Page 1


Um dos primeiros gestos do homem, quando começou a conhecer-se como homem, foi gravar a sua presença num suporte físico. A natureza destruiu a maioria dessas marcas iniciais. Outras resistiram milénios, ainda hoje nos deslumbram como as gravuras rupestres de Foz Côa. A transposição das gravações em suportes de diversa natureza para papel, autonomizando e possibilitando a sua reprodução múltipla, só surge em tempos bem mais próximos. Foi-se apurando até ter a alforria de ser uma das disciplinas das práticas das artes visuais. As técnicas de gravação sofisticaram-se, do simples riscar do suporte à utilização de outros meios de trabalhar a imagem na matriz onde era impressa antes de ser transposta para papel, ganharam complexidades que os artistas foram explorando, obtendo resultados surpreendentes. Mais surpreendentes ainda quando começaram a associar as várias técnicas. O que ficou imutável foi a possibilidade da reprodução técnica de imagens iguais a partir da mesma matriz. Imutável também a

teatralidade inerente à impressão. Primeiro porque o que grava no suporte vai surgir em espelho no papel. Segundo porque a impressão se faz com a ocultação do trabalho prévio, ao contrário do desenho ou da pintura em que se está a ver o que se está a trabalhar. Ao invés, na gravura o papel é colocado sobre a imagem gravada no suporte e prensado por meios mecânicos que vão do simples rolo manual a prensas especiais. Só quando se separa o papel do suporte é que verdadeiramente o artista vê o resultado do seu trabalho. Vê e pode alterá-lo tanto na forma, apurando o desenho qualquer que tenha sido o método usado para desenhar, como nas cores e na intensidade das cores, mesmo na pressão da prensa, aliviando ou aumentando a relação entre o papel e a matriz, até realizar a obra que tinha imaginado. Esse processo de trabalho distingue completamente a gravura de todas as outras formas de intervenção artística nas artes visuais. O outro traço distintivo é a gravura nunca ser um objecto único, mas um objecto múltiplo, com tiragens decididas pelo artista tendo em atenção o material de suporte utilizado que, sujeito à pressão da prensa, sofre sempre algum desgaste.

Essa característica específica da gravura, a sua reprodução mecânica, democratiza o objecto de arte. Torna-o mais próximo e acessível a maior número de pessoas. Possibilita que uma mesma exposição de gravuras se apresente em simultâneo em vários locais. Só a fotografia tem essa aptidão. Com a exploração e evolução da gravura, nas suas várias técnicas específicas, abriu-se um espaço de diálogo com outras linguagens das artes, até hibridizações entre si, o que abriu caminha a outras formas de criação artística. A exposição de gravura na Festa do Avante! é extensa pelos artistas que a integram e diversificada nas técnicas que utilizaram,

ponta-seca, água-tinta, água-forte, muitas vezes aplicadas em simultâneo, nos suportes das matrizes, chapas de aço, cobre e latão. Está ainda representada a serigrafia, uma técnica mais recente que começou por se popularizar por possibilitar tiragens mais extensas e exigir meios de execução mais simples, de que os artistas se apropriaram apurando-os e tornandoos mais refinados e elaborados para melhor exprimirem o seu pensamento. De algum modo é uma exposição bem representativa das tendências estéticas da gravura contemporânea portuguesa.

Manuel Augusto Araújo


Um dos primeiros gestos do homem, quando começou a conhecer-se como homem, foi gravar a sua presença num suporte físico. A natureza destruiu a maioria dessas marcas iniciais. Outras resistiram milénios, ainda hoje nos deslumbram como as gravuras rupestres de Foz Côa. A transposição das gravações em suportes de diversa natureza para papel, autonomizando e possibilitando a sua reprodução múltipla, só surge em tempos bem mais próximos. Foi-se apurando até ter a alforria de ser uma das disciplinas das práticas das artes visuais. As técnicas de gravação sofisticaram-se, do simples riscar do suporte à utilização de outros meios de trabalhar a imagem na matriz onde era impressa antes de ser transposta para papel, ganharam complexidades que os artistas foram explorando, obtendo resultados surpreendentes. Mais surpreendentes ainda quando começaram a associar as várias técnicas. O que ficou imutável foi a possibilidade da reprodução técnica de imagens iguais a partir da mesma matriz. Imutável também a

teatralidade inerente à impressão. Primeiro porque o que grava no suporte vai surgir em espelho no papel. Segundo porque a impressão se faz com a ocultação do trabalho prévio, ao contrário do desenho ou da pintura em que se está a ver o que se está a trabalhar. Ao invés, na gravura o papel é colocado sobre a imagem gravada no suporte e prensado por meios mecânicos que vão do simples rolo manual a prensas especiais. Só quando se separa o papel do suporte é que verdadeiramente o artista vê o resultado do seu trabalho. Vê e pode alterá-lo tanto na forma, apurando o desenho qualquer que tenha sido o método usado para desenhar, como nas cores e na intensidade das cores, mesmo na pressão da prensa, aliviando ou aumentando a relação entre o papel e a matriz, até realizar a obra que tinha imaginado. Esse processo de trabalho distingue completamente a gravura de todas as outras formas de intervenção artística nas artes visuais. O outro traço distintivo é a gravura nunca ser um objecto único, mas um objecto múltiplo, com tiragens decididas pelo artista tendo em atenção o material de suporte utilizado que, sujeito à pressão da prensa, sofre sempre algum desgaste.

Essa característica específica da gravura, a sua reprodução mecânica, democratiza o objecto de arte. Torna-o mais próximo e acessível a maior número de pessoas. Possibilita que uma mesma exposição de gravuras se apresente em simultâneo em vários locais. Só a fotografia tem essa aptidão. Com a exploração e evolução da gravura, nas suas várias técnicas específicas, abriu-se um espaço de diálogo com outras linguagens das artes, até hibridizações entre si, o que abriu caminha a outras formas de criação artística. A exposição de gravura na Festa do Avante! é extensa pelos artistas que a integram e diversificada nas técnicas que utilizaram,

ponta-seca, água-tinta, água-forte, muitas vezes aplicadas em simultâneo, nos suportes das matrizes, chapas de aço, cobre e latão. Está ainda representada a serigrafia, uma técnica mais recente que começou por se popularizar por possibilitar tiragens mais extensas e exigir meios de execução mais simples, de que os artistas se apropriaram apurando-os e tornandoos mais refinados e elaborados para melhor exprimirem o seu pensamento. De algum modo é uma exposição bem representativa das tendências estéticas da gravura contemporânea portuguesa.

Manuel Augusto Araújo


Artistas Acácio de Carvalho

Joaquim Lourenço

Amélia Soares

Jorge Pé-Curto

Ana Galvão

José Mourão

Ana Natividade

Júlia Pintão

Ana Maria Sacadura

Jun Shirasu

Antónia Trindade Cid

Luís Tavares

Bartolomeu dos Santos

Mami Higuchi

Botelho de Sousa

Manuel Lopes

Carla Guerreiro

Manuela Bronze

Carlos Ribeiro

Manuela Cristovão

CarolinaSardinha

Margarida Lourenço

Céu Costa

Maria Albina

Clarisse Marques

Maria Bargado

Conceicao Freitas

Maria Gabriel

Domingas Vasconcelos

Maria Irene Ribeiro

Filipe Alves

Marina dos Santos

Helena Cunha

Nin Castanheira

Ines Soares

Olga Santos

Isabel Danave

Pissarro

Isabel Pyrrait

Ricardo Da Silva

Joana Lacerda

Ruth Lee

Joao Cochofel

Vitor Espalda


Artistas Acácio de Carvalho

Joaquim Lourenço

Amélia Soares

Jorge Pé-Curto

Ana Galvão

José Mourão

Ana Natividade

Júlia Pintão

Ana Maria Sacadura

Jun Shirasu

Antónia Trindade Cid

Luís Tavares

Bartolomeu dos Santos

Mami Higuchi

Botelho de Sousa

Manuel Lopes

Carla Guerreiro

Manuela Bronze

Carlos Ribeiro

Manuela Cristovão

CarolinaSardinha

Margarida Lourenço

Céu Costa

Maria Albina

Clarisse Marques

Maria Bargado

Conceicao Freitas

Maria Gabriel

Domingas Vasconcelos

Maria Irene Ribeiro

Filipe Alves

Marina dos Santos

Helena Cunha

Nin Castanheira

Ines Soares

Olga Santos

Isabel Danave

Pissarro

Isabel Pyrrait

Ricardo Da Silva

Joana Lacerda

Ruth Lee

Joao Cochofel

Vitor Espalda


Acácio de Carvalho

Sem título. Talhe-doces/cobre,maneira negra, águatinta brunida, ponta-seca e açucares, 92 cm x 62 cm.

Amélia Soares

Rebirthing, 2016. Água-Tinta de açúcar. Dobragem. 40x73,5 imagem 57x76,5 papel


Acácio de Carvalho

Sem título. Talhe-doces/cobre,maneira negra, águatinta brunida, ponta-seca e açucares, 92 cm x 62 cm.

Amélia Soares

Rebirthing, 2016. Água-Tinta de açúcar. Dobragem. 40x73,5 imagem 57x76,5 papel


Ana Galvão

ANTIQUITERRA - 1/5, 2015. Água-Forte e Água-Tinta. (Gravura em Cobre). 50x50 imagem 75x75 papel.

Ana Natividade

Sem título, 2015. Impressão em oco de matriz de polipropileno. 78 x 53 cm.


