Issuu on Google+

LEONI

“Música de graça na web não tem volta”

+

Teenage Fanclub “melhor banda do mundo” segundo...

Ecos alternativos – o culto a Kurt Foo fighters: no espírito de ‘91

ao vivo: U2 + Ozzy + Abril Pro Rock + Lollapalooza + Iron Maiden

9

páginas

de rankings

www.billboard.br.com

EDIÇÃO 19 maio DE 2011 R$ 9,90


_ANUNCIOS.indd 2

5/4/11 10:10 AM


_ANUNCIOS.indd 3

5/4/11 10:11 AM


URBAN DAY COPACABANA CLUB

TECHNOTRONIC

LIVE DELU

ROOTS ROCK REVOLUTION dj KAKÁ MENDESS

ANJO DOS BECOS

+ ARENA SPORTS URBANOS + STREET ART

URBAN NIGHT EMICIDA

(PARTICIPAÇÃO BANDA INSTITUTO, FABIANA COZZA & RAEL DA RIMA)

JOHN LEGEND & THE ROOTS

JA RULE dj KING CEE LO GREEN

_ANUNCIOS.indd 2

AREA VIP PREMIUM: dj MAU MAU

5/4/11 10:26 AM


_ANUNCIOS.indd 3

5/4/11 10:26 AM


fOTO: martin philbey

Maio 2011

36

p.

fOTO: candice lawler

A explosão do grunge: 20 anos depois, a última revolução no rock continua gerando impacto

46

p.

FOO FIGHTERS: o quinteto americano recupera o

fOTO: MICK HUTSON

espírito de duas décadas atrás

54

p.

TEENAGE FANCLUB: a pequena banda escocesa

idolatrada por Kurt Cobain

20 Lollapalooza: como foi a versão chilena do Nº 1 das Paradas festival criado na Califórnia

24 Biscoito fino: uma década como referência na música brasileira

MÚSICA

77 mariana aydar: a cantora adianta detalhes do novo disco; o samba fica de lado

78 Jessie J: a britânica que compôs

" Party In The U.S.A." quer ser dona da festa

84 Nostalgia metal de OZZY OSBOURNE em São Paulo e iron maiden em Belém

INTRO

11 O espólio de RICK JAMES pode resultar em uma avalanche de direitos por downloads

12 BMW FESTIVAL: evento traz ao Brasil

nacional

Artista/ Título

BRASIL HOT POP SONGS

101

KATY PERRY

BRASIL HOT POPULAR SONGS

101

LUAN SANTANA

BELO HORIZONTE HOT SONGS

PERRY 102 KATY FIREWORK

BRASÍLIA HOT SONGS

CAMPINAS HOT SONGS

CURITIBA HOT SONGS

FORTALEZA HOT SONGS

GOIÂNIA HOT SONGS

PORTO ALEGRE HOT SONGS

RECIFE HOT SONGS

RIBEIRÃO PRETO HOT SONGS

RIO DE JANEIRO HOT SONGS

SALVADOR HOT SONGS

SÃO PAULO HOT SONGS

internacional

SHARON JONES e a banda DAP-KINGS

E MAIS

FIREWORK um beijo

& MATEUS 102 jORGE AÍ JÁ ERA

(PART. MARIANA RIOS) 102 EXALTASAMBA VIVER SEM TI SANTANA 102 LUAN AMAR NÃO É PECADO

GAROTA SAFADA 102 BANDA CLONADO COSTA 102 EDUARDO QUEM É? SANTANA 102 LUAN um beijo

(PART. MARIANA RIOS) 102 EXALTASAMBA VIVER SEM TI SANTANA 102 LUAN um beijo

(PART. MARIANA RIOS) 102 EXALTASAMBA VIVER SEM TI COM BANANA 102 CHICLETE meu coração voou PERRY 102 KATY FIREWORK PG

Artista/ Título

(PART. BRITNEY SPEARS) HOT DIGITAL SONGS 103 RIHANNA S&M

JORDAN HOT DANCE CLUB SONGS 103 ALEXIS GOOD GIRL

SOCIAL 50 103 JUSTIN BIEBER FIGHTERS THE BILLBOARD 200 104 FOO WASTING LIGHTS

(PART. BRITNEY SPEARS) THE BILLBOARD HOT 100 106 RIHANNA S&M & SONS INDEPENDENT ALBUMS 107 MUMFORD SIGN NO MORE

(PART. LAUREN BENNETT & GOONROCK) HEATSEEKERS SONGS 107 LIMFAO PARTY ROCK ANTHEM

WILLIE NELSON & WYNTON MARSALIS (PART. NORAH JONES)/

WE GO AGAIN ESPERANZA SPALDIN 70 música&moda TRADITIONAL JAZZ ALBUMS 107 HERE JAMES CONTEMPORARY JAZZ ALBUMS 107 BONEY CONTACT 74 our stuff 76 agenda Digital, Autorretrato, Cifras, Hot Spot, 108 backstage Trilha Pessoal, Antes e Depois e Fitness

6 billboard brasil Maio 2011

+

FOTO DE CAPA: Michel

Linssen/ Redferns/ Getty Images

foto: Maíra coelho

60 OPINIÃO 62 Roaming 66 look de artista 68 closet

Pg

SANTANA BRASIL HOT 100 AIRPLAY 100 LUAN um beijo

36

p.

LEONI

Nada de nostalgia. O cantor cansou de ser ex e partiu para a independência


_ANUNCIOS.indd 3

5/4/11 10:41 AM


CARTA AO LEITOR

Publisher Antonio Camarotti Diretor Geral Bruno Setubal Conselho Editorial Alexandre Ktenas, João Marcello Bôscoli,

O jogo

Mario Velloso e Pedro Só Editorial

continua Kurt Cobain fica bem em preto e branco. Há 20 anos, estas eram as cores da aventura que revisitamos e revisamos nesta edição da Billboard Brasil. Não era o céu cinzento de Seattle. O mundo do líder do Nirvana, ingênuo como um típico garoto de Aberdeen, Washington, tinha o visual de um tabuleiro de xadrez: era fácil diferenciar o terreno da indústria musical estabelecida, o mainstream, da então renegada cultura do rock alternativo. Desde que “Smells Like Teen Spirit” carregou as guitarras independentes ao topo das paradas, o cenário nunca mais foi tão simples. Destrinchamos a canção gravada há exatos 20 anos, vasculhamos os arquivos de Kurt e conversamos com personagens da revolução. O que o grunge pode significar em uma época em que “bandas chamadas de ‘indie’ estão em grandes gravadoras e vendem três milhões de discos”? As irônicas aspas na frase anterior são de Norman Blake, líder de um despretensioso grupo escocês que encantou os últimos grandes astros do rock. O Teenage Fanclub, também destacado nesta edição, nunca foi sucesso comercial, mas chega ao Brasil para shows com os ingressos de São Paulo esgotados em menos de 24 horas. A estampa xadrez, antigo uniforme grunge, hoje veste de sertanejos universitários a frequentadores de shows – perdão pela má palavra – descolados. O cenário pode ser mais confuso, mas o jogo ainda está valendo. Uma boa prova disso é a conversa com Leoni, que aos 50 anos reinventou sua independência e olha para o futuro com ousadia. São estes os personagens que nos interessam: os que ousam sair do lugar e arriscam novas jogadas musicais. Graças a eles o mundo da música – hoje mais colorido – continua a girar. Eles podem estar em campos alternativos ou no alto das paradas. É o caso de Dave Grohl, antes um peão de luxo para as jogadas do grunge, hoje rei do barulho. O líder dos Foo Fighters aposta que o rock ainda tem muita força. E nós estamos com ele.

Music is the answer

os Editores

Editora Executiva Gabriela Arbex Editor-Assistente Rodrigo Ortega Editora de moda & Variedades Ana Carolina Ralston Repórter Henrique Crespo Projeto Gráfico Marcos Kotlhar Arte Editor de Arte João Martin Jr. Designer Daniela Liquieri Tratamento de Imagem André Ricci Romano Tradução Luiz Marcondes Revisão Marisa Ribeiro Colaboradores Adriano Vizoni e Maíra Coelho (fotos); Braulio Lorentz, Jean Felipe Rios, Roberto Sadovski, Sylvie Picolotto e Vladimir Cunha (textos)

Billboard Brasil É Uma Publicação da BPP Promoções e Publicações Ltda. Rua Tapinás, 118, Itaim Bibi, São Paulo - SP - Cep 04531-050 redacao@billboard.br.com Departamento Comercial gerente comercial Daniela Sosigan ds@billboard.br.com São Paulo - Tel. (11) 3078-7711 comercial@billboard.br.com anuncie@billboard.br.com Operações Comerciais Lucimar Marostica opec@billboard.br.com Assinaturas www.billboard.br.com/assine assinaturas@billboard.br.com Impressão IBEP Gráfica Distribuição Dinap

Publisher Howard Applelbaum Diretor Editorial Bill Werde Editor Craig Marks Diretora De Arte Christine Bower-Wright Diretor De Rankings Silvio Pietroluongo Chefe Da Agência Internacional Mark Sutherland E5 Global Media, Llc Presidente James A. Finkelstein Diretor Executivo Richard D. Beckman Diretor De Operações Howard Appelbaum Diretor Financeiro Marshall Morris Vice-Presidente De Recursos Humanos Anne Doyle Vice-Presidente De Licenciamento Andrew Min Vice-Presidente De Circulação Madeline Krakowsky Vice-Presidente De Tecnologia Kuljit Saini Todos os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião da revista. É proibida a reprodução total ou parcial de textos ou imagens sem prévia autorização dos editores.

8 billboard brasil Maio 2011


PUMP YOUR LOOK

V. OLÍMPIA 3847 7878 / SHOP. CIDADE JARDIM 3759 7878 / WWW.REEBOKCLUB.COM.BR

_ANUNCIOS.indd 3

5/4/11 10:44 AM


CORREIO

edição 18

PITTY

veja o que nossos leitores acharam da última edição

A Billboard Brasil fez bem ao entrevistar o criador do palco do U2, Willie Williams. Quem foi ao show sabe a diferença que ele faz. Mais do que um show, aquilo é uma experiência multimídia. Parabéns! Camilla Rosa, de São Paulo, SP, por e-mail

A Billboard Brasil está linda. A Pitty arrasou (como sempre) na produção pin-up e na entrevista! Ariane Novaes, de São Paulo, SP, via Twitter Gosto como a Pitty não tem papas na língua em suas entrevistas. Precisamos de mais cantoras como ela para tirar a “caretice” do cenário musical brasileiro. Jorge Pinto, de São Paulo, SP, por e-mail

Ter assistido ao show do U2 em São Paulo já foi uma experiência maravilhosa. Ficar sabendo depois, pela ótima entrevista que vocês fizeram, das curiosidades e dos bastidores completou a minha jornada de volta com um sorriso no rosto que ninguém imagina. Obrigado! João Eduardo, de Recife, PE, por e-mail

Parabéns à Billboard Brasil pelo espaço dedicado a Pitty. Adorei as fotos e principalmente a entrevista. Mais uma vez, ela provou que tem muito a dizer. Marcos Antonio da Cunha, de São Paulo, SP, por e-mail

Adorei a matéria da última edição sobre o U2. Diferente de tudo o que li a respeito nos últimos tempos... Parabéns! Ana Carolina dos Santos, de Curitiba, PR, por e-mail

ADELE

Tri legal a capa nova da Billboard Brasil com o U2. Pra mim, foi um aquecimento para ver a banda da minha vida nos palcos... Ana Luzia, de Porto Alegre, RS, via Twitter Legal conhecer o responsável por aquele palco sensacional do U2. A matéria com o Willie Williams estava muito boa. Bruno Peixoto, de São Paulo, SP, por e-mail Adorei o boxe sobre o filme Killing Bono. Ótima sacada pra completar uma matéria que já estava incrível. Maria Clara Ramirez, de São Paulo, SP, por e-mail Ter acesso à matéria do U2 antes da apresentação em São Paulo fez com que eu curtisse muito mais o show e valorizasse ainda mais uma das minhas bandas preferidas. Parabéns pela incrível iniciativa da Billboard Brasil. João Carlos Romeiro, de São Paulo, SP, por e-mail

Linda a matéria com a Adele. Despretensiosa, a música da cantora consegue ser mais real que a de cantoras superproduzidas como Lady Gaga, Britney Spears e Beyoncé. Que venham mais cantoras como ela! Daniel Freitas, de Carapicuíba, SP, por e-mail Graças à matéria publicada na última edição, a Adele ganhou mais uma fã. Obrigada por nos apresentar novidades e nos deixar conectadas ao que há de mais recente no cenário mundial da música. Luciana Aranha, de São Paulo, SP, por e-mail

DREAMSEEKERS & AFROREGGAE Muito boa a matéria sobre o novo Dreamseekers. É ótimo para atualizar o meu iPod com as últimas novidades musicais. Carolina Sá, Niterói-RJ, via Twitter Sou fã da cantora londrina Anna Calvi e, pela primeira vez, vejo uma menção a ela em uma revista nacional. Mais uma vez a Billboard Brasil saiu na frente. Renato Góis, do Rio de Janeiro, RJ, por e-mail Adorei a matéria do Afroreggae na revista. Bom saber que a revista dá espaço a assuntos mais sérios de vez em quando. Ivone Santos, de São Paulo, SP, via Twitter DESAFINAMOS Diferentemente do publicado na legenda da página 15, o cantor que aparece na foto é Fernando, da dupla Fernando & Sorocada.

TWITTER Veja AS RESPOSTAS DOS tuiteiros de plantão às nossas perguntas

TUÍTE DA REDAÇÃO

Quais são, na sua opinião, as melhores bandas dos anos 90? @TatianeDB

Legião Urbana e Capital Inicial. @GiuCapobianco

Nirvana , Oasis, The Cramberries e Green Day. @matheuslaneri

Smashing Pumpkins, Foo Fighters, Metallica, Portishead, Sonic Youth e Soundgarden.

O baterista do Muse, Dominic Howard, foi erroneamente identificado como sendo o guitarrista e vocalista da banda Matthew Bellamy na página 72.

@DJerryMF

Diferentemente do publicado na matéria do U2, a responsável pelo uso do microfone redondo na atual turnê da banda é a coreógrafa Morleigh Steinberg, esposa de The Edge.

@victorbianchin

cante para a billboard

Para enviar críticas, elogios e sugestões, entre em contato via site, e-mail, Twitter ou Facebook. Só não se esqueça de sempre colocar nome completo e cidade. As mensagens selecionadas serão publicadas nesta seção. Nos reservamos o direito de resumir, corrigir e adaptar os textos enviados, sem que isso altere o conteúdo das mensagens

Pearl Jam, Mamonas Assassinas, Raimundos e Korn.

Garbage, Nirvana, Oasis, Pulp, Primal Scream, Green Day, Radiohead (que só foi bom nos 90). @baptista_renan

Backstreet Boys, a cara dos anos 90 essa boyband! @_wunsch

Site www.billboard.br.com Facebook www.facebook.com/billboardbrasil Twitter @BillboardBrasil E-mail redacao@billboard.br.com 10 billboard brasil Maio 2011

Spice Girls é o nome dos anos 90 no pop. Não existe outra!


bmw jazz festival • mercado • digital • autorretrato • cifras • registro • hot spot • trilha pessoal • antes e depois • insight • fitness • prêmio

12 BMW JAZZ FESTIVAL Evento traz a São Paulo a americana Sharon Jones

p.

14 JIMI HENDRIX

Documentário brasileiro refaz os passos do guitarrista em Londres

p.

16 MACACO

Cantor espanhol emplaca sucesso em novela brasileira

p.

17 TIRAGEM ESPECIAL Novo site busca tesouros da música nacional

FOTO: Paul Natkin WireImage/Getty Images

INTRO

p.

SUPERFREAK contra as GRAVADORAS O espólio de Rick James (1948-2004) luta judicialmente contra a Universal, em ação que pode ajudar milhares de artistas vivos ou mortos a receber mais por suas vendas digitais O espólio de Rick James (autor de “Superfreak” e da emblemática “Give It To Me Baby”) entrou com ação coletiva contra a Universal Music Group (UMG) e está gerando expectativas de que mais artistas possam vencer causas referentes ao licenciamento para vendas por download digital. O espólio de James pede ressarcimento por royalties não pagos referentes à venda de música via downloads e ringtones. Dias antes, a Suprema Corte dos EUA declinou da revisão de uma decisão que concedia à FBT Produções uma maior parcela de royalties da venda da música de Eminem por meio de downloads digitais e ringtones.

A banda Allman Brothers há pouco fez acordo para ação coletiva contra a Sony Music Entertainment quanto à mesma questão: download pago é licenciamento ou venda? De acordo com recente decisão judicial para Eminem, um download digital é uma licença e um artista tipicamente tem direito a 50% do que a gravadora pagou pela licença em contrapartida a uma porcentagem menor que seria obtida pela venda do álbum. O espólio de James espera ter seu caso certificado como ação coletiva e, com isso, trazer a reboque milhares de demandantes que tiveram contratos de gravação ou produção com a UMG ou gravadoras afiliadas entre 1º de janeiro de 1965 e 30 de abril de 2004.

O espólio de James talvez não esteja contando com outra disposição razoavelmente comum nesses contratos: a incontestabilidade. A maioria dos contratos de artistas assinados durante o período proposto pela ação coletiva inclui o seguinte: “Todas as declarações de royalties apresentadas aos artistas pela gravadora serão finais e não devem ser submetidas a nenhuma objeção pelo artista por nenhum motivo, a não ser que uma objeção específica por escrito afirmando em que base isso é feito seja dada à gravadora dentro de um ano a partir da data em que a declaração for apresentada”. Uma disposição de incontestabilidade parecida foi incluída no acordo de

por Tamera

H. Bennett

gravação dos Allman Brothers datado de 1985. Em 2008, um tribunal decidiu que tal cláusula era válida e aplicável e negou a contestação de certas declarações de royalties porque não houve objeção a tais declarações no prazo estabelecido por contrato. Apesar de a UMG ter considerado várias vezes a decisão do caso Eminem como aplicável apenas aos fatos particulares do caso, ela previu que a decisão estimularia outros artistas a abrir processos de litígio . Do ponto de vista estratégico, porém, processos individuais talvez sejam mais eficientes do que ações coletivas, porque os esforços das gravadoras ficariam divididos na defesas das ações. www.billboard.br.com 11


BMW JAZZ FESTIVAL

Soul pra valer

Novo festival de jazz traz ao Brasil a cantora americana Sharon Jones por Ana Carolina Ralston e Rodrigo Ortega “A mais expressiva voz humana dos últimos tempos.” Assim o curador Zuza Homem de Mello define o som que sai da garganta da americana Sharon Jones. Zuza não é o único apaixonado pelo soul da ex-agente carcereira de 55 anos que só conseguiu se profissionalizar como cantora aos 40. Outra fã é a inglesa Amy Winehouse. Antes de se afundar nas drogas, a inglesa era viciada em Sharon Jones, tanto que para gravar o álbum Back To Black, de 2006, chamou a banda americana Dap-Kings. Amy ajudou a divulgar o trabalho de Sharon, que acabou sendo vista por alguns como versão mais encorpada e autêntica de soul woman. A relação entre as duas é de carinho: “Rezo todos os dias para que as coisas deem certo para ela”, diz Sharon. “Uma garota de vinte e poucos anos tentando e, de repente, ‘bum’, foi tudo tão rápido... Não ganho milhões, mas com o pouco que recebo, sei como as coisas já mudam. Ela está com as pessoas erradas”, lamenta.

FOTO: Paul laura hanifin

INTRO

Sharon não poderia estar acompanhada por pessoas mais certas: com a elogiada banda Dap-Kings a tiracolo, ela chega a São Paulo para cantar nos dias 10, 11 e 12 de junho, no BMW Jazz Festival. O evento é SHARON JONES, à frente da DAP-KINGS: a ex-carcereira que virou ídolo de Amy Winehouse novo, mas continua, Sharon Jones é uma cantora soul, Entre as outras atrações do festival a partir da curadoria de Zuza e da mas “vinculada profundamente às estão o consagrado saxofonista Wayne produção de Monique Gardenberg, uma raízes do jazz na área cantada com a Shorter, o baixista Marcus Miller – história de dois finados festivais: o Free qual o soul, o rhythm & blues, o gospel figura importante na carreira de Miles Jazz e o Tim. O Free Jazz nasceu em e os blues sempre tiveram um vital Davis, que fará um tributo ao trompetista 1985, inicialmente fiel a seu nome, mas vínculo histórico”, justifica Zuza. A com o celebrado projeto Tutu Revisited foi dando espaços para diversos outros cantora lembra um curioso projeto – e o brasileiro Letieres Leite com a gêneros musicais. “O Tim Festival [a em que incorpora uma jazzista: a Orkestra Rumpillezz, brilhante big band partir de 2003] abriu mais o leque, coleção de discos Baby Loves Jazz, que funde ritmos afrobaianos com o jazz. com a divisão de palcos em propostas e que apresenta o gênero para crianças. Para conferir a programação completa públicos diferentes. O jazz se manteve “Cada músico tinha um personagem, – que não havia sido divulgada até o no palco de jazz. O BMW agora se eu fazia a voz de um elefantinho roxo. fechamento desta edição – acesse www. concentra nessa proposta”, diz Zuza Foi tão divertido”, ri Sharon. bmwjazzfestival.com. sobre a volta ao foco original.

MERCADO

O “nosso” espaço foto: DIVULGAÇÃO

Melody Box, recém-lançado site de relacionamento, pretende juntar a nova geração de artistas nacionais a profissionais do show business

12 billboard brasil Maio 2011

As redes sociais não param de crescer e inspiram novos lançamentos a cada mês, em busca de espaço na vida virtual de cada um. O Melody Box é uma iniciativa nacional que pretende funcionar como outros sites do gênero (o MySpace.com é uma referência inevitável), porém mais adequado e focado às particularidades da música nacional. “A ideia é criar um mercado virtual da música, tendo em um só lugar todos os players envolvidos no processo, aproveitando as facilidades que a internet nos proporciona para comunicar e disseminar informação de maneira simples, barata, rápida e pulverizada”, resume Joana Carneiro, sócia do projeto. Ela completa: “Nós acreditamos no potencial da música brasileira”. O site permite que você se cadastre como artista ou fã – sendo que o artista

por

Henrique Crespo

pode colocar suas músicas e vídeos e usar a rede para se relacionar com possíveis fãs. Os novos nomes da música nacional são o foco. “Queremos provar aos que acreditam que o mercado musical brasileiro está em crise que nunca se produziu tanta música boa e de qualidade como agora”, avisa Joana. “Faltava uma ferramenta voltada exclusivamente para o mercado nacional”, completa ela. O melodybox.com.br já possui 800 nomes cadastrados. Joana diz que o site tem representantes de todos os estilos de música, mas revela que mesmo que a diversidade seja incentivada, o maior número de participantes é do rock.


BITS & BEATS

Free por

Antony Bruno foto: reprodução

O futuro do LP talvez seja um aplicativo multimídia

Larry Rosen sempre se manteve antenado em relação aos novos formatos da música. Em 1982, ele e o compositor e pianista de jazz Dave Grusin fundaram a GRP Records, uma das primeiras gravadoras a lançar música em CD. Em 1996, ele lançou um dos primeiros selos a vender música online com a N2K. Agora, ele está apostando naquilo que sente que é o próximo formato musical do futuro – aplicativos para iPad que proporcionam conteúdo sobre um álbum. Rosen e seus parceiros de empreendimentos passados se juntaram à ROBA Interactive, empresa que cria aplicativos de álbuns para iPad. “Eu realmente vejo isto como o futuro do negócio da música do ponto de vista de um produto.” Apesar de a mídia estar se referindo a esses aplicativos como álbuns para iPad, “aplicativos de acompanhamento” talvez seja um termo mais adequado. O que a ROBA está fazendo é compilar todo tipo de conteúdo extra que normalmente não é encontrado em um álbum – vídeos de bastidores, performances ao vivo e entrevistas – e combiná-lo com o conteúdo-padrão: encartes, letras, informações técnicas e fotos. O resultado funciona como um encarte interativo. O primeiro álbum para iPad da ROBA foi An Evening With Dave Grusin, lançado em 26 de abril. O aplicativo custa US$ 10 e inclui imagens de shows em alta resolução e fotos de backstage; entrevistas com Grusin, Jon Secada, Patti Austin, e outros materiais multimídia. Em março, a Universal Music Group e a Eagle Rock Entertainment lançaram aplicativos para iPad trazendo videodocumentários e outros materiais sobre Nevermind, do Nirvana, 2112 e Moving Pictures, do Rush, e sobre o filme do show Ladies and Gentleman: The Rolling Stones, dos Rolling Stones. Uma semana depois, a EMI desenhou e construiu um aplicativo de acompanhamento para iPad para o lançamento de Until One, da Swedish House Mafia. No entanto, só Until One contém toda música do álbum. Os outros têm apenas trechos de músicas. Os títulos incluídos em qualquer aplicativo de iPad vendido na loja do iTunes só podem ser tocados a partir do aplicativo. Se os usuários escolherem ouvir as mesmas músicas em um iPod ou iPhone, terão de comprá-las separadamente.

Rock, jazz, pop e MPB criados por artistas consagrados ou mesmo por quem acabou de entrar no mercado musical. E acessível para download gratuito em formato de podcast. Batizado de Música de Graça (www. musicadegraca.com.br), o mais novo projeto da compositora e produtora Dani Gurgel começa a operar em maio e traz, além de áudios, alguns vídeos de parcerias inusitadas, atualizados quinzenalmente. Todas as composições escolhidas para fazer parte do acervo são liberadas sob uma licença da Creative Commons, uma organização sem fins lucrativos que disponibiliza licenças flexíveis para obras intelectuais. A cada mês, o projeto reunirá artistas da música para alguns bate-papos.

9,5

Alô?

milhões

Marca que o total de visualizações do vídeo de “The Lazy Song”, de Bruno Mars, estava prestes a alcançar nos primeiros 12 dias de exibição no YouTube. Nele, o cantor contracena com pessoas fantasiadas de macacos do grupo de dança Poreotics, o mesmo que participou de “Somebody To Love”, de Justin Bieber.

DIGITAL • CANAIS WWW

Música, fotos e poesia

A cantora paulistana Ana Cañas revela seus caminhos preferidos na internet

fOTO: divulgação

Álbuns para iPad?

DIGITAL • NÚMERO

fOTO: divulgação

DIGITAL • OPINIÃO

Além de CDs e DVDs, Luan Santana achou mais um jeito de levar seus hits até os ouvidos de seus fãs. Trata-se do celular que o cantor sertanejo lançou em parceria com a MobiU e com a Sony Ericsson que traz, embarcado, seus mais recentes sucessos, integrando a iniciativa ao lançamento oficial do disco. Esta é a primeira vez que um conteúdo musical inédito é também lançado em um aparelho celular completamente personalizado. A novidade inaugura uma nova forma de interação com o público, além de mais uma maneira de monetização de conteúdo para as gravadoras. Com um tempo médio de troca de um ano, o celular pode ser a chave para aumentar o contato dos artistas com seus mais assíduos seguidores.

1

MUSICADEBOLSO.COM.BR

2

FFFFOUND.COM

3

CARPINEJAR.BLOGSPOT.COM

4

THEIMPOSSIBLECOOL.TUMBLR.COM

5

MARIABETHANIA.BLOSGSPOT.COM

O arquivo deste site é incrível. O melhor da música brasileira dos últimos anos em vídeos inéditos e exclusivos.

Site com um banco de imagens de todos os tipos. Pra copiar e colar.

Blog do [escritor, jornalista e professor universitário] Fabrício Carpinejar. O cara é inspirado!

Site com fotos P&B dos deuses e deusas entre os homens na terra.

Não vai dar pra perder essa. www.billboard.br.com 13


INTRO

AUTORRETRATO

CIFRAS

Hot Califórnia

Jack Johnson

BADAUÍ: muito skate e poucas lágrimas

Músico havaiano se apresenta no dia 21 de maio, na Chácara do Jockey, SP fOTO: divulgação

fOTO: penna prearo

Enquanto o CPM 22 se reaquece com o CD Depois de um longo inverno, o vocalista Badauí fala sobre a vida no estilo californiano O que faria se não fosse cantor? Não tenho ideia, mas talvez morasse na Califórnia. Meu estilo de vida está ligado a essa cultura, skate e punk rock/hardcore. Sua atividade preferida fora da banda: Andar de skate, ficar em casa com a minha mulher, jogar bola, ir a shows e beber cerveja com os amigos. Qual foi a última vez que você chorou? Graças a Deus não me lembro, de verdade. Seu lugar favorito no mundo: São Paulo e Los Angeles. Existe amor em SP? Claro! Existe amor em SP e por SP. Um arrependimento: Deixar passar uma coisa ou outra de que não gostei muito em relação ao trabalho.  O que é ser independente para você? Fazer as coisas de acordo com o que você acredita, sem pensar em dinheiro em primeiro lugar. E procurar ser o mais profissional possível, de acordo com as suas possibilidades.

50.000

Downloads no Brasil. Foi a marca que deu à música "Upside Down" a certificação de ouro da ABPD (Associação Brasileira de Produtores de Discos) em 2009.

REGISTRO

No rastro de Hendrix

Documentário brasileiro investiga os passos londrinos do genial guitarrista americano (1942-1970)

14 billboard brasil Maio 2011

Henrique Crespo

2.100.000

Número aproximado de unidades vendidas apenas nos EUA de In Between Dreams (2005), terceiro álbum de Johnson.

amiga nossa e serviu para mostrar que o Hendrix influencia uma geração que nem o viu ao vivo”. A cantora aparece dando um rolê hendrixiano em Londres, com passeio no Tâmisa emendado com ônibus de dois andares. “Nosso filme é um filme de dois fãs, mas também é trabalho de investigadores”, esclarece Pedro.

12

Discos na carreira. Entre eles, cinco trilhas sonoras de filmes.

fOTO: David Montgomery/Getty Images

Em 1966, aos 23 anos, o guitarrista americano Jimi Hendrix se mudou para Londres, onde alcançou o sucesso que tinha perseguido em seu país. Um pouco dessa história é o que o documentário E Aí, Hendrix? conta. Com direção de Pedro Paulo Carneiro e Roberto Lamounier, o filme entra em cartaz em junho e traz depoimentos de Chris Welch (autor de uma biografia de Hendrix), de John McCoy, produtor que assinou o primeiro contrato de show com Jimi na Inglaterra, e de Keith Altham, repórter que fez a última entrevista com o músico. Além deles, falam os guitarristas brasileiros Pepeu Gomes, Robertinho do Recife e Frejat, entre outros. Pedro conta como surgiu a ideia: “Nós estávamos em Londres com Os Britos [banda cover dos Beatles com integrantes do Barão Vermelho e do Kid Abelha] quando conhecemos o Bruce Cherry, que nos convidou para voltar no Hendrix Commemorative Experience [festival que marcou os 40 anos da morte do guitarrista]. Eu falei pro Roberto que a gente deveria aproveitar para fazer um filme”. Bruce, que tem uma empresa chamada London Rock Tour – de passeios temáticos guiados pela cidade – hospedou os diretores em sua casa. John Campbell, guitarrista que faz shows tocando o repertório de Jimi, participa do documentário. “Ele não é cover, é a reencarnação do cara na Terra, segundo a própria família do Hendrix”, elogia Pedro. Mais inusitada é a presença da baiana Pitty no filme: “Ela é uma grande

por

250.000

A trilha sonora Sing A Longs & Lullabies For The Film: Curious George (2006), assinada por ele, alcançou o disco de platina no Brasil.

6

Total de músicas a marcar presença no Hot 100 da Billboard. “You And Your Heart”, faixa de To The Sea, chegou ao 20° lugar, sua melhor posição.

JIMI HENDRIX: os passos para o sucesso em Londres retratados em documentário

10

Anos de carreira. Brushfire Fairytales, seu primeiro disco, é de 2001. O mais recente é To The Sea, de 2010.


HOT SPOT

TRILHA PESSOAL

Novidades no eixo SP-SC Antenada na TV DANÇAR/ BEBER/ PAQUERAR Woodstock Bar

Seu primeiro disco: True Stories, do Talking Heads, primeiro vinil que ganhei da minha mãe. Um artista que vai ser sempre tendência: Pode não ser um artista, mas um selo? A DFA Records [selo do americano James Murphy, ex-LCD Soundsystem]. Melhor clipe do mundo: “Star Guitar”, dos Chemical Brothers, é um bom começo de lista. Novos artistas brasileiros que tem ouvido: Há pouco tempo alguém me mostrou o Duosonics, que é genial. Um "prazer proibido": “Freedom”, do George Michael. Um mashup que gostaria de fazer: Ah, não fode, eu detesto mashup. Música mais empolgante do mundo hoje: “The Wall”, do Yuck. Uma música que odeia: “I Just Can't Get Enough”, do Depeche Mode. Melhor música para encher a pista: “Hey Ya!”, do Outkast, provável melhor música dos anos 00. Numa bolsa de valores musical, de quais bandas novas compraria ações: Yuck, The Naked and Famous e Vockah Redu.

Inaugurado no mês passado, o Woodstock Bar não leva o famoso festival americano de música, realizado em 1969, só no nome. O evento serviu como referência para a decoração psicodélica, o conceito de sustentabilidade e, principalmente, para a programação musical. Uma Kombi 69 estilizada e pôsteres raros decoram o local. A madeira utilizada é certificada, os tecidos são orgânicos e o lixo é reciclado – uma influência do espírito hippie. O rock and roll será o cardápio exclusivo, tanto no palco com bandas cover, especialmente anos 70 e 80, como no som mecânico que vai contar com DJs antes e depois dos shows. Com capacidade para 700 pessoas, a casa, localizada na zona sul de São Paulo, possui três bares, duas mesas de snooker, um lounge com poltronas e sofás, além de um Whisky Room. Sanduíches e snacks estão no menu, que também oferece drinques especiais, batizados com nomes de grandes atrações do festival. O bar é o primeiro empreendimento com a chancela da Woodstock Ventures.

fOTO: kelly Fuzaro/MTV

Gaía Passarelli apresenta tendências musicais na nova programação da MTV. Além de comandar o programa Goo, ela edita o site Rraurl

foto: DIVULgação

Capital paulista ganha casa nova e clube de Camboriú recebe prêmio internacional

GAÍA: encantada com o Duosonics, dupla de rock de São José dos Campos

Rua Baltazar Fernandes, 54, Brooklin • Tel. (11) 5543-7000 • Horário de

ANTES E DEPOIS

funcionamento: de quarta a sábado, das 19h às 4h • www.woodstock.art.br

Rua Rio Mamoré, 1083, Rio Pequeno, Camboriú, Santa Catarina • Tel. (47) 9903-4303 Horário de funcionamento: todos os dias na alta temporada; uma vez por mês, em programações especiais, na baixa temporada • http://greenvalley.art.br

fOTO: Jim Spellman/Getty Images

O americano de 63 anos, pioneiro do show business de horror, pode ser considerado tio de Marilyn Manson e avô de Lady Gaga fOTO: Michael Ochs Archives/Getty Images

É em Santa Catarina, mais especificamente em Camboriú, que se encontra o terceiro melhor clube do planeta: o Green Valley. O título foi concedido pela publicação britânica DJ Mag em seu tradicional ranking Top 100, que lista as melhores casas noturnas de música eletrônica. A seleção é rígida e tem como influência uma lista anual que elege os melhores profissionais da cena mundial. Entre os nomes que já marcaram presença nas picapes do clube catarinense estão David Guetta, Kaskade, Pete Tong, Sharam, Sander Kleineberg e Fatboy Slim, entre outros. O bronze brasileiro só perde para dois endereços espanhóis: Space, em Ibiza, e Frabrik, em Madri. Quem curte música eletrônica mas não pode ir até o velho continente, pode aproveitar os finais de semana e as temporadas de verão em território nacional com line-up de primeira.

Alice Cooper foto: DIVULgação

dançar/beber/paquerar Green Valley

1979

O malvado Cooper na época do lendário show em que, reza a lenda, teria bebido o sangue de uma galinha (na verdade, ele apenas jogou o bicho para cima)

2011

Com a velhice, o cantor desencanou da pose marrenta, mas o visual de horror o acompanha sempre, como na cerimônia do Rock and Roll Hall of Fame

Alice Cooper desbravou o rock pesado e seu universo de horror visual. Emplacou “I'm Eighteen” (“Eu Tenho Dezoito”), em 1970, quando já tinha 22. O disco mais famoso é Billion Dollar Babies, de 1973. O sucesso diminuiu, mas a lenda continua, e vem ao Brasil nos dias 31 de maio (Porto Alegre), 2 de junho (São Paulo) e 4 de junho (Curitiba). www.billboard.br.com 15


INTRO

INSIGHT

Movimento global

fOTO: CARLOS ROJALS

O cantor espanhol Macaco compôs voando a música “Moving”, que contou com a ajuda de Seu Jorge para virar trilha de novela no Brasil

MACACO: das ruas de Barcelona para trilha de novela brasileira

por

O nome artístico pode parecer de gosto duvidoso, mas o espanhol Daniel Carbonell, mais conhecido como Macaco, daria uma banana para o politicamente correto. Ele começou tocando nas ruas de Barcelona e hoje é um cantor bem-sucedido no seu país. Ele emplacou por lá hits como “Moving”, que neste ano ganhou uma versão brasileira com a participação de Seu Jorge e está por aqui na trilha da novela Morde e Assopra. “‘Moving’ nasceu no ar”, conta. Poderia ser alguma metáfora do seu discurso hippie, mas ele foi literal: “Estava em um avião, viajando, coisa que eu faço constantemente. E me veio essa palavra ‘moving’ [‘mexendo’, em português] na cabeça. Tive a ideia de fazer uma canção sobre a natureza, mas baseada nos pequenos movimentos das pessoas que geram as grandes mudanças”. Ele é direto ao apontar de onde partiu a composição da música. O cantor repete o refrão que surgiu de imediato no ar: “Moving, all the people moving /One move for just one dream” [“Mexendo, todos se mexendo /Um movimento por um só sonho”]. “Depois do refrão eu criei a batida do violão, que é baseada na música tradicional da minha região, a rumba catalã. Eu comecei a tocar essa levada bem devagar e ela quase virou um reggae. Para segurar o ritmo, coloquei o surdo brasileiro, que eu adoro”, completa.

Rodrigo Ortega

A vida movimentada de Macaco começou cedo. “Com 15 anos, saí de casa. Decidi fazer as coisas do meu jeito e tocar na rua. Vivia em uma ocupação com outros artistas e saíamos com amplificadores ligados em bateria de carro e percussões para tocar nas ‘ramblas’ [ruas] de Barcelona. Eu dançava e saltava como se fosse um macaco. Aí as pessoas se acostumaram a me chamar assim”, explica. A salada de música global faz parte do cardápio de Macaco, que tem em sua banda músicos de Brasil, Cuba, Venezuela, Camarões e Zimbábue. Como se não bastasse, em seu novo disco, também chamado Moving, ele convidou outros artistas de dez países diferentes, incluindo Uruguai (Jorge Drexler), Senegal (Youssou N’Dour) e Brasil (além de Seu Jorge, participam Marcelo D2, BNegão e Nação Zumbi).

FITNESS

Sons para relaxar

Paraquedista do exército brasileiro, Edson Ramos começou a praticar ioga em 2001, quando decidiu adotar o zen-budismo para suportar melhor o estresse dos treinamentos. “Meu corpo era muito rijo e optei pela ioga como forma de melhorar a minha postura e meditação”, lembra. “Na hora do salto, é preciso estar muito focado e, no momento exato, tudo tem que estar ajustado. São necessários uns 20 minutos para chegarmos à altura correta e, neste momento, os paraquedistas fazem uma espécie de meditação. Muitas vezes praticamos exercícios respiratórios até o momento de abertura das portas. Uma vez no ar, parece que estamos em Samadhi [estado de hiperconsciência]. O tempo para e parece uma eternidade. Por isso não podemos perder o foco”, conta Ramos, que há oito anos aliou a atividade paraquedista (agora civil) com a de professor de ioga do Espaço Nirvana, no Rio de Janeiro. 16 billboard brasil Maio 2011

PLAYLIST PARA uma aula de 60 minutos “As aulas de Vinyasa são sempre divididas em dois tipos de trabalho”, explica o professor Ramos. “Um dia, flexibilidade e, no outro, força.” Cada uma das músicas é definida para acompanhar um determinado momento do treino. 1. “Shiva's Flute” • Kerala (aquecimento) “Flauta suave e calmante, excelente para aquietar a mente e preparar para a prática da ioga. Também serve para fazer os exercícios respiratórios.” 2. “Aum” • Steinar Lund (série preliminar) “Tem um ritmo único e contínuo, com uma leve batida no fundo que oferece uma certa energia para intensificar a prática.” 3. “Sofa Rockers”• The T&K (série posturas em pé) 4. “Yoga Moods” • Silver Sands (série posturas em pé) “Duas músicas um pouco mais agitadas e com um certo tom enérgico.” 5. “Dragons Cosmtic” • Steinar Lund (série posturas sentadas) “Com ritmo forte, mas que baixa aos poucos, preparando para o relaxamento.” 6. “Fountain Of Youth” • Yoga Mantra (série deitada e relaxamento final) "Ritmo totalmente calmo e propício para o shavasana [posição de descontração na ioga] e a meditação."

foto: divulgação

A suavidade da flauta aliada a ritmos mais enérgicos compõe a trilha perfeita para a prática da ioga


prêmio

Consagração pop

Rihanna, Eminem e Lady Gaga estão entre os principais finalistas do Billboard Music Awards 2011

Rihanna, Eminem, Lady Gaga, Bruno Mars e Justin Bieber são alguns dos finalistas do Billboard Music Awards 2011, que acontece no MGM Grand em Las Vegas, no dia 22 de maio. A cerimônia de entrega terá apresentações de Black Eyed Peas, Rihanna, Keith Urban, Lady Antebellum, Taio Cruz e outros artistas. Rihanna lidera como finalista em 18 categorias, incluindo Artista Mais Importante do Sexo Feminino e Artista Mais Importante de R&B. "Love The Way You Lie", sua parceria com Eminem que chegou ao topo das paradas, a coloca como uma competidora em seis categorias de músicas. Eminem é finalista em 16 categorias, incluindo Artista Mais Importante e Artista Mais Importante de Rap. Lady Gaga segue como finalista em 12 categorias, com três lançamentos, todos competindo pelo prêmio de Melhor

Álbum de Dance/Eletrônico: The Fame, The Fame Monster e The Remix. Os galãs pop Bruno Mars e Justin Bieber irão concorrer em 11 categorias cada e se enfrentarão pelo prêmio de Artista Novo Mais Importante e Artista Mais Importante do Sexo Masculino. Outros na disputa pelo maior reconhecimento a um artista novo incluem Ke$ha, Nicki Minaj e Taio Cruz, cuja música "Dynamite" está concorrendo a cinco prêmios. O prêmio adota uma visão holística sobre as conquistas dos artistas com base em interações-chave de fãs com a música – incluindo vendas de música, receita das turnês e mídias sociais e atividades de streaming no período entre 28 de fevereiro de 2010 e 1º de março de 2011. As 46 categorias são baseadas nas mensurações fornecidas pelos parceiros de dados da Billboard, incluindo números de vendas do

Confira os finalistas das principais categorias do Billboard Music Awards Artista Mais Importante Justin Bieber • Eminem Lady Gaga • Rihanna • Taylor Swift Artista Novo Mais Importante Justin Bieber • Taio Cruz • Ke$ha Bruno Mars • Nicki Minaj Artista Mais Importante do Sexo Masculino Justin Bieber • Drake • Eminem Bruno Mars • Usher Artista Mais Importante do Sexo Feminino Ke$ha • Lady Gaga • Katy Perry Rihanna • Taylor Swift

Nielsen SoundScan, execução de rádio monitorada pelo Nielsen BDS, streaming de dados medido pelo Tubemogul e pelo Nielsen BDS, consumo de mídias sociais aferido pelo Next Big Sound e

Dupla/Grupo Mais Importante The Black Eyed Peas • Bon Jovi Lady Antebellum • Linkin Park • U2 Artista Mais Importante em Canções (em formato digital) Eminem • Ke$ha • Bruno Mars Katy Perry • Rihanna Artista Mais Importante em Turnê Bon Jovi • Michael Bublé Lady Gaga • U2 • Roger Waters Artista Mais Importante em Redes Sociais Akon • Justin Bieber • Eminem Lady Gaga • Rihanna

renda de turnês medidas pelo Billboard Boxscore. Artistas, álbuns e músicas mais importantes serão reconhecidos nas categorias pop, R&B, rap, country, rock, alternativo, latino, dance e cristão.

joias raras

Para poucos e bons foto: divulgação

Projeto pretende tirar do limbo tesouros da música brasileira a partir do interesse sob demanda de colecionadores e fãs com amor pelo disco Nos últimos 20 anos, muitos tesouros da música brasileira foram recuperados para a era do CD. Mas ainda há muito por explorar e tirar do limbo. Ciente disso, o produtor Marcelo Fróes (responsável por alguns dos principais relançamentos das últimas duas décadas), em parceria com o webdesigner José Carlos Almeida, criou o Tiragem Especial. O site, que já está no ar (tiragemespecial.com.br), vai fazer reedições exclusivas e com remasterização digital sob demanda de seus usuários cadastrados.

MARCELO FRÓES: em busca de raridades

Inicialmente, Tiragem vai lançar projetos especiais do selo de Fróes, Discobertas, com álbuns cuja demanda de mercado não é suficiente para justificar reedições comerciais em loja e outros pontos de venda. O esquema que, de certa forma, tem a ver com o atualíssimo esquema de crowdfunding que custeia discos, shows e turnês, vai dar nova vida a muitos discos que nunca sequer foram ouvidos com estereofonia, por terem sido prensados originalmente em mono. “Pretendo continuar o mergulho em selos extintos, onde existem muitas raridades gravadas por grandes músicos. Também pretendo licenciar material obscuro de grandes gravadoras que ainda foi não foi contemplado por reedições, por ter menor potencial comercial. Serão sempre itens que apetecem colecionadores”, adianta Marcelo Fróes. www.billboard.br.com 17


_ANUNCIOS.indd 2

5/4/11 10:47 AM


_ANUNCIOS.indd 3

5/4/11 10:47 AM


ylvie

por S

P

o, de icolott

S a nt

i a go

te, n e ifer r e d tão amilia do é ão ase f trola n , rnia ma qu to con do ó f i Cal o! Cli tumul ilena looza a N n ma ueno ição ch ollapa r e h eq a ed ivo L p u m c a m e r n at r ma ival alt fest

No sentido horário: BRANDON, do Killers, Anita Tijoux, Parque O`Higgins, logo do festival, Mala Rodriguez, plateia, Perry Farrell, Kanye West e TIM BOOTH, do James.

