Issuu on Google+

INTERNACIONAL

Sínodo convoca os cristãos para evangelização Em sua homilia, no encerramento da 13ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, na Basílica de São Pedro, o Papa Bento XVI referiu-se à cura do cego Bartimeu. A condição de cegueira tem um significado denso nos Evangelhos. Pág. 16

JORNAL

CIRCULAÇÃO NACIONAL

EXCLUSIVO - Em entrevista ao Diocese Hoje, Dom Raimundo Damasceno, presidente da CNBB, fez relato da cerimônia de abertura do Ano da Fé. Enviou mensagens aos fiéis de São José do Rio Preto e em especial ao Bispo Dom Tomé. Páginas 4 e 5.

Dom Odilo abre o Ano da Fé na Arquidiocese Iniciado no dia 11 de outubro em Roma, pelo Papa Bento XVI, o Ano da Fé, é um apelo aos fiéis católicos a proclamar, celebrar, viver e testemunhar a fé. Dom Odilo acompanhou o Papa em Roma, São Paulo e vai estar em Rio Preto na posse de Dom Tomé.

16 NOVEMBRO DE 2012

ANO 16

CNBB e Bispos do Sul 1 enviam mensagens a Dom Tomé Dom Tarcísio Scaramussa Bispo Auxiliar de São Paulo Titular de Sergia Vigário Episcopal da Região Sé Dom Júlio Endi Akamine Bispo Auxiliar de São Paulo Titular de Tagamuta. Vigário Episcopal da Região Lapa.

Nº 179

S. J. DO RIO PRETO/SP

Posse de Dom Tomé na Catedral

Dom Vicente Costa Bispo Diocesano de Jundiaí

Dom Airton José dos Santos Arcebispo Metropolitano de Campinas Dom Moacir Silva Bispo Diocesano de São José dos Campos Dom Otacilio Luziano da Silva Bispo de Catanduva-SP Dom Edmilson Caetano Bispo Diocesano de Barretos

Dom Demétrio Valentine Bispo Diocesano de Jales Dom Tomé no momento da homilia. Acompanhe os detalhes na Página 3.

EVANGELIZAÇÃO DE JOVENS NO BRASIL RIOLÂNDIA

A Pastoral da Juventude promove, aos sábados, às 19h, na Casa de Nazaré, o encontro de Jovens com muita música, dança e teatro.

JOSÉ BONIFÁCIO

Jovens da nossa diocese estarão em vigília, em dezembro, para rezarem, adorarem Jesus e também conversarão sobre a Semana Missionária.

VALENTIM GENTIL

Afastar os jovens das drogas, do alcoolismo e trazê-los para a Igreja são os principais objetivos do grupo de oração de Valentim Gentil.

CAMPINAS

No dia 21 de outubro, em Campinas, realizou-se o Dia Nacional da Juventude, com a participação de milhares de jovens.

JUNDIAÍ

Bispo há 13 anos e participando de todas as assembleias em Itaici, Dom Vicente Costa revelou que o Setor Juventude da diocese de Jundiaí “é muito atuante e muito animado”.

JABOTICABAL

Na diocese de Jaboticabal, foi realizada, em julho, o Congresso da Juventude Catequizada, “onde lançamos um caminhar com os jovens em toda a diocese”.

O JORNAL “DH” ENTREVISTOU COM EXCLUSIVIDADE PADRE TONINHO – COORDENADOR NACIONAL DA CNBB

Cruz e Ícone unem jovens na fé


2

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO/2012

SAUDAÇÃO: PADRE JARBAS BRANDINI DUTRA

SEJA BEM VINDO DOM TOMÉ PALAVRA DO ADMINISTRADOR DIOCESANO

Graça e Paz da Parte de Deus, nosso Pai e do Senhor Jesus (Rm 1,7). A Igreja de Jesus Cristo acaba de realizar um Sínodo sobre a nova evangelização para a transmissão da fé cristã. Ela quer levar os homens e mulheres do nosso tempo a Jesus. Em sua homilia para a celebração eucarística de abertura da XIIIª Assembleia Geral Ordinária dos Bispos do mundo inteiro, convidados pelo Bispo de Roma, aos 7 de outubro de 2012, o Papa Bento XVI, falando da oportunidade da nova evangelização, afirmou que a preocupação deve ser principalmente com aqueles que, embora batizados, se afastaram da Igreja e vivem sem referência à vida cristã. Querido Dom Tomé, esta diocese nasceu da obra evangelizadora de seu primeiro bispo, Dom Lafayette Libânio, que tinha como lema Oportet me evangelizare – Ai de mim se eu não anunciar o Evangelho (1 Cor 9,16). Como o recente Sínodo dos bispos frisou, não se trata de começar de novo, mas de entrar no longo caminho do anúncio do Evangelho. Nossa diocese iniciou este caminho com seu primeiro bispo desde fevereiro de 1929. Nós entendemos que o momento atual da evangelização diocesana é o de viver a nossa experiência comunitária da fé de forma renovada e anunciá-la através de uma evangelização que é, segundo o Beato João Paulo II: nova em seu ardor, em seus métodos, em suas expressões (XIX ª Ass. do CELAM: 9/3/1983, n.3). Acreditamos, com o Sínodo, que O Espírito Santo é capaz de renovar sua Igreja e torná-la resplandecente se o deixarmos moldar-nos, aproveitando as oportunidades e os novos areópagos que o mundo de hoje nos oferece. Existirão obstáculos? Desafios? Acreditamos, como o Apóstolo Paulo, que a nossa luta, de fato, não é contra homens de carne e osso, mas contra os principados e autoridades [...] contra os espíritos do mal, que habitam as regiões celestes (Ef 6,12). Somos humildes em reconhecer as fraquezas e os limites dos discípulos de hoje, assim como as e os dos de ontem. Sabemos, porém, que o Senhor, ao partir, não nos deixou órfãos, mas prometeu como herança o seu Espírito (Jo 14, 18.26; Mt 28, 19.20). O Papa Bento XVI, numa das meditações do Sínodo (8/10) dizia: A primeira palavra, a verdadeira iniciativa, a atividade verdadeira vem de Deus. Nós nos colocamos na iniciativa divina, apenas implorando esta iniciativa. Nós seremos capazes de nos tornarmos evangelizadores como ele e nele. Se Javé não constrói a casa, em vão labutam os seus construtores (Sl 127). O Sínodo mostrou que os dois símbolos autênticos da nova evangelização são a contemplação do mistério de Cristo e o rosto dos pobres. Acreditamos que aqui estão definidas as balizas e a espiritualidade que deverão inspirar e orientar a vida e a ação pastoral das comunidades de nossa Igreja diocesana.No Ano da Fé – um presente de Deus à

sua Igreja contemporânea – somos convidados à conversão de coração à pessoa de Jesus Cristo – o protótipo do evangelizador – segundo o espírito da Evangelii Nuntiandi. O Sínodo não esqueceu nem os pobres e nem os jovens. Se os pobres nos ensinam as bem-aventuranças, os jovens nos dão testemunho de entusiasmo, autenticidade, liberdade, generosidade, qualidades essenciais num evangelizador. Ao enviar seus apóstolos para o mundo inteiro, Jesus deu-lhes a missão de, a partir de sua própria conversão, construir o Reino em cada coração, em cada comunidade, em cada sociedade. Querido Dom Tomé, o Reino já está entre nós e o seu sinal é que a messe é grande, a safra está madura e a roça está se perdendo, não pela praga ou pela seca, mas por falta de operários que a colham. Que o Senhor mande operários para a messe como o enviou para esta Igreja Particular de São José do Rio Preto, que já vem trabalhada pelos pastores que o precederam: Dom Lafayette e seu Auxiliar Dom José Gonçalves, Dom José de Aquino, Dom Orani e Dom Paulo. Acreditamos, seguindo o pensamento do Sínodo, que não se trata de recomeçar tudo de novo, mas de reforçar e recalcar a edificação com a prudência do construtor de que Jesus nos fala na parábola de Mt 7, 21. 24-27: alicerces de pedra que resistam às enchentes, estruturas e corpo da casa flexíveis aos ventos e telhado bem vedado contra as chuvas. Esta é a casa que o Senhor lhe confiou. Falávamos de desafios que a evangelização enfrenta? Pois bem, Jesus lhe oferece a planta pronta do projeto que ele quer: como um homem prudente que constrói a sua casa, ele quer que cuide dos três grandes desafios: as enchentes, as tempestades e as chuvas. Queremos entender, no cuidado com os alicerces, que se trata de uma conversão de valores até então herdados, já que as enchentes da desertificação espiritual (até parece um pleonasmo) – para usar mais uma vez uma expressão do Sínodo – tem avançado e solapado os alicerces da ética e da moral que o Evangelho se propôs anunciar. Queremos entender, no cuidado com as estruturas e o corpo da casa, que se trata da conversão permanente do poder em serviço e do amor em partilha e caridade, já que as paixões e as prepotências tiram das pessoas e das comunidades todos os sonhos e generosidades conquistadas pelo desenvolvimento do espírito. Queremos entender, no cuidado com o telhado, que se trata da conversão permanente dos paradigmas em razões do bom senso e da fé, já que os fundamentalismos e relativismos têm destruído as esperanças de mundo melhor. Querido Dom Tomé, aquilo que deveria ser uma fala de acolhida acabou se tornando numa exortação apostólica. Perdão, não era a intenção. Queremos acolher nosso quinto bispo dando-lhe a certeza de que estamos em sintonia de mente, de coração e de fé com a Igreja do mundo inteiro, especialmente após as ricas orientações do recente Sínodo dos Bispos. Nós o acolhemos com muito carinho, em espírito de partilha e de unidade, cientes de que o Bispo tem como primeiro carisma e missão apascentar e coordenar – unir os corações – o rebanho a ele confiado. Que o seu lema de episcopado: Santidade na verdade e caridade, se inculture na ação evangelizadora que irá realizar junto a esta Igreja Particular pelo tempo que nela trabalhar. Que a estrela de Maria – tão cantada nesta diocese através do Magnificat (Lc 1,46-49) –, que ilumina tantas carências e desertos do ser humano, seja a luz do seu ministério, assim como o é, de nossas comunidades diocesanas, o seu Coração Imaculado que temos como nosso padroeiro. Dom Tomé, que a Graça e a Paz da parte de Deus, nosso Pai e do Senhor Jesus (Rm 1,7) estejam sempre consigo!

EXPEDIENTE

O Jornal Diocese Hoje é editado pela Fundação Mater Ecclesiae. Fundador: Donizeti Della Latta Endereço: Avenida Constituição, 1372 - São José do Rio Preto SP Presidente e Diretor Responsável: Pe. Jarbas Brandini Dutra Fone: (17) 2136.8699 E-mail: allansanti@gmail.com * Os artigos publicados são de inteira responsabilidade de seus autores

Distribuição gratuita Distribuído nas cidades de Adolfo, Altair, Álvares Florense, Américo de Campos, Bady Bassitt, Bálsamo, Buritama, Cedral, Cosmorama, Floreal, Gastão Vidigal, Guapiaçu, Ida Iolanda, Jaci, José Bonifácio, Lourdes, Macaubal, Magda, Mendonça, Mirassol, Mirassolândia, Monções, Monte Aprazível, Nhandeara, Nipoã, Nova Aliança, Nova Granada, Nova Luzitânia, Onda Verde, Orindiúva, Palestina, Parisi, Paulo de Faria, Planalto, Poloni, Pontes Gestal, Potirendaba, Riolândia, São José do Rio Preto, Sebastianópolis do Sul, Tanabi, Turiúba, Ubarana, Uchôa, União Paulista, Valentim Gentil, Votuporanga e Zacarias.

