marista.

Drª Nilza Martinelli.

Irmã Patrícia.

Brasão da Arquidiocese de Uberaba.

Leitura da biografia de Dom Paulo por Monsenhor Geraldo Magela.

Padre Saulo, cerimonialista.

te, Nossa Senhora da Abadia como Padroeira da Cidade de Uberaba. Para facilitar a vida Pastoral e Administrativa das Paróquias, Dom Roque elaborou o “Elenco de Disposições” Jurídicas, Pastorais e Administrativas, com todos os acordos, estatutos e decretos da Arquidiocese. Atualmente, o Elenco está sendo revisto para uma próxima edição. Diante do desafiador crescimento das cidades, sobretudo de Uberaba, Dom Roque sempre se mostrou como verdadeiro missionário, iniciando, pessoalmente, trabalhos pastorais em bairros novos, sempre auxiliado por padres, seminaristas, religiosas e leigas consagradas e, em seguida, encarregando os padres pela continuidade do trabalho missionário/pastoral. Levando em consideração o fato de que a metade da população da Arquidiocese está na Cidade de Uberaba, Dom Roque sempre esteve atento aos novos bairros que depois se tornaram novas Paróquias, áreas pastorais ou comunidades, ligadas a Paróquias já existentes. A ação missionária de Dom Roque foi determinante no bairro Uberaba I, depois, Paróquia N. Sra. do Rosário; Residencial 200, hoje, Capela São Miguel Arcanjo; Jardim Maracanã, hoje, Capela São Paulo Apóstolo; Comunidade rural

Santa Fé, hoje, Capela Nossa Senhora Aparecida; Bairro Beija-Flor, hoje, Capela Santa Efigênia; Bairro Morumbi, hoje, Paróquia São Galvão; Jardim Uberaba, hoje, Capela Santa Beatriz, também as Paróquias Santa Bárbara, Santo Expedito e São Mateus. Atualmente, a principal preocupação missionário/pastoral na cidade de Uberaba está na formação de uma nova Comunidade, valendo-se dos Bairros Copacabana e Jardim Mariitas. Ao completar 75 anos, Dom Roque apresentou ao Santo Padre Bento XI sua renúncia que foi aceita no dia 7 de março deste ano. Também nomeado pelo Santo Padre, Dom Roque permanece conosco como Arcebispo Administrador Apostólico. Sr. Arcebispo Dom Paulo, ao relatar a história de nossa querida Arquidiocese, destacando as principais características de cada tempo, me referi diretamente aos seus expoentes mais ilustres, os sucessores dos Apóstolos. Porém, assim como os Apóstolos contaram com indispensáveis colaboradores e continuadores da obra evangelizadora, na formação e na sobrevivência das Comunidades eclesiais, assim também, ao longo de nossa história arquidiocesana, nossos

continuação da página anterior

o primeiro Diácono Permanente da Arquidiocese e iniciou uma longa reflexão que culminou com a aprovação do Presbitério da Arquidiocese. Assim, Dom Roque iniciou a Escola Diaconal, preparando os candidatos que depois seriam ordenados Diáconos Permanentes. Em 2006, Dom Roque ordenou 21 candidatos ao Diaconato permanente. Depois de alguns anos de experiência, a escola foi reaberta e conta hoje com 31 novos candidatos ao Diaconato Permanente. No campo da informação, Dom Roque publicou, aproximadamente, 900 artigos sempre muito elogiados por todo o país. Criou a Rádio Metropolitana, o Jornal Metropolitano e o Site da Arquidiocese. Garantiu, ainda, a presença semanal de notícias da Arquidiocese na Rede Vida. Durante o ministério pastoral de Dom Roque, dois municípios passaram a fazer parte da Arquidiocese: Araxá, naquela ocasião com 3 paróquias e Tapira, com 1 Paróquia. Dom Roque elevou a Capela monástica das Concepcionistas à Santuário de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa e fez a sua Dedicação. Também deu grande apoio à festa de Nossa Senhora da Abadia em Romaria e decretou, oficialmen-