20 billboard brasil Maio 2011


fOTO: Paula Farias Lorca

O público dos dois dias do festival foi de aproximadamente 120 mil pessoas

O festival Lollapalooza nasceu como turnê de despedida – a primeira... – do Jane’s Addiction, em 1991 com Perry Farrell, líder do grupo, como padrinho e organizador. ,

Passou pelo evento – que não foi realizado entre 1997 e 2004 – um pouco do melhor do punk rock, hip hop e do rock alternativo dos últimos 20 anos, sempre com espaço para a música eletrônica e para performances artísticas. Artistas como Pearl Jam, The Cure, Smashing Pumpkins e Soundgarden tiveram a carreira marcada por passagens no Lollapalooza. Farrell poderia ter armado seu circo em Buenos Aires,

São Paulo ou Rio de Janeiro. Mas preferiu dar a Santiago, no Chile, a honra de sediar sua primeira edição internacional, nos últimos dias 2 e 3 de abril. O line-up, que sofreu algumas baixas como The Strokes e Yeah Yeah Yeahs, apresentou mais de 60 bandas em duas noites, assistidas por cerca de 120 mil pessoas. Ao escolher o Parque O’Higgins como reduto para sua empreitada politicamente correta, os produtores conseguiram um lugar central, arborizado e de fácil acesso. Um pouco como é a versão atual do Lollapalooza, no Grant Park, em Chicago. Respeitando a fórmula da versão americana, o evento em Santiago ofereceu atividades para menores, que tinham entrada livre e um palco chamado Kidzapalooza. Visto por certos ângulos, parecia uma grande festa familiar: milhares de pessoas sentadas na grama vendo shows, crianças e pais dançando ao som de bandas legais e um desfile de camisetas de rock para todos os gostos. O discurso sobre sustentabilidade tentava se concretizar em um espaço reservado para ONGs, grupos de apoio ao meio ambiente e mais de mil voluntários que estiveram tratando de coletar todo o lixo reciclável gerado nos dois dias. Nos dias dos shows, os metrôs e trens funcionaram até mais tarde para atender ao público do evento. A venda de bebida alcoólica era restrita à área VIP e a praça de alimentação oferecia boas opções, mas com filas quilométricas. Em um setor do parque, no meio de um lindo jardim, havia redes penduradas para quem quisesse relaxar – foi um dos pontos mais concorridos do festival, que foi brindado com dois dias de céu azul, muito sol e temperatura alta. Dentro do Parque O’Higgins há um campo gigante, onde foram instalados os palcos principais. O piso de concreto aumentou

mais ainda a sensação de calor. O primeiro grande palco era o CocaCola Stage, que recebeu The Killers, o rappper Kanye West, The National, 30 Seconds to Mars, a veterana banda inglesa James, Flaming Lips, Los Bunkers (artistas locais, muito populares), 311 e Mala Rodriguez (hip hop espanhol). No segundo maior, o Claro Stage, teve Deftones, Jane’s Addiction, Ben Harper, Sublime with Rome, Cypress Hill e Steel Pulse. Entre os ídolos locais, Chico Trujillo (depois escalados para a versão americana, que acontecerá em agosto), Francisca Valenzuela (ver boxe) e o reggaeiro Quique Neira provocaram as maiores aglomerações. The Killers estavam com o som tão baixo que ficava complicado escutar. Não por acaso, a banda saiu 40 minutos antes do horário determinado. 30 Seconds to Mars também teve problemas, enquanto James e Flaming Lips, no mesmo palco, deram shows históricos. Cypress Hill, Deftones e Ben Harper foram os melhores no palco Claro Stage. Para os fãs de música eletrônica, não faltaram opções: o palco LG Stage trouxe Fatboy Slim, Empire of the Sun, Joachim Garraud, New Kids on the Noise,

www.billboard.br.com 21


Conheça Francisca Valenzuela, a cantora chilena que abriu o Lollapalooza, cantou agarradinha com Bono e colegou com Wayne Coyne e Shakira por

Braulio Lorentz

Se há algum megaevento musical no Chile, pode crer que Francisca Valenzuela estará lá. Além de abrir o Lollapalooza, ela foi escalada para o Popfest de Shakira e cantou “One Tree Hill”, agarradinha com Bono, no show do U2 em Santiago. Em entrevista à Billboard Brasil, a cantora de 24 anos (nascida na Califórnia e criada no Chile) conta que fará shows no “belo Brasil” em julho e comenta os arranjos “atrevidos” de seu segundo e recém-lançado CD Buen Soldado. Como é saber que a única edição fora dos EUA do Lollapalooza é no Chile? E como foi ser a primeira a tocar? Foi emocionante! É decisivo para incluir o Chile no circuito internacional de shows. Foi uma honra abrir o Lollapalooza, cheio de gente, todos cantando... Também me diverti. Wayne Coyne, do Flaming Lips, viu meu show inteiro e depois ficamos passeando e conversando. Ele disse

Perryety vs. Chris Cox, Toy Selectah, Boys Noise, Armin Van Buuren, Fishspooner, Ghostland Observatory, os locais DJ Raff, Latin Bittman, Matanza, Javiera Mena e o argentino Zeta Bosio (do grupo Soda Stereo). O palco mais alternativo, Tech Stage, uma arena coberta com capacidade para 1.500 pessoas, foi também o mais complicado. No sábado tocaram CSS, Datarock, Edward Shape & The Magnetic Zeros (com muitos problemas de som), os ótimos locais Devil Presley, Astro, Denver, Anita Tijoux e os colombianos do Bomba Estereo. No 22 billboard brasil Maio 2011

que adorou minha apresentação, minha banda, meu vestido, tudo! Neste ano, você esteve no SXSW (no Texas) e no Popfest, abrindo para Shakira. Qual é o retorno por tocar em tantos festivais? É uma oportunidade de se apresentar para um público que normalmente não vê você. Posso cantar em condições diferentes das normais, como no Estádio Nacional, para 40 mil pessoas, no Popfest. Ou em um palco pequeno e intimista, com bandas internacionais, no SXSW. São experiências novas, boas para fazer amigos e contatos. No Popfest, tive a chance de usar as passarelas da Shakira. Caminhei e cantei até o centro do estádio. Como surgiu o convite para o dueto com Bono no show do U2 no Chile? Uma semana antes de banda e equipe chegarem, eles estavam na internet e viram que meu single “Quiero Verte Más” estava em primeiro lugar no Chile. Como sempre estão à procura de convidados, me ligaram e chamaram para cantar “One Tree Hill”, além de gravar uma intro com “Get On Your Boots” e “Gracias A La Vida”, de Violeta Parra [1917 - 1967, cantora, compositora e grande folclorista, um dos pilares da música popular chilena]. O ensaio foi no dia do show, tudo vertiginoso! Eles foram simples e generosos. Por que escolheram “One Tree Hill”? Ela é tocada raramente e em lugares onde o U2 sabe que ocorreu uma tragédia. O Chile teve um 2010 difícil

domingo, o line-up tinha Cat Power, Cold War Kids, The Drums, Devendra Banhart, os locais Como Asesinar a Felipe, Fother Muckers, Mundano e os sensacionais The Ganjas. Só não estava previsto o imenso sucesso dessas atrações alternativas; multidões ficaram de fora sem poder ver nada, e houve necessidade de intervenção policial para evitar que o tumulto fosse mais sério. Enquanto isso, no palco principal, sobrava espaço. O jornal local El Mercúrio perguntou a Perry Farrell sobre o transtorno e recebeu de volta um vago “imprevistos sempre acontecem”.

fOTO: Carlos Müller

CHICA MUY COOL

FRANCISCA VALENZUELA: presença obrigatória nos principais festivais chilenos

– com terremotos, os mineiros... “One Tree Hill” simboliza uma força do U2 [para o povo chileno]. Você era uma escritora que cantava. Como se tornou uma cantora que escreve livros? Foi natural. Sempre compus, toquei e escrevi. Se tivesse tempo, escreveria de maneira mais disciplinada. Mas a música passou a ser prioridade. Espero que minhas letras tenham uma voz, um peso, que sejam interessantes se lidas em silêncio.

Já pensou em compor e gravar mais em inglês? Sim. Escrevo em inglês desde bem pequena. Já publiquei uma antologia de poemas em inglês, quando vivi nos EUA, chamada Defenseless Waters. Tenho músicas em inglês no repertório e minha educação nos EUA (tenho família lá) é uma grande parte de mim. Quero ir crescendo e compondo em inglês e espanhol.

Perry Farrell valorizou a escolha chilena contando que “buscar um sócio é como encontrar a cara-metade, você tem que ter os olhos abertos e enxergar além”. Em Santiago, os parceiros são Sebastián de La Barra e Maxi del Río, da Lotus Producciones. Gente jovem que produz shows internacionais e que também realizou a versão do festival brasileiro Maquinaria em 2010 em Santiago. Perry foi apresentado a Sebastián de la Barra no sul da Califórnia, e entrou em sintonia com o chileno, que medita, faz ioga e, claro, também é louco por música. Sem ocorrências graves, o evento

reuniu shows de primeiro nível e proporcionou uma agradável experiência multicultural. Americanos, canadenses, australianos, brasileiros e todos os sotaques hispânicos possíveis eram ouvidos no Parque O’Higgins. A fila gigante para retirada de tickets adquiridos por internet – todos já pagos – foi um dos poucos inconvenientes a ser aprimorados, junto com engenharia de som e a sinalização do lugar. Mas o saldo do Lollapalooza Chile é superpositivo, tanto que os organizadores já confirmaram: ano que vem tem mais.


facebook.com/brooksfieldjr

_ANUNCIOS.indd 3

www.brooksfieldjr.com.br

twitter.com/brooksfieldjr

5/4/11 10:56 AM


Casa

24 billboard brasil Maio 2011


forte

CHICO BUARQUE, CHICO BATERA e WILSON DAS NEVES no casarão do Humaitá

Gravadora Biscoito Fino comemora uma década de atividade como referência em música brasileira Por Henrique Crespo Há dez anos, o cenário do mercado fonográfico já começava a dar sinais de desgaste e prenunciava a crise sem antecedentes que se instalaria no recém-começado milênio. Foi nessa contramão que uma gravadora afinada com a música popular brasileira iniciou suas atividades. Com a morte do CD decretada várias vezes nesse período e em um panorama que mostra um encolhimento das grandes gravadoras e o sumiço das lojas de discos, a Biscoito Fino segue com uma média de lançamentos invejável. Nas contas do diretor-executivo José Celso Guida, em 2010 foram cerca de 80 títulos. Logo vem a pergunta: o que a Biscoito Fino consegue fazer de diferente para driblar a tão propalada crise? O mesmo Guida dá a sua visão: “Primeiramente é o tamanho. É uma gravadora menor em termos de estrutura. Mas é uma gravadora que hoje em dia é completa. Ela tem um estúdio próprio e distribui os seus próprios produtos. Então é uma cadeia verticalizada que tem funcionado bem”. Eles também criaram um meio específico de chegar ao seu público. Os quiosques da empresa, que vendem CDs, DVDs e até camisetas, estão presentes em três shoppings do Rio de Janeiro – Rio Sul, Gávea e São Conrado Fashion Mall – e devem chegar a São Paulo em breve, como adianta o diretor-executivo. A Biscoito Fino, que se aproxima dos 600 produtos em catálogo – entre CDs e DVDs –, acabou construindo um perfil reconhecível. Olívia Hime – uma das sócias – revela que isso foi proposital: “Eu já pensava antes que gostaria de ter uma gravadora com uma identidade tão clara que as pessoas fossem perguntar na loja: o que saiu da Biscoito Fino?”. Sobre como esse perfil foi construído, ela fala mais: “No início da Biscoito, eu usava muito o meu gosto pessoal. Ou melhor, a minha formação musical. Depois de certo tempo, comecei a entender que a Biscoito não só já havia formado uma identidade muito clara como também cresceu e começou a chegar a um outro público”. Sobre esse novo perfil, Guida esclarece: “Andamos pesquisando e temos nos surpreendido. É mais jovem do que achávamos que era. Eu diria que é muito amplo”. A escolha dos artistas tem toques pessoais, Olívia assume. “O critério é meu, não deixa de ser. Meu, de Kati [Almeida Braga – sócia] e do Zé Celso. Mas cada vez mais eu abro para ouvir outras pessoas”, explica. Abrir o leque é a expressão que ela usa para se referir ao processo por que tem passado o perfil artístico da gravadora nos últimos anos. A ponto de www.billboard.br.com 25


fOTOs: Divulgação

OLÍVIA com seu marido FRANCIS HIME no estúdio da Biscoito Fino

maiores vendAS da história da BF

(soma da vendagem de todos os produtos do artista na gravadora) Maria Bethânia – 500 mil cópias Chico Buarque – 120 mil cópias Tom Jobim – 115 mil cópias

Os quiosques da Biscoito Fino estão em três shoppings do Rio de Janeiro

26 billboard brasil Maio 2011

lançar (este mês) o grupo Fundo de Quintal, nome-símbolo da geração 80 do pagode. “Achei que tinha a ver a gente lançar. É um samba cheio de dignidade. Quando lançamos a Rita [Lee], as pessoas também levaram um susto”, conta Olívia. Ela diz que vê essa diversidade como uma “mata atlântica”. “A gente sabe que o pezinho de não sei do quê é tão importante quanto uma jaqueira para o equilíbrio.” Os selos de música clássica, infantil e internacional, e até um só de filmes – com documentários musicais – corroboram essa visão. A sede fica num aprazível recanto do Humaitá, zona sul do Rio de Janeiro. Cercado por árvores, o casarão conta com um estúdio e uma área externa com piscina, que, como conta José Celso, pode virar cenário para gravações de vídeos informais com os artistas da gravadora. Já em 2002, Maria Bethânia lançou seu primeiro disco por lá. “Quando ela chegou, foi como se referendasse a casa como espaço para a música brasileira”, observa Olívia Hime. E a lista de artistas de prestígio foi crescendo. “Creio que a vinda desses grandes nomes foi uma consequência do que a gente propôs pra Biscoito. Termos artistas consagrados e jovens promissores no elenco nos ajudou a crescer e pode abrir novas perspectivas,

mas vamos sempre manter o clima ameno de uma casa onde a boa música é dona e soberana”, analisa a empresária Kati Almeida Braga. Não dá para não prestar atenção a uma lista que traz, além da própria Olívia e de seu marido, Francis Hime, Paulinho da Viola, João Donato, Mart’nália, Moraes Moreira, Toquinho, Paulinho Moska, Rita Lee, Joyce, Elba Ramalho, Beto Guedes, Simone, Djavan, Leila Pinheiro, Martinho da Vila, Mônica Salmaso e Arnaldo Antunes, entre outros. Em estúdio, Chico Buarque prepara sua aguardada volta com um disco de inéditas e Zélia Duncan lança em breve um DVD. Os dois vão trazer o carimbo da BF. “Eu sou uma artista que preza muito o conceito e procuro me cercar de quem tem a ver com o que eu faço. Nesse aspecto houve uma identificação imediata entre as duas partes”, comenta Zélia. Simone, que está entre as mais vendidas da gravadora, também tem o que dizer da parceria: “A Biscoito Fino é uma casa de música brasileira onde se trabalha com toda a liberdade. Percebi imediatamente que ali se trabalhava com um conceito muito bem delineado, acima de tudo em função da boa música, com uma proposta muito particular em relação às diretrizes do mercado”. Segundo Olívia, que também


“Se alguém entrar na área imaginando taxas de retorno utilizadas em outros ramos, tem boas chances de se desapontar. É preciso estar disposto a receber dividendos na moeda prazer” Kati Almeida Braga, sócia da Biscoito Fino é responsável pela direção artística, essa turma veio parar no elenco de formas diferentes: “Foram movimentos diversos. Algumas pessoas procuraram a gente; outras, nós procuramos. Mamãe dizia assim: se você viver na China, você vai se casar com um chinês. A gente convive todo mundo junto”. Joyce vê a escolha também como uma opção artística: “Sempre fiz questão de gravar com a maior liberdade artística possível. Numa grande gravadora, essa liberdade seria bastante restrita”. Mônica Salmaso faz coro: “Eles compreendem e admiram a natureza de um trabalho como o meu, do tamanho que ele tem hoje e da forma como ele foi construído até a minha chegada à gravadora”. Olívia conta que fica indignada quando perde um disco que gostaria de lançar e fala de Onde Brilhem Os Olhos Seus, álbum em que Fernanda Takai canta o repertório de Nara Leão: “Eu perdi esse disco por desencontro. Ela me mandou, mas eu estava viajando. Quando cheguei, já era. Gosto muito da Fernanda. Ela é uma pessoa sensível, delicada. O disco é muito bonito”. Na conversa, ela também dá uma pista de outro nome que pode vir a fazer parte da Biscoito: “Nós não temos o Lenine ainda. Espero que ainda. Eu gosto demais do trabalho dele”.

PRAZER TAMBÉM É LUCRO Aos que veem na gravadora um esquema baseado em mecenato, Olívia é firme na negativa: “Pode ter havido no início, mas a ideia nunca foi essa”. Ela acrescenta: “A ideia era fazer uma gravadora que se autossustentasse. É um constante reinvestir. Muitas vezes até tem que se ficar no vermelho um tempo, mas a postura é de uma gravadora que faz negócio, que quer ganhar dinheiro”. Mas será que ter uma gravadora hoje dia é um bom negócio? “Não, ao menos nesses últimos anos. Se alguém entrar na área imaginando taxas de retorno utilizadas em outros ramos, tem boas chances de se desapontar. É preciso estar disposto a receber dividendos na moeda prazer”, avisa Kati. Como em toda gravadora, a pirataria é uma preocupação, mas, como crê Guida, as especificidades dos seus produtos criam não só uma dificuldade para a cópia física não autorizada como seduzem os fãs de música: “Os nossos discos são um pouco mais difíceis de piratear. Eles são em dpac”. A embalagem com bandejas plásticas presas em papel cartão, um pouco diferente da conhecida

digipack, é usada em todos os CDs da BF. “Hoje em dia no mundo virtual é muito importante a valorização do produto físico”, completa. Talvez por terem se concentrado nessa valorização tenham até agora deixado um pouco de lado o universo digital: “Estava muito adormecida essa área mesmo. Mas nos últimos seis meses melhorou. Renovamos os contratos todos”. E ele não esconde o incômodo quando vê em blogs os álbuns da gravadora disponibilizados gratuitamente: “Criou-se essa noção de que é tudo de graça na internet. Tem que explicar pros mais jovens que é necessário que os profissionais recebam”. Mas ele também admite a inevitabilidade no processo: “A música é muito mais forte que tudo isso. Independente de formato. Como uma empresa que produz artistas, a gente tem que estar atento ao desenvolvimento tecnológico. Não tem como brigar com isso. O que a gente tem que fazer é melhorar, o que for possível, no formato que entregamos nosso produto, seja digital, seja físico”. Kati dá pistas de que a gravadora não perdeu o fôlego ao completar sua primeira década: “A Biscoito ainda é uma empresa jovem, que procura se movimentar com agilidade na direção das novas oportunidades. Há muito para ser feito nesse novo mercado da música e é por aí que ela tem que caminhar”. Como define Olívia: “A gente não faz CD, faz música”.

Os campeões de vendas de 2010 Festa, Amor e Devoção 35 mil (soma da vendagem de CD + DVD) – Maria Bethânia Ária 30 mil (CD) – Djavan Boa Companhia 30 mil (soma da vendagem de CD + DVD) – Simone Mart´nália África 20 mil (soma da vendagem de CD + DVD) – Mart´nália Martinho Canta Noel 15 mil (CD) – Martinho da Vila Leila Canta Renato Russo 15 mil (CD) – Leila Pinheiro

o que esperar para 2011 JUNHO

Mauro Senise – CD e DVD projeto sobre Noel Rosa Zélia Duncan – DVD ao vivo gravado no Teatro Municipal de Niterói Mario Adnet – projeto sobre a obra de Tom Jobim

JULHO

Roberta Nistra – CD ainda sem título Alexia Bomtempo – CD ainda sem título Chico Buarque – CD de inéditas sem título ainda

AGOSTO

Djavan – DVD Ária ao vivo – gravado no Palácio das Artes, em BH

SETEMBRO

Jards Macalé – CD e DVD– documentário musical, filmado parte no estúdio da Biscoito Fino, parte em externas. Frejat, Luis Melodia e Thais Gulin são algumas das participações especiais

www.billboard.br.com 27


_ANUNCIOS.indd 2

5/4/11 10:54 AM


_ANUNCIOS.indd 3

5/4/11 10:54 AM


SÁBIO GAROTO! Renovado como artista e como gestor da própria carreira, Leoni deixa pra trás o papo de ex (Heróis, Kid Abelha, anos 80) para jogar luzes no futuro do show business brasileiro Pedro Só por

Leoni, 50 anos recém feitos, gere sua carreira de forma moderna como poucos artistas jovens do Brasil. Dá música de graça em seu site, relaciona-se intensamente com os fãs nas redes sociais, e não depende dos hits dos tempos de Kid Abelha e Heróis da Resistência para manter uma saudável agenda de shows. Casado, pai de dois adolescentes, ele segue compondo com parceiros novos – Fernando Anitelli, do Teatro Mágico, e com a banda brasiliense Móveis Coloniais de Acaju – e com velhos amigos: ao lado de Frejat, finaliza a trilha do filme Intimidade entre Estranhos, musical com argumento baseado em uma canção deles dois – e que terá direção de José Alvarenga Júnior (de O Divã e das duas adaptações de Os Normais). No fim do ano passado, Leoni lançou o CD e DVD ao vivo A Noite Perfeita, e agora acaba de publicar seu segundo livro, Manual de Sobrevivência No Mundo Digital (Ed. Prestígio). Foi esse o pretexto para se sentar em um restaurante do Leblon e conversar um pouco sobre as visões corajosas, inteligentes e pragmáticas que passa a colegas, aspirantes a colegas e demais interessados nos ofícios ligados à música popular. Você é um exemplo de sobrevivência, não só na era digital. Conseguiu atravessar sete anos sem gravar... Foi um período duro de aprendizado? O clique, o despertar para o novo cenário, pelo que você conta no livro, foi a partir do Orkut? Foi, em 2004. Mas antes disso também não tinha muito jeito... Só com a internet 2.0 é que deu pra se comunicar com as pessoas melhor. E com o Orkut, na primeira vez em que entrei, vi uma comunidade sobre o meu trabalho, com 40 pessoas. Pensei: “Opa, 30 billboard brasil Maio 2011

40 fãs eu já tenho!”. Em 2003 eu lancei um disco [ÁudioRetrato], em 2005, outro [Ao Vivo, também DVD], os dois com anúncio na TV, porque eram da Som Livre. Aí as pessoas viam o comercial e entravam no Orkut me procurando. De 2004 em diante foi tudo muito rápido... Em 2006, lancei meu site, pensando: “Tem que ter um site, né? Porque um dia vai que esse Orkut sai de moda”. O que acabou acontecendo. E acabou acontecendo também com o MySpace. Hoje faço tudo pelo meu site. Também pelo Twitter ou pelo Facebook. Este é o segundo livro que você lança. Já ganhou algum dinheiro com livros? Nada. Com livro, não ganhei nada. Imagina: dois mil exemplares de Letra, Música e Outras Conversas [Ed. Gryphus, esgotado]. Gastei uns seis meses fazendo: ganhando R$ 2 mil por livro, dá uns R$ 4 mil. Divide por seis meses.... [risos] Viu como eu vivi bem? [risos]. Eu tinha pensado em ser escritor antes de ser músico. Quem me desestimulou veementemente foi o [escritor mineiro] Fernando Sabino (1923-2004). Passei uma tarde com ele, o cara leu uns poemas meus e falou: “Pô, você escreve bem. Mas você só sabe fazer isso, meu filho?”. Eu disse: “Não, sei fazer música...”. E ele: “Ah, então vai fazer isso! Porque escritor morre de fome” [risos]. Eu ainda insisti: “Mas o senhor não é escritor?”. E ele: “Sou, mas sou editor, sou cronista, faço um monte de outras coisas pra poder viver”. Também fiz um curso de poesia com o Waly Salomão [poeta, editor e letrista baiano, 1943-1990] e com o Antonio Cícero [poeta, filósofo e letrista carioca, notável por parcerias com a irmã, Marina Lima] que me disseram a mesma coisa. Eles falaram: “Olha, a gente não ganha dinheiro com

fotos: Maíra coelho

ENTREVISTA DO MÊS


“Música de graça na internet é uma coisa que não tem volta. A minha ideia é que a gente tem que botar muito material, seguir colocando... Uma hora algo cai no gosto das pessoas e elas divulgam”

www.billboard.br.com 31


ENTREVISTA DO MÊS

De casa, no Rio de Janeiro, o cantor atualiza seu site e interage intensamente com os fãs

poesia... A gente ganha com direitos autorais. De música”. Eu tinha 18 anos, já tocava... E aí juntei as duas coisas e passei a escrever... canções. Quando em 1995 eu fiz o Letra, Música e Outras Conversas [entrevistas com Renato Russo, Herbert Vianna, Lobão, Frejat, Adriana Calcanhotto, Marina Lima, Samuel Rosa e Nando Reis], foi mais para registrar o processo criativo de caras da minha geração. Eu imaginava fazer uma série, só que deu tanto trabalho que parei no primeiro. Pelo menos ficou registrada a conversa com o Renato Russo. Este livro de agora [Manual de Sobrevivência no Mundo Digital] veio por causa do site. As pessoas me pediam dicas: “O que eu faço com a minha carreira?”. E aí surgiam as coisas mais absurdas, negozinho que vinha com fita cassete para eu levar para o Mariozinho Rocha [diretor musical da TV Globo]... Nem eu consigo entregar minhas coisas pro cara! Vou entregar uma fita cassete!?? Vi as pessoas meio perdidas e comecei a escrever. E aí, quando percebi, tinha um manualzinho. Com duas coisas distintas: uma pra bandas iniciantes, como escolher repertório, como ensaiar, tamanho de show, bobagens que a gente vê as pessoas fazerem. Banda que toca mal arriscando cover do Rush! Não pode. Tem que fazer uma música que você consiga executar, senão vai ser um horror! 32 billboard brasil Maio 2011

“A diferença do gratuito pro muito barato ficou enorme, ficou monstruosa! Eu experimentei o ‘quem quiser me ajudar...’, aquele discurso e tal... As pessoas, ó [faz gesto de que está se lixando]”


Comecei a dar esses toques e vi que tinha um livro ali. E havia a parte de internet, que aí era também para o meu pessoal, da minha geração. Eu falava: “Bota a música lá de graça”. E eles: “Não pode! Vão me roubar! Mas e o MEU dinheiro?!!!”. Aí resolvi escrever este livro que mistura as duas coisas. Você disse em uma entrevista que há pouco chegou a ficar com preguiça de ouvir em sequência as 14 faixas de um disco do Elvis Costello, um de seus ídolos... Esse imediatismo que você identifica também no público atual o influencia como criador? No sentido de abandonar formatos mais longos... Muda a coisa, sim. Hoje eu fui gravar uma música com o Christiaan Oyens tocando guitarra havaiana. E a gente vai botar isso no Twitter, no YouTube, no Facebook... Não vou vender isso! Música de graça na internet é uma coisa que não tem volta. A minha ideia é que a gente tem que botar muito material e seguir colocando. Uma hora algo cai no gosto das pessoas, elas divulgam etc. Eu não sei se vou lançar mais um CD na minha carreira. Pode ser que eu venha a lançar, mas não tenho essa certeza. Lancei agora um CD e DVD, e quem vende sou eu. Vendo em show, no site... Loja não vende. Aliás, que loja? Quantas cópias de A Noite Perfeita já foram vendidas desde o lançamento, em outubro de 2010? Somando CD e DVD vendeu umas cinco mil peças, não acho ruim. Dessas cinco mil, três mil fui eu quem vendeu. Boa parte na pré-venda que fiz pelo site – quem comprasse comprava barato e recebia em casa, autografado. E o restante foi vendendo em show. Como eu já dei de graça as músicas em versão de estúdio, as pessoas também já conheciam as músicas. As pessoas não têm aquela urgência do conteúdo, é mais pelo suporte. Quantos shows você faz, em média, por mês? Uns quatro, cinco, em média. Varia... No começo do ano, é menos; em outros meses, faço mais. É o que eu preciso pra viver... Eu tenho uma carreira que se basta, tem funcionado assim.

Não dá pra ter jatinho, claro. Mas eu acredito muito nessa coisa do artista classe média, uma profissão que lhe paga as contas. Quando foi que você percebeu que tinha que mudar a forma de gerir a sua carreira? Quando eu lancei em 2006 o Outro Futuro, que foi distribuído pela Warner. Vi a quantidade de dinheiro que gastei e o retorno que teve, pequeno. E a história de que o disco fica velho. Com quatro meses, dizem: “Ah, mas o disco já está velho”. Se você não bota material na praça, as pessoas acham que você parou. Eu ficava três anos entre um álbum e outro, tinha gente que me perguntava: “Você parou, cara? Desistiu?”. Eu comecei a fazer as coisas porque precisava sobreviver. Tinha gente que falava: “Não, deixa pra lá, daqui a pouco a indústria encontra um novo modelo”. Eu dizia: “Minha conta vence mês que vem.... Não posso esperar a indústria”. Comecei a criar coisas que foram dando certo e alguns colegas diziam “não, eu não vou dar isso!”. Nem sei se a gente vai chegar a um modelo novo, talvez as coisas continuem nesse momento mais fluido. Eu não tinha R$ 40, R$ 50 mil pra gravar um disco inteiro. Então tive a ideia de gravar em prestações, uma música a cada mês, colocando de graça no meu site. O retorno vem de outro lado. Dei as músicas em formato de estúdio e quando fui gravar o DVD tinha coro do público pra essas canções. Já fiz um bocado de testes: boto as músicas lá no Bandcamp [site que intermedia vendas entre artistas e público] e aviso: dou 200 downloads gratuitos – que é o esquema deles lá. Os primeiros 200 vão embora em algumas horas. Aí boto pra vender por US$ 5, passam dois meses, vende dois. Dois. A diferença do gratuito pro muito barato ficou enorme, ficou monstruosa! Eu experimentei, dizia “quem quiser me ajudar”, aquele discurso e tal... As pessoas, ó [faz gesto de que está se lixando]. Do outro lado do balcão, em 2007, você comprou, por exemplo, o disco In Rainbows, do Radiohead, que estava

à venda pelo preço que o fã quisesse pagar. Pagou quanto? Paguei bem: nove libras, pô! Depois fiquei puto. Todos os meus amigos baixaram de graça [risos]. Durante um tempo minha mulher não queria que eu baixasse de graça. E eu baixava horrores [risos]. Aí ela vinha com aqueles cartõezinhos do iTunes, comprei muita coisa com aquilo. Mas música paga é complicada. Três computadores meus – da Apple – “morreram” e não consigo “desautorizar” nenhum deles. Aí comprei um computador novo e eles me dizem: “Você não pode ouvir esta música aqui porque não autorizou”. Não querem que eu compre, né?! Aí eu parei: [pausadamente] me recuso a comprar música na internet. Porque é sempre com DRM, com possibilidade de perder aquela música e outras complicações. Meus filhos ainda compram no iTunes, mas só aplicativos. Como você vê hoje a canção brasileira? Já se vão seis anos desde que Chico Buarque disse, em entrevista à Folha de S. Paulo, que enxergou no crescimento do rap um futuro negro para a canção . Há também quem ouça decadência na riqueza harmônica e deturpação de um cantar “característico” do país na produção recente... Tem de tudo hoje em dia, e muita coisa boa. Móveis Coloniais de Acaju

LEONI ao laptop: presença nas redes sociais é trabalho sério

www.billboard.br.com 33


ENTREVISTA DO MÊS

“Me recuso a comprar música na internet.. Porque é sempre com DRM, com possibilidade de perder o arquivo e outras complicações” “Eu sou muito otimista, o mercado vai ser muito melhor do que era antes”

[banda de Brasília] com quem estou compondo agora, eu descobri há dois anos, mas eles já têm um tempão de estrada [começaram em 1998]. Não dá pra generalizar. O que dá é pra observar o que a indústria tem filtrado. Por exemplo, banda de rock agora é NX Zero, Fresno, Restart... ? Não é, é o que a indústria achou que é. É uma vertente. Uma vertente que tem bastante público, mas não é a única. Quando você não tem mais a preocupação de se adaptar aos formatos de sucesso, vai aparecendo um monte de coisa doida. A gente está num momento muito fértil, não dá pra dizer se melhorou ou piorou. Eu sou muito otimista, o mercado vai ser muito melhor do que era antes. Só estamos agora é no pior momento...Trocando de uma coisa pra outra, entendendo melhor como são as coisas, perdendo um pouco a majestade... Vejo gente nova falando: “Eu não vou ficar escrevendo blog, falando toda hora, porque aí perde aquela mística...” Que mística, cara, ninguém te conhece! [risos]. A gravadora.permitia aquela coisa Prince, o cara recluso e tal... Mas agora? Isso do artista meio blasé, distante, já era. Hoje em dia você viaja e trabalha com estrutura “normal”, de produtor, roadie, banda. Mas você já precisou atuar como seu próprio roadie, né? Foi. Eu tinha que reconstituir uma carreira. Quando lancei o primeiro disco pela Som Livre [2003], era só eu, um guitarrista e o produtor... Eu montava e desmontava: acabava o show, “obrigado!”, e ficava lá no palco. Pensei: “Vou começar pequenininho e agarrar a oportunidade”. A gente tem que se adaptar a isso. Fui agora à Europa com a minha mulher... Em Florença, ficamos em um hotel pequeno, chiquérrimo, e o dono era quem servia o café da manhã, lavava... Por que eu não posso fazer certas coisas? [irônico] Porque eu sou artista? Alguns compositores ficaram putos comigo. Quando começou o papo de “estamos perdendo receita, como é que o compositor vai viver?”, eu falei: “Arruma emprego!”. E eles: “Mas como? E a musa?”. Ora, o Carlos Drummond de Andrade 34 billboard brasil Maio 2011

não teve nenhum problema com a musa sendo funcionário público. Rubem Fonseca foi delegado de polícia... Virou uma coisa de proteção: “Temos que proteger os nossos artistas!”. Não dá mais pra manter o modelo de negócios para poucos, à força. Se as pessoas não estão mais querendo, tem que se adaptar, né, cara? Nos anos em que você ficou sem gravar, os direitos autorais lhe garantiam o sustento? Não, pagavam um mês em cada três [risos]. Não era ruim, não, porque eu já tinha uma obra, né? Os discos do Kid Abelha, os dos Heróis, e coisas que outras pessoas gravaram... E melhorou bastante hoje, com a informatização. Apesar de todos os problemas do Ecad, melhorou. Eu faço parte do Gap [Grupo de Articulação Parlamentar Pró-Música], com Francis Hime, Jorge Vercillo, Ivan Lins, Frejat, Ana Carolina... A gente acha que tem que haver um controle maior, até porque o Ecad é uma excrescência: um monopólio concedido pelo Estado que não tem fiscalização. O Ecad é capaz de impedir uma festa junina em escola pública porque a escola tem que pagar a taxa do direito autoral do Luiz Gonzaga. Cara, o Luiz Gonzaga morreu, a viúva também, a família que se dane, né? Tem que ter um órgão regulador que diga: “Isso aqui não vai ser cobrado”. Mas não sou dos que demoniza o Ecad. Eu sou privilegiado, o que me autoriza a contestar as coisas, não sou cara que não recebe. Como é o repertório dos seus shows hoje? Eu faço enquetes sobre repertório entre os fãs. Se eu for me guiar pelo pessoal que vai ao meu site, só toco as músicas de 2002 pra cá. “Exagerado” e “A Fórmula Do Amor”, eu que empurro... A que sempre ganha na escolha do público é “Temporada Das Flores”, que teve, sei lá, um pouquinho de execução com a Milena Monteiro, numa novela.E a segunda é “Fotografia”, que não tocou em lugar nenhum! O pessoal que me conhece da grande mídia pensa em “Garotos II”, “Por

Que Não Eu?”, coisas do Kid Abelha... Na verdade, a minha carreira eu estou fazendo pra esse pessoal que gosta do repertório novo! No Facebook, vejo que 70% do meu público são pessoas que têm entre 18 e 34 anos. Na minha faixa etária, tem 1.1 %. Eu podia esquecer minha faixa etária, né? Poderia esquecer o passado, o Kid Abelha e tal... Mas também tenho orgulho da minha história, e faço questão, chego a forçar um pouco a barra pra manter essas coisas no repertório. Você completou 50 anos agora. Como foi atingir essa marca? É estranho, né? Fazer 50 anos num meio que é muito adolescente, como o rock. Se eu ainda fosse do samba, né? Não tem Velha Guarda do rock, o pessoal já começa a falar “ah, está decadente”. Por outro lado, o fato de eu estar renovando o público e o repertório, me dá uma outra perspectiva. Minhas canções atualmente são menos sobre relacionamento, são coisas mais existenciais: o que é ser feliz, o que é importante na vida. Eu fico é me questionando se as coisas que tenho a dizer ainda vão ser importantes para um público tão mais jovem. Mas tem dado certo... [risos]. Só é esquisito ver a cara caindo [risos]. Sou a mesma pessoa, mas com o efeito da gravidade [risos].


es.ti.lo

TODO MUNDO TEM MOTIVO PARA LER O DESTAK.

O Destak é música O Destak é arte O Destak é seu O Destak traz o cotidiano que realmente interessa, com informações dos mais diversos acontecimentos da sua cidade, do Brasil e do mundo, de forma gratuita. O melhor em entretenimento, com dicas de música, diversão e arte, você encontra no Destak. Fique antenado com o que acontece ao seu redor. Brasil é destaque, Destak é Brasil.

Faça o certo, leia o Destak.

_ANUNCIOS.indd 3

5/4/11 11:39 AM


Duas décadas depois da explosão do grunge, seus personagens falam à Billboard Brasil sobre o impacto daquela que é tida como a última revolução incontestável no rock. E que continua reverberando por

Rodrigo Ortega

36 billboard brasil Maio 2011


KURT COBAIN mergulha no público de Cambridge, Massachusetts, em 1990. Um ano depois, ele viraria todo o rock de cabeça para baixo www.billboard.br.com 37


y Temme Foto: Mart

“É melhor ser inocente do que ser amargo e cínico.”

Kravitz

OSELIC IST NOV R K e o d enta OBAIN s 1990 KURT C Angeles, s o L m e , o ao fund

Foto: Jeff

Com esta frase, Jonathan Poneman defende seu método de trabalho – mesmo depois de anos à beira da falência, no comando de uma empresa que lidou de maneira desordenada com a falta de grana nos anos 80 e o excesso dela no início dos 90. O americano de 51 anos nasceu na chuvosa Toledo, em Ohio, e cresceu na mais chuvosa ainda Seattle, em Washington, onde fundou com o amigo Bruce Pavitt a gravadora Sub Pop, símbolo do movimento grunge dos anos 90. Guitarras distorcidas e camisas de flanela não são mais a base dos produtos do selo, cujos sucessos mais recentes vão do duo de músicos comediantes Flight of the Conchords aos barbudos folk do Fleet Foxes. Mas a base da ruína e da glória da Sub Pop continua intacta: a bagunça. “A Sub Pop era – e ainda é – caótica”, admite Poneman, “mas a repetição deixa o caos um pouco mais familiar.” Abraçar a inocência de maneira mais madura é a forma com que a maioria dos sobreviventes da revolução grunge toca suas vidas. Em 1991, eles tomaram à força o poder da música pop com álbuns como Badmotorfinger, do Soundgarden, Ten, do Pearl Jam e especialmente Nevermind, do Nirvana. “Smells Like Teen Spirit”, a canção do Nirvana que abriu as portas do mainstream, foi gravada há exatos 20 anos, em maio de 1991. O reinado foi curto – e desastroso, terminando com o suicídio de Kurt Cobain, em 5 de abril de 1994–, mas marcou para sempre a cultura pop. “As pessoas da cena que eram mais jovens certamente eram inocentes”, diz Jonathan Poneman, que já tinha 31 anos quando o Nirvana trouxe “Smells Like Teen Spirit” ao mundo. Mas “esse é o curso natural da vida”, ele acredita. Pat Smear é um dos músicos que estiveram próximos de Kurt Cobain antes de sua morte. Guitarrista das turnês do Nirvana até o fim da banda, ele é um pouco mais velho do que a média de idade da geração grunge, hoje quarentona. Aos 51 anos, o atual guitarrista dos Foo Fighters tem uma visão parecida com a de Poneman: “Eu diria que todo mundo está mais maduro. Antes era

CHRI S COR NELL do Sou se n d ga r d e n e m j o ga e m s h o w Hollyw ood, 1 991

AFINAL, O QUE É GRUNGE?

38 billboard brasil Maio 2011

Foto: divulgação

“A coisa mais barulhenta, mais absurda e pesada que está acontecendo. Isto é grunge.” Foi assim que o malucão Tad Doyle, vocalista do Tad, definiu o termo no documentário Hype!. É uma boa definição, mas, 20 anos depois, o significado de“grunge” ganhou diferentes leituras e significados.Confira alguns palpites e explicações de figuras notáveis...

“Curtir como o inferno, festejar o tempo todo e desobedecer aos pais.” Jonathan Poneman, Sub Pop


IST NOVOSELIC DAVE GROHL, KR KURT COBAIN, festa de ELLI HYRKAS, na e sua ex-mulher SH ens estão em nova vermind. As imag lançamento de Ne al) tle (veja boxe no fin exposição em Seat

Foto: divulgação

uma loucura, éramos novas bandas tentando nos encontrar, hoje é mais normal, fazemos mais coisas normais. A vida hoje é mais fácil”. “Como no começo de todos os movimentos musicais importantes, a inocência provavelmente é um fator muito importante – um senso de ‘nós contra o mundo’ e ‘se estivermos juntos, podemos fazer a mudança’. E é isso que fez do grunge uma coisa original e, sem dúvida, o último movimento musical que não foi pré-fabricado”, define Greg Prato, autor do livro Grunge Is Dead, lançado nos EUA em 2009, ainda sem versão em portugês. O título é baseado em uma camisa que Kurt Cobain usava em 1992 com a profética frase: “O grunge está morto”. Greg entrevistou mais de 100 músicos e pessoas que circulavam na cena de Seattle antes e durante o furacão grunge, incluindo o vocalista do Pearl Jam, Eddie Vedder, e até Duff McKagan, que fez parte de algumas bandas pioneiras da cena de Seattle nos anos 80, antes de se mudar para Los Angeles e virar baixista do Guns´n Roses. O autor resume a história com um discurso já desgastado quando se fala no assunto, mas não deixa de sintetizar o que aconteceu: “Era tudo pela música, uma comunidade de músicos que se recusou a aceitar a merda que o rádio comercial e a MTV estavam empurrando pela garganta do público o tempo todo”.

Green River reanimado

“Não sei, é só mais um termo para hard rock. As pessoas sempre ouviram bom hard rock nos anos 70 e 80. Nos 90, resolveram chamar uma parte dele de grunge. Mas o bom hard rock sempre vai existir.” Pat Smear, Foo Fighters

Foto: divulgação

Foto: Jesse Knish

“Em relação às suas perguntas para o Mark, estou certa de que ele vai responder se forem sobre o presente. Se forem sobre o passado (grunge,

“Eu comparo o grunge a dois movimentos anteriores – o hippie, nos anos 60, e o punk, nos 70. O grunge e essas cenas de antes mostraram o quão poderoso um movimento musical pode ser. Começa com músicas com uma mensagem e uma voz original (e honesta) e aí alcança outras áreas da sociedade, incluindo moda, política, as maneiras como as pessoas se enxergam, etc.” Greg Prato, autor de Grunge Is Dead www.billboard.br.com 39


in Philbey

etc.), ele vai se recusar.” A assessora da Sub Pop é bem honesta sobre o pedido de entrevista com Mark Arm, que, além de vocalista do Mudhoney, a mais garageira das bandas grunge, é funcionário da gravadora, responsável por distribuir os produtos para distribuidores internacionais. Recusar-se a falar sobre o grunge é uma das características mais marcantes dos músicos do movimento desde o início – ironicamente, o silêncio também ajuda a manter a história viva. Também irônico é o fato de Mark Arm, que não quer falar do assunto, ser apontado como o inventor do termo grunge, no início dos anos 80 (uma corruptela da palavra “garage”, onde a maioria das bandas ensaiava). Mesmo sem usar a tal palavra, de maneira indireta, é possível entender a visão pragmática que ele tem sobre o passado. “Não gosto de tocar apenas o Superfuzz Bigmuff, mas, se essa for a forma de conseguirmos agendar shows, vamos fazer”, ele diz sobre os recentes shows em que o Mudhoney tocou por completo o seu LP de estreia, lançado em 1990 pela Sub Pop. Ele prefere falar sobre o disco novo do grupo, que está com as músicas todas prontas, apenas esperando as letras. Mas, falando sobre o futuro, Mark entrega outro projeto que revive os primórdios do grunge com a banda Green River, que, de 1984 a 1988, foi formada por ele e seu companheiro de Mudhoney, Steve Turner, com dois futuros membros do Pearl Jam, Jeff Ament e Stone Gossard. “Quero voltar a tocar com o Green River, mesmo que não seja agora. Nós estamos conversando sobre fazer mais coisas juntos desde que nos reunimos para o aniversário de 20

CHR IS no aq CORNE LL a ueci inda men est to

á

“O que aconteceu no final de 1991 afetou a cultura popular de maneira profunda, mais do que qualquer outra era musical do Noroeste americano – mas até a era de ‘Louie Louie’ [música de 1957, de Richard Berry, clássico primal do rock]. O Nirvana se tornou e vai continuar a ser uma pedra fundamental para jovens de certa idade – as letras, o que eles usavam, os vídeos e as músicas falam para muitas pessoas.” Jacob McMurray, curador da exposição Nirvana: Taking Punk To The Masses

40 billboard brasil Maio 2011

Foto: divulgação

Foto: divulgaçã

o

F o to

: Mic

k Hut son

Pearl Jam Twenty é o nome do documentário sobre a carreira de Eddie Vedder e seus amigos que será lançado neste ano, com a direção de Cameron Crowe (de Quase Famosos). Não é o primeiro trabalho de Cameron junto com o Pearl Jam: em 1992, a banda apareceu no filme Vida de Solteiro (Singles), na trilha sonora e no papel da banda fictícia Citizen Dick. Além do documentário, a comemoração de 20 anos do grupo deve incluir um festival organizado por eles em setembro – mês em que também devem fazer shows no Brasil. No início deste ano, eles lançaram o disco ao vivo Live On Ten Legs e relançaram Vs. (1993) e Vitalogy (1994). Já o Soundgarden está desde 2010 nas preliminares de um retorno que deve se consumar neste ano. Em agosto do ano passado, eles fizeram shows juntos pela primeira vez em 12 anos, inclusive no festival Lollapalooza, em Chicago. Desde então já lançaram a coletânea Telephantasm: A Retrospective e o disco ao vivo Live On I-5. Mas o que os fãs mais esperam é o prometido álbum de inéditas. “Queremos que ele soe diferente. A última coisa que faremos é um álbum grunge ou de metal”, afirmou o guitarrista Kim Thayil à revista Kerrang.

ra

Foto: Mart

Pearl Jam e Soundgarden celebram os 20

balança DER vai D E V IE EDD a no cinem cabeleira

“Você sabe, é como a música que não pudemos ver quando tínhamos 15 anos – Beatles, Hendrix, Cream, The Who em 1969... Você não consegue nem imaginar como foi. E agora garotos tentam imaginar como foi ver o Nirvana em um bar de esquina, mas nós vimos e foi incrível!” Kurt Bloch, Fastbacks


Foto: Ebet roberts

“Graças a Deus, Nirvana, Soundgarden e Pearl Jam lançaram os melhores discos de suas carreiras todos ao mesmo tempo. Foi um soco triplo que não pôde ser ignorado e colocou o rock nos trilhos de novo. Por isso, acho que devemos fazer um brinde à ascensão do grunge ao mainstream. Quem vai servir o champanhe?” Greg Prato, autor do livro Grunge Is Dead

Foto: mark mainz

MARK ARM, que – supostamente – criou e renegou o termo grunge, em show do Mudhoney

“Hoje, grunge é uma palavra como swing ou doo-wop, usada por caras velhos para descrever para as crianças o que elas perderam. É apenas uma maneira de olhar para o tempo. Eu me preocupo com essa nova geração pela influência impressionante que a internet tem.