Ana Galvão

ANTIQUITERRA - 1/5, 2015. Água-Forte e Água-Tinta. (Gravura em Cobre). 50x50 imagem 75x75 papel.

Ana Natividade

Sem título, 2015. Impressão em oco de matriz de polipropileno. 78 x 53 cm.


Ana Maria Sacadura

Sem título, 2015. Buril, berceau e ponta seca. 50 x 64 cm.

Antónia Trindade Cid

EPHESUS I, 2011. Gravura a oco - Calcografia: Ponta Seca; Água-forte; Água-tinta Dimensões: Moldura: A 40 cm X L 50 cm – Papel: 35 cm X 50 cm - Mancha: 14,5 cm X 19,5 cm.


Ana Maria Sacadura

Sem título, 2015. Buril, berceau e ponta seca. 50 x 64 cm.

Antónia Trindade Cid

EPHESUS I, 2011. Gravura a oco - Calcografia: Ponta Seca; Água-forte; Água-tinta Dimensões: Moldura: A 40 cm X L 50 cm – Papel: 35 cm X 50 cm - Mancha: 14,5 cm X 19,5 cm.


Bartolomeu dos Santos

DON’T, 2001. Água tinta, técnica de acúcar. Dimensão papel 139x105, dimensão mancha impressa 109x83,9.

Botelho de Sousa

Nenúfar, 2010. Gravura a oco - Calcografia: Água-tinta; gofrado. A 40 cm X L 29 cm - Mancha: 12 cm X 4 cm.


Bartolomeu dos Santos

DON’T, 2001. Água tinta, técnica de acúcar. Dimensão papel 139x105, dimensão mancha impressa 109x83,9.

Botelho de Sousa

Nenúfar, 2010. Gravura a oco - Calcografia: Água-tinta; gofrado. A 40 cm X L 29 cm - Mancha: 12 cm X 4 cm.


Carla Guerreiro

Sem tĂ­tulo. 2014. Xilogravura, 15,5 x 10 cm.

Carlos Ribeiro

Branco sobre Azul. Medidas da mancha: 29,7x19,4 cm, medidas do suporte: 42,1x29,3 cm.


Carolina Sardinha

Por trás, 2015. Fotopolímero, 28 x 62 cm.

Céu Costa

O OUTRO LADO. Cologravura, 67x72.


Carolina Sardinha

Por trás, 2015. Fotopolímero, 28 x 62 cm.

Céu Costa

O OUTRO LADO. Cologravura, 67x72.


Clarisse Marques

O Chapéu, 2016. Técninca mista. 27x19 imagem 50x42 papel

Conceição Freitas

O Insecto, 2013. Ponta seca sobre chapa de cobre e acrílico, figuras recortadas, 32 x 46 cm.


Clarisse Marques

O Chapéu, 2016. Técninca mista. 27x19 imagem 50x42 papel

Conceição Freitas

O Insecto, 2013. Ponta seca sobre chapa de cobre e acrílico, figuras recortadas, 32 x 46 cm.


Domingas Vasconcelos

Benvindo. Xilogravura, 17 x 24cm.

Filipe Alves

Argonauta III, 2016. Buril e รกguatinta, 18 x 30 cm.


Domingas Vasconcelos

Benvindo. Xilogravura, 17 x 24cm.

Filipe Alves

Argonauta III, 2016. Buril e รกguatinta, 18 x 30 cm.


Helena Cunha

CONSENSO, 2006. Gravura a oco - Água-forte; verniz mole; ponta seca. Papel: 72cm X 102cm. Mancha: 58cm X 83cm

Inês Soares

Sem título, 2016. Águatinta e maneira negra, 15 x 12,5 cm.


Helena Cunha

CONSENSO, 2006. Gravura a oco - Água-forte; verniz mole; ponta seca. Papel: 72cm X 102cm. Mancha: 58cm X 83cm

Inês Soares

Sem título, 2016. Águatinta e maneira negra, 15 x 12,5 cm.


Isabel Danave

Sem Título, 2014. Gravura a oco - Calcografia: Ponta Seca e Águatinta. Moldura: A 40 cm X L 29 cm – Papel: 30 cm X 28 cm - Mancha: 10 cm X 10 cm

Isabel Pyrrait

Abandono, 2014. Fotogravura intervencionada. 50x21 imagem 60x60 moldura.


Isabel Danave

Sem Título, 2014. Gravura a oco - Calcografia: Ponta Seca e Águatinta. Moldura: A 40 cm X L 29 cm – Papel: 30 cm X 28 cm - Mancha: 10 cm X 10 cm

Isabel Pyrrait

Abandono, 2014. Fotogravura intervencionada. 50x21 imagem 60x60 moldura.


Joana Lacerda

Montanha I, 2015. Xilogravura, 49 x 25,8 cm.

João Cochofel

Sem título, 2016. Buril, águatinta, berceau. 49 x 38,5 cm.


Joana Lacerda

Montanha I, 2015. Xilogravura, 49 x 25,8 cm.

João Cochofel

Sem título, 2016. Buril, águatinta, berceau. 49 x 38,5 cm.


Joaquim Lourenço

SEM TÍTULO, 2016. Gravura a oco - Ponta seca sobre matriz de pacote de leite, Dimensões: Papel: 29,3 cm X 21 cm - Mancha: 17,5 cm X 17 cm

Jorge Pé-Curto

O Banqueiro a Amante e a Cadelinha, 2016. Água forte e água tinta, 22x32 cm


Joaquim Lourenço

SEM TÍTULO, 2016. Gravura a oco - Ponta seca sobre matriz de pacote de leite, Dimensões: Papel: 29,3 cm X 21 cm - Mancha: 17,5 cm X 17 cm

Jorge Pé-Curto

O Banqueiro a Amante e a Cadelinha, 2016. Água forte e água tinta, 22x32 cm


José Mourão

Júlia Pintão

Experimentar a Memória IV, 2008. Gravura a oco e impressão plana Calcografia: Ponta seca. Moldura: A 50 cm X L 40 cm – Papel: 35,5 cm X 25 cm - Mancha: 10 cm X 19 cm

Memória. Offset Manual print, diâmetro 37 cm (Imagem).


José Mourão

Júlia Pintão

Experimentar a Memória IV, 2008. Gravura a oco e impressão plana Calcografia: Ponta seca. Moldura: A 50 cm X L 40 cm – Papel: 35,5 cm X 25 cm - Mancha: 10 cm X 19 cm

Memória. Offset Manual print, diâmetro 37 cm (Imagem).


Jun Shirasu

Blue Tavira. Etching, hand colouring, image 24x36cm paper 32x44.5cm.

Luís Tavares

Sem Título, 2013. Gravura a oco – Calcografia: Técnica Mista. Moldura: 53 cm X 43 cm - Mancha: 24 cm X 17,5 cm


Jun Shirasu

Blue Tavira. Etching, hand colouring, image 24x36cm paper 32x44.5cm.

Luís Tavares

Sem Título, 2013. Gravura a oco – Calcografia: Técnica Mista. Moldura: 53 cm X 43 cm - Mancha: 24 cm X 17,5 cm


Mami Higuchi

In the full sense of the word II (part). 75 x 34 cm x 2 folhas, Água-forte e água-tinta.

Manuel Lopes

As raízes vão à frente, 2016. Buril. Água-Tinta. 25x30 imagem 39x42 papel


Mami Higuchi

In the full sense of the word II (part). 75 x 34 cm x 2 folhas, Água-forte e água-tinta.

Manuel Lopes

As raízes vão à frente, 2016. Buril. Água-Tinta. 25x30 imagem 39x42 papel


Manuela Bronze

Rubra 2. Tecido colado s/edição serigráfica s/papel, 50x70cm.

Manuela Cristovão

Landscape… defying gravity, 2016. Xilogravura. 108x68 moldura 80x38 imagem.


Manuela Bronze

Rubra 2. Tecido colado s/edição serigráfica s/papel, 50x70cm.

Manuela Cristovão

Landscape… defying gravity, 2016. Xilogravura. 108x68 moldura 80x38 imagem.


Margarida Lourenço

Vento Breve (Díptico Op.1, Op.2), 2013. Gravura em seco. Água-Forte. Água-Tinta. Serigrafia. Chine collé com papel japonês. 99x138 imagem, 99x138 papel.

Maria Albina

Sem título, 2011. Maneira negra, 27.5 x 21.5cm.


Maria Bargado

Da Àrvore à Embalagem#12, 2016. Serigrafia (edição: 1/6), 60x44cm.

Maria Gabriel

Série Poetic Dreams – 2 Personagens, 2014. Prova 1/5 (Emoldurada) Calcografia em chapa de cobre a duas cores sobre papel Reeves Papel: 57 x 34 cm


Maria Bargado

Da Àrvore à Embalagem#12, 2016. Serigrafia (edição: 1/6), 60x44cm.

Maria Gabriel

Série Poetic Dreams – 2 Personagens, 2014. Prova 1/5 (Emoldurada) Calcografia em chapa de cobre a duas cores sobre papel Reeves Papel: 57 x 34 cm


Maria Irene Ribeiro

Raízes, 2016. Técnica: ponta seca,serigrafia e colagem. Mancha impressa: 87 x 54 cm. Dimensão c/ moldura: 96 x 69 cm.

Marina dos Santos

Águas Profundas, 1999. Gravura a oco - Calcografia: Maneira negra Papel: 70cm X 50cm - Mancha: 29,5cm X 24,5cm.


