Page 1

VISEU RURAL

2.0

EXPOSIÇÃO C O L E T I VA COLLECTIVE EXHIBITION

Casa das Memórias

Luís Costa David Prior Frances Crow Antye Greie Sérgio Bonilha Luciana Ohira Jason Kahn Rui Costa Maile Colbert


Viseu Rural 2.0 Documentar e [Re]expressar o Património Rural Exposição Coletiva

Diretor artístico Luís Costa Equipa de recolhas audiovisuais Luís Costa, Manuela Barile, Susana Rocha, Nely Ferreira Edição audiovisual Luís Costa, Manuela Barile, Nely Ferreira Transcrição de entrevistas Susana Rocha Equipa artística Luís Costa, David Prior, Frances Crow, Antye Greie Sérgio Bonilha, Luciana Ohira, Jason Kahn Rui Costa e Maile Colbert Desenho gráfico Luís Costa Fotografia da capa José Alfredo Organização Binaural/Nodar e Município de Viseu Financiamento Município de Viseu, Governo de Portugal - Direção Geral das Artes Programa Europa Criativa da Comissão Europeia

Viseu Rural 2.0 Documenting and [Re]expressing Rural Heritage Collective Exhibition Artistic director Luís Costa Audiovisual research team Luís Costa, Manuela Barile, Susana Rocha, Nely Ferreira Audiovisual editing Luís Costa, Manuela Barile, Nely Ferreira Interview transcriptions Susana Rocha Artistic team Luís Costa, David Prior, Frances Crow, Antye Greie Sérgio Bonilha, Luciana Ohira, Jason Kahn Rui Costa and Maile Colbert Graphic design Luís Costa Cover photo José Alfredo Organization Binaural/Nodar and Municipality of Viseu Funding Municipality of Viseu, Government of Portugal - General Directorate for the Arts Creative Europe Programme of the European Commission


VISEU RURAL 2.0 Exposição Coletiva Collective Exhibition Casa das Memórias, Viseu 28 Novembro 2015 - 17 Abril 2016 28 November 2015 - 17 April 2016


Viseu Rural 2.0 é um projeto integrado de documentação patrimonial, de criação artística sonora e media e de difusão cultural, cuja primeira edição decorreu em 2015 nas freguesias rurais do concelho de Viseu. O projeto está integrado na rede europeia Tramontana de arquivos da memória de zonas rurais, da qual a Binaural/Nodar é presentemente chefe-de-fila e o Município de Viseu é parceiro associado. Viseu Rural 2.0 partiu da necessidade de se conferir expressão e densidade a todo um arco rural que envolve a cidade de Viseu e cuja memória e estrutura fazem também parte da história da própria cidade. De alguma forma, a vitalidade recente da cidade de Viseu tem aprofundado a dimensão urbana, inovadora e de futuro do concelho, sendo que é útil o estabelecimento de contrapesos culturais que ponham em evidência a matriz rural do território, assim como os respetivos processos de transformação recente. Viseu Rural 2.0 envolveu trabalho de recolha audiovisual nas várias aldeias rurais do concelho o qual abrangeu um vasto conjunto de temáticas como a morfologia da paisagem, os ciclos agrícolas, os métodos de cultivo, a dimensão sacra do património construído e natural, o comércio, a transformação social e política, etc. O material recolhido foi posteriormente cedido a diversos artistas convidados oriundos de diversos países da Europa e América, os quais desenvolveram uma série de criações contemporâneas nas áreas da arte sonora e criação multimédia, cujo resultado final foi apresentado numa exposição retrospetiva na Casa das Memórias.

