Page 1

Impulsive & Initiative To Conquer Mr. Darcy (Impulsividade & Iniciativa / Para conquistar Mr. Darcy) by Abigail Reynolds Tradução: Samanta ATENÇÃO! ESSE LIVRO CONTÉM MATERIAL IMPRÓPRIO PARA MENORES DE 18 ANOS.

Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Capítulo 1 Era quase meio dia em um dia quente de Junho quando o Coronel Fitzwilliam saiu da abafada carruagem para o ruído estridente de Londres. Já que era uma curta distância até a casa de Darcy, ele decidiu aproveitar a oportunidade para esticar suas pernas depois da longa viagem do que contratar uma carruagem. Pagando um garoto para carregar sua bagagem para ele, iniciou uma rápida passada. Ele sinceramente esperava que o seu primo estivesse de fato na cidade. Ele não podia ter certeza, já que Darcy tinha sido tão pobre – na verdade inexistente – correspondente desde a viagem deles à Rosings. A última carta de Georgiana não indicava qualquer plano de viagens, então presumidamente ela estaria lá. Ele preferia ver Darcy, no entanto, para que ele pudesse a menos tentar resolver o que quer que tivesse dito ou feito que tivesse ofendido seu primo. Darcy estava claramente com raiva e chateado quando eles deixaram Rosings, mas ele não tinha estado disposto a discutir suas preocupações. Na época, sabendo que Lady Catherine havia chamado Darcy para uma conversa privada, apenas um momento antes da partida deles, o Coronel Fitzwilliam havia presumido que o humor dele estava relacionado com aquele evento, e que ela deveria ter excedido os limites a respeito do suposto noivado de Darcy com sua filha. Mas agora, depois de quase dois meses de silêncio não característico de Darcy, e apesar de várias cartas enviadas para ele, o coronel Fitzwilliam só podia concluir que a raiva de Darcy devesse ser dirigida a ele. Por mais que tentasse, ele não conseguia recordar qualquer coisa mais ofensiva em seu comportamento do que a provocação habitual empreendida sobre o primo. Bem, ele teria apenas que animar Darcy para fora de seu mau humor e descobrir o que estava na mente dele. Ele bateu bruscamente na porta da frente e foi admitido por um empregado que Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


o conhecia o suficiente para não comentar sua chegada inesperada. Ele foi informado que Darcy estava fora, mas que Miss Georgiana estava em casa, e que o receberia em sua sala de estar. Ignorando a oferta do empregado de mostrá-lo o caminho, o coronel Fitzwilliam percorreu o corredor e entrou. “Primo Richard!” disse Georgiana encantada. “Que surpresa adorável! Eu pensei que você ainda estivesse em New Castle!” Ele beijou a bochecha dela em saudação, “Sinto desapontá-la querida. Sua Senhoria decidiu que o Major General Bradford precisa discutir certos assuntos comigo imediatamente, então lá estava eu, mandado às pressas para Londres sem nenhuma chance de sequer informá-la que eu estava vindo. Voce pode aguentar o seu pobre errante primo por algumas noites enquanto eu sofro os estilingues e flechas do Major General?” Georgiana sorriu. “Oh Richard, é claro. Porque mais nós manteríamos o seu quarto disponível?” Ele se curvou ligeiramente. “Deixe-me retirar-me para me fazer mais apresentável à companhia de uma dama, pois depois de assar durante dois dias na carruagem mais desconfortável da Inglaterra, eu asseguro a você que eu não estou.” “É claro. Eu estarei aqui quando você estiver pronto. E Richard,” ela adicionou, sua voz se tornando séria, “estou feliz que esteja aqui. Eu preciso falar com você sobre William.” “Então algo está acontecendo naquele quartel. Eu suspeitava muito. Eu estou interessado em ouvir sobre isso.” Em seu quarto ele estava grato por se livrar do seu uniforme suado enquanto os criados tentavam em vão desenrugar as roupas que ele embalou com pressa em New Castle. “Bem, eles terão apenas o que fazer por hoje,” o coronel Fitzwilliam dissem a si mesmo, “talvez eles possam arrumar o resto para amanhã.” Uma batida veio à porta enquanto ele estava abotoando seu casaco. Philips, o Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


mordomo de Darcy há muito tempo, estava do outro lado. O coronel Fitzwilliam acenou para que ele entrasse. “Bem vindo a Londres Coronel.” Philips parecia desacostumadamente nervoso. “Eu sei que você acabou de chegar, mas eu imagino se eu posso ser tão ousado para medir um momento do seu tempo.” “É claro,” ele disse. “O que posso fazer por você?” “Bem senhor, eu espero que você não pense isso excessivamente indiscreto da minha parte, mas quando eu ouvi que o senhor estava aqui eu pensei que talvez... eu deveria aproveitar a oportunidade de falar com você sobre uma preocupação que eu tenho, por assim dizer, os empregados em geral tem, mas nós temos estado perdidos sobre quem abordar sobre isso.” “Bem, eu ficarei feliz de ouvir você, mas certamente se esta é uma preocupação dos empregados, não seria Darcy quem deveria ser direcionado?” “Sim senhor, é claro, mas veja você a preocupação é, bem, sobre o Sr. Darcy senhor. Ele apenas não tem sido ele mesmo recentemente. O coronel segurou seu queixo erguido enquanto o valete começava a amarrar sua gravata. Ele estava bastante surpreso que o leal e reservado Philips o abordasse sobre Darcy de alguma forma, muito menos com uma preocupação. “Não tem sido ele mesmo? O que você quer dizer?” “Ele parece muito, bem, afastado, eu diria, por falta de uma palavra melhor. Ele passa a maior parte do tempo sozinho em seu escritório, e nós, os empregados, temos notado que ele frequentemente parece estar, bem, em alguma angústia. Ele sai a maioria das noites, apesar de ele não parecer gostar disso, mas então quando os amigos dele vem visitar, ele não está em casa para eles, nem mesmo para o Sr. Bingley. O Sr. Darcy nunca foi o que eu chamaria de um homem de muitas palavras, senhor, mas agora nós não ouvimos nada além de pedidos e agradecimentos, mesmo o valete dele. E bem, há outras coisas, mas estou certo de que você vê o Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


problema.” “Que outras coisas, Philips?” Agora ele estava verdadeiramente preocupado. “Bem, senhor, ele tem sido brusco com Miss Georgiana algumas vezes. E ele tem ficado acordado até tarde da noite, algumas vezes lendo, algumas vezes andando, ou apenas olhando para o nada. E, com a sua licença, senhor, mas como você sabe, o Sr. Darcy nunca foi de beber excessivamente, mas tem havido várias ocasiões em que ele acaba mais do que uma garrafa sozinho, apesar de o cozinheiro dizer que é um desafio instigá-lo a comer qualquer coisa. Eu não pretendo reclamar, senhor, ele não tem sido problema para nós, mas, bem, nós estamos preocupados. Eu não sei o que ele diria se ele soubesse que eu estive falando com você sobre ele estar assim, senhor.” “Você está certo de trazer isso à mim, Philips, e você pode estar certo que eu guardarei essa conversa para mim.” “Obrigado senhor. Se tiver qualquer coisa que eu possa fazer para ajudar, qualquer coisa mesmo, por favor apenas me diga.” Ele se curvou e deixou o quarto. O coronel se virou para o valete. “O que você tem a dizer sobre isso? Você concorda com Philips?” O jovem bufou, “Ele não está contando nem a metade, senhor, e isso é tudo que eu direi sobre o assunto. Eu valorizo a minha posição aqui.” Alguns minutos depois ele estava falando sobre o mesmo tema. “Ele não tem sido o mesmo desde que vocês voltaram de Kent. Ele esta distraído, e às vezes eu descubro que ele não está prestando atenção no que eu falo. Mas o pior é quando eu vou vê-lo quando ele não está esperando me ver, e ele parece estar tão sem vida. Eu tenho tentado falar com ele, perguntando se há algo errado, mas ele diz que tudo está bem, e está tão obviamente 'não bem' que eu não tenho idéia do que dizer. Tudo que eu posso pensar é que deve ser algo a ver comigo. Tem sido bastante assustador. Eu não sei a quem recorrer.” Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


O coronel Fitzwilliam balançou a cabeça, “Você tem alguma idéia sobre o que pode ser isso?” Ela hesitou. “Eu não sei de nada que possa ter causado essa mudança. Eu não consigo pensar em qualquer coisa que fosse aborrecê-lo tanto, qualquer coisa nova, apenas coisas antigas. Não há problema com os amigos dele, na verdade, ele tem sido incomumente sociável, apesar de ele dificilmente parecer gostar. Eu presumo que não seja um problema financeiro, porque você iria saber sobre isso, não iria? A conversa na cozinha é de que há uma mulher envolvida, mas eu não consigo ver o que o aborreceria tanto sobre isso também.” Ela pausou, então adicionou com uma voz mais suave. “Eu tenho pensado se tem alguma coisa a ver com o último verão.” “Eu tenho bastante certeza de que não tem nada a ver com isso,” ele disse tranquilizadoramente. “Não se preocupe, querida. Eu vou arrancar isso dele de alguma maneira. Nós vamos chegar ao fundo disso.” _______________ Depois do jantar, os cavalheiros se retiraram para o estúdio. Darcy serviu duas taças de vinho do porto. O coronel Fitzwilliam sorveu apreciativo. “Agora eu me lembro porque eu venho aqui: sua adega.” “Bem, eu odiaria pensar que era pela companhia.” Darcy respondeu. “Pouco provável. Eu fui informado por um número de pessoas que você tem sido uma companhia bastante pobre ultimamente.” Darcy lhe lançou um olhar desconfiado. “Estou honrado em saber que não sou popular.” 'seus modos imprimiram em mim com a máxima convicção de sua arrogância, sua presunsão, e o seu desdenho egoísta pelos sentimentos dos outros...' Engolindo uma considerável quantidade de vinho, ele olhou seu primo cautelosamente. “Algo está obviamente na sua cabeça, Darcy. O que é?” Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


“Não me diga que Georgiana iniciou você nisso também. Ela de alguma maneira decidiu que eu estou aborrecido sobre algo, e ela tem sido como um buldogue sobre isso. Não preste atenção nela.” “Você sempre foi um mentiroso terrível. Agora conte ao primo Richard qual é o problema.” “Não há problema Fitzwilliam!” Darcy rompeu. “Eu não sou um idiota Darcy.” Ele disse amavelmente. “As pessoas estão preocupadas com você. Pelo amor de Deus, até você admite que isso tem afetado Georgiana.” Darcy, vendo a luz inquisidora nos olhos do primo, começou a sentir simpatia pelos animais encurralados. Ele suspirou. “Richard, deixe disso. Há algumas coisas que precisam ser particulares.” “Há algumas vezes quando você precisa recorrer à sua família e amigos. E parar de se embebedar com vinho do porto como se fosse água; Georgiana merece melhor tratamento do que este.” Silêncio foi sua única resposta. “Não deixe o seu detestável orgulho atrapalhar, Darcy. A soberba precede a queda, e tudo isso.” Darcy deu uma risada severa. “Acredite em mim, esta é uma lição que eu aceitei muito bem, obrigado.” “Você não pode me distrair tão facilmente. Agora, como seu primo, seu amigo, e guardião de Georgiana, estou pedindo que me conte o que está errado.” “Pelo amor de Deus pare com isso! Se eu precisar falar eu prometo que eu irei até você.” O coronel Fitzwilliam se levantou. Por um momento Darcy pensou que ele tinha ganhado o ponto, mas então ele viu que seu primo estava indo apenas até o lado da mesa. Trazendo a garrafa até a mesa, ele re-encheu o copo de Darcy. “Se você quer fazer isso da maneira difícil, nós faremos da maneira difícil,” disse ele em uma voz que os oficiais abaixo dele conheciam instantaneamente. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


“E o que exatamente isso siginifica?” “Significa que eu planejo embebedá-lo, primo, e cedo ou tarde você estará bêbado o suficiente para falar. Desperdício de um bom vinho do porto, no entanto.” “O que o faz pensar que você pode me embebedar?” “Eu sou um soldado. É uma das poucas habilidades que aprendemos. Beba agora.” Darcy, exausto, descansou sua cabeças nas mãos. “Olhe Richard, se eu te disser o que é, você vai me deixar em paz?” Em uma voz um tanto gentil, o coronel respondeu, “Provavelmente não.” Eles ficaram em silêncio por alguns minutos. Finalmente Darcy disse, “É a história mais antiga conhecida pelo homem. Eu me apaixonei por uma mulher, e ela me recusou. Você está satisfeito?” “Ela recusou você? Darcy eu não consigo pensar em uma mulher no mundo que recusaria você. Bem, talvez a Duquesa de ________, ela já tem dinheiro o bastante e terras, e nenhum uso para um belo jovem, ou é o que eu ouvi. É claro, ela também é velha o bastante para ser sua mãe.” “Muito divertido Fitzwilliam. Sim, há uma mulher lá fora que iria e que me recusou, pela simples razão que ela não poderia gostar de mim ou me respeitar.” O coronel Fitzwilliam sentou-se e ponderou essa informação. Relembrando o estranho comportamento de seu primo em Rosings, uma idéia começou s se formar em sua mente. “Darcy, é possível que você esteja falando da adorável Miss Bennet?” Darcy secou seu copo. “Touché, meu amigo. Eu aplaudo o seu raciocínio dedutivo.” disse ele com alguma amaragura. “Bem, eu aplaudo o seu gosto. Se ela tivesse dinheiro, eu poderia ter me oferecido para ela. Eu estou surpreso que ela tenha recusado você, no entanto. Eu pensaria que ela seria mais prática que isso.” 'Você não poderia ter me feito a oferta de sua mão em qualquer maneira possível que Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


você teria tentado-me a aceitá-la.' “Você não pode estar ciente de como meus pecados eram graves nos olhos dela, então.” “Eu sei que ela achou você prepotente. Há outros pecados além deste?” 'Eu tenho todas as razões do mundo para pensar mal de você.' “Há tantos para escolher. E difícil saber por onde começar. Você poderia começar com o fato de que ela recebeu informações sobre meu caráter de ninguém mais do que o nosso querido amigo George Wickham. Então há o pequeno caso de eu ter quebrado o coração da irmã dela desencorajando Bingley se se casar com ela, e que eu fui imperdoavelmente condescendente e rude com ela em minha proposta... Eu acho que isso cobre os pontos principais.” Darcy disse amargamente. “Não nos deixe esquecer que eu sou arrogante e presunçoso também.” “Era a irmã dela por quem Bingley estava apaixonado?” “Eu pensei que ela era indiferente a ele, e aparentemente eu estava errado.” 'Você acha que qualquer consideração me tentaria a aceitar o homem que arruinou, talvez para sempre, a felicidade de uma irmã tão querida?' “O que ela disse quando você explicou isso para ela?” Darcy encarou sua taça de vinho. “Eu estava muito furioso para explicar naquele momento. Eu escrevi uma carta para ela depois, dizendo a verdade sobre Wickham, e as minhas razões pra separar Bingley da irmã dela. Se ela acreditou, se ela não rasgou-a sem ler, então talvez ela não pense mais tão mal de mim, apesar de que isso pouco bem me faz agora.” “O quê? Você quer me dizer que você está desistindo dela tão facilmente?” Perguntou o coronel Fitzwilliam. “Que outra escolha eu tenho? Eu contei a ela tudo que poderia dizer em minha defesa, e quanto ao resto, eu posso tentar mudar o meu comportamento, mas ela nunca verá os resultados. Eu dificilmente acho que nossos caminhos irão se cruzar novamente.” Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


“Você pode ir até ela e deixá-la ver como você realmente é. Talvez a sua carta tenha mudado a opinião dela, mas você nunca vai saber a não ser que você faça um esforço. Não é como se ela pudesse escrever a você, nem ela pode te visitar ou tentar se mover nos seus círculos sociais. Você não pode esperar que ela apareça na sua porta um dia.” “Você não entende. Eu estou bastante resignado em nunca vê-la novamente.” Darcy disse cansadamente. Suas palavras causando uma dor deturpante dentro dele. “Ela deixou claro que ela me detesta, e francamente, eu acho que ela está certa por isso. Eu não mereço o amor dela.” “Meu Deus, se o seu pai pensasse do jeito que você pensa, você nunca teria nascido! Quantas vezes ele propôs à sua mãe antes de ela aceitá-lo?” “Não é a mesma coisa. Quando ela recusou-o, era porque ela já era prometida à outro, não porque ele era o último homem do mundo com que ela um dia se casaria.” “Eu ainda digo que o seu pai diria a você para continuar tentando, se você a ama Darcy.” Darcy passou os dedos pelo cabelo. “Eu não posso,” disse ele severamente. “Ela tem muito contra mim.” “Você tem que se defender contra qualquer acusação que Wickham tenha feito contra você, e presumivelmente Bingley e a irmã dela têm a chance de resolver as coisas agora. Você acha que ela não será capaz de ver o que você fez?” ele desafiou, cada vez mais frustrado com a auto-piedade Darcy. “Bingley não sabe nada disso.” “Você não contou a ele que você estava enganado? Porque não?” “Fitzwilliam, ele ficaria justificadamente furioso comigo.” “Então você vai deixá-lo sofrer?” ele disse com alguma incredulidade. “Minhas desculpas, você estava certo o tempo todo, e você devia desistir agora. Você Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


certamente não merece ela.” Ele largou seu copo cuidadosamente, e se levantou para sair. “E tenha cuidado com esse vinho, você não tem cabeça para isso. Boa noite, primo.” Darcy refletiu friamente que ele não havia contado a ele sua mais desonrável razão para não falar com Bingley. Se Bingley se casasse com Jane Bennet, Darcy teria necessariamente ao menos um contato ocasional com a família dela, e algum dia ele seria submetido à agonia de ver Elizabeth casada com outro homem. Ele embalou a cabeça nas mãos, pensando se seria de fato possível se sentir pior do que ele sentiase agora. _____________________ Georgiana ansiosamente esperava a chegada do coronel Fitzwilliam na sala de café na manhã seguinte, esperançosa de que ele teria algum tipo de informação para ela. Quando ele finalmente chegou, ela mal o deixou sentar-se antes de começar seu questionamento. “Ele contou algo à você?” “Bom dia para você também, Georgiana. Por favor, eu preciso de algum sustento antes de combater discussões difíceis. E eu vou aconselhá-la contra tentar falar com seu irmão esta manhã. E ele deve ter o diabo de uma dor de cabeça quando ele acordar.” “Na verdade, ele já está acordado há algum tempo e já saiu.” Ele olhou para ela em surpresa. “Onde ele foi a esta hora da manhã?” Georgiana encolheu os ombros. “Ver Bingley, aparentemente. Eu disse a ele que eu achava que era um pouco cedo para visitas sociais, e ele disse que ele achava que era na verdade muito tarde. O que quer que isso signifique as sete horas da manhã.” Georgiana suspirou dramaticamente. “Você vai ser misterioso também?” Ele riu. “Temo que sim, querida. Eu consegui fazê-lo falar, mas eu acredito que Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


o que eu ouvi é confidencial. Você vai ter que confiar no seu velho primo Richard para cuidar disso desta vez, ao menos, na medida que o seu irmão me permitir ajudar.” “Eu odeio quando você me trata como seu eu ainda tivesse apenas onze anos,” ela disse com uma carranca. “Você pode ser pior que o William quanto a isso.” “Pior que o William de que maneira?” perguntou Darcy da porta. Georgiana pulou. “Já de volta? Ele não estava em casa?” “Oh, ele estava lá. O que eu tinha para dizer para a ele não levou muito tempo.” Darcy disse severamente com um olhar indireto para o primo. “Eu imagino que até mesmo Bingley tenha pouco para dizer a essa hora da manhã.” “Se você diz. Você não tem alguns negócios na cidade hoje Fitzwilliam? Ou até melhor, alguns que levarão você para longe?” “William!” Georgiana gritou. O coronel afagou a mão dela. “Não precisa se preocupar, querida. É assim que eu e o seu irmão permanecemos amigos, agora que nós estamos velhos demais para brigas.” “Fale por si mesmo primo. Da maneira como me sinto esta manhã, você deveria se sentir sortudo que não há um duelo de pistolas ao amanhecer.” “Eu te disse que ele estaria mal disposto, não disse?” o coronel perguntou à Georgiana. “Não tem importância, eu sei quando me retirar. É uma das outras coisas que nos ensinaram no exército.” Ela olhou para do irmão para o coronel. “Você voltará para o jantar?” “Eu espero jantar com o Major General, apesar de a idéia ser o suficiente para me fazer perder o apetite. Eu devo voltar à noite.” “Se você tiver esse tanto.” resmungou Darcy. O coronel Fitzwilliam sorriu beatificamente. “Fico feliz de saber que você está Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


se sentindo melhor Darcy.” Quando ele saiu Georgiana se voltou para Darcy. “O que foi aquilo tudo?” Ele deu a ela um olhar indireto. A última coisa que ele precisava era uma desavença com sua irmã, dado que ela parecia ser a única pessoa que ele gostava que ainda pensava que ele tinha alguma característica redentora, agora que Bingley tinha se unido ao Coronel Fitzwilliam e Elizabeth na categoria daqueles que estavam aborrecidos com ele. “Me pergunte de novo quando você for mais velha – digo, depois que o seu primeiro neto tiver nascido.” “William, eu me preocupo com você.” disse ela suavemente. A ternura dela era mais do que ele podia lidar. “Eu aprecio a sua preocupação, mas você não precisa se preocupar. Se você me der licença, eu tenho alguns negócios que preciso tratar.” Ela assistiu à retirada dele, pensando se ele algum dia a acharia velha o suficiente para confiar. __________________ Ao contrário de suas expectativas, o coronel Fitzwilliam foi capaz de voltar à casa de Darcy cedo da tarde, apesar de ele dificilmente alegar que foi no melhor interesse do seu regimento que ele fez isso. Entretanto, apesar de palavras para Georgiana, ele estava preocupado com o estado de espírito de Darcy, e sentiu que convinha a ele estar disponível no caso dos assuntos se deteriorarem devido à desavença com Bingley. Então ele encontrou-se escrevendo uma longa e devida carta aos seus pais enquanto ele observava furtivamente o seu primo, que estava profundamente absorto em um livro sem virar as páginas, quando a chegada do Sr. Bingley foi anunciada. Sem olhar para cima, Darcy disse, “Diga a ele que se ele quer um duelo de pistolas ao amanhecer, ele terá que esperar atrás de você, Fitzwilliam.” Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


“Porque pistolas? Você tem a escolha das armas se ele está desafiando, você poderia desmantelar nós dois com um florete.” “Quem disse que eu quero ganhar?” Disse Darcy severamente. “Por favor, parem vocês dois .” disse Georgiana em uma voz trêmula. “Isso não é engraçado.” Os dois homens se viraram para ver as lágrimas nos olhos dela. O coronel estava imediatamente se ajoelhando ao seu lado. “Georgiana, querida, isso é só uma brincadeira! Duelos são ilegais, você se lembra?” “Eu odeio quando vocês brigam.” Darcy largou o seu livro. “Eu lhe peço desculpas, Georgiana. Meu humor está desagradável, e eu tenho descontado no Richard, mas não, nós não estamos brigando. Não há necessidade de se preocupar. Veja, nós podemos ser amigos.” ele disse, estendendo uma mão ao primo. “Não há necessidade de me proteger William!” disse ela respondendo com um grau de desafio que surpreendeu os dois homens. “Sr. Bingley.” Phillips disse da porta enquanto Bingley entrava na sala com a sua usual ansiedade, absorto para a tensão da sala. “Coronel Fitzwilliam!” Bingley disse com prazer, avançando para saudá-lo. “Eu não soube que você estava na cidade! E Miss Darcy que prazer vê-la novamente!” Ele se voltou para Darcy, cuja conduta sugeria que ele estava esperando no mínimo algum tipo de violência, e balançou-se na ponta dos pés. “Bem?” ele perguntou entusiasmadamente. “Bem o quê?” a voz de Darcy foi cuidadosamente neutra. Bingley sorriu largamente como se aquela fosse uma pergunta idiota. “Você vem comigo para Netherfield ou não?” Houve um minuto de silêncio enquanto Darcy considerava Bingley, distraído para a súbita atenção do primo. “É seu desejo que eu vá com você?” ele disse Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


rigidamente. “É claro!” Bingley disse seriamente. “Você realmente deve ir, você sabe.” O coronel Fitzwilliam cochichou algo para Georgiana que causou-a olhar para ele com surpresa, mas Darcy e Bingley estavam absortos à troca. “Eu suponho que eu possa ir por um período curto.” Disse Darcy lentamente, como se as palavras tivessem sido arrancadas dele. “Excelente, excelente!” Bingley estava claramente satisfeito. “Posso ir também?” a voz de Georgiana saiu timidamente. Darcy olhou-a surpreso. Era o bastante ela dizer qualquer coisa em companhia, e fazer tal pedido em público era completamente curioso. “Eu não estou certo que isso seria uma boa idéia,” ele disse pensando em um membro particular da milícia aquartelada em Meryton. “Besteira,” disse o coronel energeticamente. “Vai fazer muito bem a ela sair de Londres durante o verão. Eu dificilmente posso acreditar que você planeja ficar aqui durante o tempo quente. Isso se o Sr. Bingley não tiver objeções?” “É claro que não!” disse Bingley. “Eu ficaria encantado se você se juntasse a nós.” “Bom, mmmm... quer dizer, obrigado,” ela disse em quase sussurro, claramente tendo extinguido seu estoque de coragem. Darcy abriu a boca para falar, mas então limitou-se à um olhar fixo para o Coronel Fitzwilliam. “Maravilha!” disse Bingley. “Devemos considerar nossos planos?” _____________________ Uma quinzena depois da remoção regimento de Meryton, o normal bom humor e alegria que tinham desaparecido de Longbourn com a partida dos oficiais começou a reaparecer. O desconcerto de Kitty e da Sra. Bennet tinha diminuído, as Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


famílias que tinham estado fora da cidade para o inverno voltaram novamente, e as oportunidades de mostrar seus enfeites de verão eram frequentes. Elizabeth aguardava com prazer a viagem para os Lagos com os Gardiners, e se ela pudesse ter incluído Jane no plano, todas as partes seriam perfeitas. A Sra. Bennet estava distraída enquanto seu temperamento rabugento estava aberto para a agitação da esperança por qualquer artigo de notícias que começaram a circular. A governanta de Netherfield tinha recebido ordens de preparar-se para a chegada de seu mestre, que estava vindo em um ou dois dias. A Sra. Bennet estava bastante inquieta. Ela olhou para Jane e sorriu, e balançou a cabeça. Elizabeth não sabia o que fazer com as notícias, mas encontrou sua mente viajando para os eventos em Kent e se perguntando qual papel o Sr. Darcy poderia ter interpretado no retorno de seu amigo à Hertfordshire. Será que a informação dela à respeito do estado dos afetos de Jane causaram-lhe reconsiderar sua interferência, e talvez até mesmo tomar providências para reverter isso? Ela havia estudado cada frase da carta dele, e seus ressentimentos à respeito do escritor eram às vezes amplamente diferentes. Quando ela relembrava o estilo da escrita dele, ela ainda estava cheia de indignação; mas quando ela considerava o quão injustamente ela havia condenado e censurado ele, a sua raiva se virava contra si mesma, e os sentimentos desapontados dele se toranaram objeto de compaixão. O afeto dele provocava gratidão, seu caráter geral respeito; mas ela não podia aprová-lo; Nem poderia ela por um momento repensar sua recusa, ou sentir a menor inclinação de um dia vê-lo novamente. Ainda que ele devesse ser o instrumento que reuniria Bingley e Jane, tal esforço poderia ser recompensado por um aumento na estima dela. Mas quando ela recordou que aquele esforço não seria necessário se ele não tivesse interferido em primeiro lugar, seus pensamentos se inclinaram no sentido do ressentimento. Ela não consideravava provável que ela fosse encontrar com ele novamente, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


exceto talvez de passagem, se um dia Jane e Bingley fossem afortunados de repararem seu relacionamento e casassem. Ela não podia deixar de imaginar que ele iria evitá-la diligentemente depois do comportamento dela em Husnford, então ela não considerou a possibilidade de que ele pudesse acompanhar seu amigo à Netherfield novamente. Foi uma grande supresa e agitação, quando ela ouviu o conhecimento de Kitty que Bingley estava vindo à Longbourn para prestar seus respeitos, acompanhado por ninguém mais do que o Sr. Darcy. Ao ouvir estas notícias, Jane olhou para Elizabeth com surpresa e preocupação, sentindo o embaraço que deveria compadecer sua irmã ao vê-lo pela primeira vez depois de receber sua carta explicativa. As duas irmãs estavam desconfortáveis o bastante. Cada uma sentia pela outra e por si mesma. Elizabeth sentou-se atentamente ao seu trabalho, esforçando-se para estar serena, e procurando por uma idéia de como lidar com o futuro encontro. Ela não ousou levantar seus olhos, ainda ansiosos de curiosidade movendo-os para o rosto de sua irmã, quando o empregado estava se aproximando da porta. Jane parecia um pouco mais pálida do que o normal, mas mais tranquila do que Elizabeth havia esperado. Na aparição dos cavalheiros, sua cor aumentou; ainda assim ela recebeu-os com tolerável tranquilidade, e com uma exatidão de comportamento igualmente livre de qualquer sintoma de ressentimento, ou de qualquer complacência desnecessária. Elizabeth disse tão pouco quanto a cortesia permitia, e sentou-se novamente em seu trabalho com uma avidez com a qual ela raramente comandava. Ela arriscou apenas um olhar para Darcy, e ficou mais do que surpresa ao vê-lo estabelecendo uma conversa com sua mãe, perguntando muito civilmente tanto sobre sua saúde quanto dos eventos recentes em Longbourn. Sua mãe, parecendo surpresa e lisonjeada por esta inesperada atenção, recebeu-o com um grau de entusiasmo que envergonhou sua filha. Embora Elizabeth mal ousasse olhar para cima de novo, ela seguiu com grande ansiedade o progresso dele através da sala à ponto de Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


negligenciar a aproximação de Bingley à Jane. Ela ficou bastante surpresa de vê-lo engajar Mary no assunto de música observando que a irmã dele havia recentemente começado a aprender uma peça de Mozart que ele se lembrava de ver Mary apresentando quando ele havia estado em Hertfordshire da última vez, e estabelecendo uma

gentil

comparação

entre

as

duas

moças.

Mary

tão

suficientemente surpresa de modo a ser incapaz de conceder uma banalidade moral adequada à situação, foi levada ao extremo de realmente responder ao assunto em mãos, e conseguiu fazer ao menos um comentário inteligente à respeito da música de Mozart. A perplexidade de Elizabeth era extrema, e continuamente ela se perguntava, 'Porque ele está tão mudado? Do que isso pode proceder? Não pode ser por mim, não pode ser por minha causa que os modos dele estão assim suavizados.' Seu coração estava acelerado com a apreensão de que ele a abordaria, e ela não sabia nem como olhar nem como se comportar quando ele, como ela temia, sentou-se perto dela e dirigiuse à ela diretamente. “Miss Bennet, é um prazer vê-la novamente!” disse ele, em uma voz que era talvez não tão calma quanto deveria ter sido, mas ainda com uma cortesia que não podia ser negada. Ela mal sabia como responder. “Você é muito bem vindo de volta à Hertfordshire, senhor. Eu espero que você ache agradável nessa época do ano.” Trazendo toda a sua coragem à frente, ela forçou-se a olhar para ele, e sentiu um leve choque quando seus olhos

encontraram os dele. Debaixo da aparência

amigável do rosto dele, ela podia ver que ele estava tão nervoso quanto ela com aquele encontro, e ela resolveu que ela ao menos poderia equiparar cortesia por cortesia. “Sim, é uma mudança muito resfrescante dos ares de Londres. Eu devo confessar que eu prefiro o campo à cidade, mas nunca mais do que durante o calor Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


do verão.” Intimamente Darcy amaldiçoou a sua inabilidade de estabelecer uma conversa inteligente diante dessas circunstâncias. Ele tinha feito muito bem, ele pensou, com a família dela, mas aqueles eram comentários que ele tinha preparado cuidadosamente com antecedência e utilizado-os como se seguisse um roteiro. “Eu não posso dizer que eu tenha passado algum tempo significante na cidade durante o verão, mas certamente eu aprecio dar caminhadas e admirar a paisagem do verão,” ela disse, então desejou que pudesse retirar suas palavras quando ela percebeu que sua referência à caminhadas poderia ser considerada uma lembrança do tempo deles em Rosings. Ela procurou desesperadamente por um tópico mais neutro de conversação, e achou engraçado quando ela percebeu que eles já estavam discutindo o mais seguro dos tópicos, o tempo. Aliviado por vê-la sorrir, ele continuou, “Sim, eu me lembro que você é uma grande andarilha, Miss Bennet. Eu imaginaria que haveria muitos passeios agradáveis de verão para serem encontrados, embora certamente cada estação apresente seu próprio charme único.” O absurdo aspecto da conversa constrangida deles começou a ter mais importância do que a sua ansiedade, e ela disse astutamente, “Sim, eu teria que dizer, em reflexão, senhor, que o verão é de fato uma das minhas quatro estações favoritas.” Ele soltou uma risada sobressaltada a qual ele rapidamente cobriu com os dedos. “É sempre revigorante falar com uma moça de tão decididas preferências.” Dessa vez quando ela encontrou os olhos dele, foi com um sentimento distinto de alívio, que eles tinham superado uma passagem difícil e estabeleceram que eles de fato poderiam manter uma conversa sem lançar insultos e acusações um ao outro. Ela estava grata por isso, pois certamente Bingley e Jane não teriam qualquer chance se ela e Darcy estivessem em contínuo conflito. Eles sentaram brevemente em um silêncio que no início foi harmonioso mas que se tornou cada vez mais Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


desconfortável enquanto os minuitos passavam, até que Elizabeth tomou para si quebrá-lo perguntando se as irmãs do Sr. Bingley tinham acompanhado-os à Netherfield. “Eu acredito que elas tenham planos de se juntar à nós em alguns dias, mas há outra pessoa em nossa companhia no momento que mais particularmente deseja conhecer você. Você me permitirá, ou eu peço muito, apresentá-la minha irmã durante nossa estada em Netherfield?” A surpresa de tal pedido foi grande, embora ao mesmo tempo era gratificante saber que o ressentimento dele não o tinha feito pensar mal dela, tinha adicionado um grau de intimidade ao seu encontro que Elizabeth ainda não se sentia pronta para acomodar. Era uma coisa permanecer suficientemente cortês enquanto permitia o necessário relacionamento social, mas outra muito diferente era promover suas ligações. Ela estava longe de ter certeza de como ela se sentia sobre tal plano, ou o que ele poderia intencionar com isso. Entretanto, ela não podia ver nenhum fundamento para fazer objeção à apresentação, e pensando que mais contato entre Longbourn e Netherfield poderia melhorar as chances de Jane com Bingley, ela disse, “Eu ficaria feliz de conhecê-la, se ela desejar. Eu espero que Miss Darcy esteja apreciando sua visita à Hertfordshire.” “Eu acredito que ela está, apesar de ela não ter tido muito tempo para formar uma opinião. Ela não foi muito além de Netherfield, mas agora que eu fui informado que a milícia levantou acampamento de Meryton, eu me sentirei mais livre para levá-la para passear.” Darcy havia notado a breve hesitação dela antes de concordar com a apresentação e, apesar de desapontado por isso, forçosamente lembrou a si mesmo que esse novo começo teria que ser levado muito lentamente e com muito cuidado se ele fosse ter alguma chance de sucesso. Ele tinha conseguido manter algum grau de reserva à respeito desse pedido até o momento em que ele entrou na sala e viu ela, com seus belos olhos desanimados, e suas bochechas Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


cobertas com um rubor rosado, e quase imediatamente ele estava mais perdido do que nunca, e preparado para o que quer que custasse para merecer a afeição dela. “Sim, a partida da milícia foi um alívio para mim também.” Ela se perguntou se ele ouviria a mensagem nas entre-linhas que ela acreditava serem as palavras dele sobre Wickham. “Eu queria poder dizer que todos na família estão de acordo com esse sentimento.” Elizabeth tomou um momento para observar sua irmã absorta em conversa com Bingley, cujo rosto demonstrava tanta alegria e prazer que era claro que seu coração era mais dela do que nunca. Ela se perguntou como o cavalheiro ao seu lado estava se sentindo sobre o desenvolvimento deste assunto, e se ele apoiaria o desejo de Bingley desta vez, ou novamente procuraria minar a união. “Quanto tempo vocês planejam ficar em Netherfield?” ela perguntou, depois percebendo que tal pergunta poderia ser facilmente mal interpretada. “Quanto tempo for necessário.” Darcy reflexivamente respondeu com seus pensamentos verdadeiros antes de perceber a extenção a qual sua resposta expunha-o e poderia contrariá-la. “Quer dizer, Bingley está esperando ficar, umm, provavelmente durante o verão, mas há vários fatores que ele tem que tomar em consideração e meus planos não estão completamente fixados.” O efeito das palavras dele em Elizabeth foi confuso; ela sentiu uma combinação de uma estranha excitação e um certo receio imaginando se ele poderia pretender o que ela pensava, ou se ela poderia ter interpretado mal as palavras dele. Era impossível esquecer a sua última conversa: 'Você deve me permitir dizer o quão ardentemente eu a admiro e amo.' Ela estava longe da insensibilidade ao elogio da afeição de um homem como ele, e a consideração que a estima dele por ela pudesse ser suficientemente grande para superar o natural ressentimento que ele devia sentir pelo comportamento dela em Hunsford, não poderia deixar de inspirar um certo grau de gratidão da parte dela, não importando quão desigual ela pudesse Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


sentir em sua resposta à ele. Talvez ela estivesse lendo demais em algumas simples palavras, e mal sabendo como responder, eventualmente ela concluiu que era mais sábio evitar qualquer conhecimento das possíveis intenções dele. Felizmente, uma apropriada distração veio à mente. “Eu tive a boa sorte de ser convidada para acompanhar minha tia e meu tio de Londres em uma viagem aos Lagos neste verão.” “Esse parece ser um prospecto agradável. Os lagos são muito bonitos. Eu imagino que você irá apreciá-los muito.” “Você visitou-os, então, Sr. Darcy?” “De fato. Eu fui afortunado o bastante para fazer aquela viagem duas vezes; uma vez quando eu era jovem, e novamente há uns dez anos atrás na companhia do meu falecido pai. É claro, uma viagem muito mais curta de Derbyshire do que é daqui, então foi um empreendimento menor. A paisagem é tão sublime quanto todos dizem. Eu me lembro de minha primeira viagem que a minha mãe ficou especialmente cativada pelas vistas; ela era uma amante apaixonada da natureza em todas as suas manifestações selvagens. Eu ainda era um pouco jovem para notar isso então.” “E quando você era mais velho – o que você achou?” “Na época da minha segunda viagem, eu era muito mais capaz de apreciar as belezas por mim mesmo, mas talvez menos predisposto à desfrutá-las, já que foi uma viagem difícil para o meu pai. Trouxe de volta memórias da alegria de minha mãe na área.” “Ele deve ter sido bastante devotado à ela,” ela disse, tocada pela natureza pessoal das recordações dele. Um momento depois Darcy falou. “Sim, o afeto deles um pelo outro era exemplar.” Como ela havia permitido que a conversa deles tocasse em assuntos tão Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


privados? A ansiedade de Elizabeth retornou em força total. Ela ferozmente renovou suas atenções ao seu bordado, com o não surpreendente resultado de sua agulha prontamente achar seu caminho dentro de seu dedo. Com uma exclamação abafada de dor e vergonha, ela levantou o dedo machucado aos lábios, completamente inconsciente do efeito que esse simples gesto teria sobre Darcy. “Quando a sua viagem deve começar?” ele perguntou, desesperadamente tentando distrair sua atenção dos lábios dela. “Nós partimos no final de Junho.” ela respondeu, aliviada com o retorno à um tema seguro. Quase três semanas então, ele pensou, Tempo suficiente para fazer um começo, se tudo correr bem. Os cavalheiros logo se levantaram para ir embora, e a Sra. Bennet atenta à sua planejada cortesia, convidou-os à jantarem em Longbourn em poucos dias. “Você está me devendo uma visita, Sr. Bingley.” ela adicionou, “pois quando você esteve na cidade no último inverno, você prometeu ter um jantar familiar conosco, assim que você retornasse. Eu não esqueci, você vê, e eu lhe asseguro, eu fiquei muito desapontada que você não voltou e manteve o seu compromisso.” Bingley pareceu um pouco tolo à este comentário, e disse algo à respeito de ter sido impedido pelos negócios. Eles, então, foram embora, deixando a Sra. Bennet livre para dissecar cada palavra de Bingley durante a tarde. Ela estava muito satisfeita em como as coisas tinham ido, e fez muitas previsões felizes para o futuro dele com Jane. Elizabeth muito presa em seus próprios pensamentos para vir em socorro de Jane, dificilmente prestava atenção até que ela ouviu o nome de Darcy. “O que eu quero saber,” disse Kitty, sacudindo a cabeça com uma risada, “quem era aquele homem agradável e educado que parecia exatamente com o Sr. Darcy. O que poderia ter causado tanta mudança?” “Talvez ele tenha estudado os erros do seu comportamento passado, e procurou Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


melhorar a si mesmo,” respondeu Mary, que tinha claramente sido ganha pela recordação dele de suas habilidades musicais. “Nós todos devemos admirar tais esforços quando eles são guiados pela razão, e olhá-lo como um exemplo que todos nós deveríamos seguir.”

Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Capítulo 2 Assim que ela foi capaz, Elizabeth saiu para recuperar seus espíritos, ou em outras palavras, para pensar sem interrupção sobre os assuntos que deviam agitálos mais. Ela estava intrigada sobre o porque de ele ter vindo, em primeiro lugar inclinada a acreditar que era para cuidar de Bingley, mas guiada por seus instintos a pensar que era mais relacionado a ela. Mas como poderia um homem de tal orgulho levar-se a aproximar-se dela depois de seu comportamento ofensivo? As maneiras mudadas dele com a família

dela parecia sugerir que ele tinha levado sua

reprovações ao coração, mas ela não quis presumir demais. Seus próprios sentimentos eram menos um mistério para ela. Ela estava lisonjeada, com certeza, que ele aparentemente valorizava a opinião dela à extensão de de dar atenção as reprovações dela e alterando seu comportamento, mas ela não tinha sentido desejo de vê-lo novamente. Mas a firmeza dela era uma razão para ela mudar sua estimativa dele? Havia tanto que permanecia desconhecido. Ela resolveu não pensar mais sobre ele até que ela tivesse uma idéia melhor das intenções dele, mas essa resolução foi difícil de manter por mais do que algum tempo na melhor das hipóteses, já que pensamentos sobre ele continuavam se intrometendo em momentos estranho. Ela não esperava vê-lo novamente até terça-feira, quando ele e Bingley iriam jantar com eles, mas não ficou surpresa quando, dois dias depois, ele cavalgou até ela quando ela estava caminhando pelo campo. Quando ela viu ele aproximar-se, incapaz de ficar indiferente a bela figura que ele exibia à cavalo, ela resolveu encontrá-lo com serenidade e civilidade por causa de Jane, mas encontrou seu pulso acelerado quando ele pulou de seu cavalo e se aproximou dela. “Sr. Darcy,” ela murmurou enquanto ele se inclinava. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


“Miss Bennet, este é realmente um encontro fortuito. Eu justamente estava pensando em consultá-la sobre um determinado assunto.” Ela sorriu alegremente. “Dificilmente se pode chamá-lo de fortuito, senhor, encontrar-me em um passeio em um dia tão bom como este. É mais uma conclusão, eu diria.” Pelo breve olhar que passou pelo rosto dele, a tentativa de conversa despreocupada dela havia atingido uma marca indesejada. Ela se perguntou se ele havia procurado uma oportunidade de encontrá-la sozinha, e estava consciente de que suas bochechas estavam quentes. “Parece que nós dois temos uma propensão a desfrutar do ar. Posso me juntar a você?” “Se você realmente deseja consultar comigo, parece uma boa idéia,” disse ela gravemente. Ele olhou para ela, notando que ela tinha perfeitamente evitado opinar sobre a presença dele, e se perguntando se era mera polidez que a impedia de recusar a companhia dele. A sensação dolorosa causada por este pensamento foi quase o suficiente para levá-lo a abandonar o esforço, mas ele lembrou-se vigorosamente de sua intenção de mostrar a ela que ele tinha mudado. “Eu queria falar com você sobre a minha irmã,” disse ele secamente. “Como já mencionei, ela está ansiosa para conhecê-la, mas estou relutante em levá-la para Longbourn para fazer a apresentação, já que eu estou preocupado que ela iria encontrar a situação difícil de gerir.” Elizabeth sentiu uma onda de decepção. Eu deveria saber melhor do que pensar que ele realmente iria mudar, ela pensou. Ele não deseja expor a irmã para os defeitos da minha família e nossas relações sociais intoleráveis. “ Realmente, Sr. Darcy, posso supor que ela, assim como alguns outros, possa me achar mais atraente na ausência da minha família,” ela disse acidamente. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Darcy virou para ela em óbvia angústia. “Miss Bennet, temo que você confundiu o meu significado. Espero que Georgiana conhecça sua família em breve.” Ciente de que ele estava cambaleando mal em sua tentativa de transmitir-se, e temendo que ele já tinha perdido qualquer chão que ele poderia ter ganho, ele disse: “Posso falar francamente, Miss Bennet ?” “Você pode ser tão franco quanto quiser, Sr. Darcy; eu duvido que possa ser pior do que eu já ouvi no passado,” disse ela, ficando mais inflamada a cada minuto. Darcy amaldiçoou-se silenciosamente. “Miss Bennet, eu não nego que mereço a sua censura pelo que eu já disse no passado,” disse ele com toda a humildade que ele podia. “Mas eu lhe peço para ouvir o que estou dizendo agora. Minha irmã é muito tímida. Ela considera extremamente difícil falar com as pessoas que não conhece e está acostumado a uma vida muito tranquila. Se eu fosse levá-la para Longbourn, ou qualquer outra casa cheia de pessoas desconhecidas e animadas que não têm medo de falar o que pensam, eu posso garantir que ela seria incapaz de dizer uma palavra, e sairia convencida que todos antepatizaram com ela. Eu gostaria muito que ela conhecesse você, mas eu não consigo ver nenhuma maneira de fazer isso a menos que eu possa encontrar um ambiente mais tranquilo para que vocês possam se conhecer.” Ele se forçou a fazer uma pausa, ciente de que suas palavras estavam correndo para fora dele com certo desespero. O silêncio dela o disse que ele tinha falhado, e que suas esperanças de perdão eram em vão. Doente do coração, ele disse: “Peço desculpas, Miss Bennet, pelas minhas palavras desajeitadas. Eu obviamente cometi um erro ao abordar este assunto. Garanto a você que nenhuma ofensa foi pretendida, e eu lamento tê-la causado algum desconforto. Vou deixar de perturbar a sua manhã, tenha certeza de que não vou incomodá-la novamente.” Com uma reverência formal, ele se virou para ir embora. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Elizabeth estava sinceramente envergonhada de si mesma. Ter saltado a uma conclusão dessa talvez pudesse ser compreendido, mas não permitir ao pobre homem a chance de se explicar antes que ela começasse a abusar dele mais uma vez – ela não tinha aprendido nada com aquela experiência humilhante em Hunsford? Ela estava sempre a confundir este homem? “Sr. Darcy,” disse ela, baixinho, com os olhos no chão, “Eu sou quem que precisa se desculpar, pois o equívoco foi meu. Cheguei a uma conclusão apressada e não deveria ter dito o que eu disse. Se você ainda estiver disposto, gostaria de ouvir o que você tem a dizer.” Elizabeth não teve coragem de olhar para cima, mas se ela tivesse feito isso, ela teria visto Darcy parar com as palavras dela, e uma expressão de grande alívio vir ao seu rosto. Ele levou um momento para recompor-se e, em seguida disse: “Eu gostaria disso também, Miss Bennet.” "Talvez você poderia me dizer o tipo de ambiente em que Miss Darcy é mais provável que fique confortável,” disse Elizabeth com uma voz um pouco contida quando eles começaram a andar novamente. “Eu esperava que você poderia estar disposta a conhecê-la em Netherfield,” disse ele, hesitante. “Então, talvez, uma vez que ela conheça você melhor, eu poderia trazê-la para Longbourn.” “Eu ficaria feliz de ir a Netherfield, senhor. Gostaria de sugerir um horário mais conveniente?” Os olhos de Elizabeth ainda estavam baixos. “Miss Bennet,” disse Darcy em tom de emoção. “No momento eu prefiro dizer como estou arrependido de ter afligido você, e perguntar se há algo que eu possa fazer para aliviar seu desconforto.” Elizabeth olhou para ele com uma sugestão de um sorriso. "Sua tia, Lady Catherine, condescendeu em dizer-me em várias ocasiões que eu nunca iria tocar piano muito bem a menos que eu praticasse mais. Por essa medida, eu devo estar Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


desenvolvendo um verdadeiro virtuosismo na arte de sentir vergonha das coisas que eu disse a você, já que eu tive muita prática nisso.” "A diferença, talvez, seja que eu obtenha um grande prazer em ouvi-la tocar piano, e eu não iria querer que você se repreendesse, especialmente desde que a sua resposta foi compreensível, dadas as coisas insuportáveis eu disse a você no passado. Tenho reconhecido para mim mesmo a veracidade das reprovações que você fez em Abril e eu tenho tentado atender a essas questões, mas eu percebo que você não tem razões para acreditar nisso ainda.” Elizabeth não poderia nem começar a imaginar o quanto essas palavras devem ter custado a um homem de tanto orgulho. “Houve também uma grande inverdade nas denúncias que fiz naquele dia, embora eu não percebi isso na época. Eu deveria pedir desculpas a você por acreditar sem questionar nas mentiras do Sr. Wickham. Desde que li sua carta, eu tenho vergonha da minha falta de discernimento. “Os modos do Sr. Wickham podem ser mais persuasivos quando ele assim o deseja. Se eu tivesse contado a você imediatamente ao vê-lo em Meryton o que eu sabia do passado dele, a situação não teria ocorrido, mas já que eu pensei que estava abaixo de mim colocar meus atos privados abertos ao mundo, não tenho a quem culpar senão a mim mesmo pelo mal-entendido.” “Senhor, você é muito duro consigo mesmo, e parece esperar que eu não assuma qualquer responsabilidade por fazer meus próprioos julgamentos errados.” “Não tenho motivos para ser duro comigo mesmo? Já que você está se desculpando por aquilo que você vê como seus erros, eu não deveria expressar arrependimento pelo minha abominável condescendência e meu comportamento não cavalheiresco? Eu não faço isso, Miss Bennet, não porque eu não acredito que haja causa, mas porque eu não acredito que qualquer pedido de desculpas esteja a meu alcance, se não demonstrar que eu vi o erro dos meus modos.” “É melhor não brigarmos pela maior parcela de culpa daquela noite,” disse Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Elizabeth. “A conduta de nenhum dos dois, se rigorosamente examinada, será irrepreensível; mas eu devo e irei me responsabilizar pelos erros que cometi, apesar de suas tentativas generosas para desculpar-me, senhor.” “Miss Bennet,” disse ele gravemente, “talvez pudéssemos demonstrar que ambos melhoramos em civilidade desde aquela época concordando em recomeçar e tentar ver um ao outro sem preconceitos.” Se ela se recusar isto, eu não sei o que hei de fazer. Agora que a vi novamente, como posso aceitar que ela nunca vai ser minha? Ele pensou, aguardando a resposta dela com ansiedade. Elizabeth não podia deixar de estar conscientes da importância do pedido dele, mas não sabia qual deveria ser sua resposta. Ela ficou aliviada por ter apagado a lousa ao expressar seus arrependimentos para ele, e ficaria satisfeita por uma cessação das hostilidades, pelo bem de Jane e Bingley se nada mais. Mas ela desejava permitir mais alguma coisa? Ela não podia imaginar o desenvolvimento de um afeto pelo Sr. Darcy, e seria cruel levantar falsas esperanças nele, mas recusando esta proposta que ele claramente tinha percorrido todo o caminho até Hertfordshire para fazer seria certamente doloroso também, e ela estava começando a apreciar que ele era um homem de maior profundidade do que ela tinha percebido. Olhando para ele, ela viu um olhar indeciso que claramente expressava a tensão que ele estava sentindo, e descobriu que ela tinha menos capacidade de ignorar os sentimentos dele do que ela teria pensado. “Eu estaria disposta a cogitar a possibilidade de que ainda podemos vir a ser amigos, senhor, mas como eu não gostaria de levantar esperanças de qualquer entendimento futuro que poderia vir a partir disto, gostaria de pedi-lo para reconsiderar se este é um caminho que você deseja a trilhar,” ela finalmente disse, olhando para as nuvens no horizonte, se perguntando como ela se sentiria se ele de fato mudasse de idéia. Pelo menos ela não se recusou completamente, ele pensou, certamente isso deve ser Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


promissor. A declaração dela foi decepcionante na sua visão do futuro, mas ele não podia esquecer que ela tinha feito um esforço para resolver o desentendimento anterior deles com algum custo ao próprio orgulho dela, quando teria sido muito mais fácil para ela simplesmente deixá-lo ir. Ele se perguntou se as ações dela falavam mais alto que suas palavras neste caso, ou se elas não eram mais do que uma manifestação de um senso de honra que não permitiria que ela o deixasse sob um equívoco. Ele não podia ter certeza, mas talvez fosse o suficiente apenas ser autorizado a estar com ela por enquanto. Sim, era o suficiente, mais do que suficiente. “Eu acredito que vou me arriscar, Miss Bennet.” Elizabeth sentia uma espécie não completamente desagradável de tensão pela resposta dele. Ela não havia pensado que ele seria tão aberto sobre suas intenções. Qualquer outro cavalheiro que ela conhecia teria concordado em serem amigos, e não sugerir um desejo por mais nesta fase. O que foi que ele tinha dito em Hunsford? Disfarce de todo tipo é o meu repúdio. Claramente, ela precisaria acostumarse a um maior grau de franqueza do que ela normalmente encontrava. “Eu não sei se você é corajoso, imprudente, ou ambos, Sr. Darcy,” disse ela, tentando aliviar a atmosfera. “ 'Quem não arrisca nada ganha',” ele respondeu com um sorriso. “ 'Tolos correm onde os anjos não ousam pisar', Sr. Darcy,”, disse ela em réplica animada. “ 'A sorte favorece os corajosos,' Miss Bennet.” “Deixe-me ver. . . 'O tolo pensa que é sábio, mas o homem sábio sabe que é um tolo.' “ Darcy sorriu maliciosamente. "'Ninguém, senão o corajoso merece o justo.' “ Elizabeth, sabendo que ela havia sido superada, perguntou: “Esse era Lovelace?” Ele levantou uma sobrancelha. “Dryden, na verdade.” Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ela riu. “Bem, senhor, você me derrotou hoje. Terei de me retirar do campo.” E eu fiz a surpreendente descoberta de que o sóbrio Sr. Darcy, apesar de todos os rumores em contrário, parece ter um senso de humor. “Acredito que deve exigir uma penalidade, então, e pedir que você venha a Netherfield para conhecer a minha irmã,” disse ele. Ela lhe deu um olhar de soslaio. “Agora?” “A menos que você tenha algum compromisso.” Ela inclinou a cabeça com um sorriso astuto. “Não, senhor, eu não tenho. Você pode tomar a frente.” “Eu poderia, Miss Bennet, mas isso seria uma tolice, uma vez que sem dúvida você sabe o caminho melhor do que eu.” “Um tolo que conhece suas próprias limitações, então,” disse ela brincando. “Um tolo que conhece seu próprio coração, pelo menos.” Elizabeth corou. “Acredito que o caminho mais curto para Netherfield é por aqui, Sr. Darcy.” E felizmente não é muito longe, pensou. Pensando que era hora de mudar de assunto, ela pediu a ele para contá-la sobre sua irmã, um assunto que os manteve ocupado a maior parte da viagem. Elizabeth se sentiu envergonhado de chegar em Netherfield na companhia de apenas o Sr. Darcy e depois entrar sem um acompanhante na casa de um homem solteiro. Ela sabia que isso provavelmente iria ocasionar alguma conversa entre os empregados, e esperava que nada disso fosse encontrar o caminho de volta para Longbourn. Ela ficou aliviada destas preocupações sociais quando ela finalmente encontrou Miss Darcy na sala de música, onde ela tinha estado a praticar piano. Ela pareceu surpresa ao ser interrompida, mas deu um sorriso rápido e tímido quando Darcy apresentou Elizabeth para ela. Darcy não tinha exagerado na timidez dela, Elizabeth decidiu. 'Estou muito feliz em conhecê-la finalmente, Miss Darcy. Seu irmão me falou muito sobre você ,” Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


disse ela com seu sorriso mais caloroso. “Tenho certeza que ele foi muito gentil no que ele falou,” Miss Darcy disse suavemente, “mas eu estou muito contente de conhecê-la, Miss Bennet.” “Eu tenho ouvido grandes elogios por suas habilidades musicais.” Miss Darcy olhou para o irmão. “Eu temo que ele seja parcial a meu favor, mas eu amo música.” Elizabeth pôs de lado sua própria sensação de desconforto para despender todas as suas consideráveis habilidades para deixar Miss Darcy à vontade. Ela ficou contente por saber que por trás de sua timidez se escondia uma jovem inteligente ansiosa para ter um amiga. Elizabeth entreteu-a com histórias sobre suas irmãs, e encorajou-a a falar sobre seu tempo na escola. Darcy pouco participou da conversa, parecendo muito contente em observar Elizabeth, que achou o olhar dele mais perturbante agora que ela entendia sua verdadeira natureza do que quando ela tinha pensado que ele apenas a observava para criticar. Assim que a cordialidade permitisse, ela pediria licença, alegando que ela seria necessária em casa. Miss Darcy tropeçou através de um convite para visitar novamente em breve, Elizabeth calorosamente encontrou-a com um convite para visitar a Longbourn. Ela lançou um olhar de soslaio para Darcy para ver como ele suportava a sugestão, mas não viu nenhuma evidência de preocupação ou de desagrado. Quando ela se levantou para sair, Darcy se levantou e disse, “Miss Bennet, Posso pedir a honra de acompanhá-la de volta Longbourn?” Elizabeth, pega de surpresa por este pedido, mal sabia o que dizer. Ela de fato preferia que ele não fosse, já que certamente ela tinha preocupação o suficiente por conta dele, mas como não havia maneira educada de recusar na frente de sua irmã, ela concordou em aceitar sua companhia. Ela

sentiu-se

claramente

nervosa,

quando

eles

partiram,

Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )

e

decidiu


imediatamente se comportar como se nada estivesse fora do comum, o que significava, evidentemente, que se tornaria completamente impossível para ela se comportar de uma maneira natural.

Eles caminharam em silêncio por algum

tempo, até que Elizabeth, ficando cada vez mais desconfortável, decidiu que era melhor conversar. “Eu gostei de conhecer sua irmã. Ela é muito encantadora, debaixo daquele exterior tímido.” “Eu fiquei contente que ela se abriu tanto para você, não é tão comum para ela.” Ela roubou um olhar de soslaio para ele. “Mas não, ao que parece, inédito; Miss Bingley sempre alegou ter uma estreita amizade com Miss Darcy.” Ele deu a ela um olhar divertido. “Você acredita em tudo que Miss Bingley diz?” “Implicitamente,” disse ela, olhando para ele ingenuamente. “Não acreditam todos?” Darcy riu, encantado que Elizabeth estava a provocá-lo novamente. “Talvez você devesse perguntar a Georgiana sobre isso. Se ela estiver se sentindo corajosa o suficiente, ela poderia também dizer o que ela pensa de Miss Bingley.” “Vou ficar fascinada, tenho certeza.” Ele deveria rir mais vezes, pensou. Muda completamente sua atitude, e o faz parecer muito bonito. “Estou ansiosa para descobrir que tipo de estudante da natureza humana é Miss Darcy. De alguma maneira eu suspeito que há mais nela do que os olhos podem ver.” “Quando ela está à vontade para falar livremente, ela tem muito a dizer, e, apesar de eu admitir uma certa predisposição, eu acredito que ela tem um bom discernimento.” “Quando ela se sente à vontade para falar livremente?” “Mais raramente do que eu gostaria, confesso, ela tem uma lista bastante curta de pessoas que ela confia - coronel Fitzwilliam, sua dama de companhia, nossa governanta em Pemberley, que praticamente a criou depois que nossa mãe morreu, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


e um ou dois outros. É algo de uma preocupação.” Elizabeth não teve a intenção de abrir um tópico delicado, e procurou uma maneira de mudar de assunto, não percebendo que Darcy, que tinha grandes esperanças da dela ajuda na compreensão da irmã, estava na verdade bastante ansioso para falar com ela sobre sua preocupação com Georgiana. Ela aproveitou a oportunidade para lhe perguntar sobre a saúde de sua tia e seus dois primos que ela conheceu em Kent, na qual ela foi capaz de expandir-se para uma exposição de sua família, mas a sua paciência e suas idéias haviam quase acabado quando eles se aproximaram de Longbourn.

Com algum alívio, ela disse, “Bem, Sr. Darcy,

agradeço a sua companhia, mas acho que poderia ser melhor para mim continuar sozinha, pois eu particularmente não gostaria de dar explicações da sua companhia para os meus pais.” “Certamente, não vamos desconcertar seus pais,” disse ele com um leve ar de provocação. Ela fez uma cortesia. “Eu lhe desejo, bom dia, então.” “Até nos encontrarmos novamente, Miss Bennet,” ele disse. Capturando os olhos dela com um olhar sério, ele pegou a dela mão e levou-a aos lábios. Elizabeth sentiu o choque do toque dele persistir mesmo depois de ele ter partido. O que eu fiz? ela se perguntava enquanto ela caminhava a alameda para Longbourn. --------------A impaciência de Elizabeth para relatar à Jane os acontecimentos do dia era grande, e ela contou a ela à noite as principais cenas entre o Sr. Darcy e ela própria. Jane ficou menos do que atônita por estas revelações, tendo já imaginado que a presença de Darcy em Netherfield sugeria uma inclinação contínua dele para sua irmã. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


“Eu simplesmente não sei como lidar com os avanços dele, Jane,” exclamou Elizabeth. “Tão logo eu disse que eu não poderia oferecer mais do que amizade, ele disse que ele queria mais! Jane, o que devo fazer para convencê-lo que eu não desejo as atenções dele? Devo ser tão rude e insensível como eu fui em Hunsford?” “Ele deveria, de fato, ter respeitado o seu pedido, e não dizer tanto a ponto de fazer você se sentir desconfortável com as intenções dele. Mas considere o desapontamento dele, Lizzy. Você não está triste por causa da infelicidade dele, que deve ser realmente grande para ele se aventurar a voltar a se encontrar com você? Ele deve estar muito violentamente apaixonado por você.” “Já que você considera a decepção dele tão comovente, querida Jane, vou me considerar absolutamente livre da necessidade de pensar nisso, pois eu sei que você vai fazer uma tão ampla justiça! Se você lamentar por ele por muito mais tempo, meu coração vai estar tão leve como uma pluma.” “Oh, Lizzy, por favor seja séria. Será que realmente não significa nada que ele tenha alterado o seu comportamento tão surpreendentemente? Que ele tenha reconhecido os erros nos modos da proposta anterior dele? Não é todo homem que estaria disposto a fazer tanto.” “Eu fiz o mesmo ao pedir desculpas pelos meus equívocos, sem isso significar qualquer outra coisa além de eu não gostar de estar errada! Por que ele não deveria fazer o mesmo?” “Foi apenas por não gostar de estar errada que a levou a chamá-lo de volta, quando ele foi embora? Sinceramente, Lizzy, eu acho que você não é tão indiferente ao Sr. Darcy quanto você gostaria de acreditar.” Elizabeth pensou na sensação indescritível que sentira quando ele beijou sua mão. Lentamente, ela disse: “Eu não posso afirmar que o elogio dos afetos dele não é sentido, mas como pode ser mais do que isso quando eu sempre tive antipatia por ele, e não tenho nenhum surpreendente novo motivo para mudar de opinião?” Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Jane suspirou. “Lizzy, eu nunca entendi por que você pensou tão mal dele em primeiro lugar, e certamente parece-me que o comportamento dele tem sido perfeitamente cavalheiresco desde a sua chegada, se, como você diz, um pouco avançado.” Porque eu o considero responsável por destruir sua felicidade com a influência dele sobre o Sr. Bingley. ”Jane, já que você pode não pode pensar nada além do bem de todos, ele estar em suas boas graças não é tanta recomendação.” “Você não pode pensar em nada de bom sobre ele? Venha, eu desafio você encontrar alguma característica positiva nele. Mesmo você, querida Lizzy, deve ser capaz de encontrar uma ou duas!” Elizabeth estudou seu reflexo no espelho. “Ele claramente se importa muito com a irmã. Ele aparece levar suas responsabilidades a sério, mesmo quando isso significa visitar Lady Catherine, que é um destino cruel, de fato. Ele é um bom leitor. Ele está disposto a admitir quando está errado, pelo menos quando suficientemente

motivado

para

fazê-lo.

Pronto,

aqui

estão

quatro

boas

características, e você pediu apenas por uma ou duas. Mas ele também é malhumorado, arrogante, condescendente, controlador, sem traquejo social, e ele apenas valoriza riqueza e estatus social. Como Miss Bingley, ele fica muito feliz em obter seu prazer humilhando os outros. Isso não é suficiente?” “Vocês é muito dura com ele,” disse Jane com um sorriso. “Eu me pergunto qual de nós você está tentando convencer. A propósito, eu teria de acrescentar que ele é constante, honesto e altamente valorizado pelos amigos dele. Você vai, naturalmente, fazer o que quiser, mas parece-me que talvez você não o conhece tão bem quanto você deveria se você vai tomar algum tipo de decisão, e, uma vez que ele parece determinado que você possa conhecê-lo melhor, talvez o melhor rumo para vocês seria de esperar e deixar as coisas seguirem seu rumo. Se, com o tempo, você ainda se sentir sobre ele como você sente agora, nada estará perdido para você, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


e ele dificilmente pode alegar que você o enganou. " Com um suspiro, Elizabeth disse: “Você é, como sempre, irritantemente sensata, e já que eu estarei partindo com os Gardiners em pouco mais de uma quinzena, ao que parece não estou arriscando muito.” Então por que eu tenho um pressentimento que não vai ser tão simples como parece? Seu espelho não forneceu respostas. ---------Elas não viram novamente os cavalheiros até terça-feira, e a Sra. Bennet, enquanto isso, foi dando lugar a todos os felizes preparativos, cujo bom humor e a comum delicadeza de Bingley, em visita de meia hora, tinha reavivado. Na terçafeira houve uma grande recepção em Longbourn, e os dois que eram mais ansiosamente esperados, para o crédito de sua pontualidade como desportistas, estavam em bom tempo. Quando eles se dirigiram para a sala de jantar, Elizabeth observou ansiosamente para ver se Bingley tomaria o lugar, que, em todas as suas antigas festas, havia pertencido a ele, junto à sua irmã. Sua mãe prudente, ocupadada pelas mesmas idéias, absteve-se a convidá-lo a sentar-se sozinho. Ao entrar na sala, ele pareceu hesitar, mas Jane passou a olhar em volta, e passou a sorrir, estava decidido. Colocou-se junto à ela. O comportamento dele para com sua irmã era tal, durante o jantar, que mostrou uma admiração por ela, que, embora mais cautelosa do que antes, convenceu Elizabeth que se deixada totalmente por si mesma, a felicidade de Jane, e a sua própria, estariam imediatamente asseguradas. Embora ela não se atrevesse a depender do resultado, ela ainda assim recebeu o prazer de observar seu comportamento. Deu a ela toda a animação que seus espíritos poderiam ostentar, pois ela não estava em humor alegre. Apesar de seus sentimentos ao ver o Sr. Darcy estarem decididamente misturados, ela não podia deixar de estar consciente dele, e ela ficou aflita ao descobrir que ele estava sentado ao lado da Sra. Bennet e quase Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


tão longe dela quanto a mesa poderia dividi-los. Observando de perto, Elizabeth notou que ele não havia perdido nenhuma da sua civilidade recente para com sua mãe, mas ficou mortificada ao ver a resposta flertante de sua mãe pela consideração dele. Ela se perguntava se a noite iria conceder alguma oportunidade de trazer Darcy até ela, ou se toda a visita não iria passar sem que lhes permitisse entrar em alguma conversa maior do que a mera saudação cerimoniosa, participando a entrada dele. O período que passaram na sala de desenho, antes de os senhores chegarem, foi cansativo e maçante a um ponto que quase a fez mal educada, ainda assim ela não poderia determinar se ela mais temia pela aparição dele ou desejava. Os senhores vieram, e ela pensou que ele olhou para ela, mas as senhoras tinham se aglomerado em volta da mesa, onde Miss Bennet estava fazendo chá, e onde Elizabeth estava servindo o café, em tão próxima confederação que não havia uma só vaga perto dela que iria admitir uma cadeira. Darcy afastou-se para outra parte da sala, mas seguiu-a com os olhos, e ela não ficou surpresa por ele mesmo trazer de volta sua xícara de café. Ela estava determinada a ser composta, e disse: “Espero que sua irmã esteja bem?” “Sim, ela está desfrutando de uma noite tranquila para si mesma. Ela estava feliz em conhecê-la, e espera que você visite novamente.” “Seria um prazer, ela é uma menina muito doce.” Ela não conseguia pensar em mais nada a dizer, e eles ficaram em silêncio por alguns minutos. “Miss Bennet, eu me lembro quando você estava em Kent, você era parcial em caminhadas cedo pela manhã. É um prazer que você continua em casa?” A memória das suas reuniões no bosque em Rosings, que ela tinha pensado serem acidentais, a fez corar. “Quando eu posso, e o tempo permite, eu ainda desfruto de um passeio mais cedo.” “Talvez, já que você conhece a vizinhança tão bem, você poderia recomendar Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


algumas caminhadas para mim.” O pulso dela acelerou em resposta a este pedido evidente para um encontro, e recordou o seu acordo para familiarizar-se mais com ele. Certamente, seria melhor se isso não fosse feito sob os olhos de sua mãe, o céu se não podia protegê-la se a Sra. Bennet tomasse conhecimento que o Sr. Darcy e suas £ 10.000 por ano, tinha intenções para a filha. No entanto não deveria ser em nenhum lugar muito privado; o calor nos olhos dele quando ele olhou para ela não predispôs a ela uma sensação de segurança quanto ao comportamento dele. “A caminhada até o Monte Oakham é agradável nesta época do ano,” disse ela. O rosto dele ficou aquecido quando ele se permitiu um ligeiro sorriso. “Meus agradecimentos pelo conselho, Miss Bennet.” Ela se viu capturada pelo olhar intenso dele, e teve que forçar-se a desviar o olhar. Era evidente que ele não tinha a intenção de observar a ficção de que ele estava interessado principalmente na amizade dela. Quando as coisas do chá foram removidas, e as mesas de cartas cartas colocadas, ela sentiu pouco alívio ao vê-lo cair vítima da voracidade de sua mãe para jogadores de whist, e alguns momentos depois sentou-se com o resto do grupo. Eles foram confinados durante a noite em mesas diferentes, mas os olhos dele eram tão freqüentemente voltados para o lado dela na sala, que o fizeram jogar sem sucesso. A Sra. Bennet tinha projetado manter os dois cavalheiros Netherfield para jantar, mas a carruagem deles foi infelizmente solicitada antes de qualquer um dos outros, e ela não teve oportunidade de detê-los. “Bem meninas,” disse ela, logo que foram deixadas sozinhas, “O que vocês diriam sobre hoje? Eu acho que tudo correu singularmente bem, eu garanto. O jantar foi tão bem preparado como qualquer outro que eu já vi. O veado foi torrado em uma volta e todos disseram que nunca viram um pernil tão gordo. A sopa era cinquenta vezes melhor do que a que Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


tivemos nos Lucas na semana passada, e até mesmo o Sr. Darcy reconheceu que as perdizes estavam muito bem feitas, e eu suponho que ele tenha dois ou três cozinheiros franceses, pelo menos. E, minha querida Jane, eu nunca vi você aparentar tanta beleza,” a Sra. Bennet, em suma, estava de muito bom humor, ela tinha visto o suficiente do comportamento de Bingley com Jane para estar convencida de que ela iria consegui-lo enfim, e suas expectativas de vantagem para a sua família, quando em um humor alegre, eram muito além da razão, que ela ficou bastante desapontada por não vê-lo lá novamente no dia seguinte, para fazer sua proposta. Elizabeth, entretanto, foi atirada para uma derrota em seus ânimos que mantiveram o sono afastado por algum tempo, e para cada pensamento que tinha do comportamento mudado de Darcy, pensava ainda mais em ser capaz de escapar dessa ansiedade em sua viagem para os Lagos. Apenas duas semanas, ela se lembrou. ----------------------Até o final da manhã seguinte, Elizabeth estava plenamente convencida da impossibilidade de fazer amizade com um homem cujo cada olhar demonstrava desejo de muito mais do que companhia. Não importava o quão inocente a conversa - e variava de livros para a música para a natureza - ela encontrava-se alternadamente ruborizando quente e frio, e extremamente consciente da natureza do interesse de Darcy por ela. Em vez de ser revigorada pela caminhada, sentiu-se deslocada e nervosa, e foi a isso que ela atribuiu a sua concordância em seu regresso a uma visita a Miss Darcy, quando na verdade ela desejava nada mais do que voltar para casa. No entanto, ela foi capaz de desfrutar de sua visita com Miss Darcy, e apreciou que o irmão dela tenha as deixado sozinhas, em vez de pairar protetoramente sobre a irmã como Elizabeth esperava que ele fizesse. Teria sido denecessário, de qualquer Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


maneira; Miss Darcy despertou o instinto protetor em Elizabeth tembém, e ela poderia facilmente entender por que seu irmão se preocupava tanto com ela, e pôde ver porque ela tinha sido um alvo fácil para os gostos do Sr. Wickham. Quando a conversa se voltou para o que Georgiana tinha achado de Hertfordshire, ela descobriu que a garota tinha realmente tido pouca chance de ver a área, depois de passar quase todo o seu tempo em Netherfield. “Bem, vou ter que convencê-la a fazer algumas caminhas comigo, de modo que você possa ver algumas das atrações locais. Embora possam não ser tão dramáticas como as que Derbyshire tem para oferecer, elas ainda valem ser vistas.” O rosto de Georgiana se iluminou. “Isso seria maravilhoso! Eu quis explorar, mas como eu não conheço a área, eu tenho medo de me perder.” 'Ora, isso soa como se o Sr. Darcy tem sido bastante negligente com você!” Elizabeth brincou. “Terei que ter uma palavra com ele.” “Oh, não!”, exclamou Georgiana com um olhar de alarme. "Ele sempre faz tudo que eu peço, ele é muito bom para mim. Eu só não queria. . . incomodá-lo. Ele está indo muito melhor do que ele estava em Londres, o que é mais que suficiente para me fazer feliz.” “Eu lhe asseguro que eu estava apenas brincando, Miss Darcy, eu estou bem ciente da devoção do seu irmão por você,” Elizabeth disse com o que ela esperava ser uma forma tranqüilizadora, mas interiormente estava divertida com a gravidade em que as suas acusações tinham sido tomadas . Talvez a seriedade fosse uma característica familiar dos Darcy. Georgiana parecia aliviada. “Oh, eu estou contente. Eu não quero que ele se sinta culpado de qualquer maneira, não agora, não sobre mim. Eu tenho sido uma grande provação para ele nos últimos tempos.” “Eu mal posso imaginar isso,” disse Elizabeth calorosamente. Afinal, eu acredito que tenha sido o meu papel de ser uma provação para ele nos últimos tempos. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


“Ah, é verdade. Ele tem estado tão infeliz ultimamente, e eu tenho estado tão preocupada com ele, e é tudo culpa minha. Você vê,” ela hesitou por um momento, e então continuou “eu fiz algo, tive um lapso terrível de julgamento no verão passado, e perturbei muito a ele, embora ele nunca disse uma palavra de reprovação para mim. Mas eu posso ver que pesa sobre ele, e estes dois últimos meses foram terríveis. Ele tem sido tão arredio, e tão infeliz, então você vê que eu não quero causá-lo nenhum problema, não agora que ele finalmente parece ter sido capaz de esquecer um pouco. Mas lamento, Miss Bennet, eu não deveria estar dizendo a você todos os meus problemas;. Por favor me perdoe.” Ela olhou para baixo, evidentemente, muito envergonhada por sua confissão. Oh, querida, pensou Elizabeth. Que teia emaranhada nós tecemos! Ela colocou a mão sobre a de Georgiana. "Não há nada a perdoar, minha querida. Sinto-me honrada que se sinta capaz de me dizer as suas preocupações. Mas eu acho que você se culpa demais, eu estou certa que há muitas coisas na vida de seu irmão que podem ser perturbadoras para ele que você pode desconhecer, e tudo o que tem perturbado ele, esses dois últimos meses, provavelmente não tem nada a fazer com você.” Ela sentia-se abominavelmente culpada, pois ela suspeitava de que sabia muito bem a verdadeira causa da aflição do Sr. Darcy. Georgiana balançou a cabeça em silêncio, com lágrimas nos olhos. Elizabeth suspirou profundamente dividida quanto ao curso de ação. "Agora eu temo que é a minha vez para uma confissão, e eu espero que você seja capaz de me aturar, pois obriga-me a violar uma confiança, e devo pedir que você não me faça perguntas sobre isso para que eu possa proteger tanto quanto da confiança eu puder. Você vê, acontece que eu sei porque seu irmão está chateado nos últimos dois meses, e como eu não posso dizer qual é a causa, por favor, acredite em mim quando digo que não tem absolutamente nada no mundo a ver com você.” O rosto dela refletia a descrença esperançosa quando ela se voltou para Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Elizabeth. "Mesmo?" Elizabeth assentiu com a cabeça, e, pondo o braço em volta Georgiana enquanto ela enxugava as lágrimas, ofereceu o conforto que ela podia até que poucos momentos depois, quando elas foram interrompidas pelo retorno do própio Sr. Darcy. Darcy, um pouco atordoado por encontrar sua irmã em lágrimas nos braços de Elizabeth, abriu a boca para falar, depois fechou novamente, e finalmente conseguiu um digno "Aconteceu alguma coisa?" Elizabeth fervorosamente pensava que os Lagos não poderiam ser distantes o suficiente do clã Darcy para se adequar a ela. Mostrando com um esforço em sua melhor forma lúdica e graciosa, ela disse: "Ora, Sr. Darcy, certamente você sabe melhor do que fazer essa pergunta à duas senhoras que estão em confidências uma à outra! Temos de ter os nossos segredos, você sabe." Com os olhos, ela implorou que ele não fizesse mais perguntas. Felizmente, Georgiana assumiu a liderança ao abordar Darcy envolvendo os braços em torno dele. "Verdade, William, está tudo bem," disse ela, com uma nota evidente de verdade em sua voz que refletia o alívio que ela havia recebido das palavras anteriores de Elizabeth. Elizabeth não podia deixar de ser tocada pelo abraço terno que Darcy deu na irmã, nem de se divertir com o olhar perplexo no rosto dele. "Bem, então, estou feliz em ouvir isso," disse ele. "Eu não tinha, de fato, entrado para espionar os seus segredos, mas para oferecer o uso da carruagem à Miss Bennet, pois percebo que nós a mantivemos em casa por um bom tempo, e sua família deve estar se perguntando o que foi feito de você. " "Vou aceitar essa oferta com gratidão," especialmente se me levar tão longe quanto possível daqui, “já que eu já tive o suficiente de caminhada por hoje." As ordens dadas para preparar o cabriolé, foi pouco tempo até que Elizabeth Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


estava dando adeus a Miss Darcy, enquanto o Sr. Darcy, que estava claramente planejando levá-la para casa, se preparava para a ajudá-la a subir na carruagem. Tão logo eles estavam na estrada Darcy expressou preocupação sobre o comportamento da irmã. Elizabeth estava relutante em entrar no assunto, mas sabia que ela estaria fazendo um desserviço a Miss Darcy se ela não o fizesse. "Sr. Darcy, há realmente algo que eu deveria dizer, mas eu não espero que você fique feliz ao ouvir isso." Ela sentiu ele endurecer sensivelmente, e um olhar para o rosto dele mostrou um olhar congelado que não ia muito longe de uma máscara de um sentimento de devastação. Sentindo-se completamente sem paciência com a obstinação dele em relação a ela, ela colocou a mão de leve no braço dele e disse com alguma exasperação: "Não, não é isso. Eu estou começando a suspeitar que saltar para a pior conclusão possível é uma característica familiar dos Darcy! Isso é algo que você não irá gostar, se eu entendi o assunto corretamente, mas não é isso. Por favor perdoe a minha franqueza, eu pareço ter esgotado todo o meu estoque de tato por hoje com Miss Darcy.” O olhar de alívio no rosto dele disse que ela tinha adivinhado corretamente. "Bem, então, Miss Bennet, você pode fazer o seu pior, e eu farei meu melhor para não tirar terríveis conclusões precipitadas." Ele conseguiu de alguma forma pegar a mão dela na sua antes que ela pudesse retirá-la. Ela respirou fundo, preparada para protestar contra a ação, então decidiu, ignorá-la e salvar a sua energia para a conversação em mãos, uma conclusão que teria sido mais prática se o toque dele não tivesse provado ser muito mais perturbador do que ela havia previsto. "Senhor, Miss Darcy fez várias confissões para mim, pelo menos, uma das quais tenho a certeza que você preferiria que eu não tivesse ouvido, mas já que estou preocupada com os sentimentos dela eu sinto que é adequado arriscar ferir os seus Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


dizendo a você a fonte da ansiedade dela, pois é uma que você pode querer resolver. " “Se isso preocupa Georgiana, eu prefiro saber, mesmo que eu ache desagradável.” ele respondeu sem hesitação. “Ela me confidenciou que você tem estado em um humor particularmente negro nesses últimos dois meses, e que isso é culpa dela,” ela começou. “Em nome de Deus, de onde ela tirou essa idéia?” ele exclamou com mais sentimento que educação. “Me perdoe Miss Bennet” “Ela atribui isso ao sério lapso de julgamento que ela fez no último verão. Ela não deu nenhum detalhe, mas eu presumo que nós dois saibamos ao que ela estava se referindo. Ela tem estado se culpando pela situação e por ser a causa da sua aflição, e aparentemente tem tido medo de dizer qualquer coisa por medo de tornar tudo pior.” Enquanto ela falava, ela viu o rosto dele definido em linhas sombrias, e suspeitou que alguma da sua irritação deveria estar direcionada a ela, ela fez uma tentativa de retirar sua mão da dele, apenas para fazê-lo apertá-la mais forte. Ela cedeu, e tentou acalmar-se com pensamentos de partir para os Lagos. Não, ela decidiu, os Lagos não eram distantes o bastante. Talvez o Continente, ou as água geladas da Rússia serviriam. Ninguém nunca iria ouvir falar dos Darcy na corte do czar. Um involuntário sorriso curvou seus lábios com esse pensamento. Darcy, depois de ter recuperado o controle de seu temperamento, disse: "Se há algum aspecto cômico nesta situação, Miss Bennet, eu gostaria que você compatilhasse, pois eu poderia certamente usar algumas risadas." "Foi absolutamente nada," ela apressou-se a tranquilizá-lo. "Eu estava pensando sobre o czar da Rússia, na verdade." Ele olhou para ela em descrença momentânea. "Confesso que há momentos em que você me desconcerta completamente, Miss Bennet." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Obrigado", disse ela gravemente. "Eu trabalho muito duro em denconcertá-lo, e eu estou feliz em saber que meus esforços não foram em vão. " Ele não pode deixar de rir. Apesar de todas as dificuldades que Elizabeth apresentava, ele não poderia culpar seu gosto . Não havia outra mulher como ela. Que ela pudesse em tão pouco tempo extrair algo de Georgiana que tinha incomodado ela por meses, dizer a ele uma verdade desagradável, e então fazê-lo rir! E ela estava permitindo que ele segurasse a mão dela, embora com certa ambivalência, se ele a leu corretamente. Cuidadosamente, ele permitiu que seu polegar levemente traçasse círculos na palma da mão dela, e notou com prazer que a a cor dela foi aumentando e seus olhos caíram. Pelo menos ela não era completamente indiferente a ele, com certeza isso era alguma coisa. A própria Elizabeth estava incerta se as sensações que passavam por seu corpo eram horríveis ou prazerosas. Como ela podia responder tão fortemente ao toque dele se ela desejava que ele estivesse há meio mundo de distância? Ela teria que se treinar para não oferecer qualquer resposta que entregasse a extensão do efeito dele sobre ela, e consequentemente forçou-se a permitir que sua mão relaxasse na dele, com o desfecho infeliz de permitir ao polegar dele ainda mais possibilidades para sua exploração, e mais latitude para causar estragos na compostura dela. “Obrigado por me contar sobre Georgiana,” ele disse. “E peço desculpas por colocá-la em uma posição difícil. Eu me esforço muito com Georgiana, mas há vezes em que a mente de uma moça é bastante além do meu conhecimento.” “Ás vezes um estranho tem uma vantagem nesses assuntos.” O que há de errado com ela, Elizabeth se perguntou, que ela estava sentindo em seu corpo todo os efeitos das atenções dele à sua mão? “Se for o estranho certo,” ele permitiu. “Mas eu não posso e não me engano em pensar que eu posso oferecer tudo que ela precisa.” “Essa parece ser uma tarefa impossível. Me parece que você tem se saído Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


admiravelmente bem, dada a à situação de um homem da sua idade tentando criar uma menina na idade mais difícil." Elizabeth ficou surpreso ao perceber que ela falava sério. "É um desafio permanente," ele reconheceu. Seria muito mais fácil com você ao meu lado. Já que que eles estavam se aproximando de Longbourn, ele perguntou: "Posso ter o privilégio de vê-la amanhã?" Ele soa quase humilde, ela pensou, mas não posso possivelmente suportar ter que fazer isso de novo tão cedo. "Eu não creio que posso sair pela manhã," disse ela, e depois ficou chocada ao ouvir-se continuar. "Talvez você e o Sr. Bingley poderiam visitar mais tarde." "Obrigado", ele disse suavemente, e levantou a mão dela aos lábios para dar-lhe um beijo que foi mais uma carícia do que uma formalidade. A sensação era excelente, muito embora ela detestasse admitir isso. Ela sentiu um alívio enorme quando ela foi capaz de se separar dele. Drenada por seus esforços e as sensações desconhecidas que ele tinha induzido nela, ela decidiu ir direto para o seu quarto para refrescar-se antes de enfrentar sua mãe e irmãs, mas, logo depois que ela entrou na casa a Sra. Bennet a viu. "Lizzy", ela gritou. "Há uma carta de sua tia Gardiner." Elizabeth pegou a carta com um sorriso, divertindo-se novamente com a idéia das águas geladas da Rússia. Sua diversão desapareceu enquanto ela lia a carta, uma vez que adiava o início da viagem e encurtava a sua extensão. O Sr. Gardiner seria impedido pelos negócios de partir até uma quinzena mais tarde, em julho, e devia estar em Londres de novo dentro de um mês, o que deixava um prazo demasiado curto para ir tão longe, e ver tanto quanto se tinham proposto , ou pelo menos para ver com o lazer e conforto que tinham construído, eles foram obrigados a desistir dos Lagos, e substituíram por uma viagem mais curta, e de acordo com o plano atual, deviam ir mais longe para o norte de Derbyshire. Naquela parte do Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


país, havia o suficiente para ser visto, para ocupar o principal das suas três semanas. "Derbyshire,"

Elizabeth

disse

entorpecida.