Editorial

FÉ: UM DOM QUE TRANSFORMA A EXISTÊNCIA! Segundo Bento XVI, a fé é um dom que transforma a existência, porque nos faz entrar na mesma visão de Jesus, que opera em nós e nos abre ao amor de Deus e aos outros. Como ter fé? É preciso “crer”. É o fruto de uma relação, de um diálogo no qual tem um escutar, um receber e um responder, ou seja, é o comunicar com Jesus que nos faz saber do nosso “eu”, fechado em nós mesmos, para nos abrir ao amor de Deus Pai. É como um renascimento, iniciado pelo Batismo, e continua por todo o percurso da existência. Entretanto, é preciso esclarecer que não se pode construir a nossa fé pessoal em um diálogo privado com Jesus, uma vez que Deus nos doa a fé através de uma comunidade que crê que é a Igreja e nos insere, assim, na multidão dos crentes em uma comunhão que não é apenas sociológica, mas enraizada no amor eterno de Deus, que, em Si mesmo, é comunhão do Pai, do Filho e do Espírito Santo: AMOR TRINITÁRIO. Desta forma, a nossa fé é pessoal se também for comunitária, ou melhor, o Catecismo da IgrejaCatólica diz “Crer é um ato eclesial. A fé da Igreja antecede, gera, sustenta e nutre a nossa fé”. Conforme o Concílio Ecumênico Vaticano II, “Deus quis salvar e santificar os homens não individualmente e sem qualquer ligação entre eles, mas quis constituir deles um povo que O reconhecesse na verdade e fielmente O servisse”. Em vista disso, a fé nasce na Igreja, conduz a essa e vive nessa. É na comunidade eclesial que a fé pessoal cresce e amadurece. Um cristão que se deixa guiar e modelar pouco a pouco pela fé da Igreja, apesar de suas fraquezas, limitações e dificuldades, torna-se como uma janela aberta à luz do Deus vivo, que recebe essa luz e a transmite ao mundo. Por fim, de acordo com João Paulo II, “...a fé se fortalece se doando”.


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO/2012

3

Posse de Dom Tomé em Rio Preto

Fotos: D.H.

Mais de mil pessoas aplaudem Dom Tomé na Catedral, em Rio Preto, no dia da sua posse.

Dom Demétrio Valentini, Bispo de Jales, entrega o Báculo a Dom Tomé.

Tomé diz que uma nova evangelização para a transmissão da fé precisa de um (...) antivírus radical: “pessoas apaixonadas por Jesus Cristo, tal como Ele é (....) apresentado pela igreja (...) é o nosso único salvador”. Finalizando, faz uso de seu lema: “Santidade na Verdade e Caridade” e fala sobre Santa Margarida da Escócia, que nos mostra como “... viver o ordinário da vida de modo extraordinário, sem cair na cotidianidade”. E Santa Gertrudes “exorta a não esquecermos de viver o silêncio

Dom Tomé cumprimenta funcionários sacerdotes da Cúria, em Rio Preto.

Dom Tomé cumprimenta os sacerdotes.

contemplativo”, e que essas duas mulheres o faz “... reconhecer a fundamental presença e ação das mulheres na igreja”. Dirigindo-se à Diocese de São José do Rio Preto “...caro filho e querida filha, meu coração não me pertence mais, é de vocês; meus braços se abrirão e fecharão em abraços para tê-los na partilha da alegria e da tristeza, da saúde e da doença, amando-os na SANTIDADE, buscada e respondida na VERDADE e na CARIDADE. O que Sou e tenho, não me pertencem mais, é de vocês”. Fazendo, pois, a sua entrega total ao povo de sua Diocese que o recebe com espírito de partilha, unidade e muito carinho.

O Ano da Fé: “Senhor, aumenta a nossa fé!” (Lc 17,5)

DA REDAÇÃO O jornal “ Diocese Hoje” estava presente quando Dom Tomé, acompanhado do Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, Dom Júlio Akamine e respectivos assessores desembarcaram no aeroporto de São José do Rio Preto. Às 15 h, bem disposto e cordial, atendeu a imprensa local e regional em entrevista coletiva. Saúda toda a imprensa de modo geral, sobretudo falando de sua importância para uma sociedade sadia. Segundo ele, “ Jesus Cristo foi, por excelência, um comunicador que veio trazer sua mensagem de amor e paz ao mundo.” Também agradeceu ao Administrador Dioceseno, Pe Jarbas, pelo período de vacância e disse que foi um ano muito importante já que ele completa 50 anos de sacerdócio. Das 19 às 19h30, recebeu o clero na capela da Catedral. Logo após, teve início a missa de posse cuja Homilia faz referência aos Lemas de cinco bispos que estiveram à frente de nossa diocese. Dom Lafayette Libânio: “É preciso que eu evangelize.” Dom Tomé diz que” estamos sujeitos a um risco fatal, o da cotidianidade. “ Ou seja, é um modo banal de vida centrado no comer, beber, casar-se, ou comprar, vender e construir. Segundo ele ,” Jesus mostra que há um modo para romper o risco e a tentação da cotidianidade: Quem procura ganhar a sua vida, vai perdê-la, quem a perde, vai conservá-la ( Lc 17,33).” Dom José J. Gonçalves: “No coração da mãe”. Dom Tomé fala que “...o caminho da santidade, da perfeição da vida cristã: Santidade na Verdade e Caridade”. Dom José de Aquino Pereira: “É preciso que ele Reine”. Conforme Dom Tomé, “... não há outro tempo a esperar, por isso não há tempo a perder. Há urgência em conceder Jesus Cristo e o seu Evangelho de Salvação a todos que O esperam”. Dom Orani João Tempesta: “Que todos sejam um”. Dom Tomé afirma que “é preciso voltar ao essencial, e o essencial é simples, belo e suficiente: alimentar-se da Palavra de Deus, dos Sacramentos e da Caridade”. Dom Paulo Mendes Peixoto: “ Para o serviço à vida”. Dom

A chegada de Dom Tomé no aeroporto.

O JORNAL “DIOCESE HOJE” REGISTROU A CHEGADA DE ALGUMAS AUTORIDADES ECLESIAIS PARA A POSSE DE DOM TOMÉ

O Administrador Diocesano Pe. Jarbas recebe Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, da Arquidiocese de São Paulo.

Cardeal Dom Cláudio Hummes.

Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta. Arcebispo de Uberaba, Dom Paulo Mendes Peixoto.


4

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO/2012

Dom Damasceno, e

Missão da Igreja é ser Em entrevista ao Diocese Hoje, Dom Raymundo Damasceno Assis, Cardeal Arcebispo de Aparecida e Presidente da CNBB, fez um relato da cerimônia de abertura do Ano da Fé, do investimento da Igreja na formação de religiosos e leigos para melhor transmissão do Evangelho, dos preparativos para a realização da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, em 2013. Falou sobre dom Tomé Ferreira da Silva, que vai assumir a nossa diocese dia 17 de novembro, comentou temas debatidos na Assembleia das Igrejas Particulares em Itaici, além de outros assuntos. A entrevista ocorreu durante intervalo dos trabalhos da Assembleia das Igrejas Particulares, que foi realizada entre 19 e 21 de outubro. Amável, firme em suas declarações, Dom Damasceno foi categórico: “Dom Tomé vai exercer um ministério muito fecundo, muito frutuoso para a Igreja de São José do Rio Preto”. Eis os principais tópicos da entrevista: ANO DA FÉ – Dom Raymundo Damasceno foi um dos presentes à solene abertura do Ano da Fé, dia 11 de outubro, na Praça São Pedro (Vaticano). Disse: “Para esta celebração eucarística, além do convite geral a todos os peregrinos que foram a Roma, neste dia, e do convite aos religiosos, aos sacerdotes, aos padres sinodais, o Papa Bento XVI convidou, de um modo muito particular, para celebrar com ele a solene abertura do Ano da Fé, os presidentes das Conferências Episcopais e os padres conciliares que são ainda memória viva do Concílio Vaticano II. “Do Brasil, dois padres conciliares estiveram presentes na abertura do Ano da Fé, e que hoje são o Cardeal Dom Serafim Fernandes Araújo, Arcebispo Emérito de Belo Horizonte, e Dom Mauro Ramalho, bispo emérito da Diocese de Iguatu (Ceará). “No dia seguinte à celebração eucarística, o Santo Padre concedeu

uma audiência especial aos presidentes das Conferências Episcopais e também aos padres conciliares que participaram do Concílio Vaticano II. Não eram muitos os padres conciliares presentes nessa audiência; eu calculo de 10 a 12, do mundo inteiro. “Após essa audiência, Bento XVI ofereceu um almoço aos presidentes das Conferências Episcopais, aos cardeais, aos padres conciliares e aos que participam da 13ª Assembleia Ordinária dos Sínodos dos Bispos. Esse almoço muito festivo, num ambiente agradável e fraterno, para cerca de 300 pessoas, encerrou a programação de abertura do Ano da Fé, que vai se prolongar até 24 de novembro de 2013. RENOVAÇÃO “O Papa deseja, de todos nós, uma renovação, um aprofundamento da nossa fé em Jesus Cristo. O Santo Padre sugeriu alguns meios que possam nos ajudar na celebração do Ano da Fé: os documentos do Concílio Vaticano II e o Catecismo da Igreja Católica. Este concílio produziu 16 documentos, todos muito ricos em conteúdos. O tema central do Vaticano II é a Igreja, sua Natureza e sua Missão. A Igreja deve iluminar

com a luz de Cristo todo o mundo, através da vivência e do testemunho da fé. A Igreja é para o mundo e não o mundo para a Igreja. Por isso, a grande missão da Igreja é servir ao mundo. Ser fermento, ser sal, ser luz no mundo de hoje. “Esses dois meios – os documentos do Concílio Vaticano II e o Catecismo da Igreja Católica – são importantes. E o Papa recomenda a todos o estudo e aprofundamento desses documentos. Diria que devemos fazer do Ano da Fé um tempo de graça, uma oportunidade para vivenciar melhor a nossa fé e testemunhá-la no mundo de hoje”. Formação de discípulos e missionários Segundo o Documento de Aparecida, um dos grandes desafios para a Igreja na América Latina e, principalmente, para o Brasil, é a formação de discípulos e missionários de Jesus Cristo. “O grande desafio é formar bem o nosso clero para que ele possa servir melhor aos nossos fiéis, através do tríplice múnus de anunciar a Palavra de Deus, de santificar pela administração dos sacramentos e de servir ao povo, e também, a formação

Presidente da CNBB:

Dom Tomé é um pastor experiente e bem formado

O presidente da CNBB, Dom Raymundo Damasceno Assis, em entrevista ao Diocese Hoje, disse que Dom Thomé Ferreira da Silva vai exercer um ministério muito fecundo pela sua experiência e por ser muito bem formado. “Quero felicitar Dom Tomé pela sua nomeação para bispo de São José do Rio Preto, uma grande, pujante e dinâmica cidade paulista. Dom Tomé tem uma experiência muito grande no exercício do ministério episcopal como bispo auxiliar de São Paulo, por muitos anos. É uma pessoa muito bem formada do ponto de vista intelectual; e traz, igualmente, uma experiência da sua vivência na Arquidiocese de Pouso Alegre, em Minas Gerais”, declarou Dom Damasceno. E prosseguiu: “Eu tenho certeza que ele vai exercer um ministério muito fecundo, muito frutuoso para a Igreja de São José do Rio Preto. São esses os meus votos. Tenho certeza que ele vai ser muito bem acolhido, muito bem aceito pelo presbitério, pelos religiosos, pelos fiéis e pelas autoridades. Parabéns, São José do Rio Preto, pelo novo pastor que está recebendo por designação do Papa Bento XVI.”

de religiosos, religiosas e de leigos”, disse Dom Raymundo Damasceno Assis. O presidente da CNBB explica: “Sem uma formação adequada e atualizada a Igreja fica em dificuldade na transmissão do Evangelho, no cumprimento da missão que Cristo lhe confiou. E formar discípulos é levar as pessoas ao encontro com Jesus Cristo para que, se apaixonando por Ele e vivendo Sua palavra, se torne também missionários”. Diante desse grande desafio, Dom Damasceno diz: “Temos que investir muito na formação dos ministros ordenados e também no nosso laicato.” O Presidente da CNBB acrescenta: “Em virtude do seu batismo, ele (o leigo) tem o direito e dever de participar da missão da Igreja, mas para que o seu trabalho seja mais eficaz, mais frutuoso, é necessário que ele seja formado, preparado. É necessário, também, que se abra espaço para ele assumir responsabilidade no trabalho pastoral na comunidade, mas principalmente, na sociedade, para que tenhamos uma sociedade mais humana, mais fraterna, mais solidária, mais justa, mais de acordo com o projeto de Deus”.


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO/2012

5

em entrevista ao DH

luz no mundo de hoje Assembleia debate importantes temas

A natalidade está diminuindo, a expectativa de vida aumentando. Então, daqui a 30 ou 40 anos, no Brasil e na América Latina, aumentará a população de idosos e diminuirá significativamente a de jovens, segundo previsões. Dom Raymundo afirma que “o jovem é o rosto alegre de um país e da própria Igreja. Estamos vivendo um momento muito especial em relação à juventude. Por isso, estamos nos preparando para essa importante Jornada Mundial da Juventude, que será realizada em julho do ano que vem, no Rio de Janeiro, com a presença do Papa e de milhares jovens do Brasil e de outras partes do mundo”. Acrescentou: “Jesus Cristo é a Luz a seguir na vida. Essa é a grande mensagem que o Papa vai dar aos jovens. O caminho é Jesus Cristo. Ele é também a Verdade e a Vida”. E o tema da Jornada Mundial da Juventude é missionário – Ide por todo mundo, fazei discípulos meus entre todos os povos. “O Papa está convidando os jovens a aderir a Jesus Cristo pela fé, a conhecê-lo mais para poder imitá-lo mais e testemunhá-lo mais. O próprio jovem é que deve também ser missionário de outros jovens. Não há melhor apóstolo do jovem do que o próprio jovem. Porque é justamente o jovem que é capaz de transmitir com a sua vida e com a sua palavra, a mensagem do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo a outros jovens”, disse Dom Damasceno.

incluído, parentes mais próximos. Seu pai, Sr. Francisco, faleceu com 90 anos; sua mãe, Dona Carmen, faleceu com 97 anos. Viveram 68 anos de casamento. Dom Damasceno fala dos seus pais: “Eram pessoas simples, modestas, mas de uma vida exemplar do ponto de vista religioso, de valores éticos, vividos por eles e transmitido para nós”. De Capela Nova, seus pais se mudaram para Conselheiro Lafaiete, uma cidade maior e pertencente à Arquidiocese de Mariana. Fez o primário e o médio com os irmãos maristas. Ao terminar esses estudos, diz Dom Damasceno, “tive uma clareza melhor sobre a minha vocação. Fui, então, para o Seminário de Mariana, onde fiz o curso clássico. Em 1960, o Arcebispo de Mariana me mandou para Brasília, como seminarista, para ajudar aquela igreja que estava se implantando no Planalto Central. Fui o primeiro seminarista da Arquidiocese de Brasília, e lá me tornei sacerdote. Depois, fui nomeado Bispo-Auxiliar da Arquidiocese de Brasília, onde permaneci até 2004, quando o Papa João Paulo II me transferiu para a Arquidiocese de Aparecida, onde estou há 8 anos”. Além dessa importante função, Dom Damasceno preside a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), tendo sido eleito na 49ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, em 2011, para o quadriênio 2011-2015.

Ações destacadas durante o Ano da Fé:

Para Dom Raymundo Damasceno, a 34ª Assembleia das Igrejas Particulares, realizada em Itaici, debateu temas atuais e de muita importância para a Igreja no Brasil: o Ano da Fé e a Juventude. “São dois temas em sintonia. Estamos nos preparando para a Jornada Mundial da Juventude e estamos vivendo o ano da Fé”, disse o Presidente da CNBB. Dos grupos de estudos constituídos na Assembleia, “vamos ter algumas indicações de prioridades pastorais para o Regional Sul 1 e a partir dessa temática (Ano da Fé e Juventude), formular propostas indicativas para as dioceses. Cabe ao Plano Pastoral de cada Diocese assumir essas indicações de acordo com a realidade de cada diocese”, acentuou Dom Damasceno. “Essas propostas vão representar os anseios e os desejos da Igreja no Regional Sul 1.”

Dom Raymundo Damasceno Jovens serão Assis minoria na O Arcebispo de Aparecida e Presidente da CNBB, Dom Raymundo América Damasceno Assis, nasceu em Capela Nova, MG. Um dos 10 filhos de uma Latina família virtuosa, e todos católicos,

Mensagem de Dom Damasceno

Devemos ter grande apreço à nossa Igreja particular

Dom Raymundo Damasceno Assis, Presidente da CNBB, transmite uma mensagem e Natal e de Ano Novo aos nossos leitores, extensiva a toda a comunidade diocesana. Diz: “Desejo, também, que esta diocese cresça, cada vez mais, e cada um se sinta bem na sua Igreja particular. Porque é através da Igreja particular que nós vivemos e atuamos, que nós estamos em comunhão com a igreja universal, cujo Pastor supremo é o Sucessor de Pedro, o Papa. É através da nossa comunhão com o pastor local, com o presbitério local, e também com os fiéis entre si, que se faz comunhão com toda a Igreja una, santa, católica e apostólica, que é a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo”. E prossegue: “É nessa Igreja local que nós fazemos o primeiro encontro com Deus. É aí que nós abraçamos a fé; é onde somos batizados; é onde a nossa vida cristã é alimentada pela palavra de Deus, pelos sacramentos, pelo testemunho de fé. Devemos ter um grande amor e grande apreço à nossa Igreja particular e ter sempre um coração grande e aberto também para toda a igreja universal; e estarmos sempre disponíveis para trabalhar na construção do Reino de Deus, onde formos chamados”. Ao final de sua mensagem, Dom Damasceno declara: “Para os leitores do jornal Diocese Hoje os meus melhores votos de Santo e Feliz Natal, também acompanhado das bênçãos de Deus para o Ano Novo”.


6

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO/2012

Cruz e Ícone unem jovens na fé

DA REPORTAGEM “DH” O padre Antônio Gomes do Prado, coordenador nacional da peregrinação da Cruz da Jornada Mundial da Juventude, disse que essa peregrinação começou no norte do País e, no dia 31 de outubro, seguiu para o Rio Grande do Sul. “Ela tem atraído jovens por onde passa; o ícone de Nossa Senhora vai onde estão os jovens mais necessitados: nas prisões, nas casas de recuperação, nas escolas, nas universidades. Também a Cruz vai para a Amazônia, até os jovens indígenas. A Cruz e o Ícone levam o Evangelho para todos os cantos do País; unem os jovens neste Ano da Fé em torno da fé”, disse o sacerdote. Em Belém do Pará, padre Antônio do Prado trabalhou com jovens que “convivem com a miséria, tem pouca perspectiva de vida e muitos não têm emprego. Eles vivem com pequenas coisas, e os que conseguem trabalho, ganham salário mínimo”. Mandou um recado para os jovens das regiões mais ricas do País, que alegam não ter condições de participar da Jornada Mundial da Juventude, em julho de 2013, no Rio de Janeiro, com a presença do papa Bento XVI: “No Pará, jovens

Dom Airton, Bispo de Campinas:

Convivência e ajuda mútua

Dom Airton José dos Santos, bispo de Campinas.

Padre Jarbas, administrador diocesano, Heloise, Carlinhos, Padre Sílvio Roberto, coordenador da Pastoral da Juventude, e Padre Natal.

TOMÉ, GRANDE PASTOR

Em mensagem ao novo Bispo de São José do Rio Preto, o padre Antônio do Prado diz:

Tomé Ferreira da Silva é um grande pastor; “Dom trabalhou na região do Ipiranga (São Paulo) e uma de suas preocupações foi com a juventude. Que Deus abençoe seu pastoreio e que as pessoas possam encontrar, em você, o rosto de Cristo!

Padre Toninho, da Comissão Episcopal Para a Juventude

DA REPORTAGEM “DH” A Assembleia das Igrejas reuniu bispos das dioceses paulistas, coordenadores de Pastoral e leigos. No encerramento do encontro, Dom Airton José dos Santos, bispo de Campinas, disse: “Foram momentos de convivência, de partilha, de ajuda mútua, de conhecimento das pessoas. Aqui estão os novos bispos, os novos leigos e padres, tivemos a participação de movimentos jovens das paróquias”. JUVENTUDE – No dia 21 de outubro, em Campinas, realizou-se o Dia Nacional da Juventude, com a participação de milhares de jovens. Houve celebrações e atos festivo-culturais. “Temos, aqui, jovens entusiasmados se preparando para a Jornada Mundial da Juventude”, acrescentou. Dom Airton assumiu a diocese de Campinas a 15 de abril deste ano. Ele era bispo em Moji das Cruzes. Natural de Minas Gerais, viveu oito anos no ABC; foi bispo auxiliar de Santo André e, em 2004, transferido para Moji das Cruzes; e sete anos e meio depois, para Campinas.

DOM TOMÉ

Ao novo Bispo de São José do Rio Preto, Dom Moacyr Silva disse:

muitas felicidades e plena “Desejo realização nesta nova missão. Tenho certeza de que vai fazer um grande trabalho em Rio Preto!

Padre Antônio em entrevista ao DH.

vivem com poucos recursos; eles vão andar um, dois, três dias de barco; depois, viajam três dias de ônibus para chegar ao Rio de Janeiro. Esses jovens guardam dinheiro o ano todo para fazer essa viagem (a diocese contribui com uma parte da despesa). Organizem-se jovens do Sul, do Sudeste. Vejam o exemplo dos jovens de Belém do Pará, que vão viajar cinco dias ou mais; e para vocês, uma viagem até o Rio de Janeiro é questão de horas”. ASSEMBLEIA Falando de sua participação na Assembleia das Igrejas Particulares, em Itaici, disse ter feito exposição, destacando três pontos: 1) a realidade juvenil, seu contexto social positivo e eclesial; 2) a juventude dentro e fora da igreja, as expressões de fé dentro e fora da igreja; e 3) a dimensão da fé do jovem e o fortalecimento da sua fé. Padre Antônio Gomes do Prado é natural de Piracicaba, de formação acadêmica salesiana. Fez mestrado na Universidade do Equador e foi um participante ativo na Assembleia das Igrejas Particulares, em Itaici.