Maria Irene Ribeiro

Raízes, 2016. Técnica: ponta seca,serigrafia e colagem. Mancha impressa: 87 x 54 cm. Dimensão c/ moldura: 96 x 69 cm.

Marina dos Santos

Águas Profundas, 1999. Gravura a oco - Calcografia: Maneira negra Papel: 70cm X 50cm - Mancha: 29,5cm X 24,5cm.


Nin Castanheira

Puzzlejo, 2012, 2013 e 2014. Técnica mista de gravura (monotipias), 12 x 12 cm (x16).

Olga Santos

Jardim, 2010. Gravura a oco - Calcografia: Água-forte e Água-tinta. Moldura: 30 cm X 40 cm Mancha: 19,5 cm X 8,5 cm


Nin Castanheira

Puzzlejo, 2012, 2013 e 2014. Técnica mista de gravura (monotipias), 12 x 12 cm (x16).

Olga Santos

Jardim, 2010. Gravura a oco - Calcografia: Água-forte e Água-tinta. Moldura: 30 cm X 40 cm Mancha: 19,5 cm X 8,5 cm


Pissarro

Ricardo Da Silva

Árvore de Fogo, 2014. Água forte e maneira negra, 10 x 10cm.

Olhar difuso. Água-forte e água tinta, 41 x 60cm


Pissarro

Ricardo Da Silva

Árvore de Fogo, 2014. Água forte e maneira negra, 10 x 10cm.

Olhar difuso. Água-forte e água tinta, 41 x 60cm


Ruth Lee

SEM TíTULO. Serigafia entre acrílico transparente cortado a laser.

Vitor Espalda

Sem título (Série EcceUrbi - nº 664). Serigrafia e acrilico s/papel, 42x55cm.


Ruth Lee

SEM TíTULO. Serigafia entre acrílico transparente cortado a laser.

Vitor Espalda

Sem título (Série EcceUrbi - nº 664). Serigrafia e acrilico s/papel, 42x55cm.


Artistas

Acácio de Carvalho

Botelho de Sousa

Amélia Soares

Carla Guerreiro

1980 Formou-se em Belas Artes na FBAUP. 2001 Prémio de Aquisição da XI Bienal of Vila Nova de Cerveira, Portugal. 2008 “Sácoras”, escultura na Avenida das Tílias, Jardim do Monte Aventino, Porto, Portugal. 2009 Exposição de publicações de gravura no Centro Nacional de La Vega Tower, Espanha. 2010 Exposições na Galeria EI Torco, Suances, Espanha e na Univ. de Pernambuco, Recife, Brasil. 2014 Artista convidado na Exposição “LLAVES”, Casa de Cantábria, Madrid, Espanha.

Seixal, 1950. 1976 | Licenciada em Artes Plásticas E.S.B.A.L Lisboa. 2003 | Artista Residente no Atelier Presse Papier, 3 Rivières Canadá. Expõe regularmente em Portugal e no estrangeiro. Prémios | Parchemin d’honneur - Association Mouvement d’Art Contemporain - Triennal Mondial d’Estampes, Chamallières França. Coleções Públicas | F.C.G,Lisboa; Barclays Bank; Câmara Municipal de Vila Franca de Xira. Obra editada | Centro Português de Serigrafia

Ana Galvão

Licenciada em Direito | Curso de Calcografia, Xilogravura, Litografia | Editada pela Gravura e CP Serigrafia | 17 Exposições Individuais e inúmeras Coletivas | Prémio de Edição e Prémio de Aquisição Bienal Gravura Amadora | 1º Prémio Manuel Filipe | Menção Honrosa Ourense | Menção Honrosa Pisa-Itália | Menção Honrosa Cascais | Menção Honrosa Ano Europeu Ambiente Setúbal | 1º Prémio Bienal Internacional Gravura Douro (2001) | Parchemin d’honneur 8ªChamalières (2010) | Museu F. Calouste Gulbenkian | Museu Comtemporary Noruega | C.Miedziorytu-Polónia | Fundação Kanawaga-Japão...

Ana Natividade

Lisboa, 1971. Vive e trabalha em Lisboa. Licenciou-se em Arquitectura pela FAUTL, 1997. Em 2006, concluiu a parte curricular do Mestrado em Literatura Portuguesa Moderna e Contemporânea, na FLUL, e participou no programa LITEVA – Literary Text in the Visual Age (Faculty of arts, University College Groningen). Estudou Desenho, Pintura e Gravura (SNBA, Ar.Co, MArt, Galeria Diferença). Expõe regularmente desde 2013. É responsável pela Oficina de Gravura da MArt

Ana Maria Sacadura

Ana Maria Bellino de Albuquerque Sacadura estudou na Faculdade de Belas-Artes e na Sociedade Nacional de Belas-Artes, em Lisboa e fez formação em gravura na Cooperativa Diferença. Frequentou vários cursos nas áreas da escultura, desenho, pintura e concepção e construção de marionetas. Trabalhou em desenho técnico.

Antónia Trindade Cid

Professora de educação visual / licenciada em design de comunicação pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa - frequência de diversas formações (extra-curriculares) no domínio da gravura, nomeadamente na Cooperativa de Gravadores Portugueses, na Associação de Gravura da Amadora (AGA) e na Slade School of London. Tem vindo, nos últimos anos, a trabalhar com a AGA.

Bartolomeu dos Santos

Nasceu em Lisboa em 1931 e em 2008 faleceu em Londres. Formou-se na Escola Superior de Belas-Artes entre os anos 1950 e 1956 e na Slade School of Fine Art nos dois anos seguintes. De 1961 a 1996 ensinou no Departamento de Gravura da Slade School of Fine Art. Foi Emeritus Professor in Fine Art da Universidade de Londres e Fellow do University College London e membro da Royal Society of Painter Printmakers. Foi também artista visitante em numerosas escolas de Belas Artes na Grã-Bretanha. No estrangeiro foi professor visitante da Universidade de Wisconsin, em Madison (1969 e 1980), na Konstkollan Umea, Suécia (1977 e 1978), no National College of Art em Lahore, Paquistão (1986 e 1987) e na Academia de Artes Visuais de Macau em numerosas ocasiões. Esteve representado em inúmeras exposições colectivas e individuais em cidades como Londres, Genebra, Roma Lisboa e Nova Iorque.

Natural de Angra do Heroísmo, Açores. Licenciada em Pintura pela ESBAL. Cursou e Workshops de Gravura e Serigrafia na Academia das Artes Visuais de Macau. Sócia e membro dos corpos sociais da AGA. Participa em Exposições Colectivas desde 1978. Exposições Individuais: 2011 e 2012 “gravura”, Galeria Espaço AGA, Amadora e 2013, Lisboa. Edições: AGA, Associação de Gravura da Amadora (2010); Representada em diversas colecções públicas e privadas.

Barreiro, 1972, vive em Lisboa. Formação: 2015/16 Curso nocturno de desenho/pintura, Ar.Co, Lisboa. Em 2013 inicia a aprendizagem de gravura, orientada por João Cochofel nos ateliers da Galeria Diferença, Lisboa, onde continua a exercer. 2010/14 Curso de desenho (1º e 2º ano) e atelier livre com modelo, Sociedade Nacional de Belas Artes, Lisboa. Participa em exposições colectivas desde 2010.

Carlos Ribeiro

Vive e trabalha em Almada. Expõe desde 2003. Exposições Individuais: Studio Teambox, Lx Factory, Lisboa (2016); MSMD, Auditório Municipal Augusto Cabrita, Barreiro (2013); “De mim não posso fugir”, Solar dos Zagalos, Almada (2009). Selecionado/convidado (seleção): Oficina da Cultura, Almada, (2015); 3x3, Fábrica Braço de Prata (2014); XVII Bienal da Festa do Avante, Seixal (2011); Galeria Escudeiros, Beja (2011); Galeria Municipal de Arte de Almada (2010); Fórum Romeu Correia, Almada (2009); Galeria Virtuarte, Barcelona (2005).

Carolina Sardinha

Carolina Sardinha, nascida em 1982 e licenciada em Arquitectura pelo Instituto Superior Técnico. A sua carreira sempre se delineou entre arquitectura e as Artes Plásticas praticando sempre o seu desenho e pintura e realizando exposições colectivas e individuais. Também faz alguns trabalhos de ilustração chegando a realizar o Curso de Ilustração Digital na Faculdade de Belas Artes de Lisboa. Em 2012 começa a frequentar o Taller Galeria de Grabados José Rincón em Madrid iniciando assim a sua paixão pela gravura. Actividade essa que continua a praticar na Galeria Diferença em Lisboa.

Céu Costa

Natural de Barreiro. Formação Artística na “ARVORE” Porto. Estágio na Academia de Belas Artes em Liège, Bélgica, em 1992. 2006 Fundadora da MATRIZ, Associação de Gravura do Porto. Intercâmbios com Bélgica, Galiza e Japão. Exposições desde1992. Coleções públicas. Prémio em 2000: Aquisição Banco de Portugal ; Prémio cidade de Évora em 2008.

Clarisse Marques

Alter do Chão. Curso de pintura pela Sociedade Nacional de Belas-Artes de Lisboa | Curso de Gravura no Atelier Paiva Raposo | Curso de Retrato pela Faculdade de Belas-Artes de Lisboa | Curso de Paisagem pela Faculdade de Belas-Artes de Lisboa | Curso de Surrealismo pela Escola António Arroio | Gravura na Galeria Diferença | Serigrafia com o professor Paulo Lourenço | Pintura no Atelier Paiva Raposo | Membro da Associação de Gravura Água-Forte.