Viseu Rural 2.0 is an integrated project of heritage documentation, sound / media creation and cultural diffusion, which first edition took place in 2015 in the rural areas of the municipality of Viseu. The project is part of the Tramontana European network of memory archives from rural areas, of which Binaural/Nodar is currently main partner and the municipality of Viseu is associated partner. Viseu Rural 2.0 was conceived from a clear assumption: the need to give expression and density to a rural arc involving the city of Viseu and which memory and structure are also part of the history of the city itself. Somehow, the recent vitality of the city of Viseu has deepened its urban, innovative and future-oriented dimensions, so it is useful to establish cultural counterpoints to put also in evidence the rural origin of the territory, as well as its recent transformation processes. Viseu Rural 2.0 involved ethnographic audiovisual collections in many of its rural villages which covered a wide range of subjects such as landscape morphology, agricultural cycles, cultivation methods, the sacred dimension of the built and natural heritage, the role of commerce, social and political change, etc. The collected material was later given to various European and American guest artists, who developed a series of contemporary art pieces in the fields of sound / media arts, which end result was reflected in a retrospective exhibition at Casa das Memórias.


Luís Costa

Aqueles Ainda não Nascidos [2015] Instalação audiovisual Audiovisual installation Luís Gomes da Costa (1968). Presidente da Binaural/Nodar. Curador, programador, arquivador e artista sonoro/vídeo. Desde 2006 é o coordenador de Nodar Rural Art Lab, um conceito de pesquisa em artes media em contexto rural, onde mais de 150 artistas e pesquisadores foram já acolhidos. Coordena o Arquivo Ruralmedia, um projeto multimédia de pesquisa, catalogação e mapeamento da memória coletiva de territórios rurais. Dirigiu o documentário experimental “Onde nasce o meu Paiva?” estreou em 2011 durante o Festival Paivascapes # 1. Em 2011, co-editou o CD catálogo e duplo “Três Anos em Nodar - Práticas Artísticas em Contexto Específico no Portugal Rural” e um 2014 publicou o livro + CD “São Pedro do Sul: Novas Escutas Rurais” e em 2015 realizou o projeto de larga escala “Memória Sonora da Cortiça”, junto com trabalhadores e empresários do setor da cortiça.

Luís Gomes da Costa (n.1968). President of Binaural/Nodar. Curator, programmer, sound/video archiver and artist. Since 2006, he is the coordinator of Nodar Rural Art Lab, a space for media arts research in rural context, where over 150 artists and researchers were already hosted. He coordinates the Ruralmedia archive, a multimedia research, cataloging and mapping project of the collective memory of rural territories. He directed the sound/video experimental documentary “Where is the Source of my Paiva?” premiered in 2011 during Paivascapes #1 Festival. In 2011 he co-edited the catalogue and double CD “ThreeYears in Nodar - Context -Specific Artistic Practices in Rural Portugal”, in 2014 he published the book+CD “São Pedro do Sul: New Rural Listenings” and in 2015 he developed the large scale project “Sound Memory of Cork”, together with workers and entrepreneurs from the cork industry.

Em mais um dia de agitado sobre-presente, no qual se vive e difunde uma ilusão otimista de tempo suspenso e imortal, virei por acaso a face com um leve movimento oblíquo. Numa noite fria e húmida ouvi, vindo de outro tempo, um suspiro de quem nasceu numa casa velha de suor e terra e teve como parteira uma velha senhora de nome desusado que bem podia ser Felismina, Benedita ou Vitalina. Gente feliz, bendita e vital que desta terra irá em breve partir. Agarremos por instantes a sua respiração e guardemo-la como legado para aqueles, igualmente benditos, ainda não nascidos. On another day of hectic over-present, in which an optimistic illusion of suspended and immortal time is lived and spread, I by chance turned my head with a slight oblique movement. On a cold and wet night I heard, coming from another time, a sigh of someone who was born in an old house made of sweat and earth and had as midwife an old lady carrying an unusual name that could well be Felismina, Benedita or Vitalina. Happy, blessed and vital people who will soon leave this land. Let us grasp their breath for a moment and let us keep it as a legacy for those, also blessed, not yet born.