bispos estiveram acompanhados por muitos padres, muitos religiosos, religiosas e pelos leigos e leigas, cada vez mais comprometidos com o anúncio do Evangelho e com a Igreja – Povo de Deus. Cito agora alguns dados referentes à realidade atual de nossa Igreja Arquidiocesana: Nossa Arquidiocese conta hoje com 20 municípios, uma população de aproximadamente 600.000 pessoas, segundo o censo divulgado em 2011. Nossa Igreja Particular está dividida em 6 Regiões Pastorais: Região Centro, Sul, Norte, Leste, Oeste e Rio Grande. Contamos hoje com 56 Paróquias e 4 Áreas Pastorais. O Clero da Arquidiocese está formado por: 1 Arcebispo Admin. Apostólico, 1 Arcebispo Emérito, 2 Bispos Eméritos, 71 Padres Diocesanos, 14 Padres Religiosos, 21 Diáconos Permanentes, 2 Diáconos Transitórios. A Vida Religiosa tem uma presença significativa em nossa Arquidiocese: 3 Ordens contemplativas femininas, 6 Congregações masculinas, 14 Congregações femininas, Total de casas religiosas: 36, Instituto secular Fraternidade São José, com 22 Leigas Consagradas e a Comunidade Rhema na cidade de Araxá. Quanto à formação sacerdotal e religiosa em nossa Arquidiocese, contamos com Seminário São José: 10, Seminário Nossa Sra. da Abadia: 08, Propedêutico: 03, Escola diaconal: 31, 2 Noviciados masculinos e 1 feminino. Nossa Igreja Particular conta com 3 Santuários Diocesanos dedicados à Virgem Maria. Em nossa Cúria Metropolitana, também, funciona o Tribunal Eclesiástico Interdiocesano. Além de vários movimentos empenhados na formação de Leigos, nossa Arquidiocese conta com a ESTELAU - Escola de Teologia continua na próxima página


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

31

ARQUIDIOCESE DE UBERABA

REALIDADE PASTORAL (Parte 4)

Histórico da Arquidiocese de Uberaba apresentado na primeira visita cortesia

continuação da página anterior

para leigos da Arquidiocese de Uberaba - 21 Turmas -Formou aproximadamente 380 alunos. Atualmente, 48 alunos participam da ESTELAU e a ESCOLA CATEQUÉTICA DOM ALOÍSIO ROQUE - 1 Turma - Formou 33 Catequistas e prepara-se para dar início a uma nova turma. Em nossa Arquidiocese, temos, aproximadamente, 1.700 catequistas. No Território da Arquidiocese, contamos com 4 Colégios Católicos, que pertencem a Congregações Religiosas. Nossa Arquidiocese conta com várias “forças vivas”, são grupos Pastorais, Movimentos e Associações formados por leigos e leigas, comprometidos com a evangeli-

zação. Alguns desses grupos mais estruturados e contando com um maior número de membros, outros menos, porém todos dispostos a colaborar com os trabalhos pastorais nas Paróquias e em toda a Arquidiocese. PASTORAIS: Catequese - Pastoral Familiar - Pastoral da Criança - Pastoral do Idoso - Pastoral da Saúde - Pastoral da Acolhida - Pastoral Carcerária - Pastoral Afro - Pastoral da Esperança - Pastoral Vocacional - Pastoral Universitária -Setor Juventude: EMAÚS – Estrada de EMAÚS - EJC – EAC - Pastoral da juventude. MOVIMENTOS E ASSOCIAÇÕES: Cursilho de Cristandade - Diálogo Conjugal - Encontro de Casais com Cristo - Apostolado da Oração - Legião de Maria - Oficinas de Oração Renovação Carismática Católica -

Vicentinos - Cáritas Arquidiocesana - Comissão de Direitos Humanos. Atualmente, nossa Arquidiocese está se preparando para realizar mais uma Assembleia Arquidiocesana. Atentos às Urgências Evangelizadoras, indicadas nas Diretrizes da Ação Pastoral da Igreja no Brasil, a metade das Paróquias já realizou reuniões para refletir, avaliar e indicar objetivos e ações concretas para o nosso 12º. PAPIU. Queremos ser uma Igreja que, partindo do Encontro com Cristo, evangeliza. Dom Paulo, nos últimos 104 anos, nossa Igreja Arquidiocesana deu muitos passos importantes. Acreditamos que o amor do Coração de Jesus, a quem fomos consagrados como Igreja Arquidiocesana desde o início, tem nos acompanhado e fortalecido. Temos muitas alegrias, vitórias e realizações em nossa linha do tempo, somos uma Igreja viva, mas também, como em toda família eclesial, temos deficiências, dificuldades a serem superadas, providências a serem tomadas, resistências a serem vencidas. A história tem que continuar e a

graça de Deus, por meio do Santo Padre, nomeou no dia 07 de março Vossa Excelência para que, unido a todos nós, possa ser o continuador dessa história. Com toda essa herança nos preparamos para recebê-lo, definitivamente, no próximo dia 01 de maio. Procurei ser fiel à história e a realidade, mas o retrato de nossa Arquidiocese é muito mais amplo e rico do que essa apresentação que, por mais que contenha muitos dados, não deixa de ser, ainda, superficial. Quero oferecer a V. Excelência cópias de publicações importantes e recentes de Nossa Arquidiocese, bem como todas as edições do Jornal Metropolitano. Vem Dom Paulo, caminhar conosco e fazer história. Vem conduzir nossa Igreja. Vem pastorear esta porção do rebanho do Bom Pastor. Vem amar nossa Igreja com o amor do Coração de Jesus. Vem anunciar entre nós que Cristo é o Senhor. Vem nos animar no serviço à Vida... Uberaba, 26 de março de 2012 Padre Ricardo A. Fidelis Coordenador Arquidiocesano de Pastoral