Ela

estava

excessivamente

desiludida, depois de definir o seu coração em ver os Lagos, mas o último lugar na Inglaterra que desejava visitar neste momento era o único lugar que continuaria a lembrá-la de Darcy. E uma quinzena adicional antes que ela pudesse ficar livre dele e de seus efeitos perturbadores sobre ela, de repente era muito e ela fez uma retirada apressada para o quarto dela, onde ela poderia lamentar em privacidade. Quando os cavalheiros de Netherfield chegaram na tarde seguinte, Elizabeth ainda estava se sentindo claramente desanimada e, além do prazer que daria Jane, não muito contente de ver os seus visitantes. Ela fez pouco esforço na conversa, mas descobriu que isto parecia não causar nenhum desconforto à Darcy, que, como ele tantas vezes no passado, parecia sentir nenhum desconforto simplesmente apreciando a sua presença em silêncio. Dentro em pouco Bingley propos uma caminhada, e foi acordado. A Sra. Bennet não tinha o hábito de caminhar, e Mary nunca tinha tempo, mas os cinco restantes partiram juntos. Bingley e Jane andavam um pouco atrás, enquanto Elizabeth, Kitty, e Darcy foram deixados para entreter uns aos outros. Muito pouco foi dito por ambos; Kitty estava com muito medo dele para falar, e Elizabeth muito desanimada. Quando eles passaram a estrada para Lucas Lodge, Kitty manifestou o desejo de visitar Maria e, como Elizabeth não conseguia pensar em nenhuma razão lógica para se opor, ela concordou em permitir que Kitty deixasse-os. Ela pressionou com firmeza à frente sem olhar para seu companheiro. "Miss Bennet," disse ele após um silêncio de vários minutos, "eu não posso evitar de observar que você parece um pouco desanimada hoje. Posso ser tão ousado para perguntar se eu ofendi você de alguma maneira? " Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Elizabeth suspirou, sem querer se explicar, mas ainda era muito imparcial descontar o seu desagrado sobre um inocente, bem, talvez não totalmente inocente. "Sr. Darcy, eu estou em um estado de espírito prodigiosamente descortês hoje, e você apenas têm a infelicidade de estar na minha companhia em tal momento. Peço desculpas por ser tão pobre companhia, por favor não interprete o meu comportamento lamentável de alguma forma relacionado a você." "Você não precisa se desculpar, Miss Bennet. Eu não quero que você finja sentimentos que não possui." Ele não disse mais nada durante algum tempo, e então perguntou: "Posso perguntar se há alguma coisa que está incomodando você?" Elizabeth, que tinha começado a sentir-se irritada porque ele não tinha feito essa mesma pergunta, descobriu que estava perversamente irritada por ele parecer supor que ele tinha o direito de perguntar isso. "Não é nada de nenhum interesse para ninguém além de mim mesma," disse ela brevemente. Ele continuaram a caminhar, Darcy lutando com um frustante sentimento de impotência por ela não permitir que ele ajudasse no que estava a incomodando, e uma suspeita infeliz que ele devia ser, de alguma forma responsável pelo sofrimento dela, apesar de suas palavras ao contrário. Elizabeth, entretanto, fez a descoberta embaraçosa que, tendo posto de lado a preocupação dele, agora ela sentia que gostaria de contae a ele de sua decepção, e ficou ainda mais confusa da razão pela qual ela se sentiria a vontade de falar para ele, de todas as pessoas possíveis, sobre o assunto. Finalmente, como não era, por natureza, de uma disposição sombria, o seu desejo de se expressar venceu. "Senhor, novamente, tenho que lamentar a minha falta de civilidade. Para ser honesta, eu estou apenas emburrada como uma criança rebelde que tem sido negada de um agrado esperado, e não merece simpatia alguma." Com algum alívio com a mudança no tom dela, ele disse: "Minha simpatia não depende de você sentir ser merecida, Miss Bennet." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Você é muito gentil, senhor, mas na verdade eu estou sendo muito pequena. Recebi a notícia de que minha viagem ao norte, que eu tenho muito antecipado, está atrasada, e que não seremos capazes de viajar tão longe como os Lagos, que era um grande desejo meu." A primeira reação de Darcy foi um alívio que ele não era de fato o culpado, seguido por um sentimento de frustração que ele não tinha o direito de aliviar o sofrimento dela oferecendo-se para ele mesmo levá-la aos Lagos algum dia. "Isso deve ser uma grande decepção, eu lembro o quanto você estava ansiosa por isso." Ela sentiu um surpreendente grau de alívio depois de ter falado sobre isso, e resolveu estar em humor mais gentil. "Eu aprecio sua consideração em me dizer, e, assim, poupar-me a necessidade de saltar para a pior conclusão possível,” Darcy acrescentou. Ela lhe deu um olhar de soslaio. Estaria ele de fato fazendo uma piada às suas próprias custas? "Vou tentar manter a sua fragilidade em mente." "E por falar em fragilidades. . ." Darcy olhou por cima do ombro para Jane e Bingley, que estavam a uma distância curta atrás deles. Falando visivelmente mais calmo, ele disse: "Sua irmã é, creio eu, preocupada com a observação do decoro, não é?” Querendo saber onde ele poderia estar levando, ela disse, com cautela, "Isso seria uma suposição correta." "Então eu temo que ela está determinada a permanecer adequadamente perto de nós, o que é lamentável para o pobre Bingley, que estava esperando por algum tempo a sós com ela, pois ele tem algo muito especial para discutir." Um sorriso satisfeito se espalhou por seu rosto quando ela percebeu o que ele queria dizer. Lembrando a última vez que o assunto foi levantado entre eles, ela disse, "eu. . . estou contente em ouvir isso. " Ele olhou para ela. "Bem, resta saber se ele vai encontrar a oportunidade, já que Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


parece que estamos no caminho. Uma pena, não é? " Se ele tivesse sido qualquer outra pessoa, ela pode ter pensado esta uma sugestão de tomar medidas para melhorar a situação, mas ela achava difícil acreditar que ele iria aprovar qualquer sentimento ou a falta de decoro. Por outro lado, quando ela olhou para ele, ela viu que ele tinha um sorriso divertido no rosto. Talvez ela tivesse julgado-o mal. "Sr. Darcy, estou começando a suspeitar que você tem algum esquema nefasto em mente. " "Não, na verdade, eu estava contando com você para planejar o esquema nefasto, pois você sabe melhor do que eu como convencer sua irmã, enquanto Bingley aceitará qualquer pretexto, não importa o quão fraco, para roubá-la." Elizabeth pensou que ela talvez tivesse que rever sua opinião sobre ele. "Eu vou dar ao assunto alguma consideração, senhor," disse ela com um sorriso atrevido. Mas separar-se de Jane e Bingley também teria o efeito de deixá-la desacompanhada novamente com Darcy. Elizabeth sentiu uma sensação peculiar ao pensar nisso, e sabia que ela deveria estar corada. Ela não se sentia pronta para ficar a sós com ele novamente, mas sem dúvida ele estava desejoso da situação. Ela estava disposta a dar-lhe o que ele queria neste caso, no entanto; se o preço de permitir Bingley propor a Jane era tempo a sós com Darcy, ela iria pagar. Afinal, ela tinha sobrevivido ao dia anterior, e ela poderia fazê-lo novamente, embora ela precisasse tomar cuidado com os avanços cada vez maiores dele do dia anterior. Ela estaria preparada desta vez, no entanto. Ela iria vigiá-lo de perto e não permitiria quaisquer liberdades. Ele pode não ser o mais fácil dos homens a recusar, mas ela tinha conseguido fazer isso antes também. Ela considerou a melhor forma de efetuar a separação dos casais. Precisava ser algo que Jane perceberia como temporário, mas capaz de ser estendido para permitir tempo suficiente para Bingley dizer a sua parte. Ela decidiu optar por uma abordagem simples, e assim que eles chegaram a um bosque de pequeno porte, sem Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


uma palavra de advertência para Darcy, fez uma exclamação de dor súbita e pegou no braço dele como que para se equilibrar. Ele imediatamente se virou e apoiou o braço dela, o rosto vivo com preocupação, enquanto Jane apressou-se para ajudar. Com um olhar de embaraço para Darcy, Elizabeth acenou para Jane, e sussurrou no ouvido dela que ela tinha uma pedra em sua bota, e se Jane levasse os senhores na frente, ela iria removê-la e se reuniria com eles em alguns minutos. Como ela esperava, Jane, consciente do pudor da irmã, imediatamente pediua a Bingley e Darcy para acompanhá-la. Darcy pareceu momentaneamente confuso, mas depois de um momento disse: "Não, não posso suportar deixar Miss Elizabeth Bennet sozinha. Vou ficar aqui no caso de ela precisar de qualquer ajuda. " Elizabeth mancou até um tronco caído, e disse com uma ponta de irritação em sua voz: "Como você quiser, mas insisto que você permaneça onde está, senhor, e vire de costas." "Não, sou eu quem deve esperar,,” disse Jane. Com uma voz rica de vergonha, Elizabeth disse: "Jane, por favor, só vá em frente!" Sua irmã parecia indecisa, mas com a urgência de Bingley, por fim continuou a descer a alameda. No interesse da verossimilhança, Elizabeth desamarrou e removeu uma de suas botas. Olhando para cima para ver Darcy observando-a descaradamente com um leve sorriso no rosto, ela disse secamente: "Ora, imaginem só! Não parece haver nenhuma pedra na bota, afinal." Ele levantou uma sobrancelha. "Realmente?" "No entanto," ela disse judiciosamente, "Eu acredito que ainda há dor suficiente que o melhor é permanecer aqui até que ela melhore." "Certamente você deve. E seria indelicado da minha parte não ter lhe fazer companhia enquanto você espera. " "Completamente sem modos," ela concordou quando ele se sentou ao lado dela, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


e ela sorriu para ele em satisfação com o sucesso de sua trama. O sorriso divertido dela evocou uma resposta muito diferente em Darcy, cujos olhos escureceram quando ele olhou fixamente nos olhos dela. Elizabeth esqueceu de respirar, e quando ele baixou o olhar para seus lábios, sentiu uma onda de sensações perturbadoras. Ela olhou para longe dele abruptamente, percebendo que ela estava em certa desvantagem para evitar os seus avanços, enquanto ela estava sentada sem uma bota. Darcy, vendo o desconforto dela, raramente tinha desejado tão ardentemente aquela feliz fluência de discurso possuída por Bingley e pelo coronel Fitzwilliam. Como, em nome dos céus, que ele deveria se desculpar pela maneira como ele olhou para ela, especialmente já que ele dificilmente poderia alegar que ele não tinha desejado fazer mais do que olhar. Finalmente, ele disse baixinho: "Eu peço desculpas, Miss Bennet. Vou devo me esforçar de lembrar de que eu devo ser paciente." "Eu não posso discutir com essa conclusão," respondeu ela, os olhos ainda evitantes. Ela mal sabia o que dizer ou fazer, ela estava se tornando desconfortavelmente consciente de que havia um desentendimento entre a distância que ela pretendia estabelecer entre eles e sua resposta sempre que ele a tocava ou olhava para ela com aqueles olhos ardentes. Ela não podia deixar de reprovar a si mesma por ter uma reação destas a um homem para quem ela não tinha intenções sérias. No entanto, independentemente do seu conflito interior, ela dificilmente conseguiria continuar olhando para o chão até que Jane e Bingley voltassem, então, com firme vontade, mas pouca auto-confiança, ela olhou para ele, apenas para descobrir que ele estava olhando para o espaço. "Você acha que o Sr. Bingley percebeu que nós o abandonamos?" Ela perguntou levemente. Os cantos da boca dele transformam-se em uma tentativa heróica de um sorriso. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Eu imagino que sim, já que ele estava esperando por algo do tipo. Eu suspeito que ele possa ter sido surpreendido com a sua participação, entretanto. " "Bem, você pode dizer a ele que estou disposta a ferir-me em seu nome, sempre que necessário." Ele pareceu chegar a algum tipo de decisão e se virou para olhar para ela. Com uma pergunta nos olhos, ele estendeu sua mão, palma para cima, em direção a ela. Ela olhou para ele, disse a si mesma que ela estaria fora de si para encorajá-lo, vacilou, e, decidindo que ele estava precisando de confiança, colocou sua mão na dele. Um choque de sensação percorreu-a quando ele fechou a mão em torno da dela, e ele a recompensou com uma inesperada calorosa expressão, deixando-a cheia de perguntas sem resposta sobre porquê ela se preocupava em tranquilizá-lo, porque ela estava tão aquecida pelo sorriso dele e, sobretudo, porque ter a mão dele sobre a dela era tão prazeroso. Depois de sentarem em silencio por algum tempo, Darcy disse: "Você mencionou que sua viagem com sua tia e tio foi adiada. Posso perguntar quando você vai partir?" "Em um mês." Ela sorriu para sua transparência. Tinha sido sempre tão simples de dizer a ele o que ele estava pensando, e tinha ela simplesmente nunca dado um pensamento antes? "Georgiana terá o prazer de ter a oportunidade de ver mais de você antes de você desaparecer nas selvas do norte." "As selvas do norte, de fato," ela disse, então, lembrando que ela não tinha dito a ele que os novos planos envolviam Derbyshire, de repente, achou a situação toda esmagadoramente divertida. Ela começou a rir, e encontrou-se pouco capaz de parar. Ele levantou uma sobrancelha. "Deixe-me adivinhar: é o czar da Rússia." Isso só a incentivou, e ela estava enxugando lágrimas de riso de seu rosto Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


quando Jane e Bingley reapareceram. O rosto de Jane estava brilhando com alegria, e Bingley com um sorriso bastante tolo. Elizabeth, rapidamente retirando a sua mão da de Darcy e recolocando a bota para a sua localização correta, foi imediatamente para a irmã e a abraçou, e teve o prazer de ouvi-la reconhecer, com a mais viva emoção, que ela era a criatura mais feliz do mundo. As felicitações de Elizabeth foram dadas com uma sinceridade, um calor, uma delícia, que palavras mal podiam expressar. Cada frase de bondade foi uma nova fonte de alegria para Jane, enquanto Bingley estava recebendo felicitações igualmente calorosas do seu amigo. Jane, desejando ir de imediato para a mãe com a notícia, e Bingley, igualmente ansioso para obter a permissão do Sr. Bennet, rapidamente pediram o regresso do grupo. Enquanto caminhavam, Darcy perguntou: "Algum dia, Miss Bennet, você vai ter a gentileza de me dizer o que é tão divertido sobre as selvas do norte?" Elizabeth, muito cheia de felicidade por Jane para mesmo se opor à idéia de Derbyshire, olhou para ele com um sorriso insolente. "Eu imagino que você iria saber muito melhor do que eu, senhor, afinal, você mora lá e eu nunca fui ao norte de Hertfordshire." Ele não poderia chegar a nenhuma resposta para isso além de um sorriso confuso.

Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Capítulo 3

No dia seguinte, Elizabeth encontrou-se à caminho de Netherfield, o acordo sido feito que ela visitaria Miss Darcy e aproveitaria a oportunidade para mostrarlhe algumas das belezas naturais da região. Bingley era um visitante diário em Longbourn neste tempo, vinha freqüentemente antes do pequeno almoço, e sempre permanecia até depois do jantar, mas Darcy, tendo graciosamente, se não inteiramente feliz, aceitado a dica de Elizabeth que ela preferiria que ele não estivesse em tão constante presença, se restringiu a visitas ocasionais à Longbourn. Assim, não foi surpresa para Elizabeth que ele iria escolher acompanhar a irmã em sua caminhada, nem era completamente indesejável, como ela tinha concluído que era melhor para eles passar algum tempo juntos em companhia do que sozinhos. A ocasião foi um sucesso em geral, embora Miss Darcy não fosse tão grande andarilha quanto seus companheiros, ela se deleitava na companhia, e seu irmão tendia a aparecer em seu melhor aspecto quando acompanhado pela irmã. Elizabeth ficou satisfeita ao descobrir que ela gostou do tempo suficientemente para estar disposta a aceitar um convite para jantar com eles, embora ela tivesse receio em relação à sua partida, corretamente suspeitando que o Sr. Darcy tinha alguns planos para esse momento. Ela não ficou surpresa quando ele se ofereceu para levá-la para casa no cabriolé novamente, nem quando ele pegou a mão dela na sua antes mesmo que eles estivessem fora de Netherfield, e seu aspecto mudou de cavalheiro amável e irmão para amante. Ela foi capaz de aceitar as suas atenções com pelo menos uma compostura externa, e se internamente a sua confusão permanecia grande, pelo menos, a resposta dela já não foi tão surpreendente como tinha sido no início. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Isso se tornou um padrão como o passar do tempo, que todos os dias ela passasse o tempo com os dois Darcy, geralmente caminhando ou, ocasionalmente, dirigindo pelo campo, e então permitia ao Sr. Darcy reivindicar sua obrigação na estrada de volta para Longbourn. Ela não podia explicar porque, mas gradualmente a antecipação começou a substituir seu medo inicial do tempo a sós com ele. Ela passou a encontrar mais prazer nas sensações que os olhares e toques dele produziam na sua mão, uma vez que ela viu que ele não pediu nada mais a ela durante esses percursos, mas a confusão continuava sobre seus sentimentos em relação a ele. Sua opinião sobre ele tinha melhorado, mas ela ainda tinha algumas reservas sobre ele. Embora ele tenha continuado em sua cortesia para com a família dela, quando eles estavam em maior companhia, ele tornava-se novamente o homem reservado e taciturno que ela tinha conhecido no passado, e embora ele não se recusasse a conversar quando outros se aproximavam dele, ele não procurava esses encontros. Ele ainda podia ser arrogante, e ela se encontrou algumas vezes ressentida das presunções que ele parecia fazer sobre sua disponibilidade para ele. E enquanto ela apreciava o papel dele em trazer Bingley e Jane de volta, ela ainda não conseguia perdoa-lo inteiramente por planejar a separação deles em primeiro lugar. Sentia-se feliz de que ninguém além de Bingley, Jane, e talvez Georgiana parecia ter percebido o interesse dele por ela. A sociedade de Meryton não tinha visto razão alguma para reavaliar o que era geralmente conhecido como sua antipatia por ele. O pensamento agradável que o rico Sr. Darcy poderia ter tomado um gosto por Elizabeth tinha passado pela cabeça da Sra. Bennet na ocasião, mas Elizabeth foi capaz de afastá-la com comentários enganosos sobre sua amizade com Miss Darcy e lembranças que ela não era bonita o suficiente para seduzir o Sr. Darcy, e por isso sua mãe tinha mudado suas fantasias para se Miss Darcy poderia colocar Elizabeth no caminho de quaisquer homens ricos e elegíveis. Na ocasião, ela observou o pai dela observando Darcy com um olhar interrogativo, mas se ele tinha Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


quaisquer suspeitas nesse sentido, ele guardou para si mesmo. Faltava apenas uma quinzena até sua partida para Derbyshire, quando ela foi para Netherfield apenas para descobrir Miss Darcy na cama, reclamando de uma dor de cabeça. Depois de trocar algumas palavras com sua amiga, Georgiana admitiu que ela não estava se sentindo bem o suficiente para desfrutar da companhia, mas insistiu em que Elizabeth e Darcy continuassem com seus planos de caminhar até Gadebridge Hill, uma idéia que claramente satisfez Darcy e Elizabeth não conseguiu pensar em nenhuma objeção real. Ficou claro quando eles saíram que Darcy estava fazendo todo o esforço para observar o decoro, até o ponto onde ele estava falhando em responder a algumas provocações de Elizabeth, e o ânimo dela era tal que ela não poderia resistir a alguns comentários farpados sobre a dignidade dele. "Pessoalmente, eu não associo o excesso de dignidade com alegres caminhadas através do campo," disse ele. "Bem, vamos ver como você irá quando encontramos um caminho lamacento ou uma vaca teimosa, Sr. Darcy." "Estou consciente de que a lama não iria parar você, mas como você lida com a vaca teimosa?" Elizabeth riu. "Você duvida, senhor, que eu não posso ser ainda mais teimosa do que uma vaca quando eu ponho isso em minha mente?" "Nenhum cavalheiro sonharia em tentar uma resposta a essa questão, Miss Bennet. Ao invés disso devo me limitar a apontar que você parece estar mantendo um certo nível de dignidade também." "É verdade, mas só porque eu estou, para seu benefício, sendo muito mais adequada e digna do que eu deveria ser se eu estivesse andando sozinha," disse ela maliciosamente. "De fato, e que comportamento impróprio e indigno você estaria concedendo se Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


você estivesse sozinha, Miss Bennet?" Ela olhou para ele calculadamente, perfeitamente disposta a ver o quanto ela poderia chocá-lo. "Às vezes eu gosto de correr. Pode ser muito divertido. " Os olhos dele se arregalaram um pouco de surpresa, mas ele dominou bem. "Longe de mim privá-la de qualquer um dos seus prazeres, Miss Bennet. Sinta-se livre para correr, se assim o desejar. " Ela julgou que ele não acreditava que ela iria aceitar o seu desafio. Se assim fosse, ele subestimou a vontade dela de testá-lo. Com um sorriso maroto, ela ergueu as saias e saiu correndo rápido. Ela correu mais do que ela normalmente teria feito para pressionar o ponto e, eventualmente, ao atingir as ruínas de uma antiga casa de campo, caiu para trás contra uma das paredes, rindo e quase sem fôlego. Darcy apareceu um instante depois, e inclinou um braço contra a parede ao lado dela. Se ela pudesse ter visto a figura que ela apresentava, lábios entreabertos, olhos brilhantes e bochechas ruborizadas do exercício, ela poderia ter compreendido melhor de onde vinha o olhar nos olhos dele, mas sabendo apenas que o seu comportamento chocante estava levando-o aos mesmos pensamentos que ela esperava que ele fosse reprimir, ela disse de uma forma animada, "Sr. Darcy, você é um homem difícil de desencorajar! " "Você só percebeu isso agora?" Ele correu um dedo levemente pelo rosto dela, criando uma intensa sensação que a deixou ainda mais sem fôlego. "Certamente você deve saber agora que eu vou fazer o que eu devo." Elizabeth sentiu-se travada pelo olhar nos olhos dele quando ele baixou lentamente a cabeça para a dela até que os lábios dele acariciavam seus próprios. O choque inesperado de prazer que a percorreu, surpreendeu Elizabeth ainda mais que o fato de que ela não tinha o impedido, ou melhor, nem mesmo quisesse detê-lo. O que estava acontecendo com ela, que ela não podia recusar aquele olhar Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


naqueles olhos escuros? Ele se afastou, um leve sorriso curvando os lábios, os olhos ainda fixos nos dela. Ela estava hesitante em encontrar o olhar dele ainda movida por seu beijo, mas ele não queria nada disso e inclinou o queixo dela para cima com seu dedo, até que ela olhou diretamente para ele. O coração dela batia forte em seu olhar de inquérito, e ela desejou que ela pudesse dar a ele o amor que ele queria, mas apreciar seu beijo não era o mesmo que amá-lo. Seria conveniente o amor ter vindo primeiro. Ela nunca tinha considerado que o seu primeiro beijo pudesse vir de alguém a quem ele não era no mínimo prometida, e apesar do prazer do seu beijo, ela não estava totalmente feliz que ele não tinha vindo nesse contexto. A incomodava profundamente que seus pensamentos pareciam ter nenhum impacto sobre o seu desejo traiçoeiro por ele beijá-la novamente. Ela sabia que ela devia responder a ele, e que ela devia ser gentil, mas firme. "Eu acredito que a maioria das pessoas diria que você não deve fazer isso," disse, satisfeita ao descobrir que sua voz não tremia. Ela baixou os olhos novamente, não confiando em seus olhos para não traí-la. "Há apenas uma opinião que me interessa," disse ele, sua voz quase estável. Ele não tinha a intenção de beijá-la, ele sabia muito bem que ela provavelmente se ofenderia, mas ao vê-la olhando para ele, rindo e tão intensa, tinha sido mais do que ele poderia resistir. Mas agora era ainda mais difícil, pois beijá-la só tinha exposto a necessidade que ele sentia por ela - que havia crescido através do longo inverno tentando esquecê-la, e tinham devastado-o naqueles meses negros após Kent, quando ele acreditava que ela nunca poderia ser dele, necessidade que só podia ser saciada por Elizabeth Bennet. Beijá-la, mesmo assim de forma breve e leve, era delicioso além da crença, ele reagiu como um homem faminto em uma terra de desperdício, e ele estava desesperado por mais. Elizabeth sabia que ela não devia ficar tão perto dele, que ela devia remover a Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


tentação movendo-a fora de alcance, mas seu corpo não iria obedecê-la. Em um esforço para refrear seus pensamentos errantes, ela se forçou a pensar em todos os momentos dolorosos da história deles, todas as vezes que ela o odiou e ressentiu-se dele. Lembrou-se de sua fúria com ele depois de sua proposta, e de repente lhe pareceu divertido que ela poderia ter viajado tão depressa daquele ponto para outro em que ela estava desejando pelos beijos dele. Humor, como tantas vezes fez no passado, emprestou-a a distância a que ela precisava, e ela foi capaz de libertar-se da magia do momento. Ela olhou para cima com um sorriso, e cometeu o erro fatal de encontrar os olhos dele novamente. O olhar de pura necessidade neles causaram toda a sua vontade falhar, e seu desejo de resistir a ele derreteu em nada. Em seu coração, Darcy sabia que ele não deveria ir mais longe, que ela tinha avisado-o, mas ele se viu incapaz de ignorar o desejo no rosto dela. Se ele não poderia ter o amor dela, ele iria se contentar por enquanto por tê-la querendo a ele. Ele disse baixinho: "Mas desde que eu me importo com essa única opinião, vou avisá-la que se você não quer que eu a beije novamente, você deve aproveitar esta oportunidade para me dizer isso." Elizabeth engoliu em seco, procurando desesperadamente o bom senso que a abandonara no momento em que ele a tocou. Os lábios dela se separaram quando a mão dele tocou suavemente seu rosto, um toque que despertou os sentimentos inebriantes que ele havia criado nela, e ela fechou os olhos para saborear a deliciosa sensação da boca dele encontrando a sua. Darcy permitiu-se levar o seu tempo com esse beijo, saboreando os prazeres dos lábios dela, e, quando sentiu sua resposta inequívoca, permitindo apenas uma pequena fração da urgência que ele sentia para expressá-la enquanto ele aprofundava o beijo. Elizabeth nunca tinha suspeitado que tal consciência física poderia existir. A Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


sensação do beijo dele a envolveu, e ela estava dolorosamente consciente de que ela queria os braços dele ao redor dela, mesmo quando ela admitia que ela não deveria estar permitindo este tanto em primeiro lugar. Tomou toda sua determinação para deter-se de abraçá-lo e puxá-lo para mais perto. Depois do que pareceu um demasiado curto espaço de tempo, ele recuou, sua respiração era irregular e os olhos escuros com paixão, e ela suspeitou que ela não parecia diferente. A luta de Darcy para dominar a si mesmo era pelo menos tão profunda, mas talvez menos óbvia, devido à extensão de sua prática em subjugar seus sentimentos por ela. Exultante que ela não tinha só permitido que ele a beijasse, mas tinha respondido tambem, tudo que ele não podia fazer era renovar sua proposta imediatamente. Ele sabia que era muito cedo, e a expressão no rosto de Elizabeth confirmava isto. Em vez do olhar de carinho ou afeto que ele esperava, ele a viu morder os lábios e desviar o olhar. Por quê? ele exigiu silenciosamente. Ela queria que ele a beijasse, ele teria apostado muita coisa que ela tinha gostado de seus beijos, e ela sabia que suas intenções eram honradas, então por que estava aflita? Poderia a antipatia dela por ele ser tão intensa, mas se assim fosse, por que ela permiria que ele tomasse liberdades com ela? Eram todos os sinais esperançosos que ele tinha observado apenas um fruto do seu desejo de vê-los? Ela nunca tinha recebido nenhum de seus avanços com evidências de prazer, era verdade, mas, recentemente, haviam alguns sorrisos tímidos quando ele acariciava a mão dela, e uma vez que ela tinha até mesmo ativamente deslizado sua mão na dele no cabriolé. Ele balançou a cabeça sobre o desespero patético de seus pensamentos, e se afastou completamente dela, não mais capaz de tolerar vê-la angustiada. Elizabeth colocou os braços ao redor dela como se ela sentisse um calafrio e, com determinação começou a andar mais uma vez em um ritmo acelerado, como se tentando fugir de si mesma. Darcy ficou ao lado dela em silêncio, certo de que ela Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


continuava na caminhada deles, em vez de insistir em voltar. Agora, apenas se ela não ficasse como se estivesse em seu caminho para a forca. Ele tentou aconselhar-se a paciência. Ele não precisava conquistar a afeição dela imediatamente, e ela havia deixado claro que preferia que ele fosse devagar. Logo ela estaria partindo em suas viagens, e desde que os termos nos quais eles se separassem fossem calorosos, ela apreciaria vê-lo novamente depois de sua volta. Seria uma longa espera. Georgiana já havia indicado a ele que ela preferia não ficar em Netherfield quando Elizabeth fosse embora, a companhia das irmãs Bingley tinha tão pouco apelo para ela quanto para ele. Londres daria alguma distração enquanto eles esperavam, talvez, ou eles pudessem até ir para Pemberley. Era uma longa jornada durante esse período de tempo, mas novamente, eles não precisavam retornar imediatamente, e levantaria suspeitas se ele programasse a sua ausência, para coincidir exatamente com a dela. Estaria perto do casamento de Bingley até lá, e, certamente, Elizabeth estaria se sentindo satisfeita e feliz com esse evento, e talvez mais acolhedora para o seu pedido. Ele parou no meio do caminho, quando um pensamento torturante lancetou através dele. Poderiam os sinais que ele tinha tomado como o aquecimento do afeto dela por ele ser ao invés disso gratidão? A felicidade de Jane era tão importante para ela, ela poderia estar recompesando o papel dele no retorno de Bingley para Hertfordshire, com a única moeda que ela tinha? Ela via a si mesma comprando a felicidade da irmã à custo de sua própria? O pensamento era insuportável; ele preferia não fixar os olhos nela novamente do que levá-la a esse preço. De alguma forma ele se forçou a continuar caminhando. Ele teria que partir. Não havia nenhuma maneira possível de viver com a dor de vê-la se isso fosse verdade; já era uma luta constante não tomá-la em seus braços. Ele teria que admitir que o sonho estava acabado. Sim, Pemberley, ele iria para Pemberley e nunca mais colocaria os pés em Hertfordshire, mas mesmo enquanto Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


ele pensava nisso ele sabia que não seria capaz de ficar longe por muito tempo. Quando Elizabeth finalmente sentiu dona de si mesma novamente o suficiente para olhar para ele, ela viu a perturbação da mente dele visível em todos os aspectos, e seu rosto definido em linhas sombrias que ela só tinha visto uma vez antes, quando ela o acusou em Hunsford de destruir o futuro de Wickham. O que ele tinha para estar ser angustiado? Ele tinha conseguido o que queria, afinal; ela era a única com o direito de se sentir chateada com o que tinha acontecido. A presunção dele de sua condescendência lembrou-a da proposta dele em Hunsford, e como ele fez a sua oferta com a perfeita convicção de que ela iria aceitá-lo sem questionar. O que era de fato diferente agora, além dos avanços dele nos movimentos da corte? Ele parecia estar a presumir, pelo menos até que se prove o contrário, que ela iria aceitar suas carícias, seus beijos, sua familiaridade - e sem dúvida a sua mão em casamento, em tempo útil. E ela havia permitido isto, um passo de cada vez, permitiu-lhe liberdades que ela nunca tinha esperado dar a ninguém além de seu marido, e estava começando contra a vontade dela permitir a ele incursões em seu coração também. Ele tinha mudado seus modos exteriores e fez sua admiração por ela evidente, e ela tinha caído nas mãos dele como frutas maduras. E agora ele tinha a presunção de considerar-se a parte ofendida! Bem, esta era uma hora tão boa quanto qualquer outra para deixar claro que ela não iria continuar a tolerar os seus avanços. Pela primeira vez, no entanto, ela lembrou de sua história de perder a paciência com ele antes de conhecer todos os fatos, e forçou-se a rever a situação mais uma vez antes que ela falasse. Com toda a justiça, ela tinha que admitir que ela foi de certa forma responsável pela condescêndencia dele, e que ele provavelmente teria respeitado os desejos dela se ela tivesse dito para ele parar. Além disso, ele não, como regra, tinha crises de mau humor sem motivo, embora não tão frequentemente quando a razão existia somente na imaginação dele. Ela estava Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


predisposta a ficar irritada com ele; pelo menos isso a levou para longe de seus próprios pensamentos, mas ela não quis ser injusta com ele como tinha sido no passado. Ela parou e se virou para ele, os braços cruzados sobre o peito. "Por favor me esclareça, Sr. Darcy," ela disse, com evidente impaciência em sua voz. "Eu não tenho o dom de saltar para a pior conclusão possível que você possui, então você necessariamente terá de explicar-me qualquer terrível possibilidade que você descobriu desta vez." Ele a olhou em choque. Ele não estava muito acostumado a ser falado de tal maneira, e ele descobriu seu temperamento queimando. Em um esforço automático para sufocá-lo, ele disse friamente, "Miss Bennet, estou com medo que o calor do momento está levando-a para os voos da imaginação." Ele estava muito enganado se pensava que isto poderia intimidá-la de continuar. "Eu estou esperando, Sr. Darcy. Não tenho nenhuma intenção de andar todo o caminho para Gadebridge Hill com qualquer besta negra que você está carregando com você." O rosto dele tornou-se pálido de raiva. "E sobre a sua própria besta negra, Miss Bennet? Se não me engano, você também não está muito satisfeita. " Sempre capaz de ver o humor do momento, Elizabeth descobriu os cantos de sua boca se contraindo. "A minha não é senão uma pequena criatura cinza da noite, senhor. A minha pergunta fica." Darcy chegou à conclusão perturbadora que ele não entendia as regras desse tipo de conflito, onde a honestidade era exigida, e a raiva encontrava com a sagacidade. Ele olhou para ela com olhos estreitos por um minuto, distraído observando quão enfeitiçante ela parecia com os olhos piscando de raiva. "O pensamento passou pela minha cabeça que você pode estar tolerando minha atenção por alguma forma equivocada de gratidão." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Os olhos dela se arregalaram. "Isso é, de fato, uma impressionante falsa conclusão. Acredito que, de fato, eu estou ofendida. " "Estranhamente, eu estou feliz em ouvir isso, embora eu não tivesse a intenção de ofendê-la." O olhar dela continuou a colidir com o dele por um momento, mas Elizabeth achou difícil não amolecê-lo quando viu o evidente alívio que ele sentia, e, quando eles conseguiram sorrir um para o outro, decidiu que pelos menos agora ela não queria pensar mais nada sobre o que tinha acontecido, mas simplesmente desfrutar a companhia dele e do belo dia. Recordando o seu gesto após o conflito no dia do noivado de Jane, ela estendeu a mão para ele. Embora o rosto dele mostrasse apenas um aquecimento de seu olhar, Darcy alegrou-se com o passo que ela havia tomado. Tomando-lhe a mão, ele a puxou para seu lado, então, levantou-a aos lábios. Elizabeth corou ligeiramente. "Eu ouso dizer que a sua irmã vai ficar desapontada se você for incapaz de contá-la da vista do Gadebridge Hill". Sem mencionar que, se ficarmos aqui por mais tempo, vou acabar te beijando novamente, e então nós vamos estar de volta onde começamos, ele pensou, enquanto eles partiam de mãos dadas. "Ela ficará mais desapontada quando ela perceber que esta é provavelmente nossa última oportunidade de sair antes da chegada de Miss Bingley e dos Hursts. Temo que pode não ser o mesmo depois." "Talvez se nós escolhermos caminhadas especialmente lamacentas e longas, nós possamos afastá-los, e não vai ser tão ruim," sugeriu Elizabeth de ânimo leve. "Mas isso é fácil para mim dizer, eu não tenho que ficar na mesma casa com eles. Devo lembrar-me de resgatar Georgiana quando eu puder. " "Ela irá apreciá-lo, ela é muitas vezes bastante perturbada por Miss Bingley. Na verdade, eu talvez precise ser resgatado também," brincou ele. "Você, senhor, é perfeitamente capaz de lidar com Miss Bingley sem a minha Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


assistência," ela respondeu, surpresa com quanta satisfação ela sentia andando tão perto dele. "Ainda bem, pois você pretende nos abandonar de sua misericórdia em breve. Quando você está planejando partir para suas viagens? " "Minha tia e meu tio vão chegar segunda-feira e pretendemos sair no dia seguinte." "Parece que você é completamente afeiçoada por sua tia e tio." "Sim, eu gosto muito da companhia deles." "Eu gostaria de conhecê-los, se eu puder." Ela olhou para ele, se perguntando se ele percebia que seu tio era comerciante, ela não se lembrava de mencioná-lo e se ele estaria tão ansioso para encontrá-los se ele soubesse. "Se você quiser," disse ela de forma neutra. "Eu acredito que você nunca me contou de seu novo destino. Você sabe para onde você vai, além dos confins do norte? " Elizabeth corou, sabendo que era impossível evitar a pergunta, uma vez que foi perguntada diretamente. "Minha tia e meu tio estão definindo o itinerário, e eu não sei os detalhes. Minha tia tem mencionado o Picos, Matlock e Dovedale, e eu acredito que ela também tem planos para nós vermos Blenheim e Chatsworth. Iremos também estar passando algum tempo em uma cidade em que minha tia passou a juventude. Eu acredito que você pode estar familiarizado com ela, é chamada Lambton ". Que Darcy foi surpreendido por sua resposta estava claro, e ela não tinha dúvidas de que ele percebeu que ela tinha deliberadamente escondido essa informação dele. "Sim, eu conheço bem," ele disse lentamente, "não é nem cinco milhas de Pemberley." Sua mente saltou à frente de outras possibilidades - ela estará em Pemberley! Ele havia sonhado tantas vezes sobre Elizabeth em Pemberley que ele poderia imaginá-la ali sem qualquer esforço, era quase como se estivesse ela já Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


residisse lá, mas a Elizabeth de Pemberley era aquela que olhava para ele com paixão em seus olhos, que sussurrava palavras de amor para ele, que gritava seu nome enquanto ele fazia amor com ela na grande cama de dossel. A idéia de trazer a Elizabeth real para Pemberley foi o suficiente para fazer seu coração disparar. Ela lançou um olhar para ele, tentando avaliar a sua resposta, mas sua expressão era distante. Sentiu uma vontade súbita de se desculpar, mas o que ela tinha a lamentar em viajar tão perto da casa dele não estava claro, mas ela estava preocupada com o aparente afastamento dele. Bem, pensou ela, eu não preciso de sua permissão para entrar em Derbyshire; eu posso visitá-lo com impunidade se eu escolher. Ela estava decidida a esperar até que ele quebrasse o silêncio, mas como ele persistiu, e ela ficou cada vez mais desconfortável por estar andando de mãos dadas com um homem que parecia ter esquecido sua existência. Finalmente, ela disse: "Sr. Darcy, você parece estar a quilômetros de distância." Ela não desejava mais nenhum conflito, então para eliminar qualquer possível ferroada de suas palavras, ela apertou a sua mão em torno da dele por um momento. Ele voltou a si mesmo de seus devaneios de tê-la ao seu lado em Pemberley, de acordar de manhã com as mãos emaranhadas no cabelo dela, de beijar seus lábios adormecidos até que ela voltasse à consciência com uma paixão que correspondia com a dele. Ele virou para a Elizabeth real com um sorriso triste. "Você está absolutamente correta, Miss Bennet, a minha mente estava longe, em Derbyshire. Minhas desculpas por negligenciar você. " "E a sua visita à Derbyshire foi frutífera?" Ela perguntou, seus olhos brilhando quando ela olhou para ele, assim como ele tantas vezes tinha imaginado. Dobrando o seu braço, ele levou a mão dela aos lábios de forma casual, e roçou um beijo em seus dedos. "Isso ainda resta para ser visto, meu amor," disse ele. "Sr. Darcy!" Disse ela com indignação, ignorando uma sensação estranha dentro dela. "Isso é o bastante, eu acredito!" Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ele olhou para ela com assustado receio. "Qual é o problema?" "Qual é o problema? Sr. Darcy, se eu de alguma forma o levei a acreditar que eu estou disposta a aceitar este nível de familiaridade, eu peço desculpas, pois não foi minha intenção enganar você," disse ela energicamente, determinada a não continuar no curso passivo que ela tinha determinado. Ele imediatamente soltou a mão dela, a sua expressão perplexa e preocupada. "Miss Bennet, eu lamento profundamente ofendê-la de qualquer maneira; meu único desejo é agradar você, e eu certamente irei refrear qualquer comportamento que você se oponha. Eu. . ." Ele tentou desesperadamente pensar em novas maneiras de se desculpar antes de perder todo o terreno que havia ganho e, em seguida, reconhecendo que a honestidade era sua única esperança, disse com mais calma, “eu não posso dizer que eu entendo completamente, mas se você não deseja que eu beije sua mão, você pode confiar que eu não vou. " Ela ficou bastante surpresa que ele não percebeu que suas palavras eram censuráveis; em muitos aspectos parecia mais atípico dele violar uma regra social do que tomar liberdades. "Sr. Darcy, minha reclamação foi para

a forma

excessivamente familiar na qual você se referiu a mim," disse ela, cansada. Darcy, surpreso, imediatamente começou a rever a conversa em sua mente, e depois empalideceu bruscamente quando percebeu que ele tinha dito. "Miss Bennet, peço desculpas, realmente, eu deveria me ajoelhar aos seus pés, você está completamente correta em censurar-me. Foi um total deslize da língua, a minha mente estava em outro lugar, e eu não percebi nada do que eu estava dizendo. Eu sei melhor do que isso, e eu certamente não teria intencionalmente embaraçado qualquer um de nós desta maneira, e. . . " "Essa é uma quantidade bastante adequada de bajulação," Elizabeth interrompeu com um sorriso, aliviada pelo obviamente verdadeiro embaraço e arrependimento dele. "Eu aceito suas desculpas, e não devo pensar sobre o assunto Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


de novo." Darcy manteve os olhos fixos diretamente à frente dele. Isso não estava indo bem de maneira alguma; todo esforço que ele fazia parecia levar ao desastre. Seria um milagre se ela ainda estivesse disposta a falar com ele no final do dia. Talvez ele deveria voltar ao seu seguro, antigo padrão e segurar sua língua, tanto quanto possível para evitar fazer papel de bobo mais uma vez - mas não, ela acharia ele descortês nesse caso. Ele certamente precisaria controlar suas fantasias sobre ela. Elizabeth, vendo a luta dele, decidiu ter misericórdia por ele. "Sr. Darcy,” disse ela, com riso em sua voz, "Eu temo que você está mais uma vez aprimorando suas habilidades em chegar a conclusões precipitadas, e insisto em que você pare de uma vez, e em vez disso reconheça que eu sou uma pessoa muito razoável e agradável para possivelmente sonhar com o tipo de horrores que você é capaz de imaginar. " Os lábios dele se contorceram. "Você está rindo de mim, Miss Bennet?" "Eu ficaria extremamente angustiada se eu não pudesse encontrar alguma fonte de humor em você, senhor," respondeu ela suavemente. "E estamos nos aproximando de nosso destino, e espero que possamos continuar amigos o tempo suficiente para subir o morro, para que possamos salvar o nosso fôlego para os nossos esforços." Darcy tentou equiparar o tom despreocupado dela com sucesso justo, e eles foram capazes de avançar em acordo um com o outro enquanto eles enfrentavam a subida do morro. Darcy aproveitou a aspereza do caminho para ter o prazer de ajudar Elizabeth a passar pelos obstáculos, e no momento em que alcançaram o cume, o seu bom humor estava restaurado. Darcy convidou-a para sentar em uma pedra lisa que dava vista para o campo. Ela apontou diversas cidades e terras enquanto eles se sentavam lado a lado, Darcy tendo prazer em segurar a mão de Elizabeth entre as suas e acariciando-a levemente de tempo em tempo. Elizabeth, sentindo uma combinação de um caloroso Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


contentamento e uma excitação agitada induzida pela proximidade dele e as notáveis sensações que ele parecia ser capaz de produzir através do mais leve toque na mão dela, disse: "Diga-me algo sobre si mesmo, algo que eu não sei. " "Sobre o que eu devo contar?" "O que você quiser. Talvez você poderia me contar sobre crescer em Pemberley." Ele riu. "Não Pemberley, por favor, ou vou começar a ter idéias que você irá se opor outra vez." Intrigada, ela disse, "Por causa de Pemberley?" "Tenho uma excelente imaginação, Miss Bennet, e eu recomendo que mudemos de assunto imediatamente." Ainda confusa, ela disse: "Como você quiser. Qual deve ser, então? Fale-me sobre ir para a universidade. Este é um tema mais seguro? " "Deixe-me ver, o que posso dizer? Estudei na Universidade de Cambridge, e houveram momentos bons e ruins. Eu sentia falta de casa e da minha família intensamente no início. Era a minha primeira vez fora desde que eu tinha frequentado o primeiro ano em Harrow, sobre o qual quanto menos se falar, melhor. Depois disso eu tive tutores em casa, pois minha mãe, quando ela ficou doente, estava relutante em ter-me tão longe, e eu a apoiei nisso, por minhas próprias razões egoístas. Depois me acostumei a estar em Cambridge, porém, meus estudos eram fascinantes em sua maior parte, e eu não conseguia pensar em nada melhor do que ser esperado ler o dia todo. Alguns outros aspectos da vida universitária foram um desafio dado como reservado eu posso ser. Eu não pude apreciar a maioria dos aspectos da vida social de um estudante, o elegante cenário e as festas. Me isolei até que eu encontrei algumas atividades que melhor me satisfaziam. Fiz vários amigos próximos então, homens cuja companhia era mais agradável para mim, e nós permanecemos amigos ao longo dos anos desde então. " "Quais foram as atividades que satisfaziam você?" Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ele sorriu em recordação. "Tornei-me um devoto de esgrima, uma prática que eu ainda continuo quando sou capaz, e que me serve bem porque eu não sou esperado a falar enquanto estou esgrimando. Eu também melhorei a minha experiência em bilhar, pela mesma razão, um fato que Bingley ainda tem motivos para se arrepender." "Você se faz soar bastante anti-social!" "Dificilmente isso; eu gostava da companhia dos que eu conhecia bem e confiava, mas eu ainda não tinha aprendido a superar minha timidez natural. Eu era muito parecido como Georgiana é agora, e é por isso que eu não gosto de forçála a se socializar, e em vez disso eu a incentivo a encontrar amigos em uma maneira que seja mais tolerável para ela. Eu não posso imaginar que ela algum dia vai se sentir mais conforto ou prazer do que eu nos bailes e reuniões. " Elizabeth lutou para digerir essa informação, das muitas descrições que ela poderia aplicar ao Sr. Darcy, 'tímido' jamais havia passado por sua mente, mas ele pareceu sincero e direto. Ela decidiu que ela deveria considerar essa revelação mais adiante quando ela tivesse mais tempo livre para refletir sobre isso. "Georgiana é afortunada de ter um tutor tão compreensivo, então." "Talvez ela seja, mas estou ciente que eu posso estar fazendo um desserviço à ela em não forçá-la a aprender a lidar com sua timidez. Às vezes me pergunto se minha proteção faz a timidez dela pior." Ela sorriu para ele, e impulsivamente deitou a cabeça no ombro dele. "Você se preocupa muito, ao que parece." Darcy esqueceu de respirar na agitação de prazer que o gesto carinhoso dela lhe causou, e desejou que ele pudesse sustentar este momento para sempre. Ele desejava retribuir, puxá-la para perto e enterrar o rosto em seu cabelo, mas desta vez ele lembrou a necessidade de subjugar seus próprios desejos, que o incentivo mais eficaz que ele poderia dar a ela era não assustá-la. O desejo de tocá-la era mais Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


do que poderia completamente suprimir, no entanto, ele viu-se girando a mão dela na sua, para que ele pudesse tocar a pele macia do interior dos dedos e palma da mão dela. Quando ele inclinou a cabeça um pouco para observá-la melhor, um dos cachos dela roçou suavemente contra o seu rosto com uma sensação que o deixou dolorosamente consciente de sua necessidade por ela. A resposta dele à ação dela tinha perturbado a sua atenção para a conversa, e só com

esforço ele foi capaz de lembrar o que tinha a dizer. "Eu admito que a

preocupação é um dos meus defeitos. Isso vem como uma surpresa para você, então?" Ele congratulou-se por ter construído uma frase articulada sob estas circunstâncias. Um sorriso cruzou os lábios dela. "Confesso que eu estava começando a pegar uma sugestão disso, senhor." Ironicamente, ela estava naquele momento fazendo um excelente trabalho em preocupar-se, imaginando que impulso caprichoso tinha a incitado a colocar a cabeça dela contra ele, num momento em que ela sabia muito bem que ela deveria evitar até mesmo a aparência de encorajá-lo. Como ela poderia culpá-lo por presumir tanto quando ela insistia em se comportar como se ela desejasse e encorajasse os seus avanços? Ele pegou ela de surpresa expressando suas inseguranças sobre o seu comportamento, tão diferente da sua habitual agravante prepotência, mas não havia nenhuma desculpa para o comportamento inadequado dela. Já era passado o tempo de ela admitir que sua reação física à Darcy tinha ido além de seu controle, um pensamento que tanto assustava quanto horrorizava ela, já que ia contra a sua longa crença na sua própria capacidade de conter-se. No entanto, não poderia ser negada; um motivo tão pequeno quanto as carícias dele na sua sua palma criavam uma aflição tão grande dentro dela que ela sabia que, se ele tentasse beijá-la novamente, ela não colocaria resistência, e iria contra a sua vontade acolher com prazer o toque dele. A constatação de que ela estava em risco de Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


permitir liberdades o suficiente para sentir-se obrigada a casar foi suficientemente alarmante para substituir a tentação de continuar a desfrutar das atenções dele. Sem qualquer sinal externo de sua angústia, Elizabeth sugeriu que era hora de eles voltarem a Netherfield, e Darcy, embora muito relutante em acabar com o interlúdio encantador, conseguiu concordar em uma forma apropriadamente cavalheiresca, deste modo permitindo que eles começassem a caminhada de volta em uma maneira harmoniosa que conseguiram manter, até chegar ao seu destino. Em Netherfield, Elizabeth expressou o desejo de saber da saúde Georgiana antes de sua partida para Longbourn, um pedido a que Darcy acedeu prontamente, pois ele estava feliz por qualquer desculpa para prolongar o seu contato. A paciente acabou por melhorar substancialmente na ausência deles, e estava de fato fora da cama e apreciando o sol pela janela da sala de estar. Darcy calorosamente expressou sua satisfação na recuperação dela, um sentimento que Elizabeth ecoava com pouco mais de reserva, sendo as suas suspeitas levantadas de que a doença de Georgiana poderia ter sido um artifício para colocar seu irmão e sua amiga sozinhos por um período prolongado de tempo. "Georgiana, Miss Bennet revelou uma notícia muito interessante para mim hoje. Acontece que as suas próximas viagens irão levá-la para Derbyshire, e que ela vai passar algum tempo em Lambton," disse Darcy. "Sério?" Exclamou Georgiana, seu olhos brilhantes de entusiasmo. "Você tem de vir a Pemberley, então! Eu prefiro muito mais ir para Pemberley do que para Londres, nós não estivemos lá desde dezembro. Não poderíamos fazer isso, William?" "Se esse for o seu desejo, certamente podemos, eu não tinha tomado uma decisão entre Pemberley e Londres ainda, e nós tínhamos planejado originalmente viajar até lá mais tarde este verão," disse Darcy indulgentemente. Elizabeth olhou para ele com ar divertido, pensando em como nitidamente ele Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


tinha posto aquela decisão sobre a irmã, sabendo muito bem o que ela iria sugerir. Ela sabia que o assunto de Derbyshire não seria descartado tão facilmente como tinha sido na caminhada deles, mas ela não estava à espera de uma emboscada no assunto tão rapidamente. "Eu peço que você não baseie seus planos nos meus, vou estar à disposição da minha tia e meu tio durante a nossa viagem, e eles já têm planejado um roteiro." "Ah, mas Pemberley seria uma excelente localização para visitar muitas das atrações de Derbyshire! Por favor, você deve nos permitir convidar o seu tio e tia, eu adoraria tanto tê-la em Pemberley,” disse Georgiana. Isto era um pouco mais forte do que Elizabeth esperava; ela tinha pensado que seria convidada para visitar Pemberley, não para ficar lá. Ela suspeitava que Georgiana não entendia sobre as relações sociais dela – Darcy tinha aprendido a ser educado com sua família, mas ter alguns deles para ficar em Pemberley era suscetível de ser uma questão diferente. "O convite é muito gracioso, e certamente eu ficaria muito feliz se surgisse a oportunidade de ver você enquanto eu estiver em Lambton, mas insisto que não posso dizer nada sobre o planejamento de nossa viagem." Georgiana, no entanto, não seria facilmente recusada, e pediu a Elizabeth que considerasse a possibilidade, até que Darcy, que tinha conseguido ficar de fora da discussão, a resgatou, oferecendo-se para levá-la para casa. Eles saíram em sua forma habitual, e quando eles foram embora, Elizabeth, seguindo o ritual deles, escorregou sua mão na dele. Darcy olhou para ela com um sorriso que aqueceu seu rosto apropriadamente. "Você tem alguma idéia de quanto prazer você me dá fazendo isso?" Ele perguntou baixinho. Elizabeth, que muito preferia não ouvir sobre isso, especialmente quando o seu interior parecia dar uma guinada muito peculiar às palavras deles, tentou evitar uma discussão séria, respondendo de forma lúdica, "Espero que o suficiente para Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


compensar uma pequena fração do problema que eu causo à você! " Ele olhou para ela sério. "Eu não gostaria de estar em qualquer outro lugar." Suas bochechas aqueceram, Elizabeth baixou os olhos. "Sr. Darcy, prefiro não entrar nessa discussão neste momento," disse ela em uma voz mal acima de um sussurro. "Como você quiser, então," ele disse, tão neutro quanto podia. Ele se perguntou se ela tinha alguma idéia do que isso era para ele, esperando por dias para nada mais do que a chance de algumas horas com ela, e somente um pouco de tempo sozinhos. Como era para ele permacer são, quando ele era forçado a esperar por ela deixá-lo segurar a mão dela, quando o que ele queria era tomá-la em seus braços e beijá-la de tal maneira a marcá-la para sempre sua - como era amá-la desesperadamente, sonhar todas as noites de levá-la em sua cama, e tanto precisar do seu afeto e aprovação, ainda assim apenas para receber sinais ambíguos sobre os sentimentos dela sobre as suas atenções. Ela lhe ensinou da maneira mais difícil sobre humildade e, por Deus, agora ela estava fazendo a mesma coisa sobre paciência, e ele odiava essa lição, tanto quanto a anterior. Talvez isso estava se tornando muito intenso. Talvez ele precisasse se lembrar que ele tinha outras responsabilidades na vida além de seduzir Elizabeth Bennet. Um pouco de perspectiva poderia ajudá-lo através disso. Se ela mantivesse o seu padrão habitual, seriam dois, ou mais provavelmente três dias até que ele a visse novamente. Talvez uma ou duas noites em Londres fosse o que ele precisava. Certamente ele tinha negócios o bastante acumulando-se lá que exigiam a sua atenção. E então, se ele pudesse levá-la a Pemberley, mesmo por apenas alguns dias, onde ele poderia vê-la todos os dias, todas as manhãs no café da manhã, todas as tardes, onde poderia levá-la para passear pelos jardins e pelo parque sem ter que se preocupar com o que pais dela iriam pensar, ou quem iria vê-los. . . Se você não parar de pensar dessa maneira imediatamente, ele disse a si mesmo com Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


severidade, você vai acabar fazendo algo precipitado que você certamente irá se arrepender depois. Pense em Londres. Pense em qualquer outra coisa. Elizabeth tinha notado a reserva dele após a sua conversa anterior. Ela ficou inicialmente feliz que ele tivesse atendido seu pedido para interromper a discussão, mas agora estava menos feliz com o resultado, pois o comportamento dele não era mais o que ela esperava sob essas circunstâncias. Eles nunca falavam muito nestes passeios, mas ele sempre usava esse breve período de tempo sozinhos para olhar para ela com um fervor que era escondido em outros momentos, e aproveitava todas as vantagens possíveis em acariciar a mão dela. Agora, ele parecia mais retraído, mas talvez fosse apenas porque eles já haviam tido uma grande quantidade de tempo juntos naquele dia. Ela estava começando a compreendê-lo o suficiente, no entanto, e suspeitou que este não era o caso, e ela se perguntou o que a causa poderia ser. Talvez ele estava mais desanimado por seu pedido anterior de não falar dos sentimentos dele do que ela pensava, ou talvez tivesse sido uma recusa a mais do ele se sentia preparado para suportar depois de ela ter evitado também o convite para Pemberley. Eles tinham certamente feito a sua parte de brigas no início do dia, e ela havia necessitado limitar a familiaridade dele em mais de uma ocasião, isso também poderia ser interpretado como desencorajador. Bem, se ele estava perturbado pelas decisões dela, a posição dele era indefensável, pois ela havia sido mais do que justificada em cada uma de suas recusas, e sem dúvida ela deveria ter levado essas recusas muito mais longe do que tinha levado. Quando ela começou a sentir-se irritada, ela se lembrou que ele não tinha de fato feito qualquer queixa sobre suas ações, nem ele estava agindo de forma irritada, e se os sentimentos dele eram de desapontamento ou desalento, bem, certamente o pobre homem tinha direito a quaisquer sentimentos que ele escolhesse, desde que ele não tentasse os impor sobre ela. Não, ela não tinha nenhuma razão de queixa na reação dele, ela Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


simplesmente não gostava de vê-lo infeliz. Com um impulso que ela não queria inspecionar de perto, ela falou o nome dele e, quando ele se virou para olhar para ela, estendeu a mão e roçou seus lábios muito rapidamente e levemente contra os dele. Ela nunca tinha visto ele parecer tão assustado, e ela olhou para baixo com um pequeno sorriso satisfeito. Com um sentimento de alegria incrédula, ele freou os cavalos, e, quando a carruagem parou, disse: "Bem, Miss Bennet, se seus pais já lhe disseram que você nunca deve distrair o motorista, eu estou feliz que você certamente optou por não seguir as instruções deles." Ela roubou uma rápida olhada para ele, com vergonha de olhar para ele diretamente. "Seus cavalos parecem estar bem treinados o suficiente para conseguir ficar na estrada por um momento." "Meus cavalos são admiravelmente treinados. No entanto, agora que você tem a minha atenção total e completa, não posso deixar de perguntar se há alguma chance de convencer você a considerar a repetição de sua ação." "E você diz ser tímido!", Brincou ela. "Com motivação suficiente, eu posso superá-la, e creio que estou mais do que suficientemente motivado no momento." Ela ainda mal conseguia olhar para ele, mas conseguiu cumprir com o pedido dele, apesar de suas bochechas queimando. Foi tão rápido que ela sentiu uma resposta mais à sua ousadia do que ao contato breve. Darcy estava conseguindo o quase impossível, parecendo calmo e satisfeito apesar de se sentir longe de calmo. Novamente ele tinha sido mais bem sucedido quando ele permitiu que Elizabeth definisse o ritmo e não exigindo mais do que ela se sentia pronta para dar, e ele estava determinado a não dá-la razão para lamentar a sua ação. Ele estava decidido a não cometer o erro de pedir muito mais, e não fez nenhum esforço para ir além do breve, leve contato que ela havia iniciado, apesar Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


de seu forte impulso de capturar os lábios dela com os seus próprios e beber sua satisfação dela. Ele viu como ela estava embaraçada, e achou melhor manter a sua resposta mínima, mas não pode se impedir de se inclinar para baixo e roubar mais um beijo dela, de não mais duração ou profundidade do que os que ela tinha lhe dado livremente. Com um esforço, ele enrijeceu-se, pegou as rédeas, e partiu novamente, só então, permitiu-se a glória no fato de que Elizabeth havia o beijado por sua própria livre vontade. Deus, mas ela era cheia de surpresas! Justo quando ele pensava que não havia progresso, também. Apertou a mão sobre a dela, e ficou encantado ao sentir ela retornar a pressão. Cedo demais eles estavam se aproximando de Longbourn. Darcy parou apenas fora da vista da casa para ter um momento para beijar a mão dela, e em um impulso virou a mão para colocar um beijo em sua palma, em seguida um sobre a pele delicada dentro de seu pulso. Ele ouviu a respiração aguda dela com o maior prazer. Ela estava olhando para ele de novo, com confusão, mas sem desprazer nem medo. "Obrigado por hoje," ele disse baixinho antes de trazer a carruagem até a porta. "Bom dia, Sr. Darcy,” disse ela, com mais serenidade do que ela sentia. "Bom dia, Miss Bennet," ele respondeu. Ele observou-a até que ela entrou na porta, e foi embora, cheio de alegria. Naquela noite, enquanto Elizabeth sentou-se para pentear o cabelo, ela pensou sobre os acontecimentos do dia com alguma agitação. Ela já não podia dizer com honestidade que ela não tinha sentimentos por Darcy. Se nada mais, ele afetava-a poderosamente no nível físico, mais, na verdade, do que ela pensava ser possível. Que a incomodava quando ele estava angustiado, e que ela queria protegê-lo, era inegável, ela sentia um real interesse no bem-estar dele, mas ainda duvidava da sabedoria de permitir que aquele bem estar dependesse dela mesma. Sua perturbação principal estava na causa, ou a falta dela, para sua mudança de Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


sentimentos em relação a ele. Ela gostava da companhia dele mais do que ela tinha no passado, e o comportamento dele de cuidado para com a irmã foi um depoimento em seu favor, mas o fato é que ele era um homem acostumado a estar no controle de tudo ao redor dele. Ele estava acostumado a fazer arranjos como lhe aprouvesse, inclusive tomando decisões em nome de outros, e ele estava conseguindo fazer o mesmo com ela a um grau inquietante. Ele não hesitou em deixá-la saber o que ele queria, ou que tinha a intenção de persistir até que ele conseguisse. Por mais que tentase, ela era incapaz de recordar qualquer instância em todo o seu conhecimento em que ele tivesse se submetido a vontade de outros. Nem, além de sua óbvia preocupação por sua irmã, ela podia lembrar-se qualquer exemplo claro de bondade ou benevolência para continuar a estabelecer seu caráter. Algum do apelo da companhia dele no momento estava relacionado à sua própria vaidade e desejo de companhia. Desde o noivado de Jane, ela teve pouco tempo para conceder a sua irmã, pois enquanto Bingley estava presente, ela não tinha atenção para mais ninguém, e na ausência dele, ela falava de nada além dele. Assim Elizabeth foi privada da sua confidente e amiga mais próxima e, com Charlotte há muito tempo longe, haviam poucas outras fontes de companhia agradável. Como ela não poderia estar satisfeita de ter um homem da sensibilidade de Darcy à sua disposição, com nenhum outro objetivo senão agradá-la e atendê-la sempre que ela desejasse? Um romance baseado na solidão dela e na disponibilidade dele dificilmente parecia destinado ao sucesso, e sugeriu a idéia perturbadora de que Elizabeth estava se aproveitando dos sentimentos de Darcy para suas próprias finalidades. Porque não poderia ela ter se apaixonado por alguém como o primo dele, o coronel Fitzwilliam, que era amável, interessante e calmo, alguém sem a tendência ao afastamento e a capacidade de ruminar, que não era sempre um mistério? Ela tinha observado cada passo do caminho quando Bingley se apaixonou por Jane, e Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


ela viu admiração, carinho, atenção, e prazer na companhia dela, mas nunca a intensidade assustadora com que Darcy muitas vezes exibida com relação a ela. E realmente não havia dúvidas, ela finalmente admitiu para seu reflexo no espelho, que ela estava se apaixonando por ele. A idéia a apavorava. Ela sempre zombou das heroínas dos romances que se apaixonavam pelo homem errado, ainda assim de que outra forma ela poderia caracterizar isso? Que tipo de base para um casamento era a atração física e carinho para a atenção de um amante? A corte era breve e o casamento longo, e enquanto ele estava mais atento agora, o que poderia acontecer quando a corte terminasse e ela estivesse conquistada? Haveria um retorno aos dias de sua observação silenciosa dela? Isto é insuportável, ela pensou. Ela queria estar com ele, para sentir o prazer que somente o toque dele poderia trazer a ela e, ao mesmo tempo, ela temia o resultado. Ela nunca admitiria ser controlada, e ele já parecia ter muito poder sobre seus sentimentos. Ela sabia o que deveria fazer - seguir o conselho que ela mesma daria a essas heroínas românticas, que era para acabar com isso agora, antes que fosse mais longe, dizendo a elas que as suas esperanças eram em vão, para tentar recuperar-se enquanto ela ainda tinha o poder, para que algum dia no futuro ela pudesse ter a oportunidade de amar um homem mais adequado para ela. Mas isso já tinha ido longe demais para ela desistir dele. Ela poderia tentar diminuir o ritmo do romance deles, embora ela não teria qualquer cooperação de Darcy a este respeito, e ela poderia tentar conter a intensidade; ela podia vê-lo com menos frequência, evitar passar tempo a sós com ele, limitar as liberdades que ela o permitia, como ela certamente deveria em qualquer caso. E ela devia ficar longe de Pemberley e qualquer sugestão de um futuro para ela na casa dele, em seus termos.

Georgiana não estava ansiosa por este dia por muitas razões. Ela estava Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


gostando de desfrutar da companhia animada de Elizabeth, mas ela não tinha sido capaz de vê-la por vários dias devido a uma sucessão de chuvas. Não ajudava que William tinha estado andando pelos salões de Netherfield como um leão enjaulado pelo mesmo período de tempo, e dificilmente tinha sido uma companhia agradável. Ele estava começando a irritar Georgiana pois ele insistia que nada de anormal estava acontecendo e que Elizabeth não era mais que uma conhecida. Será que ele a achava tão cega? Ela sorriu ao pensar em como seu irmão ficava sempre que via Elizabeth. Se ao menos ele conseguisse a coragem para propor para ela! Quando ela os mandou juntos para Gadebridge Hill, ela esperava que o passeio daria à ele a sua chance, mas isso se revelou uma decepção. Mas a irritabilidade de William e a falta da companhia de Elizabeth não incomodava-a tanto quanto a perspectiva de passar o dia com Miss Bingley, que havia chegado, juntamente com o Hursts, no dia anterior. Miss Bingley seria, como sempre, mais atenciosa com ela, e ela teria de tolerar seus elogios insinceros, o que era problemático para ela pois Miss Bingley fazia comentários humilhantes sobre todos que não eram nem um Bingley nem um Darcy. Ela não era cega quanto à verdadeira intenção da cortesia de Miss Bingley para com ela, ela tinha vivido com medo por algum tempo que William iria cair em seus laços, e tinha ficado muito aliviada quando um dia ele deixou clara a opinião dele sobre a irmã do seu amigo em uma conversa com ela. Agora, ela não tinha preocupações sobre este assunto, além de como Miss Bingley reagiria às atenções de William para Elizabeth. Ela se preparou para descer. Ela tinha adiado o quanto ela pode, tendo o café da manhã trazido para o quarto dela, mas William iria pensar que algo estava errado se ela não aparecesse em breve. Talvez ela poderia escapar rapidamente para a prática de sua música, de preferência por um longo tempo. "Minha querida Georgiana!" Vieram os tons de mel de Miss Bingley logo que ela entrou na sala. "Estou tão contente de vê-la. Eu estava começando a temer que Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


você pudesse estar doente. Como você parece encantadora esta manhã! " "Obrigado," disse ela baixinho. "Estou bem." Seus olhos se lançaram ao redor da sala, mas ela não encontrou William. Ele já tinha feito uma fuga? "Meu irmão está aqui? Há algo que eu queria dizer a ele. " "Ele e Charles nos abandonaram, eu temo. Eles foram para Longbourn com a intenção de convidar a querida Jane para jantar conosco hoje. Georgiana não perdeu o veneno suave na voz de Miss Bingley, quando ela falou o nome de sua futura irmã, nem o desprezo, quando ela mencionou Longbourn. Ela arregalou os olhos, e disse: "Oh, eu lamento tanto ter perdido eles! Eu adoro visitar Longbourn. Todo mundo lá é muito animado e agradável.” Ela esperava que nem William nem Bingley

mencionassem que na ocasião que ela tinha visitado

Longbourn, ela tinha ficado muito nervosa para dizer mais do que cinco palavras para ninguém a não ser Elizabeth. Miss Bingley pareceu surpresa, mas se recuperou rapidamente. "Estou tão contente de ouvir que você encontrou amigos aqui. Eu tinha me preocupado de que você pudesse ficar solitária, já que a sociedade do campo é tão limitada." "Oh, eu não achei limitada de maneira alguma! Me lembra de Pemberley. Mas se Miss Bennet está vindo para o jantar, é melhor eu ir praticar agora. Prometi a William que eu trabalharia fielmente todos os dias no meu Mozart.” Georgiana se apressou a sair, mas foi forçado por polidez a ouvir várias rodadas de elogios sobre sua capacidade musical e dedicação à prática antes que ela pudesse retirar-se para a paz da sala de música .

O jantar foi mais agradável para Georgiana pela adição de Elizabeth ao grupo, uma mudança que claramente não havia sido comunicada anteriormente à Miss Bingley, a julgar pelo olhar em seu rosto quando os convidados chegaram. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Georgiana ficou ao lado de Elizabeth tanto quanto ela podia, apesar dos esforços freqüentes de Miss Bingley para deixá-la fora da conversa. Elizabeth pareceu nem um pouco intimidada por Miss Bingley ou pela Sra. Hurst, mas satisfez a cortês ironia delas com agradável conversa, mostrando-se mais verdadeiramente bemeducada do que os outros. Darcy estava menos satisfeito com o andamento da noite. Ele tinha se acostumado a passar o tempo com Elizabeth a sós ou com a presença de Georgiana apenas, uma situação em que a inteligência e as provocações dela eram autorizadas a rédeas soltas, para seu deleite. Ela era mais moderada em companhia, sem dúvida devido à necessidade de afastar os comentários das irmãs de Bingley. Era claro que ele não teria ela para si mesmo nem por um minuto, uma situação que não era do seu agrado, especialmente depois do último encontro deles. Seu estado de espírito teria sido melhorado se ele soubesse que Elizabeth compartilhava alguns desses sentimentos. Em geral, ela disse a si mesma com firmeza, que a presença de Miss Bingley seria útil, uma vez que ela faria tudo ao seu alcance para evitar que Darcy ficasse a sós com Elizabeth. Mas ela não podia deixar de sentir falta do intenso olhar caloroso e do toque dele. O único momento de alívio veio quando Darcy e Bingley as conduziram até a carruagem, e, enquanto Jane e Bingley davam um ao outro um adeus prolongado, Darcy teve a oportunidade de segurar a mão dela mais do que o necessário quando ajudou ela a entrar na carruagem. Quando os cavalheiros retornaram para dentro, foi para descobrir Miss Bingley, que tinha cuidadosamente notado onde as atenções de Darcy se demoraram durante a noite, desafogando seus sentimentos em críticas à pessoa, ao comportamento e ao vestido de Elizabeth. “Da minha própria parte, devo confessar que eu nunca pude ver qualquer beleza nela. Seu rosto é muito fino; a pele não tem frescor e os traços não são nada bonitos. O nariz é insignificante e não tem nada Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


distinto nas suas linhas. Seus dentes são toleráveis, mas nada fora do comum, e quanto aos seus olhos, que algumas vezes foram chamados de belos...” “Eu acho ela adorável,” Georgiana interrompeu, seu coração batendo tão alto que ela tinha certeza que poderia ser ouvido em Longbourn. A atenção do grupo inteiro se voltou imediatamente em resposta à este comportamento fora do comum da parte dela. Darcy olhou para ela como se ela de repente tivesse se tornado uma estranha, apesar de não de uma maneira insatisfatória. Miss Bingley se recuperou rapidamente, e, embora ela devesse ter reconhecido que ela não estava se recomendando nem para Darcy ou para Georgiana, pessoas com raiva nem sempre são sábias. Ela continuou, “Eu me lembro, quando a conhecemos a primeira vez, e quão surpresos nós todos ficamos ao descobrir que ela tivesse a reputação de beldade; e eu particularmente me recordo de você dizendo uma noite, Sr. Darcy, depois que tinham jantado em Netherfield, 'Ela uma beldade! Eu deveria então chamar a mãe dela de inteligente.' Mas a partir daí ela parece ter melhorado para você, eu acredito.” Os olhos de Georgiana voltaram-se para o irmão cheios de reprovação chocada, mal capaz de acreditar que ele pudesse ter dito tal coisa, mas quando ele não negou, ela disse, surpresa pela ousadia dela, “Miss Bingley, Elizabeth é uma querida amiga minha, e eu irei agradecê-la por não falar desta maneira na minha presença. Eu acho ela agradável, inteligente, generosa e acima de tudo muito bem educada para fazer este tipo de comentário depreciativo.” Assim que as palavras pararam de sair da sua boca, ela percebeu que tinha ido longe demais. Com um olhar arrasado, ela sussurrou um boa noite para a sala, virou-se e fugiu. Bingley se recuperou primeiro. “Bem Darcy, sua irmãzinha está crescendo! Você vai ter as suas mãos cheias com ela muito em breve” “Eu vou de fato,” disse Darcy, pensativo. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Miss Bingley não pode se conter. “A julgar pelo comportamento dela, eu não posso dizer que acredito que Miss Elizabeth Bennet seja uma boa influência para Georgiana, Sr. Darcy.” “Bem pelo contrário,” ele disse com um sorriso, pensando em quanto ele iria apreciar contar uma versão editada dessa história para Elizabeth. “Eu acredito que ela é justo o que Georgiana precisa.” Ele então se afastou, e a Miss Bingley foi deixada toda a satisfação de tê-lo forçado a dizer o que magoava a ninguém mais além dela mesma.

Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Capítulo 4

Não ouve resposta quando Darcy bateu na porta do quarto de Georgiana. Suspeitando que ela estava se escondendo, ele disse, “Georgiana, é William. Eu sei que você está aí; por favor abra a porta.” Um momento depois sua irmã apareceu e o deixou entrar em sua sala de estar. Ela não encontrou seus olhos e parecia como se ela estivesse esperando uma repreensão. “Eu queria ver se você estava bem; você parecia chateada quando saiu,” ele disse desajeitadamente. "Estou bem," respondeu ela calmamente. "Você está bravo comigo?" "Longe disso. Fiquei orgulhoso por você falar francamente com Miss Bingley." Ela não respondeu. Darcy se mexeu na cadeira desconfortavelmente, imaginando o que no mundo ele diria a ela. Elizabeth saberia, pensou ele, e se entregou a uma breve fantasia de cavalgar até Longbourn e dizer a Elizabeth que ele precisava dela para falar com Georgiana por ele. Então, quando ele estivesse trazendo ela de volta, ele iria tomá-la em seus braços e mostraria a ela toda a paixão que ele esteve escondendo. Ele empurrou os pensamentos para longe com firmeza. “Porquê você não disse nada quando ela estava sendo tão horrível sobre Elizabeth?” Darcy suspirou. “Essa é uma pergunta perfeitamente razoável. Eu imaginei que eu teria que dizer alguma coisa cedo ou tarde, mas eu desenvolvi uma certa tolerância aos comentários de Miss Bingley, e presto pouca atenção neles. E também, quanto mais ciúmes Miss Bingley tiver do meu afeto por Miss Bennet, mais ofensivamente ela vai ameaçá-la, então eu protejo Miss Bennet não dizendo nada.” “Eu nunca pensei sobre esta parte. Mas você realmente disse aquelas coisas Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


terríveis sobre Elizabeth e a mãe dela?” Ele jurou para si mesmo que se ele algum dia conseguisse convencer Elizabeth a casar-se com ele, ela teria que lidar com todas as conversas sérias com Georgiana. Ela nunca tinha questionado o comportamento dele, e certamente não desta maneira. “Sim, eu disse, ou algo muito parecido. Eu disse muitas coisas equivocadas na minha vida que eu me arrependo, e esta seria a principal da lista.” Georgiana mordeu o lábio, se perguntando se ela realmente ousaria fazer a pergunta que ela mais desejava que fosse respondida. “Você vai propor casamento à Elizabeth?” Darcy estava de costas em sólido chão agora. “Miss Bennet e eu somos só amigos.” “Não há necessidade de me tratar como uma criança, eu tenho visto como você olha para ela.” “Este é um assunto particular, Georgiana.” ele disse em uma voz que declarava o assunto encerrado. Georgiana retrocedeu. Não ainda pronta para abertamente desafiá-lo. Talvez ela devesse perguntar à Elizabeth.