Os sinos têm um estatuto único entre os objetos sonoros construídos pelo homem. Não só são uma das nossas primeiras classes de instrumentos, como o seu uso e influência atravessa quase todas as culturas e, em muitas deles, o sino continua a ser um ícone sonoro duradouro e significativo, tanto na vida religiosa como cívica de hoje. “To Intercession” é parte de uma série de trabalhos em que Frances Crow e David Prior têm explorado diferentes aspectos relacionados com os sinos e sua relação com a cultura. Aqui, eles concentram-se sobre os sinos no duplo papel que desempenham na definição de território e na intercessão entre os seres humanos e Deus. Tal como orações são inscritas no metal dos sinos, sendo lançadas para o céu quando estes são tocados, também os sinos foram entendidos desde a igreja primitiva para representar a voz de Deus. Em “To Intercession” as vozes das mulheres entrevistadas pela Binaural/Nodar na Paróquia de Calde (concelho de Viseu) transmutam-se em tons de sino, os quais são reproduzidos através de quatro pequenas colunas montadas em barras de latão - minúsculos transdutores, mediando um tipo de energia noutro.

Liminar é uma parceria entre a arquiteta Frances Crow e artista sonoro e compositor David Prior. Começaram a trabalhar juntos em 1996 e formalizaram a sua parceria de trabalho em 2003. O seu trabalho centra-se na exploração da relação entre som, escuta e meio ambiente. Começando com uma residência com Binaural / Nodar em 2013, os artistas realizaram uma série de trabalhos que exploraram diferentes aspectos dos sinos e da sua relação com a cultura. Em “Desta Paróquia”

Liminal [David Prior & Frances Crow] To Intercession [2015] Instalação audiovisual Audiovisual installation Bells have a unique status among human-made sounding objects. Not only are they one of our earliest classes of instrument but their use and influence crosses almost all cultures and in many, the bell remains a significant, enduring sonic icon in both religious and civic life today. “To Intercession” is part of a series of works in which liminal have explored different aspects of bells and their relationship to culture. Here, they focus on the dual role bells have played in defining territory and interceding between humans and God. Just as prayers are often inscribed into the metal of bells, casting them to heaven when played, so too were bells understood by the early church to represent the voice of God. In “To Intercession” the voices of the women interviewed by Binaural/ Nodar are transmuted into bell tones, which are then played through four tiny speakers mounted on brass rods – tiny transducers, mediating one kind of energy into another. - uma instalação e uma curta metragem - centraram a sua atenção no papel que os sinos desempenham na formação do território e na noção de paróquia como zona de protecção e de jurisdição definida pelo som. Em “Report” e “289ms Away” centraram-se no papel dos sinos para a nossa percepção do tempo. Mais recentemente, com a sua peça “Transient Parish”, criaram uma torre de sino temporária, criando uma paróquia para o período de apenas um dia.

Liminal is a partnership between architect Frances Crow and sound artist and composer David Prior.They began working together in 1996, and formalised our working partnership in 2003.Their work focuses on exploring the relationship between sound, listening and the environment. Starting with a residency with Binaural/Nodar in 2013, liminal have made a series of works that have explored different aspects of bells and their relationship to culture. In Of This Parish –which was both an installation and a short film– they focussed their attention on the role bells have played in the formation of territory and the notion of a parish as a zone of protection and jurisdiction defined by sound. In Report and 289ms Away they focussed on the role bells have played in our perception of time. Most recently, in their piece Transient Parish, they created a temporary bell tower, creating a Parish for the period of just one day.


Antye Greie (AGF) Vocal Landscapes [2015] Instalação sonora estéreo Stereo sound installation Antye Greie, ou AGF ou poemproducer é uma vocalista, instrumentista, compositora, produtora e artista de novos mídias. Nasceu e cresceu na Alemanha Oriental e desenvolveu um interesse precoce pela música, poesia e filosofia.Tem vindo a explorar a voz e a palavra falada combinadas com a música eletrónica, bem como tem trabalhado em instalações sonoras, canções pop, caligrafia e no seu sítio web. Antye Greie trabalha ainda com imagem em movimento, visualização de áudio e processamento de vídeo em tempo real. Em 2009, como parte do coletivo The Lappetites encenou a ópera multimédia “Fathers” no Haus der Kulturen derWelt em Berlim. Em 2011 iniciou a organização artística Hai Art na ilha finlandesa de Hailuoto, no âmbito da qual atua desde então como curadora e produtora executiva.