Conceição Freitas

Licenciatura em Artes Plásticas – Escultura, pela ESBAL; Formação em Joalharia (1995 a 1998); Formação em gravura (Galeria Diferença desde 2012/13); Participação em exposições colectivas de gravura nomeadamente na Galeria Diferença; Tokyo Int Mini-Print Triennial 2015; Mini print Seacourt - 2016. Participação também em exposições individuais e colectivas de escultura e joalharia.

Domingas Vasconcelos

Domingas Vasconcelos (Monte, Murtosa, 1965). Curso de Arquitectura da FBAUP. Amiga da Matriz – Associação de Gravura do Porto onde tem participado em oficinas de gravura orientadas por professores de gravura japoneses : Mami Higuchi , Hiroshi Maruyama , Naoji Yshiyama e Koniko Sakate.


Artistas

Acácio de Carvalho

Botelho de Sousa

Amélia Soares

Carla Guerreiro

1980 Formou-se em Belas Artes na FBAUP. 2001 Prémio de Aquisição da XI Bienal of Vila Nova de Cerveira, Portugal. 2008 “Sácoras”, escultura na Avenida das Tílias, Jardim do Monte Aventino, Porto, Portugal. 2009 Exposição de publicações de gravura no Centro Nacional de La Vega Tower, Espanha. 2010 Exposições na Galeria EI Torco, Suances, Espanha e na Univ. de Pernambuco, Recife, Brasil. 2014 Artista convidado na Exposição “LLAVES”, Casa de Cantábria, Madrid, Espanha.

Seixal, 1950. 1976 | Licenciada em Artes Plásticas E.S.B.A.L Lisboa. 2003 | Artista Residente no Atelier Presse Papier, 3 Rivières Canadá. Expõe regularmente em Portugal e no estrangeiro. Prémios | Parchemin d’honneur - Association Mouvement d’Art Contemporain - Triennal Mondial d’Estampes, Chamallières França. Coleções Públicas | F.C.G,Lisboa; Barclays Bank; Câmara Municipal de Vila Franca de Xira. Obra editada | Centro Português de Serigrafia

Ana Galvão

Licenciada em Direito | Curso de Calcografia, Xilogravura, Litografia | Editada pela Gravura e CP Serigrafia | 17 Exposições Individuais e inúmeras Coletivas | Prémio de Edição e Prémio de Aquisição Bienal Gravura Amadora | 1º Prémio Manuel Filipe | Menção Honrosa Ourense | Menção Honrosa Pisa-Itália | Menção Honrosa Cascais | Menção Honrosa Ano Europeu Ambiente Setúbal | 1º Prémio Bienal Internacional Gravura Douro (2001) | Parchemin d’honneur 8ªChamalières (2010) | Museu F. Calouste Gulbenkian | Museu Comtemporary Noruega | C.Miedziorytu-Polónia | Fundação Kanawaga-Japão...

Ana Natividade

Lisboa, 1971. Vive e trabalha em Lisboa. Licenciou-se em Arquitectura pela FAUTL, 1997. Em 2006, concluiu a parte curricular do Mestrado em Literatura Portuguesa Moderna e Contemporânea, na FLUL, e participou no programa LITEVA – Literary Text in the Visual Age (Faculty of arts, University College Groningen). Estudou Desenho, Pintura e Gravura (SNBA, Ar.Co, MArt, Galeria Diferença). Expõe regularmente desde 2013. É responsável pela Oficina de Gravura da MArt

Ana Maria Sacadura

Ana Maria Bellino de Albuquerque Sacadura estudou na Faculdade de Belas-Artes e na Sociedade Nacional de Belas-Artes, em Lisboa e fez formação em gravura na Cooperativa Diferença. Frequentou vários cursos nas áreas da escultura, desenho, pintura e concepção e construção de marionetas. Trabalhou em desenho técnico.

Antónia Trindade Cid

Professora de educação visual / licenciada em design de comunicação pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa - frequência de diversas formações (extra-curriculares) no domínio da gravura, nomeadamente na Cooperativa de Gravadores Portugueses, na Associação de Gravura da Amadora (AGA) e na Slade School of London. Tem vindo, nos últimos anos, a trabalhar com a AGA.

Bartolomeu dos Santos

Nasceu em Lisboa em 1931 e em 2008 faleceu em Londres. Formou-se na Escola Superior de Belas-Artes entre os anos 1950 e 1956 e na Slade School of Fine Art nos dois anos seguintes. De 1961 a 1996 ensinou no Departamento de Gravura da Slade School of Fine Art. Foi Emeritus Professor in Fine Art da Universidade de Londres e Fellow do University College London e membro da Royal Society of Painter Printmakers. Foi também artista visitante em numerosas escolas de Belas Artes na Grã-Bretanha. No estrangeiro foi professor visitante da Universidade de Wisconsin, em Madison (1969 e 1980), na Konstkollan Umea, Suécia (1977 e 1978), no National College of Art em Lahore, Paquistão (1986 e 1987) e na Academia de Artes Visuais de Macau em numerosas ocasiões. Esteve representado em inúmeras exposições colectivas e individuais em cidades como Londres, Genebra, Roma Lisboa e Nova Iorque.

Natural de Angra do Heroísmo, Açores. Licenciada em Pintura pela ESBAL. Cursou e Workshops de Gravura e Serigrafia na Academia das Artes Visuais de Macau. Sócia e membro dos corpos sociais da AGA. Participa em Exposições Colectivas desde 1978. Exposições Individuais: 2011 e 2012 “gravura”, Galeria Espaço AGA, Amadora e 2013, Lisboa. Edições: AGA, Associação de Gravura da Amadora (2010); Representada em diversas colecções públicas e privadas.

Barreiro, 1972, vive em Lisboa. Formação: 2015/16 Curso nocturno de desenho/pintura, Ar.Co, Lisboa. Em 2013 inicia a aprendizagem de gravura, orientada por João Cochofel nos ateliers da Galeria Diferença, Lisboa, onde continua a exercer. 2010/14 Curso de desenho (1º e 2º ano) e atelier livre com modelo, Sociedade Nacional de Belas Artes, Lisboa. Participa em exposições colectivas desde 2010.

Carlos Ribeiro

Vive e trabalha em Almada. Expõe desde 2003. Exposições Individuais: Studio Teambox, Lx Factory, Lisboa (2016); MSMD, Auditório Municipal Augusto Cabrita, Barreiro (2013); “De mim não posso fugir”, Solar dos Zagalos, Almada (2009). Selecionado/convidado (seleção): Oficina da Cultura, Almada, (2015); 3x3, Fábrica Braço de Prata (2014); XVII Bienal da Festa do Avante, Seixal (2011); Galeria Escudeiros, Beja (2011); Galeria Municipal de Arte de Almada (2010); Fórum Romeu Correia, Almada (2009); Galeria Virtuarte, Barcelona (2005).

Carolina Sardinha

Carolina Sardinha, nascida em 1982 e licenciada em Arquitectura pelo Instituto Superior Técnico. A sua carreira sempre se delineou entre arquitectura e as Artes Plásticas praticando sempre o seu desenho e pintura e realizando exposições colectivas e individuais. Também faz alguns trabalhos de ilustração chegando a realizar o Curso de Ilustração Digital na Faculdade de Belas Artes de Lisboa. Em 2012 começa a frequentar o Taller Galeria de Grabados José Rincón em Madrid iniciando assim a sua paixão pela gravura. Actividade essa que continua a praticar na Galeria Diferença em Lisboa.

Céu Costa

Natural de Barreiro. Formação Artística na “ARVORE” Porto. Estágio na Academia de Belas Artes em Liège, Bélgica, em 1992. 2006 Fundadora da MATRIZ, Associação de Gravura do Porto. Intercâmbios com Bélgica, Galiza e Japão. Exposições desde1992. Coleções públicas. Prémio em 2000: Aquisição Banco de Portugal ; Prémio cidade de Évora em 2008.

Clarisse Marques

Alter do Chão. Curso de pintura pela Sociedade Nacional de Belas-Artes de Lisboa | Curso de Gravura no Atelier Paiva Raposo | Curso de Retrato pela Faculdade de Belas-Artes de Lisboa | Curso de Paisagem pela Faculdade de Belas-Artes de Lisboa | Curso de Surrealismo pela Escola António Arroio | Gravura na Galeria Diferença | Serigrafia com o professor Paulo Lourenço | Pintura no Atelier Paiva Raposo | Membro da Associação de Gravura Água-Forte.

Conceição Freitas

Licenciatura em Artes Plásticas – Escultura, pela ESBAL; Formação em Joalharia (1995 a 1998); Formação em gravura (Galeria Diferença desde 2012/13); Participação em exposições colectivas de gravura nomeadamente na Galeria Diferença; Tokyo Int Mini-Print Triennial 2015; Mini print Seacourt - 2016. Participação também em exposições individuais e colectivas de escultura e joalharia.

Domingas Vasconcelos

Domingas Vasconcelos (Monte, Murtosa, 1965). Curso de Arquitectura da FBAUP. Amiga da Matriz – Associação de Gravura do Porto onde tem participado em oficinas de gravura orientadas por professores de gravura japoneses : Mami Higuchi , Hiroshi Maruyama , Naoji Yshiyama e Koniko Sakate.