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO/2012

7

Indulgência plenária no Ano da Fé Bispo de Jundiaí:

“Jovens têm vez e voz na Igreja”

– Basílicas Menores e os Santuários dedicados à Virgem Maria, aos Santos Apóstolos e aos Santos Patronos), participando aí em alguma sagrada celebração ou pelo menos recolhendo-se por algum tempo em meditação, concluindo com a recitação do Pai-Nosso, as invocações à Virgem Santa Maria e, segundo os casos, aos Santos Apóstolos e Patronos; c) Nas solenidades do Senhor, da Virgem Maria, nas festas dos Santos Apóstolos e Patronos, na Cátedra de São Pedro, participar de solene eucaristia; d) Renovar as promessas batismais num dia livremente escolhido, durante o Ano da Fé, por ocasião de uma piedosa visita ao batistério, ou outro lugar onde se recebeu o batismo.

DA REPORTAGEM “DH” Para o Bispo Fernando Blanco, de Jaboticabal, a Assembleia das Igrejas Particulares vive, no Ano da Fé, a nova evangelização, o Sínodo da Fé, o revigoramento da fé com os jovens que se preparam para o grande encontro com o Papa Bento XVI, no Rio de Janeiro, em abril do ano que vem. Na diocese de Jaboticabal, foi realizada, em julho, o Congresso da Juventude Catequizada, “onde lançamos um caminhar com os jovens em toda a diocese. Fizemos uma réplica da Cruz; vamos percorrer todas as paróquias. Essas visitas vão terminar no próximo ano e, em seguida, seguirão os jovens diocesanos para a Jornada Mundial da Juventude”, revelou Dom Fernando Blanco.

MENSAGEM A DOM TOMÉ

Em sua mensagem a Dom Tomé Ferreira da Silva, o Bispo de Jaboticabal disse:

Eu acredito que é o Espírito Santo que move as pessoas responsáveis para a escolha de um Bispo. Dom Tomé tem grande experiência na Arquidiocese de São Paulo (atuou na região pastoral do Ipiranga). Acho que foi uma boa escolha para administrar a diocese de São José do Rio Preto. A presença de Dom Tomé vai enriquecer muito a Igreja de Rio Preto.

DOM TOMÉ

Ações destacadas durante o Ano da Fé:

Congresso da Juventude Catequizada em Jaboticabal

DA REPORTAGEM “DH” Dom Vicente Costa, Bispo de Jundiaí, um dos participantes da Assembleia em Itaici, comentou esse momento histórico da Igreja – comemoração do Ano da Fé e mobilização para o, também, grande evento de 2013, que é a Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro. “Foi muito lindo ver a participação, a espontaneidade dos jovens, nesta Assembleia, diante de teólogos, bispos, padres, religiosos, leigos e o público em geral. É a Igreja que escuta os jovens e os jovens podendo ter voz e vez na Igreja. É importante investir na juventude, como diz o papa Bento XVI”. Nascido em Malta (Itália), decidiu vir para o Brasil no início do Concílio Vaticano II. “Vivíamos um ardor missionário e oferecemo-nos para fazer parte de missão no Brasil. Minha família continua na Itália (tenho dois irmãos casados, com suas famílias; meus pais morreram)”. CONCÍLIO Para o Bispo de Jundiaí, “o Concílio Vaticano II foi uma bússola, um caminho para que a Igreja se renove e, cada vez mais, seja fiel ao Evangelho”. JUVENTUDE Bispo há 13 anos e participando de todas as assembleias em Itaici, Dom Vicente Costa revelou que o Setor Juventude da diocese de Jundiaí “é muito atuante e muito animado. Centenas de jovens se preparam para participar da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro. Depois que criamos o Setor Juventude, há mais comunhão com os demais movimentos e setores da diocese”.

Em mensagem enviada a Dom Tomé Ferreira da Silva, novo Bispo de São José do Rio Preto, Dom Vicente Costa diz:

Eu desejo que ele faça um bom pastoreio na nova diocese; que haja uma verdadeira autenticidade no amor em Cristo. Dom Tomé, com toda sua experiência, certamente fará um ótimo trabalho, como fez Dom Paulo Mendes, hoje Arcebispo de Uberaba.

L´OSSERVATORE ROMANO De 11 de outubro de 2012 a 24 de novembro de 2013 – é o Ano da Fé –, terão acesso a uma indulgência plenária todos os fiéis que, verdadeiramente arrependidos e devidamente confessados, comungarem e rezarem pelas intenções do Santo Padre. São condições para lucrar tal indulgência plenária: a) Participar pelo menos em três momentos de pregação durante as Missões, ou em três lições sobre as Atas do Concílio Vaticano II e sobre Artigos do Catecismo da Igreja Católica, em qualquer igreja ou lugar idôneo; b) Visitar, em forma de peregrinação, uma Basílica Papal, uma catacumba cristã, uma Catedral, um lugar santo (por exemplo


DIOCESE 82 ANOS

8

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO/2012

Dom Tarcísio

Dom Tomé fará bom pastoreio DA REPORTAGEM DO “DH” Dom Tarcísio Scaramussa, bispo auxiliar de São Paulo e 1º secretário do Regional Sul 1, em entrevista ao jornal Diocese Hoje disse que a Assembleia das Igrejas deste ano foi “um momento importante de partilha, de troca de experiências e também pelo tema Ano da Fé e Juventude. Foram momentos de orações, celebrações, vivências de fé e de estudos”. No Regional Sul 1, é realizada a Assembleia dos Bispos no primeiro semestre; em outubro, a Assembleia das Igrejas Particulares (a deste ano, é a 34ª), da qual participaram 47 dioceses, com 5 representantes, cada uma, totalizando cerca de 250 pessoas (bispos, padres, religiosos e religiosas, pastorais, leigos). DOM TOMÉ – Dom Tarcísio Scaramussa traçou o perfil de Dom Tomé, bispo auxiliar de São Paulo há 7 anos e que, neste 16 de novembro, assume a diocese de São José do Rio Preto. “Durante todo esse tempo, ele prestou serviço episcopal na Arquidiocese de São Paulo, especialmente como vigário geral na região do Ipiranga. Ele adquiriu uma experiência muito grande. Em outubro, Dom Odilo esteve em Roma com o Papa e foi Dom Tomé que assumiu a Arquidiocese. Essa Arquidiocese compreende 6 regiões episcopais, 300 paróquias e população de 7 milhões. Na região do Ipiranga, há 35 paróquias. Ele é uma

À esquerda Dom Airton José dos Santos, Bispo de Campinas, Dom Moacir Silva, Bispo de São José dos Campos, e Dom Scaramussa, Bispo da Região Sé - Arquidiocese de São Paulo.

pessoa inteligente, de boa formação teológica e espiritualidade muito profunda. Tenho certeza de que ele vai fazer um bom pastoreio”! Em mensagem a Dom Tomé, o bispo auxiliar Dom Tarcísio diz: “Seja muito feliz nessa sua nova missão; que possa ser a face viva de Cristo”!

NATAL – A mensagem de Natal de Dom Tarcísio a Dom Tomé e a todos os diocesanos: “Especialmente agora que estamos vivendo o Ano da Fé, vivamos o Cristo e com fé. Sem fé, não vai ser um Natal feliz. Que todos tenham um Feliz Natal”!

Bispo de Jales

Ano de cultivar e transmitir a fé

MUCCIOLO – Para Dom Demérito, a Rede Vida e o Brasil perderam seu ícone da TV Católica, Dom Antônio Mucciolo, “Ele foi um bispo de intuição muito grande. Colocou sua capacidade de articulação, de motivação das pessoas, envolvendo

DOM TOMÉ, BISPO CAPACITADO

Em mensagem a Dom Tomé Ferreira da Silva, nosso novo Bispo, Dom Irineu declarou: Conhecemos Dom Tomé das Assembleias das Igrejas e reuniões do Episcopado. Penso que se foi confiado a ele a importante diocese de São José do Rio Preto, é porque tem bons precedentes. Ele é um Bispo novo, bem animado, bem informado. Já passou pelo crivo de uma Arquidiocese, a de São Paulo.

E aos diocesanos da região pediu: “Acolham Dom Tomé como um homem enviado por Deus”!

muitas pessoas num projeto que parecia impossível para a CNBB, que era ter uma rede de televisão a serviço da pastoral. Então, ele tem o grande mérito de ter plantado a semente certa. Dom Mucciolo cultivou o bem e colheu frutos bons”.

DOM TOMÉ

O bispo de Jales comentou a escolha de dom Tomé para dirigir a diocese de S. J. Rio Preto:

Acompanhamos o trabalho de Dom Tomé e ficamos felizes com a nomeação dele. Rio Preto é um grande desafio. Mas ele é um bispo que tem grande experiência, está à frente do episcopado de São Paulo, onde é auxiliar de uma região com 7 milhões de habitantes. Penso que a escolha não poderia ter sido melhor. Damos boas vindas a Dom Tomé.

DA REPORTAGEM DO “DH” Dom Demétrio Valentini, bispo de Jales, um dos participantes da Assembleia das Igrejas, em Itaici, disse que os temas Ano da Fé e o Ano da Juventude “vão nos ocupar ao longo desse ano” e será um trabalho voltado para “cultivar a fé, transmitir a fé, de levar a fé para várias gerações”. A respeito da Jornada Mundial da Juventude, entende que esse encontro dos jovens com o Papa, em julho próximo, no Rio de Janeiro, “é um episódio bom, que certamente vai suscitar muita participação de jovens, e que facilitará, depois, a continuidade de um trabalho com a juventude”. CONCÍLIO – O bispo de Jales participou do Concílio Vaticano II (iniciado em 1962 e encerrado em 1965). “O Papa João XXIII fez discurso de abertura de maneira bem generosa, clara, incisiva. Anunciou a finalidade do grande Concílio – atualizar a Igreja com o novo tempo; readquirir a cidadania da Igreja no mundo de hoje e, ao mesmo tempo, fortalecer sua identidade, renovar suas motivações e sua missão. Agora, 50 anos depois, em vez do esquecimento, o Concílio está despertando grande interesse; e isso é muito bom”.


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO/2012

9

DIOCESE

Catanduva impulsiona área social

casais”, declarou Dom Octacílio. DOM PAULO Comentando a transferência de Dom Paulo Mendes Peixoto para a Arquidiocese de Uberaba, Dom Octacílio declarou: “Para nós, Bispos, e principalmente para mim, sentimos muito, pois era um Bispo muito ativo, que lutava para fazer o trabalho em comunhão com as outras dioceses. Ele chegou a Rio Preto com projetos de grandes mudanças, conseguiu avançar bastante; agora, trabalha em uma Arquidiocese, cuja responsabilidade é maior, mas acredito que ele está indo muito bem”.

Dom Celso

Pregações por todo o País

Dom Octacílio, a respeito de Dom Tomé, disse:

Ele tem grande experiência em trabalhar numa cidade grande e também numa diocese grande. Ele é um Bispo novo, tem capacidade e energia. Foi uma boa escolha para dirigir a diocese rio-pretense.