Você pode notar o impacto que o acesso ao passado tem na música de hoje. É retrô demais, muitas influências. Os Beatles são muito grandes, Bob Dylan é muito grande. U2 é grande demais. A velha new wave é enorme. É difícil ouvir uma nova voz enquanto as pessoas estão venerando seus ancestrais.” Steve Fisk, produtor (Nirvana, Mudhoney, Screaming Trees)

www.billboard.br.com www.billboard.br.com 41


Nem os autores apostavam na música de versos incompreensíveis – mesmo assim, ela mudou a carreira do Nirvana e os rumos do rock Toda canção tem um propósito. O Nirvana começou a levar “Smells Like Teen Spirit” ao mundo em um show no pequeno OK Hotel, em Seattle, em 17 de abril de 1991, com um objetivo: juntar dinheiro para pagar a gasolina da viagem que faria até Los Angeles, para gravar Nevermind. A música foi bem recebida pelo público, mas a completa falta de expectativa da própria banda de que a faixa pudesse se transformar em um grande sucesso só começou a mudar há exatos 20 anos, em maio de 1991. Foi no estúdio Sound City, em Los Angeles, Califórnia, que a banda notou o entusiasmo do produtor Butch Vig com “Smells Like Teen Spirit”. “Pensei que ‘In Bloom’ ou ‘Lithium’ seriam os hits. ‘Smells’ era só um outro pedaço do disco. Gravamos rápido, mas acho que era uma das favoritas do Butch Vig e então ficou claro que seria uma música especial...”, lembrou Dave Grohl em uma entrevista à revista Mojo. Ao contrário da maioria das composições do Nirvana, ela é creditada não só ao vocalista e guitarrista Kurt Cobain, mas também ao baterista Dave Grohl e ao baixista Krist Novoselic. Kurt chegou ao estúdio com o riff e o refrão para que eles experimentassem a dinâmica de maneira livre. De cara, Novoselic achou a ideia “ridícula”, mas sugeriu que eles tocassem mais devagar, e a partir daí eles foram inserindo mais

elementos até o acabamento final junto com Butch Vig. Sobrepor vocais na gravação foi uma ideia que Kurt rejeitou no início, mas Vig conseguiu convencê-lo com um argumento simples: “John Lennon também fazia isso”. "Não podemos tocar isso. Não entendo nada que o cara canta.” A reação inicial de alguns radialistas, como descrita na biografia Mais Pesado Que o Céu, de Charles Cross, foi logo vencida pelo poder hipnotizante do riff simples – quase idêntico ao de “More Than A Feeling”, do Boston, e várias outras músicas, como o próprio Kurt Cobain admitia – repetido à exaustão. Mais do que a melodia, foi na dinâmica que Kurt Cobain, Dave Grohl e Krist Novoselic foram capazes de carregar toda a revolução alternativa que acontecia desde os anos 80 e atirar na direção do mainstream. “Eu estava basicamente tentando copiar os Pixies” é a declaração clássica de Kurt sobre a música, junto a tantos outros elogios que fez aos pioneiros do indie rock americano dos anos 80. Outra história tão repetida quanto o riff da música é a referência à marca de desodorante Teen Spirit no título, que Kurt dizia ser involuntária – segundo ele, a amiga Kathleen Hanna, então na banda Bikini Kill, escreveu “Kurt Smells Like Teen Spirit” na parede de sua casa e ele pensou que fosse uma frase mais filosófica, não uma referência à marca. A transformação de “Teen Spirit” em um fenômeno cultural que catapultou Nevermind ao topo do Hot 100 da Billboard e todo o rock alternativo ao circuito comercial contou com um elemento visual que ajudou a dar significado às palavras desconexas de Kurt: o clipe. “Essa música ajudou a estabelecer a dinâmica calma/barulhenta e personificou a banda. Mas o vídeo foi provavelmente o elemento-chave para transformá-la em um hit. As pessoas ouviam no rádio e pensavam: “Que ótimo”. Mas quando viram o clipe pensaram: “Isso é legal. Esses caras são meio feios e estão destruindo a merda da escola!”. Após oito horas de gravação, cansativas para a banda e para os adolescentes que figuravam como estudantes na plateia, a ideia para as cenas mais marcantes do vídeo veio do próprio Kurt Cobain: sair do lugar e destruir o cenário.

REVOLUÇÃO CERTIFICADA “Não acredito...”, deve ter pensado algum executivo de música menos antenado no dia 30 de novembro de 1991, ao ouvir o barulho estranho que ocupava o segundo lugar do Billboard Hot 100. Mas exatamente naquele dia ele perdeu qualquer argumento para não acreditar em uma 42 billboard brasil Maio 2011

Fotos: divulgação

“TEEN SPIRIT”: GASOLINA DA EXPLOSÃO GRUNGE

O primeiro rascunho do hino, dos diários de Kurt Cobain

KURT no intervalo da gravação do clipe de “Teen Spirit”

parada da Billboard. Era a data de lançamento do Nielsen SoundScan, o método de apuração que até hoje é a base da formação das paradas nos EUA e Canadá e orienta toda a indústria musical desde então. Assim como "Smells Like Teen Spirit"¸ o Nielsen SoundScan foi criado em maio de 1991 e no final do ano já era referência no mundo musical. Os inventores do método foram os americanos Mike Fine e Mike Shalett. Ao contrário das paradas computadas a partir de simples consultas às lojas no passado, o Nielsen SoundScan computa eletronicamente as vendas de 14

mil lojas americanas a partir do registro das caixas registradoras, sem possibilidade de erros ou fraudes. As paradas atuais da Billboard EUA se baseiam nestes números. "Smells Like Teen Spirit" não foi apenas a primeira surpresa musical dos anos 90, mas também a primeira surpresa da música pop certificada eletronicamente.


Foto: lindsay brice

“Eu me preocupo com essa nova geração (...). Você pode notar o impacto que o acesso ao passado tem na música de hoje. É retrô demais, muitas influências. É difícil ouvir uma nova voz enquanto as pessoas estão venerando seus ancestrais” Steve Fisk, produtor de Blew, EP do Nirvana anos da Sub Pop em 2008.” “O único problema é de agendas”, revela. Mesmo que eles não queiram, estes músicos vão estar sempre marcados pelo que fizeram 20 anos atrás. E isso não é necessariamente uma coisa ruim: “É uma data para ser comemorada, absolutamente”, defende Greg Prato. “Você tem que se lembrar, o rock no verão de 1991 era uma terra arrasada – a maior parte do que tocava na MTV era “hair metal” bobo, regurgitando as mesmas bobagens pela vigésima vez. E as pessoas ainda compravam isso! Ridículo. Graças a Deus, Nirvana, Soundgarden e Pearl Jam lançaram os melhores discos de suas carreiras todos ao mesmo tempo. Foi um soco triplo que não pôde ser ignorado e colocou o rock nos trilhos de novo. Por isso, acho que devemos fazer um brinde à ascensão do grunge ao mainstream. Quem vai servir o champanhe?”, pergunta.

“Esmagados pela mídia” dois anos depois “Eu queria contar a história a partir das pessoas que

O GRUNGE UNIVERSITÁRIO “Viajar por aí, tocar bem alto, conhecer a galera saudosa de uma boa barulheira como a gente.” A gaúcha Liege Milk, 25, era criança quando a barulheira de Nirvana, Melvins e Mudhoney surgiu, mas isso não a impede de fazer parte da “galera saudosa”. Ela é baterista da banda Hangovers,

MARK LANNEGAN, dos Screaming Trees, em 1990

efetivamente a viveram”, explica Greg, que fez em Grunge Is Dead uma extensa história oral do movimento, nos moldes do clássico livro Mateme, por Favor, sobre a história do punk, de Larry McNeil e Gilliam McCain. Mas as histórias não são apenas dos músicos mais famosos. Grunge Is Dead fala sobre o rock de Seattle e redondezas desde os anos 60, e principalmente da década anterior ao estouro do movimento. “As bandas anteriores são muito importantes. Se você escutar compilações como 26 Songs, do Melvins, ou Solid Action, do U-Men [ambas as bandas são pioneiras do rock da região nos anos 80], vai perceber de onde bandascomo o Soundgarden tiraram muitas das ideias para o seu som”, justifica Greg. Steve Fisk é um dos personagens

que viveram a cena desde o início, como músico e depois como produtor, responsável pelo primeiro EP do Nirvana, Blew, de 1989, e trabalhos do Mudhoney e Screaming Trees. “Para mim e muitos dos meus amigos, a coisa estava morta em 1982.” “A maior parte dos anos 80 pareceu um período de gestação, mas ainda não efervescente”, lembra. A história, para ele, mudou de repente: “Quando voltei para Seattle em 1989 havia alguma coisa no ar, algo a ser ouvido. Em dois anos tudo havia sido esmagado pela mídia, a indústria da música, estrelas de cinema e oportunistas invadindo a cidade. Mas foi legal. A mudança é uma dádiva. Como dizem no seriado Deadwood: ‘‘A mudança não procura fazer amigos”, conta Fisk. “O circo se foi”, lembra o produtor, que hoje ainda trabalha com várias bandas e projetos de Seattle, como a exposição Nirvana: Taking Punk To The Masses (veja boxe). “O antigo sistema musical está morto. Mas ainda há muita música boa. Isso nunca parou”, garante. Um dos artistas que esteve antes, durante e depois do grunge na cena da cidade é Kurt Bloch, ex-guitarrista dos pioneiros do punk

que rotulou seu próprio som de “grunge universitário”. Seu primeiro EP, Bebendo Socialmente, tem títulos que homenageiam o Nirvana (“Positive Creep”, “Chico Bento Vai Ter Sua Vingança Em Seattle”) e uma barulheira instrumental feita apenas com duas guitarras e bateria. “Perdemos boa parte do nosso tempo fazendo piadas e trocadilhos. Bem como passamos a adolescência ouvindo Nirvana (entre outros petardos trajados com flanelas) e sonhando em ter uma banda, como muitos da nossa geração. Somos fãzaços da turma noventona”, conta Liege.

Também aos 25, o inglês Bigland comanda o Dinosaur Pile-Up, que surgiu da sua obsessão por Dave Grohl e “todas aquelas coisas distorcidas e viscerais”, como disse Matt ao site da BBC. Junto com outra promessa inglesa barulhenta, o Yuck, eles são os primeiros alunos da nova classe grunge universitária gringa.

www.billboard.br.com 43


KURT e KRIST durante as gravaçõe s de Nevermind. A foto está exposta em Seattle (vej a boxe abaixo)

Foto: divulgação

local Fastbacks. “Antes do grunge, os clubes eram cheios de bandas tocando covers e sucessos alheios. Então a cena de shows mudou, as pessoas passaram a sair para ouvir música original. Ainda havia músicas ruins e clubes ruins... Mas tantas outras muito boas”, recorda. Essa época foi definida no documentário Hype!, de 1996, da seguinte maneira: “Seattle é hoje para o rock o que Belém foi para o cristianismo”. O cenário para quem ficou em Seattle, ao contrário do clima da maioria das letras dos clássicos do grunge, pode ser otimista: “Para mim, não mudou muita coisa desde os anos 90. Ainda saio para ver bandas o tempo todo, muitos clubes. Talvez menos dinheiro e menos sonhos de ser o próximo grande sucesso... Mas talvez isso seja uma coisa boa!”, comemora Kurt Bloch, que atualmente toca com a banda Thee Sgt. Major III, com o ex-baterista dos Posies, Mike Musburger, entre outros músicos locais.

Fotos: divulgação

A RESSURREIÇÃO DE KURT EM SEATTLE Exposição reúne objetos e fotos que permitem aos fãs reviver a trajetória de Kurt com o Nirvana “Levamos as coisas de volta a um nível em que pessoas comuns podem ver que o Nirvana foi feito por outras pessoas comuns, que tinham talento, ambição e uma grande dose de sorte, e fizeram isso se tornar imenso.” Assim define o organizador da exposição Nirvana: Taking Punk To The Masses, Jacob McMurray, que conseguiu reunir objetos que contam a história da “pessoa comum” Kurt Cobain e seus companheiros do Nirvana. A exposição foi inaugurada em abril, no Experience Music Project, em Seattle, para “visitantes de 30 a 40 anos que viveram a época, mas também para adolescentes e pré-adolescentes”, para a alegria de McMurray. A abertura teve exibição de filmes, oficinas de buttons e camisas com a “tecnologia vintage” dos primórdios do Nirvana e até aulas de “guitarra grunge”. Os objetos ficam em Seattle por dois anos, mas há planos de viagens para outras cidades – e, para a esperança dos fãs brasileiros, outros países. “Com certeza há potencial de viagens internacionais. Se você souber de algum museu ou espaço apropriado aí, me avise!”, convoca McMurray. 44 billboard brasil Maio 2011

Suéter utilizado por Kurt Cobain nas gravações de “Smells Like Teen Spirit”

A New American Gothic, desenho de Kurt Cobain de 1984

Primeira fita demo do Nirvana, de 1988

A primeira guitarra que Kurt Cobain destruiu no palco, em Olympia, em 1988


_ANUNCIOS.indd 3 vh1_lets_dance_billboard_255x305.indd 1

5/4/11 11:21 AM 26/04/11 18:42


foto: Candice Lawler

46 billboard brasil Maio 2011


Na garagem de Dave Grohl, os Foo Fighters recuperam, no braço, sem apelar para truques digitais, o espírito de 20 anos atrás por Mitchell

Peters

fotos

candice lawler

A partir da esquerda: NATE MENDEL, CHRIS SHIFLETT, DAVE GROHL, TAYLOR HAWKINS e PAT SMEAR de baterias recarregadas www.billboard.br.com 47


Alguém perguntou a Dave Grohl se o rock'n'roll está morto. Provavelmente não foi a pergunta mais inteligente para um roqueiro fanático como Grohl, ex-integrante do Nirvana que lidera os Foo Fighters e é considerado por muitos o maior baterista do rock atual. “Eu disse: 'Cara, pergunte às 130 mil pessoas que virão nos ver no Milton Keynes Bowl na Inglaterra em julho. Pergunte às duas mil pessoas que estavam bebendo e curtindo a noite mais divertida de suas vidas no South by Southwest”, conta Grohl, que no fim de março esteve na estreia do novo documentário dos Foo Fighters dirigido por James Moll Foo Fighters: Back and Forth (veja boxe). “Só porque o rock'n'roll não é o número 1 na parada, isso não significa que ele tenha desaparecido”, continuou. “Não significa que esteja morto. Tudo que sei é o que o rock'n'roll significa pra mim. É uma coisa viva, que respira e que pode ser vista nos olhos de alguém.”

Você não precisa olhar Grohl nos olhos pra saber que ele é um autêntico roqueiro. E, se seu currículo não for convincente o bastante – ele tocou bateria com o Nirvana antes de lançar a estreia autointitulada como uma banda de um homem só em 1995 –, então talvez sua abordagem old-school para a gravação do sétimo álbum do Foo Fighters não deixe nenhuma dúvida. Para Wasting Light, sétimo álbum do Foo Fighters, lançado pela Roswell/ RCA em abril, a banda abandonou o Pro Tools e gravou 11 faixas, todas em fitas analógicas na garagem da casa de Grohl, em Encino, Califórnia. Butch Vig – responsável por Nevermind, o disco que catapultou o Nirvana – produziu

RELACIONAMENTO ABERTO Documentário que deixou grohl apavorado

foto: andy sheppard

registra os 16 anos de “casamento” dos Foo Fighters

48 billboard brasil Maio 2011

o sucessor de Echoes, Silence, Patience & Grace, de 2007. O trabalho tem participações especiais do baixista do Nirvana, Krist Novoselic, e do cantor/ guitarrista Bob Mould (que era das bandas Hüsker Dü e Sugar). “Existe poesia em estar numa banda que pode lotar Wembley, mas que também faz um álbum numa garagem”, diz Grohl. “Por que ir ao estúdio mais caro com o maior produtor e usar o equipamento mais avançado? Onde está o rock'n'roll nisso tudo? O que aconteceu com o garoto que abandonava a escola, pintava casas e trabalhava num depósito de móveis para poder cair na estrada e escapar de tudo? Não gosto de fazer o que as pessoas esperam que eu faça.”

Adotar métodos de gravação vintage para produzir um som de rock quente e retrô pode parecer uma decisão arriscada no mundo da música atual. O pop reinou no ano passado com artistas como Justin Bieber e Ke$ha dominando as vendas e as paradas de rádio. Mas, enquanto o rock está passando por uma fase de baixas vendas e pouca audiência em rádios, os Foo Fighters estão confiantes de que o público que consome rock receberá Wasting Light de braços abertos. Seu otimismo tem fundamento. Desde o surgimento da banda, há 16 anos, ela já conquistou 24 hits

Dave Grohl não estava planejando assistir à estreia do novo documentário sobre sua banda, Foo Fighters: Back and Forth, no dia 15 de março, no Paramount Theatre, em Austin, como parte do festival South by Southwest (SXSW). Mas ele não pode recusar o pedido de sua esposa. “Fizemos nosso discurso antes do começo do filme e, quando saímos, parei pra pegar uma pipoca e chocolates. Então, minha esposa disse: 'Por que não ficamos?'." Eles acabaram assistindo a tudo do balcão. “Foi uma viagem ver a reação das pessoas diante das coisas boas e ruins e ouvir as risadas e silêncios desconfortáveis.” O filme dirigido por James Moll cobre os 16 anos de história dos Foo Fighters: de Grohl concebendo o grupo logo depois do final abrupto do Nirvana, em 1994, até a criação do novo trabalho da banda, Wasting Light.

O filme, incluindo entrevistas sinceras com os cinco membros atuais do grupo e os ex-integrantes William Goldsmith e Franz Stahl, começou a ser exibido em 80 cinemas dos EUA em 5 de abril, seguido imediatamente de um show da banda de seu novo álbum do começo ao fim. Um DVD com extras deverá ser lançado em maio, mas ainda não há previsão para lançamento no Brasil. Moll diz que teve total liberdade criativa e que compilou mais de mil horas de filmagens históricas e novas. “Foi fascinante ver a dinâmica do casamento que ocorre numa banda assim: quando funciona, o quanto é incrível, e quando não dá certo, como pode ser devastador”, comenta. O comentário de Grohl reforça isso: “Foi como assistir a um filme com minha cara do tamanho de um dirigível – aquilo me deixou apavorado”.

Covers só em vinil


foto: CANDICE LAWLER

“Só porque o rock'n'roll não é o número 1 na parada, isso não significa que ele tenha desaparecido" www.billboard.br.com 49


foto: tim mosenfelder

GROHL: otimista em uma vida longa para o rock

na parada Alternative e vendeu 9,5 milhões de álbuns (e teve 8, 5 milhões de downloads) nos EUA, de acordo com o Nielsen SoundScan. E Grohl, o guitarrista Pat Smear, o baixista Nate Mendel, o baterista Taylor Hawkins e o guitarrista Chris Shiflett vêm munidos de um arsenal de esforços de marketing e promoção naquilo que o vice-presidente executivo da RCA, Tom Corson, chama de “uma das campanhas mais abrangentes em que já estive envolvido”. Além das datas de shows e de festivais marcadas para todo o mês de agosto, já existe um single nas rádios rock (“Rope”), várias aparições na TV e posicionamentos de sincronia com filmes sendo negociados, dois novos vídeos, o álbum de covers exclusivamente em vinil, Medium Rare para o Record Store Day (16 de abril), shows secretos em clubes em Los Angeles, uma limusine 1989 branca com a marca do Foo Fighters atravessando 50 billboard brasil Maio 2011

o país como prévia de Wasting Light para estações de rádio e varejistas indie, outra turnê na América do Norte planejada para o outono e um documentário prestes a sair. O Foo Fighters também está focando parte de sua estratégia de marketing/promoção no tema de “garagem” do álbum, o que inclui uma turnê pela América do Norte patrocinada pela BlackBerry, na qual a banda tocará em garagens de verdade para oito fãs de sorte.

Contra a “merda de Glee” “Assim como qualquer outro artista que esteja fazendo música hoje em dia, estamos procurando novos meios de comunicar às pessoas que temos um novo álbum”, afirma Mendel, baixista da banda Sunny Day Real Estate, que se juntou ao grupo em 1995. “Você pode ficar preocupado ou reclamar do estado

das coisas, mas há oportunidades interessantes para se fazer algo diferente também.” Até agora, o burburinho em torno de Wasting Light tem sido forte, principalmente online, onde além do vídeo agressivo para a música de sonoridade meio punk “White Limo” (com participação de Lemmy Kilmister, do Motörhead) e do vigoroso novo single “Rope”, diversos sites e blogs postaram declarações de Grohl tomando partido da banda Kings of Leon e de Slash e acabando com o criador de Glee, Ryan Murphy, devido a seus comentários negativos sobre não ter obtido permissão para usar determinadas músicas no programa da Fox. (Os Foo Fighters têm a mesma empresa “mãe” que Glee, a Sony Music Entertainment, que lança seus álbuns pela Columbia.) “Você não deveria ter de fazer a merda do Glee”, disse Grohl ao Hollywood Reporter.

“Rope” chegou ao topo da parada Alternative, dando ao Foo seu oitavo número 1. O grupo é o que mais tem primeiros lugares nessa listagem nas décadas de 90, 2000 e 2010. A banda também empata com o U2 entre os quatro maiores líderes na história das paradas, tendo apenas Red Hot Chili Peppers (11), Linkin Park (dez) e Green Day (nove) com números maiores. Nos últimos anos, as rádios de rock americanas têm tido quedas de audiência. Os totais da Nielsen BDS para a música número 1 na parada de Rock Songs caíram de cerca de 15 ou 16 milhões por semana em meados de 2009 para cerca de dez milhões nos meses recentes. Ainda assim, “Rope” registrou 15 milhões na lista do início de abril. No fim de 2002, 86 estações estavam tocando a música número 1 da parada Alternative; nove anos


É O PAT, É O PAT O craque da guitarra fala sobre sua volta ao Foo Fighters e sobre os encontros que revivem o Nirvana Por Rodrigo

Ortega

"É ótimo ser um membro fixo dos Foo Fightersdenovo.Toqueiumpouconoúltimo disco [Echoes, Silence, Patience & Grace, de 2007], mas desta vez estive do início ao fim, e foi bem divertido", conta o guitarrista Pat Smear, que também tocou ao vivo com o Nirvana nos dois últimos anos da banda. O baixista Krist Novoselic participa de uma música de Wasting Light, "I Should Have Known". Mas sua reunião com Smear e Grohl não ficou apenas nos quatro minutos da faixa. No dia 22 de dezembro de 2010, no final de um show secreto dos Foo Fighters, em um bar na Califórnia, Novoselic subiu ao palco, Dave Grohl pegou as baquetas e, com Pat na guitarra, eles fizeram a primeira reunião dos integrantes vivos do Nirvana desde o fim do grupo. "Tocamos a única música que poderíamos

nos dois anos seguintes e atingindo 18,9% (2008) e 18,2% (2009) antes de cair até 16,5% em 2010. No ano passado, lançamentos de Kings of Leon (Come Around Sundown), My Chemical Romance (Danger Days: The True Lives Of The Fabulous Killjoys) e Linkin Park (A Thousand Suns) ficaram abaixo das médias esperadas. Na estrada, tudo vai bem: o Foo Fighters faturou US$ 19,4 milhões em 42 shows em estádios que atraíram mais de 431 mil fãs, de acordo com o Billboard Boxscore. E ainda estão adotando práticas digitais de divulgação desde o ano passado, com Grohl usando o Twitter para espalhar fotos e notícias da gravação de Wasting Light. Mas, se o álbum do Foo Fighters de mais sucesso, The Colour And The Shape (1997), vendeu 2,3 milhões de cópias, Echoes, de 2007,

ter tocado com o vocal original, "Marigold" [lado B do single "Heart-Shaped Box", de 93, e única do Nirvana cantada e composta por Grohl"], conta Pat. "Foi louco", continua o guitarrista, "a gente nunca tinha feito antes. É bom tocar com o Krist, é bom tocar com o Dave, então eu faria de novo se a gente fosse chamado", garante. Na verdade, eles não tocaram só "Marigold", mas o restante foi realmente secreto. "Alguns dias antes, nós três nos reunimos na casa de Dave e tocamos algumas músicas para nós mesmos, por diversão", revela Pat.  Ele também se divertiu nas gravações do novo disco. "Era uma garagem simples, comum mesmo. Tinha uma sala, uma escadinha e embaixo o pequeno estúdio, que antes a gente usava apenas para fazer demos de algumas coisas. O Dave teve que limpar e tirar todas as tranqueiras de lá. Então ele e o Butch Vig fizeram os testes de som e viram que daria certo. Daí começamos", resume. O guitarrista está na batalha desde 1977, quando formou os Germs, banda que ajudou a moldar o punk americano que explodiu nos anos 90. Ele é o único integrante dos Foo Fighters acima da média de 40 anos. Aos 51, ele não se vê mais distante da geração dos seus companheiros de banda. “Eles me viam como uma influência no começo, talvez. Hoje não, já faço parte da turma”, garante o veterano.

mal chegou às 900 mil cópias. Agora, os fãs terão muitas razões para comprar Wasting Light. Uma delas: um número limitado de cópias físicas incluirá um pedaço da fita master utilizada na gravação.

“Meio bêbados” no palco Grohl reconhece que o público dos Fighters mudou ao longo dos 16 anos de carreira da banda. "Nosso relacionamento com os fãs é diferente do que era há 15 anos, porque a faixa etária hoje é muito ampla”, afirma. “Eu olho para a plateia e vejo garotos de oito anos com camisetas do Foo Fighters cantando todas as letras e depois vejo um pai de 65 anos de bigode com uma cerveja sentado perto deles.” Grohl diz que Wasting Light é o último álbum previsto no atual acordo com a RCA; a gravadora

não quis comentar o assunto. “Nosso contrato está acabando”, diz Grohl, observando que a banda tecnicamente grava pelo selo Roswell (“da qual sou a droga do presidente”, diz ele) e ainda não discutiu por onde o próximo álbum será lançado. “Ainda não conversamos seriamente sobre isso. Mas eles são pessoas ótimas com as quais adorei trabalhar por muito tempo.” Grohl diz que não está preocupado com o lado de negócios da música; quer aproveitar cada instante fazendo o som em que acredita, a despeito das opiniões baseadas em números e marketing. “Para mim, o rock'n'roll é analógico. Rock'n'roll é imperfeição”, diz. “Rock'n'roll são músicos no palco que não são bonitinhos nem cantam perfeitamente. Eles ficam meio bêbados e não soam como no álbum. E não têm computadores atrás deles tocando as coisas pra eles. Pra mim, rock'n'roll é real. Ele está vivo e bem.”

foto: Gary Miller

depois, 61 o fazem, queda que reflete o grande número de estações que mudaram completamente de programação ou alteraram sua grade significativamente mudando seu foco. “Muitos dos indicadores tradicionais apontam que o rock precisa ser renovado e está num ciclo de declínio. O que acontece cada vez mais é que o rock está sendo consumido de maneira que não era antes”, diz Corson, da RCA. “Sim, existem menos estações tocando rock. E o público diminuiu porque muita gente migrou para [ouvir] online.” Em 2004, o rock altenativo atingiu o que pode ser apontado como seu pico de vendas (ao menos, na era SoudScan): 20% do montante de discos vendidos nos EUA. A partir daquele ano, porém, o gênero decaiu. Em 2007, o rock alternativo respondia por apenas 17,7% do mercado de álbuns, tendo se recuperado um pouco

PAT SMEAR: veterano enturmado

www.billboard.br.com 51


_ANUNCIOS.indd 2

5/4/11 10:58 AM


_ANUNCIOS.indd 3

5/4/11 10:58 AM


Da esq: DAVID MCGOWAN, GERARD LOVE, FRANCIS MACDONALD, RAYMOND MCGINLEY e NORMAN BLAKE

HERÓIS DOS HERÓIS Kurt Cobain, o líder do Nirvana, amava esta adorável banda escocesa. Até hoje, o Teenage Fanclub conquista nobres e comuns com melodias encantadoras por

54 billboard brasil Maio 2011

Rodrigo Ortega


“O pop perfeito é o... gol do Messi, para o Barcelona, agora!” Norman Blake é, como bom escocês, louco por futebol. Em uma tarde de quarta-feira, enquanto apreciava a atuação do argentino no primeiro jogo da semifinal da Liga dos Campeões, ele conversa com a mesma admiração sobre craques da música pop com a Billboard Brasil. Nem parece, mas o simpático escocês de 45 anos também é um ídolo – de pessoas comuns e de alguns dos roqueiros mais famosos das últimas décadas. Kurt Cobain, Liam Gallagher e Thom Yorke já declararam ser grandes fãs da sua banda, o Teenage Fanclub. O trio de compositores formado por Blake, Gerard Love e Raymond McGinley, atualmente em companhia do baterista Francis MacDonald e do guitarrista David McGowan, cria melodias com fiel grupo de seguidores há duas décadas. A banda estreou em 2004 no Brasil e volta neste ano para dois shows em maio (dias 11, em São Paulo e 12, no Rio de Janeiro). As entradas para o show paulistano se esgotaram em menos de 24 horas. “Não sabia que tínhamos tantos fãs por aí, fiquei supreso”, diz Norman, no seu estilo humilde, sobre a primeira passagem por aqui. O Teenage Fanclub esteve obliquamente associado a três famosos carimbos do rock das últimas duas décadas – college rock, grunge e britpop – sem jamais ter feito parte de nenhuma das três cenas (ou nichos). E, talvez por isso mesmo, também sem o sucesso comercial previsto por muitos críticos. Restou ao grupo sobreviver a tudo com uma carreira estável, em proporções modestas. Seus dez discos de estúdio registram, na descrição do escritor inglês Nick Hornby, no livro 31 Canções, uma trajetória que “começou com ‘Helter Skelter’ e trabalhou no caminho inverso até ‘I Want To Hold Your Hand’” – ao contrário dos Beatles, foram do

barulho psicodélico ao amor inocente. “Estávamos muito interessados no Sonic Youth e nas bandas noise. Foi legal estar perto disso e ver esse movimento independente crescer e virar mainstream”, lembra Norman, ao falar do início da carreira, quando o Teenage Fanclub abria shows do grupo nova-iorquino e dividia palcos com um trio iniciante, o Nirvana. Uma clássica história sobre as duas bandas: em 1991, ambas estiveram no pódio da lista de discos do ano da revista americana Spin, maior referência do rock alternativo da época – Nevermind, do Nirvana, em terceiro, e Bandwagonesque, do Teenage Fanclub, em primeiro. Não foi só a Spin que se apaixonou pelo terceiro disco dos escoceses. O próprio Kurt Cobain virou fã. Outra citação comum até hoje sobre o Teenage Fanclub é (supostamente) de Cobain: “É a melhor banda do mundo”. “Nunca o ouvi dizer exatamente essa frase. NORMAN: “Há bandas chamadas de indie em grandes gravadoras vendendo três milhões de discos”

VINTE ANOS SEM HYPE Bandwagonesque era para ter sido o grande estouro da gravadora que lançou Nevermind. Mas vai continuar crescendo como obra-prima à sombra do mito por Pedro Só

Está no texto que a gravadora Geffen – a mesma que tinha contratado o Nirvana – distribuiu à imprensa ao lançar o álbum Bandwagonesque, em 1991: “A melhor banda de rock do país... líderes da renascença da guitarra”. A frase tinha sido publicada no semanário britânico NME em agosto daquele ano, junto com outros elogios do tipo “gênio divino”. Era o primeiro disco deles por uma gravadora major, daí a ironia do título. E a culminância de um processo de popularização que já havia atravessado o Atlântico. No ano anterior, o trabalho de estreia, A Catholic Education, tinha sido bem recebido nas college radios americanas e rendeu convite para tocar no New Music Seminar, em Nova York. A apresentação no legendário CBGB foi vista por executivos de gravadora, que disputaram o grupo com ofertas irrecusáveis. A produção de Bandwagonesque é assinada por Paul Chisholm e Don Fleming, ex-integrante do Dinosaur Jr. (expoente alternativo americano da época). Mas o responsável pelo som do disco foi mesmo Fleming. “Ele sentou o chicote na gente – o que era necessário. Nunca teríamos feito igual sem ele”, confirmava Ray Fleming, no histórico press release que recebi da antiga BMG-Ariola brasileira, em cópia xerocada que guardo até hoje, junto com o vinil nacional do disco. Na época, trabalhando como repórter no Jornal do Brasil, tive a oportunidade de entrevistar pelo telefone o baterista Brendan O’Hare, que deixaria o Teenage logo após a turnê de Bandwagonesque. Mas foi ao conversar com Fleming, meses depois, para falar sobre sua banda Gumball, que confirmei a receita do produtor para fazer uma banda “grungir” no estúdio: “Pare de pensar e comece a beber”. Para um quarteto escocês, não deve ter sido difícil seguir o conselho. Porém, o que faz deste álbum um clássico para se ouvir – sóbrio ou mamado, não importa – são as belas melodias e certa ternura impensável para a época, revestida de fina ironia para não dar muito na pinta. Quando assinei uma crítica elogiosa do Thirteen, o disco seguinte do Teenage, Renato Russo, na época, nobre leitor do JB, comentou a meu respeito: “Esse garoto está ficando mellow”... www.billboard.br.com 55


FÃ-CLUBE VIP As melodias do Teenage Fanclub podem comover pessoas sem dinheiro e sem amor – ou mesmo astros do rock no auge do superestrelato e da adoração mundial – como é o caso das três figuras abaixo...

Nome: Kurt Coba in Filiação: 1991 O primeiro ídolo es cocês do líder do Ni Kelly, dos Vaselin rvana foi Eugene es, mas por meio de le Kurt conheceu o Teenage Fanclu b. A classificação do Teenage como “melhor banda do mundo” é frequen temente atribuída Kurt, mas Norman a diz que nunca ouviu .

er Liam Gallagh 5 9 19 Filiação:

upo do qual X Bandits, gr época, M B do s ow sa u sh O Oasis abri rte (reza a lenda que, nes tar suas ei pa Norman fez ntaram ajudar Noel a aj bre seus então so te os escoceses Mais tarde, Liam soltou gunda melhor ). se composições Creation: “Vocês são a lo colegas de se do”. n banda do mu

Nome: Thom Yorke Filiação: 1997 a mundial aclamou OK No ano em que a crític , o líder Thom Yorke indicou ad Computer, do Radiohe co preferido do período: dis seu in Sp enage para a revista itain. Na época, o Te Br ern rth No om Fr s Song A. EU s no ad Radiohe abriu alguns shows do

Mas realmente ele parecia gostar de nos ver tocar”, diz o modesto Norman. “Na verdade, nos conhecemos quando ele foi se encontrar com meu amigo Eugene Kelly, dos Vaselines, que ele amava. Era engraçado ver a cara dele, tão jovem e empolgado: pensando: ‘Meu Deus, estou falando com o Eugene!’ [risos]. Foi depois disso que ele conheceu a nossa banda e começou a nos elogiar”, lembra.

INDIE TRUE Eles nunca foram grunge, mas Norman diz se identificar com aquela geração. “Sempre admiramos a cultura independente, nomes como Calvin Johnson [músico de Seattle, fundador do cultuado selo K Records]”, conta. Com os últimos discos de sua banda lançados pelo próprio selo, PeMa, ele defende o sentido original do termo “indie”, não como um gênero ou subgênero musical, mas como sinônimo de independência. “Hoje há bandas que são chamadas de indie e estão numa grande gravadora vendendo três milhões de discos”, ironiza. Em meados dos anos 90, o furacão grunge passou e a banda de Norman continuou como uma promessa – comercialmente – não cumprida. Foi nessa época que o Teenage se encontrou no Air Studios, de Londres, com um grupo que estava então no mesmo selo deles, o Creation Records. “Por coincidência, estávamos

JONNY: TÃO VIÁVEL QUANTO ARCADE FIRE Selo alternativo aposta em projeto paralelo de Norman Blake No início deste ano, Laura Ballance, baixista do grupo americano Superchunk e dona da Merge Records, selo independente que bateu as grandes gravadoras no último Grammy com o CD The Suburbs, do Arcade Fire, apontou para a Billboard Brasil as apostas do selo para 2011. Uma delas era o Jonny, “a banda do Norman Blake, do Teenage Fanclub, com o Euros Childs, do [grupo galês] 56 billboard brasil Maio 2011

Gorky’s Zygotic Mynci”. O primeiro disco deles, autointitulado, foi lançado em janeiro deste ano. “No Teenage Fanclub chegamos os três com as composições separadas, escolhemos quatro ou cinco de cada um e vamos gravar. Com o Jonny é diferente: nós dois fazemos as músicas juntos, ou pelo menos a maior parte delas”, conta Norman. Ele fala com empolgação sobre o projeto e diz que eles já estão conversando sobre o segundo disco, que deve ser gravado ainda neste ano. O clima é de diversão, em canções diretas e mais simples que

gravando no mesmo estúdio que o Oasis. Já nos conhecíamos [o Oasis chegou a abrir shows do BMX Bandits, banda da qual Norman já fez parte] e eles nos mostraram o disco em primeira mão [era Be Here Now, lançado em 1997]”. Foi então que o arrogante Liam Gallagher proferiu o seu maior elogio possível – este presenciado pelo escocês: “Vocês são a segunda melhor banda do mundo” – depois, é claro, do Oasis. O Teenage Fanclub lançou o álbum Grand Prix, cheio de refrãos assobiáveis, em maio de 1995, no auge do movimento britpop, que levava o rock na mesma direção da melodia perfeita. Mas Norman não se sentia incluído: “Trombávamos com os caras do Blur e tudo mais, mas nunca nos sentimos parte daquilo. O britpop era uma coisa muito londrina”, explica o compositor. Eles chamaram o disco seguinte, de 1997, ironicamente, de Songs From Northern Britain. “Não éramos reconhecidos como britânicos do Norte e sim escoceses. Sempre ficamos à parte daquilo tudo”, conta. Esse disco foi escolhido por Thom Yorke, do Radiohead, como o melhor daquele ano. Depois dos anos 90, o Teenage passou a lançar discos com intervalos maiores (foram cinco anos do penúltimo, Man-Made, de 2005, até o mais recente, Shadows, de 2010), sem vender muito, mas mantendo a base de fãs e, principalmente, o equilíbrio e a

as do Teenage. E quais podem ser os temas das próximas faixas, depois de “Bread” (uma canção sobre... pão)? “Ah, não sei, pode ser sobre qualquer coisa”, diz Norman, “e se lembrarmos que a música de trabalho foi sobre algodãodoce [“Candyfloss”], vai ser provavelmente algo sobre comida, ou quem sabe bebida. Talvez, depois de voltar ao Brasil, algo sobre caipirinha...”, brinca. A bebida oficial dos gringos ficou bem marcada na memória do escocês sobre o país com sua outra banda. “Não tivemos muito tempo na primeira vez do Teenage no Brasil e acho que não teremos de novo agora. Além de tudo, vamos ter que ensaiar, já que não nos encontramos tanto agora”, lamenta. “Mas apareça no show e vamos tomar uma caipirinha”, convida o boa-praça Norman, antes da ressalva. “Não posso tomar tantas quanto da primeira vez. Aprendi a minha lição...”


TEENAGE em 1992: mais barulho e cabelos

amizade entre os três compositores. “Tem que haver uma compreensão muito grande entre as pessoas para passarem tanto tempo juntas. E hoje acho que ajuda o fato de eu não morar mais perto deles, com uma convivência que se desgasta menos.” Em 2009, Norman se mudou para Kitchener, no Canadá, país de origem de sua mulher. “Foi bom me mudar depois de tanto tempo em Glasgow”, diz. “Mas hoje estão esperando uma grande tempestade aqui. As pessoas reclamam do tempo na Escócia, aqui é pior”, reclama. Norman também tem seus ídolos. Um deles, que também se tornou amigo, foi Alex Chilton, líder do grupo americano dos anos 70 Big Star, influência do Teenage Fanclub. Eles chegaram a tocar juntos pouco antes da morte de Alex, em 2010. “Acho que ele enxergava em nós uma versão mais jovem dele no palco”, lembra. Entre as bandas novas, Norman cita o quarteto americano Deerhunter e diz que ainda ouve muito rock de garagem. Apesar de Shadows ser o disco mais calmo do grupo, avisa que o caminho de “Helter Skelter” a “I Want To Hold Your Hand” não é sem volta, e que podem haver retornos ocasionais ao barulho. Mas o objetivo continua sendo compor boas canções. “Fazer uma música de amor ou, em geral, uma canção pop, é um processo difícil até chegar ao mais simples, conseguir aprimorar o que já foi feito antes”, ensina Norman – dessa vez sem ser interrompido por Lionel Messi.

“Fazer uma música de amor ou, em geral, uma canção pop, é um processo difícil até chegar ao mais simples” Norman Blake

NORMAN BLAKE e EUROS CHILDS do Jonny: composições alimentícias

www.billboard.br.com 57


_ANUNCIOS.indd 2 sn Anun Marie Claire_Mulheres gostam_510x305.indd 1

5/4/11 11:00 AM


_ANUNCIOS.indd 3

5/4/11 11:00 AM 3/5/2011 15:43:24


opinião

por João

Marcello Bôscoli

OUTRAS PÍLULAS MUSICAIS Já ouvi diversas vezes que o brilhante Paulinho da Viola é um príncipe por causa de sua elegância. Concordo. Acrescento que chamá-lo assim também faz justiça ao seu pai, César Faria (1921- 2007), violonista que tocava como um rei.

foto: Andy Lyons/getty images

Jimi Hendrix se inspirou em Little Richard para compor seu visual. Roupa, cabelo e bigode. Ou seja, tudo. É pouco falado que Hendrix acompanhou Richard. Quando partiu para carreira solo, declarou que sua guitarra deveria soar como a voz de Little Richard – para muitos, o inventor da imagem do “superstar”.

Lembra daquele casaco preto brilhante que Michael Jackson usou no clipe de “Billie Jean”, quando deixou o mundo hipnotizado por seu moonwalking pela primeira vez? Sabe de onde veio? Ele roubou a peça do armário de sua mãe quando ainda moravam juntos em Encino. Era véspera do show de TV em homenagem aos anos da gravadora Motown e o prodígio não sabia o que vestir. Na busca, acabou se protegendo no manto maternal. Seguro pelo amor da mãe e apaixonado por si, ganhou o planeta.

O gênio musical Robert Johnson tocava guitarra como um semideus. Todavia, não foi sempre assim. Diz a lenda sobre sua misteriosa trajetória que começou tocando harmônica razoavelmente bem, mas que era um guitarrista mediano. Um dia sumiu, fez um pacto com forças demoníacas e virou um gigante. Essas forças podem ser chamadas por seus nomes: Son House, Ike Zimmerman, Blind Lemon Jefferson, Lonnie Johnson...

Em nossa história, nunca foi tão barato produzir música e tão fácil publicá-la. Em um computador portátil há mais tecnologia do que Buddy Holly (1936-1959) ou Otis Redding (1941-1967) jamais acessaram. Fantástico. Quanto ao talento, parece vir de outro lugar. Estatisticamente, o estado ideal de coisas parece ser um solo pouco fértil para gerar um gênio. O gênio parece ser, definitivamente, filho da dificuldade.

Curioso tachar a Jovem Guarda de música “americanizada”. Pessoalmente acho que ela está mais próxima do pop italiano. Swinga parecido com a tarantella.

A força de uma premiação artística é diretamente proporcional à excelência de seus eleitores. É um desrespeito colocar todas as decisões apenas nas mãos da audiência.

LITTLE RICHARD: a inspiração de Jimi Hendrix

60 billboard brasil Maio 2011

O magnífico método de imagens geradas por ressonância magnética (MRI) teve passos fundamentais desenvolvidos pela empresa inglesa EMI nos anos 60. E quem possibilitou esse processo foram os Beatles. Explico: com o dinheiro da venda de suas canções arrecadado através da gravadora EMI – divisão musical do conglomerado –, seu setor que inventava e fabricava equipamentos ganhou autonomia financeira para colocar essa tecnologia disponível para a humanidade. “I Wanna Hold Your Hand” poderia chamar-se “I Wanna Scan Your Brain”. E eu achava que tinha alguma noção do tamanho da importância dos Beatles...

JOÃO MARCELLO BÔSCOLI é músico, produtor e responsável pela gravadora Trama.


C

M

Y

M

MY

Y

MY

K

_ANUNCIOS.indd 3

5/4/11 11:03 AM


roaming

por

Ana Carolina Ralston

Se você está na doce dúvida a respeito de qual destino europeu tomar nas próximas semanas, a maior e mais divertida metrópole mediterrânea tem dois festivais de música para desequilibrar qualquer parada: Primavera Sound e Sónar. Corra que ainda dá tempo para fazer as malas e se jogar nos dois! O San Miguel Primavera Sound acontece entre os dias 25 e 29 de maio em dois pontos charmosos de Barcelona: no Poble Espanyol, museu arquitetônico ao ar livre em forma de cidadezinha construído no monte Montjuíc, e no Parc Del Fórum, que tem linda vista para o mar. Entre as atrações confirmadas, Pulp, PJ Harvey, Big Boi, Grinderman, Fleet Foxes, Animal Collective, Fiery Furnaces, Sufjan Stevens, Belle & Sebastian e vários ícones indies. Para nostálgicos, tem também P.I.L., Echo & The Bunnymen tocando seus dois primeiro álbuns, o Mercury Rev a desfiar todo Deserter’s Songs, John Cale recriando seu cult Paris 1919, além de Pere Ubu, Suicide e BMX Bandits (banda escocesa que é um pouco “mãe” do Teenage Fanclub). A proposta do Sónar, mais centrada na música eletrônica, inclui grandes nomes como M.I.A., Janelle Monáe,

Programe sua viagem PASSAGEM ida/volta, preço médio: R$ 2.500 HOSPEDAGEM Barceló Raval * * * * preço médio: R$ 385/noite • www.barceloraval.com Ciutat de Barcelona * * * preço médio: R$ 280/noite • www.ciutatbarcelona.com FESTIVAIS Primavera Sound • http://www.primaverasound.com Sónar • http://2011.sonar.es EM BARCELONA Harlem Jazz Club • http://www.harlemjazzclub.es Els 4 Gats • http://www.4gats.com Para mais informações, consulte: www.barcelona-on-line.es Para saber mais sobre a programação local, pontos turísticos, bares, shows e restaurantes, acesse: www.guiadelocio.com

62 billboard brasil Maio 2011

Human League, Katy B, Aphex Twin, Cut Copy, Underworld e James Murphy, entre outros. O festival, que acontece entre 16 e 18 de junho, divide-se em DÍA (com apostas e novos talentos ocupando o espaço no El Raval – bairro da Citat Vella que é uma belíssima ideia de hospedagem) e NOCHE, no centro de convenções Fira Gran Vía, mais afastado do centro. A opção mais rápida e fácil para ir até lá é de trem (para voltar dessa forma, porém, só após as 5h10 – o que não chega a ser sacrifício, dada a proposta do evento). Na abertura deste ano, há um esperadíssimo concerto do gênio minimalista americano Steve Reich acompanhado do ensemble local BCN 216 e do coro britânico Sinnergy Vocals. Mas a boa música de Barcelona vai muito além dos festivais, assim como os rincones para comer e beber bem. Se a vontade é descansar os ouvidos e escutar outro estilo musical que você não verá durante os dias de festival, a dica é ir ao Harlem Jazz Club. Os próprios sócios fazem o line-up mensal da casa, que conta com bandas de jazz, grupos de flamenco, formações instrumentais eruditas e até companhias de dança. Para o fim de tarde, nada como conhecer uma das praças mais charmosas da cidade: a Plaza Del Sol, no bairro de Gràcia (que era um povoado à parte antes da expansão da cidade e da criação do Eixample – bairro que hoje abriga o centro de Barcelona e liga a faixa litorânea às outras divisões da capital). Antes do drink em um dos inúmeros bares da praça, vale uma volta pelas pequenas ruas que a cercam. Na Carrer (Rua) Travesera de Gràcia está o mercado do antigo povoado que reúne, além de boa comida, pequenos brechós e lojas com bons presentes para levar de recordação. Para encerrar, vale jantar no restaurante Els 4 Gats, no bairro do Born, que por si só já é uma graça. Bon profit!

Primavera indie: Sónar Village, um dos ambientes mais disputados do festival. Abaixo, algumas atrações

do Primavera Sound, no sentido horário: o grupo Comet Gain, o quarteto Flaming Lips e BMX Bandits

fOTO: Pavla Kopecna

Dois festivais esquentam a primavera na capital catalã

fOTOs: divulgação

Estação da música em Barcelona


_ANUNCIOS.indd 3

5/4/11 11:05 AM


BACKSTAGE JOTA QUEST

BACKSTAGE JOTA QUEST

BACKSTAGE JOTA QUEST

foto: divulgação

fotos: FRED PONTES

ACKSTAGE JOTA QUEST

1

3 64 billboard brasil Maio 2011

2

4

5


BACK

BACKSTAGE JOTA QUEST

BACKSTAGE JOTA QUEST

BACKSTAGE JOTA QUEST

BACKSTA

stage 6 1&2. A banda agitou a plateia, que dançou noite adentro com convidados especiais, como Seu Jorge

3. Ela apresenta o programa Bastidores, no Multishow, e atua em Na Fama e na Lama, do mesmo canal. Mesmo com a agenda cheia, Erika Mader fez questão de prestigiar os amigos

4. Pitty esbanjando charme com seu modelito ladylike. Batom e unhas vermelhas para dar uma cor ao look black total da roqueira

5. Charles Gavin, ex e, quem sabe, futuro Titãs. Em 2012 a banda comemora 30 anos de sua formação e planeja um revival. É esperar pra conferir... 