Filipe Alves

Filipe da Veiga Ventura Alves (n. 1979) é licenciado em arquitectura e tem dedicado a sua vida profissional às artes visuais. Exerce actividade profissional na área da vizualização 3D para arquitectura, animação e efeitos especiais para publicidade e cinema. Desde 2003 que se dedica à Fotografia, nas suas várias vertentes, partindo da fotografia digital e analógica em filme de 35mm. Explora outros ramos, como a Astrofotografia, e a fotografia com métodos históricos ou alternativos, nomeadamente o Colódio Húmido em grande formato, e as impressões em Cianotipo e Goma Bicromatada, e Holografia em DCG.

Helena Cunha

Natural de Lisboa, 1941. Licenciatura em Artes Plásticas, pintura, pela FBAL. Exposições colectivas de gravura (de 1997 a 20016): No País: Lisboa, Arraiolos. Amadora, Alhandra, Santarém, Gaia, Évora, Porto, Vila Nova da Cerveira, Montijo, Alfornelos, Torres Vedras, Vila Real de Santo António e Covilhã. No estrangeiro: Japão, China, Holanda, Espanha, Itália, EUA, França e Suécia. Exposição individual de gravura: Oeiras.

Inês Soares

Inês Soares, nasci em 1976. Estudei arquitectura na Faculdade de Arquitectura de Lisboa. Comecei a fazer gravura em Outubro de 2005 nos ateliers da Diferença, no espaço de aprendizagem organizado pelo João Pedro Cochofel. Algumas gravuras feitas, outras a meio caminho e muitas outras por fazer...

Isabel Danave

Nasceu no Estoril. Cursos orientados pelos gravadores: Maria Gabriel, Gravura, S.C.G.P.; Dacos, Serigrafia, S.C.G.P., 1972/74; Irene Ribeiro, Gravura e Xilogravura, Cooperativa Diferença, 1994/95, e “Fotoectching”, AGA, 1996. Exposições colectivas desde 1994. Individual de gravura, galeria Espaço AGA, Amadora, 2013. Sócia da AGA. Frequência do Atelier de Gravura da AGA.

Isabel Pyrrait

Lisboa, 1948. Curso de formação Artística da Sociedade Nacional de Belas-Artes, Lisboa I Curso de Gravura da Escola de Artes Visuais de Macau. Participação em Workshops de Gravura de técnicas tradicionais e inovadoras I Actividadena área do Design Gráfico e Fotografia I Docente de Design Gráfico e Gravura I Exposições individuais e colectivas em Portugal e por todo o Mundo I Sócia da Cooperativa Gravura, sócia fundadora da Associação Portuguesa de Designers e da Associação de Gravura Água-forte. isabelpyrrait@sapo.pt

Joana Lacerda

Formou-se em Arquitectura pelo Instituto Superior Técnico. O gosto pelo desenho levou a frequentar o curso de desenho da Sociedade de Belas Artes. Actualmente tenta explorar outras técnicas de expressão artística como a gravura. Descobriu há dois anos no coração de Lisboa a Galeria Diferença onde tem aprendido diversos métodos desta técnica.

Joao Cochofel

Actividades profissionais: design e produção gráfica, ilustração, desenho e gravura. Monitor de cursos de imagem digital. Membro da direção da cooperativa de artistas Diferença, em Lisboa, onde exerce e lecciona gravura. Expõe individual e colectivamente desenho e gravura desde 1985. Prémios de gravura: II Bienal de Gravura da Amadora; Le Million d’Images, Strasbourg.

Joaquim Lourenço

Membro fundador do Grupo Artever, onde expõe desde 1981. Membro fundador do Nuance-Grupo Multimédia. Citado no livro “Who’s Who In International Art”, edição suíça. Representado no Museu Diogo Gonçalves em Portimão, A25Abril, C.M. Amadora, C.M. Coruche, Bélyegmúzeum – Stamp Museum em Budapeste, Biblioteca Nacional e Museu de Bellas Artes Santa Cecília (Espanha) e em várias colecções particulares em Portugal, Espanha, E.U.A., Japão, Argentina, Brasil, Venezuela, Trinidad e Tobago, Hungria, Malásia, Alemanha, França e Bélgica.

Jorge Pé-Curto

Casa do infante D.Henrique-Porto. 2015: Iª Bienal dos Artsistas de Gaia como artista convidada. Mosteiro de Grijó-integrada na Bienal de Arte de Gaia. Pray For Peace-Contemporary Art Exhibition Portugal/Japão na Casa Museu Guerra Junqueiro. Colectiva dos Sócios da Cooperativa Árvore no Museu Soares dos Reis. 2014 - “Evangelli Gaudium”; - Mosteiro de Grijó - Portugal. 2013 - “50x50”; Galeria Porto Oriental-Porto - Portugal. 2011- “After 3.11”; CCGA Fukushima. 2010- JapanxPortugal Contemporary Art Exhibition- Esteta Gallery /B-Gallery. Coleções: Sakimi Art Museum Okinawa Japão; Museu da Bienal de V.N.Cerveira ; Museu de História e Biblioteca da Póvoa do Varzim ; várias colecções particulares.

Jun Shirasu

Nasceu em Tóquio em 1965. Em 1993 obteve o diploma em gravura na Slade School of Fine Arts da University College de Londres, onde estudou com Bartolomeu dos Santos. Foi bolseiro da Fundação Oriente em 2004. Expôs no Japão, Inglaterra, República Checa, Eslováquia, Polónia, Canadá e Portugal, estando representado em várias colecções públicas. Colaborou com Bartolomeu dos Santos em obras murais no Japão, Macau e Portugal: Estação ferroviária do Pragal, produção Ratton Cerâmicas). Em 2007 executou um painel de azulejo na Estação Ferroviária de Palmela, a par de Costa Pinheiro, com produção Ratton Cerâmicas.

Luís Tavares

Nasceu em Famalicão, 1952. Licenciado em Pintura pela ESBAL. Desde 1971, participações em mostras colectivas em Portugal, Espanha, Holanda e Brasil entre as quais várias Bienais Avante! Várias exposições individuais desde 1984. Edições de Gravura: 1994 e 1996 – S.C.G.P “Gravura”; 1998 Centro Português de Serigrafia; 1999 - Edição para AC Nielsen Portugal e 2006 - AGA.

Mami Higuchi

1970 Fukushima/Japan. 1996 Master course aI lhe Aichi Prefecture University of Fine Arts, Faculty of Arts. 2005-06 POLA Foundation (Japan) fellowship for arts abroad, Worked in Portugal. 2009-International Exchange Exhibition, Encontro com o oriente/ Museu do Oriente (Lisbon). 2012 Internalional Exchange Exhibition Japan·Portugal, Afler 3.11/ CCGA (Fukushima, Japan). 2013 Exhibilion “Consonance” Mami Higuchi and Naoji Ishiyama / Galeria dos Leões of Porto Univ.

Manuel Lopes

Riachos, Portugal, 1951. Frequentou cursos de Pintura, Desenho, Estética e História de Arte na SNBA, cursos e workshops no ARCO, CCB, Diferença e AGAF Lisboa, Portugal. Exposições individuais: Pintura, Ser artista é...Galeria Artes e Letras, Alpiarça, Pintura, Ousar voar /ousar poder cair, Biblioteca Municipal de Alenquer, Portugal. Exposições Colectivas: participou em exposições colectivas na área da pintura, gravura e desenho em Portugal, Espanha, Bélgica, Holanda, Japão, etc.

Manuela Bronze

Nasceu em Moçambique, vive e trabalha no Porto. Artista Plástica e Figurinista. Desenvolve atividade artística regular desde 1977 com participação em workshops e em exposições colectivas e individuais. Em Artes Plásticas tem participado em exposições colectivas, com cerâmica, desenho, pintura, gravura e serigrafia, em Portugal e no estrangeiro, nomeadamente em França, Bélgica, Moçambique, Brasil e Espanha.

Manuela Cristovão

Angola, 1957 - Doutorada em Artes Plásticas. Licenciada em Artes Plásticas/Pintura. Frequentou workshops com artistas portugueses e estrangeiros na área de Gravura. É Professora na Escola de Artes da Universidade de Évora onde tem leccionado disciplinas de Artes Visuais, Pintura, Desenho, Fotografia e Gravura. Desenvolve actividade artística, investigação e tem organizado exposições e colóquios e orientado Workshops nestas áreas. É membro e actual presidente da AGAF/Associação de Gravura Água-Forte.

Margarida Lourenço

Natural de Lisboa. Licenciada em Ciências Matemáticas. Formação Artística na SNBA| Gravura atelier P. Raposo; EPM, Edimburgo; AGAF, Diferença e FBAUL. Integra a Associação de Gravura Água-Forte. Exposições mais recentes: 2016 Memória-Fukushima, Casa do Infante e G. Esteta, Porto 2016/2015 15 Anos da Água-Forte, SNBA, Lisboa; G. Augusto Cabrita, Seixal; Museu de Évora | VI Bienal Iberoamericana de Obra Gráfica de Cáceres | 2ª Global Print, Douro 2014 Multiplicação (individual), G. Diferença, Lisboa.

Jorge Pé-Curto nasceu em Moura em 1955. Vive em Almada desde 1965. Com dez anos começou a frequentar o Centro Artístico Infantil , de que era mentor o pintor Hermano Baptista .Mais tarde cursou escultura na Escola António Arroio. Expõe regularmente desde 1984 . Da sua autoria são diversos monumentos situados em várias regiões do país .

Maria Albina é designer, autora de livros infantis, ilustradora e gravadora.