Acrescentou: “Todos os bispos da Província de Ribeirão Preto ficaram contentes com a nomeação de Dom Tomé. Ele é uma pessoa muito bem conhecida entre os bispos e será muito bem-vindo no nosso meio. Vamos acolhê-lo como nosso irmão no Episcopado e temos certeza de que fará um bom trabalho em Rio Preto, em comunhão com os demais bispos da Província Eclesiástica”.

DA REPORTAGEM “DH” O 18º Encontro da Comunicação vai acontecer na Sé, em São Paulo, entre os dias 23 a 25 de novembro, na Casa de Acolhida Pio XI, na Arquidiocese de Sãio Paulo, na capital. Anunciou o Bispo da diocese de Itapeva, Dom José Moreira de Melo. “A comunicação é fundamental na evangelização. Temos de utilizar todos os meios modernos para transmitir a palavra de Cristo”, disse. Dom Moreira é o representante dos bispos no setor Comunicação do Sul-1. “Esse Encontro é muito importante; estamos trabalhando muito nessa área da comunicação, principalmente com os jovens, para que eles se sintam valorizados, para que desenvolvam todas suas potencialidades e se aproximem mais de Jesus Cristo”.

Em sua mensagem a Dom Tomé Ferreira da Silva, diz o Bispo de Itapeva: “Meus melhores desejos e estímulo para que o irmão do episcopado faça um trabalho bonito; tenho certeza de que isso vai acontecer. É o povo de Deus que vai se beneficiar”.

Dom Antonio Celso de Queiros, em mensagem ao novo bispo de São José do Rio Preto, disse:

“ Eu desejo que ele faça um episcopado muito eclesial. Dom Tomé é o presente de Natal para a diocese de Rio Preto.

A fé celebrada na Liturgia

DA REPORTAGEM “DH” Dom Antonio Celso de Queiros, Bispo emérito de Catanduva, disse que “enquanto tiver forças”, acompanhará tudo o que “a igreja vai fazer de im-

portante, participando de reuniões, assembleias com os demais Bispos, meus irmãos”. Por essa razão, “agora, como Bispo emérito”, dizem que estou trabalhando mais do que quando eu não era emérito”. E há motivos para esse comentário. O Bispo emérito de Catanduva tem feito pregações em retiros e encontros em cidades paulistas, nos estados do Amazonas, Mato Grosso do Sul, Goiás e em outras regiões do País, além de proferir palavras e fazer celebrações em pequenas e grandes cidades. Quando exercia a função de secretário geral da CNBB, Dom Celso apresentou projeto de construção do auditório Rainha dos Apóstolos. Essa proposta foi aprovada e executada. É nesse auditório que acontecem as Assembleias do Regional Sul-1, as reuniões da CNBB e outros eventos. CONCÍLIO Sobre o Concílio Vaticano II, o Bispo emérito de Catanduva diz que a Igreja recebeu um “impulso fantástico que nos anima até hoje”.

Encontro da Comunicação

DA REPORTAGEM “DH” A Cáritas está sendo reativada na diocese de Catanduva e “já liberamos o padre Carlos para trabalhar, exclusivamente, na área social”, disse o Bispo Dom Octacílio Luziano da Silva. “Temos um projeto de recuperação de dependentes químicos, em parceria com a Prefeitura. Hoje, são atendidos 35 jovens do sexo masculino. Temos, também, uma casa de ressocialização que abriga pessoas que recebem alta do tratamento e não têm para onde ir ou de pessoas que não têm família na cidade e estão à procura de emprego”. Em Novo Horizonte, a diocese de Catanduva administra uma casa de recuperação e uma de ressocialização, onde são atendidas 85 pessoas. “Estamos também pensando em trabalhar com crianças e com a profissionalização de pessoas”, revelou Dom Octacilio. JOVENS O Bispo de Catanduva disse que está sendo intensificado o trabalho com os jovens, “para que eles se tornem uma força viva na Igreja”. Já começou a mobilização para a Jornada Mundial da juventude, em 2013, no Rio de Janeiro. Há estudo para realizar um acampamento em Catanduva. Essa proposta foi apresentada depois que 80 catanduvenses participaram de um acampamento organizado pela diocese de Assis. “Vamos, então, trabalhar com crianças, jovens adultos e


10

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO DA REDAÇÃO

NOVEMBRO/2012

Dom Tomé é o quinto bispo da Diocese

Na Diocese de São José do Rio Preto, funcionam 98 paróquias, são 105 padres, 50 municípios e população de 920 mil habitantes. A área atual da diocese é de 14.634 km². Criada a 25 de janeiro de 1929 pelo papa Pio XI, ela já foi dirigida por quatro bispos – Dom Lafayette Libânio, Dom José de Aquino Pereira, Dom Orani Tempesta e Dom Paulo Mendes Peixoto. E neste 16 de novembro, a nossa diocese ganha um novo Bispo, Dom Tomé Ferreira da Silva. Os dois últimos foram promovidos a arcebispo: Dom Orani assumiu a Arquidiocese de Belém do Pará, em 2004, e em 2009, foi transferido para a Arquidiocese do Rio de Janeiro; e Dom Paulo, no dia 1º de maio deste ano, foi empossado arcebispo de Uberaba (MG). São José do Rio Preto, de 420 mil habitantes, é um centro multieconômico. O seu diversificado comércio macroatacadista e varejista é um dos cincos mais influentes do interior paulista. É importante centro médico-hospitalar, centro financeiro, centro educacional e é cidade administrativa por sediar regionais dos governos federal e estadual. Mas esse desenvolvimento econômico-social não diminui o sentimento religioso, que é uma das marcas do povo rio-pretense, desde a fundação da cidade, a 19 de março de 1852. O primeiro padre da então vila de Rio Preto, José Bento da Costa, além de evangelizador, propugnou pelo crescimento ordenado do povoado. Por volta de 1890, contratou um engenheiro italiano (Ugolino Ugolini) para fazer o primeiro traçado urbanístico da cidade. Anos atrás, um dos padres que trabalhou em Rio Preto (foi pároco e diretor do Colégio São José), foi beatificado pelo papa Bento XVI. Seu nome: Mariano Della Matta. A cidade é sede da Rede Vida de Televisão, a maior emissora de orientação católica do País. 1º BISPO Dom Lafayette Libânio, o “Missionário do Sertão” A Diocese de São José do Rio Preto foi criada a 25 de janeiro de 1929 e, em 8 de agosto de 1930, o Papa Pio XII nomeou D. Lafayette Libânio para assumir a Diocese. Sua posse canônica ocorreu a 22 de janeiro de 1931. Entre suas obras, edificou o Seminário Menor, o Palácio Episcopal, a Basílica Menor de Aparecida e outras igrejas. Criou 27 paróquias; organizou o I Congresso Eucarístico Diocesano, realizado de 26 de maio a 2 de junho de 1940, que reuniu, em Rio Preto, mais de 40 mil pessoas; organizou o II Congresso Eucarístico Mariano Provincial de Rio Preto, em maio de 1949. Tendo Dom José Joaquim Gonçalves como auxiliar, criou a Fundação Mater Ecclesiae e fundou a Rádio Anchieta AM e FM. Naquela época, havia poucas estradas asfaltadas, mas Dom Lafayette enfrentava poeira, lamaçais e vias esburacadas para visitar cidades, vilas e núcleos rurais. Certa vez, o carro que o transportava apresentou defeito. Dom Lafayette ajudou no reparo do motor; seguiu viagem com a batina empoeirada e respingada de óleo. Chegando ao destino, com a mesma batina, celebrou a missa. Dom Lafayette não queria atrasar, ainda mais, a cerimônia. Foi denominado “O Missionário do Sertão Renunciou em 4 de outubro de 1966; morreu em 26 de julho de 1979.

2º BISPO Dom José de Aquino, notável evangelizador e administrador Aos 91 anos de idade, falecia no dia 17 de novembro de 2011, no hospital da Beneficência Portuguesa, o nosso segundo bispo, Dom José de Aquino Pereira. Foi sepultado na cripta da Sé Catedral. Ele dirigiu a diocese de 4 de agosto de 1968 a 26 de fevereiro de 1997, quando se aposentou e se tornou bispo emérito. Antes de assumir a nossa diocese, foi bispo em Dourados (MT) e Presidente Prudente (SP). Nos quase 30 anos no bispado, instalou 41 paróquias, ordenou mais de 40 padres, incentivou a criação de comunidades religiosas, apoiou a instalação de diversas instituições assistenciais (exemplo é a do frei Nélio, sediada em Jaci, que atua em várias cidades do interior paulista e de estados vizinhos e, agora, também trabalha no Haiti). Organizou o Plano Pastoral Diocesano de acordo com o Concílio Vaticano II e, hoje, dezenas de pastorais funcionam na diocese. Criou seis vigarias forâneas. Saldou dívidas da diocese (a crise financeira era profunda); depois, adquiriu áreas para construção de igrejas. Enfrentou a escassez de padres: recuperou o Seminário Menor; criou e instalou o Seminário Maior Diocesano Sagrado Coração de Jesus; construiu a nova Catedral. Foi um notável evangelizador e hábil administrador.

3º BISPO Dom Orani Tempesta, “o bispo da comunicação” Dom Orani João Tempesta, o terceiro bispo, dirigiu a diocese de 1º de maio de 1997 a 13 de outubro de 2004. Implantou projetos de evangelização como a Rede de Comunidades; criou novas pastorais, apoiou movimentos da juventude, incrementou vocações, enviou missionários para a Amazônia. Durante sua administração, a Diocese assumiu o Serviço Social São Judas Tadeu, que ampara e profissionaliza mais de 400 jovens; conquistou a concessão de uma emissora educativa (Rádio Interativa), instalou o Tribunal Eclesiástico de Primeira Instância; ordenou 30 padres, criou várias paróquias. Construiu a Casa do Clero em tempo recorde (essa Casa foi dedicada a São João Maria Vianney), trabalhou pela criação da diocese de Catanduva, que foi desmembrada da diocese rio-pretense em 25 de março de 2000. Foi nomeado responsável pela comunicação da Igreja em todo País, e tornou-se conhecido, também, como o bispo da comunicação. Em 13 de outubro de 2004, assumiu a Arquidiocese de Belém do Pará; no dia 19 de abril de 2009, foi empossado Arcebispo do Rio de Janeiro. 4º BISPO Dom Paulo Mendes Peixoto, “o bispo do povo”. Em pouco mais de 6 anos à frente da nossa diocese, Dom Paulo Mendes Peixoto – o quarto bispo – ordenou 25 padres e 17 diáconos permanentes, realizou 24.644 crismas, criou 12 paróquias e duas quase paróquias, fez a redivisão das regiões pastorais (agora, funcionam 12 regiões e cada uma delas tem um padre-coordenador), adquiriu e reformou o Seminário Propedêutico.