Caríssimo DOM PAULO, Neste momento de despedida quero, em nome dos Diáconos Permanentes, dirigir a Vossa Excelência breves palavras. Muitas vezes somos surpreendidos por fatos que acontecem em nossas vidas independentemente de nossa vontade ou desejo. Contudo, quando temos uma missão a ser cumprida, devemos aceitá-los, pois faz parte dos desígnios de Deus. Durante pouco mais de seis anos, tivemos a graça, o privilégio, de desfrutar da sua presença em nosso meio, Dom Paulo, pelo que lhe somos profundamente gratos. Nesse tempo, o senhor liderou com a marca do Bom Pastor e participou, com o clero e com o povo, de várias realizações em nossa Diocese. São tantas e eu lhe peço a permissão para citar apenas uma: a sensibilidade e a coragem de introduzir, na Diocese, o Diaconato Permanente, ordenando 17 diáconos que tanto bem faz à Igreja; Vossa Excelência sempre soube reconhecer que o ministério diaconal era uma necessidade da Igreja, valorizando e acolhendo afetuosamente os diáconos nas dificuldades que enfrentaram, sobretudo no início da caminhada. Agora o Senhor parte para a nova missão recebida do Santo Papa Bento XVI, como sinal da confiança, do reconhecimento da competência e da experiência adquirida ao longo de tantos anos. Certamente, o Senhor não sabe o que lhe espera em Uberaba. Todavia, temos a certeza que sabe que a luz de Cristo é mais forte que cada obscuridade, que a bondade de Deus é mais forte que cada desafio no mundo. Essa fé, essa confiança em Deus, o ajudará a proceder com segurança em sua nova e desafiadora responsabilidade de servir a Igreja! Dom Paulo, receba a nossa sincera gratidão, leve consigo a nossa amizade, o nosso carinho e respeito pelo grande Homem e Pastor que o Senhor é. Diácono Aristides Não diremos adeus, mas até breve! Que Deus o abençoe na sua nova responsabilidade! Conte com nossas orações diárias!


32

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

DOM PAULO NA CÚRIA Após Dom Paulo ter

visitado a Cúria falou com seminaristas e fez discurso na

Catedral Os primeiros passos de Dom Paulo na Cúria.

DA REDAÇÃO Pronunciamento de Dom Paulo em Uberaba, por ocasião de sua visita de cortesia, ocorrida dia 26 de março de 2012. Dom Benedito, obrigado por suas palavras. Obrigado Dom Roque, caríssimo chará Monsenhor Paulo, obrigado por esta acolhida tão fraterna. Senhores padres, seminaristas, diáconos e todos os paroquianos aqui da Catedral. Sentado aqui nesta cadeira, fiquei imaginando uma cena que vivi no passado, em Israel. Lá, nós fizemos uma celebração; éramos 200

bispos. Uma celebração ao lado da igreja onde está a pedra que dizem ser a pedra de Pedro, e o local onde Cristo disse: “Pedro tu és pedra”. E a cena que me marcou e que me fez lembrar agora foi justamente que quem presidiu aquela celebração foi o Arcebispo da Galiléia. Na hora da Ação de Graças, ele foi lá, dentro da igreja, ladeado por dois padres e atrás da pedra, perto do altar, e ficou ali. Cada um de nós ficava na frente da pedra e ele falava assim: “Pedro, tu me amas?” A gente respondia: “Sabes que eu te amo”. E ele respondia: “Então, apascenta o meu rebanho”. Estou me lembrando dessa cena porque, na verdade, marcou todos nós bispos ali presentes. E aqui nós estamos na Catedral, com destaque da cátedra, esta cadeira que, simbolicamente, tem um significado muito grande, quando Cristo pede a Pedro que apascente o seu rebanho. Invoco essa cena da Sagrada Escritura porque, pela segunda vez, tenho que ocupar a cátedra, a cadeira, de onde o Pastor deve levar a palavra, deve orientar, deve sustentar a esperança, a vivência da fé, o compromisso cristão, meu compromisso de Igreja hoje. Eu vejo o peso dessa responsabilidade. Com toda essa caminhada que estamos fazendo hoje, desde a manhã, a acolhida feita ontem lá em

Momento em que Dom Paulo chega à recepção da Cúria.

Dom Paulo cumprimentando os funcionários.