José Mourão

Maria Bargado

Nasceu em Lisboa, 1957. A partir de 1977, formação em gravura com David de Almeida, Humberto Marçal, Bartolomeu Cid, Regina Silveira e Irene Ribeiro. Diplomado em Design, IADE, Lisboa, 1981. Sócio fundador das associações da Amadora, Artever, 1981 e AGA, 1985. Professor e Formador nas áreas: design; artes plásticas e gravura em diversas instituições. Desde 1982 vem expondo em eventos na Bélgica, Brasil, Espanha, França e Portugal.

Nasceu na Cova da Piedade,1959. Curso de Artes Gráficas na Escola António Arroio, Pintura no Arco; Curso de Pintura e formação em Serigrafia com Joana Félix na E.S.B.A.L..Expõe desde 1982, destacando a exposição Era uma vez, na Galeria Ler Devagar-Lx Factory-Lisboa em 2014. Representada na Câmara Municipal de Almada; FNAC; Seguros Fidelidade; Câmara Municipal de Setúbal e Colecções particulares.

Júlia Pintão

Maria Gabriel

1948 Valadares- Portugal. Cursou de Química na Universidade do Porto. Directora da Esteta Galeria desde 1996. Membro Fundador e Presidente da Matriz Associação de Gravura do Porto desde 2006. Expõe individual e colectivamente desde 1993. 2016: Memória-Reflexões, Ligacões e Futuro-

Maria Albina

Lisboa, 1937. Cursos de gravura na Cooperativa “Gravura”. Bolsas de estudo da F.C.Gulbenkian. Estágios na Hochshule Für Bildende Kunst em Hamburgo. Pintora e gravadora escreve de parceria com Alice Jorge, o livro “Técnicas de Gravura Artística”. Bolsa do Fundo de Fomento Cultural


Filipe Alves

Filipe da Veiga Ventura Alves (n. 1979) é licenciado em arquitectura e tem dedicado a sua vida profissional às artes visuais. Exerce actividade profissional na área da vizualização 3D para arquitectura, animação e efeitos especiais para publicidade e cinema. Desde 2003 que se dedica à Fotografia, nas suas várias vertentes, partindo da fotografia digital e analógica em filme de 35mm. Explora outros ramos, como a Astrofotografia, e a fotografia com métodos históricos ou alternativos, nomeadamente o Colódio Húmido em grande formato, e as impressões em Cianotipo e Goma Bicromatada, e Holografia em DCG.

Helena Cunha

Natural de Lisboa, 1941. Licenciatura em Artes Plásticas, pintura, pela FBAL. Exposições colectivas de gravura (de 1997 a 20016): No País: Lisboa, Arraiolos. Amadora, Alhandra, Santarém, Gaia, Évora, Porto, Vila Nova da Cerveira, Montijo, Alfornelos, Torres Vedras, Vila Real de Santo António e Covilhã. No estrangeiro: Japão, China, Holanda, Espanha, Itália, EUA, França e Suécia. Exposição individual de gravura: Oeiras.

Inês Soares

Inês Soares, nasci em 1976. Estudei arquitectura na Faculdade de Arquitectura de Lisboa. Comecei a fazer gravura em Outubro de 2005 nos ateliers da Diferença, no espaço de aprendizagem organizado pelo João Pedro Cochofel. Algumas gravuras feitas, outras a meio caminho e muitas outras por fazer...

Isabel Danave

Nasceu no Estoril. Cursos orientados pelos gravadores: Maria Gabriel, Gravura, S.C.G.P.; Dacos, Serigrafia, S.C.G.P., 1972/74; Irene Ribeiro, Gravura e Xilogravura, Cooperativa Diferença, 1994/95, e “Fotoectching”, AGA, 1996. Exposições colectivas desde 1994. Individual de gravura, galeria Espaço AGA, Amadora, 2013. Sócia da AGA. Frequência do Atelier de Gravura da AGA.

Isabel Pyrrait

Lisboa, 1948. Curso de formação Artística da Sociedade Nacional de Belas-Artes, Lisboa I Curso de Gravura da Escola de Artes Visuais de Macau. Participação em Workshops de Gravura de técnicas tradicionais e inovadoras I Actividadena área do Design Gráfico e Fotografia I Docente de Design Gráfico e Gravura I Exposições individuais e colectivas em Portugal e por todo o Mundo I Sócia da Cooperativa Gravura, sócia fundadora da Associação Portuguesa de Designers e da Associação de Gravura Água-forte. isabelpyrrait@sapo.pt

Joana Lacerda

Formou-se em Arquitectura pelo Instituto Superior Técnico. O gosto pelo desenho levou a frequentar o curso de desenho da Sociedade de Belas Artes. Actualmente tenta explorar outras técnicas de expressão artística como a gravura. Descobriu há dois anos no coração de Lisboa a Galeria Diferença onde tem aprendido diversos métodos desta técnica.

Joao Cochofel

Actividades profissionais: design e produção gráfica, ilustração, desenho e gravura. Monitor de cursos de imagem digital. Membro da direção da cooperativa de artistas Diferença, em Lisboa, onde exerce e lecciona gravura. Expõe individual e colectivamente desenho e gravura desde 1985. Prémios de gravura: II Bienal de Gravura da Amadora; Le Million d’Images, Strasbourg.

Joaquim Lourenço

Membro fundador do Grupo Artever, onde expõe desde 1981. Membro fundador do Nuance-Grupo Multimédia. Citado no livro “Who’s Who In International Art”, edição suíça. Representado no Museu Diogo Gonçalves em Portimão, A25Abril, C.M. Amadora, C.M. Coruche, Bélyegmúzeum – Stamp Museum em Budapeste, Biblioteca Nacional e Museu de Bellas Artes Santa Cecília (Espanha) e em várias colecções particulares em Portugal, Espanha, E.U.A., Japão, Argentina, Brasil, Venezuela, Trinidad e Tobago, Hungria, Malásia, Alemanha, França e Bélgica.

Jorge Pé-Curto

Casa do infante D.Henrique-Porto. 2015: Iª Bienal dos Artsistas de Gaia como artista convidada. Mosteiro de Grijó-integrada na Bienal de Arte de Gaia. Pray For Peace-Contemporary Art Exhibition Portugal/Japão na Casa Museu Guerra Junqueiro. Colectiva dos Sócios da Cooperativa Árvore no Museu Soares dos Reis. 2014 - “Evangelli Gaudium”; - Mosteiro de Grijó - Portugal. 2013 - “50x50”; Galeria Porto Oriental-Porto - Portugal. 2011- “After 3.11”; CCGA Fukushima. 2010- JapanxPortugal Contemporary Art Exhibition- Esteta Gallery /B-Gallery. Coleções: Sakimi Art Museum Okinawa Japão; Museu da Bienal de V.N.Cerveira ; Museu de História e Biblioteca da Póvoa do Varzim ; várias colecções particulares.

Jun Shirasu

Nasceu em Tóquio em 1965. Em 1993 obteve o diploma em gravura na Slade School of Fine Arts da University College de Londres, onde estudou com Bartolomeu dos Santos. Foi bolseiro da Fundação Oriente em 2004. Expôs no Japão, Inglaterra, República Checa, Eslováquia, Polónia, Canadá e Portugal, estando representado em várias colecções públicas. Colaborou com Bartolomeu dos Santos em obras murais no Japão, Macau e Portugal: Estação ferroviária do Pragal, produção Ratton Cerâmicas). Em 2007 executou um painel de azulejo na Estação Ferroviária de Palmela, a par de Costa Pinheiro, com produção Ratton Cerâmicas.

Luís Tavares

Nasceu em Famalicão, 1952. Licenciado em Pintura pela ESBAL. Desde 1971, participações em mostras colectivas em Portugal, Espanha, Holanda e Brasil entre as quais várias Bienais Avante! Várias exposições individuais desde 1984. Edições de Gravura: 1994 e 1996 – S.C.G.P “Gravura”; 1998 Centro Português de Serigrafia; 1999 - Edição para AC Nielsen Portugal e 2006 - AGA.

Mami Higuchi

1970 Fukushima/Japan. 1996 Master course aI lhe Aichi Prefecture University of Fine Arts, Faculty of Arts. 2005-06 POLA Foundation (Japan) fellowship for arts abroad, Worked in Portugal. 2009-International Exchange Exhibition, Encontro com o oriente/ Museu do Oriente (Lisbon). 2012 Internalional Exchange Exhibition Japan·Portugal, Afler 3.11/ CCGA (Fukushima, Japan). 2013 Exhibilion “Consonance” Mami Higuchi and Naoji Ishiyama / Galeria dos Leões of Porto Univ.

Manuel Lopes

Riachos, Portugal, 1951. Frequentou cursos de Pintura, Desenho, Estética e História de Arte na SNBA, cursos e workshops no ARCO, CCB, Diferença e AGAF Lisboa, Portugal. Exposições individuais: Pintura, Ser artista é...Galeria Artes e Letras, Alpiarça, Pintura, Ousar voar /ousar poder cair, Biblioteca Municipal de Alenquer, Portugal. Exposições Colectivas: participou em exposições colectivas na área da pintura, gravura e desenho em Portugal, Espanha, Bélgica, Holanda, Japão, etc.

Manuela Bronze

Nasceu em Moçambique, vive e trabalha no Porto. Artista Plástica e Figurinista. Desenvolve atividade artística regular desde 1977 com participação em workshops e em exposições colectivas e individuais. Em Artes Plásticas tem participado em exposições colectivas, com cerâmica, desenho, pintura, gravura e serigrafia, em Portugal e no estrangeiro, nomeadamente em França, Bélgica, Moçambique, Brasil e Espanha.