Darcy não conseguia se lembrar de qualquer circunstância em que ele estivesse tão irritado com sua irmã como ele estava quando ela começou a próxima visita de Elizabeth anunciando que ela estava ansiando por uma visita com Elizabeth a sós, e prontamente a levou para a sua sala. Ele tentou consolar-se com o conhecimento que ele seria incapaz de conversar com ela em particular de qualquer maneira, muito menos prosseguir com o maravilhoso final do recente dia deles juntos, mas ele estava em um ponto de sentir um grau tão grande de privação da companhia dela que a sua irritação permaneceu inalterada. Tinha se passado uma semana desde o dia que ela tinha o beijado, e ele não tinha tido um minuto sozinho com ela Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


desde então. Era o suficiente para levar um homem à loucura, ou no mínimo contemplar um sequestro. Elizabeth deu a ele um olhar simpático em resposta ao seu óbvio descontentamento antes de ela e Georgiana se afastarem, mas ele proveu pouco conforto. Darcy estava obcecado com

as muitas coisas a que ele estava sendo

negado no momento: ele ansiava por tempo sozinho com Elizabeth, ele queria a oportunidade de beijá-la novamente, ele precisava saber o que ela estava sentindo por ele, e acima de tudo, ele desejava o amor dela. Ele odiava estar tão intrigado pelo estado de sua afeição por ele, ela obviamente sentia alguma coisa, mas quanto era atração e quanto era afeto confundia-o. Às vezes, ele achava que detectava a preocupação dela por ele, mas novamente, ela nunca parecia particularmente feliz por vê-lo, e era mais provável cumprimentar Bingley ou Georgiana com um sorriso caloroso do que ele. Ele tinha visto desejo nos olhos dela, mas não um olhar de ternura ou afeição. Era irônico, quando ele propôs para ela em Kent, ele não tinha estado particularmente preocupado se ela gostava dele – desde que ela estivesse disposta a casar com ele, o motivo não era importante. Agora era o carinho que o preocupava mais, e seria um amargo fim de fato ganhá-la por qualquer motivo senão amor. Ele balançou a cabeça e decidiu que se ele não podia estar com Elizabeth, ele poderia muito bem ser produtivo, e retirou-se para a sala que ele usava como escritório para enfrentar a enorme pilha de papéis que seu administrador lhe tinha enviado. Elizabeth não estava nem um pouco confusa sobre como Darcy estava se sentindo no momento, já que ele tinha feito um trabalho abismal escondendo sua frustração. Ela estava inclinada a simpatizar, como ela tinha sentido falta da companhia dele também, mas ela também estava divertindo-se com a assertividade incomum de Georgiana, e curiosa quanto ao motivo de ela não querer Darcy presente, especialmente porque ela era da opinião de que Georgiana queria os dois Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


juntos tanto quanto possível. Ela suspeitava que Georgiana queria confidenciar-se com ela, mas isto estava longe da verdade. Georgiana, cansada de ser deixada no escuro, estava na verdade preparando-se para interrogar Elizabeth, e sua única incerteza era o quão direta ser sobre suas intenções. Ela eventualmente escolheu ser direta, principalmente sem dúvidas em sua própria capacidade de ser sutil, mas também sentindo que isso poderia ser mais adequado para Elizabeth. Ela sentiu que era melhor, contudo, começar com as perguntas relativamente simples. "Você já pensou mais sobre vir a Pemberley?” Elizabeth suspirou. Toda vez que ela via Georgiana, este assunto surgia novamente. Darcy, por outro lado, evitou cuidadosamente qualquer menção de Pemberley com ela. "Não há realmente nada para mim pensar, já que, como eu disse, a decisão não é minha." "Parece como se você preferisse não nos visitar,", disse ela um tanto melancólica. "Georgiana, eu teria o maior prazer em visitá-la, mas esta visita particular, é problemática. Você nunca conheceu minha tia e meu tio, e eles se movem em círculos sociais muito diferentes do que você. Eu acho que seria preferível que nós simplesmente visitássemos você." "Eu gostaria de conhecê-los, e estou certa de que eles seriam uma companhia mais agradável do que Miss Bingley e os Hursts!" "Eu confesso que eu acho que sim, mas isso pouco importa." "Claro que sim! Estou certa de que William iria desfrutar da companhia deles também.” Fez uma pausa e depois perguntou: "Posso perguntar se você está prometida para outra pessoa?" Elizabeth olhou para ela com grande surpresa. "Não, eu não estou prometida para ninguém. Por que você pergunta?" "Foi apenas um pensamento. Quando meu primo, o coronel Fitzwilliam, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


escreveu-me da última vez, ele disse que eu deveria contar a história da corte dos meus pais, e isso me fez pensar, porque minha mãe tinha sido prometida para outro homem." "E qual, por favor, é a história da corte deles?" Elizabeth perguntou que papel o coronel poderia estar jogando, e se ele estava falando em nome de Darcy, ou o seu próprio. "Bem, eu não sei todos os detalhes, porque todo mundo parou de falar sobre isso depois que minha mãe morreu, e é muito mais divertido quando o meu tio conta. Então, você realmente deve perguntar ao William, ou Richard, ou meu tio." "Mas você deve saber os contornos da história, pelo menos." "Oh, sim. Bem, quando meu pai conheceu minha mãe, ele anunciou que ia casar com ela, e propôs a ela todos os dias por um longo tempo, e depois de alguma forma foi resolvido com o noivo dela terminar o noivado. Foi mais complicado do que isso, mas como eu disse, eu não sei os detalhes. " "Uma história interessante," disse Elizabeth, divertindo-se com o que ela assumiu ser a moral da história a respeito da persistência dos homens da família de Darcy. "Você se lembra bem de sua mãe?" "Só um pouco, eu tinha cinco anos quando ela morreu, e ela esteve doente toda a minha vida, ou pelo menos nunca bem. Ela nunca se recuperou completamente do meu nascimento. Ela e William eram próximos, porém, foi difícil para ele quando ela morreu, eu acho." "Deve ter sido difícil para todos vocês." "Eu mal entendia o que estava acontecendo, mas eu sei que meu pai ficou arrasado. Ele e William tiveram alguns problemas depois disso." "Ah?" Elizabeth descobriu que ela estava muito interessada em ouvir sobre anos anteriores de Darcy. "Pelo que entendi, meu pai teve dificuldades em estar perto de William por um Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


tempo, porque ele lembrava tanto da nossa mãe. E então ali estava... Uma pessoa, um favorito de meu pai, que tentou jogá-lo contra William para seu próprio benefício. Depois disso, nunca mais foi a mesma confiança entre eles, o que afligia William, que queria muito agradá-lo. Creio que foi um pouco melhor no final, quando meu pai estava morrendo, e William voltou para casa para assumir a gestão da propriedade, e ele pôde ver o quão sério William foi sobre isso.” Georgiana arriscou um olhar para Elizabeth, se perguntando o que ela achava disso. "Eu imagino que ele seria muito sério sobre isso." "Oh, sim, e depois meu pai morreu, William não tinha tempo para nada senão para a gestão de Pemberley. Tinha havido alguma má gestão no último ano de vida do meu pai, depois que o seu administrador morreu, e, claro que William tinha muito para aprender. Lembro-me que sempre que eu queria vê-lo, ele estaria fora na propriedade ou enterrado atrás de uma enorme pilha de papel no escritório. Mas ele sempre encontrou tempo para mim, de qualquer maneira." "Um ideal irmão mais velho." "Oh, sim! Não poderia haver um melhor. Você está apaixonada por ele? " Elizabeth não pôde deixar de sorrir com a indelicadeza e a seriedade da pergunta. Lembrou-a do comportamento de Darcy, mas o que parecia exigente nele era mais agradável em sua irmã. "Essa é uma questão muito pessoal," disse ela suavemente. Georgiana, pareceu desapontada. "Eu peço desculpas. Eu. . . É tão frustrante ver William, e não saber o que está acontecendo, ou porque ele não apenas propôs para você. . . . Lamento, eu não deveria ter dito isso também." "Parece que você precisa fazer estas perguntas para ele, não para mim." Georgiana fez uma careta. "Sim, e então ele começa a agir como se eu ainda estivesse com onze anos, e me diz que vocês são apenas amigos em sua 'não faça mais perguntas' voz. E eu acho que ele é a razão pela qual você está evitando ir a Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Pemberley, embora eu esteja perdida sobre o motivo disso." Elizabeth não pôde deixar de rir dessa caracterização, que parecia muito apropriada a ela. Ela poderia muito bem imaginar o quão frustrante deveria ser para Georgiana - ainda mais frustrante do que a persistência de Georgiana sobre a questão da Pemberley estava se tornando. "Seu irmão e eu somos de temperamento forte, e isso significa que temos uma série de dificuldades para trabalhar entre nós antes de podermos sequer começar a discutir casamento. Nós também somos propensos a explosivas e dolorosas brigas. Então você não deve ser muito dura com ele por não propor, eu tenho certeza que ele deseja que fosse tão simples". "Eu não vejo por que ele tem que fazer tudo tão complicado!" disse ela petulante. Elizabeth riu, sentindo bastante pena por Darcy se a irmã estava culpando ele por não propor para ela. "Georgiana, querida, já lhe ocorreu que eu poderia ser aquela que está criando dificuldades?" "Você?" Georgiana disse em descrença. "Porque no mundo você não iria querer se casar com ele? Não há melhor homem para ser encontrado em qualquer lugar!” "Mesmo se ele ainda te trata como uma criança?" Elizabeth disse com um sorriso. "Elizabeth! Não é isso que eu quis dizer!" "Bem, como acontece, eu não gosto de ser tratada como uma criança. Mas tenha paciência conosco, minha querida, e tente não ser muito dura com o seu irmão." Uma batida na porta, e em resposta ao chamado de Georgiana de entrar, a porta se abriu para revelar um Darcy maliciosamente determinado. "Miss Bennet, eu vim para raptar você." "Para me raptar! Onde, por favor diga, você está planejando me levar, senhor?" "Quase qualquer lugar serve," respondeu Darcy em um rosnado zombeteiro. "Eu sempre quis ver a Itália," Elizabeth disse, pensativa. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


" 'Não tenteis um homem desesperado', Miss Bennet." “'Cuidado com os passos desesperados', Sr. Darcy!" Darcy deu um sorriso malicioso. "Paz! Eu vou parar tua boca." Elizabeth abriu a boca para protestar contra a conclusão óbvia, mas Darcy era rápido demais para ela, e inclinou-se para pressionar um firme beijo em seus lábios. Espantada com esse comportamento na frente da irmã dele, Elizabeth fixou um olhar sobre ele que teve pouco efeito sobre o seu olhar muito satisfeito. "Ah, o que os homens ousam fazer!" Ela respondeu. "Lembre-se, Miss Bennet, que estou desesperado." Tomou-a pela mão e puxou-a para a porta. "Por favor, desculpe-nos, Georgiana", disse ele à sua atordoada irmã. Elizabeth, divertindo-se com esse inesperado lado brincalhão e irrestrito dele, seguiu cooperativamente, se não sem receio de estar sendo observada. Felizmente, ele conseguiu levá-la até o seu escritório sem interrupção, e então soltou-a apenas para fechar a porta atrás deles e trancá-la. Quando ele se virou para ela, ela permitiu que uma sobrancelha levantada e um olhar extremamente duvidoso falassem por ela. Darcy teve a graça de parecer um pouco culpado, e ficou longe da porta. "Você está livre para sair quando quiser, Miss Bennet, mas esta casa está cheia de pessoas que parecem determinadas a nos separar, e eu não quero ser interrompido." Ele não tinha de fato planejado além deste ponto quando o pensamento lhe ocorreu que sua idéia inicial de rapto tinha algum mérito. "Bem, Sr. Darcy," disse Elizabeth, com um sorriso escondido nos lábios dela, "o que é que você quer? Não, espere, eu retiro a essa pergunta, vou pedir ao contrário, se há uma finalidade específica para este rapto." "Uma finalidade para este rapto? Talvez eu deva começar antes com sua primeira pergunta, que abordou o que eu quero," disse ele, ciente de que esta era a primeira vez que ele estava sozinho com ela em uma semana, e de como seria Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


simples para ele tomá-la em seus braços, e amaldiçoou o risco de serem pegos. Elizabeth reconheceu o olhar nos olhos dele, e sua própria reação foi o suficiente para dar-lhe dúvidas sobre a sabedoria de estar por trás de uma porta fechada com ele. Ela era suficientemente sensível aos seus desejos depois de tanto tempo sem o toque dele para responder a mais do que um olhar, e percebeu que precisava de uma distração "Eu tive uma visita esclarecedora com sua irmã," ela disse com um sorriso brincalhão. "Já que Georgiana costuma dizer tão pouco, eu não tinha percebido que, quando ela escolhe, ela pode ser quase tão persistente como alguns dos parentes dela." "Isso ela pode," disse ele, com os olhos famintos devorando-a. "E o que ela queria hoje?" "Entre outras coisas, ela persiste em seus convites para Pemberley." Ela estava começando a achar difícil pensar em nada além das traiçoeiras demandas de seu corpo pelo toque dele, seu desejo de correr seus dedos pelo cabelo dele e encontrar os seus lábios com os seus próprios. Em um esforço para limpar sua mente, ela caminhou até a janela e ficou olhando para fora. Estar de costas para ele era uma melhoria; ela ainda sentia um formigamento por tudo, mas pelo menos ela conseguia se concentrar. "Está se tornando difícil continuar a recusar sem o risco de ferir os sentimentos dela". "Então por que você não aceita o convite?" Perguntou ele. Seu coração começou a bater quando ela o ouviu se aproximar. "Mesmo se eu tivesse o direito de fazer tais planos, que eu não tenho, eu tenho dúvidas sobre a sensatez de trazer a minha tia e meu tio para Pemberley, quando eu não tenho vontade de que meus parentes sejam uma vergonha para você. Uma vez que você tem sido omisso sobre o assunto da visita, eu suspeito que você tenha reservas também." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Você estaria longe de estar correta nesta suposição. Eu tenho fortes sentimentos sobre o assunto, e eles não são reservas. " "Estou consciente de que essa visita provocaria o desprezo de muitos dos que estão no seu círculo social, e seus parentes ficariam horrorizados." Ela podia senti-lo logo atrás dela, e ela estava começando a ter dificuldade para respirar. Incapaz de resistir à tentação, ele colocou a mão no ombro dela. A proximidade de seus dedos na pele descoberta do pescoço dela o fez quase tonto. “Se eles se sentem dessa forma, eles não são perdas para mim." Imagens de Elizabeth em Pemberley levaram-o àqueles sentimentos possessivos e apaixonados que ele tentou tão duramente reprimir - imagens do rosto dela através da mesa dele, o calor e a suavidade dela nos seus braços enquanto ele fazia amor com ela, dela deitada em sua cama, seus cabelos negros espalhados pelo travesseiro, seu sorriso convidativo somente para ele. Sua mão deslizou quase involuntariamente a curta distância entre o decote do vestido para acariciar a pele do ombro dela. Ela era ainda mais macia do que ele imaginava. O toque da mão dele sobre a sua pele sensível acendeu um fogo em Elizabeth que era impossível de ignorar. Ela encontrou-se inclinando a cabeça longe de sua mão para lhe permitir um maior acesso. Quando ele aceitou o convite acariciando a ponta dos dedos ao longo da linha do ombro ao pescoço, onde continuou suas carícias, ela sentiu-se inundada com sensações de excitação e prazer. Deslizando a mão livre ao redor da cintura dela, ele a puxou de volta contra ele, e deslizou a outra mão lentamente pelo braço dela para juntá-lo. Ela sentia-se encantada com a sensação do corpo forte dele em suas costas, e ela virou a cabeça para trás para reivindicar ainda mais dele. A sensação de estar cercada pelos braços dele foi além de sua imaginação. Falou tanto da segurança e do desejo feroz, do amor e da saudade. Ele falou baixinho no ouvido dela. "Independentemente de você optar por vir a Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Pemberley, Pemberley já pertence a você, e por muitos meses agora." Os lábios dele roçaram no pescoço dela, enviando calafrios. "Elizabeth Darcy está agraciando os salões e salas de Pemberley desde a minha primeira estadia em Netherfield. Enquanto eu estava apaixonadamente admirando Miss Elizabeth Bennet,” ele fez uma pausa para uma trilha de beijos ao longo da linha do pescoço, “todas as noites em meus sonhos ela tem andado ao meu lado em Pemberley, e ela sempre irá me assombrar lá, não importa que escolha que você faça.” Com cada frase, ele se permitiu explorar ainda mais a suavidade dela, colocando beijos nas cavidades dos ombros, a pele sensível atrás da orelha, e cada ponto no meio. "Sim, eu quero que você venha a Pemberley, eu quero te mostrar cada canto e recanto, levá-la através de cada parte dos campos, até que eles signifiquem tanto para você quanto significam para mim." Ela estava profundamente emocionada pela intensidade de sentimento nas palavras dele mesmo quando ela encontrava-se quase insuportavelmente estimulada por suas carícias, cada toque causando sensações de prazer e desejo a percorrê-la que ela sentiu que não poderia suportar. Precisando de mais, ela virou a cabeça e procurou os lábios dele com uma fome que não podia ser dissimulada. O choque quando seus lábios se encontraram agitou-a ainda mais, e os beijos que se seguiram, ao contrário daqueles gentis e de teste que ele lhe dera antes, estavam cheios de urgência e necessidade. Ela queria aliviar o sofrimento dele, ela ansiava por seu toque, e ela desejava entregar-se completamente a ele. "Você vai ir para Pemberley?" Perguntou ele contra seus lábios, antes de explorá-los novamente com um rigor que devastou as defesas dela, deixando-a tão excitada que ela sentiu que não poderia lhe negar nada. "Sim" ela sussurrou, enquanto os dedos dele traçaram linhas de fogo ao longo dos lados do corpo dela, e ela sabia que, se ele tivesse pedido naquele momento para se casar com ele, ela teria concordado com isso também. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Darcy, intoxicado pelo toque dela, o gosto dela, e acima de tudo pela resposta dela, que estava arrebatado além de todas as suas esperanças, estava arriscando perder-se nela como tinha feito tantas vezes em seus sonhos, mas não sabia como parar-se de aplacar sua incrível sede por ela. Ele tentou focar-se no pensamento da raiva dela pelo comportamento dele que ele estava certo que se seguiria, mas quando ela apertou-se contra ele e procurou mais de seus beijos, ele perdeu toda a capacidade de se importar com qualquer coisa além do momento. Elizabeth sentiu-se igualmente perdida, mas enquanto os lábios dele viajaram até a sua nuca, onde provocaram danos completos em qualquer auto-controle restante que ela pudesse ter, ela abriu os olhos por um momento e viu-se olhando através da janela direto para o rosto chocado de Caroline Bingley. Sua exclamação de horror e rigidez súbita chamaram a atenção de Darcy antes mesmo que ela conseguisse falar o nome dele, e ele olhou para cima, com medo de descobrir que ela estava com raiva de suas atenções. Só quem o conhecia bem teria reconhecido a ligeira mudança no seu rosto de desejo para fúria silenciosa quando ele encontrou os olhos da fonte da angústia dela, ou reconhecido que ele estava agindo naquela raiva quando ele seguiu o curso de ação que ele sabia que iria perturbar o intruso mais que qualquer outra coisa , que foi retomar a dispersão de beijos no rosto e pescoço de Elizabeth. Quando Miss Bingley virou as costas com um óbvio sorriso de escárnio e saiu, Elizabeth afastou-se dele e cobriu as mãos sobre o rosto. Quando essa notícia chegasse a Longbourn, seu pai não teria nenhuma piedade; ela iria encontrar-se casada com Darcy antes do final da semana. Ela deveria voltar para casa imediatamente, e tentar controlar os danos com uma confissão antes que a notícia chegasse. Mas tal resultado seria a última coisa que Miss Bingley desejaria. Não, ela iria manter silêncio sobre o que ela tinha visto a fim de manter abertas suas próprias opções com Darcy, ao invés de arriscar forçá-lo a se casar com Elizabeth. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Eu suponho que eu devo dizer graças aos céus que foi Caroline Bingley,” disse ela, ainda tremendo, lutando para recuperar a serenidade. "Ela é a única pessoa que tem mais a perder do que nós se uma palavra de nosso comportamento se espalhasse, portanto, em tal circunstância, não há ninguém mais de quem eu prefiro depender." Darcy deu uma risada um pouco irregular. "Você sabe, eu não acredito que eu jamais ouvi alguém dizer isso dela antes." Não tenho nada a perder, pensou ele, e eu só posso desejar que você sentisse o mesmo. Ansiava para abraçá-la novamente. O choque e o medo tinham inicialmente afugentado todos os sentimentos de desejo de Elizabeth, mas quando ela olhou para Darcy, ela desejou estar de volta em seus braços. "Devemos encontrar Georgiana," disse ela com determinação. "Talvez sim," reconheceu, lembrando-se que era um sucesso que ela não parecia zangada com ele. Ele destrancou a porta e segurou-a aberta para ela, e quando ela passou, ele pegou-a pela mão e beijou-a levemente, procurando algum tipo de reafirmação. Ele ficou aliviado ao ver que ela sorriu de volta, embora preocupada. Darcy passou uma longa noite alternadamente perdido em lembranças de como era ter Elizabeth nos braços, e se preocupando em como ela poderia reagir ao que havia ocorrido entre eles. Não tinha havido mais oportunidades para eles falarem em particular, e embora ela parecesse bastante calma, durante o jantar, ela pareceu ficar mais retraída. Quando ele caminhou com ela até a carruagem, ela não encontrou os olhos dele, embora ela fosse perfeitamente agradável com ele. Mais uma vez, ele amaldiçoou sua dificuldade em conhecer os sentimentos dela. Ele resolveu visitá-la na manhã seguinte. Ela não queria chamar a atenção para o tempo que ele passava com ela, mas ele não podia suportar se preocupar com isso por outro dia. Assim, ele encontrou Bingley, antes que ele conseguisse furtar-se para Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Longbourn, e engajou a sua colaboração para ajudá-lo a ter alguns minutos a sós com Elizabeth O plano correu bem, embora Elizabeth parecesse surpresa ao vê-lo, ela prontamente concordou em sair com Jane, Bingley, e ele, e Bingley ficou apenas muito feliz em ter cuidado para que ele e Jane ficassem bem atrás dos outros dois e, finalmente, afastando-se em um caminho diferente. Darcy não perdeu tempo em tomar a mão de Elizabeth e puxá-la para o lado dele enquanto caminhavam, e ele sorriu para ela com um olhar caloroso. Ela reconheceu-o com um sorriso contido, mas parecia inclinada a conversar, levando Darcy a acreditar que ela estava perturbada pelos acontecimentos da noite anterior. Ele deliberou em como começar, e finalmente disse: "Eu lhe devo um pedido de desculpas pelo meu comportamento de ontem." Elizabeth ruborizou. "Eu preferiria não falar sobre isso, senhor." De fato, ela passou boa parte da noite anterior, castigando a si mesma por sua incapacidade de parar os avanços dele e se preocupando com possíveis complicações. Ela

ainda

concordava

com

sua

avaliação

inicial

que

Miss

Bingley

provavelmente não iria expô-los por suas próprias razões, mas tinha lhe ocorrido que Miss Bingley era capaz de buscar vingança de outras maneiras. Ela estava preocupada como Darcy poderia ter reagido ao comportamento vergonhoso dela. Isso não reforçaria a preocupação dele com o comportamento inadequado dos membros da família Bennet? Darcy estava perdido. Como ele ia pedir perdão a ela se ela não iria ouvir suas desculpas? "Eu não tenho vontade de lhe causar qualquer desconforto, por isso vou apenas dizer que eu preferiria muito mais ouvir seu castigo do que ter isso entre nós." "Eu não estou em posição de castigar ninguém," ela respondeu em voz baixa. Ele olhou para ela severamente, então parou e tomou-lhe ambas as mãos. "Você Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


está preocupada que eu possa estar chateado com você?" disse ele com incredulidade. Ela obrigou-se a olhá-lo nos olhos. "Meu comportamento foi muito longe de irrepreensível." Com uma exclamação sem palavras, ele colocou os braços ao redor dela e segurou-a firmemente. "Minha querida, quando você dá a um homem exatamente o que ele tem desejado receber por muitos meses, a última coisa que ocorreria a ele seria censurá-la pelo seu comportamento!" O carinho e a aparente presunção dele de um entendimento entre eles era mais do que ela poderia controlar, após uma noite em claro na maior parte, ela encontrou lágrimas nos olhos. Quanto mais ela tentasse suprimi-las, mais elas ameaçavam transbordar - exatamente como os meus sentimentos sobre esse homem, ela pensou, e começou a chorar a sério. Darcy, que estava gostando de segurar Elizabeth em seus braços, não percebeu imediatamente que ela estava em lágrimas, e então experimentou um momento de pânico, não diferente do que ele sentiu recentemente com Georgiana. Ele deveria de alguma forma entender o que estava incomodando ela, mas ele não tinha idéia de qual era o problema, ele só pensava em acalmá-la. Era evidente que a culpa era dele de alguma maneira, e sua culpa por causar a aflição dela era grande. Inseguro quanto ao melhor curso de ação, ele tentou consolá-la sussurrando em seu ouvido palavras carinhosas e segurando-a junto a ele, sem que ele soubesse que tinha o efeito perverso de alimentar o fogo da angústia dela. Se ela ao menos compartilhasse seus sentimentos com ele! "Meu doce, por favor, me diga o que está incomodando você," suplicou ele. Elizabeth estava tentando desesperadamente pensar em nada além de que ele estava a consolá-la. Ela nunca poderia dizer o que estava a perturbá-la sem feri-lo profundamente - como ela poderia lhe dizer o quão contra seu melhor juízo era Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


atração dela por ele? Depois que ela parasse de chorar, ela precisaria dizer a ele para deixar de ser referir a ela na forma carinhosa que ele estava usando. Exausta com a constante luta interna contra seus sentimentos por ele e mais com a luta externa para não consentir às liberdades que ele tentava tomar, ela não queria nada mais do que desistir da batalha e concordar em ser dele simplesmente para concluir o assunto, mas ela bem sabia quão rapidamente ela viria a lamentar essa decisão covarde. Finalmente, ela se acalmou o suficiente para responder. "Eu simplesmente não sou preparada para isso." Darcy pensou cuidadosamente antes de responder. Ele não podia permitir um mal-entendido agora. "Se eu entendi o que você disse corretamente, isso está acontecendo muito rápido para você. É isso?" Ela assentiu com a cabeça, o rosto ainda enterrado em seu peito. Ele beijou o cabelo dela, saboreando a maciez e o doce aroma de rosas na mesma. "Nós podemos ir mais devagar, então, temos todo o tempo do mundo diante de nós. Eu não vou apressá-la." Ela não podia deixar de rir em meio às lágrimas com as palavras dele. "Sr. Darcy, eu não quero sugerir que você não é um homem de palavra, mas eu recomendo fortemente que você evite prometer o impossível. Eu receio que não acredito que você seja constitucionalmente capaz de não me apressar. " Sua caracterização forçou um sorriso dele. "Há talvez alguma verdade nisso. Talvez eu devesse prometer fazer o meu melhor para não apressá-la, e ouvir quando você me disser o contrário." "Isso é mais acreditável, senhor." Enquanto ela se acalmava, ela se permitiu desfrutar da sensação de descansar a cabeça dela contra ele e o conforto de seus braços em volta dela. Isso durou apenas um breve tempo, porém, enquanto Darcy, embora longe de querer desistir de sua atual posição desejável, estava consciente de que ele tinha Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


acabado de concordar em diminuir suas exigências, e obrigou-se a libertá-la. Ele consolou-se com o pensamento de que ela tinha pedido-lhe para que não a apressasse, reconheceu implicitamente que ela havia aceitado que eles estavam indo em direção a maior intimidade. "Eu agradeço a sua compreensão, Sr. Darcy," Elizabeth disse suavemente quando eles começaram a andar novamente. Ele olhou para ela, e seus olhos se prenderam em um longo olhar. "Eu não desejo nunca afligi-la de qualquer maneira," respondeu ele. Após vários minutos, ele acrescentou, "Há uma questão em que eu preciso de sua ajuda, Miss Bennet." "E o que é, senhor?" "Eu não quero ofendê-la, mas para manter minha palavra, eu estou precisando de seus conselhos sobre o que constitui apressá-la, e o que não constitui." Elizabeth corou escarlate. Era uma pergunta razoável, mas ela não conseguia pensar em uma maneira recatada para respondê-la, nem mesmo ela poderia responder, se ela pudesse ter produzido uma resposta consistente. Em algumas ocasiões, um dos olhares intensos dele parecia mais do que ela poderia suportar, mas em outros momentos, sua tolerância era muito diferente. Darcy teve que admitir que ela parecia extremamente atraente quando ela corava. Reconhecendo a situação impossível em que ele a tinha colocado, ele procurou obter as informações necessárias, sem forçá-la a declarar diretamente as liberdades que ela iria aceitar. Cuidadosamente, ele pegou a mão dela na sua, quando continuaram a caminhada. "Eu acredito que isso não é apressá-la; estou correto nessa avaliação?" Ela assentiu com a cabeça. "Nem isso?" Ele levantou a mão aos lábios e beijou-a, em seguida, segurou-a perto de seu peito, e ela balançou a cabeça novamente. "Que tal isso?" ele perguntou, colocando uma série de beijos leves na palma da sua mão. Ela baixou os olhos, mas ainda acenou com a cabeça Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


infinitamente. "Perdão, Miss Bennet, temo que minha pergunta não ficou clara. Você quer dizer que sim, que isso está apressando-a, ou sim, que é aceitável? " "Não, isso não é demais," disse ela calmamente, embora não sem dúvidas sobre a exatidão de sua resposta, dada a força de sua reação. Pise suavemente, agora! ele advertiu a si mesmo. Parando, ele se aproximou dela e permitiu que seus lábios acariciassem os cabelos dela. "Isso é demais?" Ela balançou a cabeça, os olhos ainda baixos. Tomando uma respiração profunda e lembrando-se da necessidade de auto-controle, Darcy levantou o queixo dela com um dedo e permitiu seus lábios tocarem os dela por um breve momento. Ela fechou os olhos no momento em que ele a beijou, sentindo as impossíveis sensações de prazer que lancetarem através dela, e depois abriu-os para olhar para ele. “Às vezes", disse ela. Ele levantou uma sobrancelha. "Às vezes?" "Às vezes," ela repetiu com um sorriso, e acrescentou com um ar de despudor: "Eu nunca disse que seria simples." "Não, nunca é simples, não é? Muito bem, às vezes, então." Ele a beijou delicadamente novamente, mas desta vez mais demoradamente, e se permitiu desfrutar do prazer dos lábios dela antes de se afastar. "Demais?" Ela olhou para ele com alguma hesitação. "Sim," ela disse suavemente. Ele inclinou a cabeça. "Minhas desculpas, Miss Bennet, vou tentar manter isso em mente." A mão dela subiu e tocou o rosto dele. Sua resposta ao toque dela foi instantânea e eletrizante. "Mas faça de novo," ela sussurrou. Ele procurou o rosto dela tentando esclarecer este pedido contraditório. Havia um olhar de ternura nos olhos dela que nunca tinha estado lá no passado, e ele não podia resistir a ela. "Elizabeth," ele sussurrou, e recuperou os lábios dela, lutando para manter sua fome sob controle, e quando ela reagiu, ele a puxou delicadamente Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


e lentamente em seus braços, disposto a libertá-la se ela hesitasse em qualquer maneira. Elizabeth, tremendo da intimidade de ouvi-lo dizendo seu nome, viu suas mãos furtando-se até o pescoço dele, e ela entregou-se para a plenitude de seu abraço enquanto os lábios dele seduziam os dela. Mas Darcy sentiu seu controle começando a cair. Determinado a não ir além do limite que tinha definido, ele recuou. As mãos dela deslizaram para seu peito, onde pararam por um instante antes de cair, apenas para serem capturadas pelas dele. Ela sorriu timidamente, e ele puxou a mão dela e começou a andar mais uma vez, sabendo muito bem o que provavelmente aconteceria se eles permanecessem como estavam. A mudança de assunto parecia necessária. "Estou ansioso para conhecer a sua tia e seu tio. Eles estão cientes de minha presença aqui? " "Sim, eu escrevi a minha tia e mencionei seu interesse em conhecê-los, então ela não deveria se surpreender." Ela sorriu brevemente. "Eu também disse a ela que estávamos em condições um pouco mais cordiais do que a última vez que você esteve em Hertfordshire." Ela decidiu não mencionar a conversa amigável que teve lugar entre sua tia e o Sr. Wickham, quando os Gardiners tinham visitado Longbourn da última vez, mas ela também havia escrito um alerta sobre a inconfiabilidade de Wickham, com receio que a Sra. Gardiner estivesse inclinada a manter esta informação contra Darcy. "Ela sabia algo sobre as suas opiniões passadas, então?" "Sim, quando eles visitaram em dezembro passado, o Sr. Bingley ainda era um tema de conversa, e você muitas vezes era mencionado em conjunto com ele", ela prevaricou, uma vez que tinha sido Wickham quem mais frequentemente levantava o nome de Darcy. "Mas tanto a minha tia quanto meu tio são eminentemente pessoas sensatas, e dificilmente fariam julgamentos baseados em boatos". Eles continuaram a conversa agradável no que se tornou um passeio longo, uma Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


vez que nenhum dos dois sentia uma inclinação a perder a companhia do outro. Quando eles finalmente se aproximaram de Longbourn, Darcy, incapaz de ajudar a si mesmo, perguntou: "Posso ter o privilégio de vê-la amanhã?" Ela olhou para ele com um sorriso maroto. "Eu poderia ser capaz de fugir para uma caminhada de manhã cedo, se isso for de interesse." "Você sabe perfeitamente bem que seria de grande interesse, minha senhora," disse ele, sem fazer nenhuma tentativa de esconder seu prazer que ela não apenas tinha concordado, mas tinha pela primeira vez sugerido uma forma de permitir-lhes ficarem sozinhos. Olhando para cima, ela viu o familiar intenso olhar nos olhos dele, e sentiu um imediato ímpeto de desejo de seu toque, mas a sua localização em uma estrada aberta proibia qualquer ação. Ela deu um sorriso divertido quando ela o viu chegar à mesma conclusão com um grau de irritação. "Amanhã é um tempo muito longo e distante, Miss Bennet", disse ele persuasivamente. Ela lhe deu um olhar malicioso. "Eu suponho que você vai dizer em seguida que ninguém teve tempo para mostrar-lhe as flores silvestres que floreceram atrás da parede do adro?" "São flores do campo muito privadas?" "Elas nunca compartilham seus segredos com ninguém," assegurou ela gravemente. "Já mencionei, Miss Bennet, que flores silvestres são uma paixão particular minha, e que eu espero que elas sejam muito próximas?" "Eu não gostaria de privá-lo de uma de suas paixões particulares, senhor", disse ela de forma provocativa. Gesticulando para um caminho pela Igreja, acrescentou, "Elas estão nesta direção, se você gostaria de vê-las." Depois disso, Darcy teria que ter sido duramente pressionado para recordar Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


qualquer coisa que fosse sobre as flores do campo.

Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Capítulo 5 Darcy estava na porta do quarto que tinha sido de Elizabeth durante a sua estadia em Netherfield, olhando para sua adormecida forma, coberta apenas por uma camisola reveladora. Enquanto observava, ela abriu os olhos e o viu, um sorriso convidativo crescendo em seu rosto adorável. Ele atravessou o quarto e se sentou na cama ao lado dela, traçando o seu dedo pelo rosto dela, e depois pelo pescoço e, mais adiante pelo corpo. Quando sua mão alcançou os seios, ele viu os olhos dela escurecem com o desejo, e ela ergueu os braços para acolhê-lo. Sem dizer nada, ele se afundou em seus braços, capturando seus lábios com um beijo que demonstrava a profundidade da sua necessidade por ela. A sensação do corpo dela sob o seu mandava o seu desejo fora de controle, as mãos explorando cada centímetro íntimo dela enquanto sua boca devorava a dela. Ele pressionou seus quadris contra os dela enquanto ela se contorcia debaixo dele e sussurrou: "Por favor, William, me faça sua." Sem hesitar, ele afastou tudo que estava entre eles e pairou-se para mergulhar dentro dela. Ela levantou os quadris dela para encontrá-lo, e com um forte impulso ele a tomou, glorificando o sentimento de sua posse dela. Enquanto ela gemia embaixo dele com cada intensamente prazerosa carícia, ele pensou consigo mesmo: 'Minha, ela é minha, ela é minha. . . » Darcy lamentavelmente emergiu de seu sonho na manhã de seu encontro com Elizabeth em uma névoa de excitação e desejo. A resposta que ela tinha mostrado às atenções dele nos últimos dois dias provocou uma intensificação de seus sonhos, tanto domindo quanto acordado, e sua imaginação revelou-se extremamente hábil em recordar o que sentiu ao beijá-la. Restrição! ele advertiu a si mesmo. Você é incrivelmente afortunado que ela parece inclinada a dar-lhe o que você deseja, deixe-a fazê-lo em seu próprio tempo! Ele vestiu-se com um cuidado incomum, assobiando o tempo Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


todo, para o espanto de seu servo, Wilkins. Enfim satisfeito com sua aparência, ele partiu. Elizabeth, tendo despertado para os mesmos pensamentos e meditações que tinha finalmente fechado os olhos na noite anterior, estava contemplando a possibilidade de que o amor era incompatível com um boa noite de sono, uma suposição que Darcy teria concordado, se ele soubesse da opinião dela. Sonhos de uma Pemberley que era uma versão ainda mais grandiosa e mais pretensiosa de Rosings foram intercaladas com as sensações confusas de beijos onde ela sentia um desejo de algo mais, mas não sabia o quê, deixando-a constrangida por seus desejos quando ela finalmente acordou. Ela estava ansiosa para ver Darcy, mas ainda preocupada com os seus desejos e o notável amolecimento nos seus sentimentos para com ele. Ela lembrou a si mesma que seria difícil sentir indelicadamente por um homem após a intimidade de chorar em seus braços, mas não podia dar crédito a isso como o responsável pela mudança. Ela sentiu um certo tipo prazeroso de ansiedade enquanto ela saía, e se perguntava como o tempo com ele correria. Seu coração pulou uma batida quando ela vislumbrou uma forma escura em frente ao bosque onde eles tinham combinado de se encontrarem, e ela se apressou à frente até que pudesse ver o olhar apaixonado de boas-vindas nos olhos dele. Acostumado a moderar os cumprimentos para Elizabeth, Darcy experimentou uma explosão de prazer quando ela sorriu ao vê-lo. Deus sabia que ele nunca tinha uma pista do que ela estava pensando dele, mas certamente isso tinha que ser um bom sinal. Avançando em direção a ela, ele tomou as duas mãos delas nas suas e pressionou um beijo em cada uma. “Bom dia, Miss Bennet.” “Bom dia, Sr. Darcy,” ela disse, com uma dica de seu sorriso malicioso. Se você continuar a me olhar assim, meu amor, eu vou me desgraçar tentando fazer dos meus sonhos uma realidade, ele pensou. “Você tem um destino em mente para nós Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


hoje? Ela hesitou um momento antes de acenar. O lugar que ela tinha em mente era isolado, mas ele parecia estar em um humor relativamente contido, então ela pensou que seria seguro o suficiente. Ela o conduziu por um atalho pouco usado para um pequeno bosque, o qual eles brevemente contornaram antes de seguir o que parecia ser uma trilha de veados entre as árvores. Enquanto Darcy mergulhava sob os ramos baixos , ele se perguntou se ela sabia o que pretendia levando-o à um local tão isolado. Parte dele acreditava que ela não tinha pensado no assunto, mas outra parte insistia em esperar que o desejo dela fosse igual ao dele. Ela parou quando eles chegaram à uma pequena clareira e pararam onde um riacho corria abaixo de dois salgueiros grandes. Ele a viu olhar para ele como se para avaliar sua reação, e se perguntou se isso era algum tipo de teste. Andando em direção ao riacho, ele separou os ramos de um dos salgueiros para descobrir um lugar abrigado, e logo além dele, uma margem coberta de grama levando até a beira da água. Olhando para trás, ele disse: "Este é um refúgio encantador. Você descobriu-o? " Ele ficou grato ao ver um sorriso satisfeito no rosto dela. Evidentemente, a reação dele foi satisfatória. "Este é o meu retiro." “Obrigado por partilhá-lo comigo,” ele disse suavemente, notando um olhar caloroso nos olhos dela que fizeram as resoluções dele muito mais difíceis de manter. Há procura de uma distração, ele notou as fitas do chapéu dela soprando gentilmente ao vento. Quase sem pensar ele estendeu a mão e desamarrou-as, notando que ela levantou o queixo para permitir a ação dele. Ele levantou suas mãos até as têmporas dela e gentilmente removeu o chapéu. Ele percebeu que os cabelos dela estava preso de uma maneira mais simples que a usual. Presumidamente ela havia deixado Longbourn antes que os empregados estivessem disponíveis para arrumá-los. Seus dedos coçaram ao descobrir o que seria Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


necessário para fazê-los descerem. Traçando uma linha abaixo das bochechas delas com os dedos, ele ficou deliciosamente surpreso quando ela virou seu rosto na mão dele e bejou-a levemente. Elizabeth achou o silêncio hipnotizante enquanto ele olhava para ela atentamente, aparentemente esperando para ver o que ela faria em seguida. Como pode o simples ato de remover meu chapéu mexer tanto comigo? ela perguntou-se. Ela já tinha exposto mais de si mesma do que a fazia confortável trazendo-o à um local tão especial para ela, e a sua atual reação à ele apenas aumentou o seu desconfortável senso de vulnerabilidade. Não confiando em si mesma para falar, ela pegou a mão dele e levou-o até a beira do riacho. Quando ela chegou à beira onde houve uma pequena disputa para alcançar a água, ele segurou-a atrás enquanto ele ia à frente, e então a levantou. Ela riu enquanto olhava para ele, as mãos dele ainda pousadas em sua cintura. “Sr. Darcy, eu tenho conseguido fazer isso sozinha por muitos anos!” “Você está tentando me privar de desculpas para segurá-la?” Com um olhar divertido, ela se libertou, e, com a facilidade de longa prática, segurou as saias para cima e começou a cruzar o riacho raso, pisando cautelosamente de rocha em rocha. Na metade do caminho, ela se abaixou e correu seus dedos pela água fria, então, com um sorriso malicioso, agitou seus dedos para mandar um borrifo de gotículas na direção dele. Ao olhar de indignação fingida no rosto dele, ela continuou sua jornada em um ritmo mais rápido enquanto ele partiu em busca dela, as longas pernas dando a ele uma vantagem compensada pelo maior conhecimento dela do percurso. Pouco antes de ela chegar à margem oposta, ele pegou a mão dela, fazendo a cambalear precariamente para manter o equilíbrio. “Eu acredito que tenho você em desvantagem, Miss Bennet,” ele disse Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


maliciosamente. “Como assim, senhor?” “Porque, minhas botas são mais altas do que a profundidade da água, enquanto as suas não são,” ele disse, com um desafio em seu olhar. Elizabeth, incapaz de resistir, puxou bruscamente sua mão, fazendo-o tropeçar para dentro da água. Ele continuou, “ Viu, eu estou completamente protegido. Já você, colou-se em grande risco.” Rindo, ela tentou puxar sua mão, mas com um firme puxão, ele a desequilibrou, então levantando-a em seus braços antes que ela pudesse cair. “E agora, Miss Bennet, eu a tenho à minha misericórdia, já que se você tentar escapar de mim, você certamente acabará molhada.” Elizabeth, já sentindo-se à misericórdia dele devido à irresistível inundação de sensações pela maneira que ele estava segurando-a, disse maliciosamente: "E o que você pretende fazer comigo, então, Sr. Darcy?" Ele inclinou sua cabeça para traçar beijos ao longo do pescoço dela, tão convenientemente disponível para ele nesta posição, e acariciou a perna dela com os dedos da mão que suportava seus joelhos, causando sentimentos de prazer percorrerem através dela. “Estou certo de que eu posso pensar em algo,” ele murmurou enquanto movia seus lábios para capturar os dela. “E o que irá acontecer se eu me recusar a cooperar em seus esquemas nefastos?” Ela retorquiu entre beijos de tirar o fôlego. “Então é para dentro da água com você,” ele disse, fazendo como se fosse jogála. Ela gritou e colocou os braços firmemente em torno do pescoço dele. “Você não ousaria!” “Na verdade, Miss Bennet,” ele disse, achando o abraço apertado dela vastamente atrativo, “Eu acho que você pareceria extraordinariamente atraente quando molhada. É claro, então eu me sentiria obrigado a achar alguma maneira de Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


mantê-la aquecida então você não pegaria um resfriado, e naturalmente iria levar algum tempo para suas roupas secarem, mas eu estou certo que eu poderia pensar em alguma maneira de passar o tempo...” "Sr. Darcy! "Elizabeth exclamou, com as bochechas vermelhas com o avanço dele, mas ele recomeçou a beijá-la com um ardor que a deixou sem vontade de resistir a ele. "Na verdade," ele murmurou maliciosamente "Eu acho a idéia tão atraente que, talvez eu deveria procurar águas mais profundas para permitir uma maior eficiência." Ele começou a andar rio acima. "Não!", Ela exclamou. "Eu me rendo, eu me rendo!" "Palavras mais doces nunca foram ditas", disse ele, beijando-a tentadoramente. "Agora, já que você é minha prisioneira, eu acredito que é meu direito de exigir uma recompensa antes de libertá-la." A respiração de Elizabeth capturou a idéia do que ele pode solicitar, mesmo em tom de brincadeira. "O que você tem em mente, senhor?", Disse ela, satisfeita que sua voz não tremia. Pensativamente, ele permitiu que seus olhos varressem-a lentamente da cabeça aos pés, o olhar possessivo dele examinando-a enviou sensações formigantes de excitação por todo seu corpo, então encontrou os olhos dela com um leve sorriso no rosto. "Eu exijo que você deixe seu cabelo solto", disse ele, um sorriso devasso passando em seu rosto. Ele tinha escolhido bem, pensou ele. Era um pedido íntimo, e realizaria uma das suas fantasias favoritas, ainda assim não era muito comprometedor. Ele observou a reação fluir em seu rosto até que ela devolveu o olhar com um desafio próprio. "Feito, senhor", disse ela. "Agora por favor me devolva seguramente à terra seca." "Ao seu serviço", disse ele, realizando o seu pedido. Ela imediatamente subiu Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


pela margem, e sentou-se na grama macia no topo. Ele não tirou os olhos dela por um momento, e quando ela fez uma pausa, acrescentou: "Eu estou esperando, Miss Bennet." Com um olhar que expressava um certo ar de desafio, ela levou as mãos para trás e lentamente removeu vários grampos do cabelo dela, consciente do olhar fixo dele em cada centímetro do seu corpo. Ela balançou a cabeça várias vezes, provocando uma cascata de rebeldes cachos escuros a cair nas costas. Ele prendeu a respiração com a visão cativante. Certamente, ela nunca teria feito isso se ela não tivesse a intenção de me aceitar, pensou ele com uma onda de prazer. A combinação da intimidade de sua aparência e seu olhar provocante estimulou um sentimento de irrealidade que lhe permitiu maior controle sobre sua reação que ele poderia ter esperado, mas ele teria que vigiar o seu comportamento para manter a confiança dela. "Bem, senhor?" Ela disse com um desafio provocante. "Muito satisfatório, Miss Bennet," ele respondeu. Ele poderia ser feliz indefinidamente apenas olhando para ela. "Você pretende ficar aí embaixo o dia todo?", Perguntou ela. "Seu desejo é meu comando", disse ele, subindo a margem para se sentar ao lado dela. Ele admirou a visão dos cabelos dela soprando no vento, e desejava percorrer suas mãos através de sua riqueza atraente, mas se ele começasse a tocá-la agora, a probabilidade era que ele não seria capaz de encontrar a força de vontade para parar. Ele recostou-se nos cotovelos, mantendo suas mãos fora de perigo. "Você está repentinamente muito quieto, Sr. Darcy," ela disse com uma sobrancelha levantada. Ele deu a ela um olhar que assegurou-a o conteúdo de seus pensamentos. "Às vezes, Miss Bennet, o melhor é admirar sem comentar." A reação dele tinha surpreendido-a, ela dificilmente esperava, depois de seus Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


avanços anteriores, que ele de repente voltasse a ser um perfeito cavalheiro, e isso a deixou sentindo-se de alguma forma frustrada que ele poderia estimular tais sentimentos de abandono nela, e depois retirar. Ela deu a ele um inconsciente olhar sedutor, e notou com satisfação o rubor intensificado dele. "Eu espero não ter feito nada para ofendê-lo." “Dificilmente, Miss Bennet; você está meramente testando meu auto-controle, e eu acredito que é mais sábio manter minhas mãos para mim mesmo neste momento, com medo de que eu sucumba à irresistível tentação.” Ele olhou para ela, notando que o sorriso divertido dela beirava o riso reprimido.”Você é tão cruel para rir da minha situação, Miss Bennet?” “Sim, de fato; porque eu não deveria? Afinal, se eu sou 'cruel' e uma 'tentação irresistível' você não pode culpar a ninguém a não ser você mesmo por incitá-lo,” ela provocou. A risada dela serviu para quebrar a tensão, e ele alcançou para pegar a mão dela. “Ah, não, senhor, você deve manter suas mão para si!” ela disse zombeteiramente. Disposto a jogar o jogo dela, ele colocou suas mãos no chão e se inclinou para beijá-la, mas no último instante ela se afastou. “Eu me recuso a ser uma tentação, Sr. Darcy!” Ela olhou para ele com expectativa, se perguntando como ele responderia às suas recusas provocadoras. “Deixe-me ver, então,” ele disse pensativamente, seus olhos maliciosos. “Sem mãos, sem beijos; o que isso me deixa?” Antes que ela pudesse responder, ele mudou sua posição para permiti-lo descansar sua cabeça no colo dela. Ele sorriu para ela provocantemente, causando uma onda deliciosa de riso nela. Ela achou este Darcy divertido, descontraído e flertante bastante atraente, embora difícil de se encaixar com o respeitável e reservado homem público. Ela percorreu seus dedos pelos cabelos grossos dele, então alisou-os afastando de seu rosto. Ele fechou os olhos para melhor aproveitar seus carinhos. Ele parecia mais jovem e de alguma Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


maneira mais vulnerável, e ela sentiu uma onda de afeição por ele. Ela segurou um suspiro, pensando em quão confusos eram seus sentimentos sobre ele. Qual era o real Darcy - era o homem com o semblante perpetuamente grave, ou aquele que se deleitava em duelos verbais? Orgulhoso e reservado, ou tímido? Sempre atento, nunca violando o decoro, ou alegre e impaciente? Às vezes parecia que a única coisa que ela podia ter certeza era o que ele queria dela, e às vezes até isso parecia mudar. Ela perguntou se ele ficaria satisfeito com a eventual aceitação dela, ou se ele iria continuar a exigir mais e mais dela. Em momentos como esse, parecia que tudo que ele precisava era de alguém que cuidasse dele por si próprio, não por aquilo que ele poderia oferecer em termos de apoio ou proteção. Além do primo dele, ela não poderia pensar em ninguém que a tratou com carinho e como uma igual. Ele tinha estado cuidando de outras pessoas por tanto tempo. Para quem ele se voltava quando ele precisava de apoio? Ele parecia tão independente, necessitando de nada e ninguém, exceto você, uma voz de dentro dela disse. Um sorriso curvou seus lábios enquanto ela considerava a arrogância que seria necessária para assumir a responsabilidade de cuidar de Fitzwilliam Darcy. Continuando a acariciar seus cabelos, ela deixou seus olhos traçarem as linhas do rosto dele, questionando a sua sanidade em permir-se amar esse complexo e muitas vezes difícil homem - como se ela tivesse se permitido amar: a verdade era mais perto do que ele tinha dito a ela em Hunsford, que o amava contra sua vontade, contra a sua razão, e até mesmo contra seu caráter. Isto foi certamente uma justiça poética. Ele abriu os olhos naquele momento, capturando o olhar sem guardas de carinho no rosto dela. Bem, se ele não tinha certeza antes disso de como eu me sinto sobre ele, eu acabei me trair, ela pensou, inquieta. Recuando atrás de uma máscara de humor, ela disse: "Eu estava começando a me perguntar se estava dormindo, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


senhor, você parecia tão confortável." Respondendo-a da mesma maneira , ele retrucou: "E se eu tivesse, seria simplesmente porque os pensamentos em você me mantem acordado durante a noite." Ela levantou as sobrancelhas. "Parece que tenho muitos pecados à que responder na sua mente!" "E muitos mais, espero que você irá cometer, também", disse ele baixinho, desejando que ele pudesse ver aquele olhar carinhoso nos olhos dela novamente. Sentando-se, ele tomou o rosto dela entre as mãos e a beijou lenta e profundamente, e ele deslizou suas mãos gradualmente de volta para as profundezas do cabelo dela, deixando-se ser envolvido na sensação completa. Ele continuou a beijá-la até que ele considerou o ardor dela igual ao seu, em seguida, se afastou para olhar para ela. O calor do desejo nos olhos dela entre o conveniente estado de confusão da aparência dela deixaram-o tão excitado quanto gratificado pela sua capacidade de dar prazer a ela. "Você parece muito satisfeito consigo mesmo", brincou Elizabeth. "Ah, eu estou", ele murmurou sedutoramente. "Quase tão satisfeito quando eu estou com você." Envolvendo a mão em uma mecha de seus cabelos, ele puxou-a para ele de tal maneira que ela acabou em seus braços quando seus lábios se encontraram novamente. As extraordinárias sensações de prazer que corriam através dela, em resposta ao seu toque pareciam mais do que ela poderia suportar, e ela sabia nas mais profundas fibras do seu ser o quanto ela queria ele. Os lábios dele começaram a vagar livremente, e ela ofegou em choque e prazer imprevistos quando a mão dele levantou e tocou seu seio. Ela podia sentir o toque da mão dele pelo seu corpo inteiro, e quando ela encontrou-se buscando mais dele, arqueando seu corpo contra os dedos dele, ela percebeu o quão perto ela estava do ponto de permitir a ele Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


qualquer coisa. De alguma forma ela se forçou a dizer: "Minha família vai estar se perguntando o que foi feito de mim." Acariciando seu seio enquanto ele deixou os lábios flutuarem para baixo do decote do vestido dela, ele sussurrou: "Diga a eles que eu estava fazendo amor com você em um vale isolado." No instante antes que a realidade interveio, tudo que ela conseguia pensar era o quanto ela desejava que pudesse permitir que ele fizesse exatamente isso, e foi apenas seu medo de quão vulneráveis seus sentimentos por ele já eram, que permitiu a ela lembrar as razões pelas quais ela não devia. Mesmo equanto ela estava a correspondendo às exigência dele, ela disse: "Por favor, senhor, eu não posso fazer você parar, mas peço que pare de qualquer maneira." "Serão semanas antes de eu vê-la sozinha novamente", suplicou ele, mal sabendo o que ele estava dizendo. Ela gemeu enquanto o polegar dele flutuou através de seu peito com uma intimidade que ela nunca tinha imaginado, sua necessidade por ele crescendo a cada minuto. “Mesmo assim," ela sussurrou, seus lábios se reunindo com os dele novamente, até que ele se afastou e, com um esforço óbvio para se controlar, passou as mãos sobre o rosto. Passaram-se vários minutos até que ele tinha a posse de si mesmo para falar com calma. "Meu amor, você é uma ameaça deliciosa para a minha paz de espírito." Ele se perguntava como na terra, ele poderia permitir que ela partisse com os tios. De pé, ele estendeu a mão para ela. "Eu acho que é hora de sairmos daqui." A sua resolução seria um fracasso se eles permanecessem lá, e seu corpo estava exigindo com cada fibra descobrir que intimidades mais ela permitiria a ele. "Sim", disse ela, sorrindo para que ele não pensasse que ela estava irritada com ele. Ela estava grata pela mão dele, incerta de sua própria força naquele momento. Tal como no passado, ela se sentiu estranhamente fraca quando ele a chamou de Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


'meu amor', e desta vez ela não estava em posição de tomar exceção à sua familiaridade. "Mas você precisa me dar um momento, senhor, ou vamos certamente dar o que falar." Juntou seus cabelos e torceu-os em uma forma mais apresentável. Ele pegou o chapéu dela enquanto ela restaurava os grampos para sua posição correta. Ela estendeu a mão para pegá-la, mas ao invés disso ele mesmo colocou-a nela, seus dedos se demorando no pescoço dela enquanto ele amarrava-a no lugar. Na jornada de regresso eles tentaram distrair-se com um animado debate sobre os méritos relativos ao Coleridge e do recém-publicado Childe Harold's Pilgrimage do escandaloso Lord Byron, levando Darcy a contemplar o interessante material leitura que o Sr. Bennet considerava apropriado para uma moça, até que eles chegaram ao ponto em que eles seguiriam caminhos separados. Darcy estava incerto até que ponto ele podia confiar em si mesmo, e limitou-se a tocar a bochecha dela. "Miss Bennet. . . " "Sim?" Ele estava prestes a falar quando ele recordou a sua promessa de não apressá-la, e ele sacudiu a cabeça com uma expressão de arrependimento. "Não, ainda não", disse ele, tanto para si como para ela. "Eu vou ver você amanhã, então, em Longbourn". Ela tentou falar à incerteza dele com seus os olhos. Certamente ele deve saber, depois de hoje que ele ganhou, ela pensou. "Eu estarei ansiosa por isso, senhor." “Pelo bem da minha sanidade, eu espero que você convença os seus tios à vir para Pemberley.” “Somente o tempo irá dizer sobre isso,” ela disse. “Só lembre-se, Miss Bennet, que eu sei onde é a hospedaria de Lambton, e você já sabe que eu não sou contra um rapto quando ele serve aos meus propósitos.” Ela riu. “Eu vou manter isso em mente. Até amanhã, então.” Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ele beijou sua mão demoradamente. “Até então.” Ele observou enquanto ela caminhava em direção à Longbourn, não se movendo de sua posição até que ela estivesse há muito tempo fora de sua visão.

Bingley apareceu na porta da sala de bilhar, onde Darcy tinha se retirado depois do jantar para um pouco de paz tão necessária e uma oportunidade para refletir sobre os acontecimentos do dia. "Bingley!" Seu amigo exclamou. "Esta é a primeira que eu vejo você de volta de Longbourn em dias. Você gostaria de um jogo? " "Como você pôde?" Seu amigo disse em voz baixa. "Como eu pude o quê?" Darcy disse. "Eu pareço ter que fazer papel de bobo aqui. Quando você não quis falar sobre seu interesse em Lizzy, eu assumi que era porque você ainda não estava certo de seus sentimentos. Nunca me ocorreu, nem uma vez, que seus motivos pudessem ser menos do que honrosos", disse Bingley, sua voz cheia de raiva e mágoa. "Ela logo será minha irmã, pelo amor de Deus, Darcy!" Darcy olhou para ele bruscamente. "Bingley, do que você está falando? Claro que as minhas intenções para com Eliz. . . Miss Bennet são honestas, por que acharia de outra maneira?" "Porque eu ouvi o que todos estão dizendo!" "E o que, por favor diga, é isso?" Darcy perguntou com uma pitada de sarcasmo em sua voz. "Todo empregado aqui está falando sobre as situações comprometedoras em que vocês foram vistos! Até amanhã, a notícia estará em toda Meryton, se já não está, e a reputação de Lizzy estará em frangalhos, graças a você!" Darcy revirou os olhos. "Acalme-se, Bingley! Não estou negando que temos tido. . . momentos de ternura, mas Meu Deus, homem, a única razão pela qual eu Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


estou aqui em primeiro lugar é para tentar convencê-la a casar comigo! " "Se for esse o caso, então por que não propôs a ela?" Bingley exigiu. Agarrando a ponta da mesa com força, Darcy disse em uma voz calma, mas perigosa, "eu fiz isso, e ela me recusou, e eu estou tentando convencê-la a mudar de idéia. Se você tem alguma dúvida sobre o valor da minha palavra, eu sugiro que você pergunte à sua futura irmã, que vai confirmar isso em cada detalhe. " Bingley pareceu esvaziar em resposta a suas palavras. "Sério? Eu quero dizer. . . todo mundo está dizendo que você não tem nenhuma intenção de. . . " "Bingley, garanto a você que eu sou o único especialista no que as minhas intenções são, e se vai tranquilizar você, eu prometo para torná-las absolutamente e publicamente claras amanhã, mas só Deus sabe se Elizabeth algum dia irá me perdoar por isso. Isso satisfaria você?” Darcy cuspiu as palavras. "Darcy, eu. . . Sinto muito. . . Eu não devia ter duvidado de você, mas quando eu ouvi o que eles estavam dizendo. . . " "Por favor não me diga o que eles disseram." Ele saiu da sala antes que ele dissesse coisas piores. Ao chegar a seu quarto, ele se jogou em uma cadeira e tirou a gravata. Maldição! ele pensou. Agora que as coisas estavam indo tão bem. Como eu pude ter sido tão idiota para não ter sido mais discreto? Wilkins saiu do quarto de vestir. "Boa noite, senhor. Posso ser de alguma ajuda? " Darcy inclinou a cabeça para trás e fechou os olhos. "Sim, Wilkins. Você pode me dizer o que estão dizendo nas cozinhas sobre mim." "Se você quiser, senhor. Há alguns rumores que você tenha uma amante aqui, e que tem sido encontrado com ela em situações comprometedoras, em várias ocasiões, e que você vai se casar com Miss de Bourgh. Eu tenho, claro, declarado categoricamente que isso é totalmente falso e, aparentemente, uma moça que Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


também trabalha no Longbourn na ocasião, também disse que ela não acredita em nada disso. " Darcy estremeceu. "Presumo que a moça em questão é a Miss Elizabeth Bennet?" "Isso seria correto, senhor. Tomei a liberdade de fazer algumas perguntas sobre estes boatos, se for de interesse para o senhor. " Darcy abriu os olhos e examinou o sempre confiável e discreto Wilkins. "Por favor continue", disse ele. "O rumor original parece ter sido que você foi visto saindo da igreja com a Miss Bennet, que estava corada e muito perto de você. No entanto, existem várias versões que são mais. . . comprometedoras. " Darcy passou os dedos pelo cabelo. Então, as flores silvestres não tinham sido tão privadas afinal. "Wilkins, aplaudo a sua iniciativa, como sempre", disse ele, cansado. Wilkins se permitiu um breve sorriso satisfeito. "Obrigado, senhor. Há mais alguma coisa, senhor?" "Não neste momento, Wilkins", disse Darcy. "Não, pensando bem, Wilkins, por favor procure naquela segunda gaveta lá. Sim, aquela à direita. Você vê uma pequena caixa lá? " "Sim, senhor." Ele pegou a caixa e trouxe-a para Darcy. Darcy acenou de volta. "Não, eu não preciso dela, Wilkins, mas eu gostaria que você olhasse dentro dela." O perplexo Wilkins abriu a caixa." Agora, você poderia por favor ler a gravura dentro do anel." Wilkins quebrou em um descaracterístico sorriso largo quando ele obedeceu. "Posso oferecer-lhe os meus parabéns, senhor?" "Não até que a senhora aceite-o", disse Darcy. "No entanto, eu queria ter certeza de que você saiba de sua existência no caso de você precisar começar seu próprio Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


boato." "Sim, senhor. Eu entendo perfeitamente. De fato, senhor, eu estava pensando que você pode estar ficando com fome mais tarde, e que esta seria uma boa oportunidade para eu parar na cozinha para trazer-lhe um lanche." "Uma ótima idéia, Wilkins". Wilkins se curvou e saiu. Darcy baixou a cabeça em suas mãos. Elizabeth ficaria furiosa. Ele só podia esperar que as histórias ainda não tivessem chegado à Longbourn. Não que isso poderia fazer alguma diferença no que ele precisava fazer para proteger a reputação dela, mas se ele pudesse ter alguns minutos a sós com ela para explicar por que ele tinha que fazer isso, talvez a raiva pudesse ser mitigada. Mas parecia pouco provável que ele teria; ele não iria vê-la até depois da chegada de sua tia e seu tio no dia seguinte, e então ela iria partir em sua viagem. Bem, não havia nada a ser feito quanto a isso, exceto ter esperanças de uma chance para se explicar. Com um profundo suspiro, ele caminhou até sua escrivaninha e tirou uma folha de papel. As suspeitas da Sra. Gardiner foram levantadas contra Elizabeth, após receber sua carta, e as suspeitas foram agora agravadas pela advertência que sua sobrinha havia lhe dado quase que imediatamente após a sua chegada à Longbourn sobre a timidez de Miss Darcy e a necessidade de ser paciente com ela. Por isso, ela observou mais atentamente, quando os Darcys chegaram, e não perdeu o pequeno rubor nas bochechas da sobrinha, nem o olhar nos olhos do cavalheiro quando eles pousaram em Elizabeth. Elizabeth fez as apresentações, e Darcy rapidamente engajou os Gardiners em uma discussão sobre Derbyshire, Lambton, e suas viagens propostas. A Sra. Gardiner olhou para a sobrinha, se perguntando porque Lizzy havia algum dia havia descrito este jovem educado e modesto como tão orgulhoso e desagradável. Depois de alguma conversa prolongada, Darcy anunciou que sua irmã tinha um Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


pedido a fazer. Todos os olhos se voltaram para Miss Darcy, que disse, hesitante: "Sr. e Sra. Gardiner, meu i-irmão e eu ficaríamos honrados se vocês e Miss Bennet consentirem em ser os nossos hóspedes em Pemberley d-durante a sua estadia na região." O Gardiners se entreolharam com surpresa. A Sra. Gardiner disse calorosamente "Isso é uma oferta muito generosa, Miss Darcy, mas não podemos presumir nos impormos sobre vocês em um conhecimento tão curto." "Bobagem", disse Darcy. "Não seria a menor imposição. Miss Bennet é uma conhecida de longa data, e minha irmã e eu gostaríamos de aproveitar a oportunidade para mostrar à vocês algumas de nossas vistas favoritas, e estamos, claro, a poucos quilômetros de Lambton. Sr. Gardiner, se você gosta de pescar, existem vários excelentes locais sobre a área onde você poderia gostar de testar sua mão. " A Sra. Gardiner olhou para Elizabeth para tentar apurar a visão dela deste convite. Embora não claramente surpresa, sua sobrinha não estava fazendo nenhuma tentativa de participar na discussão, e estava sentada com os olhos desviados. Supondo, porém, que sua esquivação estudada falava mais de um constrangimento momentâneo, do que qualquer desagrado da proposta, e vendo no seu marido, que gostava da sociedade, um interesse em aceitá-la, ela disse, "Bem, esta é uma oportunidade inesperada, Sr. Darcy. Talvez você nos permitiria um momento para discutir a possibilidade? " "É claro", disse Darcy calorosamente. Georgiana surpreendeu seu irmão e Elizabeth, acrescentando algumas palavras. "Por favor, eu gostaria muito se vocês considerassem isso". A conversa tinha por esse ponto chamado a atenção de uma surpresa Sra. Bennet, que sentiu a necessidade de comentar com entusiasmo excessivo sobre a grande cortesia do convite, e todas as coisas boas que ela tinha ouvido falar de Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Pemberley, para o constrangimento de suas filhas. Jane tentou, em vão tentou orientar a conversa para assuntos mais seguros. Os Gardiners retornaram após alguns minutos. O Sr. Gardiner disse, "Miss Darcy, Sr. Darcy, nós consideramos o assunto, e ficaríamos honrados em sermos seus convidados durante a semana que havíamos planejado passar em Lambton". Os olhos de Georgiana se iluminaram. "Isso vai ser maravilhoso!", ela disse. "Excelente", concordou o irmão. Depois de discutir os preparativos durante algum tempo, ele perguntou: "As suas viagens irão levá-los para Matlock também?" "Sim, certamente", replicou o Sr. Gardiner. "Estamos ansiosos para vê-la, e andar nos picos." "Talvez eu possa me impor a vocês e acompanhá-los brevemente enquanto vocês estiverem lá, já que minha própria tia e tio têm manifestado interesse em conhecer Miss Bennet, e parece ser uma excelente oportunidade para que isso aconteça, se vocês estiverem dispostos a se juntar a mim em prestar uma visita a eles. " Elizabeth se virou para olhar para ele em choque. Será que ele não percebe que ele poderia muito bem ter anunciado as suas intenções para a sala em geral? "Temo de que eles possam ser uma companhia muito elevada para pessoas como nós", ela disse baixinho, sua voz farpada. Darcy virou-se para ela com um olhar ilegível em seus olhos. "Minha tia e tio são muito amáveis, Miss Bennet, tenho certeza que você gostaria que eles." A Sra. Gardiner, sentindo a súbita tensão entre os dois, bem como o completo silêncio do resto da sala, decidiu intervir. "Sua tia e tio vivem em Matlock, então, Sr. Darcy?" Ele olhou para ela, agradecido pela distração, mas antes que ele pudesse responder, Elizabeth disse em uma voz monótona, "o tio do Sr. Darcy é o Conde de Derby. " Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Bem", Bingley quebrou o silêncio repentino que estas palavras deixaram para trás, “isto soa como uma viagem maravilhosa! Eu só fui para os Peaks brevemente, mas vocês acharão Pemberley verdadeiramente deliciosa. Os terrenos são alguns dos mais bonitos que eu já vi, e eu passei muitos momentos felizes lá." Ele esfregou as mãos e sorriu de maneira infantil para as companhias. "Sim, lembro-me de sua irmã me contando sobre uma viagem que você fez para lá", disse Jane, com um olhar preocupado para sua irmã. "Quando foi isso?" "Isso teria sido na última primavera, não seria, Bingley?" disse Darcy. Elizabeth sentou-se fervendo, enquanto a conversa continuou entre os Gardiners, Darcy, Bingley e Jane. Como ele ousava ir contra a sua vontade expressa desta maneira? Como pode o homem que ela tinha permitido segurá-la, beijá-la, acariciá-la, em seguida virar-se contra ela de tal forma? O olhar no rosto de sua mãe mostrou que o estrago já tinha sido realmente feito, e ela podia prever com precisão o que aconteceria no minuto em Darcy partisse. Se essa era sua idéia de não apressá-la, ela tinha muito a dizer a ele sobre o assunto. Por que eu me permito confiar nele? Eu sabia perfeitamente o quanto ele gosta de ter as coisas à sua maneira, e como facilmente ele irá ignorar a vontade dos outros; porque eu achei que ele iria me tratar de forma diferente? Por que fui tão tola para permitir-me gostar dele? Ela se sentiu mal enquanto ela considerava a posição em que ela agora se encontrava. Darcy tentou se dirigir a ela várias vezes, mas ela respondeu com poucas palavras quanto a cortesia permitiria, deixando-o em uma agonia de aflição. Ela estava claramente tão furiosa quanto ele temia, e ele não conseguia ver nenhuma maneira de encontrar um tempo sozinho com ela para explicar, nem tinha encontrado uma oportunidade para dar-lhe sua carta. Quando Darcy anunciou que era hora deles se despedirem, a Sra. Bennet, com Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


um nível de civilidade que teria constrangido Elizabeth se ela não estivesse tão preocupado com sua mágoa e sua raiva com Darcy, convidou as visitas para ficar para o jantar , mas Darcy declinou gentilmente, dizendo que ele e sua irmã tinham preparativos para fazer, como descobriu-se que eles estariam deixando Netherfield antes do esperado devido a algumas questões de negócios. Em seguida, ele fez questão de circular pelo espaço para se despedir da família dela, e ele parou por um tempo para falar com seu pai. Elizabeth não foi capaz de compreender a conversa, mas quando o Sr. Bennet olhou para ela com uma sobrancelha levantada várias vezes durante a troca e, em seguida os homens apertaram as mãos no fim, ela teve algumas fortes suspeitas do conteúdo da conversa . Quando Darcy e Georgiana saíram, ela não fez qualquer esforço além dos básicos da cortesia ao se despedir deles. "Lizzy!" Sra. Bennet disse. "Você não vai levar os seus convidados até a carruagem?" Elizabeth fez uma careta, o tom exigente das palavras de sua mãe deixando claro que ela já estava planejando o casamento. Ela fez questão de sair com Georgiana, que estava contente e animada pela próxima visita de Elizabeth à Pemberley e insinuações de seu irmão, e falou seu adeus a ela em um tom tão caloroso quanto ela conseguia. Ela não se voltou para Darcy até que sua irmã já estava na carruagem. "Sr. Darcy," ela disse friamente, seus olhos lampejando perigosamente. "Miss Bennet, eu entendo que você está descontente com as medidas que eu tomei, e lamento a necessidade, mas uma vez que você entender os motivos, tenho certeza que você vai concordar que eu não tinha outra escolha. Sabendo que seria pouco provável que tenha tempo para falar em particular, eu escrevi isso para mostrar o meu raciocínio." Ele estendeu a carta para ela. Elizabeth incisivamente cruzou as mãos atrás das costas. "Sr. Darcy, eu ficaria surpresa se não estivermos sendo observados neste momento, e se você acredita que Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


eu vou pegar uma carta de suas mãos sob essas circunstâncias, você está enganado." Preocupação começou a mostrar-se nos olhos dele. "Por favor, eu lhe imploro, este é um assunto muito importante", disse ele calmamente, para evitar os ouvidos de Georgiana. "Há boatos de natureza prejudicial sobre nós, e devem ser reprimidos. Por favor, leia a carta. " "Minhas desculpas, senhor, mas eu não vou. Tenho certeza que você acha tão desagradável quanto eu ter ignorado os seus desejos. Boa viagem, senhor." Elizabeth fez uma reverência e se afastou, deixando Darcy com a carta na mão. Atrás dela, ela ouviu a imprecação murmurada dele, e na porta, virou-se para darlhe um olhar longo e sério antes de entrar na casa. Ela não queria nada mais do que fugir para seu quarto, ou desaparecer em uma caminhada longa, mas desde que a evasão era impossível, ela endireitou os ombros e voltou para sua família. Sua mãe, como ela esperava, estava em êxtase, e imediatamente atirou os braços em volta dela. "Oh, minha querida Lizzy!", Ela exclamou. "Por que você nunca disse alguma coisa? Valha-me Deus! Senhor abençoa-me! Apenas pense! Sr. Darcy! Quem teria pensado nisso! Oh, minha doce Lizzy! Quão rica e

quão importante você será! Que mesada,

que jóias, que

carruagens você terá. Estou tão feliz, tão feliz. Dez mil por ano! Oh, Senhor! Que será de mim? Eu enlouqueço! " Elizabeth permitiu a efusão da Sra. Bennet para desanuviar um pouco antes de se aventurar a interromper. "Sinto desapontá-la, minha senhora, mas devo informar que não há acordo entre o Sr. Darcy e eu. Eu acredito que você tenha levado as palavras dele mais longe do que elas significavam!" O Sr. Bennet riu. "Ora vamos, Lizzy, você não vai ser hipócrita, eu espero, e fingir estar afrontada! A não ser, talvez, que você não seja a filha que ele quis dizer quando ele disse que queria falar comigo sobre a minha filha em seu retorno - eu tenho outras três filhas que não foram mencionadas, mas ele não poderia ter Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


pretender Kitty ou Lídia, já que ele não usa um casaco vermelho. Mary, você anda furtando-se para realizar um romance com o Sr. Darcy?" Ele falou a última com gravidade debochada. "Pai!" Mary, balbuciou. "Esse tipo de piada é muito inapropriada!" Elizabeth ficou horrorizada ao saber que Darcy havia sido tão direto com seu pai - ela não tinha pensado isso dele, mas ela dificilmente podia desacreditar em seu pai. Reconhecendo a inutilidade de discutir, neste momento, mas ainda fervendo em fúria impotente, ela disse: "Só vou repetir que não estou noiva do Sr. Darcy, independentemente do que ele pode pensar, e que eu não vou mais discutir esta história!” Sua mãe, porém, não seria derrotada, já que a intenção de Darcy era mais que suficiente para satisfazê-la, e o Sr. Bennet não poderia resistir à mais provocação. Jane e a Sra. Gardiner observavam Elizabeth em preocupação, percebendo claramente que ela estava muito infeliz com essa sucessão de eventos, até o ponto onde Elizabeth percebeu que sua compostura estava em perigo, e se retirou para o quarto dela. A mãe fez menção de segui-la, mas foi agilmente distraída pelos esforços da Sra. Gardiner, enquanto Jane calmamente saiu e foi confortar sua irmã. Encontrou-a deitada em sua cama, chorando, e colocou uma mão consoladora no ombro dela. "Lizzy, eu estou tão triste que os nossos pais estão reagindo dessa maneira. Eu sei que deve ser muito constrangedor, embora eles queiram o bem, eu gostaria que eles pudessem expressar a sua aprovação da aliança mais adequadamente". "A aliança", perguntou Elizabeth, irritada. "No momento, não tenho nenhum desejo de vê-lo novamente depois do que ele fez hoje. Tínhamos combinado que iríamos ocultar as intenções dele da família. Ele havia prometido alguns dias atrás não me apressar. Mas, aparentemente isso não serve mais para ele, então aqui está ele, colocando-me em uma situação que tornará extremamente difícil recusá-lo, e Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


traindo sua palavra para mim! Eu sabia disso, Jane, eu sabia que não devia me permitir ser levada a essa posição, eu sabia perfeitamente bem que ele poderia tentar me governar da forma como ele faz com todos os outros, e eu deixei-me ignorar isso, e acrediei que ele tinha mudado . Que idiota eu fui! Tão logo ele sentiu confiante de meu afeto, minha opinião já não importava. " "Lizzy, querida Lizzy," Jane disse suavemente. "Certamente deve haver um malentendido, eu estou certa que Sr. Darcy não ignoraria os seus desejos. Permita a ele uma chance de se explicar. Talvez haja uma explicação lógica." "A explicação dele é que é para evitar fofocas," Elizabeth disse com desdém. "Jane, como eu pude ter sido tão tolo para me deixar gostar dele?" Jane continuou a tentar confortar a irmã, mas Elizabeth estava desconsolada. Eventualmente, ela sentiu a necessidade de retornar ao Sr. Bingley, mas prometeu à Elizabeth que voltaria em breve. Na verdade, ela voltou mais cedo do que o esperado, muito antes de Elizabeth tivesse chegado a qualquer conclusão sobre como controlar o dano. "Lizzy, Charles disse que precisa falar com você, que ele tem uma confissão a fazer," Jane disse, hesitante. "Você irá vê-lo? Ele está esperando atrás da escada". Elizabeth queria recusar, achando que Bingley só iria apoiar o seu amigo, mas o olhar suplicante no rosto de Jane, e seu desejo de evitar qualquer conflito entre Jane e Bingley, fez com que ela mudasse de idéia. Depois de secar as lágrimas, ela acompanhou Jane até onde Bingley andava nervosamente. "Isso tudo é culpa minha!", Ele exclamou. "Lizzy, Jane me disse quão angustiada você está, e eu simplesmente devo dizer a você que fui eu quem insistiu que Darcy se declarasse hoje. Ele não queria fazê-lo, e ele disse que você iria ficar com raiva, mas eu não acreditei nele. Por favor, acredite em mim quando digo que a culpa é minha, não dele. Houve alguma conversa muito preocupante entre os empregados, e eu estava preocupado com seu impacto sobre você. Eu só queria protegê-la. " Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Sentindo-se um pouco como se ela estivesse enfrentando um cãozinho apologético, Elizabeth disse: “Por favor não se incomode, Sr. Bingley. Temo que você tome muita responsabilidade, o Sr. Darcy faz exatamente o que lhe agrada, e se ele agiu em seu pedido, é simplesmente porque lhe convinha, não por causa de qualquer coisa que você disse.” "Lizzy", disse Jane preocupada, "a Sra. Phillips está aqui, e ela diz que todos em Meryton estão dizendo que. . . oh, eu não posso dizê-lo. O Sr. Darcy estava tentando protegê-la, e parece ter funcionado. Nossa mãe não parece de forma alguma perturbada pela fofoca, e diz apenas que você está para se casar, e que isso será desconsiderado. Eu não posso imaginar como ela teria respondido se ele não tivesse falado esta manhã. " "Claro, eu tinha esquecido que o Sr. Darcy nunca está errado", disse Elizabeth amargamente. "É uma pena que ele tenha que sofrer a responsabilidade de tomar essas decisões importantes para todos os outros. Por favor, desculpe-me, Sr. Bingley; Receio que eu não sou uma companhia cortês no momento." Jane e Bingley à observaram recuar com consternação. ----------------------Darcy não podia decidir se ele estava irritado consigo mesmo por não lidar melhor com a situação ou com Elizabeth por se recusar a ouvi-lo. Ele esperava que fosse difícil, mas não desastroso; mas, infelizmente, parece que ele tinha estado errado a esse respeito. O olhar no rosto de Elizabeth, quando ele partiu o perseguia - a frieza, a raiva, a rejeição. Que maneira de começar a separação deles! Até o momento que ela chegasse a Pemberley, quem saberia se ela estaria pensando, ou se ela até mesmo prosseguiria com a visita acordada. Deus, como isso poderia ter ido tão mal tão rapidamente? Ele foi direto para seus aposentos quando regressou à Netherfield, não confiando em si mesmo caso encontrasse Miss Bingley. Atirando-se em uma cadeira, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


ele tamborilou com os dedos no braço enquanto tentava decidir sobre um curso de ação. Ele tinha que encontrar alguma maneira de falar com Elizabeth antes de sua partida, mas ela iria mesmo concordar em conversar com ele? Talvez ele pudesse vê-la na próxima manhã cedo antes que ela e os Gardiners partissem. Uma imagem dela do dia anterior passou diante dele, do sorriso em seu rosto quando ela viu ele, então, mudou para o olhar frio que ela deu a ele da porta de Longbourn. Ele baixou a cabeça em suas mãos. Ele sabia somente uma coisa. Ele devia fazer as pazes com ela antes que ela partisse.