Frutal onde a gente presidiu a Santa Missa à noite, acolhida tão fraterna. Acolhida de mineiros, que é o meu caso, eu venho de São José do Rio Preto, mas de origem de Caratinga. A Diocese pertence ao Estado de Minas Gerais, fica ao leste de Minas. Mas eu venho aqui para assumir, mais uma vez, essa cadeira. É claro que a caminhada da Diocese não vai depender, logicamente, só do Bispo ou do Arcebispo. Essas palavras de Dom Benedito dizendo do presbitério me anima muito por saber que posso, de fato, contar com o clero, contar com os padres,

Após a visita, Dom Roque, Dom Paulo e Monsenhor Valmir foram conhecer o Seminário.

com os leigos, com os seminaristas, religiosos, contar com o povo de Deus, pois a Igreja não é a Igreja de uma pessoa. A Igreja é a Igreja de Jesus Cristo sob a ação do Espírito Santo que age sobre todos nós. Cada um, do seu jeito, deve dar a sua resposta, também, dentro do seu jeito de ser. Eu creio que a Igreja hoje tem nos cobrado muito isso que a gente falava agora mesmo com os sentimentos. Disseram que a nossa Diocese todos os leigos, são leigos que vão às casas, às visitas, continua na próxima página

Galeria de fotos dos Bispos, Arcebispos da Catedral, onde a foto de Dom Paulo também será fixada.


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

33

DISCURSO DE DOM PAULO seja nessa Catedral, que será a nossa casa onde todos os paroquianos e paroquianas, durante a caminhada, vão em direção à construção do bem, se bem que depende de Deus e do Espírito Santo, mas depende, também, de cada um de nós. Vamos então encerrar, pedindo a bênção. Queria convidar Dom Benedito e Dom Roque, para juntos, darmos a bênção. “O Senhor esteja convosco” – ele está no meio de nós. “A nossa proteção está no nome do Senhor” – que fez o céu e a terra. “Abençoe-vos ó Deus todo poderoso: Pai, o Filho e o Espírito Santo, que permaneça para sempre. Amém”.

continuação da página anterior

constantemente, vão levar as bênçãos, água benta, rezar a palavra de Deus para nossos amigos e isso torna a Igreja missionária. Eu vejo que a nossa Igreja, hoje, precisa ser missionária nesse sentido de ir ao topo, ser acolhedora, ser a Igreja do testemunho. Eu vim aqui com o coração muito aberto, já muito feliz por essa acolhida tão grande, tão fraterna e agora, sendo acolhido até na Casa Paroquial, da Catedral. Que a gente possa conviver bem, sem nenhuma briga (risos). Brincadeira. Mas, tudo isso faz a gente ser feliz. A verdade é que estou saindo de São José do Rio Preto num momento assim que passa a ser um corte, muito forte, muito forte, na caminhada que a gente estava fazendo ali. Esse corte machuca a gente, machuca, também, as comunidades lá, as lideranças e assim por diante, uma vez que a gente está a serviço da Igreja. Estou aqui, então, para responder a mais um convite, dizendo sim. Já disse sim tantas vezes..., mudando de paróquias. Já mudei onze vezes de paróquias. Depois desse sim a Sé de São José do Rio Preto, que é uma Diocese grande, é bem maior em população que esta Arquidiocese, e agora mais este sim para a gente caminhar juntos.

Dom Roque, Dom Paulo e Dom Benedito na Catedral de Uberaba.

Eu queria convidar a todos para dizer esse sim comigo. Não é um sim meu, é um sim de vocês. Sim de todos os padres, sim de todos os Arcebispos eméritos Dom Benedito e Dom Roque, principalmente o apoio dos fiéis, que é tão fundamental. Eu tive uma convivência muito fraterna com Dom José de Aquino Pereira. Faleceu recentemente. Foi colega e amigo de Dom Benedito. Ele me ajudou muito com suas palavras, sua dedicação, seu incentivo. Sempre ali, uma graça muito grande! Convoco a todos e que aqui

Interior da Catedral de Uberaba.

fotos e textos Jornal “Diocese Hoje”

Dom Benedito

disse que dom Paulo poderá contar com o Clero de

Uberaba


34

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

Viva Dom Paulo!

BEM-VINDO DOM PAULO! VANESSA PEIXOTO Mais de Com essas palavras, o novo 4 mil na Arcebispo de Uberaba, Dom Paulo Mendes Peixoto, foi recebido para posse do 4º a Cerimônia de Posse, na manhã do Apresentadora da TV Integração - Uberaba

arcebispo dia 1º de Maio. O ginásio do Colégio Marista Diocesano foi o palco de

da história uma celebração que durou quase

quatro horas. Horas essas que passa-

de Uberaba ram leves, graças ao encantamento

2

1 de Uberaba, Dom Paulo passou a presidir a celebração que seguiu os ritos normais. No começo da Homilia, o novo arcebispo falou sobre o sentimento que tomava conta dele. “Sinto-me alegre e ao mesmo tempo apreensivo com aquilo que está por vir. São 26 anos de experiência como padre e 6 como bispo. Mas agora sinto o peso da responsabilidade de estar à frente de uma Província Eclesiástica”. Segundo Dom Paulo, a população da Diocese de São José do Rio Preto é maior, são mais paróquias. Porém, como arcebispo de Uberaba terá um trabalho mais amplo, por exemplo, porque deverá viajar mais, fazer muitas reuniões com os bispos. Ainda durante a reflexão do Evangelho, Dom Paulo apontou as características indispensáveis em um bispo. “Ele deve ser pastor, estar à frente das ovelhas, orientando-as de forma solidária. E tem que testemunhar – viver o Reino de Deus e revelar a sua vivência. Quero ter o compromisso de pastorear e ser cristão, de lutar para que haja salvação”.