Instalou o RP-2 que reúne as dioceses de Barretos, Catanduva, Jales e São José do Rio Preto. Essas dioceses têm, agora, um único tribunal eclesiástico – o Tribunal Interdiocesano. Dom Paulo também criou a Escola Diocesana de Catequista (Edicat), reforçou missão em Cerejeiras (Rondônia), onde dois padres da nossa diocese realizam trabalho missionário; foi escolhido para ser o responsável pela catequese no Estado de São Paulo, exercendo essa função de 2008 a 2011; promoveu, em 2011, o Eucaristia-Fest, em cada uma das 12 regiões pastorais da diocese; reestruturou e fortaleceu o Sistema Diocesano de Comunicação (reativou o jornal Diocese Hoje, a rádio Interativa e os sites do Bispado); incentivou a instalação da rádio Estação 104; estimulou a informatização de todas as paróquias; apoiou a criação da Diocese de Votuporanga, que seria desmembrada da diocese de São José do Rio Preto; houve alternâncias nas paróquias (em cerca de 60% delas); influiu na realização, em São José do Rio Preto, do XXIII Encontro da Sociedade Brasileira dos Canonistas e do XXV Encontro de Servidores de Tribunais Eclesiásticos do Brasil, em junho de 2008. Pela primeira vez, esses congressos aconteceram numa cidade do interior; em 2011, realizou-se em São José do Rio Preto o VII Sulão de Catequese, que reuniu 300 catequistas de cinco estados brasileiros; empenhou-se na evangelização e formação de lideranças leigas. Em várias ocasiões, foi aclamado “O apóstolo do povo” ou “O bispo do povo”. No dia 1º de maio de 2012 assumiu a Arquidiocese de Uberaba (MG). Dom José Marcondes Dom José Marcondes Homem de Mello, que assumiu a diocese de São Carlos em 9 de agosto de 1908, foi o primeiro bispo a visitar São José do Rio Preto. Ele trabalhou pela criação da nossa diocese – a nossa região, naquela época, pertencia à diocese de São Carlos. A seu pedido, vieram da Bélgica as Irmãs de Santo André (andrelinas), que edificaram escolas em Jaboticabal (1914) e em São José do Rio Preto (1920). Dom Marcondes Instalou, na região, paróquias em Uchoa (1921), Mirassol (1922), Tanabi (1922), Monte Aprazível (1925), Cedral (1925, José Bonifácio (1926), Nova Granada (1926) e Potirendaba (1926). Deixou o Bispado de São Carlos em 1935 e morreu em outubro de 1937. Dom José Joaquim Gonçalves Foi o primeiro seminarista da diocese rio-pretense; pároco da Sé Catedral de São José do Rio Preto (de 1942 a 1951); eleito bispo de Vitória (ES) em agosto de 1951; bispo-auxiliar de São José do Rio Preto (1957-1968); bispo auxiliar em Curitiba; bispo de Cornélio Procópio (1973 a 1979); faleceu a 23 de junho de 1988, aos 71 anos, em São José do Rio Preto. Foi o nosso primeiro e único bispo auxiliar. Dom David Dias Pimentel Ordenado sacerdote em dezembro de 1969, em São José do Rio Preto, Dom David Dias Pimentel foi reitor do Seminário Maior da diocese. Nomeado bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte e, depois, titular da diocese de São José da Boa Vista.


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO/2012

11

FÉ E POLÍTICA EM VALENTIM GENTIL

Conscientização política em Valentim Gentil 60 jovens no Grupo de Oração DA REPORTAGEM “DH” Afastar jovens das drogas e do alcoolismo e trazê-los para a Igreja são os principais objetivos do grupo de Oração da Paróquia de São Sebastião, de Valentim Gentil. Esse trabalho começou há um ano e meio. “Iniciamos com 20 e hoje

a eleição em Valentim Gentil para esse encontro”. “Em palestra”, acrescentou o pároco, “Carlinhos Marques mostrou o que o povo espera dos políticos: de como eles devem exercer seus mandatos, sempre em benefício da população”. A rádio local transmitiu o evento e, a pedido dos moradores, retransmitiu a palestra por duas vezes. Para o palestrante Carlinhos Marques, “foi uma nova, positiva, moderna e pedagógica forma de a Igreja entrar na política”. O que inspirou o movimento de conscientização política em Valentim Gentil? Carlinhos Marques revelou que, em meados deste ano, participou de um retiro de três dias em Agudos. Lá estavam fazendo pregações o padre Paulo Ricardo; Felipe Aquino, da Canção Nova; cientista político César Saldanha, da Universidade do Rio Grande do Sul. Eram umas 300 pessoas no retiro. Conscientizamo-nos de que a Igreja precisa dessa participação; os últimos papas vêm pedindo isso. Bento XVI, antes mesmo de ser papa, dizia que os leigos precisam participar da política”, disse Carlinhos Marques. E frisou: “Resolvemos, então, fazer esse encontro em Valentim Gentil”.

Paulo de Faria

Festa da Criança no Salão Paroquial DA REPORTAGEM “DH” A Pastoral da Criança da Paróquia Senhor Bom Jesus, de Paulo de Faria, promoveu uma festinha no Dia da Criança. Foi servido um lanche, houve brincadeiras e distribuição de presentes. “Tudo foi doado pela comunidade”, disse Helena - voluntária, coordenadora

da pastoral. “Ajudamos também algumas famílias carentes; não atendemos a todas elas por não termos verbas. São distribuídas 4 cestas básicas”, revelou Helena. Em dezembro, “é nossa intenção fazer um almoço para essas famílias, mas vamos depender de doações”.

MENSAGEM DE ACOLHIDA Na qualidade de ex-bispo de São José do Rio Preto, tendo atuado nesta Diocese por mais de seis anos, agora arcebispo de Uberaba, MG, venho desejar ao meu sucessor, Dom Tomé Ferreira da Silva, as boas vindas. Que sua presença à frente desta Igreja Particular seja marcada pela força do Espírito Santo! Com isto, poder produzir muitos frutos em seu ministério episcopal. Ao povo de São José do Rio Preto, os nossos parabéns e que acolha com carinho e disponibilidade o seu novo pastor diocesano, que deve ser visto como ``aquele que vem em nome do Senhor``. Que ele seja uma graça para essa importante diocese, que poderá ser instituída arquidiocese num futuro não muito longo. Dom Tomé, os seus novos diocesanos o acolhem com muita expectativa e com o coração vibrante por ter um novo pastor. Parabéns, muita coragem e que Deus esteja presente neste novo tempo de sua vida ministerial! Que o Coração Imaculado de Maria e São José sejam seus grandes intercessores e companhia nos trabalhos. São José do Rio Preto passa agora a viver novos tempos, nova história, novos ares e, certamente, com muita fecundidade, o que se confirma com a presença do novo bispo e da confirmação do prefeito e vereadores para a nova gestão administrativa. Isso poderá fazer acontecer um novo salto de qualidade na vida da cidade. Parabéns São José do Rio Preto! Dom Paulo Mendes Peixoto Arcebispo de Uberaba/MG

Ano da Fé e Catecismo da Igreja Católica

DA REPORTAGEM “DH” Antes das eleições municipais de outubro, em Valentim Gentil, foram realizadas 15 reuniões em bairros da cidade e, no dia 28 de setembro, aconteceu um encontro no salão paroquial da Igreja São João Batista, dessa vez com a presença dos dois candidatos a prefeito e respectivos vices e de quase todos os candidatos a vereador. Na plateia, mais de 400 moradores. Quais os objetivos da reunião? 1) conscientizar o cristão da importância de participar da política; 2) os eleitores precisam escolher bem os candidatos ao Executivo e Legislativo; 3) os eleitos devem trabalhar pelo bem da coletividade. “Ser político é exercer a caridade; entendendo política como exercício da caridade, Jesus Cristo foi o maior político que existiu, pois foi o mais caridoso; deu a vida para nos salvar”, disse o palestrante Carlinhos Marques, que é empresário e presidente da comunidade Novo Sinai, que recupera dependentes químicos. Não foi um debate. O padre Francisco do Bonfim Almeida de Souza, pároco da cidade, explicou: “Diante da Cartilha da CNBB, dando orientação a respeito de como devem ser escolhidos os candidatos, convidamos todos os que disputavam

temos cerca de 60 jovens nesse grupo”, disse Luan José Gonçalves Pereira, de 19 anos. Quinta e sexta-feira são os dias de orações; na terça e quarta-feira, há ensaios de música. Dia 28 de outubro, cerca de 400 jovens participaram de encontro no salão paroquial. Houve apresentação de banda e momentos de oração. Em dezembro, está programada viagem à Cachoeira Paulista, sede da Canção Nova. “Temos participado de eventos, como o Beraká e retiro no Colégio Santo André, em São José do Rio Preto, e de encontro de jovens na Paróquia Santa Luzia, em Votuporanga”, disse Luan.


12

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO/2012

Riolândia

Paróquia de Santo Antônio reforça evangelização e assistência VILA TONINHO

Paróquia Santa Edwiges realiza 25ª festa da padroeira DA REPORTAGEM “DH” Entre 3 e 4 mil pessoas participaram da novena, iniciada dia 7 e encerrada dia 16 de outubro, na Paróquia Santa Edwiges, Vila Toninho. Cada noite, um padre da diocese presidiu as celebrações que contou, no dia 16, com mais de 1.200 devotos das cidades da região e Rio Preto. Após a última missa, procissão e queima de fogos. Também, segundo o pároco Marcos Vinícius Cavallini, houve quermesse e o sorteio de moto 0 km. No dia 16 de novembro, as relíquias de Santa Edwiges virão de São Paulo para a Paróquia da Vila Toninho. No dia 16 de cada mês, são celebradas 4 missas: às 8, 15, 18 e 20 horas. O projeto Arte de Cuidar, do Serviço Social da Redentora, atuará

Paróquia Santo Antonio de Pádua.

DA REPORTAGEM DO “DH” A Paróquia Santo Antônio, de Riolândia, está incrementando ações evangelizadoras e assistenciais, pagou dívidas, adquiriu equipamentos de som, realizou obras na Casa Paroquial e numa das capelas. Também trabalha para fortalecer ainda mais as pastorais e outros movimentos. Para esse projeto, está revigorando a pastoral do Dízimo, as equipes de Batismo, da Eucaristia e da Catequese. O pároco é o padre Rafael Henrique dos Santos. OBRAS – Há duas capelas no município, uma delas – a Nossa Senhora Aparecida – foi restaurada. A Casa Paroquial recebeu nova pintura, e o carro da paróquia já saiu da oficina. Foram comprados um violão novo, microfones, caixas de som, missal e outros objetos para a Paróquia. “Pagamos nossas dívidas; agora, vamos fazer reparos na Igreja”, disse o pároco. PREDILETOS – Em Riolândia, há muitas famílias que vieram de outros estados para prestar serviços na cultura da cana. “Muitas vezes, elas chegam apenas com a roupa do corpo. Então, entra o trabalho assistencial e religioso dos Prediletos de Santo Antônio”, revelou o pároco. Toda quarta-feira, de manhã, há reunião de famílias. É servido lanche. O pão é fornecido pela Prefeitura; o açougue faz doação de carne e outros alimentos vêm de quitandas. JUVENTUDE – A Pastoral da Juventude promove, aos sábados, às 19 horas, na Casa de Nazaré, o encontro de Jovens com muita música, dança e teatro. Uma vez por mês, num domingo, é celebrada missa especialmente para eles. Durante dois dias da semana (5ª e 6ª feira), no horário do almoço, de 3 a 5 jovens comandam um programa na rádio comunitária. É uma programação variada: música, orações e informações de interesse da comunidade.

Padre Rafael mostra à nossa reportagem a foto do 1ª padre de Riolândia.