Manuela Cristovão

Angola, 1957 - Doutorada em Artes Plásticas. Licenciada em Artes Plásticas/Pintura. Frequentou workshops com artistas portugueses e estrangeiros na área de Gravura. É Professora na Escola de Artes da Universidade de Évora onde tem leccionado disciplinas de Artes Visuais, Pintura, Desenho, Fotografia e Gravura. Desenvolve actividade artística, investigação e tem organizado exposições e colóquios e orientado Workshops nestas áreas. É membro e actual presidente da AGAF/Associação de Gravura Água-Forte.

Margarida Lourenço

Natural de Lisboa. Licenciada em Ciências Matemáticas. Formação Artística na SNBA| Gravura atelier P. Raposo; EPM, Edimburgo; AGAF, Diferença e FBAUL. Integra a Associação de Gravura Água-Forte. Exposições mais recentes: 2016 Memória-Fukushima, Casa do Infante e G. Esteta, Porto 2016/2015 15 Anos da Água-Forte, SNBA, Lisboa; G. Augusto Cabrita, Seixal; Museu de Évora | VI Bienal Iberoamericana de Obra Gráfica de Cáceres | 2ª Global Print, Douro 2014 Multiplicação (individual), G. Diferença, Lisboa.

Jorge Pé-Curto nasceu em Moura em 1955. Vive em Almada desde 1965. Com dez anos começou a frequentar o Centro Artístico Infantil , de que era mentor o pintor Hermano Baptista .Mais tarde cursou escultura na Escola António Arroio. Expõe regularmente desde 1984 . Da sua autoria são diversos monumentos situados em várias regiões do país .

Maria Albina é designer, autora de livros infantis, ilustradora e gravadora.

José Mourão

Maria Bargado

Nasceu em Lisboa, 1957. A partir de 1977, formação em gravura com David de Almeida, Humberto Marçal, Bartolomeu Cid, Regina Silveira e Irene Ribeiro. Diplomado em Design, IADE, Lisboa, 1981. Sócio fundador das associações da Amadora, Artever, 1981 e AGA, 1985. Professor e Formador nas áreas: design; artes plásticas e gravura em diversas instituições. Desde 1982 vem expondo em eventos na Bélgica, Brasil, Espanha, França e Portugal.

Nasceu na Cova da Piedade,1959. Curso de Artes Gráficas na Escola António Arroio, Pintura no Arco; Curso de Pintura e formação em Serigrafia com Joana Félix na E.S.B.A.L..Expõe desde 1982, destacando a exposição Era uma vez, na Galeria Ler Devagar-Lx Factory-Lisboa em 2014. Representada na Câmara Municipal de Almada; FNAC; Seguros Fidelidade; Câmara Municipal de Setúbal e Colecções particulares.

Júlia Pintão

Maria Gabriel

1948 Valadares- Portugal. Cursou de Química na Universidade do Porto. Directora da Esteta Galeria desde 1996. Membro Fundador e Presidente da Matriz Associação de Gravura do Porto desde 2006. Expõe individual e colectivamente desde 1993. 2016: Memória-Reflexões, Ligacões e Futuro-

Maria Albina

Lisboa, 1937. Cursos de gravura na Cooperativa “Gravura”. Bolsas de estudo da F.C.Gulbenkian. Estágios na Hochshule Für Bildende Kunst em Hamburgo. Pintora e gravadora escreve de parceria com Alice Jorge, o livro “Técnicas de Gravura Artística”. Bolsa do Fundo de Fomento Cultural


para desenvolver um trabalho de Pintura e Gravura sobre os textos da História Trágico-Marítima. Ilustrações de livros para a Infância. Executa 100 colagens para o livro “Sequências” de Liberto Cruz. Leccionou gravura artística. Expõe desde 1963 individualmente. Figura em exposições colectivas em Portugal e estrangeiro. Prémios João Hogan e Carlos Botelho, 1990. Prémio da Bienal de Artes do Sabugal, 1997. Prémio de Gravura 20 Anos da Cidade da Amadora, 1999. Medalha de Honra da S.P.A., 2009. Obras em colecções públicas e privadas nacionais e internacionais. Em 2013, exposição individual “40 Gravuras Memória”, no Museu de Arqueologia e Etnografia de Setúbal. Em 2015, participou nas bienais “L’arte E Il Torchio” / Art and the Printing Press, Cremona, Itália; “Global Print”, Alijó, e em 2016, na Bienal de Gravura do Douro.

Maria Irene Ribeiro

Natural de Gemeses, Esposende, 1949. Formada pela Faculdade de Artes PLásticas da Fundação Armando Alvares Penteado, S.Paulo (1970/73). Bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian (1979/80). Dedica-se à prática e ao ensino da gravura desde 1974. Orientou, a convite, cursos de iniciação às técnicas da gravura na GRAVURA - Cooperativa de Gravadores,Lisboa; Cooperativa Arvore, Porto;AGA - Amadora ; Diferença, Lisboa; Áster- Lisboa e Imagem Impressa – Arraiolos. Orienta Ações de Forma¬ção para professores do lº e 2º ciclos,desde 1995. Expõe regularmente os seus trabalhos desde 1973. Tem recebido prémios e menções honrosas em várias exposições. Editada por diversas entidades. Está representada em colecções oficiais e particulares no País e no estrangeiro. ireneribeirogravura@gmail.com | FB IR.Gravura

Marina dos Santos

Nasceu em Lisboa em 1950. Membro fundador das associações da Amadora, Grupo Artever e AGA. Pintora e Gravadora. Exposições Colectivas desde 1976 em Portugal, Espanha, França, Bélgica, Holanda, Alemanha, Macedónia, Suécia, Cuba, Chile, Brasil e Japão. Exposições Individuais desde 1980. Representada: Câmaras Municipais da Amadora e de Borba, Banco de Portugal e em várias colecções particulares. Prémio de Edição na Bienal de Gravura, Amadora. Edições de Gravura: AGA, Associação de Gravura da Amadora e Centro Português de Serigrafia.

Nin Castanheira

Teresa Castanheira, de nome artístico Nim Castanheira, frequentou a SNBA, o Ar.Co e hoje faz gravura na Galeria Diferença. Participou em vários eventos internacionais de gravura (Bienal do Douro, Mini Print de Cadaqués, em Barcelona e de Lessedra na Bulgária), tem exposto com regularidade em Lisboa (Galeria São Mamede, Galeria Diferença, Novo Século e Galeria Opus 14) e já expôs em Paris e Macau. Tem duas séries de gravuras editadas pelo Centro Português de Serigrafia (um conjunto de 6 em 2013 e um de 4 em 2015). Licenciada em Ciências Musicais pela Universidade Nova de Lisboa publicou em Maio de 2015 o livro Cores & Sons, um diálogo entre a Pintura e a Música do séc. XX.

Olga Santos

Nasceu em S. Tomé, 1944. Curso de Cerâmica Decorativa Escola António Arroio. Em Macau, de 1992 a 1994, Cursos de Joalharia e Gravura, Academia de Artes Visuais de Macau; Workshop orientado por Bartolomeu dos Santos e 1997/98, Curso de Gravura sob orientação de Sou Pui Kun e Anita Fong. Pertence aos corpos sociais da AGA. Exposições Colectivas desde 1997. Exposições Individuais: 2011 e 2012 “gravura”, Galeria Espaço AGA, Amadora e 2013, Lisboa. Menção Honrosa em 1997 na 3° Bienal de Artes de Macau.

Pissarro

Pissarro, licenciada em Pintura pela ESBAL e bolseira da F. C. Gulbenkian entre 1968 e 1971, investiga e lecciona Gravura nos ateliers da Galeria Diferença. Tem realizado numerosas exposições individuais e participado em inúmeras colectivas em Portugal e no estrangeiro. Obteve vários prémios em Pintura e em Gravura. Está representada no Centro de Arte Moderna da F. C. Gulbenkian, na Junta de Turismo da Costa do Estoril, na Câm. Mun. da Amadora, no Supremo Tribunal de Justiça, na Igreja do Sag. Coração de Jesus e em colecções particulares em Portugal e no estrangeiro. Tem gravuras editadas pelo Centro de Serigrafia e participa regularmente nas tertúlias “Encruzilhadas da Arte”.