Antye Greie aka AGF or poemproducer is a vocalist, musician, composer, producer, and new media artist. She was born and raised in East Germany and developed an early interest for music and poetry and philosophy. She has been exploring speech and spoken word combined with electronic music, as well as working on sound installations, pop songs, calligraphy and her website. Antye Greie works with moving image, audio visualization and real time video processing. In 2009 as part of the collective The Lappetites she staged the multimedia opera ‘Fathers’ in Berlin Haus der Kulturen derWelt. In 2011 she initiated the arts organization Hai Art on the island of Hailuoto and acts as curator and executive producer since then.

Binaural/Nodar. filosofia artística compatível com todas as outras monstruosidades, técnicas e ferramentas e com agenciamentos in-humanos, subtis mas não esquecidos. Realidades questionadas: corpo, corpo, corpos de paisagens. Binaural Nodar artistic philosophy compatible with all of the other monstrosities techniques and tools and the non-human agentia subtle but not forgotten realities questioned: body body bodies of land - scapes


Sérgio Bonilha & Luciana Ohira Dos Ramos e Dores [2015]

Madeira, plástico, vídeo e componentes eletrónicos Wood, plastic, video and electronics

“Luciana Ohira (1983) e Sergio Bonilha (1976) são artistas multi-intermidia, trabalhando juntos desde 2005 em projetos de variada natureza. Iniciaram sua parceria durante a graduação na Universidade de São Paulo, onde também pós-graduaram em ArtesVisuais. Atualmente vivem entre São Paulo e o interior do nordeste brasileiro procurando estabelecer uma zona de contato entre essas regiões tão diversas culturalmente.” “Luciana Ohira (1983) and Sergio Bonilha (1976) are multi-intermedia artists, working together since 2005 in projects of varied nature.They began their partnership during graduation at the University of São Paulo, where also they post-graduated inVisual Arts. Currently the are living both in São Paulo and the in the inner northeastern Brazil seeking to establish a contact zone between these two regions as culturally diverse.“

Entre Ribafeita (Viseu, PT) e Juazeiro do Norte (Ceará, BR), entre o Domingo de Ramos e a Romaria da Nossa Sra. das Dores quê poderá haver? O idioma, a fé católica ou alguma outra matriz lusa?

Between Ribafeita (Viseu, PT) and Juazeiro do Norte (Ceará, BR), between Palm Sunday and the pilgrimage of Our Lady Of Sorrows what can be? The language, the Catholic faith or any other Portuguese origin?

Os sons e a paisagem pouco dizem, pouco mostram das sabidas intersecções... Percebe-se a coincidência entre os carroceiros de Juazeiro com seus animais e a entrada do Cristo em Jerusalém montando um burrico...

The sounds and the landscape say little, little they show of the known intersections... It is noticed the coincidence between the carters of Juazeiro with their animals and the entry of Christ in Jerusalem riding a donkey ...

Mas talvez seja preciso buscar algo além - na fenomenologia de Husserl e/ou de Ponty, num dispositivo qualquer que ajude a misturar e experimentar tais diferenças. Pois é exatamente isso que pretendemos com “dos ramos e dores”, um video-objeto contendo imagens meta-anaglíficas geradas a partir de filmagens captadas numa mesma época mas em lugares distantes milhares de quilômetros e centenas de anos um do outro, agora reunidas noutro espaço, noutra experiência.

But it is perhaps necessary to look for something beyond - in Husserl’s or Ponty’s phenomenology, for some device that helps to mix and experience such differences. This is exactly what we intend with “Dos Ramos e Dores” a video object containing meta-anaglyphic images generated from footage captured at the same time but in places thousands of kilometres distant and hundreds of years from each other, now gathered in another space, in another experience.


