Page 1


9 ano turma 2 Beatriz n 3 Giovane n 11 Luisa n 24 Rafaela Moura n 33


Caro leitor Nessa edição de Paraty, falaremos mais sobre um assunto discutido pelo mundo todo, que é a questão de uso da energia nuclear, e mostraremos como é a vida das pessoas que a usam, e vivem perto da primeira usina nuclear do Brasil, Angra 1, e o que elas acham dela. Também mostraremos que nossa opinião na pagina . Além dos problemas falaremos de turismo, na parte do centro histórico, que é o foco da cidade, veja mais, com as fotos tiradas, e entrevistas feitas Descubra o que ela ensina aos nossos filhos, além da historia, ha muita matemática por trás dessa cidade, assim como filosofia, arte, entre muitos outros. Fique de olho nos belos projetos dos alunos do Colégio São Luís, que foram para lá recentemente, e fizeram trabalhos e projetos em base nisso. Nessa edição também falaremos sobre uma tradição já esquecida por muitos, que são os cartões postais, lembre-se um pouco mais deles. Esperamos que goste, comete na nossa pagina no Facebook www.facebook.com.br/revistaparaty, e nos siga no Twiter @revistaparaty. Boa leitura Revista Paraty


Fiorde tropical A

pós uma viagem de aproximadamente quarenta minutos em

uma baleira, chegamos ao nosso destino: Uma das bucólicas praias do Saco do Mamanguá, que é localizado perto do município de Paratymirim. Lá podemos observar um fenômeno único em terras tropicais, um fiorde. A origem do fiorde vem de milhões de anos onde houve a erosão de montanhas devido ao desgelo. O Saco do Mamanguá se estende por 8 km até se encerrar na mais bem preservada manguezal da Baía de Ilha Grande. Aqui podemos observar um cenário com muitas montanhas ocupadas pela Floresta tropical Atlântica. A fauna marinha é muito rica, com muitas espécies diferenciadas e algumas únicas, conseguindo abrigar todos os reinos e quase todos os filos. O Saco do Mamanguá abriga uma pequena vila de caiçaras, que se sustentam a partir da pesca e do turismo e não tem acesso a energia elétrica apesar a estar a alguns km da usina I e II O local é muito rico em fauna e flora, e foi usado como cenário para cenas do grande filme Amanhecer, da saga Crepúsculo.


A Vida Num Fiorde Tropical Durante a visita ao Saco do Mamanguá, nos encontramos com Antônio Santos, que tem 45anos, é casado, tem três filhos, é artesão, e trabalha diretamente com o turismo. Conversando com ele, nos conta como é a vida no Saco do Mamanguá Colégio São Luís: Quais são as maiores desvantagens de morar no Saco do Mamanguá? Antônio Santos: Acho que as maiores desvantagens são a falta de energia, e a distancia da cidade.

C.S.L.: Já pensou em largar a vida aqui e tentar “a sorte” em outro local? A.S.: Sim, já tinha pensado antes, mas não tenho condição financeira para isso. Fora que já me adaptei a esse lugar, aqui é onde meus amigos e família moram, e acho que agora é tarde para mudanças, já passei da idade.

C.S.L.: O meio ambiente é bem preservado? Você observa alguma ação do governo para garantir essa preservação? Exemplifique. A.S.: Sim, com toda certeza, há muita fiscalização, essa mata é INTOCAVEL, qualquer coisa que quisermos fazer , devemos pedir autorização para o IBAMA, caso contrario, podemos se multados ou até presos.

C.L.S.: Você já viu alguém desobedecendo essa lei? A.S.: Sim, mas a lei ainda não era oficial, não puniram o homem..

C.S.L.: O que você acha de viver tão perto de uma usina nuclear? A.S.: Bastante preocupante, tenho medo de que aconteça um acidente, e ela


é inútil para mim, pois não fornece energia para nos.

HISTORIA DE PARATY RESUMIDA Paraty foi fundada 1664, caiu em depressão econômica diversas vezes, e foi projetada pelos maçons. 1970 foi ”reencontrada” e aberta para o turismo. E ate hoje é um grande centro de estudo da época.


FILOSOFIA EM PARATY

TRANSFORMAÇÕES

Paraty foi uma das muitas cidades que sofreu varias transformações, mas mesmo assim é única, entenda melhor assistindo o vídeo acima


Cartões Postais Os famosos, e tradicionais, cartões postais já foi esquecido por muitos. Isso é triste, que esqueceram, não se lembram do prazer que eles podem trazer, tanto para os que mandam, tanto os que recebem, ele e bastante usado em viagens principalmente pelos norte-americanos, que toda vez que saem de seu país mandão um . Por conta disso, a professora Vera La Mar, professora de inglês do Colégio São Luís, aproveitou a viajem de seus alunos para Paraty, para os fazerem mandar cartões postais ás famílias. Esse trabalho foi um sucesso, todos gostaram de mandar, e ficaram ansiosos, para quando suas famílias os recebessem. A proposta era que eles escrevessem um catão postal para seus pais, em inglês, e do mesmo formato de um de verdade, ao lado um dos cartões enviados. “Acho triste que as pessoas tenha parado de mandar, realmente não sabem o que estão perdendo, e mais divertido que mandar um torpedo, eu mandaria todos os


dias, se pudesse” disse uma das alunas “infelizmente não tenho para quem mandar...”