7 8

6. Sandra de Sá honrou seu hit “Bye Bye Tristeza” durante a comemoração. Para os fãs, boa notícia: seu nome é um dos confirmados para o Rock in Rio 2011

7. A atriz Alinne Moraes e seu namorado, o empresário Felipe Simão, foram juntos ao lançamento da Tour J15 – 15 Anos na Moral, do Jota Quest, no Píer Mauá, em 28 de abril, no Rio de Janeiro

8. A atriz gaúcha Sheron Menezes brindou as câmeras com um lindo sorriso e brincou ao posar mostrando (bem) pouco das curvas que fizeram a alegria da bateria da Portela

9. Angélica, Luciano Huck e toda a trupe do Jota Quest. Motivos não faltam para comemorar. Como diria o próprio Rogério Flausino: "Dias que não deixaremos para trás..."

9 www.billboard.br.com 65


LOOK DE ARTISTA

por

Ana Carolina Ralston

Camiseta gola em V, manga curta e manga longa Hering R$ 49,90

Jaqueta de moletom Dzarm R$ 139,90

Óculos de acetato polo

Ralph Lauren para Luxottica R$ 539,00

Relógio New Gent Collection Swatch R$ 230,00

Calça jeans black

Ricardo almeida R$ 299,00

Sapato oxford

Ricardo almeida R$ 398,00

fOTO: Angela Weiss/Getty Images

Jakob Dylan

66 billboard brasil Maio 2011

Pasta para laptop Le Postiche R$ 299,00

Não bastava ser o filho de Bob Dylan e ter belos olhos azuis. Jakob Luke Dylas, 41 anos, tem talento, sabe se vestir muito bem e é extremamente low profile. Casado com a atriz Paige Dylan, sua namorada desde a adolescência, o ex-líder dos Wallflowers tem quatro filhos e atualmente desenvolve uma elogiada carreira solo. Seus dois álbuns (o último, Women + Country, é de abril de 2010) foram bem recebidos. Em fins de fevereiro, ele se apresentou em evento beneficente da Open Hearts Foundation, em Malibu, na Califórnia. O look casual confirma todo o seu charme.


Selena Gomez Cantora, compositora, atriz, estilista e namorada do furacão teen Justin Bieber. Esses são alguns dos títulos conquistados por Selena Gomez em apenas 18 anos de vida. O estilo da moça confirma que seu talento transbordou também para o mundo da moda: além do sucesso de seus dois álbuns, Kiss & Tell e A Year Without Rain, que chegaram ao 9º e ao 4º lugar no Billboard 200 respectivamente, a jovem musa é dona de sua própria marca, a Dream Out Loud (algo como “sonhar em voz alta”), que desperta desejos consumistas em suas seguidoras. No último Kids’ Choice Awards, em abril, Selena levou de quebra o prêmio de “Melhor Atriz de TV”, além de desfilar seu bom gosto fashion com o look ao lado.

Vestido acinturado Lança Perfume R$ 420,00

Short de couro com rebite Pelu R$ 1316,00

Brinco de tramas Accessorize R$ 36,00

Blusa e camisa de algodão

Anel de metal

Clutch de metal e píton

Sandália gladiadora

Pelu R$ 1758,00

Balonè R$ 29,00

Corello R$ 319,00

fOTO: Jeffrey Mayer/Getty Images

fOTOs: divulgação

FIT R$ 438,00 Side Walk R$ 179,00


closet

por

Ana Carolina Ralston

Pouco de muito

Para Paulinho Moska, cada objeto merece ser envolvido sempre por uma grande história

Se você pedir a Paulinho Moska uma palavra que o defina, ele lhe dirá sem pensar duas vezes: pluralista. E com toda a razão. Afinal, “pluralista” seria quase um sinônimo da palavra “compositor” se pensarmos na raiz de seu significado: aquele que compõe, ou seja, que une, que faz universos distintos se encontrarem. Moska é assim com sua música, com seu programa de TV, o Zoombido, no qual entrevista, apresenta e interpreta. É assim também com os projetos que cria, unindo samba e influências sul-americanas. Depois de seis anos longe dos estúdios de gravação, Moska lançou no ano passado o álbum Muito Pouco. São dois discos. Em Muito, o artista coloca instrumentos de todos os tipos, enchendo os ouvidos e o ambiente. Já em Pouco, Moska simplifica e usa a voz como grande protagonista. Atualmente em turnê, ele não esconde a vontade de prolongar – com o perdão do trocadilho, e muito – sua fase e viver cada uma de suas canções nos quatro cantos do Brasil.

“Arnaldo Baptista, do Mutantes, pintou este quadro durante uma das gravações de Zoombido. Foi emocionante ver a pintura do rosto e as duas palavras logo em baixo: ‘Sinto Muito’, em alusão ao perdão e ao sentir excessivamente.”

Gramofone

“Colecionava de tudo quando era pequeno: chaveiros, calotas de carro, botões de roupa... e sempre fui louco para colecionar gramofones. Este foi feito no ano de 1904.”

Garrafa pintada por Fani Bracher

fOTOs: maíra coelho

“Um presente da minha sogra, uma mulher maravilhosa e uma grande artista. Ela dizia que pintar as garrafas, uma de suas fases que dura até hoje, era ‘interferir na transparência das mesmas’.”

Matrioskas dos Beatles

“Ganhei da minha esposa na nossa lua de mel. Fomos para Londres, Amsterdã e Paris. Viagem maravilhosa. Achei curiosa a escolha da ordem de cada um dos integrantes dos Beatles pintados em matrioskas.”

68 billboard brasil Maio 2011

Luminária

“Chama-se Veleiro, peça de Adivânio Lessa, grande artista de Lavras Novas, cidade perto de Ouro Preto. Quando vou visitá-lo, costumo dizer: ‘Vim escutar seus adivaneios’.”


AFM_RED_5324-038_X-Fighters_25.5x30.5x27.4_Rolling Stone_20Abr.indd | Pasta: 5240

A COMPETIÇÃO DE MOTOCROSS FREESTYLE

MAIS IMPORTANTE DO MUNDO.

28/5 BRASÍLIA ESPLANADA DOS MINISTÉRIOS - A PARTIR DAS 16H REDBULLXFIGHTERS.COM Rádio Oficial

_ANUNCIOS.indd 3 AFM_RED_5324-038_X-Fighters_25.5x30.5x27.4_Rolling Stone_20Abr.indd 1

5/4/11 4/25/11 11:08 5:30 AM PM


música&moda

por

Ana Carolina Ralston

Branco total que pairou nos desfiles de Nova York, Paris, Londres e Milão. Mal a moda saiu das passarelas, Beyoncé, Katy Perry, Rihanna e até Justin Bieber aderiram à monocromaticidade que a tendência pede. A dica para quem pretende começar a ensaiar os pálidos passos para esta combinação é usar a alfaiataria: peças mais densas e com forros mais grossos tiram a transparência natural da cor, deixando o caimento muito mais harmonioso. Outro truque é misturar o branco com off white (variação de branco com aspecto mais "sujo"). A dupla promete estar presente para trazer um contraponto à produção.

foto: Michael Loccisano/getty images

fOTO: Jason LaVeris/Getty Images

foto: Jon Kopaloff/getty images

foto: Steve Granitz/getty images

Aqueles que acham que o look branco total só combina com as estações mais quentes do ano ou tem espaço apenas nas festas de Réveillon podem ter uma surpresa. O modelito preferido de quem pula as sete ondinhas virou hit nas temporadas de moda internacionais e promete ocupar um lugar privilegiado nas araras das lojas na próxima estação. Do feminino ao masculino, a tendência será protagonista no outono/inverno que vem por aí. Alexander McQueen, Yves Saint Laurent, Stella McCartney, Isabel Marant, Philip Lim, Salvatore Ferragamo e Michael Kors foram alguns dos estilistas que avalizaram a quase unanimidade

70 billboard brasil Maio 2011


Além do vestido branco comportado, Rihanna também acertou no penteado black power escolhido para participar do pré-Grammy organizado pela gravadora RocNation junto com a marca Gucci, na Califórnia, no início de fevereiro. Conhecida por incorporar, sempre que pode, o estilo pin-up, KatY Perry encarou um vestido longo de um ombro só, bem elegante, durante o 3rd Annual Art Of Elysium “Heaven”, evento de gala realizado em janeiro, em Beverly Hills, bairro glam de Los Angeles. O ponto alto ficou por conta da superfenda lateral.

foto: Karl Prouse/Catwalking/getty images

Salvatore Ferragamo

foto: Victor VIRGILE/getty images

foto: Karl Prouse/Catwalking/getty images

Philip Lim

Justin Bieber encarnou o verdadeiro homem de branco durante a 53rd Annual Grammy Awards, em fevereiro deste ano. Mas, mesmo com um look que não deixou a desejar, o cantor teen não conseguiu levar nenhum dos dois prêmios aos quais concorria.

Alexander McQueen

foto: Victor VIRGILE/getty images

Isabel Marant

foto: Frazer Harrison/getty images

Beyoncé não perde a oportunidade de vestir um look mais justinho e mostrar as curvas mais do que desejadas por homens – e mulheres – de todo o mundo. No final de 2010, a cantora e atriz marcou presença no lançamento da nova linha de joias de Lorraine Schwartz, em Nova York, com um vestido branco que arrancou suspiros dos convidados.

www.billboard.br.com 71


AfC.MTV_8116-065_Sunday_510x305 – Pasta

AfC.MTV_8116-065_Sunday_510x305.indd 1 _ANUNCIOS.indd 2

5/4/11 11:24 AM


_ANUNCIOS.indd 3

4/26/11 12:02 AM PM 5/4/11 11:24


our stuff

por

Ana Carolina Ralston

Sozinho ou acompanhado As últimas novidades em docking stations, fones de ouvido e aparelhos de som para ouvir no aconchego do lar ou com a galera

A próxima parada do seu iPod Poucas coisas são tão práticas para uma viagem, festa na casa de amigos ou mesmo para animar o universo particular do seu quarto quanto as docking stations. Os mais recentes lançamentos desse gênero são os modelos DS1100, DS3000 e DS7550 da Philips. Os aparelhos oferecem adaptadores especiais para acoplar iPhones e iPods, além de possuir entradas auxiliares line-in e USB Direct, que permitem conectar qualquer aparelho MP3. Toda a linha vem com alto-falantes de neodímio, elemento químico que gera um forte campo magnético e é responsável por um som balanceado. Além disso, os aparelhos têm tecnologia de blindagem para bloquear a interferência de telefones celulares. Além do preço – DS1100 (R$ 299), DS3000 (R$ 399) e DS7550 (R$ 599) –, a diferença fica por conta das funções. Enquanto o primeiro modelo oferece 4W de potência e possibilita carregar um segundo dispositivo móvel via USB, o DS3000 traz 8W de potência e o dispositivo DBB (Dynamic Bass Boost), que é responsável por preservar tons mais baixos. Já o DS7550 eleva a potência para 10W, possui baterias recarregáveis de longa duração e o mesmo sistema DBB. Disponível no site do fabricante (www.philips.com.br).

80s’ Style Ele poderia estar em qualquer esquina das ruas de Nova York ou Las Vegas dos anos 80. Mas, além da estética oitentista, o novo lançamento da TDK – sim, a mesma das fitas cassetes – conta com tecnologia indisponível naquela época. O aparelho chega em dois modelos. Two-Speaker Boombox e Three-Speaker Boombox. O primeiro conta com dois alto-falantes e 20W de potência. Já o Three-Speaker Boombox possui três subwoofers com 35W. Ambos são compatíveis com os últimos lançamentos da Apple, além de trazer rádio AM/FM integrado, tela OLED frontal e acabamento em alumínio, que só aumentam seu charme. Disponível em lojas de varejo online como Amazon.com por US$ 500.

74 billboard brasil Maio 2011


Brinde aos velhos tempos Às vezes parece até que só porque fazem parte do passado os rádios antigos são mais charmosos do que aqueles lançados hoje em dia. Para quem busca a estética retrô, mas com tecnologia de ponta, o lançamento da Sony pode ser uma boa saída. O modelo XDR-S16DBP funciona como rádio e relógio, trazendo todas as funções que nossos amigos vintage a pilha traziam – sleep timer, alto-falantes com 0.8W, alarme – com qualidade DAB. Essa tecnologia é alimentada de forma digital e dá ao ouvinte um som mais claro e limpo. O mimo chegou ao mercado pelo preço de £79 (R$ 204). Quem precisa de menos tecnologia, pode optar pela versão XDR-C706DBP, mais simples, com alto-falantes de 0.4W e preço de £59 (R$ 152).

Potência certeira

Surround sound até nos fones

Conhecida por seus poderosos alto-falantes, a Klipsch anuncia seus primeiros fones de ouvido. Isso mesmo: para você direcionar toda a potência da música – que antes se dissipava pelo ambiente – para seu iPod ou iPhone. A belezinha, que custa US$ 150, é compatível com a tecnologia da Apple e vem com 40mm de bobina, um controle no próprio fio e fones revestidos de couro, o que traz mais conforto para as orelhas e melhora a captação do som.

Novidade para quem não dispensa a sensação de surround sound até nos headsets. A marca de áudio Psyko lança os "irmãos" Psyko Carbon e Psyko Krypton. Os fones usam a tecnologia PsykoWave, que promete um verdadeiro som surround 3D. Os dois modelos funcionam em 5.1, distribuído nas cinco caixas acústicas na parte superior. O Carbon, versão mais cara (US$ 200), é feito com material de alta qualidade, além de apresentar algumas funções a mais que o Krypton (US$ 150), como conectores banhados a ouro, microfone removível da estrutura principal e um tom grave um pouco mais sensível. À venda em lojas online como a TigerDirect.com.

Não. Este não é um déjà vu de Guerra nas Estrelas, embora o subwoofer nos lembre o capacete de Darth Vader. A JBL acaba de lançar seus novos “mimos” para os amantes de um som puro: os sistemas Cinema 300 e Cinema 500 para home theater. Os dois incluem cinco satélites e um subwoofer de 150W que produz som com potência 5.1. A novidade promete elevar a qualidade dos sistemas de alto-falantes para aqueles que gostam de assistir a filmes no aconchego do lar. Os novos produtos estão disponíveis em www.jbl.com por US$ 499 a versão mais simples e US$599 a mais completa (com caixas satélites maiores e mais potentes).

fOTOs: divulgaçÃO

O retorno de Darth Vader

www.billboard.br.com 75


agenda • MAIO / JUNHO

Maio Terça,

John Fogerty

São Paulo (SP) Credicard Hall

10

11

Maio qUARTA,

John Fogerty

São Paulo (SP) Credicard Hall

Maio Sexta,

Racionais MC’s e Eve São Paulo (SP) HSBC Brasil

13

Sandy

São Paulo (SP) Citibank Hall

Sublime with Rome Maio quinta,

Sublime with Rome

Belo Horizonte (MG) Chevrolet Hall

19

Maio Sexta,

McFly

20

Belo Horizonte (MG) Chevrolet Hall São Paulo (SP) Credicard Hall

Paul McCartney

23

Rio de Janeiro (RJ) Estádio João Havelange (Engenhão)

Miley Cyrus

Ana Carolina

Maio terça,

Rio de Janeiro (RJ) Vivo Rio

McFly

São Paulo (SP) Arena Anhembi

24

Jack Johnson

Belo Horizonte (MG) Mineirinho

São Paulo (SP) HSBC Brasil

Porto Alegre (RS) Teatro Bourbon

26

Dulce Maria

Belo Horizonte (MG) Music Hall

Maio segunda,

Dulce María

São Paulo (SP) Via Funchal

Maio SEXTA,

Jack Johnson

Fortaleza (CE) Marina Park

27

Brasília (BSB) Clube do Rocha

Alice Cooper

Brasília (DF) Mané Garrincha Estacionamento

Village People

Jack Johnson

25

Zeca Pagodinho

Maria Rita

São Paulo (SP) Credicard Hall

28

Rio de Janeiro (RJ) Citibank Hall

Scott Stapp

Porto Alegre (RS) Pepsi On Stage

15

Rio de Janeiro (RJ) Citibank Hall

São Paulo (SP) Chácara do Jockey

Exaltasamba

Maio terça,

Alice Cooper

Porto Alegre (RS) Pepsi On Stage

Belo

31

Junho domingo,

Jack Johnson

Rio de Janeiro HSBC Arena

5

Porto Alegre (RS) Bar Opinião

Junho quinta,

Scott Stapp

Belo Horizonte (MG) Chevrolet Hall

9

Junho sexta,

BMW Jazz Festival

10

16

Zeca Pagodinho

Rio de Janeiro (RJ) Citibank Hall

17

Junho Sábado,

Angela Ro Ro

Brasília (DF) Teatro Oi Brasília

Junho sábado,

11

Junho domingo,

Atrações: Wayne Shorter, Billy Harper, Sharon Jones, Marcus Miller, Joshua Redman, Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz, Funk Off Brass Band, Renaud Garcia-Fons, Tord Gustavsen e Zion Harmonizers.

São Paulo (SP) • Auditório Ibirapuera

Cut Copy

Junho sexta,

São Paulo (SP) Credicard Hall

18

Nando Reis

Billy Paul

Scott Stapp

Scott Stapp

São Paulo (SP) Credicard Hall Rio de Janeiro (RJ) Citibank Hall

São Paulo (SP) HSBC Brasil São Paulo (SP) Credicard Hall

Billy Paul

Rio de Janeiro (RJ) Vivo Rio

Angela Ro Ro

Jorge Vercilo

Brasília (DF) Teatro Oi Brasília

São Paulo (SP) HSBC Brasil

ANOTE:

As datas e locais estão sujeitos à alteração por parte dos organizadores. sugerimos consultá-los para confirmação das informações. fotos: divulgação

76 billboard brasil

MPB Total

Black Na Cena Music Festival

Black Label Society

Eric Clapton

ROCK IN RIO

22 de maio

22 a 24 de julho

Seu Jorge, Lenine, Vanessa da Mata e Arnaldo Antunes

Atrações: Jorge Ben Jor, George Clinton, Public Enemy, Redman, Sandra de Sá, Marcelo Yuka, Xis, Thaíde e Racionais Mc’s

13 de agosto São Paulo (SP) HSBC Brasil

6 de outubro Porto Alegre (RS) • Fiergs

23, 24, 25, 30 de setembro e 1º e 2 de outubro Parque Olímpico Cidade do Rock (RJ)

São Paulo (SP) Anhembi

São Paulo (SP) Arena Anhembi

Danzig

Bobby McFerrin

16 de julho São Paulo (SP) HSBC Brasil

30 de julho São Paulo (SP) Via Funchal

17 de julho Curitiba (PR) Curitiba Master Hall

9 de outubro Rio (RJ) HSBC Arena 12 de outubro São Paulo (SP) Estádio do Morumbi

Never Shout Never & Hey Monday

planeta terra

27 de agosto São Paulo (SP) • Via Funchal

Atrações Confirmadas: The Strokes, The Vaccines e Toro y Moi

28 de agosto Curitiba (PR) Curitiba Master Hall

2

Porto Alegre (RS) Gigantinho

Dulce Maria

4

Junho quinta,

Alice Cooper

Jack Johnson

Curitiba (PR) Curitiba Master Hall

São Paulo (SP) HSBC Brasil

Zeca Pagodinho

Barbatuques E TOQUINHO

Rio de Janeiro (RJ) Vivo Rio

Rio (RJ) • Citibank Hall

São Paulo (SP) Via Funchal

Junho quinta,

Festival Natura Nós

29

Exaltasamba

São Paulo (SP) • Via Funchal

Junho quarta,

Belo Horizonte (MG) Chevrolet Hall

Cee Lo Green, John Legend & The Roots, Emicida e Ja Rule

Rio de Janeiro (RJ) São Paulo (SP) • Credicard Hall Citibank Hall

São Paulo (SP) HSBC Brasil

Ute Lemper

Restart

Festival Natura Nós

Maio domingo,

22

Rio de Janeiro (RJ) Estádio João Havelange (Engenhão)

Rio de Janeiro (RJ) Circo Voador

São Paulo (SP) HSBC Brasil

Urban Music

Maio DOMINGO,

Paul McCartney

Dulce María

Zeca Pagodinho

Exaltasamba

Junho Sábado,

18

São Paulo (SP) Arena Anhembi

São Paulo (SP) • Citibank Hall

Symphony X

Porto Alegre (RS) Pepsi On Stage

Sublime with Rome

Diogo Nogueira

São Paulo (SP) Chácara do Jockey

Martinho da Vila

Curitiba (PR) Master Hall

São Paulo (SP) Credicard Hall

Maio quarta,

Sublime with Rome

São Paulo (SP) HSBC Brasil

São Paulo (SP) Citibank Hall

Jack Jonhson; Jamie Cullum; Laura Marling; Roberta Sá e António Zambujo; G. Love; Maria Gadú; BiD, Karina Buhr e Bi Ribeiro.

Recife (PE) Cabanga Iate Club

São Paulo (SP) Estúdio Emme

Florianópolis (SC) Stage Music Park

Jack Johnson

Florianópolis (SC) Floripa Music Hall

VH1 – Let’s Dance

3

Maio quarta,

Maio sábado,

São Paulo (SP) Carioca Club

Junho sexta,

Rio (RJ) • Vivo Rio

Village People

Dulce Maria

Jack Johnson

17

Maio TERça,

Mötley Crüe & Buckcherry

Asia

Emmerson Nogueira

Fortaleza (CE) Siara Hall

São Paulo (SP) HSBC Brasil

30

São Paulo (SP) Credicard Hall

Dulce Maria

Dulce Maria

Maio quinta,

Belo

Kid Abelha

São Paulo (SP) • HSBC Brasil

McFly

Rio (RJ) • HSBC Arena

Ana Carolina

Beth Carvalho

21

Maio Sábado,

São Paulo (SP) • HSBC Brasil

Rio (RJ) • Citibank Hall

McFly

McFly

23 cidades do Estado de São Paulo Algumas atrações: Zeca Baleiro (Araçatuba); Maria Gadú (Araraquara); Lobão (Caraguatatuba); Arnaldo Antunes (Franca); Céu (Jundiaí); Diogo Nogueira (MogiGuaçu); Titãs (Piracicaba); Ana Cañas (Presidente Prudente); Detonautas (Santo André); CPM 22 (Santos); Tulipa Ruiz (São Carlos); Mariana Aydar (São José do Rio Preto) Programação completa em www.cultura.sp.gov.br

The Cult

Rio de Janeiro (RJ) Citibank Hall

São Paulo (SP) Citibank Hall

15

Maio domingo,

São Paulo (SP) Credicard Hall

Belo

Emmerson Nogueira Maio Segunda,

14

Ian Anderson

São Paulo (SP) Via Funchal

Rio de Janeiro (RJ) Vivo Rio

RPM

Maio sábado,

Virada Cultural Paulista

5 de novembro

São Paulo (SP) Local a ser definido

12


JESSIE J • DOMENICO • SCOTT STAPP • john oates • karen elson • green day • warpaint • Harlem Gospel Choir • ozzy

78 JESSIE J A cantora e compositora inglesa chega ao topo da parada britânica

p.

83 U2 O espetáculo 360° lota o estádio do Morumbi

p.

88 BEASTIE BOYS O trio volta criativo e bem humorado

p.

91 david bowie Livro reúne mais de 800 imagens de Bowie

fOTOS: Patrícia Araújo

MÚSICA

p.

Pé-de-serra paulistano MARIANA AYDAR DEIXA O SAMBA DE LADO PARA REVER O PASSADO FORROZEIRO por Henrique Crespo Ela está entrando em estúdio para gravar o seu terceiro disco. A estreia com Kavita 1 (2006) e a sequência com Peixes, Pássaros E Pessoas (2009) poderiam indicar que o samba mais uma vez apareceria como forte influência, mas Mariana Aydar diz que agora as coisas vão ser bem diferentes. “Não tem nenhum samba. Eu acho que ficou muito estigmatizado. As pessoas me rotularam. Fiquei até cansada disso.” A cantora, que antes de gravar seu primeiro álbum cantava numa banda de forró (a Caruá), revela: “Esse disco está

com uma pegada mais do Nordeste”. “A ideia dele começou a nascer por causa das minhas composições, pois percebi que estavam seguindo esse caminho”, completa. Se antes Mariana não mostrava muito seu lado de compositora, agora resolveu trazer isso à tona. “Esse negócio da composição está realmente nascendo. Eu estou descobrindo. Surgiu muita coisa. É a Kavita, que é como eu chamo a Mariana compositora”. Ela conta que entre as várias músicas que compôs, e que vão estar nesse novo projeto, uma é “Solitude”

– parceria com a também cantora Luiza Maita e Jwala, amiga das duas. A paulista é uma das idealizadoras – junto com Duani e Eduardo Nazarian – de um documentário sobre o músico e compositor Dominguinhos e essa experiência também serviu como influência. “Na verdade, é um disco bastante influenciado por ele, que é um grande mestre pra mim”, confirma. Ela adianta: “Eu vou gravar ‘Preciso Desse Seu Sorriso’, uma música do João Silva, que é um compositor nordestino que fez várias músicas

Mariana mostra seu lado compositora

para o Dominguinhos e também pro Luiz Gonzaga”. Segundo ela, “Galope Rasante”, de Zé Ramalho, também vai fazer parte do disco: “Eu conheci essa música no forró na voz da Amelinha”. Às vésperas de entrar no estúdio, Mariana diz que está ensaiando bastante e fala sobre os planos: “Vamos gravar ao vivo. Eu quero com tudo valendo mesmo. Inclusive a voz”. A previsão de lançamento é ainda para o primeiro semestre de 2011. www.billboard.br.com 77


fOTO: divulgacão

AGORA

Pop invasivo

Dona da festa

A inglesa deu “Party In The U.S.A.” de presente para Miley Cyrus. Agora quer mandar no salão Não é comum a carreira musical de alguém se tornar uma questão de vida ou morte. Mas para a cantora e compositora inglesa Jessie J, a conquista do sucesso tem sido um processo árduo. “Acabamos de fazer uma parada da turnê em Londres na noite passada e havia mais fãs do que já vi na vida. Durante duas horas, eles tentaram entrar no ônibus, tocar em mim, me segurar, me implorando para assinar suas fotos, seus cartazes e seus seios”, diz ela, rindo. “Um cara me bateu com um cartaz – implorei pra ele não me matar.” Realmente, desde janeiro o burburinho em torno de Jessie J, também conhecida como Jessica Cornish, 23 anos, tem sido praticamente ensurdecedor depois que seu primeiro single, assanhado e com toque de reggae "Do It Like A Dude” (“Faça Como Um Cara”, em português), alcançou a segunda posição na parada de singles britânica. Depois veio um legítimo primeiro lugar, "Price Tag”, puxado para o soul vintage com participação de B.o.B., o rapper. Foi top 40 em 18 países. Em março, seu álbum de estreia, Who You Are, saiu direto para o número 2 da parada; seus vídeos foram vistos mais de 50 milhões de vezes no YouTube. “Você

por

passa tanto tempo se preparando para o sucesso e depois de rejeições e dificuldades, nem parece que é real. Mas – droga – conseguimos!”, comemora Jessie J. Jessie estudou na aclamada BRIT School (outros alunos incluem Adele, Amy Winehouse e Leona Lewis) e é coautora de “Party In The U.S.A.”, o hit de Miley Cyrus que chegou ao segundo lugar da parada Billboard Hot 100, além de ter sido coautora de faixas de Chris Brown e Alicia Keys. Agora contratada pela Universal Music Group (Lava/Universal Republic nos EUA, Island no Reino Unido), Jessie está acelerando rapidamente em terras americanas. “Há muito tempo não aparecia uma cantora com voz tão instantaneamente cativante”, diz o presidente/fundador da Lava, Jason Flom.

POP ARTE

78 billboard brasil Maio 2011

Aquela velha história...

Scott Stapp olha para o futuro, mas quer levar o por Rodrigo Ortega passado de glória e vício ao cinema

Henrique Crespo fOTO: divulgacão

por

fOTO: divulgacão

Lá no início dos anos 90 ele estava na formação de Mulheres Q Dizem Sim – banda carioca que chegou a ser citada como influência por Los Hermanos. Hoje, sozinho, apresenta o disco Cine Privê. “Eu estou assinando sozinho, mas ele é um trabalho de grupo também”, esclarece Domenico. Faz sentido que o músico e compositor, de sobrenome Lancellotti, diga isso. Ele tem no currículo inúmeros trabalhos coletivos (+2, Orquestra Imperial, Os Ritmistas). “Sofro influências de imagens na música. A sonoridade que remete a uma imagem”, diz, dando pistas de onde veio o título do álbum. Uma experiência que teve compondo junto com o +2 para a trilha sonora de uma companhia de dança também serviu de inspiração. “Esse disco demorou muito pra ser feito. No meio do processo pintou um projeto com o Grupo Corpo que era de fato uma trilha [o espetáculo Ímã]. Não

A cantora inglesa comemora seu sucesso

Pós-grunge

Imagens em canção MESMO SOLO, DOMENICO NÃO ABANDONA O ESPÍRITO COLETIVO E A INQUIETUDE CRIATIVA

Chuck Taylor

Ex +2 agora está solo

Scott toca no Brasil em junho

era pro cinema, mas a imagem estava relacionada”, explica. “O novo disco foi construído assim. Pensando na imagem”, reitera. E o que de seus trabalhos anteriores teria sido aproveitado agora? “Eu acho que o raciocínio é idêntico, não mudou. É uma coisa baseada na canção. Mas o tratamento dado à canção é mais experimental. É um tratamento que tenta ser não convencional.”

No final de 2002, não havia esperança para o Creed. Após vender 11 milhões de cópias de Human Clay (1999) e 6 milhões de Weathered (2001), a banda lucrava a partir do som derivado do grunge, mas sofria com a postura autodestrutiva do vocalista Scott Stapp, também derivada do gênero. Ele foi processado por fãs depois de abandonar, bêbado, um

show em Chicago. “Sofri um acidente de carro que me fez perder o ritmo da turnê e me afundar em remédios. A separação da banda foi o ponto mais difícil da minha carreira”, lamenta. Reabilitado, Scott iniciou trajetória solo com The Great Divide (2005). “Sozinho, aprendi a fazer canções mais narrativas, contar histórias. Consegui fazer também gravações com mais groove”, conta. Ele toca no Brasil pela primeira vez em junho. O trabalho solo de Scott e da banda Alter Bridge, com os outros integrantes do Creed, não impediu o grupo de se reunir em 2009. Além da carreira solo e da banda, Scott prepara autobiografia, que começa nas livrarias, mas pode chegar aos cinemas. “Há diretores interessados na história. Nada confirmado, mas é uma chance interessante, não só para contar da glória, mas sobre a vida real.”


fOTO: Jim Paussa

Jacaré no lago

Terapia de casal

Karen Elson, modelo e esposa de Jack White, encara fantasmas do passado com ajuda do marido

Tendo crescido na Filadélfia, era de se esperar que John Oates homenageasse o soul da cidade ao gravar um tributo a suas raízes musicais. Em vez disso, em Mississippi Mile, ele se entrega ao seu amor pelo blues do Delta e pela música de raiz em clássicos como "All Shook Up" , hit na voz de Elvis, e "It's Alright", de Curtis Mayfield. O terceiro álbum solo inclui duas novas músicas – a faixa-título e “Deep River” – além de uma versão estilo Texas Swing de “You Make My Dreams Come True”. por

1

2 3

4

Deborah Evans Price

Por que esta nova abordagem para este álbum? Comecei disposto a fazer um álbum com músicas de que eu gostava muito quando garoto. Quando estávamos gravando, percebi que eu havia, inconscientemente, criado uma autobiografia musical. Esta é a música, a inspiração e as influências que realmente fizeram de mim quem eu sou antes que eu conhecesse Daryl e antes de nos tornarmos Hall & Oates. Eu comecei no violão com cinco anos. Tive toda uma vida musical antes de conhecer Daryl aos 18. Como você conseguiu criar o som que buscava? Nós reunimos a banda dos sonhos e gravamos tudo em cerca de quatro dias. É o álbum mais ao vivo que pudemos gravar no estúdio. Quase não tem overdubs. Na verdade, 80% dos vocais que você ouve são os que cantei enquanto gravávamos. Por que fazer uma parceria com a Warner Music Nashville? Não estou afiliado a uma gravadora desde 1991. Conheci John Esposito [CEO da Warner Music Nashville] por meio de amigos em comum... Nos demos bem e ele perguntou o que eu estava fazendo. Eu disse que estava gravando um álbum num estúdio perto da Warner... Ele apareceu na hora do almoço. Coloquei fones de ouvido nele e acho que curtiu. E no que mais você tem trabalhado? Daryl e eu ainda saímos em turnê, mas não estamos gravando. Minha próxima fase, principalmente em Nashville, será como compositor. Tenho uma segunda casa na cidade agora. Se eu tivesse de parar tudo para ser apenas compositor, por mim tudo bem, porque essa é a alegria de verdade para mim.

Folk-rock foi terapia para Karen

Rodrigo Ortega

e diversão graças ao produtor e marido, o igualmente branquelo Jack White. “O fato de Jack me conhecer tão bem tornou a nossa comunicação fácil. Gravamos no estúdio que temos atrás do jardim da nossa casa em Nashville [nos EUA]. Foram dias maravilhosos.” “Já estou me coçando para voltar ao estúdio”, admite a cantora. O estilo narrativo do primeiro disco pode dar lugar a canções mais confessionais. “Estou com menos medo de cometer erros. No meu último disco, criei muitas histórias sobre o que eu sentia. Agora eu estou brutalmente honesta.” Karen nunca tocou no Brasil, mas se lembra da viagem à Amazônia em 2005, quando se casou com Jack. “Foi magnífico, entramos na floresta, no meio do nada, mas com tanta vida, um monte de crocodilos [sic]. Percebi como somos pequenos nessa vida”, filosofa.

Indie experimental

Papai urso

Noah Lennox, do Animal Collective, lança disco solo inspirado pela vida caseira em Portugal

Em 2004, Noah Lennox abandonou a vida corrida de Nova York, onde sua banda, Animal Collective, já era cultuada no cenário indie. Ele foi morar com a esposa portuguesa Fernanda Pereira em Lisboa. Desde então, um casal de filhos e uma dupla de álbuns mudaram sua vida. Person Pitch (solo, 2007) e Merriweather Post Pavilion (Animal Collective, 2009) multiplicaram os fãs da psicodelia com experimentos eletrônicos. Já o casal de filhotes ajudou a fixar as raízes de Panda Bear (ou “Urso Panda”, seu nome artístico) em Portugal. Tomboy, seu novo disco, tem um som mais acessível, baseado na espécie que mais o influencia fora do Animal Collective: a humana. “Eu me inspiro em relações entre as pessoas. Tenho pensado muito sobre famílias e sobre estar e ficar mais velho”, conta. As letras continuam enigmáticas. Sobre a bela “Last Night At The Jetty”, esclarece que “é sobre a última vez que um grupo de amigos se encontrou”, mas logo enevoa tudo: “A história é uma cortina de fumaça para o que a música realmente significa”. Ele curte sons incomuns, mas não se aventura a cantar em português. “É vergonhoso, só falo coisas básicas, pedidos em restaurantes”, conta. Mas do pequeno repertório, já tira uma favorita: “Sempre achei ‘oxalá’ uma palavra fofa”.

por

Rodrigo Ortega

fOTO: Brian DeRan

para john oates

fOTO: kate elson

4

perguntas

“Fantasma ambulante” foi o apelido que a inglesa Karen Elson, garota magra e branca, ganhou na adolescência em Oldham, Manchester. Duas décadas depois, a moça que já foi capa das maiores revistas de moda do mundo usou o apelido para batizar a estreia como cantora. “O nome do CD [The Ghost Who Walks] tem a ver com a ideia de me sentir assombrada na época. O álbum todo foi para tentar tirar isso do meu peito”, confessa Karen, 32 anos. Ela transformou a terapia em folk-rock

por

noah lennox: inspiração nos relacionamentos humanos www.billboard.br.com 79


AGORA

Renovação

Garotas que fazem tchibum fOTO: divulgacão

O quarteto feminino Warpaint renova o rock americano com som que convida a um mergulho

Theresa: “Nossa música é para se ouvir parado”

O último grito do novo rock americano surgiu de... um coro escolar de garotas pré-adolescentes. Nada é convencional no mundo do Warpaint, a começar pelo gênero feminino das quatro integrantes. A vocalista e guitarrista Theresa Wayman, 30 anos, lembra os primórdios do grupo:

“Conheci Emily [Kokal, também vocalista e guitarrista] aos 11 anos, no coro da escola em Oregon. Eu era contralto e ela era soprano. No mesmo instante nos tornamos amigas. Até hoje gostamos de fazer harmonias e ter vocais de apoio, isso veio de lá”, conta. The Fool, elogiado disco de estreia da banda, foi lançado no fim de 2010 nos EUA e em março deste ano no Brasil. Os arranjos não são intrincados só nos vocais. Elas tiram um

por

Rodrigo Ortega

som original dos velhos baixo, guitarras e bateria. Na falta de referências únicas de estilo, surgem metáforas visuais: “A água pode nos descrever. Nosso som é pesado, climático, acho que pode ser fisicamente associado a estar embaixo d’água, num lugar escuro e assustador”, descreve Theresa. A banda chegou a morar junto em uma casa de praia na Califórnia. “Ficávamos aninhadas naquela casa perto do mar... Então ele pode ter exercido alguma influência sobre nós”, diz a guitarrista. Talvez você já tenha visto Theresa na água, mergulhada em uma bandeira com os pulsos cortados em uma cena marcante do filme Regras da Atração, de 2002. O trabalho de atriz foi ocasional: “Tinha acabado de me mudar para Los Angeles e fui morar com a Shannyn [Sossamon, que chegou a tocar guitarra no Warpaint e virou atriz requisitada em Hollywood], ela era protagonista e me arranjou a participação. A cena foi assustadora, me fez voltar para casa e me enfurnar no meu quarto por dois dias, pensando na vida e em mim mesma, profundamente”. A experiência foi marcante, mas ela não quer repetir: “Não quero seguir carreira de atriz. A banda é a minha vida”. No futuro, Theresa diz que gostaria de fazer músicas mais dançantes. “Queria simplificar um pouco, usar samplers e sintetizadores. Hoje nossa música é para se ouvir parado, mas adoraria ver as pessoas dançando”, arrisca.

Gospel pop

Amigos de Deus e o mundo Allen Bailey, 70 anos, fundador de um dos grupos vocais mais famosos dos EUA, é um sujeito abençoado pelos amigos que tem. Entre os admiradores do Harlem Gospel Choir, o coral gospel do Harlem, bairro de Nova York, estão figuras religiosas, incluindo o papa Bento XVI, e deuses do pop, do naipe de Paul McCartney, Bono e Elton John. O repertório não fica restrito ao gospel tradicional. Atualmente eles cantam várias músicas de um falecido cantor que também era amigo de Allen, desde os anos 70 no Harlem, e fã do coral: Michael Jackson. O Harlem Gospel Choir canta no Brasil em maio, nos dias 20, no HSBC Brasil (SP), e 21, no Vivo Rio (RJ). “Conseguimos variar o repertório de acordo com o público. Se ele é mais velho, somos mais tradicionais; para uma audiência composta de jovens, colocamos canções pop, como ‘Billie Jean’”, explica Allen. Esta música foi uma das que o coral mandou no tradicional programa Good Morning America, do canal ABC, no dia do funeral de Michael Jackson, em julho de 2009. “Fomos convidados, mas não pudemos ir à Califórnia. Então a família Jackson ligou para a TV e combinamos de fazer essa homenagem ao vivo, que foi acompanhada também por milhares de pessoas na Times Square [em Nova York]”, lembra Allen. 80 billboard brasil Maio 2011

Com 25 anos de atividades, o coral já visitou mais de 100 países e, segundo as contas do fundador, acumulou dois milhões de milhas aéreas. Não faltam apresentações memoráveis, como o show com o U2 em Nova York, em 2004, e a cerimônia de posse de Barack Obama, em 2009. Ele reluta em apontar o seu show preferido (“você vai me deixar mal com todas essas pessoas importantes...”), mas confessa que cantar para Nelson Mandela quando ele foi libertado depois de 27 anos na cadeia, em 1990, “foi inesquecível”. O Harlem Gospel Choir gravou recentemente com bandas mais novas, como a inglesa Friendly Fires e a americana Scissor Sisters. O coral está conectado à nova geração graças a um agente especial que o indica para a juventude: Elton John. “Cantamos no aniversário de 60 anos dele e desde então ele sempre nos elogia para as bandas que conhece”, explica Allen.

por

Rodrigo Ortega fOTO: divulgacão

Com fãs que vão do Papa a Elton John, o Harlem Gospel Choir traz seu louvor pop ao Brasil

O coral canta até “Billie Jean”

YANTO: a guitarra não está fazendo falta


_ANUNCIOS.indd 3

5/4/11 11:50 AM


AO VIVO

the national • Citibank Hall (SP) • 5/4

Rock bipolar fOTO: divulgação/jonas de oliveira

Grupo americano apresenta sintomas de depressão e súbitas crises de euforia em São Paulo

MATT BERNINGER no começo do show, ainda tenso

Com blazer e camisa social pretos, entradas pronunciadas e pinta de professor de Matemática, o vocalista Matt Berninger agarra o pedestal e o microfone como se eles pudessem fugir a qualquer momento. Se, em vez de uma banda ao fundo, ele tivesse um telão com um Powerpoint para palestrar, o visual não mudaria – nem o clima sério. As luzes de trás do palco revelam os integrantes do grupo em sombras desenhadas para o público, imerso na atmosfera grave e triste do show. O disco High Violet, de 2010, é a maior fonte do ótimo repertório, mas a banda se mostra travada e, no início, não oferece algo muito diferente de uma audição do álbum em casa. O público parece não se importar e a cada intervalo berra pedidos de músicas diversos – a galerinha “hipster” de camisa xadrez também aproveita para gritar: “Seus lindo!”, “Todos chora!” [sic] e outros bordões do Twitter. As duas guitarras, teclado e sopros às vezes são demais para canções pouco complexas, deixando os músicos – além do quinteto, há dois instrumentistas convidados – apenas por conta do objetivo que parece ser o principal do show: “criar um clima”. Mas em alguns momentos a formação é a conta certa para embalar músicas sublimes como “Conversation 16”. Em “Squalor Victoria”, Berninger troca por alguns instantes a frieza e a voz grave por gritos histéricos que

por

Rodrigo Ortega

caberiam melhor em um show de hardcore. O clima começa a lembrar mais o caloroso show da banda no Tim Festival de 2008. Talvez tenha sido o vinho que eles tomaram no palco ou uma explosão calculada, mas os arroubos de Berninger começam a se tornar mais constantes, até que em “Mr. November”, já no bis, ele se empolga e desce para o público para cantar junto com ele. “Terrible Love”, ele leva carregado pelos fãs. A euforia é finalizada com o momento mais inesperado do show. Eles pedem silêncio para o público (tarefa difícil, já que os fãs mais exaltados demoram a se acalmar) e, com todos os instrumentos desligados, começam a tocar a balada “Vanderlyle Crybaby Geeks”, de High Violet. O público acompanha em coro, muitos com os olhos marejados, prontos para resumir a emoção no Twitter: “Todos chora...”.