"Lizzy, minha filha, sente-se", disse o Sr. Bennet quando Elizabeth apareceu na biblioteca, em resposta à sua convocação. "Acabo de ser submetido a uma dramática interpretação das notícias atuais de Meryton, as quais eu temo são principalmente sobre você. Parece que há um consenso geral de que você e o Sr. Darcy estão em termos íntimos, com o que dizem ser vários exemplos de vezes que ele foi visto beijando e abraçando você. Gostaria de me contar a verdade sobre este assunto? " Elizabeth sentiu que não havia muito sentido em negar, embora sem dúvida muito da fofoca era ficção, havia certamente verdade suficiente para ela, e o comportamento de Darcy e Bingley só apoiava isso. "Não, senhor, não tenho nada a dizer sobre o assunto." Com um suspiro profundo, Mr. Bennet tirou os óculos. "Agora estou completamente confuso. Se não me engano, no Outono passado o seu severo desagrado pelo Sr. Darcy e a total indiferença dele por você eram bem conhecidos de todos. Meio ano depois ele retorna, aparentemente com algum tipo de interesse em você, e isso parece surpreendê-la de maneira alguma, e na verdade parece que Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


você escolhe passar um tempo considerável com ele. Então, hoje, ele anuncia suas intenções, e você fica com raiva e nega que vocês tenham um entendimento. Então nos é dado a entender que a vizinhança inteira está falando sobre as posições comprometedoras em que você e ele tem sido pegos, e você não faz qualquer tentativa de refutá-las. Agora, este parece ser um excelente enredo para uma ópera cômica, mas eu ficaria muito grato se você pudesse fazer algum sentido disso para mim. " "Você parece conhecer bem os fatos, senhor. Eu suponho que você tem algo mais a me dizer do que recitar a história." "Lizzy, não estou buscando deixar você com raiva. Eu gostaria, pelo bem do meu próprio conforto, verificar o estado de seu afeto para com o Sr. Darcy, mas eu não tenho nenhuma dúvida que você vê tão claramente quanto eu que dadas às circunstâncias eu tenho pouca escolha quanto ao meu curso de ação." "E qual seria ele, senhor?" O Sr. Bennet massageou suas têmporas. Afligia-o mais do que ele poderia dizer ver sua filha favorita neste estado, e não ser autorizado a oferecê-la conforto ou compreensão. "Você vai ter que casar com ele, Lizzy. Só espero que isto seja mais palatável para você do que parece neste momento." Ela olhou-o nos olhos, tendo já chegado a essa conclusão por conta própria. "Há mais alguma coisa, senhor?" Ela perguntou calmamente. Levantando-se, ele suspirou e caminhou até ela e deu um beijo na testa dela. "Não, não há, exceto dizer que estou sempre disponível se você quiser falar mais disso, e que eu quero o melhor para você, Lizzy." Ela abrandou ligeiramente, triste por ver a dor dele pela posição em que ela tinha se colocado. "Eu sei", disse ela calmamente. Elizabeth se recusou a se juntar à família para o jantar, alegando uma dor de cabeça e a necessidade de completar seus preparativos para a sua partida no dia Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


seguinte. Apesar de seu natural bom humor estar começando a reafirmar-se um pouco, ela se sentia inferior ao desafio de ser o foco da atenção de todos, especialmente de sua mãe e sua tia Phillips. Ela também estava com vergonha de ser objeto de um escândalo, e preferia não saber mais detalhes dos boatos. Sua esperança era que ela pudesse aprender a fazer o melhor de uma situação infeliz, e ela lembrou a si mesma firmemente que, embora seu casamento com Darcy estivesse destinado a ser conflituoso, pelo menos havia uma base de carinho sob ele. Ela agora lamentava ter se recusado a ouvi-lo naquela tarde. Não era um começo promissor para o que estava fadada a ser uma longa série de conciliações e, se era para ela ser completamente honesta, ela achava lamentável que eles tivessem se separado em um tom tão hostil. A Sra. Bennet não pareceu sentir falta da filha, uma vez que sua presença não era necessária para uma discussão da maravilhosa aliança que ela tinha feito, e como toda mãe no distrito ficaria com inveja. Se Elizabeth queria se esconder em seu quarto ao invés de exibir sua conquista, isso não tinha qualquer importância à sua mãe. No entanto, foi um assunto completamente diferente depois do jantar, quando o Sr. Darcy escolheu visitar, pedindo para falar com Elizabeth, apesar da hora imprópria. Afinal, ele aparentemente não tinha realmente proposto ainda, e a Sra. Bennet certamente não ia permitir qualquer oportunidade possível para que isso fosse evitado, independentemente da dor de cabeça ou dor no coração. Ela apareceu na porta de sua filha, exigindo a sua presença para falar com Sr. Darcy, exasperando-se sobre seus cabelos e vestido, todo o tempo insistindo para que ela se apressasse e não deixasse o cavalheiro esperando. Elizabeth não podia deixar de se divertir com as maquinações de sua mãe, especialmente quando ela descobriu que, em total desrespeito pelo decoro, a mãe esperava que ela encontrasse Darcy na sala de estar traseira ao invés de se juntar aos outros convidados. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Darcy estava em pé perto da janela, parecendo sério, e torcendo o anel em seu dedo. Elizabeth, sentindo que seria benéfico estabelecer um tom mais positivo, disse suavemente: "Você parece ter uma aliada, senhor. Acredito que se eu não tivesse colaborado em descer imediatamente, minha mãe teria usado um chicote!" Relaxando um pouco nesta prova de que a raiva dela havia-se abatido, ele disse: "Sinto muito em saber que você não está se sentindo bem." Ela balançou a cabeça. "Estou bem o suficiente. Eu não senti inclinação para a companhia esta noite. " "Sinto muito então incomodá-la". Ele sentiu desigual trocar essas gentilezas distantes com ela depois de reviver sua rejeição por horas. Ele não podia suportar enfrentar a retirada das afeições dela. Se ele a perdesse agora, ele não sabia como ele iria sobreviver. Ele atravessou a sala e tomou as duas mãos dela nas suas. "Eu vim para implorar sua compreensão e perdão. Não quero que nos separemos como fizemos. " Elizabeth hesitou. Ela tinha de explicar sua necessidade de estar envolvida nas decisões, e sua intenção era a de ser agradável e calma com ele, quando ela esclarecesse seus problemas com o comportamento dele e suas expectativas futuras. Ela não previra, no entanto, quão doloroso seria estar na presença dele com uma briga entre eles, nem por quanto tempo ela iria ansiar para a resolução do sentimento de traição que ela ainda sentia. Ela queria mais do que qualquer outra coisa se jogar nos braços dele, mas estava decidida a não continuar a passada negligência deles do decoro dadas as dificuldades que já havia causado. "Nem eu, e eu estou contente que isto é importante para você também." "Não há nada mais importante para mim do que você", ele disse suavemente. Ela baixou os olhos em constrangimento. "Eu. . . " "E eu lamento profundamente que minhas ações levaram a este resultado." "Sr. Darcy," ela disse desconfortavelmente, “eu aprecio o seu pedido de Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


desculpas, mas creio que devemos discutir o assunto um pouco mais, pois eu temo que caso contrário poderemos enfrentar dificuldades contínuas. Eu preferiria resolver o assunto agora, se você estiver disposto." "Como você quiser, é claro", disse ele cautelosamente, um elemento de medo começando a estabelecer-se nele. "O que você gostaria de discutir?" "Eu temo que nós temos diferentes entendimentos de porque os eventos de hoje foram perturbadores para mim, então eu gostaria de pedir esclarecimentos sobre a razão das suas desculpas." Seu coração se afundou. "Por contrariar você, e por ser suficientemente sem auto-controle e dar motivos à esses rumores, em primeiro lugar." "Mas não, aparentemente, pelo que você disse." Seu orgulho se reafirmou. "Lamento que isto aborreceu você, e que eu a coloquei em uma posição difícil. Eu não vejo que eu tivesse outra escolha - pelo menos qualquer uma honrosa – senão dizer o que eu disse." Ela respirou fundo. "Se você achasse adequado me consultar, eu poderia até ter concordado, mas você não se dignou a me consultar. Tenha em mente no futuro, que espero ser envolvida nas decisões que me dizem respeito neste âmbito, mesmo que você não veja nenhuma escolha no assunto. " A onda de alívio que ele sentiu em sua referência ao futuro foi grande. "Eu. . . me esforçarei para fazer o meu melhor, porque eu valorizo sua opinião, Miss Bennet. Se tivesse havido uma oportunidade, neste caso, eu certamente teria informado você dos meus planos." "Você teria me informado dos seus planos. Sr. Darcy, você parece ter o hábito de tomar decisões por outras pessoas, e esperar que elas se curvem à sua vontade. Você terá que fazer uma exceção para mim, no entanto, porque eu não vou tolerar isto. Isto, mais do que qualquer outra coisa, foi o que me chateou hoje.” Pelo olhar no rosto dele, ela temeu que tivesse ido longe demais. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ele se virou e andou até a janela, onde ele permaneceu em silêncio e olhou para fora. As palavras dela tinham irritado-o, e ele sabia que não devia respondê-la quando ele estava irritado. Ela não percebeu que era esperado dele constantemente que tomasse decisões por outros, e quanto ele se esforçava para agir no melhor interesse deles? Ela claramente não tinha conhecimento de suas responsabilidades. Ele desejava que sua respiração desacelerasse. Ele não podia permitir-se de ficar irado com ela agora, muito estava em jogo, e qualquer posse que ele tinha das afeições dela eram muito tênues. Deus, se ele a perdesse agora. . . não poderia haver repetição dos seus insultos furiosos em Hunsford. É claro, em Hunsford ela tinha estado no direito, embora ele não tivesse admitido por algum tempo. Seria possível que ela pudesse estar correta novamente? Clinicamente, ele olhou para

a reclamação dela. Ele ainda podia ver nenhuma falha em seu

comportamento, mas se ele olhasse para ele da posição dela - sim, ele podia ver que ele não teria gostado também. Talvez ele tivesse caído muito no hábito de tomar decisões sozinho, e que de fato precisaria mudar se ele se casasse. Sim, isto ele poderia aceitar, mas ele não podia trazer-se para enfrentar o olhar acusador dela. Primeiro, ele precisava encontrar uma maneira de dizer a ela que ele entendeu, mas ele estava paralisado pelo seu medo de que o fervor dela do dia anterior seria uma coisa do passado, independentemente de suas ações agora. Elizabeth estava descobrindo que Darcy em uma fúria, ainda que silenciosa, era uma coisa assustadora, e que, tendo soltado o tigre, ela não tinha idéia de como dominá-lo. Outro medo se sobrepunha àquele. E se ela tivesse finalmente pressionado ele longe demais? Em que ponto ele decidiria que ela não valia a pena o esforço? Ela reuniu toda a sua coragem e se obrigou a aproximar-se dele. Fortalecendo-se tanto física quanto mentalmente, ela estendeu a mão e colocou-a levemente no braço dele. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ele olhou para mão dela como se perplexo de onde tinha vindo, e então abruptamente esmagou-a em seus braços. Ela soltou um suspiro meio soluçante de alívio enquanto deitou a cabeça no peito dele, grata além das palavras por não ser rejeitada. O desejo dela de acreditar que eles poderiam superar isto, para que pudessem voltar ao dia anterior e começar de novo, era esmagador. Enterrando o rosto no cabelo dela, Darcy disse uma oração silenciosa de agradecimento. Ele podia aceitar qualquer coisa, contanto que ele tivesse Elizabeth, mas ele não podia mais suportar esta incerteza constante do afeto dela. A dúvida tornou-se mais do que ele podia suportar. "Elizabeth", suplicou ele, com uma ponta de desespero, “pelo amor de Deus, por favor me diga que você gosta de mim, mesmo que seja só um pouquinho." Ela estendeu a mão e tomou o rosto dele nas mãos. "Você não pode dizer?" Ela perguntou. "Não, eu não posso. Eu tenho interpretado mal você tantas vezes e tão mal que já não acredito que eu posso julgar." "Sr. Darcy ", disse ela com algum divertimento, “Eu espero que você não acredite que eu dou meus favores tão livremente aos homens que eu não gosto!" Houve uma pausa enquanto ele absorvia isso "Miss Bennet, eu acredito que você está me provocando." "Você não merece isso, senhor?" Ela perguntou maliciosamente. "E isso é o que você merece, por mesmo me provocar sobre dar os seus favores a outros homens." Ele tomou posse de seus lábios exigentemente. Seus beijos ferozmente possessivos acenderam uma necessidade que ela não sabia que tinha, enquanto as mãos dele, alegando o direito de explorar as curvas de seu corpo, produzindo nela um desejo que a fez ansiar que ela fosse dele de verdade. Gratificado por sua resposta, ele aprofundou seus beijos. No momento que ele estava satisfeito, Elizabeth encontrou-se agarrando os ombros dele por apoio. "Eu Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


sinto que é apenas justo avisá-la, Miss Bennet, que eu sou um homem muito possessivo". Com uma risada trêmula, ela disse, "Isso dificilmente é uma surpresa!" O plano dela de insistir na observação do decoro estava se tornando menos do que bemsucedido. "Bom", disse ele, voltando para ganhar a sua boca novamente. "Por favor, não se esqueça disso." Elizabeth, de alguma forma capaz de recordar através da névoa de paixão que ele a tinha induzido nela que Darcy tendia a necessitar de uma quantidade surpreendente de confiança a respeito do óbvio, disse: "Sr. Darcy, você não tem nenhum motivo para preocupação. Eu sempre presumi que o meu marido seria o único homem que eu beijaria, e eu não vejo nenhuma razão para rever essa opinião." Os olhos dele se acenderam. "Talvez devêssemos fazê-lo oficial." Ele observou de perto pela reação dela. Ele não tinha intenção de fazer uma proposta dessa vez até que ela estivesse pronta. Elizabeth olhou para ele, desejando que seu pulso diminuísse. Sim, vamos passar por isso, pensou. Eu preferia ter esperado até que eu tivesse menos reservas, mas já que eu não tenho escolha no assunto, nós podemos muito bem acabar com isso. E não há razão para ele saber que eu tenho dúvidas, com certeza era apenas uma questão de tempo até que eu estivesse pronta para aceitá-lo, e ele merece a alegria de crer que eu o aceito sem hesitações. "O que você tem em mente, senhor?", Ela perguntou com um sorriso. Com um sentimento de euforia, ele pegou as mãos dela nas dele. Ele pressionou o mais leve dos beijos dentro de seu pulso primeiro em uma mão, depois na outra, deixando Elizabeth sentindo que mal conseguia pensar, muito menos ser coerente. "Miss Bennet, você me fará a infinita honra de aceitar ser minha esposa?" Ela respirou fundo. "A honra seria minha, senhor." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Houve um momento de silêncio, então ele disse: "Diga isso de novo." Ela sorriu ironicamente. "Sim. Sim, eu vou casar com você. Sim, eu vou ser sua esposa. Sim, eu vou passar minha vida com você. Sim, eu vou ser a mãe de seus filhos. Sim." "Por favor, sinta-se livre para continuar, Miss Bennet. Eu podia ouvir isso por um longo tempo." "Quanta vaidade! Não, senhor, eu acredito que é sua vez de falar, eu cumpri minha parte da conversa ". Seus olhos, iluminados pela sincera alegria, prenderam-se com os dela. "Não há palavras para como eu me sinto neste momento, meu amor." Ele tirou do bolso uma pequena caixa, de onde retirou um anel de safira que ele deslizou em seu dedo. "É lindo", ela disse calmamente. "Estou feliz por finalmente tê-lo onde ele pertence", disse ele. Seus olhos se encontraram, e a

pura alegria nos dele derreteram os últimos bocados de

resistência que ela poderia ter tido. "Beije-me, Elizabeth," ele sussurrou. Com uma sobrancelha levantada e um sorriso malicioso, ela soltou suas mãos das dele e colocou-as ao redor do pescoço dele. Permitindo que seu corpo tocasse levemente o dele, ela puxou a cabeça dele para ela e deliberadamente, colocou em prática tudo que havia aprendido com seus beijos. Ela correu os dedos nos cachos rebeldes dele, deliciando-se na maneira como sua ação claramente excitava Darcy. Apreciando esta sensação de poder, ela testou-o ainda mais arrastando seus dedos pelo pescoço dele ao longo da borda de sua gravata, e foi recompensada por um aumento claro na resposta dele. "Querido Deus, a vida com você não vai ser chata", ele disse com sentimento quando ela finalmente o soltou. "Espero que não!", Disse ela com um brilho em sua voz. Sentia-se extraordinariamente satisfeita consigo mesma. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Eu preciso falar com seu pai agora, e então diremos ao resto de sua família." "Sr. Darcy,” Elizabeth disse um pouco bruscamente. "Nós não tivemos uma discussão recente sobre o assunto de me consultar sobre as decisões?" Ele teve a graça de parecer um pouco envergonhado. "Ahh. . . sim, nós tivemos. Minhas desculpas, minha querida. Vejo que vai exigir alguma reeducação." "Sua desculpa está aceita." "Como vamos informar as pessoas do nosso noivado, então?" Ele roubou um beijo rápido de puro prazer em ser capaz de dizer essas palavras. "Com toda a confusão atual, eu quase preferia esperar." Ele abriu a boca para dizê-la que era impossível, e então pensou melhor. "Eu teria algumas preocupações sobre deixar sua família para lidar com esses rumores na nossa ausência, sem o conhecimento do nosso noivado para apresentar em resposta". "Seu ponto é bem aceito. Muito bem, podemos contar a eles agora. Você estaria disposto a considerar, no entanto, atrasar o anúncio da notícia em Pemberley? Eu me

sentiria

mais

confortável indo lá primeiro como convidada, sem todas as expectativas que iriam me acompanhar se eu fosse ser conhecida como a futura patroa." "Eu preferiria não atrasar muito tempo, mas não vejo nenhum mal em algumas semanas", ele admitiu. "Obrigado." Eles sorriram um para o outro de acordo. "Enquanto você estiver falando com meu pai, talvez eu me juntarei ao resto da família, o que deverá permitir a minha mãe passar o pior de sua efusão antes de você chegar." "Eu pensei que iríamos contar a sua família juntos." Ela riu. "Você acha que depois que você andar para fora desta sala e para dentro da biblioteca haverá mais alguma coisa a ser dita? Mas isso é apenas justo, eu vou esperar por você aqui.” Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Eu voltarei assim que eu puder", disse ele, mas descobriu que ele tinha que dála mais um beijo prolongado antes que ele pudesse enfrentar a breve separação. __________ "Sr. Bennet, estou certo de que você tem poucas dúvidas sobre a razão pela qual estou aqui esta noite," Darcy começou. "Pelo contrário, meu jovem, eu tenho um grande número de perguntas sobre porque você está aqui esta noite", disse o Sr. Bennet. "Você tem?" Darcy perguntou surpreso, então lembrou-se. "Perdoe-me, eu quis dizer que eu ficaria feliz em responder qualquer dúvida que possa ter, senhor." "Bom, bom, estou feliz em ouvir isso. Então talvez você possa me explicar como é que chegou a ocorrer que você e minha filha fossem pegos em encontros amorosos clandestinos, quando, a última coisa que qualquer um de nós tinha ouvido, era que você não a achava bonita o bastante para tentá-lo, e ela tinha uma saudável antipatia por você. Eu ouvi a versão de Lizzy da história, agora eu gostaria de ouvir a sua." Darcy estremeceu. Este malfadado comentário na Assembléia de Meryton iria assombrá-lo para o resto de sua vida? "Senhor, eu posso entender que a sua opinião sobre mim pode ter sofrido devido aos recentes boatos; eu não tenho nenhuma dúvida que eu sentiria o mesmo se eu estivesse no seu lugar. No entanto, garanto a você que as minhas intenções para com sua filha sempre foram estritamente honradas. " "Certamente." A voz do Sr. Bennet estava afiada. "Sr. Darcy, eu não tenho a pretensão de compreender a situação. Eu sei que Lizzy está infeliz e com raiva, eu sei que ela manifestou no passado alguma razão para desconfiar de você, e eu sei que, por razões que não estão claras, que ela tem escolhido passar tempo com você e, aparentemente, a aceitar suas atenções. Nestas circunstâncias, não tenho escolha, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


senão lhe dar a minha permissão para casar com ela, como eu disse a ela que eu não tinha escolha senão insistir para que ela se case com você, mas eu não sinto nenhuma obrigação de estar feliz com isso. " Surpreso por esta inesperada explosão de raiva, Darcy mal sabia por onde começar. Ele não havia esperado hostilidade, e enquanto seu primeiro pensamento era não discutir mais isso até que ele tivesse uma chance melhor de entender a posição do Sr. Bennet, ele considerou quão importante era a opinião do pai para Elizabeth, e determinou-se a engolir seu orgulho e persistir. "Senhor, eu acredito que você está sob algum equívoco. Certamente Miss Bennet e eu tivemos desentendimentos no passado, mas depois que eu, ou seja, depois de aprofundar nosso conhecimento em Kent, fomos capazes de esclarecer uma grande confusão, incluindo a verdade por trás das mentiras que tinham sido ditas a ela. Nós temos estado em termos mais cordiais desde então. Gostaria de encorajá-lo a falar mais com ela, senhor. Eu não acredito que ela esteja infeliz com qualquer coisa, exceto as circunstâncias do nosso noivado, e é meu objetivo, senhor, fazê-la feliz em tudo." O Sr. Bennet se recostou na cadeira. "Então, você acha que foi o tempo que passaram juntos em Kent que fez a diferença, então." "De certa forma, sim", disse Darcy cautelosamente. "Que tempo que passaram juntos em Kent?" Disse o Sr. Bennet disse, sua voz como um chicote. Se perguntando se isso era algum tipo de truque, Darcy disse: "Em abril, quando Miss Bennet foi visitar sua amiga Sra. Collins, e eu estava visitando minha tia, Lady Catherine de Bourgh". Mr. Bennet parecia subitamente cansado. "Lizzy nunca mencionou vê-lo lá." "Você não sabe, então?" Darcy disse em surpresa. "Então você não ouviu falar. . .” Ele parou, percebendo que Elizabeth não devia ter desejado que o seu pai soubesse sobre suas interações em Kent. "Ou sobre Wickham, também não?" Ele Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


raramente tinha sentido tão completamente desarticulado. "Sente-se, Sr. Darcy. Isto clararamente vai demorar algum tempo. Talvez você possa me dizer agora sobre todas as coisas que eu não ouvi ", disse o Sr. Bennet friamente. "Talvez devêssemos pedir à Miss Bennet que se junte a nós para dar seu ponto de vista." "Talvez não. Agora, você estava prestes a me contar sobre Kent, eu acredito. " Sentindo-se como um colegial chamado sobre o tapete, Darcy resumiu os acontecimentos de Abril com a voz cortada, omitindo apenas o veneno do desacordo deles na noite que ele propôs, e uma breve revisão de sua história com o Sr. Wickham. "Quando voltei para Netherfield no mês passado, Miss Bennet, já não estava sujeita a um equívoco sobre meus sentimentos para com ela, teve a gentileza de me permitir começar a cortejá-la novamente." "Estranho, eu tinha pensado que era tradicional pedir a permissão do pai da jovem envolvida, Sr. Darcy, mas talvez eu estivesse enganado." Darcy não tinha sido o Senhor de Pemberley durante cinco anos para aceitar esse tipo de insulto levemente, até mesmo do pai de sua amada. "Talvez você não entendeu a minha posição, Sr. Bennet. No interesse de um entendimento futuro, deixe-me ser claro: dada a escolha entre proteger a sua filha e agradar você, eu sempre escolherei a sua filha.” "Você acredita que ela precisa de proteção contra mim, então?" o Sr. Bennet disse suavemente. Darcy fixou um olhar firme sobre ele, uma tática que funcionava bem em arrendatários desobedientes. "Não foi isso o que eu disse, como você bem sabe, senhor. Mas se satisfaz você ficar com raiva de mim porque a sua filha escolheu por suas próprias razões ocultar certos fatos de você, sinta-se livre para fazê-lo. Isso não me perturba. " Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Os cantos da boca do Sr. Bennet se contorceram. "Estou feliz em ouvir isso. Se você planeja se casar com Lizzy, será para o seu benefício ser imperturbável. " "Eu vou me casar com ela, Sr. Bennet, e por causa dela, espero que possamos estar em melhores condições no futuro." Darcy pôs seu desafio. "Trate-a bem, Sr. Darcy, e não teremos problemas." "Senhor, você não precisa ter preocupações a este respeito." Darcy se levantou e se curvou formalmente. "Eu acredito que ela está esperando por mim, então vou me despedir." O Sr. Bennet acenou com a mão em despedida, pensando que Lizzy poderia não ter feito tão mal para ela afinal de contas. ------------------------------Elizabeth tinha presumido que a entrevista com o pai dela era uma formalidade, dado suas palavras para ela antes, mas estava começando a se preocupar quando o tempo foi passando. Quando enfim Darcy voltou, ela disse: "Eu tinha começado a me perguntar se você tinha me esquecido." "Dificilmente, meu doce. Mas seu pai tinha uma série de perguntas. Lamento dizer que ele não parece me ver com bons olhos", disse ele, sentando-se ao lado dela. "Eu fiz uma descoberta importante, porém, que é se o meu defeito é dizer a todos o que fazer, o seu é não lhes dizer nada. Eu não tinha percebido que você tinha deixado seu pai completamente no escuro sobre tudo o que aconteceu entre nós. " "Foi. . . foi muito confuso, por algum tempo eu mal sabia o que dizer, e temo que quando falei com ele hoje cedo eu estava bastante. . . angustiada", admitiu ela. "Ele não parecia me achar um pretendente desejável", disse Darcy, olhando para ela, pensativo. Ele sempre presumiu que a tendência de Elizabeth de manter seus pensamentos privados refletia uma certa falta de confiança nele, e tendo feito a surpreendente Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


descoberta de que ela não tinha contado nem mesmo ao seu amado pai de seu interesse por ela, estava fazendo-o repensar essa conclusão. Será que ela era tão reticente sobre seus assuntos pessoais, mesmo com aqueles a quem ela era mais próxima? Ela certamente era hábil em desviar de discussões sérias com réplicas espirituosas de tal forma que alguém dificilmente percebia a sua incapacidade de responder. Ele se perguntou o quanto ela contou à Jane de seus assuntos

particulares.

Claro, Georgiana provavelmente faria a mesma acusação de astúcia sobre ele, e lembrou o quanto tinha custado à ele confessar sua situação para o coronel Fitzwilliam, em Londres. Mas ele nunca, uma vez que ele determinou que o seu interesse nela era duradouro, tentou manter em segredo os seus sentimentos de Elizabeth. Embora ela não tivesse entendido o interesse dele no passado, não foi porque ele falhou em tentar expressá-lo em sua própria maneira. Ele não queria mantê-la à distância, como ele tinha feito com tantas outras pessoas, e mais do que qualquer coisa que ele queria que ela sentisse que poderia compartilhar qualquer coisa com ele. Talvez ele teria que assumir a liderança neste assunto até que ela se sentisse mais capaz de confiar nele com seus sentimentos. "Eu vou dizer a ele que este não é o caso," Elizabeth disse suavemente. "Eu não quero que ele pense que você é indesejável." Ela estendeu-lhe a mão. "Vamos para a minha família?" Tomando a mão dela, ele puxou-a gentilmente na direção dele, e ela deslizou em seus braços como se ela tivesse sido feita expressamente para esse propósito. "Talvez primeiro você poderia me mostrar que eu não sou indesejável", disse ele com um leve sorriso. Elizabeth, experimentando a sensação prazerosa de voltar para casa que a familiaridade de um abraço do amado pode trazer, ergueu seus lábios nos dele, sem pensar duas vezes. Enquanto suas bocas se encontraram, ela se rendeu às sensações Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


felizes que só ele poderia despertar nela. Experimentando o prazer inebriante de aceitar o prazer que só ele poderia dar a ela, sem os sentimentos de culpa que tinham assombrado-a no passado, ela gemia baixinho enquanto ele aprofundou o beijo e ela sentiu toda a força de sua paixão respondendo à dele. Quando ele levantou a cabeça apenas o suficiente para ser capaz de olhar nos olhos dela, ela disse, "Você já se sente desejável, senhor?" "Eu me sinto tão desejável que eu posso nunca deixá-la ir", respondeu ele com fervor, prosseguindo com beijos ao longo do lado do rosto dela e do pescoço para baixo, profundamente grato por sua habilidade de dá-la prazer. Que a sua Elizabeth pudesse ser tão surpreendente e deliciosamente sensível a ele lhe deu uma satisfação que ele não podia negar, e ele revelou em sua sensação de prazer extático enquanto ele sentia ela se rendendo ao controle dele. Profundamente excitado, ele a beijou com uma profundidade que a deixou sem fôlego e ansiando por mais. Acima da habilidade de se conter, e de alguma forma, sabendo que ela não iria encontrar a vontade de objetar, ele escorregou a borda de seu vestido fora de seu ombro. Pressionando beijos apaixonados ao longo da carne recém exposta, ele ouviu suspiros de prazer e sentiu-a arquear-se contra ele com um tremor que só o excitou ainda mais. Se ao menos estivessemos realmente sozinhos, ele pensou, desesperado para obter mais dela. Mal o pensamento cruzou sua mente quando ele ouviu passos lá fora. Ele soltou-a abruptamente e endireitou seu vestido, mas não havia nada que pudesse fazer sobre o olhar semi-entorpecido de paixão nos olhos dela, e ele suspeitou que sua aparência era ao menos tão óbvia. O Sr. Bennet apareceu na porta, um olhar de divertimento no rosto. "Aí está você, Lizzy. Creio que temos um anúncio a fazer, se vocês dois puderem dispensar um momento para o resto de nós. " "Sim, nós estávamos mesmo dizendo que nós devemos nos unir aos outros", Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Elizabeth conseguiu dizer. O Sr. Bennet, cuja primeira aproximação para a sala tinha sido quieta o suficiente para passar desapercebido dadas as circunstâncias, levantou uma sobrancelha, mas não disse nada. Qualquer decepção ele pudesse ter sentido sobre o comportamento que tinha presenciado foi superado pelo seu alívio ao perceber que sua Lizzy não era tão claramente contrária à esta aliança quanto ele temia. "Vamos, então?" ----------O alvoroço dos viajantes que partiam encheu Longbourn cedo na manhã seguinte enquanto baús eram carregados e recarregados, os filhos dos Gardiner aproveitando a oportunidade repetidamente de se despedirem de seus pais, e a Sra. Bennet instruindo Elizabeth repetidamente como ela devia se comportar enquanto estivesse em Pemberley, a fim de continuar a agradar o Sr. Darcy. Elizabeth estava assombrosamente se lembrando que, poucas semanas antes, tinha estado ansiosamente antecipando esta viagem como uma fuga das atenções de Darcy, ao passo que agora a idéia de sentir falta dele era uma preocupação muito maior. Uma sensação de prazer prencheu-a quando ela avistou o objeto de seu próprio pensamento andar em sua direção. Ela não esperava vê-lo, pois eles tinham se despedido na noite anterior. Ele desmontou e veio direto para ela, seu olhar apaixonado sobre ela. Quando ele beijou a mão dela, ela estava consciente de ter um sorriso especial para ele também. "Bom dia, meu amor", ele disse baixinho, só para ela ouvir. "Bom dia, senhor", ela respondeu com um rubor leve, consciente pelo olhar dele que ele preferiria estar beijando seus lábios do que sua mão. "É um prazer inesperado de vê-lo esta manhã." "Você superestima a minha capacidade de ficar longe de você. Parece que a sua Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


partida é iminente, estou feliz que cheguei a tempo ". "Sim, acredito que estaremos partindo em breve." "Posso pedir um momento para falar com você separadamente primeiro?" "Claro." Ela o levou para uma distância que não permitia que os ouvissem. "Já que nós temos pouco tempo, vou abster-me de comentar sobre como você parece mais bela a cada dia e quanto eu senti sua falta noite passada, e limitar-me a mencionar quão apaixonadamente eu adoro e admiro você e quanto eu odeio quando você usa luvas", disse ele, tocando o artigo ofensivo. Elizabeth ruborizou, subitamente consciente de que o noivado deles iria abrir o caminho para um novo tipo de namoro que poderia ser tão exigente quanto seus beijos. "Bem, senhor, a minha mãe me instruiu para agradá-lo em todos os assuntos, então eu arriscarei chocar a minha família", disse ela com um sorriso, e tirou as luvas. Ele imediatamente pegou sua mão e levou-a aos seus lábios novamente. "Muito melhor", ele murmurou, seus olhos caindo para a boca dela. "Você é uma tentação deliciosa e encantadora, Elizabeth, e você está me distraindo do que eu vim dizer." Ela levantou uma sobrancelha, impressionada com a habilidade dele de fazer o seu nome soar como um carinho íntimo. "E o que é isso?", Perguntou ela, seus lábios formigando como se ele tivesse de fato, beijando-os. Ele retirou uma carta do bolso e estendeu para ela. "Eu escrevi isso para você levar com você, esperando que você poderia encontrar tempo para lê-la esta noite." Ela sorriu calorosamente. "Obrigado. Fico feliz que eu possa pegá-la seguramente desta vez!" "Há vantagens em estarmos noivos. Muitas vantagens." "Quando tivermos mais tempo, senhor, eu vou fazer você enumerá-las todas para mim", disse ela, brincando. Ela estava começando a considerar a possibilidade de que ela estava destinada a passar todo o noivado deles ruborizando. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Vai ser meu prazer fazê-lo, meu amor. Mas eu não gostaria de causar uma má impressão sobre o Sr. E a Sra. Gardiner tão cedo no início de nossa amizade, atrasando-os simplesmente para que eu possa desfrutar de mais alguns momentos na sua presença, então talvez eu deva devolver você à eles. " "Talvez sim." Quando eles estavam andando de volta para se juntar aos outros, ela disse, surpreendendo até a si mesma: "Vou sentir sua falta." O olhar surpreso no rosto de Darcy não conseguia esconder o prazer que ele sentiu. Ele estava dolorosamente ciente de que Elizabeth sempre tinha nitidamente evitado dizer qualquer coisa que pudesse indicar o estado de seu afeto em relação a ele, mesmo quando aceitou a sua proposta, e ele tinha sofrido ocasionais momentos de angústia desde então quando se lembrava do Sr. Bennet dizendo que ele tinha instruído Elizabeth a aceitar sua proposta, e questionou o papel que isto poderia ter tido na aceitação dela. "Você vai estar na minha mente constantemente", disse ele calmamente. Ela olhou para ele com um olhar sóbrio, sem saber a melhor forma de responder em uma troca séria deste tipo com ele. Ela havia trabalhado para manter a conversa deles alegre, e estava mais intimidada do que ela gostaria de admitir pela perspectiva de uma discussão séria sobre os seus sentimentos. Na verdade, ela achou

a

idéia

aterrorizante.

Felizmente, o resgate estava próximo, sob a forma de sua família. Darcy prestou seus respeitos aos Gardiners, que já estavam sentados na carruagem, e ao Sr. e Sra. Bennet antes de tomar a liberdade de ajudar Elizabeth a entrar. Após uma despedida breve mas sincera, eles foram embora. Elizabeth virouse para vê-lo enquanto eles partiam, tentando memorizar suas características, e maravilhada com a incrível vista de Darcy abrigado entre sua família. ------------------Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Os viajantes pararam para passar a noite em Oxford, chegando com luz suficiente para passear pelas ruas e ver as vistas antes de se fixarem em sua pousada. Elizabeth devidamente admirava a beleza dos antigos edifícios das faculdades, e o novo, mas igualmente marcante, Radcliffe Camera. Ela tinha antecipado por visitar Oxford, mas agora ela descobriu que sua mente tendia perder-se dos seus arredores para um certo cavalheiro de cabelos escuros. Escalando a magnífica torre da Igreja da Universidade proporcionou algum alívio físico para seu espírito agitado, e ela conseguiu desfrutar a vista espectacular sobre os pináculos da cidade por alguns minutos antes de seus pensamentos flutuarem para a carta que Darcy tinha dado a ela, se perguntando o que ele continha . Ela esperou para lê-la até que ela tivesse um pouco de privacidade na estalagem, depois do jantar, enquanto a tia e o tio saíam para desfrutar de um crepúsculo passeio junto ao rio. Ela segurou a carta em suas mãos por alguns minutos antes de abri-la e, finalmente, quebrou o selos com o brasão dos Darcy logo será o meu, também! pensou com uma sensação de irrealidade. Minha querida Elizabeth, Espero que o seu primeiro dia de viajem tenha ido bem, e que você se encontre situada confortavelmente e desfrutando de seus arredores. Não tenho dúvidas de que no momento em que você ler isto, eu vou estar totalmente empenhado em lamentar a sua ausência e valorizar as memórias das nossas últimas semanas juntos para me ajudar através dos dias que virão. Havia tanta coisa que eu teria gostado de ter a oportunidade de dizer para você hoje, tantos pensamentos que eu gostaria de compartilhar com você sobre a longa espera pela ocasião de sua aceitação da minha mão. Mas não era para ser, dadas as circunstâncias, ambas alegre e angustiante, que nos distraíssem do importante assunto de comunicar um ao outro os nossos pensamentos e sentimentos sobre este tempo de mudança. Eu sei que o seu interesse em considerar casar-se comigo é muito recente, mas não é menos querido para mim Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


por isso. Eu fiquei surpreso, não, atônito em Kent ao descobrir que você era ignorante do meu interesse em você, na verdade, devo confessar que eu fui tão longe a ponto de me perguntar se você poderia ter simulado a falta de conhecimento do mesmo por seus próprios motivos , até que me lembrei que tal engano não teria sido do seu caráter, e que se você tivesse conhecimento do meu interesse, você teria sem dúvidas encontrado alguma maneira para evitar que o assunto chegasse ao ponto que chegou. Mas minha admiração por você era real, e tem sido poderosa desde os primeiros dias do nosso conhecimento, e todo o meu tempo longe de Hertfordshire não foi suficiente para colocá-la fora da minha mente por um único dia. No entanto, devo confessar com alguma vergonha que de onde eu estou hoje, eu posso ver que havia algo faltando em minha estima por você naquele momento, uma qualidade que teria avançado do ponto de fascínio e admiração ardente para o tipo de devoção e respeito que sempre senti - com base no exemplo dos meus próprios excelentes pais, - que deve existir entre um homem e sua esposa. Não foi até que eu pensei que tinha perdido você completamente e de forma irrevogável que eu vim a reconhecer todas as suas qualidades admiráveis, que haviam promovido a profundidade da minha atração por você.Eu não posso dizer-lhe o poder do meu desespero, naqueles dias, enquanto eu comecei gradualmente a compreender que você estava certa de recusar-me, e reconhecer que eu tinha causado minha própria queda. Sua reprovação, tão bem aplicada, nunca me esquecerei: "Se você tivesse se comportado de uma forma mais cavalheiresca" Você não sabe, você mal pode conceber, como essas palavras me torturaram; embora tenha levado algum tempo, confesso, até que eu estivesse razoável o bastante para permitir a sua justiça. Eu não esperava nunca encontrar você de novo, mas quando eu reconheci minhas faltas, meu primeiro desejo foi me tornar em um homem de quem você poderia se orgulhar se algum dia você me encontrasse novamente. Eu não posso lhe dizer quão profunda era a minha ansiedade quando eu decidi colocar o meu coração aos seus pés mais uma vez, mas naquela época eu tinha vindo a compreender quão necessária você era para mim, e quão pouco eu poderia conceber qualquer tipo de futuro que Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


não incluía você ao meu lado. Eu não posso lhe dizer a alegria que me dá que você tenha consentido ser minha esposa. Você já me ensinou muita coisa, minha amada Elizabeth, das quais sou eternamente grato, e o conhecimento que vamos enfrentar juntos o futuro é de grande conforto para mim. Saber que vou ter o privilégio de ver seu sorriso a cada dia é sentir-me dotado com o maior prazer imaginável. Gostaria de continuar longamente sobre este assunto, mas meu tempo está ficando curto, se eu for entregar isso para você de manhã. Aguardo com expectativa a sua chegada em Pemberley com a maior antecipação. Até lá, esteja certa de que você estará em meus pensamentos e meu coração sempre, e que eu sou, como sempre, seu em todos os sentidos, Fitzwilliam Darcy Elizabeth tinha lágrimas em seus olhos quando ela terminou de ler a carta. Suas palavras de amor, que eram tão difíceis para ela ouvir quando estava na presença dele, puderam tocá-la de uma forma diferente através da sua escrita, e sua eloqüente descrição da dor que ele experimentou após a recusa da sua primeira proposta, disse-a mais da profundidade do afeto dele que seus carinhos jamais poderiam. Sentia-se indigna de uma estima tão profunda quanto a dele, e não podia evitar, senão sentir que os seus afetos não eram iguais ao dele. Mas eles nem tiveram a chance de resistir ao teste do tempo como os dele tiveram, e o amor pode crescer, disse a si mesma. Ele colocou sua fé em mim, e eu devo tentar merecê-la, mas sem dar-me a ele. Ela segurou a carta em seu rosto por um momento antes de estabelecer para lêla novamente, e quando ela se retirou para a noite, ela estava de uma forma justa sabendo-a de cor. -------------------------Elizabeth e os Gardiners dedicaram o dia seguinte para visitar Blenheim. Não é Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


o objeto desta obra dar uma descrição do notável palácio, nem os seus motivos, mas sim observar os ânimos de Elizabeth, que se mantiveram em certa desordem; e no momento em que eles atingiram o pitoresco Grand Cascades, o silêncio dela havia chamado a atenção de sua tia, que vinha esperando em vão que Elizabeth iria desabafar-se para ela por sua própria vontade. Como parecia que ela não iria fazêlo, a Sra. Gardiner sentiu que sua falta de ânimo neste ponto justificava o inquérito. "Lizzy, você está muito quieta. Seus pensamentos estão mais em Blenheim ou em um certo cavalheiro de Derbyshire, pergunto-me?” Disse a Sra. Gardiner suavemente. "Estou estou apenas admirada de tudo que nós vimos." "É isso mesmo?" Sua tia perguntou, a dúvida aparente em sua voz. Se o meu defeito é dizer a todos os outros o que fazer, o seu é não dizer lhes dizer nada. Elizabeth lembrou as palavras de Darcy, e a implicação dele de que seu forte senso de privacidade atrapalhava o entendimento entre eles, e ela se perguntou por que estava evitando contar à uma de suas mais confiáveis confidentes de suas lutas. Com alguma hesitação, ela finalmente disse, "Eu estou tentando dar sentido ao meu noivado com o Sr. Darcy, e eu acho que ele resiste a análise." "De que maneira não faz sentido? Ele claramente ama você ardentemente, e é evidente que ele tem envolvido os seus sentimentos ternos também, não foi? " "Oh, ele tem", disse Elizabeth com um suspiro, "embora tenha sido pouco mais de um mês atrás que eu disse a ele que eu poderia oferecê-lo nada mais do que amizade, e eu mal sei no que mais confiar." "Eu suponho que você deve confiar nele, para ter aceitado sua proposta." "Sim, eu sei, mas às vezes eu não tenho certeza que eu confio nele para o que eu quero!" "Porque, seja o que for que você quer dizer, minha querida?" "Eu confio que nós vamos discutir com regularidade, eu confio que ele vai ser Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


persistente em tentar fazer suas próprias vontades, eu confio que vou ter que lutar pela minha própria autonomia. . . ele é muito previsível em alguns aspectos! " "Hmmm, minha querida, isso soa como se ele tem uma vontade forte o suficiente para ficar com você. Eu não estaria tão certa de que isso é lamentável. Eu acho que seria muito fácil para você encontrar um homem que iria deixá-la fazer as suas vontades muitas vezes! Você não é Jane, afinal. Eu acredito que você pode necessitar de um homem de vontade forte se você quer ser feliz.” Elizabeth ponderou esta nova ideia. Talvez houvesse alguma verdade nisso. Quando ela não respondeu, sua tia acrescentou: "E não existem motivos para você gostar

dele,

também?"

Com um sorriso, ela respondeu: "Curiosamente, Jane me fez esta mesma pergunta quando ele voltou para Netherfield, e eu pude pensar em muito pouco. Eu imagino que eu poderia fazer melhor agora. " "E o que você diria agora?" "Eu diria que ele é bem-educado, gosta de um bom debate, tem um senso de humor divertido e uma inteligência afiada quando ele se importa de exercê-la, e pode ser uma companhia agradável. Ele é honesto, responsável e dedicado, e pode ser esperado dele que tome o que ele percebe como a conduta honrosa, e ele vai tentar ser responsável por esta.” "Então, ele pode enfrentar você, e desafiá-la intelectualmente, e você pode confiar nele. . . e o que era isso que estava te dando as dúvidas ?", perguntou a tia maliciosamente. Elizabeth respirou fundo para responder, então riu, percebendo que ela tinha deixado a si mesma sem chão para pisar. "Eu entendo o seu ponto tia, mas eu ainda acho que ele é muito persuasivo quando ele põe sua mente para isso!" "E você se importa tanto em ser persuadida?" "Não, talvez não," ela admitiu. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Lizzy, você tem crescido e se tornado auto-confiante, o que não é surpreendente dado que ambos os seus pais, em suas diversas formas, nem sempre podem ser confiados. Pode ser difícil abandonar essa auto-confiança, mesmo quando não é mais necessária, mas eu não acho que seja mero acaso que você tenha escolhido para seu marido um homem que é eminentemente confiável e responsável. Você poderia considerar permitir-se a confiar um pouco mais no seu Sr. Darcy ". "Eu não escolhi ele, o fato é que ele me escolheu, e que eu fui persuadida a ser escolhida", replicou Elizabeth. "Talvez ele esteja consciente de que necessita de uma mulher com uma vontade própria, em quem ele pode confiar de vez em quando!" Elizabeth lançou um olhar divertido sobre a tia. "Bem, eu posso dizer de que lado você está a favor, tia!" "E isso, minha querida Lizzy, é o lado de sua felicidade futura", sua tia disse, satisfeita com os resultados da conversa, e agora pronta para voltar a atenção para o local de seus

Capítulo 7 A viagem deles continuou para o norte, e na semana seguinte chegaram à proximidade de Pemberley. Elizabeth, enquanto passavam, observou a primeira aparição de Pemberley Woods com alguma perturbação, e quando finalmente viram o chalé, seus ânimos estavam em uma vibração elevada. Ela estava imaginando o olhar que estaria nos olhos dele quando eles se encontrassem, e a imagem fez sua pele formigar. Um lampejo de ansiedade sobrepôs o pensamento; ela não podia dar Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


uma razão sensata, mas havia um temor de que ele pudesse não ficar contente por vê-la. Ela tentou condirerar isto como uma manifestação de apreensão geral sobre o encontro, e não como mais uma prova da sua vulnerabilidade a ele. Ela havia pego papel e caneta mais de uma vez durante sua viagem para escrever para ele, mas viu-se incapaz de compor algo mais que um simples diário de viagem, que seria trivial em comparação com a carta dele a ela. Ela passou horas intermináveis ponderando o dilema de como se permitir amá-lo, mantendo sua independência e habilidades críticas, e não estava mais perto de uma resposta do que quando ela deixou Longbourn. Sua mente estava cheia demais para conversar, mas ela viu e admirou cada ponto notável e ponto de vista. O parque era muito grande, e tinha grande variedade de terreno. Eles entraram em um dos seus pontos mais baixos, e dirigiram por algum tempo através de uma bela floresta, que se estendia por uma ampla extensão. Eles gradualmente subiram por quase um quilómetro, e em seguida, encontraram-se no topo de uma eminência considerável, onde a floresta cessava, e o olho foi imediatamente capturado pela Casa de Pemberley, situada no lado oposto de um vale. Era um grande, bonito edifício de pedra, localizada em terrenos elevados, e apoiada por uma serra de altas colinas arborizadas; na frente, um riacho de alguma importância natural foi aumentado, mas sem aparência artificial. Suas margens não estavam nem formal, nem falsamente adornadas. Elizabeth estava encantada. Ela nunca tinha visto um lugar pelo qual a natureza tivesse feito mais, ou onde a beleza natural tinha sido tão pouco neutralizada por um gosto estranho. Eles estavam todos calorosos em suas admirações. Eles desceram o morro, atravessaram a ponte, e se dirigiram até a porta, onde encontraram Darcy e Georgiana que já se estavam fora para encontrá-los. Ele deve ter tido empregados vigiando por nós a cada minuto! pensou Elizabeth, e seu espírito vibrou quando ela viu o olhar dele. O sorriso dele era quase imperceptível, mas o Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


calor nos seus olhos não poderia ser perdido quando ele se adiantou para auxiliá-la para fora da carruagem. Sem soltar ela por um momento, ele levantou sua mão aos lábios dele. "Miss Bennet," ele disse suavemente. "Bem-vinda à Pemberley." Lembrando de seus outros convidados, virou-se para cumprimentar os Gardiners, mas permaneceu tão perto de Elizabeth que foi difícil para Georgiana encontrar espaço para dá-la um abraço fraternal. Georgiana convidou-os a entrar e ofereceu refrescos. Quando entraram, Elizabeth descobriu que ela mal podia dispensar um olhar para o seu futuro lar, sua atenção estava tomada pelo senhor ao seu lado, cuja simples presença parecia ser suficiente para provocar sentimentos de desejo que percorriam através dela. Eles foram conduzidos pelo corredor até o salão, cujo aspecto norte se tornava delicioso para o verão. Darcy levou Elizabeth para suas janelas, que, abrindo para o chão, permitiam uma visão mais revigorante das altas colinas arborizadas atrás da casa e dos belos carvalhos e castanheiras espanholas, que ficavam espalhadas no gramado intermediário. Sob o pretexto de mostrá-la a paisagem, ele sussurrou: "Querida Elizabeth, eu pensei que este dia nunca chegaria. Eu não posso lhe dizer o quanto eu senti sua falta. " Ela olhou para ele, e a intensidade de seu olhar era tão grande que por um momento, ela temia que ela iria beijá-lo ali mesmo na frente de suas famílias, mas não o fez. "Estou feliz por estar aqui", disse ela sem fôlego. Quando eles se sentaram, Darcy tendo o cuidado de estar ao lado de Elizabeth, a conversa começou imediatamente com a discussão das viagens que cada grupo tinha feito. O Sr. e Sra. Gardiner tinham muito a dizer de Warwick, Birmingham e Kenilworth, com Georgiana conseguindo interpor uma pergunta tímida de vez em quando. Se Darcy e Elizabeth, estando mais envolvidos na troca de olhares, falaram menos que os outros, ninguém achou adequado comentar. Depois que eles tiveram a oportunidade de tomar um refresco de carnes frias, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


bolo, e uma variedade de todas as melhores frutas da estação, Georgiana, com um olhar para seu irmão, reuniu sua coragem e se ofereceu para mostrar aos Gardiners seus quartos, uma sugestão que aceitaram com gratidão, e um acordo foi feito para se reunirem em uma hora. Eles mal tinham passado a porta quando Darcy com grande alívio tomou Elizabeth em seus braços e beijou-a com um fervor que confirmava o quão forte ele tinha sentido sua ausência. Ela tinha esquecido quão poderosamente os beijos dele podiam afetá-la, e não tinha a experiência para reconhecer o grau em que seus próprios desejos tinham se acumulado durante a sua separação, e assim foi pega de surpresa pela intensidade das sensações que a dominaram enquanto os lábios dele encontraram os dela. Arrepios de prazer dançaram através dela enquanto ele provava as delícias da sua boca, e ela correu os dedos profundamente nos cachos grossos dele. Darcy, intoxicado pelo toque dela, o cheiro dela, o gosto dela, não conseguia saciar seu desejo, e passou as mãos exigentemente pelas costas delas, em seguida, levantou-a em seu colo. Ele não conseguia o suficiente dela, e ele traçou beijos sobre rosto dela como se ele precisasse marcar uma reivindicação para cada centímetro, mas ainda mais importante do que saciar sua necessidade de tocá-la e beijá-la era o seu desejo de excitá-la para o mesmo nível de paixão que ele estava experimentando. Nada em sua vida tinha o poder de excitá-lo tanto como quando ele conseguia evocar uma resposta apaixonada em Elizabeth. Almejando uma evidência do desejo dela, ele continuou a colocar beijos ao longo das linhas do pescoço, procurando cada fenda até chegar à cavidade sensível na base do pescoço. Seus desejos foram cumpridos quando ela inclinou a cabeça para trás em encorajamento de sua exploração e gemia baixinho. Entusiasmado e inflamado por sua resposta, Darcy afagou sua mão pelo braço dela, e então lentamente e sedutoramente começou a traçar seus dedos ao longo da perna dela, primeiro abaixo da parte externa da coxa, em seguida, explorando Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


dentro. As sensações poderosas e intensas que isso evocou nela fizeram-a virar seu corpo em direção ao dele, almejando mais e maior contato próximo, e ele respondeu às suas necessidades não ditas, deslizando a mão sobre as curvas de seus quadris até que encontrou a tentação do seu seio. Sua maciez despertou-lhe ferozmente, e seu desejo de fazer dela sua quase o dominou. Impulsivamente, ele começou a acariciá-la através do pano do vestido, fazendo-a tremer. A profundidade do prazer que o toque dele deu a ela apenas fez Elizabeth ansiar por mais, e ela deslizou as mãos pelas costas dele apaixonadamente. Ela sentiu que não podia suportar isso; ela tinha sentido muita falta dele, tinha sentido tanta falta do seu toque que agora ela mal conseguia controlar sua necessidade. Darcy, ciente de que ele estava excedendo os limites de seu autocontrole, mas tão estimulado pela excitação dela que ele não se importava mais, voltou sua boca para a dela, exigindo e recebendo uma resposta que se igualava à dele. Ele tinha que ter mais, e quando seu toque tentador no seio dela ficou mais exigente, ele sentiu o movimento involuntário dos quadris dela contra ele de uma forma que engrandeceu ainda mais o seu desejo. Agarrada desesperadamente aos ombros dele, Elizabeth sentiu a sensação de queimação da boca dele viajando através de sua mandíbula e abaixo do seu pescoço, mas desta vez quando ela se inclinou para trás, ele não parou na base do pescoço, mas continuou para baixo no sentido do seu decote. Ao chegar à carne tenra que se avolumava lá, ela arqueou-se para a frente como se para exigir ainda mais. Ele estava muito feliz em obedecer, e sua outra mão começou a puxar para baixo a manga de seu vestido, revelando gradualmente seu ombro nu. Esta visão implovara por sua exploração, e ele não conseguia saciar-se no gosto da sua pele exposta. O fato de que ela estava permitindo à ele este grau de licença, que ela estava fazendo pequenos e inarticulados sons enquanto ele explorava e examinava seu corpo lindo, que ela parecia além da capacidade de pedi-lo para Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


cessar o que ele estava fazendo, tudo combinado para empurrá-lo além do limite, e ele começou a correr os dedos dentro do decote de seu vestido como ele havia prometido a si mesmo que não faria, pronto para mergulhar a mão em explorar a frequentemente imaginada delicadeza dos seus seios. Ele sabia que ali não haveria como parar então, que uma vez que ele tivesse ido tão longe, que ele não descansaria até que ela fosse sua em todos os sentidos, e ele sabia que não tinha o direito de tirar proveito da reação que ele tinha provocado deliberadamente nela. "Elizabeth", ele gemeu. "Deus misericordioso, por favor, me detenha, Elizabeth!" Ele não sabia se ele esperava que ela fosse prestar atenção nele ou que ela não fosse. Uma sensação debilitante de desejo correu por ela quando ela entendeu seu significado, e ela não queria nada mais do que ele saciasse os desejos que estavam percorrendo por ela, mas ela ouviu o desespero na voz dele, e de algum modo foi capaz

de

forçar-se

a retornar aos seus sentidos. Foi quase um golpe físico para ele quando ela se moveu para fora de seus braços e para longe dele, endireitando seu vestido com embaraço, seu corpo ainda tremendo com os desejos que ele tinha despertado nela. Os braços dele sentiram-se desolados sem ela. Ele fechou os olhos por um momento, lutando para recuperar o comando de si mesmo. Olhando para os seus lindos olhos cheios de paixão, olhos em que ele poderia facilmente se afogar, ele disse de forma incoerente, "Deus do céu, Elizabeth, eu nunca quis deixar isso ir tão longe."

O

remorso

em

sua

voz

era

inconfundível.

"Eu. . . "Ela disse, com a boca seca, chocada tanto pelo que quase aconteceu, e por quanto ela ainda desejava que tivesse acontecido. Ela fechou os olhos e respirou fundo várias vezes até que sentiu um pouco de calma dentro dela. "Eu sei que você não quis, nem eu e, talvez, o melhor é deixar por isso mesmo." "Como quiser", disse ele, quase automaticamente, em seguida, acrescentou: "Elizabeth, eu sempre me orgulhei de meu auto-controle, mas no momento que eu Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


estou perto de você, um olhar seu e tudo desaparece como se nunca tivesse existido ". A boca de Elizabeth se curvou em um sorriso divertido. "É uma coisa boa, então, que nós planejamos casar!" Ele ficou momentaneamente surpreso com seu humor, em seguida, viu o valor do mesmo. "Na verdade, minha senhora, é uma coisa muito boa." Ele se forçou a ficar de pé e chamar por um empregado. "Eu vou ter alguém para mostrá-la seu quarto. Não me atrevo a levar você lá no momento ", disse ele secamente. "Eu acho que é sábio." Uma jovem veio até a porta e sacudiu uma mesura. Darcy disse: "Por favor, conduza Miss Bennet para o quarto dela, Nan". "Sim, senhor", respondeu ela. "Por aqui, senhorita." "Miss Bennet," ele disse quando ela estava caminhando para fora da porta. Quando ela se virou para olhar para ele, ele acrescentou: "Estou feliz por ter você aqui." Ela lhe deu um sorriso maroto. "Obrigado, senhor. Eu já tinha de alguma forma conseguido receber esta impressão. Até depois, então, Sr. Darcy. " --------------Levou algum tempo para Elizabeth restaurar seu espírito carregado ao seu estado normal após seu encontro com Darcy. Ela não podia acreditar, tinha estado em Pemberley nem mesmo uma hora, e as questoões com ele já estavam correndo para fora de seu controle. Sua vulnerabilidade por ele não tinha diminuído com o tempo ou a distância - se alguma coisa, tinha aumentado. Como ela era para reter qualquer senso de si mesma quando sua atração por ele corria sem controle? Ela precisava se lembrar que, apesar de sua óbvia compatibilidade física, eles estavam propensos a divergências violentas em outras áreas. Era fundamental que ela Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


mantivesse a sua independência, ou ela se acharia sendo dominada pela personalidade forte dele em todos os aspectos. Ela precisava reter mais de uma reserva com ele, e manter primeiro planos de sua mente que sua resposta ao toque dele não precisa governar o seu comportamento em relação a ele. Como equilibrar essa restrição com o seu amor por ele e seu eventual casamento era mais confuso; já que eles estavam noivos, ela não poderia mais razoavelmente recuar dele ou se recusar a ficar sozinha com ele como tinha no passado. Ela prometeu a si mesma que iria encontrar um caminho, e assim fortalecida no espírito e determinação, ela sentiu pelo menos capaz de reunir os outros. Em seu retorno para baixo, ela se deparou com Georgiana, que lhe informou que haveria tempo para fazer um tour da casa antes do jantar, se ela assim o desejasse. De acordo rápido com a idéia, os Gardiners se juntaram a elas também. Eles descobriram Darcy escondido em seu escritório, onde ele estava envolvido em alguns negócios para tirar sua mente de pensamentos que eram melhor serem reprimidos. Elizabeth surpreendeu-se por ruborizar quando o viu, e teve alguma dificuldade em encontrar os olhos dele, mas felizmente o tour ofereceu a ela fontes de conversa neutra para ajudá-la a passar por seu embaraço inicial. Elizabeth teve grande prazer em descobrir o gosto admirável de seu futuro marido quando ela viu sua casa. As salas eram grandiosas e bonitas, e seu mobiliário adequado para a fortuna do seu proprietário, mas eles não eram nem berrantes nem inutilmente finas, com menos de esplendor, e mais real elegância do que a mobília da Rosings. Ela ficou encantada ao descobrir que de cada janela havia belezas da natureza para serem vistas. Toda a disposição do terreno era boa, a colina, coroada com a floresta, a partir da qual tinham descido, recebendo abrupto aumento da distância, era um objeto bonito. Ela olhou em toda a cena, o rio, as árvores espalhadas em suas margens e os vales sinuosos, tanto quanto ela poderia Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


segui-lo, com prazer. Ela não poderia ter ficado mais satisfeita, e mal conseguia acreditar que ela um dia seria a dona de tudo isso. Ela ficou interessada em perceber que Darcy, em suas interações com os empregados, não mostrava nada do orgulho, ou reserva, que tinha observado em Netherfield, e parecia estar totalmente em uma disposição mais gentil do que tinha sido no passado. Nunca em sua vida tinha visto os modos dele tão pouco respeitáveis, e quando ele a apresentou a sua governanta, uma mulher idosa de aspecto respeitável de nome Sra. Reynolds, o carinho entre os dois era evidente. Suas atenções para a tia e o tio eram tudo o que era cortesia, e eles claramente gostavam da sua conversa. Ao todo, ela sentiu que nunca antes tinha estado tão satisfeita com o comportamento dele em companhia. Ela mal sabia o que fazer com a mudança, o que tornava tudo mais difícil para manter sua reserva quando ela tentava demonstrar o seu prazer com a conduta dele através do calor de seus modos. Depois do jantar Darcy sugeriu um passeio ao crepúsculo através dos jardins, uma idéia que agradou muito Elizabeth. Ela tinha visto o suficiente da beleza do parque através das janelas para fazê-la ansiosa por uma oportunidade de explorá-la, mas ela estava disposta a se contentar com os jardins por hoje. Os Gardiners e Georgiana atenciosamente recusaram o convite, então os dois partiram por conta própria. Elizabeth estava divida sobre ficar sozinha com ele de novo, descobrindo que ela tanto desejava quanto temia isso. "Então, o que você acha de Pemberley, meu amor?", Perguntou ele. "É tudo o que é agradável e charmoso, e faz juz à todos os elogios que tem recebido. Eu não posso fazer uma única reclamação até agora ", disse ela calorosamente. "Então, lhe agrada? Você ficará contente em viver aqui?” Havia uma certa ansiedade em sua voz, como um menino ansioso para agradar. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ela estava tentado a dar uma resposta de brincadeira, mas um olhar para o rosto dele sugeriu que este não era o momento para isso. "Eu acredito que serei muito feliz aqui, contanto, é claro, que você esteja aqui também." Seu olhar de satisfação mostrou o quanto as suas palavras tinham agradado a ele, e ela estava contente por ter descoberto um meio indireto para indicar seu carinho, pois ela ainda não podia se sentir à vontade para expressar afeto abertamente e usando palavras carinhosas como ele fazia. "Eu acredito, meu amor, que vai ser difícil de tirar-me do seu lado uma vez que estivermos casados. Isso me lembra, no entanto, que temos a obrigação de discutir os planos de nosso casamento. " Elizabeth riu. "Bem, nós podemos discuti-los, o quanto você desejar, mas eu tenho uma suspeita que eu tenha cedido todas as minhas escolhas partindo por um mês imediatamente depois de ficar noiva. Minha mãe, sem dúvida, terá tudo organizado para a sua própria satisfação quando eu retornar. Pelo menos eu tive uma palavra a dizer na escolha do noivo! " Darcy parecia em dúvida de quão sério ele deveria levar os comentários dela. Para aliviar a insegurança dele, ela acrescentou: "Você tem pensamentos particulares sobre o casamento?" Ela achou que ela ainda não estava preparada para dizer

"o

nosso

casamento."

"Bingley me sugeriu que nós considerassemos uma dupla cerimônia, que parece uma idéia agradável, e certamente pouparia um bom trabalho",- para não mencionar fazendo a ocasião bem mais cedo do que seria de outra forma - “se você não achar seis semanas cedo demais.” Era muito mais do que ele gostaria. Seis semanas! Elizabeth pensou. Eu ainda estou tendo dificuldade em acreditar que estou casando, embora depois do que aconteceu hoje, talvez seja melhor não esperar muito tempo. Ela tentou imaginar caminhar por estes caminhos em seis semanas, como a Senhora de Pemberley, e falhou completamente. "Acho que faria sentido fazê-lo, se Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


você estiver disposto. Eu poderia escrever a Jane para sugeri-lo, e se ela concordar, ela poderia propô-lo à minha mãe. " "A menos que sua mãe já tenha decidido sobre isso sozinha", disse ele, com apenas uma sugestão de um sorriso. Estendendo a mão, ele arrumou um cacho do cabelo dela que tinha se soltado. "Eu não estou certo de que gostaria de passar tempo entre as pessoas fofoqueiras de Meryton no momento. Eu temo que eu não sou indulgente para com as pessoas que tentam prejudicá-la, meu amor." Ela olhou para ele afetuosamente. "Eu imaginaria que não. Seu senso de lealdade é algo que eu sempre admirei, mesmo quando eu não gostava de você, ou talvez, no interesse da felicidade conjugal, devo dizer antes que eu percebi que eu gostava de você." "Eu acho que eu preferiria isso," ele disse de uma forma provocante, "mas desde que você não mude de idéia novamente, você pode dizer o que quiser." "Embora nós dois tenhamos razões para pensar que as minhas opiniões não são totalmente imutáveis, eles não são, espero eu, tão facilmente alteradas quanto isso implica." "Eu acredito em você, mas mais uma vez, eu sei o que levou mudar a sua idéia pela primeira vez. Estou contente por não ter que fazer isso de novo." Ela olhou para ele animadamente. "Pareceu-me que houveram pelo menos alguns momentos ao longo do caminho que você tenha gostado. Alguns dos seus, umm, argumentos eram bastante convincentes. "Eu não vou negar que eu gosto de. . . persuadir você ", disse ele, seu olhar atento, mas ele parecia ter sido afastado por um momento. Ele havia passado um bom tempo desde aquela tarde estabelecendo critérios rigorosos para o seu comportamento com ela. Sua perda de controle anterior tinha abalado sua fé em si mesmo. "Elizabeth", acrescentou ele, sua voz grave. "Sim?" Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ele escolheu suas palavras com cuidado. "Você talvez seria prudente de não me oferecer qualquer incentivo durante a sua estadia aqui." Ela ficou inicialmente confunsa pelas palavras dele, mas quando ela entendeu seu significado, seu rosto corou de vergonha. Ela não tinha ilusões de que seu comportamento anterior, em resposta aos seus beijos dele tinha sido muito impróprio, mas achava que ele estava satisfeito por isso; certamente parecia como se ele tivesse encorajado, tanto nesta quanto em ocasiões anteriores. Aparentemente, porém, ele tinha diferentes padrões de decoro em Pemberley, onde tinha uma imagem a manter - ou talvez estava prolongando dos rumores em Hertfordshire – e obviamente sentiu que ela havia falhado em assumir a responsabilidade de prevenir tais ocorrências. Ela sentiu-se mal até mesmo pensando nisso, bem, ela decidiu, se ele quer o comportamento adequado de mim, ele certamente vai obtê-lo agora. Ela não achava ela podia suportar que ele a tocasse, sabendo o que ele pensava dela. Ela tinha o seu orgulho também, entretanto, e endireitou os ombros antes de falar. "Muito bem, senhor, você não terá nenhum motivo para preocupação, eu lhe asseguro," disse em uma voz bem adequada para uma ocasião social. Porque, por que eu continuo baixando as minhas defesas com ele? Eu não posso acreditar que eu permiti que isso acontecesse novamente. Ela podia sentir os primeiros sinais de raiva nele, mas sabia que ela devia se proteger contra isso também. Ele sorriu, despercebido por Elizabeth, cujos olhos estavam fixos firmemente à frente, e disse: "Eu aprecio isso." "Sr. Darcy, acho que estou me sentindo um pouco cansada. Talvez pudéssemos voltar para a casa? " Ela não queria mais nada no momento do que escapar da presença dele e da humilhação que sentia na sua repreensão. A testa dele franziu em preocupação. Ele nunca tinha ouvido ela se queixar de cansaço em uma caminhada antes, certamente não em uma tão curta, talvez ela pudesse estar adoecendo. Ele pegou a mão dela na sua e perguntou: "Você está bem, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


meu amor?" Ele ficou surpreso quando ela retirou a mão, bastante indelicadamente, ele pensou. "Qual é o problema?" A tentação de dar uma resposta irritada era grande, mas Elizabeth obrigou-se a permanecer ciente da necessidade dela aprender a arte da conciliação e da paz. Ela respirou fundo para acalmar-se, então disse: "Não estou satisfeita com a sua implicação de que estou em falta por encorajá-lo." Darcy olhou para ela, perplexo. De onde ela tinha tirado a idéia de que ele estava criticando ela? Consciente de que as suas divergências tinham uma tendência para a escalada, ele tentou encontrar um terreno comum. "Temo que de alguma forma nós entendemos mal um ao outro, então, já que eu não tinha a intenção de fazer qualquer tal implicação, e seria injusto se eu fizesse." Sem saber se acreditava nele, ela perguntou: "Posso perguntar, então, o que você quis dizer?" Era a vez dele de desviar o olhar, as bochechas tingidas de vermelho. "Minha intenção era pedir a sua ajuda para conter meu comportamento para que não fiquem fora de controle". "Ah." a cor de Elizabeth aumentou. "Eu entendi mal você, então. Minhas desculpas, senhor." "O que você achou que eu quis dizer?" "Eu. . . presumi que você desaprovava o meu comportamento. " "Elizabeth, da próxima vez que você acreditar que eu desaprovo alguma coisa que você fez, por favor me pergunte, porque eu lhe asseguro que é improvável que seja verdade. Neste caso, você tocou em algo do qual eu estou tão longe de desaprovação quanto ser algo de um embaraço, então por favor, não incomode ". Ela não conseguia pensar em nada a dizer sobre isso, então manteve silêncio. "Uma das vantagens de estar em Pemberley", disse ele, levando-a em torno de um canto para dentro de um jardim murado formal, “é que aqui eu estou ciente de Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


todos os locais agradavelmente isolados onde se é pouco provável ser interrompido.” Elizabeth levantou uma sobrancelha. "E como precisamente você propõe que eu ajude-o a conter seu comportamento? Talvez você pudesse ser tão gentil para emprestar-me uma pistola pela duração da minha estadia, apesar que eu devo precisar de alguma instrução em seu uso." Ele sorriu maliciosamente. "Talvez você possa se esqueçer que eu alguma vez fiz essa sugestão tola". "Sr. Darcy, eu dificilmete sou tão esquecida! ", Ela respondeu em desaprovação debochada. Ela sentiu os lábios formigando em antecipação quando ele a puxou em seus braços. "Mas por favor, lembre-se disso: descobrir que você é tão sensível à mim foi uma surpresa muito agradável. Por favor nunca mude isso. " Ela lhe deu um sorriso desafiador. "Nesse caso, senhor, você está planejando conversar comigo ou me beijar?" Darcy fez a única resposta possível. ----------------Os próximos dias concederam à Elizabeth a oportunidade de familiarizar-se mais com Pemberley e seus arredores. Ela imediatamente se apaixonou pelo parque e terrenos, e nunca se cansava de andar para descobrir novos prazeres, ou com a tia e o tio, ou com seu decididamente amoroso noivo. Eles visitaram algumas das melhores vistas da área, e Elizabeth começou a conhecer a cidade de Lambton onde a tia passou sua juventude. Mais importante, o tempo deu a ela uma oportunidade para observar Darcy, e ela rapidamente chegou à conclusão de que ele era um homem diferente quando ele estava em Pemberley. Foram-se o orgulho e a distância que ela uma vez tinha Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


pensado serem suas principais características, e em seu lugar, ela viu mais do descontraído, acolhedor e atraente homem que ela havia vislumbrado quando sozinha com ele em Hertfordshire. Suas ações eram carinhosas e preocupadas, a sua generosidade óbvia - e claramente um sinônimo com seus empregados - e sua civilidade calorosa. Foi difícil para ela explicar para sua tia e tio por que ela alguma vez teve uma impressão negativa dele. A diferença surpreendia e fascinava ela, e ela pensou mais de uma vez que, se ela tivesse conhecido Darcy primeiro em Pemberley, eles teriam chegado a um acordo mais cedo e com muito menos dificuldade do que eles tiveram. Ela comentou sobre isso uma vez para Darcy quando estavam sozinhos. Ele respondeu: "Aqui é onde eu estou em casa; eu nunca estou tão confortável como quando eu estou em Pemberley. Aqui eu conheço todo mundo que eu vejo, e eles me conhecem, e ambos sabemos o que esperar uns dos outros. Eu nunca estive à vontade entre aqueles que eu não conheço bem." "Mas você conhece bem Bingley e a família dele, porque você não estaria à vontade em Netherfield?" Ele pareceu surpreso de que ela precisava fazer a pergunta. "Eu não conhecia os empregados, nem os vizinhos, e eu sabia que todos eles estavam extraindo opiniões sobre mim. Eu não gosto da sensação. Aqui eu sei o que as pessoas pensam de mim, e eu sei que a opinião deles provavalmente não deve mudar se eu cometer um erro ou acidentalmente ofender alguém ". "E o que as pessoas pensam de você aqui?", Ela perguntou com um sorriso. Ele colocou seus braços ao redor dela. "Eles acham que eu sou o Senhor de Pemberley, e quando eles descobrirem que você será minha esposa, eles vão pensar que eu sou o homem mais sortudo vivo", disse ele, e beijou-a com tanta paixão que o assunto foi abandonado por algum tempo. Darcy também estava bem satisfeito com a presença constante de Elizabeth. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Saber que ele iria vê-la com freqüência a cada dia, isso quando não passava o dia inteiro com ela, colocava-o em alto astral, e o gradual aumento do conforto dela com ele adicionou ao seu deleite. Após a conversa no primeiro dia de sua visita, ele achou mais fácil manter seu auto-controle com ela, e apreciava cada oportunidade que tinham para explorar o prazer que eles poderiam dar um para o outro sem se sentir a fome aguda por mais que ele poderia ter. As noites dele eram uma questão diferente. Os dias entre o seu noivado e da chegada de Elizabeth em Pemberley tinham lhe proporcionado suas primeiras boas noites de sono desde que ele a conheceu. Foi uma surpresa desagradável ao descobrir que a visita dela trouxe um retorno de suas noites em claro, embora por uma razão muito diferente. Sua tranquilidade na presença dela durante o dia desaparecia quando ela se retirava durante a noite, e ele se tornava dolorosamente consciente não só da sua ausência, mas também da permeabilidade das barreiras que se interpunham entre eles. Sua imaginação apresentava a ele a imagem de que de ele foi privado, e a imagem de Elizabeth, vestindo apenas uma camisola, com os cabelos soltos sobre os ombros e um sorriso convidativo no seu rosto lindo o assombrava. O conhecimento de que esta tentação residia sob o mesmo teto com apenas alguns metros de corredor e uma porta entre eles não deixava-o por um momento, e pela única vez desde que se conheceram, ele teve momentos de desejar que ela não fosse tão apaixonada em sua respostas a ele, para que ele pudesse ter mais certeza que ela iria jogá-lo para fora em desonra se ele alguma vez tentasse romper esta barreira. Infelizmente, ele sabia por experiência que era possível para ele tirar proveito da responsividade dela para ir mais longe do que ela poderia optar em um momento mais sensato, e sua imaginação corria livre com idéias do que poderia acontecer se ele encontrasse o seu caminho para o quarto dela. Conhecia-se bem o suficiente para ter a certeza de que ele não atuaria sobre seus impulsos, mas a simples presença da possibilidade mantinham o sono afastado até Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


tarde da noite. Elizabeth, inconsciente das batalhas noturnas dele, estava gostando de sua capacidade de estar mais à vontade com Darcy cada dia quando ela vinha à compreendê-lo melhor. Ela estava finalmente começando a compreender o que ele quis dizer quando ele disse que era tímido, e que ela tinha interpretado mal os resultados desta timidez como arrogância e indelicadeza. Quando ela se sentia intrigada com as mudanças em Darcy, ela só precisava olhar para Georgiana, que também floresceu em Pemberley, embora não no mesmo grau que seu irmão. Foi o suficiente, no entanto, para revelar um senso de humor bastante esperto e um pouco da excitação típica de uma garota de sua idade, e Elizabeth ficou contente ao descobrir que sua futura irmã poderia tagarelar assim como Kitty e Lydia podiam quando as circunstâncias estavam certas. Infelizmente, depois de vários dias na visita deles, Georgiana ficou com um forte resfriado, e depois de fazer uma corajosa tentativa de ignorar seus sintomas em um esforço para ser uma boa anfitriã, retirou-se para a cama. Ela insistiu, no entanto, que os seus convidados fossem fazer suas atividades, e a Sra. Gardiner propôs que aquele poderia ser um bom momento para ela e sua sobrinha visitarem os seus conhecidos em Lambton, o que também permitiria que o Sr. Gardiner e o Sr. Darcy desfrutassem do muitas vezes discutido dia de pesca. O grupo não se reuniu novamente até a hora do jantar, quando as senhoras foram agraciadas com os relatos do esporte que os cavalheiros tinham encontrado. Darcy tinha achado o dia agradável, mas, como ele preferia muito mais a companhia de Elizabeth do que pescar, e este tinha sido o período mais longo durante o dia em que ele havia sido destituído da companhia

dela desde a sua chegada, sentiu que poderia ser

melhorado. Um breve encontro marcado à noite no jardim ajudou a apaziguar os seus sentimentos de privação, mas não sem excitar desejos que ele preferia esquecer quando a noite se aproximava. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Quando Elizabeth se retirou para a noite, ela pôde ouvir Georgiana tossindo no quarto ao lado, e encontrou dificuldades para dormir pensando em como ela devia estar se sentindo. Lembrando de como ela se tinha sentado-se com Jane, quando ela estava doente em Netherfield, num impulso, ela fez seu caminho para o quarto de Georgiana, cuidadosa para evitar de notar que ela já estava vestida para a cama. Georgiana ficou de fato muito grata de ter um pouco de distração de sua doença, e Elizabeth acabou passando várias horas com ela em um tipo de conversa fraterna que Georgiana sempre tinha almejado antes que ela finalmente caísse em um sono agitado. Ao retornar para o quarto dela, Elizabeth descobriu que ela agora estava muito alerta para o dormir. Ela pegou o romance que estava lendo, mas decidiu que era muito atraente para as suas necessidades atuais; o que ela precisava eram alguns sermões maçantes ou algo assim que iriam trazer o sono rapidamente. Haveria certamente algo que correspondesse à descrição na extensa biblioteca abaixo. Ela considerou vestir-se, mas descartou a idéia como muito aborrecimento. Era bem depois da meia noite, e ninguém estaria de pé para vê-la, e mesmo que eles estivessem, seu roupão era bastante recatado. Levando sua vela, ela saiu de seu quarto, descendo as escadas, e para a biblioteca. Uma vez na porta, ela parou para descobrir-se no amplo espaço, lembrando de suas explorações anteriores que haviam alguns livros religiosos ao longo da parede distante. Passando por trás de uma série de cadeiras, ela tinha acabado de virar a esquina para alcançá-los quando uma luz de um lado lhe chamou a atenção, fazendo-a trazer a mão sobre o coração em surpresa. "Muito atraente, Miss Bennet." a voz familiar de Darcy veio das sombras. Ela mal conseguia decifrar a forma dele, iluminado apenas por uma pequena vela. Ela corou furiosamente quando recordou seu atual traje inadequado, mas disse a si mesma com firmeza que ela estava tão coberta quanto ela estaria em seus trajes Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


normais, e, afinal, ele teve a oportunidade de vê-la com os cabelos soltos antes, assim não deveria haver motivo de preocupação - pelo menos, desde que ninguém soubesse desse encontro. "Sr. Darcy! Eu não esperava que alguém estivesse por aqui a esta hora. " "Nem eu", respondeu ele. Ele tinha estado absorvendo a visão dela, iluminada por uma vela na mão desde que ela pisou na porta, atraído nos vislumbres de sua camisola por baixo do apertado roupão, e seus longos cachos escuros em desordem exatamente como ele havia imaginado . Apesar das boas maneiras exigirem que ele se levantasse quando ela entrou, ele ficou sentado, sabendo que se ele se movesse de qualquer modo, ele se moveria muito mais longe do que devia. Eles não podiam estar mais sozinhos, e ele estava sentado aqui por horas anseando por ela, sua necessidade de tomá-la nos braços e fazer dela sua era quase mais do que ele poderia suportar. "O que a leva a queimar o óleo da meia noite?", ele perguntou, sabendo que se ela dissesse qualquer coisa sobre pensar nele, ele estaria completamente perdido. "Georgiana não conseguia dormir – a tosse dela estava mantendo-a acordada e nós sentamos juntas conversando", disse ela, sentindo como se estivesse tagarelando. "Então eu não consegui dormir, e eu pensei em algo para ler. . .” Ela fez uma pausa, engolindo em seco, enquanto seus olhos se ajustaram o suficiente para decifrar que ele estava usando nada mais do que de camisa e calças, ". . . algo para ler que pudesse me ajudar a dormir.” Sua boca estava seca, e seus pés pareciam enraizados no chão. "Eu acredito que você pode ser capaz de encontrar um ou dois livros aqui", disse secamente. "Por favor, sirva-se à vontade." Ou você pode vir aqui para mim, e eu alegremente irei garantir que você não se importe que seja mantida acordada, meu amor. Demasiada ciente da presença dele, ela virou-se e escolheu um livro quase ao acaso, ele tinha 'Sermões' no título, pelo menos. Ela podia sentir os olhos dele Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


correndo sobre ela. A tensão palpável no ar, ela disse: "Eu acho que este deve servir." Seu olhar foi atraído novamente para a forma dos ombros dele, sem disfarces de colete e casaco. Ele podia ver o olhar de sensibilização nos olhos dela. "Vá para a cama, Elizabeth, enquanto eu ainda posso me chamar de cavalheiro", disse ele, mantendo o tom de sua voz mais leve do que suas palavras poderiam sugerir. Ela não pôde deixar de sorrir despudoradamente na resposta. "Boa noite, William", disse ela, obediente, um toque de malícia em sua voz quando ela deixou cair uma reverência formal antes de girar para sair. Ela não tinha ido mais do que uma meia dúzia de passos antes de sentir sua mão agarrada pela dele. Lentamente, ela se virou para ele, seu coração batendo rápido. "Diga isso de novo", ele ordenou. Sua respiração ofegou. Ele parecia ainda mais devastadoramente atraente a apenas um comprimento dos braços de distância. É hora da saída dos covardes, ela pensou. "Boa noite, Sr. Darcy", disse ela calmamente. Com um leve sorriso, ele enfiou os dedos através do cinto do roupão dela. "Não exatamente. Tente novamente, Elizabeth." Ela passou a língua nos lábios secos antes de finalmente permitir-se encontrar os olhos dele, sabendo muito bem que ele seria capaz de ler nos dela o quanto ela o desejava. "Boa noite, William", disse ela baixinho. "Ainda não, meu amor", disse ele. Soltando sua mão, ele pegou a vela dela e colocou-a sobre o manto atrás dela, seus olhos nunca deixando os dela. Muito lentamente, ele inclinou a cabeça na direção dela, e pouco antes de seus lábios se encontraram, ela arfou quando percebeu que, enquanto ela estava distraída, as mãos dele tinham desatado o cinto do roupão dela, e agora estavam deslizando para dentro. O toque quente de suas mãos em sua cintura através do tecido fino de sua camisola a fez esquecer tudo além da onda de calor que a atravessava enquanto Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


ele capturava sua boca em um beijo que parecia exigir sua própria alma. Ela sentia como se estivesse derretendo enquanto as mãos dele acariciavam-a, lentamente viajando em suas costas em uma exploração exaustiva de suas curvas. Ela gemeu, sua boca ainda contra a dele, quando ele procurou traçar a linha da sua coluna para o seu pescoço onde as pontas dos dedos dele penetravam sob o decote de sua camisola. Incapaz de controlar as sensações selvagens viajando através dela, ela colocou as mãos no peito dele, saboreando a forma de seus músculos debaixo da camisa, e deslizou-as até o pescoço dele, pela primeira vez livre de uma gravata, onde a sensação de sua pele quente sob os dedos dela excitavam ainda mais. Darcy tentou focar sua atenção em seus beijos, saboreando a paixão que estava claramente varrendo entre eles, mas o resto do seu corpo permaneceu muito consciente de quão pouco se interpunha entre eles, e quando ele finalmente puxou Elizabeth para ele, a sensação de sua maciez moldando-se à ele lhe roubou qualquer pensamento racional restante. Ele deslizou as mãos para baixo das costelas dela para tomar posse das curvas de seus quadris, e quando ele apertou-a contra ele em um impulso tão antigo quanto o homem, seus dedos fizeram a descoberta estimulante que ela parecia estar usando nada por baixo da camisola. Ele estava perdido, e ele sabia disso. Ele não poderia esperar por semanas; ele teria que tê-la. Sabendo que ela podia sentir a evidência da excitação dele, ele começou a espalhar beijos no seu pescoço sensível de uma maneira que ele sabia que a inflamava, provando a pele de cada cavidade enquanto ela se arqueava contra ele. Ele acariciou os lábios dela, descobrindo como isso a fazia contorcer-se contra ele

de

uma

forma

mais

prazerosa.

Se ao menos ele pudesse ter certeza de que ela não iria recusá-lo. . . Elizabeth sentiu-se quase selvagem das correntes de desejo que estavam correndo por ela, sentia ânsias que ela não podia compreender tentando tomar o controle de seu corpo. Ela sabia seu perigo, mas não podia fazer-se parar. Ela Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


suspirou com prazer quando a mão dele subiu para acariciar seu seio sob o tecido fino. Seus dedos acariciavam sua maciez, em seguida, sentiu uma rajada certeira de prazer impossível lanceada através dela quando o

polegar dele acariciou seu

mamilo. Ela gemeu, querendo que a deliciosa sensação voltasse, e ele cumpriu sua necessidade rolando o mamilo entre os dedos enquanto ele reivindicava sua boca e bebia profundamente dela. Ele exultava com sua resposta, e, sentindo a crescente incapacidade dela de permanecer em pé, tomou-a nos braços e a levou para um sofá para onde ele a colocou em seu colo em uma posição que o deixava bem capaz de continuar as atenções

que

estavam

causando

tal prazer irresistível nela. Quando ela gemeu e contorceu-se em resposta ao seu toque, ele ordenou baixinho: "Diga-me você quer mais." Ela não queria que ele parasse nunca. "Mais", ela sussurrou impotente, e ele estava muito feliz em satisfazer a necessidade dela. Isto era toda fantasia que ele já havia tido ganhando vida. Depois de um minuto, no entanto, os dedos dele pararam na atenção ao seu seio, e ela olhou para ele em uma ânsia muda e desolada, incapaz de entender por que ele tinha parado. Ela viu que ele estava começando a desfazer os laços do topo da camisola dela, por um momento, a consciência começou a voltar para ela, e ela sussurrou, "William. . . " "Shhh", ele acalmou-a enquando ele deslizava a mão na abertura para recuperar seu seio. A sensação da pele macia e da dureza da bico dela excitaram-o além do que ele acreditava possível. "Deixe-me dá-la prazer, meu amor." Seus lábios seguiram o percurso definido pelos seus dedos até que ele afastou a aba do tecido para expor o seio dela. Ela congelou por um momento, mas as sensações incendiadas quando a língua dele explorou o mamilo rapidamente roubaram seus sentidos, e quando ele finalmente colocou-o na boca e sugou-a, ela encontrou-se dominada por sua necessidade e se entregou-se a ele. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ele colocou sua mão levemente sobre o coração do desejo dela enquanto ele continuava a sua atenção ao seio dela, e quando ela começou a pressionar-se contra ele enquanto seus quadris se moviam involuntariamente, ele finalmente assumiu o risco de deixar sua mão viajar sob a camisola dela para acarariciar suas pernas. O toque delicado e tentador dele, dirigiu-a ainda mais perto do limite, e quando ele moveu a mão para cima para explorar suas coxas, ela instintivamente separarou as suas pernas para permitir o acesso dele. Quando, finalmente, os dedos dele deslizaram dentro de sua umidade para encontrar o seu ponto mais sensível, ela sentiu a sua necessidade por ele atingir um pico insustentável. Continuando a acariciá-la onde ela mais precisava dele, ele sussurrou, "Elizabeth, por favor, me deixe te amar." O único pensamento coerente dela era que ela poderia não sobreviver se ele não continuasse o que tinha começado. Ela conseguiu acenar ligeiramente, e ele exultante pegou-a nos seus braços e a levou para fora da biblioteca, através do corredor e galeria até chegar ao seu quarto. Ele fechou a porta atrás dele e colocou-a delicadamente sobre a cama, deitou-se ao lado dela e retomou as atividades que tanto satisfizeram ela antes. Quando ele sentiu o desejo dela crescer de novo, ele parou e disse: "Eu quero ver você toda, meu amor." Ele deslizou o roupão dos ombros dela, tomando um momento para acariciar as zonas sensíveis do pescoço dela enquanto fazia isso. Sentindo-se perdida em sua paixão, ela permitiu a ele desatar sua camisola e quando ele abaixou-a sobre os ombros, os lábios dele seguiram o mesmo caminho enquanto ele provava as delícias da sua pele recentemente exposta. Finalmente, ele tirou a camisola, e o calor do olhar dele quando olhou a aparência dela fizeram-a esquecer de qualquer timidez. Ele achou a visão dela em sua cama como ele havia imaginado tantas vezes insuportavelmente excitante. "Você é tão linda, meu amor", disse ele com reverência, passando suas mãos por toda a extensão dela. Atravessado pela visão de tirar o Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


fôlego diante dele, ele tirou a camisa antes de retornar a ela. Elizabeth absorveu a visão dele. A beleza de seu tronco nu só a fez desejar ainda mais, e ela passou as mãos nas costas dele, desejosa de trazê-lo mais perto dela. Sentimentos avassaladores de desejo e amor ultrapassaram-a. Ela nunca poderia ter o suficiente dele. Ela ansiava pela realização que ela instintivamente sabia que só ele poderia

trazê-la.