Há possibilidade de um ou dois jovens de Riolândia participar da Jornada Mundial da Juventude, que será realizada no ano que vem, no Rio de Janeiro. Wilton Oliveira Nogueira, de 19 anos, revela que a Pastoral da Juventude – hoje formada por cerca de 30 jovens – desenvolve várias ações, mas o principal trabalho é a evangelização. “Realizamos, em setembro, uma caminhada; em outubro, a segunda caminhada; em novembro, provavelmente dia 28, faremos a terceira caminhada festiva e espiritual”, disse Wilton. Curso de Espanhol também é oferecido aos jovens. DH INSPIRA PALESTRA Virgínia de Fátima Longhi, mãe do padre RafaelHenrique dos Santos, mora em Macaubal, trabalha numa escola municipal há 21 anos e é catequista. Diz ser leitora assídua do Diocese Hoje: “Suas reportagens têm até me ajudado nos trabalhos de catequese”. Citou exemplo recente: “Numa reunião com catequistas, no início de outubro, estava procurando um assunto para a minha aula. Folhei o jornal e inspirei-me na reportagem sobre N.Sra. Aparecida e proferi a palestra”, disse Virgínia.

na paróquia Santa Edwiges até 20 de novembro, oferecendo cursos de: arrumação de mesa para o café, almoço e jantar; decoração; como cuidar de criança, com a presença de médico, assistente e outros profissionais (as terças-feiras - das 14 às 17 horas). Pastoral da Criança atende mais de 200 crianças, visitando famílias, distribuindo multimistura e pesando as crianças para diminuir a mortalidade infantil. Em conjunto com os Vicentinos e a Cáritas, mensalmente, são distribuídas cestas básicas às famílias necessitadas. “A prefeitura dá 30 cestas; a paróquia, mais 70”, disse o pároco Marcos Cavallini. No dia 23 de dezembro, haverá um almoço para as famílias assistidas pela paróquia.

São Judas abre inscrições para novos educandos Inscrições deverão ser feitas por pais e/ou responsáveis pelos candidatos às vagas, de 12 a 30 de novembro de 2012, das 7h30 às 10h30 e das 13 às 16 horas. Local: Serviço Social São Judas Tadeu, à Rua José Bonifácio, 1598 - Jardim Roseiral, São José do Rio Preto Informações pelo fone (17) 3215.9200 OUTRAS INFORMAÇÕES Silvia Regina Nossa Bergamasco Coordenadora de Cursos - Serviço Social São Judas Tadeu Fone: (17) 3215-9200 Rosana Imbá / Caroline Braguini Diniz Assistentes Sociais - Serviço Social São Judas Tadeu Fone: (17) 3215-9200 (a partir das 8 horas) E outros detalhes no site: e através do site da Diocese http://www.bispado.org.br/

Mensagem do Arcebispo do Rio de Janeiro Dom Orani para Dom Tomé F. da Silva Caríssimo D. Tomé Ferreira da Silva, Bispo Eleito de São José do Rio Preto. Acabo de ser informado sobre sua nomeação e apresso-me a enviar-lhe meus cumprimentos. Unido ao prezado Irmão no mesmo ideal de serviço à Igreja e ao povo de Deus, asseguro-lhe minhas preces pela nova missão que lhe foi confiada, junto a esse rebanho pelo qual guardo especial estima. Fraternalmente em Cristo, D. Orani João Tempesta, O. Cist. Arcebispo Metropolitano do Rio de Janeiro


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO/2012

13

JOSÉ BONIFÁCIO - FÉ E POLÍTICA

Padre Edmilson, eleito prefeito para realizar o bem comum RIO PRETO: LITURGIA

Pe. Hernaldo ministra curso de Liturgia

governo sem criticar os três adversários. Obteve 7.200 votos (35,8%) FÉ E POLÍTICA Ele destaca a pastoral Fé e Política, que “é um importante e valioso instrumento para a conscientização política. É triste, mas a gente ouve que o cristão não deve se envolver em política. É pensamento de certo modo perigoso, porque a política é um instrumento que a sociedade tem para realizar o bem comum. Como você vai desprezar um instrumento tão importante como a ação política para fazer o bem comum? Precisamos de pessoas voltadas para o coletivo e não para o particular”. NOVO BISPO Padre Edmilson comentou a escolha de Dom Tomé para a Diocese de São José do Rio Preto: “Fiquei contente. Ele é um homem muito sábio, muito simples e um grande líder. É pessoa de pensamentos claros e de decisão. Dom Tomé vai ser uma bênção para a diocese, para os padres, para o povo de Deus. Desejo para ele saúde, paz e que o ministério dele seja muito abençoado!”.

Fez histórico do Concílio Vaticano II – começou em 1962 e terminou em 1965; falou do primeiro documento promulgado (4 de dezembro de 1963), que é sobre Eucaristia. “Quando uma diocese promove um curso como esse, é importante que as pessoas procurem participar dele, porque estarão aprofundando a própria fé; é curso que reforça a equipe diocesana de liturgia”. Padre Hernaldo Ferreira é presbítero há 20 anos e atua no setor Pastoral Litúrgico da CNBB há dois anos e meio.

O Ano da Fé: “Senhor, aumenta a nossa fé!” (Lc 17,5)

DA REPORTAGEM “DH” O padre Edmilson Pereira Alves, pároco da Paróquia Sagrada Família de Santos Reis, de José Bonifácio, foi eleito prefeito pelo PT e sintetiza numa frase o que pretende fazer: realizar o bem comum, desenvolvendo ações para ajudar e beneficiar o coletivo (toda a população de José Bonifácio). Ordenado em 5 de janeiro de 2003 por Dom Orani Tempesta, 40 dias depois, assumiu a recém-criada Paróquia Sagrada Família. Permaneceu nessa função até meados deste ano para se dedicar à campanha. “Eu gosto de lidar com gente”, explicou o padre Edmilson, que se filiou ao PT para concorrer à Prefeitura. “No início”, revelou, “havia pessoas que não concordavam com minha decisão, mas muitas outras me apoiavam. Não consegui adesão de outros partidos para formar uma coligação. O PT disputou sozinho a eleição em José Bonifácio”, acrescentou o sacerdote. Durante a campanha, falou do seu plano de

DA REPORTAGEM “DH” Curso sobre Liturgia foi ministrado pelo padre Hernaldo Pinto Ferreira para cerca de 60 agentes da pastoral litúrgica da nossa diocese nos dias 10, 11 e 12 de outubro na Paróquia Nossa Senhora do Carmo, em Rio Preto. “Quanto mais estudamos a liturgia, nós a vivemos de forma mais profunda”, disse o palestrante que é religioso sacramentino e assessor da Comissão Episcopal para Liturgia. “Uma das minhas funções é animar a vida litúrgica nas 17 regionais da CNBB e nas dioceses”, explicou.


14

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO/2012

Em São José dos Campos, 10 mil no “Bote Fé na Vida”

DA REPORTAGEM “DH” Dom Moacyr Silva, Bispo de São José dos Campos, e 1º secretário da CNBB-Regional Sul-1, disse que, em sua região diocesana, há muita animação dos jovens neste Ano da Fé.

“Tivemos, em outubro, a reunião Bote Fé na Vida, com a presença de 10 mil pessoas”. Estima-se que um grande número de jovens participará da Jornada Mundial da Juventude, em 2013. Avaliando os trabalhos da

Assembleia, em Itaici, declarou: “Está atingindo seus objetivos com essa reflexão sobre a fé, como transmitir a fé; e, também, nos debruçamos sobre a realidade da juventude, a necessidade de transmitir a fé às novas gerações”.

Bispo Emérito de Amparo

Ações de missionariedade DA REPORTAGEM “DH” O bispo emérito de Amparo, Dom Francisco José Zugliani, e a coordenadora do setor da Saúde do Sul-1 disseram que as dioceses no Estado de São Paulo desenvolvem “trabalhos muito bons”, e são essas ações “que procuramos passar para agentes pastorais de todas as regiões para que eles levem para suas dioceses esse ideal maravilhoso de missionariedade”. Fazendo avaliação da Assembleia, em Itaici, Dom Francisco José Zugliani declarou: “Foi muito importante essa reunião, realizada num clima de muita fé. Na luz da fé, nós trabalhamos para levar a luz eterna a todos, principalmente aos que estão

acamados”. Em mensagem a todos da Pastoral da Saúde, disse: “Nós recebemos e

Dom Tomé, homem de fé Dom Fernando Antonio Figueiredo, bispo responsável da região de Santo Amaro, onde atua o padre Marcelo Rossi, dirigiu mensagem aos leitores do jornal Diocese Hoje e a todos os fiéis da diocese de São José do Rio Preto: “Que vocês sejam iluminados neste Ano da Fé; que seja um ano de adesão pessoal a Jesus”. DOM TOMÉ – “O novo bispo de São José do Rio Preto é um homem de fé. Eu o conheço muito bem; ele, com sua jovialidade, com seu espírito fraterno, vai cativar pela fé todos os diocesanos”, disse dom Fernando. NATAL – Eis a mensagem de Natal de Dom Fernando Figueiredo: “Que o nascimento de Jesus Cristo não seja só festa; seja um sinal e uma presença Daquele que nasceu tão simples, tão singelo naquela manjedoura; e nós, também pela simplicidade, possamos testemunhar um Feliz e Abençoado Natal em Jesus Cristo no Ano da Fé”.

nos abastecemos da Luz de Deus e transmitimos essa Luz para aqueles que estão precisando Dela”.

Um ano sem Dom José de Aquino

DA REPORTAGEM “DH” A 17 de novembro de 2011, portanto, há um ano, falecia Dom José de Aquino Pereira, que dirigiu a nossa diocese de 4 de agosto de 1968 a 26 de fevereiro de 1997. Seu corpo foi sepultado na cripta da Sé Catedral. Dom José, nosso segundo bispo, foi um notável evangelizador, hábil administrador e competente empreendedor. Ele criou 41 paróquias, recuperou o Seminário Menor e instalou o Seminário Maior. Ordenou mais de 40 padres. Saldou dívidas da diocese (a crise financeira era profunda); adquiriu áreas para construção de igrejas, além de propriedades rurais; organizou o Plano Pastoral Diocesano de acordo com o Concílio Vaticano II; criou seis vigarias forâneas. Nascido no distrito de Vila Real (Portugal), em 22 de abril de 1920, Dom José veio para o Brasil em 1938. Ordenou-se padre a 3 de dezembro de 1944, em cerimônia realizada na antiga Catedral de São Carlos. A 23 de janeiro de 1958, foi nomeado primeiro bispo da diocese de Dourados (MT). Tinha 38 anos de idade, era um dos mais jovens bispos do País. Estruturou a diocese, construiu a Catedral e instalou o Seminário em Dourados. Em 1960, o papa João XXIII nomeou-o primeiro bispo de Presidente Prudente. Nesta diocese, permaneceu oito anos. Em agosto de 1968, assumiu a nossa diocese. Em 1995, pediu renúncia por ter completado 75 anos de idade. A 26 de fevereiro de 1997, transmitiu funções de bispo ao sucessor Dom Orani Tempesta. Dom José de Aquino Pereira foi, então, eleito bispo emérito. Celebrações estão previstas para lembrar o primeiro ano da sua morte.