The Drums • Estúdio Emme (SP) • 31/3

Extremamente fácil Jonathan Pierce, vocalista do The Drums, não precisava fazer tanto esforço para ser esquisito. O cabelo loiro com corte de cuia, estilo Paulo Nunes, e a calça apertada à moda sertaneja, com dobra “pega-frango” e canelas à mostra, já chamariam a atenção parados, mesmo sem as danças que incorporam Michael Stipe e Thom Yorke em versão acelerada. O quarteto de jovens do Brooklyn, Nova York, também não precisava lutar muito para receber a atenção do público alternativo – basta se vestir bem e continuar sendo um “quarteto de jovens do Brooklyn, Nova York”. Eles poderiam fazer um som difícil, com acordes que revelam sensibilidade e desconhecimento do que é um acorde – mas esse não é o caso. Se alguém fechasse os olhos para o hype e ficasse apenas com o som da noite de quinta-feira no Estúdio Emme, em São Paulo, ouviria o que 82 billboard brasil Maio 2011

a música pop tem de mais bobo e divertido: refrãos simples repetidos e intercalados com versos breves, que misturam alegria, tristeza e nostalgia da juventude (nova-iorquina, paulistana ou de qualquer lugar). Alguém poderia notar uma influência de Sonic Youth ao ter os ouvidos machucados pelo ruído das guitarras, mas era apenas o péssimo sistema de som do Estúdio Emme. Mais do que barulho, a banda queria fazer o público dançar. “Quem não dançou ainda, agora é a chance”, anunciou Pierce antes do maior hit, “Let´s Go Surfing” – seu desejo foi atendido pelos fãs. Assim como o som, o palco também não conta com aparatos mirabolantes e a banda não conversa muito, exceto por mensagens básicas do tipo “somos The Drums” ou o agradecimento em gringonês, “obrigadou”. Rolou também a tradicional camisa da Seleção brasileira, que Pierce vestiu no bis.

por

Rodrigo Ortega

fOTO: isabella infantine

Fashion, quarteto de Nova York usa refrãos pra você, eu e todo mundo cantar junto

JONATHAN PIERCE e sua dança esquisita

O momento de “testar a faixa nova que talvez entre no próximo disco” (no caso deles, o sucessor da estreia The Drums, de 2010) costuma ser o mais chato dos shows, mas, no caso deles, em poucos segundos de música

já dava para cantar junto o prosaico refrão “I want to buy you something / But I don´t have any money [Eu queria comprar algo pra você / Mas não tenho dinheiro]”, de “Money” como se fosse um velho conhecido.


u2 • morumbi (são paulo) • 9/4

Simples mega show

COM MENOS BLá-BLá-BLÁ POLÍTICO, grupo irlandês FAZ BONITO NO MORUMBI fOTOS: m rossi

Do lado de fora do estádio, ao fim do show, um ambulante indignado por ter vendido pouca cerveja gritava: “Gente, isso não foi um culto de igreja, foi um show de rock”. Estava certo. Se no passado a ideia de culto religioso foi exaustivamente associada às apresentações do U2, na noite de 9 de abril no Morumbi, em São Paulo, ela não fez muito sentido. Bono foi menos messiânico e a banda foi mais direta ao ponto, o rock. Verdade que a imponência do palco, com suas grandes garras e aparência de nave espacial/aranha, é parte do espetáculo. Não só pelo tamanho, mas também pela estrutura circular (360°) – a visão era boa de qualquer lugar do estádio. Diferentemente de outros shows em estádios, toda a arquibancada e o gramado estavam ocupados. Depois dos alto-falantes tocarem “Trem Das Onze” de Adoniran Barbosa – ícone do samba de SP –, que foi acompanhada em coro pela plateia, “Space Oddity” de David Bowie foi a trilha para a entrada da banda, que apareceu no telão enquanto caminhava para o palco. O show começou às 21h45 com “Even Better Than The Real Thing”, faixa de Achtung Baby (1991), álbum que ainda hoje soa moderno. Aliás, de velha a banda não tem nada, apesar de seus mais de 30 anos de estrada. O público mostrou que concorda, ao aplaudir e cantar com igual intensidade sucessos pós -2000 como “Elevation”, “Vertigo” e “Beautiful Day”, e os clássicos dos anos 80 “Sunday Bloody Sunday” e “I Will Follow”. Vale dizer, no entanto, que a sede de atualização às vezes produz equívocos como a versão remix de “I’ll Go Crazy If I Don’t Go Crazy Tonight”, do disco No Line On The Horizon (2009), que definitivamente não funciona ao vivo. Se até uma versão para “Miss Sarajevo”, canção do Passengers – projeto paralelo de Bono e The Edge – fez parte do repertório, é claro que o álbum de maior sucesso dos irlandeses, The Joshua Tree (1987) não deixaria de comparecer. Dele foram tiradas “Where The Streets Have No

por

O imponente palco foi parte do espetáculo

BONO foi menos messiânico do que o habitual

A banda tem mais de 30 anos, mas ainda soa moderna

Henrique Crespo

Name”, “I Still Haven’t Found What I’m Looking For” e “With Or Without You”. Um fã mais implicante poderia até dizer que a banda fez versões pouco vigorosas dos três hits, mas as milhares de vozes acompanhando as canções revelaram que a maioria não pensava assim. Uma “conversa” de Bono com a plateia sobre pizza, uma menina convidada ao palco para recitar a letra de Braguinha para “Carinhoso”, de Pixinguinha; “Help”, dos Beatles, cantada à capela, elogios para a presidente Dilma e o Brasil, momentos de ativismo político... Foram apenas curiosidades quase esquecíveis perto da grandiosidade do palco, do telão (que ora estica, ora encolhe) e da proximidade da banda proporcionada pelas passarelas móveis. Uma homenagem às vítimas da tragédia de Realengo já era esperada. Mas, quando em “Moment Of Surrender”, a última música do show, os nomes das crianças mortas no massacre foram exibidos no telão, já estava mais do que claro que a banda tinha feito, em duas horas, um grande espetáculo. O Muse, banda de abertura, fez uma curta apresentação de aproximadamente 50 minutos. Nesse tempo conseguiu despertar a curiosidade daqueles que ainda não a conheciam. Os ingleses lotam estádios na Europa, mas por aqui foram apenas um aperitivo bem recebido, especialmente em “Starlight”, e “Supermassive Black Hole”. As duas músicas fogem um pouco do rock de arena com abordagem progressiva que caracteriza a maior parte do som deles. Mas “Knights Of Cydonia”, que é um bom exemplo do que fazem normalmente, também surpreendeu e recebeu muitos aplausos. Não por acaso, as três canções são do mesmo bom disco Black Hole And Revelations (2006). Matthew Bellamy, o vocalista, quase nada falou, mas no final não deixou de agradecer em português com um “muito obrigado, São Paulo”. Com ênfase no “muito”, palavra que resume uma noite intensa. O vendedor de cerveja ficou falando sozinho. www.billboard.br.com 83


AO VIVO

the national • Citibank Hall (SP) • 5/4

Chuva negra

fOTO: adriano vizoni

Ozzy Osbourne mostra clássicos para várias gerações em noite paulistana encharcada

O senhor das trevas canta para avós, pais e netos

As nuvens negras do sábado já anunciavam: a chuva faria companhia aos fãs que esperavam o velho roqueiro Ozzy Osbourne no lotado Anhembi. Alguns minutos após a eficiente apresentação do Sepultura (que mostrou canções inéditas de seu próximo disco, Kairos), a lenda do heavy metal Ozzy Osbourne entrou no palco com a canção “Bark At The Moon”, mostrando que a exibição seria dedicada aos clássicos. Na sequência, tocou “Let Me Hear You Scream” (a única do novo álbum, Scream, de 2010) e se enrolou com uma bandeira do Brasil, para delírio dos fãs. Com o primeiro “I can´t fuckin’ hear you” [“Não ouço vocês”, em tradução careta], gritado por Ozzy, o público parecia já estar sob o controle absoluto do experiente cantor. Entre banhos de espuma no público e a chuva torrencial, o animado (apesar da dificuldade de se locomover) roqueiro apresentou sucessos como “Mr. Crowley”, “I Don’t Know”, “Suicide Solution”, “Fairies Wear Boots” e “War Pigs”, essas duas últimas de sua lendária exbanda, Black Sabbath. Durante a pausa

por

Jean Felipe Rios

com a faixa instrumental “Rat Salad”, Ozzy mostrou que escolheu um músico a altura para substituir Zakk Wylde, com a exibição das habilidades do novo guitarrista, o grego Gus G. Com solos virtuosos e rápidos, o músico, também do grupo Firewind, arrancou muitos aplausos do público. Os integrantes Rob "Blasko" Nicholson (baixo), Adam Wakeman (tecladista, guitarrista base e filho do virtuoso Rick Wakeman) e Tommy Clufetos (bateria) deram uma bem-vinda renovada ao show de Ozzy, 62 anos. A faixa “Iron Man”, uma das mais conhecidas do Black Sabbath, fez um enorme coro ecoar pelo lotado Anhembi. O cantor britânico se despediu dos 30 mil fãs satisfeitos com o clássico do rock “Paranoid”. O show (a chuva também) lavou a alma dos fãs que esperavam por mais um espetáculo do sobrevivente do rock pesado. Ozzy Osbourne, o “senhor das trevas”, conseguiu alegrar várias gerações de seguidores – avós, pais e netos, que, mesmo após o fim da apresentação, com os roadies desmontando os equipamentos, clamavam por um bis adicional.

iron maiden • Belém • 1º/4

Vaudeville metaleiro

veteranos desbravam o mercado paraense de shows internacionais e inundam a alma de 11 mil fãs O que o Iron Maiden, essa empoeirada instituição britânica, tem a oferecer hoje? Musicalmente muito pouco. Mas, se pensarmos em termos afetivos, faz sentido que o show da banda em Belém do Pará tenha sido considerado pelos fãs locais O Maior Espetáculo da Terra. Trata-se de uma espécie de vaudeville metaleiro, no qual você já sabe tudo o que vai acontecer e fica feliz justamente porque a sua (falta de) expectativa é cumprida. Tem a hora da palminha, do “ô,ô,ô”, do “Maiden, Maiden”, da bandeira da Inglaterra em “The Trooper”, do pé de Steve Harris no retorno e de Eddie passeando pelo palco em sua milésima encarnação desde o disco de estreia da banda em 1980. 84 billboard brasil Maio 2011

E quando, antes de “2 Minutes To Midnight”, Bruce Dickinson solta um “scream for me, Belém” cada um dos 11 mil headbangers presentes tem a certeza de que todos aqueles domingos na Praça da República – regados a batida de maracujá, vinho barato e um cassete todo estropiado de Powerslave – realmente valeram a pena. Porque é isso que o Iron Maiden representa em 2011: a possibilidade de conexão com o passado e a licença para ser ridículo e infantil durante uma hora e meia declarando a sua devoção pelo som pesado. De encher a cara de cerveja e, sem culpa, cantar o riff de abertura de “Fear Of The Dark”, tocar air guitar e cerrar os punhos pra cima quando Bruce

Dickinson, mais uma vez, nos manda fazer “ô,ô,ô” em “The Trooper”.

“Scream for me, Belém”? Claro, por que não? A primeira parte do show termina com “Fear Of The Dark”, único hit do grupo pós-1990, e “Iron Maiden”. A banda deixa o palco e uma voz recita um trecho do Apocalipse de São João. A rapaziada faz coro, sabe o texto na ponta da língua, como se o tempo tivesse congelado no começo dos anos 80 e nada mais na música precisasse ser inventado. Vai começar “The Number Of The Beast”. A sucessão de imagens de rituais satânicos e criaturas infernais evocadas pela letra da música parece saída de

por

Vladimir Cunha

um filme vagabundo da Hammer. É terror trash e justamente por isso ela continua tão divertida em 2011 quanto era em 1982. Em seguida, “Halloweed Be Thy Name” e “Running Free”. E o Iron Maiden sai de cena novamente. Ninguém tem muita certeza se o show acabou até que “Always Look On The Brighter Side Of Life”, do Monty Python, começa a tocar nos PAs. Mesmo assim tem quem não quer ir embora. E dá-lhe “Maiden! Maiden! Maiden!”, gente gritando e correndo a esmo, grupos de amigos bêbados cantando. “Histórico” é a palavra que mais se ouve. Faz sentido. Depois de hoje, a domingueira headbanger da Praça da República nunca mais será a mesma.


EL MAPA DE TODOS • TEATRO OPINIÃO (POA) • 12 A 14/4

Los Hermanos de verdad Não foi porque estava sem camisa. Wander Wildner, 51 (anos, é bom esclarecer), deixou eriçados os pelos de alguns pescoços argentinos ao encerrar a segunda noite do festival com “Amigo Punk”: opa, isso eles conheciam, milonga, e já tinha sido tocado no dia anterior, por um de seus autores, Frank Jorge. O hino da Graforréia Xilarmônica foi um denominador comum aos dois belos shows – o replicante com um vintage Jimi Joe de acólito à guitarra; Frank, soltando seu lado robertão soul ajudado por um tremendo naipe de metais – em um evento que trouxe alegria a ouvidos abertos ao novo. Nesse quesito, os gringos fizeram mais bonito. O grupo chileno Gepe, liderado pelo carismático Daniel Gepe Riveros, mostrou um folk criativo, ligado no pop, mas com violoncelo em quase todos os arranjos. Não houve set tão impressionante quanto o do trio formado pelo espanhol (galego, melhor dizendo) radicado em Buenos Aires Xoel López, o argentino Pablo Dacal e o uruguaio Franny Glass, com a identidade de projeto Canciones Compartidas. Três “cantautores” trocando figurinhas (um Atahualpa Yupanqui aqui, um Afredo Zitarrosa ali...) e até crosbystillsandnasheando. Foi o melhor exemplo de diálogo cultural da programação, bem no espírito pregado pelo idealizador do festival, Fernando Rosa, o legendário Senhor F. Na segunda noite, o Contra Las Cuerdas trouxe seu hip hop hecho en Uruguay, com candombe, tango y otras cositas más na mistura – inventivo, pero nem sempre agradável. O quarteto carioca Do Amor, com sua rota de influências que cruza o país inteiro, abraçou melhor o continente. E a terceira jornada começou com a psicodelia da banda Watson, de Brasília, que teve a fineza de preparar homenagem ao lóki local Plato Divorak – que, como era de se esperar, deu uma freakada básica e não deu

por

Pedro Só

fOTOS: divulgação

Festival no RS mistura diversidade alternativa local com a dos vizinhos

FRANNY GLASS e, acima, XOEL LÓPEZ e PABLO DACAL: canciones compartidas

as caras. Depois o Superguidis mostrou que é uma banda pronta para palcos e saltos maiores no eixo Rio-SP. E El Mató A Un Policia Motorizado deu razão aos que o consideram top no indie argentino atual. O trio cuiabano instrumental Macaco Bong quebrou tudo no final, atacando de jam band em longos e incendiários improvisos. Mas faltava uma apocalipse, e para isso foi solicitado o verbo de Andrio Maquenzi, do Superguidis, para mandar “Drain You”, e encerrar com “Stay Away”, do Nirvana. Só que essa última na versão mais roots, com o refrão original, “pay to play”. Porque ali ninguém era boludo, nem nada. Apenas brasileiros, argentinos, chilenos, uruguaios e venezuelanos (da banda Los Mentas) hermanados em torno da boa música.

Música. Entenda do que é feita.

Ligue: 11 3078 7711 assinaturas@billboard.br.com

Assin e receba e em cas a!

www.billboard.br.com 85


AO VIVO

Abril Pro Rock • Chevrolet Hall (Recife) • 15 a 17/4

Despedaçado numa boa O Abril Pro Rock não é mais o mesmo. O festival já foi a grande vitrine do novo pop brasileiro, revelando desde a geração manguebit, em suas primeiras edições, até bandas como Los Hermanos em 1999. Hoje, na falta de executivos de gravadoras, novos nomes locais fortes e novidades que não se encontram facilmente na internet, o Abril é menos exposição e mais festa. Isso não é ruim. Para se adaptar aos novos tempos, o festival divide as noites principais entre dois públicos bem diferentes – e igualmente satisfeitos – e ainda se fragmenta durante o mês em eventos menores, no APR Club, mirando desde fãs de música eletrônica até órfãos dos Hermanos. “Se a gente distribuísse ingressos de graça na noite de sexta para os shows de domingo, provavelmente ninguém pegaria”, aposta Paulo André, criador e produtor do evento, ao comentar a diferença entre os fãs da tradicional noite de rock pesado e os neo-hippies adeptos do “Olinda style” da segunda noite, que tem “mais a cara do Abril Pro Rock”. O metal dominou a parte inicial da noite das camisas pretas. Destacaram-se o Violator, de Brasília, com um discurso contra Deus e o consumismo que chega a ser fofo, de tão inocente, e o som poderoso do Torture Squad, de São Paulo. Entre as atrações americanas, o D.R.I. fez a transição do metal para o punk com o seu crossover que influenciou de Slayer a NOFX. A atração principal, Misfits, tem músicos tecnicamente fracos, mas com uma qualidade rara: bom humor e criações originais, do visual no palco e nas composições, como "Die, Die My Darling". As duas noites principais foram intercaladas no sábado por um dos sete eventos do segundo ano do APR Club. A noite, no Casarão 143, no Recife Antigo, foi dedicada ao eletrônico, com boas apresentações do pop local Voyeur, a Lady Gaga carioca MiM e o DJ set do Boss in Drama (SP). O público minguado revelou que batidas pop são atração alternativa no Abril Pro Rock. 86 billboard brasil Maio 2011

por

Rodrigo Ortega fOTOS: rafael passos

Perto do aniversário de 20 anos, festival pernambucano se fragmenta para sobreviver melhor

JERRY ONLY, dos Misfits, contempla sua incrível franja pontiaguda

Por outro lado, a noite de homenagem aos 10 anos do disco Bloco do Eu Sozinho, de Los Hermanos (com o baterista Rodrigo Barba e outros músicos cariocas), na semana seguinte, já estava com os ingressos esgotados. A festa de domingo começou com os locais Feiticeiro Julião e Mamelungos, que reproduzem o som de antigas atrações do festival com muita competência e, por enquanto, pouca personalidade. O estúdio montado pela Petrobras para o público pode ser um caminho para registros compactos de outras novidades. Quem começou a salvar a noite foram os novos e velhos paulistas. O Holger fez um som dançante que o público não dançou, estranhando o excesso de guitarras (que nem eram tantas, o que mostra o abismo crescente entre o público “roqueiro” e o novo indie, cada vez mais “MPB”). O encontro de Tulipa Ruiz com Marcelo Jeneci, dois dos maiores nomes dessa nova cena, no show dela, foi o ponto alto do Abril Pro Rock. Tulipa fez a apresentação mais bonita da noite, embora não tão animada quanto as que viriam, com destaque para as bandas “dos sonhos” de Karina Buhr (com Guizado, Edgard Scandurra e Catatau)

e Arnaldo Antunes (Marcelo Jeneci, Curumim e, de novo, Scandurra). Os veteranos locais da banda Eddie e os venerandos jamaicanos Skatalites encerraram sem surpresas – samba e ska fizeram as saias de Olinda rodar até o início da segunda-feira.

Aniversário dos caranguejos “Tenho fitas demo do Pato Fu, Los Hermanos e Autoramas no meu escritório. Cassetes mesmo", ressalta Paulo André, animado com a próxima edição do Abril, que vai comemorar

seus 20 anos. O produtor tem projetos de documentário em vídeo e livro e uma exposição memorial do manguebit. Em 2012, completam-se também duas décadas do manifesto “Caranguejos com cérebro”, escrito por Fred Zero Quatro, líder do movimento pernambucano junto com o finado Chico Science. Os projetos ainda estão no papel. Podem ser uma boa oportunidade para aumentar o contato da nova geração com as ideias dos pioneiros do Abril Pro Rock – não para criar clones, mas para voltar a quebrar barreiras entre pop, guitarras e raízes.

Pintou um clima musical entre TULIPA e JENECI no domingo


M

M

Y

Y

Y

_ANUNCIOS.indd 3

5/4/11 11:28 AM


LANÇAMENTOs • CDs

Ainda monstrinhos fOTO: Kiyoshi Ota/gettyimages

Beastie Boys

Hot Sauce Committee Part Two

EMI

O oitavo disco do grupo de Nova York teve um parto difícil, em meio à luta de Adam Yauch contra um câncer e a pressão natural para agradar fãs que ficaram seis anos sem ouvir a voz de Mike D, MCA e Ad-Rock em um disco (o penúltimo, The Mix-Up, de 2007, era instrumental). Com essa fase turbulenta, era quase certo que Hot Sauce Committee Part Two soaria mais sério, certo? Errado. Os Beastie Boys voltam mais bem humorados e criativos do que nunca. Para o fã já iniciado, são notáveis as várias (auto) referências a Licensed To Ill (1986), Check Your Head (1992), Hello Nasty (1998) e aos outros álbuns dos 32 anos de carreira do trio. Para o iniciante, vale dizer que os Beastie Boys continuam acertando na velha mistura entre hip-hop, rock, punk, funk, e agora em flertes com o eletrônico (“OK”) e o reggae (“Don't Play No Game That I Can't Win”, com a participação da cantora Santigold). A poderosa “Too Many Rappers”, que conta com Nas, mostra que os três branquelos ainda podem ser tão relevantes quanto Kanye West e Jay-Z quando querem. “Make Some Noise”,” Lee Majors Come Again”, “Say It” e “Long Burn The Fire” se destacam entre as 16 faixas. Para a alegria dos fãs, a primeira parte de Hot Sauce Committee, com material inédito (a lógica é confusa, mas é isso por Jean Felipe Rios mesmo), não deve demorar décadas para ser lançado.

Periferia com horizontes

Criolo

Tudo fica bluegrass

Coisas de casal

Mumford & Sons

Nó Na Orelha

Pagode ‘true’

Jim Tomlinson

Sigh no more

Fundo de Quintal

The Lyric

Nossa Verdade

Independente

Universal

EMI

Biscoito Fino

Criolo vem do universo do rap e dele não foge nem mesmo quando não parece estar explicitamente dentro de seus domínios . Nó Na Orelha amplia em muito as aparentemente rígidas marcas limites do gênero. O destaque inegável é “Não Existe Amor em SP”, pérola melancólica de sabores trip hop e soul. No quase bolero-brega “Freguês Da Meia Noite” ele parece se afastar das origens – por bom motivo. Quando, em outras canções, visita o reggae e o afrobeat, não faz feio. O rap mais tradicional de “Grajauex” mostra que ele não esqueceu como se faz. E não é que o mano sabe fazer samba? A faixa que fecha o álbum, “Linha de Frente”, é um exemplo inspirado disso. E não dá para elogiar o disco sem citar a produção de Daniel H.C. Ganjaman e Marcelo Cabral.

Desde outubro de 2009, quando esta estreia bateu no mercado europeu, o grupo liderado por Marcus Mumford (ex-baterista e ex-namorado da cantora Laura Marling) passou a ser o centroavante do novo folk inglês. E ele joga simples. “Eu f... tudo desta vez, não foi meu bem?”, cantam em “Little Lion Man”, primeiro single com violão, banjo, cello e piano amparando os lamentos dos quatro rapazes fãs do velho bluegrass americano. O dedo do produtor Markus Dravs explica – em parte – a textura de “Twistle & Weeds” e o crescendo de “The Cave”. O público atingido é o indie, mas o som fascina senhores (como Bob Dylan, com quem tocaram no Grammy) em busca de um country sem sotaque pop B.L. (“Winter winds”).

O saxofonista Jim Tomlinson, produtor dos discos de Stacey Kent – sua mulher –, lançou The Lyric originalmente em 2005. O relançamento conta com capa diferente do original, opção para ressaltar – com foto – a participação da cantora no álbum. O tom é jazzístico e a voz de Kent está em 11 das 13 faixas. “Manhã De Carnaval” (Luiz Bonfá e Antônio Maria) e “Outra Vez” (Tom Jobim) aparecem em versões instrumentais. “Corcovado”, de Tom, também está no disco, mas cantada em inglês. “I Got Lost In His Arms” (Irving Berlin) e “Stardust” (H. Carmichael e M. Parish) comparecem em interpretações mais interessantes do que as canções brasileiras. Outro destaque fica com a bonita “Jardin D’Hiver” (Benjamin H.C. Biolay e Keren Ann), em francês.

A faixa de abertura “Nossa Verdade” começa com o verso “Aqui nada mudou”. A impressão que se tem é que, de fato, a despeito do entra-esai de integrantes, tudo se mantém igual nesses mais de 30 anos de história do grupo. Beth Carvalho, a madrinha que os descobriu, participa de “Cacique, A Consagração” – uma homenagem ao bloco carnavalesco de onde surgiu o sexteto. Essa mesma canção, a faixa título e “Lá Debaixo Da Tamarindeira” fazem referência a uma história que não se esconde, principalmente na sonoridade. Samba de roda, romântico e partido alto inéditos mais a regravação de dois clássicos dos 80 (“Conselho” e “Insensato Destino”) fazem coro com o “nada mudou”. Dessa forma deixam claro que assim é que H.C. continua bom.

88 billboard brasil Maio 2011


Baile sem valsa

Belíssima saideira

Jota Quest

Egotrip rural

Milva & Astor Piazzolla

Quinze

Ao Vivo em Tokio 1988

Pra ficar Odara

Fleet Foxes

Caetano e Maria Gadú

Helplessness Blues

Multishow Ao Vivo

Sony Music

Biscoito Fino

Sub Pop

Universal

O álbum duplo comemora os 15 anos de carreira fonográfica da banda – contados a partir do primeiro lançamento por grande gravadora. Da “estreia” de 1996, que leva o nome que grupo usava na época – J. Quest – são tiradas três músicas. Entre elas, a versão para “As Dores Do Mundo” de Hyldon, canção referência da soul music nacional – estilo que, com maior ou menor intensidade, sempre foi marca do quinteto. Mas antes, em 1995, os mineiros já tinham mostrado as caras num disco independente de onde veio a música “Jogo”. Com exceção de quatro faixas inéditas ou raras – como uma versão para “Get Back”, dos Beatles – todo o repertório foi escolhido pelos fãs. Ou seja, predomina a coleção de hits, correndo para H.C. o abraço da galera.

Como o subtítulo esclarece, este CD duplo oferece “o concerto completo no Nakano Sunplaza Hall”, com o monstro sagrado argentino (19211992) e a cantora italiana que soube interpretá-lo como pouquíssimas. A apresentação traz o Quinteto Tango Nuevo em seus últimos grandes momentos. O maestro e gênio do bandoneon já sofria com problemas circulatórios, mas o rigor no palco permanecia inalterado. A gravação mais famosa de Piazzolla com a intensa Maria Ilva (seu verdadeiro nome) está no disco Live At Bouffes du Nord, de 1984, que, no entanto, deixa a desejar na mixagem, em especial no volume do contrabaixo. Aqui, o problema é corrigido, valorizando o disco H.C. para além do valor documental.

As belas harmonias do disco de estreia dos Fleet Foxes, de 2008, foram surpreendentes, ainda mais vindas da Sub Pop, outrora sinônimo de barulho. Mas, se no primeiro álbum a sensibilidade estava a serviço de um folk bom para cantar junto – o grupo foi um sucesso em festivais de verão na Europa e EUA –, em Heplessness Blues falta inspiração nas composições. O clima é menos animado e os arranjos mais complexos. Também é difícil se conectar às letras, cheias de dramas difusos e imagens fantásticas (o título de “Sim Sala Bim” já dá um sinal). É duro atravessar momentos como os oito minutos de “The Plains / Bitter Dancer”, mas há belezas pontuais, como o violão tenso da faixa-título, que lembra o drama mais acessível do R.O. Neutral Milk Hotel.

Multishow Ao Vivo registra a turnê conjunta Duo, no final do ano passado. Caetano Veloso e Maria Gadú estão acompanhados apenas por um par de banquinhos e violões (e um banco extra para taças de vinho). A primeira parte do CD duplo poderia se chamar Caê Greatest Hits, por ele e Gadú. No início, a interpretação dela é dura. Em “Odara”, Caetano incentiva e a cantora se solta. Em “Shimbalaiê”, Caetano ressalta a boa melodia. O CD 2 é dividido: metade para Gadú em faixas do seu primeiro disco e a outra para o baiano. Vale pelo resgate da bela “Genipapo Absoluto”, de Estrangeiro (1989), e a versão sem guitarras de “Odeio”, de Cê (2006). Para o baiano, parece diversão; para a carioca, valiosas lições de desenvoltura que valorizam R.O. seu shimbalaiê.

AFRO SEM MODA

Telecoteco imortal

Bolo hipster

Afrika Gumbe

Ed Lincoln

TV on the Radio

Meu refrão inquieto

Nine Types Of Light

O Rei dos Bailes

Microservice

Universal

Chacrinha cantaria hoje: o afrobeat está na moda, o mundo aplaudiu. Qualquer cantorinha de MPB agora arrisca uma felakutiada... Mas os irmãos Marcos e Marcelo Lobato, multi-instrumentistas, estão nessa história desde os anos 80, quando uma Lapa ainda feia, suja e malvada curtia sons do continente no restaurante D’África. O Gumbe lançou seu disco de estreia em 1989 (cantado em iorubá!), mas teve sua trajetória interrompida nos anos 90 pela explosão do Rappa, banda que tem Marcelo entre seus fundadores. Os grooves agora desengavetados animam 12 canções com travo de Black Rio e soul brasileiro. Algumas delas, como a faixa-título e “A Folha Seca De Didi”, seriam destaque em qualquer P.S. disco do Rappa.

O TV on the Radio não faz música com gostos óbvios. Como um bolo formado por camadas de receitas diferentes, o grupo americano mistura batidas funk, orgânicas e eletrônicas, sintetizadores, metais, guitarras ora pesadas, ora com frases espertas, e vocais que vão do quase rap a lamentos agudos. A mistura não é indigesta para quem busca sabores diferentes. Nine Types Of Light tem inesperada cobertura de glacê. “Will Do”, primeiro single, é uma bela canção de amor com o doce na medida. Mas também não faltam as faixas mais pesadas e dançantes (“No Future Shock”, “Caffeinated Consciousness”). Uma nota triste: o baixista Gerard Smith morreu de câncer de pulmão oito dias depois do lançamento. Fica a lição: rockR.O. cabeça também pode ter coração.

Discobertas

Cultuados e copiados por colecionadores e DJs na Europa, os seis LPs que o cearense cheio de suingue gravou entre 1960 e 1966 pelo selo Musidisc finalmente ganham reedição oficial, em irresistível caixinha. São discos feitos sem outra pretensão que não fosse ganhar um troco e fazer dançar. Nos bailes de samba-rock de São Paulo, em vinis bem vividos, “Palladium” e “Ai Que Saudade Dessa Nega” nunca saíram de moda. Tudo é festa para Ed: do som das boates onde se dançava agarradinho em Copacabana – sambalanço, bossa para dançar e cha cha cha –, ao jazz e blues (a versão de ‘Blues Walk”, de Clifford Brown, animou carnavais!) , passando por bolero e até partido alto (confira “O Samba É Bom Assim (Pra Mim)”). A série começa sem ir muito além do fascínio pelos timbres do Hammond, no disco de 1960) e vai esquentando – de 1961 traz “Leçon de Baion” – até pegar fogo em A Volta (1964) e no espetacular Ed Lincoln (de 1966), com bailantes na capa. Coadjuvado por Orlandivo, expõe a gaiatice genial e o telecoteco irresistível em petardos por Pedro Só como “O Ganso”, “É O Cid”, “Querida”, “Ya Ya” e “Cochise”.

www.billboard.br.com 89


LANÇAMENTOs • dvds

“Eô” globalizado

Farra de guitarra

Green Day

GÊNIOS NA BACIADA

JEFF BECK

ROCK’N’ROLL PARTY HONOURING LES PAUL

Awesome As F**k

DUKE ELLINGTON & LOUIS ARMSTRONG

ST2

DEFINITIVE COLLECTION

ST2

Warner fOTOs: divulgação

É uma delícia este show que o herói Jeff Beck fez para homenagear Les Paul (1915–2009), gênio da guitarra de família prussiana que tornou possível o rock como o conhecemos. O reverb de “Apache” é uma carícia, o tremolo de “Sleep Walk”, doces cócegas. Nas partes mais rock’n’roll, a cantora irlandesa Imelda May se mostra ótima surpresa, e Trombone Shorty, Brian Setzer e Gary US Bonds fazem boas participações. Mas os extras são o melhor aqui, com entrevistas excelentes de Beck, mostrando seus brinquedos e explicando detalhadamente a mágica de Les Paul – e a sua própria, claro. Não faltam nem imagens dos dois juntinhos, tocando em raro encontro oitentista.

P.S.

Estirpe em festa

Ao pé da letra, o título é exagerado. Awesome As F**k não é tão legal quanto sexo, mas o CD e o DVD são flashbacks dignos da excelente turnê do Green Day 21st Century Breakdown, que começou em 2009 terminou com ano passado, no Brasil. O DVD tem 18 faixas gravadas em Tóquio, em janeiro de 2010. Infelizmente, o vocalista Billy Joe não parece tão endiabrado quanto no show de São Paulo – talvez seja a edição que esfrie as coisas, excluindo trechos como a sua incrível bazuca de camisetas. “Lembro a primeira vez que vim a Tóquio, em 1996, eu estava apavorado. Agora é 2010... E eu continuo apavorado!”, confessa Billie Joe. Mas não há motivos: o público japonês canta junto e responde aos seus gritos de “eô” o tempo todo. A maior parte do repertório vem da “fase ópera-punk” do grupo, dos dois últimos álbuns, American Idiot (2004) e 21st Century Breakdown (2009). Mas não dá para deixar de fora os clássicos do disco Dookie (1994): estão lá “She”, “When I Come Around”, “Burnout” e “Welcome To Paradise”. A única canção inédita, “Cigarettes And Valentines”, lembra mais o punkpop do início que o rock de arena atual. É um presente para o fã mais antigo, que viu o Green Day no Brasil em 1998 com metade do ginásio vazio e a mesma empolgação. Toscos ou produzidos, eles continuam autênticos. por Rodrigo

90 billboard brasil Maio 2011

Ortega

De definitiva, esta coleção de clipes cinematográficos e trechos de apresentações não tem nada. O encarte inexiste, falta um mínimo de informações sobre data e procedência das apresentações, coletadas meio à galega, mas com bom gosto. Afinal, estamos falando de dois dos maiores gênios musicais do século 20: Duke (1899–1974) e Louis (1901–1971). No disco de Duke não se credita, por exemplo, a cantora Ivy Anderson na música “Stormy Weather” (trecho extraído do filme Bundle Of Blues). Mas se você encontrar por cerca de R$ 50 (preço sugerido), vale levar: são 2 CDs e 2 DVDs.

P.S.

Órbita calculada

Martinho da Vila

Luan Santana

Lambendo a Cria

Ao Vivo no Rio MZA

som livre

Uma reunião de família – de sangue e musical. Cinco filhos de Martinho da Vila e músicos que tocam com ele há muitos anos se juntam ao próprio numa compilação de músicas inéditas e regravações. O DVD é dividido em duas partes. Na primeira, imagens dos músicos no estúdio ilustram algumas canções. Na segunda, rola uma roda de samba. Bons momentos são quando Mart’nália divide os vocais com o pai em “Lara” (M. da Vila/Zé Catimba) e Maíra Freitas – também filha – toca piano e canta com ele em “Jobiniando” (M. da Vila/ Ivan Lins). Tunico Ferreira, outro filho, aparece não só como cantor, mas também como compositor de “Vivo Pra Sentir Seu Prazer”. Um making of H.C. explica o projeto.

Do cabelo desarrumado à escolha do palco, tudo aqui é calculado. Luan bota 15 mil fãs no Rio de Janeiro para mostrar que seu sertanejo teen romântico tem espaço em mercados outrora avessos a botas e chapéus. Com equipamentos, o cantor de 20 anos voa pelo público (em “Voa Voar”) e dá saltos. Na parte musical, ainda escudado pelo produtor Sorocaba, continua com um pé no pop e outro no sertanejo. Rola festa (“Química Do Amor”, com Ivete), pósgrunge mauricinho (“As Lembranças Vão Na Mala”), pop latino mirando em carreira internacional (“Meu Menino”, com a mexicana Belinda) e baladona (“Amar Não É Pecado”). O sertanejo surge em “Amor Distante/Inquilina B.L. De Violeiro”, com Zezé e Luciano.


LANÇAMENTOs • livros

um dia na vida dos beatles

don McCullin

Ed. Belas Letras

1968. O fotógrafo Don McCullin acabava de voltar da Guerra do Vietnã, quando recebeu um telefonema que achou que fosse um trote. Alguém da Apple queria saber se ele tinha interesse em fotografar os Beatles. O quarteto de Liverpool estava no auge de sua fama, após o lançamento do disco Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, e em pleno processo de gravação do Álbum Branco. No domingo seguinte, o fotógrafo encontrou John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Star no estúdio do Sunday Times, em Londres, e começou o dia de fotos que renderia o livro Um Dia na Vida dos Beatles. Embora algumas destas imagens já houvessem sido publicadas, a maioria delas continuava inédita. Até hoje. A.C.R.

Dá para parafrasear a bio do falso perfil de @oclebermachado no Twitter: Vai filosofar? Vai. Vocês vão gostar? Vão. A verve ímpar de Humberto Gessinger, que por anos fez a festa de maus humoristas e críticos ignóbeis do Sudeste, aparece em ótimos textos curtos. Entre reminiscências familiares e autobiográficas, obsessões pessoais e idiossincrasias nacionais, ele pensa arte, futebol e o que mais vier. Uma gafe de Waly Salomão aqui, uma tirada contra as “Dercys Gonçalves” do rock ali... Somadas às “notas mentais para uma próxima vida”, estão várias letras. Algumas delas, inéditas, expostas nuas nas folhas de caderno onde nasceram; outras, com direito à exegese P.S. do próprio autor. Um must.

O discurso do rei

Visões do ícone

mapas do acaso

Humberto Gessinger

Ed. Cosac Naify

Any Day Now: David Bowie The London Years (1947-1974)

Adelita Books (importado)

Contexto irreverente

A grande volta de Elvis Presley

gillian g. gaar

camaleão

Cartógrafo cartesiano

fOTO: Alasdair McLellan/divulgação

retratos

Nós Vamos Invadir Sua Praia

Ed. Madras

Há uma lacuna entre os dois Elvis do imaginário popular – o jovem roqueiro e o rechonchudo excêntrico. A jornalista americana Gillian Gaar resgata a “fase de transição” entre essas duas figuras com base em um evento: o especial para a NBC em 1968, conhecido como “Comeback Special”. Entrevistas como a do diretor Stevie Binder revelam como o cantor conseguiu impor sua voz e se libertar da repressão criativa de filmes e trilhas que não o interessavam. Pena que a reinvenção como artista “de palco” se tornou, anos depois, outra prisão criativa em Las Vegas. E pra quem acha que o “Comeback Special” é memória de tiozinho, vale conferir no YouTube de quem os Strokes copiaram R.O. seus primeiros clipes.

andréa ascenção

Ed. Belas Letras

Dos primeiros contatos de Roger com a música, na infância, até o projeto independente e virtual Música Esquisita A Troco De Nada (2009), a autora conta a trajetória do Ultraje a Rigor a partir de uma pesquisa detalhada. Traz depoimentos dos membros da banda e várias outras pessoas relacionadas com a história deles, como o produtor Peninha Schmidt – descobridor do grupo – e os amigos Lobão e Kid Vinil. O livro contextualiza os fatos no cenário musical de cada época. Chega a resumir como se fabrica um vinil e tem 32 páginas só com as letras das músicas. Há também um mapa da genealogia das 12 formações, fotos de arquivo e imagens das capas dos discos, inclusive os primeiH.C. ros compactos: festa para os fãs.

Foram cerca de 20 anos de trabalho para que o autor do livro, Kevin Cann, fã de carteirinha de David Bowie, conseguisse reunir mais de 800 imagens do cantor e compositor inglês nascido em 1947. Além de imagens inéditas e raridades, como o futuro ídolo pop, aos 13 anos, usando capacete de futebol americano, o livro também traz entrevistas com amigos de Bowie e análises sobre inspirações e influências por trás de muitas das mais emblemáticas canções e capas de álbuns. O recorte cronológico vai da infância até 1974, quando, no auge do sucesso glitter, o astro vai morar fora da Inglaterra. Esta não foi a primeira vez que Cann, designer de formação, trabalhou com seu ídolo da adolescência. Ele colaborou com a primeira exposição de Bowie em Londres, em 1994, e chegou a organizar projetos de pesquisa sobre o compositor para relançamentos coordenados pela gravadora EMI. Any Day Now está disponível em dois formatos. Além da versão standard (£ 24), há também uma edição limitada – apenas 475 cópias de capa dura, numerada, que conta com a assinatura do autor – (£ 175). A edição para poucos traz um bônus: uma imagem feita por Gerald Fearnley para o primeiro álbum de Bowie, autointitulado, também inédita no mercado. Afastado dos palcos por razões de saúde, Bowie tem sido alvo de muitos boatos. Cann não oferece pistas, mas aposta: “Ele é um homem de múltiplos interesses, tenho certeza de que seus dias estão sendo muito bem aproveitados em alguma nova produção”. por Ana

Carolina Ralston

www.billboard.br.com 91


POPCORN

por

Roberto Sadovski

CINEMA

Homem ao mar Vamos ser francos. A cena que fechou a trilogia Piratas do Caribe, com Jack Sparrow navegando, sozinho, em busca da mítica Fonte da Juventude, não era só um modo simpático de dizer que suas aventuras estavam longe do fim: era, claro, o ponto de partida para um novo filme. Não que os motivos da Disney, que banca a empreitada, sejam cem por cento nobres, “queremos contar boas histórias” e blá-blá-blá. Na ponta do lápis, os três filmes da série renderam US$ 2,7 bilhões aos cofres do estúdio do Mickey, e não dá para ignorar um produto de tal quilate. O que não significa que a produção não passe de um caça-níqueis. Na verdade, este Navegando em Águas Misteriosas parece, sim, acertar o passo que saiu do ritmo com a conclusão da aventura original. Afinal, o grande problema de No Fim do Mundo, terceiro filme da franquia, lançado em 2007, é que ele foi prejudicado pelo número absurdo de plots que, em pouco mais de duas horas de projeção, engasgavam a narrativa e tiravam o foco do que a série tem como maior trunfo: o capitão Jack

Sparrow. Enquanto a (desinteressante) história de amor de Orlando Bloom e Kiera Knightley ganhava seus contornos, o capitão Jack ficava mais e mais de lado. Não é o caso neste novo filme, que muda de comandante (sai o diretor Gore Verbinski, entra Rob Marshall) e ganha novos personagens (Ian McShane é o pirata Barba Negra, com Penélope Cruz no papel de sua filha e, claro, ex-casinho de Sparrow). Para deixar a coisa mais leve, os produtores também deixaram claro que Navegando em Águas Misteriosas é, assim como os prováveis próximos capítulos da “saga”, uma história fechada, que não vai se estender por uma maratona de filmes. A trama coloca Jack Sparrow em busca da Fonte da Juventude – e, claro, nosso herói tem objetivos que nunca ficam imediatamente claros nem para a plateia e muito menos para os outros personagens. É aí que está o charme do personagem, uma espécie de Han Solo dos sete mares, sempre um canalha egoísta na superfície, mas com muito mais acontecendo embaixo de texturas

fOTOs: divulgação

Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas traz Johnny Depp se divertindo mais uma vez como o sensacional Jack Sparrow

Na nova franquia da série, PENÉLOPE CRUZ é filha de Barba Negra e ex-casinho de Jack Sparrow, vivido por JOHNNY DEPP

bem exploradas por Depp – que, vale lembrar, foi indicado ao Oscar pelo filme original. Em uma temporada tão marcada por continuações, remakes,

reboots e reinvenções, não é vergonha admitir que ao menos a viagem ao lado de Jack Sparrow traz o conforto de estarmos em ótima companhia.

O Rio de Janeiro continua lindo...

Velozes e Furiosos 5 traz Vin Diesel e The Rock À capital carioca em um dos melhores filmes de ação que você verá este ano

PAUL WALKER e JORDANA BREWSTER em uma das espetaculares cenas de ação

92 billboard brasil Maio 2011

O Rio de Janeiro mostrado em Velozes e Furiosos 5 não é exatamente a Cidade Maravilhosa que vemos em Rio. Também não é o palco de Tropa de Elite. É um lugar idealizado para se encaixar no roteiro da quinta entrada da série de ação que Vin Diesel e Paul Walker começaram em 2001. A boa notícia é que a ilusão funciona. A notícia melhor ainda é que, com esta parte cinco, a série ganha novo fôlego num filme divertido, acelerado e que abandona o foco da “cultura de rua” das corridas urbanas para abraçar um plot saído de Onze Homens e Um Segredo. Para refrescar a memória, Vin Diesel deu passos decisivos para se tornar astro da ação com o filme de 2001, mas abandonou a série para se arriscar com o malfadado Triplo X. Paul Walker, que protagonizou sozinho a continuação de 2003, também não participou do terceiro filme, com elenco novo e ambientado em Tóquio. Velozes e Furiosos 4 reuniu a gangue e abriu espaço para esta aventura no Rio, para onde Brian O’Connor (Walker) e Dom Toretto (Diesel) se mandam para fugir da polícia. Quando

o FBI coloca Hobbs (Dwayne) em seu encalço, a dupla convoca uma equipe com gente de quase todos os filmes anteriores para roubar US$ 100 milhões de um empresário criminoso no Rio (o português Joaquim de Almeida) e sumir da face da Terra. A verdade é que a boa trama serve para o diretor Justin Lin armar sequências de ação espetaculares e para mostrar o Rio como poucas vezes foi retratado no cinema: belíssimo, quente e ambíguo. Mesmo que boa parte da aventura tenha sido rodada em Porto Rico, que dublou o Rio por causa da complexidade em filmar as cenas de ação nas ruas estreitas da capital carioca, é o clima quente brasileiro que imprime personalidade ao filme.


Diz que me ama, bi!

O simpático Elvis & Madona coloca Igor Cotrim e Simone Spoladore como um casal... diferente

Peraí, de novo?

Depois da ressaca, mais farras em quarteto: se beber, não viaje

Bangcoc é a nova Las Vegas em Se Beber, Não Case! Parte II, que leva a gangue para uma farra sem memória do outro lado do mundo

No planeta-dólar chamado Hollywood está para nascer o projeto financeiramente bem-sucedido que não abra espaço para ao menos uma continuação. Se Beber, Não Case!, sensação em 2009 com US$ 470 milhões em caixa – a maior renda de uma comédia adulta da história –, segue o mesmo caminho. Quase literalmente. Na trama original, quatro amigos se mandam para Las Vegas para a despedida de solteiro de um deles. Uma noite de farra e bebedeira depois, três deles acordam sem a menor recordação da noite anterior e passam as quase duas horas

seguintes a) refazendo os passos e b) procurando o noivo sumido. Fórmula simples, extremamente bem executada pelo diretor Todd Philips, e com um elenco de química perfeita. Cá estamos, dois anos depois, e eles estão de volta: situação parecida, cenário diferente. Agora é a vez de Stu (Ed Helms) se casar, e a gangue vai para a terra de sua noiva, a Tailândia. Phil (Bradley Cooper) e Alan (Zack Galifianakis) estão ao seu lado, mais o noivo do filme anterior, Doug (Justin Bartha). Mas quem some é o irmão da noiva, e o trio principal (Helms, Cooper e Galifianakis) acorda em

uma espelunca de Bangcoc, sem saber como foi parar lá. O grande blá-blá-blá de Se Beber, Não Case! Parte II, porém, veio dos bastidores. Mel Gibson havia sido escalado para uma ponta como um tatuador em Bagcoc. Foi o necessário para que parte da equipe – em especial Zack Galifianakis – levantasse a voz em protesto, principalmente sob a luz dos problemas pessoais recentes de Mel. A gritaria foi tamanha que Philips achou por bem substituir Gibson por Liam Neeson e, finalmente, por Nick Cassavettes. É quando a gente se pergunta: onde está o bom humor?

Todo o talento de Mad Mel

Em meio a escândalos, baixaria e uma vida pessoal tumultuada, Um Novo Despertar lembra o grande ator australiano de Coração valente

Seria injusto dizer que só os últimos anos têm sido difíceis para Mel Gibson. Desde que fez A Paixão de Cristo em 2004, dando um tempo do trabalho como ator, e de ser pego, bêbado, ao volante em 2006, quando soltou o verbo em policiais com insultos antissemitas, o astro parece em pé de guerra com a mídia e com Hollywood. Recentemente o caldo entornou quando sua namorada, Oksana Grigorieva, deixou vazar para um site sensacionalista gravações de brigas do casal, em que ele supostamente a atacou física e verbalmente. É no meio deste turbilhão que Um Novo Despertar chega aos cinemas. Dirigido e coestrelado por Jodie Foster, o drama traz Mel em seu primeiro papel desde o policial O Fim da Escuridão, de 2010. É também seu melhor trabalho como ator desde... bom, desde sempre. Na trama, Gibson é Walter Black, sujeito mergulhado numa profunda depressão. Contemplando o suicídio, ele encontra um castor de pelúcia no lixo, coloca-o no braço como uma luva e, de repente, encontra uma nova voz: é a personalidade do castor que parece trazer Black para a luz e lhe

dá esperança. Mas será que não é o começo de um novo distúrbio? Afiada como diretora, Jodie não esconde os “defeitos” de Gibson: pelo contrário, os potencializa, usando traços da idade como trunfo na composição de um personagem complicado. Sua habilidade ao costurar o drama de Black com o esfacelamento e possível reconstrução da família é trabalho de primeira. MEL GIBSON como Walter Black e seu castor: este pode ser seu melhor trabalho

Romance inusitado, mas sem levantar bandeiras

O grande ponto de interrogação de filmes brasileiros independentes é a distribuição. Se o timing não for perfeito, produções bacanas podem se perder em meio à avalanche de lançamentos das majors. Fica a torcida para que não seja o caso do simpático Elvis & Madona, premiado na Mostra do Rio no ano passado. Despretensioso, o filme dirigido por Marcelo Laffitte traz o ótimo Igor Cotrim no papel de Madona, travesti machucado pela vida que ainda insiste em ter uma visão otimista do mundo. E seu mundo vira ao avesso quando conhece Elvis (Simone Spoladore), lésbica e com muita coisa a provar. O encontro se transforma num romance inusitado, e a dupla enfrenta os problemas e os preconceitos que um namoro assim enfrenta sem nunca levantar bandeiras. Aliás, este é um dos trunfos de Elvis & Madona: não é um filme-tese, não está interessado em defender causas ou provocar discussões. É uma comédia romântica, tão comum quanto as centenas importadas do cinemão ianque, mas com ótica e DNA brasileiros. Claro que também traz alguns dos defeitos do gênero, como um terceiro ato de resolução fraca e uma encenação teatral que, em teoria, tinha de ser grandiosa, mas que fica pequena com o budget de cinema brasileiro feito na raça. O “vilão” também sai estereotipado e, no fim, não oferece tanto perigo assim. Mas, convenhamos, a vida do casal já é bem complicada do jeitinho que está. www.billboard.br.com 93


BACKSTAGE HSBC BRASIL

BACKSTAGE HSBC BRASIL

BACKSTAGE HSBC BRASIL

2 foto: Patricia Cecatti

1

foto: Patricia Cecatti

foto: Isaira Oliveira

ACKSTAGE HSBC BRASIL

3 94 billboard brasil Maio 2011


BACK

BACKSTAGE HSBC BRASIL

foto: Patricia Cecatti

BACKSTAGE HSBC BRASIL

4

stage

foto: Patricia Cecatti

1&2. BETH CARVALHO em dois momentos: ao lado do maestro JOÃO CARLOS MARTINS e preparando-se para voltar aos palcos depois de um ano e meio afastada por problemas na coluna, no dia 15 de abril, no camarim do HSBC Brasil

foto: Patricia Cecatti

foto: Patricia Cecatti

3. Rainha dos baixinhos: MARIA GABRIELA, a protagonista de Isa TKM, atende aos fãs mirins após show realizado ao lado de REINALDO PECHE, o Alex do mesmo seriado, no dia 16 de abril, no HSBC Brasil

5 6 foto: Patricia Cecatti

foto: Patricia Cecatti

BACKSTAGE HSBC BRASIL

4,5 Kool & the Gang no camarim, antes &6. da apresentação de 28 de abril: George Melvin Brown (bateria e teclados) entre Shawn Darrell McQuiller (vocais e guitarra), de jaqueta preta, e Robert E. “Kool” Bell (baixo), de branco, e detalhes dos sapatos e das jaquetas usados pelo grupo americano de Nova Jersey

7. SLASH, no palco do HSBC Brasil, no dia 7 de abril

7

8

8. FELIPE LARA, vencedor da promoção realizada pelo HSBC Brasil em parceria com a Gibson, levou pra casa uma Epiphone Les Paul Sunburst

www.billboard.br.com 95


BACK

BACKSTAGE VIVO RIO

BACKSTAGE VIVO RIO

BACKSTAGE VIVO RIO

stage 1&2. Um cara de sorte: NANDO REIS, uma das atrações do Festival Cultura Carioca, realizado no dia 23 de abril, e o patuá colocado no pedestal do microfone

3. CLAUDIO ZOLI, que também participou do Festival Cultura Carioca, ao lado do produtor do evento GRALTON BEIRAL

4,5 Detalhes da apresentação de SLASH, &6. em 6 de abril: o set list que incluiu sucessos do Guns N’ Roses, como “Civil War”, e de sua carreira solo, como “Back From Cali”, e a guitarra Gibson Les Paul, toda marcada por anos de (bom) uso

1

7. JARED LETO, vocalista do 30 Seconds To Mars, veste a camisa do Brasil durante apresentação em 29 de março

8. Mesmo debilitada por um recente transplante de rim, a cantora e compositora NATALIE COLE emocionou a plateia carioca no dia 16 de abril

2 3 96 billboard brasil Maio 2011

BACKSTAGE VIVO RIO


BACKSTAGE VIVO RIO

BACKSTAGE VIVO RIO

BACKSTAGE VIVO RIO

BACKSTAGE VIVO R

fotoS: RICARDO NUNES

BACKSTAGE VIVO RIO

4 5 6

7 8 8 www.billboard.br.com 97


Grandes festas, casamentos, reuni천es com amigos e eventos corporativos.