Darcy gemeu o nome dela, sabendo que ele não poderia esperar mais, e começou a arrancar os botões de suas calças até que ele foi capaz de removê-las também. Ele abaixou-se para ela, e quando as pernas dela se separaram para dar espaço à ele, ele procurou o lugar que ele mais desejava. "Elizabeth, querida, querida Elizabeth, você está pronta para mim?", Ele perguntou delicadamente, cobrindo o rosto dela com beijos. Apesar de incerta quanto ao que precisamente ela estava concordando, mas sabendo que ela precisava de algo dele, ela sussurrou, “William, oh amor, por favor, sim.” Ela agarrou-se a ele, encantada com a sensação da pele dele contra a sua, e beijou-o de tal forma a garanti-lo o seu consentimento. Os sentimentos dele ao ouvir isso eram avassaladores. Mas capaz de se conter, ele sussurrou, “Meu amor, isto pode machucar, mas apenas por um momento,” depois deslizando profundamente para dentro dela. Ele fechou seus olhos em êxtase pela sensação. Ela cravou seus dedos nos ombros dele quando a breve dor veio, ele forçou-se a parar até que ela relaxasse, distraindo-a com beijos profundos cheios de ânsia enquando ele esperava. “Deus, eu adoro tanto você, minha querida, meu amor,” ele murmurou, estimulado pela sensação da carne dela ao redor da sua e o conhecimento de que ela finalmente era dele. A dor era aguda, mas Elizabeth logo descobriu que ela foi dominada pelo prazer de tê-lo dentro dela. Sensações intensas atingiram-a quando ele lentamente começou a se mover dentro dela. Ela colocou as pernas ao redor dele, procurando Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


trazê-lo mais para dentro dela, e quando ele estabeleceu um ritmo regular, ela sentiu onda após onda de prazer delicioso levarem-a até que finalmente ela foi varrida em um cume surpreendente de prazer que convulsionou o seu corpo . Quando Darcy sentiu-a alcançar seu clímax, ele encontrou sua própria libertação e, gemendo o nome dela, desabou em seus braços. Quando a racionalidade lentamente voltou para ele, seu primeiro pensamento foi para o evento notável e impressionante que acabara de ocorrer, o segundo a realização que na busca desse mesmo evento, ele tinha acabado de seduzir sua amada Elizabeth, e ela tinha toda a razão de ficar furiosa com ele. Um sentimento de culpa e pânico começou serpentear seu caminho através dele. Elizabeth estava ainda se recuperando da perplexidade com a satisfação que ela tinha encontrado nos braços de Darcy. Ela sabia instintivamente que ela tinha se entregado totalmente a ele, não apenas no corpo mas em espírito também. A compreensão do que havia ocorrido demorou a chegar, e quando ela penetrou em sua mente, ela esforçou-se para afastá-la. Ela distraiu-se enrolando as mãos nos cabelos dele e beijou-o profundamente, uma oferta que Darcy aceitou com gratidão e alívio, e retornou com interesse, até que, percebendo que seu peso devia ser opressivo, ele rolou de cima dela e puxou-a em seus braços, puxando os lençóis para cobri-los. Com um suspiro, Elizabeth descansou a cabeça no ombro dele, sentindo que estava enfim no local destinado a ela, e deixou-se relaxar na satisfação, deixando de lado por enquanto o conhecimento de que haveria um preço a pagar. Quando ela se aninhou contra ele, Darcy sentiu um momento de esperança de que tudo ainda ficaria bem. Ele acariciou os cabelos dela e segurou-a apertado, querendo que ela entendesse o seu amor por ela. "Elizabeth, minha querida", disse ele, finalmente, "Eu preciso implorar seu perdão, embora eu saiba que eu não mereço." Ela beijou o seu ombro, depois o pescoço, e depois os lábios. Acariciando seu Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


rosto delicadamente, ela olhou para ele com os olhos cheios do amor que ela já não podia disfarçar. "William. . . é assim que você gostaria que eu te chamasse? Ou prefere Fitzwilliam? Ele não podia deixar de sorrir pelo momento em que ela tinha escolhido para esta pergunta. "Meu amor, neste momento você pode me chamar de qualquer coisa que você quiser, e eu vou achar delicioso." Seu alívio que ela não parecia estar com raiva, ou pior ainda, horrorizada, era grande, e ele não conseguia parar de polvilhar os lábios dela com beijos leves. Deus, não havia nenhuma possibilidade que ele jamais pudesse ter o suficiente dessa mulher! "William, não há nada a perdoar. Você não fez nada que eu não permiti que você fizesse, e qualquer arrependimento que eu tenha deve ir sobre meus ombros. Mas, no momento eu prefiro não pensar sobre apreensões; elas virão em breve, e por enquanto eu prefiro simplesmente. . .” Ela fez uma pausa, sem palavras. "Simplesmente o que, meu amor?", Ele perguntou com alguma ansiedade. "Eu prefiro apreciar este momento com você, e pensar nas consequências mais tarde." Ela esperava que ela não estivesse chocando ele, mas seus sentimentos no momento pareciam preciosos demais para desperdiçar com recriminações. "Elizabeth, querida, amada Elizabeth, isso é tudo que eu quero, estar com você assim", disse ele, ciente de que ele estava sendo incoerente, mas tão dominado de amor pela mulher em seus braços que ele sentia a necessidade de expressá-lo de alguma forma. Ele acariciou seu rosto com ternura, e depois passou a mão ao longo do corpo, valorizando a sensação dela ao lado dele, e o conhecimento que ela era enfim sua. Ela não tinha imaginado que fosse possível, mas o toque dele despertou novos desejos nela. Quando a mão dele continuou a acariciá-la, finalmente chegando ao descanso possessivamente ao redor de seu seio, o ardor em seus quadris começou novamente. Ela comunicou a sua necessidade para ele através do aprofundamento Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


dos beijos que eles compartilhavam, e a simples visão do olhar de desejo nos olhos dela estimulou uma reação semelhante nele. Quando a excitação dele se tornou evidente para ela, ela tentou trazê-lo para ela, pedindo a libertação que ele tinha dado a ela antes, mas foi contida pelo toque da sua mão. "Não tão rápido desta vez, meu amor, permita-me aproveitar para levar você lá devagar", disse ele, um olhar quente e intenso em seus olhos enquanto ele se mexia para deitar na cama. Anteriormente, ele havia estado focado em garantir a cooperação dela, mas agora ele queria ter o prazer de vê-la responder a ele. Levantando-se em um dos braços, beijou-a lentamente, tentadoramente explorando sua boca até que ele sentiu o aperto dela em seus ombros. Correndo os dedos sem pressa pelo seu pescoço, ele segurou os olhos dela com os seus enquanto ele começava a acariciar seus seios em círculos suaves, gradualmente se movendo para dentro até que os dedos dele acariciaram levemente seu mamilo. Ela ofegou, e um sorriso de satisfação cresceu no rosto de Darcy enquanto ele repetia a ação novamente e novamente, observando o seu desejo crescer. Ele a beijou novamente, mais exigente neste momento, e enfiou os dedos em seus cabelos e segurou-a enquanto ela procurava saciar-se com a boca dele. Ela libertou-o apenas quando a mão dele vagou para baixo para acariciar sua face interna das coxas, deixando-a quente com desejo. Mas ela tinha sido passiva por tempo suficiente; ela começou a correr as mãos pelo peito dele, glorificando o sentimento da pele dele sob seus dedos. "Mostre-me como te agradar", ela sussurrou para ele. Ele riu baixinho. "Se você me agradar mais, meu amor, eu posso não sobreviver a experiência!", Disse ele, mas ele guiou a mão dela para baixo. Ele fechou os olhos enquanto ela acariciava ele, e ele endureceu ainda mais em sua mão enquanto ela explorava as maneiras de dar prazer a ele. Os gemidos dele gratificaram-a enquanto ela via que poderia realmente criar nele os sentimentos que ele criava nela, e ela Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


ficou desapontada quando ele tirou sua mão. "Amor, você não sabe o que você faz comigo!", ele exclamou. A resolução dele de estabelecer um ritmo vagaroso havia desaparecido, mas ele teve tempo para acariciá-la em seu ponto mais sensível devagar e depois mais depressa, até que ele pudesse vê-la se aproximando do auge. Ele penetrou-a então, e provocou-a com golpes lentos, resistindo as demandas não ditas dela por mais, mas quando os doces soluços de prazer dela aumentaram, ele não pode se conter mais, e buscou seu próprio esquecimento quando as ondas de satisfação alcançaram-a. Quando Elizabeth retornou gradualmente a si, ela não conseguia pensar em nada além do seu amor por ele. A maneira de fazer amor dele estava tão além das expectativas dela dos deveres do casamento que ela não soube como compreendêla, mas ela nunca se sentiu tão próxima de outra pessoa. Todos os seus medos deixados para trás, ela sussurrou para ele quando deitou-se saciado nos braços dela. "Eu te amo tanto, William". Os braços dele se apertaram convulsivamente ao redor dela com estas palavras que ele tanto desejava ouvir dela. "Elizabeth, minha própria Elizabeth", ele murmurou, seu coração cheio de uma felicidade que não podia ser dita, assim como o êxtase que ela havia dado ao corpo dele era além de qualquer descrição. "Você é muito mais do que eu mereço. Eu só queria ter as palavras para dizer o que você significa para mim. " Eles permaneceram presos juntos, sussurrando palavras de carinho um ao outro. Elizabeth estava em tal estado de perfeito contentamento que sentia como se estivesse flutuando; Darcy, embora no mínimo tão exultante quanto ela, não podia impedir sua mente de inevitavelmente se voltar para os aspectos práticos da questão. "Querida, eu acredito que é melhor não esperarmos mais seis semanas para casar." "Pode ser difícil fazê-lo mais cedo", ela respondeu vagamente. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Sim, mas podem haver consequências de hoje, e, para ser completamente honesto, eu não posso imaginar que eu poderia ficar fora de sua cama por tanto tempo depois do que nós compartilhamos esta noite." "Mmmm. O que você propõe, então?" "Nós poderíamos casar aqui, nos próximos dias. Eu poderia cavalgar até Matlock amanhã para obter uma licença. Ou, se for importante para você se casar em casa, poderíamos planejar para ter a cerimônia logo após você retornar à Longbourn dentro, o que, de três semanas. " "Isso parece um longo tempo", disse ela, sonolenta, a longa noite sem sono começando a alcançá-la. Ele sorriu. "Eu concordo, e eu não sei como eu poderia deixar você partir com seu tio e tia, quando o seu lugar é aqui comigo." Ela se aninhou ainda mais perto dele. "O que você desejar, William. Você pode decidir.” Ele fez uma pausa, não sabendo o que pensar desta submissão súbita, mas ele estava disposto a aproveitá-la. "Então eu vou falar com seu tio de manhã, e nós vamos casar assim que pudermos." Ela sorriu carinhosamente para ele. "Muito bem", disse ela baixinho. Fechando os olhos, ela relaxou em seu abraço. Ele observou-a com prazer, pensando em quantos de seus sonhos tinham sido realizados esta noite, e como ele não trocaria esta noite por qualquer outra no mundo. Logo ele notou que a respiração dela desacelerou, e uma onda de ternura correu sobre ele quando ele percebeu que ela havia adormecido em seus braços. Foi uma experiência mais do que agradável para terminar rapidamente, embora ele tivesse que acordá-la em breve, a fim de devolvê-la com segurança para o seu quarto antes que alguém pudesse descobri-los. A próxima coisa que ele soube era que estava sendo despertado de um sono Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


profundo por uma batida na porta. Momentaneamente ele ficou desorientado, se perguntando porque Wilkins não veio acordá-lo como de costume. A consciência do calor do corpo de Elizabeth contra o seu trouxeram as lembranças à tona, e o pânico atingiu-o com a idéia de ela ser encontrada em seu quarto. Pulando fora da cama, puxou as cortinas em volta da cama para disfarçar sua presença. "Eu estou indo!" Ele falou, agarrando o roupão e amarrando-a em torno de si. Respirando fundo, ele abriu a porta e atravessou à sua sala de estar, onde encontrou um

Wilkins

parecendo afobado. "Senhor, lamento incomodá-lo, mas há um problema. Há um incêndio no chalé Wheelers, existe algum receio de propagação, e o Sr. Dawson está pedindo por você". Darcy praguejou baixinho, alisando a mão pelo cabelo enquanto ele tentava pensar. "Muito bem, irei logo que estiver vestido. Eles estão selando um cavalo para mim? " "Sim, senhor", disse ele, não encontrando os olhos de Darcy. Darcy nunca tinha visto seu valete aparentando este mal-estar antes, e de repente percebeu que Wilkins deve ter entrado em seu quarto, como era seu costume, e descobriu a presença de Elizabeth, daí o seu retiro para a sala. Bem, não havia nada a ser feito quanto a isso agora. "Espere aqui", ele instruiu laconicamente. Voltando ao seu quarto e fechando a porta atrás dele, ele foi até a cama e sentou-se. Os olhos de Elizabeth estavam abertos, se em perigo ou surpresa ele não poderia dizer. Ele se inclinou para beijá-la. "Eu tenho que sair, meu amor. Há uma emergência, um incêndio na propriedade, e eu devo ir de uma vez. Eu sinto muito deixá-la agora, eu sei que o tempo não podia ser pior ". Sentindo-se subitamente tímida quando ela percebeu o seu estado de nudez, ela disse: "Claro, eu entendo." Reconhecendo o embaraço dela, ele pegou sua camisola e robe de onde tinham Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


caído e entregou a ela. "Eu vou voltar em um minuto", disse ele, dirigindo para seu quarto de vestir. Ele saiu logo vestindo um traje de trabalhador de camisa e calças. Ela já estava fora da cama, tão decente quando ela poderia fazer-se, e ele a tomou em seus braços. "Eu sinto tanto deixá-la assim, Elizabeth. Meu homem Wilkins está lá fora, e eu vou pedir a ele para ajudá-la a regressar ao seu quarto. Ele já sabe que você está aqui, e ele é a alma do poder de discrição.” Vendo-a corar furiosamente, ele acrescentou:" Não se preocupe, ele aprova você. Lembre-se que eu te amo mais que a própria vida.” Ele roubou um último beijo. "Tenha cuidado." Ela tocou o rosto dele. "Eu terei", respondeu ele, e partiu. Elizabeth manteve um rosto corajoso até que ele estivesse fora da sala, e depois afundou-se na cama, com a cabeça nas mãos. Seu sangue frio da noite anterior já tinha evaporado completamente, e o choque, horror e vergonha tomaram o seu lugar. O que ela tinha feito? Ela sentiu-se envergonhada e aflita ao pensamento do que havia ocorrido. Como ela pôde ter permitido que isso acontecesse? Como ela poderia sair por aquela porta e enfrentar o empregado de Darcy, sabendo que ele sabia o que havia acontecido naquela noite? Ela nunca tinha sido tão humilhada na vida dela. Uma descarga de humilhação preencheu-a, mas reconhecendo que ela precisava estar fora do quarto dele o mais rapidamente possível, antes que mais alguém descobrisse, ela decididamente foi até a porta e abriu-a. O sempre eficiente Wilkins estava parado do lado de fora, os olhos firmemente afastados. "Miss Bennet, tomei a liberdade de buscar alguns itens do seu quarto. Eu não posso reivindicar qualquer experiência em matéria de vestido das senhoras, mas espero que seja satisfatório. Se há alguma coisa que você precisar, não hesite em pedir.” Ele entregou-lhe uma pilha de itens que incluía um vestido, saias, sapatos, meias, e uma escova de cabelo. "Obrigado, Wilkins", disse ela, trêmula. Recuando para o aposento, ela se vestiu Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


tão bem quanto podia. Ela prendeu o cabelo em um nó simples atrás, pensando com o espectro de um sorriso divertido que Wilkins nunca teria sucesso como um criado de uma senhora, a menos que ele se lembrasse dos grampos. Darcy não tinha estado completamente correto em afirmar que Wilkins aprovava Elizabeth, embora ele sem dúvida acreditasse nisso. Wilkins, de fato, não tinha opinião sobre ela. Ele teve pouco contato direto com Miss Bennet até este momento, embora soubesse quem ela era, é claro, e tinha observado atentamente todas as informações disponíveis a respeito dela. Ele era um homem de lealdade poderosa e profunda admiração por seu patrão, e via seu trabalho como um meio de simplificar e melhorar a vida do Sr. Darcy. Ele tinha opiniões fortes sobre as roupas que os Sr. Darcy usava, os aposentos em que o Sr. Darcy ficava, e os alimentos que o Sr. Darcy comia. Ele se negava a julgar os amigos de seu mestre e suas atividades, se elas faziam o Sr. Darcy feliz, Wilkins aprovava, se não, ele não aprovava. Ele não via a necessidade de ter uma opinião sobre o ar que o Sr. Darcy respirava, para ele era simplesmente uma necessidade, e tendo observado o seu mestre de perto durante o ano passado, em Hertfordshire, Londres e Kent, ele havia chegado à conclusão de que esta era a categoria na qual Miss Elizabeth Bennet pertencia. O Sr. Darcy era feliz quando estava com ela, e profundamente infeliz quando não estava, então não havia necessidade de Wilkins elaborar um parecer sobre ela. Ela era simplesmente necessária. Ele estava, no entanto, satisfeito por ver que ela poderia conduzir-se com dignidade apropriada na situação embaraçosa em que ela se encontrava, e ele foi tão longe a ponto de ter alguns pensamentos maldosos para o Sr. Darcy a respeito da posição em que ele a tinha colocado. Quando ela saiu do quarto de Darcy, ele pediu para ela esperar na sala até que ele indicasse para ela que o corredor estava vazio, e quando finalmente foi capaz de guiá-la para fora de forma segura, ela lhe deu um divertido sorriso, um tanto constrangido, com seus agradecimentos. Tendo Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


negociado com êxito essa tarefa, sua próxima meta foi encontrar lençóis limpos para as camas, para que ele fosse capaz de retirar os atuais antes da chegada das criadas, para evitar que qualquer fofoca seguisse o Sr. Darcy. Ele balançou a cabeça sobre o assunto todo. Elizabeth voltou para seu quarto apenas o tempo suficiente para corrigir os detalhes do vestido e arrumar os cabelos. A última coisa que ela queria no momento era de se sentar sozinha com seus pensamentos, e sono seria uma proposição sem esperança, e então ela desceu as escadas mesmo sendo cedo demais para o café da manhã. Embora os funcionários estivessem ocupados por toda a casa, ninguém da família ainda estava acordado, então escolheu dar um rápido passeio pelos jardins para se distrair.

Infelizmente, a ligeira dor entre suas pernas provou ser uma

lembrança constante dos acontecimentos da noite, como foram as palavras que insistiam em ecoar em sua mente, não importa o quanto ela tentasse impedi-las - eu sou amante dele. As palavras não quiseram ouvir nenhum dos seus argumentos de que eles estavam noivos, que isso não fazia diferença à longo prazo, que ninguém precisava saber. Ela meditou sobre como eles iriam explicar para sua tia e tio porque queriam casar tão rapidamente, com ninguém da família dela presente, e ela não descobriu respostas convincentes. Capítulo 8 No café da manhã, o Sr. Gardiner informou a ela que Darcy não seria capaz de se juntar a eles em sua viagem à Haddon Hall naquele dia, visto que alguns negócios urgentes referente a propriedade tinham surgido. Elizabeth fez o seu melhor para aparecer surpresa e decepcionada com esse conhecimento, e pensou que tinha sido bastante convincente. No decorrer do dia, no entanto, tornou-se evidente que a Sra. Gardiner, pelo menos, tinha notado que ela estava um pouco Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


desanimada, perguntando várias vezes se alguma coisa estava incomodando ela, perguntas que a sobrinha tentou evitar, fazendo referência a uma noite insone. Enquanto isso, Elizabeth estava ocupada tentando responder suas próprias perguntas incômodas, que diziam respeito à forma como isto tinha acontecido, e seus sentimentos sobre sua perda prematura da virtude. Sua amante. Que ela estava envergonhada e desconcertada era óbvio, e que ela sentia vergonha sobre sua incapacidade de recusá-lo era verdade também, mas ela tentou lembrar-se que eles haviam meramente avançado a data do evento, e se perguntou por que isso deveria fazer tal diferença para ela. A verdade, ela finalmente reconheceu, era que ela sentia terrivelmente a falta de Darcy. Se ao menos ela pudesse estar com ele e ter o seu reconforto, sua angústia seria significativamente menor. Em seu retorno à Pemberley, ela ficou extremamente desapontada ao descobrir que ele ainda estava longe da casa, e os empregados pareciam não ter notícias dele, a não ser por dizer que ele era esperado para retornar em tempo para o jantar. Ela finalmente tentou sossegar com um livro, mas encontrou-se olhando pela janela a cada poucos minutos para vigiar o retorno dele. Em um ponto, ela viu dois operários se aproximando do outro lado da colina gramada, mas da próxima vez que ela olhou, percebeu que um deles era mesmo Darcy, sua camisa rasgada e suja, seu rosto coberto de fuligem e com um companheiro que parecia nada melhor do que ele. Ela corou quando os pensamentos da noite anterior encheram sua mente. À medida que ele se aproximavam, ela reconheceu o segundo homem como seu administrador, e ela assistiu em fascinação chocada quando Darcy bateu-lhe nas costas antes de andar até a casa. Ela caminhou rapidamente para a sala da frente, e estava no meio do caminho da longa escadaria quando avistou Darcy sendo abordado por um dos lacaios. "Sr. Darcy, senhor, peço desculpas, mas eu me pergunto se você tem alguma notícia. A irmã da Sra. Wheeler Ann trabalha na cozinha, e nós todos estamos preocupados, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


senhor ". "Eu suponho que você já ouviu falar sobre as crianças?" Darcy perguntou sombriamente. Quando o lacaio acenou, ele acrescentou: "Me dê um quarto de hora para me tornar digno e irei até a cozinha dizer-lhes que eu sei." "Obrigado, senhor. Eles vão apreciá-lo." Darcy fez uma pausa, e então disse: "Pensando bem, talvez eu deva ir lá imediatamente." No meio do caminho através do salão Darcy espiou Elizabeth na escada. Seus olhos se encontraram e mantiveram-se por um minuto, e o calor nos dele fizeram muito para tranquilizar os nervos de Elizabeth, quando ela viu os lábios dele formarem as palavras "mais tarde". O alívio que sentia, apenas sabendo que ele estava na casa, era ao mesmo tempo grande e aparentemente inexplicável. Quando ela voltou para baixo para o jantar, ela encontrou os Gardiners e Georgiana, que estava se sentindo um pouco melhor, já presentes. Darcy se juntou a eles um pouco mais tarde do que era seu costume, restituído à sua aparência normal, seus cabelos ainda úmidos. Além das linhas de cansaço ao redor dos olhos, ele não parecia diferente do habitual. Quando ele se sentou no sofá ao lado de Elizabeth, ele se inclinou para sussurrar em seu ouvido: "Eu adoro você". Ela olhou para ele com gratidão e um rubor, sentindo uma surpreendente sensação de prazerosa plenitude na presença dele. Voltando sua atenção para todo o grupo, ele perguntou sobre suas viagens, e parecia interessado em ouvir os esplendores dos jardins de Haddon Hall. Quando o Sr. Gardiner perguntou sobre seu dia, ele respondeu apenas que ele estava resolvendo a alguns negócios com seus inquilinos. Ele estava tão atento a ela quanto era possível em companhia, dando a ela olhares calorosos e fazendo perguntas a ela sempre que possível, mas, eventualmente, ocorreu-a que nem tudo estava bem. Ele parecia estar inquieto e desconfortável. Ela se perguntou e se preocupou quanto à causa; se poderiam ser os eventos do dia, ou os da noite anterior, e em caso afirmativo, o que ele estava Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


pensando. Seu estômago se agitou ansiosamente. Ela desejou que eles pudessem estar a sós para que ela pudesse perguntar a ele, e procurar a seu reconforto. Ela encontrou-se o observando cuidadosamente, quase obsessivamente, e viu que ele parecia estremecer ocasionalmente, e, pouco antes de eles irem jantar, ela observou que ele estava segurando o copo de uma maneira peculiarmente dura. Preocupada, ela esperou até que os outros estivessem distraídos, e estendeu a mão e pegou a dele. Para sua surpresa, ele tentou se afastar. Ela sentiu uma pontada aguda de rejeição antes de reconhecer que ele não estava envitando-a, mas tentava de impedi-la de ver sua mão, e sua preocupação por ele aumentou. Olhando-o desconfiada, ela disse baixinho: "Eu gostaria de ver sua mão, Sr. Darcy." "Miss Bennet, isso não é nada para você preocupar-se, apenas um arranhão", ele respondeu brevemente. "Sr. Darcy”, ela disse, com um tom de aviso. Seus olhos se encontraram em uma breve batalha, em seguida, Darcy, revirando os olhos, virou as mãos para que ela pudesse vê-las. Ela mordeu os lábios para abafar um grito quando viu as queimaduras, bolhas e arranhões, que marcavam grande parte das palmas das mãos dele e das superfícies internas dos dedos. Após um primeiro momento de choque, tranquilizou-se que eles não pareciam profundos, embora certa de que eram muito dolorosos, e perguntou: "Você colocou alguma coisa sobre eles?" "Não precisa", disse ele em uma voz que declarou o assunto encerrado. "Eu discordo", disse ela. "Estas necessitam de cuidados. Desculpe-me, senhor, vou voltar em breve." Levantou-se e saiu antes que ele pudesse protestar, como ela ela estava certa que ele iria, então parou no corredor, percebendo que ela não tinha idéia de onde encontrar os itens que precisava em Pemberley sem criar mais comoção do que Darcy queria. Finalmente, ela pediu a um empregado para ajudá-la a

localizar

a

Sra.

Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )

Reynolds.


A governanta pareceu surpresa ao vê-la. "Como posso ajudá-la, Miss Bennet?" "Sra. Reynolds, eu estou procurando um pouco de óleo de lavanda, ou talvez de óleo de camomila. Você teria algo nesse sentido que eu possa usar? " A Sra. Reynolds prontamente mandou um empregado buscar os itens necessários, então, perguntou: "Existe um problema, senhorita?" Elizabeth debateu a conveniência de lhe dizer, então, relembrando o carinho evidente entre os dois, escolheu a franqueza. "O Sr. Darcy queimou suas mãos hoje, e eu acredito que o óleo de lavanda será benéfico para suas queimaduras.” O respeito da governanta pela jovem aumentou quando ela notou que Miss Bennet não estava apenas preocupada com o senhor, mas conhecia os remédios também. "Você vai precisar de curativos tambem, então?" Elizabeth fez uma pausa. "Seria uma boa idéia, se ele aceitá-los." Um breve sorriso cruzou o rosto da Sra. Reynolds. "Só um momento, senhorita. Deixe-me ver o que posso encontrar.” Ela voltou alguns minutos depois, seguida por uma menina com uma bacia, toalhas, e tiras de linho limpo. Liderando o caminho para uma sala pequena, perto do salão de jantar, ela colocou os suprimentos, e perguntou, "Posso perguntar, Miss, como você o convenceu a aceitar isso? Ele é geralmente relutante em ser cuidado.” Elizabeth escondeu um sorriso sem sucesso. "Eu não ofereci a ele uma escolha." Com um olhar perspicaz, a empregada disse, "Então talvez você deva trazê-lo aqui, ele pode ouvir melhor você do que à mim." Aceitando esta directiva, Elizabeth voltou para ele e perguntou calmamente: "Sr. Darcy, você seria a bondade de me acompanhar por um momento?" Parecendo um pouco aborrecido, especialmente porque eles pareciam ter atraído a atenção dos outros, ele respondeu: "Eu não acredito que seja necessário, Miss Bennet." Os olhos dela se estreitaram. Inclinando-se para ele, ela sussurrou em seu Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


ouvido: "Se você não cooperar, senhor, vou ser obrigada a tomar medidas desesperadas." Um leve sorriso cruzou os lábios dele. "E o que isso implica, Miss Bennet?" "Lamento ter de recorrer a ameaças vis, mas se você não se juntar a mim, vou dizer a sua irmã o que você tem feito das suas mãos," ela sussurrou. "Isso é chantagem!" "Estou contente de ver que você não me subestima, senhor!" Ele suspirou profundamente. "Muito bem, Miss Bennet, estou ao seu comando." Ele a seguiu até o quarto preparado. Seus olhos se estreitaram quando ele percebeu a presença da Sra. Reynolds, mas obedientemente cumpriu as instruções dela para sentar-se e erguer as mãos. "Oh, mestre William," a governanta disse em reprovação quando ela examinou o dano, e balançou a cabeça em desaprovação. "Vamos precisar limpá-los antes de mais nada. Eu não posso acreditar que Wilkins deixou você sair assim, sem uma palavra para mim! " Elizabeth teve de pressionar a mão contra a boca para esconder um sorriso nesta interação e no olhar distintamente carrancudo no rosto de Darcy naquele momento. "Não há necessidade de tudo isso", insistiu. "A preocupação Miss Bennet é tocante, mas isso não é sério". "Miss Bennet tem o dobro da sensatez que você tem, Sr. Darcy!" A Sra. Reynolds disse acidamente.” Agora, fique quieto enquanto eu limpo-os. Como você fez isso? "Ela apontou para uma linha de carne crua em seus dedos. "Linha da caçamba", disse ele sucintamente. "Eu tenho completamente o tipo errado de calos." Vendo o evidente lâmpejo de dor no rosto dele quando o processo foi iniciado, Elizabeth, pensando que ele poderia gostar um pouco de privacidade, disse: "Talvez eu devesse me juntar aos outros agora". Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ele olhou para ela. "Oh, não, Miss Bennet. Você me forçou a isso, você vai ter que ficar para me confortar." Ele fez uma careta à uma sensação particularmente dolorosa. "Temo que o Sr. Darcy nunca foi o melhor paciente", a Sra. Reynolds disse em uma voz suave. "Não me surpreendo. Tenho notado que ele prefere cuidar dos outros, ao invés de si mesmo", brincou Elizabeth, na esperança de distraí-lo de seu desconforto. A Sra. Reynolds olhou para ela com astúcia, notando os olhares que ela e Darcy estavam trocando, e ocorreu-lhe que talvez houvessem outras coisas Wilkins não tinha informado a ela. Ela sorriu para si mesma, aplicou os remédios e, em seguida tirou os curativos. "Sem curativos", disse Darcy definitivamente, puxando as mãos. "Senhor, elas precisam de curativos. Esta mão, pelo menos,” A Sra. Reynolds argumentou. Elizabeth descansou a mão levemente no ombro dele por um momento. Ele olhou para ela e suspirou, vendo o olhar determinado nos olhos dela. "Muito bem. Mas apenas nesta mão", disse ele, resignado. "Você pretende ser sempre tão insistente, Miss Bennet?" Ela deu ao assunto um momento de consideração. "Sim, eu pretendo", disse ela com certeza. "Você pretende ser sempre tão teimoso, Sr. Darcy?" "Você pode contar com isso, minha senhora!", Ele retrucou. "Bem," ela disse com um sorriso brincalhão, "Eu estou contente que nós entendemos um ao outro, então." Darcy olhou para a Sra. Reynolds a tempo de pegar um largo sorriso no rosto dela enquanto ela amarrava o curativo. "Você não precisa concordar com ela tão facilmente, você sabe, Sra. Reynolds. Você supostamente deveria estar do meu lado, afinal!” Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Não se preocupe, senhor, eu já posso dizer que Miss Bennet e eu vamos nos dar muito bem", disse a govenanta de forma significativa. "Agora, devemos mudar estes amanhã. Vou falar com o Wilkins sobre isso, e vou dar a ele algum láudano para você também, você pode precisar dele hoje à noite para dormir.” "Isso não será necessário", declarou com firmeza. "Mesmo assim, ele terá se você precisar dele," a Sra. Reynolds disse enquanto reunia os materiais. Darcy ofereceu o braço à Elizabeth, mas quando eles saíram, ele não voltou para o salão de jantar, e em vez disso levou-a para seu escritório. Por um momento, Elizabeth ficou preocupada que ele estivesse zangado com ela por sua insistência, mas quando ele a puxou contra ele, ela percebeu que ele tinha uma agenda diferente em mente. Ela entrou em seu abraço, com um suspiro de alívio do coração, inclinando a cabeça dela contra seu peito, confortada pelo som do coração dele batendo. Isso era o que ela precisava todos os dias. "Você está bem, meu amor?", Perguntou delicadamente, beijando-lhe o cabelo. Ela assentiu com a cabeça, não calma o suficiente para palavras. Ele acrescentou: "Eu devo pedir desculpas novamente por deixá-la hoje, eu teria preferido passá-lo ao seu lado. Espero que não tenha sido muito difícil?” "Agora que você está aqui, está tudo bem." "E antes?", Ele perguntou perceptivamente. Ela encolheu os ombros, e evitou sua pergunta. "Eu senti sua falta.” Suas palavras eram suficientemente doces para os ouvidos de Darcy para leválo a ignorar quaisquer outros significados à resposta dela. "Eu senti sua falta também", disse ele calorosamente, “e eu me preocupei com você." Quando ela não respondeu, ele acrescentou, "Eu pretendo falar com seu tio, hoje, se você não tem nenhuma objeção. Peço desculpas por meus planos nesse assunto estarem atrasados.” Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ela olhou para ele com um sorriso. "Eu entendo que algumas coisas são inevitáveis." Ele ergueu a mão enfaixada. "Eu posso ver que haverá um número crescente de coisas inevitáveis na minha vida!", Disse ele com bom humor pesaroso. "Estou feliz por você ter reconhecido a sua inevitabilidade. Você foi muito bem comportado sobre isso," disse ela da maneira mais grave que ela conseguiu. Ele olhou para ela com um sorriso maroto. "Bem, Miss Bennet, eu fui muito cooperativo; e agora eu acredito que eu mereço ser distraído da minha dor." "Há um grande número de excelentes livros que posso recomendar a você, senhor", disse ela, brincando, “ou talvez eu pudesse pedir a sua irmã para tocar para você." "Isso não era exatamente o que eu tinha em mente." "Eu pensei que você queria que eu evitasse encorajar você." O sorriso dele era devastador. "Quantos problemas eu posso causar quando eu não posso usar minhas mãos?" "É verdade." Com um sorriso maroto, ela pegou seu braço com a mão sem curativo cuidadosamente pelo pulso. Levantando-a para o rosto, roçou as costas da mão levemente contra sua bochecha, em seguida, começou a atormentá-lo cobrindo o braço com beijos leves como pena da linha de sua manga até as pontas dos dedos não machucados, para os quais ela deu um pouco de atenção extra. "Está melhor?" Ela perguntou ironicamente. "Muito mais eficaz do que o láudano", ele respondeu com uma voz um pouco estrangulada. Ele se inclinou para beijá-la, mas ela se esquivou-se dele, de pé sobre os dedos para tocar seu pescoço com os lábios, provocando-o como ele havia feito de forma tão eficaz para ela no passado. "Elizabeth, por favor. . . " Com pena dele, ela puxou sua cabeça para baixo dela e permitiu a ele reclamar Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


seus lábios. Seu beijo foi apaixonante, mas também pareceu um tanto distraído. Ela se afastou e olhou para ele, um olhar preocupado no rosto. "Eu posso dizer que algo está pertubando você, mas não o que pode ser." Ele a puxou para ele um pouco desajeitadamente, evitando o uso das mãos, e escondeu o rosto em seu cabelo. Ele ficou em silêncio por um momento, então disse pesadamente, "Foi um dia difícil, e partes dele têm ficado na minha mente." "Você não vai me contar sobre isso?" Ele suspirou. "Venha se sentar comigo, então." Ele se acomodou em uma poltrona grande, e abriu os braços para ela, e com um rubor leve, ela se sentou no colo dele e encostou a cabeça em seu ombro. "Foi terrível, naturalmente", começou ele. "A família perdeu tudo o que possuía, e foi tão pouco o que eu pode fazer para ajudá-los. Eles estavam devastados, e. . . " Sua voz foi sumindo. "E o quê?", ela perguntou delicadamente. "Tem certeza que você deseja ouvir isto? Não é agradável, devo avisá-la. " "Se você teve que ver isso, então eu quero ouvir sobre isso." "Os dois filhos mais novos deles ainda estavam na casa", disse ele, com a voz cansada e tensa. "Não conseguimos alcançá-los até que as chamas estivessem em sua maioria apagadas; a perna de seu pai foi esmagada quando ele tentou entrar muito cedo. Graças a Deus não havia vento! Eu encontrei um deles quando nós finalmente entramos, que foi quando eu fiz isso.” Ele abriu as mãos.” Não havia nada que pudesse ser feito, ele mal tinha sido tocado pelo fogo, mas a fumaça deve ter sido suficiente. Eu carreguei o corpo dele para fora para seus pais.” Fez uma pausa. "Eu não o conhecia, mas me lembro quando ele nasceu; foi logo depois que eu assumi a gestão da propriedade" Ela sentiu uma sensação dolorosa quando ele falou pela primeira vez, percebendo que ele tinha colocado a si mesmo em perigo, e depois seus sentimentos mudaram para simpatia pela dor dele. Ela o abraçou, sabendo que não havia nada Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


que ela pudesse dizer, mas querendo consolá-lo. Ele permitiu a ela que afagasse seus cabelos por um minuto, em seguida, virou a cabeça para beijar a mão dela distraidamente. "Eu sei que é tolo, mas eu sinto como se de alguma forma eu deveria ter sido capaz de impedir isso", disse ele, num tom mais próximo do seu usual. "Isso é tolo", ela disse suavemente, "mas eu entendo que você possa se sentir assim. Existe algo que pode ser feito por eles agora?" "Eu acredito que tudo que seja possível. Eles estão ficando com a família, e eu mandei enviar algumas roupas e outras necessidades para eles. Alguns dos outros inquilinos vão trabalhar nos seus campos até que eles possam gerenciar novamente. Eu disse a eles que nós vamos reconstruir, mas isso levará tempo - haverá bastante trabalho apenas na limpeza do local. Há pouca coisa que pode ser feito no momento. Vou pedir Georgiana visitar a família amanhã." "Se você quiser, posso acompanhá-la." "Ela gostaria disso, eu sei, ela acha que estes deveres um tanto desconfortáveis. É gentil de sua parte oferecer." "Será minha responsabilidade em breve." Ele olhou para ela com surpresa. "Assim será", disse ele lentamente. "Eu não tinha pensado nisso dessa forma." Curiosamente, ele tinha dado pouca atenção à idéia de Elizabeth como a Senhora de Pemberley, e sentiu uma pontada de ciúmes com o pensamento de ter que dividir a atenção dela. "Eu vejo que você tem alguma dúvida sobre isso; eu sei que eu sou inexperiente, mas vou aprender, e eu não tenho medo de fazer perguntas." "Agora você é quem está tirando conclusões precipitadas. Não tenho dúvidas sobre sua habilidade, eu estava apenas contemplando o triste fato de que não serei o único foco de sua atenção. Eu sou uma alma muito egoísta, você sabe." Ela o beijou carinhosamente. "Você é a pessoa que eu amo; a responsabilidade Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


de Pemberley simplesmente acontece de vir com você." Ele acariciou seu rosto com as costas da mão. "Você tem alguma idéia do quanto significa ouvir você dizer que me ama?" "Você pode ouvir qualquer momento que desejar", disse ela levemente, mais uma vez achando difícil discutir seus sentimentos por ele. "Mas você acha que os outros ainda estão esperando por nós para começar o jantar?" "Deixe-os esperar", disse Darcy, soando cada centímetro como o prepotente Mestre de Pemberley que ela uma vez pensou dele. "Eu tive que passar sem você o dia todo, e eu preciso de um pouco de tempo para te abraçar e te dizer como eu te amo ardentemente antes de eu ter que voltar a chamá-la 'Miss Bennet' e manter minhas mãos para mim." Elizabeth não tinha nenhum desejo de se opor a essa idéia, e acomodou-se confortavelmente em seus braços. Um pensamento lhe ocorreu. "William", disse ela. "Sim, meu amor?" "Gostaria de salientar que embora eu tenha permanecido consideravelmente composta durante a nossa conversa, eu tenho extenuantes objecções por você correr riscos, tais como entrar em prédios em chamas." "Querida, eu aprecio sua preocupação, mas também tenho responsabilidades que às vezes você não irá gostar", disse ele ternamente. "Você também tem responsabilidades comigo agora, e um dia com os nossos filhos, e eles incluem manter-se seguro", disse ela com firmeza. "Eu gostaria que você pensasse por um minuto como você se sentiria se eu estivesse me colocando nesse tipo de perigo.” Darcy, que tinha suas próprias preocupações sobre os perigos que Elizabeth enfrentava que, infelizmente, foram desencadeados por sua escolha de palavras, apertou seus braços ao redor dela e escondeu o rosto em seu cabelo. "Seu ponto está aceito", disse ele, sua voz abafada, vendo imagens da quase fatal doença de sua mãe Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


após o nascimento de Georgiana, e sua morte cinco anos depois, junto com seu filho recém-nascido. Elizabeth sentiu a tensão dele, e sem totalmente entender sua origem, disse, "Talvez tenha sido um mau exemplo, eu esqueço que você é muito melhor na arte de se preocupar do que eu. Mas você é muito querido para mim para arriscar, por isso, tome cuidado." "Eu vou", disse ele, deliberadamente colocando de lado as imagens do passado. "Você pode contar com o fato de que eu quero ficar com você." Recusando-se a continuar nessa linha, ele mudou de assunto definitivamente capturando a boca dela com um beijo com uma eloqüência que demonstarava seu amor por ela, e levou algum tempo antes que qualquer um deles desse mais atenção a qualquer coisa além do outro. -----------------------Eles eventualmente se juntaram ao resto do grupo para o jantar, onde Darcy foi requerido a recontar alguns dos eventos do dia quando a mão enfaixada foi notada. Georgiana, que conhecia a família de diversos eventos da propriedade, ficou muito preocupada com a notícia, e aliviada que Elizabeth iria acompanhá-la em sua visita à família. Uma vez que as senhoras se retiraram depois do jantar, Darcy serviu generosas porções de vinho do porto para si e para o Sr. Gardiner. Tinha sido um dia muito longo, e esta não era uma entrevista que ele estava antecipando com qualquer tipo de prazer. "Sr. Gardiner," ele começou," Eu estou feliz por ter alguns minutos aqui, pois há uma questão que eu gostaria de discutir com você. Seria melhor se eu pudesse abordá-la com o Sr. Bennet, mas na ausência dele, eu acredito que você seja a pessoa apropriada para resolver esta questão." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Bem, isto parece ser sério! Eu ficarei feliz de ajudar se eu puder." Darcy rodou o vinho do porto no seu copo, e observou-o como se estivesse fascinado. "Como você sabe, Miss Bennet e eu não tivemos a oportunidade de discutir a data do casamento antes de sairmos de Longbourn. Temos vindo a considerar o assunto e chegamos à conclusão de que gostaríamos de se nos casar o mais rápido possível.” "Bem, eu certamente não vejo nenhum problema se você deseja ter o casamento assim que retornarmos à Longbourn. Eu ouso dizer que a Sra. Bennet pode gerenciar a maioria dos arranjos, embora ela possa ficar decepcionada com a falta de afetação!" "Na verdade, senhor, quando eu disse logo que possível, o que eu quis dizer foi imediatamente, ou pelo menos, tão logo eu possa obter uma licença. Eu proporia que eu cavalgasse até Matlock amanhã; se o bispo estiver na residência, eu devo ser capaz de organizá-lo rapidamente. Caso contrário vou ter que mandar para Londres, o que atrasaria a questão por alguns dias.” Olhou para cima usando seu comportamento mais calmo para encontrar o olhar intrigado do Sr. Gardiner. O Sr. Gardiner tomou um gole de vinho do Porto. "Por que a pressa, Sr. Darcy?" "Passei um bom tempo hoje tentando criar respostas a essa pergunta, que vão desde porque nós queremos que a cerimônia seja em Pemberley à força da minha devoção por sua sobrinha, mas a verdade dos fatos é esta: algo que aconteceu ontem à noite que não deveria ter acontecido, e eu estou ansioso para regularizar a questão tão logo quanto possível." A ansiedade Darcy aumentou quando não houve resposta imediata do Sr. Gardiner. Finalmente, ele disse, "Eu suponho que você percebe, Sr. Darcy, que é afortunado por estar confessando isto para mim em vez de para o pai de Lizzy.” "Eu não tenho nenhuma dúvida disso, senhor", disse Darcy cuidadosamente. "Eu também duvido que haja qualquer coisa que você possa me dizer sobre o Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


assunto que eu não já disse para mim mesmo." "Assim eu imagino." O Sr. Gardiner já havia tirado suas próprias conclusões a respeito do senso de resposabilidade de

Darcy. "Bem, você tem o meu

consentimento, pois afinal de contas, parece que o caminho mais razoável, dadas as circunstâncias. Você pretende escrever para o Sr. Bennet, ou para apresentar isso como um fato consumado?" Darcy fez uma careta. "Francamente, senhor, entre dizê-lo na cara ou dá-lo semanas para ele ficar com mais raiva de mim antes de enfrentá-lo, eu escolheria o primeiro." O Sr. Gardiner riu. "Eu suspeito que é sábio de você. Vou tentar colocar uma boa palavra para você lá, e apontar que você ao menos merece crédito por sua honestidade. Devo dizer que estou começando a sentir alguma apreensão para quando meus filhos chegarem a esta idade!" "Temo que possa começar mais cedo do que isso", disse Darcy, o pensamento de Georgiana em Ramsgate. "Hesito em imaginar. Talvez nós devemos nos juntar as damas, então, como parece que vamos ter muito o que discutir," disse o Sr. Gardiner, cujo o sentimento Darcy sinceramente aprovava. As senhoras tomaram o conhecimento dos planos de casamento de bom grado quando Darcy e o Sr. Gardiner se reuniram a elas; Georgiana estava feliz que ela teria sua nova irmã muito mais cedo do que o esperado, e a Sra. Gardiner, tendo tido ampla oportunidade para observar a atração entre o casal jovem, só pensava que eles estavam muito ansiosos para se casar. Elizabeth disse pouco além concordar com os planos. Darcy estava começando a sentir-se decididamente inquieto. Ele estava cansado de mente e de corpo dos acontecimentos do dia, mas foi o seu comportamento da noite anterior, que mais o incomodava. Desde sua volta ao conforto de sua casa e Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


longe de outras distrações, ele foi ficando cada vez mais perturbado enquanto ele considerava o que tinha feito. Durante o dia ele tinha usado o perigo e horror do fogo para proteger-se com sucesso limitado; sentimentos de vergonha e autoaversão continuavam se intrometendo. Ele tinha conhecimento de que parte da razão pela qual ele primeiramente entrou no chalé em chamas foi para provar para si que mesmo se ele tivesse sido desonesto, insensível e egoísta na noite anterior, ele poderia pelo menos ainda conseguir ser corajoso e responsável. Mas até isso foi um ato covarde. Tinha, sem dúvida violado quase todos os princípios pelos quais viveu a sua vida por um motivo puramente egoísta e indigno, sem um pensamento de como isso afetaria mais alguém. Ele não conseguia sequer fazer a desculpa de ter estado fora de controle; não, ele sabia muito bem que tinha havido um momento em que ele tomou uma decisão ativa para prosseguir seduzindo Elizabeth. Verdade, ele não tinha estado no mais claro estado de mente naquele momento, e seu desejo por ela tinha sido tal como um nuvem em seus pensamentos, mas isso não era desculpa. Ele se comportou vilmente. Elizabeth podia estar inclinada a perdoá-lo, mas ele estava longe de perdoar a si mesmo. Ela sempre foi generosa com o seu perdão das faltas dele, fato que ele apreciava, pois ele tinha necessitado disso tantas vezes, mas até mesmo o Sr. Gardiner tinha perdoado ele sem as repreensões que ele tanto merecia. Sentia-se estranhamente grato pela dor em suas mãos. Ele devia sofrer de algum modo, e sem aquele desconforto ele se sentiria ainda pior. Ele teve uma boa idéia de quem seria susceptível de dar a ele o que ele merecia, no entanto, e por isso não foi sem uma certa dose de ansiedade que ele pediu a Sra. Reynolds para acompanhá-lo em seu escritório mais tarde naquela noite. "Sra. Reynolds, há um evento programado para o qual vou precisar da sua ajuda no planejamento." "Certamente, senhor. O que você gostaria que eu fizesse?" "Primeiro, há algo que eu devo dizer-lhe, é que há duas semanas Miss Bennet Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


me deu a honra de concordar em se tornar minha esposa. Concordamos em não anunciar o noivado imediatamente, já que ela desejava ter a oportunidade de experimentar Pemberley sem todas as expectativas que seriam postas em cima dela como futura senhora." O rosto dela se iluminou, embora esta informação não fosse completamente inesperada, ela nunca tinha visto antes um comportamento tão caloroso da parte dele para uma mulher. Ela estava muito contente com a notícia, já que tinha estado com esperança de vê-lo estabelecer-se em Pemberley e produzir alguns pequenos Darcys para encher os corredores. "Isso é uma notícia alegre, senhor. Ela é uma jovem encantadora." Ele limpou a garganta, ao recordar ela tomando o partido de Elizabeth contra ele na questão do tratamento de suas queimaduras, e suspeitando que aquela não seria a única vez que ele iria enfrentar tal aliança. "Nós decidimos que nós preferimos ter um casamento imediato, e é com isso que vou precisar de sua ajuda para fazer arranjos. Eu acredito que depois de amanhã vai servir de forma admirável.” Ela olhou para ele em alguma confusão, sem saber como interpretar essa informação. Finalmente, ela decidiu que ele não devia falar sério, e sorriu. "Isso é uma brincadeira, senhor?" "Não, Sra. Reynolds. Agora, eu percebo que existem certos arranjos que devem ser feitos. Eu vou estar longe a maior parte do dia de amanhã, e eu gostaria que você consultasse com Miss Bennet. . . " "Sr. Darcy ", ela interrompeu, uma medida óbvia de sua aflição. "Não podemos organizar o seu casamento em tão pouco tempo! E os convidados que devem ser notificados, e a família de Miss Bennet? E ela deve ter um vestido adequado, e Deus sabe mais o quê!" "Nós não planejamos convidar qualquer outros convidados além de Georgiana, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


o Sr. E a Sra. Gardiner e, possivelmente, minha tia e meu tio, se eles estiverem disponíveis. Nenhum enfeite é necessário, e se Miss Bennet não está satisfeita com o seu próprio vestuário, talvez um dos vestidos de minha mãe poderia ser alterada para se servir nela, sua altura é a mesma, eu acredito.” Ela fez mais uma tentativa. "Senhor, certamente ela merece ter um belo casamento, com sua família ao seu lado, ao invés de um caso remendado!" Ela certamente merece, pensou ele, e é minha culpa que ela não vai ter. Ele se recostou na cadeira, seu rosto ilegível. "No entanto, esse é o plano." Os olhos dela se estreitaram enquanto eles travavam uma breve luta silenciosa. Houve uma mudança evidente na voz dela de respeitosa empregada da família para a severa disciplinadora de sua juventude quando ela perguntou bruscamente, “Sr. Darcy, há alguma razão para isso deva ocorrer tão rapidamente que compensaria todas as dificuldades?" "O assunto está decidido. Isso é tudo, Sra. Reynolds." A voz dela estava cheia de suspeitas. "Você comprometeu a moça?" A única resposta dele foi olhar para ela com o olhar de quem tinha perdido os argumentos para um oponente muito difícil "Fitzwilliam Darcy, se você não fosse muito grande, eu juro que eu iria colocá-lo em meu joelho e dar-lhe aquilo que você tão ricamente merece! Como você pôde? O que a sua mãe diria? Posso dizer-lhe o que seu pai teria dito, e você teria pior do que uma surra lá! Você foi criado melhor do que isso. Este é o comportamento que eu esperaria de George Wickham, não você! E você se considera um cavalheiro - eu estou profundamente envergonhada de você! " Ele não fez nenhuma resposta, nem seu rosto mudou, além de uma breve estremecida com a menção de Wickham. Ela continuou a encarar-lhe furiosamente até que ele finalmente fechou os olhos em um sinal bem conhecido da derrota. Ela permitiu que ele sofresse por mais alguns instantes antes de ela falar novamente, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


sua voz um pouco suavizada. "Bem, não há nada a ser feito sobre isso agora, eu suponho. Terá de esperar mais um dia pelo menos, no entanto; os serviços para as crianças Wheeler será no dia depois de amanhã, e seria desrespeitoso ter seu casamento no mesmo dia. E nós temos que ter uma razão. . . " Ela fez uma pausa antes de continuar: "Vamos colocá-la sobre que o Bispo está definido para oficializar o seu casamento, por isso tem que ser feito enquanto você dois podem estar em Matlock; Isso significa também que a cerimônia será realizada na catedral, para que se afaste qualquer atenção da falta de comparecimento por parte da família de Miss Bennet. Podemos organizar uma festa aqui também - sim, eu acredito que é a melhor idéia. Isso serve para você, senhor?" "Admiravelmente", ele disse calmamente. "Vou consultar com Miss Bennet na parte da manhã, então, senhor." Ela levantou-se um pouco tensa. "Obrigado, Sra. Reynolds. Deixo em suas mãos capazes." Quando ela saiu, ele se inclinou para trás na cadeira, correndo os dedos pelos cabelos. Curiosamente, ele se sentiu mais alívio do que qualquer outra coisa na sua discussão, e ficou grato por ter entregue a responsabilidade pelo planejamento do evento. Ele havia atormentado seu cérebro todo o dia na tentativa de inventar uma desculpa razoável para se casar tão cedo, e a Sra. Reynolds tinha resolvido esse dilema dentro de um minuto. Sentindo-se mais relaxado do que ele estado durante todo o dia, ele retornou à sala de desenho, na esperança de encontrar Elizabeth ainda lá. Ele queria falar com ela em particular, para informá-la do que tinha sido decidido, e que ela não precisava se preocupar com uma perda similar de controle da parte dele novamente. No entanto, quando ele chegou, ele descobriu que ela já tinha se retirado para a noite. Decepcionado, ele se juntou ao Gardiners brevemente para uma conversa, antes de fazer suas próprias desculpas. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


--------------------Elizabeth estava se preparando para dormir quando uma batida não totalmente inesperada veio à porta. Abriu-a para encontrar Darcy do outro lado, e moveu-se rapidamente para permitir que ele entrasse antes que pudesse ser visto por alguém. Ela se perguntou se ele pretendia vir até ela, e tinha sido incapaz de decidir se ela mais desejava ou temia pela aparição dele, e como ela iria se comportar se ele viesse. Agora que chegou o momento, porém, veio naturalmente um sorriso no seu rosto, e ela sentiu falta de ar, mas para sua surpresa, ele não fez mais do que tocar o seu rosto levemente em saudação. "Eu tenho feito arranjos esta noite, e eu queria informá-la deles esta noite já que eu pretendo ir até Matlock à primeira luz do dia", disse ele. Esta era sua oportunidade de provar que ele tinha reparado suas maneiras, que ele podia ser confiado nas situações mais desafiadoras possíveis, e os desafios certamente não vieram maiores do que estar sozinho com ela em seu quarto enquanto ela estava nas suas roupas de dormir. Ele forçou seus pensamentos longe da forma encantadora dela, e decididamente focado na conversação. "E o que os seus arranjos implicam?" "Falei com a Sra. Reynolds sobre os planos para o nosso casamento, e ela decretou que deve ser no prazo de três dias, partindo do princípio que eu não tenha nenhuma dificuldade em arranjar a questão com o Bispo e obter a licença. Eu acredito que ela planeja conversar com você sobre isso na parte da manhã. Eu também queria mencionar, caso você estava planejando escrever para alguém de sua família, que seu tio concordou que poderia ser mais sábio não informar a sua família dos nossos planos, até que possamos fazê-lo pessoalmente, no entanto. . . " Ele parou para sorrir amavelmente, "se você é de uma opinião diferente, certamente Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


podemos rever essa decisão. " "Muito bem, senhor", ela respondeu com uma risada. "Por um momento eu temi que tinha esquecido o nosso acordo quanto me consultar." Ele parecia um pouco desconfortável. "Eu estou tentando aprender, embora isso possa me levar algum tempo, mas vou apontar em minha própria defesa que você falou ontem à noite que eu poderia tomar a decisão sobre quando nos casarmos." "É verdade, embora eu poderia argumentar que você estava se aproveitando de mim em um momento indefeso", ela respondeu alegremente. A cor se esvaiu do rosto dele com as palavras dela, e um olhar de profunda culpa caiu sobre ele. "Eu sei disso muito bem, Elizabeth, e eu sinto que se houvesse qualquer coisa no mundo que eu pudesse fazer para compensar isso, eu faria sem hesitação, mas como é, tudo o que posso fazer é dizer que eu reconheço minha culpa, e peço desculpas do fundo do meu coração, e espero que algum dia você seja capaz de me perdoar. " A angústia no rosto dele doía profundamente nela. "William, você me entendeu mal completamente," ela disse suavemente. "Minha brincadeira, e foi obviamente uma pobre, foi que eu me ofereci para deixá-lo tomar a decisão sobre o casamento, quando eu estava meio adormecida e, portanto, não na minha melhor forma. Eu não culpo você sobre o que aconteceu na noite passada. Como eu disse então, você não fez nada que eu não permiti, e eu assumo a responsabilidade por minhas próprias ações." "Você pode ter permitido, mas só depois que eu intencionalmente fiz tudo ao meu alcance para tornar difícil para você recusar", disse Darcy, sentido-se obrigado pela honra a confessar a verdadeira dimensão do seu erro. Ele olhou para ela em perplexidade infeliz, levando Elizabeth à conclusão de que ele preferiria que ela o criticasse do que se recusasse a culpá-lo, mas ela podia reconhecer que o sofrimento dele não seria atenuado por qualquer quantidade de Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


reafirmação. Um sorriso tocou os cantos dos lábios dela enquanto concebia uma vingança apropriada para a teimosia dele, mas discutiu se ela teria a audácia de segui-la. Ela mal podia acreditar que ela estava pensando nisso, mas seria certamente aliviaria um pouco da ansiedade e angústia dele. Impulsivamente, ela se aproximou dele e começou a desamarrar sua gravata. "Elizabeth, o que você está fazendo?", Ele perguntou com uma voz tensa, olhando para sua forma tentadora, vestida apenas com o traje de noite que ele sabia tão bem como remover. Ela deixou cair a gravata no chão, e procedeu para seu casaco. "Eu estou desfazendo os botões do seu casaco, senhor." "Eu estou ciente disso; a minha pergunta é por quê." Elizabeth escondeu um sorriso. "Meu objetivo imediato é remover sua roupa. Depois disso é a minha intenção seduzi-lo, senhor.” Ela fez uma breve pausa em seu empenho para beijar o pescoço dele levemente. "Elizabeth, era minha intenção em vir aqui hoje para demonstrar que você pode confiar em mim para não me aproveitar de você de novo, e você está tornando isso extremamente difícil!" Ela terminou com o casaco e começou no colete dele. "Eu não posso ver o porquê. Você fez o seu ponto admiravelmente, e agora a questão é se eu posso ser confiada para não me aproveitar de você, e eu temo que a resposta para essa pergunta é não.” Percebendo que ela precisaria de pelo menos uma mínima cooperação dele se ela fosse ter algum sucesso na remoção de seus casacos, ela deslizou as mãos dentro deles e tentou seduzi-lo acariciando seu peito através do fino linho da camisa dele. Movendo-se para pressionar seu corpo contra o dele, ela sentiu a evidência da excitação dele quando ela abriu a gola de sua camisa e beijou as cavidades expostas de seu pescoço. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Elizabeth", ele gemeu. Ela continuou a espalhar beijos em seu pescoço enquanto ela apertava seus quadris contra os dele provocantemente, até que, com um gemido, ele capturou sua boca com a dela em um beijo que falava da fome inegável. Ela aproveitou o momento para deslizar os casacos dos ombros dele, deixando-os cair ao chão. O processo de seduzi-lo, ela ficou fascinada ao descobrir, era pelo menos tão excitante para ela quanto conhecer as delícias do toque dele. No passado, ele sempre tomava a iniciativa de tocá-la, e ela estava achando essa reversão uma experiência inebriante. Ela passou as mãos levemente em seus ombros, e direcionou-as tentadoramente lentamente nas costas dele antes de começar o processo de soltar a camisa de suas calças. Ela tinha acabado de deslizar as mãos sobre a pele quente da cintura dele, quando ele ergueu a boca da dela. "Bem, meu amor, se você está inclinada sobre este processo de sedução, talvez eu deveria falar para você que remover suas próprias roupas seria pelo menos tão eficaz neste aspecto do que a remoção das minhas", disse ele. "Eu aprecio a compreensão, senhor", disse ela provocantemente enquanto ela explorava o calor do peito dele. "Talvez eu devesse investigar a veracidade dessa hipótese, uma vez que eu tenha a oportunidade de me divertir com isso." Embora um pouco relutante em abrir mão do prazer de tocá-lo, ela tirou as mãos e se afastou. Com um sorriso sedutor passando em seus lábios, ela desamarrou o roupão e escorregou-o, permitindo que caísse no chão em uma pilha de seda. Despertada pela expressão no rosto dele enquanto ele a observava, ela desfez os laços da sua camisola um de cada vez, fazendo a descoberta de que ele parecia ainda mais afetado pelo processo quando ela prosseguia mais lentamente. Finalmente, ela deslizou primeiro um ombro, depois o outro para fora de sua camisola, para que apenas as pontas dos dedos estivessem segurando-a, e então ela deixou que caísse também. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Era além do entendimento, ela decidiu, como ele poderia excitá-la tanto simplesmente olhando para ela. "Por favor, não esqueça o seu cabelo, meu amor, que é uma ferramenta muito eficaz na sedução também," ele disse, sua voz rouca. Ela gentilmente desfez a trança que ela fez para a noite, e balançou os longos cachos soltos com um sorriso sedutor, olhando para ele enquanto tocava a ponta da sua língua nos lábios sedutoramente. Darcy tinha chegado ao fim de sua resistência deste jogo delicioso. Ele caminhou na direção dela, suas mãos indo rasgar os botões de suas calças até que, com uma praga abafada, ele descobriu o quão extraordinariamente doloroso o processo de lidar com botões provavelmente seria para ele nos próximos dias. Elizabeth, reconhecendo a sua dificuldade, empurrou as mãos dele, e disse com um sorriso gracioso, "Por favor, permita-me." Ela soltou os botões, embora a um ritmo muito mais lento do que ele teria escolhido, e teve a inspiração de interromper a atividade periodicamente para acariciar a protuberância na parte da frente das calças dele, desfrutando a sensação de poder que ela sentiu quando ele gemeu o nome dela suplicantemente. "Eu simplesmente estou fazendo tudo ao meu alcance para tornar difícil para você me recusar, William," ela brincou provocantemente. "Acredite em mim, eu não poderia recusá-la se eu tentasse neste momento." Ele beijou seu pescoço e mordiscou sua orelha. "E você me tem em clara desvantagem, minha senhora, já que eu sou incapaz de usar as minhas mãos tão eficazmente como gostaria para fazê-la sofrer tanto quanto eu estou sofrendo no momento." Ela sorriu maliciosamente para ele enquanto continuava o processo de remoção das calças. Assim que ele estava livre delas, ele disse com um olhar maroto, "não há, no entanto, nada de errado com o resto do meu corpo!" Ele a levou para trás com o delicioso acompanhamento da risada dela até que ela foi forçada para a cama. Segurando os ombros dela para baixo com as costas das mãos, beijou-a avidamente, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


em seguida, procurou o mamilo com a boca e sugou-a até ela se contorcia e gemia embaixo dele. Uma vez que ele estava certo de que ela estava pronta para ele, com uma demanda apaixonada bem diferente da gentileza que tinha mostrado na noite anterior, ele enfiou-se dentro dela, e a possuiu com duros e rápidos golpes que demonstravam a força do seu desejo e a levou à picos de excitação, até que ela foi submersa pelas ondas de prazer extraordinário. Provocado por seus gemidos de êxtase, a libertação dele seguiu quase imediatamente. Quando ele finalmente emergiu do esquecimento a que ela o tinha levado, ele disse com preocupação, "Peço desculpas pela minha perda de controle, meu amor. Espero que eu não tenha sido muito bruto com você?" Ela balançou a cabeça. "Eu achei muito. . . emocionante,” disse ela, sorrindo com a memória. "Eu acredito que eu gostei de seduzi-lo, também." "Você, meu amor, é uma ameaça", exclamou Darcy. "Esta é uma reclamação, senhor?" "Nem um pouco! Estou muito contente por ter sido seduzido de forma tão eficaz. E, como Shakespeare diz: 'Portanto é justo que as mentes nobres mantenham sempre com os seus gostos; Pois quem é tão firme que não possa ser seduzido?' " "Senhor, eu clamo falta; aprender citações sobre sedução não é parte da educação de uma moça. Você terá de escolher outro tema.” "Talvez isso devesse fazer parte da educação delas, há muitos cavalheiros que iriam achá-lo uma boa causa." Ele acariciou a bochecha dela. "Então a sedução, talvez, seja uma das habilidades que uma senhora verdadeiramente prendada deve possuir, junto com um conhecimento profundo da música, dança e canto?" "Eu diria que sim", disse ele com gravidade simulada, “embora eu poderia assinalar que se você deseja verdadeiramente distinguir-se na sedução, você vai precisar, como a minha tia Catherine diria, praticá-la de maneira muito constante." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ela mordiscou o ombro dele carinhosamente. "Vou ter que considerar como obter a minha prática, então." "Exclusivamente no interesse de promover a sua educação, eu vou me voluntariar para ser o objeto de todas as experiências que você opte por realizar." "Essa é uma das muitas coisas que eu admiro em você, William, sua atenção constante para a melhoria da minha mente." "'Não haja impedimento à união de almas fiéis, ' meu amor ". "Um assunto muito mais justo, senhor. 'A mente dos homens jovens é sempre mutável.'“ "Mas dificilmente uma resposta gentil! Deixe-me ver, ' A natureza que nos moldou dos nossos elementos, lutando dentro de nosso peito por regimento, acaso ensina-nos a todos a ter mentes aspirantes'”. Elizabeth sorriu maliciosamente. " 'A beleza está na admiração só de mentes fracas levadas cativas.'" "Cruel novamente! Vou abster-me de continuar esta batalha, e beijá-la ao invés disso." Elizabeth não tinha qualquer objecção a este plano. "Eu queria que eu pudesse ficar com você para sempre, e nunca ter que sair para enfrentar o mundo." "Eu acredito que eu posso compartilhar esse sentimento, mas o mundo é tão difícil de enfrentar?" Ele acariciou os cabelos dela, apreciando a textura delicada deles, e enrolou um cacho em torno de seu dedo, pensando em todas as noites que sonhava entrelaçar seus dedos nos cabelos dela. Ele ainda mal podia acreditar que ela era sua. Elizabeth ruborizou, não desejando sobrecarregá-lo com a angústia dela durante o dia, especialmente porque ela não poderia alegar qualquer tipo de falta de responsabilidade naquela noite. "Não é tão difícil, não", disse ela. No silêncio que se seguiu, ela percebeu que algo de seu conforto tinha sido perdido com suas Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


palavras enganosas, e pensou em sua determinação de compartilhar mais de seus pensamentos e sentimentos com ele, como ela desejava que ele fizesse com ela. Antes que pudesse pensar melhor no assunto, ela divulgou a verdade. "Mas eu tive um dia difícil hoje. Quando você está comigo, parece tão certo, tão. . . predestinado, mas quando estávamos separados, hoje, eu me sentia. . ." Ela não pôde fazer-se a dizer as palavras. Ele pegou a intenção séria em sua voz. "O que você sentiu?", ele perguntou delicadamente. Lágrimas apareceram nos cantos dos olhos dela, e ela virou o rosto no ombro dele, sacudindo a cabeça em resposta. Preocupado, ele disse: "Por favor, Elizabeth, me diga. Não me deixe de fora, eu lhe imploro." Ela respirou fundo. Sua voz estava calma e um pouco abafada pelo corpo dele, quando ela disse, "É desconfortável sentir que eu sou sua amante." As palavras dela foram como uma ferida súbita ao seu lado. Ele pegou o rosto dela em suas mãos, ignorando a dor de suas queimaduras, e a forçou a olhar para ele. "Nunca pense isso de novo! Você não é minha amante, você é minha. . . por favor me ouça, o que eu vou dizer pode perturbá-la, ou mesmo parecer herético, mas é como me sinto. . . você é minha esposa, Elizabeth. Ainda não foi abençoado pela Igreja, mas noite passada eu e você tomamos um ao outro como marido e mulher. Cada palavra que eu vou dizer durante o nosso casamento já é verdadeira, e como Deus ouve as orações, ele sabe que meu compromisso com você é tão solene e sagrado para mim agora quanto vai ser quando nos ajoelharmos diante do altar; e ele sabe que no meu coração eu já tomei você para ter e manter deste dia em diante, para melhor ou para pior, na riqueza e na pobreza, na doença e na saúde, para amar e para cuidar, até que a morte nos separe." Ele parou repentinamente; ele não estava acostumado a revelar suas crenças particulares, e ele tinha medo de que ele poderia Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


ter chocado-a. Ela olhou para ele exaustivamente, considerando suas palavras. Ela nunca teria pensado dessa maneira, e ficou surpresa ao descobrir que ele tinha idéias tão radicais, mas podia ver como ele era coerente com suas atitudes, valores e senso de honra. Ela podia ver que era uma questão de alguma solenidade para ele, e se perguntou que outras profundidades ele ainda tinha para revelar para ela. Lentamente, ela acenou com a cabeça, ela poderia aceitar o que ele tinha dito. Ele deixou escapar um suspiro de alívio que sua reação foi tão moderada. No entanto, ele ainda estava preocupado com as inquietações dela. "Eu choquei você?" O rosto dela se iluminou com um sorriso brincalhão que ele tanto amava. "Não, eu não estou chocada, embora eu não soubesse que eu estava casando com um Anabatista severo!" "Dificilmente isso!", Disse ele com uma risada. "Não, eu valorizo o mérito da Igreja na nossa sociedade, e acredito na importância do ato público e bênção. Por que você está sorrindo para mim assim?" Ela riu, aninhando-se contra ele. "Este é um cenário incomum para um debate teológico.” "Eu não posso discutir o seu ponto. É, no entanto, um cenário excelente para lhe dizer o quanto eu amo você, minha querida, linda Elizabeth.” Ela permitiu que seus beijos falassem por ela em resposta, e desfrutou segurá-lo perto dela até que o cansaço das noites mal dormidas alcançou ambos. ------------------------------Darcy tinha, como planejado, partiu na primeira luz do dia, logo após Wilkins tê-lo caçado nos aposentos de Elizabeth, para grande desgosto da senhora. Ela aproveitou a oportunidade, no entanto, para ter mais algumas horas de sono antes Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


de ela se levantar para o dia, encontrando-se na posição incomum de estar atrasada para a mesa do café. Depois que terminou, ela encontrou a Sra. Reynolds esperando ansiosamente para falar com ela, o que Elizabeth consentiu prontamente. "Miss Bennet," a governanta disse: "Eu gostaria apenas de dar os meus melhores cumprimentos, bem como os dos empregados. Fiquei muito satisfeita ao ouvir que o Sr. Darcy finalmente escolheu uma noiva, e devo dizer que eu não acho que ele poderia ter feito melhor.” E que alívio que ele não escolheu aquela mulher Bingley teríamos perdido a metade dos empregados! Pensou. Elizabeth a agradeceu e garantiu que ela estava ansiosa para trabalhar com ela, e que o Sr. Darcy tinha dito que ela não poderia fazer nada melhor do que contar com a Sra. Reynolds. "Bem," disse a Sra. Reynolds rapidamente, visivelmente satisfeita com este elogio: "Eu entendo que temos um casamento para planejar em um tempo muito curto." Elizabeth escondeu um sorriso. "Temo que o Sr. Darcy tem sua mente muito decidida sobre isso." A Sra. Reynolds sacudiu a cabeça. "Você sabe, ele me disse primeiro que queria fazê-lo amanhã? Bem, eu o corrigi sobre isso, então nós temos um pouco de tempo. Mas diga-me, Miss Bennet, o que você gostaria para seu casamento." "Bem", disse Elizabeth pouco hesitante, "É evidente que será bastante pequeno, com ninguém fora da família imediata -

tanta família quanto eu tenho em

Derbyshire! - em comparecimento, e eu acredito que pode ser bastante simples, também." O rosto cético da Sra. Reynolds disse muito claramente que Miss Bennet não tinha idéia do que se casar com o Senhor de Pemberley envolvia. "Bem, Miss Bennet, eu aprecio que você esteja preocupda com a limitação das exigências sobre os funcionários em um período tão curto de tempo, mas temos de reconhecer que Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


um certo grau de formalidade é de se esperar em tal ocasião. Presumo que o Bispo estará querendo oficiar, por isso terá de ser realizado na catedral de Matlock, é claro." "Não tenho nenhuma razão para pensar que ele iria fazer tal pedido do bispo," Elizabeth hesitou. A Sra. Reynolds ergueu a cabeça e olhou para ela de uma forma confusa. "O Sr. Darcy falou com você sobre isso, afinal?" Elizabeth riu. "Não, na verdade, além de solicitar o meu acordo com a data, nós não discutimos isso um pouco. Aparentemente, há alguma informação que me falta. Talvez você possa me ajudar a entender? " Sacudindo a cabeça em desaprovação, a Sra. Reynolds disse: "Esse menino vai ser a minha morte! Como ele pode esperar que você planeje um casamento nestas circunstâncias? Miss Bennet, O Sr. Darcy é afilhado do Bispo de Matlock – o bispo é cunhado do Lorde de Derby - e há uma linda capela anexa à Catedral, que seria agradável para um casamento pequeno. Presumo que Lorde e Lady Derby compareçam também. " "Ah", disse Elizabeth com um sorriso. "Sim, eu posso ver que ele esqueceu alguns detalhes. Talvez possa fazer sentido incluir Miss Darcy e e a Sra. Gardiner neste planejamento, pois elas podem entender as implicações de tudo isto melhor do que eu." "Claro, Miss Bennet, se quiser; mas tenha em mente que este é o seu casamento, e você pode fazer as escolhas que você desejar!" "Sra. Reynolds, eu estou extremamente específica sobre um aspecto do meu casamento, e este é o noivo; desde que o Sr. Darcy esteja lá, o resto é de pouca importância para mim, e estou feliz por aceitar os conselhos de você e de Miss Darcy sobre o resto ". Ela não podia ter agradado mais a governanta. Ela acreditava que Miss Bennet Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


não era uma caçadora de fortunas, mas as provas da devoção ao mestre eram sempre

bem-vindas.

Uma vez que Georgiana e Sra. Gardiner se juntaram a elas, o planejamento começou a sério, com Elizabeth parecendo um pouco espantada. Surgiram questões sobre uma festa para os inquilinos, mas Elizabeth vetou a idéia de qualquer tipo de café da manhã de casamento, dada a distância de Matlock. Uma última questão era um vestido para Elizabeth;

houve uma imediata conclusão unânime de que suas

roupas de viagem eram simplesmente inadequadas para tal ocasião, e que seria praticamente impossível ter alguma coisa nova, feita de encomenda em tão pouco tempo. Felizmente, a Sra. Reynolds parecia ter uma solução na mão para isso também, produzindo como que por magia um lindo e elegante vestido de cor creme de um estilo antigo decorado com as melhores rendas e adereços. Georgiana, obviamente reconhecendo-o, anunciou que ele seria a solução perfeita. “Eu acredito que este deve ser próximo do seu tamanho, Miss Bennet, e serão necessárias algumas pequenas alterações nas mangas e na cintura para tornar o estilo mais atual.” “A quem pertence?” disse Elizabeth, tocando as pregas do fino material. “Pertenceu à Lady Anne; era o preferido dela para os bailes,” disse a Sra. Reynolds com orgulho. Elizabeth olhou para o vestido em silêncio por alguns minutos, considerando como Darcy responderia. Finalmente ela disse lentamente, “Eu vou discuti-lo com o Sr. Darcy, e se ele achar apropriado, eu ficarei honrada em usá-lo, mas sem qualquer alteração quanto ao estilo; se eu vou usar o vestido da mãe dele, eu devo usá-lo como ela usou.” A Sra. Reynolds assentiu, os olhos brilhantes de desconfiança. . “O Sr. Darcy sugeriu que você usasse um dos vestidos da mãe dele, e esta é a escolha óbvia. Talvez você devesse tentar prová-lo para ver se ele servirá?" Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Nem uma hora mais tarde, Elizabeth estava mais uma vez sentindo-se um pouco sobrecarregada enquanto estava cercada por três costureiras fazendo medições e fixando a bainha do lindo vestido. Era muito mais rico do que qualquer coisa que ela já tinha usado no passado; ela podia ver que teria que pedir à Georgiana se ela podia emprestar alguma jóia para usar com ele, como o pouco que tinha com ela pareceria tolo ao lado de tanta elegância. "Um gorjal aqui, eu acho, Sra. Reynolds," disse uma das costureiras, “e a bainha terá que subir, claro, mas de qualquer modo, eu acredito que vai servir muito bem." A governanta negociou os arranjos para garantir que ele estaria pronto até o meio-dia do dia seguinte, enquanto uma Elizabeth um pouco confusa apenas observava, se perguntando o que Darcy diria de tudo isso.

Capítulo 9 Elizabeth descobriu rapidamente quanto interesse uma nova Senhora de Pemberley poderia gerar. Embora Darcy tivesse apenas reconhecido o noivado na noite anterior, a notícia se espalhou surpreendentemente rápido; quando acompanhou Georgiana na visita à enlutada família do inquilino, dezenas de outros moradores acharam necessário visitar naquele momento também, e no serviço da igreja mais tarde, ela se perguntou se alguém tinha ouvido uma palavra do sermão, dado que todos os olhos pareciam estarem fixados em cima dela. A Sra. Reynolds pronunciou-a oficialmente 'não em casa' para os visitantes, salientando que, se ela passasse o tempo a satisfazer a curiosidade de todos os vizinhos, ela não teria tempo para se preparar para o casamento. Darcy conseguiu retornar pela tarde, tendo sucedido em sua missão de se Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


reunir com o bispo e obter da licença, e um pouco envergonhado admitiu a verdade das premissas da Sra. Reynolds que a cerimônia seria em Matlock. "Eu não convidei a minha tia e meu tio, entretanto; haverá confusão suficiente sem apresentá-los em meio a tudo isso", ele parou para beijá-la levemente, "e nós podemos voltar aqui logo depois, se isso lhe convier, minha querida " "Eu acredito que eu posso administrar isso", disse ela, brincando, “desde que as outras surpresas continuem mínimas!" Ela agradeceu a ele o seu pensamento sobre o vestido de sua mãe, tentando verificar se ele favorecia a idéia, e ficou satisfeita ao descobrir que sim. "Há algo que eu preciso dar para você completar o conjunto, entretanto." disse ele, trazendo-a para o seu escritório, onde abriu uma gaveta e tirou uma caixa comprida. Ele entregou a ela, e quando ela olhou interrogativamente para ele, disse: "É seu. Abra.” Levantando a tampa, ela ofegou com a visão de um colar de diamantes e safira, obviamente uma herança, e requintado em sua simplicidade. Sem conseguir falar, ela tocou-o levemente com um dedo, e depois olhou para cima para encontrar um sorriso de satisfação no rosto de Darcy. "William, eu. . . Eu mal sei o que dizer," ela finalmente disse. Ela nunca tinha recebido um presente tão extravagante - nem mesmo sonhava em receber um - e nem sabia como expressar seus agradecimentos. "Este foi da minha mãe também, e eu me lembro dela usando-o com aquele vestido. A maioria das jóias dela são de Georgiana, mas ela me deixou isso para dar a minha esposa. Ele combina com anel que eu te dei ", disse ele um pouco timidamente. Ela olhou para ele, pensando no quanto ele gostava de dar presentes à Georgiana, e reconhecendo que ele provavelmente obteria a mesma satisfação com ela. "Obrigado, William", disse ela, sentindo que as palavras eram insuficientes. "Eu vou ter orgulho de usá-lo." Ele levantou o colar fora de sua caixa e colocou-o no pescoço dela, em seguida, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


recuou para admirar a vista. Ele tinha durante muito tempo imaginado ela usandoo; já que ele

associava-o tão fortemente com a mulher que ele iria se casar, era

quase um sinal de posse em sua mente. Ele sorriu, pensando nela usando-o em público depois que eles se casassem, quando ele teria o direito de tê-la sempre ao lado dele. Vendo o calor do olhar dele, Elizabeth deslizou seus braços ao redor de seu pescoço e o beijou, um gesto que ele retornou e aprofundou. Ela suspirou feliz quando ele a abraçou contra ele, e colocou-se a desfrutar o sabor dos lábios dele, excitada por sentir o corpo forte dele contra o dela. Quando ele pararam para tomar fôlego, ela disse, "Eu te amo tanto." Deus, ela não tem idéia do que ela faz comigo! ele pensou enquanto seu corpo respondia ao toque dela, sua mente voltando ao comportamento sedutor dela da noite anterior. Uma onda de desejo urgente tomou-o em seu poder, e ele passou as mãos pelas costas dela até os quadris. Ele recuperou sua boca e arrebatou-a completamente, então com fome pressionou beijos ao longo da linha do queixo e abaixo do pescoço. "Querida Elizabeth,” ele gemeu, lutando para conter a si mesmo enquanto seu corpo exigia uma gratificação imediata. Prendendo-a entre ele e a mesa, ele pressionou seus quadris contra os dela exigentemente enquanto ele devorava seus beijos. Todos os seus instintos disseram a ele para tomá-la, ali mesmo no escritório. "William", ela murmurou, surpresa e mais do que um pouco excitada pela paixão inesperada. "Alguém pode entrar. . . " "Eu sei", ele rosnou, pressionando beijos quentes ao longo de seu pescoço e ombros. "Essa é a única razão pela qual você ainda está usando suas roupas." A emocionante paixão dos beijos dele excitavam-a, e ela mal podia reprimir sua própria resposta quando ele começou a acariciar seu seio, mas o medo da descoberta era ainda maior. "William, não aqui", ela sussurrou ferozmente, pegando Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


o rosto dele entre as mãos. Demorou mais do que um momento para ele reassumir o controle sobre si mesmo. "Posso ir até você esta noite?", Ele perguntou, sua voz áspera. Como ele poderia fazê-la desejá-lo tanto? "Sim", ela respirou, seus olhos presos no olhar aquecido dele, e suas bocas se encontraram com avidez, como se atraídos por um poder maior do que o deles. Ela estremeceu de desejo quando ela sentiu a prova da excitação dele contra ela, desejando que eles não precisassem esperar. Obrigou-se a romper o beijo, e enterrou o rosto no ombro dele até que ela pudesse olhar para ele com algum grau de repressão. "Devo esperar essa reação sempre que eu usar esse colar?" disse ela, brincando. Ele sorriu, contrariando a si mesmo. "Você deve esperar essa reação constantemente, senhora.” ------------Elizabeth se divertiu com o turbilhão de atividades em torno dela para o resto do dia. Georgiana sentia que o Lord e Lady Derby ficariam ofendidos se eles não fossem convidados, a Sra. Reynolds apoiou-a sobre isso, mas Darcy permaneceu firme que ele não queria ninguém mais presente. Havia mais duas provas de seu vestido, e uma longa discussão com sua criada a respeito de como o cabelo dela deveria ser feito, vários estilos precisavam ser testados e opiniões solicitadas à Sra. Gardiner e Georgiana. Os Gardiners tinham decidido que seria melhor para Elizabeth viajar para Matlock com eles no dia seguinte, passar a noite lá antes da cerimônia, momento em que eles se econtrariam com Darcy e Georgiana. Os planos precisavem se feitos para a celebração para os inquilinos, mas felizmente Elizabeth precisava apenas observar esta parte, já que ela tinha pouco a oferecer neste momento. De tempos em tempos via Darcy com um olhar no rosto que sugeria que a mente dele estava em sua atividade interrompida no escritório, em vez de planos Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


de casamento, e ela lhe dava um sorriso travesso. Pela hora do jantar, ela estava começando a ser da opinião que Gretna Green*(vilarejo no sul da europa para onde os casais fugiam para se casar) teria sido uma opção melhor, mas ela permaneceu sensível ao fato de que as exigências que ela enfrentou eram realmente bastante modestas em comparação com todo o tumulto que teria ocorrido se eles se casassem em Longbourn. "Sem falar que minha tia é mais útil e muito menos frenética do que minha mãe seria,” ela disse à Georgiana com bom humor. Ainda assim, ocasionalmente, encontrava-se olhando ao redor e tentando imaginar que em dois dias ela seria a Sra. Darcy e a Senhora de Pemberley;

isso

ainda

parecia

longe

de

ser

real

para

ela.