Dom Paulo é aplaudido na chegada ao Colégio Marista, de Uberaba.

fotos: D.H.

1) Colégio Marista, Uberaba. 2) Dom Roque Oppermann, Bispo Emérito. 3) Cardeal Dom Odilo P. Scherer, Arcebispo Metropolitano.

3

foto: Maurício Martins

da solenidade. Dom Paulo foi recebido ao som do Hino Pontífice, executado pela Banda de Música do 4º Batalhão da Polícia Militar. Em seguida, entraram em cena as vozes do Coral Mater Salvatoris. Para dar as boas vindas a Dom Paulo, aproximadamente cinco mil pessoas das 54 paróquias, ligadas diretamente a Uberaba, além de autoridades regionais, como prefeitos, vereadores, deputados. Do clero, padres, monsenhores, bispos, entre eles, os bispos das Dioceses que pertencem à Província Eclesiástica de Uberaba: bispo de Uberlândia, Dom Paulo Francisco Machado; bispo de Ituiutaba, Dom Francisco Carlos da Silva; arcebispo emérito de Uberaba, Dom Benedito Ulhôa; arcebispo metropolitano, Dom Roque Oppermann; e o cardeal de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer. Inicialmente a celebração foi presidida por Dom Roque Oppermann. Durante a saudação, ele descreveu como foi quando recebeu a notícia de que seria o arcebispo de Uberaba, em 1996. “O povo do Sul de Minas me informou que os moradores de Uberaba são muito acolhedores. O que pude comprovar”. Logo após, foi dado início o Rito de Posse. Um dos momentos altos da cerimônia foi a entrega do Báculo Pastoral por Dom Roque para Dom Paulo. O Báculo representa o cuidado e o carinho que o pastor deve ter com o rebanho que lhe é confiado. O ato foi celebrado com muita euforia pelos arquidiocesanos que, juntos com o belíssimo Coral, entoaram o canto: “Sou Bom Pastor, ovelhas guardarei! Não tenho outro ofício nem terei. Quantas vidas eu tiver eu lhe darei!” Depois do recebimento do Báculo, Dom Paulo ocupou a Cátedra – a cadeira que simboliza a Arquidiocese de Uberaba. Já empossado como Arcebispo Metropolitano da Arquidiocese

D. Roque Oppermann no momento em que entrega o Báculo a D. Paulo no dia 1º de maio de 2012.


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

35

CONVIDADOS IMPORTANTES fotos: D.H.

VANESSA PEIXOTO

Apresentadora da TV Integração - Uberaba

A família de Dom Paulo Mendes Peixoto não poderia perder o momento mais importante da sua vida sacerdotal. Mas para isso, enfrentaram um grande contratempo. Dona Maria Mendes Peixoto e seu Aldir Peixoto moram em Belo Horizonte e saíram da capital Mineira no fim da tarde do dia 30 de Abril, na véspera da cerimônia de posse. Por conta do mau tempo em Uberaba, o avião não pôde aterrissar. A aeronave foi até Araxá, no Alto Paranaíba, que está a 120 quilômetros da cidade do Triângulo Mineiro, e de lá teve que voltar para Belo Horizonte. Os pais de Dom Paulo chegaram em casa por volta das duas horas da manhã e às seis tiveram que retornar ao aeroporto para embarcar novamente para Uberaba, já que a Missa de Posse estava marcada para às dez horas da manhã. E na segunda vez, o desembarque foi possível e eles chegaram a tempo da solenidade. Dona Maria Mendes Peixoto e seu Aldir Peixoto estavam muito felizes na cerimônia. “Toda vida apoiei a vocação dele para ser padre”, contou o pai do novo arcebispo. Já a mãe de Dom Paulo revelou: “quando ele me disse que iria ser padre, não imaginei que ele chegaria tão longe”. Também estavam presentes irmãos, primos, sobrinhos, amigos e ex-paroquianos de Dom Paulo. Pessoas que se deslocaram de Imbé de Minas, Caratinga, Alvarenga, Carangola, Rio de Janeiro. Maisa Peixoto Weneck de Oliveira, prima de Dom Paulo, disse que estava com muito orgulho: “o pequeno Dom Paulo se torna grande diante de Deus e da Igreja pela sua humildade e pelo seu carisma”. Ex-diocesanos de São José do Rio Preto também fizeram questão de acompanhar a caminhada de Dom Paulo. “Nós ficamos tristes e alegres ao mesmo tempo. Tristes por ficar longe da humildade dele, da forma como conduzia a Diocese na nossa cidade. Mas, alegres porque ele vai continuar com o ‘pastoreiro’ dele; é a vida que segue”, afirmou Luiz Imperador. Já Sônia Alves da Silva enfatizou o lado social das ações de Dom Paulo. “Foi o único que teve interesse com as políticas públicas. Ele queria saber tudo o que estava acontecendo nas entidades e no município”. DESAFIOS Dom Odilo Pedro Scherer, Cardeal Metropolitano de São Paulo, reafirmou a ampla missão que Dom Paulo tem pela frente e destacou que o trabalho dos representes da Igreja deve estar em conformidade com o resultado da última reunião da CNBB, na qual foram discutidas as Diretrizes Gerais da Evangelização. “Foi feito um documento pastoral para ajudar as comunidades para dar um lugar central às palavras de Deus”. Dom Roque Oppermann, que foi Arcebispo Metropolitano de Uberaba por 16 anos, explicou que os desafios de Dom Paulo, na Província Eclesiástica de Uberaba, não serão econômicos, porque há recurso em caixa, mas serão de ordem pastoral. “Primeiro, ele deve completar o Plano de Pastoral, que está na reta final e não foi concluído em consideração a ele. Segundo, a formação dos leigos, pois só com eles a Igreja pode seguir em frente.