Ricardo Da Silva

Artista desde 2003, tem desenvolvido diversas actividades artísticas. Tem colaborado com o artista plástico Acácio de Carvalho em diversos projectos artísticos. Sócio do grupo de gravura – “Matriz”, Porto. Formação em cerâmica no atelier do escultor João Carqueijeiro. Foi o co-organizador do evento “Noite Branca”, Braga 2012 Capital Europeia da Juventude. Co-dinamizador do ProjectArte (2007 – 2012) na escola EB2/3 Dr. Leonardo Coimbra (filho), projecto que promovia o desenvolvimento de competências artísticas em crianças provenientes de bairros considerados problemáticos. Co-dinamizador de workshops/instalações artísticas no evento “PICNIC PLAY”, 2012 Guimarães Capital Europeia da Cultura. Co-organizador do evento “A Porta fica aberta”, encerramento de Braga 2012 Capital Europeia da Juventude. Co-organizador do evento”Noite Branca 2013”, Braga. 2015, Co-organizador e dinamizador do evento arte participativa - “Semear Tradições”, Guimarães Shopping . 2016, Co-organizador e dinamizador do projecto vencedor do concurso de arte pública do NorteShopping. Algumas das técnicas utilizadas pelo artista: gravura (talhe-doce, xilogravura) pintura s/cartazes de rua, desenho com linha de croché e cerâmica. Também já realizou diversas instalações e intervenções artísticas. Os trabalhos apresentados desde 2003 são o resultado de uma constante procura incessante de experimentar, brincar com materiais nobres/conceitos do quotidiano, com técnicas, fundindo-as (os), obtendo produtos imaginários únicos. www.ricardodasilva.pt | www.facebook.com/ricardodasilvartista

Ruth Lee

Ruth Lee (born 1948 Coventry) is a textile artist, printmaker and writer currently living in Central Portugal, relocating from the UK in 2013. Underpinning Ruth’s creative thinking is the over-arching importance of the symbiotic relationship between concepts, materials, techniques and the making processes. Hands-on print techniques are enhanced with stitching, layering and various construction techniques. Digital technology is

embraced so that the work retains Ruth’s unique visual handwriting. www.ribbonsandthreads.com | Ruth Lee Textile Artist Facebook

Vitor Espalda

Nasceu no Porto (Portugal) em 1967, onde vive e trabalha. Licenciado em Artes Plásticas Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Bacharel em Desenho pela Escola Superior Artística do Porto. Realizou mais de vinte exposições individuais desde 1990, em Portugal, Grécia, Brasil e Japão. Participou em exposições, certames, prémios, feiras, em Portugal, Brasil, Moçambique, Grécia, Suíça, Suécia e Japão.


para desenvolver um trabalho de Pintura e Gravura sobre os textos da História Trágico-Marítima. Ilustrações de livros para a Infância. Executa 100 colagens para o livro “Sequências” de Liberto Cruz. Leccionou gravura artística. Expõe desde 1963 individualmente. Figura em exposições colectivas em Portugal e estrangeiro. Prémios João Hogan e Carlos Botelho, 1990. Prémio da Bienal de Artes do Sabugal, 1997. Prémio de Gravura 20 Anos da Cidade da Amadora, 1999. Medalha de Honra da S.P.A., 2009. Obras em colecções públicas e privadas nacionais e internacionais. Em 2013, exposição individual “40 Gravuras Memória”, no Museu de Arqueologia e Etnografia de Setúbal. Em 2015, participou nas bienais “L’arte E Il Torchio” / Art and the Printing Press, Cremona, Itália; “Global Print”, Alijó, e em 2016, na Bienal de Gravura do Douro.

Maria Irene Ribeiro

Natural de Gemeses, Esposende, 1949. Formada pela Faculdade de Artes PLásticas da Fundação Armando Alvares Penteado, S.Paulo (1970/73). Bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian (1979/80). Dedica-se à prática e ao ensino da gravura desde 1974. Orientou, a convite, cursos de iniciação às técnicas da gravura na GRAVURA - Cooperativa de Gravadores,Lisboa; Cooperativa Arvore, Porto;AGA - Amadora ; Diferença, Lisboa; Áster- Lisboa e Imagem Impressa – Arraiolos. Orienta Ações de Forma¬ção para professores do lº e 2º ciclos,desde 1995. Expõe regularmente os seus trabalhos desde 1973. Tem recebido prémios e menções honrosas em várias exposições. Editada por diversas entidades. Está representada em colecções oficiais e particulares no País e no estrangeiro. ireneribeirogravura@gmail.com | FB IR.Gravura

Marina dos Santos

Nasceu em Lisboa em 1950. Membro fundador das associações da Amadora, Grupo Artever e AGA. Pintora e Gravadora. Exposições Colectivas desde 1976 em Portugal, Espanha, França, Bélgica, Holanda, Alemanha, Macedónia, Suécia, Cuba, Chile, Brasil e Japão. Exposições Individuais desde 1980. Representada: Câmaras Municipais da Amadora e de Borba, Banco de Portugal e em várias colecções particulares. Prémio de Edição na Bienal de Gravura, Amadora. Edições de Gravura: AGA, Associação de Gravura da Amadora e Centro Português de Serigrafia.

Nin Castanheira

Teresa Castanheira, de nome artístico Nim Castanheira, frequentou a SNBA, o Ar.Co e hoje faz gravura na Galeria Diferença. Participou em vários eventos internacionais de gravura (Bienal do Douro, Mini Print de Cadaqués, em Barcelona e de Lessedra na Bulgária), tem exposto com regularidade em Lisboa (Galeria São Mamede, Galeria Diferença, Novo Século e Galeria Opus 14) e já expôs em Paris e Macau. Tem duas séries de gravuras editadas pelo Centro Português de Serigrafia (um conjunto de 6 em 2013 e um de 4 em 2015). Licenciada em Ciências Musicais pela Universidade Nova de Lisboa publicou em Maio de 2015 o livro Cores & Sons, um diálogo entre a Pintura e a Música do séc. XX.

Olga Santos

Nasceu em S. Tomé, 1944. Curso de Cerâmica Decorativa Escola António Arroio. Em Macau, de 1992 a 1994, Cursos de Joalharia e Gravura, Academia de Artes Visuais de Macau; Workshop orientado por Bartolomeu dos Santos e 1997/98, Curso de Gravura sob orientação de Sou Pui Kun e Anita Fong. Pertence aos corpos sociais da AGA. Exposições Colectivas desde 1997. Exposições Individuais: 2011 e 2012 “gravura”, Galeria Espaço AGA, Amadora e 2013, Lisboa. Menção Honrosa em 1997 na 3° Bienal de Artes de Macau.

Pissarro

Pissarro, licenciada em Pintura pela ESBAL e bolseira da F. C. Gulbenkian entre 1968 e 1971, investiga e lecciona Gravura nos ateliers da Galeria Diferença. Tem realizado numerosas exposições individuais e participado em inúmeras colectivas em Portugal e no estrangeiro. Obteve vários prémios em Pintura e em Gravura. Está representada no Centro de Arte Moderna da F. C. Gulbenkian, na Junta de Turismo da Costa do Estoril, na Câm. Mun. da Amadora, no Supremo Tribunal de Justiça, na Igreja do Sag. Coração de Jesus e em colecções particulares em Portugal e no estrangeiro. Tem gravuras editadas pelo Centro de Serigrafia e participa regularmente nas tertúlias “Encruzilhadas da Arte”.

Ricardo Da Silva

Artista desde 2003, tem desenvolvido diversas actividades artísticas. Tem colaborado com o artista plástico Acácio de Carvalho em diversos projectos artísticos. Sócio do grupo de gravura – “Matriz”, Porto. Formação em cerâmica no atelier do escultor João Carqueijeiro. Foi o co-organizador do evento “Noite Branca”, Braga 2012 Capital Europeia da Juventude. Co-dinamizador do ProjectArte (2007 – 2012) na escola EB2/3 Dr. Leonardo Coimbra (filho), projecto que promovia o desenvolvimento de competências artísticas em crianças provenientes de bairros considerados problemáticos. Co-dinamizador de workshops/instalações artísticas no evento “PICNIC PLAY”, 2012 Guimarães Capital Europeia da Cultura. Co-organizador do evento “A Porta fica aberta”, encerramento de Braga 2012 Capital Europeia da Juventude. Co-organizador do evento”Noite Branca 2013”, Braga. 2015, Co-organizador e dinamizador do evento arte participativa - “Semear Tradições”, Guimarães Shopping . 2016, Co-organizador e dinamizador do projecto vencedor do concurso de arte pública do NorteShopping. Algumas das técnicas utilizadas pelo artista: gravura (talhe-doce, xilogravura) pintura s/cartazes de rua, desenho com linha de croché e cerâmica. Também já realizou diversas instalações e intervenções artísticas. Os trabalhos apresentados desde 2003 são o resultado de uma constante procura incessante de experimentar, brincar com materiais nobres/conceitos do quotidiano, com técnicas, fundindo-as (os), obtendo produtos imaginários únicos. www.ricardodasilva.pt | www.facebook.com/ricardodasilvartista

Ruth Lee

Ruth Lee (born 1948 Coventry) is a textile artist, printmaker and writer currently living in Central Portugal, relocating from the UK in 2013. Underpinning Ruth’s creative thinking is the over-arching importance of the symbiotic relationship between concepts, materials, techniques and the making processes. Hands-on print techniques are enhanced with stitching, layering and various construction techniques. Digital technology is

embraced so that the work retains Ruth’s unique visual handwriting. www.ribbonsandthreads.com | Ruth Lee Textile Artist Facebook

Vitor Espalda

Nasceu no Porto (Portugal) em 1967, onde vive e trabalha. Licenciado em Artes Plásticas Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Bacharel em Desenho pela Escola Superior Artística do Porto. Realizou mais de vinte exposições individuais desde 1990, em Portugal, Grécia, Brasil e Japão. Participou em exposições, certames, prémios, feiras, em Portugal, Brasil, Moçambique, Grécia, Suíça, Suécia e Japão.


Profile for Bienal do Avante

Catálogo Exposição “Gravura Hoje” 2016  

Catálogo Exposição “Gravura Hoje”, Espaço das Artes, Festa do Avante! Quinta da Atalaia – Seixal, 2,3,4 Setembro 2016. Colaboraram as associ...

Catálogo Exposição “Gravura Hoje” 2016  

Catálogo Exposição “Gravura Hoje”, Espaço das Artes, Festa do Avante! Quinta da Atalaia – Seixal, 2,3,4 Setembro 2016. Colaboraram as associ...

Advertisement