Ela não tinha a intenção de tentar ficar acordada até que Darcy chegasse naquela noite; ela sabia que ele não seria capaz de vir a ela até que a casa estivesse toda deitada, e depois de duas noites muito curtas, ela pensou que seria além de sua capacidade permanecer acordada por muito tempo. Ela sussurrou tanto para ele quando disse boa noite, e o olhar de desejo nos olhos dele depois a deixou com uma sensação quente e excitada que não se desvaneceu enquanto ela se preparava para dormir. Ela pensou que, cansada como estava, ela adormeceria imediatamente, mas assim ela estava deitada ela começou a se sentir desconfortável. Demorou alguns minutos para ela perceber que ela estava sentindo falta do seu amado, e que mesmo depois de apenas duas noites adormecendo nos braços dele, sua cama parecia muito vazia e fria sem ele. Ela sentia falta do calor dele ao seu lado, dos braços dele em volta dela, dos leves beijos dele em sua cabeça enquanto conversavam, dos carinhos que ele sussurrava para ela. Se ela escondesse o rosto no travesseiro, ela podia só pegar um cheiro do aroma dele da noite anterior, e isso a deixava ansiando pela presença dele ainda mais. Amanhã à noite será ainda mais difícil, pensou tristemente. Pelo menos eu sei que ele vai estar aqui em algum momento esta noite. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


------------------A despedida deles no dia seguinte foi mais difícil do que Elizabeth tinha antecipado; em sua forma prática, ela tinha pensado que um dia separados não devia apresentar grandes dificuldades, mas quando chegou o momento, foi apenas o seu senso de decoro que a impediu de se jogar nos braços dele. Divertindo-se com sua própria irracionalidade sobre o assunto, disse-lhe baixinho: "Senhor, eu deveria estar envergonhada pela forma como eu vou sentir sua falta até nos encontrarmos novamente amanhã." Ele deu a ela um olhar revelador. "Eu prometo a você, Miss Bennet, que eu vou estar sentindo a sua falta em todos os momentos," disse ele significativamente, as suas palavras deixando uma sensação de antecipação dentro dela. "Mas depois de amanhã, não haverá motivo para separação." Olhando por cima do ombro, Elizabeth viu que a carruagem estava pronta. "Mal posso esperar por isso, Sr. Darcy." Ele beijou-lhe a mão antes de ajudá-la a entrar, em seguida observou até que a carruagem estava fora de vista. Com um suspiro, ele voltou para seu escritório, onde ele esperava fazer um bom uso do tempo para cuidar de assuntos negligenciados, mas não demorou muito para que sua mente estivesse mais agradavelmente envolvido em meditar sobre uma senhora ausente. Esta agradabilidade não durou muito, porém, quando seus pensamentos passaram de Elizabeth para a ausência dela, e na hora do jantar Georgiana estava pronta para censurá-lo por sua aparência dolorosa. A noite foi realmente um longo tempo para ele quando descobriu o quão acostumado alguém poderia se tornar com a presença da pessoa amada em poucos dias, e seu único consolo era saber que era sua última noite distantes. Quando amanheceu, ele estava muito feliz de sair cedo para Matlock e Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Elizabeth, e quando ele se juntou a uma sonolenta Georgiana na carruagem, seus pensamentos andavam à frente deles. Um pouco mais tarde, naquela manhã, um dos lacaios procurou Robbins, o mordomo. "O correio veio, senhor", disse ele, "e existem duas cartas para Miss Bennet. Fiquei me perguntando onde eu deveria colocá-las. " Robbins pensou por um momento, a nova senhora ainda não tinha estabecido uma sala de estar própria, no entanto, dificilmente seria adequado deixá-las em seus novos aposentos

para sua noite de núpcias. "Você pode deixá-las comigo por

enquanto", disse ele. Ele olhou para as cartas, observando que elas pareciam estar com a mesma caligrafia, mas aparentemente tinham sido mal orientadas. Finalmente, ele decidiu que a melhor idéia era deixá-las na mesa do Sr. Darcy com o correio dele, assim ela as receberia logo após o seu regresso. Matlock provou ser uma cidade encantadora, situada na encosta de uma colina íngreme, com um rio correndo atraente através do vale sob a sombra de um grande precipício. Enquanto dirigiam para a cidade, Elizabeth podia ver as torres da catedral imponente no alto da colina que dominava o panorama; um arrepio desceu sua espinha ao ver a inspiradora vista, pensando no que estava para acontecer ali no dia seguinte. A pousada recomendada pelo Sr. Darcy não era muito longe da Catedral, e depois de serem instalados, a Sra. Gardiner sugeriu a Elizabeth que saíssem para explorar a cidade. O Sr. Gardiner alegou fadiga, deixando as senhoras saírem sozinhas. "Já faz algum tempo desde que tive a oportunidade de passar algum tempo sozinha com você, Lizzy", disse a Sra. Gardiner. "Sim, o ritmo tem sido bastante agitado," Elizabeth admitiu com um sorriso triste. "Eu sinto como se meus assuntos tivessem dominado completamente o passeio, sem dúvida em detrimento dos seus planos." "Eu não teria perdido isso por nada," assegurou a tia, "embora eu me pergunte o Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


quão calmamente você tem aceitado todas essas mudanças de planos." Elizabeth disse secamente: "Há algum sentido em não estar calma? Afinal, eu concordei com isso." "Não a incomoda que você não vai ter o seu casamento em Longbourn, com sua família e amigos presentes? Eu me pergunto se você poderia se sentir decepcionada por não ter o casamento dos seus sonhos. " Elizabeth riu. "Você está me confundindo com Jane, eu temo. Ela é quem sempre sonhou com o casamento perfeito; o meu foco sempre foi casar por amor, e a cerimônia em si não significa tanto para mim quanto a vida que segue. Mas sim, eu admito que eu nunca havia pensado que eu podia casar sem o meu pai me entregando, e Jane ao meu lado - eu gostaria que eles pudessem estar aqui, embora eu reconheça que pode ser muito bom que o resto da família não esteja! Eu poderia, afinal, ter insistido em esperar até meu retorno à Longbourn para fazer o casamento, mas acho que este pode ser o melhor em muitos aspectos.” "E de que forma é melhor para você, minha querida?" Um sorriso divertido se espalhou lentamente pelo rosto de Elizabeth. "Me dá muito pouco tempo para pensar e me preocupar com o que eu estou assumindo, eu acredito que pode ser uma grande vantagem!" A tia olhou para ela em preocupação. "Você tem dúvidas, então, Lizzy?" "Dificilmente dúvidas, mas devo admitir que eu não havia percebido de fato o que eu estava tomando quando eu concordei em casar com o Sr. Darcy. Eu sabia que ele era rico e que possuía uma propriedade elegante, eu sabia de seu relacionamento com o Lord Derby, mas eu não apreciei muito o quão longe a esfera social dele era da minha até que começamos a planejar o casamento. Quando nós decidimos um casamento imediato, eu tinha imaginado um casamento simples na igreja paroquial; foi um choque descobrir que todos em Pemberley presumiam que uma cerimônia simples era uma que aconteceria na catedral, presidida por um Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


bispo, e o maior conflito sendo se incluiria um par da realeza na lista de convidados – não, eu não tinha percebido toda a extensão das diferenças, e eu me pergunto como será quando nós estivermos em Londres, ou recebendo em Pemberley – Eu mal posso conceber isso! Haverão muitas coisas que eu preciso aprender.” “Quando nós estávamos em Blenheim, Lizzy, você parecia preocupada que ele tentaria controlar os seus atos. Eu recentemente tive minhas próprias preocupações sobre este assunto,” a Sra. Gardiner disse cuidadosamente. A ansiedade atravessou Elizabeth; ela tinha contado com a boa opinião dos Gardiners sobre Darcy para ajudar seu pai sobre a aceitação do casamento dela. “Que preocupações você teve?” A Sra. Gardiner ficou em silêncio por um minuto. “O seu Sr. Darcy foi aparentemente bastante franco com o seu tio sobre porquê ele desejava casar com você tão rápido.” Elizabeth ruborizou e desviou o olhar. “Sim, eu havia presumido que ele pudesse ser; isso é muito dele. Ele não gosta de disfarces ou desonestidade.” “Parece muito incomum para você, Lizzy, o que me faz pensar como ele veio a obter a sua.... cooperação, ou se de fato você cooperou.” Elizabeth virou-se para a tia em choque. “Você não pode pensar... Não, de maneira alguma ele me forçou. Ele foi apenas... muito persuasivo, e eu pareço ser suscetível a forma de persuasão dele. Minha suscetibilidade é que incomum, tia, nada mais.” “Eu fico aliviada de ouvir isso, Lizzy,” disse a Sra. Gardiner. “Embora eu não possa deixar de reprovar o que aconteceu, eu compreendo a posição em que você se encontra, e eu acredito devemos aprender com os erros e não habitá-los. Eu tenho uma preocupação, no entanto, sobre esse casamento repentino provocar rumores.” Com um suspiro, Elizabeth disse: "Sem dúvidas haverão rumores; já há rumores, mas eu suponho que eles irão morrer naturalmente quando eu não Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


produzir um herdeiro para Pemberley em sete meses. Não há nenhuma razão para alguém fora da família saber o quão rapidamente isso ocorreu, e minha mãe ficará feliz em assumir que estávamos a seguir a moda de Londres por estarmos casando por licença em uma capela da catedral; o que será uma história que ela pode contar a todas as suas amigas pelos próximos anos." Ela fez uma pausa, e seu rosto tornouse mais sombrio. "Eu não estou ansiosa para contar ao meu pai, entretanto.” “Não, eu imagino que não,” sua tia respondeu. “Você e o Sr. Darcy fizeram as pazes a respeito disso? Eu continuo preocupada que você possa se sentir forçada a esse casamento.” “Sim, nós fizemos as pazes,” Elizabeth disse, feliz por ela não ter que contar à tia exatamente como que aquela paz foi alcançada. “E a verdade é, tia, que eu me senti impotente sobre essa situação por muito mais tempo do que nos últimos dias; eu me tornei acostumada com isso, e eu tenho aprendido que meu julgamento e discernimento não são de qualquer maneira tão sem falhas quanto eu gostaria que eles fossem, e que algumas dessas coisas nas quais eu tenho sido forçada tem provado ter sido para o melhor.” “Eu estou relutante em compreender o que você quer dizer, Lizzy.” “Minha história inteira com o Sr. Darcy é uma de eventos que aconteceram contra a minha vontada. Eu não queria que o Sr. Darcy se apaixonasse por mim, ainda assim ele se apaixonou; eu não queria que ele me cortejasse, ainda assim ele me cortejou; eu não queria me apaixonar por ele, ou mesmo gostar dele, ainda assim eu me apaixonei; eu não queria ficar noiva tão rápido, e ainda assim nós ficamos – não há nenhuma parte disso que sentiu voluntário para mim, mas eu não mudaria nada. Então um casamento menos que voluntário não vem como um choque, eu temo.” Era bom, Elizabeth pensou, que o seu senso de humor era tão inclinado a ver graça em tudo, pois de outra maneira ela poderia se sentir bastante ressentida. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


“Você não está insatisfeita então?” “Eu acredito que eu preferiria seguir um curso mais típico, mas não, eu não estou instisfeita.” “Fico feliz de ouvir isso,” a Sra. Gardiner disse. Apontando para um grande prédio de calcário branco, ela perguntou, “Você acha que aquele é o palácio do Bispo?” Elizabeth respondeu divertidamente, “Você pode perguntar para ele amanhã. Eu devo dizer que eu ainda não consigo acreditar em nada disso.”

---------------------O dia seguinte começou com um ar de irrealidade sobre Elizabeth; parecia quase como se ela estivesse encenando ser uma noiva. A riqueza do seu vestifo, acentuada pelo colar de safiras, parecia descontroladamente extravagante, e quando a Sra. Gardiner terminou o conjunto drapeando um véu de renda que ela havia comprado em Lambton sobre o cabelo da sobrinha, enquanto ela insistia que ela a última tendência romântica nos casamentos de Londres, ela sentiu que ela mal podia ver a simples Elizabeth Bennet de Longbourn. Elizabeth sentia surpreendentemente pouca ansiedade sobre o casamento em si, mas uma grande ansiedade sobre como lidar consigo mesma. Ela nunca conheceu um Bispo; ela não estava completamente certa de que ela entendia a etiqueta apropriada para a situação, e tinha esperanças que Georgiana estabeleceria um exemplo que ela pudesse seguir. Ela desejava acima de tudo alguns minutos com Darcy antes da cerimônia, mas entendia que isso seria uma inaceitável violação da tradição. O próprio Darcy estava compartilhando o mesmo desejo. Ele nunca tinha Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


percebido que era possível sentir falta de alguém tão visceralmente quanto ele sentia por Elizabeth, e sabendo que ela estava próximo mas fora de alcance era difícil de aguentar. Foi um grande alívio quando o deácono informou-o que era hora de ele se aproximar do altar, o que significava que ele estaria na presença dela novamente, mas a sua serenidade sofreu algum golpe quando ele entrou na capela e viu Lord Derby e sua elegante esposa sentados ao lado de Georgiana. Ele praguejou para si mesmo, se perguntando quem tinha achado adequado violar seu desejo expresso de que eles não fossem informados. Uma vez no altar, entretanto, sua mente retornou para Elizabeth enquanto ele aguardava a entrada dela. Finalmente ela apareceu no braço do tio, iluminada pela brilhante luz do sol que entrava atravez da janela da capela, e não foi até que ela estava na metade do corredor para o altar que ele pode vê-la claramente. Ele prendeu a respiração com a visão de elegância diante dele, e uma onda de amor possessivo fluiu através dele. Vê-la andando na direção dele, usando o vestido o vestido de sua mãe e as jóias que ele havia dado a ela, afastou todo o resto de sua mente; ele tinha se dado a ela tanto tempo atrás, e agora eles seriam feitos um. Quando ele veio à frente para parar ao lado dele, seus olhos se encontraram por um momento, comunicando o prazer e o alívio que cada um sentia. Darcy teve que lutar para voltar seus olhos novamente para o bispo, um borrifo de cor em sua vestimenta branca, vermelha e roxa, começou as palavras familiares da cerimônia em sua voz sonora. “. . . considerar devidamente as causas pelas quais o matrimônio foi ordenado. Primeiro, ele foi ordenado para a procriação dos filhos, a ser criado no temor e na educação do Senhor, e para o louvor de seu santo nome." Darcy ficou tenso por um momento com a menção de um lado do casamento sobre o qual ele tinha algumas dúvidas, então forçou o pensamento para longe. "Em segundo lugar, ele foi ordenado por um remédio contra o pecado, e para evitar a fornicação;. que tais Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


pessoas não tenham o dom da continência possam casar-se e manterem-se imaculados membros do corpo de Cristo." Ele tentou olhar discretamente para Elizabeth, esperando que isso não a angustiasse, mas ela parecia estar olhando para a frente de uma forma calma. Ele desejava trazê-la em seus braços. "Em terceiro lugar, ele foi ordenado para a sociedade mútua, ajuda e conforto, que um deve ter do outro, tanto na prosperidade e na adversidade. No sagrado estado estas duas pessoas presentes vêm para se unirem." Elizabeth olhou para ele neste momento e sorriu;. O olhar nos olhos dela aqueceram a alma dele. Os olhos deles se mantiveram enquanto o serviço continuava, e uma onda de sentimento começou a tomar Darcy quando o momento da ocasião tornou-se real para ele, que foi quando Elizabeth seria formalmente ligada a ele para a vida. O bispo continuou, "Fitzwilliam, você terá essa mulher como tua esposa, a viver juntos após o decreto de Deus no santo estado do matrimônio? Irá amá-la, confortá-la, honra, e mantê-la na doença e na saúde, e, abandonando todas as outras, que te guarde apenas a ela, enquanto que vós ambos viverem?" O coração de Darcy estava leve e sua voz firme quando ele respondeu, "eu vou". "Elizabeth, você terá este homem como teu marido, para viver juntos após o decreto de Deus no santo estado do matrimônio? Queres obedecê-lo e servi-lo, amor, honra, e mantê-lo na saúde e na doença, e, abandonando todos os outros, enquanto vós ambos viverem?” Elizabeth olhou para cima para encontrar os olhos do bispo pela primeira vez, quando ela disse, "eu vou". O bispo tomou a mão de seu tio e colocou-a sobre Darcy, e quando ele começou a repetir os votos, ela olhou para o rosto de seu amado, sabendo o que ele estava pensando, como ela estava, da noite que ele já tinha falado essas palavras a ela. O menor dos sorrisos cruzou o rosto dele quando ela o tomou para ser seu marido, sua voz límpida quando ela repetiu as palavras do bispo ". . . para ter e manter deste dia em diante, para melhor ou pior, na riqueza e na pobreza, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


na doença e na saúde, amar, cuidar, e obedecer, até que a morte nos separe, de acordo com a santa ordenança de Deus; com isso eu te dou minha verdade." Os olhos escuros dele possuíam tanto calor por ela que ela podia sentir seu amor por ele subindo dentro dela quando ele deslizou o anel em seu dedo. Poderia ter sido apenas os dois no mundo, quando ele disse, dando significado a cada palavra com cada fibra do seu ser, "Com este anel eu te esposo, com meu corpo eu te adoro, e com todos os meus bens eu te doto : Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém ". Eles se ajoelharam para a oração, e de repente já não importava para Elizabeth que o casamento havia sido feito às pressas, que sua família estava muito longe, tudo o que importava era o homem ao seu lado. O bispo juntou suas mãos novamente, e disse as palavras sobre elas, "Aqueles a quem Deus juntou não o separe o homem.” Está feito, pensou Darcy. Depois de todo esse tempo, depois de toda a dor, está feito. Ele nunca tinha apreciado o quão difícil pode ser para o casal recém-casado esperar pacientemente através das orações, bênçãos e salmos, enquanto seus sentimentos eram tão grandes. Ele queria levá-la direto para Pemberley naquele momento, não sabendo como ele poderia tornar-se capaz de fazer a necessária conversa social no final do serviço. Quando foi finalmente concluído, enquanto caminhavam juntos pelo corredor, ele inclinou a cabeça para sussurrar-lhe: "Finalmente, Sra. Darcy." O prazer que lhe deu dizer essas palavras foi além da medida. Ela virou seus olhos animados sobre ele. "Finalmente, Sr. Darcy." Na porta da capela suas famílias vieram ao encontro deles, e Darcy fez as apresentações, quase escorregando uma vez quando ele apresentou os Gardiners ao Lord e Lady Derby como "Miss Be – Sra. Darcy Tia e tio ." Ela sorriu para ele maliciosamente. Lord Derby apertou a mão do seu sobrinho com entusiasmo, oferecendo as suas Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


felicitações. Darcy disse: "Estou muito contente de ver você, tio, mas eu quero saber como vocês foram informados sobre o procedimentos." Lord Derby riu bastante. "Deixe-me ver, fui informado pelo meu primo, o bispo, e por sua irmã, e por sua governanta. Eu sou, na verdade, um homem extraordinariamente bem informado, exceto, talvez, por você." "O tempo foi muito curto, senhor, e eu não queria causar nenhum inconveniente", disse Darcy suavemente. "William", disse Lady Derby, "eu poderia ter uma palavra com você?" Ela chamou Darcy afastado dos outros, abandonando Elizabeth na companhia de Lord Derby. "Então, Sra. Darcy, eu preciso de sua ajuda para resolver uma briga entre minha esposa e eu", disse ele jovialmente. Elizabeth levantou uma sobrancelha, um choque ainda correndo através dela ao som de seu novo nome. "Eu ficaria feliz em ser útil se eu puder, Lord Derby." "Diga-me, então, quando você e meu sobrinho rebelde se conheceram?" Ela piscou, surpresa com a pergunta. "Eu acredito que nos vimos pela primeira vez em meados de Outubro do ano passado, mas teria sido mais uma semana ou mais antes de sermos formalmente apresentados." “Outubro ", ele resmungou em descrença. "Outubro - eu não posso acreditar!" "Eu lhe garanto que eu me lembro claramente," Elizabeth disse suavemente, embora eu não pense que eu devo lhe dizer o que o seu sobrinho disse naquela ocasião memorável "Eu não sei por que você acha que é bastante surpreendente;. Acredito que Outubro é a mês tão bom como qualquer outro para se conhcecer. " Ele riu do atrevimento dela, e disse:"Bem, nós ambos perdemos o argumento então. Minha esposa adivinhou que foi um mês atrás, eu pensei que não mais de duas semanas. Quem teria pensado em Outubro? " Ambas as sobrancelhas de Elizabeth subiram em resposta a isso. "Duas Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


semanas! Isso parece pouco provável. " "Bem, você sabe melhor, eu acho," ele permitiu, "mas nós sempre dissemos que quando o jovem William finalmente se decidisse, ele iria roubar a jovem em questão e se casar com ela, sem mais dificuldade, e quando soubemos sobre hoje, parecia lógico pensar que nossas previsões estavam corretas. Eu estou seriamente desapontado." Ele balançou a cabeça. "Você parece assumir, Lord Derby, que a jovem moça em questão teria consentido em ser roubada", replicou Elizabeth animada. "Oho!", exclamou. "Então é assim que são as coisas, então! Deu-lhe o seu merecido castigo, não é? Bom para você, ele foi certamente vencido. Muitas mulheres bonitas se jogando nele por anos, você sabe," disse ele com um ar confidencial. "Bem, se isso lhe faz feliz, nós só estivemos noivos por duas semanas", Elizabeth permitiu. "Isso é um alívio - este é mais o William que nós conhecemos! Então, ele não a propôs na primeira vez que te viu ?", ele perguntou, soando como uma criança negado um agrado muito esperado. Elizabeth sorriu em grande divertimento. "Sinto desapontá-lo, mas eu não consigo pensar em nada que estivesse mais longe da mente dele naquela ocasião." Ele balançou a cabeça novamente, como se perplexo com o comportamento da nova geração. Darcy aproximou-se neste ponto, e Elizabeth uniu seu braço ao dele. "Sr. Darcy," ela disse maliciosamente, "parece que eu sou uma grande decepção para o Lorde Derby. " "Eu sinto muito em ouvir isso, Sra. Darcy, uma vez que acabo de concordar que nós iríamos acompanhá-los para um breve pequeno almoço de casamento em Derby House," disse ele da mesma forma, claramente sem surpresa encontrá-la já Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


provocando seu tio. "Não, Sra. Darcy, disse Lorde Derby. "Eu acho que você uniformemente encantadora. Meu sobrinho é inteiramente outra questão, ele é realmente uma decepção.” "Por não informá-lo de meu casamento.? Eu sabia que se vocês fossem convidados, você aproveitaria a oportunidade de dizer à minha noiva coisas terríveis sobre mim." "Eu fiz algo do tipo?" ele exigiu de Elizabeth, mas sem dar a ela uma chance de responder, ele continuou, "William, esta amável moça me diz que você a conheceu em outubro passado e que só agora conseguiu se casar com ela! Que tipo de exemplo que você está definindo?" Darcy deu à Elizabeth um olhar irônico. "Não vejo nada de errado em mantê-la em suspense sobre as minhas intenções", disse ele. "Sra. Darcy, não lembrei de mencionar à você que alguns membros da minha família possuem um excesso de personalidade? É claro que você conheceu Lady Catherine, e como você sabe, nunca uma alma mais gentil e circunspecta andou na terra, mas algumas de nossos parentes são um pouco mais difíceis do que ela." "Você a apresentou à Catherine, e não para nós? Agora eu estou ofendido!” Devo confessar, Lorde Derby, que eu consegui achar Lady Catherine completamente sozinha, sem ajuda do Sr. Darcy," Elizabeth interveio, mas não chegou a mencionar o primo dela. Ela ainda estava incerta o quanto Darcy pretendia dizer aos seus familiares sobre suas ligações. O Sr. e a Sra. Gardiner poderiam facilmente ser confundidos com pessoas elegantes, afinal, e ela não sabia se ele pretendia desiludir seus parentes ilustres. "O primo da Sra. Darcy é o destinatário de um benefício de Lady Catherine," Darcy explicou. "Ela teve a oportunidade de jantar em Rosings em várias ocasiões, durante uma visita a ele." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


“E viveu para contar a história? Sra. Darcy, estou de fato impressionado.” Pouco tempo depois eles partiram da Catedral rumo à Derby House, que provou ser um prédio imponente da mesma pedra calcária branca como a catedral repousada no curto caminho da cidade perto do rio. Lady Derby tinha arranjado um sumtuoso pequeno-almoço de casamento - Elizabeth não podia deixar de se perguntar o que teria acontecido se Darcy não tivesse concordado em comparecer que superou suas expectativas de longe; era evidente que Lady Derby era uma anfitriã talentosa e experiente. O bispo foi anunciado logo após a chegada de Darcy e Elizabeth; Elizabeth seguiu Lady Derby ao reverenciar e beijar seu anel. Darcy ficou perto ao de Elizabeth enquanto o bispo falava com ela, fazendo perguntas sobre suas impressões de Derbyshire e Pemberley. Parecia uma conversa um tanto empolada para Elizabeth, e ela ficou aliviada quando ele mudou sua atenção para Georgiana, dando à Elizabeth a oportunidade de oferecer seus agradecimentos a Lady Derby de suas atenções. Lady Derby era uma senhora muito gentil mas estava bastante curiosa quanto à impetuosidade da jovem que havia capturado o coração de seu sobrinho. Ficou claro para ela ao observá-los que era uma união de amor; ela não teria esperado que Darcy se contentaria com qualquer coisa menor, mas ela teve nos últimos anos alguma preocupação quanto ao fato de ele nunca iria encontrar alguém que se adequasse as necessidades dele, cercado por caçadores de fortuna e bajuladores. Elizabeth mencionou seu conhecimento com o coronel Fitzwilliam e as duas conversaram brevemente sobre esse assunto antes de Lady Derby voltar sua atenção para o assunto do seu sobrinho, mencionando que Elizabeth parecia bastante diferente das muitas das jovens que Darcy conhecia. "Sim, eu continuo convencida de que a razão que ele primeiro me notou foi que eu não mostrei nenhum interesse nele," disse Elizabeth com uma risada. "A minha impressão é que ele estava muito cansado da constante atenção que recebia." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Mas de alguma forma, ele parece ter ganhado seu interesse," Lady Derby sugeriu. Com um sorriso divertido, Elizabeth disse: "Ele pode ser muito persuasivo e persistente, quando ele coloca a sua mente para isso." "Sim, ele é muito parecido com o pai dele dessa forma, embora ele não tenha a disposição descontraída do pai. Ele é mais complexo, ele não vai ser dos homens mais fáceis de se entender, eu espero." "Eu teria dificuldade em discordar de você, Lady Derby," respondeu Elizabeth, "embora eu prefira pensar como ele tendo uma grande profundidade." Lady Derby sorriu gentilmente. "Essa é uma maneira de colocá-lo, eu suponho. Ele passou por circunstâncias difíceis ao longo dos anos e, embora geralmente não admita a sua extensão, elas deixaram sua marca nele." Elizabeth se perguntou qual mensagem que estava sendo dada à ela. "Eu imagino que vou aprender mais sobre isso ao longo do tempo; como você diz, ele tende a ser privado sobre o passado" "Eu certamente espero que nós vamos ver mais você no futuro; você não deve deixar que o meu sobrinho te esconda afastada em Pemberley. " Se perguntando sobre a mudança de assunto, Elizabeth estava prestes a responder quando uma voz veio sobre o seu ombro, “Você me permitirá, eu espero, um tempo sozinho com a minha noiva antes que você comece a carregá-la em obrigações sociais,” Darcy disse suavemente. “E enquanto eu estou nesse assunto, já é passada a hora de nós partirmos; nós somos esperados em Pemberley.” “Eu espero que você nos permita ficarmos com Georgiana por alguns dias, William. Nós quase não conseguimos vê-la esses dias,” disse Lady Derby. “Se ela quiser ficar, eu não vejo objeções,” ele permitiu. Laddy Derby abordou Georgiana, que incialmente pareceu relutante, mas após alguma persuasão de sua tia, pareceu mudar de idéia. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


“Ela concordou em ficar, mas apenas hoje à noite, ela deseja retornar à Pemberley com os Gardiners amanhã, se estiver de acordo.” Com um sorriso divertido, Elizabeth agradeceu Lady Derby pelo pequeno almoço de casamento, e implicitamente pelo tato em separar Georgiana para dá-los privacidade na sua noite de núpcias. Ela e Darcy deram adeus e logo estavam no caminho para Pemberley. Eles mal tinham partido quando Darcy moveu-se do seu assento apropriado oposto à Elizabeth para o decididamente inapropriado assento ao lado dela, e aumentando ainda mais seu inapropriamento, puxando-a para perto dele. “Enfim eu tenho você para mim, Sra. Darcy,” ele disse. O prazer de ter os braços dele ao redor dela depois de um dia de privação trouxe um sorriso imediato ao rosto dela. “Somente eu e você, Sr. Darcy, e, é claro, o motorista e o lacaio. Foi muito atencioso da sua tia ficar com Georgiana.” Ele riu e beijou-a demoradamente. “Foi, de fato, e é por isso que eu vou perdoálos por nos emboscar no nosso próprio casamento.” “Eu sei que você não os tinha convidado – foi tão perturbador eles estarem lá?” ela perguntou. Lorde e Lady Derby pareceram bastante agradáveis para ela, e ela tinha estado se perguntando porque ele tinha tão prontamente evitado informá-los do casamento. “Não, não perturbador. Eu não queria adicionar tensão à ocasião para você trazendo eles, e eu achei melhor permitir que você os conhecesse em uma ocasião menos importante. Eles podem ser, nas suas próprias maneiras, um tanto desafiadores de se lidar, mas hoje pareceu trazer o melhor deles, então eu não posso reclamar.” “Desafiadores? Como assim?” Elizabeth sucumbiu à tentação e deslizou sua mão dentro do casaco dele. Ele deu a ela um olhar divertido. “É um longo caminho até Pemberley, minha Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


senhora!” ele disse. "Bem, o meu tio pode provocar sem piedade. Lady Derby, bem, ela é invariavelmente uma companhia agradável e charmosa, e ela nunca faz nenhuma exigência, mas por alguma razão, depois de falar com ela, você acaba fazendo o que quer que ela deseje, independentemente de como pode sentir sobre o assunto. Eu suspeito que meu tio foi completamente tomado de surpresa quando ele encontrouse propondo a ela. É um talento surpreendente, se ela fosse um homem, eu estou convencido de que ela estaria governando o país, não apenas Derby House e todos os seus parentes, mas é tudo com a melhor das intenções." "Felizmente para você, eu tenho uma grande experiência em ser provocada. Quanto à sua tia, teremos de ver. Hoje, ela parecia principalmente preocupada em saber se eu gosto de você de forma adequada, e eu dificilmente posso acusá-la por isso, e já que eu tenho toda a intenção de cuidar de você muito bem, ela não podia mudar minha mente sobre o assunto," disse Elizabeth. Ele beijou seu cabelo, tendo prazer em simplesmente saber que ela era sua esposa, e que nada poderia separá-los agora. "Enquanto você está comigo, meu amor, eu não tenho queixas," disse ele. "Serei eternamente grato que você achou por bem me dar uma segunda chance, apesar de suas reservas." Ela corou, lembrando quão aflita ela tinha estado inicialmente com as atenções dele em seu retorno a Hertfordshire. "Bem, a verdade é que eu não tinha nenhuma intenção de permitir qualquer chance a você, mas parece que meus esforços foram em vão." "Bem, então, eu sou grato que você parou de lutar contra mim por tempo suficiente para começar a gostar de mim," ele disse provocando. Ele deslizou seus dedos no cabelo dela, acariciando os fios de seda, até que ele encontrou grampos, que começou a remover. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Você é incorrigível, senhor!", eladisse. "Porque eu gosto de brincar com o cabelo da minha esposa? Eu que raramente tenho a oportunidade, pois parece que sempre que eu tenho acesso ao seu cabelo, eu tendo a me distrair com seus outros encantos. Parece a coisa apropriada para uma longa viagem de carruagem," disse ele, beijando o pescoço dela. Apreciando o sentimento sensual das mãos dele explorando seu cabelo, ela disse, "Eu deveria ter sabido que era impossível pelo tanto que eu tive que lutar. Eu tinha um pressentimento disso já no dia em que me apresentou Georgiana." "Assim tão cedo? Como você sabia?" perguntou ele, continuando a sua colecção de grampos. Ela corou. "O que me preocupou foi a forma como eu reagi quando você beijou a minha mão. Outros homens tinham feito o mesmo no passado, entregado-me à carruagens, tinham dançado comigo. . . " “Isso é o suficiente sobre o assunto," Darcy interrompeu. Ela sorriu maliciosamente. ". . . mas, embora agradável o suficiente, a experiência nunca tinha me afetado particularmente. Mas assim que você me tocou, foi diferente. Mesmo quando eu ainda estava firmemente decidida contra você em minha mente, eu ainda não era capaz de esquecer como me senti quando você beijou a minha mão." Ele pegou o rosto dela e virou o rosto para o seu, beijando-a possessivamente, sentindo toda a satisfação da admissão dela de que não respondeu a outras pessoas como ela respondeu à ele. Um solavanco da carruagem os separou, e eles sorriram um para o outro infelizmente. Elizabeth, a sensação do beijo dele ainda fresca em seus lábios, não podia deixar de recordar a ela a sua raiva com o que ela tinha percebido como a traição de seu corpo quando ela tinha respondido aos avanços iniciais dele, e era irônico que a mesma reação que causou a ela essa angústia pode agora trazer tal prazer. Darcy voltou à sua tarefa agradável de demolir o arranjo Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


cuidado dos cabelos dela, e, quando eles caíram para baixo em torno dos ombros dela, ela se aninhou contra ele em contentamento. Eles passaram um longo tempo desta forma, Darcy gentilmente tocando o cabelo de Elizabeth enquando ela se inclinava contra ele. Ele não conseguia lembrar se sentir tão sereno à muito tempo, apenas de compartilhar a presença dela e saber que ela o amava. Foi o ponto culminante de seus sonhos desde que ele tinha conhecido ela, e ele ainda mal podia acreditar que era verdade, e teve que lutar contra o sentimento de que ela ainda poderia de alguma forma ser arrancada dele. Seus olhos seguiram a linha do perfil dela, tentando memorizar o momento. Elizabeth, deleitando-se com o prazer de senti-lo ao seu lado, fechou os olhos para melhor saborear a experiência. Parecia impossível de acreditar que ela tinha lutado contra isso há tanto tempo, e ela mal conseguia se lembrar de ser a menina que tinha insultado Darcy no baile de Netherfield sobre suas relações com Wickham. Agora, ela mal podia imaginar como ela viveu sem ele, e a realização de sua necessidade levantou um pequeno fantasma de medo dentro dela. Ela nunca se permitiu precisar de ninguém dessa forma antes; ela sempre tinha sido sempre cuidadosa em manter seguro seu coração, e tomava cuidado de que ela não pudesse ser afetada pelas mudanças de vontades de alguém. Ela tinha mantido partes de si mesma em segredo até mesmo de Jane, mas ela estava começando a perceber que ela poderia achar mais difícil, senão impossível, fazer isso com Darcy, que parte de um amor e um desejo tão intensos quanto o dele era uma igualmente intensa necessidade e fome de seu objeto que podia não permitir esta distância. Precisar tanto dele em face disso era perturbador, e diferente de tudo que ela tinha enfrentado no passado. É uma triste constatação, ela pensou, que eu me sento aqui reconhecendo meu medo de perder o homem que acaba de prometer diante de Deus para passar o resto de sua vida comigo! Com um sorriso divertido, ela olhou para ele, e quando ele percebeu o olhar Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


dela, ela disse do seu coração: "Eu te amo, meu marido." A mão dele derivou do cabelo dela para trás do pescoço, onde seus dedos começaram a acariciá-la. Ele sorriu lentamente enquanto ele inclinav sua cabeça para reivindicar os lábios dela. Ele experimentou os prazeres da boca dela enquanto ele tirava dela a paixão que ele sabia que estava sob a superfície, a paixão que agora era sua para explorar e desfrutar ao seu lazer. De forma apressada, ele continuou a atormentar-la com a boca, deslizando sua mão nas costas dela e logo abaixo do decote de seu vestido, até que sentiu-a se render ao desejo e se agarrar-se a ele em troca. "Eu tenho esperado tanto tempo para te chamar de minha esposa, minha amada, adorada Elizabeth," ele murmurou, "e eu vou continuar a mostrar o quanto eu te amo todos os dias de nossas vidas.” Elizabeth estava descobrindo para sua consternação o quanto mais difícil era satisfazer-se com os beijos dele, quando ela sabia o quanto mais prazer podia existir do que se ela tivesse permanecido inocente das possibilidades. Iria parecer um tempo muito longo até que eles se retirassem à noite. Darcy, pensando da mesma forma, decidiu que uma mudança de assunto era muito exigida, e disse: "Devemos considerar como informar sua família do nosso casamento." Elizabeth revirou os olhos. "Talvez nós poderíamos esperar que elas nunca percebam", sugeriu despreocupadamente. "Eu acredito que poderia ocorrer à eles que algo está errado quando eu levá-la para o meu quarto a cada noite", disse ele com um sorriso. Percebendo que ele tinha conseguido trazer a conversa de volta mais uma vez ao exato ponto que ele queria evitar, ele acrescentou: "Suponho que nós deveríamos dizer a eles pessoalmente?" "Eu acho melhor. Presumivelmente, teremos de chegar Longbourn antes de minha tia e tio; certamente não podemos deixá-los para explicar por que eu deixei de voltar com eles." Ele riu. "Isso realmente iria colocá-los em uma posição desconfortável. Bem, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


então, eu presumo que nós devemos viajar para Longbourn quando eles deixarem Pemberley. Nós, sem dúvida, necessitaremos permanecer lá até o casamento de Bingley - você acha que os seus pais ficariam ofendidos se ficarmos em Netherfield em vez de Longbourn?” "Bem, se eles ficarem, a redução do estresse para nós, sem dúvida, compensa o crime! Podemos sempre apresentar o argumento de que Netherfield tem mais espaço, especialmente com a aproximação do casamento.” Ele colocou a mão nos cabelos dela novamente. "Lamento que isso tornou as coisas muito mais complicadas", disse ele. "Por você vale a pena", disse ela com um sorriso travesso. "Eu acredito que você pudesse estar certo, senhor, quando sugeriu que a nossa capacidade de esperar mais tempo pode ter sido superestimada." "A minha sem dúvida era," ele rosnou no ouvido dela antes de mordiscá-la. "A minha capacidade de esperar até chegarmos à Pemberley está se tornando outra questão a cada minuto." Ela levantou uma sobrancelha enquanto corava. "Eu não sou da opinião que uma carruagem é um local agradável e seguro para tais empreendimentos, senhor." "Embora seja tentador para tentar convencê-lo de outra forma, infelizmente, eu suspeito que você está correta, minha senhora," respondeu ele. A celebração do casamento naquela noite foi completamente o oposto da solene, discreta cerimônia da manhã, e trouxe para Elizabeh a pleno vigor o que significaria ser a dona da mansão. Tudo começou ao pôr do sol com a dança à luz de tochas ao som de violino e flauta, seguido por comida em grande escala para todos os inquilinos - Elizabeth ficou surpreso ao ver o que as cozinhas de Pemberley podiam produzir num prazo tão curto, e quando ela viu as massas reunidas, ela percebeu, pela primeira vez quantas vidas dependiam de gestão de seu marido. Ela e Darcy tinham partilhado um jantar leve mais cedo, o que foi uma sorte, uma vez que eles Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


estiveram bastante ocupados durante o banquete, Darcy distribuindo presentes aos pobres, e Elizabeth apresentando pequenos ramalhetes de flores para as crianças, que faziam tímidas cortesias em reconhecimento. A casa estava completamente enfeitada com flores - ela se perguntava se ela iria encontrar os jardins despidos na manhã seguinte - e cheio até a borda com os foliões. Ela

encontrou-se

sentindo-se

inexplicavelmente

tímida

quando

Darcy

apresentou-a para as massas lotado, e corou quando eles comemoraram cordialmente, o que só incentivou alguns dos comentários obscenos que iam e vinham entre os arrendatários. Darcy tinha avisado ela desse aspecto - "Este ainda é o Norte, o meu amor" - ele disse, e ela tentou manter a compostura, mas para o deleite da multidão, um ou dois dos comentários visivelmente constrangiram-a completamente, e todos eles ficaram mais satisfeitos por descobrir que a nova Senhora de Pemberley tinha a capacidade de rir de si mesma quando isso ocorreu. Darcy, que não era um alvotão tentador para os apartes, escapou mais levemente, ficando ao lado de Elizabeth por toda parte. Depois que as festividades formais finalmente chegaram ao fim, Elizabeth e Darcy se retiraram para seu quarto, onde eles ficaram na janela enquanto um grupo de aldeões cantavam baladas e faziam música abaixo deles. Quando chegaram ao coro de uma das canções, Elizabeth sentiu os olhos de Darcy sobre ela. O sofrimento de despedida e alegria das boas-vindas, Dez mil vezes portanto Pois agora eu encontrei meu próprio amor verdadeiro, Quem eu pensei que nunca deveria ver mais .* Ele sussurrou no ouvido dela: "Há bolos e cerveja na aldeia, mas temo que eles não vão sair até que me vejam beijar você. Posso?" Ela olhou para ele com um sorriso divertido. "Bem, se eu devo tolerar suas Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


atenções, Sr. Darcy, acho que não há nada a ser feito para evitar. Vou me esforçar para suportá-lo com serenidade." Os cantos da boca dele se contraíram, e ele a puxou em seus braços para um beijo, talvez um pouco mais profundo do que as circunstâncias requeriam. O rosto dela ficou vermelho quando fizeram seus agradecimentos aos cantores animados. "Agora, meu amor", ele disse enquanto ele a puxou da janela. “sobre esta questão de tolerar minhas atenções. . . " Elizabeth sentia-se bastante satisfeita com a vida conjugal na manhã seguinte, quando, depois de ter o prazer de despertar lentamente nos braços do marido, ela se sentou com ele no café da manhã, sabendo que ninguém era esperado além deles dois, e que isto não poderia mais ser visto como inadequado. O entusiasmo com que o olhar de Darcy pousou sobre ela trouxe um sorriso ao seu rosto, e ela não estava acima de buscar a mão dele debaixo da mesa, apenas para comemorar o fato de que ela poderia fazê-lo. Depois do café da manhã, eles planejaram se separar brevemente pois a Sra. Reynolds se ofereceu para apresentar a equipe para Elizabeth e começar os primeiros estágios de sua educação nos trabalhos de Pemberley, que Elizabeth esperava embarcar antes que eles fizessem sua viagem necessária para Longbourn para informar aos pais dela a notícia de seu casamento. Eles mal tiveram a chance de iniciar a discussão antes de Darcy reaparecer com cartas na mão. "Sra. Darcy, acabo de descobrir que o correio trouxe essas cartas enquanto estávamos em Matlock; eu acredito que eles sejam de Longbourn, e eu achei que você poderia desejar atendê-las imediatamente ", disse ele. "Oh, sim", respondeu Elizabeth ansiosamente. Ela pegou as cartas e, descobrindo que eram ambas de Jane, pediu a Sra. Reynolds para desculpá-la até mais tarde. Com um sorriso para o marido, ela se acomodou na sala para ler suas cartas. Ela tinha ficado bastante desapontada em não encontrar uma carta de Jane Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


em sua primeira chegada a Pemberley, e esta decepção foi renovada em cada uma das manhãs que já tinha passado ali; agora sua irmã era justificada, já que uma das cartas estava marcada que tinha sido enviada para outro lugar. Elizabeth não se surpreendeu com isso, já que Jane havia escrito a direção extremamente mal. A carta mal direcionada devia ser atendida primeiro; tinha sido escrito há cinco dias. O começo continha um relato de todas as festinhas e compromissos, com as novidades que o campo oferecia, bem como arroubos de sua irmã sobre o seu Sr. Bingley; mas a segunda metade, que foi datada um dia depois, e escrita em evidente agitação, deu o conhecimento mais importante. Foi neste sentido: 'Desde que escrevi acima, querida Lizzy, algo ocorreu de natureza mais inesperada e séria; mas estou com medo de assustar-lhe – tenha certeza de que estamos todos bem. O que eu tenho que dizer se relaciona com a pobre Lydia. Um expresso veio às doze ontem à noite, quando estávamos todos na cama, do coronel Forster, para nos informar que ela havia ido para a Escócia com um de seus oficiais; para falar a verdade, com Wickham! - Imagine a nossa surpresa!. Para Kitty, no entanto, não pareceu totalmente inesperado. Estou muito, muito triste. Uma união tão imprudente em ambos os lados! - Mas eu estou disposta a esperar o melhor, e que o caráter dele tenha sido mal interpretado. Imprudente e indiscreto posso facilmente acreditar que ele é, mas este passo (e alegremo-nos sobre ele) marca nada de ruim no coração. Sua escolha é desinteressada, pelo menos, pois ele deve saber que meu pai pode lhe dar nada. Nosso pobre mãe, infelizmente, está aflita. Meu pai está suporta melhor. Quão grato eu estou, que nunca os deixamos eles saberem o que foi dito contra ele; nós precisamos esquecer disto, apesar de como você está deve abordar o assunto com o Sr. Darcy eu não posso fazer nenhuma sugestão. Meu caro Bingley tem sido tudo o que é amável, e estou muito agradecida que ele está aqui. Eles partiram no sábado à noite cerca das doze, como é suspeitado, mas não foram notados até ontem de manhã às oito. O expresso foi enviado diretamente. Minha querida Lizzy, eles devem ter passado à cerca de dez milhas de Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


nós. O coronel Forster nos dá razão para esperar eles aqui em breve. Lydia deixou algumas linhas para a esposa dele, informando-lhe da sua intenção. Devo concluir, pois não posso ficar longe de minha pobre mãe por muito tempo. Tenho medo que você não será capaz de entender, mas eu mal sei o que tenho escrito.' Sem permitir-se tempo para análise, e mal sabendo o que ela sentia, Elizabeth, ao terminar esta carta, imediatamente agarrou a outra, e abrindo-a com impaciência extrema, como segue-se tinha escrito um dia depois que a conclusão da primeira: Por esta altura, minha querida irmã, você recebeu minha carta apressada; eu gostaria que esta pudesse ser mais inteligível, mas, apesar de não limitada pelo tempo, minha cabeça está tão confusa que eu não posso responder por ser coerente. Querida Lizzy, eu mal sei o que eu ia escrever, mas tenho uma má notícia para você, e não pode ser adiada. Imprudente como um casamento entre o Sr. Wickham e nossa pobre Lydia seria, agora estamos ansiosos para ter a certeza de tenha ocorrido, pois não há muitos motivos para temer que eles não foram para a Escócia. O coronel Forster veio ontem, tendo saído de Brighton no dia anterior, não muitas horas depois do expresso. Apesar da breve carta de Lydia á Sra. Foster lhes deu a entender que eles estavam indo para Gretna Green, algo que foi abandonado pelo tenente Denny expressando sua crença de que Wickham nunca pretendeu ir para lá, ou mesmo se casar com Lydia, o que foi repetido para o Coronel F., que, de imediato tomando alarme, partiu de Brighton com o objetivo de traçar o percurso deles. Ele os rastreou facilmente até Clapham, mas não mais distante; pois ao entrar naquele lugar eles se removeram para um carruagem e dispensaram a chaise que os trouxe de Epsom. Tudo o que é conhecido após isso é que eles foram vistos a continuar o caminho para Londres. Eu não sei o que pensar. Depois de fazer todas as perguntas possíveis sobre esse lado de Londres, o Coronel F. veio à Hertfordshire, ansiosamente renovando-as em todas as estradas pedagiadas, e no pousadas em Barnet e Hatfield, mas sem nenhum sucesso, nenhuma dessas pessoas tinha sido vista Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


passar. Com amável preocupação que ele veio para Longbourn, e informou suas apreensões a nós de uma forma mais credível para o seu coração. Estou sinceramente triste por ele e pela Sra. F., mas ninguém pode lançar qualquer culpa sobre eles. Nossa angústia, minha querida Lizzy, é muito grande. Meu pai e minha mãe acreditam no pior, mas eu não consigo pensar tão mal dele. Muitas circunstâncias podem tornar mais elegível para eles terem se casado em particular na cidade do que perseguir o primeiro plano deles, e mesmo que ele pudesse formar tal desígnio contra uma jovem de conexões de Lídia, o que não é provável; posso supor ela tão perdida para tudo? - Impossível. Eu sofro ao descobrir, no entanto, que o Coronel F. não está disposto a depender do casamento deles ele balançou a cabeça quando eu expressei minhas esperanças, e disse temer que W. não era um homem de confiança. Minha pobre mãe está realmente doente e se mantém em seu quarto. Se ela pude esforçar-se seria melhor, mas isso não é de se esperar, e quanto ao meu pai, eu nunca na minha vida o vi tão afetado. A pobre Kitty tem raiva por ter ocultado o apego deles, mas como era uma questão de confiança, não se pode imaginar. Estou verdadeiramente feliz, querida Lizzy, que você foi poupada dessas cenas angustiantes; eu não sei como eu iria conseguir, porém, se não fosse a ajuda e o apoio do meu querido Bingley, que tem sido tudo que se poderia possivelmente pedir neste momento de dificuldade. Adeus. Eu pego minha caneta novamente para fazer um pedido, porque as circunstâncias são tais que não posso deixar de pedir encarecidamente a todos vocês que venham aqui o mais rapidamente possível. Eu sei que meu querido tio e tia tão bem que eu não tenho medo de pedir isso, embora eu ainda tenha algo mais a pedir ao primeiro. Meu pai está indo para Londres com o coronel Forster imediatamente, para tentar descobri-la. O que ele pretende fazer, tenho a certeza que eu não sei, mas sua angústia excessiva não lhe permitirá exercer qualquer medida da melhor e mais segura forma, e o coronel Forster é obrigado a estar em Brighton novamente amanhã à noite. Em tal exigência o conselho e a assistência do meu tio seria tudo no mundo; ele vai compreender imediatamente o que eu devo sentir, e eu confio na bondade dele. Só posso confiar em você, Lizzy, para determinar o que é melhor fazer a respeito do Sr. Darcy; eu sei que este deve ser Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


um duro golpe para ele, mas se ele tiver algum conselho ou pensamento sobre como W. pode ser encontrado, peço-lhe para informar ao meu pai imediatamente. A angústia de Elizabeth ao ler isto era grande, e ela mal sabia o que dizer ou como olhar. Lydia e Wickham! Ela estava triste por causa de sua irmã perdida, ela temia pelo bem-estar de sua família, e ela só poderia estar horrorizada com a perspectiva da resposta de Darcy a esta notícia. A cunhada dele, não só em ruínas, mas por Wickham! A mortificação seria quase insuportável, e essa prova da fraqueza de sua família deverá fazê-lo lamentar o casamento deles. Como eles iriam explicar o que não podia ser escondido de Georgiana? Ela não podia esconder essa informação, no entanto, e apesar do seu medo sobre a recepção dele, ela sabia que ela devia ir até ele imediatamente - mas como isso não poderia ficar entre eles da maneira mais dolorosa? Um dia de felicidade conjugal era tudo o que eles deveriam ter? Ela prendeu a respiração em um soluço, e antes que sua coragem pudesse desaparecer, ela foi até o escritório dele, onde ela o encontrou trabalhando atrás de sua mesa. Ele olhou para cima quando ela apareceu na porta, e, vendo o seu olhar tão miseravelmente doente, ele disse com mais sentimento do que polidez, "Meu Deus, qual é o problema? " Ela olhou para seu rosto amado, e explodiu em lágrimas amargas. Ele caminhou para o lado dela imediatamente. "Elizabeth, o que foi? Você precisa me dizer, querida. São as notícias de Jane?" Sem dizer nada ela entregou-lhe as cartas e, em seguida sentou-se, incapaz de se sustentar por mais tempo. Darcy, dividido entre a leitura das cartas e confortar Elizabeth, que estava claramente incapaz de qualquer explicação sobre o assunto, ajustou-se ajoelhando ao lado dela e tomando-lhe a mão enquanto ele lia as cartas. Seu rosto foi fixado com espanto quando leu a primeira, e quando ele chegou à segunda, algumas Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


palavras inadequadas para a presença de uma senhora lhe escaparam. Ela começou a chorar ao ver o rosto dele contraído, e ela cobriu o rosto com um lenço, não querendo ver o rosto dele quando ele olhasse para ela com o conhecimento da desgraça de sua irmã. O choque e o horror dele eram grandes, mas sua preocupação com Elizabeth eram ainda maior. Ele colocou seus braços ao redor dela compassivamente, desejando por algo que ele pudesse dizer para confortá-la. "Quando eu considero," ela disse em uma voz agitada, “que eu poderia ter evitado isso! Eu, que sabia o que ele era. Se eu tivesse, explicado apenas alguma parte do que eu sabia para minha própria família! Se o caráter dele fosse conhecido, isto poderia não ter acontecido. Mas é tarde, muito tarde agora." "É tarde demais para pará-lo, mas não tarde demais para consertá-lo, minha querida. Eles serão encontrados, e ele deve ser feito a se casar com ela," disse ele no que ele esperava ser uma forma tranqüilizadora. Ela balançou a cabeça angustiada. "Nada pode ser feito; eu sei muito bem que nada pode ser feito. Como lidar com um homem desses? Como eles mesmo serão descobertos? Não tenho a menor esperança. De toda maneira é horrível!" Ele tomou o rosto dele entre as mãos e forçou-a a olhar para ele. "Elizabeth, não há nada mais fácil no mundo do lidar com Wickham - tudo o que é necessário é dinheiro. Se eu conheço Wickham, ele não vai se esconder tanto enquanto espera ser descoberto para que ele possa fazer suas reivindicações. Você deve ter fé em mim, minha querida; você sabe que eu tenho lidado com ele antes, e eu posso fazê-lo novamente." Ela olhou para ele com olhos cheios de dor. "Não posso exigir isso de você, você não pode assumir a mortificação disto; é uma questão para a minha família." “Meu Deus, o que você acha que eu sou? Você se casou comigo ontem, Elizabeth, e eu sou a sua família, e, se posso arriscar um palpite, eu sou a causa final Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


para esse caso terrível, e cabe a mim remediá-lo," disse ele à força. "Como poderia você ser a causa? É fraqueza de Lydia, a tolice de Lydia, e meu miserável, infeliz erro por não ter explicado o que eu sabia quando meus olhos se abriram para o real caráter dele." Respirando fundo, ele disse,"Elizabeth, por favor, me escute. Lydia sabia de nosso noivado?" "Eu não sei dizer - eu suponho que ela deve, que minha mãe deve ter escrito para ela com a notícia; ela sem dúvida, enviou a todos que podia," disse ela, hesitante. "E Lydia, sem dúvida, reportou-o à Wickham, sabendo a opinião dele sobre mim. Você não pode supor que ela era o verdadeiro incentivo - ela não tem dinheiro que pode tentá-lo, mas ela tem essa ligação comigo. Não, Elizabeth, isto tem tudo a ver comigo; isto é exatamente o que ele tentou no ano passado com Georgiana, mas agora ele está tentando atacar-me através de você." Ela olhou para ele com horror - ela não tinha pensado tão mal, mesmo de Wickham, a ponto de pensar que sua vingança se estenderia tão longe. Darcy, interpretando mal o olhar no rosto dela, encostou a testa contra a dela, e murmurou tristemente: "Você pode me perdoar, minha querida, por trazer isto sobre você?” "Você não fez nada para causar isso", ela disse ferozmente. "Você não é o culpado pelo comportamento de Wickham, nem por Lydia, e eu não vou aceitar você se culpar por isso!" Ele segurou-a junto a ele, desejando que ele pudesse tirar este sofrimento dela. "Elizabeth, eu preciso considerar o que deve ser feito. Não há nada que eu possa trazê-la para o seu presente alívio? Um copo de vinho, devo pegá-lo um?" "Não, eu agradeço, nada além de você", ela disse não muito fluentemente. Ele retirou-se para a cadeira ao lado dela, onde poderia continuar a segurar a mão dela enquanto ele considerava o assunto. Finalmente, ele disse: "Os Gardiners Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


voltarão aqui hoje à noite, mesmo se eu enviar um mensageiro para Matlock agora, não lhes traria de volta à tempo para partir hoje, e não há nenhuma razão em preocupá-los antes que algo possa ser feito. Você e eu vamos partir para Londres amanhã de manhã, onde iremos encontrar seu pai e começar os esforços para descobri-los." "Jane me pede para voltar para Longbourn, e eu não tenho dúvida de que ela precisa da minha ajuda e apoio para lidar com a minha mãe", disse ela, hesitante. Darcy sacudiu a cabeça com determinação. "Jane não conhece toda a situação, e ela tem Bingley com ela para apoio. Eu preciso de você comigo para lidar com Lydia; eu duvido que ela iria ouvir qualquer coisa que eu tenho a dizer - e eu mesmo preciso de você, não tenho dúvidas. Talvez os Gardiners poderiam ir para Longbourn invés." Levará algum tempo para acostumar-me à ideia de que a minha primeira lealdade deve ir agora para ele, e não para a minha família, ela pensou. Devo lembrar que eu sou esposa dele agora, mesmo não convencional como o nosso casamento pode ter sido. Com um choque desagradável, veio a ela como o seu casamento abrupto pareceria para sua família à luz destes novos eventos, e que seu pai se sentiria diante de mais uma filha que tinha sido apressada para o altar. O dia parecia interminável para Elizabeth. Ela teria preferido tomar algum tipo de ação, mas, além de supervisionar as malas para a viagem para Londres, havia pouco que ela pudesse fazer além de esperar e se preocupar. Sua mente continuava voando para Lydia, se preocupando com a segurança dela, bem como o seu futuro, pois que futuro poderia haver para ela, quer como esposa de Wickham ou como uma mulher em ruínas? Wickham nunca seria capaz de sustentá-la em qualquer tipo de forma muito aceitável – seu destino seria contínua a pobreza e a miséria de um casamento com um mentiroso e vagabundo, e este era para ser o melhor resultado possível. A humilhação e a miséria que Lídia estava trazendo em sua Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


família também doía; não só materialmente afetaria as chances de casamento de Kitty e Mary, e atrasar, possivelmente por tempo indeterminado, o casamento de Jane e Bingley, mas os efeitos sobre a família de Darcy deviam ser considerados também. Ela só podia imaginar até que ponto Darcy ficaria mortificado pela conexão contínua com Wickham, e não havia nenhuma dúvida de que a notícia seria dolorosa para Georgiana. Darcy havia sido claro que ele não queria culpá-la de qualquer maneira por isso, mas Elizabeth não podia deixar de se preocupar se a capacidade dele de manter separados os seus sentimentos sobre Lydia e sobre ela era forte o suficiente para impedir este caso de contaminar seu afeto por ela. A raiva e choque dela com o comportamento de Lydia conduziam a novos pensamentos desagradáveis enquanto ela considerava sua própria conduta nos últimos dias e semanas. Ela ficou horrorizado com as escolhas de Lydia, mas como elas eram tão diferentes das suas? Não foi mera sorte por parte dela que os seus lapsos, embora tão graves como Lydia, passariam bastante impunes enquanto sua irmã sofria danos irreparáveis? Ela tinha começado a sentir-se menos preocupada com seu comportamento permissivo quando se tornou claro que as conseqüências não seriam graves, mas esta situação não podia deixar de trazer de volta à sua consciência a gravidade de seus erros próprios. Os Gardiners e Georgiana retornaram no final da tarde, e depois de Darcy tomou alguns minutos para cumprimentar sua irmã, pediu aos outros para se juntarem a ele em seu escritório, onde Elizabeth estava esperando por eles. Um olhar para o rosto dela foi suficiente para convencer o Sr. E a Sra. Gardiner que nem tudo estava bem, e depois de terem lido as cartas de Jane e ouvirem uma explicação de Darcy detalhando sua conexão com Wickham, bem como o comportamento passado do cavalheiro, eles prontamente ofereceram toda a ajuda possível para resolver a situação. Embora em geral de acordo com os planos elaborados por Darcy, o Sr. Gardiner sentiu que a sua presença em Londres poderia ser útil, e após Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


alguma discussão, foi decidido que ele iria viajar para a cidade com Darcy e Elizabeth enquanto a Sra. Gardiner procederia à Longbourn, acompanhada por criados de Pemberley para sua segurança e razões de decoro. Ela iria ficar lá o tempo necessário antes de retornar a Londres com os filhos, e foi decidido que ela não iria revelar o casamento de Elizabeth no momento, dado o nível aparente de estresse já está presente na casa. Após os Gardiners partirem para se refrescar antes do jantar, Elizabeth permaneceu com Darcy, extraindo conforto em sua angústia da presença dele. Ela ainda estava lá quando Georgiana veio contar ao irmão sobre a sua estadia em Matlock. Vendo o rosto molhado de lágrimas de Elizabeth e o semblante grave de seu irmão, Georgiana imediatamente indagou sobre a causa de sua angústia. "Não é nada de qualquer importância, Georgiana, apenas uma pequena dificuldade", disse Darcy tranqüilizadoramente. "Você não precisa se incomodar com isso." Georgiana não parecia convencido, conhecendo bem a medida em que seu irmão lutava para evitar desconforto à ela. "Se não é tão sério, por favor me conte então, senão vou continuar a se preocupar com isso." “Georgiana,” disse o irmão dela com uma advertência em sua voz. Ela lhe deu um olhar triste. "Você não pode manter-me uma criança para sempre, William", disse ela baixinho, voltando-se para deixá-los. Elizabeth disse, "Georgiana, espere. Eu acredito que ela tem razão, William. Ela não pode ser protegida contra isso por muito tempo, e é minha convicção de que ela tem a força para lidar com isso." "Não creio que este seja o momento. . ." Darcy ficou em silêncio quando ele notou o olhar no rosto de Elizabeth. "Bem, se você acha que é melhor, eu confio no seu julgamento." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Elizabeth deu-lhe um olhar agradecido e pegou a mão de Georgiana. "Recebemos algumas más notícias de Longbourn hoje, e eu temo que irá ser particularmente angustiante para você. Parece que minha irmã caçula, Lydia, que estava em Brighton enquanto você estava em Netherfield, fugiu, ou talvez mais precisamente, escapou, com ninguém menos que o Sr. Wickham.” O rosto de Georgiana congelou, e depois assumiu um aspecto de controle que Elizabeth achou muito semelhante ao que tinha observado no rosto de Darcy em ocasiões semelhantes. "Eu vejo", ela disse calmamente. "Elizabeth e eu vamos estar partindo para Londres de manhã, assim como os Gardiners, em uma tentativa de descobri-los," disse Darcy suavemente. "Eu, é claro, informarei você, logo que tenhamos alguma notícia." Ela ficou em silêncio por um momento e então disse: "Vou mantê-los em minhas orações." Ela se virou para sair, causando um olhar ansioso para passar sobre o rosto de seu irmão. "Obrigado por me dizer, William", disse ela antes de sair às pressas. "Talvez eu deveria ir atrás dela", disse Darcy preocupado. "Dê a ela um pouco de tempo antes ", disse Elizabeth. "Se ela quisesse falar, ela teria ficado." Embora ela também estivess preocupada com a reação de Georgiana, ela tinha mais fé do que Darcy na capacidade de sua irmã de cuidar de si mesma. ----------------Foi em um jantar bastante moderado naquela noite que Georgiana anunciou a sua intenção de acompanhá-los para a cidade. Tomado de surpresa, Darcy disse: "Não creio que seja necessário você fazer uma viagem tão longa. Este não é um momento particularmente agradável do ano para a cidade, afinal." "No entanto, eu gostaria de ir ", disse ela em uma voz um pouco acima de um Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


sussurro. Darcy olhou para ela, perplexo. Era diferente de Georgiana discutir com ele, e que ela iria fazer isso na frente dos outros era bastante surpreendente. Ele não queria magoá-la num momento em que ela já devia estar se sentindo bastante sensível, mas a última coisa que ele queria era ter de se preocupar com os sentimentos de Georgiana, quando ele estava tentando lidar com Wickham. Elizabeth disse, "Você fala como se isso fosse muito importante para você, Georgiana." Georgiana olhou para ela com alívio. "Sim, é", disse ela, sua voz um pouco mais estável. "Eu duvido que haverá algum tempo para passeios ou atividades prazerosas", disse Darcy. Ela respirou fundo. "Eu não preciso de ninguém para me divertir, William. Garanto a você que eu posso cuidar de mim." Darcy pensou que ele nunca iria entender o funcionamento da mente de sua irmã, e certamente não os momentos em que ela escolhia para se afirmar. "Elizabeth, quais são os seus pensamentos?" ele perguntou. Elizabeth dobrou o guardanapo. "Se ela quiser vir, não vejo nenhuma objeção", disse ela, seus olhos encontrando os do marido, na esperança de comunicar-lhe a necessidade de reconhecer os passos de Georgiana em direção à independência. Ele suspirou. "Muito bem, então, Georgiana, você pode vir se quiser." Mais tarde, quando Georgiana foi capaz de falar com Elizabeth em particular, ela agradeceu-lhe o seu apoio. "Não é que eu acho que há algo que eu possa fazer para ajudar, mas eu não quero passar o resto da minha vida tentando evitar qualquer parte do país que ele possa estar. Isto parece um momento tão bom como qualquer outro para enfrentar meus medos." Elizabeth abraçou-a. "Estou feliz que você tenha a coragem de enfrentá-lo agora. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Esse é o primeiro passo para a cura." "Eu não posso evitar de pensar que poderia ter sido eu, se não fosse pela chegada de William," ela disse suavemente. "Eu era um tola. Você nunca seria enganada assim, Elizabeth." "Eu imploro para discordar, eu passei um bom tempo na companhia do Sr. Wickham, e eu estava completamente tomada com a sua amabilidade e boas maneiras. Eu mesmo acreditei nas mentiras que ele me contou sobre seu irmão," Elizabeth disse com tristeza. "Eu acho difícil de acreditar" Georgiana exclamou, então, percebendo o que ela disse, timidamente se retrocedeu, dizendo: "Eu não quero duvidar de sua palavra, Elizabeth; é só isso que me surpreende." Elizabeth sacudiu cabeça. "Parece que todos nós estamos sujeitos a ter nossos corações a nos desviar do caminho do que é certo," disse ela, pensando nos princípios que ela havia violado que ela havia violado em seu comportamento com Darcy.

-----------------Quando Darcy veio até ela naquela noite, ela estava enrolada no assento da janela olhando para fora na escuridão estrelada. Ele estava consciente de que Elizabeth havia estado desanimada desde ler as cartas de Jane, e que tinha estado um tanto perdido quanto à forma de consolá-la. Sua crença de que sua presença na vida dela tinha sido a causa da escolha de Wickham de Lydia tornou difícil para ele se aproximar dela; ele não podia evitar de pensar que ela de que ela consideraria qualquer alegria que eles tivessem ter sido comprada pela miséria de sua irmã, e que ela iria ressentir-lo por isso. A idéia de que ela poderia retrair-se dele era como Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


uma ferida de faca afiada e intensa, e tomou toda a sua coragem de se aproximar dela. Foi uma espécie de garantia de que ela imediatamente colocou os braços ao redor dele, deitando a cabeça em seu ombro. Ela tinha estado desejando pelo conforto do abraço dele e o esquecimento que podia encontrar em seus braços, mesmo enquanto seu senso de vergonha pela sua falta de auto-controle com ele continuava a aumentar. Ele segurou-a perto, repleto de sentimentos paradoxais de liberdade que se sentia somente com o toque dela, e, incapaz de guardar os sentimentos dentro dele, murmurou: "Eu te amo tanto, Elizabeth, não consigo imaginar minha vida sem você do meu lado." Ele podia sentir um pouco da tensão sair do corpo dela com suas palavras, mas quando ela permaneceu em silêncio, a ansiedade dele aumentou. “Meu amor ", disse ele finalmente, “por favor, diga alguma coisa, ou estarei saltando para a pior conclusão possível de novo." Ela olhou para ele com surpresa, ao ouvir a seriedade de suas palavras sob o tom aparentemente lúdico. Tendo sido apanhada em suas próprias preocupações, ela tinha dado pouca atenção ao que poderiam ser as dele. "E conclusão seria essa?", perguntou ela. Ele olhou em seus olhos, e não sem ansiedade, disse: "Que você não pode me perdoar pelo que aconteceu a Lydia.” "William, eu permaneço admirada com a sua capacidade de inventar razões para eu ficar com raiva de você. Se algum dia eu desejar ter um chilique, eu certamente virei a você para obter uma justificativa adequada. Não, eu não te culpo de forma alguma, você tem sido de muito apoio, e não tenho qualquer queixa." Ele não pôde deixar de sorrir do olhar de diversão dela. "Estou aliviado ao ouvir isso. Me preocupa quando você desanimada e reservada como você tem estado hoje. " Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ela desejou a capacidade de expressar suas ansiedades para ele tão facilmente quanto ele parecia fazer com ela. "Eu. . . " ela começou, mas viu-se impossibilitada de continuar, e respondeu instintivamente alcançando para beijá-lo de uma forma que deixou ele sem dúvidas quanto a suas intenções. Surpreso, mas nem por isso avesso a essa idéia, ele voltou suas atenções com interesse, provando os prazeres da boca dela e passando as mãos até seus quadris. Ela não se afastou até que ela estava sem fôlego com desejo, seu clamando corpo pelo prazer e libertação que só ele poderia dar a ela. Sentindo a proximidade, ela finalmente foi capaz de expressar seus temores. "Tenho medo que isso fique entre nós," confessou, sua voz desigual. "Não, " ele disse firmemente, tomando o rosto dela nas mãos. "Nada vai ficar entre nós de novo, eu não vou permitir isso." Ele a beijou apaixonadamente e profundamente, como se marcando-a com a sua verdade. "Meu amor," ele gemeu, sua boca percorrendo o queixo e o pescoço dela. "Nunca pense uma coisa dessas, nunca!" Elizabeth estava muito presa no prazer de seus beijos para responder. Quando ele finalmente levantou sua boca, Darcy disse, "Eu espero que você esteja convencida, meu amor, que esta questão de Lydia não vai ficar entre nós." Ela sorriu, carinhosamente acariciando o peito dele. "Você tornou-se bastante clara sobre o assunto, William," respondeu ela. "Isso não é exatamente o mesmo que dizer que você está convencida," disse ele, desconfiado. Aninhando-se contra ele, ela disse: "Talvez fosse mais exato dizer que algumas questões continuam sem solução para mim." "Posso perguntar quais essas seriam?" Ela tinha que beijá-lo antes de encontrar a coragem para responder. "Eu acho que estou bastante descontente com o comportamento de Lydia, e, ao mesmo Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


tempo, eu acho que ele não seja particularmente diferente do meu, e esta é uma fonte de alguma insatisfação." Ele franziu o cenho. "Isso é porque nós antecipamos nossos votos de casamento?" "Isso, e. . . bem, eu permiti muito antes, também. " "Não tanto quanto eu pedi.” "Mesmo assim." Foi apenas um pequeno passo na mente de Darcy da angústia sobre o comportamento dela para a raiva de quem provocou e incentivou esse comportamento. Sua ansiedade aumentou, apesar de seus esforços para sufocá-la. Ela dificilmente estaria em meus braços se ela estivesse com raiva de mim, ele pensou. Pelo amor de Deus, não tente ler mais nas palavra delas do que está lá, ela precisa de apoio, não conflito. Cuidadosamente, ele disse. "Embora haja similaridades superficiais, acredito que sua situação era bastante diferente da Lydia" "Sim , que é minha sorte de não pagar um preço pelos meus erros." Ele suspirou. "Elizabeth, uma vez você pensou muito bem de Wickham. Se ele lhe pedisse para fugir com ele, então, você teria feito?" "Não, claro que não!" "Por que não?" "Bem, esta teria sido uma união imprudente, e se eu escolhesse ignorar isso, por que fugir? Não teria havido nenhuma razão para não seguir o curso normal, e teria me feito desconfiar se ele não desejasse fazê-lo." "Você poderia ter deixado ele te beijar?" Darcy esperava fervorosamente que a sua pergunta não seria respondida com uma afirmativa. Ela corou. "Claro que não." "Mas você deixou eu te beijar", disse ele, e seguiu as suas palavras com ações. Quando ele a soltou, ela disse maliciosamente: "Você era mais tentador." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Uma resposta muito atraente, meu amor, mas eu duvido que a tentação seria a sua única consideração." "Mmm. . . isso vai depender de quanto era tentador. Muito bem, vou ser séria, se você insiste. Você fez suas intenções claras, e eu sabia que você não iria fugir das suas responsabilidades. Aceito o seu ponto, senhor. " "E quando eu a levei para minha cama, nós estávamos formal e publicamente noivos, o que não quer dizer que era aceitável em nenhuma de nossas partes, mas está muito longe de fugir com um homem sem uma boa razão! Mas eu tenho uma pergunta para você." "E qual é?" "Quão tentador eu era?" Ela sorriu, e seguiu a linha do queixo dele com o dedo. "Muito, muito tentador," disse ela. "Tentador o suficiente para me fazer te amar quando eu estava determinad a não amar." "Graças a Deus por isso!", disse ele, olhando nos olhos que tanto o fascinaram quando ele tinha estado igualmente decidido a não se importar, e beijou a mulher que tinha se tornado a fonte de toda a sua felicidade. ---------Eles partiram cedo na manhã seguinte na carruagem de viagem de Darcy, um veículo de luxo que faria um excelente tempo na viagem para Londres. No início, a conversa entre os passageiros foi um pouco forçado, já que o tema na mente de todos não era adequado para a discussão na frente de Georgiana. Depois de um tempo, no entanto, Elizabeth foi capaz de encontrar um interesse pela paisagem nova através da qual eles estavam passando. Darcy, que estava naturalmente bastante familiarizado com o percurso, estava feliz em apontar pontos vistas ao Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


longo do caminho. Eles viajaram o mais rapidamente possível, e depois de dormir uma noite na estrada, atingiram Gracechurch Street na noite seguinte. Quando chegaram à periferia de Londres, a mente de Elizabeth virou-se para os próximos eventos. Sua ansiedade aumentou quando se aproximaram de Gracechurch Street, ela sabia que sua preocupação deveria ser toda por Lydia neste momento, mas ela não podia deixar de se perguntar se o pai dela estaria na casa dos Gardiners, em caso afirmativo, como ele reagiria à notícia de seu casamento. Certamente não era o ambiente no qual ela teria escolhido para informá-lo, e ela temia a idéia de discutir as circunstâncias que levaram a isso. Os temores dela se concretizaram quando eles chegaram; o Sr. Bennet desceu para cumprimentá-los quando informado da chegada deles. Ele parecia exausto, e haviam novas linhas ao redor dos olhos. Elizabeth sentiu toda a preocupação que seria de esperada por seu pai, e preocupou-se sobre como a notícia poderia afetá-lo. Mr. Bennet não tinha antecipado ver o Sr. Gardiner por um dia ou dois, uma vez que ele esperava que ele parasse em Longbourn; a chegada de Darcy, Elizabeth, e Georgiana foi uma completa surpresa. No entanto, ele saudou a todos calorosamente, com um abraço para sua filha, e agradeceu Darcy por trazer Elizabeth e o Sr. Gardiner para a cidade tão prontamente. Darcy olhou para Elizabeth, em seguida, para o Sr. Gardiner, que fez um movimento com os olhos. "Sr. Bennet, posso falar com você em particular?" perguntou ele. "Agora?" perguntou o Sr. Bennet, não tendo deixado de notar a interação. "Sim, senhor", disse Darcy determinação. "Eu acredito que vou acompanhá-los também ", disse o Sr. Gardiner. "Lizzy, você vai entreter Miss Darcy na nossa ausência? O nosso cozinheiro pode sem dúvida oferecer alguma espécie de refresco para você." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


“Claro," disse ela, se perguntando se ela deveria pedir para participar na discussão, mas parecia que Darcy e seu tio achavam melhor que não. Ela observouos com preocupação enquanto eles se retiravam para os escritório. "Bem, Sr. Darcy," disse o Sr. Bennet quando ele sentou-se. "O que posso fazer por você?" "Existem duas questões que preciso abordar com o senhor, Sr. Bennet", disse Darcy, torcendo nervosamente o seu anel de sinete. "O primeiro é sobre a razão pela qual eu vim para Londres, que é que eu conheço algumas das ligações de Wickham em Londres bem como os hábitos dele, o que espero possa ser útil na descoberta dele." "Qualquer ajuda será bem-vinda", o Sr. Bennet disse. "Talvez poderíamos nos encontrar pela manhã para discutir isso melhor", Darcy aventurou. Se ele estivesse em um melhor estado de espírito, o Sr. Bennet teria achado a hesitação e a óbvia inquietação de Darcy divertidas, mas a paciência e tolerância dele tinham sofrido muito ao longo dos últimos dias. "Como quiser", disse ele brevemente. A parte mais fácil terminada, Darcy preparou-se para a tempestade. Ele esperava que a sua oferta para encontrar Wickham ao menos abrandasse o Sr. Bennet em relação à ele, e o seu comportamento tornou-se mais distante e frio quando ele tentou disfarçar sua ansiedade. "O outro assunto de que eu preciso informá-lo, sem dúvida virá como uma surpresa; é que Elizabeth e eu nos casamos última terça-feira em Matlock." O rosto do Sr. Bennet registrava choque. Ele cruzou as mãos tranquilamente na frente dele enquanto ele olhava fixamente para Darcy. "O que você disse? "Sua filha e eu estamos casados," disse Darcy, com sua voz inflexível e sem reação. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Sem uma palavra para mim?" o Sr. Bennet, afirmou em tom de conversa, que foi desmentido por seu afeto. "Sim", disse Darcy brevemente. "Tínhamos previsto viajar a Longbourn ainda esta semana para o familiarizá-lo com o assunto, mas eventos têm interferido com esses planos." "Ocorreu-lhe, Sr. Darcy, que eu poderia ficar menos do que satisfeito com este desenvolvimento?" Um elemento da descrença entrou a voz do Sr. Bennet. "Eu não espero que você esteja satisfeito, senhor." Darcy começou a se preocupar que a reação do Sr. Bennet iria ser ainda pior do que ele temia. "E ainda assim você foi adiante com ele de qualquer maneira." "Sim". "Posso perguntar por que você decidiu ignorar completamente o que você sabia que ser a minha vontade e os planos da minha família?" A voz do Sr. Bennet estava começando a subir, uma ocorrência quase inédita em um homem que sempre tinha utilizado o humor para desarmar situações difíceis. Darcy, sentindo que seu sogro tinha toda razão para estar irritado, e ciente de que sua resposta ia provavelmente torná-lo mais irritado ainda, disse no que ele esperava ser uma voz calma: "Foi necessário." "Foi necessário?" O Sr. Gardiner, preocupado com a escalada da situação, decidiu que era hora de intervir. "Ele teve o meu consentimento," disse ele gentilmente. Quando os olhos do Sr. Bennet se voltaram para ele com descrença furiosa, ele acrescentou: "Eu não vi nenhuma alternativa melhor sob as circunstâncias." O Sr. Bennet não podia acreditar, não iria acreditar no que seu cunhado estava implicando. "Sob quais circunstâncias?" ele perguntou lentamente, como se as palavras estivessem sendo arrastadas para fora dele. Não a Lizzy dele. . . Olhos de Darcy estavam cuidadosamente focados em um ponto no ar, como se Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


em muita atenção à alguns detalhes imaginário iriam fazer a pergunta se evaporar em nada. Finalmente o Sr. Gardiner disse: "Sob as circunstâncias que eles precisavam se casar o mais rápido possível." O silêncio que isto produziu foi profundo e duradouro enquanto o Sr. Bennet considerava as implicações. Elizabeth já estava casada, ela não pertencia mais a sua casa, mas era a senhora da casa de Darcy; ele não tinha entregado-a, mas ela havia sido tirada dele. Sua animada, inteligente, esperta Lizzy não era mais dele, e agora ela pertencia ao freqüentemente desagradável homem na frente dele, que a seduziu e conquistou injustamente. Ele olhou Darcy com uma fúria profunda. "Você tem algo a dizer em sua defesa, Sr. Darcy?" Darcy refocalizou o seu olhar sobre o Sr. Bennet. "Absolutamente nada, senhor", ele disse calmamente. O Sr. Bennet expirou bruscamente. Mordendo as suas palavras, ele disse: "Eu deveria ter esperado isso depois do que aconteceu em Hertfordshire. De todos os irresponsáveis, negligentes, egoístas. . . " A mão do Sr. Gardiner segurou firmemente o braço dele. Ele disse calmamente: "Eu estou contente de dizer que Lizzy não parece estar aflita pelas circunstâncias de seu casamento, e se eu fosse arriscar um palpite, acredito que ela acha ser uma espécie de alívio, embora ela tenha estado bastante preocupada com a sua reação." O pensamento da preocupação de Elizabeth suavizou um pouco o pai dela, forçando-o a lembrar que se indispor com Darcy só iria interferir na sua proximidade com ela. "Lizzy aceitou isto bem, então?" ele

perguntou ao Sr.