Jason Kahn

Wanderung [2015] Instalação sonora de quatro canais Four channel sound installation

A palavra alemã “Wanderung” traduz-se como “uma volta, uma caminhada” e, no contexto desta peça, refere-se não tanto a um passeio pela região, tal como poderia ser representado pelas gravações que fui recebendo como fonte para esta composição, mas mais às memórias evocadas por essas mesmas gravações ; transportando-me para um “Wanderung” através de todas as minhas lembranças das semanas que passei na região no início do verão de 2009.

The German word Wanderung translates to „a walk, a hike,“ and in the context of this piece refers not so much to a walk through the environs of the Viseu region as represented by the recordings I was sent as source material for this composition, as by the memories these recordings evoke; sending me on a „Wanderung“ through all my recollections of the week I spent in the region in the early summer of 2009.

Há pois os sons, o seu registo e, ainda, os pensamentos, impressões e lembranças que esses sons desencadeiam. No caso das gravações que formam a base para a minha peça, fui confrontado com uma enxurrada de imagens e sons, talvez mais vívida na memória do que as próprias gravações reais. Isso fez-me feliz, pois percebi que transportarei sempre comigo os sons e imagens da região, armazenados que estão na minha memória, de tal forma que em cada momento me sentirei como num “Wanderung”.

There is always the sound, the recording of the sound and then how this recording triggers certain thoughts, impressions and recollections. In the case of these recordings forming the basis of my piece, I was faced with a deluge of images and sounds, perhaps more vivid in my memory than the actual recordings themselves. Which made me very happy, as I realized that I will always carry these sounds and images of the region with me, stored there in my memory any time I feel like a Wanderung.

Jason Kahn é um músico, artista e escritor. Nasceu em 1960 em Nova Iorque e cresceu em Los Angeles, tendo mudado para a Europa em 1990 e atualmente vive em Zurique. Kahn apresenta as suas instalações em museus, galerias, espaços artísticos e locais públicos. Os seus trabalhos centram-se na ideia de espaço: os pontos de junção conceituais e físicos, a sua produção e dissolução e a nossa relação com eles enquanto um meio político, social e ambiental. Enquanto músico eletrónico, baterista e performer vocal Kahn colabora regularmente com diversos músicos, tanto em ambientes improvisados com no contexto de partituras gráficas que compõe para grupos específicos. Jason Kahn is a musician, artist and writer. He was born 1960 in NewYork and grew up in Los Angeles. He moved to Europe in 1990 and is currently based in Zürich. Kahn exhibits his installations in museums, galleries, art spaces and public sites.These works focus on the idea of space: the conceptual and physical juncture points, its production and dissolution, and our relation to it as a political, social and environmental medium. As an electronic musician, drummer and vocal performer Kahn collaborates regularly with many musicians, both in improvised settings and in the context of graphical scores which he composes for specific groups.


O granito é a base sólida debaixo dos nossos pés mas pode transfigurar-se em gás e radiação. É, pois, segurança e permanência mas também ameaça e efemeridade. Entre os milhões de anos decorridos desde que a matéria se formou e os milhões de anos que vão decorrer até a energia libertada se transformar novamente em matéria, estamos nós, aqui e agora. Caminhamos sobre o granito, extraímo-lo, cortamo-lo e moemo-lo. Construímos o nosso espaço desejado à semelhança da natureza mas violentando a própria natureza, o que, qual vingança divina, coloca em marcha um processo que põe em evidência a nossa fragilidade e fugacidade. Pedra Etérea é uma divagação sonora multi-canal inspirada por esta perspetiva, algo sombria, sobre um dos traços mais notórios da paisagem e atividade humana do Concelho de Viseu. Granite is the solid foundation under your feet but can be transfigured into gas and radiation. It is therefore security and permanence but also threat and ephemerality. Between the millions of years since the matter was formed and the millions of years that will pass until the released energy becomes matter again, we are here and now. We walk on the granite, we extract it, cut it and grind it. We build our desired spaces in the image of nature but violate nature itself, which, like a divine vengeance, puts in motion a process that highlights our fragility and transience. Ethereal Stone is a multi-channel sound reverie inspired by this somewhat bleak perspective on one of the most notorious features of the landscape and human activity of the Municipality of Viseu.