Mais de 4 mil na posse do

4º arcebispo da história de

Uberaba 2 1 E por último, a formação de novos padres”, enfatizou ele. Para Dom Paulo Mendes Peixoto, essas mudanças são caminhos de experiências nos quais encontramos riquezas e obstáculos que trazem crescimento, maturidade. Ele explicou que pretende fazer o mesmo que fez em São José do Rio

Preto agora nesta Arquidiocese . “A diocese de Rio Preto deu um salto de qualidade em relação à catequese, à mobilidade de liderança e também na área da comunicação com rádio, jornal, internet, televisão. Em Uberaba, eu pretendo ouvir as entidades, os padres, ou seja, conversar com cada um”.

1) Os pais de Dom Paulo. 2) Monteiro Neto, diretor da Rede Vida. 3) Dom Benedito, Bispo Emérito.

3


36

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

ABRIL-MAIO/2012

POSSE NA CATEDRAL Mais de 4 mil na posse do 4º arcebispo da história de Uberaba

VANESSA PEIXOTO

Apresentadora da TV Integração - Uberaba

A escadaria da Catedral foi tomada pelas vozes do Coral Mater Salvatoris, de quase todos os padres das 26 paróquias, instaladas em Uberaba, e pelos arquidiocesanos. A Igreja mãe de Uberaba ficou lotada. Todos queriam estar presentes na primeira missa celebrada pelo novo arcebispo Dom Paulo Mendes Peixoto. A missa foi no domingo, dia 6, às 19h. Dom Paulo considera a celebração como sua segunda posse, não menos importante que a primeira. Pelo contário... O arcebispo explicou que, “de acordo o quesito jurídico da Igreja, a partir do momento em que o bispo toma posse, ele passa a ter responsabilidade sobre a Igreja. E é bendito que a posse seja feita dentro da Catedral e que seja uma celebração solene”. E foi o que os fiéis viram. Uma cerimônia emocionante. A celebração é chamada de missa Estacional. Como orienta a Constituição Dogmática Sacrossanctum Concilium

sobre a Sagrada Liturgia, a missa é presidida pelo bispo que, na qualidade de sumo sacerdote do seu rebanho, celebra a Eucaristia cercado por seu presbitério e pelos ministros, com a plena e ativa participação de todo o povo santo de Deus. A liturgia da missa era por si só bonita. Os trechos dos três livros da Bíblia, lidos no quarto domingo

da Páscoa, mostravam como deve ser o comportamento dos fiéis. A passagem do evangelho sobre a Videira e os Ramos (João15,1-8), comprovou que os planos de Dom Paulo para a arquidiocese estão em sintonia com o Reino de Deus. O arcebispo explicou que o que temos que pensar é que o bispo e os padres são a figura da videira atualmente. Os ramos somos nós e eles não podem estar distantes e descompromissados, visto que só produz bons frutos quem está unido em Cristo. Ao falar da primeira leitura (At 9, 26-31), Dom Paulo nos lembrou que somos anunciadores da palavra de Deus “Ela deve ser coerente, anunciadora e responsável”. Na segunda leitura (1 Jo, 3 18-24), o arcebispo alertou: “não podemos ficar tapeando o evangelho. Pior ainda, tapeando o próprio Deus. Durante a Homilia, Dom Paulo destacou qual é a missão do bispo: “anunciar a verdade sobre a palavra de Deus e a graça de Cristo; fazer a fé crescer e resgatar as ovelhas desgarradas; evangelizar; caminhar