Gardiner. "Se não fosse a situação com Lydia, eu diria que ela está muito feliz," respondeu o Sr. Gardiner. O Sr. Bennet poderia ter encontrado no seu coração o desejo de que ela poderia estar um pouco mais triste em deixar sua casa e família, mas ele conhecia bem Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


anatureza de Lizzy. "Bem, como há pouco que posso fazer sobre isso, talvez quanto menos ser dito melhor", disse ele a contragosto. Darcy inclinou a cabeça silenciosamente em reconhecimento. As linhas de exaustão se mostraram mais proeminentes no rosto do Sr. Bennet, enquanto ele domava sua raiva. Ele se levantou, dizendo: "Eu gostaria de falar com Lizzy agora." Darcy antecipou-o. "Vou trazê-la, então. Minha irmã não está consciente das circunstâncias do nosso casamento, e eu prefiro que ela não seja envolvida nisso." O Sr. Bennet não poderia resistir a um golpe de faca final. "Você não gostaria de ter sua irmã seguindo seu exemplo, então." "Sr. Bennet, se você quiser me rotular de irresponsável, imprudente e egoísta eu não vou discutir com você, mas eu não sou um idiota," exclamou Darcy, tendo atingido o fim de sua tolerância. Ele lamentou a sua demonstração de temperamenteo quase que instantaneamente, e quando ele colocou a mão na porta, disse: "Eu espero que você entenda que eu amo muito a sua filha." "Não o suficiente para respeitá-la, aparentemente." “Olhe para isso como você quiser, então, senhor ", disse Darcy, com finalidade enquanto ele saía. O Sr. Bennet baixou a cabeça em suas mãos. Olhando com preocupação, o Sr. Gardiner disse: "Enquanto você está pensando no que ele fez, não negligencie em pensar o que ele não fez - ele não fez uma tentativa de esconder o que aconteceu de você ou de mim, ele não simplesmente esperou que não houvessem conseqüências do evento e continuasse com os planos, e ele não tentou justificar-se. " "Oh, sim", disse o Sr. Bennet, com um humor amargo. "Comparado com o outro jovem que seduziu uma de minhas filhas, o comportamento dele é admirável, mas você vai ter que me perdoar se eu guardar rancor de que aconteceu de qualquer maneira." "Eu entendo completamente. No entanto, eu acho que ele está fazendo o melhor Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


que pode com uma situação difícil, e que ele tenha feito todas as tentativas de assumir a responsabilidade por aquilo que ele fez. E embora eu não possa desculpar, o fato da questão é que o vínculo entre eles é o mais apaixonado que eu já vi, e estar em tal proximidade os colocou em uma certa quantidade de perigo. " Outro pensamento ocorreu com ao Sr. Bennet, e ele olhou para o Sr. Gardiner com desagrado. "E onde você estava quando isso estava acontecendo?" ele perguntou abruptamente. O Sr. Gardiner olhou para ele com alguma simpatia. "Eu estava dormindo, como é meu hábito durante a noite." O Sr. Bennet fechou os olhos e disse cansado, "Minhas desculpas, Edward. Eu não deveria ter implicado que isto foi sua culpa de forma alguma. Eu simplesmente não posso acreditar que Lizzy se comportaria desta maneira. Lydia, com certeza, ou Kitty, mas Lizzy? E o que é que ela consegue ver nele?” "Ele pode ser muito agradável e charmoso," afirmou Gardiner sinceramente, “e ele parece amar Lizzy além de qualquer medida . Certamente você pode encontrar algo em comum com ele nisto."

Capítulo 11 Depois que os cavalheiros desaparceram dentro do escritório, Elizabeth e Georgiana tinham recuado para a sala de estar, que estava um pouco fria já que o fogo não havia sido aceso ainda. A agitação dela não podia ser mascarada, e ela sabia que seu pai iriaficar infelize, e que isso seria feito por ela, sua filha favorita, devia estar agustiando-o através de seu comportamento, devia estar enchendo-o com medos e receios, era uma reflexão infeliz. Georgiana, inconsciente da Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


ignorância do Sr. Bennet dos recentes acontecimentos, assumiu que a inquietação de sua irmã nasceu da preocupação com Lydia, e tentou animá-la com conversa, mas Elizabeth sentou-se na miséria silenciosa até Darcy apareceu novamente. O leve sorriso dele tranquilizou-a até certo ponto. "Venha, minha querida, seu pai quer falar com você antes nós partirmos," disse ele. Ele a seguiu até a sala, onde ele acariciou o rosto dela levemente. "Ele não recebeu tão mal quanto ele poderia; acho que nós, ou pelo menos você, será perdoada, embora talvez não imediatamente." "Talvez você devesse esperar com Georgiana, enquanto eu falo com ele," disse ela

preocupada.

Os olhos dele cintilaram por um momento. "Elizabeth, eu sou seu marido, e se você pensou por um momento que eu deixaria você ir lá sem mim, você está muito enganada." Ela sorriu ansiosamente, mas com bom humor. "Você está certo, é claro, eu temo que eu ainda não estou acostumada a ser casada. Talvez eu estarei acostumada dentro de uma quinzena ou duas." "Você terá muitos anos para se acostumar com isso, meu amor." Ele pegou a mão dela e apertou-a, e não soltou-a imediatamente quando eles entraram no escritório; ela descobriu que estava de fato muito grato pela presença dele ao seu lado. Ela viu que o Sr. Gardiner estava envolvendo o Sr. Bennet em uma conversa séria que terminou com a chegada deles, e ela olhou para o pai com aquela expressão que misturava culpa e travessura que tinha participado de cada transgressão desde que ela era uma criança pequena, embora infelizmente, não poderia haver comparação feita entre um casamento quase igual à uma fuga e esconder a boneca favorita de Kitty em uma árvore. Ela ficou aliviada quando ele se levantou e se aproximou dela, tomando-lhe as mãos. "Bem, Lizzy, eu vejo que ainda permanece além de você gerenciar sua vida Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


romântica de uma maneira tradicional," disse ele. "Eu preciso encontrar alguma maneira na qual distinguir-me de Jane", disse ela gravemente. "Sim, bem, eu estou começando a apreciar Jane muito mais do que no passado!" disse o Sr. Bennet. "Há algo a ser dito sobre tradição, afinal de contas. Mas você tem os meus melhores votos, Lizzy, e eu espero que você seja muito feliz. " Ela sorriu para Darcy com um olhar inconfundível de carinho. "Disso eu não tenho dúvidas, senhor, e espero que algum dia você será igualmente feliz sobre isso." "Bem, talvez, mas você vai me desculpar no momento se eu gastar meu tempo apreciando o previsível Sr. Bingley," disse ele secamente. "Mas podemos discutir isso melhor mais tarde, eu sei que você deve estar cansada depois de sua longa jornada. Amanhã vou reunir-me novamente com. . . seu marido para debater novas medidas que podemos nos encarregar para descobrir Lydia, talvez eu possa ver você em algum ponto também ?" Ela olhou para Darcy antes de acenar o seu consentimento. --------------------------Os sentimentos de Elizabeth durante a viagem à casa de Darcy foram muito mais complexos do que ela teria esperado; não foi até ao momento em que ela deixou seu pai e tio para trás para ir para a casa do marido que ela sentiu a verdadeira dimensão de como o seu casamento tinha mudado a vida dela – que ela tinha deixado a sua antiga vida e sua família para trás, e que as opiniões de Darcy agora deviam prevalecer sobre as de seu pai. Não seria, em circunstâncias normais, uma descoberta incomum, mas já quem em Pemberley seu casamento tinha só implicado uma mudança de quarto, não tinha parecido verdadeiro para ela até Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


agora. Eles chegaram em Brook Street assim como a escuridão estava caindo. Apesar de curiosa para ver o lugar onde ela podia esperar para passar uma grande parte do tempo no futuro, Elizabeth, no entanto se conteve um pouco quando o mordomo encontrou com eles na porta. "Sr. Darcy!" Philips disse surpreso. "Nós não estávamos esperando você, senhor." "Peço desculpas por não ter avisado, Philips, nós deixamos Pemberley de maneira bastante inesperada," disse Darcy, entregando o chapéu e o casaco. "Eu vou preparar seu quarto preparado imediatamente, senhor. Gostaria de algum refresco?" Philips olhou para Elizabeth, se perguntando sobre as acomodações

para

esta

hóspede

desconhecida.

"Sim, se o cozinheiro puder preparar alguma coisa, estou certo de que nós todos iríamos apreciar." "Imediatamente, senhor. E, Sr. Darcy, devo mencionar que o coronel Fitzwilliam esteve ficando aqui, espero que não seja um problema, senhor." "Nem um pouco," disse Darcy, imaginando o que teria trazido seu primo para a cidade de novo tão logo após a sua última visita, quando o cavalheiro apareceu no corredor

para

verificar

a

comoção.

"Darcy!" exclamou o Coronel Fitzwilliam. "O que o traz aqui?" Ele beijou a bochecha de Georgiana calorosamente e, em seguida, percebendo Elizabeth, começou com surpresa. "Miss Bennet, este é um prazer inesperado" disse ele, inclinando-se sobre a mão dela. "Eu temo que terei de apresentá-lo novamente, você não tem o nome dela corretamente, Fitzwilliam," disse Darcy significativamente. Um olhar intrigado cruzou o rosto do coronel quando ele olhou para trás e para frente entre Darcy e Elizabeth, então, quando a luz raiou, ele olhou para a mão dela. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Não Sra. Darcy," ele disse com uma voz arrastada, atirando um olhar aguçado para Darcy. Elizabeth sorriu e fez uma reverência. "É realmente um prazer, Coronel Fitzwilliam." "Bem,!" exclamou ele com um largo sorriso. Voltando sua atenção para seu primo, ele disse: "Darcy, seu cachorro! E sem mesmo me convidar para o casamento! Isto dizer que o dueleo ao amanhecer está?" Darcy pareceu satisfeito. "Sim; eu decidi esperar até que você me desafiar em vez disso - então eu posso escolher floretes e estragar a sua aparência bonita para você, primo. Agora, posso sentar em minha própria casa, ou você está planejando uma inquisição antes de nos deixar passar pela porta?" Balançando a cabeça, incrédulo, o coronel Fitzwilliam permitiu-lhes passar. Darcy, vendo um atordoado Philips ainda pairando, tomou um momento para apresentá-lo à Elizabeth corretamente antes de conduzi-la à grande sala de estar. Uma vez que todos estavam acomodados, Darcy perguntou: "Então, o que você está fazendo aqui, Fitzwilliam?" "Além de beber o seu vinho do porto? Bem, você sabe que eu voltei para Newcastle e, mal eu tinha chegado sua senhoria me mandou direto de volta cá para satisfazer ao Major General novamente, e depois repetiu-se todo o ciclo mais uma vez, depois que eu disse ao seu senhorio que eu achava que seria muito mais eficiente para mim permanecer em Londres, enquanto ele me enviava instruções pelo correio, em vez de manter as instruções em Newcastle e enviar-me para trás e para frente pelo correio. Assim, desde que você foi embora, e planejando atirar em mim ao amanhecer também, eu me impous sobre Edward - meu irmão mais velho Sra. Darcy - e permaneci com ele por dois dias, depois dos quais eu pensei que era improvável que eu iria sobreviver o tempo suficiente para você atirar em mim, por isso levantei acampamento e atirei-me à mercê de Philips, que teve piedade de mim e me acolheu Ele não me permitiu beber demais do seu vinho do porto, no entanto, o Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


que é uma pena." "Fitzwilliam, você está convidado a beber cada última gota do meu porto, e ao resto da adega também," disse Darcy significativamente, com um olhar para Elizabeth. O coronel inclinou a cabeça. "Sempre feliz por estar de serviço. Mas eu suspeito que você tem uma saga mais interessante para contar, Darcy. Você veio de Hertfordshire?” Darcy riu. "Eu temo que é muito mais complexo do que isso. Passamos algumas semanas em Hertfordshire, onde, depois de uma certa quantidade de persuasão, consegui convencer esta adorável dama a aceitar a oferta da minha mão," disse ele, parando para pegar a mão de Elizabeth e beijá-la levemente. Ela olhou para ele com o sorriso meigo que sempre faz o coração dele bater mais rápido, e os olhos deles se prenderam por um momento. "Você vai ter que se acostumar com isso, Richard," interpôs Georgiana. "Temo que eles fazem isso muito constantemente." Elizabeth corou levemente. Darcy beijou a mão dela novamente, então segurou na sua, olhando para o coronel Fitzwilliam, como se desafiando-o a objetar. O último simplesmente levantou uma sobrancelha divertida. "Este deve ter sido um noivado muito curto, então, primo." "Bem, eu confesso que tinha previsto inicialmente ser um pouco mais longo, mas, como aconteceu, Elizabeth estava por coincidência prestes a viajar com alguns de seus familiares para Derbyshire, e nós os convencemos a ficar em Pemberley. E, claro, uma vez que eu tinha Elizabeth em Pemberley, eu não estava disposto a deixála partir de novo, por isso, nos impomos sobre o seu velho amigo o bispo para eliminar os últimos obstáculos ao casamento imediato. Seus pais compareceram ao casamento." Elizabeth estava aliviada que o Coronel Fitzwilliam não pareceu achar este Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


conto de qualquer forma notável, e notou para consideração futura que isso poderia significar que, enquanto o mundo inteiro via Darcy como sempre se comportando de uma forma estudada e cuidadosa, os parente dele todos pareciam achar perfeitamente natural ele ser loucamente impulsivo. "E ninguém achou adequado mencionar isso para mim?", disse o Coronel Fitzwilliam com uma indignação debochada. "Eu terei que desafiá-lo, Darcy. Sem mencionar que inventar um castigo adequado para os meus pais." "Foi somente há dois dias, Coronel Fitzwilliam," Elizabeth disse divertidamente. "Dois dias? O que, em nome do céu, vocês estam fazendo aqui, então?"Ele parecia ligeiramente escandalizado. "Desculpe-me, por favor", disse Georgiana bruscamente, e saiu da sala. O Coronel Fitzwilliam olhou para ele com preocupação. "Eu disse algo que eu não deveria ter dito?" Darcy olhou para Elizabeth, como se pedindo permissão. Em resposta ao aceno dela, ele disse, "Eu acredito que ela queria evitar de ouvir a resposta à sua pergunta, que toca no assunto desagradável de George Wickham." O rosto do Coronel Fitzwilliam pareceu sombrio. "O que aquele canalha fez agora? Se ele se quer tentou falar uma palavra paara Georgiana, eu juro que eu vou. . . perdoe-me, Sra. Darcy, eu tenho medo que meu temperamento é conhecido por sempre me vencer neste assunto." "Eu compreendo totalmente," disse Elizabeth secamente. "Ele não tentou nada com Georgiana, temo que ele está tentando sua mão em uma nova rota para me atormentar," Darcy disse, apertando a mão ao redor de Elizabeth. "De alguma maneira ele conseguiu convencer a irmã mais nova de Elizabeth a fugir com ele - ele parece repetir o mesmo padrão novo e de novo - e eles foram rastreados até Londres, mas aparentemente ele não foram mais longe, portanto a nossa chegada hoje." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Eu lamento muito ouvir isso, Sra. Darcy," ele disse, sua voz preocupada. "Eu compreendo, então, que ele sabe do seu casamento?" "Não que estamos casados, mas acreditamos que Lydia estava ciente do nosso noivado, então devemos supor que ele sabia também," Elizabeth respondeu. "Eu não consigo imaginar outra forma porque ele escolheria ela; ela não tem dote, e minha família pode oferecê-lo pouco" "Eu tenho algumas idéias de como descobri-lo", disse Darcy. "Amanhã vou encontrar com o Sr. Bennet, que também está em Londres, para discutir como resolver a situação." "É verdade. Talvez eu deva ir com você, Darcy. Eu poderia ter um pouco para adicionar," disse o Coronel Fitzwilliam. Darcy franziu o cenho. "Embora eu aprecie sua vontade de ajudar, não consigo ver o que você pode saber que eu não sei." “Wickham é muito hábil em jogar com suas emoções, Darcy. Ele sabe que eu iria acabar com ele de vez," disse o coronel Fitzwilliam. "Isso me coloca em uma certa vantagem em lidar com ele." "Isso é minha responsabilidade. Se eu não sentisse abaixo da minha dignidade expor o comportamento dele para o mundo, isso nunca poderia ter acontecido." A voz de Darcy expressou sua raiva contra si mesmo. Elizabeth disse gentilmente, "Eu poderia dizer o mesmo - que a culpa é minha por não revelar o que sabia sobre ele. A verdade, porém, é que a culpa é de uma só pessoa, e este é o Sr. Wickham. Eu não recusaria a ajuda de ninguém nessa situação." “Tão sábia quanto bela, você tem feito bem para você, Darcy. Ouça a sua esposa." "Assim fala o solteirão perpétuo!" O Coronel Fitzwilliam decidiu contra dizer que ele tinha ajudado o seu primo a Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


cortejar a perspectiva conjugal mais promissora que ele próprio tinha visto em algum tempo. "Se eu tivesse as suas oportunidades, meu velho, você iria cantar uma música diferente." Darcy olhou para ele com desconfiança, mas foi interrompido em o que quer o que ele poderia ter escolhido a dizer pelo aparecimento de Philips, que solicitou uma entrevista breve com o patrão. Em seu retorno poucos momentos depois, ele encontrou Elizabeth conversando alegremente com o Coronel Fitzwilliam. Descobrindo para sua decepção de que ele não gostava de maneira alguma ver Elizabeth sorrindo para qualquer outro homem, mesmo o primo dele, ele se aproximou dela e falou baixinho no ouvido dela. "Parece que temos uma crise familiar de uma magnitude sem precedentes, meu amor. Aparentemente, até mesmo os meus admiráveis empregados pode aprontar em questão de uma hora os cômdos que estão fora de uso há muitos anos e, assim, os cômodos que lhe são devidos como a dona da casa não estarão prontos até amanhã. Eles oferecem à você em vez disso o melhor quarto de hóspedes." Os olhos dela brilharam para ele com diversão. "Eu suponho que você aceitou em meu nome, senhor," disse ela zombeteiramente, desconhecendo como sua ludicidade estava afetando ele. "Na verdade não, senhora. Eu propus uma solução completamente diferente," disse ele sugestivamente. Elizabeth olhou para o coronel Fitzwilliam, que estava observando esta interação com interesse, embora não pudesse ouvir as palavras de Darcy. "Talvez possamos discutir isso mais tarde, senhor," disse ela tranquilamente. "Acho que não, minha linda esposa," respondeu ele, ajudando-a levantar de pegá-la em seus braços. "Boa noite, Fitzwilliam", disse ele, satisfação evidente em sua voz. "Boa noite, Darcy, Sra. Darcy. Eu espero que vocês durmam bem." O Coronel Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Fitzwilliam abriu um largo sorriso, levantando a taça para eles. Elizabeth, no mais profundo constrangimento, escondeu o rosto no ombro de Darcy. Uma vez que eles estavam fora da sala, ela olhou para ele reprovadoramente. "E pensar que um dia eu acreditei que você valorizava o decoro!" Ele parou para beijá-la, desprezando o empregado no corredor. "É tudo uma questão de prioridades, meu amor." Ele abriu a porta para um cômodo no andar de cima. "Agora minha prioridade é familiarizá-la com minha cama." Ele colocou-a naquele móvel, explorando a boca dela com uma atenção sem pressa à detalhes que despertou Elizabeth em um estado onde ela já não sentia o menor interesse em contestar as intenções dele. Ele acariciou a pele macia do pescoço dela, deixando rastros de sensações onde quer que ele tocava, e depois de correr o vestido fora de seu ombro, ele enfiou a mão sob o decote para acariciar seus seios. Ela arqueou as costas para incentivar o prazer que ele lhe dava, e o choque intenso de desejo que correu através dela quando ele começou a explorar seu mamilo a fez arfar nos lábios dele. Quando ele se afastou apenas o suficiente para olhar para ela, ela podia ver o rubor de paixão no rosto dele. "Você ainda quer voltar lá para baixo, Elizabeth?" perguntou ele, continuando a estimulá-la com os dedos hábeis. Atingida mesmo através das ondas da deliciosa sensação que a percorriam pela estranheza do comportamento dele, ela enlaçando os braços ao redor de seu pescoço. Pouco antes de ela trazer o rosto dele de volta para ela, ela sussurrou, "Eu nunca quis. Eu quero estar com você, William." Ele mordiscou o lábio dela, então libertou-a apenas o suficiente para tirar sua gravata e casacos. Ele abaixou-se para ela como se para reivindicar o seu corpo com o dele e a beijou exigentemente antes de passar a explorar o rosto dela e pescoço com os lábios. Quando chegou ao seu ouvido, ele murmurou,"Elizabeth, se você não encontrar uma maneira de remover suas roupas muito rapidamente, vou tomar o assunto em minhas próprias mãos, e eu não garanto que elas serão usáveis quando Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


eu tiver terminado." O rosto dela se iluminou com diversão. "É bastante confuso para mim, senhor, como você espera que eu faça qualquer coisa do tipo, quando você persiste em deitar em cima de mim." Ele rolou de cima dela obsequiosamente, mas não libertou-a até que suas mãos impacientes tiveram a oportunidade para rever-se completamente com as curvas do corpo dela. Vendo a impaciência dele, ela virou-se para que ele abrisse o vestido dela. Ele lutou com os minúsculos botões corajosamente por um tempo considerável até que ele cedeu aos seus impulsos e puxou os lados separados à força. "William!" ela exclamou, espantada com a ação dele. "Eu não tenho muitos vestidos comigo nesta viagem!" Ele mordiscou a nuca dela enquanto ele desfazia os laços de seu espartilho. "Compre mais," ele instruiu de forma sucinta. Depois, ela estava nos braços dele, respirando difícil, e mais uma vez dominada pelo prazer que ele poderia lhe dar. Um afloramento de ternura por ele encheu-a, um sentimento de gratidão por terem descoberto um ao outro contra todas as probabilidades, e ela delicadamente alisou o cabelo dele para trás. Ela estava consciente de que algo havia incomodado ele antes, ela não sabia o que tinha sido, mas as linhas de preocupação estavam apagadas da testa dele agora. "Eu te amo tanto", ela sussurrou impulsivamente, e seus braços se apertaram ao redor dela. "Minha amada Elizabeth", respondeu ele. "Você nunca deixa de me surpreender." Um sorriso curvou os lábios dela. "Estranhamente, eu acredito que eu poderia dizer o mesmo sobre você. " Ele beijou a testa dela suavemente, pensando sobre seus sentimentos anteriores. O olhar pensativo no rosto dele chamou a atenção de Elizabeth, e ela perguntou: "Está acontecendo alguma coisa, William, meu amor?" Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ele torceu uma mecha do cabelo desgrenhado dela em torno de seu dedo, pensativo. Com um suspiro, ele admitiu: "Há momentos em que eu preciso tanto de você que me preocupa." "Esse é um sentimento que eu certamente posso entender," disse Elizabeth comovidamente, "uma vez que é um que eu partilho." “Você compartilha?” Ela levantou-se sobre um cotovelo para vê-lo melhor. "Sim, eu compartilho," disse ela lentamente. Ele pegou o rosto na mãos. "Eu não sabia", disse ele, beijando-a com ternura. "Não posso dizer que estou triste em ouvir isso." "A miséria adora companhia?", ela perguntou com um sorriso. "A sua companhia é tudo que eu quero." Ele parou por um instante, depois acrescentou: "Se pudéssemos voltar para Pemberley, apenas nós dois, eu ficaria bastante satisfeito. Desejo que todos nos deixassem sozinhos, o seu pai, meu primo, sua irmã, Wickham, mesmo os empregados daqui." Elizabeth abafou uma risada no ombro dele. "Principalmente os empregados daqui, o que eles vão pensar de mim, aparecendo do nada e deixando um rastro de roupa rasgada atrás de mim?" "Eles vão adorar você, como eu adoro. Bem, talvez um pouco diferente. Eles vão pensar que você é uma grande melhoria sobre o humor que eu estava durante a primavera - duvido que eles se importem se você retalhar cada item de vestuário e cortinas em casa." "Perdoe-me, senhor. Eu não acredito que fui eu quem estava fazendo o retalhamento!" "Você me levou a isso," disse ele, beijando-a demoradamente. "Além disso, isso irá fornecer à você e Georgiana algo para fazer amanhã. Não há nada que Georgiana goste tanto quanto fazer compras, ela terá prazer em ajudá-la a escolher um novo Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


guarda-roupa." "Oh, querido," disse Elizabeth com diversão. "Eu sugiro que você escolha vestidos que são fáceis de remover", disse ele. "Isso pode promover a

longevidade deles." Ela parou a boca dele em seu modo

preferido. --------------------------Após o café da manhã Darcy e o coronel Fitzwilliam partiram para Gracechurch Street. Georgiana, como Darcy previra, estava entusiasmada com a viagem para a modista, e embora isso não parecesse uma prioridade para Elizabeth, ela estava disposta a admitir que a permanência na casa desconhecida durante todo o dia enquanto aguardando notícias seria provávelmente desagradável. As lojas que Georgiana favorecia eram de uma maior qualidade do que aquelas Elizabeth visitou com sua tia no passado, e ela ficou preocupada com a despesa pois o número de itens Georgiana insistia que ela precisava continuavam a aumentar. Casar-se com ela já tinha provavelmente custado à Darcy uma soma considerável para resolver o caso de Lydia, e ela não estava inclinada a gastar mais do dinheiro dele do que era necessário. Georgiana não soube como compreender a relutância de Elizabeth, e, finalmente, decidiu deixar para o seu irmão explicar o que seria necessário para ela em seu papel de Sra. Darcy. Quando elas finalmente voltaram para Brook Street no final da tarde, os cavaheiros ainda não tinham retornado. Este atraso causou à Elizabeth alguma ansiedade, e ela propôs um passeio no Hyde Park, para se distrair, mas Georgiana estava cansada após o seu dia na cidade e preferiu permanecer tranquilamente em casa. Elizabeth tentou acalmar sua inquietação, mas ficou aliviada quando Darcy e o Coronel Fitzwilliam finalmente apareceram, ambos mostrando indícios de terem Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


tido um dia cansativo de fato. O rosto de Darcy se iluminou quando ele viu Elizabeth, e ele levou um momento para tomar a mão dela na sua e para sussurrar uma saudação particular. Sentindo a impaciência dela, ele sugeriu que eles conversassem imediatamente, pelo que ele recebeu um olhar agradecido. "Estou feliz por ser capaz de dizer que acreditamos que tenhamos localizado Wickham e, presumivelmente, Lydia com ele." Darcy sentou-se ao lado de Elizabeth. "Eu acredito que o conhecimento que recebemos hoje é confiável, e se não tivesse sido tão no final do dia, eu teria tentado encontrá-los hoje." "Ele deixa de mencionar, Sra. Darcy, que foi o consenso geral de que não seria o melhor para ele encontrar-se com Wickham pessoalmente," disse o Coronel Fitzwilliam, entregando à Darcy um copo de vinho do porto. "Eu tenho que elogiá-lo pela sua influência sobre ele. Ele aceitou a decisão relativamente graciosamente.” "Fitzwilliam, isso é realmente necessário?" disse Darcy cansado. "Eu sei que você prefere muito mais fazer tudo sozinho, então sim, eu acredito que é necessário. Em qualquer caso, o plano de fato me convoca à encontrar com Wickham, espero que amanhã de manhã, e. . . " "Eu ainda não gosto dessa parte," Darcy interrompeu com irritação. "Concordei com ele esta manhã, mas é contra o meu bom senso, e eu ainda posso não permitir isso, especialmente agora que sei em que área de Londres!" "E você diz que houve consenso, Coronel" perguntou Elizabeth levemente . "Soa um pouco mais como um campo de batalha!" Reconhecendo que eles estavam em terra sensíveis, ela colocou a mão dentro das de seu marido por um momento, mas quando ela tentou afastar, ele cerrou seu aperto e não soltou. “Teve seus momentos,” o Coronel Fitzwilliam concedeu. “Nós tomamos a liberdade de trazê-la para os planos, a sugestão sendo de que você me acompanhe Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


na esperança de convencer a sua irmã de desistir da posição atual dela. Já que ela não me conhece, eu dificilmente poderia pedi-la para partir comigo, e foi a opinião do seu pai que ela mais provavelmente ouviria você do que ele ou o Sr. Gardiner.” “Essa é uma leve distorção, Fitzwilliam,” disse Darcy. “Na verdade, o Sr. Bennet estava ameaçando removê-la à força se ela não concordar, e já que isso não pareceu conduzir a uma resolução satisfatória da situação, o seu envolvimento foi proposto. Eu acho, no entanto, que seria mais sábio mandar o Sr. Gardiner.” Elizabeth disse lentamente, “Obviamente, eu não estou ciente de todas as ramificações deste negócio, mas se houver uma maneira na qual eu puder ajudar, eu iria apreciar a oportunidade.” Ela se virou para olhar para Darcy com antencipação. “Elizabeth, os seus sentimentos são muito apreciados, mas esta é uma parte da cidade de muito má reputação de que nós estamos falando, e eu estou preocupado com a sua segurança,” disse Darcy, claramente tendo que forçar a si mesmo para não proibir completamente. "Dado que esperam que eu seja capaz de enfrentar o próprio Napoleão, para não mencionar os americanos loucos, eu acredito que eu consigo manter sua esposa segura no meio de Londres, Darcy", disse o coronel Fitzwilliam suavemente. “Você é apenas um homem, Fitzwilliam. Isso dificilmente é a mesma coisa.” “Mas, então, se você mandar alguém com a gente?” Darcy balançou a cabeça. "Não quero ter ninguém mais do que o necessário ciente disto.” “Porque não enviar Wilkins, então? Certamente você pode confiar na discrição dele, e sem dúvida ele já tem uma boa idéia do assunto. Ele sempre parece saber tudo o que acontece. Eu não deveria me surpreender ao descobrir que ele poderia nos dizer o que o Príncipe Regente comeu no café da manhã.” Darcy parecia tempestuoso. “Vou considerar isso. Chega disso agora.”

Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


-------------------------------Darcy foi eventualmente levado a concordar em cumprir o plano original, apesar de ter levado uma grande quantidade de persuasão por parte de seu primo. A caminho dos alojamentos de Wickham, na manhã seguinte, o Coronel Fitzwilliam aproveitou a oportunidade para explicar sua estratégia para Elizabeth. “Você pode me ouvir dizer algumas coisas que a surpreendam, mas se você puder conseguir aparentar-se de acordo, seria útil. É importante convencer Wickham que este assunto não é tão urgente para nós quanto ele gostaria de acreditar, e isto pode envolver um pouco, hummm, de flexão da verdade da minha parte.” Elizabeth fez uma pausa para digerir esse conceito. Ela estava certa de que Darcy não iria aprovar esse tipo de negociação, e ela perguntou se era adequado para ela participar sob essas circunstâncias. "O que, exatamente, você quer dizer com 'flexão da verdade?'” “Bem, eu posso, por exemplo, apontar que poderíamos comprar à sua irmã um marido que era honesto e trabalhador por menos do que Wickham está pedindo, apesar da reputação dela estar arruinada. É bem verdade, afinal de contas, embora talvez não seja uma consideração para nós. Seria útil, entretanto, para Wickham pensar que temos alternativas.” Ela aproveitou a oportunidade para fazer a pergunta que tinha estado a perturbá-la. "Quanto você acha que ele estará pedindo?" O Coronel Fitzwilliam fez uma careta. "Ele é um idiota se ele aceitá-la por menos de dez mil libras. Se a sua consciência está atormentada pela minha sugestão, lembre-se que ele tem uma longa história de tentar chantagear o seu marido, e está perfeitamente disposto a destruir a vida da sua irmã como um subproduto." Elizabeth olhou para Wilkins, cujo normalmente imperturbável semblante Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


sugeriu que ele não tinha nenhuma objeção a mentir, enganar e bastante provável, mesmo envenenar Wickham em defesa do Sr. Darcy. "Eu farei o meu melhor", disse ela finalmente. "Além disso, eu não sei o quão bem Wickham conhece você, mas se ele acreditasse que os seus motivos em casar com Darcy eram mercenários, ele pode ser menos propenso a acreditar que você concordaria em gastar grandes quantias do dinheiro de seu marido sobre este assunto." Ela levantou uma sobrancelha, em dúvida. "Isso pode estar além da minha capacidade, senhor." "Bem, eu não vou incentivá-la à fraude, mas apenas assinalar que a razão pela qual eu me recusei a deixar Darcy encontrar com Wickham é que ele é tão honesto que Wickham pode enganá-lo em um minuto, o que só o incentiva a voltar com outro esquema em outro ano ou dois. Estou tentando convencê-lo de que não vale a pena." Havia um olhar de aço nos olhos do amável coronel que Elizabeth nunca tinha visto antes. Ele não disse mais nada sobre o assunto, entretanto, antes de chegarem ao seu destino. Elizabeth ficou horrorizada ao ver a vizinhança de má reputação na qual Wickham e Lydia tinham seus alojamentos. Ao encontrar a casa, o Coronel bateu com sua bengala na porta, e anunciou para a mulher que abriu a porta que eles estavam procurando o Sr. Wickham. Ela olhou-o de cima à baixo, notando a qualidade das roupas dele, e riu. “Bem, você é bem-vindo em vê-lo, e se você puder pagar o aluguel dele, melhor ainda!” Um desgrenhado Wickham apareceu alguns minutos depois, claramente divertido ao ver o Coronel Fitzwilliam. Notando Elizabeth, ele assumiu os seus antigos modos agradáveis, e fez uma reverência para ela, dizendo, “Miss Bennet, que surpresa encantadora! Eu não tinha pensado em ver uma velha amiga tão cedo.” Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


“É Sra. Darcy agora, Sr. Wickham,” disse Elizabeth agradavelmente.” “Mesmo! Bem, que trabalho rápido! Você fez bem para si mesma.” “O Sr. Darcy não desejava esperar, e não é da minha conta discutir com ele,” ela disse com uma falsa aparência de calma. “Ele pode ser autoritário, não é?” Wickham disse com um ar de simpatia. Elizabeth, tentando esconder sua revolta, disse dando de ombros, “Eu acho que é melhor ele e eu nos darmos bem do que não, e eu não tinha nenhuma objeção particular. Apesar de ser agradável ter a chance de compartilhar nossas noticias, Sr. Wickham, eu devo admitir que eu estava esperando ver minha irmã.” “Ela está lá em cima subindo às escadas à esquerda, no entanto eu duvido que ela está vestida para receber visitantes.” O bom-humor tranquilo dele não tinha mudado dos seus dias em Hertfordshire, como se ele esperasse que a sua antiga favorita relevasse a pequena questão de ele ter seduzido a irmã dela. Ela inclinou sua cabeça. “Obrigado, senhor. Coronel Fitzwilliam,” ela reconheceu antes de se dirigir ao quarto deles. Wilkins a seguiu tão perto quanto sua sombra, claramente nem um pouco confortável que a esposa do Sr. Darcy estivesse em tais alojamentos. A entrevista com Lydia, que estava mesmo longe de estar pronta para receber visitantes, foi ainda mais insatisfatória do que Elizabeth havia imaginado. Sua irmã não estava preparada para deixar sua situação com Wickham. Ela estava certa de que eles iriam se casar uma hora ou outra, e não significava muito quando. Ela não se importava por nenhum dos amigos dela ou sua família, e se recusou a ver que o comportamento dela tinha materialmente afetado todos em sua família, nem isso era causa para preocupação. Ela riu enquanto falava da boa diversão que tudo tinha sido, e atribuiu a expressão severa de Elizabeth ao ciúme de que o seu querido Wickham tinha escolhido Lydia ao invés dela. Quando ela chegou ao ponto de parabenizar-se por estar casada antes de todas as suas irmãs mais velhas, a paciência de Elizabeth estava no fim, mas ela negou-se a satisfação de corrigir a Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


visão de Lydia por medo de que isso reforçaria esse pensamento tolo. Elizabeth aparentemente não era a única que achou a situação difícil de suportar, pois Wilkins, que tinha permanecido silenciosamente com seus olhos no chão até esse momento, limpou sua garganta e disse diretamente, “Sra. Darcy, eu acredito que é hora de nós retornarmos lá para baixo.” Não confiando em si mesma para dizer uma palavra, Elizabeth apressou-se para fora do quarto, deixando para trás uma confusa Lydia, que depois de um momento deu de ombros ao que obviamente deve ter sido um erro da parte do empregado. O tumulto na mente de Elizabeth depois desta entrevista foi grande, e ela fez uma pausa na escada, sentindo-se desigual para encontrar Wickham enquanto em um estado tão agitado. Algumas respirações profundas foram suficientes para restaurar sua calma, embora não sem uma resolução, tendo em vista as circunstâncias, de apoiar o Coronel Fitzwilliam em qualquer estratagema que ele poderia imaginar. Ela entrou na saleta para encontrar o Coronel Fitzwilliam. "Então, juntamente com o pagamento de suas dívidas, e o valor estabelecido em Miss Bennet, isso elevará o total para mais de doze mil libras. Isto é um absurdo, Wickham! Eu começo a pensar que este é um desperdício do meu tempo. Eu poderia comprar para a moça um marido respeitável pela metade desse valor ", disse o coronel Fitzwilliam com desdém. Wickham virou seu rosto mais amável para Elizabeth, claramente antecipando que ela faria o que fosse necessário para conseguir o casamento de sua irmã com ele. "Sra. Darcy, estamos tendo algumas dificuldades em chegar a um entendimento aqui. Talvez sua gentil influência pode ser útil," disse ele com um sorriso encantador. Elizabeth sentia-se ficando cada vez mais irritada no momento quando ela se Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


aproximou do coronel. "Ela está completamente impenitente," disse ela em voz baixa. "Eu preferiria gastar alguns milhares de libras no dote de Mary e Kitty para neutralizar os efeitos do escândalo sobre as as chances delas se casarem, e deixar Lydia a seus próprios meios." O Coronel Fitzwilliam se virou para ela. "Você não pode ser seriamente propondo que deixemos a sua irmã sobre nesses estreitos? Wickham vai abandonála, você sabe, e mais provável, mais cedo do que mais tarde." Elizabeth nivelou-lhe o tipo de olhar fulminante que ela vira Darcy usar com grande efeito. "Enquanto eu preferia não fazê-lo, há um limite para o quanto da herança dos meus filhos eu estou disposta a gastar para salvar Lydia de sua própria loucura!" Parecendo imperturbável, o Coronel Fitzwilliam sugeriu que ela poderia ficar mais confortável espernado na carruagem. Elizabeth aceitou a oportunidade de se retirar. Tão logo ela estava abrigada com segurança na privacidade da carruagem, no entanto, que ela cedeu na angústia em relação a situação desesperada de sua irmã. Claramente Wickham estaria disposto a se casar com ela uma vez que o preço adequado fosse negociado, mas que tipo de vida poderia Lydia esperar ter com ele? Ela não teria imaginado que fosse possível a sua opinião de Wickham cair, mas ela foi forçada a admitir que não esperava tal garantia dele, e ela resolveu dentro de si a não estabelecer limites no futuro para imprudência de um homem atrevido. Não demorou muito até que o Coronel Fitzwilliam se juntou à ela, e eles não perderam tempo em sair do bairro de má reputação em que se encontravam. Mal eles se afastaram o Coronel Fitzwilliam disse com admiração na voz, "Senhora, devo lembrar de nunca estar no lado errado de uma disputa com você! Para alguém que estava preocupada com a desvirtuar-se, aquilo foi bastante uma improvisação brilhante, se assim posso dizer." Ela sorriu com tristeza. "Você me dá muito crédito, senhor. Temo que quando Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


estou irritada além da razão eu costumo fazer comentários que eu não faria do contrário, e neste caso eu simplesmente dei-me rédea livre para fazê-lo." Ela pensou com alguma diversão que Darcy teria reconhecido o desempenho dela do presbitério de Hunsford; ela tinha dito algumas coisas igualmente escandalosas e destemperadas naquele dia. Ela se perguntou que relatório Wilkins daria ao patrão dele sobre os acontecimentos do dia. "Bem, isso pode ter feito o truque. Ele estava muito mais razoável em suas demandas no final, e eu espero que uma vez que deixemos ele se preocupar sobre isso por um dia, pode melhorar ainda mais," ele disse com satisfação. Quando eles voltaram, era óbvio que Darcy estava esperando impacientemente por eles. Que ele estava muito preocupado com ela estava aparente no fato de que que ele a tomou em seus braços na frente do coronel e segurou-a firmemente, sua bochecha descansando contra o cabelo dela. Embora a impropriedade da situação ter feito Elizabeth desconfortável, ela estava começando a aprender que era melhor deixar Darcy ter o conforto que ele precisava, não importando o quão irracional pudesse parecer. “Como foi?" Darcy perguntou ao coronel Fitzwilliam quando ele finalmente soltou Elizabeth. "Bom o suficiente, eu diria. Ele ficou surpreso ao ver-me em vez de você, mas estava disposto o suficiente para indicar o preço dele, que naturalmente era ridiculamente alto. Felizmente para nós, ele está aparentemente em graves dificuldades financeiras, e improvável de recusar um alívio imediato. Eu não tive muita sorte em argumentar com ele até que a sua adorável esposa foi bastante franco em suas opiniões sobre o assunto. Por fim, ele caiu para exigir o pagamento de suas dívidas, que ele alega serem cerca mil libras, no entanto eu pessoalmente ficaria surpreso se elas forem tão baixas – a compra da comissão dele, e três mil libras para ele. Eu fiz a contra-oferta de pagar as dívidas, até um total de duas mil Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


libras, a comissão, e para estabelecer outras mil libras em Miss Bennet em adição aos dela, e eu disse que voltaria amanhã para a resposta dele." Elizabeth não pôde deixar de ficar chocada com os montantes envolvidos; elas teriam arruinado os Bennets, e mesmo para Darcy, tomaria uma quantia substancial de sua renda anual. Ela baixou seus olhos em humilhação sobre o que sua irmã tola iria custar à ele. "Ele deve estar bastante desesperado. Ele certamente poderia ter sido muito pior," disse Darcy, não parecendo nem um pouco desanimado. "Eu pensei assim também," respondeu o primo. "Eu sugiro que começamos alguma investigação sobre a verdadeira extensão das dívidas em Brighton poderíamos manter contato com o coronel de lá? - e da cidade em Hertfordshire." "Um bom plano; vou perguntar ao Sr. Bennet hoje à noite se ele vai lidar com isso. Acredito que ele ficará mais feliz se ele tiver algum papel a desempenhar nisto," disse Darcy, fazendo com que Elizabeth olhasse para ele com uma pergunta nos olhos dela. "Eu o convidei para jantar conosco," disse ele por meio de resposta. Ela sabia que ele tinha feito o convite por causa dela; o Sr. Bennet foi tudo menos cortês com ele desde da chegada deles, apesar de tudo o que Darcy se ofereceu para fazer. Ela sorriu seu agradecimento à ele, depois desviou o olhar novamente, pensando que sua família havia se tornado ainda mais uma responsabilidade para ele do que qualquer um deles poderia ter imaginado. Após o Coronel Fitzwilliam ter saído, Darcy tomou as mãos dela nas dele. "O que é, meu amor?" Ela olhou para cima para ver preocupação nos olhos dele. Com um suspiro, ela disse: "Minha irmã é uma tola imprudente, que não se importa com quem é ferido por suas ações, o meu pai está se comportando mal com você quando você está fazendo tudo em seu poder para salvar a nossa família, eu mesmo já fui enganada por um canalha de descaramento sem limites, e isso tudo vai custar à você uma Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


grande quantidade de dinheiro. Você está sendo a própria graciosidade sobre isso, mas não posso deixar de ficar muito envergonhada da minha família. " "Elizabeth, nós já passamos por tudo isso antes, não passamos? Você não fez nada de errado com exceção de ter sido enganada por um homem que é um especialista nisso. Seu pai, bem, eu certamente não tenho feito nada que o fizesse confiar em mim." Ele fez uma pausa, e considerou-a pensativo por um instante, depois disse numa voz gentil,"Eu imagino que ver sua irmã esta manhã deve ter sido perturbador." Assim que ele havia dito as palavras, ela sabia que ele estava certo sobre o que estava realmente incomodando ela. Envolvendo os braços ao redor dele, ela inclinou a cabeça no ombro dele, aceitando o conforto e a sensação de segurança que sentia no abraço dele. "Você está certo, é claro," disse ela. "Ela estava tão impenitente, e nem parece notar o que a rodeia, enquanto abaixo Wickham estava livremente admitindo que ele não tinha intenção de se casar com ela a menos que o preço dele fosse cumprido. E falar com ele foi ainda pior." Ela estremeceu quando pensou nisso. Ela podia senti-lo endurecer um pouco com as últimas palavras dela. "O que ele disse para você?" ele perguntou, tentando manter seu nível de voz. "Oh, nada diretamente ofensivo; foi mais do que ele assumiu, que eu iria entender as motivações dele, já que ele pensava que as minhas razões para casar com você são igualmente mercenárias - que eu não era melhor do que ele e que eu continuaria a ser amigável com ele, e apoiá-lo contra você." Ele beijou a testa dela. "Ele nunca entendeu você. Meu querido amor, não dê à ele um segundo pensamento, ele não vale a pena." "Você é tão bom para mim, William." "Isso é porque eu gosto de ser bom para você, meu amor," ele respondeu suavemente, tentando pensar no que poderia animá-la. "Venha, ainda há tempo suficiente antes do jantar para uma caminhada, e você ainda não viu o Hyde Park. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Será

que

você

me

permite

mostrá-lo

à

você?"

Ela sorriu agradecida. --------------------------

O jantar naquele dia começou como um caso bastante tenso. Darcy e o Coronel Fitzwilliam haviam se encontrado com o Sr. Bennet de antemão para informá-lo sobre

os

progressos

que

foram

feitos

com

Wickham, uma discussão que tinha ficado um pouco enfurecida quando ficou claro para o Sr. Bennet que Darcy não tinha planejado permitir que ele participasse de alguma forma nas disposições financeiras. Elizabeth tentou melhorar a situação através da introdução da conversa sobre sua viagem com os Gardiners o que levou a relatar o conto de seu casamento. Com o incentivo ruidoso do Coronel Fitzwilliam, ela demorou-se em suas interações com Lorde e Lady Derby com diversão. Darcy claramente gostou de ver a versão animada dela, e envergonhou seu primo ao relatar o episódio da infância em que havia pousado permanentemente no lado errado do bispo. "Você tem ainda tem que conhecer meu amado irmão e sua esposa, no entanto, Sra. Darcy," disse o coronel. "A verdadeira apreciação da medida de caráter da família

Fitzwilliam

seria

seriamente

deficiente

sem

essa

referência."

"Oh, querido," disse Elizabeth alegremente. "Isso soa um tanto perigoso." "E é," ele assegurou-a solenemente. "Há uma razão para eu não ficar na casa da minha família quando eu estou em Londres!" A mais surpreedente contrinbuição à discussão veio de Georgiana, que evidenciou um dom para imitações que veio como uma surpresa para Elizabeth, dando uma impressão de Lady Catherine de Bourgh que não teria desonrado Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


qualquer atriz nos palcos de Londres. Era uma nova visão de Darcy para o Sr. Bennet, que ele não tinha antes visto em companhia confortável. Que este novo genro podia rir e provocar foi uma surpresa significativa, e a natureza óbvia do afeto de Darcy por Elizabeth não poderia deixar de melhorar a posição dele com o Sr. Bennet. Ele considerou, pela primeira vez a possibilidade de que ele poderia um dia ser capaz de desfrutar da companhia de Darcy, um pensamento alegre j[a que as visitas à Elizabeth pareciam improváveis de serem agradáveis se ele e Darcy persistissem em discutir em todos os seus encontros. Havia muito a que eles estava disposto a sofrer por causa de Lizzy, e ele decidiu fazer um esforço maior com o Sr. Darcy. Foi o primeiro teste para a resolução dele quando Elizabeth e Georgiana se retiraram após o jantar. O Coronel Fitzwilliam, muito claramente tentando disfarçar o desconforto entre os outros dois homens, começou a contar histórias divertidas de suas aventuras no exército, mas quando ele finalmente parou para apreciar um pouco de seu vinho do porto, o Sr. Bennet teve a oportunidade de oferecer um ramo de oliveira. "Então, Sr. Darcy, você e Lizzy consideraram como vocês pretendem informar a Sra. Bennet do seu casamento?" Darcy respondeu educadamente: "Devo confessar, senhor, que o assunto não veio à discussão nos últimos dias, como temos estado preocupados com estas outras questões. Obviamente, é algo que devemos atender o mais rapidamente possível." "Como você quiser," o Sr. Bennet ofereceu, "Eu vou estar enviando notícias para Longbourn amanhã que Lydia foi encontrada, e pode incluir as suas notícias também, mas se você e Lizzy preferirem informá-la vocês mesmos, eu não vou mencionar isso." Sentindo-se um pouco desconfiado da repentina civilidade e cooperativismo por parte do Sr. Bennet, Darcy perguntou cautelosamente, "Você tem uma recomendação, Sr. Bennet? Eu não pensei à frente de quando poderemos ser Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


capazes de viajar para Longbourn, já que esse acordo com Wickham precisará ser finalizado antes que eu possa partir." O Sr. Bennet ergueu o copo na direção de Darcy. "Sr. Darcy, o dia em que eu tiver algum conselho útil sobre como lidar com minha esposa, eu prometo compartilhá-lo com você. Infelizmente, até hoje ainda estou para descobrir qualquer um." Darcy estava perdido sobre a melhor forma de responder; certamente o relacionamento dele até agora com o Sr. Bennet não permitia margem para o humor sobre os membros de sua família. Ele procurou por algo a dizer, desejando a fluência da fala de Bingley. O coronel Fitzwilliam entrou em cena para o resgate. "Sr. Bennet, você tem planos para quando você vai voltar para casa?" “Parece haver pouco me mantendo aqui no momento, pois eu não fui permitido ser de alguma utilidade para a minha filha," respondeu ele secamente. "Ao mesmo tempo, eu preferiria ter a certeza de que um acordo tenha sido alcançado antes de eu voltar para Longbourn, por isso, como parece que isso pode acontecer em breve, vou esperar até lá." "Eu não ficaria surpreso se chegamos a um acordo amanhã," disse o coronel. "Estamos definitivamente dentro da faixa aceitável de negociação, caso não haja surpresas." "Vou encontrar com meu advogado amanhã," disse Darcy. "Eu preciso arranjar um estabelecimento sobre Elizabeth, e eu posso discutir os pagamentos a Wickham, ao mesmo tempo." "Então, na teoria, vocês dois poderiam estar livres para se afastar de Londres dentro dos próximos dias, se tudo correr bem," O coronel Fitzwilliam comentou, "especialmente porque eu posso manter a linha aqui." Darcy levantou uma sobrancelha. "O Major General não irá esperar ver o seu Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


rosto de vez em quando?" “Que se dane o Major-General! Pelo menos lidar com Wickham o faz parecer mais tolerável, e eu não posso pedir mais do que isso. "

Capítulo 12 O dia seguinte viu uma enxurrada de atividades enquanto os habitantes da casa Darcy espalhavam-se em suas diversas tarefas. Georgiana, tendo recebido o apoio de seu irmão sobre a necessidade de um novo guarda-roupa para a Sra. Darcy, levou Elizabeth de volta para a modista, o que embora não particularmente um prazer para ela, pelo menos a distraiu das tarefas em mãos. Era o terceiro dia em queo negócios haviam separado ela de Darcy pela maior parte do dia, e Elizabeth tinha descoberto que ela não gostava disso nem um pouco. Quando eles voltaram para a casa, Darcy já estava lá, sentindo também uma falta similar. Georgiana começou a dizer-lhe do seu dia e, em seguida, observando como os dois estavam olhando um para o outro, desculpou-se abruptamente. Ela recém tinha saído da sala e Elizabeth estava nos braços de Darcy, desfrutando a intensa sensação de plenitude que o retorno para um abraço do amado pode trazer. "Oh, William," ela sussurrou contra o peito dele. "Eu senti tanto sua falta." Ele capturou os lábios dela em um beijo envolvente . "Eu acho que eu nunca vou permitir que você saia do meu lado novamente." Ele tinha se encontrado distraído durante todo o dia por causa da ausência dela, se perguntando o que ela estava fazendo, e se ela estava pensando nele, e ouvir o reconhecimento dela que sentiu falta dele o encheu de contentamento de saber que ele era amado pela mulher que ele adorava tão completamente. Agora que ele estava segurando-a em Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


seus braços, porém, ele começou a achar que ela o distraía de uma maneira completamente diferente, e sua mão começou a vaguear para baixo na curva dos quadris dela. Não era justo, pensou Elizabeth, que poderia provocar uma reação no corpo dela com tanta facilidade. Ela lutou contra o impulso de pressionar-se contra ele. Ele a puxou para perto enquanto ele aprofundava o beijo para saborear os prazeres da boca dela. Ele podia sentir a

resposta dela enquanto seus lábios

pressionavam-se contra os dele, mas o corpo dela não derreteu da maneira que ele tanto amava. Quando ele levantou a cabeça por um momento, ele disse: "Relutante, meu amor?" Elizabeth, sabendo que ela poderia estar muito tentada se ela se permitisse estar, disse, "Georgiana está aqui, William. Você não pode simplesmente me levar para a cama." Ele disse uma palavra não-cavalheiresca que, juntamente com o olhar irritado em seu rosto, produziu um riso suave nela. Ele mordiscou o ouvido dela. "Você está rindo de mim, meu amor?", ele rosnou. Ela não pôde evitar o olhar malicioso no rosto. "Você é muito divertido, afinal," ela murmurou, suas palavras cortadas por um suspiro quando ele começou a atacar o pescoço dela com beijos leves que pareciam enviar correntes de energia através dela. Ele apertou-se contra ela, de tal forma a deixá-la sem qualquer dúvida quanto à sua ereção potente. "Vamos ver por quanto tempo você pode rir, então." respondeu ele, movendo as mãos sobre seus quadris dela sedutoramente enquanto seus lábios flutuaram pela clavícula dela. "William", ela protestou delicadamente, achando muito difícil não arquear seu corpo no toque sedutor dele enquanto o desejo começava a seguir o seu caminho através dela. Ela estava começando a ganhar algum entendimento do porquê a Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


família dele o considerava impulsivo, ela pensou. "Eu senti sua falta hoje," admitiu ela. "Eu não posso dizer que lamento ouvir isso, pois você mal saiu de meus pensamentos durante todo o dia," respondeu ele. "Eu queria que pudéssemos voltar para Pemberley," disse ela um tanto sonhadora. "Não havia tantas pessoas empenhadas em levá-lo para longe de mim lá." Ele inclinou sua bochecha contra o cabelo dela, ainda achando a experiência de ter Elizabeth expressando sua afeição por ele inebriante. "Meu querido amor," disse ele, sentindo seu amor por ela maior do que ele poderia ter a esperança de expressar. "Eu não gostaria de nada melhor do que tê-la completamente para mim." Eles ficaram assim, murmurando palavras carinhosas, por um breve instante, que chegou ao fim quando Darcy disse que ele tinha algo para mostrar à ela. Depois de um último beijo, ela se levantou, deixando-o livre para buscar um papel de sua mesa. Ele entregou-lhe várias páginas escritas. "O que é isso?", ela perguntou. "É uma cópia do acordo que fiz para você enquanto eu estava no escritório do meu advogado hoje. Eu pensei que você pudesse gostar de vê-lo." Ela deu-lhe um olhar agradecido, sabendo que ele não tinha responsabilidade de compartilhá-lo com ela, e que ao mostrar a ela que estava respeitando o desejo dela de participar nas decisões sobre ela. Ela leu-o cuidadosamente, observando as disposições para o futuro dela se ela sobrevivesse a ele, e para todas as crianças que possam ter, e parou quando chegou na seção sobre a sua mesada anual. Sem olhar para cima, ela disse lentamente, "Isso é muito generoso, William, mas eu vim para você sem dote, e não há necessidade de estabelecer este tipo de dinheiro em mim." Ele inclinou o queixo dela para cima, para que ela olhasse para ele. "Elizabeth, este é um acordo adequado para a minha esposa, independentemente de como você Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


veio a mim, e eu não vou te tratar como um parente pobre. Você terá despesas significativas para a manutenção das normas necessárias como minha esposa. Você vai," ele parou e sorriu para ela conscientemente, "por exemplo, ter claramente uma considerável necessidade de substituição de roupas." Ela não pôde deixar de sorrir com as palavras dele, mas ainda acrescentou: "Eu ainda acredito que isso é generoso demais." "Já está feito, meu amor," disse ele, não sem prazer. "Você pode também se acostumar com isso." Ela entregou os documentos de volta para ele, e beijou-o carinhosamente. "Bem, eu lhe agradeço, então, e estou feliz que você sabe que eu não me casei com você pela sua fortuna." "Disso eu estou bastante certo, minha querida" "E obrigado por mostrá-lo para mim; Eu aprecio estar envolvida." Ele parecia bastante mais satisfeito por esse agradecimento do que pelos anteriores. "Eu tenho mais uma coisa para você também," disse ele. "Eu sou obrigada a adivinhar o que é, ou eu ganho uma dica?" "Quantos beijos vale uma dica?", perguntou ele maliciosamente. Ela colocou seus braços em volta do pescoço dele e puxou os lábios para os dela. "Beijos são de graça," disse ela, mostrando seu ponto. Quando ela o soltou, ele disse: "Nesse caso, não vou exigir que você adivinhe." Ele colocou suas mãos atrás da nuca dela e soltou a corrente dourada da pequena cruz que ela habitualmente usava. De uma caixa no seu bolso, ele tirou um outro colar, este um elegante pingente de pérolas engastadas em ouro, obviamente caro ainda suficientemente simples para uso diário, e substituiu o outro, fixando-o ao redor do pescoço dela. Ela o levantou para examiná-lo mais de perto. “Obrigado, William,” ela disse afetuosamente. “É adorável. Mas eu espero que você saiba que você não precisa me Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


comprar presentes; você é tudo que eu preciso.” Ele a capturou em seus braços. “Eu gosto de comprar presentes para você, então você deveria se acostumar com isso também.” Ela deitou sua cabeça no peito dele, ouvindo a tranquilizante batida do coração dele. Uma batida veio à porta, e Darcy a soltou para abri-la. O Coronel Fitzwilliam entrou, e Elizabeth corou quando ele deu ao primo um olhar que a fez suspeitar que ele não tinha dúvidas sobre o motivo da porta estar trancada. “Notícias excelentes, Darcy,” ele disse exuberantemente. “Wickham aceitou a oferta com apenas algumas alteranções pequenas, e a sua irmã, senhora,” ele pausou com uma reverência na direção de Elizabeth, “está na casa do seu tio em Gracechurch Street.” Elizabeth pressionou a mão sobre o coração quando um olhar de alegria veio ao seu rosto. "Esta é uma notícia maravilhosa, realmente," exclamou. "Obrigado, obrigado de novo e de novo por tudo que você tem feito nisso." "Foi um prazer, Sra. Darcy. Seu marido tem a posição mais difícil de ter que pagar a conta," disse o coronel, habilmente tornando a atenção de volta para Darcy, que não pareceu satisfeito com a sua esposa concedendo seus sorrisos brilhantes em cima de seu primo. Ela voltou um olhar radiante para Darcy. “Ele está muito correto,” ela disse suavemente. “Você é aquele a quem eu deveria estar agradecendo, e eu lhe agradeço, de novo e de novo, em nome da minha família.” Ele a beijou levemente na testa. “Isso não é mais do eu deveria ter feito. Talvez nós devêssemos visitar Gracechurch Street mais tarde.” ----------------A excursão à casa dos Gardiners foi tão bem quanto poderia ser esperado. Lydia ainda era Lydia: indomada, ousada, selvagem, barulhenta e sem medo, falando Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


constantemente sobre o seu casamento e todas as roupas que ela queria comprar para ela. Elizabeth, mortificada pelo comportamento dela, tentou mantê-la tão longe o possível de Darcy, pensando que ele estaria bastante justificado em pensar que Lydia não valia a pequena fortuna que ele estava gastando para resgatá-la. Felizmente, Lydia não tinha interesse em alguém tão chato quanto o Sr. Darcy, mesmo agora, quando ele era conhecido por ser irmão dela. Darcy passou a maior parte da visita na companhia do Sr. Bennet, uma situação que o colocou na defensiva mesmo que o seu sogro estivesse muito cordial. Elizabeth, no entanto, podia dizer mais imediatamente que o peso da ira do pai com seu marido havia passado, e teve a satisfação de ver o Sr. Bennet se esforçando para se familiarizar com ele. Após uma longa discussão, Darcy pediu à Elizabeth para se juntar a eles, deixando Lydia para amuar sobre sua negligência. "Elizabeth", disse Darcy, "seu pai me informou que ele pretende partir para Longbourn amanhã de manhã." “Eu não vejo nada mais que eu possa fazer em Londres fora me preocupar, e eu posso fazer isso igualmente bem na minha própria biblioteca,” disse o Sr. Bennet, com mais do seu antigo humor seco que Elizabeth tinha ouvido desde a chegada deles em Londres. “A sua tia da mesma maneira retornará para Londres com as crianças amanhã. Lydia terá que permanecer aqui até o casamento, é claro. A questão é o que vocês dois desejam fazer.” Elizabeth olhou para Darcy, cujo semblante estava normal. Ele disse: "Vamos precisar estar em Londres em duas semanas para o casamento da sua irmã, já que é quando o arranjo financeiro deve ser finalizado, mas enquanto isso, nós podemos fazer o que você quiser, podemos viajar para Hertfordshire, ou nós podemos permanecer na cidade. " Tendo tomado anteriormente o passo difícil de reconhecer que Darcy tinha o direito de tomar essa decisão em nome da esposa dele, o Sr. Bennet teve o prazer de Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


vê-lo tornar a pergunta para Elizabeth. "Nós realmente devemos ir para Longbourn em breve de qualquer maneira,” disse Elizabeth. "Suponho que a minha preferência seria a fazer isso agora, para que depois do casamento de Lydia, nós estaríamos livres para voltar para Pemberley." Os olhos de Darcy se acenderam a idéia de que Elizabeth estava ansiosa para ir para casa, para a casa deles. Eles trocaram um olhar, silenciosamente concordando que algum tempo sozinhos em Pemberley era o que ambos precisavam. O Sr. Bennet fez uma careta um pouco, menos do que satisfeito por saber que Lizzy estava desejosa de deixar os arredores de Hertfordshire. No interesse da tranquilidade, no entanto, ele disse: "Eu escrevi para sua mãe nesta tarde; eu não estou certo se ela irá receber a carta ou não antes de eu voltar. Eu optei por não mencionar o seu casamento, Lizzy, pois eu não sabia se você preferia anunciá-lo você mesma." "Nós tínhamos planejado originalmente para fazê-lo, mas isso foi antes de nós sabermos que nós estaríamos vindo para Londres," respondeu ela. "Eu não tenho dado qualquer pensamento particular desde então, dado como muitas outras coisas que tem acontecido. Nós podemos contar à ela quando chegamos Longbourn, no entanto." Com um sorriso irônico, o Sr. Bennet disse, "Agora, como você sabe, Lizzy, os nervos de sua mãe e eu somos velhos companheiros, e eu não tenho medo da ira dela em circunstâncias normais, porém, se eu deixar de informá-la que uma das filhas dela se casou, creio que nem os nervos dela nem eu provavelmente sobreviveríamos ao desfecho. Como resultado, eu pretendo informá-la na forma mais calma possível de seu estado atual quando eu voltar para casa amanhã, a não ser, claro, que você escolha me acompanhar e compartilhar a notícia feliz com ela você mesma." Elizabeth olhou para Darcy interrogativamente. Ele disse: "Se você preferir ir Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


amanhã, Elizabeth, então certamente podemos fazê-lo." "Eu acho que prefiro contar à ela a história da minha própria maneira," Elizabeth permitiu. "Então depois de amanhã será," disse Darcy. ---------------Eles chegaram a Longbourn um pouco depois do meio-dia, e ficou claro que a carta do Sr. Bennet não tinha sido recebida, como ele aparentemente não eram esperados. Eles correram para o vestíbulo, onde Jane, que desceu as escadas correndo do apartamento de sua mãe, logo se encontrou com eles. Quando ela carinhosamente abraçou o Sr. Bennet e Elizabeth, ela não perdeu um momento em perguntar se alguma coisa tinha sido ouvida dos fugitivos. O Sr. Bennet foi tão bem capaz de tranquilizá-la quanto ao estado de Lídia que trouxe lágrimas de alegria para os olhos dela. "Mas temos de dizer a minha mãe imediatamente!" Jane exclamou. "Será um alívio para os nervos dela." "Ela ainda está em seus aposentos, então?", perguntou o Sr. Bennet, sua relutância em enfrentar sua esposa evidente. "Ela não tem estado aqui embaixo desde que tudo começou", respondeu Jane. "Bem, então, você e Lizzy devem informá-la de uma vez!" disse o Sr. Bennet. "Eu vou estar na biblioteca; Preciso de um copo de vinho do porto, e eu ouso dizer que o Sr. Darcy também precisa, ou vai precisar em breve de qualquer maneira." Enquanto elas caminhavam para cima, Jane disse: "Oh, Lizzy, como eu tenho ansiado por você estar em casa! Eu não posso te dizer o quanto eu senti a sua falta! " “Querida Jane, você tem tido tanto sobre os seus ombros, como eu queria poder ter ajudado você! E eu tenho tanto para te contar,” respondeu Elizabeth, pensando, contendo que esta não era mais a casa dela. Entrando no quarto da Sra. Bennet, Jane disse, “Olhe – Eles chegaram! Meu pai, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


e Lizzy, e o Sr. Darcy também! E eles trazem boas notíciaas!” “Oh, o que é, o que é? A minha Lydia está casada?” exclamou a Sra. Bennet. “Ainda não,” respondeu Elizabeth, “embora nós esperamos que ela estará logo. Ela foi encontrada, e está na caso do meu tio, e ela e Wickham planejam se casar em duas semanas.” A alegria da Sra. Bennet explodiu, e agora ela estava em uma irritação tão violenta de prazer, como ela já havia estado agitada de alarme e aflição. Saber que sua filha iria se casar era o suficiente. Ela estava perturbada por nenhum medo pela felicidade dela, nem humilhada por qualquer lembrança de sua má conduta. "Minha querida, querida Lydia!" ela exclamou. "Isto é realmente delicioso! Ela vai se casar - vou vê-la novamente! - ela vai se casar ao dezesseis anos! - Como eu desejo vê-la! E ver o querido Wickham também! Mas as roupas, as roupas do casamento! Vou escrever para ela sobre elas diretamente. Jane, minha querida, corra para o seu pai, e pergunte quanto ele dará à ela. Eu vou ter uma filha casada! Minha querida, querida Lydia! Quão alegre estaremos juntos quando nos encontramos!" Elizabeth respirou fundo. "Eu tenho outra notícia, minha senhora, e é que você já tem uma filha casada." A Sra. Bennet fez uma pausa para olhar para ela em alguma irritação. "Oh, Lizzy, como você você gosta de me irritar! Então eles já estão casados! Por que não disse de uma vez? Sua provocadora, provocadora menina!” Elizabeth não pode deixar de rir da expressão da mãe. “Eu temo que você não me compreendeu. Não é Lydia que estpa casada, mas eu.” Jane arfou em espanto, e Elizabeth deu à ela um olhar apologético quando ela se voltou para sua mãe. “É verdade; uma vez que nós estávamos em Pemberley, os eventos tomaram vida própria. O padrinho do Sr. Darcy é o bispo de Matlock, e aconteceu que ele estava absolutamente determinado em oficializar nosso casamento, e o Lorde e a Lady Matlock iam comparecer, e o Sr. Darcy estava indisposto a esperar até que a minha Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


família pudesse viajar até Derbyshire. Então nós casamos na semana passada na Catedral de Matlock pelo próprio bispo, assim como as pessoas mais elegantes fazem.” “Lizzy,” disse a Sra. Bennet fracamente. “Isso pode ser verdade? Minha irmã Gardiner não disse nada sobre isso!” Elizabeth sorriu afetuosamente. “É bem verdade; nós pedimos segredo à Sra. Gardiner quando nós descobrimos que ela estaria vindo para cá antes que nós mesmos pudéssemos chegar. Eu tenho certeza que ela estava ansiosa para contar a história toda para você; foi um evento e tanto! Eu usei vestido adorável que pertenceu à Lady Anne, a mãe do Sr. Darcy, assim como um colar de safiras e diamantes que o Sr. Darcy me deu para a ocasião, e renda no meu cabelo. Eu nunca estive tão bem vestida na minha vida – você não teria me reconhecido. Lorde e Lady Matlock deram o café da manhã de casamento para nós em Dervy House, e foi uma coisa muito elegante mesmo.” Internamente, ela estava muito divertida por esta apresentação do caso, tão adaptado aos desejos de sua mãe. Se recuperando, a Sra. Bennet exclamou, “Oh, minha querida Lizzy, isso é demais! Casada pelo próprio bispo na catedral! E Lorde e Lady Derby presentes! Oh, Lizzy, você precisa me contar tudo sobre eles! Isso é encantador, encantador! Lydia não é nada comparado à isso! Quanto a Sra. Long irá me invejar quando eu contar à ela! Sra. Darcy! Como soa bem. Mas o que você vai fazer sobre o seu enxoval? Oh, nós devemos discutir isso imediatamente, Lizzy! Há tanto que eu devo dizer à você!” “Eu estou ansiosa para ouvir todos os seus exceltentes conselhos, mas você não vai descer e cumprimentar o meu marido?” perguntou Elizabeth com diversão. “Oh, sim, é claro! Querido Sr. Darcy! Toque o sino, Jane, para Hill. Eu colocarei minhas coisas em um instante. E eu irei para Meryton, também, e contar as boas, boas notícias para minha irmã Phillips. E quando eu voltar, eu posso visitar Lady Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Lucas e a Sra. Long. Jane, corra lá embaixo e peça a carruagem. Um ar fresco irá me fazer muito bem, estou certa. Oh! Aí vem Hill. Minha querida Hill, você ouviu as boas notícias? Miss Lizzy está casada, pelo próprio bispo e na catedral! E Miss Lydia irá se casar também, e vocês todos devem ter uma tigela de ponche, para festejar. A Sra. Hill começou instantaneamente a expressar sua alegria. Elizabeth recebeu as felicitações dela entre o resto, e então para se refugiar da cena alegou que ela precisava retornar para seu marido. Ela se apressou para a biblioteca onde ela se uniu ao Sr. Bennet e Darcy, que parecia estar apreciando algum humor seco quando ela chegou. Ela se sentou ao lado de Darcy e disse melancolicamente,” Bem, eu contei para ela. Podemos voltar para Pemberley agora?” Pegando a mão dela e beijando-a, Darcy riu. Surpresa de vê-lo tão relaxado na presença de seu pai, Elizabeth disse, “Você pode rir, senhor! Ela mal incomodará você por um momento antes de sair para informar a Sra, Phillips, Lady Lucas, e a Sra. Long, e qualquer um que ela puder encontrar dessa notícia espantosa!” “Eu tenho muita fé que ela irá encontrar alguma oportunidade de me encurralar na próxima semana,” ele a tranquilizou alegremente, “e eu contarei com você para me defender, Elizabeth.” “E eu posso ver que você não ousará emergir da minha biblioteca exceto para as refeições!” resmungou o Sr. Bennet, quando a voz excitada de sua esposa foi ouvida de fora. Elizabeth levantou uma sobrancelha, não convencida por essa incomum demonstração de amizade entre o Sr. Bennet e Darcy. Eles tinham sido perfeitamente cordiais na viagem de Londres, o que já era surpreendente o bastante, mas parecer que eles estavam apreciando a companhia um do outro parecia um pouco improvável. “Eu convidei o seu pai para nos visitar em Pemberley neste outono, Elizabeth,” Darcy disse, distorcendo ainda mais a compreensão dela, mas Elizabeth decidiu que Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


se eles pretendiam se comportar como se eles fossem cavalheiros civilizados, ela não iria interferir. “Isso seria adorável. Eu espero que você possa se juntar à nós,” ela disse com apenas um pouco de malícia em sua voz. “Eu não desejo apressá-la para longe da sua família, meu amor, mas já que Bingley não nos espera, eu imagino que nós devemos chegar à Netherfield assim que nós pudermos,” Darcy disse, se levantado. “Vão, então,” disse o Sr. Bennet secamente, dispensando-os com um aceno. “Deixem-me à mercê da minha família – eu tenho certeza de que irei sobreviver de alguma maneira.” Eles emergiram para aceitar as felicitações da Sra. Bennet, que foram misericordiosamente breves já que ela estava ansiosa para alcançar a irmã dela assim que possível. Uma vez que ela tinha partido, Jane e Mary imediatamente pediram uma explicação dos acontecimentos em Londres, o que foi provido brevemente pelo Sr. Bennet. Elizabeth decidiu que ele e Darcy devem ter alcançado uma acomodação no assunto, já que nenhuma menção foi feita sobre o papel do marido em resolver a situação de Lydia. Elizabeth não pode deixar de notar que Jane estava incomumente quieta e parecia bastante indecisa, e antes que eles fossem embora ela tomou a oportunidade de puxá-la de lado. “Jane, você parece triste,” ela disse. “Há algo que eu possa fazer?” Jane fez um grande esforço para sorrir. “Não, é claro, eu estou muito satisfeita em como tudo deu certo. Você e o Sr. Darcy parecem muito felizes juntos, Lizzy.” “Jane,” Elizabeth disse com uma advertência em sua voz. “Eu não sou tão facilmente enganada assim. Está tudo bem entre você e o Sr. Bingley?” “É claro, Lizzy! Eu queria ter estado no seu casamento, isso é tudo, mas eu posso entender porque era importante para a família do Sr. Darcy que acontecesse lá.” Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Não tinha ocorrido à Elizabeth que os sentimentos de Jane pudessem ser feridos. Ela se inclinou próxima à irmã com um sorriso, e disse muito quietamente no ouvido dela, “Você realmente imagina que eu iria me casar sem a minha irmã mais querida ao meu lado meramente para agradar a família dele?” Jane olhou para ela confusa. “Eu não entendo, Lizzy! Não foi isso que você disse?” Elizabeth sorriu para ela maliciosamente. “Eu deveria ter contado a verdade à ela ao invés, que nós casamos rapidamente porque nós precisamos?' ela disse em um sussurro. Os olhos de Jane se arregalaram. “Lizzy!” ela disse em profundo choque. Parecendo divertida, Elizabeth virou suas mãos .”Você não virá pra Netherfield logo, para que nós possamos falar mais privadamente? Eu senti tanta sua falta, Jane, e você não pode imaginar como eu queria que você estivesse comigo em Derbyshire.” Darcy apareceu ao lado dela. “Nós deveríamos estar partindo, meu amor. O pobre Bingley não espera por nós, então nós devemos dá-lo um pouco de tempo para fazer os preparativos para nós.” Ela deu à Jane um olhar apologético, mas sua irmã parecia estar recuperando seu equilíbrio. Depois de dá-la um breve abraço, ela deu adeus ao resto da família antes de Darcy conduzi-la para a carruagem. Quando eles se distanciaram da casa, ela sorriu para ele pesarosamente. “Você sobreviveu àquilo muito bem, William,” ela disse. “A que parte você se refere – as felicitações da sua família, ou passar o dia inteiro sem ter a menor oportunidade de segurar você nos meus braços?” ele perguntou, cuidadosamente mudando de assento para ele pudesse estar ao lado dela. “Há pessoas demais em Hertfordshire.” Ele a tomou em seus braços e a beijou famintamente. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


A viagem para Netherfield nunca tinha sido tão prazerosa. Na chegada deles, o mordomo os conduziu, e os anunciou – incorretamente no caso de Elizabeth – para Bingley. Elizabeth se virou para corrigi-lo, mas ele já tinha partido. Bingley, um sorriso largo em seu rosto, se levantou para saudá-los. “Darcy! Que surpresa maravilhosa ver você aqui! E Lizzy, é um prazer, como sempre! Jane ficará tão contente que você voltou. Ou ela está com vocês?” “Não, nós justamente a deixamos em Longbourn, mas eu espero que ela virá me visitar mais tarde,” Elizabeth sorriu afetuosamente. “Maravilhoso!” Bingley anunciou. Um olhar de perturbação cruzou o rosto dele quando ele percebeu que eles estavam desacompanhados, “Errr, Darcy... eu acho que esse não é o momento de violar o decoro. Os boatos aqui na maior parte se dissipou, mas precisaria de muito pouco para reascendê-los.” Darcy olhou para ele em confusão, e então compreensão de repente veio à ele. Ele bateu no ombro de Bingley. “Bingley, posso ter a honra de apresentá-lo minha esposa?” “Sua esposa?” Com uma risada pra o olhar espantado na cara de seu amigo, Darcy explicou a situação. Bingley balançou a cabeça, sorrindo, e disse, “Se eu apenas soubesse que essa é a rota mais rápida para o matrimônio, eu teria insistido que Jane e eu acompanhássemos vocês para Derbyshire. Você tem toda a sorte, Darcy!” Darcy olhou para Elizabeth afetuosamente. “Eu certamente tenho.”

----------------------Um convite foi rapidamente despachado para Longbourn, e para o prazer de Bingley, Jane pode se juntar ao grupo de Netherfield para o jantar, embora quando a notícia da aceitação dela chegou, Darcy não pode evitar de sussurrar para Elizabeth Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


que ele estava surpreso que o pai dela os considerou acompanhantes adequados sob as circunstâncias. “Essa é Jane,” Elizabeth respondeu com divertimento. “Ela não precisa de acompanhantes; pensamentos tão perversos nunca cruzariam a mente dela!” Ela estava um pouco preocupada com o que sua irmã poderia estar pensando da própria confissão impetuosa mais cedo, embora ela não pudesse imaginar o que mais ela poderia ter dito para aliviar os sentimentos magoados dela. Quando a própria Jane chegou, Bingley estava fora de si com prazer. Era evidente que desde que as primeiras notícias da fuga de Bingley terem sido recebidas, ele não tinha sido capaz de passar tanto tempo com Jane quanto ele gostaria, devido as demandas da Sra. Bennet sobre o tempo dela. Jane parecia um pouco retraída, embora Elizabeth tenha feito seu melhor para extrair dela sobre os acontecimentos durante sua ausência, que tinham claramente exigido muito de Jane. Jane estava igualmente ansiosa para ouvir sobre os procedimentos em Londres, e Elizabeth no assunto da irresponsabilidade de Lydia, evitando qualquer menção do papel que ela tinha representado nas negociações com Wickham. Ela pegou Jane roubando olhares para Bingley para ver como ele estava recebendo esse conto, como se preocupada que ele pudesse estar angustiado por isso. Sentindo que uma mudança de assunto era necessária, Elizabeth começou a descrever seu prazer com as vistas de Derbyshire. Quando ela chegou ao assunto de Pemberley e o prazer que ela tinha tido lá, Darcy pegou a mão dela na dele com um sorriso caloroso, beijou-a levemente, e então reteve-a na dele enquanto ela continuava. Um pouco acostumada com esse comportamento dele neste momento, e sentindo como se eles estivessem entre amigos próximos, senão família, ela deu à ele um olhar afetuoso. Até o fim do jantar, no entanto, Elizabeth estava totalmente convencida que Jane estava desanimada. Ela não estava feliz; a tranquilidade e afetuosidade normal Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


dela pareciam de alguma forma diminuídas. Entretando, os cavalheiros estavam determinados a não permitir que as damas se retirassem depois do jantar, para que eles pudessem todos se reunir na sala de estar, um pouco para a aflição de Elizabeth, que esperava por algum tempo sozinha com Jane. Ela estava suficientemente preocupada para levantar o assunto quando ela tiveram apenas alguns minutos separadas dos cavalheiros no piano. “Jane, qual é o problema? Você não está parecendo você esta noite.” A pele clara de Jane ruborizou delicadamente. “O que pode estar errado, Lizzy? Ela perguntou um pouco rápido demais. “Lydia foi encontrada e vai se casar, você está aqui e feliz, e eu tenho o meu querido Bingley.” Elizabeth olhou para ela ceticamente, mas estava relutante em pressionar o assunto sob as circunstâncias. Entretanto, depois que ela tinha encantado os cavalheiros com sua habilidades musicais, ela encontrou a oportunidade de falar discretamente com Darcy. “Você poderia levar o Sr. Bingley para jogar bilhar, ou o que quer que os homens fazem quando eles estão sozinhos? Eu preciso falar com Jane a sós.” Darcy reconheceu o pedido dela com um aceno mal perceptível, mas para evitar ser óbvio, eles esperou vários minutos antes de dizer, “Bingley, faz semanas desde que eu tive o prazer de acabar com você no bilhar. Vamos jogar?” Bingley gemeu. “Precisamos, Darcy? O resultado é uma conclusão precipitada , não é?” “Pense nisso como uma oportunidade de melhorar as suas habilidades,” disse Darcy com um sorriso irônico. “Oh, bem, se isso te faz feliz, eu suponho que nós possamos,” Bingley resmungou bem-humorado. Darcy pegou a mão de Elizabeth na dele por um momento quando eles se retiraram, dando à ela um olhar caloroso. Bingley riu. “Oh, pelo amor de Deus – nós só estamos indo para a sala de bilhar!” Darcy Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


derrotou Bingley com um olhar arrogante que fez Elizabeth romper em risadas antes que ele mesmo sorrisse. Elizabeth se moveu para sentar o lado de Jane e pegou as mãos dela entre as suas. “Agora, querida Jane,” ela disse em uma voz cativante, “me conte sobre tudo.” “Não há nada realmente para contar; eu passei a maior parte do meu tempo com nossa mãe, embora a tia Gardiner tenha sido mais do que gentil em ajudar com isso. Eu espero que tudo isso possa ser silenciado, embora tantas pessoas já saibam disso,” “E você e o Sr. Bingley? Como vai o romance?” Jane corou. “Tem havido pouco tempo para romance, eu temo. Charles tem sido bastante atencioso em visitar, no entanto.” Mas você podia falar para ele do que você estava sentindo, Jane? Elizabeth se perguntou. Eu sinto muito que não pude estar com você,” ela disse em voz alta. “Eu me preocupei sobre como você estava se sentindo. Eu sei que eu senti falta de ter a minha querida Jane para conversar e me confortar quando eu estava em Derbyshire, e você estava enfrentando muito pior sozinha!” Jane pareceu um pouco aliviada com as palavras dela. “Eu confesso que eu não pude entender naquele momento porque você não tinha voltado para Longbourn como eu pedi, e nem mesmo mandou uma mensagem para mim com nossa tia, mas agora que eu sei do seu casamento, eu posso ver é claro porque você teve que ir com o Sr. Darcy.” Com uma leve careta, Elizabeth disse, “Eu pensei em escrever, mas eu senti que se eu tivesse que contar à você toda a verdade se eu escrevesse, e eu não queria acrescentar isso aos seus fardos. Eu posso ver, no entanto, que deixar de escrever acrescentou àqueles fardos também.” “Eu posso ver como você está feliz com o Sr. Darcy, Lizzy. Eu lembro agora como você estava infeliz antes de você partir para Derbyshire, e eu estou tão Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


contente que você pode se entender com ele.” Apesar do sorriso dela, suas palavras tinham um tom de melancolia, e Elizabeth percebei que Jane poderia estar com inveja da nova intimidade dela com Darcy. Um olhar brincalhão veio ao rosto de Elizabeth, e ela disse, “Foi mais um caso de aceitar o inevitável! Mas sim, eu estou muito feliz. Eu confesso que eu não tinha entendido bem o quanto mais próximos ele e eu poderíamos ser uma vez que nós estivéssemos casados, e eu acredito que tem sido bom para nós dois. Oh, Jane, eu quero que você o conheça melhor, já que você e ele são as pessoas mais queridas do mundo para mim!” O sorriso dela se tornou mais genuíno com as palavras de Elizabeth. “Eu estou tão contente que ele e meu querido Bingley são tão bons amigos! Mas, Lizzy... você vai me contar o que aconteceu em Pemberley? Vocês foram descobertos por alguém? Eu sei que você permitiu à ele... algumas liberdades antes de você ter partido.” Elizabeth corou. “Oh, Jane, se eu te contar, você ficará com tanta vergonha de mim.” “Lizzy, eu nunca poderia ter vergonha de você!” “Bem, Jane, se você tem certeza que você deseja saber, eu vou te contar, mas você não irá gostar!” Elizabeth se encontrou dominada pelo embaraço encarando essa admissão. “Se você não quer me contar, eu não ficarei ofendida,” disse Jane hesitantemente. Colocando as mãos em suas bochechas quentes, Elizabeth disse, “Ninguém nos descobriu; eu temo que nós nos descobrimos, e foi na cama do William.” “Lizzy!” a voz de Jane exibiu o mais profundo choque. “Então havia apenas uma coisa a fazer, e … eu disse que você ia ficar com vergonha de mim!” Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


“Não com vergonha, mas, oh, Lizzy, como você pode, quer dizer, ele...” Jane estava claramente incapaz de até mesmo trazer as palavras aos seus lábios. “Eu não estou chateada, mas... um pouco chocada, sim. Eu não posso entender bem o quanto... ousados você e o Sr. Darcy tem sido.” Elizabeth sorriu com divertimento. “Bem, querida Jane, se você deseja uma explicação, eu farei o meu melhor para dar uma à você, mas é bem difícil já que eu não sei que licenças você tem permitido ao Sr. Bingley, nem como você se sentiu sobre isso.” Foi a vez de Jane corar. “Eu não sou tão atrevida como você, Lizzy! Nós temos sido circunspectos; ele segura a minha mão quando nós estamos sozinhos, e eu permiti que ele beijasse minha bochecha.” “E você nunca quis mais? Não, não tente responder; essa foi uma pergunta injusta. Se a verdade for dita, eu achei os beijos do William... agradáveis, e ele ficaram ainda mais agradáveis com o tempo. E quanto mais nós indulgimos neste prazer, mais tentador fica para fazer mais, e uma noite de tentação se tornou grande demais para nós. Apesar de tudo que a nossa mãe nos contou sobre as obrigações da cama matrimonial, isso pode verdadeiramente trazer alegria e felicidade também.” “Isso é tranquilizante, eu suponho, depois de tudo que ela disse! Mas Lizzy, não foi perturbado para você, depois?” Elizabeth não pode evitar um sorriso. “Bem, eu estava bastante chocada comigo mesma, eu devo admitir, e desapontada com minha fraqueza. Certamente eu não teria escolhido que acontecesse assim. Eu esperava tanto que você e eu iríamos compartilhar um casamento! Mas há caminhos que não são tão surpreendentes quando este pode ter sido. Eu e ele sempre estivemos fora do passo com os procedimentos normais – nosso tempo aqui foi mais como um noivado para nós de muitas maneiras. Eu sei que o Sr. Darcy se viu como comprometido comigo muito Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


no início, o que afetou o comportamento dele com relação à mim, e enquanto eu não iria admitir para mim mesma o que estava acontecendo, eu sabia algum tempo antes de aceitá-lo que eu iria me casar com ele.” “Mesmo

assim

você

sempre

negou

qualquer

interesse

nele

tão

veemência

era

veementemente!” Com

um

sorriso

pesaroso,

Elizabeth

disse,

“Minha

provavelmente a melhor evidência contra mim! Eu acredito também que você viu através de mim em mais de uma ocasião quanto a isso.” Ela pensou para trás, se perguntando quando de fato ela tinha ganhado que era inevitável, e uma memória veio à ela daquele primeiro dia quando ele tinha surpreendido-a com sua aparição em Longbourn, quando ela tinha perguntado à ele quanto tempo ele ficaria em Hertfordshire, e ele tinha respondido, “O tempo que for necessário.” Jane apertou a mão dela levemente. “Querida Lizzy, eu espero que nós sejamos sempre as melhores das amigas, e que o casamento não separe os nossos corações, não importa o quão distante nós possamos viver.” Elizabeth sinceramente aprovava esse sentimento.