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO/2012

15

Padre Nelson Roselli

Ações sociais da Igreja precisam ser mostradas DA REPORTAGEM “DH” Natural de São José do Rio Preto, o padre Nelson Roselli Filho, além de secretário adjunto da CNBB Sul-1, exerce outras importantes funções – membro do Colégio de Consultores, membro dos Presbíteros, atua na diocese de Santo André e sua paróquia é a Imaculada Conceição. Os trabalhos de organização da Assembleia das Igrejas são iniciados em agosto, mas o tema é escolhido, em junho, na assembleia regional dos bispos. “Uma igreja viva tem muitas ações, principalmente no campo social. E temos que dar visibilidade às ações sociais da Igreja. Nesta Assembleia, em Itaici, foram muito bonitas essas ações voltadas para a juventude”, disse o sacerdote. Seu sonho sempre foi ser padre. Em entrevista ao DH, lembrou os anos em que os jovens tinham que ir para a cidade grande para estudar e trabalhar. “Não tínhamos as faculdades e universidades que temos hoje, no interior; lembro-me que, antes do Concílio, era celebrada somente uma missa aos domingos, em Latim. As pessoas perguntavam – quando crescer, o que vai ser? Eu dizia: Padre. Essa semente eu plantei no meu coração e nunca a deixei morrer”.

Dom Edmilson Amador Caetano, Bispo de Barretos

Evangelização de jovens

DA REPORTAGEM “DH” Dom Júlio Endi Akamine, bispo auxiliar de São Paulo e vigário episcopal da região Lapa, participou da Assembleia, em Itaici, expondo o tema fundamentos da fé católica, de muita repercussão pela profundidade de sua palestra. Revelou que vai participar da posse de Dom Tomé. “É a primeira vez que vou a Rio Preto e, desde já, rezo por ele, pela diocese, pelos seus agentes de pastoral e por todas as forças vivas. Que todos possam crescer neste Ano da Fé, na vivência e no testemunho da fé”! Ordenado bispo no ano passado, Dom Júlio Akamine disse que conhece Dom Tomé. “Depois que me tornei bispo, tivemos uma convivência maior. Tenho certeza de que a diocese de Rio Preto vai ganhar muito com Dom Tomé”.

DA REPORTAGEM “DH” Dom Edmilson Amador Caetano, Bispo de Barretos, disse que a Assembleia das Igrejas, este ano, foi um momento de comunhão, de troca de experiências, e “dois temas atualíssimos foram levantados – o Ano da Fé e o da Juventude”. E frisou: “A própria presença dos jovens na Assembleia mostra o interesse deles em participar de reuniões, congressos. No ano que vem, vamos ter a Jornada Mundial da Juventude; nós, como pastores da Igreja, temos de trabalhar para a evangelização dessa juventude”. NOMEAÇÃO DE DOM TOMÉ Há quatro anos na diocese de Barretos, Dom Edmilson diz que Dom Paulo Mendes Peixoto foi “bispo referencial da Catequese; foi presidente do

Padre Nelson Roselli, em mensagem a Dom Tomé, diz:

“ O bispo, como pastor, precisa de muita oração, muita luz e sabedoria para conduzir uma diocese. E de muito apoio dos seus padres e diocesanos. Acredito que ele fará um ótimo trabalho.

nosso sub-regional, acolheu meus seminaristas; ele (Dom Paulo) fez trabalho de pastor, de evangelizador”. Dom Paulo foi transferido (para a Arquidiocese de Uberaba) e vai ser substituído por Dom Tomé Ferreira da Silva. “Conheço Dom Tomé de reuniões de bispos. Ele é um homem muito sério no sentido da evangelização, de buscar o trabalho pastoral. É em nome do Senhor que ele vem para ser pastor de uma importante diocese”. CURSO DE TEOLOGIA Dom Edmilson, há mais de 10 anos, vem ministrando curso de Teologia. Atende as dioceses de Jales, Catanduva, Barretos e São José do Rio Preto. “Continuamos esse trabalho; estamos na mesma Província Eclesiástica”, explicou. ARQUIDIOCESE A criação da Arquidiocese, sediada em São José do Rio Preto, já foi encaminhada à Santa Sé. “A nova Província Eclesiástica tem a nossa concordância, mas agora é outra realidade com a vinda de Dom Tomé”, disse Dom Edmilson. E prosseguiu: “Que ele seja bem-vindo na nossa Província e possamos caminhar em comunhão. Que Deus o abençoe e o ilumine nas decisões que ele tem que tomar; e nos desafios da evangelização que ele tiver que enfrentar”!

Ações destacadas durante o Ano da Fé:

Diocese vai ganhar muito com D. Tomé

A nomeação de Dom Tomé Ferreira da Silva para a diocese de São José do Rio Preto foi comentada por Dom Airton:

“Nós, bispos do Sul-1, ficamos muito contentes com a escolha de Dom Tomé para substituir Dom Paulo (hoje, arcebispo de Uberaba-MG). Desejamos-lhe muita boa sorte; que ele seja muito bem acolhido! Acho que Dom Tomé foi um bom presente para Rio Preto. Ele é bem preparado, muito experiente. Foi bispo auxiliar de São Paulo e vigário geral da Arquidiocese de São Paulo.

Bispo Akamine:


16

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO/2012

Celebração de Conclusão do Sínodo L´OSSERVATORE ROMANO A celebração eucarística de encerramento da 13ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos foi presidida por sua Santidade Bento XVI em 28 de outubro, na Basílica de São Pedro. Em sua homilia, o Papa se deteve sobre a cura do cego Bartimeu que ocupa uma posição significativa na estrutura do Evangelho de Marcos, itinerário de fé, que se desenvolve gradualmente na escola de Jesus. Segundo o Pontífice, a condição de cegueira tem um significado denso nos Evangelhos. Representa o homem que tem necessidade da luz de Deus, a luz da fé, para conhecer, verdadeiramente, a realidade e caminhar pela estrada da vida.” Bartimeu não é cego de nascença, mas perdeu a vista: é o homen que perdeu a luz e está ciente disso, mas não perdeu a esperança. Nessa perspectiva, Bartimeu poderia representar aqueles que vivem em regiões de antiga evangelização, onde a luz da fé se debilitou e se afastaram de Deus. São pessoas que perderam

orientação segura e firme da vida e tornaram-se, muitas vezes inconcientemente, mendigos no sentido da existência. O Papa, ainda, declarou que “são muitas as pessoas que precisam de uma nova evangelização, isto é, de um novo encontro com Jesus que pode

voltar a abrir os seus olhos e ensinar – lhes a estrada a percorrer. Bento XVI sublinhou três linhas pastorais emergidas do Sínodo: 1ª ) Diz respeito aos sacramentos da iniciação cristã. É necessário acompanhar, com uma catequese adequada, a preparação para o Batismo, a Confirmação e a Eucaristia; 2ª ) A nova evangelização está ligada à missão dos agentes pastorais. A Igreja tem o dever de evangelizar, de anunciar a mensagem da salvação aos homens que ainda não conhecem Jesus; 3ª ) Diz respeito às pessoas batizadas, porém não vivem as exigências do Batismo. Dedicar-lhes uma atenção especial para que encontrem, de novo, Jesus . Redescubram a alegria da fé e voltem à pratica religiosa na comunidade dos fiéis. Voltando à figura do cego Bartimeu, curado por Jesus, o Papa concluiu a homilia dezendo: “Assim são os novos evangelizadores: pessoas que fizeram a experiência de ser curadas por Deus, através de Jesus Cristo”.

Vigília de jovens em José Bonifácio DA REPORTAGEM “DH” Jovens da região de José Bonifácio estarão em vigília, em dezembro, para rezarem, adorarem Jesus e também conversarão sobre a Semana Missionária, que acontecerá de 17 a 20 de julho de 2013 na diocese, e sobre a 13ª Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que será realizada entre 23 e 28 de julho, no Rio de Janeiro, com a presença do Papa Bento XVI. A data e o local da vigília serão definidos depois da posse do novo bispo, Dom Tomé Ferreira da Silva. “Procurem seu pároco, comecem a se preparar. É uma oportunidade única que teremos, no Brasil, de acolher o papa e jovens estrangeiros na JMJ”, disse o seminarista e coordenador do setor Juventude na região pastoral de José Bonifácio, Tiago Henrique da Silva. CONGRESSO – De 28 a 30 de setembro, Tiago participou de um congresso missionário do setor Juventude, em Brasília, representando a diocese de Rio Preto. “Lá, tivemos a presença de Dom Eduardo Pinheiro, responsável pelo setor Juventude da CNBB; do padre Silvio, que está engajado com a JMJ, e outros palestrantes. Discutimos, nesse congresso, questões da Semana Missionária e da Jornada Mundial da Juventude. Dom Eduardo Pinheiro, no encerramento do congresso, disse aos jovens que desejam ser missionários: “primeiro, levam a paz e anunciem Cristo”, revelou o seminarista Tiago. Decidiu-se que, após a Jornada Mundial da Juventude, jovens farão uma missão na Amazônia. VOCAÇÃO – O seminarista Tiago Henrique da Silva, de 23 anos, faz o 3º ano de Teologia.

“Sempre fui de caminhada cristã, de Igreja; desde criança eu já participava das Missas e era coroinha e sempre falava que iria ser padre, fui secretário paroquial da Igreja de São José por 3 anos e depois ingressei no seminário do Instituto Missionário Coração Imaculado de Maria. Fiz minha primeira Profissão Religiosa no dia 14 de fevereiro de 2010, onde proferi os votos de Pobreza, Castidade e Obediência, incluindo no último o voto Missionário”, disse Tiago Henrique da Silva. COM O PAPA A região de José Bonifácio compreende as

cidades de José Bonifácio, Adolfo, Mendonça, Planalto, Zacarias e Ubarana. Há cerca de 150 jovens que se preparam para participar da Jornada Mundial da Juventude, em julho de 2013. Natany, do setor Juventude da região bonifaciana, trabalha na coordenação dessa viagem. Ela é formada em administração de empresas. Esses jovens, na maioria, são estudantes e não dispõem de recursos para a viagem e permanência no Rio de Janeiro. Então, acontecerá uma cavalgada, e a renda será revertida para a viagem deles. Também um grupo de dança se prepara para fazer apresentação na JMJ.

Saudação ao novo bispo de São José do Rio Preto A Nunciatura Apostólica no Brasil comunicou a nomeação, pelo Santo Padre papa Bento XVI, de Dom Tomé Ferreira da Silva para a vacante diocese de São José do Rio Preto (SP), transferindo-o da sede titular de "Giufi" e do ofício de bispo auxiliar em São Paulo (SP). Nomeado bispo em 2005, Dom Tomé tem percorrido um marcante itinerário episcopal de serviço na Igreja como Vigário episcopal da região Ipiranga e como bispo referencial para o diálogo religioso e o ecumenismo do regional Sul 1 da CNBB. Na arquidiocese de São Paulo, também prestou serviço dedicado como assessor dos Movimentos e Associações Leigas, animou a catequese e, junto aos seminários, realizou trabalho especial com acento à Pastoral Vocacional. O lema escolhido por Dom Tomé para seu ministério como bispo traz a expressão da marca do seu caminho: Santidade na verdade e caridade. Desejamos que essa inspiração continue a sustentar os passos na entrega de vida desse nosso Irmão e leve para as comunidades de São José do Rio Preto todas as bênçãos de seu ministério. Agradecemos a arquidiocese de São Paulo pela fraterna acolhida e pelo acompanhamento do trabalho de Dom Tomé e nos unimos a todas as comunidades da diocese de São José do Rio Preto que recebe, com alegria, o novo bispo. Dom Leonardo Steiner Bispo auxiliar de Brasília Secretário Geral da CNBB


DIOCESE HOJE - NOVEMBRO 2012