Issuu on Google+

Projeto de Animação Comum | 2011-2012

Projeto de Animação Comum | 2011-2012

Alves Redol Coisas, pequenas coisas Fazer das coisas fracas um poema. Uma árvore está quieta, Murcha, desprezada. Mas se o poeta a levanta pelos cabelos E lhe sopra os dedos, Ela volta a empertigar-se de seiva, renovada. E tu, que não sabias os segredo, preferes a vaidade. Fora de ti há o mundo E nele há tudo

Vida e Obra

Que em ti não cabe. Homem, até o barro tem poesia! Olha as coisas com humildade.

Fernando Namora

Joga Todo o Teu Ser na Breve Ideia

Joga todo o teu ser na breve ideia que incerta entre o corrente te procura

Os Poetas do Neo Realismo

pra lá do que banal te prende e enleia e pelo destacá-la emerge pura.

Carlos de Oliveira, 1921-1981

Fazê-lo é dar-lhe já o que perdura. Porque a banalidade que a medeia como à pedra vulgar por entre a areia

Fernando Namora, 1919-1989

esquece o que em tomá-la a rareia.

Vergílio Ferreira, 1916-1996

Ser homem é escolher o que o oriente e ser-lhe o mais a margem que lhemente

António Gedeão, 1906-1997

Vergílio Ferreira

Manuel da Fonseca, 1911-1993

SABE — Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares Biblioteca Municipal Almeida Garrett

Dia Mundial da Poesia 21 de março

.

1911-1969


A Poesia e o Neo Realismo

Foguete de Lágrimas

Poesia é carne e é flores, é suor cristalizado, trepidação de motores num céu diurno e estrelado. É canção de altifalante no largo da feira -franca, perfume de saia branca, copo de vinho estuante, É toda a força contida e evidente sem disfarce, o salto que há-de formar-se da pantera adormecida. É corpo e é coisa mental, nebulosa primitiva, espasmo de matéria viva, ressonância universal.

Sugestões de Leitura POEMAS Portugueses. Antologia da Poesia Portuguesa do Século XIII ao Século XXI / Org. de Jorge Reis-Sá , Rui Lage. Porto: Porto Editora, 2009. ANTOLOGIA da Poesia Portuguesa 1940-1977 / compil. de Maria Alberta Menéres , E.M. de Melo Castro. Lisboa: Moraes Editores, 1979. LOURENÇO, Eduardo — Sentido e forma da poesia neo realista. Lisboa: Dom Quixote, 1983

Sabia que... “A proclamação do Dia Mundial da Poesia, foi feita pela UNESCO, na 30ª conferência anual, realizada a 16 novembro de 1999, com o objetivo de promover a

É cozimento de olhares, de sons, de cheiros, sabores, onde corre, em capilares, sangue de todas as cores.

leitura, escrita, publicação e o ensino da poesia através do mundo.” (http://pt.wikipedia.org/ )

No poço da morte impura goteja a humana agonia. Da angustiosa aventura tudo que fica é poesia.

“No intuito de incentivar o gosto pela leitura e pela escrita de poesia, O Plano Nacional de Leitura e o Centro Cultural de Belém, numa iniciativa conjunta, convidam todas as escolas do país, públicas ou privadas, do

António Gedeão

1º ciclo ao ensino secundário, a participar no Concurso de Poesia FAÇA LÁ UM POEMA.” (http:www.planonacionaldeleitura.gov.pt)

Alves Redol

Projeto de Animação Comum | 2011-2012


desdobravel poesia