Rua Professor Oswaldo Teixeira 474 www.brilat.com.br f . 11 3895.8166

_ANUNCIOS.indd 3

5/4/11 11:35 AM


BRASIL HOT 100 • POP & POPULAR • REGIONAL • SOCIAL 50• BILLBOARD 200 • HOT 100 • INDEPENDENT ALBUMS • TRADITIONAL JAZZ • COMTEMPORARY JAZZ

100

LUAN SANTANA Alterna as músicas, mas sempre no topo no Brasil Hot 100

p.

103

JUSTIN BIEBER O astro teen é também o rei das redes sociais

p.

104

p.

106

FOO FIGHTERS

KATY PERRY

Banda é a grande estreia no Billboard 200

Logo atrás de Rihanna no alto do Hot 100

foto: James Devaney WireImage/getty images

Paradas

p.

Mulheres unidas mostram sua força na Billboard. Rihanna, que em 2009 acusou de agressão o então namorado Chris Brown, teve ajuda de Britney Spears para dar uma surra nos seus concorrentes nas nossas paradas. A versão remix do single de Rihanna “S&M”, com participação de Britney, está no topo do Billboard Hot 100. Com isso, a cantora entra no seleto clube de nove artistas a conseguirem pelo menos dez primeiros lugares na história da parada. No ranking de discos, o Billboard 200, seu CD Loud, de 2010, está presente pela 22ª semana seguida, desta vez na 17ª posição. No ranking Social 50, que mede a relevância de cada artista nas redes sociais online, a moça aparece em terceiro lugar. Ela lidera o Hot Digital Songs e tem a 16ª posição no Dance Club Songs. Por fim, Rihanna dá um golpe triplo nos rankings brasileiros: 29º lugar no Hot 100 com “S&M”, 36° com “What’s My Name” e 93º com “Only Girl (In The World)”. www.billboard.br.com 99


18 abr fevereiro

79

- UM BEIJO

2

4

16

VIVER SEM TI

3

2

7

QUEM É?

4

6

53

PRA VOCÊ

5

3

3

MENTES TÃO BEM (MIENTES TAN BIEN)

6

16

60

CLICHÊ

7

82

-

8

30

-

9

10

10

Gravadora

LUAN SANTANA

AO VIVO

SOM LIVRE

EXALTASAMBA (Part. MARIANA RIOS)

AO VIVO

INOVASHOW

EDUARDO COSTA

AO VIVO

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

PAULA FERNANDES

AO VIVO

UNIVERSAL

ORIGINAL

ZEZÉ DI CAMARGO & LUCIANO

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

SORRISO MAROTO

AO VIVO

UNIVERSAL

TENTATIVAS EM VÃO

BRUNO & MARRONE

ORIGINAL

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

TEUS SEGREDOS

77

67

67

BRIGAR NÃO TÁ COM NADA

GUSTTAVO LIMA

78

61

66

NEED YOU NOW

EXALTASAMBA

79

91

-

80

30

17

11

12

LOCA

68

-

THE BLACK EYED PEAS

UNIVERSAL

SHAKIRA (Part. DIZZEE RASCAL)

SONY MUSIC ENTERTAINMENT SOM LIVRE SOM LIVRE

INOVASHOW

IVETE SANGALO (Part. SEU JORGE)

UNIVERSAL

JOÃO NETO & FREDERICO INDEPENDENTE

JENNIFER LOPEZ (Part. PITBULL)

UNIVERSAL

MARCOS & BELUTTI

AO VIVO

63

-

SISSI

5

2

CHUVA

26

27

28

LIKE A G6

27

26

33

JUST THE WAY YOU ARE

28

25

25

PRA VOCÊ LEMBRAR

29

65

-

INDEPENDENTE

ALEXANDRE PIRES

ORIGINAL

EMI

JOÃO BOSCO & VINÍCIUS

ORIGINAL ORIGINAL

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

FAR EAST MOVEMENT (Part. THE CATARACS)

UNIVERSAL

BRUNO MARS

ORIGINAL

WARNER

ORIGINAL ORIGINAL

É SÓ VOCÊ ME AMAR

31

12

11

O TROCO

32

49

82

RAZÃO DE VIVER

33

44

63

GRENADE

34

36

35

JUST A DREAM

35

21

27

DO LADO DE CÁ

36

59

-

32

30

WHAT’S MY NAME

38

64

WHO’S THAT CHICK?

PIXOTE

EMI

BRUNO MARS

WARNER

NELLY

UNIVERSAL

CHIMARRUTS

ORIGINAL

EMI

JUST CAN’T GET ENOUGH

THE BLACK EYED PEAS

ORIGINAL

UNIVERSAL

RIHANNA (Part. DRAKE)

ORIGINAL

UNIVERSAL

DAVID GUETTA (Part. RIHANNA)

ORIGINAL

EMI

ABELHA

JOÃO BOSCO & VINÍCIUS (Part. JORGE & MATEUS)

JUSTIN BIEBER

40

29

SMILE 24 U ORIGINAL

41

20

13

SONY MUSIC ENTERTAINMENT UNIVERSAL

ALUCINAÇÃO

LEONARDO

42 NOVO

ME APAIXONEI POR TI (ME ENAMORE DE TI)

LEONARDO

43

22

26

SE INTROMETEU

44

18

15

CHOVE, CHOVE

JORGE & MATEUS

45

90

-

SEU ASTRAL

JORGE & MATEUS

46

46

43

AIRPLANES

47

41

49

YEAH 3X

48

13

19

ZUAR E BEBER

49

58

47

CLUB CAN’T HANDLE ME

50

53

73

TOP DO BRASIL

51

35

59

HOLD IT AGAINST ME

52

83

83

MULHER 100%

CUPIM NA MESA

53

33

29

ELA VEM DO CÉU

JEITO MOLEQUE

54

17

8

BOA SORTE PRA VOCÊ

ORIGINAL ORIGINAL AO VIVO AO VIVO AO VIVO

ORIGINAL REMIX

ORIGINAL ORIGINAL AO VIVO REMIX

AO VIVO AO VIVO

ORIGINAL

SOM LIVRE

UNIVERSAL UNIVERSAL

B.O.B. (Part. HAILEY WILLIAMS)

WARNER

CHRIS BROWN

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

LEONARDO

UNIVERSAL

FLO RIDA (Part. DAVID GUETTA)

WARNER

RICARDO & JOÃO FERNANDO

INDEPENDENTE

BRITNEY SPEARS SONY MUSIC ENTERTAINMENT INDEPENDENTE INDEPENDENTE

VICTOR & LEO

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

5

SONHANDO

57

34

20

DIREITO DE TE AMAR

58

73

-

59

28

21

FUGIDINHA

MICHEL TELÓ

60

51

48

DYNAMITE

TAIO CRUZ

Fotos: Divulgação

E.T.

15

ORIGINAL

QUATRO ESTAÇÕES AO VIVO

ORIGINAL ORIGINAL

100 billboard brasil Maio 2011

KATY PERRY (Part. KANYE WEST)

EMI

BRUNO & MARRONE

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

BELO

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

HUGO PENA & GABRIEL

SOM LIVRE SOM LIVRE

UNIVERSAL

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

CINE

ORIGINAL

UNIVERSAL

CHARLIE BROWN JR.

ORIGINAL

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

AO VIVO

SOM LIVRE

ORIGINAL AO VIVO

SOM LIVRE

GUILHERME & SANTIAGO

SOM LIVRE

MANU GAVASSI

ORIGINAL

MIDAS

INIMIGOS DA HP

AO VIVO

MAYNARD ENTERPRISES

GRUPO BOM GOSTO

AO VIVO

EMI

LADY ANTEBELLUM

ORIGINAL

EMI

FUCKING PERFECT

PINK

ORIGINAL

QUE DÁ VONTADE DÁ AO VIVO

82

63

44

INVENTOR DOS AMORES

83

72

-

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

GUILHERME & SANTIAGO

SOM LIVRE

ART POPULAR

ORIGINAL AO VIVO

INDEPENDENTE

GUSTTAVO LIMA( Part. JORGE & MATEUS)

SOM LIVRE

VELHOS SONHOS

RODRIGO RIOS

84 NOVO

TRILHA DO AMOR

REVELAÇÃO

85

78

61

HEY, SOUL SISTER

74

74

SERÁ VOCÊ?

46

70

CINDERELA

JAMMIL & UMA NOITES

WHO DAT GIRL

FLO RIDA (Part. AKON)

-

87

NOVO -

52

23

ORIGINAL AO VIVO

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

CW7

ACÚSTICO

MAYNARD ENTERPRISES

ORIGINAL

INDEPENDENTE

ORIGINAL

DON JUAN ORIGINAL

NEVER SAY NEVER

91

SONHO BOM

72

UNIVERSAL

TRAIN

REMIX

90 NOVO 81

INDEPENDENTE

ORIGINAL

WARNER

CLAUDIA LEITTE (Part. BELO)

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

JUSTIN BIEBER (Part. JADEN SMITH)

UNIVERSAL

MUNHOZ & MARIANO

ACÚSTICO

92 NOVO

É PRECISO (A PRÓXIMA PARADA)

93

71

42

ONLY GIRL (IN THE WORLD)

94

77

-

INDEPENDENTE

JOTA QUEST

ORIGINAL

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

RIHANNA

ORIGINAL

UNIVERSAL

MINHA MULHER NÃO DEIXA NÃO

MOLEJO

ORIGINAL

95 NOVO

RECONCILIAÇÃO

96

66

62

DE REPENTE

97

43

51

ÁGUA

98

88

-

99

62

68

TCHUBIRABIROM

100

69

80

RIOS DE AMOR

AO VIVO

INDEPENDENTE

JOÃO MARCIO & FABIANO

INDEPENDENTE

SKANK

AO VIVO

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

CLAUDIA LEITTE

ORIGINAL

VANERATION ORIGINAL

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

GRUPO RHAAS (Part. EDSON)

ORIGINAL ORIGINAL

INDEPENDENTE

PARANGOLÉ

UNIVERSAL

VICTOR & LEO

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

entenda os rankings

UNIVERSAL

MICHEL TELÓ

56

ORIGINAL

Com um salto de 46 posições, “On The Floor”, música de Jennifer Lopez que conta com a participação de Pitbull chega ao 22º lugar. Esta é a primeira música da artista a aparecer no Brasil Hot 100 Airplay.

UNIVERSAL

55 NOVO

ORIGINAL

22

SOM LIVRE

AVRIL LAVIGNE

ORIGINAL

PRONTO, FALEI!

89

SOM LIVRE

AO VIVO

81 NOVO

RIHANNA

EDSON

ORIGINAL

72

INDEPENDENTE

ORIGINAL

-

RESTART

MARIA CECÍLIA & RODOLFO (Part. EXALTASAMBA)

AO VIVO

ORIGINAL

“Tentativas Em Vão”, estreia de março de Bruno & Marrone, sai da 82ª posição e chega ao 7º lugar. A dupla ainda aparece com “Sonhando”, que completa sete meses na lista.

UNIVERSAL

ORIGINAL AO VIVO

7& 56

MAYNARD ENTERPRISES

S&M

30 NOVO

39 NOVO

UNIVERSAL

ORIGINAL

25

38

NX ZERO

ON THE FLOOR

24

-

UNIVERSAL

DUPLA SOLIDÃO

LUAN SANTANA (Part. IVETE SANGALO)

16

23 NOVO

70

QUEM QUISER ME BEIJAR

THE TIME (THE DIRTY BIT)

22

57

41

6

LADY GAGA

AO VIVO

24

69

SOM LIVRE

KE$HA

50

8

UNIVERSAL

AO VIVO

68

AO VIVO

76

15

MEU CORAÇÃO PEDE CARONA

WE R WHO WE R

PLANOS IMPOSSÍVEIS

ONDE ESTIVER

PENSANDO EM NÓS DOIS

52

75 NOVO

22

-

56

EMI

FERNANDO & SOROCABA

TUDO TEM UM PORQUE

14

36

67

ORIGINAL

74 NOVO

14

21

TÔ PASSANDO MAL

DANIEL

BORN THIS WAY

20 NOVO

18

KATY PERRY

DANIEL

-

MINUTO 4 UM AO VIVO

39

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

TÁ NO CORAÇÃO

23

7

66

BELO

ORIGINAL

73 NOVO

13

19

TEENAGE DREAM

DO OUTRO LADO DO RÁDIO

SOM LIVRE

JORGE & MATEUS

AO VIVO

40

32

AÍ JÁ ERA

AO VIVO

48

44

14

QUÍMICA DO AMOR

O MEU AMOR É BELO

65

SÓ OS LOUCOS SABEM

9

COR DE OURO

64 NOVO

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

AS CORES

12

ORIGINAL

BRITNEY SPEARS

ORIGINAL

56

VICTOR & LEO

ORIGINAL

BUILDING

TILL THE WORLD ENDS

38

LUAN SANTANA

ORIGINAL

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

TIKO’S GROOVE (Part. GOSHA)

55

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

ORIGINAL

ORIGINAL

42

ORIGINAL

ORIGINAL

O fenômeno do sertanejo universitário sai da 79ª para a 1ª posição com “Um Beijo”, música que apareceu na lista pela primeira vez em março e registrou o maior salto em abril. Luan Santana ainda estreia em 11º lugar com “Amar Não É Pecado” e mantém no ranking “Química Do Amor”, em 17º, e “Adrenalina”, em 68º lugar.

63 NOVO

ORIGINAL

I DON’T KNOW WHAT TO DO

LUAN SANTANA

AMAR NÃO É PECADO

1

-

ADRENALINA

ÁGUA DE OCEANO

46

70

Gravadora

WHAT THE HELL

11 NOVO

1

62

Artista

Versão 

90

EMI

ORIGINAL

1, 11,17 &68

Título 

DJ GOT US FALLIN’ IN LOVE USHER (Part. PITBULL)

9

SOM LIVRE

10 NOVO

19

53

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

KATY PERRY

ORIGINAL

18

54

CROWLEY

ORIGINAL

FERNANDO & SOROCABA

AO VIVO

FIREWORK

17

61

Artista

Versão 

abril

Título 

fevereiro

março

1

abril

março

brasil hot 100 airplay

2011

AIRPLAY MONITORaDo  pela

®

12, 44 &45

A dupla sertaneja do momento salta 45 posições e leva “Seu Astral” ao 45º lugar. Apenas uma posição na frente está “Chove, Chove”, que completa seis meses na lista. “Aí Já Era”, que chegou ao 9º lugar em março, aparece agora em 12º. Jorge & Mateus ainda participam de “Abelha”, de João Bosco & Vinícius (39º lugar), e de “Inventor Dos Amores”, de Gusttavo Lima (82º).

Os rankings brasileiros – HOT 100 AIRPLAY, BRASIL HOT POP SONGS, BRASIL HOT POPULAR SONGS e HOT BRASIL REGIONAL – são fornecidos, com exclusividade, para a Billboard Brasil pela Crowley/MusicMedia e desenvolvidos por meio de metodologia própria de aferição, feita de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, na grade de emissoras-básicas Crowley (www.crowley.com. br). Essa grade contempla as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas, Ribeirão Preto, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Recife, Salvador e Fortaleza. Datas de apuração: de 19 de janeiro de 2010 a 18 de fevereiro de 2011 para as colunas intituladas FEVEREIRO; de 19 de fevereiro de 2011 a 18 de março de 2011 para as colunas intituladas MARÇO; de 19 de março de 2011 a 18 de abril de 2011 para as colunas intituladas ABRIL.

BRASIL HOT 100 AIRPLAY: as 100 primeiras colocações, tanto de títulos nacionais quanto internacionais, dos mais variados gêneros, computadas com base no número total de execuções no período indicado e na grade de emissoras-básicas Crowley das 12 cidades cobertas. Músicas com maior ganho de posições. BRASIL HOT REGIONAL: as dez primeiras colocações, tanto de títulos internacionais quanto nacionais, dos mais variados gêneros, para cada uma das cidades monitoradas, computadas com base no número total de execuções no período indicado e na grade de emissoras-básicas Crowley da referida cidade. BRASIL HOT POP SONGS: as 40 primeiras colocações, tanto de títulos internacionais quanto nacionais, computadas com base no número total de execuções no período indicado e na grade de emissoras-básicas Crowley classificadas no segmento pop nas 11 cidades cobertas. BRASIL HOT POPULAR SONGS: as 40 primeiras colocações, de títulos nacionais, computadas com base no número total de execuções no período indicado e na grade de emissoras-básicas Crowley classificadas no segmento popular nas 11 cidades cobertas.


brasil hot POP & popular FIREWORK

6

-

BORN THIS WAY

3

4

4

ONDE ESTIVER

4

1

1

THE TIME (THE DIRTY BIT)

5

3

3

LOCA

6

30

-

ON THE FLOOR

7

9

8

LIKE A G6

8

8

10

JUST THE WAY YOU ARE

9

7

6

PRA VOCÊ LEMBRAR

10

28

-

S&M

11

17

27

GRENADE

12

13

11

JUST A DREAM

13

5

7

DO LADO DE CÁ

14

26

-

JUST CAN’T GET ENOUGH

11

9

WHAT’S MY NAME?

16

14

28

WHO’S THAT CHICK?

17

10

SMILE 5 U ORIGINAL

18

18

15

AIRPLANES

19

15

18

YEAH 3X

20

25

16

CLUB CAN’T HANDLE ME

21

12

24

HOLD IT AGAINST ME

1

2

-

Título  Versão 

ORIGINAL ORIGINAL ORIGINAL ORIGINAL ORIGINAL ORIGINAL ORIGINAL ORIGINAL ORIGINAL ORIGINAL ORIGINAL ORIGINAL ORIGINAL ORIGINAL ORIGINAL ORIGINAL

ORIGINAL REMIX

ORIGINAL REMIX

Artista

Gravadora

NOVO

2

4

13

VIVER SEM TI

3

2

6

QUEM É?

4

6

34

PRA VOCÊ

5

3

3

MENTES TÃO BEM (MIENTES TAN BIEN)

6

12

36

CLICHÊ

NOVO 7

8

NOVO 9

EMI

UNIVERSAL

NX ZERO UNIVERSAL

THE BLACK EYED PEAS

UNIVERSAL

JENNIFER LOPEZ (Part. PITBULL)

UNIVERSAL

FAR EAST MOVEMENT (Part. THE CATARACS)

UNIVERSAL

BRUNO MARS

WARNER

RESTART

MAYNARD ENTERPRISES

13

15

31

COR DE OURO

THE BLACK EYED PEAS

14

7

MINUTO 4 UM AO VIVO

JUSTIN BIEBER

UNIVERSAL

B.O.B. (Part. HAILEY WILLIAMS)

WARNER

CHRIS BROWN

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

FLO RIDA (Part. DAVID GUETTA)

WARNER

BRITNEY SPEARS SONY MUSIC ENTERTAINMENT

25

31

-

13

TEENAGE DREAM

28

23

19

WE R WHO WE R

29

24

39

WHAT THE HELL

30

16

12

AS CORES

22

22

SÓ OS LOUCOS SABEM

-

ORIGINAL ORIGINAL ORIGINAL

32 NOVO

PLANOS IMPOSSÍVEIS

33

27

29

NEED YOU NOW

34

37

-

FUCKING PERFECT

35

34

25

HEY, SOUL SISTER

33

30

SERÁ VOCÊ?

-

ORIGINAL ORIGINAL ORIGINAL REMIX

ACÚSTICO

37 NOVO

WHO DAT GIRL

38 NOVO

NEVER SAY NEVER

ORIGINAL ORIGINAL

39 NOVO

É PRECISO (A PRÓXIMA PARADA)

40

ONLY GIRL (IN THE WORLD)

32

14

KATY PERRY (Part. KANYE WEST)

EMI

ORIGINAL ORIGINAL

LUAN SANTANA

ORIGINAL

SOM LIVRE

JORGE & MATEUS

ORIGINAL

UNIVERSAL

LUAN SANTANA (Part. IVETE SANGALO)

AO VIVO

SOM LIVRE

GUSTTAVO LIMA

AO VIVO

SOM LIVRE

EXALTASAMBA INOVASHOW

15 NOVO

PENSANDO EM NÓS DOIS

16

MEU CORAÇÃO PEDE CARONA

24

-

IVETE SANGALO (Part. SEU JORGE)

AO VIVO

UNIVERSAL

JOÃO NETO & FREDERICO

AO VIVO

17 NOVO

DUPLA SOLIDÃO

18

36

-

SISSI

19

5

2

CHUVA

INDEPENDENTE

MARCOS & BELUTTI

AO VIVO

INDEPENDENTE

ALEXANDRE PIRES

ORIGINAL

EMI

JOÃO BOSCO & VINÍCIUS

ORIGINAL

20 NOVO

É SÓ VOCÊ ME AMAR

21

9

9

O TROCO

22

30

-

RAZÃO DE VIVER

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

EDSON

ORIGINAL AO VIVO

INDEPENDENTE

MARIA CECÍLIA & RODOLFO (Part. EXALTASAMBA)

SOM LIVRE

PIXOTE

AO VIVO

EMI

ABELHA

24

ALUCINAÇÃO

LEONARDO

25 NOVO

ME APAIXONEI POR TI (ME ENAMORE DE TI)

LEONARDO

26

17

20

SE INTROMETEU

27

14

12

CHOVE, CHOVE

JORGE & MATEUS

28 NOVO

SEU ASTRAL

JORGE & MATEUS

AVRIL LAVIGNE

29

10

16

ZUAR E BEBER

CINE

30

33

-

UNIVERSAL

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

TIKO’S GROOVE (Part. GOSHA)

BUILDING

BRITNEY SPEARS SONY MUSIC ENTERTAINMENT

KATY PERRY

EMI

KE$HA

SONY MUSIC ENTERTAINMENT SONY MUSIC ENTERTAINMENT

UNIVERSAL

16

10

ORIGINAL

JOÃO BOSCO & VINÍCIUS (Part. JORGE & MATEUS)

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

ORIGINAL ORIGINAL AO VIVO AO VIVO AO VIVO

ORIGINAL

TOP DO BRASIL AO VIVO

UNIVERSAL UNIVERSAL

MICHEL TELÓ

SOM LIVRE

UNIVERSAL UNIVERSAL

LEONARDO

UNIVERSAL

RICARDO & JOÃO FERNANDO

INDEPENDENTE

31 NOVO

MULHER 100%

CUPIM NA MESA

MANU GAVASSI

32

22

21

ELA VEM DO CÉU

JEITO MOLEQUE

LADY ANTEBELLUM

33

13

7

BOA SORTE PRA VOCÊ

P!NK

34

11

5

SONHANDO

TRAIN

35

23

17

DIREITO DE TE AMAR

CHARLIE BROWN JR.

SONY MUSIC ENTERTAINMENT MIDAS EMI

SONY MUSIC ENTERTAINMENT SONY MUSIC ENTERTAINMENT

CW7

MAYNARD ENTERPRISES

FLO RIDA (Part. AKON)

WARNER

AO VIVO AO VIVO

ORIGINAL ORIGINAL ORIGINAL

36 NOVO

QUATRO ESTAÇÕES

37

FUGIDINHA

19

18

AO VIVO

ORIGINAL

38 NOVO

O MEU AMOR É BELO

JOTA QUEST

39

25

15

TÔ PASSANDO MAL

RIHANNA

40

18

8

ADRENALINA

JUSTIN BIEBER (Part. JADEN SMITH)

UNIVERSAL

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

UNIVERSAL

Três vezes Katy

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Com “Sissi”, música que tenta trazer para a realidade uma mulher que se acha o máximo (E o nome dela é Sissi, Sissi/ ‘Si’ sentindo/ ‘Si achando’), Alexandre Pires ganha 18 posições, o maior salto da lista.

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

23 NOVO

TAIO CRUZ

ORIGINAL ORIGINAL

18

SOM LIVRE

VICTOR & LEO

ORIGINAL

CHIMARRUTS

EMI

FERNANDO & SOROCABA

AO VIVO

QUÍMICA DO AMOR

DJ GOT US FALLIN’ IN LOVE USHER (Part. PITBULL)

19

TEUS SEGREDOS

1

DAVID GUETTA (Part. RIHANNA)

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

ÁGUA DE OCEANO

1

UNIVERSAL

UNIVERSAL

BRUNO & MARRONE

ORIGINAL

12

RIHANNA (Part. DRAKE)

SORRISO MAROTO

AO VIVO

NELLY

EMI

UNIVERSAL

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

TENTATIVAS EM VÃO

AMAR NÃO É PECADO

UNIVERSAL

PAULA FERNANDES

ZEZÉ DI CAMARGO & LUCIANO

ORIGINAL

AÍ JÁ ERA

WARNER

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

AO VIVO

11

UNIVERSAL

INOVASHOW

EDUARDO COSTA

AO VIVO

8

20

27

-

SOM LIVRE

EXALTASAMBA (Part. MARIANA RIOS)

AO VIVO

11

UNIVERSAL

LUAN SANTANA

AO VIVO

10 NOVO

RIHANNA

21

ORIGINAL

20

UM BEIJO

BRUNO MARS

24

ORIGINAL

Com “Just Can’t Get Enough”, música que estreou em março, o quarteto fantástico salta 12 posições. É do Black Eyed Peas também a 4ª posição da lista, com “The Time (The Dirty Bit)”.

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

DYNAMITE

TILL THE WORLD ENDS

4&14

SHAKIRA (Part. DIZZEE RASCAL)

17

26 NOVO

Gravadora

LADY GAGA

20

I DON’T KNOW WHAT TO DO

Artista

Versão 

1

23

ORIGINAL

Título 

E.T.

ORIGINAL

2011

KATY PERRY

22 NOVO

ORIGINAL

18 abr

®

hot popular songs abril

fevereiro

2

2

abril

março

hot pop songs

fevereiro

CROWLEY

março

AIRPLAY MONITORaDo  pela

Quarto hit do álbum Teenage Dream, “E.T.” fez com que Katy Perry desbancasse Lady Gaga no Billboard 100 americano. Por aqui, a música estreia em 22º lugar e, a julgar pelo desempenho lá fora, deve alcançar o topo da lista em breve. Com uma diferença: aqui, ela desbancaria ela mesma, já que também aparece em 1º lugar com “Firework”. Na 27ª posição está “Teenage Dream”.

ORIGINAL AO VIVO AO VIVO

INDEPENDENTE INDEPENDENTE

VICTOR & LEO

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

BRUNO & MARRONE

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

BELO

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

HUGO PENA & GABRIEL

SOM LIVRE

MICHEL TELÓ

SOM LIVRE

BELO

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

FERNANDO & SOROCABA

SOM LIVRE

LUAN SANTANA

SOM LIVRE

Mais uma dele

A dupla sertaneja estreia em 9º lugar na lista com “Água De Oceano”, mais uma composição do campeão de arrecadação de direitos autorais Victor Chaves. Do álbum Boa Sorte Pra Você, a música faz dobradinha com a canção homônima, que marca presença em 33º lugar e estreou no ranking em outubro do ano passado. www.billboard.br.com 101


18 abr

brasil hot regional

CASA DAS PRIMA

5

6

6

NOVO

7

NOVO

8

NOVO

SORRISO MAROTO

AO VIVO

UMA ESTRELA BANDA DESEJO DE MENINA ORIGINAL ORIGINAL

QUER CASAR COMIGO? MIOJO

FORRÓ DO MUÍDO

ORIGINAL

VICTOR & LEO

ORIGINAL

6

7

7

NOVO

8

10

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

FAMÍLIA

NOVO

INDEPENDENTE

ÁGUA DE OCEANO

NOVO

NOVO

SOM LIVRE

REGIS DANESE

ORIGINAL

NI

março

2

QUEM É? EDUARDO COSTA

PRA VOCÊ

Título 

Artista

Versão 

Gravadora

1

2

1

3

4

MENTES TÃO BEM (MIENTES TANBIEN) ZEZÉDICAMARGO&LUCIANO

QUÍMICA DO AMOR LUAN SANTANA (Part. IVETE SANGALO)

AO VIVO

4

5

5

NOVO

6

NOVO

7

NOVO

8

6

9

NOVO

PAULA FERNANDES

1

2

3

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

LUAN SANTANA

AO VIVO AO VIVO

JORGE & MATEUS

AO VIVO

março

4

LUAN SANTANA

3

Versão 

NOVO

5

NOVO

6

NOVO

7

7

8

NOVO

9

-

UNIVERSAL SONY MUSIC ENTERTAINMENT

UM BEIJO

LUAN SANTANA

AO VIVO

SOM LIVRE

MEU CORAÇÃO PEDE CARONA JOÃO NETO & FREDERICO AO VIVO

INDEPENDENTE

RAZÃO DE VIVER

PAULA FERNANDES

QUEM É? EDUARDO COSTA

4

INOVASHOW

AO VIVO

PIXOTE

AO VIVO

TOP DO BRASIL

EMI

RICARDO & JOÃO FERNANDO

AO VIVO

INDEPENDENTE

COR DE OURO

GUSTTAVO LIMA

AO VIVO

SOM LIVRE

LEMBRANÇAS

NOVO

8

CAMILA MAIA

ORIGINAL

TEUS SEGREDOS

INDEPENDENTE

FERNANDO & SOROCABA

AO VIVO

SOM LIVRE

FOTOS: DIVULGAÇÃO

2

UM BEIJO NOVO

LUAN SANTANA

9

3

7

TEUS SEGREDOS

4

8

MENTESTÃOBEM(MIENTESTANBIEN) ZEZÉDICAMARGO&LUCIANO

5

5

COPINHO

6

QUATRO ESTAÇÕES NOVO

7

DUPLA SOLIDÃO NOVO

8

4

COR DE OURO

9

2

AÍ JÁ ERA

10

6

QUEM É? EDUARDO COSTA

HENRIQUE & DIEGO

AO VIVO ORIGINAL AO VIVO

102 billboard brasil Maio 2011

JORGE & MATEUS

AO VIVO

PAULO CESAR & LAFAIETE

AO VIVO

PIXOTE

AO VIVO

NOVO

JORGE & MATEUS

ao VIVO

BOA SORTE PRA VOCÊ

VICTOR & LEO

DE OURO 10 NOVO COR AO VIVO

1

1

GUSTTAVO LIMA SOM LIVRE

2

4

1

3

6

CLICHÊ AO VIVO

UNIVERSAL

ÁGUA

CLAUDIA LEITTE

2

5

NOVO

6

3

7

5

8

NOVO

9

NOVO

-

NOVO

AO VIVO

SORRISO MAROTO

REVELAÇÃO

AO VIVO

CINDERELA

JAMMIL & UMA NOITES

UM MINUTO EXALTASAMBA NX ZERO

ORIGINAL

GRUPO TÁ NA MENTE

AO VIVO

ALEXANDRE PIRES

ORIGINAL

EMI

THE TIME (THE DIRTY BIT) ALUCINAÇÃO

6

NOVO

ORIGINAL

7

NOVO 7

-

LOCA

UNIVERSAL

SHAKIRA (Part. DIZZEE RASCAL)

ORIGINAL

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

JORGE & MATEUS

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

1

3

NOVO

4

3

5

5

QUATRO ESTAÇÕES

6

3

PRA VOCÊ

7

NOVO

8

8

9

10

8

AO VIVO

INDEPENDENTE SOM LIVRE

AMAR NÃO É PECADO NOVO

THE TIME (THE DIRTY BIT)

9

10

UNIVERSAL

FERNANDO & SOROCABA

AO VIVO

SOM LIVRE

MINHA MULHER NÃO DEIXA NÃO ORIGINAL

AO VIVO AO VIVO

AMAR NÃO É PECADO ORIGINAL

CAMISA 10 AO VIVO

CLICHÊ AO VIVO

10 NOVO FIREWORK ORIGINAL

SOM LIVRE

MENTES TÃOBEM (MIENTES TANBIEN) ZEZÉ DI CAMARGO & LUCIANO ORIGINAL

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

SOLIDÃO 10 NOVO DUPLA AO VIVO

MARCOS & BELUTTI INDEPENDENTE

1o

Salvador Chiclete com Banana

2o

o

Belo Horizonte Shakira

Goiânia Zezé Di Camargo & Luciano

2o

SOM LIVRE

THE BLACK EYED PEAS

ORIGINAL

TEUS SEGREDOS

LUAN SANTANA

ORIGINAL

LUAN SANTANA

AO VIVO

GUSTTAVO LIMA

AO VIVO

Gravadora

UM BEIJO

COR DE OURO

RICARDO & JOÃO FERNANDO

Brasília Jorge & Mateus

3

Artista

Versão 

NOVO

6

INDEPENDENTE

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

Título 

1

UNIVERSAL

7

AO VIVO

UNIVERSAL

AO VIVO

4

QUEM É? EDUARDO COSTA

10

2

SOM LIVRE

6

TOP DO BRASIL

JENNIFER LOPEZ (Part. PITBULL)

ORIGINAL

1o

UNIVERSAL

INDEPENDENTE

GUSTTAVO LIMA

MEU CORAÇÃO PEDE CARONA JOÃO NETO & FREDERICO

Recife Calypso

FAR EAST MOVEMENT (Part. THE CATARACS)

SOM LIVRE

MARCOS & BELUTTI

3

2o

UNIVERSAL

ON THE FLOOR

NOVO

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

Fortaleza Banda Garota Safada

THE BLACK EYED PEAS

ORIGINAL

5

UNIVERSAL

ORIGINAL

UNIVERSAL

ORIGINAL

LIKE A G6

PAULA FERNANDES

AO VIVO

PAULA FERNANDES

PRA VOCÊ

UNIVERSAL

AO VIVO

8

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

TENTATIVAS EM VÃO BRUNO & MARRONE NOVO

LEONARDO

ORIGINAL

10

THE BLACK EYED PEAS

ORIGINAL

JUST CAN’T GET ENOUGH

AO VIVO

UNIVERSAL

PRA VOCÊ

9

SOM LIVRE

QUEM É? EDUARDO COSTA

LADY GAGA

3

5

4

Gravadora

LUAN SANTANA

AO VIVO

Artista

Versão 

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

2

8

Título 

EMI

ORIGINAL

UNIVERSAL

UM BEIJO NOVO

KATY PERRY

BORN THIS WAY

3

INDEPENDENTE

SISSI

MENTESTÃO BEM(MIENTESTAN BIEN) ZEZÉDICAMARGO&LUCIANO

UNIVERSAL

PAULA FERNANDES

aO VIVO

UNIVERSAL

NOSSOS PLANOS

LADY GAGA

ORIGINAL

PRA VOCÊ NOVO

INOVASHOW

ONDE ESTIVER

UNIVERSAL

BORN THIS WAY NOVO

1

INDEPENDENTE

AO VIVO

9

1

UNIVERSAL

ORIGINAL

SOM LIVRE

SORRISO MAROTO

AO VIVO

2

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

TRILHA DO AMOR

SOM LIVRE

MICHEL TELÓ

CLICHÊ NOVO

UNIVERSAL

ORIGINAL

8

AO VIVO

FUGIDINHA ORIGINAL

INOVASHOW

PENSANDO EM NÓS DOIS IVETE SANGALO (Part. SEU JORGE)

4

Gravadora

AO VIVO

MICHEL TELÓ

1o

ORIGINAL

5

8

SOM LIVRE

SE INTROMETEU

Gravadora

FIREWORK

7

Artista

Versão 

VIVER SEM TI EXALTASAMBA (Part. MARIANA RIOS)

Artista

Versão 

10

UNIVERSAL

LUAN SANTANA

AO VIVO

9

UNIVERSAL

RIHANNA (Part. DRAKE)

UM BEIJO NOVO

6

NX ZERO

WHAT’S MY NAME ORIGINAL

Gravadora

KATY PERRY

ORIGINAL

5

Artista

Versão 

ribeirão preto HOT SONGS

NOVO

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

Título 

UNIVERSAL

Título 

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

ONDE ESTIVER

6

EMI

CHOVE, CHOVE

ORIGINAL

4

INDEPENDENTE

RAZÃO DE VIVER

NOVO

SHAKIRA (Part. DIZZEE RASCAL)

5

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

É DEUS QUE ÓIA

EMI

LOCA

3

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

AO VIVO

1

UNIVERSAL

ORIGINAL

ORIGINAL

QUEM É? EDUARDO COSTA

2

INOVASHOW

CHOVE, CHOVE

DIREITO DE TE AMAR BELO

ORIGINAL

1

INDEPENDENTE

UNIVERSAL

AO VIVO

4

INDEPENDENTE

HUGO PENA & GABRIEL

AO VIVO

ORIGINAL

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

AO VIVO

LEONARDO

VIVER SEM TI EXALTASAMBA (Part. MARIANA RIOS)

ALESSANDRO LEALE

ORIGINAL

FIREWORK

1

UNIVERSAL

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

ZUAR E BEBER

SOM LIVRE

ORIGINAL

SONHANDO BRUNO & MARRONE ORIGINAL

AO VIVO

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

6

SOM LIVRE

FERNANDO & SOROCABA

AO VIVO

AO VIVO

IVETE SANGALO

CHOVENDO PAIXÃO

9 10

DESEJO DE AMAR

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

3

SOM LIVRE

AO VIVO

ORIGINAL

9

abril

março

abril

1

LUAN SANTANA

ORIGINAL

MENTESTÃO BEM(MIENTESTAN BIEN) ZEZÉDICAMARGO&LUCIANO QUEM É? EDUARDO COSTA

10

Gravadora

SOM LIVRE

8

Artista

Versão 

AMAR NÃO É PECADO NOVO

ORIGINAL

NOVO

2

INDEPENDENTE

porto alegre HOT SONGS

8

UNIVERSAL

LUAN SANTANA

NOVO

curitiba HOT SONGS Título 

1

7

NOVO

Artista

AO VIVO

Gravadora

PRA VOCÊ

7

Gravadora

JORGE & MATEUS

ORIGINAL

NOVO

Artista

AO VIVO

AO VIVO

ORIGINAL

são paulo HOT SONGS

VIVER SEM TI EXALTASAMBA (Part. MARIANA RIOS)

3

NOVO

UNIVERSAL

MINHA VIDA BANDA OITO7NOVE4

Título 

2

INDEPENDENTE

PAULA FERNANDES

AO VIVO

rio de janeiro HOT SONGS

UM BEIJO NOVO

6

SOM LIVRE

Título 

6

SOM LIVRE

Versão 

2

INDEPENDENTE

NÃO É PECADO 10 NOVO AMAR ORIGINAL

2

ORIGINAL

Título 

UNIVERSAL

MEU CORAÇÃO PEDE CARONA JOÃO NETO & FREDERICO

abril

UNIVERSAL

LUAN SANTANA

AÍ JÁ ERA

5

SOM LIVRE

AÍ JÁ ERA

NOVO

INOVASHOW

FERNANDO & SOROCABA

AO VIVO ORIGINAL

2

THE BLACK EYED PEAS

ORIGINAL

ORIGINAL

NOVO

DECKDISC

THE TIME (THE DIRTY BIT)

SOM LIVRE

VIVER SEM TI EXALTASAMBA (Part. MARIANA RIOS)

1

REVELAÇÃO

Gravadora

CHICLETE COM BANANA

PRA VOCÊ

5

INDEPENDENTE

AMAR NÃO É PECADO

7

campinas HOT SONGS

4

LEO GUILHERME

1

NOVO

2

Artista

Versão 

4

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

AO VIVO

ALÉM DO NORMAL

4

SOM LIVRE

UM BEIJO

ORIGINAL

ORIGINAL

3

UNIVERSAL

AO VIVO

TEUS SEGREDOS

MENTESTÃO BEM(MIENTESTANBIEN) ZEZÉDICAMARGO&LUCIANO

1

Título  MEU CORAÇÃO VOOU

3

UNIVERSAL

NÃO TÔ NEM AÍ

SONY MUSIC ENTERTAINMENT

AO VIVO ORIGINAL

SORRISO MAROTO

AO VIVO

3

SOM LIVRE

CLICHÊ

brasília HOT SONGS

abril

goiânia HOT SONGS

LUAN SANTANA

2

UNIVERSAL

AO VIVO

9 10

IVETE SANGALO

AO VIVO

5

INDEPENDENTE

LUAN SANTANA

ORIGINAL

INDEPENDENTE

ACELERA AÊ (NOITE DO BEM)

UM BEIJO NOVO

INOVASHOW

ORIGINAL

1

4

INDEPENDENTE

AMAR NÃO É PECADO

UNIVERSAL

AMO AMAR VOCÊ (NO AIR) BANDA MALA 100 ALÇA

9 10

CLICHÊ

3

SOM LIVRE

AO VIVO

março

NOVO

INOVASHOW

AVIÕES DO FORRÓ

ORIGINAL

Gravadora

abril

4

AO VIVO

Artista

Versão 

NÃOPOSSONEGARQUETEAMO CALYPSO(Part.REGINALDOROSSI) NOVO

março

2

2

março

3

1

INDEPENDENTE

Título 

VIVER SEM TI EXALTASAMBA (Part. MARIANA RIOS)

março

ORIGINAL

abril

3

2

abril

1

2

março

1

Gravadora

abril

VIVER SEM TI EXALTASAMBA (Part. MARIANA RIOS)

Artista

Versão 

março

Título 

belo horizonte HOT SONGS

abril

CLONADO BANDA GAROTA SAFADA

CROWLEY

salvador HOT SONGS março

março

março

abril

abril

recife HOT SONGS

fortaleza HOT SONGS

abril

2011

AIRPLAY MONITORaDo  pela

®

MOLEJO INDEPENDENTE

HUGO PENA & GABRIEL

2

Ribeirão Preto Eduardo Costa

o

Campinas Paula Fernandes

1o

SOM LIVRE

Rio de Janeiro Exaltasamba

PAULA FERNANDES UNIVERSAL

LUAN SANTANA SOM LIVRE

TURMA DO PAGODE INDEPENDENTE

SORRISO MAROTO UNIVERSAL

KATY PERRY EMI

1º&2o

1o

Curitiba Luan Santana

São Paulo Katy Perry

2o

Porto Alegre The Black Eyed Peas


30 abr

entenda os

Dados de vendas compilados por

rankings

2011

ÁLBUNS

Nº 1 S&M RIHANNA FEAT. BRITNEY SPEARS (SRP/DEF JAM/IDJMG)

27

25 14 What The Hell

52

43 23 The Time (Dirty Bit)

28

21 26 Firework

2

53

51 5 Friday

29

22 28 Jar Of Hearts CHRISTINA PERRI (MS. PERRI LANE/ATLANTIC/RRP)

1

54

53 4 You Lie THE BAND PERRY (REPUBLIC NASHVILLE)

30

23 16 F**kin’ Perfect

55

61 30 Dog Days Are Over

1

31

30 18 6 Foot 7 Foot LIL WAYNE FEAT. CORY GUNZ (CASH MONEY/UNIVERSAL MOTOWN)

56

55 16 Marry Me

0

32

29 20 Pretty Girl Rock KERI HILSON (MOSLEY/GEFFEN/INTERSCOPE)

57

57 10 The Cave MUMFORD & SONS (GENTLEMAN OF THE ROAD/RED/GLASSNOTE)

0

6 11 Look At Me Now

33

20 12 Colder Weather

58

40 4 John

16 6 The Lazy Song

34

4

59

54 2 Heart Like Mine

35

36 15 Moment 4 Life

0

60

50 28 Raise Your Glass

0

61

35 3 Beggin’ On Your Knees

3

2

7 Just Can’t Get Enough

4

1 Judas

5

8 14 Rolling In The Deep

6

13 22 Down On Me JEREMIH FEAT. 50 CENT (MICK SCHULTZ/DEF JAM/IDJMG)

7

7

8

1 SEMana

KATY PERRY FEAT. KANYE WEST (CAPITOL) THE BLACK EYED PEAS (INTERSCOPE)

1

LADY GAGA (STREAMLINE/KONLIVE/INTERSCOPE) ADELE (XL/COLUMBIA)

8 On The Floor

JENNIFER LOPEZ FEAT. PITBULL (ISLAND/IDJMG)

1 1

CHRIS BROWN FEAT. LIL WAYNE & BUSTA RHYMES (JIVE/JLG) BRUNO MARS (ELEKTRA/ATLANTIC)

AVRIL LAVIGNE (RCA/RMG) KATY PERRY (CAPITOL)

P!NK (LAFACE/JLG)

1

ZAC BROWN BAND (SOUTHERN GROUND/ATLANTIC/BIGGER PICTURE)

2 Honey Bee

BLAKE SHELTON (WARNER BROS. (NASHVILLE)/WMN)

T-PAIN FEAT. CHRIS BROWN (KONVICT/NAPPY BOY/JIVE/JLG)

REBECCA BLACK (REBECCA BLACK/ARK MUSIC FACTORY)

TRAIN (COLUMBIA)

LIL WAYNE FEAT. RICK ROSS (CASH MONEY/UNIVERSAL MOTOWN) MIRANDA LAMBERT (COLUMBIA (NASHVILLE))

5

11

11 34 F**k You (Forget You)

36

33 29 Grenade

12

14 7 Written In The Stars

37

38 16 More

62

59 46 Dynamite

3

13

9

38

32 29 Hey Baby (Drop It To The Floor)

63

60 39 Just The Way You Are

3

14

12 11 Blow

39

64

56 25 Yeah 3X

15

17 16 The Show Goes On LUPE FIASCO (1ST & 15TH/ATLANTIC)

40

37 15 Are You Gonna Kiss Me Or Not THOMPSON SQUARE (STONEY CREEK)

0

65

58 26 Stereo Love EDWARD MAYA & VIKA JIGULINA (ULTRA)

16

27 6 Price Tag

41

39 7 A Little Bit Stronger

0

66

45 2 Dirt Road Anthem

17

15 11 I Need A Doctor

42

67

65 32 Little Lion Man

18

10 10 Born This Way

43

62 3 Party Rock Anthem LMFAO FT. LAUREN BENNETT&GOONROCK (P.ROCK/WILL.I.AM/CHERRYTREE/INTERSC.)

68

69 25 We R Who We R

19

19 8 Roll Up

44

48 11 For The First Time

1 Determinate

20

18 5 Who Says

45

34 4 No Sleep

70

1 Sure Thing

21

28 7 Bow Chicka Wow Wow

46

41 3 Mean

71

74 2 Tomorrow

22

24 14 All Of The Lights

47

52 8 I Won’t Let Go

72

2 Country Song

23

44 23 Don’t You Wanna Stay JASON ALDEAN WITH KELLY CLARKSON (BROKEN BOW)

48

42 21 Tonight (I’m Lovin’ You) ENRIQUE IGLESIAS FEAT. LUDACRIS & DJ FRANK E (UNIVERSAL REPUBLIC)

2

73

1 Somebody

24

31 9 Backseat

49

47 28 Black And Yellow

2

74

75 2 Did It On’em

50

49 32 No Hands WAKA FLOCKA FLAME (1017 BRICK SQUAD/ASYLUM/WARNER BROS.)