com o povo, sendo que o pastor deve ir à frente e, pelo seu testemunho, as ovelhas os acompanham; ser um guia espiritual coerente e corajoso; promover a participação dos fiéis na vida da Igreja, seguindo o Documento de Aparecida – é preciso a Igreja ir até o povo, até as famílias”. O arcebispo recebeu o carinho dos Cavaleiros de Carangola, ex-paroquianos de Dom Paulo. A homenagem veio de duas formas: em uma faixa: “Carangola orgulha-se de fazer parte do seu SIM a Deus”. E na música Amigos, de Roberto Carlos (“Mas é muito bom saber que você é meu amigo”). Para Eunice Maria Pereira da Silva, que mora em Carangola, “a simplicidade e a humildade são o que nos cativam para querermos o bem dele e o acompanhar”. Dom Paulo é o sétimo bispo diocesano de Uberaba. E mesmo com a recém posse, moradores como Terezinha Cardoso, já tem expectativas para um belo trabalho a ser realizado por Dom Paulo. “Acho que ele vai trazer renovação, depositamos muita esperança nele”. Para Washington Abadia Silva, os passos a serem dados deverão ser, ainda, mais profundos.” O desafio é aproximar a Igreja dos problemas sociais da cidade. Envolver os leigos nas decisões. Trazer para perto as pessoas que estão afastadas”. O que Dom Paulo pretende realizar passa pelo que foi lembrado pelos paroquianos “no caminho da Igreja, todos nós devemos nos envolver”. E propôs: “vamos caminhar juntos, renovando todas as nossas forças, com as lideranças da Igreja e com os diocesanos. Conto com o apoio de todas e de todos”.


ESTAÇÃO 104,9 FM

PRIMEIRO ANO DE CAMINHADA

Após longos anos de caminhada e empenho de toda uma comunidade, com pessoas dedicadas e com firme propósito de concluir um grande projeto e a realização de um sonho, pessoas a quem salientamos em nome de toda comunidade, como o Sr. Osvaldo Soares e outros, que se dedicaram com grande determinação. Também como o Eng. Eusébio Leonel Gonçalves, todos com firme propósito de observâncias das Leis e exigências vigentes pelo Ministério das Comunicações, assim como da Anatel. No triunfante dia 03/Março/2011, já com a Diretoria Atual, contando como Presidente o Sr. Luis Feltrin, foi ao ar, na Supervisão e com acessoria do incansável parceiro e amigo Sr. Maurício Martins, a RÁDIO ESTAÇÃO 104FM, tendo sua sintonia em FM, na frequência 104.9, e para ilustrar ainda mais essa data tão importante para a Rádio Estação 104, a primeira transmissão ao vivo, foi uma missa presidida pelo Bispo Dom Paulo Mendes Peixoto. No término da missa, foi até aos estúdios para a primeira entrevista da Rádio Estação 104. Essa data é motivo de satisfação e orgulho para todos, 03/03/2011, porque concretizamos a primeira parte de um grande projeto e iniciamos tantos outros. Conseguimos, na frequência de 104.9FM, o respeito e carinho dos ouvintes, que, com sua grande participação e opinião saudável, nos levaram a almejar novos projetos e trilhar novos caminhos. Sem medir esforços, por parte da Diretoria, com muito trabalho e empenho profissional e conhecimento técnico do Sr. Marcos Perussi, atendendo os anseios dos ouvintes, colocamos no ar, no prazo de 03 meses após sua inauguração de suas ondas em

Um ano de grandes conquistas

SO SITE WWW.RADIOESTACAO104.COM , OU A NOSSA WEBTV ESTAÇÃO 104 EM WWW.WEBTVESTACAO104. COM. Apesar do poder da imagem, especialmente da televisão, na sociedade contemporânea e nos dias de hoje, o rádio continua sendo um importante meio de comunicação, considerando os baixos custos de seus equipamentos de recepção, além da rapidez da transmissão de informações. Em relação à recepção, o RÁDIO também tem características específicas que justificam sua difusão em diferentes espaços e tempos. Sua abrangência e frequência nas residências, nos locais de trabalho, nos espaços públi“Nos identificamos com Empresas e Empresários de respeito”

FM 104.9, já com Site totalmente produzido e registrado pela emissora, a sintonia na WEBRÁDIO, levando através da Internet toda nossa programação. Com alegria e respeito a todos os ouvintes, agora abrindo novos horizontes, ampliamos as ondas da FM para WEBRÁDIO, atendendo à comunidade de São José do Rio Preto, ou todos os lugares com acesso à Internet. A partir deste momento, nos deparamos com novas necessidades, depois de ter a grande satisfação e confirmação de acessos do Site www.radioestacao104.com, acessos estes confirmados de todo o território brasileiro, assim como vários Países europeus, com comunidade brasileira. Desta forma, continuamos a nossa caminhada, e sempre lembrando o esforço e dedicação dos pioneiros dessa Rádio, começamos a pensar em novos projetos e novas conquistas. Explorando os conhecimentos técnicos, apoios e determinação de todos, na atual Diretoria com o objetivo de manter o respeito à sociedade e à família, no empenho de se manter a qualidade e elevado padrão técnico, iniciando um trabalho de parceria com todo respeito à qualidade e identificação.

