Issuu on Google+

Trabalho realizado por: Carolina Piedade Gonçalo Freitas Inês Lopes

Recursos Hídricos


Introdução • Os recursos hídricos - são as águas superficiais ou subterrâneas disponíveis para qualquer tipo de uso de região ou bacia. As terras subterrâneas são o principal reservatório de água doce disponível para os seres humanos.


O que são águas minerais naturais e de nascente. As águas que são próprias para o consumo tem características diferentes pois no seu percurso subterrâneo como atravessa formações geológicas adquire uma determinada composição.

A água mineral natural A água mineral natural efervescente Águas de nascente


Utilização dos Recursos Hídricos É actualmente aceite o conceito de gestão integrada dos recursos hídricos como paradigma de gestão da água. Procurar este conceito e dar relevância à necessidade de integrar a gestão da água em função dos seus diferentes tipos de uso ( irrigação, abastecimento, energia hidráulica, controle de enchentes, piscicultura, lazer e outros ) e das diferentes dimensões de conhecimento que estão envolvidas .


À partida, sendo a água um recurso renovável estaria sempre disponível para o Homem utilizar. No entanto, como o consumo tem excedido a renovação da mesma, actualmente verifica-se um stress hídrico.

Falta de água doce principalmente junto aos grandes centros urbanos e também prejudica a diminuição da qualidade da água.


As acções a desenvolver no âmbito da gestão das águas podem ser de diferentes tipos: Educativas e legislativas;

Pontuais ou distribuídas;

Preventivas ou correctivas; O estudo da água na natureza, nas suas diversas formas, é objecto da ciência da Hidrologia.


ETA O Tratamento de Água é um conjunto de procedimentos físicos e químicos que são aplicados na água para que esta fique em condições adequadas para o consumo, ou seja, para que a água se torne potável. O processo de tratamento de água livra-a de qualquer tipo de contaminação, evitando a transmissão de doenças.


Numa estação de tratamento de água, o processo ocorre em etapas: - Coagulação: quando a água na sua forma natural (bruta) entra na ETA, ela recebe, nos tanques, uma determina quantidade de sulfato de alumínio. Esta substância serve para aglomerar (juntar) partículas sólidas que se encontram na água como, por exemplo, a argila. -

Floculação - em tanques de concreto com a água em movimento, as partículas sólidas se aglutinam em flocos maiores.

-

Decantação - em outros tanques, por ação da gravidade, os flocos com as impurezas e partículas ficam depositadas no fundo dos tanques, separando-se da água.


• - Filtração - a água passa por filtros formados por carvão, areia e pedras de diversos tamanhos. Nesta etapa, as impurezas de tamanho pequeno ficam retidas no filtro. • - Desinfecção - é aplicado na água cloro ou ozono para eliminar microrganismos causadores de doenças. • - Fluoretação - é aplicado flúor na água para prevenir a formação de cárie dentária em crianças. • - Correcção de PH - é aplicada na água uma certa quantidade de cal hidratada ou carbonato de sódio. Esse procedimento serve para corrigir o PH da água e preservar a rede de encanamentos de distribuição.


ETAR Uma Estação de Tratamento de Águas Residuais - ETAR - corresponde a uma infra-estrutura de extrema importância e uma solução para a despoluição de múltiplos cursos de água para onde, diariamente, são canalizados através das redes de esgotos, grande carga de efluentes poluentes de forma quase ininterrupta. Estas estações, normalmente localizadas no troço final de um curso de água, recebem de forma contínua os resíduos líquidos urbanos canalizados através da rede pública de esgotos. Posteriormente submete esses efluentes a um tratamento que se processa de forma faseada .


1º Etapa A primeira fase corresponde ao pré-tratamento. Nesta fase as águas brutas (esgotos ou águas residuais), produzidas pela população, são admitidas na ETAR por intermédio dos coletores principais, passando por uma câmara de chegada onde, através de uma grade automática, são filtrados os resíduos sólidos de maior dimensão. Estes são descarregados para um contentor de armazenagem e enviados para um aterro sanitário. Em seguida a água residual passa por tamisadores, sendo retirados sólidos de dimensão mais pequena. Já desprovida de sólidos a água residual passa por unidades de tratamento: desarenador, desengordurador, de forma a remover as areias e as gorduras.


2º Etapa A segunda etapa corresponde ao tratamento primário. Esta segunda fase desenvolve-se em decantadores primários. Aqui são separadas a parte líquida e a parte sólida em suspensão, que resistiram ao pré-tratamento. A água residual é filtrada e são adicionados floculantes de forma a acelerar a agregação das partículas e a sua decantação. Estas acumulam-se no fundo do tanque, enquanto que a parte líquida se escoa junto à superfície. A terceira fase - tratamento secundário ou biológico efetua-se nos tanques de arejamento. A adição de oxigénio e microorganismos ajudam a decompor as impurezas que ainda permanecem na água residual e vão transformá-las em lamas, que se acumulam no fundo deste gigantesco recipiente, permitindo uma terceira filtragem.


3º Etapa

Finalmente, na terceira etapa ou tratamento terciário, a água residual é submetida a uma desinfecção efectuada por meio de radiação ultravioleta, de modo a eliminar por completo os microrganismos que possam ainda existir, tornando-a mais pura. Posteriormente, efectua-se a sua descarga para o exterior.


FIM


Trabalho de Ciencias