Capítulo 13 Darcy desceu tarde para o café da manhã no dia seguinte com um pulo em seus passos . Se ele tinha se achado insaciável antes, não era nada comparado com o quanto ele respondia ao ambiente de Netherfield e as memórias que despertava nele. Tinha sido uma longa noite de paizão na qual ele tinha feito amor com Elizabeth várias vezes, intoxicado pela entusiasmo dela e seus suaves gritos de prazer. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Quando ele entrou na sala de café da manhã, Bingley olhou para ele de um prato de torradas com um característico sorriso largo e disse, “Darcy, você parece estar de bom humor esta manhã!” Darcy colocou as mãos na mesa e se inclinou em direção ao amigo. “Bingley, eu sou casado com a mulher mais extraordinária do mundo, e se a irmã dela for alguma coisa parecida com ela, você será realmente um homem muito feliz.” As sobrancelhas de Bingley ergueram-se. “Oh, ho, meu amigo, é assim que são as coisas?” Darcy deu à ele um sorriso presunçoso. “Realmente é.” “Seu sortudo!” Bingley balançou a cabeça filosoficamente. “Você é cruel por ostentar a sua felicidade na minha frente quando eu preciso esperar por semanas ainda pelo meu anjo! Nosso casamento ainda tem que ser remarcado. Eu queria ter um bispo como padrinho!” Desacostumado na arte da mentira, Darcy experimentou um momento de confusão antes de lembrar da versão pública do seu casamento. Se recuperando, ele disse, “Eu não iria, de fato, recomendar a nossa rota para o altar, embora eu admita que os resultados sejam mesmo muito satisfatórios.” “Darcy,” disse Bingley suspeitosamente, “o que você está deixando de me dizer? Você é sem dúvidas o pior mentiroso que eu conheço” Darcy deu-lhe um olhar repressivo, mas seus ânimos estavam elevados demais para segurá-lo por muito tempo. Ele continuou a servir-se o café da manhã com mais nenhuma atenção ao comentário de Bingley. Bingley, percebendo com alegria que tinha encontrado um daqueles raros assuntos em que seu sério amigo poderia ser provocado, fechou o cerco. "Ora vamos, Darcy, confesse. O que aconteceu? Você deliberadamente colocou a idéia na cabeça do bispo?” "Bingley," Darcy disse calmamente passando manteiga em sua torrada, "se eu te dissesse porque nos casamos tão rapidamente, você se sentiria obrigado, como Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


futuro irmão de Elizabeth, a acabar comigo, e esse não parece uma bom presságio para o nosso futuro.” "Darcy! Você não fez isso!" A voz de Bingley continha elementos de ambos choque e pavor. “E você, talvez, possa jurar pelo seu próprio comportamento se você fosse acidentalmente encontrar Jane sozinha, usando nada além do que uma camisola bastante reveladora, no meio da noite?” “Bem, se eu pudesse, iria ser mais por fé em Jane do que em mim mesmo,” Bingley concedeu. Poderia ser que Fitzwilliam Darcy estava mesmo admitindo uma falha? Com um sorriso em seu rosto? “Bem, dado as circunstâncias atenuantes, talvez eu irei abster-me de acabar com você, mas apenas se Lizzy descer com um sorriso no rosto dela também.” “Neste caso, eu acredito que não tenho nada com que me preocupar,” Darcy disse com um ar satisfeito. “Você está gostando de me atormentar, Darcy ou é apenas uma casualidade?” perguntou Bingley. Darcy apenas sorriu. “As sua vez chegará, meu amigo.”

----------------Bingley cavalgou até Longbourn depois do café da manhã, deixando Elizabeth e Darcy para fazerem seu caminho para a casa Bennet por conta própria. Darcy nostalgicamente ordenou que a cabriolé fosse preparada, o que produziu um riso divertido em Elizabeth. Ele pegou a mão dela na sua, dando à ela um olhar afetuosamente possessivo, enquanto eles partiam, os momentos de seu namoro com ela muito vivas na mente de ambos. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Elizabeth levou a mão dele até sua bochecha, em seguida, deu um beijo nela. "A propósito, eu nunca encontrei a oportunidade ontem de te perguntar o que foi tão divertido para você e meu pai ontem na biblioteca." "Ora, parece estranho para você que nós devemos ser amigáveis por mais de dez minutos?," ele perguntou ironicamente. "Eu diria que dez minutos é bastante generoso para vocês dois!" "Bem, ele estava me entretendo com histórias de aventuras da sua infância, e tentando me avisar que você pode ter momentos de temperamento dada provocação suficiente." Ele deu à ela um olhar divertido. "Eu admiti ter um certo grau de experiência com isso já." "O que você quer dizer?" disse ela, indignada. "Quando eu perdi a paciência com você?" Ele ergueu as sobrancelhas. "Hunsford." Ela corou. "Bem, eu tento pensar apenas do passado como lembranças que me dão prazer, e esse é um momento que eu me esforcei para esquecer! E eu não acredito que eu era o único destemperado naquele dia. " Ele deu à ela um olhar indulgente. "Eu nunca sugeri o contrário, meu amor, e você pode se sentir perfeitamente livre para colocar isso completamente fora de sua mente, se isso te agrada." "Eu espero que você não tenha contado ao meu pai sobre isso!" "Bem, apenas momentos selecionados,"ele admitiu. "Ele pareceu achá-los divertidos.” "William! " disse ela, indignada. "Eu não posso acreditar que você faria uma coisa dessas!" "Isso nos permitiu evitar de brigar por mais de um quarto de hora, o que deve ser um recorde de algum tipo," disse ele na defensiva. "E ele contou muito mais histórias do que eu." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ela olhou para ele com os olhos estreitos. Os ânimos dela estavam elevados demais para permitir que ela ficasse chateada, no entanto, e ela poderia admitir que isso era precisamente o tipo de conversa que teria agradado imensamente o Sr. Bennet. "Eu disse a ele que você estava completamente justificada," acrescentou. "Bem, vou perdoá-lo desta vez." "Que pena," ele disse levemente. "Por que isso é uma pena? " ela perguntou, desconfiada. "Se você não fosse me perdoar, eu teria que levá-la de volta para Netherfield e fazer amor com você até que você perdoasse." "Você é incorrigível, William! E pensar que eu pensava que você era sóbrio e comedido!” "Isso foi só para que eu pudesse pegá-la desprevenida", brincou ele. "Bem, como quer que você tenha feito isso, você certamente me pegou." Era quase noite quando o grupo de Netherfield voltou para casa, Elizabeth ainda achando estranho para estar incluída nesse número. Quando eles chegaram, não demorou muito para que ela se retirasse para a noite, tendo achado um dia bastante emocional em cima de pouco sono na noite anterior. Darcy, esperou no andar de baixo para dar tempo à ela para fazer seus preparativos antes de se juntar a ela, serviu um copo de vinho do Porto para si e outro para Bingley, e acomodou-se para ouvir com simpatia as desgraças do seu amigo sobre o seu casamento adiado. Quando finalmente sentiu Darcy adequado para se retirar, Bingley olhou para ele com um brilho nos olhos. "Sim, Bingley?" disse ele pacientemente. "Darcy", disse ele com um sorriso cativante, "Jane e eu tivemos uma caminhada particularmente adorável hoje. Eu não sei o que Lizzy disse a ela ontem, mas se você não se importaria de convencê-la a falar muito mais sobre isso, eu ficaria muito grato. " Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Darcy levantou uma sobrancelha. "Devo entender que minha mulher está incentivando a sua noiva em um comportamento inapropriado?” "Aparentemente," disse Bingley, "e com o nosso casamento adiado, os beijos de Jane podem ser minha única esperança de sanidade! " Bingley tinha convencido Jane a se juntar a eles para jantar no dia seguinte, e tinha enviado sua carruagem para ela, já que parecia provável que iria chover. Ele havia estado marchando no chão da sala de estar, desde então, esperando ansiosamente pela chegada dela, e quando o som da carruagem foi finalmente ouvida, ele praticamente saiu correndo para saudá-la. Elizabeth fez menção de segui-lo, mas Darcy pegou a mão dela e segurou-a de volta. "Deixe que eles tenham alguns minutos juntos, meu amor," disse ele, divertido. "Você só espera me manter para si mesmo, senhor!" ela respondeu, brincando. O braço dele serpenteou e pegou-a pela cintura, puxando-a para o seu colo. "Você está absolutamente correta, minha querida." Ela enrolou os braços em volta do pescoço dele. "Você, Sr. Darcy, é o homem mais indiscreto que eu conheço," disse ela com um sorriso insolente. Ele roubou um beijo de tirar o fôlego. "Eu vejo que você está finalmente começando a me entender, Sra. Darcy." Ela mordiscou divertidamente a orelha dele. "Eu devo pedir, no entanto, que você me liberte, senão Jane ficará bastante chocada com o nosso comportamento." "Um beijo primeiro, meu amor", disse ele. Com um sorriso, ela reconheceu o pedido dele e, como ele esperava, um beijo se transformou em algo mais. Ela ainda estava em seus braços quando Bingley entrou com Jane, fazendo com que Elizabeth pulasse fora de seu colo de forma deselegante. Era óbvio que a restauração de sua dignidade era uma causa perdida, então ela deu um sorriso culpado quanto ela foi abraçar Jane. Ela sussurrou um pedido de desculpas, por envergonhá-la no ouvido de Jane. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Não há necessidade disso, Lizzy", disse Jane com um sorriso. "Estou ficando acostumada!" Esta declaração, vinda de Jane, foi uma surpresa, e Lizzy deu um olhar mais atento em sua irmã, apenas para observar que os lábios delicados dela estavam ligeiramente inchados. Jane? ela perguntou a si mesma, e um olhar para o brilho do sorriso Bingley só acrescentou a suas suspeitas. Ela não teve a chance de confirmar sua suposição, no entanto, até depois do jantar, quando Darcy e Bingley foram cuidadosos o suficiente para permitir que as duas mulheres se retirassem sozinhas por um tempo. Ela se virou para Jane com um olhar de malícia e disse: "Querida Jane, se eu não soubesse melhor, eu acharia que você tinha estado permitindo que o Sr. Bingley beijasse você hoje à noite!" Jane corou profundamente. "Lizzy", ela exclamou com profunda vergonha. Elizabeth pegou a mão dela com remorso. "Lamento provocar, Jane. Eu não vou levantar o assunto novamente. " "Não, querida Lizzy, eu não tenho medo de falar disso, só vergonha. . . é minha culpa, você vê. " Ela levantou uma sobrancelha. "O Sr. Bingley não teve nada a ver com isso? " "Oh, Lizzy, eu tenho me comportado terrivelmente! Começou no dia depois que você chegou. Eu estava dizendo a ele que conversa adorável você e eu tivemos, e como você parecia contente com o casamento com o Sr. Darcy. Nós ambos tínhamos estado preocupados, você sabe, depois que vocês brigaram no dia em que vocês ficaram noivos - e então eu o beijei! " Ela parecia espantado com sua própria ousadia. Elizabeth sorriu conscientemente. "Ele ficou chocado?" Jane corou. "Por um momento, eu acredito que ele ficou, mas ele se recuperou rapidamente. Ele estava. . . satisfeito; ele fez isso evidente.” Ela não podia trazer-se a encontrar os olhos de Elizabeth. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Ele parece hoje muito feliz." "Bem, para dizer a verdade, Lizzy, confesso que tenho permitido que isso aconteça um número de vezes agora." Elizabeth recordou as primeiras vezes em que Darcy tinha beijado-a, e como ela se sentiu ambivalente. Claro, nós ainda não estávamos noivos, pensou ela, mas ela teria ficado surpresa com sua própria resposta, mesmo que eles estivessem comprometidos um com o outro. "Pode ser surpreendente em seu efeito, não pode?" disse ela com simpatia. "Eu não tinha idéia, Lizzy!", exclamou. "Isso faz com que seja um pouco mais fácil para mim entender como você e o Sr. Darcy vieram a ser apanhados em tais posições comprometedoras." Elizabeth riu. "Sim, bem, uma grande quantidade de culpa daquilo foi minha, mas o Sr. Darcy era também um pouco mais. . . exigente do que o Sr. Bingley parece ter sido." O olhar de Jane sugeria que Bingley talvez agora não fosse tão pouco exigente como ele poderia ter sido uma vez. Elizabeth pegou a mão dela e apertou-a carinhosamente. "Você se arrepende de beijá-lo, Jane?" Houve uma pausa enquanto Jane considerou isto. "Não, eu não me arrependo. Eu não posso pensar que Charles e eu algum dia seremos tão atrevidos quanto você e o Sr. Darcy, no entanto, Lizzy! Você nos acharia bastante aborrecidos, eu estou certa. " "Se você está feliz, então eu estou feliz, querida Jane." “Confesso que estou menos preocupada com a noite de núpcias agora!" admitiu Jane com uma risada. "Você vai descobrir que isso vem naturalmente, não tenho dúvida!" Elas sorriram uma para a outra com carinho. Bingley juntou-se à elas sozinho, um largo sorriso no rosto quando localizou Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Jane. Após uma breve saudação, ele se voltou para Elizabeth. "Lizzy, Darcy é um homem bastante mudado nestes dias! Eu não tenho nenhuma idéia de como você pode ter feito isso! " "Não estou certa do que você se refere, Sr. Bingley," Elizabeth disse cautelosamente. "Ele confessou-me que havia uma carta que ele precisava terminar para seu administrador que deveria ter ido no correio de ontem! Inacreditável!' "E isto é tão extraordinário, Sr. Bingley?"Elizabeth perguntou com diversão. "Ora, Darcy sempre fez seu trabalho imediatamente. Ele nunca adiou para a última hora assim," disse Bingley. "É muito agradável vê-lo participar em alguns dos mesmos pecados como o resto de nós, meros mortais." "Tenho notado que ele sorri muito mais do que eu já vi no passado," acrescentou Jane. "Vou conceder-lhe que ele sorrir mais sim,” disse Elizabeth com uma risada. "Você sabe o que eu acho mais impressionante, no entanto?" perguntou Bingley. "O conto dele sobre os acontecimentos em Londres! Você percebe o quão chocante é que Darcy deixou o primo dele lidar com Wickham? Darcy sempre faz tudo sozinho. Eu nunca soube de ele aceitar ajuda, nem partilhar a responsabilidade. Eu acredito que ele teria achado uma fraqueza precisar de ajuda de alguém. " Elizabeth não tinha considerado isso. Ela pensou em todo o tempo que ela o conhecia, e não conseguiu encontrar um contra-exemplo. Claro, era uma característica que eles compartilhavam, e ela tinha aprendido também a contar com o apoio e a assistência dele. "Uma das características mais redentoras de William é a sua vontade de mudar," disse ela levemente. "Por sua causa, pelo menos!" disse Bingley com um largo sorriso. "É claro, eu não posso alegar estar completamente inalterada eu mesma," Elizabeth disse lentamente. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Bingley e Jane trocaram um olhar que sugeriu a Elizabeth que este assunto tinha sido levantado entre eles antes. Ela olhou para eles em censura debochada até Jane não pode deixar de rir. "Sim, Lizzy, você também está diferentes. Eu ouso dizer que você e o Sr. Darcy são boas influências um sobre o outro. " -----------Elizabeth não lamentou quando chegou o momento de voltar para Londres. Embora ela tivesse desfrutado seu tempo com Jane e seu pai, a necessidade de proteger Darcy daqueles da família dela cuja vulgaridade seria motificante para ele tinha deixado-a esgotada. Deixar sua antiga casa causou pouca aflição quando ela estaria voltando para lá em apenas dois meses para o casamento de Jane. Embora a razão para seu retorno a Londres não era nada agradável, ela estava contente de estar com Darcy. Georgiana ficou encantado ao vê-los em sua chegada em Brook Street; ela tinha sentido falta sw sua nova irmã querida, e estava ansiosa para contar aos dois de suas atividades na cidade, uma vez que eles tinham partido. O Coronel Fitzwilliam estava inesperadamente longe em Newcastle novamente – "para melhor para manter um olho em Wickham quando ele chegar lá," disse Darcy sombriamente. O casamento de Lydia estava marcado para o dia seguinte, e um bilhete do Sr. Gardiner os esperava com os detalhes dos arranjos. Elizabeth praticamente podia ver o humor Darcy se deteriorando diante dela enquanto a noite avançava, e estava preocupada sobre a causa do mesmo. Não querendo levantar a questão na frente de Georgiana, ela esperou até que eles se retirassem para a noite. Quando finalmente foram para cima, Darcy parou antes que ela entrasse em seu quarto. "Elizabeth," disse ele de uma forma séria, "a minha disposição hoje não está nada agradável. Você pode preferir sua própria companhia do que a minha." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ela olhou para ele seriamente, preocupado com a implicação dele de que ele talvez devesse manter seus problemas para si mesmo. Talvez, ela pensou, ele quer um tempo para si mesmo, e está buscando uma maneira gentil de dizer isso. Ela suspeitou, no entanto, que isso era a tendência dele de se afastar quando ele estava incomodado, e certamente ela não queria estabelecer um precedente a esse respeito. "Eu acho que eu preferiria a sua companhia, independentemente da sua disposição, e espero que a minha companhia possa tranquilizar você. Você não precisa fingir uma alegria que lhe falta. " Ela pensou que ele parecia aliviado, e ele beijou a testa dela antes de ir para seu quarto. "Eu vou me juntar à você em breve, então, meu amor," disse ele. Ela sorriu levemente, satisfeita que ela parecia ter tomado a decisão correta. Depois que Lucy tinha ajudado ela em suas roupas de dormir, Elizabeth sentouse escovando o cabelo enquanto ela se perguntava o que poderia estar preocupando Darcy. Parecia um passo encorajador que ele não tentasse esconder seus sentimentos dela. Ela não podia esperar que seu casamento fosse sempre sem dificuldades, mas era importante que eles as enfrentassem juntos. A batida dele veio na porta ao lado, e ela o mandou entrar. A expressão dele era calorosa quando ela colocou de lado a escova e caminhou para os braços dele. Ele a segurou junto a ele, enterrando o rosto em seus cabelos, deixando-a que a maciez e o perfume doce deles o acalmassem. Quando ela o sentiu relaxar em seu abraço, ela inclinou a cabeça para trás para olhar para ele. "Você pode me dizer o que está afligindo você, meu querido?", ela perguntou delicadamente. Ele podia ver a preocupação dela, e sentiu-se aquecido por isso; aquecido, e satisfeito de outras maneiras também. Ele baixou os lábios aos dela em um beijo demorado. "Me deixe me em você primeiro, minha amada, e então, se você quiser, podemos conversar mais," disse ele. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Existem muitas formas de conforto, pensou Elizabeth, e ela estava mais do que feliz em prover alívio dessa forma, respondendo como sempre à sensação do corpo dele contra o dela e os prazeres de seus beijos. Ela arqueou-se contra ele sedutoramente, e foi recompensada por uma resposta imediata. O ato de amor deles foi doce e terno, e quando Elizabeth estava nos braços dele depois, ela podia sentir que ele tinha atenuado o seu humor um pouco. Ela acariciou a bochecha dele carinhosamente, e ele virou o rosto para ela. "Você não tem a intenção de esquecer nada por um minuto, tem, meu amor?" ele perguntou levemente. "Eu não quero esquecer de nada que se relacione com você. Você tem deixado claro que quando estou angustiada, você deseja saber sobre isso; da mesma forma, eu gostaria de compartilhar qualquer problema que você enfrente.” "Preso em minha própria rede," disse ele carinhosamente. "Muito bem, meu amor, você pode fazer o seu pior, embora isso não seja um problema tão grande como você parece acreditar, só que a perspectiva de ver George Wickham amanhã é desagradável para mim. "Eu dificilmente posso criticá-lo por isso, William. É angustiante pensar que alguém pode se importar tão pouco com o mal que ele faz aos outros, e ser tão insolente a ponto de supor que ele deve sempre escapar ileso." Darcy suspirou profundamente. "É mais angustiante quando ele é alguém que você contou como um amigo." Ela considerou as palavras dele. Certamente, ela tinha experimentado um sentimento de traição quando ela percebeu o verdadeiro caráter de Wickham, após ler a carta de Darcy, e um sentimento de auto-aversão que ela tinha se permitido admirar e ser atraída por um homem desses. A familiaridade dela com ele, porém, tinha sido de poucos meses; Darcy tinha conhecido ele toda a sua vida, e pelos seus próprio relatos eles tinham sido companheiros em sua juventude. Quanto maior Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


deve ser a dor da traição nessas circunstâncias! Tendo em certo senso da profundidade das lealdades pessoais do seu marido, ela só podia imaginar o que deve ter custado a ele dissolver uma amizade que tinha começado tão cedo, e com alguém com laços tão fortes com a família dele. "Isso deve ser realmente muito difícil," disse ela. "Ele conhece as minhas vulnerabilidades tão bem. Se fosse só dinheiro, ou mesmo a desonra, que ele procurava, seria menos doloroso. Mas não, ele entende quanto muito mais dor que ele pode me causar por ferir aqueles que eu amo. Eu não vou ser capaz de olhar para ele sem ver o mal que ele tem causado primeiro para Georgiana, agora para você. É quase insuportável. " Elizabeth sabia que ela teria que pronunciar sua próxima pergunta com cuidado. "Eu nunca entendi porque ele quer prejudicá-lo em primeiro lugar." Darcy fez uma careta. "Não é como se ele gastasse o seu tempo à procura de maneiras de se vingar de mim, é mais que ele não consegue resistir a uma oportunidade quando vê uma, e ele pode ver oportunidades onde ninguém mais pode. Quanto ao porquê. . . Eu sempre achei que ele nunca superou seu ciúme sobre as diferenças em nossas perspectivas. Quando éramos jovens, isso não significava nada, mas quando nós ficamos mais velhos, ele ressentiu-se mais. Creio que lhe dá algum sentido de poder obter o melhor de mim de uma forma ou de outra, então ele continua seus truques até hoje." Ela se aninhou perto dele. "Eu sinto muito. Eu não acredito que eu posso imaginar como seria ter um amigo virado contra você daquela maneira. E, William. . . "Ela parou. "Sim, meu amor?" Ele emaranhou seus dedos nos longos cachos dela. "Obrigado pela entrentar a mortificação de lidar com ele, por causa de Lydia". "Doce Elizabeth, você não precisa me agradecer por remediar uma situação que não teria existido se não fosse por mim." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Não", disse ela com determinação, "ela existe por causa da amoralidade de Wickham, e se você respresenta algum papel nisso, é porque ele sabe que em uma causa de compaixão e honra, você será capaz de tirar o melhor de si mesmo e trabalhar para uma solução com um homem que você despreza. Estou orgulhosa de você. " Ele a juntou ainda mais perto dele. "Meu querido amor, você é muito boa para mim, e eu não mereço tal elogio." Ela sentou-se bruscamente e fixou um olhar de desaprovação debochada no rosto dele. "Você está discutindo comigo, Sr. Darcy?" disse ela, em tom que não muito diferente de Lady Catherine de Bourgh. Ela estava contente de vê-lo rir. "Eu nunca sonharia com isso, madame." "Estou feliz em ouvir isso," ela respondeu rapidamente. "Caso contrário eu teria de puni-lo." "E como, por favor diga, você iria conseguir isso, Sra. Darcy?" ele perguntou. Ela se aproveitou de sua posição sobre ele para lhe dar uma sensação muito boa de como ela pretendia puni-lo, passando as mãos levemente ao longo das linhas do seu corpo. Com um sorriso malicioso, ela começou a afagá-lo e acariciá-lo da forma como ela sabia que ele achava mais excitante. Ele estendeu a mão e puxou-a para cima dele. "Nesse caso, madame,” disse ele, entre beijos, "Eu sinto somente apropriado avisá-la que estou me sentindo bastante argumentativo hoje."

Capítulo 14 Elizabeth teve o prazer de descobrir que o estado de espírito de Darcy Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


melhoraram substancialmente na manhã seguinte. Se não particularmente em bons ânimos, ele não parecia mais ativamente angustiado, mesmo quando chegou a hora de partir para St. Clements. Eles chegaram pouco antes da hora para encontrar Lydia se remexendo na sua impaciência para os procedimentos, e cheia de queixas sobre a sua estadia em Londres. A Sra. Gardiner estava claramente tentada a dizer algumas palavras ela própria, mas conseguiu conter-se de partilhar com Elizabeth algumas das frustrações das últimas duas semanas. Elizabeth deu um suspiro de alívio quando entrou na igreja e constatou que Wickham estava de fato lá. Seu único temor era de que ele de alguma forma não comparecesse. Ele cumprimentou-os da sua forma mais amável, e Elizabeth ficou orgulhosa de ver Darcy conseguindo ser cortês. Felizmente, a cerimônia começou pouco depois. Quando Lydia andou até o altar no braço de seu tio, Elizabeth não poderia deixar de lembrar fazer o mesmo percurso ela mesma em Matlock, mas as semelhanças entre as duas ocasiões, acabaram ali. As risadinhas e olhares flertantes de Lydia para Wickham pareciam fazer um deboche do que deveria ter sido uma ocasião solene, e enquanto atitude de Wickham foi mais adequada, ela sabia que a cerimônia não significava nada para ele a não ser uma fonte de renda. O vigário tinha pouco interesse na ocasião, uma vez que Wickham vivia na paróquia mas não era um religioso, e ele balbuciou seu caminho por meio a cerimônia o mais rapidamente possível. Em um ponto Elizabeth virou-se para Darcy e viu a mandíbula dele tinha uma forma severa. Com uma sentimento de travessura, ela sussurrou-lhe: "Você está discutindo comigo de novo?" e ficou satisfeita ao ver os cantos da boca dele se elevarem em um sorriso mal disfarçado. A cerimônia não poderia acabar cedo o bastante para Elizabeth, e depois ela teve que aguentar a companhia de Lydia tão bem quanto ela conseguia, enquanto Darcy, Wickham, e o Sr. Gardiner se reuniam com o advogado de Darcy para Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


finalizar as questões de dinheiro. Quando eles voltaram, Lydia e Wickham entraram na carruagem para Newcastle após mais alguns comentários tolos da noiva. "Fico feliz que seu pai não cedeu a vontade da sua mãe e permitiu que eles voltem para Longbourn," Darcy disse no ouvido de Elizabeth. "Eu estava grata que você estava lá quando surgiu a questão, ou receio que ele poderia ter sido incapaz de manter a posição dele. Minha mãe pode ser muito persistente. " "Não me surpreendo, embora eu não acredite que estou em posição de criticar ninguém por ser persistente," brincou ele. "Mas vamos nos despedir da sua tia e tio, Georgiana; estará nos esperando em casa logo." --------------------Os primeiros meses deles em Pemberley passaram rapidamente. Logo foi difícil para Elizabeth recordar uma época em que o Sr. Darcy não estava em seus pensamentos constantemente, e ela se acostumou aos deveres da Senhora da Pemberley, com uma ajuda substancial da Sra. Reynolds. Um dia depois de terem estado a discutir os menus, a Sra. Reynolds disse: "Se eu puder consultá-la sobre um assunto separado, minha senhora, eu estive pensando se devo começar a preparar o berçário. Não tem sido usado desde que Miss Darcy era um bebê, e não está nas melhores condições. " Elizabeth levantou uma sobrancelha, perguntando-se se esta questão era tratada em generalidades ou se a Sra. Reynolds tinha algumas suspeitas. Ela mesma tinha estado questionando há algum tempo as mudanças que ela estava sentindo em seu corpo. Ela devia ter suspeitado que a Sra. Reynolds não perderia nada. Elizabeth não tinha dúvidas de que a governanta estava antecipando ansiosamente a chegada dos filhos do Sr. Darcy, e certamente ela teria estado observando cuidadosamente Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


para detectar quaisquer sinais de que a senhora pudesse estar aumentando. "Você parece ter algumas suspeitas, Sra. Reynolds," disse ela delicadamente. "Você tinha tido aquele olhar em você ultimamente, Sra. Darcy," ela reconheceu. "Eu tenho tido algumas suspeitas, mas não são nada mais do que isso, então eu gostaria que isso não fosse adiante neste momento. Eu não tenho grande experiência neste assunto, e eu não gostaria de levantar falsas esperanças. " "Você ainda não compartilhou isso com o Sr. Darcy, eu presumo," disse a Sra. Reynolds com a ousadia de um empregado da família de longa data . "Ele ainda parece muito feliz." "Por que ele não deveria estar feliz?" "Oh, madame," a Sra. Reynolds disse: "Atrevo-me a supor que, quando informado da situação, o Sr. Darcy vai sofrer de um tal caso de nervos, que você mal irá acreditar, e teremos que fazer tudo que podemos para contê-lo. Foi assim quando a mãe dele estava aumentando, e eu não tenho nenhuma dúvida de que será pior por causa disso. " Ocorreu para Elizabeth que a Sra. Reynolds não tinha levantado esta questão por acaso. "Por favor continue." "O jovem patrão foi bastante afetado pela doença de Lady Anne após o nascimento de Miss Georgiana; nós pensamos na época que era pouco provável que ela permanecesse conosco. Ele sempre foi próximo da mãe, mas nunca mais próximo do que quando ele se sentou com ela todos os dias durante a a recuperação dela. Quando ele descobriu que estava novamente em uma condição delicada, alguns anos depois, ele tornou-se bastante, devo dizer, paralisado, com preocupação por ela, temendo o pior. Todos nós tentamos tranquilizá-lo, mas ele não quis falar de suas preocupações com ninguém. Quando seus piores temores se tornaram realidade, ele ficou arrasado." A Sra. Reynolds fez uma pausa. "Até hoje, eu tenho visto que ele fica desconfortável quando confrontado com qualquer mulher em tal Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


condição, e eu só posso imaginar que será pior para ele quando é a esposa dele que ele vê diante de si." Isso dificilmente era o que Elizabeth queria ouvir; ela havia se encontrado sentindo cada vez mais carente do apoio e carinho de Darcy durante este tempo de incerteza. Era difícil o bastante para uma mulher tão independente quanto ela se sentir tão dependente de outro, e a idéia de que ele próprio pudesse precisar de apoio - apoio extensivo, se a Sra. Reynolds estivesse certa – era perturbadora. Era uma grande decepção pensar a resposta dele para a sua condição pudesse não ser de prazer ou antecipação, mas de aflição; ela certamente não queria que ele sofresse de alguma maneira, e ela tinha estado ansiosa para surpreendê-lo com a informação que a família deles estava para aumentar. Se ela pudesse estar mais próxima de Jane, ou da sua tia Gardiner. . . mas tais pensamentos não poderiam trazê-la nenhuma satisfação. "Eu vejo," disse ela devagar, começando a perceber o quão sozinha a Senhora de Pemberley poderia estar em algumas questões. Ela se viu desejando que ela pudesse abrir seu coração para a Sra. Reynolds como Georgiana e ocasionalmente até mesmo Darcy fazia, mas ela estava consciente da inadequação de tal curso de ação. Ocorreu a ela que, dada a conversa atual, ela poderia, no entanto, voltar-se para a governanta para algumas das informações que ela sentia estar tão tristemente faltando para ela. "Sra. Reynolds, que seria útil para mim se eu tivesse mais conhecimento dos sinais que eu deveria estar observando em mim para ter mais certeza quanto à minha condição. " A Sra. Reynolds percebeu que a senhora, que vivia a uma distância tão grande de sua família, foi deixada sem mulheres mais experientes para buscar por assistência nestas questões. Suspeitando que a força de vontade da Sra. Darcy pudesse não responder bem a uma simpatia maternal da parte dela, ela disse rapidamente, "De fato eu imagino que seja assim. Nunca se pode saber ao certo, é Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


claro, até que o bebê chute, e eu suspeito que você não está tão longe disso, mas existem alguns sinais que podem ser uma boa indicação." Ela começou a elaborar algumas das mudanças que iriam acompanhar um evento como esse, concluindo que havia uma excelente parteira na vizinhança, e que Elizabeth estaria em boas mãos se ela fosse requerida. Para sua ouvinte atenta, as palavras dela serviram apenas como uma confirmação de suas suspeitas, e ela agradeceu a Sra. Reynolds pelo conselho. A governanta olhou para ela agudamente. "Você pode desejar considerar Lucy como sua confidente, Sra. Darcy. Ela é muito discreta, e teria um valor inestimável em ajudá-la nos momentos mais difíceis, especialmente se você optar por não compartilhar a novidade com o Sr. Darcy ainda. Você também pode contar com Wilkins, que teve uma boa experiência em ver o Sr. Darcy em tempos difíceis." Elizabeth prometeu considerar estes pensamentos. Depois de deixar a presença dela, a Sra. Reynolds sacudiu a cabeça com um sorriso. Sim, ela poderia seguramente estar orgulhosa da Sra. Darcy, e grata que ela tinha força para lidar com algumas das complexidades do patrão. Ela precisaria de ajuda, no entanto, e a governanta saiu para estudar a melhor forma de apoiá-la uma vez que o Sr. Darcy se tornasse ciente da situação. Enquanto isso, Elizabeth deitou a cabeça nas mãos. Ela considerou como lidar com a questão, descobrindo que ela estava relutante em manter um segredo de seu marido, mas a compreensão que se isso ia causá-lo o grau de preocupação que a Sra. Reynolds temia, seria melhor limitar o tempo que ele precisaria para enfrentar essa preocupação. Ela suspirou, pensando na capacidade impressionante de seu marido para prognosticar o pior resultado possível e a sua propensão para a ansiedade. Porque isso não poderia ser mais simples? Ela perguntou-se em alguma angústia. Por que ele não poderia simplesmente ficar feliz e animado, como qualquer outro homem ficaria? Finalmente ela resolveu esperar. Os Gardiners deveriam chegar para a visita de Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Natal na semana seguinte, e ficariam por mais uma quinzena. Depois da partida deles, se todos os sinais ainda sugerissem que suas suspeitas estavam corretas, ela contaria para ele. Ela certamente iria aproveitar a presença da tia para discutir o assunto com ela, também. Nas semanas seguintes, tornou-se cada vez mais claro para Elizabeth que havia de fato uma extensiva conspiração silenciosa dedicada à protecção de Darcy do conhecimento. Certas mudanças sutis começaram a ocorrer dentro da casa. Lareiras eram acesas nos cômodos quando ela esteva presente, os alimentos servidos desviados para a preferência dela, com atenção óbvia para um estômago potencialmente enjoado, banquinhos apareceram perto da cadeira que ela favorecia quando nenhum tinha estado lá antes, e ela tornou-se ciente de que o lacaios estavam prestando bastante atenção quando ela partia em suas caminhadas e a direção que ela tomava. A discrição com que isso ocorreu foi mais convincente do que qualquer outra coisa para Elizabeth que as preocupações da Sra. Reynolds eram bem fundamentadas, se os temores dela eram compartilhados por outros empregados que estiveram com a família durante anos. Ela encontrou-se grata pelo quieto rebuliço sendo feito sobre o conforto dela, não tanto para as mudanças físicas quanto para a expressão de preocupação que isso representava. Ela achou menos difícil manter o conhecimento da sua condição de Darcy do que ela tin há esperado quando ela considerava o quanto isso poderia perturbá-lo. A chegada dos Gardiners proporcionou uma distração útil. Ela ficou encantada ao vêlos, e aguardava com expectativa uma longa conversa com a tia. Foi a sua primeira chance de conhecer o mais novo dos jovens Gardiners, agora apenas com dois meses de idade, e segurá-lo a fez sonhar melancolicamente sobre o momento em que seu próprio filho estaria em seus braços. Ela ficou satisfeita em ver Darcy desfrutar da companhia das crianças Gardiner mais velhas; se o comportamento dele em relação a Georgiana já não tinha dito a ela que ele seria um pai dedicado, Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


esta teria sido a prova disso. Elizabeth confiou fortemente na Sra. Reynolds para os arranjos de Natal, permitindo-lhe ditar quais empregados iriam para casa, e quais teriam suas famílias se juntando a eles em Pemberley. A casa foi decorada com azevinho e hera, a verdura de inverno adicionando um toque bem-vindo de informalidade para os salões da imponente Casa de Pemberley. Elizabeth gostava da solenidade calma da temporada com sua família, e ficou satisfeita com a atmosfera de tranquilidade da reunião. Ficou claro que Darcy também estava contente com o feriado, que certamente foi mais animado pela adição da família Gardiner e a influência de Elizabeth. Embora ele tenha estado realmente triste de ver seus convidados partirem, ele também estava grato por ter Elizabeth para si mais uma vez. Ele arranjou as coisas para que ele pudesse passar grande parte do dia na presença dela, desfrutando da paz e do prazer que ele experimentava ao lado dela . A neve começou a cair à noite, e ela o convenceu a ir para fora para assistir com ela, e no silêncio da escuridão, ele colocou os braços ao redor dela, mais capturado pela beleza dela do que da natureza. "Vamos nos retirar mais cedo hoje, meu amor," ele disse baixinho no ouvido dela. Ela olhou para ele com carinho. "Eu pensei que você nunca iria pedir." Elizabeth tinha sentido os chutes do bebê alguns dias antes, e parecia errado não compartilhar seu conhecimento neste momento, mas o rosto dele exibia uma tranquilidade tão feliz que ela não tinha sido capaz de trazer-se a fazer nada que pudesse quebrá-la. Depois que eles tinham se retirado e tomado prazer um do outro, no entanto, ela sabia que não podia mais adiar. "William," começou ela enquanto estava deitada nos braços dele, depois ficou em silêncio quando ela percebeu que em seu desejo de evitar pensar sobre a reação dele, ela não havia dado nenhum pensamento de como compartilhar a notícia com Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


ele. "Sim, meu amor?" ele perguntou carinhosamente, enrolando os cabelos dela em sua mão. "Eu te amo muito - eu espero que você saiba disso," ela disse. "Eu acredito que eu saiba, mas eu nunca sou contra a ouvir isso. Como acontece, eu te adoro apaixonadamente. " Ela respirou fundo, mas não disse nada. Sua fraqueza neste assunto era irritante, mas a verdade era que ela estava com medo de ouvir que ele estava chateado com o estado dela. A idéia de filho deles era uma tão feliz que ela sabia que seria difícil para ela se a reação dele fosse o mínimo negativa. Ela enterrou a cabeça no ombro dele, tentando convocar sua coragem. A voz dele foi muito gentil. "Seja o que for, eu não vou ficar bravo com você, meu amor." Haviam momentos em que ela desejava que ele não pudesse lê-la tão bem. "Eu tenho algo para te contar," ela disse lentamente, "e eu estou preocupada a respeito de como você vai reagir, mas eu duvido que você vai ficar bravo." "Bem, vou tentar me fortalecer," disse ele com um leve sorriso. Ela odiava o quão dependente da aprovação dele ela se sentia no seu estado atual. Incapaz de trazer-se a dizer as palavras, ela em vez tomou a mão dele e colocou no lugar onde o bebê havia começado a fazer-se sentir. Ela encontrou-se prendendo a respiração enquanto esperava pela compreensão dele. A primeira indicação da compreensão dele veio quando ela sentiu o corpo dele enrijecer um pouco. "O que é que você está tentando me dizer, Elizabeth", ele perguntou, sua voz nivelada. "Que você pode esperar um herdeiro para Pemberley em alguns meses," ela disse, aliviada por finalmente dizer as palavras. Darcy sentiu como se um grande peso tivesse sobre ele. Ele sabia de algum Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


modo que esse momento chegaria mais cedo ou mais tarde, mas ele queria tanto negar. Como um prisioneiro à espera de ouvir sua sentença, ele disse, "Em alguns meses?” "Minha tia suspeita que será no final de maio," disse ela baixinho. A resposta para a pergunta dela era evidente, ele não evidenciou prazer na inteligência. Muito bem, disse a si mesma com firmeza, ignorando uma pontada de dor, terei de estar satisfeito e animado o suficiente por nós dois. Ela aguardou a resposta dele, e quando se tornou claro que nenhuma estava imediatamente por vir, ela ansiosamente acrescentou: "Meu querido, você não tem mais nada a dizer?" "Por favor, Elizabeth!" Ele se conteve, e vendo o olhar no rosto dela, suspirou quase imperceptivelmente. Sim, ele precisava dizer algo, mas não seria fácil. "Isso é uma notícia muito emocionante, meu amor, me perdoe se leva um pouco de tempo para me acostumar com a idéia." Um pouco de tempo? ele se perguntou ironicamente. Eu duvido que eu jamais irei me acostumar com essa idea. Ele a apertou quase convulsivamente. Ele sabia que ele deveria estar expressando sua alegria a ela, mas tão longe ele não conseguiria ir. "Eu te amo, minha doce, adorável Elizabeth," ele sussurrou, se perguntando como ele poderia sobreviver se o pior acontecesse. Determinadamente, ela disse: "E agora é a sua vez de me dizer o que está incomodando você." "Meu amor, não há necessidade de se preocupar comigo," disse Darcy no que ele esperava que fosse uma voz tranqüilizadora. Elizabeth decidiu mudar sua estratégia. "William," ela disse provocativamente, "se você não me falar sobre qualquer conclusão improvável que você chegou, vou ter que tomar medidas drásticas para que você fazer isso." Ele aceitou de bom grado a distração. "E como, minha senhora, você planeja me fazer falar?" ele perguntou levemente. Ela levantou-se para fora da cama e inclinou as mãos nos ombros dele. "Pela Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


força física, se necessário, senhor!" Um sorriso relutante começou a puxar os cantos da boca dele com a imagem de Elizabeth tentando dominá-lo fisicamente. "Eu tremo diante de ti, meu amor." Ela beijou-o levemente. Sua voz grave novamente, ela disse: "Eu imploro a você, William, não me exclua. Eu não posso te dizer como isso me dói.” "Elizabeth, por favor, acredite em mim. . . " Ela podia dizer pelo tom de voz dele que ele não tinha intenção de compartilhar suas preocupações, e ela não tinha paciência a reserva dele. "Eu acredito em você, William! Eu não sou tão carente de percepção para ser incapaz de saber quando algo está incomodando você. Como você se sentiria se você soubesse que eu estava escondendo algo de você, nestas circunstâncias - não se sentiria magoado e traído?" Ela não sabia de nada mais provável a forçá-lo a falar do que indicar que ele estava causando dor à ela por não fazê-lo, e ela estava determinada a não descansar até que ele entendesse a necessidade dela. Ela tinha o encurralado; ele reconheceu isso imediatamente. Com um profundo suspiro, ele disse: "Já chega. Desde que você não vai ser movida, eu vou te contar das minhas reservas, embora isso vá contra meu bom senso. Mas, por favor, seja paciente comigo; isso não será fácil para mim." O rosto dela suavizou quando ela relaxou de volta para os braços dele. "Obrigado, meu querido." Darcy mal sabia como começar a colocar seus pensamentos em ordem. A última coisa que ele queria era trazer preocupações para a mente dela que só poderiam tornar as coisas mais difíceis para ela, mas ele sabia que com os instintos que ele havia desenvolvido em seu tempo com Elizabeth que ela estava correta por se preocupar que o segredo sobre um assunto desses poderia ficar entre eles. "Eu não posso negar que eu gostaria de ver nossos filhos correndo pelos corredores de Pemberley," ele começou devagar. "Ao mesmo tempo, estou muito ciente dos riscos Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


de uma gravidez, e eu acho a idéia de qualquer risco para você, minha querida, quase intolerável." Não havia motivo, pensou ele, de dizer que ele preferia não ter um herdeiro do que tee que enfrentar esse perigo. Não havia, afinal, nada que poderia ser feito sobre isso. Aliviada que ele estava compartilhando suas preocupações, ela respondeu com a lógica que ela esperava aliviar a mente dele. "Mas não há nenhuma razão para sentir que eu estou correndo qualquer risco. Eu sou jovem, de boa saúde, e minha mãe deu à luz cinco filhos em seis anos, com o que entendo ter sido notavelmente pouca dificuldade." Ele suspirou. "Não é nada tão racional, meu amor. Eu tive a infelicidade de ver a minha mãe passar por uma longa doença e acabando por morrer durante o parto, e a idéia de que o mesmo poderia acontecer com você. . . " Ele descobriu que não poderia completar seu pensamento. Ela acariciou os cabelos dele com ternura, sentindo as emoções fortes que ele estava trabalhando para reprimir. "Vai me contar sobre isso, amor?" ela perguntou suavemente. Ele deu a ela um olhar assustado. "Sobre por que tenho medo de perder você?" Ela sorriu compreensivamente. "Não, William, sobre sua mãe." Ela prendeu a respiração, esperando a reação dele. Ela não veio imediatamente. "Elizabeth, meu querido amor, me perdoe, este é um assunto que eu acho muito difícil de discutir," ele finalmente disse com cuidado. O instinto de Elizabeth era de tranquilizá-lo que ele não precisava dizer nada que ele não queria, mas ela sabia que isto não iria servir. Ela simplesmente esperou, lembrando-se da importância disso. Por fim, ele suspirou. "Você não vai descansar até que que eu conte, não é?" Ela balançou a cabeça. "Temo que eu não vou, uma vez que o seu fantasma ameaça ficar entre nós." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ele reconheceu o ponto dela com uma elevação de sua sobrancelha. "O que você gostaria de saber, então? " Ela alisou o cabelo dele do rosto. "Você pode me dizer o que aconteceu?" Ele fechou os olhos, um olhar triste no rosto. "Certa vez, quando eu era jovem, talvez sete ou oito anos, eu estava atormentando a minha mãe com queixas sobre o porquê de nossa família não ter outros filhos, e exigindo um irmãozinho. Os ânimos dela eram bastante animados naqueles dias, mas me lembro que ela tinha lágrimas em seus olhos quando ela me disse que os médicos tinham dito que não seria seguro para ela ter outro filho. Percebi que houve algum motivo para preocupação no meu nascimento que os levaram a essa conclusão. Não é necessário dizer que me senti envergonhado de perturbá-la, e o momento ficou comigo como um resultado. Quando se tornou claro, alguns anos depois que ela havia agido contra o conselho dos médicos, eu podia dizer que meu pai estava muito preocupado, embora minha mãe não parecia estar. Eu não sabia em quem acreditar, mas isso pesou muito na minha mente. " Ele suspirou antes de continuar. "Você sem nenhuma dúvida ouviu que ela estava muito doente após o nascimento de Georgiana. Lembro-me que ela estava bem e feliz um dia, então no próximo todos estavam falando em sussurros, e foi-me dito que minha mãe poderia não estar conosco por muito tempo. Como aconteceu, essa fase durou meses. Ela estava muito doente mesmo para segurar Georgiana, mas ela parecia encontrar algum conforto em me ter sentado ao lado dela, então eu passava horas todos os dias ao seu lado, falando com ela, lendo em voz alta, ou apenas fazendo-a companhia, e me perguntando se ela iria ver o próximo amanhecer." Sua voz falhou, e ele parou de falar. Ela tentou trazê-lo de volta ao presente, beijando-o carinhosamente. "Onde estava o seu pai durante esse tempo?" "Eu mal o via," disse Darcy fimemente, prendendo a raiva aparente em sua voz. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Ele sabia que ele era responsável por aquilo que tinha acontecido, e ele não conseguia encará-la. E Georgiana era uma pobre vítima também. Nenhum de nós tinha tempo para ela, e ela foi deixada para a ama de leite e Sra. Reynolds." Intrigada, Elizabeth perguntou: " O que o seu pai tinha feito, que ela era responsável pela doença da sua mãe?" Ele virou a cabeça para olhar para ela, seu olhar escuro e penetrante. "O mesmo que eu tenho feito, ser responsável pelo risco que você enfrenta." Elasentou-se, horrorizada com as palavras dele. "William, você se culpa pela minha condição?" Sua voz era de aço quando ele disse, "Você não criou a situação sozinnha, e ambos estamos conscientes de qual de nós insistiu sobre as circunstâncias que levaram a isso." "William, isso não é motivo para lamentações, mas de alegria! É uma parte normal da vida, e você não está em falta por partilhar a minha cama. Eu não deixaria que fosse de nenhuma outra maneira! Do pouco que você disse, soa como se a sua mãe queria outro filho desesperadamente, e ficou satisfeita com sua condição. Eu não sei de onde você tirou essa idéia de que era algo que seu pai forçou em cima dela, mas eu insisto que você desengane-se dela imediatamente! " O olhar dele era impenetrável. "Ela nunca se recuperou, Elizabeth. Ela melhorou, sem dúvida, mas ela nunca mais recuperou a sua vitalidade, e nunca foi novamente a mulher alegre e espirituosa que era. No entanto, cinco anos depois, ele fez isso de novo, mas naquele momento todos nós sabíamos o que estava para acontecer. Eu a vi desvancer por meses, e uma noite eu de boa noite para ela e na manhã seguinte a Sra. Reynolds me disse que ela não estava mais conosco." Sua voz era crua com tristeza. Ela olhou para ele com firmeza, vendo a confusão do menino que ele tinha sido, perdendo sua mãe para a morte e seu pai para o luto, a compreensão dele da Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


situação limitada, mas tentando assumir a responsabilidade de um adulto por tudo isso. "William," ela disse suavemente, "você teria negado aos seus pais o conforto do amor um do outros? O que aconteceu com sua mãe foi trágico, mas não foi culpa de ninguém." Ele ficou em silêncio por algum tempo, movendo-se apenas para afagar os cabelos dela. "Elizabeth, a minha família nunca mais foi a mesma depois disso. Meu pai sofreu durante anos, e ele e eu não fomos os melhores amigos depois disso, porque eu o lembrava muito da minha mãe, e eu culpava ele pela morte dela. Foi quando George Wickham fez o seu caminho para a confiança do meu pai, e eu temo que ele fez alguns esforços para colocá-lo contra mim. Foi uma época amarga." "Eu sinto muito, meu querido. Que pena que você de alguma forma perdeu ambos os pais ao mesmo tempo, e em uma idade difícil. " Ele se virou para o lado para encará-la. "Precisou de você trazer a alegria de volta para Pemberley, meu amor," ele disse com intensa emoção. "Oh, William,"ela respondeu, com o coração doendo pelas perdas dele. "Eu falo sério, Elizabeth. Sempre houve luto aqui, de uma forma ou de outra, após a morte de minha mãe e, embora a perda me impactou menos uma vez eu estava na sociedade, eu fiquei preso em uma outra rede, uma de pessoas que me valorizavam apenas como uma mercadoria. Tornei-me cansado da vida e cínico. Haviam tão poucas pessoas cujo afeto eu confiava e então eu conheci você, com sua vivacidade e inteligência e contagiante sorriso, tudo que tinha faltado em mim durante todos esses anos." Ele parou por um momento para beijá-la com uma urgência emocional. "Assim você pode ver, minha querida, mais amada Elizabeth, porque o pensamento de te perder me atormenta." Ela segurou o rosto dele nas mãos, olhando em seus olhos. "Eu posso ver porque a minha condição vai levantar tristes lembranças para você, querido, mas você não tem motivos para temer por mim," disse ela com firmeza. "Eu não sou sua Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


mãe, e o passado não é o presente. Contanto que você seja capaz de me dizer o que sente, podemos compartilhar esse fardo, mas não vou permitir que você tenha use o passado para prever o futuro." Ele a apertou em seus braços. "Querida Elizabeth," ele murmurou, sua voz evidenciando um ligeiro tremor. Ela o segurou com força, falando baixinho carinhos em seu ouvido, até que sentiu o corpo dele liberar sua tensão. "Tudo vai ficar bem, meu querido," ela sussurrou. "Eu vou requerer uma grande dose de garantias disso," ele respondeu com uma voz abafada, voltando-se para beijá-la com ternura. "Eu vou ficar feliz de tranquilizá-lo sempre que quiser," disse ela levemente, "porque sei que suas preocupações são infundadas." Ela deu um sorriso maroto, em seguida, acrescentou: "eu posso oferecer isto como prova da minha posição: tanto quanto eu posso julgar, cada empregado em Pemberley sabe da minha condição há semanas, e o único pensamento deles foi proteger você de saber disso." Ele virou um olhar assustado para ela. "Não," disse ele, incrédulo. Um sorriso divertido curvou a boca dela. "Sim. Você tem uma criadagem muito devotada." Ele rolou de costas, cobrindo o rosto com as mãos. "Não há privacidade como o Mestre de Pemberley," disse ele, com pesar perplexo. "Nenhuma, até onde eu posso ver. Felizmente, você ainda tem alguns poucos consolações." Ele levantou uma sobrancelha para ela. "Que consolações que você tem em mente, meu amor?" Ela sorriu lentamente e passou a mão pelos laterais dele lentamente. "Diga-me o que você gostaria," ela sussurrou provocante. "Você", disse ele intensamente. "Você, agora e sempre." Ele emaranhou a mão Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


nos cabelos dela, puxando sua cabeça para a dele, então lentamente abaixou sua boca à dela, até que encontraram em comunhão apaixonada. -----------------------Elizabeth acordou durante a noite com a sensação de que algo estava errado. O fogo da lareira tinha apagado, mas ela poderia dizer pelo corpo dele que Darcy estava acordado também. Ele estava, na verdade, não fazendo nenhum esforço para dormir, mas estava apoiado em um cotovelo ao lado dela, a outra mão descansando ligeiramente do lado dela. "William, está bem?" ela perguntou, com preocupação sonolenta. "Muito bem," disse ele baixinho. "Eu lamento ter perturbado você, meu amor." "O que te mantém acordado até tão tarde?" "Eu tenho estado pensando." "Agora, esta é uma atividade perigosa. Espero que não seja assunto sério." "Não." Ele moveu a mão, acariciando o corpo dela suavemente. "Eu estive pensando sobre o nosso filho." Ela levantou a mãe até a tocar a bochecha dele. Seu semblante parecia bastante calmo, mas ela não estava sem preocupação. "E você já chegou a alguma conclusão?" Ele sorriu e beijou-a com ternura. "Só que a idéia me agrada. Eu nunca realmente me permiti considerar a possibilidade no passado, por isso é muito nova para mim, mas acho que o pensamento de um filho nosso é uma agradável." O tom dele mudou ligeiramente. "O que não quer dizer que eu não estou preocupado ainda, mas eu tenho estado meditando em vez disso na felicidade isto que pode trazer." As palavras dele trouxeram lágrimas aos olhos dela. "Oh, William," ela Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


sussurrou, com voz embargada. "O que eu disse?" ele perguntou em desânimo. Ela sorriu em meio às lágrimas. "Nada. Fico feliz em ouvir isso. E eu temo que eu sou um completamente insensata emocional nos dias de hoje, então eu aconselho você a se acostumar com isso. Ele a reuniu em seus braços. "Elizabeth, meu querido amor. Você pode ser tão emocional quanto quiser, contanto que você seja minha." "Sempre, meu amor," disse ela entre lágrimas. Ele deslizou a mão ao longo ao lado dela, trazendo-a para descansar em torno de seu peito, um pouco mais de generosas proporções do que de costume devido à sua condição. "Eu tenho vindo a valorizar, também, algumas das mudanças em você que eu não tinha notado anterior a isto." Com um olhar divertido, ela respondeu: "Há um bom número delas, devo dizer. E eu tenho sentido ele se mover por vários dias agora." "Você acha que é um menino, então?” "Eu não tenho a menor idéia," disse ela com uma risada. "Eu devo chamá-lo de alguma coisa, no entanto!" "Bem, eu preferiria uma menina," disse ele definitivamente. "Uma menina com olhos da mãe." Ela levantou uma sobrancelha. "Não um herdeiro para Pemberley?" "Da próxima vez." Uma sombra cruzou o rosto dele, e ela sabia que seus temores não o tinham deixado. "Prometa-me que você vai tomar cuidado de si mesma, Elizabeth." "Eu prometo," disse ela com um sorriso indulgente. "Você não precisa se preocupar com isso; você tem algum número de empregados que estavam observando cada movimento meu por semanas, e eu não tenho dúvida de que eles agora não hesitarão em denunciar qualquer transgressão que eu fizer para você Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


imediatamente!" "Eu espero que você vai me perdoar se eu me tornar um pouco superprotetor. " "Eu tenho antecipando isso já," ela disse pesarosamente. "Talvez você poderia considerar isso uma deficiência minha." Eles sorriram um para os olhos um do outro. "Eu te amo muito, Elizabeth." Ele a beijou com uma delicadeza que gradualmente se transformou em algo muito diferente. Até o momento em que ele a soltou, ela estava se sentindo agradavelmente sem fôlego. As mãos dele começaram a acariciar o corpo dela, demorando-se sobre o seu abdome. "E eu tenho uma confissão a fazer," continuou ele, numa voz que fez o pulso dela acelerar. "Eu acho que gosto da idéia de meu filho dentro de você muito mais do que eu deveria." Se ela tivesse dúvidas sobre a forma da apreciação dele, elas foram rapidamente colocadas de lado.

-------------------Elizabeth ficou contente por saber que os sentimentos calorosos de Darcy sobre a próxima adição a sua família persistia. Felizmente, ele não tentava disfarçar seus períodos de ansiedade, deixando-se ser tranquilizado por sua esposa, bem como aguentando em algumas ocasiões lições da Sra. Reynolds sobre o assunto. Se pressionada, Elizabeth teria admitido sentir-se um pouco sufocada pela atenção dele por sua saúde e necessidades, mas parecia um preço pequeno a pagar para o maior conforto dele. Algumas semanas depois que soube de sua condição, Darcy disse: "Eu estive pensando, meu amor, se está se aproximando o momento de procurar uma ama-de-leite." Elizabeth deua ele um olhar assustado. "Eu não tinha a intenção de contratar uma ama-de-leite, na verdade. Não vejo nenhuma razão para eu não consiguir Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


sozinha. " "Eu não desejo que você tenha qualquer estresse desnecessário, e parece que seria uma maneira de aliviar a questão para você," disse ele persuasivamente, sabendo melhor do que insistir imediatamente . "William, este é um evento perfeitamente natural, e não será diferente para mim do que para qualquer outra mulher. O estresse, como você chama, não é nenhum perigo para mim," respondeu ela com firmeza. Darcy fez uma careta. "Elizabeth, eu percebo que você acha que eu estou sendo tolo, mas se há algo que pode ser feito para permiti-la uma recuperação mais fácil, eu me sentiria muito melhor se nós o fizemos isso." "Eu estarei recuperada em questão de poucos dias! Isso não é nada para se preocupar mais!" Elizabeth olhou para o marido em um pouco de frustração. Ela não queria que as ansiedades dele afetassem o quotidiano familiar deles, mas quis ser solidária as necessidades dele. Finalmente, outra abordagem ocorreu a ela. "William, você está ciente de que as mulheres que não amamentam seus próprios bebês tendem a engravidar ainda muito mais cedo do que aquelas que o fazem?” "Isso parece uma história improvável, Elizabeth," disse ele com ar de dúvida. Ela revirou os olhos. "Se você quiser, eu vou chamar a Sra. Reynolds, e você pode perguntar a ela da veracidade da mesma. Isso é algo que eu dificilmente esperaria de um homem estar ciente." Ele considerou isso. "Você tem certeza disso?” "William, isto é bem conhecido entre as mulheres," disse ela com firmeza. A expressão dele suavizou. "Então, certamente, não vamos contratar uma amade-leite, meu amor. Eu não tenho pressa de repetir este processo!" Elizabeth levantou uma sobrancelha divertidamente para o entusiasmo com que ele aceitou a idéia. "Você não quer que esta criança tenha irmãos e irmãs?" ela brincou. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Permita-me algum tempo para me recuperar dessa primeira experiência, eu te imploro!" ele respondeu, brincando, mas com significado evidente. Enquanto o tempo dela se aproximava, os sinais do estresse sobre o marido ficaram um pouco maior. Elizabeth, após ter dado ao assunto algum pensamento, solicitou Wilkins para atendê-la. "Você mandou me chamar, minha senhora?" perguntou Wilkins da porta da sala de estar. "Sim, Wilkins; por favor entre e sente-se" Elizabeth notou o olhar sutil de surpresa no rosto do valete. "Sim, senhora," disse ele, e aguardou a satisfação dela. "Wilkins,"ela disse, "Nós temos uma situação incipiente em nossas mãos para qual um planejamento antecipado não seria inadequado. Posso falar francamente?" Ele inclinou a cabeça em concordância, e ela continuou: "Como você sabe, temos a expectativa de adicionar o novo herdeiro para Pemberley à nossa família num futuro muito próximo, e prevejo que a ocasião da minha indisposição vai ser muito difícil para meu marido. Eu queria que você estivesse ciente disso, como não é improvável que você seja aquele que terá de administrar a situação quando ela ocorrer." Ela o observou para a reação dele. "Ah, sim, senhora," disse Wilkins cuidadosamente." A Sra. Reynolds e eu já abordamos esta questão." Divertida que os empregados, como de costume, estavam mais conscientes do que ela antecipava, Elizabeth disse: "A que conclusões você e ela chegaram?" Ele corou ligeiramente. "Temos planos para uma variedade de imprevistos. Se nós recebermos aviso da situação antes do Sr. Darcy, nós temos várias, umm, emergências preparadas que vão exigir a atenção imediata dele em outras partes da propriedade. Se isso não for possível, a Sra. Reynolds e eu vamos ficar com ele, e se algum de nós achar necessário, vamos fazer a aplicação liberal de brandy, dosado Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


com láudano, se requerido. Esses planos tem a sua aprovação, madame?” "Eles tem. Atrevo-me a supor que você já introduziu Lucy nessa conspiração?" Ele teve a graça de parecer um tanto constrangido. "Sim, senhora." Ela levantou uma sobrancelha. "Bem, eu estou aliviada que eu possa deixar o Sr. Darcy à sua gestão capaz, então, Wilkins." Ele levantou-se e curvou-se. "Eu farei o meu melhor, minha senhora."

Capítulo 15 As dores de Elizabeth começaram pouco antes do amanhecer em uma noite bela noite em maio. Ela estava agradecida que inicialmente não eram severas, mas foi uma luta para fingir que estava dormindo para não perturbar o seu marido. Ela estava agradecida quando ele finalmente acordou e ela pode se mover mais livremente. Ela aceitou o beijo carinhoso dele, em seguida disse rapidamente: "Estou com fome esta manhã. Eu acho que vou tocar para Lucy me trazer café imediatamente." Ele olhou para ela de forma estranha. "Com muita fome para esperar ser vestida?" Ela surpreendeu-se com sua capacidade de atuar. "Não com tanta fome assim, mas talvez eu fui muito ativa ontem. Eu pensei que eu poderia passar a manhã descansando." "Como você quiser, meu amor," disse ele. "Sinto-me tentado a me oferecer fazer companhia a você, mas temo que não seria descanso que você estaria recebendo, nesse caso." Ela conseguiu sorrir com uma forte cólica. "Em outro momento, William, ficarei feliz em aceitar sua oferta." Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Felizmente, Lucy chegou logo depois. Embora a presença de Darcy inibiu-a de falar diretamente, Elizabeth conseguiu comunicar sua situação em pantomima quando ele estava de costas. Os olhos de Lucy se arregalaram, e ela disse com uma voz nervosa: "Eu vou buscar o seu café da manhã imediatamente, madame." Pareceu levar uma quantidade excessiva de tempo para que seu marido se aprontasse para o dia, mas Elizabeth sabia que era só sua própria ansiedade e desconforto crescente que fez parecer assim. Quando finalmente ele partiu com um beijo carinhoso e uma promessa de vir checá-la mais tarde, ela deu um suspiro de alívio. A partida dele foi seguida tão rapidamente pela chegada da Sra. Reynolds, acompanhada de Lucy, que Elizabeth soube que elas deviam estar esperando a oportunidade. "Então, seu tempo chegou, Sra. Darcy?" A Sra. Reynolds perguntou alegremente. "Tudo indica que sim," replicou Elizabeth com uma careta quando outra dor apoderou-se dela. A Sra. Reynolds colocou a mão sobre o abdomen de Elizabeth, sentindo a força da contração. "A parteira foi chamada, e eu espero que ela deva estar aqui em breve. Enquanto isso, não faz nenhum bem a estar deitada assim. Você deve andar por aí, Sra. Darcy." A idéia parecia completamente desprovida de atrativo para Elizabeth, mas ela obedientemente seguiu as instruções da governanta. "Eu não posso andar muito neste quarto," observou ela, com um toque de diversão. "Quando o Sr. Darcy deixar a casa, você pode andar no corredor, madame." "Onde está. . ." Elizabeth fez uma pausa durante uma outra dor, e a Sra. Reynolds tomou-lhe o braço para apoiá-la. "Onde é que Mr. Darcy vai estar?” "Wilkins está cuidando de tudo, minha senhora, você não precisa se preocupar com o Sr. Darcy. Lucy, eu acho que é melhor você teve buscar Anne Fletcher, " a Sra. Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Reynolds disse. Elizabeth levantou uma sobrancelha quando Lucy partiu. "Sra. Fletcher?" perguntou ela, perguntando por que diabos a Sra. Reynolds deveria querer uma das cozinheiras em um momento como este. "Você parece estar movendo mais rapidamente do que eu esperava, senhora, a julgar pelo seu ritmo, e a Sra. Fletcher é muito experiente nestes assuntos. Ela pode ficar com você até que a parteira chegue. " Uma breve pânico varreu Elizabeth. "Você vai ficar, também, não vai, Sra. Reynolds?" A Sra. Reynolds sorriu calorosamente e bateu na mão dela. "Claro que eu vou ficar." A Sra. Fletcher revelou-se menos preocupada do que a governanta sobre a iminência do evento, especialmente quando Elizabeth admitiu que as dores estavam acontecendo por algumas horas. Ela encorajou Elizabeth a comer uma sopa e pão, pois ela iria precisar de sua força. O dia parecia interminável para Elizabeth enquanto as dores continuavam. No meio da tarde ela já se sentia exausta, e quando as dores continuaram a aumentar na sua intensidade e freqüência, ela não podia mais manter um silêncio estóico. "Logo, Sra. Darcy," a parteira tranquilizou-a durante o intervalo entre suas dores. "Logo será o momento." Logo depois de Elizabeth gritar em uma contração particularmente angustiante, passos firmes puderam ser ouvidos no corredor fora do quarto, seguida pela severa voz de Wilkins. "Sr. Darcy, você deve voltar para baixo. Você não pode ficar com ela, senhor, você não pode fazer bem algum para ela. Por favor, senhor, desça com Miss Darcy." "Eu vou vê-la! Fora do meu caminho, Wilkins, imediatamente! " "Senhor, não é apropriado. . . " Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


"Wilkins!"A voz de Darcy tornou-se ameaçadora. "Ah, deixe-o entrar," Elizabeth disse resignadamente. "Ele não pode fazer nada pior aqui do que em qualquer outro lugar." A parteira olhou para a Sra. Reynolds, que fez um ligeiro aceno, justamente quando a porta se abriu e entrou Darcy, seu rosto pálido. Ele ajoelhou-se imediatamente ao lado de Elizabeth e tomou-lhe as mãos. "Elizabeth, ninguém me disse, ou eu teria estado aqui muito antes." Elizabeth conseguiu dar um leve sorriso. "Eu disse a eles para não contar para você." "Como está você, minha querida?" Ele pressionou beijos nas mãos dela. "Tão bem quanto pode ser esperado." Ela apertou as mãosdele quando uma forte dor rasgou através dela. Ela mordeu o lábio para parar um grito, não querendo se comportar de uma maneira que poderia aumentar as suas preocupações dele, não importando a provocação, mas ela não podia fazer nada sobre as lágrimas que escorriam de seus olhos. "Você está indo bem, Sra. Darcy", disse a parteira. "Um pouco mais assim, e você estará pronta para empurrar.” "Graças a Deus," disse Elizabeth fervorosamente quando a dor aliviou. Darcy olhou para a parteira. Todas as mulheres no quarto estavam firmemente ignorando a existência dele. "Algo está errado! Isso não devia machucá-la tanto!" ele exclamou. Ele não foi tranquilizado pelos mal disfarçados sorrisos que encontraram seu comentário. "William, isso sempre machuca tanto. Muitas vezes muito mais," disse Elizabeth com alguma exasperação. "Tem certeza?” "Sr. Darcy, sua esposa está indo muito bem. Você não precisa ter nenhuma Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


preocupação," disse a parteira. A dor veio novamente, e Sra. Reynolds deu a ela um pano para morder. "Oh, Elizabeth," Darcy sussurrou, atormentado pela visão do sofrimento dela, que parecia não ter fim. Lágrimas escorriam pelo rosto dela. A Sra. Reynolds disse bruscamente. "Sr. Darcy, não vou ter o senhor aqui para chatear sua esposa. Se você não pode fazer melhor do que isso para confortá-la, então vá-se embora!" Mais uma vez em um intervalo sem dor, Elizabeth não pôde evitar um sorriso fraco ao olhar no rosto de Darcy, quando ele recebeu essa bronca, mas pareceu servir. Ele respirou fundo e endireitou os ombros, sem tirar os olhos dela nem por um momento. Quando a próxima dor a tomou, ele disse: "Olhe para mim, Elizabeth." Ela olhou em seus olhos como se estivesse recebendo a força dele, apertando com força em suas mãos. Um minuto depois, o o olhar dele se aqueceu quando ela relaxou. "Você é muito forte, meu amor!" ele brincou, olhando para as mãos entrelaçadas. "William," ela murmurou, permitindo descansar a cabeça no ombro dele momentaneamente, rezando para que isso acabasse logo. Ele sussurrou-lhe palavras carinhosas enquanto as dores iam e vinham até que a parteira anunciou: "Sra. Darcy, na próxima, você deve empurrar, com toda a força que a senhora puder. Sr. Darcy, é hora de você sair, senhor." “Não.” A voz de Darcy era implacável. "Sr. Darcy, é muito inapropriado você estar aqui de qualquer maneira, mas especialmente não agora! Eu devo lhe pedir para sair!" "Não!" ele retrucou. "Deixe estar," a Sra. Reynolds disse para a parteira. "Ele pode ser teimoso como uma mula, quando ele coloca isso na cabeça." Elizabeth deu uma risada fraca, tanto para a declaração da governanta quanto Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


para a completa ausência de reação do marido a isso. "Agora, Sra. Darcy. Empurre agora! " Depois disso, Elizabeth podia lembrar pouco do próximo período além dos olhos do marido segurando os dela e suas mãos apertando as dele com ferocidade. Ela lembrou de gritar em dor excruciante e da voz da Sra. Reynolds calmamente detalhando o seu progresso, até que ela sofreu uma súbita libertação de seu sofrimento. "Você tem um filho, Sra. Darcy!" A Sra. Reynolds anunciou com alegria. Elizabeth, incapaz de apreciar qualquer coisa além da dor ter chegado ao fim, desabou contra Darcy, que por essa altura tinha quase esquecido em seu intenso envolvimento com Elizabeth que um bebê estava por vir, e parecia tomado de surpreso pela notícia. A parteira amarrou e cortou o cordão, e um chorou encheu o quarto. A Sra. Reynolds, um largo sorriso no rosto, pegou o bebê e o envolveu no pano preparado, então delicadamente o colocou nos braços de Elizabeth. Elizabeth olhou para o pequeno rosto cercado por uma cabeça cheia de cabelos escuros, repleta de sentimentos que ela nunca havia sentido antes. Ela fez cócegas na pequena mão, sentindo-se eufórica quando ele agarrou o dedo dela com os seus dedos perfeitos. Ela virou-se para Darcy, com um sorriso de felicidade inefável, só para encontrá-lo olhando em completo fascínio para o filho. "Sra. Darcy, você pode ficar mais confortável na cama para o resto," disse a parteira suavemente. A Sra. Reynolds estendeu as mãos para pegar o bebê de Elizabeth, mas Darcy estava lá antes dela. A existência de sua esposa claramente desapareceu da mente dele enquanto segurava seu filho, absorvido pelo milagre diante dele. A Sra. Reynolds, sacudindo a cabeça com diversão, ajudou Elizabeth a levantar-se do banco e ir para a cama. “Eu não acredito que eu vá querer me sentar novamente por um bom tempo!” disse Elizabeth com sentimento quando ela caiu sobre os travesseiros. A parteira Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


começou a massagear o estômago dela para encorajar a placenta. A Sra. Reynolds se aproximou de Darcy e disse, “Sr. Darcy, eu não acredito que você seja requerido para estar parte. Devolva esta criança para sua esposa, e vá contar para Miss Georgiana que ela tem um sobrinho, e você pode voltar quando nós tivermos terminado aqui.” Darcy olhou para ela por um momento sem expressão, então relutantemente entregou o bebê para a Sra. Reynolds, que o colocou nos braços de Elizabeth. Ele beijou levemente a bochecha de Elizabeth, então sussurrou no ouvido dela, “Obrigado, meu amor.” Ela olhou para ele, lágrimas enchendo seus olhos. “Fora, Mestre William!” a Sra Reynolds ordenou, e rolando os olhos, ele obedeceu. Ela olhou para Elizabeth, e disse com autoridade, “Eu disse a você que ele iria ser um problema.” “Você disse mesmo, Sra. Reynolds!” Elizabeth concordou com uma risada antes que seu filho a tomasse todos os pensamentos dela mais uma vez. ---------------------Elizabeth estava dormindo no momento que Darcy foi permitido voltar para ela. A finalização do parto, a limpeza e as primeiras lições da Sra. Fletcher em colocar o bebê no peito dela tinham tomado o resto de sua energia, e ela tinha apagado apesar de uma nova apreciação de quão desconfortáveis certas posições seriam pelos próximos dias. Darcy entrou no quarto discretamente para não perturbá-la. Era o entardecer, e ele achou a figura de sua esposa e filho dormindo juntos na escuridão imensamente apelativa. Ele ficou de pé e os observou por vários minutos antes de ceder a tentação e gentilmente tirar o bebê dos braços de Elizabeth. O bebê se mexeu por um momento, e Darcy congelou, mas então ele voltou a domir profundamente. Darcy se acomodou em uma cadeira ao lado da cama, gentilmente embalando o Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


bebê em seus braços. Ele traçou os minúsculos traços com seus olhos e se permitiu a tocar levemente o cabelo macio do bebê. Ele mal podia permitir a realidade deste momento, mas o prazer que deu a ele segurar seu filho não podia ser negado. Ele ainda estava olhando para ele algum tempo depois quando Elizabeth acordou. Os olhos deles se encontraram e prenderam-se, uma mensagem silenciosa fluindo entre eles. Finalmente Darcy disse, “Eu não tinha percebido que ele seria tão pequeno.” Elizabeth sorriu afetuosamente. “Ele irá crescer mais rápido do que você pensa. Ele se parece com você, eu acho.” “Você acha? Eu não posso ver isso; ele parece exatamente como ele mesmo. Como você está meu amor?” “Bem o bastante; eu não tenho reclamações. Mas nós precisamos pensar em um nome para esse jovem rapaz, William.” “Richard,” ele disse, olhando para o bebê, e apesar de seu extraordinariamente gentil tom, estava claro que ele estava fazendo mais uma declaração do que uma sugestão. “Eu não vou ser consultada nisso?” Elizabeth brincou. Richard, tinha de fato, estado na lista de nomes que ela tinha considerado, mas ela não viu qualquer razão para ceder à ele tão rapidamente. Ele sorriu para ela meio envergonhado. “Só se você concordar comigo, mas ele deve mesmo ser Richard, veja você.” “E porque, por favor me diga, ele deve se chamar Richard?” “Bem, principalmente porque se não fosse pelo Coronel Fitzwilliam, ele nunca teria nascido.” Ela levantou uma sobrancelha. “William, eu tenho o maior respeito pelo seu primo, mas eu não consigo ver o que ele tem a ver com o nascimento do Ri – nosso filho.” Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Ela podia ver mesmo na escuridão que aumentava que as bochechas dele estavam coradas. “É por causa de algo que eu nunca te contei, meu amor. Você se lembra de quando eu voltei para Hertfordshire para cortejar você?” “É claro.” “A verdade é que não foi idéia minha. Eu já tinha desistido de você, e decidi que eu não te merecia. Eu nunca esperava ver você novamente, então Richard veio e me intimidou em tentar mais uma vez, ou eu passaria o resto da minha vida lamentando por você.” Ela olhou para ele ternamente, tocada por esta revelação. “Muito bem, eu suponho que esta seja uma razão aceitável. Richard será.” O objeto da discussão deles abriu seus olhos, acordado pelo som de suas vozes. Ela estendeu seus braços para ele, e Darcy um pouco relutantemente entregou o bebê. Sorrindo para o bebê, ela tentou persuadi-lo a mamar, com sucesso eventual. “A Sra. Fletcher me garante que isso ficará mais fácil com o tempo,” ela disse melancolicamente para William, que estava assistindo ao processo com fascinação. “Você deixará a babá levá-lo para a noite?” Ela considerou o assunto. “Eu acho que devo. Ela sempre pode trazê-lo para mim se ele precisar, e eu certamente preciso de descanso. Eu gostaria de ser capaz de curtir nosso filho amanhã além de meramente pegar no sono com ele!” “Eu presumo que eu deva ficar no meu próprio quarto esta noite,” Darcy disse tentativamente. Elizabeth olhou para ele. “Eu esperava que você fosse ficar comigo. Iria me confortar domir nos seus braços.” A felicidade de Darcy a esta resposta foi aparente. “Seria meu prazer, meu amor. Você pode ter certeza que eu iria preferir não deixá-la fora da minha vista! Mas primeiro você dever ter uma pequena ceia, para manter a sua força.” “William,” ela disse indulgentemente, “o bebê nasceu, e você não precisa mais Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


me observar tão de perto.” “Eu gosto de cuidar de você, Elizabeth. E lembre-se, você precisa manter a sua força para amanhã, também.” “Bem, então, eu suponho que eu devo ter a minha ceia,” ela disse com uma resignação divertida. Ela notou que ele estava observando o jovem Richard com uma intensidade que ele normalmente reservava para ela, e aqueceu seu coração ver quão rapidamente ele estava se tornando afeiçoado ao filho deles. Depois que Elizabeth tinha comido o que ele considerava ser uma quantidade adequada, Darcy anunciou que ela poderia ir dormir se quisesse. Ela sentiu uma dor quando a babá pegou o bebê, mas foi tranquilizada no conforto do abraço de Darcy. Ela a beijou castamente na testa antes de desejá-la boa noite, valorizando a oportunidade de segurá-la em seus braços, e grato além das palavras que todos seus medos tinham provado ser injustificados. "A propósito, William," disse ela, sonolenta, estava prestes a cair no sono, a cabeça encostada no ombro dele: "Acho difícil acreditar que você poderia estar receoso em fazer algo que você já não quisesse fazer." "Provavelmente não, meu amor. Agora vá dormir; temos um grande número de amanhãs ainda diante de nós." Ele a beijou delicadamente, refletindo sobre aquelas semanas em Hertfordshire, quando ele tinha tão desesperadamente procurado o afeto dela, e sentiu uma gratidão além de sua capacidade de expressar que ela tinha recompensado-o com a dádiva do amor dela. Ele seria sempre sensível da mais profunda gratidão para com o seu primo que, por convencê-lo a arriscar oferecê-la o coração dele mais uma vez, tinha sido o meio de uni-los. Fim.

Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )


Tradução: Samanta

Impulsividade e Iniciativa (Abigail Reynolds – tradução Samanta )

Impulsividade e iniciativa abigail reynolds  

To conquer mr. darcy

Impulsividade e iniciativa abigail reynolds  

To conquer mr. darcy

Advertisement