0

75

64 17 Never Say Never

BRITNEY SPEARS (JIVE/JLG)

CEE LO GREEN (RADICULTURE/ELEKTRA/RRP)

TINIE TEMPAH FEAT. ERIC TURNER (DISTURBING LONDON/PARLOPHONE/CAPITOL)

3 Give Me Everything

PITBULL FEAT. NE-YO, AFROJACK & NAYER (MR. 305/POLO GROUNDS/J/RMG) KE$HA (KEMOSABE/RCA/RMG)

0

JESSIE J FEAT. B.O.B (LAVA/UNIVERSAL REPUBLIC) DR. DRE FEAT. EMINEM & SKYLAR GREY (AFTERMATH/INTERSCOPE) LADY GAGA (STREAMLINE/KONLIVE/INTERSCOPE) WIZ KHALIFA (ROSTRUM/ATLANTIC/RRP) SELENA GOMEZ & THE SCENE (HOLLYWOOD) MIKE POSNER FEAT. LIL WAYNE (J/RMG)

KANYE WEST (ROC-A-FELLA/DEF JAM/IDJMG)

0

NEW BOYZ FEAT. THE CATARACS & DEV (SHOTTY/WARNER BROS.)

1 Old Alabama

BRAD PAISLEY FEAT. ALABAMA (ARISTA NASHVILLE)

NICKI MINAJ FEAT. DRAKE (YOUNG MONEY/CASH MONEY/UNIVERSAL MOTOWN) BRUNO MARS (ELEKTRA/ATLANTIC) USHER (LAFACE/JLG) PITBULL FEAT. T-PAIN (MR. 305/POLO GROUNDS/J/RMG)

1 Red Nation

GAME FEAT. LIL WAYNE (GEFFEN/INTERSCOPE)

SARA EVANS (RCA NASHVILLE)

1 Motivation

KELLY ROWLAND FEAT. LIL WAYNE (UNIVERSAL MOTOWN)

THE SCRIPT (PHONOGENIC/EPIC)

0

WIZ KHALIFA (ROSTRUM/ATLANTIC/RRP) TAYLOR SWIFT (BIG MACHINE) RASCAL FLATTS (BIG MACHINE)

WIZ KHALIFA (ROSTRUM/ATLANTIC)

69

P!NK (LAFACE/JLG)

Preços de CDs/cassetes seguem tabelas ou preços equivalentes, calculados a partir dos preços do atacado, em dólar. / depois do preço indica álbum disponível apenas em DualDisc. CD/DVD depois do preço indica disponibilidade somente no formato combo CD/DVD. / DualDisc disponível. b combo CD/DVD disponível. *disponível em LP (vinil). Os preços e a disponibilidade de LPs não aparecem em todas as listas. EX depois de número de catálogo indica que um título é exclusivo de determinada conta ou tem distribuição limitada.

Músicas O ranking é baseado nas vendas (digitais e físicas) e no quanto a música tocou nas rádios naquela semana. A semana de contagem das vendas vai de segunda a domingo, enquanto a semana de medida de audiência vai de quarta a terça-feira. Toda quinta-feira é criado e publicado um novo ranking. O número de vendas é levantado pelo sistema Nielsen SoundScan, enquanto a preferência da audiência é rastreada pela Nielsen Broadcast Data Systems (BDS), que inclui o monitoramento de estações de rádio em mais de 140 mercados dos EUA. Os rankings de audiência são compilados a partir de uma amostra norte-americana de dados fornecida pela BDS. As paradas são ranqueadas a partir de um número de impressões totais, computadas por meio de referência cruzada entre os números exatos de execução em rádios e os dados de ouvintes da Arbitron. 0 Músicas que mostram aumento de execuções com relação à semana anterior, independentemente da movimentação do ranking.

VICTORIOUS CAST FEAT. VICTORIA JUSTICE (NICKELODEON/COLUMBIA) TAIO CRUZ (MERCURY/IDJMG) BRUNO MARS (ELEKTRA/ATLANTIC)

BRIDGIT MEDLER, ADAM HICKS, NAOMI SCOTT & HAYLEY KIYOKO (WALT DISNEY) MIGUEL (BLACK ICE/BYSTORM/JIVE/JLG) CHRIS YOUNG (RCA NASHVILLE) SEETHER (WIND-UP)

BRIDGIT MENDLER (WALT DISNEY) NICKI MINAJ (YOUNG MONEY/CASH MONEY/UNIVERSAL MOTOWN) JUSTIN BIEBER FT. JADEN SMITH (SCHOOLBOY/RAYMOND BRAUN/ISLAND/IDJMG)

Quando incluído, indica o título com maior venda digital (por download). CONFIGURAÇÕES

HOT DANCE CLUB Songs

JASON ALDEAN (BROKEN BOW)

KE$HA (KEMOSABE/RCA/RMG)

Quando incluído, indica o título com maior aumento de execuções nas emissoras de rádio.

C Single disponível em CD . Download Digital disponível M Single disponível em DVD , Maxi-single disponível em vinil v Single disponível em vinil x Maxi-single disponível em CD. Estas configurações não estão em todos os rankings de singles.

CHRIS BROWN (JIVE/JLG)

MUMFORD & SONS (GENTLEMAN OF THE ROAD/RED/GLASSNOTE)

Quando incluído, indica o título que passou para o top 100 do ranking The Billboard 200 e saiu da lista Heatseeker.

PREÇOS/CONFIGURAÇÃO/DISPONIBILIDADE

THE BLACK EYED PEAS (INTERSCOPE)

FLORENCE + THE MACHINE (UNIVERSAL REPUBLIC)

Quando incluído, indica o título com a maior porcentagem de crescimento. Ex Heatseeker

10

25

7 Till The World Ends

DIDDY - DIRTY MONEY FEAT. SKYLAR GREY (BAD BOY/INTERSCOPE)

Quando incluído, indica o título com o maior crescimento de unidades.

Cert.

semana de 23/4 nº de Semanas

Semana de 30/4

Cert.

ARTISTa (Gravadora/promotora)

46 4 Best Love Song

1 10 E.T.

9

TíTuLo

51

2

ARTISTa (Gravadora/promotora)

26 21 Coming Home

3 13

TíTuLo

26

1

semana de 23/4 nº de Semanas

ARTISTa (Gravadora/promotora)

Dados de vendas compilados pela ferramenta Nielsen SoundScan a partir de uma cadeia de lojas de música nos EUA. 0 Álbuns com maiores ganhos em vendas na semana. Semana de 30/4

TíTuLo

Cert.

Semanas

semana de 23/4 nº de

Semana de 30/4

hot digital songstm

1

Compilado a partir de uma amostra (EUA) de dados fornecidos por DJs de casas noturnas. 0 Maior aumento de execuções. Indica o título que, abaixo do top 20 e presente na semana anterior, teve o maior crescimento em pontos.

NÍVEIS DE CERTIFICAÇÃO ÁLBUNS

Certificado de distribuição de 500 mil álbuns (Ouro) emitido pela Associação Americana da Indústria de Gravação (RIAA – Recording Industry Association of America). 1 Certificado da RIAA de 0

distribuição de 1 milhão de cópias (Platina). 0 Certificado da RIAA de distribuição de 10 milhões de cópias (Diamante). Números junto aos símbolos de Platina ou Diamante indicam nível multiplatina do disco. Para boxes e discos duplos com 100 minutos ou mais de tempo corrido, a RIAA multiplica a distribuição pelo número de discos e/ou fitas. ) Certificação de distribuição de 100 mil unidades (Ouro). ! Certificação de 200 mil unidades (Platina). @ Certificação de 400 mil unidades (Multiplatina). Músicas

0 Certificação da RIAA para 500 mil downloads pagos (Ouro). 1 Certificação da RIAA para 1 milhão de downloads pagos (Platina). Números junto ao símbolo de platina indicam o nível multiplatina da canção. ) Certificação da RIAA para distribuição de 500 mil singles (Ouro).

SOCIAL 50 0 Maior ganho de pontos.

Lista os artistas mais ativos nas principais redes de relacionamento. A popularidade é medida por um sistema de pontos baseado em uma fórmula que contempla as adições, na semana, de amigos, seguidores e fãs do artista em suas redes sociais, o número de page views em seu website e o total de execuções de suas músicas, na semana, no MySpace, YouTube, Facebook, Twitter e iLike.

Nº 1 Alexis Jordan STARROC/ROC NATION/COLUMBIA

26

23 9 IF THIS AIN’T LOVE Chris “The Greek” Panaghi Feat. Sophia Cruz DJG

1

1 21

3 10 ARMY OF LOVE

27

34 4 CHANGES

2

3

10 6 DANCING TONIGHT

28

22 10 BEAUTY QUEEN

4

9

7 BEAUTIFUL PEOPLE

29

5

7

8 CALL MY NAME

6

Gravadora/promotora

Nº 1 schoolboy/raymond braun/island/idjmg justin bieber

semana de 23/4 nº de Semanas

artista

Dados FORNECIDOS POR Semana de 30/4

ARTISTa (Gravadora/promotora)

semana de 23/4 nº de Semanas

TíTuLo

Semana de 30/4

ARTISTa (Gravadora/promotora)

SOCIAL 50 semana de 23/4 nº de Semanas

TíTuLo

Semana de 30/4

semana de 23/4 nº de Semanas

Semana de 30/4

hot dance club songstm

artista

Gravadora/promotora

26

24 2 DEADMAU5 MAU5TRAP/ULTRA

2 21 LADY GAGA

27

31 19 SNOOP DOGG

3

11 21 RIHANNA

28

25 19 DRAKE

29 5 BLOW

4

3 21 EMINEM

29

30 21 ENRIQUE IGLESIAS

30

37 4 YOU LIKE IT WILD

5

6 21 AKON

30

28 21 50 CENT

11 9 TURN IT UP

31

40 3 ALL HERE NOW

6

4 21 SHAKIRA

31

29 13 KANYE WEST

7

1 10 E.T.

32

39 3 PERFECT STRANGER

7

5 21 KATY PERRY

32

36 21 DON OMAR

8

4

9 BORN THIS WAY

33

21 12 HOLD IT AGAINST ME

8

8 20 LIL WAYNE

33

26 21 TIESTO

9

6

9 ON THE FLOOR

34

46 2 MIRRORS

9

10 21 THE BLACK EYED PEAS

34

35 21 KE$HA

10

14 6 WHERE YOU AT

35

35 5 WRITTEN IN THE STARS

10

7 18 BRITNEY SPEARS

35

33 7 JENNIFER LOPEZ

11

13 8 HEY (NAH NEH NAH)

Grande 36 HOLLYWOOD TONIGHT Estreia Michael Jackson EPIC

11

18 19 PITBULL

36

34 21 GREEN DAY

12

16 5 SWEAT

37

31 6 RELIGIOUS

12

12 21 AVRIL LAVIGNE

37

39 5 REBECCA BLACK

13

15 8 TACALACATEO

38

43 2 WHAT A FEELING

13

13 21 TAYLOR SWIFT

38

19 18 WIZ KHALIFA

14

17 8 PUSH IT

39

42 4 FALLING

14

32 18 CHRISTINA GRIMMIE

39

46 15 DEMI LOVATO

15

5

40  WE OWN THE NIGHT NOVO Andrea Rosario HECHTIC

15

14 21 SELENA GOMEZ

40

50 8 JUSTIN TIMBERLAKE

16

8 12 S&M

41

32 14 HIGHER

16

17 21 LINKIN PARK

41  NICKELBACK retorno ROADRUNNER

17

38 2 TILL THE WORLD ENDS

42

45 3 RUMBLE

17

16 11 ADELE

42

37 5 BRING ME THE HORIZON

18

12 10 SUN OF A GUN Oh Land EPIC

43

20 12 TWIST OF LOVE Kimberly Davis D1

18

20 21 USHER LAFACE/JLG

43

41 19 P!NK

19

25 4 FADE

44

24 10 NEVER SEE YOU AGAIN

19

15 19 CHRIS BROWN

44

43 14 BRUNO MARS

20

30 3 ORIGINAL SIN

45

19 13 KEEP ON DANCING

20

9 21 MICHAEL JACKSON

45 ALICIA KEYS RETORNO J/RMG

21

26 4 WORLD KEEPS TURNING

46

44 17 HELLO

21

38 19 BOB MARLEY

46  MY CHEMICAL ROMANCE RETORNO REPRISE

22

27 4

47  SEXY SEXY NOVO Charo UNIVERSAL WAVE

22

27 21 NICKI MINAJ YOUNG MONEY/CASH MONEY/UNIVERSAL MOTOWN

47  METALLICA RETORNO WARNER BROS.

23

22 20 LUDACRIS DTP/DEF JAM/IDJMG

48  T.I. RETORNO grand HUSTLE/ATLANTIC

1

2

2

9

GOOD GIRL

1 SEMana

Kerli ISLAND/IDJMG

Kat DeLuna UNIVERSAL MUSIC BELGIUM Chris Brown Feat. Benny Benassi JIVE/JLG Sultan & Ned Shepard Feat. Nadia Ali HAREM Ultra Nate DEEP SUGAR/STRICTLY RHYTHM Katy Perry CAPITOL Lady Gaga STREAMLINE/KONLIVE/INTERSCOPE Jennifer Lopez Feat. Pitbull ISLAND/IDJMG Jennifer Hudson ARISTA/RMG Rico Bernasconi Vs. Vaya Con Dios STARSHIT/CAPP/SILVER BLUE Snoop Dogg DOGGYSTYLE/PRIORITY/CAPITOL India & Peppe Citarella ANGEL EYES Jessie And The Toy Boys Feat. Yelawolf PROSPECT PARK

9 WALKING

Mary Mary MY BLOCK/COLUMBIA Rihanna SRP/DEF JAM/IDJMG Britney Spears JIVE/JLG

Kristine W FLY AGAIN INXS Feat. Rob Thomas & Introducing DJ Yaleidys PETROL ELECTRIC/ATCO/RHINO Sylvia Tosun SEA TO SUN

escalada

ROLLING IN THE DEEP Adele XL/COLUMBIA

Dirty Vegas OM

Kelsey B CARRILLO

Ke$ha KEMOSABE/RCA/RMG Ranny Feat. Jessica Wild ROCKBERRY David Garcia & High Spies Feat. Sarah Tancer SOLMATIC Magnetic Man Feat. Katy B COLUMBIA Britney Spears JIVE/JLG

Natalia Kills CHERRYTREE/INTERSCOPE Tinie Tempah Feat. Eric Turner DISTURBING LONDON/PARLOPHONE/CAPITOL

Gravitonas SOFO

Alex Gaudino Feat. Kelly Rowland ULTRA Jackie Madden JEM

Taio Cruz Feat. Kylie Minogue & Travie McCoy MERCURY/IDJMG Oba’ Frank Lords MONITOR SOUND/GLUT

Talia Coles PHASE ONE

Alyssa Rubino FIRST ENT.

Martin Solveig & Dragonette BIG BEAT/ATLANTIC

8 SEManas

STREAMLINE/KONLIVE/INTERSCOPE SRP/DEF JAM/IDJMG WEB/SHADY/AFTERMATH/INTERSCOPE KONVICT/UPFRONT/SRC/UNIVERSAL MOTOWN SONY MUSIC LATIN/EPIC CAPITOL

CASH MONEY/UNIVERSAL MOTOWN INTERSCOPE JIVE/JLG

MR. 305/FAMOUS ARTIST/POLO GROUNDS/SONY MUSIC LATIN/RMG ARISTA/RMG

BIG MACHINE UNSIGNED

HOLLYWOOD

MACHINE SHOP/WARNER BROS. XL/COLUMBIA

JIVE/JLG

MJJ/EPIC

TUFF GONG/ISLAND/UME

PRIORITY/CAPITOL

YOUNG MONEY/CASH MONEY/UNIVERSAL MOTOWN UNIVERSAL MUSIC LATINO/UNIVERSAL REPUBLIC SHADY/AFTERMATH/INTERSCOPE ROC-A-FELLA/DEF JAM/IDJMG ORFANATO/MACHETE MUSICAL FREEDOM KEMOSABE/RCA/RMG ISLAND/IDJMG REPRISE

REBECCA BLACK/ARK MUSIC FACTORY ROSTRUM/ATLANTIC HOLLYWOOD JIVE/JLG

VISIBLE NOISE/EPITAPH LAFACE/JLG ELEKTRA

23

28 4 KICK US OUT

48  DANCE WITH ME NOVO Hot Rod G NOTE

24

18 12 HARE KRISHNA

49  MOVE WITH IT NOVO Linnea LINNEA & CO.

24

21 21 DAVID GUETTA

49

25

36 4 SAN FRANCISCO IS MY DISCO

50  YOU CAN’T STOP THE RAIN NOVO Martin Clancy & The Witness Protection Programme SEAPORT

25

23 21 BEYONCE

50  GUNS N’ ROSES retorno GEFFEN

Hyper Crush UNIVERSAL MOTOWN Sir Ivan PEACEMAN Laura LaRue NEAR

GUM/VIRGIN/CAPITOL

MUSIC WORLD/COLUMBIA

40 21 COLDPLAY CAPITOL

www.billboard.br.com 103


30

the billboard 200

abr

2011

dados de vendas compilados por

®

3 Novo

KRAUSS + UNION STATION 1 ALISON ROUNDER 610665*/CONCORD (18.98)

4 Novo

SIMON 1 PAUL HEAR 32814*/CONCORD (13.98) b

1 SEMana

21

XL/COLUMBIA 44699*/SONY MUSIC (11.98)

1

+ THE MACHINE 54 57 46 FLORENCE UNIVERSAL REPUBLIC 013170*/UMRG (13.98)

53

13

3

So Beautiful Or So What

4

5 Novo

y Luz 1 MANá Drama WARNER LATINA 526530 (16.98) b

5

6

2

1

SPEARS 3 BRITNEY JIVE 85332/JLG (13.98)

1

7

7

5

4 VARIOUS ARTISTS

8

5

2

KHALIFA 3 WIZ ROSTRUM/ATLANTIC 527099/AG (13.98) b

9

6

4

BROWN 4 CHRIS JIVE 86067/JLG (11.98)

10

8

& SONS 11 56 MUMFORD GENTLEMAN OF THE ROAD 0109*/GLASSNOTE (12.98) b

Songs For Japan

5

Rolling Papers

2

EMI/WARNER BROS./SONY/UNIVERSAL 90504/UMRG/UMRG/SONY MUSIC/SONY MUSIC (9.98)

F.A.M.E. Sigh No More

1

1

2

11 Novo

J 1 JESSIE LAVA/UNIVERSAL REPUBLIC 015337/UMRG (10.98)

Who You Are

11

12 Novo

ON THE RADIO Nine Types Of Light 1 TV INTERSCOPE 015455*/IGA (13.98)

12

13 Novo

1 ATMOSPHERE RHYMESAYERS 0130* (15.98)

13

14

10

4 KIRK FRANKLIN

15

ALDEAN 12 23 24 JASON BROKEN BOW 7697 (18.98)

16

4

17

21 14 22 RIHANNA SRP/DEF JAM 014927/IDJMG (13.98) b

9

The Family Sign Hello Fear My Kinda Party

UNDEAD 2 HOLLYWOOD A&M/OCTONE 015275*/IGA (13.98)

1

Loud

1

56

79

CASH/WILLIE NELSON 5 JOHNNY AMERICAN/COLUMBIA/SONY MUSIC CMG 58490/SONY MUSIC (6.98)

57

40 41 26 SUGARLAND MERCURY NASHVILLE 014758*/UMGN (13.98) b

58

44 63 12 SOUNDTRACK WALT DISNEY 006508 (13.98)

59

50 51

60

91

61

LAMBERT 42 54 81 MIRANDA COLUMBIA (NASHVILLE) 46854/SMN (12.98)

62

57 66 15 MIGUEL BLACK ICE/BYSTORM/JIVE 75487/JLG (9.98)

66

87

The Best Of Aerosmith: 20th Century Masters The Millennium Collection 2 AEROSMITH GEFFEN 001101/UME (9.98)

67

68

20

JONES Capo 2 JIM EONE 2115 (17.98)

20

69

83 169 91 EMINEM WEB/AFTERMATH 490629*/INTERSCOPE (13.98)

70

109 –

71

16 35

18 15

BIEBER Never Say Never: The Remixes (EP) 9 JUSTIN SCHOOLBOY/RAYMOND BRAUN/ISLAND 015397/IDJMG (9.98)

My World 2.0

1 1

23

3

3 RADIOHEAD XL/TICKER TAPE 001*/TBD (7.98)

3

24

ARTISTS NOW 37 19 12 10 VARIOUS UNIVERSAL/EMI/SONY MUSIC 46746/CAPITOL (18.98)

25

17 13 22 P!NK LAFACE 80657/JLG (13.98)

1 5

29

O projeto solo paralelo de Noah Lennox, do Animal Collective, parte com um recorde pessoal de 18 mil unidades – quase tantas cópias quanto o AC teve no lançamento de seu mais recente trabalho, Merriweather Post Pavilion, de 2009 (25 mil).

16

3 SNOOP DOGG Doggumentary

8

73 Novo

1 LOW C’mon SUB POP 905* (13.98)

73

74

108 –

CLEARWATER REVISITED Extended Versions 8 CREEDENCE POOR BOY/SONY MUSIC CMG 52336/SONY MUSIC (6.98)

74

75

BROWN BAND 62 69 126 ZAC ROAR/BIGGER PICTURE/HOME GROWN/ATLANTIC 516931/AG (13.98)

76

BOP KIDS 69 79 13 KIDZ RAZOR & TIE 89244 (18.98)

77

SQUARE 60 59 10 THOMPSON STONEY CREEK 7677 (13.98) WEST 59 64 21 KANYE ROC-A-FELLA/DEF JAM 014695*/IDJMG (13.98) b

0

1

28

MARS Doo-Wops & Hooligans 24 19 28 BRUNO ELEKTRA 525393* (10.98) b

1

3

78

29

79 Novo

1

31

MINAJ 26 20 21 NICKI YOUNG MONEY/CASH MONEY/UNIVERSAL MOTOWN 015021*/UMRG (13.98)

Pink Friday

1

1

LANG AND THE SISS BOOM BANG 1 K.D. NONESUCH 525874/WARNER BROS. (11.98)

Sing It Loud

33

29 27 43 EMINEM WEB/SHADY/AFTERMATH/INTERSCOPE 014411*/IGA (13.98)

Recovery

1

34

27 16

Lasers

1

35

FLATTS Nothing Like This 34 30 22 RASCAL BIG MACHINE RF0100A (13.98)

6

36

ANTEBELLUM Need You Now 28 35 64 LADY CAPITOL NASHVILLE 97702 (18.98)

1

37

22 10

MARY 3 MARY MY BLOCK/COLUMBIA 62330/SONY MUSIC (11.98)

38

30 21

AMBROSIUS 7 MARSHA J 64826/RMG (9.98)

39

CROWNS 39 36 54 CASTING BEACH STREET/REUNION 10135/SONY MUSIC (11.98)

40

32 38

41

TIME RUSH 47 52 27 BIG NICKELODEON/COLUMBIA 42918/SONY MUSIC (8.98)

42

49 56 78 ADELE XL/COLUMBIA 31859*/SONY MUSIC (12.98)

43

BLACK EYED PEAS 43 48 20 THE INTERSCOPE 015039*/IGA (13.98)

44

BAND PERRY 41 61 27 THE REPUBLIC NASHVILLE 014839/UMRG (10.98)

45

89 47 28

46

31 26

47

ROCK 48 46 22 KID TOP DOG/ATLANTIC 521682*/AG (18.98) b

48

9

49

38 29

50

PUNK 36 167 19 DAFT WALT DISNEY 005672 (13.98)

32

Índice

b

Bad Company..................86 The Band Perry.............44 Francesca Battistelli........103 Pat Benatar..................123 Between The Buried And Me........54 Beyonce.........................167 Justin Bieber.21, 22, 119, 151 Big Time Rush.................41 The Black Eyed Peas.......43, 133 The Black Keys..............65

104 billboard brasil Maio 2011

Bobby V..........................175 Bon Jovi...........................92 Boyz II Men......................70 Chris Brown....................9 Zac Brown Band......27, 75 Bruno Mars...................28 c

Craig Campbell...........150 Johnny Cash/Willie Nelson...........................56 Casting Crowns............39

PRESLEY 5 ELVIS RCA/SONY MUSIC COMMERCIAL MUSIC GROUP 70971/SONY MUSIC (6.98)

An Afternoon In The Garden

Hemingway’s Whiskey

85

86

122 –

COMPANY Extended Versions 3 BAD ORIGINAL BAD COMPANY TOURING/SONY MUSIC CMG 80851/SONY MUSIC (6.98)

86

87

GAGA 74 77 129 LADY STREAMLINE/KONLIVE/CHERRYTREE/INTERSCOPE 011805*/IGA (12.98)

88

135 –

1 22

Strong: More Music From The Motion Picture 5 SOUNDTRACK Country SCREEN GEMS PRODUCTIONS 34817/MADISON GATE (10.98)

23

WATERTOWER 39229 (14.98)

94

37

95

189 –

96

KELLY 67 65 18 R. JIVE 80874/JLG (11.98)

97

149 –

98

78 83 75 TRAIN COLUMBIA 07736/SONY MUSIC (12.98)

99

GROBAN 98 94 22 JOSH 143/REPRISE 524833/WARNER BROS. (18.98) b

100

51

Tron: Legacy (Soundtrack)

4

Cristian Castro..........174 Kenny Chesney...............84 Eric Church.................152 The Civil Wars.............155 Eric Clapton..................66 Jerry Clower..............189 Easton Corbin.............183 The Countdown Kids.104, 121, 160 Creedence Clearwater Revival........................136

Creedence Clearwater Revisited.......................74 Jim Croce......................116 Billy Currington.........142 d

Daft Punk.................50, 71 deadmau5.....................180 The Decemberists.......145 Brett Dennen.................55 Diddy - Dirty Money....190 Drake.............................169

Bob Dylan.....................128

Greatest Hits

KILLS 2 THE DOMINO 283* (11.98) 17

STING

0

5

Burlesque

18

Blood Pressures

37

If On A Winter’s Night...

0

Love Letter

0

6

STRAIT The Best Of George Strait: 20th Century Masters The Millennium Collection 23 GEORGE MCA NASHVILLE 170280/UMGN (9.98)

0

76

Save Me, San Francisco

0

17

Illuminations

1

4

Moving Pictures

4

3

maior aumento perc. CHERRYTREE/DG 013329*/UNIVERSAL CLASSICS GROUP (16.98) b

71 RUSH MERCURY 015272/UME (29.98 CD/DVD) b

Elbow............................200 Eminem.............. 33, 69, 154 Sara Evans.....................40

Machine.........................52 Foo Fighters..............1, 45 Foreigner.......................88 Jamie Foxx.....................195 Kirk Franklin.................14

f

g

Lupe Fiasco.....................34 Five Finger Death Punch.. 159 Fleetwood Mac...........170 Florence + The

Selena Gomez & The Scene...........................115 Grateful Dead.............194 Cee Lo Green..................80 Josh Groban..................99

e

2 88

The Suburbs

71 74 21 SOUNDTRACK RCA 80205/RMG (11.98)

4

3

1

Sucker Punch

4 SOUNDTRACK

93

The Fame

0

Versions 2 FOREIGNER Extended TRIGGER/SONY MUSIC CMG 82725/SONY MUSIC (6.98)

JOVI 75 71 23 BON ISLAND 014903/IDJMG (13.98)

Goodbye Lullaby

9 1

123 –

92

9

0

85

10

Reckless & Relentless

I Am Not A Human Being

STARCON 31809 EX/STARBUCKS (12.98)

1

5

79

CHESNEY 58 67 29 KENNY BNA 57445/SMN (11.98) b

19

0

84

91 retorno

Born Free

1

82

3

3

1

83

0

11

Here We Rest

The Lady Killer

BTR (Soundtrack)

Glee: The Music, Season Two: Volume 5

My Beautiful Dark Twisted Fantasy

Opus Collection: Something To Talk About

6

Para cada compilação vendida, US$ 8 serão doados para angariar fundos para atender mães com problemas de saúde em todo o mundo. O álbum inclui Madonna (foto), Gwyneth Paltrow, Jennifer Lopez e Sheryl Crow.

15

1 VARIOUS ARTISTS Every Mother Counts

46 22

83

2

Thompson Square

RAITT 1 BONNIE RHINO CUSTOM PRODUCTS 8632 EX/STARBUCKS (12.98)

FIRE 94 86 37 ARCADE MERGE 385* (15.98)

4

9

83 Novo

90

0

2

82 Novo

89

ROSWELL/RCA 36921*/RMG (11.98) b

Adele...........................2, 42 Aerosmith......................67 Jason Aldean.................15 Marsha Ambrosius.......38 Amon Amarth...............186 Arcade Fire....................89 Asking Alexandria........48 Atmosphere...................13 Avenged Sevenfold.....196

WAYNE 63 73 29 LIL CASH MONEY/UNIVERSAL MOTOWN 015002/UMRG (13.98)

4

Greatest Hits

LAVIGNE 6 AVRIL RCA 55870/RMG (11.98) b

81

Until The Whole World Hears

FOO FIGHTERS

ALEXANDRIA 2 ASKING SUMERIAN 50 (11.98)

LO GREEN 77 78 23 CEE RADICULTURE 525601/ELEKTRA (18.98)

2

The Band Perry

Kidz Bop 19

LIGHTNING ROD 24652* (13.98)

80

10

6

The Foundation

1 JASON ISBELL AND THE 400 UNIT

Late Nights & Early Mornings

The Beginning

6 SOUNDTRACK 20TH CENTURY FOX TV/COLUMBIA 85852/SONY MUSIC (13.98)

A coleção de grandes hits da rede de lojas Starbucks entra na lista com vendas de sete mil, mas inclui apenas dois dos seus cinco top 40 do Hot 100: “Something To Talk About” (que chegou ao 5º lugar) e “Love Sneakin’ Up On You” (19º).

Tron: Legacy Reconfigured

DOGGYSTYLE/PRIORITY 07952/CAPITOL (18.98)

Something Big

RCA NASHVILLE 49693/SMN (10.98)

maior aumento unid.

82

1

AFT PUNK 2 D WALT DISNEY 013540 (13.98)

You Get What You Give

3

0

2 3

8

BROWN BAND 15 28 30 ZAC SOUTHERN GROUND/ROAR/BIGGER PICTURE/ATLANTIC 524722/AG (18.98) b

Speak Now

The Marshall Mathers LP

0

72

27

SWIFT 25 33 25 TAYLOR BIG MACHINE TS0300A (18.98) b

Brothers

70

6

30

DGC/INTERSCOPE 015325*/IGA (13.98)

II MEN The Best Of Boyz II Men: 20th Century Masters The Millenium Collection 8 BOYZ MOTOWN/CHRONICLES 001098/UME (9.98)

26 17 SOUNDTRACK Country Strong retorno RCA NASHVILLE 72911/SMN (11.98)

0

8

3

BIEBER 23 25 56 JUSTIN SCHOOLBOY/RAYMOND BRAUN/ISLAND 014063/IDJMG (10.98) b

Stronger

1

7 60

CLAPTON The Best Of Eric Clapton: 20th Century Masters The Millennium Collection 16 ERIC CHRONICLES/POLYDOR 002759/UME (9.98)

22

6 SARA EVANS

Revolution

2

1

3

Town Line (EP)

SKYNYRD The Best Of Lynyrd Skynyrd: 20th Century Masters The Millennium Collection 37 LYNYRD MCA 111941 (9.98)

Teenage Dream

FIASCO 6 LUPE 1ST & 15TH/ATLANTIC 520870*/AG (18.98)

LEWIS 7 AARON STROUDAVARIOUS 01013 (7.98)

1 44

92

21

32 novo

1

Tangled

67

PERRY 14 17 34 KATY CAPITOL 84601* (18.98)

PAW TRACKS 36* (13.98)

56

66

2

Tomboy

VH1 Storytellers The Incredible Machine

4

I Remember Me

1 PANDA BEAR

55

BLACK KEYS 64 68 48 THE NONESUCH 520266*/WARNER BROS. (15.98)

20

29 novo

54

Loverboy

65

HUDSON 4 JENNIFER ARISTA 60819/RMG (11.98) b

0

DENNEN 1 BRETT DUALTONE 01534* (13.98)

63

11

55 Novo

13

The Parallax: Hypersleep Dialogues (EP)

5 RISE AGAINST Endgame

18

Greatest Hits... So Far!!!

THE BURIED AND ME 1 BETWEEN METAL BLADE 14999* (13.98)

Devolucion 1 THURSDAY No epitaph 87121* (15.98)

Lemonade Mouth

The King Of Limbs

54 Novo

55 44

19

6

How To Become Clairvoyant

4 14

64

1 SOUNDTRACK WALT DISNEY 013440 (13.98)

2

ROBERTSON 2 ROBBIE 429 17821/SLG (15.98)

0

63 Novo

18 Novo 7

Lungs

50

2

American Tragedy

A estreia de Lemonade Mouth no Disney Channel em 15 de abril atraiu 5,7 milhões de espectadores, fazendo dele o programa para TV a cabo de maior audiência este ano. Sua trilha sonora começou com vendas de 21 mil (só para comparar, a estreia de High School Musical atraiu 7,7 milhões de espectadores em 2006).

Angles

RCA 53472*/RMG (11.98)

All I Want Is You

5

FO YO SOUL/VERITY 77917/JLG (11.98)

18

Título

Gravadora & número de série / Distribuidora (PReço em dólar)

melhor posição

1

52

ARTISTa 

4 THE STROKES

Cert.

45 18

Paper Airplane

Femme Fatale

nº de Semanas

1

51

Gucci Mane...................137 Guns N’ Roses..............184 h

Hank Williams Jr........101 Keri Hilson...................172 The Hit Crew................105 Hollywood Undead.......16 Jennifer Hudson............19 i

Jason Isbell And The 400 Unit................................79

j

Alan Jackson...............191 Michael Jackson.........164 Jeremih.........................193 Jessie J............................11 Jim Jones.........................68 Janis Joplin..................113 Journey.........................168 k

Ke$ha............. 111, 132, 140 R. Kelly............................96

Kem................................146 Kid Rock..........................47 Kidz Bop Kids..................76 The Kills.........................94 Kings Of Leon...............153 Alison Krauss + Union Station............................3 l

Lady Antebellum...........36 Lady Gaga.......................87 Miranda Lambert..........61

k.d. lang And The Siss Boom Bang....................32 Larry The Cable Guy.........179 Avril Lavigne.................49 Aaron Lewis...................59 Lil Wayne........................81 Linkin Park...................162 Low..................................73 Lynyrd Skynyrd.............60 m

Mana..................................5

6

Veja as Legendas para mais informações. © 2011, e5 Global Media, LLC e Nielsen SoundScan, Inc. Todos os direitos reservados.

8 ADELE

3

Wasting Light

semana de 23/4 semana de 18/4

2

1

FOO FIGHTERS

semana de 30/4

Nº 1 1ST & 15TH/ATLANTIC 520870*/AG (18.98)

1

Estreia

Título

Gravadora & número de série / Distribuidora (PReço em dólar)

Grande 1

melhor posição

ARTISTa 

Cert.

nº de Semanas

semana de 23/4 semana de 18/4

semana de 30/4

the billboard 200


dados de vendas compilados por

the billboard 200

30 abr

®

2011

101

152 –

Greatest Hits, Vol. 1

CURB 77638 (9.98)

5

103

82 85

BATTISTELLI 7 FRANCESCA FERVENT 888086/WARNER BROS. (18.98)

104

151 –

COUNTDOWN KIDS 2 THE SONOMA 3978 (6.98)

105

155 –

HIT CREW 3 THE TURN UP THE MUSIC 2108 (12.98)

106

159 –

107

SHELTON 76 100 23 BLAKE REPRISE (NASHVILLE) 525092/WMN (18.98)

108

61 32

AT THE DISCO 4 PANIC! DECAYDANCE 526550/FUELED BY RAMEN (10.98)

109

160 –

3 STEVIE RAY VAUGHAN

110

66

What If We Were Real

66

111

88 95 21 KE$HA Cannibal KEMOSABE/RCA 80560/RMG (9.98)

15

112

MCGRAW Number One Hits 84 88 20 TIM CURB 79205 (18.98)

113

158 –

JOPLIN 2 JANIS SONY MUSIC CMG 05280/SONY MUSIC (6.98)

114

164 –

SPEEDWAGON 3 REO EPIC/SONY MUSIC CMG 48527/SONY MUSIC (12.98)

115

GOMEZ & THE SCENE 95 110 30 SELENA HOLLYWOOD 004625 (10.98) b

116

174 –

117

90 99 20 SOUNDTRACK 20TH CENTURY FOX TV/COLUMBIA 79214/SONY MUSIC (13.98)

118

33

119

BIEBER 85 80 21 JUSTIN SCHOOLBOY/RAYMOND BRAUN/ISLAND 015084 EX/IDJMG (12.98)

120

177 –

ORBISON 3 ROY SONY BMG CUSTOM MARKETING GROUP 05283/SONY MUSIC (5.98)

121

183 –

COUNTDOWN KIDS 2 THE SONOMA 3980 (6.98)

122

99 104 86 SKILLET ARDENT/INO/ATLANTIC 519927/AG (13.98)

Blessings

101

STORY 1 LAURA INO/COLUMBIA 86417/SONY MUSIC (10.98)

102

Hundred More Years

16

50 Silly Songs

104

Pop N Party

105

WHITE The Best Of Barry White: 20th Century Masters The Millenium Collection 10 BARRY ISLAND/CHRONICLES/IDJMG 000884/UME (9.98)

100

Loaded: The Best Of Blake Shelton

24

Vices & Virtues

7

Martin Scorsese Presents The Blues: Stevie Ray Vaughan

EPIC/SONY MUSIC CMG 26655/SONY MUSIC (6.98)

2 MANDISA SPARROW 67863 (13.98)

109

0 27

155

CIVIL WARS 190 126 11 THE SENSIBILITY 017* (11.98)

156

FLOCKA FLAME 137 135 28 WAKA 1017 BRICK SQUAD/ASYLUM 522740/WARNER BROS. (18.98)

158

MARLEY AND THE WAILERS 146 142 179 BOB TUFF GONG/ISLAND 422-846-210/IDJMG (13.98/8.98) b

159

FINGER DEATH PUNCH 133 134 76 FIVE PROSPECT PARK 50100* (13.98) b

5

7 ...

33

My Worlds Acoustic

7

Super Hits

0 120

50 Fun Songs For Kids Awake

0

188 –

NELSON 3 WILLIE SONY BMG CUSTOM MARKETING GROUP 05812/SONY MUSIC (9.98)

126

178 –

DOG NIGHT 3 THREE MCA 112073/UME (9.98)

127

ARTISTS WOW Gospel 2011: The Year’s 30 Top Gospel Artists And Songs 97 89 11 VARIOUS WORD-CURB/EMI CMG/VERITY 77918/JLG (13.98)

121 2 123 5

Super Hits

2

125

The Best Of Three Dog Night: 20th Century Masters The Millennium Collection

0

126

Bob Dylan In Concert: Brandeis University 1963 Born Again

18

Legend: The Best Of Bob Marley And The Wailers

0

59

War Is The Answer

COUNTDOWN KIDS 1 THE SONOMA 0058 (6.98)

161

ARTISTS 150 152 28 VARIOUS PROVIDENT-INTEGRITY/WORD-CURB/EMI 09516/EMI CMG (17.98)

162

PARK 111 103 31 LINKIN MACHINE SHOP 525375*/WARNER BROS. (18.98)

160

WOW Hits 2011

26

The Essentials

131

1

The E.N.D.

2

133

BLACK EYED PEAS 100 97 97 THE INTERSCOPE 012887*/IGA (13.98)

134

101 91

135

ROYCE 93 106 23 PRINCE TOP STOP 30020/SONY MUSIC LATIN (10.98)

136

CLEARWATER REVIVAL Chronicle The 20 Greatest Hits 86 130 95 CREEDENCE FANTASY 2*/CONCORD (17.98/12.98)

137

81 58

138

RUCKER Charleston, SC 1966 112 137 27 DARIUS CAPITOL NASHVILLE 26939 (18.98)

139

120 –

SEBASTIAN 2 JOAN FONOVISA 354639/UMLE (12.98)

140

106 84

4 KE$HA KEMOSABE/RCA 86508/RMG (9.98)

141

52

142

ROGERS 6 KENNY JOHN 3:16/MUSIC CATALOGUE 31602 EX/CRACKER BARREL (11.98)

The Love Of God Prince Royce

4 GUCCI MANE

1 1 27

@ 77 8

The Return Of Mr. Zone 6

1017 BRICK SQUAD 527374/WARNER BROS. (18.98)

0

67 18 2

7

168

180 185 164 JOURNEY COLUMBIA/LEGACY 85889/SONY MUSIC (13.98) b

169

130 125 44 DRAKE YOUNG MONEY/CASH MONEY/UNIVERSAL MOTOWN 014325/UMRG (13.98)

Journey’s Greatest Hits

t

10

Thank Me Later

1

1

FLEETWOOD MAC retorno 27 170 WARNER BROS. 25801 (18.98) 171 novo

Greatest Hits

THOROGOOD 1 GEORGE CAPITOL 09449 (7.98)

8 14

10 Great Songs

171

172

HILSON No Boys Allowed 138 105 17 KERI MOSLEY/ZONE 4/INTERSCOPE 015088/IGA (13.98)

11

173

SEGER & THE SILVER BULLET BAND 161 161 160 BOB CAPITOL 30334* (16.98)

174

Greatest Hits

8

8

CASTRO 118 113 17 CRISTIAN UNIVERSAL MUSIC LATINO 015013/UMLE (10.98) b

Viva El Principe

0

49

175

103 60

V 4 BOBBY BLU KOLLA DREAMS 48451/CAPITOL (18.98)

Fly On The Wall

9

176

139 75

ORTIZ 3 GERARDO DEL 82733/SONY MUSIC LATIN (9.98)

Morir Y Existir: En Vivo

75

Greatest Hits

1

Mercy 145 118 19 T.I. No GRAND HUSTLE/ATLANTIC 523753*/AG (18.98) The Right To Bare Arms

180 DEADMAU5 retorno 18 MAU5TRAP 2518/ULTRA (15.98)

Originalmente oferecida como um disco bônus da coleção de luxo de Witmark Demos lançada no ano passado, a gravação ao vivo perdida de Bob Dylan é finalmente lançada de forma separada e registra vendas de cinco mil cópias.

121

0

35

179 LARRY THE CABLE GUY retorno 28 JACK/WARNER BROS. (NASHVILLE) 49300/WMN (18.98)

128

13

167 BEYONCE Above And Beyonce: Video Collection & Dance Mixes (EP) retorno 16 MUSIC WORLD/COLUMBIA 53949 EX/SONY MUSIC (13.98 CD/DVD) b

178

17

3

WOW #1’s (Yellow) Get Closer

1 6

REPRISE (NASHVILLE) 524497/WMN (7.98)

177 THE NOTORIOUS B.I.G. retorno 14 BAD BOY 101830*/AG (18.98)

And If Our God Is For Us...

0

All About Tonight (EP)

29

4

Animal

Pat Benatar se apresentou no programa The Oprah Winfrey Show em meados do mês de abril num dueto com Avril Lavigne na música “Love Is A Battlefield”. O álbum registrou um aumento de 83% – o preço de US$ 5 do Walmart e de outras lojas deve ter contribuído.

7

50 Sing Along Songs For Kids

A Thousand Suns

21 BLAKE SHELTON

128

JAMES AND THE SHONDELLS 3 TOMMY RHINO 76039 (9.98)

123

6

1

URBAN 114 128 22 KEITH CAPITOL NASHVILLE 47695 (11.98)

0

1

Greatest Hits

ARTISTS 167 176 6 VARIOUS PROVIDENT-INTEGRITY/EMI CMG/WORD-CURB 888166/WARNER BROS. (17.98)

Glee, The Music: Season Two: Volume 4

5

12

Flockaveli

RED HOT CHILI PEPPERS retorno 37 157 WARNER BROS. 48545 (18.98)

novo 160

1

Barton Hollow

166

116

melhor posição

2

2

165

0

Cert.

nº de Semanas

semana de 19/4 semana de 12/4

0

Call: The Hits 140 133 113 EMINEM Curtain SHADY/AFTERMATH/INTERSCOPE 005881*/IGA (13.98/8.98)

4

A Year Without Rain

Bad, Bad Leroy Brown & Other Favorites

125

119 129 67 KE$HA KEMOSABE/RCA 49209*/RMG (11.98)

OF LEON Come Around Sundown 115 102 26 KINGS RCA 64698*/RMG (13.98)

154

JACKSON Number Ones 157 171 105 MICHAEL MJJ/EPIC 88998/SONY MUSIC (14.98)

Into Now 6 R.E.M. Collapse WARNER BROS. 525611* (18.98)

197 –

153

164

70 39

132

17

114

124

131

CHURCH Carolina 107 144 68 ERIC CAPITOL NASHVILLE 20810* (12.98)

The Second Decade of Rock & Roll 1981-1991

10 Great Songs

TOMLIN 125 136 22 CHRIS SIXSTEPS 93444/SPARROW (17.98) b

152

168 –

BENATAR 1 PAT CAPITOL 09436 (7.98)

130

My World (EP)

163

123 Novo

128 121 27 NEWSBOYS INPOP 71521 (13.98)

Ainda é difícil entender como um álbum com músicos de estúdio fazendo cover de hits pop pode vender seis mil cópias – e ainda por cima numa única semana. O crédito vai para o preço acessível nas grandes lojas, o que continua gerando muitos ganhos para vários títulos de catálogo nas paradas.

Título

Gravadora & número de série / Distribuidora (PReço em dólar)

BIEBER 121 112 74 JUSTIN SCHOOLBOY/RAYMOND BRAUN/ISLAND 013719/IDJMG (9.98)

113

CONDITION 2 MINT CAGED BIRD 5787/SHANACHIE (18.98)

129

105

ARTISTa 

151

Super Hits

CROCE 3 JIM CEMA SPECIAL PRODUCTS 57445/CAPITOL (6.98)

DYLAN 1 BOB COLUMBIA/LEGACY 84742*/SONY MUSIC (8.98)

semana de 26/4

Cert.