EXPRECIONISMO Um dos tipos de técnicas mais diferentes já inventados, ainda usada, conhecida por não apresentar muito realismo, mas usa uma criatividade, e preocupação com a luz, imensa, o expressionismo ainda é adorado e estudado nos dias de hoje. Muitos ainda o desconhecem, ou não sabiam, que sem ele não teríamos grandes obras como as de Moné, um dos idolatrados pelos expressionistas, que mudou a história da arte. Mesmo não expressando realismo, apresenta um desenho, não apenas rabiscos e borrões, veja ao lado, um dos produtos finais de um quadro criado por dois brilhantes estudantes.

O objetivo deles era fazer um quadro expressionista, retratando uma imagem de Paraty, usando as principais técnicas desta arte,


como pinceladas destacadas, e a luz. Observe como conseguiram faze-las, e usa-las.

Morando com as cobras Rosilene Martins Santos tem 39 anos de idade, estudou até a quinta série, é mãe solteira de 3 filhos e pertence a religião católica. Mora no bairro de Ilha das Cobras desde que nasceu. Colégio São Luís: Com o que a senhora trabalha? Está relacionado ao turismo? Rosilene Santos: Trabalho em uma lavanderia, a Lav Sec. Não está relacionado ao turismo. CSL: O meio ambiente local é preservado? O governo toma ações para protegelo? RS: Sim, tudo é bem fiscalizado, para fazer qualquer coisa é preciso pedir autorização do IBAMA. CSL: Quais as principais dificuldades vividas pela população local? RS: A saúde. Os poucos médicos daqui vêm quase todos de fora e, como o salario não compensa, vão embora CSL: Já pensou em deixar Paraty para “tentar a sorte em outro lugar”? RS: Sim, pensei em ir para São Paulo ou para o Rio de Janeiro, mas ouvi dizer que estão pores do que aqui em Paraty. De qualquer jeito, não tenho condições para me mudar.


CSL: O que você pensa sobre viver tão perto de uma usina nuclear? RS: Tenho muito medo, acho perigoso, mas não podemos fazer nada. Para nós, não há vantagens.

Geometrizando A

geometria esta presente no nosso dia ao dia, em todos os

lugares o tempo todo, nas coisas mais simples a mais complexas. mas o lugar perfeito para observar isso e Paraty no centro histórico mas especificamente. E quando os maçons a projetaram focaram justamente nessa característica, e por conta disso o Colégio São Luís levou seus alunos para lá, onde fizeram projetos em base nisso. Os projetos de matemática, procuravam mostrar essa geometria, veja essa casa maçônica, por exemplo, que e um dos projetos dos alunos, esta nas proporções usadas pelos maçons no projeto da cidade, observe, a proporção e a geometrização. Um dos alunos disse que foi o projeto mais legal do ano, e que eles aprendera muito mais a matéria dada ao longo do ano por conta dessa visita, e não foi só matemática, foram em todas as matérias. A proposta do trabalho era mostrar a geometria em Paraty, tanto nas construções, quanto nas plantas, por meio de cartazes, ou em objetos tridimensionais, e no interior, ou


exterior, colocar fotos da cidade, fotos tiradas durante a visita. E os resultados superaram as expectativas.

Energia problemática Um dos assuntos mais discutidos atualmente e a questão da energia nuclear, seu uso e benificio. As pessoas acham que não ha perigo em aproveitar esta energia, mas não sabem o quanto prejudica a nos e ao meio ambiente. Em primeiro lugar, ela afeta a fauna e a flora marinha submarina, ao devolver a agua, utilizada no resfriamento de turbina, no mar, altera a temperatura da agua (+3 graus). Isso referindo-se a Angra1. E não e só isso. No caso de um acidente, radiação vai afetar as florestas, as cidades, rios, e todos que estiverem próximos , incluindo trabalhadores da usina. Em segundo lugar, mesmo gerando toda aquela energia, não consegue sustentar o estado do rio de janeiro por completo muita gente que deveria estar recebendo energia ainda não conseguiu. Mesmo que sua fonte de energia seja limpa, eficiente, e eficiente, e perigosa, e se gasta muito tempo e dinheiro para se conseguir. Outros custos são para reformar gasta-se 3 bilhões de reais (mínimo), para construção de uma usina nuclear, enquanto esse dinheiro poderia estar sendo usado , ou investido na educação ou na medicina. E o pior, demora muitos anos para finalização do projeto. Apesar das outras usina, com solar, hidrelétrica, ou eólica, terem esse mesmo tipo de problema, são mais limpa, seguras, e não poluem em grande maioria, o que as tornam melhores. Com isso, podemos notar que os problemas dessa fonte de energia são reais, e muitos. Seu uso e inseguro, e só pode trazer riscos. Então, deveria se proibida.


Paraty  

Revista do Projeto Paraty

Advertisement