Rui Costa

Pedra Etérea [2015] Instalação sonora de quatro canais Four channel sound installation

Rui Costa é um artista sonoro que vive em Lisboa, Portugal. Apresenta publicamente o seu trabalho desde 1998. É membro fundador da organização cultural Binaural/Nodar e presentemente é diretor editorial. No início de 2000, Rui Costa colaborou com o músico espanhol Iñaki Ríos, com quem desenvolveu sistemas de composição eletrónica programados em Max/MSP, Lisa e Csound e desenvolveu uma série de trabalhos ‘site-specific’ em Nodar, com apresentações posteriores em Portugal, Espanha e nos Estados Unidos. Em 2008, colaborou com a performer vocal italiana Manuela Barile no projeto de larga escala, “La Scatola”. Rui Costa tem vindo a desenvolver uma série de instalações sonoras, intitulada “Sightseeing for the Blind”, que lida com a experiência turística de uma cidade. É um orador regular em conferências e dá workshops dedicados à arte sonora. Rui Costa is a sound artist living in Lisbon, Portugal. He has been publicly presenting his work since 1998. He is a founding member of the cultural organization Binaural/Nodar and presently he is the editorial director and strategic adviser. In the early 2000’s, Rui Costa collaborated with the Spanish musician Iñaki Ríos, with whom he developed electronic composition systems programmed on Max/MSP, Lisa and Csound and developed a series of sitespecific works in Nodar, with subsequent presentations in Portugal, Spain and the United States. In 2008, Rui collaborated with the Italian vocal performer Manuela Barile in a large-scale project entitled “La Scatola”. Since 2009, Rui Costa has been developing a series of sound installations entitled “Sightseeing for the Blind”, which deal with the tourist experience of a city. Rui Costa is a regular speaker in lectures and gives workshops dedicated to sound art


Maile Colbert

Past, Pass, Pasting [2015] Instalação audiovisual Audiovisual installation

Depende de quem passa Se eu sou túmulo ou tesouro Se eu falo ou me calo A escolha é somente tua. Amigo, não entres sem desejo. PaulValéry, tal com está escrito numa parede do Palais de Chaillot, Paris

It depends on those who pass Whether I am a tomb or treasure Whether I speak or am silent The choice is yours alone. Friend, do not enter without desire. PaulValéry, written on as wall in the Palais de Chaillot, Paris

Maile Colbert é um artista intermedia e educadora norte-americana a residir em Portugal, com especial foco no som e vídeo. É licenciada pelo Studio for Interrelated Media do Massachusetts College of Art e tem um mestrado em Integrated Media / Cinema eVídeo pelo California Institute of the Arts (CalArts), e atualmente é bolseira de investigação de doutoramento no programa de Estudos Artísticos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Realizou inúmeras exposições e atuações da sua obra no Japão, Europa, México e Estados Unidos.

Maile Colbert is an intermedia artist and educator with a concentration on sound and video. She holds a BFA in The Studio for Interrelated Media from Massachusetts College of Art, an MFA in Integrated Media/Film andVideo from the California Institute of the Arts, and is currently a Research Fellow towards a PhD in the Estudos Artísticos program in the Faculty of Social and Human Sciences at the Universidade NOVA de Lisboa. She has had multiple screenings and exhibits, and has performed and screened widely in Japan, Europe, Mexico, and the States.


www.viseururalmedia.org

Coorganização

Parceria/Partnership

Financiamento / Funding

Profile for Luis Costa

Viseu Rural 2.0 | Collective Exhibition Catalogue  

Viseu Rural 2.0 Collective Exhibition Casa das Memórias, Viseu November 28th 2015 - April 17th, 2016 Viseu Rural 2.0 is an integrated proje...

Viseu Rural 2.0 | Collective Exhibition Catalogue  

Viseu Rural 2.0 Collective Exhibition Casa das Memórias, Viseu November 28th 2015 - April 17th, 2016 Viseu Rural 2.0 is an integrated proje...

Advertisement