Título

Gravadora & número de série / Distribuidora (PReço em dólar)

melhor posição

ARTISTa 

3 HANK WILLIAMS JR.

102 Novo

128 Novo Veja as Legendas para mais informações. © 2011, e5 Global Media, LLC e Nielsen SoundScan, Inc. Todos os direitos reservados. FOTOS: DIVULGAÇÃO

nº de Semanas

semana de 19/4 semana de 12/4

semana de 26/4

the billboard 200

0 0

4X4=12

181

PAISLEY 117 98 24 BRAD ARISTA NASHVILLE 75878/SMN (11.98)

182

DARKEST DAYS 175 162 26 MY MVR/604/MERCURY 014719/IDJMG (8.98)

Hits Alive

183

CORBIN Easton Corbin 156 145 53 EASTON MERCURY NASHVILLE 013644/UMGN (10.98)

184

N’ ROSES 181 170 203 GUNS GEFFEN 001714/INTERSCOPE (16.98)

185 TIM MCGRAW retorno 16 CURB 79118 (11.98) 186

110 34

187

56

0

5

5 VARIOUS ARTISTS

9 38 10

Greatest Hits 3

AMARTH 3 AMON METAL BLADE 14972* (15.98 CD/DVD) b

7 47

My Darkest Days

Greatest Hits

4

3 9

Surtur Rising

34

The 99 Darkest Pieces of Classical Music

44

X5 DIGITAL EX (2.98)

188 PRINCE retorno 27 WARNER BROS. 74272 (18.98)

The Very Best Of Prince

1

66

Los Huevos Rancheros

120

189 novo

I Am The Dance Commander + I Command You To Dance

36

190 DIDDY - DIRTY MONEY retorno 17 BAD BOY/INTERSCOPE 014381/IGA (13.98)

Life Volume One: Las Vegas 2 TIESTO Club MUSICAL FREEDOM 001 (12.98)

52

191 ALAN JACKSON Drive retorno 77 ARISTA NASHVILLE 67039/SMN (7.98)

4

1

CURRINGTON Enjoy Yourself 104 93 30 BILLY MERCURY NASHVILLE 014407/UMGN (9.98)

9

192

Horse 182 187 123 NICKELBACK Dark ROADRUNNER 618028 (18.98)

3

2

193

172 175 18 JEREMIH MICK SCHULTZ/DEF JAM 014830/IDJMG (9.98)

143 retorno

RICHIE The Best Of Lionel Richie: 20th Century Masters The Millennium Collection 3 LIONEL MOTOWN/CHRONICLES 007759/UME (9.98)

144

SONGZ 105 90 31 TREY SONGBOOK/ATLANTIC 524539/AG (18.98) b

145

DECEMBERISTS 131 116 13 THE CAPITOL 47547* (18.98) b

146

124 108 35 KEM UNIVERSAL MOTOWN 014469/UMRG (13.98) b

Passion, Pain & Pleasure

147 TOM PETTY retorno 73 MCA 6253/UME (9.98)

0

143 2

The King Is Dead

1

Intimacy: Album III

2

Full Moon Fever

3

5

148

NIEMANN 136 115 39 JERROD SEA GAYLE/ARISTA NASHVILLE 65720/SMN (9.98)

Judge Jerrod & The Hung Jury

7

149

53

ARTISTS 3 VARIOUS X5 DIGITAL EX (1.98)

The 99 Most Essential Relaxing Classics

53

150

65

CAMPBELL Craig Campbell 2 CRAIG ACOUSTIC PEACH 525571/BIGGER PICTURE (18.98)

65

Mandisa........................110 Bob Marley And The Wailers.......................158 Mary Mary......................37 Tim McGraw.......... 112, 185 Miguel.............................62 Mint Condition.............118 Mumford & Sons...........10 My Darkest Days.........182

newsboys.....................129 Nickelback...................192 Nicki Minaj......................31 Jerrod Niemann...........148 The Notorious B.I.G.....177

n

Brad Paisley.................181 Panda Bear.....................29

Willie Nelson...............125

o

Roy Orbison.................120 Gerardo Ortiz..............176 p

Panic! At The Disco......108 Katy Perry......................20 Tom Petty.....................147 P!nk..................................25 Elvis Presley.................85 Prince Royce................135 Prince............................188 r

R.E.M..............................124 Radiohead.......................23 Bonnie Raitt...................82

Rascal Flatts................35 Red Hot Chili Peppers.157 REO Speedwagon.........114 Lionel Richie.................143 Rihanna...........................17 Rise Against...................64 Robbie Robertson.........53 Kenny Rogers..............134 Darius Rucker.............138 Rush..............................100

188

É provável que as duas performances de Prince no Lopez Tonight, em 13 de abril, e o lançamento de sua temporada de 21 shows em Los Angeles tenham ajudado a impulsionar um aumento de 137% na coleção de hits.

s

Joan Sebastian............139 Bob Seger & The Silver Bullet Band...............173 Blake Shelton...... 107, 163 Shinedown....................199 Paul Simon........................4 Skillet...........................122 Snoop Dogg....................72 Britney Spears................6 Sting................................95

194 novo

1 JERRY CLOWER

Jerry Clower’s Greatest Hits

MCA NASHVILLE 320939/UME (9.98)

Last Train To Paris

DEAD 1 GRATEFUL GRATEFUL DEAD/RHINO FLASHBACK 527526/RHINO (5.98)

189 7

All About You

27

Flashback With The Grateful Dead

194

195

FOXX 141 114 17 JAMIE J 54860/RMG (11.98)

196

SEVENFOLD Nightmare 196 168 38 AVENGED HOPELESS/SIRE 524026*/WARNER BROS. (18.98)

1

197

SWIFT 166 177 127 TAYLOR BIG MACHINE 0200 (18.98) b

1

198 retorno 199

Best Night Of My Life

Fearless

WILLIAMS 6 LUCINDA LOST HIGHWAY 015189*/UMGN (13.98)

Blessed

192 178 140 SHINEDOWN ATLANTIC 511244/AG (18.98) b

200 retorno

Laura Story.................102 George Strait................97 The Strokes...................51 Sugarland.....................57 Taylor Swift...........30, 197 Soundtrack

Burlesque......................93 Country Strong............26 Country Strong: More Music From The Motion Picture..........................91

The Sound Of Madness

2 ELBOW FICTION/POLYDOR/CO-OP 2762328/DOWNTOWN (13.98)

Glee, The Music: Season Two: Volume 4..............117 Glee: The Music, Season Two: Volume 5................46 Lemonade Mouth...........18 Sucker Punch................90 Tangled...........................58 t

Thompson Square.........77 George Thorogood....171 Three Dog Night..........126

Thursday........................63 T.I....................................178 Tiesto............................141 Chris Tomlin................130 Tommy James And The Shondells..................131 Train................................98 Trey Songz...................144 TV On The Radio..............12 u

Keith Urban..................166

6 1

Build A Rocket Boys!

v

Stevie Ray Vaughan.....109 various Artists

The 99 Darkest Pieces of Classical Music........187 The 99 Most Essential Relaxing Classics.....149 Every Mother Counts..83 NOW 37.............................24 Songs For Japan..............7 WOW #1’s (Yellow).....165

6

15 8 151

WOW Gospel 2011: The Year’s 30 Top Gospel Artists And Songs....127 WOW Hits 2011..............161 w

Waka Flocka Flame.....156 Kanye West.....................78 Barry White.................106 Lucinda Williams........198 Wiz Khalifa.......................8

www.billboard.br.com 105


30

billboard hot 100

abr

2011

dados de vendas compilados por

dados de vendas compilados por

®

Far*East Movement Featuring Ryan Tedder 54 47 20 ROCKETEER STEREOTYPES,THE SMEEZINGTONS (J.YIP,J.REEVES,R.ROMULUS,BRUNO MARS,P.LAWRENCE,A.LEVINE,K.NISHIMURA,J.ROH,J.CHOUNG) . CHERRYTREE/INTERSCOPE

7

CAN’T GET ENOUGH The Black Eyed Peas 9 JUST DJ AMMO,R.JERKINS (W.ADAMS,A.PINEDA,J.GOMEZ,S.FERGUSON,J.ALVAREZ,S.SHADOWEN,R.JERKINS) . interscope

3

58

63 71

THING 6 SURE H.PEREZ (M.PIMENTEL,N.PEREZ)

58

7

ON ME 23 DOWN M.SCHULTZ (J.FELTON,M.SCHULTZ,C.J.JACKSON, JR.)

1

4

59

56 59

YOU 6 WITHOUT D.HUFF,K.URBAN (D.PAHANISH,J.WEST)

4

YOU (FORGET YOU) 34 F**K THE SMEEZINGTONS (T.CALLAWAY,BRUNO MARS,P.LAWRENCE,A.LEVINE,C.BROWN)

1

2

60

70 86

3 RACKS SONNY DIGITAL (R.BROOKS,S.C.UWAEZUOKE,N.WILBURN,C.MILLER)

1

6

61

61 61

A LITTLE 6 LIVE B.CANNON,K.CHESNEY (S.MINOR,D.L.MURPHY)

1

M. A. E. / .T. Katy Perry Featuring Kanye West 10 airplay E DR. LUKE,MAX MARTIN,AMMO (K.PERRY,L.GOTTWALD,J.COLEMAN,MAX MARTIN) . CAPITOL

3

3

3

4

6

5

4

6

IN THE DEEP 10 10 15 ROLLING P.EPWORTH (A.ADKINS,P.EPWORTH)

8

9

1 SEMana

S&M

Rihanna Featuring Britney Spears . SRP/DEF JAM/IDJMG

STARGATE,SANDY VEE (M.S.ERIKSEN,T.E.HERMANSEN,S.WILHELM,E.DEAN)

Jeremih Featuring 50 Cent . MICK SCHULTZ/DEF JAM/IDJMG

Cee Lo Green c., RADICULTURE/ELEKTRA/RRP

Adele ., XL/COLUMBIA

7

6

11 LOOK AT ME NOW

Chris Brown Featuring Lil Wayne & Busta Rhymes

9

8

THE FLOOR Jennifer Lopez Featuring Pitbull 8 ON REDONE,K.HARRELL (N.KHAYAT,K.HAMID,AJ JUNIOR,T.SKY,TEDDY.SKY,B.HAJJI,A.C.PEREZ,G.HERMOSA,U.HERMOSA) . ISLAND/IDJMG

8

13

7 TILL THE WORLD ENDS

. JIVE/JLG

DIPLO,AFROJACK,FREE SCHOOL (C.BROWN,R.BUENDIA,D.CARTER,T.SMITH,W.PENTZ,J.BAPTISTE)

. JIVE/JLG

DR. LUKE,MAX MARTIN,BILLBOARD (L.GOTTWALD,A.KRONLUND,MAX MARTIN,K.SEBERT)

Grande 10 Estreia

1 JUDAS LADY GAGA,REDONE (S.G.GERMANOTTA,N.KHAYAT)

11

20 27

LAZY SONG 8 THE THE SMEEZINGTONS (BRUNO MARS,P.LAWRENCE,A.LEVINE,K.WARSAME)

12

11 11 13 BLOW DR. LUKE,MAX MARTIN,B.BLANCO,KOOL KOJAK (K.SEBERT,K.AHLUND,L.GOTTWALD,A.GRIGG,B.LEVIN,MAX MARTIN)

13

5

14

14 19

15

SHOW GOES ON 16 24 16 THE KANE BEATZ (W.JACO,D.A.JOHNSON,D.W.BROWER,J.K.BROWN,I.BROCK,E.JUDY,D.GALLUCCI)

5

Lady Gaga . STREAMLINE/KONLIVE/INTERSCOPE

Bruno Mars . ELEKTRA/ATLANTIC

THIS WAY 10 BORN LADY GAGA,J.LAURSEN,F.GARIBAY,DJ WHITE SHADOW (S.G.GERMANOTTA,J.LAURSEN) 9 WRITTEN IN THE STARS

Ke$ha . KEMOSABE/RCA/RMG

Lady Gaga .,x STREAMLINE/KONLIVE/INTERSCOPE

Tinie Tempah Featuring Eric Turner . DISTURBING LONDON/PARLOPHONE/CAPITOL

ISHI (E.MUGHAL,P.OKOGWU,E.TURNER,C.BERNARDO)

Lupe Fiasco ., 1ST & 15TH/ATLANTIC

16

12

4 LIFE 15 15 18 MOMENT T-MINUS (O.T.MARAJ,A.GRAHAM,T.WILLIAMS,N. SEETHERAM)

18

NEED A DOCTOR 19 20 11 IALEX DA KID (A.YOUNG,M.MATHERS,A.GRANT,S.GRAY)

Dr. Dre Featuring Eminem & Skylar Grey

19

OF THE LIGHTS 23 26 16 ALL K.WEST (K.WEST,J. BHASKER,M. JONES,W. TROTTER)

Kanye West

20

17 60

21

UP 26 28 10 ROLL STARGATE (C.J.THOMAZ,M.S.ERIKSEN,T.E.HERMANSEN)

22

18 14 26 FIREWORK STARGATE,SANDY VEE (K.PERRY,M.S.ERIKSEN,T.E.HERMANSEN,S.WILHELM,E.DEAN)

23

21 12 29 GRENADE THE SMEEZINGTONS (BRUNO MARS,P.LAWRENCE,A.LEVINE,B.BROWN,C.KELLY,A. WYATT)

24

TAG 40 49 11 PRICE DR. LUKE (J.CORNISH,L.GOTTWALD,C.KELLY,B.R.SIMMONS, JR.)

25

HOME 24 23 21 COMING ALEX DA KID (A. GRANT,S.GRAY,S.C.CARTER,J.L.COLE)

26

27 21 19 MORE REDONE (N.KHAYAT,C.HINSHAW JR.,U.RAYMOND IV)

27

THE HELL 28 29 14 WHAT MAX MARTIN,SHELLBACK (A.LAVIGNE,MAX MARTIN,SHELLBACK)

28

BABY (DROP IT TO THE FLOOR) 22 18 29 HEY SANDY VEE (S.WILHELM,A.C.PEREZ,T-PAIN)

29

(I’M LOVIN’ YOU) Enrique Iglesias Featuring Ludacris & DJ Frank E 25 16 21 TONIGHT DJ FRANK E,J.LUTTRELL (L.CHRISTY,J. LUTTRELL,J.FRANKS,E.IGLESIAS,C.BRIDGES) . UNIVERSAL REPUBLIC

30

35 39

31

YOU WANNA STAY 42 40 24 DON’T M.KNOX (J.SELLERS,P.JENKINS,A.GIBSON)

32

GIRL ROCK 30 30 21 PRETTY CHUCK HARMONY (S.C.SMITH,C.HARMON,R.MACDONALD,W.SALTER,B.WITHERS)

33

FOOT 7 FOOT 32 32 18 6 S.CRAWFORD (D.CARTER,S.CRAWFORD,P.PANKY,W.ATTAWAY,I.BULGIE)

34

WEATHER 29 31 13 COLDER K.STEGALL,Z.BROWN (Z.BROWN,W.DURRETTE,L.LOWREY,C.BOWLES)

35

THE WAY YOU ARE 34 35 39 JUST THE SMEEZINGTONS,NEEDLZ (BRUNO MARS,P.LAWRENCE,A.LEVINE,K.CAIN,K.WALTON)

36

OR THE FIRST TIME 39 42 16 F D.O’DONOGHUE,M.SHEEHAN (D.O’DONOGHUE,M.SHEEHAN)

37

31 33

38

95

39

OF HEARTS 33 25 29 JAR B.YERETSIAN (C.PERRI,B.YERETSIAN,D.LAWRENCE)

40

41 43

41

LITTLE BIT STRONGER 38 45 16 A T.BROWN (L.LAIRD,H.LINDSEY,H.SCOTT)

42

YOUR GLASS 37 38 28 RAISE MAX MARTIN,SHELLBACK (P!NK,MAX MARTIN,SHELLBACK)

43

YOU GONNA KISS ME OR NOT 36 34 18 ARE NEW VOICE (J.COLLINS,D.L.MURPHY)

44

43 44 46 DYNAMITE DR. LUKE,B.BLANCO (L.GOTTWALD,MAX MARTIN,B.LEVIN,B.MCKEE,T.CRUZ)

45

LIKE MINE 44 54 10 HEART F.LIDDELL,M.WRUCKE (M.LAMBERT,T.HOWARD,A.MONROE)

46

WON’T LET GO 49 50 12 ID.HUFF,RASCAL FLATTS (S.ROBSON,J.SELLERS)

47

13

48

LOVE 45 41 28 STEREO E.MAYA (E.M.ILIE,V.CORNEVA)

49

50 55

50

HANDS Waka Flocka Flame Featuring Roscoe Dash & Wale 47 46 32 NO DRUMMA BOY (J.JONES,J.L.JOHNSON,O.AKINTIMEHIN,C.GHOLSON) . 1017 BRICK SQUAD/ASYLUM/WARNER BROS.

51

48 67

52

51 53 16 THIS F.ROGERS (D.RUCKER,F.ROGERS,K.DIOGUARDI)

53

DO YOU WANT 53 52 17 WHAT D.BRAINARD,J.NIEMANN (J.L.NIEMAN,R.BROWN,R.BRADSHAW)

54

52 56

55 novo

PERFECT 16 F**KIN’ MAX MARTIN,SHELLBACK (P!NK,MAX MARTIN,SHELLBACK)

0

17

Fotos: Divulgação

9

1

Britney Spears

ME EVERYTHING 3 GIVE AFROJACK (A.C.PEREZ,N.VAN DE WALL,S.C.SMITH)

P!nk . LAFACE/JLG

Nicki Minaj Featuring Drake . YOUNG MONEY/CASH MONEY/UNIVERSAL MOTOWN

0

. AFTERMATH/INTERSCOPE . ROC-A-FELLA/DEF JAM/IDJMG

Pitbull Featuring Ne-Yo, AfroJack & Nayer . MR. 305/POLO GROUNDS/J/RMG

Wiz Khalifa c. ROSTRUM/ATLANTIC/RRP

Katy Perry . CAPITOL

Bruno Mars . ELEKTRA/ATLANTIC

Usher . LAFACE/JLG

Avril Lavigne c. RCA/RMG

Pitbull Featuring T-Pain . MR. 305/POLO GROUNDS/J/RMG

2

New Boyz Featuring The Cataracs & Dev 9 BACKSEAT THE CATARACS (D.A.THOMAS,E.H.BENJAMIN V,N.HOLLOWELL-DHAR,D.SINGER-VINE,D.DAILES) . SHOTTY/WARNER BROS. Jason Aldean With Kelly Clarkson . BROKEN BOW . MOSLEY/ZONE 4/INTERSCOPE

Lil Wayne Featuring Cory Gunz . CASH MONEY/UNIVERSAL MOTOWN

8 BOW CHICKA WOW WOW

. SOUTHERN GROUND/ATLANTIC/BIGGER PICTURE

Bruno Mars . ELEKTRA/ATLANTIC

The Script . PHONOGENIC/EPIC

IT ON’EM 7 DID S.CRAWFORD (O.T.MARAJ,S.CRAWFORD,J.ELLINGTON,S.SAMUELS)

5 MEAN

N.CHAPMAN,T.SWIFT (T.SWIFT)

LIE 7 YOU P.WORLEY (B.HENNINGSEN,C.HENNINGSEN,A.HENNINGSEN) 1 MOTIVATION JIM JONSIN,RICO LOVE (J.G.SCHEFFER,RICO LOVE,D.MORRIS,D.CARTER)

3 0

Selena Gomez & The Scene . HOLLYWOOD

Brad Paisley Featuring Alabama . ARISTA NASHVILLE

Christina Perri . MS. PERRI LANE/ATLANTIC/RRP

1

Mike Posner Featuring Lil Wayne

THE SMEEZINGTONS (M.POSNER,BRUNO MARS,P.LAWRENCE,A.LEVINE,C.S.BROWN,D.CARTER)

BEE 2 HONEY S.HENDRICKS (B.HAYSLIP,R.AKINS)

1

Zac Brown Band

SAYS 5 WHO E.KIRIAKOU (E.KIRIAKOU,P.R.HAMILTON) ALABAMA 2 OLD F.ROGERS (B.PAISLEY,C.DUBOIS,D.TURNBULL,R.OWEN)

0

Keri Hilson

. J/RMG

Sara Evans . RCA NASHVILLE

0

P!nk . LAFACE/JLG

Thompson Square . STONEY CREEK

Taio Cruz . MERCURY/IDJMG

3

Miranda Lambert Rascal Flatts . BIG MACHINE

Blake Shelton c. WARNER BROS. (NASHVILLE)/WMN

Edward Maya & Vika Jigulina . ULTRA

Nicki Minaj . YOUNG MONEY/CASH MONEY/UNIVERSAL MOTOWN

0

Taylor Swift . BIG MACHINE/UNIVERSAL REPUBLIC

Darius Rucker . CAPITOL NASHVILLE

Jerrod Niemann . SEA GAYLE/ARISTA NASHVILLE

The Band Perry . REPUBLIC NASHVILLE

Kelly Rowland Featuring Lil Wayne . UNIVERSAL MOTOWN

Miguel . BLACK ICE/BYSTORM/JIVE/JLG

Keith Urban . CAPITOL NASHVILLE

YC Featuring Future . BIG PLAY/UNIVERSAL REPUBLIC

Kenny Chesney . BNA

67 70

6 TOMORROW J.STROUD (C.YOUNG,F.J.MYERS,A.SMITH)

CAVE 64 58 11 THE M.DRAVS (M.MUMFORD,B.LOVETT,T.DWANE,W.MARSHALL)

65

55 22

66

IT AGAINST ME 59 75 14 HOLD DR. LUKE,MAX MARTIN,BILLBOARD (MAX MARTIN,L.GOTTWALD,M.JOMPHE,B.MCKEE)

7

67

RED 62 65 10 BLEED R.DUNN (A.DORFF,T.L.JAMES)

1

68

78 92

7 ROPE B.VIG (FOO FIGHTERS)

14

69

65 37

4 BEST LOVE SONG

15

70

87

HARD 2 HUSTLE LEX LUGER (A.MCCOLISTER)

2

71

69 62

HEAVEN WASN’T SO FAR AWAY 4 IF J.STOVER (D.DAVIDSON,R.HATCH,B.JONES)

72

84 97

4 MY LAST

73

FACES 73 68 12 LOVE T.TAYLOR,E.MILES (T.NEVERSON,T.TAYLOR,E.MILES,T.SCALES)

74

79 82

ST. PARTY 5 GROVE LEX LUGER (J.MALPHURS,D.CHATMAN,L.A.LEWIS)

75

57 17

SLEEP 4 NO B.BLANCO (C.J.THOMAZ,B.LEVIN)

76

75 76

5 BRING IT BACK

77

76 78

CAN’T LOVE YOU BACK 6 IC.CHAMBERLAIN (C.CHAMBERLAIN,C.DANIELS,J.HYDE)

78

BE KILLIN EM 71 63 16 YOU R.LESLIE (J.D.JACKSON,R.LESLIE,H.ROONEY)

24

79

81 80

11

80

68

81

80 77 10 SING R.CAVALLO,MY CHEMICAL ROMANCE (F.IERO,R.TORO,G.WAY,M.WAY)

82

74 66

5 FRIDAY C.JEY,P.WILSON (P.WILSON,C.JEY)

83

86 91

AWAY 5 FAR JUST BLAZE (M.AMBROSIUS,J.SMITH,S.SIMMS,L.DOZIER,B.HOLLAND,E.HOLLAND, JR.)

84

85 89

4 FAMILY MAN

85

83 85

6 BOYFRIEND L.SECON (L.SECON,W.A.HECTOR,C.C.BROADUS JR.,D.A.THOMAS,E.H.BENJAMIN V)

86

92 100 5 HOMEBOY J.JOYCE (E.CHURCH,C.BEATHARD)

87

58 83

3 BEGGIN’ ON YOUR KNEES

88

82 74

YOU AT 6 WHERE R.KELLY,H.MASON, JR. (R.S.KELLY)

89

MISS 72 72 14 LITTLE B.GALLIMORE,K.BUSH,J.NETTLES (J.O.NETTLES,K.BUSH)

8 10 11

13 4 19 17 21

15 11 7 4 30 31 24 9 29

11

Indo do 16º ao 9º lugar (124 mil downloads, crescimento de 42%), Bruno Mars chegou ao top 10 do Hot Digital Songs com todos os cinco de seus singles do rádio.

31

Depois da performance da dupla Jason Aldean e Kelly Clarkson em 14 de abril no American Idol, a música alcança uma nova posição no Hot 100 (com 59 mil downloads, um crescimento de 64%).

Game Featuring Lil Wayne . GEFFEN/INTERSCOPE

COOL &DRE (J. TAYLOR, D. CARTER, A.C. LYONS, M.A. VALENZANO, E. GUETHER, F. SENFER)

Chris Young . RCA NASHVILLE

Mumford & Sons . GENTLEMAN OF THE ROAD/RED/GLASSNOTE

4 JOHN POLOW DA DON,R.HOLLADAY (D.CARTER,J.JONES,R.HOLLADAY,W.ROBERTS II)

0

Lil Wayne Featuring Rick Ross . CASH MONEY/UNIVERSAL MOTOWN

Britney Spears . JIVE/JLG

Ronnie Dunn . ARISTA NASHVILLE

Foo Fighters . ROSWELL/RCA/RMG

T-Pain Featuring Chris Brown . KONVICT/NAPPY BOY/JIVE/JLG

YOUNG FYRE (T-PAIN,C.BROWN,T.WINFREY)

Ace Hood . WE THE BEST/DEF JAM/IDJMG

Justin Moore . VALORY

Big Sean Featuring Chris Brown . G.O.O.D./DEF JAM/IDJMG

NO I.D. (S.ANDERSON,E.WILSON,J.S.HARRIS III,T.S.LEWIS,C.BROWN)

Trey Songz . SONGBOOK/ATLANTIC

Waka Flocka Flame Featuring Kebo Gotti . 1017 BRICK SQUAD/ASYLUM/WARNER BROS.

Wiz Khalifa . ROSTRUM/ATLANTIC/RRP

Easton Corbin Fabolous . DESERT STORM/DEF JAM/IDJMG

Seether . WIND-UP

B.O’BRIEN (S.MORGAN,SEETHER)

Jason Aldean . BROKEN BOW

My Chemical Romance . REPRISE

Rebecca Black . REBECCA BLACK/ARK MUSIC FACTORY

Marsha Ambrosius . J/RMG

Craig Campbell . BIGGER PICTURE

K.STEGALL (C.CAMPBELL,J.HENDERSON,J.SHEWMAKE)

Big Time Rush . NICKELODEON/COLUMBIA

Eric Church . EMI NASHVILLE

Victorious Cast Featuring Victoria Justice . NICKELODEON/COLUMBIA

SHELLBACK,K.LUNDIN (SHELLBACK,S.KOTECHA)

Jennifer Hudson . ARISTA/RMG

Sugarland . MERCURY NASHVILLE

90 novo

AIN’T YOU 1 SHE FREE SCHOOL (C.BROWN,J.BAPTISTE,R.BUENDIA,K.MCCALL,J.BOYD,J.BETTIS,S.PORCARO,B.A.MORGAN)

36

91

91

2 HELLO

24

92

SAY NEVER Justin Bieber Featuring Jaden Smith 77 64 18 NEVER THE MESSENGERS (A.MESSINGER,N.ATWEH,J.BIEBER,T.HARRELL,J.SMITH,O.RAMBERT) . SCHOOLBOY/RAYMOND BRAUN/ISLAND/IDJMG

38

93 novo

TONIGHT 1 TONIGHT E.KIRIAKOU (R.K.FOLLESE,N.OVERSTREET,E.KIRIAKOU,E.K.BOGART,L.ROBBINS)

17

94 novo

Bridgit Medler, Adam Hicks, Naomi Scott & Hayley Kiyoko 1 DETERMINATE TWIN, LAKE (N. MOLINDER, J. PERSON, J. ALKENAS, C. MASON, E. BURKS, A. HICKS) . WALT DISNEY

40 38 1

2 44

93

O quarteto Hot Chelle Rae inclui Nash Overstreet – filho do cantor de country Paul Overstreet e irmão de Chord Overstreet, do elenco de Glee.

95

90 96

SMILE 6 IK.FRANKLIN,H.MARTIN (K.FRANKLIN,F.TACKETT,J.S.HARRIS III,T.S.LEWIS)

96 novo

BLUE JEAN NIGHT 1 BAREFOOT J.MOI,R.CLAWSON (D.ALTMAN,E.PASLAY,T.SAWCHUK)

97 retorno

DO 3 IG.WELLS (C.CAILLAT,T.GAD)

98

97

LIFE 3 GOOD R.M.TEDDER,B.KUTZLE,N.ZANCANELLA (R.M.TEDDER,B.KUTZLE,N.ZANCANELLA,E.FISHER)

99

100 –

2 SOMEWHERE ELSE

100

96 99

GIRL 6 CRAZY M.WRUCKE (L.BRICE,L.ROSE)

Chris Brown . JIVE/JLG

Martin Solveig & Dragonette . BIG BEAT/ATLANTIC

M.SOLVEIG (M.SOLVEIG,M.SORBARA)

Hot Chelle Rae . JIVE/JLG

Kirk Franklin c. FO YO SOUL/GOSPO CENTRIC/VERITY/JLG

T.KEITH (T.KEITH,B.PINSON)

63 27 22 1 62 68 33 70 62 72 63

6

. MERCURY NASHVILLE

ROAD ANTHEM 2 DIRT M.KNOX (B.GILBERT,C.FORD)

61 62

. PORTER HOUSE/JIVE/JLG

5 COUNTRY SONG

56 60

74

Travis Porter

T.MARKOUS ROBERTS, JR. (T.MARKOUS ROBERTS, JR.,H.DUNCAN,D.WOODS,L.MATTOX)

56

1

0 32

. COLUMBIA (NASHVILLE)

. PARTY ROCK/WILL.I.AM/CHERRYTREE/INTERSCOPE

64

5

1

. BAD BOY/INTERSCOPE

PARTY ROCK (S.K.GORDY,S.A.GORDY,J.LISTENBEE,P.SCHROEDER,F.SULLIVAN)

63

6

0

. LAVA/UNIVERSAL REPUBLIC

Gravadora / Distribuidora

LMFAO Featuring Lauren Bennett & GoonRock

1 RED NATION

1

Diddy - Dirty Money Featuring Skylar Grey

Depois de menos de três dias de vendas e cinco dias de execuções, o single de Lady Gaga que veio na sequência de “Born This Way” (13ª posição) chega com 162 mil downloads vendidos e 26 milhões de audiência.

Artista

Produtor (Compositor)

62 novo

2

Jessie J Featuring B.o.B

10

TÍTULO 

4 PARTY ROCK ANTHEM

Jake Owen . RCA NASHVILLE

Colbie Caillat . LAVA/UNIVERSAL REPUBLIC

OneRepublic . MOSLEY/INTERSCOPE

Toby Keith . SHOW DOG-UNIVERSAL

Eli Young Band . REPUBLIC NASHVILLE

75 76 63 74 68 58 58 83 84 79 86 58 64 71 90 91 8 93 94 90 96 23 69 99 59

46 13 16 49 13 11 51 52 52 55

Três vezes no topo

A música de Britney Spears “Till The Word Ends” salta da 19ª para a 10ª posição em execuções (61 milhões, aumento de 14%), dando à artista uma sequência de três músicas que foram direto ao top 10 na lista. Além dessa, “Hold It Against Me” e “3” também já ocuparam esse posto. Em 25 de abril, a loirinha lançou uma versão remix da música, com as participações especiais de Ke$ha e de Nicki Minaj.

Gary Trust 106 billboard brasil Maio 2011

As músicas mais populares de acordo com as impressões de todos os formatos de audiência medidos pela Nielsen Broadcast Data Systems e dados de vendas compilados pela Nielsen SoundScan. Consulte a Legenda para mais explicações. © 2010, e5 Global Media, LLC e Nielsen SoundScan, Inc. Todos os direitos reservados. foto bruno mars: Kevin Mazur WireImage/Getty Images

14

1

melhor posição

57

2

2

M. A. E. / digital

Cert.

1

Nº 1

Gravadora / Distribuidora

1

7

nº de Semanas

66 88

Artista

Produtor (Compositor)

Cert.

1

56

TÍTULO 

2

melhor posição

nº de Semanas

semana de 23/4 semana de 18/4

semana de 30/4

semana de 23/4 semana de 18/4

semana de 30/4

the billboard hot 100


dados de vendas compilados por

dados de vendas compilados por

26

MAR 2011

3

4

19

Jason Aldean

4

3

2

Aaron Lewis

5

2

2

Dropkick Murphys

6

Novo

7

Novo

Kenny Rogers

8

5

Thompson Square

9

Novo

Gentleman Of The Road 0109* / Glassnote (12.98)

Grande Estreia

5

Raekwon Ice H2O 94906 | (16.98)

Children Of Bodom Spinefarm 4657* | (15.98) CD/DVD Sony BMG Custom Marketing Group/Hear 01916 | Starbucks | (12.98)

ALEXI MURDOCH

13 Novo

Dance Gavin Dance

15 67

Five Finger Death Punch

16

14

4

Bright Eyes

9

18

49

6

Fitz & The Tantrums

19

20

6

Barton Hollow

20

16

4

PJ Harvey

4

Drive-By Truckers

Relentless, Reckless Forever

34

9

2

Devotchka

Mele O Hawaii: Songs Of Hawaii

35

29

4

Paul Cardall

DSP 81421*/ Jive (13.98)

31 20 William McDowell

Thank You Happy Birthday

42

42

The Color Morale

semana de 23/4 nº de Semanas

40

9

LeCrae

Showroom Of Compassion

47

34

6

Canton Jones

Greatest Hits

Motley 380* / Eleven Seven (13.98) +

48 Novo

Rehab

Reach 8161 / Infinity (12.98)

Dominionaire,

CAJO 8182 | Infinity | (12.98)

WC

Revenge Of The Barracuda

Swang 5138 | eOne | (17.98)

43 12 James Fortune & FIYA

I Believe: Live

Blacksmoke 3092 / WorldWide (13.98)

Teddy Pendergrass 50 RETORNO

TÍTULO (Gravadora & número de série/distribuidora)

CONTEMPORARY JAZZ ALBUMS

Nº 1 Here We Go Again BLUE NOTE 96388/BLG

WILLIE NELSON & WYNTON MARSALIS FT. NORAH JONES

1 1 30

2 SEManas

Título (Gravadora & número de série/distribuidora)

SPALDING Nº 1 ESPERANZA Chamber Music Society HEADS UP 31810*/CONCORD 8 SEManas

SURE THING 8 Miguel (BLACK ICE/BYSTORM/JIVE/JLG)

2

3

3

RACKS 4 YC Featuring Future (BIG PLAY/UNIVERSAL REPUBLIC)

3  GORDON GOODWIN’S BIG PHAT BAND NOVO That’s How We Roll TELARC 32363/CONCORD

3

SHORTY 3 52 TROMBONE Backatown VERVE FORECAST 014194/VG

4

HARD 10 7 HUSTLE Ace Hood (WE THE BEST/DEF JAM/IDJMG)

4

SINATRA, DEAN MARTIN & SAMMY DAVIS JR 5 12 FRANK The Very Best Of The Rat Pack FRANK SINATRA ENTERPRISES/REPRISE 526241/WARNER BROS.

4

CULBERTSON 7 39 BRIAN XII GRP 014460/VG

5

7

LAST 5 MY Big Sean Featuring Chris Brown (G.O.O.D./DEF JAM/IDJMG)

5

BUBLE 6 25 MICHAEL Hollywood: The Deluxe (EP) 143/REPRISE 526141/WARNER BROS.

5

9 25 FOURPLAY Let’s Touch The Sky HEADS UP 32030/CONCORD

6

5

IT BACK 8 BRING Travis Porter (PORTER HOUSE/JIVE/JLG)

6

3

6

KOZ 4 27 DAVE Hello Tomorrow CONCORD 31753

7

ANNA WILSON 10 2 Countrypolitan Duets TRANSFER 5716/MUSIC WORLD

7

HANCOCK 10 43 HERBIE The Imagine Project HANCOCK 0001*

8

HARDCASTLE 11 11 PAUL Desire: The Ultimate Seductive Album TRIPPIN ‘N’ RHYTHM 46

7

4

5 FRIDAY

8

9

7 FAR AWAY

9

MAN 8 13 FAMILY Craig Campbell (BIGGER PICTURE)

10

6 10 BOYFRIEND Big Time Rush (NICKELODEON/COLUMBIA)

11

Rebecca Black (REBECCA BLACK/ARK MUSIC FACTORY) Marsha Ambrosius (J/RMG)

8

2

8

2

GRETCHEN PARLATO 2 The Lost And Found OBLIQSOUND 113 4 CHARLIE HADEN QUARTET WEST Sophisticated Ladies EMARCY 015347/DECCA

2

ARTISTA

1

2

CONNICK, JR. 7 HARRY In Concert On Broadway COLUMBIA/LEGACY 77295/SONY MUSIC b

Teddy Pendergrass

Sonoma 0036 | (4.98)

ARTISTA

SPALDING 2 35 ESPERANZA Chamber Music Society HEADS UP 31810*/CONCORD

WASILEWSKI TRIO NOVO 9 MARCIN

GARAGE A TROIS NOVO 9  Always Be Happy, But Stay Evil THE ROYAL POTATO FAMILY 1104*

10

4

10

G 8 42 KENNY Heart And Soul CONCORD 32048

14 6 HOMEBOY Eric Church (EMI NASHVILLE)

11

11 29 SOUNDTRACK Treme: Season 1 HBO/GEFFEN 014910/IGA

11

RIPPINGTONS FEATURING RUSS FREEMAN 6 11 THE Cote D’aZur PEAK 32580/CONCORD

12

13 3 HELLO Martin Solveig & Dragonette (BIG BEAT/ATLANTIC)

12

ELLING 19 10 KURT The Gate CONCORD JAZZ 31230/CONCORD

12

WRIGHT 14 29 LIZZ Fellowship VERVE FORECAST 014673/VG

13

TONIGHT TONIGHT 16 2 Hot Chelle Rae (JIVE/JLG)

13  REBIRTH BRASS BAND novo The Rebirth Of New Orleans BASIN STREET 1202

13

5

TOWER OF POWER 19 8 40th Anniversary TOP 300207 b

Faithful ECM 015391/UNIVERSAL CLASSICS GROUP

AMBROSE AKINMUSIRE 2 When The Heart Emerges Glisten BLUE NOTE 70619/BLG

AL DI MEOLA 6 Pursuit Of Radical Rhapsody DI MEOLA/SONGSURFER/TELARC 32835/CONCORD

14

DAVIS 16 2 MILES Miles Davis Top 50 (Best Of) CLOUD 9 DIGITAL EX

14

I SMILE 12 9 Kirk Franklin (FO YO SOUL/GOSPO CENTRIC/VERITY/JLG)

15

SIMONE 12 9 NINA S.O.U.L.: Nina Simon SONY MUSIC CMG 83788/SONY MUSIC

15

MATSUI 15 12 KEIKO The Road ... SHANACHIE 5188

BLUE JEAN NIGHT NOVO 16 BAREFOOT Jake Owen (RCA NASHVILLE)

16

WARWICK 15 5 DIONNE Only Trust Your Heart MPCA 2573/BDG

16

ARTISTS 21 41 VARIOUS Lee Ritenour’s 6 String Theory CONCORD 31911

17

NOVO 14 DETERMINATE Bridgit Mendler, Adam Hicks, Naomi Scott & Hayley Kiyoko (WALT DISNEY)

15

DJANGIROV retorno 17 ELDAR Three Stories MASTERWORKS JAZZ 54862/SONY MASTERWORKS

17

6 18 14 TAKE The Most Wonderful Time Of The Year TAKE 6/HEADS UP 3158/CONCORD

18  SOMEBODY novo Bridgit Mendler (WALT DISNEY)

18

13 5 YELLOWJACKETS Timeline MACK AVENUE 1058

18

TISDALE FEATURING TIZ & THE FONKIE PLANETARIANS 20 24 WAYMAN The Fonk Record MACK AVENUE 5144/RENDEZVOUS

19 BREAKTHROUGH novo Bridgit Mendler, Adam Hicks, Naomi Scott & Hayley Kiyoko (WALT DISNEY)

19

MARTINI 21 77 PINK Splendor In The Grass HEINZ 6*

19

ALPERT & LANI HALL 16 10 HERB I Feel You CONCORD JAZZ 32757/CONCORD

20  GIVE IN TO ME retorno Garrett Hedlund & Leighton Meester (SCREEN GEMS PRODUCTIONS/MADISON GATE)

20

NOVO matt wilson

20

WHALUM 12 33 KIRK Everything Is Everything: The Music Of Donny Hathaway MACK AVENUE 5145/RENDEZVOUS

21

GEORGIA CLAY 11 7 Josh Kelley (MCA NASHVILLE)

21

ARTISTS 9 16 VARIOUS Class Acts Of The Vegas Strip EMI SPECIAL MARKETS 19867 EX/STARBUCKS

21

17 39 JAZZMASTERS Jazzmasters VI TRIPPIN ‘N’ RHYTHM 41

22

UP KICKS 18 6 PUMPED Foster The People (STARTIME/COLUMBIA)

22

ARTISTS 17 3 VARIOUS Jazz: The Smithsonian Anthology SMITHSONIAN FOLKWAYS 40820

MINDI ABAIR retorno 22 

23

IT UP 19 3 LOOK Ashton Shepherd (MCA NASHVILLE)

23 KEVIN EUBANKS retorno Zen Food MACK AVENUE 1054

GIRL 15 6 CRAZY Eli Young Band (REPUBLIC NASHVILLE)

matt wilson’s christmas tree-o palmeto jazz 21442 palmeto

CERT.

My Devil In Your Eyes

Rise 124 | (12.98)

TRADITIONAL JAZZ ALBUMS Semana de 30/4

semana de 23/4 nº de Semanas

Bridge Nine 144* | (13.98)

46

Different Gear, Still Speeding

Semana de 30/4

Empty Days & Sleepless Nights

Build A Rocket Boys!,

Beady Eye

1 1 3

Zonoscope

Modular 134* (11.98)

32 69 Mötley Crue

Mau5trap 2518 / Ultra (15.98)

1 LMFAO Feat. Lauren Bennett & GoonRock(PARTYROCK/WILL.I.AM/CHERRYTREE/INTERSCOPE)

Cut /// Copy

44 Novo

49

As We Worship: Live

eOne 5103 (13.98)

5

The Civil Wars

6

artista (Gravadora/promotora)

Rehab: The Overdose

Reach 8178 / Infinity (9.98)

Defeater

Smoke Ring For My Halo

Título

Despicable

BSeenMedia 20 | (14.98)

43 Novo

25

1 SEMana

Novo

Pickin’ Up The Pieces

4X4=12

party rock anthem

Jim Norton

41

24

1 2 5 Nº

High Violet

4AD 3X03* | (14.98)

45

Matador 938* | (14.98)

heatseekers songs

RCA 65086* (16.98)

God Willin’ & The Creek Don’t Rise

The National 38 RETORNO

The People’s Key

Fiction/Polydor/Co-Op DIGITAL EX | Downtown | (13.98)

Beady Eye 061* | dangerbird | (15.98)

Civilian

Merge 400* | (14.98)

24 30 Ray Lamontagne And The Pariah Dogs

33 24 LeCrae

23 14 deadmau5 2

Wye Oak

40

Elbow

New Life

Shadow Mountain 5053134 | (17.98)

Let England Shake

Kurt Vile

100 Lovers

39

Island/Def Jam 651* | Vagrant | (13.98)

Go-Go Boots

Anti- 87103* | Epitaph | (16.98)

War Is The Answer

Sensibility 017* (11.98)

What Separates Me From You

ATO 0093* | (14.98)

Until We Have Faces

dangerbird 051* | (15.98)

UPBEAT 69933* (15.98)

semana de 19/3

21

Downtown Battle Mountain II

Cake

nº de Semanas

32

37

Hard Times And Nursery Rhymes Elgin

33

Saddle Creek 158* | (14.98)

11

4 Ginuwine Notifi 003 | (17.98)

Epitaph 87119* (16.98)

Thompson Square

Prospect Park 50100* (13.98)

17

Social Distortion

8

28 17 A Day To Remember Victory 603 (13.98)

Towards The Sun

Downtown Battle Mountain I & II

Rise 123 EX | (13.98)

22

36 Novo

Digital Veil

eOne 2358 | (15.98)

19

Essential 10916 (13.98)

Cage The Elephant

30

Dreaming In Black And White

31

Red

15

semana de 26/3

Dance Gavin Dance

The Suburbs

Rise 123 | (12.98)

13

23 Novo

29 Novo

The Social Network (SoundTrack)

eOne 2335 | (15.98)

The Love Of God

Zero Summer 4 | eOne | (12.98)

14

9

Town Line (EP)

Merge 385* (15.98)

12 Novo

Novo

The Human Abstract

Happy Thoughts

Stoney Creek 7677 (13.98)

Arcade Fire

18

28 Novo

Going Out In Style

John 3:16/Music Catalogue 31602 EX | Cracker Barrel | (11.98)

11

22

My Kinda Party

Comedy Central 116 | (12.98)

Various Artists

6

TRUSTcompany

Daniel Tosh

10 Novo 7 32

27 Novo

Stroudavarious 01013 (7.98) Born & Bred 526916*/ ILG (15.98)

26

Shaolin vs. Wu-Tang

Broken Bow 7697 (18.98)

Título

Gravadora & Número de série / Distribuidora (preço em dólar)

semana de 19/3 nº de Semanas

2

ARTISTA 

8 18 Trent Reznor And Atticus Ross The Null Corporation 01* / Madison Gate (7.98)

Semana de 26/3

1

Sigh No More

CERT.

56 Mumford & Sons

21

Título

Gravadora & Número de série / Distribuidora (preço em dólar)

CERT.

ARTISTA 

CERT.

1

nº de Semanas

semana de 19/3

semana de 26/3

INDEPENDENT albums

0

In Hi-Fi Stereo HEADS UP 31837/CONCORD

24 LLUVIA AL CORAZON retorno Mana (WARNER LATINA)

24

ARMSTRONG 23 28 LOUIS Louis Armstrong SONOMA 0018

23 retorno BRIAN CULBERTSON Live From The Inside GRP 013232/VG b 24 22 10 MARCUS MILLER WITH L’ORCHESTRE PHILHARMONIQUE DE MONTE-CARLO FEAT. R. HARDGROOVE/R. MIDON

AUTOMATIC NOVO 25  Aubrey O’Day (SRC/UNIVERSAL MOTOWN)

25

METHENY 14 40 PAT Orchestrion NONESUCH 516668/WARNER BROS.

25  JAMIE CULLUM retorno

A Night In Monte Carlo 3 DEUCES/DREYFUS JAZZ/CONCORD JAZZ 32660/CONCORD The Pursuit VERVE FORECAST/DECCA 013655*/VG b

www.billboard.br.com 107


foto: Divulgação

ACKSTAGE BACKSTAGE BACKSTAGE BACKSTAGE BACKSTAGE BACKSTAGE BACKSTAGE BACKSTAGE BACKSTAGE

foto: Luciana Prezia/Divulgação

foto: Leandro Taccilo/Divulgação

1

foto: Divulgação

2 3 108 billboard brasil Maio 2011

4


BACK

BACKSTAGE BACKSTAGE BACKSTAGE BACKSTAGE BACKSTAGE BACKSTAGE BACKSTAGE

foto: Rodrigo Angelis

stage 1. No backstage do show de B.O.B., que deu origem à campanha mundial da “Adidas is all in”. O rapper é o personagem central da linha MEGA da marca, que chega às lojas este mês

5

6. LULU SANTOS, antes de entrar na passarela para o desfile de RICARDO ALMEIDA, evento que comemorou também os 25 anos de carreira do estilista 7. Homens de preto: elegantérrimos, FIUK, EDSON CELULARI e LATINO fizeram as vezes de modelo durante a apresentação da nova coleção de Ricardo Almeida, no dia 6 de abril, no salão do MASP, em São Paulo 8. Os meninos da banda CAPS LOCK posam ao lado dos integrantes do grupo americano BOYS LIKE GIRL, pra quem abriram as apresentações em São Paulo e no Rio de Janeiro, em março

6

7 foto: Renan Facciolo/Divulgação

5. ANTONIO CAMAROTTI (de camisa branca), publisher da Billboard Brasil, leva o vocalista e o guitarrista do Jota Quest, ROGÉRIO FLAUSINO e MARCO TÚLIO, a um encontro de relacionamento na agência África que contou com a participação de FILIPE CRESPO, PAULO ILHA e RODRIGO MEDEIROS (da esq. para a dir.)

foto: Bruno Veiga/Divulgação

4. As atrizes CAMILA PITANGA e FLÁVIA ALESSANDRA ao lado da cantora MARINA DE LA RIVA, que animou o Baretto, em São Paulo, com seu pocket show no lançamento da nova coleção de joias da Vivara, em 14 de abril

foto: Luciana Prezia/Divulgação

3. JOHN KIP, na noite de 28 de abril, após apresentação no Club A, em São Paulo, com Harley Silva (guitarrista, à esq., de camisa florida), Luis Gustavo Garcia (baixista), Thiago Big Rabelo (baterista), Dudu Borger (tecladista, à dir. de John) e Silvera (vocal)

foto: Luciana Prezia/Divulgação

2. CLEO PIRES, convidada do DJ Zé Pedro, juntou o funk carioca aos sucessos dos anos 80 e hits atuais e animou a pista do Royal Club, em São Paulo, no dia 16 de abril

foto: Adriel Douglas/Divulgação

E

8 www.billboard.br.com 109


arquivo

ironic

ALANIS MORISSETTE

[1996]

4 /32 o

posição máxima no HOT 100

semanas no HOT 100

you learn / you oughta know

[1996]

6 /30 o

posição máxima no hot 100

thank u

semanas no hot 100

[1998]

17 /11 o

semanas no hot 100

foto: Paul Bergen/Getty Images

posição máxima no hot 100


_ANUNCIOS.indd 2

5/4/11 6:31 PM


_ANUNCIOS.indd 2

5/4/11 11:46 AM


Billboard Brasil - Kurt Cobain