Empresas que nos apóiam e merecem também destaque em nossa programação, estão dispostas nesta edição, com respeitosa parceria, entre elas, temos a AMPLITUDENET, que, de acordo com nossa necessidade e qualidade de som e imagem, nos trouxe grande ajuda e conhecimento. Iniciamos uma nova caminhada com o sucesso certo e conclusivo, sucesso este confirmado no grande jantar comemorativo de 01 (um) Ano de Rádio, no qual contamos com a presença de todos os parceiros e idealizadores do grande projeto. Lançamos, neste grande jantar, a WEBTV ESTAÇÃO 104, com características inovadoras e produção própria. Um grande lançamento que reuniu cerca de 300 pessoas, e como não poderia deixar de ser, o sucesso foi imediato. Contamos no início, há um ano atrás, com a sintonia e audiência dos nossos ouvintes locais, estendemos a grande participação e audiencia com os internautas de todo Brasil; hoje, temos todos os seguimentos de acesso nos dando a certeza do sucesso obtido com responsabilidade e respeito a todos. Iniciamos na frequência FM, ampliamos para WEBRÁDIO com uma média de 6.500 a 7.000 aces-

so mês. Hoje com todos os canais relacionados ao Rádio concluído, passamos para o número de 14.000 ( quatorze mil) acessos mês. Mesmo assim, nossos projetos têm longo caminho a ser percorrido. Hoje contamos com equipe técnica profissional, com produção e edição em estúdio próprio para programas ao vivo no estúdio. Os mesmos podem ser acessados no site da Webtv em gravações e contamos com a mesma equipe com tecnologia para gravações externas e produção de matéria para inserção na WEBTV. TEMOS OS PROGRAMAS AO VIVO, E DIÇÕES PRODUZIDAS E GRAVADAS PELA PRÓPRIA EQUIPE. Hoje estamos à disposição de toda comunidade de São José do Rio Preto e ou todos que queiram produzir e divulgar bons trabalhos com respeito, levando alegria, divulgação, informação e conteúdo de conhecimento a todos o lugares. Agradecemos a todos que nos ajudaram a construir este caminho. O mesmo caminho percorrido pela Rádio Estação 104FM, de concretização dos sonhos e alegria. Que o sucesso se estenda a todos! SINTONIZE RÁDIO ESTAÇÃO 104.9FM – SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, ACESSE NOS-


ESTAÇÃO 104,9 FM

PRIMEIRO ANO DE CAMINHADA Um ano de grandes conquistas cos, nos meios de transportes e até mesmo na Internet, podem ser justificadas pela facilidade de veiculação e pela possibilidade de o receptor realizar atividades simultaneamente. Como ele mobiliza apenas uma percepção humana, a audição. Acrescentamos a esse poder, o fato de ser uma RÁDIO COMUNITÁRIA. Uma ação coletiva, que possa garantir a voz dos diferentes segmentos da sociedade, especialmente àqueles que não costumam aparecer na mídia comercial. A Rádio Estação 104 FM foi a primeira rádio “legalizada” a transmitir pela internet toda a sua programação em HD Áudio, com a máxima excelência e qualidade do som; e as novidades tecnológicas não acabam por aí, visto que inauguramos o nosso departamento de WebTv, no qual transmitimos também toda a nossa programação, e não apenas o som, mas a imagem do estúdio ao vivo, ou qualquer outro programete que venha a ser veiculado de acordo com as normas da ética de conduta. Como descrito nos rela-

tórios de nosso web site, no mês de Março de 2012, o nosso site

teve mais de 13.000 pageviews, de acordo com o mapa abaixo.

Estamos crescendo a cada dia, em nosso sistema web, como po-

dem ver e fazer uma comparação pelos dados a baixo.

Toda a nossa programação da Rádio Estação 104 Fm, bem como a WebTv Estação contam com uma infraestrutura de ponta, na qual contamos com sistema de link, dedicado para internet, podendo gerar um maior tráfego e deixando, assim, um sistema Full Time 99,80% do nosso sistema web.

O nosso site foi desenvolvido em nosso próprio escritório, que conta com as mais novas tecnologias para otimização e divulgação de banners, textos e quaisquer integração com outros sites; conta, ainda, com um grande sistema de SEO, em que somos tops em vários sites de buscas, nacionais e internacionais.

“Nos identificamos com Empresas e Empresários de respeito”

Rádio Estação 104 FM

WebRádio Estação 104

WebTv Estação 104

www.radioestacao104.com - São José do Rio Preto/SP - (17) 3212-7717


Jornal DH Maio 2012